Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04677


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno de 1842.
Sexta Feira 17
Tudo Rora ilepeiule tle nos mesmos ; da nosss prudencia oiuilrrarjo e energa : con-
tinua no como principiamos e seremos aponladoi com admirar fio aire M Narre oais
CT'A. (Proclamarlo da AssroiM.'a Geral do fruril.)
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES.
CoUr.'ia ?arit B Kio grande do Norte, segundase tulas feiras.
HoniiO jCaranhum 0 e 24-
Cabo Sennhaem Rio l-'ormoxo Porto Calvo Marei e Ala-oas no I, *
13. Sanio An'lJo quimas feiras. Oliuda lodos s diss.
M.
J aj"'
DAS DA SEMANA.
i Sc^. s. Antonio F. Padroeiro da Provincia
l'i l':i i. Ra/ilio Magno. Ral. And doJ.deD. da 1, v.
4J QiMI. Meto M. And. do .1. de D. da 3. t.
6 Quint. JoiW Francisco lUgia Mm Aud. do jull de D da 2. V,
47 Srf'. s. Iliere/a R. Aud. do J. de D da i. v.
iVSab. a. Leoncio M Re. Aud. do J. de D.da3. v.
19 Das. 8. Juliana de Falronieri Y.
de Junlio.
Auno XVIII N. 128.
O Diario |iublica-M todos os dias que n."io foreni Santificados : o pref. da signatura be
de tus mil ral por quarlel pagos adianlados. Os nnnuiu'ios dos asignantes silo inseridos
gratis e os dos que o ni fu re ni a raxao de SO re i a por linha. As reclaiuacea devet ar
dirigidas a esu Tv|M,srafia ra das Crines D.13, ou a praca da IndeneiiVarta toja de livios
Numero 3/ c 3S.
CAMBIOS no da 10 de jimio.
compra venda-
Cambio sobre Londres 27 d. p. il}.
,. Taris 3;i0 res |i. franco.
.. Lisboa il.i por 1U0 d pr,
Moeda de cobre 4 por 100 de descont.
M.n. Je letras de boas firmas le rf
Descont de billi. da Alfand-jal por 100
ao aei.
Oca o-Moeda de 6.400 V.
Pi.
. > Je 4,000
PT Patacoen
> Pexoa Columnare*
ii dito Mexicano*
viuda
15,500
4.;,3(W
S,4f
1,70b
1,76
1.760
1,69*
I5.64W
i&.ttin
s.eoo
1.7.S0
1.7M
l./Mt
1.60
Vreamar do din 17 deJunlm
1. a II lloras 42 m. dn niank.i.
2.
I2hor
tarde.
PHASES DA I.UA MO HEZ UE JOMIO.
Ouart. minR. a I al 4 horas e 32 m. da manli.
la Nora iS-i 7 horas 65 <". da larJ.
Quarl. creso, a 18 as 2 horas e 33 m da lard
La chai 22- na 7 horas e 2 na. da larri.
DI \ \ IO DE P EU TV AIIB U 0.
PARTE OFFICIAL.
MINISTERIO DA GUERRA.
lllm. e Exm. Snr. Fo presente a Sua
Magcstade o Imperador o seu olTicio n. 70,
de 50 de abril ultimo c mais papis que o a-
companhro versando ludo sobre os venci-
mentos que devem ser abonados aos ociacs
.reformados empreados nos corpos destaca-
dQs^da guarda nacional : e o mesmo augusto
Senhor houve por bem determinar que aos
"ofliciaes reformados quando cmpregados ef-
fectivamente quer no servido do exercito ,
qyer no dos referidos corpos destacados so-
mente se abone o sold desuas patentes re-
gulado pela novissima tabella com as mais
vantagens que Ihescotiipetirem pelo exercicio
oin que se acharen) ; nao devando em al-
tenco ao mellioramento de sold da referida
tabella er lugar a accumulaQo do sold de
suas reformas mesmo pelo que respeita aos
em pregados nos referidos corpos da guarda
nacional apezar de ella ser facultada no ar-
tigo 153 da carta de lei de 18 de agosto di'
1831 j porque, nao querendo elles sujeitar-
seao que ora se dispOe dever ser despe-
didos do servico dos mencionados corpos.
Dos guarde a V. Ex. Palaaio do Rio de
Janeiro em 25 de maio de 1842. Joze
Clemente Pereira. Sr. presidente da pro-
vincia de Pernambuco.
MINISTERIO DAJUSTICA.
MINAS f.ERAES.
lllm. o Exm. Sr. Temi eu em nien
oflicio de 10 do corren te participado a V.
Ex. que depois da noticia da dissoluco da
cmara dos deputados continuava sem alte-
raco alguma o socego publico desta capital.
cabe-me agora o pra/.er de repetir a raesma
partioipaco, podendo ainda accrescenlar que
em estado igualmente satisfactorio se achao
as cidade* de Sabara, S. Joode El-Rei, Bar-
bacena e outros pontos onde tem chegado a
mesma noticia como consta do incluso ofli-
cio do chefe de polica interino da provincia e
de outras parlicipaces ofliciaes que me tem
sido dirigidas.
Dos guarde a V. Ex. Otiro Prelo Pala-
cio do governo emilSde maio de 1842.
lllm. e Exm. Sr. Paulino Joze Soares de
Souza ministro e secretario de estado dos
negocios da justica. Herculano Ferreira
Penna vice-presidente.
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 11 D CRREME.
Oflicio As Cmaras municipaes do Bo-
nito e Garanhuns participando-lhes ter
a lei provincial numero 94 de 7 de Maio pr-
ximo j.assado determinado no artigo -40, que
fique perlencendo ao municipio, e comarca
do Bonito* freguesia do Al ti n lio.
Dito Ao delegado do termo do Limoetro,
disendo cm resposta ao seu olficio tle Odo
cor rente: que os habitantes da fraccAo da
freguesia de Taquaratinga que pertence ao
municipio do Brejo devem votar na mesma
freguesia visto faserem-se por parochias as
eleiges primarias: e que o alistamento dos
cidados e dos fogos pode ser deprecado ao
subdelegado d'aquelle districto pela junta qua-
lificadora da parochia ou feito pelo juiz de
paz d'aquelle lugar, comanlo que os balitan-
tes nao deixem de ter voto na parochia que
pertnce a -cura d'alma d'aquelle districto.
Dito Ao inspector do arsenal de mari-
nha ordenando que remella a nspeccao
original feita pela junta de saude em diver-
sos grumeties ; fim de ser enviada ao Exm.
ministro da marinlia na conformidade das
ordens imperiaes.
Dito Ao inspector da thesouraria da fa-
senda, determinando, que mande salisfaser j
o aluguel da casa que se mandn arrendar
na freguesia de Jaboato para n'ella sercm '
recolhidos os individuos all presos.
Dito Ao juiz relator da junta de justica, I
transmettindo Ihe, para que seja visto ft
relatado em sesso da mesma junta o proecs-
so verbal feito ao capitAo do terceiro bata-i
iho d'aiiilheria Aneclelo Lopes de Santa]
Anna fim de ser julgado cm ultima ins-
tancia.
Dito Ao presidente e ao secretario da
sociedade de medicina d'esta cidade aecu-
sando recebida a represenlacao que a mes-
ma sociedade Ihe dirigi expondo os objec-
tos que mais influencia tem as enfermida-
des que ora allligem os habitantes da refe-
rida cidade eos meios mais facis de remo-
vel-os .olivando o zelo e philantropia que
dita sociedade tem desenvolvido prol da
saulc publica : c fasendo-lho constar que
tem dado as providencias para que por ora
o governo se acba habilitado lim de lica-
rem desalagadas as ras, e desecados os pan-
tanos provenientes das copiosas chuvas ,
que inundaran a cidade n'esta quadra e ob-
ler o povo n'esla parle algum' mellioramento.
Dito Ao eng'nheiro Vauthier signili-
rando em resposta ao seu oflicio d'esla data ,
que deve parar com a obra da casa de barrei-
ra que havia principiado porto da ponte dos
Carvalhos visto ter sido transferida a hai-
reira para a ponle de Motocolomb.
Dito Ao chefe de polica aulhorisando-
o para alagara casa que em s*;u otlicio de
10 do correte diz fazer-se precisa na fregue-
sia de Jaboato fim de n'ella sorem reco-
Ihilos os individuos que all forem pre-
sos : e inlelligencando-o de que esta des-
pesa lleve ser feita pela thesouraria da fa -
senda queiii ha expedido as convenientes
ordens.
Portara Ao commandanle da escuna =
Andorinha = ordenando que receba a
seu bordo e condii/a para a corte ocirur-
gio mor do exercito Antonio Crrela dos Ali-
jos.
Ofilcio Ao commandanle das armas para
fazer embarcar na referida escuna osupra-
mencionado cirurgifio mor.
Dito Ao engenheiro Vauthier appro-
vando os meios que em seu relatorio diz ,
devem ser adoptados para regularisaQo dos
despejos d'esta capital ; e ordenando que
os desenvolva organsando as plantas c
ornamentos respectivos.
COMMANDO DAS ARMAS.
EXPEDIENTE DO DA 4 DO COMIENTE.
OlficioAo Exm. Preidente remetten-
do-lhe a relaco nominal dos individuos vo-
luntarios e recrutados, que assentaro pra-
ga no mezde Maio prximo findo.
Dito Ao mesmo Exm. Snr., restituin-
do-lhecom informago o requerimenlo de
Simplicio Xavier de Jess que pede ser
transportado a Baha no vapor = Crrelo Bra-
sleiro.
Dito Ao Inspector da thesouraria re-
mettendo-lh'.* a guia to Alferes Antonio Fran-
cisco d'Almeida que vindo do Maranho ,
ficara fasendo o servico nesta provincia, no
batalliao provisorio.
Dito Ao juiz de direito Joaquim Nunes
Machado acensando recebido o seu oflicio
de 51 de Maio ultimo, no qual participa va
achar-se no exercicio da primera vara do en-
me e por conseguinte no de auditor de guer-
ra e disendo-lhe em resposta que sciente,
se passava a fazer em ordem do dia a necc>-
saria publicaco.
Dito Ao inspector da thesouraria, re-i
mettendo-lhe os papis de contabelidade do I
destacamento da comarca do Pao d'alho pa- [
ra serem satisfeitos e sua importancia en-
tregue ao soldado Manoel Rodrigues de Coti-
lo.
Dito Ao desembargado!- chefe de poli-
oa disendo-lhe que assentara praca o re-
crula Luiz llypolto Mariano que remetie-
ra com seu oflicio de 2 do corrente.
Dito Ao mesmo signilicando-lhe. qoa
assentaro praga os recrutas Manoel Salvador,
c Severno da Costa Silva, que remetiera con.
sen oflicio desta data.
Dito Ao delegado do destricto de Santo
Anto disendo-lhe que ficara entregue dos
desertores Pedro Joze e Joze Rento de Froi-
tas 5 assimeomodo rscruta Joo Antonio do
Monte que tivero deslino conveniente.
Dito Ao delegado do districto do Pao
d'alho disendo-lhe que com o seu olficio do
primeiro deste inez recebera os papis de
contabelidade do destacamento pertencentes
ao mez passado os quaes foro enviados a
thesouraria para serem pagos.
Portara Ao imjor commandanle interi-
no do terceiro batalho d'artilhera a pe ,
mandando excluir do mesmo com guia de
passagem para o batalho provisorio o sol-
dado da segunda eompanhia Joaquim Domin-
gues de Souza.
Dita Ao lente coronel commandanle
do batalho provisorio anthorisando-o a re-
ceber com passagem o soldado mencionado
na portara cima.
THEOLRARIA DA FAZENDA.
EXPEDIENTE DO DA 50 DO P.
Oflicio Ao Snr. rommandante das ar-
mas disendo que leudo a thesouraria por
ordem do Exm. Snr. Baro Presidente da
Provincia abonado ao major do batalho de
guardas nacionaes destacado Thomaz Joze da
Silva Gu mo batalho" Joze Ignacio Pereira da Rocha as
competentes cavalgaduras na raso de 40> rs.
cada nm e reconhecendo agora pelo que
expoem o corr.niissario fiscal do ministerio da
guerra na representaco que acompanhava ,
que taes ofliciaes devio prestar flanea as quin-
tias recebidas : pedia se dignasse assim com-
mnnicar aos sobredi tos ofliciaes para que sa-
lislisessem a este dever.
Dito Ao Snr. inspector do arsenal de
marinha participando que tendoo Exm. Sr.
Baro Presidente da Provincia por o seu of-
licio de 27 do passado mandado dar con-
sumo aos rticos arruinados que sobraro
da ambulancia fornecida barca = Trium-
pho da Inveja = na sua viagem para a llha
de Fernando de Noronha 5 vender os mais
cm hasta publica e na falta de comprador
remelter para a botica d'aquella llha : pedia
houvesse de dar execu^o ao mesmo oflicio
por o dito arsenal communicando o resul-
tado.
Dito Ao Snr. agente da thesouraria pro-
vincial das Alagoas em resposta ao seu of-
licio de 27 do passado, que acompanhou a
portara que Ihe dirigi o snr. inspector da
dita thesouraria acerca do destino que
dora em diante se deve dar ao producto das
rendas da dita provincia nesta arrecadadas.
DEM DO DIA 31 DO P.
Oflicio Ao Exm. Snr. Visconde d'A-
brantes presidente do tribunal do thesouio
publico nacional informando orequerimen-
to de Gongalo Joze da Costa & S.
Dito Ao Snr. inspector da alfandega ,
participando a licentja de seis meses con-
cedida pelo tribunal do thesouro ao guarda
da dita alfandega Ignacio Francisco Martins.
Igual participare se fez ao snr. contador
da Thesouraria.
REPARTICAO DA POLICA.
Parte das occorrencias do dia 11 do corrente
Fq hontem prezo pela 1. patrulha do poli-
ca no lugar da pia<;a da Independencia Joze
da Silva Lopes Fernandes e o escravo tle
nome Domingos por briga tendo sido es-
te por aquello espancado segundo consta dn
parte hoje dada pelo commandanle geral d0
corpo policial
Dias 12 c 15.
Foro presos em odia i2 pelo inspector
de quarteirao do lugar do Mondego Antonio
de S por estar enri ; e no dia i5 pe|o
commandanle da guarda principal, Joze Luiz,
e Pedro Lopes por suspeilos querendo per-
noitar na mesma guarda ; pela 2. patrulha na
1 na ta senzalla velha Luiz Fernandes d'An-
dratle pelo motivo de a ley. insultado;
por oulra patrulha no lugar de Fra de Por-
tas Herculano de S. Tiago, por Ihe ser ap-
prehendida una faca com ponta ; por um ca-
ho de polica Eleulerio Francisco Dorncl-
las por briga ; e pelo nspeetor d<- quartei-
rao da ribeira da Boa-vista o escravo de' ne-
me Paulo por estar armado com urna faca
com pona.
E' o que consta das partes pelo comman-
dante geral do corpo policial e das que voii
recebendo das mais authoridades- do interior
desta provincia onde continua inalteravel o
socego publico.
Pessoas despachadas nos dias 9, e iO.
Lisboa = Joze Teixeira Bastos portu-
guez leva em :>ua rompanhia sua mulher e
tres filhos menoies.
Angola = Jacinlho Augusto do Miranda ,
porluguez.
Rio de Janeiro = Germano, prelo, escravo
de Vicente Francisco Mcndes das ('.hagas ,
(andida pela cscrava de Antonio Ferrei-
ra da Costa Braga Pierre Le Neveu fran-
co/.
Ciar s= Padre Vicente da Rocha Motta ,
brasileiro.
I.cunda = Fcdisde Cantabrio, brasileiro.
Inglaterra = Clara Solia Coobert, ingle/a.
levando em sua eompanhia sua criada do li-
me Anglica.
Dias 11, e lo.
Rio de Janeiro =l'mbelino Ferreira Dias>
brasileiro; Domingos, Antonio, Manoel,
Rento Joo Paulo Joze Scipio Ma-
noel Rosa Tereza Izabel, Roza pre-
tos cscravosde Joaquim Pin lo de Azevedo ,
Thomasia e Dellina, pretas escravas de Ma-
noel Joaquim Seve
Aracaly = Antonio Joze da Roza espa-
nhol ; Roza Felippe c Calhcrioa pre-
los cscravosde Antonio Joze da Roza.
Paralaba = Francisco Radich austraco,
leva em sua eompanhia sua mulher, tres
lilhos menores
Lisboa = Manoel Jo/e de Magalhes Bas-
tos porluguez Padre Manoel de Oliveira
Silveira porluguez.
Porto com escala por Lisboa =: Manoel
Joze Machado Malheiros cidado brazileiro ;
Francisco preto escravo de Manoel Joze
Machado Malheiros
Loanda==Joo Pereira de CarvaUo Jni-
or portuguez.
Rio Formozo = Luiz Duarle da Silva ,
porluguez.
EXTElUOl..
Est acabado o tunnel ou ponle construi-
da cm Londres debai&o do Tamisa. A des-
peza total elevou-so a 445,270 livras esterli-
nas ou 11, i3l,750 francos ( ao cambio de ho-
je 3,784:798* rs. ), e no decurso do i7 a 18
annos que durarlo os trabalhos nflo perec-
rao mais de cinco (rahalhadores por causa de
sinistros na obra. ( Commerce )

I


t


M*
I
Visitando ltimamente em Portsniouth ,
a nao The Quecn que eslava para partir pa-
ra o Oriente a rainia Victoria quiz pi ovar o
grog da tripularlo e disse : a Este grog nao
bastante forte ;> Eslas palavras torio acoln-
das pelos marinheiros com gritos deenlhu-
siasmo. Parece evidente diz o Sun que
S. M. nao toclulale ( o nome que se d
aos partidistas da abstinencia total das bebi-
das espirituosas.) ( Id )
LNTEKIOK.
NOTICIAS DE S. PALLO.
SANTOS 25 BS M.VIO.
Procurarei dar-lhe em delallic o que sei
sobre o estado dcsta provincia ate lioje.
4g OTobias proclamou nodiai. No dia
14 foi o bara informado do que occorrera e
deu logo parte ao governo. Os vapores anda-
rn lgeiros e o ministerio anda mais lgei-
ro, porque no dia 19, de madrugada ja
estavo 2oo homens em marcha para o Cuba
to e nesse dia e no seguate marchiTio ruis
Ooo. No (iia 21 chpgou o bario de Casias com
mais 5oo homens, comprchendidos os que
dexoit em s Sobastio e nos dias 21 22 e
25 chegrao todos a s Paulo.
tyontem, as 5 horas da manha mar-
rhou o general sobre Sorocaba com 1,2oo ho-
mens A o presidente, tem j porto de 1,ooo em
sagem no vapor e seguem para seu destino
o Exm. Presidente do Maranho e scu secre-
tario.
Com as copiosas chuvas dos dias 12 e 15 do
correte o nosso Capibaribe apresenlou lima
ilieia que allirmo os vellios da Provincia
ser a maior que tem visto em sua vida O
rio inundou todas as estradas visiohas que
em algumas partes Picaran a nado ; derribou
militas caAas, estragou os caminhos e com-
pleten a deslruicio das plantac/ies que Ibes fi-
co prximas To aturado hinverno que
deve trazer-nos a caresta da farinba nos a-
mcaca de grande fome, depois de nos le
-alisado ouiros grandes males
MISCELLANE-XS.
e ,ooo pessoas
. 1720
s. Paulo s Bernardo e Bio Pequeo, islo
entre Santos c s Paulo porque o seu pri-
meiro cuidarlo foi fortificar a capital e conser-
var livre a estrada de Santos paca que podes-
sen) avanzar as torcas que esperava do Rio.
A artillK-ria segoio boje para a capital ,
onde se ap esentou j ao bario de Monte Ale-
are uiua torca consideravel da guarda nacio-
nal de Jacarahy Moji-Mirim Moj das
Cruzes e outros pontos decid idilios lodosa
sustentar o governo imperial, ao mesnio
tempo que os sediciosos anda nao con to loo
homens
O barao de Casias lencionava estabelecer
amanha o seu quartel general em Sorocaba e
eston cerlo que o far porque os sediciosos ,
que nao tem plano organisado, ho de fugir
para nao seren batidos.
h Corre como certo que lu, llupitininga,
Faxina e Porto Feliz se unirlo ao grito de So-
rocaba mas he tal a diviso entre os sedicio-
sos que o auxi io prestado pelo governo ge-
ral decidir a queslo pelo lado legal e nao
hesito em diser que em menos de um mez lu-
do estar terminado.
O baro de Moni'Alegre recebe todos os
dias re torcos da guarda nacional de todos os
pontos da provincia menos dessas villas do
Sul, onde se diz que rebentra tamben) a se-
dicao c que j mencionei.
( J do C de 29 de siaio.)
I.e-se na Senlinella : Sepultou-se anles de
hontem na Igreja de S. Francisco de Paula,
pelas 5 hoi as da tarde o Sr. Conde de Sou-
zel almirante da armada nacional conse-
llieiro de guerra grande do Imperio e ex-
minislro da marinha na pocha da indepen-
dencia. A S. EiC tinha cabido a honra de
conduzir para u brasil a Augusta Mi do Im-
perador eS M I. a Sen hora Duqueza de
Braganc,a. As fortalezas salvaram de q-tarto
em quarto de hora e o enterro teve um lu-
zido acompanhanieiito Morreu com 71
annos de idade.
O Sr. Francisco de Sales Torres llomeni ,
que estvera bomiziado em consequenca da
secusaco contra o Maiorita ", j tem sido
visto passeiando livremenle pelas ras d'esta
corte.
Acha-se j restituido lberdadeo Sr Eli-
zeu de Azeredo Coutinho que tora preso em
Snelos por ordem do Baro de Casias
Folgamos de annunciar que o Snr. Ber-
nardo Jacinto da Veic;a tomou posse da presi-
dencia da provincia de Minas Geraes em o da
18 do corren te.
DIARIO DE PEIMkMO.
HRCn-'K 11) DE Jl NHO.
Cbegou boje do Sul o paquete de vapor S.
Sebastiao, que nos trouce noticias que che-
go ate 2 do corren te : deixamos em seu lu-
gar transcriptas as que nos pare ce rao mais in-
teressantos. Cbegou nesle vapor o nosso
digno Comprovinciano o snr. Conselheiro A.
P. Hapiel Monleiro. Tambc/n victa de pas-
NOTICIAS DIVERSAS.
Terremotos A theoria dos terremotos
ainda nao tem sido formada com algum grao
de certesa. Anaxagoras suppoz que os terre-
motos ero produzidos por nuvens subterr-
neas que rehn lando em relmpagos abala-
vo as cavernas que as encerravo antes de
Cbr. 455. Diog. de l.aerc. Kircher Des
Caries i; outros suppunhoque havia militas
cavidad, s extensas debaixo da trra que leem
commttiiicarn urnas com as nutras afumas
das qgaes abundo em aguas, outras em exa-
lacoes provenientes de substancias inllam
maveis como salitre, betume, enxofre &o.
Estas opinides conlinuaro a ser sustentadas
at 174950 q uando se sen to nm terre-
moto em Londres e em varias partes da In-
glaterra. 0 Dontor Stukelcy que se tinha
oecupado em experiencias elctricas ento
comecou a suspeitar que nm phenomeno d'es-
ta especie devia ser a ttri buido nao a vapores
ou formen tacOes geradas as enlranhas da
trra mas electricidade. Estes princi-
pios croao mesnio tempo professados pelo
Signor Beccaria sem saber cousa alguma
das descoberlas do Doutor Stukeley e a hy-
pothese tem si'lo confirmada pelas experien-
cias do Doutor Priestley. Todava, em mui-
tos parece provavel que o immenso poder d'a-
goa convertida em corrente por foos subter-
rneos deve de contribuir para augmentar a
torca que occasiona os terremotos. Entre os
que se recorda como leudo sido os mais des-
tructivos e memoraveissoosscguintes, extra-
nidos das melhores fontes; pois sera mpos-
sivel enumerar em to pequeo espaco todos
os que leem occorrido : Antes Ch.
l'm quo fez da Pennsula da Eubea urna
liba..........425
Elice e Bula no Peloponneso, submergi-
das............ 372
OutroemBoma quando por'obedecer a
um orculo M. Curcio armado e montado
n'um soberbo cavaMo saltou na borrivel fen-
da que elle occasionou ( Livo ). 558
Duras na Grecia sepultada com lodos
os seus habitantes e 12 cidades na campa-
nia igualmente sepultadas.....345
Lysimachia totalmente sepultada com to-
dos os seus habitantes......285
Er. Cbr.
Um lerrivel na Asia que subverteo 12 ci-
dades...........17
Oulroacompanbadoda erupro do vesuvio,
as cidades de Pont pea e Herculanea sepulta-
das............79
Qualro cidades na Asia duas na greca e
duas em Galacia subvertidas. ... 107
Antioquia destruida......114
Nicomedia, Cesrea e Nyca na Bilhynia.
subvertidas.........126
Na Asia Ponto, e Macedonia 150 cida-
des e villas damnificadas.....357
Nicomedia outra vez demolida e seus ha-
hilanles sepultados as suas ruinas. 558
Outro sentido quasi por todo o mundo 545
Em (xmslantinopla os seus edificios Aca-
rno destruidos, e niorrero miJbares de pes-
soas............558
Na frica, militas cidades subvertidas 50o
Um lerrivel na Syria Palestina e Asa ;
mais de 5oo cidades tora* destruidas, e a
perda de vidas excedeo a todo o calculo 742
Na Franca, Alemanha e Italia .801
Conslantinopl 1 subvertida, e toda a Gre-
cia abalada......950
Um que foi sentido em toda a Ingla-
terra ...... .... 1089
Um em Antioquia; militas cidades des-
truidas; entr'ellas Mariseum e Mamistria 1114
Galana na Sicilia subvertida equinze mil
pessoas sepultadas nas ruinas 1157
Um horrivcl sentido em Lincoln M42
Em Calabria quando urna das suas cida-
des e todos os seus habitantes foraO snbmer-
gidos no Mar Adritico.....1180
Em aples, quando perecern quarenla
mil dos seus habitantes .... 1450
Oulro experimentado em Londres : cabio
partedasIgrejasdeS. Paulo e do Templo 1580
No Japo militas cidades reduzidas a rui-
nas, e militares de pessoas mollas 1596
Um lerrivel na Calabria IO08
Um na (.bina quando 5oo,000 pessoas li-
oaroO sepultadas so em Pekn 100-
lim borrivel sentido na Irlanda. 10.)o
L'm na Jamaica, que destruio totalmente
Porto Beal, cujas casis foi ao absorvidas em
io bracas de profundidade tt perecern 5oo
pessoas.........'"''"
Um na Sicilia que derribou 51 cidades e
villas, e 5)0 aldeas ; de Galana e dos seus
dezoito mil habitantes nao licou vestigio
perdera-se mais de 100,000 vi Jas .
Palermo quasi destruido,
mortas......
Outro na China ; ccem mil pessoas traga-
das em Pekn.......1731
Um na Hungra que lornou um monte
redondo.........1736
Lima e Calho demolidas dezoito mil pes-
soas sepultadas as ruinas a 28 de 8br. 1740
Um em Palermo que tragn um convento ;
mas os frailes escaparan 17o
Em Londres os habitantes aterrados por
um pequeo choque a 8 de Fevereiro 175o
Outro choque mais forte a 8 de Marco 175o
Adrianople quasi subvertida 1752
No Grande Cairo melado das cazas e qua-
renla mil pessoas tragadas .... 1754
Quilo destruida em Abril de 1755
O Grande Terremoto de Lisboa. Dentro
em cerca de oilo minutos a mor parto das
cas'S e para cima de 5o,000 habitantes fora
tragados, e ras inteiras subvertidas. As
cidades de Coimhra Porto e Braga soffrerao
terrivelmente e Sanio Ches foi totalmente
destruida. Na Despatilla nina grande par-
te de Malaga licou em ruinas. Melado de Fez
em Maocos foi destruida e mais de doze
mil Arabos morrera all. Vais do metade
da llha da Madeira licou assolada eduas mil
casas na ilha de Matelina no Archipefago forao
derribadas: este borrivel terremoto exten-
deo-se por cinco mil milhas, atea Escocia .
no primero de Novcmbro .... iTo
L'm na Syria que esletuleo-se sobre
10,000 milhas quadradas ; B. Ibee destrui-
da ...........1759
Um na Martinica onde IOOO pessoas per-
derao as vidas .... em Agosto 1707
Em Gualimala que foi ahsorvida com
80,000 habitantes em Dezembro 1775
Um destruidor em Smyrna 1778
Em Tanris : 15,000 cazas derribadas e
mullides sepultadas.....1780
m que desmoronou Messna e muitas
cidades da Italia e Sicilia ; 40,000 pesso s pe-
recero........0, \ 783
Archindschan totalmente destruida o
12,000 pessoas sepultadas em suas rui-
nas .........1784
Em Horgodr San Sepolcro urna abertura
da Ierra tragn muitas cazas o 1,000 pesso-
as .......em Setembro 1789
Outro fatal na Sicilia .*#'., 1791
Um em aples quando o Vesuvio despe-
dindo as suas chamas submergio a cidade de
um pelo qual foio derribadas centenares de
cazas e perecerflo milhares de habitan-
tes a 22 de Janeiro, i857
Em Martinica um pelo qual quasi me-
tade de Porto Beal foi destruida por-
to de 700 pessoai mortas e toda illia arrui-
nada .....a 11 de Janeiro i859
Em Tenate ; a ilha posta em assola-
ciio, quasi todas as cazas destruidas o
milhares de habitantes perdero as vi-
das, .... a i4 de Fe v re rod 840
Terremoto borrivel e destruidor no Monte
Ararat; n'um dos districtos 'Armenia ;
5i37 cazas foro derribadas e muitos cente-
nares de pessoas perecero a2deJulho, 1840
Gratule terremoto em Zante,onde morrero
militas pessoas a 50 d'Outubro i840
( The Standard )
CORRESPONDENCIA.
Snrs. Redactores.
Outro sentido por lod'a Inglaterra I27i
Torre del Greco ...... 1794
Na Turqua, onde em tres cidades, 10,000
pessoas perderlo as vidas .... 1794
Todo o paiz entre Santa F e Panam des-
truido incluindo as cidades de Cusco e Qui-
to de cujo povo 40,000 pessoas foro dentro
d'um segundo precipitadas na eternida-
de...........1797
Um em Constantinopla que destruio o 1 a-
lacio Beal e urna immensidade de edificios,
estendeo-se al a Romana e Wallachia 1800
I 111 violento sentido na Hollanda, em Ja-
neiro, ..........1801
No Reino de aples onde 20,000 pessoas
perderlo as vidas......1805
Nos Azores urna aldea de S. Miguel licou
subvertida e appareceo em seu lugar um la-
go d'agoa fervente em Agosto 1810
l'm lerrivel em Caraccas 1812
Varios sentidos por toda a Indiao dislric-
lo de Kulch submerso; 2000 pessoas foro se-
pultadas com elle eraJiinho, 18l9
Em Genova Palermo Roma e muitas
outras cidades ; grande prejuizo softrido e
milhares de pessoas moras 1819
Um fatal em Messina em Oulubro i820
l'm na Hespanha que devaslou Murcia e
numerosas aldeas 5 Oooo pessoas perece.
rao......a 21 de Marco 1829
No ducado de Parma : nao menos de 40
choques forao experimentados em Borgotaro ;
e em Pontremoli ticarAo muitas cacas der-
ribadas cj nem urna charoin ficou ni
pe.....a 14 de Fevereiro 1851
Em muitas cidades da Syria meridional,
Aconlecendo em Dezembro de 1840 que
o ento Sargento vago-mestre perdesse a
quantia de 700> res em sedulas que eu lho
havia entregue para trocar e devendo este
prejuizo recahir sobre mm, como nico res-
ponsavel pelos dinheiros do Corpo antes de
destribui-los os meus companheiros Officia-
es reconhecendo o transtorno que me oc-
ca/.ionaria o pagamento de tal quantia es-
pontanea e voluntariamente se prestaro
urna quotisago mensal afim de solver o meu
prejuizo e de poder eu pagar a referida
quantia que ento fui obrigado a pedir em-
prestada. Estando pois saldado o empres-
tiiro quecontrah, mediante a generozidade,
e espulo de camaradagem que felismente
tem semprederigido a Ofilcialdade do Corpo
de Polica eu dexara decumprir com o de-
ver mais grato a qualquer hoiwm o dever
de gratidio se deixasse de manifestar aos
meus bons campanheiros o meu reconheci-
inento 5 e he por isso, que venlio rogar a Vv.
Mm. o obzequio de receberem seu acreditado
Jornal estas expressoes que bem nao signi-
fiquen) toda a torca dos meussciitimcnlos de
gratido ao menos serviro para fazer sen til-
de algum modo aos meus ofilciosos compa-
nheiros, que nao soiidesconhecdo sua bon-
dade c favor.
Concluir-! rogando a Vv. Mm. a graca de
publicar a seguinle relae/io que conlem os
nomes dos quotizado, c as quantias com que
subscrevero. Son Snrs. Bedaclores de Vv.
Mm. assignante e obligado
Recito 14de Junho de 1842.
Manoel Felis Ramos.
Quaitel Mostr de Polica.
Belaco dos Ollciaos que conlriburo par a
iniieniza-o dos 700j reis perdidos pelo
ex Sargento Vago mestre do Corpo de Po-
lica em Dezembro de 1840.
Postos. Nomes.
Commaiidante Geral Pedro Alejan-
drino de Barros Cavalcanle. .
2." dito Manoel Bizerra do Valle. .
Ajudante Joo Bernardino de Was-
consellos........33^440
Secretario Manoel Camello Pessoa. 16*520
Capello Padre Joaquim Antonio
Goncalves Lessa......53*740
Cirurgio-mor Dr. Simplicio Anto-
nio Mavignier......3.>000
Ajudante do dito Virissimo dos San-
tos Siqueira.......15*520
l.Com. Joze Bebello Padilha. 35*440
Severino Henrique de Castro
Pimentel.......
Joaquim Joze Carneiro Mon-
teiro........
Ignaeio dos Beis Campello. .
Joo do Bego Barros. .
Miguel Affongo Ferreira. .
2.Com. Antonio Camello Pessoa.
Joze Conegunies da Silva. .
Joo Pacheco Alves. .
Tilomas Pereira Pinto. .
u Francisco Ferreira d'Alcanta-
ra Barros.......
Joaquim Joze Pimentel.
3. Com Manoel Pedro de Souza. .
Antonio Joze Pestaa.
Francisco de Paula Brrelo.
Luis Francisco Barbalho. .
Francisco de Paula Bego Bar-
ros........ 13*000
Manoel Antonio Murlins Pe-
reira........ 23*440
Antonio Joaquim d'Almeida
Guedes.......
Caetano Quinlino Galhardo.
Manoel Zeferino de Castro Pi-
mentel.......
Joo Joze Bibeiro de Farias.
Antonio d'Albuquerque Ma-
ranhio. ..... 12*520
Impott.
53*440
10*520

30*310
10*520
10*520
10*520
13*520
50*310
33*440
10*520
15*520
10*520
10*320
8*520
12*520
5*000
55*440
10*520
10*520
11*520
4..-


O-
Postee. Nomes. Import.
5/Com. Joo Germano de Paula. 16#o20
(l Sebastio Antonio do Reg
Cavalcanle...... 16#o20
(Inartel Mostr Manuel Felis Ramos
- paro completar..... 33j5IO
Somma R. 700,000
K DITA ES.
M
|l
>


1t

ti
II
*
C intima cao da Lista jeral dos Jurattos".
J( r.t /^ucio .Vea: es de 3/acedo.
Lua Pire Fe'rreiu.
It Francisco d- /farros Reg.
,, Antonio i'e Cirooeira.
j
Se mi O .Vgi
,, (Costa Po leearreiro.
,, de Franca da Crw Ferreira.
/nac.- H.heiio Auna.
de Franca e Me lo.
Francisco Zfurliallio
,. de Meilo 'avalcante.
de Piuli i //ornes.
,, Gomes F>rrera.
fl c"a Veiga Pe Jote da futa (uimarSes.
UouU Luis Paulino Cavalcanlc Velles de G.
Maiioi-I Alves (/.erra.
,, lt>nici(' Oliveita L: lio.
Jim ila Suva /fraga.
7J imite Rodrigues.
entero de S m Rt i.
,, /oaquim Pedro da CosU,
da Fonccra S.lva.
,. /ruaco ,'Oliveira.
Joze A/ertins da Costa,
(roncalvi a da Silva.
Joze Ruarte.
Cardozo Ayrt.
G nc.nl ves da Crin.
Luis GoncWves.
Joaquina Fiamos e Silva.
,, Job,. u'Amor m.
, de Ciiqueira Campeilo,
Teoene tV. tonel Manoel Antonio d'Almeida.
Majur Manoel d'^zevedodoNatciiaenlo.
> ti A'ueira do Vlle.
AfaNoel Cainclo Pi .
,i 6'jpIoz.i da Fonceca.
Carneiro de Simia I.cenia.
,, Ai tonio .W.nteiru aWlrade.
,i c'oellio Ci"'ra
I-Unte iodo Heijo /7a nos
Kelia //. Fe reir da Silva.
i. /tilt.nes Viliaca.
/'elippe de Faius.
Kar au les da Crut.
Fkrenci ivas de Motees.
KiguciA, de Farin.
F.are seo de A/ uia.
i, 'la Silva.
i'.'oncBlves Fer.eira a Suva,
/'(genio da Silva.
Joaqjim Pe reir.
Gomes.
,. 1'eieiia I.ol> .
J. ac alvao.
i. I.nps /fraga.
.. Fere.ra.
Teaeia bastos.
,, rt i-i eir de Almeida.
., da AYv Fer eir.
i ii Junir.r
l/guel //rcanjo Monteiro Andiade.
' yf"|on' Pe> ira d'liveira.
,, Felicio da Silva
., Jote d'^lmei Peri amhuco.
A/anoel .S'ilveitre Ferieia.
M gur Alione i ,,
Manoel do iN'a'cinifiitailu Cotia A/onteiro.
Vaic.lino Ferreira Calo.
Marc lino Joze Lopes
Manoel Zelerino dos Sanies.
., Aernaid.no Monteiro.
da Fo u.-eca e Silva.
Antonio .S'iiiie do 'iiiaral.
Jojqu m de Oliveia.
Lopes Macitl
IVetto de Souza /fandeiia.
i, Joze A/ar(in< Pereia.
Peregrino da Silva.
li Alias ilr .Maura.
,. Moreira de/esus.
Mi-uel Aicanjo de Figoeredo.
Manoel de So za /raposo.
,. Joze Ma.tiis R>heim.
., Joaquim Ferreira Jnior.
.. Pies Ferreira.
i, (.aciano S ares Carneiro Monteiro.
aiinnaiio Pi ancuco Uuarte.
Man e Thomas Rodrigue Compeli.
.. de Burros
i l'creira Tezeira.
,, Paulo Quintella.
Maicel-no Antonio Perora.
Manoel C valcan e de Ali.uq, erque Mello.
m Joaquim do Aego .,
/'lanc-co de Punta C'avalcante All.i qutr tu*.
Cario da Silva Fragozo.
Soare de Figueredo.
de Souza Tezeira.
Ferreira dos Santos.
Cavalcanle de Allmquerque.
Joaq.mn d, (;,.,
Ignacio d'Alhuquerque Maranho.
Carneiio da Cunda.
Joze de Siqueira Cavalcanlc.
Maria de Senas.
""ofreJoze da f.csu Jnior.
Uo.ior Pedr Ca aleante de Albuquerque.
Policsrpo Nunes Correi i
oro Alezan trino de tfa.ro. Cvales .te.
Oouior Pe,(, Dornell, P Pdio Jit Caiuoa.
i
Dr

ii
i

ii
a9r...
i
i
it
>i
ii
ii
ii
ii
M
un
Pedro ytl'onco Ferre'ia.
Patricio Joze Rorgrs
Pioliio da Cunda More ra.
Praclie e da/'on-eca-<.'..itinli i.
Pedro eld i le /Vello.
K .ctolo Jio t rata d'Aliue'di.
Aoli:io Jote Coneia de Alinela.
i. Gomes rfa F r.cera,
S Ivestre Gonralves dos Santos Juntar.
n i. ..
Sebaslo Jozt da Si va Hr-ga.
(.Coiitin-iar-se-ha )
Luiz Francisco do Mello Cavalcante, Ewrivfio
e Administrador da Meza de Rendas Inter-
nas Provinciaesdesla Cidade Ac.
Faco saber a quem convjer que do da I."
ao ultimo do corronle niez sAo contados os
trinta das marcados para o pagamento a bca
do cofre da decima dos predios urbanos dos
trez bairros desta Cidade e PovoaQiio dos Af-
Ibiadns do 2.' simestre do anno finaneciro
de 1841 a 1842 e lindo o prazo marcado por
lei serio executados tdos os devedores, nao
s pelo simestre lindo como dos annos ante-
riores pelo principal e juros na forma do
Art. da Lei Provincial n.94 do prezenlean-
no. E para que o referido conste a quem pos-
sa interessar, mandei publicar o p rezn le po-
lo Diario de Pcrnnmbtico. Meza de Rondas
Internas Provinciaos 14 de Junho de 1842.
I u'z Francisco de Mello Cavalcanlc
THE A TRO.
nOH.lM.V
Do variado espectculo que o artista gim-
nstico Jos dos Reis tem a expor ao respei-
tavel publico Domingo 19 do correnle no
Tbeatro desta cidade. L'ma famoza sinfona
tiara principio ao divertimento depois Mada-
ma Emilia Amante cantar pela voz prioiei-
ra em este Tlieatroa nova cavatina coreada na
opera Adriano em Siria muzica do mes-
tre Mercadante. Em seguimento se apresen-
taro os artistas Jos dos Reis, e Joaquim dos
Reis a emprehenderom rarissimas sortes, e
evuluedes Albleticas pois que a porfa pro-
metei) fazor os maiores exforcos para mere-
ce re ni a benevolencia d'um publico to ava-
liador do mrito como indulgente destinguin-
do-seom particular oom grandes e extraor-
dinarias experiencias de forcas nas-columnas
laleraes que pela vez primeira aprsenla
em este Tbeatro. A eonliriu ir.io ter lugat
por Madama Amante e Jos dos Reis o di-
vertidsimo Duelo em Portuguez da opera o
Enredador, que no anterior expeetaculo oi
visto com tanto inleresse e satisfacSo pola
galantina das lindas e delicadas passagens que
o embellezao. Seguir a execuciio da bellis-
sima e mui divertida pantomima que pela
primein vez se exeeuta em esta cidade que
tem por titulo os Acontec metilos inespe-
rados ou o forno diablico, e o ceg rabequis-
ta. Dirigido pelo artista e director Joze
dos Reis pois que milito sensivel a tanto aco-
Ihimenlo e aplauzos, jamis estar ociozo,
liara que os illustivs expectadores tenbo o
mais recreativo enlretenimento ; e achem no
expeetaculo um innocente recreio, promo-
vendo-lbe rizos e prazer. Finda a qual hade
seguir-se para terminar tao escollada ungo
a linda e sempre aplaudida -- Tonadilha as-
pndola da Chiquita com nova tragedia e
quadras. O inleresse e salisfaco com que
tem sido vista e a pedido de mui tos con-
currentes decidiro a sua continuaco anda
este da que ser por ultima vez
N. B. Os camarotes se achilo venda des-
de ja sendo o seu encarroado o senhor Zebe-
deo Cezar.
Quinse Annos de Pariz ou o Aldeo Per-
vertid ), es Novo drama em 3 epochas = ,
escolhido para obenefciodo auctor Joze M-
ximo de Almeida Cabral, que lem lugar sex-
ta feira 17 do correnle.
Primeira epocha = 1812 = A Heranca.
Augusto Gervasio pobre aldeo de 20 an-
nos de idade tendo vindo a Pariz receber
una heranca por morte de um seu lio ape-
nas chegado aquella cidade encontrou logo
Roberto e Urivet, inculcados amigos que
com ancie.lade o esperavo o qual elevado
por seus depravados conselhos despresou .s
le seu (eitor o honrado Germont, resultando
aquelles no que passa a descrever-se.
Segunda = 1819 = o baile. Roberto
um dos inculcados amigos que Augusto en-
controu logo que chegou a Pariz a quem es-
te tinha feito depositario de lodo o seu cabe-
dal, e em quem imperava a maior devassido;
consom n'este tempo, nos osavullados
bens que possuia a viuva a quem desposara,
como tambern toda a fortuna do aldeo, fican-
do d'esta maneira este reduzido ao muis deplo-
jravel estado.
I Terceira =1827= oroubo. Augusto,
no maior auge da miseria roto, equasi ex-
pirando a fome seeucontra em una noito
de invern na ponte das artes com Grivel
( cuja aparencia inculca um refinado ladro )
que o induza assallar e roubar urna casa, no
que conveio Augusto a grande custo. ln-
troduzidos na casa trata rao de por em pra-
lica este horrval projecto em cu jo con Hie-
lo forosnrprehendidos pela dona. E t|uem
era ella '.' A joven camponesa ( ento Raro-
nesa d'Ombrcval ) prima de Augusto que
.le tinha mandado vir de sua aldeia para a
disposar cm Pariz porem que despresou po-
los maos conselhos de Roberto e que n'este
tempo se aehava elevada ao cume ta grandesa,
pula complacencia, e morte de sen betnfeitor,
e esposo o labelio Germont. Ao reconhe-
ce-lo se assomhrou e horrorisou do estado a
que se aehava reduzido aquello outr'ora opu-
lento e laslimatido-se. da sorto "do infeliz u
oceulta as pesquisas da polica que andava em
seu alcance, e consegtindo seus desejos o
faz regressar a aldeia que os vio nascer para
onde foi tambern habitar em sua compa-
nhia.
Eis o programa deloexcellenle pe^a, que
elogios alem do que se acha exarado nao
s se lomara superlluos mais athe fastidio-
sos. Pela bem acertada deslribuico dos
papis po'le aliansar-se urna perfeita repre-
sentago, e tambern porque o beneficiado nao
nulpara dispesas para hir conforme peile o
son auctor.
Rematar to bullanle espectculo a mui
jocosa farca = A Parteara Anatmica.
A impossibilitlade do beneficiado por seu
estado de molestia o priva de procurar todos
os seus benignos protectores am de o favore-
cercm como costumo e por isso lhes roga
o queiro obsequiar por esta vez na compra
dos biihetes de platea e camarotes.
O Emprozario grato aos bro/os habitantes
de Pernambuco que durante o espado de 24
annos nao tam cegado de Ihe dar dscedidas
provas tle prole^o e estima tlez-j quan-
to cabe em suasdebis torcas cooperar para o
bem dos mesmos habitantes ajudando com
seu diminuto contigente os patriticos exfor-
Cos do (ioverno Provincial na construco da
projectada caza de correcc/io to indispen^a-
vel em huma Cidade tal como esta e cuja u-
tilidade a bem da moral e decencia Publica
se acha exuberantemente demonstrada. Pa-
ra dar principio a esta ollera vai no dia de
S. Pedro a 29 do correnle fazer a primeira
re presen taco com a grande Peca -- 30 annos
da vida de hum jogador o Director cantar
huma Aria de carcter da Peca a Dama
Rlanche e o muito aplaudido Duelo tas Pis-
tolas rematando este expeetaculo com a to
aplaudida Pantomima o Alardo na Aldeia-
Esle Expeetaculo he bastante extenco;maseste
excesso he ilho to tlezejo que o Emprozario
tem de se lomar proficuo sua Pali ia adop-
tiva e grato aos seus compatriotas ; porem
todos estes exforcos sero inuleis se a brioza
populaco desta Capital nao cooperar para
hum fim to til : pelo que espera, e pede ;'s
Ilustres Sociedades que fazem o bullante
ornamento desta Capital hajo de coadjuvalo
em sens trabalhos pois que da sua parte se
compromete a fazer todas as despezas.
Para coroar o brilhantismo do Expeetacu-
lo o Emprozario espera que o Exm. Sr. Ba-
ro Prezidente da Provincia se dignar com-
parecer no seu Camarote que estar ( assim
como todos os mais) decentemente decorado.
Principiar chegada de S. Ex.
--------------\T*
Venancio Joze Lisboa Dr. Candido Au-
tran ; Dr. Francisco Domingues ; Dr. An-
tonio Joze Machado ; Dr. Manoel Jausen
Pereira ; Dr. Joo Pedro Dias ; Dr. Mano-
el Joze de Aibuquerque ; Dr. Miguel Fer-
nandos Vieira; Dr. Felippo Joaquim Comes;
Exm. Marechal Joo da Costa Brito : Jo/o
Pedro de Azevedo ; Joaquim Joze Consal-
vos Riheiro ; portuguozos ; Joze Luiz No-
lasco e sua sen hora Francisco Candido
Riheiro ; e o inglez Doslei. |@S8S^awl
SAHlllO >'(> MFSMO I>IA. v*. (
Liverpool Rarca Inglcza Nightingale Cap.
Thomas Hunler, com a carga que Irouxe.
AVISO MAn' I m oT
srj- Freta-se para qualquer parte o Briguo
Inglez Floraville AE. Capito Joseph Me.
Kinney; quem pertender poder dirijir-se em
caza de Diogo Cockshott & Companhia, resi-
dentes na ra do Trapixe novo n. 1-4.
AVISOS DI VERSOS.
COMMERCO.
ALFANDEGA.
Ben DESCARREGA IIOJP. 17 lili JIMIO.
Barca Austraca sss Gara = Farinha de tri-
go-
Barca Inglesa = Manchester = Bacalho.
Brigue Inglez = Floravelle = Carvo de po-
dra.
Brigue Hespanhol = Florentino = Vinho ,
e azeile.
Brigue Sardo = Dario = Vinho macas ,
e queijos.
MOV ME NT O DO PORTO.
NAVIOS .VriUDOS NO DIA 16.
Portos do Sul ; 12 dias Vapor S. Sebaslio ,
Commandante Joze Maria Falco : passa-
geiros Brasileiros : o Exm. Conselheiro
Maciel Monteiro ; Vital Vaz do Espirito
Santo o Exm. Presidenlo do Maranho
sf- Miguel Joze Alves subdito portuguez
relira-se para lora to Imperio."
Hfcv> .No dia ti do correnle desapareceo da
caza onde resida um rapaz francez de 20 a
21 anuos baixo sem barba, do nome
Krancois( Francisco ) Jacques Tapn; oquat
venda com um inoleque pelas ras sgneles
para marcar lopa : levot vestido caiga e ja-
queta de riscado tinha um certificado do
cnsul francez e com sigo levou o dinheiro
tpio havia apurado na semana ; as pessoas
tpie delie tverom noticia podem denuncia-Io
polica,ou na casa iinmediala a quina do lle-
co da pol para a ra dos quarleis, onde se
ti ir a pessoa que o descubrir a metade do di-
nheiro com que elle for encontrado do lurlo
que fez.
ssy Perdeu-se dos Martirios at delronle
do viveirodo Muniz urna toalha de bertanha
de linho toda aborta de lavarinto em roda ,
com muito pouco pao no meio sem bico ;
quem a achou dirija-so. ao atierro dos alloma-
dos delronle da fabrica tle rap caza de
tres portas de frente rotulas verdes; que ahi
achara quem lhe faca boa, recompensa de seu
adiado.
S23" Pede-se a pessoa que recebeo quatro
tluzas de luvas de pelica sendo duas bran-
cas eduas pretas urna pccj de merino pre-
lo ; que um negro trouce do Becife com um
bliete para o sr Manoel Joze da Silva & C.
na ra do Crespo que por engao vio este
nome devendo ser Manoel Jozo de Suiza &
G*, cujosr. nao recebeo ditas fazendas e se
aiguma pessoa receben faga o favor de entre-
gar na ra do Crespo loja de Manoel Joze de
Souza & C.
cw Aluga-se um bom moleco para servico
de caza ; quem o pertender dirija-se a piac,a
da independencia loja N. 2
ts^ Oabaixo assignado faz ver que tendo
passado ao snr. Albino Ferreira Antunes Bra-
ga, um valle da quantla se apresenlou a roeob-'r a dita quantia no
dia 13 do correnle dizendo ter perdido o di-
to valle ; a qual quantia o abaixo assignado
promptamenle pagou passando o dito sur.
Braga um recibo, em que punha o valle de
nenhum valimento, caso apparecesse: por
lano prevne-se, que ninguem faga negocio
com o dilo valle pois j se ada pago.
Francisco Guedcs de Araujo.
tsr Troca-se um negro bom Irabalhador e
ganhador de ra sem vicios nem achaques,
por urna negra que seiba engommar e cosi-
nhar o diario de urna casa : quem quiser di-
rija-se em Fora de portas segunda casa pas-
sando o beco largo, lado do mar grande.
tsr O Bacharel Formado Antonio Joaquim
de Moraes c Silva Curador geral dos Orfos,
e Ausentes &c. tem eslabelleci Jo o seu es-
criptoro no bairro de Santo Antonio rua do
Rozario larga primeiro andar to sobrado da
esquina defronte da groja, ao voltarparaa
na es l re la do mesmo nome; e advoga no
cume e civel, quando nao for incompalivel
com o logar que exerce : as pessoas que com
elle tiverem de traetar, podem-o procurar no
seu escriptorio das 7 horas da inanh ate as
3 da tarde.
er Aluga-se una prela para casa de fa-
milia sabe cosinhar engommar, lavar de
sabo coze marca laz lavarinto, e mais
arranjo d'uma caza muito fiel e hbil para
todo o servico ; adverte-se que se aiuga ,
mas nao para vender na rua : a fallar na rua
do Rangel D. 15 segundo andar.
tSf- A pessoa a quem convier dar aqu se-
le-centos mil reis para os receber na villa do
Pinedo, de pessoa muito corla, queira en-
teiider-se com JoSo Baptisla de Medeiros no
forte do malos na prensa do Carneiro Mon-
teiro.


>.
BaBJ.S.i.'tii^ agir*
M
4^

l'IU I.VS VKGKTAES K UMVKRS.VKS \MEItlC.\N.\S.
Estas pillas j bem conhecidas polas gran-
des curas que tem feito, nao requeren! tem
dieta e nem resguardo algum ; a sua com-
posigo tao simples que nao fazem mal a
mais tenia crianza : em lugar de debilitar ,
fortifico o systema puricAo o sangue ,
augmenlAo as secregoes em geral : lomadas ,
seja para molestia citrn ica 011 somente co-
mo purgante suave; o melhor remedio que
tem apparecido por nao deixar o estomago
naquelle estado de constipagao depois de sua
operago como quase lodos os purgantes fa-
zem e por seren mili facis a tomar e ulo
causarom incommodo nonhum. O nico de-
posito del las em casa de D. Kiioth agen-
te do author: na rita da Cruz N. 57.
N. II. Cada caixinlia vai cinbrulhada em
seu receituario com o sollo da casa em la-
cre preto.
tsr AntonioGomes da Silva retira-se pa-
ra fora da Provincia.
= O Cnsul interino da Confederado Suis-
sa em Pernambuco desojando ter noticia di
Jo3o Henriques Paulo Noblatz, natural do
Can tao de Soleure na Sttisaa o qual se-
gundo varias indicagocs, embarcou-se em
Lislioa em 1828 para esta Cidade ; pede as
pessoas que possao dar alguma informagAo
sobro o dito Noblatz qucirao ter a bondade ,
de as transmittir ao Consulado Suisso ra
da Cruz N. 44.
E27- Deseja-se fallar com o Sur. Antonio
Joze AI ves ou a sous herdeiros a negocio
de sen inloresse : na ra estreita do Rozarlo
botica nova I). 51.
SS7" Aluga-so c armazom da ra estreita
do Piozario D. 2JI : os prelendcntes dirijao-se
a ra do Qticimado loja de Ferragens D. 7.
tsr I). Joanna Francisca do Menezes, avi-
sa as pessoas que tem pinhoresde ouro e pra-
ta em seu poder, bajo de os vir remir no
praso de 20 dias alias passar a vende-los
para seu pagamento ; qtieirAo procurar na
ra de Agoas verdes 1>. 6.
tsr I)eseja-se fallar ao Sr. JoAo Henriques
de Mallos para negocio que muito o interes-
sa e com muila brevidade annuncie sua
morada ou dirija-se a bordo da Sumaca Rom
Sucesso vinda do Rio de Janeiro.
tr Quem precisar de urna ama de leite ,
parda forra dirija-se a ra da Cadeia n. 1.
Of* Joze Vicente relira-se para Coanda no
Rrigue Pernambucano.
tsr Quem tiver [tara alugar urna caza ter-
rea ou um sobrado de um andar no bairro
do Recife que lenha cmodo para pequea fa-
milia e que nao soja em ra esquezita, dan-
do-se alguns mezes amentados, ou um bom fi-
ador ; annuncie para ser procurado
tsr Em caza de Francisco Antonio d'Oli-
veira no atierro da Roa-vista, perciza-sede
um criado de meza: na mesma compra-se um
molatinbode bonita figura de idade 12 at
48 annos.
tsr Mllo. Zo Papn professora de msica,
residente nesta cidade roa Nova D. 11, de-
fronte da Igreja, da ligues de pianno em casas
particulares a rasao de 124800 reis por mea
duas ligos por semana sendo no bairro de
S. Antonio ea rasfto de \o pelas mesmas
lines sendo nos bairros da Roa-visla e Re-
cife. Tambern da ligfies de canloria pelo pre-
go que se tonvencionar.
tsr Precisa-se alugar urna negra para o
servigo de urna casa que tem pouca familia;
quem a tiver dirija-se a ra dos Martirios la-
do da Igreja 1). 11.
COMPRAS
Pessas portuguezas de 6 4 400 : na ra
da Cruz n. 20.
tar Tartaruga em qualquer poroso : na
ra de Ilortas casa terrea I) 18 lado direito
indo do pateo do Carmo para os Martirios ;
na mesma casa vende-so pentes de gosto os
mais modernos, o tamben", se trocAo por pen-
tes antigos.
VENDAS
tsr Vma poreao de varas de panno de al-
godao da trra ptimo para roupas de pre-
tos e 10 a 12 arrobas de cera da tena mui-
to boa : na ra da senzala velba D. 51.
tsr Salitre de superior qualidade barris
de com libras, a 100 a libra : no armazem
de C. G. Ferreira & Companbia.
137" Vinbo do Porlo particular dito de
feiloria madeira seceo malvasia niusca-
teldeSetubal licor de marrasquinho ditos
finos de diflerentes qualidades champanhe ,
Rordeaux chery sidra cji de Lisboa ,
marmclada em caixinbas de 3 libras charu-
tos de Manilba tudo por prego commodo :
na ra da Cadeia volba venda de Joze Gonsal-
ves da Ponte.
tsr Dma escrava moca de linda figura, sa-
liendo perfeilamenteengonimar e cozinbar ,
um lindo moleqnede 14 a 10 anuos de Iodo
O servigo, e so aanca a sua conducta ; dua.s
nogr::has do 12 a 15 annos um par de brin-
cos de ouro da moda 3 mis vestidos tambern
da moda : na rna do Fogo ao p do Rosario
I). 25. m
tsr Toucinlio de Santos novo a 5.>200 a
arroba e a libra 120 carne de dito propria
para feijoada a 00 rs. a libra dito de Lisboa
muito bom a 240 a libra manteiga ingleza a
5G0aibra, dita franeeza a 480,dita mais
inferior a 240 e todos os mais gneros de
venda por barato prego : na venda da quina
da ra do Arago D. 12.
tsr Um escravo de nagAo angola de 2> a
50 annos para fora da provincia na ra do
Livramentu I). 10.
tsr Sinetes da nova invencao para marcar
roupa com a sua competente caixa de tinta
prota e encarnada a qual se aanca que nAo
desbota e ncm queima roupa ; estes sinetes
tambern servem para fechar cartas fazem-so
de letras manuscriptas editas iniciaes liga-
das : na ra do Rangel D. 2 i da parte da ri-
beira no primoiro andar na ra da Cadeia
luja do Rourgard I). 7 e na praga da Inde-
pendencia loja do relojoeiro Justino Meroz ,
ondeos podero encommendar da forma que
quiscrem os pretendontes ; e fa/.-se igualmen-
te toda a numeraeAo c todo o alfabeto em
letras separadas.
tsr l'm preto crelo bastante sadioesem
vicios ; assini como troca-se cobro por sedu-
las com o rebate de 2 por cento ; na ra dos
Ouarteis D. 5.
tsr Taboadode pinbo tanto Americano,
comodaSuecia mais barato do que em ou-
tra qualquer parte, por se querer desocupar
o armazem : atraz do Theatro armazem do
lado da mar.
tsr Cera lavr.ida pelo mais commodo
prego tanto alugada como vendida : na ra
do Rangel 0. 7.
tsr A venda do beco do peixe frito I). 2 ,
com poneos fundos : a tratar na mesraa.
tsr l'ma pequea porgo de bom ouro ,
um anel para senbora urna f orcao de prata
de bom loque um realejo que loca dando-se
corda urna gamela muila grande para ba-
uho um taboleiro para vender verduras, lim
relogio de sabonete inglez o um dito para
cima de mesa : as5 ponas D. 25 onde tem
lampio.
s.t^" Ricos botes de massa com diderentes
ramos e lavores ditos de veludo, ditos ama-
rellos para casacas transelim de retroz fran-
cez para casacas c coletes e los de metal
brincos ditos envernisados le preto. tudo por
prego commodo : napragada Independencia
loja n. 20.
cy Terrenos ja atterrados, e alagados para
se edificar com campo para bom quintal, no
bairro da Roa vista lugar denominado a liba ,
os quaes fazem diverjas ras, sendo a pri-
meira ra d'Aurora confronte ao palacio ve-
Iho e a ultima ra do Hospicio confronte ao
mosmo Hospicio pouco mais : no Recife ra
da Conceigo casa n. 25 e 20 de Joo Mara
Seve com quem farAo todo o ajuste.
X.C7" Pentes de tartaruga para marra fas a
I. 400 bico finos e ordinarios, fitas avra-
das de todas as qualidades luvas sem dedos
a 480 prelas e brancas espingardas de es-
poletas a 5*800 aboluaduras de massa a
NI III ditas de setim c a maro] las de todas as
qualidades boloes lisos de metal branco pro-
prios para pagem essencia de rosa sapalos
de marroquim para senbora e meninas es-
tojos de navalhascom aliadores, finas e cai-
xinbas de massa buhas do marcar finas e
oulras militas miudezas por prego commodo :
na ra do Cabug loja de miudezas n, 4.
w l'ma canoa de conduzir agoa por
prego commodo : na ra da Cadeia do Recife
loja n. -45.
tsr Urna banca redonda de Jacaranda para
meio de sala com 4 gavetas : na ra estrei-
ta do Rozario loja de marcineiro D. 25.
tsr Vm sorlimento de relogios patente ,
e horisontdl, ditos de parede com desperta-
dor por prego commodo : na ra das Cru-
zes casa de relojoeiro francez D. A.
tsr Damasco do seda de todas as cores e
igualmente tenas de vidro com beira pro-
prias para clara boias : no Recife ra da Con-
ceigo loja ii. 28 de JoAo Maria Seve.
tsr l'm mulato muito bom carreiro va-
queiro e sangrador na extengo da palavra ,
de boa figura, e ptimo para o servigo do cam-
po no que eslava empregada o motivo da
venda so dir ao comprador : na na de Agoas
verdes I). 12.
l'm negro perilo forneiro, vende-se
urna
por terinaisdousdo mesnio ol icio 0
canoa quasi nova, que poga o.n ^ "Jlo,
encalbadai.ua Martirios: na ra Dircitana
parlarla do Machado.
^er Chales do setim pretos ,
gratules a
, ditos maU pequeos a tt* ditos do ou-
lras cores muito mais em eonta de que em
oulra parte cortos do oxcellente setim e
gurgurAo a 2*500, e varias outras I
islo por sen dono retirar-se breve
a provei-
tem-se os finezas da favoravel circunstan-
cia : na ruada Cruz I). I no segundo andar,
no do
gulamenlos,
vidro moldados ditos de cristal, pratos de
vidro e ccmpoloias moldadas ditas lisas ,
>, outras militas mais fazendas por pregoconi-
rriodo : na ra Nova loja de louga ao p Jh
botica do Sr. Pinto.
tsr Dous piannos fortes de votes excol-
lenles, unidos quaes quasi novo e lindissiniu
traste e msicas modernas impressas no
Rio de Janeiro : na ra de dorias 1). 25 so-
brado que faz quina com o beco'de S. Thc-
reza.
tsr l'ma negra crela de bonita figura, da
/i annos, ptima engommadeira cozinlu,
lavadesabo e varrolla ; urna duzia de ca-
deiras um canap e um jogo de banqm-
nhas de boa madeira tudo em meio uzo :
na ra do Eagundei D. 18.
tsr Aboluaduras de massas para casacas,
de bom gosto a 800 : na ra da Cadeia vc-
ruuna gasvuvw u '.......' -..... ii P
cperloriogeralde Manoel remandes Iban. 0.
l-:* An nhrAl tsr Vende-seealuga-se bixas de superior
qualidade e por prego muito commodo : na
ra estreita do Rozario padaria de Francisco
Alvesda Cunha D. 17.
tsr l'ma negra de bonita figura boa cos-
tureira e engommadeira muilo robusta e
R.a-
juntoao arco de S. Ruin Josus.
VC7- Repoi torio alfabtico das lela do
sil promulgadas desde 18-25 athe o fim do an-
1840, dos Decretos, InstrucgOes, Re-
Avisos, Portaras, Ordens, tir-
ares > Ofcios, expedidos pelo poder
colares o uiucios expuuiuua Fi-.- ,------
executivo para execuco d'ollas, em continua-
dlo ao repertorio peral de Manoel Fernandes
Thomaz e o ndice alfabtico do Racharel
Alberto Antonio de Moraes o Carvajo:
Poi *** Advogado Rrasileiro ; prego ojiOOO :
na ra do Vigarion. 10.
>vfar Chapeos de sol de seda do Porlo com
cabo dcosso por 8.) pessas de babados de
50 varas de largura de um palmo propna para lodo o servigo de urna casa : na
...... J. I _jl.M. lili O.IAllll llll.l I ( I .-. .-. 1 i '
linho de
proprio'para toalbas e lenges por 4.) : na ra
Fagundes D. 4 sobrado do um andar do lado
do mar.
N.CT Violoes francezes grandes e pequeos ,
estantes do mola para cima de mesa papel
pequeo de cores proprio para broxura ,
aboluaduras de massa muilo ricos padroes ,
ditas de setim ditas de vellido, e de retroz
chapeos deso de seda, ditos de palbinba
parahoniem e meninos, bonets de panno
frai cezes para ditos longos grandes de setim
pretos para pescogo ditos de cambraia di-
tos de garga e de linho. livros pautados em
branco do dillerentes tamaitos, brincos dou-
rados luvas de 8?ds prota e de cores com
dedos e sem elles macass perola, e de olio,
essencia de rosa agoa de colonia sabonete
de cheiro, c pomada dito de dillerentes cores,
sapatos do lustro duraqtie cordavo e
setim para senbora ditos de marroquim e
bezerro para honiem botins e sapatos de
burracba para bomcm facas de mesa de
cabo de osso de balango ditas de marfim
grandes e pequeas aderrgos rolos de fila-
gr para poscoco esleirs brancas da india ,
capachos de varios tamaitos pintados e bran-
cos bandejas finas de todo o tamaito di-
tas redondas volantes largos c cstreitos ,
pentes de ac e de lartaaiiga para inarrafa ,
paliteiros muilo ricos de casquinha casti-
gaes de metal de difieren tes tamaitos e mo-
delos, contras muilas fazondas tanto nacio-
naescomo ostrangeiras, por proco commodo:
na ra dos Quarteis loja D. 2.
tsr 5 portas novas que a inda nao foro
servidas: na ra de Ilortas 1). 25 lado do
poente.
= Dados para gamito e para sor tes de
S. Joo na ra do Cabug loja do Randei-
ra.
tsr Urna escrava crela bem moca e re-
colhida faz lavarinto e coso cha : na ra
da Camboa do Carmo D. 12.
tsr l'ma escrava de nago por prego
commodo na ra de ilortas D, 58.
tsr Pilulas de familia verdadeiras l-
timamente chegadas em o navio Tentadora ,
em frascos de'50, por prego commodo: na ra
da Cadeia do Recife loja de ferragens n. n. 45.
tsr Sal do Ass a bordo do Rrigtte S Ma-
ria Roa Sorte ancorado defronte do trapiche
novo : a tratar com Joze Gonsalves Casco na
ra da Cadeia do Recife n. 45 ou a bordo do
mesmo Rrigue.
tsr Candieiros mu elegantes e de nova
invengo e modelo ni ni bem trabalhados ,
e que do por isso urna luz mui brilhanle pro-
prios para qualquer theatrinho particular, ou
outro qualquer estabelecimento chegados
ltimamente de Franga : no beco do Abreu
na praga do Commercio em casa de Joze Tor-
quato Pinna junto ao barbeiro.
tsr lm preto ladino do gentio angola de
20 annos i na rita do Crespo D. 5 lado do
norte.
tsr Bichas pretas grandes chegadas pr-
ximamente de Lisboa vende-se e aluga-se ,
indo o dono aplica-las por sua conta : na ra
das Cruzes ao p da Typografia.
tsr Aparelhos para ch.i, de porcelana dou-
rados e pintados ditos azttes e mais cores ,
ditos para meza aznos e de mais cores de
muito bom gosto mangas de vidro lapidadas
b lisas nglezas de muito boa qualidade ,
lanlernas de p de vidro o lapidadas bande-
jas linas imitando Jacaranda em cor, garra-
fa para vinbo lapidadas campoteiras la-
pidadas para doce copos para agoa calis
para vinbo e ditos para champanhe tudo is-
to lapidado e do ultimo gosto, castigaos de
ra da Cadeia do Recife loja de Joao da Cu-
nha Magalhes.
tSF IJm venda muito pequea o com pon-
eos fundos na riboira da Cidade de Olinda ,
que deita urna janella para a ra de S. Bento:
a tratar na mesma com Antonio Pereira Gui-
maraes.
tsr Taboadode pinito da Suecia, costado ,
costadinho assualha o forro proprio para ca-
sas r. fundos de barricas de meia polegada a
."| i de grossura remos de faia, e pipas com
agoa arden le caxaga de 20 a 2l graos, por
prego commodo : no armazem de Joze da
Silva Vianna na ra da Moeda.
ESCRAVOS FGIDOS.
tsr A i 1 do corrente de madrugada e
montado em um cavallo selado fugio o ne-
gro Pedro angola muilo baixo grosso,
cara larga pouca barba, mos*pequease
muito grossas as palmas, ps tambern peque-
nos esparralhados urnas caigas de riscado
escuro, e jaqueta de chita. O cavallo he de
meio castanho carnudo um tanto barri-
gudo cslrelina na testa o risca da ostro-
la a baixo dinas grandes e cabidas inaos
calcadas, em branco cauda cmprala. Jul-
ga-se que o negro lera seguido para Iguaras-
s estrada de Goiauna : Quem o levar ao
Snr. na ra velha sobrado junto ao do Viga-
rio Padre Racalho ser satisfatoriamenle
pago e protesta-se contra quem dolosamen-
te o tiver abrigado.
tsr Fugio no da 12 do corrente um preto
de nome Joze de nagAo cagange baixo,
grosso, bem fallanae que parece crelo,
tem algumas marcas de chicote as costas ja
antigs levou urna jaqueta grossa supe-
se andar no cralo do Rom Jardim, pois ues-
te lugar he casado : quem o pegar leve a
ra Nova a Rento Antonio Domingos que re-
compensar.
tsr No da 5 de Junho fugio um negro cre-
ottlo officialdepedreiro de nome EstevSo r
altura regular olltos na flor do rosto, be-
gos grossos ps compridos e as juntas do<
ditos grossas pelo corpo e bragos cheio3 de
bertuejas a maneira de sarampo ; quem o pe-
gar leve a travessa do Rozario D. 12 quo
ser gratificado.
tsr Fugio no da 14 do corrente o escravo
Gongalo, do gentio, muito ladino, e tren-
zo idade 40 annos pouco mus ou menos,
cornos signaes seguintes : alto e seco, rosto
largo com falta de denles na frente barba-
do bragos e pernas cabeludo, com marcas
de bexigas no rosto, porem poucas, e ja bas-
tante antigs e costuma a beber agoardente;
levou vestido caiga branca carniza de algo-
doziuho, e colete de verbo tina cor de roza ,
com botoes ainarlos ; costuma a trabalhar
na ribeira e tobem Irabalhou na capataza
externa da Alfandega ao snr. Arcenio for-
tnalo: quem o pegar baja de entregar no
sobrado D. 2, junto a escada da cadeia no
segupdo andar do mesmo, que ser recom-
pensado do seu Irabalho.
tsr Em Margo do corrente anno fugio a
escrava Joanna de naco angola cor ul* *
a qual Toi do CapitAo Nicolao Tolenlmo ax
VasconcellosdaParahibado Norte, cujo si-
gnal mais visite! que ella tem he um dedo o
p alejado : quem a pegar leve a ra
do Pa-
lacete no pt inicuo andar do sobrado auiarrlo
que ser recompensado.
RECIFE NA TYP. DE M. F. DE F = l842

j.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EIUS3D2AD_W7RZF7 INGEST_TIME 2013-04-13T01:29:06Z PACKAGE AA00011611_04677
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES