Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04610


This item is only available as the following downloads:


Full Text
+...,. .
XXV11I
Quinta feira 22
de Jine.ro de 1852.
N. 17.
PEHMIBMO.
raigo svBoaip^lo.
PlQllUNTO ASUNTADO.
Por trimestre..........
Por semestre a.........
Por anuo........- .
PlOO DCNTIO DUIBIMESIHK.
Poi quartel............
NOTICIAS DO 1HPIHIO
Para..... 2de Janeiro Minas.-. lodeNovbr.
Maranho 7de dito S.Paulo. 10 dedilq.
Cear... de dito. It.dcJ.. ll deJaneiro
Parshiba. SJ de Deibr Babia... 17de dito.
4/000
8/000
lft/UM
4/900
da da iraiai.
19 Seg.S. Canuto iei;
Ss. Audifie-Abachu
20 Tere. S. Fabiao.
21 Quart.S lenez.
22 Quint. S.Vicantei|
Anastaelo, ~
23 Seit. S.'IldeCooco.
U Sab. N. S.daPai.
25 Dom. 3. A conver
sacao.de S Paulo.
AUDIENCIA,.
Jado da Orp.lo
i. c.'i. s 10 horas.
1. varp do civil.
3. c6. ao inelo-dia.
Panuda.
3. e 6. 10 boras.
2. tara do civil.
1. e sbados ao melo-d-.
flofa.
Tercas e gibados.
irnMinlDrs.
Crescente 2o, as 8 horas e 15 minuto da m.
[Chela a7, a 3 horas e 48 minutos da m.
IHIngoante i 16, a l hora e 48 minutos da m.
I Nova 21, as 7 boras e 34 minutos da m.
ra ama a DX HOJ
Primeira s 5 horas e 18 minutos da manbaa.
Segunda a5 horas e 42 minutos da tarde.
riBTinu doi ooasno!.
Oolanna e Parahlba, s segundas e sextas-
feiras.
Rio-Urande-do-Ncrte, todas ai quinUa-feiraa
aomelo da,
Garanhunae Bonito, 8 e 23.
Boa-Vlata, e Flores, i 13 e 28.
Victoria, s quintas-felras.
Olinda, todos os das.
NOTICIAS ITOANaEIBA.
Portugal. 14 de DeibilAustria.. 2 de Deibr
Hespaoba. 8 de dito Suissa.... 2 de dito,
Franca ... de dito ISuecia... 28 de Outbr
Blgica... 3 de dito Inglaterra 8deUeabr.
Italia___ 2 de dito E.-Unidos 23deNo*br.
Alemanba. 4 de dito JMexico... lo de dito,
Prussia ... 3 de dito California I o de dito
Dinamarca 2 de Outbr Chlll. i1 de dito
Russia... 1 de Deib. Kuenos-A. BdeNovbr
Turqua.. I de dito Montevideo SI de Outbr
CAMBIO! DI 31 DB J AME Irlo
Sobre Londres, a 27 '/, e 28 d. p, lf frouio.
Parla, 34o por Ir.
Lisboa, 90 por canto.
METAES.
Ouro.Oncas hesnanholas...,
Uoedas de 6/400 velhas. 16/000 a 16
de 6f400 novas. 16/000 a 16/200
a de 4/000....... 9/000 a 9/100
PrataPatacflesbrasllelros.. 1/940 a 1/940
Pesos columnarlos... 1/920 a 1/920
Ditos mexicanos..... 1/740 a l/7i0
fuzilara ao vivo fogo das balorias e tria-
chorras.
U combate durou urna hora ; e nSo obs-
tante a pequea distancia, e teren os vapo-
, rea as suas coberlas dous batalhoes da pri-
lllm. e Esm. Sr.-Tonlio a honra de par- mera brigiit do exerct0i esteg nada sof-
ir"j freram,; contando smente a esquadra, 4
feridos. A Divina Providencia
PARTE OFFICML.
MINISTERIO DA MARINHA.
ticipar a V. El para informado do go
no imperial que, lenlo disposto tudo para
0 embarque da primoira divisSo do oxercito
imperial destinada i Entre-Rios, sal i da Co-
lonia no da 14 docorrente.
A 16 eiitrei no rio Paran cm os vapores
Aftanto, Pedro 2.", Recife e D. Vedro, tendo
embarcado nestos 1,198 pregas da primeira
bridada de infantina, comoseu conim.n-
dant o corono! Francisco Folix da Fonsecs
l'ereira Cinto, destinadas a reunirem-se
vanguord) do exercito alliado no Dia-
mante
Nessa tarde chegamos om Trono da villa
de 8. Pedro on lo uciiei no meilior eslado
ilo aceio e promplidSo, a divisSo comman-
dada polo capilSo de mar e guerra Guilhor-
mo Perker, composta das corvotas D Fran-
cisca, l'niao e brigue Caliope.
Del IH--S.I noite as djposir;Jos necessarias
e pela madrugada do dia 17, locando o \f-
fonso a reboque a D. Francisca, o Vedro 2. a
1 ano, o Recife, o Caliopc, e o Pedro junio
ao Affonso, subimos o rio p'onptos pira
combato. Achamoso Obligado desoecupa-
do; porro ao aproximar-nos do Passo uo
Toneleiro, onJe o general Mansilia, lia 'nui-
to lempo, estava oceupado em preparativos
para obstar a nossa passagem, collocau lo
convoiiienlomeiilo lela a sus ariilharia,
construindo fnrnalhas para balas arduntes,
ele, ele,; vimos as barrancas coroaJas com
12 bocas de Fogo em baleras, e trincheiras
ebeias de infamara, com a cavallaria om
reserva. Nosta occasiSo ordenei qua toda
tropa do exercito se abrigasse as coberlas
dos vapores; o que se ciimpnu muito con-
tra os desejos desses bravos soldados (lean-
do em cima smeote o digno commandante
da brigada,o sen major, os coiiitnandanles
dos corpos, alguns ofliciaes e aliradoies, e
osdisliuctos coronis e lenente-coronel do
exercito sitiado D. Vcnceslu Paunero ,
D. Domingos Sarmiento o 1). Birtoloiu
Mitre.
Mandei tambem que o Affonso, que Iraba-
lhavasomente.com duas caldeiras do la lo
opposlo as baleras, conservando, por de-
fensa, as oulrasduan cheUs de agua, dimi-
ii.i-m' o seu andar o mus posssivel, para
nSo separar-se dos navios da retsguarda.
Ao mu dia.estando toda a divisSo a meio
tiro do fuzl das bateras, romperSo estas
sobre ella um vivo fogo de balas ardeules ,
melrullia e fuzlatia, que foi immediala-
tamente respondido com lala, metralha a
fuzlaria de toda a linlia ; e sustentado pe-
los nossos comanlo vigor queas puntaras
do inimigo derSu logo a ,-.m -i sua per-
turbar; 3o.
lia urna hora estava effectuaua a passa-
gem; e os navios seguio rio acims ao
som das msicas qne locara ai o lij mtio im-
perial.
A divisSo teve dous fuzileiros navaes o
dous marinheiros morios, e um encartega-
do e dous marinheiros feridos: sendo a
manir parte do Recife.
As averias dos navios nSo sSo considera-
veis; o Alfonso apenss recebeu no costado
algumas balas de ftil, e nos outros navios
a ai i ilharia causou pequeo damno; feliz-
mente a forja do exercito imperial nada:
morios e 3 feridos. A
visivelmente protegeu a boa causa ; e a se-
renidade e coragem dos Srs. comoiandan-
tes e ofliciaes soldados e mariulieiros, cor-
responderam a bem fundada opinifio que
ilcllcs la/.si e commandante em ebefe. -Bor-
do da fragata a vapor Affonso,.no Paran, 19
de deiembro de 1851. (Assignado), John
Pascoa Groenfel, chefe de esqtiadra com-
iiuiidanie em cliefe das forcea navaes do
imperio do Brasil noFfio da Piata.
Conforme, Joaq-jim Lucio de Araujo J-
nior, secretario ajuJant9 de ordetis.
Rela^So dos ofliciaes da armada e classes an-
nexas, que assistirsm ao combate do Pas-
so do Toneleiro, no dia 17 do corrale.
Corveta t. Francisca.
Capilo de mar e guerra commandante, Gui-
Iherinc Parker.
Priineiro tenente immediato, Joo Garlos Ta-
vares. $
Dito, Francisco Manoel da SllvaGuimaraes.
Dito, Antonio Claudio Sido.
Segundo teoente, Orozimbo Alves ilranco.
Dito, Pedro Ferrcira deOlivelraJunior.
Guarda ni unida, Antonio Joaquim Moreira
Marques.
Dito, Kurtunato Foster Vidal.
Capello, frei Francisco de Santa Isabel.
Seguudo cirurgio.Dr, Jos Drumood de Me-
neies Vasconcellos.
Coininissarlo, Jos Joaquim Ferreira Maga-
Ibes.
Escrivo, Jos da Silva Guimares.
Curveta Vniao.
Capito tenente commandante, Fernando
Vieirada Rocha.
Priineiro tenente irainediato, Antonio Lopes
Mesqulta. _
Seguodo tenente, Luis Maria Pique!.V
Dito, Francisco de Salles uarte.
Dito, Constauliuo do Amaral Tavares.
Guarda marinha, Mauocl Mallos de Araujo
Castro.
Dito, Ricardo Grenhalgb.
Segundo cirurgio, Jos Ignacio da Silva.
Coininissario, Antonio Joo Cesarino.
l.'Ci iv.'iu, Jos Faustino da Gama.
Ilrigue Caliope.
Priineiro tenente commandante, Francisco
Cordciro Torres e Alvlin.
Segundo teuenteimmediato, Maincde Simdes
da Silva.
Dito, Jos Lupes de S.
Uito, Manuel Antonio Viegas.
Cominissario, Francisco Amonio Rraga.
liscrivo, Antonio Jost Melrclles Lisboa.
Viipor Affonso.
Capito de fragata commandante, Jesuino La-
mego Cusa.
Priineiro tenente secretario ajudsnte de or-
dena, Joaquim Lucio de Araujo Jnior.
Priineiro tenente iinmedialo, Pedro Antonio
Luiz Ferrcira.
Secundo tenente, Jos Carneirode Amorim
Beierr.i.
Dito, Eneas Justo de Uarros Torreao.
Dito, Antonio Manoel Fernandes.
u'uai di marinha, Antouio da Silvcira Caval-
canti de Albuuuerque.
Dito, J,oo Evaugelista Cordciro de Araujo
Lima.
Dito, Joao Gomes de Faria Jnior.
Dit', Cato Piuheiro de Vasconcellos.
coronel eOectivo o referido capitao, Gonz-
lez, dando accesso tsmbem a todos os Ofli-
ciaes e sargentos da divisSo. Premio jus-
tissitbo da nobre deciaio desses vslentes
que devem esperar da gratidSo da pftrt
todos os seus imitadores.
Felicitando a todos os amigos da liberda-
de por este importante successo, precursor
de outroa maiores, reservamos oulrs con-
siderales para o numero de boje do Fede-
ral Fnlri-riano.
Sr. commandante D. Rozendo M. Fraga.
Cala, 13 de dezembro de 1851.
Estimado utnigo. Tenho a salisfacflo
de communicar-lhe que neste momento,
meiodis, acaba de chegar a este quarlel-
general o tenente-coronel D. Jacinllio Con-
zalez, que passou na madrugada de 10 para'
a esquadra do Paran com a divisSo que
pertencia a Vicente Gonzlez. Esteaaon-
tecimento revela eloquentemente o estsdo
daopiniSo publica, que por lodas as partes
se pronuncia contra o tyranno da nossa
patria.
As copias da communicscSo que Ihe
remello o instruirSo de alguns pormenores
que pela hrevidade nao delalho.
Sou scu aCTecluoso amigo e criado
certo.
Jusfo J. de Vrquiia.
Viva t Coofederacao Argentina !
< O governador e capilo general da pro-
vincia de Corrientes, general euicuefedo
exercito do reserva.
Quartel general as Conchillas, 12 de
dezembro de 1851.
Ao Exm. Sr. governador e capitao-ge-
neral da provincio de Eutre-Rios, general
em chefe do grande exercito da coalirSo
sul-atnericana, brigadeiro D. Justo Jos da
Urquiza.
< Tenho a satisfazlo de participar r V. Ex.
quena noite do da 9 a valentefdivisSo
commandada pelo Sr. coronel D. Vicente
Gonzlez pronunciou-se pela santa causa da
patria, qne sustentamos contra o brbaro
sysiema de exclusivismo, de oppresso e
de sangue do tyranno Rozas.
< Este importante acontecimento, de cu-
jos delalhes ser V. Ex, instruido por parte
du coronel Basabilbaso, he o annuncio da
queda do despota, nico obstculo para a
paz dos Argentinos e organisac,Su da rep-
blica. Por tudo isto me cabe a honra de
felicitar com o mais vivo enthusiismo a V.
Ex. e a todos os amigos da liberdade.
Daos guarde a V. Ex. minios minos.
Benjamn Virasoro.
Viva a confedera;So Argentina.'
O coronel chefe da divisSo de infantaria.
Diamante, 10 de dezexbro de 1851.
< Exm. Sr. governador e capitSo-general
da provincia de Corrientes, general em che-
fe do oxercito de reserva, general D. Ben-
jamn Virasoro.
Teudo-se apresentado na illn em fren-
tea este ponto urna partida arvorando a
bandeira branca, mandei inmediatamente
das nacionalidades existentes e dos seus respec- mariuha, e nomeado ministro du laicuda, lugar que
vos teriitonos, pela navegacao dos ros su! j exercia inteiiuamcnte. O novo ministro da gucr-
bazes de estabilidade e conviniencia interna- ra e marinha o Sr. Coronel D. Jos llrito del Pino.
Nao se sabia anda quando su reunira a asseinbla
conciencia de que esta alliauca lia gcral para a clcirSo do priineiro magistrado da ic-
- publica. A clei^o de representantes c senadores
eslava concluida em todos os departamentos.
O Sr. couselliciro Carnciro Leo permaneca em
Montevideo.
clonal.
Temos
de olitere establecer estes'grandes interesses
Oommuin dos governos alliados. O Paraguay
asta lesolvidos a cousagnir todos os seus esl'or
S para se cooseeuirem lao importantes ob-
elos, na conviccao de que nia deve econo-
ittsar nios para tornar ellecliva a sua coope-
racao ao nobre e graudioto empenho dos go-
vernos amigos que o convidar aam tomar parte
na all .ih;a quc acallamos de aceitar. Nesia con-
forinidade noraeou um cucan cgado de negocio
cih Montlvido
( Paraguay Indipendunlc J
INTERIOR.
Aspirante aguarda marinha, Carlos Augusto
de Ccrqueira Lima.
I'riinero cirurgio, Dr. Thomaz Antunes de
soffreu : o que claramente faz senr a mSo j Abreu.
protectora da Divina Providencia. Dito, Joo Gomes de Moura.
Esperando ser novamento accommeltido' Cominissario, Jos Paulino de Almcida e Al-
no estreito Passo do Ramallo levei al este buquerque.
poni as crvelas; purera nSo adiando ah *'"'*">.,"'."" Jf pX /]
inimigo, u trl fondear; e dan.lo ordem ao c ,eente?ominandanle; Joaquim Ray-
commandanto Parker para regressar a S. munU de Llluare,
Pedro com O priineiro vento favoravel, se-- Primeiro teneotelmmediato, Joaquim Gul-
gui viagem. Ihenne de Mello Carrto,
fio da 18, ao apioximar-me da villa do Segundo tenente, Basilio Antonio de Siqueira
llozario, vimos de novo as barrancas cober- Harbedo.
tasileiufanlariaecavall.ria, estn lidas em l''0. Francisco Leopoldo Cabral do Canto c
Teive-.
Dito, Antonio Orozimbo Xavier de Azevedo.
.Guarda marinha, Francisco de Paula Fra-
linii i de atiradores; leudo de pausar a me-
nos distancia que no Toneleiro, fizeram-so
os mesmos preparativos para combate; po- Ozo.
rmj semconlarcom a nossa artilharis, Dito, Jos Manoel de Araujo Albuquerque
que a altura das barrancas inutllisava, do- Cavalcsnti Llns.
minando completamente as toldas dos va- ; Segundo cirurgio, Dr. Euzebio Benjamim de
pores. Araujo Gpes.
Ao chegar ao ponto mais estreito da pss- Escrivo servindo de commissario, Jos Joa-
sogem, vendo que nos nSo aliravam, dei qulmd Rocha Filbo. Thnin R.r.
vivas a confederatSo.rgeotina. hberd.de f,-eriv, !ulcrlno> QataUn" Thom" B"
o queda do lyranno, que foram respond- yapor Recife
dos com enthusiasmo pilos nossos e pare- \ Capitio lcacnlc cJ.,n,Uandantc, Antonio Jos
ceraoi bem acollados polos di Ierra, adan- francisco da Paiio.
laudse vaiios destes para comprimen- Scgnndo tenente iinmediato, Pedro Uypoilto
Duarle.
Dito, Antonio Francisco de Araujo e Silva.
Dito, Antonio Correa de Orilo-
Dito, Fraucisco Jos CoeihoNetlo.
Guarda marinha, Thonias Pedro de Bitancourt
Cutrlm.
luto, Carlos Braconnot.
Segundo cirurgio, Claudio Jos Percira da
tar-nos.
s -ni outra novidade alem de encalhar-
mos varias vezes, em consequencia do rio
estar extraordinariamente baixo, demos
i .n los neste porto no dis r.i, onde poucas
horas antes havia chegadooSr. governador
Urquiza.
Desemharquei immedstamente a tropa, Silva"
armamento, municOes e dinheiro que trou- Commissario, Marcellioo de Souza c Mello,
xeinos ; e buje deu-se principio a passagem Escrivo, Antonio Jos dos Santos,
da vanguarda do exordio alliado para o Sapor I). Vedro.
outro lado do Paran. I Primeiro tenente commandante, Victorio Jo-
Ocomportamento dos Srs. commandan-'*u,roofad'1 Lo'nba. ,,..,
les o ofliciaes, engenheiros, soldados e mi- I, *"""'"*/. m,'a Francl,c0 An'
r.nheiros da esquadra no combate passado ( p,^ D;laI0 Hlplu e ArtuJo Crrela,
fui superior a todo o elogio ; quando todos : Escrivo. Camillo Primo das chagas.
cumpiiram bem com o sou dever, tujusto Bordo da fragata a vapor AQbnso, na Ponte
snra fazer distinctOes ; por isto limito a en-[do Diamante, 23 de derembro de l85i.Joa-
viar a V. Exc. com a copia inclusa da ordem quim Lucio de Araujo Jnior, aecretarlo aju-
.-'ral n. 14, urna relaco dos comman Joules
c ofllciees presentes nesse conflicto.
Dos guarde a V. Exc. Bordo da Trgala a
vapor Kfjonst, no Diamante, 23 de dezom-
bro de 1851.Illm. e Exm. Sr. conselhciro
Manoel Vieira Tosta, ministro e seoretario
de eslado dos negocios da inaiinlia.John
Pascoe Greeofell.
Ordem gcral n. 14.O chefe da esquadra
commandante em chefe, sent o m.is vivo
prazer em annunciar a esquadra, o bullan-
lo successo de 17 deste ta /.. Neste dia pou-
Uantc de ordens.
EXTERIOR.____
I -- Xii i ^^*^**
REPBLICA ARGENTINA.
INTBE ROS.
Cu alegue ychi, 16 do dezembro de 1851.
Anda o nosso exercito uo passou para
o outro lado do Paran, e ja as massas co-
medio a prouunciar-se a favor da causa
da liberdade e da paz, voltando as suas
armas contra o liraono Rosas, que por
tantos annos as lem sacnQcado a aua torpe
co depois do meio dia, a divisSo da esqua-,mDisSo e ao seu selvagem systema de San-
dra, dcbaixo do seu immediato commando, '8"e- Os documentos que nos apressamos a
composla dos vapores Affonso, Vedro II, e- apresoular, com inlima salisfacSo, ao do-
clfeet. Vedro, e das crvelas D. Francisca,'minio do publico, do conta do heroico
VniSo ebrigaoCaUiope, forcou o Passo do Pronullc',nl0nlo da divisSo que era com-
Toncleiro, no Rio Paran, onde o general mandada por t. Vicente Gonzlez, e da aua
Man-iila tinha feto a -lempo todos os prepa- incorpora(3o ao grande exercito coaligado
rativus, com (oda a sua srtliiaria, fornalhas libertador do commando em chefe do illus-
para balas ardemos, e urna forca cunside-'tre general Urquiza. Honra a tojos os bra-
ravel de infantaria e cavallaria, a fin de im- vos que a compoem.
RIO DE JANEIRO 11 DE lAM.IIlii.
Recebemos hontein data, de Montevideo at
30 tarde, e de P uenos-Ayres at 27 do mez
prximo passado.
Havia em Montevideo noticias do Diamante,
ou Ponta Gorda, at 19. Neste dia chegou
Jiuclle ponto da costa de Entre-Rios o Sr. chc-
e de esquadra Greofell com o. vapores Affon-
w, Rtcife, D. Pedro, s Pedro II, que conilu iro
a seu bordo os batalhOea 8. e |3. da diviso im-
perial eipedicionaria.
Nao se tinha ainda recebldo parte olflcial do
Sr. Grenfell, mas sabia-ae que elle em caria par-
ticular mandara, por via de trra, Colonia
a noticia de ler ebegado ao seu destino sem
que a resistencia das baleras de Rosas o incom-
modassem muito.
O Commtrco del Piala, dando aquella mesma
noticia, trancreve o seguinte trecho de urna
carta escripia do Diamante no dia 19 por um
dos nossos oIHclaes de marinha :
Aqui chegamos hoje. Foinos bem compri-
nientados por Mancilla, que se bavia forlicado
Toneleiro ; mas respondemos Ibe com
lodas as : onras militares. Da forca da diviso
Imperial que conduzimos singuen) fui oflendi-
do ; temos suineule que lamentar a perda de
tres pracas da esquadra, e o ferimento de ete.
0 inimigo soffreu de certo damno corres-
pondente.
Pelas duas cartas a que cima nos referimos,
do chefe da exquadra, e de um dos omciaes
de alguin dos vapores que subiro o Paran
alm das bateras de Acevedo, v-se que na
guerra contra o ditador de B uenos-Ayres cou-
be-nos o primeiro tributo de sangue, masque
esse fol diiniuuto, mullo menor do que o arli
lloiru de Rosas, Lucio Mancilla, qulz fazer
crer em sua disfrutave^parte, c se poda recel-
ar da ventajosa posicao einque estavo collo-
cadas as bateras do Toneleiio. Essas barrancas
da margem dlreita do Paran sao mui altas c
eicarpadas, douiiam a cavaleiro uina das
partes mais estrellas do rio; de sorte que do
alto de seus parapeitos al mo se pdajotirar
sobre a tolda dos navios que passaraipKpor
defronte, entretauloque o fogo destes nao pode
ser feilo seno por grande elevaco c dirigido
ao acaso. Nao ubstante, os vapores passram
rpidamente, e segundo a propria cousso
de Mancilla, cauaaro-llic algum dainnu.
, A segunda parle da diviso que seglo nos
IDores /'uruerno, Imptrador l Uruguay, c em
s dous Irauportes de vela, cou no Yblcuy
dem, 13 de Janeiro de 1352.
O paquete inRlez l'rince trouxe-nos datas
do Montevideo al 6 do' corrente a noite, e
de Lonos utos at 4.
As noticias que se-tinham recebido do
Paran sSo summum -ate lisongeiras e im-
portantes. O oonoraAaL'rqiii/.aja se achava
em Sanla-Fcom qussTiodo o c.xo.-cilo li-
bertador, e sua passagem foi precedida o se-
guida de pronunciamentos precursores de
um breve e feliz xito. Os leitores aprecia-
rs os pormenoros de tSo importantes suc-
cessos quepassamosa referir.
Como sabemos leitores, no dia 19chegou
e S*. chefe de esquadra Grenfell ao Diaman-
te, ponto designado pelo general Urquiza
para a refluan o passagem de todas as for-
jas alijadas. Poucas horas antes bavia ili
chegado o dito geueral.
No dia 20 desembarcou a brigada da' divi-
sSo imperial que foi transportada nos vapo-
res Affonso, Recife, Pedro II, e D. Pedro. No
dia 23 deu-se principio a passagem do exer-
cito, que havia sido precedida pela defec-
(3o do capilSo Jacintho Gonzlez, que se
presentara cun 400 bonicos da divisSo ni-
sisla, commandada pelo coronel Vicente
Gonzlez e com perto de 3,000 ca val los to-
mados divisSo de Santa Coloma.
A cavalhada o gado foram transportados
em grandes balsas, e a tropa nos escaleres
dos vapores e parte tambem em balsas, sen-
do tanto estas como os escaleres dos vapo-
res e parte tambem em balsas, sendo tanto
este como os escaleres rebocados pelos va-
pores.
No dia 24, achando-se apenas ao outro
lado do Paran dous a tres mil horneas do
seu exercito, passou o general Urquiza e pi-
sou sobre o territorio.Santa F. As amiga-
veis dispusieres do povo Santafecino eram
j conhecidas, uSo s pela defeccalo de que
cima fallamos, como pelas manifestarles
que a tropa paisanos que estavam sobre a
costa fizeram quando passram os vapores
da esquadra imperial. O general Urquiza,
bysrxioeai que o tyranno quera supporttr
as glorias,o valore at o reuome dos Ar-
gonlinos.
t Soldados.' Marchronlos com passo ven-
cedor, porque o poder do tyranno he inca-
paz de oppr-se ao vossso denodo ; porque
esse poder nSo est fundado no amor dos
seus compatriotas, mas sim no terror que
lem dilTundido e no sangue que ha derra-
mado para conservar a sai odiosa tyrannia
o fazer com que os Argeulinos o deirlquem,
sacrificando por elle sua honra, sus fama,
a recortarlo das suas glorias, a liberdade
da patria e o porvir de suas familias.
Soldados 1 Levamos comnosco podero-
sos elementos do victoria, porque a alliauca
americana com o Brazil e com a Repbli-
ca Oriental nos tornam mais fortes para com
balero ambicioso governador de Buenos-
Ayres, e porque os seus governos, que nSo
lem oufo interesso senSoaqula do ly-
ranno-argentino, nos brinlam com todos
os elenioulos de guerra de que dispOa. A
Repblica Oriental j collocou entre vos os
seus aguerridos soldados, e o Ilustrado go-
verno do Brazil coopera tambem generosa
o uobremeole com os seus exercilos e es-
quadra para o triumpho da liberdade ar-
gentina, que haveis de proclamar c im a
razSo, e sustentar com ss lDCal.
Cantaradas! A omprohenrjer a glorio-
sa campanha contra o malvado Juan Manoel
do Rosas i.-i vos pefo outra cousa senSo a
pratica das virtudes com que teodes gran-
geado a admiracSo universal e o respeito
dos vossns inimigos Obediencia sos vos-
sos chefes, respeito propriedado, soffri-
menlo as fadigas, valor nos pongos, geno
rosldade na victoria e humanidade para os
vencidos Se assim vos comportarles e ti-
vermos quecombater, muito breve vos di
re no campo da batalha :
Viva a heroica ConfederacSo Argen-
tina !
Viva o exercito alliado triumphante !
luito I. de Urquiza.
a Quartel generil no Diamante, 20 de de-
zembro de 1851. a
Logo que pisou o territorio da margem
direita do Paran, o Ilustre general procla-
mou aos povos da Confederarlo Argentina
nos segu ntes termos :
Viva a Confeieracfl Argentina
O governador o capilSo general da pro
[ara d'ahi passar-se ao outro lado do Paran",
o lanchSo de guerra correntino Fuardia liando assim as bateras de Mancilla, quale-
'- desde que as forcas alliadas
Federal, que acaba de cooduzr para este!"E2ET5*
lado o alferes D. Jos Maria Villamayor o |"r ",". ,"0,
qual he enviado pe.o c.pito D I.0&U.O\SSS^^/VX&T&it
conzales, queafronle da valente divisSo Cartas de HuenosAyre. davao a ana pasaasuem
que era commandada pelo coronel D Vicente 'ji eQ'ectuda.mas em Montevideo apenas se sabia
Gonzlez, pronunciou-se a mcia noite con- | que todas as forjas eslivo sobre amarguen)
esquerda do Paran no dia l'J. e que o exercito
la passar com toda a promplido.
Eis o extracto das ultimas noticias de Rueos
Ayres at 27, publicadas no Comercio del Plata
do dia 30 :
26 de dezembro.
it Mancilla retirou-sc para os Arrecifes deixando
(duas pecas que se desmontara ni no caulionco do dia
O Ollcal Villamayor, deve chegar a este I?. Relira-sc tambem Echague para o Arroyo del
ponto estl noite afrente de quatrocentos Medio, deixando algumas partidas de observaco
liomcns pouco mais OU menos, e llOS trez ]brc o Rosario. Aforrados dous gencraes dimi-
milcavallos de sella. Para facilitar a sua,01"1 eessivaraenlo madina que sercaVo, eo
tra o tyranno de Buenos-Ayres, arrebatan-
do todas as cavalbadas a divisSo Sania
Coloma, depois de ter-ihe dado duas corgas
no seu proprio campo, que ella so pode
conier favorecida pela sua artilbiriae m-
fantria.
O cipitSo Gonzlez, segundo disse o
exercito de Urquiza penetrar sem opposico.
Fm S Ni'olo, S. Pedro, etc. ncram os juizes
marcha lago sabir neste momento varios
vaquanos em diflerentes diroccOes para
que os conduzam pelo melhor camlnho.
Desejo que V. Ex. se sirva ordenar-me
medida que deve tomar-se logo que a
divisSo se aprsente frente deste ponto ;
isto he, se deve a dita forca passar para este ,1? bao deajudar aos libertadores os habitanti
lado com a cavallaria, ou deixa-lado outro, l'ul' P15 fazendo psssar alguma forg de infantaria*
para protege-la.
O teaente Parera informar a V. Ex, de
todos os seus detalbes que desojar saber.
Dos guarde a V. Ex rnuitos annos,
t Uanoel Bus ibilbaso.
(Botlelim V*clraoriinario.)
REPBLICA DO PARAGUAY.
Allianca do paraguay com os estados visinhos
Assuinpco, 20 de outubro
Estamos autonsados para imfonnar aos nos-
sos concidados de que o nosso governo, con-
vidado
do
pedir passagem do refurcos para a van
guarda do exercito libertador. A divisSo a
reboque dos vapores, passou na maior or-
dem, a meio tiro de fuzil, por essa formi Ja-
vel posc,So, .respondendo coto metralna e
O benemrito c.pitSo D. Jacintho Gon-
zlez que se collocou frente do movimon-
to, e todos os dignos federaes que o acom-
panharam bem mereceram da patria. S.
Ex. o general Urquiza promoveu a tenente
de paz com algumas partidas para fazerem retirar as
familias, cavalos, e mais objectos que possao par
utels a Urquiza.
Ao sul do Salado j ninguem lie chamado s ar-
mas; poaque ha l grande agitoro e desgoslo. Mui-
habitantes ido
su-
aremo,
Segundo as partes de hontcm uollc, parece qu
ka mouros na Costa.
m in de dezembro
Depois d i minlta ultima cliegiammuiti. barcos
de S Nicolao carregados de familias que abandona-
rn suas caas c interesses por ordem de Mancilla.
Parece que elle fez sua retirada no mesmo dia, pois
que aute-hootem se soubc une estava nos Arreciles,
tem como qu toda a cavalhada da sua diviso se
chava na estancia do collector poucu distanlc da-
quclla |im.i..'i.i.
llosas dista que ia pr-se frente do scu exerci-
._.. H. 1HW w MH. ,, i [o, que, como j sabemos leitores, nao correrao
pelos da repubiiea Oriental do Uru- [encontr do inimigo, mas se r con entrando at
guay, do imperio do Brazil e dos estados de reunlr-ae todo nos Sanios Lugares. I'osto que o
i-.niie-ll,u. e corrientes, pelo iulenuedio dos [ dictador tcnlia molivoi para n5o confiar a oiitrcm a
seus agentes puulicos, e por va do nosso ral- suadcl'esa, cesteja na obrigaro de mostrar que lo
ni-.no secretarlo de relac cilernires para lie gcucralissiino s era nomo', he muito duvidoso que
adherir ao coovenio de alliauca ofj/enclva e ,e fiouver batalha, se conserve elle i frente de suas
defenciva qne ce cbiaram para cxpelir do ler- forcM (C e,s, momento,
rilo rio da repblica Orieut I o general D. Ma-1 () exercito imperial, que estava na'olonia, causa-
noc Oriben as tropas argentinas, prestou a!va-lliea mais viv iiiquietaco. I Inln um hornera
sua adhesao com duas condi;es, ou antes encarregado de sondar continuamente a costa de
plicacea de doua arligos em que recaulro. | Kuenos-Ajres, nos pontos de desemLarque proxiiuo
Cremos que sero fraocamc>ale acotas, sendo a cidadc, c de transmiltir-lhe de curtos era curtos
nosso ver justas e conlormcs aos objectos, e
inclino as bases da allianca.
F.--Ia allianca lera por mico (im a pacilic-
co da repblica Oriental do L'ruguay, a aua
independencia real e ellctlva e o resta. ,-,1 ci-
ine,,io do goveroo oriental em lodo o estado, na
Inteligencia deque se por cusa de semelbau-
le alliaoca o governo de buenos-Ayre. declarar
guerra aos aliados, individual ou coiletiva-
mcute, a mesraa allianca se conver r em al-
lianca comraum contra o cito governo, ainda
ouaudo o seu objeclo se tenba conseguido, e des-
de esse momento a paz e a guerra tomar o
mesmo carcter. O. se o governo de Buenos-
Ayres se limitar a hostilidades parciae. contra
qualquer dos estados alliados, os outros coope-
rado com os ineios queestoa scu alcance pa-
ra sepelir e acabar coaitaes hostilidades.
A adhesao do nosso goveroo a referida alli-
anca h. conforme ao scu compromlsso anteri-
or pela liga de 2s de dezembio ultimo, para co-
adjuvar a S. M. o Imperador do Brazil no em-
pc.ibo de manter a ioaependencia di biod. Oii-
emal do Uruguay : Le couforine aos nossos grao-
des interesses mKionaes, desconheclda. e iios-
tllisados pelo iniralavel governador de Buenos-
Ayres D. Joo Manoel de Rozas i e o lim he
conforme a poltica que temos adotado para
alliar-uos a todos o immigos daquelle faneato
vlslnho.
Nao ser ocioso notar neste lugar que a no-
ta do referido convime foi entregue ao nosso
governo em M do corrente, e com esta data
se tespondeu aceitando o, para que se veja
e conste que nao ka uve demora da uossi par-
le, tnlretanto a nossa administraco prepa-
rare para lomai parte nos estarces dos gover
nos alliados, n
tmenlos a
sul da America
tinha ordenado que o coronel Francia apo- vicia d'Enlre Rios, general em chefe do ex
as dezembarcasse em Corond, marchisse erclo alliado da vanguarda de operarjfles.
com alguma forrja sobro a pra;a de Santa Aos habitantes da ConfederacSo Argen-
F e de.11 se apoderasse. Esta ordem foi tina.
executala com presteza, e ptimo xito. Argentinos! A' frente dos soldados da
A guarnifSo da pra;a pronunciou-so fa- liberdade que compoe o maior exercito que
vor, apenas aproxmou-se o coronel Fran- estas repblicastem visto, alravesse o ma-
cis, c na tarde do mesmo dia 23 em quo co-
moo.ii i o exercito a passar estava aquelle
ponto militar oceupado por tropas do gene-
ral Urquiza. Eis a comnuiaicao.io ollicial
deste successo :
intervaltos urna parle do estado das aguas. Amea-
rado por todos os lados, rece ando a todo o momento
que os seus pronrioi deiensores se i lie convertessera
rm inimigos o brbaro dictador antes de conrear a
euerra ja Prncpiava a sentir os ellitos da vingauca
divina.
No dia 0 noite o capito Jacintho Gonzlez sub-
levuu-.se eoni a diviso que se achava sobre a costa
de Santa F ao mando do coronel Vicente Gonialcz,
e passou-se para o exercito libertador, levando com-
sigo nos 100 bomens, pouco mais ou menos,e cerca
de 3,000 cavados que arrebalou divisfio de Santa
Coloma. Esta delecco, quando ainda se achava o
general Urquiza do outro lado do Paran cora todo
o exer. ito sob seu commando, he do mais feliz presa*
gio. Na parte exterior encontrarn os leitores a no-
ticia circumstanciada desse successo, a que em En-
tre-Rios se deu cora teda a raio urna grande im-
portancia.
Pablo Alegre, um dos mais habis, senao o mais
hbil chefe de cavallaiia de Rosas, foi assassinado
as vizinhanras da guarda de Lujan, perto dos San-
tos Lugares, por um dos ofliciaes da torca que coui-
mandava, Mateo Alvarez, filho de um rico prepric-
tario que aquelle chefe tinha violenlado a acrom-
i '. ^- .. .. i. ____ _-_____ e_:.__
Viva a Confedera<3d Argentina '.
O governador capitSo-general da pro-
vincia Entre-Rios, general eui chele do ex-
ercite alliado de vanguarda om operacOes.
* Quartel-general as barrancas, em 25
de dezembro de 1851.
a Ao Exm. Sr. presidente da Repblica
Oriental do Uruguay, I). Juaquim Suarez.
a A ciKiiiaiiaiiv'io que junta por copia te-
nho a honra de remoller a V. Ex. o instrui-
r do importante aconlecimento que teve
lugar na capilal da provincia de Sania Fe,
pelo qual felicito a V. Exc. e a lodos os ha-
bitantes desaa repblica.
< Dos guarde a V. Bxc. rnuitos annos.
Julio Jos de Vrquisa.
Viva a Confederado Argentina !
Santa Fe, 23 de dezembro de 1851.
Exm. Sr. general D. Justo Jos de Ur-
quiza.
Meu querido general. Na conformi-
dade das ordens de V. Exc. que me foram
transmittidas polo Exm. Sr. governador de-
legado, passei-me hoje para este lado, e s
4 horas da tarde entrei na praca, or.de en-
conlrei urna guarn;3o de 500 infantes com
4 pegas de artilharia, que se pronunciou
com herosmo e enthusiasno pela liberda-
de e contra o tyranno de Buenos-Ayres.
O coronel D. Malhiaz Daz, com a forca
sob seu commando, acha-se s minhas. or-
dens ; o o coronel Ranrlzz ainda se me nSo
apresonlou, mas espero que o fsr. uizem-
mo quo Castanheda seguio pelo Sallado ci-
ma : uflo sai cual que designio.
Por tSo feliz ojito da commissSo que
V. Exc. se dignou confiar-me, felicito a V
Exc, ao exercito, e aos povos libertados
da tyrannia pelos heroicos esforrjos do V.
Exc. I'i-'i'o iiiiii.-nd i mui particularmente a
V. Exc. o valente commandanle D. Luiz ller-
uanJes, e pela cooperario que nos presta-
ran), o coronel Daz, e o sargento-mr D.
Ignacio Comas, os quaes ambos manifesta-
ran) muita decis3o e denodo.
Ac .lio ,lo siber que o chamado exercito
do pobre D. Pascual Echague so vai eban-
dando : alguns soldados ja se me tom apr-
senla 1 >
a Ssu lo com todo o respeito c conside-
rarlo a V. Exc. etc.
Jos Maria Francia.
O general Urquiza otravessou o Paran no
escaler do cnefeda esquadra imperial, (.om-
inan lav o escaler o Sr. teneute Joiquim
Lucio de A aojo, secretario-ajudanle d'or-
dens do Sr. Greofell.
Ao comer-ar-se a passagem das forrjas al-
ijadas, o general Urquiza dirigi s tropas
argentinas a seguinte proclamarlo i
\iva a Confederacfio Argentina^
ic rnoCLAMVCAO.
O governador e copitSo-general da pro-
vincia de Entre-Rios, general em chefe do
exercito alliado da vanguarda de opera-
c,0es :
a Ao exercito.
< Soldado .' Multo breve pisareis a mar-
gem occidental do Paran, proclamando a
liberdade o a soberana dos povos argenli-
K nli,-lo. Pablo Alegre era famoso por seus feitos I n0g| que, ao ouvir o echo dos clarius do
mashurquero. O corpo que eslava soli seu com- l(jr,nje Exercito, despertars do lethargo,
mando, corpo acomido, segundo se dina, disper- i enthusiasmo VOS saudarO como aos
sou-se quas, todo, e nao se sabia que desuno toma- muj |1Der.laoreg.
"S *Z 5Sl ficav, em paz. A agitac.o ele,-1 A campanha que vame, **;
toral nao tereasconsequencias que sepdenao re- he santa e gloriosa, polque.nelle wmos tte
gesloso Paran ; nSo para combater contra
vos. rus defender vossosdireitos ea sobe-
rana dos povos argeulinos; nao para der-
ramar o sangue do saus lilhos, mas para im-
pedir que o tyranno de Buenos-Ayres o der-
rame por mais lempo; nSo para proclamar
principios incompativeis com as vossas ao-
cessdades, mas para tornar elTectivo o pac-
to federal da repblica.
Compatriotas.' Vinte annos de liumi-
lhat;3o e de tyrannia vos tem feito appare-
cer ante o mundo como indignos da gloria
o do renomo que vossos pais conquistaran]
nos primeiros lempos da liberdade argenti-
na, quando por esforjos do seu valor e vir-
tudes levaram desde as margens do Prata
at s fragosas regies do Per o estandarte
victorioso d independencia americana.
Ilerdeiros de tanta gloria e de tilo grande a
merecido renotne, u quo sois agora ? Urna
oac.3o sem instilui^Oes, sem prosperidade,
sem liberdade esem grandeza, a quem o
selvagem dos Pampas Juan Manoel Rosas
vilipendia, humilba, ensanguenta e tyran-
aisa para salisfazer a sua inssisiavel ambi-
cio.
Argentinos! Soflrer por maisum dia tSo
dura e opprobriosa servidSo, quanto vos
brindo com o apoio de anillares de guerrei-
ros que a allianca e a liberdade enllocara m
em torno das bandeiras irgentinis, seria
desmontir vossos gloriosos antecedentes.
Soflrer o vosso tyranno quando vedes as
lileiras do Grande Exercito os proprlos sol-
lados com queoppnmii a Repnblica Orien-
tal, e que desengaados por Um da sorte que
Ihes deparava, querem viver sob a cgiJe de
leis genorosas, seria dizer que nSo queris
ser livres, oque vossos pais nSo foram os
nclitos guerreros de Salta e de Maip.
Argentinos! Basta-vos urna hura de
denodo para despedazar as odiosas cadas
quevosopprmem ealira-las cara do vos-
so tyranno, que impotente e coberto de
crinies nSo ousara ver o brilho das armas
dus soldados da lib r,l i le. i na hora de
heroicidade, o ficareis reivindicados de 20
annos de humilhacSo o de tyrannia, e a his-
toria dir que fustes desgracados, punan
uSo indignos do nomo que vos legaram vos-
sos maiores.
a Compatriotas'. Tenho vos fallado em
nome da patria, e espero ser acre litado de
vos, porque tolos os actos da mu ha viua
publica sSoo testemunho maiseloquente da
sincendale do miabas palavras, da recu-
lan do nimbas inten,fles, e da nobreza de
minhas asplrarjfles, que nSo sSo cutres se-
nSovera heroica ConfederacSo Argentina
urganisada, feliz e poderosa, e a seus lilhos,
que sSo meus irmSos, vivendo sob o ampa-
ro das leis que nos povos civilisados prole-
gema vida e a proprieJade dos cidaJSos.
He esta a mlnha nica ambicio, assim como
ser minha gloria embainhar, depois do
triumpho, a espada que a liberdade pz em
minhas mSos para combater o usurpador
publico das regalas naeionaes.
Justo J. de Uromao.
Quirtel general om marcha, 23 de de-
zembro de 1851. ......
Depois de referir estss noticias, diz o Cow-
mercio del Plata l
> Os dados estSo laucados. Ja se deu o
primeiro passo para combater o poder de
Rosas em sua sede, com a firme e pensada
resolucSo de lodos os governos alliados, de
senSo pouparem a nenbum genero de sa-
crificio at que lenhSo obtido o triumpho;
denSo tratarem com Rosas debaixo de ne-
nbum carcter; de nSo pendurarem as ar-
mas senSo depois de haverom extinguido
pelo raz esse escandaloso poder que levan-
tou-separa a destrucSo de seupaiz e para
a perpetua inquietar i de seus visiubos. u
No dia 1" du correle achava-se o general
cidr da sorte de una grande nacSo qne por
A. tres legis cstrageiras, a italiana, e s chamadas vinte anuos tem gemido sob o pesado jugo
* de guardas naeionaes e regiment de cacadores ,i. ivrannia do dictador dos Argentinos, e.
completar grande obra d. regeaeraSo Urquua ea Cacarauha, na povo.^o do Ro-
soc".l daa repblicas do PraUf para que sano, trez legua* arredro da costa Ali
a nova era de civiliaac.au, de paz e ostabeleceu o aeu quartel-general, e ali dis-
vascos, foram dfsarniBa'ase hcenctudas, como di-
semos n outra occas.ao. Este acto teve lugar no
confianza doi seus justos sen- dia V8 pela manha. c executou-se em plena paz
bs votos pe'
MeridioDal,
rdeoua votos pela uaaquilidada doS Por decreto" datido dodia" l i'oi'osf. corne D- J^X'jV;"^ ^^ com celr"iUd s-
pela conwvacaoJUreiiioBaUleeaoeradodo mioisteno du guerra c de Iiueroaae, oso ii,ire fp a/.ow. ,FU r


' *'" une
bre Buenos-Ayrei. Quisi lodo o exerc to
tinba ji panado o Paran no di* 30 ullima
dan do Humante, > ri'slivim por passar
cerca de 6 a 8,000 bomens. O general Viro-
soro, commaudanle do xircilo de reserva
anda aalava no Diamanto presidio io 4 paa-
sagem do resto do exercito e do seu Irem e
bagagom.
A divisSo imperial, de que he chefo o Sr.
brigadeiro Manuel Marques de Souza, vol-
tou do Diamante para o Rosario nos vapores
da esquadra impeiial. Aetiava-se no dia 1*
acampada na costa daquella povoacSo, fal-
tando-llie smenle o irem de artilliaria que
llcara as Enramadas, e ja se tinlu. ido bus-
car.
O regiment do lioceiros e clavineiros
conynaudado pelo Sr. coronel sorio uni-
le ao exeroilo de vanguarda do general l'r-
quiza.
A divisSo oriental passou no Diamante,
j encorporada s tropas argentinas.
Kemava ein todas as forrss alijadas o
inaior eolhusiasmo e amizada : suas bandas
do msica festejavam tssa santa allianca e o
seu prximo triumpdp locando em harmo-
na alegres canligos marciaes.
Recebemos noticias circumstaociadas da
acco que houve no Tendero entre a forca
do general Mancilla que ali setinha fortill-
cido, e a divisdo da esquedra imperial qu
sob o commando do Sr. chele de esquadra
Crenfell cooduza e comboiava a primeira
ux. odi^Do de tropas impuriaes. *
No du 13 do mez passadosahiiam da Co-
lonii o vapor Sffonio, a cujo bordo la o Sr.
cin-fe de esquadra Crenfell, e os vapores
l'idro II, Recife li. Pedro, conduzindo urna
das brigadas da divis.lo imperial expedi-
cionaria, nomposta essa brigada dos bata-
lbOesS'e 13. No dia 16, ao por do sol che-
gou a expedicAo a S. i'cdro, Olido se i-clli-
vam as corvetas D. Francisca e UniSo, e o
brigue Caliope, sob o couimando do Sr. ca-
pilflo de fragata Parker. No dia 17 ao rom-
per do dia suspendern) todos, o dispuze-
ram-se na aeguinte ordem para forca rem o
dilDcil passo do Tonelero : o vapor A//baio
rebocando a I). Francisca, o redro II, a
Uoifio, e Hecife ao brigue Caliope, e o D.
Podro na silleta do pnuieiro. Desta manoi-
ra navegavaiuo mais unidos e devagar que
foi possivel, at ebegar ao sobredito passo,
o que leve lugar pelas II horas da maniia
do mesum dia 17.
Al barrancas do Tonelero estavam quar-
uecidas de 12 a 16 bocas de l'o.:o, das quaes
2 de Calibre 18. Eram flanqueadas por duas
iinhas ile aliradores de 1,500 bomens, col-
tocados dentro do urna sauga 'mi vallo abar-
lo as mesinas barrauoas e ao lado das ba-
teras, cujas pecas guardavain entre si gran-
des distancias. Os atiradorcs, bem Cono
a tropa que guarneca as bateras estavam
mascarados pelas barrancas ; dos pnmeiros
penas appareciam as gorras encarnadas.
A's 11 horas e 15 minutos deu o Xf/omo
signal de preparar para combate. Cada na-
vio recolneu s cobenas a tropa que condu-
ca a seu bordo, licaudo ein cima tilo s-
menle as praciis necessarias para sustentar
o fogo de lo/1i.ii ia.
O comniondaute da brigada e todos os
seus ollic aes quizeram correr os riscos do-
seus cantaradas da esquadra; os soldados
manifestaran) o tnesmo'desejo, mas nSo foi
salisfeito.
Quarenta minutos depois do mcio dia
rompen fogo das bateras do Tonelero, que
fpi respondido por toda a divisSo ao pri-
meiro tiro do Afibtisc1. A acco foi rundida
o duruu oais de uuia hora. Os Argentino*
lizeram uin fogo vivissimo de artilliaria e
fuzilana, e deram muitos tiros de balas ver-
melhas. A dlvilBo da esquadra impeiial
respondeu-lbe, com um fogo tamhem acti-
vissimo do balas rasas, melralha e f i/1l.n i,i.
Perdemos quatro piucas da esquadra, e
ti vemos tres feridos. As avariss que solfre
rain os navios foram insignillcantes. O ini-
migo, segundo as declaraces de algumas
de suas pravas que se passaram para o exer-
i'iIli da allianca, leve 8 morios e 10 ou 2(1
feridos.
O combate durou tanto quanto foi preci-
so paiaquea nossa dlvisdo passasse sem
faltara Mancilla cornos compiieutos que
Ihe eram devidos.
Assim frauqueou a nossa diviso essas
bateras a distancia de meio tiro de Ijtzil dc-
baixo de um fogo incosantu e ten lo de com-
baten inimigos que nSo mostravaai senu
as bocas dos seus canhfi-s e 03 canos das
suas espingardas. As duas horas da tarde a
divisSo linii edegado ao Ramalho. Os va-
pores soltaram eolSo os reboques o segui-
rn, licando ali Tundeado as uuis coi vetas
e o brigue.
Ao pu-sarem os vapores pela povoac,So de
S. Nicolao, chegou algum povo, s barran-
cas, mas, ao que pareceu, smenle para go-
zar esse espectculo que hara muito lem-
po nilo preseucjavam. Ao anoitecer Tunde-
ramos vapores junto a illia de Carbonel,
pouco aquem da divisa da provincia de
Santa-fe. No dia seguinte (18) snspende
ram, es8 horas da mandan avistaran a
MTMClo do Itosario com as suas tamban)
formidaveis barrancas.
Sobre as barrancas do Rosarlo eslava forma-
da urna lorca comtderavel de infamara com as
armas descansadas, e una 500 homena de caval-
laria. Aa soleas das casas estavam alulbadas
de gente.
Era de presumir que a pasaagem fosse dis-
putada, e os vapores touiaram diaposlco de
Solbate. Mas a tropa os vio paasar por bailo
daa barrancas e a tiro de pedra, sem fatcr-lhrs
a menor bostlldade, e alguna doa seus ofliciaes
comprlmenlaram aos pacficos navegantes. En-
Ido o Sr. cliefe de eaquadra Grenfell mandn
subir a gente s enlardas, e ao 10111 das msi-
cas deu vivas Conlederaco Argentina, t II-
berdade e a queda do tyranno, vivas que foram
cnlbuaiasticameute correspondidos pela divi-
so e pelos seus obaervadorea de trra.
Aaaliu seguio a diviso sem encontrar mais
neobum obstacul a, at ao Diamante, onde, co-
mo la dissemos, chegou no dia 19.
Ea a noticia circuinstanclada da passagem
pelo Paran da nossa segunda espedirn:
U vapor Imperador sabio da Colonia no da
Id larde, e com elle o vapor oriental Uruguay,
conduaindo ambos cerca de 2,000 pracas. O
vapar de guerra Paraeose parti uo dia arrta-
te, levando a seu bordo e ein dous transportes
que rebocava o resto da diviso imperial. A
bordo do Imperador lain o Sr. brigadeiro .Ma-
nuel Marques de Suuta, chefe de nossa diviso,
e seu eslado-inaior.
No da 18, pelas 8 horas da mu. lina, chegou
o Imperador cima do ponto denominado Duas
Iruias, pouco abaixo do Tonelero, O vapor
Uruguay chegou duas boras depois, e ao anoi-
tecer a corveta D. Januaria, que suba rebocan
do doua traosportea com mantimentoa. Esta
corveta fuodeou mu preiimo costa, e um
pouco cima doa dous vaporea.
Aa barracaa de Acevedo anda estavam guar
aeldaa de tropas e artilliaria. Mas como as
dispoaiedea que touiaram os doua vaporea e a
corveta Jauuaria e approxiinacau das corvetas
1). Francisca e Unio e dj brigue Caliope, que
desclam para protegc-los, siiiiulassem um dca-
eiobarque, no inesmo dia 18 sobre a tarde, pos-
ee o valeroso Mancilla em grande movlinento c
donadas pelo sea corajoso guarda, que, del-
sando-aa entregue a sua drfcaa natural, avan-
cou intrpidamente para o Interior.
O pasto ticou, pois, franqueado, e no da20
fuglram os vaporea para o seu di-stino. Pouco
adame appareceu-lhe sobre a coala urna forca
de duientos caralldroi armados de davinas,
que ein vez de hoslIllsa-IrtRcompanhou-os pa-
cilicaineute al San Nicols : a nossa gente ob-
sequiou aos seus coinpanheiros de trra fazen-
do-lhes ouvlr-as symphnias das nossas bandas
de msica, que tocaram em todo esse trajelo.
Na 1II1 a do Ramalho apreaenlou-ae o major
argentino Mirlo coiu sela ofnclaea e um aar-
gento, e foram recabldoa a bordo do Imperador
pelo chefe da dlvlafo Imperial, o Sr. brigadeiro
Manoel Marques de Soma.
A's boras da nianda do da 21 chegaram
ilha de Carbonel os vapores Imperador e Uru-
guay e o Paraeose, so na inanhSa seguinte, em
consequtflicla do atraso que causou-lhe o ter
sotaventeado uin dos transportesque rebocava.
Pelo mo pratlco que levava. nio obstante
demandar menos agoa que alguna dos outros
vapores, encalhou o Imperador na poeta no-
roeste da Ilha de Carbonel. O Paraense flcou
para ajuda-lo a safar, e o Uruguay seguio no
dia 2! para o Diamante.
Tuda a tropa que la no Imperador passou pa-
ra o Rccife, que velo em seu soccorro e este
vapor e o Paraense segulram para o Diamante
no dia 33.
O Imperador tirou-se sem avarla de Impor-
tancia do banco ein que se enctlhra, e regrea-
aou para a t olonia no dia primeiro do crreme.
Ficava em Moutevido quando sahio o Princc,
e poraquio teremos mu brevemente com no-
ticias mais recentes.
Alm da defeceo do major Maroto e dos que
o acompanharam, varios outros militares e pai-
sanos em numero de 100 pouco mais ou ineuos
se passaram e foraiu recebldos nos vapores.
Por denuncia mandada do Rosario, aoube o
brigadeiro Marques que Jos Maria Rchague,
Iriuo do ex-goveruador de Santa F D. Pas-
cual Echague, lugla para Kuenos-Ayrcs com
sua familia em mu pequeo barco de vela; e
apparecendo com elimo o dito barco no dia 2li,
foram presos Echague, c um individuo que
com elle ia, Nicolsarmedia, que se diz fra
ein outro lempo secretario do geueral Urquia.
Os dous presos seguirain cm um dos vapores
para o Diainautc, 1 a familia de EclLague voltou
uo inesmo barco para o Rosario.
Km seu trajelo pelo lio, a gente dos vapo-
res ellecluou pequeuos desembarques na costa
occideutal para ae prorer de carne, de que sen
tia 11!(.1, porque o primeiro destino dos vapo-
res deisa scguuda expedico era as Enramadas,
c por ordem dada 00 luomeuto da partida livc-
ram de seguir al o Diamaute. Nesses desem-
barques neiihuiua resisleucia sotf reraui: os
paisanos da costa, e inesmo alguma tropa que
por ahi audava dispersa eram lavoravels s
baudeiras da alliauca.
A provincia de Saula F, de tanla importan-
cia militar na presente guerra, porque domi-
uaudo-a, se isola a proviucia de uueuoa Ayres
do resto da confederaco, eslava pols oceupada
pelo exercito libertador. Estabeleceu-|f. logo
ah um governo provisorio, cujo chefe be D.
Domingo Crespo.
Em seguida a este artigo publicamos a pro-
clainaco do uovo presdeme interino de Sama
F, bem como varios bolelius do general em
chefe das torcas adiadas.
F.ni Bueuos-Ayres eram anda, no dia i em
que de l sabio o Priucc, ignorados os mais im-
portantes acoulecimentos de Santa F.
11 general Maucilla avaocou llgelrainenle,
porque no da 3 j se achava na cidade de Uue-
uos-Ayres : diila-se que chegra enfermo. O
coronel Julin Sosa licra coiniuandaiido a
pouca forca que conservou-sc uas barrancas de
Acevedo depois do tiiumpbo do sobredito ge-
neral.
A enfermfdade de .Mancilla, diz o Commcr-
%
sido exonerado do cargo de ministro da gurr- Na minha ullima eu Ihe dizia que lalvezionde fundou-se povoacSo que paliou de
raemarlnhadalUpublleaOrltoialdo Uruguay I4 permaneca do filo se devesse attribuiralpois a denomlnar-se S.-Paulo, em honra
e noineado ministro da faienda-pedio demlisajfrle7a Com que se tratara a prxima eleicSo '----------
deste ultimo emprego e foi substituido Inte- J(J ien|0rM agor, llie flrei que essa frie-
fol subatiiuldo Inle-
riii.iineiilr pele Sr. coronel D. Jos Urlto del
Pino, '______________
PROCLAMAgAO.
Viva a confedtraiSo Argentina I
Qgovernador a capilo general interino d
provincia de Santa F, aos seus concidados e
aoexercito.
Compratlotas I o'sagrado grito de liberdade,
psz e unio de todos os Argentinos e de orga-
nisaco nacional queechoou no memoravel dia
Io demaio -met d'Ainericado presente anuo
em Sao Jos, dado enrgicamente e em virtude
do tratado de 4 dejanelro de 1831, pelo lllustre
e valente general II. Justo Jos de rquiza, go-
vernador e capilo general da provincia truia
de Eotre-Rlos, foi segundado com patritico
enlhusasmo nesla capital no dia 33 do corren-
te a successlvamcnte ein lodos os departamen-
tos da provincia.
A autorldade do Intruso D. Paicoal Echague,
3ue calcando nosaas lostitulcdes com escndalo
eseonhecldo se manteve na primeira magistra-
tura, foi derribada sendo amsldicoadoesie ty-
clo del Plata (sempre bem informado dos se-
gredos de llosas e dos seus delissiinos;, teiu
lodos os visos de urna doenca forjada Quando
Sosa sahio de llueuos Ayres foi com o desllno
de tomar o commaudo dessa diviso. Rosas
suspeila hoje de todo o inundo, e de qucui me-
nos se lia he de seu querido cunhado. Man-
cilla, por sua parte, uo meuos desconfa do
poder e do triuiupho de seu querido cuuhado ;
pois nos consta ilue dcade o dia 29 que escre-
veu ao gerente da casa commcrcial que possue
en liiieuos Ayres de sociedade com seu sobri.
nho Adolfo, que actualmente se ada 111 Euro-
pa e a quem por este paquete se ouviain alguus
lundos, para que com a inaior brevidade pos-
sivel liquidasse e fechaase a casa, pondo tudo a
bom recado
llosas 1.rdeumi que estivessem promptos
para marchar para os Sanios Lugares o baia-
iho policial de que lie comiiiandanle bernar-
do Romero, o da guarda argentina, o de mari-
nha, o de restauradores c o de serenos. Este
ultimo, composto de 450 pracas, val cemman-
dado por um alferea Pinheiro, porque acu com-
mandante, Larrazabal, licar na cidade com-
in in 1111.1 1 a milicia passiva ou da reserva. Pa-
ra a guarnico da cidade ficavam o batalhio
denominado do Commercio, composto pela
inaior parle de gente deala classe, e as compa-
uhias de coiuinissionadosde manzana, lato he,
de Individuos que, iacntos do servico mililar,
se oceupam em avisar as pracas que resldein
no seu diitricto.
Rosas anda nao se bavia movido de Paler-
mo, apezar de haver mandado para os Santos
Lugares dous sofas de damasco, cadeiras c me-
sas, para seu aposento : cootinuava a apenar
as carretas, c tiha mandado apiomptar os car-
rus deservido da quiuta para transportarcn
bagagens e aprestos ao acampamento.
k U coronel Quesada foi linceado por pracas
do seu corpo quesub!cvaram-ee, e eatava mal.
a Como todos os correios que vinbam da
campanha eram retidos nos Santos Lugares,
anda nao ae havia divulgado na cidade o pro-
iiUQciamento do Rosarlo, e smenle sahlain da
in-1 mi ni do novo governo ein Santa F.
Chegam continuamente familias que einl-
graqi forjadamente da cainpauba. As que ul-
limameuie chegaram*dliiaiu iiue desde o dia
28 fra completamente abandonada a cidade
de San Nicolao.
' Na diviso que Pedro Rosas commanda no
Tuy occorreu uin.luovimeoto Insurrecciona-
rlo promovido por um capilo que fugira com
alguna soldados, ticando presas I6praas dos
sublevados.
rauno despresador dos dlreitos d'ocldado di
thesouro publico e da proprlcdde.
Compatriotas O povo saotafecino, protegi-
do pelo poderoso auxilio que ollerece a todos os
habitantes da Conferaco o cainpeo da liber-
dade, recordou-se uin da de aeus gloriosos an-
tecedentes, de seus sscriflcios e de suas victo-
rias por esta divlndadedas nariVa. e baslos-lhe
um momento de resoluco para recuperar nos-
sos sagrados c inallenavels dlreitos calcaJos
aos ps pela barbara poltica do selvagem Ir
ranno das duas repblicas do Prata D.Juan Ma-
noel Itosss.
Compatriotas Em momentos l*o solemnes
fizesies-ine a subida honra da oollar-me fren-
te do moviinento de liberdade, elevando-me ao
immerecldo posto de vnsso governador e capi-
lo general interino, al que srja nomeado a-
quelle que deve preaidir ao vosso futuro desll-
no, segundo a nossa constitulco provincial ; e
desta altura vos dirijo a palavra para convidar-
vos a contribuir com todos vossos esforcos e lu-
zes para a consolldaco da valiosa aoquisico
que lo heroicameole conquislasics.
Compatriotas! Paz, unio, fralernidade, or-
dem respeito s autoridades ssja nossa divisa :
liberdade, organlsaco nacional e respeito a
propriedade. os painciploa que devenios aus-
tcuiar, e oeograndecimento da nossa adorada
patria, toda a nossa aspirarn.
Soldados do exercito I Sois a porcao preciosa
dos ocasos cidados em que est depositada a
defensa da provincia; a garaotia das ios-
tituices e da riqueza ; cuinprl vossa honrosa
misso, e coudusi-vos como verdedeiros defen-
sores da patria. Tudo Isto conseguiris com a
subordinaco, com o respeito aos vossos cheles
e discipima militar, que consliluein a moral
do soldado.
Santafecinos! Tenho-vos manifestado o que
he iudispeusavel para viver em par e engrande-
cer-vos : a autoridad* que me coutiastes nter*
ponho-a para rscommendar-vos o cumpriiuen-
iiei de vossa obrigaces ; e coulai com o reaul-
tado de proapeildadee dita que vos promette
vosso inelhor amigo e compatriota.
Domingo Creipo.
Sants-F.30 de dezembro de 18SI.
HULETIM H. 7-
Grande txtreito da kmerica Mtridlonal.
A villa do Rosario deu uin ezemplo de pa-
triotismo e de valor cvico. No da 25, quando
o exercito atravesiava o Paran, dez cidados
animosos se reuniram na praca e lancaram
face doa aeus oppressores o grito de liberdade,
dando vivas ao geoeraa>Urquiza. Accudiram os
soldados e ofliciaes do batalbo de milicia ur-
baua, em apoio dos seus concidados, e as tro-
pas enviadas para sufibear o moviinento regene-
rador s serviro para engrossar as flelras dos
livre
za desappareceu com o fro, porque as re-
gleseleitoraes comecaoi a apreseotar um
ilumnenlo e animacSo que revelln a ae-
rando calrico. Se as cousss se explicam
polas causas prximas, nSo encontr outra
mais recente do que a eleva^So da tempera-
tura para explicar o desonvolvimento que
sbitamente apreseutuu essa febre cabals-
tica.
Mal linda principiado o anno, quando (a
2 do correte) parti para Coriliba o major
relormado Bernardo Alves Barboza, e o aju-
dante do corpo IIxo Antonio Rodrigues de
Oliveira Netto, frente de 30 pracas do me
nio corpo, s quaes se lio de reunir nsquel
la carnerea algumis dezenas de guardaa na-
cionaes destacadas.
Eslo designados paraoutras diligencias
soiiK'liianics o capitao Portilho, com 30 per-
manentes para a Franca ; o lenle Carilar-
go co n 20 para Campias; oalferesSsm-
palo com 30 para Ubaluba; o capildo Vie-
gas com SO para Taubalh; o alfares 1: ma-
nea com 20 para Surocaba ; e falla-se anda
en outroa olliciaes que serSo empregados
em commissOei ivuaes, em outras villas e
cid ides V uuvi hontem asseverar que o al-
fares Netto, que fui para Coriliba, desr
commandando 1 lonja que stscioaari na
villa de Caslro.
O que este ilumnenlo de tropssquer di-
zer nSo he preciso que explique. Acrescea-
te agora que a generalidade dos municipios
da provincia jl teiu destacamentos mais ou
menos uumerosos. Para mostrar Ihe que
ando bem informado nestas cousas, dou-lhe
do Santo qua a igreja celebra nesga dia. A
regular polos preparativos qu* se razem,
parece que este baile deve avanlajar se
sobre todos os que se tem dado Delta ca-
pital.
Consli-me que algumas pesioii usoola-
ram-separa darem alternadamente partidas
ou toiret aos sabbados, e que no dia 6
rompor a marcha o presidente da provincia
com o seu sarao, para o qusl sel que estSo
convidadas algumas pessoas. Chama-se a
isto regularisar a mana danssnle que fe
apolerotl desii boa gente.
1 de Janeiro.
Houve um aasassinato nos ltimos dias
do niez passado na freguezia da Cotll. dis-
tante cinco loguas desta rilado; he famo-
sa esta povoaeni pela frequencia de tae>
crimes, a ponto tal que j vi um olTIcio de
um empregado publico que, recebendo or-
dena do governo parala ir fazer urna dili-
gencia administrativa, responden pedlndo
demiss9o ou dispensa de tal incumbencia,
porque, dizia elle, ndo me arrisco a r
a um lugaronde por da ca aquella palha
se mata um homem. He celebre o assassi-
noque excutou ests ullima unirle; cha-
ma-se J080 Crroulo, ou antes edamava-se,
porque j foi dar contis s Dos Para pou-
par-meao trabalho de referir pormenores,
alus lotoresssntes, remetlo-rne ao artigo
que a respeito publicou o Pregoeiro de hon-
tem, que junto Ihe envo.
Foi assassiuado, na freguezia da Cotia
nos ltimos das do anno fin lo, Henriqoo
de Coes, que all resida, e tinba urna casa
asoguinte nota dos destacamentos que ja de negocio e estalagem. Attribue-se esta
extslemem varias povoacOes, e sflo osso-Jrnorte a ura Portuguez, que etli tamhem
guiutes, conforme resa urna iuformacSo que, unha urna casa de negorio, e que aecusav
lenho debaixodosolhos: Na villa da Cons- 0 issassinado de ter paite n'uma tentativa
Utuico 12 pracas de permanentes; na ei- de assessinato de que milagrosamente esca-
dadede Taubstn5; na de Pindaraonhan- pira ha alguns mezes. Assevera-se que o
gaba 8; na de Santos 20 ; na villa da Fran-
ca 24; na de Uraganca 6; na de ltapeteuin-
ga 10; na cidade de Campias 6; na fregue-
.......
Pelo vapor Prlnca recebemos noticias com
im-remes de luirnos Ayres at4 e de MuitM
do at Sdo correte.
Em Buenos Ayres asoperacoes commcrci,,
achavain-ae completaineole paralytada n
mercado eslava abundantemente auppride'..,
compras limilavam-st aa iiecesaidadea do con
sumo, que tambein tinha dlmiouido com 4.1
titude bellioa que a provincia fra obrluaa,.
tomar. u"'
O mercada de productos tambera se achan
em apathia. apezar da abundancia decourn.
lia e carnes: desta llnbam-se eflecluadot'
mas vendas de ^3i a
bordo.
13
o qnlntal, p$\
zia de Cucoode 6 ; na villa de Ubaluba 12;
na cidade de Coriliba 32; na de Sorocaba
10; na do Bananal 6 ; na de Yt 5; na de
Guaratinguet 14; na villa de Arcas 11. To-
tal 165 prarjas.
Note que nacilade dn Coriliba, almii das
32notadas de permanentes, odas 30do cor-
po lxo que agora marcharan), j existem 9
ou 10 do mesino corpo que destacan) al I i ha
inulto lempo.
L'm out'os pazes, como em Franca, onde
urna noticia lelegrapbica, dada pelo gover-
no em dia do o.cieo, fez rolar do pol'iro
um ministro, osla dispersan de tropa pelas
povoarjfles dara tiloma a atroadora gritara;
mas parca as ideas sao outras, e acredita-
executor fra um preto condecido por Joo
Crioulo, de terrvel reputarlo como etopre-
hendedor de asssssinatos.
a Diz-so que este Joljo Crioulo estava con-
tratado para fazer, desde j, tres mu s,
qu, com 19 que ja linda feito, inteiravam
22, eouvimos bontem referir que depois
do ter moito Henrique de Goes, dirigia-se
para as villas do Sul, onde dizia que tinha
algumas commiuiu a.detempenhar: e que
edegando a freguezia da Apparccida, pert >
de Ssrocaba, o meltendo-se em um fandan-
go, edegra all urna escolta que, inliman-
do-lhe a prisBo, recebeu um liro em res-
posta, e oor.seguintemente dispsrou a es
rolla as suas armas, e calno morto o assas-
sioo de profissao.
Contam-se cousas estupendas da vida
deste sicario : entre oulras diz-se qua con-
so geralmente que isto he do syslema, e quo lando elle que j tinha 19 mort-s, s duas
quem est de cuna devo vencer a eleicSo, e fi/eraa])por sua conla, e que s por essas era
passara por tolo se nao emprogar a forc,
necesssria para dominar as resistoncias.
Ej espt-rava que desde que come^ou a
manifestar-se a iulen;ao da presidencia por
um mudo lio significativo, a opposc3o sa-
hisse a campo, e, por seus orgaos, gritasse
tanto e to alto que Ocasse o mundo atur-
d lo ; mus acoolsceu o contrario: a ia-
prensa llmitou-se a noticiar o facto com um
leve reparo, e parece que a cousa nao ho
com ella: sua alma sua palma 1 ja que os
interessados calam-se, n.lo serei cu que lo-
vaulare a antipboii; antesquero crerque
D.Aos Mara Echaque e o major Garmendla I ,tUlJ0 j1'* D, ?uil liclt0' e 1ue essa dcca-
anitl quizeram asylar-se a bordo de um vapor, UUa Dberdade de eleicijes he urna utopia
do que rcfugiar-se vaclame sombra do ino-l irrealisavel; e quo, como ja urna vez disse,
ribundo poder de Rosas. U. Pascual Ecbaque el o grande eleitor no systema representativo
lama Colonia, terror do Rosario, quese dirl-t he e deve ser o goveruo, "naturalmente por-
giam a iiueuos-Ajrcs ese propuuli.nu arrasar a I querelle condece mellior os interesses da
1 para Cordova j communiao do quo algum importinente|
incito a le ideas em
com alguns cenloa de aoldados ao saberein sut (,i,.j,nr da rnrn um .a
o batatao do Rosarlo e 700 bomens de cava 1 "".', a r0?a que sB .
raos aguardavain denodadamente para fechar- Polll|ca e aympalinas pelos bomens que ap-
pirecam na areiia.
Nao concluirei osle tpico, lii frtil na
acn o na n-, aem dizer-lhe que o presidente
f
Ihes o pa
(iracas ao li-roisino dos cidados do Rosarls,
calan irguroacm toda a provincia a subsiste.
cia e os poderosos ineios de mobilidade. Qua-
torie mil canecas de gado de propriedade pu-
blica estio em noiso poder, e quatro mil ho-
mena se uniro ao pessoal do grande exer-
cito.
Echaque, Garmendla e outros empregados
pblicos descansara hoje tranquillos no selo de
suas familias, ao passo que os ulliclacs e solda-
dos de Echague eaota Co loma se apresenlaia
aos centos pedlndo se Ibes permilta tomar par
te na empresa de auniquilar o tyranuo.
Salve .' heroico povo do Rosario, que soubes-
te conquistar tua liberdade por teus propnos
esforcos I
To bello exemplo ser imitado pelos de
mala povos. poupando assim patria novas la-
grimas c novoa sacrificios.
( Bolelim Enlrertano.)
[iornal do Commireio.)
da provincia guarda inviolavel aegrudo so-
bro a cuapa que pretende ollerecer a appro-
vafo doa elmtores: porcn ja he sabido
que o r. Pacheco nao entra nella, e ser
gueneado pelo goveruo se persistir na in-
10100(10 de apresenlar-se candidato Tam-
hem este doutor n.lo moslrou a sua duuto-
rice ncsla occasiao : sempre uuvi dizer que
nao se apatihain moscas com vinagre; e
oiiiielaulo elle esperava nao ser guerreado
pelo governo, em quem deu suas beiisca-
dellas, principalmente naquclla circular de
icojlhe lenho fallado.
Vem a proposito dizer-lhe que de opi-
niBo dos eutendidos que o mesmo doutor
naufragou na oleijao provincial, pois ape-
nas faiam dous collcgios opposicionstas
com 17 votos, e elle nao pode anda sup
plantar o Dr. Marlim Francisco, quoemper
rou-se nos 36, e canamente nao sade mais.
rcsponsavel, porque as outras 17 corriam
por conta de quem Ide havia eocommenda-
do, e que j agora nao desistia do olJlcio
de matador, porque eslava ceito que seu
(im era a forca, e que porlanto se havia
morrerpor urna ou duas mortes melhor era
morro/ por muitas, que assim ao menos
teria muitos amigos e compandeiros no in-
ferno, quo seriarh aquellos que I de manda
vam fazer morles.
Felizmente os amelgados estSo livres
la ousadia deslo sicario: deploramos, po-
rm, quo acabssse seus dias no conflicto
com a escolta; porquo, alera de outras
rases, ora preferivel quo os castigos que
recebara da justica humana sorvissem de
exomplo aos que quizessem imita-lo.
As operares em cambios sobre Londres ff
feciusram-se de 7I|6 a 72|Bpor onc, esnh."
Pars de fr. 01 a 92. e"""(
Oncas colavam-se a .'!i3 112.
Em Montevideo relnava bastante anlinac:,
no mercado, e as vendas, bem que menor,,
que as do mez anterior, llnliam sido avultadu
Azeilo doce.A importaran liuha sldosrao'
de e baviain-se feito rendas a 26 ra.
Arroz. Kmraiam de diversos porlos da
brasil I ,U(.ci saceos; parte dos quaes linhara-.
retalhado a 10, 10 l|4 e lO l|2 ra.
Assucar- As entradas foram multo avulu
daa, e constara de 4,174 barricas e QOsaccas ii,
Brasil. As priinelras 545 barricas recebidjs ,lg
Rio alcantaram 17 rls o redondo, 14 o b.illlo t
de 11 a 12 a inascavo; 1,120 de Santos realir.
ram 0 redoudo, de 15 a 18. e o batido a 1)
367 do Rio, chegadas ltimamente, o redondi
lo, o balido Meo inascavo 11 rls. por arrob
Caf. De 108 saccas vindas do Brasil, 4
venderam-se a/10 o quintal.
Sal. Os priineiros 2,000 alqueires cntradoi
nodl4 do Rio, obtveraui/2 por fanega e3,0u
alqueires e Soo mols entrados depois realm.
rain 12 risa bordo.
Fumo. Aimportaco de variosportoid,
rasil monta a 1,631 rolos, 900 dos quaes re.
lisaram #S, i i|J e5 3|4 por arroba segundo ,
qualidade.
Uerva mate. Entraram 3,502 surroes n,
alcancarain conforme chegavsm 15 lii, 15 ni
15 rls. a arroba. '
Viohos.as vendas tein diminuido c os nrt.
eos Ijdi.va1.11n. Venderam-se t carregatnenb,
do calalao tinto, o primeiro a //I3 e ouliimo,
40 ; e Ocavam ein ser tres carregaraentos coas.
laudo de 810 pipas ; J81 pipas de Cetle rcaluj.
ram/28 despachadas 200 quarlolas de Mal,
secco alcancaraiu/52 por pipa e J85 cutrada
depon JT50. Uo de brdeos bavia grandes en,.
leudas, e neuhuma venda se duba feiioto
consequencia du baixo pieco.
A imporiaco do mes moniava a 2,i37 nipii
do Catalo, 4,435 de Cene, 2,938 barra delir.
dos, 585 quartolas de Malaria, secco ; 6i de
alaga doce, e 1,020 calzas de varios proceden,
cias.
Em cambio erTectuarain-se operacti amri
da chegada do vapor Priuce a 45 depois d sai
entrada, porm, lizeram-sc as trsosac9es i|
e 44 l|? Subre Pars do mesmo modo corneja.
rain a fr, 5,60, e depois da entrada do paquete
a fr. j.40 e 5.50.
Nao tinha bavldo fretamentos para estabcle-
cer eolaedes. Havia inultos navios e falta de
productos.
(Jornal do Commercio.)
wasvp-----
Si
ti
P'
ll
ti
di
c
Moviinento do porto.
COMMERCIO.
As unas tinham baixado, pela confianza
frcral de que o proiuplo triumpho do general
rquiza reslabelcca o crdito da clrcula;o.
Ficavam no 01a 4 ao preco de 313 l|2 a 31a pe-
sos. As ope..,. oes sobre Londres frcharain-se
para este paquete a 72 l|2 ate 7l 1|2 sb.a
Andrs Villegas, Urieutal, perlencente a 1
familia disilncta, foi executado na cadea de
Buenos Ayres, no da JO, pelas 10 horas da ma-
chia. Nao foi uin aelvagein unitario mais que
expirou; foi um moco infeliz que concebeu o
pi ojelo e levou-o a efl'eiio de defraudar a ca-
sa de moeda do governador llosas.
Oesembarcou do Prlnce no dia 2, e nessa
inesuia noile, s 8 horas, apresentou-se ao pre*
ente da casa da moeda com urna ordem ur-
gente para a entrega de 2,000,000 de pesos em
papel, ordem em que todas as formulas llnham
sido exactamente observadas e cuja asslgnatu-
ia nenbum perito dira nao ser a de Rosas:
fi una das falsificaces mais perfeilas que se
lem visto.
A perfelco do documento, o sangue fro do
seu portador, e a iuipossibilldade moral de ha-
verquein ae atievcsse a empresa lo temeraria,
unida s circumstaocias extraordinarias em
que se acha o governador. arredaram toda a
iuspiraco de suspeila. O presidente daquellc
estabelecimento mandou chamar todos os em-
pregados que deviam Inlervir uo cumprlraento
da urdem, e entregou os 2,000.000 de pesos a
Jos .durillo, que assim se crisinou o crimi-
uoso,
Scnhor dos dous milbdes de pesos, Andrs
Villegas corren para o hotel do Globo, onde se
havia alojado, e tratou de reduz-los a metal e
de dispor a sua fus;a.
Quaudo no dia seguinte a polica o ioi pro-
curar naquelle butel, j o acbou de malla
prompla, leudo da soturna que recebera,ein pa-
ESI'HUTO-SANTO.
Victoria, 24 de dezembro.
Foi preso o acha-se reoolhido i oadeia di]Na.P!;ciso Ji'ze/*Lh." 5."e.st? U"5ii?*!
villa de Cuarapary, Pedro, escravo do la*
vrador Manoel Pinto Itangol, que em feve-
reiro ullimo matou a propria mulher coi
um tiro de espingarda, e acha-se pronun-
ciado desde 8 de abril como incurso no art
193 do cdigo criminal. Esta importan.*
diligencia foi olTectuada por urna escolta di
12 pravas que o respectivo delegado de po-
licia, o Sr. Jos Marcellino Pereirs de Vas-
concollos, 'envou ao sertlo denominado
Aldea-Volba, onde eacbava b reo aoou
lado e protegido pelo proprio senbor.
( Comi da Victoria.)
enluce mi a retirar a sua artllharia,
No dia 10 pela manhaa chegou quelle ponto
o vapor Paraensa com os dous transportes que .
tralla a reboque ; e quasl ao mesmo tempo ap- I pe 1 >u00,0UO pesos, e o restante j convertido
proaimaraiu-se os Ues vasos de guerra que vi-I em S15 oncasi Andrs Vlllegaa se diapunba a
nhara rio abaixo e deviam ser aviaiadoa das I partir para o porto daa Conchas com um salvo
barranca desde o dia anterior ein que Mancilla I conduelo tambein falsificado, e em que se d-
se moslrou Sobresaltado. As apparenciaa de
urna tentativa de desembarque lomaran, cnlo
um oaracler mais serio, e o arlilhelro de Rosas,
que eatava com gana de combater, acceleruu
as suas intrpidas operacoes de retirada. Quan-
do oa vaporea Imperador, Uruguay e Paraenae,
lo, era Jos alarla Vera
nomlnava diversamente ; j nao era Jos nlurii-
e ; ja 11
. Oer
me foi descoberte
S. PAULO.
3 do Janeiro de 1852.
Principiare! por observar os lourareis eos-
turnes de nossos avs, desejando que o stino
novo corra-lhe cheio de venturas, assim
como para mim desejo. Se eu fosse mania-
co pelas coincidencias uo deixaria de ra-
CDiiiincn lar-Un niiiiU dieta physica e mo-
ral, o toda a cautela no seu viver oeslo an-
uo; primeiro, porque, desde a mais remola
antiguidade, todo o mundo cmlurra com os
annos que tem um dia de mais; segundo,
porque j vi um calculista flear esttico
diante das msrarildas que necessariamente
dSo de daver no crrante; e isto porque em
1836, 1810, 1844 e 1848, todos bissextos,
houveram grandes mudanzas no imperio ;
o por coitseguinle em 1852, que se contam
16 unos depois da primeira poca, dovem
haver scontecimentos cujo valor calculam
que ser igual, pelo menos, ao quadrado do
numero de annos que se contam entre cada
urna das quatro pocas. Bem v que o po-
der dos nmeros he innito; e nSo admira
que j houvesse um pbilosopboque a elles
atlribuisse todas as maravilbis do mundo.
Mas o qua be ngracado be que essa in-
cgnita do calculo representou-se por um
x, e por isso mesmo cala um a define con
formo seus gostos; e mo devenios eslranhar
a ciedulidade publica sobre este ponto
quando muitos bomens distlnclos as letras
profanas e sagradas conduco eu que depo-
sito uestes Clculos a mais Inabalavel f.
Se ahi forern 1 capaila imperial e conversa-
ren] com duai reapeitaveis dignidades, hHo
de ouvir cousas estupendas que se do de
realisar no futuro porque o s o os nmeros
odizem.
Fallarei agora do estado da atmosphera,
que be um bom preludio pan quilquer ou-
tra materia, como observara na miuda ul
por se ter o presidente da casa da moeda apres-1,imt Eutilo |ha dizia que o fri invadir o
qu^^uVo^em^0"' d OUmpr,men,,,f' Os proccaso em Jlucnoi-Ayre fasem-ae com R'r8fe 1." J > ivm>n tr* o 1 un n mi aila m t\& K. O si >_.
subiram e postaram-se junto da Januaria, que,' rapidez admiravel no dia aeguinte ao da priso monro o lempo, e aqui^ andamos da JO das
como cima dissemos, fundiou mala pertodast Infeliz Villegas expiou o seu crime.
tiaierias, foram as barrancal de Acevedo aban-
abrasados, e gozando das delicias de urna
O Sr. coronel U." Lorenio Baile, que tinha i temperatura de 80 1 84 graos de calor.
presagio paia o candidato senatoria, e
que o tere! por um grande Acdilles oleitoral
se tirar a desforra na prxima eleifo. He
ceno que a manda com que piocederam
os directores da eleico por parle do gover-
no foi diablica; deixsram o bomem ou
seus amigos trabalhsrem sem opposicSo,
e secretsmente dispuzeram us dous in.no-
res e mais compactos collegios que os sc-
guem, para negar-lhe os sulTragios; e como
uc tou para que naufragasse.
A opposic3o psrece que achou graca no
:ni-le 10 dos governistas sobre a cha,a, e
la .ni) 111 conserva-se niiii'fasobrelal assump-
to. Sabe-se apenas que seus candidatos
blo de ser homens de 40 aonos, com a ne-
cessaria renda, e dos mais notaveis de sua
gre; e nada mais: quanto a trabaldos
el-itoraes, nada transpira anda por sua par-
te; porm eu declaro que nSo posso crer
que ella n.lo sustente a lide, pois que se
1849, em condiccOes muito mais desfavo-
raveis, disputou o terreno palmo a palmo,
nSo teria agora explicado a sua ahslenciio.
He eerto que os laes misionarios barba-
dinhot que levam espingardas e espadas para
responderorn sos argumentos, nSo deixam
dedispor os nimos a urna previa persua-
sSo; porm isso mesmo ja houve em 1849,
e nem assim a opposi(So desii-tto de traba-
Ihar. He tambem certoquetem tido algu
ma voga a ideia de qua de intil trahaltiar
nestaeleico; porque se a opposicSo inclua-
se algus candidatos na listasxtupla
nao seriam escolbidos, e quando o fossem
o senado talvez annullasse a olei(3o. Sei,
porm, que algumaa noiai 1I1 ladcs opposi-
cioaist'scombstem esta i lea, ponderando
que o dever de um partido poltico he lu-
tar, c que pouco importa o resultado, com
tanto que mostra sua forr;a no combate,
ainda que soja s para obrigar os adversa-
rios a comprar a victoria cusa de escn-
dalos. NSo sei qual sera o accordo defini-
tivo ; mas como est prximo saber-se o
quo ha de exacto, nao me oaoso em procu-
rar advinbar.
A passagem da materia eleitoral pin os
bailes nSo he to disparatada como parece
primeira vista, porque estes podem fcil-
mente converterse em auxiliares do inle-
resse eleitoral; e porlanto ainda qua nSo
houvesse urna uotavel semeldanca entre um
candidato a um (/ansarino, nfio se podei
deixar do adiar outros muitos pontos de
contacto uos sobredilos assumptos.
O innunciado bailo que otTerecerim as
quatro notabilidades polticas e Bnsnceiras
10 Sr. Souzi Franco esta determinado para
25 do correte, dia em que celebrou-se a
primeira miisi nos campos de Pintiaing,
ALrAMlECA.
Kendimento do dia 21. 6:437,144
Otsearregam hoie 22 de Janeiro.
Brigue americano Victorino bacalhio.
Barca ingleza Rtndier mercaduras.
Barca americana hllem Uorrisan -- fari-
11 lio de tiigo.
Brigue brasileiro Conjian paiz.
lu portillan.
Brigue americano Victorino, rindo de
Terra Nova consignado a Deane YDule &
Cniip mili 1 man 1 lesin o seguinte:
2,500 barricas bacaldo; aos consignata-
rios.
Patacdo brasileiro Confianza, vindo do
Rio de Janeiro consignado a .Novaos t\ Co i-
pa ulna manifestou o seguinte :
caixas csnela 30 sacca's pimenta
Oliveira Paiva & Companhia.
2 caixi's phosudoros, I surrSo paina
Jos Antonio da Cunha & IrmSos.
49 caixas vindo a idier An & Compa-
nhia.
7 caixotes medicamentos, 2 caixas cha.
100 latas bolacdinhaa, 800 caixas sabio, &t)
rolos fumo ; aos consignatarios.
100 canas salnlo ; a Oliveira IrmSos &
Companhia.
100 diltas ditto; a Viuva Amorim&Fi-
Ido.
1 barrica muringues, 1 embrulho vassoo-
ras, 4 saccas mildo para cangica ; a Antonio
da Silva i.u-m.m.
15 diltas elfo; a Antonio Joaquim Vidal
& Compendia.
5C0caixas sabio; a Manoel Alves Guerra
Jnior.
10 caixotes sag ; a Viuva Caudioo&Fi-
Ido.
CONSULADO GERAL.
Rendimenlo do dia 1 a 21 ... 50:870,247
Idemd0dil22.........2:663,586
Navios entrados no dia 21.
Richmond 47 diat barca americana 1.-
leo Morrison, de 313 tonelladas, capilJo
Jamos Gavet, equipagem 8, carga fannbt
de trigo e remos; llenry Forst t t Com-
pendia.
Philadelphia 43 dias, brigue inglez Elei-
11 1,1, de 155 tonelladas, capilo W. Nic-
kerson, eqoipagem 10, carga farinha; 1
Maiiieii- Austln & Companhia.
Ilavro 25 dias, barca franceza llavro, de I
180 tonelladas, capilSo Monnier, equipi- e
gem 15, carga lazendas e mais gneros; 1
J. A. Lasserre & Compaobfa. Passageiro,
Trucbon E. Pheleppe.
navios saIndos no meimodia.
Soulli iiiipinn o porlos intermedios vspor
inglez Severn, cumoiandante tV.VeflCOal.
Passageiro, II. A. Melle!.
M < -ni lancha brasiieira UniSo, ine-lro
Joaquim Ignacio Moreira, em lastro.
,s
I I Alias").
O Dr. Jos Raimundo da Costa Menezes,
juiz municipal supplente da 2." vara, e
do commercio nesta cidade da recife
de Pernambuco por S. M. I. e G. qua
Dos guarde &c.
Fa^o saber aos qne o presente edital vi-
rem, que tendo-se u limado a instruc^a
do processo da fallencia do Nono Maria ds
Seixas, oicvcnil i-i 1 em conformiladodo>
art. 132 e 133 do respectivo regulamento
Oc
Ca
Art
El|
T01
la.
Car
Var
c
C
ten;
per
nig
pur
P
53:523,833
DIVERSAS PROVINCIAS
Rendimentodo dial 121..
dem do da 22......
2:274,116
112,481
2:386,597
deste, no primeiro dia ulil que se seguir,
que he 14 de Maio do crreme anno, com-
'areivim ni casa da minha residencia, ni
ra da Madre de Dos, n, 1 as 10 horas di
manila, pira o dito li n ; flcindo cerlos ils
que, na con formula le do artigo 842 do eod,
com nilo ser admittido nenhum dos cre-
do res por procurador que uo tiver pode-
res especiaos, para o acto; que a procu-
rarlo no pulo ser dada 1 pesaos que sej
devedora do fallido, e nenhum procurador
representar por diversos credores. E psri
que chegue a noticia d todos.mandei passar
dous do mesmo teor, sendo um alixado ui
praca do commercio, e outro publicado
pela imprenss. Dado nesta cidade do rccife
de Pernambuco em13 de Janeiro de 1852
En Joaquim Jos Pereira dos Sanies o
saiiscrcvi. =Jo O capilo do porto desta Provincia, em
virtude da ordem do Eim. Sr. Presidente
de 16 do crrante mez declara pelo presen-
te edital aos capitdes, donos, e consignata-
rios de lodo equalquer navio, que liquen)
na intelligencia de que nio devem desem-
barcar de bordo de seus navios doentes al-
guns de febre amarella, ou de qualquer ou-
tra doenca epidmica, e s poderaO os mes-
mos ilnenies ser levados para a Ira do
Pina, sendo ali tratados a cusa do navio;
para o que se deverO entender comido
capitSo do porto, com o inspector d'alfan-
dega e com o provedor da saude.
Capitana do porto de Pernambuco, 19
de Janeiro de 1852.
Rodrigo Iheodoro de Freitas, capildo do P.
Declarares.
Kxiiortnco.
Rio de Janeiro, patacho brasileiro Marga-
rida, dn 116 Inneiladas, con limo o seguin-
te : -- 120 molhos de couros de cabra, 423
un'ios de sola, 846 saceos com 4230 arrobas
de assucar, 2138 vaquetas, 2 caixOes e 180
meios barris doce, I caixBocom 160 espa-
nadores, 1 raixa com 1176 grosas de colxe-
les, 1 caixSo charutos, 1 dito folhetbs 1111-
pressos, 80 saccas com 509 e 24 libras de al- Q arsena[ u0 guerri precisa de oOIciies
godfio, 32 mullios com 800 esleirs de' Dillti e corneiros.
,1o carnauba o 1 ciixa com 2 bandejas de .. Em adtimento 10 annuncio publicado
P'*" -... .-..--. _.-- .- Ino Diario de 15 docorronte, a ceics de UO
pirdiuhoque foi aprehendido por esli sub-
346 tonelladea, conduzo o seguinte: 3800 ,,, ^,or fu ido com a, caa||russO
saceos com 19000 arrobas de' assucar. !co,n csngalha, declara-se que o mesmo con-
Tnesie, brigue austraco Porto R, de 268 fessou esc;aT0 ,,e yitorioo de tal do en-
tonelladas, conduzo o seguinte : 3120 ge,,,^Tabocas.destncto do Pau do Albo.cba
saceos =o.5600A,ru.D",.l.8Js?ucr-_____ maio Claudino, e que anlava fgido. Sb-
aneiro de 1852.
im de Oliveira.
- De ordem do lllm. Sr. director geral di
.strocc3o publica, faco saber a quem con-
de 35 lonellada, conduzo o seguinte : 1 tenJo fi,lec50 0 p..
fardo e 1 ca.xa fazendas, 200 alqueires cal, tTal0 elementar do segundo grao
icaixa reas de carnauba, 5 barra vinho, .*, di s da cidado do Olnda,
linii
pois
C/) .-
que
sult
neci
mu.1'
para
pris
etica
nec
tdici
gloli
N(
tos
Efi
tim
Re
sequ
res 1
das 1
1
, o cor
si
pol
Sal
tono
28, v
'- .... ., j- no Diario de 15 docorronte, a ceics de u
Falmouth, barca franceza Normandie,, do|p,rdiuho que foi ,prhendido por esta su
6 tonelladea, conduzo o seguinte: 381)0 de, r fu do com cavs||0rus
ecos com 19000 arrobas de1 assucar. 'co, cangalda, declara-se que o mesmo co
Tnesie, brigue austraco Porto R, de 268 fessou esc;aT0 de v|to;|n
lidiadas, conduzo o seguinte : -- 3120 gehoTabocas,destricto doP
ecos coro 15600 arrobas de assucar. |^a^,e c|audino eque ,nJa,
Canal, brigue inglez Rumyde, de,286 to- ;d do I.ecife82 de jan
nonadas, conduz.oo seguinte : 3500 c-|0 Su"od,.,egIdo j0so Joaqun
eos com 17500 arrobas do assucar .. e rdem'do ,,. J. d.. -.
8. Malheus, lancha brasiieira Cooceico, inslruccao publica, faco saber a que
luziooseguinte : 1 V|ef| qua tendo fiilecido o professor d'ini-
tnic<;,ii) elementar do segundo grao da fro-
- guesia da S da cidade do Olinda, e cons-
30 arrobas de carne secca e 20 duzas de cO- ando ofrjcisimente, quo o respectivo subi-
os de beber agoa. I ilui0 ,k [enunciado o direito de passar a
HECEBEDORIA DE RENDAS JOTERNAS GE- p'^uHo dem cadoiri osti ella pos
RAfci' PERNAMBUCO. ; concurso com o praso de 50 dias, conti-
Rendimento do da 31..... 405,531 nna dasta dicti
CONSULADO PROVINCIAL. Directora geral da iostruccSo publica, 17
Rendimento do da 21.....1:598,712 d, jinero de 1852. Candido Euitiq"
Cessr de Mello, imsnuense atclmisia.
iura
no v;
imp
corr
Lescri
tste:
com
lo \
m c
l_aJ.
no
lano
lons
kan 1
la ru
Ionio
P
DltU|
breu
ara o
alare
Brrcii
tlilbo


= 3
abrir-se-ha matricula das tulas du l.yco to Jos dt Silva Naves, reoebs carga e es-
no dia 15 do corrente, e ser encerrada no crtvos frete ; a fallar cuoi Joflo Francis
ultimo deste mesoio mez, > excepto da de oo da Crui, na ra da Gru n. 7.
Lili ni Lycou 3 de Janeiro de 1853.0 Para o Ro de Janeiro pretende seguij
amurllense,Hermenegildo.Msrcellino de Mi- com brevidade o brigue brasileiro Animo
capitBo Domingos Antonio de Azevedo
quem no mesmo quizer carregar, ir de pas-
'sagem, ou embarcar escravos, pode eolen-
' der-se com o mesmo cspitSo ou com Luiz
Jos de S Araujo : na ra da Cruz n. 83.
Para o Aracaty.
Sague em poucos das, o hiate Capibari
; be, pregado eeocavilhado de cobre : para o
' resto da carga, trata-se na ra do Vigario
n s.
randa.
flEATHO DE S- IZIBEL.
37." RECITA DA ASSIG NATURA..
Sabbado, 3* de Janeiro ae 1853.
ESTREA DA SENHORA D. MARA DA
GLORIA.
Depois da execucflo do urna brilh.nleou-
verlurs, pe orcheslra, subir a scena, pela
primeira vez nnsle theatro o magnifico
drama do grande apparato em 5 actos e 8
quadros. | --OcorretorMigu! Carneiro, fara leill"
A Venesiana, I no dia quinta-reira 32 do 'correnteas 10 ho-
ou ras da manilla no seu armasen) na rus do
O Bravo da Venesa. Trapiche n. 40 de diversos trastes rtovos, e
Pmnnaamt uz.dos, louca, viiiros, lustres, candeiros,
rh,l,.r. vsr"n Maris da Gloria qu"lroscom estampas, selins, relogjps, pis-
Iheodora A Sr. D. mituonh lo|| Germano.' ,0 meio di" em P.onl?.'" leila? uma" ?*'"
liClAi
>.
o JARDIM DAS DAMAS.
Eite peridico, lodo dedicado initruccAo e
recrelo do bello teso, he, segundo ae declarou
--Por ordcm do Sr.director interino faoo Segu viagem imprete'ivelmente no legio exclusivo no imperio do Brazil para Precisa-sede uma mulher de meia ida-
publico que na conformidade do art. 13 do dia 38 do correte, para o Rio Grande do juma moenda da sus invenclo, tem autori- de, para fazer companhia um. senhor.,
resulamonto de 13 de maio do auno p.fin lo Sul, o brigue escuna 5. Jou Vencedor, capi- sado para vender as mesmas.os Srs. Rothe algum servico de portas a dentro: quem es-,
- eBidoulacem Pernambuco, osSra.Johnson tlvernslas circunstancias, dlrila-seso ter- 2P/ro,pjCl0 J Pencado nene Diarlo, dlvl-
rl? t^txrt e.?s!-.,Rs; IstWLJ -20- d "do gsttwJSttG:
marinha em Rio de Janeiro, aonde os Srs.
d'engenbo recebaran) todas as informacos
a respeito. Estas moendas sSo mais simples
Rozario.
Quem precisar de ronpa lavada e en-
gommada, com asseio e promptidfio, por
preco commodo: dirija-se s ra de Hortas
doquess ordinarias, tem dous cylindros n. 40. Na mesma casa cima apromtam-se
grandes e dous de pequeo dimetro e tra- i bandejas com bolinhos para Tora e fezero-
0 Bravo.
Sallierl
G comiede Bellamont-e
Luilgi, gondoleiro
Ha fleo
marquez de Bullo
Hm senador
Um esbirro
Um gundoleiro
VioIftU
D. Julia.
Duas damas mascaradas. r>_ Bita.
Cavaleiros, esbirros,povo egondoleiros.
A scena passa-soem Veneza em 1513.
Nada Tallara, como cumpre, para o brl-
Ihantismo do scenarlo e vestuario.
Avisos diversos.
wm
Bizarra! x,s com queijos londrinos, e oilo barricas
Reig' com sal relinado.
Monteiro.
Coimbra.
Silvestre..---------------
Pinto.! I'recisi-se fallar com o or.
n,ym Dito! e8Pi,o Jos da Si.Iva Neves ; na
D. Emilia, praca da lndepencia n. i3 e i5.
Fretende-se alugar um sitio,
distante da praca uma legoa, pou-
co mais, ou meno-, que offereca
lugar para pasto de vaccas de lei-
,111'I'IIIU H" 'U-II.Hi'l l irnunii" 1 I *
O empresario tendo luctado com immen- te, ou que tetina uaixa para capim,
sos embaraco, que Ihe difllcuitavam a con- algumas arvores fructferas e orta-
tinuac.li) do cumpriment de sous deveres, ,.
pode arrostrar toJos, grasas aoappoioque,"ce : quem o tiver, queira annun-
tem encontrado no publico sensato o Ilus-
trado da provincia, e a Ilustre commissSo
directora, a quem tributa os seus respeitos
c cinceros agradecimanlos.
Comessara s 8 horas.
Os bilhetes acham-se a venda no lugar do
costume.
ciar por esta
curado.
follia
para
ser
pro-
TIIEATKO i)E APOLLO.
REGITA EXTRAOHDINABIA.
Sabbado, 24 de Janeiro de 1852.
Em benelicio do actor francisco
de Salles Guimares e (unha.
Depois de uma escolhida ouvertura su-
birs a scena pela primeira vez neste theatro
o bello drama
A Gargalhada.
Personagens e actores.
Andr o senhor Guimarles.
l.-U'vfio o senhor Costa.
Bernardo o senhor Cyrillo.
r. I.eclerk -- o senhor Senna.
Leopoldo o senhor Amodo.
Adelle a senhora D. Leopoldina.
Mme. i.agrange-- a senhora D. Jo urna
Magdalena a senhora D. Soledade.
Um criado o senhor Gaetano.
Findo que seja este drama, seguir-se-ha
a representado do excellente drama em 3
actos
O Ceg e a Leitora.
Personagens e actores.
O capillo Sir Cobrigd, o ceg o Sr. Senna.
Claetwon os-nhor Crrtlfo,
Arthur o senhor Amodo.
K Igar o senhor Jorge.
Tony -- o senhor Santa Boza.
Lady Gerald--a senhora D Josnna.
Carolina a senhora 1). Leopoldina.
Varios rapazes catadores amigos de Arthur,
criados, etc.
O beneficiado a quem o publico Ilustrado
tem dado provas de estima e sympatnia, es-
pera que o seu espectculo seja acceito be-
nignamente, pelo que desde ja protesta um
puro e eterno agradecimento.
Principiar as 8 horas.
Aluga-se o segundo andar da casa da
ra Nova n. 3, atr&s da matriz.
Francisco Antonio de Souza Baha, re
tira-se para lnr.i da provincia;
-- Precisa-se de um caixeiro, que tenha
J pratlca de venda : na ra da Senzalla Nova
'do Recite, venia n. 39.
Precisa-se alugar uma prcta, ou parda,
para todo servido de uma casa : na prafa da
Independencia, loja n. 3.
Precisa.se de um cozinbeiro: na ra
do Queimado n. 40.
-- OSr. AnlonioFerreira Braga, morador
na ra da Praia, procure uma carta, na ra
do Cabug n. 3.
Na ra doLivramento, sobrsdo n. 10,
se dir quem d dinheiro a premio, e quem
vende varias obras do ouro e prata, e tam-
ben) luga-se urna escrava.
Precisa-se do um vendedor de pSo, pro- iirioM.
fcrinlo-se um que j tenha alguna fregue-l"
zia, pagando-se assim um melhor ordena-
na ra larga do llozario, padaria n. 48.
balham sem virola, ellas expremem mais o
bagasso que apezar de estar 13o fortemente
expremido se conserva mais inleiro. s. i
fabricadas de ferro de superior quslidade
de m.neir. que sSo muito forte e dura-
doura.
Na madrugada de Sabbodo 34 do cor-
rente levantar-se-ha a bandeira de N Sr*. do
lloco Parto, erecta na igreja do Guadalupe,
a qual salina da igreja do Bom flm, com
msica, quato'ze figuras ou anjos sen-
do uma a cavallo e um grupo de parto-
rinhas. eprocisslu da irmandade; convidar-
se aoa devotos para assislirem a este acto
religioso.
Eu abaixo assignado faco scionte ao
Sr. Joaquim Antonio Rodrigues, quedesap-
pareceu mioba carteira com umasedula de
1/000 rs. ejuntamente uma claresa ou docu-
mento passado e assignado pelo ni'smn Sr.
Rodrigues a praso de imita das da quantia
de IOO|000 rs. Por isso Ihe faco sabedor,
c prevnolo que n8o page a pessoa algu-
ma, que Ihe apressntar, fcando de nenhum
valor. l'r. .Manuel do Sancto Sepulcro
PavSo.
Antonio Jos Ribeiro Bastos, remete
para o Rio de Janeiro o aeu eteravo crioulo
do nome Jos.
- Os abaixo assignados, consignatarios
do brigue Inglez Tathez Malthew entra-
do de Londres no correlo mez, pedem a
quem for dono do 3 gigos com garrafas, 3
caixas com casca de pao o 1 dita com
oleo de ligado de bacalhio ; tudo com a
marca Z e embarcado por L. Zuliani, de se
entender com ellos para se cobrar o frete
na ra do Trapicho n. 19. Le Bretn
Schramm & Companhia.
AttencSo.
arrematatite das airicSes do
municipio do Recifo faz sciente a lodos que
vendem lquidos em ancoras, que as man-
den) alirir quanto antes para o anno de
1852, pois que do contrario n3o poderSo
venderos referidos lquidos sem a compe-
tente allng.lo do crranle anno.
O cirurgiSo Bernardo Pereira do Carmo
faz sciente as pessoas que a lempos Ihe fa-
..u.i,n e mesmoa quem convier e quizer,pa-
ra por meio de um ajuste razoavel, os tratar
animalmente das molestias que possam ap
parecer, que tenham a bondade de virem a
casa de sua residencia na ra do Rozario
larga u.30,para os poderlancaremn.de seus
clientes.
O auctordoannucio inserto no Diario n.
13 de 17 do crreme, pedindo que Joaquim
Jos do Mello Jnior annuncie a sua mora-
para Ihe ser entregue uma carta; quei-
se bolinhos de diversas' qualidades, tudo
em conta,tambem se vende velas de carnau-
ba i' superior qualidade.
Aluga-se o sotam de um segundo andar
de sobrado silo no bairro de S. Antonio,
cujo sotam tem uma grande sala com janela
e dous grandissimos quarlos com claras
de dialogo e em artlgos icparadoa os conhecl-
menloique uma aeahora deve ter para poder
diicr-icbein educada; lato lie ir apreaeulao-
do de incido proporcionado .i compreheniSo de
auaa leitoras deaenvolvlinenlos mal ou meaos
eilenios aobre a historiaaagiada eprofaoa, ao-
bre aa acicnciaa naluraea e positivas, sobre os
dlreltoa e deverea proprioa da inulher, sobre
litteratura, eto. A segunda contera poesUs,
romaniea, dramaa, cootos para meninos, ane-
doctaa.Jogos de prendas e receltis tttels e cu-
riosas.
Lodos oa numeroe do Jardn das Damas, o
qual s iIhm ,iua! vetea por m em rolbelim de
boias, tem mu linda vista, be mu fresco,! '6 a ** paginas, aero acompanbadoa, ora de
esta caiado e pintado de novo, e tem final-! ngurinoa repreaentativos das modas maia re
mente escada tndependnnle : proprio para
do
No dia 20 do crranle, desappareceu da
ra do Seve, uma escrava de nome Claudi-
os, com os sigues seguintes : idade que
representa ter 25 annos, feic/ies grosseiras.
bem gorda prende ps e percas gros-
sas, como que sejam affoctadas de erysipela,
e como dita escrava esteja penborads, o de-
positario tem de proceder com toda a torga
da le, contra quem liver seduzido, ou a-
colhido em sua casa, apenas obtenha o me-
nor indicio.
Na ra da Senzalla Velha n 94, foi no
dia (20) entregue por um preto, um meio
bail de sanlinhas : quem dar o signal ea
marca, pagando as despezas se entregara.
OSr. que tirou uma carta do correio,
vinda da Baha, para Joaquim GoncMves da
Silva, a queira entregar na cadela desta ci-
dade, sanio quer que se publique o seu no-
me. Caduia,2t do janoiro de 1852. O in-
feliz perttanbucano, Joaquim Goncalves da
Silva.
Joaquim Ferreira Mondes GuimarSes,
remelle para o Rio de Janeiro, a escrava
mulata Luiza, a entregar a Anselmo Ferrei-
ra Conde.
OSr. Francisco Augusto da Costa Gui-
No dia 33 do corrente se hade arrema-
tar em hasta publica do Dr. juis de Direito
do civel da primeira vara, um escravo, por
execufes de Antonio da Costa Reg Mon-
teiro e outrns credores contra casa fallida
de Lenoir Pugel & Companhia, para paga-
monto do que os mesmos credores paga-
ram por aquella casa a fazenda nacional.
--Aluga-se um preto bom para qualquer
Irabalho sendo aqu na praca a fallar : na
ra do Cabug loja de Joaquim Jos da Costa
Fajozes.
-- Quem quizer encarregar-se de urna co-
(ranea no enOdo, l'sendo que de garante,
z-se-lhe bom iutoresse :a tallar na pateo
do r.ii-.ii/u n. 30.
A parda que annunctou para ser ama de
uma casa do pouca familia : aparefa na ra
da Cadeia do Recife n. 37, segundo andar.
Precisa-se de uma pessoa forra ou es-
crava quesaiba engommar com perfeiclo, e
queirSo prestar os seus seivir;os mansalmen-
te em nina casa de pouca familia: para ajus-
I ii-s j na ponte de Ucha sitio da venda amo-
rim.
Tem- de se alugor um cabrinha para o
servico de urna-casa pequea que nSo tenha
muita familia e sabe cosinhar o diario de
uma casa, e tambem para mandados pois be
homens solteiros : quem o quizer alugar di-
rija-se a ra do Crespo loja de fazendss n. 6,
queso dir.
-- Acha-se farinha nova de SSSF, (de ra-
iiiiiina para vender, nos armazens de Dea
ne Foule & Companhia, no becco de Con-
nives.
Na primeira audiencia do lllm. Sr. Dr.
juiz dos feilos da fazenda,se hilo de arrema-
tar os seguintes objeolos : um engonho de-
nominado Barbalbo na freguesia da comar-
ca do Cabo, com todas as suas Ierras, mal-
tas o logradores, casas do engenbo, do vi-
venda e de purgar, com 30 furos e 3 balcOes
grandes, senzalla para prelos, 1 moenda, 4
tachsse um parol de caldos, tudo do ferro,
e outros objectos avallados em 38.000,000 rs.
e da mesma forma vflu a praca os b ms an-
nunciados om o Diario de Pernambuco do 26,
27e28,de novembro do anno p. passado,
a excepc,3o de alguna queja foram arrema-
tados.
- Aluga-se uma escrava, para todo sor-
vico de uma casa : na ra do Araglo n, 40.
Km,lio fiauch, retratista ale-
mo, tem a honra de recommen-
dar-se ao respeitavel public> des-
ta praca e provincia, promettendo
executar com promptido e per-
feicao toda e qualquer obra de
sua arte : quem quizer utilisar-se
de seu prestimo, he rogado de di-
rigir-se a casa de sua residencia},
na ra do Trapiche Novo n. a, ter-
ceiro andar, em todos os das uteis
das 9 horas da manhaa at as 4
horas da tarde.
Nova fabrica de chapeos de sol e
tinturara, no aterro da Boa Vis-
ta n. aa.
Nesta nova fabrica o respeitavel publico
achara um completo sortimento de chapeos
de sol de seda e paninho, Unto para ho-
mom, como para senhora, e concerla igual-
mente, por precos mais commodos do que
em nutra qualquer parte ; para este mesmo
eslabelecimenlo se acha mudada a tinturara
franceza da ra Velha n. 74, tingindo-se to-
da e qualquer fazenda de seda, lia, algodlo
e linho, tanto em obra, como em pe;a e
com muilo asseio, assim como se alimpam
casacas e outra qualquer ropa de panno,
que liver nodoas, pondo se como novas, e,
por precos muito commolos.
ceuteide Paria, ora de liadoa riacoa de borda-
dos, ora de booiloa moldea de labjrriDtboa;
alm dlsao o Jardim das Damaa dar dentro de
cada quartel da aailgoalura uma inodlnha bra-
m l,i i-.i com acompauhamento para plano; o
melhor preiente que um pal pode faaer a sua
liih.i, um irtno a sua Irmaa, be portento aem
duvida 11 .-ni, ii ni i uma asaignatura do Jardim
das Damaa, pola elle aalisfz a tudaa as necea-
sidadea do bello aeo.
O |n iiiii-ii i, numero aahlo Iu2 e se acha
ili-posiiao do publico na praca da Independen-
cia loja n. 0 e 8; na qual se recebem aa aaaig.
naturas raaao de 2# ra. por aerle de aeis nu-
meroa, lato he por lempo de tres uiezee. Alm
do que conlin na parle Instructiva, o primelro
numero do Jardim das Damaa conten oa par-
te recreativa duas poealaa escolbldas, dous lm
nitoa romances, dous contos para ineulnos, um
continua a fabricar, com a maior perfeiclo
epromptidlo, toda qualidade de machinia-
mo para o uso da agricultura, navegado o
manufactura, o que para m.iior commodo
de seua numerosos freguezes e do publico
em goral, tem aberio em um dos grandes
armazens do Sr. Meaquita ua ra do Hrum,
alraz do arsenal de marinha, um
Deposito de machinas,
construidas no dito seu eslabeleciment.
Alli acharlo os oompradores'um comple-
to sortimento de moendas do canna, com
todos o melhoramentos (alguna delles no-
vos e originaesj de que t experiencia de
muitos anuos tem mostrado necessidade.
Machinas do vapor de baixa e alta pres-
slo, tachas do todo tamanho, tanto batidas,
como fundidas, carros d mo, e ditos para
couduzr formas de assucar, machinas para
moer mandioca, prensas para dito, fornos
de ferro batido para farinha, arados de fer-
ro da mais approvada construc^Io, fundos
para alambiques, crivos e portas para for-
nalhas, e uma iollnidade de obras de ferro,
que ser infadonho enumerar.
No mesmo deposito existe uma pessoa io-
telligente e habilitada para receber todas as
encommendas, etc. etc., que os annuncian-
tes, conlindo com a capacidade de suas of-
linas e niachinismo, e pericia de seua oHl-
ciaos, se comprometan) a fazer exeoutar,
com a maior presteza, perfeiclo, e exacta
conformidade com os modelos, ou deae-
olios, e instruc;Oes que Ihe forem lome-
adas
- Her Britanic Majestys cnsul hereby gi-
j>godePreodaa e varias receltas utels, perfa-i ves nolice to Ihe British residenU thaf
Public Meeting wille be held al tne British
consulale under ihe provlsions of Ihe act
/. il,i tuilo 24 pagioas delmpreaaao em lormi-
to grande e multo elegante.'
Acompanham a este numero duas estam-
pas, uma grande, toda cheia de delicados
riscos de bordados impressos em tinta azul
sobre campo cor de rosa, e uma mais pe-
quea com bonitos moldes de labyrinthos.
U Jardim das Damas n3o apparecoo logo
no principio do mez, como foianuunciado,
por icrsido prociso rolazer-s-' loda a chapa
dos bordaws, que da primeira vez nlo sa-
hira perfsita, alm de varios outros emba-
razos quesoi:>pre enconlram em principio
as emprozas tiesta ordero, principalmente
em uma cidado como a nossa, na qual as
artes se acuam ain la to atrazadas ; olle
porm envidar todos os esforr;os para Ven-
cer as dilliculdadi's com que esta lucan lo e
tem de luclar, alim de apparecer regular-
mente e aatisfazer as bellas quesedigna-
rem honra-lo coni suas assignaltiras.
i\ladama Llouticr modista francea
Rua-Novan. 58.
Participa ao respeitavel publico e princi-
I ment
.- vr. rraiiL-isc) W> "V"--,"-" mono fiel, e n3o tem vicios dequalidade al-
marios Jnior, queira por obsequio appare- .. \.
cern.ru. Nova n.8. a negocio de inte, *"M*J "fEgul* sltio pe.
res ., .. .... j. queno perto do Recife, sendo na Solada le,
- Aluga-se o terceiro sndar, da casa da ^ua d 0 QU oulro lquer |ugar '
ra do Qurimido n. 9 : a tratar na lojj uerto.annuncie por MU folha.ou dirtja-
- As pessoas que devem, na loja da ra ',.,,. ,.,, '
do QU,im.do ni, importancias proven.en- i^Koiequ. bom tr.b.lh.dor
leadeb.lhetosjJasbten.. doR.ojJjJanei- de m.ceiFa, quem o pretender dirija-se ; na
sullono, acha-se a venda tudo quanto he
necessario para o estudoea pr.lica da ho-
mceopathia, como seja : livros impressos
para historias de doentes, regimens apro-
pnados para a proviocia de Pernambuco, e
encarrega-sede mandar fornecer qualquer
encommenda de medicamentos homceopa-
thicos, tanto avulsos como em caixas, em
glbulos como em tinturas.
No prelo : i'uthvgsneiia dos medicamen
tos brasileiros.
Eemenos de anatoma e philioloi/ia com es-
tampas, paraos curiosos em bomceopathia.
Roga-so aos senhores assignantes o ob-
sequio de mandar receber seus exempla-
res no consultorio bomceopalhico da ra
das Cruzes n,28.
TR ATAMENTOU031EO-
PATHICO.
DAS MOLESTIAS VEKESB1S,
e consclhos aos doentes para so curaran .
si mesmo, sem precisaren) de medico ;
polo professor homceopatha
Gosset-Bmont.
Sabio a luz e acha-se a venda no consul-
torio hotnceopathico da ra das Cruzes n.
28, pelo prego de 1,000 rs.
Avisos martimos.
Para o Rio de Janeiro
sumaca hrasileira Santo Antonio ,
nova e de superior marcha, segu
imprelerivelmente no dia a5 do
corrente, para o resto da carga e
escravos a frete, offerecendo para
estes o melhor agasalho : trata-se
com Machado & l'inheiro na ra
do Vigario n. 19, segundo andar,
ou com o capilo Jos de Campos
-"ilag.ilhes, na praca.
-- Para o Porto, aahir impreterivelmon-
to no dia 4 de fevereiro, a barca Espirito
Santo, capillo Jlo Carlos Teixeira, tem
bons commodos e excellente tra la ment :
par. passageiros e o resto da carga, trata-se
na ra do Vigario o. 11, uu com o capillo a
bordo.
Para Lisboa com brevidade o brigue
portuguaz Laja de quo he capitn) os de
Abreu, para o resto da carga e passageiros
para o que tea os melhores commodos : a
Talar com o m osea o capillo n. praga do com-
mercio ,ou conr'rancisco Severioo Usbello
&lilbo.
Publicaces Iliterarias.
ELEMENTOS
DE
Homaopathia.
Sahio a luz a segunda parte desta obra
composta pelo professor homceopatha Gos-
set Bimont. Recebem-se assignsturas para
a obra inleiraa S,000 rs., no consultorio
homceopalhicoda ra das Cruzes n. 28. De-,
pois da publicac.Io da terceira parlo,o pre-,. hajam de mandar sat.sfazer alaolioi rug |)ireiu ,a9, que achara com quem
coser elevado a 8,000 rs. para aquellos do corrente mez do contrario verlo seus (ratar
que nlo tiverem astign.do. No mesmo con- n06 Pr extenso neste Diario, do que se __ Na d 0 icio 52 prec9a.3e de
nlod-vem admirar, po.s naltotamMlMn, um> engomme bem ; prefere-sees-
que bilhetes de lotera nlo pdem solTror crgv, e p,s,g4e gem.
demora nos pagamentos. .. Napoleo Gabrie| Bez embarca para o
I'lores de gomma, Riodejaneiroaasu.sescravas de nome a-
para cabello e cima de mess, bonecas, ele. ra creoulae Justina parda,
faz se com perfeiclo, naturalidade e bom -Jos Vicente Duarle Brandlo remete pa-
gosto : na ra do Araglo n. 12, segundo ra o Rio de Janeiro o seu escravo creoulo de
andar. nome Severino.
-- Napolen Gabriel Bezerraembarca pa- -- Precisa-se alugar uma preta escrava,
aaoltlo de Janeiro o sou escravo denoine para servico de muito pouca familia: na
Francisco, crioulo. Poute Velba n. 14.
Roga-saao Sr. Jorge Rodrigues Si Irei-
ra venha pagar ao abano assignado 14,60o
que dove ha 23 mezes, que com a maior in-
gralitlo e abandono de seu crdito nlo
tem pago, forr;ando-o a este annucio, e tai-
vez o forc a declarar como foi contrahida
esta divida, que ser bem desairoso ao Sr. Na Ra do Arag5o, 11. l2, se-
n0.rrf.ino KMBStST 0 Sr- Bef" gund0 a1ndar' >Pia-e com perfei-
-- Jlo Mac Goll, subdito inglez relira-se rao qualquer papel em muito boa
para os portal do Sul. I,.-. nor nrPrn rommodo.
-Desappareceu do engenbo Espirito San- lelra e Pr Prec, commoao-
to, freguezia de S, Aullo, um escravo de Aos mscales e boceteiras.
nome Jos, de ida le de 25 annos pouco g'"rematante do Imposto dos mscate,
mais ou menos, com os signaes seguintes : e boceteiras faz pela ultima vez sciente aos
pe
D. YY. DAYNO.N.
4
K
\ Caligrafa
Cirurgilo dentista ame- '!i
ricano, avisa ao respel- >
tavel publico de8ta cidade #
er recehtemente voltado dos Estados
; Unidos, e que se acha prompto a fazer *
O toda a qualidade de operaclo perten- ,-
9 cen-te a sua art segundo os me- ?
a> Ihoramentos mais mo lentos: pude se j>
Vi procurar no hotelFrancisco. ?
Eu abaixo assignado aviso ao Sr. Car-
los llerbster, que quandodchoje a 8 dias
ello nlo mande buscar um serrote queentre-
gou para consertar, ja ha 5 mezes que a
mesmo ser vendido por conta delle.
Chriatovo Brogor.
Precisa-se de 600,000 rs., e d-se de ga-
rantir uma hypotheca em uma casa terrea
nesta cidade : quem quizer este negocio an-
nuncie.
Aluga-se a padaria nova do Mangui-
nho, com todos os seus pertences : quem a
pretender, dirija-se a casa junto a mesma ,
que achara com quem tratar.
Precisa-se alugar uma preta captiva,
ou forra, que faca todo servico de uma ca-
sa de pouca familia, profarindo-so captiva,
paga-se bem : na praa da Independencia n.
32, se dir quem a pretende.
.* Paulo francez, oflerece sea prest- *
mo to publico para torios os *
mi-i. i s de sua p-osso : #
9 pode -i-i- procurado a qual- fjj
0 quer hora e ni sua casa, na 0
tj ra larga doRozai'io, n. 30, t
0 segundo andar. 0
0000000090900000
of
Parliament 6. Gen 4 Cap : 87, al 13 oolock
on Thursday the 29 (h inst : por purposes
connectd with thal act.
I
Ciouipras.
U57 C'ompram-se escravos de
ambos os sexos, para lora da pro-
vincia tic (i a x~> annos tendo
habilidades e de bonitas figuras ,
paga-se muito bem : na ra das
Larangciras n. iq, segundo andar.
Compra-se um sitio pequeo perto do
Recife, sendo na Soledade, ra do Hospicio,
ou nutro qualquer lugar: annuncie por os-
la tulla, ou dinja-sea esta typographia.
Compra-so uma carroga om bom esta-
do : a tratar na ra da Roda, nacocheira
que foi do fallecido Pessoa.
.-<:> nii>r'-i --.-, om sebrado sendo naase-
palmente a seus freguezos quo tem em sua; guine ru'a's: DirVitarHorTai, Cr'"zes,""lrga
loja um lindo sortimento de fazenda. fran- do RoItrio ou no i,rg0 do carmo I quem
cezas e ludo que ha de mais molerno em tiver annuncie
IVrl'' 5S? tCh"ir91!? .ed' Kd0, tud'S ?9 Compra-s um, ou dous quarttos de
cores, dito de pana d Italia abarlo, muito1 gmbS se|a3 que se]am n0V09Me esiejam
bonitos chapeosinhos de Si-da e de palDa re- cirnudos. na rua Ju Ai8Crm n. 6 das 1 as
dundos para meninos, e meninas de um a 9 horas da manhla, e das 2 as 8 horas da
seis annos, com abas largas de lindos en- tar,|0
fetese do todas as cores; um lindo sorti-, .. Compra-se um ornamento completo
ment de trancase franjas tanto preta._co-, para a celebraglodo sacrificio da missa,sen-
mo de cores ; capellas de ores muito ricas do que ,inda elloja e(n om uso na rua do
steja
Cabug o. 3, loja de Manoel Antonio Gon-
calves.
Vendas.
e modernas ; um grande soilimento de
filos de toiWavas qualidades; muito lindos
manteletes de fil preto; chales, mantas,
manteletes e capotilhos de s 'da do melhor
gusto ; rhamalole preto; filores finas, mau-
gilos de bico para senhoras o mais mo-;
derno gosto, setim, tallas de todas as co-l
ros, plumas de crese brancas para enfoite,
atacadores para botina do senhor, ricus lu-'
vasdepulica para senhora o senhor, luvasi de padre, e de algibeira de tres dif-
pretas para senhora, bicos de linho vera-; ferentes qualidades.sendo uma del-
deiro, ricas romeiras bordadas, ricos tou- Ui i_ ")""" "_"*"*'
cados de seniiora para hus ou theatro,
chapeos de montuna, lenciulios de suda, li-
las do veludo para punhos e pescoco, de ve-
ludo prelo, lencos de Gambraia para senho-
FOLailNHAS FARA i85a.
Vendem-se folhinhas de porta ,
las com o almanak da cidade e pro-
vincia: vendem-se nicamente na
praca da Independencia n. 6 e 8
Simfto de .taiitiin a
800 rs.
Vende-se a historia de Simio de Nantua,
2,'V,etori" qU9 8"ra bem rera' crp.rqrvrn,eqrnTo.qntes.firirem
oliva, ao amanhecer do da 30 do corrente (je )g50
Janeiro, des.pp.receo um preto dj*'jJ- urna pessoa com a pr.tica precisa se
t.riiha de oouie Jos, de bem pw- orerece Fra ,dlDln,flM>; qu.|quer enge-
mi.l SH.Zlh,8 Z2"SSi*HlSL Db0 'iaem de "eu Prestimo se quizer utili-
nilada, denles tirados adianle, e peroas 8ar anHnuncie, r H ,
grossas, falla luiitando a velho: rog.-si Urna pessoa com aa habilitat0ea neces-
M pessoas oue o pegarem -"" d sarias se propOe a fazer escripturacoes de
senhor Jos pa tonseca e Silva, que sera casa denegocios,por partidas dobradaa.e por
preco commodo: quem disso precisar an-
nuncie.
Aluga-se om escravo moco que sirva
para criado de uma oasa ostrangeira, e que
seja humilde, e fiel; quem o liver dirija-se a
rua do Trapiche n. 8.
- O bacharel Manoel de Souza Garcia,
recompensado.
-Antonio JosRibeiro Basto remelle par.
o Rio de Janeiro sou escravo Quiterio.
Embarca para o Rio Jos Pranciso de
Arruda, os seus escravos de nome Raimun-
do crioulo. e Victorlna crioula.
Precisa-se alugar um preto para o
servico interno de uma casa, que .aja intel- quo ha pouco ^xou da ger proalotor pu:
ligentee robusto: narua da Cadeia do Re- p|lco do Recife|advog. aclualmente, e po-
dre, n.21. dera ser procurado om o primeiro andar do
. Sueam, Preci,,r de um c'*ejro b.r"'; sobrado n. 30, na rua larga do Rosario em
leirode 19 aunos para venda ou qualquer s Anl0u0
estabelecimento tanto para a praca.com pa- .. No -leo da fibejri de s j0| n ,5>
raomatto, dtrija-ae a pr.oa doLivramenlo |iva-se e eBgomma-se com perfeiclo e ac-
venda n. 3, que ah se aira quem he o ca- (.u|(l '
xeiro eae dar conbecimentod. conducta. -Jos Francisco d. Silveir. Souto, n.-
Aos drs. d engenho. tural da provincia do Cear, va i a Europa
A. e E de Mornay tendo onlido um privi- por molestia.
Quem precisar alugar um moloque de
bons costumes e fiel, para servico : a trata r
na rua do Vigario n. 18, segundo andar.
Koga-se ao Sr. Haymundo
Jos Fereira Bello : queira com-
parecer na rua do Queimado n. 36.
O Sr. Francisco Antonio Martlns de
Miranda, que leve armaze.n de carne, na
rua da Praia n.'38, e agora se mudou para
o Rio Formozo, queira mandar, ou ir entre-
gar as cnaves do dito armazem a aeu dono,
bem como pagar o aluguel que ficou deven-
do, e os novo? impostos; na certeza de que
em quaotoono llier, eal o aluguel cor-
rendo por sua conla.
AttencSo.
Um homem sem familia, do 40 annos de
idade, se olTerece para adminiatrar qualquer
engenbo, do que tem muita pratica e de to-
das as plantarles, sejam quaes frem e o
mesmo se ubrigara a ensillar aos lilhoido
mesmu senhor de engenho prinieiras let-
tras, grammatica portugueza, arimeticae
francez: quem do seu prestimo se quizer
utilisar, annuncie.
-- OITerece-se um mo;o para cobranca, a-
qui dentro da cidade, ou meslo para lora,
o qual da fiador a sua conducta : na rua das
Cruzes, venda n. I, que volt, para o hospi-
tal de S.Francisco.
Banco de Pernambuco.
A direcelo do banco tendo em consider-
rselo os pedidos que alguma. pessoas desta
provincia lenblo falto para ae Ihe reservar
algumas a^dea que querilo .ssignar,tomou
a resolucio de reservar um pequeo numero
de acc/Vs par. estas pessoas que convida a
vir aasignar no escriptorio do Sr. Manoel
Goncalves de Souza at o dia 31 do corrente
mez de Janeiro fechando-se nesse da asas-
signaturas por todo o capital effoctivo do
Banco por haver pessoas que querem to-
mar o restante que nesse dia houver.
Precisa-se alugar uma escrava, para al-
guns servidos de oasa, ainda mesmo nlo aa-
bendo cozmbar o engommar: na rua do
Calderoiro n. 44.
ra, flores e ramos de flor de laranjaj na
mesma loja'fazem-se vrsiidos de casamen-
to, de baptisado, tocas do menino e de se-
nhora, capo'.inbos de todas as qualidades, I
com perfeiclo e preco commodo receben)-! .
se todos os mezes llgurinos modernos, que a, 800.rs- d P"C da Indepen-
impresla a seus freguezes. deneian.6e8.
Lotera (lo lito de Janeiro.
Aos 20:000,000 de rs.
Na loja de miudezas da praca da
Independencia 11. 4, vendem-se bi-
lhetes inteiros, mcios, quartos, oi-
tavos e vigsimos, a benelicio da 4
lotera da freguezia de S Jos do
Kio de Janeiro.
Attencao.
Vende-se as seguintes obras era bom es-
tado, a Geographia Universal,por Ralbi, Ma-
nual Enciclopdico, A bella de Seoangne, o
Diccionario Francez Porbiguez.Les Aventu-
ras de Telemaque : na rua larga do Rozarlo
esquina do becco do Peixe Frito o. 9.
Aos 20.-000^000 e aos 1 o:ooos'ooo
de rs.
Frecisa-se alugar uma escra-
va, que seja boacosinheira e com-
pradeira,: quem a tiver dirija-se
a rua da Assumpco ou muro da
Fenha n. 16.
O Sr.fiernardo de Albuquer-
que Fernn les (i.tma, queira man-
dar pagara sub.scrit;ao.tlcste Diario.
- O abaixo assignado, lembrando que
seus antecesores sempro feslejavam a N. Se-
nhora d'Assumpcflo, ua imperial capella da
Estancia do mestre de campos llenriquos
Das, que com a sua corporarjlo alcansou a
victoria no sou da contra os hcllandezes ;
o abaixo assignado identifica a todos os de-
votos da mesma Sra. que continuando no
mesmo costume pretende no dia 3 de feve-
reiro p. futuro, fazer mesma recordarlo
nlo com toda pompa como merece e deve;
mas com aquella decencia religiosa como
forpossivel; opregador heo muilo livor.
provincial de N. Senbor. do Carmo Frei
Uno. Na ve.pora depois da missa, tem de
benzer-se um painel da mesma Sra. que
deve cobrir o throno sobre o respaldo da I
capella mor. Esta benclo deve ser com toda
Na roa do Queimado loja n. 18. vende-se
bilhetes, meios, quartos, oitavos e vigesi
mos da 4.a Lotera a benelicio da freguezia
deS. Jos. Na mesma loja venleu-se|o
meio bilhete n. 355 da 3 lotera da fregue-
zia de i\. S. da Gloria em que sahio os
30:000/000
Na rua do Queimido loja n. 18, vende-
descencia de'pois da missa que ser as 5 ho- se uma csnoa de "arreira em bom estado por
ras, para a qual roga-se aos Srs. devotos Prco commodo.
presen tes, q ue se dignem assistir este acto, e .."." a ru' 0 V
bem assim os seus companheirosem armas, poeuca, re
llenriques. Francisco Jos de Mello.
D. Umbelina Wanderley Peixoto, pro-
fessor o'aula particular da rua da Cadeia
de Santo Antonio oosegundo andar do so-
brado n. 14 da esquina, avisa ao respeitavel
publico que. os exercicios de sua aula co-
ueimsdo loja n. 8 vende-se
, rica rnere.iii i],, poesas mo-
dernas em 5 mu.ues enea Jomados de novo
por prego commodo.
s freguezes de bolacbinha doce de lef-
ia americana as poderlo procurar Junto
a mesma padaria em uma venda.
-- Vendo-se um sitio pequeo, com casa
mecaramnodi. 7 do corrente mez, admita ^JSSSL^I^limSSt^ "u1" ft
i, mella pensionistas,. Usufructo, por 800,000 ra.: 110 Manguind
aliimn.is pensionistas
externas; ensiua a ler, escrever, as dilini-
{Oes de arithmetica e as quatro oper^es
em nmeros inteiros.grammalica porlugue-
doutnna rhrislla, cozer, bordar delu-
das as qullidados at de ouro, lavarinlo,
marcar, emliiu todas as maia prendas pro-
prias do sexo. A anuuncianle lembraoseu
estabelecimealo aos senbores pas de.fami-
lias residentes fra da cidade, asseveraudo
aos que quizerem confiar suas lilhas aos
cuidados da anuuncianle, que suas lilhas
receberlo da anuunciante eJucaflo e os
mesmos desvelos, que cada urna recebe no
seio de suas familias. Posto que o mothodo
adoptado pela anuuncianle proscreva o cas
ligo de palmatoadas, todava pelo lado do
amor proprio e do pudor slo as meninas re-
primidaa e obrigadas a aspiraren) certaa
honras concedidas aquellas alumnas que
mais se applicarem nos seus estudos, tis
senbores pas de familias que quizerem ma-
tricular suas lilhas podem mandar buscar
os estatuios em casada anuuncianle.
ir n d] cao]
d'aro.ra
(J. Starr.& Lompanhia,
Reapeltosamente annunciam que no seu ex-
tenco estabelecimento em Santo Am.ro,
o.35.
Vende-se um. preta de 35 annos, oozi-
nha, engumina, lava ropa, e faz todo o mais
servido de uma casa : ua rua do Collegro n.
31, ae dir quem vende.
Vende-se um c.vallo com todos os an-
dares bous e sem achaques, com arreios, ou
sem elles : na rua da ri-.ua, armazem n. 18.
Na rua do Passeio Publeo, lo|a o 9,
veudem-se 30o varas de bicu e ronda da Ier-
ra, alacadua, a 160 ra., e juntamente 18 ca-
xilhos envidracados e promplos par. qual-
quer obra, por preco commodo.
Veude-se um ptimo piano inglez, alu-
da novo, por preso commodo, no armazem
de taboados defronle de S. Francisco se
dir.
I' c tassa a me 1 i ca na.
No antigo deposito da cadeia velba, n.
13 exlate urna pequea porglo de poU.sa
americana, chegada' recentemente que por
superior rlvalua com a da Russia: v.nde-
se por prego razoavel.
Vende-se vinho de champa-
nhe legitimo e de superior quali-
dade : em casa de J. Keller &
Companhia, na rua da Cruz n. 55.
Liad ci ras.
Vendem-se cadeiras para meninas; no ar-
mazem de Kalkmann Irmlos, na ru. da
Cruz n. 10.
Livros em branco.
Vende-se em esa de Kalkmann Irmlos ,
na rua da Cruz 11. 10, livros om brai.eo che-
gados pelo ultimo navio.


*~
v
'..liprim-ps de alfoilfn) i vende-se um sitio com casi davirenda,
Cobertores ae' 8<"o. bastantes commodos, copi, eatribaria,
.S^io'?^"Vh 8.deH'?la di; bo. cacimba varios ps de Ur.og.lr...ca-
furentes core., tecidos dous tios, rouito
grande, lom todaapplicag&o ero um. cade
familia, por servir par. mei. de engom-
mado e forrar ornas e mesnio par. escra-
vos, pelo diminuto prego de 1,410 ra.: na
ra do Crespo n. 6.
Vendem-se 2 escr.vog padeiros, 1 tra-
balhador de maceiro, corta muito bem mts-
s., e outro pirito forneiro : quem os preten
der dirija-so a padaria do pateo da Santa
Cruz n. 6, pois que o motivo d. venda ae di-
r .o comprador.
A 8,ooo rs.
Chapeos de castor branco, in-
glezes, a oito mil ris : na praca
ila Independencia n. a4> 26 28.
fioa compra.
Vende-se ama mulata, excellente escrav.,
de 20 anuos do id.de, entende do .rranjo de
urna casa, ehede urna constituido vigoro-
sa : tratar na ra da Senzalla Vclha nu-
mero 13*. >
Vende-se um piano, muito bom e em
excellente estado : na ruu do Collegio n. 15,
tercoiro andar.
Vende-se om Olinda, na ra do Ampa-
ro, casa n. 36, un escrava da Costa, sem vi-
cios, sabe engommar, ensaboar, cozinhar e
vender na ra.
-- Vende-se urna escrava crila c mouga,
e com algumas habilidades: m.ruu do llan-
gel n. 56.
Vendem-se saccas de feijSo, pelo di-
minuto prego de 4,000 rs,, com sacco : na
ra da Cadeia do Recife n.30.
-- Vende-se em muilo bom estado, um
piano hamburguez por 130,000 rs. : na tra-
vess. da Concordia, sobrado 11. 5.
Va ra do Kangel n. 35, continua-se a
vender baoha de Dorco derretida da tr-
ra, muito superior, a 400 rs. a libra : quem
quizer, aununcie.
Hovao edicSes de livros socia-
listas.
Acham-se venda na ra larga do Itozario
loja de J. J. Lodi n. 35 Cu. Fourier: obras
completas, em 4 volumes, ultima edigflo pu-
blicada pela escola 12,000 is.; Pellarin : vida
e doutnna deCh Fourier, 1 volume publi-
cado pela escola 4,000 rs. ; novas transagoes
sociaes, religiosas e scientillcas de Virlom-
nius, urna brocliura 1,600 rs.; Metlray e
Ostwald : estudo sobre estas duas colonias
agrcolas, por F. Cantagrel, urna brochura
1,000 rs.
Grande abrica de chapeos de sol,
de J. Falque tua do C'ollgeio
n. 4.
Nesle novo estabelecimento recebeu-se
um novo e lindo sortimenlo de chapeos de
Sol dos ltimos gostos, tanto de seda como
depaninho para homeos e senboras, de ar-
magSo de baleia e de as.-o que se vendem
por menos prego que em outra qualquer par-
te; grande sortimento de cliamalote, sedas
o paninhos em pega de todas as cores o qua-
lidades para as pessoas que quizerem man-
dar cobrir armages serviJas. Completo sor-
timento de hlelas para vestidos espartilhus
para senhoras, fazem-se umhellas de igrej. e
concerta-se qualquer qualidade de chafos
de sol: todos os objectos cima ujeucionados
se vendem em porciio e a retalho, por prego
que agradara aos freguezesa vista da quali-
dade.
ATTENgA'U .
Cbegaram ltimamente de Lis-
boa as seguinles obras com rica
encadernacao, e juntamente os ser
guintes retratos das pessoas mais
nota veis de Po tugal (obras) o Ca-
fezeiros, grande canavial, terreno com mai.
de mil palmos de fundo, de muito boa pro-
ducen, e perto do Rio adi.nte da ponte de
Ucha : a tratar com Nicolao Gadault : na
ra do Apollo n. 90 egnndo andar, ou na
praga da loa-Vista ; na casa que esta edifi-
cando.
-- Vende-so um sobrado de um andar e um
sotonagora acabado de novo,o qual esta ren-
deodo 360,000 rs anualmente sito na tra-
vessa dos Quarteis n. 33, e'2 caixOes de ar-
magSo do venda e alguos pezo. miudos e
um. porgSo de tinta para pintor, e duas ca-
mas de armagSo.tudo isto por prego commo-
do por ter do retirar-se; na trsvess do Ve-
ras n. 18.
-- Vendem-se dous relogios de ouro pa-
tente inglez sendo um anligo proprio
para qualquer martimo, por ser de muito
bo. qualidade, o outro de sabonete moder-
no, vonde-so om conta : na ra do Queima-
do u. 10.
No escriptorio de Novaes &
Companbia, na ra do Trapiche
n. 34, vendem-se osseguintes ar-
tigos, por pceo commodo, para
fechar contas: chapeos depalhado
Chille em porc5es de cincoenta;
inhas de roriz e de nmeros; cu-
nhetes com arcos, e carneiras de
cores: a tratar no mesmo escrip-
torio.
VVVIITffTTfVffVVfVft
1 Deposito de tecidos da l'abri- 9
ca de Todos os Santos,
na Baha. 3
Vende-se em casa de Domingos Al- -8
ves Matheus, na ra da Cruz do lie-
cife n. 52, prmeiro audar^lgodSo *
transadodaquellafabrica,muitopro- ~
valeiro de Harmeutal em 8. 4
toin.; Vinte annos depois em 8., 6
vol.; Memorias do Diabo em 8 8
vol. Amores ile um Ladrao em 8.,
1 vol.; a Castella Sanguinaria cm
8., a vol.; Conde de Monte Chris-
to em 8, 6 vol.; Mil eum Fantas-
mas em 8., 4 tom. e 2 vol.; Jor-
ge ou o Capitao dos Piratas em 8.,
2 vol.; Misterios de Polica em 8.,
a vol.; Misterios do Limoeiro em
8., 4 vol.
Retratos.
D. Pedro t\., D. Mara a., Rei
D. Fernando, I). Miguel, Duque
de Saldanha,Duque da 3.Visconde
S da Bandeira, larao da Ribei-
ra de Sabrosa Conde das An-
tas, General Povoas, Galamba, D.
Carlos de Mascarenhas, Mrquez
da Fronteira, CondeThomar, Jo-
s Bernardo da Silva Cabral, Pas-
eos Manoel, Silva Passos, Espar-
tero, Luiz Nupoleao : na ra lar-
gado Rozario n. 38, loja do Car-
deal.
Vende-se urna mulata moga, do bonita
figura, perita ongominadeira c cozinheira,
entende pouco do costura, tcm boa conduc-
ta, nio tem vicios o ncm achaques: atrs
da matriz da Uoa Visti 11. 21, se dir quem
vende.
Parece impossivel.
O barato prego do 4,500 rs., porque so es-
to vendendo, chapeos pretcs fr.ncozes,
ullim.mente cbeg.dos na loja do chapeo..
de Pariz, no arco de S. Antonio n. 2.
Na ra do Caldereiro n. 26, vendem-se
excedentes hostias, muito alvas, e feitas
com todo asseio eperfeigSo; assim como
ptimas obreias de lindas e variadas cores,
proprias para secretaria, por prego muito
commodo.
Vende-se urna cama grande de jaca-
randa, nova, com armagSo e cortinado mui-
to bonito, vende-se muito em conta:
do Queim.do n. 10.
Vende-se por prego mdico urna fszoo-
da em Moxoto, distante de f'esqueira onze
legoas, contendo quasi trez de trra em fun-
do, e meia de testada, e um olho d'agua,
que nao seccou na grande secca de 1845.
Tem curral, casa de vivenda, e cercado,
bem como boa mata; e he excellente lugar
para algodSo, e gado. Trata-se com Anto-
nio Jos de liveira, na ra do Collegio, o.
20 segundo andar.
Frutas de Portugal.
Na ra larga da Itozario n. 20 vendem-se
frascoa grandes com pessegos. damascos,
cerejaa e ginjas muito bem conservadas,
pelo diminuto pregp de 1/000 os frasco: es-
cusado he tecer elogios a estaa excellentes
frutas, pois alem de serum mu bem conbe-
cidas por todos, tornam-se muito recom-
mendaveis pelo precioso licor a que est
ruduzido o espirito em que veem conser-
vadas.
--Na ra larga do Rozario n. 20 vende-se
um excallente oculo de alcance por prego
muito razoavel: assim como umfrico violao
de excellentes vozes proprio para um bom
mestre doste instrnmeuio.
prio para saceos e roupa de escra- ^
vos, assim como lio proprio para re- ^
9. des de pescar o pavios para vellas, .<<
> por prego murto commodo. 43
A*M**A *******
Muito barato e muito bom, loja de
ferragens n. 56. A, ra da Ca-
deia do Recife.
Foles de tolos os tamanhos, ricas formas
par. pudins e bolo.s ricas cobert.s para co-
brir pratos na mosa de metale rame; escri-
vaninbasde latSo de varios tamanhos, per-
fumadores dito dito, ricos penles de m.rfim
par. bichos de desembaragar o mais fino
possivel; peneiras de rame amrelo e bran-
co proprias par. tola qualidade de massa
ou familia ; ricoscadiados grandes e peque-
nos,lat3o e ferroso melhorquetom aparecido
no mercado; ricas fchaduras para portas
de ra, sala, gaveta, crleira e armario, lu-
do patente; ferramenta de ourives; maqui-
nas para torrar cafie, ratoeiras do rame e
ferro, do diferentes tamanhos o muitas ou-
tras cousas que com a vista se apetecer.
-- Vende-se urna taberna, sita na praga
da Uoa Vista n. 10 : trata-so na inesma ta-
berna.
VenJe-se um cavallo novo, o qual est
muilo gordo, e he proprio para montara do
senhora, por ter bons andares o ser muito
manso: na ra da Aurora, venda por baixo
do sobrado n. 46, su dir quem vende.
- Vendem-se 4 escravos mugos, de 22 an-
nos, com bonital figuras, creoulos, sendo
um bom olllcial de sapatoiro; 1 lindo mula-
linlio da 11 minos de idade, oplimo par. pa-
gem; 2 lindas escravjs crcoulas, mogas e
com algumas habilidades; 1 escrava de meia
Jado por 280,000 ra cozinha o lava bom:
na ra Direila 11. 3.
Vende-se por preco commo-
do, cal virgem, muito nova, che-
gada pelo ultimo navio, por preco
muito commodo : no armazem de
Das Ferreira, no caes da Alfande-
ga, ou com Novaes & Companbia,
na ra do Trapiche n. 34-
Vapor inglez.
Papel paqueto;propno para poupar por-
tes no' vapor para Europa, assim como
as competentes obreias : na loja de forra-
gens da ra da Cadeia n. 56, A.
Vende-se por preco muito
commodo, para fechar contas, sac-
cas com superior farinha de man-
dioca, muito fina e alva, nos ar-
mazens de Dias Ferreira e Antonio
Annes no caes da Alfandega: a tra-
tar nos mesmos,ou com ovnes &
Companhia, na ra do Trapiche
n.34,
Moinhos de vento
' .i-n bombas de repudio para regar hortas
d baxas de capim : vendom-se na fundigSo
de Bowman t Me. Callum, na ra do Brum
ns. 6. 8 e 10.
Vende-se urna preta perfeita engotn-
madeira, a qual he propra para esse serv-
0 por ser reforgada do corpo, faz o nais r-
Superor cha nacional
em caixiuba.de 2 libras, eda melhor qua-
lidado ; vende-se por prego commodo, na
ra doCorpd-Santo n. 2, primeiro andar.
Velas de carnauba em libras.
Vendem-se velas de carnauba imitando
espermaceti) : na loja da salen o da ra da
Cadeia do Recife n. 36.
Vende-ae ch.mp.gned. marc. amiga
e bem conhecida, Comet, em casa de Deaoe
Yule <\ uimpanbia : na ra da Cadeia.
Farinha de mandioca.
Vende-se saccas com superior farinha
de mandioca a pregos rasoaveis: a tratar
com J. J. Tasso Jnior ra do Amonto
n.35.
Vende-se no armBzem do Vicente Fer-
reira da Costa na ra da Madre-de-Ueus,
louga azul fina avulsa, apparelhos de meza
e cha dos melhores modellos e qualidades,
por prego commodo.
Vende-se saccas com superior colla,das
fabricas do Rio Crande do Sul, e a prego
commodo, no armazem, do ias Ferreira
ao pe da alfandega.
-- Vonde-se um bom pelo, ofTlcial de
marcineiro, que representa ter 25 a 30 an-
nos : quem o pretender dirija-se a Soledade,
ra de JoSo Fernandos Vieira, sitio dos qua-
tro lees, que achara pessoa autorisada par.
esse liin.
1 Vende-se, por preco commo-
do farinha de mandioca muito
superior, a bordo di patacho Ale-
gra, chegado de Santa Cathariua,
o qual se acba fundeado ao p do
caes do Collegio: a tratar a bordo
da mesmo, ou com JNovaes& Com-
panhia, na ra do Trapiche 11. 34.
Modula* xiiperiorei.
N. fundigo de C. .Marr Companhia,
em S.-Amaro, acham-se venda moendas
de canna, todas de ferro, do um modelo e
construcgSo muito superior
Vendem-se superiores vinhos finos en-
garrafados, sendo do Porto, tinto,om cai-
xinliusdo 30 garrafas o de Lisboa, branco
em ditas de 24 garrafas ; muito boa 11 melha
de algodSo para selns, e retroz do Porto :
na ra do Vigario n. 19, primeiro andar.
Pechincha.
No aterro da Uoa Vista, li ja decalsado n.
58, junto ao seleiro vendem-se sapatOes
de lustro a 2,500 e 3,000 ra., e muito bons
a 3,500 rs., a ellos freguezes que sao poucos.
4
AGENCIA
da fundicao Low-Moor.
RA DA SENZALLA NOVA N. 42.
Reste estabeleeimento conti-
na a haver um completo sorti-
mento de moendas o mcias moen-
das para engenho, machinas de
vapor, e taixas de ferro batido e
coado, de todos os tamanhos, pa-
ra dito.
Vinho de Champagne,
e superior qualidade : vonde-se no arma-
ein Kalkmanu IrmSos Ra da Cruz, n. 10
O Vende-se um grande sitio no lu- ()
Q, gardo Manguinho, que lica defronte O
<3 dos sitios dos Srs. Carneiros, com n
,'j grandecasa de viveuda, de quatro n
Q agoas, grande senzalla, cocheira, m
r estribarla, baixa de capim que sus- /.
lenta 3 a 4 cavallos, grande cacim- X
X ba, com bomba e tanque coberto j
J para banho bailantes arvoredos de
fructo : na ra do Collegion. 16,sa- 9
O gundo andar. O
-- Vendem-se cera em velas ,
fabricadas em Lisboa e no Rio de
Janeiro, em caixas de 100 libras
sortidas, de 1 a 16 em libra, e tam-
bera de um # tamanho, por me-
nos preco do que em outra qual-
quer parte : trata-se no escripto-
rio de Machado & Pinheiro, na
ra do Vigario n. 19, segundo
andar.
Vendem-se selins e sillides
da
e
porco,
A todo o fielchristao.
S Acaba de sabir a luz no Rio de ja- .,
a neiro oseguinte : ^
Livrinho milagroso'
9> Da vera Efugio divina do Rosto de ZL
*" Nosso Senhor Jess Christo acompa- '*
nhado da mesma imagem ricamente %
&l gravada e de um breve resumo da vi- -m
* dado Nosso Divino Salvador, offere-
'> cido a lo io o fiel christ3o. Acha-se
eslampada na frente desle lindo li- 01
vrinliu a seguinte poderosa recom- 0
^ m mi .. i Vi : Este livriolio parece- @
'.' mo pro, u para excitar a pie lape c f
$) devogSo dos liis : segu urna tradi- (g)
; g3o sobre o verdadeiro retrato do Nos-
... tradiz as que s3o adoptadas sobre o lg)
* mesmo objecto por alguns escrptores g)
v> refenndo-se a oulros antigos. Oli-^y
-i vrinlio podo sor lido com fructo pelos
r n.. .i~,. ot a. ___;... .1. S:

fiis.
1S51.
ConceigSo, 25 de Janeiro de
inglezes, de couro de
primeira qualidade: em casa de A-
damson llowie & Companhia, na
ra do Trapiche n. 4-'--
Agencia de Edwin Maw.
Na ra de Apolla n. 6, armazem de >lc. Cal-
moiitsi Companhia, acha-ae conatantemeate
bous sortiiiienioa de taia de ferro coado e
batido, tanto rasa como fundas, moendas In-
eiraa todaa de ferro para aninaea, agoa, ele,
ditas para armar em madeira de todos os ta-
manhoa c madellos o mala moderno, machina
horiaontal para vapor, com forca de 4 caval-
lo, coucos, paaaadciraa de ferro eatanhado
para casa de pulgar, por menos pre^o que os
de cobre, escreos para navios, ferro iogle
tanto em barras1 como em arcos folbas, e ludo
por barato pre;o.
Deposito de cal e potassa.
No armazem da ra da Cadeia
do Recife n. ia, ba muito supe-
rior cal de Lisboa, em pedra, as-
sim como potassa chegada ultima-
mente, a precos muito rasoaveis.
-- Vende-se superior cal virgem de Lis-
boa vinda pelo brigue Novo Vencedor no
passeio publico loja do fazeudas n. 15, pre-
go muito commodo.
Casa de commissao de escravos.
Vendem-se escravos e recebem-
se de commissao, tanto para a pro-
vincia como para fra della, para
itii (lo Collegio 11. 4.
Novo sortimento do chapeos de sol, para
homem e senhora, a saber : chapeos de
sol de sed., armagSo de baleia, de 4,500rs.
para cima; ditos ditos para senhora, de 4,000
rs. para cima ; ditos de panno fino, de ar-
mag.1o do b.lei. e de ferro, de 1,600 3,200
rs. ; ditos ditos de armagSo de junco, de
1,200 1,800 rs., todos I i nipos : grande sor-
timento de sedas e pannos, em pegas para
cobrir os niesmos, baleias para vestidos e
espartilhos de senboras. Concertam-se to-
das as qualidades de chapeos deso, ludo
com perfeigSo e por menos prego do que om
outra qualquer parte. '
Molduras douradas
do todas'os larguras : vendem-se no arma-
zem de Kallkmann Irmos.ruada Cruz u. 10,
Farinha Fontana,
chegada ltimamente: em casa de J. J. Tas-
so Jnior, na ra do Amorim n. 35.
Vendem-se muito boas naval has ingle-
zas para barba, tanto em estojo de urna ,
como de duas,estes trates sendo bons, como
estas o sSo, tornam-se iudisponsaveis em
um clima como este a raga humana, e silo
objectos de estima, a ponto dedeveremsor
inventariadas, quando seu dono se retirar
de urna vez para Si Amaro; o autordellas
foi premiado pela descoberta da tempera
quesoube dar ao ago de que ellas silo feitas;
metas brancas de lio da Escocia ; thesouraa
finissimas para unhas; grampasenvernisa-
das; oculos para to las as idades, a 800 rs ;
esporas finissimas de ago com corroa a 111-
gleza ; escovas de falo; linhas pretas para
sapaleiro ; espelhos de gavetas os maiores
que tem viodo, a 800 rs. cada um e maiores
mais baratos, e outras muitas miudezasem
conta, para liquidar contas velhas : na ra
larga do Rozario n. 35, loja do Lody.
SALSA PAKKILHA DE
SANDS.
Este excellente remedio cura todas as en-
fermidades as quaes sSo originadas pela
impuresa do sangue ou dosystema ; a sa-
ber : escrfulas, rheumalistno, erupges
cutneas, brebuthas na cara, almoroidas,
doengas chronicas, brebulhas, bortoeija,
tinha, enchagOes, e dores nos ossos, e jun-
tas, ulcar, doengas vonerias, citica, enfer-
midades que atlagSo pelo grande uso do
mercurio, hidropesa, expostosa urna vida
extravagante. Asim como, chronicas de-
sordensda constituicSo, serflo curadas por
esta i.mi til, e approvada medicina.
A admiuistragSo deste belo remedio, nos
ataques mais estraordinarios tem sido sem-
pre seguidos pelos mais felices resultados
Na ra Nova n. 8 loja do Ba.
rateiro.
Vendem se lindas e finissimas rnasra-
de cera, tanto para homem, como pari
ohora.so poucas e o prego convida
Para baile de Mascarados.
Vende-ae um visluario de couro, comal
to. chapeo, peroelras, gibSo, guarda X.
sapa tos : na ra do Queimado, loja n. u
Vende-se urna taberna, no B,t,..
Santa Cruz, que faz esquina para a rui v.
Iba, muito bem afreguezada, vendedirj,
mente 12,000 a 16,000 rs., a dinheiro. 2'.
praso com boas firmas, ou desobriga a or
ga: trata-se na ra da Santa Cruz n. 20
-- Vende-se urna bonita muIaU, pnj,.:.
para mucamba da casa, ho acostumada 1 tr,
tar de cri.ngas : na rtia larga do Roan,
n. 20. Na mesma casa ha um preto prorjI
para o servigo de campo. K
Oh !
Que .So chegados os excellentes sgn0
de p.lba de milbo : oa travessad. Linguet
n. 6.
Vende-se na ra da Cadeia do Recife
loja de miudezas n. 5, um preto de oirj0'
proprio para servlco de enchada.
Vende-se a obra de theologia moral j,
P. Monte, e um jogode Rrevisnos, tudoeni
bom uso, e encadernados de novo : ms,!
ebr istia da Ordem Terceira de S. Francisco.
-- Vende-se muito em conU, urna casa d
dous andares, em urna boa ra no liairr, '.
S. Antonio : a fallar com o corretor Miguel
Carneiro.
Vende-se urna casa de taipa na Capar.-
ga nova, em trras do Dr. Jacobina, com;
salas, 3 quartos, cozinha e copiar fra,
tem 11 1 todo plantado com diiTerentes qua.
lidades de arvoredos, a maior parte jado.
do : trata-se no mesmo lugar ao p da casi
que tem as hombreiras da porta do aou.
relio.
, Caixas para rap.
Vendem-se as omito coobecidas caixas de
xifre do Aracaty: o. tomantes que quizerem
possuiruma excellente caita emitarnio asd.
tartaruga e por prego muito mais commo-
do, diiijam-se a ra larga do Rozario n. o
PIANOS.
Vendem-se em casa de Kalk-
mann Irmiios, na ra da Cruz n.
10, ricos pianos de Jacaranda, com
excellentes vozes chegados ha
pouco lempo.

Escravos fgidos.
8*3
Estam fgidos da fabrica de olderee
ro da ra do Brum n. 28, os dous escravos
seguintes : Felippe de nagSo Mogambique,
reprsenla ter 35 ancos de idade, estatura
regular, cheio do corpo, e costuma erobru-
gar-se pertcncente ao casal de Jos liara
de Jess Muuiz,; e Alexandre de 11 ivi S
Paulo, de idade 35 anuos, alto, fall demo-
rada ; quo foi do Meliquer, francez mora-
dor no Rio-Doce, e ltimamente foi doSr.
Eduardo Bolli : ambos fugiram sem outro
as suas operag>s ; prn. o au pnneipa!! m?tiv? m W "d'?* e sahirara.o
objecto he de purificar o sangue, e limpar o ?r,'fel'2 desde 25 do corrente. > *Bto
sy.tema de qualquer influencia de mercu- d(,sde 26 rg\M rio. No seu mdueptnmU, be directa- levamadiUfabricaqueserarecompensido.
10/000 de gratiflcagao
Pela entrega do escravo Valerio, fgido do
>
Hispo conde capeliso-mr, |0que se offerece muitas garantas
.i vende-se 110 pateo do Collegio casa Mi* ""o ,""
V do livro a/.ul a (lo rs. cadaum. # a SCIIS uunos .- un rna da C;it'lllil;>;
n. 11, primeiro andar.
Vedem-se relogios de ou-
ro eprata, patente inglez : na ra
da Senzalla Nova n. 42.
Arados de ferro.
Ven4em-se arados de diversos
modelos, assim como americanos
com cambSo de sicupira e bracos
da ferro ; na fundicao da ra do
Brum ns. 6, 8 e 10.
SALSA r.tllILII\
DE
Oprimo violto branco.
Vendem-se barris de 5 em pi-
pa, com vinho branco de Lisboa,
da mellior qualidade quea^parece:
trata-se na ra da Cadeia do He-
cife n. 48.
Cal vilgein de Lisboa.
Vende-se cal de Lisboa, de p-
tima qualidade vinda no ultimo
navio : trata-se com Augusto C.
de Abreu, na ra da Cadeia do Re-
cife n. 48.
Pi de sapateiro.
No alerro da Boa Vista, loja n. 58, vende-
so fio de sapatoiro a 700 rs. a libra, e mar-
roquim preto a Uto rs. a pello.
Sebolas.
Na travessa da Madre de Dos, armasem
u. 19 vendem-se muito boas sebolas a 320o perial de medicina, pelo lllustrado Sr. Dr.
ceiilo. Antonio Jos Peixoto em sua clnica, e em
FAlUNIlA DE S. CATI1AR1NA. suaafamada casadesaude na Gamboa, pe-
A__IL._ (...la ,1 m,,i; lo lllm. Sr. Dr. Saturnino do Oliveira, me-
melhor farinha de mandioca dicodo exercito e por vanos oulros medi-
e mais recenlemente chegada ao eos, permittem hoje de proclamar altamente
As numerosas experiencias feitas como
uso da salsa parrilha em todas as enfermi-
dades, originadas pela impureza do sangue)
e o bom xito obtido na corte pelo lllm.
Sr. Dr. Sigaud, presidente da academia im-
n. 15, que sera gr
Antonio Dias da Silva Cardeal.
50,000 rs. de gratiflcagSo.
A quem pegar ou descubrir onde se ach
i'an'j 1 de casa e fu com muita fidelidade
urna outra por 200,000 rs., lava, cozinha o
faz o mais servigo do casa com perfeigilo ,
advcrlmdo que ambas sSo creoulas, e ven
didas por falta do cobres : na ra larga do
Rozario, loja n. 35.
Arados de ferro.
Na fundigSo da Aurora, em S. Amaro,
vendem-se arados de ferro de diversos mo-
delos.
Vende-se urna preta com 40 anuos de
idade pouco mais ou menos, de muilo boa
conducta o propria para todo o servigo : no
armazem de Vicente Ferreira da Costa na
ra da Madre-de-Deos.
DE VE RES DOS HOMEiNS,
a 5oo rs.
Vende-se esto compendio aprovadopara
as aulas, em meia encadernaglo, a 500 rs.,
cada um: nalivrarian. 6 e8,da praga da
Independencia.
A t te ti rao l !!
m Na ra da Cadeia do Recife n. 50 A. existe
um sortimento completo defazendas Ingle-
zas, Francezas e Suissas, todas da ullimo
gosloepor baratissimo prego.
Achar bom e gostar
Trazer dinheiro e comprar.
A 240 rs.
* Na ra da Cadeia do Recifon. 50 A. ven-
dem-se chitas francezas de ultimo gosto a
2*0 rs. ocovado; he baratissimo 11 Como
tambem colates decasamira eseda a 1,600
rs. ricos padifies, chita para coberlas finas
a 7,000 rs. o a 6,650 rs., cortes de carsas a
2,000 rs., lengos do seda da India, e muitas
outras fazendas que se vendem muito em
coola.
Altencao.
Vonde-so urna loja de calgado 110 mellior
lugar da ra Direita, muito afrequezada por
ser muito antiga, aquil lom commodos pa-
ra ter urna familia solTriyel, independento
da mesma loja : quem apratender aununcie
por este Diario.
mercado, vende-se por preco m lis
commodo do que em outra qual-
quer parte, a bordo do brigue Al-
mirante fundeado confronte ao
caes do Ramos : trala-se a bordo
do dito brigue, 011 no escriptorio
dos consignatarios Alachado 6c Pi-
nheiro, na ra do Vigario n. 19.
FARINHA DE BALT1MORE,
muito nova e de superior qualida-
de : a tratar com .Manoel da Silva
Santos, na ra do Amorim n 56
e 58, ou no armazem do Aines no
caes da Alfandega.
Anligo deposito de cal
virgem.
Na ra do Trapiche, n. 17, ha
muito superior cal nova em pedra,
chegada ltimamente de Lisboa:
tambem se vende- potassa da Rus -
sia, nova e de superior qualidade.
Taixas para engenlio.
Na fundigSo de ferro da ra do Brum,
acaba-se do receber um completo sortimen-
to de taixas de 3 a 8 palmos de bocea, as
quaas acham-se a venda por prego com-
modo, e com promptidfio embarcam-se,ou
carregam-se em carros sem despezas ao
comprador.
Deposito de cal virgem.
Cunba & Amorim, vendem barris com cal
em pedra. chegada ltimamente de Lisboa,
na barca a Margarida, por menos prego do
que era outra qualquer parte: na ra da Ca-
deia do Recife u. 50.
Principios geraes de economa pu-
blica e industrial.
Vende-so osto compendio, approvado para
as aulas de primeiras letras, a 480 rs.: na
praga da Independencia, livraria n. 608.
Vendo-se duas loilias com Uberinto e
bico as pontas, a urna toda abert. de mui-
to bonito laberinto : na ra do Queimado
loja n. 14.
as virtudes cflicazes da
SALSA PARRILHA
DE
Nota. Cada garrafa conlem duas libras
de liquido, e a salsa parrilha do Brislol he
garantida, puramonle vegetal sem mercu-
rio, iodo, potassium.
Vende-se a .Vnuo rs. o vidnr na botica do
Sr. Jos Mara Congalvcs Ramos : ra dos
Quarteis pegada ao quarlel de policia.
Vende-se em casa de A -
damson llowie ck Companhia, na
ra do Trapiche n. 4a panno de
algodao para saceos deassucar ,
muito superior e barato.
Bombas de ierro.
Vendem-se bombas de repuxo,
pndulas e picota para cacimba :
na ra do Brum ns. 6, 8 e 10,
fundicao de ierro.
Deposito da fabrica de Todos os
Santos na Baha.
Vende-se, em casa deN. O. Biabar &C,
na ra da Cruz n. 4, algodSo transado da-
quella rabrica, muito proprio para saceos de
assucar e roupa de escravos, por pregocom-
modu.
9 Vendem-se e alugam-se bichas, che-
fn gadas ltimamente da llamburgo, por
# prego commodo: na ra de S. Amaro
ft n. 28.

-- Vendem-se velas de esptrmscele, em
caixas, de superior qualidade : em casa de
J. Keller & Companbia: na ra da Cruz nu-
mero 55.
Vendem-se amarras de ferro: na ra
da Senzalla nova n. 42.
Em casa de J. Keller & Com-
panhia, acha-se a venda vinagre
branco, superior de Nantes, em
barris de 30 medidas.
Charutos de llavana
De superior qualidade : vendem-se no ar-
mazem de Kalkuiaiia IrmSos, na ra da
Cruz n. 10.
mente como um remedio alterativo, anda
que, indirectamente serve ao systema como .
um verdadeiro tnico. Doengas nos ussos 5J? noverobro p. p. do engenho 8. Jlo
eno systema grandular; assim como nes'do c,bo da M'tioel Lins d Albuquerqut
juntas, e ligamentos, so inleiramenle cu-,sen1do d Cusla- alto- 8r08SO- c,ra chal''11
radas pelo uso deste remedio, sem que o,cu; 'hos Pequeos, um pouco gago, ci-
doente faga resguardoalgum, quando usar;"ella? n"asi us chatos, tendo os deio,
este remedio. A opperagSo deste remedio grandes separados dos oulros, e urna cica-
consiste em removerla desordem do sysle- Inz no p esquerdo, Junto aododo^imimo
oa, eem breve tempoodoenle ganbai a sera entregue a grati(lcagSo de 10/000 a
suisaude quem o levar ao dito engenho, ou ao Slun-
ASalsal'arilhateniganhado por muilos de8 MM do commendador Luiz Comes
annos urna alta rerutagao, de ter curado Ferreira.ou ao engenho Fragoso, de Manoel
doengas mui dificultosas, que nenhum ou- Joaqulm Carneiro da Cunba.
tro artigo de valor em materia medica tem No da 18 do corrcute de-
corado. lledesaberqueaSalsaParilhahe sappareceu do abaixo assignado,
um dos mais valerosas remeJios que os rr o '
doctores usSo em toda a parte do mundo ; um escravo, de lio.ne Joao, de na-
c m vistas de ganharem a cura pelo uso de c5o A ngola, de 36 annos de idade
tal remedio vegetal. Porem, deve-se de .' .
notar, quo nemlodas as iessoassabempre-P0,lco ma'S OU menos, cor preta,
parar esto remedio, assim como esco- grosso do corno, nemas grossas do
Iherem a melhor parte quese deveusarem ,,_ i __-_. lJ r 1. 1,
tal preparagao. IJm celebre Medico escrip-, tornozelo para baixo, tem falta (le |
tor, que residi por muilos annos no lugar cabellos no incio da cabrea, tama-
aondchaa melhor producgSo da Salsa l'a- _l. j trinada Ab f.n ra fni
rilla disse: Seisou oito especies destas nn0 e u,ma oe(1* 4 "., 01
raizes que crescem nestes bosques, admira- vestido de calsa de algodo azul,
T "? Pd<,SS8.ac"ar, se nao urna, camsa branca, costuma mudar de
com o gosto, e propnedade da verdadeira a
Salsa Carilla, que se possa recommendar ropa quando loge: quem O pegar,
para medicina ; pois as mais eram insipi- leve-0 a seu senhor, na ra di
dos e inertes. Porm.comoos mdicos o c I r 1
nao se cino 10 trabalho de razerem as 'aia > nue
suas proprias medicinas, mas sim ciniiaiu
nos seus habois boticarios, para a prepara-
ren!, e comporem difTerentes drogas. Po-
rmue todas as preparagOes de Salsa Pan- um, molala de nome Paula, de idade de i
Ihadcviade ser dagenuiiia,paraqueofa--annos pouco m,9 ou menos, comossig-
cult.livoe o publico ficassem bem fiados nae SPf(unle8 Mtlturi ,, bem di>-
as preparagOes de Salsa Parrilha a ser da post,, cabellos cachiados, de cor nSo muilo
mellior qualidade. Pois he este o genuino cUra cheia do corpo, rosto redondo, tm
vcgestavel, que se ofTerece ao publico ; nes- uni ,nnos e d0 pesc0 aoda calca-
te se1 V combinados o uttle cum dulce ,- pois dt e f(J jo do Pas80 de c,maragibe (provin-
em infinitos casos em quo o doente espe- c, dag A|agoagi emsolembro de 1848 selu-
rangas algumas tinha de vi ver, e grandes zda por um canoeiro Cosme Duarte Ribei-
quanlidades de remedios expenmenlados, ro mo da par,hlbai f0j visto em caminlu
mas sem resoltados do molhoras; mas com por trra para esta cidade onde so occul-
esta pura Salsa Parilha, suas curas tem sido tou e devem ter estado em Pontas de Pc-
infaliveis, pois os certificados que temos dras perto de Coianna, porm talvez tnha
recebido do pessoas que tom usado deste hido para a Parabiba ou Cear ; ella lio fi-
puro remedio, afiirmamda sua boa elllca- |ha de Curunpe donde foi vendida a um su-
cia ; estes certificados temos a honra de geito do Porto Calvo :roga-se a todas as au-
aprensentar ao respeitavel publico, para ihoridades policiaes a mandem capturar e
quo llquom certos, o quo cima so diz, he remettam para esta cidade a ser entregue
verdadeiro. Os proprietarios deate reme- ao dono da meama Antonio Lwl d Barros,
dio tem por muitos annos empregado todos que se acna morando na rua do Vigario,
os meiospara prepararem este 13o til, e _Dofappareceu nodia 11 de Janeiro um
essoncial remedio da raiz da Salsa Parilla, escrav0 por nome Catoler, appareceu no
qne por Om, conseguiram as suas vistas, em mesmodia pelas 9 horas da manhSa e tor-
praparareni um tSovaluoso remedio, e seus nouasahir, levoo vestido caiga de caje-
tao lindos resultados tem enchido os pro- mira azul escura, camisa de algolSozmlio
prielanosde gloria, e triumpho de terem em corpado, he de estatura regular, heca-
preparado urna linda composigJo contra noairodo poiloda rua Nova, ten as m3os
doengas, que o seu lim he destruir o corpo grossas e ctieias de barrugas, nariz groco,
humano. Esta composigSo he qumica e he quebrado: quem o pegar dirija-se a rui
nova, fcsta Salsa Parilha he combinada com ,da Concordi casa de seu aenhur n. 9 da
outrosengredientes que lodos elles perten- Joso Francisco d. Costa, oa na rua dos
cema classe vegetal, e todos com o poderlQuarleis de policia n. 22 quesera bom re-
de purifica re .11 o sangue. O doente quo usar: compensado.
Nodia 18 de abril de 1851 desapparo-
ceu o escravo de nagSo, de nomo Joan, ida-
de que representa ter 30 a 40 annos, cor
bem preta, seco do corpo, todos oa denles
da frente, muilo regrisla, e cambado das
pernas, este escravo foi da Sra. D. Fran-
cisca, moradora no Rio Formoso passou ao
Sr. coronel l.omenha e depois ao Sr coronel
Joaquim Bernardo de Figuerodo a ltima-
mente aoSr. Jos A Ivs Guerra a que o abat-
i assignado o comprou, e butando-se eai
\
desla composigao, pode contar que tem o
mais efllcaz remedio, para a aua enfermi-
dadeusa. O nico agente nesta cidade he
Vicente Jos de Brito, na rua da Cadeia do
Recife botica n. 61.
Sobrado em Goiaiina.
Vende-ae, muito em conta ,
um bonito sobrado sito na rua
do Meio, n. 58 avaliado em
a:oooooo, em o qu.l tem parte
rsula Mara das Virgens e sua
irma Joaquina Alvcs de Faiva na
importancia de 107,473 rs. quem
pretender dirija se a caza de Kal-
kniann lrm3os,ruada Cruz,n. 10.
Tinta ein oleo
branca overdo: vndese no armazn de
kalkmanu Irmos, rua^da Crnz n. 10,
Espelho de paiedo
com rica moldurus: vendem-se no arm-
zem de Klkmann limaos, rua da Cruz a. 10
casa d corretor de escravos Figueiedo,
morador na rua das Cruzes o. 32 do ldo-
desappareceu o at opresenle nenhuma no-
ticia tem o adaixo assignado do seu escravo;
he por isso que abaixo assignado m;i '
todas as authoridados policiaes tanto dosd
praga como do mato a aprehengSo do dilo
escravo, ese alguma pesaoa particular >'>><
noticia do dito escravo ser bem recom-
pensado, dirigindo-so a roa da Guia n. ''
o abaixo assignado proteata contra quem
tiver occullo o sen escravo assim como io-
dos os das de servigo.
J0J0 Antonio Marques.
"'i'V. v^Tii1 ''i' M r-'ir f \r.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EHJ7HGFYA_1BGBRK INGEST_TIME 2013-04-12T22:26:10Z PACKAGE AA00011611_04610
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES