Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04622


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Armo ce 1842.
Quarta Feira 6 de
Tmlo ifon depende I e nl nKimoi ; da nossa prudencia, mbdercri, e energa: con-
llnuamos como pnntijiianirn, e aeralos aprimados com admirar.o entre as Nar.oea aiaii
ctillaa.
(ProClaiRico da Asaemblea Gerai du Brasil.)
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES.
Goiaaaa, Paraiba, e Rio rende do Norte, na segunda eseiia feira.
Bonito e Garanhnoa, a 10 e 24.
Cabo, Serinhaera, Rio Fdrmoio, Porto Cairo, Macelo, e Ala;oas no 1 41, t.
Pajea 13. Santo Anuo, quinta feira. Olinda todos os diss.
DAS DA SEMANA.
4 Se. AnhancieSo de N. S,
5 Tere. i. Vicertte Ferrer Re. Aiid. do do jait de Direito di 1, rara.
6 Qoart. a. Marcelino. ClaDc. Aud. do J. de D. di3. t.
7 Quii, i. F.pifanto. Festa Nacional.
8 sext. S. Amincio. Aud, d> J, de D. da 1. t,
9 san. .Demetrio Aud. to J. de D. di 3. t.
O'Dba. db Bom pastor, i, Etequiel Profeta
Abril.
Ann XVIII. N. 73.
O Diirio publicase todos oadas que n3o forem Santificados: o prero ds asli'nitun U
de tres mil res por qoartel pagos adianladoa. Os annuncioa dos asignantes sao inseridos
gratis, eos dos que o nao forem 4 rst.io de 80 rea por linha. As reclamacoes deresn aer
dirigidas a esta Tvpografia ra das Cruies I). 3, ou praca da Independencia' Iojas de lirrot
Nmeros 37 e 3b.
CAMBIOS ho da 5 de Abril.
Cambio solare Londres 28 d. p. 1U.
* Paris 320 res p. franco.
Lisboa 80 a 85 p. 100 de pr.
OOno- Moeda'de 6,400 V. 14,500 a 14,700
a N. 14.300 a 14,500
. de 4,000 8,100 a 8.200
Pbata Pataces 1,660 a 1,680
PraTa Petos Columnarea 1,660 a 1,680
Mexicanoa 4,640 a 4 .fiO
miuda 1,440 a 1,460
Moeda de cobre 3 por 100 de diseonto.
Uisconto de billi. da Alfind-ga 1 e J por 109
aomet.
Ident de letras de boaa firmas 1 e a 1 e {.
Pream'r do da 6 de Abril.
1. 1 hora e 1S m. da manda.
2. al bora e 42 m. da tarde.
P*SES DA LA NO MEZ DE ABRIL.
Quart. min. 2 a 4 horas e 11 m. da tarde.
La' Nora 10 -- s 8 horas e 13 m. da tard.
Quart. cresc. 18 as 4 berat 14 m da manb.
Loa cheia a 24 s 9 horas e 8 a, da tarde.
sana-asa
asa
mijgg^mmm^m
IftlAIUO DE PERNAMBUCO.
PARTE OFFICIAL.
ASSEMBLA PROVINCIAL.
ACTA DA SESSA ORDINARIA DA ASSF.MBLKA
LEGISLATIVA DE PERNAMBUCO KM 2 DE
ABRIL DE 1842.
PRESIDENCIA DO SNR. PEDRO CAVALCANTI.
Feita a chamada acharo-se presentes 25
Srs. Deputados, faltando com participago o
Snr. Maciel Monteiro, e sem ella os Snrs.
Uchoa Cavaleanti Machado Ros, huiro
Mesquita, Manoel Cavaleanti, Mello, Barode
Suassuna, Lopes Gama, Luiz de Carvalho,
e Mendes.
O Snr. Presidente declarou aherta a sesso,
foi lida e approvada a acta da sesso antece-
dente.
EXPEDIENTE.
Um oficiodo Secretario da Provincia re-
metiendo a informago sobre o numero de
alumnos do Liceo destacidade, que foro ex-
aminados o anno passado : = quem fez a
requisigo.
Foi approvada a redacto da Lei creando
urna priso Penitenciaria e urna casa de cor-
reego.
O Snr. Noto maudou Meza o requer-
mente seguinte :== Requeiro que a com-
missso de Estatistica d co murgencia o seo
parecer acercada peligo dirigida* esta As-
semblea o anno passado pelos moradores de
Tamandar e outros lugares a quem do ri-
acho Ilhetas relativamente a diviso das
Freguezias de Una e Rio Formoso.pelo Ria-
cho = Maragi: = approvado.
ORDEM DO DA.
Foi julgado ojecto de delberago um pre-
jecto de Snr. Lobo concedendo una lotera
Matriz do Poco da Panella para as suas o-
bras.
Ficou adiado o parecer da commisso de
petiges devolvendo commisso de contas
o requerimento do cidado Antonio Jos Pi-
res ex-Thesoureiro da Administrado.
O Snr. Carvalho de Mendonga mandn a
Meza o seguinte requerimento : = Requeiro
que com urgencia se discuta agora mesmo
o projecto numero 8 dcste anno : = appro-
vado.
Passou em segunda discusso o referido
projecto ; e o Snr. Neto declarou ter votado
contra elle.
Foi regeilado o parecer da commisso de
orcamento elevando a 15 por cem a porcen-
tagem do collccior e do Escrivo de Olinda.
Foi approvado outro da mesma commisso
para se devolverem Presidencia as repre-
sentaces doExm. Bispo e do Vigario de
Aguas Bellas acerca dos reparos dasMatrizes
de Jaboato, e Agoas Bellas fim de con-
ten pla-Ios na quota que se fixar para os re-
paros das Matrizes.
Conlinuou a segunda discusso do projec-
to numero 9. artigo 5. O Snr. Perreira de
Brito mandou as seguintes emendas : Para
O expediente e acceio da casa, inclusive 2
serventes = 800, reis : apoiada. Depois
das palavras ordenados e expediente ac-
crescente-se=ficaDdo authorisado o Presiden-
te da Provincia para reformar esta Repar-
tigaoda maneira mais conveniente ao servi-
90 publico : apoiada.
Enterrada a discusso, foi approvado o ar-
tigo e regeitadas as emendas,
Artigo 6. O Sr. Aguiar mandou a seguii>
te emenda : -Depois da palavra internas-
diga-se continuando a gratificaco de 200,?
reis ao Tttesoureiro a titulo de quebras i o
maiscomo no artigo 15:600ji reis : apoia-
da. OSr. Oliveira. O Recebedor das Ren-
das Provinciaos arrecadadas pela Meza do
Consulado ter tam bem 200,> reis para que-
bras : apoiada. O Snr. Lobo. Se nao
passar a suppresso diga-se tendo
o EscrivSo e administrador a gratificado
de 500* reis, e o Thesoureo a Je 200* reis;
o mais como no artigo = apoiada. Foi ap-
provado o artigo coni as mendasdos Snrs. A-
guiar e Lobo sendo regeitada a do Snr. Oli-
veira. O artigo 7. foi approvado. Ao artigo
8. o Snr. Oliveira mandou a seguinte emen-
da : = sendo elevado o ordenado dos Inspec-
tores 800* res e o dos Escripturarios
600* rei apoiada. 0 Snr. Aguiar : sup-
prima-se o artigo 8. : apoiada. 0 Sr. Net-!
to :- se passar a emenda do Snr. Oliveira ,
accrescente-se : lendo os marcadores da Ins-
necgo o ordenaJo de 450* reis : apoiada.
Foi approvado o artigo, e regeitadas as emen-
das. Artigo 9. O Snr. Oliveira apresentou
a seguinte emenda:- os Professores Adjundos
continuarao a ter o mesmo ordenado de 800*
reis : nao foi apoiada. O Snr. Fi^ueiredo :
- Supprimo-seas palavras -pago somente a
aquelles at o fim do artigo -apoiada. O
Snr. Neto mandou o seguinte requerimento
- Requeiro o addiamento, poroito das da
discusso do artigo 9. da lei do ornamento :
apoiado.
Dada a hora ficou adiada a discusso e o
Sr. Presidente deo pira ordem do dia a mes-
ma de hoje e levantou a sesso.
Joze Felippe de Souza Leo.
^Pro-Presidente.
Antonio Jos de Oliveira
1. Secretario interino.
Bernardo Rabello da Silva Pereira.
2. Secretario interino.
GOVERNO DA PROVINCIA.
CONTINUACA DO DIA 51 DE MARCO.
Oflicio Ao Doutor Zacaras de Goes Vas-
concellos remettendo-lhe a portara pela
qual foi elle nomeado I. supplente do Juiz
Municipal do Termo de Olinda e dizendo-
Ihe que quanto antes se aprsente na Secre-
taria da Presidencia para prestar o devido ju-
ramento fim de entrar na substituido do
dito Juiz Municipal, por achar-se este subs-
tituido o Juiz de Direito da 2.' Vara do Cri-
me d'esta Comarca.
Dito Ao Presidente interino da Relago,
communcando terem sido nomeados para
servirem nos impedimentos dos Juizesde Di-
reito da \." Vara do Crime e 2.* do Civel d'es-
ta Comarca o Juiz Municipal da 2. Vara do
Termo d'esta Cidade ; e nos Jos Juizes de
Direito da 2. Vara do Crime e 5. do Civel
d'esta mesma Comarca o Juiz Municipal do
Termo de Olinda ; e bem assim que por
seacharera tambem impedidos os Juizes Mu-
nicipaes da I. e 2. Varad'este Termo pas-
saro exercer assuas funeges os respecti-
vos Substitutos os Bacharci.-Vicente Perei-
ra do Reg da 1., e Jos Francisco de Paiva
da segunda.
Dito-Ao Juiz de Direito interino da 1.a
Vara do Crime intelligenciando-o de que
cessro assuas fuicces, por se acharem
em exercicio os Juizes Municipaes.
De igual theor e data ao Juiz de Direito
interino da 2. Vara do Crime e ao da se-
gunda do Civel.
Dito Ao Inspector da Thesouraria da
Fazenda participando-lhe ter nomeado pro-
visoriamente o Bacharel Joaquim Joze Bodri-
gues de Sousa para o Emprego de Juiz Muni-
cipal do Termo de Garanhuns em conse-
quencia de o ter resignado o Bacharel Candi-
do Autran da Malta e Albuquerque que pa-
ra elle havia sido nomeado.
De igual theor ao Presidente interino da
Relago da Provincia.
Dito Ao Inspector interino da Thesoura-
ria das Rendas Provinciaes communicando
ter nomeado o Bacharel Formado Antonio da
Silva Neves Procurador Fiscal interino tfa
mesma Thesouraria no impedimento do Ba-
charel Joze Nicolao Rigueira Costa.
EXPEDIENTE DO DIA 2 DO CORRENTE.
Oflicio A Cmara Municipal de Cim-
bres communicando ter a Assembla Legis-
lativa Provincial em conformidade com o
parecer da Commisso de Fazenda e Orca-
mento indeferido o requerimento da mes-
ma Cmara em que pedia que nao fosse
extensivo o imposto Provincial de 2*000 reis
por cabeca de gado aos individuos, que o ma-
to para seu proprio consumo.
Dito Ao Commandante do Brigue Escu-
na = Nictheroy = para mandar que o se-
gundo Teen te Antonio Pedro Carneiro Pe-
reira da Cunha se aprsente ao Commandan-
te do Brigue = Capibaribe = cuja guar-
nQo lica pertencendo ; e receber destacado
bordo do dito Brigue Escuna at que siga
no i. navio que houver para o Cear, -
fim de servir na Bella Americana o 2. Te-
nente Gerardo Joo Damasio de Souza Freir,
em observancia do Aviso n. 82 de 28 de Fe-
vereiro passado.
Dito Ao Commandante do Brigue = Ca-
pibaribe = ordenando que receba para a
guarnigao do dito Brigue o 2." Tenenle Anto-
nio Pedro Carneiro Pereira da Cunha e
mande destacar no Brigue Escuna = Nicthe-
roy =, parad'ahi seguir no I. navio que
houver para o Cear ser empregado na
Escuna = Bella Americana ss o segundo
Tenente Gerardo Joo Damasio de Sousa Frei-
r em observancia do Aviso n. 82 de 28 de
Fevereiro passado.
Dito Ao Inspector do Arsenal de Mari-
nha communicando ocontedo nosdousofli-
cios antecedentes.
Dito Ao Bacharel l'mbelino Ferreira Ca-
to remettendo-Ih a portara pela qual foi
elle nomeado 2. Supplente do Juiz Municipal
do Termo de Olinda s e dizendo-Ihe que
venha quanto antes Secretaria da Presiden-
cia prestar o devido juramento, lim de en-
trar no exercicio das funeces d'aquelle lugar,
visto achar-se o dito Juiz substituindo ao Ju-
iz de Direito da 2." Vara do Crime d'esta Co-
marca e ter- se escusado o 1. Supplente.
Dito Ao Presidente interino da Relago,
communicando a e,xpedico da ordem supra.
Dito Ao Bacharel Flix Gomes dos San-
tos enviando-lhe a portara pela qual foi el-
le nomeado 1. Supplente do Juiz Municipal
do Termo de Santo Anto c dizendo-lhe ,
que venha quanto antes Secretaria da Pre-
sidencia prestar juramento fim de ir exeiv-
cer as funeges d'aquelle lugar por substitui-
Qo ao referido Juiz que se acha actualmente
impedido.
DitoAo Chefe de Polica, interino commu-
nicando-lhe haver designado para servir pro-
visoriamente para as audiencias das Authori-
dades Policiaes, e Judciarias d'esta Cidade a
casa que tem ltimamente servido para as
sessoes do Jury.
De igual theor aos 2 Juizes Municipaes
Supplentesda i. e2. Varad'este Termo.
Dito Ao Chefe interino da Legio de
Scrinhaem=Em considerado do que Vm.
representou em oflicio de 25 de Margo res-
peito da queixa do Tenente Coronel do I. Ba-
talho da Guarda Nacional d'essa Legio e
do que expoz o mesmo Tenente Coronel em
oflicio de 25 do dito mez cumpre declarar-
Ihe que osdous Guardas Nacionaes quali-
ficados no Batalho referido nao devo pas-
sar para o Esquadro de'Cavallaria por se-
ren similhantes passagens em gerai prohibi-
das e smenteadmissiveis depois de serem
rconheridas por esta Presidencia olvidos
os"Cheles das respectivas Lcgides. Portara
de H de Fevereiro de I85G. Tendo os Guar-
das em questo faltado ao servigo do Bata-
lho e nfio havendo o Tenente Coronel res-
pectivo desistido de sua punigo, mas somen-
te de queixar-se do Commandante do Esqa-
drSo dCavallaria por confiar, que el/a
deixasse de insistir na passagem dos ditos
Guardas, exige a disciplina, que Vm. os
mande restituir ao servigo do Batalho, em
que foro primeira e devidamente qualifica-
dos para serem punidos por essa falla em
que incorrrflo antes de rerem desligados ,
e para continuarem servir no mesmo Bata-
lho.
Portara Ordenando que pela Secreta-
ria da Presidencia se passem ttulos Nome-
ando Ofliciaes para o Batalho de Guardas Na-
cionaes Destacados aos seguintes.
Para Major = 0 Major Thomaz Joze da Sil-
va Gusmo Jnior.
Para Ajudante = O Ajudante do 2. Bata-
lho de Olinda Jos Ignacio Pereira da Ro-
cha.
Para Quartel Mestre = O 2." Tenente Re-
formado Flix Miguis.
Para Secretario = Jos Carlos de Sousa
Lobo.
Para Capites = O Alferes Reformado An-
tonio Clemente Esteve.s de Larraz = O T-
ente Francisco de Paula Meira Lima = O
Capito Miguel Jos Teixeira ss O Capito
Maximianno Francisco Duarle=0 Capito
Joo Saraiva de Araujo Galvo.
Para Tenentes = o Tenente Jos Jernimo
Fernandes Guimares = O Alferes Francisco
de Paula Gongalves da Silva.
Officio a o Director do Arsenal de Guer-
ra communicando ter ordenado em cum-
primento do Decreto de 9 de Dezembro do an-
no prximo passado que se organisc n'esla
Provincia um Batalho de Guardas Nacionaes
destacados d'arma de Infantaria ; deter-
minando-lhe que n'esta ntelligencia satis-
ga as requisiges de armamento equipamen-
to e fardamento que lhe forem dirigidas
pelo Commandante das Armas ; e declaran-
do-lhe que o corrame devera ser bianco ,
e o fardamento igual ao fornecido Compa-
nhia destacada na Cidade de Goianna.
Dito Ao Commandante das Armas, par-
ticipando-lhe ter resolvido mandar organisar
n'esla Provincia o Batalho de Guardas Na-
cionaes destacados, como determina o Decre-
to de 9 de Dezembro do anno p. p. ; signifi-
cando-lhc 1. que o referido Batalho ser
d'arma de Infanlaria e dever compor-se
de u"m Estado Maior, e seis Companhias ,
organisarfas de conformidade com o plano,
que acompanhou o Decreto de 9 de Fevereiro
do con-ente anno para organisago dos Bata-
Ihes de Cagadores de Linha ; 2. que tanto
o armamento e corrame (que ser branco )
como as pegas de equipamento e fardamen-
to sero fornecidas pelo Arsenal de Guerra,
vista de requisiges do Commandante do Ba-
talho, e por elle rubricadas; 5. que as pragas,
necessarias para a composigo do mencionado
Batalho serao fornecidas por contingentes
dos differentes Corpos da Guarda Nacional da
Provincia, confonneomappa junto, osquaes
lhe sero mandados apresentar pelos Chefes
dos mesmos Corpos, segundo as ordens que
para este fim se lhes tem n'esta dala dirigi-
do 4. finalmente, que o fardamento do Ba-
talho ser igual ao determinado para a Com-
panhia destacada na Comarca de Goianna ,
quefica desde j pertencendo ao dito Bata-
lho e que este ser aquartelado na forlale-
sa das cinco pontas : commutticando-Ihe ,
que acaba de nomear para Commandante do
sobredito Batalho ao Tenente Coronel do
2. Batalho da Guarda Nacional de Olinda ,
Antonio Lins Caldas, e para os mais Postos
de Estado Maior e Companhias os Cidados
constantes da relago que se lhe enviaja
ordenando-lhe que entendendo-se com o
mesmo Tenente Coronel, expega pela sub
parte as convenientes ordens acerca da men-
cionada organisago a que se devpr proce-
der com a maior possivcl brcV'idde.
Dito Ao Tenente Coronel Antonio Lng


^^^
Caldas = Tendo esta Presidencia em execu-
rao do Decreto de De/.embro do anno p. p.
resolvido organisar n'esta Provincia iim Bata-
lhao de Guardas Nacionae:; destacados e Ho-
rneado Vm. para o Commandar assim
lh'o partecipo para seu conhecimento ; decla-
rando-lhe ; 1. que o Batalhao ser d'arma
de Infanlaria e compor-se- de utr Estado
Maior, e seis Companhias organisadas se-
gundo o ultimo plano, dado para acontec-
i dos Curposde Cacadores de linha e do
qual se llie remette urna copia ; 2. que tanto
o armamento, e corrame que ser bran-
co como as pegas de equipamento e farda-
mento, sero fornecidos pelo Arcenal de Guer-
ra vista de requisigcs por Vm. assigna-
das e rubricadas pelo Comniandanle das Ar-
mas \ 5. que as pravas necessarias para a
composigo do mencionado Batalhao sero for-
necidas por contingentes dos dilfereates Cor-
pos da Guarda Nacional da Provincia con-
forme o mappa junto os quaes lhe sero
mandados aprcseutar pelo dito Commandan-
te das Armas ; 4. finalmente que o farda-
menfo do Batalhao ser igual ao determina-
do para a Companhia destacada na Cidade de
Goianna (pie iica desde j perlencendo ao
mesmo Batalhao e que este ser aquarlelado
na fortaleza das o ponas.
Por esta oerasio cumpre recommendar-lhe
a maior aclividade no:< traballios d'esla orga-
11 isar.li devondo para esto lini entender-se
com o Commandante das Armas queiri
86 expediro n'esta data as convenientes er-
dens. Inclusa achara Vm. a relago dos Offi-
caes nomeados por esla Presidencia para o
Estado Maior-, e Companhias do Batalhao.
Dito Ao inspector da Thesouraria da Fa-
zenda--- lllm. snr. Tendo esta Presiden-
cia determinado em virlude do Decreto de 9 de
Desembro do anno passado, que se organizo
um Batalhao de Guardas Nacionaes destacados
da arma de Infantarta, nomeando para o
commandar ao Tenente coronel do 2. Bata-
lhao da G. N. do Olinda Antonio l.ins Caldas,
0 para Olliciaes aus cidados constantes da re-
laylo junta e ordenado que pelo Arsenal
de Guerra srjio fornecidos o necessario arma-
mento, faldamento, e equipamento; assim
o partecipo V. S. para s.-ii conhecimento ,
e Um de passar ns suas ordena, para que se-
jo pagas por essa Thesouraria nao s as
despesas, que se fisercm pelo dito Arsenal com
o fornecimenlo de taes ohjectos como para
que aos Ollieiaes e macas do referido Bata-
lhao sojo abonados os sidos e mas venci-
mentos que competcm Tropa de primeira
Linha.
<2
natyiBTfn mal j/fj^
Iledimento da Meza do Consulado de Per-
nambuco no mez de Margo prximo
passado.
Direitos de i 5 por cen de Ex-
portago 4o:o8I*yo.>
de 12 por cem do
dita 39*020
de ancorogem para
fora do Imperio 10:593*006
-de dita para dentro
do dito. 2*7*868
Depsitos que exce-
derodoanno 100*587
Emolumentos de certides. 12*000
siza de 3 por cem da venda
das embircages Nacionaes 520*009
Multa por infraego do Begu-
lamento BlOO
Papel dos passa por tes lmpe-
riaes '00
REPARTICAO DA POLICA.
Parte do (lia o de Abril de 1812.
OCommandante interino do Corpo de Po-
lica partecipa tereo sido hontern presos pe-
la primeira patrulha rondante do Mangui-
iiho Mtitoel Cameiro pardo, escravo de Ma-
nocl Carneiro, por ser encontrado alraz de
urna casa; foi remeltido para a Cadeia : e pe-
lo Delegado do primeiro termo a prela Maria
Benedicta para nina averiguago ; foi solta.
E' o que consta da- Partes boje recebidas.
Parte do dia -4.
Das partes boje recebidas consta somonte
que fora hantom preso por um soldado do
Corpo Policial ordem do Delegado do pri-
meiro Termo o pardo Cypriano Fernando,
por estar armado do um pao; remeltido pa-j
ra a Cadeia a Bm de ter o necessario des-
' tino.
Rcndimentos d'outras Pro-
vincias.
Disimo do asssucar das Ala-
geos
> do algodo de dita
do assucar do Bio
Grande do Norte
do algodo do dito
de dito a Paraiba
^7:00-2*100
1:338*032
01206
1*802
1*170
110*83*
58:593*750
Rendimento desta Provincia
Disimo do assucar 14:809*391
do algodo 2-801818
co cal 12* 166
do Fumo 3*033
Taxa de 40 res por sacca de
algodo 75*900
de 161) reis por caixa
de assucar 482*010
de 40 reis por feicho do
dito 1*520
de 20 reis por barrica e
e sacca de di lo 527*800
77:310*033
Meza do Consulado 1. de Abril de 1842.
O Administrador
Miguel Archanjo Monteirode Andrade.
EXTULAIOU.
Rendimento da All'andega de Pcrnambuco no
mez p. p.
Direitos de 18 porcenlo G8:9GG*G72
Ditos de -48 112 de bebidas espi-
rituozas...... 3:818*878
Ditos de 50 por cento da plvora 1:3I6*250
Ditos de 50 por cento do cha 5:020*790
Ditos de 3 por cento dos relojos,
joias, vazos o utensis de
ouroepratd..... 82*020
Ditos de 2 por cento de reexpor-
tado ....... 228*845
Premio de 112 por cento ao mez 1:343*015
Expediente de 1|2 por cento 7:818*728
Armasenagem de 1|4 por cento 508*150
Ditaaddicional de51(2 por cento 17:015*959
Emolumentos de ccjlides .
Multas arabas ....
104:3
:5I9*285
5* 160
19*000
104:542*0.45
Alfandega2 de Abril de 1842.
O Escrivo da Alfandi'ga ,
Jncome Geraldo Maria Lumachi de Mello.
Rendimento do dia 2 de Abril 5:012*077
LISBOA 12 DE FEVEREIKO.
Sendo indispensavel que cessem desde j
todos os movimentos e disposiges irregula-
res que as ultimas semanas levorain logar
em diversos pontos do Reino ; e tendo desa-
parecido at os mais leves pretextos que po-
diam tornar desculpaveis similhantes desvos
e infraeges da ordem legal: Hei por bem Or-
denar que quaesquer Juntas Commisses,
ou Administraces collectivas oti individua-
es, que em virtudc desses movimentos e
disposices irregulares se hajam constituido
ou estabeleCido em qualquer parte do Reino,
immediatamente se dissolvam e cessem em
suas fu negos entrando logo os individuos
que a ellas pertenceram na sua situaco le-
gal ; sem que para assim o nao cumprircm
immedialamente possa servir do cscusaallega-
goalgum. Mando alcm disto que todas
as Aulhoridndcs lgaos a quem pertencer ,
tomem sem perda detempo conta regular
de todos os ohjectos pertencentes ao Estado ,
quoseacharem a cargo das Administrages
collectivas. ou individuaos, que pelo presente
Decreto Mando dissolver. Os meus Ministros
e Secretarios d'Estado o tenham assim en-
tendido, c passem pelas drfferentes Reparti-
cesa seu cargo asordens necessarias para a
exeengo do presento Decreto. Palacio das
Necessidades em onze de Fevcreiro de mil
oitocenfos quarenta e dous.=Hainha =d)u-
que da Terceira.=Luiz da Silva Mousinho
de AIbuquerque.==Jos Jorge Loureiro.
Os documentos ofliciacs qita hoje
publicamos completam aserie dos actos em
que a tendencia do Governo se manifesta ;
distinguem-seporjustiga, poltica, e im-
parcial idade ; como taes devoro ser bem
vistos pelos homens de todos os partidos.
No Relatorio que procedeu ao memoravel
Decreto de 10 do corrente expozeram a Sua
Magestade os Ministros que urna grande
necessidade surga da posieo ; que a vontade
de todo o Reino era a restaurago da Carta ,
e que esse voto nacional requera da Soberana
que provesse salvagAo publica : o Cdigo,
objecto de tanta saudade, foi posto notamen-
te cm vigor.
A excilago porem causada por to desoja-
da victoria nao obstava a que se reconhecesse
que nem todos os meios empregados haviam
sido impeccaveis. A pureza das intenges ,
a propria santidad da causa nao bastayam
para annquilaralgumas irregularidades al-
guns desvos da ordem legal tanto mais des-
culpaveis quanto em momentos crticos os a-
eontecimentos precipilam-sc anormaes nem
sob a inlluencia dos perigos e das incertezas se
podem medir a compasso as conveniencias.
Todava era o assumpto que primeiro eslava
chamando pela maternal sollicitude da bobc-
rai.a a por termo a quanto parecesse transito-
rio e nao permittir que se perpetuaste um
estado violento ouapparentemente revolucio-
nario ; tal foi o nico im do Decreto de 11 ,
e nenhuma prova maior de Ilimitada conh-
anga podia dar Sua Magestade do que encar-
regar como o fez essas mesmos pessoas de
regressarem aos commandos e authondade
que anteriormente aos acontecimentos exer-
cam.
Por ultimoum Decreto da mesmadata orde-
na que serciiere esse juramento de fidelidade
Carta, que s^mpro permaneceu firme e ina-
balavel no pcilo de todos os leacs Portugue-
zes. S:i reitere dizemos porquanto assim
como nao poda boje ser proclamada a Carta
que o foi cml820, tambem sena unpossi-
vel prestar um juramento que j foi prestado.
E de quantos juramentos em nossos dias se
ho repelido esse o un:1" valido. Oulros
sim foram posteriormente impostos porem
de sua nalureza caducos rritos e nulios.
Juramentos successivos ou sao idnticos ou
contradictorios ; se idnticos tornam-se um
pleonasmo c um invocar em vo o Nome de
Dos ; se contradictorios, haahi incompati-
blidade um s deve prevalecer, e esse
necessariamente o primeiro o nico que po-
de ter sido prestado quando a alma virgem
.le perjurio poda anda obrigar-se. O ju-
ramento que nos liga Carta Constitucional
da Monarchia sendo o primeiro pois o ni-
co firme valioso, santo para com os homens,
santo perante Dos aquelle que nao podiam
derrubar nem derruliaram vicissitudes vio-
lencias riem perjurios.
Esla trilofjia responde pos victoriosamen-
te a vaos clamores de quem nao tendo factos
para atacar procura forgar o poder no seu
ultimo reduto o foro intimo da eonsciencia.
Ahi tendes Ibes diremos, providencias que
asss demonstram a lealdade de quem por
longa e brilhantc carreira j nao careca de
abonar-se. O Decreto de 10 vos reslitue a
Carta por ser ella requerida por urna Nago
emmassa. O de 11 impone desde a sua ori-
(jem um termo a revolugOes repondo a gi-
rar em seu eixo a esphera do Eslado. O ul-
timo em fin convence plenamente de que a
intengo do Governo a que hontern ennun-
ciavamos a Carla nem menos nem
mais.
Apstacs providencias, no licito ao ho-
mem sincero de partido algum deixar de ron-
der homenagem lealdade que as dictou. Ve-
jara os Liberaos moderados que a Carla res-
taurada de boa f. Vejara os que desejam as
ultimas consequencias do liberalismo que
so tributam rendlmentos ao principio d'onde
todos os oulros diinanam. Vejamos homens
de todas as cores que este Governo sabe ser
justo nao s para seus adversarios mas o
que maisdilUcil para seus amigos.
Folhasdc Londres at 5 e de Pars al ao
dia 5 de Fevcreiro ollerecem noticias de maior
importancia.
As primeiras oceupam-se extensamente .
e com particularidade das attenges com que
foi reeebido e tractado o Rei da Prussia e
das visitas que S. M. tem feito a difieren tes
estabelccimentos pblicos da Capital do Reino-
Unido. ODuqucBtickingham memoro do
Gabinete havia dado a sua demisso. Este
factoera explicado pelos Jornaes Whigscomo
um signal da desintellif;encia entre os Minis-
tros e de mudanga de poltica na Adminis-
trago; entretanto o Times assevera a falsi-
dade dos motivos suppostos diz que existe
perfeito acord entre o Duque e os seus colle-
gas nao obstante haver elle resignado o seu
logar e d como prova irrecusavel da sua o-
pinio ter Sua Graga acceitado urna alta con-
decoraco que lhe foi conferida depois de se
achardemiltido. No dia A teve logar a so-
lemne abertura do Parlamento com o cerimo-
nial do estilo, sendo com ludo pelas circuns-
tancias extraordinarias era que se verilicou
ste acto incomparavelmente mais apparato-
soe brilhante o cortejo com que a Soberana
se apresentou. As altas personages que as-
sistiram a elle e sobre ludo a presenga do
Rei da Prussia tornaram-no sobre maneira in-
teressante e magnifico. A Rainha pronun-
ciou o seguinte discurso :
Milordse Srs.=No posso cncontrar-vos
no Parlamento reunido; sem dar um publico
testemunho da minha gratido ao Omnipo-
tente Dos pelo nascimento do Principe meu
Glho. Um acontecimento que encheu a me-
dida da minha felicidade domestioa e tem
sido saudado com todas as demonstragoes do
affectuosa adheso minha pessoa e governo,
pelo meu fiel e leal povo.
Confio que participareis da satisfagSoque
eu derivo da presenga neste Paiz do meu bom
irmo e adiado o Rei da Prussia que a men
pedido acceitou as funecoes de padrinho no
baptismo do Principe de Galles.
Recebo de todos os Principes e Estados a
continuada seguranga dos' seus mais vivos de-
sejosdemanter amigaveis relages comste
Paiz.
E' com a maior satisfago que vos infor-
mo que tenho concluido com o Imperador
da Austria o Rei dos Francezes o Rei da
^Prussia e o Imperador da Russia. um trac-
lado para mais effectiva suppressao do trafi-
co da escravatura o qual quando as ratili-
cages forem trocadas ser communicadoao
Parlamento. ,
Tambem vos ser presente um tractado
que conclu com as mesmas potencias e
juntamente com o sulto tendo por objecto
a seguranga do Imperio Turco, e a manu-
tengo da geral tranquilidade.
A restaurago das minhns relages diplo-
mticas e amigaveis com a corte de Teherau
foi seguida de um tractado de commercio com
o Rei da Persia o qual ordenei que vos soja
tambem presente.
Tenho entrado em negoeiagOes com dif-
ferentes potencias as quaes confio que
tendo por effeito convengOes fundadas em
principios justos do mutua vantagem daro
maior incremento aocommercio do Paiz.
Sinto nao poder anda annunciar-vos o
restabelecmento de pacificas relages com o
Governo da China,
- .Os feli/es resultados que se ho seguido
s operages hosts contra aquella potencia, e
a minha confianga no zelo e brio das minhas
forcas navaes c militares animam em mim a
esperanga deque as nossas differengas com
o Governo da China chegaro em breve ao seu
termo, e que as nossas relages commer-
ciacs com aquelle paiz se collocaro sobre urna
base satisfatoria.
Srs. da Cmara dos Communs.: = Os
orgamentos para o anno esto preparados e
vos soro apresentados.
Repousoeom inteira confianga sobre a
vossa disposic/io de empfegar os principios do
urna sabia economa para prover ao sc-yigo
do paiz como as publicas exigencias o recla-
mam.
Tereisvistocom pesar que em alguns dos
annos deCorridos a receita animal tem sido
insulliciente para o desempenho dos encargos
pblicos c tenho confianga do que verda-
deramenle penetrados da idea do mal que de-
ve resultar dacontinuagodesta falta duranlo
a paz vos oceupareis cuidadosamente dos mei-
os de a supprir t
Mlords e Senhores : = Recommcndo
vossa immediata attengo oestado das finan-
gas e das despezas do paiz.
Recommendo tambem vossa considera-
go o estado das leis que affectam a impor-
tago do trigo e de outros artigos de produc-
gj de paizes estrangei ros.
Sero submettidas vossa considerago
medidas de reforma sobre a le da Banca-rota ,
e para o aperfeigoamento da jurisdiego exer-
cda pelos Tribunaes ecclesiasticos na Ingla-
terra e Galles.
Seria muito para desojar que vos con-
siderasseise revisseis as leis que regulam o
registo dos eleilores dos membros dos Parla-
mento.
Tenho observado com a mais profunda
magoa a desgraga dos districtos manufactu-
res do paiz ; os soffrmentos e privages que
d'ahi ho resultado eem ftido supportados
com exemplar paciencia e fortaleza.
Confio que as vossas deliberages sobre
as varias e importantes materias que vo oc-
cupar vossa altengao sero dirigidas no sen-
tido dos interesses e permanente bem-es-
tar de todas as classes dos meus subditos e
fago votos para que ellas se encaminhem
no seu effeito a fomentar o augmento dos re-
cursos nacionaes, a animara industria c a
promover felicidade do meu povo.
Tendo terminado o discurso S. M. voltou
i& Palacio de Buckingham 25 minutos antes
das 5 horas. Seguiu-a pouco depois o Rei
da Prussia. Suspendeu-se por algum tempo
asesso, depois do que se fizeram varias
mocos e em seguida tendo-se lido o dis-
curso de S. M. levantou-se o Mrquez de
Abercorn para propr a resposta falla do
Throno. Na sesso do dia 5, tanto naCa-
mL.


ad
XSS2
>|H !
-i* mar dos Lords, como dos communs nao
houve occorrencia de maior importancia.
..^.a^f-^-J!---------
Lisboa, 18 de Fevereiro.
Das folhas de Londres at l-2e de Pars a-
l 16 se col he o seguinte :
A importante questo sobre as leis dos ce-
reaes occpava principalmente a altcngo do
Parlamento Britnico, eda Imprensa peri-
dica de Inglaterra. Em ambas as Cmaras
se tinho apresentado petiges com grande
numero de asignaturas pedindo a comple-
ta abolirn daquellas leis como nico meio
de accudir miseria das differentes classes
de operarios. O Ministerio tinha apresenta-
do na Cmara dos Communs as medidas que
julga deverem ser adoptadas sobre to ponde-
roso objecto. Na sesso do dia 11, na cma-
ra dos Communs, foro aununciadas differen-
tes emendas por alguns membros da op-
posigo sobre as medidas propostas pu-
lo ministerio, relativamente aos cereaes.
As noticias pecebidas da India ero de
urn carcter gravo e assustador. 0 Afgha-
nistan eslava em completa insurreigo, O
povo tinha proclamado um novo soberano.
As tropas Inglezas achavam-se na mais apu-
rada situago. Sendo obrigadas a retirar-
se em differentes pontos, foro seguidas pe-
lo immigo e experimcntaram perdas consi-
deraveis Em,2 deNovembro rebenlou em
Caboul a rvolugo contra o que devia es-
perar-se por que todas as informacocs assc-
guravam o !>om espirito da capital e a sua
tranquilidade. Os rebeldes acometteroos of-
liciaes inglezes que encontraro e alguns
aosair do Palacio de Shah foro mortos. A
insurreigo lavrou n'un momento por to-
. daacidade, e dalli secommunicou a diffe-
rentes posto occupados pelos inglezes. Nao
havia anda infoi'magoes circunstanciadas de
todos os elfeilos (testa exploso. Sabia-se po-
rem que muitos inglezes tinho sido cruel-
mente assassinados roubadas e incendiadas
as suas casas, c que as tropas surprehendi-
didas nao tinho podido resistir aos insur-
gentes. Ignorava-se anda a origem deste
movimento; havia rases para accreditar
que elle era effeito do fanatismo religioso
com o fim de exterminar os inglezes.
Do differentes partes marchavo torgas
para abafar a revolta receiava-se porem ,
que nos lugares de que ellas saio se decla-
rasse igualmente a insurreigo e que essa
fosse ajudada pelas tropas indgenas.
. As noticias da China ero satisfatorias.
A 10 e 11 deoulubro tinho-se apoderado
dasCidades de Chinhn, e Ningpo as tropas
inglezas. Havia sido bnibem retomada a
cidade de Tng-Hai capital da lllia de Chu-
san. Ficva estabelecido em Chinhn um
governo provisorio, e cm Ningpo os soldados
chins noquisero defender-se. Em Ting-
Hai tinho feto os chins grandes trabalhos
de forticago, e do lado do mar apresentava a
cidade urna linha continuada de fortificaces
na extengo de duas milhas. Segundo urna
circular de Sir Henry Poltinger, dirigida as
torgas inglezas, 2 horas de combate apenas
baslaropara obligarTmg-Hai a render-se. As
tropas inglezas acharam all um immenso des-
pojo de armas de toda a especie, de muni-
ges, seleiros de arroz etc. Conforme as
disposigoosdaquella circular Ting-Hai esuas
dependencias sement sero restituidas de-
pois da inleira aquiescencia do Governo
Clainez proposta do Governo Britnico.
Depois desta nova victoria dos Inglezes es-
perava-se que o Governo chinez entrara em
negociages- eutretanto a indisposigo do
Imperador contra elles apparecia em todos os
documentos olficiacs da Corte. Hurkaru
de Bengala publica a seguinte pega olicial,
que d urna idea dos sentimentos do Impera-
dor das suas ridiculas preccupag'es, e de
qual pode sera ellicacia da sua resistencia :
No momento em que os barbaros (os
Inglezes) ameagando as muralhasda cidade,
tinham aberto o fogo contra a colina de Ine-
sew, a deusa Kwangin manifestou o seu po-
der face do povo inleiro apagando os fo-
guetes : immediatamente a saraiva e a chuva
assaltaram os barbaros, queforam extermi-
nados. Hcrje cessou a agitago do-Ocano a
cidade retomou a sua habitual tranquilidade ,
e o paiz e o povo esto guardados pela deusa
Kwangin. Sobre isto eu o Imperador ,
procurando o favor dos deuses c movido por
urna respeitosa gratido ordeno que se en-
viem quadros votivos a Isshan e a seus colle-
gas. Estes quadros devero ser suspensos
nos templos com grande respeilo, em signai
de reconheciment pela protcego da deusa.
ftespeitae este.27 de Julho.
COMMERCIO.
Sciencia e da Civilisago. Damos por isso os
seguintes pormenores acerca,da malograda: _
expedigo, que o anno passado saiu de lo-1 ^"^TTTITI'ITT
glaterra para subir pelo Bio Negro e expo- ALFANDt
rar as differentes Begies que elle atravessa. Bendimento do dia 2
Bendimento
EXPEDICA DO RIO NEGRO.
No dia 20 de Agosto (1841) os navios que
compunham a expedigo comegaram a subir
o rio e a 26 langaram ferro diante de Ebo,
a 120 milhas do mar. At ento nenhum
caso de molestia havia oacorrido entre os Eu-
ropeos que nao cedesse ao tractamento. A
expedigo recebeu all a visita de Obi re de
Ebo, c por esta oeeasjo se fez com elle um
tractado para a completa aboligo da escrava-
tura. A 21 deSetembro chegando a Iddha ,
100 milhas mais para o interior, rebentou
com violencia a febre africana (acarneirada)
que principiando em um navio se eommuni-
cou rpidamente aos outros. Nao obstante o
assustador aspecto do contagio a esquadra
permaneceu firme o depois da ratilicago de
um tractado como o supra mencionado ,
com o re de Iddha deram os navios vela
para o continente do Bio Negro e Chadda a
270 milhas do mar. Chegaram all a 11 de
Setembro e a molestia augmentava succes-
sivarnente de intensidadetaes eramascir-
cumslanciasque se tornou indispensavel to-
mar providencias i m media tas. 11 ns -46 doen-
tes foram eonduzidos para bordo do Sulto
que se arvorou em hospital, e vogo-i para o
mar. A' embocadura do Bio passou os do-
enles para o Vapor Colimbo que se dirigiu a
liba da Ascengo, e partiu para Fernando
P. Neste meio tempo os Commandantes
dos uavios que nao haviam retrocedido con-
linuaram em suas exploragoes o Wilber-
torce subindo pelo Chadda e o Alberto pelo
Negro. A' tardinba do dia 10 instantnea
e inesperadamente manifestaram-se muitos
casos de carneirada a bordo do Wilberforce.
Era impossivel permanecer em to arriscada
posigo e a 21 Wilberforce toi igualmente
obrigado a retroceder tomando alguns do-
entes tambem do Alberto. Muitas e impor-
tantes vidas se perderam durante esta via-
gem e no dia 3 de Outubro ebegou o se-
gundo navio a Fernando P donde partiu
para a Ascengo mudando desde logo para
melhor o carcter da molestia. Quando a 17
de Novemhro chegaram ao porto do seu des-
tino nenhum caso grave exista j. Oanlo
ao Alberto que no dia 21 de Setembro havia
dado vela para remontar o Negro chegou a
Egga a 320 milhas do mar. Durante esta
curta passagem perdeu dous marinheiros e
varios outros adoeceram. Nestascireumstan-
cias era tal a situago da equipagem que a-
penas restavam abordo oapazos de trabalhar
um (illicial e dous ou tres Europeos. Foi-
Ihe portando necessario tambem retroceder.
Assim terminou esta tentativa.
( D. do Governo. )
5:012^077
do dia 5 ...... 1:110*215
DESCARREGA HOJE G DE ARRL.
Barca Franceza Hortence. = Fasendas.
.Barca Portugueza = Snra. do Bozario = Se-
bolas.
Brigue Portuguez = Emprehendedor s Pe-
drs.
IMPOBTACAO'.
A Barca Portugueza N. S. do Bozario, vin-
da de Lisboa, entrada no corrente mez con-
signada a Manoel do Nascimento Pereira ma-
nifestou o seguirte : 2 caixas com vidros 2
barriz com drogas -- 1 fardo com papel d'eai-
hrulho 2 caixas com drogas, a Victorino
Ferreira de Carvalho. .,
1 caixotecom livros 3 ditos com merme-
lada 31 barriz com carnes-- 2o pipas com
vinho210 barriz com dito-- 100caixas com
toucinho -- 2 canastras com carnes -- 10 bar-
riz com azeito -- 20 pipas com vinagre T- 50
moios de sal 2000 molhos de cebollas a
Manoel do Nascimento Pereira.
10 caixas com, toucinho 50 barriz com
carne 20 ditos com azeite a Thomaz d'A-
quino Fonceca.
10 caixas com toucinho 20 barriz com
carnes, a Joo Tavares Cordeiro.
3 caixas com 5 faqueiros de prata, a Ma-
noel Gongalves da Silva.
1 lata com sementes a Manoel Antonio
Torres.
10 pipas com vinagro a Joo Manoel Es-
teves de Oliveira.
1 barrica com lirio florentino, a Manoel
Ferreira Lima.
200 molhos de cebollas, a ThiagoTaboada.
1 barril com carne a Joze Affongo Bi-
gueira.
1 dito com dita a Antonio Joze de Maga-
Ihes Bastos.
56 ditos com dita a Joze Gongalves da
Fon te.
58 barriz com azeite a Joze Pereira da
cunha.
22 barriz com vinho -- 10 pipas com vina-
gre 5 caixas com chapeos e bones a Boa-
ventura Borges Pamplona.
1 bah com fasendas a Manoel Joaquim
Ramos e silva.
2 molhos de folhas de lourb looo pata-
ces 6oo pessas d'ouro a ordem.
Francisco de Barros Corrcia Escrivo do Jui-
zo de Paz, e interino do Sub-Delegado o es-
crevi.
Antonio Carlos do Pinho Borges.
DEC LAB AC OES.
= Pela Delegatura do primeiro Destricto
do Termo desta cidade se faz publico para
conhecimenlo de quem perlencer que no
dia 4do corrente toi presa e se acha recolbi-
daacadcia, urna pela, que diz ser escrava
de Francisco candido das chagas morador no
Rio-Doce, sendo-lhe aehada na occasio da
priso urna porgo de bolaxas e mil e oito-
centos e quarenta rs. com que se evada.
GABINETE LITTEBABIO.
==0 Illm. snr. Director convida aos srs.
Socios do Gabinete a se reunirem em sesso
hoje (0 do corrento) as -1 e meia horas da
tarde a fim de se tomarem medidas urgentes
a beneficio do Estabelecimenlo; e espera o
compareciinento dos mesmos snrs., preve-
nindo, que com o numero, que houver do
comparecer, Se decidir o que deliberado for,
por assim convir a utilidade do mesmo Esta-
belecimento. O Secretario,
Joze Bernardo G. Alcanforado.
AVISOS DIVEBSOS.
EDITAES.
E' sempre curiosa a narraco das tentati-
vas para novas descobertas no inlercsse da
DIARIO DE PERNA1IHLC0.
Chegaro-nos Folhas de Lisboa at 19 de
Fevereiro
que pouco acrescento as noti-
cias que anteriormente tivemos e publica-
mos em o nosso n. 67. llavia-se ploclama-
do e jurado de novo a Carta de 1826 em qua-
si todo o Beino ; e das Provincias se recebia
diariamente noticias mui satisfactorias do
enthusiasmoe regozijo publico com que era
acolhido o restibelecimento da obra do Gran-
de Pedro. O Diario do Governo tinha mu-
dado de redaego ; passando a ser redigido
pelo Doutor Jos Feliciano de Caslilho at o
dia 18 de Fevereiro em que se despedio do
Publico, reservando-se a declarar poroutro
meio os motivos por que o fazia. O Nacional
eslava para suspender a sua publicago se-
gundo a declarago que vm inserta em o seu
numero de 12 de Fevereiro data a que ni-
camente chega este Jemal por nos recebido.
s noticias de Hespanha alcango at 12 do
predito mez : porem nada offerecem de in-
teressante para um leitor estrangeiro. Con-
tinuava no Congrcsso dos Deputados a discus-
sodo projecto do resposta ao discurso da
cora porem com muita morosidde argi-
da pelos Jornaes de todas as opinies. A op-
posigo preparava-se *a combater tortemente
o Ministesio o qual todava sstentava dig-
namente o seu posto.
As folhas de Londres recebidas em Lisboa
chegavoat 12, easdoPariz at 10 de
Fevereiro.
No lugar competente inserimos os artigos
que julgamos mais dignos da curiosidade dos
nossos leitores.
0 Bacbarel Vicente Pereira do Bego, Juiz
Municipal Substituto da 1. Vara do Ter-
mo do recife &c.
Fago saber que ac!iando-me por ordem do
Exm. Sr. Presidente da Provincia em exer-
cicio da I. Varado Juizo Municipal d'cste
Termo, np impedimento do respectivo Juiz,
farei audiencia as tercas c sextas Mas s 10
horas damanh na caza que tem ltimamente
servido para as Sessocs do Jury, a qual foi
destinada por S. Ex. para as audiencias
das Authoridades Policiaes e Judiciarias
d'esla Cidade 5 o que despacharei a qualquer
hora do dia na caza de minha residencia ,
na ra do Collegio 1). 10, 1. andar. E
para quechegue ao conhecimento de todos ,
mandei passar o presente que ser publicado
pela Imprensa. Becife 2 de Abril de 1812.
E eu Felippe Benicio Cavalcante de Albu-
querque Escrivo o subscrevi.
Vicente Pereira do Bego.
O Juiz Municipal Suplente da 2. varado
Termo do Becife, faz publico que d audien-
cia as Segundas e Quintas feiras as dez ho-
rar da mauli na casa das sesses do Jury ,
e despacha todos os dias as casas de sua resi-
dencia ru ra do Bozario estreitaD. 50. E.
para qne chegue a noticia a quem cover,
mandou lavrar o presente Edilal, que ser
publicado pelo Diario. Becife 2 de Abril de
1842. Joze Allougo Guedes Alcanforado ,
Escrivo das Execuges e interino do dito Jui-
zo o escrevi.
Paiva.
0 Major Antonio Carlos de Pinho Borges,
Sub-Delegado da Freguezia do Sacramento
da Boavista Termo desta Cidade.
Fago saber aosmeus comparociiianos que
me acho empossado e em exercicio do caigo
de Sub-Delegado da referida Freguezia ; e que
s audiencias sero nos dias Quintas feiras pe-
las quatro horas da tarde e sendo dia Santo
e feriado nos immediatos ; assim como me a-
charo a qualquer hora prompto para despa-
char na casa de minha residencia na rua do
Hospicio. E para constar mandei passar o
presente que ser publicado pela Imprensa.
Buirio da BoAVisla 2 de Abril" de 1815, e eu I ao palio de s. Pedro D. 3.
^~ Sahiu a luz o a. numero d
CABAPl'CEIBO contendo um inleressante
ardigo sobre as = Quadrilhas = vende-so na
praga da Ineperidencia luja de livros numero
57 e58.
* A abaixo assignada viuva do Sargen-
to-mor Antonio Machado Dias, declara a
quem convier que ella j procedeo o Inven-
tario pertencente ao seu casal na com marca de
Garanhuns onde os credores devem justificar
os seus crditos; e para assim constar fez q
prsenle. Villa de Garanhuns 1 i de Marco
de 1842.
Leandra Francisca de Almeida Machado.
= Gaspar da Silva Froes tendo de se re-
tirar o mais breve que lhe for possivel desta
Provincia para a do Bio de Janeiro, vende a
sua loja de livros e encadernago, cita na
rua do Collegio D. 7 contendo as.melhores
obras de Leis estudos r.ovellas &c. e na
encadernago os mais ricos ferros de dourar ,
flores, viradores, chapas pai a pastas, eludo
o mais que lhe perlencele; tambem se
vende a armago separadamente conforme o
ajuste : os pretenden tes dirijo-so a rua das
TrinxeirasD. 9. 0 annunciante partecipa a
lodas as pessoasde quem tem |nhores, hajo
dos irem resgatar no praso de 8 dias da data
deste; advertindo que passado este praso, nao
se responsabelisa por penhor algum dos que
estiverem vencidos: e para nao se chamarem
a ignorancia faz o presente.
== O abaixo assignado avisa ao respeilavel
publico que desde o dia 19 de Margo deixou
de ser caixeiro de Antonio Ferreira"da Costa
Braga e mudou-se para a loja que foi do dito
snr. Braga defronto dooit) da Matriz, jun-
to a venda do snr. Lima na rua Nova D. 5 ;
na qual ha a venda de tildo da ol ria de se-
leiro e aparelhos modernos de lodas as qua-
lidades de Ofliciaes de G. N. e de Linha ,
poi* prego com modo ; e avisa tambem que a
firma da casa he Joze Bamos da Cruz & C.
Antonio Pereira de Oliveira Bamos.
= O snr. que trouce urna carta de Santos
para Miguel Joze Bibeiro queira annunciar
sua morada para se lhe entregar a reiposta.
= A i'Tecessidade de slar fora da cidade
nestes muitos dia-santos ea complicagao, o
chuvas dos outros dias fizero, que o abaixo
assignado se nao enha podido pessoajrnente
despedir de todos os seus amigos, e mais pes-
soas, que lhe (isero a honra de o visitar:
v-se obrigado a Jangar mao deste meio para
lhes dser adqbs, e receber suas ordens; e es-
pera de sua bondade que aceitaro esta des-
culpa ; e este nico meio que j agora resta
o se afectuoso amigo e creado.
Venancio Henrique de Bezende., '
= Aluga-se m sobrado de um andar
soto armazem e quintal murado ; cito
a rua da sezala velha : na rua da cadeia ve-
Iha N. 46.
= Prccza-sc alugar um preto para cpzi-
nhar e fazer o servigo de urna casa
ou urna preta sendo boa ; dirija-se o so-
brado do meio na parte do nascente na rua do
Hospicio.
= Offcrece-se urna mulher de meia idade
para ama de casa de homem solteiro para to-
do o servigo de portas adentro entrando
entre esteso de cozinha bom tratamentoe
asseio da casa ; quem della precisar dirija-*


i
>




S
tmih&\ MMOf'
A
cy Quem annunciou a tempos precisar
e uina pessoa que entendessc de restilagoes ,
para um estabe". cim< ntq m o Rio Formozo ,
ou Unna aiini na.
tsr Manoel Caetam Carneiro Mon-
teiro tendo preci falUr ao Sr. Lourengo
Machado Das ou .10 Sr. Raimando Jos Pe-
reira Bello ; e ignorando a sua morada ,
pede-lhes queirau annuncia-la ou procu-
ra-lo.
SP O abaixo assignado faz sciente ao res-
peilavel publico qne deixou de ser caixeiro
do Sr. llenrique Ztnimer desi!e o dia 2 do
corrente.
Joze Anlonio Pessoa de Carvalho.
tsr Aclia-se urna carta para o Snr. Manoel
Joze Vianna na na do Collegio l). 8 ; na
mesma vende-se um quarto novo que serve
para sella ou eangalha.
t3^ Qualquer portuguez official de Barbe-
to que quiser negociar, em urna loja do
mesmo ollicio poder procurar na ra da
Cruz n. 81.
tsr Joze Soares de Azevcdo Bacharel em
Relias-Letras pela llniversidade de Pariz e
Professor da Liugoa Franceza do Lyceo faz
publico que as casas de sua residencia na
ra dos Quarleis primeiro sobrado junto
Polica se acha ensinando Geographia, Lin-
goa Franceza e Philosophia. As pessoas
que desejarem estudar qualquer destas ma-
terias podem dirigtr-se a casa do annunci-
ante a qualquer hora menos das 10 da ma-
nh ao meiodia.
tsr Quem precisar de urna ama para o
servigo commum de urna casa dinja-se a
ra do Nogueira n. 6 casa terrea envidra-
gada.
s^* Aluga-se o terceiro andar do sobrado
do Peixe frito D. 5 com commodos para pe-
quena familia 5 quem o pretender dirija-sea
ra do Padre Floriano n. 3o venda que fica
na quina do beco tapado.
WT 0 Crelo Manoel Carneiro Monteiro
deixou de cobrar cotilas de Antonio Felis dos
Santos e de Angelo Custodio dos Santos por
ser despedido.
tsr Deseja-se fallar ao Snr. Joo Francisco
dePonles ou a quem suasvezes fizer; quei-
ra annunciar a sua morada para ser procu-
rado.
tsr Beseja-se fallar ao Snr. Joze Correia
Pimentel a negocio que lhe 'diz respeito na
ra do Crespo D. 8 lado do Su!.
tsr Aluga-se o terceiro andar da casa da
rna Nova B. 10 : a tratar na mesma.
tsr He chegado de Lisboa um liomem que
se pretende empregar em urna padaria como
amassador, que tom pralica suficiente por ter
exercido a mais de 6 annos : quem preten-
der dirija-se a praga da Independencia loja
de livros n. 37 e 58 e ahi deixar o seu nome
para ser procurado.
tsr B. Paula Mara de Jess Cavalcanli,
viuva do fallecido Capito Jos Pedro Ferrs
de Almeida declara que nao sabendo 1er ,
e escrever, nenhuma escriplura ou procura-
gao sua ter vigor sem que sejo t seu rogo
assignada ou por seu filho o Teen te Coronel
Joze Cavalcanli Ferrs de Azevedo ou por
seu genro o Coronel Tiburtino Pinto de Al-
meida.
cy 0 Secretario da Irmanade de S. Joze
da Agonia, erecta na Igrejada Penha convi-
da a todos os Irmos da mesma, acompare-
cerem em mesa geral Domingo 10 do corren-
te pelas 9 horas da man ha afim de se proce-
der a eleico da Mesa regedora para o anno
torturo.
tsr Precisa-se fallar ao Snr. Manoel Godi-
nho da Silva na ra do Qneimado D. 3 lado
d Poente.
tsr l*recisa-se de urna ama que saiba co-
zinhar o diario de urna casa de pouca fami-
lia ; c d'outra para ama secca de umjnenino,
que lem mais de dous annos : na ra Nova ,
sobrado D. 26, segundo andar.
tsr Precisa-se de urna casa com commodos
sufficientes para negocio em ra publica do
Becife: quem tiver prompta para entrar com
brevidade, annuncio ou dirija-se a casa de
t Latham e HibbertN. 9 ra da Alfandega ve-
lhacasa da esquina na frente da Lingocta.
= Oflerece-se para qualquer casa urna par-
da que se propoe ser ama e se obriga a fa-
zcr toilo o servigo, menos o de sair a ra ;
por detraz da Matriz por baixo do Escrivo
Coutinho.
Santos ou ao consignatario Fnnino Jos Fe- J para seren vistas as obras do Sr. Anlonio da
lis da Rosa na sua da Moeda n. 140.
cy Para o Bo de Janeiro segu vagem
dentro em mu poicos dias o Brigne Escuna
Voador por se achar quasi em meia carga, e
parte engajada para passageiros tem excel-
lentes commodos receben do anda algama
carga a frete e escravos : trata-secom Firmi-
noJoze Felis da Roza na ra da Moeda n. 140.
taf Para o Porto o Brigue Flor de Beiriz
sah-ir i m preter raimen te no dia 12 do corren-'
te ; quem quiser crregar (o poucoque resta)
ou ir de passagem para o que tem excellentes
commodos dirija-se a ra da Cruz n. 37 ou
ao Capitai) Joze Thomaz de Lima a bordo oa
na praga do commercio.
tsr Para Lisboa sabe no dia 12 do corren-
te a muito vclelro Patacho Portuguez Novo
Congresso, forrado de cobre, e de que capi-
to Manoel Joze Ratto, ainda recebe alguma
carga a frete e passageiros; quem quiser car-
regar ou ir de passagem dirija-se a Francis-
co Severianno Rabello no forte do mallos.
=Para o Rio de Janeiro segu viagem o bem
conhecido Berganlim Nacional S. Joo Baptis-
ta capito Joo Gonsalves Rocha com to-
da brevidade para carga, passageiros, e es-
cravos a frete trata-se com Joaquim Baptiza
Moreira noseu escriptorio na ra de Apolo,
ou com o capito a bordo.
AVISOS MARTIMOS.
L E I L A O'
tsr Para o Maranho sabira impreterive-
menle no da 10 do corrente o Brigue Escuna
Laura de bem conhecida marcha commo-
dos para passageiros c seguranga ainda re-
cebe alguma carga a frete e escravos ; os pre-
endenlesdirijo-seao Capito Luiz F. da S.
tsr Manoel Joaquirn Pedro da Costa faz
Leilo de cem rolos de fumo por conta de An-
tonio Joze Teixeira Guimares e urna por-
go de fejo em superior estado em sacas de
alqueire velho por conta de Francisco Joze
de Castro e Joaquim Lopes da Silva cujo
feijao se vender barato; Quinta [feira 7 do
corrente no armazem de Bias Ferreira e no
mesmo armazem se vende a qualquer hora a
6. res.
HT Russell Mellors & Companhia fazem
leilo por intervenco do Corretor Oliveira ,
e em casa deste Sexta feira 8 do corrente ao
meio dia em ponto, de urna grande colego de
ivros de authores gregos, latinos, portuguezes,
nglezes, francezes, italianos, e hespanhes,
proprios para aquellas pessaas que seguem a
vida commercial a jurisprudencia finalmente
para lteralos, e curiosos que deseja instruir-
se e deleitar-, adverte-se que tudo se vender
ndubitavelmente pelo maor prego que se offe-
recer em um ou mais lotes a vonlade dos pre-
tendentes.
t^- Lenoir Puget & Companhia fazem lci-
laC por intervenco do Corretor Oliveira de
um grande sortimento de fazendas francezas ,
consistindo em sedas para vestidos lindas
fazendas para coletas bicos de blonde e> de
fil lencos de setim ditos encarnados di-
tos para algibeira ditose mantas de garra ,
chals de todas as qualidades carnbraias
adamascadas e bordadas do bom tom cha-
peos de sol de seda para homeni e muitas
outras fazendas que se venderlo pelo maior
prego que se offerecer : Quarta feira 6 do cor-
rente as 10 horas da manila ca ponto no seu
armazem da ra da Cruz.
COMPRAS.
^tsy Os Panoramas do mez de Fevereiro ,
e Agosto de 1841 paga-se dobrado do que
costuma cuslar : na ra do Cabug loja de
miudezasn. 4.
fc#* Urna escrava recolhida, que saiba com
perfeigao engommar e coser: na ra da moe-
da.n. 140;
tsr Um jogo de bagatela : as o pontas lo-
ja da Zabelinha.
tsr Urna preta moga de bonita figura, qne
nSo tenha vicios e neta molestias que sai-
ba cozinhar o ordinario e fazero servigo de
porta adentro efora : na ra Nova D; 26
no segundo andar.
VENDAS.
ts*- Dous molecotes proprios para qualquer
servigo ; e urna negra com principio de co-
zinha: na ra da Cadeia do Recie armazem
D. 59.
"^cy Um par de balanoas do cobre com os
seus competentes pesos de meis arroba at
meia quarta ; urna caixa grande propria pa-
ra padeiro ; duas escadas de mo ; um farda-
mento completo para guarda nacional em
bom estado ; 4 botijas de olio do cupahiha ,
tudo por prego com modo : na ra Dlreila Be-
cima 41.
W Bichas pretas a 160 rs. troea-se as
que nao pegarem : na ruado Cabug n. 4.
Urna porgo de travs das nfelbores
Can tu Soares Guimaraes para o ajusfe na
ra de Vigario o. 35.
tsr (Jm vestido para senbora montar a ca-
vallo, he novo e de muito ,bom gosto na
ruada Cadeia B. 14,
tsr Urna negrinhadell[a 12 annos, de
bonita figura muito sdia sem vicios nem
achaques cora principios do costura e lava-
rinto ; 6 varas de bieo largo de loalha ; fro-
nhas e toalhas de bretanha de nho, todas
abertas de lavarinto: na ra da senzala ve-
Iha n. 41 segundo andar.
tsr Farinhado Rio de Janeiro em sacas a
6*400 rs. dita da trra muito boa a 8# rs. o
alqueire pela medida velha arroz da casca a
5*120 pela mesma [medida caf primeira
sorte a 16O rs. a libra passas a 160 rs. es-
permacete de 6 e 8 em libra a 800 rs. seva-
da muito nova a 120 rs. resmas de papel
branco meia hollanda muito bom a 3*200 rs.
a resma assim como urna porgo de cera
amarela que em pesos grandes se vendo a
320 rs. a libra e a retalho a 400 rs. : no pa-
teo do Carmo quina da ra de Hortas B. 1.
tsr *s verdadeiras pilulas da familia lti-
mamente chegadasdo Porto : na ra do Quei-
mado loja B. 5 lado do poente.
tsr Um molato proprio para pagem, mui-
to bom canoeiro : a bordo do Hiate S. Cruz
finid lado defronte do trapiche do algodo.
w Um preto de 2o a 25 annos de boni-
ta figura e bom trabalhador de campo e
urna negra de 23 a 5o annos boa vendedei-
ra de ra por prego com modo : na ra do
Queimado loja de ferragem n. 2.
tsr Um moleque de nago ja ladino de
14annos, bonita figura, muito esperto e
sadio e duas negrinhas tambera ladinas : na
ra Nova defronle da Conceico n. lo3.
tsr Urna negra creda da 26 annos, boa
cozinheira eengommadeira. e faz todo o
mais servigo de urna casa vende-se por pre-
ciso e aanga-se a conducta : na ra de S.
Thereza venda B. 13
*.52^150 varas de panno de algodo a 200 rs.
a vara sapa tos de marroqu m francezes a
800 rs. o par fustes para coletes a 400 rs. o
covado e outras fazendas por mdico prego ;
assim como um Diccionario portuguez e fran-
cez por Constancio urna pergo de entreme-
zes do Esgaparelo e novellas como sejo o
Casamento por vinganga Camin, Zaira ou
um caso extraordinario, Verm*z e outras mui-
tas ; tudo em muito bom uzo e por barato pre-
go : na ra Bireta loja de fazendas B. 8 que
fica defronte do beco da Penha.
tsr Sacas com arroz branco superior di-
tas com dito vermelho cha isson de primei-
ra sorte, charutos aos centos a 640 rs. : ao
entrar da ra do Rangel venda B. 40 de Mar-
celino da Silva Bibeiro.
ssr 5 sacas com superior arroz vermelho a
12* rs. cada urna : na ra do Colegio venda
de Sebastio Joze Gomes Penna.
ts* Urna caya de sobrado de um andar
com mu tos commodos e grande quintal mu-
rado com cacimba chaos proprios na ra
das Trincheiras. Urna bonita escrava, de an-
gola de20annos, he recolhida, sabe en-
gommar coser e cozinhar com perfeigo
de genio muito dcil e hulmide o seu prego
he 5.00* rs. ; um palanquim acabado de novo
e qne ainda nao servio por 80* rs. : na ra
ea Cadeia do Recifen. 12.
tsr Farinha de mandioca muito nova em
sacas bastante grandes, por prego commodo :
no escriptorio de Firmino Joze Felis da Roza
na ra da Moeda n. 140.
tsr Candieiros francezes de nova invengo,
de muito bom gosto e primoroso trabalho ,
proprios para patamal de escada e at para
alumiar qualquer estabelecimento por da-
rem una brilhante luz : na casa de Joze Tor-
quato Pinna junto a1 loja de Joaquim bar-
beiro no beco da praga do commercio.
^tsr O Patacho Amalia prximamente che-
gado do Maranho de 138 toneladas for-
rado e pregado de cobre rfe primeira mar-
cha e prompto a seguir viagem ; os preten-
dentes podem ir a bordo examina-lo e so-
bre prego e condiges trata-se com Machado
& Santos.
tsr Urna preta*de 40 annos, cozinheira,
e engomma liso : na ra do Encantamento
no armazem por baixo da moradia do Reve-
rendo Vigario do Recite.
tsr Urna duzia de cadeiras um canap ,
um jogo de bancas e d"us espelhos grandes
tudo de madeira fingindo mogno por prego
commodo : na ra do FagundesB. 18.
ESCRAVOS FGIDOS.
desapareceo urna
de 36 annos le-
de boa estatura,
desdentada ma-
tsr Em a noute do dia dous do corrente
pelas 7 horas fugio a preta crela da nome
qualidades que costumfio a vir das Alagoas,Felicia cor fixa olhos pequeos e aperta-
dos denles abertas cabellos efescidos, bei-
gos algum tanto cahrdos representa ter per-
to de 4o annos feia de cara tendo um s-
gnal de queimadura no bragodireito junto ao
cotovelo que presentemente est mais preto
que lodo o de mais corpo l'evou vestido de
chita de pintas encarnadas e assento raneo,
o panno da costa ja uzado e mais 3 outros
vestidos um de pauinho branco de babades ,
e 2 de chita sendo um de cor rota e outro
ex-verdead assim como urna saia de lila
preta que muito bem pode mudar d trajes
quando lhe parecer. Esta preta tem estatu-
ra regalar efinge-se forra quando foge mu-
dando o nome para memor andar semprc por
estas ras, que su posto tenha relagoes para a
Matriz da Varzea onde tem estado todava
nao gosta de estar se nao na praga. Consta
ter-se dirigido para aparte do Affogado, e
duvida-se se atravessaria pelos Coelhos para a
Boa vista aonde na ra do Cotovelo tem casa
para occullar-se, ou seguira para a Varzea.
quem delta souber ou mesmo a poier apa-
nhar a leve ao Ajudante Joo Arsenio Barbo/a
no atierro dos Ahogados onde mora em urna
das casas do l-'avo.
tsr Firmino Joze Felis da Rosa gratifica
com 50* rs. a quem aprehender um escravo
mulato, marujo, filho do Rio Grande do Sul,
bastante alto magro, nariz bastante^com-
prido e afilado.
tsr No dia 6 do p. p.
negra de nome Quiteria ,
vou um ferro no pescogo ,
embiguda alguma couza ,
gra, mete os ps para dentro ; levou vestido
de chita azul de flores amarlas panno da
costa ja uzado : quem apegar leve a ra da
Madre de DeosD. 21 que ser recompensado.
tsr Fugiro no dia 21 do p.?p. os seguin-
tes 4 escravos sendo 2 do engenho Jurissa-
ca, e 2 do engenho Junqueira, ambos da
fregui a do Cabo.
Francisco crelo, de estatura regular,
de 30 annos, e muito ladino ; fot vendido na
serra talhada.
Antonio,' crelo de boa estatura", meio
fulo cambado das pernas muito corpulen-
to e tomador de tabaco representa ter 25 a
50 annos ; veio da Paralaba aonde foi ven-
dido.
Manoel, mulato muito alto e forte tem
a testa alta ecantuda por ser calvo -e re-
presenta ter 40 annos ; veio do c aonde foi
vendirfo.
Joo, crelo, altoe forte, ja valho e com
alguns cabellos brancos casado e tm mu-
lher no Ico. aonde foi vendido.
Como loro todos juntos fcil ser serem
pegados e desconlia-se que tomaro o'ca-
minho de pedras de fogo ; quem os pegar ,
alera de se lhe ficar muito obrigado ser ge-
nerosamente recompensado, e pagar-se-ha
todas as despezas podendo-os levar nos s-
bredito engenhbs ou nesta Cidade em casa
de Felis Augusto Scola.
MOV1MENTO BO PORTO.
IUVI0S SAHIDOS NO DIA 2
Pesca ; Brigue Americano Gem Cap. Fran-
cisco Fulker com a mesma carga que
trouxe.
Dito; Patacho Americano Emeline Cap. E.
VVood carga pipas vasias.
ENTRADOS NO DIA 3.
S. Francisco ; 6 dias, Garopcira Brasilera
S. Bernardo de 16 tonel., Cap. Antonio Jo-
quim equlp. 3, carga pedras de amolar :
a Masoel E. de Fraga.
SAHIDOS NO MESMO DIA.
Ass ; Brigue Brasileiro Fiel, Cap. Manoe
Marciano Ferreira carga diversos gene-
ros.
New York : Galera Americana Natchez Cap.
Roberto Wateman com a carga que trouxe
de Val Paraso.
ENTRADOS N0 DIA 4.
Macei ; 4 dias Sumaca Brasilera Bom Je-
ss dos Navegantes de 34 tonel. Cap.
Antonio dos AnjosCardozo equip. 4, car-
ga lastro : ao Capito.
Riode Janeiro ; 13 dias Brigue Brasileiro
Orientalde 208 tonel. Cap. Luiz da Costa
Ferreira, equip. 14, carga farinha de
mandioca e caf: a Amorim Irmos.
Dito ; 35 dias, Patacho Brasileiro Saudade de
131 tonel. Cap. Joaquim Joze da Fonseca,
equip. H carga carne secca : a G. A.
de Barros. _
ECIFE NATYP. BE M. F. DE F, = m-2
auM


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EW0Y94DE3_L125Y8 INGEST_TIME 2013-04-13T00:47:13Z PACKAGE AA00011611_04622
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES