Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04653


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anuo Sbado 14 de
Todo ajora Upende t ni'n m"imi> ; da nossa prudencia, nioderacao, e energa : eiin-
iiniiem.i-; cora |>riasi|iianios, e seremos sponlados com admiracjo entre s Nocciea mais
(,|lo (Proclamaco la Assenblea Geral do arasil.)
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES.
Go.anna, Pa'aiba, e Rio grande do Norle, na segunda e stm l'eira.
Bonito e Ge:a, Cabo, Serinliaem, Hio Formnxn, I'orlo Caito, Macelo, r Al;-ms no 11, e 21,
Paie 13. Santo Anlio, quinta (cita, Olinda tollosos da*.
DAS da semana.
9 S*. s. ""Tenorio Namianieno B. Clianc. And. doJ. de]). da2.T.
III Tero. a. AnioninO Are. Re. Aud. dojuir.de Direilo da 1, rara.
ti Quari. s. Anaslaoio M. Chae. And. do J. de D. da 3; t.
i2 Quinl. Joanna Princza. Aud. do juir. de D. da 2. vara.
3 Se*. N. Sra. dos Martvr.s. Aud, do J.deD. da i. v,
*4 Sb. b. Gil. Bel. Aud. do J. deD. da 3. v.
^5 Do. Pascoa do Espirito Santo, s. Idoro l.arrador.
Maio.
Auno XVIII. N. 104.
s
O Diario publicase loiloaosdiss que nao (orea Sanlificadoa: o preco da aiei;n attfra "
de tres mil reis porquarlel paso- adin:ado. Oa annuncio doa aasignantes sao inseridos
gratis, e os dos qae o nao lorem rarao de 80 reis por linba. As reclaacoee derea, Mf
dirigidas a esta lypografia ra das Cruie. D. 3, ou n praea da Independencia lo jas de Ittw
Nmeros 37 s 38.
Cambio sobre Londres 2S d. p. 11J.
u Paris 341) reis p. franco.
Lisboa g9a '.1(1 p. 100 depr.
Oiio Moeda de 6.40U V. 15,000
N. 14.000
, de 4,000 .S.200
PniTi PalacOes 1.080
CAMBIOS no da 13 de Maio.
PrsTa Petos Columnares 1,680
n i Mexicanos 1,681
,. anuda 1,440 a 1.460
Moeda de cobre 3 por 100 de diseoato.
JJiscontode bilb. da Alfandega 1 por 100
ao me i.
Ida de letras de boas 6rsass 1 a a i e ,.
Preamar
I." a S
do da 14 de Maio
horas e 30 ni. da manha.
horas e !>'i m, da larda.
PHASES DA I.A NO MEZ DE MAIO.
(Jiuarl, ming. a l--4e 10 horas e 28 m. da man..
I.ua Nova a 10-- s 9 horaa e 19 m. da manh.
Quart. cresc. a 17 te 9 horas a 42 m. da manh.
La cheia a 24- as 7 horas e 21 da manh.
II1A li IO > PER ti A M ISll C O.
PARTE OFFICIAL.
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 29 DO P. I'.
OflicioAo commandante das armas signi-
iicando em resposta aoseo ollicio de 27 do
corrente acerca dos guardas nacionaes do ba-
talho destacado que esto no caso de serw-
rem na qualidade de cadetes da 1. 2. e 5.
elasse por se acharem comprehendidos as.
disposiges do alv. de 16 de marco de 1757 ,
decreto de 4 de levereiro de 1820, e proviso
de 26 de oulubro do mesmo visto estar dito
batalho sujeito disciplina e regulamento da
tropa de linha-, que nocabendo as attribui-
ges da presidencia a deciso deste objecto
yai elle ser submettido deliberago do gqver-
no imperial.
DitoAo mesmo communicando-Ihe, que
pelo Exm. Sr. ministro da guerra foi deter-
minado ao l.tenente do 2. batalhfio d'arti-
Iheria a p Izidro Jos da Rocha Brasil exis-
tente as Alagas que partisse para esta pro-
vincia a fim de ser empregado no batalho
provisorio, vista do seo prestimo no ser-
vico.
Dito Ao mesmo, transmitlindo-lhe para
seo conhecimento e a fim de lhes dar o desti-
no conveniente as guias das pragas del. li-
nha e recrutas que ltimamente viero da
provincia do Bio Grande do Norte a bordada
escuna do guerra = 1. de Abril. =
Dito Ao inspector da thesouraria da fa-
zenda, enviando-lhe dous otlicios do comman-
dante das armas acompanhados da relago de
11 pragas que se achavo destacadas na iltta
de Fernando e da conta do que se devo de l'ar-
damentos a Jos Ramos de Oliveira que foi
demittidoda compnnhia d'artilices afim.de
que as mande salisfazer naconformidade da
lei.
j)to Ao commandante das armas com mu-
nicando-lhe o con leudo no precedente olV.cio.
DitoAo inspector da thesouraria das ren-
das provinciaes significando-I he, que tendo
a presidencia ordenado em oflicio de 20 de
julho de 1839 mesma thesouraria q ue fi-
zessepr em pratica as providencias constan-
tes da portara da mesma data e constando
que at o presente se nao tem procedido a
numerado dos edificios desta cidade como em
dita portara seordenava; cumpre que infor-
me com urgencia por que motivo se pozerao
em esquecimento aquellas providencias alias
reclamadas para a boa arrecadacao do impos-
to da decima dos predios urbanos polo escri-
[vfib administrador da meza das rendas inter-
nas e pela mesma thesouraria, como foi com-
municado em oflicio de lo do referido mez
eonno.
Dito Ao inspector do arsenal de marinha
para mandar fazer os pequeos reparos e con-
cerlos indispensaveis de que necessitar o bri-
gue escuna = Caliope. =
Dito Ao mesmo para mandar abonar
dous me/es de sidos comedorias e mais ven-
cimenlos aos ofliciaes c tripulaco do brigue
escuna = Caliope. =
Dito Ao commandante do brigue escuna
= Caliope = communicando-Ihe o conteudo
nos dous precedentes officios.
Dito Ao mesmo ordenando-lhe que
remetta ao commandante da escuna = Lega-
lid ade =o pratico Manoel Francisco de Souza
que deve servir a bordo da dita escuna, e que
condu/.io da provincia das Alagas.
Rito Ao commandante da escuna = Le-
galidade ==scienlilicando-o do conteudo no
precedente oflicio. '
Dito A' cmara municipal do Bonito,
autorisando-a para arrendar urna nutra casa
em que possa celebrar as suas sesses, visto
achar-se bastante deteriorada, a em que actu-
almente faz as niesmas sesses.
FOLMITS
PAULO DE WOIIMES (*).
Neste mesmo instante enlrava Paulo : en-
carando os hospedes frazia ligeiramente as
sobrancelhas e a ordinaria expresso de be-
nevolencia que reinava no sou rosto se turbou
por um instante.
Madame de Tilmont foi a primeira que o
avistou e a sua perturbado a fez corar Mr.
de Lerville disfarcado, dirigiu-se a elle, e
pegando-lhe na mao Ihe disse :
Senhor sei quanto vos desgosla ver
pessoas eslranhas. Respeito as causas quaes-
quer que ellas sejam que vos obrigam a fugir
da sociedade porem espero nao recusareis
attender um velho que vos deve a vida e que
vos consagra sentimentos de gratidao e ami-
zade. Contai-me em o numero de vossos a-
migos ou at como vosso uniqp amigo se
algumas circumstancias que me nao cumpre
( ) Vid. o Diario N. 100.
COMMANDO DAS ARMAS.
CONTINr.VCA DO EXPEDIENTE DO DA 2
DO CORRENTE.
Olficio Ao inspector da thesouraria re-
mettendo-lho os papis de contabelidade do
destacamento da comarca do Brejo relacti-
vos ao me/, de mareo ultimo, cuja importan-
cia devia de ser entregue a Jos Joaquim da
Cosa. Tambem Ihe remettia o recibo dos
vencimentos do official commandante do des-
tacamento pertencenle ao mezde dezembro
do anno indo para ser incorporado aos de
mais papis do referido mez.
Dito Ao commandante geral do rorpo de
polica aecusando o recebimento do seo of-
licio do 1. deste mez, no qual communicava
haver assumidoo commando do mesmo corpo,
por ter-se encerrado a sesso legislativa pro-
vincial e dizendo-Ihe em resposta a oulro
seo oflicio desta data que assentara praca o
voluntario Joaquim Moreira da Fonceca.
Dito Ao commandante interino da forta-
leza de Itamarac authorisando-o para do
1. deste mez em diante tirar para o desta-
camento o quanlitative de 30 rs. diarios
marcado por lei para fardamento.
Dito Ao chefe interino do 5. batalho da
guarda nacional do municipio d'Olinda di-
zendo-lbe que se recebera para fazer parte do
indagar, vos obrigaram a quebrar os lagos
que vos prendiam sociedade.
Similhante offerecimento penhora-me
tanto quanto me honra respondeu Paulo.
Acreditai que elle a melhor recompensa que
posso esperar porem nao levis a mal que
eu presista no plano de vida que hei adopta-
do. Eu tenho me feito de alguma sorte es-
tranho no meio de meus similhantes. As
florestas sao a minha unia sociedade e os
hvros os nicos e verdadeiros amigos que pos-
suo,e nada mais sou para o queso chama mun-
do que um membro inteiramentc intil a
menos que o acaso me ofereca a occasio de
favorecer a algum ente desgranado.
Eu nao renuncio o meu designio in-
terrompeo Mr. de Lerville. Permitti que vos
diga que no motivo de um tal procediolento
ha exaltaco e esta por sua mesma nature-
za nao pode durar sempre. N'enhum ente
ha lo completamente desgranado que possa
banir para sempre do seu coraco a doce es-
peranza. A esperanca vela continuamente
[iara mostrar-nos o futuro debaixo de um as-
pecto mais favoravel o se consents em li-
batalhao de guardas nacionaes destacados o I
guarda Francisco Jos Nicacio, vindo com este |
fazer o n." de 3 pracas recebidas por conta i
do contingente que linha de dar.
Dito Ao diere interino do 1. batalhfio de
guardas nacionaes do municipio d'Olinda, ae-
cusando receidos tres guardas que remetiera
com seo oflicio de 50 do mez p. p. para fa-
zerem parte do batalho destacado, esperan-
do que em breve remelleria os que linha de
dar o seo batalho segundo a ordem que
Ihe fra dada pelo chefe de legio.
Dito Ao tenenle coronel' commandante
do batalho provisorio, remettendo-lhe as
guias, que pela pagadoria das tropas da corte,
e thesouraria do Maranho, foro passadas
a diversos ofliciaes, que se eneorpoiarao ao
batalho do seo commando a lim de que
extraase dellas o que era necessario para lhes
tirar os vencimentos, e as reinviasse secre-
taria militar para dar-lhes conveniente di-
receo.
DitoAo mesmo pedindo lho esclareci-
mento acerca do reconhecimento dos attes-
tados que juntava ao seo requerimento o
soldado Mequelino que sendo reerutado na
provincia das alagoas, pedia den.ic.ao por ser
cazado com lhos e viver com a mulher.
DitoAo Tenente Coronel Commandante
do Batalho de Guardas Nacionaes destacados,
dizendo-lhe que a Presidencia sugeitara a
deciso do governo imperial, o conteudo no
seo oflicio de 26 do mez p. p., acerca de se
poder, ou nao admiltir cadetes no batalho
do seo commando.
DitoAo commandante interino do 3. ba-
talho d'artilhena a p dizendo-lhe que
podia mandar receber da thesouraria a im-
portancia do ajuste de con tas feito as pragas
ltimamente regressadas da Ilha de Fernan-
do e effectuar o pagamento.
Dito__Ao commandante da companhia
d'artiices dizendo Ihe qiio mandasse re-
ceber da thesouraria a importanciado ajusto de
contas de fardamento, feito ao ex soldado
Joze Ramos d'Oliveira, e fazer o paga-
mento.
DitoAo chefe de polica sobre objectos
do servigo publico.
DitoAo prefeito da commarca do Brejo ,
dando-lheosesclarecimentos que pedia acerca
.lo dezertor Pedro da Silva Capoeira cujos
vencimentos Ihe remettia com a escusa por
ter sido dimittido e aecusando recebido os
papis de contabilidade do destacamento ,
pertencentes ao mez de margo os quaes de-
pois de rubricados foro enviados a thesoura-
ria para serem pagos.
REPARTICiO DA POLICA.
Parte das occorrencias.
Das partes, dadas pelo commandante geral
do corpo policial consta que no dia 12 fora
prezo o escravo de nome Manoel por estar
ebrio o qual foi recolhido cadeia.
Pessoas despachadas no dia 12.
Rio de Janeiro: Braz, preto escravo de
Joan Pinto de Lemos & Filho.
Dito : Furtunato Deilina e Margarida ,
pretos escravos de Manoel Jos Vianna, Roza
parda escrava de Fernando Jos Braguez.
Porto com escalla por Lisboa : Antonio Jo-
s Gomes* de Oliveira portuguez.
Lisboa: Emilio Soares de Azevedo, me-
nor brazileiro.
ar-vos na experiencia e amizade de um ho-
mem que s deseja ver-vos mais feliz en-
to conhecereis brevemente a verdade das mi-
nhas palavras.
Paulo nao mostrou que acolhia esta conso-
ladora allirniativa. Contentou-se de respon-
der tpie ha alguns coracoes que trazem me-
moria o Inferno de Dante e disse a meia
voz esta citago to conhecida : = Perd toda
aesperanga....
E' impossivel, impossivel, exclamou
Lerville apertando-lhp a mo ; veris queeu
tenlio razo. Principia primeiro a pagar -
manli a visita que eu e minha irm vos faze-
mos ; e acreditai que contaremos entre os
nossos dias afortunados aquello em que'vos re-
cbennos debaixo do nosso tecto.
Madame.de Tilmont fallou tambem e ajun-
tou um tanto constrangida as suas instancias
as de seu irmo. Fallou igualmente da sua
gratidao e do prazer que sentia em cultivar a
sociedade de urna pessoa por quem seu irmo
linha concebido tanta estimago.
Paulo inclinou-se com respeito eos seus
hospedes se despedirn! delle.
CORRESPONDENCIA
Snrs. Redactores.
'Se a correspondencia assignada pelo snr. L.
L. Vaulher, que vem no Diario n. 98, nfio
inlluisse no endito da Companhia que ha
bem tres annos tem sido o objecto da nossa
sollicilude, certamente nao tomariamoi o
trabalho de a refutar e menos incumbera-
mos a penna mais hbil a tarefa de Ihe dar ca-
bal resposta na parte scientfica, eatranha
a nossa prolisso. Mas como o auctor d'ella ,
censurando o conselho por haver preferido o
projecto de encanamento adoptado ao de sua
invengo concorre indirectamente bem
que taes nao fossem as suas intenges, para
desacorogoar os accionistas e fazer baquear
a companhia ou quando menos parausara
empresa, ate que os seus trabalhos sejo ga-
larduados; forgoso he que apresentemos ao
publico algumas reflexes, que, justificaodo
o conselho no animo dos accionistas, inos-
trem que nenhum reoeio deve Uaver em ser
posto em pratica o projecto dos snrs. Conrado
e Bellegarde. e que muito exagerada he a su-
perioridade attribuida ao projecto do snr.
Vauthier na comparaco feita entre um e
outro.
Antes porem de entrarmos na analyso da
correspondencia con vem dar una sucinta
idea dos trabalhos da companhia, relativa-
mente aos planos do encanamento. Ao passo
que em prebendemos requerer o privilegio ex-
clusivo encarregamos ao snr. Boyer, que a-
qui chegou com grandes crditos de Engenhei-
ro, e discpulo da escolla Polythechnica de
levantar urna planta para servir de base a nos-
sos clculos o ser apresentada aos accionistas
na instalaco da Companhia. 0 snr. Boyer ,
No dia saguinte os dois irmaos esperaran
de balde a vinda de Paulo. Lerville allligio-
se porem sua irm offendeo-se, pareceo-
lhe singular que um homem de trinta annos,
com antecedentes que Ihe davam tantas van-
tagens desprezasse a sociedade de urna mu-
lher que eslava no costume de se ver adora-
da pela flor dos mancebos dos sales.
Que extravagancia dizia Madame de
Tilmont, com um despeito que mal podia
disfargar ou antes que altivez negar-se a
visitar aquelles a quem impoz a divida da gra-
tidao nisto ha procedimento que injuria os
devedores.
Sim mas tambem no que dizeis ha
algum enfado respondeo Lerville com ma-
lignidatle. NSodevemos ser apressados ern
julgar um homem tal como o nosso singular
hermito-,talvez que grandes desgragas o obri-
guem a olhar as relages ordinarias da vida
como pouco interessantes e pode muito bem
ser que o orgulho oceupo tanto logar no seu
corago, como o desejo de ver urna linda
mulher.
No fim de dois dias de intil espera o
s~


E
guiando-se por un plano do snr. Conrado pa-
ra o dessccamento do pantano de (MimJa e
navcgaQo do rio Bebiribe traeou nina plan-
ta encaando as agoas desi r0, e elevan-
do-as por ilnas machinas do vapor collocadas
junto a eaixa d'agoa. Este projecto, oreado
em perto de KM) conlos Jui despresado pelos
accionistas o incumbido o snr. Boyer de or-
fianisar outro para traser as agoaS de um dos
mananeiaes d onde ellas podessem vir a altura
dos chal'arizes sem precisao de machinas,
embora CDStasse maior somina de dinheiro:
em consequencia do que elle apresentou de-
pois d'algum tempo o projeoto doCamara-
$be, que sendo entregue ao (invern para o
faser examinar, licou, depois deouvidoo
snr. Engenheiro Firmino H. de M. Ancliora ,
dependente do exame do snr. Conrado, con-
vidado por S. Ex. o sur, .^residente para vir
a esta Provincia dar o m'hor e mais vantajo-
so plano de encanamento.
No entretanto outro projeeto para supprir
a Cidade com agoa do rio Bebiribe elevada
por machinas hydraulicas, foi apresen lado
pelo snr. A. F. de Mornay que se propunha
a empreitar as obras por 00 e tantos coritos :
trabalbo este que abortou em raso do empre-
go de machinas e lambem por nio Jar o En-
genheiro as garantas que d'elle se exigirn.
Assim inutilisados os planos ate onlo offe-
rccidos companliia julgou o conseibo indis-
pensavel a vinda do snr. Conrado ; instou pa-
ra que elle anuisse ao convite de S. Ex.,
mandando-lhe direr que d'eile dependa o le-
var-se a empresa aell'eilo. 0 snr. Conrado
promett-o vir, declarando, que o fasia por
amor aos Pemambucanos e a patria de seus
iilhos, e que nao quera rctribuicfib alguma ;
mas que nao podendo ausentar-se de seus 1ra-
ballios por mais de 60 das, seria convenien-
te que com elle viesse o snr. Bellegarde ; o
qual generosamente acceilon o convite decla-
rando que da mesma forma nao quera re-
tribuico alguma.
A esse tempo nao se sabia que ia ser con-
tractado na Franca o snr. Vauthier, ncm o
conselho quera mandar vir da Europa um
Engenheiro por conta da companhia pelo re-
ceto de*m cscolha dos agentes que empregas-
se. e de augmentar despesas consideraveis
para os preparativos eslava anda em projeoto.
Chibados tquelles Engenlieiros a esta Cida-
de no 1. de l'everero do anuo pasado a pre-
sentaran em o0 das o projecto de encana-
mento das agoas do Prala, (|ue executarao
com lodo o disvello e o mais aturado traba-
lbo servmdo-se para sso de ptimos ins-
trumentos da planta da Cidade e seus ar-
rebuides leita pelo mesmo snr. (honrado e
d'conhccimenlo pratico que este tinha ante-
riormente adqnerido de lodos os mananciaes,
fon tes,, c localidades donde podia condusir as
agoasj e por onde convinha faser passar o en-
cananiento. *0 conselho apresentando es-
tes trabalhos ao Exm. snr. Presidente da Pro-
vincia rogou-1 hinque houvesse de os appro-
var-, porque eslava e esl ainda convencido
de que os seus auctores que adquerira" no-
me e bem merecida reputacao tinhaoco-
nhecimentos bastantes nao s theoricos",
como praticos para o acorto de um plano
sobre objecto de sua profisso e em que nao
cro hospedes. S. Ex., rnandando-os exa-
minar pelos snrs. Eiigenheiros Eirmino e Vau-
thier que lisera algumas observantes, a (pie
respondern os auctores : approvou-os em 2o
de Mareo do auno passado; e desde entao
tractotT o conselho de promover os meios de
os por em execucao nao leudo dado pririci-
presidente mandou por a carroagem e quiz
que sua Irma o acompanhasse a lim de tra/e-
rem Paulo mesmo contra sua vontade po-
rem Mndame de Tiimont recusou seguir o
presidente. Elle parti s e achou o joven
* solitario cultivando algumas hervas junio de
sua casa.
Paulo inostroii algum embaraco vendo
Lerville o qual Ihc dirigi queixas tto cor-
tezesc sinceras (pie Paulo nada leve que
oppor-lhe e coosentio por lim em acompa-
nha-lo.
Victoria! victoria! clamou o presiden-
te chegando a casa apachamos linalmente
r nosso fugitivo. Madame de Tiimont foi ao
sen encontr at porta do salao e recebeo
Paulo com maiscircunispecoo do que teria
feito dois dias antes ; porem a allabilidade
' brevemente se tornou superior reserva.
A conversarlo 'natural mente cabio sobre a
terrivel tempestade do bosque e sobre o ac-
cidente que Geera com pie duas familias des-
conhecidas tivesscm entre si um conhecimen-
to quesedevia mudar em amisade*.
Nos vos ajudaremos. dizia J.erville a
po immediato as obras pelas rases expan-
didas no relatorio apresentado a Companhia ,
a reunan de 7 do corrente.
Por esta narrado ve-so (pie o encanamen-
todo rio Bebiribe fora duas veses tentado e
outras tantas abandonado por causa de machi
as ; que as ideas do dessecamento do panta-
no de Olinda e navegaeo do rio Bebiribe ,
nao sao novas nesta Provincia tendo j o sr.
Conrado projectado estas obras sem fructo al-
gum do seus trabalhos ; que a Companhia se
achava em grande obrigaeao para com este res-
petavel Kngenheiro, e seu digno sohrinbo ,
pela goncrosidade por elles pralieada, nao
podendo por conseguinte condemnar irre-
missivelmenle os seus trabalhos sem estar
convencida da sua imperfeieao ; o (|ue final-
mente tres planos ferao regelados antes de
ser adoptado o quarto mas (]ue esta adnpcao,
sanecionada pela Companhia em assemblea
geral dos accionistas o approvada pelo Go-
verno da Provincia fora definitiva como
constou do relatorio do conselho e do ofli-
cio dirigido aos dous Engenheiros que forao
publicados n'aquella epocha.
Como pois poda rasoavelmentcoccupar-se
o snr. Vauthier. de um trabalbo para que nao
Ib i conlraclado, e que se Ihc nao pedio em
tempo algum nem mesmo em Fevcroiro des-
te anno como por engao diz a correspon-
dencia a que respondemos? Cortamente foi
muito amor ao paiz ou excessivo desojo de
prestar servicos a Companhia edodeixar
nesta capital alem das obras de que seacha
incumbido e (pie podeni perpetuar a memo-
ria da sua vinda a Pertiambuco, mais um
monumento de glora, que nao devia entrar
em seus clculos quando se contractou em
branca.
Mas se tao ardente zelo foi despertado pelos
defeitos do projecto dos snrs. Conrado e Bel-
legarde vejamos o que disse o snr. Vauthier
no parecer que deo a cerca d'eile.
Notqu primeiramente que hava differenca
no ni velamen to mas accrescentou que esta
differenca alias contestada pelos 2 Enge-
nheiros pouco influa as obras projectadas;
observou que nao era preciso, nem talvez
conveniente elevar as agoas no acude, do Pra-
la a altura de 10 palmos a cima do nivel ac-
tual 5 mdicoii que era neeessario tra/er maior
quantidade d'agoa para consumo da futura
populacho. e a bastec monto das fabricas (pie
se podan estabelecer dentro da cidade ; e op-
poz-Ihe outro projecto, elaborado por elle
antes da vinda dos seus rivaes para rondusr
as agoas do Prata em um aqueducto descober-
to ao longo da estrada desde A ppi pucos ate
capital ; do qual apresentou um bosquejo, e
o orcamento em ool conlos! Estas objec-
ces forao victoriosamente refutadas pelos
auctores do projecto e por esta forma se aug-
mentou a conianca que nos trabalhos destes
bavifiO depositado os accionistas.
Na correspondencia que refutamos diz o sr.
Vauthier, que um dos pontos capitaes em que
devrgio dos auctores do projecto foi na segu-
ranza dos meios empregados para condcelo
das agoas ; porem nos nao concluimos isto do
seu parecer ; talvez por estarmos persuadidos
de que o encaiiamerjlodc ferro fundido, adop-
tado em quasi toda a Inglaterra em muitas
outras parles da Europa e n'alguns Estados
da America era um meio seguro para con-
dusir as agoas por compresso.
Alem desla imperfeieao o snr. Vauthier en-
contra agora outras militas no projecto que
por duas veses tcm querido anniquilar e subs-
tituir por suas ideas : por quan'to fasendo a
apologa do projecto que ltimamente foi sub-
Paulo nos vos ajudaremos a passar a vida
mais suavemente.
Sim continuon Madame de Tiimont.
se as tempestades do corac&0 nao se dissipam
tao falcilmente com as do co todava a a-
inisade pode conseguir que ellas se acalmem.
Madame, responded Paulo, eu tive
pouco conhecimento dessas tempestades e
talvez que tivessem sido um bem para niim ,
comparadas com os desgostos de diversa na-
tuzeza quepungem minha alma.
Madame de Tiimont admirou-se interior-
mente e como nao podesse penetrar este se-
gredo persisti em silencio alguns instantes.
Persuadio-se como qualqucr outra mullier
que estivesse em seu logar que o amor era
a causa dos desgostos de Paulo e nao podia
comprehender outra cousa mais que houvesse
no mundo capaz de envenenar a vida seno
os tormentos do amor. Todava sentio um
oceulto niovimento de alegra vendo que se
havia engaado.
Pouco a pouco se foi avivando a conver-
sac&o.
Paulo desenvolveo naturalmente bastante
mettido ao exame e adopeao do conselho a-
clia-llie lauta superioridade ao adoptado que
nao sabe como o conselho despresando os
seus trabalhos e l'adigas pode condemnar as
grandes vantagens que Ibe faz sobre-sair na
eomparaco (pie estabelece entro elles. Ana-
lysemos estas vantagens urna por urna.
1. Insullcienle quantidade d'agoa para
consumo da cidade pelo projecto adoptado :
superabundante pelo do snr. Vt
Por exames, por nos felos com todo o
cuidado, aerificamos, (pie o consumo d'agoa
potavel actual nao excede de 22 nvl harriz
diarios : e sendo assim he evidente que V2
mil barr/, que o encanamento deve despejar
em 2 horas secundo os caleuios dos Enge-
nheiros, confirmados pidos snrs. Eirmino e
Vauthier. deve sur mais que ufflciente para
o triplo da populaco existente.
2. ft 0 projecto adoptado nao ministra
meios de destrbuir as agoas as casas a cima
do pavimento terreo : o do sr. V. as eleva ao
A. p 5. andar.
Toda a dilerenca est em adoptar machi-
nas 5 porque por meio d'ellas lambem se po-
dem levantar a maior altura as agoas do Pra-
ta o talvez com mais facilidade e menos des-
posa do que as do Bebiribe : advertiudo que
a companhia o pode faser a lodo o tempo que
por seu interesse soja obrigada aapresentar
mais do que aquillo a que se comprometido
5. Os canos de ferro sugeitos a obstruir-
se : o canal nosolfre detereoracao.
Com as lmpidas agoas da nescenle do Prala
nao deve haver receio de que os canos sejao
arruinados seno depois de passados seculos ,
e (piando nao for lio difcil, como boje he .
faser outro encanamento. por este ou por
differente methodo, para traser, nao s du-
plicada quantidade d'agoa como toda a que
pode fornecer a nascente. 0 canal aborto tao
bem est sugeito a freqentesarronibamentos
de diieil e dispendioso concert occasiona-
dos pelas endientes do rio, e por outras mui-
tas causas.
4. Deslribuico das agoas em S chafari-
zes, pelo projecto adoptado, nem 18 pelo
do snr. V.
Oito cbafari/es, alem de mais economa na
construeco das obras facilita a cobranca da
taxa que em 18 seria mais dilicil e dispen-
diosa. O acrescimo de 10, nao traria vanta-
gens correspondentes em urna cidade lo pou-
co extensa como he a nossa.
o. Em prego de mateHaes pela maior
parle, viudos de fora pelo projecto adoptado :
o contrario pelo do snr. V.
H urna Eundicao em Pernambuco onde
se poderio construir os canos de ferro, se
fosse un inconveniente manda'-DS vir d'onde
se poderem obter mais barato a troco de nos-
sos productos. Mas a mesma FundifiSo nao
poder por certo faser as Turbines bombas,
torneiras, e muitos oulros maleriaes, que
exige o projecto doSr. V. cuja importan-
cia sommada com a differenca para mais
nos canos de ferro de maior dimetro para a
deslribuico das agoas e para os 10 cha-
farisesque acresccm taLvez nao importe em
muito menos do valor oreado para lodosos
canos do nosso projecto.
6 Nao apresenta outras vantagens alem
do encanamento.
Foi este o fim a que se propoz a Compa-
nhia. O dessecamento e navegado do rio
se podem faser sem dependerem do encana-
mento : sao por tanlo vantagens estranhas a
esta empresa as que apresenta o projecto do
Sr. V. e tendo para ellas oreado mais de
500 contos segundo se conclue da corres-
pondencia suppomosque com menor quan-
ha s poder dessacar o pantano de Olinda,
e mplhorar a navegaco do Bio.Bebiribe : di-
semos melliorar ; ponpie encaar o rio al a
ovaco por meio de comportas traria mu
fraca ulilidade ao publico e (piasi nenhuma
vanlagein a Companhia : ao menos por estes
200 anuos mais chegados.
7o (i Nao ministra meios de filtrar as a-
goas.
Engana-se porque ellas entro libradas
nos tubos sem ser para isso neeessario o ma-
chinismo complicado, que exige osen pro-
jecto.
8 o Finalmente. O nosso projecto, or-
eado em 15 lindas importa m 088 contos ,
aciescentando 00 para despesas de adminis-
tragao e eventuaes : o do Sr. V. oreado a
vista de riscos parejaes monta em um caso
a 428 contos noulroa 880 e n'outro a 8IMI
inchiindo 220 para administracio e evenlu-
aes. Em [irimeiro lugar notaremos, que
h ambiguidade na palavia^=acrcscentando
= em vez de, inchiindo o que parece dar a
entender que o projecto adoptado se eleva a
mais de ,">S8 conlos ; e outro sim que o ter
sido oreado em lolinhas he proveniente da
simpheidade da obra e o resultado de ava-
liacoes parciaes : urna prova disto he o ter-
mos j verificado que na avaliaco dos tu-
bos que he a de maior importancia nao
houve engao. Em segundo lugar diremos,
que o Sr. V, orc,ou para despesas de admi-
nistraejo 00 contos e para eventuaes geraes
."vi, oquesomma lio contos em lugar de
220: e a differenga que he de 10o deve
entrar no Io ou no 2 caso da' importan-
cia do projecto. Verdade he que as avalia-
ces parciaes o Sr. V. addicionou um tanto
para despesas eventuaes e nao calculadas e
que o orcamento de algumas obras foi por es-
la forma duplicado : oque se por um lado
denota seguranca por outro parece indicar
pouca conliamja na avaliac.ao dos riscos cir-
cunstanciados. Adiante diremos mais al-
gia coisa a este respeito.
Suppomos (pie por esta sucinta analyse a
que se.poderia dar maiores desenvolvimenlos,
temos siifiicieiitemeiite demonstrado que as
superioridades que o Sr. V. altribue ao seu
projecto nao sao nem tantas nem tao reaes
como pareeein a primeira vista. Se imilatido-
o perlendesse-nios faser realcar o projecto dos
Srs. Conrado e Bellegarde daramos as se-
guintes comparafoes todo o elasterio e focga,
que Ibe poderiamos dar se nos permittissem
os lmites desla correspondencia j bastante
estenca.
O projecto adoptado ministra paralimen-
tar a Cidade as agoas mais puras e sau'aveis ,
que ha na proximidad? da Capital.
O do Sr. Vauthier traz agoas inferiores em
qualidade segundo as analyses que lem si-
do leitas.
01 dispensa machinas c o suprimento
para ellas preciso.
O 2o exige um machinismo complicado,
pouco conhecido e experimentado que de-
mandara colicortos substituic/ies e urna
despesa diaria e consideravel com mach-
nistas &fi. xc.
O Io pode ter execugo imediatamente.
0 2 depende de novos contractos e da
approvago da Assemblea Provincial.
O 1 traz as agoas em um encanamento
fechado e vedado a todas as impuridades,
desde a nascente d'ellas at a Cidade.
0 2 recebe-as abaixo de urna Povoac,o ,
easconduz em canal aberlo sugeito a todos
os inconvenientes qued'ahi se podein seguir,
espirito e amenidade e Lerville ficoti ainda
mais encantado do seu modo. Antes de o
deixar partir, tomou-o pelo braceo e passeando
ambos algum tempo Ibe disse com urna hon-
da ve] nmavcl.
E' preciso que me deis um gosto com-
pleto. Certificai-me de que a minba a misa-
de nao vos '' importuna. Concedei-me que
eu v perturbar o vosso retiro todas as ve-
zes que quizer, e promettei-me principalmen-
te que fareis o mesmo com nosco 5 espero ,
ajuntou o presidente vollando-se para Ma-
dame de Tiimont que ininha irm nao de-
saprovar ozelo que vos mostr, ainda que nao
seja por amisade para comigo.
Tudo o que meu irmo faz merece a
minba approvaco disse Madame de Tiimont.
O mancebo apertou aflectuosamente a nio
de Lerville, e lanzando um olhar agradeci-
do sobre Madame assegurou ao presidente
que bavia muito tempo que nao experimen-
tva lano prazr como o que senta na sua
companhia : dizendo sto separaram-se.
Paulo linha-se feito digamos assim a ;:-
nica occupacfio dos moradores do castello: vi-
ra boje ou nao ? Esta era. urna das primeiras
pergunlas que faziam logo'pela manh. Com
elleilo vinha raras ve/es ; mas Lerville que
nao se con lenta va com s suas breves visi-
tas nao deixava escapar occasiao de o reter
em casa a maior parte desses dias.
O tempo est hoje muito ennevoado cno
deixar de chover todo o dia ; por tanto nao
podis ir visitar ns vossas amaveis solidoes ,
assim licae comnosco. Se a conversaco en-
fastiar, minha irm tocar piano e entretanto
chegar a hora do jan lar.
Na meza que se frmam as a roizades ;
urna das verdadeiras provas da intimidade
a comida em conimum e espero que lomareis
c goslo deste ioslume.
Paulo acceitou o convite. Com tudo a tris-
teza nao o deixava inteiramente moslrava-
se todava mais tranquillo e tralava de mos-
trar prindpalmente a Madame quanlo se -
gradava daWua conversgo. Madame de Tii-
mont aproveitando-se da lembranca que
seu irmo Uvera ptirguntou a Paulo se gostu-
va de msica.
Amei-a muito na minha mocidade,


\
- -WS-: -rv- i -
=*
- **-......
quando nao baja urna polica mui activa por
parle dos seusencarrcgados.
O Io lie de fac|| e prompta execueao co-n-
dusindo as obras por terreno solido e conde-
cido ou ja muito calcado
0 2 lem do vencer grandes diiculdades
por um terreno paludozo e anda uo splbra-
do, alravessando ribeiros, camboas, c
grandes pantanos.
01 nao exige indemniAacoe.s a particula-
res por viro encana ment pola estrada : c
livra a Companliia de demandas e d.is de-
moras h prejuisosqnc d'ellas resultao.
0 2 desde a origen do canal tem de f'a-
zer indeninisaces ou de entrar emquestoes
complicadas, e militas vezes intermiiiaveis .
com risco e iipate* dos capitaes destinados
para a empresa-&c. &c.
5 est oreado em 588 conloa, o co-
Sc nao adoptamos finalmente o projec-
lo do Sr. Valliicr l'oi pelas ras s. que o
Conselho expendeo nos i.lucios iii>' Iba indo-
recoii e no rea torio ltimamente impresso.
Nenala preven cao ha contra as puiehitias da
parte doConselho : sabr-.se ila g ande utili-
dade que ellas prestito e dos i
aperfeicoamentos que por eiilcrmcdo H .
se ha conseguido em todo o mundo civili
do; mas se as podemos despensar ta em-
presa do enea menlo se us he possive]
abastecer a Cidade de agoas polavois sem u
excessiya despesa que ellas accarr'efao he
esta certamen te urna vanlagem, que se nao
deve despresar e lie ella to reennhochh
que nos despensou e nos despensa ainda
para nao nos lornarmos infadonlios, dere-
Velarmos as oulras rasos que delerminerao
o Conselbb na escol ka entre o projecto j ap-
nhecidoo prego dos canos de Ierro pode-sel prvado o o submetlido a sua adunca.) pelo
presumir que nao baver grande di Hertica Exm. Presidente da Provincia; aqun1 o
noci'.sto daobra ; por estar ao alcance de to- Con sel lo nianifeslou sinceros desejos de o
Io verificar comparativamente os orcamentos; seceundar as louVaveis e patriticas inlen-
'as escavacoes para collocar os canos em una (oes, de promover o dessecamento do pan-
estrada condecida ; do tanque caixa d'a- tao e melhora da navegagao do Bebiribe.
roa, clial'arises vc. &c.
(iremos que desla Ibrnia se acba justificado
0 2 deixando de parte as despesas ortja-1 o Conselho; e esperamos no ini de dois an-
das para o dessecamento e comportas est nos, depois de principiada a obra dar urna
orejado em 428 coutos que com os 11 ,'i de rsposta pas couclodente.
administraciio e eventuaes ( nao tractando Somos dos Snrs. Redactores &c.
dos 10o avulsos )com a passagem das poples
na Cidad.e que escapou no orcamenlo com
indem.nisagoes a particulares, deve impor- |
lar em muito mais de 000 contos ; sendo ,
alom disto mui faliveis os orcamentos de
grandes atierros escavacoes tmalas de
ros ponles, canaes suspensos &c. &c. i
obras estas que, por ana natnreza estol
sugetas a maltas eventualidades, quepo-,
dem exceders forcasda Conipanbia.
Obrigados a faser a defeza do projecto adop-
tado por estarmos convencidos da sua uli-
M. (L Cintra.
T. S. do Mallos.
1!. .1. remandes
narros.
CO^M ERGIO.
LFJANDEGA.
Rendimonto do dia 13 de Maio Bs. 2;241326
*
que sobre as que !lie fofSo aprehendida
ha va procedido ancessa'ria vestorra, oujas
rengas a respeilo das verda foro
notadas, e por isso tenho a honra de jen
Ler a V. I a,;, o resultado da me
para u conhe$ment, signiicando-llio i-
'uab nte que tiesta dala ordeno a todos os
,. q i fago as pecessarias ind
- i r 'ifpeito d is que ta
nl lziri nlj e .k prcessem
Lei para seren punidos.
Dos Guarde a V. Ex. Secretaria da
Polica da Provincia de Pernambuc i
Abril de 1842. Illm. e Exm. nr,
da Boa-vista.
Differencas mais sensiveis ias^ola's ral
doz :nii rcis do padro encarnado.
O-1 da palavra Imperio he mai proxi
da linda intima la tarja a.onde \
id do (ue as Sedulas ou ., ira
o papel mostra perfeiatneule ser de ..
incorpado cheio de (albas branc
quasi a rasgan m-se as finitas de i
pendculares sao mui vesiveis quando nas ver-
dadeiras sao quasi impercepliveis; aliiil
carnada he bastante grossa e quasi cor d
lijlo a tinta escura be mais
as verdadeiras e a tarja do centro h i
mente mais clara : e cora algum
tinta nas letras miu [as las palav
reis dez mil reis Assigna lo Anl
iz Da/i tas de Bai ro9 Le le Conforme. l*'r-
ciscode ISan-os Fajco Cvale tute d
(ue Amanuense Est coral ; .
licial Maior Antonio jv.,' de Oliveira.
ciozo a jocozo duelo pela mesma Sen hora o
dos liis; finalizado que seja sa dezem-
i os vistozissiraos Grupos Chine-
zes-juntando-Ihcrao mesmotempo asdiver-
is do angra '9 lo Baile do Palo-
teio tudo vestido ao estilo chine/. ; aconti-
miago ter lugar un jiovo a engragadissimo
duetocom a suacompetente cena da opera
a -Italiana em Argel- muzi^a do ceebre
ini, em seguida se executar o variado
o novo vc-lteio geral pelo artista .loaquim dos
piozbs desla cidade em o
(cal se verao d las surtes de toda a
destreza e agilidade em a nova Batuda
Ufo cavallo natural -- a
. porfa grandes exp-
! que ) '.islas pela primei-
; i ci .. d zcniptnbando o pa-
o ,i; ,: r. Dando fin a tao
o ex) u com a exccugo(pe-
lealro ) da lindisSi-
i em | iQtoniima ao estilo gimnstico
. por titulo Ninguem as taz que as
o i '-- ou O Santo fingido-* Oseu
jraeio i lo he conduzido com arle e a-
. j, o quanto conducente ao seu bom de-
ienhoevero imilhnsa, c o director que
adigas
nd
nao
DECLA R A'.C^S.
a despezas espera que
i p la nova cotnposi^o com a-
lo < ter i ruattmente acolnimento aqul-
c tem sido Honradas assuasante-
sempre aplndidas e clo-
.. ;'. "; is assignan tese mais pas-
o camarotes farao o b-
idar recolher os seUs respecti-
feira prxima seh-
do o lo da sua destribuiQao o Sr.
:ar.
DESCARREGAO BOJE I i DE MAIO.
lidade e porque a isto nos impeli o Sr. V.. Barca Inglesa = Columbus = l'aseudas, e
desejamos ipie elle se persuada de que nao te- carvao.
inosem vistas desapreciar os seus trabadlos ; Patacho Americano = Lucy = Canella, vel-
est a nosso alcance que ellos sao Coitos com
muito talento e habilidade ; mas as vantagens
do sen projeeto se sao em algims casos ,
superiores ao nosso, em outros sao mui ra-
las junco charutos, caixas com re-
lujos ditas com cidra peixe ba-
calio cadeias, miudesas e ta-
huas.
Galera Nacional = Brasil = Barricas vazias.
feriores. Se nao submellemos os dois pro- Brigue Pprluguez ; Tarujo I." = Fasen-
jectos ao exame de peritos da Europa, foi I das carnes, vinho vinagre, e
porque aqu mesmo em Pernambueo existem azeile.
EngeiiheiroS Europeos, a quem consultamos ; Brigue Porttiguez = Primavera = Fasendas,
porque a demora e dubiedade a similhanle ferragens carnes azeile, vinho,
respeilo em um paiz em que su se Irada vinagre e miudesas.
de projectos ser que nenhum chegue a re- |_____
alisar-se arraslaria desanimo aos accionistas
e descrdito a Gompanhia ; e porque estamos
persuadidos que sem trabulhos stalisticos I
minuciosos e peculiares, e sem todos os dados = Por ordem do Illm. Sur. Inspector da
necessarios para se peder oludar os dois pro- Thesouraria de Fasenda se faz publico o olli-
jeclos nao seria possivel decidir com accer- ci, queaoExm. Presidente di Provincia
toeimparcialidade a questao de preferencia dirigi em 22 de Abril prximo lindo o che-
que o Sr. V. desputa por quem quer que fede Polica desla cidade a cerca de olas
nao estivesse inlarinhado das eircunstancias falsas de dez mil reis do padrao vermeliio .
particulares em que nos acharaos e igno- que forao introdUzidas na Cidade de Maci ,
E 1) I T A E S.
= Pelo Lyceodesta cidade se faz publico,
que da dala destea 10 das, irao a,cu tirso
as seguinles cadeiras do priraeiras li I
a do Bonito, pejo abandono do respectivo
prul'essor por muito mais de dous mez 'S : .
da freguezia d Barreiros qlie se acha vaga,
c a substituigo das cadeiras da cida
linda creada por lei novi i '
provincial: os candidatos que se op
s dilas cadeiras 1: -se fia ...
lei. Lyceo desla cidade 15 de maio i i
O secretarlo
Joffo Facundo da Silva Gumar
rasse absolutamente a naturesa do nosso ter-
reno a forca dos rios que o atravesao ,
&c. &c.
Estamos satisfeitos com o projecto que a- de 1842.
doptamos ; porque elle prehenche o nosso
lim. O do Sr. V. tambem oprehencheria ,
se nao tivessemos outro que alera das van-
tagens demonstradas tem em seo favor a
perioridade ; eassim como o Sr. V. nao gos-
taria que nos despresassemos os seus traba-
llios pelas ideas de outro que se inculcasse
depois d'elle, deve ter a generosidade de dei-
xar a victoria aos seus rivaes.
e das dilVerengas que tera as ditas Votas Pal- !
sas das verdadeiras. Secretaria da Thesou-
raria da Fasenda de Pernambueo 10 de Majo
Joaquim Francisco Bastos.
Ollicial Maior.
Officio
Illm. eExm. Sur. OChefo de Polica
da Provincia das Alagoas acaba de participar-
me em Officio de l do corren te mez que na
Cidade de Maceio tinliao sido prezos dous
Portuguezes como inlroductotes de Notas lap-
sas de dez mil rcis do padro verme!lio e

>'a vossa mocidade Ella ainda nao est
mui longe de vos.
Ah! Os anuos de tormento saoasssdila-
tados, replicou Paulo!
Madanie de .Tilmont percebeo bem a dolo-
rosa inquietaco, que sua ultima pergunta linlta
feito no animo de Paulo e apressou-se adis-
sipa-la por meio da distraeco.
Espcrai, disse Madanie. eis aqui Boieldieu.
Nao vos parece ser um cstitnavel aullior :
Nao ha duvida porem eu eslimo particu-
larmente a msica alloma.
Madame de Tilmotitcaillou alguraas notas
com una voz to perl'eita como agradavel e
Paulo Ihe agradeceo com elogios laes que da-
vam bem a conhecer que a arte da msica nao
lhe era estranha.
Vendo depois na estante um duelo de D.
Joo rugou he a permisso do esaia-lo
com ella.
Paulo ainda que desconiasse do seu talen-
to levou o duelo at ao lim, e soube expres-
sa-lo de tal forma, que os seus erros apenas so
Conheciam.
MaraviUisamciUo, exelamou u presidente
encantado ; maravilhosamenle Eis aqui
com que entre ter ou augmentar a harmona
entre a familia.
' Cnaro Paulo nao mo admiro de eiieon-
trar-vos cora talentos antes eslou disso mui
con lente.
Isto de nenhum modo dcstroe a ventura e
eu quer' despertar-vos Ogosto da msica.
Parece-meque avista do nien arrebta-
me!) to chegarei at a ver se ainda assopro na
minha flauta quedeixei mais de vntee
cinco annes.
Pela sua parte Madame de Tilmont a-
gradavelmenle surprendida elogiava q man-
cebo tanto por sua voz como por seu me-
lliodo.
E' verdade que a voz de Paulo sem que
fosse belli tinhaalguma coisa de pattica ,
e esta qualidado para com urna muiljcr que
escuta cun benignidade vale por lodaa as
oulras.
0 banquete foi agadavel e dilatado, con-
forme o coslume do tnq o,
llois dias depois achou-se oulro pretexto
para demorar Paulo, a quem huviaiu ido bus-
T II !: A T R 0 .
Domingo'lo se representar mui
sublime ejocoza eca A Condeca d i
linou ou o Chapeo que tantos aplauzos ob-
leve quando subi sceria em beneficio do
Sr. .upes, na qual debutou pela I. vezo
Sr. Modesto Francisco das Cbagas
a interessante parte do Barao Caturra -,
rematando o expectacuto cot a belissima
larca OHolandez paga o mal que nos fez.
Descripgodo novo e variado espectculo
que hade ter lugar terga l'eira 1.7 docorrentc
debaixo d ditego do artista gimnstico J
dos Reis. Comegar por urna escplliida pega
de muzica a que seguir una excelente e ar-
monioza aria eanlada por Madame Emilia
Amanti depois o director de/.em; : !;:...: dif-
ferentes- Jogos evoluees equilibras e
sortes as mais destintas na dilic arte
nastica com as (paos espera satisfazer a ctirio-
zidade de seus espectadores to bondadozos e
indulgentes e que tantos favores he tm
liberalizado em seguida s3Cantai*it um pre-
car fin dedarem um passeio >ela bosque.
Eslava-se entao no principio do Oulono ,
cuja estacao 6 tAo peigosa para as .dinas seq-
siveis e,ue vivem no Campo como a prina-
vcia.
E' no campo que oligeiro vodo nevoeiro
espalhado no ar e as amarelads fbas das
arvores cahido amiudo sobre a fjrodu;
Ierra dispoein o corafo sensivel paca as som-
bras meilitagOes : l tambera que o sol a-
mortecido apartando-.-, do nosso 1 n
rio ediminuitido diariamente o calo;-,;
iis ratos pa"fece advertir-nos de que ; c-
so aprestar-nos a gozar da vida.
Pauto e Madame de fnniotil eslavam di bai-
xo dcsta influencia e a sua conversag
tomado pouco a pouco um lom mavii
tei o,
i\. tario apesar da r.w lirme t.eso-
islir para S

des '
Durante o passeio a
AVISOS DI Y K USOS.
= i, Vustin retira-se para fra do
.i sua familia.
= Preoizar! una ama de leit Dar dar
de mamar a u n i crianga que segu com a
imilia ra I ira do Imperio, obrigando-se
lia a'transporta-la paraca; quem es-
livct estas circunstancias ahnuncie parase
-.
[o pela segunda vez
advertc >as que tm obras para con-
ir, que as niatidem resgaar noprazodo
;. dias, pois o mesmo annuncante nao se
msabeliza por qualqur avaria que acon-
icc.i as mesmas obras.
Jos Antonio Soarcs Bozas.
= Aluga-se una casa terrea com soto, e
mirante com muito boa vista na ruada boa
hora emOlinda; quem a porteador dirija-se
ra das lores D. !- de I s horas da
tardo que achara com quem tratar.
t^j- Arrenda-se apropriedade da Boa-via-
gern com terreno para plantar creat em
grande ponto, malas, e urna casa grande
de vivenda : qu i aniiuncie.
',;,;) ;.., iv.-pcilavel publi-
. '/" ** -r-'i ,:. ,.:, ac.il-a d idore Malhien, strufgio
,:a de; Sua Real .Mages-
aSenhora I). Mara Se-
.:,,!,i Bainlia de Portugal ,
pariici aaoi ipeitavel publico quepe.den-
tes incorruptiveis desde um ali: urna comp e-
ta deutadura : estes denles reaistenvaa fogo ,
;' lima e a lodos os rido., e nunca se ite*ra a
suaalvuraj serv a ligacao e pronun-
cia, riraa pedrt som causara mnima uor,
opea ta que faz desapparecer o mao
cheiroda b im| li a oorrupvao dos den-
gar onde Lervie esleve a ponto de perder a
vida.
Aqui se apresentou urna nova occasto de
iBunhar a obrigagao em que estavam para
edir o mancebo : mas ostfi lhe vspondeo que
;v,, npensado co:n a ventura de
que gosava c que urna aeQao to simples lhe
i al< angido.
avia LevjHo ao podq.dtixu;. doitfc.
como adquirir a sciencia que
niostrou nos suicitos cuidados, quu a sua si-
luaco pedi i e qtc Hra afiministron tao bem
o opodera azer o mais sabio medico.
I Paulo descoln suhita-
inclioou a caboi i sobre o peito e res-
potu i claraga seria de pqw-
co ni .
adu uru instante de silencio accrescen-
toii' ptn ativa porem firme.
ibatar-we, para sempre
. as o pouco socego que
nun-
ousa Hem lo
Lrizqun lenho no rosto,
;' | ;Minii!,ir-so-lm, )
I


'h

'"^ .ina'.fir-rj.p&< M^aiixrini i
4
tes. Taz paladares anificiaes e lodas as o- ka do Sr. Mosquita que no caso de Ihe trans-
peraces da cirnrgia bocal com toda a perfei- I portarem sua familia para a sobredita Cidade
cao. Preco dos denles ailifkiaes- Incorrup-1 somenle p tiveis der. mil rs. Preco das operaces da
bocea Tirar um dente dous mil rs. ; pa-
ra ebumbar um denle com o celebre mineral
sucedneo composico que Ibi approvada pe-
las faculdades de Pars e de Londres com
ouro dous mil rs.: para separar um dente
a fim de rasguardar os oulros do contacto da
caria dous mil rs. : para tirar a pedra dos
(lentes calculado conforme o trabalbo que
tenba de lser, desde tres, seis mil rs. at
oito mil reis. Os precos cima assignala-
dos sao em casa do professor sendo porem
clianiado para qualquer casa particular o
preco sera augmentado conforme a distancia
do cam nbo. Vende pos dentil'ricios a mil rs.
a caixinlia ; balsamo odontalgia) que serve
para mitigar as dores dos denles e para cu-
rar as cbagas que se acbao na bocea causadas
pela pedra que se cria ao redor dos denles e
para leridas recentes, mil reis o vidro ;
escovinbas para dentes c fundas para todas
as idades c ambos os sexos.
Desojando Theodore Matbieu que todos os
pobres desta cidade gozem dos mesmos bene-
ficios que desfrutrao os de Pars de Madrid,
de Lisboa o do llio de Janeiro tem determi-
nado que das 7 as H doras da manli se
prestar a faser extraernos de dentes gratuita-
mente a quem nfo pode pagar. Acbar-se-
li sempre na casa da sua residencia das 7 lio-
ras da manb at as 5 datarde excepto quan-
do lbr chaniado para qualqucr casa particu-
lar. Mora na ra Nova I. 7 lado da Matriz
nesta cidade. Faz saber que se bou ver al-
guma pessoa nesta cidade que se oceupe as
operaces da bocea, e quequeira comprar mi-
neral sucedneo, Ibe vender a vinte mil rs.
a onca e Ihe ensinar a inaneira de se ser-
vir delle.; e, querendo rom ajuste tarubcm
se Ihe ensinar a eceita. K tambem se
houver algum facultativo que queira assis-
tir s suas operaces nao poe duvida algu-
ma em executal-as em sua presenca.
C7" Ofierece-se una parda de bons costu-
mes para ama de una casa de pouca familia,
ou de homeni solteiro sendo o servigo de casa
e nao de ra : no beco do Tambi I), 0.
ssy Antonio Jo/e da
se para Loanda.
= Bernardino (lomes deCarvalho, rcti-
a-se para Lisboa.
3= Lu/ Jo/e de Souza rclira-sc para fu-
ra da Provincia levando em sua compa-
nhia um seu escravo de nomo Antonio.
s= Norberlo Moreira subdito portuguez,
rctira-se desta provincia.
ssy Manuel Lucio da Silva brasileiro, re-
tira-se para o Aracaty a tratar de seus nego-
cios e leva em sua companliia um seu aao-
leque de nome Yalentim.
tflT Joo Antonio Soares retira-so para a
Cidade da Bahia.
= Manoel Rodrigues Pimcnta da Cunta ,
retira-se pora a Bahia.
tj" Jo/e da Silva Das, retira-se para
Lisboa.
O abaixo assignado negociante nesta
praca e morador na praca do commercio
declara ao publico que o annuncio de acre-
cimodc nome nao se entende com elle.
Domingos Jo/e Vieira.
Pilulas vegetaes e universaes Americanas.
Estas pilulas j bem conhecidas pelas gran-
des curas que tem feito, nao requeren! nem
dieta e nem resguardo algum ; a sua com-
Silva Lima -, retira-
dia da sabida pagar ao annunciantea quantia
de 367 ,> 080 importe da passagem da dita sua
familia na mesma Barca daquella Cidade para
estaem Junhode 1841, ecomo nao tivesse pa-
go quantia alguma por conta (sem tences de
ofazer) acceitei a proposta por elleofferecida:
porem durante a estada da dita Barca; nesta,
entregu por vezes a quantia de cem*n)il rs. ,
promettendo at a sabida da mencionaba Bar-
ca comprir oque havia tratado e como nao
obtivesse quantia suficiente, ou a nao qui-
zesse aplicar para este fim e eu vendo que
elle nao poda por em pratica o trato feito pe-
la velocidade da sahida da dita Barca, Ihe pe-
di um liador e que alem do tempooccorrielo
Ihe esperava mais um anno sem juros e na
falla passaria pelo desgosto de ver sua fami-
lia em trra nao obstante ter eu ja despen-
dido o importe das comedorias para a sua fa-
milia composta de 5 pessoas tudo isto moti-
vado pelo dito Ferreira por me illudir com
prometimentos falcos al o dia da sahida da
mencionada Barca.=Por proenrago de Fran-
cisco Alves da Cunta Domingos Alves da
Cunta Antonio Rento Pinto de Mesquita.
tsr Os Srs. que tem pinhores de ouro e
prata no segundo andar do sobrado novo con-
fronto ao tanque d'agoa do porto das canoas
da ra Nova com o praso ja vencido os
vo tirar ata o dia 2b do corrente.
CJ* L'ma senhora propoe-se a tomar es-
cravas para ensinar a cozinhar engommar ,
lavar de sabo e tudo o mais que quiserem
mandar ensinar dando somonte o sustento ,
e tambem se tomo negras do matto ; na ra
do Palacete casa de duas janellas envidraca-
das defronte do sobrado que se est fazendo.
tw Quem precisar do um caixeiro por-
tuguez para fora da provincia o qual d co-
nhecimentodesua conducta, dirija-se a re-
finaco dos quatro cantos da Boa vista.
SE? Preciso-se de 200, a juros a dous por
cento sobre pinhores de ouro ou prata ;
quem quiser dar annuncie.
rs?" Arrenda-se um grande sitio na estra-
da de S. Amaro que vai para Bellem com
grande casa para 3 familias com muitos ar-
voredos de fructo grande baixa para plantar
capim e commodos para ter 10 a 12 vaccas
deleite : quemo pretender dirija-se a ra
das Cruzes D. 1.
ct- Antonio Joze Soares Jnior retira-se
para fora da provincia.
tsr Perdeo-se urna canoa pintada de ver-
de com dous bancos e corrente de ferro ;
quem a achar leve a ra do Cabug loja de
Antonio Rodrigues da Cunha que receber
oachado.
tsy A pessoa que annunciou querer com-
prar urna porco de panno de algodo da tr-
ra a 200 rs. a vara dirija-se a ra do Cres-
po D. 12.
tsr Precisa-se de urna ama de meia idade
e de boa conducta para o servico interno de
urna casa de pouca familia, que saiba engom-
mar : na praca da Independencia loja n. 2.
tsy Os Snrs. Domingos Alfonso Ferreira ,
Manoel Antonio Teixeira e Agostinho Joze
da Silva dirijo-se a ra das Trincheiras so-
brado D. 9 para recebsrem uns cartas.
t~r Na loja de alfaiate de Joze Joaquim de
S23" Aluga-se urna boa casa cni Olinda na
ra do Amparo 1). 51 ; e urna coxeira na Boa
vista na ra da Alegra : trala-se na ra do
Vigario n. I (i.
SST O abaixo assignado partecipa a todas
as pessoas que tiverem contas com elle ou
com Augusto & Companhia deas apresen-
tar para serem dividamente pagas. = Felis
Augusto Scola
C3- Quem annunciou querer alugar um
sitio pertoda praca falle a Manoel Pedro da
Fonseca.
AVISOS MARTIMOS.
ts- Para Lisboa saldr no dia 20 do cor-
rente o Brigue Portuguez Josefina anda
recebe alguma carga e passageiros para o
que tem excellentes commodos -.quem qui-
ser carregar ou ir de passagem falle ao Ca-
gito P. A. da Rocha ou em casa de Alen-
des & Oliveira na ra do Vigario n. 18.
de
FeHandes
linhas de
Thomaz Sum-
Lobiio Pereira
tra vagan tes
marias e Segundas
e Souza VanguefVe Menezes, e varias ou-
tras obras de direilo: em Olinda ra da Mise-
ricordia 1). 7.
523" Um seravo cabra
L E 1 L A O'
tsr Faskell Johnson & Companhia faro
leilo por intervenco do Corre tor Oliveira,
de grande porco de fazendas inglezas com
toque de avaria e de muitos outras proprias
deste mercado em bom estado ; quinta feira
19 do corrente as 10 horas da manh em pon-
to no seu armazem da rtia da Cruz.
ssr M. J. de Souza Carneiro continuar o
seu leilo por intervenco do Corretor Olivei-
ra segunda feira 16 do corrente as 10 horas
da manh na ra do Vigario D. 10 primeiro
andar de muitas obras preciosas grande
parte uzadas e muitas novas de ouro prata ,
e de brilhantes as quaes nao foro vendidas
no primeiro dia do leilo por falla de lempo.
C O M P B A S
%SF~ Urna meza pequea com sua com-
petente gaveta em bom uzo : na ra Direi-
ia loja de fazendas D. 41 ; assim como todos
os volumes de mil e urna noute que estejo
em bom uzo.
aT" 4 ps de parreira de boa qualidade :
na ra da praia armazem de carne secca n. 1.
VENDAS
tpie nao fazem mal a
em lugar de debilitar ,
posiejo to simples ,
mais tenra manea :
fortifico o systema purilico o sangue e
augmento as secreees eni geral : tomadas ,
seja para molestia chroica ou somente co-
mo purgante suave ; o melhor remedio que
tem apparecido por nao deixar o estomago
naquelle estado de conslipaco depois de sua
operaoo como (piase todos os purgantes fa-
zem e por seren niui facis a tomar e nao
causarem incommodo nenhum. O nico de-
posito tollas em casa de D. Knoth agen-
te do author : na ra da CruzN. 57.
.Y l. Cada caixinha vai mbrulhada em
seu recoituario com o sello da casa em la-
cre preto.
O reverendo padre Antonio Dantas
Correa de Goes tenha a bondade dirijir-se
XZT A venda cita na ra larga do Rozaro
D. 1 : a tratar na mesma ou na ra Nova
D. 20.
C7" A venda de Fora de portas n. 9.*,
junto ao barbeiro : na mesma a cntender-se
com Joze de Lima Soares.
^. c? Sedas brancas com listras de cor para
vestido a 480 o covado : na ra do Queima-
do D. lo loja de Carioca & Setle.
v cy Excellentes bicos estreitos e largos por
prego barato bous estojos de navalhas com
todo o necessario para viajantes o mesmo pa-
ra qualquer outra pessoa da trra por ter
duas excellentes navalhas duas escovas urna
para falo, e outra para cabello, dita para
dentes, urna thesourinha para unhas, peute ,
um bom afiador de navalhas e outros mais
necessarios e muito bom pao de algodo
da trra em poreflo e a retalho a 220 a vara :
na ra do Crespo D. 12 segunda loja quem
de boa figura sa-
dio edo21 anuos, ptimo para o servico
de campo, ou para armazem de assucar da-
se a contento : na ruados Tanoeiios D. 11.
tsr Um terreno com 00 palmos de frente
e 200 de fundo com caes de pedia serrara
e casa para feitor ; urna casa terrea com so-
to e urna casa pequea no fundo ; dous
escravos serradores : a tratar na serrara do
Joo Antonio Baptista Muniz na praia do Fa-
gundes junto a ribeira.
sor L'ma porco de sacos vasios novos
em casa de Hermano Mehrtens na ra da
Cruz D. 25.
Jeira secca malvasia de bucellas velho e
de Bordeaux ; na ra do Vinario n. 16.
E3T Duas camas de angico e duas mezas
de jan lar, de amarello tudo obra boa por
preco commodo : no passeio publico ao p da
pone.
ssr Lm sitio na estrada do Pombat, to-
do coberto de arvoredos de fructo casa gran-
de e com terreno para se dividir em 2 ou
sitios cilios proprios para serem aforados:
a fallar com Ignacio Joze de Couto ou a Ma-
noel Pedro da Fonseca.
tsy Urna boa casa terrea com sotao e mi-
rante com 0*J9nellas rom bonita vista que
descobre o mar cita na ra da Roa hora em
Olinda ou troca-se por outra nesta Cidade :
na ra das Flores D. 12, todos os dias uteis
de urna as 5 horas da tarde.
S2J* L'ma pardr moga com boas habilidades
que agrado a qualquer comprador para fo-
ra da provincia : a tratar com Gabriel Anto-
nio no pateo do Carino n. 2.
SST Lma casa terrea cita na ra do Fa-
gundes D. 9 : na ra do Crespo D. 7 lado do
Sul.
C7* Lma cadeira de dous bracos nova,
acabada de pintar e dourar forrada de seda
com bambnellas borlas vidro, coxim, ta-
pete por preco commodo : na ra do Cal-
dereiro por detraz d ra de llortas D. 25.
XSF" Farinha de mandioca em sacas bas-
tante grandes por preco rasoavel : no ar-
mazem de Antonio Pereira da Cunha na ra
da Cruzn. 14.
ESCRAVOS FGIDOS.
Novaes na ra do QueimadoD. 16 continua- vem da ra do Queimado.
se a fazer sortimento de obras feitas por pre-
co commodo assim como tem um excellen-
te sortimento de veludos de superior qualida-
de para colete.
ssr Precisa-se de urna boa casa terrea ou
ura primeiro andar de sobrado que o seu
aluguel nao exceda a 17* mensaes afian-
cando-se o bom tratamento do predio: na
ra "streita do Rozaro D. 5o defronte do Sr.
Moreira loja de trastes.
v Do-se 200.K a premio a dous por cen-
to ao mez sobre pinhores de ouro ou prata
e tambem da-se em pequeas quantias : na
ra do Ranget D. 17.
C7" Um homem portuguez de meia dade
e a pouco chegado das Ilhas sabe ter, escre-
ver contar, ed fiador a -sua conducta,
propoe-se a tomar conta de alguma obra pa-
ra administrar ou outro qualquer servico
nesta praca mesmo rirmazem ou venda ;
quem precisar annuncie, ou dirija-se a Joze
ra do Crespo loja (je Joaquim da Silva Cas- j Gonsalves Ferreira Costa.
tro a negocio de seu inlerece. t!T Antonio Manoel da Silva caixeiro de
CZT Os abaixo asssignados, em virlude do Narciso Joze da Costa faz sciente ao rbspeita-
annuncio enserido no diario de '.) do corrente vei publico que por haver outro de igual
por Joze Anlonio ferreira fazem sciente a; nome que de hoje em diante se assignar
todas as pessoas que concorrero para a sub- I Antonio Manoel da Silva Maia.
scripgodo transporte da familia do dilo Fer- Precisa-se de urna cozinheira que seja
reir a pedido do Sr. Anlonio lotelho Pin- boa : na ra Nova loja de ferragens D. 15.
to de Mesquita que a mesma dexou de ir i r Adverte-se que o Sr. Antonio Moreira
para a Cidade do Porto na Barca Espirito San- Pinto Barboza est concorde com seu credor
to por elle Ferreira. ter tratad- na presen- com loja na rua do Crespo D. 12
ES Urna canoa nova para agoa, bem cons
truida cabida a 15 dias ao mar, feita no
forte do matlos no estaleiro do fallecido Joze
Pinto, ou troca-sc por outra canoa d'agoa
ja uzada que sirva para atterro : a tratar
com Joze Gonsalves Ferreira Costa, ou com
Joaquim Gonsalves Casco com loja de fazen-
das na rua da Cadeia do Recife.
tSF" Duas vacos crelas, paridas e com
crias, muito boas leiteirase muito mancas:
na rua Direita D. 2 segundo andar.
v C^" O Diccionario classico histrico ,
geogrfico e methologico para uzo geral e
particularmenlJB para os seminarios colegios,
e aulas; um palanquim acabado de novo, que
anda nao servio ; na rua da Cadeia do Reci-
fe n. 12.
*s Duas canoas novas grandes propri-
as para carregar tijolos ou areia e dous al-
tinetes de ouro para senhora : na rua da
Florentina D. 15.
C7* Duas escravas de naco, urna com
24 annos lava de varrela engomma co-
zmha bem o ordinario faz algumas qualida-
des de doces e entende de forno a outra
he moca com urna lilha de 6 annos, ou
sem ella com algumas habilidades ambas
com bonita figura e urna duzia de cadeiras
de Jacaranda muito boas e novas : na rua
de llortas lado do poente D. 25.
tsr No sitio do Dr. Sarment no Hospicio,
fugionodia ll do corrente pelas 8 lloras da
noute urna negra de nome Anna fallando
a maneira do mallo por ter vindo do certo
da Pa rali iba a pouco tempo levou camisa o
vestido de chila azul supoe-se que tenha ni-
do para as partes de Goianna ou Parahiba ,
pois fallava muito em querer ir para a sua
trra ; quem a pegar leve a casa do mesmo
Dr. Sarment ou no escriptorio de Lenoir
Pugei & Companhia na rua da Cruz.
SS7" Fugio no dia 12 do corrente um es-
cravo de nome Joze de naco cassange, bai-
xo de 40 annos, levou vestido camisa de
baeta azul, e calcas de ganga azul falla
muito atrapalhada quem o pegar leve a rua
da Cadeia do Recife D. 62 que ser generosa-
mente gratificado.
c^ Fugio a tempos um molato acabocola-
do cambado das pomas estatura regular,
de 45 annos de nome Apolinario enten-
de bem do tra bal ho de sitio desconfia-se
que esleja trabalhando em algum a titulo de
forro 5 quem o pegar leve a rua da Cadeia do
Recife D. 62 que ser recompensado.
= Na noite do dia 5 do corrente pelas H
horas da noite dezapareceu um preto que se
iiulia chamado para conduzir alguns trastes
da rua do nogueira para o aterro do affogado,
levando um tacho, duas bacas de cobre e
um candieiro e mais ultencilios de casa a
pessoa a quem for olferecido ditos objetos te-
nha a hondada annunciar por esta folba para
se procurar que se dar alguma gratificacao.
MOV MENT DO PORTO.
NAVIOS SABIDOS NO DIA 12.
EJgarton ; Galera Americana Ringham Ca-
pito GeorgcDestn j coma mesma carga
que trouxe.
DITO no da 15.
Babia; Patacho Americano S. Antonio Tri-
umpho Capitn Antonio Vieira da Silva,
carga a mesma que trouxe de S. Catharina-
* tsr A coleco de leis do Brasil edico de
ouro preto encadernada repertorio das es- RECIFE NATYP. DE M. F. DE F, = 184-


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EGPRNXAQK_SUN4NM INGEST_TIME 2013-04-13T02:25:18Z PACKAGE AA00011611_04653
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES