Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04652


This item is only available as the following downloads:


Full Text
. -w_ .
Anuo de 1842.
Sexta Feira 13 de

J'n.io Rori He pene. e non mtsmos ; d nos* prudencia, moderacHo, energa : con-
i mtrtu.M com" pr.ncip.aino.,, r rirmos puntado* cum admiracau entre ni Sarr man
...bis. (Proclamaoo da Asemble Geral do iraail.)
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES.
(iiienna, Pa'aiba, r Km'rancie ilu Norte, na segunda e sexta feira.
Bonito r. Ga.-aa.Wis, a 40 e S.
Oho, Sariiihaeni, Hio Formnio, Porlo Cairo, Marmi, e Alagoas no 4 H, 21.
air 43. Santo Anto, quinta feira. Olincla tollos o das.

DAS da semana.
"J Sel. s. Oreoro Nanrianieno II. Chae. Auit. ilo J. de D. ala 2. t.
-10 Tare. Anlonino Aro. Re. Aud. do juii de Direilo da 4, vara.
44 Qttart. a. Anaalar-in M Chanq. Aud. do J. de D. da 3. r.
4 Quii. Joaniia Prinrezn. Aml. do jttii de D. da 2. rara.
4.1 Se*'. N. Sra. dos Marlyros. Aud, d-> J, deP. da 4. v.
4\ Sal. til, Bel. Aud. do J. de D. da 3. t.
|3 lloe. Faacoa do Tipirilo Santo, i. lcloro l.avradur.
Maio.
Anuo XVIII. N. 103.
O Diario publica se tocios os lias nu' nao forem Santificado- o fttto da aetigaatara ha
Vires mil res tiurquariel pa-os adianladoi. Oa annuacios rloi assiRnanlee i.co inseridoe
Riaii, eos dos que o n.io forem ; rario rl SO res por linha. Aa reclaaacSe tarea aer
diri-ida a eata Tvpogralia ra dai Crmea I). 3, ou el praca da Independencia lujas de li.roa
Mu nema 37 c 3S.
CAMBIOS *o ni* 12 de Maio.
PhT.% Peioaf'.olumnarta 4,680
,i a Mexicanoa 4 ,SK0
m.uda 4,440 a i Mu
Moeda de cobre 3 por 400 de diaeoala.
Uncontode hilb. da Alfandega 4 por 409
ao arex.
ldrm deletrea de boa firaaaa 4 a 4 e |.
I*reamar do da 13 re Maio
'." a 7 luirs r. 'l'l ni. da in.iul.~i.
!. a S horas e l> m. da tarde.
Cambio >riie Londres 2S d. p. 41).
ti a l'aris 340 rei p. franco.
., Lisboa S'.la !)0 p. 400 de pr.
Omo- Moeda de 6.40U V. 4,000
N. 14.900
de 4,000 cV-OO
PaTi -i'alacea 4,680
muses da la no mez ue maio.
yuarl, ming. a 2 10 horas e 28 m. da manh.
l-ua Nova a 10-- s 0 hora e 40 m. da manh.
Quarl. rese, a 47 a 0 horas e 42 m da manh.
I.ua r-lieia a l'l :is 7 hora e 21 m. da manh.
liVl/WUO IE PE
MICO.
PARTE OFFICIAL
GOVKR.NO DA PROVINCIA.
BXRRDIENTE 00 DIA 27 DO P, I'.
Onicio Ao Exm. Sr. hispo diocozano .
nviando-lhe o exemplar de um projeclo acer-
ca da crdSCo de urna freguezia na povoacAo
da Varna, a fin. de que na conformidade do
que-resol veo a assemhla legislativa provinci-
al naja de ex por sobre este objeclo oseo pa-
recer.
Dito Aocommandante das armas respon-
dendo ab seo ofllcio era que d parto de se
Ihe terem apresentado ocapitiio JosCaetano
d'Andrade Camiso e alferes Francisco Pe-
dro do Reg Rarreto vindos da corte, e pede
se lhe declare qual o destino que Ibes deve
dar : que no tendo a presidencia recebido
parteclpacAo alguma sobre estes oliciaes, nao
podo sobre elles deliberar cousa alguma.
Dito Ao chele interino de polica res-
pondendo-lhe que pode proceder compra do*
livros, que requizilou em seoolliciode 22 do
correte pura os delegados e sub delegados
de polica aprcsenlando a conta da respecti-
va despeza para ser paga pela estaco com-
petente.
Dito Ao coronel chele de legio da G.
!S. de Iguarass cominnnicando-lhe que a
presidencia ten. por portara desla data cre-
ado um batalhao na freguezia de Itamarac ,
com a (lenomiacao de =. 2. batalbo = Ho-
rneando para major do niesmo ao cidadao
Francisco CordeiroCavalcanli, ao qual deve-
r ordenar que aprsenle acamara respecti-
va o alistan.ei.to, a lim de que esta proceda
a repartite das companhias e designe as pa-
radas deslas e do batalbo nos termo do art.
T>2 da lei de 18 de agosto de 1831, para o que
Ib i nesla uccasiio expedida a conveniente or-
den, dita cmara.
DitoA' cmara municipal de Iguarass
scientilicando-a do conteudo no precedente
ollicio e ordenando-lhe que proceda a res-
peito da crcaeio do batalbo como lhe incum-
be o art. ">2 da lei de 18 de agosto de 1851.
dem do da 28.
Dito Ao inspector da thesouraria da fa-
zenda devolvendo-lhe o pret do destaca-
mento da guarda nacional da commarca de
Pao do Albo pertencente ao mez de dezem-
bro ultimo a lim de que o mande sal sfazer.
Dito Ao director do lyceo, signiiicando-
Ihe que tendo chegado ao conhecimenlo da
presidencia que o professor publico de pri-
men-as lettras da villa Jo bonito Jos Caeta-
no de Mora es nao se tem apresentado para
exercer o seo magisterio desde 2o de junho
do anno prximo passado, dia em que ex-
pirou a Iicenca de dous raezesque obteve da
mesnia presidencia ; cumpre que fa?a proce-
der sobre este objeclo nos termos da lei pro-
vincial n. 1." de 10 de junho de 18o".
COMMANDO DAS ARMAS.
EXPEDIENTE DO DIA 2 DO COBUE2ITE.
OITicio--Ao Exm. Presidente, informando
o requeiimenlo da pai do soldado Francelino
Bernardo dos Reis que pedia demieco para
seo filtio allegando ser menor de 18 annos,
beni que maiorde 17,estando por issoisentodo
recrutamento e nao comprehendido no es-
pirito da lei que s manda assentar praca
nos cidados de 18 a 58 annos de idade.
DitoAo mesmo Exm. Sr. requisitando
o seo deferimento a supplica da Dernardino
de Senna soldadodobatalhaodeGuardasNe-
cionaes destacado que pedia scrdelle exclui-
do por tersido individameHte designado.
Dito-AomesmoExm.Sr.,remeltendo-lheos
requerimenios dos soldados do batalhao de
1 Guardas Racionales destacado Joze Francisco
| Calazes e Antonio Joze dos Santos que
! sendo inspecionados pela junta de saude fo-
j rilo por ella jidgados incapazes do activo ser-
I vico
DitoAo Exm. Presidente da provincia da
Paran i ha do Norte, remettendo-lhe a guia
do aderes Joaquim Soares de Souza que re-
gressara da provincia do Maranho para
ondetinlia marchado em Julho de I8r(!.
THESOURARIA DA FA2EN0A.
EXI'KIHENTF. DO DIA 2 DO CORRERTE.
Ollicio Ao F.xm. snr. BaraoPresidente
da Provincia inlormarido o requernieuto de
.! o.iii i ii ti i Joze de Miranda Jnior sbreos
fiadores que ollerecem a lim de entrar no
exercicio do lugar de Thesoureiro da Alfan-
dega.
Dito Ao mesmo Exm. snr. idem o de
| Martinho de Mello e Albuquerque em que
i pedio Iicenca para mandar tirar o duzias de
i pranxoes de amarello as mattas da l'asen-
; ta publica contiguas ao seo engenho Verde
' Flor de L'nna na commarca do Bonito.
Dito Ao snr. Inspector da Alfandega ,
, parlecipando a noineaeao do sur. Tlieodoro
I Qiavanues para exercer ad interim as func-
cnes de Cnsul da Suissa nesta Provincia.
Igual partecipacao se fez ao snr. Adminis-
i trador da Meza do Consulado.
DEM do Dl.v i.
Dito-- Ao Exnl. snr. Baro Presidente da
Provincia informando o requerimenlo de
Francisco Antonio Iicenca para condtisir pelo rio Unna as ma-
deiras, que corla nas suas maltas.
Dilo Ao snr. Inspector da Alfandega ,
[scientifJcandp que icndo S. M.o I., porDc-
| cielo de 51 de Mareo ultimo nomcado J. J. de
! Miranda Jnior para o lugar de Tliesourei-
ro da Alfandega; e havendo este j prestado
j na Thesouraria a llanca que a Lei deter-
! mina : eumpria i|ueo lizesse entrar em ex-
i crcicio.
IDKM 1)0 DIA 7.
Dilo Ao Exm. sor. Bajito Presidente da
Provincia informando o requerimenlo de
Carlos Evaristo Justinniano da Silva, em que
pedio a diQercnca do valor dos man timen tos ,
que recebeo no Arsenal de Marinha.
Dito Ao mesmo Exm. snr. idem o do
2. Tenente reformado Joan Arcenio Harboza ,
em que pedio o excesso desold, e gratifican
i caoaddicional.
Portara Ao snr. Thesoureiro dos or-
j denados mandando pagar a Francisco Bap-
! lista de Almeida Escrvo dos Feitos da Fa-
zenda o seo ordenado vencido do I. do Ju-
lho do anno prximo passado a 1." de Mar-
g do corren te.
REPART1CAO DA POLICA.
Parte das occorrencias.
Das partes, dadas pelo commandante gcral
do corpo policial consta que no dia 9 foro
prezos pela 1. palrulha da ra do ('armo Ve
Iho os escravos de nomes Manuel por estar
oceulto em urna escada, e Benedicto, por ser
encontrado adormir em urna canoa ; e pela
patrulha da' ra do Livramenlo as 11 horas da
noite e a requizco do portuguez Joaquim
Jos Ferreira da Gama o 1. sargento do cor-
po policial Valerio de Soiza Cima por ser
encontrado dentro da loja do mesmo Gama :
e finalmente que no dia 10 nao occorreo
noyidade.
con i; es PON i ENC i as.
4 COMI'AMIIA DO KIlimiIE E 0S I'ROJKCTOS D1C
km:\nami:.\to.
AltTIOO 2.
Snrs. Redactores.
Constando-me que na reunio de 7 do cor-
rente, acompanhiado Bebiribe. oceupou-se
de alguma manefra de minha corresponden-
eia ,J publicada ne-se mesmo din no sen es-
limavel Diario e que em resposla aos Cactos
por mim referidos em prova da superiorida-
de, que altribuo no meo projeclo de encana-
fnento em relaco ao dos Snrs. Conrado e Bel-
legarde. os membres do concedi deliberativo,
reeonhecendo em grande parte a exactido dt
quanto disse allegaran a (lescoiifianca de eui-
prego das machinas hydraulicas e o defeito da
agoado rio Bebiribe onde pretenda enoon-
trar o alimento dos chafarizes da cidade;
tenho solidas razoes para pensar que to im-
portante questao por mal esclarecida talvez ,
deixon de ser devidamente appreciada c por
isso julgo aintla do meu rigoroso dever. por
lilil mesmo da Compaabia e do Publico ,
aproveitar-me nutra vez dos seos lypos para
eombater to funesto erro repetindo os ra-
ciocinios que tive a satisfaejode levar por dif-
ferentes vezes ao conhecimenlo do sobredito
concelho mas que supponho nao haverem
oceupado assaz sna escrupulosa attencao.
A agoa do Bebiribe, be segundo dizem ,
de m qualidade, e para sustentar esta these
sobre maneira dillicil houvc quem se servis-
so da minha propria aulhoridadi;. He verda-
deque no meo relalorio de 15 de Fevereiro
de 1841, appresentado ao Governo da Pro-
vincia a respeito do projeclo dos snrs. Con-
rado e Bellegarde bascado em observaeoes
pessoaes mui incompletas, e na malvas l'ei-
la em Pariz palo snr. Dr. Mavignier das di-
versas agoas dos arrebaldes do Recite opi-
nei pela inferioridade da do Bebiribe : mas
enl.lo compart o erro do sur. Dr. Mavignier ,
sem advertir'que essa agoa represada no pan-
tano de Olinda pelo atierro de Santa There-
zae o varadooro, coirompe-se ueste logar e
seencherta de partculas vegetaes que a pri-
vo das ti nal iciades preciosas, que a distin-
guen! sendo tomada cima da Povoago.
[ilustrado depois pelo estudo serio da mate-
ria conbeci felizmente muito lempo o er-
ro em que laborara; cliegando por lim a
verificar, como uisse, na memoria annexa
ao meo projeclo de I de Janeiro p. p. me-
diante algumas experiencias eitas com o ne-
cessario zallo, apazar de nao mereccrem o
titulo de analyse completa que a agoa assim
tomada nao a presen lava o mais leve, indicio
de saes' clcanos emdissoiucao, e apenas conti-
n bal 11000 de chloruros alcalinos, os quaes
tange de prejudicarem sua bondsde do-lbe
pelo contrario a propriedade preciosa de con-
serva r-sc por longo lempo incorrupta oque
a tornou sempre preferivel para as viagens de
mar. O nico defeilo, que lhe descubro
actualmente he a conservac.o de certas par-
tculas vegetaes em suspenso ; porem uo
obstante ser esto deleito to commum que
comprebende tanibem a agoa do riacho da
prata nada havia de receiar por este lado
com o svstema de liltia.jo adoptado no meo
projeclo de encanamento ; e se insist pouco
neste ponto importante da questao, fo por
pensar que odesejo de examinal-o seriamen-
te levara o concedi deliberativo a consul-
tar como eumpria a socedade de Medici-
na nica authoridade competente para
resolvel-a na Provincia ; pois se me nao con-
siderasse a mim mesmo naturalmente suspoi-
to c quisesse invocar em abono da minha
convicc/io pareceres individuaes, sobarla o
dos snrs. Conrado o Bellegarde, que na pagi-
na 7 da sua broebura se exprimirn nos ter-
mos segrales a A sua agoa (Bebiribe) he de
1( excedente qualidade, sendo tomada cima
da Povoaco Por tanto ate que os peri-
tos procedo*ao exame d'agoa do Bebiribe com
mais madiiivsa e aceito muito medrares ra-
zos b para reputal-a excedente do que
para taxal-a de qualidade inferior como
se fez.
Tratarei a;ora da questao das maquinas-
Os Snrs. Conrado c Bellegarde nas paginas 8
e 0 da precitada memoria fallando do enca-
namento do Bebiribe, menciono tambem esse
meio como mili cabivel. e vantajosamenteem-
preeado em diversos paizes e so parecem
receiar de aproveita-lo no seu projeclo pelos
inconveniente* de interrupcAo ou ao menos
de perturbaban a que o considero sujeito.
Mas evilando-me este ncoveniente o duplo
systema de maquinas por mim adoptado e
os progressos immensos da mecnica talvez
algn cousa estranhos aos Snrs. Conrado a
Bellegarde, desaparece a nica objeceo opos-
ta pelos nieos antagonistas e ica completa-
mente justificado o encanamento do rio Bebi-
ribe pror oslo por mim ao conselho delibera-
tivo da Companhia.
Este porem nao he o ponto principal da
questao leudo com attengo a pagina 8 da
memoria dos Snrs. Conrado e Bellegarde. con-
hece-se bem que nao foro o auppostos inco-
venientes da.-, maquinas qus desviaro a alten-
cao desses Snrs. do Bio Bebiribe 6 sim a
conviccao de achar-se elle no ponto da Pooa-
co somonte um ou dous palmos cima da
preamar, e por consequencia abaixo do solo
da cidade ; cjnvicgo errnea que por mui-
to tempo tive igualmente e por fim renun-
ciei depois de verificar por quatro nivella-
mentos lirados com o maior escrpulo, e i-
gual resultado confirmado pela observatjio do
curso do rio nos terrenos paludosos que o cer-
co athe o sitio denominado = Peixinho 3=
onde se langa no pantano formado pela repre-
sa do varadouro que esse rio na povoaco a-
cha-se na realidade If palmos cima da prta-
mar. A falla de taes nivelamentos a a Ig-
norancia do nivel verdadeiro antes da pu-
blcacao do meu projeclo fizero errar muitas
pessoas, que desde muito lempo pensaro na
alimentago dos chafarizes com as agoas de
Bebiribe 5 e os Snrs. Conrado e Bellegarde
mesmo se se nao ressentissem d'ellas me te-
rio provavelmente forrado ao trabalho de re-
eligir o projeclo que submetti companhia ,
organisando osen no mesmo sentido.
Todava conservando a mesma opiniao a
respeito das maquinas e considerando como
imaginarios os receios por ellas inspiradas ,
acho que podem ser dispensadas na condc-
elo das a, jectei re'alisando-se a distribuigo respecti-
va no Recite sem a intervengan de mecanis-
mo algura.
Basta, segundo o parecer dos snrs. Uin-
rado e Bellegarde que sigo nesla parta a e-
levaco de 14 palmos cima do solo da cidade
para se operar a distribuigo d'agoa do modo
conveniente ( Memoria eitada pag. 11 linhas
lo, 10, 27. 28, e 20 ) ora estando es-
ta cidade 4 palmos (termo medio) cima da
preamar ser sulliciente elevar as agoas no
reserva torio de dislribuigo altura de 18 pal-
mos cima desse nivelo que se conseguir
com facilidade vista a altura de 16 pal osos ,
em que como disse est o rio na povoacio ,
tomando a agoa 300 bragas alem d'eUa por
urna pequea represa de dous palmos ou dois
palmos e iqeio e trasendo-a at a boa-vista
n'um canal de dous palmse meio de pendor.
Desl'arte icar menos bello e menos com-
pleto o encanamento e mais mesquinho o
sustema da distribuico da agoa por ser me-
nor o repuxo nos tubos c nos chafarizes e
nao se poder mais distribuir a agoa nas casas
sem alguma parleadicional-,porentserexequi-
vel o meo projecto que alias permite a coino-
didade de colocar-se depois ( querendo-se )
junto ao reserva torio urna maquina/raba de
vapor para de noite ou dimanh pela presstto
nos tubos de distribuico fazer subir agoa al
os mais altos sobrados da capital.
Fica por tanto demonstrado que indepen-
denle de emprego de maquina se obtero di-
rectamente as seguintes vantagens que apon-
lei na minha correspondencia de 7 do cor-
rente e nao se alcangarao com a execugo
MA


do projecto dos Srs. Conrado e Bellegarde.
\. I\i\'o d'agua duas ve/os e meia mais
consideravel.
2. Meios de conducco completamente se-
guros fornecidos por um canal de alvenaria
de. peiidor regular.
3.i Distribuicao d'agua duas vezei e meia
mais. abundante.
1. Filtrado da agua.
5. .Finalmente habililaco para dessecar o
pantano de Olinda c navegar o rio Beberibe.
As obras do encanamenl neste novosys-
tema nao excedero de i52contos dereis como
demonstrarei e desaparecendo pela suppres-
sao das maquinas a nica ohjeceo feita ao
meo projecto sua empresa se recommenda
naturalmente seria considerado da compa-
nilla do Bebiribe cujos interesses bem como'
os dos habitantes de Pernambuco cxigem por j
certo que ella seja examinada com todo o !
cuidado.
N'uma brochura que fico preparando para
ser prximamente publicada Iralarei com
individuado ,de todas as questoes agitadas a
cerca doencanamento controvertido: entretan-
to permitoSrs. Redactores, que nao acabe aqui
cslalonga correspondencia alimdedemonstrar
com a devida clareza pelo exime das respec-
tivas despesas aindisputavel importancia do I
projecto por nnm appresentado.
Ka miaba carta anterior tive occasio dej
confrontar as despezas dos dous projectos ri- '
vaes ; agora pondo de parte o que no meo;
respeita ao desseca ment do pantano de Olin-
da e navegaco do Bebiribe considerarei i
nicamente o encanamento deste rio e mos- i
trarei quaes as despezas em tres casos com
as maquinas hidrulicas por mim adoptadas
ao principio, com as de vapor, e finalmen-
te com a distribuidlo de agoa nos chafarizes
sem o auxilio de mecanismo algum.
(Jualquer projecto de encanamento consta
dequatro parles essenciaes e variaveis se-
gundo as circunstancias locaes e systema
nelle adoptado: a saber tomada d'agoa; enca-
namento : reservatorio : e obras que chama-
rei, de distribuicao. Comparados nestes pon-
tos os meos projectos com o dos Srs. Conra-
do e Bel legarde temos o resultado seguate :
Projecto dos Srs. Conrado e Bellcgarde,
fornecendo em 15 horas agua para 50 mil
habitantes por meios imperfeitos e sem
liltracjao nem destribuicao as casas.
Despezas de tomada de agoa 52 coritos
lulas de encanamento 371 ditos.
Ditas de reservatorio ... 27 ditos.
Ditas de distribuicao 104 ditos.
Total 534 con tos
Projecto meo numero 1 para conduzir as
portas desta cidade 50 palmos cbicos d'agoa
do ro Bebiribe por segundo, n um canal de
alvenaria e foniecerem 10 horas agoa ne-
cessaria a umapopulacao de 100 mil habitan-
tes elevando-a aos sobrados mais altos da
cidade : com (iUrac.no e emprego de maquinas
hydrsulicas como motor.
Despesas da tomada da agoa. 4 contos.
ditas do encanamento. 128 ditos
ditas do reservatorio. 07 ditos
ditas da distribuicao.. 200 ditos
encanamento, e reservatorio so naturalmen-
te di lloren tes nos projectos cima comparados,
porque sendo intimamente finados ao syste-
ma adoptado devem necessariainente variar
com elle e nao assim as da distribuicao, por
se referirem a trabalhos de idntica especie ,
que sAo pouco mais ou menos os mesmos nos
tres projeclos. Donde pois proceder que
ifummontem a 104 cootos o nos outros a
i 200 ou 230 estas despesas empregando eu
como os Snrs. Conrado e Bellegarde tubos de
i ferro e sendo o repuxo nos tubos dos meos
dois primeiros projectos maior do que no seo,
j o que deveria diminuir a importancia dasta
rubrica, e igual no terceiro? Semduvida ,
que ou de ser menos completa a distri-
buicao projectada por estes senhores ou
de se acharem aquem da despesa as uas
avaliacoes ; ou finalmente o que he mais
cerlo da existencia simultanea de ambos os
factos : e como quer que seja esta a nica
comparadlo rigorosa epossivel entre os nossos
projeclos ha porem de acontecer que a ou-
tros respeitos o projecto dos Snrs. Conrado e
Bellegarde offereca iguaes resultados temos,
que elle, apenas susceplivel da metade das van-
tagens pelos meios proporcionados custar
milito mais do que este, e istoso evidenciar
multiplicando a fraccol|2 expressiva das
vantagens relativas dos projectos rivaes pela
fraccao 1! 5 que exprime pouco maisou menos
as dispesas respectivas, sendo o resultado
i110 ou 2 ] 3 significativa da proporr-ao em
que est o projecto dos Snrs. Conrado e Bel-
legarde em relaco ao meo.
Termino aqui Snrs. Redactores para nao
estender mais os limites desta corresponden-
cia assaz longaem si, porem na verdadeacau-
dada para o assumpto, desejando que possa
embargar o passo da Direcco 'da Companhia
oa exeeucao do projecto -agora adoptado, fa-
zeudo-lhe conliecer que melhor ser para ella
renuncia!'a algumas despesas, por ventura
feitas do que comprometter seriameote a
sorle da companhia, privaodo ao oiesmo tem-
po esta Cidade da fruigo d'um beneficio que
merece e mais certo se tornar com a execu-
cSe do meu projeeto. Becife 11 de Maio de
1842. Sou Snrs. Redactores &0. &C.
L. L. Vauthier.
1*. S. Espero pela publcac/io dos documen-
tos a que se refere oSnr. Director da Com-
panhia com cuja coTrespottdenemMBibo de de-
parar no seu diario de boje para responder-
Ihe como devo e desejo fazer notando
que no caso de nao serem logo publicados es-
ses documentos lhes pouparei este trabalho.
que so deve marcar : os transgressores sero
multados de 10 a 15f rs. em proporcao a
jrandesa rio pantano-, o o Fiscal prorogar
por mais lempo nao exeedendo o do pri-
meiro praso cuja prorogaco linda e nao
Ultimado oatterro. ser multado no duplo
da primeira multa: e entilo o mesmo Fiscal
avisar ao Procurador da Cmara para man-
dar alienar a cusa do possudor.
Snrs. Redactores.
Para que nao recaa sobre o carpo de po-
lica o criminozo facto praticado pelo sargen-
to do mesmo Dorpo Valerio de Souza Luna;
queira inserir na sua folha a declaraciio se
guinte. O individuo de que. se trata foi
'campanha do Maranhao oo posto de sargento
ajudanie, e della voltando em lins do anno
passado com domissao engajou-se no corpo
de polica pelas boas nformacoes que delle
deroosSnrs. major Leal ecapitaes Cruz ,
e Lopes Guimares. Fste sargento fez la m-
bem a campanha do Para o lem attestados
de muitos olliciaes que com elle serviro e
que abono sus conducta e serviros attes-
tados laovaliozos, que com elles sejulgou
com direito de requerer ao Exm. Sr. Presi-
dente alferes do balalho de guardas nacio-
naes destacados. A" vista do exposto julgo
que o corpo de polica continuar a merecer
do respeitavel publico o mesmo bom concei-
to que al hoje tem merecido. Sou Srs. Re-
dactores
Seu V. e C,
O amigo do corpo de policia.
Somma 429 con tos
Projecto meo numero 2 offerecendo iguaes
vanlagens e. empregando como motor maqui-
nas de vapor:
Despesas da tomada da agoa. -4 con tos
ditas de encanamento. 128 dilos
ditas do reservatorio. ... 70 ditos
ditas do distribuicao. 200 ditos
Somma 402 con tos
Projecto meo numero 3 fornecendo urna
quantidade d'agoa igual a dos precedentes pro-
jeclos com as mesmas vantagens menos a dis-
tribuicao d'agoa as casas particulares, dis-
pensando o emprego de mecanismo algum:
Despesa da tomada da agoa. 4 contos
ditas do encanamento. .148 ditos
ditas do reservatorio. 30 ditos
ditas da distribuicao. 320 ditos
Somma 452 contos.
Se ao exposto accrecentar-mos que o orca-
mento dos Snrs. Convado e Bellegarde nao se
pode verificar constando apenas detrezeli-
nha's como se ve da memoria por elles pu-
blicada em quanto que o meo he verificare!
em todas as suas partes, por mencionar as mais
leves circumstancias coiihecer-se-ba que
qualquer dos ties ltimos projectos cima re-
feridos he iicontestavelmcnte preferivel ao
dos Snrs. (dorado e Bellegarde.
Aleni disto, as despesas da tomada d'agoa x
Srs. Redactores Instigado pelo dever de
procurar a propria comodidade, c conservadlo
da saude (sem damno do prximo) me derijo>a
Vv. Mm. afim de obler no seu conceituado
jornal um cantinho para a publicado de utn
lado que muito ioteressa aos habitantes des-
ta Cidade e vem a ser. Desde que temos
Cmara Municipal ndsta Cidade com o seu
sem pie completo estado maior de Empregados
e Agentes existe no princio do atierro dps
Allbgados entre a casa chamada da polvdra
e a que ltimamente se concluio da viuva do
finado Baptista, um terreno de propriedade
particular com seis centos palmos de frente e
outro lauto de fundo pouco mais ou menos ,
o qual lodos os annos se conserva alagado por
espaco de 3 4, G, mezes segundo a est-
felo da invern he mais ou menos chuvosa,
j e onde tambem se fazem despejos de irnundi-
ces do que resulta gravissimo incommodo a
lodosos visiuhos, que ali morao nao so pe-
la infernal algazarra que fazem os sapos a noi-
te mau cheiro que d'ahi vem, quandoo
charco est seccando : como pelas cmanacoes
mortferas que exalo d'esse pantano, conser-
vado dentro da cidade por tanto tempo.a des-
peito das authoridades e das posturas Muni-
cipaes de 10 de Fevereiro de 1835 Tit. 3. .
I.j (pie abaixo se traoscreve para conheni-
mento de quem ti ver de dar-lhe execucao.
Nao admira pois que sejo tan frequentes as
febres os catarros e um sem numero de
enfermidades, qne ceifo annualmente urna
boa parte da populaco desta Cidade outr'o-
ra a mais sadia do Imperio. Bem quisera ,
snrs. Redactores que Vv. ms. ou alguem
me dicessem quem he o culpado d'uma to fla-
grante itil'i .iccao di* Postura citada ou se nao
haver em Pernambuco quem a faga execu-
tar, para o bem do povo desta capital, em
cujo numero se conla=0 morador do atierro.
Titulo 5. 1. das Posturas Muncipacs que
cima se refere.
Os proprietaros de terrenos em que se
represem as agoas dentro da cidade sero o-
brigados a atterral-os ou esgotal-os dentro
do praso, que o Fiscal Ibes marcar preee-
dendo o mesmo Fiscal a exame com duas pes-
soas intelligentes sobre o terreno, e praso .
COMMERCIO.
ALFANDEGA.
Rendimento do da 12 de Maio J:5l7jOH
DKSCVRltF.GAO HOJE 15 DB MAIO.
Brigue Portuguez = Tarujo 1." = Fasen-
das vnhos vinagre, azeite, car-
nes e sebollas.
Patacho Americano = Lucy = Ch sabo ,
vellas barris com peixe caixascom
cidra miudesas junco tinas vast-
as atados grades aduellas e ar-
cos. '
Brigue Portuguez = Primavera = Fasendas,
ferragens caitas com sebo, pomada,
barris de vinho azeite latas corn
lampreias barris com peixe e ditos
oom carne.
Brigue Inglez = Chandebuch = Bacaiho.
Barca Inglesa = Columbas = FasendS, fer-
ro e crvflo.
K D I T A E S.
= Por ordem do lllm. Sur. Inspector da
Thesourara de Fasenda se faz publico o ofli-
cio que ao Exm. Presidente di Provincia
dirigi em 22 de Abril prximo lindo oche-
fe de Policia desta cidade a cerca de notas
falsas de dez mil reis do padro vermelho ,
que forao introduzidas na Cidade de Macei ,
e das differenc.as que tem as ditas Notas fal-
sas das verdadeiras. Secretara da Thesou-
rara da Fasenda de Pernambuco lOde Maio
de 1842.
Joaquim Francisco Bastos.
Ollicial Maior.
Oflcio
lllm. e Exm. Snr. OChefe de Policia
da Provincia das Alagoas acaba de participar-
me em Oicio de 11 do corrente mez que na
Cidade do Maceio tinho sido prezos dous
Portuguezes como introductotes de Notas fal-
sas de dez mil reis do padro vermelho e
que sobre as que lhe forao aprehendidas se
havia procedido a necessaria vestoria cujas
dilferen^as a respeito das verdadeiras forao
notadas e por isso tenho a honra de remet-
ler a V. Exa. o resultado da mesma vestoria
para seu conhecimento sgnilicando-lhe i-
gualmente que nesta data ordeno a todos os
Delegados que fac,o as necessarias indaga-
res a respeito dos individuos que taes No-
tas introduzirem e os processem como for de
Le, para serem punidos.
Deps Guarde a V. Ex. Secretaria da
Polica da Provincia de Pernambuco 22 de
Abril do 1842. lllm. e Exm. Snr. Baro
da Boa-vista.
Dill'erencas mais sensiveis das Notas falsas de
dez mil reis do padro encarnado.
O- I da palavra Imperio he mais prximo
da linlia intima da tarja aonde vem o Decre-
to do que as Sedlas ou .Notas verdadeiras;
o papel mostra perfeilamente ser de algodao e
incorpado cheio de fallas brancas as letras
quasi a rasgarem-se as linhas de agoa per-
pendiculares sao mui vesiveis (piando as ver-
dadeiras sao quasi impercepliveis; a tinta en-
carnada he bastante grossa e piasi cor de
lijlo, a tinta escura he mais clara do que
as verdadeiras e a tarja do centro he igual-
mente mais clara : e com algumas fallas do
tinta as letras miudas das palavras dez mil
reis dez mil reis Assignado Antonio Lu-
iz Dantas de Bai ros Le te Conforme. Fr-
cisco de Barros Falcao Cavalcante d'Albuquer-
que AmanuenseEst coniforme. O Of-
ficial Maior Antonio Jos de. Oliveira.
= Pela administrado da meza do consula-
do se faz saber que ne dia IB do corrente mez
porta da mesrna administradlo se ha de ar-
rematar urna caixa de assucar mascavado, e no
dia 17 do mesmo duas eaixas una de assu-
car branco e oulra de mascavado, aprehen-
didas pelos respectivos empregados dos trapi-
xes novo companhia e angelo por inexac-
tidfiO das taras ; sendo a arremataefio livre
de despezas ao arrematante. .Meza do consu-
lado de Pernambuco H de maio de 1842.
No impedimento do administrador
Fancisco Manoeld'Almcida Catanho.
= Pela meza de rendas internas provin-
caes se faz constar a todos os Srs. proprieta-
ros dos tres bairros desta cidade e povoaeao
dos affogados, que estando prximo avnen-
se o 2. semestre do corrente anno financeiro
da respectiva dcima urbana ; e nao tendo
muitos Srs. proprietariosainda pago os semes-
tres j vencidos vai-se proceder exeeutiva-
mente conlra todos os devedores. E para
que nao aleguem ignorancia mandei afixar
o presente e publicar pela imprensa. Rectfe
12 de maio de 1842.
Luiz Francisco de Mello Cavalcanti.
DECLABACOES.
= O arsenal de guena compra urna ban-
da de muzica militar completa nova ou por
pessasem bom uzo^; quem a tiver apre/en-
te-se com ella na salla da directora do dito
arsenal boje 15 do corrente s 10 horas da
manh.
O arsenal de guerra compra madeiras
com as dimenees e qualidades seguintes.
7 travs de 42 palmos de comprimenlo e
8 polegadas em quadro.
IBenchameisde 42 palmos, e (5 polegadas
em quadro.
12 ditos de 50 ditos, e I ditas de dito.
0 travs de 25 ditos e 8 ditas por una fas-
se e 0ditas por outra.
2 travs de 54 ditos e 8 ditas em quadro.
1 dita de 25 dito6 8 ditas do dita ; l.vdas
estas madeiras devem ser das qualidades se-
guintes: sapucaiadepilao sicupira mirim,inas-
saranduba piqui marlim mandeo lou-
roli jalob da folia miuda angelim amar-
gozo coracode negro e algum e:unacar
de caruncbo : as pessoas que tiverem taes
madeiras a cima ditas compareci na sala da
directora no dia 15 e 14 do corrente as 10
heras da manh.
= ContinuaQo da relaco dos devedores
do imposto dos escravos.
Jos Maria Seve.
Joaquim Concalves Ferreira.
Joao Maria Seve.
Joo da Cunha MajjalhAes.
Joo Jos de Carvalho Moraes.
Joo Nepomuceno Barrozo.
Jos Dias da Silva.
Joaquim Goocalves Viera Gumares.
Silvestre Goocalves dos Saotos.
Antonio Joaquim Pereira.
Francisco Gomes de Oliveira.
Antonio Annes Jacome.
Antonio Joaquim Pereira Bocha.
Joao Donnille.
Joo Oldhan e C/
Jos Comes Leal.
Paula Izidra da Costa Monteiro.
Luiz Comes Ferreira.
Francisco Antonio Pontual.
Jos Joo d'Amorim.
Jos Pires de Moraes.
Manoel Pereira Magalhes.
Francisco da Silva.
Jos Goocalves Cascao.
Francisco Xavier Cavalcanti d'Albuq.
T II E A T B O .
Descripcao do novo e variado exppctaculo
que had(! ter lugar terga feira 17 do corrente
debaxo da direeo do artista gimnstico Joze
dos Reis. Coineeara por urna escolhida peca
de muzica a que seguir urna excelente e ar-
monioza aria cantada por Madame Emilia


fia

meios ditos ns. 2ll c570 t 6. lotera da Boa-vista nos quaes tem so-
ciodade Theadoroda Silva Damas e Manoel
dos Santos Pinto.
Francisco Joze Alves Pitomba.
Antonio da Silva Cnsmao preciza
Fular ao 8r. Antonio de Sonza Barcellos, se-
nhor de unvi propricdade na ra cstreita do
ll< zario, ou com quem fassa suas vezes e por
Amanti, depois o director dezempcnhar dif- queira dirigir-se a na nova defronte da Igre-
ferentes Jogos cvolucoes oquilibros e ja da Conceico n. 103 para se lhe entregar
sortes asmis destintas na dilicil arte gim- urna carta viuda do Bio de Janeiro,
naslica com as quaos espera satisfazer a curio- cy Antonio Joze da Silva Lima; retira-
zidadc de seus espectadores tao bondadozos e | se para Luanda.
indulgentes e que tantos favores lhe tem *& Auna Luiza Correia de .Mello a vista
liberalizado em seguida se cantar um pie- i do annuncio de Francisco Caotano Proliro ,
rio/o J jocozo dueto pela mesma SenliOPa ele Custodio Moreira da Silva no diario de
Joze dos liis \ finalizado que seja se dezem- quinta feira 28 de abril do crrenle anuo.,
penharao os vistozissimos- Grupos Chine- sobro a caza de sobrado da ra de agoas ver- sso roga (pie este Sr. annuncie a lia morada
/es-juntando-ieao mesmo lempo asdiver- des, e o terreno na ra dos martirios res- pura ser procurado, ou dirija-se a caza do
tidas evolucdes do engracadrj Baile do Pulo- pande com o que determinado est na urde- > dito Cusmfio ; na na do qweimado.
icio tudo vestido ao estilo chine*; a conti- naco Hvro quarto titulo dcima, e paragra- A caza cita na na de S. Joze,
nuago tera lugar um novo e engraeadissimo fo tereciro e com o que diz o repertorio das
duelo com a sua competente scena da apara ordenaooes as palavras- cotiza- Ifttigioza sen-
a-Italiana em Argel-- msica do celebre Ido alguma couza nao se podo adioar, nem
Rossini, em seguida se executar o variado j vender e com islo a abaixo assignado relo-
e novo volteio ge ral pelo artista Joaquim dos lica o sen annuncio.
liis e dois jovens curiozos desta cidade em o j Auna Luiza Correia de Mello,
qual se verlo dilicilimas sortes de toda a; cy Preeiza-se de um Sr. Sacerdote para
destreza c agilidade em a nova Batuda cip-dam annual do Engenho pererecas tanto
Ingleza em sima de um cavallo natural a que o dito alem de suas ordens que seja la-
onde xecutaro todos porfia grandes expc- j viador di; canas para o que se lhe dar casa
riendas novas e que serijo vistas pela primei- e trra em porpoeo de suas torgas ,-e a con-
ra vez emesia cidade dezempenhando o pa-j tent e tanto para isso como para o ajuste se
pe de graciozo o director. Dando Ora a tao | pode entender lhe o iim deste mez com o ren-
perten-
cente a Antonio Pereira Pinto de Faria nao
pode ser vendida sem que primeiramente se
pague o debito do mesmo Sr. para o que se
proceden a arresto na dita caza ajiles da
htpotheca selebrada com Domingos Gallego.
A pessoa que no Diario de feira
variado c novo espectculo com a cxecucao(pc-
la vez primeira em cstetheatro ) da lindissi-
ma farga em pantomima ao estilo gimnstico
que tem por titulo-Xinguem as faz quo as rerecas.
deiro do mesmo Engenho, na ra da aurora
nico sobrado de um andar que nestarua,
e depois desta data no mesmo Fngenho pe-
nao pague -- ou 0 Santo ungido Oseu
graciozo enredo he conduzido com arte o a-
par'ato e quanto conducente ao seu bom de-
zempenho o verosimilhanea, e o director que
nao poupa fadigas e despezas espera que
ser recebida esla nova composico com a-
grado ; e lera igualmente acolhimento aquel-
le com que tem sido honradas as suas ante-
riores produces sempre aplaudidas e elo-
giadas.
N. B. Os Senhorcsassignantes e mais pes-
soas que tem tomado camarotes farao o ob-
ssy 0 Sr. Joaquim da Fonceca Soares de
Figueredo, queira mandar buscar urna car-
ta na praQa da Independencia loja de livros
n. 37 e 58.
= Quem liver urna escrava que tenha bom
leitc que a queira alugar para criar annuncie
sua morada para sur procurado ou v a ra
da (loria D. 50 c qualquer hora que achara i ci para que pessoa alguma posSa conlractar
0
do corrente, anriunciou desojar saber quem
recebeo em 182a da Bahia por interveneao do
Sr. Joaquim Joze Teixeira ( finado ) o dra-
ma Ilestauraco dz Babia, se faz scienle ,
que foi Francisco de Freitas Camboa. a quem
o mesmo Teixeira fazia a honra de se corres-
ponder por entermedio do Sr. Manoel Alves
Cuerra negociante desta provincia.
- O abaixo assignado faz publico que Fran-
cisco da Bocha Pinto lhe hipotliecou com pre-
ferencia um molatinho de idade de oilo para
nove annos por nomo Bento assirn como to-
dos os mais bens que hoiivessem de lhe tocar
em partidlas no inventario que agora sa finali-
sou por fallescimento de sea sogro o capitao
Sebastiilo da Bocha do Manara por cscriptura
cellebrada no anno de I8il em o cartorio das
hipothcas. K faz publico o prezente annun-
com quem tratar.
= Preciza-se de um rapaz que saiba 1er,
escrever e contar para servir em bilhar.
na ruado Viga rio D. M.
zequio de mandar recolher os seus respecti- Bcrnardino Comes deCarvalho. rcti-
vos biljjeles na segunda feira prxima sen-
do o em carregado da sua destribuioo o Sr.
Zehedeu Sezar.
ra-se para Lisboa.
SS&" A'o primeiro andar da quina da rua-
das Cruzes apromptao-se bandejas de bolo-
nhos de todas as qualidades assirn com.
com o hipothecante negocio algum com os
bens hipolhecados.
Joze quaquim de Mesquita.
Fma senhora cazada ede bous costu-
mes moradora em Dunda na na de S. Denlo
n. 28, se propoem a receber meninas como
pendonistas ou meias pendonistas como
melhor convier a seos pais para ensinar-lhes
al'r, escrever, contar, grammatiea por-
A VI SOS DIVERSOS.
se fazem podios de pao arroz ede pao de li | tugue/a cozer e bordar de toda a qualidade,
doces d'ovos como seja aletria papos de i lavarintos cortar e fazer vestidos locas e
anjos semedo pastis de nata e pAo de chapeos de lodas as qualidades, e querendo os
|t, tudo com enfeites de allinim e tarn- pais lambem se Ihes ensinar o franco/. mu-
= Sorberlo Moreira, subdito porluguez,; hem se apromptao lindos arvoredos para meio zica a dance : a mesma Sra. compromeltc-
relira-se desta provincia. de mesa com urna bonita columna de do- sea aprontar com a brevidade possivel toda a-
z= Manoel Alves Cuerra leudo sido cita- ees seceos com toda delicadeza, de llores qualidade de comer afilares acados tor-
do pelo Sr. fiscal da Boa-Vista para cumpa- de alnnim tudo mui bem feito e por pre- tas doces de lodas as qualidades; sendo tu-
recer peante o Sr. Dr. juiz municipal da 3. |co asss commodo a contento das pessoasque
quiserem.
Pi I nas vegetaes c universaes Americanas.
Fstas pilulas j bem conhecidas pelas gran-
des curas que tem feilo, nao requerem nem Correa de (oes tenha a bondade dirijir-se
diela e nem resguardo algum ; a sua com- ra do Crespo loja de Joaquim da Silva Cas-
vara para reparar a sua casa de dois anda-
res da ra velha, que se dizia estar com amea-
co de ruina ; requereo o supplicanle ao mes-
mo Sr. juiz, que mandasse por si mesmo pro-
ceder a (lina vestoria legal em dita casa pe-
los pintos que niilhor lhe parecessem ; a qual
teve lugar em 10 do corren te com assisten-
cia do mesmo Sr. juiz escrivao, engenhei-
ro cordiador da cmara, e piritos, que pres-
tando primeiro juramento dissero o que se
segu.
Que a casa nao ameacava ruina alguma ,
por nao ter fendas e nem do eslado das ma-
deiras e tra vejamen lo se deprehender esbro-J
amento e que o deleito que tem he feixa-
rem-se em cima as paredes, ms que isto
proveio da construeco tendo apenas urna
r.ixa ou leuda na cozinha que devia amar-
rar-se por alguns dentes, conservand--se dita
cozinha com algum reforco, e que os peque-
nos defeilos quo achavio no aprumamento
dos oitrtes provem da m construeco, e nao
deameacar pengo e qu por ora nenhum
risco lei ; corn o que lambem concordou o
engenheiro da cmara e nada mais tendo a
declarar mandn o juiz fazer este termo que
do feito com perfeico aceio e em conta
lambem se coze borda-se faz-se vestidos,
tocas e chapeos para fora.
O reverendo padre Antonio Dantas
posico to simples que nao fazem mal a tro a negocio de seu interece.
em lugar de debilitar I Francisco Consalves desde 1856 que se
purilicao o sanguo c. assigna Francisco Joze (onsalvcs, por haver
com ulles assignou.
Eu Francisco Ignacio de Athayde escrivao
interino o escrevi. Paiva, Manoel Alves Cuer-
ra, Prxedes da Fonceca Coutinho, Boulitreau,
.luao Baptisla Fernandes Placido do Boza-
rio Azevedo declaro em tempo que por o
perito Antonio Victorino Guimares nao sa-
ber eserever por elle assignou Antonio Mar-
celino Xavier. Eu Francisco Ignacio de Atha-
hyde escrivao o declarei. = Antonio Marceli-
no Xavier.
= Dezeja-se saber se nesta pra<;a existe
o Snr. Jos Bario do Monte poisse lhe de-
zeja falar a negocio de seu nteresse po-
dendo annunciar sua inorada para ser pro-
curado.
= Luiz Joze de Souza rotira-se para fo-
ra da Provincia levando em sua compa-
nhia um seu escravo de nome Antonio.
= Preciza-se de urna muiher de meia
idade que se sugeite a fazer o servico ex-
terno de urna casa de pouca familia ; e que
seja desembaracada na quina da ra Velha
que volla para a ra da alegra.
= OSr. Jjaquim Antuncs da Silva Castro.
mais lema enanca
fortifico o systema
augmentao as secreces em geral : tomadas
seja para molestia chroica ou somente Co-
mo purgante suave \ o melhor remedio que
tem apparecido por uo deixar o estomago
naquelle estado de constipaciio depois de sua
operagao como quase todos os purgantes fa-
zem e por seren mui facis a tomar e no
causarem incommodo nenhum. O nico de-
posito dellas em casa de D. Knoth agen-
te do author : na ra da CruzN. a7.
N. B. Cada caixinha vai embrulhada em
seu receituario com o sello da casa em la-
cre preto.
tsy Manoel Estevo Pereira Campos re-
tira-se para a Cidide da l:arahiba.
ss^ Manoel Lucio da Silva brasileiro, re-
tira-sc para o Aracaty a tratar de seus nego-
cios e leva em sua companbia um seu io-
leque de nome Valentim.
tT Joo Antonio Soares relira-se para a
Cidade da Bahia.
C5" Precisa-se de um cozinheiro ou cozi-
nheira livre ou escravo para cozinhar o
.jantai- ordinario de urna casa de familia sem
o trabalbo de fazer compras. e onus de
dormir fora da mesma casa ; quem estiver
nesta circunstancias annuncie.
ey Na ra do Bangel D. 5a, precisa-se
de um caixeiro portuguez de idade Halo
annos o qual tenha bastante pralica de ven-
da e d" liidor a sua conducta.
= Manoel Rodrigues Pimenta da Cunha ,
retira-se pora a Bahia.
13 Joze da Silva Dias, retira-se para
Lisboa.
%U- Joaquim llaimundo Lapmberg reli-
ra-se para Loanda.
S2J" Offerece-se urna parda de bens costu-
mes para ama df> urna casa de pouca familia,
ou de homem solteiro sendo o servido de casa
e nao de ra ; nu beco do Tambi D. (i.
Ficaft em poder do abaixo assignado 2
bilhetes inteirosns, 3902, elOlt), e dois
oulrode igual nome.
Lava-seo engoma-se roupa com mui-
to aceio e prec/> mais cmodo do que em mi-
tra parte ; os pertendentes dirijao-se a o pa-
tio do paraizo caza terrea de 3 portas I). 16.
Collegio Francez do Espirito Santo.
A directora deste collegio tem a honra de
participar aos paes de suas educandas e aos
mais paes de familia que pertendem mandar-
Ihe novas educandas que para tornar mais
fcil e menos dispendioso o provimento da
roupa que os estatutos exigido toda branca,
altera boje o I. do art. 7 dos mesmos esta-
tutos noisentido seguinte.
Art. 7. $ 1. O uniforme do collegio que
consta de um vestido brancoe singello com
um avental de sarja preta ser reservado u-
nicamcnle para os dias de sabida e de recep-
gao, licando ao arbitrio das familias mandar a
roupa da cor c qualidade que Ibes fizer maior
conveniencia para servir nos dias lectivos
em que ascollegiaes andao entretidas com seus
es'.udos no interior do cstabelecimento. De-
ver toda a roupa ser decente singeda e
sem enfeite algum.
Fico abolidas as disposiees dos estatutos
contrarios a este novo artigo.
A Directora.
Quem tiver para arrendar um cit.'o, qHe
tenha coqueiros e fruteiras perto desta pra-
Qa annuncie.
Xo botequim da uniao, preciza-se de
tm bom cozinheiro.
Perciza-sc alugar um sitio que tenha
caza de vivenda frueteiras e capim para
um cavallo c que seja perto da praca nao
excedendo do niaiiguinho : quem o tiver an-
nuncie ou dirija-se a na da cadeia velha N. 5.
Francisco Joze da Silva aviza au respei-
tavel publico e a quem convier que por
encontr de nomes iguaes acrecentou o rela-
xo dAzevinho o que fez constar por este
mesmo Diario em Setembro de 1838 o ago-
ra repetc assignando-se com o nome de quo
desde ento era de Francisco Joze d'Azevi-
nho o Silva.
O abaixo assignado faz sciente ao pu-
blico que se acha nomeado inspector das se-
guintesruas: atterro da Boa-vista ra por
detraz da dita beco dos ferreiros at o so-
brado quo faz quina para a ra lormoza di-
ta a traz da guarda at S. Amaro.
Francisco Comes da Silva Pereira Jnior.
Aluga-se urna canoa para 000 lijlos,
por proco cmodo ; quem precisar annuncie.
Dezeja-se falar com o Sr. Joaquim Joze
Gil para se entregar una carta em caza dt
FirminoJoze Flix da Roza ra da moeda.
O abaixo assignado negociante nesta
praca e morador na praca do commercio
declara ao publico que o annuncio de acre-
eimode nome nao se entende com elle.
Domingos Joze Vi eir.
Adverte-se segunda vez a certo socio
di? una sociedade o Sr. J. F. S. baja do
bir pagar o aluguer de uns globos na loja de
lotice atraz do corpo santo X. OU.
-Aluga-seo armazem, e andar do sobrado
de l andares da ra do Amorim defronte do
lerreiro Caetano : e o 1. andar do sobrado a-
marello da ra augusta, a tractar na ra do
vigario I). 12.
=Arr;nda-seo grande armasem da casa nu-
mero 1 II na ra da Moeda junto a casa de
Santos Braga e a casa de Firmino o qual
he ptimo para qualquer estabeleciment e
deita os fundos para o mar : no recife ra da
Conceicao loja X. 28 de Joo Maria Seve &
Filho.
= A senhora que annunciou no Diario
numero 102 de 12 do corrente acbar-se de-
sem pedida e sem lilhos para ama, e que
sabe bem desempeuhar a sua profisso : di-
rija-se a ra do muro da PenUa sobrado de 2
andares que achara com quem tractar.
=: O Reverendo Estevo Feliciano 'lavares
ollerece-se a alguns snrs. de engenho ou do
qualquer propricdade no mato, que precisar
de capelao, como lambem se propoe a ensinar,
Latim, Francez, e Msica e sendo baja quem
de seu presumo se queira ulilisar procurar o
mesmo em casa de sua residencia beco do
Burgos D. lo.
c? Precisa-se de um sobrado de um andar
que tenha cmodos para urna grande familia
ou anda de dois andares no bairro da boa
vista em na publica : quem a tiver annun-
cie ainda mesmo no bairro de Santo Anto-
nio1.
C^ Aluga-se umotimo preto para todoequal-
quer servioo interno e externo de urna casa
com grande familia sabendo cosinhar o dia-
rio de urna casa bom comprador e mui fiel o
que se afianza : na praca da boa-vista D. 4.
c^* Aluga-se um escravo para servente de
pedreiro. ou outra qualquer obra por ser inui-
to esperto na ra das cruses 1). 6 segundo an-
dar.
tsr'O Sr. FranciscoMartins Pessoa ou quem
suas vezes fizer queira annunciar a sua mo-
rada para se tratar negocio que lito diz res-
peito.
= Os snrs. que tem penhores do ouroo
prata no segundo andar do sobrado novo,
confronte ao tanque d agoa do porto das ca-
noas da ra Nova e com o praso j vencido.
os venho tirar ate o dia 20 do corrente -,
do contrario sero chamados por seos nomes.
OlTerece-se um rapaz portuguez, de
idade 18 annos, pouco mais ou menos,
(bogado ltimamente do Porto : quem se
quiser utilisar de seo prestimo queira an-
nunciar por este Diario a sua morada, para
ser procurado.
AVISOS MARTIMOS.
G5* Para Lisboa sahir no dia 20 do cor-
rente o Briguc Portuguez Josefina ainda
recebe alguma
carga e passageiros para o
que tem excedentes cemmodos ; quem qui-
ser carregar ou ir de passagem falle ao Ca-
gitao P. A. da Bocha ou em casa de Men-
des & Oliveira na ra do Vigario n. la.
ssr Para Philadelphia segu viagem nestes
10 dias a bem conhecida Barca Americana
Globe Capitao X. Eslins quem quiser car-
regar ou ir de passagem para o que tem ex-
cedentes com modos dirija-se ao Capitao a
berdo ou aos consignatarios L. C. Ferreira
& Companhia.
c^ Para o Bio de Janeiro segu viagem
com muito brevidade o Patacho Nacional
Aguia de Maugaratiba ; quem no mesmo
quiser carregar ou ir de passagem dirija-se
a (audino Agostinho de Barros, na praci-
nha do Corpo Santo D. 07 ou ao Capitao a
bordo.
/


r
w. wftMw iiEFJiJsigMiay y*< ffiy^fSL
O Brigue r.om Jess da lie Capito
Joo Rodrigues Amaro anda recebe urna
pequea porco de carga e passageiros ; os
modos para familia com grande quintal
murado e cacimba com boa a*oa, em chaos
proprios, cito na ra das Trincbeiras : a tra-
pretenden tes dii ijim-se a (Jaudino Agoslmho tar na ra da Cadeia do Recia n. 12.
de Barros ou ao Capito a bordo.
LE LA <>'
523- lima negra do gento de angola de
bonita figura de 18 anuos, cozinba o ordi-
nario lava de sabo e tem principio de on-
gommar : estreita do Rozario D. 33.
CJ- Uma preta crela de 50 anuos boa
coznheira lavadeira e vendedeira de rt:a:
nao se tendo clleituado em o da dts. nado ^ ^ D 1(,
por causa da chuva ficou trans crido paia Sementasde hortalica de Lisboa di-
buje 13 docorrente as 10 horas da
O leilo de4. P. AdoorA Companbia i
droes poltronas caixas para costuras me-
sas secretarias canaps de vanos fetios e
tamanbos, papel pintado mui rico para tor-
ro de casas, deelara-seque todos estes ob-
iectos sero vendidos pelo maior proco que
for ollerecido visto ser para lquidagao de
con tas,
ssr M. J. de SouzaCarneiro continuara o
seu leilao por intervenco doCorretor Ohvci-
ra segunda feira 10 do corrente as 10 boras
da manb na ra do Vigario D. 10 primeiro
andar de militas obras preciosas grande
parte uzadas e militas novas de ouro praia ,
e debrilbanles as (piacs nao forio vendidas
no primeiro da do leilao por falla de lempo.
C O M P R A S .
\ar 7 varas de bico da largura de um pal-
mo que seja bem feito : as 5 ponas pada-
ria D. 52.
= lua porco de varas dalgodo da Ier-
ra sendo bom a 200 reis a vara 5 quem
tiver annuncie.
cr Urna meza pequea com sua im-
potente gaveta em bom uzo
ta loja de fazendas I). 41.
na ra Direi-
VENDAS.
t-T Continua-se a vender artes de msi-
ca na praca da Independencia loja de livros
11. 57 e 58 e na loja deencadernardor n.23.
X3" Azeite doce a 4,800 e a carrafa a 040
dito de Garrapato a 3200 a caada e a garra-
fa 4 10, dito de coco a 2*880 e a garrafa a
400 /manleiga ingleza a 800 dita f.aiiceza
i 520 e 500 caixas com bolaxinba quadrada
a -2.)o60 e a libra a 200 rs. caf do Rio de
Janeiru a 4*K00 a arroba e a 100.a libra, dito
,1a torra a 6 e 200 rs. a libra cha isson su-
perior a 2*240 e 2<400 caixinhas com duas
libras de dito perola toucinho de Usboa a
10 e de Santos a 100 presuntos a -20 a
fibra liiM-oicas a 500, paios a 200 rs. pas-
saa200rs., espermaceti a 720 a libra do-
ce de goiaba assafales de Lisboa nozes ,
^mondoas sag a 280 sevadinba fannha
de Maranbo lombos de porco conservas
vinbo velbo engarrafado e de mais qua-
fidades sal de Lisboa a 1600 o alqueire :
na ra Nova venda 55 ao p da ponte.
Xj- l'm selim com freio em bom uzo um
oculo de ver ao longe : na segunda casa de
sobrado passando o beco largo da parle da
mar grande em fora de porlas.
SS7" l'm negro chegado a pouco do Mara-
nbo he excelente serventuario de botica ,
por ter tido pralica desde moleque : na ra
dos Quarteis B. 3.
. ssr Barricas de fannba de trigo franceza a
18, : na ra da Alfandega velba n. 9.
ssr. 48 travs de boa qualidade de 00 a 40
palmos toda ou qualqiier porgo : na ra
da Cadeia velha n. 5.
tsy (macabra bicho com dous lilhos e
com leite : na ra Nova D. 0 lado da Matriz.
tsr A venda da ra da praia confronte a
ribeira bem afreguesada com armazem :
a tratar na mesma.
C?- L'ma escrava do gentio do angola la-
dina de28annos, bonita ligura cozinba
o ordinario e lava de sabo a varrella : na
ra das larangeiras padaria I). 14.
cr l'm bote novo muito bom de vella .
proprio para divertimento, ou para bordo
de algum navio- na ra do Cotovello D. 50.
o' P
no assougue defronte da cadeia.
cy Bous escravos uro de 20 annos do
servgo decasa decampo, e he canoeiro .
e o outro de 20 annos canoeiro e pescador :
na ra da Cloria sobrado de um andar me-
dalo ao convento.
W* l'ma escrava de 12 a 1 i annos bas-
tante deligente e ptima para mumbanda :
na ra estreita do Rozario I). 51 no primeiro
andar por cima Ja retinaco.
tzr Bas caixas de tartaruga de superior
qualidade ; chegadas ltimamente do Araea-
ty e superiores bandejas: na ra da Cruz
armazem de trastes n 51.
s^r Na Cidadede Olinda junto ao theatro,
um morada de casa com duas frentes, cozi-
nba fora um grande quintal com cacimba ,
que da agoa todo anuo : a tratar na mesma.
ssr 00 sacos vasios em bom estado e por
proco com modo : na ra do Amorim venda
n. 105.
zzs- Sal do Ass a bordo do Brigue S. Ma-
ra Boa Sor te ancorado defronte do trapiche
novo > a tratar na ra da cadeia do Recife
n. 4o.
cr l'ma canoa que se est linalisando de
fazer que carrega 000 a 700 lijlos a di-
nliero ou a troco de lijlo sendo de boa qua-
lidade para a examinar atraz dos Martirios
estaleiro de Vicente Fcrreira de Barros c
para o ajusli na ra da Praia serrara do Car-
dial.
v* l'ma escrava do gentio de angola de
1 a 10 annos : em fora de portas n. 2l2 ,
jnnto a venda de Biogo Bodrigues.
BJ" Bous relogios de ouro, patente inglez,
sabonete muito bons reguladores por pre-
go commodo : na fabrica de licores na ra de
S. Rita Nova.
KST Farinha de mandioca em sacas bas-
tante grandes por prego rasoavel : no ar-
mazem de Antonio Pereira da Cunlia na ra
da Cruz n. 14.
tsr Por prego commodo seis vaccas do lei-
te novas e muito boas, lilhas do pasto de
S. Antt iesto paridas de pouco c duas
prximas aparir : no pateo do Tergo sobrado
de um andar 1). 12 da parle do poente.
izr Bas prelas mogas de lindas figuras ,
saliendo com perfeigo engommar cozinhar,
e todo ornis servgo ; uma moleca de 10 a
18 annos com principio de engommar; uma
escrava com bom leite com uma cria de 2 me-
zes ; dous moloques de 10 a 18 annos pro-
prios para todo o servgo ; uma negrinha de
12 anuos: um preto de 21 annos bom traba-
Ihador de'machado e fouce-, uma preta de
18 annos, costureira engommadeira, e faz
lavarinlo de todas as larguras: na ra do Fo-
go ao pe do Rozario B. 23.
C5" L'ma preta recolhda, perfeila coz-
nheira e engommadeira; um casal de es-
cravos, sendo a negra cozinheira doceira ,
engommadeira e costureira ; 4 molecotes e
5 escravos para todo o servgo ; um pardo
bom pagem e um dijo bom carreiro : na
ra do Agoas verdes B. 58.
tu" l'ma casa terrea em Olinda do lado
dreitoda Igreja do Amparo, indo para a
Misericordia, B. 8 com duas salas 5
quartose quintal : na ra da Guia sobrado
de 5 andares B. 38 ou em Olinda a fallar com
o ollicial de Jusliga Felippe.
CJ" Fin relogio de ouro patente traballia
sobre um diamante : na ra larga do Roza-
ro B. 0.
tST L'm terreno alagado com parte ja ater-
rado com plantas e vveiro com peixe loni
frente para a ra da Aurora e para a do Hos-
picio : na ra Nova B. 27 a penltima loja
r l'm moleque ladino mui experto e sa-
dio proprio para qualquer cilicio de idade
de 12 annos: na ra Nuva defronte la Igre-
ja da Coneegao 11. 1.05.
X3- m tiansolim de ouro de le com -j
oilavas : na ra do Cabuga I). 3.
\sr A venda cita na ra larga do Lozano
B. 1 : a tratar na mesma ra D. 20.
xsr Ve lias de carnahuba de boa qualidade
a 320 a ibr e em porfi 500 rs. : na
ruada Manool cuco 1). i lado dneito.
C7- Bas casas de sobrado uma de uoiis
andares o 3 lojas na ruado Fogo n. 582 na
quina do beco do sarapalel e outro do um
andar contigua ao .filo beco H.-5I5, ambas
em chaos proprios : na pracinha do Livra-
menlo solnado B. 22.
tzr l'm sobrado do 2 andares e solo na
ra de Agoas verdes : na ra do Livramento
botica B 1 i. .
%SF Jo/e Antonio Comes Jnior veudc
no seu cscrlptorio ra da Cruz D. 12 sa-
cos com alqueire de farinha de mandioca, fe-
la na Muribeca mulo lina e alva pelo pre-
go de l.i reis.
W Uma armaco propria para miudezas
ou fazendas no atierro da Boa vista : a tra-
tar no mesmo lugar loja dn seliro.
= Vendo-se ou Iroca-se por urna parelha
de carnoiros ou por urna cabra parida boa
leiteira com as crias que, livor, e se for al-
gum maxo melhor ; :im bicudo bom cantador
eantigo, em sua gaiola d'arame: quem qui-
' sor lser esse negocio dirija-se ao sitio do
Morgado em Santo Amaro, que la achara
com quem tratar ; e bem assim uma gaiola
vasia lambem d'arame grande para ter pas-
saros.
= Um moleque de bonita ligura com lo
a 14 annos de idado com as habilidades se-
guintea : vender era una venda sem preci-
sar de outro ; e lambem vende azeite de car-
rapato na ra : a tratar na Boavisla hoco lo
Veras I). 0. a mesma um braco de balanga
em bom uso ; cal branca de caiar a 2.) rs- ,
e todos os mais gneros pertencentes a dita
venda e por commodo prego.
>v= Pessas de brotaiihas de rolo de dez va-
ras a L>!)20 ; ditas de madapolo a 5,<200 ,
5.)800, e I rs.; ditas de gallo 4, 400, ditas
muito linos 5,> rs.; pessas de chitas a 5*600
e0.) rs. ; ditas nimio liins 7).'i00 eovados
100, 1S0, o200rs. ; ditas do coberta 210 : |
pannos para cobrir mesas a I.) : fraiicfim li-
no 000 rs.; duraquea 010 o covado ; chales
de niitiin e chitas bonitas bonitos padroes a
b rs. ; suspensorios de buriaxa o 500 rs. o
par-, algodo trancado azul proprio para es-
cravos a 200 o covado ; cobertores muito en-
cornados a 2100: riscadinhos de todas as co-
res a 180, e 200 rs. o covado: silinetas li-
nas 500 is. o covado ; lencos de sarja linos a
2*400 5 ditos de selim lavrados de cores a 4.
eoulras mullas laseudas por prego^iommo-
do : na oja de fasondas do atierro da Boa-
vista B. 51, defronte da Matriz.
= Por mdico prego o segunle : urna ca-
ma de Jacaranda com seos pertences ; uma
cmoda um sof com assenio de palha ; li-
ma marqueza dita ; duas bancas 5 12 cadei-
ras com assento de palha 5 urna cama dangi-
co-, duas bancas-, uma meza de meio desala,
madeira de Congalo Alves ; e duas bancas de
condur: na ra Nova, junto Coneegao ,
loja de marcineiro.
v = Diccionario Italianuo por Joaquim
Joze da Costa e S em 2 volumes historia do
lhazil desde 1500 t 1815 em 0 volumes ,
retiro Espiritual Iraduzidodo francez liba
Incgnita, m resto de 4, 5 e 0 tomos por Co-
vn cartas sobre a Educagoem um tomo, Vc-
tor ou menino da selva em 4 volumes, ensaio
histrico poltico sobre a conslituco e go-
verno de Portugal por Carvalho descrip
cao topogrolica e historia da eidade do Porto
por Costa e igualmente existe outros livros
muilo elegantes os quaes se mostrara a
quem os quizer comprar 5 eo comprador !-
cirsatisfcito da comondade dos procos, na
ra da moeda n. 131.
i .__
o pegar leve ao Sr. Manoel Antonio de Souz
lilis na ra da Guia sobrado de o andar^
I) 58, qnegratilb ara com 100*, res.
13- Fugioem das de Fevereirt do corren-
te auno o pelo Joze bom conbecido pory
Joze Cordeiro trabalha no porto das canoas
para Olinda fS escravodo Snr. Juze Tlal ,
carcercro da cadeia dosla Cidade de 50 an-
nos baiio. calvo, olhos grandes: quera
,j pegar leve a praga da Boa Vista U. 4 que
ser rratilioado: assim como protosla-se nzar
com todo o rigor da le contra quem o ttver
occullado. .
tM B-se cen mil rs. a quera aprehen-
der o escravo Joo de nago congo de 20
annos, tem na testa duas carreiras de calom-
bnhos, com os mesmos no pedo tem um
pedacinhc tirado na orelha esquerda. em um
dos peitos uma mancha branca meio lulo ,
estatura regular : ::a ra dasCruzes B. H no
segundo andar.
s?r No da 20 do p. p. desapareceo um ne-
gto que no fallar parece crelo de nome
Jusliniaiio foi de um engonho, estatura or-
dinaria levou vestido camisa e caigas de al
godo, he chamado por aigunho Malhari;
quem o pegar leve a casa de Joo Maneel Ho-
(irifiues Valonea un ra larga do Bozario ou
noengenho Itapirema de Manoel Rento Ma-
chado que ser recompensad.
cr Nb dia 5 do corrente desapareceu uma
preta de nome Genoveva, de nago benguela.
costuma a lavar em Beberibe tem os signa-
es seguintes: boa estatura, feicoes grossas
levou camisa de algodozinho vestido de
listras amarelas e panno da costa em bom
uzo com nma costura funda em uma perna
junto ao tornozelo ; quem a pegar leve a na
do Cabuga loja 11. 4 ou na ruu larga do Ro-
zario D. 5 que ser recompensado.
es No dia 24 de margo dezapareceu um
negro de nonio Joo naco bauguella ida-
de 21 annos pouca barba alto falla bs-
tanle atrevessada tem um signal branco
em um dos lados de baixo do brago 5 quen
o aprender o conduza a ra do Amorim on-
de tem fabrica de moer cafe de Antonio \az
de Oliveira que recebera com mil res de gra-
tificacao.
se .Na noite do dia 5 do corrente pelas
horas da noite dezapareceu um preto que se
tinh chamado para conduzir alguns trastes
da rua do nogueira para O alono do allbgado.
levando um tacho, duas bacas de cobre c
um candiero e mais ultencilios de casa
pessoa a quem for olorecido ditos objetos te-
nha a hondada aimunciar por esta folha para
se procurar que sedar alguma gratilicaco.
= A sete anuos pouco mais, ou me-
nos, l'ugio desta ciclado um escravo de nome
Cezario nago rambinda baixo lio corpo ,
tem dois dentes da fronte da parte superior a-
cangulados a ponU de uma orelha cortada ,
e ao p da mesma uma cicati is de grandula
que suporou : tem ollicio de barbeiro e
partencia ao falecido Joze da Silva Cocino,
meslre barbeiro, u boje a seu herdero. No
anno de 1831, dia quarla foira de cinza,
fugio desta mesma cidade um outro escrav^o
de nome Antonio de nago Angola ofli-
cia! de tanoeiro bem preto mogo, olhos
na llor do rosto principiava a barbar, I01
escravo do falecido Zacaras de Aranjo Pimen-
tel creoulo tanoeiro que fora cazado com
a tobcm falecda Antonia Mara da Concei-
go falla do dito Mestre barbeiro Joze da
Silva Coelho e boje pertencente aos filhos da
mesma. Os aprebendedores de ditos escravos
os conduzo a caza B. 8 na rua do Fogo que
sero gratificados.
cr l'ma escrava de nago de 24 annos,
qnitandeira e com outras habilidades lam-
bem serve para o servgo de campo por su-r _
muilo possantc : na rua velha B. 41 casa de do lado do norte.
5 rotulas verdes. JS3" 55 caixas vazias para assucar a di-
tsr A venda da quina da rua do Arago ,nheiro ou a troco de assucar mascavado : na
que volta para a rua do Rozario da Roa vista, : rua da praia senaria do Cardial a prego de
e tem casa para familia i no botequim junto 5j reis.
ao theatro a fallar comoVianna. c? Bolaxaa 1^020 a arroba: na rua da
S^7~ Farelo em barricas chegadas ulti- sen/ala velha B. 50.
mmente de Lisboa : no armazem de loa- UF" Bous almfarizes de bronze, grandes:
quim Gonsalves VieiraGuimares no caes da na praga da Boa vista B. 16 ; assim como
alfande"*. compra-se a anathomia de Soares Lranco 011
tsp l'ma casa de sobrado com muitos com- de outro, sendo ora portuguez.
ESCRAVOS FGIDOS.
SST Fugio dias um escravo crelo de no-
me Francisco de 19 annos alto, tem o
corpo em proporgo beigos grossos e fovei-
ros ps palbetados, levou vestido camisa
it cOgasde chilaazul : quem o pegar leve a
casa de Joo Pinto de Lemos & Filho que
ser gratificado.
t^r No dia 20 de Maio de 1811 as 8 horas
da noute indo lazer o despejo desapareceo o
escravo Jacinto de nago rebolo de 20 an-
nos bonita figura apontando-lhe o buco ,
cor bstanle preta com uma marca no poito
esquerdo a imitago de urna ancora, Talla
mu descargada,e toma bastante tabaco; quem
MOVIMENTO DO PORTO.
NAVIOS SAIIIDOS NO DIA 11.
Cear 5 Patacho Brasileiro 4 de Maio, Cap.
Joze Antonio da Silva carga varios gene-
ros, passageiros Br.' Padre Joze de Mallos
Silva, 4oaquim Manoel Bantas 4oaqunn
Kstanislii da Silva Joo Manoe Joo
do Rio Moreira; portuguezes : Mauoel Joze
Salgado, Francisco da Silva Pereira., Jo-
ze Gonsalves Villar, Narciso Joze remira-
Canal ; Brigue Inglez Funchal Cap. Jo
Slabb carga assucar.
Kvnunos no da 12
Rio de Janeiro ; 15 dias, Rrigue Brasileiro
Boaventura de 105 lanel. Cap. ManorI
Luiz dos Santos equip. 12 carga carne:
ao proprietario Joze Consalves Fcrreira da
Cosa.
R ECIFE NA TVP. DF M. F. DE F. = W*
a


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EMFB42XS8_BYJH3P INGEST_TIME 2013-04-13T01:24:22Z PACKAGE AA00011611_04652
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES