Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04620


This item is only available as the following downloads:


Full Text

Auno de 1842.
Sabbado 2 de
nza
Todo or dtpwdel e ni mesaros ; 1 mii prudencia, moderacfio, eenergia : con-
tinenos cono principiamos, Mremoi apuntado* com arlmiraciio entre as Nacoea mais
(ProclamacSo da Assemble Geral do Brasil.)
cailaj.
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES.
Coianna, Paraiba, e'Hio jrande do Norte, na secunda e sexta feira.
Bonito e Garanhuns, a 10 e 24.
Cabo, .Serinhaem, Rio Formozn, Porto Cairo, Murci, e AWoas no 4 11, e 21.
Pajeii 13. Santo Anuo, quinta feira. Olinda todos os diaa.
DAS da semana.
^ Sef. 1. oitava s. Alexandre
^* Tero. 2. oitava Bertlioldo.
30 Quart. s. Joo Climaco.
31 Quint. s. balbina.
i sext. S. Macario.
2 sab. Francisco de Paula.
3 Dom. s. Ricardo
Abril.
Anuo XVIII. N. 11.
A
O Diario publicase todos os dias que nao forera Santificados o preoo da asaigoatura *
de tres mil reja por quartel pegos adiantados. Os tnnuncio* dos sssigiianlrs sao inserido*
gratit, eos dos que o nao forero a raiao de SO reis por linha. As reclamacoea derem ser
dirigidas a esta Typografia ra das CrutesD.3, OH praca dalodependencia'lojas delirroi
Nmeros 37 e 38.
CAMBIOS no da 1. de Abril.
Cambio sobre Londres 28 d. p. II'.
Paris 320 reis p. franco,
u Lisboa MI a S: p. 100 de pr.
Odio-Moeda de 6,400 V. 14,500 a 14,700
N. 14,300 a 14,500
de 4,000 8.100 a 8.200
PlAT Patacfles 1,6(10 a 1,680
PraTi- Petos Columnarea 1.660 a 1,680
> Mexicanos l,(i(0a 1 660
miuda ^ 1,440 a ,4C0
Moedf de cobre 3 por 100 de disconto.
Discontode billi. da Alfand-ga e {por 109
ao met.
dem de letras de boas firmas 1 e alej.
'reamar do tita 2 de Abril.
1." as l0 boras e 6 m. da m.inlia.
2. as 10 horas e .10 m. da tarde.
PIUSES DA LIJA NO MEZ DE AB1UL.
Quart. rain, a 2 s 4 horasellm. da tarde.
La Nora a 10-- S horas e 13 m. da larde.
Uuart. rese, a 18-- as 4 horas e 14 m da manh.
La cheia a 24 as U horas e 8 m. da tarde.
DIAR
DE PER NAM RUCO.
ASSEMBLA PROVINCIAL.
ACTA DA 17.* SESSA0 ORDINARIA DA ASSEMRLEA
LEGISLATIVA DE PEUN.VMBUCO EM 50 DE
,MARQ0 DE 1812.
PRESIDENCIA DO SNR. PEDRO CAVALC.VNTI.
Feita a chamada acliaro-sc presentes 20
Sos, Depulados. faltando com participado o
Sor. Maciel Monteiro, e sem ella os Snrs.
UchaCavalcanti, Lniz de Carvallio, Izidro
Misquila, Pinto de Almeida Alfonso Ferrei-
ra Vieira de Mello e Figueiredo.
O Snr. Presidente declarou aberta a sesso,
foi lida e approvada a acta da sesso antece-
dente.
EXPEDIENTE.
IJm officio do Secretario da Provincia par-
tecipando ter a Presidencia ordenado Cma-
ra Municipal desta Cidade, que chamasse
um supplente ern lugar do Snr. Domingos de
Souza Leo Sciente.
Outro informando quanto rendero ose-
molumentos da Secretaria da Presidencia nos
annos de 1859, 1810 e 1811 : A' commis-
so de orgamento.
Outro contendo a informado para a lixa-
gao da Forga Policial : -A' commisso respec-
tiva.
ORDEM DO DA.
Um Projecto do Snr. Nabuco eoncedendo
Matriz dos Afogados seis loteras do Oi con-
tos de reis cada urna : -apoiado e julgado
materia de delifeerago.
Outro do Snr. Mello creando urna Fre-
guezia na Varzea : teve igual destino.
Outro do Snr. Nabuco annexando ao Muni-
cipio do Pao do Alho as partes dos de Santo
Anlo, eRecite, que pertencem comarca
do Pao do Alho : apoiado ejulgado materia
de deliberago.
Por estar conforme o diploma do Snr.
Deputado supplente Manoel Joaquim Carneiro
da Cunha foi o mesmo Snr. introduzido na
sala com as formalidades do costume e de-
pois de prestar o juramento tomn assenlo.
Foi lido e posto em discusso o parecer da
commisso de orgamento indeferindo a repre-
sentago da Cmara de Cimbres em que pe-
de que o imposto de 2 reis porcabega de
gado nao neja extensivo aos individuos que
mato o gado para o seu proprio consumo : -
approvado.
Outro da commisso de esmo de contas
FOLMUYQ
ARRHAS POR FORO D'HESPANHA.
1371 2.
I
A arraya-miuda.
O Sino das avemarias ou da orago ti-
nha dado na torre da s a ultima badallada ,
e pelas frestas o portas dessa multidfto de ca-
sas que apinhadas roda do castillo e .
como enfixadas e comprimidas pela aperlada
cinta das muralhas primitivas de Lisboa ,
pareciam mal caberem nellas viam-se fulgu-
rar aqui e acola as luzes interiores emquan-
to as ras, tortuosas e immundas, jaziam
como baralhadns e confusas sob o manto das
trevas. Kra chegada a hora dos terrores :
porque naquelles bons lempos a estreita sen-
da de um bosque deserto nao era mais triste,
temorosa, e arriscada que a propria rua-nova,
a mais opulenta c formosa da capital pela
cscurido da noite. O que porem havia a'ui
desacoslumado eestranho era o completo si-
lencio eas trevas profundas em quejazia
sepultado o pago (Tapar S. Martinho onde
entio resida elrei 1). Fernando ao mesmo
das Cmaras mandando, que seja archivado
o officio do Secretario da Provincia parteci-
pando ter a Presidencia multado as Cmaras
do Recife, Cabo, e Serinhaem, por nao te-
rem remettido as suas contas e orgamentos :
- approvado.
Outro da commisso da Forga Policial pa-
ra que se mande abonar ao Ajudante, e ao
Quartel Mostr do Corpo de Polica a graUfl-
cagomenso mental de \$ reis : regeitado,
Ontroda commisso de contas das Cma-
ras elevando 50j reis o ordenado do Porte-
ro da Cmara do Pao do Alho : adiado.
Outro da racima commisso sobre a re-
presentago da Cmara do Limoeiro em
que pode faculdade para cobrar os disimos
pelas portas, ou por avengas : regeitado.
Outro da commisso de orgamento para se
tomaren, em considerado as representages
doExm. Rispo Diocesauo, o do Reverendo
Parocho da Freguesia de Agoas Relias sobre o
estado ruinoso das Matrizes de Santo Amaro
de Jaboalo e Aguas Relias : -adiado.
Outro da commisso de contas das Cama-
ras indeferindo o requerimento do Porteiro
da Cmara de Coianna pedindo o augmento
de ordenado de oOj reis : approvado.
Outro da mesma Commisso para que se
d o destino conveniente ao requerimento
do Ajudante do Porteiro da Cmara ;!e Olin-
da pedindo augmento de ordenado, visto es-
tar deferido no projecto do orgamento : ap-
provado.
Outro da commisso do orgamento Pro-
vincial indelirndo o requerimento do profes-
sor e da professora de primeiras lettras do
Ro Formoso em que pedem para aluguel
de casas o mesmo quantitalivo quetem os
professores de Olinda : adiado.
Ontro da commisso de contas de Cmaras
sobre tres representago"s da Cmara do Pao
do Alho, pedindo na primeijfa.que se conside-
re Renda Municipal a Renda Provincial de 2,>
reis por cabega de gado, que se consumir na
Povoago e Freguesia de Nossa sen llo-
ra da Gloria do Got na segunda
a conirmagodo ordenado de 200. reis que
concedeo ao seo Secretario e na terceira ,
que se conceda ao seo procurador 10 por
lOO em lugar de 0 por 100, que percebe ; in-
diferindo a primeira e terceira e diferindo a
segunda : adiado.
O Snr. Lobo pedio urgencia para se ler o
projecto de orgamento das Cmara* : -apelada
e vencida a urgencia, foi lido o dito projecto e
apoiado, e julgado materia de deliberago.
Foro approvados em primeira discusso
tempo que pelos becos e encrusilhadas soava
um tropear de passadas um sussurro de vo-
zcs vagas que pareciam indicar que as ondas
populares linham sido agitadas pelo vento de
Dos eque ainda esse mar revolto nao tinha
inteiramenle cabido naj calma e somnolencia
que vem apoz a procella.
E assim era com effeito como o leitor po-
der averiguar por seus proprios olhos e ou-
vdos se iranso e manso e Jisfargado ,
quizer entrar comnosco na mu adamada e
aotiga tabernajle,, Folco Taca que nstica
bem perto logo ao sahir da s na ra que
sobe para os pagos da alcagova sete ou oito
portas cima dos pagos do concelho.
A taberna de messer Folco Taca genovez>
que viera a PorlugaIaindaimpubere,coniQpa-
gem d'ariT.asdofamosoalmiraiiteLangarotePe-
,ganha,equehavaannosal>;indonraoservcoda
guerra e do mar para se dar mercanca,
era a mais celebre entre todas as de Lisboa ,
nao s pelo Inxo do seu aderece e bondade
dos lquidos encerrados ns cubas monumen-
taes que a pejavam, mas tamhem porque em
um aposento mais retirado e interior, urna
vasta banca de pinho c muitos assenlos rasos .
ouescabellos offerecam tode o comnioio
os projectos nmeros 9 e 12 deste anno e
em tercena o numero l*do mesmo anno.
Entrou em segunda discusso o projecto n.
7 deste anno. O Snr. Neto mandn Meza
a seguinte emenda substitutiva : O Reve-
rendo Laurentno Antonio Moreira de Car-
vallio, profsssor de Geometra do Lyceo do
Recife tem direito ao ordenado de OOji reis ,
que percebia antes da Le Provincial de 10 de
Junho de 1837: apoiada. O Snr. Nabu-
co Requeiro o addiamento do projecto a
discusso da reforma do Liceo : apoiado.
O Snr. Urbano : Ao requerimento dp adia-
manto accrescente-se dando-se a reforma
para ordem dodiacom urgencia :apoiada.
Encerrada a discusso foi approvado o re-
querimento com a emenda additiva.
0 Snr. Nabuco mandn a Meza o requeri-
mento seguinte: Requeiro a urgencia do
projecto numero0 para lera segunda discus-
so amanh com preferencia ao plano do Li-
ceo :- apoiado. O Snr. UrbanoAo re-
querimento de urgencia accrescente-se dis-
culindo-se reforma do Liceo at o meio dia :
- apoiada. 0 Snr. Lopes Cama : O re-
querimento.de urgencia suhstitua-se por es-
te Que at o meio dia se discuta a Le da
Forga Policial : apoiada. Foi approvado o
requerimento do Snr. Nabuco at a palavra -
amanh-e regeltadas as emendas do Snr.
Urbano, e do Snr. Lopes Gama.
OSr. Neto mandoa o seguinte requerimen-
to Requeiro, que se discuta amanh a re-
forma do Liceo antes da Lei do orgamento : -
apoiado. Dada a hora o mesmo .Snr. Repu-
tado requereo urgencia para so discutir oseo
requerimento: nopassou.
0 Sr. Presidente deo pira ordem do dia em
primeira lugar pareceres de commissoese lei-
turas do projectos o indicagdes, e em se-
gundo, primeira discusso do projecto nume-
ro 10 d^ste anno, segunda dos nmeros 6e
8 do mesmo. terceira do nmero 17 de 1811.
e 32 de 183') primeira do plano de reforma
do Liceo, segundado projecto do orgamento
Provincial ; econtinuago da ordem do dia de
hoje : e levantou a sesso.
Pedro Francisco de Paula Cavalcante de
Albuquerque Vice Presidente.
Joze Felippe de Souza Leo.
1. Secretario.
Antonio Jos de Oiiveira
2. Secretario.
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DIA 31 DO I'ASSADO.
PortaraO Presidente da Provincia em
ao3 tavollageiros de proisso para per.de-
rem ou ganharem ah ao curre-curre jal-
deta ou aos dados os bellos alfonsins e
maraveds d'ouro ou as estimadas dobrasde
D. Pedro!. que pelo contrario dos seus
antecessores e successores julgra ser mais ri-
co e poderoso fazendo cunhar moeda de bom
toque e peso, do que roubando-lhe o valor in-
trnseco e augmentando-lhe o nominal ,
segundo o costume de todos os reis no come-
go.doseu reinar.
Messer Folco soubera estender grossas ne-
voas sobre os olhos do corregedor da cortee
tic toilos os saines algozes e mais familia
da nobre raga dos alguazis sobre a illegali-
daiicde um similhanle estabelecimento in-
dustrial. O elixir que elle em pregara para
produzir essa maravilhosa cegueira nao sabe-
mos nos qual fosse ; mas certo que nao se
perdep com aalcliimia porque se ve que el-]
le existe em mfles abengoadas produzindo
ainda hoje repetidos rtiilagres cmludoanalo-
execugodo artgo2H 10 do Regulamenl0
n. 120 de 31 de Janeiro do corrente anno '
artigo 17 7. e artigo 110 da Lei de 3 de
Dezembrode 1811 cstabelcce provisoriamen-
te o seguinte.
1. O Racharel Francisco Domingucs da Sil-
va ser o Juz Municipal da I." Vara do Ter-
mo do Recife, eo 1. Substituto do Juiz de
Direito da Comarca : o Racharel Joze Nicolao
Rigueira Costa o Juiz Municipal da 1.a Vara
do Termo e 2. Substituto do Juiz de Direi-
to da Comarca : o Juiz Municipal de Olinda
3. Substituto do Juiz de Direito da Corn-
il) a rea.
2. Os mesmos Juizes Municipacs sybstilu-
iro pela ordem cima oslahelccida os Juizes
do Civel. Nenhum d'elles porem poder
substituir duas varas ao mesmo lempo em*
quanto houverem outros Juizes Municipacs,
que nao estejo em actual substituir O.
3. Os Juizes Muuicipaes s dcixarfi o ex-
ercicio de suas funegoes para serem rf ellas
subtitudos pelos seos supplentes, quando
substituirem os Juizes de Direito do Crimc.
1. Os Supplentes dos Juizes Muuicipaes pe-
lo impedimento d'esles somente substituiro
os Juizes do Direito do Crime, ou Civel, quan-
do cada um dos outros Juizes Municipacs em
exercicio ja se adiar substituindoduas varas.
0. O Juiz Municipal da 2. Vara do Termo
do Recite tica cncarregado de preparar os pro-
cessos que lio d ser presentes ao Jury na
forma do artigo 323 do Regulamento n. 120.
Dita Ordenando que pela Secretaria
da Presidencia se passem Nomeages aos Ci-
dados seguints que forao approvados para
Delegados.
1. Delegado. O Racharel Francisco Garle*
Rraado. 2. Dito. -- Ignacio de Ranos Rar-
reto para o Termo do Recife.
Goronel Joaquim Cavalcaate de Albuquer-
que para o Termo de Olinda e Iguarag.
Laurentino Antonio Pereira de Carvalho,
para o Termo de Santo Antao.
OBacharel Manoel Joze da Silva Neiva ,
para o Termo de Coianna.
Manoel do Reg Barras para o Termo
do Cabo.
O Racharel Fernando Affonso de Mello,
para o Termo do Rio formoso.
O Racharel Horculano Gongalves da Ro-
cha para o Termo do Bonito.
Major Manoel Domingues Je Andrade pa-
ra o Termo de Flores.
Thomaz Alves Maciel, para o Termo do
Brejo.
gofi ;i csw.
Era pois na taberna-tavollagem das por-
las de ferro conhecida vulgarmente por tal
noflie, em consequenefa da visinhanga desta
porta da andiga curca j onde os ruidos vagos
e incertos que sussurravam pelas ras da
cidade soavam mais alta e distinclamente ,
como em sorvedouro marinho as ondas, re-
demoinhando e precipilando-se estrepitara
no centro da voragem com mais soturno e
retumbante fragor. A vasta quadra da taber-
na eslava apinhada de gente, que traosbor-
dava at o breve terreirinho dase fallando
todos a um tempo, accessos ao que pareca
em violentas disputas que as vezes eram in-
terrumpidas pelo mais alto brado das pragas
e blasphemias, indicioevidenle deque osucces-
soqne motivara aquella assuada ou tumulto
era negocio que excitava vivamente a clera
popular.
J no fim do sceulo 11. era o povo assra
como hoje colrico. Ento coleras 'infan-
cia ; hoje aborrecimentos de velhice.
Se na ra o borborinlfn era tempestuoso c
confuso, dentro da casa de messer Folco, a
bulla podia-se chamar infernal : para um dos
lados no meio de urna espessa m de pope-
lines ouviam-se paiavras ameacaiioras, sem
<|ue fosse possiveJ perceber contra qual ou
quaes individuos se aecumuava lana sauha;
para outia parte d'enlrc o vozear de urna
cerrada pinna de mulheres, ouja vida de per'-t
I

MI


i*^e
Major Antonio Ferreira de Macedo, para
t) Termo de Garanhuns.
O Bacharel Joze Bandeira- de Mello para
o Termo de Nazaroth.
Tenente Coronel Lourenco Cavalcante de
Albuquerqye para o Termo do Pao d'Alho.
Tenente Coronel Joiio de Moura Borba ,
para o Termo db Limoeiro.
Coronel Manoel Bibelro Granja, para o
Termo do Boa vista.
Olico Ao Chele de Polica interino d'cs-
ta Provincia communicando o disposto na
Portara antecedente j o intelligenciando-o
de que deve fazer entrar os nomeados em ex-
ercicio logo que os d'esla t,idade ten bao
prestado o devido juramento as mosda Pre-
sidencia eosdosmais Termos da Provin-
cia as respectivas Cmaras.
Portara Mandando passar nomeac/>es aos
seguintus Cidadaos, que foroapprovados pa-
ra Subdelegados.
1. Termo do Becife.
Tenente Coronel Francisco Mainede de Al-
meida para a Freguezia de S. Fre Pedro
Gonoalves.
Major Domnaos Aflonso Neri Ferreira ,
para a Freguazia de S. Antonio.
Major Antonio Carlos de Pin.u.o Borges ,
para a Freguezia da Boa vista.
Doutor Luiz de Carvalho Paes de Andrade,
para a Freguezia dos Aflbgados.
Tenente Coronel Jos Gomes dos Santos ,
para a Freguezia de Jaboalao.
Bacharel Felippe Carneiro dcOlinda Cam-
pello para a Freguezia de S. Lourenco.
2. Termo doOIinda e Iguarac.
Bacharel Antonio Jos de Souza Gomes,
para a Freguezia da S.
Capitfio Miguel Jos Teixeira, para a Fre-
giii-zia de S. Pudro Mrtir.
Tenente Coronel Francisco de Paula Soa-
sa Leo para a Freguezia de Maranguape.
Major Luiz Antonio Alves Mascarcnhas ,
para a Freguezia do Poco dn Pmella.
Capilao Mor Joao Cavalcante de Albuquer-
que, para aJFregue/.ia de [guarac.
Francisco Cordeiro Cavalcante para a
Freguezia de Ilamarag.
Ollicio Ao Chele do Polica interino d'es-
ta Provincia communicando o conteudo na
portara anteceden ti'.
Dito Ao Juiz Municipal da 2. Vara d'es-
la Cida.le para que no impedimento dos
Juizes de Direilo da 1. Vara do Crime e da
2. do Civel, passe desde ja exercer as fun-
gues d'estes Jui/.es visto acliar-se lambem
impedido o Juiz Municipal da 1. Vara, em
qanto durar o impedimento de todos trez.
Dito ~ Ao Juiz Municipal do Termo de 0-
linda duendo, que passe desde j a exer-
cer as funegoes dos Juizes le Bireito da 2. Va-
ra do Crime, oda o. do Civel d'esta Comar-
ca em quanlo durar o impedimento dos di-
tos Juizes visto achar-se impedido o Juiz
Municipal da I. Vara do Termo d'esla Cida-
de e estar oceupado em subsliluigao o da
segunda.
Dito Ao Juiz Municipal Substituto da 1.
Vara d'esta Cidade dizendo-lhe que achan-
do-se impedido o Juiz Municipal da I. Vara
do Termo da Capital d'esta Provincia cum-
prO (jiie passe desde ja a exercer suas func-
ges como Substituto do referido Juiz du-
rante o sen impedimento
De igual theorao Juiz Municipal Substituto
da 2. Vara d'esla Cidade para substituir o
Juiz Municipal respectivo.
Dito -- Ao Inspector da Thesouraria com-
municando o contdo nos quatro oflicios
precedentes.
Portara Incumbindo em execugio do ar-
tigo 473 e 2. parte do artigo 47o do regu-
lamenlo n. 120 de 51 de Janeiro do corrente
annoao Juiz Municipal deOlindao cargo de
Juiz de Orlaos dos Termos de Olinda e Igua-
rac.
Dita Ordenando que se passe nomea-
C8o provisoria de Juiz Muuicipal do Termo de
Garanhuns ao Bacliarel formado Joaquim Joze
Bodrigues de Souza, por ter o Bacharel Candi-
do Aulran da Malta e. Alb'jquerque Juiz
nomeado para o dito Termo, "recusado a no-
moacfio que leve.
Dita -- Nomeando ao Bacliarel Formado ,
Antonio da Silva Neves para servir interina-
mente de Procurador Fiscal da Thezouraria
ordem e tranquildade de que presentemente
gosa ; e que esta auzencia tanto mais sen-
sivel qando achando-se a Assemblea no ex-
barricas com cal, 20 pipas com vinlio SOo
varas de lagedo 2o barra com azeite, 2o
ditos com agurdente 1 campa para sepul-
ercicio de suas funeces Legislativas, V. Ex. | tura ,1 caixa com panoramas- a Francisco
das Bendas Provinciaes em quanlo durar o
impedimento do Bacliarel Joze Nicolao B-
guein Costa.
Officio Ao Bacharel JoSo Antonio de
Souza Reltro Araujo Pereira para que na qua-
lidade de I. Supplentc do Juiz de Orfos do
lermo d'esta Cidade va a Secretaria prestar
o devido Juramento fim de poder entrar no
exercicio d'aquelle lugar visto achar-se fora
da Provincia, o Baeharel Francisco Joao Car-
neiro da Cunhft que foi para elle nomeado
pelo Governo Imperial.

Paute da polica.
emol. de Abril.
Da parte, hoje dada pelo Commandante
interino do Corpo Policial consta que hontein
nao occorreo novidade ; mas da do Sub-Prd-
feitoda Freguezia de S. Antonio consta soy
mente que fora preso pelo Commissario de Po-
lica do disfricto da Bibera Joo Thomaz o
preto de nome Bernardo escravo de um tal
Holanda por ser encontrado depois das nove
horas da noite e suppor-se fgido : foi reco-
Ihido a Cadcia para ser entregue a seo Snr.
ALAGOAS.
ARTIGO OFFIClAL.
Illm. e Exm. Snr.Ti ve a honra de re-
com sa illuslraco o reconhecidos conheci-
menlos administrativos muito poda concor-
rer para a boa confoceao de suas Leis Pro-
vinciaes. Em segundo logar que a mesma
Assemblaa se abstem de lembrar V. Ex.
qualquer medida de utilidade Publica que
como Deputado por esta Provincia pode-ia
propor na Assemblea Geral, porque estando
certa de quanto V. Ex. se interessa pelo bem
desta importante Porcao do Imperio que
lo dignamente representa do perfeito eonhe-
cimentoque de suas mais urgentes precisos
tem nozello 'illustracao e patriotismo
de V. Ex. confia que por ella far ludo quan-
to esliver ao seo alcance. Finalmente
cada um dos Membros da Assemblea penlrora-
do pelas attencGes delicadas corusque temos si-
do honrados e fazendo Justina as nobres
anualidades, que ornao a pessoadeV. Ex.
fazomos sinceros volos ao Co para que tenha
urna vlagem prospera e feliz e que depois
de cumprir a missao gloriosa deque se acha
encarregado pela confianza dos povos desta
Provincia, ella vol le para continuar a fa-
zer suas delicias e prosperidade. Salla das
Sessoes .la Assemblea Legislativa Provincial
10 de Marco de 1842 = Illm. c Exm. Snr.
Doutor Manoel Filizardo de Souza e Mello ,
Presidente desta Provincia = Joaquim Sera-
pifio de Carvalho Presidente = Joze Correia
da Silva Ti tara i." Secretario = Ignacio de
Barros Vieira Cajueiro 2." Secretario.
Severianno Rabello o caxas corq frutas 4
barris com ditas, 20 caixas com toucinho -
a Manoel Ignacio de Oliveira -5 caixas com o-
brasde lato Jos Pereira Teixeira 100
barricas com sardinhas Eduardo Schaeffer
-20 caixas com toucinho Francisco Jos
Barbosa- 7 quartolas com vinagre 8 barris
com azeite lo ancoretesccm azeitonas 3
ditas com conservas Antonio Joaquim -
4 ancoretas com vinho, 500 molhos de sebol-
las 30 barris com azeite, 101 barricas com
sartinhas, 30 caixas com toucinho, 50 barris
com carnes a Manoel dos Santos 12 caixas
com toucinho 20 barris com carnes a Joao
Tavares Cordeiro-2i) barris com azeite-
Francisco Martins Duarte-5 barris com vi-
nho, 1 dito com azeitonas, 1 caixa com ame-
xas Joaquim Jos Lourenco da Costa 15
caixas com toucinho- Joao Pinto deLemos
& FUho 2 pedras de cantara a Victorino
Jos de Souza Travassos 1 caixote com -
vros Joaquim Jos da Costa o caixas com
rap, 10 volumes com trastes, 50 varas de
lagedo 20 barris com carnes, 18 caixas con
toucinho, 10 barris com azeite 25 ditos com
vinagro urna meia,pipa cum dito Tho-
maz de Aquino Fonseca- 1 caixa com lloros
-Luiz Borges de Ciqueira- 15 barricas com
milho paineo J. J. Pimenta- o pipas
com vinagre a Manoel Ferreira Lia:
COMMERCIO.
ceber o obsequioso ollicio que V. Ex. leve a
bondade de dirigir-me communicando-me ,
qUe se adiando prestes partir para a Corte,
onde tem de tomar assenlo na Assemblea Ce-
ral como Depntado desta Provincia assnn o
tizesse constar Assemblea Provincial dig-
nando-seV. Ex. sollicilar da mesma Asscm-
ble? as informacer, pie por ventura ella
julgasse conveniente dar para o bom desera-
penlio do cargo para que com tanta
justica foi V. Ex. eleito pelos votos dos ha-
bitantes desta Provincia finalmente oTere-
cendo seo valioso presumo para o servico par-
ticular de cada um dos Membros dsta Corpo-
raco.
Julgando do meo dever antes de responder
ao nobre testemunho da particular attenffio ,
com que tem sempre V. Ex. tratado a repre-
sentacao Provincial levar o objecto do so-
bredito ofiicio ao couhecimento da Assemblea,
osla a requi rmenlo de um dos seos Membros
unnimemente resolveo, que se responderse
V. Kx. que a Assemblea sent sobre manei-
ra a ausencia de V. Ex. pela iuterrupcao de
urna Administrado, que se lendo basea do
, ALFANDEGA.
Rendimcnto do dial .
5:452*181
EDITA ES.
niCSCARREGAO HOJE 2. HE ARRIL.
Barca Ingleza = Irt = Barricas de farinlia de
trigo.
Brigue B'rasileirosc Indianno = Fa'sendas,
miudezas, vinho vinagre, bacalhao,
fumo e barricas vasias.
Barca Francza = llorlence = Fazendas ,
manleiga, sparmacute champanhe ,
gigos de garrafas e dous barriz de
vinho.
Brigue Portuguez = Emprehendedor =a Bar-
riz de azeite e barricas de cal e
sardiuba.
Brigue Escuna = A mafia = Vinho azeite
doce e barriz vazios.
O rendimento do dia 51 do mez passado foi
de 4:596/768 e nao de 5:396*708 como
por engao se publicou no Diario de hontem.
1MPORTACAO'
0 Patacho Americano Emilino viudo
da I foca, entrado no mez p. p. consig-
nado a Joseph Hay, rhanifeslou o seguinle
- 120 cascos vasios a Joseph Bay.
O Brigue Brasileiro- Salvador Feliz-vin-
do de Montevideo, entrado no mez p. p. ,
consignado a Gaudino Agostinlio de Barros,
manifeslou o seguinle : 2075 quintaos de
ca no seccar-a Gaudino Agostinho de Bar-
ros .
O Brigue Portuguez- Emprehendedor--
sempre na Justica e mais slricta imparciali- vindode Lisboa-entrado no mez p p. con-
dade tanto lem concorrido para augmento e signado a Francisco Severianno Rabello, ma-
felicidude desta Provincia, consolidago da nifestou o seguinle 00 moios de sal, 100
dgo se revelava nos seus coromens de |)an -
no d'Arraz nos cintos escuros as cami-
sas e vus desadornados e lisos rompiam ri-
sadas discordes eesganic,adas, em que se sen-
lia profundamente inipresso o descaro e inso-
lencia daquellas desgranadas. Em cima dos
bofeles viam-se pichis e tacas vazias ede-
baixo de algunsdollei corpos estirados que
simularan) cadveres, seos assovios e roncos
que as vezes sobresaham atravez do ruido da-
quelle respeitavel eongresso nao provassem
que esses honrados cidados suavemente
embalados pelos vapores do vinho c do enthu-
siasmo ilinham adormecido na paz de urna
boa consciencia. Emfim, a compusta o Ilus-
tre taberna doantigo companheiio de gloria
de micer Langorole, eslava visivelmente
prostituida e (velada com as mais immun-
das c vis baieas de Lisboa. O gigante popu-
lar li.iliaah assentado a sua curia feroz c
nula primera vezo vicio ea corrupgao iinham
raiisposlo aquellos umbraes sem sua masca-
ra ue modestia egravidade. Sobre osfarra-
pOs do povo nao teem cabida os adornos de
ouropel : c a nica differenca moral, que
lia entre elle e as classas superiores quesa
crcem mehorcs porq-te to gymnasio da ei-
vilsaoao aprendem desde a infancia as destre-
zas e os momos de una compostura hypo-
crifa.
O astro que pareca allumiar com sua luz ,
aquecercom seu calor aquello lurbilho de
planelns ; o centro moral a roda do qual gra-
vilavam lodos aquellos espiritos era um ho-
meni que dava moslras de ter bem quarenta
anuos alto magro trigueiro olhos en-
covados e scinlillantes, cabello negro e revol-
to barba grisalba e espessa. Encostado a
um dos muitos bofeles que adornavam o am-
pio aposento e rodeado de urna hasta pinna
de populares de ambos os sexos que o escuta-
va m em respeitose silencio a sua voz grossa
e o;iora sobresalia no ruido eso se con-
funda com alguuia jura blasphema que des-
focliava do rucio das outras pin has de povo .
ou com as modubieoes das risadas, que vibra-
vam naquelle ambiente denso e abalado, de
cerio modo similhantes a um ciaro affoguea-
do que sulcasse rpidamente as trevas hmi-
das o profundas do cryplo subterrneo de ca-
thedral visigothica.
De reponte dois cavalloiros cuja qualida-
de se conhecia pelos barretes de velludo preto
adornados de uina pluma uo lado pelas cal-
gas de soda golpeadas e pelos cintos de pel-
lo de gnmo lavrados de prata entraran) na
taberna, e rom pendo por entre o povo que
alargara a passagem chegarm aopdoho-
mem alto e trigueiro. Traziam os capeiro-
tes puchados para a cara de modo que nen-
hum dos circunstantes pode conhecer quem
eram. Bastantes desojes passaram por mui-
tos daquelles cerebros avinhados de o inda-
gar ; mas a mesma reflexo atou todas as
maos : ao longo da cxa esquerda dos embo-
cados via-se reluzir a espada, e no lado drel*
to aperlado no cinto, que a pona erguida
do capeirote deixava apparecer descortina-
va-se o punhal. O passaporle para virem as-
sim afforradosera digno de todo o respeito ,
o ainda que entre a turba se achassem alguns
homens d'armas principalmente! besteiros ,
quasi todos eslavam desarmados : ti-
nha seus riscos pulanlo o pr-ihes o vis-
to popular.
Os dois cavalloiros fallaran) em segredo por
alguns minutos ao homem alto c ma-
gro, que de quando em quando meneava a
cabeca fazendo um gesto de assen timen to.
Depois os dois desoonhcidos romperam por
entre a turba que os examinava com urna
Jernimo Martiniano Figueira de Mello, Of-
licial da Ordem da Boza Jiz dos Feilos
da Fasenda n'esta Provincia e da mesma
- Chefe de Polica interino tic.
Fago saber a todos os Estrangeiros resi-
dente n'esta Cidade e seu Termo, que en)
cumprimento dos arts. 94 a HOdoBegula-
menlo n. 120 de 51 de Janeiro desle armo,
devero appresentar-se na secretaria da Polica
d'esde as nove horas da manh ate as duas da
tarde, a fim de tiraren) o titulo de sua resi-
dencia ; prevenindo 1. que dito titulo he
dado gratuitamente ; 2. que dos Estrangeiros
residentes, no Imperio ate a presente data nao
se exige documento algum nem os ttulos
tem praso para a reforma ; e5. que se irnpo-
ro as penas do art. 98 do citado Begulamen-
to aosqe nao tiverem titulo de residencia alo
o fim do corrente mez.
E para que o referido chegiie noticia de
todos e ninguem se possa chamar ignoran-
cia fez Iavrar o presente Edilal que ser
impresso no Diario de Pernambuco para
maior publioidade.
Secretaria da Polica 1. de Abril de 1842.
,0 Chefe de Polica Interino x
Jernimo Martiniano. Figueira de Meilo.
= A ("amara Municipal da Cidade d' Qfin-
da e seo Termo em Virtude da Lei.
Faz saber que nos das cinco oito cdoze
do corrente Abril, se ade arrematar de -ren-
da animal a caza numero um da ra do Viga-
rio defronte do corpo Santo, onde osteve a
reparlicao do Consulado ; comparuceado os
pertondentos abeldados j o munidos dos com-
petentes fiadores. E para chegar ao conhe-
cimero de todos mandn a Cmara fazer o
presente que ser publicado nos lugares do
especie de receio misturado de respeito o
foram assenlar-se em dois dos esoabellos ao
correr da parede. Encostando os cetovellos
em um bofete com as caberas cerradas entre
os punhos ficaram immoveisecomo alheios
aosussurroque comegava a alevantar-se de
uovo roda del les.
Este durou breves instantes : um ci do
homem alto e magro fez vollar todos os olhos
para aquella banda. Subindo a um escabel-
lo elle deu signal com a mo de que perlendia
fallar.
Ouvide Ouvide bradaram alguns
que pareciam os maioraes daquella multido
desordenada.
lodosos pescogossealongaran)a um tem-
po e viram-se umitas mios callosas ergue-
rem-seencurvadas e formarem em volta das
orcinas de seus donos urna especie d'anelacus- '
tico. O orador principiou :
Arraya mkida ( 1 ) tendes vos j cle-
( 1 ) FernQo Lopes d a entender ( Chr. Je
D. Joao I. P. 1. c. 44 )que a denomina gao
de arraia miuda secomeeara a dar aos popu-
lares no principio da revolta a favor do Mes-
trcd'Aviz, para os distinguir dds nobres


I

mm [iaicgn->jnk***.Tarr:y:.- ~71 ,v Bt-rw-<*L>t^fira-aT^-->
M^Jafirj^w^^^ir.Sr;:
w
coslume e pea Imprcnca. Cidade d'Olin- I Director ra do Rangel D. 17,2. andar, com sua sen hora para o seu sitio: en devia
dal. de Abril de 1812.
Joze Joaqnim de Almeida Guedes ,
Presidente.
Joao Paulo Ferreira ,
Secretario.
DE.CLARAGES.
== D'ordem do ll|m. Fnr. Inspector do Ar-
senal de Marinha se faz publico que no dia
5 de Abril, pelas 11 horas da manh, so
vender em hasta publica na porta do Alm-
xarifado urna porco de bolaxa arruinaiia.
Secretaria da Irfspecco do Arsenal de Mari-
nha de Pernambuco 51 de Marco de 1842.
Alexandre Rodrigues dos Anjos ,
Secretario.
fim de tratar-se da aprovacao dos novos Es- dar una satisfago ao publico c so nao _
tatutos e outras medidas urgentes. mandasse naquelle dia para a inipreusa se-
Qualquer pessoa que tiver para engo- ria intil a sua publicarlo depois da recita,
marroupa, pessas de todas qualida.les com julgava que depois desL admirago nada
bom aseio e pregos cmodos dirija-so alraz' mais restava ao snr. Gamboa mas enganei-me
de Santa Thereza na ra da concordia da par-j porque contina anda a admirar-se pela se-
to esquerda ria sexta casa. guiftc maneira Admiro-me lambetn que re-
C^- Quem quizer mandar engomar roupas ccbendo a 20 de Fevereiro o |ipel de .< Viga-
por prego cmodo dirija-se a ra do Noguei- ro k nao tendo ate 26 do Margo outro estu-
ra ^ do triis do que os pequeos papis que liz
= Ha n'esla praca un rapaz, vindo ul- ho sineiro, S. Sebaslio e as diminutas
timamente de Portugal, habilitado para en- partes das fargas achasse curto o espago de-
salar a lingua Portuguesa a Latina, c! o dias--. O snr. Gamboa ministra as ar-,
mas com que me devo depender. Dado quo
T11EATRO.
ss^ Quinta feira 7 docorrentc Anniver-
saro da Acclamaco de S. M. I. o snr. D.
Pedro 2.,' o Artista Joaqnim dos Res dar
nm brilhanle espectculo cuja descripcose
publicar no prximo n. desta 'olha.
= Anniversario de S. M. F. a Snra. D.
Maria da Gloria Rain lia de Portugal. 2.
feira \ de Abril se reprezenlar a muito su-
blime poca os Porluguezes em Argel: soeom-
pletos no dia -i de Abril os seis annos em que
esta grande Peca subi, scena sendo tal o
onluziasmo dos espectadores que o applau-
zo retumbava por todos os ngulos da salla.
Nao com menor pompa e explendor ella
vai agora em scena para festejar o anniver-
sario da Augusta ilha do 1. Imperador'do
Brazil que para gloria do scu Paz Natal ,
jege os destinos da Nago Portugueza. A
ultima scena sera decorada com a vista de
mar, e a Embarcado em que se livrrao do
Gaptiveiro os hroes Porluguezes aparecer
toda Iluminada ; aparecendo o retrato da
Augusta Rainha I). Maria II. e cantando-se
o himno dos Emigrados Porluguezes.
Por estarem effectivamonte oceupados por
assignatura os camarotes n. 28 e 25), ser
o camarote n. 26 o destinado para o Illustris-
simo Sr. Gonsul da Nago Portugueza.
Para mais agrado dos senhores ssignnn-
tes ser esta recita contada no numero das
assinaturas.
Principiar s horas do costume.
N. B. Asqualro recitas do presente mezse-
ro al.em desta poca as segvintes os tros vi-
ciosos ; o homem da selva negra ; e o val da
torrente. Os senhores assignantos de plalea,
diaro na mo do bilheteiro os seus carines
de entrada.
AVISOS DIVERSOS
ss^- O Bacharel Formado Francisco Garlos
Brando r.chando-se nomeado peloExm. Snr.
Presidente da Provincia Delegado de poli-
ca dos tros bairros desta cidade, e da Pre-
guezia dos Afugedos, entra boje no excrci-
cio de suas fu negos, e pode ser procurado
pelas pessoas que ptrante elle liverem de re-
querer em sua casa na ra do Rangel sobra-
do D. 41 segundo andar.
ssy A commisso Administrativa da socie-
dade Theatral Recreo i Instrucgo avi-
za a todos os Socios que lem destinado
liara rennio geral da sociedade o dia 5 do
correnle pelas 4 horas da tarde na casa do sr.
gido entre vos outros cidados bem fallan-
tes e avisados para propor vossos embargos
e razoados contra este maldito e deseommu-
nal casamento d'elrei com a mulher de Joo
LourengodaGunlta i'
Todos urna oh tendemos que deveis sor
vos, mestie Ferno Vasques:respondeu um
velho cuja calva pulida reverberavaos rais
d'uma das lampadas pendentes do leCto e
que pareca ser homem de conta entre os
populares.Quem ha ah entre a arraia miu-
da mais discreto e aposto para taes autos que
vos ? Quem com mais urgentes rases pro-
poria nossoaggravo e a deshonra e vilta d'el-
rei do que voso lizestes hoje na moslra que
demos ao pago esta tarde ?
Alcacere afcacere por nosso capilo
pela maior parte fautores do D. Leonor e dos
castellanos ; mas este litlo choc'arreiroo
lmvia tomado para si o povo miudo antes e
com muila seriedade. Em um documento de
i30"(Ghanccll. de D. Diniz L. 3. das Doa-
ces fol. 42 v. ) se diz que outorgavam certas
fousas os eavalleiros juizes e concelho de
Rraganca e -toda a arraia miuda. (Nulpara
os estafadores de cbronologias. )
l'ranceza. com perfeigo, por isso, se houver
algum snr. tanto n'ella como fora d'ellaque
quoira utilizar-se de seu presumo qpeira
annunciar, ou fallar na j ua do Gabug D. 1 ,
loja deselleiro.
= Senhor Gamboa. Acabo de 1er a
sua resposla minba carta, e a parte de
polica que lhe enviaram os tres Actores
commissarios Nao sei qual deslas duas pe-
gas mais inleressante pola sua originalidad-,
mascreio que ambas sao iguaos em sarcasmos,
doeslos e calumnias. Nao com siniilhanles
armas que eu pretendo defTendor-mo, porque
de ordinario sempre reverten! contra quem as
dirige; mas se por ventura eu empregar com
demasiada Torga aquellas de que me vou ser-
vir di re com V. Elysio :
E pena de Taleo: no caso a cncaixo.
Gomega v. m. por me dar a despedida
do seu Theatro lendo preViamcnlu ou-
vido em conselho de Actores o seu socio
Modesto. Funda v. m. esta #demisso em
dous motivos, qual dolles mais forte-- re-
pugnancia em representar no Sineiro de S.
Paulo- no dia 12, e urna revolugo no Theatro
no dia 21 O primeiro 6 um caso raro nos
annaes do Theatro Pernambucano : o segun-
do um criine de leso-gamboa que causou
una violenta erise cm toda a Provincia !
Dou os parabens a mim mesmo de me a-
char fora do seo Theatro mas permita-
me v. m. dizer-lhe que os motivos alle-
gados para a minba demisso sao sophisli-
eos e calumniosos --. Eu nunca pcocise que
os seus amigos me indicassem os meus deve-
res : repugnei, verdade, em acceitar o pa-
pel de Jurich no Sineiro de S. Paulo-- ;
mas repugnei, porque este papel eslava fo-
ra do meu carcter exoedia as minhas for-
gas era mui curto o lempo que se marcara
para o decorar eeu nao quera que o publico
formasse de mim um cuneelo menos favora-
vel, vondo-me fazCr urna ligura ridicula na 2.
voz que me apresentava em scena. Ora re-
pugnar nao relsar e tanto nao que eu
fui desempenhar esse papel tondo a fortuna de
ver o publico deslargar os moos del'.'los--. Lo-
go mostrarei que a k cruenta revolucao de
que me nomearam autor he um pretexto que
s se torna credor de solemuissimas gar-
galhadas.
O sur. Gamboa, depois da despodida diz
que s lhe resta expressar-me a sua admira-
go porque sendo eu seu hospedo purespago
de dous mezes me dirigisse Typographia e
nao a elle O ler sido seu hospede nao favo-
rece nem prejudica a nossa questao e se
v. m. langa o benelicio em rosto veja
que enlo perde o merecimento c que nao foi
puro o fim com que o fez. Fui, lie verdade,
algum tanto indiscreto ; mas obrei assim poi-
que o dia em queaconteceu oqued'U motivo
a niinha correspondencia era o da ante-ves-
pera do espectculo : v. ni. tinlia hido
fosse certo esse ospago de lempo, como he que
eu podia decorar, estudar e ensaiar conjunc-
tamenteos papis que o snr. Gamboa nomea?
Porque molivo inverte a verdade dizendo que
o papel de iiJorch he pequeo, quandoelle
he quasi tao grande como o do sineiro ?
Agora cumpre admiiar-me tambera pela mi-
nba vez. Que ftil o sphistico argumento
papclque calumnia um homem que nunca lhe
lez mal,nao lendo presenciado tionliuiii dessea
casos que refere a partecrpaofio ?
Nao he menos para admirar que o Snr.
Antonio Lopes Riheiro, venerando Sanla-
nario que todos os dias fatiga o Geo com mil
oragoes falle aos mandamentos da Religiao
Ghrisl assacando aleives contra quem o
tratou sempre com toda a at'.engo, tendo si-
do o primeiro auar-me rasao como podem
asseverar todas as pessoas que se achavo cm
casa do Sur. Eleuthorio no dia 21, ondeo
dito Snr. como leslemunha de vista por
ter assistidoao ensaio declaroii que eu nr
tinla maltratado nin^uem nem leito colisa
que me doshonrasse? Multo elstica he a cons-
oiencia do volumoso Taima ? i1
Os esquisitos commissarios disom na tal
parle de polica, que cheg ida a hora do en-
saio faltando a actriz Maria Joaquina lhe
fora imposla a pena marcada pelo regulamenlo
e que eu tomando a >j delesa exceder os li-
mites da decencia com o actor J. J. Lo,)i>s. O
o di/er que eu ti ve 31 dias para es-ludar o >a- ; que eu disse a favor daquella actriz, dira a
pe??? 0 snr. Gamboa sabe ou deve salur i favor do qualquer outra |)esso:i que me fosse
que em neilhum thealro se principia a decorar, desconhecida : pedi que se aguardasse mais
os papis sen a o depois la chamada prova de | algura lempo, visto que eslava chovendo e
que liouve contemplaro para com todos Em
quanto aos limites da decencia excedidos jior
partes, E nessas pravas que secooferemos
papis para se emouilarcm os erros da copia e
fazerem-se as suppresSOes que forem conve-
nientes : e a nao ser assim como podia o ac-
tor estudar um papel que .elle anda nao sabe
se oslar certo ? Negu agora o snr. Gamboa
que a prova de parles fui le la o dias untes da
recita.
Admira-so tambem o Snr, Gamboa que eu
oquizosse constranger c a sua Snra. nao soi
a que ; porque u nao diz mas subentendu
a ir ao ensaio Eu live a delicadesa de nao
publicar na niinha carta os nomes dos actores
que a ello faltaiam 5 mas, como o snr. Gam-
boa se denuncia dir-lhe-ei que infringindo o
Empresario o reoulanicuto do sen Thealro
nao pode honestamente argir uenhum dos
seus actores de qualquer infraego que elles
commetlo. O sur. Gamboa sua senhora e
o sur. Cabial erao os tres actores que deviao
estar comigo ell'ectivainente em scena. Fal-
tando os dous primeiros por serem empresa-
rios e o lerceiro por estar docnte, com quem
devia eu ensaiar :' Gom os outros ? Nada
ou (piase nada linliaoa representar quandoeu
eslava em scena. Nesle caso julguei mais
acallado hir estudar o papel para o meu
quarlo.
O snr. Ganoboa acaba a sua carta com algu-
mas admoesta'goes de Lairaga que o bealissi-
iii Empresario devia applicar asi mosmo. 0
epitheto de cavalheiru srvenle no sentido
em que o loma mais adquado a sua pessoa
do que niinha. Eu son homem, e como
tul posso ter Iraquesas 5 mas quando me per-
seguel aquellas tenlages que este cpitlielo
significa, castiga castiga e castiga essas
lent.Koi's somonte a lembranga dos meus de-
veres para com a sociedade em geral e a nii-
nha familia em particular, e se alguma vez
cahisse neilas nao me tornara lo furioso
como corto energmeno que rsgaos vestidos
c\c. Vamos aos snrs. Gommissarios.
E' para admirar que um dos signatarios, o
Snr. Modesto falle despejadamente mo-
destia assignando um papel cm que se re a-
lam cou/.as que elle nao presenciou. Eslo au-
tor faltou lanibem ao ensaio, verdade he que
nao represenlava comigo em nenhuma das
scenas, mas si! o quede mim se partecipa he
acontecido nesse ensaio, como assigna um
mim contra o Snr. J. i. Lopes, o publico de-
cidir qual do nos he mais papsz de os exce-
der. Puderia anda outra vez invocar o les-
temuiibo dosnr. Antonio Lopes, mas como
este snr. diz qu osla promplo a assignar lu-
do quanlooSnr. Gamboa quiser receio que
em vez da verdade v dizer qna eu furioi os
candioiros do Theatro.
Os tres Adores para doprimirem o meu
crdito pretenden! fazer-me passar por ebri-
dizendo em linguagem bordalenga queeuli-
nha inandado bus:ar bebidasi espirituosas6
Ora saiba o publico que a extraordinaria
quantidade de espirito con qu me embria-
guei foi um vinlem de licor que mande!
buscar a urna venda i1 Saiba tainbem ago-
ra o publico todo tpie se eu manJei buscar
somonle um vintem de licor e o quiz tomar a
oceultas foi porque nao podia man-
dar buscar um almude de Cachaca para oll'ere-
ceraos tres signatarios.
Ferno Vasques bradou unisona a chusma.
Fico-vosobligado mestre Berloiameu
Chambao! replicou Ferno Vasques, so-
cogado o tumulto. Pelo razoado d'hoje terei
em paga a forca se a adultera chega a ser rai-
nha : pelodemanha terei asmaos decepa-
das em vida, seelrei com suas palavras man-
sas e engaosas quizer apaziguar o povo. E
tende vos per averiguado mestre Berlhola-
meu que o Carrasco sabe aportar vielhor o
n da corda ua garganta queeu o pontj cu.
peitilhode saiO ou em coslura de redondel
ou pelotee que o cutello do alg entra
mais rijo no gasnale de um christao que a vos-
sa ench n'uma aduolla de pipa.
c Nanja emquanlo na minha a I ja va hou-
ver almazem e a garrucha da bosta me nao
estourar : exclamou um bteiro de con-
t tambaleando eerguend-sede'mixu d'um
bofeteonde o haviam derrubado corlas por-
lurbages d'enlhusiasmo poltico.-
Ola, Fr. Roy Zambrana falla lingua-
gem christonga se queros vir nesse bordo por
nossa estoica : bradou um petintal d'AI-
fama que segundo pareca capilaneava um
grande trogo de pescadores barqueiros c ga-
leotes daquolle bairro entao quasi exclusi-
vamente povoado dcsimilhantu gente.
Digo por linguagemacudiu o boguino
que ninyuem como mescre Ferno Vasques
homem de cordura esagez para manha
fallar a elrei aguiiadamente sobre o feilode
casamento do Leonor Telles, do mesmo mo-
do que ninguem leva vanlagem ao polintal
Avias Gil em ousadia para fugir s galles de
Castella e dotslar os bons servos ua Jgroja.
Era urna alluso pessoal :urna risada rui-
A advertencia que elles fazem a v. m.
de que era a s"gunda vez que eu entreca-
va a parte na vespera do espectculo he tal
sissima porque at dessa segunda vez foi vi
m. quom mu pedio o papel de Vigurio, na
anlevespera c'o espectculo em presenca de
toda a com pan hia, e s por irtlervengao de
dous amigos seos consentio queeu licasse
com elle.
Muito mais loria a dizer, se nao receiasse
passar por fastidioso ; agora s me resta de-
clarar aos snrs. Redactores que nao torna ro
mais aimporlnnal-ose'om a refulago de (paos
quer calumnias que ainda me posso ser assa-
cauas, e que a maior vingatica que posso lo-
mar dos meus ollensoros he ti acial-os com
o despreso que merece quem encobre a ver-
dade com a calumnia.
Sou
Seu attenlo venerador
Antonio da Cum'ia Mondonga.
fj~ 0 snr. Octavia no de Souza Franca ,
queira lera hondade dirigir-sc alraz do Coi po
SaHto N. (>(>, que se lhe desoja fallar.
= Precisa-so de um cont de rs. a juros ,
dndose de hypothcca urna caza : a queni
convier o negocio annuncie sua morada.
haver entre o beguino eo petintal nao era
porventura mais que urna emulacao ; urna
duvid;! sobreaallura relativa dd Ihronode en-
crusilhada do throno de lama e frrapos em
que cada um delles se assenlva.
Se pois aquella mullido nlo cstivesse per-
suadida da superioridade intellectual do al-
faiate Ferno Vasques a opinio dossos dois
orculos lhe nao loria deixado a menor duvi- ..
da sobre slo. Todava as palavras de am-
bos hava um pensamento escondidopensa-
sament do odio que nascOra n'um dia o
n'um dia lngara profundas raizes nos cora-
cih's de ambos. O marinheiro ( o eremila
linham pensado, ao mesmo lempo que, li-
sougeando esse homem mimoso do vulgo ti-
raran! juntamerit" dois resultados, ode?a-
Amen dico vobis gritou um bogui-
no cujas faces vermelhas e voz de Sten-
lorbrigavam como habilo de grossoiro bu-
relecom as desconformes camandulas que
lhe pcndiamda cinta.
dosa e louga corresjondou a pordente desfor- nbarem maior crdito entro este e do apl
narem a estrada da forca ao novo rei das tur-
bas erguido havia poucas horassobre os bro-
quois populara.
Mas (pie auto era este de que o povo falla-
va :' Sabe-lo-hemns remontando um puuco'
mais alio.
(Continuar-se-ba.)
ra de Fr. Hoy, quo abaixuu os olios com
corlo modo hypocrilamente contrito simi-
Ihante ao gato que, depois do dar a unhada.
vem rocar-se mansamente pola moquecn-
sanguentou.
Fr. Royera lamhom como Ayras Gil um
idoto popular, o a m VORtado qu<' pareca


xasAi
ni Miiiiti^*Y+*^*ml*&*y&SJ&l*
A-


= No da 18 do correnle ar.dar imprele-
rvelmente as rodas, da 2. parte da 1. JLoteria,
concedida Irmandade da Rosario da Bnavis-
ta : os bilhetes acho-sc venda na na Nova,
loja do sur.-Guerra e em todos os outros lu-
gares do costume.
w A sociedade ora existente nesta Cidade
entros abatxo assignados debaixo da lirma
de Smitli A: Corbett, est dissolvida de mutuo
eonsentimento. 0 ex Socio Smith lica en-
'Carregado da liqndago de todas as tran-
sarooes. Recite 51 de .Marco de 1812.
Guilherme E. Smith e Augusto S. Corbett.
tsr Preciza-se de una caza para pequea
f&milia e eujo aluguel nao exceda de 8ji rs. ,
no bairro de Santo Antonio ou Recita : na
Itui-ivista ra daConceico, caza do fallesci-
du Magalhes.
tsy Nn dia 24 de Marco, fugio um papagayo |
fallador, com um pedago de correnle de ferro
no pe da ra dos Quartes D. 2 segundo an-
dar: roga-se as ptssoas que delle liverem no-
ticia de mandaren) entregar na sobredita caza,
ou na loja da piara da independencia D. 1 ,
que se gratificar.
SST A abertura do botequim e caza de pas-
to da I'niao licou para amanh Domingo 3 do
frrenle.
ssy Perdeu-se um par d'oculos com ros
d'ouro em urna eaixa verde : quem os acbar
pode-os mandar entrea'r no armasem de mu-
tilados ra do Kii'-antamento, por baixo
do sobrado do Reverendo V gario do Recite.
%sr Ollerece-se urna mulher de bons cos-
tumes para cosinbar para pequea familia ,
ou par bomein solteiro, independente da
dormida : quem se quiser utilisar de sen ser-
vico dirija-se a ra do Nicho do Noia D. 5j ,
-defronte do oilao da venda do sur. Pavao que
achara com quem tratar.
527" O Escrivo ta mesa que actualmente
rege a lrmandade da Matriz da Roa vista, par-
tecipa que Ib i marcado o ilia 1 i de Muio p. f.
para corrercm as rodas da segunda parte da
ultima lotera a favor das obrasda,dita Matriz.
szr Adverte-se aquem convier, que l.uiz
Antonio Gonsalves nao pode e nem tem di-
reilo de trespassar o arrendamcnto da casa da
i ua do l-ivramento I). I.
i..f Ha quem se proponha levantar cnge-
nhosd'agoa ainda nao sendo em lugar pruprio
para este lim fazer cercas nativas sem pre-
cisar de estacas varase sipo assim com le-
vantar qualquer proprieda.ie nesta praga ,
dando-se pelas cbuves como tambem admi-
nistrar qualquer engeoho que por algum
inconveniente nao faz safra entrando com 2
escravos a vista pois de qualquer preten-
derle tratar-se-ha do ajuste, e suas condi-
c.n's : quem precisar annuncie ou- dirija-se
,".'> Monteiro defronte das bicas onde as canoas
tomflo agoa a fallar como Manoel de Albuquor-
que llamos.
srr O abaixo assgnado faz sciente ao res-
peilavel publico que em seu poder se acha 1
preto pie nao diz quem he seu sur. |>reso
por dous moradores seus; a quem Ihe per-
teiroer dando os signaes llie ser enlregue ,
devendo pagar urna gratificado aos appre-
heiidedorcs.
Antonio Francisco do llego lanos
%ZT Km casa de .Gaudino Agoslinho de
Ranos existe um mago de papel, viudo do
Rio de-Janeiro dirigido ao Snr. Francisco
Mascarenhas auzeutc ao Snr. Joo Coelbo
Rastos.
C3" Sahiu a luz e vende-se na praga da
Independencia loja de livros n. 57e58 o 1.
numero do Carapueeiro pelo prego de 80 rs.
%ZF" A pessoa que annunciou no Diario do
I. do rorrea? querer dar um cont de reis a
juros dirija-se ao.pateo de S. Pedro D. 3.
m CJ' Quem precisar de urna pessoa para dar
ligos de primeiras letras e grammalica lati-
na em casas particulares dirija-fe a praca da
Independencia loja de livros n. 37 e 38 qne se
dir.
jsr Da-sc loOif rs. a premio eom pinhores
de euro ou prala : ua ra Direita D. 4L
xsr Quem pcrdeo urna sedula estrangeira,
dirija-se a roa do Nogueira D: ID, que dan-
do os signaes Re ser entregue.
ssy O fabricante de vellas de carnahuba do
pateo do Hospital do Paraso sobrarlo n. 4 ,
mudou a sua residencia para a ra da Penda
no lerceiro sobrado que tica na ilharga do
LivramentoS.0 andar onde continua a ven-
der ptimas velas de 6, e 7 em libra por 520
reis.
t^y Apessoa que offerereo 50. rs. por urna
canoa a Joze Quintino de Castro Leao pode-
a ir buscar quanto antes.
"TvTsos martimos
no capilo Francisco Joze Correia quera
quiser 'arrogar ou ir de passagem dirija-se a
ra da Cruz n. 67 ou ao raesmo capito.
C7* Para S. Catharina sahe em poucos di-
as o Brigue Escuna Voador recebe cara a
frete e passageiros para o que tem escolenles
commodos ; os pretendentesdirijo-se a Fir-
mino Jos Felis da Rosa.
t-J" Para o Porto segu com toda brevida-
de por ter o resto de seu carregamento prom-
pto a bem condecida Rarca Espirito Santo,
a qual tem excellentes commodos para passa-
geiros : a tratar com Francisco Alves da Cu-
nlia na ra estreita do Ro/ario D. 17, ou com
ocapitio da mesma Manoel Antonio dos San-
tos na praca do commercio.
U^ Para o Rio de Janeiro c Rio Grande
do Siil, a Barca Nacional Triumphoda Inve-
ja forrada de cobre e de boa marcha de-
ve chegar da liba de Fernando a este porto
nestes 2 dias donde saldr 8 das depois, se-
gundo o contrato a que est obrigado ; pode
receber alguma carga e escravos a frete ,
assim como passageiros para o que tem ex-
cellentes commodos : os pretendentes diri-
jo-se ao Capito Carlos Evaristo Jtistiniano
da Silva ou a Gaulino Agostinho db Barros
na pracinba do Corpo Santo D. 67.
S2^ Para o Maranho sahir emmu pon-
eos dias o Patacho Rrasileiro S. -Joo forra-
do de cobre com a maior parto do seu car-
regamenlo prompto o bons commodos para
passageiros : quem quiser carregar ou ir de
passagem dirija-se a Francisco Marques Ro-
drigues ci Irmos na ra do Trapiche quina
da dos Tanoeiros D. 12.
X27" Para Lisboa sahe no da 22 do correnle
por lhe faltar ja pouca carga o Rrigue Porlu-
guez Conceico de Mara de qui capito Ma-
noel da Costa Neves; quem quiser carregar ou
ir de passagem, para oque temos milhores c-
modos e com todo o asseio dirija-se a Fran-
cisco Severianno Rabello no forte do mallos
ou ao capito na praca do commercio.
=.Para o Rio de Janeiro segu viagem o bem
conhecido Bergantn] Nacional S. Joo Baplis-
ta capito Joo Gonsalves Bocha com to-
da brevidade para carga, passageiros, e es-
cravos a frele trala-se com Joaqum Baptisla
Moreira no son escriptorio na ra de Apolo,
ou com o capito a bordo.
tw Para Lisboa sabe no dia 12 do corren-
te o muito voleiro Patacho Portugus Novo
Congresso, forrado de cobre, e deque capi-
to Manoel Joze Bailo, ainda recebe alguma
carga a frete e passageiros ; quem quiser car-
regar ou ir de passagem dirija-so a- Francis-
co Severianno Rabello no forte do mattos.
SST Para o Bio de Janeiro a Sumaca Caro-
lina, forrada de cobre e de priinera mar-
cha capito Manoel Rodrigues Rmenla da
Cunha saldr at 12 do correnle com a
carga que Civer ; quem quiser carregar ou ir
de passagem para o que tem excellentes com-
modos dirija-se a Machado & Sanjtos ou ao
referido Capito.
C7" Para o Maranho seguir at lo do
correnle o bem conhecido Brigue Escuna Lau-
ra por ter a maior parle de seu carregamen-
lo prompto ainda recebe alguma carga a fro-
te passageiros e escravos ; os prelendentes
ilrijo-se ao Capito Luiz F. da S. Santos,, ou
a Firmino Jos Felis da Bosa na sua da Moe-
dan.140.
L E1 L A O'.
^O" Lenoir Puget v Compaiihia fazem lei-
la por inlervenco do Corretor Oliveira de
um grande sortimenlo de fazendas francezas ,
consistindo em sedas para vestidos lindas
fazendas para coletos bicos de blpnde e de
fil lencos de setim ditos encarnados di-
tos para algibjra ditos e mantas de garca ,
chales de todas as qualidades cambraias
adamascadas e bordadas do bo:n lom., cha-
peos de sol de seda para bom^m e niuilns
oulras fazendas que se vendero \w\o maior
preco que se ofTerecer : Quera feira 6 do cor-
renle as 10 horas da manli em ponto no seu
armazem da ra da Cruz.
COM P RAST~
b'em alguns pedreros e carpinas, e destes
sendo bons o'liciaes se pagarn bem : na pra-
ca do Commercio era casa de Manoel Ignacio
de Oliveira.
VENDAS.
tsr Caixas com passasa 2.>2M) rs. e em
libras a 160 rs. castanhas piladas" a 80 rs.
a libra chocolate a 520 rs. dita e80 rs. o
pao, velas de carnahuba de 6 e 7 em libra a
560 rs. ditas de espermacete de 5, 6, 7, e 8
em libra a 800 rs, 70 esteiras de pipr a 80
rs. cada urna e sendo a retalho a 120 rs. :
na ra das Larangeras venda D. 8.
upr l)m terreno com 60 palmos de frente ,
e 260 de fundo com caes de pedra serra-
ra e c*sa para caixero ; c tambem urna ca-
sa terrea com outra pequea, ambas com
solo; dou* escravos serradores; madeiras
de toda a qualidade louro sedro amare-
lo tanto serrada com em pranches : na ser-
rara de Joo Antonio Baptista junto a ri-
beira atraz da ra do Fagundes.
Sacas com arroz do Maranho ultima-
S3^ Para Loanda segu viagem no dia 20
o correnle o lriguc Brasileiro Pernambuca-
70 a80 encbameis de louro, que te-
nho de comprimento 25 a 2i palmos: na
ra do Vigario n. 7.
CT Vm cavalloque seja carregador em
boas carnes oque ne sejo velho : na ra
do Rangel sobrado D. 18 pertencente a Joo
Le tito Figueira.
tSf* Lm jugo de bagatela novoouem mui-
to bom nzo ; quem livor annuncie.
tsy A historia sagrada de Roymond nao
importa que esteja com algum uz: quem ti-
ver annuncie.
SJB3 Escravos pretcs de boas figuras, de 12
a 20 anuos para fora da provincia e tam-
mente chegado a 2800 rs. a arroba ; e
toucnho de Santos de muito boa qualidade:
no armazem de Fernando Joze Rraguez jun-
to a botica de Antonio Pedro das Neves.
V3~ Solfato de quninoem vdros de urna
onca man em caixa ; um p^to oflicial de
calafate umdito carpina e um dito refina-
dor de assucar: no escriptorio de Firmino Jo-
ze Felis da Roza.
ssr Duas moradas de casas terreas a pou-
eo acabadas com paredes (obradas, e pro-
pras pura se levamar sobrado : na ra Direi-
a D. S5 lado do nascente.
tsf Dina escrava do gentio de 22 annos:
no beco do Roza rio D. 25 das 6 horas as 8
da manln cdo inoio dia as 5 da tarde.
Sy Tasas de ferro coadoe batido em bom
sortimenlo, assim com outras ferragens pro-
prias para engenho : na ra do Vigario nu-
mero 7.
tsy Sacas com alqueire de farnha de man-
dioca muito lina ealva feita na Muribeca :
na ra da Cruz D. 12 escriptorio de Joze An-
tonio Gomes Jnior.
S3^" Um moleque de naco de 12 annos ,
com boas habilidades : na ra do Arago casa
terrea defronle de um sobrado de 2 andares
o nico do lado direito quem vera do Recife
para a Boa vjsta.
E5" Aagoadado Brixun Leo, que con-
duzioa tropa do Maranho para esta Cida-
de : na rtia do Vicario D. d2.
C7* Lina bonita rede para tipoia com seus
Curdes ; 4 lindas loa I has bordadas feitas no
paiz 3 oitantes ja uzados ; urna boa fecha-
dura de segredo para porta : as o pontas ca-
sa aonde foi botequim do-fallecido Paiva.
3* Lma morada de casa de sobrado na
ruadeS. Bentoem Olinda n.25, com clios
proprios quintal murado e com arvoredos
defructo: a fallar com Joo Manoel Freires
Marz na ruada Conceico da Roa vista lado
da Igreja do Bo/ario n. 25 ou na ra do
Crespo loja do Snr. Santos Neves*onde o- mes-
nio dono he caixeiro.
SZT Caixas de quarta e de mcia libra de
marmelada e bichas pretas de boa qualida-
de por mdico proco : na ra da Cadeia do
Becifdn.62.
\^j- Carlas e taboadas a -0 e 80 rs. ,
paulas em papel de llollanda a 50 e 60 rs. ,
Qtiintiliano, Terencio Selecta Diccionario
tornee? portuguez e vico versa : na ra do
Nogueira D. 19.
S27- l!m sasal de gangos novos e bonitos :
na ra de Agoas verdes sobrado D. 10.
S3* Cal lina de Lisboa embarricada vin-
do no Brigue Emprehendedor : no escripto-
rio de Francisco Severiano Babello no forte
do mattos.
ts" Lma porgo de sacos vasios e urna
dita de barricas que forode bacalho e fari-
nha de trigo : na praca da Boa vista D. 16.
ES'- Sal de Lisboa a bordo do Brigue Em-
prehendedor : Irata-se com Francisco Seve-
riano Rabello no forte do mattos.
tss~ Taboado de pinho de um a tres palmos
de largo ; todos os comprimentos e'largu-
ras assim como da Suecia costado costa-
dinho assoalbo, e forro; e tambem para
fundos de barricas, sendo das qualidades a
cimat 27 palmos de comprido vergontas
de pinho barras de cabrestante de faia; ludo
por proco commodo : atraz do thealro junto
ao sobrado do Sr. Cunha a fallar com Joaquim
Lopes de Almeida caixeiro do Snr. Joo Ma-
Iheus.
t^r Farinha de malarana ou araruta por
preco .-ommodo, a retalho : na botica de
Barlholomeo & Ramos na ra larga do Roza-
rio.
E3~ Lma casa terrea de pedra e cal na ra
nova dos Prazeres defronte do sobrado do
Se. Gadault onde tem boje colegio de meni-
nas -. assim como tambem se aluga metade
de um sobrado proprio para homem solleiro :
na ra do Colegio 1> 5 no primeiro andar por
cima da botica
tsy Urna canoa brula de 45 palmos de
comprido e 4 di los de boca ; c um realejo
grande com figuras em bom uzo com 2 sc-
lindros que toeo 20 marchas: na ra do ti-
gario venda D. 29.
Vt3T Acha-se a venda na loja do bom bara-
teiro de Guerra Silva & Companhia na ra
Nova D. 6 o seguinte : lindas sedas de todas
as qualidades para vestidos chales de seda ,
e mantas do ultimo gosto, chapeos de seda
para senhora lindas llores de differentes
qualidades leques de papel e de seda ricos
e ordinarios lindas filas de todas as qualida-
des methodos para llauta e pianno flau-
tas de bano de chaves ditas do buxo dita,
de urna chave, violes mui ricos em suas com-
petentes caixas ditos mais inferiores rebe-
cas linas e ordinarias ricas cirmelas de
bano com chaves de prata instrumentaos
completos para msica militar medidas pa-
ra alfaiale vde novainvenco candieiros su-
periores para cima de mesa do ultimo gosto,
castigaes de easquinha e vidro de difJeren-
les modelos superiores bengalas de baleia ,
e de outras qualidades laoternas de easqui-
nha e cristal ricos jarros com llores, can-
diel ros de todos os modelos proprios para es-
ludantes livros em branco pautados para es-
cripturago mangas de vidro de dillerentes
gosto, papel pintado para forrar salas, o ver-
dadeiro Le Roy purgante e vomitorio, su-
periores cafeteiras de fazercaf pelo diminuto
espago de cinco minutos obra de nova inven-
go lindas bandejas de difieren tes goslos e
lamanhos envernisadas bules de metal do
principe, ricos estojos de navalbas com os
seus competentes aparelhos, ricas caixas com
superiores tintas finas para desenlio e ou-
Iros muitos objecios lindse do ultimo gosto.
XZF" Duas escravas de nagao ; de bonitas
figuras urna boa lavadeira de varrellu e qui-
tandeira c a outra meia ladina faz todo o
servigo : na ra Direita D. 20 lado {do Livra-
mento.
S3T L'ma negra de nagao, coznba, cose ,
e lava de sabo e varrella vende-se por nao
querer servir ao snr. : em fora de portas n.
101a fallar com Jwaquim Lopes de Almeida
caixeiro do Sr. Joo Malheus, ou no trapiche
novo n. 12.
%ST Vm relogio de ouro trabalha sobro
diamantes muilo bom regulador c outras
differentes obras de ouro por prego commo-
do : na ra larga do Rozario D. ).
t^F" Dm negro de 20 a o annos de bo-
nita figura : na ra do Queimado loja de fer-
ragara n. 2.
tsr Um moleque com principios de cozi-
nhao mjoprio para qualquer ol'iicio, de 12 a
11 annos : no pateo do Tergo venda D. i e 4.
UJ~ Farinha de mandioca de muito boa
qualidade recentemente chegada a esle por-
to em sacas e por menos prego de que em
outro qualquer armazem tanto a dinheiro
como a praso : no armazem de Fernando Jo-
ze Braguez ao, p do arco da Conceigo e bo-
tica de Antonio I edro das Neves.
ESCRAVOS FGIDOS.
? Fugiro no da 21 do p. p. os seguin-
tes 4 escravos sendo 2 do engenho Jurissa-
ca, e 2 do pngenho Junqueira ambos da
freguciia do Cabo.
Francisco crelo, de estatura regular,
de 50 annos e muilo ladino ; foi vendido na
sorra talhada.
Antonio, crelo, de boa estatura', meio
fulo cambado das peinas muilo corpolen-
to e tomador de tabaco representa ter 2o a
50 annos ; veio da Parahiba aonde foi ven-
dido.
Manoel, mulato muito alto e forte tem
a testa alta ecantuda por ser calvo e re-
presenta ter 40 annos ; veio do Ico aonde foi
vendirfe.
Joo, crelo, altoe forte, ja velho ecom
alguns cabellos brancos casado e tem mu-
lher no Ico. aonde foi vendido. i
Como foro todos juntos fcil ser serem
pegados e desconfia-se que tomaro o ca-
minho de pedras de fogo ; quem os pegur ,
alem de se ihe iear muilo obligado ser ge-
nerosamente recompensado, e pagar-so-ha
todas as despezas podendo-os levar nos so-
breditos engenhos ou nesta Cidade em casa
de Felis Augusto Scola.
RH II F. NA TYP. DE M. F. DE F. = 1812


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EPH0428GV_V7V9AI INGEST_TIME 2013-04-13T02:07:00Z PACKAGE AA00011611_04620
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES