Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04722


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno de 1840. Sexta Feira
Tudo agora depende de ns mesmo ; da nos prudencia, modera-
r.o e eneris : CQiUiauemoa como principiamos, e seremos aponlados
com adiuiraco enlie as Naces mais cultas.
PrcclaraacHO da Assemulea Geral do Brasil.
i m m
Subtcreve-se para esta folha a 3fooo por quartel pago< adiantadoS
nesta Tyi'OTafa ra das Otiles D.3, e na Praca da Independen-
cia n. Sy, e 38, onde se recehem correspondencias legalizadas e an-
nuncios', insirindo-se estes gratis, sendo dos proprios assignantes, e
vindo assgnados.
PATIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES;
Cidade da Parahiba e Villas de sua pretendi.......\
Dita do Rio Grande do Norte, e Villas dem.......( ,c .
Dila da Fortaleza e Villas dem............. j3*' >'"
Cidade de Goianna...................../
Cidade de Olinda...................... Todos os din;
Villa deS. Anto...................... Quintas feiras.
Dita de Garanhunt e PovoacSo do Bonito.........lo,' e a4 de cada mei
Ditas do Cabo, Serinhaem, Rio Kormoio, e Porto Calvo, t, n, e ai dito dito
Cidade das Alagoas, e de Macei............dem dem
Villa de Paia de Flores.....................dem 13, dito dito
Todos os Correio partera ao meio da.
PHASES DA LA NO MEZ DE AGOSTO
Quart. cresc. a 5 as 3 h. e 51 m. da man.
La Cbeia ai5-as 4 h. e 55 m. da man.
Quart. ming. a 10- as 9 h. e 57 m. da man.
La Nova a 16- as 4 h. e ijm. da man.
Afane chiia para o da i4 de A%ostoi
As
As
6 horas e 6 minutos da roanhj
6 horas e 3o minutos da tarde.
14 f>E AtiosTQ? Ncmi6 177
CAMBIOS. Agosto i 3.
Londres......3o d. por Ifooo ced.
' Lisboa ......8o a 83 pon ojo premio por meta! ofierecido/
Franca...... 3ao rei* por tranco.
Rio de Janeiro ao par.
OURO -- Mneda de 6gioo reis, vellias tUf5?o a 1W100
,, Ditas ti ,, novas 14#3oo a H#!ioo
' Ditas deo#oooreis, Hjjooo a Sgioo
PKATA Pataces Itiasileiros ij|rr>|o a iff>6o
Pezo Columnarios----- ifAso a ijfario
Ditos Mejicanos----------- i#f>io a i^b'io
Miuda. *---------------------ijjMo a ig&a
Descont de billietes da Alfandega 1 i|S por loo ao mea,
dem de letras 1 t|4 a i ip por l>oas firmas ollerecido
Moeda de cobre 3 a k por ioo de disc.
das da semana.
io Segunda >?f ii Terca S. Tiburcio e Susana Mm. RelacSo e Audiencia do Jut
"de Dlreitoda i. vara.
:> Quirta S. Clara V. P. Audiencia do Juit de Direito da 3. vara.!
13 Quinta Hypolilo e Casciano Mm. Audiencia do Jui de Direito
da i. vara,
i q Sexta jejura S. Euzebo. Audiencia do Juiz de Direito da i. vara.;
i5 Sabbado >ff Assumpcode N. S.
16 Domingo S. Joaqun. Pai de N. S.
RIO DE JANEIRO.
CMARAS DOS SRS. DEPUTADOS.
Sessao em io de jullio.
Presidencia do Snr. Marcelino de Bnlo.
A's dez horas da manhi he tal o concurso
dos espectadores que as galeras nao tem es-
paco bata*hte para acommodal-os.
Procede-se chamada ; e, havendo nume-
ro sufficiente de Snrs. depulados abre-se a
sessao,.
He lida e approvada a acta da sesso an-
tecedente.
O Snr. primeiro secretario d conta do se-
guinte
Expediente.
Hum officio do o secretario do senado co-
municando que o mesmo senado nao deo o
seo asienlimento resoluco que adiava as e-
leicoes para a fui tura lrgislatura ; fica a c-
mara inteirada.
Outro, do ministro da justica enviando o
decreto pelo qual fo aposentado Francisco
Xavier Barreiros no lugar de offinal da seta-
ria de polica : commisso de penses e.orde-
iiados.
Outro do ministro da fasenda remet-
iendo hum officio do presidente da provincia
deSergipe acompanliado da planta e orca-
mento da obra para construeco de huma al-
fandega na dita provincia commisso de
orcamenlodafazenda. Indico que se nomee huma commisso es-
Outro, declarando que nada pode infor- pecial composta de tres membros, para
mar a respeito dos olficiaes da secretaria do oflerecer cmara com urgencia a medida
governo do Maranhlo cojo requerimen- que lhe parecer mais conveniente sobre a
t'o devolve : terceto commisso de fazenda. maiondade de S. M. o imperador o Senhor
hum parecer da comisso de ma- D. Pedro II. O depulado A. P. Limpo de
a marcha seguida em idnticas circunstan-
cias, pela cmara dos depulados da naco p*)r-
tugueza, quan-lo tractou de declarar maior a
Senbora D. Mariall.
Alem disto ha outra raso para pro-
por antes a commiso especial do que indicar
que se incarregue do negoci a commisso
de constituidlo e he ser elle orador mem-
bro desta commisso.
Igualmente requer que a commisso d o
seo parecer com urgencia attentas as cir-
cunstancias do paiz.
Seivindo-se das palavras de hum nobre se-
nador declara estar convencido de que s
sao consideradles de patriotismo de que
nao he se nao a voz psturgidora da necessi-
dade, quem reclama que S. M. I, seja decla-
rado maior.
Observa que. quando se reclama todo a
adheso do corpo legislativo a favor de me-
didas para firmar-se a tranquidade do im-
perio o meio mais eflicaz de obter com prom-
ptido essas medidas he a declaraco da mai-
oridade porque ha urna especie de descon-
lianco bem ou mal fundada de se darem
tnes medidas a oulro governo que nao seja o
do Snr. D. Pedro II.
Sendo esta a sua opinio todava declara
que respeitar a deciso do corpo legistivo na
certeza de que nao tomar deciso alguma que
nao seja conforme ; opinio do paiz.
Le-se e entra em discusso a seguinte in-
dicaco,
pede ao'Sr. presHente qu e lhes permilta o n- ja arrastrada a dar hum parecer preci pitad
irrasso nos ngulos da sala das sesses. visto embora elle orador em toJo o caso considero
que. ha precedentes dehaver-se isso permit- a medida Ilegal,
tido em outras occasies. Se lhe demonstrassem que o paiz gan hava
O Snr. presidente adverte que a exigencia com a revoluco, era o primeiro aapproval-a ;
do nobre depulado se op5e ao regiment. mas nao tem esssa conv.nc.io O antes peni*
(Nao obstante a advertencia do Snr. pre- que se a cmara quisesse poda abalar o
sidente, entro'muitos espetadores para a sala grito revolucionario.
das Sess5es, porque as galeras, trebunas Repele que v na medida huma revomco,
e corredores nao ha espaco algum desoccu- com a nica dTerenca de ser leitas pela, ra-
. .____... n ,,..,. r,,n-r> o puma p p arador
pado.)
maras e nao pelo povo ; e como elle orador
ou que va de consttuo ; e porisso nao
ter dnvida em votar por urna ou outra
couza.
Observa que, quando o paiz se acba em
crise. demorar he ferir a vontade popular ,
e entio he legal todo o acto que satisfaz a
vontade da naci, ainda que nao esteja mui-
to em harmona coma marcha ordinaria dos
Le-se
offerecendo a seguinte re-
rinha e guerrra ,
solucjo.
A asoemblea geral legislativa resol ve :
Abreo.
O Snr. Galvo oppe-se indicaco por
que a julga intil e prejudicial ; intil por-
Artiro nico" Todo o militar que, com- que, depois de to lon^a discmsao. quaU que
metiendo qualquer dos crimes especificados tem bavido sobre o objecto ere que todos
nos artices io7> i .o e 111 do cdigo crirai- se acbo sufficenlemenle esclarecidos j e pre-
nal, violar o artigo i5 de guerra do regula- judicial, porque, vista da* occurrencias ,
ment de i de fevereiro de 1763, nao com- repula hum grande mal toda J demora M de-
mete crime puramente militar. claraco da maiondade de S. M. I. (Numero-
Jul;a-se obieclo de deliberaco, e *ai a sos apoiados).
mnrmir Se ha tres meses o tivessem isultado, te-
lili III IIIJI a -
Hum requerimento dos propietarios dos na com a maior fran queza declarado que nao
predios dasiuas da Misericordia, S. Jos, annuia a decretaco da maiondade .porque
Colovello e outras desta capital, sobre a ne- com quanto tenhaa mais decidida adhesac
cessidade de se proceder a exame nos mes- pessoa do Snr. D. Pedro II, e anhele por
mos predios, anles desedisculir o projeclo vel-o dmgindo os negocios do eitado to-
que tVacta dodesmorouamento do morro do. daa reconheee tambera que o artigo que
astello: fica sobre a mesa para se lomar fixa o lempo de .ua ininondade he constitu-
m consideraco, quando se tractar desle ob- onal.
. Ni 1
Na crise, porem. em que agora considera
achar-se o paiz. julga indispenvel que se cor-
ra bnm veo sobre o artigo da constituico,
porque a salvaco do estado he superior a to-
das as leis. (Apoisdos )
O Snr. presidente adverte ao nobre orador
jecto.
O Snr. Limpo de Abreo (profundo silencio,
tncvimenlo de curiosidade)declara que, cum-
prindo a promessa qne fizera na sesso ante-
cedente vem apresenlar huma indicaco pa-
ra que se nome urna commisso especial que
oflereca com urgencia a medida que mais .
conveniente parecer sobre a maioridade de Snr. Limpo de Abreo,
C ai r w\Sn /Incvio fia nnp'.hn
Observa que poderia apresentar hum pro-
jecto de resolucio para que se deliberasse j a
maioridade mas nao o faz por nao querer
m negocio to grave lomar a iniciativa ; e,
sobre ludo, por nao parecer que se quer arro-
bar a gloria desse acto, quando alias esta
convencido queagloria que d'hi resulta he
utmmum a toda a cmara (Apoiados).
Piopoe a nomeaco de huma commisso es-
pecial por lhe parecer conveniente adoptar
O-Snr. Riheiro de Andrada acha indiffe- s quer o imperador com a constituidlo (a-
rente que a indicaco do Snr. Limpo de A- potados) por isso vota contra toda a medid*
breo se remetta a huma commisso especial, precipitada.
O Snr. Alvares Machado observa que na
ultima sesso o Snr. Carneiro Leo ,qua
hava iniciado o projecto da reforma consti-
tucional, retirou-o com os appUuzos e entu-
siasmo de toda a cmara.
ola que o lado a que elle orador pertenco
nao se quiz approveitar do momento da en-
to em harmona coma marcha ordinaria dos lnusa8mo por queesse lado da cmara quer
corpos deliderantes Por esta consideraco ccmvencer a naco e ao mundo civisado da
manda a mesa as seguintes indicaco e reso- suag <|elberac5es sao lilhas do patriotis-
luc que offererece como addtamento in- m0 e p0rJS0 se d^moraro e offerecero a
dicaco de Limpo do Snr. Abreo : ,' precedenca"a seu scollegas,pattenteando assim
A assemblea geral legislativa do Brasil re-! os vehementes desmolde que S. M. Lose-
, b b nhor D. Pedro II tomusse as redeas dogo-
Artlpo 1. O Snr. D. Pedro II he deelarado verne nao pelo voto de hum dos lados da ca-
maior desde j. sim &**<*! ?\loi* a camara' da
Artiro Q. Fico revogadas todas as leis e toda a nacao. (Apoiados).
despo fc5es em contrario.5 Declara qne por todas stu con de-
pPaco dacamara,2odejulho de .840. mes foiespacada para a sessao de bj
Ribeiro de Andrada a indicarn do Sr. Limpo de Abreo; mas ad-
Inrqae a commisso de constituico se-! verte que a deliberaco da cmara nao pode
ja encarregada de submelter approvaco da procrastnar-se por muito lempo, PWJJ "
Jamara o officio que se deve dirigir ao senado, circunstancias do paiz nao soffrem demora (A-
pedindo a reunio de ambas para juntas potados) Mi,ma
deliberarem sobre o modo mais expedito de 1 Entretanto, nao J 1" P"^ *
collocarS M. Lo Snr. D. Pedro II .10 tro- maiondade do Snr I) Pedro II tumuhuam-
no, e d'esfarte, como verdadeiros repre- mente.e s.m com ordemfe moderapao. Jesej-u
sentantes da opinio publica, prem termo que quando S M. I. subisse ao trono.o pau
crise actual, e satisfaserem aoenthusias- se aclussse inte.ramente pacificado; mas,
mo e vontade pronunciada do povo.- Hibj- considera que a tempestado ^P'^^tuZ
ro de Andrada. i f^tada pelo imperador que so S. Vi. I pode
Entroem discusso con junctamente coma faseresquecer todas as desavens e odios ; a
indicaco do Snr. Limpo de Abreo. I ndo asm ere que se nao pode descon-
O Sor. Lirapo de Abreo er que o Snr, | vir da necess.dade de declarar quanto antes a
Galvo quer mandar hum requerimento ; e. maioridade.
a serass.m, reserva a palavra para depois! Parece-lbe que o Snr. Resende deo a en-
da leilura desse requerimento
Le-se o seguinte requerimento
tender que se mandaro agitar as provincias,
ao que responde que seria isso huma red un-
I,e-se O sejuinie reuuei iiucuiu. "i;------1 c m
Reaueiro que por acclamacio decrete se des- dancia porque toda a nacao quer queS.M.
de^ama.c.ridadsdeS M. o Senhor D Pe- I. governe e o que convem he queeorp
droll imperador constitucional do Brasil.- legislativo se pon ha arente da votada a-
uro ii luipc jcioual e a satisfaca afim de evitar a
"oSnr. Rczende vota em parte pela indi-1 revoluco popular porque o povo era sem-
caco do Sr Limpo de Abreu, e regeita a pre vai ao fira a que se propoe pelo melhor
na'rte restante, porque nao quer que se crie cummbo. ',.,...,
rumacrmmisso'como ade \ de]ulho em Adverte mais ao m.mo nobre>pu ado q O
negocio aueno toca s cmara e ao povo ninguem quer que o nr. U. l'edro 11 gjver
doURio de Janeiro, mas sima todo o Brasil, ne seno constituicionalraonte e que o peo-
ra I si smenlo contrario jaman eacontraia aji.no ti
C Convido fallar em grito da naci, mas bancos do lado a que elle orador peru-ucepar
clara que ainda o nao ouvio j e em negocio que esse lado da cmara so quer o Sr. U.
'^rs^^t^ss^^^rsFSS^
,va. Observa que a maioridade de S **
J^, pe'd^i para a J-*. po^a ---> -^ gZZEZZ Sr^A'ffi'f ^
seu estado morboso era permitlia que vtes- cora o fira de agital-as, e prouaraar se a mai w ^ nas dihberaces da cmara ;
se cmara : mas constando-lbe que se ti- ondade. nanuma ra ma, ,,uer .mese allenda vouUde pacionahi
OS BloS pTaorfem) edo que ..'revotacio .MM caso qaerque .o m elle ^""'"^^Mt\J^, edo..S
gaUrfarntoHe^Jueap^^ t'""K *\


DIARIO D F
t
m
P E R N A
..............
M B XI C O
M
ades que se discuta com calma e se evilem
fcs recriminaies ; e observa qup elle orador
lie. o primeiro a seguir esse conselho esque-
endo-se de todos os docstos que sobre elle
Janeara o Sur. Carueiro Leo na ullima ses-
so.
Conche, envfim votando pela indicacSo
do Sur. Limpo de Abreo.
O Snr. Presidente declara adiada a discus-
sao vislo achar-se na sala immediata o Sur.
ministro da guerra para assistir terceira dis-
cussao da fi\.cao das (oreas de trra.
O Snr. Alencar pede a urgencia para con-
tinuar a discu ir-se a ind cacao do Sur Lim-
po de Abreo.
A urgencia be apoiada e entra em disctis-
afofl
O Snr. Alvares Machado [pela ordem] er
que o'nobre ministro da guerra, sabendo que
a cmara est occupada da importante questo
da maioridade at estimar;! relirar-se para
nao enibaracar por hum so instante a con-
-.-luso de medida to urgente, visto que,
subindoS. M. I- ao trono volar-se-lia sem
discussao a fixaco das (breas-
O Snr. Navarroestranha a mnneira insli-
ta porque no meio do entiiusiasmo ger.i
qualquer Snr. deputado.
O Snr. Presidente adverte ao nobre depu-
tado que est lora da ordem.
O Snr. Nunes Macjiado declara que tem
dito quanto pretenda.
O Snr. Carneiro Leo ( pela ordem "i nota
que nao pode haver questo de orden se- ^ .^... ....--------------
nao quando essa questo tende a manler a or- regiment nao haoutros meios de manter
produzido pela magostse questo que se dis-
cute procura o governo paralysar a medida
salvadora dse declarar maior o S:r. .Pe-
dro llj, vindo o ministro da guerra con-
tra todos os eslvlosda casa assistir ; terceira
discussao da fixaco das Torcas de mar. Per-
gunta-se ulguem ha que nao veja nesie pro-
ce limento os ltimos arrancos dessa camati-
Ibfl prostituida dessegovemo corrompido e
infame .....
O Snr. Presidente :A' ordem Snr. de-
putado.
O Sur. Navarro [ continuando ] estou na
ordem
nao
pode continuar a ser governado porsemelhan-
' te regente ? Por essa camarilha de ladros ,
de meias caras .....
Multas votes :A' ordem ordem.
O Snr. Presidente A' ordem Snr. de-
putado seno (anco mo das medidas que
aulorisa o regiment.
O Sr. Navarro (continuando e\oltindo-se
para o lado do Snr. Carneiro Leo ) : Vos
atraicoastes o vosso antigo companheiro fiel
( ordem ordem ) vos atraicoastes o vos-
so chele [; ordem ordem ] vos atraicoas-
tes a deputaco da BahiaJ( ordem ordem),
vos vos rendes enriquecido de meias caras ...
Os gritos de ordem paiiios de todos os la-
dos nao nos deixo mais ouvir as palavras do
nobre orador nem as que o Snr presidente
Ihe dirige, No meio desla confuso o Snr.
Navarro melle a mo no seio ; e e indo o Sr.
Goncalves Martins agarra-lo elle o repelle
com hum violento mo vi ment do braco ; mas
be no mesme instante abracado pelo Sr. Pon-
tes Visgueiro. Assira abracado e acenaudo
com um lenco d vivas maioridade de S
M. 1 o Snr. D Pedro II. O immensocon-
curso de espectadores, oceupo as galeras,
repete os vivas por huma mancha cslrondo-
sa. O Snr. presidente e os nobies deputados
de ambos os lados da casa grilo oidem; mas
os vivas maiorid ,!ede S. M. J. alnlavo as
vozes de ordem e esta s se restabelece com-
pletamente ao fim de cinco minutos, pouco
mais ou menos. O Snr. prasidenle la* enlo
lerosartigos do regiremlo que prohibem a
os pectadores dar signal algum de approvaco
ou reprovaeo e continan discussao ]
O Sr. Ribeiio de Andrada I pela ordem )
adverte que o meio roais ellicaz de se nao con-
tinuar n periu'jar a ordem he por ) a vo-
tos a ndicaco do Snr. Limpo de Abreo, por
que assim se teuuina a questo.
O Sr. Maiiuho (pela ordem) depois de
algumas cbservacoens que nao podemos ouvir,
terminu declarando que hade volar como de-
putado sem a menor sombra de coaeco. (A-
poiados.)
O Sr. Nunes Machado ( pela ordem ) est
convencido de que o procedimenlo do Sr. Na-
'varronao foi esultaoo de v..l inacoalguma
pois que o Snr. Limpo de Abren deve estar
certo dique a su a in-Jicaco he approvada.
Ao Snr. Navarro adverte, porem que nem
os gritos neo os tmulos Idiocon que elle
orador volc ; porque se acaso se persuadir
de que a .amara i] un faer !>unm revolucao ,
e laucar o paiz no vrtice das revolucouns, nao
hade acoinpaniar.
DecLia que nao he flho de camarilhas.
(Apotados) que nao reconieju tamarillnis.
(Apoiidoa )
Jorga que o ministro da guerra veio por
dem. Censura os excessos praticados peloSr.
Navarro 'speraque esse no"bre deputado
chamado ao pudor se cohiba de taes exces-
soj
O Snr. Navarro :Voces he que nao tem
pudor depurados de meias caras.
O Snr. Presidente chama o Sr. Navarro
ordem e o ame ica com a disposico do re-
giment.
O Snr. Carneiro Leo [continuando] de-
clara que o Snr. Xavarro nao est em estado
He deliberar que era preciso fazer-se-lhe
hum fxame para verificar se podia continuar a
deliberar.
Observa que elle orador he talvez o primei-
ro a desejar a maioridade de S. M. I. a yer
se assira se acaba tanto cinismo.
Emende que he indispensavel a calma, afim
deque no golpe de estado que se julga in-
dispensavel se proceda com prudencia.
Diz que o Snr. Navarro chegou ao excesso
de meller a mo no seio parecendo arueaca-
lo com hum punhal ....
O Snr. Navarro :Eu he que fui ameaca-
do com facadas.
O Snr. Carneiro Leo [continuando] .
mas que gracas a Dos nunca tem maior
tranquilidade do que nos momentos de peri-
co ; e que o nobre deputado pono lucrara em
tirar a vida a hum corpo diente.
Adverte que o corpo legislativo deve pro-
\t lu. iiavdnu [ iuiii uiaiiuw j coivu im ceder com a maior calma e circumspscao pa-
rdeo; sito desse governo infame Quem I ra distinguir as suas deliberacoens das que o
o v, diz o nobre orador que o pai nao povo toma as pracas,
Requer aoSnr. presidente que mantenha a
ordem e que se nao se julga com (orea pa-
ra manle-la resigne a cadeira a quem seja
oapazdeo fazer.
O Snr. Presidente declara ao nobre depu-
tado que tem a devida coragem eenergia pa-
ra manter a dignidade do lugar que oceupa
( numerosos apoiados ) e que nao be por lai-
ca de esforcos e coragem da sua parte que a
ordem tem deixado de manter-se. ( Nume-
rosos apoiados.)
O Snr. Pacheco em grande parte foi
previnido pelo Sr. Carneiro Leo mas dse-
la alem dissi, que o regiment se compra ,
e que o recinto da cmara nao continu a es-
tar oceupado por espectadores.
O Snr. Presidente adverte ao nobre depu-
tado que quando o Sr. liastos exigi que se
facilitasse o ingresso aos espectadores elle
declarara que o regiment o prohiba.
O Sr. Goncalves Vlartius ped; a leitnra de
diversos arligos do regiment e lie salisfeito
O Snr. Marinho;Seo Brazil interohoo-
vesse assistido a dis^ussio nao pedira a pa-
lavra que s pedio afim de verifi ar os fados,
para que nao appare.o desfijarados.
Pensou que depois de sabbado a cmara j
nao tinha lados e que todos estavo acor-
des. Defende ao Sr. presidente da increpa-
cao que Ihe fez o Sr. Laineiro Leo e la-
menta que os nobres depulados que qnerera
manter a ordem sejo os prineiros a laucar
insinuacoens como acaba de fazer o Snr.
Nunes Machado, dando a entender que o pro-
cedimenlo do Sr. Navarro era effeilo de hum
plano.
Adverle que o Sr. Navarro nunca perten-
ceo opposoo semnre fe/, parte da maior ia
e qiii-s agora sedeshouve com ella e islo
declara porque quer q' u paiz o aiba.
CJuer'que o paiz todo saiba tambem que a
opposico veio lioje de acord a ligar-se a
conciliar-se com a maioria ; e nota que nao
ccslumando nunca os ministros assistir ter-
ceira discussao das propostas o prucediraen-
10 do ministo da guerra viudo assistir ter-
cerceira discussao, quando se ventilava huma
queilio to vital, induz a suspeilas.
O Sur. Andrada Machado censura a iu-
jus'ca da increpago do Sr Carneiro Leo a
o Snr. presidente, porque este tem bem cum-
pridoseus deveres (Apoiados.)
Censura lambem a anda do nobre minis-
tro da uerra para assistir terceira discussao
da proposta, emboraoSnr. presidente o hou-
vesse comotlevia, convidado, visto nao cos-
lumaiem nunca os ministros assistir a tercei-
ra discussao supposto sejo sempre convida-
dos.
lila dflteja que leappareco scer.as guese
s ijuc se passrao na acsso de boje e espa-
varro pertenceo sempre maioria, e nao tar-vos que na noitedo da gpara o do cor-
er ; nem a este nobre deputado, nem rnteme/. foraS achadas pelo Subpreleito des -
ao Senhor Carneiro Leo as imputa la frPguezia em casa de huns ladres as 5a-
coens de ameacas de pnnhaes de que raci- gradas Formas, recon litas em huma caixi-
procamente se qeixo porquejulga isso in- n|,a deprata enterrada debaixo.de huma ca-
j:___j. i___j___..j-i....;t:.A ___ _j. ;m,ui;aiami>nip enllocadas no
digno de hum deputado brasileiro.
O Snr Barreto Pedrosodeseja saberse io
Ju!-a que o njin&tro da guerra veio por c (uc se paoro na ^csso de noje e epe- kj juuiio e piase. Mc p-^..-
coi.vi'duar. (,/esideule ti.ui.de que ha raque nao reappareco lamb-jio- lusiaua- o iNosso coracao, depois que soti.eo a puri-
-overno no paiz a quem cumpre respeitar o ooeu prfidas ido urao laucadas sjbre o la- gente dor c (alai golpe pelo roubo do aacra-
u.- nao be prostituido porque se COUipOO de do a que perlooco. m ^ "^imo Corpo de Jess C., qoal recentemen-
^ _. ._- .' v ___ n..___i- .. ,.nm i n,.lr......- n ,.l,ra .lonniHln n Sr. Na- l vos anuunciauos iNos obriza a luaniles-
qui* nao ne ;n siuukio |mr'|ue c ijim|. uw Uu i|uc |;hciii.b.
iiomnitin linnmrl'ni tumn elle orador e como ^ Declara que o uohre deputado o Sr, Na-
ordem visto qup o Snr. Navarro lancou mo
impunemente de hum punhal, e pz as mos
no Sr. Goncalves Martina.
O Snr. Presidente faz leralgans artigo do
regiment, e declare que est de acord a po-
los em.e.\6cuc5o.
O Snr. Montrrima nao quer tomar parte
na questo de ordem e sim na de urgencia ,
scalgnem acmbate.
Nota que a cmara deve fazer saber ao paiz
o que se passou na c.sa e que as galenas se
porta rao com -o maior commedimento res-
pqndendo nicamente aos vivas maioridade
de S. M.S. I. que foraodados por hum se-
nhor deputado. Faz algumas outras rel'lexo-
ens e vola pela urgencia.
O Snr. Pontes Visgueiro nao pdeconvir
na deshonra de se afribuirao Snr. Navarro
que trazia hun _punbal, quando elle orador,
agarrando-o vio como toda a cmara, que
nao tinha mais do que hum lenco na mo. Diz
que^ide bem ser que alguem traga punhal,
mas que nao he certamente o Snr. navarro.
O Sr. Lopes Gama louva o povo das gale-
ras, que entende haver-se comportado mui-
to dignamente (apoiados) e faz algumas re-
flexoens em resposla ao Sr. Monte/urna.
O Sr. Simpo de Abreo observa que esteve
por muiros das em discussao o projecto do Sr.
Carneiro Leo, eque oserfaulur o retirara
sem q'ie a opposico livessea menor parte nes-
se facto, ou houvesse al enlo apparecdo a
menor agitaco.
Nota que todos desejavo anciosos a maiori-
dade doSr.r D. Pedro II mas soceg los ; e
que depois de retirado o projecto as discuss.i-
ons se tornaro calorosas sendo alias certo
que o governo tem na contituico meios a que
a cmara ha de obedecer, se quer obstar dis-
cussao como parece.
F.xpe os factos como at boje se tem pas-
sado com o fim de provar que a opposico se
tem portado com toda a calma. Faz mais al-
gumas rellexoens e termina votando pela ur-
gencia. .
D-sea urgencia por discutida e he ap-
provada ; e bem assim se approva a indicaco
do Sr. Limpo de Abreo.
Procnde-se nomeaco da commissio especial.
Resultado da votaco.
O Sur Ramiro 4o votos.
O Snr. Goncalves Martins 4*
O Sti. Nunes Machado *7
O Snr. Limpo de Abreo 4 i
O Snr Aureliano 44
O Snr. Antonio Carlos 4a
Fica por lano a commisso composta dos 3
primeiros, aosqu..es he reraeltida a indica-
co do Sr Limpo de Abreo o requenmen-
lo do Snr. Galvo e o additamenlo do Snr.
Ribeirode Andraba.
Entra em i. discussao a fixaco das forcas
de mar.
Sao lidas e apoiadas as seguintes emendas :
Em lugar de 8 companhias de artfices di-
ga-se t Carvalho de Mendonca. .
Da puhlicaco da presente lei a 6 mez.es fi- guias de G pracas que recollierao da lliado
ca sem efleilo o artigo a. da lei de ao de se- Fernando onde se achatad destacadas e
lerobro de i838 de n. 4. Carvalho de dnndoa respeilo de seus vencimentos precisas
> iim.-litriu tftpm ll i II. 1 _
, sendo immediatamente collocadas no
Sacrario da Matriz da Boa-Vista como nos
certifica o Reverendo Parocho da mesma e o
Vigilante Subnrefeiro.
Podemos estar certos, que o mesmo >enlior
I. C. Sacramentado attendeo (apezar do Nosso
demerito) s supplicas que sua Esposa Iba di-
rigi por trez das na Matriz da Mo-ibeca ,
onde para este fim comparecemos como era
do Nosso dever, concluidas com solemne L ro-
cissc
Filhos sempre diloctissimos he mister que
leslemnnhemos publicamente nossa gratidao
ao noompar.v.el beneficio que ora recebemos
pela iotenco da. Sacralissimas Formas. Con-
corramos Matriz da Boa-Vista no da .6 do
corrente pelas 4 horas da larde pira por
meio d'utna solemne Procisso desaggravar-
mosoSaeratissimoCorpode Jezus C ultra-
jado pela maior perversidad^ agradecen Jc-
Ibelao singular prodigio, ponqu todo
Bemfeitor tem direito ao reconhecunento dos
agraciados. .
Nos convidamos todas as Irmandadcs e
Confrarias, para que se dignen hxnar e
solemnisar este acto polo qual manitestamos
adetestacodetanta impiedade. Residencia
Episcopal no Palacio d% So.idade aos la do
Agosto de 18.\o.
Joo Hispo Diocesano.
COM MANDO DAS ARMAS.
Expediente do dia i do rorrete
OfEctaAo Exm Presidente, remetten-
do-lhe em propiiooriginal o pirecr do Ci-
rur^io mor do 3. Batalhod'Arliieria que
oi mandado examinar o estado de saude do
preso Militar sentenciado1, Ignacio Jo vi, u un
Pitomba com o^que Gcava dada a iuformago
a respeilo pedida.
Portaria Ao Tenente Coronel Comman-
dante do Deposito mandando d'ordem da
Presidencia dar baixa aos soldados Jo> Go-
mes Percira i Jos Joaquina Pereira e
Manoel Dias por terera sido inspeccionados
pela Junta de Saude em esso de 3o de Julho
ultimo', e julgados absolutamente ineapazes
do sorrcr> milil.ir.
dem do dia 3.
Offieio Ao Exm. Director interino do
Arsenal de Guerra pedindo-lbc virios es-
clarecimentos a respeilo do armamento, cor-
reame, e equipamento fornecido a Companbia
que outr'ora guarneceo a lha ile Fernando.
Dilo Ao Inspector da Thesouraria com-
municando-lhe que o a. Tenente Reformado
Joo Arsenio Barbosa fra exonerado do em-
prego de Ajudantcdo Director do Arsenal de
Guerra no dia 17 de Julho ultimo, substi-
tuindo-00 Capito J J. de Faria Neves co-
mo veria da copia da ordem do mesmo dia 7 ,
que teria sido enviada a Conlabilidade Mili-
tar na forma do costume.
Dito Ao Prefeito da Comarca, dizendo-
lhe em resposla ao seoolHcio desta data que
tinha dado conveniente deslino ao desertor
Jco Pacheco da Silva.
Dito Ao Commandante interino do 3.
Batalbo d Arlilheria remeilendo-lbe as
Mendonca
Artigo additivo da coromisso.
A gratifica! o addicional dos cirurgioens e
providencias. dem do dia }.
Oflicio Ao Exm. Presidente remetten-
do-lhe competente o favoravelmente infor-
posicoens en vigu. uu .^ -,,......^-------- ----- --------
dezembro de 1790 e da carta de lei de 6 de j que Ihe concede o Artigo a. da Le de ai de
novembro de 1837. Limae Silva. Carvalho Al.. I ile I790 j por isso que lendo a ReUco
de Mendonca d;i Corle revogado a sentenea da Jti de Jus-
A discussao fica adiada pela hora. Uva que o condemnara a priso perpetua, e
O Snr. presidente d para ordem do dia a onfirmado a sentenea de morte que Uvera
mesina e, se houver lempo priraeira disf- no Conselho de Guerra, em quanto o Poder
cussodo proje.lo sobre colouisa9o.
Levanta-se a sesso depois das a horas
e jbJ K JN A M t U BISPADO.
Dom Joo da. Purificacao Marques Perdigo ,
Conego Regrante de Santo Agoslinho pela
Graca de eos e da Sania S Apostlica ,
Bispo de Pernamhuco do Conceio de S.
M. L e C. &c.
A todos os Nossos Filhos em Jezus C, Saude ,
Paze Bcnco.
O Jubilo e praser em rjue superabunda
......-----------"-. i---------
Moderador nao deliberasse estava compre-
hendido as disposicoes do referido Artigo.
Dito Ao luspector da Thesouraria, dan-
do-lbe o esclarecimento que pedir en seoot-
ficio de hontem a cerca da duvida em que se
chava o Otlicial encarregado d Conlabilida-
de Militar de conferir a foltia dos OtHciaes do
3. Balall.od'Aililheria. por nao terem com-
parecido a revista de mostra no dia 1. do cor-
lente o Tenente Coronel Trajino Cezar Uur-
lamaque e Meter Manotl Cavalcentt de
Mello ambos addidos aodito Balalho
Dito Ao mesmo requisitando Ihe as fes
d'Oihcio do* Almoxarifes das fortalezas de 1-
tamara:a e lamuiidar aoiQ Jos de
Albuquerque e Alexandre Simo da Cruz,
a limde seabrirem no livro de Registro do i.
Batalbo d'Arlilhern onde esUva aggre-


ntAEio de
P fi P. N A
1.....!! I !
M
mu
b u c <*
/
toados os precisos assentarenlos.
Dito Ao mesmo para que odenasse o
p9(ramenloda folha que lhe apresentasse o
Bri'gadeiro Jos Joaquitn Coelho tirando pa-
ra elle vencimentos deCommandante de liri
pada ; para o Tenle Joo Bernardino de Vas-
concellos de Majnr de Brigada e para o %.
Tenente Joo Marnho Paes Brrelo de Al-
dante de Campo do dia i3 ao ultimo de Ju-
Iho pp.. porterem nestas qualidades mar-
chado para a Comarca do Limoeiro Tam-
Lem pedia mandasse abonar pelo mesmo lem-
po ao Capilao Luiz de Queiroz Coiinho e
ao Tenente Anlonio Jos de Sousa Cosseiro ,
uinavforragem para umaeavalgadura por te-
rem marchado era commissao para lora da ca-
Dito -- Ao Commandanfe interino da For-
taleza do Brum communicando-lhc que o
respectivo Almoxarife na quadade de aggre-
gudoao3. Batalhaod'Arlilheria cobrava por
elle todos os vencimentos que lhe marca va o
Imperial A viso de il de Maiode 183 j eor-
denando-lhe que mandasse o mesmo Almo-
xarife a presenta r-se ao Commandante daquel-
le Batalhao acompanhado d'olbcio a lim de
dar as filiaces e abrir-se-lhe assenlo no li-
vrn de Registro.
No mesmo sentido se officiou ao Com-
mandante do Forte de Gaib.
Di lo Ao Commandante da Fortaleza de
Tamandar, para deixar de tirar do 1. deste
xdl'7. em diante os vencimentos do Almoxarife,
directamente pela Fortaleza por isso que taes
vencimentos paasavafi a ser cobrados e pagos
pelo 3. Ralalhao d"/\itilhcria onde se acha-
ta aggregado dito A'moxarile
So mesiro sentid se o'.liciou ao Com-
niandaute interino da Fortaleza de llaniara-
c.
Dito-- Commandante interino do 3.
Batalhao de Arlilheria remeltendo-lhe as
pravas, que legressara dal-
du ? por lerem finalisado suas-
guias de i ...
jlia de Fcsna
seiilcncas ,
peito.
c Jando MiflS dcterminaces a res-
empregado servindo gratis esse logar porque
entao capacitava-me que elle so desejava
nelle conserva-se para furtar-se ao servido da
Guarda;Naeional, e que se bem nao servia o
Emprego nao causava despza a Cmara :
foi nesla persuaco que nunca dei crdito a
alguns criticos que dizh :-se o Fiscal
serve gratis a Cmara nao serve da mesma
forma aos que se torna dignos de serena mul-
tados e liaja vista os cedernos dos vend*-
Ibes, e marchantes. Mas boje Srs. Re-
dactores que esse empregado lucra duzenlos
mil reisannuaes e conttnuj no mesmo me-
thodo de Fislalisaco eu nao posso por mais
lempo oceultar o quanto sofrem os Aogaden-
ses da incapacidade do Sr. Fiscal. Nao fallo
do Sr. Fiscal por multar alguroas pessoas, e
receher sem lhe competir as mulls exer-
cendo assim as funccGes de Fiscal e Procura-
dor da Cmara : tallo sim por vera bem pon -
co venderem-se bois em p no Afogado por
nove mil reis e hum por isoo (tal era o
estado d'eiles 1) malarem-se publicamente e
serem cortados no assougue ; fallo por nao
ver o Sr. Fiscal assislir todos 03 dias a ma-
tanca do gado emhora ella se faca quasi no
fundo de sua casa ; fallo por ver os assougues
abertos e vendendo-se carne fora das horas
marcadas para esse fim ; fallo por ver passar-
-c mais de anuo e o Sr. Fiscal nao fazer ao
menos huma corrida, e (aliara por nutras
muitas fallas do Si*. Fiscal, se nao rceassea-
busarda paciencia dos (pie tem de me ouvi-
rem. He celebre Sis. KK. ver no meio de lu-
do isto o Sr. i sea 1 embirrar com hum ou ou-
tro por lite ser desaliicoado e fazer pezar
sobie'elleo seu poder Fiscal sador. J; acon-
tecen hum marchante ser victima das intrigas
do Sr. Fiscal esolrer por_vezes deitar-se a
carne de seu assougue fora: entretanto que a
de outros no mesmo estado ou peor venda-
se at a noite e na:l i receava A bem pun-
co o Sr. Fiscal por intrigas particulares deitou
com os |s de huma calcada na ra tiQiaa
lina degarapa, que havia comprado hum ma-
tulo para seucavallo e Uto por ser inteira-
mente desafeigoado ao vendedor da mesma;
e porque o maluto lhe perguntou natural-
mente a causa em voz baixa gritou logo o
Sr. Fiscal que secalasse, se nao que o
mandara passsr a bolos na guarda a muito
cbeffp o imperio do Sr. Fiscal, que a hum
homem vre promelte bolos aos escravos ,
que na sua porta passad montados as ancas
dos cavallos carregados nada diz lie c >s-
tumedar-se garapa aos cavallos as calcadas ;
mas o Sr. Fiscal al linje nao lein botado ou-
tr.i lina na ra ; bem parece que elle devia
multar o vendedor ou comprador da gare-
pa e nao iusnltal-os mas faca o Sr. Fiscal
(inanto quizer erogue a Dos sempre en-
contrar ueslas occasies pessois mansas e bem
educadas^ que eu tambem (ico aUlaiando ,
qual insomne soldad os seus passos. Ro-
po-Ibes Srs. Redactores o obsequio de damn
logar no seu Diario a estas quatro linhas do
seu constante leitor
OG. da Pianga,
Snrs. Redactores.
Eu npezar de ser Donato na minha rcligio,
e nao me sobrar muio tempo para curiosida-
des ,com ludo em algum pequeo empaco, que
me res Id das minhas obrigacoes do Convento ,
sempre gosto de lr o Diario lodas as veces
que se me orece occasio, e por isso vindo-
me ;s mos o Diario N 16$ de 3 do correnle
Agosto deparei logo com abirra do meo Re-
verendo Guardiao a respeito de posturas Vlu-
nicipues sybre gado : &c &c. ; ento disse
comigo queira Dos, nao appareca quem
3e queira divertir com o Guardiao! poique
lembrado eslava de quando o vi huma ver
muito zangado dentro do Convento gritando
as armas contra hum boi. que entrou pela
cerca ; enlo lhe disse que tivesse paciencia
tem dopassaroSenhorem pTocUsSo ; At- Pel" cha8as .do nosso Seraphico ; e nao me
trro da Boa-vista alraz da Matriz, ponie 'lufrend0 .uvir ^nei-lhe cora toda a hu-
velha Ra velha Ra da Gloria Santa n,,,dade 1ue caracter >acerdolal e Rel'..1-
Cmz e Travessado Beco de Joo Francisco: oso mal se jmHw tanla, raiva C0I,lra
epara que chegue ao conhecimenlo de todos 1,um ai,l,nal' que havia enlrado pela cerca
enaoaleguem ignorancia mandei publicar o Por a ter achado destruida e aberta e que
presente nelo prelo, e todos aquelles que nao Pela8 resmas posturas Mu.ucipaes todos ti-
nho obiipaco de edihear, econcertar as sa-
i 'hversas Repart 190^11*1
PREFEITRA.
Parte do dia i3 do correnle.
Illm. e Exm. Snr.Forao bontem presos
por alguns Guardas Nacionaes o pardo Manu-
el Francisco da Silva eo prelo Tiromaz, es-
cravode Joo Raptisla Pereira Lobo Jnior .
es'e por ter dado urna facada mortal no crea-
do do Dr. Nabuco foi recolbido Cadeia :
e aquello por ter furtado um par dergolas
deoiro foi solt.
E no dia 11 do correrte foi tambem preso
pelo Sub-Prefeito da Bua-visla o pardo J"*e
Joaquim Vcllozo por ter vendido ao prezo
Joaquim Monteiro de Carvalb Maciel au-
tor do roubo, feito na Matriz de Maranguape
os doisascravos furta,dos constantes da mi-
nha parte publicada no Diario de hoje
E nada mais consta das partes recebidas.
EDITAL.
Rento de Barros Falco de Lacerda, Fiscal do
Bairro da Roa-vista em virtude da Lei.
Faz saber, que tendo o Exm. e Rvm
Bispo Deocezano, partecipado-me que no
dia 16 do crrente mez tem de exporo Se-
nhor Sacramentado era Procicio no Bairo da
Boa-vista pelo motivo do atroz roubo que
se fez na Matriz de Maranguape onde com o
maior escarnilo e sem temor do Allissimo
roubaro lodas as alfaias, e prata da mesma
Matriz e t mesmo as Sagradas formas que
exislio dentro do Sacrario.
O mesmo Fiscal faz scienle a todos os mo-
radores do referido Rairro que no indicado
dia t deveio estar limpas assuas testadas
e aterradas principalmente'as ras onde
algdm dos nossos bemfelfores e q' seria miis
conforme com o caract -r Evanglico e reli-
gioso que nrofessamo* avisar os dono* dos
anim.tes e concertar a cerc* mas nunca a-
gredir; e que al mil pai-eri. que lionens
dedicarlos Dos e pirticularnaonte ligad >s
huma reli.",iao como a nossa, possuissem
ouiras armas : que nao fossem o Evangelho ,
e Breviario 1 e ento exclamei ah ? meo
Padre S. Francisco, como nao vos admira-
neis hoje se apparecesseis aos chamados
vosso* filhos, eos visar to p)ssuidos das
paiies mundanas [ !
E que me dizem Srs. Redactores ? ba-
teo-rae o p, parti pin mira como hura
raio ; e eu enlo teraendo mamar algum tiro,
corno aconteceo ao boi que entrou na cerca ,
fugi da sua presenga e fechei-me a toda
pressa na minha celia donde ainda lhe ou-*
vi, qae havia de atirar a todos que entrassem
na cerca, e que passava a por no Diario ; en-
tao mesmo trancado como ejtava na minha
celia, dis3e com ot meos bules ,--queira
Dos, que o Padre Guardiao nao comece de
ora em diante a ser objecto de divertimenta. .!
Sao esles os puros sontimentos, que dese-
a, lenha p'iblicidade na sua eslimavel fo-
lha o humilde
Donato Franciscano de 01 inda.
S:irs Redactores.Ha certas cotizas que
um liomcm nao po le deixar de admirar e urna
d'ellas aqueeupasso a referir.
A Irmandajy po SS Sacramento de S. Pe-
dro Martyr da Cidade d'Olinda tendo estado
ao abandono por talla de um Compromisso ,
organisou o anuo p p. um com lodas as for-
malidades e o submeleo a approvaco do
Uo>erno. E tem havido la! demora ( nao sei
por culpa de quera) que al boje ainda nao foi
approvado. Urna decantada porera uunca
louva-da e muito menos existente [rmanda-
de do Sur. do Rom Fim; organiza um Com-
promisso, que se andn assignando pelas ca-
zas ras i becos e o que mais Onde
aparece ( segund j dizem ) a firma furlada do
Cu^a da S que a ul reunio d'installaco
nunca assistio ; e mmediatamenle approva-
do na parle espiritual sem ser ouvido o
mesmo Cura e ltimamente submettido ao
DoulorJutz de Direito. E que tal Srs Re-
dactores? E de que jeiile nao se compoe esta
nova Confraria 1 Se me souberem distrintar
este inigma muito obrigar ao seu constante
leitor e fiSlgnaute.
O Christo velho.
cumprirem o presente Edirai sero multados
com as penas comminadas no a T. II das
Posturas de Polica Sanitaria ua Cidade.
Bairro da Roa-vista i a de Agosto de 1840.
Rento de Barros Falco de Lacerda,
as cercas; eque assim bom sena antes man-
dadlo euxolar do que disparar arma de logo
I contra o pobre boi ; e que s rae pareca t*r
! elle dLreilO de acoimar e nao de malar : en-
fureceo-se de novo conlra mim porra eu
coin toda & submisso sempre llie lui dizendo
Vossa Caridade Revcrendissima peidoe-
roe, que sendo nossi inslituico inendigarmos
Srs. Redactores. para subsistir, mal parece vendermos horta-
Ocrular r lernunba dos mtiitos abusos pra- Jiceoucapima aquvlles mcsniO'-, a quem pe-
tirados ..tuito tempo pelo Sr Fiscal da dimos nossas esmo|as, c por este lado igual-
FrOflI :a dosAfogados; eu me conservara mente me parece coisa escandalosa zangarmos-
sempre em silencio se anda visse esse inerte [ nos pouto de querernios matar uiu animal de
Correspondencias
LOTERA DO THEATRO.
As rodas da segunda parle da terceira Lote-
ra do Theatro publico desta Cidade correm
imoreterivelmente no dia 17 do crrente mez :
o restante dos Rilbetes esto venda as lojas
dos Srs Manoel Goucalves da Silva e Vieira
Cambista na ra da Cadeia ; Manoel Alves
Guerra na ra Nova ; e Basto S Cosa na
Pracinhado Livramenlo
LOTERA DA M. DV BOA-VISTA.
OTIiesoureiro da Lotera da Boa Visla a
vista da pouca concorrencia que tem havido
iipsle* dias para cobraren os premios dos bi-
Ihetes da segunda parte da 4 Lotaria tem
destinado os dias de quartas feiras para o dito
pagimento, das 10 horas da manha al ao
meiodia, na casa do Escrivao da mesma Lo-
te ia na ra da Santa Cruz.
SOCIEOADE NATLENSE
O primeiro Secretario convida a Corpora-
co da mesma para sesso extraordinaria hoje
(i4) pelas seis horas da tarde.
Esta sesso com quanto losse marcada para
15 lodavia tem logar hoje na casa do costu -
me.
THEITROO.
Sabbado, i5 do correnle em beneficio de
dois particulares depois de executada urna
das melhoresoverturas; dar principio re-
uresentaco da interessante Peca em 3 actos ,
denominada O HOLLANDEZ ORGU-
LIIOSO. No fim do segundo acto urna Jo-
ven Pemambucana em obsequio aos Benefi-
ciados dancar co n Julia Rosa A Cav-
la ~ No tira da Peca a. mesma Joven Par-
ticular dancar O Sollo Inglez E re-
matar o Expeetaculo o jojoso entremez deno-
minado O Pintor ambicioso.
Este o divertimento que os Beneficiados tem
a honra de apresenUreai a um Publico lo
benigno a quem implorad loda a proteceo ,
protestando um elerno agiadeciraeuto.
dia\ na Pnga do Coitivi-rcici, se hi de ar-
reraita- de venda *qu*iS mais de" o ciscd do
hri^aedenonailaa PernmSiifauc f~>rr%-
4o de cobre, cira ou seu* p rt'*nc'M avalia-l
em trescontos e cioooanta mil rei? .1 sib^r :
o cisca eu ttfto rs ; a irmtreago1 era .\igjl.
a lancha bote, vazilharae de agxvl e os
camarotes a r em cima do con vez era a^j1'.
tres ancoras, um arete urai amarra de
ferro de 91 bracas, eoUtride45. tudipor
4004* rs.'; missame e polearae era 4o| rs. ;
e o vlame em iqi'rs como tudo consta
do escripto em mo do Porteiro : os perten-
dentes podem comparecer no dia e hora supra.
CT* A abaxo assig^ada propritarW dj
T. da C* faz scienle ao respeitavel Pulico.
que Caetano Theodoro Antuues Villacadei-
xou de ser seu caixeiro desde as nove horas do
dia n docorrente: a mesma tambem fazsei-
ente que nio deve a pesso alguma; sent ao>
fallecido Sr. Jos Francisco Martina d'Almei-
da e ao Sr. Jlo Leite d'\tereio ; cujos Srs.
queiraS no espaco de tres hias vir sal lar sua<
con tas ; porquanto depois nao pigir qual-
quer debito que appareca. A mesma Pfo-
orietaria roga ao respeitavel Public descul^A
de ter-se-lbe apresentado contas que j tinha
pago no que ella nao lie cluidi, e sim foi
issodevidoodesleixo di dit. seu caixeiro ;
0 que proraetle nao acontecer mais de ho'm
em diante logo que se l pii l-ra as eo itas d
seu tempo; assim como tambem previne de
nao comprarem ao dito seu exciixeiro be is
alguns dos que possue em quinto o mesmo
Sr nao liquidar suas contas; porquant) na
occasio em que foi despedido o nio quii El-
zer : lembrando tambem o annuncio que ha
lempos fez pelo Diirio. que nenhuraa
conta dever pagar sem a assignatura da an-
nunciante o que devem ter em vista, pois
que qualquer recibo que appare?a do mesmo
seu caixeiro ser nullo.
OT Quem precisar demandar lavar por-
coderoupa eengomar, dirija-se a ruada
Ordem 3 de S Francisca para o lado do
Mundo Novo casa D. 15. Assegura-se muit>
asseio e exactdo.
__Um menino de idade de 15 aunos ,
que sabe ler, escrevar e contar, e que tem
muita viveza, e desembiraco, se oHereca
para caixeiro de ra de loja de fazenla ou
de armazem deassucar : na ra da Ordem .<.
do lado da do Mundo Novo casa I). i5.
_ A Commissao Administrativa da So-
ciedade Pastoril, convida os socios da mesmi
1 comparecerem em sesso extraordinaria qj
dia sabbado i> do correle, pelas seis hora;
111 tarde.
tST Ro^a-se ao Sr. J. B. F. C. haja de
mandar pagar a quantiade 3os? rs., bem a-
be a quem pois julga o credor ser bastmleo
tempo, que tem perdido os portidores qna
tem hido a sua casa cobrara referida quantia ;
a sendo que o nao faca se declarar por ex-
tenso o nome e qual a transacio.
tSr Domingo 16 do correnle se hade a-
brir de novo a casa de Pasto na ra das
Cruzes que foi do Joo dos petiscos para
onde se mudou o Joo que esteve na cova da
Onca e ter na sua abertura assim co-
mo em todos os Domingos, mo de vacca e
bous petiscos. O mesmo roga aos seos co-
nhecidos o queiro ajudar ; como tambera
precisa de um cosinhelro para a mesma .
falar com o dito Joo no Botiquim do Al-
buquerque na ra do Rozario.
sae~ A pessoa qne annunciou querer com-
prar escravos de ambos os se^os cora otficio ou
sem elle querendo um negro creouio de ida-
de o mais a annos com o orficio de refinador
de assncar padeiro e eutende bem do ser-
vico de campo cujo escravo se vende por se
nao querer snjeitar de noite a trabilhar na
padaiia : quem pertender dirija-se a ru Di-
reita padaria D. l sobrado de Irez andares.
say- Quem precisar de 100 j'a i5oojf _rcis a
juros dando para seguranca hypolheci mos-
irando-a livre e desembarpada ou piuhores
de ouroou prata : dirija-se a esta Typogra-
phia,
say Um estrangeiro se offerece para criadj
do de casa particular ou para page na pra-
ca oapara fora, quem delle precisar an-
nuncie.
Arrenda-se um sitio pequeno
no A-
1
Vvisos iversos
beguuda teira 17 do, correte ao meio
logado, com dous viveiros e algn.isalvoredos
por preco cmodo; qnem o pretender din-
ja-se a qnina do beco doSerigado lJ de oe-
minianodeOllveirae Mello "...
S3T Precisa-se de duzelos m.l re; a ju-
ros de dous por cenia,, sobre hypjte^a em u-
ma negra ou boa firma jannuiuw.
OT Qualquer Sur. Capitn de Navio qn*
qaeiraXsini aummo.o Europea a .n,im-
c\onaulicd queira aun unciar pir e>ta iollia
a moradia.


DIARIO Di
PERNAMBUCO
tsr Um hornero deseja tomar conla de uro
sitio de sociedade, entrando para a mcsma
.com duas esrra vas para venderera fructas e
mais uro escravo para adjulorio do mesmo ,
em pregando-se na admuistraco e planta-
cao do dito sitio sendo este perto da praca ;
quem quiser fazer este negocio annuncie,
\ar Quem precisar de um portuguez casa-
do para administrador de uro engenho do
que tero pratica dirija-se a ra do tambi
I), 3 OU annuncie.
tsr Na ra do Rangel no primeiro andar
do sobrado defronte do Sr. Prefeilo ha urna
Senhora que se prope a fazer toda roupa para
tropa como seja camisas, calcas, e &c por
preio maisem conta de que outra qualquer
pessoa fizer; assira como recebe toda qualida-
de de roupa para engommar no que he pe-
rita.
tsr Joo Francisco dos Santos Siqueira
faz scenle a toda a pessoa a quem este an-
nuncio convier que sendo obrigado por
ponderosissimas rases que officialmente se
publicarlo por esta mcsma folha a reroetter
rente da Senhora D. Catharlna Francisca do
Espirito Santo. .
tST A pessoa que achou nodia quinta lei-
va 13 do corrente 338,ooo era sedulas a sa-
ber duas de 100,000 uroa de 5o,ooo, 4 oe
50,000 urna de 5ooo ,6.3 de 1000, forao
perdidas pelas ras seguintes ; quarteis ca-
bug larangeiras rozario hindo para
Carmo, e hortas ; quem achou leve a ra
dos Qusrteis loja do fallecido Arouca D. 6 ,
que ser recompensado.
V.ts^ Desapareceode um comboi que se es-
tava a arrumar na ra direita, pertencente
ao engenho Maranho um preto de norae
Jernimo, secco do corpo alguroa couza
bucal, lcvou vestido calcas de riscado, ca-
misa de algodo no dia 11 do corrente, pe-
las 4 horas da tarde o qual levava na cane-
ca um pequeo bahu em que hia dentro
urna carta com 200,000 em sedulas um re-
logio com caixa de prata dourada tres pares
de calcas de brim trancado, urna dita de pan-
no fino preto urna dita de casimira azul ,
um lenco de seda branco um par de meias
caixa e outras encomendas miadas que na
presente occasio seno pode fazer menco das
mesmas por falta lempo ; roga-se a toda e
puimcarao por esia mesina mina itmtiwi um iu.vu ., .-...... r -
para as outras provincias do Imperio os b- | de seda branca urna caixa de agoa colonia
Hieles de sua Rifa da qual he Thesoureiro um chapeo de seda preto em sua^ competente
olllm. r. Major Manoel do Kascimento da
Costa Monleiro nao lem tido os ditos bilhe-
les at boje urna inteira extracco em urnas
provincias nao lendo o annunciante de ou- qualquer pessoa que do mesmo liver noticia ,
tas provincias nem noticia do estado da ven-! ou o tenha encontrado queira ter a honda-
da que elles tem tido : e como bem con- de de o mandar levar >ia ra do Livraraenlo ,
vencido est de que os seus respeitaveis Ami- casa de Francisco Severino, ounaruadaca-
gos ja mais queici toncorrer para seu pre- deia do Recife loja de cambio 11. 53 ou a de
iuizo que fem duvida lera se fizer correr a Jos Pereira da Cunha que ser recompen-
dita Rila a par da segunda parte da terceira sado e se lhe ficara muilo agiadecido.
Lotera do Thealro, como tem promeltiJo nos W Furtaro no da 8 do correnle orna re-
mesmos bilhetes; ha determinado, que el- de de tres pannos ; quem della souber diri-
ja corra impreteiivelmenle com a 2. parte ja-se a solidade em casa de Fre Rjaneel.
ual or
Avisos Martimos.
PARA O MARANUAO'o Bri>u Brasi-
eiro Rosa segu viagem com rouita brevi-
da quinta Lotera do 'i'beatro seja q
a extracco que neste lempo lenho tido os
bilbeles para o que da' esta grande expanso
de lempo.
O annunciante promelte que se antes
do Umpo, em que deve correr a segunda dade, por ter grande porco da carga prom-
parte da quinta Lotera do Theatro, se acha- pta para fretes e passageiros para o que tem
rem vendidos os bilhetes pelas provnolas, em excellentes comroodos trata-se na ra da
que elles se acho marcar outra qualquer Moeda n ij< ou a Firmino Jos Felis da
Loteria, anterior a dita segunda parle da quinta Rosa.
do Theatro a cima promeliida 5 dando assira PARA O ACARACU' com escalla pelo
urna provs mui ccnvencente do quanto est Cearat o dia ao do corrente, o Patacho
pichorado para coro aquelies que tero con- Francelina: quem quiser carregar ou hir de
corrido para a dita Rifa. passagem dirija-se a casa de Manoel Gonsal-
mst U Procurador actual da Irmandadedo ves da Silva, ou a Jo3 da Silva eves a
SS. Sacramento da Boa vista avisa aos me- bordo.
serios para que tenho a bondade de compa- PARA O ASSU' o Brigue Brasileiro S.
rccerem no dia 1 o do correte pelas 3 horas Mara Boa Sorte recebe carga a ftete e
da tarde na mesma Igreja para acompanharem passeiros ; quem quiser carregar ou ir de
a Procisso de Triunfo das Sagradas formas, passagem intendo-se com osen proprieta-
que foro roubadas na Matriz de Maranguape, -fos Gonsalves Casco na ra da cadea do
que tem de fazer S. L'xc Reverendissma.. Recife n. 45.
tT Precisa-se de um escr;,vo quo seja sa-' PARA LISBOA sahir com toda brevida-
pateiro : quero tiver dirija-se a ra direita de por ter grande pire da carga prometa o
loiaecouros D. al. j muito veleiro Brigue Portuguez Emptehen-
* Quer-quiser a 1 uga r dous negros ca-'dedor, forrado e encavilhado de cobre, de
pazes para todo o servico dirija-se a ra es- que be Capilo Ignacio Jos dt ArauJQ, quem
treita do Rozario D. ao. ', qmser carregar ou ir de passagem para o que
Bg- Arrenda-se um bom sitio com grande tem uma excellenle cmara arranjad com to-
casade vivenda com bous commodos com do asseio, e bons commodos, dirija-se ao
mais duas casas pequeas separadas, boa ca- seu consignatario Francisco jeveriano-Rabe-
cimba pasto para a ou Mi vacias no lu- ,' ou com o Capito na praca do Cammer-
jrar dos Remedios ou tamben) se troca por co
casas nesta praca; trala-se no principio do
atierro dos udgados com Silvestre Joaquim
do Nascimento.
8^ Os Snrs. Luiz Antonio Rodrigues
Esleves, Jos da Costa AILuquerque Mello,
Antonio Francisco dos banlos Barroca Ma-
norl Jos de Souza Leile queiro fazer o fa-
or de irema fora de portas n. io4 a tratar
negocios de seus interesses
s^- Prccisa-se de um rapaz que saiba bem
escrever, e tenha conheciinentosde escriplu-
xaeo mormente de loja de fnzendas dan-
do huncaasua capacida ; na ra do Vigaiio
em casa que mora o Sr. Elias Loelho Cintra ,
no primeiro andar,
%ST Quem qui r carregar para a Cidade
deGoianua na canoa de Antonio Joaquim dos
Santos dirija-se a fora de portas lado do
mar por detraz das casas de Belchior Jos dos
Res
tsr Qualquer pessoa que enlenda de po-
dar parreirjs e qucira lazer esle servico ,
diriia-se a ra de S. Gonsalo a fallar coa
Manoel tlias de Aloura.
Prccisa-se de um rapaz de idade de
Compras
t3T Escravos de ambos os sexos com of-
ficio ou simo elles ; na 1 ua da seuzall vellia a
fallar com Manoel Francisco l'onles,
tST Urna Selecta e um Cornelio t aduzidos
ao p da letra anda mesmo uzados ; quem
tiver annuncie.
Vendas
t&r
na
l4annos, para urna loja na ^araii ba
ra di cadeia em casa de Francisco da Silva.
j5>* Quem precisar de um hornera Brasili-
ro de idade para caixeiro, ou fetor de
alguin sitio ; annuncie.
SST Quem prtcisar de quinhentos mil rs
a premio (iiiija-^ a ra do Cabug loja
da qu.iiti difronte /la Matriz.
ty Catiano 11 toiloro Antunes Yilaca ,
d*iou d sar cauetro deUe o da | a do iw-
tSV Caotellasda Sociedade Fortuna Ty-
pografica, da Loteria po Theatro Publico ga-
nhando a vigsima parte dos premios, cabendo
na sorte de b 000 000 reis tresentos rail ris a
preco de 45o ; nesta TypograGca na praca
da Independencia n, ao e na ra larga do
Rozario loja de miudezas D. 7, e na ra do
Collegio loja de relojoeiro.
S2W~ Um preto de naco benguela de ida-
de de it anuos, muito robusto, e ptimo
para todo o servico urna negrinha de naco
angola de dsde de ia annos com princi-
pios de costura, e cozinha ; na ra direita
venda que foi de Jos Lourenco I). 3o
ST Um teneno na nova ra de S. Amaro
em fora de portas com 3o palmos de frente ,
e mais de ioo de fundo dos quaes i5o ja at-
terrados ; nesta TypograGa se dir,
E27" Urna pretacreoulada Babia de ida-
de de iH annos, perfeila engommadeira e
coznieira de lorno e logao e laz todo o mais
servico de urna casa com desetcbarasso uro
moleode idaded 7 innos, pfrleito co-l
zinheiro de forno e foso duas pretas para
todo o servico um moleque e urna negrinha
de idade de 1 a annos ; na ra do fogo ao p
do Rozario D. a5.
t^* Caixas de agoa de lavande com ia
meias garrafas a 4ooo os veidadeiros charu-
tos de Manjlha e cautellas do theatro ero
o decima e vigsima parte; na ra da cadeia ve-
Iha o. 53 quina do bcco largo.
tST Bilhetes da lotera do theatro a 9000 e
meios ditos a 45oo ; na ra do Cabug loja de
miudezas junto a botica.
t^ Um molato de idade de a3 annos pro-
prio para pagem por ter sido vaqueiro ; na
pracinba do Lvramento D. ai.
OT Na pracinba do Livramento D. 3 ,
um completo sortimenlo de facas e garfos de
cabo de marfim ditas de osso Gnas e entre
finas bandejas pequenas finas e entre finas ,
e espingardas de espoleta a a88o e ludo
0 mais por preco commodo.
tsr Urna canoa que carrega 900 a 1000 li-
jlos de alvenaria bem construida e com
ponco uzo ; na ra da praia serrara do Car-
dial.
19" JVa ra direita D. a, vinho muito bom
a des tustoens a caada e m garrafa a cento
e trinta ris, e de Lisboa mais superior a
mil <; quatro centos e era garrafa a cento e
noventa res e agoa arde na branca a tres
vntens a garrafa; assim como se compra gar-
rafas vasias.
S?~ Um sitio na povoaco do Monteiro ,
ao entrar para a estrada do arraial, terceira
casa depois do beco, e que tem uma manguei-
ra prxima a o oilao com 3oo palmos de fren-
te e 5oo de fundo com casa de tapa cora
commodos p.ira familia, cacimba com boa agoa
de beber diversas arvores de fructo bas
lante lenba para gasto proprio para passar
1 esta ou mn radia e com grande parte de serca
ja feita de limo; na ra do Queimado loja
de ferragens P. 7.
3 Cautellas da segunda parte da tercei-
ra loteria do theatro que corre a 17 do cor-
rele, subdirididas de bilhetes em decima e
vigsima parte ; na praca da Independencia
loja D. 8, a3, e 2 Sr. Claudio, rua nova D 4, e 5 ; e atierro
da Boa vista loja do Snr. Antonio da Silva
Guimares D- 16.
5^" 8to oilavas de prata; quem quiser
annuncie.
tsr Uma bafcaca prompta a "mTv^ir, que
pega em des caixas e mais carga miuda ; a
tratar na loja de cabos defronte do Corpo San-
to D. 5.
tsy Um escravo creoulo muito robusto ,
e sado refinador de assucar padeiio e
entende bem do|fcrvico de campo o qual se
venda pelo motivo de seno querer sujeitar
ao traualho de padaria ; na rua direita pada-
ria D. iJ.
t&" Uma cabra bicho com doas cabritos e \
parida de poucotempo, que d bastante leile;
na ruado Vigarion. 14
tsr Oijos bois mancos ; na prafa da In-
depenea n. 7 e 8.
tsr Uma Imagem de N. S do Rozario de
5 palmos e meio uma dita das Dores de 4
palmos emeio uma dita da Conceico de 3
palmse meio todas muilo perfeitase mui
bem douradas com ricas piaas, proprias
para capella e feitas pelo melhor esculptor
da Cicrade do Porto ; na rua da cadeia 11. 16
tsr Panno de linho em pecas al 5o varas ;
em cisa de Hermano Mehrtens rua da Cruz
t ti.
tsr Vinho de champagnh rosado e branco
em cestos de 1 a garrafas ; no pateo da Matriz
de S Antonio armazem 1) 8.
tsr Aphorismo de medicina pelo Dr. An-
tonio da Costa Paiva, esta obra se torna niui-
tissima recomendavel a todos os chefas de fa-
milia e nao menos aos facultativos e far-
macuticos os Romances de Vollaire tradu-
zidos e anotados pelo mesmo erudito Doulor ,
sendo por isso muito iuteressante; na rua do
Vigaro D. la.
^My Panno de algodo da trra era porco a
a4o a vara pecas de bretanha de rolo com
10 varas a aooo lindos lencos do jarea 1G0 ,
e a duzia itoo, chales de raelim de lindos
padres a i4'|0 finissimas meias da escocia a
1000 o par, dilas para meninas a8o cortes
de chita a ia8o lindas grvalas feitas a 4H0,
chilasazuesa ;3oocovado, e outras muit*
lazcndos por preco barato 5 na rua do crespo
na segunda loja virando para a rua do Quei-
im.do t. la.
tST Porquinhos da iudia mui galantes ;
na la da Moedj n. iSi.
UT* Cabos de linho velhos para tirar es-
topa tssim romo uns poucos para tirar os ;
em lora de porias 11. iu'|.
tsr Taboado de pinhode todas as larguras
e jjiosuta a 40 teu o w ito aimaiem alraz
do theatro a fallar com Joaquim Lopes do,
Almeida.
tsr Uma preta de 20 annos de idade de
boa figura boa engommadeira cozinheira ,
e lavadeira um dita de 3o annos, cora as
mesmas habelidades menos engommar por
35o.ooo, um bonito escravo de ao annos de
idade ptimo para todo o servico um mo-
leque e uma negrinha de idade de ia annosj
na rua de agoas verdes casa terrea D. 37.
tS9* Por preciso uma elegante escrava mo-
ca, engomma liso, cozinheira lavadeira, um
moleque de dade de ra annos, um dito da
18 annos outroditode la annos e mais seia
escravas com habelidades ; na rua de a.goas
verdes D. 38.
t^> Duas cabras bichos ambas prenbas ;
na rua de S. Theresa D. a3.
tsr Um ptimo sitio na Povoaco dos
Affogadds defronle da Igreja do Rosario ,
com duas grandes moradas de casas cosinha
fora estribara para seis cavados senzalla
para pretos duas cacimbas sendo uma de
excellenle agoa de beber e outra cora bom-
ba e tanque para banho dois grandes vi-
veiros grande orta, logar para olaria com
barro para telhas tijollos e mesmo para
loica baixa para capim bastantes ps de
coqueiros larangeiras cajazeiros e outras
arvores de fructo, grande parreiral de ex-
cellentes uvas com pilares de tijollos uma
cazinha para fetor no fundo do sitio sabida
com porto para a estrada da Piranga, com
proporces para vacas de leite todo o anno ,
tanto na frente como no fundo lugar para se
edificarem mais de vinte moradas de casas,
vista se conhecer melhor as comodidades
que tem e muito principalmente sendo por
mdico preco : para se ver no mesmo sitio,
e a tractar do ajuste no Recife na rua da Ca-
da n. aq casa da viuva de Anacleto Anto-
nio de Moraes.
tsr Hilhetes da loteria do Theatro ; na
rua do Queimado D. i3.
sy bilhetes e meios ditos da lotera do
theatro tambera se troco pelos premiados
de outra qualquer loteria ; na loja de Me-
nezes Jnior na quina da rua da collegio jun-
to ao pssso.
tsr Um escravo de naco de idade de ao .
annos, ptimo para qualquer servico ; no
beco do sarapalel D. 8.
tsr Superiores pannos finos de todas as co-
res q 3ioo o cora'hi casimiras nKoMns cum
listras a cho ocovado e dobradas i.|40 e
itoo riscados e chitas de modernos padroens
a 140 e a ido o covado, pecas de algodo lar-
go cora 10 varas a 1760, e de bretanha a
1760 e 1700 pecas de cambraias lisas a^/fo ,
e de paninho fino a88o cambraias Cuas de
listras a damascadas 3ao e 6Jo a vara cha-
peos de baeta proprios para escravos a 3 )'o e
tambem algodo da america muito encorpado,
e out-as minias fazendas por bardo preco;
da rua do Crespo loja D. 5 lado do norte ,
de Antonio da Cunha Soares Guimares.
tsr Uma negra creoula de dade de 16 an-
nos de bonita figura coziuha o diario de
uma casa tem principio de costura, e be
quintandeira ; na rua das Cruzes D. 9,
*^"" """ ------------ 1 1
Escravos Futidos
Fugio no principio do corrente um
moleque de nome Jorge de naco mucara-
bique, baixo grosso do corpo, cor fulla,
cara larga muilo ladino e bem fallante ,
lem da lesta at o nariz uma serrinba muito
a pagada e uns pequeos ulhos as fontes ,
ludo marcas de sua naco levou vestido cal-
cas brancas de meia e outra de caz i mira or-
dinaria cor de habito de Fraucscano anda
em companhia de outro negro tambem fgido
o qual tem um s braco ; quem o pegar leve
a rua da cadeia velha n. ao que ser recom-
pensado.
tsr No dia 4 do corrente desapareceo uro
preto de nome Joo cacange estatura regu-
lar com um erida no dedo do p direito e
o maior signal que tem he ser col da mo es-
querda levando uma trouxa de roupa de
um caixeiro e julga-se ter fgido juuto com
um moleque mocambique; quem o pegar le-
ve a rua da Madre de Dos loja n. la que se-
r recompensado.
tsr Desapareceo no dia 8 de Junho p. p.
um molecote de nome Joo, de naco S. Tho-
m de idade de ao a a a annos altura re-
gular boa figura sem barba as canella
das pernas arqueio para a frente os ps e
dedos grossos com si;naes de bichos, costu-
maiutitular-se por forro ; quem o peg ir le-
ve a rua do Rozario da loa vista casa de dous
andares entrando para o pateo da Si. Cruz ,
que ser recompensado.

atCiffi WA kj?j L Al, F. DE F.^i^o


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E3RSSJ74Y_EROWKJ INGEST_TIME 2013-04-13T00:28:43Z PACKAGE AA00011611_04722
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES