Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04641


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Auno de 184? Quinta Feira 28 de
mm
Todo aRora depende e upa mesmni ; di nol prudencia, moder,Cao, eenerpia con-
tinenos como priacipiamoe, e remos aponanos com amiraco entre a* Nacoeaai
(Proclamacao da Asseniblea Ceral do irasil.)
cuiaa.
PARTIDAS DOS CORREROS TERRESTRES.
Caianna, Paraiba, c Rio rr.ade do Norte, na segunda esexia feira.
Ilomto e Garanhun, alUe24.
Cabo, Serialiaem, Rio Furnoip, Porto Calo, Maceio, e Ala;oas no i H Jl.
Paje 13. .Sanio Anuo, quinta feira, Olinda todos os das.
DAS da semana.
25 Seg. s. Marco Evangelista. Chae. A^il. doJ. deD, da 2 t
26 Tere. s. Pedro de Rates. Re. Aud. do junde Direito da i Tan
27 Quarl. a. Tertuliano B. Cbanc. Aud. do J. d D. da 3 t
28 ou.m. S. ViJ M. Aud. lo J de 1). d 2. t.
rlhi'f& M,,C "* frSne,i d J, do D. d i. .
30 Sab. S. Calharina de Sen. Aud. do J. de D. da 3. r.
1 De Mio Uoru. A .Maiernidadede V. Sra. a. Felippe, es. Tiago A.p.
Abril.
Anuo XVIII. N. 92.
O D.ar.q publ,c..e todp.osdi. que nao orem Santificado,: ... da ...., I
*...! rt..po,q0.r,el pago, .d,.,.,!o,. O, anounco. do. J^LmlSSt
<""' e 0i 'y ";" '- rnao de SO reis po, |n.. A, 5.i^5?15
CAMBIOS no da 27 de Ap.ril.
Cambio sobre Londres 2S d. p. 1!'
. Pari 320reisp. franco.
Lisboa 8Ca S5 p. 40 de pr,
Ooro Moed de 6,400 V. 15,i<00
N. 14,900
. A4,q00 8.200
P*r* PatacOe 4 ,SU
PTi- Peros Colimare
" Mexicano
' tniuda
1,480
i .(iSJ
,440a 1,48o
Moeda de cobre 3 por 100 de diaronlo.
Uiscontude billi. da Alfand'ga 1
ao met.
Iden de letras de boaa firmas 1 e
por 109
s le {.
Preamar /fo da 28 rit.
1.a a 6 horas r 5'l "' da manila.
2. a 7 horas e 18 m. da larde.
PHASES DA LfJA NO MEZ DE ABRIL.
guart. eaing. $ t 4 hor e 11 m. da tarde.
I >a No a 10-- 8 horas e 13 rn. da tarde.
l.limrt. rese, a 18-- a 4 horas r I 'i a>. da manh.
La cheia a 24 s 9, hora e 8 da tarde.
OIAKIO u P K 15 N A ti RUCO.
PARTE OFFICIAL.
GOVEP.NO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 22 DO CBRENTE.
Officio Ao commqndanto das armas di-
zendo, que fra presente a participaco que
fez presidencia sobre a priso do soldado
da companhia de artfices Anaslacio Guedes
Alcanforado que fra preso' por ordem dada
pelo tenente commandante da I. companhia
do 2. baiallio da guarda nacional, a que elle
antes pertcncia ; e que. como to desagrada-
vel oceurrencia tivesse lugar rom o pretexto
da falta de sciencia das participages, que
houvro pela demora que tem em pas-
sarem pelos tramites do estilo em oonse-
quencia de morar fra da cidade o comman-
dante superior determine aos commandan-
les dos corpos de I. linha, e ao da dita com-
panhia que apenas assente praga um G.
N. o participem directamente ao respectivo
commandaute do balalho alcni da partici-
paco regular, que deve ser feita ao comman-
dante superior ou chefe (Je legiq.
Dito Ao commandante superior da guar-
da nacional d'este mgnjcipio oommujiican-
do ter expedido a ordem supra, para evitar,
que ainda se repita a desagradaVel oceurren-
cia, que leve lugar a 17 du correnfe, em con-
sequencia de ser preso um soldado da com-
panhia de artfices, que peitenceo guarda
nacional, pelo pretexto de nao ter elle com-
municado ao balalho a sua praga.
DitoAo inspector do arsenal de marinha,
signilicando-lhe em resposta ao seu ollicio
de 20 docorrente, que approva o contracto
por elle feito com o meslre de carpina Anto-
nio Leonardo Dias pela njGp d'obrq para a
promptificago da casa do risco d'aquelle ar-
senal pela quantia de \ :7o(b000 res com
as condjes constantes do citado oljjcio.
DitoAo inspector interino da thesoura-
ria das rendas prov nciaes transmittindo a
filiaco do clarim, Francisco de Paula pinto,
que se engajra no esquadrao de cavallaria da
guarda nacional do municipio do Iguarass ,
a fim de que lhe mande abrir o competente
assentamento de praga.
Ditp Ao refeiido inspector interino d-
zendo que vindo pessoalmente queixar-sc
presidencia o vigariode S. Lourenco da matta
raria se lhe recusara pagar os seus ordenados
vencidos at dezembrp passado no l. semes-
tre do armo corrente contra os annuncios
pela mesma thesouraria fetos em conseqqen-
FLlHil TD
ARRHAS POR fRO D'eSPANHA (*),
Abandonado assim do seu guia o infante
D^ Diniz solFrera resignado um successo que
nao poda embargar ; roas digno filho de D.
Pedro conservara intacta a sua m-vonlade a
D. Leonor. Abandonado dos seus parciaes,
vendo, seno trahida ao menosquasi morta
e inactiva a allianca de Pacheco para
maioi*desalento seu irtno mais velho o in-
fante D. JooligaJo com essa mulher, da
qual este ento mal pensaya Iheviria a ulti-
ma ruma : o meio de tanto desamparo o
infante a principio lirnido e irresoluto sentir
crescer a ousadia com os perigos ; sentir
girar-roa oas vcias o sangue paterno. Obri-
gado a seguir a corte, nunca D. Leonor a-
chara um sorriso nos seus labios 5 nunca o
cia da ordem de 17 de marejo passado, cum-
pre, que faca execrar pontualmente as or-
dens da presidencia e assegurar aos empre-
gados pblicos toda a confianza nos annun-
cios da referida tiiesouratia mandando pagar
sem demora o que se deve ao referido vigarjo
no dito i. semes-tre.
Dito Ao inspector da thesouraria da fa-
zenda, ordenando que mande realisar o pa-
gamento do pret do destacamento da commar-
ca do Rio Formozo, relativo ao mez de marco
Ultimo nao obstante a duvida, apresentada
pelo encarregado da contabilidade militar a
qual nao pode proceder, por que sendo o
referido destacamento composto de trinta pra-
Cas de pret, fica bem sobentendido, que n'este
numero se nao inC|UP ooflicial, que ocom-
manda embora se diga, que da tabella en-
viada aquella thesouraria pelo commandante
das armas consta ser o dito destacamento de
trinta pr^as, jncluzive ooflicial, pois que
o contrario so conhece dos mappas mensal-
mente remettidos secretaria pelo mesmo
commandante das armas nos quaes. he con-
siderado o destacamento de que se tracla ,
comocomposlo de um ofljcial, um inferior ,
trez cabos p vjnte p seis soldados.
Ditp Ao chefe de poljcia interino da pro-
vincia dizeiido-Ihe que sirva-se de expe-
dir as convenientes ordena aos seus delega-
dos para que permitlQ, que os guardas na-
cionaes das villas do interior sejao reeolliidos
presos ordem de seos commandantes as
cadas das ipesmas villas e manden) que
ps carcereiros os recebao sem especial requi-
sito, bastando a primeira, em queoschofes
dos carpos das comarcas represntelo aos mes-
mos delegados esta nece sid.ade.
Di|o Ao chefe interino da legi^p de Santo
Anljio declarando em resposta aos seus of-
fioios de 18 e 19 docorrente, em que d
parle da fuga do guarda pacional designado
para o balalho destacado, por ter o carcereiro
da cajea d'aquella villa recusado recebel-o
sem ordem do respectivo delegado, que es-
lando as cadeas 'disppsicjo dos eucarregados
da polica, fazia-se necessaria una requisigao
dos chefes de legio ou de balalbes s mes-
mas authoridades policiacs para que elles
permittissem a priso dos guardas naconaes
pas dilas cadCas, em falta d'outras casas des-
tinadas para a detencao dos mesmos; e com-
municando-ljie o conteudo do precedente of-
ficio.
DitoAo chpfe da legio de Nazareth ,
auctorisando-o para alugar n'aquella comar-
ca uma casa cpm as eopiniodidades precisas
ara n'eJJa se aquarlelar o contingente da G.
de seu commando, ou outra qualquer ,
que com alguma pequea despeza possa ser-
vir para o mencionado lini.
Dito Ao inspector do arsenal de marinha,
signilicando-lhe em resposta ao seu ollicio
de hontem que pode remetter para o arsenal
da Corle conforme propoc em seu mencio-
nado ollicio, as pipas d'aguada, que foro en-
tregues pelo commandante da barca = Triunfo
da inveja. =
Dito A' cmara municipal d Flores par-
ticipando ter a Assembla legislativa provin-
cial approvado as suasconlasdo anno nan-
cciro de 1840 a 1841 e mandado louval-a
pela regularidade de sua escripturago, e zelo
na arrecadaQo de suas rendas.
Portara Ao commandante do patacho=
Pirapama = ordenaudo-lhe que se faeja de
vela hoje mesmo para a lllia de Fernando ,
depois de ter recebido o capello, e.a farinha,
que para alli se destina; e dcterminando-lhe,
que volte a este porto condusindo a pedia
decalcar, que lhe for remettjda pelo com-
mandante da mesma ilha.
Ollicio Ao commandante da sobremen-
cionada ilha communicando-lhe que para
all parle o supractado patacho condusindo
o padre capello e 700 sacas de farinha,
que pelo inspector da thesouraria da fazenda
lhe sero remedidas : e intelligeijciando-o de
que o referido patacho deve voltar com a
brevidade possivel condusindo a pedia de
ca'cur que poder carregar.
DitoAo inspector geral interino das obras
publicas auctorisando-o para mandar fazer o
reparo, que precisa o telhado da repartigo
da thesouraria das rendas provinciaes, que
se aqha arruinado segundo lhe representou
o respectivo inspector interino e elle parti-
cipa em oflieio de 18 docorrente.
COMMANDO DAS ARMAS.
CONTINIACA DO EXPEDIENTE DO DA
DO CORRENTE.
10
B
rnmmmn
HVid.oDiarioN.71, 72, 75, 76, 77 79
84,85,86;88e91. ; '7J'
mmmmmmmmmmmm
vira conter diante della um s sign..l de des-
preso. Assim a colera d'elrei contra seu ir-
mo ha va ebegado ao maior auge e os cal-
culos de fra e paciente vnganga cstavam re-
splvidos no animo de Leonor Telles.
A caval^ada linha subido a encosta c atra-
vgssando a porta de Van'ioma que em parte
anda subsiste e passado em fren le dase,
junto da qual se estendiam os pagos episco-
paes. Ahi as dangas e folias pararam e fize-
ram por um momento silencio : enlo o in-
fante D. Joo tomando nos bracos a formosa
raloha a apeou do palafrn) : apoz ella elrei
saltn Ijgeiro do seu fogoso c agigantado gine-
te. Dentro em pouco toda a comitiva tinha
desapparecido no profundo portal dos pagos,,
e os donzeis conduziam os elegantes cavallos .
as muiaa possantes eos mansos palafn-ns
para as vastas e bem providas cavallarigas do
mui devoto c poderoso bispo da antiga Fes-
tabole (1 ).
Ollicio Ao Exm. Snr. Presidente, re-
meltendo-lho informado o requerimento do
Crurgio-mor Antonio Correia dos Anjos,
pouco recolhido da Ilha de Fernando qu pe-
dia se Ihemandasse abonar as comedorias do
embarque que deixou de receber quando da
Corte emharcou para esta Provincia encar-
regado do tractamento dos prisioneiros rebel-
des do Rio Grande do Sul; e bem assim os
sidos de Fevereiro, e Margo j vencidos ,
por isso que se achava sem mcios de subsis-
tencia em Provincia eslranha.
Portara -- Ordenando a Joo Saraiva d'A-
raujo GalvSo nomeado pelo Exm. snr. Pre-
sidente Capitao para, o Balalho de G. N.
( 1 ) Nome primitivo do burgo do Porto.
Vid. Cunha Cata!, dos Rispos dos Porto
pag. 12eI3.
------U III I 1 m. L1I___ILU____[_!.8
O aposento principal dos pagos, quadra vas-
ta e grandiosa eslava de anlemo ornada pa-
ra receber os hospedes reaes do velho D. Af-
fonso. Um throno com dois assentos d'espal-
das indicava que a elle ta subir tambem urna
rainlia. D. Leonor entrou seguida das cu-*
vilheiras e donzellas da sua cmara : elrei de
lodos os principaes cavalleiros. Viam-se en-
tre estes o alferes-mr Ayras Gjmes da Silva,
anciao veneravel que fra seu aio o orgulho-
so niordo-mr D. .Joo Alfonso Tello Gil
Vasques de Resende aio do infante D. Di-
niz o prior do Hospital Alvaro Gongalves
Percira eniujlos outros fidalgos que ou se-
guiam a corte ou tinham vindo assislir s
bodas reaes.
Guiada por D. Fernando, Leonor Telles
subiu com passoirmeo* de^raus do throno,
e como o navegante que allrontando tem-
poraes desfeitos por mares incogpitos e apar-
cellados o chegando ao porlo longinquo ,
quasi que nao er pisar a tena de seus dese-
jos, assim esta mulher ambiciosa e audaz
pareca duvidar da reafidade da sua elevago.
A alma sorria-lhc a mil esperanzas a vida
destacado que marchasse para a Villa do Li-
moeiro. levando em sua ompanhia o Te-
nente Joze Jernimo Fernandes Guimares ,
e Alferes Francisco Joaquim Guedes Alcanfo-
rado "e ali recebesse o contingente de f>0
pragas que linha de dar a Legio devendo
logo que tivesse recebido 2o pragas fazer a
competente communieago.
DEM do da 20.
Ollicio Ao Exm. Presidente da Provin-
cia das Alagoas, pedindo-lhe alguns e>clare-
cimentos a cerca dos motivos que dera lugar
a ter sido recrutado na Villa de Porto-calvo ,
Marcos Joze de Santa Auna, casado com fi-
Ihos, boje soldado do Batalho Provisorio
desta Provincia que requer suademisso.
Dito Ao Exm. Commandante das Ar-
mas da Corte rcinviandc-lhe a guia do sol-
dado Joo Nepomuceno, por nao ser a pro-
priaquese havia requisitado ao seu anteces-
sor j porquanto a guia pedida dizia respeito
ao soldado Joo Nepomuceno vindo do Ma-
ranho no Vapor S. Salvador, em lins de De-
zembro do anno p. p. eo que se devolva
pertoncia a outro soldado de igual nome,
transportado no Rrigue Tres de Mao.
Dito Ao Exm. General, eCommandan-
te em chefe do Excrcito communicando-lhe,
que do I. deste mez em dianle, havia sido c-
levada a 50* rs. a prestago mensal de 30 ,
que nesU Provincia deixou em soccorro de
sua familia o capita Joaquim de Pontea Ma-
rirjho, e a 3iJ rs., a de 2oj que lamb.^m
deixaraO os Teen tes Francisco Rodrigues
Cardozo e Secretario Felippe Marques dos
Santos todos do G. Ralalho de cassadores
de Linha, devendo-se por tanto dp referido
da em diante deduzir-se taes prestacOes dos
vencimentos a que estes Olliciaes tiverem di-
reito durante a campanha.
Dito Ao Inspector da Thesouraria c-
municando-lhe o exposlo no ollicio prece-
dente.
Dito Ao mesmo rcmettcndo-lhe o pret
dos vencimentos do destacamento da Ilha do
Fernando de Noronha ale o fim do corrente
mez a fim de que fosse satisfeito e entre-
gue a respectiva importancia ao Quartel-mcs-
tre do 3. Ralalho de Artilheria a p '.
Dito Ao Chefe interino da Legio deG.
Nacionaes da Cidade d'Olinda dizendo-Ihe ,
que para ter cumplimento o Aviso Imperial
de 22 de Margo ultimo i m por la va que o
Capito que recrutou ao Guarda do Ralalho
de Iguarass Francisco Januario Cabral,
informasse quaes fora os motivos que o Leva-
rao a recrutar um Guarda de Municipio alheio,
que alem de ter sido prompto para oservigo ,
suslentava a sua familia composta de seu
m ......W I
mmmmmBsssmmtmaes
transbordara nella. A seu lado um re a
seus ps um reino Era mais que embria-
guez ; era delirio. Ella senlia um novo af-
licto Um como desejo de perdo aos seus ini-
migos Tremen de si mesma e convocando
todas as forgas do coragao salvou a sua fero-
cidade hypocrila que/pareca querer abandp-
na-Ia. Era severo o seu aspecto quando es-
ses pensamenlos estranhos lhe passaram pelo
espirito ; maso sorriso tomou a espraiar-sc-
Ihe no rosto quando o iuslncto de tigre po-
de faze-la triumphar desse momento em que
a genorosidado costuma accommelter cooi
violencia as ajmas vingativas e ferozes o
momento em que se realisa a surhma ventura
por largo lempo sonhada.
Do aito do throno e em p D. Fernando es-
tendeu a mo : o tropel de cortesos e caval-
leiros de donas e donzellas formaram aos
lados da espagosa sala lileras esplendidas ,
immoveis e silenciosas : elrei volveu olhos
lentos para um e outro lado edisse :
Ricos-houicns infanges, e cavallei-
ros de Portugal : '.:m dos mais nobres sacra-
mentos que Deus ueste muudp ord>nou foi



asi
liiiri-
n=

&.
MUjt:
Pai alejado sua .Mii e um irmab ceg.
Dito Ao Tencnte coronel commandante
do Batalho Provisorio, cortimunicando-lhe ,
para que lizcsse constar ao Ajudaiite do mes-
ii') Batallio, que o Exm. snr. Presidente,
expedir ordem para ser-lhe abonado o quan-
tiiativo que a"Leimarca para urna cavalga-
Uura.
Dito -- .Ao Commandante interino lo 3.
Batalho d'Artilheri* a p, ordenando-lhe ,
qie do 1. desle mez en diante elevasse a 50.)
is. a prcstago mensal de 50if que deixoii o
CapiU Pontos Marinho e a 35tf rs., a de
25j que deixara os Tenentes Rodrigues
Carduzo e Marques dos Santos.
Dito Ao Chele de Polica interino, ro-
gando-lhe a expedicgaode suas ordens para
liie Ibsse passado a respectiva prisao militar
ate final juramento o Soldado Joaquim Ma-
nuel do Nascimento da companhia d'Artili-
cee que leudo sido preso pelo 1. Delegado do
Termo desta cidade se achava individamen-
lerecolhido a cadcia sendo neccssario in-
telligenciar aos Agentes de polica do proce-
dimento que devem ler coni os presos milita-
res a fim de se evitaren! requisiges desta
natureza.
Dito- Ao Delgalo do Districio de Santo
Anteo, dcvolvendo-lhc os papis de contabi-
lidadc do destacamento mencionados no seu
nllicio de 18deste mez para serem processa-
dosem conformidade da Circular de 10 de
Margo ultimo.
Dito Ao mesmo, dizendo-lhe que as-
.siMita-a; pr.:ca os remitas Joaqun) Joze de S.
Auna e Luz da Franca constantes da rc-
lago que'aconipann&ra o scu oficio de 18 do
torrente.
Portara Ao Capilo Commandante da
companhia d'Arliccs, mandando excluir
cora guia de passagem para o Batalho Provi-
sorio osolilado Antonio Domad de Carros.
Dita Ao Tencnte Coronel Commandante
do Batalho Provisorio, aulhorisando-oa re-
beber com passagem o soldado mencionado
na Portara cima
Dila Ao Capitn Commandante da com-
panhia d'Artiiices mandando excluir da
DIOSma com guia de passagem para o 3. Ba-
talho d'Artilhoria a p o 2. cadete 2. sar-
gento Joze Alione/) dos Santos Bastos.
Dita Ao Ca pitad Commandante interino
do 3. Batalho de Artilheria a p authori-
sancfo-oaroccbercom passagera o 2. cadete
2. Sargento de que ti acta a precedente Por-
tara.
Dita Ao Tenento Coronel Commandante
do Batalho de Guardas Nacionaes destacado ,
mandando d'ordem ca Presidencia eommu-
ncacla em offieio datado de hontem excluir
do mesino ao Guarda Joze Alves da Silva por
pertenec- a Barca d'Escavago.
Dita Ao Capilo Commandante da com-
panhia de Artfices mandando em cumpri-
inento a Lei, dar demisso aos soldados An-
tonio do Sacramento c Joaquim Francisco
do Livramento por lerem sera notas finali-
sado os sens engajajncntos, c nao queverem
continuar no servigo.
THESOUBARIA DA FAZENDA.
KXPEDIENTK DO DA 1 i DO COMIENTE.
Olicio AoExm. Snr. Baro Presidente
da Provincia informando o requerimentodo
Tencnte Ajudante do Batalhiio Provisorio Jo-
s Teixeira Campos, cyn que pedio o abono
da oavalgadura e competente forragem pelo
sen exercicio.
Dito Ao Snr. Inspector da Thesouraria
da Fasenda da Provincia do Para remetien-
do urna letra da quantia de 2:000 res em
cumprifflento da Ordem do Tribunal do The-
souro Publico Nacional de 10 de Janeiro do
correnteauno.
Portara Ao Sr.r. Thesoureiro da rasea-
da para entregar a Firmno Jos Felis da
Boza pelacaixa da receita geral a qnan-
tia de 2:000.* reis da letra de que trata o pre-
cedente ofiicio.
Dita Ao Snr. Collector de diversas ren-
das do Municipio de Caranhuns em resposta
ao seu ollicio de 11 de Janeiro ultimo, em que
pedio arestituigo da quantia de 500ji200 res,
queentregouaoPrefeilo da Comarca, para
despesas do recrutamento.
Dila Ao Snr. Thesoureiro dos ordena-
dos para entregar a Me. Calmont & Compa-
nhia pela caixa do roHclimento das contri-
buiges do Monte Pi dos Servidores do Esta-
do a quantia de 1:398*215 res, de urna
letra que saccaro a favor da Thesouraria
Geral do eslabelecimento do dito Monte Pi.
da 15.
OfTieio AoExm. Snr. Baro Presidente
da Provincia rogando que a vista da folha
de vencimentos dos Olliciaes da Companhia
de cavallaria ligeira de primeira lio ha c do
que nellaexpoem o Commissaro Fiscal do Mi-
nisterio da Guerra se dignaste communicar
sea duvida por este olerecida e que parece
bem fundada devo ou nao ter lugar.
Dito Ao Snr. Inspector da Thesouraria
da Fasenda da Provincia das Alagoas remet-
iendo urna cerlido pastada pelo EscrivAo da
Chancellara da Belaco desta Provincia de
2 addices da Dcima para mandar proceder
a com peten le arrecadago.
Iguaes olcos foro dirigidos aos Snrs.
Inspectores das Thesonrarias de Fasenda das
Provincias da Parahiba Bo Grande do Nor-
te e Cear remetiendo a cada um urna
certido de 2 addices da Dcima pertencentes
estas Provincias.
Dito Ao Snr. Contador da Thesouraria ,
rcmeltcndo por copia para sua intelligenca
as relncoes que acompanharo o ollicio do
Exm. Snr. Baro Presidente da Provincia
de 26 de Margo prximo lindo dos Bachareis
formados que se acho nomeados para Jui-
zes Municipaes e Promotores dos Termos
desta Provincia.
Dito Aos Snrs. I. L. Coldsmd. Wm.
Thompson e Wm. King Agentes do Bra-
sil em Londces, remetiendo 2 letras de L. st.
1:000-- e L. st. 3:000--< a 90 dias vis-
lado saque de Me. de Calmont i Companhia,
abonado por Victorino Pereira Maa., sobre
Me. Calmont Brox, Companhia d'aquella
Cidade.
Portara Ao Snr. Thesoureiro da fazen-
da para entregar pela caixa da receita
gerrl, a Me. Calmont Si Companhia, a
quantia de 25:71 4ji 285 reis correspondente as
3,000 L. st. de que Irada o precedente olli-
cio ao cambio de 28.
Dita Ao dito Snr. idom de8:571 J428
reis correspondente a 1,000 L. si. idem dem.
DA 18.
Offieio AoExm. Snr. Baro Presiden-
teda Provincia, informando o requer men-
te de Manoel Antonio da Silva Molla sobre
o terreno de Marinha no lugar do atierro
das 5 pontee.
Dito Ao mesmo Exm. Snr. idem de Jo-
s Linsde Souza em que pedio por aforamen-
to perpetuo oulro terreno de Marinhas.
Dito Ao mesmo Exm. Snr. idem de Jo-
ze Joaquim Freir de Souza em que pedio
licenca para na legotf de trra em quadro ,
o matrimonio : como para os outros homens,
para os reis se instituiu elle ; porque por elle
as eoroas se perpetuara na linhagem real. E'
por isso que en despose boje n mui Ilustre
D. Leonor Illha de D. Aflbnso Tello des-
cendente dos anligos reis, eligada cornos
mais nobres d'entre vos |H*lo divido do sangue.
Assim a rainhade Portugal ser mais um la-
go que vos una a mim como prenles que
d'hoje avante sois meus. Leaescomo tendes
sido a vosso rei pelo preito que llie fizestes
muit> mais o seris por este novo titulo. Em
que pez a traidores D. Leonor Telies mi-
iiba mulher Fulalgos portuguezes betjai
a mo a vossa iainha. (2 )
Ovelho alferes-mr Avias Gomes appro-
ximon-so eetle do throno a voz do seu mogo
jnipillo : ajoeihou e beijou a mo a D1. Leo-
nor ; maso olhar que laucn para elrci era
como o de pedagogo que de man humor se
( 2 ) Em grande part.* extrbido quasl
textualmente da Carla d'Arrhas de Leonor
Tenes datada d'Eixo aos .' de Janeiro da era
dcl0( 1372).
que amigamente havia requerido por sisma-
ra comegaroseu estabelecimento de agri-
cultura licando sujeto a todas as condiges,
que novamente forera impostas por Lei.
Dito Ao mesmo Exm. Snr. idem de De-
aneYoule & Companhia no qual pediro
se Ibes entregue livre de porte um cmbrulho,
que se acha no crrelo desta Cidade vindo
da corte com amostras de fazendas.
Dito Ao mesmo Exm. Snr. informando
sobre o imposto de 5 porcento, que devem
pagar pelo augmento de soldos Olficiaes da
Armada.
Dito Ao Snr. Commandante das Armas
da Provincia participando que achando-se o
2. Teen te reformado Joo Arsenio Barbosa,
servindo por aviso do Gov rno Imperial de
Aldante do Commissaro Fiscal do Ministe-
rio da Guerra e devendo como tal substituir
a este nos seus impedimentos pedia so dig-
nasse assim o communicar a quem julgassene-
cessario, ah'mde que por falta de conheci-
mcuto o servigo nao padecesse.
DitoAo'Snr. Procurador Fiscal Interi-
no da Fasenda remoliendo diversas contas
de devedores Psenla Publica para deli-
genciar pelos meios que esto a seu alcan-
ce a prompta indemnisaco dos cofres co-
mo determino!] a ordem do Tribunal do The-
soiuo Publico de 15 de Janeiro do corren te
sob n. 10.
' Dilo Ao Snr. Inspector da Alfandega,
mandando em cumplimento do ofileio do
Exm. Snr. Baro Presidente da Provincia de
f 6 do crrente que enviasse Thesouraria',
urna caixa com livros existente na Alfandega,
que pelo encarregado dos negocios do brasil,
em aples bi remettiilo pelo navio Sicilia-
no-- Gabriel la com direeeo ao Exm. Sr.
Ministro dos Negocios Estrang'ros, alim de
ser remellida para o Rio de Janeiro pelo
BrigueIndiano a partir para aquelle
Porto.
BU 19.
Dilo Ao Exm. Snr. Baro Presidente da
Provincia remetiendo a caixa com livros de
que tracU o p-ecedente olicio.
Dito Ao mesmo Exm. Snr., informando o
requenmenlo de Jos Higinio de Miranda ,
em que pedio de aforamento perpetuo o terre-
no de Marinhas n. Mi situado no atierro
das 5 pontas do bairro de Santo Antonio des-
ta Cidade.
Dito -- Ao Snr. Contador da Thesouraria ,
remettendo por copia para sua intelligeneia ;
o ollicio do Exm. Snr. Baro Presidente da
Provincia de 11 do corrate em que orde-
nou em consequencia do Imperial Aviso de
22 do niez ultimo se pague ao Bacharel Ur-
bano Sabino Pessoa de Helio os vencimen-
tos de Juizde Direito da 2.* Vara doCivel des-
ta Cidade relativos ao periodo de 4 de Se-
tembro a 20 de Novembro p. p.
da 20.
Dito Ao Exm. Snr. Baro Presidente
da Provincia informndoos.") requerimentos
de, Francisco de Amorim Lima, em que pedio
licenca para vender parte dos terrenos de
Marinhas que Hit foro concedidos por titu-
lo de aforamento.
Dilo Ao mesmo Exm. Snr participando
qncenconlrando-se na conferencia dos Piets
do Destacamento da Comarca do Rio Formo-
so do mez de Margo deste anuo o numero
de ."() pragas exclusive o Alferes quando
pela Tabella enviada pelo Commandante das
Armas Thesouraria, em dito numero com-
prehende-se lambem o Ollicial ; rogava se
dignasse communicar se deve ou nao ad-
mettir-se tal alteragao.
accommoda ao capricho infantil de um prin-
cipe. Ao volver d'olhos do ancio D. Fer-
nando corou e voltou o rosto.
O infante D. Joo porem dobrando o
joelho aos ps da formse raiha pareca trns-
bordar de alegra : conten pa rdo-o Leonor
Telles deixou assomar aos labios um daqnel-
les ambiguos e quasi impercepliveis sorrsos
que vindosdelh sempre tnham urna sig-
nificago-profunda. Por ventura que no in-
fante D. Joo ella j nao va mais que o pre-
cursor de humilhago del). Dinizdo seu
capital inimigo.
Apoz o infante os idalgos vieram suecos-
si v.-rmente curvar-se ante D. Leonor. Boa
parte dclies pram como oscapites vencidos
segnindo ao capttolp um triumphador roma-
no, Podia-se com cffeito dizer que, maii-
grado dessesque se rojavam a seus ps ella
conquistara o Ihrono.
Toda a eomprida filcira de nobres e ollicia-
es da coroa tinha passado e ajoelhado no es-
trado real. Faltava um ; cera este, que,
menospresando tantas frontes Ilustres por
valor ou stiencia por fidalguia ou riqueza ,
inclinadas perante ella a mulher rgulhosa
e injilacavel esperava cogitando no momen-
to em que o mancebo ainda impbero sera
renome sem podero, celebre so por seu
bergo e pelo desgracado drama da morle de
I). Ignez vria tributar homenagem que
represonlava um papel anlogo ao daquella
desventurada salvo na sincendade do amor ,
e na innocencia da vida.
Mas esso para quem D. Leonor mais de u-
mavez volver rpidamente os olhos consi-
derava com os bragos cruzados aquelle espec-
tculo em perfeila immoblidade, de que ni-
camente sara quando Gil Tasques de Besen-
de que eslava a seu lado, se affastra cami-
nhando para os degraus do estrado. O man-
cebo apertra a mo do idoso aio trmula da
idadecom a mo ainda mais trmula de co-
lera. Na conla de pai o tnha ; venerava-o
como lilho e a idea de o ver prostituir os se-
us cabellos brancos aos ps de urna adultera ,
o levrii aesse movimenlo involuntarioin-
voluntario porque elle naquella postura e
naquella hora nao l'a/ia mais qu colligir to-
daj as forras da alma para salvar a honra do
Portara Ao Snr. Thesoureiro dos orde-
nados mandando pagar a Manol Figueroa
de Fana 58.? reis importancia da impresso
c papel de 1,000 exemplares dos 3 Editaes ,
que ltimamente se afiixaro nos lugares p-
blicos da Provincia.
da 21.
Ollicio Ao Exm. Snr. Baro Presidente
da Provincia com a representago do Com-
missaro Fiscal to Ministerio da Guerra a-
baixo transcripta sobre a intelligenca, que
se deve dar circular de 10 de Dezemhro ul-
timo = Representago = Illm. Snr. Cum-
pre-mo levar ao conheciment de Vossa
Senhoria as niinhas ideias sobre aspreten-
goes que os olficiaes Reformados empre-
ados no Batalho Destacado de Guardas Na-
cionaes posso ter -. como he de crer aos sol-
dos e vencimentos da nova Tabella, afim
de evitar o proeesso de duvidas que podo
interromper o expediente ordinario do servi-
go em prejuizo do mesmo e das partes. He
mui sabida de V. S. a circular de 10 de De-
zemhro de l8il., para que eu a transcreva;
e por issopassarei a emttir o qus pens a
respeito de taes pretenooes se exislirem,
em combinago com a letra da oilada circular.
O Decreto que authorisa a destacar .nesta
Provincia 600 Pragas dos Guardas Nacionaes,
he de 9 de Dezemhro daquelle anuo so nao
me Iludo en. 108 e a circular, deque
fallo he do dia segrate ; sto he de 10 do
mesmo mez e auno : logo por urna mui na-
tural o lgica illago se deprehende : 1.
Que o Exm. Ministro da Guerra enxergou
motivo sulficiente para to inmediatamente
expedir a dita circular pela relago segundo
parece que tem com aquelle decreto rela-
Qo que a met ver por si se manifesta :
2." Que a nao existir esta circular ou Impe-
rial Aviso os Olliciaes Reformados de quo
trata a Lei de 18 de Agoslo de 1851 no arti-
go 153 serio comprehendidos no augmen-
to dos sidos e vantagens da nova Tabella
do 1 d Resembr do predito anno ; e porque
os Impcriaes Avisos se julgo Leis Reglamen-
tares, que os explico ou declara os mo-
dos dae.xecugo das Leis Geracs (oque nao
he derogar cssas Leis ) parece claro todas
as I uses, que a circular mencionada foi ex-
pedida para que os Olficiaes Reformados em
servlco de Guardas Nacionaes queaecumu-
lo a o seu sold os vencimentos de tropa de
linha conforme o citado artigo 153, se con-
tentassera cora osla vanlagem que j linha,
sto he ; a accumulago dos sidos da ante-
rior Tabella c nao gozassem do beneficio da
Tabella nova sendo mui Iraca e occiosa alo
ce em meu entender a observago a que se
recorre, deque se cria mn Batalho com ven-
cimentos, disciplina, o servjgo lodo de tropa
de linha parecendo querer dar-se maior for-
ga a esta observago com o adjeclivo Des-
tacado pois que esta qualificago de Des-
tacado ; estasubslancialmenle subentendida,
e essencialmente comprehendida no citado
Decreto, que authorisa destacar Guardas Na-
cionaes, e nesle sentido esto prevenidos sol-
do vencimentos, disciplina, servjgo, e or-
ganisitgatT, seja ella qual for; porque os modos
nao mudao a natureza das cousas. Se esta
observago podesse ser valiosa e admittir-se,
nac escapara de cerlo a sabedoria do Govcr-
no prevenil-a bem como prevenio quasi ao
mesmo lempo do Decreto citado pela referi-
da circular em termos bem frisantes e cla-
ros, que o augmento do sold da nova Ta-
bella annexa ao Decreto sob n. 260, nao com-
prehende o que se linha mandado ou no fu-
turo mandar pagar aos Olficiaes reformados ,
nome de seus avsdo nome dos reis portu-
guezes, esquecida porumde seus irmos e
talvez mercudejada por oulro em troco de va-
limento infame. O vclho entendeu o que
significava este convulso apertar de mo: duas
lagrymas llie chjram pe|as faces; mas o-
bedeceu a elrei.
S faltava D. Diniz que continuara a licar
immovel. Rouve um momento de silencio
sepiilcbral em toda a vasta salla e este silen-
cio era para todos indefinido mas lerrivel.
D. Fernando poz-se a olhar filo para seu
rmo en|eiado ao que pareca era seis-
mar profundo.
Pouco a ponco todos os idalgos que povoa-
varn aquella imniensa quadra se poderiam crer
petrificados como as columnas gothicas que
sustinham as voltas ponteaguadas do tecto se
nao fosse o respirar anciado e rpido que Ibes
fazia ranger sobre os peilos e hombros os se-
us ricos brides ( 5 ) ou as suas cotas de caval-
leros.
( 5 ) O brial era urna especie d camisola
que os cavallciros vestan! sobre as armas e


"<-
o i
empregajos no servigo das Guardas Nacio-
naes, alem do que Ibes compete como refor-
mados, na conformidade do artigo 153 da
Le de 18 d'Agosto d'1851, e por isso entendo
a circular como urna verdadeira excepgo.
Deduz-se a raeu ver, que elles somenta ao-
cumulo aos seus sidos de Reformados, os da
antiga Tabella isto he; a anterior oom os
vencimentos respectivos aos pos.tos que occu-
parem em tal servigo O Verbo Fiscali-
sar -- parece ter sido inventado pelo escrpu-
lo e subordinado ao examc ; e que seus ele-
mentos de vida sao as duvidas, e a incerte-
za : e se isto he assim como se me figura ,
e inculca a natureza da Fiscalzago, como
podem motivar surpreza uem mesmo admi-
rago as minhas duvidas nos casos sobre os
quaes nao exista Lei, nem ordem oxpressa
da Authoridade competente ; ou quando elles
nao sejo claros, e de fcil intelligencia ,
niaiormente para urna comprehenso curta ,'
d apoquentada como a minha ou cu ignoro a
Lei, se existir, ou veja urna pratica que
nao" he geralmente seguida no Imperio ?
Que otilro Despertador e por tanto que ou-
tra garanta tem a minha respousabilidade se
nao a din ida quando nao entendo liquida a
materia submetlida ao meu exame segundo
aslmperias Instrucgoes que regulo o exer-
cicio do meu Em prego, nao resultando desta
duvida prejuizo algum porque osen recurso
pelasniesmas Instrucces se acha prevenido ?
Km taes casos a minha conviego me dicta
que a duvida he um dever meu. Por tanto
em presenga do exposto, sirva-se V. S. dar-
Ihe a importancia que melhor julgar a bem
do servigo : mas, reclamo de V. S., que a
bem do mesmo servico mehabelite preventi-
vamente para saber havur-me no caso de ve-
rifica r-se a hypolhese que faz o objecto des-
ta Exposigo, na certeza que se as duvidas
nos casos declarados conslituem um dever
meu 5 o meu primeiro dever he a minha in-
teira e prompta obediencia as ordeus supe-
riores. Dos Guarde a V. S. Thesouraria
de Pernamhuco 21 de Abril de 1812 ~ Illm.
sur. Inspector desta Thesouraria JooGon-
galvcs da Silva Joze de Brito Inglez, Com-
missario Fiscal do Ministerio da Guena.
Dito Ao Sur. Contador da Thesouraria ,
remetiendo por copia para a sua intelligencia,
o ofiicio do Commandante da liba de Fernan-
do de Noronha de 5 do corren te em que
participou ter o Yjvandeiro Joo da Rocha
Muniz recolhidoao cofre do Almoxarifado
d'aquella liba a quantia de 74, reis, de que
se passou um conhecimento ; para ser pago
por a Thesouraria ; Jos du Silva Lpez
Fernandes ou a sua ordem.
Dito AoSnr. Commandante da dita liba,
aecusando a recepcao do seu ollicio de 5 do
corrente e participando que por o Pata-
cho Prapamase I he remettem 700 sa-
cos de farinha de mandioca para fornecimen
iodos armazens d'aquella Ilha ; e lembrando
a continuado das con tas mensaesda Receita
e despesa do respectivo Almoxarifado.
COMMERCIO,
ALFANDEGA.
Rendimento do dia 27 5;820,063
descarrega" hoje 28 de abril.
Galera Ingleza = Emily = Faseqdas, ma-
quinas e taxas.
Brigue Europe = Carvo da pedra um car-
ro e miudesas.
Brigue Inglez Nigthingale =s Ferro, maqui-
nisiio, taxas e alcatrao.
Brigue Inglez = Funehal = Bacalho.
EDITAL.
O Coronel Joaquim Bernardo de Figueiredo
Juiz de Paz da Freguezia do SS. Sacramen-
to do Bairro de Santo Antonio da cidade
do Recifo por S. M. o 1. &c.
Faz saber que d'hora em diante as Audi-
encias deste Juizo s.;ro as torgas e sextas
fe i ras s 5 horas da tarde ou no dia inme-
diato sendo aquellos das Santos, ou feriados;
e para que chegue a noticia a quem convier
manuei lavrar o prezente Ediial que ser
publicado pelo Diario. Bairro de Santo An-
tonio do Recite 27 de abril de 1812. = Eu
Innocencio da Cunha Goianna escrvo o
escrevi. =Joaquim Bernardo de Figueiredo.
D E C L A R A g C) E S.
= O Patacho 4 de Majo de que Capito
Joo Antonio da Silva, sai paraoCearno
dia 4 de Mam.
CONSULADO BRITNICO.
= Faz-ze saber aos subditos Britnicos
residentes em Pernamhuco, que a reumo
annunciada para o dia 28 do corrente lica
transferida para segunda feira 2 de maio, ao
meio dia para os (ins designados no acto
George IV. Cap. 87. Consulado Britnico
27 de Abril de 18i2.=H. Augustus Cowper,
Cnsul
negocios de seu interesse o pode procurar
na ra Augusta sobrado de Jos Mura Placi-
do Magalhes no segundo andar. ,
cr* Pergunta-se ao Sr. Joiquini Joze Fer-
reira com que authorisago recebeo ceis sac-
ras d'algodo remedidas por Ignacio Joaquim
de Britto Manoel Joze da Silva Braga nao
sendo procurador deste.
*& OSr. Joatjuim Vieira de Barros que
a poneos mezes chegou da Cidade do Porto a
esta Cidade queira ter a bondado de annun-
ciar a sua morada que se Ihe deseja fallar.
825^ Joze Jacome Tasso retira-se desta
provincia a tratar de sua saude, deixand sua
familia.
= 0 1, Secretario da sociedade Theatral-
Recreio & Instrucgao" avisa aos membros da
mesma que a commisso Administrativa tem
marcado o dia 2!) pelas 6 horas da tarde pa-
ra reuni geral na casa da sociedade para
approvago dos novos Estatutos.
= Joze Pedro Marques da Silva lendo o
animncio de Joao Baptsta de Queiroz, em
resposta ao seu de 23 do corrente ; declara ao
publico que nada deve ao dito Queiroz e
que pode o mesmo demandallo, comoannun-
cia qu9 jamis rege!tar o desafio para a
jusliga.
= Narcizo Joze Ferreira retira-se para o
Ccar, no primeiro navio, que se ofFerecer pa-
ra aquelle porto.
= Deseja-se fallar com o sur Antonio de
S e Abren sendo que exista nesta praca :
queira aununciar sua morada ou dirija-se a
ma Nova I) M, negocio dti seu inte-
resse.
3e Roga-se aosnr. Peregrino Antonio d'O-
11veira
seu efleito o por ser a dose geralmente de 4 a
o sao estas pilulas prefcriveis e superiores
a qualquer outra medicina. Ellas tem sidu
a nica medicina de militas familias por longo
lempo tirandoserripre o desejado fim de res-
tablecer a saudei Sendo um grande preser-
vativo para o escorbuto e tenesmo q suas
conseqdencias ; os martimos e viajantes nao
deverio irsem ellas., Os habitantes dma-
lo e serto encontraro bestas pilulas urna
medicina que Ihes assegure. as vidas de seus
escravos. O nico deposito das verdadeiras
pilulas vegetaes be em casa del). Knoth a-
gente do author no ra da Cruz D. 57 ,
para onde se mudou de fora de portas.
N. B. Para maior seguranza vai cada cai-
xinha embrulhada em seu receituario e la-
crada com sello d casa em lacre preto.
= Na presenca do sn\ Juiz dosOrfos. so
pora em hasta publica por arrendamento an-
nual o conhecido sitie do arraial, do finado
Joo Carlos Pereira de Burgos, contendo u-
ma caza de vivenda de 4 aguas aereada do
espagozos allegreles com o seu jardim cozi-
nha fora, a semelhanga de urna Capella,
portad forte e murado de pedra e cal ato as
duas extremidades do rio e o mais com cer-
ca nativa sohradihh para pombal, coxei-
ra em baixo, cazas para feitor e escravos ,
estribara para 5 caval los curral para vaccas
e urna nova coxeira sobre a qual tem um so-
tad que avista parte da Cidade de Olinda ,
caes a niargem do rio, ponte, um grande ba-
nheiro, 2 lelheiros para lavdeiras, allegro*
tcs ; tudo de pedra e cal, um gratule vi v ro
parapeixe, o varios arvoredos estrange ros
em alinhamento que forman urna vista lito -
que annuncic por esta fo'lha a sua resca ; o qual ser apregoado no da 2 do Maio
THEATRO.
reparticao da polica.
Passou-se Titulo de residencia
Joaquim Joze Lisboa de Oliveira Joze
Ignacio Coelho Joaqu m Joze Gomes, Mi-
guel Joze Barboza e Silva Joa Ferreira ,
actualmente Joa Ferreira de Dos Manoel
Domingnos da Silva Jnior, Samuel Berez ,
Manoel de Faria actualmente Manoel Joa-
quim de Faria Jo/e Pedro Moreira Mano-
el Silveira d'Avila Sebaslo Vieira Coelho ,
Joze Joaquim Pinto Martins,
Os labios d'elrei trejneram como a super-
ficie do mar encrespada pela leve e repentina
aragem que precede immediatamente o tufo.
Depoisentreabrindoos cornos dentes Cer-
rados murmurou :
Infante D. Diniz beijai a mo vossa
rainha
,por cima da qual apertavam o cincto da espa-
da. Tambem o vestiam sobre os pannos in-
teriores quando andavam desarmados. O
seu uso durou por toda a idade mdi. c era
ainda lembrado nos fins doseculo 16. em que
o auctor ou traductor do Pahneirim d'In-
glaterra tantas vezes se lembra delle. as
Jeissumpluariasde AHbnso4. nao se trata <
verdadede tal vestido ; mas a raso disso
obvia : o brial era trajo militar e aquellas
Jis versam sobre o vestuario civil. N"a or-
denago allonsina L. 1. tit. 65. 21 se man-
da cingir a espada a novel sobre* o brial. (J
diccionario de Moraes alfirma que o brial era
o manto dos cavallciros : um dos bastos
destemperos daquella babel da lingua portu-
Domingo 1. de Maio infalivelmente desen-
Canlar-se-ha = O Valle da Torrente =subli-
me Mel Drama que por causa das grandes
cheias e terrrveis trovoadas tem por duas
vezes icado encantado entre dois ajtissimos
montes, que sao dividirlos pelo mesmo Valle;
mas os socios empreiarios para poderem des-
encantar a Peca e faze-la navegar sem pe-
rigo dos Cacbpos pertendem pr-lhe a re .
boque a jocosissima farga= As Astucias das
Gamenhas = porem como a torrente, pode
ainda nessa noute estar impetuosa, para pre-
venir-mos os desaslres e prejuizos que posso
occorrer roga-se ao respeitavel publico, que
se digne contribuir para esta empreza com
um consideravel numero de sedulas, que se
rao outras tantas taboas de salvagao em que]
escapem do naufragio os agentes e mais em-
pregados do Theatro do contrario teremos
de ver desgragadamente submergirem-se,
tanto aquelles como estes no pelago inson-
davel.
Principiar s horas do coslumc.
AVISOS DI VERSOS.
A pessoa que annunciou querer saber
a residencia de Francisco Raimundo de Bar-
pos Tatayra do Maranho para tratar de
Foi um s o volver de lodos os olhos para o
mogo infante : o sussurro das respirages
cessra.
D. Diniz nao respondeu : encaminhou-se
para o meio do aposento : parou defronte do
thron e olbandoao redor de si, perguntou
com sorriso de amargo escarneo :
Onde est aqui a rainha de Portugal ?
gueza. Eis o que diz o auctor do poema do
Cid escripto no meado do sceulo 12 fallando
no brial. ( Sanches P., Cast. ant. al siglo
la. t. l.pag. 317.)
Visliocainisa de ranzal tan blanca como el sol
Sobre ella un brial primo de ciclton.
Sobre esto una piel bermeia.
morada.
Sr. Manoel Pacheco de Queiroga; quei-
ra vir ou mandar receber urna caixa piquena
de muzica que tem em poder do abaixo' as-
signado.
Pedro Jos Biheiro Alvares.
= Pilulas Vegetaes e Universaes Ameri-
canas. =A. fama destas pilulas vegetaes do
Dr. B. Brandreth pelas graudes curas dellas
oblidas faz com que sejo procuradas com
avidez e dellas fazem uzo tanto nos casos mi-
nutos, como nos mais intrincados. Sore-
commendadas por milhares de pessoas a iuem
ellas tem curado dotisioa, influencia, ca-
tarros indigestoes, disdeusia dores de
cabega dores ou peso eni a nuca que ge-
ralmente sao sntomas de apoplexia, ictericia,
febres intermitentes bilis, escarlatinas, fe-
ble amarela c toda a classo de febres as-
ma gota reumatismos eufermidades ner-
vosas dores no ligado, pleuresa, debilida-
de interior abatimento ne espirito, roturas,
inflamagoes inchagoes dos olhos aociden-
tes paralisia hydopresia bechjga saram-
po enfermidades dos meninos tosse de to-
da a classe, clicas dor de pedra lombri-
gas, desenteria surdesa vagados de cabe-
ea enlVirmidade de S. Joao erisipela ul-
ceras algumas de 30 anuos canearos tu-
mores inchagoes nos ps e pemas almor-
rvimas. irrupgao de pelle sonhos horrive-
is pezadellos toda qualidade de dores e
molestias da muflieres como obslruges,
relaxages &c. Em lodos os casos estas pilulas
sero um remedio certo o simples porem
poderoso, para cura de moleAlias chronicas,
contagiosas ou nao e o que as faz mais adap-
tareis a esle paiz he que nao tom a menor
tendencia a resfriados quando setomAo. Nao
requerem dieta nem resguardo algum n sua
composigo he to simples que nao fazem
mal a mais bnra crianga. Pelo agradavel de
De suso cubri un manto, quees de grant valor.
Infante D. Diniz Disse elrei cujo
rosto o furor mal reprimido demudara.Sof-
fredor e bom irmo tenho sido por largo lem-
po : nao queirais que seja hoje s juiz infle-
xivel do filho querido daquelle que tambem
me gerou Infante D. Diniz Beijai a mo
da mui nobre c virtuosa D. Leonor Telles ,
Como fez vosso irmo mais velho, de quem
devereis haververgonha.
Nunca um neto de D. Alfonso do Salado
replicou o infante com apparente tranquil-
lidadebeijar a mo da que elrei seu irmo
e senhor quer chamar rainha Nunca D. Di-
niz de Portugal beijar a mo da mulher de
Joo Lourenco da Cunha. Primeiro ella des-
cera desse throno e vira ajoefliar a meus ps ;
que de reis venh cu nao ella.
Dcjoelhos, dom traidor gritou D.
Fernando pondo-se em p e descendo dois
degraus do estrado. Dejoelhos, vil parcei-
ro de reveis sandeus Se a taberna de Folco
Taca vos ouviu fazer preito infame aos peoes
de Lisboa qucbra-lo-heis dinte de Yos-
proxinio futuro s 5 horas da tarde na caza da
rczidencia do dito snr. Dr., na ra do Qu.ei-
mado, a requerimentoda Viuva Inveniarian-
te D. Francisca da Cunha Bandeira de Mello ,
para pagamento dns ('.redores con forme
concordata que se selebron.
K?* A pessoa que percizar de urna ama do
leite que tem bastante pratiCa de criar, ou.
mesmo querendo dar erianga para se criar
em sua caza com bastante zello dando-se
fiador ; dirija-se a ra dos quartes no 1. an-
dar do sobrado D. 11 que se dir he apes-
soa.
tsr No dia 26 de Abril corrente furtaro
de dentro de urna canoa do recife um embru-
Iho contendo I bilhele devedido em dois
meios ditos da 2. parle da 1. lolheria do Ho-
zario da Boa-vista dos nmeros 2813, com
o premio de 10, reis e mais una sedula de
2, reis ludo embrulhado em um papel pardo,
quem o achou querendo restituir ; dirija-so
a Olinda ra do Varadouro venda de Joze
Fernandes da Silva p. 19 que ser recompen-
gado licando serlo que oSr. Thesoureiro ja
se acha siente.
W Na ra nova loja de caldoreiro D. L4
est urna carta vinda de Lisboa para Joze An-
tonio Ferreira que outra pessoa de igual no-
me recebera, cuja caria Iraz alguns papis d
importancia quem for seu legitimo dono di-
rija-se a mesma caza que dando os signaes
cortos se Ihe entregar a dita carta, receben-
do-se o emporle que se lem pago.
tir Pcrdo-se ai oito horas da hoite do dia
25 do corenle na ra Formosa do bairro d
Boa-vsla urna carteira contendo de vinle
cinco a trinta mij res cm sedulas de um a
cinco mil reis quem a entregar, na mesma
ra no sobrado de Antonio Martins onde
morn o Commandante das Armas recbe-
la a metade do conteudo da carteira.
s re quebra-lo-his que vo-lo digo
cu f
D. Diniz viu ento que todos os seus passos
eslavam descubertos : achava-se por feso a
borda d'um abysmo. Hesitou um momento;
mas lembrou-se de qu era neto do hroe dd
Salado e precipitou-se na voragem.
Vil a mulher barregan e adultera e
essa ambas as cousas. T aidor seria un
rci de Portugal que assentasse o adulterio no
throno c voso lizestes re deshonrado
maldito de vosso eus e de vosso povo! Quem
neste logar o vil e o traidor ?
0 infante acabando de prolerir estas pa-
lavras abaixou a cabega e deixou desca-
hir os bragos. Elle bem sabia que se se-
gua o morrer.
( Conlinuar-se-b.)


tS" Manoel Antonio Jorros subdito por-
tuguez retira-se para o Cear.
= iht. Mari;. Jorge, Negociante da rio-
vrncia do Cear retira-so para a mesma pro-
vincia.
Er Manoel Joze Salgado subdito portuguez
retira-se para fora da provincia.
CT Engomma-secom lodo asseio c por
prego commodo qual(|ucr quantidade do
rnpa e tambem sccncarrega da lavage da
mesma no Ro ; quem pretender dirija-se a
ra da cadeia ve!ha n. o 4 primeiro andar.
cgr- Joze Gonsalves Villar negociante na
provincia do Cear rotira-se para a mesma.
ssr Aluga-se urna casa coni grande quin-
tal e muitos commodos em Amaro
junto as casas do Snr. Cardozo por ui|) ou
maisannos : a tratar na ra Nova coro o sen
proprietario.
tsr O Sr. Francisco Jeaqnim de. Oliveira
Guimares queira annunciar a sua morada ,
ou dirigir-se a casa de Marques Vea na
ra do Amorirn para bom dos setis interesscs.
tsr Carlos da Silva Tavares retira-se pa-
ra a provincia do Cear.
tsr Ka/, sciente o respeitavel publico
Francisco Correia que inudou o nome para
Francisco Tavares Correia.
tsr Francisco Joze Machado Guimares ,
subdito portuguez retira-se para o Breo de
areia.
tsr O abaixo assignado perdeo um meio
bilhete da segunda parte da nona lotera do
theatro de n. 1123 a vista do que previne
ao Sr. Thesoureiroda mesma de a mais nin-
guem o pagar no caso de sabir premiado.
Joaquini de Oliveira Maia Jnior.
tsr A 20 docorrenledesapareceo da ra
larga do Roza rio um quarto castanho com
cangalha e cassoaes vasios de vender carvo ,
**m
i4
.
ES-*ft
B!HgJ
&
o teudo nao pode ella embarassar, ou coarc'tar"
o pleno direito dus onunciaiites.
tsr Jacinto Augusto de Miranda subdi-
to portuguez retira-se para Angola.
tjr Bernardo da Silva faz sciente ao res-
peitavel publico que de hojj em diante so
assignar Bernardo Francisco da Silva.
CI" O consignatario da Barca Ermelinda, ,
que seguiodeste porto para o de Angola, e
que fo ali tomada o eonduzida para a serra
Deoa ; faz publico aossors. carre.adores da
mesma Barca que ella foi julgada m presa ,
e sequo o sen destino.
\T Joze dos Res desejando sempre mos-
trar quanto he grato aos benelicios recebi-
dos do respeitavel publico Pernambucaao, em
satisfagan ao pedidu incerto no Diario nu-
mero 01 e de outras pessoas eslimaveis (ara
cantar na prxima iioute- de divertimeulo a
lonadillia Chiquita nao como parte inte-
grante dessedivertimento mas como tributo
de seu sincero reconhecimento e para que
essa repiticu nao molesto aquelles pessoas,
que nao exigiro urna, tal repitgo.
AVISOS M ABIT l M OS.
a pessoa que o aprehender podis entregar
em dita ra venda D. 1, qoe se pagar toda
adespesa ese gratificar.
tsr A pessoa que annuncjou querer fallar
aoSr. Felis Vieira da Silva ou a seu filho A-
driano Arches da Silva dirija-se a ra do
Crespo D. 8 lado do Sul.
tsr Antonio de Oliveira faz sciente ao res-
peitavel publico que por haver outro de
igual nome de boje em (liante se assignar
Antonio Marques de Araujo Oliveira.
tsr Aluga-se umsotu' na ra de Moras
. 50 com bous commodos, predio de D.
Francisca.
tsr Precisa-sede um caixero portuguez ,
de 14 anuos: na praga da Independencia nu-
mero 18.
tsr Antonio Joze Moreira de Carvalho ,
subdito portuguez desde 1 de Dezembro de
1838, que se tera assignado Antonio Peixoto
de Carvalho por ter encontrado outro do igual
nome.
iv Joanna Mara de Jess retira-se pa-
ra a Provincia das Alagbas e como julga-s*
nar, dever nada nesta praga porisso faz o pre-
tenle annuncio. '
%sr. Joaquim Francisco Bio que se mudou
de urna casa de innandade na ra do Amo-
rirn queira declarar a sua morada ou di>
rija-se a ra do Queiniado 11 a negocio de
eeu inleresse.
C7" Quem annunciou querer comprar 2
selins piados dirija-se ao atterro dos aflb-
gados fabrica de tabaco.
%3T Na travessa da ra larga do Bozario
D. 11 terceiro andar recebe-se discpulos
para aprenderem a alfaiate forros ou capti-
vos e da-seo sustento no caso de precisa-
re tn.
im Precisa-se fallar aoSr Joze Mauricio
Teixera de Albuquerqtiu : annuncie a sua
inorada.
tsr Um socio do gabinete literario ten-
do ido ao mesmo ja a bastantes das, e a di-
ferentes I.oras e tem achado sempre fechado ,
j,ortanlo pedeao Sr. bibliotecario do mesmo
em que diasea que horas est aberto para
nao perder o seo lempo.
*gr Perdeo-ac urna letra da quantia de
200* com o ultimo indocs por Joo Joze Mar-
ques de Araujo a favor de Gaudino 4gost-
nbo de Barros ; quem a achar queira dizer
nde pnocura-la ou manda-la a caja do dito
Gauduy, na praeinha do Corpo Santo D. 67,
que ni gratificada assim o queira.
tsr Francisca Caelano Profiri e Custo-
dio Moreira da Silva vendo o annuncio de
sexta reir 22 do corrente de Anna Luiza
Correia de Mello, declarao, que ejles e
uasuiullieressao lfritimos senhores e pos-
uidores do sobrado da ra ;dr Agoas verdes
1). 2" e do terreno na ra dos Martirios, os
quaes sr acho desembarassados de pinhora
e hjpothoca e pedem mesa Arma Luiza'
minio aprsente titulo, pena de se haver
por calumnia o sed annuncio pois que m0
tsr Para o Ro Grande do Sul pretende
sabir no fim do crrante meza sumaca Caro-
lina, nova, forrada de cobre e de primei-
ra marcha por ter o seu carregamento com-
pleto recebndo nicamente passageros ou
escravosa frete ; os pretenderles dirjo-se
a Machado e\ Santos, na ra do Amorirn.
23" Para o Maranhao segu viagem com
muita brevdade o Brigue Escuna Amalia ,
CapitAo Cstanislu Joze Rodrigues anda
Ihe falla alguma carga ; quem quser cafre-
gar OU ir de passagem dirija-se a Machado &'
Santos ou ao Capilo.
car Para o Maranhao sahjr dentro em
poneos das o Btgue Escuna Voador por ter a
maior parte de seu carregamento prompto ;
quem quser carregar u ir de passagem para
o que tem excellentes commodos, dirija-se
ao proprietario Firmino Joze Felis da Roza,
na ra da inoeda n. 110
L E I L A O'
tsr Alcxandre Maekay & Companhia fa-
zem leilo por iritarvengo doCorretor Olivei-
ra de cerca de tem barrica: contendo sal
retinado em caixinbas pequeas bem acondi-
cionadas e proprias para conservar o genero
por immenso lempo ; Sabbado 30 do corren-
te ao meio da em ponto no armazem de
Joze Rodrigues Pereira & Companbia no
becodo capim.
IV Hoja 28 do corrente as 10 horas da
manb no caes Ja Alfandega, se far leilo
de bolaxa do Lisboa e Americana, comnhos.
all'azema sal de Lisboa e algumas outras
miudezas tudo no estado em que se achar,
os Sis. compradores podem fornecerem-se por
pouco dinheiro.
tsr Me. Calmont & Compar.biafazem lei-
le de grande porgo de algodozinho ameri-
cano de chapeos de palha de dilferenles
qualidades e outras fazendas boje 28 do
corrente as 10 horas da manha no seu arma-
zem da ra da Cadeia.
COMPRAS.
XW Sacos vasios em bom estado: na ra
da Cadeia do Recife loja de fazendas n. 17.
C^ Um metbodo de Vienne para flauta ,
que seja enadernado e com pouco uzo : na
ra Nova 1). 3.
ss&~ Dous espclhps que sejo uzados e um
par de mangas de vidro lisas; quem livor an-
nuncie.
C?* Tartaruga em grande ou pequea por-
co penles velhos anda mesmo quebrados;
assim como se conserta toda obra de tartaru-
ga : na ruado Arago no deposito de assucar
refinado.
BF* Um diccionario inglez por Vieira an-
da mesmo tizado : na ra do Queimado loja
de ferragens D. 6.
V E N B A S .
B Mieles (la <2. parte da
6. Lotera concedida
favor das o bras da Ma-
triz da Boa vista cujas
rodas andao impreterivel-
loenie il de IMao ; nos
lugares do costutne.
cr FarinJia de mandioca ebegaaa de S#
Malheus muiloVaa. Q = saca e queren-
dosem saco tirarse o valor delle : na ra da
Cadeia do Recife n. 17 e a bordo do lliate
Flor da Laranjjeira fundiado nu volta.do forte
do mallos.
ssy Um viveiro para passarinho de na-
deira amarella pintado e muito bem feito ,
por prego commodo : na ra do Livramento
loja de ferragens D. 55.
3" Um metbodo de rebeca com muito bo-^
as msicas, por preco commoejo : no atter-
ro da Boa vista D. 20.
^ ssy Um carro de 1 rodas ebegado ltima-
mente de Frapga por prego commodo : pa,
ra Nova em casa do Sr. Augusto segeiro.
cr Um cavallo gordo de cor preta en-
sinado para carro : na ra do Hospicio na
nica venda que tem a ua.
tw Arroz de casca a I08OO o alqueireme-
dida velha papel meia hollanda a 3j200 a
retina vellasde espermacete de 5, 0, 7 e 8
em libra a 800 rs. caf em grAo a 160 a li-
bra : no pateo do Carmo quina da ra de
HortasD. 1.
t3~ Bilhetes da lotera do theatro que cor-
re boje : na ra do Cabug loja de miudezas
jnnto a botica.
V tsr Chapeos de sol de seda do Porto, pa-
o de linho aberto para loalba.se lences, ro-
zetas de ouro para senhura, tudo do porto
e por preco commodo : na ra do Fagundes
D. 1 sobrado de um andar do lado da mar.
ts^" Urna carteira com seu banco, uro
moinho a lorrador grande para caf ; quem
pretender annuncie.
tS" A posse de um terreno pouco alagado ,
ja em parte atterrado no lugar dos Coelhos
no correr da ra dos Prazeres com 550 pal-
mos de largo e 121 ditos de fundo at abai-
xa mar da camboa ; um sobrado na ra do
Arago da Boa vista, de um andar tripeira,
com veranda de fero, casimba, e tudo novo;
e mais 5 travs de boas qualidades cora 52
palmos de comprido e palmo e torno de lar-
gura ; tudo existe na boa Bp^ vts,la ra do
Arago D. 57.
MT* Manteigadeporco muito boa a 2i0a
libra : no assougue defronte da Cadeia.
tsr Urna vaeca muito gorda e manca, pa-
rida Domingo dePascoa com bom leite e a
cria bem nutrida por preco commodo ; 2
(landres que forao de azeite de carrapalo ; 1
relogio de algibeira bom regulador ; 12 sa-
cos vasios a 210 cada um na ra de S. The-
reza vndaD. 15.
tar Urna escrava que sabe fazer todo o ser-
vico de urna casa excepto engommar, urna
poucade pratadefiom toque, e a venda B. 8
da ra da roda sorlida ou somente a ar-
maco e pertences : a,fallar na mesma.
tsr Um casal de escravos de excellentes fi-
guras sendo o negro sem vicio algum do
servco deganhador e de enchada e a ne-
gra tambem sem vicios excellente lavadeira,
e tozinha o ordinario : no atterro dos Affo-
gados D. 18 defronte do viveiro do Mimiz.
tsr Marques & Veigas na ra do Amorirn
vepdem por prego commodo os seguinles g-
neros : sag a 180 chocolate p ssas co-
pos de medida garrafas brancas, arroz com
casca a lj200 charutos fumo de folba, de
primera qualidadc dito trancado da ame-
riea.
cyUma casa de louca de barro, com com-
modo para familia : na entrada da ra do
Bangel B. 57.
tsr Umpretode bonita figura, bastante
alto e bom canoeiro de 20 anuos : na ra
da Cruz 11. 58.
tsr Urna escrava creoula de dado de 20
annos coze cozinha e tem principios de em-
gomado ; outra dita de nacSo de idade de 28
annos hequlandeira cozinha e lava: na ra
DireitaD. 20 lado do livramento.
vos. 0 eacravo a sima nomeado tem os signaos
seguales urna coroa pequea na cabera ,
dO'panicu da vendagem de pu naco con-
go idqde 20 annos naris e beic,os grossos,
denles limados, e acangulados altura pe-
quena 6 corpo grosso e pois a pal Imitado o
bixentos pois quem o aprehender sendo
campanha ou pessoa particular receber, re-
compenca do seu trabalho ; ou der noticia
certa tambem ter alguma gratificaco.
Joaquim d'AnnunciaQo Siqueira Varejo.
tsr No da quinta feira 21 do corrente
dosapareceo um molequede nome Miguel de
idade de 10 annos pouco maisou menos, le-
vando vestido caiga de ganga amtela ja velha,
e carniza de cbila a zul, tem urna cicatriz por
junto do peilo que diz ser forro da sua tr-
ra e uma.marea redonda bm urna das faces
mais preta que a cor natural : he meioioli-
nlio porem falla alguma couza e sabe nao
so diser o nome do Sr., como a ra onde
mora. SupOe-se que esta moleque foi furta-
do e por tanto roga-se as aulhoridades po-
liciaes tanto desta cidade como do mato e
pessoas particulares o obzequiodeo aprehen-
derein e oferece-se urna boa gratilicaco a
quem do mesmo der noticia ou o pegar
prometendo guardar segredo, as 5 ponas
loja de fazenda D. 22.
tsr Sebastio molalo idade de 18 an-
nos estatura regular seco do corpo s m
barba rosto comprido cor alvacenta den-
tes limados cabello um tanto ebegado ao
casco; e anda descaigo. Fugio no dia 21 do
corrente levando carniza nova d'algodozi-
nlio calcas de riscado azul jaqueta de gan-
ga azul, chapeo novo. Quem o aprehender
e lvalo a seu sr. Joze Jacintho da Mallos e
Silva na estrada de Joo da Barros no si-
tio que foi do falescido Guarda Mor d'Alfan-
dega, ser generozamente recompensado.
MOV1MENTO DO PQRTO.
ESCRAVOS FGIDOS.
tsr Havendo o abaixo assignado alugado
um seu escravo de nome Domingos a um
padeiro na ra das laranjciras ao Sr. Lins de
Castro e Oliveira, soube que no dia 16 do
corrente este mesmo escravo havia se auzen-
lailodo poder do referido padeiro : e porquo
tomando o abaixo assignado algumas infr-
magOes, Yiera a saber que um preto do Sr.
Francisco do Prado Hespanhol, que tem pa-
daria as cinco-pon tas da va noticia do dito
escravo fgido c hindo a caza do dito Sr.
Hespanhol, respondeu-me o preto delle, qpe
o escravo Domingos fra seduzido a troco de
vinte mil res por um sugoito 5 alias de m
nolla cujo nome nao declaro por em quan-
to e modestia : roga por tanto o abaixo
assignado as Aulhoridades Policiaes quei-
ro tera bondade alem do seu officode por
as suas vistas escrutadoras na endagago deste
negocio; principalmente pelo lado dos pas-
saportes q s,- cu(uino a dar para cscra-REC 1FE ^A TYP. BE M. F. BE F. = 1845
NAVIOS ESTRADOS NO DIA 26.
Rio de Janeiro ; lidias Patacho Brasjlei-
ro S. Am^ro de 211 tonel., Cap, Izidro Do-
mingues dos Passos equip. 11 carga fa-
rinha : a Gaudino Agostinho de Barros.
8AH1DO SO MESMO DIA
Liverpool; Barca Ingleza Thomas Mellor ,
Cap. James Paletborpe carga assucar e
algodo; passageiros Ingezcs Thomaz B.
Gunston AnnaGunston e Mara Fenry.
Lisboa ; Brigue Portuguez Conceigo de Ma-
ra Cap. Manoel Caetano Nunes carga
varios gneros passageros brasileiros Hen-
rique da Silva Bamos Joo Eugenio da
Silva Ramos Mara Luiza de Mendonca ,
Barbara Francisca Xavier Mara da Pie-
dade Eucia criada portugueza Joa-
quim Joze da Fonseca, Manoel Pereira Car-
neiro Andr Alves dos Reis, Francisco
Morejra Sena ; pprtuguezes Nepomuceno
da Fonceca de Moura Manoel Andr Go-
mes, Joze Joaquim da Silva Maia', Luiz
Antonio da Cimba Maroel dos Santos,
Joz Mara Pereira de Sauza e o Hambur-
guez Joo Jacob Luiz.
Philadeiphia ; Curyeta Americana Marin ,
Cooimandante Gouldborouph.
Londres, Brigue Ingles Calcutta Cap. Ro-
bert Hunt, carga a mesmaque trouxe.
Maranhao ; Patacho Brasileiro S. Joo Cap.
Felippe Bodriguesdos Santos Moura car-
ga diversos gneros.
ENTRADOS NO DIA 27
Halifax ; 15dias Brigue Inglez Chedobucta
de 177 tonel. Cap. W.m Lthgow equip.
15, carga bacalho : a Me. Calmont & C.
SAHID0S NO MESMO DIA.
Rio Grande do Sol Brigue Brasileiro Sagita-
rio Cap. Antonio Joze dos Reis carjaa
mesma que trouxe.
Falmouth ; Barca Ingleza Irt, Cap. J. Flet-
cther carga assucar.
Portos do Norte ; Vapor Brasileiro S. Salva-
dor Commandante J. H.Otten; P. brasi-
leiros Antonio Gonsalves Marlns Joo
Joze de Carvalho Bangel, Reverendo Do-
mingos da Rocha Vianna Francezes Mou-
r Chanchalepin.
.i n TTi .i ,..'.-' ., i.. .' "
ERRATAS.
No Extracto d'um impresso Inglez a pag-
5 do i. 91 tercena col. lia. 64 em vez de
por temor= Icia-se = por termo =. na lin.
79 em vez de= conservago = Ieia-se=:
conversao; na l.col. da pag. 1. liq. 32,
em yez de e produzir leia-se e qtw
produzamos.
"----------------------------------------------- J,! 1 I ---------------------------------------"""


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EMDKCR96J_86LEEX INGEST_TIME 2013-04-13T03:28:20Z PACKAGE AA00011611_04641
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES