Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04638


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Auno de J842, Seguiida Feira 25 de
ludo agora depende e ruis meamos ; <1 aosss prudencia, nunlerarfio, t enerpia : con-
tinuemos como principimoi, e serenos ponledoi enm ailmiracJa entre as Nacoes miis
callai. (ProClamacjo da Aasembloa Geral du Iraail.)
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES.
Goianna, Parailia, e Rio grande do Norte, na segunda escita feira.
Bonito e (iaranbuas, i dtle 24.
Cabo, Seriaba*, itio FornuaM, Porto Calvo, Macei, e Alajoa ,no 1 i\, e 21.
Pajea 13. Santo Antao, quinta feira. Olimla lodos o das.
DAS DA SEMANA.
.:> Sfg. s. Marco* Evangelista. Chae. Aud. do/, de D. da 2. y.
20 Tere. Pedro d Bt'. Bel. Aud. do juitde Direitoda 1. ?*ra.
-7 Quart. a. Tertaliano B. Cbanc. Aud. do J. de D. da 3. t.
28 Quii. S. Vilal M. Aud. do J de D. da 2. t.
2 SeU. S. >drp M. f na fregaeiia df s. Pedro M.) Aud, do J, c D. da i. r,
30 Sal'. S. Cathariua de Sena. Aud. do J. de D. d* 3. '.
1 l)e Maio Uom. A Maternidade de N. Sra. a. Felippe, es. Tiago Ap.
Abril.
Anno XVIIL N. 89.
O Diario pubiiea-se torios os diaa que nao forem Sanli6eados: o prc.;o da assijnslura li
de tres mil reis por quarlel pa'os adiantadoa. Os annuncio* dos assignaates sao inserido
grana, eos dos que o nao forero rato de SU reis por linha. As reclamacfoa detcm ser
dirigidas a pata Trpugrafu ra das Crines 1). 3, ou praoa da Indfpenden* 1a lojas dcHvro*
humeros 37 e 3b.
CAMBIOS ho du 25 de Abril.
Cambio sobre Londres 2S d. p. 1!
Parts 320 reis p. franeo.
u i.isliun SO a 85 p. 100 de pr.
Oubo- Moeda de 6,100 V. 15.000
.. N. 14,900
i. de 4,000 8.200
PsT Palacoea 4 ,80
PftaVk- Peos Columnares 1 ,fiRI)
d Meiicanos i os..
miuda 1,440 a 1,46|)
Moeda de cobre 3 por 100 de disi-onto.
.Uisconlode bilh. da Alfand-- 4 por 1U0
ao mes.
dem de letras de boas Crasas le a 1 e f!
Preamar do da 24<& Abril.
I.m a 4 horas e 30 "> da nianha.
2. a 4 luirs e 4 ni. da larde.
P1IASES DA I.UA NO MFZ DE ABRIL.
Quarl, min. a 2 s 4 horas e 11 m. da tarde
La Nova a 11) -- lis 8 horas e 43 m. da larde.
Quarl. rese, a 1S -- ka 4 horas e 44 m da manb.
La chcia a 24 as 0 horas e S a. da larde.
IHAIt
a
HE
PARTE OFFICIAL.
ACn DA SESSA OBDIfi.AJUA DA ASSEMBLA
LEGISLATIVA DiE PERHAMBUCO EM 2l DE
ABRIL PE 1842.
PRESIDENCIA DO SNR. SOl'ZA LIA(3.
Feita a chamada achara-se prezentes 25
sis. diputados faltando com partieipsQoos
srs. LourerMjo Bizerra e Maciel Monleiro ,
e sern ella os srs. Alvaro Pedro Cavalcanti,
Lopes (ama Machado Ros e Manuel Ca-
valcanti.
Osr. presidente declarou aborta a sesso;
foi lidae approvada a acia da antecedente.
ORDEM DO DA.
Foi lido q parecer da comoiisso de instruc-
cao publica acerca da pretenco Uo Angelo
Custodio da Silva Fragoso, professor publico
de primeiras letras da Varze, o qual Ucou
addiado por ter pedido a palavra o sr. Nabu-
co. Foi tanibem lido e approvado o pa-
recer da commisso de rendas municipaea e
orcamenlo e exames de contas relativo as
contas da cmara de Flores. Osr.Fariare-
quereo a urgencia para se tratar ero 2. dis-
cussao, do projecto jo. 15 do anno passado,
concedendo matriz de $. Pedro martyr de
Olinda urna lotera de 64 cont de reis en-
trando em discussao foi approvado o referi-
do projecto em todos os seus artigas cam a
emenda seguinte do mesrao sj. deputado =
em lugar de tima lotera, diga-se dez loteras
de :(K)0j de reis cada urna. O sr. Jos
Pedro mandou meza o seguinte lequcri-
iueuto = requeiro que indpcndentemente
dos respectivos diplomas esta Assembla d
tiosse aos srs. depulados supplentes Costa e
'ere ira de Carvalho = o qual depois de a-
poiado e approvado, foi re ni el lido commis-
so respectiva para dar o seu parecer pro-
cedendo-se entretanto a discussao do art. 21
do orcamenlo municipal que foi approvado.
Enlrou em discussao o art. additivo do sr.
Citirana que tinha ficado addiado ao qual
o sr. Reg Dantas olTereceo a emenda seguili-
te = Fica pertencendo ao patrimonio da c-
mara do Bopito o terreno em que se acha si-
ta a mesma Villa e que o povoou morado-
res da mesoia Villa esto de posse ; salva a
redaeco :=^: foi apoiado. Voltando sala a
corarcisso encarreg8da de dar o seu pare-
cer acerca do requerimenlo do sr. Jos Pe-
dro o sr. Lopes Neto pedio a urgencia para
se discutir j o parecer de constituico e po-
deres a respeito dos sis. deputados supplen-
tes Costa e Pe reir de Carvalbo ; e sendo
apoiado e approvado o requerimenlo entrou
em discussao o parecer mandando o mes-
mo sr. deputado a seguidle emenda ao refe-
rido parecer da coinmisso^: Que sejo ad-
millidos os srs. deputados suppleutes Costa
e Pereir* de Carvalho. =Depo6 de largo de-
balte foro approvados tanto o parecer como
a emenda. Continuando a discussao inter-
rompida do art. additivo do sr. Gitirana o
sr. Lopes Neto fez o requerimeoto seguate
= Requeiro que se submettao os artigos ad-
dilivos commissiu dos negocios das cma-
ras para dar o seu parecer com urgencia,
acerca d'elles continuando entretanto a dis-
cussao do projecto do ornamento das camaras-
foi apoiado e approvado. Dada a hora mar-
cada para a primera parte da ordem do da,
passou-se discussao do art. 37 do ornamen-
to provincial ao qoai viero dous addila-
menlos umilusr. Neto a sua emenda apre-
^enlada na seso de bontem se Este arbitra-
mento ter lof^ar peranle o administrador da
me/a das rendas internas dentro dos cinco
mozes seguinles notilicago feita pelo col-
lector ao proprietario do predio ou seu pro-
curador c findo esse praso, sern, apparecer
reclamacao se far disto a competente verba
margem dolancameulo da callela, nao se
attendendo mais ao que a tal respeito for al-
legado depois pelas jiartes iuteressadas S.
R. : = foi apoiada 5 e outra do sr. Figueiredo
= A emenda do sr. Neto, se passar. accres-
cente-se a idea deque odesempatador ser
obrigado a couformar-se com um dos arbitros
sem mais recurso algum : = foi apoiada c ao
depois rejeitada. O sr. Lobo otfereceo a se-
guinle emenda = Em lugar de nomeados
pelos louvados diga-se pelas partes := foi
apoiada e ao depois prejudicada. Osr. Rel-
trao mandou a emenda seguinle a qual foi
apoiada e approvada : = 0 3. arbitro pode-
r cdnformai-se com o laudo de qualquer dos
arbitros primeramente noaicados 011 arhi-
trar di Aeren temen te, mas sem ore arbitran-
do um laudo entre os dois piimeiros : S. l\.
= 0 sr. Vieira de Mello, mandou a spguinle
emenda, para ser col! oca da onde couvier, =
O terceiro (olivado ser comeado pelas par-
tes no mesmo tempoeacto, emquengoica-
rem os dos pi meiros louvados : foi apoiada
e prejudicada na volaco. Da emenda subs-
titutiva do sr. Neto foro approvadas a pri-
mera e tereeira parte. Dada a bora levan-
lou-se a sesso, marcando-se os mesmos tra-
balhos para a ordem do di;, de manli.
Thomaz Aironio Maciel Monleiro.
Presidente.
Joze Felippe de Sonsa Leo,
1. Secretario.
Antonio Jos de Oliveira,
2. Secretario.
GOVERNO DA PROVINCIA.
CONTINUACA- DO EXI'ED. DO DA 20 DO CBRENTE.
Offico A' cmara municipal do Liraoei-
ro communicando para sua iutelligencia ,
e devida execugo haver a Assembla le-
gislativa provincial approvado as suas contas.
pertencentes ao anno nanceiro de 1859
1840, e o d'este a 18-l tendo glosado ai
quaolia de 100. reis, que ella aeresceutou
ao ordenado de seu secretario c Ih'o mandn
pagar sem approvago da mesma Assembla,
e sem attenco s suas pequeas rendas ,
que sao todas despendidas com ordenados dos
respectivos em pregados e nenhuma ulili-
dade do municipio a qual quantia ser res-
tituida ao cofre da municpalidade pelos Vc-
readores e contemplada na receita do anno
prximo futuro.
Dito A cmara municipal de Nazarcth ,
ntelligenciando-a de que forao approvadas
pela Assembla legislativa provincial as suas
contas correspondentes aos annos financei-
ros de 1858 a 18O.
Portara 1 Ordenando que se passe pa-
tente de major commandantc do esquadrao
de cavallana da guarda nacional do munici-
pio do Recite ao alferes reformado de caval-
!aria de linha Antonio Clemente Esteves de
Larraz.
Ollicio Ao coiMmandante das armas ,
corrmuuicando a nomeago antecedente e
dizendo que mande desligar o noineado do
batalhao de guardas naciona s destacados ,
no qual elle se acha va em pregado comocapi-
to a fim de que possa entrar, como ron-
ve m ao servido no exercicio do posto para
que ora foi escolhido.
Dito Ao commandante superior da guar-
da nacional dese municipio inlelligcncian-
do-o da supracilada nomeacao, para que faca
entrar o nomeado em exercicio, logo que se
ello aprsenle munido da respecliva pa-
tente.
Dito Ao ebefr* de polica interino da pro-
vincia significando-lhe que. em attenco
aoqueexpozem seu ollicio de lOdo correte,
expassou para odia 5 do mez de maio pr-
ximo o praso marcado pela presidencia para
a oiganisaro da lista dos jurados.
DitoAo jtiiz de dircilo interino da 1.
vara do orime e 2. docivel communican-
do o coiiteudo do ollicio supra : e dizendo-
lhe em resposta ao seu ollicio de hontem ,
que pode reunir a junta revisora da lisia dos
jurados na sala onde se faziao as se ses
do 1. oonselho do jury visto nao constar,
que ella se acho oceupada e ser sullicicnte
para o lim mencionado.
Circular Aos juizes do civel, aos muni-
cipal aos de orlaos e aos de paz da pro-
vincia remettendo para seo conhecimento,
e execuQo aparte, que I h es toca exem-
plares do regulamento n. 113 de 15 de mar-
go d'este anno para execucau da le n. 261
de 5 de dezembro do anno prximo pas-
sado.
COMMANDO DAS ARMAS.
EXPEDIENTE DO DA 11 1)0 CORRERTE.
OllicioAo E. Presidente, remellen-
do-lhe competentemente informado o reque-
rimenlo do 2. lenle Joze Joaqun? d Olivei-
ra do corpo d'artilliaria cavallo do Rio
Grande do Sul que pedia por mais tresme-
zes prorogago da licenea que obteve do Exm.
General Commandante em Chefe para vir a
esta Provincia.
DitoAo mesmo Exm. Sr., reenviando-
Ihe informado o requei imeuLo do Doutor Luiz
da Franca Muniz Tavares no qual pedia a
S. M. o I. a nomeaejio de Director do Hospi-
tal Militar desta Provincia ou o logar de ci-
rurgio mor d'algum doscorpos da mesma.
DitoAo mesmo Exm. Sr. remcltendo-
Ihe informado o requerimenlo do 2. lente
Joze Joaquim d'Oliveira que pedia se lhe
mandasse ajustar contas do que se lhe eslava
a dever em vista da guia que lhe foi pasa-
da e tronce d exercito do *ul.
DitoAo Chafe de Polica intirino sobre
a aprchenefio dos dezertores dos corpos de li-
nha da Provincia.
Portara- Ao Teen le Coronel Comman-
dante do Ralalho Provisorio, remetendo-
Ihe o concellio de averiguado feito ao soldado
da 2. companhia Manoel Curiolano dos Sanios,
e determinando que dito soldado losse reco-
nhecido 2. cadete na forma do Decreto de 4
de Fevereiro 1820 e Proviso de 20 de Ou-
lubro do mesmo anno.
da 15.
OllicioAo Exm. Presidente, remelten-
do-Ihc para ser julgado pela junta de jusliga ,
o processo verbal feito ao reo soldado Gonsalo
Joze do balalho provisorio pelocrimede
diserco.
DitoAo mesmo Exm. S. remettendo-
lht> informado o requerimenlo do 2. tenen-
te reformado JoSo Arcenio Rarbosa que pe-
dia o pagamento do excesso do sold ead-
dicional que dexou de receber desde o 1.
de Desembro do anno p. p. data da nova
tabella dos sidos at 15 de Janeiro deste
anno dia anterior ao em que foi dispensado
da vice-directoria do Arsenal de Guerra, o
passou a servir de ajudante do commissario
Bacal DitoAo mesmo Exm. Sr. rcmeltendo-
lhe informados os requerimentos do tenente
coronel commandarTte do batalhao de Guardas
Nacionaes destacado Antonio Lins Caldas, o
do Ajudante do mesmo batalhio Jo/u Ignacio
Pereira da Ro\a (pie pediao se Mies man-
dasse abonar o quanlitativo marcado para as
cavalgadnras, que Ihes competa) na raso dos
exercicios que tinho.
DitoAo mesmo Exm. Sr. remettendo-
Ihe para ser presente a junta de juslica o
julgado em segunda instancia, o processo do
soldado particular Joto Carlos Tavares do
5. Ii.italho de artilharia ap pelo crime de
insobordtaaeflo.
DitoAo Inspector ta Thezouraria de-
volvcndo-lhe o recibo que havia passado o Ma-
jor J. C. de SouzaCosseiro e oulro recibo
do mesmo Major passado com exclusoda gra
tlicaeao addicional que tirara no primeiro ;
por isso que estando desempregado nao lhe
competa esta vantagem sendo eor tanto
bem fundada a duvida posta pelo conimissario
fiscal do Ministerio da Guerra.
DitoAo Prefeito da commarca de Garan-
huas devolvendo-lhe os papis de conlabi-
lidade do destacamento relativos ao mez do
Marco ultimo para serem processados no
sentido das circulares de 8 e 10 de Janeiro ,
o oflicios de 17 de Fevereiro e 10 de Margo
deste anno.
PortaraAo Tenente Coronel Comman-
dante do HalalhaoProvisorio, mandando d'or-
dem de S. M. o I. communicada em aviso
da Hepartigaoda Guerra de 28 de Fevereiro
deste anno dar baixa ao soldado Manoel
Vieira, por ter sido inspecionado pela junta
de saude em sesso de 51 de Janeiro ultimo ,
e julgado incapaz do servico.
BIV 10.
Dilo Ao Exm. Presidente remetiendo-'
lhe competentemenle informado o requer-
mente do 2. Tenente Quarlel Mestre do 5.
Batalhao d'Arliheria a p no qual pediao
pagamento da gralilicaQo mcRsal de 4>000 ,
pelo lempo que servio no Acampamento de
Panellas o lugar de Ajudante do Major encar-
rer-ado do Laboratorio c Trm de Guerra.
Dito Ao Tenente Coronel C!efe, do 5<
Batalhao da Guarda Nacional Manoel de Sou-
za Teixeira signilicando-lhe que urna vez
que nao se acliava no Geminando do Batalhao,
seservissede remetiera Secretaria Militar os
modellos dos mappas que acompanharo o olli-
cio que lhe dirigir em 15 deste mez, o
que muilo senlia (pie o seu estado du saude
nao fosse lizongeiro.
Dito Ao Chefe de Polica interino da Pro-
vincia aecusando o recebimento do seu cili-
cio de 14 do correte e do soldado Joaquim
Flix que se acliava ausente.
da 18.
OllicioAo Exm. Presidente remetten-
do-lheos requerimentos e documentos dos
soldados reformados r'elizardo Joze da Full-
erea e Joze Domingues de Mello que pe-1
diao o pagamento do vencimenlos atrazados
que deixaro de receber e enviando hgo cm
duplcala aconta de taes vencimenlos a fin
de que se mandasse satisfaser pela Thezoura-
ria, sendo a respecliva importancia enlreguo
ao quartel mestre do 5. batalhao d'arlilharia ,
para effecluar o pagamento na forma das or-
dens estabelecias.
Dilo Ao Capto Commandante interino
do 5. Batalhao d'Arlilberia, communicando-
lhe que por incapaz do servido forana Corle
demillido por Aviso daReparligo deGuerra do
12 de Marco ultimo o soldado Joao Vidal ,
que all licarapor doenle devendo nos seus
assentos avwbar-se a demissao que leve.
Dito Ao mesmo procurando saber a
importancia dos objectos pertencentes a fabri-
ca do fardamento do Batalhao que se arrui-
nara por ter cabido ao mar o caixao em quo
hio acondicionados.
Portara Ao Commandante do Batalbio
Provisorio remettendo-lhe o Conselho d'A-
vriguaco feilo ao soldado da 1. Companhia
Flix Ferreira d'Annunciacao e mandando
que dito soldado fosse reconhecido 2. Cadete,
por ter preenchido as condices da Lei.
Dita Ao mesmo remettendo-lhe o Con-
selho feito ao soldado da 1. Companhia Frau-
eisco Xavier Rodrigues de Miranda, c man-
dando-o reconhecer soldado Particular na for-
ma do Decreta de \ de Fevereiro de 1820, o
Proviso de 26 de Outubro do mesmo anuo.
TRIBUNAL DA RELACAO*.
Sesso de 25 de Abril de 1842.
Na appellago civel desta cidade apelan-
tes Jos Cernes de Melle e Bicard Ho-


i.-. *^KS5
pontos essenciaes discrepa n'algunsd'elles o
Snr. Dr. Dornellas. No parecer dosautho-
res das quatro memorias as molestias desig-
nadas pelos dermalliologislas com os nomes
de Pian Frambcesia yaws so idnticas em
naluresa e corresponden) exactamente ao
que o povo chama n bobas Muitos e bem
fundados sao os argumentos em que appoio
este parecer ; licito me seja todava declarar
que un d'elles me parece pouco concl dente.
O nossos quatro autores entre oulras razos
todos inferem a identidade da naturesa das
referidas molestias do facto exacto na verda-
de masque poda ser simples coincidencia ,
de cederem todas ao mesmo tratamenlo. Bem
longo estamos nos se me nao engao de
poder determinar a naturesa das molestias pe-
los resultados therapeuticos. As nevralgia*
cedem como as febres intermitientes, aos an-
te-periodcos o oda vence os symplomas se-
gundarios da syphilis, eiiestroe a alleracfte
constitucional chamada escrfulas o mercu-
rio cura o venreo e militas vezes a perito-
nitis puerperal o ferro doma as hydro-nemi-
as o desvanece virias alfeic's chronicas e
quem ousaria inferir a identidade de tio di-
versas molestias da simples coincidencia de
eederem ao mesmo agente thfirapeutico ?
Sobre a naturalidade das bobas, o Sur. Dr.
Dornclias queaesle respeilo ctodos os
mais se exprime com elegante vehemehia ,
uo concorda com seuS Collegas o pensa que
as bobas nao sao oriundas da frica ou que
pelo menos nenhtrma prova ha da sua natura-
lidade com ludo segando judieiosamente
observa o Sur. Serpa a palavra l'ian, que em
diversos idiomasda frica significa morango,
parece aulorisar a opiniao de eruditos esenp-
lorcs sobre a origen) Africana das bobas. Ten-
do alein disso o Sur. Paiva visto, o ver na
medecina he quasi ludo na costa d'Afrien
prelos chegados com bobas de 100 a 1>0 Je-
goas sonde nunca haviao pendrado bran-
eos, su Indios e attendaado analmente ao
silencio dos autores que eserevero sobreSS
cousas notaveis do Brasil c que fallando em
molestias menos dignas de meosfto pouco lem-
po depois da descoberta do Brasil nada di-
zem a respeito das bobas de algum modo
parece decidida a questao em favor da origem
Africana.
A contagio das bobas he ndmettida polos
i ranetsco. Marciano. Desiderid Luiz An-jSnrs. Serpa Pana e Teixeira ennver-
tonio, eThereza prelos, escravos d'Anto- dade os factos abundo em appoio d'esla opi-
uio Carlos d'Azevedo C'oiitinho para o liio : nio. Nao obstante o Sur. Doutor Dornclias,
mualdo da Silva c appellado .Miguel Fran-
cisco de Queitoz escrivao Ferroira se julgou
rtii iq mj fin s nlcr:r i recorrida.
.11-. ps de Jos Rey, oppostos ao
na causa de apnetlacao contra Luiz
fio.i s Ferreira & MaiffihJ oscrivao'Rabollo,
.b ,iu disprc/ados mandando se cumpra o
dit Accordo.
Na appella-ao civel da Commarca das Ala-
goas, appellantesa viuva e heideiros de Joa-
quim Pedro RabeiloOuintclla, irppelado Jozc
Fernandos Liim ; escrivao Jacomu se jul-
gou pela Confirmado da sen tenes recorrida
com declarac.Ao a respeito dos juros.
Os embargos de Joze Rodrigues d Oliveira
Lima contra D. Ignacia Mara Xavier ao ac-
cordo na e.v.sa de appellarfio civel dosla ci-
dade escrivao tabell ; Ibro desprezados ,
mandando-so cumprir o accnrdSo embargado.
Na appellacao civel da cidade do Natal
do Ri (.runde do Norte appcllanle Joze
Joaquim Soa'res la ("amara appellados Joo
Rodrigues daSilvcira e outros; escrivao Bn-
deim f )i titeado ntillo lodo o processo.
Na appellncao civel do jui'.o de I)ireto da
cidade das Alagoas appeliante Joze Rufino
Teixeira ile Mendonga appellado Regihaldo
Joze de Araujo ; Pscrivao Jacome foi julga-
- da pela confivmaefto da sentenca appeliada.
Oaggrawde petigiorlo Prederico Christ-
anno Elsler da 'i. vara do civel dista cidade ,
foi j'.iL-a.lo qu o juiz nao fizera BggrSYo no
despocho RKPARTiCO DA POLICA.
A 21 de Abril-
Paswn-se pkssaporte Joze Joaquim Pin-
to, Porluguis? para o Rio de Janeiro. D. Ma-
ra Lucia de Mondonga Paos Brrelo, Brasilei-
rs para Lisboa levando em sua companhia
sus mi \). Barbara Francisca Xavier de Ma-
los Morera urna exposta, branca menor
de nome Maria da Piedade, e urna creada,
parda de nome Emifi i.
,. Alejandre Ribeiro de .Miranda Fontoura ,
Br.i/iloiro para Macis
Manoei Joaquim Brandan, Brazileiro pa-
ra o Porto levando em sua Companhia sua
uiulher de nome Albina de Soma.
Abril 22.
Jozefa Joannn Felicidadc Margari la ,
de Janeiro.
Francisco, preto, esersvo de Joaquim
Gonsalvos de Feria : para o Dio de Janeiro.
Antonio, preto, escravo de Manoei Igna-
cio Oliveira para 0 !io de Janeiro.
Valerio, preto, esravo de Francisco Ca-
sado Lima para o Rio de Janeiro.
Francisco pardo e Antonio, preto es-
cravo- de Manuel Joaquim Seve para o Rio
de Janeiro.
Manuel Joze Damaceno Brazileiro para
a villa de Sobral.
Luiz Antonio da Cunta Portuguez para
o Rprto.
Henrique Bernardes de Camino Portu-
guez pas o Porto.
Servlo Jozc de Siqueira Lima, Brazileiro,
para a Baha.
Passaro-secertificados de residencias Ha-
noel Caetano Soares Joaquim Joze Joa-
reproduzindo por occaso das bobas com a
forea calorosa quehe propria das OonvicceS
profundas todos qs^argumenlos dos anti-
conlagionislas em geral, noga que baja pro-
vas da Iransmissao do virus bobtico. Ilum
s fado de contagio bem observado derruba .
na minlia opiniao a l'ortalesa dos raciocini-
os que os anti-contugionislas julgo inex-
pugnavel. Ora, que oxplicag/io se ha de lar,
lora da Iransmissao pelo contacto a esse fac-
to tao inleressanle e Io curioso que vem nar-
bas no mesmo individuo tanto pode ser impu-
tada insuficiencia dos precedentes trala-
mentos como a nova contagio se esta for
admittida ou para aquelles que a negsrem,
persistencia do mesmo individuo no foco das
causas pathogenicas d'esla molestia. Se a
inoculaco, tentada experirrien tal mente con-
lirmasse o que todos dizem acerca da facilida-
de com que os insectos transportando o virus
bobtico para as feridas simples gero a me
boba muild contribuira mostrando an-
da mais essa analoga enlre a syphilis e as
bobas para resolver esta questo.
Coucordo os autores das quatro memorias
em que a predisposicao para as bobas he a
mesma na raga Caucsea e na Etipica sen-
do a maior frequencia das bobas nos prelos
nicamente devida as ms circumslancias hy-
gienicas em que estes vi vem e bem assim
que o tratamenlo mercurial e sudorfico he o
melhor o at 0 nico eficaz por agora e fi-
nalmente que posto se nao possa dizer de um
modo absoluto serena as bobas a syphilis
constitucional, be evidente serem ellas urna
especie do mesmo genero.
Vossos trahalhos acerca das bobas quan-
do ampliadosCORI facis experiencias sobre a
inoculacio do virus boba'ico de cuja impor-
tancia se nao descuidar certamen te a Com-
missao que incumbistes de um rotatorio so-
bre esta molestia, reproduzidas com desenhos
exactos suas diversas formas e graos es-
tai certos Senhores que bao de ser recebi-
das com agrado e proveto por todas as socie-
dades medicas por quanto os autores que as-
sim eomoCampet cscreverflo isoladsmente so-
bre esta molestia, nao podiao concentrar em si
as variadas circumslancias, em que se achr.ao
para a observacao d'esla affeccao dierenteft
membros da sociedade e os autores mais
conspicuos que trataro ex-professo as moles-
tias da pele antes eserevero a osle respeito
por informagoes mais ou menos exactas do que
por observacao directa e propria experiencia ;
de modo que interpondo agora urna reunio
de mdicos que exornen) todos na zona tr-
rida o peso de sua competente auloridade ,
contribuir para a dicisao de pontos ataqui
duvidosos nascincia adqueirindo, e dando
trra onde se eslabeleceo merecido reli-
me.
Para estee outros resultados importantes
muio concorrerfto os estorbos das Commis-
ses especiaes que tendea nomeado, e liis de
nomcar. Porem succedeo at boje entre nos
oque infelizmente observei as sociedades a
que lenho pertencido onde cujos trahalhos
fui testemunha. As CommissOes teni sido
remissas e nada nos tem apresentado. O
enle Commissao he pouco sensivel esperan-
qu le gloria e pocco se move pelo receio do
vituperio. Onde sem responsabilidado pes-
soal ha partilha certa na doce recompensa da
opiniao, ninguem busque resollados impor-
tantes. Se o Instituto da Franca he a nica so-
ciedade scienlifica tf- mundo, onde os relatori-
rado na memoria do Sur. Te i xe ira ? Huma os das Commisses sao quasi semprc superiores
nuilher amamentava sua lilha ; sao ambas a-1 tos escriplos examinados nao he unicamen-
Comcltidas pelas bobas mas parecendo cu- le por elle conter no seu gremio os sabios mais
radas, passaa mulher a dar opeito a urna I Ilustres de Franca mas tambem e na mi-
manca de pais sadios, c chegada com poneos nha o[iiuiao principalmente', porque Coni-
dias de nascida de um payz onde nao ha lio- missao no Instituto quer dizer Delator e co-
bas endmicamente. Apenas decorro um mez,
principia a crianca a ter bobas, c onde se bao
de ellas declarar ? nos cantos da boca. A
Brazil, dezejava que esla parte do mundo
conlribuisse tambem coma sua quota parto
de dados para a solugo da importante ques-
tao das revaccinages achou til communi-
car-vos vertidas para o nosso idioma as con-
cluses quede2075revaccinagestirou o Ilus-
tre Dr. Roesch eonokisesdeque talvezera
lodos tivesseis j conhecimento pelo escripto
original ou pela traduego Franceza. 0 Dr.
Boesch limitou-se a deduzir dos, factos que
observou as consequencias que elle compor-
ta vo, a saber, que a varioloide ou be-
xigas loucas s5o mais frequentes nos indivi-
duos vaccinados e a varila ou bexigas pro-
piamente ditas nos inividuos nao vaccinados,
que os sujetos bem vaccinados rarissimas ve-
zes tem bexigas completas, que a predispo-
zigo para as bexigas loucas augmenta ate cer-
ta idade proporcionalmente ao lempo que de-
correo depois da vaecinagao e finalmente
que o bom xito das revaccinages he progres-
ivo desd'a idade de o anuos ale de 2t. Estas
legitimas consequencias que o Dr. Roesch de-
duz de mais de duas mil revaccinaoes sao de
cerlo importantes porem nao lazem mais do
que confirmar fados j conhecidos. O ponto
verdad-jiramente pratico da questao da vacei-
naest, e se me nao engao, estar anda
milito tempo por decidir. O problema que
mais nos importa hoste: a forga preservativo da
vaccina foi por ventura sempro temporaria ?
ou pelo contrario sendo a aeco prophylalica
de sua nstureza permanente s vitalicia, quan-
do a vaccina be boa tem esla enflaquecido e
degenerado pela successiva o duturna trans-
missode uns individuos aos ou Iros desd'a fe-
liz deseuberta de Gesner ate boje ? No pri-
meiro cazo bastara revaccinar no fim do pe-
rodo preservado que a experiencia determi-
nar; no segundo debalde se revaccinaria o
forgozo seria recorrer ao cowpox primitivo.
Esperemos que a commissao de Vaccinas da
Academia de Pariz a qual movida pelos re-
sultados das revaccinages operadas na Alle-
maiiha, lenta, segundo me consta expe-
riencias n'este sentido, nos aprsente os re-
sultados que obtiver e resignemo-nos nos-
sa actual incerteza por aquelle numero nos, que necessarios forofti, para observar
se o effeilo preservativo ilo cowpox hcou
rulo absoluto e vitalicio. Justo e ulil seria
todava que esta Provincia concorresse tam-
bem com o restiltadO de rcvaccinacoes pora-
quim de Souza Cotilo, Francisco Mximo de me da crianca que ve sua lilha infectada.
(?rilo. Mano Joze da Costa .Antonio Joze da
i, Seram Joaquim Yinhas Domingos
um ifto he sabido a responsabilidade nAo re-
Caie sobre o enle abstracto Commissao mas
sobre, este ou aquella niembro nominalmente,
e por issoos relatnos do Instituto sao proen-
conservando anda leito despede a ama el rados ejidos com avidez por todos os sabios al
d o peilo a sua lilha e eis que principia a mundo. To convencido eslou d'esla verda-
i ruin 'Mullas Antonio Joze Pereira An- infeliz Snra. a ter bobas e onde so hodeldc, que me parece ulil aos fins da Socieda.i
toniQ de Azevedo Villarouca Joaquim Viei- ellas declarar? nos Lieos dos petos. Oh i acconselhar-vos que de ora avante incumbis
ra Coejho Manoei Fructuoso da Silva Joze
Francisco Dias.
SOCIEDADE DE MEDICINA.
(Contmuacsod numero antecedente. )
A 'illima ordom dod a scienlifica n'este an-
u v .-,'. i o]):' a molestia vulgarmente desig-
ida sq Brasil pelo nome do bobas. A
lote particirsr d'esla affecgo o numero
isidt-ravel de passoas que d'ella padecem
'- mente, ou segundariamente na Pro-
na a 'ivoncordancia em (|iie eslao aulo-
d'ttbalisada nota sobre a sua naturesa,
Senhores! Pois havemos de negar sinfeccfiolum s membro dos trahalhos das Commisses
directa do peilo da ama para a boca da en-
anca e desla para os pe tos de sua mae ?
Havemos de altribuir esta Iransmissao succes-
siva pelos pontos de contacto ao acaso ou
a essas causas pathogenicas que suppondes no
ar ou nos mos hbitos hygienicos ? Ser
especiaes porque sendo aquelle que mais ap-
to vos parecer segundo a naluresa das malc-
ras c consultando elle os membros que ras i
discusses niaiores conhecimenlos mostraren!
sobre o assumplo a prove taris o mesmo
lempo o zelo e a promptidao dos trahalhos
ior ventura pnico terror da morte e receio j pessoacs e a madorosa e reflectida circums-
sem ligttimo fundamento aquello que indu- pecgo dos trahalhos colleclivos alias, para
zir urna ama testemunha de taes successos ,, me servir de urna comparagio medica a fal
a negar o peilo a urna crianga buhen ta ? Sella d'estimulo produzira o marasmo, ea
nao livesse vivido n'essa poca em que no -norte.
delirio da doutrina exclusiva da irrilagao sc Tambem ferio poucas as communicages
negava at ser especifico o virus venreo es-j fritas n'este auno sociedade. O Sur. Jos
ir ou menor facilirjade de Iransmissao pe- crevendo-se j>ara isso amitos volumes ecau-| Pinto apresentou um caso de encephalocele
i tac) na^ diversas ragas, o seu traa- sando-se mortes e estragos com imitis* inocu- congenita que achou este anno na sua pra-
aces para resolver questoes desde muilo lem-j tica c era devido como succede quasi sempre
e ;it" alguns dos modos de sua mani-
, aro i atera muilo digna depren-
t'.engao de urna sociedade, que deve
.; lelo o ser ulil.
.,:.,,. ,'..,- aile o concurso de oninan-
loressobre, esta molestia. Quatro
s foro aprsenla,las pelos Snrs.
1 Teixeira e Dornclias. To-
l'elogio e (odas con tem par-
issnt s ; mas concordan-
J.ij 5 primeiras memorias nos
po decididas custar-me-hia a acreditar que
em frente de laes factos pdesse haver duvidas
a contagio das bobas.
Os Snrs. Paiva Serpa o Teixeira ad-
miltam que a mesma pesaos pode ser acomet-
ida mais de urna vez pidas bobas mas a este
respeito tambem o Snr. Doutor Dornclias
descorda dos aulores das outras tres memori-
as. Este poni parece na verdade al aqui de
irdua solugio porque a reaparico das bo-
a falla de suficienle ossifieago as suturas e
fontes pulstiles da cabega. Posio que estes
vicios de conformagao nao sejo muilo raro5;,
a sociedade examinen oqueihefoi apresen-
la.o com a devida atlengao c ficou agra-
decida ao Snr. Jos pinto sendo muilo para
esejar que o zelo d'este Collega seja incitado
das aqui, para tornar cada vez mais evidente
a insulliciencia de urna s vaecinagao naos
porque este he o fado cuja explicago se
busca para bem da humanidade, mas tambera
porque a diversidade dos climas talvez moti-
va sse differengas curiosas. Infelizmente pon-
eos ou nenhunS da.los subministrar a Pro-
vincia se os subordinados ao Governo par-
ticularmente a tropa, nflo forem obrigados a
submetter-se revaccinagao, tanto porque
ao povo repugna muilo por toda a parle a re-
vaccinagao como porque de outro modo im-
possivel seria a qualquer Facultativo operar
em sulliciente numero de pessoas para dedu-
zir consequencias comparaveis ao que outros
mdicos conseguira na Europa.
A tereeira e ultima communicaglo foi dada
por mim Sociedade. Era um cazo Hteres-
sanle de nevralgia que observei n'uma po-
bre de Apipucos. Esla infeliz soffreo por es-
paco de Ir/, annos dores tao violentas que
a obrigavo a gritar de noite e de da e a le-
vra por muilas vezes no desespero de lao
prolongados padecimentos a alleular contra a
sua villa impondo familia o triste dever de
conservar ao p d'ella quem a contivesse as
suas tentativas de suicidio. Com OUZome-
thodco dos tnicos e dos revulsivos a doenle
curou em poucas sem.-nas o por este resul-
tado que a pobre familia nSoesperava, gran-
de foi o seu jubilo e enternecimento. Bem
sei que os factos meJicos licao sempre incom-
pletos sem a confirmagao cadavrica porem
gracas ao zelo do Snr. Francisco de Paes Br-
relo por tudo quanlo pode ser ulil humani-
dade ou eu sobreviva ou no a esta mulher,
ha de se tentar a verilicacSo da diagnosis, poi-
que na verdade o cazo he muito digno de ser
completado.
Finalmente n'huma das ultimas sesses.
consultados pelas primeiras Autoridades da
Provincia e da Cidade cerca das resoluges
sanitarias, que devena tomar relativamente
aos pasageiros que viera demandar este por-
to na barca Ingleza Thereza existindo a bor-
do urna febre grave fora reproduzidos co:n
algum caluros fados c raciocinios em que pe
fundo os partidistas, e os adversarios d*
contagio. O vosso parecer pelo que diz res-
peito pratica n'este caro foi igualmente
desviado dos terrores pnicos do vulgo e das
idos Membros que forem encontrando casoslopinies extremas d'alguns anti-contagionis-
dignos da sua attengo. | las. Considerando as cauzas pathogenicas
O Snr. Oliveira saliendo que o Governo do j d aquella febre as precauges quo aeconss-


<&
Ibas te. ero realmente suflicientcs tanto
assim que destruidas essas causas pathogeni-
oas cessou a molestia da qual felizmente
nao resta hoje o menor vestigio.
Ahi tendes, Senhores o inventario suc-
cinto de vossos feitos n'cste primeiro anno.
Se a Sociedade se nao illuslrou com descuber-
las importantes, ou escriplos de mrito su-
perior sucetou ao menos o caminhoque ha
de conduzir a esses resultados transcendentes,
e deo provas incontestaveis da sua utilidade
para a Provincia. Maior poderia ser esta u-
tilidade se os recursos pecuniarios fossem
mais avultados, porem reduzidos s
vossas posses mes nenhum subsidio para
inedalhas de presenga com que se anime a
actividade de membrns mais remissos para
caza idnea, para a publicarlo das memorias,
consolo estimulo recompensa dos que tra-
balho gratuitamente para a bibliolheca ,
os premios, de, diflicil vos seria tornar-vos
mais proficuos populagao. Delerminastes
que se desse aos pobres urna consulla gratui-
ta 5 ve/es por semana alternando cada um
Je vos no desempenho d'este caridozo Mover ,
e por Talla de caza idnea, anda nao pudes-
tcs dar principio a esta til resoluco. Se os
Snrs. Doiitores Leudon o (Jlassen nao t-
vessem tido para com a Sociedade lao rara ,
louvavel e desinteressada generosidade ,
bem merecedora da nossa mais profunda gra-
tidao ni'in anda teria comegado da bihliotheca c nao obstante lodos damos o
lempo e o lempo lio o patrimonio dos lilhos
dos raed icos todos concorremos com sotu-
rnas talvez superiores s posses d alguns. Jus-
to seria na verdade que aquelles a quem in-
cumbe promover a consolidacao e prosperida-
de dos eslabelecmcnlos uteis vosconferissem
um subsidio para os fins mencionados. Mas
estando a Justina d'esta resolugo libada
idea que os destribuidores das rendas pu-
blicas posso formar da real utilidade d'este
eslabelecimento a vossa delicadeza e a vossa
dignidade de mos dadas se oppncm a que
em vosso lime se articule a mnima sol-
licilago.
Progredi, nao obstante em vosso meri-
torio intento, sem desanimar, nem com sa-
crificios que vos fazem honra nem com a
exiguidade actual dos resultados scientifeos ,
porque, esla he transitoria c sendo (ilha das
circunstancias em que nos adiamos nos e o
paiz nao nos pode ser imputada sem injus-
ticia. Com a nossa constancia daremos o ex-
emplo rarissime nos annacs da medicina de
se ruunirem os poucos facultativos de urna ci-
dade segundaria para reciprocamente se lis-
tn ir m e darem o seu parecer s autorida-
des nas materias da sua competencia ante-
pondo este dever de profissao s nsinuages
dissuasorias da emulago ou de quaesquer
pessoaes considerages. Posto que a mais do-
ce recompensa do liomem de bem seja a sa-
tisfagan da propria consciencia estai certos
que a jusliga dos vindouros reserva outra a
vossos nomes. Bem longe devia estar o pri-
meiro que alevantou umachoupana no est-
ril areal do Beeife de antever que no curto
espaeo do poucos annos ao lado d'essa chou-
pana solitaria se ergueria urna linda cidade ,
que avulta no mundo pela sua riqueza e po-
pulacho. Os rios que ao desaguar no Oc-
ceano, nos admiran* com scu pomposo volu-
me sao de ordinario em sua origem ignotos
ribeiros que se perdem entre a relva e ate
secario se nao fossem reforjados por succes-
sivos confluentes,, Bem distante devia estar
a humilde Sociedade da Escola de imaginar
em seus principios que um lia se havia de a-
cliar transformada na Academia Beal de Mo-
deeina de Pariz, n'essa Sociedade medica a
mais numerosa a mais activa e a mais bri-
lliante do mundo. Quem sabe se o acanha-
do recinto, em que nos adiamos, nao est
destinado com o progressivo incremento da
populacho a ser bergo d'algum d'esses Ilustres
Conclaves de homens exclusivamente dados
sciencia onde a natureza atormentada com
pertinazes experimentos revele absconditos
myslerios com que alivio a humanidade e
adquira a Provincia gloriosa fama. Talvez
enlo conscienciosos historiadores busquem
no^archivos da Sociedade os nomes de seus
fundadores e Ibes tributem com respeito a
devida gratido.
O autor da memoria proferida pela socie-
dade ser premiado com urna medalha de ou-
ro na forma dos Estatutos, e do valor de du-
zentos mil rs. As despezas que o autor t-
ver feito para a maior perfeico da memoria .
sero tomadas em considerado pela socieda-
de e indemnisadas a seu arbitrio.
O autor da memoria que for julgada segun-
da em mrito ser premiado com urna me-
dalha de prata do valor de cincoenta mil rs.'
As memorias sero entregue ao secielario
da Sociedade antes do fim de Janeiro de 1845,
vindo annexo mesma os nomes dos respec-
tivos autores em carta lacrada.
Dr. Sarment,
Secreta rio-perpetuo.
COMMERCIO.
ALFANDEGA.
Bendimento do dia 25 4:176,>65I
DESCARREGAO HOJE 25 DE ABRIL.
Brigue Inglcz Nglhingale = Fazendas por
dentro e ferro por fora.
Galera Ingleza =3 Emily = Fasendas, lou-
ga,. manteiga, barricas com ferragens,
taxas, e maqumismo.
praca do recife 25 de u;mi..
Revista Mercantil.
Cambio llonvero pequeas transages a
28 d. p. \i.
Algodo As vendas foro mu limitadas de
5:600 a 5:800.
Assucar Conserva-se a 050 p. (Q sobre o
ferro, sendo o mascavado mais pro-
curado.
BacalhoO carregamento chegadoa semana
passada esta-se retal bando a IOj
reis e o depozito anda por -4000
barricas.
Carno de charqueEntrou um carrega-
mento de Montevideo.
Azeite de Peixe Vendeo-se de 1 100 a
1200 o galo.
Carneiras francezasdem de IOj a 18j rs.
a duzia.
Cha hisson e pe rol adem de 1750 a 1800
a libra.
Louga ordinaria Ing.dem a 180 por cento
de premio sobre a fa-
ctura.
Estrangeiro Ha falla, e tem-se ven-
dido al 100 oalqueire.
a' pedido.
Calligraphia e Conta.
Professores Antonio Ignacio da Silva.
Adj. J0A0 Dcodato Boinan.
Secgao Segunda.
Linguas.
II.
III.
Sal
A llluslrissima sen hora I). Maa das Neves
Miranda d'Oliveira por orcasiAo da inopina-
da niorte de seu presadissimo Esposo o snr.
Joaquim Leocadio de OlivciraGuimaraes, por
um seu amigo.
SONETO.
A Morte, a cruel Morte abominando
O mrito exemplar do vosso Esposo ,
Ergueo buido ferro tortuoso .
E lite embebe sem d no peito brando !
Bio-se a Tiranna ao ver-vos derramando
Sobre o cadver seu pranlo amargoso !
Em tanto que sua Alma ao Ceo formoso
Va i por entre as estrellas dejando !
Senhora a vossa dor grande, e pungente,
S a Religio he que alivia ,
O antidoto seu he s potente.
Sacrilicai por tanto essa agona
A vontade de um Deus Omnisciente.
Que aos morlaes fixa o derradeiro dia.
EDITAL.
Sociedade de medicina de Pernambuco.
Sesso aiinual de 4 d'Abril de 1842.
Programma dos premios para o anno de
1845.
A Sociedade adoptou o segunte assumplo
para a memoria que ha de ser premiada em
Abril de 1845.
Indicar todas as calizas d'insalubridade
= Pela administrado da Meza do C011.su
lado se faz sabe< que no dia 25 do corrente
mez Se hade de arrematar porta da mesma
Aihninistrago una caixa de assucar branco
aprehendida pelos respectivos ern pregados do
Trapixeda companhia por inexactidno datara;
sendo a arremataban livre de dispezas ao ar-
rematante. Meza do Consulado de Pirnam-
buco21 de Abril de 1842.
Miguel Arcanjo Monteiro d'Andrade.
AVISOS DIVERSOS.

n'csta
baler.
Cidade ,
e os meios de as com-
COLLEGIO SANTA-CRUZ.
MATERIAS D'ENSINO E LISTA DOS ACTA ES PRO-
FESSORES D'ESTE ESTABELECIMEKTO.
Sccgo Primeira.
PRELIMINARES.
Aulas.
I. .
Leitura Elementos de Moral e
Cirilidade Doutrina Christan
Grammatica e Liugua Portuguo"
za analyse, historia nogao
dos Classios.
Vej. Aula V.
Francez.
Grammatica analyse c verso.
Exercicjos de pronuncia de
conversaco c de composigao.
Adj. Francisco Chabrillac.
IV. Inglcz.
> Francisco Gomes d'Oliveira.
Sup. Fellippe Neri Calago.
V. Grammatica c L. Portugueza c
Latina.
Antonio Mara Chaves o Mello.
Adj. Emilio Xavier Sonreir de Mello.
VI. Grego.
Francisco Chtbrillac.
Secgo Terceira.
Sciencias.
VIL Gecgraphiao Chronologia.
VIII. Historia.
M Manoel Ferreira da Silva Ba-
charel Formado em Sciencias
Sociaes e Jurdicas.
Sup. Pedro Bizerra Pereira d'Araujo
Beltro.
IX. Mathematica.
. Arithmetica, e Geometra, Al-
gebra Trigonometra.
Fellippe Neri Colago.
X. Elementos d'Historia-natural.
v Vaga.
XI. Philosophia racinale moral.
Doulor Antonio Vicente do Nas-
cimento Feitosa Graduado em
Sciencias Sociaes c Jurdicas.
XII. .' Rhetorica, Potica Littcratu-
ra classica.
Joo Antonio de Souza Beltro
Araujo Pereira Bacharel For-
mado em Sciencias Sociaes e Ju-
rdicas.
Sup. Pedro Bizerra Tcreira d'Araujo
Beltro.
Serco Quarta.
Curso deCommercio.
- 1. anno. -
XIII. Arithmetica
tria.
. Geographia.
Vej. Aulas VIL e IX.
- 2.* ANNO. -
XIV. Arbitrios de Cambio Theoria e
pratica d'Escripturaco Commer-
cial analyse dos dillerentes ra-
mos de Commerco.
N. B. -A I'recgo mandou contractar
na Europa um professor especial
para esta Cadeira.
- 5. ANNO. -
XV. Elementos do direilo Commer-
cial.
. Historia do Commercio.
Doulor Antonio Vicente do Nas-
ciment Feitosa.
Seceso Quinta.
Artes de Recreio.
XVI. Msica vocal.
Reverendo Padre Primo Felicia-
no Tavares.
Adj. Antonio Ignacio da Silva.
XVII. Msica instrumental.
V'olino Violeta Violoncello
Reverendo Padre Primo.
. Flauta.
Candido Jos Lisboa.
Adj. Antonio Ignacio da Silva.
.... Clarineta, ViolSo.
u Candido Jos Lisboa.
N. B.- Os demais instrumentos ad libi-
tum. 1
XVII. Danga.
Antonio Rufino Sevcriano da Cu-
nta.
XIX. Desenlio linear de figura e pai-
zagem.
Joaquim Jos de Carvalho Ba-
charel em Lettras pela l'niver-
sdadede Franca.
0 Director
' Antonio Maria Chvese Moli.
Algebra, Geome-
Joo Antonio Rodrigues, retirase pa-
ra Portugal a tratar de sua saudc.
O Joaquim Jozc da Slvcira Brasilero
retira-se para Angola a tratar de seus nego-
cios.
tsr Izabcl Candida do Carvalho, retira-
se para o Porlo com suas lilhas menores ,
por motivo de molestia.
tsr Antonio Ferreira dos Santos relira-se
para Loanda a tratar de seus negocios.
Joflo Antonio Miguel, retira-se para o
Bio de Janeiro.
tsr Tobas Davis e sua familia rcti-
ro-se para os Estados Unidos da America do
Norte.
tsr Joo Fernandos faz sciente ao ras-
peitavel publico que de hoje em dianto se
assignar Joo Joze Fernandes de Magalhes.
vr Antonio Moira subdito Hespanhol,
retira-se para fora do Imperio.
tsr O abaixo assignadoretira-sadestc Im-
perio para o Reino de Portugal e dcixa as
suas casas de negocio entreguesascu socio Jo-
aquim da Silva Ferreira Vinhas, authorisado
para comprar vender pagar, e receber pm
nome do abaixo assignado. = Lourengo Joze
Ferreira.
= A Fabrica de CBldfireiio eitar>lecirla
na ra no?a defta Cidade D. 1- sob a firma de
Pci'f ira &' romp toi vnulida e tiespaeada ao
Sr. Manoel Caineiio Lpal actual prop>ielaiio
d dito eataheleeimenio, A robrarc da
dividas activas da -itinti firma df Pereira
& comp. lii'ini a caigo do Sr Antonio Fian-
cisco Ceideia -orno agente com o pude-
rs 111 i'imji ios para tal fim : io/ta-*e aos de-
ve Jete Injio com hrevidade cu dar no paga*
ni ni o dos seus dbitos u diloCeideira, para
cujo fim aera sen. pr encontrado na mesma
Fabrica na ma mu a D 17.
Aluga-se o primeiro c o segundo arda-
dar e armazem do sobrado do falescdo An-
tonio Annes Jacomo sito na ra do Fagun-
des -, quem os pretender dirija-se ao sobrado
n. 55, na ra da cadeiado Recife.
Pilulas regetaes e universaes Americanas.
Estas pilulas j bem conhecidas pelas gran-
des curas que tem feito, nao requerem nem
dieta c nem resguardo algum ; sua com-
posigo Lio simples, que nao fazem mal a
mais lenra crianga : em lugar de debilitar ,
fortificao o systema purilicao o sangue
augm^nlo as secregoes em geral : tomadas ,
seja para niolc-tia chronica ou somente co-
mo purgante suave ; o mclhor remedio que
tem apparecido, por nao deixar o estomago
naquelle estado de coustipago, depois de sua
operago como quase todos os purgantes fa-
zem e por seren mu facis a tomar e nao
causarem encommodo nenhum. O nico de-
posito dellas em casa de D. Knoth agen-
te do autbor : na ra da CruzN. 57.
N. B. Cada caixinha vai embrulhada em
seu receituario com o sello da casa em la-
cre preto.
ta^ O coronel graduado Jos Thomaz Hen-
riques chegando a esla cidade viudo da
Parahiba em 22 do corrente mez e tendo
a infelicidado de ver naufragar a canoa que
conduzia todo o seo trem de bordo do niate
Flor das Virtudes para trra, e perderem-se
muitos trastes seos, roga a qualquer pessoa,
queachasse urna caixa de folha de Flandres
com o feitio de um chapeo armado emque
eonduzia lem de um chapeo varios papis de.
importancia que Ihe fazem milita falla, e
principalmente um Avizo, o Beneplcito
Imperial para ordenar-se seo mano Leonardo
Antunes Meira Henriques Ihe fagaoobze-
quio de restituir a dita caixa de folha ou ao
menos o referido Avizo, que elle recompen-
sar ao portador que a appresentar na ra
da cadeia do Recife, asa do sr.Joo Mara Seve.
-- Percisa-sede um tanoeir. quequeira
hir para um en'genho distante desla praga 9
legoas fazer as barricas que forem necessa-
rias para embarricar-se a safra do mesmo
engenho a fallar naloja de Manoel Ferrei-
ra Ramos : quina da ra do Crespo.
tsr O bilhete den. 1213, co nieio dito
de n. 1061 da 2. parte da 9. lotera do thea-
tro pertence a Jos Jacintho do Reg as-
sistente na cidade da Babia.
tsr. Dezeja-se falarcom o reverendo Can-
dido Jos Coelho chegado prximamente.a
esla cidade, e ped-se-lhe que haj de an-
nunciar a sua residencia.
= Quem precisar d um homem casado
para caxeiro de algum engenho o qual se
propoem a ensinar primeiraj- letras, com per-
feigao s tambem a muzica ; e igualmente
sua senhora ; tambem ensina primeiras le-
tras a cozer, lavarin tos bordados de sus-
to, deouro, prata, e flores de pinba : quem
de seu presumo se quiser utilisar, dirh
ja-se a ra de S. Joze D. 18, confrontando
bjreja que achara com quem tratar.
ILEGIVEL



JShBt dSttSETT BKSSflHB^VK-SHfiSSBBEHff: BS^BbH^M
4
1
jr Joze Soare I! 'lias-Letras pela Unversidade de Variz e
Profossor do Lin^oa Franceza no Liceo luz
mi'i.-o que nas casas do sua residi'ucia ra
dosQuartis, o primeiro sobrado junto
Polica se aclia ensillando Geograpbia, Lin-
goa Franceza e Philasophia. As pessoas
que desejarem cstudar qualquer distas ma-
terias podeo dirigir-se a casa do annunciante
a qualquer hora excepto das 10 da maulla
at as duas da tarde.
C7" Domingos Duarte Souza Rodrigues ,
retira-se para o Rio de Janeiro.
C7" Joze Antonio Antunes subdito Por-
tuguez retira-se para Lofinda.
C7~ Precisa-se fallar o Sr. Felis Vieira da
Silva, ou ao seu lillio Adriano Arehes da
Suva para negocio que muito llie nteressa ,
o na falla pessoa que aqu Caga as suas vozes ,
annuncie sua morada.
t^* Arronda-so o torce i ro andar da casada
ra de S. Francisjo deliontc da catleia D.
5 por cima do assougue I raneo/. : a fallar no
segundo andar da mosma.
XSF" Manoel Joze Consalves com loja do
fazendas na ra do Oueiinado I). 1. declara
que o annuncio enserido no Diario do sexta
eira22 do corrente R;$7, nao so enten-
de com olio.
S3* Aluga-se nielado de um sobradinho
ta ra da Cadeia loja do Bourgard D. 7 c na
pniea da Independencia loja de relojooiro do
Si-. Justino Alcroc oudc os, poder enco-
mendar da forma que quiscrem os prelen-
ilontes.
t3F" Engomma-se rotipa com todo asseio ,
as calcas a 120 rs. e camisas a 60 rs. : na
ra doNogueira n. 6 casa terrea envidracada.
df* Quem precisar de urna sonhora por-
tugueza para administrar nina casa engom-
niar o fazer os niais arranjos dirija-se a rila
cstreita do Rozario D. 26.
XST Para responder ao Sr. Memhro'da D-
reoo da Sociedade Amisadc nos Uno, tenho
adizcr-lhc que por esta folha nao lie lugar
competente de Ihe a presentar provas nas
sempre ihe digo que se dirija-se ao Sr. Vice-
rrector e segundo secretario quemolhor o
poderO informar salvo S. S. be algum des-
tes assim como Ihe digo que a ultima reci-
ta da (langa levo lugar no (lia I i do corrente,
julgo ter satisfoilo o Sr. Mombro da Direccao
(pie talvez se ache cumplice na tal dangazi-
nha O inesuio Socio.
Cf" Antonio Felipe da Silva faz sciente
ao respeitavei publico que leudo acceitado
urna letra da quantia de 248*023 rs. sacada
por o sur. Manool Fernandes Cucdcs com a
dada do lo do Maio de 180 a 7 mozos cu-
ja letra foi dada para recelier pelo Sr. Anlo-
de lUj a urna pessoa casada do pouca famr- nio Botclho Pinto de Mosquita o se acha
lia, ou a urna s pessoa que seja capaz, os perdida, caso ella aparece nao tora validado
pro ten do n los diriju-sc a ra eslreita do Ro-
zario armazem 1). 29.
ur O ahaxo asonado com loja de mar-
cineiro na ra cstreita do Rozario rnga a
todas as pessoas que teni obras para concer-
tar em sua loja de as mandar buscar no pra-
so de 8 dias, do contrario o annunciante nao
se responsabelisa pelas averias que aparego.
Jo/.o Antonio Soares Rozas.
SS5 Precisa-se fallar ao Sr. Francisco llar-
tas Pessoa ou a quemsuas ve/os fizer a
negocio que Ihe diz respeilo; na ra do Bur-
gos padaria frar.ceza ou aimbneie sua mo-
rada udverte-se que essa pessoa torn anda-
do para Angola.
*y A pessoa que annunciou querer com-
prar l casa es de pombos dirija-se a ra de
Manoel Coco D. 4 defronte do sobrado.
alguma por ja estar paga e ter o recibo do
mesmo Sr. a cima.
S2F Precisa-se fallar ao Sr. Abilio Pimen-
ta Alvos de Carvalho, para negocio de seu
intoresse : no atierro dos ahogados em casa
de Silvestre Joaquim do Nasciruentq.
2T O Sr. que na tarde do dia 22 do Cor-
rente ievot: 55 a -t0t> rs. de nina gaveta de
um arniazeni de carne baja de ir restuir do
contrario se uzar dos meios que a lei deter-
mina poisquando o dito Sr. tirouo dinhe-i-
ro, houve defronte algunsvisinhos que o vi-
rao estar mexondo na gaveta.
cy Rufino Joze Corroa do Almeida, the-
soureiro da lotera do Rozario da Boa-vista ,
anouncia que lioje segunda feira 2o do cor-
rente da principio ao pagamento dos. Buh-
les premiados da segunda parto da primeira
porlences da venda da ra Dfiroita B. 44, que
foi de Victorino Joze Coelho lioje 25 do cor-
rente pelas 4 horas da Urde.
3T Alexaudre Mackay & Companhia fa-
zem leilo por intervengo do Corretor Oli-
v.ira de cerca te cem barricas contendo sal
retinado em-caixinhas pequeas bem acondi-
cionadas e proprias para conservar o genero
por immenso tempo ; boje 2o do corrente ao
meio dia em ponto, no seu armazem da ra
do trapiche novo.
COMPRAS.
tSP 20 pipas de agoa arden te : no princi-
pio do atierro dos ahogados em casa de Sil-
vestre Joaquim do Nasciment.
%& Um bom negro ou negra que seja
perita cozinheira : na ra da Cadeia do Re-
cife D. 62.
VENDAS.
%& Em virlude do annuncio do Sr. Nuno lotera de B. S. do Rozario em sua casa ra
Mara de Seixas no diario n. 86 declaru-se da S. Cruz das 4 horas da tarde at as 6 e
que vonde-se a maquina de vapor da roa du continuar at o din 27 DO resto quo ticar a
(traja, nao s |ra pagar ao Sr. Nuno ciuno pagar destina os dias de quartas feiras no
98 niais credores e o aluguol do predio eui mesmo lugar e as ncsmas horas.
que osla assoniada.
C7" A pessoa que annunciou precisar de
2 cantos de reis a premio sobre pinbores de
oure di. ija-se a ra do Livramento O. 20.
SS- Deseja-se fallar aos Srs. Joaquim Al-
ves Teixeira Franciscollorminigildo Ras ,
c Joze dos Sanios Ras a negocios de seus in-
terosses : na ra du Cruz D. 22ou annunciem
suas moradas.
MT Da-se 600,* a juros sobre boas firmas:
na ra largado Rozario D. 9.
AVISOS MARTIMOS.
doSul, segu impreterivelmente no dia 26
do corrente a vellera e nova Barca Triuin-
pbo da lnveja ; quem quiscr carregar ou ir
do passageni para o que tein excellentes
commodss rocebondo tambern escravos a
frelo para um c oulro porto do seu destino,
dirija-se ao Capitao Carlos Evaristo Justinia-
SSir Aluga-se un piolo ou pela pequeo ; no da Si,va ? 0u a Caudillo Agostinhode Bar-
ou grande para o servigo de una j.asa de ros j ,,,..^,,1,;, do Corpo Santo n.. 67.
prquena familia : atraz da Matriz da Boa vis-
ta, por bailo do Colegio Pernambucano.
c?- Do sitio da ponte de Usoa da viuva
Costa &. Filhos desaparoceo em- a noute
do dia 21 do corrente urna vacca Turina ,
mnlhada de brauco e prelo magra e sus-
pirosa de esUr prenhc ; quem a entregar no
dito sitio recobor 2j do gratilicago.
%zr OW. 1575 que sabio 10> foi engao
na lista gewri pois he o numero 1577.' Jo-
o da Costa Monteiro Escrivocla Lotera do ;'
Rozario.
O/r Da-se300i a premio sobre pinbores
de ouro : na maestreiu do Rozario D. 21.
Hf* Placido Joze faz sciente ao respeilavel
publico que |>or haver oulro de igual nome
de lioje em diante se assignar Placido Caeta-
i\o da Silva.
HF Aluga-se um armazem na ra estreila
KS7" Para a Babia segu viageni impreteri-
voliiienlo no da 27 do corrente anda pode
recetar aIguosa qnrga at o dia 2;> ; o Pa-
tacho Minerva 5 quem quiser carregar pode
fazei1 at este dia.
tZF" Para o Aracaty pretende sabir at" o
itia 8 de Maio o Hiale Olinda por ter par-
te do earregamento prompto quem quiser
carregar dirija-se a Manuel Joaqnim Pedro
da Costa.
L E I L A O
i^T" Lenoir Pugel & Companhia fazem lei-
lo por intorvencao do Cor;etor Oliveira de
um grando sortimenlo de miudezas e fazendas
Francozas Suissas e Hambiirguezas que
se ho de vender por todo o prego para saldar
cotilas entrando neste numero um variado
do Rozario D. 2o, por proco comrr.odo: a sorlmento de alcaides; Terga feira 26 do
tratar defrunte do mesmo 1). 26. torrente no seu armazem da ra da Cruz.
C7* Cals Jnior continuar o seu leilo
por intervengo do Corretor Oliverj Quarta
feira 27 do corrente as 10 horas da manb no
seu escriptorio na ra da Cruz D. 10 primei-
10andar, demuitnse diversas fazendas Fran-
eezas e Sugas (|e prompta oxtrago, como
sedas sarjas, setins, tafetaes, macedonas,
ricos Icngos de setim para grvala ditos de
tafet e de sarja cortes de vestidos do seda '
e do chaly cambraias adamascadas c outras,
lengos de seda chales, mantas veos &c. ;
e de um variado sorlmento de artigos piu-
prios de lojas de ferragensc de miudezas o
que ludo s vender aos prasos actuaes da
praga pelo maior prego que for oflerecido ,
visto ser para completa liquidago decontas.
or Domingos Peragra Mendanha Mar-
ques & Veigas fazem leilo dos gneros e
t7- Manoel Joze Salgado subdito portu-
guez retira-se para fora da provincia.
$& Aluga-se um prelo bastante forte pa-
ra padaria ou para armazem do assucar de
ludo teni niuita pratica : na ra do Queiuia-
do loja 1). 7.
tsf Urna sonhora de bons costumes se
propoe a tomar criangas com ama para criar
,coni leite impedidas e d-isimpedidas tam-
bern recebe as que astiverem ja desmamadas
para se acabaren! de criar com todo o mimo c
amor : na rna de Maneo! Cuco D. 6.
jjy Sitelos de nova invengo para mar-
car roupa com a sua competente caija de
tinta, a qualso afianga que nao desbota, e
nenia roupa, eslessinetes lambem serven)
tiara fechar cartas : na ra do Bangel 1). 24
da parle la ribaira no priueiro andar, ou
tj- 100 meios de sola duas duzias de
costado de amarelo duas canoas fechadas,
e urna bagre de uacao anda bucal, ludo mui-
to em conta : na padaria de Joo Lopes de
Lima.
5jj- Urna venda na quina da ra por detraz
de S. Joze defronte da fortaleza : a tralar
na mosma.
EF" Duas pipas com agoa arden te : na ra
do Cabula loja do miudezas n. 4.
O" Bous escravos um de 20 annos e o
oulro mais volbo ptimos para todo o ser-
I vigo : ra ra larga do Rozario casa de Joo
Manool Bodrigues Valenca,
tsy Um sitio per lo da praga com bastan-
tes arvoresde fructo e com urna grande ba-
xa plantada de roga : na ra do nicho da Po-
lilla I). 6.
W Bilheles e meios ditos da segunda par-
te da nona lotera do theatro que corre no
dia 28 do corrente com pequeo lucro: jun-
to a casa de cambio de C. Diestel, loja do
fazendas na ra da Cadeia do Recife.
Bf Vonde-se ou troca-se poroutra, nma
prela que sabe ludoquanto he neoessario pa-
l ra o arranjo de una casa : no principio do
! atierro dos abogados casa de Silvestre Joa-
1 quim do Nascimenlo.
ty Bilheles e meios ditos da loleria do
Ihcalro : na ra do Queimado D. 13 loja de
Carioca & Sette.
SO lima porgo de pons de boi : na ra
da S. Cruz defronte da ribeira da Bo vista
D. 27.
z^F Um bonito moleque : na ra Nova
D. 7 segundo andar.
tsy Um prelo de bonita ligura, de idade
de 20 annos bastante alto : na ra da Cruz
n. 58
C7" Azeite de carra pato liquido a 5o20 a
caada e a retalho a 480 a garrafa tam-
bem se d de vendagem : na ra de Agoas
verdes D. 14 da parte do naseente.
tsr Bap areia prela da melhor qualda-
dc, em libras eotavas : na ra do Cabug
loja de Thomaz de Aquino Foiiseca.
tsr Liquido pyrolinhoso ou agoa Je fu-
maga segundo o nome que Ihe tem dado o
vulgo: a pesar de quealguns sabios escriptores
em medicina lenho feito a apologa desle
producto nao ousamos cita-Ios, porque espe-
ramos que o seu uso e prove lo sejo os pre-
goeros para sua bem merecida extraga. Es-
te remedio em pregado internamente he anti-
ceplico refrigerante, esudorilico nas cha-
madas febres malignas, e no* vermes ; e
externamente aplicado as ventas he til nas
sincopes deliquios e cyc. Alem disso una
experiencia nao equivoca lem mostrado que
elle he aplcavel com grandissimo proveito a
muitssoutras molestias das quaes daremos
abaixo a relago afiangando aos nossos le-
lores que umas se nao cita que nao tenha li-
do pelo menos um facto que prove a nossa as-
sorgo pois nao pertendeuios inventar vir-
tudes esim publicaras que se tem conhe-
cdo casualmeute por curas tentadas seai co-
nbecmeiilos mdicos mas que lem presen-
tado resultados satisfatorios constantes e
algumas vezesespantosos. Relago das mo-
lestias que tem sido curadas por este remedio:
gangrena, ulceras scorbutcas carie, dores
de cabega indigestes inflamagesde gar-
lante e das glndulas dores do estomago ,
obstrugoes, clica, suspenso das regras das
mulhercs purgaces brancas gonorrheas
novase Mitigas, Clavos ligados, qneima-
dnras, e finalmente a morfea : vende-se na
ra Nova botica do Pinto.
ssr Bi I hotos da lotera do Theatro que
1 corre no dia 28 do corrente : no largo de Pa-
lacio loja de chapeos.
55j- Umacscrava de naci de 18 annos:
robusta c de bonita figura coz inha e IaYa:
na ra do Livramento D. 7.
es?" Um oscravo canoeiro e pescador de
rede : r.a ra da Gloria sobrado D. 50; as-
sim como telhas novas e tambera ja servidas,
alguma madeira e lijlos de tapamento.
be Algodio amtTKvnuo nioipado re-
ccntemenle oblado, inelhores para vestir
e.iT.iva!ura do qup os da lena e ama por-
go de cera de carnauba por precos muiio
cmodos na loja 'Antonio da Cunha Silva
Guimaraens ra do crespo luja O. 5 lado
do norte.
S2T Barricas com sardinhas muito boas ,
rece-m-ohegadas por prego com modo : no
armazem de Fernando Joze Braguez.
S2F" Um sobrado anda novo e com mui-
toscommodos, bem repartido e obra mu
bem acabada de 2 andares e soto corrido
formando 5 andares com um grande ter-
reno no fundo c lem embarque na porta a
toda hora muito proprio para qualquer cs-
tabolecimento por ter multas proporges para
isso: a fallar com JooHenrique da Silva junto
ao arco de S. Amonio.
tsw Por com modo prego um grande sobra-
do em Olinda na ruada S. Bento defronte
da Igreja de S. Pedro Marlir, bastante fresco,
com excediente vista, e extraordinario quin-
tal murado oommodidades estas que ofore-
cem a quem tiver bom gosto de formar do
mesmo urna ptima casa de recreio : na mes-
ma Cidade ra de Mathias Frerreira casa n.
44 e no Recite na quina do beco do porto
das canoas no segt ndo andar do sobrado de
Manol Antero de Souza Reis.
C5~ Urna prela do gentio de angola sem
(leii'eito algum de 24 a 26 annos he perita
lavadeira de saboe varrella : na ra da Ca-
peja n. 45 loja de Joaquim Gonsalves Cas-
co.
CT" Bilheles da segunda parte da sexta lo-
tera da Matriz da Boa vista cujas rodas an-
do impreterivelmente no dia 11 de Maio pr-
ximo : no Recife loja de cambio dosnr. Vi-
eira em S. Antonio loja do sur, Menezes
ra do Colegio, botica do snr. Moreira ra
doC^bug botica do sr. Chagas ruado Li-
vramento ; na Boa vista botica do snr. Victo-
rino na praga.
\i3?~ Sapa tos inglezes botins francezes ,
borzeguins gaspiados, ditos napolitanos sa-
patos de bezerro marroquim e pao di-
tos de marroquim setim eduraque para se-
nimia sapatinhos para meninos, botins de
Lisboa, sapatos abotinados de orelba di-
to* para meninos, e outras mu i tas couzas
francezas : na praca da Independencia nu-
mero 27.
$3T Urna preta de 40 annos por 200,? ,
lava b m de sabo e varrella serve bem
a urna casa e d 400 rs. por dia ; urna pre-
ta boa cozinheira eengommadeira sem ter
falta alguma 5 una mulata de 40 annos boa
para tomar con la de urna casa cozinha en-
gomma, e lem boa conducto ; um prcto do
50 annos, cozinha o ordinario e he ptimo
servente de uma casa : um mulatinho de 16
annos, op mopara pagem
verdes D. 57.
na ra de Agoas
ESCRAVOS FGIDOS.
ES5- Fugio no dia 17 do corrente um mo-
leque de nome Luiz, crelo, de 18 annos, of-
ficial de alfaiate alio secco do corpo bem
fallante levou caigas e jaqueta do ganga
azul, chapeo de massa um tanto velho he
bem conhecido por ter sido official de Fran-
cisco das Chagas de Freilas com loja de alfaia-
te na ra da senzala vellia ; quem o pegar
leve aobeco da liogoeta a Joaquim Joze Re-
belo que gratificar.
tSF- No dia 10 do corrente fugio uma pre-
ta de nome Josefa de nago angola de 54
anuos estatura regular : levou veslido de
chita de assento branco pao da costa ja
uzado consla que est lavando roupa no
arrombado em Olinda : quem a pegar leve
a Manoel Joze Galvo na ra do Palacete, jue
6er gratificado.
M0V1MENT0 DO PORTO
NAVIOS S MUDOS NO DA 25.
Rio de Janeiro Brigue Brasileiro Jndianno ,
Cap. Antonio Carlos de Azeyedo Coulinbo,
carga varios gneros.
liba de Fernando ; Patacho de Guerra Bra-
sileiro Prapama Commandante o Capi-
tao Tenente Antonio Firmo Coelho carga
mantimentos.
RECIFE NA TVP. DE M. F. DE F, = 1842


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E7HW7NQ4A_H2AQ2T INGEST_TIME 2013-04-13T00:28:28Z PACKAGE AA00011611_04638
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES