Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04636


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Auno da I84-?. Sexta Feira 22 de
Tudo i;on depende
nuemo
calta*.
noi mesmoi ; di nossi prudencia, moderara.., e energa: con-
,,miemos como prmcipiamoi, e (Ciemos apontadnt con rimir.cao entre ti Nacoes mal.
(Proclamaco da Atsemblea Geral do Brasil.j
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES.
Goianna, Paraiba, e*io grande do orte, na segunda e seua,fira.
Boailo e Garanhuas, a 10 e 24.
Cabo, Sefehaem, Rio Formlo, Porto Calvo, Macei, e Alagoas no i 11, e 21.
l'aje 15. Santo Anto, (fiinta feira. Olinda todos os das.
DAS da semana.
18 Ser. GaldinoB. Chae. Aud. doJ. de D, da 2. r.
49 Te?c. s. Hermogenrs M. Re. Aud. do juide Direitorta 1, rara.
20 Quart. s. Ignez do Monte policiano M. Cbanc. Aud. do J. de D. da 3.' v.
21 Quii. S. Ancclmo Are. Aud. do J de D. da 2. t.
22 Sext. ?i, Soter e Caio Mm. Aud, Ao J, de I), da 1. t.
23 Sab. S- Jorge M. Aud. do J. de D. da 3. v.
24 Pom. fgida de N. Sra s. Fiel de aigmaringa M. F.'
Abril.
Auno XVIII. N. 87.
O Diario publica-se torios os dias que nao forera Santificados- o preco da assi'nalura baj
de tres mil reia por quaiiel pagos adiantados. Os annunrloi .los ais.:n antes sao inserido*
gratis, eos dos que o nao torero a ratao de 80 reis por linlia. Aa KeUaaactl deem ser
dirigidas a rslaTypograna rna dai Croies I). 3, ouh pracada ladependencialojat Je ,....
humeros 37 e aS.
CAMBIOS no da 21 de Ar.mi..
Caabio sobre Londres 28 d. p. 111.
ii Paria 321) reis p. franco.
.. Lisboa SU a Si) p. Iliil de pr.
Orno-Moeda de 6,400 V. 15.000
. N. 14.900
de 4 000 8,2110
PmrA Patacoes 1,580
PiiaT Petos Columnare 1,680
n i> Mexicanos 1 (fto
miuda 1,440 a 1,46(1
Moe.la de cobre 3 por 100 de diseonto.
Diicon'o ao met.
dem de letras de boas firmas le ale}.
Preamar do da 2? de Abril.
1. a 2 horas e 6 m. da mar.I i.
2. a 2 horas e 30 m. da tarde.
MUSES DA I.A NO MEZ. UE ABRIL.
Quart, min. a 2 --as 4 horas e 1 I m. da tarde.
La Nora a It) -- s 8 horas e 13 m. da tarde.
Quart. c-resc. a 18 al 4 horai e -14 m. da manh.
La cheia a 24 s II horai e S ro. da tarde.
IIIAKIO
PARTE OFFICIAL.
ACTA DA 51 .* SESSAO ORDINARIA DA ASSEMBLEA
LEGISLATIVA DE PERNAMBUCO EM 18 DE
ABRIL DE 1842.
PRESIDENCIA DO SNR. S01ZA LIA.
Feita a chamada achara-se prezentes 22
srs. depulados, faltando os srs. Maciel Moti-
le i ro Machado Ros, Ti.burlino, Pedro Ca-
valeanle Alvaro, Manoel Cavalcante, Baro
de Suassuna e Pereira de Brito.
Osnr. Presidente declarou aberla a sessao.
Foi lida e approvada a acta da antece-
dente.
EXPEDIENTE.
Foi lido un officio do Secretario da Provin-
cia partecipando que nesta dala se expedi-
r ordem ao inspector da thesouraria das ren-
das provinciaes para que examinagse as con-
tas apresentadas pelo cidado Antonio Jos
Pires conforme esta Assembla havia resol-
vido : inteirada. Foi approvado o parecer da
commisso de rendas municipaes eexame de
cuntas, dado acerca das coritas das cmaras
do Iguarass Itamarac, Pao do Alho, Na-
zareth Rio Formozo, Brejo Flores e Boa-
Vista, relativas ao anno de 183859. dem
relativa as cmaras de Olinda Iguarass ,
Goiauna Nazarelli, Limot-iro Serinhaeni,
Rrejo, Cimbres, Garanhuns e Flores no an-
no linanceiro de 1859 a 40. dem relativo
a cmara de Iguarass no anno de 1840 a 41.
dem relativo a cmara de Goianna no anno
de 1840 a 41. dem relativo a cmara de
Pao do Alho no anno de 1840 a 41. dem
relativo a cmara de Olinda no anno de 1840
a 41. dem relativo acamara de Nazareth
no anno de 1840 a 41. dem relativo a c-
mara do Limoeiro no anno de 1840 a 41.
Foi approvado o parecer da commisso de
negocios das cmaras acerca do requerimento
de Jos da Silva Guiroares advogado da c-
mara municipal desta cidade. Foro igual-
mente approvados 2 pareceres da commisso
de petices-; um relativo ao requerimento de
Porfirio da Cunha Moreira, professor de latim
do bairro da Boa-Vista \ e outio sobre a pre-
tenQo do cidado Manoel Lopes Vianna.
O sr. Oveira requereo a urgencia do pro-
jecto n. 2 sobre a lotera do theatro publico
para entrar em 5. discussSo ; foi approvado.
O sr. Nabuco requereo a urgencia do projecto
n. 38 do anno passado : foi approvado. 0 sr.
Gitirana pedio a urgencia do Projecto n. 15
do anno passado : foi approvado. O requeri-
mento do sr. Bizerra Cavalcante para que
entrasse em 5. discusso o projecto n. 10 deste
anno foi approvado. Foi approvado o reque-
rimento addiado dosr. Neto, apresentado na
sessao anterior, a fim de que fossechamado
um supplente para substituir o sr. Francisco
Domingues da Silva. Foi approvado em 1.
discusso o projecto n. 15 do anno passado,
e tambem em 1. discusso o projecto n. 58
de 185(5, a requerimento dosr. Nabuco, que
pedio a urgencia para se tratar d'es:e negocio.
oiidem do da.
Prosegundo-se na discusso do projecto n.
% ao art. o o sr. Jos Pedro offereceo um
art. adtjitivo para ser collocado onde con-
viene do theorseguhtc ;= 1. a arrecada-
fo da decima dos predios urbanos de toda
a provincia ser feita do 1. de julho do cor-
rente anno por dianle por trimestres e o
termo para o pagamento voluntario ser o do
mez seguinte a cada trimestre. 2. o presen-
te e Altura divida deste imposto em toda a
provincia ficarosujeitasaopremio del1|2
porrelo ao mez que se ai recadar com a
divida tendo a actual um trimestre para
sua arrecadago sem piemio. 5. a quantia,
que resultar d'este premio, ser applicada ,
ttm principio para amortisacao da divida do
hospital decaridade, o reparo da capel la el
casa dos lazaros ; e depois para socorro (lestes
mesmos hospitacs e dos expostos: foi apoiado.
0 mesmo sr. mandou meza outra emenda
ao mesmo art. as Fica em vigor o art. 41 da
lei n. 87 = qual o sr. Nabuco additou =
limitando-so a prorogago aos municipios que
nao forem os do Recife e Olinda = foi apoiada.
0 sr. Lopes Neto mandou a emenda seguinte
= supprimo-se os artigos 50 da lei provin-
cial n. 87 e 48- 49 -- 50 e 51 da lei n. 90 :
foi apoiada. Encerrada a discusso sobre o
art. 56 e posto a volago passou salvas as
emendas, das quaes foi regeitada a do sr.
Jos Pedro, que manda por em vigor o art.
41 da lei n. 87 Picando prejudicado o addi-
tamento do sr. Nabuco e approvada a do
sr. Lopes Neto, que manda supprimir os ar-
tigos 50 da lei n. 87 e 48 49 50 e 51
da lei n. 90.
Entrando ao depois o art. additivo dosr.
Jos Pedro = o sr. Nabuco offereceo a emen-
da substitutiva = Os devedores da deeinia
dos predios urbanos pagaro 12 por cenlo por
anno de juros que correrlo da publicaco
desta lei para as dividas existentes, e do
2. semestre do anno linanceiro para as divi-
das futuras dando o exm. presidente o re-
gulamento para a escripluracSo e arrecada-
cao d'estes juros que sero applicados para
o Dficit = foi apoiada. Dada ahora, o sr.
presideute levantan a sessao Picando addia-
da a discusso do art. aditivo c emenda subs-
titutiva e marcou para ordem dos traba-
-hos do di seguinte = leitura de pareceres ,
eos projectos n. 11 deste anno (2. discusso),
n. 24=2. discusso n. 2 = 3. discusso e
15 deste annoeml. discusso.
Joze Felippe de Souza Leo.
Pro Presidente.
Antonio Jos de Oliveira
1. Secretario interino.
Luiz de Carvallio Paesd'Andradc
2. Secretario interino.
n.
ACTA DA 52. SF.SSAO DA ASSF.MRI.EA LEGISLATl"
VA PROVINCIAL EM 19 DE ABRIL
DE 1812.
PRESIDENCIA DO SNR. PEDRO CAVALCANTI.
Feita a chamada achara-se presentes 20
snrs. Deputados faltando com partocipaco
osnr. Maciel Monteiro, e sem ella os snrs.
Manoel Cavalcanti, Machado Bios, Barode
Suassuna e Brito. O snr. Presidente de-
clarou aberta a sessao : foi lida e approvada
a acta da antecedente.
EXPEDIENTE.
Um officio do Secretario da Provincia par-
tecipando ter a Presidencia expedido ordem a
Cmara Municipal desta Cidade para cha-
mar um Supplente em lugar do snr. Deputa-
do Francisco Domingues da Silva : inteira-
da: Prestou juramento, e tmou assento o
snr. Deputado Supplente Major Antonio Go-
mes Leal depois de verificado o seu Diplo-
ma pela commisso de Gonst., e Poderes. Foi
remetlido commisso de Fazenda e Orna-
mento um requerimento do Reverendo Viga-
rio da Freguezia de Serinhaem pedindo ti-
ma quota para a coberta da respectiva Matriz :
Foi lido, e julgado materia de deliberaco um
Projecto do snr Gitirana decretando duas
Loteras de (4:000.) rs. cada urna para a Con-
cluso da Igreja Matriz da Freguezia do Bo-
nito. O snr. Lobo mandn mesa o reque-
rimento seguinte : ~ requeiro a urgencia da
2. discusso do Projecto Municipal sobre
qualqucr outra ale una hora ale que se con-
cilla a mestna discusso : -- approvado. En-
trou em discusso o teferido Projecto. O
Art. 2. foi approvado com a emenda seguin-
te do snr. Neto ao 7.: com o Advogado
da Cmara 200* rs.; o Art. 3. foi approvado
com a seguinte emenda do snr. Oliveira ao $
0.: -- em lugar de 500. rs. diga-se ISOj
res : os Arts. 4. 5. e 6. foro appro-
vados. Ao 1. do Art. 7. o snr. Neto man-
dn a seguinte emenda : em lugar de 200.)
rs. diga-se I50j rs. foi approvado o
Art. e rejeitada a emenda O Art. 8,. foi
approvado : ao 9. o snr. Oliveira mandou a
seguinte emenda : sendo o ordenado do Se-
cretario 200.) rs. : -- foi apoiada e rejeita-
da e approvado o Art. Ao 10 o snr. Pinto
de Almeida mandou a emenda seguinte : --
depois das palavras do Fiscal da \ illa di-
ga-se 200* res, do Procurador 150.)
reis- e doCirurgio do Partido- 200, reis-
salva a redaeco : foi approvado o Art. com
a ultima parte da emenda a cerca do Cirur-
Oio. O snr. Nabuco maudou mesa o se-
seguinte requerimento: requeiro, que
eom urgencia se d posse ao snr. Deputado
Supplente Dr. Beltro sem dependencia de
Diploma : apoiado : o snr. Neto mandou o
seguinte a.l.litamento : e ao snr. Deputado
Supplente Joaquim Joze da Costa : apoia-
do c depois retirado pedido do seu autor.
Foi approvado o requerimento do snr. Nabu-
co e depois de approvado b Parecer da com-
misso de Conslituigo, e Poderes sobre a
eleico do snr. Dr. Beltro, foi o mesmo sr.
inlroduzido na salla com as formalidades do
estilo prestou juramento e totnou assenlo.
Conlinuou a discusso do Projecto do Or-
camenlo Municipal. O Art. ll foi approva-
do : o 12 foi .-pprovado sendo rejeitada a
emenda do snr. Oliveira, elevando o ordena-
do do Secretario 200* rs. : o 15 foi ap-
provado com as seguintes emendas- do snr.
Neto, elevando o ordenado do Secretario
200*000 rs. o do snr. Dantas elevando
o do Fiscal 25*000 reis: os Artigos
11, 15," elG, foro approvados : o 17 foi
approvado com a emenda do Sr. Rabello ele-
van :o o ordenado do secretario 200* :
OALc 18 foi approvado coma seguinte do
Sr. Reis e Silva : com o Fiscal da villa
t25* reis, com o Tribunal do Jury, e Elcic/es
50* com as obras econcertos 100* rs. :
Ao Artigo .9 vierto meza as seguintes e-
mendas :do Sr. Rabello no 10 diga-se
o. rs. do Sr. Lobo no 8 diga-se depois
da palavra rios com excepto dos Muni-
cipios doDecife c Olinda : do Sr. Figue-
redoao 8 accrescente-se nao podendo
seren augmentadas arbitro dos arrematan-
tes mas seguindo-se o antigo coslume: -- do
Sr. Dantas no 11 supprimo-se as pala-
vras sem a excepeo dos objectos consumi-
dos pelo proprio productor : do Sr. Nabu-
co com excepeo somento dos objectos con-
sumidos pelo Sr. d'Engenho para a sustenta-
dlo de suas fabricas : do Sr. Paes d'Andra-
de-ao ll accrescente-se inclusive o di-
simo de pesiado ficando elle igualmente re-
ducido 5 por cento : do Sr. Netto a
emenda do Sr. Paes d'Andrade accrescente-
seexcepto o Municipio do Recife : do
mesmo Sr. ao 18 accrescente-se nao
podendo a Cmara Municipal de Olinda arre-
cadar o imposto sobre as balancas de pesar as-
sucar nos Trapiches do Recife, concedido pe-
las leis anteriores para a Receita Provincial
cargo da Presidencia iicando assim inter-
pretados os artigos 59 da lei n. 90 do anno:
passado 21 da lei n. 79 de 1859 58 da
ei n. 87 de 1840, e mais Le s Provinciaes^
reguladoras da Receita da dita Cmara : !
Forao apoiadas e entraro em discusso. I
Dada a hora marrada o Sr. Nabuco mandou o !
seguinte requerimento : ~ requeiro que
continu a discusso al passar o art. 19 : :
approvado. Encerrada a discusso foi a>- i
provado'9 artigo com todas s emendas ex-
cepto a do Sr, Nabuco.
Seguqda discusso do Projecto n. 9doOr-
ranicnto Provincial. Conlinuou a discusso
do artigo additivo do Sr. Jos Pedro e da
emenda suhsliti tiva do Sr. Nabuco. O Sr.
Aguiar mandou a Meza a seguinte emenda
ao artigo do Sr. Nabuoo: -- em lugar dus de-
vedores da decima dos predi los urbanos di-
ga-se ~ todos os devedores da Fazenda Pro-
vincial o mais como no artigo : apoia-
da. O Sr. Rebello a seguinte emenda au-
ditiva : que soja extenoiva todos osim-
postos a menda do Sr. Nabuco sobre os juros
da divida da decima ; e em lugar de 12 por
cento diga-se 1 112 por oento ao mez :
apoiada. Encerrada a discusso foi appro-
vado o artigo substitutivo do Sr. Nabuco com
a emenda do Sr. Rabello at as palavras ~ da
divida da decima-; Iicando a emendado
Sr. Aguiar comprehendida na do Sr. Rabel-
lo. Dada a hora o Sr. Presidente deq para
ordem do dia araesma de hojo c levanlou
a sessao.
Pedro F. de Paula C." de Albuqucrquc.
Vice-Presidcntc.
Jozfc Felippe de Sonsa Lco,
i. Secretario.
Antonio Jos de Oliveira,
2. Secretario.
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DIA 19 DO (ORRENTE.
Officio Aocommandante das armas di*
zendo que mande desligar do batalho de
Guardas Nacionaes destacados o soldado Jos
Alves da Silva, perteneente ao 1. batalho
daG. N. d'este municipio, visto haver sido
requifitado pelo inspector do arsenal de ma-
rmita para o servico da barca d'excavaco ,
d'onde era marinheiro.
Ditos Aocommandante superior da re-
ferida G. N. e ao inspector do arsenal de
marinha communicando a expedigo da or-
dem supra.
Dito Ao inspector interino da Thesou-
raria das rendas provinciaes, determinando,
que mande pagar a Braz Antonio da Cunha,
procurador do ex prefeito da comarca do Rio
Formozo a quantia de 29*080 reis cons-
tante das contas que se lho remettro o
importancia do despendido pelo mesmo ex
prefeito com a sustentaco dos presos pobres
de Justina da referida comarca nos njezes de
fevereiro, o margo d'este anno.
Dito Ao cidado Joo Manoel de Barros
Waqderley, ex prefeito da comarca sobre-
mencionada participando oconteudo do of-
ficio antecedente.
Circular a todos os delegados da provincia ,
communicando-llici, para sua iutelligencia,
stricta exeeuco e a lim de l/erem as ne-
cessarias participadles aos subdelegados dos
seus termos ter dado as convenientes or-
dens para que o administrador ou agentes
do corrcio logo que recebo algum oifficio ,
que nao possa ser inmediatamente expedido
pelo meio ordinario, o mandem entregar aos
delegados, e sub delegados a fim de que es-
tes por soldados, ou quaesquer outras pessoas,
que estejo sua disposigo o faco levar a
seu deslino ou aos delegados e sub dele-
gados que mais prximos llies fcarem no
caso de que o caminho mais curto Ibes passo
pelos respectivos disteielos.
Dito Ao dezembargador juiz relator da
junta de justira ,: participando-I he ter mal-
eado o dia 25 do corren te para sessao da re-
ferida junta, em cousequencia de ter elle
participado acharem-se vistos os precessos
dos reos militares que devem serjulgados
em ultima instancia.
Ditos Aos vogaes da sobromencionada
junta e aocommandante das armas l'azendo
igual participaco ; a este para mandar avizar
aos vogaes militares a fim de comparecer
no dia marcado s horas do custume; equeJ-
les para se apresentarero.



'

REPARTIDO DA POLICA.
A l6do Abril. '
Passou-se passaporte D. Victoria Clemeh-
tina Lopes Gomensor Bras leira para a
Baha levando era sua companhi.i 2 filhos ,
e 1 sobrinha menores urna ama e 4es-
crayos ; Joaquim Jos1 Pereira Guimaraes ,
Portuguez para a Baha ; a Manoel Jos da
Costa Portuguez, para o Porto levando
em sua companhia sua lilha de nome Violante
Francisca da Costa ; Gregorio 'Domingos
Ferreira, Portuguez para o Porto Joio
Pacheco das Merces, Brasileiro, para a Ba-
ha levando em sua companhia sua mulher
Roa Joaquina d'Albuquerque eduasfllha;
* Jos Eugenio da Silva Ramos Brasileiro,
para Lisboa 5 Joo da Silva Ramos Bra-
sileiro para Lisboa; Jos- Mana Pereira
da Silva c S uiza Portuguez para Lisboa ;
Francisco Alvo-, da Cunha, Brasileiro
adoptivo para o Porto ; Jos Gervasio do
f arvalho Portuguez. para a Baha ao par-
do Joo escrave do Major Podro Antonio
Velse da Slveira para a Baha 5 Clemen-
tina parda, c Narciso Benedicto, An-
tonio, Domingos, Joanna Perpetua e
Mara pretos eseravoa d'Antonio Carlos
d'AzevedoCoutinlio, para o Rio de Janeiro;
e Antonio, Jos', Ancelmo, e Candida ,
pretos caer vos de Joze Francisco Collares,
paro o Bio de Janeiro.
EXTKRIK.
ESTADOS-UNIDOS.
New-York 19 de Fevererode 1812.
Posicao dos Partidos em New-York Quem
ha de .ser o Futuro Governador ?
A Repblica est por certo numa condi-
go notavelrica do lodos os elementos natu-
r-ies de prosperidado com uma*producgo an-
imal avahada, segundo os pregos actuaos,
em mil e seiscenlos milhes de dollars, alora
multo {ado-com una popular, io de 17 milhes
lo christos e todava seja como lr o
Conaresso est inactivoc sera Jinbeiromui-
tos dos Estados estn fallidos-a massa do po-
V0 quoisa-se e ha nina mixtura lo singu-
lar do bous e de males que ludo parece ir di-
reito ?nlrcUnlo que umitas cousas cami-
nhfto torio.
N'esle grande c maravilhoso Estado lo New-
york estamos borda d'un grande futuro ,
que perfeilamcnle invisivel ou obscucamen-
te visto e pelo pial os nossos homens p-
blicos andao quasi s apaldadelas. Com urna
populago de trez ou quatro liilhesum fun-
do de capital avahado em oito ce utos milhes
-temos urna divida publica de 25,000,000
de dolais, crdito publico depreciado urna
quanlidade d obras publicas incompletas ,
cada dia falta mais uinheiro e osdous gran- qualquer homem n'oulra idade do mundo,
des partidos de demcratas e whigs luctande Acorda tnovei-vos levaiitai-vos?r-
pelo poder em vez de se unirem para honra guei-vos d'uma vez. Quem ha de ser o
do Estado. turo Governador de New-york ? Carlos
At quando ha de durar esle estado de con- Clinton
tas originarios capitaneados pelo General
rRoot o fizerao na sua primitiva hostildade -
quella poltica. Este grande e populoso Es-
lado est coberto d'uma divida de 25,000,000
de dollars o seu crdito publico tem descido
a 20 por cento e ambos os partidos na Al-
bania em ver de cultivarem algumalinha
practica de poltica parecem seguir somonte
objectos pessoaes e expedientes tempora-
rios.
Voltar pois o bom sentmenlo practico dos
antigos lemposcomegar de novo um movi-
mentoqueresttua a New-york os diasalcyo-
neos de Clinton, quando todos os nossos pas-
sos forem cunhados de prudencia e economa,
empreza e pericia e quando a especuladlo e
o fofo crdito forem convenientemente batidos
e abatidos.
Desde 1830 at 1836 os demcratas aug-
mentado os bancos passando medidas n'a-
quelle lempoinfatuarlo o mcio circulante
e projectaro pspeculages de todas as especi-
es que terminarlo na sua nleira prostra-
go quer financeira quer politicamente ,
em 1837. Desde 1838 at o presente 05
Whigs s teem augmentado os males do dia
consummido os fundos pblicosaugmen-
tado a dividaduplicado o numero dos ban-
cose agora entre ambos os partidos o
grande Estado de New-york est cncalh do
como um bom navio n'uma praia alta e seeca.
Que se ha depois fazer ? perguntaremos
nos. Devem cliamar-se acgo homens no-
vos e principios velhos. O tranquillo phi-
losophico e practico bom senso que gjou
De Witt-Clinton e seus compatriotas deve
revivar no espirito publico c em nossos pbli-
cos conselhos acarretand >-se madeira nova
da grandeloresta da nalureza humana. Du-
rante os ltimos doze anuos ambos os partidos
lardo de demcratas como de whigs teem in-
juriado o carcter do Estado e teem-se guia-
do por nios principios que leem condu/ido
ao actual estado de negocios. Fagamos urna
mudanga lomemos no vos homens; rocie-
mos a um seculo anterior e apanhemos um
pedagod'aquelle mesmo velho tronco que ser-
vio de base e do yedra angular da gloria e
riqueza do Estado. Para nos dirgirmos
por estes principios na cleigodo futuro Gover-
nador de New-york propomos d'uma vez o
nome de Carlos Clinton fllio de Witl-Clin-
ton herdeirodo seu nome, e um 1 grande
porgo do seu intelleclo. Fra com todas
as pequeas batatas dos whigs ou com
as pequeas Iuzes dos demcratas. Ajun-
tem-se ao mesmo lempo os bous republicanos
anligosos mogos do lempodesde Sandy
Hook at Buffalo reorganze-se o anligo par-
lido republicano fashionavel, sensvel e
practico que ajudou De Witt-Clinton nos
grandes mellioramenlos d'este Estado e le-
voii-o triunfantemcnle pelo meio da podero-
sa obra que teria conferido a immorlalidadc a
Senhores, disse elle o meu dialemma
este. Se o governo anda nao est to em-
penha'do na negociago que possa deixar de
ratificar a convengo, deve aceitar a minha
emenda se j se deixou prender as mos e
lhe nao possivel recuar, aceite a censura
da cmara.
Porem j tenho pressa de deixar esta tri-
buna. Ha nesta cmara homens especiaes ,
Ilustrescavalleiros domar,
ougamo-los.
sas ? Nao kaver remedio algum ? Olhemos
para o mappa do passado.
O grande movimedto do presente seculo que
rm vnte annos tem mudado e revolucionado
os Estados-Unidos comegou n'csb Estado
com De Wilt-Clinlon. O canal de Eria pro-
jectado por aquello maravilhoso homem foto
primevo d'uma serie do esforgos (|ue leem
coberto o paiz de gloria e vergonhade lu-
cro e repudio que ora tinge o carcter,dos
lempos de to variadas cores. Por muitos
annos um partido poderoso n'este Estado op-
pz-se a estes vastos mellioramenlosc mili-
to lempo tentou cobrir de ridiculo as obras
publicas que agora cuchen) o Estado de rique-
za.
u-
A.
( The Weekly Herald.)
O DIREITO DE VISITA.
art. iv.
Vot da marinha franceza exp'unido pe-
lo almirante Lalande. aginiaparla*
mcntqr de Guizot. Volaviio.
Apenas Berryer deseen da tribuna nao se
ouvio de todos oslados da cmara seno um
susurro mltiplo porm unisono ; e esle su-
surro mltiplo e unsono era do aprovago. O
senliment nacional hava electrisado lodosos
coragoes : desde que se vio q*ie se tra-
, nem theorista nem estadista
Elle era urn homein de fados e
especulador
visionario.
de itens Iluminado por um raio de genio do
De Witl Clinton no seu tempo nao foi lavada dignidade da F ranga lodos os dipu-
tados se osquecero dos ranchos polticos
( coleries ) a que pertencio para se lem-
brarcm de que ero Francezes. Smenle o
mesmo co. Elle demonstrou aexequihili- ma rechai Sebastian! se alreveu anda a tallar
dadedestes mellioramenlos internos pela sua
prudencia na execuco por um exacto co-
nhecimenlo practico dos departimentos c
por urna perseverancia indomavel em po-los
em i 11 le i 10 vigor e com os mais exactos cal-
culos malhemalicos. Por este meio conse-
gUO elle contra urna acre opposrao comple- do mo fado at leve a desbragado citar urna
lar ocanal de Eria o quasi revolucionar o passagem de Benjamn Constaul queera intei-
ramer.te contrae que pretenda provar. Foi o
deputado Billaut, autor da emenda que lhe
contra a emenda ; porem o pouco que disse
c que nem leve animo de pronunciar da tribu-
na como sesoenvergonhasse de coljocar-so
em lugar donde todos o vissem perdeu-se in-
leiramente por entre os echos dn applauso que
ainda resoavo em toda a sala. Por cumulo
soeulo. D.:sdeessa epocha todo o paiz seguio
os seus poderosos impulsos nas som a sua
prudencia ssm o seu tacto sem a sua pe-
ricia practica data aquella luz de verdadei-
ro genio que raras vezes se desvia docaminho
ijireito. D'um Diodo particular tem o Estado
de New-york nos ltimos quatro annos em
quanlo professava seguir politica de Clinton
desviado-se maiselfectivamente da sua pru-
dente liaba d'acgo do que os seus antagpnis-
fez o desagradavel servico de ajudar-lhe a me-
moria que o trabia ; e para obrigar a que se
declarassem os membros da cmara cujo voto
poda ser ainda duvidoso interpellou os al-
mirantes prsenles discusso e emprazou-
os que, em objecto que lhes tocava de to
perto viessem dar conta dos senlimentos da
marinha franceza.
Ho-de fallar melhor do que eu,
e vos lhes daris mais crdito.
Emprazadode urna maneira to solemne ,
era preciso que o almirante Duperr minis-
tro da marinha se explicasse. Talvez a sua
consciencia eslava de acord com a honrosa
susceptibilidade nacional da opposigo ; mas,
no momento em que se diriga para a tribuna,
recebeu por intermedio de Martin du Nord,
o santo que Guizot lhe transmettia, e foi bal-
buciar algumas desculpas arrancadas pela soli-
dariedade ministerial, e nao pela conviego
O sentmenlo que a declarago do ministro
produzio na cmara foi quasi de indagago.
Tres deputadosse precipitaro ao mesim lem-
po para a tribuna : Oiillon Barrot, Isambert
e o almirante Lalande porem os dous pri-
meiros reconbecendo que o ultima era na
materia de que se Iratava juiz mais compe-
tente cederoa palavra a Lalande,', que se
explicou desla maneira :
Senhores nao era intenco minha to-
mar parle nestes debates ; mas j que tantos
oradores desejo ter ovlo dos marinheiros
nesta quesiao hci-dedizer o meu. Os ma-
rinheiros soosquepodem, mais queninguem,
apreciar as dillculdades eos inconvenientes
da medida deque, se traa ; mas os que para
nos appello podem enganar-se por sennos
partes suspeitas.
Nao quero entrar no tratado, de que nao
conhecemos os termos : direi smenle oque
pensamos dos tratados de 1831 e 1835, quan-
do tivemos noticia delles. Ambos elles nos
parece rao exorbitantes e offensivos da nossa
dignidade ; e por honrozo que fosseo motivo
que nos fez abdicaros nossos antigos princi-
pios para ceder s medidas oppresivas d'In-
glilerra, sempre (leamos na idea de que ero
pessimos meios, applicados a um lim pti-
mo.
Nao somos nos nao nos os que tanto
necessi tainos de hhordado quem baja de l'a/.er
censuras aos meios empregados para acabar
com o trafico da escravalura ; mas que es-
ses meios attaeo ao mesmo lempo a liberdade
dos mares que nos defendemos com tanta hon-
ra da nossa patria porque foi a Franga a pri-
meira pie escreveu lias suas bandeiras = li-
berdade dos mares o esta liberdade quere-
mo-la para todo o mundo. E o que nos qui-
zemos em lodosos tem pos o que qu/.emos
nos nossos mos das, quando al nom linba-
mos odireilo de querer isso que nos ha-
vemos de abandonar no outro dia da revolu-
gode julho Eisaqui o que nos pensava-
mos dos tratados de 1851 e 1835.
Senhores, fagamos de boa f lodos os es-
forgos para acabar com o Iralico: mas sejo os
meios hons ; seja olhando sempre como urna
arca santa os principios que protegeni as na-
goes c que reunem em torno da nossa ban-
deira lodosos que se nao querem submeller
ao absolutismo da Inglaterra. ( Bravo !
Bravo )
lato pensramos nos, torno a dizer, dos
tratados de 1851 e 1855 e cuido que com ra-
zio. Nao ha nada mais simples do que o c-
digo martimo em lempo de paz : tudo nelle
est previsto nada exagerado. Depois de
ter estabelecido que todo o navio em mar lar-
go est fra de toda ajuiisdigo eslrangeira,
declara-seque em caso de suspeita de que a
handeira nao a que lhe perlence poder
enlao ser visitado ; mas como i' Eis-aqui co-
mo : O cruzeiro conservando-se fora do al-
cance da artilharia, mandar urna lancha
com tres homens, n ad summum parave-
rilicar os papis o que far sem se oceupar
com a nalureza da carregago ou com qual-
quer outro objecto de visita. Nao digo que da
execugo daquelles tratados lenho resultado
graves inconvenientes ; mas o que digo que
s no artigo 6. ha um arsenal inteiro de ma-
teria para contestages. Portanto se o go-
verno depois de refleclida discusso acha
que deve continuar a dar vigor aquellas con-
venges ao menos deve rever cortos artigos,
e sobretudo o artigo 6. eo 7. que to odioso
que at recusa qualquer indemnisagao que
seja aos armadores e ao capito do navio in-
justamente retido. Digo lambem que a con-
vengo s deve ser provisoria ; porque em to-
do o caso nao se devem assassinar os princi-
pios cuja constante defensa tem sempre sido
para nos um titulo de honra aos olhos das ou-
trasnages.
Este discurso foi um verdadeiro suppllcio
para Guizot. Tristemente se dirigi elle para
a tribuna onde com a consciencia da in-
fallivel derrota do ministro se exprimi des-
ta maneira :
Senhores j nao fazia tengo de tornar
a tomar a palavra neste debate ; e, pelo es--
tado da minha voz hem v a cmara que nao
farei uso della por muito tempo : ( de factoo
orador pareca agitado por urna emogao mui-
to forte ). Porem ha dous deveres que me
arrasto para esta tribuna : a grande e
santa causa que sempre defend e que bo-
je nao hei de abandonar e a minha obri-
gagao para com a coroa que represento nes-
ta casa e cojos direitos tambem nao hei de
desamparar.
Dissero-vos que ha dez annos o trafico
tem sido reprimido ellicazmentc ; e que em.
lodo este tempo-no tem havido um s navio
fraiicezculpado daste delicio. Aceito a con-
fisso : a prora de que as convences de
1851 e 1853 produziro o seu effeito c lava-
roa bandeira franceza desla infamia. Que-
ris agora saber para que se d mais exlengo
a um tratado que ja linha oblido o seu lim ?
E para para que este lim seja oblido por toda
a parte.
certo que o trafico j se nao fazia com
bandeira franceza ; mas fazia-se com outras
bandeiras que a Inglaterra nao linha direito
de visitar. Era preciso portanto estender aos
outros paizes os tratados que ja tnhao extin-
guido o trafico pela Franga e pela Inglaterra.
Tal o objecto das negociagds-, porque, em-
fim senhores, emquanto houver urna s
bandeira para cobrir o trafico ( como muito
bem advertio o Snr. depulado Berryer ), to-
dos os tratados sero insufiicientes.
Qualquer que seja a santidade do princi-
pio da liberdade dos mares jo direilo col-
locou dous casos fra della : a prataria e o
contrabando de guerra. Trata-se agora do
saber se vos queris considerar ou nao a car-
ne humana com contrabando de guerra. Pois
nada mais do que isto o que pelo tratado se
faz; e bem longe de com isso se atacar o gran-
de principio da liberdade dos mares pelo
contrario, d-se-lhe mais forga com esta gran-
de e indispensavel excepgo. Nao da liber-
dade dos mares de que se trata nao ; nao
do direito dos neutros nao da lihordad*
dos Estados-Unidos : mais um crime ins-
cripto no cdigo das nagfies e eis-ahi tudo.
E agora que salisfiz como pude mi-
nha primeiraohrigago quero tambem ex-
plicar-me sobre a prerogativa da coroa e al
sobre urnaquestao de honra nacional, por-
que da honra da Franga que a coroa nao au-
pen he de leve a sua palavra.
Em novembro do 1858 a Franca e a
Inglaterra, reunidas, propozero as tres ou-
tras potencias um tratado que roproduz as
clausulas dos de 1851 1835. As potencias
adheriro eso falta ratificar as assignaturas.
Dos me livre de olhar a ralificago como pu-
ra formalidade : um aclo mu serio e impor-
tante e eu sou o primeiroa recon!;ece-lo A
cmara pode pela expresso da sua opinio,
oppor um grave em barago ( nao digo nada do
mais 1 ;i ratilicar/io ; mas a liberdade da co-
roa lica inleira c pode ratificar ou nao rati-
ficar sem se importar com a opinio da C-
mara.
Senhores, ha poucis crcumslancias lo
graves para um governo como vir dizer a po-
tencias com quem se acha em relages amiga-
veis : Aquillo queeu vos disse, ha tres an-
nos, nao o ratifico hoje. Concluo pois,
dizendo : A liberdade da coroa ha de ficar
nleira; e, depois de a cmara ler mani-
festadoa sua opinio o governo decidir
como lhe parecer e sob sua propria res-
ponsabilidade.
Amicus Plato, sed mags rnica vari-
tas .. Quaesquer que sejo as bellezas com
que o facundo orador teve a habilidade de en-
feitar o seu discurso facl de ver que nao
ha em todo elle seno sophismas. Quando ,
para jus iicar o tratado appella para a ne-
cessidado de extinguir o trafico todo o seu
argumentse reduz a cobrir com a santidade
da causa a iniqudade dos meios; quando cha-
ma a attengo da cmara sobre o decoro da co-
roa tudo se reduz a substituir o direito por
conveniencias mais ou menos plausivcis. Em
consequencia disto ninguem se pode espan -
lar de ver Odillon Barrot na tribuna fallando
desla maneira:
Quando o governo nos propozer medidas
que nao oflondo nem o sentmenlo nacio-
nal nem os principios que tanto interesse
temos em fazer respeilar no mundo pode
contar com o nosso apoio ; mas emquanto,
em nome da santa causa da aboligo do tra-
fico nos vier pedir a nossa sanego para um
direito de visita que poem em perigo o eterno

r



principio da liberdade dos mares o com elle
o nosso direito de soberannia ento ( com
sua licenga) liei de ser sempre da opinio de
Benjamn Constant: jamis hei de reconhe-
cer a naco u!;uina do mundo outro direito
de polica martima que nao seja sobre os
seus propros subditos.
I E nisto, senhores. os escrupulos do
jurisconsulto estao perfeitamente de accordo
com os escrupulos da honra, exprimidos,
ha iim momento nesta tribuna por um dos
nossos illusres almirantes. Nao o gabine-
te nao tem direito de alienar urna porco
qualquer da nossa soberana. A liberdade
da bandeira deve ficar intacta. A bandeira,
senhores, mais que o domicilio domar do
cidado francez a patria !
A agitaco da cmara crescia ; Dupin tinha
subido tribuna para Tallar a favor di emen-
da de Lefebvre adoptada, como dissemos,
por Bllaut; porm de todas as partes se gri-
tava Votos! Votos e u presidente ,
aunuindo ao desejo da cmara poz a dita
emenda a votos. Todos os deputados pre-
sentes se levantarn, (cando sentados ni-
camente os ministros.
No mesmo momento batia o relogio da sala
seis horas e meia e foi o dobre de morte do
ministerio naquella importante questo.
( J. do Com m ere o. )
CQMMERCIO.
ALFANDEGA.
Rendmento do da 2f 2:177*848
DESCAnREGAO HOJE 22 DE ABRIL.
t
Rrigue Inglez Nihtingale = fazendas louca
ferragens, sabo e manteigu.
Brigue Inglez = James Erskim= Fasendas ,
por dentro, barriscom alcatro, con-
servas e correntes por fora.
Galera Inglezu = Emily s= Fasendas por
dentro.
IftlPORTACA.
O Brigue Siciliano, vindo de Palermo en-
trado no corrente mez consignado a Fra-
cisco Mamede d'Almeida manifestou u
seguinte:
50 saccas de feijo 50 barriz de azeile do-
ce 153 barricas com farnha de trigo 1700
alqueires de sal 11 caixas com flores de ma-
risco a ordem.
Urna caixa(ignora-se) a entregar ao Go-
verno.
O Brigue Inglez Jame-Erskim, vindo de
Londres entrado no corrente mez con-
signado a Me. Calmont & C., manifestou
o seguinte:
200 barricas com graxa, a James Crabtree
A Companhia.
700 barriz de plvora a A. S. Corbelt.
Urna eaixa com biscoito a J. C, Gomes.
Um bahul com rnupa a J. Nash.
8 ancoras a Monteiro da Franca.
150 barricas de serveja a W. E. Smith.
Urna eaixa de fazendas d'algodao- urna di-
la com dita de la e algodo, a Alex. Me. Kay
& Companhia.
4 fardos com fazendas de l urna caixa
com pianno forte a Bamos & Silva.
Urna caixa com fazendas de seda -- urna di-
ta com 1 chapeo a L. G. Ferreira.
80 barriz de alcatro 50 ditos de salitre -
25 ditos com oleo de linhaca a Joao Joz
da Cruz.
12 correntes de ferro 1*2 ancoras urna
caixa com vinho- 200 barriz de plvora a
Me. Calmont & C.
31 barricas de tinta 10 caixas com cobre-
urna dita com pezos de dito urna caixa de
pregos de dito- 500 barriz de plvora-- 80
barricas de serveja 15 caixas com chapeos de
sol e 5 barriz com folhas de flandres, a Fox
Brothrs.
O Brigue Sardo- Fortuna, vindo de Mohle-
Video, entrado no corrente raez consig-
nado a Manoel Joaquim Hamos e Silva ,
manifestou o seguinte :
1500 quintaes. de carne seca ao mesmo a-
ciroa.
O Brigue Inglez Funchal, vindo de Terra-
Nova entrado no corrente mez consig-
nado a James Cablrce & C., manifestou o
seguinte:
2109 barricas debacalho, ao mesmo a-
cima.
A Barca Ingleza Nigh tngale, finda de Li-
verpool entrada no crtente mez con-
signada a James Crabtree & C. manifes-
tou o seguinte :
250 barras de ferro urna barrica de fer-
ragem 5 caixas com fazendas de algodo
100 gigos de louca -6 fardos com fazendas
de algodo 20 caixas com folhas de flandres-
529 feixes de arcos de ferro 5 barricas com
pezos de ferro urna dita com ferros de en-
gommar e 12 embrulhos com paz de ferro ,
a Silva Barroca z Andrade.
4 fardos com fazendas de l 2 caixas dita
dita 4 barricas de ferragem 2 fardos com
cobertores 26 ditos com fazendas de algodo-
1 dito com dita de linho 5 caixas com dita
dito e 100 barriz de mauteiga a James
Crabtree & C.
5 barricas de ferragem 11 caixas com fa-
zendas de linho 5 fardas com dita dito 500
caixas de sabo 50 ditas com fazendas de
algodo 10 fardos com dita dito 4 caixas
com dita de l 50 barriz de manleiga e 2
gigos do 'ouca, a Johnslon Pater & C.
til caixas com fazendas de algodo 1 far-
do com dila dito urna caixa com meias de
algodo o seda 22 barricas de ferragem e
20 barriz de pregos a Geo Kenworlhy & C.
15 caixas com fazendas de linho50 far-
dos com dita dito c 2 caixas com dila de l ,
a B. Lasserre & C.
8 caixas com meias, a Busscl Mellors & C.
24 gigos com louca urna barrica dita
100 caixas de cha e 4 ditas com fazendas de
linho a Me. Calmont & C.
ti caixas com fazendas de algodo 15 far-
dos dita dito 5 ditos dita de l el caixo-
te dila dita a Deane Youle & C.
50 caixas urna barrica solt ( pegas de
machinismo) e 45 laxas de ferro, a Fox
Stodart. *
6 caixas com fazendas de algodo a Alex.
Me. Kay & C.
100 barriz com pixe 12 caixas com fa-
zendas de algodo 22 fardos dila dito u-
ma caixa dita de algodo e seda e duas ditas
dila de linho, a Gaskell Johnson & C.
uas caixas com doce, a Jones Paln &
Companhia.
15 barricas de serveja ao CapitaO.
Fora do manifest. -
Urna barrica de mustarda- urna caixa de
conserva 25 presuntos 19 queijos 5 jar-
ros com linguas 15 caixas de arenques 12
jarros com passas urna carleira urna quar-
tola de agoardente e 106 gigos de batatas a
CapitAo.
20 embrulhos (ignora-se) a Diversos.
j para maior commodidade do publico.
Por motivo da caixa do;Theatro ser peque-
a para o Espectculo desta noite nao se
permitte entrada nella a pessoa alguma, se
nao aos que trabalharem.
AVISOS DIVERSOS".
d
EDITAL.
= Pela administrado da Meza do Consu
lado se faz sabe> que no da 25 do corrente
mez s- hade de arrematar porta da mesma
Administrado urna caixa de assucar branco
aprehendida pelos respectivos empregados do
Trapixeda companhia por inexaclido datara;
sendo a arrenutaeo livre de dispezas ao ar-
rematante. Meza do Consulado do Piruam-
buco21 de Abril de 1842.
Miguel Arcanjo Monteiro d'Andrade.
tsr A lista dos premios da 2. parte da I.
Lotena do Bozario da Boa-vista acha-se
venda na loja de Ivros da Praca da Indepen-
dencia.
= O Thezoureiro da socedade Thealral -
Recreio & InstnicQo, comprindo com o 5.
do Art. 12 Jos Estatutos; aviza a todos es
snrs. Socios da mesma que podem irrecc-
ber em caza de sua rezidencia os bilheles ,
que Ihes tocar no dia 22 do corrente para
a recita, que ter lugar na noute do dia se-
guinte.
= Quem achou oii lhe for offerocida urna
canoa a qal he nova c tem 40 palmos de
comprda e 4 e meio de boca bem feita ;
pode dirigir-so ao estaleiro de Joa" Thomaz
Pereira, que gratificar com vinte mil rs.
= A pessoa que seoffereceu por este Dia-
rio para ensinar Latim c Francez, fora
desta praca sendo solteiro e querendo ir
para um engenho a 5 leguas distante ; diri-
ja-se a ra da cadea velha fallar com Joa-
quim Joze de Mello.
= Antonio Correia de Noronha faz ver
ao publico que no anno de 1840 relirou-
se desta praca para a ribeira denna levan-
do os signaes de um moleque do sur. Joaquim
Martins Ramos, que estava fgido desde 1857,
tendo o annunclante se transportado para o
engenho velho do Cabo achou o dito mole-
que em poder do sur. Francisco Paes Brre-
lo ; o que mostrandro o annunciante signaes intu-.ia,no.
dar e armazem do sobrado do falescid An-
tonio Annes Jacomo sit na ra doFagun-
des ; quem os pretender dirija-se ao sobrado
n. 55, na ra da cadea do Recife.
Quem annunciou querer comprar urna
cama deamarello de selto palmos de largo,
dirija-so a estrada do pombal no sitio que
tem porto na esquina do bequinho do Cafun-
d, onde achara urna muito em conta.
Percisa-sede um tanoeiro quequeira
hrpara um engenho distante desta praca9
legoas fazer as barricas que forem necessa-
rias para embarricar-se a safra do mesmo
engenho, a fallar na loja de Manoel Ferrei-
ra Ramos : quina da rila do Crespo.
Ra do Vibrio D. ig, i. andar*
Antonia Jote Fernandes Guimaraens l.-z
ente ao respeitavel publico que se ai bao
mudadas em o seu cofmorama as seguimos'
vista*.
Nooies das Vistas*
Real Tneatro a S. Cirios em
Vina
Lsboa.
Visla d,> S Hit uario do Sr. Bom Jess do
Monte nos suburbios d curioso espectador acha esta vista inteira-
mente agiadavel, e gozara de ver as |5 ca-
ptivas e os lurmo/.os e.seadoiios que adornan? e
torno bello esle recinto, o cumptuozo Tem-
plo rodeado de lo estatuas as quaes represen-
tara os ininistios que sentenciario a Jess.
Visla dodesembsrque.deS. M. a princezi
Leopoldina to rio de Janeiro, um grande
concurco de povo fe do imperado* do Brazil O vazOs de Gueira
estroudam os res com nuwerozas salvas e
a familia Real Portti''Usa e lo.ln a corte tor-
na m este cort-jo brilhante edigrto de grande
DECLARACES.
cettos o dito snr. Brrelo proinptamcnte o
entregou oqual fiz dirigir immedatamente
a caza do dito snr. Joaquim Martins Ramos
que conhecendo elle que era o sen moleque,
me deu de gratificago 50*000 rs. ; e como a-
gora outro se quena chamar a posse delle : a-
ja de se dirigir a caza do dito snr. Joaquim
Martins Ramos, a fim de liquidar esse nego-
cio e juntamente ao ditoengeuho velho a-
onde existe o annunciante dentro do prazo
de 15 dias; e passados que sejo, o annun-
ciante nao se responsabiliza por qualqucr du-
vda que possa haver.
= Oflerece-se urna senhora branca para
ama de caza de homem solteiro, propondo-
se a cozinhar, engommar, o cozer com per-
fe ico bordar, marcar, e fazer lavarintos.
= O patachoS. Joo receba a mala para
o Maranhoamanh 25 as 9 horas do dia.
= O brigue Espirito Santo recebe ama-
la para o Porto amanh as 4 horas da tarde.
THEATRO.
= Descripgo do variado e pomposo Diver-
limento, que se hade executar Domingo
24 do corrente debaixo da directo do artis-
ta gimnstico Joze dos Reis, sendo prheh-
chido com duas grandes Pantomimas ludo
guardando a ordem seguinte.
Depois de urna escolhida peca de muzica ,
Madama Emilia Amanti cantar com recitado
a famosa e nova cavatina da opera Gli A-
rabi nelle Gallie del maestro Pacini: con-
cluida que seja seguir a execuco da diverti-
dsima Pantomima que tantos aplausos al-
canco a primeira vez que se desempenho ,
e que a pedido de luuitas pessoas se repel ,
que tem por titulo O Boticario d'aldei ,
ou o fingido cao de Inglaterra. Depois se
cantar com toda a sua engracada scena t jo-
cozisstmo Dueto de Baixo e Tiple na opera
Elisa e Claudio, desempenhando o papel de
Mrquez" Joze dos Beis, e o da frentica Eli-
sa Madama Amanti.
Em continua?o se executar o grande e
novo Drama em um acto em pantomima que
tantos aplausos tem merecido c tantas en-
dientes tem dado aos Theatros de Lisboa, e
Porto, e que se intitula a priso e morte
do Bemechido, na serra do Algarve
Cantando no final Madama Emilia Aman-
ti o Himno de D. Maria Segunda Bainha de
Portugal.
N. B. Os camarotes se acho venda desde
e todo o servico de portas para dentro : quem
de seu prestimo se quiser utilisar dirija-se
ao patio do Carmo I). 5, lado direito ao en-
trar da ra das Trinxeiras.
= Na rna Nova loja de caldeirciro D. 14
est una carta viuda de Lisboa para Joze
Antonio Ferreira, que outra pessoa de igual
nome recebera; cuja carta traz alguns papis
de importancia : quem for seu legitimo dono,
dinja-se a mesma casa, que dando os signaes
certos se lhe entregar dita carta receben-
do-se o porte que se tem pago.
= Quem precisar de urna ama para caza
de homem solteiro ou de pouca familia ;
dirija-se a ra da Cruz : sobrado de tres an-
dares n. 2, que por baixo tem tenda de vio-
leiro.
= OsSrs. quecarregarao para o Porto na
barca Espirito Santo ; queiro tera bondade
de levar osconhecimentos caza do consig-
natario Francisco Alves da Cunha visto que
dita barca pertende sabir no dia 24 do cor-
rente.
= Um dos membrosda direceo da soce-
dade Amzade nos une responde ao socio,
que a caza de suas sessdes ainda nao servio
para nella se danzar e se quizer que o acre-
diten! aprezente provas do contrario
passar por homem que falta a yerdade.
= O Sr. que conhece o escravo Domingos,
desdi* o lempo do geu fallecido senhorio Joze
Elisbo Ferr ira queira quanto antes fazer
com que ella apareca,, e nao espere levar s
outros que eslo em projecto: veja que o
preto do Hespanhol ja discuhriu perant
testemunhas ao mesmo senhorio delle e vm.
me condece...
isla do Rio Domo, que cristalino la-
nba as praias da Ibrinoza liego i e uutnerozos
e lertis prados que este lio rega.
Vista da Cathdr.d de tiicu na provincia
da Beia em l'orlugal.
Vis'a do Canal da Fonianc na Ru. Vista de Naplo* claiiada com a lo:** lu
da Lia.
Vista do VoloSo de N iploi, que cora o seu
grande claio torna aquello lugar pavorozj ,
iirando com smlenares de pedras pelos
are que rpidas s.miIIIj por entre os rol< s1
de tumissa que see>paigen> nos ans
Visla da Ilha di s amigos no mar ^o sul,
Visla de um i.i mozo Id.i.jlj em cons-
tantitiopla.
Visto do Monsul.o do sulto na Torquia
Europea.
=: Precisa-se d m feitor que seja sol-
teiro c que en tenda do servico de campo
para engenho ; quem estiver nesta circuns-
tancia dirija-se ao engcnbo S. Paulo : fre-
guezia da varze que axr com quem tractar.
Aluga-se urna caza terrea na ra da
guia com 4quartos cozinha fora cea-
cimba aoito mil reis : dando dois mezes
adentado ; na pracinha do Lvramento
D. 26:
Aluga-se o primeiro o o segundo arda-
Vista de Nevoki na Bussia.
O pi eco estipulado he homem e sehcras
i.\o res uieniuus ltju reis.
= Achando-se na BellaciodeUa Provincia'
os aiiclos de demanda etnlre ofalecido Reve-
rendo Antonio Joze I) tai le Lima de Araujo'
Gomdim e J.te Vonaincio Cimenta de Cr-
vallio que havio subido bu supremo Tri-
bunal de Justica d'este Imperio coro peticfo
de revista do dito Pntenla e tendo sido nes-
ta ultima intanr
que este lucra da 5. parte da Granea dibens
da Capilio-inor Antonio Joe do Souto e
ufo pudendo ^er mais este obgecto materia
letegioca qnatqtiei* pessoa que pe tema
comprar a referirla parle de-la Franca pod
dirigir-se a caza D. i5 da quina da ruado'
queimido aonde achara pesoa' autorizada'
para este ftm.
= A Fabrica de caldeireiru esiabeiecida
na ra nova desta Cidade D. i *ob a firma de
Pereira & comp. loi vendida e trespacada ao
Sr. Manoel Cuint-iro Leal actual pioptielariu'
do dito estahelecinieiilo. A cobianei da<
dividas activas da extinta firma de Pereii
& comp. ficou a cargo do Sr Antonia Fian-
cisco Cerdeia como agente com os pude-
res necessaiios para tal fim : roga-e aos de-
vedeies hajio com hrevidade cuidar no paga,
ment dos seus dbitos so dito Cerd'rra, pra
cujo fim sera sempra encontrado na mesma'
Fabrica na tua nota D. ij.
=: Roga-se a pessoa que no Domingo d
Ramos do presinle anno tiiaudou por um
moleque tuna lollin- deprata de penbor por
um par le apatos de cotif preto par 5'60
Tfis, queia ter a bomlade de ir ie g'tar O
mesmo penlior da dala dtste a 8 dis, se nao fi-
cara pelo emporle da dila; dirija se a ra di- -
reita loja de muro D. -jo que dando os signaes
atrito lhe aera entregue.
= Arrenda-se a caza n. 4 Ja ra da
Mot-da junto ao Sr. Fumino e Santos Bra-
ga a qual he de doi-andaies, doissoiaos,
e um grande armazem alugando-te toda
ella ou parte como convier aos pertendente*.
loja de Joio Maria Se ve e ilbo, ra daf
concek-fo d* RtciV.

i


.i^ft.
tgir Joze Antonio de Souza Villaca reti-
ra-se para n Babia ateo dia 25 do corrente.
tsr Joze de Oliveira subdito Portuguez re-
lira-se para o Porto.
535=- Pedro Marques da Silva Ribeiro retira-
se para Portugal a tratar de seus negocios
tsr Francisco Joze Percira retira-se para
o Hio de Janeiro tratar de sua saude.
i^ Joo Ferreira da Silva Pe re ira retira-
se para o Porto na tarca Espirito Santo a
tratar de sua saude.
ssy Manoel Paulino do Nascimcnto re-
t ra-sn para Portugal levando em sua com-
panhia sua seniora Mara da Purilicago o
sua lilha Mariada Trindade.
tsr Joze de Araujo portugucz retira-
se para a Babia.
tsr Henrique Bernardos do Oliveira re-
tira-se para forado Imperio.
tSF Manoel dos Santos Portuguez reli-
ra-se para Lisboa.
BF TlieodoroDomingues, Portuguez, re-
tira-se para a Cidade de Lisboa.
cr Domingos de Fratase Castro reti-
ra-se para Europa.
'tSS" Antonio Joze Martins Ferrrcira, reti-
ra-se para o Porto.
tsr Thomaz B. Gunston subdito Britnico
relira-se com sua familia para Inglaterra.
tsr Joaquim Lopes ias retira-se para a
Cidade do Porto.
tsr Joze Domingues olleial de canteo Re-
tira-se para a Cidade do Porto, e julga nao
dever nada nesta praca por isso faz o pre-
sente annuncio.
ni Joaquim Joze da Silveira Brasileiro
retira-se para Angola a tratar de seus nego-
cio*.
tsr Manoel Andr Gomes retira-se para
fora da provincia.
tsr Joaquim Pereira da Silva retira-se
para a Cidade de Porto.
S3T O abaixo assignado rctira-se deste Im-
perio para o Reino do Portugal 9 deixa as
suas casas do negocio entregues a seu socio Jo-
aquim da Silva Ferreira Vinbas, authorisado
para comprar, vender pagar, e recetar em
nome do abaixo assignado. = Lourenco Joze
Ferreira.
tsr Manoel Joze Salgado Coutto subdito
portuguez retira-se para fora da provincia.
tsr Joo Antonio Rodrigues, retira-so pa-
ra Portugal a tratar de sua saude.
xsr Manoel Jozo Teixeira retira-se para
a Bahia at o dia 23 do corrente.
ty Antonio Meira subdito Ilespanbol,
retira-se para fora do Imperio.
tsr Antonio dos Santos portuguez re-
tira-se para a Cidade do Porto.
tsr Tobas Davis e sua familia reti-
rao-se para os Estados Unidos da America do
Norte.
tsr Joo Fcrnandes faz sciente ao res-
peitavel publico ,.que de hoje em diante se
assignar Joo Joze Fernandes de Magallies.
X3T Manoel Joze Gonsalves faz sciente ao
respeitavel publico que por liaver outro de
igual nome de boje em diante se assignar
Manoel Joze Pereira Gonsalves.
tsr Francisco Antonio Gomes faz publico
que de hoje em diante se assignar Francis-
co Antonio Gomes Braga.
tsr A partida da sociedade Eutcrpina he
no dia sabbado 23 do corrente.
tsr Apareceo um molequeque diz ser for-
ro; quem o pretender dirija-se a ru* das trin-
xeirasD. 15.
ADVKTENCIA .
tsr O N. B. que se 16 no im da pagina
13daConladaBeoeitae Dcspeza da Admi-
nistrago dos Estabelecimerilos de Caridade,
he da Typ\>grafia c nao do original como
lie bem claro.
ss^- Precisa-se de um feitor, qne trabalhe,
entenda de horta., arvoredos e vaccas, para
um sitio na Magdalena: na ra de Agoas ver-
des sobrado D. 10.
ss^ Aluga-se a casa terrea no principio do
atierro dos Aflbgados, P. 10 : na ra do
Collegio D. 7.
tsr Precisa-se de um official dechapeleiro
que trabalhe com perfeicoem todas as obras:
na ra do Queimado loja de chapeos D. 19.
cr Aluga-se um negro um moleque ,
c urna negra : na praca da Boa vista prin-
cipio da ra do Arago no segundo andar do
primeiro sobrado.
tw O Sr. Antonio Joze da Cunda dir-
ja-se ao principio do atierro dos Aflbgados a
casa de Silvestre Joaquim doNascimento.
ir Queta annuuciou querer comprar urna
cama de amarelo em bom uzo dirija-se a ra
de agoas verdes loja de raarcineiro.
isr Aluga-se una morada de casa terrea
na Boa vista no becoqne' vai para a Gloria ,
com suficientes commodos para urna familia -
na ,-ua da Cadeia D. 14 no segundo andar.
tsr Um bom
perila cozinheira
cife D. 62.
tsr Sobo em pao ou em pelle: na ra do
quem 'de seu presumo se Nogueira I). 19 ou annuncie.
tsr Urna escrava que saiba cozmhar en-
gommar cnsaboar o coser : na ra Direila
D. 49.
cy Precisa-so de 2:000j de rs. a premio
de dous por cento ao mez sobre pinhores de
ouro o prata ; quem quiser dar annuncie.
coser costura cha annuncie.
tsr Quem quiser dar 600 a premio por
um anno dindp-se lirma a contento, an-
nuncie.
SS" Quem precisar de urna ama de leite ,
escrava dirija-se a fora de portas do lado do
mar grande sobrado de um andar n. 201 ,
defronte do sobrado do Valadares ; no mes-
mo vende-seuma prcta de naca o de 16 anuos,
com principios de coslura cozinha o ordi-
nario sem vicios nem achaques ao com-
prador se dir o motivo da venda.
Bf" Manoel Antonio de Andrada, solici-
tador nos auditorios desta Cidade tambem
se encarrega a tirar passaportes para dentro e
forado Imperio; quem de seu prestimo se
quiser utilisar procure-o na casa de sua resi-
dencia na ra da Gloria D. 5 lado direito e
depois das 9 horas da manb na ra larga do
Rozario D. 4 primeiro andar.
O* Quera precisar do urna pessoa para
ensinar primeiras letras grammatica latina
e msica no mallo ou no serto dirija-se ao
pateo do Carmo quina da ra de Hortas D. 1
lado direito.
S53" Aluga-se urna casa terrea com duas
salas, jcamarinhas cozinha fora, em S.
Amaro junto a casa de Francisco Augusto da
Costa (uimares : a tratar com o mesmo
Guimares no trapiche novo.
tsr Anna Luiza Correia de Mello avisa ao
respeitavel publico que ninguem faca ne-
gocio do qtulidade alguma com Francisco Cae-
tano Prolirio e Custodio Moreira da Silva
com o sobrado da ra de agoas verdes D. 27 ,
e um terreno na ra dos Martirios.
tsr OSnr. que sabbado 16 do corrente ,
alugou um cavallo no Recife para ir a Olinda ,
queira mandar entregar o dito cavallo se he
que por impossibililado o nao tem feito do
contrario.....
UP Antonio Joaquim Ferreia dos Santos .
faz sciente ao respeitavel publico que por
haver outro de igual nome de hoje em dian-
te se assignar Antonio 'Joaquim Ferreira
Martins.
tsr Concerto-se pianos com toda perfei-
q5o e por prego com modo obrigando-se a
facer os concertos em casa de seus donos ou
em sua casa : na praga da Iedependencia lo-
ja de enradernador D. 23.
B5- O Professor de Rhetorica Potica c
Litteratura Classica do Colegio da S. Cruz be
Joao Antonio de Souza Beltro de Araujo Pe-
reira e nio Araujo Lima como sahiu no Dia-
rio n. 86. ,
tsr Antonio Ferreira dos Santos, portu-
guez retira-se para angola a seu negocio.
ET Os abaixo assignados fazem publico
pelo presente annuncio que tem vendido ao
Sr. Jos de S e Souza a loja com fazendas e
dividas activas que elles houvero da viuva
do fallecido Joaquim Joze Moreira em paga-
mento do que o mesmo fallecido Ibes era de-
vedor podendo os devedores daquclle casal
satisfazerem seus dbitos ao dito Sr. Joze de
S e Souza. Diogo Cockchott & Guaina-
nbia ; por Rozas & Braga & Hadfieldo Joze
lenry Chrislophcrs por estar prxi-
mo a fazer urna viagem at Inglaterra far
leilo por intervengo do Corretor Oliveira ,
Sexta feira 22 do corrente as 10 horas da ma-
nhii no sitio da sua residencia penteneente a
G. C. Cox na estrada do manguinho de to-
da a excedente mobilia do mesmo sitio, de
grande porcao de livros escolludos dos me-
Ihores authores assim como se vendero al-
rui.s eseravos e dous carrinhos inglezes de
(uas e de 1 rodas com seus competentes ar-
reios.
COMPRAS
negro ou negra que seja
: na ra da Cadoia do Re-
VENDAS.
tST
Urna bengala do
cana da India com
ponteira c casto de ouro tudoa moder-
na e de bom gosto : no atierro da Boa vista
loja de Joze Ignacio da AssumpgSo.
tsr Um manto decavalleiro da ordem de
Christo com borlas : na ra da Cadeia ve-
Iha loja deCardozo Ayres.
\er Chapeos de sol de seda do Po-to pa-
o de linho aberto proprio para toalhas e
lences erozetas de ouro para senhora lu-
do do Porto e por prego com modo : na ra
do Fagundes D. 4 sobrado de um andar.
\gr Caf moido sem mistura: em Olinda
casa terrea defronte da Igreja de S. Sebastio.
tsr Urna negra de 22 a 23 annos, pejada:
na ra Nova D. 9 casa do Joao Cals Aime.
t2J* Leite superior: na ra do.Rangel
D. 5.
i^- Vende-se a troco de lijlo de alvena-
rin duas canoas de mil lijlos e urna de
iOO: no atierro da Boa vista casa n. 2 de
Francisco Antonio de Oliveira.
tsr Um grande sorlimento de trastes de
varias qualHades junco para tecer cadeiras,
cera de carnahuba caixasde tartaruga para
rap tapetes oliados para cima de mesa,
vidro para espedios ludo por menos de que
em outra parte : na ruada Cruz armazem de
trastes n. 31.
tsr 100 meios de sola duas duzias de
amarelo duas canoas fechadas com mais de
60 palmos decomprido c una negra de na-
c,o anda bucal, tudo milito em con la : na
padaria -'e Joao Lopes de Lima.
tir Vellas de carnahuba a 520 a libra de
boa qualidade tanto de alvura como de boa
luz : na ra de Manoel coco D. 4 lado direito.
^C7- Sapatos injlezes bolins francezes ,
borzeguins gaspiados, ditos napolitanos sa-
patos de bezerro marroquim e pao di-
tos de marroquim setim eduraque para se-
nhora sapatinhos para meninos, bolins de
Lisboa sapatos abotinados de orclba di-
tos para meninos, e outras muitas couzas
francezas : na prafa da Independencia nu-
mero 27.
Jernimo Monteiro ; J.'O. Elster ; Bolli & GT Bilhetes da segunda parte da sexta lo-
Chavannes ; Johnslon Pater & Companhia ;, tenada Matriz da Boa.vista, ;"J""?S- Cl,v creoula de nome'Franci.c.1
por FoxSlodart, Joo Clemitton ; Alexan- do impreterive mente no da 11 de M* po- '
bandejas de diTerentes tamanhos e gostos,
envernisadas bules de metal do principe,
ricos estoj-js de navalhas com os seus compe-
tentes aparelhos ricas caixasepm superiores
tintas linas para desenlio, e outros muitos
objectos do ultimo gosto.
tsr Urna morada de casa terrea com quin-
tal murado e porto em boa ra do bair-
ro de S. Antonio : na pracinha do Livramen-
to D. 23.
v. tsr Urna bomba de ferro patente para ca-
noa d'agoa e um moleque de naco ,. de 14
annos : no principio do atierro dos Affoga-
dos cm casa de Silvestre Joaquim do Nasci-
mento.
tsr Barricas com sardinhas muito boas ,
recem-chegadas, por prego commodo : no
armazem de Fernando Joze Braguez.
tsr Sement de coentro de Lisboa e da
trra, edilade horlalica.de superior qua-
lidade chegadas ltimamente de Lisboa: na
praca da Boa vista botica D. 16.
tsr Urna negra de nagao de 26 a 28 an-
nos cozinha engomma liso, e lava muito
bem desaboe varrella e propina para to-
do o serviQo por ser muito sadia e robusta ;'
na ra da Cadeia velha n. 5.
tsr A obra de Salustio traduzido ao p da
letra pelo prego de 3ji rs. : na praga da
Independencia n. 37 e 58.
C^ Um escravo de nago de 2o annos ,
sem vicios r.em de le i tos, paja todo o servico,
vede-se por seusnr. retirar-se para fora da
provincia : na ra da Cabug loja de fazendas
D. 4.
5?y Urna earteira de meia face em bom
uzo e por prego commodo : no pateo do
Carmo venda D. 5 ou na casa D. 11.
ESCRAVOS FGIDOS.
Hpa No dia 10 docorrenle fugio urna pre-
ta da nome Josefa de nago angola de 54
annos estatura regular : levou vestido de
chita de assento branco pao da costa ja
uzado consta que est lavando roupa no
arrombado em Olinda : quem a pegar leve
a Manoel Joze GalvSo na ra do Palacete, jue
ser gratificado.
%sr Fugio no dia 8 do corren le um escra-
vo de nago Benguella de nome Joaquim ,
alto, secco beigos grossos tem tres fendas
na canalla da perna direita pisa mal encon-
sequencia das ditas feridas ; levou vestido
ceroulas e camisa de algodo da trra ja
foi visto as 5 pontas : quem o pegar leve ao
Recife ra do Amorim D. 57 que ser recom-
pensado.
r No dia 4 do do corrente fugio urna ne-
dre Mackaydi Companhia; Smili & Corbett; Iximo :'no Recife loja de cambio dosnr. Vi-
G.Konworthy&Companhia; Crabtree Hey-.eira em S. f.ntonio loja do i
ra do Colegio botica do snr. Moreira ra
do Cabug botica do sr. Chagas ra do L-
vrament ; na Bqu vista botica do snr. Victo-
rino na praga.
SS3" Acha-se a venda na loja do bom ba-
rateiro de Guerra Silva & Companhia na ra
Nova D. 6 o seguinte : lindas sedas de todas
qualidades para vestido chales de seda para
senhora, flores de differentes qualidades ,
leques de papel e de seda fitas de todas as
qualidades, methodos para flauta e pianno ,
flautas de bano de 4 chaves ditas de buxo,
ditas de urna chave violes mui ricos em
suas competentes caixas ditos mais inferi-
te Lenoir Puget & Companhia fazem le- res rebecas finas e ordinarias ricas cla-
lo por intervengo do Corretor Oliveira de rinetas de bano com chaves de prata ins-
um grando sorlimento de miudezas e fazendas trumentaes completos para msica militar ,
Francezas, Suissas e Hamburguezas que medidas de nova invengo para alf&iate i
se ho de vender por todo o prego para saldar
con las entrando ueste numero um variado
sorlimento de alcaides; Terga feira 26 do
corrente no seu armazem da ra da V.vu/..
worth & Companhia em liquidago.
AVISJOS MARTIMOS.
tsr Para Lisboa sahir no dia 10 de Maio
vindouro o Brigue Portuguez Joseplnna ,
Cap i lio Paulo Antonio da Rocha; quem no
mesmo quiser carregar ou ir de passagem pa-
ra o que tem excedentes commodos dirija-
se a Mendes& Oliveira, na ra do Vigario
D. lo ou ao referido Capito.
LEILAO'
periorescandieiros para cima de mesa, do
ultimo gosto castigaos de casquinha e vi-
dro de difieren tes modelos, superiores ben-
galas de cana e de outras muilas qualidades,
ITCllie IIU 3<;U di mu/ III ll.l I II.I II.i *.iu/.. r.il.l.'iiccnic.c, I"' "".....iiicc........|.c..............
cy Alcxaadre Mackay & Companhia fa- lanternasde casquinha e cristal, rios jarros
__i.:iin___.. iMMaMjtftA .ln r1..!.... /^.Ii'.. n.c... il.x-no /c, n. I c ,.c p ..- .ic, icc.i.ck nc turntinlmi:
zem leiio por itervengo do Corretor Olivei-
ra de cerca de cem barricas contendo sal re-
finado em caixinhas pequeas bem acondi-
dionadas e proprias dar conservar o genero
por immenso tempo ; Segunda feira 2o do
corrente ao meio dia em ponto, no seu ar-
mazem da ra do trapiche qoyo.
com llores candieiros de todos os tamanhos
proprios. para esludanles, livros cm branco
para escripturago mangas de vidro de dif-
ferentes gostos, pqpcl para forrar salas o
verdadeiro Le Roy purgante e vomitorio, su-
periores cafeteiras de fazer caf no diminuto
espago de 5 minutos, obra de nova invengo,
grinh. de npnie B-nedita, naci Rehollo ,
de idade de i2 a 14 a un na Jev.u vcalidu de
xila aiul e pao dacostj j uzado, a diia
negrinha vendia aiseite de ca rpalo em um
fiande.s e lem ossigiws seguidles, magi\> -
cor fula, ca'a marcada de bixigas beigos
grocoa lem una marca de fenda no ptsco-
co pe. parle de detrs, e ua unta da m.
direila um lauto gioca <|ue pouco se condece
a ddeiensa : 8pessoa que a aprehender leve-a
no pateo da Solid. fiede fronte do ho-pilal qnesei bem re-
co'i pencado do sen irabalho.
SflF Fugio no dia vj do corrente urna cs-
altuia re-
cular, corpo espigado um pouco gtossa,
olhos grandes e algutn cous abogallados ,
(lentes limados e quudo ri te volta niuilo
o beico superior } tem na testado lad direi-
to um pequeo caroco e no bou bro es-
querdo um lombinho j bstanle vtsivel : le*
von vestido de chita cor de rosa com f dluS
por baixo, e pao da costa deshelad.
Qiiem aprehende la leve em ca?< do Dr. P xolo de Brillo no A'terro da Boa-viata qe
ei generosamente giaiificado.
= ^o dia 19 do corrente di-yapar^ceu utu
nagro por nouie Antonio de n-cao congo
cor pitta, tem fallas de denles na fmite,
representa ter 3o a 4" annps de idade Ir-veu
vestido carniza de' algodo da trra, alca
de pao dacosla i,uem o pegar leve na
ra do crespo sobrado _de clois andaies lado
do norte D. 6.
MOV MENT DO PQRTO.
navio sAiimo no niA 21.
Angola ; Brigue Escuna Brasileiro Delibera-
go ^Capito Manoel Francisco da Silva A-
raujo carga diversos gneros.
RECIFE NA TYP. DE M. F. DE F< = I**2


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EYR04I3Z2_ANHTZ8 INGEST_TIME 2013-04-13T00:58:09Z PACKAGE AA00011611_04636
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES