Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04591


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Auno de ItiM.
Terca Feira 27
wx
0 1>i*Bo,.blict-M do. 01 d.M,oe5o forera ultfcidos : o ,eco ,! antaatan
he de re. mil r porquarttpago, adiantado. O. .nuundoedo. ..go,.1et aoinaetido,
;,.l,.,eo. do.que nuoforeni n rawodelWrei. l,l,, A. reclamarondeiemter dir-
gida a e.l. lyp roa I'MUIDA DOS GORAEIOS TERRESTRES
Gouimk, lWd,.-, iegtmd.1 e texU. c,r.,._ Bio Crimlr .lo IWle, quii. feiras _
UD. bermhaem Rio l'ormoso, fono Cairo, M.coy e Al.gon, : n ) o 4
*T m''t 7ji I"? i?' ''"""" ,,,,, M de ra" -* e Flores. i3
. .3 i. lo .ici.11 i. Violn., qoini.a feirn,._ Olinda iodo, o dia
,. .... DAS DA SEMANA.
Ii Seg 1, lOTC.IO And.doJ.dp ]). da _>. T
7 Tere* a. Leen io. Re, .id. do de I) da 3. v
S Quarl* Temporal Populo Aud do J. de 1. da 3 t.
-'.I Quinta Boao Aud. do J de 1) da 1. v
1. Sekl Tmpora, s. Adrwo Aud. do .1 de 1). da 2. t.
J Sab. Teaap. Simplicio. Hcl. aud. do J. de I), da I, r.
.'( Moni 2. dn qumsina s llcmtlerio.
1 : ''--* -incsnzJZTnsBMsaaBiE.srssxxs&xzz^rzjateHrasltarariaKiias;
de Fevereiro
Anuo XX. M. *7.
,... |, noj pmie oi.. *od*rQao- energa: con-
Tutlo .gor. depende d
linuemo. cuino prinopiainoi e lerevo. .iiiniilo. cun .'iniir.jio enlre M "*i
fV \ cullM. [Proclamaba di \- i li Cern do mtil.]
( i'irlos l0 l'l v .1. I" I l I I Bl II.o.
Cambio, .cine 1 ondrc 5 \,
a ti Taris S7U rea poi franco
a Lisboa IC*S ir !u i premio
Moedade cobre .' pnr cenlo < ii
dem de lelr.adt boas firttaa 1 i l|
O...- Monda le MOU V. I7.20t
. Y I7.0U
, de i OU '-.' Pr.i. .1 ti 1.8 "
, 1'eioi i'olummn.rc. I .'-I' '
m Dito. meMC.no. I.ylO
a
y.
SE
l'II.VSI'.S DA LA SO MK/. DI. FEVEREIRO.
I.ua chela a i as S limas c ;1 min, dam, LuanuT. ls .. i> hora, e 54 min da m;
Minguante a ll as 5 horas e I1'"lin ij.nl |ClM ente a (i is "/ h e 3m. da mauh ia
l'iramar rf. /ni/V.
Primera as 4 I horas e 42 min di manh.n. I Segunda a. 1 i borae e fi minutos da larde
...._. ,.-*Ba
:.:.- -
ARr
i ?"<>*
CA1
..
(overno da Provincia
EXPEDIENTE DO DA 1G DO COMIENTE.
Cilicio Ao ju/. municipal ta 2.* vara ,
devolvendoo requerimiento dos Africanos livres,
Jos Joao llomao e Antonio em que so
qucixao do arrematante dos seus serviyos e
bem Bgsim a resposta d'este para que de novo
informe a repeito ouvindo o curador dos A-
fricanos, quem tamhcrn incumbo lili velar
no bom tratamenlo dos mesmos, e na execucao,
que devem dar os arrematantos ao contracto de
locagao dos servicos ti Hiles.
Dito Ao inspector da tliesour.iria das ren-
das proviriciaes reinettcndo as comliccoes pa-
ra a arrematacio dos repuros da ponte dos Car-
va (Jommunicou-se ao ongeoheiro em
obefe das obras pblicas.
'jilo Ao cornmandantc gcral docorpo de
polica autorisando-o mandar dar baixa ao
soldado da 2.* companhia do mosmo crpo ,
V,nnii'l Jos da Silva Seara quo informa a-
cliar-se impossibilitado de continuar servir ,
por molestias que padece.
dem do da 17.
Ollicio Ao inspector da thesouraria das
rendas provinciaes. Asegunda nfrmacao .
dada i i % do correte pela meza da recebedo-
ri.i das rendas internas provinciaes acerca do
modo pratico pelo qual se executou o artigo
ib' l.da lei provincial n "9i- na cobranta da
declina dos predios urbanos, iom a qual V. S.
persuade-se ter satisloito a exigencia leila em
ofTIclo de 18 de dezembro mostra claramente,
quo era abusiva e opnosta i dita lei a pratica,
adoptada pela referida meza ; por quanto a lei
nao autorisa o laucador a collectar, a seu ar-
bitrio, os predios alugudos, mas apenas re-
corref a arbitramento quando so nao confor-
me com os recibos dos inquilinos.
.^ao porlanto nullos esses lancamentos aibi-
trarios o deve V. S mlicar quaes fArao os
mpregados que adoptarao a pratica formu-
lada no iinpresso que acompanbou a dita in-
friiiacao, para screm responsabilisados.
Dilo Ao Kxm. e Rm. director do lyco ,
diferido que de 22 do presento me/ cm dianle
preste em cada dia unidos prolessores.ou subs
ttulos das aulas tlelatim rhetorica philoso-
phia e geometra para os exames preparato-
59
FOLHET
nos ila academia de Olinda marcada a alter-
nativa por S. Ex. Km. como adiar menos in-
conveniente aos trabalhos do IvcOo c aos mes-
mos proessores ; e quo communique o que de-
liberar ao director interino da dita academia ,
para que possa elle regular os referidos exames.
Communicou-seao director interino do cur-
so jurdico de Olinda.
Dito Ao inspector da thesouraria da la-
zenda determinando que expeca as precisas
ordens, para que seja recolhida ao respectivo
cOrpo a praca, que se acba ;s ordens do com-
missario-fscal do ministerio da guerra ; visto ,
segundo informa o cmmandante das armas ,
nao permittir o atrpelo de servico om que
actualmente se acba a 1.' linba que se conser-
vero ordenanzas effectivas. l'articipou-se ao
cmmandante das armas.
Com mundo das Armas.
EXPEDIENTE DE 15 DO COMIENTE.
icio Ao cmmandante superior da guar-
da nacional do municipio do liocifo signili-
cando-lhe em solucao ao seu olficio do 10 do
crrante que a juncia do sade se reuna de
tlous em dous mezes e que, sendo a sua reu-
ni5o mais prxima no dia 30 do marco poda
mandar nesse da apresentar o guarda que li-
nba de ir ser inspeconado.
DitoAo major graduado S. P Castello-
branco presidente do conselho de guerra en-
carregadode julgar os desertores do batalho
do infantaria de guarda nacional destacado ,
remetiendo Ibe os conselhos de disciplina e
fes de officios dos desertores K. J. F e J.
F. ile F. para Ihes dar o devido andamento
DitoAo cmmandante interino do 2 ba-
talbao de artharia a p communicando-lbo ,
quo o havia nomeado o aos ma|ores gradua-
dos G. A. F. P da C, S. T. Castello-branco,
e capiiao addido Antonio Benedicto de Araujo
Pernambuco para miembros do conselho de
direcelo, quedevaconhecer da justificacao de
nobreza do soldado Jernimo Lui/. Ribeiro ,
que aspirava servir como 1."cadete.
Dito--Ao chefe de polica di/.endo-lbo ,
que o pardo Miguel Felis,mencionado o o ofljoio
do chele de polica do Rio-grande-do-Sul, nao
era desertor do corpo de cavaiiaria desla pro-
vincia conformo allegava ; por quanto em
1833 n3o exista corpo algum de cavaiiaria de
linba. menos n tonenle-cnrone! Antonio
ADHMAR-O
5."
Grandes saudades sentia a duque/a de Mizi-
res tlepoisda partida de seu tilho para a om-
balxada St. Petersbourg; e por isso julgava que
ilevia darse todos as distraccoes. Para sa-
tisraze-ln o Sr. de Saintenac passava todo o seu
tempo em excogitar prazeres noto^.e em facilitar
sua ta divertimiento! a promptos. l'or nu-
tra parte a rliiquez.8, usando do sen crdito
de prima com o ministro da guerra, dever-
tia-se em ter sua influencia na pasta, receben-
do demanha os respeitosos sollicitadores, que
vinhao implorar as suus boas gracas. Ella era
muilo servical, com tanto que se invocasse o
seu valimento ; mas os exteriores brilhantes ob-
tinhad deila muito mais attenca, que o mrito
modesto, e sizudo. Amedeo, quo so aborreca
de encontrar todos estes importunos, guardava
para com ellos a mais restricta continencia
Era urna hora da tarde, quando um dia en-
la .LUtA /** -ncillllhi enniin^n n *.f*I
IfU iiu (jau>".(.s-. \J w^-....., -^r-.- > js-u
costume, lancou apenas urna otjiadella em redor
de si, e loi direlto a Sra. de Mziores, e Iho a-
pertou. allectiioso. ma a maneira britannica.
_ Eentao! mlnha bella ta, iliz elle,com< nao
est anda prompta sahir! U tempo est atl-
miravel parce i|ue voltull o mez demaio...
(ira pens .pie boje eslou poda !
Vde/Oiorw "-0*0. 4l> ''''o46-
Meu catiro sobrinlio, respondeo a duque-
za mirando-se, recebi umitas visitas : prime-
ramente a minha enthaqueca...
Importuna visita !
E que se na5 pude despedir.
Mas agora est Vm. melhor? Quanto
m'o permiltem vossa espessas cortinas, como
que a vejo fresca, e com inaravilhosa_sau.de.
Sim agora sinto-me boa. Est abi a vos-
sa caloca ?
Justamente, e cont, minha tia, leval-a
ao passeio conduzindo o carro.
__ja vades fazer algiinia imprudencia ; os
Srs. membros do Joches-Club teem as quedas de
eavallo ecarrnagem pelos seus mais gloriosos
ttulos. Nao levo eu at l a anglomania.
Tende paciencia, meu charo Amedeo, em urn
momento estarei prompta. Meus Srs. dis-
pensem-me de os deixar assim....
Sahiti: e o barao concedendo ontao algu-
ma attencaO as visitas de sua tia, disseencami-
ando-se para esses Srs. :
Nao Iwnho o prazer do fallar ao Sr. Julio
de BOisricher e ao Sr. Enguerrand de Mer-
tivif^ny. ,, .,
Sou eu n.esmo, disserao elles simultanea-
'" Qe agradavcl encontr)! E como que
os nao reconheci eu mais lempo.
__Se ni'tn para nos tinha olhado.
-Este honrado Boisricher! Ha muito lem-
po que nao vejo !... desde a escola polyte-
chntca.
Ha dez amos ao menos.
Sio disse Amedeo... (uardemos para
nos essas pocas. Hoja envelhece-se tad de-
Fr ncsco da Silva que diz o pardo ter sido o
seu cmmandante o que no obstante podia
ser desertor de outro quslquor corpo, cir
cumstancia que s poda sor averiguada nos
livrosdo registro dos cxlnctoscorpos archivados
na thesouraria a rujo cuefe poda SS. se di-
rigir se assim o entendesse conveniente.
PortaraMandando d ir baixa ao soldado
dodepisito Joao Gomes Barbosa por ter som
nota concluido o tempo do servico como re-
crutado.
DitaNomeando o conselho de direccao.que
devia conhecer da jus'iliracao de nobreza do
soldado Jernimo Luiz Ribeiro para ser 1.'
cadete.
DitaMandando excluir,com guia de pas-
sagem do batalhao de artilharia para o com-
panhia de artifioes O soldado ( carpira | Do-
mingos Goncalves Dias.
Dita\utorisanJo o recebimento do soldado
cima na companhia de arlilices.
-
PORTO.
lluminaco gaz. Fina companhia inglo-
za acaba de oflerecer-so para Iluminar a gaz
esta cidade dando-so-lho o privilegio por 21
annos Obriga-se empregar somonte 12 es-
trangeiros, e o rusto dos operarios portugue-
zes nao exceder a despeza da actual illumi-
naclo ; e calcula em 100 os navios do carvao
de pedra que ella far condu/.r todos osan-
nos de Inglaterra e CUJOS el i re i toa de entrada
entrarn no tbesouro. Ouvimos dizer que a
cunara tomara a proposta emeonsideracao, espe-
rando com tu loa deliberacaoila cmara do Lis-
bfia.onde se li'er.i igual proposta. A companhia
olTerece collocar 1000 lainpiSos em lugar dos
800 a 900 quoVxistem.
Acabamos do saber, quo urna nova pro-
posta vai ser apresenlad.i a cmara municipal
pelos senhores Heargreaves & C. propieta-
rios da importante fabricado ferro no Bcalho,
suburbios desta cidade para o que requerorao
i mesma cmara houvesso do sobreestar na re-
solucao somonte o tempo nocessaro para lor-
marem a sua proposta, olerecen lo-se desde
j a extra Ii ir o gaz nao do carvao ingle/., n-srn
do carvao de podra portuguez quo o nao for-
neceria om abundancia mas de um vegetal ,
que abunda n'uma de nossas provincias sendo
anda melhor a luz. Entendernos que a ca
pressa!... principalmenie eu que nao tenho
em que me oceupar... admiravel como passa
o tempo sempre a divertir.
Como.rneu charo Amedeo,quo, com o seu
nome, e fortuna nao abri urna carreira?
Nao sel; o caso que a minha oceupacao
6 nao fazor nada, lima parto de minha fami-
lia alliou-se, c exerco grande influencia ; mas
eu nao quiz envolver-rne com a nova corle. e
disse como acabo de dDer-lhe, nada faco... a
minha primeira opiniao a preguica.
Pois eu naofiz como vo<,dsSe Boisricher,
julguei, que so podja, as ileiras de oxercito-
servir ao paiz; envergue!, o uniformo para uli-
lisar os meus estudos, e a minha actividade.
Chego agora da frica.
Como Scipiao... o estaa verdado muito
queimado. Quo posto tem ?
Tenenle-iJoronel.
J 6 soffrivel. Felizmente minha tia to-
da poderosa corno seu primo ministro da guer-
ra... Ilei-de fallar por voco duqueza, e esta
fallar ao dos Marte da ra St-l)ominique.
VocJ muito amavol, diz Julio de Bos-
isricher.
Ora vira voc6 dar-me agradecimentos,
meu caro ? esciwu Sajiuienac. E toce,
Enguerrand, quo vida adoptou '.'
Aposto, respondeo de Marligny, que vae
oreticar-me;, dediquei-me indutria.
Crotical-0 Por corto que nao... voc nao
era muilo rico, so bem me record.
Desgraciadamente assim meu pai oc-
cupava o lugar de official de bolate. .oi demi-
tido... mas quiz a minha estrella, que eu,
quo enla havia terminado na escolla os meus
niara, que tanto eela os inlcresses do munici-
pio, esperar essa nova proposta que deve
sit muito ni iis ventajosa por nao pedir isem p-
(3o de direito para os tubos caldoiras e mais
apprestes i|ne ludo sci.i loilo no paiz o por
ser extrahido do um vegetal fornecido pelas nos-
sas provincias, i.ts senhores Heargreaves & C.
desde o anno passado que cxtraheui o gaz pa-
ra Iluminar noute a sua fabrica coseguindo
a nolavcl economa da reduzir a ,00 rs. se-
manacs a despeza quefazemeom a illumina-
cao a gaz que, azeite ou cebo, era calcu-
lado em 16,800rs. por semana. Daqui se in-
fere a economa, que se pode fazer pondo
concurso a illuminacao gaz da cidade e nao
so ligando logo qualquer primeira proposta ,
que appareca que provavefmente nao ser
a mais ventajosa.
( Peridico dos Pobres no Porto. \
_ PERNAMBUCO.___
Tribunal da Relaco.
SESSAO DE 21 DEKEVERE1H0 DE 18H.
Km lugar dos embargos de Antonio Gomes
Villar contra Antonio da Silva & C. rjc. ,
lea-so os embargos do Antonio da Silva JtC.
contra Antonio Gomes Villar na appellacao
civel desta cidade escrivao Reg Rangel ; fo-
rao despre/ados.
Correspondencia.
Srs. Redactores. Kslando, ha muito tempo,
resolvido nao dar resposta qualquer escripto
de gizetas,poblicado sob a vil capa do annimo
contra iniin guardei o silencio respeito do
annunciodo Lometa n. 22; tanto mais porque,
versando sobre nogocio pertenec) le Mae.'.,
nenhum interesse tinha o pblico nelle do
cuja mputa(3o alias podao salvar-rne o teste-
munlio de mais de 50 membros doGap. *. ,
que pertonco e as quitacoes dos respectivos
secret. \ do tempo, quo servi do thesour.'. A
vista porui da correspondencia do sr. Jonuino
JosTavares, publicada no seu Diario n. 45,
nao posso nom devo mais guardar este silencio ,
visto que tenho razio do crcr e muita gento
comigo de quo ella mim se dirige com
quanto nao appareca ah o meu nomo, pelo
que passo a expr.
estudos, fosse convidado dirigir urna im-
portante fabrica no Alto-Loira.
Isso deve ser muito lucrativo, mas pouco
divertido. Meu cahro eu o estimo. Vinlia pe-
dir alguma cousa minha tia ?
vordade... trala-se do urna encom-
menda consideravcl.que o ministro deve fazer ou
ao nosso eslabeleciniento.ou urna fabrica rival.
Nos obtoremos a encommeuda. Est de-
cidido; muito folgo de os haver encontrado...
Boisricher, toce devo ter muitas curiosidades
a mostrar-me: tem conquistado muitos cora-
coes do Mouras? Dizom quo as mulheres sao
muito arisca! no vosso Argel... E yatagans,
aifaoges, caftans, quantos teem voc1?...
Nom um. Tenho as ininhas armas, a
minha medalha, os meus uniformes, euin Vir-
gilio, na minha malla para me desenfadar um
pouco.
Boisricher ser voce philosopho?...A
proposito, minha tia vai tardando muito ; ha
de facerme faltar a hora de M"10 de Mane.
M""' de Mane ? repetio de Boisricher.
No momento em quo Amedeo ia responder,
abrio-se a porta do gabinete. I ni lacaio intro-
duzio um iiomem de gentil, rlisiincla n-
parencia, e disse-lhe :
Nao sei, so a Sra. duqueza poder receber
o Sr.
Eu esperarei, disse este; queira entregar
o meu bilhelo Sra. duquesa.
Depois de haver cortejado ao barao e aos seus
dous amigos, o reccm-chegadofoi sentar-se em
um canto da sala sobre um camap e em
breve enlreijou-so inteiramente s suas relie,
xes.


2
^wtjmugjtri tx*xasLM
juando appareceo o Cometa citado desejei
sabor quem poda sor o Mac.-. que ostial
procurav deprimir-mo com tanta falsidade,
e conversando a rotpeito disto com o sonhor
Jenuiao, me disse este, quo suppunlia ser
tutor doannunciootr. Innocencio Xavier Vi-
anna: protestei perguntar ao sr. Vianna, quaes I
crio os motivos quo o haviao levado assim
calumniar-me o que sabendo o sr. Vianna,'
procurou entendor-se comigo o nao tendo is-
11 iconlecido assim porque o evitei nos luga-
res, onde elle me havia encontrado soube por
va deum amigo, que elle havia declarado I
que o sr. Jenuino Jos Tavares llie liavia dito ,
queeutinhaem meu poderod'inheiro do Cap. -.
Mac.-., que eu delle havia exigido por urna
praox.'., do que havia ft-ito urn annuncio para
sfolhas: que nao estranhava esta falsidade do
sr. Jenuino, quando se lomhrava
lioniein havia dado urna
de fevereiro de 18 W. Estava o signa! pblico
Em testemunho de verdade o tahellian publico,
Francitco de Sales da Coila Monteiro.
N.3.
Vianna O portador leva 500j reis para
voc fazer una casaca e juntamente remet-
to-me aquelle papel (rasga) o J. J. Tavares
Reconheco verdadeira a assignatura supra, por
ter visto nutra em ludo semelhante. Cidade do
Rocife 19 de fevereiro de 18ii. Estava o sig
nal pblico Emtcstemunhodc verdade o ta-
belliao pblico,
Francisco dt Sales da Costa Monteiro.
que fcsse
denuncia ao sr. inspec-
tor di alfandcaa Monteiro de Andado, con
Variedadc.
inmnlUJ...,,. i i eiinosniaiie do caicu ar, pelos regist
ira muito de sciiscompanbciros, a qua dra a i -,,1 # V, ,.
ei|fl Viann n. ,.,. : u i "0 Pan/, a idade de 121 ,5*25 mulh
tuc vianna para copiar, e cuio aut hographo \ r. i i 1 i
/.insprviv ..,,.,.; i .ii r "a dita cipita durante o esparo d<
onservava em seu poder : e es a doc araco foi ,> ,, j ,. -
rpni'iiti n..ln ...... -.: -i <)< resultados que o b teve.forao o
repelida pelo meu amigo perante mais a guns i i >i Y t i
igo pera
empregados d,i affandega.
Te ve isto lugar no dia 16, e a 18 recehi do sr.
Jenuino a carta soh n 1 com a qual fui pro-
curar o sr. \ auna c tendo-Ih'a a presen lado,
este me mo-trou os dous bilhelcs soh n. 2. e 3,
a vista dos quaes fiquei desengaado e Caten
de o ( inceito, t|ue merece o sr Jenuino e es-
pero, que o respeitavel pblico poder tambem
formar o sou juico o conhecer quem o ca-
lumniador, e intrigante.
Com a publicacao destas linhas muito ohr-
garaff ossrs. Redactores ao
Seu constante leitor,
Caetano i'into de Veras.
N.1.
Wm.Sr. Caetano Pinto de Veras Sahendo
bontem, que se me tinha alevantado a maior
eu tinha dado conta dossn. empregados ao sr
Monteiro e t nutras muitas alm d'esta e
vendo, que minha salvacao est as mos de V.
S., rogo-lhe como pai e por seu (llho e vi-
da da lllrn.* senhora mulher do V. S.. e do ju-
ramento que prestemos nao me desampare,
odiando, quelenho tres innocentes fillios e
o estado, em quo boje ncha-sc a minha mu-
lher vendo o momento em quo sou demit-
"tido do lugar, onde ganho o pao para os man-
ter ea hora, em que sou assassinado como
foi avisado attendendo as lacrimas quoeu ,
e a minha familia tem de bontem para c der-
ramado vendo que se me quer tanto mal in-
justamente assim, meu amigo, e Ir. \, nao
me desampare, corra em me salvar de tantas ca-
lumnias pelo que Ihe for mais sagrado pois
as maos do V. S. est a minha salvacao; cu
nao sou, que Ihe peco mas sim os meus in-
nocentes filhos ; espero portanto ter boa res-
posta para eu poder subir ra e creia, que
tere semprc
Do V. S. criado e menor Ir. \
Jenuino Jos Tur'tres.
N.2.
Amigo \ ianna Fico cerlo o quevoc me
disse hontem. v quo tenho familia. S' I. '. Je-
nuino Jos Tavares Reconheco verdadeira
a lettra o signal supra por ter visto ou-
tra em ludo seinclhante. Cidade do Recife 19
Os tres amigos, sem mostrar mesmo terem
notado a sua presenca, continua rao a conver-
sacao.
Que contava voc cntao, mal procedido?
perguntou Julio de Boisricher.
Meu charo, disse Amcdeo... a cousa mais
importante do quo pensn. A pessoa, do
quem se trata urna das mais lindas mocas
de I'ariz, e ao mesmo tempo das mais espi-
rituosas, das mais louroirus, das maismyste-
riosas.
Quanto epillieto !...
E todos os merece, e inda oulros. Es mullier 6 uin enigma vivo Nao se sabe oque
ella ponsa, de que gosta, o quo faz ; nunca
recebo gente, c todava tem una chusma de
convites. O capricho a sua regra ordinaria ,
o desojo de agradar a sua bussola, ora en-
cantadora, engrifada, jovial ; ora dcsenxabi-
da, carrancuda, triste; urnas vetea excessiva-
inentc enfeilada, ou trat na mais rigorosa simpli-
cidade. Um dia contemplando-a, exclamad
lodos: que perigosa Anuida no nutro :
que innocente Vestal!... Em flm ha nella mil
naturettt oppottav, e ha toda certeza de nunca
a adiar como tem flctdo na vespera.
lis ahi um retracto completo. o
despdto de um amor repellldo que Ihe dicta
esses satricos traeos ?
Nao ha ahi deapeito. Convenho em que
amo a ara. Mane, quo a amo tornar-me
louco ; mas at boje nao tenho razao para
perder .i esperanza.
O desconhecido tez un movimento. Seus
olbos fixos e brilhantes nao so tirrao mais
po baia. Instado pelos seus amigos conti-
AVtSO As SENHORAS SOLTEIRAS.
Ha paciencia para ludo I" ti calculista, que
provavolmonte tinha pouco que lazer, levo a
euriosidade de calcular, polos registros ofllciaes
Iheres casadas
de 18 annos.
soguintos :
811 mullieres tinhao casado entre os 12, eos
lo annos; 1,920do dezescis annos completos;
.'1,9)9 de destete annos; 5,816 dede/oito ;
6,987 do dezenove ; 7,618 de vinte ; 8,017 de
vinte e um. Neste ponto acabava a progres-
sao ascendente quanto ao numero dos casamen-
to? e comecava i diminuir rpidamente. De
22 23 annos pouco mais liavia do que sete
mil mulheres casadas; de 2i a 25 somente seis
mil ; de 26 a 28 apenas cinco mil; de 31
pouco mais de tros mil ; de 32 a 37 menos de
duas mil ; de 42 somente 1,015 ; de quarenta
e oilo 586 ; de cincoenta e seis 226 ; deses-
senta 126 ; dahi para cima 78.
Os resultados que at aqu (icao expostos.
sao j de alguma importancia ; porque ao
menos mostro em these geral qual a ida-
de em, que as senhoras solteiras pdem mais
fcilmente casar-so : porm o nosso calculista
levou as suas investigacos muito mais longe ,
propondo-so examinar, quaes ero as circuns-
tancias particulares a cada um dos grupos de
mullieres casadas, comprehendidas no sen
quadro estatistico. A' forca de trabadlos e
diligencias (fcilmente se pude imaginar quan -
to a cousa Ihe custaria ) chegou finalmente
estahelecer as thosesseguintcs :
Nao tallando no primeiro grupo de mulhe-
ras de 12 15 annos, a mxima parte das com-
prehendidas nos grupos immediatos at 21 an-
nos inclusivamente tinhao casado sem dnje.
Dos 22 at 28 achav8o-se tambem muitas sem
dote; porm do ordinario aquellas que o nao
tinhao on se distinguio por algum talento ,
ou prenda especial ou criio pessoas de alta
nobrezs que linho casado, com maridos de
condicSo inferior. Dos 28 annos por diante, a
proporcao das mulheres, que tinhao casado
sem dote era ainda menor do que 10 por cento.
Estes ltimos resultados sao certamente pre-
ciossimos, porque delles sededuz um princi-
pio mui luminoso e fecundo em applicacoes ,
quepodcservir.de regulador muito seguro
todas as senhoras solteiras quo dcsej3o tomar
estado. Regra geral : at os 21 annos inclu-
sivamente valein as senhoras pelo fcilio dahi
por diante s ficao vaiendo pelo peso. Esta-
belecido este principio geral seguem-se na-
turalmente delle o seguintes aphorismos de
tctica matrimonia! t cuja estricta observancia
pode evitar as senhoras solteiras grande nume-
ro daquillo, a que os Francezes dao o nomo de
diappointftntnts.
I. Toda a senhora solteira.quetiver pretei.ces
de.se casar obrar com'muita prudencia se(qual-
quer, que seja o grao de belleza, de queo
Creador a tiver dotado ) nao deixar de chegar
idade dos 21 annos sem ter tomado estado.
II. Se poracaso ( oque Dos n5o permita )
tiver entrado nos 22 sem ainda ter adiado ma-
rido faca desde logo todas as diligencias pos-
vivis para adquirir alguma prenda como a
msica odesenho a dansa ou outra seme-
lhante por cujomcioaquillo, quooprogros-
so da idade Ihe r fazendo perder pelo lado do
phvsico se acha em certo modo compensado
pelo moral.
III. Nunca senhora alguma solteira que
nao tenha dote ou possibilidade do alguma
heranca.se arrisque chegar aos 28 annos. sem
ter tomado estado. Em tctica matrimonial
esta idade dos 28 annos i ponto de fiear do
mesmo modo que no jogo do trinta e um.
IV. As senhoras ricas maiores de 28 ain-
da que tenhao chegado aos 30 o aos 40 nao
devem nunca precipitar-se na cscolha de mari-
do, porque nada perdem com osyslema expec-
tativo : h5o de ter sempre grande numero de
adoradores por onde pdem escolher sua
vontade. Verdade que todos elles casariao
de melhor vontado com o dote iudependente-
menteda mulher, do que com a mulherin-
dependentemente do dote; porm a estatis-
tica oceupa se nicamente com oslados, e nao
se importa com a razao delles.
V. As senhoras ricas.que passarem de 60an-
nos. teemtanto mais facilidadede adiar marido,
quanto mais velhas (orem. Ainda que sejio
viuvas ecom filhos, pouco importa, com
tanto que a meacao seja de vulto O antigo
adagio do que viuva rica casada fica, tem nes-
te caso inteira applicaco.
(Peridico dos Pobres no Porto.)
armada, douscommissarios, umdispensei"
ro o guarda- nwr d'alfandega do Para "
um sobrinbo Francisco Joaquim Castro
Bel for t, Brasileiros.
Maranhao ; 20 dias; patacho nacional Caro-
lina do 122 toneladas; capillo Francisco
Bernardo de Mallos; equipagem 10; carga
varios gneros.
JYavios entrados no dia 25.
Baha ; 11 dias; hrigue-escuna nacional Cal-
liope; commandanto capitao-tenenle lafae!
Mendos de Moraese Vallo.
Bucnos-Ayres ; 30 dias; patacho nacional Es-
peculador, de 156 toneladas; capitao Jos
Caetano Pereira da Silva ; equipagem 14;
carga carne secca.
Montevideo ; 61 dias; brigue sardo Columba ,
de 132 toneladas: capitao Vicente Bombar-
do ; equipagem 10 ; carga varios gneros.
Deinkerdt; 49 dias; brigue dinamarquez
Villa-mina; de 130 toneladas; capitao J.
F. Toosliay ; equipagem 9; carga lastro.
Navio sahido no mesmo dia.
Maranho ; brigue nacional 7'res-de-maw ;
comm.indanle capitao de fragata Izidro An-
tn ino Nery.
Navio entrado no dia 26.
Suvorttl a pesca ; 6 dias ; barca balieira ame-
ricana Pe grim de 180 toneladas; capitao
Gob Collun ; equipagem 16.
Navio sahido no mesmo dia.
Philadelphia ; brigue escuna americano Cum-
berland; capitao Antonio Philippe ; carga
assucar.
ObserracSo.
O brigue nocional Tres-de-maio, condu.. os
mesmos passageiros, quo trouce excepcao
de um segundo-tenente dous guardas man-
tilla umescrivao, e um coniinissario quo
fica rao nesla provincia.
Declaramos.
Alfandega.
Bendimento do dia 26.......... 7:017^768
DescarregSo A o/e 27.
Brigue Rolla can nos de ferro.
Brigue Gipsy hacalh.o.
Brigue sueco Julia laboado.
Barca James Stuart bicalho.
Brigue Cicely diversos goneros.
Brigue IVladislo farinha.
Escuna portugueza Tarujo &j Filhos vinho
e vinagre.
Barca ingleza IVm.-rRusssl diversos g-
neros.
Brigue Armorique diversos gneros.
Movimento do Porto
Navios entrados no dia 2V.
Uio de Janeiro; 17 dias; litigue nacional 7V-
de-maio; commandante capitao de fragata I-
zidro AntoninoNery: passageiros, capitao-
tenenle Jos Antonio Corroa segundo-te-
nente l'elicio do Sa e Brito, guarda-marinha
Joaquim Leal Fcrreira dito dito Joo
Cctrios do Sousa Machado tres escrivaes da
nuar ns suas confidencias, este accresenlou.
Tenho encontrado Mme. de Mane muitas
vetea em sociedades. Para que ella ignorasse a
paixo, que meinspirou, lora preciso ser cega.
Nos bailes, s com ella danso; nos concerlos,
s applaudo o que ella gaba ; nos passeios pro-
flro os lugares, de que ella gosta. Dci o nome
do seu castello minha melhor egoa animal
de roca pura que as carreiras de Chantilly se
eobrio de gloria. Eu o repito, a senhora Ma-
ne nao pode desconhecer os meus sedimentos.
Mas, diz Enguerrand de Martigny, cssa
senhora devo ser escoltada vigiada por um
Argos cioso por um mando!
Ora quero surprebeqdel-os. A historia
mysleri.isa da senhora Mea no mais um at-
traclivo. Supponliao voces... aqui refiro-me
aos boatos que correm... Supponhao voces ,
que ella tem e nao tem um marido. Este ori-
ginal existe, e ninguem o conhece... Retirado! va-so V. Ex. acceitar a expressao do meu reco-
no interior da casa conserva-se invisivel comoj nhecimonto.
a estatua do Isio. Nenlium dos prazeres da Elle saudou-a profundamente, crclirou-se,
mulher parlilhado ou apreciado por elle ; deixando os espectadores desta secna na maior
se ella sai, elle tica ; se vai aos banhos, elle admirucao.
A administradlo dos estabelecimentos de
caridade avisa as pessoas que tivercm expos-
tos em sua companhia hajao do os apresentar
na revista geral do dial.0 do prximo futuro
mez na casa dos mesmos pelas 3 horas da tarde.
Sala dassesses da administrado dos estabclo-
cimentos de caridade 24 de fevereiro de 1844.
O escripturario ,
F. A. Cavalcanti Cousseiro.
A rresma administradlo manda fuzer p-
blico que no referido dia 1. conservar-se-ha
aborta a mencionada casa at as 9 horas da nou-
te cuja entrada ser franca s familias quo
a quizerem veslar. Sala das sessocsda admi-
nistradlo dos estabelecimentos de caridade 24
de fevereiro de 1844. O escripturario,
Francisco A. Cavalcanti Cousseiro.
Aviso martimos.
O brigue Feliz-destino pretende sabir pa-
ra o Rio-grande do-snl at o im do corrento .
e recebe escravos do passagem : a tratar com
Amorim & Imn na ra da Cadeia do Bccife.
Para o Maranhao pretende sabir no dia 1.'
de marco o hrigue-escuna Laura recebe pas-
sageiros, eossenhores, que quizerem ir de
passagem pdem fallar com o capitao lodos os
dias na Praca-do-commercio.
Ihes chamou para all a alfenco. O vestuario
desta era magnifico. Amedeo apressou-se a
compnmentar sua tia quo acollieo com um
sorriso as suas galanteras; mas ella procurava
com os olbos o visitante que aesperava, e,
saudando-o mui graciosamente, disse-lhe :
Qucira ter a bondado de perdoar-mo ,
snr... quizera poder recober aV. Ex... mas
tenho de sair... Amanhaa se t possivel, a
esta mesma hora... somonte allarei V. Ex.
Nos conversaremos sobro a sua prelenco quo
fundada em ttulos muito justos.
Agradece infinitamente a V. Ex., respon-
der) o desconhecido... Tenho reilectido e es-
tou decidido nao proseguir no requerimento ,
que dirig ao ministro o pelo qual V. Ex. teve
a complaconcia de me olTerecer o seu valimon-
to... Certas circumslancias me privao de apro-
veitar-me da benvola proteceo de V. Ex. Sir-
passeia nos arredores da cidade ; ella tem seu
camarote no theatro elle nunca poe l os ps.
Em im, um lobishooicui.
Tanto melhor para voc! dii Boisricher ;
a piac ser menos disputada.
Tanto peior replicou Amedeo.
Quem vence sem pehgo triumpha sem
gloria.
O desconhecido lovantou-so bruscamente.
< tres interlocutores olhro-sc mutuamen-
te e admirados. Um rugeruge do lado da
porta por onde havia entrado a duqueza,
Ora bem, disse o bar5o de Saintenac,
! logo que sn fechou a portn, por ondesabra o
exquisito visitante, eisaqui um homajB}, co-
mo ainda nao vi outro. Entra aqui como pro-
tendente o sai como verdadeiro Arlaban. Co-
mo so chama aquillo ?
Nao vos engais meu charo sobrinbo ;
esso senlior de boa familia... o cundo de
Mane.
Oh meu Dos oxclamou o barao.
O nr. de Mane! lepotro os seus dous
amigos.
Certamente... Mas, que teem os snrs. ?
Nada, minha tia, nada... Pedimos-
Iho licenoa smente para nosadmirarmos. Que!
esto o marido de.Mme. do Mane?
sou marido... E com prebendo a sua
admiraco, porque o acaso os poz em presenca
de um enle verdaderamente rxtravaganie.
Com elTeilo Ex'sia. senhora, di'.do Bois-
richer conta-se desse snr. cousas incriveis...
Passa por um mysantropo...
Nao os engaarn, sua mulher encan-
tadora loureira verlade; e talvez at do
una virtude pouco slida, mas em lim
muito amavel, o elle a despreza e trata como
urna pessoa estranha. Anda mais a indiffe-
renpa quo digo eu a aversao, que Ihe ella
inspira, vai to longo, queoconde, ha muito
annos retirado do servico soflicita presente-
mente tornar entrar om adividado e pedo
passar frica no seu posto.
Decididamente, oxclamou Saintenac,
um original. Entao vamos minha bella ta?
Meus amifzos esta noute ha opera : se a du-
queza quizer permiltir-me, que Ihes offereca
dous lugares no seu camarote ?...
Com grande prazer, meu charo sobrinho.-
Juo o Enguerrand apradecrao duqueza, e
despedirao-se dizendo Amedeo :
Al a noute.
Este apertou-lhes a mo d'uma maneir sig-
nificativa ; algn* minutos depois, o ctfquilho
a perla v^ o pasto de um magnifica parelha do
cavados bramos quo ariebatavao-lbe a (,le-
ca em um dos mus fiequentados passeios do
Pariz.
I Continuar-se-ha.


Para qualquer porto tom de sabir da Eu-
ropa o superior hrigtie ingloz Medum de 1.*
classo, forrado, o encavilhado de cobre; os pre-
tendenlos dirijan-su aos consignatarios Jones
Paln &C.ompanhia.
= Para Trieste seguir a barca austraca
Mary precisa de "00 saceos com assucar e
500 couros a frete ; quem os quizer dar, diri-
ja -si; na ra do Trapiche-novo n. 10 escrip-
torio de Frederico Rohiliiard.
Leoes.
f.cilo de rnassas, no arrnazem de Dias
Ferrcira no caes da olandcgfl, boje, 27 do cor-
rente.
O corretor Oliveira lur leilao de grande
soKimento de lazendas, as mais proprias deste
mercado c que continuar i vender sem li-
mites; quarta fcira, 28 do correnle, as 10 llo-
ras da manba em ponto, no primeiro andar da
sua casa na ra da Cadeia.
Russcll.Wellors & Companhia fro lei-
lao, por intervenciio do corretor Oliveira de
miiilas fa/endas ingle/as ivariadas, e outras
limpas ; quinta feira 29 do correnle, as 10
horas da nianhiia em ponto, no seu arrnazem
na ra da Cadeia.
Kalkinann & Rosemund farao leilao, por
inlervenco do corretor Oliveira de variado
sortimciilo de lazendas ingle/as francezas, al-
lomaos esuissas de seda laa.linho, o algo-
do clgumas das quaes serao vendidas por
procos muito commodos : tena feira 27 do
correnle, s 10 horas da manh.ia, em seu ar-
mazem da ra da Cru*.
Terca feira, 27 do correnle, se (ara leilao
de urna porcao de fumo por conla de quem
pertencey, no arrnazem do Fernando Jos Bia-
guez junto ao arco da Conccico.
,-.-- i
Avisos diversos.
LOtEKU DO GUADE -
LUPE.
*3?> Por motivos, que se
nao pdenlo prevenir, nao
corrro as roelas d'esla I te-
ria sabbado; porem correen
imprelerivelm rile boje (27
do correnle feverero), fi-
<|iiem, ou nao billieles por
vender : quem se quizer ap-
proveilar, anda reslo al-
guna as lojas annuuciadas,
al boje s 'lOlioras.
F. N. Colado propoe-se dar lices de
geometra, philosophia. ingle* e francos ,
ealtendendo que muitos senhores, por nao
.,i.ri mandar seus lilhos cstu tem resolvido nao receber dos que se achilo nes-
te caso mais que urna s menfaHde.de, embo-
ra seus lilhos requenlcm duas aulas. O annun-
ciante, lamentando que nao bija nesta cidade
urna cadeira de phisica e que por isso v.vao os
Pernambucanos.pela ma.or parte,em plena -
norancia dos agentes da naluroza e le.s do
mundo pretende ler cssa sciencia a seus a-
lumnos se nisso convierem urna vez na se-
mana ndependente de gratificado e do
mesmo modo se offerece para dar lices de gco-
,etria tranrendente, o de clculos diferencial,
e integral aquelles senhores que ja Ibe
fi/erao a honra de ouvil-ona geometr.aelemen-
tar. As licoes devem tor principio em o da 18
Antonio : entretanto o annunciante pode ser
procurado em a ra da Santa Cruz, na Hoa-v.sta
- M .noel Jos de Azevedo Maia ten a honra-
re participar aos seus amigos c fregu/es,assim
com > :'is pessoas que Ibe qui erem honrar o
seu est il.elecimento que mudou este da Rua-
imperial p ra o largo do Terco loja n. 10. aon-
,!e achar sempro superior agu ardenle de
franca para compor vinhos agu'ardcnle do
reino, aniz genobras licore- finos o en-
trelios agua de Colonia leite virginal es-
pirito* essencia do salmo espintos para ba-
rrea* csscneias de roza cravo canda de
anit e de Lavando, e agua do flor de laranja,
Lo -rov do 2. 3. ** g op'dolJoc sa-
|>o fino o de tirar nodoas de gordura enpan-
: na mwna casa tmbem so recebe encom-
mernla* denlos de bacia para bandeijasde cha,
Bsim como don s de calda etc.
aula k commercio.
O abaixo assignado participa ao publico, que
I pretende abrir no 1. de marco em sua casa,
urna aula de commercio na qual ensinaras
: materias seguintes :
Escripturacao mercantil porlugueza sin-
gla e dobrada.
Contabilidade comniercial ; comoseja juros,
7 de sociedade cambios, &c.
Especies, e subdiviso das moedas, do
mundo conhecido.
K como estas materias ninguem tanto con-
venho como aos individuos, que fa/em do
commercio sua babitoal profisso por esta ra-
zao tem escolhido parasuas licoes o verao em
que o giro das tranzaeSes tem parado ; desti
nando principiar ellas as 7 horas da noute e
acabar s8 ',
Aquellas pesoas que se quizerem utilizar
de seu prestimo, o podera fazer pelo mdico
proco de 5,000 mensaes pagos no fm de
cada mez. Adverte-se porm que nao lera
lugar a abertura da dita aula, senoquando ao
menos bouverem 10 alumnos inscriptos o que
podero fazer na ra do Queimado loja n. 6.
Manoel /ourenco de Mallos.
Arrenda-se o primeiro andaa da casa n.
18 da ra do Fogo : a tratar do sobrado n
H da ra do Queimado.
Quem precisar do um rapaz Portuguez
para caixeiro dirijaso ao largo daSolidade
sobrado n. 22.
Prccire-se alugar um ou dous pretos, que
enlcndao alguma cousa de amassar mao ou
mesmo sem principio algum para so aplica-
ren! nisse trafico: na tra.essa da Madre de
Dos ( de manhaa al as9 horas) casa n. 11 ,
aonde tem padaria.
Precisa-so de ulguns mocos, que traba-
Ihem em maceira e vendan pao com pretos :
na travessa da Madre de Dos n. 11 na padaria
do Manoel Ignacio da Silva Teixeira.
Alugao-se duas casas terreas urna na ra
do Hospicio n. 40 com bons commodos ,
quintal e cacimba o a outra na ra de M.
Goneallo com quintal ; na ra da Cadeia-velha
n. 38.
= Continao-se a tirar folhas corridas e
passaportes para denlro e fra do imperio ,
com muita brevidade e proco commodo ; na
ra do Rangcl n 94.
Quem percisar de um criado, ainda mes-
mo para fr. da praca ; dirija-sc a ra do Li-
vramnnto n. 22.
__ D so ; premio do 2 por / ao meza
quantia de 3508 reis, dando-se penhores de
prata ououro, que cubran o dito valor ; na
pracinha do Livramento n. 50 2. andar.
I)eseja-se fallar ssenhoras D. Anna Ri-
ta Bizarra el). Anna Hita Caetana, i nego-
cio de seus interesaos; no pateo do Terco n. 26,
__ Aluga-se o primeiro andar, e soto da
ra da Cadeia do Recife n. 9 ; a tratar na loja
do mesmo.
Alu"a-se o terceiro ailar do sobrado da
ra do Queimado n. 32; a tratar na loja do
mesmo: na mesmavendem so redes pintadas, viu-
das do norte por preco commodo.
= Maria Joaquina, Portugueza retira-se
para Portugal.
No Rrejo-dos-Apipucos apareceo um lin-
do boi de carro ; quem fr seu dono, dando o
signal da marca, o pagando as despezas e pas-
toragem, pile recebel o com ordem de Manoel
Luiz da Veiga.
Aluga-se um sitio no lugar de Mebiri be,
com casa equarlo, trra sufficiente baixa
paracapim, e arvoredos de fruto; quem o qui-
zer comprar ou alugar dirija-se a Rua-vo-
Ihan. 113. '
= Na Rua-augusla outrora l'alacete, so-
brado n. 9, tem p.ra alugar, por mez para al-
gum sitio perto da praca. um escravo moco,
fiel robusto, e sem vicio do qualidade algu-
ma o afianca-so ser ptimo trabalhador de
enxnda
=s A pessoa, que annutinou cjuerer recollier
em urna casa ou aula particular urna menina
de 8 annos para ser educada ; dirija-se a aula
da ra da Conceicao da Roa-vista n. 8 que
encontrar o que desoja em beneficio da tal
menina.
N) botequim ao p do theatro continua a
haver sorveles de frutas muito bem feitos.ecom
muita limpeza das 5 horas e mma em diante;
assim como bom cafe tanto com le.te como
sem elle muilo bons champes de diversas
qualidades e juntamente licores, serveja e
chapangne. ,
== O encadernador F. A. Bastos, morador
na ra de S. Rita-nova n. 88. avisa a todos
os seus fregueses, que se acba prompto n excr-
ccrt3da aqualidadedeobra, por proco com-
modo e apara papel de '0 resmas para cima
a l->0 rs a rema com a mesma proriiplniao;
e tombern vende tinta prela para escrever ja
muilo acreditada livros em branco e papel
almaco. ,
-= luga se. por prepo minto commodo. o so- i
brado n.*18 da ruado Vigario, de tres andares.;
e sotSo com urna frente para a mesma ra e !

-verrr^. kmv
outra para a do Rurgos com commodos para
urna grande familia', e em lugar mui proprio
para escriptorio, e residencia de qualquer nego-
ciante; quem precisar, dirija-se ao Atlcrro-da-
Boa-vista n 12 segundo andar.
= Aluga-se ama casa terreara ra do Mon-
dego n. 99 com duas salas, \ quartos, co-
inhafra. duas cacimbas um grande quin-
tal com varios arvoredos de espinhos e o
fundo at a baixa-mar; a tratar na mesma
casa.
Ossrs., que forao approvados para socios
da sociedade Apollinea, e que rccoberto cartas
nes-e sentido, sao convidados para virem tomar
assento na partida (!< \ de marco prximo.
= Pede-s a seohora D Anna Joaquina
Rezerrao lavor deonnum iarporeste jornal a sua
rcsiilencia a lim de se I he communicar um
negocio que Ibe diz respeito.
= A commissao administrativa da sociedade
\pollinea declara aos srs. socios, que OSlivo-
rcm em alrazo, at o lim do auno prximo lin-
do, de suas mensalidades, e que nao realisa-
rcm o respectivo pagamento at o ultimo lo
correnle me/de levereiro.se Ibes negar ingres-
so na partida da abertura, e mesmo serao con
dotados voluntariamente despedidos, em face
do art. 8 ocap. 2.' dos estatutos.
Alugao-se 3 moloques para venderern
p com um caixeiro vallando ao meio dia ,
u no (im da venda para a casa de seu snr. e
tambem se alugao por dia; na Ra-imperial
n. 25.
Aluga-se o segundo andar do sobrado da
esquina do beco do Peixe-frito que vira para
a ra do Queimado ; a tratar na loja do mes-
mo sobrado.
l)-secem mil rs. a premio sobre penho-
res de ouro ; no beco do ^ eras n. 11.
= Arrenda se um grande sitio logo no prin-
cipada estrada do Arraial com casa de podra
e cal para grande familia cacimba com ex-
cellenle agua riacho crrante no fundo com
banbo ; a tratar na ra d'Alegra casa n 31 ,
com Marcelino Jos Lopes.
Perdeo-se desde o Monteiro at Pon-
te d'L'choa ( onde se deo por falta ). um relo-
gio saboneto d'ouro sendo urna das laces de
vidro, com mostrador e ponteiros daeo o
tinlia preza no mctmo relogio urna torrente
tambem d'ouro : roga-se quem o tiver
adiado de levar, ou mandar Praca-da-in-
dependencia loja de livros ns. 6 o 8 que
sera generosamente recompensado.
MUSEO PITTORESCO.
O melhor dos jomaos que al o prsenle
tecm sabido a luz cortamente o Museu l'ilio-
resco publicado em Lisboa por urna sociedade
de litteralos porlup.uezes.
As m .tenas i!e que o Museu se oceupa sao:
rcligio historia anliga e moderna, philo-
sophia geographia, vi igens, si iencia, o bel-
las arles, agricultura, novellas escolhidas, es-
tudos moraes e biografieos ( oflerecendo ii's
ta classo a doscripcao da vida e accoes de to-
dos os reis de Portugal, cdos hroes, que mais
florecerao em cada umdos reinados dando se
os seus respectivos retratos ) pcnsamenlos anc
doctas, mximas moraes, e misscar.ca. To-
dos estes objectos tratados com o esmero do
que socredores forman urna bliblioteca va-
riada e instructiva um alimento para a re-
llexao um recreio dcpois dos trabaios do da.
O volume consta do 16 cadernos, ou nume
ros, em cada umdos quaes ha duas folhas de
impresso de 17 pollegedasdo comprido e 11
de largo ; duas magnificas estampas { de for-
mulo igual ao da imprtsio para a final se en-
cadernaro volume ) lylbograladas em papel vo-
.im (de 40,000 rs. 'fortes cada resma ) com
tal perfeigio, que, mettidasem quadros, pdem
servir para ornamento das melborcs salas e
finalmente em cada numero impar se v una
exacta doscripcao das modas sendo esta acompa-
nhada de gurinos e colleccoes de lindissimos
dobuxos para bordar de branco o de matiz,
o que soi vira de muita uti'idade para as senho-
res do bom tom.
As pessoas, que prelenderem subscrever para
esta excedente obra pdem dirigir-so a Joaquim
Raptista Moreira agente da sociedade nesta pro
vincia em casa de quem se achao j patentes
colleccois do primeiro volume 1 at 16 e
da primeira serie do segundo volume. .
Constando que nesla provincia tem j ap-
parecido venda colleccoes do Museu incul-
cndole = agentes da sociedade para cr-
dito da empresa e do seu agntese previne ao
publico, queaiso tudo quanto se disser a
simiihante respeito A diroccao da locii da-
do declara ao publico que s reconhece vali-
das as assignaturas sendo os recibos do primei-
ro volume = 1 ar 16 inclusive impressos
em ti na verde c os da primeira scrif do se-
gundo volume impressos em tinta encarnada,
devendo ser assignados pelo agente supra de-
clarado o qual garante a subscripcao sendo
feita e paga em sua casa.
Primeiro volume do Museu.
Consta de l(> nmeros 1 at l
32 estampas, frontispicio, e indico &c. por
12,960 rs. muedafraca. )
Segundo volume do Museu.
A direceo dividi este iegundo volume em
; duas leret, a lim de facilitar mais a exlracco .
oslas series ero de 9 nmeros, porem a em-
pieza resolveo alterar esta ordem estabelecendo
agora o segumto :
A primeira serio jfir de S nmeros, prin-
cipiando em numero 17 ofinalisando em nu-
mero 24 inclusivo 6720 rs. [moeda fraca )
A segunda serie lera OUlros 8 nmeros co-
mocando em numero 25, e terminando em nu-
mero 32 inclusive, o mesmo, porm s se paga-
r em 184*.
V. H. Dar-so -ha com on. 32 um novo fron-
tispicio e o ndice -fradas materias tratadas
em os 16 nmeros das duas senes = 17 at 25
nc/us'te=que reunidos formarn o segundo vo
lame do Musen.
= Perdeo se um annelo de ouro com
diamantes e um boto de abertura tambem
de ouro com diamante desde o Monteiro at
o Poco-da-panella ; quem achou alguma das
ditas obras e qui/er restituir, dirija-so a ra
do Queimado, loja de ferragens n. 12 ou
no Monleiro casa, que lira alraz da igreja ,
i|ue Ser gratificado.
Quem precisar de um moco Portuguez ,
que sobo ler, e escrever para caixeiro de um
engenho perto da praca ou para outra qual-
quer arrumadlo annuocie.
s= Manoel Francisco l oolho professor do
grammatica latina do Collegio-S.-Cruz, entina
grammatica latina, e portugueza um caras par-
ticulares ; quem c quizer utilisar de seu pres-
umo dirija-se a ra do Mondego n. 54.
O snr. Francisco Jos Rodrigues, cirur-
gio, queira ter a bondade de ir concluir 0 ne-
gocio que nao ignora no paleo do Hospi-
tal do Paraso indo para a ra da Florentina
n. 18.
= Aluga-se o primeiro andar do sobrado
.1 i Rua-dneita n. 127, do lado da igreja; a
tratar na mesma ra sobrado de um andar
n. 115.
Perdeo-se desde a Rua-ducita d aula
publica de meninas al a ra da Penha, urna
medalha de ouro', pequea, a qual tem um
diamante em um lado e urna crisolita n'ou-
trolado; quema tiver adiado, leve-a a ra
da Penha, sobrado n. 23. que sera recompen-
sado.
= Desappareceo. ha um mez, um prancbao
do lomo de w costados madeira inteirissa ,
com um buraco no ouco, e urna racbadura em
urna ds cabecat com a marca I. A. R. feita
de roela fobre a lettra A o qual desappareceo
da ra da Praia do boqueirao que fica por
detraz da casa, que oi do fallecido Marroquim;
roga-se a pessoa que o liasse por engao, ou
(|iiedelle souber ,, e o quizer restituir de di-
rigirse a Prava-da-independencia n. 39, que
sera gratificado.
ssr Acha-se em praca o sitio que foi do
fallecido Jos Francisco Xavier Lima no lu-
gar do Apipucos para ser arrematado por ven-
da passadososdias da Ici, pela primeira vara
do civel escriv3o llego a roquerimento do
lestamenteiro do mesmo fa lecido ; o terreno
arrendado o silio tem casa de taipa coherta do
(elbas cuma armaco tambem de taipa no
fundo da dita que serve de estribara tem
varios arvoredos de fruto, o de espinhos ; o es-
cripto acha-se em mao do pofteiro.
= Jacinto Ignacio de Almeida Jnior, che-
gado, ha pouio. do Rio-de-Janeiro relira-so
para fra do imperio.
= Quem precisar de um rapaz Rrasilciro ,
de 17 annos par caixeiro de arrnazem de as-
sucar escriptorio, ou de cobrancas, an-
nuncic.
==. Aluga-se urna casa terrea com commo-
dos para urna familia, na ra do S. Jos n. 20,
mesmo pegada ao muro la igreja a qual esl
renovada toda ; a tratar na ra das Cruzes n.
13 tereciro andar das 6 as 9 da manba ,
e das duas as 4 da tared.
jrr James D. Pennell retirase para fra da
provincia.
=. Abrao Crabtree, morador no sitio da Pas-
sagem-da-Magdalena n. 17 d cem mil rs.
de gratilioacao a quem descobrir um roubo ,
I constando de 3 garlos grandes de meza dous
ditos do sobre-meza, urna colher grande do
meza urna dita de sobre-meza, tudo de prata,
marca, umamosegurando 1 punbal no cabo,
em toda ella ; igualmente 250,000 rs. em se-
guas ; sendo urna do 100.000 rs. e 3 de
50,000 rs. a prata tem faltado por diversas
vetea o assedulas foi em umdos dias da se-
mana passada.
Aluga-sc um arrnazem com h portas na
frente na ra de Apollo confronte ao tbealri-
nho ; a tratar na ra da Madre de Dos con-
fronte a igreja segundo, andar, das 7 as 8
I horas da manba o das 3 as 5 da tarde.
^


* \
'.'AW
n O ubaiux assiguado participa ao respci-1 A superioridadc do plano da lotera das mc-
tavcl publico, e principalmelile aos seus fre- moras, eo graodo credibilidad, que adque-
guc/es que contina a tirar passapurtes, tan- rio pe!a cxtraccao da sua primcra parte, fazem
topara dentro, corno tara fura do imperio-, convencer que a venda de seus bilbetes ser
assim como despacha esclavos e gneros, que feita com a niaior rapidez ; o por isso o thesou-
tcnhao de sabir para tora la provincia como re ro declara que as respectivas rodas teraG
tambem recebe eseraVoa para vender, tirando 't o seu impreterivel andamento no da 12de mar-
soinentc a commistSo; quetn de seu prestimo.co prximo futuro.
ye (luizer utilisar, dirija se ao Attcrro-da-Boa-j = Ningucm compro a Antonio Clemente
Estoves do Larris os eseravos segu rites: Vicen-
te pardo com oilicio de pedreiro Sancha,
vista, loja n, -8.Jos Joaquim da Silva
Guimare.
Amga-se o primeiro andar do sobrado da
ra do Bangel defronte da botica ; a tratar
na ra do Cabug luja de meudezas n. 5
cabra, Jorge, da Costa canoeiro, Joao, An-
gola e Jacob crioulo por pertencerom es-
ses eseravos aos orphaos (ilbos do fallecido sur-
Na noute do da 23 do corrente no ser- j gento-mor Ignacio Joaquim Correira Gomes,
mi em S. Tberesa furtarao do boleo de urna dequem 6 tutor o mesmo Larras, visto que,
consta querer os ir vendendo.
FABRICA DE RAPE VILETE.
= Jernimo da Costa Guimarcs o Silva
songeia-so deapresentar ao publico o excel-
sobre casaca
de tartaruga ,
umacaixado tabaco, a qual o
redonda, bem fornida, aberta
de lilbetes na tampa com urna pequea cha-
pula de ouro embotida em cima, tambem com
lilbetes; joga-se a pessoa a quem for oTcrecido,-, lente rap \ioIete, fabricado a moda de Fran-
de apprehendel a e annunciar, que ser
gratificada.
Rogase pessoa que tiver achado
urna caileira do algibeira, na ra do Mondego,
com varios assentos de dividas e cento e cin-'
co mil rs. em scdulas sendo duas de 508 rs.,
encarnadas e urna de 5 rs. azul foi per-
dida defronte da casa de Bernardino Jos Mon-
teiro aonde loi na occiso espancado o abaixo
assignado quem achou querendo entregar,
dirija-se a travessa das Cruzes n. 14, pri-
meiro andar quesera gratificado. Manoel
Jos da Silva fello-monle
Avisa -se e roga se muito a alguns p-
renles que aqui ainda exislao de D. Joa-
quina Mara Coellio fallecida ltimamente
na cidade do Porto e que foi cazada com An-
tonio Jos Coelho ( caldereiro ) morador que
foi aqui por muito tempo e tambem l;i falle
cao que a bern de seus inleresses, e para bor-
daren! o que a mesrna D. Joaquina deixou ,
se entendi com Guilberme Sete na ra do
Queimado n. 25 com brevidade.
Perdeo-se urna chavinba de ouro do
relogio na casa dojury no da 21 do cor-
rente; quem a .".bou querendo restituir,
dirija-se ao paleo do Carino na venda por
l.aivo do sobrado do doutor Ibapina.
Precisa-se de 500 ji rs a premio sobro
bvpotbeca em eseravos; no Atterro-dos-Affo-
gadoa n. 7, primeiro andar.
Aluga-se a frente de um primeiro andar;
na travessa das Cruzei n. 1 i.
Francisco Sevcriannn Rabello avisa aos
ca cujo bello aroma nada deixa a desejar o
estilar moderado sem que lira os narizes e
o maior grao de duracao do que 6 capa/, este
genero sem quo mofe ou seque sao qua-
idades quootomio assis bello, e recom-
inendavel nao s para consumo desta provin-
cia como para reexportaco O fabrican le se
obrga a salisfazer qualquer reclamaco como
expressamento se aclia declarado nos botes.
O preco ixo de 5 libras para cima, nos de-
psitos os quaes se vende a retalho, pel preco
por ,|je os compradores de 5 libras podem ven-
der.
Descripfo dos botes.
Na frente um quadro, que representa
um vasto campo de fumo do qual se ele-
va a figura da fama sustentando as triaos
urna fita que s esvoaca pelo ar com a legen-
da Fabrica de rap vilete no fim v-so o
nome do fabricante de outro lado a legenda
- Garantido pelo fabricante nos depsitos
seguintes ; Atterro-da-Boa-visla n. 37 Rua-
imperial n. 209 ra doQueimado n. 14, ra
da Cadeia do Recife n, 31 ; n'um dos cantos
as armas nacionaes n'outro a legenda Im-
perio do Brasil provincia de Pernambuco.
= F. J. d'Arien retira-se para fra do im-
perio.
dadel8annos, de boa figura cose, engom- capas dos terecros do Carino e nutras obras
ma, e lava bem; na ra da Cadeia de S. An- cortes de lai./.nl.a nqousimoi, chegados nes-
tonio n 5 tes das los lirancoslinos de linho sarja pre-
Vcnd'cm-se corles de superior fazenda da la hespanhola ecera de carnauba ; na.ua do
ultima moda por sera uso chinez para ves- ch';l n- ,l ,0la de Antonio Jos Pereira.
tido de senbora o muito propria para rebu- = cndc-s,c u",a c:,sa ,lc dm,s andarcs e <>-
c5es de homem por ser fazenda de muiln du- 3 > rectificada do pouco lempo en. chaos
raco, pelo barato preco de 3200 rs. cada propnos, s.ta na travesa da .Madre de Dos
corte; na ra do Crespo n. 12, loja de Jos a tratar na ra da Cruz n. o0; tamben,
Joaquim da Silva Maia. vende-se com algum praso, convencu.nando em
Vendem-se lijlos de ladrilho ditos do preco-
alvenaria batida dito grossa dito de lapa^ ->endem-sc. na und.cao de ferrada, ra da
ment ; no Porto-das-canoas do Bccie n. 32. Aurora machinas de vapor da ma.s appro-
Vcndem-sescmentesdeborlalicade to- vada construci-ao nioendas de cana de va-
das as qualidades, cestos para meninos apren- rias quahdade muito fornidas e com todos
derem a andar telhas de vidro ludo por a-I"4-'111'8 niclhoramentoa que a longa pralica
preco commodo ; na ra da Cruz, armazem ten. mostrado serem necessar.os ludo feto na
de louca n 48. mesma labrica e garantido, laixasje Ierro de
Vende-se mantoiga ingleza superior a fundo cha, os mais PI>ro\adas cm toda a
640 rs. a libra e franceza a 480 cha supe- Parte onde s3 usadas Crios de mi, ar-
ror a 2560 rs. caf do Rio a 120 rs., sevada dos do ferro, machinas de moer mandioca,
a 100 rs. .sevadinhade Franca a 400 rs., man- 9e al*m.do Pouco esPaco teiga de porco muito alva a 400 rs. esperma-
Compras
snrs. seus assgnantes do Jornal Panorama ,
que o mez do dezembro acha-se no seu es-
criptorio onde o poden, mandV receher.
Precisa so de um bomem que tome
conta de um venda de sociedade c dando fia-
dor a sua conducta; na ra da Concecaoda Boa-
vista n. 20.
= \ ictorino de Souza Travasso embarca
para o Rio-de-janeiro a sua esclava Joaquina ,
de nacao Angola.
A pessoa que annuncou precisar de
b'06 a OOj rs. a juros sobre bvpotbeca em es-
eravos mora na ruadas Trincbeiras n. 18.
Aluga se o segundo andar do sobrado da
esquina do beco do Peixe-frito, que vira para
a ra do Chieimado ; a tratar na loja do mes-
mO subiado.
= a-se 150,000 rs. a premio sobre pe-
nhores de ouro e mesmo em quantias de 50$
rs. ; na Praea-da independencia n. 21.
Arrenda-se um grande sitio com casa e
arvoredos e com bastante pasto para urna
duzia de vareas de leitc ; na Rua-bella so-
brado novo prximo a mar ou nos Remedios
a fallar com JoSo Anastacio.
= .Manoel Jos de Magalhaes Basto fa/ cer-
to ao publico que se acba desligado de socio
da firma de Novaos & Basto, e se alguein se
julgar seu credor por qualquer ttulo queira
dirigir se ao anuunciante no firaso de 3 das
para ser inimediatamentn embob ado
= Precisa-se de um mostr cozinheiro, que
entenda bem de seu offico ; na ra da Cadeia
i. 50.
=Os abajxo assignados, socios da firma corn-
il.ercial de Novaes & Basto participio ao res-
neitavel publico, quedecommum accordo, e na
mais perleita a mitad e se acba desssolvida a
iiiesina sociedade em consequencia da escrip-
ura celebrada no cartorio do tabelliao Bezerra
Cavalcanti com data de 24 do corrento, fi-
lando pertencendo o mesmo estabelecimento ao
ex-socio Joao Antonio Martins Novaes: assim
como a liquidaco do activo e passivo da mes-
ma firma. Manoel Jos de Magalhaes Ilaslo,
v J'jfi ,\nlQ7i\0 .'VdTln.* A'rt'/if;t
Compra-seuma negrinha de 10 a 12
annos, sem vicios, nem achaques ; quem ti-
\er anniincie. ,
Compra se urna escrava moca robusta ,
e de boa figura ainda mesmo n3o tendo ha-
bilidades ; na ra larga do Itozario n. 50.
Compra-se um cavallo que sirva para
carga ; no quartel de (-avallara a fallar com o
cadete Joao Carneiro da (.unda.
Compra-se prata em barra ou em obra
sem feitio sendo boa paga-so bern ; quem
tiver annuncie.
Comprase bico e renda da Ierra de
todas as cualidades; na Rua-nova n. 69, se-
gundo andar.
Comprio-se garrotinhas de boa raca ,
para criar-so ou mesmo vareas sem estarcir,
paridas, que sejao boas d le te e de pasto
perto dcsta praca ; na ra de S. Rita-nova n
40, primeiro andar. *
Compra-se um pao para tipoia tendo
armaeao tambem serve ; na Prdca-da-Boa-vis-
ta n. 4.
Vendas
LOTEBIA DAS MEMORIAS HISTRICAS.
Achao-se a venda, desde o dia 25 do cor-
rente, os bilbetes da segunda parte da nica lo-
tera concedida a favor da impressao das me-
morial histricasdesta provincia, as mesmai
jojas em que l8o vendidos os bilbetes da do
beatro,
Vende-se cera de carnauba em pipas ,
e barril por preco commodo ; na ruada Ca-
deia do Recife n. 43.
Vendem-se dous mil el. i fres do boi, por
preco commodo ; defronte da ribeira da Boa-
vista n. 56.
Vendem-se semenlcsde hortalica de todas
as qualidades ; na Praca-da-S. Cruz n. 4.
Vende-se cal moido calda ou charo-
pe do tamarindos e maracuj cm garrafas :
na travessa da Madre de Dos n. 11 ," padaria
de Monoel Ignacio da Silva Texera.
Vende-so urna casa de sobrado de um an-
dar esolo, em chaos proprios; na ra do
l.ivramento venda n. 24.
- Vende-se urna negrinha crioula de 12
annos, ptima para se educar; na ra do
Livramenlo n. 24.
Vendem-se dous pretos crioulos de 20
annos, um dito do 27 annos; as Cinco-pon-
fue n *)(*
Vende-se um mnloque de nacao de 14
annos de bonita figura ou troca se por una
escrava da mesma idade ; na ra do Camarao
n. 7.
= Vende-se um negro de 22 annos, de boa
figura e de todo o servil o ; um moleque de
17 annos com principios de sapateiro, que
ptimo pagem e em bonita figura; urna par-
cele americano a 840 rs. a libra toucinbo de
Santos a 120 e 160 rs. na venda da esqui-
na da ra dos Qurleis de policio.
Vendem-se uns passarinhos mui canta-
dores c um checheo ; na ra do Fogo n. 32.
= Vende-se urna linda mulalinha de 16 an-
nos sem vicios o com todas as habilidades ;
e um cavallo com todos os andares, porm
como se acba magro, d-se por preco commodo;
na ra da Conceieao da Boa vista n. 26.
Vende-se urna escrava da Costa de 18
annos. e de bonita figura; na ra de S. Tbe-
resa venda n. 60.
= Vendem-so duas escravas da Cosa co-
zinhao lava'o e sao qutandeiras ; duas di-
tes de nacao Benguella com as mesmas ha-
bilidades ; um moleque de 14 annos ; um es-
cravo de nacao ptimo para todo o servieo ;
na l!ua direita n. 3
= Vende-se um braco de balanca grande ,
de boa qualidade um torno de pesos de duas
arrobas at urna libra mciasde algodo para
bomem fetas em Portugal, babados de li
nho para toalhaselenos, o primeiro volume
do Museu Pittortsco com 32 eslampas em
formato grande lytographadas mui ricas di-
versas obras em bespanhol ludo por preco
commodo ; na ra da Praia armazem n 37.
= Vende-se a posse de um terreno junto a
ponte do Manguinho, do lado esquerdo, o qual
j lem um telbeiro, e diversos materiaes, assim
como alicerces para propredade ; na ra da
Cadeia do Recife n. 4, terceiro andar.
= Vendem-se saccas com muito bom mlho
com alqueirc da medida velba, por pre?o com-
modo ; na ra da Praia de S Ritan. 37.
Vende-se um diccionario francez, e bes-
panhol em dous voluntes : um violao encor-
duado com a sua competente caixa o livro
de mu/ica com muito boas vozes, e preco
commodo ; na ra do Cabug lujas ns. 4 e
6 de Pereira & Gucdes.
Vende-se um metbodo para rabeca ; na
ra de Aguas-verdes n. 42.
= Vendem-se os livros seguintes ; um di-
ccionario Magnum Lexicn Selecta ; diccio-
nario puriuguez por Fonceca; Cornelio ; Ho-
racio em portuguez com dous tomes ; gcome-
hom efleito ditas para espremer a massa de
nova invencao e muito compactas ; assim co-
mo muitos outros objectos da mesma natureza.
Vende-se cera de carnauba caxascom
velas de espermacele ditas de sebo do serian,
tudo de boa qualidade ; na venda de Joaquim
Jos Rabello na ra da l.inguJa n. 3.
= Vende-se ou aluga-se um sitio no lu-
gar da matriz dos A (logados com casa mo-
derna envidracada com duas alcovas, 4 quar-
tos sala na frente c nutra para jantar co-
zinha fra bstanles aores de fruto com
banbo no fundo e chaos livres ; na ra do
Viga rio n. 18.
Vende-se a historia do lilbo de minha
mulher, 3 voluntes aventuras de Lazarilho
de Tormes 1 v. ; Iza bel, ou os desterrados
da Sufra, 1 v. ; novo testamento de Jesus-
Chrislo em bom uso e outras umitas obras
por preco commodo ; na ra da Cruz n. 29,
primeiro andar sendo a entrada pela ra dos
Tanoeiros.
=^ Vende-se um escravo moco de bonita fi-
gura de nacao Angola proprio para o ser-
nrii ile campo; a tratar com Manoel Gomes
\ iegas, na ra do Crespo.
= Vendem-se 23 bostas de roda, todas no-
vas, e em boas carnes 11 tioia ruamos, gor-
dos dous carros um rodete de engenbo ,
dous atacadores de Ierro e mais alguns uten-
cilios de engenbo ; em Goianna no engenbo
Pitu-ass.
= ^ endem-se aritbinelicas, algebras, e geo-
metra de Lacroix 'para uso do Lyceo c do
Collegio das arles na ra da Cadeia do Re-
cile loja de livros de Cardoso Avres.
Eseravos fgidos
- Fugio no dia 15 do corrente o preto Vi-
cente crioulo natural do Porto-dos-louros,
provincia do Rio-grande-do-norte de 25 an-
uos alto, secco, com todosps denles da Iren-
le e limados, olhos avermelhados. um tan-
to carrancudo que parece ser falto de vista,
com urna costura do queimadura no pescoeo do
lado esquerdo bem fallante o de boa pro-
tria por Euclides; e um compendio de aritbme- '
tica por Lacroix ; na ra do Aguas-verdes i
n. 42.
= VpiiIo-c fnnn
I.'. .1.
boa qualidade, lan-
o em porco como a retalho a 9 patacas o al-
queire da medida velba; na ra da Praia n. 20
Vende-se um pardo de 30 e tantos an-
nos com oflicio de sapaleiro bom criado,
e ptimo para todo o mais servieo ; na Rua-
nova loja de trastes.
=a Vende-se sarja preta encorpada a 2240 o
2400 rs. cortes de chalv do listras assetinadas
evou chapeo de seda com 4 molas de
rame, camisa de madapolao e calcas de al-
godo tinto e mais roupa que se nao sabe
la qual usara ; quem o pegar, leve a seu sur.
Domingos da Silva Campos, na ra das Cru-
zes n 40 i"!" sert generotamente recom-
pensado.
= No da 28 de Janeiro do corrente auno
fugio o escravo Felippc crioulo de 20 ir-
nos, estatura regular, rosto redondo, ton
bastantes pannos, dentcs alvos e limados, na-
riz nao muito chato; quem o pegar, leve a
ra do Queimado n. 4 ou na fregu/a da es-
i cada no engenbo Campestre a Ignacio Jos
de novos o bellos padroes ; na ra do Cabug ,
loja n. 10 delronte do ceriero.
Vende-se sarja bespanbola de todas as
qualidades e larguras merino prelo e de
mais cores de duas larguras, pannos finos de
todas as cores t qualidades ricos cortes de
collctes tanto de vHudo como de seda a
gorgurao casimiras linas e ordinarias, do
bonitos padroes chapeos pretos chegados ul-
timamente de formas modernas, e de seda su-
perior ditos de sol, chitas finas madapo-
loes enfestados muito finos e outras muitas
fazendas de varias qualidades : na ra do Ca-
bug lajas ns. 4, e 6 de Pereira & Guedes.
Vendo-se urna escrava de 20 annos, en-
gommadeia costureira e cozinhera ; duas
ditas de 20 annos de todo o servieo, e sao
qu.iaiideiras; urna escrava da Losta de 20 an-
nos com unta cria e iem muito bom leite
para criar; dous moleques de 15 a 18 anno*,
proprios para todo o servieo urna parda de 20
annos. engommadeira e costureira; urna di-
ta de 12 annos, muito bonila ; um preto de
18 annos, proprio para lodo o servieo; na ra
do Fogo ao p do Rozario n. 8.
(B Vende-se lila branca fina propria para
Wanderley ele Mello que sera recompensado.
Fugio no dia 23 do corrente um mole-
que de nome Antonio de 18 20 annos, bai-
lo secco do corpo cara descarnada cal cea
pontuda para Haz tendo em um dos la-
dos do pescoeo algutuaa costuras ; ievou ca
misa de chila azul e calcas de brim (tranco li-
so ; quem o pegar, leve a Ra direita sobra
don. 12!, quesera gratificado.
No da 24 do corrente desappareceo um
moleque, que representa ter 18 anuos, de no-
me Joao officialue pedreiro, tem os quei-
xos bstanles sabidos para fra que parece ter
molestia nos ouvidos ; quem o pegar, leve a
casa de Antonio da Silva Gusinao na ra do
Chicimado n. 39 que ser recompensado.
Do sitio de Joao Pinto de Lemos, oa
- assgc.ii-u-5agdaena desappareceo na noute
de 24 du crrante a preta fzebel de naci
Congo, de 16 annos, estatura regular ebria
do corpo, bonita figura denles limados, la-
w>U ve.-lido de cbila de tiiradrinhos i,j bstanle
usado
quem a pegar, loteao mesmo sitio
ou no Atterro-da Boa vista
recompensado.
n. 53 que ser
Recifina Tip, dkM 1-'ibFavia.JS4 4


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EAU9FW0CJ_9AV1CX INGEST_TIME 2013-04-13T02:26:07Z PACKAGE AA00011611_04591
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES