Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04596


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AnnoXXVHI
Segunda-feira 5
DIARIO DE
de Janeiro de 1852.
N. 3.
PEMAMBim
meco gtrBOB,l*OlO.
PlOAMBNTn AklAHTlDO.
Pdr trimestre............
Por semestre ..........
Por nao .... .........
Pago dentso dotbimestai.
Poi quartel............
woticiJls do rarcni
Para.....17 deDczbr. Ulnas. lodeNovbr.
Maranhiio 2l de dito IS. Paulo 10 de dito.
Ccar... S4 de dito. iR. deJ. lAdeDnbr.
Parahiba. -' edito [Rabil... 20 de dito.
4/000
8/000
4/00
DA DA nUAHA.
AUDIEMClAg.
5 Seg. S. Semejo Es-I Julio di OrpMo
ti Ni 1 (Priado.) 2. e. s 10 horas.
8 Tcrf.+ +S. Res. | t. tarado civel.
7 (loart.S Luciano 3, (i, ao melo-dia.
8 Qulnt S. I. iiiri'nf 1. Palmita.
Justiniano.
9 "'Cji S. Jullao.
10 Sab. S.Panlo.
11 Dom. I. depois
Reto, s nigino.
3. e6.il 10 horas.
2. vara do eivel.
14. c sbados ao meto-d.
del Arlar"".
Terca e sbados.
IPBUISIBII.
Crescente a 2o, u 8 horas e 15 minutes da ni.
(hela a7, a 3 horas e 48 minutos da m.
"ligo.le ll,il hora e 8 minutos da m.
Nova 21, as 7 horas 34 minutos da 111.
rnuMiiiDi no je
Prlmeira s3 horas c 42 minutos da tarde.
Segunda 4 horas e 6 minutos da 1n.111N.1a.
tlBTtDli DO OOBMIOI.
flolanna e Parahiba, is segunda! e sextas-
feiras.
Rio-Crande-do-Rorte.todaa as quintaa-feiras
aoineio da.
Garanhuna e Bonito, 8 e 23.
Boa-Vista, e Flores, 13 e 28.
Victoria, s quintas-felras.
Olinda, todos os diav.
NOTICIAS ISTItANcrinAI.
Portugal. I.'.de Novbr; Austria.. 2 de Novbr
nespanha. 8 de dito |,Sulasa. .. 2 de dito.
Franca ... 8 de dito Suecla... 28 de utbr
Blgica... 4 de dito [Inglaterra 8deNabr.
Italia.... 31 drOutbr E.-Unidos 2(i drOutbr.
Alemania. de N"vbr
Hrussia ... de dito.
Dinamarca29 de Outbr
Russia... 28 de dito
Turqua. 18 de dito
CAMBIO!BE 3 BB J NElnO.
Sobre Londres, a 28 d. p. 1/ Firme
Paria, 34o por Ir.
Lisboa, 90 por cento.
KETAII,
Ouro.Oncas hespanholaa.... a 28J600
Hoedas de 6/400 velhas. 16/000 a 16/200
de 6400 novas. 16/000 a 16/200
9/000 a 9J1UO
1/940 a sjoin
1/920 a ,
1/710 a fri0
Mxico... 15 de dilo,
I alifornla 12 de dito de 4/0C0.......
Chlll. 8 de dito Prata.Patafflrs brasileiros..
"uenos-A. 8 Je Novbr Pesos columnarlos..
Montevideo ? I de Outbr Ditos mexicanos.....
ERKATAS.
Fia circular aesjuizesde diroilo
Linha 31 procedimento -leia-sc pre-
conceito.
Ditas AOprorogacSo loia-se propaga
cao.
Ditas 53 derigi ao Exal. leia-si derigi
n^sta data ao Exm.
PARTE OFFICIAL.
GOVfiKNO DA PROVINCIA
EXPEDIENTE DO DI* 29 DE DEZEMItKO DE
1851.
Odleio. Ao cominan lo das armas, re-
mettoudo co.ia do aviso do ministerio 11
guerra de II do correte, communicando a
paaaagem concdid 1111 soldado F-nnrisc
Podro, do lerceiru liatalliflodo aitilhana n
p para o nono de Infanlaria.--1 rfu remelteu-se a lliesoursria de fazenda.
l)ito.--Ao mesmo, trotismilliudo por co-
pia o avian do ministerio da guerra de 25
de novembro ullimo, noqual se determina,
que o ex-saricnto uuarlol-roestra do se-
gundo baalhfludc rlilhari n p Jos de
Oliveira 1: i'Nw.-i sirva como addi lo na pa-
gadoria militardrgta provincia coma mis-
ma gralilirncflo do'.U.OOO rs., com que est
all servindo o s -guiido cadete do nono ba-
talhflo de infantil ra Tilo Augusto da Alhu-
querque Portocarroiro, quo di-v-r ser dis-
pensado dessa commissii o voltar ao seu
h! 1111' flo.--Hemolleu-se i.-u .1 copia a the-
souraria da fazenda
Dito.Ao mesnio, communiramlo que,
segundo constou do aviso, que remelle por
copia do ministerio da guerra de II du cr-
renle, permillio-se que o sollado do asilo
de invlidos, Manuel llaplisla II, vetilla re-
sidir ni'-la provincia.Igual copia enviou
a thesouraria do fazenda.
Dito.Ao mesmo, transmittindo por co-
pias o i'llirio em que o commandanto do
brigue e-cuua Olinda reprsenla rontra o
esbo do esquadra do quarto haUlliau de ar-
lilharia a p Joaquim Evaistooo tal, que
prendeu no llecife u carpintean do mesmo
brigue na noilcde 21 do crrenle, bem co-
mo o do subdelegado daquolla frcguezia,
acompsnhado da parto do referido cabo, a
lim do que tome na devida cosi leraqflo o
que expde o mencionado commandanlc.
DitoA* thesouraria de hienda, irans-
mitlindn rs avisos de duas lettras na im-
portancia de 927,390 rs., saccalas pela U10-
sourana do Itio-Grande do norte, sobre a
desta e a favor do Thotnaz Gomes da Silva,
ede Amonio Joaquim Gomes.- p.rticipou-
se ao Exm. presidente daquella provin-
cia.
Dito.A' mesma, remetiendo por copia o
ofliiio da extincta pa.-. llorn militar do 20
di correte, hem como os documentos,
quo ello se refere, das deapezas bitas pelo
capitao Manuel Jus da Soled ida, con) aieite
para a illumiuc5o du quancl do destaca-
mento d'Agoa-Preta de julho a liuveiilbro
deste auno, ccom o frete de 3 civallos, que
fortim oceupados na conduccao da ferra-
11 uta da collonia militar desta provinca,
alim deque mande pagar ao referido capi
lito ou ao scu procurad ir a qu mtia de roa
70,560, em quo iniportam as mencionadas
despozas. Inloirou-so ao cominando das
armas.
Dito -A' mesma, inteirando-a de liaver
concedido tres inezes de licmica com ven-
cimonto de ordenado ao juiz municipal do
termo do cabo Mano-I l'intiiio uc Helio pa
ra tratar de sua saude.Neste sentido lizo-
ram-se os neeessarias ComninniraeOel.
Dito.-A' mesma, icmeltendo o requeri-
iiieni.i o papis da divida de fardauento de
que pede p.-gamento o ex-snldado do dci-
mo balaluSo de 1' 11,1:11 1 Manoel Fran-
cisco II, bem cornucopia da iufurmacao da
extincta pagadoria militar, aba) de que
phos, inteiranJo-o de haver defeindo, do
nuil m .ni I ule com a su-> informacflo, o ro-
c-a 11 ti de Albuqnerque pedia pe imssao pa-
ra tratar fora daquelle collogio a um seu li-
Iho menor de nome \ntonio de Hollanla
1:1 va'eauli, quo se acha bastante loontn dos
olhos.Cummunicou-sea administracao do
patrimonio dos o'phaos.
Dito.Ao director das obras publicas, di-
zendo que, vistida informac.lo, que re-
mello [> >r copia, do inspector da thesoura-
ria da fazenda provincial, nfio he conveni-
ente fazer-se ja a bomba, de que necessita o
decimo-s"Xlo lauco da estrada da Victoria,
cujn orcamontoS. me. remelln presiden-
cia cim ollicio do 13 de noveinbr.) ullimo.
Dito.o inosmn, doclarando, %m vista
du que ponderou o inspector da thesoura-
ria da fazenda provincial e do parecer do
respoctivo procurador fiscal, que, estando
ja esgulada a quoli pela prosi lencia desig-
nada da consignlo do artigo 14 la li pro-
vincial n. 2SJ do 8 de malo dcslo anuo para
as obras da estrada do su I, nilo pudem tor
lugar no ex ircicio crranlo os embarrea-
meotos.cujos oicamnntosS. me. enviou, por
n3o liaver ootra oonsignaofl a que se pos-
sa levar essa despeza sun prejuizo da conli-
ii'i.'i; 1 das do mais otiras
D1IO.--A0 cnnmandaiit) do corpo do po-
lica, para que, da confornidado com o qu
requisitou o dcsOJUargidor chefa de puli-
da, fac dislacir para a Vanea a dispusi-
to do respectivo subdelegado mn infe-
rior o cinco soldados do coipo lob seu
mando.Intrirou-so ao mosmo desembar-
gador.
Dito.A' cmara municipal da lioa-Vis-
ti.Em respnsla ao ollicio da 21 do oulu-
bro 11111 mu, em quo Vuics.. pedem eslego-
vorno pruvidencias solire a arremalacao da
illia do Caxunhy, lenlio a dizcr-lhes, que
nao se lando fO iido s ib ir, apezar do loJos
os exames proco lidos na secretaria, por-
que titulo p 'i 1 ."-.1 essa cmara aquella
ilba, cumpro quo Vmcs. deem a esse respoi-
lo lodos os esclarecimontus precisos.
DEM DU IiIA 30.
Ollicio Ao Exm. presidente do supre-
mo i- li mal de |ii-lu;a, transmittindo a res-
po.sta quedeu o juiz dodireito doGaranhuus,
Joc^lColao lligueira tiusta* purtana quo
S. Ese. enviou com ollicio do 10 de outu-
bro ultimo.
DitoAo commandanto das armts em res-
posta ao ollicio do V. Esc. do 27 dosto mez,
11. 231, lonho a declarar a V. Exc qu des-
paeiiei o requerimento, em quo o cadete ba-
cb 11 el Iniiocjncio S-uaic.1 da assis Carvalho
pedia liconei paraensiuar em aula particu-
lar os preparatorios requeridos para o oar-
sb jurdico de Olinda, pola maneira segiin-
le.Satisfaca a exigencia do aviso do minis-
terio a guerra de 11 do crranla.
Cumpre, purea), que cmlodoo caso o
mesmo cad le fac com urgencia a decla-
rarlo exigida 110 cila lo aviso,
Dilo Ai mesno cominuncindo que 01
Esro. presidente da l.hia parlicipou haver
exped lo as convenientes rleos para sor
suspenso do 1. d sto mez en diante o pa-
gamento da pre*to8o mensa I do 3>i/rs. quo
o tonente corond Innoceneio Eustaquio
Ferrcira do Ariujo, bavia consignado n'a-
'ii' II 1 provincia n scu procura tor Antonio
de Oliveira Pinto Raphaal. Igual cominu-
MCacSo se fc< thesouraria de fazenda.
Dito Ao mesma, Iransmitlm lo a guia
que un.1 11 ii.'iirnl di 9. lia ti I rio
de inf.i tilia, M itliias Vieira da Aguiar.
Dito Ao juiz de direito da 1, vara des-1 der com a Rusia, teria odireitode insistir A justicaprocura descortinara mystoriosi (como roandebaixo dnetlandartcda UniSo
ta cidade. rcmetlondo por copia o ollicio dolhoje; mas nSo tendo falto nada para con- expolilo do Pairas quo julgam se pode elle nao tem sabido raconhecer pela saba-
caritan ajudante d'ordens, do qual consta J vencer a Porta de um apoio cario em caso considerar orno um acto de salteadores lo- jdoria de sua conducta a uro'ecSo tSo gene-
que hontom se expoz a venda carne vo'dejde eventualidado, nBo ple queixar-so do do particular, oreparado com vistas politi-
arrumada no cougue do paleo do Pirsizo,que os ministros turcos, nSo queiram no cas. As llm de que A vista do tormo do contrato el negocio do Santo Sepulcro, malquistar-so a verdade.
do ragulamento provincial, que lambemlcom o gabioete de S. Ptersburgo, o indis- Passi quasi oor corto que esla expedicfto
remelle por copias, proceda a semelhantejpor tnuitos milhJas de subditos da Porta he a obra directa ou indirecta da Moflo
respailo como for de direito. que professam o rito grego. que, 1180 ohodecendo seniio a um interosse
Portara Ao agento da companhia das. Itenunciar por agora a conclusBo do no- egoiata quer entregar o paiz proteccao e
barcas do vapor para mandar dar passagemjgocio dossantos logares, ou romper altor- influencia exclusiva da Inglaterra, o cons-
para a corto ao soldada Juvoncio Augusto! tamemto com a Itussia, tal he a alternativa tiluro instrumento da poltica desta po-
Co-ar do Sampaio. Communicou-so ao que resta a Franca, (jueixar-se do gover- tenc'-
commandanto das armas. | no ottonamo, he ainda fszer as vontados da
Dita O presidente da provincia resol ve 'Russia. ,
suspender ao litcal -las carnes verdes Seve-I Eserevem de Smyrna, no 1 do novem-'
rio Manrique da Cistro Pimental, c ao a-i bro, t Gazette del trbunaux :'
gente Flonano Jn- de Carvalho por nao! Eis aqu anda um exrnelo da extrema'
cu'npriroin com exacti 13o oa s"us devereaj*morusi lade da juslci na Turqua. Todos
(/d>wi,)
lando lugar a que fosse hontem exposta a
venda carne arruina la no acougue do paleo
do l'araizo, o nomoa para servir inlenna-
menle o lugar do 1 a Gantano Quinlino
1; ilnar ln, e do 2." a Joaqiii n Gorreia da
Gosla, os quaes vencor3o por ioteirO! at
noara delibaracSo, o ordnalo que aquellos
deixun de percebor. Itemolteu-secopia da
: iiiiii'11 cima a thesouraria da fazenda
provincial.
Dita O presidenlo da provnci, cons-
lando-lho que hontem se expoz a venda
oaroe verde rrruinada no acongua Jo pa-
tn do Paraso, deque tomou conliccinien
loo subdelegado desia froguezii, resol ve
multar os contratadores das- carnes na
quantia de 30/ rs. po liavoivni inTi ingido a
3* das condigos, a que s< sujeitaram pe
contrato celobra lo em 6 de junho desto
auno, e ordena que pela thesouraria da la-
teada provincial se oxija dos meamos con-
tratadores o pagamento dessa quanlia.Ke-
melteo-se copia da portara cima a refe-
rida tliesoiiraria.________________
Commando das armas.
EDITAL.
Di ordem do Sr marechai de campo gra-
duado Antonio Corroa Scra enmmandan-
lo las armas, se faz sabarao Sr. primeiro
icnunte da terceira classe do exercito Joflo
M11111 lio Gavalcanti de Albuquerquc, que
nin ordem do da do qiiartel-geueral de
nojo datada fbi considerado ausente na
ni um da lei de 16 do maio de 1835 art 3.,
em vista do qual, e com o lim de evitar a
pena imposta no art. I." da mesma le, de-
ve apresentar-se no prollxo prazo de um
mez. j
O11111 "I-.; Mieral na cidade do Itccile, 2 do
Janeiro do 1852.
Candido Leal Verrtira,
A pdante de ordena cncairrgado do detalh
ESTADOS UNIDOS.
IVew-VorkS de novembro lo 1851.
A situacao llnancoi-n .le New-Yirk, con-
tinua a melno'ar. Itecebeo-selurauto a se-
d
neos
se lembram que no mez de iulho paseado, o """'" Pr lri!Z Paquoir-s cheg.d.s lo Ist'io-
vico cnsul dos Paizes-Baixos em Smyrna, mo ""' omaia de 5 milhOos do franens
o Sr. Ricardo Predarico de Lonnep, foi as- em O'iro em po da California, lima somiia
igual 101 aln di>to trasida ao panam polo
Sallado por salteadores qun mo o poz-ram
em liberdade sonSo depois Je terom re-
ceblo um resgale do 50,000 piastras tur-
cas.
Apozar das urgenlos rcc!atnaco>s dirigi-
das a este respailo ao governo oltomauo po
la propria victima e pelo ambaixador do sua
nacan em Constantinopla, n3o fu son.lo
hontem, islo lio depois do urna demora de
irais do truc mozos, que veio daquclla ca-
pital ordom do prisa" para os auto es do
crime. (I sult.lo para consolar o Sr. do Ln-
nep desta grande demora, Ihe fez presento
de urna caita de tabaco de ouro, adornada
com o monograma do sua Alteza em dia-
mantes.
Esta manhfla a casa de campo do coa-
sol de Dinamarca, o Sr. Steeii-liille To in-
vad-in por salteadores os quaes do antemao
assassinaram e Iancaram em urna caverna
os trez criados quo all se achavam
He esla a segunda vez que duranlo o es-
paco de trez mozos, so lein commolti lo rou-
bus na casa de campo doSr. Steen-Rille.s
{Preste.)
GRECIA.
As nolidias do Alhenas chegadas pelo cor-
reio desta manlia, trazooia data do 7 do
novembro.
O ministerio conserva sempro urna im-
portante maioria nasdtias cmaras. Tjlos
os crditos supplementares sobra o orea
ment de 1850 que nao linhain ainda s J
vapor Oregon. Em coqUaposic.lo a expor-
tajSo de lime las, ilU'nlltO a sun 1 el'VOU-
M a mala do 12 OilhOai O i"nci'/e,partiiioa 8
para Liverpool levou a bordo una sommade
l Olilhuel o 1,.1 ni f'ancos. As expnrta-
Coos lo moc 1 is do I le Janeiro a 35 ae ou-
lubrofol do 170 mi Hulea de fancos. Esle
onorina movimento do numerario parece
do algum lempo para c,1 nao lar Dala BB
iiiiirii 1 inlliiencia sobre ocurso de tolos os
valores.
I.o -so no Niv-Vor* Herald de 8 do novem-
bro
As oleicfljs raunicipans de New-York e de
alguns outros oslados da Unaleem .sido,ha
3 ou l das, o objectv do todas as eonver-
sieii'vs. A '-l.'iea 1 dos candidatos demcra-
tas na ci lado de New-York tem Horrado
ns w.iigs: estos julgavam-se ja sonhoresdos
lugares que loem 13o singularmente oceu-
paclo durante dous anuos consecutivos, e
ais que a eleicao do povo os pOom de parto
a Ibes sutistituo sous a Iversarios. Por esta
rasilo os peridicos wlngsgrilain que isto he
urna infamia, c os do oulro partido canlam
louvores em f ivor da nova adroinislracao
que ha de entrar em cx-ircicio no principio
do mez do Janeiro.
Mas se os democ atas vencaram om N?w-
Yoik, propria ni vi'i' dito, o eslado n3o so
liles foi tSo favoravol : so ellos lora01 vence- |
dores na cidado, os wnigs o foram no campo
rosa da qual era objecto. Diante do Geno-
va como diantei apresentnu-se como
Marsnlha olio trumphrdor e como pro-
pagandista, urna do quo como exilado,
esquocenJo que por cima Jo sua cabe?- fluc-
tuavam bandeiras que orna inconsequencia
poda comprometler. Ao ler seus escrip
tos, dir-so-hia que, sSo os muroslos do-
um agitador cosmopolita.
NSo ba pois raaflo para admirar-nos de
que urna lal attitude t-nha desgoalado a
multas sympalhias. Os bracos que ostavam
prometosa sa abrirom para o hroe da in-
dependencia humgara, Techaram-ae InsUnc-
tivamentodiantnde um apostlo quasi revo-
lucionarlo, o aquellos meamos qu- ha pouco
maisapicciavam a honra de dar Kossuth um
lugarno lar dosua hosphalidadeestao aulo-
risados a perguntar asi meamos secrendo
fazer um acto do nobre liberalidado nflo
te em tirado as caslanhas do fogo em provei-
to de designios que viriam a st para ellos
urna fonle do diflculcade, e de pezares.
Nos Estados-Unidos travou-se em derre-
dor deste nomo una lula verdadeira alimen-
tada pelas queixas nao equivocas quo ex-
prmiram em suas carias osoluciaes da fra-
gata Mississipo. Le sua visita inglaterra nSo
reparar as fallas que ello tem commetido,
corro risco de chegar entre nos decahido
gradualmenta da posieflo do here quas
ideal de agitador vulgar.
Jourggl del Debat.)
MAllItuGOS.
I/i-se no 7"m de 17 do novembro.
o Pelo vapor Iberia qu'> acaba de ebegar a
S'iniiiaiu iinii, temos noticias do Gibraltar
al 3do novembro. Corra naquella cidado
quo urna revolucao linha renentado om
Mar rucos.
Parece que um snhrinho de Abder-Rah-
mans emendien lora ona-lo, tratando-
o de usurpa lor e elevando pretencOes co-
roa como Hlho do ultimo imperador
< O pretndeme sitinu Tafilete seu par-
tido toroon-se bastante forte para apoderar-
se do thesouro doAbder-llahman que esla-
va daposto naquella praca. A panida do
Iberia nao se tioha anda tomado medidas
para os piratas do Riff.
Espera va se em Gibraltar, antes deo-
votados, posto que livossem sido submet-|'n'|i"rid a esle partido.
ti Jos desde muito lempo ao exame da ca Posloqueos resulla los nao sejam ainda
EXTERIOR.
TURQUA.
Recebemos noticias do Constanlinopola
de 5 do novembro.
Ceaaaram lodosos boatos de mudancas, de
modlcaces do gabinete; nao se trata mais
disto.
O sultflo deu o firman autorsan lo Ab-
bas-l'aclia a construir um caminho da fer/o
do Alcxandria ao Cairo, depois que o Pacha
tver prehanchido as condicOes que o sol-
an linha direito de exigir.
Em Helgrado, no du do anniversario do
prncipe regonle, quobraram as vidracas da
casa em que reside o cnsul inglez, o qual
1 foi 1 .unNe 11 1 Cominuii'.cou-S'] 00 Exm. presidenta do
Paia.
Dilo Ao dscmbargidor ebefa de poli-
ca, declaran io quo acamara municipal de
Seiiuliaem, soguu o parlicipou em ullicio
do 20 do outuhro ulli no, tem provid'iicia
do o fornecmonto do luzes c agua aos p c-
sos da cadea d'aqoella vill 1,
Dito -- Ao mesmo, inlcirando-o de haver
mande pagar ao eeticionario a quanlia de
3,963 rs., pcrlencenieaoexorcicio co-ren- -'xpednlo as convenientes ordena para so-
te, fazeodo processar os docu-nenlus rea-! ^ln."P!e.s^"dus fSf^ll?2JL,!.""-
tivos a divida do exercicios Dndus para sor
salisfeita quanJo houvor quota para essa
despeza.
Dito.Ao juiz relator da junta de j ns' i -
ca, traiisniltmlo paia seren relatados em
sessao da mesma juntaos procossos fcitos
aos soldados do nono lutalliao de inl Hilaria
Joflo Evangelista e J0S0 Antonio de Olivei-
ra. Communicou-se ao commsndo das
armas.
Dilo.A' thesouraria da fazenda provin-
cial, .iiiIdi 11,1 1-'. cm vista de .sun infor-
mBc.lo, a mandar pg>r aonrrcmatinte do
terceiru lanco do allerro da casa do d Icn-
eiio.i quanlin do 910,475 rs. importancia da
terceira prcstioflo do scu contrato, visto j
ler feilo os tresqu"rtos do mesmo alieno
devendo porm elT Ctuar-so eso pagamen-
to quando o parmeltirem as forcas do cofre
da 1 i o 11 1 thesouraii 1.- Communicou-se ao
director das obras publicas.
Dito.Ao iliraeior di cnllagio dos or-
ar^^aJBriP ai"MW8=awaajaajjajajsjajaMaaaaag|
FOLHETIiH.
ou
IflEITIORIAS DE Um mAiilDO.n
(POB. EUGENIO SE.)
XIII.
Nos nos substituiremos alguinas vezrs a Fer-
nando Duples6s mi decurso 0" suas ineinorias,
das quaes tiramos a especie de prologo que se
acaba de ler.
Una parte notavcl da historia de Fernando
Duplrssis era consagrada a contar o* tres an-
ua durante os quaes servir no corpo dos pa -
p,cns do re, em que entrara tanto por vaidade
por deferenca para com as sollcltaces
to deste termo alm da forca que actual-
m uto sa Iba presta para as rondas noctur-
nas, as pracas neoetaaiiaa para mais qualro
patrulnas, e bem assim pa a quo se resta-
belefa o servido das purulhas do cavalana
Neste sentido exped So-se as neciossari-
as ordena.
Dito ~ Ao inspector do arsonal do mari-
nha, remctlendi copia do aviso do ministe-
rio da marinlii de 9 desta mez, delerminin-
d ) que lian so excela a somma consignada
no cu'rente i.xoicicin para as des.c/as de
marinha ucsla provincia, e dando nutras
disposicOcs o respailo. Igual copia remet-
Icu-so ao contador de marinha.
Dito -- Ao coinman lano du briguo escu-
ma Legalidade, traosiniliiodo oprocesso do
conscllio de investig-cao, a que respondeu
n nesticdo brigue escuna sol seu mando,
Edu.rlo Jos dos Santos. Co.nmunicou
si eo commandanto do briguo escuna O-
limla.
aMaaaaaaaaaaaaaaaa<
ou cinco anuos, abaiiUoiiiin o scrvlco militar.
Deinais pouco lempo antes do dcixar o servico,
elle perder sua av. At no seu ultiuio 1110-
meulo ella conservou a pralica dessa philoso-
phla fcil e leviana, na qual Fernando Tora edu-
cado, -e que devia ler iiiii' (alai influencia so-
bre seu carcter e sobre aeu futuro.
Senil.>r de una forlana conslderavel pela
murle de sua av, Fcrnaudo entregou-se sem
reserva a una vida de prazer, do ilissipacao c
de iui'im lado, lodavie pnr una estranha
contradicco sua prliui-ia 'palsao por 111a-
d.iina H.iyinundo nao se llie apagara nunca
c'iinplctaincnie do coracao, ainda incsino no
nielo do enlcvo de seus numerosos amores, cu-
ja escolha equanlidade provavain mala cm fa-
vor do ardor fogosude sua naiurezaquc ein fa-
vor da delicadeza de seus senliinculos; Fer-
nando volt ir lambcm mais larde ede um mo-
do retrospectivo c suuiuiario a esla poca de
sua vida.
Multas vetes no mcio da lassidao dospraic-
res facis ouepheineros, o roslo grave e agra-
davel de madama Raymundo apparecla a rcr-
11.111 m como o idelal do amor que sua adoles-
cencia lu.li 1 souliado Digamos lainbeiii que
elle cborou mullo lempo e sinceramente a per-
da da .um/' le de oo Itayinundo; mas vlven-
arromessaram.
A animosidade da Aust'ia contra o gabi-
nelo inglez esou desojo pouco dissimulado
mar dos deputado-, acabam de ser regu-
larisados por vot 15I0 unanimo da cmara.
O mesmo aconlecoi provavelmenlc ac tc.
los crditos extraordinarios de 1851 antes
du "remenlo .e 1852 quo nao podo lar.lnr
timben) em receliersanccao das duas cma-
ras.
iNe senado a lei derccrumentoapresenlado
pelo ministro da gnerra, cquesetinhi (or-
nado quasi una questao do gabinete, em
consecuencia dos esfurcos da opposic-lo pa-
ra a fazer regeitar, foi vota la pela maioia.
Esta lei que nao lio sen 1.1 transitoria, en -
cerra o principio de responsaliilidade los
paisodas cmaras municipaes a respeito
dos re'act'i ins, principio couti lo na lei
francoza no tompo do Imperio o cujo empre-
go ns circumslanciasem quosoaona a Gre-
cia lornam necessario. mas ello ha de desa-
e os emp cgados do estado pertonceiem em I brarinstruccOes da Inglaterra pelo paquete
que deve cliagar a U. Mmlos subditos hri-
lantcos oram ainda deli ios em captiveiro.
todos oonhecidos, pireco quo o sonado se-
ra wiig na Albania e que a assombla tora
urna pojuena niaioria'do dem icralas. Na
Luisiava os wliigs parocem ler vencido bem
como no Michign; no Sliasisaipe os unionis-
tas teem umi i.11 mensa manira sobre os a-
bolieiiiui'tas o sep tristes. Bueeede o mes-
rao na (iuorgia, onde o can lid ito unionista
na de tor cuino no Estado quo ac u> unos do
oi.oar, una forlo maioria. .New-Jorsey
sera lainboin superior em democralai as
luss cmaras.
Ja fallamos do niiu effeito quo Kossulh
pro lusira em Wisliiuiglon por sua con luc-
ia singular para com o capiiao do Mississi-
ni. Uma carta relativa a Kossulh lambom
foi publicada. O signatario, ontra outras
cuus is quo 1 -rula, diz que a agila<,',1o quo so
uiostra na Amniicu lio motivada para fazer
A audaciosa pirntaria dosse povo, e revez
s'.H'i id 1 pelo Jauos, vapor da marinlia real
briianica, exi^om rapreaallaa arnmptasee-
nergiejs, propria para prevenir a rapoli;3o
dess-'S att miados contra nossos navios do
eommercio.
(Prcsie.)
.-.-_.-. tr rsr'- Mr- rs-lraatralSMBI
PERNAMBUCtT
parecer sem duvida em pouco lempo com crer no guvernu quo o projeclo eKissuth
est.s iiiosinas clrcumstancias.
Osconscritos a lim do escapa rem ao sor-
vie.i, refugiavam-so as montanhS o tor-
navao-seo principal elemento do latrocinio,
no revolucionar a Europa, a sustenta qu
nHo lia nadt de vordadeiro ucsla aUypo-
sigao.
1N0 Per, assossocs JoCongrosso nll'orc-
sous pais lliesforuecia 11 os'moins de fgida, ciam um grande inl.oresseo os progressns do
numerosas medidas do utilida I" para a n 1-
5800 para o commccio erain verdadeira-
menta notaveis. O gabinete tinha si lo 'cor-
ganisadn, e o general Molina nomeado pre-
sidente do couselho de Eslado.
A tona Ja de possa da prosiJencia da re-
ul'li -a do Chile por D. Manoel Momt, a 18
de seleuibro, passou-se nc meio da maior
as autorida lea municipaes licavam inlofe
de crearembaragosa Po ia Tazem presumir' ronles a seu respeilo, quaudo nflo Ihes pres-
que o insulto feilo om Belgrado ao pavilhSo lava 111 seu soccorro.
lima 11 neo foi instigado pur agentes austria-! A nova le tornando os pais a asautorid-
cos, alguns funcionarios sernos, jankuvitas dos municipaes igualmente solidarias pelo
o kiiezevilas tomaran) parto, segundo se pagamento do uma mulla de 300 francos,
diz, n-'Ste negocio jobrigara a todos os refractarios a virom pa-
A Porta ser rigorosa, tanto para dar sa- ra debaixo das bandoiras do exercilo, ha
lisiado a Inglaterra como para mostrar aoi muito lempo incompleto o dar o Ultimo tranquilidado. O gabinete tinha sido no-
serbios que devem oceupar-se mais de seus golpe no latrociuio. Esla lei oto lem forja Imcauo : o ministro dos negocios estrangci-
interesses, intimamente ligados aos da Tur- senao por um anno ; he provavel que a si- rosebana-se Irnabal. A turna do exercito
quia, do que fazor-sa instrumentos cegos tuaco do paiz permita modilica-la na pro- coileuo he do 2,266 homensj a la guarda na-
nos rancores auslriacos. t'11"1 legislatura.
O negocio dus santos lugares praoceupi O ministro lorminou, assegura-S9, a ros
exclusivamente a cmbaixala de Franca; posta ao Memorndum le Lord Palmersion
porm esquece om Pars que para querer o sob'e o estado da (recia.
Esta rosposta do ministio grago, ain la
he
lim, 1 iii.iui 1.1 pensar nos meios.
Na verdade, n3o so pede a Turqua sano
uma cousa justa, fundada om contractos
colebrados,. orm esquec-im quo aTurqui
desinteressada na quostao, silTrc a presado
no gabinete doS. Ptersburgo, forlomoute
inleressadn em defender a posi^ao conquis-
tada pelos Gregos cm Jesualm a bstanlo
sttisfeiti seuipre juo po le cuniribuir para
intrujuzir fneza as rdtcOesda 1 1 anea com
a Turqua.
Seo governo f ancez tivosse feito alguma
euiis.' para diminuir a prcssaoexercida po-
la Itussia, se lie nflo livasse locuradoem
toda a circuinstancia lazar ver om Guoslan-
linupla quanlose esforcava por cuniescen-
annos depois paia fazer parle da guarda de
honra ; depois de alguns ann-us de servico, por
occasiao da morlc de sua avri, abandouuu o es-
tado militar pelos annos de 182?.
nsie eslapoca ate a de 1 s li, ein que o va<
mos tornar a achar, a vida de Fernando Duples
sis foi a de um mancebo rico, bom coinpanhei-
ro de mesa, de duclln e de cafa ; bem accoib
do pelas inulherea, gracas sua Iluda figura,
sua elegancia, ao seu luso c ao seu amavel es-
pirito; abusando de lodos os prazeres, prodl-
galisando-llies sua saude, coinquinto ella nao
lb>sc robusta, finalmente capas quer por auda-
cia, qur por fraqueza, de arriscara vida pel
prazer de uin da. bem que fosse prodigiosa'
nenie aferrado existencia.
Uin ini.-i vallo de des anos se tinha pois pas-
sado entre os accoiileciineulos coutados as
memorias de Fernando uplessis e a narrsco
seguinte que della tiramos.
E. S.
Pelos lins do mez de junho de 182ti, eu me di-
riga casa de urna inulQer, cujo amor lison-
geava sobre modo o me 11 orgulbo, piis ella era
de alto nasciuieoto e liaba um nome de gran-
de e anliga raca.
K.i/h ueste da uin lempo magnifico. Eu
pastara pelo jardun das Tulherias, serum qua
-IIHJ 11111 uiiLiisiyn ltala uuiii ns joih,iijw< *> m%*l+m m Mas ..... ---- .----ja
tic suaav e de Mr. de U Husilre, renuncian- do una vldacompleaincDie dillercnie. os dous iro boMtda urde, indo do balrro de San lono-
auiigos de Infancia na se tornarain a cncon- no para a poulc real, nao loage da qual devia
irar durante inultos annos. Ver-e-ha mais japhar mea cabnolet que me esperara.
lardequl usucceMO que o appruxiinou. Atraessandu o xadrcx dos grandes ca(a
Grabas mesma disparidade de existencia,
LtTii niJu Diij-lcssis depois que sahira do S un i
Karbara, peidera tambeni completamente de
" rand, o qual elle vai logo
do, como lie fcil de julgar-Be polos mecessos
precedentes, vclleldade de acompanhar Joo
Hayinundo escola das artes eoftictos.
Fernando uplessis conta tainbein como de-
pola de ter servido nos pageos atidadede
desoll anuos, fura cncorpoiado em uina com-
panbia da guarda de honra. Hem que o serv-\ vista a Jacintho ihi
90 destas companliias pri\ilrgiadas Ibsie punco encontrar ouira v<\
prnoso, e sua disciplina csllvessr longc de ser Uesumircmos porUntoem piucas palavras a
vera, Fernando Duplessis no lim de quatro adolescencia e a pruurirajuvciitude de Fernn
';'
nheiros, a sombra pareceu-ine tao agradavel,
i.i'i fresca que recuando um pouco a bora de
urna entrevista entretanto j Jala, pegue! em
urna das cadeiras dlspeisas debaixo dotas ve-
litas arvores e senlei-uic em uin lugar pouco
ftequenudo.
pastiadot ulguns instantes, obicrvel a pouca
(*J TiiU o Diario n. 288.
do uplessis Em 1SIU u-ndo desastis annos, i distancia c, como cu, sentada em lugar retira-
elle tnirou nos pagens do re, doudc aahlo dous do, urna mulher mofa que me pareccu encan-
i|i ii' i- ." ii i,i.....ni um pouco longa,
segundo oo diz, firuio o Ui.n i.
Alguna 111 ii s lem sido ainda comnielli-
dos na l'h'hiuiida ; purom ellas silu o resul-
tado de Vinganeal peaaoaes e nflo actos de
la trocila,
l.evanluu-se om Atlienas o cidafalso para
o laojusii s.iUe.idui' Tuniaropouloa. Ucsla
vez a populacao n ir. poz obstculos exe-
cuej da seuicuc da jnailOi, cumu sucej-
dia Cada vez que o iuslruineulo da morte
er i le.- mi ni n i praca publica. Tamo hor-
ror iiiapira hoje a Grecia u latrocinio.
iNeuhuui pe.dito, nennuina cuininutacto
de pona ..ii eOOOadi lus
i ii'ii.i ella eslava lendo c sobre a cadelra em
que apoiava os pes, vi ao lado de scu chapeo
ae p.il n i um balainho de .atura do qual saina
um bordado comecado.
l'ista descouhecida trajava uai vestido de ve-
rao mn; simples, de asseulo branco com llores
edr de rosa, o qual deseuhava maravilhosa-
menie seu lalbe esvello c seu corpo bem lor-
nii'lii. lauto quinte pude Julgar pela aitltuJe
desta moca um pouco curvarla sobre si mesilla;
observe! tambem descoberlo al ao toruuzello,
um petiubo eleganteineule calcado de uin sa-
paio pardo avermclhado, o qual ella apoiava
sobre a ultima guarda da cadeia.
Eu nao va de meu lugar teno o pcriil desta
leitora solitaria; mas este perlil era delicioso ;
espessos cachos de cabellos de un pelo vivo e
lustroso o guarneclain iiiaravllbosainente; urna
aobrancelba de bano altivamente arqueada ap
pareca por cima da palpebra abaixaJa para 11
livro franjada de lougas pestaas ; dous sig-
ii.nsiiili is iguaes a duas moscas de velludo
prelo, collocados um oa parte inferior da face,
e o uulro quasi no canlo de uin labio vermellio
assombrado de urna ligeira peougein parda
re.ili iv.iui a brancura animada ua pelle. As
mos eram lo Haas, lo elegantes, que eu me
Indignava de v-las fullipar as pagluas de un
vuiiiiiie que por sua capa gordureuia, pareceu-
uie dever perlencer a algum gabinete de leiiu-
ra. Eiiillm neobum livro impreaso sobre pa-
pel velin e encaderuado de marroquiui doura-
do nao foi jamis lido mais avidaincnie do que
pareca ser o volunte srdido de que fallo
alunas v. /..;s vi um rubor aubilo tuvadir a
fruule branca da 11109a e o aelo levantar por
suas palpitares o delicado eslofoque u coDila.
I'assados alguns lusiantes, a desconbeclda de-
pos o llvro .umi 1 1 na belra da cadelra oude se
apolavain seut ps, iudireliou a cabefa e com
a palma da Hiao lanjou ligeirainenie para trac
conal do 66,211 horji'lis. Nu Sul nnleos
indios commetiam deprolacOcs o general
Viel tinha receido ordem da marchar coro
um forte destacamento. Trata-se nesto paiz
do uui projoclo para construir um caminho
de ferro de Talcahuauaa Concuicflo. As mi-
nas de prata de Copiapo eram como sem.ire
das mais floroscenlcs'.
Lc-se no PAnrol de /Vero York de 8 Jo no-
uonbro o seguinte :
Ouujn se capacitara, lia um mez, que
o patriota hemgaro, acliaria alversiriose
tona |. 1 .-i-.'i'i de doftjiisnres na imprensa a-
moricana ? Entretantu isso ho urna verda-
de. Em algumas semanas Knssuth pordou
o mus nmiianle e o mais puro dj son pres-
tigio na Europa assim como nos estados-U-
nidos, e dovemos dizer quo nao foi sjm mo-
reee-lo. I.ivre de seu capliveiro asitico,
gmgas a inteivenclo am irloaua, accolin lo
ns espesaos aunis de cabellos pretos que oc-
cultavam sua fronte. Ella pareca coiumovida,
perturbada; seus grandes olltos de uin azul
claro, bordados de longas peslanaa 1,1 1 pre-
laa como suas sobrancellias, pareccram tornar-
se lauguidos, suas laces tornarani-se vermelbas
e por duat vei.es ella levou o lento fronte pa-
ra estancar sem duvida a ligeira huinidadc de
que sccobria.
O lugar era apartadoa 01 passeladores raros
ou distantes. A arvore qual eu eslava recos-
tado, me ni nli iv 1, por Isso nao se crendo ob-
servada, a desconbeclda nao occultou a singu-
lar emofiio que senta, c cedendo (inmediata
mente a um mulle abalimcnto, enirelacou seus
dedos, edando-lhc por ponto de apoio um de
seus joelhos uin pouco levantado, recostou-se
ducemente sobre o e.paldar da cadelra, com a
cabefa meio Inclinada snbreo hombro, com os
olhos quasi fechados c all'ogados de languidez,
como se se llvcsse esquecldu de si mesnia em
um s inli'i cheio de morbidade e de extase.
Estas singularidades, a rara bollera da desco-
nbeclda "inri un ln vivamente sobre inlnha
imaglnafao que sacnllcando a entrevista que
me esperava, resolv seguir esla mofa alim de
siber onlo morava; eu dava tratos ao peusa-
meato para advlnhar quein ella serla e mesmo
qual o lisio que lia cun lo estranba emofo
'Mi mi 1 condifo da mofa, suppoz com bas-
laute verosluii'lhaiifa, que perlencla classe
|i un e e que como umitas nutras pessoaa, viuha
lodos os chai passar algumas horas as Tujlie-
riat, ler e irabalhir abi e lalve coudu/.ir al-
gum menino oceupado sem duvida em brincar
ao longe ; todava nao sel porque, eu eslava
lertuadido que esla desconliccida nao devia ser
nal; eu uesrjava saber qual o livro que lia,
porque esperava litar desla descoberta iuduc-
.des significativas.
Occorreu-me urna (dla feliz.
rbcife, 3 de Janeiro de is-52.
as 6 anata da TnnE. A
RETnOSPECTO SEnANAL.
Na segurula-feira, M do passado, foi en-
contrada no acougue do pateo do Paraizo
urna poroSo do carne podre, que por pasna-
festa devia serimpingida ao povo, segundo
he natural; mas disseram-noa que, sendo
a falcalrua descuhorta. foi a mesma carno
levada S Ex oSr. presi lente.nara em pes-
soa lestemunliar o Corpo do d-liclo da viqi-
lancia do agente rio coitraelo.e inteirar-so
da maneira lisa e chan, porque vsi ele sen-
do cumpri lo. Mu mais uma jastificacSo do
quanio havninos ditoem diversas necasites
a esto respeiio, cabendo-nos accrescentar
somonte por agora, que, inuita gente tem
esiranhado, como, ten 10 sido o anno t3o
favoravel a nolricflo 1I0 gado, apparece car-
ne magra n i'i's-i na am tanta quantilade.
Nodia 30 do dito mez enirou dos portos
do norte o Imperador lendo doixado todas
as provincias aut paz e sem novidad.
No mesmo dia chegou da Enrona oioglcz
Sei-ein com a importante e estronlosa no-
ticia Ja cutila la de estado, que deu l.uiz
Mapoleflo em Franca. No ha duvida que o
11 iiiii'iii quer ser um segundo imperador
cuita das recordaeflus do sou nome; mas, es-
ta bem visto que, em miniatura. Napuleflo
nomeado palo conselho dos anciSos, com-
uiandante da decima stima divisilo mililar
dirige-se em pleno dia para o conselho dos
quindenios, e o faz dissolver por Laclore
con a fo ca rmala : o sou sobrinho lis
sulve a assembloa nacional por meio de uma
surprera nocturna,cm que perlidamc >te faz
ronder os mais distincios reoresentaotes
capazos do opporem a duvida resistencia
aos seus insanos projectos de usurpado. A
semelhanca he hem sonsivel! Poron nSo
impon-, como elle escolheu o anniversario
da coroacao do lio em .Morid bame, para por
pm pratica a sua fallada, pnsHo alguns avi-
sados que, conseguir os sous intentos,visto
taioDum esiar, como aquolle, apuido na
. ... ______.......i. a___11_____uit*
Eu poderla nao su eonhecer o titulo do livro,
seno tamben! tr.1v.1r urna coaversafo com a
mofa.
Ella conservava-se em sua attitude lauguida
c pensativa; o volumc eslava aberto e colluca-
do na belra da cadeira. Levanlei-me de vaga-
rinhn, approiiinei-uie quasi sem fater grilar
debaixo dos ps a arela Jas aleas, de sorte que
a desconbeclda nao sabio de seu sonbo, seno
ao llgeiro eoconlro que del como por descui-
do na cadeira, o livro cabio aberto a meus ps
e. pude ler-lbe o liluio abaixando-me para apa-
ulia-lo, entreguci-o A desconbeclda pedindo-
Ihe desculpa de meu desaso,
lia fatalidades eslranhas 1
Esle llvro era um volume de I' .., uin desses
livros maos que dez annos autes Andre Levas-
seur me havia emprestado alim de llgar-se co-
inlgoo delevar-ine a umi delafo involuntaria
mas odiosa.
Esla peolvel lembranfa operou lo sbita
mudaiif a ein tneu espirito, que cm ve/, de pro-
curar travar couversaf o com a desconbeclda,
a qual accolbera inlnbas excusas de mullo bom
nodo, e ale por duas vetes me olbara asss fi-
xaueute, apartei-me coiu o coracao profanda-
mente enlrltiecido.
Hem que vivo e doloroso, pois lembrava-me
urna iudigua acfo militas vetes deplorada por
ihn com amargura, esle resenlimeuto, con-
l'esso, apagou-se logo dlaute da iinpreaso cada
vet mais profunda que esta moca litera sobre
iniui; eu vun a chorar o momento perdido cal-
ves de 11 iv ir 11 ni 1 couversaf ao com ella; a es-
colha do llvro que lia dava-me inulto que pen-
sar. Se se Itvesse tratado de algum lomancc
sentimental, meu juizo sobre a bella leliora te-
n 1 siln uiitro ; mas ler v..., esla Ibeorla bru-
tal do amorpbvsico, c principal.lenle l-lo na
solldo, nao com a fria cunosidade que pdc
inspirar a uma mulher honesta uina obra clas-



~
IW.
Irf
f
fonj. militar, (luiros dizeu pelo eonln
rio que, o terror das.balooclas no iodo
durar por muito lempo, que o Irooo Ihe
ser ta.lo un bol nspocio. Da dosii part
collocados edlre ditas onmifles 13o oppostas
oslamos quaii roaolvidas dizer lo* saus
partidarios: Nonnostrum inler vos tantas
componer lita.
Mas, omflm, como cida cabe;, dovo dar
sua senieaca, sempre diremos que, a cutila-
dadeLuiz Napoleio nos parece mu sim-
plesmente i consequencia ephemera nlo so
da insensatez doique o i/.rr.nn presidente
d repblica, som solembrarem que iutro-
duzirsm asiim na Franca um germen do
discordia, ou sement da usurparlo, como
tambern da doulrioa irracional da obedien-
cia passiva.
Nodi SI do panado, a tarde, indo um
prelo, cscravo de Domingos di Silva Cam-
pos, tomar biohonorio, no lugar da Ca-
punga, cabio em um perao o afogou-so.
Em o primeiro do corrente um eslrangei-
ro, cujo nome oo nflo souberam dizer.em-
pregado em umi casa ingleza, e que soffria
de alienaco mental, lanrjou-so, pelas Iio-
ras da manhSa, da janella do sogundo an-
dar de sua casa no bairro do Mecife, e ca-
lundo na ra pouco mallratado, deitou a
correr, sendo seguido porduas pessoas.uma
da inesina casa e oulra do fon, que infeliz-
mente o nSo poderam alcancsr, viudo a s r
i-neoir.r.i lo noilo, a faga do Junt > a escadi-
nha da alfmidi-gn, para onde he do suppr
que elle carrera, e j com urna perna comi-
da pelos tubares.
Itendeu a alfandoga de 29 do passadoa 3
do corrento 3-2:216,225 rs.
Enlraram 13 navios:2 inglezoscom fazen-
das, I dito com farinha, 5 brasileros com
genero* do paiz o estrangeiros com guii
Falleceri.il durante a semana 31 pessos
23 livr.'s e II escravos, entro aquellas 9 ho-
iiiens, 8 mulheres o 6 meninos ; entro oslas
Itomens, mullieres e 2 prvulos.
CAMAKa municipal.
2." SKSSAO' OIWINARIa, DE10 DE DE-
7.EMRR0 UE I8SI.
Pretidcnciado Sr. Olucira
Prsenles OSrs. Mnmcdo. barros, F.-nn-
U, Carneiro Hontei o, o Figucircdo, fal-
tando sem causa pirlf ipada os ms sonlio-
res, Bbrio-M a sesso, o foi lida c approva-
da a acia da antecedente.
Foi lido o scguinlr
EXPEDIENTE
Um odilo do terciario desti cmara,
participando quo por ciiconimodado Oto
pido comparecer hontom, e nom boje Um-
bem, por continuar ocncoiumolo. In-
toiraija.
Outro do advogado da casa, respondendo
ao quo se Iho dirigi honlem, a respeilo do
do administrador da mesa das rondas gc-
raos internas, relativo ao sello das licon
(18 tnuuicipaes. Intoirada, o resalveo a
cmara nlo conceder licencs quo llie fo-
rom requirldis, o que esliverem no caso de
sor concedidas sem quo previamente seJs
paga a laxa do sello, recommondado pelo
rcgulamento do 10 do julho do 1850, obri-
gando os requeranles n isla por mcio del
despacho, bem como mindou expedir ON|h|aVdlilcfoqa'^^^
dem ao procurador, pniaque nSo recebes-
so o imposto das lie Micas especificnl.is DI
DIARIO DE PERNUBUCO.
I1ECIFE, DE JANEIRO DE 1852.
A falta de urna estilistici be sem duvid
nonhuoii um dos miiores males de que
qoalquer paiz se pode resenlir. Com eflei-
to como pude elle ler leis que provejSo
com acorto is necessidades p^ysicas e nio- .
raes de sua populaoSo, se estas necenl la- ]d? I a quecautaram; todava jpor Hierven-
^ v .i .i ..-.- c3o do cnsul uicle a na'fura couctuil entre
des, se os recursos que elle em si encerri *aconlr,a|llranfe Dllbp0rdieu c .i autorlda-
psra salisfaz-las, seo nuuero dosta popu-
lacho, o bem assim o movimento aunual
que noli* se opera (fallamos dos nascimen-
lo-, dos bitos e dos casamentos), tudo he
desconhecido aquellos quo o dirigen) ?
O Brasil em razSo da vistidSo do seu ter-
ritorio e da dispersAo de sua popal nao he
um dos estados em quo oslo mal so torna
mais sensivel, por Isso tamben) o actual go-
verno, ampenhado como se tem mostrado
om promover por to los os meios ao seu al-
cincoo bem do paiz, logo quo os negocios
trancendentes quo Un tem oceupado a al-
inelo, dorsai lugar a isso, appressurou-se
om tomar as me I idas q ue I lio parecerm acer-
tadas pira quo dentro de pouco lo upo tSo
grando falla licasse sanada.
Urna dosUs medidas nflo poda deixar da
sera creacfloem cada freguezia do um re-
gistro especial do nascimentoa e bitos,
visto quo os parochns que disso eslavam
encirregados (salvas poucas o honrosss
oxeepetjes ) nflo desempenhavflo salisfacto-
riainuuloesta mlssaocoin gravoprejuizo dos
particulares, que precisando muias vozrs
do uina cortdSo do ilade, viloso e veem-
so anda obrigados a dar una ju-lilic .cu,
por nflo torem ellos feito o respectivo as-
reipoiti pieparoute para obrar, e logo quo a perilguico Nada de pledadc oom ai aulorl- J ntica de Deoa!.... Juitlca de Deo ?
ruar encino comecou a bombardear oineamo dadei que at boje lenhao tido carllalai, c me- ._ tinco inezei de dictadura iiouzerao co.n-
tempo tanto all como Rabal, operacao que uoa aluda oom os miltarea que So abandona-^ ligo a mais borroroaa baeclunal. Onde ru ra-
durou quaiiollo horaa, floaqdo a primelra pra- rio El-rel. Temos nenie da Jnnta do Porto, perava o remedio tudo ae proallmlo !.,. .
caqussl arraiada e a segunda conslderavel- que tem cara para tudo. A'vante e nao parar geniracaol que borrivel i a acatante do Leo,
mente damnificada. Nao quero...n3o quero. D. Siluafio nao .....Sr. Pharmaceiillco. dUpense-mc por
Oa Mouroa. jogaiido a-arlllharla docaslelloc hedoa'pituleiai; c ac Rodrigo me atrada, | agora. ... al outra vea.. delic-ine ver ae
da fortalera de Rabat e bem asalin de algumas e o vellio me venda, eu aaberel, pedlndo auil- anda posso ter inao coi lana gente douda I
balheriai levaoladaa em Salll, reaponderam ao lio a prima D. Urna, ver-uie livra deilra pha-
fogo doa Franceies, causando-lbei lainbemal- riseua, que me querein vender a camisa por
gum diurno, ematande-lhea alguna individuos, Irlnta dlnhelroa.. O' llegencra(o...Rege-
porin a perda que soffreramfol mullo malor r>tao!
Minlia senhora, aqu eatou. Esla casalem
hojediabo; anda ludo cm polvorosa por cau-
sa dos cabrallslas. Ah' chsgou agora um gra-
dea mourlscas. Salvas amigavels foram troca-
das por esta occaslo na urde do da 29 de no-
veinbro enlrc os navios que coinpunham acs-
quadrllha francesa e as bateriaa d Tangere.
Nea mais paites,osquaes todoa ficain em pai
nem dopoisdelle.
Nj.i se poiedizor que lie isso urna inno-
va^flodaqual nflo resulta nenhuma utili-
dado ao paiz, por quinto uinguem pode
negara vanlagoin quo tira um estado, e
mcifnio a necessidado qus ello tem, do sabor
com exactidflo qual a forja nu nerica com
que pode contal' para sua defensflo. Todos
os paiz-'s eivihs idos procodem deste modo,
a govorno do Brasil nflopoJis deixar de
fazer o mosnio O rccenseainciito lie una
oporai;flo tilo anliga qui segundo nos refere
a E-iCnluia, foi elle que deu lugar a quo Jo-
sas Gbristo uisr.-r.s-, como annunciavaai
as pn>f cas, em i i! 1 111 de Juda.
Com elTdiio ijiiei .-mo Uclavio Augusto
saber quaiuas vidas sua espada protega,
publico j en lloma um edicto do censo o
qual foi publicado na Judea pelo governa-
dor Cyrl'.o. Em virtude deste edicto S. Jos
so parti com sua esposa da Galilea para
Uulhlon alim do ah astir-se, pois lodos
erflo obrigados a ir alislar-se, cada um em
s i.i ei-l-ni' nil.il o foi logo depois de sus
chegada a esta cidadu que Mana Santissima
deo aluzo salvador do mundo.
Nao obstante isso, sabemos que individuos
mal intencionados, n.io querendo dclsar passar
uenhuma occaslo de suscitar eiubaratos ao
governo, tem procurado indlspor a populato
menos sensata do interior da provincia contra
o regulamenlo do registro dos oasciinentos'e
obilos dado pelo tnesino. sem rclleclirem que
com isso >ada lograiao seno tornar palele a
tai fe com que proccdein, por quanlo s uina
crguejra completa, que nao he de suppor se
le ni- -.i populato, poderla aceitar a odiosa c
nada linba occorrido
inensao.
la
n uli-ii i da ralnlia, que quer fallar a V. Etc.
Esls patela inullirr O granadelroa cs-
laoem 8elubal.
Pols se o nao he, parece-o. Agora me lem-
bra; o al soldado traz no boneta chapada
E tudo Islo-para mim correo como um i
nho. (P- dos Pobres.:
COMMERCIO.
que dcvainos faier j mulcuipal, mas o gal.io da lrdele he amarel-
lo ; edf maifia inais traz canho carmcihn '
VARIEDADE
VISITA DE PRAZ XAROPE, A D. SITUACA.
V. Esc. faculta-mc o Ingreaao ?
-- Pols au .Sr. Brat : com todo o goslo. Sans
f.Kon. Venha aqu para o meu bodolr, onde
eatareinoa mais vonlade, livrea daa Pando-
ras que me andin lempre a farrjar com o
preteilo de tomar a mlnha defea! Enlo Sr.
boticario. ..
Pharmaceulico, se me fai favor.
Pois scja'aisim, Enlao.Sr. pharmaceuli-
co, que noticias me d desle mundo de
Chrislo?
Qual dos mundos, preciadsima?
-- Pols ha inultos ?
Na opinlao de muitna phlloaopbos j nio
sao poucos; porem ca na oplnlio desle aeu
linio ii.-uini trro, ba nem menos do mundo
dos l'andoraa, o mundo doa intrigantes, o
nundo doa diplomali-
inundo doa polticos, o i
eos, o grande mundo, o pequeo mundo, o
sent, nem na occasiflo do oiptisamento social, o arlsiocratlco, o. .
t art. 23 da !ei provincial n, 28, som
quo as partes mosliem conhecimento de
haverein pago na ropai titilo compleme o
imposto do banco, do quo trata o roguln-
montn de 15 de junlio de 1814, qur per-
teuuonte ao auno da licen;a, querco ante-
cedente.
'Outro do pres-ile lo do conselho do salu-
bridade, requst-ndo com urgencia um
mapp i eitalUlico das iihuma(cs fellSS cm
cada iroz no cemiteiio publ'cocom as con-
di(0es exigidas pelo arl. 69 do respectivo
regulamenlo, para poder fazer, em virlude
de o- leiii superior, uuia oxpnsico circjins-
tanciaia do estado sanitario desta provin-
cia.llandou-so expedir ordem ao admi-
nistrador do comitorio para orgsnisar ditos
mappas o remelle-los com tolas s conll-
eves do citado arligo antes e depois de ser
ampliado.
Outro do fiscal do bairro do lenlo, ox-
ponlo o estado do mesnio bairro.Inlei-
rada.
Foi spprovado um parecer da commissflo
do f-eti{0es, denegando o resisti da carta
do pharmacouticode Joaquina Ignacio Hihel-
ro Jnior, por ser passada em osela estran-
geira, e nao oslar de conformiJado com a
lei do 3 de ouiuIko de 1832.
Foi tam bem foi approvado outro parecer da
commissflo de polica, mandando lostituir
a Joaquim Pinto a quanlia qne entregou
como em deposito, pela arremataeflo que
fez, o nflo foi confirmada, do aluguel de
um talho, aliatendo-se dita quanlia da ver-
ba a que foi intempestivamente levada,
visto que tal restituiflo na-la tom com as
verbas de despeza.
A cmara resolvou que se desso cometo
a obra do matailourn, e foi nomeada urna
rommissflo dos Srs. Franca e Mame lo, para
a dirigir e inspeccionar, fie indo dispensa-
do dos negocios do cemiterio o mesmo vorea-
dor Mamedo, o paseando a subslhui-lo o Sr.
Rarros. Nonieou a cmara o archllecto
Andr Wllmer para se incumbir da execu-
gJo dessa e de outras obras da municipa-
lidade, eomquanto as liouvorem o merecer
sll^iros que sao lodos cidados e Iguaespcran-
ica le.
Se o regulamenlo le ni defeitos, o que naose-
iia para admirar, vislo-acr obra de bomens.elles
Irfio sendo corregidos medida que a experien-
cia os lor deinoiislrau.lo, porquaiitu o goveruo
nao quer em suiiiiiia seuu a Itlicidadc do pala.
Pelos artigos quo temos publicado de-
baixo do titulo de exterior terflo visto os
leitores qual o esla Jo cm que se acham a
Franca, e varios outros psizes do novo e
vellio mundo; paracumplelai porom a nurra-
((0 dos factos occor idos uestes paizes ac-
croscenlare nos mais o suguinle :
Em New York urna terrivel cataslrophe
leve lugar em um dos collegios do educafflo
o qual eoulava 1,800 alumnos de ambos os
sexos.
Como quer quo um i das mest'as fosso
tacada uo una syncoic, o as pessoas que
a i -i -ii.-iiii em seu soccoiro grilassem em
altas vozes : Agoa l agua! os rapazos nflo
saliendo do quo se passava, o erando que o
edificio ora poza das chamas, lain;araui-se
a correr pela cscada, a qual cedeo a tflo
grando prozo sendo todos precipitados no
fundo. Uns Hilronla ficaram morios e cin-
cuenta s ilnraui feridus mas cria-se que nflo
se restabelleceriam.
As dilliculdados entre a llospanha o os
Esta ios Unidos achflo-sc dcliuilivament<)
reguladas ; o cnsul hespanliol assistio a
um jautsr dado por Mr. Wobstor, e a ban-
deira da mosma nacflo fci formalmento
siudada om Ni-w Orleuns.
Tendo um navio Iranccz naufragado as
coslus do Mu reos, os uaturaes deste paiz
apoJeram-se da carga que levava ; em con-
sequencia disso o governo frnnciiz enviou
urna esquadrilhu aquello imperio cornman-
dada pelo contra-almirante Dubourdien,
o qual apparocendo Oante do Salli nu dia
26 de novemb.-o enviou um despacho ao go-
veruador do Itabat ( qnc lici a pouei dis-
tancia de Salli exiguio a somina de 1500
dolais co nu Compeusacflo do roubo fcito
ao navio naufragado, e das d, sp -iis feitas
Com a expcdicflo que commaudava, dando-
ih
a >o nenie mis huras para tomar em con
cie a 'conOanca da" maia' cmara',' iercei''lcriSnosa's "'fieno'as o ameacando de
bendo por esso trabalho o estipendio del lllurdera praca, uo ciso do nflo seren
100/OPO mensas.-Neslo sentido mandou-iell!lSliallsf",U4 noJle ospaco de lompo.
U tjoveruador rcspnndeu que nao podia lo-
mar sobre si decidir sobre lao importante ne-
se expedir as convenientes ordens ao pro-
curador para dispender o dinheiro preciso
a vista de documentos authenlicados pola
referida commissflo; o levantou-se a ses-
sflo.
liu Manoel Ferrel/a Accioll, secretario inte-
rino a cscrevl.VUecira, presidente.IHamtde.
t'onttca.Carntiro Nontciro. Ugueiredo.
sica cmii'ii genero, mas Ic-lo com a eipecle de
embriaguez sensual em que a deaconhcclda me
puacara por um nstenla mergulhada, Islo da-
\a-uie mallo que raflaetlr,
Di mal a |ulgar ao menos pelafspeele de II-
!-i 11 Ir .le que a descouhecida part cia gozar e
pela escolba de na Iclturaj nao craumadon-
BSlhl'i mi era tamliein una dessas mullieres
i iS qne veinsTulhcriasprocurarcncontros.
lulas miilln res nao lena mais i''.,., ou lem cou-
fl i peior (joc F..., alui disso a modestia do seu
Irajar, e nao sel que ejtiliarato quando Ihe fal-
lid, ludo levava-ine a pensar que a deaconhccl-
da era o que se chama uina burguctiiitia. Dc-
cldido a saber u que devia peusar a esle res-
pello, i n ii' a approiiinar-me, depois de algu-
mas voitas, do sino emque tinha dcixado a dcs-
conhecida,
Eu a vi no metino lugar, lendoainda,
Mas de repente ella inierrompeu sua leltura,
occultiu precipitadamente o voluine em seu
lialalo de costura, Urou a lira de bordado que
cu linha observado e poz-se a Irabalhar nclla
activamente com os olhos balsos, como ic ha
algum lempo nao ic livcsse oceupado de nc-
nhuma io. te do que se passava em torno de si.
Mu.. Jmira-lo desia dlsiimulacio, curioso de
jienelrar a causa delta, oceullei-me por iras de
um enorme ironco de arvore, aflu de ludo ob-
servar vonlade.
Vi ligo um homem mui pequeo, do qual
nao pude dlitingulr os Mides, porquanlo linha
seoslas rolladas para mim, ai.proxlinar-sc da
moja. Esla niostrou-ic espaolada, como se
vira esle liomem pela primelra Tez, entretanto
que evidentemente a appari(ao (lesta persona-
t/'in nao tlnha ieito seno desapparecer o volu-
nte de F. no balaio da solitaria.
goclo, que rcmeltcfia o despacho do almirante
a seu soberano, o Imperador Abderrahtnau
que te achara em Fez, e esperarla as auas or-
dena, as quaes uo era provavel que recbense
antea, pelo menos, de dex das em conteqnen-
cia da distancia.
O almirante nao julgando satisfactoria esta
--Al meu Deui que nomenclatura I Pelo
que vejo icrla um nunca acabar Kalle-me de
qualquer dellea, porque deliolsso sua eico-
Ih.....Vamos, arroje cadelra, c cheguc-se
para c. asilin mesino .. Deixc-ine aempre
preveni-lo; falle de manilnho, nao venha
por ah o Rodrigo, p ante p, ouvlr oque con-
vcriamoi, dar depois com allogua nos den-
les. (Jibe, islo aqu para mil: cu c, i>. Silua-
tao I...iii.ii Pacca. nao eslou comente com
elle. sempre quando me falla, rl com
um olho e chora com o outro 1 Abomino o
homens assim. .. E depoli, aquelle rlsinho,
aquelle rlilnho!. ... Nao le quando me
falla com lealdade! ... Malvamos la, despe-
ge para ahi o laceo.
Coinctarei, i Musir dona, aviando o reci-
pe qnc V. Eic. lao donosamente me encom-
menta para honrar com a sua preclarsima
freguezia; esta niinha pharmacia esfomeada
de gloria c nomeada.
le i ni, Sr. p .ii mi i'-eiiiii-n, le contina
assim com esle eslylo grandlloquo e empola-
do, que parece depuiado que- esla armando a
pup.ilaridade, ou artigo do meu jornal, que he
lodo lisonja Pandonca, levaoto-ine, c deixo-o
para ahi recitar osen discurso as mlnhasca-
delras, que como v sao lao pobre e honestas
como as do ex-mlnlsiro Fcrro. Ora vaino,
deixc la essas phrases para os pedantes, e ve-
nha o que servo. Esla gente que me persegue
he to llsonjelra, que para saber averd.de
faz-se-me s vezas neceisario deacer ao poro
para o interrogar, e por laso Uve a fella lem-
branta de o mandar chamar, e o Sr. a condes-
cendencia de c vlr. Escolhao mundo, c prin-
cipie.
Enlro na materia. O mundo pandorico he
compoito em priineirn lugar doa jurnalislas
que delendem a V. Exc em segundo do
bravo Barao de Francoi, e do valorlo Vlicon-
de de Mesqulla cm terceiro de lodosos no-
vos niinuienil iilnies. gra cruzes e barOestle
t*t journit de Castro Dalre; cm quarto de lo-
dos os ambiciosos que gyr.io constantemente
etn torno desse astro brilhante que teuho a
i i iniii de ver aqui jumo de mim, equese
chama D. Situadlo.
Prcvino-o, pela segunda vet, qucabomlno
a lisonja pandorica.
Como la duendo.... cm quinto logar, de
lodos os hroes de Gruido, agora Iranslorma-
das em Teixiiras de V. Exc... em quinto c
ultimo lugar do seu compleme ministerio.
Assim .assim. lalle-me deste inundo
porque o conheto pcrfeitaincate. Enlao esses
amiga Mies..
--Dislingo. Todos em gcial inmuto um
mundo que na actualidade padece horrlvel-
mente de enxaquccas, produtidas pela Irrita-
bllidade nervosa suscitada pela uniao carlista.
Agora paasarel do diagnostico ao tralamenlo,
qne o lllustrc coinmendador, cirurgiao de
V. Exc Ihe lem pplicado, aprzar, aqui para
ntis de elle mesmo eslar horrivelmeule incoiii-
modado de saudemas he lal o seu amor da
paula, que mesmo de cama reccita para o
seu mundo. Depois de uina dsc de estimulan-
tes ealil'orniainis, acompanhados do dlssolvenlc
sola, combinado com acido rodrigiilsta, c
applicafio de sanguliugai de Atouguia nal
foniei recominendou o doulor(V. I'..c. deve
saber que o llcenciadoi goiuio hoje dcale
foro) uina estafada conlradanfa adininislra-
liva, urna maiurca demisson'a, e o gran-gal-
lope repblica, para regencrafao poder
sahlr daquelle eslado nervoso. Assim, mullo
Ilustre senhora, val agora V. Exc. ver cousas
do Arco da velha...
Santo Dos o r. assusla-mc. Appnrrcer
o Arco da velha em Selemhro nao he possl-
vel: oppe-se-lheas lels phislcas.
Pols, Kxina., o desengao be fcil mande
porahi alguem em cala da rapoza ; que llt'a
ca. i ni, e Mi i tragao aqu pelo rabo ; e depois
sabcroquevai pelo mundo pandorico.
Tomo o aeu conselho ; mas nao me quero
haver com rapoza!, que sao manhoiai. Mando
chamar o meu llodrlguinho apocalptico, que
apezar de embirrar com elle, nio tenho outro
remedio senao havet'-inc com cate agila
poltico.. O'Regeneratao? Regenera-
cao?... ( Enlra a criada) Dlze ahi a um
leixeira que iclle o cavallo, c va toda a
pressa ao nial-cosiiihado chamar o Rodrigo. ..
toma sentido: dltequc o queroaqul quanie
antes (A Regeneratao faz urna mesura, c
lahlu)...
V. Exc. moilrou-se com urna energa
que a honra. Lembra-tne agora desiai histo-
rias de amazona!, que eu lia em pequtrrucbo.
Mai como la contando o mundo pandorico,
vendo aquelle recipe escrlpto em ares sybili-
nos, porque o cuinincndador Silva he todo
O'senhora,estaremos no carnaval?
Com llcenta dai reipellavel matronas
posso jurai pela honra dos lirazes que case
soldado he da mnnlclpa); mas o espanto no
he para admirar, porque falhojc o prlmelro
da de mascarada para a guarda.
--Malulo barao! maldito baraoI... Anda.
Regeneratii), manda-mc chamar o velho e
mais i. baro. Ahi ha de haver mal Tcixei-
ras, qne ao Icsmai que nunca fallao : e dlze-
Ihes que embora arreb'entemos cavallos, poli
que quein os paga he a nacflo, me ttago aqu
csses phaiiseus, qne'lenbo conlas a sjustar
com alies,
Mu, mlnha lenhora, mas devo antes pre-
venir a V. Exc.de que na casa prxima espe-
ra pela hora da audiencia aquelle patela de
l.eini que entregou o laceo com u ouro ao
sobrinlio do velho, c ella gritando << aql del-
Rci contra o palmeos que ihe empalmaran
a dinheiro.... Taiubem la esl o Mariano que
yem reclamar contra a ordem de disperaao
que luanilarao aquella gente de Iteja, depois
de Ihe terem chupado o sangue no servio...
Fst Igualmente o boticario gucrrilheiro, que
vein beijaara iiiho a V. Esc. pela inerce da
coinmenda da Conceito. aqui para nos, Sra.
que mal empregada que foi! O boticario pa-
rece um 11 in-u M ni h i!... Chegou mesmo
agurao Governador Jos G. Moraes, que vem
alodaaprcssa pedir-lhe asm prolec{o para
nao ser dctniltido .. J me la esquacendo
espero (ambem o menino Antonio, opanilo-
ra Poela, c o Uiniz Fazcnda. para lhc agrade-
cer ler-lhes l'eilo graduar mojores, quando o
L-ouim.mil lote do repeclivo lialalhaoos havla
proposlo para capilJes aggregados, visto que
nunca punho l es ps.
Olha, diz a todos que aim ... que lhca
hel de fallar, menos ao Pandorb. Despcde-o
por lioiu modo, nao quero qac se algum dia
livernios arrulos, me va por, como seu cos-
iiiuie, ah pela ra da amargura, depois de
me haver elogiaJo lao asnatlcamenle.....
Ouvlste ? Dii-lhc i'ti- nao posso agora dar Ihe
audiencia, porque eslou conversando com o
Mrquez de Niza a reapeitu da marcha que o
l'iz toca nasua deslettiperada catxa de rufo.
Ella despedida poltica, e como elle lem de
despachar autos, las de ceno niela volta
dirclla, se nao lor pela esquerda. (A criada
sahiu ) Agora meu querido pharmaceulico.
decsculpe a interrupto e continuemos. Nao
sabe a salisfataoque tenho cm Ihe haver pres-
tado lodos os ineus cinco sentidos que de
tnaraus que vo pelo mundo I Ai snelo Dos
ALFANDEGA.
Ilendimento do dia 3. 6:818,9*7
Dfcarregam hoe 5 de Janeiro.
riarca Ingleza Seword Wll- mercadorias.
Barca ingleza Geneveee dem.
Brigue inglez V.harloth farlnha de Irigo.
1 ni i uk-ln,!,'<>.
Brigue brssileiro Mariana, vindo da Ba-
ha, consignado a Manoel Ignacio de Olivei-
ra, ni ni I stuii oseguinte:
II caixas, 16 csixOes e 4 fsrdos dvorsos
teeidos, I caixflo lapes, 1 dito chapeoa de
sol, -2i-.ilx-si-s ellins ii I qusdro, 2 (lilas li-
vros, 1 dita filtro, 1 bmea pars o dito, I esl-
a falo, 1 gigo louca, 0 pegas e 100 meias
ditas e.o das de piassabs, 30 betas mimlas
33 pe; is grandes, 65 meias dilss, ti sigu
dares, 8SJ quarlmhas, 1 gigo ditas, 49 ta-
lhas, I cadeira de arrusr, no eonln de pi-
sssabs, 30 cabrestos, \- ga rafas de barro,
488 saccas caf, 38 psos de Jacaranda, 4 ca -
xOesel caixa charutos, 1 sacco colla, 50
fardos tocidos do algolflo, 2 caixes fio de
lito, :t voluntes mobilla, 1 gigo vasos di
barro pa^ra plantar, 1 caixa ditos e garrafas;
a ordem.
Briguo inglez Chsrlolle vindo de Balti-
more, coasignado a lio-trun Hookerot Com-
panhia, manlestoii oseguinte :
68 fardos leci.los, 24 Ciixas cbs, 2300 bar-
ricas farinha de lriio ; a ordem.
Barca ingleza Genevi ive, vinda do Li'er-
oool, consigna la a Doane Youle & Corapa-
nhia, iiuiiiiesiou o seguinte :
3 fardos c S caixas tectdos do algoJflo ; a
los -s Braga c Compuihia.
45 barricas ferragens, 2 caixas perlones
para escri|torio, 6 barriquinbas progos ; a
Braauer a Bramiis.
100 barril inatit-iiga, 32 fardos o 4 caixas
diversas teeidos, 400 fognreiros, 1 barrica
grades ; a II. Gibsun.
5caixas e 6 fardos divrsos teeidos, 1 pa-
cota 1 relogio, 3 caixas selins, 7 ditas clC2
barricas lenagens, 3 bigornas, lOgigosgar.
rafas do vidro; a G Kenworthv 6t Com-
panbia.
37 ditos, 85 meios diloso 2 cestos louca, I
ca. sa teeidos de lia, 63'ditas e 311 fardos di-
tos do algodflo, 2 barriquinltas maittimen-
tos, 1 ciisa ferragens, 1 dita linhas, I bur-
ra de ferro, 30 tonelladas carvao do pedra,
I Caixa canbOcs pira botas o fazendas para
eoletes ; aos consignatarius.
1 caixa tectdos de lia ; a C. II. Rugol.
1 barrica ferragons ; a Janes Patn &
HECEBEDOR1A DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do dia 3..... 587.551
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento 40 diiT. .... 1:827,206
PRAGA DO RECIBE, 3 DE JANEIRO DE
1852, AS 3 HORAS DA TAR9E.
Revista semanal.
Cambioa- Sem alteracio de preco, nao
tendo havldo Iraniactes de-
pola de noaia revista de 27 u0
paisado.
Algodao Aa enlrada foram mu dimi-
nua. nSo id por causa da fa.
la do natal, como por causa
das chuvaa; fez-se uina pe-
quena renda a 4/7i0 rs. p,Jr
arroba.
Asiucar O mercado eili um pouco cn-
joado, e ha esperanzas de bal-
xar, nlo s pela Ma de coui-
pradorea aos pretoi da sema-
na antecdeme, por excede-
rem os limites das orden) de
compra, fin e nsequem-it a,,
noticias recebldas da Surup
em 3l do paaaado, como peu
quantldade exlsleote, que de-
ve augmentar com o que se
espera.
i: te illi.io-------Retalhou-se de 6/a 9 ri.por
barrica, e llcarain em ser 7.U0U
ba i ricas,
Carne lecca Os prctos continuar un de 2/
a iJHOQ n. por arroba; a cu-
tenle anda por 18,000 arroOas.
Far. de trigo- Vcndeu-ae a de nalilmorc de
11/ a 12/500 rs. por barrica.
Vinhoi----------dem a t-.'l/rs. por pipa do
da Flgueira.
Ocommerclo tem estado parausado em con-
sequencia dos diaa festivos e da chura e apc.
as pequeas vendas a relalho ae fizeram.
Ficaram no porto 8! embarcatdea, aendo ",
americanas, 3 austracas, 33 brasilelraa, itli-
n iinii ijue/.is, 5 francezas, 2 hamburguezas, -2
hcspanbolas, 18 inglcus, 7 portuguesas, 3 sar-
das c3 tueccai.
que n.io sabe una pessoa cm quein se deve ; Companliia.
liar agora. Fois o Rodrlguinho 1 Polsovelho-; caixa um selim, 1 dita miulezas, 5di-
Alquesenao eslao doudos querein por uj, || | 0ylo & Companllia.
tenerme aos olho, do mundo ^^^ ,0 quiul-oscl.apas galva-
nissdas para caldeiras, 15 quiulaes fero em
luir coinpronictier m
civilisado. Nao tem dude uina pobre scnliO'
ra, que nao emende nada destat couzas !
. Mas tenho conlianta na mlnha prima barra, 14 saccas pregos galvanismos para
D. Urna ; ella nao me ha de desamparar nesla [ caldeiras ; a C. Slarr es Compatihia.
occaaiiio critica nao bade, nao.. Veja,
Sr. Boticario. .
rimi ni un o se faz favor.
Sitn... Olhc, Sr. t'harinaceulico Como
Vine, esl cm contacto oom o povo, cont-
he tudo isso que sabe, e ludo que tem pre-
senciado. Diga-4ic assim : 1). Situatao att-
thorisa-me a dcr em seu nome que os dous
2 pacotes pertencespara escriptorio, 9 far-
dos o 37 caixas lculos de nlgodilo ; a Rus-
sell Mollors & Coiopsnhi
2 dilas fio, 5 fardos o 1 caixa teeidos do li-
nho, 2 fardus barbauto, 9 barricis o 5 cai-
xas forragens, 2 fardus teeidos du algodflo ,
I barriquiiilia manlimentos ; a S. I'. Jonns-
pharlscus sao uns etnbusleiros, uas alchymis- ton & Compatihia
las, nu. l uni.me..s,. em litii diga la os 46 fardos o Tensas diversos teeidos; a
iinn.e, que lhc Icinbrarem.. .. que sao ho- Adamsou lluwie iCompanliia.
iitins que desde que se Insurglrio pela Carla S5 ditas lolha8 do flandrcs; a G. J. Asilo y
contra a Carta perderao lodo o prestigio que Cooipanllia
liada hodUo ter en. quanlo bavla quem o. ae-, 2 rafuus t,.cjjos do algo3o a Franc5C0
edii.ssi Virijslas :'. .. diga-lhc," lioalmeiilc
que esle grande partido, indignado por lao
horriveis aiteutadus, os expulsa de si com ig-
nominia, porque nao soOVc nem duoior nem
traidores O grande principio hoje em poltica
- a mxima inlallivel. est no seguinte :
(om nao por nOs, coulra nos. Fsles
mi silo pelo partido ; logo, lora!
Bravo Excelleulissiinn, bravo! V. Ex.a
e a expressao do pait. Essas palavras sao
propheticas. Os traficantes faro expulso! do
bornes de Olivetra.
5 lonelladas ferro ; a A. V. da Silva Bar-
roci.
I barril vinho, 1 lito sgoardonte, 1 caixa
roupa, 6 b.irricas serveja ; ao capilflo.
97 lardos o 8J caixas diversos teeidos 2
ditas pertences para e:criptorio ; a J. Crab-
tree& Goinpanhiu.
1 caixa peitences para escriplorio, 150
Pauta
dos presos corrente* do assucar, alijoddo, .
mais genero* do pas, que se despachara ni
mesa do consulado de l'ernambuco, na te-
mana de 3 a 10 de Janeiro de IS52.
Assucar em c. branco 1'qual. Arroba 2,010
maso .... 1,30)1
ii bar. e sac. branco a l.xoo
mase .... 1 ,-100
refinado........ 3.O0
Algodao om pluma de 1' qual. 4,800
Dito.......2' 4,-100
Dito.......3 -1,000
Ago'ardenle caxafa20 fjros Pipa 34,000
Hila.........Canad 20u
Oitadccanna...... a 52,000
Dita........Canad 300
Dita iv,lilaila.......Pipa 42,000
Dita.........Canad 240
Gcnchra.........Canad 4-20
Dita.........Botija UQ
Licor..........Canad 120
Dito.........Garrafa 180
Arroz pilado 2 arrobas um Alqueirc 4,
1:457,859
j-.^.f..,.,.,.. nuil .un i i .i aim .ni- nu r\ o i'
Tenido por Christo- anosaa rellgio nao p- barris nHDteiga ; ajohnston Pater&Com-
dc contar como lilhossetta os que dclla apos- pailhia.
lalro, Cerr V. Ese. o ouvidos aos Tianai j 3 saceos amostras ; a diversos.
Pandoras, que vendem a corrompida, lisonja | barriquinlia lingoas, I Caixa biscoulos,
por banha de chelro arruhte pelas venias a 1 pocote luucinlio, 20 presuntos, I Caixa con-
t.ZZl'V- "'" .'"t "">.v'dde1:1. D- servas, 12ditas contendo vtnl.o. sai, p de
aituacao auo selemlirista, nao e republicana, ._ ,..,, ,, _. ___,\..JLi...
lio com.nui.lsla. D. S.luaco na hora < f urrv> muatirda, mullios, conservas e fru-
triumpho foi proclamada Carlista ; mesmo a- lns i peilcnctinles ao capilflo.
pezar de surprero o povo olhou-a mei.oi de CO^SIJLAUO GERAL.
revs por esla promessa i f.a com aquelles Rendimento do da 2 223,456
une tii'ii aos setts juramculos de honr.a aos dem do dia 3 ........ 1:334,403
scus compromissos, ao que devena si, apa- '
tria, e ao Un ni. u ,.
aa Regeneraco..... Regenerafdo.........
(Entra a criada. ; = Que alarido ene la fora ?
Que ha de ser Sra. urna alluvio de gen-
te que foi detnittido por ler Carlista, e vem
queixarse a V. Ex.
- Mas en Olleo o linir de 4 espadas ?
Sao os bravos defensores do ihrono da Hu-
nda as linhas do Porto, em Val-Passos em
Vlanna, etn Torres Vedras, no Alto do Viso
que loiao arrancados s lieii.is do exea ello le- ;
al, c lubstituidos, dizcm riles, que por Patu- -
leas.
Parece-me tambcn otivir lolufoi e gemi-
dos ?
Sao muharra do vluvas e de orphaos do
que morrero marlyres da iua ndelldade, in
ouvindo dizer que sdbre ai campal honradas
dos seus esposos e pais se assenlava pela ino
da revolta a lapida denegrida com epilhelos a-
Dl VERSAS PROVINCIAS
Rendimentodo dia2......
I i':.t do dia 3........
31,700
171,172
202,872
F.xpoilncao.
1'liil.iilel. Iti.i, brigue inglez John O me-
rol, do 313 tonolla.las, conduzio oseguin-
te : 3650 saceos com 18250 arrobas de as-
sucar.
Rio do Janeiro, briguo brasil'-iro Rio Ave,
oonduxio o seguate I 58 lardos e 2 cai-
xas fazendas, 21 ditas linhas, lOlharrisal-
catrflo, I0pipas,2quartolase 10 harria azei-
to azi'il'i de carraiiato, 5 pilas n 10 meias di-
froolosos, vem pedir contal daquelle sangue (,s vinagre,78 t.boas de amarello, 8 gigos
generoso lao lea mente derramado, lao ndig- srvej, (0 saceos erva doce, 10 ditos cravo,
"KfT Umnem gargalhada, e aIma(Us! 50 saceos inillto. 150 ..ce., de algodflo ,
como le ness. sala prxima houveiie orgia ? I *68 meios do vaquela 2000 cocos de co-
'. i ... .. n^!,A ... .. I. ....... .i til ainilit i mu
Araras .......... Urna 12,000
l\l|i.i;;iiln-........Um 3,200
Hola, lias.........Arroba 3,500
Biscoitos......... 5,000
Cal boiii........ 4,000
Dito rcstollio....... 3,200
Dito com casca...... a 4,000
Carne KOCa....... a 2,880
Coucoscom casca.....Cenlo 1,000
Charutos bons...... 1,600
Ditos ordinarios...... 700
Dito rei;,ii e primor ... 4,000
Cera de Carnanba.....Arroba 5,500
Couros de lioi salgados .ibra 122
Dito e,pi\iiiln,......Um I4
Dito de lena...... i. 14,000
Doces de calda......Libra 400
Dito de goiaba...... 240
Dito secco........ 500
Kstpa nacional......Arroba 200
Farinha do mandioca Alqueiro 1,280
Fcijflo.......... a 4,000
Fumo Ihiiii........Arroba .'.,000
Ditorestolho....... 3,000
Gomma.........Alqueire 2,000
Gengibre........Aroba 2,"0D
l.enlia de adas......Cento 1,000
Dito de loros....... 0,000
Pranchasdoamar.do 2 oust. Um 22,000
Dilas do louro...... 8,500
Colado do amarello do 35 a
40 p. dec.o2 { 3 do I. Dilodito usuaos..... a 10,000
Cosladinhodudilo..... a 10,000
Soalbo de dito...... 8,000
Forro do dito....... i 4,500
Costado de louro..... 6,400
Cosladinho do dito .... 5,200
Soalbo de dito....... 3,800
Forro de dito....... 2,500
Ditos de cedro...... < 3,200
Toros de batajuba.....Quintal 1,600
Varas de parreira.....Dozia 1,280
Hilas do aguilh.das .... a 1,600
Dilas de quiris...... 2,080
llodasde sicupira para carros Par 40,000
Eixos de dita para dilos 1S,000
Mel empipas.......Urna 34,000
quartolas......Caoada 190
barirs........Huin 6,800

= So os hroe de Grainido, ns populares
de 40, que insu.io as suas victimas, ultrajo
chapijo, tomou o seu chale e depois de una
lula amigavel da qual sahlo vencedora, licou
seuhoia do balaio de costura, do qual seu coin-
panheiro quera desembaraca la; ao depuls
n;n, iiulu os bracos ambos se diilglraui para o
lado opposio aquelle cm que cu estiva escon-
dido.
O recem-chegado devia ser pal ou marido.
Alim de esclarccer*ine a cite respeito c desejo-
ho de saber se a moca me conheceria, apressei
iiiiiilia marcha ailm de alcaucar os dous pas-
seadoies, de passa-los e de voltir depois para
satisfazer assim minha itupai ente curiosidade.
Segu estas ditas pessoas durante alguns
instantts era impossivel ver um corpo mais
esvelto, mais Uexivel, mais bem formado, c so-
bre ludo um andar mais voluptuosamente ca-
deociado do que oda dcsconhcclda.
homem a quetn ella dava o braco, mui mi
ro c mu pequeo, pols sua cabeca chegava
apenas ao hombro de sua coinpanhcira, eslava
modestamente vestido passei diante delles, ao
depois no lim de alguus iustanles voltei e vim
ao i- ii encontr, procurando surpreheoder
um ollnr da desconhecida ; ds repente seu
companbeiro abandonou o brafo que ella Ihe
dava, parou r deu vivamentea^guus passos pa-
ra mim. Ku o examino mais attenlanicnlc c
reconheco. ... a Jacintho Uurand a quem
nao tinha encontrado mais depois de miaba sa-
bida do S. barbara.
XIV.
nol. porque o *;ouitiit:iiunu#. w.,, .... ..... ,.c ,ii, ^mv i,.,,....... .,., --. ........... .....,.,..
uiTilerlo. inandou consultar a Caa Pia do Por- la sua bonr.i arraitao peloceii'o a farda bordada
' n. L.Li.... ......... ....i., ......... .._ ..... \. ........... a., i,-.... .. -. ,,.,,n.,.1 ,. a,...
Fernando I
Jaclullio!
ITacs foram as excUuia(es que trocamos a-
portando-no9 reciprocamente ai inoi, eu c oidacao corando, entretanto queJacinlho Ihe di-
mrii amigo de infancia. (ta com urna doce e.noco :
Grossaa lagrimas rolar.ni nos olbo, de Ja-1 Cesarlna, be Fernaudo de quem te tcnbo
lo, que foi li.l'iii.a.i de um grande mgico,
e dal.i lhc velo a aegiunlc onpllcaco: U par-
tido de Setcuibro inorre, le a uniao canuta
for por dlanlc. Torna-ic poli ueccaiaria a
cinibo. Seu rosto ainda imberbe, apezar da Ida-
de, conaervava na tmida e atTectuoia eapres-
kao de outra ora. Elle tinha pouoo crescido de-
poii da mlnha lahida docolleglo ecra nao me-
nos magro que cotio.
Que felli acaio nol approsima depoli de
tintos .niuns dlne lhc eu.
Slin ... he vcid.ide ... he o acaso, me res-
ponden Jacinlho com u.u tom de ciprobacao
.mu-ivil. Foi predio o acaio.... para que nos
nos lornaiseinos a encontrar.
Nao he por culpa minha, aifcguro-te.....
reipondi eu verdadelrameuie confuto de meu
ingrato eiqueclmenlo. .Eu esperava icmpre a
vitlta..... I'.eni sabes que aahiudo do S. Uarba-
ra.....deizei-te o nome da rtia e o numero da
casa de minha avo..... c o do hoiel dos Pa-
gens.
Esls louco ? disie Jacntbo aorrindo,
Eu. ... ir na -le ao bolel dss Pagena di re ?
En..... arrlicar-me no nielo deiaea malignoi
brilbanle? tmido como era e como iou ain-
da! Lembra-le que icparando-noi,'eu l uiua
cousa lepedi : que fonei ver-ine ao collegio
quando nao tiveiies coma inelhor a fazer e
que trocaiiemoialgumai cartas.... Eu dei-me
presta em escrever-le..... tu me rcipondeste
duat ou tres vezes e depois nada mais.... iu-
gralo 1
Mis Jacinlho intrrroinpendo-ie, disse-me
sin nudo, e voltando-se para o lado de tua coin-
panbeira :
Ettai Icmbranca9 de collegio fazcni-ine
esquecer que nao te apreientel minhi boa e
chara iniiliiei. ..
liiclinel-me profundamenle.
Madama ttitrau I correipondeu a minha lau-
tlc um Marechal do Eilsito ;,ai agulhelas dos
Teixeiras, o tlluloa doi Tttj*ttt*cdci, cospem-
lliessbrc as Insignia! e as felas, c exultao ja
com a e,|iei.in;a do triumphoj
.._Lia:-X'a.
mer, 20 seirO s e 3 barric.s Com amen i tas,
50 barricas e 490 saceos com 6151 arrobas e
27 libras de assucar, 10 barrts alvaiade, I
oiixaxera de carnauba, 1 dita tnltiotos im-
pressos, 2 boeelas doce, 219 moluos de cuu-
rinnos de cabra c t caitdo com abacachiz.
lanas vives fallado ; Fernando, o nico que no
.-. Hai
za.....o nico que
nao te dedigoars dcvlrvuilar algumas vezes
, I I III IIIUO, U It.ni. lilla. iav
Karbara ie cotnpadeceu de mlnha fraque- a pequea caa de um modesto empregado de
me defendeo. ... o primeiro '"11 c oito ceios francos.
Por liso por mais ingrati- I Jacinlho, ic lu fallasse icrlamenle, lu me
que me amou. ... ror isso por mais ingrati-r-----------
doesque conilgo pralique. nio o ciqueccrci aiiiifciria.s.
limis; naoo tenho jamis esquecido ; tu s 'icaria
teileintnha dilio, Jearina, nao he ? chro Fernando, Ir
teite
_ lie verdade, meu amigo, respondeu a
moca com nina voz doce, mas aonora e vibran.
le como o to as votes do contrallo. Bstanles
vezei me tens fallado da ainliade que Mr. fo-
nando linha.....
Ao depois dirlgindo-sc a mim, ella accrea-
certtou :
Fol-Ihe mui fcil, Mr, Fernando, amar a
Jacinlho.... elle he lao bom.., lao adoravclmcn-
te bom, no he lenhor ?
Nao pono ezpriniir com que accenlo de sin-
ceridade, com que cipreasao de serena ter-
nura, de recouheciincnlo expamlvo, a moca
pronunciouaaullimai palavras que tenhoci-
lado e que provavain 8eu amor para com Ja-
cinlho.
Nao ion falto de penclra9ao ; nquel conven-
cido ( com razao ) de que a mulher .le meu ami-
go espcrlmentava por elle uina profunda aOel-
cao. Ino no me admlrou, inaa nao pude cora-
prchender que urna lal iiailber podenc ler to
ardentementea F ..
Enas reexdes apreicnlaram-ie ao meu es-
pirito com a rapidez do pemainento por Isso
respond a madama Uurand, faiendo allusa a
suaiullimai palavrat :
Foi a adonwel bondade de Jacinlho que
me tornou, senhora. to chara sua amiade, e
esta inellavel bondade me perdoara, eslou cer-
lo disso, nao o incu ciquecimento, mal ininba
negligencia.
tu ic perddo, rcipondco Jacinlho lorrindo,
mas com a coodijo que te emendars c que
angust-ido com lio, nuil
adqullllia-te; com quanlo
ejai para ndi otilioi burgueilnhos, um fidalgo.
estou cerlo que nao fugirs da medlocridadc de
leus amigos; tletnan esla mcdlocrlilade Ihel
baila,... Que digo, a mediocrldade ? aceros-
centou Jacinllio sorrindo e olbando em derre-
dor de si com um ar de posse trlumphal, nosia
medlocridade nao goza acaso de um jardim so-
lienln, ornado de eilatuas, de badal e de
llores?
i.h un un -no o jardim das Tulherlas, eu o
chamo o jardim de Cesarina, poli que ella vem
lenlar-sc aqui quanl todos oa dias esperndo-
me sahlda da repartlco do interior, .vio
lem uossa medlocridadc tambcn musetis ad<
miraveis e de todas as lories, tratados e entres
lidos i>.i i i |n ii i meu e de esinn i ? iniiseus
maravllhoso, nos quaes daigos aos domlngo-
initructlv.sedellcloios pasielos ; nao tem em
lim nona medlocridadc la companlilade tt.ea-
tro ? aeut comediante! francezei ?ieui theatrl-
nhoi, que honraino! [le lempos cm lempos
cotu nossa presenca Ccianna e eu medanle
bilheles que me dao em mlnha reparticio ? li-
to te provii, Fernando, que apezar de tua me-
diocrldade, leus amigos tem prazereide princi-
pes, prazeres de rafa, dot quact te faro a
honras quando quiterea....
E Vine, aceitara mu promplamcntc, se-
nhor, diise-me madama Durand, ae soubeue,
e deve labc-lo, quanlo Jacinlho be iutereisaate
de nuvlr-se : olhe, domingo panado ionios vl-
litar o museo de artllhariaquc nao conhccla-
mos. Isso parece tnulserlo, mu bcllicoso pa.
Pcdras de amolar ......
Ditas de filtrar......
Pima. de leu......Cento
l'in- -ol i.........M.'.ll.o
Sola..........Meio
Sarca parilha.......Arroba
Tapioca......... a
I nli i-de liu. ..... .Cento
ra unta inullicr. nao he ? entretanto Jaclnto
euslnou-mc tantas comas curiosas sobre a his-
toria das anual c dai armaduras que paliamos
nene inuseii tees horaa dai mais Intcrei-
tantea.
A lenhorad-me ao meimo tempo pezares
c esperanzas, di.se-lhe eu ; por islo me per-
uiimta quo tome parte cni uina de suas pr-
iii. ii i, ezcuredes ?
Tudo ino he inuito bom, reipondeu ale-
gremente Jacinlho ; mas para ajuslar o dia da
partida, cu.nprc pelo menot que nol vejamos.
Ora quandoavlrs tu ver-nos, Fernando ?
Vire! o mais cedo que for poisajtel.
\ ni i nli.11 ?
Maravllhoiamenle..... maobaa, a qac
hora ?
Se poderet, vem pelat olio horas depoli
du junar, ni te esperaremos....
Jaclntho, eu iou mal exigente que Isso-
Como aisim P
. M ola Durant coinprehender bem, estoa
certo, que amigos velhos como ni, tem que
conversar sobre uina mullidlo de couiai i)i'r
lalvez sejnii lein inleresie para ella... Vlrei
poil amanha pela inanha converiar tonga-
mente cotutigo, o que nao ine einpidlr de vol-
lar nolte, se la icnbora me conceder ella
graca.
Fila te conceder eita graca, reipondeu
Jaclntho sorrindo; eipero-te amanha pela ina-
nha..... mai vem cedo, pola emporla que eu
eslej na reparticio ames das des horai.
(.otiversando anlin, linhamos chegado a gra-
de que d lobrc a ponte real, e ah deisel Ja-
ciuiito e aua mulber.
(Continuar-se-ha.)
n
a
n
f.
t
a
d

I.
ft
ir
ci
d
s<
u?-


Couros de cabra
Azeite de oairapato.
. 20,000
. Cnida 360
Movimentodo porto.
Navio nitrado n di 3.
Terra No -- 29 das, barca inglea Crea-
more, de 908 tonelladss, capido Thomas
K.mp, equipagem 13, carga bacalhao ; a
orden).' Anda sobre a vela no lameirfto.
Navios mirados no da 4.
Rio de Janeiro 30 dias, b-igue brasileira
Ledo, de918touellidaa, capitdo .Monto
Cocino de Olivelra, equipagem 10, carga
alguna gneros e lastro ; a Joaqun) lli-
boiro Pontos. Passageiro, Manoel Antonio
dos Sainlos. ,.,..,.
I.onJres 34 dias, brlgue mg!* ithM"
theco, de 218 tonelladas, cpildo Ceorge
Lo Marquand, equipagem 14, rga poi-
vora e hiendas ; a Le Bretn Schramm &
Cotnpsnhia. ....
Maranhdo 21 dias, brigue aieum bra e i-
ro Graciosa de 168 tonelladas, ca pido
Jos Mara da Silva Porto, equipagem 15
carga varios gneros a Jos B.plista da
Fonseca Jnior. Passageiros Mil to de
Souza Monte Negro, Jos Antonio de Pau-
la Madeira e 1 escravo a entregar.
Terra Nova 35 dias, brigue h.mburguez
Fl de 250 tonelladas, capitdo Johnot-
d'ry, equipagem 12, carga bacalhao j a
ordem. Fundeou no lameirdo.
Navios sabidos no meimo da.
I'hlladelpliia brigue mglez John Orino-
ro), Cipitao A. O. H.rlloy. carga awcar.
Ilio d Janoiro brlgue bristlein niJJ^Ave
ricSo por partidas dobradas. O exame ser
feito no Ihesouro, pirante o director eral
da contabelidade, e por un dos contadores
que o niiniat'o designar, o as thesoura-
rlas pernote o inspector e pelo contador, ou
uro doa chefea de secado nomeado pelo pre-
sidente da provincia.
Art. 3. As provas deate oame serdo da-
das por escripto, assignadas pelos preten-
dentes a rubricadas no thesouro pelo direc-
tergeral da contabelldade; e nastbesou-
rr res pelo inspector, os quBes aslransmll-
tirdo ao ministro da fizendi com suas in-
formatOes acerca da Idoiiaidade dos prclcn-
denles acompanhadaa dos requerimentos a
documentos por elles apresentados aflm de
serem nomeados os que melhores habeli-
tanOes tiverem.
Art. 4. Havendo vagas de 5 escriptura-
rios no thesouro ou do 4 as thf souraris de
primoira ordem, procoder-ee-ha para o pro-
onchimento delta aooncusso ntreos pra-
ticantes, nos termos do ait. 45 do decreto
n. 736 de 20 de novembro de 1850.
Todos os practicantes, que tiverem dous
annos de pralica no thesouro sdo obrigados
a apresentarom-se em concurso, o os que
forem roprovados duas vezes ferlo demil-
tidos.
Art. 5. O concurso versara sobre as ma-
terias designadas no art. 45 do referido de-
creto e aera feito com toda a publcidade em
urna das salas do masmo thesouro, ou the-
Murarlas, sob a presidencia, naquell do
director geral, que o ministro designar, o
nestas do respectivo inspector.
Art. 6. O ministro da fasenda na corte e
3
ha o dispnsto na referida lei provincial n. A irmandade do8ant" Rei, participa
286. Conforme. O secretario, | ao reipeitaval publico, que a manhda do
Antonio Ferreira da Annuuoiando. crreme aa 3 liiraa da tarde, haver uma
os presidenlos ns provincias nomearam
ra'uitao BMaa JosAlves, crga varios ge-I iros examinadores, um do escripia o gram-
eros Passageiro, Jos llrasilino da Silva, matica da llngua nacional, oulro do anthino-
e 28 escravos a entregar. ^^^ | tica eo lerceirodos principise practica da
",,.;,, n. n i '" I escripturaedo por partidas dobradas, dc-
~-'jVlrrli,S vendo nesU parto mostrar-so o pratlcanto
ilttJM. J. .tm.-tj. | conl,ecai)or das formulas seguidas no the-
------'i iim vitiou iniz de Dz' souroe thesouraria.
*T$!&XM*t^* ** 7- A'boraaprasadasemo.dnmtidos
to Antonio do Rocifo, etc.
Faco saber a tojos os moradores dcste
primeiro districto, para exacto Mjriw-
to do regulamento de 18 de jimho de ISal
quo determina o registro dos >""?
bitos, qun as ras e travessis pertencentes
.0 mesmo districto sdo as soguintos.a saber:
Campo de palacio dogoverno.
Ra ila Cadeia.
Tnvossado theatra volho.
Ra alraz rio mesmo.
Travessa do Ouvilor.
Ra do Crespo at o arco de Santo Antonio.
Ra das Ouzes.
Travessa da Polo.
Ra do Queimado at OS quatro calilos.
Travessa do Peixo Fiito.
Ra do Collegio.
Caes do mesmo.
Ruaestreila do Rozario, principiando
quatro cantos.
Rui larga do Itozirio atoo quartel de poli-
cii.
Praga da Independencia.
Un i do Cabug.
Oitdo ila matriz.
Ilecco tapado.
Itua d'sl.arangoiras.
Ra dnsTriucheiras.
Travessa dos ex.'ostos.
Ra atraz do quarlel de polica.
Travessa da mesma ra.
Travessa do Hospital.
Itua Nova.
Ra do Sil.
Itua do Santo Amaro,
lceco do CalaboilCf.
Travessa do mesmo.
Ra ileS. Francisco.
Itua d>> Roda.
Travessa da mesma.
Pateu do Hospital.
Itua Relia
Itua da Florentina.
Travessa da mesma.
Art. 7.
todos os praticantes, que pudercm ser ex i-
alnados no mesmo da e tomaram issento
em uma meza fronteira do examinado-
res.
Art. 8. ComeQar o exame pela escripia
dictando o examinador em voz alta, e escre-
vondo o i-i.iilhl.it i alguma passagom do
qualquer obra Classiu.
O que o i- imilla I i assim escrever ser
immediatamente aprcsenlado oo presidenta
odepoisao examinador, que poder fazer
as nocessarias porguntas sobre a< diversas
partes da grammatics.
Art. 9. Do mesmo modo o em neto suc-
i cessvo ser foitu o rsamo das oulras mi-
i teriaes, dovendo o candidato mo sO lesol-
vor por escripto os problemas do arilhme-
i tica e da escripturaedo, quo Ihe forcm da-
dos pelo examinador, como responder ver-
dos balmenlo s pergunlas, quo este Ilio llzcr,
I tanto sobre a thuoria das operano.s, que
houver praticado como sobro os principios
geraes dolas.
Art. 10. o examo do cala materia durara
o lompo que ao examinador parecer neces-
sario, qiiamlo nlo soja proroga lo polo pro-
si leut, que pod.-ra tambam indicar outras
quustOes, quo devdo ser propostas, ou mes-
mo propo-las.
O candi la lo dever datar c assignara os-
cri.ita e operanOes, que liver praticado.
Art. 11. Findos os exames (cardo os exa-
minadores sos, o passiram a conferir en-
tre si sobre a ipprovan ni, un desapprova-
eflo de cada um dos candidatos devendo dar
poroscripto o seu parecer sobre a capacida-
ile de eadn um dclles, vista das provas
escripias e caes, com as raiO^s em que
l'iind.rr.n o juizo, quo formarom o as nulas
de api nv !<;l.i ou reprovaQilo quo derom.
A formula das ootis sera a seguinlo :
B-am por tantos votos .- soffrivel por tan-
to votos; nOosatisfei por lautos votos.
Art. 12. Este parecer ser apresentadn
com os mais pap-is do eximo ao mmislro
Epara que chegue ao conhecimonto de| da fazonda devendo o presulcnte do con-
lodosmanJei fazer o presente edilal, que curso inlorpor tambetn o seu parecer por
sera anisado nos lugares mais pblicos do: escripto.
referido districto, e publicado pela im-
prenta
Recife, 2 de Janeiro de 1852. Eu Joaquim
da Silva Reg, escrivdo escrevi
Joflo Valenlim Villela.
Obervagdo.As casas do pateo do Cullo-I
Aii. 13. Concorrcndo diversos preten-
denles a um mosoio lugar, e obten lo to-
dos, ou mais de um igual approva(3o,ser
cscolnido o que por outras circumstancias
parecor proferivel.
D'J ni .mu,i modo se proceder se fr mais
glo, quo tiverem as portas .la entrada para de um o lugar, que h .uver de P'eenc'ier-
apraoinhadoLivramento pertencem aose- se, esupenor ao n. dellos o de candidatos
gundo dist'icto desta mesma freguezia. igualmente habelilados. lh..nilrn
- Olllm. Sr. inspelorda the-ourana de, Art. 14. Aos eximes fetos no thesouro
fazenda desta provincia manda, em ad lita- assistira um official da secretaria do ostado
ment ao edital de 3 do prximo passado, dos negocios da fazenda, queo ministro de-
publicado oo n. primeiro dcste jornal, fazor, signar pan lavrar em livro proprio urna
publico o Yl 45 do decreto do 20 do no- acta dos quaso lizerom em cada da, aqual
vembro do anno passado abaixo transcrip- contera a integra dos pareceres dados pelo
lo S-cretariada thesouraria da fazonda presidente o examinadores e sera assignaa
dePemambuco 5 de Janeiro de 1852. O por ellos. as tliesou.arias servir um o-
ollcial maior interino. Emtfio Xavier So- Ncial da secretaria ^djsignado pelo inspec-
breira de ello lor- .
Art. 45. Ninguem ser nomeado paraos Art. 15. os concursos para o preenchi-
emprogos das diversas estacando thesouro'Tiento das vagas de 4 escripturarios as
e tliesourarlas om-'mostrar por meio de1 besouranas da primoira ordem poderdo
concurso, que sabe a grammatica da lingua fzer-se no thesouro qnando assim con-
nacional e escrcve-la correctamente; os! venha.
principios de escripluracdo por parli las do- Art. 16. Sdo applica.veis a todos os con-
bradas.o a arimethmelcae suas applicacOes. cursos, que se lizerem para preenclier as
com e.specialidade reducefio de moedas, vag.s, que existirem no thesouro e Inosou-
pesus emodiJas ao calculo de desconlos, e ranas at que sejam preencnidos os quadros
Juros simples e compustosje que tenha alm de seus respectivos o-npregados, as dispo-
di.stoboa letlra, boro comportamenlo, e a sicOes destas mslruccOes nos arts. 1, ?, 5,
idade de 18 annos completos. O concurso 6, 7, 8, 9. 10, II, 12, 13, 14.
sai podera ter lagar entre os praticantes, o Art, 17. Os exames e concursos, de que
cmlgualdade de circumstancias surdo pro- tratam os arts. 2e 4, serdo folios nos das
fendos os que souberem linguas estran- marcados na corle polo ministroda fazenda,
gejras i o as provincias polos inspectores das the-
Devendo rroceder-se a concurso pe-! sou'aras. Rio de Janeiro em 18 de dezem-
ranle a thesouraria da fazonda desta pro-. bro de 1850.
vincia para preenchi.nenio das vagas, que Joaquim Jos Rolngues lorres.
nella existom, na forma do decreto do 20; ."*
da novomuro do I84<, o das instmccOes ~ O lllm. Sr. inspoctor d thesouraria da
abaixo transcriptas. Olllm. Sr. in.-pertor fazenda provincial, em cumprimenlo da or-
manda fazer publico que os exames tordo dem do Exm. Sr. presidente da provincia,
Iug8r da data desloa 00 dias; o quo por tan- manda fazer publico, que nos das 13, 14 e
toaspessoas, que se iulgarem habelitadas, 15 de Janeiro prximo vindouro, ira a pra-
e quiscrem concorrer deverdo 8prsentar( c.a para ser arrematado, peranlc o tribunal
seus requerimentos instruidos de certidOes administrativo da mesma thesouraria, a
de idade, de estado, de folha corrida e de quem por menos lizer a obra dosconceitos
outrosquaesquer documentos que hjlguem, da cadeia velhn da cidade de Cianea, ava-
a bem de suis pretencOes, dentro do referi- liada em 636,486 rs
do praso, podendo enire.tanto aquellcs dos i A arreinalacdo ser f-lta na forma dos ar-
concurrentes, que deseiarem adqo-rir apra- igos 24 e27da le provincial n. 286, de 17
- O lllm. 8r. inspector da thesouraria da
fazenda provincial, em comprmanlo da or-
dem do Exm. Sr. presidente da provincia de
23 do corrente, manda fazer publico, que
dos diaa 13, 14 e 15 da Janeiro prximo vin-
douro, ir a prafa para ser arrematado, pe
rante o tribunal administrativo da mesmi
thesouraria, a quem por menos flzer a obra
dos reparos da ponle sobre o rio Una na po-
vn.ii;ilu de Sanio Amaro JaboStdo, avahada
em rs. 1:330, 930.
A arremlscBo aera feta ni forma dos
arts- 94 e 27 da lei provincial n. 286 de 17
de maio do corrala auno. "
As pessoas que se propozerom a esta ar
remataedo, comparecam na sala das sessOes
do mesmo tribunal, nos dias cima mencio-
nados pelo rucio dia competentemente ha-
bilitadas.
E para constar so mandou afllxar o pr-
senlo o publicar polo Diario.
Secretaria da thesouraria da fazenda pro-
vincial de Perdambuco 30 dodezembrode
1851.O secretario,
Antonio Ferreira de Annunciactlo.
Clausulas esoeciaes da arrematando.
1.' Os reparos da ponte sobre o rio Una
ni p-ivn m;,1ii d,' Santo Amaro Jaboildo, se-
nt foitos pela forma, sob as condicOes, e
domlo indcalo no orcamonto approvodo
pela directora em consclh'o, e apresentodo
ao Exm. Sr. presidente da provincia polo
preoo de ris 1:330,230.
2 As obras principiarHo no praso do um
mez, e serdo acabados no de cinco uieres,
ambos contados da entrega do termo da ar-
r0fnatar,3o.
3." O pari.imonto da importancia desta
obra ser feito em uma s prestando quan
do olla eslivor concluida o em estado de ser
recebda dillnitivamente.
*.' Para ludo o mais que ndo est deter-
Lminado as prsenles clausulas, seguir-.se-
ha o quo disiOJ o regulamento de 17 de
maio do 1831. Conforme.O secretario,
Antoni'i 1','rreira da Annunciaeflo
Pfitlarayfto.
A adminlst'acdo do correio precisa en-
gajar dous homens bonscamlnheiros : quem
se echar nestas circumstancias dirj a-sa ao
mesmo correio.
Annuncia-so pela segunda socedo da
meza do consulado provincial, quo os trin-
ta dias uieis mercados para o recebimento
da decima dos predios urbanos desta cida-
do, do primeiro siniestro de 1851 1852, so
llnolizam em 13 do corrento mez do Janei-
ro, o lodosos proprietarios que deixarom
de pagar nesse prazo, incorrom na multa
de 3 i or 0|O sobro o valor de seus dbitos.
.-Por ordem do Sr.director interino fuco
publico que na conformidado do art. 13 do
regulamento de 12 de maio do anno p.n abiir-se-ha a matricula das aulas do Lyco
no da 15 do corrente, e ser cucerrada no
ultimo este mesmo mez, excepto da de
Latim. I.yceu 2 de Janeiro do 1852.O
amanuense.llermenegildo Marcellinode Mi-
randa.
Pela subdelcgaciadeS Jos do Recue,
so annuncia a approlicnQo de um prcto de
uoms Julifio, de nacilo nagil por andar fgi-
do, oquil declarou ser escravo de um Mo-
roira ua passagem da Migd llena, sendo que
por soguranca fO.a recolhido a ca lea desta
cidade, para seu legitimo Sr. provar o do-
minio o posso delle, e serillo enldo ent'o-
gue. Subdelogaci de S. Jos do Itecife 31
de dozombro de 1851. Osubdelegado.
Francisco liaplisla de \lmeida.
precisado a qual saldr da igreja de N. S. do
Rosarlo do s. Antonio e rorrer as seguin-
tes ras : ao sabir da igreja ra larga do
Rosario, Nova, Cabugi, S. Amaro, Roda, S.
Francisco, Cadeia Bairro do Recita, Cadeia,
Cruz, becco da Linguela, Trapiche Novo,
Vigario, Encantamento, Collegio, Livra-
mento, Direita, Cinco Pontas, Travessa do
Marisco, Martirios, Hartas,Trincheiras, La-
rangeiras, estreita do Rosario; e pedem a
todas as pessoas que limpem as frentes de
suas casas, o as o.'nem com toda a de-
cencia.
~ Do engenho Local, freguesia de Una,
fugiram as vesporas de fesla, os escravos
sguintes: Alexandre mulatinho, do idade
de 15 a 16 annos, com os signaes sguintes :
cara larga, njriz grosso, olhos grandes e
bastante esperlos ; este molatinho foi com-
prado em abril p. passado, havendo sido
doSr. Dr. Alcanforado. Valentim, crioulo
fula com n!li -.n de sapateiro, boa estatura,
ps apilhetados, secco do corpo, olhos
brincos, ecom idade pouco mais ou rflonos
de 28 annos ; ..ste preto foi compra lo igual-
mente com o do cima ao Sr. Salgueiro da
cidade do Olinda. Foram encontrados na
mesma cidade, o milito so presumo terem
tomado as estradas dessa cidade, as de casa
Forte, Poco, at ao Montciro : roga-sa poia
as autoridades policiaes e capitdes de cam-
po, a ciptura dos referidos escravos, poden-
do conduzl-los ao moncionado engonho, a
entregar ao Sr. dos mesmos, Paulo de Amo-
rim Salgado, ou nesla pra;a a Verissiino
Antonio da Cruz Soares que eati prompto
saptisfazertods a despeza qus houver'de se
fazer.
-- Procisa-so de uma ama de meia idade,
pouco mais ou menos, para servir de po'tas
a dentro, em uma casa do pouca familia:
na roa da Santa Cruz n. 22.
-- O abaixo assignado, roga aquellas pes-
soas que lm penhores em seu poder, que
tenham ahondado de os ir tirar no praso
do 8dias, contados de hoja; na*falla serdo
vendidos para pagamento de principal o ju-
ros, licando o abaixo assignado sem a u,c-
nor responsablidade, por isso faz o pre-
sente. Jodo Luiz Ferrslri Rlbelro.
Instrucajao elementar.
Jos Xavier Faustino Ramos com aula de
instrucedo elementar no aterro da Roa-Vis-
ta n. 5, participa an respeitavol publico, e
especialmente aosSrs. pais de seus alumnos
que os exercicios de seu estabelecimento
i-mi rain no dia 12 do corrente moz. As
materias do ensino sdo: ler, escrever, o
contar correctamente, doutrina cluislda, e
jr Miiiii.,1:.-1 da liogua nacional. Oannun-
cianleesl disposlo a addicionar aoseu es-
tabelecimonto do preseote anuo uma aul
de fianciv, leccionada por um hbil profes-
-,n, i- s,- ah tein ilo formular um massante
fHH#t(t)5*t)flitl
e COLLEGIO DE EDUCADO parame- 9
NINAS.
'O Fundado e dirigido por 0
0 D. Candida Roa Haria Dtrmolt da 0
0 Costa. 9
W Este collegio outr'or.i estahelecido 0
na ra da Cadeia de S. Antonio n. 23,
O abaixo assignado tendo prestado l-
ain;a na forma da lei, para dividir bilhetcs
das loteras do Rio de Janeiro em cautelas ,
vem declarar ao publico quo ero virtude da
garanta dada se respontabeliaa a pagar em
continente e sem descontalgum logo
que receber as lillas, todos o quaesquer
premios que porsorte sabir as cautelas o
acha-se hoje novamento instalado no I bilhetes que vender com sua Arma. As suas
aterrada Boa-Vista sobrado n. 36, ( cautelas e bilhetes serdo vendidos no pateo
-,,li^, Ull.llllllU lUlillUldl U III iiia-sihL,' W __- ..la .1. '____
annunciosobreasvantagonsdo seuestabe- mesmo^forra, para o serpeo do uma casa
? conformo o promottimento, que a di-
% rectora taz em eu prospecto.
1 A derectora convicta de ler melho-
0 rado muito com a escolha quo fez de
? sua nova casa, tom a honra de par-
0 ticpar aos aenboros paes de familia,
SI o principalmenteaosda suas allunas, m
0 que farsua nova abertura no dia 7 0
til do corrente, o quo desst dia em dian- o
% le continua a ter aberto o duo col le- ffl
0 gio, por se adiar habilitada com a li- t
0 cen?a do Exm. Sr. presidente da pro- r,
% vincia conferida de conformidade com )
A o dispostn no art. 38 do regulamen- *
9 toprovincial de 12 de malo do anno -"
0 p. passado. Esto collegio j foi vesi- u
Qb tadopelo lllm. Sr. inspector do pri- 9 meiro circulo Dr. Cipriano Fenelon t*
% Cuedes Alcanforado. Espera pois ?
( continuar a merecer o conceito, que *
9 Ihe tem grangeado oseu zelo e dedi-
0 cacSo, na educaedo das meninas con- j>
% nadas a seus cuidados. Assim como g)
'* declara que se ensinar todas as pren- ?
% das proprias uma Sra., bem como : ,
ler.escrever, arimethmetica, gramma >
9) tica nacional,geograpliia.historia uni
'* versal, dita porluguoza, dita brazilei- ^
m ra, mythologia, inglez, francez, ler, o
? escrever, e fallar) analyse Iliteraria e /.
grammatical, de produccesescolhi- >
A das dos melhores proradores porlu- ->
? guezes. anca o pianno, costuras, .
I lavarinlos, e bordados de todas as a>
h qualidadcs : admiltem-se pancioms. .j,
? tas, moias ditas, e externas, tudo gf,
a por precos multo commo lo. ^
g*>;.^(^>**^^00000009
OSr. Jodo Virissimo, mestre de alfaiata 0
ciar sua morada ou dirijir-se a livraria d. j ii
6 e 8 da prar;a da DdepeiidoDCa.
Preeisa-saalugar uma preta, que-iaiba
eoder bem frutas : na ra do Quom.ado n.
15, se dir quem precisa.
D. Cicilia Rosa da Costa, viuva do fi-
nado Jo.quim los Lournco da Costa, faz
publico que havendo fallecido no Jia 29 do
conento o seu procurador Jodo Antonio
Soares de Abreu, tem por consequencia ces-
aado os poderos da dita procuracSo ; no-
meando a aniiunciante desde esta dacla a
seu lilho-Joaquim Jos Louren?o da Costa
ara seu bistante procurador, com especia-
ldadj para receber os alugueis de suas ca-
Precisa so do una preta escrava, ou
do Collegio, casa do livro azul e em mdo de
vendedores, pelos sguintes precos :
Ri I helos 22,000
lleios 11,000
Quartos 5,500
Oitavos 2,800
Vigsimos 1,300
O abaixo assignado espera pelo vapor de
4 ou 5 do corrento, bilhetes daloteriaqun
mais prxima flea a correr, e desse dia em
dianteestdo oxpostas a venda as suas cau-
telas, qualquor que seja a lotera.
J. A. de Fara Rarboza.
-- No engenho Mallo Grosso, comarca do
Cabo precia-se de um portuguez para
feitor do campo, quo tenha pralica e contie-
cimento do trabalho eneja de boa conduc-
ta, agradando ser bem recompensado.
ROfiO.
Do segundo andar da casa da
ra do Vigario n. 7 di residen-
cia do abaixo assignado, que sea-
chava fra da praca, com sua fa-
milia, foram roubadosda turde de
31 de desembro madrugada de 1
de Janeiro corrente, o^ seus livros
commerciaes, Razao, Diario, Ca-
xa, Registro de lettrps; copiado-
res de tartas conlas correntes,
de vendas e de facturas, tudo e-
cripturado desle abril de iH'| ">
desembro de |85|, bem com> al-
guna papis de pouca importan-
Avisos martimos.
Para o Ilio de Janeiro segu
infalivelmente no dia 8 do corren-
te o patacho brasileiro Bella Anel-
ta, recebe anda alguma carga,
escravos a frete c passageiros para
o que lem exccllentes commodos ,
trata-se na tua ila Cruz n. 4>com
Manoel Alves Guerra Jnior, ou
com o cipitao Manoel Jos de Sen-
na Marlins, na praca do coTimer-
cio
Para a Baha.
Soguc cam brovidado a bem coDbecida
escuna nacional ADBLAIDE quem o reslanto
do seu carregamenlo quizer fazer, que-
ro dirlKr-se at o dia 7 do corrente : na
ra da Cadeia do Itecife 11, 23, ou 56 \.
Para a llahia, deve sahir infalivelmon-
le at o dia 8 do correle o liiate Capricho-o;
ainla role receber alguma carga e passa-
goiros, para o que tem bous arranjos ; tra-
[ata-se na praca do Corpo Santo n 2.
Para o Itio de Janeiro sabe com muita
brovi lado por lor parto do carregamento
engajado, o patacho nacional Margarida, ca-
pitdo Florencio F. Marques : quem no mos-
quizer carregar, hir de passagem ou em-
barcar escravos, pira o quo ton commodos
suincienles, p le entender-so ro o o mesmo
capildo ou com Luiz Jos de S Araujo, na
ra da Cruz n. 33.
Para o Aracaly, segu em poneos dias,
o hiale brasileiro Capibaribe: quem no mes-
mo quizor carrvgar, ou ir de passagom, di-
rija-so a ra do Vigario n. 5, ou com o mes-
t'e Antonio Jos Vianna, no trapiche do 1-
god&o <
Para o Rio de Janeiro.
Segu com biwi,1,1 le a sumaca brasileira
S.Antonlo,muito novie do auperior marcha:
para carga, escravos a frete e passageiros,
trata-se com os consignatarios Machado &
etica do servico da thssou'anr, e assim
queiram servir nella gratuita mente, ipre-
aontar desde j seus requTimentos devida-
mente documentados para poderm ser adt-
metidos. Secretaria da thesouraria da fa-
zenda 30 de dezembro de 1851.
, OofQcial maior intorino.
Emilio Xavier Sobreira de Mello.
InstmccOes para os concursos para o pre-
onchimento das vagas do thesouro e ibe-
souraiias, a que se refere o edital supra.
Art. I. Para se preencherem as vagas dos
lugares do praticantes no thesouro nacio-
nal, ou thesourarias de fazenda, far-se hdo
aniiuncios por edilaes publicados nos jor-
naesecomintecipsdo de 30 dias, do que
fordesignado para fazer-so o exams deque
trata a art. 3, convidando os preten lentes
a ap.'esentarem seus requerimentos instrui-
dos com rertiddo ou justificando por ondo
proven), que completaran) 18 annos de ida-
de o as habelitarOi-s, que tiverem para taos
lugares.
Art. 2. Ninguem ser practicante sem
rr.ostrar por va deeieme, que tem boa le-
tra esabo ao menos os principios da gram-
niatirada liugua nacional, as quatro espe-
cie.*, ea Um una de quebrados e (rarc/ic-
decimaes, devendo ser preteridos os que
souberem os principios geraes deesenptu-
de maio do corrente anno.
As pessoas que se prnpozerem a esta arre-
maedo, comparerjim na sala das sessfles do
mesmo tribunal, nos das cima menciona-
dos pelo rreio da competentemente habi-
litados.
E para constar se mandou afllxar o pre-
sento e publicar pelo Diario.
Socretaria da thesouraria da fazenda pro-
vincial de Pernamliuco, 23 de dozembro da
1851. O secretario,
Antonio Ferreira da Annuncacdo.
Clausulas especiaos da arrematando.
i." serdo feilas todas as olara necessa-
riaa, para que este edificio fique em boni es-
tado e nelle poder residir o destacamento ,
conformo o ornamento approvado pelo Exm
Sr. presidente da provincia na importancia
de 636,486 ra.
2.* todas as obras sero principiadas no
praso de um mez e concluidas no de 3 mo-
zea, contados de conformidado coi) os ar-
tigosSI e 32 da lei provincial 11. 28S.
3' o pagamonlo da importancia desta
obra ser feito am uma s prestando quando
ell 1 esllver concluida e om estado de ser re-
eebida definitivamente.
*. para ludo mais que nSo estiver deter-
minado as presentes clausulas, seguir-se-
lecimento, porque entende quo com isto
nada idianla, e quando muito servir para
manifestar urna ainlnrao desmarcada, ou
dilliciencia de alumnos, que so procuran
oluer muitas vezes por meio3 bem igno-
beis.
Troca-se por urna lian-ara ou por es-
cravos, uma das melhores moradas de casas
da cidade do Coianna, com 2 salas, 2 corre-
dores, 2 salas detraz, 6 camarinhas,cosinba
de pouca familia, paga-se bem : na ruado
Hospicio n. 52.
Precisa-se elugar um moleque paga-se
bem : na ra Moeda sobrado de um andar
n. 21.
Jos Fernandas Eira faz publico que
Bernardo Jos da Cunta deixou de ser seu
seu caixeiro desdo o dia 29 do corrente.
Attencao.
O arrematante das aforinOos, fazcerto aos
fra, quintal grande e cacimba de boa agoa: donos dos ostabelecimontos, que se acliam
quom a pretender dirija-se a ra do Vigario ateridos, o q,ic por falt> de lempo ndo se
n. 20, a tratar com o seu proprietario. pode entregar os bilhetes, que venhain bus-
rv 1 1 e 1 ii 1 ca-los e pagar na forma do costume.
Die Liedertniel von Pernambuco
-- Antonio Peroira da Costa o Cama, con
newoehntich am Freilaz den rcspoitavel publico, 011 a quem convier, com n,rio r,)r maceira.
. parlicularidalo a rceartKdo do consulado i.,|,
versammett.
Sich wio
9 J,i"ut Abands 7 Uhr mi Ilause des Herrn
Se ilapnriz provincial, que do t. de Janeiro em dian
yv le, olio vender mais em sua loverba agoar-
.. tli-ni ,111. dente, ou espiritos do prolundo brasileira ,
A pedido de muitos devotos estira expos- como tambem o annuncianta ueste sentido
toa vista dos liis no dia do res, a imagem ja requercu a mesma repartido do consu-
do Sanhor Defensor ilos Perseguidos, no |aj0 provincial.
consistorio da igreja de Nossa Senhora do i abaixo assignado faz ver ao respeita-
Paraizo. Por este avisa-se aos mesmos do- T0| publico, que al a dacla de boje nada
votos, que muito desojavam obter medidas duve, pois qu.'j Pgou ao Sr. Jodo Mano-I
do mesmo Senhor, de comparecerem no in- c icemiro de .Monezes, o a Jodo Figueira de
dicadodiaa noite. Monezes, a divida provenionto de urna
-- Emilio Bauch retractista de Hambur- opolheca, o faz ver que do hora om ven-
go, tem a honra de recommendar-so ao res- t0 ninguem fie dello quantia de 5,000 rs
peitavel publico desta prana o provincia, para'cima sem vale. O mesmo abaixo as-
prometteudo executar com promptiddo e signado pide a todos os seus devedoros du
perfeindo toda e qualquer obra de sua arte. aluguois de casa e mas dividas, quo quanto
mcias doblas em ouro, cinco pata-
cues, 38,000 rs. em scdulas, que
junto aos mesmos livros estavam
sobre uma mesa de sala, nada mais
tendo os ladres ihe roubado, tai-
vez por nao terem tempo de ar-
rombar as outras portas do inte-
rior, contentando-se com os ob-
jectos referidos, que encontraram
mao : quem deste roubo der no-
ticia ter^de gratifc cao a quantia
de aoo,ooo rs., a qual tambem se
dar a quem restituir os mesmos
livros, e se promette guardar in-
violavelsegredo.
Francisco Joo de Barros.
- Aluga-se um segundo ander na ra do
Rang-I : na ven la de Domingos Ferreira
Lima, na mesma ra.
Jos Diiarto das Noves, embarca para o
Rio de Janeiro a sua escrava, parda, de no-
mo Maria.
Preeisa-se alugar um escravo para
o soi viro ordinario de padaria, paga-se 1-V
rs. por mez e o sustento: na prana da Sania
Cruz, na padaria debaixo do sobrado n. IC6;
venda no aterro da oa Vista n. 78, avisa ao adverle-se quo ndo entra ou servio ordi-
Quom quizer utilizar-se de seu presumo t{e3 venliam pagar-lhe, do contrario usa-
he rogado de dirijir-se a casa de sua rail- ra dos meios que a lei Ihe faculta./>i)nci-
dencia, na ruado Trapiche Novo n 15 ter- co Xavier das Cnagas Cicupira.
ceiro a m,lar.,-ni todos os dias uleis das 9 lio- .. j0a0 pjres soares, faz sciento ao res-
ras da manhda al as 4 da tarde. peitavel publico, que desde 24 do passado
Os ab'ixo assignados declaram que deixou do ser socio d'Anlonio Fernandos
tom dissolvido a sociedado quo linham na Huarte, na loja de tinoeiro cita na ra da
loja da ra da Cadeia do Itecife n. 47, que Madre-de-Deosarmazem u. 6, a qual girava
girava sob a firma do Simplicio Xavier da dobaixo da firma social de Duaito t Soares,
Fonseca&companhia, ficanlo inleiramen- lie.anio o socio Duarteobrigalo a liquida-
to desligado da mesma aociedade o Sr. Sim- ga0 do ilita firma como nico responsavel,
plicio Xavier da Fonsoca, e todo o negocio o em poder de quem so acham todos os li-
agora somonte cargo, e responsabilida Je vios e papis pertenceutes a mesma socio-
de Manoel Fereira de S o Maooel Antonio dade.
Flores, girando sob a firma de Flores & S. .. (jj oradores da (Irma Ponciano & Sal-
Pernambuco 31 de dezembro de 1851. gado, queiram no prazo de 8 dias apresen-
Simplicio Xavier da Fonseca, Manoel Anto- [arsuis contas,para serem immediatamenlo
nio Flores, o Manoel ferreira de S, pagos: na casa de sua residencia, da ra
-- No piteo da ribeira de S. Jos n. 15, estrellado Rosario n. 13.
lava-so eengomma-se com perfeindo e ac- .. o escrivdo de paz da freguosia de S.
ceio. prei Pedro Counalves, tem oslab-lecido o
-- Precisa-so de um homem que cntonda sou escriptorio no primeiro andar do so-
de plantando de flores, pira tomar conta de jurado n. 62 da ra da Cruz, aonde deve sor
um jar,lio : na ra da Aurora n. 38. procurado.
-- oflorece-se um rapaz portuguez de 16 Aluga-se uma mulata, que engomma e
a 17 annos, para caixeiro de venda, ila raz i0Jo o servio de uma casa : na ra de
qual tem bastante praticca : quem precisar rjueimado n. 10.
dirija ss a ra do Vigario n. 0. .. precisa-se le um feitor para otaria, c
Antonio Barnardo Vaz de Camino, qu0 tenha pralica dcste sorvino : na ra da
cstabelecidocom loja de miudezas na ra aurora u. 44
da Cadeia do Itecife n. 5, deu interesse so- _. jogB de Mello Cusa Oliveira, previne a
cial n. mesma ao Sr. Mignel Poreiral,eal, toJ03 os dOYOdores do Luiz Jos Ferreira ,
contar do primeiro do corrente em dianto, quu |ne ng H ,j.u,.m mais quantia alguma,
sendo que por isso o referido estabeleci- '0s que deixou de ser seu caixeiro, desde
. ment passa a girar com a firma de Vaz & 3, de desembro de 1851, o roga ao mesmo
andar, ou com o capildo Jos de Campos Ma-, Leal, responsavel por todas as lransac{Ses. lernpo aos ditos senhores, que vonham quan-
galhdes, na Prana. 1 -- No da 25 de dezembro p. passado fu- ,0 Bn|es solver seus dbitos: na ra da Praia,
Para o Porio, seguo com toda a brevl- gio um preto de nando S. Thoro, quo re- armazem n. 18.
dada, a barca portugueza Espirito Santo,ca-1 presenta ter 24 anuos de Idade, com os sig- i \(fprLea.Ba Um r inaz brasi-
pildo Jodo CarlosTeixeira ; uuem na mesmajoaes soguintes : cholo do corpo, lem urna uuereve-ao u |
quizor carregar ou ir de psssagem dirija-se i fei la no pesqueido, e cambada mosma leiro para cobrar dividas, dentro
aoeacriplorio de Francisco Alves da Cunba perna;l6vou camisa do algoddoazul.porcm j- nraca tanto ami"avelmente ,
t Coini-anhia, na ra do Vigario consta quo tem mudado de roupa, e foi "' V > o
encontrado a poucos dias no aleiro do Afo- como porjustiga O qual tem as
gado: quem o pegar leve-o ao dito lugar |,abilitac6es necessarias : quem
padaria n. 66, que se recompensar. ', f|i,a
-- Quem p.ecisar de uma ami que en- precisar annuncie por sta lollia ,
..-niiiii., cosiuhaelava muito bem dirija- ou dirija-se a prac i da I ndepen-
se ao manguinho, na casa juntos padaria o.
27 dencia n. i.
Perante o juiz do civel da prlmeira va- -- Troca-se ums imagem da Concelndo.de
ra dosla cidade, se ha de arrematar por oxe- pedra. de um palmo palmo o meto : quem
cundo deJodo da Cunba Magalhdes contra a uver e quizer trocar, dirija-se ao pateo uo
viuvadofinado Canuto Jos VellosodaSil-lTerno n.30. .i..
veira uma parte de uma casa terrea nos Afo- Precisa-se de um mono brasileira, ou
gaJose um escravo, a mesma penhondos. ostrangeiro, pira caixeiro de urna padaria,
-- O escrivdo Silva Reg ainda continua tendo j experiencia de negocio, o presian-
morar na rna Direjla n. 9 em o segundo do fiador : a tratar na ra larga do Kozano,
Vende-sea lancha denominada Unido,
do poito de 19 tonelladas, prompta do ne-
cessario para navegar, de boa conslrucndo e
melhores madeiras : quom a pretou ler, po-
dara man lar examina-la no aocuradouro
do Forte do Mallo, e para ajustar na ra da
Cadeia u. 39, com Amorim Irmdos.
Para o Rio Grande do Sul seguir em
poucos diis, por l-r quisi todo o seu carre-
gamento prompto, .alachobrasileiro Dous
de Agosto,caplldo C iris iiv.ii Pedro de Cir-
valtio: quem no mesmo qui/er carregar ou
i de passagem, dirija-sea Baltar& Olivein,
na ra da Cadeia do Itecife, armazen n. 12,
mn^smsnu______Lmmatmmmmmm
Avisos diversos.
-- Quem perdeu ni S de Olinda uma
re lu', procure na mdo do cura, quedando
os signaes della Ihe ser entregue,
O Sr. Jos Morena Campos, tenha a
bondado de so dirigir ra do Vigario n.
33, para se tratar negocios do seu interess*.
Bernardo Fernandea Vianna abre a aua
aula particular no dia 7 do corrale janoiro
Manuel Jos Leite declara que deixou
de sar caixeiro do Sr. Jos Moreira Lopes,
desde o dia 3 de I n iro de 1852.
__Guuveia & Leite exporlam para o Rio
de Janeiro o seu escravo Pedro, creoulo.
segn
andar, sendo a entrada pela ruada Penlia,
e to lo*os dias se achara prompto para dar
inteira cumpriuienlo a disposicilo do regu-
lamento do 18 de junho do 1851 sobro os
registros dos nasci memos e bitos.
ODr. Carolino F. de Lima Santos, mu-
dando s> do aterro da Boa-Vista, lem fixa-
do sua residencia ao primeiro andar da ca-
sa n. 2t sita na ra Nova. Como medico,
contina a ofl'erccor seu presumo ao pu-
blico, esempre no sentido de seusannuu-
coS.
-- Precisa-se alugar uma prela escrava,
para servio de muito pouca familia: na
Pont-i Velba n. 14.
padaria n. 48.
O abaixo assignado retira-se desla pro-
viocia, para a do Maraobdo, levando em sua
companhia um criado de nomo Bernardino.
Francisco de Araujo.
O padre Jodo Jos da Costa Ribeiro,
substituto das cadeiras de grammalica la-
tina, abre a sua aula particular no da 15
de Janeiro. .
Quemtiver um escravo cosinheiro, oo
queira alugar, dirija-so a ra do Trapicue
n. 28, primeiro andar.
Precisa-se de um cosinheiro estrangei-
ro : no Manguinho, casa da Herculano Alves
da Silva.
de primeirns letras.
Manoel de Soura Cordeiro Simes faz
sciento aos psis da seus alumnos quo no dia
7 docorreiitejaueiro principanos trabalhos
do sua aula particular de'pnmeiras letras,
na ra travessa dos Exposlos, por detraz do
quartel d- Policia casa n. 16, 2. andar j as-
sim como tambem ao respeitavel publico,
que continua a admitir alumnos externos e
internos, pensionistas e meios pendonistas,
asseverando aos pais de lamillas, que Ihe
confiaiem a oducai;do do seus filhos, queel-
les.encontrarlo um preceptor e amigo, quo
com o mesmo amor, cuidado e indulgencia
paternal dezeja e busca com disvello sous
adiantamentos, esmerando-so sobro tudo
em bem proparor seus espiritos, imprimin-
do-lhes tentimenlos de san moral, civil e
religiosa. As malarias que conslilus o en-
sino do sua aula sdu : leitura e escripia-
Contar numeras inteiros, quebrados edeci-
maesDoutrina Christd Explicando do
syslema mtrico o monetario do imperio
Grammatica da lingua nacionale msica
vocal.
Napolcdo Gabriel Bez embarca para o
Itio de Janeiro seus escravos de nomos Po
crioulo, Valentino pardo a Maria parda.
Antonio Jos Kiboiro Basto embarca para
0 Rio-de Janeiro o seu escravo do nomo
Francisco pTdo.
Compras.
Compra-sj um diccionario Magnum
Lexicum em bom estado, bom como uma
Selecta o uma Fbula latina : em Olinda,
venda do Sr. Coelho, iunto ao caes do de-
sembarque.
-- Compra-se para urna enconmenda,
uma esciava que eatenda de cosinha o ar-
ranjos da umacasa, ndo sen lo velha n in vi -
cosa, ou achacada : om Olinla, venda do
Sr. Coelho, junto ao caes do desembargue.
Compram-suescravos e vendem-sede
conamissdo, para dentro o fra da provin-
cia : na ruada Cacimba,sobrado n. II,on-
de morou o Sr. vigario do Recife.
Compra-se uma mobilia de Jacaranda
com pouco uso, moderna e que tenho con-
sollos ;
Na ra da Cadeia do Recite n. 37, se-
gundo an lar, compra-se urna creoula, ou
mulata, de 18 anuos, mas que seja de boa
i oa.lula e outenda de costura e ongoin-
mado.
Vendas.
FOLilaKHAS PARA i85u.
Vendem-se folhinhas de porta ,
de padre, e de algibeira de tres dif-
ieren tes qualidades,sendo uma deb-
as com o almanak da cidade e pro-
vincia: vendem-se nicamente na
praca da Independencia n. 6 e 8 ;
c^* Sorvete as 11 horas.
Na ra estreita do Rozario, na confeitaria,
acha-sesorveie todos os dias as 11 boras, e
a noite; e promelte-se ndo liaver demora
sobre as 11 horas como lem acootecido.
Jos LuizPereira, vende a sua loja de
ferrages da ra Nova n. 16, a prazos com fir-
mas a conloulo, e em quanto ndo elTectuar,
vende qualquer ponido de frragos ou miu-
dezas pelo prono que Ihe custaram, lembra
pela ultima vez a seus devedores, principal-
mente aquellos que seus dbitos passam do
anno, quo se at o dia 15 do corrento ndo
saptisfOio,n, uzar do outros meios.
- Vendem-se na ra do Collegio n. 5,
sebollas muito novas a escolhidas a 320 rs.
o canto, o na mesma taberna se dir quem
vendo deis embonos do sedro o 11 travs de
qualidades, tudo porcommodo prego.
-


*-: ** i


k f,
I "


I"

Antigo deposito de cal
virgem.
Na ra do Trapiche, n. I7, ha
nniilo superior cal nova cm pedra,
chegada ltimamente de Lisboa
Tnlxiv para engenho.
Na fundicflo de ferro da ra do Brum,
acaba-se de rorebor um completo sortlmen-
to dotaixnsde 388 palmode bocea, as
quaas ncham-se tonda por preco com-
modo, e com promptidSo embarcam-se, ou
carrogam-so em carrossem despezas ao
comprador.
-- Vendem-se cera em velas ,
fabricadas em Isboa e no Rio de
Janeiro, em caixas de 100 libras
sortidas, de 1 a 16 em libra, e tam-
bera de um tamanho, por me-
nos pre(jo do que em outra qual-
quer parte : trata-se no escrpto-
rio de Machado & Pinheiro, na
roa do Vigario n. 19, segundo
andar.
POTASSA DA RUSS1A.
No armazem de Jos Teixeira
Basto, na ra do Trapiche n. 17,
ha para vender, nova e superior
potassa da Russia, chegada recen-
temente.
Viiiho de Champagne,
o superior qualidade : vende-se no arma-
era Kalkmanu Irmtlos Ra da Cruz, n. 10
Q Vende-se om grande sino no lu- 3
O gardo Manguinho, que lica defronte
O dos sitios dos Srs. Carneiros.com q
grande casa de vivenda, de quatro j>
n agoas, grande sonzalla, cocheira, q
estribara, baixa de capim quesos- *
j! lenta 3 a 4 cavallos, grande cacim-
y* ba, com bomba o tanque coborto
JjJ para banho bastantes arvoredos de ":
fructo :na ra do Collegion. 16, so- Jj*
gundn andar.
9
Moinhos om bombas do ropucho para regar hortas
d baixas de capim : vendom-sena lundicSo
de liowman & Me. Callum, na ra do lirum
ns. 6.8 o 10.
Beposito de cal e potassa.
No armazem da ra da Cadeia
do Itccife n. ia, ha muito supe-
rior cal de Lisboa, em pedra, as-
sim como potassa cliegada ltima-
mente, a precos muito rasoaveis.
Deposito de cal virgem.
Cunba & Amorim, vendem barriscom cal
cm pedra, chegada ltimamente de Lisboa,
na barca Margarida, por menos preco do -
que em outra qualquer parte: na rua da Ca- boa, vmJa pelo tingue OVO Vn-
dela do Heci Ten. 50. cedor ; macella do Corto muito
AuLWLilA nova: a tratar nos mesmos arma-
da fundicao Low-Moor. 1 N & c
liUA DA BENZALU NOVA N. 42. ; ,,, i o,K
Reste cstabeleeimenlo conli- *" n r0" do lnicl.en. 3J.
, ~ Vendc-se um jngo de gamo om labu-
nua a ha ver llin Completo SOltl- |os de marllm, uui ornamento de damasco
encarnado o dois niqueles, duns capas o u-
ma simarra : na na da Cadeia do Recita.
n. 49.
Vende-seno deposito da trnvessi da ra
do Riizario n. 2, quem vem da ra do Que-
mado holaxii de milho polo diminuto preco
de 1,920 a arroba ollicm que tic pechincha
esta-so acallando.
Vendc-se, por preco commo-
do farinh i de mandioca muito
Vende-se superior cal virgem de Lis-
boa vi oda pelo brigue Novo Vencedor no
passeio publico toja de fizeudas n. 15, pre-
so muito commodo.
MociiIus superiores.
Na fundidlo de G. Starr & Companhia,
em S.-Amaro, acham-se venda moendas
de canna, todas do ferro, "de um modeloe
construccSo muito superior
Farinha Fontana,
chegada ltimamente: em casa de J. J. Tas-
80 Jnior, na ra do Amorim ti. 35.
Vende-se em casa de A-
damson Ilowie 8 Companhia, na
ra do Trapiche n. ^i > panno de
algodao para saceos d? assucar,
muito superior e barato.
Velas de carnauba em libras.
Vendem-so vetas de carnauba imitando
espermacete na toja de sMoiro da rua da
Cadeia do Recitan. 36.
Vendc-se saccas com superior colla,das
fabricas do Rio Crando do Sul, e a preco
comtnodo, no armazem, do Das Ferreira
ao pe da alfandega.
DEVERES DOS HOMENS,
a 5oo rs.
Vende-se este compendio aprovado para
as aulas, em meia encadernarao, a 500 rs.,
cada um : na livraria n. 6 e 8, da praeja da
Independencia.
vende-so champagne da marca amiga
e bem condecida, Comet, em casa de Deane
Yule& companhia : na rua da Cadeia.
Vende-se, traspassa-se, ou
az-se qualquer outra transaeco ,
com a toja, que Coi do fallecido Jo-
s Pinto da Fonscca c Silva, anti-
ga loja de Guerra Silva & Compa-
nhia, na rua Nova n. n, a fallar
com J. Kcllcr & Companhia, na
rua da Cruz n 55.
Vendem-so amarras de tarro: na rua
da Senznlla nova n. 42.
Aossenhorcs de engenho e casas
particulares.
No armazem do Sr. Antonio Annes no caes
da tlfandega, vende-se bacalhtio do Norue-
ga em tinas o melhor que tcm vindo a este
morcado superior inglez por ser corado
com melhor sal, vende-so por 6,000 rs. a
lina.
-- Vendo-so chapeos do palha americana
mui superiores, c relogios americanos para
cima de meza, bons reguladores : ua rua do
Trapichen. 8.
Vendcm-se por prego com-
ino,nos .'i mazen de Francisco Dias
Ferreira, e Antonio Annes no
cae da Alfandega os seguinles
gneros: farinha de mandioca mui-
to fina em saccas; fumo em folha
para charutos; cal virgem de Lis-
Cartas fines para voltarete.
Vendm-se carias fraucezas, muito finas,
proprias para vollarete, pelo diminuto pre-
do, toja da miudezas, junto a loja decera
n. S3.
Tintas para desenho.
Vendem-sneaixinhas com tinta! psra de-
senlio pelo diminuto preco do 240 rs, : na
ruado Queimado, loja de miudezas junto a j
de cero n. 33.
Rom c barato.
Vende-sn bom paprl almaco a 2.500 rs. a.
resma; dilos do poso a 1,800rs. ; flnissimesj
pennas le :n; i a, 240 rs. a duzla ; carlein-i
iilins com chaves, fazenda muito superior.;
ptimas para guardar ilinheiro a 1,800^5^,1
correotes do ac para relogios a 400 rs.; lo-
netas Hus de dous vidros, com mola a 1,000
rs.; ditas do um vidro a 400 rs. ; lini-si wis
oculos do arni.iQ.l.i de ac a 1,000 rs.; five-
linfa -i douradas, para caifas e colletes a 200
rs.; ditas de ac a 40 rs.: na rua do Quei-
mado, loja de miudezas, junto a loja de cera
n. 33.
Para quem passa a festa.
Lindas lanternas de papel de cores, muito
ify*
Xaropc do Bosque.
O unico deposito contina a ser na botica
de los Maria Concalves Ramos, na rua dos
Quarleis n. 12, ao p do quartel de polica,
aoncle se vendem a dinheiro vista, as gar-
rafas a 5,500 rs. e meias a 3,000 rs., deixan-
do de serem agentes nesta provincia os Srs.
prop'riaspira passeios nos sitios, pelo prego; Novaos* Companhia : sendo falso o que so
de 200 rs. cada urna : na rua do Queimado, i vende em outras boticas,
loja de miudezas junto a de cera n. 33. IMPORTANTE PARA O PUBLICO.
Comisas de meia. s mw-o.
Vendem-se camisas do meia, fazenda mui- .-. ... ;_...: ,!'"lf ,* ._ ,.. ,j
junto a loja do cera n. 33. !c (lo4,nnos ma8 (1U menoJ> c'om doreg
rara crianzas. por todo ocorpo, edemaneira tal que rhe-
Vondem-se louquinhas de soda preta, pe- gavaa cahir por lorra e com immensos vo-
l baratissimo preco de 320 rs.; maracaes do init"3 ; e ten do consultado a varios cirur-
melal, que tocam do varias maneirns, pelo gifles, estes desenganavam-me quo nu era
baratissimo preco de 200 e 100 rs.: na rua possivcl curar-me de tal enfermi lad, que
do Queimado, loja i!e uiiu lizas junto a luja a nflu conheciam, havenlo gasto bastante
drtcera n. 33. dmlieiro com inuteis medicamento". All-
Capacbos baratos. nal passinJo por ultimo neste Curato um
Vendom-w capachos gran fose muito su- ""Ig" "". medisse queexperimentasse o
periores, pHol.aratissi.no preco de 700 rs.: Xro.cdol.oique que Mn cm S Paulo o
na rua do Queimado, loja de miuriezas jun- 1uo lo8 nz- m,n !;""'" busc"r aa"> **":
Vende se cera para limas de
ebriro, a 1,000 a libra: na rua do
Rangcl, sobrado n. 5?.
Vendem-se 6 oscavos, sendo 1 mulata
do dado de 26 annos, que sabe cosinhar, la-
var, e. c perfeita engommadeiraifaz doces.re-
fina assucar o cuze alii'i a colisa ; ouira que
lamhem sabe o mesmo e he mais robusta de
28a 30 annos de idnde; outra propria para
o servico de campo; 1 mulalinho de 12 an-
nos de Jide proprio para pagem; 1 cabra de
bonita figura c muito hbil para todosorvi-
co; 1 negro muito pssianlo proprio para en-
elimla. Quem os pretender dirija-se a rua do
Queimado o. 14, que adiar seu dono que
os tronza do serlSo para vender.
Para casas particulares,
von'em-se barrilinh03 com vinho doCola-
ri s muito superior de 7 em pipa no caes
d'AII'niidega armazem do Dias Ferreira.
Alaravilha !
Ainda so vende o resumo da historia do
Brazil pelo deminuto preco de 1,000 rs.,
cheguem antes quo se acal c : na rua do
Crespo loja n. 16.
Aviso aos apaixonados de llores
Na Iravessa da Madre de Dos n. 9, arma-
zem de Pinhoiro & Cordeiro.existe urna por-
c.oi do vasos para flores, muito bonitos e
por preco commodo; os quaes $9 venderSo i
ssim
Em casa de J. Keller & fl0m.
panhia, acha-se a venda vinagre
branco, superior de Nantes, em
barris de 36 medidas.
Escravos fgidos.
No da 21 de dezemb'o do psSa^
anuo desapparecou do engenho Roa-ViS(,
fregii' zia da Escad, urna escrava mulata'
Cibellos enroscados, mafes do rosto al'jg'
olhos covos e grandes, narir. ordinario Car-
rebilado, bocea grande, seca do corpo, a|(a
e ps um tanto grandes, lem urna unhaiN
ranon :a mi dedo gran I" de um dos pos eeni
um dedo pnlegar ta, um defeilo encosta lo a unha, qu, ,,,r.
ce tor sido golpe de faca, e pelas coalas tem
marcas, a qual escrava chama-si Renadic-
ta, e entente bastante de cosinha; sihio
com saia de algodSo azul e camisa de mi-
dapolSo, urna coberta usada embrulhadn:
quem a pegar leve ao referido enxcnho oni
no Recita, na rua do Quemado n. 6, que se-
r muito bem recompensado.
Desappareceu no dia 11 de
otatubro passado, um negro creou-
lo, de nome Ivo representa a
to a loja de cera n. 33.
Aossenhores cavalleiros
Ven-lem-se chicotes superiores, polo bara-
tissimo prefo de 5C0 rs ; luvas dn fio da Es-
cocia, do varias cores, laz-nda milito supe- j
rior a 300 rs. : na rua do Queimado. loja de]
monto de moendns o meias moen
das para engenho, machinas de
vapor, e taixas de ferro batido e
coado, de todos os tamanhos, pa-
ra dito.
Agencia de Edwin 31a\v.
Na rua de Apollo n. 0, armazem de Me. Cal-
nionl&t Companhia, acha-sc constantemente
bona aortiincnios de taina de ferro coadu c __, _
batido, lauto rasa como fundas, mocadas n- SlipCIlor, a hordo (lo patarh'.i Ale-
piras todas de ferro para animaes, agoa, ele I r|f, c|,e(;a(j0 c Santa Catliariuo,
ditas para armar cm inaUrira de todos os la- 8 o '
machos c mailcllos o mais moderno, machina O qual SC ocha llinueadO 00 pe flO
lioiisont.il para vapor, com forfa de i caval- j ('n||Pin- n tralar a linrdn
los, clicos, passadeiras de ferro estanliado caes d0 ^OlICglO. P iraiar a DorUO
para casa de pulgar, por menos preco que os (Jo mCSmo, OU C0II1 INoVaeSk Com-
de cobre, escovens para navios, ferro inglez i T i ir
lantocm barras como cm arcos folhas, eludo panilla, na ma (lo trapiche n. 04.
por barato preco. Vende-se marmclada muito nova c
Vendem-se velas de ospermacele, em fresca, vmda de Lisbi om latinhas de 2 li-
caixas, de superior qualidade : em casa de bras, assim como doce em calda, de pesse-
J. Keller & Companhia : na rua da Cruz nu- g0, marmelllo, o ginja cm frascos de 6 li-
mero 55. i bras, ludo pelo baixo proco de 420 rs. a li-
Principios ceraes de economa pu- bra na rua larga do Rozario n. 22, praca
blica e industrial. '*'ei
Vnnde-se este compendio, approvado para
as aulas de primeiras letras, a 480 rs.: na
miudezas, junto a luja de cera n. 33.
Gravatas de mol.
Vendem-se .-uperiores grvalas domla,
prctas e de cores, pelo diminuto prtcode
2,000 rs.: na rua do Queimado, loja de miu-
dezas junto aloja de cera n. 33.
Plores france/as.
Vendem-se ramos de llores francezas tn superiores pelo baratissimo preco do :uti
500, 600, 800, 1,000 rs na rua do Queimado
loja de miudezas Imito a loja de cera n. 33.
Parascnhoras,
Vcndem-se carteirinhas com agullias de
todas as qualidades a :i> o rs.,caixinhas com
6 papis de agulhos francezas a 210 rs. agu-
Ihas cuntofas a 40 rs. o papel, carriteis de
liuhas do 200 jardas a 60 rs., lincas de pezo
finas o grocas a 60 rs. a mialinna, lezouri-
nhas muito finas pura costura a 210 rs., tran
i'inha do l.~a de todas as cores a 60 rs., a
ppcinha, bahado aberto de linho a 8t>, 120,
la, e Incn que comecei a tomar me senti
melhur; o acabando a garrafa do tal xarope,
liquei perfeitamente bom. Portanto faco
esta doclaraco para bem do publico.
Antonio Joaqutm iie Moraes.
Curato de Aruj, 10 de inaiode 1850.
Reconheco ser a vordadeira firma dn An-
tonio Joaquim de Monea. Curato do Aruj
10 de mam de 1850. K cu Manuel da Silva
Braga, escrivSo interino do juiz de paz, que
o oscrevi.
-; Nu sixio da viva Amorim, na (orle de
Uchos, ha para ven 1er um garrote tourino
de excellentequalidade, proprio (ara linr
raga : quem o pretender dirija-so ao mes-
mo sitio ou ao escriptorio da tnesma viuva
na rua da Cruz casa n. 45.
Hicas estampas de Santos.
N. S. da Penha, Santa Luzia, S. Ji'o Rap
lisia, S. Ambrozio, Santa Marta, S. Domin-
gos, S.lnnorencio, Santa Tilla, imago mila-
grosa, Santa Felici'lade, N. S. do Rolarlo,
Santa Amelia, S. Marcos, Santa Victoria,
Nacimonlo de Menino Dos, S. Rodrigara,
N S. do Pilar, Sana Fjlomin, S Roque,
S. Hilario, S. Lucas, N. S. do Bom Socorro,
S. Guilherme, Santa Adelia, S Martinho, N.
S da Saude, o Sagrado Coraclo de Maria ,
S Christovflo, S. Antonio del'adua, Santa
praca da Independencia, livraria n. 6 e 8.
Casa de commisso de escravos.
Vendem-se eacravos e recebem-
se de commisso, tanto para a pro-
vincia como para fra della, para
o que se offerece umitas garantas
a seusdonos .-narua da Cacimba
n. 11, primero andar.
Vendem-se relogios de ou-
ro eprata, patente inglez: na rua
da Senzalla Nova n. 4a.
Arados de ferro.
Vendem-se arados de diversos
modelos, assim como americanos
com carabao lie sicupra e bracos
ja n. 3.
Sebolas.
Na travessa da Madre de Dos, armasem
n. 19 vendem-se.muito boas sebolas a 320 o
cento.
A ellas antes que se acabem.
Na loja da rua do Crespo n. 10,vcndem-se
polo diminuto proco as seguintes fazendas ,
lencos inteiros de seda para pescoc.0 a 2,200
ditos a 1,500, gravatmhas do sedo para lio-
mem a 800 rs seda furta-cores para vostl-
dj a 1,300 o covado, brim de linho mescla-
do a 320 rs. o covado, lencos de cambraia
de Hho para homem a 320 rs., palito de
brim a 5,000 rs. cazacas a 6,000 rs chitas
francezas a 240 rs. o covado, cortes do casi-*
miras a 4,800, o 5,000 rs., chales de seda a
4,500, c 6,000 rs., pecas do madapolSo com
20 varas a 2,000 rs., alpaca do linho para
jaqueta e vestidos a 260 rs., o covado, cagas
francezas de excellcntos padrOes a 800 rs. a
vara.meluzinas com lista na frente para ves
tido a 700 rs. a vara, caca seda para vestido
da ferro: na fundicao da rua ,|0 voo rs. o covado, r.scado largo azul para
y i roupa do pretos a 1-20 rs. o covado, riscado
llruin ns. u, 8
e io.
Bombas de Ierro.
Vendem-se bombas de repuxo,
pndulas e picota pora cacimba :
na rua do Brum ns. 6, 8 e io,
fundicao de ferro.
Arados de ferro.
Na fundicio da Aurora, em S. Amaro,
veodem-se arados de forro do diversos mo-
delos.
Deposito ala fabrica ele Todos os
Santos na ilaliia.
Vende-se, om casa de N. Bieber&C.,
na rua da Cruz n. 4, algodSo transado da-
quella fabrica, muito proprio para saceos de
assucar e roupa de escravos, por precocom-
moJo.
y Vendem-se e alugam-se bichas, che-
9 gadas ltimamente de Hamburgo, por
,. preco commodo: na rua de S. Amaro C
t> n. 28.
Vendem-se selins e silbdes
inglezcs, de couro de porco, da
primara qualidade: em casa de A-
damson Ilowie & Companhia, na
rua do Trapiche n. a.
Microscopios para versedulas,
Vendem-se na rua do Queimado, loja de
miudezas junto a de cera n. 33. microsco-
pios pira ver sedulas, pelo diminuto preco
de 1,500 rs.
roupa do pretos a liors. o covauo, nscauo
pera jaqueta a 160 rs o covado, chapos
brancos castores a 8.500, ditos pretos a 6,800
rs., e outras militas fazendas por meno.
preco do que em outra qualquer parte.
Trocam-se us imagens seguintes :
Santo Antonio 4,000 rs S. Ltlil rei da
Franca 4,000 rs S. Ron-dicto 3,000 rs 8
Manoel da Paciencia 3,000 rs., 8. Francisco
4,000 rs S. Paulo 4,000 rs., Santa Barbara
3,000 rs., N S. da Suledade 3,000 rs., S. JoSo
Baptista 2 e 3,000 rs., Santa Apulotlia 3,0,00:
na rua do Queimado, loja de miu lezas jun-
to a de cera n. 33.
- A bordo do patacho nacional Kuttrpe,
ha superior farinha deS. Camarina, chega-
da ullimamcnto : trata-se a bordo do mes-
mo patacho" fundiado def.onftdo trapicho
do algodSo, ou na ruado Apollo armazem
n. 15, e na rua da Cruz n. 33, armazom de
Sa Araujo.
Lotera do Rio de Janeiro aos
o:ooo,oou rs., para esperimen-
tar a boa sorte do novo anno na
casa feliz
dos quatro cantos da rua do Queimado n.
20, vendom-sc os muito aforlunaJos bilhe-
tes, meios, quarlos, oilavos, vigsimos, da
15* lotera das matrizes da provincia, cuja
lista chega ate o da 4, a ellos que estilo no
testo.
160 rs. avara, dilos bordados a 200 rs. a;Clementina, AssumrClo do N. Sunnora, N.
vara, ligas do seda para senhora a 200 rs. 0|S, .la Lapa, Santa Puceliana, S. B ntn, San
par, pentes abertos de bataia para cuc, fa^. ta Eutrazia, Santa Emilia, Sania Virgem e
zenla muito superior a 300 rs., ciixmhas Jess, S. Vctor, S. Lzaro Santas Cliagas
de metal com gramnas a loOrs., que s a de Chiisto, S. Christina.S. Sebastiilo, S. Pe-
caixinho val o dinheiro, lezourinhas ingle- dn>, N. S da Cloria, S. Paulo, S. Angelo,
zas as mais liniig que pode haver para unhas N. S. do Carmo, S. Joaquim, S. liarlos, Sa-
n 610 l 800 rs ricos Bgulheiroa de vi Iro a grada Familia, Santa Juliana: eslas estam-
200 rs.. linissimas meias brancas para Se- pal soelnrMns e muito finas, o vendcm-se
nliora a 50ii rs o par, crepo amando lerfci-: pelo iinio diminuto preco do 240 o 320 rs
lamente bom a 400rs. o covailo, esenviuhas cada urna: na ruado Queimado, loja de
para denles a I20 rs. lucos finos lugos e miudezas, junto a lojade cera n. 33.
cstreitos, fitas llnaslavra.las o mullos ho:is. ]? t\ RliNllA DES. CATIIAKINA.
gostos brinquedos para meninos, froco de' n c' \ \ i-
odasascoresa lfiOrs. vara : e nutras mui-, melhor l-irinna tle mandioca
tas miudezas, que se vendem por preco que c mais recente-mente chegada ao
cauza admiraeflo : na rua do Queimado, na j_____, ,
bem conhecnia loja de miudezas junio a lo- mercado, vende-sc por preco mus
ja do cera n. 33. commodo do que em oulra qual-
--Vondem-so 2 escravos fortes e robustos,'.,_ _.., 1 ,._,i .1 .1
proprio para todo o servico : na rua in*.,*"*' Pailc' a l0 d'> ''"g''" v-'
dcia do itecife n. 49. mirante, fundeado confronte ao
-Venilem.se l.arr.tinhos com doccdocal-|caes j 1 trata-e a bordo
da, le todas as qualidades por muito com- .. ; v .
modo preijo : na vendada rua larga do Ro-! 00 dito brigue, Ol no escriptorio
zano, esquina do beceo do Peixe frito, dos consignatarios Maehado Se Pi-
' Franjas para cortinados. jnheiro, n. rua do Vigario n. 19
Vendem-se peqas de franjas com 15 varas,; inissimas navalhas.
fazenda muito superior polo biratissimo. Vendem-se navalhas com cabos de mar-
I reco de 3,000,3,500,4,000 rs : na rua do J fim, os mais superiores que se pode cncun-
Queimado loja de miudezas, junto a lojide'trsr om navalhas, polo ridiculo prego de
cesa n. 33. i 4,000 rs. o estojo com 2 navalhas: narua
.... 1 I do Queimado, loja de miudezas junto a de
flleas baratas para homem. cera n.33.
Vendem-se meias cruas para homem a ico ^WWHHWU^^t
rs., dilas pintadas e azuesa 160 rs., ditas? ^Gantos Pailnetck Companhia.S
bran-'as a 160 rs., dallas brancas muito finas as r._l_ j. ', ., W
.Mi,...., ....... rfn...m.,inini. .1. !f Continua-se a vender no deposito
por junto ou a retaiho, a'ssim como ha pa-lannos de idade, he sapalcirn, tcm
pe almaco aparado, dito florete brinco, 0} ps carobadoS, e nm grande ca.
maciles novns, uvas, ligo, amenas, nozes, | 6*"uuc *""
amen loas, azeitomsde Sevllha.calxascom r09o, ou lobinlio ao pe de urna das
enxofre, ditas com ac, qunolas e birris ;0relhas: foi do Breio da Madre de
oom vinagre brinco, tudo chegado nesle n f.
ultimo navio, vindo do Genova por Malaga;. ueos, depois que lugio appareceu
outrosmuiosgeneos que aqu ndo se fez no engenho Laranseiras em S. An-
menclo para n5i) enfadar aos leitores. ,. ., ,-, .
Redes pintadas. lo. do ,llm-thr-' 3o*<; ^ordeiro
venem-se redes pintadas, propri.s para jLeile e estando este Sr. para me
tipoia,opara tomar fresco debaixo de sr-1 o remetter tornou a fugir de l
vores : na rua do Queimado, hija n 14. | m_.mrt -._ ,,,-) ,,,i,. ,
No aterro da Boa-Vrsta, loja n.jmesmo- r8-^ Portan!0'a'-
,8, defronte do tribunal do das as ut"da',e. cap.tte de
commercio, caml'0 c mesa? a^Iqaer nessoa
Vendem-se brins cAr de ganga de puro que P^31* H0 linho, ptimos para calcas n palils, grava- j CIO, no Sitio da M' 1. \ niva Cunta,
ts de seda encarnad, algo lllo trancado da entrear a Josfj Joaquim da Sil-
Bahia, chapeos le sold armacnde Pale,, .6 1 """'
ludo mu'to baratissimo, qu os mesmos va Alaia, que sera recompensado,
compradores ouvin-lo o prei;o se admira-[
rfl0 BOA GRATIF1GACAO*.
^" Tr,nta '* (,e rest0> "" rua! Ausentou-se na no.te de 27 de
e*tre.ta do Rozario n 43. ioutubro passado 0 mu|alo Ie.
NSo parece duvida, quo ho baratissimo,: j ,
latas com marmeada pcitoral com o poso mentiqo, de ao annos de idade ,
do 3 libras por 500 rs., pois S existem o pouco mais OU menos, macro. al-
numero cima de latas. A ellas rapaziada. 1' .,
- Vendem-se ptimas laranj-s de embigo.tura regular, tem multo pequeo
a 4so rs. o cento: narua do Mundo Novo buco de barba e filia muito mansa,
quando anda parece que nao pisa
bem com os calcanhares, costuma
nos: quem o pretender dirija-so a Soled- andar calcado e bem vestido, Ic-
de. rua de JoSo Fernandes Vieira,sitio dos 4 ***,
vou tima trocha de sua roupa, in-
clusive calca e jaqueta de panno
lino azul, e alem do mais algum
major Viilaseca.um sitio com srvoredos no-calcado, um par de borzegains par-
vos.casa do Uipi e alguna malcriaes: quem j__ ____1 ,-__ j 1
o pretender -ti.ija-se ao mesmo, que achara d09> com bot5es de madreperola
com quem iraiar brancos, e consta que levara um
-- Vendem-se 3 escravas mocas de boni- ava||0 ..,, namiplln ncranian a.
tas figuras, com varias habilidades, 2 mua- cavf" qe naqueila OCCasiao a-
tinhos ao idade 16 auno-, 2 escravos de ser- (lujara, o qual tem os signaes se-
vicn decampo, urna negra do meia idade: ig\aUt : castanbo, barrigudo,
na rua liireila n. 3 Io.. j
-- Vcnde-sn a loja de chapeos da piacada Cimas pretas, gordo 1: tcm mu ta-
Indoiienlencia n. lilivroe desembaracada: ,\\l0 em uma anca; he provavel (I0C
a tratar na mesma. r. 1 1 i-
j u 1 f~i quftira passar por forro, lie boliei-
Cobrado em Goianna. r'o e esclravo c Luiz ntonio Si_
Vende.-e, muito em conta ,; ra 0 ar ieve_0 a rua
um huilln sobrado sito ni rua'
n. 30.
- Vende-sc um bom preto, ollicial de
marcineiro, quo representa ter2530an-
leOes, que ahi achara pessoa autorisada pa-
ra esse fim.
Vende-se por preco bastante commodo,
na estrada nova da Magdalena, defronte do
do Meio, n. 58 avahado
Kooofooo, em o
rsula Mina das
da Cadeia do Uecife n, II, que se-
em r recompensado,
qual tem parl | .. Estim (ugdos da fabrica de ealderei-
Virgens e sua jro da rua do Rrum n. 28, os dous escravos
rmaa Joaquina \Ivs de Paiva na '
importancia de io7,473 rs. quem
pretender dirija se a caza de l\al-
kmann IrmSos, rua da Cruz,
n. 10

a 240 e 280 ts. : f.a rua do Queimado loja de
miudezas junto a loja de cora n. 33.
O Cdigo do processo.
Shiu a luz a importante obra intitulada
Observarles sobro varios artigos do cdi-
go do processo criminal, o da lei de 3 do de-
zembro de 1811 pelo lir. Manoel Memles da
Cunba Azevedo. Nesta obra indica o Autor,
interpnndo a sua opinio, as d.iVnlns quo
se podom agitar sobro a inlelligencia prati-
ca do mu i los artigos,asnumesosas antino-
mias que resultunt do certas dispusieses
comparadas entro si, o com du tras da lu de 3
de dezcmb'O de 1841,os elfeilos ordina-
rios de alguna artigos dcsla lei e do regu-
lmenlo respectivo em damnu dajusticac
Ja humanidade,a necessidade de alguns
esclarecimentos, odeclsracdea interprelatii
vas, que incumbo ao legislador brsileiro,
para dar a nossa legislac3o repressiva um
sy-lcma de uniformidade cot o diieito pu-
blic da nacn, o o plano ainda mal compre-
hen tido de nossas instituicO s judicia-
rias, -os abusos enormes, que a gno tocia,
e a m fe de alguns juites lem foilo de suas
melhores theorias no julgamenlo dos Cri-
mea polticos. O autor demonstra as suas
asserr;Ses com argumentos tira los dos mes-
mos textos da le1, dos principios da juris-
prudencia commum, o auloridado dos es-
criptorcs que mais se tem oceupadn o dis-
tinguido na scioncia do dtreto punitivo, picado com pequeos fundos por ba'ralo pr.;-
merito destaobra, exclusivamente deduzi- jgo : quem pretender dnija-se a rua Direita
do da sua materia, con-iste no interesse ce j n. 33, que se far todo no/ocio,
animar os jovens estudio-os, e os a t.igos '
sinceros da verdade uma invsIigacHo re-
Riii lo Colleg;lo 11. 4.
Novo sorlimento do chapeos de sol, para
geral da rua da Cruz n. 52, o excel-
B linio e bem conceituado rap areia *!
3 preta da fabrica de Cautois l'ailhct & i homem c senhora, a saber :--chapeos de
t Companhia da Itahia, em grandes o ij sol de seda, armapo de baleia, de 4,500 rs.
Stj pe 1 netas porsOes polo preco oslabe- 3J para cima; ditos ditos para senhora, de 4,000
lecido. y rs. para cima ; dilos de panno lino, de ar-
rei'resenla ter 35 annos de i la,le, estatura
regular, cheio do corpo, e costuma emhiii-
gar-sn perteneento ao casal de Jos Mara
de Jess Muniz, ; e Aloxandre de 11 >cf< S
l'aulo, de idade 35 annos, alto, falla demo-
rada ; quo foi doleliquer, f anee/, moia-
dor no Rio-Doce, e ltimamente foi do Sr.
Eduardo Bull : ambos fugiram sem outn
motivo mais do que vadiacSo e sahiram.o
piti .'ir 1 desde 25 do crrante, e o segundo
ilesde 26 ; roga-so a quem os pegar de ns
levar na dita fabrica que ser recompen-
sado.
Desaparecern! na noite dn 98 do enr-
renta mea do deznmbro 7 escravos, todos da
costa, dos engenhos S. JoSo, e Bom Jess
do Cabo, pertencentes ao llr. Manoel l.'ar-
neiro Lins d'Abuquerque com os nomes, e
signaes seguintes : Raymunlo, baixo, ps
apalhelados, abrindo-os muito quando an-
da, pareen lo quasi um defeilo, Ciyo, al-
tura regular, com signa '8 de sarnas nis per-
nas, Cesar, bem preto, alto, com signaes de
bixn nos ps, e estes grossos e feius, una
f -ri la em uma das canellis, Divid, um pou-
co alto, prelo, com signal de um forimenlo
H .WX.IUV. ^, ,o. |mi a vi,ni. U..U3 ju paiiiiu 111,1,, UD O, .------------------------------------- ------------
j-r" i'fQW WM-"-^^''~' "c-i >',; maco de baloia o de Ierro, do 1,600 a 3,2n0 ["' "I"1 do^espinhaco, Torquito, altura regll
-- Vende-se uma preta sem defeHos ou rs, ditos ditos de armaco de junco, de
achaques,7joo cosinha, cose, lava e engom- 1,200 a 1,800* rs., lo los I i cieos : grande sor-
ma : na ru 1 do cnllegio n. 6; o saccas do ar- timento de sedas e pannos, cm pocas para
roz pilado na mesma casa a cima. cobrir os mesmos, balniss par vestidos e
Vende-so urna mulata de bonita figura: espartllhos desenhoras. Concertam-sa to-
' 11 111 d t: 111 n 43. das rs qualidades de chapeos do sol, tudo
Vende-se uma dotii do cad-iris. 1 so- Com perfeicilo e por monos p'cco do que om
fii, 1 par de bancas, 1 meza do meio de sala, outra qualquer parte,
tudo do jacarani em bom estado, o tam- N 1 rua Nova loja n. 8,
bem se vende qualquer pessa separada ; tu- Vendo-so chapos de cSstor btanco pelo
do por preco con modo : na ruado lUngol baratissimo preco de 7,500 ditos .lo castor
n. 3B,priioiro andar. branco sem p-llo'por 5,000 rs. bonetes da
No atorro da Boa-Vista, lo|a 11. 18 de- pnlhl j, Italia para homem por 2,500,ricis
rronle do tnbi.na do commercio, vendem- mantinhas de nofire/.a, proprias para seutio-
se caixas eo-n 21) libras de Unhas do no.e- ra1 c menlnas 4,000 linios cipolinhose
los den. 20 ale 100 pelo diminuto preco de mantelees de groslnapoles prelo o fuita-
,000 rs. cada urna libra, corles de cam- cores chehados pelo ultimo navio, luvas de
hraias de ptimos gostos a 1,920 rsmada- po|lc, e sola (loto|a91is qualidales p.ra
poldcs multo finos e largos a 4,000 rs., e homenj 0 sonhoras, bellos lencos de setim
anda restam algumas pecas dos nscados de de core!1 pira grvalas, filas de cuamalole de
100 rs. o covado. ptima fazenda para rou- lo las as cures p-ra snilas o cnapeos, chapeos
as do escravos c mesmo para fazer colxOes frinceles par, hm,.m u|tima moda a 7,000,
por ter algumas p-cas de listras argas. 0 outras muj, rPnaq,le n, mesma loja
-- \endo-se uma a-macilo de loja de cal- so VPniicm por precos nuilC, visloSi
Hedida das quesillos, que nella sao discu-
tidas. Nenhuma oulra obra desle genero nos
consta at hoje que tonha appareci lo desde
a 1 ui'lici efo de nossos cdigos enminaes.
tste motivo, ainda que fosse o unico, no
seriam menos lisoniteiro para seu autor,
ni'iii menos til aos quo o quizercm imitar,
ou julgar o morilo do su>s observacSis.
Vende-se cada obra por 6,000 rs., no pateo
do Collegio, cas do livro azul.
- Vendom-se 6 vaccas paridas, boas lei-
teiras, follas ao pasto, por preco commo lo :
que o as pretend t dirijn-se a rua das Aguas
Verdes n. 48, tavorna quo dir o vendedor.,
Papel paquete muito lino
iroprio]
Lindos aneis de cornalina verda-> corP e "a q"l'd
deiro,ai,ooors. para escrever pelos
Narua do Queimado n. 16, loja de miu- zes, porque paga
deziis, vendem-sc lindos neis de cornalina, de-se no pateo d
-"" ......------i.~i como para ,. f
livro azul.
pretjos
Cadeiras.
Vendem-secadeiras para meninas; noar-
IrmSos, na rua da
sin
reir, tem todas eslas habilidades com
perfeicilo. : no Caes do Ramos, armazen
n. 4.
-- Vende-so para fra da provincia um
moleque alfaiate, do bonita figura, muito
moco, e bstanlo intelligentc : a tratar na
rua do Collegio n 21 primero andar.
Vende-se milho muito novo a 2,560 o
alqueire : no tnpicho Jo Cunlu no fim da
rua da Moeda, ou na rua do Crespo loja
n. 23.
Gomma de engommar.
Vendem-so saccas granJcs com gomma
muito alva para engommar : na ruidoQuei- pOUCO lempo.
mndo n.14. Livros em branco.
-- Ven la-se manteig ingleza a 500 rs. a Vende-sn em casa do Kalkmann IrmSos
Vende-se urna prela creouls, boa co- "lazem de Kalkmann
inheira o ongommadeira, doceira e costu- Crul ,0-
Vende-se vinho de champa-
nhe legitimo e de superior quali-
dade : em casa de J. Keller &
Companhia, na rua da Cruz n. 55.
PIANOS.
Vendem-se em casa de Kalk-
mann Irmaos, na rua da Cruz n.
10, ricos pianos de Jacaranda, com
excellentes vozes
lar, bem feito, feiCQOes bonitas, parec cri-
oulo, Paulo, alto, cara magra, beico gran-
de um pouco cabido e fuveiro, bocea um
tanto torta, um signal de ferimeuto em um
dos hombros, ou espadua, A ipolonio, bai-
xo, pouco cneio do corpo, oltius pequeos,
1'eicSes muito regulares, o fulo da cor ; tam-
bem fugio do mesmo engenho a 5 de no-
vembro p. p. o oscravo Valerio, alto, gros-
so, cara chata e muilo cuna, olhos peque-
nos, um tanto gago, pos chatos discarna los,
e uma cicatriz no p esquerdo perto do de-
do mnimo: offerecc-se 25.0J0 rs. de re-
compensa por cada um que for levado no
dito engenho, ou no Mondego em casa do
lllni Sr. Comendador i.-nz Gomes Fe reir,
ou no engenho Fragoso ao Hur. Sr. Iir. Ma-
noel Joaquim Cafneiroda Cu ha.
G'atilca-se com 100,000 rs.,
a quem pegar o preto ciicnlo de nomo Jc-o
Mua uno, com os signaes s'guintes: cor
fula, grosso lo corpo, com uma belide no
olho esquerdo, uma orelha Turada, com cos-
turas no pescoco d'alporcas, reprsenla ter
30 annos, levou camisa e caifa de il-
god.tosiuho azul, fugio no da 4 de de-
zembro p. passado, di "padrria n. 40, da
rua das 5 Ponas: aondu ple ser entregue,
rogando-sopor issoa todas s autorididcJ
policiaes e capitaes do campo, Ueo pega-
rem e ahi o conduzirem, que serflo reli-
giosamente gratificados com a sobre-dito
quantia o cima de 100,000 rs., lendo muila
em altenc-lo o elle ser muilo ladino, e inti-
tular-se forro, e constar ao seu Sr. ter elle
andado as guerrilhas dos revoltosos, como
tal, as bandas de SerinnSein, e outras
parles.
No dia 31 de dezembro p. p. desppre-
ecu o escravo crioulo denome Severino.iJa-
de 20 annos pouco mais ou menos, cor fula
Chegados ha estatura regular,lentes limado oomprrfei-
to, sem barba algua-a o com espionas no
rosto, levou de camisa o calca de lfl>
escura com lala formando quitru. Roga-ie
I autoridades pohciai so Ci, nics de campe
o
la
al.OOO rs., tanto para homem,
senhora.
I primeiro andar.
zem de Kalikmann IrinSus,ruada Cruz n' 10.
tfl: M KnrPv.i
fW
mmp
-5
H


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E5TM2D16X_XEGVD1 INGEST_TIME 2013-04-13T02:57:01Z PACKAGE AA00011611_04596
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES