Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04639


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anuo (Je 184*2. Terca Feira fi> de
Todo i;oti dapaade e no meimoi ; d nos prudencia, moderacao, eenorgia : con-
tinucaio ooano |>rinei|)ino, caeremos ponl*do com admirac.'in entre > Naces mais
.-uliaa. (Proclaraaoao da Aaaemblea Geral do iran.)
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES.
Gnianna, Paraiba, e Rio -rande do Norte, na aeguuda e sexta feir.
ftointo e Grnbons, 1(1 e 24.
Cabo, Sarioh, Hio Formato, Porto Cairo, Maoeio, e AI-oas no l H, e 21.
I'ajc 13. baolu Arillo, <|umt feira. Oliada todoaoa da.
DAS da semana.
25 SR. i. Marnos Evangelista. Cnanc. Aod. do.I. deD. d 2. v.
2ti Tese. 5. Pedro de Bts. Re. Aud. do juii de Direito da 1. Tara.
27 Qua'rt. .Tertuliano B. Cbanc- Aud. do J. de D. d 3. r.
28 Qoint. S. Vital M. Aud. do J de 1). d 2 y.
29 Set. S. Pedro M. (* n fregueii de Pedro M ) Aud, d J, de D. da i. t.
3'J Sb. S. Catltarina de Sena. Aud. do J. de D. da 3] t.
1 De Maio Doip. A Maternidad* de V. Sra. 'elipne, c s. Tia Ap.
Abril.
Anuo XVIM. N. jO.
O Diario publicase lodos o di que nao forem Sar.tifiradns: o ftteo ai-natura ha
de tres mil reis por qurlel pagos adianlados. Os annuncios dos Mat|RMMa ,.'>' inserido*
prln, eo dos que o alo forem raiao de 80 reis por iinh. As nelaaacOai derrm ser
dirigida a esl TyoograGa ra das Cruies !). 3, ou a prana da Independencia 1,. jt |Ir,
Numeres 37 e 38. ,,
CAMBIOS no da 23 de Abril.
Omino sobre Londre 2S d. p. 4U. PaUfia- Peos ('olumnares .f'St)
. Pris 880 reis p. franco, i. Menanos I 8u
> i. .isboa SU S,i p. 100 de pr. u miuda 1 A'lO i \ ji',;i
Our.o-Moedade6,40 V, 15,000 Moeda de cobre 3 poHOOde teonfo.
N. 44,'JO Discunlu de billi. da UfanaWa 4 pal -lott
> de 4,000 8,200 ao met.
FTi PatacGes 4,680 | dem de letrs de boas firmas le al
i
Pamar do dia 1% de Abril.
I." a 5 bor e 18 m. da nianb.1.
2. a 5 horas e 42 m. da tarde.
PI1ASF.S DA COA MO MF.Z L>E ABRIL.
Ouaft, ming. a 2 -- a 4 boras e 4 I m. da larde.
La Nova a 40-- s 8 huras e 43 m. da larde.
Ouart. cresc. a 48 -- ka 4 horas e 14 m da manh.
La ebeia a 21 -- s i) huras e S ib. da larde.
IAKI
UE PERNAMBUGO.
PARTE OFFICIAL.
ACTA 1>A sesso da assemblea legislati-
va provincial em 22 de abril
de 1842.
presidencia do snr. maciel monteiro.
Feila a chamada acharao-se prezentcs 25
si-, deputados faltando sem participago os
srs. Pedro Cavalranli, Uchoa Cavalcante ,
Machado Rios, Pereira de Rrito, Manoel Ca-
valcanti e Baro de Suassuna.
O sr. presidente deelarou aberta a sesso ,
foi lida e approvada a acta da antecedente.
expediente.
Um requerimento dovigario da freguezia
de Muribeca pedindo o pagamento da con-
grua que se lhe deve desde Abril do anuo
payado := commisso de faienda c orna-
mento. O sr. Uliveira apresenlou o requeri-
mento seguinte : = re(|ueiro a urgencia do
projecto n. 2 deste anno sobra a.lotera do
theatro publico para ter a 5. discusso agora
mesmo : = apoiada e vencida a urgencia ,
foi approvado. O sr. Bizerra Cavalcante : =
requeiro urgencia para que entre em discus-
so boje com preferencia a qualquer objeclo
o projecto n. 19 : = approvado. 0 sr. Car-
neiro da Cunta : = requeiro urgencia para
que linda a 2. discusso da le do ornamento
entre em discusso o projecto n. 2i sobre o
melhoramento do fabrico do assucar com pre-
ferencia a qualquer outro objecto := appio-
vado.
ORDEM DO DIA.
Entrou em 5. discusso e foi adoptado o
projecto n. 2. deste anno. Tomro assen-
to os srs. deputados supplenles Joaquim Jo-
s da Costa e Laurentino Antonio Moreira
de Carvalbo.
2.* discusso do projecto do ornamento
municipal. Os arligos 22, 23, 24, 2;>, e 20
foro approvados. Viero meza os seguin-
tes artigos addilivos : do sr. Jos Pedro =
Os cirurgies das cmaras das duas cidades de
Olinda e Goianna tero pelas suas respecti-
vas cmaras mais 100, reis de gratilieaco :
salva a redaego : = do sr. Giliranna = A
cmara de Nazareth poder conceder ao ci-
rurgio ali residente urna gratilieaco que
nao exceda a 200ji ; obrigando-se o mesmo
cirurgio a curar os pobres : = foro apoia-
dos eentraro emdircusso. O sr. Nabuco
niandou meza o seguinte requerimento :
=: requeiro o adiamento dos artigos additi-
vos para a 3. discusso : = approvado. Ao
art. 27 o sr. Lopes Gama mandou a seguin-
te emenda : = supprima-se o art. 27 em
discusso : = apoiada. 0 sr. Lobo := em lu-
gar da palavra as conceder = diga-se = pro-
pr: = apoiada. Encerrada a discusso fo
approvada a emenda de suppresso do art.
ficando prejudicada a do sr. Lobo. Entrou em
discusso e foi approvado o seguinte art.
additivo do sr. Aguiar: =os augmentos de
gratificages, que forem concedidos pelas
cmaras municipaes nao sero pagos sem que
sejo confirmados pela Assemblea provincial.
Passou em 2. discusso o mencionado pro-
jecto.
2." discusso do projecto n. 9 deste anno.
O art. 38 foi supprimido por urna emenda
do sr. Nabuco. Ao art. 39 o sr. Figueiredo
mandou a seguinte emenda : = supprima-se
o art. 39 :== foi apoiada e ficou adiada por
empate na votago. Ao art. 40 o sr. Neto
mandou as emendas seguintes : = supprima-
se o art. 40 := o mesmn sr. es No caso de
nao passar a minia emenda suppressiva, of-
fereco o seguinte art. substitutivo : = O pre-
sidente da provincia fica autorisado para dra
thesouraria provincial o reguiamento que
julgar conveniente ; fazendo no pessoal da
repartico as alteraces, que julgar necessa-
riasaos interesses da provincia :=foro apoia-
das, ". rejeitadas, e approvado o art. Ao art.
41 viero as seguintes emendas : = do sr.
Neto = supprima-se o art. 41 : = nao foi a-
poiada : do sr. Jos Pedro = depois da pala-
vra ordenado diga-sede I:200j reis =
do sr. Oliveira = depois da palavra ordenado
diga-se de 2:000, reis; e supprima-se o resto
do art.: =s do sr. Lopes Gama: =: supprimo-
se somonte as palavras = com o ordenado ,
que ixar : =do mesmo sr. = o administra-
dor do collagio dos orfos, e dos hospitaes
de caridade receber i p. c. da arrecadago
dos respectivos rditos ; e prestar lianca id-
nea : = do sr. Nabueo = Fica o presidente da
provincia autorisado para dar um regiment
administruQo dos bens dos orfos e esta-
belecimentos de caridade aos quaes fico
encorporados os bens da misericordia de Olin-
da; exlinguindo as duas administragoes aclu-
aes, que sero substituidas por um adminis-
trador um lliesoureiro, e um escriturario,
nomeados pelo presidente da provincia, que
ixar os ordenados de cada um delles : =
foro apoiadas e entrro em discusso. Da-
da a hora o sr. Nabuco mandou meza o
requerimento seguinte : = requeiro a pro-
rogaco la sesso at passar o projecto em
2. discusso := approvado. Conlinuou a dis-
cusso. Verificando depois nao haver casa, o
sr. presidente deo para ordem do dia em 1.
lugar = pareceres adiados de commisses- e
leitura de projectos e indicares ; em 2."
I. discusso dos projectos n.os 20, e27 deste
anno 2. do n. 24 e 3. do n. 10 do mesmo
anno continuado da ordem do dia de bo-
je 5 e levantou a sesso.
Thomaz Antonio Maciel Monteiro.
Presidente.
Joze Felippe de Sonsa Leso,
1. Secretario.
Antonio Jos de Oliveira,
2. Secretario.
ACTA DA 30. SESSAO ORDINARIA DA ASSEMBLEA
LEGISLATIVA DE PERNAMRL'CO EM 23 DE
ABRIL DE 1842.
PRESIDENCIA DO SNR. CONS. MACIEL MONTEIRO.
Feila a chamada acbaro-se presentes 29
Snrs. Deputados fallando com participado
osSnrs. Vieira de Mello, eBeltro e sem
ella os Snrs. Pedro Cavalcante Manoel Ca-
valcanti Machado Rios e Pereira de Brito.
O Sur. Presidente deelarou aberta a sesso;
foi lida c aprovada a acta da sesso antece-
dente.
EXPEDIENTE.
Um requerimento do Cirurgio do Partido
da Cmara desta Cidade Francisco Jos da
Silva pedindo que se ilumine na 3. dis-
cusso do Projecto de lei do Oiga ment Muni-
cipal a obrigago que Ihe he imposta no
8. do Artigo 2. do mesmo Projecto : =
Commisso de Negocios das Cmaras. O Sr.
Bizerra Cavalcanti mandou a mesa o requeri-
mento seguinte : = requeiro que com ur-
gencia entre jem discusso o Projecto n. 10
deste anuo : = approvado.
ORDEM DO DIA.
Entrou em 3. discusso o dito Projecto. O
Snr. Pinto d'Almeida mandou o artigo addi-
tivo seguinte : = fica perlencendo a Comar-
ca de Santo Anto o terreno que actualmente
he do Engenho Larangeiras : salva a redac-
go : = apoiado. O Snr. Aguiar : = re-
queiro que o artigo additivo que se dis-
cuto v Commisso de Eslalistica para so-
bre elle dar o seu parecer; ouvido o Governo
se nescessario Cor sem suspensfio da discus-
s do Projecto : ss apoiado e aprovndo. En-
cerrada a discusso foi adoptado o Projecto.
Foi lido e rejeitado o seguinte requerimento
do snr. Gitirana: requeiro a urgencia do
projecto n. 27 deste anno que concede duas
Loteras Matriz do Bonito para que
entre em primeira discusso antes da Lei
do Oreamento: foi approvido o seguinte
do snr. Leal : requeiro, que se nao admit-
a urgencia algunia, em quanto senaGdis-j
cutir a Lei do Orgamento. Foi lida e ap-
provada a redaego da representacu que se
deve dirigir Assemblea Geral Legislativa ,
pedindo a remogo do Curso Jurdico de O-
linda para esta Cidade. Continuou a 2. dis-
cusso o Projecto de Lei do Orgamento Pro-
vincial. Foi approvada a emenda do snr. Fi-
gueiredo supprmndo o art. 39. O art. 41
foi substituido pela emenda do snr. Nabuco ,
ficando prejudicadas as deinais. O snr. Neto
deelarou ter volado contra o dito art. O arti-
go 42 foi approvado. Ao 43 o sr. Jo/e Pedio
mandou a emenda seguinte : supprima-se
o art. 43 : apoiada. O snr. Figueiredo : -
ao art. 43 accrcscenle-sc ficando este im-
posto reduzdo um e quarto porcento : sal-
va a redaego : apoiada : do snr. Beis e
Silva : se passar a emenda do snr. Figuei-
redo supprimo-se as palavras do art. : po-
der ser arrematado ale o fin : apoiada.
O snr. Figueiredo o imposto da meia siza
dos escravos fica reduzido ale 1|4 por cento:
salva a redaego : apoiada.
Fntraro em discusso, a qual firou adia-
da por ter dado a hora. O sr. presidente
deo para ordem do dia a mesma de boje 3.
discusso do projecto do oreamento muni-
cipal c levantou a sessao.
Joze Felippe de Souza Leo.
Pro Presidente.
Antonio Jos de Oliveira
1. Secretario interino.
Bernardo Babello de Souza Pereira.
THESOlBABIA DA FAZENDA
EXPEDIENTE DO DIA 1 1 DO C0RRENTE.
Ollicio Ao exm. sr. Presidente da pro-
v ncia expondo que tendo o mesmo exm.
sr. por portara de 3 de fevereiro prximo
passado mandado abonar ao sr. brigadeiro
de 1. liuha reformado Antonio Borges Leal .
urna gratilicago mensal igual ao sold de
brigadeiro, pela incumbencia de inspeccionar
dilTerentes corpos de guardas naconaes, e
entraudo-se em duvida se este abono deve ser
feito pela tabella de 28 de margo de 1823 ,
ou pela do 1. de dezembro de 1841 em
consequencia desta ainda nao se adiar em
execuco nesta provincia na dala em que dita
portara foi expedida pedia sedgnasse dar
a esterespeito os necessarios esclarecimentos.
DitoAo mesmo exm. sr. remetiendo o
ollicio com os papis de contabelidade do des-
tacamento dacommarea do Limoeiro que o
ex prefeito d'aquella commarca, por engao
remetteo ao eommissario fiscal do ministerio
da guerra afimdelhes dar a competente
direego.
Dito Ao mesmo exm. sr. idem da do Bo-
nito que igualmente por engao foro en-
viados thesouraria idem idem.
Dito Ao sr. contador da thesouraria ,
participando para sua intelligencia em vista
do ollicio do exm. sr. Presidente da provincia
deOdo corren te mez expedido em confor-
midade do avizo da secretaria d'estado dos
iegocios da justica de 5 de marco ultimo, que
S. M. o Imperador houve por bem prorogar
por mais 2 annos a licenga que foi concedida
ao dezemhargador aposentado da Belago des-
ta provincia Antonio Manoel da Hoza Ma-
Iheiros a fim de traclar da sua saude < m
Portugal.
Dito Ao mesmo sr. contador; remetien-
do a folha que acompanhou o ollicio do exm.
sr Presidente da provincia, de 9 do rorrete,
dos trez guardas siipranumerarios da repar-
tigo da Saude que por deliberago da c-
mara municipal desta cidade, c authorisagao
do mesmo exm. sr. Presidente foro cm-
pregados as quarenlcnas da galera ingle
Theresa e dos dous navios que a
auxiliarao a fim de ficar na intelligencia ,
que ditos guardas devem ser pagos dos res
pectivos vencinuntos.
da 1
Dito Ao Exm. Snr. Baro Presidenta da
Provincia informando o requerimento de Jos
MaraSchefler Jnior, em que pedio urna
gratilicago, por se adrar bpadjuvando os offi-
ciaes da Coiiladoria, encarregalos da Conta-
belidade Militar.
DitoAoSnr. Inspector do Arsenal do
Mariana, remetiendo por copia para a sua in-
telligencia e execuco o Aviso da Secreta-
ria 'Estado dos Negocios da Marinha n.S.'
de 13 de Marco prximo lindo pelo qual
houve S. M. o Imperador por bem mandar a-
bonar a quantia de iOjGOO mensaes Joa-
quim Joze Alves do Albuquerque encane-
gado da direego da enfermara de Marinha.
DitoAo Snr. Contador da Tiicsoinaiia,
remetiendo por copia para a sua intelligencia,
as Ordens do Tribunal do Tliesouro Publico
Nacional n. 114 dn anno passado, o to n-
meros 50, 37, e 58 do correle.
PortaraAoSnr. Thesoureiro da Fascn-
da para untregar a Antonino Jos de Miranda
Falco pelo cofre dos Bendimcntos Provin-
ciaes das Alagoas como determiuou o Bxm.
Snr. Baro Presidente ta Provincia, aquaii-
lia de 420,>000 importancia Ja impressao a
papel de 500 exempiares da falla do Exm'.
Presidente d'aquella Provincia.
EXTK1UOK.
AMEBICA SEPTENTO M >N A L.
Noticias receptes da Repblica de Yucatn
referem o seguinte.
Cr-se geralmente que o IralaJo ha pouco
concluido em Merida ser ratificado por
Santa Anna oqual eslava no Mxico ; e que
Yucatn tornar a ser realmente Mexicana em
poltica prejuizosedireego. Seisto se ve-
rificar, a armada mercante de Yucatn, por-
que note-seqne o Mxico nao posseum s na-
vio mercante, ficar discrigo de Moore ,
nobre Commodore Tcxiauo, o qual sem duvi-
da ordenar que ella entre no servieo da ma-
rinha cominercianle da Bepublica da Singular
Estrella.
( Correspondencia do Herald )
Merida de ^ ucalan 1 de Janeiro.
A forga acabou aqu e o povoda Bepu-
blica livrc de Yucatn esta outra vez por sua
propria e livre vontade debaixo do dominio do
Mxico de tal modo que terminar na sua to-
tal suhmisso....
Pouco mais ou menos a 24 de Dezembro,
chegon a Merida o Commissario do Mxico
Sig. D. Quintana Boo com a sua comitiva ,
estando ento o Congresso em Sesso dispondo
ns cousas para tratar com Texas por se es-
perar todos os das o Commodoro Moore. De
facto elle eslava a ponto de declarar a sua in-
dependencia como nngo lvre. Com ludo as
cousas tomaro outra face. O o uro Mexicano
enneluio a obra promptamente e o Con-
gresso faltou sua palavra para com Texas ,
e formn um tratado com o Mxico. Apenas
os Commissarios tinho dado as costas a Me-
rida quando o Commodore Moore e a esqua-
dra surgiro na scena da aego. Elle chega a
Merida, tem urna entrevista com o Governador
e com o Gabinete e propoe-lhes as seguintes
qnestes : Senhores aqui cstou es-
tis promptos a cooperar contigo i' Nao
Queris ajudar-me na tomada de certas cida-
des Mexicanas ? Nao Queris tomar pos-
sc de tres cidades Mexicanas, se eu es captu-
rar dentro em dez das Sao l e.a entre-
vista acabou pedindo pravas para moWrar ao


f ir..*.fUfc n. frtrtfhn a-i.-r^a
2
- ~w'BJ^r""rSii .^ifcl^itl^itM.ii^*.
**
seu governo. Entretanto se passava urna sce-
na curiosa no porto da Sisal. Os coinuiissa-
rios tinhio fletado u:i: navio dos Estados l'ni-
dos chamado Luisa para levar a partida a
Vea Cruz. OCaptio SV. do Santo Antonio
licando rcceoso da tonga auzencia do (Jmimo-
doro o nao recebcndo nolicia alguma no
saber do tratado mandn tuna caria poltica
aos ditos Commissarios dizendo-lhos que el-
Vs devino vir para "bordo do seu-navio. El
los e o Capitn protcstaro contra a lapa de
respeuodo (i andero Americano poreni dc-
balde.
tora ludo foi inmediatamente enviado oSe-
io a Merida, para se certificar da segu-
nea doCommodoro, o qual saliendo do es-
pado dos negocios expedio urna ordem para
inmediata soltura dilles. Assim esto por c
agora as cousas o veris que sem dlivida ta
de haver aqu alguma revolta antes de pou-
co-Amipo. O ('ommod)ro despachar imme-
d ata menta uin navio para cotnmimicar com
o sen Governo con vos avisare! por cssa
\ia....
O povd n'umn das aldoas do interior Ic-
vantou nina prematura declarado de indepen-
dencia o 6 (ioveruo acaba de rhama-ln i or-
Proeurei de dar a este acto aquella sulcmnida-
de propria as circumstancias c ao caso, e
mandei para osle, lim formar urna forcea de
100 homens sendo 60 da companhia de ca-
ladores allemes e 40 do esquadrao de caval-
laria de S. Leopoldo na fazenda do cidadlo
Pelicano de Souza no dito dislriclo de San-
la-Anna. Pelas duas horas da larde appare-
cen o Carlos com os seus companheiros e
achando-so a nossa torga formada em linba ,
os liz vir nossa frente e entregando ellas
ali suas armas perguhlei s-- com effeito re-
conheciao Sua Magestade o Imperador o Sr
D. Pedro II como seu legitimo soberano!1 Ao
que nicamente respondrao qie sim Per-
(Tiintei mais se reconheciao o Exm. governo
da provincia, as institoices do B'razil e as
autoridades legalmente constituidas ? Ao que
lamben) respondrao allirinativamente o se-
guidamente dei vivas a S. VI. naco Brazi-
leira as primeiras autoridades da provincia
e aos defensores da integridade do Imperio ;
ao que nao s nesta tropa como tamlietn o
intitulado ex-capilao Carlos, com mais nm
tenerte o 2.' companheiros do mesmo com
enlhisiasmo respondrao. Destrocando de-
pois nossos soldados por algnm lempo vi
dem pona debaioneta. Assim vai este can-1 com prazer que elh?s convcrsavSo con) o Cai-
to do mundo.
(The Weekly Herald.)
MONTEVIDEO 25 DEMARCO.
Nao havfa noticias rcenles do excrcio de
Pa/. ; as ultimas que se linho recelado, que
erao de data ai razada davo passada para
.iI ni ilo Paran torla a infantaria eartilla'ria ,
c ern pnssagem a loica de i-avallara. O ge-
neral Ribera permaneca em Entre-Ros o
tanto esta, provincia como a de Corrientss fi-
eavao peneitamciiOd tranquillas
A emigrarn de Buenos-A y res augmentava
ile da em illa.
I'cssoa digna lie lodo o ronecito escreve o
sc'iiiii'e com data "de &3*di' marco
los e companheiros cmn demonslracSes dd
s.-itisfaeo e urbanidade. lingo q V. Ex. se
digne mandar passar os litlos de amnistas
aquel les aprsentelos (que Ibes promelli em
nome de V. Ex.) e entretente passei ou a
cada um delles urna portara de apresentaco.
V. Kx. para aquelloGin lera por via do
Exm. Sr. com mandan te da guarnico dess
capital, uma relaco nominal dos a presen la-
dos devendo tamben) ser considerarlos como
(aes mais um lenle e dotis soldados Allemfl-
es rebeldes que ero da mesma renniao :
os ltimosdous ja seguirlo para a capital com
portaras minhas o o mitro seguir nesta
semana. O Francisco Xavier ( lente Chi-
co Xav), com mais 5 companheiros, se a-
p i-ese ni ara A at segunda feira ( pois assim
proinelteu ), e mais qualro ou cinco que nao
viero nesta ocrasio por causa de molestias.
Dos guarde a'V. Fx. mullos anuos. Quar-
u!:o liilo um segundo tratado cjir. I). Eructo. tel do commando geral de S. Leopoldo o
lio (iue .semelhnnte no- Sanla-Anna II de marco de I82.lllm.
u Pelas lolhas que ironxe o paquete ingle*
\ per ehegado ha tres dic.s, vejo qne liam
diario (Josa ci'irU publicoii que os (arrapo*, li-
li Posso nssi'ftUrai'-l
liria destituida do menor fundamento, e
que alm disso esta repblica nao reco-
i.luce Ira lado nlgum que nao seja fcilo co:n o
s'-u governo
Como falo de tratados com (arrapos,
tlir-lhc-liei que lia me/CS que otes lein um
enviado no campo do general Paz para solici-
tar o recenhecimonto do sen governo pe a pro-
vincia de Corrientes Nada porem tem con-
e Exm. Sr. Saturnino de Souza e Oliveira,
presidente da provincia.Joo Daniel Hil-
debrand.
f'Minio e nada
conseguir
tem contribuido pouco o conselbo de pessoas
que influem muito nos negocios do Estado
SANTA CATIIAIU.NA.
Desterro, 8 de abril de 1812.
Ilonicm noite entrn nesle porto o vapor
Campista vindo de Porto Alegre pelo Rio
para o que nao Grande. As noticias do primeiro ponto ai-
cancho ci 51 de marco e nenhuina caria faz
menguo do novo moviniento das rebeldes so-
der por cssa trauquilidade e s accrescenta-
vam que tanto nao podiam prouietter no caso
de vir ttopa de oulras provincias para esla ,
porque euto o ferir-se o orgulho dos Paus-
tas e o desconfiar- de sua lealdade faria
com i|ue ninguem pudesse responsabelisar se
porcousa al;uma. Ajuntou-se na verdade,
que a opposico nao adopta a poltica do go-
verno e que continuara no seu posto mas
empreando s os meios legaes sua disposi-
cao. sta franta declaracao nao me pareceu
que devesse influir na-, medidas do governo ,
porque em summa reduzia-se a que a op-
posico nao se liidia convertido e que conti-
nuara a sustentar suas ideas pela imprensa e
na tribuna o que ado muito lcito e muito
constitucional : o por isso nao me desviou
essa declaracao de pedir a suspensao de remes-
sa de tropa, como de laclo a ped ao Exm. Mi-
nistro da guerra ; antes entend que essa fran-
queza da opposico era a nielbor garantid de
sua sinreridade.
Sendo isso o que 3e passo, nao coinprebcn
do o como se possa tachar de menos exaclo o
que se le na circular quandodx que os n
flueiesda asemble'a provincial protestavSoqqe
nio ha vera rnipioaeiilo na Provincia, oque as
Icis emquestld serian) executadas. Ncmacnoque
os subsiriptres o protesto de A do correle
falten) n verdade quando di/.em que ctive-
iam sempre no firme proposito de fazer a e\e-
cucao da reforma quanla opposico (base possi-
vel dentro da rbita das leis : mas o por-
que essa opposico envolva i-onlradiccao cun a
afirmativa de que a le das reformas seria exe-
cutada, o que nao posso por i.ianeira neuhii-
ma entender : porque S el a tinlia de sor
I'eita smente dentro da rbita fias lcis o se
dentro d ella nao ha meio nenhum para impe-
dir a execuco de uma le como que as re-
formas nao bao de ser exi-cutadas;' Se os subs-
criptores do protesto negam smente queessas
palavras as reformas bao de ser executadas
l'oiam por clles proferidas embora 5 mas
ellas deduzom-se por urna consequem ia ne-
cessaria da-jjromcssa de limitar a opposico
aos meios legaes e por isso a circular bem po-
da attribuir-lh'as sen falta de verdade.
Soisto Exm. Sr. me parece bastant- para
demonstrar que o protesto nao consiste senao
n'umjogo de palavras e que portanto, nao
vale a pena de ser refutado seriamente.. Mas,
como :m lcitorcs desprevenidos elle pnderia
fa/.er sensaco pareceu-me que nao seria in-
til levara preseucade V. Exc. estas rcllexdes,
queconfirmamas participacCesque fu.no Exm.
.Ministro da guerra quando ped a suspensao
de remessa de tropa.
Deits guarde a V. Exc. Palacio do gover-
no de S. Paulo, 3o de marco de 184 2 lllm
MARIO IIE PERNABBL'CO.
liarnos em lugar competente alguns extrac-
tos dos jornacs da Corle, que nos parecerab de
uiaior inleresse. Completo socego reinava na
Capital do Imperio at o da 14 do corrente ;
em Minas at 31 de Marco ; em Goaz at 0
do dito ; em Mallo grossO at 2 de Fevereiro ;
na Babia at 19 do corrente. Das mais Pro-
vincias fica transcripto o que colhemos nos jor-
naes. L-se na Sentihella o seguin;e : '
Foi nomeada uma Commisso hydrographi-
ca composta de ofnriaes da armada desti-
nada ao Oyapock e costa do Norte.
O vapor entrado do Rio Grande d a noti-
cia de haver-se"rendido s armas itnperiacs
um grupo de rebeldes em numero de vinte
e tantos commandados por Carlos Joze Lu-
cas
Partiu para Montevideo a fim de substi-
tuir all na legacao hrasilcira aoSr. Cruz Li-
ma o ollcial da armada nacional Joo Fran-
cisco Regs
O Sr. Rarao Daiser enviado extraordina-
rio e ministro plenipotenciario do governo
austraco, leve a honra ile entregar as nios
de S. M. o Imperador em o da 12 de mar-
co as in'sign as da gran-cruz da ordem im-
perial constanliniana de S. Jorge e uma carta
de gabinete que Ibe ollertou S. Vi. a Senhora
Arcluduqueza Duqueza de Paran. S. Al. o
Imperador rctribuiu esta pro va de considera-
cao com a gran-cruz da ordem imperial do
Cruzeiro
L-se n'iim diario de boje que o princi-
pe Adelbert filho mais velho do primipe
'iuilhcrme da asa real da Prussia c nas-
udo een 20 de outubro de 1811 embarcar
para esta corte logo que acabe a sua viayem
|>ela Italia ; e que opinio geral em rum-
mrgo que vein casar com uma das nosias
princezas empenhaudo-se muito n'csU' con-
sorcio a corle d'Astra. -
O Jornal do Commercio publica o segwinte :
Em sessno da assemblea legislativa provinci-
al do Rio de Janeiro de 11 do corrente, a-
presentou o Sr. deputado E'ernando Sebajtio
oas da Molla o requerimeneo seguinte :
Requeiro que se nomeie una commisso
especial composta de 3 membros a qual se
incumba de formular um projeclo de represen-
iiic.ii) ou "tiicnsacin dirigida ao governo im-
perial em ipie esta assemblea manifest toda
a indignaco de que se possuio com o contedo
em um artigo de folha ingleza inserto no
Jornal do Commercio de 8 do crreme inez ,
relativami nte ao trafico de escravos, onde,
Oriental e que para ali estao disendo sem- bre a Cruz Alta quede Lagcs so participou
pVe : Jao tratis com farrapos to Rio em dala de 2o do mesmo miv. E pois de
(iiantle tlesnrezai totlas as suas olerlas.
LSTEMOK.
S. PEDRO DO SIL.
Recebi o seu oflicio n. 00 de 21 do cor-
rele esobre o seu objecloj V.rn. ter rc-
cebido as ordens competentes por via do com
mandante !a guarnico desla cidade. A res-
posta qui mandn u as ordens que lite
"O combinadas entre tnitn eo
i .n chele <- urna vez que
transmit
esst
V111.
acto
Icgi
zar
pois
crer que tal moviniitito nao leve lugar e
lauto mais que militares passageiros da Cam-
pista afllrmo nao s que a nolicia falca ,
mas lamb 'tu que os rebeldes que primeiro
subro Cruz Alia j.i eslao outra vez reu-
nidos Curca donde destaca'fi 1.
( Carla particular. )
S. PAULO
Itlm e Exm. >r. Tendo appareeido as
folhas tiesta cidade urna tlet larac.io 011 protes-
a titulo tic execuco 'de halados e o paic a-
mcacado com exigencias as mais insolentes por
e Exm. Sr. Candido Jos de Araujo Vianna. I parte da Grao-Brelanha apunto de se pre-
tender mesmo estahelecer dentro de nosso ter-
ritorio uma commisso que de viva torca ,
vcnia fazer cumplir laes exigencias com
quebra manifest de nossa independencia e so-
berana ; eem que esta assemblea assegure ao
governo geral sua inteira adhesu e a mais de-
cidida cooperaco as medidas (pie delle parlo
liaro do Moni'A legre.
i) DE ABWL.
Esla provincia gozada maior Iratitpiilidade^
nem tea havido algum de*ses crinies que mui-
tas veses opparecem em talado normal por
assim dizer. Todas as autoridades execulo o que tenho por lim significar as potencias
promplamente as ordens to governo e respec-
iosamente Ihe responden). J para algutnas
cstrangeras e muito principalniente In-
latena que o Brasil est disposto a repel ir
lo de alguns depulados ta assembl a egislati-; l'eilas ludas as nomeat;oes de jui/es uiunici-
comarcas se expediro as competentes ordena qualquer idea de compromisso futuro ate que,
para a execuco da lei de r de ofesembro illli- calculados seos inmensos recursos e bem pe-
ino e irao indo para as oulras proporco laados seos interesses tenha de abrir ne^ocia-
|Me a secretaria as for proniplilicaudo. EslOl cues em que intervenha com o prestigio e 11-
va da provincia com data de 4 do crlenle ,
le por as armas perante I que da como falso o que na circular de 17 de
nlade pralicaudo um 1 fevereiro prximo posado havia V Rxc.
[birissSo s autoridades severado acerca d
. 1 1,110 cm nome do Imperador le-
aiilido aos que assim o prutfcarcm ,
ti persuadido de que case exempio
[) o.eitoso ; se porm clles n;io qui/.e-
,. itibmetter-se a esla formalidade eacto
pblico de submisso, nao posso ter por sin-
cero o seu arrependitnento. Este acto pu-
blico Indispensavcl para que a sua submis-
so nao se confunda em armisticio, quede
nenhum modo Ibes concedo mas sim pleno
e ineiro perdi, vista de plena e inteira
submisso, o entrega das armas a Vm. pe-
lante a torca to sen commando.
Dos guarde a Vm. Palacio do governo na
leal o valerosa cidade de Porto Alegre, 2" de
everereito do 1812.Saturnino de Souza e
C.Mveira.Sr, Joo Daniel llildebraiid.
filmo, e Exm. Sr. Com bastante sa-
tsfaco tenlio a honra de participar a V. Ex.
que o grupo de defensores da intitulada r'e-
puhlica Rio-grandenss capitaneado celo Car-
io JZ'J Lucas, no dislriclo de Santa-Auna ,
hontein rendro as armas e acceitro a-
grlT-cidos a amnista tpie V. Ex. Ibes tinha
concedido, debaixo da condigno do se apre-
sc.'ilareni eronderetn as aunas publicamente.
a promessa
mais inlltieiiles ta mesma assemblea iml
as-
qoe os membros
ian;
paes e seus substitutos ( ntis e outros sao de-
legados da polica ) o botn assim .los subde-
legarlos e seus su|tplentes. 0 partido gover-
uisla que exiga por ventura menos pru-
dentemente que o harto de Mont'Alegre de-
leito a este governo, de se nao opporem exe-; miltis.se a lorio fl a direito licar menos exi-
cucoda lei que reformon os cdigos: jugo de | gente vendo que todas as nomeacOes recahi-
men dever dar algunas explicayoes sobre o mo-
do porque as cousas se pastaram cumpiin-
do-me antes tle ludo prevenir a V Exc di-
que difiicil uma explicaco cabal c satisfacto-
ria (piando ludo consistiu cm communica-
cnes otac c coididcnciaes em que figuravam,
singularmente e cada um a sua vez difieren-
tes individuos aos tpiaes cm suas conlereii-
podiam cscapar-lhes coosas que
cas coango ,
rfloem pessoas do^eu lado c quando muito
em alguem n:io pronunciado to lado opposlo
por circumstancias especiaes. Consta que nes-
sas nomeac,es houve completo accordo entre
o presidente e chefe da polica 'uterino. Es-
lou convencido que a dita lei se executar
nesta provincia sem novidade apesar do que
dizetn as folhas desla cidade as quaes com o
maior descaro e imprudencia publico a moda
cxprimissem peffeitamente a opinio de todos I do seu partido as maiores t-mais extrava-
aquelles a tpiem represcnlvam e tpi cm \ gantes falsidades. NflO acredite o tneu amigo
suas respostas a estes podiam lamben) omittir
uma ou outra palavra o que ludo V. Exc.
v bem que possivol acontecer nimia quan-
tlo nada esteja mais longe do pensamento de
qualquer do que Iludir as pessoas com quem
trata.
O que posso pois afhrmar a V. Exc.
que se me proinelteu muito formal e solem-
nemente que nenhum movimeo)o se excita-
ra por parte da opposico neiihuma pertur-
badlo haveria da trauquilidade publica por mo-
tivo da execuco da reforma: e os que isso pro-
mctliam julgavam-se habilitados para respon-
no que ollas di/.em assim como nao Jhc de-
ve tn merecer crdito as cartas tle alguns do
1)0380 lado, que acho o barao condescendente
com os daoppositjo. pois que alguns dos nossos
saoemdemasa exigentesc muito se desgos-
locom a pouea ou nenlitima parle qu o ba-
rao Ihes consetite na direeeo dos negocios pro-
vinciaes como fazio seus antecessores pre-
cisados ,e os consultar cm ludo. 0 baro do
-Mont'Alegre tem modeacio mas tem lirmesa
c lealdade ; conhecea provincia obra por si,
c digo o que quizerem vai bem.
( Carla particular. )
depondendencia de una naco que nao sup-
porta o jugo do estraugero e que por lodos
os pontos to seu vaste territorio \ dissemina-
dos os mais poderosos elementos de riqueza ;
ou que interponha a respeito seu parecer.
Foi este requeriment approvatlo e sa-
hirao eleilos para a commisso de que trata ,
os Srs. depulados Joaquina Jos Rodrigues
Iones, Tliomaz Gomes do- Santos e Ense-
bio de ueiroi Coulinho Maltoso da Cmara.
Sym|)alhisamos muito e muito com todos os
seatimeutos expostes no lequerimenlo que aca-
bamos de transcrever ; mas nao podemos
de xar tle t-lo por prematuro e a resoluco
que o' inspirou por precipitada. K, todava,
adiamos que nao possivel dexar ile acceita-
locom todas as consequeneias que delle sede-
vem derivar ,, e de esolvc-lo seguirlo o sen-
lmenlo da dignidade c da independencia na-
cional- oxigCm tpie isso se laca !
la certas quesles que melhor fra nao se
haverem nunca suscitado; porem depois de
enlerreiradas nao ha mais remedio que dis-
cut-las rom dignidade e decid-las com ener-
ga. As reflexdes lzem-se antes de passar o
Rubcon ; depois delle passado, ou ha de
morree Cesar ou a repblica.
0 requerimento de que se traa parece-nos
achar-se as circunstancias que acabarais tic
ponderar. Do artigo do Jornal do Commercio,
a que o dilo requerimento se refere, nao cons-
ta que o governo inglez tenha efleciivameu-


te aprczenlado ao do Brasil a inslita preten-
di a que se allude ; consta somente que tal
se suppunha ser a su a intengo. 0:-a, so-
mente quando tal exigencia verdadeiramen-
te attcntatoria da dignidade nacional, e emi-
nentemente destruidora de todos os principios
de direilo publico fosse apresentada he que
erio lugar, nao s todas cssas demonstra-
res aconselhadas no requcrimcnto, mas ou-
tras muito maiores." Isto nao obstante vis-
toque o requerimento se fez, nao ha utra
sabida que possa adoptar-se sem mingoa do
scntimmto da susceptibilidade nacional seno
dar-lhe andamento e resolvel-o de urna ma-
neira condigna.
Quanlo ao mais ncm a resol uno da nacao
brazileira ( porque aqui j se nao trata de go-
verno cada individuo solidario ) pode ser
duvidosa no caso de se fa/.er eflertiva a pre-
tendi impossivel, attribuida pelo Anti-siaverv
Reprter ao governo britnico, nem as con-
sequcncias dessa pretendi dado o raso que
aiJmiuida fosse podem deixar de ser compre-
hcndidas por todo o mundo.
Na sesso de bontem a commissao de que
trata o requerimento supra apresentou o se-
jjuiute parecer :
A commissao que leve a honra de ser no
meada para interpr o seu parecer acerca do
requerimento apresentado bontem pelo ilustre
depulado o Sr. Uias Molla depois de haver
acuradamente meditado na materia della ron-
cordou unnimemente em que nao convern que
a assembla dirija ao governo imperial a nion-
sagem indicada no mesmo requerimento. A
commissao se apraz de rcconheccr a pureza das
inlencoes e nobreza dos sentimenlos que sug-
gerro a proposta do nosso digno collega; mas
pensa lambcm que o artigo de urna folhaJn-
gleza a que se elle refere, sem carcter olH-
cial reconhecid nao basta para provar que
o gverno ingles leuba ou mesmo pretenda
exigir que se tstabeleca no Brazil um tribuna
ou comini sao cujas at tribuidles serio abso-
lutamente iniompativcis com os direitos de ti-
ma nacao livre e independenie. E mesmo ,
quando se podesse provar que um governo es-
trangulo qualquer que elle fosse transvia-
do pelos principios e mximas de um egosmo
e ambico delirante tivesse proposto ao galii-
ii'te do Bra/il a adopeo de medidas toolTeu-
sivas do nosso decoro anda assim a commis-
sao nao aconselli.ira que enviajemos ao thro-
no a meusagem que propoe o Sr. Dias da Mot-
ta. Nao aconselhan porquanto poderia pa-
recer que deslarte pretendamos dirigir ou
ao menos exercer influencia sobre negociacoes
diplomticas pendentes, (pie eslo inteiramen-
te fra e muito longe da esphera de nossas at-
tiibuices.
COMMERCO.
AUFANDEGA.
Bendimcnto do dia 25 5:188*889
DESCARREG.VO HOJE 26 DE ABIUL.
Brigue lnglez =s Funchal = Bacalho por
fora.
Brigue lnglez Nigthingale = Fazendas por
dentro e ferro por fora.
Galera Ingleza =s Etnily = Fasendas, fer-
' ragens manteiga por dentro laxas,
e machinas por fora.
BIO DE JANEIBO 9 D'ABBIL.
PREfO CORRERTE.
Arroz......10* 10*500 sacco
A^sucar redondo de Campos 2* 2*100 @
Cafl superior
1 boa .
i 1. ordinaria
2. boa .
2. ordinaria
escolha
5*500 5*700
. 3*200 3*300 .
. 2*400 2*800 >,
. 2* tOO 2*000 .,
. 2*000 2*200
. 1*lOO
Farinha de mandioca fina i* 00 5*5(101) sac.
Feijaoprolo .... 8*00011,000..
JacarAd em cugoeir. 1. q. 130* 175* duzia.
2. d. 80* 100.
M.Iho ------ o, 2*500 sacco
Tabaco Btacpendim 5*i00 <*?
Toucinho 4*400 4*000^
CAMBIOS NO DI.V 7 D'AHRIL.
Cambios sobre Londres 28
Pariz 538
llamburgo- 030
Metaos. Dobres hesp. 28*100
da patria 28*500
Pesos hespanhoes 1*800
da patria 1*700
Pecas de G*4oo v. 13*2oo
de n. IjOoou H*7oo
Moedas de 4*ooo 8*4no
J>rata 83 1|2
A plices de 0 por cenlo 70 3|4.
(Do Boletim commercial.)
nom


CORRESPONDENCIA.
Nao aconsellira anda porque daramos
por tal modo a entender que os consclheiros da
corda prceiso de um lal estmulo para olba-
rem atlt lilamente pelo deposito sagrado da
dignidade nacional, cuja guarda lhe est mais
especialmente confiada.
E nem parece ;i commissao necessarioque
afiancemos ao llirono nossa decidida coopera-
cao e a mais intera udlieso a todas as me-
didas que tiverem por fim repel ir pretencoes
lao exageradas e injustas quanto odensivas
da lealdade do governo brazileiro as suas re-
lceles com os dos ou i ros povos O governo
leve ecsi sem duvida convencido de que a
naci inleira o susteniar enrgicamente to-
das as vezes quotiver de I litar -m delega da
honra dignidade do Brazil. Sem dignidade,
sem honra existencia poltica de um povo tor
na-se epbemer*; ebera iudesculpavelmemc
errario aos seus deveres os ministros que .
encarregados de zehr o que a naci tcm (li-
mis valor o sacrificassem a interesses secun-
dariqs e transitorios
Te tudo que expeudido lira ronclue a com-
missao que se nao deve d rigr ao llirono a
mensagem proposla pelo Ilustre deputado o
Sr. Dias da Mola."
Sa'a das sessocs em 13 de abril de 1842.
- Bodrigucs Torres. Mattoso Gomes dos
Santos.
Este parecer entrava em dscusso a 14 do
crlente.
Continuao as representaces S VI. o I.
da Provincia de' Minas a'favor do Governo
Imnale da Ledas Reformas. resulta-
do das eleicoes de um Senador por aquella
1 rovincia cuhecido na Corte he o seriante :
Snrs. Redactores.
Os Senhores
II. II. Carneiro Leo
.los Cesario de Miranda.
B. Belisario Sares de Souza.
A. P Limpo de Abrcu. ,
A. da Costa Pinto. .
Jos Feliciano.-, .
667
661
618
5e8
551
548
Bogo-Ihe encarecidamente a insergo dos 3
Documentos juntos os quaes respondem ao
elogio que osnr. Procurador da Cmara Pr-
xedes da Fonceca Coulinho fez a si mesmo em
o Diario n. .. e desnientem cabalmente essa
probidade inconcussa essa exactidao subli-
me que se arrogou o sur Prxedes a quem
dedico estes versinhos que achei no Vol-
taire :
Vous regisser si bien leur pelite (1 naneo
Que les pauvres bienll serntdansl'opulence!
Cortamente que o I. Documento prpva que;1
osnr. Prxedes recebeu essa Portara que el-
le diz que lhe nao foi entregue e nao execu-
loii por ignorada.
O 2. prova tamhem que as contas.aprcson-
tadas pelo sur. Prxedes nao fura acoro pa-
ndadas dos necessarios documentos cuja fal-
la as torna confutas e illegaes, como se v'
do mesmo documento: tamhem 80 v do]
mesmo documento que fui inexacto no cum-
pirmenlo de seus deveres.
O 5. prova finalmente que o snr. Prxedes
tem recebidoem diferentes pocas dinheiros
da Cmara dos quaes nao tem dado cootas.
Na verdade cauza rizo a tal prezumpgAo que
o snr. Prxedes descubri quem da contas
domis, da do menos, quem nao Turbio
mais, uo furta rnenos, presumpeo que.
se pode in verter por esloutra -- quem nao d ''
contas do menos, nao d do mais, quem
furia o menos furia o mais, ( podendo) o
que quaze sempre se verifica onde nao se po-
d ou nao ha quem tome contas.
O Inimigo dos Prevaricadores.~
Ns abaixo assignados altestamos e se
riecessario fur juraremos que em dias do niez
de Oulubro do anno passado o sur. Luiz
Francisco de Mello Cavalcanti Administra-
dor da BeprticAo de que somos-Emprega-
dos- na qualidde de membro da Commis-
sao de Polica da Cmara Municipal, er.viou
pelo servente da mesma Reparticao, Joaquim
Mnrliiis Aires, ma Portara ao Procurador
da Cmara Prxedes da Fonceca Coutinho ,
nssignada pelo dito snr. Administrador, eo
snr. Domingos All'oiico Nerj Ferreira, na
qual remettia uns modellos para factura de
contas, balangos, os quaes forad lirados a
limpo pelo snr. Francisco Joze de Oliveira ,
Empregado da mesma Reparlico, e que len-
do o dito Procurador recebido no mesmo dia ,
voltou poucos momentos depois a mesma Rc-
partico ( onde ento estavamos) c ahi. pedio
alguns esclarecmentos relativamente ao quo
lhe ordenava a dita Portaiia, os quaes lUe
fora subministrados pelo snr. Administra-
dor. E por nos ser pedida passamos a- pre-
sente em razao de termos sido testemunhas
oculares do que acabamos de referir. Reci-
fe 15 de Abril de 1812. Joze Guedcs Sal-
uuero Joo Izidro Lopes Lima ~ Joao
Ignacio do Reg.
Fulgencio Infante d'Albuquerque e Mello ,
Bacharel Formado^em Sciencias Jurdicas o
Sociaes pela Academia d'Oltnda e Secretario
da Cmara Municipal da Cidade do Becifo e
seu Termo &c. Certifico quo o Procurador
Prxedes da Fonceca Coutinho apresentou
lo somonte por duas vezes os Balancetes
mensaes da Beceita e Despeza exigidos pelo
paragrapho primeiro do artigo nono doBeg-
lamento interno da Cmara Municipal, com
os quaes nao se oontormou a Commissao de
Polica por nao cstarem com a necessaria
clareza. Outro sim certifico que o mesmo
deixoil tamhem (Peiitregar as rellaces que
oxie o paragrapho segundo do supradilo arti-
go nono do mesmo Begulamento, perten-
cntes aos me/.es de Janeiro e Fevereiro e
as demais que apresentou nao satisfazem no
lodo o que determina o dito paragrapho segun-
do. Certifico mais (pie nao consta que ex-
ista no Archivo livro, ou outro algum docu-
mento, que comprove o artigo da Beceita ,
pertenccnle alferigao pelos tres annos, que
eslevo sob a administroslo do dito Procura-
dor. Tamhem c-:rtifico. que das contas tri-
mestraes do Procurador nao se pode saber
que a divida activa e passiva da Cmara Mu-
nicipal E para que o referido conste man -
dei passar a presente que me foi pedida e
vai na verdade sem cotiza, que duvida faga,
por mim subscripta e assignada nesta Cidade
do Becife de Pernambuco aos deseseis de Abril
de 1842 Fiz escrever e assignei Em f de
verdade. ~ Fulgencio Infante d'Albuquerque
e Mello.
Fulgencio luanlo d'Albuquerque e Mello ,
Bacharel Formado em Sciencias Jurdicas e
Sociaes pela Academia d'Olioda o Secretario
da Cmara Municipal da Cidade do Becife e seu
Termo &c. Certifico, que me foro aposen-
tados oito Termos d'achada por infrncc&o de
Posturas Municipaes, feitos p?\o Fiscal do
bairrO de Santo Antonio, BodolfoJoao Bara-
ta d'Almeida todos com os recibos das mul-
tas passados pelo Procurador da Cmara ,
Prxedes da Fonceca Coul inho a saber: um
contra Manoel Pereira d'Olveira da quanl a
de 12*000 rs. com o recibo de 27 d'Acrosto
de 1854, outro contra Manoel Antonio de
Jezus, daquantia de 18* reis, recehida em
0 de Novembro de 1855 outro contra JoSo
Manoel Bodrigucs Valenca, da quantia de 10*
rs. reeebda na mesma data cima outro
contra Joo Jacintho Moreira, da quantia de
8* reis recehida em 5 de Junho de 1859 ,
outro contra Joze dos Santos Porto., da quan-
tia de 8* reis recebida em 11 de Outubro de
1859, outro contra Casemiro Antonio de
Mello da quantia de 8* reis recehida em 8
de Novembro de 1859, outro contra Domingos
da Silva llamos, da quantia de 4* rs. pas-
sado no 1. de Agosto de 1840, com recibo do
dito Procurador, sem data, e outro contra
Francisco Joze Pereira Braga, da quantia de
a girar em nome do ;uinuiicijnte
-------------------- ;------------------o- t-"- *"
4j rs. com recibo do mesmo Procurador do
25 de junho de 1841 ; e recorrendo ao livro
onde se regista" as contas dadas pelo actual
Procurador P.axedes da Fonceca Coutinho ,
desde o anno de 1852 e a conta quo decorre
d'Ahril a junho de 1841 nao se acha lan-
zadas as ditas quantias cima mencionadas,
nem no livro nem na conta ltimamente
mencionada. E para que o referido conste ,
mandei passar o presente que me foi pedido,
e vai na verdade sem cousa q' duvida faca, por
mim subscripto e assignado. Becife de Per-
nambuco 16 d'Ahril de 1842Suhscrevi e
assignei Em f de verdade Fulgencio
Infante d'Albuquerque e Mello.
AVISOS DIVEBSOS.
= Manoel do Nascimento Pereira fi cfr-
ta a quem coiiyier que por aullurizaco do
Sr. M ikxI B briio d. Silva, re-idinte em
-Lisboa dissolvei. no lirn do anuo patudo
ile 184 1 a CHia c01111nerci.il qie o,ui riravn
debaixo dj finiia do mnmu Sr. Ribtiro e
que por s-o i'ia munido, de tnp'o< podere-
par liquidar as extinctat fi masdoi Sis. Mi-
noel IMieiro da Silva, Manoil da SI va l'-
Ilio A Am.ri'ii 1 e Antonio Jw d'Aniciiin ,
tirando cbi.'ad< a pagar as divid.is pusdvas,
e a receber ludas a-, activas contrada! pelas
re Ir-i il.'S finna* ; e ontru >im nue a obredli
caza do Sr. Bibeiro neila cidade passou
--------- com
qual se poJero rnteiider osS-s. negocianlei
e mais pea 5 que jercu, cpiueiquir trauza-
coes coni meii>a raza.
= Na presentado sn*. Juiz dosOrfos. so
pora em hasta publica por arrendamento an-
nual oconhecido sitio do arraial do finado
Joao Carlos Pereira de Burgos, contendo u-
ma caza de vivenda de 4 aguas sercada do
espacozos allegretus com o sen jardn cozi-
nha lora, a scmclhanca de nina Cpella ,
porto forte o murado de pedra e cal ate as
duas extremidades do rio, e o mais coiu cer-
ca nativa sobradinho para pombal, coxci-
ra em baixo cazas para feitor e escravos ,
estribara para 5 cavallos curial para vaccas
o urna nova coxeira sobre a qual tem umso-
taO que avista parte da Cidade de Olinda ,
caes a margem dorio, ponte, um grande ba-
nheiro 2 telheiros para lavadeiras, allefre-
tes 5 tudo de pedra ecal, um grande vveiro
parapeixe, ovarios arvoredos estrangeiros
em aliiihamenlo que formo una vista pito-
resca ; o qual ser apiegoado no di.i 2 do jiaio
prximo futuro s 5 horas da tarde na caza da
rezidencia do dito snr. Dr., na ra do enci-
mado a requerimento da Vfova Invenlarian-
te D. Francisca da Cunha llandeira do Mello ,
para pagamento dns Credores conforme a
concordata que so celebran.
= Joze Mara Jorge, Negocia ule da pro-
vincia do Cear retira-so para a mesma pro-
vincia.
= 0 Teen te Coronel Ignacio Antonio de
lanos Falcio comprou por conta do Revo-
rendo Conego Joao Rodrigues d'Arauj, o
bilhete inteiro de n. 4o2 da segunda parlo da
9. Lotera do Theatro.
35 Qualquer snr. do engenho qu precisar
de um homem cazado sem familia para ad-
ministrador o feitor, o asna nitnherpara
ensnar meninas a ler escrever, C contar ;
pois o mesmo tem coiiftecmenlo de agricul-
tura : quem do seu presthno se quisr ulili-
sar, aununcie ou dirija-se a prnca da lloa-
visla botica I), lo, (pie adiar comjjueni
tratar.
cy- O segundo .Secretario da suciedade A-
misado Nos Une respondo ao Sr. socio dos
aun uncios de 25 doco*rreule que nao tem,
de lhe dar satisfacaos e que so as da a duec-
(,'iio ou sociedado reunida: responde-lhe quo
nao seja to covardo em acoberlar-so com a
capado annimo sesua senhoria acha que
lile tem faltado ao cuniprimenlo de seus de-
veres aprsenle 8ua denuncia a Directa o nao
queira lomar odiosa urna corporaco a qual
perlenco, [loisquecom os seus annuricios ,
querdar m idea dasociedade, o socio qule de-
sacredita a corporaco a que perlenco desacrc-
dita-se a si mosino. Por ultimo respondo-lhe
qucconhoQa a sua nenhuma capacidade da
qual tem recebido prova* tanlo em sessOesdo
directo como de sociedado e s bom socio
como pretende inculcar, a presen tc-sc o nao
se faga zango deixede gritar tanto que gri-
tando muito nada faz.
C^- A pessoa quo annunciou querer noven-
ta mil reis a premio sobre penhores de ouro"
sendo anda queira, dirija-so a ra do Ban-
gel 1). 47 que se dir.
C9" Joao Papua Mar ir faz siento aos se-
os amigos e frguezes que tem mudado sua
residencia da boa-vista para a ra do Rosario
larga por sima da loja do snr. Lodi D. 7 a don-
de tem estahelecido a sua loja de alfaale e per-
tende dar execuco das obras que lhe encarre-
garcm c pelo menos prego quo em otra
qualquer parte.
tsr Francisco Jos d'Arroda tendo apar-
tado a sociedade que tinha com Antonio Mo-
niz Pereira Como fe?, ver ao respeitavel pu-
blico por esta folha n. 79 e 81 e como ba-
jo paca dos os dias as mesmas marcados e
nao tenha aparecido contas letras ou do-
cumento algum que o annuncante tivesse
parte como socio da firma de Moniz Pereira
Arruda A Companliia de novo avisa que tem
justo todas as suas contas com o seu ex socio
Antonio Muniz Pereira e que 11A0 tem mais
responsabelidade alguma e sim Antonio Mo-
niz Pereira O mesmo Francisco Jos d'Ar-
ruda faz siente a todos os seus frguezes, que
continua a vender miudesas por lodo o prego,
e aotide encontnro um sorlimento completo
na sua loja da ra dos Quarteis D. 0.
J39" Alugam-se dois ptimos pretoi que en-
tendem de cosinliar o diario de urna casa as-
sii como para todo p mais servigo e compra-
ren! na ra sao mullo liis que alhe se aten-
ea assim mais umaprela na praca da boa
vista I). 4.
= Um rapaz que sabe bem francez ofTe- '
rece-so para dar 1 i cites nao s em sua casa
como fora as pessoas que quizerem.
\ fa/Jar
.4
no segundo andar do ultimo sobrado na praga
da boa-vista junto a Conceicio.



ss^- Domingos Duarte Souza Rodrigues,
retira-so para o Rio de Janeiro.
ssr qm Antonio Aulunes subdito Por-
tuguez relira-sc para Luanda.
tsr Deseja-se fallar aos Srs. Joaquim Al-
ves Teixcira Francisco Hcrminigildo Rus ,
e Joze dos-Santos Ran a negocios de seus io-
teresses : na ra da Cruz D. 22 cu aun unciera
suas moradas.
ssr Aluga-se un preto bastante forte pa-
ra padaria ou para armazem de assucar de
tudo tcrn umita pratica : na ra do Queima-
do loja D. 7.
_- Joo Antonio Miguel, retira-se para o
Rio de Janeiro.
XST NodiaO, 10, e H de Maio tem de
vender-se inipretervelmente em asta publi-
ca 4 casa da ra de Apolo pertencente ao ca-
sal do tallecido Joaqun Antonio Ferreira de
Vasconcellos, isto para pagamento de seus
cred'ores : esta casa tem no fundo una ja edi-
ficada coui 57 palmos defreute c 100 ditos
ile fundo travejada ei primeiro andar e so-
to e a da frente aclia-se em respaldo, ten-
do 10 palmos de frente c 1.7 ditos de fun-
do e entre urna e outra chaguao de 20 pal-
mos com porgo de terreno foreiro at aba-
.\a mar em parle alterrado ; he ptimo pa-
ra urna perfeita edilicago de todo o genero ,
e tambera, un bom trapiche.
tsr Precisa-se de uu tanoeiroque queira
ir para un en gen lio distante desta praga 9
legoas para fazeras barricas que forera ne-
cessarias para embarricar-se a safra do mes-
mo engenho : a fallar na loja da quina da ra
**a/sa
zs&r&j^^&sBSe^ases
"^gr*"'*^-'*'
,e m. *, ,ode m.. rceefcer i ^** | ^ d. .da *j*g*k*J ^to^S! V|fS
i^.reseundo '.:-* P*; !*!* ^"' S "Lo abouadur de re.ru, creado,
amtUapreseniaiHiu recie. uu-iim-c. .","...,_,. ,u mimle/as o
soa que se achar habelitada para urna e outra pws de lojas de ^f^0^ """^'^
couza, Arijas a na de Aflea verde 0. 5; que ludo se vender aos prasos actuaes da
do Crespo de ManoeJ Ferreira Hamos.
tsr A pessoa a quera faltar o segundo to-
mo da historia natural oqual foi tomado em
Olindaaum preto que o procurava veuder ,
dirija-soa praga da Independencia loja de li-
vros n. 57 e 58.
^y Aluga-se o terceiro andar e armazem
do sobrado de 4 andares da ra do Amorim ,
defroute do ferreiro Caetano e o primeiro
andar do sobrado amareloda ra Augusta : a
tratar na ra do Vigario 12.
tsr Jozo Antonio da Cunha faz scieDte
ao respeitavel publico que por haver outro
de goal nomo, de boje em diante se assigna-
r Joze Joaquim da Cuniia Jnior.
tsr A abaixo assignada estando prxima a
divorciar-se de sen marido Joaquim Antonio
deS. Tiago Lessa tanto assim, que ja sta
posta em Juiso i competente acgo avisa ao
respeitavel publico que nnguem contrate j
com elle a respeito dos bens do casal, muito j
principalmente respeito de 5 eolitos e tantos ,
ris que tem a annunciante de receber de
Thesouro Publico dos vencimentos e sidos
de seu finado marido o Capitao Francisco Jo-
ze dos Santos ; por quanto protesta annular
pela acgo competente toda, e qualquer tran- i
sago, que para diminuir o casal. e em frau- ;
de dos inlcressws da annunciante for feita |
por aquelle seu marido que ja nao pouco
tem extraviado os poucos bens que para o
casal trouxe a annunciante persuadida de
que encontrar i j um zeloso administrador, e
nao um prodigo desfrutador. Francisca do
Nascimento de Albuquerque Wanderley.
tsr Precisa-se de um caixeiro portuguez ,
de 15 a 18 annos : na ra do Cabug loja de
Antonio Ferreira Braga.
tsr Sahio o n. lidoEspelho das Bellas:
ron tem os artigos seguintes : pocsia pernam-
bucana anacrentica a boa niulher boa |
desculpa de furtar ovos mximas pensa-
mentos ancdotas, facecia: vende-sc na pra-
ga da Independeneia n. 57 e 58 na ra do
Colegio loja de livrosU. 12 na ra estreita
do Bozario botica do Sr. Paranhos na ra
Direila loja de fazendas do Sr. Angelo e na
ra da Cadeia do Bccife loja do Sr. Bourgard.
w- Pla< ido Jos faz sciente ao respeita-
vel publico que por haver outro de igual no-
me de boje em diente se assignar Placido
Caetano Borges.
tsr 0 abaixo assignado faz sciente ao res-
peitavel publ coque se assigna Joo Ferreira
da Silva, e nao Joo Ferreira.
Joo Ferreira Ja Silva.
tgr O abaixo assignado mudou o norae de
Joo ViiMia de Mello, para Joao Joze de Mello.
\ar Perdeo-se no da 25 do corren le um
par de brincos modernos de chapa enm 2 dia-
mantes, desde a ra nova em direitura ao be-
co do pexe frito ^ quem achou ou tiver no-
ticia querendo entregar dirija-se a ra No-
va lado da Matriz D. 6 que ser bein recom-
pensado.
*y aSanoel Antonio Torres subdito por?
tuguez retira-se paraoCear.
tsr Os Srs. assignautes do Echo da Reli-
gio queiroatlentfar a seguintc deelaragd,
que explica a falta don. de sexta feira p. p.
Bernardo Joze Pedro, deixou de ser des-
tribuidarc cobrador ; eporisso se adverte ,
para" contratar. O Uedactor.
BT" Os Srs. que assignaro e aparlaro bi-
I be les da segunda parte da nona lotera' a la-
vor Theatro que corre no da 28 do corren-
te na loja do Cuerra na ra Nova D. 6 ,
querao fazer o favor de os ir buscar, alias
ser vendidos visto nao ter mais bilhetes a
vender.
l^r Precisa-se de um canoeiro forro ou
captivo para trabalhar em canoas abertas:
aa ra do Bangei D. 17.
X3T Joze Alves az sciente ao respeitavel
publico que se tem assignado e assignar
Joze Joaquim Alves da Silva.
OT Dellina Boza do Amor Divino, com
seu alilhado A'exandro Joze da Silva rcli-
ro-sc para a Babia.
saf Precisa-se alugar urna casa terrea no
barrro de S. Antonio em qualquer das ras
seguintes: Borlas. A goas verdes, Padre Flo-
riano S. Bita S. Thereza Nogueira e
Fagundes com tanto que o seu aluguel nao
exceda de 8 mensaes; quem tiver annunce.
iZT Aluga-se um moleque que seja bom
cozinheiro tambem se compra fazendo con-
la : na ra da praia adiante da nbeira do
pexe casa de Joaquim Pereira de Mcndonca.
tsr 0 Vico Director da Sociedade Amisade
nos Une pela parte que liie diz respeito, res-
ponde ao author dos dous annuncios, que el-
le ser tido por um infame e vil calumniador,
logo que nao mostr ( anda coma menor
evidencia 1 a engerencia que o annunciante
leve nesse sonhado baile e nao o fazendo
( como estou certo ) dar com isto mais urna
prova do seu rediculo carcter.
t3f Aluga-se mn armazem na ra estrei-
ta do Bozario I). 2o por prego commodo :
a tratar defronte do mesmo D. 26.
SS- O bilhete n. 2050 da segunda parte da
nona lotera do Theatro pertence ametade ao
Sr. Manoel Joze Teixeira d'Oliveira de Ma-
eeit), ametade a outra pessoa desta Cdad.1,
em cujo poder se acha dito bilhete.
OT Da-se GOOj a juros sebre boas firmas :
nr ra larga do Bozario D. 9.
tST Aluga-se um armazem proprio para
dous offico's ou outro qualquer estabelic-
mento cito na ra da Moed no fundo da
venda do Snr. Alexandrc : na ra do Noguei-
ra 1). 19.
cr Antonio Felipe da Silva, faz sciente
ao r*>peitavel publico que tendo acceitado
urna letra da quantia de 218*023 rs. sacada
por o snr. Manoel Fernandos Guedes com a
dacta de 15 de Maio de 1810 a 7 mezes cu-
ja letra foi dada para receber pelo Sr. Anto-
uo Botellio Pinto de Mesquita e se acha
perdida caso ella aparega nao ter validade
alguma por ja estar paga e tero recibo do
mesmo Sr. cima.
praca pelo maior preco que for offerecido ,
visto ser para completa liquidacao de Opntas.
ssr Hoje26do crrante faz-se leilao de
bolaxnha e manteiga, no armazem de 1 ran-
cisco Das Ferreira.
xsr Me. CaImont& Gompanhia fazem lei-
13o de grande porgao de algodozinho ameri-
cano de chapeoj de palha de diferente
qijaldadss e outras fazendas Quinta feira
28 do correte as 10 horas da manh no seu
armazem da ra da Cadeia.
COMPRAS
SS7- Um escravo que seja bom oflioial de
sapateiro : na ruada Cruz n. 2o.
tar Alguma obras de Direito Criminal,
em meio uzo : na ra do Cabula loja de Ma-
noel Duarte Ferro.
f&- Dous selins em meio uzo : quem ti-
ver annunce.
tsr Urna cadeirinha que seja boa e em
bom uzo : as 5 ponas D. 52 lado do as-
(''I i lo
S^- Escravos pretns de idade de 12 a 20
annos, para fora da provincia : em casa de
Manoel Ignacio de Oliveira.
VENDAS.
tsr Appasdeboaagoa ardenta : no pa-
teo do Hospital do Paraso venda D. 21.
crina casa de louca de barro, com com-
modo para familia : na entrada da ra do
Bai.gel D. 57.
tsr Um preto de bonita figura bastante
alto e bom canoeiro de 20 anuos : na ra
da Cruz n. 58.
%& Duas canoas, urna de conduzir agoa
por loO ; pega em fa rs. de agoa a 20 rs. o
caneco, e outra aborta, que pega em 500
lijlos de alvenaria : na ra Augusta casa jue
faz quina com o beco do Peixolo.
tsr Estojosdcnavalhasde cabo do mar-
m o mais superior que tem aparecido e
de elegante goslo caivetes finos de aparar
penna, tbesouras ctouradas para costura ,
mullo finas : na,praQa da Independencia nu-
mero 5. .
tsr Urna casa terrea na ra de S. h ranch-
eo da Cidade de 01 inda, com vista para o
naco, abotuaduras de retroz d cruzado,
ditas de sed a 480, ditas de piassa a 800 o
ditasamarellasa oito centos res, e outras
umitas miudezas por prego commodo: na ra
do Cabug loja de miudezas D. o.
tsr Bilhetes da segunda parte da sexta lo-
tera da Matriz da Boa vista cujas rodas an-
do impreterivelmente no-dia 11 de Mam pr-
xima : no ReciPe loja de cambio do snr. yi-
era em S. Antonio loja do snr. Menezes
ra do Colegio, balice do snr. Moreira ra
do Cabug, botica do sr. Chagasruado Li-
vramento 5 na Boa vista botica do snr. Victo-
rino na pra ssy Um grande sortimento de trastes de
varias qualHades junco para tecer cadeiras,
cera de carnahuba caixas de tartaruga para
rap tapetes oliados para cima de mesa ,
vidro para espelhos tudo por menos de que
em outra parte : na ra da Cruz armazem de
trastes n. 51.
es- Vellas de carnahuba a 520 a libra de
boa qualidade tanto de alvura como de boa
luz : na ra de Manoel coco D. 4 lado di-
reito.
tsyUma ven da na quina da ra por detraz
de S. Joze defronte da orlaleza : a tratar
na mesma.
tsr Dous escravos um de 20 annos c o
outro mais velho, ptimos para todo o ser-
vico : na ra larga dd Bozario casa de Joo
Manoel Rodrigues Valenca.
cy- Um sitio perto da praca com bastan-
tes arvoresde fructo, e com urna grande bai-
xa plantada de roca : na ra do nicho da Pe-
nha D. 6.
s^* Bilhetes e meios ditos da segunda par-
te da nona lotera do theatro que corre no
dia 28 docorrente com pequeo lucro: jun-
to a casa de cambio de C. Diestel, loja de
fazendas na ruada Cadeia do Becife.
er* Vende-se ou troca-se por outra, urna
preta que sabe ludo quanto he necessario pa-
ra*n arranjo de una casa : no principio do
atierro dos aflbgados casa de Silvestre Joa-
quim do Nascimenlo.
tsr Bilhetes e meios ditos da loterK do
theatro: na ra do Queimado D. 15 loja de
Carioca & Sette.
ESCRAY0.S FGIDOS.
AVISOS MARTIMOS.
tzr Para a Babia segu viagem impreleri-
velmente no dia 27 do corrente anda pode
receber alguma carga at o dia 25 ; o Pa-
tacho Minerva; quem quiser carregar pode
fazo* at este dia.
tsr Para o Aracaty priende sahir al o
dia 8 de Maio o Hiate Olinda por ter par-
le do carregamento prompto quem quiser
carregar dirija-se a Manoel Joaquim Pedro
daCo sta
tzr Para o Ro de Janeiro segu viagem
nfalivelmente no ultimo do corrente o Brigue
Oriente do Brasil tem os melhores commo-
dos que se podem desejar para passageirqs e
recebe escravos a fete e alguma pouca ear-..
ga miuda ; quem quiser carregar entenda-se J a..
com Manocf Ignacio de Oliveira na praca do
Comniercio n. 28.
mar, e mu o fresca com urna sala a dian-
te e atraz, 4 quartos cozinha fora, por PreCO
commodo : no pateo do Hospital no 2. andar
do sobrado que lica quasi defroute do Quar-
tel de polica.
tsr Um bote bem construido e feito no
paz : em fora de portas D. 11.
tsr Bilhetes e meios ditos da lotera do
theatro : na ra do Cabug loja de relojoeiro
junto do Sr. Bandeira.
tsr Arroz pilado branco superior : no be-
co do peixe frito D. 5.
ts?- Urna parda moca de 18 annos sa-
da sem deffeito nem achaques : na ra da
Cadeia do Becife n. 58
tsr Urna casa terrea na ra do Nogueira ,
por prego commodo : a tratar na travessa do
Bozario D. 12.
tsr Dous negros bastante robustos, sem
vicios nem achaques proprios para todo o
servico : na ra da Cadeia do Recife loja de
Joo da Cunha Magalhes.
^.tsr' A Colego do Diario de Pernambuco ,
de Julho de 41 a Margo de 42 : no mundo no-
vo D. 9.
VST Bilhetes e meios ditos da lotera do
theatro : na ra do Cabug loja de miudezas
tsr Fugio no dia 17 do corrente ubi mo-
leque de nome Luiz, crelo, de 18 annos, of-
ficial de alfaiate alto secco do corno bem
fallante levou caigas e jaquela de ganga
azul, chapeo de massa um tanto velho he
bem conhecido por ter sido official de Fran-
cisco das Chagas de Freitascom loja de alfaia-
te na ra da senzala velha ; quem o pegar
leve ao beco da lngoeta a Joaquim Joze Re-
belo que gratificar.
MOVMENT DO PORTO.
NAVIOS SAIIIDOS NO DIA 24.
New York : Brigue Americano Syren Cap.
Charles Nickolson carga assucar.
Porto; Barca Portufjueza Espirito Santo, Cap.
Manoel Antonio dos Santos, carga assu-
car. .
Dito Brigue Portuguez Leo Cap. Bicardo
Xavier da Cunha carga assucar.
ENTRADOS NO DIA 25
L E 1 L A O'
tsr Lenoir Puget & Companhia fazem lei-
lo por intervengo do Cor.-etor Oliveira de
um grando sortimento de miudezas e fazendas
Francezas, Suissas e Hamburguezas que
se bao de vender por todo o prego para saldar
conlas entrando neste numero um variado
sortimento de alcaides 5 Terga feira 26 do
corrente no seu armazem da ra da Cruz.
tsr Cals Jnior continuar o seu leilo
por intervengo do Corretor Oliveira Quarta
feira 27 do corrente as 10 horas da manh no
seu escriptorio na ra da Cruz D. 10 primei-
ro andar, de militase diversas fazendas Fran-
cezas e Suigas de prompta extrago como
sedas sarjas, selins, tafelaes, macedonias,
ricos lencos de setim para grvala, ditos de
tafet e de sarja cortes de vestidos de seda ,
e de ehaly, cambraias adamascadas e outras,
tsr Barricas de farinha de trigo franoeza
de superior qualidade : n ra da Alfaudega
velha n.9.
tsr Dous escravos de nagao de bonitas
figuras de20ajinos ; um dito bom canoei-
ro, de 22 annos ; u m dito bom carreiro; um
pardo de boa conducta, de 20 anaos e de
bonita figuia ; dous escravos ; 2 moleques
de 15 a 20 annos ; urna escrava boa engom-
madeira cozinheira e cose de 18 annos;
una parda de 50 annos boa ama de casa ;
duas escravas; um bonito casal de escravos ,
cora um filho de 5 annos por 900 por ter
o dono grande precisa: na ra de Agoas
verdes D. 38.
N tsr Fitas de garga a 120, 160 e 210 a vara,
penles de tartaruga para niarrafa a 1440 o
par papel de peso a 2800 a resma dito
almasso francez a 2*800, cartas de jogar fran-
cezas caivetes finos de aparar peunas, thc-
souras finas para iinhas e costura luvas de
seda para senhora a 640 ditas de hornea a
pataca ; e seis vintens o par cAsgaes de
Montevideo ; 18 dias, Brigue Inglez Euro-
pe de 242 tonel. Cap. J. Bridie equip.
12 carga lastro e carvo de pedra : a Or-
den.
Rio de Janeiro ; 9 das tocando na Babia ,
e Macei Barca de Vapor S. Salvador.
Command nte John Henrique ; passagei-
ros Domingos da Bocha Vianna Joo Joze
de Carvalho Bangel, Dr. Vicente Ferreira
Gomes Dr. Francisco Joze Carneiro da
Cunha Joaquim Joze de Miranda Dr.
Luiz Duarte Pereira, Dr. Ouvidio Saraiva
de Carvalho, 1 escravo do Visconde d'Olin-
da, um dito de Joo Francisco Vieija Bra-
ga. Victorino Antonio da Silva. Capito Lu-
iz Pereira da Fonseca Alferes J ustino
Francisco Mendes, Dr. Hermenigildo Joa-
quim Ferreira Menezes, Burchere Chalop"-
Mur e 5 escravos Theodoro Malheus e
sua senhora, Dr. Antonio Gonsalves 51a1"
tins e um escravo, Francisco Duarte Bo-
enze Antonio Bafael Miguel Mineiro,
Sebastio Mauricio Wanderley.
RECIFE NA TYP. DE M. F. DE F- = i45


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EAEBAOZCI_TMNM5A INGEST_TIME 2013-04-13T03:34:16Z PACKAGE AA00011611_04639
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES