Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04646


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno de 1842.
Sexta Fe ira 6 de
Tuilo ajora depende
nuemci
cultas.
19 meMiui ; do nossa prudencia, nbderacao, tenertjt: con- X
l inuemos como principiamos, e seremos pontidoi rom admiraciio inlrr a iSacc mais ffi
(ProelJmirjo da Assemlilca Oral ilo Brasil.)
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES.
Goiaona, Paraina, eRin grande do Norie, n segunda esexueira.
Bonito e (aranhuns,- 40'e 24.
Cabo, Serinhacm, Uio Frmaco, Porto Cairo, Mace,\, e Ala;oiti no 4 9 41, t 21.
Paje 13. Santo Anl.iu, quinta reir, Oliiula todos os dial. (
DAS da semana.
2 Sei;. s. Athanazin R. Chae. Aud. do.I. deD, da 2. v
.3 Tere. ii" Invcnr.io da sania Crin. S. Sodopiano M.
'i Qoart. a. Monicu mu de s. Agoatinho Cbanc. Aud. do J. de D. da 5,
5 t.tuinl, Asscno.'io do Sr. Convorsao do s. Agoalinbo.
( Setl. s. Jflao ante porlam Latinam. Aud. di J, da I), da 1. v.
7 Sab. s. I-slanislo B. M. Aud. ,1,. J. del), da 3. v,
S Dom. Apparico de S. .Miguel An'ianjo
31 ai o.
Auno XVIII. N. 97.
t O Diario publici-se lodo o das que n.o forem Santificado: o preco da asignatura b
]iy de tres mil res por quarlel pagos adianlado. Os annuncios dos assiRnsnles sao ioseridoa
Rrali, eo dos que o nao forem Ara/iodo 80 reispor linba. A reclaaaacoea derem aer
^dirigidas a eslaTypografia ra da Cruie !J. 3, ou a praca da Independencia lojia de lirroi
Numero 37 e 38.
CAMBIOS no
Cambio obre Londres 28 d. p. 4U.
x ii l'ari 340 reap. franco.
Lisboa Sil a il p. 400 depr.
Ol'no-Moeda de 0,400 V,
H N.
, h de 4,000
Frt Patacoe
4.S.O00
44.900
S.200
4,680
DA i HE MAIO.
PrT PeioaColumnarej 4,680
n Mexicano 4,680
>. ntida 4,440 a 4,46(1
Mneda de cobre 3 por 400 de diieonto.
Discontode bilh. da Alfandega 4 por 100
ao mez.
dem de letraa de boas firma le a 1 e |.
P reamar do da C de Mato
4 c a I hora e JS m. ila nianlia.
2. 1 hora e 42 m, da larde.
PItASES DA LOA MO MEZ DE MAIO.
Ouart. ming. a ---As 10 lioraa e 28 m. da manli.
I-ua Nora a 40 0 horas e 4!) m. da manh.
Quarl. cresc. a 47-- is 0 horas e 42 m. da manh,
Lua cheia a 24 s 7 hora e 21 m. da manh.
u c o
G 0 V E R N O D A I R O V IN C A .
EXPEDIENTE DO DA 2-'> DO PASSADO.

polo mostno tribunal nao for o contrario de-
terminado.
Portara Ao director do arsenal de guer-
ra para fornecer aocirurgio encarroado da
vaccinanesla cidade una meza grande, tjue
sirva para a respectiva escripturaeo o de-
posito dos objectos necossarios ao expediente.
Ofilcio Ao cirurgifio encarregado da vae-
cina eommunicando-lhe a expedico da or-
supra.
dem
Olicio Ao commandanle das armas, eii-
viando-llie di Aeren tes processos feitos aos
reos militares Claudino Jos de Mello, Joto
darlos Tavares Joo Evaristo Vclozo da Sil-
veira Tito Augusto de Albuquerque Porlo-
caireiro Manoel da Cunha Mosquita, e (ion-
calo, Jos que foro julgados pela junta de
justica aim de que laca exceular as sen-
tencas nelles proferidas.
Dlo Ao inspector da thesouraria da fa-
zenda transmiltindo-lhe para seoconheci-
metito e execucjio asorden do tribunal do Imperador impetrava a graca d Ibe conceder
C0MMAND0 DAS ARMAS.
ESPEDIENTE DO DA To DO PASSADO.
Ollicio Ao Exm. presidente, cnvianJo-
Iho informado o requerimento do coronel de
cavallaria addido no oslado maior do exerci-
lo Francisco .los Martin* que a S. M. o
IhezofJro publico nacional sob os nmeros
40 c
i
Dito Ao mesmp, communicando-lhe,
que S. M. o Imperador por decretos de o! de
marco ultimo houve por bem remover ao ba-
charel FranciscoMaria de Preitas, Albuquerque
do lugar de juiz e direito ducrime d.a comar-
ca da Boa-rVista para a de juiz de direito do ci- j tres lilbas legitimas.
a tenca animal de 240, reis a que se julga-
va com direito pelo seo posto e em vista do
assento do eonsclho ultramarino de 28 de mar-
50 de 1792, mandado observar pelo decreto
n. 181 do 2-"do junho doanno pretrito, Jun-
tando a esta graca, a de fazer recabir a con-
cesso da referida tenca as pessoas de suas
tllho com praca no inesmo batalho c elle
ler a seu cargo urna onerosa familia summa-
mente pobre.
Dita Ao capito cor.imandantc do depo-
sito mandando excluir do mesmo com guia
de passagem para a companbia d'artifices o
soldado Pedro Alvos das Cha&as.
Dita Ao capito comtnandante da com-
panbia d'artifices authorisando-o a receber
com passagem o soldado mencionado na pre-
cedente portara.
dem do da 2(.
Ofiicio-Ao Exm. presidente, rogando-
Ihe a expediento de suas ordens, para que os
corpos da guarda nacional se formassem .
geral ou por companhias quando fosse de
Pulcberia Gurnier franceza para Pariz.
.loze preto escravo de Maxado & Santos
para o Rio Grande da Sul.
Carlos Tavares da Silva portuguez, para
o Ccar.
Domingos Duarte Soiza Rodrigues portu-
guez para o Rio de Janeiro.
Domingos Soriano Alves da Silva brazi-
Iciro para o Rio Grande do Sul.
volda niesma comarca, cao bacharel Ale-
jandre Rernardino dos Reis o Silva, do lu-
gar do juiz de dimito do crimo da comarca
do Bonito para o da Boa-Vista.
I^uai communicacfig foj dirigida ao presi-
dente da retacao e ao bacharel A. I, dos
Rois e Silva.
DitoAo presidente da relaco parteci-
pando-llie que S. M. o [mperador liOuve por
bem polo decreto de que se Ihe remello copia,
acceitar a renuncia, que fez Antonio Ribeiro
Gampos da serventa, vitalicia do ollicio de
primeiro escrivao da exlmcta ouvedoria do
crime da mesma relagao, e actual escrivo
dola: enomear por decreto do 21 demarco
ultimo para substituir o diWCampos no re-,
l'erido lugar a Jos.i Francisco do Rogo Rngel,
que devora solicitar a expedicao co compe-
tente tilulo.
Dito Ao juiz do paz da freguezia de San-
io Antonio significando llie em resposta ao
seo ollicio em que pede esclarecimentos sobce
poder'ou nao continuar a excrcer as func
de seo em prego por se adiar em escu^o o
regulamento geral de 51 de Janeiro do cr-
lenlo anno que nao leudo as circunstancias
especiaos tiesta provincia quasi nenhuma al-
terogao com a le da reforma do cdigo a res-
pailo das attribuicoes policiaca dos juizes de
paz, caso nico em que te lugar a execu-
c,'n) da circular de 20 de fevereiro do auno
passado vista da dispo.-iof;o da o'rdem do
tribunal do tbesouro n. iTde7dejulho do
referido anno pode excrcer as funcceS (o
cargo de que .-.o aclia revestido, em quanto
Dito Ao mesmo Fxm. Sr. transmittin-
do-lho o requerimento de Jos do Carnio de
Oliveira, que leudo servido sem ola e com
osservicos relevantes da poca no exmelo
regiment d'artiiheria do linba tiesta provin-
cia por espaco de 31 anuos incompletos, pe-
dia ser roecbidoetn algnm des corpos de linba,
naqualidade d'addido para ler vencimentos ,
e ser proposto para reforma visto que na
dade ayancada em que se acha ,- j nao Ihe
ora possivel adquirir o pao para oseo sus-
tento.
Dito Ao capilo commandanle da 2. com-
panbia do batalho de guardas nacionaes ,
destacada em Goianna dizendo-lhe, que
segundo a ordem addccional de !i) do corren-
te que por copia Ihe foca remettida a sua
correspondencia sobro objectos do servigo ,
devia sor directamente com ocommando do
batalho, o teen te coronel A. L, Caldas, e
dando-lhe alguns esclarecimentos que pedir
tendentes disciplina da conloan Ida.
Dito Ao capito commandanle interino
do ". batalho d'artiiheria, exigindo saber
que duraoo podio ter as pecas de fardamento
que se arruinrfio por ler cabido ao mar o
caixo onde hio acondiccionadaS para a corte,
em junlio do anno p. p., e qual o valor deltas,
em vista da mesma duraco.
Portara Ao tenenle coronel comman-
danle to batalho provisorio mandando em
oxecuco ao avizo da repartico da guerra de
."I de marco ultimo dar baixa do servigo ao
soldado Luduvicd Pereira f i I lio da viuva
Mari Ramos, em attenco a ella ja ter outro
nina parede branqueada nina pedra alva on-
de espelhar-se ou um sussurro de lesta ac-
corde com suas harmonas. O incendio o o
Ierro tinliam passado por l e Lisboa era
um cabos tic ruinas um cemilerio sem apli-
tlcs. Apenas no extremo do seu d'antes ,
mais rico e povoado arrabalde amarelejava pu-
lido pelo tempo o gtico mosleiro de S. Fran-
cisco junto de sua irma mais vollia a igreja
|F@iUlrITfl
ARRIIAS '01! PORO r>'ESPANHA(*).
Durante esta luta dador o de bypocrisia ,
ciutiue, como sem pro acontece- a ultima
triumpliava o conde de Barcellos e >. (ion-
calo Telles tinbam-se encostado janella fatal
que dava para o rio c qoQ lamhem domina- jdos Marivros. No valle quolicava emmeio. a luz
va grande poreo do arrabalde occidental da de cima mbebia-se intilmente na povoae/io
ciliado. O espectculo da noile era-de melan- que jaziaexlincta. A bella lua demaio, lo
ctiojfca magnilicci cia. fagueirt para eslacidade querida assimilha-
A luacaminhava^ios cus limpOs de nu- va-sclea, que vtfllando ao antro acha o
vens epela fac 1 uspirava urna se'.: cachorrinhomorto. A pobre lera amei-
aragein. A elari rase na 1 uno s I ssevivo, e vendo-o quedo,
aguas, mas esmoreca bal-endona pvoago, indifferenle, e fro nao O'Cr evai, e'.VDl-
na qual nao ochava al m dos antigos muros, I ta multas vezes renovando susinuteis alia-
Lisboa era um cadver o a lua passa-
s.i < sorria-lhe airlda !
)Vid. oDiarioX. 71, 72, 73, TG, "... is no meio daquelle chao irregular, ne-
,86,88, '.) 1 \)2. 93, 94, 93e96. Jgro, callado, viam-seaqui c acola luzin
mis ter a lim de proceder a mspecco na
parte relativa disciplina e instrucQo de
cada um delles, e naquedzia respeito s
qualificagoes.
Dito Ao mesmo Exm. snr. significan-
do-lbc (|ue no Vapor penltimamente che-
gado da Corte, vieran, o Capito Joze Cae-
tano de Andrade Camiso e Alferes Francis-
co Pedro do Reg Rarrcto, sobre os quaes
nenhuma partecipaQo recebera ; pelo que
procurava saber que destino Ibes devia dar.
REPARTICO DA POLICA.
Parte das occorrenca.
O Commandanle Geral do Corpo de Polica
participa que no da 50 de Abril p. p. fora
preso pela palrnlba da ribeira Francisco Joze
Muniz ; que no dia 1. docorrente nooccor-
reo novidade ; que no dia 2 foro presos pelo
7). commandanle do mesmo corpo Joo Ribei-
ro de Faria os individuos seguinles -- Joze
Mara do Carmo Venancio Caetano dos San-
tos e Joze Coellio da Silva por briga e
ferimento ; pelo odicial de ronda do sobredi"
to corpo Anlonio Joaquim d'Almeida Guedes
o soldado do batalho provisorio Joo Gomes,
por ser encontrado em alta noile ti ajado de
camisa e ceronla e armado de baioneta ,
ecinturio, os quaes tivcro o competente
destino: e, finalmente, que no dia o do
mesmo me/, foro igualmente presos pelo
inspector do quartero do lugar da ribeiro
de Santo Antonio- Knygdio Joze de Mello ,
o Joo da Cruz por infraeco de ordens as-
sim como a preta Vicencia Anaslacia, por di f-
ferente motivo 5 e pela I. patrulha rondante
no lugar da Trempe o escravo de nomc Joze ,
por ser encontrado com um guarda chuva ,
c suppor-se que era furtado.
Maio -i.
Passou-se pasaporte Roza preta es-
crava de Manoel Rodrigues Pimenta para o
Rio (rande do Sul.
_ Ignacio preto c Leandro Cafuz es-
cravos de Joo Pinto de Lemos para o Rio
Grande do Sul.
CMARA MUNICIPAL DO RECIFE.
SKSS.Vll KXTlUOltniNARIA DE 20 DE J.VXEnO DE
182.
PRESIDENCIA DO SNRT. BARROS.
!
que semeneavam de um para outro lado ao
qiiu pareca sem rumo corlo. Era que os fra-
des de S. Francisco e de S. Domingos faziam
procurar por entre os entulhos as reliquias
tos morios, para Ibes darem a sepultura chris-
ta. Nesle piedoso trabalho que seguiam
sem descontinuar havia muilo tempo eram
acompanhados por alguns do povo que para
se esforcarem cantavan urna cantiga pia cu-
jas coplas bem que interrompidas, vinham
com triste som bater de vez em quando nos
ouvidos dos dois cavalleiros. Resavam as co-
plas :
1) amigos o imigos .
Que .'ilii sSo deitados .
Levemos os ossos
Ao cbo dos finados.
\\e Maria '.
Sania Maria !
Comparecro os Srs. Costa Monleiro, Oli-
veira Ricardo do llego Dr. Villela Mello
Cavalcanti e Carneiro Monteiro faltando
com causa os Srs. Maciel, e Mamede.
Aborta a seso, e I ida a acta ta anteceden-
te foi approvada. O secretario dando con-
ta do expediente, menciouou os seguintes of-
QciOS :
I m do Exm. presidente da provincia par-
ticipando que expedir ordem ao engenheiro
Vauthier para fornecer ao engenheiro Rouli-
treau todas as plantas e mappas que por
este Ihe forem pedidas : inteirada.
Outro do mesmo Exm. Snr. aecusando a
recepeo do ofiicio desta cmara, acompa-
nbado da planta to bairro do Recite levan-
tada pelo engenheiro Roulitreau, e signifi-
cando liaver approvado dita planta salvas
as alteracoes que se devem fazer no caes ,
para o milhoramento do porto, remetiendo as
l'olbas de que se compc a mencionada planta,
a lim desta cmara por ellas regular-so : in-
teirada.
Outro do inesmo Exm. Snr. ordenando que
esta cmara communicasse com a brevidade
possivel ao inspector geral das obras publicas
as direcQes, que devem ter,os caes projecta-
dosnas margens dos bairros desta cidade, ou
as balizas que os marco de difieren tes terre-
nos de niarinha ; e que remetesso igualmente
o plano de arruamento do lugar de Fora do
Portas : a cmara licou inteirada e resol veo
que se olliciasse ao engenheiro Roulitreau para
saptisfazer as requisiees do mencionado of-
iicio intendendo-sc com o inspector das 0-
bras publicas.
Outro da cmara da villa de Cimbres, par-
ticipando licar inteirada d'havcr tomado pos-
se do governo desta provincia o Exm. Snr.
Ilaro da Roa-Vista : inteirada.
Outro do tenenle coronel commandanle
das armas dirigido ao presidente desta c-
mara participando que havendo sido en-
carregado pelo Exm. presidente da provincia
da inspec<;o da guarda nacional deste mu-
nicipio necessario se l'azia que se Ihe reme-
Madre gloriosa, ]
Dcss'alta ventura
Demovei os olhos
A nossa tristura.
Ave Maria !
Santa Maria !
Ao benlo Jess ,
E ao padre eternal
Pedi que perdoe
A quera morreu mal.
Ave Maria !
Santa Maria '
Esla longinqua toada perdeu-sc no som de
oulra bem diversa, que se alevantou mais por-
to dos dois cavalleiros. Erna voz esganicada
dava o aeguinte ptego.
...-.. Justica que manda fazer clrei em
Fernao Vasques Joo l.obeiraeFr. Roy:
que morram na forca sendo ao primeiro as
maos decopadas em vida.


M
MM .!l/X
O.
onn
wmUivrs tlc'
lyjilncula^ da guanta nacional quor do 9er-
vaco"ordinario quer da reserva : inleiraibi.
Oulro do administrador da meza de rendas
internas prnvineiaesA requisitando o pagar
ment da diaria urbana dos predios d'esla
raniara correspondente ao prmeiro siniestra
do corren te auno linanreiro : delorniiiiou a
amara une o procurador satislzesse.
Outro do Snr. \ criador Maciel, parlici-
IModo nflo poder comparecer sessflo de ho-
ja por motivo de molestia : ioleirada.
De'spnch.ir;H>-se alguiis requoriiueiilos e
por ser dada a hora alevantoii-se a BCS8RO o
mandrflo fazer a prezonlo em que asaign.-
rao. lu Francisco Antonio Rabillo de Chi-
valho secretario interino a escravi.
llanos Pro Presidente Costa Monleiro ,
JKS-CX*'
>.ll|-,l UL^--J.
OfJlf!
seteiUilieas; uma conversado de todas aso-jma,
pinioes e de lodos os sistemas e de toda a
Europa; urna Iqpga, e interessanleconyer-
Sacflo, que no espaco de tres anuos apenas
cliegou T. letra do alphabelo : he voivlado ,
(pie sao as tres letras mais extensas, eas
mais cheasde. lodos (ts Diccionarios do Mun-
Ricardo rio llego
canti,' Carneiro
IV. Vilella Mello Caval-
Monteiro.
Tendo nos de oflreoer aos nossos assigmin-
les por este Diario alguus artigas Iraduzidos
ijo Diccionario da Conversado justo pareceo-
nos o a proposito ciar-llios tuna i lua des-
la nlerCssanle Obra cuja leillira nunca se-
r assaz reeommandada pois que ella ensi-
lla aos que ignoran deleita aos'que saben) ,
lonna ocorac/io da mocidade consola a ve-
lliice torna mais risonhos osdias venturo-
sos a mais suportavcl o lempo da desgrana;
segundo se expriiiK! o "Orador Romano ; ado-
toscentiam ahint senectiitem ohleclant, se-
cundas res ornanl adversis refugium ac
solaliiim prehenl.
O ol; HE o DICCIONARIO liv CONVERSUJA.
O Diccionario da Convorsacao lie a reunio
de lodos os. con hecimen los humanos graves ,
ol filiis enllocados ao alcance de lodos. O
plano d'este Diccionario anda lie mais vasto
do que o da Kncyclopedia porque compre
hende ludo quaiiio alii ha de grave, e ta
hem ludo quatito eftil se deve saber. Nao
lie este Diccionario simplesmente O livro de
jin lioincm queso quer aprender ; he o li-
vro dequem quer aprender, e dequem quer
ensillar. Nao he soiuente livro de Gabinete ,
lio livro dos Saldes.; da Conservaran famili-
u dediscilac,o sapiente-, henin livro de
nomes pro[irios no (pial ao mesmo lempo se
li'cm anedoclus, e famosas biografas; nao he
un syslema, oil urna opini.io; he a leuniaode
lodos OS Sistemas, ede todas as opinioes : nao
he um ljvrode unidadq he livro de varieda-
des e tal te, o iiislnte. Alu os prejuisos sao coniha-
tidos pelos prejuisos; o progressode qualqer
parte que venha he hem acolbido ; he este
livro como um recinto anudo se reuiiem em
araigavel cqmpaiihia mocos e velhos a re-
publiea e o Imperio, a nova, e a v< Iba rea
lesa : he urna mullidao variada divertida ,
sabia o movediza. Sao historiadores poe-
tas inalhemalhicos, philosnpjbos, ou polti-
cos que se apresentao as vossas vistas ; ou
antes todas a.s Nac/ies lraballiamlo e cada
urna ollcrcccudo o (pie nielbor sabe ou o
que sabe de m-lbor. A Alemanha a Ingla-
terra a Italia, a llespanha o Oriente,
trasem para este Ihesotiro coininiini as suas
liescoberlas o recordacoes sin pliilosopbia.
suas obras, esua polilica. He livro, que
ouve ludo o (pie se diz, e seronta, que pres-
ta aticiicao a todos os sistemas, ose lembra
de todas estas cousas ; livro iiuiuenso no
itual ae aclia bigraphia historia, sciencia',
anedocta parecendo-se al rom uru jornal.
Km nina palavra nao lie livro he realmente
urna coiivcrsac,ao de pessoas espirituosas e
do, e principalmente hojeque 2. letra cn-
cerra o nome de Bonaparle como a primei-
ra eiicerriva ja o nome de Alexandre o a
terceira o de Cesar.
(Art. Iraduzdo do mosmo Diccionario.)
PERNAMBCO.
A T do corren la pelas 11 horas da manha
um hoinein vestido de casaca e de meia i-
dade lancou-se ao rio da ponte do Recife :
as pessoas que presenciaran este acto de Ion-
cura o que nao reconhecerao o individuo ,
viro- anda vir una vez a cima d'gua ; mas
desaparecen logo. At boje (">) se ignora
qiiom era o desgranado qu nos deo este ex-
einplo de suicidio, que felizmente he muilo
raroem nossa Ierra ntreos naturaes della.
PARAIIIBA DO NORTE.
Huma caria desla Provincia de p.ssna fi-
dedigna diz o segualo Naooccorre por
aqu novidade, si nao que o Chico Vinlem ,
um dos quealirara no Exin. Presidente, Ibi
morlo uas maltas do Engenho Santo Amaro
por urna escolla que perseguindo-o, vio-se
na necessidade de obrar dnquelle modo para
escapar ao bacamarle cotn que o fciuoroso
resista disparalldo-o por vezessem resulta-
do, Foi veidadeirameiile nina desgraca, por
que he una losteinunha de menos contra os
oulros criminosos.
COMMRRCIO.
Al.l ANDF.CA.
llendimenlo do da 4 de Maio 3:5i0>99
DESCVRRECA" HOJE ( lK MAIO.
liana Americana Chibe = Farinha bo-
laxinhas, bren, barricas vasias, carne
Salgada, canella, drogas, sabaoe pre-
sos.
Brigue Ingle/ Chandebuch = Bacalho,
e lagostas.
Brigue = Europc _= Carvo de pedn.
A I>KUI1I0.
Diz Miguel Joze Palmeira da Fonceca, que
precisa (pie o F.scrivao Ma;alhaes vendos
aulos de I i bel lo civel de Francisco Joze Bar-
bo/a Antonio Fclis dos Sanios Joaquim
Antonio da Silveira contra Antonio Luiz
Concalves Ferreira lite di' por cerlidao o
Iheor da senlenca que se proferio contra o
mesmo Antonio Luiz. P. a V. S. sur. Dr.
.Iniz .substituto 'que Ihe mande passar a cerli-
dao requerjda. E. I. M. Passe. Cida-
de do lcciJoSde Marco de 18*2. -- Vieira de
Amoriin. Antonio Francisco Rodrigues
Uagalhes, F.scrivao interino da segunda va-
ra do civel, tiesta Cidade do Recife de IVr-
nambuce por Sua Magesladc Imperial c
Constitucional o Senhor Dom Pedro Segundo,
que Dos Guarde 4c. CertiJico (pie vendo
os aulos de l.ihello de que sao Autores Fra-
ciscoJo/.e Rucho/a Joaquim Anlonioda Sil-
veira e Antonio Felis dos Sanios como
lestamenteiro do falleseido Joaquim da Silva
llegadas, e Procurador bstame de Luiz de
Oiu-uo/. Monleiro Regadas Reo Antonio
Luiz Coiicalvest'erreira delles consta ser o
modo e manpira seguinle Senlenca. --
Vicios ltenla mente examinados estes autos
Ac. delles secolhe pediremos Autores em sen
I.bello a folhas de/., para que seja o Reo
condemnado a entrar para o Deposito Geral
Com a quantia de qualro conlos duzenlos no-
venta e tres mil trezentos o sessenta reis que
indevidamenle recebeo por execucao feita ao
devedor commum Joze Rento da Costa, c
passando a desenvolver osen dircilo mos-
trar que tendo ellos Autores apparelhadd
suas execucoi's contra o conimiiin (levedor e
estando este em estado de lallimenlo, cojos
bous nao erao sfllcieiftes para solver todos os
se.us dbitos; e sendo igualmente a quantia
arrecadada o resultado da arrematacao de pre-
dios j embarga 'os pelos Autores j mais po-
da o Reo aiitecipadamente, c com exclusao
pagar-so da sobredita quantia; ft ssim por
um rateio proporcional, pelo qualeiq lempo
elles proleslarad : Analmente insislindo a-
nda allegao que (piando mesmo o Reo se con-
siderasse com direilo para assim p>oceder :
lodavia insubsistente se derla julgar o sen
pagamento, por ter sido adqueridu por uma
maiieira inslita e extraiiha do processo ,
0 que ludo Ihe irroga nullidades insupriveis :
0 Reo pretendendo repellir a inlencjfiodos Au-
inres prevalece-so da materia de sua contra-
riedadu por nsgafia a folhas quinze, eexpla-
nando-a desde folhas nvenla e Ires, a folhas
noventa e cinco defende-se mostrando, que
menos justa he a prelencao dos Autores poi-
que nao provando elles ser o devedor com-
mum negociante, j mais pode dar-seo fal-
imiento e por coiisequencia o pretendido ra-
teio para que o remettem : e que anda assim
para ter logar o concurso, necessario se fa/.iu
que provass m nao ter o devedor oulros bens :
allega lambeta que nao merece acolhiinento
a assercao dos Autores por ter sido a sua re-
clamacao extempornea e depois de levanta-
da do Deposito a quantia por elle recebida : e
que linaJmeiite mo se leudo procedido de
accordo com as solemnidades exigidas em Di-
reilo para consliluir um formal falimiento ,
lao hem mo he o depoimenlo das leslemu-
nhas a folhas, que Ihe faz carga ; norqce a-
lem de seren deouvida vaga laobeut jurad
pela mesma estmiada oracio o que as tor-
na ( segundo o Direilo ) defeituosas : ao que
se seguirao lodosos mais termos o que ludo
bem visir, ; o ponderadas as rasoes pi e
coiilra depreliende-se provarem conelinlen-
teniente os Autores a sua inten<;5o seni que
por parle do Reo se allegue colisa algunia ,
que a possa destruir. ponpie protestando to-
dos oscredores a.s letras vencidas, e por ven-
cer do commum devedor em consequencia de
ser notorio o falimiento eomose v dos docu-
mentos de fallas trinta e una a foi has oj-
enla e cinco, he obvio que nflo poda e
nem devia o Roo indenujisar-se com tanta o-
zalama ; mas recorrer ao ra.teio proporcional,
guardadas sempre .is solemnidades exigidas ,
0 marcadas em Direilo como ludo se v da
desposicao do paragrapho segundo da orde-
iiacan do Livro lerceiro, titulo nvenla e um, ser feita por lempo den
paragrapho viole e dons do Alvara de treze
de Novenibro do mil selecentos cincoenla e
seis e l.eis de vinle de Junhode mil sele-
ccnlos setenta! e qualro paragrapho quarenla
c Ires : laobem auxilia a inlcncaodos Autores
o documento de folhas oitenla e seis a folhas
oilenla o nove pelo (pial exuberantemente
mostrad terem anteriormente feilo embargo
na casa arrematada c de cujo producto o Reo
se pagou ; porque tendo assim pralicado os
Autores devia o Reo nflo progredir no paga-
mento aliento o desposto na ordenaejo do
Livro quarlo titulo seis paragrapho ter-
ceiro finalmente a deliciencia dos seis das,
Iheor da senlenca pedida por cerlidao da for-jque se deveriao ter assignado aos credores ,
Os civallciros abaixaram os odios para o
logar donde subir a voz: era no terreiro
unoximo : os tres padecen leseo algoz cer-
cados dealguos bsteiros, approxiraavam-se
docadafdlaa varios vultos negros fechavain o
prestito : daquella pinlia partir a voz do
pregoero.
Este preglo dado a horas moras e n'cma
praca deserta pareca um escarneo. Maso
corregedor da corle era all'.iinado jurisconsul-
to e nos temosoiivuloa algunsquo na exe-
cueo das leis as formas sao ludo. Assim
pamente o eremos.
Duasse tiuliam porcm psqueeido: os
desgi-arados morriain como .upiellcs que o sal-
teador assassma na estradapela alta noitc ,
i'm'ui um sacerdote (jucos cousolassc na ex-
trema agona.
Dalgo*empurran brutamente um dos pa-
decen tes para urna especie de marco ne'frro
que eslava ao p do patbulo. Da!.i a nada os
cavlleirus viran reizjr duas vezos um ferro:
OUVram successivameiile dois golpes dados
como em vao segundo-se a cada um delles
um grito de terrivel angustia.
O conde de Rarcellos quiz rir-so mas a ri-
sada gelou-se-lhe na garganta, e como Con-
cedo Telles recuu involuntariamente.
Ogriloquo restrugra, cnegara aos ouvi-
dos d'elrei.
h Que bradar de hoinem (pie malam es-
te ? n pergunlou elle.
A juslitja de sua senhoria que se execu-
la : respndeu o conde, que ueste mo-
mento retroceda dajapella.
(>h desgracados lo breve disse
el re passando a mo pela fronte donde roa-
nava o suor da allicco e terror. Oihando cn-
to para Leonor Telles accrescentou :
Al a derradeira inealha eslao pagas vos-
sas archas rainba de Portugal .' Que mais
perlendeis de mim ?
E deixou pender a cabeca sobre o peilo.
D. Leonor nao respoudeu.
como determina o paragrapho primeiro da
Ordenaeao do Livro. quarlo titulo seis e
oulros requisitos exigidos pelas Leis vigentes,
osquaes nao Ib rao observados pelo Reo co-
mo se evidencia dos Autos, ludo faz pender
aJuslica em favor da prelencao dos Autores
mo podeudo por isso favorecer ao Reo as suas
allegarles a folhas, as quaes todas cifro-se
na falta de certos c bem peculiares requesi-
los os quaes s podendo ser ordenados por
um Tribunal nflo existente nao devem por
isso licar prejudicadosos particulares, aecres-
cendo a ludo isto que o falimiento nao he
somente privativo do negociante, como en-
sina Lobao Tractado de ExecugAo por Senlen-
ca : por lauto e pelo mais que dos Aulos se
deprehende evidenciando-se delles nao ter
o Reo procedido methodica e legalmenle em
sen pagamento por isso, de accordo com o
Direilo com o qual me devo conformar, e
seguir julgo competir aos Autores a presen-
t accao contra o Reo ao qual condemnoa
reeoHier ao Depasitb (ieral a quantia endevi-
daineiite recebida, c pagar os interesses mer-
cantis daconteslagflodalideem diante, quo
se liquidarem devendo igualmente pagaras
cusas, cniqueo condemno. Cidade do Re-
cife doUS de Mar^u de mil oitocentos quaren-
la e dous Joze dos Anjos Vieira de'Amo-
rim E mais se mo conlinha e nem nutra
alguma causa se declaraba em dita senlenca
aqu copiada que eu F.scrivao no principio
desla declarado, e abaixo assignado heme
fielmente liz passar por cerlidao da que se a-
chava nos ditos aptos a que me reporto, ea
presente vai sem cousa que duvida laga, con-
ferida, e concertada na forma do estillo, e
por mim sobescripla e assigpada nesta Ci-
dade do Recife de Pernam'iuco aos vifile do
Abril de mil oitocentos quarenla e dous. F/.
eserever, subscrevi e assiguei. Em le do
verdade e concertado Anlomo Francisco Ro-
drigues Magalhes E contigo Joo Francisco
Regis.
E D I T A E S .
O lllm. Snr. Inspector da Thezouraria das
Rendas Provinciaes, manda lser publico,
que em virtude da Lei, peranle a mesma
Thesouraria se bao de arrematar em hasta pu-
blica a quero mais der nos das 1, 4 e O de
Maio proxhno viudouio, pelas 11 horas da
manha, os segundes Impostos ;
Furo das caixasc Fechos d'assucar.
Taxa das barreiras da Magdalena Ce-
quia c Carvalhos.
Passagens dos ros nos Municipios do Reci-
fe c < (linda.
Vinle por rento na agoardenlc de consumo.
Quarenla res por caada de bebida? espi-
rituosas de consumo na Provincia excepto a
agurdenle de fabrica .Nacional.
Dizimo do capini de planta nos Municipios
do Recife e Olinda.
A arrematacao dos tres primeiros Impostos,
m anuo a contar
do i. de Julho do corren te: e a dos dentis
por lempo de tres anuos a contar da inesma
poca.
As pessoas que se proposerem a estas arre-
malac/ies compareca na saja das sessOes da
mesma Thesouraria nos dias cima indica-
dos munidos de Madores idneos e habe-
lilados.
E para constar mandou o mesmo lllm. snr.
Inspector allixar o prsenle e publicar pela
Intprensa.
Secretaria da Thezouraria das Rendas Pro-
vinciaes de Pernambuco 1. de Marco de 18k.
O Secretario -r- Luiz da Costa Porlo-
carreiro.
D. Concalo Telles approximou-se entaoda
i cadeira de D. Fernando e curvou um joelho
em trra.
Elreialevantou os olhos e pergunlou-Ihe :
Que me queris i'
Senhor responden o honrado c nobre I
cavaHoirose vossa senhoria consenlisse ues-
te inoineiiio em o:ivir a SUpplica de unidos
sens mais leaes xassa.llos
<( Fallai replicn D. Fernando.
Joao.de Lobeira acaba de receber o pre-
mio de sua traieo : praseguiu D, Gonza-
lo. O desleal esctideiro possuia avullados
bens (|iie licam perlencendo coroa re I. Por
vossa muila pieijade podis fazer inerc delles
sen lilho Vasco de Lobeira ; mas o pobre
moco ensandecen ha lempos Tresleu com
linos de cavallarias e to varrido est (jue
nao falla em al, semo em uro que anda imagi-
nando, e a que po/. nome Amadis. Para um
mesquinho parvo o sandeu pouco basta, e
vossa real senhoria bem sabe que a minlia es-
caca quantia mal chega...
Callai-vos callai-vos ; que isso ne-
gro c vil : wbradou elrei redobrando-lhe o
horror que tinha pintado no roslo. Deixai
ao menos (pie a sua alma chegue peraufe o
throno de Deus
A |ien;s cincoenla ttiaravcdis nuir-
murou D. Concajo erguendo-se e ahiixan-
do os olhos afllicto com a lembranca de sua
extremada pobreza.
Aseisdejunho da era de Cesar de lili
(1375) em um dos andares da torre do caslel-
lo o veador da chancellara Alvaro Pires ,
passeando de uro para outro lado dietava a
um mancebo vestido de garnacha prvla e
que tinha dianle de si linleiro, pennas e fo-
lhas avulsas de pergaminbo, a segqinte nota
Itero. Pera se spreuer a ilolhas cento e
vintc-oyto do livro prymeyro da Changelaria
Deb rey noso ssenhor : Doa(,om dos bees de
rraiz e moviis de Joham Lobeita conlisqua-
^


o
tsr Pela Administrago da mesa do Con-
sulado se faz saber que no di 9 do corrente
mes se ha de arromatar porta da mesma Ad-
inristraco duas caxasde assucar branco a-
prehendidas pelo respectivo Empregado do
TrapixeNovo por inexatidodas taras; sendo a
irrematago livre de despesas ao arrematan-
te. Mesa do Consulado de Pernambuco i de
Maio de 1842.
MiguelArcanjo Monteiro d'Andrade.
ssy Pela Administrarlo da meza do Consu-
lado se faz saber que no dia 6 do corrente se
bao de arrematar portada mesma Adminis-
trado duas caixas de assucar branco aprehen-
didas pelos respectivos empregados do trapixe
do Pellourinho pela inexactido das taras;
sendo a nrrematago livre de despezas ao ar-
rematante. Meza do Consulado de Pemambu-
co 50 de Abril de I82
Miguel Arcanjo Monteiro d'Andrade.
DECLARA? OES.
tsy O Brigue S. JoSo Baptista recebe a ma-
la para o Rio de Janeiro no dia 7 do corrente
a* 1 horas da tarde.
\ZT O Brigue Escuna Voador recebe a
mala para o Maranho no dia 9 do crrenle as
10 horas do dia
tzr Pela Thesouraria da Fazenda desta
Provincia continua a Substituido das notas
de 5 10, e *0t da primeira estampa, os
possuidores das ditas olas bajan de apresen*
a-las na Thesouraria todos os das que nao
forcm de guarda, das 10 horas da manh a
urna da tarde a lim de S1 proceder a com-
petente subsliluigo. = Thesouraria da Fa-
zenda dePernambuco 20 de Abril de 1812.=;
Domingos A Hongo Neri Ferreira Thesou-
reio,
= O Arsenal de Guerra compra 000 a 800
covados de pao azul para fardamento da Tro-
pa : a pessoa que o tiver appresente-se com
amostra na salla da Directora do msmo Aiv
seal, boje 0 do crrante s JO lluras da
man ha.
AVI SOS DIVERSOS.
N. B. Cada caixinha vaj embrulhada em p = Precisa-sede 200j res a juros dando-se
... .'iiii*'
seu receituario com o sello da casa em la-
cre preto.
ey Alugo-se pretos a dez mil rs. men-
saes, dando-se o competente sustento : quera
tiver algura que queira alugar, dirija-se a lo-
ja de Joaquim Gongalves CascAo, na ruada
cadeia do Recife, que se dir quem pre-
tende.
tzr Antonio Joze Gomes d'Oliveira, re-
lira-se desta Provincia para a Europa, a tra-
tar de suade.
W No dia 9, 10, e 11 Maio corrente tem
de vender-se impreterivelmente em hasta pu-
blica a casa da ra do Apolo, pertencente
ao casal do fallescido Joaquim Antonio Fer-
reira de Vssconcellos, isto para pagamento
de seus credores : esta casa tem no fundo ti-
ma j edificada com 57 palmos de frente ,
e 100 ditos de fundo travejada em primeiro
andar e soto e a da frente acha-se em res-
paldo tendo 40 palmos de frente, e 117 di-
tos de fundo ; e entre urna e outra chaguan
de 20 palmos com porgSo de terreno forciro
para seguranga um molecote de idadede 15
a 10 alios a pessoa qup quiser dar : diri-
ja-se a ra nova D. JO loja de alfaiale que se
dir quem faz este negocio.
= Percisa-se de um menino brasdeiro, ou
portuguez algumacousa adan lado na arle
de Pharmacia Tasendo-se algum interesse na
botica ra do Cotovello D. 29.
= Deseja-se fallar comosnr. Jos Carlos
de Mondonga : ou pessoa que faga as suas ve-
ses a negocio do seu interesse.
= Quem livor urna boa escrava que a quei-
ra alugar para urna casa de familia eslrangei-
ra, que saiba cusinhar, lavare engomar benr,
pagando-se bem e dando-se bom trato : quem
a tiver dirija-se a ra da Cadeia do Recife
D. 62.
es- O Snr. Joaquim Antunes da Silva Cas-
tro queira procurar una carta vinda do Rio
de Janeiro : na ra nova defronte da [groja da
Conceigo n. 105.
tsjr lloje 0 docorrente vo a praga por ven-
la a porta do snr. Doutor Juiz de Dreitoda
ate a baixa mar, em parto atterrado ; heop- 1. Vara do Civel na ruada Aurora asparles
timo para una perfeita edificagao de todo o que tem os Herdeiros maiores as duas gran-
des casas terreas unidas com tres sanzalas pa-
ra escravos na ra do Cotovello com um peda-
oo de muro na frente onde se podem edificar
duas grandes propriedades chaos proprios
grande cilio eom lanquese cacimbas de boa
agoa muilas arvoros de frulo e todo terreno
a beira do Capiharihe as (paos forao do Ca-
pito-mor Antonio Joze Quaresma c o res-
tante portcneenle aos Orfos se permuttar
convindo.
= O snr. Antonio Moreira Pinto Barbosa
que se relira para Angola no Pataxo francoli-
na faga favor de hir resgatar urna letra de 2l .*
ruis ja vencida a 5 meses na ra Nova D. 10
loja dealfaiate que por mijito favor se tem es-
perado tanto lempo porom avistado ancun-
genero e tambem um bom trapiche.
CJ" Da-se 1,00,>000 rs. a uros sobre pe-
nhores de ouro : no largo do LiYramenlo ca-
za terrea D. 10 que se dir quem d.
E^" O. uem tiver para arrendar urna peque-
a saja de primeiro andar, no bairro de San-
to Antonio, as'ras principaes ; dirija-so
ao Recife casa de Joati Maria Seve ou an-
nuncie.
SS7" A pessoa quo annunciou no Diario de
2 do corrente n. 95, precisar alugar urna
preta para o servigo interno de urna casa:
sendo anda queira dirja-sea ra larga do
Rozario, botica D. 10, que achara com
quem tratar.
5&" A pessoa tanto da praga como de fora ,
que quiser dar para ensinar molaljnhase pro- co nao comparocendo, se usar dos meios ne-
tas captivas a cozer toda quajidade do costuras cessarios jsto a ser com brevjdade.
= A lista dos premios da 2. parte da
9. Lotera do Thealro acha-se venda no
Jugar do costume.
BU lie tes da 2. parte da
6. Lotera concedida
favor das o foras da Ma-
triz da Boa vista cuja-
rodas andao imprcterivel-
mente II de Maio ; nos
lugares do costume.
Pilulas vegetaese universaes Americanas.
Estas pilulas j bom conhecidas pelas gran-
des curas que tem feto, nao requerom nem
dieta e nem resguardo algum ; a sua com-
posigo to simples que nao fazem mal a
mais tenia crianga : em lugar de debilitar ,
fortiico o syslema purilico o sangue, e
augmento as sexreges em geral : tomadas ,
soja para molestia chronica ou "somonte co-
mo purgante suave ; o iqeihor remedio que
tem apparecido, por nao deixar o estomago
naquelle estado de conslipagao, depois de sua
operagao como quase todos os purgantes fa-
zem e por seren mu fac#ia tomar e nao
causarem ncommodo nerhum. O nico de-
posito dellas em casa de D. Knoth agen-i se nesla Cidade j tem estabelecido o seu de-
te do author: na ra da CruzN. 57. psito para ser procurado.
layarintos bordados, e marcar, por prego
eommodo promettejido-se dar promptas em
pouco tempo; dirija-se ao sobrado do patio lo
Carmo, de varandas de pao segundo andar
que achara com quem tratar .; e a mesma pes-
soa onsina a 1er escrever e contar. *
xsy Aluga-se urna salla de um sobrado,
que seja o primeiro andar preferindo-se pa-
tio do Para izo ou do Carmo.
tsr Aluga-se o armasem do sobrado de \
andares da ra do Amorim no Recife de-
fronte do ferreiro Caetano e o primeiro an-
dar sobrado amarello da ra Augusta : a
tratar na ra do Vigario D. 12.
= Deseja-se fallar com o snr, Jos Luiz
Bellro Mavjgnior ; na ra da Cadeia Velha
n. 54 no primeiro andar onde tem Aula de
primoiras letras.
3~ Arrenda-se ou vonde-se o Engenho
Buranhem sito na Freguesia de Serinhaem ,
moente corrente com fabrica e animaos
cavallares porto de embarque ao p tenas
lavradias de magap, de muito bous assucarcs,
c boas matas : quem o quiser pode entender-
se no mesmo Engenho.
= Constando abaixo assignada que se
tem introduzido pelo interior da Provincia
um remedio composto de mercurio e oulros
xsr Precisa-se de um menino de 12 a 14 simples mais para ser tomado em forma de pi-
= Carlos Tessada segunda vez annunciaa
quem convicr que elle est prompto para
ensillar assim a Lingoa Italiana, como a Fran-
cesa. As pessoas que quisereni aniiuncieni
por esto Diario as suas moradias a fin de as
procurar e ajustar-se.
= Padre Jos de Mallos e Silva retira-se
para a Capital do Cear.
tar* Antonio Jos Nunes Gui maraes fuz
publico que dirige-se ao Aracali a trartar do
seo negocio.
tj* Precisa-sede nm snr. sacerdote para
Capello annual do Engenho Pcrerecas na Co-
marca do Rio Formoso sendo este agreultor
para o que so i he dar casa e trras a conten-
to, e tanto por isso como para o seu ajuste so
entender com o rendei rodo mesmo nesta praga
na ra da Aurora nico sobrado de un andar
que existe nesta ra e do im deste mez em
diante no referido Engenho.
tsr Antonio Fernandos, subdito Portu-
gus retira-se para fora do Imperio.
13- Pedo-so ao Irmao Provedor dos Marti-
rios da Igreja nova que declare com que nu-
mero de limaos reunidos no consistorio no
dia dois docorrente riscariio devoto e lugar
o Procurador de Santo Antonio ; assim como
tao bem nos informe o procedimenlo do Es-
cri vo desta Imiandadc Clirispim Marques No-
gueiracom a dala de quando esto foi Procura-
dor e at o presente espera-se resposla.
cy Quem perdeo urna oanoa iberia cu
ja esl toda destruida a qual In.i por agor abai-
xo, sendo apprehendfda pormim acha-se
acostada no mou cstalheiro dentro d'agoa ,
quem se julgar senhor da mesma podo vir
bscala licando serlo que eu nao me respon-
gaboliso pola fuga que a mesma possa ter.
JoAo Tbomaz Peroira.
es O Snr. Augusto C. de Lima baja de ir
tirar um pinhor que doixou em 29 de Outu-
bro (le 1811, na loja que foi de Alfongo Saint
Martin ra do Cabug no praso de o-
to dias do contrario ser vendido para pa-
gamento dos efTeitos que comprou.
= Da-se sobre pin llores de ouro ou ra-
la duzentos ccincocnta mitris: na ruado
Rosarjb larga loja de Fasendas D. 5 se di-
r.
?* Manoel Jos Narciso
corle do Rio de Janeiro.
retira-se para a
,__-----------------------,.-......... ..w <<< IIU | lili-
lina faca o favor da hir pagar a conta que
leve a Jos Pires de Moracs & Compendia
annos para andar com urna preta a vender
na ra fasendo-lhe alguma vantagem :
quem estiver nestas circunstancias dirija-so
a ra das Trinxeiras sobrado D. 9.
%3T Aluga-se urna preta que saiba engo-
mar, e fascr algum servigo de casa: quem
liver, annuncie pelo Diario pifa ser pro-
curado.
ST Quem precisar de urna ama para casa ;
pode dirigiese atraz da Matriz de Santo An-
tonio por cima do Escrivo Cootinjio D. 11,
que achara com quem tratar.
sb Oabaixo assignado tem a prUvinir ao
snr. Tbesoureiro da Lotera do Theatro. que
caso saiao premiados os bilhetos n. 1901. e
500i'no pague so nao na pr srnga de lodos
tros socios ; que rubricuo os mosmos bilbe-
les que sao Domingos & Antonio e o abai-
xo asssignado com o seu ultimo apelido.
Manoel da Fonceca d'Araujo Lima.
=^ O snr. Thomaz Gosling, author da Me-
decina popular Amei cana queira declarar
do e m o rio por treedor contra iio sservigo de
ssuarreal senhorya ao muy nobre D. Gon-
gaalo Tellez per lio muyilo divedo que c
elrrey ha c polos muytos sservigos que del
tee rrogebido e ao dianto espera de rrege-
bw. ( 1 )
E o povo ? Oh este sim Mosti ava-
so agradecido e bom no inejo de tantas in--
amias e crimes.
Os populares que na ma.nhaj i inmediata
;que||a horrivel noite dos ns de maio pas-
ayam pelo terreiro maldi'o onde pendiam
di Jorca os tres cadveres meneavam a ca-
Jiega eseguindo avante diziam :
( 1 ) A nula imaginaria mas esta mer-
c acha-se com cH'eilo registada a f. 128 do L.
i. da chancellara de D. Fernando
Boa e prestes foi ajustiga d'elrci nos trai-
dores.Alcacere por sua senhoria
NOTA FINAL.
D. Fernando guardou at<* a primavera de
75 a vinganga contra os populares de Lisboa
e d'outras trras, que no anuo do 71 se t-
iiham amotinado jior causa do seu casamen-
to. Y-se isto dos documentos regislados na
sua chancellara e citados por Fr. Manoel
dos Santos posto que alguns delles os nao a-
chemos em um ndice ou resumo que possui-
mosdessa chancellara. Quem attentamente
liver esludado o carcter atroz c dissimulado
de Leonor Tollos tao ber.i pintado por Per-
nio Lopes e os factos que provam a sua influ-
encia sem limites no animo daquello princi-
pe nao poder esquivar-se a vehementes
suspeitas sobre os motivos quo n'ura ro-
mance nos damos como rcaes porque ah
lulas com um clices de vinho branco sobre el-
las ; dsendo-se ser este o remedio particular
d'aiiunciante com o qual tem ella a mais de
50 anuos curado a centenares de pessoas mor-
didas de c;les damnados sem que al hojo
ten ha falhado a um s : a abatxo assignada
declara a bem da liumanidade que o seu re-
medio nao leva a menor dose de mercurio ;
pois que este remedio com os quaes os Profes-
sores de Medecina eCrurgia costumo a cu-
rar os iiifermos desle mal no ie infalivel,
porque imonsas vezes tem fnlhado-; acroscen-
do alein disto que o mercurio bira de en-
contr a virlude dos simples de que he com-
posto o remedio d'annuncianle que a parto
niais essencial d; sua dieta he a pVivagSo ab-
soluta por mui tos tem pos ilc toda c qualquer
bebida espirituosa d onde se conclue ev-
denteinonte a falcidade desse remedio intro-
duzido ( talvez ) com o fim somonte de desa-
creditar o da an n uncan le que tao prodigio-
sos elTei tos lem produzido salvando a mui-
tos at mesmo em desenvolvimcnlo j do njal.
Auna Benedicta Boaventura do Carmo.
licit faze-lo da, alias inexplicavel, inac-
go com que I). Fernando nao quizoppor-se
vinda d'elrei de Castella sobre Lisboa vin-
da que reduziu os seus moradores aos mais
espantosos apuros e que convrteu a cidade
por assim dizer em um monto de ruinas.
Daquelles documentos resulta que depois de
lirada toda a forga aos habitantes de Lisboa
pela guerra de Castella, em queseviram
quasi sos e abandonados elrci viera sobre as
ruinas da maior e melhor parte della satis-
fazer os odios de D. Leonor, porque levan-
tado o cerco" em margo de 75 adiamos elrei
em Lisboa (aoiuleno rol tara desde a sua fu-
ga no outono de 71 ) durante alguns dias de
maio. o em Santaifiii e oulros logares nos!
mezes seguintes fazendo meres dos bens de
eidndos morios decepados ou fgidos ,
do que se pode concluir que entofoiaui exc-
culados ou banidos nao sendo de crer que
a cubica cortesa! tivesse esperado muitos
dias sem prcar estos sanguinolentos despojos.
= O Snr. Antonio Moreira Pinto Barbosa,
queso relira para Angola no Patacho Fran-
eelina
d<
albas vai-se prevenir as Authoridades para o
por em milhor seguranga.
= lloje 0 do corrente, polas 5 horas da
larde na presenga do Snr. Doutor Juiz de
Orfos em a ruado Colegio se pora em pra-
ga por arrendamonlo annual o cilio do Arrai-
al do finado Joo Carlos Pereira de Burgos a-
valoado por 400,)0UU com muitos comodo
como ja se tem aununciado o qual vai a pra-
ga a requerimonto da Vi uva Inventariante D.
Francisca da Cunha Bandeira de Mello para
pagamento dos credores.
= No dia 4 do corrente entregar > no Es-
criplorio dcE. Schaelfer na ra do Vigario nu-
mero 18 una carta dirigida a Ad. Schafheit-
Jiii que entregar a quem perlencer.
= Qualquer pessoa forra pu captiva que
ten ha bom lcite e quiser criar ; dirija-se a
ra do Coelho no primeiro sobrado depois da
igreja de S. Gonsalo.
-"Fl-ci-H-be de uin conti di* rei u premio,
sobre hypothfra de un>a raza teir-a cita no
atleiro lo-. Aff jiados ; quero Iheconvit-r
e..se rie^orio niiiuncie a sua morada para ser
proi lirado.
0 casamento de I). Leonor Telles e as
consecuencias delle sao o primeiro acto do
drama terrivel da llliada scelerum da sua vi-
da, poltica. Foi este primeiro acto que nos
procuramos dispor na tola do romance hist-
rico. Todo o drama daria nessa forma da
arte urna terrivel chronica. Desde esta e-
pooba al ser arrastada em ferros para Cas
tella por aquellos mesmos quo chamara a as-
solar o seu paiz a Lucrecia Borgia port-
gueza em nossa historia urna qspecie de
phantasma diablico, que apparece onde quur
que baja um feto de traices de sangue,
ou d'al ocdaJe.
Que um dia algum homem de genio faga o
que nsem parte tentamos. EntAo Porttifaj
ter um romance igual ou superar a vanUooU
a Nolre-Dame. Com Leonor Telles o traba-,
o do artista ser melade : o resto deixou-o
ella feito.
-
(A. IL )
9


X3~ Joaquim Policarpo c.-i Silva Cidado
Brasilciro va a Cidade de Loanda.
SS^ 0 abaixo assignado pretende fazer li-
ma viagem Portugal, e dcixa sua casa de
negocio entregue a seucunhado e socio Joze
Luiz dos Santos, authorhado a comprY ,
pagar e receber em nome de --Joze Comes
do Sobral Nascimcnto.
*?* O Padre Manocl Ignacio de Souza Cos-
ta e S faz viagem Portugal.
C7" Antonio Marques relia-so para Ma-
cei.
c^* Precisa-se de um liomem quo soja
bom padeiro e forneiro para nina padaria ,
no atierro da Boa vista no sobrado de um
andar a tratar com Agostinho Tavares Rodo-
valho e larnbem aluga-se um preto que
enlenda do mesmo servco.
ssy Acha-se um sitio de lavrador devoluto
em um engenho muito porto da praca, c com
muito boas tenas coni suficiencia paro tra-
balhar com 20 cuchadas ou mais muiio boa
casa bom cercado e muito grande e com
algumas socas -. quoin o pretender entenda-se
com Antonio da Silva Cusmo na na do
Queimado.
C? Victorino Anluncs da Silva subdito
portuguez recenlenienle chegado do Rio de
Janeiro retira-so para Portugal a tratar de
sua saude, nao tein coalas com ninguem nes-
ta praca.
C^" Francisco Jozc .Machado faz scientc ao
respeitavel publico que mudou o sea nome
desde primeiro de Janeiro de iN."7 para Fran-
cisco Jozc Machado Cuimaraes por haver ou-
tro de igual nome.
ssy Aampeltr/tl publico de Pernambuco
Tbomiz Gosling, agente geral no Rrazil ,
para a -- Medicina Popular Americana luz
sciente ao respeitavel publico que acaba do
estabelecer o seu deposito geral no Rio de
Janeiro ra do Ouvidor .\. 1 ,'. A presen-
tando este iiivaluavel especifico ao generoso
povo Rrazileiro, elle tem em vista asorde
utilidade aos seus semcllianles, e o pouco
tempo que est conhecido na Corle, o bom a-
colhimenlo que tem lido, combinado aos
grandes benelicios tirados por militas pesso;is
cia llic queira compensar um dos maiores
obsequios que poiila fazer, a quem nfio tem
a honra de o conhecer; restando-me somente
ollerecer-lhe os nieus diminuios prestimos ;
equo mil louvores llie sejo dados, nao s
por mim mas por todos os que pensado o
caso, nao izilaro de me avo.mpaiihar no
mesmo sentido.
Rogolhcs Ac.
Antonio Raimundo de Mello.
L E I L A ()'
SSF" .!. P. Adour & Companliia fazetli
leilao por ntervengo do Corretor Ojiveira ,
no dia Sexta feira 6 de Maio. no primeiro an-
dnr da sua casa na rtia Nova D. 4 defrortte do
oil.io (la Matriz de varios movis de mognd .
eadeiras de varios pd roes poltronas cadei-
ras. caixas para costura, mesas secreta-
rias, canaps de varios feitios e tamaitos,
papel piulado muito rico para forro de casas ;
declara-se que todos estes o hj ocios se rao ven-
didos pelo maior p rece que for oll'erecido, vis-
to ser para liquidago de conlas.
C O M P B A S .
133^ Fscravos para lora da provin cia sen-
do negrinhas de naco, crelas e m ulatinhas
_de bonitas liguras, e moleques e crelos larn-
bem bonitos, de 14 a 18 anuos: no beco da
lioia porto do forle do mattos sobrado de
andares, no segundo das nila as r> da tarde.
- 1 tacho de cobre para lav/igem de rou-
pa : uo atterro dos Allegados |>. 18 defronte
doviveiro do Muniz.
V E N 1) A S .
f Por preco commodo um escravo cabra
de 22 anuos sem vicio e sadio ao compra-
dor se dir o motivo da venda, c d-se-a cn-
tenlo ; 400 couros de cabra 40, meios de sol-
la e una porcio de bezerros surrados, tudo
por proco commodo : na ra dos tanueiros
lado do mar D. II.
5 I'or proco muito commodo urna livra-
ria por mteiro ou a relalho, para os sors. es-
tudantes do curso jurdico: na ra Nova ar-
mazem R. 5 .
<-y Boas cmodas de Jacaranda e angico,
cadeiras bancas e camas e cadeiras do
Porlo e Americanas 2 cadeiras de ra um
palanquim de rebuco em meio uzo e oulros
mullos objectos que a vista dos compradores
se farao patente ; tudo por prego commodo :
na ra Nova armazem D. 5L
S2^" Vinagre muito proprio para conservas,
em pipas e quarlolas a 5().> a pipa cerveja
branca em barricas de 4 duzias a 2,>20 a
duzia superior genebra da llollanda a bVOO
a frasqueira charutos da Rabia a CO a cai-
Anha de 20!) : na ruada Cuz D. 4.
CF" Para lora da provincia um moleque
crelo, do 21 annos, bom offleial de sapa-
teiro e trabalha de podreiro sem vicio
nem achaques : no alterco da Boa vista loja
de seleiro.
^3" I'ni moleque de lOannos muito es-
perto e de bonita ligura : na ra do Livra-
mento loja de Ioiica e mulhados D. 10.
523" Cem meios de sola duas canoas fe-
chadas com mais de 60 palmos de comprido ,
duas duzias de costado de amarlo urna es-
inteiros': na ra da senzala velha restilagao
de Joaquim Lobato.
ESCRAVOS FGIDOS.
s^r* ]\o dia primeiro de Margo do corrale
auno fugio a escrava Joanna de naco an-
gola cor fula a qual foi do Capito Nico-
lu Tolentino de Vasconcellos da Parahiba
do Norte e he bem conhecida logo que se
olhe para osps onde se ve um dedo bas-
tante aleijado : quem a pegar leve a ra do
cotovelo casa de 5 portas que ser recom-
pensado.
X3~ No dia 2 do corren te fugio um mole-
que de nome Andr, de 15 a l annos ain
da bucal nao sabe dizer o nome do sur.
por o ler comprado a pouco lempo), levou cal-
cas de riscadinho, camisa de algodozinho, e
chapeo de palha ; quem o pegar leve a ra da
Cruz do Recife D. 18 que ser recompensado.
528 No dia 2 do correte, fugio um ne-
gro de nome Antonio de nago rebolo de
5 annos um lano feio e Iravesso corpo
secco levou calcas azul e camisa de ebila e
bonet na cabega e urna troxa pequea su-
po-se ter hido para o matto distante desta pra-
ca 12 a 14 logoas : quem o pegar leve a pra-
ca da Boa vista bolica D. 10.
s^" No lim de Outubro do anno passado ,
fugio um casal de cscravos Joze por alcu-
nho cariri do gento de angola baixo,
grosso peruas um pouco arquiadas barba-
do tem bastantes cabellos brancos olhos
verinelhos mal parecido falla grossa re-
eravade narao muda bucal, c um quartao presenta ter SO antoos : Maria do mesmo gen-
mu. lo novo ; tudo minio cu. conla : na pa- (! aita seca, cara btchigosa tem dous
S-y !'m cscravo mogo r>e bonita ligura ,
sem vicio bom padeiro e coziuhciro ; assim
como alugo-sc 5 pretos em possantos, para
trabalharem aqu na praca ou em algum sitio
perto a |0,> mensaes: na ra larga -do Ro-
zario bolica 1). 10.
!L;r I na rotula om faldamento comple-
afllictas h annos mostra bem que os seus te dar guarda nacional i bolijas de olio de
fracos esforcos nao tem sido debaldes. Ain-1 copahiba duas'escadas de mo, urna casa-
da nao fazem tres mezes que a Medicina po- i ca de pao verde com botos amareilos e fei-
pular foi introduzida no Imperio do Brasil,: ta a mordena e um relogio tudo por pro-
eja as vendas sobera a 5> caixas. Queme- cisfio, e por prego com modo : na ra Direi-
la D.41.
daria de Joo Lopes de Lima.
su" Urna preta de 20 annos., cos(
gomma e co/inha. ludo com pcuTeicJIo, urna
muala de 40 annos com as meanias habili-
dades e ptima para ama de casa um pro-
den tes abertos no queixo de cuna, um signa I
mal parecida, representa 40 annos; quem
os pegar leve a casa de Joze Joaquim tos Res
na ra da Cruz n. 28 *ou a seu snr. no en-
lato le lis anuos cozmfta e he tormo e Comarca de Nazaroth da malta, que
: na ra de Agoas verdes Xfeci- rec.d)er 5o.> degratilicaco.
Ihores provas pode-se querer de seu grande
merecimento :' As numerosas pedidas
agencias, tanto no interior da jProviryiado
Rio de Janeiro como as de Mallo Gr
Minas, S.Paulo, SantaCatharina&c.,. so
outros indicios da estimaoto que vai tondo o:u
varias partes do grande imperio.
na popular est reeommendada para todas as
enfermidades procedidas da impurida
guf, como molestias do ligado, rheumati
gtta, afleccrtes cutneas, febres, inlarama-
gocs, escrfulas, ulcerasanligas caperos ,
hemorrhoidas, hydropezia retepgSo das u-
rinas, &c., molestias (las Sehoras
nao entrando em sua cooapozigo n ,
gue, e nem outro qualijuer ;.-ielal ou
e particularmenle adoptada aos clhnai
tes, couio os muitos annos que tem i
pregado com os mais felize; resultados as
Indias tanto Orientaes como Ocei ledjaes
tem mostrado. As caixinhas tem maior i:u-
mcro de purgantes que outro gualquer reme-
dio desla nalureza e vo acompgnha tas com
direccoes bem explcitas em 1 itgua portu-
guesa ; e vende-sa na caza cima dita n I
rs. cada caixinha, e em porgao mais em
conla.
COMI'ANHIV DE BEBIRIBE.
.= US Sors. Accionistas da Cuuipuuiia do
cncanamcnlo sao convocados para urna reuni-
o que lera lugar no da 7 8o firrenle pe-
las 11 horas da manha(jia salla to commer-
cio por cima da arcada da Alfandega. = P,,
J. Fernandes Barros, 1. Secretario.
Srs. Redactores = He sem dnvida, que )e-
la primtira vez tenho de encommoda ;: a
Vms. rogando-Ibes queirao dar puhlio, |aju
essas poucas linhas em cumprimenl ,j0
meu devef.
He o seguinte: no da o do Marco p. n {a.
giro des ngenho Malmajudas, os ,'.Scra-
vos : Joao e loza, 'aquelle depois ,;
parar urna espingarda em sua sehh n i,.
na Anna Ferreira de Mello pode c/a ;:r_s,. .
e chegando ditos cscravos ao engaito '
C margem dorioeapUril.e )',',it, sBrt0r
Major Joaquim Mauricio Wanderley, ali (orao
capturados, (lepis do que a iU F0J0 t
Major avis-me qw os mandas :c r
assim o fiz. E como o mesmo Snr. (, o;_
tregou seguros e sujeitos a qulquer des-
agravo ^que me parecosse : julgo do
deVer dar os maiores agradecimenl
urna to heroica acfo reclama. A IV yidon-
i-J" i ni cavalo caslanho forlee novo, em
boas parns ja eusinado de andar em carro-
che muito proprio. para carrnho : na fabri-
ca de farinba no atierro da Roa-vista.
SJJ* I ina annacao de venda: na ra das
Cruzes I>. 7.
Panno de algojo da Ierra em por-
a relalho por preco commodo: na ra
doCueimad D. 2Iadodonascante.
1 m mulalinho de dade de. 12 annos ,
onila figura', s j.n vicio muito proprio
para aprender qua.quer of-cio e para pa-
gem : na ra do f,ebo casa que tem soto,
Bogias df cera de Lisboa a l,y rs. : na
ra da Aurora Q- Q
l- venc'.a ). 8 da ra da Roda com
con>ruodpspr.ra morar familia ; urna escrava
que faz todfj serv f o excepto engonimar:
una porga o de prata de bom loque una
caixa parr, farinba una cansella para porta,
hu.cas que furfio de genebra pipas e rpj ar-
tolas va sas [Uj0 na mesma venda.
SS" Tin escrvo pardo oflicial de sapat.jiro,
tendo toas qualfdades, e sabendo servir qual,-
quef c;:sa sendo por preciso para paga-
1I10' .ito : na pracinha do Livramenlo 1). 35.
ZZT No dia 28 do p. p. as 7 horas da noute
fugiro furlaro o cscravo Joaquim, de
naco alto o bem feito tem poue'a barba .
eas verlhas chelas de cicatrizes; quem o pe-
gar leve a ra do atierro casa de Joze Pires
Ferreira que gratificar.
MO V I M i; N T O I) O P () K T O .
C5" Urna escrava de angola de 2S a 50 doLivra anulo.
lopor50O,> cozinha*trabalha d- sapatei- genhoCarahuta ntffreguesiadeTraCunhaem
ro ; um mulato de 18 anuos, cozinh e he
bom pag(;in
ma 57.
ISP" lm cscravo chegado a esta Cidade a
pouco te mpo muito mogo c sem achaques.
e he servente de bolica : na ra dos (Juarlois
Deoima .'.
Sij" Superior gomma de umarana : na rua
da Florentina na' ultima casa do lado do cs-
cente, engrandes e pequeas porros.
iir Dina parle de 970^ de um sobrado de
5 andaros na rua Droita novo sendo ava-
hado em 4: ;.00,> : em casa de Novass & Bas*
to na rua do Queimado I). 15.
S3" l'ma mulata de 50 anuos boa ama
para criar "meninos i cozinba, c boa para to-
dooarran.jo de una casa : em casa de Nota*
ese\ Basco na rua do Queimado 15.
SU" l r.i jogo de bancas de Jacaranda 2
mesas de meio de sala de ;o (folio duas
a.ulhas d e mar ar muilo boas tocadores de
pao d'.olic i, ludo por preco commodo : na
praca da Independencia n. !2S e 20.
SJ7" 'i aboadp de pinho da Suecia costa-
do, cost; idinho assualho e forro proprio
para cas ts e fundos de barricas de meio pal
mo a 51 4 de grossura remos de faia, vor-
gonlas ] >ara maslaros, tudo de superior qua-
lidade ., e por preco commodo : no armazem
de Joze Antonio da Silva Vianna na ruada
moeda.
s_y* Um moleque ladino de 12 annos : {
na rua I \ova defronto da Conceigo dos mili-
tares n. 105.
Duas negrinhas crelas .' com bonitas
Gguras com algumas hab ida pua mu mbandas: na rua Bireila!). 20 lado
a' .nios de bonita ligura : na rua da sei.za-
' .a velha D. 20.
13" Urna negra crela com una cria de
0 annos, ou smente a pela: na rua de
Hurlas I). 25 lado do poente.
I m sorlimento de rclogios patente e
horisontaes c ditos de parede com des-
pertador por preco commodo : na rua das
Cruzes casa do relojoeiro francez.
i'm bornea vallo pedrea, bem goryo ,
Irabalhaso. com parelha oplmamenle cm
$3~ I axas de ferro para engenho bati-
das a 20 J rs. coadasa 100 rs. a libra,, urna
maquina de vapor ,.com a competente moen-
da parai ngcnho a maquina he d- ubi mo-
djdbaind i nao visto beata praca, o offerece
mtytas \; ntagens por causa da simplicidade
do maqui nisino o superior fabrico de lo ios
os seus p ertences e seguranca da caldeirff
conn. tam bom por gastar muilo menos quan-
tidade de lenha que as quo esto ordinaria-
mente em uzo no paiz e pode-se dizer com
i
NAVIOS SABIDOS NO DIA O.
Para os Portos do Sol j Vapor [Jrasiloirq S.
Saliaslio Commandaiile Beniardino Di-
as Pinheiro ; paSSagiros brasileins : Dr.
Manoel Joaquim Alexandrino Di. Cand-
do Autran da Malta, Reputado Alvaro Rar-
balho l.'xoa Joao Ignacio de Oliveira ,
Juaquim Joze Moreira Joze Alvos Cui-
mares Joaqum Alvaro Pinheiro Ale-
saodre Ribeir Miranda Fonloura.
Baha ; Palacho Brasilciro Minerva Cap.
Francisco Fortunato Percira da Silva car-
ga virios gneros ; passageiros brasleiros:
1). Victoria Ciernen ti na Lopes, D. Adelai-
de llenriqueta, Servulo deCirqueira Lima,
Joze Antonio da Silva ViJIaea ; portugue-
zes : Joze Cervazio de Carvalho Joaquim
Pe reir de Barros Joaquinj Joze Pereira
Cuimarcs.
ENTRADO NO DIA 4.
Ass ; 16 das Brigue Rrasileiro-S Maria Boa
Soitodc222 tono!., Cap. Joze Joaquim
Ras dos Prizeces quip 17, carga sal :
proprielario Joze GonsalVes Coscfio.
SAHIDO Mi MESMO DIA
Lisboa : Escuna Brasileira Novo CongressO ,
Cap. Manoel Joze Bato, carga assucar.
E R R A T A S .
carrinho, assim como um carrinho peije- egurangv-, que em objectos desta aatureza,
no de 4 rodas, e um s avallo, eoulrogran he a melbo. qu se tem apreseotado; igaal-
de para dos cavallos.; em casa de Antonio menta urna, moenda de ptima conslrugo,
Jozcde Magallwes Basto na rua do Queimado 'nll mamen chegada : naaua da Madre de
relia primeiro andar. Oeosarmaza m de l'erragonsde .lolinuslon Pa-
tF" Tres escravas mogas de bonitas fjgu- IcrtvCompa nhia.
ras, sabgndo cpai perfei^Q cozinhar, engo- *_/" Urna, nropriedade de Ierra, tendo bar-
mar, e todo .o rifis servio de urna cmsi, 2 ro para toda < uahdade de obra que se possa
[uesd4a 16 annos, urna negrisha fazer muito propria para as oladas que
de 12 aano muito bonita urna escrava a liverem barr >, por ser peito da praca, e
bonita figura saliendo com toda perfeic, < luasi izffnta di i foi ote das ago.is do
refazer lavarntode toda a largura ,-de tnante : cam Independencia a. \6.
1< a 18 anuos, nina mulata costur eir e s^r l'ma ,i ir$9o de lenha de qm barco que
.i. um preto dn todo oservigo: se est desmn chando propria para olaria ,
na rua do Fogo ap j> do P.ozario. icetbe-se o seu valor em lijlos quebrados ou
fta ri'piesentacao d-'Assomblea Provincial
para a nmdanga d'Jcodemia insera no diario
n. 05 na p. 2. col. 2. lin. 10 om lugar de
os Mestres lolercm os Discpulos aquillo ,
que estos Ihedevem tolerar = |ea-se=os Mes-
tres lolerem nos Discpulos aquillo que es-
Ios los flevem tolerar. Na mosma col. lili.
22o:n lugar de = do cabimento a murtas
desagradavis disCSSOeS = loa-so = do ca-
bimento a muilas dosagr.ulavois dissences.
Na mesma coi. lin. 52 era lugar de = mas
bonvem que vos nao ikue occulla a sorte dos
Estudantes naquCIle Jurar == lea-so = mas
convem quvos nao nqueoccAlta a sorte dos
Empregados e Esludantes naquelle lugar.
.Na mesma col. lin. 0!) vm lugar no = a no
rccoriorom ao liedle com dispendio = loa-so
= a nao recorrerem ao Recife com gravoso
dispendio.
HECIFL NA i\l>. DL M. F. DE F. = 1842


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E5O9MCCUP_18WG8A INGEST_TIME 2013-04-13T01:31:41Z PACKAGE AA00011611_04646
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES