Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04644


This item is only available as the following downloads:


Full Text

V.,
Auno de 184-2. Segunda Feira 2
de

Tudo afora d.pende e na mmot da nossa prudencia, moderarSo eererri.- .,
rr" co" *"''*..... '^f.^-^ "s,:
""" _________________CProcha^b da A.aetahle. Crl dotrt.il.)
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES
Gomnift Para.ha, eR.oerano*e du Norte, n. secunda e.exl.feirt
Romloe l.a.anliuns, a D)e 24.
* ^V'0^ 1,io F-""">. **rto C.Uo, MaceiA, AISo. .o '21
P.JW 13. buioArtlb, 4aib'r. bM. OlinA lodo.o.d,... ".,
DAS DA SEMANA.
2 Se. a. Alhanazio B. Chine. Aud. do j. de D. di 2. r.
3 Tere. # Invena da lana Crur s Rodopiano M
J *"' k-M***^ > ARoflinho. Ch.nc. Aud. lo J.deD. fl.3 r
5 Ow, -I- AswncSo do Sr. Converjo de .. Agoarinho.
Sen. s. Joao me uorlam Latinam. Aud. A-, J, daD da 4 T
7 Sab. a. Ealanislu B. M. Aud. do J. de D. da 3. t.
31 a i o.
Anuo XVISi.
,
-
O Diario publica- lo,lo o* diaa qotalo forero Sai.lif.raJ.,
, .. ----------- -------.....I"'".......""> iiniiMiliic utrri. ii-.'-iii'iirt la
te ilfcs. es : n~; ;
Cambio sobre Londres 28 <|. p, 11
a Paria C4 reis p. franro.
u Lisboa S!) <0 p. OO de pr.
Ooro-Moeda de 6.400 V. Ij.HOO
N. 14.0
de 4,000 g.JOO
PiT* Palacoea 1,r,N(|
CAMBIOS .no nu 50 pe A bu..
Pinta IVmii Columnares a fion
" Meiicanua ] (v,(|
m""1 I, Villa i'i,
Moeda ifc cobre 3 por 1(10 3e nWnalo.
Discontode bilh. .la Alan.lr^a 1 por 1(10
o ntci.
di- lelraa do boas firmal 1 e
r.r
ilr {.
* Do. Apparico deS. Miguel Archanjo
M
P rea mar do a,a 2 de Main
i." a 10 horas e $ m. da manlu.
2. 10 hora, e 38 ni. d, larde.
PlIASKS DA I.UA NO HEZ LE MAIO.
Quart. min*. a 2 -- as 10 horas e 2S m. da mai.h.
la Nota a 10-- ;is U horas e 10 m. da manh.
Quarl. rreac. a 17 a* 1 horas e 42 m da n.anh.
La cheia a 24-- as 7 horas e 21 m. da minli.
m_A i.1 o i> e > rTirrc aii bu i r;
PARTE OFFIC8AL.
ACTA DA 38. SESSA ORDINARIA DA ASSEMBLEA
LECISLAT1V.V DE PERNAMBUCO EH 27 DE
ABRIL DE I8i2.
PRESIDENCIA DO SMl. M.ACIEL MONTElRO.
Fcita a chamada achara-se prezeutes 29
sis. deputados fallando com partidpac/io os
srs. Pereira deBrilo, e Vieira de Mello, e
sem ella os srs. Pedro Cavalcanti, Machado
Hios Manoel Cavalcanli, e Lopes Neto.
Osr. presidente deolarou aberta asesso;
foi lida e approvada a acta da antecedente.
EXPEDIENTE.
l)m oficio do secretario da Provincia re-
metiendo a nformago da cmara municipal
desta cidade sobre o contracto feilocom An-
tonio da Cunta Soares Guimares e outros
objectos : = a quem fez a requisito. O sr.
Nabuco mandou meza o requerimento se-
guinte :== rc(|ueiro urgencia para a 3. discus-
so da le do ornamento provincial agora mes-
ino : = approvado. Entrou em discusso o
projecto da referida lei. Foro i nas mas
nao apoiadas as emendas seguales : = do
sr. Lopes Gamao ordenado do professor
de primeiras letras do ccllegio dos orfosser
de GOji reis : == do sr. Aguiar =2 p. c. de
todos os ordenados, e frratificacos provinciaes,
que excederem a oOOai reis excepeo dos
vencimentos dos engeuheiros ostraugeiros ,
que eslo a servigo da provincia : =ao art.
12 elevado o ordenado do professor do en-
sino mutuo desla cidade a 600^ res guarda-
da a disposigo do art. 10 cap. 2. da lei n.
43: augmeiile-se o quantitativo : = do sr.
Oliveira : = icando elevado a 500^ reis o
ordenado dos amanuenses da secretara da
provincia : ueste sentido augmente-se o quan-
titativo : = ao art. 4. sendo um dos ama-
nuenses encarregado exclusivamente do Ar-
chivo da secretaria com a graticacao annual
de IOO res : neste sentido augmente-se o
quantitativo i = com o recolhimento da Con-
ceico d'Olinda 500* reis := ao art. 5. i-
cando elevado a OOji reis o ordenado dos dous
amanuenses da thesouraria das remlas pro-
vinciaes : neste sentido augmente-se o quan-
titativo : =dosr. Jos Pedro :=supprima-se
o art. 30 :=supprimo-se na emenda do sr.
Nabuco ao art. M as palavras = aos quaes
licao encorporados os bens da mizercordia de
Olinda: = com o recolliimcnto da Conceicao
de Olrnda 400.) reis : =dosr. Faria =com o
provisor do bispa.lo oOO reis : = do sr. Ra-
bello = seja elevada a congrua do coadjutor
1FL[KIITD
ARRHAS POR FORO D'ESPAMIA(*).
A noite descera entretanto. A cavalgada
parou no lerreiro deS. Marlinho e luz de
muitas tochas parte d'aquella multidoesco-
ou-se pouco a pouco por diversas ras, em
quanto outra parte suba sala principal, ou
se derramava pelos a posen tos dos pagos cu-
jo silencio de quasi dois annos depois da fu-
ga d'elrei com D. Leonor Telles era a pri-
mera vez interrompido pelo ruido de urna
corte numerosa mas bem difieren te da anli-
ga. A rainha havia quasi exclusivamente cha-
m ado a ella Os seus parentes ou aquelles li-
da Igos que Ihe linham dado provas nao equi-
vocas de alucen ufTeico e substituir sc-
veridade anliga do paco todo o hrillio de um
luxo insensato e o que mais era a dissolu-
da Freguezia de Flores a 200* reis : = do
sr. Lobo = ao art. 4. = depois da palavra =3
emolumentos-diga-se conforme a tabella n.
I annexa ao projecto : = fica o presidente
da provincia authorisado a extinguir as re-
particos provinciaes.
ForSo apoiadas e depois regeitadas as se-
guintes := do sr. Oliveira o presidente da
provincia lica authorisado a reformar as re-
partigoes provinciaes, redusindo o n. dos
seus empregados segundo o permittirem as
necessidades do servigo : = o presidente da
provincia lica authorisado a remover a cadei-
ra de meninas do Pilar de Ilamarar para a
villa de Iguarass := do sr. Bizerra Cavalcanli
lica alterada a formalidade da arrtcadago
dos dizimos de gado vaceum e cavallar de ju-
lho a junho e em seu vigor e como sempro
forao arrecadados os ditos disimos de Janeiro
a Dezembro com as suas competentes eras de
cada um dos annos := do sr. Jos Pedro sup-
prima-se o art. auditivo do sr. Neto sobre a
Sociedade de Medicina : = ao art. 3.__de-
pois da palavra 9o diga-se = icando conside-
rados os honorarios dos empregados da casa,
como indivisiveis : = do sr. iNabuco os ins-
pectores do assurar e algodao terao o ordena-
do de 800* reis : = do sr. Silva Guimares
o presidente da provincia nao dar os pla-
nos de todas as loteras novamenle concedi-
das em quanto se nao lindar o tempo das
loteras do theatro Matriz da boa-vista li-
vramento e Rozario da boa-vista, queesto
em obra : = do sr. Leal seja elevado o or-
denado do secretario da thesouraria provincial
a 1:000* de reis como vence oda thesoura-
ria da fazenda = do sr. Pinto d'Almeida
com os coadjulores de toda a provincia son-
do a congrua de cada um de IO* reis : ueste
sentido augmente-se o quantitativo : = lica
pertencendo comarca de Santo Antao todo
o termo que actualmente he do engenho
Larangeiras : = foi apoada e depois retira-
da a pedido do seu autor .1 seguinte emenda
do sr. Figueiredo : =offereco como art. au-
ditivo para se enllocar ondeconvier a materia
do projecto n. 21 deste anuo que tracto do
melhoramento do fabrico do assucar : foro
apoiadas, o fica rao prejudicadas asseguintes
= do sr. Carvalho supprimo-se todos os
artigos do projecto n. 24 icando em vigor
somente o art. i., supprimida a palavra =
animaos := do sr. Dantas supprimo-se os
artigos 4, o, 0, 7, e 8 do projecto n. 2t,
que est oflerecido como art. additivo : =do
sr. Leal em lugar da emenda do sr. Figuei-
redo diga-se = lica o presidente da provincia
authorisado para dispendersquantia de 4:000*
de reis com o melhoramento do fabrico do
OVid.oDiarioN.71, 72, 73. 76, 77 70
84,83,80.88, 01 / 92 93 e 9.. '
gao dos costumes, que sempre acompanha
esse luxo. Depois de urna cOa esplendida ,
como o devia ser nesla corte volupluaria a-
penas licra na cmara real D. Fernando c
sua muiher o onde de Barcellos D. Joo ,
D. Goncalo Telles irmo de I). Leonor e
um donzel da rainha ilho bastardo de ou-
tro bastardo o prior do Hospital, Alvaro
Gongalves Pereira e que ella mais que nen-
hum estimava. Estas personagens achavam-
se reunidas no mesmo aposento onde dois an-
nos antes o beguino Fr. Roy viera revelar
ento amante de D. Fernando os intentos de
seus inmigos. Era deste aposento que ella
sahira fugitiva e amaldicoada do poyo. Mas
era ah tambem que ella vinha depois de tan-
tos sustos de tantas difficuldades vencidas ,
de lano sanguc derramado por sua causa ,
repousar trinmpliadora segura ja na fron le
a coroa real. Tudo eslava do mesmo modo ,
salvo as personagens que em parte eram
diversas e em diversa situara o.
Elrci habilualmenle alegre seassentra
triste na cadeira de espaldas nico movel jo
aposento, e encostara a caliera sobre o pu-
assucar, e dos mais producios da cana en-
gajando algum nacional ou estrangeiro para
este fim polo modo que julgar mais con ve-1
nienle : = do sr. GitirAna conlraetando a
rotnmfssfo de polica a publicago dos traba-;
llios da Assomlila com a Redacgodo Diario1
de Pernambuco: =dosr. Aguiar emen-
da do sr. Guimares depois da palavra Boa-
Vista aceresecnte-se e do Seminario.
Foro apoiadas c approvadas as seguinlos :
9: do sr. Oliveira com o theatro publico
em preslacoes mensaes de 2:000* de reis
21:000* t reis :=: ao art. 9. sendo o orde-
nado dos professores de 1:000* de reis dos
substituios de 800* reis e o do professor de
dezcnlio de 800* reis : neste sentido redti-
/a-se o quanlitali# o presidente da pro-
vincia lica authoi izado a arrendar urna casa,
que sirva para o Liceo, e ocolleg o, que nelle
se lem de eslabelecer := do sr. Rabello lica
pertencendo comarca do Bonito a fregue-
zia do Altmho : do sr. Nabuco ao art.
6. accrescente-se =200* reis de gratili
celo ao thesoureiro da meza do consu-
lado : =elevando-se a 13 p. c. a porcenla-
gem do collector e do escrivo de dun-
da : sis do Sur. Silva Gi.imaies == ao Ar-
tigo 11 s=3 elevado o ordenado do Professor
da Cidade de Goanna 000* res : augmen-
te-se o quantitativo: = ao Artigo 12 = igua-
lado o ordenado du Professor da Cidade de
(oianna ao que vence o da Cidade de O-
linda : augmente-se o qnantilajjvo : = do
Sur. Agujar = com os Professores do Semi-
nario Episcopal de Olinda elevados 800*
reis os ordenados dos Professores de Theolo-
gia Dogmtica, Pratica, e Histrica, c 500*
reis o do Substituto dossas 3 Cadeiras : = do
sr. Jos Pedro supprima-se o art. additi-
vo do sr. Figueiredo acerca da com pan I ia dr.
Aqueductos:=aoart 22com oscirurgioes
da vaccina das duas cdades de Olinda e
Goanna mais 100* reis a cada um para cu-
rarem os pobres : =aoart. additivo do sr.
Nabuco sobre os devedores da decima de-
pois das palavras que correrlo diga-se
=5 depois de trez mezes ==: o mais como no
art. := lica em vigor a disposigo do art. 12
da lei n. 00 sobre os alugueis das casas dos
professores de primeiras letras := ao art. 9.
= depois da palavra 43 diga-se nao
poniendo os professores a gratilicaco quan-
do estiverem doontes : = do sr. Barros Caval-
canti = ao art. 33 depois das palavras
casas das repartirnos accrescente-se e do
quartel do corpo de polica : o mais como no
art. = do sr. Lobo aoart. 19 supprimi-
da a do parodio, e coadjutor da freguezia :
neste sentido a!lere-se o quantitativo deste
nho cerrado. D. Leonor, posto que natu-
ralmente loquaz ( t-) assentada no estrado
deironle de I). Fernandn, seconservava tam-
ben, em silencio : em p um pouco atroz
da cadeira d't-lre o donzel querido de D.
Leonor, rom os olhos utos nella esperava
atiento as deterniinacoes de sua senhora : ao
lcngo da sala o conde de Barcellos c I). Gon-
galo Telles passoavam lentamente conver-
sando em voz suhmissa e pausada.
Mas a taciturnidad^ de cada urna das dms
personagens principaes linia bom dilTerenles
motivos.
A imagem da sua capital destruida tinha-se
embebido na alma d'elrei como um reroorso
cruel. Pelas suggestocsde seu to adoptivo!
consentir que. D. Henrique vosse livremente !
destruir a opulenta Lisboa. Elle nelod'Af-
lonso I.. regeitra os soccorros de seus vale-
rosos vassallos,que de (oda aparte haviam cor-
arl. e do art. 20 : = supprima-se a palavra
condiiceo diga-se em lugar de 12:000*
de reis 8:000* : do sr. i'aes de Andrade
ao art. 3. stibsliluo-se as palavras com
ocidado Luiz Ignacio Ribeiro Roma por
estas com quem por menos lizer; allenden-
do-se aosservces prestadoscasa : do sr.
Lopes Gama no art. substitutivo i! dosr.
Nabuco onde so diz os bous da misericor-
dia diga-se os bens do hospital da mise-
ricordia : fica absolvido da mulla em Que
incorreo o arrematante do i. lauco da estra-
da do Pao do Albo, e prologado por mais
umanno o praso estipulado no contracto pa-
ra o complemento da obra.
Foi a final adoptado o projedo cm as emen-
das approvadas.
O sr. presidente deo para ordem do dia 2.
discusso do projecto n. 20 deste anuo, con-
tnu&Nlo dado boje e lovanto a sesso de-
pois das duas horas.
Joze Felippe de Souza Loo.
Pro Presidente.
Antonio Jos de Oliveira
1. Secretario interino.
Luiz de Carvalho Paos d'Andrade.
2. Societario interino.
ACTA DA 39. 8ESSA" ORDINARIA DA ASSEMBLEA
LEGISLATIVA PROVINCIAL E.M 28 DE \11ltlL
DE 18 42.
PRESIDENCIA DO SMt. SOUZA LEA.
Feita a chamada acharam-se presentes23
snrs. Depulados, fallando com parlecipaoo
os snrs. Vieira de M.IIo e Maeiel Monteiro ,
c sem ella os snrs. Pedro Cavalcanli. Alvaro ,
Lopes Cama, Machado Ros, Tihurlino.
Lopes Nelto Mano-I Cavalcanli, Pereira do
Brito NabuCo e Lobo.
O sur. Presidente deolarou aborta a sesso ;
foi lida e approvada a aota da antecedente.
ESPEDIENTE.
Um (Rucio do secretario da Provincia re-
metiendo urna postura addicional da cmara
municipal de Garanhuns : a commisso de ne-
gocios das cmaras. Foi ldo um parecer da
com misado de Inslrucgo publica jubilando
ao Padre Joze Congalves com o seu ordenado
por intero ; e icando elle addiado por haver
pedido a palavra o sur. Rabello o snr. Joze
Pedro requereo a urgencia a lim deque fos-
sc j lomado em considerado; apoada o ven-
cida a urgencia entrn em discusso o pa-
recer ao qual o mesmo snr. annexou o.arl.
seguinte Fica jubilado com o ordenado do
000* o Professor jubilado Joaqun) Ignacio
de Carvalho Mondonga : foi rojeitado o art.
additivo e approvado o parecer.
( l ) A rainha .... como era ousada e
muilo talladora. Fernlo Lopes, chr. de D.
l'.-r. cap. 120.
rido langa em punho para conibaterem
debaixo da signa real, ao esvoagardos pen-
des ininiigos : elle, cavallciro lina vil
instrumento de vinganga covatdB : elle re
de Portug.d lora o destruidor do sen povo :
elle portnguez, recebera o nome de fraco
de um caslclhano sem que ousasse desmen-
tir a alfronla ( 2 ) Estas ideas que o li-
nham assaltado ao atravessar as ruinas dos
arrabaldos tomavam maior vulto o torea na
solido e no silenci. O pobre monarcha ,
bom mas exoessivamenle brando 0 irreso-
luto, linba robeja raso de oslar triste. A
la, que comecava a subir dava de chapa
a Ira vez da janella oriental do aposente 110 ros-
todeD. Fernando; como dois annos antes,
quasi a essa hora Iheallumira lambem as fa-
ces demudadas d'alllicgo. Este logar esta
le a esta ora eram para elle laes !
Nesse momento passos mais rpidos e mais
pesados que os dos dois fi'dalgo comegaram d
soar na sala contigua : quem quer que era
passeva tambem.
{ 2 ) dem cap. "2.
un t_


.~-
OliDEM DO DIV.
Conlinunu a discussao (!o projecto N. 21
Ueste auno : ao aTt. -i. oflereceu o sur. Barros
Cavaleanti a emenda seguinle -- Depuis das
palavras urna indrranisaoao -- aceriscente-
se de IOOOOO rs. para o Emprehendedor ,
e sapprima-se o resto do arl. : fui apoiado
e approva.io, e Juntamente o art. do projecto.
O sur. Figueirede mandn a me/a o ni. ad-
ditivo O Emprehendedor ser obligado,
antes de firmado o contracto a olloreeer o
detallie do novo niclhodo de mclhoramento
para ser submettido a considerado do Prasj-
lenle e ser inserido no contracto em cujo
caso ser mandado imprimir para ser espalha-
do. pela populac&oda Provincia : -- foi apoiado
approvado. 0 sr. Oliveira oHereeoii einen-
das suppressivas aos artigos (', 7, e8, as
quaes forao approvadas ; e bem assim o pro-
jecto em 2. discussao. Foliando em discus-
so o projecto N. 58 de 1838, velo a meza o
art. substitutivo seguinle do sur. Carheiro da
Cimba-- Nos terrenos da Provincia deslia-
dos a agricultura ningiieni peder ter ga-
dos sera que Cerque os logares destinados a
pastoragein dos ditos gados sol) pena de pa-
gar pela primeira vez I0| rs. pira a c-
mara c o prejui/o causado, o o duplo na
reincidencia : -- foi apoiado e apnrovado o ar-
tigo substitutivo, e adoptado o projecto me-
nos o art. 2. que foi rejeitado. O sur. Gd'r-
neiroda Cuaba fez u requorimento seguinle
Requeiro dispensa da impressAo da emenda
em t. discussao do projecto n. 58de 1851, e
urgencia para entrar ainaiiha em 7>. discus-
sao, logo depoi* do projecto n. 21: foia-
poiado e vencido ; e bem assim oulro do sr.
Figucircdo do niesmo I licor em favor do
projecto n. 2i. O projecto n. Itidc-teanno,
coiicodendo 0 loteras a Matriz dos Allegados ,
passou em 1. discussao. Fulrou laiuhcm
assim estimular aqullos a empregarem todos
os seus estoicos para l)em desomponharem os
lugares pie so liles couliarao e estes a pro-
curaren] em competencia a prima/ja entre os
seus collegas e os crditos, que llies podem
daros seus imparciaes juizus. A falta deste
excitamento e do premio que'delle de va re-
sultar tem como amortecido os esforcos e in-
te resses de lodos, e por'conseguate feijo
com que os Mestres tolcrcm os Discpulos ar
(piillo que osles Mies deveni tolerar. F an-
da sentida nessa Academia a falta das vistas ,
e inspeccflO immediata da primeira Authori-
dade da Provincia pie sem duvida desper-
tara o receto da falla do comprimento de de-
veres. O continuo contacto, que pelo aca-
udado territorio e pouca populaeAo, tem os
Lentes com os Esludan tes, e os Estudantes
entre si fon te de innmeros males, pois
pondo patente as mais escondidas SOCOS, a-
inda niesmo das vidas privadas d'ambos dao
cabimento a militas desagradaveis discussoes,
e intrigas, qu3 a|io/ de si tem trazido militas
vezes funestas consecuencias e qua.se sem-
prc a falta de respeilo 0 desacatos aos 'Len-
tes, pie justamente resentidos involveui as
mais das veze o innocente com o culpado Sa-
ludante na correccAo, que julgo dever-llies
dar. Se a lodos estes niales unannos a fal-
la que solrem os Estimantes da eommuni-
eaeo de pessoas de varia la instrucoao o que
la ncces.saro para tiles inspirar o gesto de
outros eonhecimenlos, o lira-Ios do acaoa-
men to proprio dequein cxcliisiv.imentese de-
dica a cortos o determinados esudos; bem
como a dos gozos dos recreos innocentes para
as horas de descanso, (pie lano concorrem
para acalmaras paixdos violentas, que nas-
eem daciusidado, e da sensaboria, oque
sao mu feliz anudlo contra os excessos da
embriaguez, maledicencia e jogos de azar ,
passou em i. uiat:ussill>. r.uuua uimiiuiii cuiuif,i nu.nu.vi..,>.,,., .. _,-... v ....... ,
em 2. discussao 0 projeclo n. 20 o qual foi e ao niesmo lempo descanoAo c l'orlilieao o es-
apoiado e approvado. O projecto n. 22 deste pirilo para un novo trahalho nao se poder
anuo lieou addiado por nao have casa para se negar que a Cidade de lin.la lugar i mino-
votar, t) sur. Presidente levanloii a sessfio a prio para ter em si aquelloestaheleciinento.
nina hora e tres <|liarlos dando para ordom Pelas razes rele idas exuberantemente es-
do dia leitura do pareceres I nd cacos e l provado que a decadencia d'Academia ,
------------7 -------------- r ---------- t *
roquerimoiitos, e ti. parle., discussao do
prpjectos nmeros 58, 21, e.22.
Pedro Francisco de Paula Cavalcanti d'Al-
buquerque, Vice-Presdenle.
JozeFelippe de Sonsa Leo3
i. Secretario.
Antonio .lose de Oliveira,
t. Secretario.
Augustos e DignissiiiiosSnrs. Representan-
tes da Nacao. A Asseinhlea Provincial Le-
gislativa de IVrnamhneo, solicita em pro-
mover conjiinctamenlecoin cssa Asseinhlea a
prosperidade do Brasil e tonscia da pro-
gressiva decadencia d Academia do Oiin-
.la assentou (pie por mais lempo nao de-
via deixarem silencio a causa primordial des-
-a decadencia e pedir o remedio, que julgu
ter a ellicacia de salvar osla Academia de sua
prxima queda, e dar-llie aquello grao de
prosperidado de que be succeptivel, do qual
tanta utilidade deve esperar esta Provincia, 0
todo Brasil.
Snrs. os membrosd'Assembloa desta Pro-
vincia por una longa experiencia de 15 anuos,
convencidos estn de (pie a loca I i dado em que
se acha este estaheleciment lie como pas-
si a mostrar-vos, a causa principal da sua
decadencia *e iniminonte queda.
.Mi Snrs., a ustwiceAo pie se transmit-
i aos Alumnos nao he presenciada por queui
ajuizando da capaeidade dos moslres, eap-
plicaeao e babilidade dos discpulos pussu
!)osol.';os de 1). Fernando sahiam dois te-
nues roflexoS; erain os raios da la que sees-
pelhavam em (Urna lagrynias.
A rainha alovaiklando-se cnlao disse ao
donzel :
Nunalvares Pereira, vedo quni est
nessa sala.
Nunalvares abriu a porta, e fungando a ca-
bera voltou-se immediatamenle e disse :
O corregedor da corle.
9 dois idalgos pararuin na extremidade
do aposento, callaram-se econservarani-se
immoveis.
A rainha fez signal rom a mo a Nunalva-
res para que esperasse : o donzel licou porta
sem pestanejar.
1). Leonor cncaminhou-se entao para elroi,
que embebido no seu profundo cismar nao
vira iKn ouvira o pie se fazia ou dizia. Cur-
vando-se e lineando o cot.>vell no luaeo
da cadeira d'elrei encoslou a cabega sobre o
hombro d elle com a face unida sua.
Que tens tu Fernando ? perguntou
i lia com essa inilexao de voz oaiga que so
devida a sua actual localidade c somenle
por isso Srs. esla Asseinhlea esperara qoo
nao exitarieis em a mudardes para o lecife
(pie o que vos vem pedir ; mas convem que
vos nao liqucocciilla a sortedos Lsludanles lia-
quelle logar. Kllese.slaoali su jeitos aeoi\sumi-
rein viveros que alem de grosseiros sao sem
duvida2() por cont mais caros que na capi-
tal da Provincia. Kxposlos as epidemias de
de que suscoplivol aquella Cidade nao tem
quem os cure o neni onde possao baver bous
remedios, a uo recorrerem ao Recite com
dispendin e demoras militas vezes funestas.
K no Recite que os Em pregados e Ksludau-
daytcs van haver os seus ordenados e ni'zadas
do que Ibes resulla urna quohra nos meios de
r.uas subsistencias, o inlerropcoos, (pie mili-
to daosas sao ao dosemponlio dos seus iieve-
res. O vestuario", os amigos oslrcitosdi
verlimentos, ludo em lim so vai procurar fu-
ra daquella Cidade com mcalculaveis ve-
xames, dispendios (^ embaracos de toda
especie.
Convem, que esta Asseinhlea nao se sub-
Irahia a pondorar-vos que a mudan ce. d Aca-
demia pai o Recifu fazendo cessar tantos ma-
les, e convidando por isso niesmo a maior
humero de pretendentes aos estudosqne ali se
ensin.Vi f.u a sua prosperidado sem
nada perder a Cidade d'Olinda ; por quanlo
noespaco do 15 anuos, que olla ali se acha
nenliiiina prosperidado alem daquella que se
devia esperar da prosperidado da Provincia ,
saheni labios d'esposa que iiiuilo ania mas
com que ianibom smibera atinar esta niulher
sublime de hyponisia.
Nada oh,... nada! responden o moco
rei lancand-lho o braco ao redor do Desco-
co o aportando a face incendida, ipielle ros-
to (Tanjo, que dissimula va um coraco de de-
monio.
Os dois tenues rellexos da la linham esmo-
recido nos olhos de 1). Fernando: o balito de
Leonor Tellos qneimara as lagiynias da com-
paixaoe do reniorso.
Enganas-me, ou enganns-le a ti proprio,
Fernando!replicn a rainha.Tu es in-
feliz o eu se i porque oes. Aborreces j a
pobre Leonor Tellos.
O tom com que oslas palavras foram profe-
nbascra capaz de partir mu coracao de mar-
moro.
n Eoloqueeeste Leonor?oxclamou elroi*
Aborrecer-te ? Sem li este mundo lora para
mim um nftno, a coroa marlyrio a vida mal-
dicao de Bous. Como nos primeros das dos
nossas amores no lcito da moflo amar-te-hci
se nota naquella Cidade. Nonhum ramo de
industria se exerce ali a nao ser um mos-
quinho commi'icio dos gneros de primeira
necessidade e que sem receio so pode allir-
mar pie apenas satisfaz as precisos de um
mez o que repelido successivamente. A
edilicacao, e reedilicaco augmelitou em
principio na razao do numero dos Kstudantes
,- boje se acha estacionaria. A riqueza he a
mesma que havia antes de se adiar ali a Aca-
demia e nem poderia deixar de ser assim
nao progredindo ramo algum de industria ; o
ipio he causa o estar porto aquello mercado do
da capital e nao haver para ali um noelVec-
tivamenle navegavel ou urna estrada de f-
cil, e como do transito. Em fira a mesma ei-
vilisagao que naquella Cidade se nota est
circunscripta aos que eompeos esta bel eci-
mentos literarios e por isso se pode chamar
transitoria e nao propria daquelje lugar.
Por to poderosas rasos esta Cmara espe-
ra que essa Asseinhlea tomando na devida
considerac/io a utilidade que deve prestar a
Academia d'Olinda a mude para o Hecife.
COMMANDO DAS ARMAS.
EXPEDIENTE I>0 DIV 22 DO P. V.
OUcio-Ao Exm. Presidente, enviando-lhe
conipoleiilimenle informado o reipierimenlo,
que. a S. M. o I. dorige Antonio Rodrigues
d'Almeida, Tcuonte Reformado e actual-
mente em pregado no Batalho Provisorio des-
ta Provincia supplicando o pagamento de
vencimen tos-a trazados, que se Ihc deve na
importancia de 1:5734 res constante da guia,
ou cautella (pie Ihe lora passada e entregue
pela Thesouraria.
DitoAo mesmo Exm. Sr. devolvendo-
Ihe informado o reipierimenlo de Antonio da
Costa Draga espingardeiro que foi do ex-
tinto atalhao de Caladores de Linha o
qual viudo da Provincia do Para, pedia ser
transportado a Capital do Imperio, ondti-
nha de requerer a S. M. ol. a remunerago
de seos servicos.
Dito Ao niesmo Exm. Sr. remettendo-
Ihe informado o requorimento de Manuel Fer-
reira de Rrilo que leudo sido dimitido por
incapaz do servico pedia ser transportado
a Provincia do Cear.
hitoAo mesmo Exm. Sr. ponderando-
Ihe a necessidade do se conlractar com o Ci-
rurgiao-mor Peisoto o Iractainenlo dos (l-
enlos da 2. Companhiado Ralalhao dos Guar-
das Nacionaes destacados que fez o servido
da polica na Cidade de Coiaiuia o pedindo
a respeilo providencias.
Dito Ao Inspector da Thesouraria, pro-
curando sabor 80 da guia do Alferes Fran-
cisca Pedro do Rogo Rarretto que se acha na
mesma Thesouraria, consta ter elle deixado
asna familia no Cear a preslacao mensal
de 27jl res
llito Ao Tenerte Coronel Commandante
da llha de Fernando do Noronha coniuni-
cando-lhe quo pelo caplao lenle Anto-
nio Firmo (loelho se Ihe remella aempor-
lancia dos vencimen los do destacamento do
I. de Fevereiro ao ultimo do corren te mez
a lim do sor destribuida pelos pravas do nies-
mo deslacanienlo no sentido que endicavAo
as relacoi's qu se Ihe enviavj. Dando-lhn
algiins esclareciuienlos acerca do "pagameiito
dos dinlieiros tomados a particulares paiaas
pracas do ;>. Ralalhao quo ali foro deixa-
das por docntes ordenava-lhu que fisesse
regrossar as 5 pracas ipie nao viero pela
Parca Triiimpho da luveja e mais as que por
despacho se iiiandarao retirar pudendo no
anda. Gloria, riqueza, podero ludo tesa-
oriliquei : nao me pesa. Mil vezes que tu o
queiras t'o sacrlicare de novo.
Oh prouvera a Deus que o Uqi amor
fosse melade do que dizes :fosse metade do
mc
Busca, inventa, apona-me algum mo-
do de te provar o (pie digo,e versseasniinhas
palavras sao sinceras
H um, rei de Portugal! replicou Leo-
nor Tellos em cujos olhos scinlillava o con-
ten lamento.
Dizendo isto ella se afastra d'elrei. 0
son aspecto tomn sbitamente a cxpressAo
grave e severa d'uma rainha. A um gesto
que fez Nunalvares ergueu o reposteiro, e
o corregedor da corle enlrou. Trazia na mo
um pergaminho aberto. Cbcgou ao pe de
Leonor Tollos ajoelhou e entregou-lho.
A rainha pegn nelle e apprcsenlou-oa
elrei: o donzel lioiixe una das lochas que cs-
lavam nos ngulos do aposento, e collocou-
se osquerd da cadeira do D. Fernando.
caso de' nao fazor grande falla ao servico ,
mandar mas alguma que julgasso as cir-
cunstancias de so recolhercm ao BatalhAo.
|)( Ao Major chelo interino do 5. Bata-
Uiao da Guardo Nacional desle Municipio ,
discndo-lhe em rasposta ao sen ocio de h'on-
lem datado que forao desligados do Bata-
lho de Guardas Nacionaes destacados os
dous Guardas que deviAo de ser por outros
substituidos.
Dito Ao Capito Commandanle da Com-
panha d Al t fleos mandando conciderar
nicamente com a graduacao o 2. sargento
Ignacio de Santiago Dias que serve de con-
Iramcstc dos carpinas do Arsenal de Guerra ,
podondo elevar a 2. sargento effectivo outra
praca que para isso tenha a nocessaria capa-
cidade e estivesse no caso de sargentiar a
Companhia com utilidade do servico.
Portara --Ao Tenente Coronel Comman-
dante do BatalhAo Provisorio mandando ex-
cluir do mesmo com guia de passagem para a
Companhia d'Artilices o soldado Francisco
Firmino Cavaloante d'lbuquerquo.
Dita --Ao'Capitao Cwmmandanle da con-
panhia d'Artilices authorisando-o a rece be r
com passagem para a mesmi o cadete men-
cionado na precedente Portara.
dem do da 25.
OITlcio Ao Exm. Presidente, dando-lhe
as informages que pedir eni ollicio desta da-
ta acerca do actual estado d'organisac.Ao do
Ralalhao de Guarda Nacionaes destacados ,
e que contingentes se haviAo para o mesmo
recebido.
Dito --Ao Commandante Superior da Guar-
da Nacional deste Municipio comunicahdo-
Ihe (pie se offerecero para servir no BatalhAo
de Guanlas Nacouaes deslacado os guardas
Manuel Soares de Mello e Joze d'Almeida
Lima aq'uelle do \. Ralalhao c esto do
Esquadrao.
Dito Ao Inspector da Thesouraria ro-
gaiido-lho a expedircAo do suas ordens para
que fosse pago a Domingos Forrara Jorge ,
Thesoureiro da Irmandade da Conccicao dos
Militares, a quanta de 52,(H)0 importancia
das sepulturas dadas pola mesma Irmandade
no mez lindo aos soldados do Depozlo La-
dislao Joze 'lavares Andr Porcina de Soiiza,
Antonio Joze Coulo Pinheiro Duarle For-
reira deCarvalho c Joaquim d'Andrade
Lima.
DitoAo Major (]hofe interino do 1. Ba-
talho da Guarda Nacional deste Municipio ,
discndo-lhe pie se oflcrcccra para servir no
BatalhAo de Guardas Nacionaes destacado,
o caixa de rtfo da muzica Joze d'Olisande ,
e como havia necessidade de que elle ensi-
nasse aos Tambores do BatalhAo destacado ,
rogava a S. S. d'o contemplar no numero
dos pracas que linha de enviar aplainando
qualquerdliculdado que apparecosse em ra-
sAo do sen contracto.
llNTtilUOLl.
RIO DE JANEIRO.
DA ESCl.VVID.VO ENTIIE OS IISGLE7.ES.
AliTIGO II.
Sr. Redactor. Quando hontcm Ihe re-
met i o ilion primeiro artigo sobre a cscravi-
dAo entro os Inglcy.es anda nao linha lido
no Siecle de 27 de Janeiro a carta que o
deputado Izainbert dirigi ao redactor em
chele daquella foflia na intoncAo de aftenu-
ara impressfio produzida pela corresponden-
cia de Lanjuinais a que me refer no dito
A prova do que dissesles, rei de Portu-
gal est em eslampardos no lim desse per-
gaminho o vasso sello de puridado. ( 5 )
D. Fernando recebou o pergaminho c co-
megou a ler : a cada urna das extensas Un has
que o obrigavam ft dcscrever um semicrculo
com o raio visual o tremor das suas mos se
lornava mais violento as contraegoes do seu
rosto mais piofunda?. Antes de acabar de li'r
dtirou o pergaminho ao chAo c com voz ter-
rivel oxclamou Clavando os olhos reluzen-
tes em Leonor Tollos :
k Mulher que me pedes tu ? n
u Justina cas minias arrhas.
( Continuar-se-ha.)
( 5 ) O sello de puridade ou de cama fea
era aquello que se estampava no proprio per-
gaminho o (pie servia ordinariamente "
o rei expedir documentos di; menos imp"-"
tanda na falla dochanceller-mr quo tinta
O sello grande, curial, ou do cavallo. Va
a Disscrtacoo, do J. V. Ribeiro.





5.
*XF
Tiieu artigo de honlcm. Un scntimcnto da
imparcialidade e o respailo que devido c
con vichos sinceras (diz Chambolle re-
dactor poltico do Sicle o membro da c-
mara dos dcputados ) nos determinao a re-
ceba-la ; o mcsmo digo eu : mas assim
como Chambolle produzindo-a, declara que
persiste em associar-se ao voto da cmara so-
bre o direito de visita e concluso do de-
pilado Lanjuinais do mcsmo modo eu ,
transcrevendo a dita carta por puro espirito
de imparcialidade, eremettendo-Ih'a fielmen-
te traduzida, persisto em declarar legitimas
o inevitaveis as consequencias e reflexoes com
quo terminei o meu primeiro artigo. Diz pois
assim.
Snr. Redactor em chefe do Sicle .
O Snr. deputado Lanjuinais nosso colle-
ga escreveu-vos para invocar como argumen-
to contra o djreilo de visita a conservago da
escravido dos !)rancos nos lndosto ; porem
aos factos odiosos que refere nao se atreven
a oppr concluso precisa. Nao quero diz
elle pronunciar entre o governador ge ral
das Indias ( que pretende que a dita escra-
vidao doce suficientemente temperada
pela legislagao e que se deve esperar do
lempo a aboligo Juila ) e os relatorios.que
desmentem lord Auckland. Quanlo a
mim nenhuma duvida tenho em declarar
que a opiniode lord Auckland digna de
condemnago j e o que digo pie a naco
Ingleza est desde j decidida por esta aboli-
go immediata e que breve o governo brit-
nico se ver na necessidade .1 de a propor
o parlamento como fez em 1835 quando
.se tralou da emancipago dos negros as In-
dias Uccidentaes.
Em 1840 fui eu testemunba ocular do
7.clo com que durante duas semanas a llor da
sociedade ingleza reclamava a aboligo da es-
cravido na India. Doseio da convenci a-
bolicionista reunida em Londres, sahifio
"mocees (le cro reproduzidas no parlamento
e que os ministros do gabinete whig s repel-
liaomui flacamente. Depois da mudanga do
lito gabinete lord Brougham na cmara al-
ta eO'Conell, Lusingbton e outras Ilustres
personagens na dos cominuns lizero e
-sustentarao a mesma mogo.
A 22 de setcmbro de 1841 o veneran-
do Clarkson frente de urna numerosa de-
pulago, apresentou a Sir Hobert Peel, prin-
cipal secretario de estado urna memoria que
continha um quadro da immensa e.xtcnso
da escravido rural e domestica no Indosto ,
da dopravago que della resulta e das crue-
ntas que a acompan lio. Esta memoria mili-
to mais enrgica e demonlrativa que a espo-
sitjo ex t rail ida pelo nosso collega de docu-
nientos mais anligos.
Nao pode haver duvida que as sociedades
abolicionistas liio numerosas e to influen"
tes no reino unido hao de na sesso que
vai abrir-se fazer ovos e enrgicos esfor-
gos para obterem o nobre fim que com tanta
Jiarmoma e intrepidez trato de promover.
Dillicilmenle o gabinete tory poder resistir a
to urgentes reclamages a votos inspirados
por sentimenlos que sao os da nago inteira.
O que eu vi e ouvi durante quatorzesesses ,
tanta eloquencia e tanto zelo empenliados em
una to nota-e causa sao para mim bons
fiadores de que assini ser. E igualmente o
sao o sacrificio feito por esta grande nago,
de quinbentos milhes para libertar oitocen-
tos mil escravos inssuas coloniasda Mauricia,
do Cabo e das Indias Occidentas eos felizes
resultados, j oblidos em Antigoa na Bar-
bada e at na propria Jamaica onde o go-
vernador Sir Joba Meall'e, no seu ullimo
discurso assembla colonial, declarou que
a populago emancipada en 1838 nao era ex-
cedida em prosperidade em independencia
e em outras vanlagens par nenbuma classe
laboriosa em qualqtier paiz do mundo.
Ab porque bavia dea minha patria,
que tanto fez pela liberdade em 1789 que
foi a primeira a pioclamar os direitos dos I10-
mens de cor que tralou sempre os negros
com mais dogura que os Ingleses porque
bavia de deixar-se preceder por elles nesta
grande obra ? Com que legitimo orgulho
nao poderiamos nos boje langarem rosto ao
governo inglcz a sua falsa philantropia e
a sua besitago em impor companbia das
Indias a aboligo da escravido que opprime
os desgragados Indios ? Com que reconheci-
nienlo nao acceilariamos nos o concurso de
uin tal nome como o doSr. deputado Lanjui-
nais para accelerar as nossas colomnias a li-
xago do termo da escravido ? !
Concilio dizendo que se todas as na-
, oi's concordassein em comparar o trafico
pirataria seria cousa iriui fcil remediar to-
jos os incoiiYeiiieiUes do dircilo de visita e
reservar a jurisdigo nacional sobre os culpa-
dos.
Assim se explica Isambort na caria que di-
rigi ao deputado Cbambolle, o que fiel-
mente transcrevi do Sicle em que a vi
publicada : nao possivel deixar de respei-
tar a sua conviego nem de lamentar a sua
cegueira. Toda a sua ociosa argumentago
se reduza mostrar que lia em Inglaterra ( o
que nunca ninguem negou ) umitas e muita,
pessoas de corago vcrdadeiranienl generosos
e animadas por principios de sincera e vehe-
mente cari.Iade quo tem empenliado e cou-
tinuo a empenbar lodos os esforgos para a
aboligo da escravido sem outro fim que o
bem da bumanidade ; mas que todos esses
esforgos tem at agora encalcado na poltica
do governo britnico o qual contradicto-
rio comsigo mesmo promove a aboligo do tra-
fico da esclavatura na costa d'Africa co ay-
torisa e cor.sente as suas proprias possesscs:
ora isto precisamente aqulllo mesmo de
que Lanjuinais se queixa. Seja como for, sem-
pre lica em p* o argumento mximo de todos os
este depuadosquena cmara fraiiceza disculi-
rio negocio: A aboligodo trafico da eseravatu-
ra urna obra eminentemente meritoria, e al-
tamente exigida por todos os principios de
justiga e de caridade christa porem os mei-
os porque o governo britnico pretende resol-
ver esto magnifico problema sao iniquos ty-
rannicos subversivos de todos os principios
de direito publico martimo e attenlarios
contra a soberana das outras potencias inde-
p^ndentes. E se assim latet anguisin her-
ba -. e estamos no caso da grande regra de
moral : Non sunt facienda mala ut veniant
bona.
Rio de Janeiro 1 de abril. Q. Z.
( Jornal do Com.
Carvo de pedra Tem regulado de 14. n. a
lo'ji rs.
Fstanho dem a 30 rs. a Ib.
Farinha de mandioca dem a 5500a sacca.
Louga ingleza ordinaria dem a 188 p. c.
sobre a factura.
Manloiga ingleza dem de 500 a 500 rs. a Ib.
Mlbo dem de 0,000 a 0,400 rs. o alqueire.
EDITA ES.
MIMO M PEIIYISBI'CO.
J tinhamos promptas as paginas deste jor-
nal quando recebemos a nossa correspon-
dencia do Norte. O Para estava tranquillo t
16 do passado, data a que ebego os jornaes
d'ali recebidos, tendo o Exm. Vice-Prczi-
dente Dr. Bernardo de Souza Franco, aberlo a
Assembla Provincial em 1 4 do mesmo mez.
No Maranho nada bavia de novo que
merega a pena relalar-se e linha entregue a
administrago da provincia em 2 do dilo mez
o Sr. Dr. Joo Antonio de Miranda ao Exm.
Conselbero Francisco de Paula Pe eir Duar-
te segundo Vice-Prezidenle.
Nao livemos jornaes doCear porem urna
carta de pessoa de confianga nos d esta pro-
vincia em scelo.
COvlMEKClO.
alfaFlcaT-
DESC.UtREGAO HOJE 2 DE MAIO.
Brigue =E 11 rope = Carvo de pedra.
Barca Ingleza = Nigblingale = Fasendas e
ferro.
Brigue Inglez Chandebuch = Bacal ho
Brigue Brasileiro = Tontago = Barricas v-
sias.
Barca Americana =Globe = cha dro-
gas canella arcos do pao sabo ,
Farinha, bolaxinhas breu barri-
cas vasias e abatidas com seus pertcn-
ces.
I'It.VgA DO ItECJFE 50 DE VRRIl..
Revista Commercial.
Cambios Conscrva-se a 28 d. p. mil res, e
poucas tranzaeges tem bavido.
Algodo As entradas tem sido pequeas, e
o prego 5,00o a 5,800 p. @.
Assucar As tranzacgOes da semana linda
tem legulado a 030 p. @) sobre o
ferro pelo branco, e o mascavado
de 030 a 700.
BacalhoChegou umearregament que an-
da nao entrou nem foi vendido; e
o depozito ebegar a 5000 barri-
cas se elle descarregar.
CarneseccaCom um carregamento de Mon-
tevideo que so acha no porto, (se
descarregar) (icar o depozito ele-
vado a 2800 @ 5 as vendas tem re-
gulado de 1800 a 2100.
Couros Continuo a ser procurados a 155
reis [>. Ib.
Farinbade trigo Chegou um carregamento
de 000 barricas com as quaes o
depozito, em primeira mo, su-
bir a 2000 barricas, ficando bem
prvidas as padarias.
O Illm. Snr. Inspector da Tbezouraria das
Rendas Provinciaes, manda lser publico,
que, em virlude da Lei, peranlea mesma
Thesouraria se bao de arrematar em hasla pu-
blica a quem mais der nos das 2 A e 0 de
Maio prximo vindomo, pelas 11 horas da
manh, osseguintes Ir.ipostos ;
Furo das caixase Fechos d'assucar.
Taxa das barreiras da Magdalena, Ce-
quia e Carvalhos.
Passagens dos rios nos Municipios do Reci-
fe e Olinda.
Vinte por rento na agoardente de consumo,
(hiarenla reis por caada de bebidas espi-
rituosas de consumo na Provincia excepto a
agurdente Je fabrica Nacional. 4
Dizimo docapim de planta nos Municipios
do Berife e Olinda.
A arrematago dos tres primeiros Impostos,
ser feila por lempo de um anuo a contar
do I. dcJuIbo do corrente: c a dos demais
por lempo de tres annos, a contar da mesma
poca.
As pessoas que se proposerem a estas arre-
malagoes comparegao na sala das sesscs da
mesma Thesouraria, nos dias aeima indica-
dos munidos de fiadores idneos, e habe-
lilados.
E para constar mandou o mcsmo Illm. snr.
Inspector afilxar o presente, e publicar pela
[mareosa.
Secretaria da Tbezouraria das Bendas Pro-
vinciaes de Pernambuco 1. de Margo de 1812.
O Secretario Lilias da Costa Porto-
carreiro.
=s Pela Adminislrago da Meza do Consu-
lado se faz saber quo no dia -4 de Maio fu-
turo se ha de arrematar porta da mesma
Adminislrago urna caixa d'assucar masca-
vado aprehendida pelos respectivos Empre-
gados do Trapixo da Companbia por inexoB-
tido da tara ; sendo a arrematago livro de
despezas ao arrematante. Meza do Consula-
do de Pernambuco 20 de Abril de 1842.
Miguel Arcanjo Monteirod'Andrade.
S27" Pela Administrago da meza do Consu-
lado se faz saber que no dia 0 do corrento se
bao de arrematar porta da mesma Adminis-
trago duas caixas de assucar branco aprehen-
didas pelos respectivos empreados do trapixe
do Pellourinho pela inexactido das taras;
sendo a arrematago livre de despezas ao ar-
rematante. Mesa do Consulado de Pernambu-
co 50 de Abril de 1842.
Miguel Arcanjo Monteiro d'Andrade.
ment tem encontrado nos bospilaleiros, ege-
nerozos* habitantes desta heroica Qdade, lem
destinado em prova do sen reconhecimenlo ,
um escolhido, o mui variado expectacuio,
que ser executado pela muneira seguint.
Depois de urna armonioza overtura tero
lugar dilferentes excrciciosgimnsticos entre-
Jagados com novas sortes e dilliceis evoluces ,
desmpenhadas pelo Director, o Bcneliclado
e o menino Pernambucano que esta noile
desempenhar pela vez primeira o papel de
palhaciiiho. Em seguida Madama Emilia A-
mante cantar urna nova Aria da famosa 0-
pera La Pietra Del Paragone. Depois o
Beneficiado executaretn seena as pernas de.
pu diflicullosas experiencias, sortes e exerci-
cios com os quaes espera satisfaser a curio-
sidade dos Ilustres expectadores. Seguir-se-
b um precioso c jocozissimo Duelo eom a sua
competente e engracada scena do Turco em
Italia cantado por Madama Emilia e Jozo
dos Beis concluido que seja o Beneficiado
praticar a nova experiencia da Asccnrao
do Balo Aerosttico com direecao, o
qual se elevar desde a caixa do Theatio ale
as varandas e descera da mesma maneira ,
desempcnhaiido ao mesmo tempo no seu cu-
me um surproendente equilibrio acompa-
nliando-o na sua viageni duas meninas senta-
dos na sua barquinha que levar o dilo Balao ,
as quaes i rao langando quanlidade de llores
para a Platea ('Camarotes. Esta surte tem
merecido os maiores applauzos em todas na
partes onde se tem exceulado pela milita vis-
ta e difficuldadfi 5 a conlinuagao se cxecular
a nova e divertida larga em pantomima que
tem por titulo -- Os Tanoeiros, 011 os aman-
tes indiscretos. Esperando o Beneficiado quo
em nada desmereca s que j se tem desem-
penhado para desla maneira licarem goslo-
zas as pessoas que o bonrarem com a sua in-
sistencia. Joze dos Beis desejando sempre
mostrar quaoto he grato aos beneficios rece-
bidos do respeilavel publico, em satisfaga
ao pedido de muilas pessoas fura cantar em
esta noile a divertida Tonadilha Espanhola da
Chiquita, com novas quadras e tragedia o
lo la a sua jocosa scena, nao como parle Ale-
grante deste diverlimento mas como tribu-
to de seu sincero reconhecimenlo e para
quo esta repetico nao moleste aquellas pes-
soas que nao exigirao urna tal repelico.
lie este o diverlimento que o Beneficiado
tem a deslinda honra de olPrecer aos (Ilustres
e magnnimos habitantes desta Cidade a
quem protesta eterna gratido.
Principiar s horas do cosume.
A VI SOS DI VEBSOS.
DECLAR AC ES.
N. Sen hora do
no dia 8 docor-
C7* O Vapor S. Sebastio recebe a mala
para Mrei Babia e Bio boje (2) do cor-
te .Maio as 3 liosas da tarde.
si^* A Barca N. Triunfo Inveja recebe a
mala para o Bio de Janeiro ; boje 2 do Maio
as 11 horas do dia.
t?" O Brigue N. Oriente do Brazil rece-
be a mala para o Bio de Janeiro no dia 5 do
concille.
ssy A Barca Porlugucza
Rozarlo sai para Lisboa ,
rente.
JC7- Pela Thesouraria da Fazenda desta
Provincia continua a Substiluigo das notas
de 5 10, e 20J da primeira eslampa, os
possuidores das ditas notas hajo de apresen-
a-las na Thesouraria todos os dias que nao
forem de guarda das 10 horas da manh a
urna da tarde a fim de se proceder a com-
petente substiluigo. =s Thesouraria da Fa-
zenda de Pernambuco 20de Abril de 1842.=
Domingos Affongo Neri Ferreira Thesou-
reiro.
CT O Bacharel Formado Francisco Joo
Carneiroda Cunba, Juiz dos Orlaos desta Ci-
dade e seu termo faz publico que entrou em
excrciciodoscu emprego despacha a qual-
quer hora do dia em caza de sua rezidencia :
na ra doCoilegio 2." andar D. 5 ed au-
diencia na forma que se acha j marcada.
T II E A T B O .
Beneficio do artista gimnstico Joaquim
dos Beis. Torga feira 5 de Maio, no Thealro
publico- o Beneficiado, que lo dislinclo acolhi-
= A pessea que levou um chapeo de sol do
seda ( provavelmenle por engao ) dalojal,
trastes do Snr. Vi llaga na ra Nova D. 54
queira leva-lo a dita loja onde adiar o quo
deixou.
Bfileles da 6, Lotera concedida
favor das o bras da ma-
triz da Boa vista cujas
rodas andao mprcterivcl-
mente II de Maio ; nos
lugares do costume.
- Aluga-se um* caza assohradada rom
cmodos para grande familia leudo porto de
embarque e bastante terreno para por qual-
quer cstabelecimento ; it na Coelho junto
aolariado Sr. Miguel Carneiro : quem a pre-
tender falle com Marcelino Joze Lopes.
Precisa-so de ama ama de leite que
queira tomar tonta de urna crianga para Ira-
lar ; sendo pessoa capaz anouncie.
S2T Antonio Joze Moreira rclira-se para
fora do Imperio.
= Joaquim Duartc, subdito porluguez ,
retira-se para a cidade de Loauda.
OT" Claudio Joze do Reg Coulo retira-
se para Por111 gal.
tST Joaquim l'olicarpo da Silva Cidado
Brasileiro vai a Cidade de Loanda.
O" O aballo assignado pretendo fazer li-
ma viagem Portugal, e deixa sua casa de.
negocio entregue a seu cimbado esocio Joze
Luiz dos Santos, authoiizado a comprar,
pagar e receber cm nome de Joze Comes
do Sobral Nascimtftto.
tST O Padre Manoel Ignacio de Souza Cos-
ta e S faz viagem a Portugal.
S?" Antonio Marques retira-se para Ma
CC!.
C7- Na roa do Rozario no segundo andar
do sobrado D. 27 cnsino-se os preparato-
riosseguintes: Geometra, Philosopbia, Ingle/,
eFrance/.

i



xicr.~x: *Mrrmaa*?tirrA^*nimt JUtmjymi wwmmm^nJUtjimSm
5iM.ii.
4
sssABr?

EF'Na prcscnga do snr. Juiz dosOrfjjos. se
pora em hasta publica por arrendamento an-
imal o conlii ci'io sitie do arraiul, do (nado
Joo Carlos Pereira de Burgos, contendo li-
ma caza de vivenda de 4 aguas aereada de
espacozos allcgretes com o seu jardim cozi-
nlia fora a semdhanga de urna Capella ,
porUo forte e murado de pedra e cal ate as
duas extremidades do rio, e o mais com cer-
ca nativa sobradinho para pombal, coxei-
ra em baixo, cazas para feitor e escravos ,
estribara pura 3 cavailos, corral para vaccas
e urna nova coxcira sobre a qual (em um so-
tart que avista parte da Cidaiic de Olinda ,
eiss a margem do rio, ponte, um grande ba-
nheiro 2 lelheiros para lavadeiras allegre-
tes 5 tudo de pedra e cal, um grande viveiro
para peixe, e varios arvoredos estrangeiros
em alinhamenlo que formo una vista Pito-
resca ; o qualser apregoado boje 2 crvente
s 5 horas da tarde na caza da rczidencia do
dito Senhor Doutor na ra do Queima-
do, a requerimenlo da Viuva Inventaran-
te D. Francisca da Cunha Bandeira de mpIIo ,
para pagamento dns Credores conforme a
concordata que se selebron.
tsr Theodore Malliieu Cirurgio e dentis-
ta mora na ra Nova J). 7 priineiro andar.
trr Precisa-se de um horneen que seja
bom padeiro e forneiro para urna padaria ,
no atierro da Boa vista no sobrado de um
andar tratar com Agostinho Tavares Bodo-
valbo, e tambem aluga-se um preto que
cntenda do mesmo servico.
EJ* Aluga-se urna escrava para ama de
leite que lera oto da? de parida, com bas-
tante le i te o sem cria; quem quiser aunun-
cie.
tsr~ Aluga-se urna negra engommadeira ,
quecozinhn, ensaboa, e faz todo o servido
interno de urna casa : a tratar no pateo de
S. Pedro sobrado de um andar que faz quina
para a ra da Viracho D. 1; na mesma se en-
gomma e se ensaboa roupa tanto de homem
como de senhora com perfeigo asseio e
por prego commodo.
tsr Aloga-se um sitio com bastantes ar-
vores de fructo na estrada do Pombal, ou
mesmo alguma poMOft que queira plantar de
meias ; quem pretender dirija-se a ra do Li-
vranienlo n. 12 primeiro andar.
tsr Precsa-se de um feitor para um sitio
pertodcsta praga para trabalhar de onchada ,
a entenda da plantaos : ha ra do Encan-
tamento armazem de assucar D. 14
tsr O Sur. Francisco Joze da Costa Guima-
res que se relira para lora do Imperio,
queira dirigir-se a ra Direita padaria 0. 6o ,
para saldar a sua conta que ali tem desde
1837.
tsr A pessoa que annunciou no diario n.
7 i ter urna carta para Joo Rodrigues da Sil-
va Barata pode entroga-Ia no beco da lingoe-
la vendado Joaquim Joze Rebello.
E5- O actual Thesoureiro da Irmandade
de S. Joze de Agona erecta no Hospicio de
N. S. da Penha bem persuadido est de que
a referida Irmandade nadadeve a pessoa al-
guma, eoratudo quem se julgar eredor, quei-
ia apresentar sua conla na na das o ponas
loja 1). 3 i para ser embolsado ; outro si ni
ropa a todos os Irmos que tenho em sen po-
mandar entregar.
jy Adverte-seao Snr. Antnuio Joze de
Souza Monteiro, e a Senhora Luiza Mara da
Conccigo para que no praso de 4 das da
publicagao deste annuncio se sirvi man-
dar resgalar os seus pinhores na importancia
de 59.) que recebero em 1839, e como
nao seja possivel o conseguir o pagamento
destas pessoas se declara ltimamente, que
findo este praso se proceder a venda dos
inesmos pinhores para embolco da quaiita
tomada, alias se consderar sem mais di-
reito algum aos mesmos objectos.
tsr Precsa-se alugar urna negra que seja
moga, porem que nao se d a bebidas, e que
saiba fazer o servico de urna casa pagando-
.e lOd mensaes 5 quem tiver annuncie.
jgr O Padre Lemos e Silva faz sciente ao
respeitavel publico que o estabelecimento
de encader.naco que elle dirige passou da
Florentina velha. lado do muro de S. Fran-
cisco para a ra da Florentina nova asa
que faz qnina para a ra de S. Amaro onde
sa acha como sempre prompto para receber ,
e aproroplar teda c qualquer encaernago ,
por mais dil'licil que seja acruscendo o ter
recebido a poucos das umrko sorlimento de
marroquiis proprios para encadernacao in-
gleza e ter couros de difieren les qualidades
uaja a encadernago em relevo.
vsr Na Meza das Diversas Rendas doraos
Internas aparece o abaixo assigr.ado como
comprador da Escuna Colona vendida por
Joio Perceval era 21 de Maio de 1812 Ta-
belo Coelho sem que o abaixo assignado
fdsse ja mais possuidor do emharcago alguma
o que todo o Pcrnambuco sabe e por isso
faz o presente aunumio. = Manoel Luz da
Vciga.
tsr Artio-se dous sitios para lavradorde
cana ambos tem casa sofrivel, com boas
terrasde plantare muito productivas ; quem
pretender dirija-se ao proprietario do enge-
nho Caraiba da freguesia de S. Antonio de
Tracunhaem termo e ooinarca de Nazareth,
as trras do mesmo engenho tem muitos
lugares proprios para foreiros plantarem e
por mdico foro.
tST" Ao rospeitave! publico de Pcrnambuco
Thomaz Gosling agente geral 110 Brazil,
para a .Medicina Popular Americana, faz
sciente ao respeitavel publico que acaba de
estabelecer o seu deposito geral, no Rio de
Janeiro, ra do Ouvidor N. 145. Apresen-
lando este invaluavd especlico ao generoso
povo Rrazileiro elle tem em vista a ser de
utilidade aos seus semelhanles, e o pouco
tempo que est conhecido na Corte o bom a-
colliimento que tem tido, combinado aos
grandes beneficios lirados por multas pessoas
aflictas ha anuos mostra bem que os seus
fracos esforgos nao tem sido debaldes. An-
da no fazem tres mezes que a Medicina po-
pular foi introduzida no Imperio do Brasil,
e ja as vendas sobem a o) caixas. Que me-
Ihores provas pode-se querer de seu grande
merecmerito i' As numerosas pedidas para
agencias, tanto no interior da Provincia do
Rio de Janeiro como as de Matto Grosso ,
Minas, S.Paulo, Santa Catharina &c. so
outros indicios da estimagao que vai tendo em
varias parles do grande Imperio. A Medici-
na popular est recommendada para todas as
enfermidades procedidas da impuridade do sa-
g, como molestias do ligado, rheumatismo ,
gtta, affecgoes cutneas, febres, inflamma-
goes, escrfulas, ulceras antigs cancros,
hcmorrhoidas, hydropezia, relengo das u-
rnas, &c. molestias das Sen horas &c. &c. ;
nao entrando em sua compozigo nem azou-
goe, e nem outro qualquer metal ou mineral,
e particularmente adoptada aos climas quen-
tes como os muitos annos que tem sido em-
pregado com os mais felizes resultados as
Indias, tanto Orientaes, como Oceidentaes
tem mostrado. As caixinhas tem maior nu-
mero de purgantes que outro qualquer reme-
dio ilesla tur, e rao acompanhadas com
direccoes bem explcitas, em lingua portu-
gueza 5 e vende-sa na caza cima dita a 1 jOOO
rs. cada caixiuha, e em porgo mais em
conta.
tss* Francisco Joze da Costa Guimares
retra-se para lora do Imperio.
dosactuaesdo Curso Jnridco em Olinda e
grande porgo d'outros histricos para ins-
truco de varias materias, e rocreio papel,
coiiiiecimenlos e letras em branco &o. o que
tudose vender por baixo prego visto ser
para Hquidagao da urna loja de hvros.
Ej- llenry Chrstophers por estar prxi-
mo a fazer urna viagem at Inglaterra far
leiao por intervengo do Correlor Oiiveira ,
Terga feira 5 de Maio as 10 horas da manh
em ponto no sitio da sua residencia perten-
cente a G. C. Cox na estrada do manguinho ,
de toda a excellente mobiliado mesmo sitio ,
degrande porgan de Hvros escolhidos dos me-
Ihores aulhores assim como se vendero 2
carrinhos inglezes de duas e de h rodas com
seus competentes arreios.
COMPRAS.
V \&- Os seguintes Hvros estando em bom
estado: diccionarioportuguez por Constan-
cio ; tratados sobre os Tombos por Carvalho,
Borges Carneiro direito Civil, Gouvea Pinto
tratado dos testamentos Correia Telles dou-
trina das aeges Digesto Portuguez, e pro-
eesso orfanologico por Carvalho : na ruada
Cadeia do Recife loja de frrragens U. K\.
VENDAS.
AVISOS MARTIMOS.
tsr Para o Rio de Janeiro segu viagem no
da 4 do corrente o Brigue Oriente do Brasil
quem tem a earregar escravos entenda-se com
Manoe! Ignacio do Oiiveira, na praga do Com-
mercio n. 28.
tSt Para Lisboa saldr com a maior bre-
vidade possivel a Barca Porlugueza Senhora
do Rozario, Capilao Boavenlura Borges Pam-
plona ; quem quiser earregar ou ir de passa-
gem dirija-se a Manoel do Nascimenlo Perei-
ra na ra da Cruz n. 22.
tsy Para oCear sahe no dia 4 de Maio o
Patacho Quatro de Maio ; quem no mesmo
quiser earregar ou ir de pa&sagcm para o que
tem expelientes commodos dirija-se a Ma-
noel Joaquim Pedro da Costa, na ra da Ca-
deia.
t3" Para uAracaty sahe at o dia 8 de
Maio o b**m conhecido Iliate Olinda por ter
parte do seu carregamenlo prompto ; quem
quiser earregar ou ir de passagem dirija-se a
Manoel Joaquim Pedro da Costa na ra da
Cadeia.
L E 1 L A O'
tsr J. P. Adour & Com pan h ia fazem
leilo por intervenga do Corretor Oiiveira ,
no dia Sexta feira 6 de Maio, no primeiro an-
dar da sua casa na ra Nova D. 4 defronte do
oito da Matriz de varios movis de mogno .
cadeiras do varios padroes poltronas cadei-
ras, caixas para costura mesas, secreta-
rias, canaps de varios feitiose tamanilos ,
papel piulado muito rico para forro de casas ;
declara-se que todos estes objectos sero ven-
didos pelo maior prego que for offerecid, vis-
to ser para Hquidagao de contas.
Ot 0 Corretor Oiiveira far leilo Quinta
feira de Maio as 10 horas da manh no seu
armazem da ra da Cadeia n. 54 primeiro an-
dar, de urna escolente colego de livros no-
vo8 proprios e mu procurados para os eshi-
X2y Urna escrava de 20 annos saliendo
lavar desabo e varrella faz todo o servigo
de um casa compra na ra e vende fezendas
eoulra qualquer couza ou troca-se por ou-
Ira que saiba cozinhar e ensaboar : na ra
Nova D. 20 segundo andar.
ES" (Jim venda com poucos fuudos, no
pateo do Hospital do Paraso I). I : a tratar
na mesm Picando o comprador obrigado ao
que se deve a praga.
EJ" Urna negra crela de 20 annos, cose,
engomma lava, coznhao ordinario, e faz
renda : defronte da Igreja de S. Rita Nova ,
venda D. 7.
tS9~ Um negro de nacAo anda bugal, de
bonita figura de 18 a 20 annos proprio
para todo o servico : e 200 couros de cabra
de muito boa qualidade ; na ra da Cadeia do
Recife D. 62 ao p do Snrs. Me. Calmont &
Companhia.
tss" Resmas de Papel a'masso a mmitago
de meia holanda masaos de cartas de jugar
francezas e portuguezan, libras de retroz pre-
to e azul ferrete de primoira qualidade nli-
Iheirosde pennas de escrever de superior qua -
lidade massinhosde tirar logo, americanos,
bieos de fil de linho de lindo gosto e de to-
das as larguras por prego barato : na praga
da Independencia n. 59.
ssy Cera amarella em porgo ea retalho ;
bezerros surredos : no beco da lingoeta ven-
da de Joaquim Joze Rebe-llo.
ES"" Farinha de mandioca de S. Matheus ,
superior: a bordo do Hiate Flor de Laran-
geiras fundiado na volta do forte do malto ,
no armazem lo fallecido moleta e na ra da
Cadeia velha loja de faiendas n. 17.
13" lima escrava sem defeito algum sa-
bendo fazer todo o servigo de urna casa tem
ptimo leite e he muicarnhosa para crian-
gas ; urna mumbanda recolhida de 18 an-
nos de elegante figura, e foi de urna senho-
ra que se retirou para a Europa ; 5 escravos
para todo o servigo, 5 molecotes de 12 a 15
annos ; 5 pardos 2 sao ptimos pageos ; 5
escravos para todo o servigo ; um bom casa
de escravos com um ilho de 5 annos sendo
a escrava boa ama de casa e nAo lem vi-
cios na ra de Agoas verdes D. 58.
E^ 4canoasdeamarelio brutas e da-se
por progo com modo ; e um jogo de gamo de
marlim novo tambem por prego commodo
na praga da Independencia n. 20.
E^" Escrivaninhas de lato de varios mo-
delos padres e tamanhos obra mui rica,
e bem trabalhada como anda nao foi vista
neste paiz, mu proprias para repartigOes, ou
para algnmascasas particulares T e candieiros
ditos de tornio a moderna obra superior ,
perfumadores de dito de todos os tamanhos
eomo seu competente fogareiro e outros
muitos objectos de bom gosto chegados ulti
mmente de Lisboa, por prego commodo ,
o qual tem concorrido muito para a sua ex-
travio : na ra Nova loja de Forragens D. 13
na quina.
ts/* 6 otavas de ouro de lei em pedagos
de obras, urna caixa com realejo que loca
dando-se corda urna gamela grande de (ma-
celo ; um relogio ingiez de sabonete, e a ven'-
da da ra da Roda D. 8 com commodos para
morar familia : tudo na mesma venda.
E7" Cma negra moca, com habilidades
precisas que se diro ao comprador assim
como o motivo da venda : na praga da Inde-
pendencia n. 20.
jsy Um terreno com 00 palmos de frente
e 200 ditos de fundo com caes de pedra o
cal, com serrara e casa para caixeiro ; urna
morada de casa terrea grande e outra pe-
quena ambas com soto; dous escravos ser-
radores sem vicios 5 e niadeiras de todas as
qualidades louro sedro e amarello : a
tratar cum Joo Amonio Baptista Muniz jun-
to a ribeira na praia do Fagundes.
Ey Azetedecarrapato liquido a 5 caada e tambem se d de vendagem a
pretas e moleques : ua ra de Agoas verdes
D. 1 4 lado do poenle.
er Joze Antonio Gomes Jnior, vendo
no seu escriptorio ra da Cruz D. 12, sac-
cas com alquere de farinha de mandioca, fei-
ta na Murbeca, muito fina e alva pelo
prego de 7*000 rs,
EF" Um moleque de naci angola der 10
a 11 annos : na ra da Madre de Dos loja de
bahus n. 215.
tsf Por prego muito barato urna fateixa
com 5 arrobas e um leme de sicupia para
embarcago pequea : na ra da senzala ve-
lha no primeiro andar do sobrado do Braga ,
pela manh vt as 9 horas.
ESCRAVOS FGIDOS.
tsr No dia 28 de Abril desapareeeo 11 m es-
era vo de 20 a 25 annos de nome Joo Pe-
dro vindo do Aracaty na Sumaca Delmira 110
mez de Margo p. p. grosso do corpo altu-
ra regular cara redonda boca grande, na-
riz e olhos regulares, cbelos grandes e
pelos, com gaforina, a perna direita um
tanto torta para o lado, ps grandes e grossos,
levou vestido caigas novas de algodo tranga-
do camisa de linhagem caixa pequea de
massa com pintas de prala por cima da tampa,
para tabaco nao levou chapeo e nem sus-
pensorios 5 quem o pegar leve a Antonio Ro-
drigues Lima na praga do Corpo Santo que
ser recompensado.
tsr No dia 28 do p. p. as 7 horas da nou-
le fugio ou furtaro o escravo Joaquim, de
nago alto e bem feito tem pouca barba >
e as verilhas cheias de sicatrz : quem o pe-
gar leve a ra do atierro casa de Joze Pires
Ferrera que gratificar.
tsr No dia 29 do p. p. fugio um. moleque
de nome Francisco de 15annos de nago ,
levou vestido camisa de chita branca com pal-
mas encarnadas ceroulas de algodozinho ,
chapeo de palha debruado de illa preta tem
urna belida noolhc esquerdo e em urna das
orelhas tem um taco tirado ; quem o pegar
leve as o ponas D. 12.
tsr No dia 29 do p. p. desapareeeo um ne-
gro, que no fallar parece crelo, de nomo
Juslniano foi de um engenho, estatura or-
dinaria levou vestido camisa de algodo e
caigas do mesmo he chamado por alcunho
Malhari ; quem o pegar leve a casa de Joo
Manoel Rodrigues Valenga na ra larga do
Rozario ou no engenho Ilapirema de Ma-
noel Rento Machado que ser recompensa-
do de seu trabalho.
tsr No dia 50 de Marco fugio urna cabra
de nome Mari* Thereza de boa estatura ,
bastante ossuda, com urna cicatriz na testa,
e outra em um dos br mui cheia de pannos ps grossos e metidos
algum tanto para dentro, de mais de 40 an-
nos levou a rouca que quiz porque estava
lavando em Bebiribe, edizemqueja foi en-
contrada no Rio Formozo com vestido encar-
nado de chita franceza e urna troxa de roupa
em pao da costa a cabega : quem a pegar le-
ve ao abaixo assignado defronte dos ltimos
arcos da ribeira da Boa-vista ao ir para S.
Gonsalo que ser recompensado, e reco-
menda-se todo o cuidado na conduco por ser
tal cabra muilo matreira. -
Joze Antonio dos Santos o Silva.
MOV1MENTO DO PORTO
NAVIO ENTRADO NO DIA 28 DO PASSAD0.
Philadelphia 50 dias, Barca Americana
Globe de 260 tonel., Cap. N. Eoling ,
equip. 13, carga varios gneros: a L. G.
F. & Companhia.
SAHIDO NO MESMO DU
Philadelphia ; Patacho Americano Henry ,
Capito J. S. Manson carga assucar.
ENTRADOS yo DIA 30
Rio Grande do Sul ; Patacho Brasileiro Nova
Roza Cap. Luiz Joze Pinlo carga diver-
sos gneros;
Trieste 5 Brigue Austraco Lusitano Cap.
Miguel Astolfe carga assucar.
RECIFE NA TYP. DE M. F. DE F, = 184
-*-k-


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EQL6YGSZE_K09XQU INGEST_TIME 2013-04-13T03:32:34Z PACKAGE AA00011611_04644
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES