Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04645


This item is only available as the following downloads:


Full Text
I
Auno de 1842. Qufti ta Fe ira 4 de
lado afora depende e fina aiesmus ; d non prudencia, ihodfcraco, e energa : con-
inueOf cooio priHeipimo, e tereBios apuntados coa dmiraco entre as Naeies mais
ealtia. (Proclamaco da Aaaentblea Geral du arasil.)
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES.
Coiasma, Paraiba, e Riojramle du Norte, na secunda e sexta feira.
Bonito e (iaranhana, a 10 e 24-
Cabfl, Serinliaem, Rio ForiBoio, Pono Cal, Maceii'i, Alagoat fio 14, i Si.
Paje. 13. Santo Aflijo, qoinla fi'a. Olinda toilos os dia*.
DAS da semana.
2 S*j. Alhanatio B. CWc. Aud. do J. de daS. t.
3 Tete. & ln\ i-ri'-.io d s.irits Cntr i. Rdopiafto M
h Qofrl. a. Monica mi de s. Agostiiihu. Chine. Aud. do J. de D. da 3.' t.
5 Qeinl. Assencao do Sr. Conrers.o de a. Agostinho.
i Sext. a. .lo.i ante uortam Ltinam. Aud, do J.daD. da i. r,
7 8b. a. Estanislao R. M. Aud. dn J. de D. da 3. t.
S Dom, Apparico de S. Miguel Arohanjo.
Maio.
Anuo XVIII. N. 86\
O Diana publicase toiloa os das que n'm forrm Saatlfaadoa: n preoo da asai'nat'ura h
Ues mil teis porquartel pajna adiaalldoa. O nuunrios doa ass.craantes ajo inserido!
ralis, e na dos qne o n.io l.irem nrazio di 80 reis jior linlu. As rer'.anacoea detem ser
dirigidas a esta Typograa ra das Crnzei '). 3, ou a pra<;s da Independencia lojaa de lirroa
iNumern 37 38.
CAMBIOS no da 2 de Majo.
Caiabio aobre Londres 2S d. p. 11).
ii Paria J40 reis y. franco.
a Lisboa 89 a 90 p. 100 .le pr.
Orno Moeda de 6.40U V. 15.000
. a u N. 14.900
. Je 4,000 S.200
PlUT* Patacoea 1.6S0
'iuta Petos (luluinnares 1.CS0
u Mexicanos J t,\i
i. Biiuda 1,440 a 1,46(1
Mopila de cobre 3 por 100 de disronlo,
Diai'ontode billi. da AlfauSa 1 por 10(1
ao met.
dem de lelras de boas firmas le a 1 e |.
/'reamar do di 4 de Main
1.a a 11 boraa e 42 ni. da raaiih.l.
2." a 12 horas e C o, da larde.
i I
MUSES DA I.UA M) MEZ DE MAI.
Ouart, aaing. a l 10 horas e 2S m. da man).
la Nova a 10-- as 9 horas e 19 m. da ni/inli.
Ouart. cresc. a 17 -- as 9 horas 42 u. da manh.
La cheia a 24 -- s 7 horas e 21 m. da luanli.
IHAIUO DE PERIVAMBUE
PARTE OFFICIAL.
ACTA DA ULTIMA SESSAf ORDINARIA DV ASSEMBLRl
LEGISLATIVA DE l*ERNABL'CO EH 30 DE
AllRIL DE 1812.
PRESIDENCIA DO SNR. PEDRO CAVALCAXTI.
Feita a chamada acharaO-se prezentes 26
srs. Reputados faltando com particip&co os
srs. Maciel Monteiro Pereira de Brito e
Vieira de Mello, esem ella os srs. Lopes Ga-
ma Faria Nabuco e (Jclioa Cavalcanli.
Osr. presidente declarou aberta a sesso ;
fo Iida e approvada a acia da antecedente.
EXPEDIENTE.
Um oflicio do secretario da provincia par-
ticipando, que o Exm. Presidente receber
i nina hora da larde a deputago que lem
le levar os actos legislativos: sciente.
ORDEM DO DA.
Entrando cni discusso o parecer da com-
misso de fazenda e orgamento sobre o reque-
rimento de Joaquim Mano. 1 Carneiro da Cu-
nha o sr. Carvalho pedio urgencia para se
discutir o dito parecer e mandou meza a
seguinte emenda = que se delira favoravel-
niente o requerimento do suplicante abaten-
do-se a terga parte do seu debito, proveniente
da arrematago do disimo do gado vacum e
cavallar concedendo-se-lhe 2annos de pro-
rogago para verificar o pagamento ltenlas
as razes em seu requerimento expendidas=
foi apoiada e vencida a urgencia entrou
?m discusso o projecto com a emenda. O sr.
Neto mandn a seguinte : = no caso de nao
passar a emenda do sr. Carvalho proponho,
que se ouga o Exm. Presidente da provincia
acerca do parecer em discusso := apoiada.
Encerrada a discusso foi approvada a 2.
parte da emenda do sr. Carvalho, ficando pre-
jtidtcado o parecer a emenda do sr. Neto.
Entrou em discusso outro parecer da mes-
ma commisso sobre o requerimento de Jos
Pedro Vellozo da Silveira, arrematante do im-
posto de 10 reis por caada de bebidas espi-
rituosas. O r. Riibelo mandou a seguinte
emenda : = conceda-se o abatimento reque-
rido pelo suplicante : = apoiada. O sr. ...
.. = reqneiro o adiamentodo parecer, que
so discute e que se pecao informages ao
Exm. Presidente da provincia sobre a perda
provavel que tivero os Suplicantes ; sus-
penso entretanto o pagamento das1 letras ul-
timas que os mesmos esto a dever : = a-
poiada. sr. Paes d'Andadre pedindo a pa-
lavra pela ordem, deelarou como membro da
deputagao, encarregada de levar oi aclos
legislativos desla Assembla aoExm. Presi-
dente que o mesmo recebera os ditos aclos,
e fizera ver que os tomaria na devida con-
siilerago. O sr. Mosquita presin o jura-
mento do estilo, como Vice Presidente da pro-
vincia. Encerrada a discusso foi regeitado
o requerimento approvada a emenda e re-
geitado o parecer: = o sr. vice presidente
nomeou o st. 2. secretario para receber a quo-
ta destinada para o expediente da casa : o sr.
Jos Pedro requereo urgencia para se discu-
tir o parecer da commisso de instruoc/io pu-
blica sobre o professor Angelo Custodio da
Silva Fragoso. Dada a hora o sr. vice presi-
dente levaBtou a sesso.
Pedro Francisco de Paula Cavalcanli d'Al-
buquerque, Vice-Presidente.
Jozc Felippe de Sonsa Lafo,
1. Secretario.
Antonio .lose de Oliveira,
2. Secretario.
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 25 DO PASS.VD0.
OlTicio Ao inspeclor da Ihezouraria da
fazenda respondendo ao seo oflicio de 2! do
corrente que nao procedendo i duvida que
expoz ocommissario fiscal do ministerio da
guerra por ser clara a circular de 10 de de-
zembro de 184i, em decidir que o augmento
de sold da nova tabela com prebende o caso
de estirem os ofliciaes reformados empfega-
j dos nos corpos destacados da guarda nacional
na formt do art. 155 da le de 18 de Agosto de
1831 ; deve mandar abonar aos ditos ofliciaes
os soldo que vencemos da 1. linha pela dita
labelo a lem dos mais vencimentos que j
percebiao conforme a ex prega disposico da
mencionada lei.
DitoAo inspector da Ihezouraria das ren-
das provinciaes significando-Ihe que lendoa
presidenria autorisado por oflicio de 29 de Ja-
neiro deste anno aoengenheiro L, L. Vauthier
para fa/.er em um dos torreos do edificio da
alfandega os precisos arranjos para oestahe-
lecimento do escriptorio dos engenheiros ao
servico da provincia ; cumpre que mande sa-
tisfazer as despezas respectivas vista dos
pedidos que legalmenle lhe forem feitos pelo
dito engenheiro.
DitoAo engenheiro L. L. Vauthier, com-
municando-lhe a expedigo da ordem supra.
Dito Ao inspector do arsenal de marinlia
para fornecer ao cter nacional = Esperanza
de Beberibe = 45 linguados de A (5) cada um,
que diz o respectivo commandanle serem de
absoluta necessidade.
aaaat
FLMIT0
ARRH.VS POR FORO D'ESPANHa(*).
Era a primeira vez que elrei ousava resistir
vontade de Leonor Telles. Ella ainda nao o
criu. Habituada a ser obdecida pHo pobre
monarcha estas ultimas palavras foram pro-
feridas com a insolencia de urna resolugo in-
conlrastavcl.
Jjstiga ? Contra quem a pedes ? Contra
cadveres e moribundos. As tuas arrias ?
Tiveste em doto as mais ibrmosas villas de
meus senhorios : tiveste o que mais desejavas,
as arrhas de sangue e ruinas. Para te con-
tentar deixei Lisboa entregue ao furor d'ini-
migos : para te contentar, fui vil e fraco :
para t contentar dos patbulos tem j pen-
dido sobejos cadveres ( 1 ). E ainda nao sa-
(*)Vid.oDiarioN.7I, 72, 7o, 76, 77^19,
84 8o 86 88 9! 02 95 e 94.
( 1 ) 09tumultosfonlra o casamento de D.
Fernando nao se tinbam limitado a Lisboa, j
Pelas doagOes dos bens dos treedores morios!
tisleita perteniles que antes de dormir urna
nica noite na minha capital assolada con-
firme urna sentenga de morle ? Leonor ? tu
eras digna de ser lilha de meu implacavcl pai!
D. Leonor repelra o olhar entre colri-
co e tmido de D. Fernando que mal acre-
ditava a propria audacia Com ;;m olhar em
que se mistnrava a indignago e o despreso.
Ella ou vira as suas palavras sein mudar de as-
pecto mas apenas elrei acabou ,' encami-
nhou-se para a janella d'onde batia o luar e
cstendeu a mfto paraoc'u.
H dois annos senhor rci, que neste
aposento a estas mesmas horas um caval-
leirojurava a urna dama de quem perlendia
quanto mulher pode ceder a desejos de. ho-
mem que a amara sempre ; jnrava-o pelo
cu pelos ossos de seus avs pela SUa f de
cavalleiro -e o cavallciro nienliii, As becas
d'homens vis vomitavam contra essa mulher ,
e a essa mesma hora os nomes de adultera ,
de barregan de prostituta e pediam a sua
ou decepados se conhece que liouve assuadas
e depois viDgarujas em Santarem Leiria ,
branles e oOtra pai tes.
Dito Ao commandanle do culer = Es-
peranza de Beberibe, = inlcllsenciando-o da
espedico da ordem antecedente.
Dito Ao commandanle do brigue escuna
= Nictl eroy = respondendo-lhe, que vista
das molestias do encarregado de fazenda do
brigue escuna de seo COmmando, deve elle re-
collicr-se enfermara de marinha para ser
tractado subsliluindo-o o sen fiel sob a sua
responsabelidade.
Dito Ao director do arsenal de guerra ,
significando-Ihe que tendo o commandanle
das armas representado que seria conveni-
ente mandar fazer o fardamento e correi.ime
da companhia de artfices pelas pragas da mes-
ma compaiihia que tenho os respectivos of-
ficios, e merecendo esta proposta a approva-
go da presidencia ; cumpre que requisigo
do commandanle d'aquella companhia mande
fornecer os gneros correspondentes ao nu-
mero de pegas, que se bouverem de fazer de
una c outra cousa e pa;ar os feitios pelos
procos estaboloridos aos alfaiales e corrieros.
que houvrem trabalhado em dito fardamento
e correiame.
Dito Ao commandantc das armas', com-
municanJo-llie oconlendo no precedente of-
licio.
Dito Ao juiz de direito Manoel Teixeira
Peixolo nomeando-o para presidir as rodas
da 2. parte da 9. lotera do thealro publico.
COMMAKDO DAS ARMAS.
CONTINL'AgAo DO EXPEDIENTE DO DA 23
DO PASSADO.
OflicioAo commandanle interino do 5. ba-
(alho d'Artilheria ord*>nando-lhe que re-
cidhesse ao Arsenal de Marinha exigindo
recibo os medicamentos dictas, o utencis,
resto da ambulancia viudo de Fernando
constantes da relago que acompanhara o
seo oflicio de 15 do corrente.
Portara Ao lente coronel comman-
danle dobatalho provisor o, mandando em
execuco lei, dar demic/to ao soldado Jos
Renovalo Ribeiro, por ler (inalisadco seoen-
gajamento e nao querer continuar no ser-
vigo.
Dita Ao mesmo mandando em execu-
go ao avizo da repartico da guerra datado
de 22 le marco ultimo, dtfr demico ao sol-
dado Francisco .lanuarioCahral guarda na-
cional do municipio de Iguarass por ter
em seo favor izempgoes pelas quaes nao devia
ter sido recrutado.
Dita Aocapito commandanle interino
do 5. batalho d'artilheria a p mandando,
ata
saaaaaaaaiMaM
morle. O cavalleiro sabia que taes alrontas
escrevem-se para sempre na fronte de quem as
recebe se o sangue de quem as profinu nao
as lava um dia. O cavalleiro oflbreceu a sua
alma aos demonios se nao as lavassem com
sanguec esse cavalleiro blasphemou e men-
tid. Senhor re diante do cu qne elle in-
vocou perto dos ossos de seus avs pelos
quaes jurou luz da la que o allumiava ,
dir-vos-hei : aquello cavalleiro foi prejuro ,
blaspbemo desleal, e covarde e eu a sua
victima. E" contra elle que ora vos peco jus-
liga. Rei Je Portugal, jusliga
Esta ultima palavra restrugiu terrivelmente
pelo aposento. Elrei, que durante o discur-
so de I). Leonor se erguera pouco a pouco ,
fascinado pelo seu gesto dialxdico o pelo sen
olhar fulminante cahiu outra vez sobre a
cadeira art|iii'j.in,Io. O desgranado cubrid a
cara cotn ambas a< mos e depcis de um mo-
mento de silencio murmurot :
K Mas como punir aquellos que talvez sao
cadveres ? A guerra e a furia popular os pu-
ni ><
I). Leonor triumpliara.
> N'em todos proseguid a aslud e ^atl-
eni cumprimcnlo lei dar baixa ao solda-
do Kelisb'-ito Francisco por ter concluido o
seo engajanieno e nao querer continuar no
servigo.
TRIBUNAL DA RELACHV.
Sesso de 30 de Abril p. p.
^ 0 requerimento do prezo Miguel Pereira de
Carvalho, pedindo llabcas Corpus ; foi
detTerido, mandando-se jiassar Alvar do
soltura.
Os Embargos de 1). Rita Maria do Carmo
Memlouga, contra Angola Maria Francisca
do Uozario na cauza de Appellaco civel
desta Cidado Escrivao Rebollo fora des-
prezados.
Na Appollago crine do Brejo d'Aroa ap-
pellanle Joze Joaquim da Trindade appella-
la a Justca Escrivao Bandeira j se mandou
remeter o processo para o Juizo d'onde veio.
Na Appdellagao civel do Juizo do civel da
comarca de Santo Anteo, oppetlante Sebas-
lio Antonio Acciole Lins, e appellado Fran-
cisco Gomes Aellozo de Azevedo, Escrivao
Jacomo; sejulgou pela conlirniago da sen-
tenca appellada.
Aggravo de petigao do Juizo do civel da
..vara desta Cidade, aggravantesNuno Ma-
ria de Sixus e Joaquim Lucio Monteiro ,
te ve provi mont.
Dita de 2 de Maio corrente.
Os Embargos de Francisco Joze de Araujo,
oppostos ao Accordao proferido na appollago
civel da cidade da l'araliiba em que lhe he
parle Joze Francisco da Silva Bandeira Es-
crivao Rebollo ; forao despiezados.
Os Embargos de D. Leonor Soares de Albu-
querque contra Anua Felicia Magdalena ,
na cauza de appcllago civel da cidade de Goi-
anna, Escrivao Postliumo ; forao" desprezados
mandando-se cumprir o'accordo embargado.
Os Embargos de Antonio Joaquim de OIi-
veia Baduem con Ira Joze Francisco Pereira
Bastos na cauza de appellaco civel desla ci-
de E'CtivftO Jacomo ; fora desprezados ,
tnandando-se cumprir o accordao embargado.
Na Appollago crime desla cidade appel-
lante Jacinlho Malaquias Ferro, appellado
o coronel Joo Francisco de Chaby Escrivao
Rebollo ; foi julgado pela conlirmaco da sen-
tenga recoTida com declaracxi de que a pena
imposta soja redzida ao grao medio.
Os Emgargos de Jozc de Inojoza Varejo ,
contra D. Izabel Theotonia de Miranda Vare-
jo na cauza de appellaco civel desla cida-
de Escrivao Ferreira ; forao desprezados.
guiara panthera acommettenJo o ultimo
entrincheiramento em que D. Fernando j
debalde procurava defender-seos seus mais
vis inmigos ainda respiam e porventura ,
ainda sonham vinganca. Corregedor da cor-
te lde os nomes escriptos em vossa sen-
tenca.
O corregedor da corle levan tou o pergami-
nho aflastando-0 dos olhos c interpondo a
mo aborta entre estes e a locha que Nunal-
vares segura vatossiu duas vezes inclinou
paralrnz a caboga e com o tom cheio e so-
lemne de um mestre em degredos, leu :
tem : Fernao Vasques pcom al-
fayate, cabega c propoedor dos ssusodictos
rreveis.
Aqu abrin o peitilho da garnacha, tirn a
sua ementa particular e leu a seguinte cota :
Vivo ; mui nialferido dliuma tfrechada
com herva ( 2 ) no ffectp do meirinho-moor .
quando hos da cidade llevarom os castellaos do
vencida ata incia ra nova.
( 2 ) Neste secuto ainda brbaro o uso de
tervaroii envenenar as armas de tirootar-
reinossv) era vulgarissimo nos cmbalos.




! I
I
Ditos de no
luios de 50
Pilos de 5

(i
(]i' Plvora. -
do r.h.i.
dos relogios e
entonis de ou-
joias vasos.
ro e prala. -
Ditos le 2 .de reexportado
Expediente de 1 l|2 -
Premio de 1|S o mez. -
Arma/cnagoni de 1 \ ao
mez. -------
Dila addieional de 412 -
Eraoiumenios de Certilo-s. -
Mullas avulsas. -
Alfandoga 2 le Maiode 1842. O Escrivo
da Alfandega Jacome Geranio Mara Loma-
dle d Mello.
do.
i\.r Appellaoao oivel do Juzo do cvcl das
Mufls apppflante Pedro Bod/igues da Sil-
v,i e appelUiJo Antonio LijCrifllbiveiios .
l-oiivao lerreira ; se jul^oO^elf^Worin.i da
-ntenoi em pul'!, e empalie foi confir-
mada,
HEPAlVtlCXO DA POLICA
Parlo das oecorroneias.
iSo dia 27 nao occorroo novdade, segun-
do a parlicipa|o do rmuroandante gcral in-
i.'iino do corpo policial.
No da 28 Rio prMM pelo sul) delegado
da fff'snmtit da Boa-Vista opreto Benedicto
do Esprrio Santo por ospaiiear a onlro pe-
te ; e pela parmlha rondante no tagaP da
C.i.nceieao da mesma fregoezia mu ingiez, por
rtHar brio. e eontendendo oom as prelas
qiiiianderas, o(|nal, no acto de ser preso .
oeo com mu guarda <*hu va em mudos indi-
viduos da mesma palmilla, segundo partici-
pa o niesmo commandanto geral: tiverao o
competente destino.
, da 29 nao oroorreo novida.ie.
A 20 de Abril.
P4issou-se passaporle a Antonio Hcira, bes-
pardiol para \niili. Detfifta Besa do Amor
Divino brasilea para a Pabia.
Passou-sc Titulo de residencia aos indivi-
duos segninles
\nIonio Domingues d'AIraeida Poca.
Gaspar ra Silva Lo/o.
\ntonio Gomes Saraiva.
iu.iijiiiiii Antonio da Silvcira.
Antonio Jos Lisboa.
VnIonio Joaquim Marques dos Sanios
w lUiam G. Comyn.
Nicols l.ni'Mv.
Jo Malbeos.
Jos d.Umoida, c actt^mcnte Jos d Almei- Papel dos passaportes imponaos
da Bilhaiioourt.
Guiinerme May.
Caetaito d'Altncida.
A 50 de A bu I.
Passuu-se passa porte a Manoel, Anua. Joao.
Quinao, Marcelino, .los/', o Marianna, pelos.
escravos de Manoel Ignacio d Oh ve ira para
o Rio de Janeiro.
Auastacio, pardo, pseravo de Jos) Antonio
listos. para o Bio de Janeiro.
los de Soiza Gnimares Jnior. porlu-
gu< / para n (Vara.
Joaquina e Perpetua, prelas e Antonia,
pardo, escravos dcV.linpe Santiago taime- Taxa de 40teis por sacas de Al-
godAo. -
de 100 res por Caixa de
Loanda.
Marcelina v Fauslina prelas escravas
ir (gnaeio Poiiiuif.hcs. para o lliode Janeiro
Marcelino, e Joao, pelos, escravos de Do-
mingos Jus Vieira para o Dio de Janeiro.
A i! do corren le Maio.
z= Passon-se Passaporle Joao Ignacio de
Obveira, Poriugucz. para i Baha; Jo/e
Concalvos Cimbaracs Brasiiciro, para a
" jtsi *-T,*u^-"* -
... ..n
1:OQO*500
594*200
54*227
00*298
7:721*837
I :|0B*506
988*84$
1:2IO,038
100:557*728
4*280
wbooa
Bs. l(H):70t.>(S
Sello adcional. -
laxa de2* reis porescravo-
lccima urbana. -
Si/.a.s de bous do raz. -
Ml2 -- .--.--
288*570
ISiQPO
5*184
5:548*204


&o*0S3
ndmenlo appticado ao resgote do papel
moeda.
Imposlos de lojasabortas. -
dem deSeges e Garrinos. -
Taxis de I* reis por escravo, -
Sello do papel. .. -
1:070*000
12) Si H l
470*000
948*870
2:508*270
9;459*52S
Rocelu'iloria 2 de Maio de 1842. O Escrivo
Estanislao Pereira de Oliveira.
COMMERCIO.

ALFANDKCA.
'.oiidimonto total da Mesa do CaOlUdO les-
la Gidade no me? de Abril prximo passa- Hen,bmeni.do.I.a .M> de A
A saber. P>endimenlo do di2 de Maio
DESCAMECAfl ll')JK i DE MAIO.
2:8GO*5IJ2 ,
."^.) t, Barca Americana = (lobo == l'arinha ,
laxinlias breu barricas vnsias
6:205*877
Direilosde 7 porofo d"impor-
lacao. ------
de I |c2 |>- ojo de dito.
u de Aucoragem para lora
do Imperio. -
de dita para dentro do
iliLo. -
Depsitos que exocedefm
(Panno.
Emolumentos do Certidoes. -
Sisa de .*> por o|odas vendas das
Linbarcacoes Nacionacs.
Mullas por ml'raocao ,(o Begu-
lamcnlo. -
ril 8;760*625
0:582*554
bo-
las com lampos ditas abatidas d
ditas com canella
189*417
] Barca
298*030
25*!0lRrgur
Quarenta reis por caada de bebidas espi-
ril liosas de consumo na Provincia excepto a
a-uardenle de l'alinca Nacional.
Di/.imo docapim de planta nos Municipios
do liecil'e e Olinda.
A arremalacjio dos tres primoiros Imposlis,
ser l'eita por lempo le um mino a contar
do I. deJuIho docorrente: e a dos domis
por lempo de tres anuos a contar da mesma
poca.
As pessoas que se proposercm a estas nrre-
malacOes comparega na sala das sessoej da
mesma Thesonraria nos das aoima indica-
dos munidos de fiadores idneos c babe-
litados.
E para consl.a-r mandn o mesmo lllm. sur.
Inspector aflixar o presente e publicar peh
Im prensa.
Secretaria da Tbczouraria das Rendas Pro-
vinciaos de Pernambuco I. de Marco de 1812.
O Secretario Luiz da Costa Porto-
crreiro.
= Pela Adminislraeo da Moza do Consu-
lado se faz saber, que no dia ido Maiofu-
luro, se lia de arrematar porta da mesma
Adminislraeo una caixa dassucar masca
vado aprehendida polos respectivos Binpre-
gados do Trapixe da Companbia por inexac
'(ij- l'dao da tara; sendo a nrremalacao livro le
despezas ao arrematante. Meza do Consnln
do de Pernambuco 25) de Abril de 1S2.
Miguel Arcanjo Monteirod'Andradc.
di-
tas con i drogas,
pregos csabao.
Ingleza = Nightingale = Fasondas ojo Bacharel Formado Francisco Carlos Iban
ferragem.
-250*0r30
17, i T
Furope = Carvao de podr.
Inulc/ Chandebucli == Bacal lino.
e (alas com (asustas.
55:895*471
iSO
Bendimenlos provinciaes.
Di/.imo do Assucar das Alagoas. I 11 4*799
h doAlgodAodedita. 4^*585
. do dito da Paraiba. ",">,> 112
dediio do Bio Grande da
Norte. -
Dizimo do Assucar desla Provin-
cia. -------
a do Algodo dila. -
u do Callo lita. -
do Pumo dila. -
IMPOBTACAO.
A Barca Americana = ('.lobo = viuda de Plii-
lailolphia entrada nocorrenle mez con-
signada a I, C. Ferroira i\ Companbia ,
man i festn o seguale.
dio Delegado de Polica do 1. D.-strielo do
Termo da Lidade do Becife &C
Fa/saber a todos aquellos que Cwrem
oblido I cencas dos Juizeo de Paz <>u d < ex
Hlineta Prefeiturar, para andarm armados
dentro de sua Jurisdicaa que rio lermd de
vito iiasdeverao apresenlar-llie as referidas
I icen gas, para que elle informa ndo-sn dos mo-
livos, que anlliorisarAo a cohcessao dolas.
determine a vista deHcS si devem ou nao
900 Barricas rom farinlia de digo 10 cai- I continuar em vigor; e lindo que seja o sobre-
xas com medicamentos, 200 harris com bren, dito termo serao processados na forma da l.ei
nere para o Bio Grande do Sul.
Jos Antonio Antujics, porlugoez, para
Assuca
de 40
de 20
Saceos dito.
res Foxo dilo. -
reis por Barrica o
19*495
57:152*765
10:505*170
I :."lj I, >905
0*794
I! .> i 48
40*280
r27.>Hii)
7*280
548*800
Pernambuco 2 Beis. 49 9tK>*158
Maiode 1842. O A.l-
liahia ; Joaquini Alvares Pinbeiro Brasilei-
v,i adoptivo para a Baha : Joaquim Jo/e
Moreira Brasileiro adoptivo para a Ba-
ha ; Joaqi.'im Jo/e da Silveira Brasileiro ,
para Loanda : c Joaquim Duarle Portuguez
.ara Ancolia.
ministrador.
diado.
Miguel Arcan jo Monteiro d'An-
Bendiment da Mesa da Beeebedora de Ren-
das internas Gcraes ; no mez de Abril pro-
iendimcnlo d'Alfandega de Pernambuco ivo
me/ il Abril prximo futuro,
(jilos de lo por ojo.
l>
de 48 I 2
spn iluosas,
- tiO: 481*020
ii
de heludas
'072*508
ximo passado lindo
Beudimcnto Gcral
Direiios nevos e volhos.
Dilos de t'.lianeollaria. -
Dizimo da mesma. -
Impostos de le ras. -
Matriculado Curco Jurdico.
Fmolumcntos de certirios, -
Poros de terrenos de Marittha,
A saber.
405*800
9*410
58*2 45
1X0*072
281*600
107 barrilinlios oom bolaxinlia 520 ca xas
coincba OOGarramxos com seus nertences .
50 caixas com c nidia. (() molhos (Parcosdo
pao, 5082 barricas vasias eabalidas com per-
loncos 500 caixas com sabio, a L. (. Fer-
reira A Lompanhia.
Fora do manifest.
1 Mujo Barril com carne Salgada.
A Polaca llespahnla = Ceros viuda do
Monte-video entrada no corrente mez .
consignada a Joo Piulo de Lomos iSi Pililo,
niariifeslou o SCgtlilllc.
500 oncas d'ouro 2700 quiniaos d Carne
St'Cca a Joao Piulo do Lomos iv Filho.
Fora do Manifest.
1 fardo com 4 quintaos de laa 5 saceos rom
9 (Dde dila para Barcelona.
E I) I T A E S .
O lllm. Snr. Inspector da Tbezoiiraria das
Rendas Proviciaes. manda lser publico.
que, em virtude da Le, perantea mesma
Thcsouraria se haOde arrematar em hasta pu-
blica a quem mais der nos das 2. 4, e t ilf
Maio prximo vindoU'O, pidas II horas da
inanlia, osseguiutcs Impostos :
Puro das caixas o Fechos d"assucar.
Taxa das barreiras da Magdalena Ce-
(|iiia c Carvalhos.
Passagens dos rius nos Municipios lo Reei-
*520fi) e Uiinda,
J5*000 Viole por cotilo na agoardenle de consumo.
aquel les que" sem as ter apresntado uza-
rem da' garanta excepcional Tiellas concedida.
I E para que ebegue ao conliccimento de todos
mandn lavrar o [nosenlo. I)ele;atnra do I.
Destricto do Termo do Becife 2 de Maio de
1842. Bu Plippe Henicto Cavaleante d'AI-
buquenpie Escrivo o escrev. Francisco
Carlos Brandao.
DECL ABACO ES.
12T Pela Adiniuistraco !a meza do Consii
lado se faz saber que no dia (i rio correte se
lio de arrematar porta da mesma Adminis
Iracao duas caixas de assucar branco aprelteii
didas pelos respectivos empregados do Irapixe
do Pellourinbo pela inexaclido das taras;
sendo a arremataran livro de despe/as ao ar-
rematante. Me:-.a do Consulado de Pernambu-
co 50 de Abril de 1842.
Miguel Arcanjo Monteiro d'Affdrade.
= O Sub Delegado da Fregucsia de S. brot
Pedro Goncalves faz siente que no dia 20 a
noile foi pegado um molcque, por nonio Fran-
cisco, que reprsenla ter l.">, annos de dado
n dizque sen senhor chama-se Pedro inora-
dorna llha do Nogueica; qem se acbarcoin
ilireiloa elleo procurar em casa tU' sua resfr-
ia esta uhscrvaco o co/regedor conli-
a ; i -ui.",esM\aiuenle (i^ nomos dos reos
espoi livas colas.
Iiem : Sievora MarlnsBexigoss* rocr-
pi un. capilodbuin corpo dos ssuso-
reveis. Dizia a ementa : Mor ib:
r nalurab.
n : BoiiolamiMi MarJ.ps noi ive. .
dizidOI de fiallavias t.'e de.siealanieu-
i &3.ua rrea! ssen.'iori. e, de grao
e dvsavergonhaiiienlo. Dizira e-
M rio dhuiia pedrada dliuu cin^e-
nlie dos i raigo os.
* Upni Jliam Lobeira, escudeiro liw-
il.i: mas le oslado do allcaule moor que
do castello deba lyal cdade capitaodos
uenoiom a sso domlnguos.Di-
Koy cativo dbos castellaos : dado
ii ;i i ii bcu*) rrequado uu pryssoiu
' il. ai
llyanor.ii Reaava a ementa : Morlo dhiiua
laucada aa piula dlio lleno.
tem : A\ras Gil polinlal capilao dos
nevis glialoles arrai/.es e pesquadores
Kall'sma. Dizia a cota : Fingido com os
castellaos.
lliiii : Fr. Roy dalcuuha Zambrana ,
biguino ll'oliom jograjl de sseu ollicio .
bastado para preparar UU1 sarn digno della
nina son tenca de monte. A pro va da sua
perspicacia edligencia eslava em ter ja rioca-
iiiinbo da loica os desgraciados cuja senienga
vinha Ira/er ;i conlirmacjao real. JN'uina exe-
ciieao nocturna nao lia va a reccar tumultos
populares, e a brevidade que a rainlia Ibe
recuinniondra ueste negocio Ihc fazia crer
hevedo assoalhador di? palavras e diclos de- que iioseria desagrad.ivel a sua real senho-
vedados e scuila dhos nevis. Nolava a lia H inmediata execucao dosrus.
yuitido ocalioii a leitgra elre lirn da
iiolca que tra/.ia no cinto o sello do camafeu ,
r .s.'in di/er palavra entregon-oiiocorregedor.
Fsle peou mi tocha de Nunivares deixou
rfenca para lbe ser entregue combinando es
signaes.
T II E A TRO.
= O avsrrtUreiro bespanhol sublime co-
a ementa : Fnssandec<>u na pryssom .o Ueer
ila sseinlenca.
Pobre Fr. BoyJ vendo-se condemnado
UK)ile desesperado revelara o que linha
sido na revoltanm espi.i de Leonor Talles, cahir alguns pingos.de cera no fundo do per-
Acola da rnenla lora ludo o que tirara das gaininbo assontoii-lhe em cima um frag-
suas revelac/")os : ocorregedor honieni agu-
do romo 0 melhor meslro em leis ou degre-
dos conhecera logo por Slias palavrSS que o
ment de papel que tirara da ementa e cra-
vou ueste osllo. As armas d'elre ticaraiu
ah estampadas. Ocorregedor li/era isto com
Berlolameu Chajnlio peom .
heeslaria do CoUselio .
iZtr Ma eal'aonla a ssua rre-
UU\ exn'lleiile e muy vo^|
iludes V- nudas rnuuliu dona
heguino endoudeceja c advinbara por issoia promptidao eaceio con. que o mais hbil
que ello havia sido espa mas dos cevol-|algozenforcaria osen prximo
tosos.
Alcvanlado o cerco de Lisboa, o corregedor
da coito lora o primeiro presente que a nova
rainha enviara cidade, eaquelle perspicaz
e diligente magistrado poucos das liaviam
iK'pois o honrado magistado enlregou o
Sello a clrei cajo tremor nervoso se renova-
ra .luanle a fatal ceremonia o que o deixou
cahir no chao : o sello foi rolando e parou aos
ps de D. Leonor Telles. Ella enq-allideceu. 1 passava.
Porque:' Tal vez se lbe tguiou una cabeca
humana que rolava diante della.
O corregedor fez urna profunda cortc/.ia e
peiguntou em voz sumida ;i rainha :
ffomesmo tom I). Leonor respondeu :
Ja.
O deslro c activo corregedor linha dado no
vnte. O j da raiirha seria mais j do que
olla propria pcnsava.
O corregedor sahiu.
A um aceno de D. Leonor o donzel met-.
leu a tocha no .niel de ferro embebido na pa-
rede donde a linha tirado e cncaminhou-
se para junto da porta onde leou cornos
bracos cruzados olhos no chao e imuio-
vcl como urna estatua. Desde este dia O tor-
tuoso donzel odiou du fundo da alma a sua mu
nobresenhoiia aquella (ue lbe Crigira n
esnada. O generoso Nnnalvares conhecera
que deba.xo desse cosi suave se esconda un
inslincto de besla-fera.
Osdois ldalgoscoulinuaram a passenr de
um para oulro lado conversando cin voz
baixa < como Silicios cena que alli se


media rfova cm lies actos de carcter joco-
seri, -critico, o moral. qUo Actor Anlohio Lopes Ribeiro, subir sce-
n;i Quinta l'eira a de Maio corrento, no Tliea-
1ro.publico. O Beneficiado conheeendo o gos-
lottbs amadores da seena ,' o nao querendo
por esta vez apresehlar-lhcs alguma pega j
representada neste Theatro rogn ao Em-
nrozaiio Ihe concedesse urna anda nao vista ,
& offeilo elle llie deslinon aprsenle, asseve-
>** T* ....,.'

ere pelo.
AVISO no respeilavel publi-
co. Oue acaba re chegar o sr.
TheodoreMalhicii cirurgio
dentista de Sna Real Mages-
^ de a Senhora 1). Mara Segun-
da Rainlw de Portugal ,
partecipa uo respeilavel publico, que pile den-
les incorrupliveis desde un ate nina oomple-
rando-lhe que tanto polo seu bem delineado ta dentadura : estes (lentes resislem ao fogo .
enredo como pelas o grada veis scenas de joco- lima c a todos os cidos e nunca se aliara a
sidades que a compoe deixar salisfetos aos sua alvora ; servem maslgago e prnun-
seu recaluarip can o 83llo da casa em la- fmninhqs grandes para caff, safras de fer-
benignos Expectadores. Os intervallos dos
actos serSo prehenchidos de agradaveis sinfo-
nas da eScolha do Director da orclieslra.
Rematando o Expectaculo com a graciosissi-
nra larca = O Ensaio d'uma Tragedia j a
pial milito agradar principalmente a parte
que nclla faz o snr. Modesto Francisco das
Chagas, que pela amisade me consagra ao
Bmelioiado, vai gratuitamenterepresentar-
llie. Julga o rnesmo Beneficiado Icr prohen-
chidoOni este agradavel divcrlimenlo a noule
(ue llie foi volada cm satisfagao dos seus tra-
ba I los; protestando eterna gratidao aos seos
generosos Protectores.
A VI SOS DIVERSOS.
S3F" Os fregue/es do Carapucojro tem hojfl
n N. -10 s suas orden? : o seu artigo de run-
do he sobre bonitos o feios, isto he; nao na
bonito ncm feo. Couliuua-se a receber
subscriptores
ilheScscla <. parle da
(9, Lotera concedida
avor das o for as da Ha-
cia. Tira a pedra sem causar a mnima dor ,
nperago esta que faz desappareeer o mp
cheirp da bocea e impede a corrupcao dos den-
tes. Faz paladares artilieiaes e todas as o-
porac,i>s da eirurga bocal com toda a perfei-
elo. Prego dos (lentes artilieiaes Inroruip-
tiveis dez mil rs. Prego das oporagoes da
bocea -- Tirar um dente dous-mil rs. ; pa
ra chumbar un dente com o celebre mineral
sucedneo, composigo que foi approvada pe-,
las'(acuidades de Par/, de Londres, com
ouro dous mil rs. ; para separar un denle
a lim de rasguardar os outros do contacto da
caria dous mil rs. ; para tirar n pedra dos
detes, calculado conforme o trabadlo que
t'-nha de f.iser desde (res seis mil rs. ale
reiro &C. Na mesnia fabrica faz-se nao so as
obras cima mencionadas, como qualqucr
outra cm machinisnio ou engenharia por
grande que seja.
e^* A pessoa queannunciou no Diario de
2 do corren le que precisa de urna ama de
leitc, para tomar contado um menino ; di-
rija-se ao patio de S. Pedro sobrado de um
andar D i que faz quina para o beco da vi-
rago que achara com quem traclar.
ZW O snr. Joaquini da Fonceca Soares de
Figueredo queira dirgir-se a praca da In-
dependencia loja de livros N. 57 e 58 para
receher uma encommenda.
tj" Arrendao-se duas otaria de tclha, com
hom forno barro- aop, e porto de embar-
que, no afbgad em trras do engenho Gi-
i|ii : qu 'ni a pretender ambas ou uma s ,
falle ao sur. do mesmo engenho > Manoel Ca-
va lean lo de Albuquerque.
!L^** Precisa-sede um forneiro as Cinco
i ponas padaria D. 151.
tCT" A p'.vsso'i que amiuneyu ter para alu-
gar urna pela co::i muito e hom leitc. pari-
da ha oilo das e sem cria ; dirija-so a ra
doCoIlglo, botica D. 5, de Cyprianno Luiz
da Pa/.
tfT Ahlgao-se pretos a dez mil rs. men-
snes, dando-se o competente sustento: quem
oito mil iris. 03 procos cima nssignala-|tverjgura que gueiraalugaf t dirija-sealo-
dos sao em casa doprofesor ; sendo porcm jade Joaquim Goncnlves Ca^?:lo na ruada
chamado para qualqucr casa (articular, o cadeia da Recife, que e dir quem pre-
preeo ser augmentado conforme a distancia leude.
do oaminho. "Vende pos dentifricios a mil rs.
a caixinha ; balsamo odontalgico que serve
t3~ A pessoa que annunciou no Diario do
Segunda feira 2 do crrente querer dar una
para miligar as .lores dos denles e para cu- manya para criar : procure na ra de Dorias
rar as chapas que se achilo rra bocea causadas D. 2, lado do Djscente., que achara com
pela |iedra que se cria ao redor dos denles e quem tratar,
para feridas rcenles, mil res a vidro
S~?"
A abaixo assignadn viuva do f ili'-s-
escovinhas para lentes c fundas para todas oj.lo Joaquim Lopes Machado roga a todos
as i.lades ? ambos os sexos. i os devedores ao casal dn seu fallescid marido :
Desojando Theodore Mathieu que todos os I hajao no praso deludas, virem.pagaroque
\r\'i fll ISl VsIl ei'T- r,nnr('s desta cidadegozem dos melmos bene- devem.
rodas andfio iiiprctcrvcl*
me 11 le I i de Mao ; os
Silgares do costme.
"sr A viuva de Ouofre Jos-jla Cos'a ,
convitl.i a todos o senhores que liveio ton-
tas com seu f.ikvido mai ido exe-peiide
letis, a 9pr*fHlarin-as no pfnon de S Jias
pira seren pagos, e do contrario 5j s
jeq)(o^.ih l>aa o futuro pn.-si cf correr j assirn como
iiuldica que dvsda o iba ?3 do trrenle
tnoii asna cms; girando soba (frua de
Viuva de Qno're & C. 0 'fn:io a C. ,
seu enfeadi Ouofre Jjs I. CjsI:.
Klglas vegelaese univer-;aes Americanas.
Fslas pilulas j bem conhecidas pelas man-
des curas que tem feito, nao requeren ncm
dieta e nem resguardo algum ; a sua com-
posicao tao simples (jiie nao fazem mal a
inais tenra crianea ; em lugar de debilitar .
forlilico o syslenia purilicao o sangue c.
augmentao as secrecoes em geral : tomadas,
seja para molestia cbroica ou somente co-
mo purgan te suave; o melhor remedio que
tem apparecido, por nao deixar o estomago
ficiosquedesfruelrafiosde Pariz, de .Madrid,
de Lisboa o do Rio de Janeiro tem determi-
nado que das 7 s 8 horas da man lia se
prestar a faser extraecos de (lentes gratuita-
mente a quem nio podertpagar, Achar-se-
h sem pro na casa da sua residencia das 7 ho-
ras da manha ate aso da tarde, exceplo quan-
do for chamado para qualquer asa particu-
. lar. Mora na roa Nova D. 7 lado da Matriz
I nesta cidade. Faz saber que se houver al-
iguma pessoa nesta cidade que su oceupe uas
operacoes da bpeca. e que queira comprar mi-
neral sucedneo lhe vender a vintemil rj.
a onca c Ihe ensillar a inaneira de se ser-
vir delle ; e. querendo eom ajuste tambem
Se Ihe cnsinara a reeeita. E tambem se
houver algum facultativo, que queira assis-
tir s suas pperacjues nfio poe duvida algu-
ma em exccutal-as em sua presenqa.
S^y Antonio Joze (ornes d'Olivera re-
tira-se depla Provincia para a Europa a tra-
tar de suade.
Joan na do Rosario Guimares.
H7* Quem annunciou ter uma eserava com
Icite. para alugar; dirija-sea ra do Fagun-
desD.3, primeiro sobradinho da parte do
nascente.
XU~ A commisso admlnislraliva da socie-
dade Terpsichnre pela segunda vez convida
aos snrs. socio;, a reiinirem-sc boje pelas O
horas da larde ; a lim de ter lugar a approva-
cao dos novos candidatos : outro sim, Faz
sabor que ha marcado 6 da 21 para a par-
lida do correle me/., e convida a remetie-
ran seus pedidos para convidados*
T- Aluga-se um silio na entrada da es-
trada de Santo Amaro com casa de pedra e
ca! -i(piarlos duas sallas, cosnha boa
agoa de beber bstanles pos de fr 11 ele i ras ,
e com porlao na dita estrada : quem o pre-
tender dirija-so ao mesmo lugar, no sitio
de Joao Raptisla Claudio Tresse que adiar
com quem Iniciar.
H7' Pede-se ao snr. Joo Dubois que en
nova cons'.ruccao quodespensa virola inven-
naquollc oslado do conslipacao depois le sua i rao de um senhor de eugenho perlo desta pra-
operarao como quase lodosos purgantes la-Va f- muito approvadas. Machinas de vapor
ziMii. e por seren mui facis a tomar e nao com moendas ou sem ellas para oulro quaj-
causarem incommodo nenhum. O nico de-
posito dellas em casa del). Knoth agen-
te do aulhor: na rna da CrUzN. 57.
N. R. Cada caixinha vai embrulhada cm
"N^TT C. Slarr A: C. engenlieirns machi- sina o remedio para dentadas de cobras pelo
nislas e fundidores: na sua fundicfio da rna Diario de Sexta feira2Q de Abril p. p. que
da Aurora tem para vender por precos com- por obsequio baja de melhor esnlicacar a for-
modos moendas de cana de toda qualidade e j ma de se usar do dito remedio: pelo que
com todos os prepares ; entre ellas fia uma de muito se Irte agradece.
qner lim : laixas de ferro prtasele for a-
ma serras grandes para serrara bombas
de ferro, arados de ferro, carro de-fliao,
rldanos de ferro jarras de ferro para agua ,
v Sabio a luz o n. 13 do Espclbo das Bai-
las conlem os rligos seguintes : um artigo
inleressanlc sobre a moda ; Enigma ; Anc-
doctas : econtinuacao do lle.sumo da Historia
da Provincia: vende-se na praca da Indi-pen-
dencia D. 57 c 58 na ra do Colegio loja
de livros D. 12, na Botica do snr. Paranhos,
e no llecife loja do snr. Dourgard.
= OSr. que'perdeu uma canoa aborta de'
cairegarareia ainda nova oleada de en-
carnad^ : dirija-so a ra da Sanzalla velha
n. oise dir onde ella existe em muito bout
estado poLs a Ipngclura he distante desla pra-
ca da parlo do Sul.
= Da-se rtineiro a juros sobre lwas fir-
mas na ra do Rosario larga D. '.). se dir.
s= Precisa-s,e de um menino d* 12 a 11 an-
uos de idade salando escrever para andar
vendendo na ra com uma preta fasendo-
se-lhe alguma vanlagem quem estiver Restas
circuuistnicias : dirija-se a ra das Trinxci-
ras sobrado I). 9.
= O Snr. Antonio Moreira Pinto Rarbosa.
qii'se retira para Angola no palaxo Franco-
lina, faga favor de bir pagar aconta (pie de-
ve na vendada ra dos Quarteis D. 7 e nao
o deve fazer sem se entender com o caixeiro
que Ihe bou.
== O Snr. Joo Lins Salgado queira fa-
zer o favor. dirgir-se a ruado Crespo D. (i
lado do su! : que muito se Ihe deseja falar.
C0MPASHU DE BHMRIBE.
= Os Snrs. Accionistas daCompanhia dO
encanamenlo sSo convocados para uma reuni-
ao (pie lera lugar no dia 7 do corren te le-
las 11 horas da niauhaa na salla do commer-
cio por cima da arcada da Alfandega.
=e Declaro que o sur. Frrncisco Jos da
Costa Guimares que se reti,ra para fora do
Imperio conforme os annunciosdos Diarios de
29-de Abril, a lroje2 do corren te nAo be o
proprio que me he devedor ; he sim o met
i devedor o snr. Francisco Jos da Cosa Gui-
mares iiliio do falecido snr. de Engenho do
Curado. Francisco Jos Monteiro.
3= Huma Mira, solleira pie vive no cen-
tro de sua familia asnas conlierida iwstacapi-
tal por sua morigcraeSo propTie-se a educar
meninas em toda a inslrucco primaria do se-
xo 1er, escrever, contar, (raiiiinatica
Nacional, e todas as habilidades d'aguHia.
Sua residencia be no bairro da Boa-Vtsta qua-
ze defronte da Matriz no sobrado d'um andar
D. 57.
= Precisa-se de um criado que alem de
saber bem (b'sempenbar o lugar como tal sai-
ha ler o prefore-se estrangeiro sendo para
ir para um Engenho na Comarca do Rio For-
mse e quede pessoa q'Ufl abone a sua capa-
cidade qeni pertender enbmda-se com o
snr. Joao Evangelista. Bello n.t praca da In-
dependencia na loja n. 10.
= O Snr. Manoel Ltliz da Veiga queren-
do desenganar-se ser certa a compra quo fez
da Escuna de que faz mencao em seu annnn-
cio de 2 do corrente. va ao cartoriodo Tabel-
liao Coelbo aonde vea a sua propria assigna--
lura exarada na respectiva Escriptura com
las teslcmunhas (cando cerlo quo con-
tractos desla naluresa se nao del'asem por meio
de annuneios.
=; Pela Delegalura do 1. Doslricto d'est.l
Cidade se faz publico para conliecimenlo o
noticia de quem perlencer, que no dia 17 do
moz (indo foi aprehendido um cavallo em po-
der de mu individuo, (ue diz chamar-so Ma-
noel Francisco Bizerra e morar no Bairro do
Recife o qual deo lodos os indicios de ser o
mesmo Cavadlo furtado e por isso acha-S'*
este depositado para se proceder nos termos
da Le.
= O Bhetoda lotera comprado pelo The-
soureiro da Sociedade Theatral RecreioA
Inslrucco he N. 5^70 o nao 2697 como
por engao se annunciou.
Elrei lomara a primeira postura em que es-
lava com o colovello firmado no brago da
cadeira c acabeca encostada no punho; mas
os seflsolhos rcvolvendo-sc-lho nasorbilas,
incertos c espantados, exprimim a dolorosa
ilienaeao daquella alma tmida atormentada
por mil allcctos oppostos.
Ouvia-se apenas o cicio dos dois que con-
veraaveni. E por largo espago aquello mur-
murio, c o respirar alto e convulso de I).
Fernando foi o nico ruido que interrompeu
o silencio do vasto aposento.
Elrei com a mao esquerda pendente sobre |
os joelhos deiiava-se ir ao som das ideas te-
nebrosas que lhe o (Tusca va m o espirito, e que
protrahidas o levariain bem prximo das ra-
as ile completa loucura. -A imagem de Leo-
nor Telles lli^appareciacomo com posto mons-
truoso de vulto d'anjo e de olbar de demonio:
or>> amor infinito o arrastava paja cssa ima-
gem o horroro allastava della ; vi a-a como
11111 simulacliro das virgens que na infancia
imaginava aooevir ler ao bom de seu aio
\yras Comes as leudas das" marlyres ; mas
logocnidava ouvi-ia dar risada infernal pes-
iando por cima das ruinas de cidade descra :
o patbulo e os delirios amorosos ; ocheiro
do sangue e o balito dos banquetes se Ihe mis-
turavam no se ti so intimo eo pobre nonar.-
cha nos seus desvarios perder a conscienca
do logar da hora e da situagao em que se a-
chava naquelle terrivel momento.
Mas um beijo ardente. dado nessa moque
tinha estendida e lagrymas ainda mais ar-
dentesque a regavam foram como faisca -
lectrica revocando-o raso e realidade da
vjIh.
^-Acommoco iudivisivel o mysterosa que
sentir fez-lhe abaixar os olhos : a rainha
eslava a seus ps : era ella quem Ihe cobria a
mo de heijos e Ih'a regavade lagrymas.
D. Fernando al.istou-a snavemeiile de si :
ella alovanlou o rosto celeste orvalhado da
pranto ; era ;\ imagem de nma das niartyrcs
que elle va no seu imaginar rfc infancia. D.
Leonor ergueu as irnos Mipplu-antes com um
cesto de profunda angustia : cnto era mais
forraosa que (das.
Ah murmurou elrei : porque o
ten coracao implacavcl. ou jiorquo te amei eu
tan lo ? a j
Desgranada de inini bradou I), Leo-
nor enlre solugos : o leu amor era como o
iris docu : era a mnha p|z a minha ale-
gra a minha esperanca : desvaneceu-se e
passol ; a vida de Leonor Telles desvaune-
ccr-se-ha e passarconi elle ?
E' porque S bes que esse amor nao pode
perecer; que esse amor como um fado es-
cripto l em cima nlerrompeu l>. Fernan-
do que t me faz s Ungir as mos de san-
gue : para salisfa/.er las crueisvjngaijcas : v.
porque sabes que eu esgolo sempre o calx das
ignominias quandolte las niAos m'o appre-
sentm que til me sacias de deshonra. Te-
rs acaso algum di;-: piedade daquelle que -
7este leu servo e que nao pode deivar de
ser l::a victima .'
(!!i quanto s injusto Fernando e qtto
ma! me condeces! cicla mou Leonor Tcl-
ICS.Iimpandoas lagrymas.Foi a lua digni-
dad" rea!, a lua justiga o leu nomo quepn
quiz salvar da lua propria brandura. Aos
mesqunhosqne me ofl'enderam perdoci de
todo o corarao ; mas lu que eras re] 0 juiz nao
lias fazer. Se o notc'do leu virtuoso
pai ainda hoje Icmbra a todos com ven-:.:
e am r porque leu pi foi implacavel con-i
Ira os criminosos e aquillo em que pes a
deshonra e a ignominia a coma de gloria
immortal que cerca o seu nomo. Se as mi-
nhas palavras le constrangeram a esfolher en-
tre a confirniacao dessa fatal senlenga e a des-
lealdatie e a hlasphema que nao eahem em
coracfto e labios de cavaileiro o por lo sal-
var de ti mesmo. Se crs que nislo lu cul-
pada diz-mes--Leonor, j nao te amo! e
en (icarei punida porque nessas palavras rs-
(ar escripia a minha senlenga de morle '.
Possas tu depois perdoar-me e proferir sq-
hre a campa da pobre Leonor uma xpressao
de piedade
As lajrvmas e os solugos pareciam nao a
deixar proseguir. Reelinotl a cabeca sobre os
joeios delrci, apertando-lhe a mo enlre as
suas com hu movimento convulso.
Forniosa querida hlimilhada a seus ps,
; rao resistira o pobre monareha .' Unilido
a face aquella fronte divina, S ihe disse :
oh Leonor Leonor !> e as suas lagrimas
misturayamrsc com as della.
Coiilinuar-se-lia )
ILEGIVEL


s-fi; ;--7:Ms;.*>* iTiTrf-^i.-fiaHi. iW^w4*
~rr tf i nr
4
sFb

527- A rrpeii78l p-nclico de Pernainbuco
TboflsS C-osIng, agento geral no Brazil,'
para a-- Medicina Popular Americana'* faz;
sciente o resperfavel publico, qae acaba de
esfabelecer o seu deposito geral no Hio de
Janeiro na do Ouvidor N. 143. Aposen-
tando este invaluavel especilieo* ao generoso
povo Brazileiro elle tem em vista a ser de
utilidadc aos seus semelhanles, o o pouco
tempo que est conhecido na Corte 9 bom a- ]
colhimento que tem tido, combinado nos!
grandes beneficios tirados por murtas pessoas |
afflictas lia anuos, inostra bem que os seus
traeos esforcos nao tem sido debaldes. An-
da nao fazcm tres mezes que a Medicina po-
pular fui introduzida no Imperio do Brasil,
e ja as vendas sobem a 5,* caixas. Que me-
lliores provas pode-so" querer de seu grande
merecituento i1 As numerosas pedidas para
agencias, tanto no interior da Provincia do
Rio de Janeiro como as de Mallo Grosso ,
Minas, S.Paulo, Santa Catharina &c., sao
outros imjiciosda estimacao que vai tendoem
varias partes do grande Imperio. A Medici-
na popular est recommendada para todas as
enfermidades procedidas da irnpuridade do s-
gu>*, como molestias do ligado, rbeumatismo,
gtta, allecgoes cutneas, febres, inllamma-
goes escrfulas ulceras antigs cancros ,
bemorrhoidas hyilropezia retengo das u-
rinas, diC. molestias das Sen horas &c. Ac. j
nao entrando em sua compozigo nem zou-
gue, e nem outro qualqucr metal ou mineral,
e particularmente adoptada aos climas quen-
tes como os muilos anuos que tem sido ein-
pregado cotn os mais felizes resultados as
Indias, tanto Orientaos como Ocoidentaes
tem mostrado. As caixinhas tem maior nu-
mero de purgantes que outro qualquer reme-
dio desla natureza e vo acompanhadas com
direeges bem explcitas em lingua porto*
gueza ; e vende-sa na caza cima dita a 1 jOUO
rs. ceda caixinha, e em porgo mais em
conta.
tsy Precisa-se de um fetor para un sitio
perto desla praca para traballiar de encliada ,
e entenda de plantages : na ra do Encan-
tamento armazem de assucar D. 14
SS" Joaquim Policarpo da Silva Cidado
Brasleiro vai a Cidade de Loanda.
e** 0 abaixo assignado pretende fazer u-
n;a viagem Portugal < c deixa sua casa de
negocio entregue a seu cunhado e socio Joze
Luiz dos Santo9 aulhorizado coyiprar ,
pagar e receber em nome de Joze Gomes
do Sobral Nascimento.
XSF" 0 Padre Manoel Ignacio de Sotiz Cos-
ta e S faz viagem Portugal.
s^~ Antonio Marques retira-se para Ma-
cci.
tsy- Aluga-se urna casa terrea nos 4 can-
tos da !Joa vista : a fallar com Carneiro Mon-
teiro no forte do mallos.
iy Francisco Jozo da Costa Guimaraes
retira-se para fora do Imperio.
tST^ Prccisa-se de um hornera qu seja
bom padeiro e forneiro para urna padaria ,
no atierro da Boa vista no sobrado do um
indar a tratar com Agoslinho Tavares Rodo-
valho e lamben) aluga-se um preto que
entenda do mesmo servigo.
ssy Acha-se um sitio de lavrador d^volutoj
em um engenlio muito perlo da praga, e cotn
niulo boas trras com suficiencia para tra-
balhar com 20 cuchadas ou mais muito boa
easa bom cercado e muito grande o com
algumas socas ; quero o pretender entenda-se
enm Antonio da Silva GuSmo na na do
Qoeimado.
S3J- Placido Joze do Reg Couto retira-
se para Portugal.
\ar Manoel Ignacio da Silva Tefxeira, do-
no da padaria de urna s porta no pa eo da
S. Cruz, faz sciente a quem anda ignora,
que Jou Antonio Miguis nao administra
a dita padaria desde o dia 14 de Marco p. p.
da em que lhe tomou conta e deo balance;
e lhe fez embargo em un moleque que elle
tinha por presentar em outros balancos ,
quantias emprestadas e fiadas cxcedertdo
a 900^000 reis liquidando naqwlle ulti-
mo 126*773 rs. de debito, descontando os pe-
queos lucros que s. acharan e nao querer
pagar e tendo-se realisado o dld dbito ,
assignado com testemunhas; se opas ao pa-
gamento em Jaizo porem etn 19 de Abril,
sendo-lhe posto lbello, e vendo qu outros
odemandava tratou de pagar ao annnei-
ante, e vender o motequu tendo antes
vendido parte de orna venda nos 4 cantos ,
a fim de estar d^embarassado, e como cofis-
t ao annunciatile que tem o 'dito Miguis
jarado vingar-se por ter cobrado oque, lhe
devia e nao ter ido avante a sua perten-
cSo e como tambem consta ao annunciante
que o dito Miguis he de condigno vimativo
( a pezer da preVneao) az sciente ao publi-
co as ms en tenemos do dito e para que a
polica observe ; e faga obstar qualquer alen-
lado.
tar Ka ra do Vigario 1). 55 existe una
cirta para oSr. Joze Francisco Gons.dvcs Ju-
nior, vinda d Macelo.
t^* Precisa-se de ama senhora de bous
costumes que saiba ler escrever contar,
coser e bordar, para ensinf o meninas em
um sitio perto da Villa de S; Anrto dndo-
se-! he casa, mesa t os mais precisos d
(una casa pdendo eftsinar oulras meninas
de fofa ; qem se adiar nestas circunstancias
pode mandar Irataf no pateo do Tergo sobra-
do de um andar D. 12 ou annunciaf a sua
morada.
v*>- Aluga-se urna cas; enm mu i tos cortl-
modos e grande qui.tal de cem palmos de
frente fe 600 de fundo, com alguns arvore-
dos de fruto, tima grande latda e prpria
para algum estrangeiro cita ttn S. Amaro
junto as casas do Snr. Cardozo : a tratar na
ra Nova D. 2.
tsT Bita Mara do Sacramento convida ao
Sr. Joze Carlos de Mendobga para vir tirar
os pinhoresque empenliou em 1837, por 0
mezes e se nao o izer dentro de 50 dias dcs-
ta data, os vender para seulpagamento.
$2^* A viuva de Joaquim Lopes Machado ,
fa certo aos devedores de seu casal para
que tralem quanto antes de irem pagar o que
devem ao seu casal, a fim de tratar do inven-
tario que se Shefaz preciso proceder; assim
como faz serlo aos seu freguezes que o seu
estabelccimento de padaria continua no mes-
mo giro.
pa engommada consislindo em Urna camisa
de cambraia le menino com tal lio redon-
do e bico um veslidinho de cdmbfaia lisa,
e de abertura tudo eulbrulhau'o em um len-
go de cmbraia adiada defronle do Hospital
do Carmo hindo para a ra do cano, dirja-
se ao pateo do Carino 1). 9 no segundo an-
dar que dando os signaes lhe ser entregue.
t* Precisa-se de urna ama de leite : an-
nuncie.
txy O abaixo assignado faz publico que
desde o dia 50 do passado Abril, dcixou de
ser caixeiro por no ter mais delle preciso ,
Vicente Gousalvcs Ribeiro J",orissoque to-
das as transagrteS de hoje cm dianle devem
ser feit Com o abaixo assignado ou por
pessoa ulhorisda. = Antonio Bus da Silva
Cardial.
ssf Quem quisar dar urna crianga para
urna senhora cria-la pois tem muito bom
leite e a sua crianga ler morrido dirija-se
a ra larga do Ro2rio venda D. 4 ao pe do
botequitii d cova da otiga.
S?" Hoje 4 do corrnte imprelerivelmentc
se ha de arrematar a porta do Dr. Juiz de
Direrto da terceira vara dous escravos, sen-
do urna crela com habilidades sabe coser
bem engommar e cozinhar, as quaes vo
a prg por execugo de Manoel Antonio de
Jess contra Domingos Fernandes Vianna.
tF Precis-se de um pequeo que tenha
alguns principios de pharmacia : na ra es-
trella do Rozario botica D. 31.
ssy Quem annunciou no Diario n. 92 que-
rer comprar um par de mangas de'vidro lisas,
dirija-se a ra estrellado Rozaro D. 31.
tSf- Do-St 800,)( a juros sobre pinhores de
ouro ou prdta : quem pretender annuncie.
t1- L'ma senhora de boa conducta e bons
costumes propoe-se a ensinar meninas a
ler escreVer contar bordar e, fazer la-
varnto particularmente : etn Olinda ra
do Bom Sucesso n, 4.
SST Precisa-se de urna criada para todo o
Servigo de urna casa : na ra da cau-bc* do
Carmo Sobrado de 2 andares, no prmeiro.
tr Quem tiver porgo de exemplares do
drama a reslaufagao da Baha em 1623, quei-
ra annunciar.
tsr Um piloto nutico estrangeiro, que
falla bem O edioma nacional e que ja tem
navegado de baixo da bandeira deste Im-
perio, precisando de fazer urna viagem ao
Ro de Janeiro desejaria achar um Capi-
tao de navio que destinando-se a dar a
vella para aquell porto e tomando em con-
sideragAo a citago mesquinha em que mo-
mentneamente se acha o dito piloto qui-
zesse acolhe-Io a bordo do seu navio sob as
condigesde ganhar a sua passagem pelo Ira-
balhoda sua profissao. O sobredito piloto
promett todava tstemunhar na primeira
ocdasi3o favnravel o seu sincero reconheci-
mento ao CapilSo que se dignar acceita-lo
para o transporte ao Ro de Janeiro. As pes-
soas que desejarem obter informages satisfa-
torias po)lom drigir-se a aos Srs. Lehmann &
Companhia na ra da Cruz D. 9.
ttj*"' Acha-se contratada a compra da casa
terrea D. 6 riru de S. Joze ; quem tiver
diroilo ella por quafqer titulo que seja,
queira dedara-Io dentro do prasode 8 das ,
a Caelano Joze da Silva na ra do Colegio
D. 2 para no haver diividas para o flctdr.
SZT1 Victorino Aittunes da Siffa f SObdito
portugitez rccentenientechegado do Hiede
Janeiro, retira-se para Portugal a tratar de
sua saude, nao tem con tas com ningiiem ties-
ta praga.
ey Francisco Joze Machado faz sciente ao
respltvel publico que mudou o seu nome
desde primeiro de Janeiro de 1857 para Fran-
cisco Joze Machado Guimaraes por haver ou-
tro de igual nome.
tst Deseja-se fallar a negocio de seu inte-
resse com Josefa Maria da Conceigo na-
tural desla Cidde e nella moradora, ou na do
Olinda ; quem della der noticia na ra larga
do Rozrio ale o da 7 docorrente ser recom-
pensado.
p_______________________ *--------------------------- .i
AVISOS MARTIMOS.
C5" Para Lisboa sahir no dia 10 do cor-
rnte a Barca Porlugueza Senhora do Ro-
zrio Capito Boaventura Borges Pam-
plona ; quem quiser carregar ou ir de passa-
gem dirija-se a Manoel do Nascimento Perei-
ra na ra da Cruz n. 22.
S^- Para Philadel|)hia sahir nostes lOdi-
as a bem conhecida e muito velleira Barca
Glohe Capitao Ksling ; quem quiser carre-
gar ou ir de passagem para o que tem excel-
lentes commodis, dirija-se ao Capito a bor-
do ou aos seus consignatarios L. G. Ferrei-
ra & Companhia
tsr Para o Maranho segu viagem dentro
em poueos dias o Brigue Escuna Voador,
por ter a maior parte de seu carregamento
prompto, anda recebe alguma carga e escra-
vos a frete, assim como pitra passagdros offe-
rece excedentes commodos ; os pretendentes
dirijo-se a Firmino Joze Felisda Roza.
L E I L A 0'
Mr O Corretor liveira far leil Quinta
feira 3 de Maio as 10 horas da nianh no seu
armazem da ra da Cadeia n. 54 prifneiro an-
dar de urna excellente colego de livros ne-
vos proprios e mili procurados para os estu-
dosactuaeSdo Curso Jnridico em Olinda e
grande porgo d'outros histricos para ins-
trugao de varias materias, e recreio papel,
conhecimentos e lelras em branco ic. o que
tudo se vender por baixo prego visto ser
para liquidago da urna loja de livros.
COMPRAS.
Escravos para fora da provincia sen-
do nogrinhas de naco crelas e mulatinhas
de bonitas figuras, e moleques e crelos tam-
bem bonitos de 14 a 18 annos : no beco da
Boia perto do forte do mallos sobrado de 4
andares, no segundo das 8 horas da ma-
nh as 5 da tarde.
VENDAS.
ey Bolaxa para escravos a lji rs. a arroba:
na ra Direita D. 10.
sy Dous caixBhos com vidros para jane-
las de madeira cedro ja esto promptos :
na ra Direita D. 45.
cr Por prego commodo 6 vaccas de leite ,
novase muito boas 4 esto paridas e duas
prximas a isso, sao crelas e filhas do pas-
to de S. Anl;, aonde os pretendentes se
podem dirigir ao p da Villa no sitio Boa vista
ou entender-se no pateo do Tergo D. 12,
S27" Sevada em barricas no armazem de
Silva Barroca &. Andrade defronte da Igreja da
Madre de Dos.
S=y- Urna canoa acabada de ser construida,
queconduz600 tijolos de alvenaria grossB ,
por prego commodo : a tratar com Marcelino
Joze Lopes.
ssy Urna negra de nagao angola, bonita
finura de 20 annos cozinha o ordinario ,
e lava de sabao : na ra do Cabug D. 3.
Urna grande casa assobradada, feita
a moderna livre e desembarassada cita na
ra da Alegra : quem pretender annuncie.
CT Olhos de vidro para imagens : no at-
ierro da Boa vista loja D. 16.
W Um bonito e bem apessoado mulato,
de 16 a 17 annos sem vicios proprio para
pagem e por prego commodo : na ra do
Livrameuto D. 19.
ssy Um casal de escravos sendo o negro
bom ganhador, e do servigo de campo e a
negra boa lavadeira edo servigo de campo ,
ambos mogos : no atierro dos ahogados D.
18defronte do viveiro do Munz. 4
tur Excellente farinh* de mandioca re-
centemente chegada do Bio de Janeiro as
sini como solfatode quinino man : na ra
da moeda h. llOescriptorio d Firmino Joze
Felis da Roza.
S25^ Sacas com frinha da trra a 4j300,
com alqueire arroz de casca embarricado a
641 : no pateo do Carmo na quina da ra de
Hortasdo lado direito D. 1.
ssr Um escravo mogo de bonita figura 1
sem vicio bom padeiro eco/inheiro ; assim
como alugo-se 5 pretos bem possantes, para
trabalharem aqu a praga ou em algum sitio
perlo a 1 (),> mensaes : na ra larga do Ro-
an botica D. 10.
ir Por prego muito barato urna fateixa
com 5 arrobas eumemede sicupita para
embarcago pequana : na ra da senzala ve-
Iha no primeiro andar do sobrado do Braga ,
pela manila at as 9 horas.
ssy Estojos de navaihas de cabo de mar-
fim o mais superior que tem aparecido e
de elegante |osto caivetes Onos de aparar
pennas Ihesouras uouradas para costura ,
muito finas : na praga da Independencia nu-
mero 5.
t^- Sacas com superior farinha de man-
dioca : na ra da Cruz n. 40.
e*~ Dous barris com potassa: na ra de
Borlas D. 70.
tser Vellas de carnahuba de 6, 7, e 11 por
libra a 280 a libra Sapatos de burracha :
na ra do Bangel D. 7.
3" Urna porgo de taboas de amarello por
prego commodo e muito bem serrado : na
ra da senzala nova D. 1.
ssy 10 pipas com agoa ardente branca ,
promplas para embarcar sem despesa de ar-
mazem e trapiche : na ra Direita padaria
D. 5.
ssy Um negro de nago. anda bugal, de
bonita figura de 18 a 28 nios proprio
para todo o servigo ; e 200 couros de cabra
de muito boa qualidade ; na ra da Cadeia do
Recfe D. 62 ao p do Snrs. Me. Calmoni c
SS~ Cera amarella em porgo e a retalho ;
bezerros srrados : ho beco da ligoet ven-
da de Joaquim Joze Rebtllo.
ESCRAVOS FGIDOS.
e" No dia 27 do p. p. desapareceo urna
escrava crela de nome Eugenia alta sec-
ca do corpo rosto descarnado olhos fun-
dos a orelha esquerda rasgada no lugar do
brinco, tem marcas de panno pelo rosto ,
levou vestido d chita branca com llores, e
babado largo, e panno da costa ja velho :
quem a pegar leve a na do Peixoto D. 56 ,
que ser recompensado.
E^* No dia 20 do passado Abril, fugio
desla cidade do Recife um escravo de nome
Vicente, estatura baixa cor preta cheiodo
corpo olhos grandes queixo fino pouca
barba com 2 denles tirados na frente na-
riz chato, ps pequeos e com idade de 25
annos pouco mais ou menos ; levou vestida
carniza de madapolo caigas d'algodao tran-
gado jaqueta de lustrn) azul, e chapeo de
pallia : os aprehendedores levem-o no en-
genho Ramos, junto a Villa do Pu d'alho ,
que ser bem recompensado do sen tra-
balho.
MOV MENT DO PORTO.
NAVIOS ENTRADOS NO DA
i.
PortoS do Norte do Para 15 dias e do Ma-
ranho 9 Vapor Nac. S. Sebaslit Cen-
mandante Rernardino Dias Pinheiro; pas-
sageiros brasileiros : Dputado Angelo Cus-
todio Correia um escravo Dr. Joze
Bernardes deLoola e2 escravos estu-
dante Caetano Joze de Souza e um es-
cravo corhmreiante Joze Carlos da Sal-
danha, Dez. Antonio Ignacio d Azevedo o
sua fami ia D. Hnrqueta Flora de Fi-
gueiredo Dr. Joze Duarte Lisboa Sena, o
um escravO, o dentista Loiz de S. Agos-
tinho de rtago Benguella ?9 pragas 1
Capito, um.Tenente, umAlfores. e 14
imperiaes marinheiros ; e a Senhora do
Exm. Presidente do Ce.o".
De Cruzar i 5 dias Escuna de Guerra Nt.
1." de Abril, Commandante o 1. Tenen-
t Fernando Lzaro de Lima.
SAfllBO JO MESMO Btt
Philadelphia ; Patacho Ame'ricano General
Harreo Cap. Carlos Ogle carga Yarios
gneros.
SAHIDO NO da 2
Mova Hollanda; Barca Ingleza Thereza, Cap.
W. Driscoll, conduz o resto dos colonos ,
que trouxe de Plymouth.
RECIFE NA TYP. DE M. F. DE F, = 1842


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EE3OBZLZD_E7O0WV INGEST_TIME 2013-04-13T00:23:27Z PACKAGE AA00011611_04645
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES