Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04621


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Armo de 184*2.
Terca Eeira 5 de
Todo sor dapedel e nos meamos; di nnm prudencia, moderacao, e energa ; con-
tinuemoa como priosiuiamoa, e seremos apontadna con admiraco entre aa Nacoes maia
'. ______ (Proclameoo da Aaaemblea Garal du iraail.)
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES.
Goianna, Paraiba, e Rio grande du Norte, na aegunda eaexlafeira.
Bonito e Garanhuna, tile 24.
Cab.i, S'erinhaeo, Kio t'ormoio, Porto Cairo, Macei, e Alagoaa no d \\ e 21
Pajei 13. Santo Ant.io. quinta feira, Olinda todoaoa diaa.
DAS DA SEMANA.
4 Seff. Annnncicao re N. S. '
5 Tero. Vicente Ferrer.
6 Qbart. Marcelino.
7 Quint. a. Epif.nio.
S sext. S. Amancio.
9 sab. i. Demetrio.
10 Dom. a. Ezequiel Profeta
Abril.
Anuo XVIII. N.
58.
O Diario publican todoa os diaa que nao fore Sanlillcadoa: o prer da asai-naHira h,
de irea mil rea por qaartel pajroa adiantados. Oa ann.ncio. doa .aaigname. .o" inaerido.
pane, eos dos que o nao forera raio da K reia por linha. As rfcl.,c>, *,._ ...
dirigida. ., ral. Typogr.fi. ,u. da. Cru.e. D. 3, ou pr.e. da Indep.ndenc. lo... de Im*
nmeros i e o. *
Cambio sobre Londres 2S d. p. \V.
Paria 32U teia p. franco.
Lisboa 80 a 85 p. 100 da pr.
Ouro Moedi de 6,400 V. 14,500 a 14.700
N. 14.300 a 14,500
da 4,000 8,100 a 8,200
PiTi Palacoes 1,660 a l,(,80
CAMBIOS no da 2 de Abril.
l'nTA Peros Columnarea 1,660 a 1,6S0
Mexicanos 1,640 a 1,660
miu,1 1.440 a 1,460
Moeda de cobre 3 por 100 de disconto.
Discontu de billa, da Alfaadega le, |>or 100
ao met.
dem de letras de boaa firmas le a 1 e j.
PI1ASES DA LOA NO MEZ DE ABRIL.
Preamar do da de Abril.
1." aa 0 horas e 30 m. da ruanha
2. as 0 horas e 51 m. da larde.
Qnart, ming. a 2 s 4 lioraaellm. da tarde.
Lita Nora a 10-- s S huras e 13 m. da larde.
Qnart. cese, a 1S-- 4 horas e \\ m da manh.
La cheia a 24 s 0 horaa S m. da larde.
DIARIO |>E TERIVAIIBUCO.
PARTE OFFICIAL.
ASSEMBLA PROVINCIAL.
ACTA DA 18.* SESSA" ORDINARIA D\ ASSEMBLA
LEGISLATIVA DE PERNAMBUC0 EM 31 DE
MARCO DE 1842.
PRESIDENCIA DO SNR. PEDRO CAVALCANTI.
Feita a chamada acharo-se presentes 50
Srs. Depulados, faltando com participoslo o
Snr. Maciel Monteiro, e sem __ella os Snrs.
Vieira de Mello Izidro Misqut, Ucha Ca-
valcanti, e Airn so Ferreira.
O Snr. Presidente declarou aberta a^sesso,
foi lida e approvada a acta da sesso antece-
dente.
EXPEDIENTE.
Foi lidn o seguinte requer ment do Snr.
depulado Peixoto de Brito. = Kequeiro que
illuslre com mi sao de Estatifica prestando
utlengao aos documentos que existem em
seo poder relativamente a freguezia do Bo-
nito, aprsente por meio de um projecto a
mellior diviso daquella Freguezia, evitando
as duvidas, que se tem suscitado entro o res-
pectivo Vigario, e os das Freguesias adjacen-
tes de Biserros e Altinho ; e islo com a ur-
gencia, que Ihe for possivel:approvado.
Um requerimento do Padre Jos Gongalo,
professor jubilado de Philosophia do-Liceo,
pedindo ser reintegrado nasuaCadeira ou
o ordenado de tOOj reis na forma da Le
Provincial numero 76 : = commisso de
Inslrucco publica.
Outro de Profiri da Cunha Moreira Alves,
professor de Latiui do Bairro da Boa-vista ,
pedindo ser pago desde que principiou a re-
ger interinamente essa cadeira at 5 de
Junlio de 1841 : = commisso de Peticcs.
Outro da lrmandade de Nossa Senhora da
Saude da Freguezia do Poqo da PatieUa pe-
dindo urna lotera beneficio da sua Igreja,
que se aclia arruinada : = mesma commis-
so.
Outro do Fiscal da Cmara do Pao do Alho,
pedindo a conlirmago da gralifica^o deoOj
reis que Ihe foi concedida : = commisso
do negocios das Cmaras.
Outro da Cmara de Olinda pedindo um
quantitativo para fazer face s suas despe-
sas visto ter o seu patrimonio diminuido
consideravelmente com a faltado rendimen-
t das bataneas do assucar, e dos foros dos
terrenos de Marinha : ss commisso de or-
namento das Cmaras.
Outro de .Mano"! LopesViannapedindo urna
F@LSflIYI
ARHHAS POR FORO d'iIESPAX1Ia(*).
1371 2.
O amor ceg d'elrei D. Fernando pela mu-
Iber de Joao Lourenco da Cunlia 1). Leo-
nor Telles liavia muito que era o pasto sa-
borosoda maledicencia do povo dos clcu-
los dos polticos e dos enredos dos lidalgos.
Ligada por parentesco com muitos dos prin-
cipies cavalleiros de Portugal, D. Leonor,
ambiciosa, dissimulada e corrompida, linha
em pregado todas as artes do seu engenho
prompto e agudo em formar entre a nobreza
urna parcialidade que Ihe fosse favoravel.
Quanlo a elrei, a paixo violenta em que es-
te ardia Ihe assegurava a ella o completo do-
minio no seu corceo. Mas as miras daquel-
la mulher cuja alma era um abysrao de cu-
bica de desenfreamenlo de altivez e de
ousadia batiam mais alto do que na triste
vangloria de ver a seus pos um re boni ge-
(*) Vid. o Diario N. 72.
graticaco pelo lempo que servio interina-
mente de Inspector do assucar : = com-
misso de peticOes.
Outro de Francisco Xavier de Miranda, ar-
remattantrt do quarto lauro da estrada do
Pao do Alho. pedindo ser absolvido da mul-
ta, que Ihe foi imposta, e o ;raso de um anuo
para concluir a obra : = a mesma commis-
so.
Foi approvada a redaccfio do projecto con-
cederlo urna lotera irmandade de Nossa
Senhora do Guadelupe de Olinda.
ORDKM DO DA.
Foi I ido e posto em discusso o parecer da
commisso do orcamento provincial elevando
a lo por 100a porcentagem do Collector e Es-
crivo de Olinda : = adiado.
Outro da mesma commisslo devolvendo
para ser encaminhado commisso de contas
o despesas Provinciaes o officio do Secreta-
rio da Provincia aeompanhado da informa-
co do Inspector interino da Thesouraria das
Bendas Provinciaes, em que mostra a impos-
sibilidadc de satisfazer a exigencia desta As-
semblea sobre a remesssa das contas respec-
tivas aos anuos anteriores, e ao semestre
findo: = approvado.
Outro da commisso de Fazenda e orca-
mento para se deferir o requerimento de Es-
tanislao Pereira de Oliveira, pedindo o pa-
gamento da commisso que Ihe compete p'rMo
trabalho de fazer a collecta do Bairro do Be-
cife : = approvado.
Outro da ni3sma commisso ndefarindo o
requerimento de Thomrz Pereira Lagos of-
ferecendo oitocontos de reis pelo imposto da
Barreira do Giqui por tempo de tres annos :
= approvado.
Foi lido, apoiado e julgado objecto de de-
liberarlo um projecto" da commisso de peti-
efies concedendo urna lotera de 6o con-
tos de reis para a publiqaQo das obras his-
tricas do Cidado Jos Bernardo Fernandas
Gama.
Um parecer da commisso de Fazenda e
orgamento para se devolverem aoExm. Pre-
sidente da Provincia as represen taches do
Vigario de In^azeira Placido Antonio da Sil-
va Santos, a fim de mandar fazer por peritos
o orcamento das obras da sua Matriz : =ap-
provado.
Entrou em segunda discusso o projecto
numero 9-deste anno. O artigo I. ficou adi-
ado ; o2. foi approvado. Passando-se a tra-
tar sobre o artigo 3. o Snr. Lopes Gama
mandou a meza o requerimento seguinte : =
Bequeiro, que a Ilustre commisso de Po-
lica emita o seu parecer a respeitodas pro-
neroso e gentil : atravez do amor de D. Fer-
nando ella s enxergava o refulgir da coroa ,
e o homem sumia-se nesse esplendor. O no-
me de rainha misturava-se em seus sonhos ;
era o significado de todas as suas palavras de
ternura o resumo de todas as suas caricias,
a idea primitiva de todas as suas ideas. Leo-
nor Telles nao amava elrei como o provou
o tempo; mas D. Fernando cria no amor
della ; oeste principe quesera um dos me-
Ibores monarchas po/luguezes e que a mui-
tos respeitos o foi deixou na historia, qua-
si sempre superficial, um nome deshonrado,
por ter escripto esse nome na horrivelchroni-
ca da Lucrecia Borgia do seculo 1 4. Urna
dfliculdade quasi jnsuperave! para outra
que nao fosse D. Leonor, se intcrpunha en-
tre ella e seus ambiciosos designios. Era ca-
sada Um processo de divorcio por paren-
tesco julgado por juizes alJcitos a D. Leo-
nor ou que sabiam at onde chegava a sua
vinganga a livrou desse tropeco. Seu mari-
do Joo Lourenco da Cunha atterrado fu-
giu para Caslella e D. Fernandd casado ,
segundo sedizia a oceultas com ella muito
antes da epocha em que cometa esta nanuti-
postas feita.s pelos Cidados Boma c Figuci-
roa ; ficando entretanto adiado o artigo em
discusso : = apoiado. O Snr. Neto : = Em
lugar de 2:000ji reis diga-se = 4:000,> reis ;
e accrescente-se = contractando a commisso
de Polica a publicaco dos trahalhos da As-
somhlea com o Cidado Luiz Ignacio Bibei-
ro Roma : = apoiada. Encerrada a discus-
so foi approvado o artigo com a segunda par-
te da emenda do Snr. Lopes Neto. Artitro 4.
O Snr. Lopes Neto: = Se passar o artigo
4. em lugar das palavras conformes a ta-
bella numero 1. diga-se e igualmente pelo
Secretario Oficiaes Escripturarios e Ama-
nuenses : appoiada. O mesmo Sr.: Su-
prima-se o artigo 4V := apoiada. O Snr.
Jos Pedro := Em lugar de -distribuidos os
emolumentos conforme a tabella diga-se -
dislribmdos ps emolumentos em proporcoes
dos ordenados, sendo a parte do Secretario a
mesma do Oflieial Maior : = apoiada. Fi-
cou addia.la a discusso por ter dado a hora ;
e o Snr. Presidente dando para ordem do
da a mesma de lioje, levan ton a Sesso.
Pedro Francisco de Paula Cavalcanti de Al-
buquerque Vico-Presidente.
Jos Filippe ddSotiza Leo,
1. Secretario.
Antonio .lose de Oliveira,
2. Secretario.
Acta da 10. Sesso da Assemblea Legislativa
Provincial de Pernambuco nol.de Abril
de 1842.
PRESIDENCIA DO SNR. PEDRO CAVALCANTI.
Feita a chamada, acharo-se presentes 27
Snrs. Deputados faltando com participar')
o Snr. Maciel Monteiro, e sem ella os Snrs.
Manoel Cavalcanti, Uchoa Cavalcanti Izidro
Mesquita Pessoa de Mello, Machado Bios,
Mello e Lourenco Bizerra. ,
O Snr/ Presidente declarou aberta a Sesso.
Foi lida e approvada a acta da antecedente.
EXPEDIENTE.
Foi lido um officio do Secretario da Provin-
cia aeompanhado de outro da Cmara Muoi-
cipal do Rio Formozo, com a copiada acta da
ellcico do Juiz de paz daquella Freguezia : --
q"tiem fez a requisico.
Um requerimento do professor de primei-
ras Lettras da Varzea Angelo Custodio da
Silva Fragoso, pedindo a gratificaco que
tem direito pela Lei de lo de Outubro de
1827 : = commisso de Instrucc/io publica.
Um officio da Cmara Municipal do Pao do
Alho pedindo authorisaco para construir um
Acougue n'umi casa velha, que liavia sido
va, viu emim satisfeitoo seu amor insen-sato.
Aquellos d'entre os nobres que- ainda con-
servavam puras as tradcocs severas dosan-
tigos lempos indignavam-sc pelo opprobrio
da corda e pelas consequencias que devia ter
o repudio da infante de Castella cujo casa-
mento com elrei ajustado e jurado este desfi-
zera com a levesa que se ola como defeito
principal no carcter de D. Fernando. En-
tre os que altamente desapprovavam taes a-
mores, o infante D. Diniz o mais moc<
dos filhos de D. Ignez de Castro e o velho
Diogo Lopes Pacheco (2) eram segundo pa-
(2) Ferno Lopes aflirma que Pacheco
nao tornara ao reino desde que fugr.i por es-
capar vinganca de I). Pedro 1. por causa
da morte de D. Ignez seno no anno de
72 em que viera porembaixador d'elrei D.
tJeurique. Islo parece inexacto ; Fr. Mano-
el dos Santos aflirma o contrario fundado na
restituicaode todos os seus bens e ttulos feita
por D. Fernando no comeco do seu reinado.
Nao islo que prova a assisteneia do Pacheco
em Portugal no anno de 1571, nao s por-
que depois de vir podra voltar para Castella ,
legadajpor um Cidado para asilo dos inv-
lidos e se acha arruinada, e sem serven lia :
commisso dos negocios das Cmaras.
Foi approvada a redaco da Lei conceden-
do Matriz da Boa-vista dez loterias de cem
conlos de reis cada urna.
Ordem do dia.
Foi lido e approvado o parecer da
commisso de Fazenda e orcamento devol-
vendo para o archivo o officio do Secretario
da Provincia aeompanhado nao s da infor-
niacodo Inspector da Thesouraria das Ren-
das Provinciaes indicando os inconvenientes
que tem encontrado na arrecadaco das Ren-
das e as medidas para removel-os como
to bem a representaco da commisso admi-
nistradora da obra do Theatro Publico pedin-
do a prestaco de 48 con tos de reis para
o complemento da dita obra; visto j ter a di-
ta commisso tomado em consideraco taes
objetos no projecto da Lei do orcamento Pro-
vincial.
Um parecer da commisso de ordenados in-
deferindoo requerimento dos Cuardas mar-
cadores da Inspeccodo algodo em que pe-
dem augmento de ordenado, e julgando do
equidade. que a despesa de tinta e ferros so-
ja teita por conta da Fazenda publica : ap-
provado.
Conlinuou a discusso do artigo 4. do pro-
jecto numero Odeste anno com as emendas
apoiadas na sesso antecedente. Encerada a
discusso foi recitada a emenda de suppres-
so e approvado o artigo com a emenda do
Sr. Lopes Neto, ficando prejudicada a do Snr.
Jos Pedro.
0 Sr. Presidente deo para ordem do dia em
primeiro lugar pareceres de commisses e le-
turas de projectos e indicacoes, e em se-
gundo, primeira discusso do projecto nume-
ro 15 de 1841 lerceira do n. 2 desle an-
no, e continuaco da ordem do dia de boje :
e levanto!! a sesso depois das duas horas da
tarde.
Pedro Francisco de Paula Cavalcanle do
Albuquerque Vico Presidente.
Jozo Felippe de Souza Leflo.
1. Secretario.
Antonio Jos de Oliveira
2. Secretario.
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DIA 1 DO C0RRENTE.
Officio Ao Inspector da Thesouraria da
Fasenda ordenando-lhe que mande pagar
aos Officiaes de 1. Linha do Exercitoos sidos
e mais vencimentos marcados pela Le, e Ta-
rece os cabecas da parcialidade contraria a
D. Leonor: aquella pela altivez de seu ani-
mo; este por gratido a D. Henrique do
Castella, em quem achara amparo e abrigo
no tempo dos seus infortunios eque o salva-
ra da triste sorte de Alvaro donoalves Couli-
nho e de Pedro Coelho, seus companheiros
no patritico crime da morte de D. Ignez.
0 casamento d'elrei ou verdadeiro u fal-
so era ainda um rumor vago urna suspei-
ta. Os nobres porcm que o desaprovavam
mas porque essa reslituigo tamb;>m podia ser
feita estando e conservando-se elle ausente ,
visto que a fruico de um titulo ou de tr-
ras da eor/ia por simples merc", nao obri-
gando a servico pessoal ao menos al o tem-
po de D. Joo 1., nao tornava necessaria a
presenca do donatario no reino. O que pro-
va a verdadeda opinio de Santos adoar-o
feita a Diogo Lopes em 1371 (Beg. de D.
Fern. f. 84) da trra de Trancoso, para paga-
mento de sua quantia o qu suppe servico
pessoal ; porque era pelas quanlias que os
lidalgos estavam obrigados a faze-lo. (^Nofa
paraos estafadores de bagatellas histricas,)

I


I
*
bella do i. deDezembro do anno prximo fin-1 pi e ao Inspector da Thesouraria da Fa-
do visto ja Icr rccebidorilicialmente a citada
Le", comoaffirma em seu olficiode hontem.
Dito Ao Commandantii das Armas, com-
municando a expedido da ordem supra.
Portara Dcmittindo a Luiz Eugenio de
Lorio Seilbes do lugar de Porteir Continuo da
Inspecgao do Assuear e Algodo.
Ollicio Ao Administrador da Mesa do
Consulado, communicando a doinisso orde-
nada pela portara antecedente, e Icr nomoa-
do para succcdei ao demittido a Antonio Joa-
quim Ferreira.
Portara 0 Presidente da Provincia em
execuco dos artigo* 223 e 286 do Rcgula-
nienlo n. 120 de 51 de Janeiro d'este anno es-
tabelece provisoriamente o seguinte.
' Os Delegados de Pocia da Comarca do Re -
rifeorganisar, e rmetterO aoJuizdeDi-
reilo da I.' Vara do Crime ou ao seu Sub-
ttuto do dia lat o da 20 do mez correte
as listas dos Cidados, que tiverem as quali-
dades exigidas nos 1.2. e o. do artigo
224 na forma do artigo 225 do dito Regula-
mento.
Jiuz de Dircilo da I.* Vara do crime, ou
seu Substituto ser o Presidente da Junta
Provisoria, e prever qua se fagao os avi-
sos de modo que 20 do Maio ou antes
esleja concluida a revisan das lilas listas.
Os Delegadas dos mais Termos daProvin-
vineia dar! principio organngao das listas
do primeiro dia depois de llies ser notificada
sua nomeagfio e farfi a remessa d'ellasao
Juiz de Direito respectivo at o vigsimo dia,
im ile que este roiiclua a-revisao 20 das de-
puis de as ler recebido.
Dla __ Ao Birect&r do Arsenal de Guerra ,
oricnando-lhe que faga continuar os con-
grios qj]Q pelo mesmo Arsenal se estavao
a/.endo na fortalesa do Brum, eque se a-
chd suspensos desde que n'ella se aquarte-
loii o 3. Batalhao do Arllheria.
Officio Ao Commandante das Armas ,
communicando o conteda na precedente por-
tara.
Portara Desonerando do lugar de Ins-
tructor parcial do 1. Batalhflo da Guarda Na-
cional d'BSte Municipio ao Capitao Reformado
del. Linha Manoel Joaquim I'az Sarmen-
t u ordenando-I lie que se aprsente ao
Commandante das Armas.
Officio Ao Commanilaute das Armas ,
communicando a demissfio antecedente.
Portara Mandando passar ttulo de no-
meago de Commandante do Batalhao de
Guardas Naciooaes destacados, mandado
organisar pelo Decreto de 9 de Dezembrode
1811 ao Tenenle Coronel Chcfedo2. Ba-
talhao da (.uaida Nacional do-Municipio de
Olnda Antonio Lins Caldas.
Dita Nbmeando ao Tenenle Ajudante do
Corpo de Polica Jofio Bornardino do Vas-
consellos Instructor parcial do 2. Batalhao
da Guarda Nacional d'este Municipio 5 e or-
denando-lhc que se aprsente ao Comman-
Jantn Superior (tspcclivo para entrar logo
em exercicto.
De igual theor se passaro [lomeando ao
2. Commandante Thomaz Percha Pinto Ins-
tructor Parcial do 1. Batalhao d'oste Muni-
cipio: ao 2. Commandante Joo Pacheco Al-
ves para Instructor Parcial do 5. Batalhao da
mesrria guarda Nacional: eao 5. Comman-
dante Caetano (Junlno Galhardo para o i.
fMtatriSo da YaTzea.
Officios Ao Commandante Coral interi-
no do Corpo de Polica ao Commandante
Superior da Guarda Nacional d'este Munici-
zenda communicando as nomeagoes antece-
dentes.
COMMANDO DAS ARMAS.
COXTINUAC.A DO EXPEDIENTE DO DI\ 21.
OllicioAo Inspector da Thesouraria remet-
tendo-Ihe os papis decontabilidadcdaCompa-
nhiadeGuardas Nacionaes destacada na Cidadc
deGoianna, relativos ao mez de Fe ve re iro ulti-
mo, por contados quacs ja se recebera a quanlia
de 300* res, devendo entregar o excedente,
oa importancia dopretdo 1. a lodeste mez
ao sargento Manoel Antonio Porto certo
que se ordenara por conveniencia do servigo,
que a dita Companhia cobrasse seus venc -
mentos de 15 em 45 dias.
DitoAo Commandante do Forte do Bu-
raco dizendo-lhe em resposla ao seu oV.cio
desta data que os trez Portuguezes e o cs-
cravo deChristovao da fundigodc ferro ti-
nbao sido remeltidos a Prefeilura para contra
elles proceder como lbssc.de Le.
DitoAo Capitam Sebastiao Lopes C.uima- neste sentido se Me
raes remeltendo-lhe um ollicm do Com- ,,)J.,ostc .mez\
mandante superior da Guarda Nacional do
Municipio do Recife no qual reelamava a
soltura do Guarda Januano Francisco das
Chagas, do 5 Batalham para que infor-
masse na qnalidade de recrutador.
DitoAo Prefeito da Comarca do Recife ,
remettenJo-lhe os Portugiiezes Jo/e Peres
Grandarinlia Joze Slverio e Manoel Fran-
cisco bertl como o prcto de nome Joaquim ,
quedizserescravode Christovo da fundgo
de ferro por terem sido aprenhendidos pelo
Commandante do Forte do Buraco inleira-
mente misem pleno dia tirando area con-
fronte ao Forte onde existem familias e
acto em contravengo as posturas da Munici-
palidade c offenca da moral publica.
DitoAo mesmo dizendo-lhe que o re-
mita Manoel Joze do Nascmetilo lora pos-
to em custodia por allegar ser lilbo de yiu-
va e ler j outro irtno com praga no
Exercilo.
DitoAo Prefeito da Comarcado Bonito,
communicando-lhe em resposta ao scu oflcio
de 14 do corren te que o recrula Vicente
Ferrcira da Silva assentara praga.
DitoAo Prefeito Comarca de Garanbuns,
communicando-lhe em resposta ao seu officio
de 5) do corren te que assentaro prnga os
reclutas Manoel Ignacio, Serufim Gomes ,
Felippo de Santiago Luis Joze Antonio
Teixeira o Thomaz Francisco dos Santos ,
lic.mdo em custodia Manoel de Jez-is por ter
allegado enl'ermidades, que hiao ser exami-
nadas pelo respectivo Cirurgio.
PortaraAb Commandante do deposito ,
mandando conciderar praga do mesmo a 8
recrutas vndo da Provincia da Paralnba do
Norte cujos nomes hilo Rescriptos na rela-
go que por copia se llie enviava.
paros e ferramenta para rebater, e concer-
tar algumas jarras de madeira e barns de car-
regar agoa que se achavao arruinados mas
que ainda podio ter serventa.
DitoAo Commandante Superior da Guar-
da Nacional do Municipio do Recife envian-
do-lhe a resposta que dera o Capitam Lopes
Guimares acerca do Guarda do o. Bata-
lhao Jariuario Francisco das Chagas porelle re-
crutado para o servigo do Exercito, e pedindo-
Iho houvcssededararespeitosuas mformagoes,
para poder deliberar com justiga. Conclua
Fazendo-lhe algumas reflexes acerca do re-
crutamento na Guarda Nacional, eimpossi-
bilidadede soltar os que fossem recrutados ,
em vista de simples attestados dosComman-
dqntes de Companhias por a isto se oppor
o artigo 2. das Intrucgocs de 0 de Abril do
anno passado. ,
DitoAo Inspector da Thesouraria co-
muncando-lhc. que por conveniencia do ser-
vigo se ordenara que os veocimentos da Com-
panhia de Guardas Nacionaes destacada em
Goianna fossem cobrados de 15 em lo das.
enviou o pret do 1. a
Dito- Ao Commandante da Companhia
destacada em Goianna dizendo-lhe em solu-
gao aoseu ollicio de 10 do corrente I.- que
nao tinha ingerencia ha polica e s Ihe com-
peta fornecer a gente que Ihe fosse reqinsi-
tada pela Prcctura para as rondas e dili-
gencias, devendo exigir do Oflleial Inferior,
..u cabo, a quem fosse a gente entregue,
contada resultad., da diligencia oui ronda ,
com expeciicago se as pragas cumprro com
os seus deverrs militares, a limdcquepo-
desse punir quaesquer fallas ou abusos enmet-
tidos no servigo -2.- que o pret de 16 ao
ultimo de cada mez s devia conter os ven-
cimcjitos correspondentes a este tempo vin-
do nesta occasiAo a relaco d'alteracoes que
com prebenden os venc mentos de. todo o
mez ou de ambos os Prels ; ou a folha dos
EXPEDIENTE DO DIA 22.
OfficioAo Fxm. Presidente, rogando-lhe
houvesse de passar suas ordens ao Director
do Arsenal de Guerra para que entregue o
fardamento, e ntensis requizilados pelo Com-
mandante da Companhia deGuardas Nacionaes
destacada naCdade de Goianna, por ter de taes
objectos summa necessidade fletando, e
,limando o Arsenal a canoa ou jangada que
linha de condusi-los.
DitoAomesmoFxm.Sr. para que livessea
bondaded'ordenar que pelo Arsenal de Guer-
ra fosse mandado para a Fortalesa do Brum
nm official de tanoeiro com os necessarfos pre-
so'ibcj.im transmiir ao povo os proprios te-
mores; e a agitagao dos nimos crescia me-
dida que os amores deirei se tornavam mais
pblicos. D. Femando tinha j revelado aos
seusconselheiros a resolucao que tomara, e
estes posto que a principio Ihe fallassem
com a Irberdadeque entfio se usava nos pagos
ros res vendo suas diligencias baldadas ,
contentaro-se de condemnar com o silencio
cssa malaventurada resolugio. O Povo po-
rem nao se contcntou com isso.
as ida.s desse tempo alcni das considera-
{des polticas, similhante consorcio era
monstruoso aos ollios do vulgo por um mo-
tivo de religo o qual ainda de maior peso
861 ia hoj^ e sc-Io-ha em todos os lempos em
que a moral social for mais respailada do que
oeranaqueila epocha. Tal consorcio cons-
titua um verdadeiro adulterio e os filhos
quede ah proviessera poderiera serconsid.:
jados como infanta* de Portugal, e por con-
secuencia como fiadores dasuccessoda cora.
A irrilaeo dos unimos assoprada pela no-
hreza finha chegado ao seu auge c acolera
popular rebentra violenta na tarde que pre-
edou a noile em que comeca esta historia.
OBciaes, deixando de tirar o quantitativo
marcado para luses porque do 1. do cor-
rente em van te, devino estas seren cobradas
do i rcenal de Guerra, em gneros, por meio
de requisigo que devia enviar, o." que
o Sargento do destacamento levava a ser-
illo entregue porconla de seus anteriores pe-
didos o farda ment e ntensis que estava
promptos no Arcenal de guerra, 4.* que
em ollicio de 17 so providenciara sobre o uquar-:
telamentoda Companhia no Convento do Car-
ino, ). que a luz da guarda da cadeia devia
ser fornecda pela Prefeilura, e nao pela Com-
panhia, 6.a --que o Corneta devia ser con-
templado nos Prels cornos seus respectivos
vencimenlos prevenindo ao Commandante
do Batalhao da Guarda Nacional, para os nao
cobrar emquanto perlencesse a Companhia
destacada.
Ao Prefeito da Comarca do Recife dizendo-
lhe em resposta aos seus olcios de 2., e 22
do corrente, que os recrutas Joze Joaquim de
Santa Anna e Paulino Theolo da Fonccca .
foro poslos em custodia este para provar
que menor de 18 sanos e aquello que sao
Itrmoi dosquaes 5 servem no exercito ,
c Armada.
REPARTIDO DA POLICA.
Parte do da 2 de Abril de I8i2.
O Commandante Geral Inte.no do Corpo
Policial partecipa que liontem foro reeolhi-
dos d'onlem minlia ao calabouco do mesmo
Corpo os pardos Vicente Ferreira e Anto-
nio da Rocha remeltidos presos pelo Com-
mandante do destacamento de Bebribe, por
cstarem em desordem da qual resultou sar
aquello ferido por este na cabega ; forao re-
meltidos para a Cadeia.
O Sub-Prefeito do Recife partecipa igual-
mente ter prendido ao pardo Antonio Jos Go-
mes porencontral-o em um escada acor-
rer atraz deum prcto para o maltratar a-
meagando-o de o matar e ser elle de pessi-
ma conducta ; teve igual destino.
O mesmo Sub-Crefrito partecipa maisquo
hontem pelas 10 horas da tnanh em o lugar
do beco largo fra ferido na braco esquerdo o
pardo Rafael Antonio, pescador, com urna
lacada que Ihe dera outro pardo de nomo
Joo Lopes o qual, nao obstante as diligen-
cias empregadas pelo mesmo Sub-Prefeito ,
pode todava escapar-se e nao foi ainda captu-
rado. Proccdeo-se entretanto o competente
exame e vesloria no corpo doolTendido, pa-
ra proceder-se acamis termos da Le.
Nada mais conta das outras parles receb-
das n'esta Secretaria.
Rcndimento da Meza de Reccbedoria de Ren-
das internas Geraes no mez de Margo
prximo lindo.
Rcndimento Geral.
2. Decima de mo morta 1:091.>2I i
Bireitos novse vvlhos 27i.>(iN!)
Ditos de Chancellaria o.).".!)
Dizima da dita l-~>>1)S()
Impostos de letras .... i08027
Matriculas do Curgo Jurdico 1:510#400
Emolumentos de certidOes _L>2S0
Foros de terrenos de Marinha 5310r>
Sello adicional ..... 2140(I()
Dito de herancas, e legados 48,08 i
Moia siza de escravos (JjoOO
Sizados bensderaiz 10:235*300
Tres mil homensse tinhm dirigido tiiniul-
tuariamente s portas do pago dando ape-
nas tempo a que as cerrassem. A rozara e
estrepito que fazia aquella multidao desor-
denada assustou elrci que por um seu pri-
vado mandou pergunlar o que Ibes prazia,
e a que eram assim reunidos. Ento oaffai-
ato l'Vrno Vasques capitao e propoedor por
riles como Ihe chama Ferno Lopes, alleou
em termos violentos as intengdes d'elrei, re-
galando D. Leonor dos ttulos de m mulher
e feitceira c asseverando que o povo nun-
ca havia de consentir em seu casamffltoadul-
tero. A arenga rtide o vehemente do al-
faatc orador acompanhada e victoriada de
gritas insolentes e amcagadoras do tropel que
o segua moveu clrei a responder com agra-
decimentos s injurias e a affirmar que nem
D. Leonor era sua mulher nem osera nun-
ca, prometiendo ir na manhaa segonte ac-
clarar com elles este negocio no mosterode
S.Domingos, para onde os emprazava. Com
taes promessas pouco a pouco se aquietou o
motim e aocahir da noile o lerreiro d'apar S.
Mailinbo eslava em completo silencio ; e
[como sena solido elrei quizese consultar
comsigo o que havia de dizer ao seu bom e fiel
povo ue Lisboa as vidragas coradas dases-
;;iiias janellas dos pacos reaes que vertiam
(juasi todas us imites o ruido e o esplendor
dos 9arus cerradas nesta hora e caladas
como scpulchro contrastavam com o rclu-
zir dos faclios por entre o estrepito das ras.
com o rir das mulhcrcs perdidas c dos homens
embriagados; com o perpassar continuo dos"
magotes e pinhas de gente que se encontra-
vatn, uniam se para va m retrocedan!, Va-
cilavam licavwm immoveis aglomeravam-
se para se desfazer, dest'aziam-se para se
aglomerar de novo sem vontadeesem cons-
trangimento sem motivo e sem objecto ,
vulto inerte movido ao acaso como as va-
gas do mar tempestuoso e iirellectido como
ellas. Feroz na sua colera naorasoada ,
ferocissimo no seu rir insensato o vulgo pas-
sava, rei de um dia ; esse ruido essa ver-
ligcm que o agita\a era o seu baile a sua
fesla de triumpho ; c as estrellas de serena
noite d'agoslo similhantcsa lampadas pen-
dentes de abobada profunda, allumiavam o
sarn popular as salas do seu folgara pra-
ga e a encruzilhada. Era a um tenv
3S
10:o42fi88
Rcndimento applicado ao papel
moeda.
Impostos ddojas 869*780
Ditos de barcos do in-
terior. 43*200
Di tos de seges, e car-
rinhos 38*400
Taxa de 1 por escra-
vo .... 108*000
Sello do papel i:55i,>G20
2:411*000
21:996*888
Recebedoria primeiro de Abril de 1842.
O Escrivflo
Estanilo Pereira d'Oliveira.
CO.VIMEKCIO.
1MPORTACAO.
A Barca Francesa --Hortenseviand do Havre
de Graga, entrada no mez prximo p., con-
signada a Kalkemann & Rosemund mani-
festou o seguinte :
17 Caixas fasendas- 3 fardos ditas- lOcai-
xas miudesas- 2 barricas fasendas- 2embru-
Ihos amostras- 57o barriz manteiga-- 4 caixas
armas- 100caixas vellas- e 2 barriz vinbo.-
a Kalkemann & Rosemund. o caixas cha-
peos 2 ditas seda a Ramm & Zimmer. -- 4
ditas papel de peso. 1 dila fasendas a Bolli
& Chavannes. 5 ditas papel a Albert
Hoscli. -- 1 fardos fasenda 100-- barriz
po truanesco e terrivel.
Na taberna de messer Folco onde deix-
mosas porsonagensprincipaes desta historia,
para inserir talvez fra de logar, o prologo
ou introduego a ellaas acclamages frenti-
cas dos populares linliam tornado indubita-
vel que o propoedor para oajunlamentododia
seguinte deviaser o mui avisado e sagaz mestre
Ferno Vasques : Fr. Roy era de todos os
circumstantesoque mais pareca ter a peito
esta escolha eo petintal Ayras Gil o ajuda-
va poderosamente rom o ruido dos ampios
pulmes dos galeotes d'Alfama contrahidos
comoem voga arrancada pelo victoriar de seu
capitao. Oalfatenfiopode resistir, nem
porventura linha vontade disso a tanta po-
pularidade e em p spbre o escabello com a
cabega levemente inclinada para o peito ,
n'uma postura entre d*1 resignacSo e de be-
maventiiranca iremuiava-lhe nos labios se-
mi-aberlos um sorriso que revelava urna par-
te dos mysterios de seu coraco. Em fim
quandoa grita comegou a serenar 3 Ferno
Vasques ergueu a cabega e com aspecto gra-
ve deu signa] deque pertendia fallar ainda.
Fez-se de aovo silencio,. (Continua.)


-----
manteiga, a N. O. Biebcr & C. 2 caixas p9-
lucia a A. Schramm. 1 dita vellido 1
barril oleo, J. O. Elster. 1 caixa sardinhas-
1 dita urna campa a Fox Stodart. 1 dita
roupa & livros, a Joao Pinto de Lemos Junior-
1 dita suspensorios-- o ditas fasendas de se-
da 16 ditas fasendas-1 dita com pistolas ,
a J. Kcllcr- 1 dita chapeos a Aquino Fon-
ceca. 3 ditas fasendas- 1 dita drogas -- 1
dita miudesas 1 embrulho amostras 4 bar-
riz tiod'aramc, a Lehmann & C.-- 2 caixas
livros a Carneiro. -- 1 dita fasendas a A.
Millochan. 1 dita selins a Johnston Pater
Si .- 1 dita miudczas L. A. Baudoux. -- 1
dita perfumara- 1 dita conserva ao Capito-
2 barriz vinlio 1 caixa conserva- 1 dita dro-
gas a Saisset & C. lo ditas papel 4 ditas
fasendas- 1 dita oculos- 1 dita fasendas de se-
da- 1 barril tinta- 143 ditos pregos- 4 caixas
pedra marmore 2 ditas lasariuas- 1 dita com
pistolas- 1 dita miudesas- 1 barril com lio de
rame, J. P. Adour & C. 800 {jigos bata-
tas 50 ditos vinbo 4 ditos garrafas vasias -
50 garrafoes vasios- 150 saccas farellos- cai-
xas conservas- 1 carrinho de 4 rodas- 4 barriz
feoula de batatas. A ordem 8 caixas Cascu-
das a Lenoir Puget & C.
PIUCA DO RECIPE 2 DE AURIL ~ 1842.
Revista Mercantil.
EXPORTACA.
Cambios. Teni havido tranza eges a 28 d.
por i.
Algodao Poucas entradas e conserva o pre-
go de 5:800 a 5.900.
Assucar Ilouvero vendas na semana de
050 a 700 rs. por arroba sobre o fer-
ro do mascavado, e 050 pelo bran-
co sendo nos ultimos dias menos
procurado.
Couros Sao procurados do 150 a 135 a Ib.
F retes Ha falta d-; navios Estrangeiros.
Azeitedoce Vendeo-sc a 2400 o galo.
Bacalhau dem de 9:000 a 10:000 a
barrica.
Batatas dem a 1:200 a arroba.
Cabos de cairo dem a 18000 o qq.
Carne secca dem de 2:200 a 2:400 a @.
Carneira6 francezas dem de 11:000 a 14*
a duzia.
Faiinha de trigo Franceza dem a 10* a
barrica.
Dita dito Trieslrc dem a 17* dHa.
Dita de Mandioca dem a 7*00" a sacca e
tem sido menos procurad*.
Manteiga Ingleza dem a 500 a libra.
Dita Franceza dem de 500 a 400 a libra.
Milbo dem de 4000 u 5000 a sacca.
Papel de pezo croinba dem de 2400 a
2500 a resina.
Vinbo tinto de Lisboa PRR dem de 120,
a 125, rs. a pipa.
Dito branco dem dito dito.
Vidros para vidragas dem do 4500 a 5500
a caixa.
,1,: ________
Resumo da Exportado da Provincia para fo-
ra do Imperio no mez de Margo prximo
passado.
Algodao sarcas 1:775 com 9,097 Assucar Caixas 3,686 )
Feicbos 284)
Barricas 13,090 )com 55,315 @ 4 1.
Saceos 18,615 )
M Caase latas 58 )
pertencer, que por communicago do Snr.
Chefe de Polica da Provincia da Baha, data-
da de 5 do mez p. p., consta que existe pre-
so na Cadeia da Capital da mesma Provincia
o preto de nome Joo oqual, tendo antes
dicto ser liberto declarou agora ser escravo
do Teen te Coronel Francisco Mamede d'Al-
meida morador n'esta Cidade.
= Barca Firmeza recebo a mala para o
.Rio de Janeiro hoje ( 5) as 11 horas da ma-
nh.
i29" A Cmara Municipal desta Cidade faz
sessao extraordinaria no da 8 do corrente.
GABINETE LIT i ERARIO.
=3 O Illm. snr. Director convida aos srs.
Socios do Gabinete a se reunirem em sesso
amanh (6 do corrente) as 4 e, meia horas da
tarde a lim Je se tomarem medidas urgentes
beneficio do Estabelecimento; e espera o
comparecimento dos mesmos snrs., preve-
nindo. que com o numero que hover de
comparecer se decidir o que deliberado for,
por assim convir a utilidade do mosmo Esta-
beleeiniento. O Secretario ,
Joze Bernardo G. Alcanforado.
Aguardeute Pipas
>, Quartolas
(i a na loes
Couros salgados
Cobre vellio
Cale
Doces
Farinhado mandioca
Madeiras Taboas
Mellago
Pellesmudas
Sola e Vaqueta
Tatajuba
L'nhas de Boi
Moeda
Gneros miudos c gastos
navios
Valor da exportado
Valor dos Direilos
48)
0) 9,029 Can.
4)
12,400
520 lib.
4 @
1,1 o5 hb.
8 alq. 1|4
65
88 can. .
3,552
20,575 meios
25 qq.
15,000
12:908*715
dos
5:158*762
750:135*454
77:510*053
Sabirao para fora do Imperio 32 navios ,
sendo 1 Brasileiro 7 Britnicos, 1 Francez,
5 Portuguezes 5 Americanos, 4 Austracos,
4 Sardos, 1 Sueco, 2 Hamburguezes 1 Ho-
lands e Benence.
DECLARARES.
=Pela Rcpartigo da Policia d'esta Provincia
se faz publico, para conhecimento de quem
THEATRO.
= Regosijo publico, em celebraoo do
fausto Annversario da aeolamago de S. M. 1.
o SENHOR I). PEDRO I!. Quinta fera 7
d'Abril. O Artista Joze dos Res para cele-
brar to venturoso acontecimento expoiem
scena o espectculo seguinte -a orchestra
desempenbar pela vez primeira a nova sinfo-
nia da Fsposa Fideli que seguir o llym-
no Imperial, cantado por Madama Emilia A-
manti. Patenteando-se ao mesmo tempo a
Augusta Etligie de S. M. I. depois tora logar
a nova e famosa Arya de Matilde na Opera
Elizabetta, Rainha de Inglaterra, cantada
por a mesma Madama Amanti. Seguiro dif-
iicultosas operages athleticas e experiencias
da maior destresa desempenhadas pelo Direc-
tor eJoaquim dosReis, dislinguindo-se em
particular com os vistosissimos vos aerios na
brilhante Columna Giratoria. A continua-
co Madama Emilia Arnmvli cantar o precio-
so Hymno da -SENHORA D. MARA II.,
Rainha de Portugal concluido que seja se
cantar pedido de muitas pessoas que tan-
to nos favorecen! a jocosa Tonaxlilha lles-
panhola da Chiquita Ou seja o Poeta o
Muzico e a Sevilhana na qual se desempe-
nharO tragedia equadras novas. Dando fim
a to variado e escolhido espectculo com a
divertida Pantomima intitulada- O Sargento
Marcos Bomba ou os Quintos lmprfeitos ;
a qual depois de um gran-ie numero de scenas
mui jocosas e novas n'esta cidade se conclui-
r com o engracado Bayle que tem por titu-
lo O Saboiardo Mianez desempernado por
o Sargento Marcos e a velha Aldeana.
N. B. Com to plausivel motivo nada se
omitlir de gasto nem fadigas paraapresen-
tar ueste dia um cxcu-lleute espectculo lan-
o na sua execuco como rio aparato e de-
cencia que se requer ; estando oTheatroa-
dornado o com nina numerosa e brilhante
illuminago.
Antes de se faser patente o Augusto Betrac-
fode S. M. I. o Director Joze dos Res reci-
tar um soneto alusivo a to fausto dia a-
presontando-se tambem duas ninfas com va-
rios disticos delicados ao mesmo lim.
Principiar s horas do costme.
AVI SOS DIVERSOS.
Sahiu a luz o i. numero do
CARAPFCEIRO e vende-se na praga da In-
dependencia loja de livros n. 57 e 58.
jj. Arrenda-seo terceiro andar da casa da
ra de S. Francisco D. 5 defronte da cadeia,
e por cima do assongue francez : a falllar no
segundo andar do mesmo.
CT Precisa-sc de um feitor, que ontenda
de pomar e noria eque nao tenba familia:
no atierro da Boa vista casa do Doiitor bnto.
tsr Precisa-se de urna pessoa capaz para
feitor de um engenho na provincia das Ala-
goas : a tratar na ra de Apolo com Francia-
co Bezerra de Vasconcelos.
tsr Ofterece-se um rapaz brasileiro de ida-
de de 18 annos para caixeirode loja do que
tem bastante pratica e d fiador a sua con-
duca : qem precisar annuncie.
SSP- Deseja-se fallar ao Snr. Custodio da
Silva Gongalves, para negocio de seu nteresse:
no atterW) da Boa vista D. 14 ou annuncie.
CT O Snr. L. L. M. F. queira por obse-
quio vir pagar o importe de 2 caixoes com
doce qne comprou a mais de 2 annos no-bote-
quim do Almeida.
xsr Quem precisar de um rapaz portugue/
de idade de 14 annos para eaixcir.0 chegado a
5 mezes dirija-se a ra da Florentina sobra-
do prximo a maro.
Sjy O abaixo assignado tendo de reti-
rar-se brevemente desta praga avisa a todas
as pessoas com quem tem con tas queiro
comparecer no pra'so de 8 diasafim de as con-
cluir.
O Padre Joo Tavares de Mello
jty O Snr. Antonio da Silva dirija-se a
na da Cadeia loja do cambio do Snr. Nieiru
parase lhe entregar urna carta vnda Ja Ba-
ha.
SST" Aluga-so um terceiro andar de um so-
brado com excellcntesoto e mirante de re-
creio donde avista-se toda a Cidade na ma
estreita do Rozario l). 20 : a tratar no arma-
zem do mesmo.
I3B A Commsso Administrativa da so-
ciedade Terpsichore convida aos Senhores
Socios a reunirem-se em o dia seis do cor-
rente pelas seis horas da tarde a lim de se
concluir o objecto adiado na ultima ses-
jsao; assim como proceder-so aleigo de 2."
I secretario por ter este de retirar-sc para fo-
ra da provincia; outro sim declara que ha
mareado o dia 10 do corrente para a partida
do mez.
ur Em consequencia dse nao ter podido
efeluar o Acto do Uescedimento da Cruz na
.Matriz da Boa vista ja foro restituidas to-
das as csmolas recbalas mas porque alguna
devotos dero as suas esmolas sem declararen)
seus nomos c nem muradlas nao be possivel
que estas sejo competentemente restituidas;
porisso roga-se a qualquer pessoa quo assim
tivessc dado alguuia esmola se dirija por fa-
vor a quementregou para lhe restituir.
C9* Aluga-se o armazem da ra do \ga-
rio D. *21 que eslava al ligado a Firmino Joze
Felis da Rosa o qual tem grande proporgo
para socar assucar -, quem o pretender dirija-
se ao abaixo assignado no sitio do Connnissa-
rio de Policia da estrada de Joo de Barros ,
ou na Boa vista na ra da Gloria D. 34.
Joo Nepomoceno Ferreira de Mello
tw Joo Francisco Santos de Siqueira sr.
do Engenho Perang de que trata o annuncio
de 24 do passado Margo da sra. Viuva Costa
iS fillios cumpre-lhe responder naos para es-
clarecer a mesma sra. Viuva & lilhos, mas an-
da para aquellas pessoas da sociedade que me
nao cunbecao ; quo lie verdade que peilendi
vender esse engenho issodesde Junho do anuo
passado segundo o annuncio que sobre esta per-
letigo mandei annunciar no qual declarara
qu3 quem o pertendesse se entendessecom a
mesma sra. & lilhos sobre a sua desobriga que o
mesmo Engenho eslava obligado a casa da sra.
Viuva Costa & lilhos, quanto basta va para que a
mesma sra. licasse ce>ta do meu modo de pen-
sar que ser bastante a meu ver para se pou-
par ao trabalho do mencionado annuncio.
Quanto a nao ser em tempo pago das presta-
gcs, fui nicamente pelo snr. Bcnto Jos
Alves como um dos Administradores da mesma
casa querer exigir de mim aquillo que eu nao
devia e nem devo, deciso esta que foi decidi-
da em me favor por um dos srs. interes-
sados e erdeiro do dito casal o sr. Jos Ramos
de Oliveira a quem teved'isso propor; que
coi l'ranquesa e boa f que por tal o procu-
re! leve de dar sua opinio a respeito dizen-
doqne. a casa da snr. Viuva Costa & lilhos
nao devia perder, mas que eu nao devera pa-
gar u tal vez por esta 'deciso foi que a casa
leve de demandar o falecido Joze Maria Cal-
lado a quem comprei o Engenho e depois por
morte desto aos seus erdeiros. Tenbo assim
respondido o mencionado annuncio.
tST O abaixo assignado declara, que leudo
perdido um vale de sciscenlos mil res rnia-
.l(i pelo Snr. Joo Leilo de A-zevedo em 31
de Margo prximo passado a vencer no dia 2
do corrente, tendo o dito Snr. Leite satis-
feiloo referido importe, ca sem valor al-
gum o mencionado valle ; e quem o acliou
querendo restituil-o dirija-se a loja do Snr.
Manoel Gongalves da Silva que se dar urna
gratilicago e para prova do pagameuto o
Ojestno Snr. Leite firma igualmente o pre-
sente.
Alfredo Mansell Power.
Joo Leite de Azevedo.
1ST Offerece-se una mulher para ama de
casa, as pessoas ra de Orlas defronte do beco de S. Pedro,
D. 10.
= Na non te do dia 28 do Margo furtaro
do porto das canoas no recifc um batelao ,
que tem a proa urnas taboas novas de pinho
de um e outro lado as quaes eslao ainda por
pintar, quem do mesmo tiver noticias quei-
ra por favor denunciar a seirdono airas do
corpo santo N. 6b que ser generosamente
gratificado.
= Deseja-se falar ao correspondente do
Sr. Manoel C.abral d Mello propri-tario do
engenho Canavieira silo na eommarca de
Nasareth : annuncie sua residencia
= Aluga-so nina casa terrea fresca, mas
que nao exceda seu aluguel de 10* rs ou
permuta-seo aluguel por una ptima casa
terrea de 16* rs. mensaes em una boa ra,
com excellentc quintal plantado ; quem qur-
zer fazer esse negocio annuncie.
= Quem percisar de um rapaz brazileir "'
para caxeiro de ra ou escrevente dco
algum cartorio, o qual afianca a sua condula :
annuncie ou dirija-se ao mundo novo D. i).
= Percisa-se de 200* rs. a juro por <
mezes com segur^nca em urna morada de ca-
sa nos affogados e nesta conta se abato lo-
go os juros ; quem o quizer annuncie.
= O bilbete da 2. parte da I. lotera con-
cedida a favor ras obi-as da groja do Rozario
da Boa-vista n. 111 prtence ao Sr. Jba-
quim Rogeriode Souza Baslo : do Maranho.
~ Preciza-s alugar urna casa terrea que
tenba pelo menos dous quartos, quintal e
cacimba ; nao excedendo o aluguel de oito
muris e que seja no bairrodeS. An-
tonio : quem a tiver annuncie ou dirija-se
a loja de livros do Sr. Figueroa que se lhe di-
r quem pertende alugar.
= Quem predzar de um rapaz para caxei-
ro de ra ou do venda de que tem pralica e
d fiador a sua condula ; dirija-se entrada
da ra do Rangel loja de cera.
= Arrenda-se urn cilio nos atbelos com
urna iniiilo decente casa que accomoda nina
numero/a familia com muitos quartos para
criados e escravos ; coxia o cavallerice cl-
leganle jardiin e bastantes arvoredos: quem
c pertender dirija-se a ruado Crespo II.
= Perciza-se de um olficial de carpinleiro
que ontenda de carrogas para traballiar dia-
riamente a falar con Arceuio Fortunato da
Silva na alfandega.
= Os credores doMonra^ Silva que ti-
vero venda na praga da Boa-vista queiro ler a
bondade de apresentarem suasconlas na ven-^
da da ra nova D. 2.
3= Quem precizarde urna ama preta for-
ra milito capaz d fiador a sua conducta .
para cozinhar e tratar de urna casa ; procuro
na ra dos quarteis defronte da loja que foi do
falecido Arouca : 1. andar.
= OlTercce-se urna mulher de meia idad
para ama de casa de bomem soltoiro para lo-
do o servigo de portas adentro entrando
entro esteso de cozinha bom tratamentoe
asseio da casa ; quem del 1.1 precisar dirija-s
ao patio des. Pedro D. 5.
= Da-se 200* rs. a juros, com pinhorc
de ouro ou prata e tambem em peque-
as quantias; en Olinda ra do Amparo
D. 7.
= Da-se 1:000 rs. a juros com hypothcea
em alguma casa ou em menores quantias ,
com firmas a contento ; na ra da praia ar-
mazem de Manoel de Souza CiuimarSes.
= Quem annuuciou querer o Repertorio
das ordenagoes, usado, dirija-se a ladeira da
Misericordia D. 7.
= Aluga-sc un sobrado de um andar
sotao armazem e quintal murado ; cito
na ra da senzala velha : na ra da cadeia ve-
lha N. 40.
s= Preciza-sc alugar um prcto para cozi-
nhar e fazer o servigo de urna casa
ou urna preta sendo boa ; dirija-se no so-
brado do meio na parte do nascento na ra do
Hospicio.
= Roga-se a pessoa quo no dia quinta fei-
ra santa levou da sacrista da igreja de San -
ta Rila Nova um xapo de sol de seda preta ,
o inlregue ao sacristo da mesma igreja, ou
na ra da florentina D. 12.
= Preciza-sc de um homcm que ontenda
perfeitamentedo officiode alfaiale e que te-
lilla boa conducta para ser empregado em
urna loja do mesmo officio e cujo trabalho he
cortar as obras pagando-se-lhe diariamento
mil o duzentose oitenta : na loja .de alfaiato
de Manoel Joaquim Venancio I). 7 no at-
terro da Boa-vista.
= A pessoa que annunoiou precizar saber
a morada deFrancisco Jos dos Reis ; se for
Jos Francisco dos Beis, nattn-al da provincia
do Alemtejo em Portugal : dirija-so a praga
da Boa-vista botica N. 1 ; pois motivos pa-
ra so julgar troca de nomc.
=Precisa se de ceuto e vinte mil rs. a ju-
ros de dous por ce!o ao mez sobre hiple- '
ca em urna casa nova sita na Capunga, o
um caixeiro portuguez de qualorze a quin-
zs annos ; na ra do Queimado se dir quem
pretende.
SSF" Faz-se vestidos de Snras. c meninas ,
roupo/.inbosde meninos, ludo com perfeigio
e asseio, por prego cotr.modo ; na ra Direrta
D. 53primciro andar.




^^^

m--
^4
A PEDIDO.
:=: Illm. Snr. Director da Sociedado a-
lense Temi .or noticia que a Socieda
le, de que V. S. he mui digna Director,
pretende dar urna recita Satinado 19 do cor-
ren le ; e nao me occorrendo meio com que
convenga a V. S. e mais Snrs. da sobredita
Sociedadc de minha gratido e vassalagem
por* tan tos e to distinctos favores oom que se
tem dignado obsequiar-me ; vou por meio
da presente pateo tea r os meus respeitos, e
oirerecer a V. S. c mais Snrs. o desempe-
nlio, porilm, minha Consorte e meu Ir-
roo de qualquer dos divertimentos de que
forinos capa/es para os intervalos da recita ;
(cando eseollia de V. S. a execugo ; edig-
nando-sc partecipar-m'o com antecipago.
Espero merecer anda esta vez de V. S., e
mais Snrs. o favor que reclama quem he
De V. S. atiento venerador e creado.
Joze dos Reis.
= Precisa-se de 800. rs. a premio sobre
hypotheca de um sitio livre e desembargado
em Olinda com casa terrea de bons commo-
dos com bastantes larngeiras pinheiras ,
romeiras e oulras militas arvores de fru-
tas capim de planta ; un outro sitio separa-
do sercado com aereas de limo para plan-
tar-se ou criar com olaria e fornos de li-
jlo. 0 mesmo arrenda-se por prego milito
commodo, por sen proprielario ter de retirar-
se : a fallar no mesmo sitio junto a Igrejade
Guadalupe com Ignacio de Loyla Callado.
=a Quem annuricum no Diario do 1. do
corren te, dar um cont de rs. a premio so-
bre hypotheca ; queira declarar sua morada
para ser procurado ou declarar alguma pes-
soa nesla cidade para este declarar a quem
pretende dar o predio que lie urna legoa dis-
tante do Recife.
= Aluga-se urna canoa aborta, que car
rega 1200 lijollos : a tratar alraz dos Marti-
rios casa de 5 portas verdes.
tSF Aluga-se um boin escravo cozinheiro ,
perito engonimador, e ensaboa mui bem:
larmaseni da ra Nova D. 51.
= Mr. Kissel, reiojoeiro francez, que
n'ogtro lempo Irabalhou em Pariz para caza
Real, reinadoue Luiz XVIII, avisa ao respei-
tavel publico, que elle concorta qualquer re-
bojo, que I be seja condado, patentes, bori-
zonlaes virgulas gronomclres e em geral
todas as obras locante a mecanisma : na ra
das Crzes junto a Typographia ; assim co-
mo vende-se relejo* horizontaes em ouro e
em prata n tambein faz rocat.
tsr Ua mulher de bons eoslumes se of-
ferecc para ser ama de homem solteiro ou
de pouca familia : na ra de Manoel Coco
D. 14.
=Aluga-so urna canoa aberla, que carrega
120i) lijlos : traz dos .Martirios onza de tres
porlas venios.
tsr O sur. Francisco Reserra Cavalcante
Maracaj que em Abril de 1859embarcou
para Maranhao, e de l voltou ; queira an-
nunciar r-ua morada para se Ihe fallar de ne-
gocio de sen interesse.
tsr Um pardo de idade e bons costumes,
se o (Te rece para caixeiro de compras e manda-
dos na ra : quem se quiser utilisar de scus
servigos, atinuncie por esto Diario para ser
procurado.
tsr O abaixo assignado faz sciente ao res-
assm como passageiros para o que tem ex-
cedentes com modos : os pretendentes diri-
jo-se ao Capito* Carlos Evaristo Justmiano
da Silva ou a Can lino Agostinha d6 Barros
na pracinha do Corpo Santo D. 67.
tsr Para Loanc'a segu viajem no da 20
do corrente o Brigue Brasileiro Pemambuca-
no, capito Francisco Joze Correia ; quem
quiser carregar ou ir de passagem dirija-se a
ra da Cruz n. 67 ou ao mesmo capito.
tsr Para S. Catharina sahe em poucos di-
as o Brigue Escuna Voador recebe carga a
frete e passageiros para o que tem excedentes
commodos os pretendenlesdirijo-se a Fir-
mino Jos Felis da Bosa.
tsr Para o Porto segu com toda brevida-
de por ter o resto de seu carregamento prom-
pto, a bem conhecida Barca Espirito Santo ,
a qual tem excedentes commodos para passa-
geiros : a tratar com Francisco Alves da Cu-
nta na ra estreita do Bo/ario D. 17, ou com
o capito da mesma Manoel Antonio dos San-
tos na praga do commercio.
L E I L A O'
Ni ^ Bussell Mellors & Companlua fazem
leilo por intervengo do Corretor liveira ,
e em casa deste Sexla feira 8 do corrente ao
meio dia em ponto, de urna grande colego de
livrosdeauthoresgregos, latinos, portuguezes,
inglezes, francezes, italianos, e hespanhes,
proprios para aquellas pessoas que seguem a
rida commercial a jurisprudencia finalmente
para literatos, e curiosos que desojad instruir-
sec-deleitar; ailverte-se que ludo se vender
indubilavelmente pelo maior prego que se offe-
recer em um ou mais lotes a vonlade dos pre-
tenden tes.
tsr Lenoir Puget d; Companiia fazem lei-
laf> por intervengo do Corretor Oliveira de
um grande sorlimento de fazendas francezas ,
consislindo em sedas para vestidos lindas
fazendas para coletes bicos de blonde e de
fil lengos de setim ditos encarnados di-
tos- para algibeira ditos e mantas de garga ,
chales de todas as qualidades cambraias
adamascadas e bordadas do bom tom cha-
peos de sol de seda para born-mi e muitas
outras fazendas que se vendero pelo maior
prego que se offerecer : Quarta feira 6 do cor-
rente as 10 horas da manhaem ponto no seu
armazcm da ra da Cruz.
C O M P R A S
tsr Urna carteira de amarelo e de una
so face : na praga da'Independencia loja nu-
mero 27.
tj* Um selim e um jogo de malas em bom
uzo : na ra do Queimado loja de ferragens
D.6.
tSF Escravos pretosde boas figuras, de 12
a 20annos para fora da provincia e tam-
bem alguns pedreros e carpinas e destes
sendo bons o'Ticiaes se pagarn bem : na pra-
ga do Commercio em casa de Mano.,-1 Ignacio
de Ulivera.
VENDAS.
cr Superior cerveja branca a 320 rs. a
garrafa dita preta a 560 rs. bolaxinha in-
gleza a 240 a libra, farinha de trigo a 100 rs.
dita e todos os mais gneros : na praga da
Boa vista venda D. 7.
tsr A posse de um terreno pouco alagado,
ja em parte atterrado no lugar dos Coelhos
no correr da ra dos Prazeres ,foreiro ao Snr.
Gadault, com 33o palmos de largo, e 124
de fundo at abaixa mar da camboa, e pro-
prio para olaria ou outro qualquer edificio ,
um sobradinho na ra do Arago da Boa vis-
ta com um andar tripeira com varandas
de ferro eaximba e tudo novo. 3 travs de
boas qualidades com 32 palmos de compri-
das, e palmo e torno de largura : e tudo existe
ua Boa vista ra do Arago D. 57.
tsr A armac&o e gneros colocados no ar-
mazem cito na ra das Cruzes D. 7 a dinheiro
ou a praso : a tratar no mesmo.
tsr Um preto hbil destilador e bom pe-
dreiro, ao comprador se dir o motivo da
venda : na ra do Trapiche quina da dos Ta-
nueiros D. 12 a tratar com Francisco Mar-
ques Bodrigues & lrmaos.
tsr ptima farinha de mandioca por pre-
go commodo : no armazem da viuva Vascon-
celos na ra da Cruz n. 17.
tsr Duas canoas com 55 palmos de com-
prido de madeira amarello e novas mili-
to boas para carreira ; e 12 portas de costa-
dinho bem largas e novas, proprias para
qualquer frente de casa : na ra do Faguu-
des D. 5, ou na serrara da parte da mar.
tsr Barrisdeolio de copahiba ditos de
vinho do Porto de superior qualidade no ar-
mazem de Francisco Dias Ferreira no caes da
Alfandega ea tratar com Francisco Marques
Bodrigues & Irmos na ra do trapiche qui-
na da dos4Tanoeiros D. 12.
^xs?" Diversas obras de Direito natural,
constitucional ecclesiastco criminal ci-
vil e commercial: em Olinda ra da Mise-
ricordia D. 7.
tsr Urna banca de angico para meio de
sala com 2 gavetas, acabada a 3 dias, e fei-
ta de encomenda por prego commodo :'na
ra do Fagundes D. 18 defror.te do sobrado
de 5 andares.
tsr Agulheiros com agulhas sortidas, e
caixascom tinta para marcar roupa : na ra
da cadea velha n. 7 loja do Bougard.
SS9" Um habito e capa de terceiro Francis-
cano em bom uzo e em conta : quem pre-
tender annunce.
ts~ Urn escravo do gento de angola ja
ladino, bem preto sem pona de barba, de
!N unios ou troca-se por alguma crela ou
mulata de 14 annos : na ra das Cruzes D. 7
no terceiro andar.
tsr Urna negra moga de bonita figura ,
sabe bem fazer todo o servico de urna familia ,
engomma com perfeigo he delgentc no
servigo ao comprador se dir o motivo da
venda : na ra dos Quarteis sobrado novo de-
fronte dobolequini que foi do Brando.
tsr Capim de planta milito bom por pre-
go mais barato que em outra qualquer parte:
em Olinda casa defronle da Igreja do Lupe.
Um escravo crelo de 20 annos
CT Um escravo crelo de 20 annos bom
tsr O Patacho Amalia prximamente che" canoeiroe pescador : na ra da Gloria sobra-
gado do Maranhao de 158 toneladas, fur"
radoe pregado de cobre, le primeira mar"
cha e prompto a seguir viagern ; os preten"
.... w- -----.....- -~ vii v i'iuiii|.iu n skjjiin iofcciii us preter
peitavel publico, que em seu poderse acha luientes podem ir a bordo examina-lo e so-
prelo que nao diz quem he seu snr. preso
por dous moradores seus ; a quem Ihe per-
tenec- dando os signaes Ihe ser entregue ,
devendo pagar una graticagao aos appre-
bendedores.
Ai.Ionio Francisco do Bego Barros
A V|SOS MAH TIMOS.
tsy Para o Bio de Janeiro segu viagern
em poucos dias por ter a maior parte de seu
carregamento prompto o Bcrgantim IndianDO,
Capito Antonio Carlos de Azevedo Coulinho;
quem no mesmo quiser carregar ou ir de pas-
sagem para o que tem excedentes commodos ,
dirija-se ao mesmo Capito ou ao seu consi-
gnatario Manoel Joaquim Ramos & Silva.
tsr Para o Bio de Janeiro a Sumaca Caro-
lina forrada de cobre, e de primeira mar-
cha ., capito Manoel Bodrigues Pirnenta da
Cunha sahir al 12 do corrente com a
carga que tiver ; quem quiser carregar ou ir
de passagem para o que tem excellentes com-
modos dirija-se a Machado & Santos ou ao
referido Capito.
10 Para o Bio de Janeiro e Rio Grande
do su,, a barca ftaeoal Triumphoda lave-
ja forrada de (robre e de boa marcha de-
ve chegar da liba de Fernando a este porto
nestes 2 dias donde sahir 8 dias depois, se-
gundo o contrato a que est obrigado-, pode
ieceber alguma carga e escravos a 'frete
bre prego e condiges tiuila-se com Machado
& Santos.
tsr Candieiros francezes de nova invengo,
de muilo bom gosto e primoroso trabadlo ,
proprios para patamal de escada e at para
alumiar qualquer eslabelecimento, por da-
rem urna brilhante luz : na casa de Joze Tor-
quato Pinna junto a loja de Joaquim bar-
beiro no beco da praga do commercio.
Su?" Sacas com arroz branco superior di-
tas com dito vermelho cha isson de priinei-
rasorte, charulos aos centos a 640 rs. : ao
entrar da ra do Bangel venda D. 40 de Mar-
celino da Silva Bibeiro.
w Duas escravas ladinas de bonilas figu-
ras, sem vicio algum, e habis para todo o ser-
vigo de urna casa e at para venderem na ra ,
e tambem servem para agricultura por ja te-
rem -trabalhado : : no beco de Joo Fran-
cisco D. 265 defronte do lampio.
C5- Traspassa-se urna venda com todos os
fundos na ra do Viga rio n. 23 por seus do-
nos sahirem da provincia a dinheiro ou a
letras que agradem : a tralar na mesma.
t^- Estopa : em casa de Hermano Mehr-
tens ra da Cruz D, 25.
tSF" lm escravo pardo de 20 anuos bo-
nita figura, csabe trabalharem Olaria ; urna
parda de 2o annos cose, engomma e faz
com perfeigo todo o arranjo de urna casa :
a tralar com Antonio Bodrigues- Urna junto
ao Corpo Santo.
do D. 50.
tsr lina mulata de 23 annos com ha-
bilidade para o servigo do urna casa, cose,
cozinha e engomma com perfeigo : na pra-
ga da Boa vista botica do Sr. Ignacio.
ts" Farinha de mandioca de muito boa
qualidade, chegada prximamente a esta pra-
ga em sacas e por menor prego do que
em outro qualquer armazem; na ra do Amo-
rim armazem de Braga & Pereira.
tsf Duas negrinhas ladinas, espertas, e
sadias eum moleque : na ra Nova defron-
te da Conceigo dos militares, n. 105.
tsr Urna cmoda com sua estante de Jaca-
randa, 12cadeiras de palhinha em muito
bom estado, e outros movis ; ludo por pre-
go commodo : no pateo de S. Pedro por cima
do bilhar.
ts?" Urna negra ainda bugal, sem vicio al-
gum e faz lodo o servigo de casa : na ra
Direita D. 47.
tJT Urna escrava crela para fora da pro-
vincia de27 annos, com habilidades pro-
prias para o servigo de una casa e nde-se
por motivos de desgoslos : na ra da Gloria
D. 54.
tsr Sacas com arroz do Maranhao ultima-
mente chegado a 2,800 rs. a arroba ; e
toucinho de Santos de muit'o boa qualidade:
no armazem de Fernando Joze Bragucz jun-
to a botica de Antonio Pedro das Neves.
tsr Sacas com alqueire de farinha de man-
dioca muito lina ealva feita na Muribeca :
na ra da Cruz D. 12escriptoriode Joze Anr
Ionio Gomes Jnior.
tsr Um terreno com 60 palmos de frente ,
e 260 de fundo com caes de pedra serra-
ra e casa para caixeiro ; e tambem urna ca-
sa terrea com outra pequea, ambas com
soto; dous escravos serradores 5 madeiras
de toda a qualidade. louro sedro amare-
lo tanto serrada com em pranchOes : na ser-
rara de Joo Antonio Baptista junto a ri-
beira atraz da ra do Fagundes.
tsy|Cma espada com guarnigo e bainha do
ferro propria para oficial por prego com-
modo ; e um violo novo : na Soledade De-
cima 480. /
tsr Um negro de nago bom oficial de
pedreiro sem vicios nern achaques, ao com-
prador se dir o motivo da venda : na praga
do Corpo Santo no botequim do Almeida.
ESCRAVOS FGIDOS.
tss^ No dia 27 de Margo fugio um cabra
de nome Pedro serrador e carreiro de 50
annos alto cheio do corpo meio calvo ,
pucha por urna perna tem suissas e mui-
tas prosas: quem o pegar leve ao pateo do,Car-
ino venda D. 7 que ser recompensado.
S23" DoengenhoS. Anna freguesia de Ja-
boato desaparceeo em dias de Fevereiro um
preto de rime Manoel, rebolo alto, bem
preto corpo regular, bem parecido cara
lisa dentes alvos, levou vestido camisa do
algodo trangado e caigas azues de riscado :
quem o pegar leve a pcaga da Boa vista botica
do Sr. Ignacio, que ser gratificado.
C- No dia 14deNovembro de 184o fugio
da casa de Joze Alexandre Ferreira o mole-
que Termosires de 14 annos cor fula, cara
alguma couza comprida cabega tambem
comprida : quem o pegar leve a casa I). 2 na
pra'ga da Boa vista, que ser recompensado
com 50 reis.
tsr Firmino Joze Felis da Bosa gratifica
com 50* rs. a quem aprehender um escravo
mulsto, marujo, filho do Bio Grande do Sul,
bstanle alto magro, nariz bastante com-
prido e afilado.
tsy No dia 6 do p. p. desapareceo urna
negra de rime Quiteria de 56 annos, le-
vou um ferro no pescogo de boa pslatura ,
embiguda alguma couza desdentada ma-
gra mete os ps para dentro ; levou vestido
de chita azul de llores amarelas panno da
costa ja uzado : quem apegar leve a ra da
Madre de DposD. 21 que ser recompensado.
tsr No dia 21 do passado fugio um preto
crelo de nome Nicolao de 22 a 25 anno ,
sapateiro, muito regrista secco do corpo ,
e lie fulo ; qnem o pegar leve a ra da Cadera
de S. Antonio D. 8 que ser gratificado.
MOVIMENTO DO PORTO.
NAVIOS SAI1ID0S NO DIA 50 DO PASSADO.
Cear
e Para
Vapor Brasilei-
Bernardi-
Maranho ,
roS. Sebastio Com mandan te
no LliasPinheiro.
Havre de Grace ; Barc Franceza Fanny,
Cap. Charles WaChaway com a mesma
carga que trouxe.
SAH1D0 NO DIA 51
Canal ; Brigue Inglez D. B. Cap. Desire
Brondr, carga assucar.
ENTRADO NO DIA 1.
Lisboa : 40 dias Barca Portugueza Senhora
do Bozariode 277 tonel. Cap. Boavenlu-
ra Borges Pamplona equip. 21 carga
vinho esal passageiros 4 : a Manoel do
Nasciment Pereira. \
SAII1DO NO MESMO DA.
Cowes ; Brigue Inglez Romance Cap. Ro-
berto Stcaech carga assucar.
ENTRADOS NO DIA 2.
Rio Grande do Norle ; 58 horas Escuna do
Guerra Brasileira l.0de Abril', Comman-
dante o Io Tenente Fernando Lzaro de
Lima ; passageiro o Exm. Presidenie da-
quella Provincia e conduz mais 10 pragas
de primeira linha e 16 recrutas.
Val Paraso ; 55 dias Galera Americana Na-
tchez, de 600 tonel., Cap. B. Watemann ,
equip. 25 carga cobre, passageiros 4 : ao
Capito ; vem refrescar e segu para New
York.
SAIII DOS NO MESMO DA.
Ass ; Brigue Brasileiro S. Maria Boa Sorte ;
Cap. Joze Joaquim Dias dos Prazeres, cur^a
lastro.
Santos; Brigue Brasileiro Dos Te Guarde ,
Cap. JooGonsalves Beis carga sal.
RECIFE NATYP. DE M. F. DE F, s= 1842


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EF9R5TPF2_EZ1750 INGEST_TIME 2013-04-12T22:34:21Z PACKAGE AA00011611_04621
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES