Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04696


This item is only available as the following downloads:


Full Text
W

Anno de 1842.
Ter^a Feira 12
Todo aRora depende de n* meamos : ,!, Bosa ntaaaWai. ,
-tinuema como prncipi.n-.s e .eremos 3,1 ', mo,I'1> e S : con-
K*. """""* "li0""1 .,lmir.co an.re ., N.P,, niais
____________.________irrocliinuciio d.Assembl-a Geral do Braxil.)
p ?RTI?AS D0S CORIEIOS TERBESTRES
Cabo Sermbaem Kio Fnrmoze Porto Tal** M. .. -
. .j.6 *z s.,o A,,0. ,BiWM f;r.;.'0 cot:,. c/**"' io "
DAS DA SEMANA.
-.e;. a Salnnn .. S.dron.o M. Chanc And. do .1. de D da ,
3 Qi;.rt. ,. Anacilo -. M. Aud. do J. de I). d 3 v
Q.,.1. Bo.ve l ,, c.rd And ^ fc n
?*. Cm'l" de I.ell.s And. do J. de D. di 4' ,
D OAni r','.,rCr,,"-,N- S"- d (",rm"- A*-* i- D d.3
1/ U'. O Aojo Custodio do Imperio. a. Aleixo. *'"
de Julho.
Anno XVIII. N. 147-
O Piano publica-M lodoi 01 "l"-* qw n.,o forem Santificados : o prec, J, m'lltMmt !>
,v de tres mil ni* por quartel pagOl dlMMdol. O annimos dot asaienanles s;io inseridos
AJl/ij palta a M doiqtw o n.io forem i mi de SO reis por liaba. A* rerUmaeoes deran ar
y^ dirigidaa rala Fjrpografia ra das Crur.es I). 3. oo n praoa da independencia loja de rrae
Numero 37 a 38.
CAMBIOS NO nuil de jii.ho.
Catnb0 obre I.omlrrs 26\ d. p. II),
> Paria "il re* o. franco.
,i .iahoa lii 100 da i>r.
Moeda da e ihrr .> por Itill de descont.
lilrir. do letras de boaa tirina-. I r ? tr|.
Deaeonloda bilb. da Alfandlfa I por KM)
ai mei. j
compra
Orno- Moeda de 6.100 V. -10,OM
> N. jfi,S0>
a de 4.000 S.bOO
Paara PtiaeoM d,S3r)
a IV*o* olumnarc* I.ST)
dita Menran.s .S.ifl
Miada 1 lina
venda.
s.wla
J.X50
l .as
1 ri?0
Preamar no Ma 12 ./////,<>
4. a S boraa e 30 m. da manhf..
a S horas a .\\ ni. da tarde.
PHASE.S DA LA ISO IMF.Z, DF. JTJI.NO.
Ouart, min;. a .30 -- s '.) horaa r 22 ra da lard.
l-ua NoTt a S-- ;is 'l horas e Vi m. da mam .
Qnart. creac. a \k ka 7 horas e 19 m. i!a lard.
I.ua obvia a 22 :is S huras e 3fi m. da manh.
IHARIO |,p; I E R \ IM il I' VAh
PARTE OFFICIAL.
PROCf.AMACAO.
Brasileros! 0grito de rebellio qiif soou
em Soroeaba na provincia de S. Paulo u-
caba de adiar echo <;m Barbacena na pro-
vinca de Minas Geraes. llomens cujos prin-
cipios foro repellidos pelos poderes polticos
nacionaes entendera que os devem fazer pre-
valecer tentando revolucionar o imperio.
Nao satisteitos com as rebellines que tanto
alTHgiro a nossa patria durante a tnintia mi-
noridade querem anda abysmal-a nos hor-
rores da guerra civil.
Fiel ao juramento que prestei de guardar a
conitituc,u o conscio dos deveres que ella
me impoe jamis deixare de fazer execu-
tar as les emanadas da representaco nacio-
nal de manler Ilesas as prerogativas da mi-
nha cora de promover a felicidade geral e
do salvar o estado. Cont para isso com a ef-
icaz cooperado dos meus leaes subditos de
todas as provincias.
Brasileiros que fostes Iludidos Abando-
nae os homens que vos tem conduzido ao
crime como pai vos aconselhoque despre-
zeis suas prfidas suggestes ; poupae-me a
dura necesidade do punir-vos.
Viva a nossa santa relgio .' Viva a consti-
tuido do imperio Viva a naco brasileira !
Palacio do Rio de Janeiro, lOdeJunho
de 1842 vigsimo primeiro da independen-
cia e do imperio.IMPERADOR.
MINISTERIO DO IMPERIO,
lllm. e Exm. Sr. -Sua Magistade o Im-
perador tem visto com satisfago que a gran-
de maioria dos habitantes dessa provincia ,
longe de partilhar os sentimentes dos rebel-
des que na cidade de Soroeaba ousarao levan -
Car o grito da revolta ltimamente repetido na
cidade de Barbacena e na villa da Pomha ,
lierleticentes a essa mesma provincia tem
empunhado as armas para vingar a injuria
Yita ao throno e as instituiges hberaes que
felizmente nos repem e que urna opposico
frentica e delirante pretendeu com aqnelle
grito subverter e destruir como evidente-
mente seconhece por algumas expressoes que
escapo aos seus cliefes no meio de prfidos
protestos de adhesao e respeito a to sagra-
dos objectos.
FQLKlgTrO
HISTORIA DOS TRES PROVERBIOS. (*)
A pobre Zebra eslava n'uma especie de
demencia : o hespanhol app>-oximava-se com
efieito Cmara j se Ihe ouviam os passos.
Eatima vestio-se pressa amedrontada com
o temor de sua filha. Suhi.... Sahi ; Zebra,
e olla sustentou durante dois minutos a por-
ta que seu infame hospede empurrava. Du-
rante este lempo Zebra tinha saltado a janel-
la eachava-se no lim do jardim o qual pe-
gava com o campo ; en to Fa tima cessou de
retera porta que se abri violentamente e
o hespanhol na sua precipitago cabio de
joflhos. Fatima aproveitando-se deste in-
cidente tejve tempo de se reunir a sua filha ,
e ei-las oOI||vez anda irais fugitivas e
niais proscriptas ; errantes pelos desfilladei-
ros os mais rudes e occullos e mortas de
fome e de sede se os fructos selvagens e
a agoa das fontes uo Ihe sustentassem a vida.
Se nao havia na arvore mais do que um fruc-
lo e s urna gola d'agoa na fonte o fructo
e a agoa spertenciam a Zebra porque Fa-
tima nao tinha lome quando a fome de
Com igual salisfaco tem visteo mesnio au-
gusto senhnr o triumpbo das suas armas nos
encontrus com as partidas revolucionarias na
dita provincia de S. Paulo as quaes nem ao
menos ouso encaral-as depois da derrota que
soirero no lugar denominadoVenda Gran-
de.Estas favoravei.s circunstancias dlo sem
duvida causa imperial a certesa dos mais
lisongeiros resultados 5 mas desejando Sua
Magestado o Imperador anticipar, quanto
for possivel a poca em que ellos devem ap-,
parecer tendo assim em vista poupar os sa-
crificios inevtaveis em sua Iota duradoura .
julgou conveniente dirigir aos Brasileiros urna
proclamacSo im de que os Iludidos conhe-
co o seu erro e o desenvolvimento da gran-
de forca da opnio nacional esmague os pr-
fidos que abusSo da sua credulidad* ; e sen-
do portanto, necessario que a referida pro-
clamaco chegue a torios os pontos do impe-
rio remettoaV. Ex. os inclusos exempla-
resdella afm do qne Ihe d toda a publici-
dade na provincia a que preside. Dos guar-
de a V. Ex. Palacio do Rio (fe Janeiro ," em
22deJunho de 182. Candido Joze de A-
raujo Vianna.Snr. Presidente da provincia
de Minas Geraes.
Illm. e Exm. Sr.^io meu aviso circular
de l7deFevereirocommunique a V. Ex. os
esforcos que tinha empregado urna opposico
desvairada e frentica para obstar a exeeocjo
das tais que crearo um conselho de estado e
reforma rao o cdigo do processo porque es-
sas leia davao ao governo imperial meios de
embaraga-la no desenvolvimento de seus pla-
nos subversivos : boje tenho de participar a
V. Ex. que os esforcos daquella opposicno
nao forao infelizmente de todo infruct-
feros; que um movimento revolucionario ro-
ben tou na cidade de Soroeaba, onde se es-
tendea a alguns poucos pontos da provincia de
S. Paulo ; que esse movimento acaba de ser
imitado na cidade de Barbacena e na villa da
Comba pertencentes a provincia de Minas
Geraes; e que finalmente pelas exprssdes
que escapo aos rebeldes no meio de prfidos
protestos de amor e adbeso ao throno se
patentea que seus projectos a nenhum outro
im se dirigio que nao fosse o de subverte-lo
e destrui-lo.
O governo imperial, fiel as instiuicOes que
nos reg.'m e allio a existencia da monarchia
com a liberdade dos povos ; irme no posto
de honra a que o chamara a confianza do mo-
'narclia \ animado dos mais rdanlos deseina
de radicar aquellas institiiicOes e de firmar
com ellas a prosperidade do paiz nao se dei-
XOU atterrar pelo grito da revolta e com to-
lla a celeridade possivel tem posto em frente
dos rebeldes forras sulfieictites para, como
concurso de oulras providencias os reduzir
ordem e obediencia beni eerlo de (pieos
seniiiiioiilosdelles nao sao partilbados pela
grande maioria da naci brasileira e deque
as alliacocs por elles tentadas nao aero ja-
mis capazos de abalaba sua lealdade. Es-
sas forras j em S. Paulo ohtivero assigna-
lado triumpbo em urna aeco no sitio deno-
minado\enda Graneo; a sua approxlma-
Co i cidade de (t e a noticia daqoelle tri-
iirnpho afagentarto os rebeldes queaoceu-
pavo ; o a villa de Porto Feliz foi tambem
restaurada. Com ludo as providencias da-
das nopodero produzir rpidamente o effei-
lo que se deseja se nao forem coadjuvadas
pela grande forca da opiniao nacional. 0 mo-
mento aWse desenvolver essa forr*a est che-
gado : para que ella se manifest para que
os Iludidos conliecfio os verdadeiros lins a oup
se dirigem os prfidos que abusfio da sua
credulidade simulando-se amantes do thro-
no o das instituiges que desej&o derrabar .
acaba Sua Magestade o Imperador le dirigir
aos seus subditos a proclamado de qne re-
mello a V. V.k. os exemplares inclusos a-
fim de Ihe dar lodaa pnblicidade nessa pro-
vincia, na lealdade de COJOS habitantes depo-
sita or mesmo augusto Senhor pl>na r-onfi-
cnfja. Dos guarde a V. Ex. Palacio do
Rio de Janeiro em 2^ de Jurilio de 1852.
Candido Joze do Araujo Vianna.Sur. Pre-
sidente da provincia de Pernamhuco.
N. B.Na mesma conformidade e data aos
presidentes das de mais provincias, menos
aos de S. Paulo e Minas Geraes aos quaes
seescreveu com as convenientes alleracons.
(J. do Com.
G 0V E R N O DA P R O YI\C I \
EXPEDIENTE DO DA G DO COrtRENTE.
Ollicio A Antonio Francisro de Moura
( ) Vid. Diario N. 140.
sua filha estava salisfeita ; ella nao tinha se-
de quando Zehra eslava alliviada ; porque
era de sua filha que ella vivia.
Oh urna mi urna mi um genio tu-
telar que d o co pago aos homens ; o an-
jo da guarda que faz descer sobre as crea turas
o co christo. Desde o primeiro dos nossos
dias at ao seu ultimo instante urna mi
nos d a sua vida Creanca ella nos prodiga-
lisa seu leite ; seu leilo que sua nutric/io ,
sua substancia o sangue de suas veas e
de seu coraco : sua vida ella no-la d tam-
bero em suas caricias que sao urna conti-
nua efiuso de sua alma.
Depois quando crescemos os sacrificios
que ella faz por nos ver- bein criados e felizes.
e as privages que soffre sao ainda sua vida,
sao sua vida as inquietac/es que Ihe causar
riossas doengas ; as agonas nossa cabecei-
ra, as lagrimas que derrama as oragoes que
faz por nos as noites terriveis que passa ;
depois a sua alegra quando melhoramos os
seus transportes pela nossa saude e as suas
aeges de gragas sao aiiidn a sua vida to-
da a sua alma. Depois m todo o decur-
so da nossa existencia casamento feetas
de familia d as tristes dias felizes via-
gens, ventura e infortunio, nos a temos por
companheira por protectora por anjo da
guarda: seupensamento, sua vida sempre;
ordenando que faca entrega ao Engenheiro
em ehefe Louis f4eger Vanthierde tudoquan-
to estava a cargo da adminislrago fiscal das
obras publicas e despega os diferentes em-
preados que ainda se acbarem em exerci-
co a excepeo de Francisco Manoel da Cruz
e emfim quando sa a sua hora extrema ,
se acha sobre o leito da morte ella nos
chama, d-nos sabios conselhos chora-nos,
abraca-nos abencoa-nos e d-nos o reslo
la sua vida expirando.
Era istio que sonlia Zehra e sen nico
tormento era nao poder retribuir a sua m.i
urna igual affeigfiO. Ellas eram sempre vo-
sabundas e militas vezes atormentadas pe-
la vista dos soldados ao longo ou pelo ru-
mor das armas por cima dos desliladeiros por
onde andavam. Una tarde que se achavam
nocume de um monte que dominava dois
pequeos valles notaram que no fim de um
de.'les mais oceulto haviam algumas luzes
espalhadasc immoveis. e por tanlo nao du-
vidaram que fossom habitagOes. Ellas ti-
nham fgido das povonefies atento, mas
nao sei iie nspirago ou revelagSo, como
militas vezes acontece em grandes circuns-
tancias Ihes disse : E' preciso ir all e
ellas obedecern!.
Depois de ter por muito lempo desculo por
veredas escabrosas e perigosas por causa
Ja escurido, mas as quaes um auxilio de seic
mezes as tinha (ornado ageis, ellas chegaram
Cont Anselmo Joze Pinto de Souza Jnior',
e Rento Bjindeira de Mello, aos quaes tem
nomeado para outros. lugares : e intelligen-
oiando-o de qued'ora em (liante cesso as lune-
ro \s do lugar que oceupava.
Portarla Mandando passar nomeag(5es ao
Coronel Joze le Barros Falcfio de I.acerda pa-
ra Inspector Tiscal das obras publicas, Fran-
cisco Manoel da Cruz (otilo para Escriptura-
no da Inspeccao Fiscal; Anselmo Joze Pin-
to de Souza Jnior e a Augusto Carlos de
Lomos Pacheco para Escriturarios do Gabi-
nete do Engenheiro em Chole, o a Bento
Randeira de Mello para E.scripturario Eucar-
rvgado da contabilidade e dos armazens.
OllicinsAo Engenheiro em Chele, m-
lelligenciando-o do con leudo no ollicio ft
portara anteceden (es.
Dito Ao Exm. e Reverendissmo Direc-
tor do Liceo disendo que pode mandar apo-
sentar ao Director interino do arsenal de guer-
ra o modelo do compasso que requisita para
a aula de geometra do mesnio liceo im
de ser all feilo.
Portara Ao Director interino do arse-
nal de guerra determinando que mande fa-
zer um compasso para a aula de geometra do
liceo il esla cidade [telo modelo que o Exm
Director respectivo Ihe reinetler.
Dita Mandando passar nomeago de Al-
reres da oompanhia do batalho de guardas
nacionaes destacado existente no Limoeiro
a Antonio Joaquim da Costa Gomes.
(Hlicios Ao comm-ndanle das 'arroa* e
-o Inspector da thesouraiia da fazenda par-
ticipando a antecedente nomeago.
Dito Ao Subdelegado da freguesia do
Mom-jardim disendo em resposia ao seu of-
icio de 29 de Junho pretrito, que o decre-
to de 1 de Maio quando mandou crear urna
junta quahficadora dos volantes e dos fo-
gos das freguesias com um fiscal do Governo
leve cortamente por fim providenciar qual-
quer illegalidide ou desleixo nos actos pre-
paratorios daselegoes primarias: que de ve fa-
zer desapparecer qualquer obstculo perfe-
ta qualiheago exigiodo que se chame o
legitimo supplente de qualquer dos membros
la jimia todas as vezes, que algum fallar,
para que se concluo as lisias mandadas or-
ganisar pelo artigo I. do decreto, a lempo
de se procederem as eleiedes no da que foi
marcada pola Presidencia ; e que v dando
parte das faltas voluntarias de qualquer do-
mas oh !
surpreza
,i primeira luz ; a qual
casa e Fatima depois
ment baleo porta.
era com effeito urna
de hesitar um mo-
"in quanto se abra ;
oh .' felicidade trajes mouriscos turban-
tes Granada Cordova a patria A este
aspecto ella licou extasiada e silenciosa e
os habitantes da casa atterrados : elles esU-
vam descolarlos mas elles logo se socega-
ram vendo duas mulheres e licaram es-
clarecidos ouvimio urna palavra urna pa-
lavra da lingoa do seu paiz. Ellas foram en-
lo acolhdas como irms por estes fugiti-
vos que estavam formados em sociedad ,
no fundo deste valle oceulto entio as monia-
nhas. A noite passou-se em referir a estas
ovelhas desgarradas suas vicissitudesanl.es
dechegarem a esta babitago ; elles oraram
ali a Dos segundo o seu rito faziam as o-
racoes de sua le usavam o trajo de seus
pais efallavam a sua lingoa. Una nova
patria tinha sido encontrada. Fatima eZehra
encontraram lambem ali amigos e prenles;
mas todos eram amigos e parentes por que
lodos formavam urna s familia. Porque
Falima e Zebra tiveram o lata! pensamento
de se alongarem por alguns dias ?
Era ainda com urna terna preocupago do
futuro de sua filha que Falima conoebeo o
projecto de se dirigir cora precaugo a Gra-
nada ; ella tinha deixado all todo o seu ouro,
grandes propredades
e grandes propredades quando emigrou.
Dais um sylo a minha ..Iha disse ella I Se estes bens nao tivessem sido confiscados ,



I
/
s
ditos mernbros para serem competentemente
responsnbilisados.
Dito Ao Delegado supplente de Serinha-
cin significando em resposta ao seu olficio
de 4 do corren te que, posloque em regia sel
jurguenycorn renda sulticiente para terein j
voto Bis eleicoes primarias os guardas na-,
cionaes e dovo como laes ser claudicados
pela junta de que traa n decreto de 4 de
Maio tendo os oulros requisrtos da consti-
tuirlo todava, como su a junta compele
incluil-os na lista dos volantes, S. m. tara, j
segundo est autorisado para fazer a dita jun-1
la todas as reclamaooes qu entender serem |
fundadas para que olla inclua os iltdevida-
ment excluidos c vrce-versa e no caso de
serem desattendidas as suas justas reclama-
qd>8 dar parte da il'egalidade, com que el-
la este respeito se houve para ser compe-
tentemente responsahilisada.
Dito Ao Juizd- Direito interino docri-
me da comarca do Uio-formoso dizendo en
resposta ao seu ofllcio de 2i do mez ultima-
mente indo que tenilo o Tenante Coronel
Pedro Cavalcante de Alliinpierque I choa 7t.
supplento do Juiz municipal d'aquelle termo
pre.tado juramento as mftos da Presidencia
no dia I do crrente deve chamal-o para ex-
eroer aquella vara, em quanto se n&o apre-
sentaro2. supplente.
DitoAo supramencionado Tenente Co-
ronel dizendo que passn a exorceras fun-
Qesde juiz municipal do supracilado termo,
visto ja ler prestado juramento e achar-se o
primeiro supplente no exercicio de juiz de
direito.
. Dito Ao Com mandan te das armas re-
metiendo un exemplar da lei numero lili de
'2-4 de Agosto de 1841, que lixa as Torcas de
Ierra para o anuo linanceiro de 1812 1845.
Dito Ao mesmo ordenando que man-
de desligar do batalhSo de guardas nacionaes
destacado aos guardas Manoel de Miranda e
Souza, por estar pronunciado Francisco Ba-
silio de Almeida e Theodoro Rahello da Luz,
por serem julgados incapases do servico pela
junta de saude : e signilirando-lhe que nao
tem lugar o desligamento dos guardas Felicia-
no Gomes e Jnaquim Joze de Santa Auna .
por se acharen vigorosos segundo declarou
a niesina junta.
Dito Ao Juiz Municipal interino do Bre-
jo participando ter indeforido o requeii-
inenlo de Manoel Rodrigues Campello a vis-
tadesua informacao de 18 de .lunho ulti-
mo.
Dito Ao Juiz de Direito Manoel Teixei-
ra Peixoto nomeando-o para presidir o an-
damento das rodas da segunda parle da 10 lo-
tera do theatro que deve ter lugar no dia
12 do correnle.
Dito Ao Chele de legio do Limoeiro ,
signilicando em resposta ao seo ofllcio de 20
do mez prximo lindo que a atlribhico ,
que pertencia a Presidencia pelo artigo 58 da
lei de 18 de Ago'slo de 1831 Ibi-lhe agora
restituida com a extin<;ao dos Prefeitos e
que em eonsequencia Iha delega a funeco de
fazer reconhecer aos oleiaes superiores l-
timamente nomeados para a legio de seu
commando. ------------
COMMANDO DAS ARMAS.
CONTINUARAO DO EXPEDIENTE DO DIA ."> DO COR-
ENTE.
Olicio Ao Dezembargador Chele de Po-
r? tuhwoi

--. i -..
./*
r.^rr...^iw^ ... m- <.nT "t ilUBfJ-
licia pedindo-lhe alguns esclarecimenlos a- j
cerca do recruta Francisco Querino de Siquei--
ra que eslava em custodia.
Dito Ao Juiz Municipal supplente da I.'i
vara do rime desla cidade dizeudo-llie que
Qcavo passadasas ordens, para ser-lhe ago-
ra mesmo a presentado o soldado de cavallaria
Rosendo Pereira de Faria, para assistir a for-,
maQfio da culpa pelo crime de offencas ti-!
sicas.
Dito Ao Tenente Coronel Commaiidanle !
do bataliio provisorio reraettendo-lbe afim
de serem archivados os procesaos verbaes fri-
tos aos Reoa Manoel Antonio da Sdva e Oli-
veira e Seralim Comes ambos do mesmo
hitalho, a cujas senlengasse deo ppblici-
dale na ordem do dia de boje.
Portara Ao mesmo mandando em I
cumprimenlo ao aviso da repartic,o da guer-
ra de Mi de junho ultimo dar demico aoi
cabo d'esquadra Manoel Francisco Rodrigues,
e soldado Manoel Joao Antonio Joaqnim de
Souza, Mathias Das Galiano, Domingos Ce-i
zario Nunes e Joze Francisco, lodos por!
incapases do activo servido.
No mesmo sentido se ordenou a demico
de Domingos Joze de Macedo, soldado da
companhia de artfices, o de Manoel de Jc-
zus do limlim soldado do deposito.
INT.HIOa.
W"
Ao momento mesmo em que as ciaes e
villas principaes de S. Paulo vo entrando no
camnho da ordem quer o genio do mal que
esta seja perturbada no Hananal, allegando
os anarchistas por pretexto o insulto que di-
zem se lizera ao seu ebefe Joaqum Breves na
prisiio contra elle oidenada e que se mallo-
grou. Mas nao se rao mais felizes os rebeldes
do Bananal que os de Sorocaba. 180 honiens
de linha que destu corte marchro para a
villa do Cunta acho-se j reunidos em
Guaralinguet a mais de 300 guardas naeio-
naes imperialistas, e grande parte desla tor-
ca tem ordem de marchar para reas a refor-
jar o batalho de fuzileiros que por causa
do Bananal, ali se te-m conservado de obser-
vaco com 40 homens de cavallaria de linha ,
alem dos guardas nacionaes: acba-seem Be-
zende o major Castrioto com grande forca de
permanentes e o batalho de guardas nacio-
naes da mesina villa : em Juru-Merim desem-
barcarn, no da 20 50 pravas de linha ,
que por prevengan o governo mandara bus-
car a Para nagua asquaes vo ser reforjadas
com mais I SO de nfantaria e 20 de cavallaria
que hoje dever* sabir para ali as barcas de
vapor Gentil Campista e Especuladora. A1
vista desta forca a villa do Bananal entrar
sem demora na ordem.
Consta-nos por carta de Ouro Preto que
apenas se soube ali da revolta de Barbacena ,
marchou para esta villa urna forca de 200 a
400 homens, composta de urna companhia
de montanha pravas do corpo policial e
guardas nacionaes, commandada pelo distine-
lo major Pedro Nolasco de Azeredo Coutnho.
Em Ouro Preto appareceu un novo peri-
dico intitulado o Legalista.
RIO DF JANEIRO.
Rezende, 17 de junho.
As hem acertadas providencias que tem da-
SHB
!"*
ou se elles livessem cabido em mos probas
e leaes, ella linha os ttulos do propriedade ,
ella tinha a esperanca de recobrar a sua for-
tuna e de assim assegurar una existencia
feliz a sua filha. Fatima nao teria pensado
nisto para si mas para Zebra nada deixana
do aftrontar. Zebra quiz acompanha-la ; el-
la tinha tambem como sua mi desejos de
lomara ver essa bella Granada que tinbam
sidoobrigadas adeixar para sempre.N&O...
nao eu quero all voltar antes que seja
por urna ora exclamava Zebra quando Fa-
tima procura va deixa-la com seus amigos. Em
lim ellas partiram apezar dos conselhosj
desta pequea BOCiedade e approxilMHkm- j
se de Granada ao anoilecer do da seguinle.
Chegaram slli urna hora antes dse Pacha
rem as portas. Como usavaui o traje de cam-
ponezas hespanholns poderam entrar sem
causar a menor atteitco. No momento em
que atravessaram a porta sentina extre-
mecer todo o seu corpo nao de temor mas
sim de emocAo e de alpgria. Comofi.. r
litar tomaram a resolneao de rever durante
a noite toilos os bairros desla cidad t > aina-
da e lo chorada. Saudaram logo a grande
mesquita cujas torres se elevavam ao co ,
e suspiraram vendo elevar-se a seu lado a
magnifica igreja de Fernando e Isabel. Oh !
quanto o ar de (ranada bello quanlo
suave quanto embalsamado diziam ellas
ao mesmo lempo ; e ellas choravam contem-
plando agrande sombra da Alhambra forma-
da pelos ralos da la ; ellas choravam como
Boadillah quando doixou para sempre o seu
magnifico palacio e pedio a Fernando que
maudasse tapar a porta por onde linha sabi-
do. O vencedor leve ao menos a piedado de
Ihe conceder este favor e de executar a pa-
lavra dada. Filas pararam depois sobre una
las pontes que atravessam o Douro rio
de ouro e gesaram de un triste prazer ven-
do correr suas bellas aguas sob a la leve-
mente nebulosa. Em seguida fixaram bem
todo o paiz para o conservar na sua memo-
ria entre as montanbas, onde se dispunbam
a viver ; depois passando pelodistricto de Al-
ba) cin onde eslava situada a sua casa :
pararam diante da porta. Foi all que
eu teuho sido venturosa Ib i all que tu nas-
cesle Zebra dizia Fatima a sua filha.
Algumas portas mais ahaixo eslava urna
vclba ari.iciitada a lomar o ar o ar perfuma
dr. da Andaluzia. Fatima aproximou-se e a
interrogou sobre asorde da sua casa. Ella
soube que nao tinha sido habitada depois
da expulso dos propietarios e que o rei ,
oossosenhor, ainda a possuia.
Ellas nao poderam saber mais mas quize-
ram passar a noite sob o alpendre da casa na-
do o governo de S. M. tem iiileiraineote frus-
trado todos os planos dos rebeldes. Esta vil-
la goza presentemente de perfeilo socego e
segnranca e nao ha aqui o menor recelo de
rompimenlo sedicioso. F. cerlo que as primetras noticias aterradoras de S. Paulo ,
cornos grupos de sediciosos que se reunirfio
em varios lugarejos daquclla provincia as
visiuhaucas desta villa com os boatos com
que eramos ameacados e Analmente com os
horrorosos assasinios conimeltidos no Silvei-
ra muilose altern aqui a traiiquillidade ,
e o suslo se apoderou de todas as familias ao
passo que alguns poneos desordeiros pregro
aqui publicamente a revolta.
Nestas circunstancias o corpo de cavalla-
ria da guarda nacional pz-se em movimento;
foro aqui destacados quareuta homens arma-
dos e bem municiados sustentados e man-
tidos por urna subscripgo a qual volunta-
riamente concorrero todos os cidados. lsto
foi bastante para por lodos os nimos tran-
quillos o hoje falla-se da revolucao de S.
Paulo como se se fallasse da revolucao do Pa-
ra ou Maranhao sem que deixe algum re-
celo aos habitantes desla villa.
Devo agora deciarar-lhe que sendo como
sou bastante pralico por todas estas villas c
povoaeoes ao norte de S. Paulo sinto quan-
lo me possivel que se de tamanha importan-
cia e cor politica a estes lugarejos como Que-
luz Barreiras Arcas e Silveiras, onde tem
apparecido estas desordens. (>apacite-se que
todas estas desordens sao movidas por vin-
gangas particulares ,' e em lodos estes lugares
por padres que esquecidos do seu sagrado
ministerio, aculo agente mais ordinaria a
roubar e matar e recolhem-se depois para
suas casas sem proclamar quaes os seus prin-
cipios politices se que os tem.
A torca que tem vindo mais que suficien-
te para acabar com lodos estes aniolinadores
do povo. Esses grupos nao devem ser consi-
derados como partidos polticos, mas suri nio-
tns populures ; mas, com quanto nao mos-
trem fin algum cerlo, o tem com tudona
mente dos cabecas.
Nada tem occorrido de importante as vil-
las vizinlias de S. Paulo depois dos ltimos a-
contecimentos das Silveiras.
[ Carta particular. ]
MINAS GFBAES.
Illm. e Fxm. Sr. -- Por participaco que
tivemos do Exm. Sr. visconde de Baependy ,
ollicios do delegado do chele de polica da ci-
dade de S. Joan d'Fl-Re,. e coronel comman-
danle da segunda legio de guardas nacionaes
de Simao Pereira Nicolao Antonio Nogueira
da Gama soube com certeza do rompimenlo
llovido na cidade de Barbacena desta provin-
cia em o da 0 do crrente mez contra o
actual governo geral piesidente da provin-
cia e leis constitucionalmente confecciona-
das pelos poderes da nagao ; e Ibi o meu pri-
meiro cuidado convocar s armas em defeza
da legalidade os habilantes desle importante
[ionio e districto os quaes promptamente a-
cudiro ao grito por mini dado em favor da
lei e se achao reunidas as duas companliias,
urna de infantera, oulra de cavallaria, e mais
pessoas capa/es de pegar em armas em nu-
mero de 150 que se achao unidas e possui-
das do maior denodo e enlbusiasmo a favor du
taleia e all dormiram em paz. Quando a-
manbeceosuas primeiras vistas dirigiram-se
a esses muros queridos ; tramas ultimas e
sahram pela porta da cidade que se a-
cabavam de abrir.
Entradas as montanbas marchavama-
pressadarnente teniendo ser surpreendidas ,
quando ouviram um tiro ao Ion je talvez o
de um calador A accao temeraria da noite
as tinha agitado e a perturbaciio em que
iam fez que se perdessem. Oh minha
pobreiilha onde vmosnos ? este nao e o
nossocamnho E Zebra no sabia oque
responder. Ellas rao se tinbam engaado ;
em breve senliram distinctarnente o rumor-
de armas ; erarn perseguidas, e quanto mais
procuravam fugir mais se nerdiam nosro-
chedes ; e andando ao acazo iam a voltar
urna malla, quando Fatima vio dois solda-
das.
On l bellas Granadinas !
E elles se lancaram sobre Zebra. Sua mi
se arrojou apoz delles e agarrou as espadas
que brandiam.
Salva-te Zebra .' corre... abra-
ga-m< .. vai-te Toma esses papis..., erara
os ttulos de propriedade.
Ella cortava borrivelinente asmaos as ar-
mas que linha agarrado mas nao largava a
preza. Zebra nao obdecia ; procurava dc-
lcgaldade principalmente depois que tive-
mos certera deque Joao Gualbcrlo (do Turvo)
tinha em Santa Rita de Jacutinga distante 7
leguas deste lugar secundado o grilo da re-
buldia e reunido forga em numero de perto
de 200 apoiando o movimento de Barbacena
desde o dia 13do correnle. Este ponto na
extrema desta com essa provincia, dos mais
importantes por rtelle se achar o cofre da re-
cebodoria e Rarreira contendo para mais de
I0:0o0> rs. e sem duvida o mais cobi-
jado pelos rebeldes que j dro provas de
sua avidez saqueando o dinheiro do Parahy-
buna porm o administrador desta recebe-
doria teve o cuidado de acaulelar o seu.
OflTiciei ao juiz municipal da villa de VaJen-
ca nossa vizinba requisitando auxilio da
guarda nacional atim de melhor podermos
conservar o nosso poslo ameacado. Temos
porm muita falta de armamento e munices,
pois a pouca plvora que havia as casas de,
negocio se acha j encartuxada assm como
o chumbo reduido a balas.
Por carta do Illm. Sr. Dr. Antonio Joa-
qnim Fortes de Bustamanle, cuja.copia lenho
a honra de enviar a V. Ex. tivemos espe-
ranca (devida nossa reunio e aos esforQos
do mesmo ) de que a gente armada de Santa
Rila se dispersara.
Segundo participaco que live do juiz mu-
nicipal de Valenga, est a partir para este pon-
to grande torca a auxiar-nos compondo-se
esta de guardas nacionaes daquelle municipio
e do de Vassouras. Espero tambem a com-
panhia do districto de Santa Barbara desta
freguezia que se est reunindo e bojeolli-
ciei ao capilio da das Dores do Rio do. Peixe ,
alira de ferhar os ouvidos as prfidas insinua-
Cfl^S de Raibacena e partir para este ponta
com a sua companhia. No dia 16 chegou a-
qui um miseravel preto conduzindo ollicios
(ios rebeldes dirigidos a varios juizes de paz ,
bem como a mim e ao do districlo de San-
ta Barbara e foi tal a indignaco do povo r
que, huleando mo dos a mim dirigidos os-
reduzirao a tiras tirando s os re Santa Bar-
bara os quaes depois de abertos tive a honra
de enviar a V. Ex. por intermedio do Exm.
Sr. visconde de Baependy eidado este dig-
no de loda gratido dos Bio-Pretanos pelos
seus aturados esforcos platicados em nosso
socorro.
E esta a succiuta exposico dos aconteci-
mentos aqui occorridos que eu julguei do
meu dever levar ao conhecimento de V. Ex.
( pois que estilo interceptadas nossas com mu-
nicaces com o Exm. presidente desla provin-
cia ) : o que faria ha mais lempo se o Exm.
visconde j mencionado se nao tivesse incum-
bido de estabelecer minha communicaco com
V. Ex.
Neste momelo, 10 horas da manha a-
caba de chegar o otlicio que lenho a honra
de enviar a V. Ex. do juiz de paz de S. Ri-
la da Jac/inga cujo con leudo nos favora-
vele orientar a V. Ex. as providencias que
se servir tomar a tal respeito. Resta-me s-
mente assegurar a V. Ex. do bom espirito
que anima a todos os cidados e guardas naci-
onaes deste distr cto, os quaes esto promptos
a sacrificar as proprias vidas em defesa do
throno constitucional do nosso augusto mo-
narclia e do seu legal governo.
Agora mesmo ( urna hora da tarde) novo a-
viso me chega de que os rebeldes do Turyo ou
fender sua mi. Em nome de Allah ,
minha lilha salva-te eu to ordeno....
Zebra nao ousou resistir a esla ordem sa-
grada.
a Bem minha lilha.. .bem... direi-
I a... ai leus
F ella lutava sempre com os soldados que
se tinbam tornado furiosos com esta resis-
tencia da parle de urna mulher.
Deixa-nos...ou te matamos..., Ella com-
hateo ainda por algum lempo at que vio
sua filha fra de perigo e vendo-a finalmen-
te sobre urna rocha escarpada disse :
Ados !
Adeos
Ella tinha pegado no braco de um dos sol-
dados que queria correr para aqulle lado ,
o qual apoderado de umaccesso deraiva, repel-
liu violentamente Fatima e a attravessou de
lado a lado coir. a sua espada.
Ali Zebra est salva disse ella expi-
rando.
Aquelle a quem so contou esta aventura ,
disse :
Nada pode igualar ao amor de urna
niai Eis-uqui e historia do primeiro pro-
verbio.
( Continuar-se-ha. )
k-


occupo ou marchSo j para occupar com for-
a o ponto de S. Rita c frustrar a boa vonta-
dequeali se mostrava pela legatidailo. Logo
infanlai a e 12 de cavallara, a postar-se em a
fazenda de N. Clara, rujo proprietario o ca-
pito Francisco Theresiano, nosavisou, ees-
la prompto a dirigir a dita forga de accordo
com o Dr. Antonio Joaquim Fortes afim de
occupar as passagens que podem ter os rebel-
des pava aqui.
O socorro de Valenca anda nao ebegou: ve-
ja Y. Exc. o apuro em que estamos, e se a-
Vresse em nos soecorrer pois nao nos falta
coragem e patriotismo.
Felizmente ( 11 horas e meia da noite) aca-
ba de chegar a forca que se esperava de Va-
lenca em numero de 12o guardas nacionaes
de ('avallara e infantaria commandada pelo
Illm. Sr. coronel chele de legiao Nicolao An-
tonio Nogueira da Gama, agora commandan-
te geral das forgas da legalidade nesle ponto,
o qual em companhia do Exm. Sr. viscon-
e de Baependy veio dasassombrar-nos e a-
nimarcada vez ruis os legalistas deste ponto.
Foro recebidos com o maior euthusiasmo ,
eaos repetidos vivas a S. M. o Imperadore
ao sea governo legal, (inmediatamente lo-
nnro conta da forca armada e muito espe-
ramos das sabias medidas que vo por em
'pratica. Concluo este ofllcio renovando a V.
Ex. a seguranca da firme adheso do povo
(leste liifar ao governo actual de S. M. o 5>r.
D. Pedro 1T nosso augusto Imperador.
Dos guarde a V. Ex. Districto do Rio Pre-
tol9 do junho de 1842. -- Illm. e Exm. Sr.
minist'.o e secretario de estado dos negocios
da jnfitica Joze Furlado de Figueiredo, juiz
de r,az.
Illm. e Exm. Sr. Participo a V. Ex.
-que nao me podendo sustentar na fazenda
da Independencia com a pequea forca que
pude reunir pertencente as companhias de S,
Joze e S. Francisco da legiao do meu Cum-
ulando sendo a mencionada fazenda distante
da ponte do Parahybuna cerca de tres leguas ,
visto este lugar estar oceupado por forga re-
belde marchei no da 18 do crrenle para a
villa de Valenca ; e constando a.'i que urna
partida rebelde vinha occupar a ponte do Pre-
sidio do Rio Prelo cuja povoago nao lem
-adherido rebelda econservava urna torga de
liuzentos homens porordem do juiz muni-
cipal e delegado da villa referida parti a occu-
par a dita ponte com cento e vinte homens ,
forcea que por enlo se pode ajunlar e a ella
cheguci por uoile acampando na margem
direita do rio para proteger a povoago no ca-
so de ser atacada e at o momento de encer-
rar esleoflicio nenhuma novidade lem occor-
rido nesle lugar. Hontem noite fui iitfoi-
inado que o Dr. Antonio Joaquim Fortes de
Bustamante de accordo com o cidado Anas-
tacio Leite Ribeiro, ecom urna forca con)pos-
ta de guardas nacionaes da freguezia de Santo
Antonio do Rio Bonito do termo de Valenca ,
.pretendido assaltar o arraial de Sania Rita da
Jaculinga daqui distante sete leguas onde
se acliava reunida urna pequea forca rebel-
de. Devo declarar a V. Ex. que espero boje
cerca de mais de cem pragas que hontem per-
noitroem Valenca, alm da ferca que a to-
do o momento espero de Vassouras.
Dos Guarde a V. Ex. Acampamenlo junto
a ponte do Presidio do Rio Prelo, 20 de ju-
nho de 1842.--Illm. e Exm. Sr. ministro e
secretario de estado dos negocios da juslica.
Paulino Joze Soares de Souza. Nicolao An-
tonio Nogueira Valle da Gama, coronel chefe
da 2.' legio de Barbacena.
P. S. Acabo de ser certificado de que esta
noite ficou j em territorio de Valenca a forca
de Vassouras. As companhias do Cagado, Es-
pirito Santo S. Joze d'alem Parahyba e Pi-
ah reuniro-se por aviso meu a favor da
legalidade ; porm nao posso contar com ellas
para este ponto, nao s pela distancia que ha,
como porque io operar sobre a villa da Pom-
ba que havia cedido ao moviraento de Bar-
bacena.
Illm. e Exm. Sr. Cumpre-me commni-
ca r a V. Ex. que urna das pessoas que tinha
mandado a saber noticias chegou com a parti-
cipado inclusa do juiz municipal da Parahy-
ba, accrescentando que a ponte do Leite se a-
cha guarnecida por 500 imperiaes da guarda
nacional, fra a tropa que V. Ex. mandou da
corte quefoi encontrada a primeira docapi-
to Pinto adiante do Secretario e a que
marcliou depois na ponte de Mag. O Exm.
presidente da provincia ia chegando hontem
de tarde a Parahyba com o coronel Joze Tho-
inaz Henriques e outros officiaes.
Dos guarde a V. Ex. Directora da fabrica
da plvora 22 de junho de 1842. Illm. e
Eira. Sr. Joze Clemente Pereira Joo Car-
los Pardal, brigadeiro graduado, director in-j e Exm. snr. Joze Clemente Pereira minis-
terino. tro e secretario de estado dos negocios da
O municipio da Parahyba do Sul nfio tem I guerra. = Conde do Rio Pardo,
al o presente recebdo as-:alto algum dos
facciosos, nem de presumir que ellesoin-
lentem nao s a vista das providencias que
se ho tomado como porque os mesmos se-
diciosos tratro logo de demolire incendiar a
ponte da Parahybuna. Parahyba do Sul 20
de junho de 1842. Joze Ricardo de S Re-
go delegado de Policia.
S; PAULO.
PROCLAMACA 1)0 GENERAL RAKAO DE CAXIAS.
Paulistas Alguns rebeldes ao throno e >
leis conseguiro levantar nesla provincia o
estandarte da rebelliao! Para abate-Ios e res
tituir-vos a paz e o rgimen legal, S. M.o
Imperador me enviuu a esta provincia c es-
lou certo de que ser correspondida a confian-
za com que me honrou o nosso auguto monar-
cha.
Esse punhado de rebeldes que teve o arrojo
de approxmar-se capital foge espavorido
edebandado, receiandadosusccessos iguaes aos
que experimentarn s portas de Campias.-
as forcas imperiaes sob meu commando os
perseguem em retirada e nao pararo em sua
marcha gloriosa em quanlo nao for destrocado
esse bando de inimigos do Imperador e da cons-
tituido.
Paulistas leaes ao throno Acompanhai-me.
Illudidos! Acolhei-vos debaixo das bandeiras
imperiaes. Esses illudidos que ven ho parti-
ihar o quiuho de gloria que me cabe pro-
curando as lileiras do exercito que commando.
Quartel general em marcha as margnns do
Baruery 13 de junho de 1842. O general
Baro de Caxias.Est conforme.Raro de
Moni' Alegre.
S. Paulo, Ifide junho.
Chegaro a esta capital, no da l2docor-
renlc 100 pragas do batalhoda cidade de
Santos: a sent que veio e queja marchou
toda luzida e, segundo nos consta bem dis-
cinlinada. E' notavel o enthusiasmo que s"
tem notado em todos os pontos da provincia
nao oceupados pelos rebeldes! Todos se tem
prestado ao governo com a maior boa vonta-
de com a maior satisfaco ; ao mesmo lem-
po que entre os rebeldes nao se v sen5o de-
serco e cobarda. Tem sido remettido pelos
subdelegados da Penha 0', Ccneeigo dos
Guarulhos, Aruja S. Bernardo Braz San-
ta Iphigenia etc. mais de 500 guardas poli-
ciaes que se ach.o arregimentados sob o
csmmnndo do caplo Seixal. Nao podemos
deixnr de louvar e agradecer a artividade dos
referidos subdelegados, que com tantozelo n
diligencia tem desempenhado as commissfvs
de que tem sido encarregados. Iguaes louvores
devemos tributars pessoas que se tem volunta-
riamente apresenlado para o servico interior ,
pois grande numero deltas tem para esse im a-
bandonado seus interessesesuas familias. Tive-
mos noticia de que os rebeldes j corridos no
dia 15 pelas forcas imperiaes quelhes tomn
grande parte da bagagem foro outra vez
no die 14 poslos em lo precipitada fuga que
deixro grande porco de mantimentos e
at abandonaro urna pega de ferro que tra-
zo. Isto fizero com tanta pressa que nao
tivero as forgas imperiaes lempo de acomm',t-
te-los E com taes soldados que os Tobas
eosFeijs querem dar leis provincia de S.
Paulo!
Illm. e Exm. snr. = Conforme as ordens
, e instrueges a V, Ex.. datadas de 20 do a-
| bril, passei no da 3 do crrante para a rnar-
! gem direita do Jacuhy e nessa mesma tarde,
i com 370 pracas de oavallaria e 84 de infanta-
ria da companhia de engajados allemes tan
l)i :;i montados SL'gui para a Serra do Ervil
Po:ji o im do cortar a retirada do inimigo .
(pie se achava com parte de suas forcas quein
de Carnacuan. Em tres nuiles de marcha a
mais acautelada, cheguci aos faxinaes cha-
mados do 'lavares onde aprisionei Joze Gon-
galves da Silva irino de Boilto Goncalves ,
intitulado chele da repblica que nesle par-
tido exercia o logar de juiz de paz. Ali sou-
be que as forgas rebeldes j tinho passado
para a margem direita do Carnacuan. Segu
sem demora para a capel I a de S. Joo de cu-
jo lugar divid partidas para reunir cavalhada
e observar o inimigo marchando todas na
direcgo do passo de Cordeiro onde nos reu-
nimos no dia 0, tondo nesla marcha tomado
aos rebeldes 150 cavallos e 5 prisioneiros ,
sendo uro delles o intitulado lente Lemos ,
lodos presos pelo a llores Fideles da Silva do
5. corpo de cavallara.
A' vista da precipitada fuga dos anarchistas,
mandei di/.er ao tenente-coroncl Joo Frede-
rico Caldwell que com as forcas do sen com-
mando devia passar o Carnacuan e mar-
char na direcgo da estancia lo Malaquas ,
onde devia apoiar os meus niovimenlos em
quanlo cu atravessava o mesino rio no passo
do Mondonga. No mesmo da 9, ludo se ef-
fecluou com a maior caulullu e rapidez se-
guindo para a cnpella do Boqueiro, onde
.'izjuncgo, no dia 12, com as partidas que
mandei para diversos lugares e se nao fosse
runde
2. 3*000
5. 1*C00
Joze Affonso Ferreira.
Francisco Jos Marrano.
moTTmento IX) porto.
NAVIO EMTBADO >01>u9.
Ro de Janeiro, pela Babia o Macei; 15 di*
as Paquete de Vapor Nae. S. Salvador de
240 tonel. Commandante Hewry Otten ,
equip* 24 : a Joaquim Baplista Moreira.
8AHIDO8M0 MESMO 51V
Maranho; Patacho Brasileiro Carolina Cap.
Francisco Bernardo de Mallos, carga di-
versos gneros.
Cear; Patacho Nac. Laurenlina Cap. Anto-
nio Germanos das Neves carga diversos
gneros.
ENTRADOS SO DIA 10.
Rio Grande do Sul ; 2K Feliz Destino de iOl tonel. Cap. Manoel
Pereira de S equip. 11, carga carno
secca : a Pedro Dias.
SABIDO -NO HESITO DIA
Havre de Gracg ; Barca Franceza Camelia ,
Cap.'Joo Baptista Cuilbert, carga algodo.
BNRVD08 -NO DIA II.
Macei : 42 horas Brigue Escuna de Guerra
Nac. Caliope, Com mandan le o Capito Te-
nenie Felipe Joze Ferreira.
Aracaly, 28dias, Sumaca Nae. Felicidadede
74 tonel. Cap. Joze Rodrigues Pnheiro ,
equip. 8, carga couros e sola: a Antonio
Joaquim de Souza Ribeiro.
DECLARACA.
ss O Delegado supplente do Termo do Rio
Formo/o faz publico para constar a quem
Convier que na prislo daquella, Villa se acha
una grande cerracio que durou ate s 10 I recolhido um escravo ( que nao declara quem
horas da manli leria sorprendido mais 200 nc scu senbor ) o qual fui aprehendido pelo
administrador do engenho Pen-recas
homens rebeldes tomando-lhe com ludo
mais de 500 bous cavallos. Vendo que o ini-
migo levava
ande vanlagem
na sua relira-
por
tanto quum se julgar com direilo ao mesmo
escravo baja de apresentar-se legalmente ba-
ln) de llie ser entregue.
AVISOS M AR I TIMOS.
e?- O muito velleiro Rrigue Brasileiro Em-
pieza de que fie Capito Francisco Ferreira
para onde
Borges est a chegar do Cear
RIO GRANDE DO SUL;
Illm. e Exm. snr. = Em complemento do
que communiquei a V. Ex. no meu officio n.
101 de 17 do correte cumpre-me remelter
a copia da parte que me dirigi o lente co-
ronel Francisco Pedro de Abreu, circuns-
tanciando as occorrencias da expedigo de que!
o encarreguei, coadjuvado pelas forgas ao '
mando do lente coronel Caldwell.
Os prisioneros feitos nesla expedico com
outros que existem as prises desla cidade ,
seguiro brevemente para a corte como le-
nho deprecado ao presidente da provincia.
Devo igualmente partecipar a V Ex. que o
major Ozono eiTecluou a compra de mil bons
cavallos, que com dous mil cento quarenta e
qualro escolhidos, d'entre os que tinho
comprado o coronel Procopio e o tenente-co-
ronel Annibal j se acho perlo desta capi-
tal e seguem a pequeas marchas para o Va-
cahy, para remonta da eavallaria da primei-
ra e segunda diviso ; em quanto que as in-
vernadas do Rio Grande fico dous mil par-
le delles refazendo-se do estipeamento que
Ibes resultou di viagern que fizero do Estado
Oriental.
Dos guarde a V. Ex. Quartel general em
Porlo Alegre 50 de inaio de 1842. s= Illm.
da, e que eu tinha avangado mais de 40 le- bilitado, e dentro do prazo da lei, acontar
guas, com marchas toteadas, lendo que fa- jn dia da publioaofio deste pela imprensa, a
zer urna longa retirada sem encontrar mais1
cavalhada que reunir, determine] fazer
juneco com as Torgas do tenenle-coronel Cal-
dwell no dia 15, emarchando juntos ale o
lugar chamado a Cordbera ali nos separa-
mos seguindo aquelle tenente-coronel para
0 Rio Pardo e eu para o Serio do Roque che-
gando margem do Jacuhy na Ponta Rasa ,
no dia 22, sem nenhuma outra novidade.
Daquelle lugar envei logo os ti prisioneiros
[tara esta cidade pondo eir> boa guarda a ca-
valhada : mandei logo as forgas por V. Fx.
destinadas a guarnecer os rustridos di mar-
gen) esquerda do Jaeuhy. Desta forma rea-
lo a V. Ex. o resultado da minhii cominisso ,
devendo declarar que toda a tropa est com a
maior vontade de se bater e pezarosa ficou
do nao medir as suas espadas com o inimigo
e eu nao menos para satisfazer os. desejos de
V. Ex.
Dos guarde a V. Ex. Leal e valorosa ci-
dade de Porlo Alegre 24 de maio de 1842=
Illm. e Exm. snr. conde do Rio Pardo gene-
ral commandanle eru chefe do Fxercito. =
Francisco Pedro de Abreu tenenle-coronel.
( J. do Com.)
COMMERCIO.
ALFANDEGA.
Rendimenlo do dia 11 de .luido
voltarcom brevidade; quem quiscr carre-
gar ou ir de passagem dirija-so ao Escriptorio
ife Francisco Severianno Rabello no forte do
Mallos D. 9.
as? Para a Baha seguem com toda brevida-
de as Sumacas Nacionaes Aguia de Manga-
rali ha e Amisade, de boa marcha e forradas
de cobre ; quem quiser carregar ou ir de
passagem dirija-so a Gaudino Agostinho de
Barros na pracinha do Corpo Santo D. 07.
LE I. OES.
= Quinta le ira 1-4 do corren le do varias
qualidades de fazendas em lotes : na ra
do Crespo loja 1). 8, as 10 horas da
manila.
"~AV1 SOS DI VERSOS.
:257.550
MEZA DO CONSULADO.
Pauta dos precos corren tes doassucar, algo-
do CJnais gneros do paz que se des-
paohona mesado consulado de Pernain-
buco na semana de II a 17deJulho de
1842.
Assucar 1). n. 1. sorle 2*000
2. 1 #900 1. q. 1900
5. 1*800
A. l*67>0
1,500 2. q. 1500
0. 1*550
Dito dito velho 1. 1*780
e> i|650 1. q. 1050
5. 1 #550
4. 1*400
* 1*250 2.q. 1250
t. 1*200
Dito mase. n. 1. 1*200
2. 1*100 2. q. 1200
Dito dito velho i. 950
>> 850 1. u. 930
Algodo em pl. 1.
t3F~ Aluga se urna casa de sobrado com
exnellen tes com modos para numerosa fami-
lia granda coxeir.) armazem para pretos,
estribara, dous quintaes com porto ao la-
do da casa lendo cacimbas, com alguma*
plantas, enclusive grande parreiral com 20
palmos de largo e 500 dilos de comprido ,
no lugar denominado a lllia com frente pa-
ra palacio velho e fundo para o Hospicio e
estrada para o mesmo ; quem pretender diri-
ja-so ao Recife ra da Conceigo casa n. 26 a
fallar com Joo Maria Seve.
ssy Quem precisar de urna ama para o ser-
vigo de urna casa de portas a dentro : dirja-
se ra do Jardim lado direilo D. 18.
tsy Preeiza-sede9 a 10 con tos de reis a
juros de um por cento ao mez com seguran-
za ouhypotheca em um bom sobrado, ou
com boa firma pagando-se o juro annual pe-
lo lempo que se tratar; quem quizer fazer es-
I. q. 1050 r te negocio, annuncie para ser procurado e
j tratar-se de sem filiante negocio : o sobrado
i de tres andares e sito em urna das principaes
1250 | ras desla Cidade.
vsr Precisa-se alugar pr tos e pretas para
venderem azeite de carrapato s tardes : na
ra das Larangeiras 1. andar do sobrado D.
7 lado do norte.
= Quem tiver servigo para fazer por car-
rosa ; dirija-se a ra Direila D. 33.
6*000



S3*.
U,
g^ :vr*- **
mor
4
= 0 abaixo assignado faz scicnte, qu<
vendeu ao sur. Francisco Dias Portes a par-
te que lin'ha na venda lia na Direita I). I, eni
que o nv'smosnr. Fortes linha sociedade ; li-
cando o mesmo sr. Fortes obrigado a pagar lo
das as dividas que a mesma venda devia ; i
tambem ica autorisado para recebar todas
as dividas que devem a mesma casa.
Antonio Ferreira da Cosa Braga.
= 0 abaixo assignado com casa de ne-
gocio no beeo da Linguete pretende retira-r-
se para Portugal deixando sua casa entre-
gue ao seu mano Antonio de Sou/.a a quera
deixa aulborisado para pagar as cuntas pie
o mesmo dever ; comprar e vender como an-
tigamente licando lobem aulborizado a re-
cebar as contas que fleverein ao mesmo abai-
xo assignado.
Joze de Souza e Silva.
= No dia 10 do corren tu furtro da tra-
vessa do Rozario D. 12 una taixa de prala
tiestas do Porto que se costumno vender por
40. 000 rs. : roga-sn a pessoa a quera for of-
l'erecida haja de a tomar que se Ihcficai
obrigado.
= Alugi-sc urna casa terrea no roclho ,
na ra dos Prazeres, f'eila a moderna com
duas sallas tres qnartos cozinha Tora ,
quintal. est caiada e pintada por prego
de lOjOOO mensaes : quem o pretender di-
rija-se a mesma ra, a fallar com Francisco
Joze Arantes.
Quinta feira li do corrento a porta do
snr. Dr. Juiz de Orlaos na na do Collegio .
a arrematacao da casa de sobrado que se lem
annunciado na ra da Cadeia do bairro do
Recite R. 41 que foi do finado Antonio Jo-
ZO Quaresma ; cuja arrematacao lie de renda
trienal : os pretenden tes devem comparece)
a lancar.
= U abaixo assignado declara ao snr. Joo
Francisco Regis que seu annuncio do Diario
N. lio de 9 do corrente se refere justamen-
te ao embargo do snr. Dr. Francisco Xavier
Pereira de Rrilo que foi oblido no dia 4 do
Maio ; e se este nao vale por ser posterior a
compra da proprieiiade sobre que recahio ,
menos vale o do sur', legis que segundo sua
confisso lie de 2 do concille ; e qnanto a
x/jy
Fpifanio dos Reis Faria-, retira-se d'es-1 meiro do crtente deixou de vender t;
la Provincia.
ssy O abaixo assignado com procurador
bastante de Boaventura Antonio Maciel, em
onsequeneia de ler por acaso visto o anniin-
cio do Diario de 9 do crrenle, em que se
Irz (|ue na porta do Sr Dr. Juiz de Orfaos e
Vuzentes se haVia arrematar ( boje ll do
lulho)os hens gneros de luja e escravos
J' fallecido Joze Romingues- da Costa tern a
leclarar a todas as pessoas que no mesmo ne-
gocio se interessem que os escravos Fran-
cisco mulato de 50 annos Maria crela, de
50 anuos, e Manoel angola de 20 annos,
acha-so bypollipcados por bypotbcca publi
ca feita uo cartorio do .'nr. Joze Alexandre
Perrelra ao meo constituinte pela quantia de
1:211000 e os juros a vencer isto em 12
de Agoslo de 1811 tempo este em que o dito
fallecido gosava de todo o conseito nesta pra-
ga a qual hypotheca foi por 0 mezes o se
acba vencida ^esde 12 de Fevereiro corrente ,
o que se faz sciente para evitar contcstaertes
com qualquer pessoa que na boa fu os arre-
inale. JoAo Antonio Maciel.
ET- Crabtree Heywortli o Comp. previ-
nem a quem pretender comprar urna casa no
patio da Penba que foi no inventario dos
bens do finado Francisco Ferreira da Annun-
ciaeao aquinboada ao lilbo deste Felis Fer-
reira da Annnnciacfio, que essa casa est pe-
nhorada pelos Annunciantes : assimcomoos
demais bens de raiz do casal e por isso em-
bancados para poderem ser vendidos ; e para
que ninguem se cbame a ignorancia fazem
o presente aviso.
ro em sua Inverna na ra de agoas verdes
D. I. = Joao da Costa Finia Jnior.
&r A quem Ibe fallar urna canoa aborta
gramlo, oleada de encarnada, e urna la boa de
costado velha dirija-so a ra larga do Ro-
zario D. 0.
ssy Quem annunciou querercomprar obras
de diamantes uzadas querendo um lago an-
li'^o de piala todo cravados de diamantes di-
rija-se a ra do Baldo em Olinda D 21.
C7" O abaixo assignado querendo evitar
o prejuiso que soliera nos embarques de ca-
botagem no trapicho novo por acontecer ,
as pessoas que elleituao os ditos embarques
se relirarem militas vezes,sem pagarem oj> res-
pectivos dbitos avisa aos Srs. donos e con-
signatari s das respectivas embarcaees que
de ora avante nao admite os ditos embarques
sem que sejo pagos avista ou alias com a
sua responsabilidade. Francisco Augusto
da Costa Guimares.
t^" Quem precisar do ama secca ou para
costura dirija-se ao quarlel do Hospicio.
cy Aluga-se una padaria ou a casa, para
moradia, com a condigno de se Ibe levantar
as camarinbas que sao duas pelo prego de
8 mensaes e passa-se un papel de arren-
damenlo por 5 annos ; annuncie.
S2P Quem precisar de una crela para
ama de casa dirija-se a ra da Moeda no
primeiro andarpor cima do armazem de Jo-
ze Antonio Via una.
tsr O Snr. que foi buscara loja de Guer-
ra Silva c\ Companbia na ra Nova D. G as
amostras de fitas; queira fazer o favor de as
Jes curas que lem feilo, nAo requerem nem
dieta e nem resguardo algum ; a sua com-
posigo to simples que nao fazem mal a
mais lenra crianga-. em lugar de debilitar ,
fortificad o systema purilico o sangue ,
dugmentao as secreces em geral : tomadas,
seja para molestia ebronica ou somente co-
mo purgante suave; o melbor remedio que
tem apparecido por nao deixar o estomago
naquelle estado de constipacao depois de sua
operagao como quase lodos os purgantes fa-
llypolbeca de que tracta o snr. Regis saiba i zeni e por seren mui facis a tomar e nao
para seu desengao, que ella passou como j causaren) ncommodo nenhum. 0 nico de-
PILULAS VBGETABS E DN1YBRSAES AMERICANAS, j C entregar.
Fslas pilulas j bem conbecidas pelas gran- HT Troca-se um crelo de 18 annos, bom
onus da propriedade ; e se disto se quiser cer-
tificar pode recorrer a Escrip'tura de venda.
Lourengo Cavalcanle rAlbuquerque.
=s Joze Alves Finia, avisa ao snr. Tbom
Pereira Lagos, que deixou de vender agur-
dente de produgo brazileira em sua venda :
na praga da Roavista I). 2 desde 9 du cor-
rente.
= Joze da Silva Saraiva avisa ao snr. Tbo-
m Pereira Lagos que deixou de vender a-
goardente de produeco brasilea em sua
venda : na praga da Roavista X. 1 desde o
dia 9 do corrente.
= 0 abaixo assignado d quarenta mil
rs. em dinbeiro a quem acbou o Testamen-
to com que falesceu rsula das Virgens : an-
nuncie sua morada para ser proniptamcnle
procurado, e pago. .Manoel de Jezus la Silva.
= Joze Antonio Ferreira da Silva reti-
ra-se para o Rio de Janeiro.
= Cozeni-se carnizas de bomem com toda
a perfeicio e prego com modo : no beco de
S. Pedro D. 5.
psito dolas em casa de D. Knoth agen-
te do author : na ra da Cruz N. 57.
N. B. Cada caixinha vai embrulhada em
seu receituario com o sello da casa em la-
cre prelo.
szr As pessoas que livero contas ou tran-
santes com o fallecido Moi gado Joo Policar-
ro do RegO Barros qneirao dirigir-se a caza
de Francisco Paes Brrelo defronte da Igreja
do Garmo D. 5 munidos de seus ttulos pa-
ra ulteriores disposices c do inleresse dos
mesrn'Scredores.
0 abaixo assignado previne pelo pre-
sente annuncio, em quanto nao uza dos meios
legaes ao Snr. Thasoureiro da Lotera do
Tlicatro que nao pague caso saia premiado
o mcio bilbete n. 2289 da segunda parte da
decima lotera que boje corre, o qual lhe
foi desencamnbado e se acba assignado no
verso pelo mesmo abaixo assignado.
Anlunio de Oliveira Passos.
.Na madrugada du dia ti do corrente
desapareceo da estacada de urna casa de tabua-
= Precisa-se alugar um preto para leve' duque tem Manoel Pereira Dias, ao p do
servico : quem o liver annuncie ou dirija-se j Arsenal de Marinha urna canoa pequea,
a ra de.Agoasverdcs sobradol). 10. com ossignaes seguintes: um taco no fundo,
ss Lourengo Joze de Almeida avisa ao j duas argolas urna na proia e oulra na popa ,
oflicial de alfaiate e bem parecido por urna
escrava crela ou de nacao que nao exceda
de 20 annos sem vicios nem achaques e
que saiba engommar comis (pie be pre-
ciso ao servico de urna familia: a quem con-
vier annuncie.
COMPRAS.
ssy Doustaxos grandes: na ra estreita
do Rozario vindo do pateo do Colegio a cs-
querda D. 15.
tF Escravos deambos os sexos do 12 a
20 annos, que agradando se pagao bem : na
ra do Fogoaopdo Rozario I). 2;').
S2T L'mquarto possante que sirva para
carga ; quem tiver annuncie.
VENDAS.
snr. Tbom Pereira Lagos que deixou de
vender agoardente de produego brasilea ,
em sua venda desde 9 do corrente : na pra-
ca da Boavista N. 7.
= A cominisso administrativa da socie-
dade Terpsicbore convida aos snrs. socios .
para amanha (15) a presentaren) as relages
dos seus convidados para a partida de 25 do
corrente.
onde tem um bocado de corrente lem pa-
neiroe um banco ; quem della souber parte-
cipe em dito lugar quesera gratificado.
E2r Alugao-se duas casas em Olinda na
ra de Matbias Ferreira n.22 e25 por me-
nos do que at o presente se tem alugado ,
pivferindo-se a alguma familia que na mes-
ma queira estar pelo tempo que Ibe convier ,
pois as ditas sao unidas e tem excellentes
= O Dr. Juao Paulo de Miranda, ebegou quintaes ; quem as pretender dirija-se a ra
a esta esta Provincia de Pernambuco, em
Dezembro do anno p. passado e se acba ex-
ercendo o seu lugar de Juiz de Direito do civel
na comarca de Garanbuns o que lie publico.
e notorio ; e como no acto de aliciarem o as-
sassino para roubar a vida do Presidente do
Cear, Ibe inculcaraO estar o referido Dr.
Miranda no Crato a (im de coadjuvar a re-
volta naquella Provincia como asseverou o
mesmo assassino em seu depoiment ; passu
a dizer que se ess pessa s fosse vista em
Pernambuco e Cear cu me dispensara de
faser a presente deciaragao : mas corno lem
de correr lodo o Imperio : cumpre-me que ap-
parega a verdado para que se nao tome a-
quella parte do dito depoimento como verda-
deira em qualquer parle onde apparega o re-
ferido depoimento. Antonio Manoel de Mo-
raes da Mesquita Pimenlel.
larga do Rozaris bolica D. 10.
Z*T O abaixo assigando parlecipa a quem
convier cpie he fallecido seu cimbado Joao
Joze da Silva morador que foi na Cidade de
Olinda que a viuva sua mulber vai inventa-
riar no Juizo de Orlaos d'aquella Cidade o
ponen ou quasi nada, que possue osen casal;
os Srs. que forem credores d'elle queiro le-
galisar naquelle Juizo as suas dividas para se-
rein pagas como quando for possivel.
Anselmo Joze Ferreira.
SS^* Joo Baplista Gentil deixou de ser cai-
xeiro de Firmino Joze Feiis da Roza desde
o dia 8 do corrente e por consequeneia ser
nulo qualquer quantia recebida desta dala
em diante eroga-se aos seus devedores o
deixar de fazer para obstar duvidas.
tJ" 0 abaixo assignado avisa ao Snr. arre-
matante das agoas-arderiles que desde o pri- | norte.
S2?" Um sobrado de um andar soto em
chaos proprios, na ra do Fagundes D. 7 ou
troca-se por urna casa terrea que tenha quin-
tal as ras de Hurtas ou S, Tliereza : na
ra do Bangel D. 55 ; assim como urna por-
gao de barricas que furrio de farinba de trigo.
W Superior tabaco simonte da Babia ern
latas de una libra a 400 e sem a lata a 560 ,
massas de todas as qualidades superiores
linguicas a 500 a libra paios a 200 vi-
nhos de todas as qualidades queijos flamen-
gos alguidares vidrados grandes da Rabia a
2^880 cada um, azeite doce a caada a -ijiOO,
e a garrafa a 000, toucinbo de Lisboa a 260,
manteiga de tempero a 160 dita de porco a
400, espermacete a 720 ameixas e passas
a 200 a libra : no pateo do Tergo venda De-
cima 4.
ST Pannos linos preto e azula 2/.400 ,
5,)400e 6.) o covado veludos lavrados para
coleles pouco mofado a 2,*400 garga de seda
para vestido a 520 o covado veludo azul fer-
rete para colete a \# rs. seda para fumo a
520 lengos de garga a 400 : na ra da Ca-
deia velha loja por baixodo Corretor Oliveira.
CF- Urna preta de naco ptima lavadei-
ra de varrella boa quitandeira e de bunita
figura : na ra da Florentina velha D. 9.
515" Sacas de farinba de mandioca a 4* :
no armazem de Dias Ferreira.
iSF" 500 ps de coqueiros juntos ou era
porgio em bom estado de sercm transplan-
tados : na praga da independencia loja deou-
rives o 16.
ts^- Bilbeles e meios ditos da lotera do
Thealro : na loja de chapeos do largo do pa-
lacio.
52^ Fma propriedade distante desta praga
5 iegoas a margem do rio capibarihe com
meia legoa de fundo c frente pouco mais
ou menos mil bragas tem maltas e d um
engenho de agoa copeiro : na ra do Quei-
mado inja.de fenagens D. 2.
tsr Urna armago de loja para charutos,
com eaixilhos por prego commodo: na mes-
ma loja na ra Direita D. 57.
ey Lm preto ladino de 20 annos bo-
nita figura i na rqa do Crespo I). 5 lado do
es- Um rico e moderno Atlas Geogrfico ,
como gpucos por aqui, com 40carias, con-
lendo a tbeoria das eslages revoluges an-
nual da tena pavilhes martimos de lodas
as nagoes do inundo conhecido tudo na
mais rica inipressao do anno de 1810 : na ra
Nova loja do Vilaga.
125=- lm escravo de bonita figura, de 20
annos sem vicios ufical de car pina pa-
ra fora da provincia : na ra das Cruzes 1).
7 te rce i mandar.
UP" Bichas pelas grandes da melbor qua-
lidade que tem viudo a este paiz-, sacas com
arroz de casca por prego commodo : no at-
ierro da Boa vista D. 19 junto ao beco do fer-
reiro.
ssy Um escravo mogo muito rftforgado ,
de 20 a 22 anuos de todo o servgo ; urna
munibanda recolhida de 16 a 18 annos, cose,
e engomma muito bem ; duas negrinhas mui
bonitas de 12 a 15 annos, duas negras mui-
to boas quitandeiras : na ra do Fogo ao p
do Rozario D. 25.
tsr Um moleque de 18 annos as habili-
dades se dirn ao comprador ; e bilbeles da
loleria do Theatro : na praga da Independen-
cia n. 20.
ssy Urna porgao de garrafet de agoa ar-
denle dcauiz com 5 caadas cada um e tem
22 graos, e oulra porgo de garrafas de licor
lino e d-se em cunta por se querer largar
de vender tal genero : no beeo da Pol D. 7
quina da ra dos Quarteis.
C? Cerveja branca em harris de 4 duzias
a 2,> a dnzia genebra da llollanda de su-
perior qualidade a 6,>400 a frasqueira cha-
rutos da Bahia a 400 a caixinha de duzentos :
na ra da Cruz D. 4.
^,fiW Corren tes de ferro de meia poleg.ada ,
bombas de Ierro para cacimba folhasde /er-
ro carias portuguezas muito finas a i jioOC*
papel almasso azul de boa qualidade a 5.y
resma ; na ra da Cruz D. 64.
23" Fm moleque da cosa de 20 annos ,
de bonita figura bom official de pedreiro ,
por precisiio ; 5 escravos a 520. cada um ;
um mulato com officio de ptima conducta,
bonita figura e bom criado ; um dito bom pa-
gem um escravo para todo o servigo por
280,y duas escravas com boas habilidades ,
ambas com duas lindas crias ; urna dita faz
todo o servigo de una casa por 5o0j urna
mulata boa cozinheira: na rfa de Agoas ver-
des D. 58.
tsy Paios a 2^400 a du/.ia chourigos a
520 a ibra toucinbu de Lisboa a 240, seva-
da a 120. canella a Iji rs. erva doce, co-
minbo alfazema, cravoda india, esperma-
cete de ;i. e 6 em libra a 720 e 740 papel de
peso a 5200 a resma e almasso de varios,
precos charutos a 1^440 a caixa cha pero-
la a 5f200 a lata de duas libras sebolas em
mol los a 1ji520o milheiro manteiga ingle-
za a 560 e 640 a libra bat ha de porco a
400 passas a 240 vinho muscatel azeite
em garrafadoa 800 e mais ordinario a 4,y800
a caada eGiOa garrafa letria a 280, la-
Ibarim e macarro a 240 pomada a 260 a
duzia queijos a 1440 castanha a 100, no-
zes a 140 caf em grao a 180 e moido a
280 ameixas a 100 .sahao bronco tt ama-
relo a 160 farinba do M aran lio a 140, azei-
lona.s muito novas, e vinhos de lodas as qua-
lidades : na ra das Cruzes D. 1.
s^ Panno de Jinho aberto proprio para
babados largo a 5600 e estreito a 5200 a
pega de 50 varas : na ra do Fagundes sobra-
do de um andar D. 4 do lado do nascente e
na rua do Queimado lojas D. 5, 15, e 21.
tSF- Fma escrava de nagao angola bonita
figura de 28 Bnnos cozinha o ordinario ,
engomma liso e lava de [sabo e dous mo-
loques de angola de 10 a 14 annos : na cam-
boa doCarmo D. ll no segundo andar.
G?- Fm pianno proprio para se aprender ,
por prego muito em corita: no pateo da S.
Cruz casa ao p da do Sr. Piretti.
tS3~ o mezas grandes de pinho e urna de
louro proprias para casa de pasto ou cba-
pelciro : na rua do Ara gao no deposito de as-
sucar refinado.
ESCRAVOS FGIDOS.
C?" No dia primeiro do corrente tugio do
EngonhoS. Braz Freguezia de Serinhaem ,
um escravo crelo boa estatura secco do
corpo bem barbado, lem um defeito na
mao esquerda que he desmunhecadae bota
o osso para fora de nome Gougalo foi es-
cravo do Sr. do engenho saltinho de Unna ,
Joze Luiz Salgado ; quera o pegar leve ao dilo
engenho que receber 50,y de gratificago, ou
na rua das Cruzes 1). 7 no le rce i ro andar.
V -1
RECIFE NA TVP. DE M. F. DE F. =1842,


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EPXER1SRA_C18K88 INGEST_TIME 2013-04-12T23:57:16Z PACKAGE AA00011611_04696
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES