Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04693


This item is only available as the following downloads:


Full Text
m

Sexta Feira 8
Auno de 1842.
'** ~ ~"""-"" ~
\ *flff<*^cr?*T*mTw^i'^wimam
Tado.Bor.arpc.Je .le nos memo. ; da os., prudencia moder.cao e enere,, con-
tinen. como prindp.amo. e serenie, .po.,llo, ,om .dmir.c;.o 'entre .s N.cf.ea mais
c"l'a-'_________________(rWlamacuo di Assc'mbla Cern do rrazil.)
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES.
(;.inn. T.r.iLt e Rio grande do Norte dundas e scxlns feiras.
Ron la > O.r.nliUt .. fl e24-
Cabo Serinhaem, lli.. l'ormoio Porto Calvu Mani e \|.. 4.9 1) 21
J ajea 13. S.nlo Anl.io quimas feirn. Olinda lodo os da..
*

DAS da semana.
4 ef.
a le;.
< Qjart
7 Qc;nt
5 Scx .
y Sab.
le l) mi.
s. Iiabel llainha de Portugal. Clianc. Aud. do J. de
i Whanazio \l. Re Aad do J. de I). da 1. r.
I. Domingas V. M. Aud. do J. de 1). d. 3. v.
s. Pulquera V. M. Aud do juii de I) da 2. v
a. PlLCOpio iM. And. do J. de D. d. i. y.
*. Cyrillo B. ,M. Kel. Aud. do J. de D. da 3. r.
i. Jauu.rio e aeus Como. Mm.
D. da 2.
de Jullio.
Anuo XVIII. N. 144.
naiBSS
O Diario publica-* todos os di.s que nao forem Santificados : o prec d. .asignatura ka
de tres mil res por quartcl pagos adiantadoa. Ol mnimcios do. assiguaate aae aserie*
gratis e os dos que o nao forem i ran'io de SU icis por linha. As reclasaaeiiea dee i
dirigidas a esla Tipografa ra das Cruies U. 3, ou a praca da ladepeudenci. Uj. de Tt
Numero 37 c 3S.
Mr
a
CAMBIOS NO DJA 7 DE JIMIO.
Cambio sobre Londres 2> J d. p, IV.
y Pars 350 res |> franco.
.isboa IDO por 100 de pr,
Moed. de robre 5 por 400 de i'esi'onto.
Ideal de letras de boas firmas le al ef
Uesonntoile billi. da Alfand- I por -100
ao met.
compra vaada.
Ooro- Moed. de 6,408 V. lC,flti
N. 45,SOJ
de 4,000 ,600
PlUTi Pata u Peo. t'olumn.re. ^S-^O
dita Meiicanaa 1,S3U
.i miuda 4,(01
Ib.OO*
,S(li
l.Hot
i,9
M5
.620
Preamar .... ,/a 8 de Julho
4. .4 horaa e .';() ni. da manda.
*. .4 horas c 4 ni. da larde.
PHASBS DA I.UA NO MEZ DE JI.HO.
Qu.rl, ming. 30 9 horas e 22 ni. da l.rJ.
I-u. Nova a S lis 4 horas e 44 m da manh.
Quart. cre.c. a 14-- as 7 hora, e 49m. da t.rd.
La cheia a 22 8 horas e 3fi ni. da manh.
I> 1 A R
HM
DE
E
_-:
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 2 DO COrtREN'TE.
OficioAo inspector da Ihcsoraria la fa-
zenda, remetiendo, acompanliada do recibo
do respectivo commandante, a follia dos ven*
cimcnlos per tuneen tes a escoltado guardas
nacionaes que conduzio recrutas da cidade
de Goianna afim de que mande pagar hoje
mesmo a sua importancia ao referido Com-
mandante.
Dito Ao Engenheiro Vaulhier appro-
vando o projecto queapresentou com oseo
oiTicio de 27de Junho ultimo para o tapamen-
to da parte da levada do pantano de Olirida ,
que se acha arrombada; e deteiminando-Ihe,
que com urgencia d principio a estes traba-
Ihos cujas despesas sero pagas pela llicsou-
raria das rendas provinciaes.
Dlo Ao inspeetor da tbesouraria das
rendas provinciaes intelligenoianio-o da ul-
tima parte do precedente oficio 5 ordenando,
que mande pagar as despesas que aquel-
la servido demandar a vista das con tas
em forma que Ihu remetlero supramencio-
nado Engenheiro : e scientificando-o de que
taes despesas deverao ser indemnisatlas pela
Cmara Municipal da cidade de Olinda vislo
ser esla obra municipal.
Dito Ao Engenheiro \authier autori-
sando-o a vista do que informa sobre o re-
querimento de Joze Goncalves Ferreira Costa
ero olco de 25* de Junho prximo passado ,
no qual declara que nao acha inconveniente
em que se faca as partes do novo caes do co-
legio indicadas pelo supplicante abertas
inais baixas de Irez palmos do que o seu re-
mate com a condieco d'elle redicar a sua
cusa o que se demolir para permitlir urna
abertura somente junto a ra da praia ; de-
vendo designar-se ao dito Costa o ponto da a-
berlura e responsabilisal-o por todos os a-
contecimentos ainda imprevistos que poi-
ca usa tl'clla posso ter lugar.
Dito Ao Inspector do arsenal de ma-
rrona aecusando recebido o seu oficio de
2o de Junho ultimo em que d parte do
contracto, que pretende fazer com Manoel
Joaquim Pedro da Costa de cincoenla du-
Porlarias Ao commandante da forlalesa
do Brum eaodo registo do porto, orde-
nando que deixem sair livremente o vapor =
Paquete do norte = que segu viagem pa-
ra as provincias do norte.
Ollicio Ao Inspector do arsenal de mari-
nha dizendo que pole contractar o fornc-
ciment dos gneros 'constantes da relaQo ,
que acompanhou o seu ollicio de 28 de Junho
ultimo polos precos e lempo nella desig-
nados.
Portara Mandando passar provisao d e
Pomotor publico dos termos de Olinda e Igua-
ra<; na comarca doRecife ao bacharel Anto-
nio Herculanode Souza Bandeira.
Ofllcio A Cmara municipal do -Pao do
Alho significando, quantoa primeira par-
te do seo oficio de 22 do mez ltimamente
indo que approva as arrcmataQoes dos con-
tractos da mesma cmara pelos presos, e lem-
po que menciono e quanto a segunda ,
que devem por novamente em hasta publica
os que nio foro arrematados.
TRIBUNAL DO JURY DESTA CIDADE.
Da l de Julho.
Denuncia contra Antonio Oitas c outros
pelo umicidio no crioulo Lucas Evangelista
da Assumpcjlo : foi absolvido.
Dia .
Denuncia contra Raimundo Nonato dos Pra-
zeres pelo furto de 2 escravos de Pedro Ro-
foi condemnado a 8 annos de gall4.
Irigues
zias de taboado de costado de amarello ti-
rado das maltas de Camaragibe ou Santo
Antonio grande da provincia das Alagoas ,
pelo preco de oitenta mil reisa duzia posto
n'aquelle arsenal; e significando em resposla,
que pode effeituar o referido contracto com o
mencionado Costa ; assim como que nesta
data pede ao Exm. Presidente da dita pro-
vincia que consinta no corte e transporte
da madeira para esta.
IFOlLuH] Tfl
0 PRECEPTOR D'UM RE.
Cont rabe.
1.
Um Califa da Persia tinha um ilho nico
destinado a succeder-lhe. A natureza havia
prodigalisado lodos os seus dons a este meni-
no : robusto como um cedro formoso como
o sol no occaso o seu espirito assemelhava-
se um terreno vicoso aon Je a sement a-
penas laucad 1 germina e brota flores.
^0 Califa pretendeu cultivar estas felizes
disposiQoes naluraes e formar do pequeo
principe um soberano completo.
Os vicios d'um simples particular, s a
elle prejudicam dizia o Califa militas ve-
(1 zes mas os de um principe podem fa-
zer desgranado um povo inteiro. Nos ou-
iros, os reis assimilhamos-nos a esses
CMARA MUNICIPAL DE OLINDA.
2.a SESSA ORDINARIA DE 11 DE FEVEREIR0 DE
1812.
Presidencia do snr. Guedes.
Abriu-se a sessao estando presentes os snrs.
Vercadores Laage Jnior, Maeiel Monteiro ,
Tavares e Leal, faltando com causa os mais
senhores, e fula a acta da cntecedenle foi ap-
provada. O secretario dando conla do expe-
diente mencionou um ollicio do Advogado
desta Cmara partecipando nSo ter dado an -
damento as calizas em razo de nao Ihe tr
entregado os aulos e maii esclarcciinenlos ne-
eessarios o ex Advogado Joaquim Joze da Fon-
ceca Jnior, apezar de "lhe ter ja officiado ,
nao menos de quatro vezes a vista do ex-
posto a Cmara resol veo que o Procurador des-
ta Cmara sedirigisse ao ex Advogado, e
lhe fizesse sciente do mal que tem feito a esla
mesma Cmara em demorar em si os autos
e mais papis a respeito, pedindo-lhe em
im a prompta entrega e maisesclarecimentos
ao Advogado actual.
Outro officio do cidado Joze Ignacio Xa-
vier parlecipando que por justos motivos
nao compareca na sesso de hoje para lo-
mar assento, o preheneher o logar de Verea-
dor segundo o officio que esta Cmara lhe
dirigi em dada de 9 do correte acompa-
nhado com a acta da copia da elhico o que
faria logo que lhe fosse possivel: a Cmara
(icou inleirada.
Outro officio do cidadao Joze Miguel de
Souza Magalhaes Jnior parlecipando que
presentemente nio podia comparecer na pre-
sente sessao para tomar posse e preheneher o
logar de Vereador para que lora chamado ,
segundo o officio que de S) do correle lhe
fora dirigido por esta Cmara : a mesma licou
inteirada.
Nesta sesso compareceu o primeiro Aju-
diinto do Porteiro Telis Joze do Bomf'im e
partecipou por parte do Fiscal da Preguezia de
S. Pedro Marlyr que elle se achava tloenle ,
e a Cmara resol ven que se officiasse ao sup-
plente para preheneher o logar durante o im-
pedimento do actual. Ouvora requerimen-
tos de partes, e foro despachados ; e dada a
hora o snr. Prezidenle levanlou a sossfio, de
que para constar iz a presente acta em que
assigiiarad. Eu Joao Paulo Ferreira, se-
cretario a escrevi ss Guedes, Prezidenle =:
Maeiel Monteiro = Laage Junior= Tavares
Leal.
3." SESSAtl ORDINARIA.
gigantes encrratlos sob as monlanhas do
Occidente que nao podem dar um passo,
sem que estremeca todo o continente. Que-
ro por tanto confiar a educaQSo de Azael a
um philosopho que possa torna-Io til ,
e bom a aquelles que tem de governar um
dia.
Expediu pois por toda a Persia e para to-
dos os Reinos vizinhos mensageiros encar-
regados de annunciar que o grande Rei A-
rould Archirck buscava um preceptor que
preparasse a seu filho na arte de reinar ; pro-
metiendo a aquelle que milhor plano de edu-
cado apresenlasse mais riquezas do que
quantas elle podesse ter imaginado nos so-
nhosda sua infancia.
Concorroram sabios de todas as partes ,
uns attrahidos pela esperanca de completar o i
projeclado bem; outros instigados pela pliilau-
cia de fazer prevalecer as suas doutrinas ; j
mas quasi todos pelo altractivo da promeltida
recompensa. J
Preziu'encia do Sr. Guedes em 25 de Feverei-
ro de 1842.
Abrio-se a Sessao estando presentes os Srs.
Veriadores Laage Jnior = Tavares = Maeiel
Monteiro = e Padre Pereira fallando com
cansa os mais Srs. e lila a Acta da antece-
dente foi approvada.
O Secretario dando conla do expediente
mencionou um oficio do Exm. Sr. Preziden-
le da Provincia participando ter chegado ao
conhecmnrilo da Presidencia que o Secretario
do Promotor de Guarda Nacional deste Muni-
cipio Gaspar da Silva Froz era domiciliario
da Cidade doRecife quando foi por esta C-
mara Horneado ; declara que tem annuladoa-
quela nomeaco na qual consentio por ter es-
la Cama.ia oceultado esta circunstancia do do-
micilio no oficio em que deram parte da dita
nomeaco por quanto a Lei de 18 de Agosto
de 3851 que aulhorisou as Cmaras a nome-
ar estes oficiaes Ibes nao deu authorisaco pa-
ra .chamarem individuos residentes fora do
seo Municipio.
Outro oficio do mesmo Exm. Sr. Preziden-
le parlecipando que nao tendo esta Cmara
informado alhe o prezente a quem pertences-
se o pantano formado pelas aguas do rio Beb-
ribo as vesinhancas desta Cidade como ja
foi ordenado pela Presidencia em oficio de
yinte seis de Janeiro ultimo : cumpre que es-
ta Cmara o fac,a com a maior urgencia. A
Cmara resolveo que se olficiasse a Sua Ex-
cellencia parlicipando-lhe ler esta Cmara in-
formado no dia trinta c um do mez de Janei-
ro prximo passado a seo ollicio datado de.
vinte seis de Janeiro ultimo transmetinde-
Ihe agora por copia a infurmaco j dada a
Presidencia; outro oficio do Fscl das Salinas
em resposta ao que esla Cmara lhe dirigi
em dada de vinte e um do correntc ; foi pre-
sente a esta Cmara um requerimenlo de Jo-
ze Goncalves Ferreira da Costa morador na
ra da Aurora ero Santo Amaro districto des-
te municipio ciljo requerimenlo dirigido a
Sua Excellencia queixando-se ter obaervado
em sua vesinhanca fazer-se acomuaco de
materiaes para nova edificaefio de casas e
casas nohres em um lugar que o supplican-
te presume ter o engenheiro disignado a ter-
eeira ra ao norte do canal. Sua Excellen-
cia por despacho de quinse de Fevereiro de
mil oilocenlos e quareuta e dous mandn in-
formar a Camna o que foi satisfeito. A
Cmara resolveo que su oliciasse a Sua Ex-
cellencia a respeito do ajudanle do secretario
do promotor de Guarda Nacional. Ouvero
requer mritos de parles e foro despacha-
dos ; e dada a hora o snr. Presidente levanlou
a sesso. De que para constar fiza presento
acta em que assignarad. Eu Joo Paulo
Ferreira, secretario a escrevi = Guedes ,
Presidente = Laage Jnior = Tavares =
Maeiel Monteiro = Padre Pereira.
No dia mareado acharam-se reunidos na
maior sala do palacio. 0 Rei eslava assenla-
do no throno cercado dos scus mais habis
concelheiros, e c seus ps Azael como um
leozinho lancando a doce e penetrante vista
sobre toda a assemblea.
A um signal dado cada um dos candida-
tos se a presen tou e fez valer seus di rei tos
ao titulo de preceptor. Mas foram tantos os
systemas desenvolvidos que seria mais fcil
contar as curvas que descreve um papagaio de
papel lancado ao ar de cima da montanha.
Houve quem sustenlasse que a nica ins-
truego propria de um Rei era a da -- guer-
ra-- porque convinha sobretudo que elle
se fizesse temido de seus inimigos.
Outros desenvolvern as vantagens do
-commercio e sustentaram que o prin-
cipal dever d'um Rei era favorece-lo.
Outros apresentaram a--piedade a
- Justina a generosidade --, a cle-
mencia--, a sensibilidade como vir-
REPARTICAO DA POLICA
Parte das occorrencias do dia 5.
Forao hontem presos pelo Delegado do 1.
Termo desta Cidade Antonio Ferreira Li-
ma ; pela senlinella da ponte da Boavista ,
Feliciano Vaz da Assumpgo e Laurianno
Francisco Figueira por eslarem em desor-
den) ; e por um soldado do corpo Policial ,
Severina Mara da Conceico e Faustino dos
Santos pelo mesmo motivo. o que cons-
ta da parte hoje dada pido commandante ge-
ral do sobredito corpo.
Pessoas despachadas nos das 6 e 7.
Maranlo= Eliseo, cscravo de Joaquim Go-
mes deSouza.
Para = Joaquim Joze Lisboa de Oliveira ,
Portuguez Joze Ferreira Pereira Bra-
zileiro.
Cear = Joaquim Texeira Leite Brazileiro
adoctivo levando em sua companhia sua
senliora, de nomo Antonia Joaquina Te-
xeira Leite um fiiho numor de nomo Ma-
noel e os escravos Joze e Benedicta e
Jo/e Aurelio de Mallos I rasileiro.
Cururipe. = Ignacio Domingos dos Santos,
Brazileiro.
Angola = Domingos da Silva Patricio port.
Gamella = Antonio Joaquim da Silva Fi-
gueiredo port.
ludes que deviam ser cultivadas com prefe-
rencia.
A maior parte dos candidatos fizeram bel-
lsimos discursos para sustentar suas opi-
nies e nesse dia pronunciaram-se no pa-
lacio do grande Arould Archirk mais pala-
vras finas, eloquentes e harmoniosas do
que talvez quantas se all haviam proferido
(lesde a sua fundaejio posto que datasse de
mu tos seculos.
OCalifa porem nao so mostra va convencido.
O que tenho ouvido ainda que me te-
nha deleitado o espirito disse elle nao
o tem satisfeito. Eu concidero cada um do
vos urna estrella das quaes fulgura urna
elaridade encantadora ; mas as estrellas
pertencem noite e todas juntas nao se
podem equiparar ao sol. Tendes proten-
dido fazer de meu filho um principe, segun-
do os vossos desejos e nao um Rei pro-
o prio para to.los os acn teci men tos. Ten-
et des em fim praticado oque praticariantha-


'::-
MM

SL
Havre de Grca = Joo Baplista Hcrbstcrl,
Suisso levando em sua'companhla seu fi-
Iho menor de nomo Joo Adolfo Herbsler.g
TROCESSOS QUE EXISTlA SEM ANDAMENTO NA VA-
RA DO C1UME 1)A COMARCA DE COIANNA AO
TEMI'O QL'F. SE POZ KM EXKCICA X RE-
FORMA DO CDIGO.
Relaco dos Coi pos do delicio vcslorias e
termos de adiada perlencentes ao Dislricto
de-Goianna.
Hum officioda Prefeitura aoompinhadode
urna vesloria frita na pessoa de Mana Anto-
]Silo aeompanhado de urna vesloria taita lia
,.essoa de Nanoella cscrava de Anna V reir
Pedroza.
Dito aeompanhado de urna vesloria feita na
pessoa de Jofto Fernandes.
Dito aeompanhado de urna vestona feila
em o menor Lat Francisco Bino de Miguel
Di'to aeompanhado do una vestoria feila
em Manoel de Farias. eseu lilho Domiciano.
' Dito aeompanhado do urna vesloria frita na
nessoa de Joo Antonio Francisco.
Dito aeompanhado de urna vestoria feila na
p^soa de Sipriano Joze da Silva.
Dito aeompanhado de urna vestoria feta na
canella do Sur. dos Passos.
Dito da cmara municipal participando o
attaque feito ao son Presidente pelo Agente
do correio. _,. .
Hum termo de adiada leito pelo FlBCtl do
urna cabra em urnas lavoui as.
Huma vestoria feila na pessoa de Vicencia
Dita feita na pessoa do pardo Antonio Fran-
C' Dita feita em Antonio Pereira da Silva.
Dita feita na pessoa de Amansio Joze dos
^DHa'feita na pessoa de Silveria Maria da
Conceic.au.
Dita feita na pessoa de Antonio I into.
Dita feita na pessoa de Thereza de Jezus
Maiia. .
Dita feita na pessoa do pelo Jernimo es-
Dita feito na pessoa de Antonio Haptista
Ferreira. .
Dita feita na pessoa do Anna Joaquina do
Sacramento.
Dita feita na pessoa de Antonio Joaquim.
Dita feita no cadver da menor Maria da
Coneeico.
Dita feita na pessoa de Jo/e Alve*.
Dita feita na pessoa do Jo/o do Carmo.
Dita feita na pessoa de Amando Joze de
Oliveira.
Dita feita na pessoa de Cosma Mana.
Dita feita na pessoa de Domingos Joze de
Mello.
Dita feila na pessoa de Manoella Francisca.
Dita feita na pessoa de Joaquina Maria da
Conceigo. ,
Dita feita na pessoa de Joaquim Joze de
Sania Anna.
Dita feita no cadver de Joaquim Joze Ma-
rii
Dita feita no cadver de Lourenoo de Ljuiia.
Dita feita na pessoa de Joze de Luna.
Dita feita na pessoa de Caetana Mana da
Conceigo.
Corpo de delicio indirecto feito a requer-
anlo de Francisco Carnairo da Silva.
llum ofhcio da Prefeilura aoompanhando
um faca de ponta aparelhada de prata.
Golanna 27 do Abril de 1842.
,1. P. Carvalho.
Relajo dos corpos de delicio vestoria e ter-
mos de adiada perlencentes ao Districto de
Goianninha.
Hum ofTicio da Prefeilura aeompanhado de
urna vistoria feita ao cadver de Antonio Joze
Gurjo sim no escravo Vicente do mencionado.
Dito aeompanhado de um corpo de delicto
feito no cadver de Francisco Rodrigues de
Mondonga
Dito aeompanhado de um corpo de delicto
frito na pessoa de Joo Das Pereira.
Dito participando ter sido morto ao Enge-
nho Miranda o infeliz Francisco Tavares por
um seu esnravo.
Dito aeompanhado de um corno de delicto
feito na pessoa de Joze Luiz de Mello.
Dito participando terem sidosoltosa forga
dp armas dons recrutas remettidos a mesma
Prefeitura.
Hum corpo de delicto feito no cadver de
Joo Joze do Paraizo.
Dito feito no cadver do Joze Antonio da
Silva.
Dito feito na pessoa de Luiz Francisco Ma-
ciel. <
Dito feito na pessoa de Martha Joaquina da
Conceigo
Dito feito na pessoa da escrava Anna.
Dito feito na pessoa de Joze Luiz de Mello.
Dito feilo na pessoa de Eufrasia Thenoria.
Dito feito no cadver de Joze Marques Fer-
ro ira.
Dito frito no cadver le Joze Afrxandre.
Dito frito no cadver do menor Manoel Vi-
eira.
menl
Dito feito na pessoa de Ignez Maria das Ne-
tos.
Dito frito na pessoa de Francisca Maria da
Coneeico.
Dito feito na pessoa de Joze Ignacio da Sil-
va Coitinho.
Dito feito no cadver de Joo Rodrigues
Lagos.
Dito feito na pessoa de Joaquim Joze da
Cunha.
Dito frito na pessoa de Rita Maria da Con-
eeico.
Dito feito na pessoa de Antonio Brito de
Faria.
Dito frito na pessoa de Joo Garca dos San-
tos.
Huma vestoria frita na pessoa de Manoel
Rodrigues de Souza.
Dita frita na pessoa de Manoel Gomes.
Dila frita na pessoa de Joze Gongalves.
Dita frita na pessoa de Thereza Maria de
Jezus.
Dita feita na pessoa de Manoel Vieira.
Corpo de delicto indirecto contra Joze Fran-
cisco de Luna.
Goianna27de Abri' de 1842.
J. P. Carvalho.
Belago dos corpos de delicto directos ves-
torias termos de achada e partes dadas
pela Prefeitura perteneentes a Pedias de
Fogo.
Hum officio da Prefeitura aeompanhado de
um corpo de delicio feito no cadver de Joa-
quim Borges.
Dito aeompanhado de um corpo de delicto
frito as pessoas de Simo Aneclelo e Ga-
briel de Rrilo.
Dito aeompanhado de um corpo de delicto
feito na pessoa do Indio Joze Vicente Feireira.
Dito aeompanhado de urna vistona feila na
pessoa de Manoel Alves.
Dito participando ter havido dentro da po-
voaco de Pe.iras de Fogo trez mortes.
Dito participando ter sido morto o Indio
Antonio Felippe criminoso de morle.
Dito participando achar-se recolhida a ca-
deia Maria Goncala por ter morto um seu fi-
Iho.
Termo de adiada de uns pesos se ni esla-
tarem aferidos-om casa de Antonio Joze Mar-
ques.
Goiarma26de Abril de 1842.
.1. P. Carvalho.
Relaco das vetolias corpos de dolido di-
rectos e termos de achada pertencenles a
Freguesia deltambe.
Hum oflicio da Prefeilura aeompanhado de
urna vestoria frita na pessoa de Martinho Jo-
ze dos Santos.
Dito'aeompanhado de um corpo de delicio
frito na pessoa de Manoel Pereira Brando.
Dilo aeompanhado de \\m corpo de delicto
feito no cadver de Manoel Florencio c de
um acto de resistencia.
Dito aeompanhado de um corpo de delicto
feito na pessoa de Antonio Cabra! de Arruda.
Corpo de delicto feito no cadver de Joo
Luir..
Vestoria feita na pessoa de Manoel Andr.
Dita feita na pessoa de Maria da Penha.
Dita frita na pessoa de Delfina filha do Eu-
genia Maria.
Dita frita na pessoa de Joo Pereira.
Corpo de delicto feilo no cadver do Fran-
cisco das Chagas.
Dito frito na pessoa de Joo Francisco de
Souza.
Dito feilo na pessoa de Benlo Joze Baplis-
ta.
Dito feito no cadver de Salvador Calhei-
ros.
Vestoria feita na pessoa de Manoel Joze.
Dita feita no cadver de Joo Simio.
Dita feita na pessoa de Manoel Joo da Sil-
va.
Tprmo de multa imposta a Joze Pereira.
Dito de multa imposta a Domingos Mendes.
Dito de dita imposta a Manoel CiciHo.
Dito de dita imposta a Manoel Ferreira
Benlo.
Goianna 2G de Abril de 1842.
J. P. Carvalho.
Fico entregue dos corpos de dolidos cons
tantos da relaco.
Antonio Rodrigues de Azevedo ,
Sub-delegado.
J. P. Carvalho.
beisalfaiatos a quom se pedase um vestido,
que se podesse uzar sempre e que tra-
riam : um urna couraga de guerra--,
outro urna pellissa de feslim -- esle
um voslido para o lempo de calor a-
quelleum para o do fri. Nao h al-
gum d'entre vos que possa preparar al-
ma de Azael um vestido conveniente a to-
dos os tempos todos os lugares e lodos
os uzos ?
Os sabios olharam mis para os outros e
um morno e longo silencio foi a resposta des-
ta queslo.
Ento um ofTnial do pacodisse que por-
ta eslava urna especie de mendicante a quem
se havia recusado ingresso em razio do seu
aspecto miseravel mas que nao obstante ,
so jactava do poder satisfuzer os desejos do
Rei.
Arould Archirck ordenou que o admit-
tisseni.
Fia umDervix pobremente vestido e cu-
ja barba branca lhc descia at cintura. En-
trando, prostrou-se ante o throno. O Cali-
fa disse-lhe brandamente que se erguesse e
desculpou-se por lhe haverem recuzado a en-
trada mais cedo.
Assim dovia de acontecer : disse o Der-
vix quando um liomem IranspOe o limiar
d'uma porta he sempre reeeftido conforme
o vestido que o robre mas saluda he des-
pedido segundo o espirito que mostrou.
Arould Archirck surriu-se.
J(ligaremos agora por que maneira de-
vers ser despedido: Que fars tu de meu
filho para que elle venha a ser digno de rei-
nar ?
Fareid'ee um homem.
E que meios sao precizos paraisso?
Dous somente : -querer e aguardar. -
Com a vontade c a paciencia a folha da a-
moreira transforma-se em setim.
Mas quaes sao as virtudes que no teu
pensar constiluem o homem ?
Belago dos Corpos de delicto termos de a-
chada, e vistorias perlencentes a Fregue-
zia de Tejucupapo.
Hum offirio da Prefeilira acompnnhado de
urna vestoria feita na pessoa de. Joaquim Joze
dos Santos.
Ditoacompanhadu de urna vestoria frita na
pessoa de Maria Joaquina dos Prazeres.
DitoTicompanhado do um corpo de delicto
directo feilo no cadver da prela Anna es-
crava de Manoel Antonio Ferreira.
Dito aeompanhado de urna vesloria feita no
cadver de Francisco Lopes Calombeiro.
Dito aeompanhado de urna vestoria feita na
pessoa do menor Felisberto ilho de Maria
Rita.
Diio aeompanhado de urna vestoria frita na
pessoa de Maria do Bozario d'Apresontagn.
Dito aeompanhado de una vesloria frita na
pessoa do Indio Joze Joaquim de S. Anna.
Dito aeompanhado de urna vestoria frita na
pessoa de Candida Francisca.
Dito dando parte de ter sido assassinado no
Enganho de Itapirema de cima Francisco de
Paula Lima.
Auto de vestoria feito na pessoa do Indio
Francisco de Salles.
Dito de vestoria feito na pessoa de Miquilina
de Tal no lugar do Carrapixo..
Dito do corpo de delicio directo frito na pes-
soa de Maria Gertrudes do Espirito Sanio.
Dito de corpo de delicio directo frito as
pessoas de Manoella de Paiva e seu ilho
Paulo Jacinto.
Dito de corpo de delicto directo feito no ca-
dver de Joo Felippe.
Termo de achada de um estoque em Mancel
Ferreira da Silva.
COM MU NIC A DO.
II y a des penses qui naissont nalurele-
ment dans los tomps de dsordre, comme ees
plantes qui croissenl sur les ruines. ( La .
Menais ) Ha pensamentos, que naturalmen-
te nascem em lempos de desordem como es-
sas plantas que crescom sobre as ruinas.
Pernambuco que escarmentado de funes-
tos devnelos e dos terriveis frucios das re-
volucoes, goza ha huns poucosjPnnos d'inal-
teiavel socego, asss convencido esl das van-
tagens deste, a que dove sem duvida o espan-
toso progresso a que ha chegado. Mas os
desordeiros de S. Paulo parece que para ca
nos enviarlo seus alzadores rom o fim de que
esta importantsima Provincia os accompa-
nhasse na loucura edisgraga da sua revolla.
Ora semper in civitate (diz Salnslio) quis
opes milla- sunt hnnis invident, malos ex-
tollunt j velera odre nova exoplanl; odio
suarum roriim mutari omita student, turba
alque seditionibus sine cura aluntur 5 quoni-
am egestas facile habetur sino damno : hm>
todos os paizes os que nada possuem tem m-
veja a os ricos e exalto os maos ; aborreci-
dos do estado actual das colisas suspiro pelas
revoluces ; na desordem destas comem sem
Irabalhar e nada tem que perder.
O pretexto da revolla he alei, que refornion
0 nosso monstruoso Cdigo do Processo le r
que elles taxo de barbara de tyrannioa, de
oppressora de contraria em fim a Constitu-
cao : mas soja l o que ellos quizerem a ex-
periencia nos val mostrando os seus saudaveis
effeitos. Nunca entre nos a Polica foi to vi-
gilante e preventiva nunca nesta grande
Cidade se gozou de tanto socego de tanla se-
gundado. Que he das facadas que he dos
tiros que he dos horrorosos assassinos que
ja entre nos se perpclravo de dia, e as ras
mais publicas, e froquentadas ? Tudo desap-
pareceo com a nova lei : mas isso mesmo he ,
que muilo desagrada a os desordeiros que s
da anarehia podem viver s do desasocego
publico podem colher proveito.
Quem ignora, que para aqui tem vindo cor-
tos emissarios com asmis vivas recomenda-
ges deanarchizar Pernambuco,e fazeloentrar
na Quixolada de S. Paulo ? Em loda a parle
h loncos, e descontentos; c s dostes he ,
que por c tem pegado na isca. Ellos tem
feilo seus clubs tem planejado a sedico ;
mas, gragas. vigilancia e incansayol adi-
vidade do Excolk-nlissimo Baro Presidente r
1 tudo se ha baldado, tudo se lia. suftoca-
do no nascedonro com quanto os sedici-
osos hajo arleiramente espalhado que taes
manojos nascem da Opposigo e de pes-
soas mui gradas e respdtaVois a ella perlen-
centes : mas felizmente iienhum homem cor-
dato os acredita ; por que essas pessoas aqui,
e em todo o Brasil bem conhecidas por sua for-
tuna por sua sisudez quando pertenco
Opposico sabem-a fazer franca leal, eca-
valheiramente e nao arremessando-se vo-
ragem de huma revoluco e arriscando tudo
nos rodopios da guerra civil.
Em balde pois procuro essesespiritos tur-
bulentos tirar-nos,do doce estado de paz de
que felizmente gozamos h huns poucos de
annos e que tantos bens nos h trazido. O
povo Pernambucano j na fragoa das sedicOes,
e revoltas tem aprendido a ser cauteloso, pru-
dente e pacifico 5 c j ninguem quer expur
a sua vida deixar na mendicidade, e na mise-
ria a esposa, e caros lilhos, e servir de degrao
Estou prompto a numera-las Califa.
Expoem o teu systema.
O Dervix levantou a cabega c Janeando
tranquilamente os olhos em torno de si ,
comecou nestes termos.
Existiu outr'ora no Cairo um joven
chamado Ismar que o acaso-- fizera pobre e
obscuro mas que a natureza enriquecer
com seus dons. Quando veio ao mundo sua
mi que era viuva fraca e miseravel ,
como que blasfrmou do Ente Supremo por
lhe impor urna carga superior as suas torgas ,
e teria at amaldigoado o nascimento de Is-
mar se urna m8 podesse amaldigoar seu
filho.
Urna noite estando recostada sobre o
bergodeseu filho, chorando o presente, e
pensando desalentada no futuro ouviu que
una voz mysteriosa lhe dizia que tivesse
conliansa por que a Ismar eslava reser-
vado um deslino venturoso.
Ismar cresceu alegremente nomeio da
pobreza, oceupado nicamente em amar sua
boa mi e em aliviar o pezo de seus amar-
gurados dias.
Tinha apenas completado 20 annos ,
quando a pobre mulher morreu.
Depois de fazer-lhe as honras funerari-
as Ismar nao qui/. continuar a habitar li-
ma cidade que lhe recordava continuamente
to sonsivel pierda e desojando tambem ten-
tar fortuna deixou o Cairo seguindo ao a-
caso a primeira estrada que se lhe offereceu.
Caminhava tristemente por que a so-
lido he um vento que resseca e enerva a
alnia quando perloda noite do pnmeirodia
de jornada descuhriu um estrangeiro assen-
tado junio a urna fonte.
Ismar que tinha sede aproximou-
se esaudou o estangeiro ; este correspon-
den offereceu a taga ao mogo Egypcio pa-
i ra por ella beber e fr-lo assentar a seu lado
sombra da palmeira. ,
Era um homem de appareneia quasi


*>
m
para subirem cartos ambiciosos e especula-
dores polticos que quasi sempre aculo as
paixoes da multido inexperta promovem
com mo oceulta a desordem atravesso in -
colume os marulhos polticos e so appare-
cem como para locupletar-se dos despojos.
Que beneficio nos pode vir d'hurna revolu-
cjio que cifra-se toda em fazer que desco
estes, e snbo acuelles ao tio cobicado poder?
Telo contrario ao mais leve rumor aqual
queratoarda de perturbando da ordem publi-
ca ludo se abala como por hum choque elc-
trico. Suspendem-se logo as transacc/ies, pa-
valyza-seoCommeroo, encarecemos vveres,
ou desapparecem inleiramenle : ludo se per-
turba, luJo sofre, tudo padece : e para que?
Para que estes empolguem o que aquelles oc-
cupavo para que seempreguem os que es-
tilo desempregados para que se acabe, o des-
contentamente de Inins, e lique saciada a vin-
ganca de outros !
Ninguem h se persuada que os sedici-
osos de S. Paulo e os que por c lem que-
rido pir na ra a sua cliarolla sejao levados
por principios de convieco e do nobre de-
sojo de felicitar o Brasil. Nao, nao So estes
os meios de que langa mo huma opposiQo
conscienciosa assisada e patritica. Pela
Tribuna Parlamentar e pelo Prelo he que
se combaten! os principios que se julgo n-
fonsosao paiz ahi he que se conquista o
jioder por meio licito decoroso e accomo-
dado com o Rgimen Representativo. As se-
digoes as revoltas o transtorno da ordem
publica nao podem agradar se nao a homens
perdidos a loucos a turbulentos ambicio-
sos por que taes movimentos extraordina-
rios trazem sempre males inealculaveis ; e
maneira da pedra sacodidj da funda muitas
vezes nao se sabe o termo ixo j em que tem
de parar.
Se a rcenle lei da reforma tem graves in-
convenientes se a experiencia for mostran-
do que nao prehenche os fins da sociedade ,
os Poderes que a confeccionro ah csto
para a emendar para a revogar, e derrogar,
se tanto for preciso. Todos reconhecem, que
eslavames sobre hum abysmo; que a frouxe-
za das leis e sobre tudo os meios de impu-
nidade, que estas subministravo io tornan-
do o Brasil quasi huma horda de Canibaes. A
reforma promelte-nos grandes melhoramerilos
a este res>eilo : experimentemo-la: taes dis-
pozicOes s hem se avalio com a pratica :
mas para que he perturbar o socego publico, e
lancar mao de meios horriveis e sempre pe-
rigosos se ludo se pode vencer pelos cami-
nhos carreteiros da lei ? Se esses agitadores
julgo-se com proporges para levarem a ef-
feito huma revolugo sanguinolenta e prfi-
da; por que se nao coligo para ter huma Ty-
pografia sua a lim de por meiodella orofli-
gar a actual Administraco do Imperio ? Es-
crevo francamente censurem os actos da
mesma Administrarlo, produzo fados e
provas ; que se tiverem raso se combale-
rem pela verdade esU calar nos nimos dos
povos e oseu triunfo ser posto que mais
ltmto pode-se asseverar que infallivel. O
simples laclo de recorrer a intrigas a clubs,
a sodigoes e revoltas he prova sobeja de que
lhes fallece a raso e a justica.
Desenganem-se poisos desordeiros que os
bors Pernambucanos detesto as suas urdi-
malas ; que o Exm. Ha rao Presidente est
lerta sobre-aviso para lhes cortar os passos
menor tentativa a que se abalancen). Dei-
xem-se, para dar voga s suas criminosas l>u-
curas de ajudar-se dos nomes de Cidados
conspicuos e respeitaveis que com quanto
estejo na Opposico lem asss que perder ,
e bastante nohreza de sentiinenlos para nao
combatir a Administrarlo se nao por meios
lcitos de cara a cara j na Tribuna j
pelo Prelo como Cavalheiros, e homens de
hem. S'iquem nao tem a perder nem vergo-
nha nem juizo nem fortuna he que as-
pira a arrojar-nos na vorageni da guerra civil.
L. G.
MISGELLAMM.
grosseiro e cujo talhe elevado e membros
robustos annunciavam un", vigor pouco com-
nium
Depois d'uma breve conversarlo ; na
qual declarou a Ismar que se chamava Uc-
ead e que tinha deixado a sua trra para
procurar fortuna propoz ao mancebo que
viajassem juntos a lim de diminuir o enojo,
e^os perigos da viagem.
Ismar aceitn gostosamenle a proposta,
e ambos continuaram acaminhar para o Oc-
cidente
No seguinte dia pouco antes da nou-
te chegaram inargem d'um rio que as
chuvaslinham engrossado e cujas agoas ro-
lavam impetuosamente.
Elles se consultavam sobro a maneira
possivel de atravessar a corrente quando se
llie reuniram mus dous viajantes.
l'm era novo com vista d'agua ges-
to atrevido e vestido de guerra ; o oulro
mais jdoso tinha a fronte larga e refleclida :
PROPRIEDADES DO ASSLOAH.
Todos os mdicos que escreveram sobre a ,
cana do assucar concordam em que o sueco
precioso deste vegelal a substancia mais per-,
feitamenle nutritiva, que se conhece. Na illia,
de S. Domingos durante a guerra prolongada,
quando nao se podia importar graos cereaes ,
nem exportar o assucar foi a cana o alimen-
lo exclusivo nao s do gado como dosescra-
vos e gente pobre. Na India, em muitas par-'
les a familia necessitada mas que possucj
um pedaco de chao com planto de canas dahi
se sustenta na estago propria e logrando boa
saude. Os cochinchins consomem Da quanli-
dade immensa de assucar ; este com arroz o
almoco geral de ricos e indigentes de meni-
nos e anejaos ; o alimento dos que viajam e
nao se acha outra comida em lodas as pousadas
daquelle paiz : quasi todas as casas fazem
provsoes decompotasassim.de finetas co-
mo de pepinos abolieras rabos e de to-
das as plantas leguminosas. Aguarda real um
corpo escolhido nao tanto para pelejar como
para ostentarn e o re da Cochinchina faz
consistir esta nao em Heos uniformes mas no
hom estado de saude e robustez dos que a
compoem para que assim meregam a honra
dse approximarem sua real pessoa : para
isto d-se a cada soldado urna quota alem do
sold para comprarem assucar, e os obrigam
a rom-lo a certa hora em rancho e na pre-
senta dos ofliciaes: quem tem visto essa
guarda affirma que tal lei produ/. o desejado
elTeito.
Poiem a qualidade mais apreciavel do assu-
car ser preservativo de pnermidades e an-
tidoto contra veneno. Muitos auctores cele-
bres affirmam que nos paizes que fazem
milito uso do assucar reinam menos as fe-
bres malignas : outros o recomendam nos a-
chaquesde peilo : o Dr. Honchin aconselhava
a agua assucarada eau sucre em todas as
doen^as. Em dilatadas viageus martimas de-
monslrou a experiencia que o assucar um ex-
cellente antiscorbutico. Assevera-se, contra o
vulgar conceilo que o assucar longe de favo-
recer a producc/io das loir-brigas he contra
ellas. Cirurgioes eminentes na sua profissao
provaram que esta substancia he contravene-
no effectivo ; sabido he postoque se ignore
o como obra na economa animal ser elle
effioaz antidoto contra o verdete veneno de
muita forga. Leam-se sobre esta materia
as repetidas experiencias dos Snrs. Duval e
Orilla. (Panorama.)
Rio de Janeiro ; Barca Americana Navarro
Cap. Henry Col, carga resto da que trouxe
de Philadelphia.
AVISOS MARI T IMOS.
tsr Para a Bahia segu com toda brevida-
de as Sumacas Nacionaes Aguia de Manga-
raliba e Amisado, de boa marcha e forradas
de cobre : quem quiser carregar ou ir de
passagem dirija-so a Gaudino Agostinho de
B-irros na pracinha do Corpo Santo D. 67.
tssr O muilo,velleiro Brigue Brasileiro Em-
pieza de que he Capito Francisco Ferrera
Borges est a chegar do Cear para onde
voltar com brevidade ; quem quiser carre-
gar ou ir de Francisco Severianno Rabello no forte do
Mallos I). 0.
LEI LOES.
I isr O Corretor Oliveira continuar a fa-
zer leiloes por conla de quem perteneer ,
1 d'ordem do Cnsul do S. M.F. e em sua
presensa ou de um Delegado Sexta fe ira ,
sabbado e Segunda feira8, 9, e 11 do cr-
rante as 11 horas da manh no trapiche do
Yianna dos restantes salvados do Brigue
Portuguez Affricano.
AVISOS DI VERSOS.
COMMERCIO.
ALFANDEGA.
Rendimenlo do dia 7 de Julho 5:o52,)i596
DESCARREGAO" H0JE 8 DE Jl I.IIO.
Brigue Inglez = Cora ss o resto do fazendas,
laxas e maquinas.
Brigue Dinamarquez Melilla lijlos e
ped ras.
MOV MENT DO PORTO.
NAVIOS SAII1D0S NO DIA 7.
Maranha" ; Brigue Escuna Brasileiro Laura,
Car. Luiz Ferrera da Silva Santos carga
diversos gneros
chamava-se Ourphaly o seu companheiro
Akor.
Pararam ambos junto a Rocad e a Is-
mar contemplando o rio.
Tendes algum meio de passar para n
margem opposta ? perguntou Ourphaly ao ul-
timo.
Nos o procurramos quando chegasteis:
respondeu o joven.
Quem nos impede d'aguardarmos que
a endienta decreta ? observou Rocad.
Ou que a atravessemos a nado ? ac res-
sen tou Akor.
O viajante de semblante reliectido sa-
cudiu a cabera e respondeu :
Seesperarmos ser necessario paasar a
rioileao relento e arriscamos-nos a ser as-
sassinados pelos salteadores do dezerto, ou de-
vorados pelas feras : quanto a atlravessar o
rio a nado s t Akor poderscmprebnde-
lo. Busquemos por tanto outro meio de sa-
hir deste embarazo, Nao vimos nos porto
Uma canoa de carreira com dous ban-
cos paneiro e corrente desaparecida em
miado de .limbo : quem a achou leve a Fran-
cisco Rodrigues da Cruz na ra do CallUg
que gratificar generosamente.
ST D-se 80O.> a juros de 2 por cento ao
mez por espaco de 10 mezes com boas
firmas annuncie.
tssr Os abaixo assignados deelaro ao Sr.
arrematante do imposto de 20 por cento so-
breo consumo das agoas-ardenles de produ-
cto brasileira que deix.ar<> de vender este
genero directamente para o consumo desde
o primeiro do corrente na sua restilagar da
ra do S. Rita.
Franca & Ir mao.
tsr Quem precisar para um escriptorio de
um rapaz brasileiro que tem boa letra, e
cuja conducta se alianza dirija-se a na do
Vigario n. 18 primeiro andar.
S57* Convida-se aos Srs. Socios da compa-
nhia da senaria denominada Jacaratinga, pa-
ra comparecerem a reuriiio geral que lera
lugar sabbado 9 do corrente as 10 horas da
manhA em casa dos Srs. Fox & Slodarl na
ra da senzala nova para deliberar-se sobre
objeclos da mesma companbia visto espe-
ra r-se diariamente a maquina de Inglaterra.
SsyA .segunda parte da quinta Lotera a fa-
vor das obras da Igreja de N. S. do Livramen-
to desta Cidade ; corro impreleriYelmente no
dia 20 do corrente, e os bi I heles esta a ven-
da nos logares seguin'es : ra da Cadcia, lo-
jaidos snrs. Vieira cambista e Joo Joze de
Carvalho Moraes ; ra do Collegio loja do
snr. Menezes ; ra do Cabug loja do snr.
Bandeira e botica do snr. Joo Moreira Mar-
ques e ra do Crespo loja de Joze dos San-
tos Neves Thezoureiro da misma Lotera.
w Epifanio dos Res Faria retira-se
desta Provincia.
sy O Thesoureiro da Lotera de N. S. do
Rozario declara que a 2. parte da mesma.
corre infalivelmente no dia 7 de Agosto e
osbilheles achao-se a venda as ras do Ca-
bug Snr. Moreira Colegio Snr. Menezes ,
Cadeia Sr. Cambista Vieira ,, Boa vista Snr.
Sara i va junto a Matriz.
C7- Quem precisar de um rapaz brasileiro
de22annos, que she ler escrever c con-
tar e d fiador a sua conduela para caixoi-
d'qui uma barca em secco e lanzada mar-
gem ? .
Cerlo que sim interrompeu Akor ,
mas para move-la precizariamos de vinte ho-
mens pelo menos e para'arrastra-la at ao
rio de seis bois.
Nao sirva isso de embarazo disse Bo-
ca rd nao he ess) um trabalho superior s
minhas forjas.
Com effeito assim que chegou junto
da barca elle s a voltou e a langou a nado.
Agora como a dirigiremos sem remos?
pergunlou Ismar.
Vs esta corda ? replicou Ourphaly ,
Akor lancando-se a nado ir atar-lhe a ponta
em alfumadas arvores da outra margem e
nos seguraremos a out.....
Comprehendo interrompeu Ismar ;
mas o teu companheiro nao temer expor-sc
a perigo tal ?...
Qual perigo! exclamou vivamente o
mo^o guerreiro e agarrando a ponta da cor-
ro de engenho ou outro qualquer eoipre-
go com tanlo que seja para fora da procihtiia,
dirija-se a ra do Arago venda D. 44.
cr Antonio Lopes da Boza Chaves faz sc*
ente a todas as pessoas que tem pnitores de
ouro em seu poder os tenhlo tirar impreleri-
velmente at o dia 1o do corrente, do costra-
rio passando este dia os vender para seu pa-
j gamento.
ss D. Joanna do Rozario GuimarSes Ma-
chado com os mais administradores do falles-
culo Joaquim Lopes Machado vende para
pagamento de dividas o sitio do mesmo nos
i Affogados com casa de vivends senzalla
' para seravos onde tem um quarto forrada
. para enfermara casa para frilor, estriba-
! ra para tres cavados duas cacimbas ihu-
j rado na frente cm gradiamento de ferro ,
I poitao tem um jardim com boas Uorcs 26
parreiras que lodas do uvas de muilo boa
qualidade, pez de larangeiras, limeiras,
' romanzeras e frucla pao coquearos e ea-
jueiros, [danta de capiui sullicivinbb pra dous
I cavallos e um hom viveiro no fundo : para
! ver eirtendo-se com a mesma senhora, na
ra Dreila e para tratar com A. Scliramm
on Henrque Forster A Companhia.
= O Racjiarel Antonio llerculano de Sou-
za Bandeira aviza a quem convier que se
acha no exerccio do logar de Promotor Pu-
blico dos Terinos de Olinda o Iguarass a
curador geral dos orphus capellas 4c. do
Termo de 01 i ni a : na caza do sua residencia
em Olinda ra de S. Pedro Novo I). 2.
= Quem pretender vender a Geomelria a
Algebra de Lacroix : annuncie sua morada
para ser procurado.
= Francisco Severino Rabello, faz scien-
te aos snrs. A.-signantos do Jornal -- o Pano-
rama que o mez de Mao j se acha no seu
escriptorio aonde o podem mandar receber.
No mesmo lugar cima acha-se a renda a o-
bra intitulada-- Arte do Co/inheiro, preso
1000 rs.
= A pessoa que annunciou ter reeebido li-
ma carta de muita importancia viuda de S.
Paulo para llerculano Desado dos Santos ;
queira annunciar ua morada nao s para
evitar o encomodo da entrega como parase
encarregar de remelter a resposta com toda a
seguraqca.
= A pessoa que por equivoco tirou do Cor-
reio uma caria para Rila Mara da Conceico ,
baja por favor entregar na ra da Cruz do Re-
cite no armassem da Viuva Vasconcellos.
= Pedro d'AIcantara Pereira subdito
[lortuguez retira-se para Rio de Ja-
neiro.
= 0 snr. Oliveira que recebe nesta praca
o sold do Tmente de Artilheria Manoel Fer-
rera de Almeida queira annunciar sua mo-
rada para se Ihe fallar de ordem do mesano
Teen te,
= Alugo-se dous pretos benitas figuras ,
para todo e qualquer servido tanto no Re-
cife, como lora : na ra das Flores D. 6, se
dir quem osaluga.
k Preciza-so alugar pelas e moleques
fiara venderem azeite de car rpalo as tardes :
na ra das Larangeiras, 1. a a dar do sobra-
do D. 7 lado do poente.
= Precisa-se de 4 ou 0 conloa de rs. ( i
premio) com hypotheca em um engenho per-
to desla Cidade : quem tver annuncie.
= A lugase uma prela com idade de
35 a 50 annos, com umitas habilidades eo-
zinha iimi bem faz doce engomma sofri-
vel, sabe pensar criancas vender e com-
prar hem ; nao tem vicio e nem achaque e
lie muilo fiel: quem a pretender dirija'-se
a ra das Flores 1). 0 que achara com quem
tratar.

I1L.._JI------------U----------.----BWB J_^MLSm
da, lancou-se ao rio e alcancon-a margem
opposta. Seus companheiros se Ihe reuni-
ram em poucos minutos.
Bofe diz Rocad dirigindo-se aos re
cem-chegados; a nossa associa;8o foi mais
que feliz e nao he assim que nos devemos
separar.
Apraz-vos que prossigamos juntos ?
perguntou Ourphaly ?
Para onde vos dirigs ?
Em busca do nosso destino.
Nos igualmente.
Ento sejamos irruios, e Dos nos pro-
teja.
Os quatro viajantes tocaram as maos
reciprocamente e dirigiram-se para a Al-
deia mais prxima,
( Continuar-se-ha.) *
- -


fSlo. .iSi ** ?!''? JXSHSSS

4-
tSF~ Joo Gomes Martins solicitador nos
auditorios desta Cidade tem mudado sua re-
zidcncia para o principio da rna du RtDgel D.
36 o que faz publico e particularmente as
pcssoas com quem tem negocios.
x~r Joan (lats director da companhia ila
fabrica de lar i n ha de trigo, tendo de so re-
tirar para Inglaterra aviza a todas as pessoas
que tiverem con tas com a mesma fabrica de
pagaran com a maior brevi.lade aos Snrs. Jo-
nes Patn & Companhia osquaes lico co-
mo procuradores da mencionada fabrica.
PU.ILAS VEGETAE8 E UN1VERS.VES AMERICANAS.
listas pilulas ja bem conhecidas pelas gran-
des curas que tem feito nao requeren) nem
dicta e nem resguardo algum ; a sua com-
nfio fazem mal a
lugar de debilitar
posigao tao simples que,
mais lenra crianca : ciu
forlilicao o systcma purilico o sangue ,
augmento as secreges cm geral : tomadas ,
seja para molestia cliroica 011 somente co-
mo purgante suave; o melhor remedio que
tem apparecido por nao deixar o estomago
naquelle estado de constipadlo depois de sua
operago como quasc todos os purgantes fa-
zem e por seren mu i facis a tomar c nao
causarcm incominodo nenhum. O nico de-
posito dellas cm casa de I). Knotli, agen-
te do author : na ra da Cruz N. 57.
N. B. Cada caixinha vai enibrulhada "ir.
seu receituario com o sl'IIo da casa cm la-
cre preto.
= Waltcr Grainger subdito Britnico ,
retira-se da provincia.
tai Joze Thoma/ das Noves subdito por-
tuguez retira-ae para por tu gal.
tSf Alugao-se o segundo e lereeiro andar
da casa n. 55 da rua da Cruz : a tratar n
primeiro andar da mesma.
cr Quern precisar de nm bomem capaz
pira fazer cobra ticas no mallo inda que se-
ja para fora desta provincia e que ir por
menos do que qualquer oulro dirija-se a
pragada boa vista sobrado D. 15 que se dir
quem quer fazer tal negocio.
W Acha-so cm hasta publica para ser ar-
rematada de renda trienal a morada de caza
do sobrado de tres andares e soto com loias
da frente e do oito n. 11 sita na rua da Ca-
deia do Recife, que foi do finado Capiao-mor
Antonio Joze Quaresma pela quantia annu-
al de rs. 1:?50,)000, pagos a quarteis: os per-
tendentes podem comparecer a porta do Sur.
Dr Juis de orfos defronle da caza da Opera,
no dia 11 do crtenle as 4 horas da tarde, que
be o dia imprelerivel d'arrcmataefio por j
eslarem lindos os dias da Le.
Of* F. Regord & Companhia faz sciente n
todas as pessoas que tem pinhores de ouro
ou piala em seu poder 08 va o resgatar impre-
terivelmenle al o dia 15 do corren te do
contrario passando este dia os vendern para
seu pagamento.
15^ No dia 2 do corren te desapareceo de
urna Canoa pequea do porto do Becife un
cmbrulhocontendo dentro um nieio bilhete
da primeira parle da segunda lotera de N. S.
do Rozario de n 519 com o premio de 5ji
um pataco vellK) urna sedula de mil rs. ,
e 170 rs. em cobr ludo cmbrnlhado nm
dous papis nm blanco escrevilo por dentro
urna cotila e oulro pardo embrulhado por
fora ; quem o tiver adiado quereodo restituir
pode, dirigir-se ao varadouro venda do Sr. Jo-
ze Fernandes n lO ou annuncie que se
dar o adiado, (cando certo que o Snr. The-
soureiro ja se ada sciente para nao pagar di-
to bilhele.
tif-- Precisa-se fallar com o Snr. Antonio
Joaquim de S Pegado a negocio de inleres-
se } em casa de Antonio da Silva Giismo na
rua do Queimado.
= Aluga-se um 3. andar no beco do Pei-
xe frito I). 5, com cmodos para pouca fami-
lia : quem o pretender dirija-se a rua do Pa-
dre Floriano venda que (ica junto ao beco
tapado N. 35.
= Quem precisar de um conloe seisccntos
mil rs. a un e nieio por cenlo pagos meusal-
nienle sobre penhores de ouro ou prata ou
com hypotheca em bous de raz nesta praga ,
Iivre e desembarazados : na rua larga do Ro-
zado D. 4, 1. andar, achara com quem
tratar.
= Aluga-se urna casa terrea na rua da
Soledade, com 6 quartos cosinha (ora,
grande quintal murado, oulro cercado o
com cacimba d'agoa para beber : a fallar na
rua da Aurora com Ilerculano Alves da Silva.
= Urna parda de bons coslumes, se eflo-
rece para ama de caza de pouca familia : no
2. andar da primeira caza do Arsenal de Ma-
rinlia lado do mar grande.
sea Na casa de Fernando de Lucca na rua
da Cadeia velha D. 17 no 1. andar adia-
se um deposito de conservas como seja er-
vilbas sardinhas eVc. que se vendem em
partidas e a retalho queijos de Parniesan e
Suisso ( de Groyere ) vinbo de champagne
da melhor qualidade e com marca cxnheri-
da vinho do Porto superior engarrafado de
1832 dito de Bordeaux tinto e branco .
em caixas de urna duzia de 7300 ate IOj rs..
dito de Bordeaux mais inferior de 320 a 400
rs. ( exclusive a garrafa ) dito em meias pipas
de 38 a 5o, rs. figueira de difieren te quali-
dade azeite doce engarrafado fino, agur-
dente franceza charutos e rap de Hambur-
go de superior qualidade sal inglez em sex-
tas chocolate fino de Hamburgo : todos es-
tes gneros sao do mais diminuto prego po-
sivel.
tsr Precisa-se fallar com os snrs. Fran-
cisco Antonio da silva Joo Bodrigues Xavi-
er Vidal, ou a pessoa que Ihe pertenga para
negocio de seu interesse : na rua Direita
N. 64.
&3^" Preciza-se de urna mulher branca ou
de cor, que saiba cozer engomare os mais
arranjos de urna casa menos cozinha : na
rua das Cruzes cazas do Faria 3. andar.
xsr O Juiz cmais mzanos da Iriandade
do Divino Fspirito Sanio ereta no Convento
de S. Francisco desta Cidade fazem por meio
deste saber a lodos seus Irmiios que Domingo
10 do torrente haver meza geral para discus-
so do novo Compromisso da mesma Irman-
dade devero estar reunidos as 9 horas da
manh.
$W O snr. que foi mestre da obra da Ma-
dre do Dos, que icou de posse de urna caixa
de ferramena qu um ofiicialdeixou quan-
do sabio : queira annunciar sua morada para
ser procurado.
ey Quem annunciou no Diario de 5 do
corrente querer urna ama de leite sendo
queira para criar em sua casa no lugar dos
Ahogados, lia quem aceite a dila crianca ,
conforme se ajustar : procure em dito lugar
na casa de Thom Percira Lagos que dir
quem he.
szrQ abaixo assignado faz sciente ao arre-
matante do consumodas agoas-ardentes q ue
deixou de vender taes bebidas nasua taverna,
cita na ribeira D. 50, desde o dia 0 do cor-
rente. Joo Joze Leal.
\sr Aluga-se urna casa de sobrado com
exeellentes commodos para numerosa fami-
lia granda coxeira armazem para pretos
estribara, dous quntaes com por 13o ao la-
do da casa lendo cacimbas, com algumas
plantas enclusive grande parreiral eom 20
palmos de largo e 500 ditos de comprido ,
no lugar denominado a Ilha com frente pa-
ra palacio velbo efundo para o Hospicio e
estrada para o mesmo ; quem pretender diri-
ja-se ao Becife rua da Conceigo casa n. 20 a
fallar com Joo Mara Seve.
Z3F Aluga-se urna casa terrea no Coelho ,
na rua dos Prazeres com duas salas 5
quartos cozinha fora e quintal csjada e
pintada feita a moderna pelo prego de 10ji
niensaes ; quem a pretender dirija-se a mes-
ma rua a fallar com Francisco Joze Arantes.
tsy Achou-se na ponte da Boa vista um
par de caigas cortadas, principiada e nao
acabada de coser ; quem for seu dono annun-
cie.
S2^ Urna mulher parda com muito bom
leite se o (Tereco para criar ; quem a preten-
der dirija-se a rua Jos Pires defronte do col-
legio Pcrnambucano.
SSF" O arrematante do consumo das agoas-
ardentes de produgio brasileira constando-
Ihe quererlos Srs. de tavernas tem feito en-
tre varios consulta para deixarem de vender
ditas agoas-ardentes a im de que fago so-
frer grande prejuiso a elle arrematante avisa
que de hoje em diante a elle b compete pol-
as notas em seus recibos, eque para este fim
se apresentar nos dias sextas e sabbado em
sua casa na rua do.Livramento e para jun-
tamente conhecer melhor estes seus annun-
cios. = Thom Pereira Lagos.
tsr Precisa-se de urna mulher parda ou
preta forra ou captiva que enlenda sl-
guma couza de cozinha para ajudar a outra
pessoa eque taobem saia a rua quando !he for
preciso ser bem paga se agradar : na rua
Augusta no segundo andar do sobrado ama-
relio ou annuncie.
U" Aluga-se o segundo andar do sobrado
da rua do Queimado D. 16 : a tratar em bai-
xo na loja de louca.
19" Pelo juizo do Civel da segunda vara,
se ha de arrematar no dia 2l do corrente as
ueste dia se apresentar na porta do Snr. Juiz
Costa Bigueira.
COMPRAS.
t&~ Cera ama rea em porgo e pesos de
8 arrobas para baixo de bronze e que sejo
(izados e inesmo sendo dosel manados e
bai ris de niel de furo de 4 em pipa: na rua
da Senzala Nova 11. 25.
W Um ou dousexemplaresde una obra
de Mr. Boulin Tratado de educago tradu-
cido pelo Concgo Manoel Ignacio de Carva-
Iho : annuncie.
tsr Lina molatinba prendada e que seja
recolhida ; annuncie.
tS" Para o Biode Janeiro urna preta criou-
la de idade 18 a 21 anuos que saiba cozer ,
engomar, eeozinhar rom perfeicaB; annun-
cie, ou dirija-sc a caza do Juiz de Orfos na
rua do Collegio.
1 t^* Lm cavallo carregador baixo que es-
teja carnudo capaz de fazer viaguem : na rua
do Bangel D. 18 no segundo andar, perten-
cente a Joo Leito Figueira.
UF* O follieto instrucOes para o exercicio
de cagadores d'esta arma do exercito do Impe-
rio do Brasil reinipresso no Para : na rua
de S. Bita Nova D. 18 lado da greja.
tSF' algumas obras de diamantes ja uzadas,
ou mesmo diamantes sollos : quem tiver an-
nuncie.
"VENDAS."
Lm preto ladino de 20 annos bo-
nita figura ; na rua to Crespo D. 5 lado do
norte.
tsr Dous pares Jecaslicaes de casquinha
muito fina [aviados, sendo o lavor em prata,
dous pares de jarros crandes de llores, e urna
collecgo Je oito quadros grandes, com a mol-
dura lav.rada. tudo com pouco uzo e em conta;
na rua da Virago loja de marcineiro.
ty 12cadeiras uzadas para salla dejanlar,
e um balcAo que foi de venda em bom asta-
do por prego cmodo ; na rua do Bozario
estreita D. 50.
ss^ Lm moleque da costa de bonita (gu-
ra idade 18 anuos, bom oficial de pedreta,
um bonito molato idade 19 annos, bom pa-
gem eofficial.de tanoeiro, um dito bom pa-
gem idade 20 annos um moleque de na-
go, idade 15 annos um escravo mui robus-
to por 280^000 res dois ditos por (JOOiC rs.,
urna bonita escrava oom boas habilidades ,
e com um filho de anno o meio urna molata
boa cozinheira duas escravas para todo o
servigo ; na rua d'Agoas verdes D. 58.
e^- Sebo em rama de boa qualidade, em
qualquar porgo : a bordo do llrigue Paque-
te de Pernambuco fundiado ao p das esca-
das do Palacio.
tsr Lma escrava do gento da cosa boa
cozinheira lava engomma com perfeigo ,
he boceteira o tem um filho de 5 annos ,
muito lindo nao tem vicios vende-se por
motivos que se dir ao comprador: na rua
do Fagundes sobrado de um andar D 4.
tsw Copos de medidas mui certas, de gar-
rafa meia dita e contrametade : atraz do
Corpo Santo loja do louga n. 66.
sy Vendo-se ou troca-se por escravos, ou
por outra urna casa na Cidade de Olinda ,
precisar diiija-se ao escriplorio de Joo Pinto
de Lenas na rua dos Barbeiros.
S9- Du'is canoas uberlas de carreira urna
nova o outra uzada ambas por prego com-
modo : no eslaleiro de Joo de Brilo Correia
atraz da ribeira do peixe.
OF" Lm preparo para sargento de guarda
nacional que he duas barretinas urna de
pello o outra de lustro urna grvala do cou-
ro de lustro una banda e um refe com
Irassado : na rua Nova I). 52.
tST Lina mulata de 17 anuos bern pareci-
da sadia engomma cose veste urna se-
nliora e muito pr. pria para miimbanda: na
rua da Aurora casa do Depositario geral.
>yt^" Lm carrinhu de 4 rodas e seus per-
tences com pouco uzo ou qtiasi novo e ser-
ve fiara um ou dous cavallos por ser muito
maiieiro para v. r o carrinlio no primeiro
sobrado atraz da Matriz da Boa vista e a
tratar do ajuste no escriplorio dr Malheus
Austin na rua do Trapiche novo 11. 12.
tSF" Lma negrinha orela do 9 a 10 annos,
sadia sem vicios cose chao o faz bem la-
varinto : na ruado Bangel D. 18no segundo
andar pertencerile a Joo Leitao Figueira.
iSf Lina cama de angico com colxo, tra-
visseiro sobre-ceo o cortinados tudo em.
bom estado 8 por prego commodo, por ler a,
dona de reliiar-se para fora da Iprovincia : na.
rua de S. Bita nova D. 18 lado da Igreija.
tST Papel de peso de boa qualidade a 2800-
e 5200 a resma, cartas portuguezas a 1200,
transclim de burraclia a 80 rs. thesouras
linas a 200 luvas de seda sem dedos a 500.
de algodo para bomem muito (as a 500 ,
de pe ica a 500 de seda para homem a 900,
banlias francezas, macass, cssecia de rosa,
agoa de colonia superior colxel.es bande-
ginhas e outras muitas miudezas baratas : na
rua do Livramento D. 5
tsw Telhas de vidro e larinlia de higo ,
da marca superior de SSSF e SSF por prego
cmodo: em caza de N. O. Bieber & C. rua
da Cruz D. 65.
19* Farinha de mandioca superior che-
gada ltimamente de S. Calharino por precio
commodo na rua do Vigario n. 7.
ts^" Lina duzia de cadeiras um camap ,
e um jogo de banquinhas tudo de oleo ; 2:
espelhos de salla ern bom uzo e vende-se
muito em conla por haver precizo : na rua
do Fagundes D. 18.
W Para fora da Provincia dous escravos
de bonitas figuras 1 na rua do Vigario n. 15
no primeiro andar.
Lma cama de Jacaranda, urna mar-
queza um cspelho 5 mangas de vidro ,
urna cmoda, una empellada para billiar, o
varias louca de vidro e cozin.'ia : no p..leo
do Hospital do Paraso D. 1(5.
ts- Lina cmoda de amarello feita a mo-
derna, com pouco uzo e por prego commodo:
na rua estreita do Bozario loja de marcineiro
D. 50.
C9" Lma parde brincos de brilhantes ri-
cos, e de bonito feilio 0 um faqueiro de
prata eom 48 talheres : na rua do Vigario nu-
mero 18.
ssr Gomma arbica superior e urna por-
go de bons fsforos, que se vendem em con-
la : no escriplorio de E. Schaefer na rua do
Vigario n. 18.
L de cana propria para enclicr col-
na rua da Ribeira, quasi a chegar aos 4 can- xes e travisseiros por prego commodo:
= Ofierece-se um bomem cazado com pou-' 4 horas da tarde a quem maisder a venda
ca familia, eslrangeiro para feitor de en-i cita na rua do Livram"nlo que foi de An-
genho ou sitio : quem o pretender annuncie .ionio Joze Lcilo, porexeengo de Antonio
j*elo Diario.
tos : a fallar com Antonio da Silva Gusmo.
7- Lma escrava de nago, de 20 annos ,
bonita figura lava de sabo, engomma liso,
e faz doces : na rua da Aurora casa terrea
D. 6.
19" 6 cadeiras de oleo com assento de pa-
lhinha urna banca de Jacaranda ludo em
bom uzo i por prego commodo : na praga do
commercio armazem n. 1.
tsr Bilheles e mcios ditos da lotera do
Theatro : na loja de chapeos do largo de pa-
lacio.
$2S~ Bilheles e meios dilos da lotera do
thealro os bilhctos a 8i500 e os meios a
4*500 : na praga da Independencia loja de
miudezas D. 20.
tur Lm escravo crelo proprio para o ser-
vigo de campo : na rua da Cadeia velha nu-
mero 51.
Lm mulato sadio reforgado e 18
annos bolieiro borrador que sabe tratar
de arreios carros e cavallos entende de
borla e jardim e de boa figura : na rua da
Cadeia na casa por cima da loja de chapeos
; vende-se por n8o querer
na rua do Aragao vemJa D. 44.
2F" Caderas de halando corn assento de unII.i-
nha e encost da mesma inarqiirzas <'e coudu-
r mezas de janUr. camas de vento com anua
cao cadenas com ausento de palbinha americanas
cama; de vento muito liem eilas a tiff 00 its
pinlio a 3#5oo e pinho da Suecia com 3 'pol'Mdas
de grasura, dito serrado l,.do mais cm ron a d
que em outra parle ; na na da Florentina em caza
de J. A'einaer.
ESCBAVOS FLGID0S.
ao lado da cadeia
servir a seu snr.
U^ Lma escrava de nago com bonita fi-
gura e boas habilidades na rua da Floren-
tina veliia D. 9.
19" Existen duas perfeitas imagens de ."i a
6 palmos de altura da Senhora da Concei-
joze da Costa; quem nella pretender Jangar | cao, e S. Agoslinho ; quem das mesmas
O abaixo assignado d 40* de gratifi-
cago a quem pegar o ca brinda Ignacio f-
gido no dia 25 de Maio p. p. de 11 annos ,
cabello caxiado pernas arquiadas, um tan-
to ^barrigudo cabeca bem redonda rosto
pequeo porem largo e tem urna cicatriz no
beigo de cima de um la i lio que sofreo : a le-
var na rua do Rangel sobrado de dous anda-
res defronle do beco do Trem.
Joaquim Joze de Paiva.
SS9- No dia 6 do corrente fugio um negro
de nago angola lio chelo, do corpo, de
oO annos hecanoeiro ; quem o pegar leve
ao principio do alterro dos A (Togados casa de
Silvestre Joaquim do Nascimento.

RECIFE NA TYP. DE M. F. DE F. =1812


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ESB0KS18Z_K27WNF INGEST_TIME 2013-04-13T03:32:43Z PACKAGE AA00011611_04693
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES