Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04650


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anuo de I84'2. Quatta Feira II de
Toilo ;<" ili|iHil nt'ia mesimia ; da noi prudencia, miilfn jh, t enirpia: con-
l,auu>l) kobo prineijiiaaio*, t itienoi auonlado* rom iilniirac.'io cnirr as Narota mala
callaa. (I'rocUmai-o ila Aasemhlra Geral d i'rasil.)
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRASTRES.
fioianna, Va'aih, Riotrrande do Norte, na aegunila r sru frira.
Ronilo i> GM*J***. 10 a 24.
Cabo, Sarinhaen. Rio Furniom, Porto Calvo, Maccio, e Ala'oas no 1 44, t 21.
Pair 13. Saalo Anlao, quinta faira. Olinila ludo* na das.
DAS DA SEMANA.
i| ,._ ,, GrigaTtal Xnimmiieno B. Clianc. Aud. do J de D. <12.t.
|il Tem. s. Antn i no Are. IWI. Aud. do juii de Dimito da 1, raa.
44 Qua'rt. An*lacio M. Chnnr. Aud. do .1. de D. da 3. t.
12 Ouial. loanna Prinreta. A lid, do juir. de D. da vara.
43 Sit. !* Sra). dos Mrtires. Aud,' do J.deD. ta 1. v,
44 Sah. a.(l. Re. Aud. do J. de D. da 3. y.
l. Dom. Pajcoa do Espirito Santo s. Idoro Lavrndor.
aiu.
Auno XVIII. N. 101.
O Diario publica-se todos oa diaa que n.oortm Santificado*: o preeo da aiaigaatnra ha
detreaaail res porquaMtl pa|o adiantados. Oa annuncioa doa sigaantta auo maaridoa.
Crau, eos dos que o afutren i razto de SO reis por linba. Aa reclaaace* davaa* aar
dirigida* a -ta Tipografa ra das Cruiea 1)3, ou a piafa da Independencia lojat da litroa
Numero 37 ( 3S. __________________
CAMBIOS mo da 10 de Maio.
Cambio sobre Londres 2S d. p. I. P*TA- Paio.Column.re.
,. u Pai 3i0reiap. fran.-o.
Lisboa 89 i'O p. 100 de pr.
OoRo-Moeda de 0,400 V, l.000
.. N. 14,'JO
de 4,000 H.200
riUTA-PalaCe* i i*M
Mexicano*
4.80
mmda 4,440 a 4,46(1
Moeda de cobra 3 por 400 da diacoato.
Disconlude billi. da Alfanda 4 por 401
ao maz.
dem de letra de boaa firma* 1
. le ,.
f reamar to dtu 11 de Mhio
1." a ii lioraa e 6 m. da man-."i.
2. a (i horas e .10 in. da tai de.
PHASES DA LOA NO MEZ UE MAIO.
Ouart, m.ns. a 2-s 10 lloras e 2.S m. da manli.
La Nuva a 40 s 11 huras e 4! m. da in*nli.
Qnarl. tac. 47 -- ka !* horas e 42 m da manb.
La chaia a 24 i* 7 horas < 21 m. da maiih.
IIIA R
l>E
PARTE OFFICIAL.
TRIBUNAL DA BELACU).
Sesso do 10 do corren te.
Na appellaco civel do juizo da cidado da
Fortaleza do Sea, apellantes Jo/e Antonio
Machado e sua mulher c appellados Joo Ze-
fernode HollandaCavalcante, e sua mulher,
escrivo Jacome ^ nao se tomou conliecimen -
la do recurso de appellaco por ter o mesmo
sido interposto forado termo legal.
O aggravo de petico de Fermianno Joze
Rodrigues Ferreira do juizo da 3. vara do ci-
vel desta cidado leve proyimento pelo tri-
bunal.
O aggravo de petico de Francisco Ferreira
de Mello do juizo dos orlaos tiesta cidade foi
to bem prvido.
REPARTICAO DA POLICA.
Pessoas despachadas no dia 0.
Rio de .Janeiro : Sizinando, preto escravo
de Jos Vicente Ferreira de Barros.
Dito: Mara Jacnlha Percira, brasileira,
levando enisua companha seos lilhos me-
nores de nomes Joo Stiro Francisco e
Anna o sua criada de nome Ambrozia da
Conceicfto.
Sergipe : Manocl Antonio Torres, por-
luguez.
Cear : Joao pardo escravo do Joo da
Rocha Moreira.
EXTERIOR.
LISBOA 10 DE MARCO DE 1842.
A's nove horas e meia da manda.
Com a majpr satisfagao nos apressmos a
levar ao conheciment do Publico que Sua Ma-
gestade a rainiiv araba de dar luz com o mais
feliz successo um Infante.
A pressa com que escrevemos nao nos per-
miltc obter informaces sobre ascircumslau-
ciasdeste fausto acontecimento que teve lu-
gar pelas nove llorase um quarto porque 6
necessario satisfazer immediatamente an-
ciedae com que o espera toda, a Nagao que
v um novo Penhor de paz ein mais esta ga-
ranta que a Divina Providencia se dignou
dar successao do Throuo e um motivo de
congratulaeo e regosijo na felicidade com que
a Mesilla Augusta Senhora sagrado Objecto
de Suati mais caras alTeicoes acaba de passar
por esse lance que nunca deixa de inspirar
serios cuidados.
RETROSPECTO POLTICO.
A Inglaterra acha-sc cm urna situacao me-
lindrosa tal como ainda np experimentou
dupois da grande contenda com o Imperio de
Napoleo.
As vastas posscssrtes da India at agora sub-
missas e tranquillas debaixo do jugo Britni-
co ensaio urna resistencia em escala gigan-
tesca ; e tem adquerid os insurgentes van-
tagens milito mais consideraveis do que as vic-
torias de Tpoo-Saeb esse formidavel inimi-
go que pereceu como um bravo as ruinas de
Jeringa patn. Um flho de Dost-Moham-
med, injustamente espulso do Reino de Ca-
bul ergueu o estandarte da rvolta c aca-
ba de passar ao fio da espada seis mil Inglezes
oommandados pelo general Elphinstone. As
guarniQes de Candahar deDelhi de Djel-
labad as tropas que oceupao os diversos
pontos do Affghanistan sao perseguidas por
torcas immensamente superiores os solda-
dos indgenas abandname Companhia das
Indias para seguir osseuj patricios n'uma
crusada dirigida pelareHgiao tanto como pelo
; espirito de independencia e os progressos de
Alhkai-Klian promellem urna lucia terrivel,
sanguinolenta cujos resultados nao podem
prever-se.
A expedicio Britnica (jue foi China no
tem gauho terreno a pesar da energa do sen
novo general Sr llenry Pottinger. Os lilhos
do celestial Imperio fogem.do litloralonde al-
canzamos canhoes europeos e obstnam-se
a nao ouvir propostas de paz e decommercio,
confiados no inlluxo doseu clima e nasdill-
culdades qasi insuperaveis de urna invaso
no interior do paiz., Esperam anniquihr os
Ingleses IbrQa de dilaroes e de perfidias c
de um combate de perseverancia cm evitar o
menor contacto com os ostrangeiros, que el-
lesjsabem distinguir dos outros lilhos da
Europa pois os denominamos barba-
ros rutaros.
As desintelligencias com os Estados l ni-
dos sobre a demarcaco das fronteiras do May-
ne e a ingerencia Ilegal dos cruzadores Un-
tan n icos na na vegacao Americana so de um
Carcter assaz grave para inspirar receios de
rompimento. Ros Estados do norte a ques-
(ao das fronteiras tem exasperado os nimos,
e preparado incureoes do territorio do Cana-
i da as Fstados do sul a captura de. alguns
I vasos Americanos tem dado lugar a propostas
furibundas as legislaturas locaes que tem
anegado a penetrar no Congressode Washing-
ton. Talve/ (|ue Lord Ashborlon, o Embai-
xador extraordinario da Inglaterra nao pos-
sa neutralisar e destruir estes odios apesar
dos ampios poderes de que foi munido.
As desposas que ha alguns annos excedem a
receila avultam cor*t>ideravc!iiiente cornos es-
foreos necessarios para ter mo no colosso que
i se abala [tara cahir. Sir Robert Peel quasi
que declarou a patria em pergo expondo
no parlamento as circumslancias polticas, e
odever de acudir voz da honra para susten-
tar a gloria Britnica.
Para habilitar oCoverno a mandar 10,000
homens India as ordens de Sir llenry llar-
di nge para man ter a numerosa esquadra
que deve por Albion em contacto com as suas
infinitas colonias o Ministro apresentou
um novoe vasto plano de providencias fiscaes,
precedido d'un lirilhante discurso cujo lim
era provar a urgencia de mais imposlos. En-
tre outras disposicoes prope un trihut de
o por cento sobre quaesquer rendimentos (\ie
excedoloO libras sterlinase a revisao da
pauta dasalfandegas para a reforma dosdi-
reitos em perto de 700 diversos objectos de
importaco. Cumpre advertir que a Bai-
nha Victoria teve a lembran^a de declarar ao
parlamento que os seus propros redditos
icariam sujeitos ao imposto no caso de ser
approvado.
Estas medidas producirn) extraordinaria
sensacocm umpovo essencialmente, hostil ao
tributo directo, e cujas rendas quasi quecon-
sistem no que indirectamente se percebe pa-
ra o fisco. No en tanto suppoe-se que o par-
lamento consciodo que Ihe incumbe no mo-
mento actual iiho deixar de sanecionar as
propostas do chefe do gabinete tory.
A Franca rejeitou a ratificaco do tractado
para a visita dos navios no alto mar porque
, a travez dos pretextos philantropicos a respei-
tod trafico da escravatura conhece a ini-
qua preteinjo de liscalisar e estorvar o pro-
gresso da navegago das outras naces. Es-
ta rejeicao que tem maior grau de forga em
presenca dos apuros da Inglaterra apre-
goada pelas folhas ministeriaes francesas como
! umactoirrevogavel, como urna prescripeo in-
i variavel para todo o governo que zelar a sua
independencia c os interesses dos povos que
dirige. An*irjna-se que o Rci Luiz Philippe
tem ainda outra seguranca para se pppor
ambiguo dos seus visinhos porque existe
una convenco secreta entre esse Monarcha
N AII RIj C O.
c a Repblica dos Estados-Unidos convenci
t|u-: se advinha na energa com que o general |
Casa Ministro Americano cm Paria redigiu
o scu protesto contra este traclado de visita i
celebrado, no finido anuo de ISU.
A marinda francesa que seaperfeicoa e aug-
menta e a qual ainda da pouco Sir Carlos Na- |
pier, juiz competente, teeeu um panagyri-
CO sobremaneira honroso acaba de adqui-
rir um reforco importante pelo Decreto que
manda construir inimedialamcnte mais iO
barcos de vapor de diversas dimensoes pre-
fazendo um total de 70 vasos desta naturesa
com que em breve [todera contar a esquadra
de Luiz Felippe.
O governo Francez foi aecusado de con-
sentir e authorisar urna tentativa dos llcspa-
nhes emigrados contra o poder de Esparte-
ro. Diviilgaram-se pormenores curiosos
precisaram-se particularidades que tornarain
o plano muito evidente e muito pouco bus-
ceplivel de vingar. A tribuna Ingleza e a
France/a denunciaram as pertencoes dos a-
gntes de Maria Cdristina e do alguns sec-
tarios del). Carlos as sommas que se ti-
ndam despendido as reunios que se elleo-
tuavam a compra de armas e de muniVoes ,
e a agitaco que boriecava a reinar nos dep-
sitos mais prximos da fror.teira.
Agora alfirma-se que Mr. Guisot reconhe-
ecu a necessidade de recuar, e de suppor
impossivel o desar consequente i ims&lo de
Mr. Salvandy. Os emigrados Christinos que
se achavam em Bordeus, em Byonna em
Pan em Toulouse e em Perpignon foram
internados Cabrera o preconisado chele
da expedico retrograda vigiado de perto
em Lvon. e at parece que o governo
Francez acaba de authorisar os refugiados
para se transportarem a Argel pagando-Ibes
a riagem e ministrando-lhes os necessarios
soccorros.
Esta colonia de Argel prospera e fortifica-
se cada vez mais gracas aos disvelos do gene-
ral Buyeaud reliquia do grande exercito
Imperial alumno da eschola militar assig-
nalada por cem victorias. O Emir Abdel-
Kader outrra potente etemivel na propria
capital das conquistas francesas foge hojeao
desamparo sem artilheria sem bagagens ,
e sem exercito para se acollar aas deserlos
que preceden) os dominios do Imperador de
Marrocos os sitios onde esse rabe tinba
d'antesasua residencia servem actualmente
para o ocampamento dos tropas europeas.
A Austria contina a abrir communicar
ces internas, estradas de ferro, pon tes ,
e canaes. A poltica de Metternich liga ain-
da esta potencia aos interesses da Gro-Bre-
tanda e a atlasta da allianca Franceza que
poderia affian(;ar-lhe um futuro lisongeiro e
obstar a gradual perda da influencia poltica
que sofre esta naco desde a famosa reunio
dos Soberanos no Congresso de Vienna em
813.
Prosegue a Prussa n'um rpido desenvol-
vimento proprio desta nar"joven activa
e bellicosa. O Soberano Ilustrado que a
rege comeca a entender o valor da liberdade
dos povos e authorisa a discusso da im-
prensa percursora de outras garantas. A
Prussia cessou de fazer causa commum com
o Czar do qual s podia ser satellite, e vol-
ve a sua attenco para a Allemanha onde
quer ser. centro d'attraccao. Um principio
vivilicanle e grandioso a liga dos alfande-
gas AllemSas devido ao seu esforco come-
c;a a regenerar a industria a desenvolver o
commercio a toafundir os interesses a
concentrar as populacfies e a por um termo
4s divisos C ao fraccionamento do urna gran-
de naco, sacrificada ao monopolio e ao
egosmo dos inimigos do prpgresso.
A Russia tornou-se apparentementc im-
movel. Acadaram os grandes acampamentos
as fronteiras da Turqua ou as marchas dos
Cossacos para as margeos do Niemen e do
Vstula. Licenceou-se parte do exercito o
outra parle trabalha as estradas e n outras
obras de publico proveito. A guerra da
Circassia reduziu-se a escaramucas permanUs
que equivalen] ao tcito reconhecimento da
independencia das tribus guerreiras que uel-
la liabilam e que nao valem metadedo san-
gue derramado para sujeita-las.
A cupido/, do Czar applica-se para a Asia ,
onde espera supplaiilar os seus rivaes domi-
nadores e j se conta o numero dos agentes
lussos que atravessam a Persia para levar ao
All'glianistan soccorros e promessas, queso
dilatarlo i medida que a victoria seguir as
operac/ies dos insurgentes.
A Turqua exanime e corrupta passa o lem-
po em intrigas para mudar os Ministerios
eenlrcga-se com interesse as pandilhasde
Izzet-Mehemet, e de Bfaut-Bey. Espera-so
O prsenle do Vice-Bei do Egypto a esqua-
dra que Ihe offereceu verbalmente para coo-
perar com a do Sulto mas olla nao chega,
e o scu dono fugiu para o Alto Egypto onde
se finge mili oceupado na agricultura para ga-
libar tempo e lugir as exigencias dos Cnsu-
les Europeos e s imporlunages dos exac-
tores da Porta.
A altilude decisiva da Hespanha para de-
bcllar o absolutismo o appello s guardas
nacionaes a formaco do exercito do norte
s ordens do here.ie Calho de Lima que
tintaran) em vao inculcar por traidor e venal-
cortaram pela raz as esperanzas dos que con-
tavio entregar esposa de Munhoz o domi-
nio sobre qualorse milhoes de habitantes. Os
P\ reos esto guardados, e a invaso nao
ha-de conseguir agora o que nao alcauc.aram
os temerarios conspiradores de 7 de Outubro
passado. A liberdade da Hespanha ha-de con-
solidar-sc mau grado das maquinarnos dos
seus inimigos.
INTERIOR.
PARA.'
DISCURSO DO KXM. VICE-1'KESIDKMTE O SK. DR.1
BER.NAUDO DE SOIZV FRANCO NA ARERTL'RA
DA ASSEMULA LEGISLATIVA PROVINCIAL
EM 14 DE ABRIL DE 1842.
Senhorcs mentiros da Assemblea provincial.
Cumpro pela tercena vez a le que me
impe o dever de abrir vossos interessantes
trabalhos e apprezentar-vos rea torio do es-
tado da provincia e com tanto maior satis-
faco o fac/>, quanto cont que coadjuva-
reis o governo as medidas necessarias para
sustentaco da tranquilidade da provincia, e
paia a tornarem prospera, opulenta, e ramo
llorescente e respeitavel da grande familia
brazileira sob o governo monrquico Consti-
tucional do Senhor 1). Pedro 2., e seus suces-
sores ; e tenho o jubilo de annunciar-vos ,
que S. M. L, e suas Agustas Irmas gozo
perfeita saude eque a marcha inteligente ,
e enrgica da administraco promette e as-
segura ao brasil o governo sabio, e vigoro/o
de que tanto precza.
Tranquilidade publica, e relages exteriores.
He com muito praier que vos posso com-
municar, que a provincia toda goza tranqui-
lidade e que jazem sufocados alguns ger-
mens de dezordsns, que anda em si cpnti-
nlia e nao ouzu alguns espiritos inquietos
passar de vaos dezejos contra o socego dos
districtos, principios, e actos da administra-
cao que os procura conter empregando de
preferencia os meios blandos ; mas prompta,
e disposta a empregar a forga quando nao
seja sulficiente paraos refrear nein acuelles,
nem a convicio que devem ter adquirido de
(ue as dezordens e.perturbacoes s&o sempre
fataes ao paiz que tem a dcsgUrca de as so-


mu
K
ti
i tn-MrES5SSSg
frcr aos cheles, que as promovecn c aos
incautos que a ellas se preslao 5 e que s ha
verdadeira liberdade ein o paiz coi que a bem
entendida lonja das leis e vigor daadmi-
nistrago puhlica respeita e faz respeitar os
direitos dos cidados protege suas vidas e
bens c pune irremcdiavelmente os que con-
tra ellos tento.
Empenhadoem manter traiujuilla a provin-
cia e assegurar-lhe futuro mais prospero.
tenho procurado execular con) religiozdade a
amnista a respeito daquclles que a mere-
ciao obtivero, e se teni portado de Borle a
dar esperanzas de mclhor comportamento fu-
turo^ c assegurar por outro Iodo os fiis de-
fensores da legalidade firme apoio contra per-
seguiges de um ou outro rebelde que se
lembre de os vir aecuzar por actos conteni-
dos em defeza da le e em ex pedilo legal,
como acaba de acontecer com um sargento
da guarda policial do rio Moj. Foi-me pre-
cizo uzarentoda authoridade, que a respei-
to da amnista me concedem o decreto, 6 ins-
trueces de 22de agosto, e superar a oppo-
zica que a este acto de justica azia o chefe
de polica dcsta cidade o bacharel Joaquim
Rodrigues de Souza. Os liis defensores da
legalidade mereccm por certo gozar a respeito
de qualquer falta, que podesseni eometter du-
rante as ultimas dezordens o favor do esque-
cimento lsngado sobre os crimes dos revol-
tozos c nem vejo porque devao ser estes i-
zentos do recrutamento e de servirem em 1.
linha nesta provincia ou no Sul para onde
tenho enviado e vou enviando os que eslao
no cazo do recrutamento. He urna occaziao
de prestarem servicos ao paiz que vao par-
tilhar con os amigos das instituiges, que
felizmente nos regem.
As fronteiras da provincia o seus limites
com os estados vizinhos tem sido ltimamen-
te respeitadas e continua ainila enlre o go-
verno imperial, o o britnico (roca de notas
diplomticas sobre o direito e posse dos ter-
renos banbados pelo riacho Pirarn e lago
Amuc. Commissoes exploradoras foro l-
timamente nomeadas ; dispoe-se a seguir a
que tom de explorar os terrenos do cabo do
Norte c rio Oyapock e de preparar traba-
Ihos para a commisso diplomtica ; e j par-
ti para o Rio Branco o coronel Joo Deli-
nques de Mallos encarregado de explorar os
terrenos contestados e munido de inslruc-
coes com que o dirig na forma das ordens
do governo imperial. Em lempo viris Srs.
no conhecimenlo do que se tem feito para
assegurar a provincia e imperio seus ant -
gos limites.
Torca armada.
A forga armada da provincia dignamente
commandada pelo brigadeiro Francisco Ser-
gio de Oliveira compe-se de 1,824 pragasde
1. linha que fazem o servigo della e exclu-
ziva da que esl destacada no Maranho, Pi-
auli c seguio para o Rio Grande do Sul ,
para onde durante os 13 mezes de minha ad-
ministrago tenho feito partir 407 pracas.
Toda ella e a guarda policial, que se com-
poe de 1 1 ,002 pracas conserva-se no melhor
pe de disciplina e he digna de todo o elogio,
e particularmente a for.ga do Amazonas e
sen bravo commandante o lente coronel Ma-
noel Muniz 'lavares que no meiodas priva-
ges e traballios tem conservado imeira dis-
ciplina c constante lealdade.
Inclu em o n.u cima o corpo de polica
provincial de 1. linha composto de 228 pracas,
destribuidas segundo o mappa que vos be
apprezcntado. Criei a companhia deste
corpo tenho-o supridocom perto de !00 re-
clutas escolhidos prehenchi os postos vagos
promovendo de preferencia os olliciaes, e in-
feriores do corpo como acto de justica e
meio de emulago, e estimulo que tem pro*
duzido lavoraveis rezullados e posso asse-
gurar-vos, Srs. que est mui beni comman-
d'ado pelo major Alfonso de Albuquerque e
Mello e om muito bom p de disciplina. Se
nao fura o vazio dos cofres provnciaes j eu
houvera crpado a 4. companhia mui Jie-
cessaria porm irapossivel de pagar-se e
nwnter-se na actualidad?.
Continua vago o posto de cirurgo c a se-
rem tratados no hospital geral militar os do-
entes do corpo pelos quaes at lirn de feverei-
ro pagavao os cofres provinciaes a despeza,
que fazio; mas que d*ento em diante or-'
denei pagassem a que Ibes coubese na pro-
porgo do n." dos seus enfermos. Tinha su-
bido o n." dos do corpo com o aumento do
pessoal do mesmo e estaco invernoza e
-mister era fazer esta alteraeao em que nao per-
de a fazenda provincial, nem a geral eque
he conveniente a ambas. Como por esta or-
dem interessa directamente ao Ihesouro pro-
vincial a economa as despezas do cstabole-
ta
71
o
cimento reliro-me Srs. relaco appensa
em que sao comparadas as despezas de diver-
sos Biez es dos an nos de 1810, 1841, e I8t2,
e se mostra que nao tendo diminuido a for-
(;:i de mar e trra diminuio niuito o n.
dos doentes e anda muito mais sua despe-
za proporcional.
A forga de mar sob as ordens docapitfr
tenentc Antonio Leocadio do Coutto cons'
de 10 embarcages de guerra jogando
bocas de logo, e tripuladas por 4 i I placas
Seu estado de disciplina he excellente e
capito de fragata Amonio Pedro de Carvalho
nomeado pelo governo imperial para vir ins
peconar a forga de mar desta provincia de-
clarou em olh'cio de 12 de le.vereiro do anuo
correte que o estado dos G navios, que llu-
via inspecionado no porto desta cidade era
o mais satisfalorio possivel pelo que respeita
sen pessoal, escripturagao aceio e disci-
plina ; e taes vantagens se nao cosluma obter
sem muito esforgo, e zelo do commandante ,
e mais olliciaes as suas ordens.
() restante da forga armada, os corpos po-
,'iciaes creados em toda a provincia conservo
disciplina e bem que dezarmados pela mor
parle presto-se ao servigo dos districtos,
e fazem o de destacamentos em alguns pon-
tos. Julgai. Srs., da sua disciplina pelo que
acaba de acontecer na freguezia do Rio Acara.
Sendo assassinado em seu sitio o alferes Bar-
tbolomeu Ferreira Torres, e correndo voz de
que lora o assassino o revollozo I'ehs Jos
Congalves que bavendo sido apprehendido
pelo'falescido e condemnado a pena ultima
pelo jury desta cidade fugira da cadoa, o
balalho'achou-se logo reunido, e sem avizo
no lugar da parada e prompto a explorar
as mallas em procura do assassino que se
julgava de combinago com oulros c quando
0 governo provincial primeira noticia fez
partir para o districto a escuna Rio Granden-
se com armamento muniges e urna cqni-
panbia de tropa de 1. linha j o digno com-
mandante militar major Raimundo Dinizde
Cima coadjuvado pelo juiz de paz do dis-
tricto fazia procurar os assassinos que forSo
apprehendidos e voltou a escuna e torca de
1 linha deixando em soeego o districto. O
.pie fez aguarda policial do Rio Acara fara
a de todos os districtos no momento precizo.
Culto publico, ccathequeze dos indios.
Viuva ainda a Igreja Pa'raense contina di-
rigida pelo Reverendissimo Vigario Capitular,
c Govemador do Rispado Conego Francisco
Pinto Moreira, cujo zelo pelo servigo de Dos,
e da Igreja vos he de muito conhecido. Co-
mo Membro da casa ter-vos-h elle occasiao
deexpor a falta de Parochos que soll'rem as
Igrejas seu estado de ruina o despreparo
em que pela mor parte esto ; e se em tempo
vierem os esclarecimentos por sen intermedio
pedidos aos Yigarios Geraes, e Parochos do in-
terior sobre a populagao das Parochias sua
diviso, e limites, espero, que vos sirvaes
melhor dividir as Freguesias da Provincia,
reunicdo algumas, e sub-dividindo outras.
Fsto em andamento as obras de algumas
Malrizes dirigidas na forma do Regulamon-
to, que em 17 de Julho do anno pa.-sado ex-
ped authorisado pela Lei Provincial N. 94 de
2o de Junho do mesmo anno. A relagao jun-
ta mostra quaes sSo as Igrejas, que tem pe-
dido e recebido prestages e quaes as que
tem enviado orgamento e planta da obra ,
que necessitao. Todas as Matrises preciso
mais ou menos conc nova a vista da exposigan dos Parochos ; e o
Regulamenlo citado expedido a todos lies
deu lugar a que quasi todas as Freguesias te-
nho nomeado Cmisso Directora das obras ,
e pedido meios. Suas reclamagoes vos yao
ser prezentes c fixadas as quantias precisas
paya este ramo de servico, espero. que
approveis o Regulamenlo que exped ,
e que entre as modificages que tenhaes
de fazer vos sirvaes incluir urna dispo-
zkioque obrigueos thezoureirosdestas obras
a entrar para os cofres com as quantias rece-
biilas e nao empregadas dentro do anno da
lei e primeiros trez mezes seguintes.
A Igreja Cathedral da Cidade faz com tudo
contraste com as Matrizes do interior e re-
parada de novo, aceiada e pronta preci-
za apenas alguns concertos as sacristas, para a
que j mandei dar meios das quantias roladas
na ledo orgamento em vigor cumprindo-
mc porem declarar-vs, que nao tem sido en-
tregues no todo as quantias lixas para factu-
ra e concert das igrejas matrizes nem he
provavel que o sejao pelo desfalque dos co- a
fres.
Aulhorizado pela lei provincial n. 80 liz
engajar em Lisboa um professor de orgao, e
muzica vocal o qual tendo chegado a esta ci-
dadeem Janeiro est j empregado na ca-
thedral' ensna em urna aula aberta ao pu-
blico no seminario episcopal e d hecies na
caza das educundas. Os termos do engaja-
mento que assignou em Lidioa o nesta
cidade vos darn conliecimento das obriga-
ees \ qoo selgou e son informado, que lie
iabil na sua arte e atbe compo/.itor eque
alem dos trabalhos a que BO obrigOU dall-
emos particulares de piano e coim-ca a in-
trodn/ir o goslo de boa mr.zica que tanto
concorn- para suavizar os costumes c estrellar
os lagos de amizade enlre os habitantes de
qualquer paiz. Ol orgao novo para nossa es-
\- plendida cathedral e um piano, mesmo u/.a-
do para a aula de muzica do seminario sao de
mui grande precizo, e vos habilitareis o go-
verno provincial para os fazer comprar.
Va i ser Migcita a vossadeliheragao a repre-
zentacao do vigario da prochia de Colaros ,
que pede a transferencia della para o lugar de
Porto Salvo viznho daquella 5 e ouvida a
cmara municipal do termo concorda na mu-
danga como veris da reprezcntaeao e do-
cumentos que vos vao ser apprezentados.
Vos decidiris a este respeito como mais con-
veniente c justo enienderdes c tendo at-
tengo tanto aos fortes motivos, que torno
necessaria a transferencia como que val
ser assim extincta -de lodo a povoarfio, onti'o-
ra villa de Colares situada em linda, c a-
prazvel pozicAo sobre a margem do grande
rio que banha a nclita Relem.
A quantia lixada para pagamento de con-
gruas atrazadas nao fo gufficiente eotre-
zouro Provincial tendo-a excedido em rs.
7"t:\.i410pedio approvago deste excesso, c
authorizagfio para continuar os pagamentos.
Approvei os j fetos \ mas determinei que
se esperasse o anno do orgamento futuro para
os continuar e cont qu tomareis em consi-
derago esta represenlaco do tliezouro ,
(leracao esia rupreseiuar.-ui uu iniv.imiu -- r..... ------- o >- -
que votareis para esta despeza quantia mais cipal conforme mais conveniente lor.
1 I..;.., .. aiiIk H,*e nifi llll !l til!
avultada ; porque he sem pie qUantiozo oa-
trazo em razfio das distancias dos lugares ,
que impedem parochos de requerer e rece-
ber em tempo suas congruas.
A cathequeze dos indios nao tem produzi-
doas vanlajens que se espera vil o c con-
tinua estacionaria : ea razo he tanto a falla
mina rsitiuMiimi ni cu 11n.1i" !>- .' n .. .
de meios suficientes para soceorrer os indios educcd", eensmode seus lilhos.
durante o I. anno de sua mudanca de rezi-
deneia como a de um regulamenlo porque
se drjo missionarios o directores dasmis-
sfies. Julgo mesmo conveniente diminuir o
numero dos missionarios rediizindo-os cin-
co e votar maior quantia para soccorros ,
ferraDientas e brindes para os indios. Das
misses existentes as do Ro Xing o Branco
sao as que misalguma vantagem tem dado.
No Rio Paeajz districto do Portel existom
tribus de indios que se prest'ioa deseer pa-
ra perto do povoado e vir ahi estabeleccr
suas habitages e urna partida dellcs ja o
fez; porem receio, que nao v avante esta
nova pnvoaco por falta de meios para susten-
tar os indios em quanto nao fazem suas ca-
zas, e rossas c estas amadurecem. O gover-
no tem-os soccorrido quanto pode; porem
faltao-lhe meios, que a vos senhorescumpre
vota-los e eu o espero.
Proponho-vos tambem a extingo do lugar
de inspector das misses, cargo intil, e que
nao tem sidodezempenbado e que para se-Io
preciza meios ampios que habilitem o ins-
pector a girar em continuada vagem de
um para ooutro extremo da provincia c ta-
es despezas sao desnecessarias e nao virifl
a corresponder com o seu rezultado. Athe
Janeiro era inspector dos misses o padre An-
tonio Manoel Sanchos de Rrito que obriga-
do na qualidade de vigario geral do Alto A-
mazonas a fazer rezidenca na barra do Rio
Negro 'e tendo Cmo parocb.0 de Mau's de
ali rezidir ecomo vizitador.de percorrer as
parochias do Alto Amazonas, nao poda at-
tender aos deveres de inspector das misses ,
nao o fez e nao deu parte alguma ao gover-
no da provincia sobre este ramo' de servigo
publico pelo Inslrucco Publica Caza dos Educandos e
Kducandas.
Instalou-sc nodia 17 de Janeiro ultimo o
Ivcoo mandado crear nesta cidade pelo artigo
l da lei provintial n. 07 de o de Julho do
11110 pp.,e bem que, inslituigo nova, nao
estoja ainda devidamente montada e llic fal-
te caza apropriada, para a qual he mister, que
votis os me(>s precizos com tudo conhece-
se a vantagem deste estahelccimento e a
emulago, que provem da reunio de todas as
ulas em um s local unida- maior liscali-
zago e zelo no ensino vai produzindo a-
diantamentoem grande parte dos alumnos, tajo/o ao ensino 5 porem maior sena a ae.-
Tenho assislido a algumas liges e visto
com
un
alguns com muito bons dezejos de apprender'
que na de latim continua a sesforgar muito
o professor ; e que as outras bem que pou-
co flequentadas prometiera sor" utei para o
futuro. O numero dos alumnos das aulas
maiores superior aos dos annos anteriores ,
prova mais gosto pelo estudo, e eu tenho bem.
fundadas esperangas de que a emulago de al-
cangaro premio votado pelos estatutos para o
escholar que mais se distinguir e a honra
de Ver publicados pela iinprensa seu uome,
o dezignages como tal u mesmo o de lo-
dos os que se dislinguirem em 2. e 5. lugar,
oqueem tempo ordenarei contribuir para
(pieos jovensesludiozos redobrem seus Ion-
va veis esforcos.
A instruegao primaria tem igualmente me-
Ihorado ooattestaonume.ro dos alumnos
das escolas publicas e particulares supe-
rior ao los annos anteriores como se ve do
mappa appoi.so. Com ludo est longe ainda
de ser satisfactorio como veris do relatorio
do director da inslrucgao publica, que, mem-
bro da caza poder ar-vos mais ampios e
detalhados esclarecimentos. Sao tauzas de
seu atrazo a impericia e desleixo de alguns
professores : a falla dos pais e directores da
mocidade em os nocoiivencerem ou obriga-
rcm fienqucHtar as escolas ; e a summa
pobreza de alguns alumnos que nao tem
meios para comprar compendios papel, pen-
nas tinta c maisobjectos precizos para seu
ensino.
A inhabilidade dos professores ir-se-ha re-
mediando com o andar dos lempos e com a
mais severa exactidfio nos exames que se fa-
zem aos que se apprezento requerendo cadei-
ras : cumpre, que ajudeis esta medi thorizando o governo para poder fazer ins-
peccionar as escollas do interior pelo juiz die
paz subdelegado delegado ou juiz imm -
0 des-
.eixo, ou culpa dos pais que se nao inte-
ressao no adiantamonto de seus lillios pdeni
ser punidos com penas decretadas om postu-
ras das cmaras municip es, o tero emenda
aquellos (pie assim deseenhecerem os deve-
res da paternidade e que a mais santa ohri-
gago do um pai he velar cuidadozamenle na
Para s/i-
p- ir athe ce rio ponto as precizes dos alum-
nos pobres ha na lei de.01 cimento em vigor
quantia volada : mais espera de inlbrma-
ges sobre o numera dos discpulos das escol-
las do interior para a destribuir visto que lie
mdica e apenas sulliciente para satisfazer
as requizigesdo um dcimo dos professores ,
faltn o dinheiro aos cofres, e nada tenho
feito pagar por nao poder ser igual o justo
para com todas as escollas.
A companhia dos educandos conten actu-
almente 100 pracas cujos oilicios salarios,
e oicinas em que trabalhao consto do map-
pa appenso. Authoriz-do pela lei provincial
numero 88 exped para sua direegao o regula-
mento, que esla acompanlia e que conten
nao sdisposiges lixus e proprias de nina
lei orgnica e outras tranzitorias e de
momento s precizas para destruir c e-
vitarabuzos que se io introduzindo; como
tambem dispozices propriamente reglamen-
tares eque como taes devem variar na ra-
zio das precises do estabelesciment e as
quaes com tudo involvi em um s regulamen-
to para que eslava aulhorizado, por haver
mister assegurar-lhe completa dircego. Es-
pero que discutindo o regulamento sopareis
vSrs. asdisposiges lixas e permanentes, e
as consagris em lei orgnica relormando ,
e addindo a de numero 88 de 24 de Maio do
anno p. p. e que deixeisao governo provin-
cial as variaveis e propiamente regulameii-
tares, que mudando segundo as circunstan-
cias c necessidades dae'aza, exigem conti-
nuas reformas.
San ainda muito avultadas as despezas do
estabelecimento e superiores s que deve
elle azer ; mal que tendo dependido em par-
te da falta do regulamento vai ser agora di-
minuido. Subsista o coslume de se admi-
tir no estabelecimento o titulo de addidos
todos quautos se apprezenlavo e chegou
seu numero a 30 com sensvel aumento de
despezas; e lxado como fo pelo regulamen-
to o n., est o director a cuberlo das instan-
cias com que como (pie o forgavao a admiitn'
mais joven*, e das despezas enj que assim
incoiria. INo tem mesmo adquirido em se-
us otcios os educandos grao de adianlamenlo
equrnieale ao lempo que apprendem
provem de que as estages e obras publi-
cas em que trabalhao nem sempre sao, nem
podem ser om pregados do modo 6 mais van-'
peca que fario so s trabalhassem na
prazer, que as aulas de francez cf.eo- oflicinas particulares cujos propnetanos, 011
otria tem grande numero de discpulos, e mestres rocu/.ao pagar-lhes jornaes dos u


s
5S?
que o merecem. As oflicinas publicas retri-
buem desde logo naos o trabalho dos edu-
candos ; masa vantagem que cspero do ler
nenes eni lempo bons operarios ; e coinpen-
so ,. ajudando sua sustenlago a demora ,
que podemcatizar no adiantamento.
Foi durante o anuo Hnanceiro de 1840 a
1811 de 1^:587*340 rs. a despeza com os
educandos menos o producto dos sens sala-
rios em cerca d(! rs. 2:3D0j rs. e convem fa-
zer haixaresla verba que he por certo su-
perior divida e preciza e para o fazei
lembro-vosde accordo com o director da caza.
que estava prxima a travar-sc segundo de-
clara o mesmo Jornal: do qual recebemos so-
mente 2 nmeros de 2 e 5 d* Abril.
RRCIFE 10 DE MAJO.
18 falsas nonios de livros francozes. A dolo-
rosa experiencia porque temos passado a
reminiscencia do tactos anteriores a chegada
lo sur. Wautllier, o charlatanismo dos l'.n-
genheiros que por nosso infortunio U-mossu-
poi lado fez com que nao sejo devidamente
, apreciados os talentos esperanzosos d sur.
Tomn hoje posse o enfou^no_oxorcinn di. Wauthier. Que clpa terem ludo isto a
lugar de chele de Polica o Sr. flzemharga-
dor Antonio Ignacio Azevedo sua inUIligi'n-j
cia e consumada prudencia. A sua reconheci-
da probidade, experimentadas na provincia do
Maranho onde sempre merecen as simpa-
eni )io-vosue accoruo com o ui rector ua caza, ,. i j ;.,r n;,<.-.-
que votis somente 200 rs. para cada Joven, *** *? l,ome"s ^mf": Sa, Sffi
o ue en 100 alumnos d 7:520* rs. o que ; bonos de que osle filustre Magistrado\mmu-
pon har o melhor possiwl as melindrosas e
arduas funocoes para que S. M. o Imperador
authorizeis o director paradispr dos salarios
,los educandos,que oigapor2:300,>rs., e pode
ser levado 5;5K)*r$.,annualnente: economi-
zar assim o tbezouro perlo de 3:0U0j rs. an-
nuaes e lera mais certeza de que sero houve por bem nomea-lo. Elle teve a fortu-
na de ser procedido interinamente por um
Magistrado cuja capacidade c miente /.ello
se encarre-
a sao bem conhecidas nesta cidade : o
Sr. Doctor Jernimo Martiniano Figueira de
Mello estabelecendo e montando a Bcparligfio
da Polica fez quanto se podia esperar de
um homcm hbil e diligente : gragas lhe sc-
jfio dadas. O Sr. Dezembargador Azevedo
coroar dignamente os trahalhos do seu ;n-
tocossot
llliatS ( UI d mua LCIU.7.H uc iuc m-i un uc- .
vida.nente empregados os jovens artistas. Es- em todas MmmwMMda que
""" .. .. .. c*ia hnm ennheidas nost
ta providencia deve ser desde ja c por um
auno, e authorizado o governo provincial pa-
ra fazer baixar no lim delle a taxa lixada para
sustenlago ilos educandos e orienar qual-
qiieroulra reduego favoravel aos cofres deb-
de que ella veuha a ser conveniente.
Ccm estas disposices lornar-se-ha o esta-
belecimento menos dispendiozo aos co-
i'res e lamben mais bem regulado ; sendo .
com ludo certo que est mui bem adminis- mente grato,
trado pelo actual director o qual dezenvolve
emseu rgimen zelo, e sobre tudouma capa-
cidade peculiar dilicil de se encontrar em
outro cidado. lio inslituigo cujas vanta-
gensse vaosentindo dedia em da e que
lhe do direito toda a protec^ao dos poderes
polticos, 6mais autoridades da provincia.
( Continuar-se-ha. )
Direcvo da Companhia do Jjncanamento ,'
Que a mxima parte dos accionistas clamas-
son contra a interferencia do sur. Wauthier
nos negocios da compauhia ? Que asextn".-
vaganles condiges do seu contracto fisessem
baqnear o son projecto ?
Como criminar-so a Directora da compa-
nhia por cortar pela raiz a arvore que lalvcz
produsisse no futuro Eructos acerbos, e enve-
nenados ? E nina Adminislraofio que procu-
ra marchar de acord com a maoria de sena
commlentes nao pode ser nunca censurada
por aquellos para quem a honra he alguma
colisa para quem tem escrpulo de dispor a
bel praser dos dnhoiros de mutos. A Di-
rectora l'ar imprimir todos os documentos
relativos a preteueo do snr. Wauthier, que
derart origom a bem entendidas d escon llan-
cas, e prodii/irao a rogeieo de seus planos ,
e b publico se convencer da circunspecto e
crdito sem a ruina de outro =
Um dos Directores da Companhia.;
COxMMERGIO.
'ALFANDEGA.
Rendiniento dodiaiOde Mao 2:118*001
IIKSCARREUAO HOJE 11 DE MAIO.
Brigue Portuguez = Primavera = Passaro6 ,
arbustos dinbeiro ferragens fa-
sendas presuntos J azeite e sebol-
las.
Ilrigue Portuguez = Tarujo 1." = Vinho ,
vinagre azeite carne j fazendas ,
miudesas e sebollas.
Brigue Inglez = Chadebuch = Bacal bao.
Basca Inglesa =Colunbus = Fasendas, lou-
ca ferragea e carvo de pedra.
CAMBIOS EM LISBOA.
En 28 de Margo.
Londres o7* ||2 a.55 1|4 por {# rs. 30 d. v.
e (ara que lenhamos um da POU-1 madurosa com que ella se portara em seme-
cia entre n(Ss ; e Pernambuco lhe ser eter-| ||,.inlt assumpto. He mster umita pruden-
cia para nao compronietler o resultado que
sequer alcanoar i.teresse da Companhia ~
para o quo he mster que o amor proprio de
33 3| i a 51 . por 90 d. d.
Ans lerda m 13 I|t . por 100 rs. 3 m d.
Hamb. 8'l|2 . I>or i,* rs. . d.
Trieste 13 por floriin . d.
(cuova 323 por 5 L. n. . d.
I.corno .... por 1 L. F. . d.
por 1 Dd. . d.
l'AKA O SMl. WAliTHIEn J.lvll.
i algiiem sofra siga o seu curso o canse
He geralmente sabido, que o descrdito) para nao inlerromper a marcha serena c re-
das sociedades por acees, ordinariamente
principia pelo desleixo e incapacidade de seus
guiar da companhia.
Finalisaremos as nossas observacOes
IH.4RI0 DE PEH\AMI5UC0.
Piecebemos o Diario do Governo de Lisboa
res-
mu UCTICliU Ci inva""-""'"" -~ ----- .
ajenies. Se a enpreza do Encanamento ,; pondendo ao pe da letra aos prmcipaes
chama B mostra merecer attencao de especu- | qnisitos da aecusacao do snr. Wauthier :
ladores, nem por isso os accionistas deixBol I. No principio de Fcverciro do correte
de indagar primeiro que ludo, quem he que anno a pedido do concedo ( Direeoao) a-
arege. de inquirir dos antecedentes de seus, presentei-1 he um projecto conposto ueste
agentes, se possuem experiencia necessaria sentido &c.
l\. Es en erro o snr. Wauthier ; a
Directora nem mu trabalho encomendara a
S. S. : os planos e projeclos em questao forao
olerecidos ao Lxm. Snr. Harao da Boa-vista .
e por este concideracao da companhia !
2. Que o projecto do snr. Conrado nao
fornece a quantid.ide d'agoa necessaria para
segozao d'iima posigo e norne que receiem
- coiiprometter. Os accionistas nao atonden
pie alcanca desde o 1." de Marco at 3 d'A- somente se a especularlo pode ser boa, oii
bril p. p. : porem vcio inuito estril de noti- m;i, reparan antes de ludo para quem a adui-
cias interessaiites para um leitor estrangeiro ; j nstra como agente e para elles esta he a
sendo a mais importante a do feliz successo, de melhor e mais valiosa garanta que nunca la-
S M aBainha, deque j hontein demos | har. Isto SUposlo, a Direccao da Gonipa-
nolicia por evlracto de folhas Inglesas : loda-jtiha. cucaron com toda circunspecto e zelo | abastecer esta c.dade e so ,la em 13 horas
va no luiar competente publicamos hoje a'a questao de preferencia entre os planos dos .>0 mil bar../, (piando o censo da c.dade he
integra do suplemento ao IS\ (ii do mesmo Di- i snr*. Conrado o Belle-arde e do que atore- \ de /0 mil habitantes e um barril por cabeca
ario, relativo aquello fausto acontecimento sentara o snr. Wauthier, por intermedio do he insulbciente;.
Havendo S. M. determinado que o Bapts-| Governo da Provincia, ecom a necessaria L. Pr.meu-a mente duv.damos muito da
existencia dos /() mil habitantes, concedido
que soja este numero, para nos exagerado ,
clculos exaclssmos atistelo que o consumo
Pars 328 .... por 5 fr. 100 d. d.
Madrid..... porIP. dcC. 13 d.
Cdiz...... ?... d.
Vienna 13 i ....
Objfcctos.
Pecas de 7.)300 .
Oncasbespan bolas
Soberanos
Ouro cerceado
Dito em barra .
Patacas hespanholas
Ditas brasileras
Ditas mexicanas
Piala em barra 28a28I|i
(Diario do
dos metaes.
Compra. Venda.
. 7j750 . . 7*770
. 11^300 .. . 1M500
. 4*450 . . 4*110
. 1*910 . . 1*030
23 . 2
s #920 . *023
. #97 . . *920
. j!)03 . . *!H
Governo.)
DECLABAC0ES.
do Serenissmo Infante fosse no dcimo I franquesa expenden as rases queobrigarao-
quinlo da depois do seu Nascmenfo em da- na a n.geitar este e adoptar aquelle.
ta de 20 de Marco se annunciou pela Secreta- Convencido estamos que a Directora su
ia de Estado dos Negocios do Beino .pie nao depois de um rellectido exame e necessanos id a;oa actnalmen e he de 22n.il barr.z .
podi ter lugar no dia designado Picando
transferido para outro que se aria constar.
Continuavaa reitrar-se o solemne juramen-
to Carta Constitucional em lodos as Esta-
ntes Publicas ; o que tamben se verlicou no
iPacodas Necessidades por todos os Genlis-Ho-
mens Vereadores e Olficiaes-Maiores na
Augusta Presenta de Sua Magestade em o dia
8 de Margo.
Tmho sido condecorados com varios Ttu-
los de Nobreza e Distincgo os princpaes Au-
lliores do inovinento do Porto para o restabe-
lecimentoda Carta ; assim con\o Uouvediver-
sas nemcagBS e remogdesde Empregados Ad-
ministrativos e outros d'importancia.
Havia occorrido um desastroso accidente no
Distrielo de Vianna lugar de S. Joo Fre-
guesia dcFaiaes(, Conseibo de Melgago on-
de por effeito de'uma impetuosa torrente de
chuva que por longo tempo caira sobre o mon-
te, denominado Anteira sobranceiroao lugar
de Porto-carreiro abrindo parte do mesmo
monte vierao a deslocar-se d'elle enorm-
simos penaseos que despedidos violentamen-
te sobre o dito lugar de S. Joo o deixarAo
quasi de todo arrasado ficando demolidas J 3
casas e 3 moinhos e sepultadas sob as rui-
nas 13 pessoas alen da perda de mais de
200 cabegas de gado : en consequencia do que
encarregu S. M. aBainha por Decreto de 3
de Marco s commissoes incumbidas de pro-
mover subscrices a favor dos infelises habi-
tantes da Villa" da Praia da Victoria, para que
promovessem semelhantes soccorros a beuei-
calculos que o devem sanecionar lora que se
resolver a nao adoptar o projecto do snr.
Wauthier e nao por insinuantes d'algueni
como inadvertidamente inculca este snr. Tres
anuos se consumirn em eseolhas de planos e
analyses de promessas que especuladores bem
o.i mal intencionados dirigirn a Dirccgoda
companhia uo oll'erecendo nenhum delles
as garantas que se enconlrao nos authores
do projecto adoptado ; plano que j merecer
segundo nos consta aapprovacoe respeitos do
snr. Wauthier, quando consultado pelo Go-
verno da Provincia en occasiao de approva-
lo. NAo he pelo tnovineuto que se formo as
cristalisages ; dobaixo deste imperioso axio-
ma a Directora teve mais urna raso de nao
procrastinar por mais lempo a empresa an-
nuindo a proposta de enviar a Turqua os pla-
nos do snr. Wauthier, como requistara o
seu nobre advogadoem Assemblea Gcral.
Sentimos que o snr. Wauthier nao con-
cordasse a respeito da superioridade do pla-
no dos sis.Conrado eBellegarde; julgamos po-
ren que se elle un dia se der ao tn.ba-
Iho de esludar a maneira porque entre nos se
formo as companhias por Acortes quaes as
ideias que sobre ellas existen derramadas ,
.o pela nansa geral da populaco mas por
entre pessoas que esto en estado de seasso-
ciarem, se finalmente consultar a historia
dos cstrangeiros engajados ao servigo do Bra-
sil ( forca he confessaf-o) convencer-se-ha
das ponderosas rasos que teve a Directora ,
para nSo acreditar de todo em tantas eso-
do das familias indigentes que mais soflrerao. nbadas vantagens e duratlouras promessa:
. ... .. .. -^ J. .I.n .Mah A IWlllOl\ O, ,1.1 tllllll".!!,,
con a mencionada catstrofe Succedida no re-
ferido lugar de S. Joo.
As noticias de Madrid chegavo a 29 de
Marco : m ,s nada adiantao de notavcl. As
folhas de Londres recebidas er Lisboa ul-
tima jata ero de 20 ; entretanto que aqu
as teos visto at 31.
O Nacional de Lisboa que linha annun-
ciado a sua suspengo em consequencia dos
ltimos acontecinentos polftcos que tiverao
alli lugar contina todava a publiear-seem
formato menor e sob nova Bedacgo para
entrar de novo em campo na lucta eleitoral
querendo antes obter o pouco com seguranga,
do que o muito incerto e duvidoso. ,
Nao somos inimigo de estrangeirrys antes
em these somos bastante amigo delles ; re-
conhecemos que, he pelo seu tracto que nos
temos polido e civilisado ereconhecentos
que foi o*o da em que o Brasil Ibes abriu seus
portos que comegou a enrquecer-se a adi-
antar-se e a marchar constante para o bri-
Ihanlc futuro que o aguarda ; as nao ig-
nranos quanto he errada a ideia que geral-
.piando o voluine d'agoa que transita diaria-
mente pelos tubos do encamnenlo adoptado
equivale a 02300 barriz por tanto nao baja
temor que alguein morra a sede inda mes-
mo que a nossa populaco dobre antes de lin-
do o privilegio.
3. 0 projecto dossnrs. Conrado e Bel-
legardc em prega pela maior parte obras de
ferro excutadas quasi todas em pai/.es ex-
trangeiros !
B Admira, que o snr. Wauthier tocas-
se nesta corda!... Que diliculdade haver
para que os os tubos precisos sejo fundidos
na ruada Aurora ou que incompatibilidade
encontra o snr. Wauthier .' Concedido que
venho de estranho paiz ; taes sommas, or-
dinariamente sao realisadas em gneros ou
letras sacadas sobre a venda de taes produc-
tos : ora combinando a somna do imporle
dos tubos orgada en 200 contos (menos os
dreitos alfandegaes ) com o que exige em di-
uheiro o snr. Wautllier, apenas encontra-
mos 32 contos de rs. de diflerenca sa-
ber : 80 contos pelo sen trabalho administra-
tivo 8 contos do valor do projecto, que
offereccra ao Exm. Sur. Presidente! trans-
porte deS. S. a Franga para comprar instru-
mentos a lim de melhor esludar o seu pro-
jecto mais o engajmenlo de 2 Engenheros
para ajudarem a S. S. o que. estimamos em
00 contos o que nao he muito e tudo per-
faz exactamente a somma de 118 coritos gas-
tos com 0m snr*. Wauthier', que tambembe
estrangeiro : vamos a diante.
1. O projecto do snr! Conrado, nao apr-
senla vantagem alguma alem do, forneci-
mento das agoas ?
B. E que mais, quando he este o lim
da companhia do encanamento i'
3. Ver-se-h que cntrava muito nos nossos
planos o .nobre desojo de deixar-mos nesta
capital, urna obra capa/de perpetuar a, me-
moria de liossa viuda a Pernambuco.
B. Sao mui louvaveis taesdesejos, mas
quem quer perpetuar um nomo que ambicio-
na, procede d'oulra maneira ( perdoe-nos o
= Pela administrago da meza do consu-
lado se faz saber que no dia 13 do corrente
Diez se ha de arrematar porta da mesma
adniinistraco urna barrica de nssucar branco
aprehendida sem despacho em acto de embar-
car pelo guarda d'alfandega Vicente Ferrei-
ra de Farias | sendo a arrematago Iivre de
despezas ao arrematante. Meza do consulado
de Pernambuco 0 de maio de 1842. = Miguel
Ardan jo Montciro de Andrade.
=a Sub delegado da Freguesia de Santo
Antonio faz publico para conhecimento e no-
I tieia de quem pertencer que foi aprehendi-
l da urna colher de prala a um moleque por
supor-se furtada quem se julgar com direito
a ella a procurar na casa de sua residencia
para lhe ser entregue dando os signaes.
T II E A T B O .
l)(imin;;o 13 se representar a mu
sublime e jocoza pe^a -- A Condeca de Me-
linou ou o Chapeo -- que.iantos aplauzos ob-
leve quando subi scena em beneficio do
Sr. Lopes, na qual debutou pela 1. vezo
Sr. Modesto Francisco das Chagas fazendo
a nteressante parte do- Baro Caturra -,
rematando o expcclaciito com a belissima
larga -- O Holandez paga o mal que nos fez.
III II UIIIU'' vjuiiiw iv vi ,- .wv,u ^.iv ft1"1" r --------- > -----------
mente- esses snrs. fasem do povo brasileiro snr. Wauthier npssa franqueza ) tornando-se
ideia para a qual nao pouco lem concorrido I m^nos exigente principiando por firmar um
* O Artista Joze dosHeis, summamente a-
gradecido ao continuo acolhimento, con que
um Povo o mais amavel, ( qual he o desla
filustre o heroica Cidade ) o favorece ; de dia,
ede noite nao cessa de faser esludo' para a-
presentar-lhe espectculos variaveis que pre-
encho as vistas, com que anhela promover
o recreio dos benignos espectadores; que bus-
cao nesle innocente e serio passatenpo, u-
ma honesta dislracgoaos trabalbos e cuida-
dos dos seus domsticos aaseres; para cujo
lim tem preparado para Terga feira, urna
funego recreativa, e yariavel : e mesmo
dispendiosa, pois nunca tolher os necessa-
nos gastos para abrilhanlar as funeges em
que o publico tem mostrado evidentemente
tomar inleresse e satis/ago.
N. 1. Os promenpres se pode rao ver nesta
mesjna folha Sexta feira e Sabbado e nos
cartazos do mesmo dia. Os Camarotes sero
deslribuidos por o snr. Zebedeo Sezar.
~AVMS0S DIVERSOS.
O Carapuceiro N. 12 ha dastar hoje
venda pelas 9 horas da nianh : trata d'u-
ma cousa de i|ue todos tem mais ou menos
experiencia de que todos se queixio, os
homens ; pois que o objecto he a inconstan-
cia das mulheres.
(


^h>BW mwg,iiiJ:wtWBH>i
>*

Hoie as 10 horas do<,a/10 Mu7n.h/^;1nopat
J I raiso venda D. 21.
da anaao impreter-
o to Hospital do Pa-


velmente as rodas da *2.
parte da 6. lotera da Ma-
triz da Boa-vista, e al essa
hora estarn venda o
restante dos bilhetes.
sar Quern precizar de um rapaz Braziloi-
10, que muito cnteude d'ag cultura e o
quizer para administrar algum Engenho ,
tazer cobranzas pelo centro ou em qualquer
parte cni que o mandem dando para co-
nhecimento de si, pesadas fidedignas desta
Provincia, que abonem sua conduta ,'an-
nuncie.
cr Os Srs. Ignacio de Albuquerque Ma-
ranbam Joze lexandre Gomes de Mello,
e Joze lexandre Siabra de Mello ou seus
correspondentes nesta praca queiro anr.un-
ciar suas moradas para se lhe fallar a negocio
que llies inleressa.
ty Advertc-se a certo socio de una so-
ciedade que immenso tempo alugou liuns
globos na loia de louca atrs do Corpo Santo ,
baja deliir saptsfazer o aJoguel se nao qui-
zer ser execulado c se nomo patente.
WT" Roga-sc ao Sr. 1.. C. 1*. F. por obzc-
quip_.de hir Ijrar no praso de tres lias os
pinhores que existen na rua .Nova I). 28 ,
senao serao vendidos para pagamento do an-
nunciante.
tsr Aluga-se a sala de un primeiro andar
na rua da Cruz propria para escriptorio ,
ca pela barca franceza Hortense,
ou outra qualquer oceupaco ; assim como
na mesma casa se vende um huir de Trro ,
nova com segredo, una balanya com pesos
de pesar carne a bordo deembarcaroes ou pa-
ra armazem do mesmo trafico : na rua da
Cadeia do liedle loja n. 45.
Perciza-sede um feitor no engcnbo S.
Joo na ilha de llamarada.
Eulalia Arnould, i etra-se para a Fran-
ca pela Barca franceza Hortense.
srr Oabaixo assignado previne que nin-
tSST Os credores do f dlecido Manoel Felis
Nunes de Castro que iro legalisarem suas
dividas no carlorio dos orfos onde so est
proeedendo a inventarii i dos bens do sen ca-
sal.
d- O Snr. Antonio Moreira Pinto Barbo-
za que se retira para au gola no Patacho Fran-
'celina queira ir pagai dous meios bilhetes
que deve ha casa de ca mbio na rua da Cadia
doltecife n.-io.
tST Alugo-se duas casas no'beco das bar-
reiras, tenpo urna oas; i sala,2 qtiartos co-
zinha e quintal, a o itra he meia agoa s
temsala um quarto e cozinha : no atier-
ro da Boa vista 05 no terceiro andar.
t3T~ D. Mara da Pu rilicaco America da
Gama urna das herderas e sucessora da
Cpela do porto do Galillhas presentemente
extinta na forma da le pela morte da ulti-
aa administradora ten do-se r. solvido fazer
venda da parte qne lhe pertence em dita C-
pela ; convida as pessoas quequiserem com-
pra a sua parte hajo de dirigir-sc a praca
da Boa vista no sobrado de um andar que tem
rehnaco na loja, onde aeharo a ann uncan-
te munida dos ttulos do dominio da mesma
propredade.
T"vI S OS~M A B tTm OS .
guem faca transaco alguma com urna letra
que se, perdeo da quantia de KKb sacada por
Elias Elizeu e aeccita por Manoel Ignacio
Avillar com o pague-se ao abaixo assignado
o qual ja prevenio ao acceitantede a nao pa-
gar caso lhe seja aprsenla por outra pessoa
que nao seja o abaixo assignado. = Antonio
Pereira Mendes.
tar* A pessoa que annunciou querer com-
prar urna toa I lia de lavarinto dirija-se ao
Seminario deOlinda.
cy Aluga-se metade de urna casa a urna
pessoa depouca funilia, por 5* : a tratar na
rua estreita do Bozario armazem D. 29 no
mesmo Tendc-seum berro moderno por pre-
co commodo.
ty Quern precisar de urna ama dirija-se a
rua do Rangel D. 19.
ssy Perdeo-se no Bairro de S. Antonio at
a Boa vista a quantia de Oj em sedulas.
sendo urna de 5tf e outra de lj rs. ; quem
achou querendo restituir dirija-se a rua da
cadeia loja de fazendas n. 45 que receber
metade da quantia.
CT* Joze da Costa de Albuquerquo Mello,
annuncia para evitarfucturas duvidas, que a'
viuvae lilhos do Capito Antonio Barboza da
Silva, hedevedoraacasa do annunciante da
quantia del8 mil cruzados, alem dos juros le-
gaes assim como a casa de D. Manoela Joa-
quina Francisca da Rocha sua sogra viu-
vads Manoel Fernandes da Porciuncula a
quantia de G:000.v de reis como ludo em Juizo
breve se mostrar e como os nicos bens se-
guros para o pagamento daquellas quantias
seja o sobrado de 5 andares na rua Nova des-
ta Cidadel). 25, e consta ao annunciante ,
que aquella devedora para escapar ao paga-
mento que lhe cumpre fazer pretende vender
a dita casa, o annunciante desde ja adverte
qua ninguem a compre e se alguem o lizer,
protesta pelo presente haver de quern a com-
prar todo o seu pagamento e de sua sofra ,
pois que ja est preparado com os meios ju-
diciaes paraprovar tudoquanto tem annun-
ciado.
tr A pessoa que annunciou precisar de
urna ama deleite dirija-se a rua da Floren-
tina sobrado de um andar de varanda de ferro
por cima da venda do Sr. Nicolao.
XST Quern precisar de um rapaz portuguez
para caixeiro do cobrancas e tem pratica de
nogoc|, e d liador a sua conducta an-
nuncie.
CT Joaquina Raimundo Lapmberg', re-
t ra-se para Loanda.
C7" O Sr. LUZ Lucio Monteiro da Franca
queira ir pessoalmenle buscar urna carta vin-
l'AO.L'lTi'iS DE VAPOR.
tar Avisa-se as pessoas quequiserem ir de
passagem para os port.os do Norte, que no dia
5 do corrate deveria sabir do Rio de Janeiro
um dos Paquete da Cimpanhia o qual devo-
ra chegar a este porto des" de 15 a 17 do cor-
rente.
tSF" Para o Ro de Janeiro a sabir com to-
da brevdade por ja ler mais- de metade de s\ju
carregament prompto a .muito superior e
linda Escuna Virginia forrada c encavilha-
da de cobre, de primeira marcha, para o
resto da carga escravos a freAe e passageiros
trata-secom Joaquim Baplista Moreira no seu
escriptorio na rua de Apolo ou com o Capi-
to Joze Mara Regis. a bordo.
C5- 0 Bergantim S. Joo Baptista Capi-
to Joo Gonsalves Bocha nio tendoja sa-
bido para o Bio de Janeiro por causa do lem-
po anda recebe alguns escravos a frete e
passageiros para o que trata-se com Joa-
quim Baptista Moreira no seu escriptorio na
rua de Apolo, ou com o Capito a bordo.
13- Para o Aracaty sahir com toda a bre-
vidade por ter parte de seu carruga ment a
bordo a be ni conhecida Sumaca Delmira ,
Mestre Joze Joaquim Alves j quem na mes-
ma quiser carregar ou ir de passagem enien-
da-se com o dito mestre, ou com An'onio
Joaquim de Souza Ribeiro, na rua da Cadeia.
t&- Para o Rio de Janeiro se,zue viagem
com muito brevidade o Patacho Nacional
Aguia de Maugaraliba ; quem no mesmo
quiser carregar ou ir de passagem dirija-se
a Gaudino Agostinho de Barros, na praci-
nha do Corpo Santo D. 67 ou ao Capilo a
bordo.
CJ- O Brigue Bom Jess de be Capito
Joo Bodrigues Amaro anda recebe urna
pequea porco de carga e passageiros ; os
pretendentes dirijo-se a Gaudino Agostinho
de Barros ou ao Capito a bordo.
cr Para Hamburgo segu viagem no dia
lodocorrente o bem conhecido Brigue Por-
tuguez Emprehendedor forrado de cobre e
de primeira marcha quem quiser carregar
o pequeo resto que lhe falta dirija-se ao es-
criptorio de Francisco Severiano Babelo no
forte do matto.
do corrente pelas 5 horas da tarde do por-
co de mobilia e murtas obras preciosas de
ouro prata diamantes ; os trastes con-
sistem : um oratorio mesa pata janlar ,
banquinhas dem par canto de casa lan-
ternas solas cadi-iras, cmodas, duas col-
xas adamascadas mili ricas guarda roupa ,
papeleiras; e a piala consiste em duzias.de
facas e garios e urna bolea ; e de ouro con-
siste em una caixa bem laviada-, Iraballia
da ein Londres colares conloes livellas ,
aneis, aneles relogios gargantilha Ac. ,
cujos objectosse vendero a reiiuerinienlo da
viuva inventariarte ). Francisca da Cuiha
Bandeira de Mello para pagamento dos cre-
pores conforme a concorata.
il- Cals Jnior ontiruior o seu leilo
por intervenco do Corretor Oliveira Quar-
la fera 11 do correle as 10 horas da ma-
nila no seu escriptorio rua da Cruz I). 10
primeiro andar de varias mercaduras Fran-
cezase Suicas de pronipta extracto o deum
grande sortimenlo de arligos proprios para
lojas de ferragens e miudezas como cai-
vetes, botOes aniareilos esporas copos la-
pidados loques pentes papel para for-
rar salas ^c adverte-se que este he o ultimo
leilo chamad., o queina (pie ludo o que
resta ha de ser vendido qualquer que seja o
preco, sempre aos actuaos prasos da 'praca.
tsr Bussell Mellors & C. faro leilo por
intervenco do Corretor Oliven a de varias
qualidades de fazendas inglezas com toque de
avaria ; em consequencia da prxima mu-
danza de suas fazendas de um para nutro ar-
mazem vendero mais um grande sortimen-
t d'ellas em perfeito estado ; quarta feira 12
do crrenle as 10 horas da manfla em ponto ,
no seu actual armazem da roa da Cadeia.
C O M P R AS.
O^ O n. S do Jornal Panorama do me/ de
Acost de ISil ; e vende-se um fogo de
ferro nglez : na rua da scnzala velha I). 18.
%2T Um calis para se dizer missa .
seja de p ata todo domado por dentro e
fora sem feilio : (|uem tiver annuncie.
N E N I) A S .
(pie
por!
E i: I L A O'
tST O leilo de J. P. Adour& Companha
nao se leudo ell'eituado em o dia designado ,
por cauza da clin va lcou transferido para
sexta feira 15 do corrente as 10 horas da
manh na rua Nova D. A no primeiro an-
dar defronte do cito da Matriz e constar Mora Ignacia.
ssy Lina porco de passarinhos de dill'e-
rentes qualidades todos cantadores e em
suas gaiolas por preco commodo: ::a rua
Direita I). 55 no segundo andar.
*ST Fm cavallo alazn de bonita figura ,
^em boas carnes tem muito bous andares :
na rua da Cadeia do Recite l). 05.
%SS" Duas casas de sobrado uma.de dous
andares e 5 lojas na rua d.) Fogo n. 582 na
quinado beco do sarapatel t outra de um
andar contigua ao dito beco u. 515, ambas
em chaos proprios : na pracinha do Livra-
menlo sobrado D. 22.
wis- Lm diccionario francez e portuguez,
eorlhogralia de Madureira : na piuca da In-
dependencia i). I.
E3T Dous caxorros atravessados muito bra-
bos e proprios para algum sitio : no atierro
da Boa vista fabrica de farinha.
CJT L'm sobrado de 2 andares e soto na
rua de Agoas verdes : na rua do Livramento
botica D, 11.
"vil?" Bombas de ferro para cacimba folhas
de ferro para forrar portas: na rua da Cruz
D. 01.
IT Arroz de superior qualidado a 1 i,> o
alqueire a arroba a 2,>40 : na rua da Ca-
deia velha D. 02.
Lm sof de angicode bom gosto, urna
carteirade amarelo com um gaveta grande:
na rua das Cruzes Joja de marcineiro pegada
a padaria.
cy Superiores vellas de sebo misturado
com espermacete em libras, e caixa por
preco commodo ; assim como bichas pretas
de Lisboa muito boas : na rua da Cadeia
doBecifel) 02.
tsff- Lma casa de taipa no atierro dos alio-
gados com chaos proprios al a mar : na
venda do beco do Serigado para ajustar com
, escravas mocas com boas habilida-
des urna dita com a ruelhor figura possivel ,
costurcira dn cortar camisas de hom'm e ves-
tido de;senhnivi el'aze-lo ; um pelo de 50
anuos por ."()(),> cozinha o ordinario e he
sapateiro um molatinho de 10 anuos. Co-
zinha bom Comprador e pagem : na rua de
Agoas verdes I). ."7.
C^" Quejos lodrimjs, presuntos para fiam-
bre consrvasele/as licores linos de di-
ferentes qualidades vinho Jemadcira secta,
ditos malvasia cherex muscalel bucella,
Porlo, particular Bordeaux sardinba ern
latas, ludo por preco commodo: na rua da
Cadeia vendu de Joze Gonsalves da Fonte.
t& Joze Antonio Gomes Jnior vende
no seu escriptorio rua da Cruz D. 12 sa-
cos com alqueire de farinha de mandioca, fei-
la na Muribeca muito lina ealva, pelo pre-
co de 7.>000.
X39- Lm sitio na estrada do Pombal com
casa grande todo coberto de arvoredos de
fructo com suficiencia para ser dividido em
2 grandes sitios : a fallar com Ignacio Joze
de Cont Ou com Manoel Pedro da Fonseca.
CS-Enia rede de arraslo, um batelo, una
espingarda de cacar cem feches calallans e
cano tronchado, ubi oculo de 'verao longo ,
tudo novo : na rua do Nogueira sobrado d
um andar com varanda do ferro.
lp" Vende-se ou anenda-se por prcro
muito em conta um sitio cercado de limo ,
o com bastantes pea de larangeiras e limei
ras, limes doces, assafroeiras manguei-
ras calezeiros e nutras mudas fructeiras ,
com boo casa de vi venda com i quartos ,
duas salas, quarto para pretos estribara
para dous cavados cozinha fora um gran-
de lelheiro boa cacimba d'agoa e seu jar-
dim de diversidades de llores : no Hospicio no
sitio do Exm. Sr. Maciel Monteiro.
E3- Maniucs & Veigas na rua do Amo-
nm vtfndem por proco commodo pa'ssas
em caixas e meas ditas garrafas brancas ,
e copos de medida arroz branco papel de
peso, dito meia hollanda sag a 180 a li-
bra fumo em folha primeira qualidade en-
trancadO, e sacas com a-ij.io mulatin.no.
& Lma preta crela de 18 afinos com
cria e minio bom loito cose, e cozinha o
dinario : na rua das larangeiras D. i.
or-
EjSCRAX OS l'l ( f|)'l)s"
dos seguintes objectos : cadeiras de mogno
de virios padroes poltronas, caixa para
costuras mesas secretarias,, canaps de
varios feitios e amanhos papel pintado mui
rico para forro de casas : declara-se que to-
^tsy Lm carrnho de i rodas da ultima
moda, em .muito bom estado., cornos com-
petentes arreios, e dous cavallos ou sem el-
les : no Hospicio quinta casa passando o
quartel.
C3- So dia 5 do corenle fugirain 2 escra-
vos do Engolillo senaria freguezia de jabna-
tam sendo ambos escravos cabras com oll-
cio de carreiros o serradores um de li-
me Boque alto bstanlo seco do corpo ,
idade de 59 anuos barbado fala aprecada
e esplcada e muito falante olhos vivos .
cabellos pegados. peinas compridas e com
bastante calos as candas, de'ferros que
a bastante tenipos se achava com elles, um
jarreto de um p mais groco por ter em pe-
queo levado unrtalho alem destes signaos
tem as cosas marcas de relho. as nadcg.s da
mesma maneira. O outro de nome Marli-
nbo, tambem alto, groco, representa ter
40 annos de dade bem barbado e com
suhissas j com bastantes cabellos brancos
na barba olhos pequeos falla branda ,
rosto redondos, cabellos pegado tem as
costas marcasde relho, e as nadegastambem.
a sim como as canellas callas de ferros ,
que de continuo conservava. Os quaes es-
cravos procuro para Engenho ou para o
serto ca pessoa que os prender e entre-
gallos n Engeho serrara receber de gratifi-
cado cem mil res em casa de Antnio^Fraii-
ciscodos Sautos Braga, ruada Moeda N. 142.
M0 VIMENT DO PORTO.
dos estes objectos sero vendidos pelo maior ur A venda da rua da Alegra na Boa vis-
precoquefor oferecido visto ser para li-|la, que se acha.feixada em muito bom lu-
quidacode contas. igar, bem afreguezada e poucos fundos da-
cr- () testamentero de Antonio Machadoj se em conta para liqtidac/io : na rua da
daCunha faz leilo da farinha que !hc lcou da Madre de Dos a tratar com Joaquim Jo-
a padaria da rua da scnzala velha D. 29 zde Seixas ou na ruados Quarteis I). 7.
no dia Quinta feira 12 do corrente as duas t?- Lm quarlo muilo noy duas canoas
horas da tarde. fechadas, com mais de 00 paloios de com-
er- Far-se-ha leilo na casa em que resi-; pido ; duas duzias de costado de amarelo.
de a Vuva de Burgos Ponse de Len, na pre- e una negra de naca anda bucal : na pa-
senea do Sr. Dr. Juiz do V)rfos, no dia 12 jlaria de Joao Lopes de Lima.
NAVIOS SMIIDOS NO DIA 10.
'Bio Grande do Sul ; Sumaca Brasilera Caro-
lina Cap. Manoel Bodrigues Pimenla,
carga diversos gneros passageiros brasilei-
roso2. Tenente de Artilheria Joze Joa-
quim de Oliveira Domingos Suriano Al-
ves da Silva.
Cufinguiba ; Garopeira Brasilera Concego
G-ande Cap. Manoel dos Santos Fontes.
carga a mesma que tronxe de Caravellas
passageiros braseiros: Josefa Maria de Je-
^sus, Candida Moreira de Jess Angela Mo-
reira de Jess e Joze Antonio de Souza
Machado porluguez,
Lisboa Barca Portugueza N. S. do Rozano .
Cap. Boaveritura Borgcs Pamplona carga
diversos jjeneros ; passageiro portuguez
Victorino Anlimes da Silva.
Havre de Grace : Barca Franceza Ortence ,
,Ca|)iiao m. Q. carga varios gneros; pas
sageiros duas francesas.
BECIFE NATTP. DE M. F. DE F. == 182


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EWK1IWREE_L9OX9Y INGEST_TIME 2013-04-13T02:30:36Z PACKAGE AA00011611_04650
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES