Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04552


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Auno de fiM.
Quinfa Feira 11
*

O Diamo publicase i.,
,,, .!,. irea mil rs por qunrwl papos adianladoe. Oanimntdedos asesnenle, eaonwridoa
^.lis.oos Opaque naoforom raxo de8) reia por linha A. recIasaaeOee devem ser diri-
gidas a esta ljp na d.-s (.nes n. 'l.im. praga i!a Independencia luja .!, Imosn Be S
PARTIDA DOS CORREIOS TERRESTRES.
GouMU, eParabyba, seguadas e sextaa feiras.Rio Grande do Norte, quimas feiras
Cal. Sennhaem Rio rormoso, Pono Calvo, Macey e Alagoas :aol.e 41 e Jl
I- rada me. Garanhuua e Bonito a lo e 94 de eada mea Boa-vista e Florea a d|
e 23 dito. Cjdade da Victoria, quimas Icira. Oliaida indos os das
DAS DA SEMANA.
S Se.: ;, l.iiMri'nro Jualiniano And. doj. je II. da '_'. t,.
;i Tere a s. Juli.in llel. and. dude 1) da .'!. v.
]:i Quaita a Paulo And do J de I), da 3 i
i\ Quinta s, lirgino Aud.doJ.deD da 2. t.
I Seita a. Stiro And do J. de I), da '-'. v,
|; Sab, I Hilario Bol, and. do .1. del).da I. v.
'] i i).prii. ss nomc de J&os s. relia,
de Janeiro
sr -Mtcrjr*>vrv.rj~rxrr'
Auno XX* N. K.


y Pudo i depende de na artamos; da nossa prude'cia, -poden i fon
i litiuemos como principiamos, e serebos i c >'i admira^.....il i '
/ c illas, [Proel imag ie di \- emb! i ""''
as > ota. 10 iik iimi no, compra,
Cambios sobre Londres'G I Ouro-Moeda de 6,400 v. Wd Jfi.- II >
Paria 370 rea por franco V '" '
. Lisboa M i <>r 100 de premie
Mm'ila de robre 2 por te 11 i
dem du letras Jl- boag firu-aa I a I "^ .'
| Prata Pata
, Pesos colummnarc
Diti Mi ucanos
'lUSI'.S |)\ l.l \ NO MI./. DE I VNEIIU.
I.na oseia a S '
Miog i.inii- a
y ii 1,930
1.1)0.1 '..'."'
! 000
da larde
S as 'I horas ,- I da larde I La nova a ll as 3 borns e a7 mu da lar*
12 ai 7 hora o 101......la tardo I desenle i >J n lll lije 10 m. da manda.
Preamar lmj<.
Primera a< t( dorase 0 min da manliia. | Segunda as 1(1 lloras e 10 minulosda man ia
DA
tmwiy!^nra-.-si.-mviK-jKM!.ratriim^irmijl gr ., ;-iilf fltaalftil

"."
H*tV
M$
O.

?&TE OFFICIAL.
do consulado deve tirar novo titulo por isso
quo vai servir om urna repartic&O diflerente d'a-
(ueila, t'tn cjue eslava.
ll)K!W no DA 4.
OTico Ao inspector da thesouraria da fa-
zemla transmittindo, para serem cumpridos,
os dous decretos de 9 de dezembro lindo pe-
os quaes S. M. o Imperador houve por bem no-
Governo da Provincia.
KXPKUIENTK DE 23 DO PASSADO.
Oilcio Ao inspector do arsenal de marinlia,
declarando, que ein cutnpriinento d'ordetn im-
perial marca o praso de seis metes, para que o
cscrivao, porlolro, e praticante d'aquelle arse-
nal sollicitem os seus ttulos pela respectiva se- !"c^y MiguetATChan|o Monte.ro de Andrade
cretaria d'estado. inspector il allandega, e a Vicente 1 bomas Fi-
nitoAo inspector da thesouraria da fasen- re de Figueiredo Camargo administrador da
da, ordenando, que por contado ministerio da meta do consulado.
guerra mande indemnisar o arsenal de marinia Dito Ao commandante das armas, scien-
do que despenden com fornecimento de combus- lificando-0 il'haver sido promiivido ao posto de
tivel barca do vapor Paquck-Ao-su/.Com- capitn da companhia de cavallaTia Ifgeira de 1.'
municou-seao inspector do arsenal de tnarinlia. llU )](,sla provincia o capitao graduado com-
Dito l)o secretario ala provincia acamara mandanffl d| dla conipanhia Sel.astiao Lopes
^M^J>l9n^'^^,;'^l6Jt0 (.uimaraes.-Tamben, se participou aoins-
balanco da respectiva recolta, e despesa no an- i
no lindo, e do orcamento para o armo luturo. P^tor da thesouraria da la/enda.
Ditono mesmoao inspector da thesoura-
ria da fasenda, transmittindo, para ter execu-
ca, a ordem do tribunal do Ihesouro sob n.
167.
dem do da 29.
Officio o secretario da provincia ao ins-
pector da thesouraria da lazcoda transmittin-
' r ., j ,.: do batalhao de guardas nacionaes destacado,
do, para quo tenba execucao a ordem do tri-
Dito Ao uiz relator da unta de justica ,
rcincltendo. para serem presentes a mesina jun
la e por ella julgados os processos dos reos
Francisco de Sousa Pontes Francisco Anto-
nio de Nousa Manoel Antonio do Espirito-
Santo, e Antonio Manoel de Mello soldados
bu na I do thesouro sob o n 214.
DEM DE 2 DO COKKENTE.
Officio Ao agente da companhia das bar-
cas de vapor significando que pode fazer se-
guir para os porlos do sul pastadas as 48 ho-
ras do estilo, o vapor l'ernambucana, que em
officio d'esta data (2) participa ter chegado no
norte. Kxpcdirao-se as convenientes ordens.
Dito Do secretario da provincia ao ins-
pector da thesouraria da fa/enda transmittin-
do para serem devidamenlc ejecutadas, as
ordens do tribunal do thesouro sob os n.us 2-29 ,
233, e234.
dem do da b
OlTicios Ao commandante das armas, e
ao inspector da thesouraria da fazenda, remet-
noiii;. iiiui'iiiniu->i; aa uiuiciiiciiw uiui-i, __, ......... I.,
r .. ,,,., tendo copia do aviso da secretaria daguenade
liara que no referido vapor losse transporta-
', ., ,, 15 de dezembro ultimo acerca dos vencimen
dos para a corte o tenente-coronel Ricardo Jo-
s Gomes Jardim, e bem assim um caixoto com
notas que devia ser entregue no tribunal do
teseuro.
IEM DO DA 3.
Officio Ao agente da companhia das bar-
ias de vapor autorisanuo-o a lazer seguir o
vapor Imveratriz para os portosdo norte de-
i ,i r, a i i j> cubicas, autorisando-o a mandar empareiiur
pois de indas as 48 horas de sua estada no d es- Fuu,"'ao "" ___......<
tos,
queso devem abonar aoscoronis de cavallaria ,
e arlilharia montada quando esliverem com
mandando corpos, aos tenentes-coroneis, e
majores das ditas armas quando nao o eslive-
rem, e aos tenentes-coroneis, e majores de ar-
timaa p neste ultimo caso.
Dito Ao engenheiro em chefe das obras
la cidade Derao-se as precisas piovidencias,
para que fosso connu/ido ao l'ar o dinheiro ,
que nesiu occasiao linha de remeller para all a
thesouraria d'esta provincia.
DitosDo secretario da provincia ao ins-
os sentenciados empregados as mesmas obras.

dominando das Armas.
EXPEDIENTE DO DA 22 DO PASSADO.
Officio Ao Exm. presidente, Informando o
pector da thesouraria da fazenda transmillin- requerimento do primeiro cadete Alfonso de
Al-
Dito Ao mesmo Exm. Sf., Informando o re-
querimento do soldado d'artilharia Jos' Tilo-
ma/ d'Aquino d'Oveira eMello, no qual pedia
um mez de llcenca.
Dito Ao inspector da thesouraria, ro^an-
do-lhea expediccaOde saas ordens, para quo08
prets, o Iblhasdo batalhao de guardas nacionaes
destacado fossem logo satisfoitos a 2 de Janeiro
(presente; por isso que nesse dia teria lugar a
mostra, pagamento, eexclusati das pracas que
excedessem ao estado completo da forca marca-
da para o corpo destacado.
Dito Ao commandante interino da fortale-
sa do Hrum, intelligenciando-o, que obrigueiu-
giei Kart-grey devia ser reconhecido como trans-
porte, r sent dos regulamentos a que eslao
sugeilos os navios mercantes, por assim o de-
terminar S. M. o Imperador em aviso expedido
pela secretaria d'estado dos negocios da maii-
nha em dala do Sudeste mez (dezembro .
Igual communicacao se fez ao comman-
dante da fortalesa do Huraco.
Dito Ao commandante do batalhao d'in-
fantaria de guardas nacionaes destacado, com-
municando-lhe que Exm. Sr. presidente no-
meara segundo-commandante para urna das
companhias do corpo de polica ao capita Fran-
cisco de Paula Meira Lima, e que, estando elle
no commando de unta das companhias do son
batalhao, s devia ser delle excluido no dial,
de Janeiro presente), para irexercer suas func-
coes naquelle cArpo.
TI:
Dito Do mesmo ao referido inspector, in- p,^ s() por |H, Mpoderia8 passar as certtd8es
telligenciando-o d'haver sido declarado pela se aulhenticas de seus assentamenlos, conforme
eretaria d'estado dos negocios da fa/enda que exiga o consclho supremo militar em despacho
o guarda d'allandega que passou para a meza de 4 do frrenle, o S. Ex. em seu officio de -20.
>^jariaaraawa
vaaaBBBcaarv?.']
FOLHET
SAO MIGUEL ARGHANJO.
3."
DEP0IS DO BAILE.
mens
E porque ha do ser impostura? Esses be-
sos obedecers ao impulso do seu corelo;
seu procedimento todo desinteresado, e vm.
injusto para com elles...
E que vos diz, que nao sou justo para
comigo? ...
_ Nao o comprehendo mais, diz aterrada a
mofa. .
Ah verdade, que me nao podis coin-
Meu pai, diz Beatriz lancandoos bracos ao prehender... Ouvi, Beatriz fallemos d'outra
peseteo do velho, quo tirilla OS olhos fitos no eousa... ou antes, nao,separemo-nos. lambem,
chao, naosaberei cu nunca o motivo da nielan- se desta festa lenho de conservar Pf^ar|^Jem^
eolia,que o devora? ,
Que (aliis vos em segredo? Eu nao os
lenho, responde!)o velho perturbado. Se eslou
triste, porque padeco, 6 porque a vida me can-
ee, e porque enlangueco misoravelmente sob o
peso de urna velhico sem gloria, esein honra.
Seto honra'... Si'lll gloria!., lnln vm
por nada corita esses restemunhos de respeito..
de reconhecimento, que anda ha pouco...
-^ Ai, Beatri'-! tambem vos tomis aquillo
por cousa seria internnnpeo o conoe com riso I ello me diverte,
molador, em que se pinta Va a amargura de urna
ideia mortilicadra... .
O que, meu pai! esse triunrphodevidoaos
seus trabalbos e beneficios!...
Mentiras Boatris; impostura !
Temos presentes jornaes ingle/es, que alean-
cao a 6 de dezembro prximo lindo ; os quaes,
posto que puncos diasadiantem s lolbas por-,
tugue/as ltimamente recebidas, todava for-
necem-nos as seguinWs noticias, que |ulgamos
importantes :
A rainha da Inglaterra andava visitando os
condados centraos ( Midland ), onde se fazao
grandes preparativos para a sua recepcS, co-
mo arcos triumphaes, c,
Tinba ltimamente tido lugar entre o con-
de de Aherdc' Sandeman Forsler & C.
urna correspondencia importante relativa ao
Commercio dos vinhoscom Bortugal ; da qual
se deprehende, que tinba em fim ccssdo toda
a perspectiva de alguma reduccao do direitos:
polo que presumia-se, que o commercio dos vi-
nbos nao permanecera por mais tempo em
estado de inacao.
Corritt uiiiucin Lolos mu diversos a res-
peito da volta do duque de Palmella para Lis-
boa n'aquellosdias. L'ns diziao, que elle tinba
sido chamado para formar urna nova admmis-
tracao; nutra verso da historia era que elle de-
via tomar parto com o actual ministerio na di-
reccSo dos negocios; entretanto que um tercoi-
ro boato, muito differente, rliza que elle tinba
incurrido no desagrado do seu governo em
consoquencia dogeito que tern tomado asno-
gociacoes rotativas ao tratado. Em referencia
a estes lualos ( acrescenta o Eveing- Ma )
de notar sol) a autoridade do pessoas da cor-
te que estilo bem informadas de toda a historia
do negocio do tratado e que vigiao de porto
.i poltica portugueza, que ncnhuio d'clles tcm
a menor sombra de verdade.
As ultimas iblhss do Paria recebidas em
Londres, orao datadas do 4 de dezembro.
Mr. Engorran deputado convencSo na-
cional ao consclho dos quinhentos o ao
corpo legislativo, linha morrhlo a '21 de no-
ve mbro em Avranchcs na dado de 93 an-
nos.
O Satn, Ait. quo na occasiSo da visita do du-
que de .Bordcaux a Berln tendo o conde de
Brosson ministro franco/, junto aquella curte,
procurado induzir o rei .la l'iussia a nao re-
cebiM-o respndeos. .''.
n Nao me cabe privar o conde do Chambord
du dignidade de descendente deS.Luu.dellen-
riquo 4.u o do Luiz 14. O mais que posso
lazer, 6 nao o receber corno rei de Franca ; e
do fado o rei da l'russia deseco ao fundo das
escadas para esperar ahi o duque e receheo-o
com as mesmas honras quo foro tributadas
ao imperador da Russia.
O Sicle allirma que o governo tem aban-
donado a sua intenefio le pedirlas cmaras urna
dotacao para o duque de Nemours.
O Jornal-des-debats continha um artigo a
respeito da visita do duque de Bordcaux In-
glaterra o qual artigo evpressa a muior in-
dillerenca do governo Irancez a tal respeito ,
ainda que prevenido de quo ella est interessa-
da om conjuntos contra a actual ordem de
cousas da Franca.
Omarquezde Drcux Brozo pardo franca ,
devia partir de Pariz para Londres no dia 9 do
dezembro.
A residencia do duquo do Bordeaux na In-
glaterra continuava a oceupar a attencaodos
.cus partidistas e do governo em Pariz; porin
a massa do novo era ipleiramente ndimtrente
a esse respeito ao passo que as folhas demo-
crticas o tratao somonte como assumpto para
o ridiculo.
a A crescida audacia dos legitimistas france-
zes em Londres diz urna carta de Pariz tem
determinado o governo a perseguir do toda a
forma possivel aos que tomarom parto no ro-
conhecimento do duque de Bordeaux cjimo
rei de Franca pois que provar-se-ha quo pa-
ra isso foro ellos a Londres. Um ; rtigo do
Jornal-des-dcbuts demonslra esta determina-
dlo o t|uo 6 tanto menos par admirar, quanto
999B1
Assim como vm., meu pai, que licaria des-
consolado por o nao ver mais...
Desconsolado e porque ?
i) meu Dos! por urna cousa bem sim-
ples. .. porque elle vai todos os dias a casa do
nosso visinho pintor; porque meltendo-lhe vm.
em cabeca tornar licoes de pintura, elle sem o I goste, 4 exigir de vos esta submissao, como
saber serve junto ao Sr. Pablo de agente da vi cumprimento de um rigorosa dever. >a
gilancia paternal de que o circulis; Porque, em mais um projecto, de que trate igeiramonto, 6
prente encobria triste sentimentodoresignacao,
o commovido continuou:
Em qualquer outra occasiSo,mioba lilha,
aecusar-rne-hia de acceitar o vosso acto du obe-
diencia, pudendo ello parecer um sacrificio...
mas boje sou toreado, por mais que iso me des-
O V.deflanon." I,e2.
branca, polo menos nella tereis vos adiado al-
guma amavel dtttraccaq... e a assistencia nao
interrompida do cavalleiro d'Arezzo...
Tem ella entao alguma importancia aos
seus olhos, meu pai?
Nenhuma, porque vos deixci a escolha ti-
vm Poorri
_1 Pois vm. ncrediton ?... ,
Sem duvida... Nao o nmais vos ?
A qnem? ao cavalleiro O que ha, k que
o roe diverte.
Dizcis a verdade ? Oh quanto bem me faz
esta certesa Sabis vos. Beatriz, que esse ca-
8ileiro d'Arezio nunca roo desagrodou tanto
como esta nouto, e que tinba resolvido echar-
Ihe d'hojecmdiante miiiha porta?
Mas agora vm. njo o l'ar ?
Nao queris que o faea?
urna palavra, Ihe falla nelle...
O conde obsorvou silencioso sua filha, c de-
pois de una pausa assaz longa assifll continuou:
"__ Nao quera cu. Beatriz, pronunciar mais o
.nomc de Fahio; mas, pois que vos mesma o li-
uma necessidade imperiosa, que a sorte me iin-
poe, e que eu da minha parto vos imponho. A-
manha iroi a casa de l-'abio Sperola.
A sua casa disse Beatriz enriando.
Para dar-lhe parte das minhas intencoes.
zestes, dirigir-vos-heiuma simples o ultima per- Duvidareis approvaro meu comportamonto?
gunta. Posso esperar de vos franqueza inteira .'
Eu o escuto.
Se vos eu dicesse: Beatriz a uniao, em que
J dei a vm. minha palavra.
E para o futuro, minha filha, nao me cen-
surareis do vos haver obligado a um casamento,
tenho pensado entro vos o Fabio, pode aos olhos cujas consoqueneias...
daquelMS), que nao conhecom os motivos, liare- i Ksse casamento, meu pai, 'a.loda nao est
cor um acto de loucura, convenho nisto; mas feito, replicou a moca Sorrlndo-so. Vm. esque-
desta uniao dependem o socego e serenidad! de ce sempro que primeiro que tudo nennasarlo o
.,,, a vclhosar.ncs... Que respDucfica s'.' cunsentimento desse rapaz, e nao sei so me en-
I'.espondor-vos-hia, meu pai, que o meu I gano, tenho na ideia, que islo ser ornis dif-
dever 6 a submissao, quo a minha ventura nao ficil.
pode separar-se da vossa, c que estou prompta | Algumas patarras insignificantes terminrao
a obedecer-vos. o colloquio.e o coode.abracando sua filha,e dan-
O losto de Beatriz nao havia exprimido du- do ordem,que so ochassern as portas, retirou-se
ranteesta fesposta, nem satlsfaeio, nem repug- ao seu quarto.
iKincid, O velho julgou que esta indilleioneaap- -- Beatriz fingi quo se ia para o seu: mas



2
0 negocio parece tcr tomado um vulto extra-
ordinario.Em i|uanto ao duque de Bordeaux,
contina o corrospondento impossivcl nao
1 De tributar respeitos; mas conlesso, que a
gente que o cerca c aquella que o defendc e
apoiii us columnas da imprensa parisiense,
a que no mundo menos merece a sympathia
ingloza. O veneno derramado contra a Ingla-
terra pelos mais rancorosos dos jornaes republi-
canos de Franca,tem superabundado as folhas
do partido legitimista. A rasao d'isto im-
possivel explical-ad outro modo que nao seja pe-
lo paradoxo tantas vezes repetidoqueos-ho-
mens nunca perdoao os beneficios que se Ibes
id/.
polica.
Illm. e Exm. sr. Depois da minba ultima
parte a V.Exc. de 13 de de/.embro lindo, cons-
ta das partes, dadas por alguns delegados, que PatachoNovo-congressosal.
no districto do Poco-do-viado termo de Ga-
ranhuns foi assassinadocom dous tiros Anto-
nio de Miranda ; Picando em perfeito socego os
Que no lugar denominado Ferreiros do dis-
tricto de Pedras-de-fOgo termo de Goianna ,
foi tamliem assassinado com dous tiros d urna
emboscada Manoel Jos de Oliveira : tem-se
procedido nos termos da lei c (az-so diligen-
cia para se descobrir os seus autores. Assim co
rao que no mesrno districto de Pedras-de-
fgo tendo o inspector de Cana-braba pren-
dido em flagrante um individuo que maltra-
tava com pancadas a sua mulber, lora aggre-
dida a patrulba que o conduzia por outro
individuo, s<> couhecido do dito preso com u
intento de o tirar do poder da polica ficando
todava Irustado seu criminozo projecto; porm
pode se evadir deixando ferido um dos con
ductores do referido preso de que se compu-
nba a dita patrulha.
Que no termo de Olinda occorrrao alguns
leves ferimen tos, ccontusoes no preto Jos,
escravo do Mosteiro do S. Benlo, de que se pro-
cedeo corpo de delicto ; e por iguaos crimes
ioi pronunciado a priso, u livramento o pa/do
Fiorianno, de S. P. Martyr.
Que no termo de Cimbres foi morto deum
tiro o pardo Jos Pereira por Jos Luciano ,
em que hmivesse da parle d'este cumplicidde,
por se tcr disparado casualmente as maos do
dito Luciano urna davina; entretanto procede-
se na inquiriciio de testemunbas para conheci-
rnento verdico do facto.
Que no termo de Santo Antao foi preso Joao
Fe lis de Santiago, por furto de cavallos e de-
nuncia de baver assassinado no logar de S. Jo-
s, termo do Flores, a Joao Rodrigues: ficava
em andamento o respectivo processo.
Pelo mesmo delegado me foi ltimamente
participado, que no dia 25 do me/, p p. pere-
erao incendiadas em urna casa de palba que
havia naquelles lugares recnditos, quatro cri-
anzas sendo da maiordor, e compaixo, que
nem urna so pessoa houvesse no lugar que as
acudissem por as n3o ter de visinhos e nem
seus proprios paisse achavao em ugar.que ou-
vissem o incendio na dita casa.
E que no lugar de Appipucos,
rijarje
do corrente.o Portuguez Jos Jacinto de Jledei-
ros, feitor de Joao Pires Ferreira e o paido
Candido Jos riado de Sebastiao de Mello
Aciole, recebendo aquelle 7 faccadasem diver-
sas partes do corpo e um ferimento na fontc
esquerda e este 16 ditas inclusive 5 no peito
direito; ambos assassinar-se-hia se afli na occa-
siao nao acudissem diflTerentes pessoas.
E o que consta das mesmas partes. Heos
guarde a V. Exc. secretaria da polica de Per-
nambuco 10 de Janeiro de 1844. Illm. e
Exm. sr. Barao da Boa-vista presidente da pro-
vincia. Caelano Jos da Silva Santiago ,
ebefe de poiicia interino.
COMMERCIO.
Alfandega.
Rendimento do dia 10......... 8:458S011
DescarregSo hoje 11.
BrigueSlwartcarvo e ferro.
DitoRaltuurcarvao de pedra.
HarcaHelia-Pernambucana cunhetes aba-
tidos o arcos.
DitaCubridla sal.
BarcaHerscellarinba.
DitaGlobefarinba.
BriguePowleneyfarinba.
BarcaNavarra cha sabao
Brigue/c BarcaMarylastro.
DitaThomaz-Mellor diversos gneros.
HiateOlindaidem.
e manteiga.
Soviento do Porto.
Navios entrados no dia 9.
I Liverpool; 38 dias barca ing\ei& Thomaz-
Mellor de 257 toneladas capitao James
Peletorfc equipagem 14 carga fazenda e
mais gneros.
Macei ; brigue-escna de guerra Gararapes ,
commandante o 1."lente Jos Segundino
Gomcusouro.
Navios sabidos no mesmo dia.
Para crusar ; brigue-escuna de guerra Leopol-
dina commandante o capitao-tenente An-
tonio Jos Peixoto.
Para ; brigue brasileiro Deos-te-guarde, de
138 toneladas, capitao Manoel Luiz dos
Santos, equipagem 12 carga varios gene-
ros.
Navio entrado no dia 10.
Baltimore; '8 dias brigue americano Powltney,
de 231 toneladas, capitao J. Monot, equi-
pagem 9 carga farinba de trigo e fazen-
das: a consignacao de L. G. Ferreira & C.
Deca racoes.
termo desta
lHIUIl IU,
.... .1:-
li i Ul O
logo que se acliou so, dirigio-sc para a escada,
subi rpidamente tres andares, e l metteo-se
por um longo corredor, onde se orientou perfei-
tamente apesar da escuridao que alli reinava.
Umaligeira fresta de luz Ihetinha todava guia-
do os passos, o tocando com certeira mao urna
jnolu, cujo segredo sem duvida Iheera familiar,
nriinn-seem um quartinho modestamente rno-
bilbado, e cuja apparencia fazia singular con-
traste com a sumptuosidade do palacio d'Atbi.
N8o surprehenda esta diflerenca, porque o tal
quarto nao fasia realmente parte do edificio do
palacio, mais sim de urna casa que llie era con-
tigua.
Emfim por modesto e simples que fo>e<> esse
quarto, nao deixava de ter sua originalidade.
D'aqui grinaldas.d'alli folhas espalhadas,coras
pelas paredes, por toda a parte flores, desorto
que quem sahisse do palacio d'Albi poda crr
ter (Misado UQ jardim e entrado n outro. Ao
pritneiro aspecto pareca vasio o quarto, mas,
gracas a escassa luz de urna lamparina, desco-
bria-seem urna alcova aberta um leito de me-
diana grandesa, em que repousava, anda vesti-
da encantadora menina de desasis annos a-
pegas, mas cujo somno pareca muito agitado.
Que velhacouto era este? Quem era essa rapa-
riga '.' Assim alojada em urna cesta de cravos a-
burtos erosas de.>folhadas,sera a fada miste-
riosa de alguma provincia desconhecida do im-
f
= O administrador da meza da recehedoria
das rendas geraes internas avisa ios morado-
res dos bairros do Bccife S. Antonio, Boa-
vista e Afiogados, que a relacSo dos devodo-
res da taxa de escravos, imposto do banco se-
ges, ocarrinhos canoas, e bens de mao mor-
a j se acha prompta para ser remettida pa-
ra iuizo e por isso avisa pela ultima vez que
espera at lo do corrente para vircm pagar. Re-
cebedoria 2 de Janeiro de 1844.
Francisco Xavier Cavalcanti de Albuquerque.
O agrimensor, abaixo assignado, ofTerece
os seus serviros s pessoas que tivercm proprie-
dades demarcar, e ailanga a mais escrupulo-
sa exactido e o maior zelo no desempenho da
sua arte ; devendo todos os que do seu prest
mose quizerem utilisar,dirigirem-se (porcarta)
ao mesmo abaixo assignado na Rua-direita ,
sobrado n. 121.
Joaquim da Fonseca Soares de Figueiiedo.
perio? Ai! na5. A pobre moca era simples
mortal, simples vestido de laa trajava preso a
um espartilho de veludo a moda domingueira
das camponesas dos arredores deZurich. Ouan-
to ao bosquete florido,cuja elevacad podia fasel-o
passar por urna imitaca em miniatura dos jar-
dins suspensos de Sem ramio, aos olhosde un
observador grande paito uevia perder do seu
mgico prisma. Era alta noite, e apesar disso
as i mollas se nao haviao fechado, o fresco or-
valho nao formava aljofares nos estantes, e os
botoes meio-abertos nenhum perfume cxhala-
vao. Era as cores bem vivas, mas essas cores
nao tinhao o aveludado das natures. Tudo pa-
reca bello, mas nada viva. A estas paiavras
adevnha todos, que a joven dorminhocacra,
nao urna densa no mcio do seu templo, mas li-
ma, florista no seu laboratorio.
A hulha que Beatriz fez ahrindn a porta, s
rapariga senou-se ainda riml uuordada.
Quem est ahi? disse ella com voz balbu-
cante e esprigucando-se.
E quem podia aqu entrar por esta porta,
se nao fra a tua amiga, se nao lora Beatriz?..
Anda, Theresa esfrega os olhos o reconhe-
ce-me. '
Oh nao tenho necessidade de a vf, para
a conhecer. Basta-me a sua voz. Mas, dga-me,
nao iiui;o mais nada... entao o baile est aca-
bado ".' ,
O abaixo assignado cscrivao e administra-
dor da meza de rendas internas provinciaes des-
ta cidade faz publico,para que consto a todos os
propietarios de predios urbanos dos tres bair-
ros desta cidade o povoacao dos AITogados ,
que,tendo-se lindo no ultimo de dezembro pr-
ximo passado o praso marcado por lei para pa-
gamento a boca do cofre da respectiva decima ,
do 1." semestre financeiro de 1843 a 1844 ,
est procedendo executivamente contra todos
os devedores nao so do somestre cima men-
cionado como tambem dos annos anteriores.
E para que chegue a noticia de todos mandei
aiixar o presente e publical-o pela impreusa.
Recife 10 de Janeiro de 1844.
Luiz Francisco de Mello Cavalcanti.
= 0 primeiro escripturario da meza do ren-
das internas provinciaes desta cidade.abaixo as-
signado, tendo sido encarregado pelo sr. escri-
vao, e administrador de proceder ao lanamen-
te da decima dos predios urbanos do bairrodo
Recife avisa aossrs. propietarios, e mais pes-
soas interessadas em dito lancamento que d
principio ao mesmo em 3 do prezente mez. M-
nade rendas internas provinciaes 2 de Janeiro
de 1844. Jos Guedes Salgueiro.
O abaixo assignado, encarregado do lan-
camento da decima dos predios urbanos do ha-
irro de S. Antonio desta cidade, avisa aos srs.
propietarios o a quem convier, que no dia
3 do corrente principia o lancamento da refe-
rida decima, assim como previne aos inquili-
nos das casas, que tenhao promptos os recibos
do aluguerdas mencionadas casas. Recife 2 de
Janeiro de 1844. O 1 escripturario ,"
JoGo Ignacio do fego.
THEATRo PUBLICO.
QUINTA-FEIRA 11 DO CORRENTE.
OARTA REPRESENTACA
da
COMPANHIA RAVEL.
1." parte.
Dar principio ao espectculo s 8 horas
em ponto um overtura em grande orchestra.
Seguir se-ha
A festa campestre, ou os velhos dansadores,
pantomima cmica : a maior parte d'esta peca
ser executada em duas cordas.
DittribuifBo.
Cnvalleiro Loardaa carcter cmico Mr.
Francisco Ravel.
Escrivo da aldea Mr. Joseph Marcetti.
Giroun, velho rendeiro, Mr. Lon Gia-
velly.
Colin, joven aldeo Mr. Marti o Giavelly.
Jacob velho rendeiro Mr. Carlos Winther.
Annica flha de Giroun madama Eugenia
Fenelon,
Madama Jacob madama Martin Giavelly.
Camponezes, e camponezas.
Dansas intercaladas na peca.
N. 1. AllemSa, por Mr. Martin Giavelly ,
e madama Fenelon.
2. Passo do velhos '
3. Adagio doTancrcd|
4. Passo de Dous. i
8, Valsa.
La Rosita.
valsa com grande orchestra.
Dansas de corda.
N." 1. Passo de marinheiro por Mr. Francisco
Ravel.
2. Passo de Vindimador com tamancos nos
ps, pelo celebre jocoso Mr. Lon Gia-
velly.
3. A gavota de vestris por madama Martin
Giavellv.
por Mr. Carlos Win-
ther e madama Mar-
tin Giavellv.
4. A' procura ; scena guerreira pelo pequeo
amor de 3 annos e meio de idade.
5. Mr. Carlos Winther terminar as dansas de
corda pelos seus admiraveis exercicios o
executar pela primeira vez o grande passo
do Tamboril.
A Cachucha dansa hespanhola
pela engracada madama Lon Giavelly.
Intervallode 15 minutos.
2.* parle.
Grande overtura.
Ter fim o espectculo pelos extraordinarios
exercicios dos
Beduinos rabes ,
que teem excitado a admiracao de lodos ns p-
blicos* da Europa e da America ; os quaes te-
em-nos acolhidocom os maiores applausos.
Das temerarios e incriveis.
Festa rabe pela companhia.
Passo de D rvich.TurbiiliesIndianos.
Saltos eerigosos.
O Pclotao Marroquino.
O extraordinario e arriscado exercicio, de-
nominado
O salto da butalha,
por Mr. Lon Giavellv que dar um pulo pe-
rigoso por cima dascabecasde 12 homens ar-
mados de granadeiras, as quaes se disparars
ao mesmo lempo ; exercicio que so tem sido
executado por elle.
A Pyramida do Egypto ,
construida por tres Beduinos, montados uns
sobre os outros.
A mesquitade Mahomet.
Este singular e extraordinario espectculo ser
concluido pela grande
Pyramide humana Grande quadro,
com fogod'artificio.
Precos de entrada.
Camarotes da 1.a ordem, ns. 1 e2, 8,000
reis; os seguinleso.000 rs.
Camarotes da ordem nobre ns. 1 e 2 ,
12,000 rs. ; os seguintes 6,000 rs.
Camarotes da 3." ordem, ns. 1 e 2, 4,000 rs;
os seguintes 3,000 rs.
Frestas 1,500rs. ; plateia 1,000 rs.; casuc-
las 500 rs.
Avisos martimos.
foi
A urna hora pouco mais ou menos.
Havia de divertir-se muito? A festa
brilhanto!
Brilhante pede sor... na5 me lembro
mais... O quoseique nunca senti tanta ale-
gra, nem tanta esperanca tive. Elle ama-me,
ni i nlia boa 1 heresa; agora estou certa de que el-
le me ama.
Ah sim, respondeo Theresa accendendo
a alampada... Elle... sempre elle... Signorina!
Entao nao quer absolutamente diser-mo o seu
nome?
Que te importa o seu nome. ..po?s que
sabes que elle me ama, e que eu sou feliz ?
Theresa respondeo a Beatriz com enfadado e
gentil momosinbo. Um instante depois, ajuntou
as maos e soltou um suspiro.
Tu lens alguma couso, Theresa ?
Ah! chara ccr.hcra, se mulievesse...
Ora atreve-le, anda, eu t'o permiti.
Pois bem, visto que a senhora m'o por-
ffiitte, : dizer he o que rae atomcuia. Sem-
pre me tenho mostrado submissa e obediente;
tenho seguido as suas vontades, sem nunca del-
tas pedir-lite conta... mas hoje... confcsso-lhe,
senhora, receio-me do que tenho feito, recuo
ao que tenho ainda a fazer... porque emfm,
qunto aqu se passa um mystero para ose-
nhor conde. Culpadas somos ambas; a senhora
de ter segredos para elle; eu de ser a sua com-
A saludado brigue americano Feliz, annun-
ciado para o Rio-de-janeiro na sua chegada do
Ass.ica iranserida para a Babia no dia em que
se recolher a este porto; quem quizer ir de pas-
sagem com antecedencia pode ir tratar com o
consignatario Manoel Joaquim Pedro da Cosa
na ra da Cruz n. 51.
Para Lisboa segu inmediatamente a bar-
ca brasileira Ermelinda ainda recebe alguma
carga e passageiros; quem se quizer utilizar
dirija-se Francisco Severiano Rabello no
Forte-do -Matos.
Para a Bahia sahir sexta-feira, 12do cor-
rente, a barca americana Ilerschel; quem qui-
zer ir de passagem pnde entender-se com os
consignatarios Henry Forster & C. na ra do
Trapiche novo n. 8.
= O hiaie iinda pretende sabir para o A-
racaty no dia 24 do corrente : para frete trata-
se com Manoei Joaquim Pedro da Costa.
= O brigue americano Powltney seguir
viagem em poucos dias para o Rio-grande -do-
snl ; quem quizer ir de passagem para que
tem exccllentes commodos dirija-se aos con-
signatarios L. G. Ferreira & C.
= A barca franceza Camelia deve sabir para
o Havre no dia 20 do corrente recebe carga
o passageiros, para o que tem excellentes com-
modos : fallem com os consignatarios Bolli &
Chvanos,
plicc... Em urna palavra, nao se agaste de as-
sim Ihe fallar: cu ajudo-a a engaar seu pui; e
engaar um pai mo, muito mo.
Theresa, teniendo hu ver mostrado demasiada
audacia, pozas maos cono supplicantc Beatriz
Ih'as apertou as suas. elranqufllisando-a com
lninni'olo Cnrrictx Atea* Ihrt
Minha boa Theresa, nao exageremos as
cousas, e examinemos em calina quaes sao os
grandes crimes, que tanto te amedrontao. Ha
quasi um annoque chegaste ao palacio d'Albi,
bem triste e bem abatida, pois que deixras Zu-
nich. p >r havero co chamado tua maja si-
ta miii que lora tambem minha, pois que me
nutrir com seu lete, e vellora sobre meus pri-
meiros annos. Tu vinbas reclamar de meu pai
o cumprimento de urna promessa sagrada. Ha-
via-sc elle obrigado a tomar conta do ti. logo
que tua ni ni morrease, e a vellai por sua vez so-
bre a tua abandonada juventude... Ora nesso
dia eslava eu s no palacio, meu pai tinha sa-
bido, e deves recordar-te que me adiaste bem
commovida e toda oceupada de um plano, que
minina va na ideia, mas que nao podia execu-
tal-o sem o soccorro do una amiga, sem o ap-
poio de urna irmaa. Tu consentiste em precn-
cher para m'im estes dous papis. Kntad sem
exigir a revelaco de um mvsterio que o mes-
mo Dos me vedava confiar a quem quer que
iusse nesto mundo, sejuiste-me para este sota
1
,


h

Para Hamburgo, ou oulro qualquer porto
frotare o vcleiro hrigue nglez Scty lorrado
de cobro, de primeira classo Al, os pre-
tondontes di-rijao-se aos consignatarios Me.
Calmont & C.
Le loes.
Manoel Joaquim Pedro da Costa contina
a faier loilao do lotos de 10 a 100 saccas de su-
perior faririba no armazem de Dias Ferreira ,
c de Jos Goncalvcs Torres e nos mesmos se
vendo a rctalho a 1600 rs. a sacca de 2* al-
queiros.
Manoel Texoira Barcellar la/ leilaono seu
armazem defronte da cscadinlia d'allandcga ,
no dia 12 do torrente as 10 horas, de urna
pequea pon 5o do vinhos.
Avisos diversos.
= Aluga-sc o excellente predio da ruado
Amorim pertencente a o Exm. sr. Manoel de
Carvalho Pes de Andradc, o iiunl foi por limi-
to^ a n nos oceupa do pelos srs. Jamen Crahtreei
'Jumpanhia e Jos Ray o assim niais o tor-
ce i ro andar o soto da grande casa da ra do
Gollegio pertencente ao mesmo Esm. sr.; os
portendontes dirijo-se ao corretor Oliveira.
CJuem precizar de um caixeiro do 16 an-
nos de idade. Portugus, que entende de ferro-
jom por lor protica ; annuncie, ou dirijase aos
(v)uatro-eanlos da Boa-vista n."88.
- Tirao-se passaportcs para qualquer parte,
com brevidade, por muito menos prego, que ou
tra qualquer pessoa ; no boceo do Lobato, que
fi'ja na ra de S. Thereza casa n. 2 : assim co-
mo na mesma casa ha urna pessoa do boa con-
duta, que se ofTorece para caixeiro de loja fran -
cero, armazem do assucar ou mesmo deco-
branca.
No dia 10 do correte polas',', hora? da ma-
nhaa perdeo um negro,que a de viagem.da ra
de llorlas al a Rua-augusta um omhrulho
de bata encarnada contendo os objectos se-
guintes: d rcis om sedulas 5 varas e meia de
estopa, 5 ditas de algodo, 1 laca de cabo bron-
co 1 lenco, o mais alguma roupa, que lhe
pertencia; quem o tiver adiado, quercndorcf-
tituir leve a ra de Hortus n. 130 que ser
recompensado.
Preciza-se de serventes do pedreiro ; a
fallar na botica da ra do (Queimado n. 13: na
mesma comprao-se caibros de 30, e de menos,
tabeado de refugo para andamos, caibros de
40 de boa madeira e podras do 8 palmos do
comprimento o palmo e moio do largo
Procisa-se (Talogar por mez urna escrava
para o servico d'uma casa saliendo lavar de sa-
ho c on^ommar.: quem a tiver dirija-se ao
Altorro-da-Boa-visla, sobrado n. 6o
LOTERA DO TllEATRO.
-Nao londo sido possivel elTecluar o andainen
to das rodas da 2.a parte da 15.* lotera nos
dias, que oro annunciados, em rasao de res-
tar anda por vender um avallado numero de
b I notes, cujo valor montava a 9.000S de reis,
oreoso foi espassar o dito andamento para o
prezente mez, na esperance Jo que os amado-
res deslo jogo concorrerio a comprar esse ros-
tode bilhetes, o croo felizmente, to ev?!
realisando julga-se o respectivo tbosoureiro
habiMtado para declarar que as mencionadas
ndas tero impreterivclmente o seu andamento
no dia 30 do corrente mez.
Jos Pereira da Cunba embarca para o
Rio-do-Janciro os SuUS escravos, Matheus cri-
oulo o Mara Cassange.
da casa prxima ao palacio de meu pai, e onde
eu me liavia introdusido por grapa do incrivel
acaso que me havia feito (iescobrir esta porta do
communicaco quasi invisivol, e emoutro lem-
po condemnada. O conde meu pai nunca sou-
be quo oras vinda durante a sua ausencia. Des-
de eco teropoa p hro Theresa, minba coiaca.
nao existo mais. S tcm realidad.; Theresa flo-
rista, que a ninuem conheee em Floronga, ex-
cept o judeo Elias o eu;Elias, primeramen-
te, quo ella s v para pasar o aluguel vencido
da sua casa; eu depois, a quem ella faz, sem
saber qual.um snico do que me recordarc
por toda a vida! Estar j olla pesarosa disto ,
auando tenho quasi conseguido o fien que
me propuz, querer abandonar-me, trahirme ?
Ol ou sel, sonhora quo sempre acaba
por persuadir-mo ... Ora bem ehama-mc
tantas vozos sua rmia ... quero pium-iue
quo soudtgna desse titulo... Mas diga-me ,
esto mysterio nao acabar breve?
'i\ile uiiiui""1 n'nTv,5,
__ Amanha, diz a sonhora? Estara a-
manlid ludo acabado? Oh! que com isso
serei SU mais feliz do que a sonhora...
E dizendo isto, Thereza saltava de alegra ;
mas parou de repente. o contlnnou em tom
mais triste: .
Com tanto que o snr. conde nao ponha
obstculos cssa felicidade !
Tirao-se folhas corridas, c passaportcs
para dentro e fra do imperio com brevidade,
e proco muito commodo na ra do Hangol n.
31 de manhaa at s 9 horas, o lardo das 2
s 4.
Sociedade Florense.
A commissao administrativa julgou con-
veniente transferir a partida annunciada, de>
13 para 20 do corrente: do novo convida aos
snrs socios apresentarem as propostas de sous
convidados, amanha 11, na casa de suas sos-
soos no lugar do Monteiro polas 6 horas da
I tarde.
Em um clima lao quente comoo do Brazil,
onde as molestias termino fatalmente, as ve-
zos no espago de poucas horas he mister ha-
ver um .emedio quo possa servir ao mesmo
lempo como preventivo e curador. A 'e-
decina Popular Americana tem essa proprieda-
de tomada asvczcsem quanto ella impede a
accumulaco dos humores, conserva o sanjiuc
puro c conseguintementc para as pessoas menor
sii|citasa apanharem qualquer molestia, seja
olla contagiosa, ou nao.
Rccomincnda-se portanto ao publico em ge-
ral o onsaiar este excellente remedio, que,
polo lado econmico he preferivel a qualquer
outra medecina de similhante nature/.a tendo
ascaixinhas maior numero de purgantes o por
monos proco.
O publico achara na Medecina Popular A-
moricana as pilulas vegetaes do Dr. Brandrelh
estas propiedades que produzem seu elToito
sem dores ou encommodo algum nao se fez
preciso dita alguma e pode-se tratar dos
seas negocios nos mesmos dias, em quo se to-
mar.
Vendc-se aqui om casa do nico agente
Joo Kellor ra da Cruz n. 11 e para maior
commodidade dos compradores na ra da Ca-
doia emeasa de Joo Cardozo Ayros, ra Nova
Guerra Silva & C. atierro da Boa-vista Salles
& Chaves.
O abaito assignado official encarrega-
do do laboratorio dos fgos artificiaes do arsenal
de guerra por ordem superior faz pblico ,
que o mesmo laboratorio tem para vender por-
eao de plvora grossa e fina, da fabrica nacio-
nal : a saber; a grossa a 520 rs. a libra e a
lina OlO.rs. : as'pessoas, que quizerem com-
prar procurem nos dias uteis ao mesmo abai-
xo assignado no dito laboratorio na fortale-
za das Cinco pontas. O segundo lenteJos
Francisco dos Santos. '
Na noute de 5 para 6 do corrente- dsap-
pareceo por tercm tirado do mouro da ram-
pa de S. Francisco onde tem hoj estaleiro
Manoel da Silva Mariz urna canoa sem caver-
nas por ainda estar bruta e que all estava
amarrada cuja ter pouco mais ou menos 30
palmos de comprida marcada em cima do to-
po da popa com arruela M o na proa tem
pregada urna argola de Ierro : roga-se pessoa,
que a tirou mande-a por no dito lugar; o
quem souber, avisando na ra das Cruzes n.
30 ser bem recompensado.
= Alugao-se duas casas terreas urna na ra
da Alegra n. i com bom soio ama salla,
o boas camarinhas ; outra na Rua-da-praia n
oi propria para armazem de carne secca ;
ealuga-so urna canrta aberta para aroia : em
casa do Francisca Mara do Jess viuva de
Joao Bintista Rraneo nn no Trapiche-novo.
ss Fugio do sobrado n. 23 da ra do Sol ,
urna perdiz; a pessoa que adiar, querendo res-
lituil-a, pode levarao dito sobrado, ou annun-
ciar sua morada para ser procurada que tora
4S rs. de gratificaco.
Sociedade thealral Melpomcnence.
O thesoureiro faz a distnbuieo dos bilhetes
para a recita do dia 13 do corrente boje c a- a favor das obras do tbeatro publico ; pois j i te
manhaa ni ra da Cadeia do Recife n. 6. lem vendido urna grande parte dos bilhetes o
= Na ra do Queimado, n. 2- existe o af- os que exislem acho-se a venda nos lugares j
famado rap rolio groco e meio ditodo Rio:, annunciados.
assm como princeza do Rio lito macaroca i-|
mitando o de Lisboa e responsabiliza-se
RAPE FINO PRINCEZA
pela qualidad do rap o juntamente existe
-do Meuron & C .
A pessoa que no dia 8 do corrente perdeo
um quaderno do acentos de loja de miudezas ,
oqual ainda tem muitas dividas por riscal ;
pode procurar na Rua-dreila ii. 123, defron-
to da groja do Terco
Um moco Brasileiro se offereco para cai-
xeiro de alguma casa de negociante estrangeiro,
mesmo para cobrancas e nenhum-isco corro
om roceber grandes quantias por ser acredi- far um preco muilo rasoavel.
tado e possuir nesta praca varios predios livres
DA RAIMA i: RIO-DE-JANEIRO.
= Acha-so venda o mui excellente ra-
po da nova fabrica deGodinhoda Babia, e do
Rio-de-Janeiro polo mdico proco de 1:000 rs.
cada libra : oslo rap chegado ltimamente ,
o torna-se muito recommehdavel pelo seu bom
aroma : roga-so aos compradores, desediri-
giremao nico deposito existente nesta pro*
vincia, na ra da Cruz n. 16, que ainda
encontrars meias libras, o levando porio se
Beatriz ia responder a esta nova dvida do
sua collaca quando ouvio a bulla de passos
repetidos pelos echos da esrada. Lancou-so
immediatamente fura do myslorioso quarto .
(azendo sinal Thereza que Intercoptasse com
cuidado os raios da sua luz. A rapariga obe-
dezco e velo as pontas dos ps collocar-se ao
p de Beatriz, que atravessando com a vista o
profundo escuro dos tres andares do palacio ,
pareca vivamente agitada pelo espectculo que
se Iheoflerecia aos olhos.
O conde d'AIbi em vez de so fechar no seu
quarto, acabava de descer ao rez do chao, e
all entrara por urna galera de pedra no llm
da qual se distingua una porla om abobada,
guarnecida doduascaldeirinhas de prata lavra-
da com suas cruzes em cima. Embrulhado em
! um capote, a caneca inclinada sobre o peto, e
r ,-. _. ...*_ ..-II... .cMnilhiin-tn
I COiii iii ufuuau lia na," imm........-----;-
umdesses mongos austeros dacartuxaque ;
[ sao os sonoros ladrilhos do convento
P.t>ait*z sbsfou, nH" ero costo, um grito dolo-
quHhoquiro sabir do peito, o como
de si mesma proferio estas pa-
o desemharacados: quem o pretender annuncie.
= O abaixo is>ignado participa ao publico ,
e especialmente aos paisde sous alumnos, que
no dia 10 do corrento pretende abrir .suas bu-
Ios do primoiras ledras tanto de meninos ,
como de meninas em casa de sua residencia, na
ra da Conceico da Boa-vista sobrado n. 8 ,
com toda a decencia e assiduilado conformo
tom praticado ; o annunciante propoe-se a ro-
ceber em sua casa at o numero de i pon fcis, ou meios-ponsonistas, com a mesma do-
concia tralamento c menor estipendio, que
em qualquer collegio. = Policarpo Nuntt
Corrcia.
= Francisca da Cunha Bandeira do Mello ,
viuva do Joo Carlos Pereira do Burgos Ponce
de Len fez publico, queseugenro Luiz Ig-
nacio Pessoa do Mello deixou de ser eu pro-
curador desde novembro de 18\2 om consc-
quencia do que nao est mais habilitado para
contratar validamente qualquer negocio seu ;
outro sim roga a sous devedores ( de quem por
sua autorisacao o dito seu genro lora cobrar ) ,
quo hajo do apresentar.at o moz de junho do
corrente annn os recibos e mais papis ten-
dentes as cobrancas de sua casa passados pelo
annunciado.
J7ABRIC\ DE LUPE
PRINCEZA
GASSE fabricante e legitimo inventor do
bem acreditado rap princeza do Rio-de-Ja-
neiro com seu deposito geral na ra da Cruz
do Recife n. 38 e outro na ra do l.ivramcn-
ton. 13, avisa, quo as muito boas qualidades,
que possuo o seu rap as quaes pela grande
eslima e crdito quo progressivamente de dia
em dia teem obtido n'esta e as mais partes ;
bem conhecido por um consideravel numero de
tomantes e nao consta ter mofado urna s li-
bra : por isso faz publico, que toda e qualquer
pessoa que qtieira especular com o seu rap ,
altondendo as superiores qualidades ello fabri-
cante adverte, quo se rosponsabilisa polo seu
rap, por qualquer forma e com cono iccoes,
que o mesmo comprador pode apresental-as.
AruM-se urna .'rola moga robusta ,
casa o vender na na sendo o seu aluguel
um.sai de 128000 rs. : quem a pretender ,
dirija-se ra do Falcfio casa n. 18 que a-
chi com quem trotar.
Precisa-so alugar urna casa terrea em
qualquer ra exceptuando-sc hceos o quo
seu aluguel nao exceda do 8 a IOS f. mensacs ,
dando*Sfl fiador conteni: quem a tiver,
annuncie.
Lotera de Guadelupe.
As rodas da lotera, concedida favor das
obras da igre|a de N S. de Guadelupe cor-
rem com a maior brevidade possivel logo que
tenho andamento as rodas da lotera,concedida
cuja porta
O snr. Ilofael Lucci dirija se a Rua-bel-
la a negocio de seu intoresse sto no praso ja
annunciado e para nao haver ignorancia ,
la/.-se o presente.
Da-so 100c rs. a premio sobre penhores
do ouro o prata ; na la do l.ivramento n.6.
Oflerece so urna multier para ama de casa
do bomem soileiro ou viuvo para o servico
interno da mesma casa; na llua-nova loja
n. 58.
Ouom precisar de um rapaz Portoguez,
de 18 anuos, para qualquer oceupaco diri-
ja-se a ra do Queimado, loja do ferragens
n. 30.
A pessoa, que livor urna preta para alu-
gar para todo o servico extorno dirija-se ao
Mundo-novo n. 5.
Academia de musir.
= Justino Jos Garca Jnior pretenden-
do preslar-se, quanto Ibe coubcr. otilidade p-
blica destacidade, tem-se determinado crear
una academia de msica na qual haja do
rounir-se <|uaulo coniprehende a ideia apre-
sentada. Ella comecar os sous trobalhos, no
dia 15 do corrente com aquellos alumnos,
quo at ento se inscroverem ; e para o que as
pessoas, quem convier, deverodirigir-se
ra do Collegio n. Vj das 5 horas da tarde em
diante onde ser patente a regra estabelocida,
para quantos hajo de frequentar a referida a-
cademia. Alm dos exerciciosou tirocinio a-
cademico, haver om cada semana urna rcunio
acadmica musical. Podernos j annunciar ,
que o snr. Carlos Steuber, excellente rebequis-
ta scacha oscripturado para mestro da 2.,ses-
sao da academia.
s= Precisa-se de 2:5008 rs, e para segu-
ranza offerecem-se duas inoradas de casas ,
com seus quintaos, livres c desembarazadas ,
perlo Ja praca c quo rendem animalmente
300j reis.
Troca-se um Mcnino-Deos que tenha
um palmo ou mais : quem o tiver annuncie.
= Francisco Tarault participa ao respeita-
vel publico e com mais particularidade aos
amigos dos bons bocados, que de boje om di-
antc ellos achanto a toda e qualquer hora na
sua casa de pasto francesa da ra da Lingoeta
sem achaque propria para todo o servico de n. 2, loda a qualidade de comida a france/.a ;
cabava do inlroduzir-se nacapella,
so fechara aps delle.
E quaes podem seresses pezares? per-
guntou Thereza mostrando o mais vivo inte-
resse. Lombro-mo perfeitamente signorina ,
assim como vinhos o licores de lodas as quali-
dades caf oom leiie > o em elle pastis,
pasteles, empadas da diversas sortes sala-
mes presnntos, linguicas *e. ; e que se-
ro servidos com o maior aceio, limpesa e por
preco commodo. O mesmo Tarault ofierece-so
para mandar levar em as casas as comidas a
aquellas pessocs que com ello so ajustarem ,
diaria ou mensalmenle ou por urna vez se-
ment ; participa-semais quo todos os dias
de manhaa um seu agente levar a casa de seus
Ireguezcs pastis, pastelees, empadas, lin-
guicas e chouricas franeczas, proprias para
almoco.
fundo do sanctuario porespaco de urna hora ,
Thereza, e no fim dessa hora havia eu com-
mo!lulo um grande peccado ... talvez um
enme.
Um crime !... a senhora !...
Um sacrilegio irmaa ; pois que sorpre-
que nojnesmo da da rnmha chogadaa esta J- hendl a conlisso de meu pai.
Thereza eslremcco palavra sacrilegio ,
i roso,
sem saber
, lavras. .
Pobre pai! vai ainda chorar esta noute !
Chorar! disso lhercza. Ento o snr.
6 da tjuu ni. u...u .. i
recordava oncontrei-a ao sahir dessa capolla,
o muito assustada fiquoi por a ver to paluda o
lo trmula. Sei lambem, que muitas vezes
lhe tenho pedido que me diga o motivo de
to uslianliu emoco e quo jamis consontio
nisso.
E sem duvida tomas a ininha discripeo
por falta do confianza. Pois bem minha boa
Theresa s em fim depositara de um sesredo ,
que bem pesado ao meu coraco. Essa po-
*\ An nn t>\., I'.,r I -ic A o minhr, mnic /l^lnrncn
... wv. *j*. w .*...-- ~ ------
Icmbranca. Meu puihavia-me vedad'1 entro*
da dessa capella : suppunha-o cu ausente na-
nuellc dia e consegu l introduzir-me. Mas
apenas havia eu crusado o lminar da porta ,
ouvi ao p do mim o estrepito do bom conheci-
dos passos. Meu primeiro acord foi ir-me os-
conder-^ortrs do altar-mi'ir. Jual foi o meu
terror, vendo entrar o conde d'AIbi acompanh j-
' do de um padre, strosei! Espavorida e
conde tem itrandes pezares
i Irmaa tem-os honiveis disse Beatriz i consternada nao me achei com ferfas nem
'erguendo um pouco a voz; porque o conde a- I para Callar, nem para foglr. mservoi-me no
e muito de prossa persignou-so. Depois apro-
ximndole, por um movimento alTectuoso ,
da lilha do conde, que pareca profundamente
abatida:
Mas desde esse dia diz ella nao proru-
rou mais senhora remir to grave culpa ?
Oh que sim sim Theresa, replicou
Beatriz animada ; e at creio havel-o conse-
guido.
Um quarto d'hora depois desta conversa ,
Thni'ncn lrt EstAlttAC nm fmnit Ha con ^rOOriC
pedia ao co, em fervorosa oracao a ventura c
perdo de Beatriz. Entretanto desappareco a
luz amarellada que brilhava atravs das vi-
dracas da capella, prova'certa, que o velho
liavia voltario ao seu quarto.
Beatriz pareca esquecer-so a necessidade de
repousn : s no seu quarto ia acabar triste-
monto urna noute com tanta alegra comecada :
nas om breve o somno voio em seu soecrro o
adormecido chorand".
mnuar-se-ha
.--


Alllga-ge urna casa terrea na ra de S.
Gonealo com commodos para familia quin-
tal grande munido e com cacimba : tra-
tar na ra d'Alegria casa n. 34.
Altiga-se o 2. andar da casa n. 16, da
ra da Cadeia do Recife o qual tem commo-
dos bastantes, por ter um grande solao c
bastante fresco na loja de chpeos da mcsma
casa ; assim tambem afra-se ou vcndc-sc por
commodo preco um terreno com 40 palmos de
frente ,iraestradu do Manguinho : tratar na
mesma loja cima.
= Jos Valentim da Silva avisa aossenhores
pais de lamilias, que houverem de llie confiar
seus lilhos, que elle abre a aula de grammati-
ca latina no dia 13 docorrente na ruada
Alegra no bairro da Boa-vista casa envi-
drafada n. 42.
Aluga-se um sobrado de um andar, na
ra Imperial n. 49 pintado de novo com
quintal e cacimba : quem o pretender dirija-se
ao arma/em de vidros no lado da Cadeia.
Precisa-so alugar urna escrava para o
servico d'uma casa de pouca familia que sai-
na comprar, cosinhar e ensaboar dando-
se-lhe o sustento e 108000 rs. mensaes : na
Solidada indo pela Trempe casa nova nu-
do lugar da Capunga para a Estancia um rc-
logio pequeo com caixa de prata bordada ,
com vidro pequeo no meio, e cadeia de ouro,
dirija-se a ra larga do Rozario esquina do
beco da Pol, venda 21 que ser recompen-
sado.
=-. O coronoel Francisco Cazado Lima em-
barca para o Rio-de-Janeiro duas escravassuas
Antonio Ferreira Braga participa ao res-
peitavel puplico que desde o dia 9 do corren-
te deixou de ser seu caixeiro Sebastio Jos Po-
reira Braga.
Compras
mero 42.
= Jos Ferreira Trindade retira-se para a
Babia.
= Aluga-se o armazom, segundo, terceiro,
e quarlo andares do sobrado da ra do Amorim
n. 15 ; e a casa terrea n 4 da travessa do Mon-
teiro ; a tratar no primciao andar do mesmo
sobrado.
= O escriptorio Ja casa de Nuno Mara de
Seixas transfero-se para o primeiro andar do
sobrado n. 15 na ra do Amorim.
= As chancellaras dos vice-consulados de
S. M. Catholica e da repblica dos Estados-
unidos do Rio da-prata, foro transferidos pa-
' ra o primeiro andar do sobrado o. 15 da ra
do Amorim.
= O arrematante do imposto de 20 por
cento sobre oconsumode aguasurdenlesde pro-
ducn brasilera avisa aos snrs. que anda nao
pagaraoodito consumo, venhao fazel-o nos
das 11, 12, 13 14 e 15 do corrente ,'no
largo de N. S. do Tergo n. 11, Undosos quaes
se proceder na forma da loi, contra os que
deixarem de pagar.
=Precisa-se de urna pessoa para tomar con-
ta de um armazem de taboas de pinho atraz do
theatro. por halanco. ejqoe preste Banca; a fil-
iar com Joaquim Lopes de Almeida.
- Quem precisar de um rapaz Brasileiro
para caixeiro de armazem de assucar ou es-
criptorio annuncie.
Sebaslao Jos Pereira Braga faz scien-
te que deixou de ser caixeiro do Antonio Fer-
reira Braga.
Quem precisar de urna mulher capaz pa-
ra ama de urna casa de homem solteiro, ou
cazado com pouca familia para todo o servi-
50 interno dirija-se a Rua-direita n. 52.
Aluga se urna grande casa sita na ra
da S. Cruz com grande quintal com capim
para sustentar um cavallo de veraoe invern,
na Rua-nova n. 3.
Aluga-se urna casa terrea na ra de S
Goncalo da parte da sombra rom duas sa-
las, 3 quartos cozinba fra quintal gran-
de e murado com dous grandes telheiros ,
e cacimba ; na Ba nova armazem n. 67.
= rrccisa-se de urna mulher, que tenha
mais de 40 annos, para servir a urna casa de
pouca familia distante desta praca 6 legoas ,
dando-sc-lbe o sustento e mais ulgum cou-
sa, conforme se ajustar; na ra estreita do
Rozario n. 32.
O abaixo assignado faz publico que
pessoa alguma faca negocio com Joaquim Mi-
guel Esteves Souto a respetod'umsitioecasano
Arraial, por se acharem bypothecados ao abai-
xo assignado como se pode ver no cartorio do
escrivao das hypolhecas pela quantia de um
cont de res c para que ninguem se chame
a ignorancia faz o presente. Manncl Jos
Fernandes Eiras.
__ PcCm-m arrendar um en.'enho que
tenha alguma lubrica e que seja de boa pro-
ducao ; na ra do Livramento n. 22.
= O reverendo bacharel formado Antonio
de Andrade Luna faz scieote aos seus amigos, e
constiluintes que mudon a sua residencia e
escriptorio do udvogacia para o primeiro andar
do sobrado da ra do (Jueimado n. 37 com
entrada pelo paleo do Collegio onde pode ser
procurado a qualquorhora do dia.
Compra-so efTectivamente para fra da
provincia escravos de ambos os sexos do 12 a
20 annos, sendo de bonitas figuras pago se
bem ; na ra da Cadeia de S. Antonio so-
brado de um andar de varanda de pao n. 20.
Comprao-se efTectivamente para fra da
provincia mulatas, negras e moleques de 12
a 20 annos, pag3o-se bem ; na Rua-nova ,
loja de ferragens n. 16.
Compra-se duas voltas de cordao de bom
ouro sem feitio; na ra do Encantamento n. 4.
= Compra-se um diccionario francez, ja
usado ; quem tiver annuncie
= Compra-se barba de baleia em pasta
de 6 a 8 palmos; quem tiver annuncie.
Comprao-se para fra da provincia es-
cravos de ambos os sexos, de 12 a 24 annos ;
no armazem de cabos defronte do Corpo-santo
Comprao-se todos os utencilios perten-
centes a urna fabrica de chapeos; quem tiver
annuncie
= Comprao-se diarios velhos papel sujo ,
e arinha do trigo avariada; na fabrica do cha-
peos junto a cadeia.
= Comprao-se as obras de Bulln ; quem
tiver annuncie.
ditas de Jacaranda um, sof, umjogodeban- Vende-so cal virgem para o fabrico cas, urna meza de meio de sala, tudodean- assucar, em barricas com 4 arrobas; na ra
giao urna meza de jantar de amarello um de Apollo n. 10, armazem do Francisco Jos
guarda-roupa um dito de louc.a um cai- Silveira.
xilhode vidraca urna marqueza do oleo no- = Vndese urna poreao de farinha da
va, urna dita de angico urna meza de jaca- trra de boa qualidade etambern se vende de
randa pequea um par de lanternas com cas- quartas para cima e urna pipa de agu'ar-
icaes uecusi|uinha fina tudo por preco com- denle branca; na ra du Praa, uiuiuzcm n. 20.
modo ; na ra da Cade8 deposito de fari- = Vendem-se dous (landres proprios para
nha n. 19. vender azeite de carrapato comas competen-
Vendc-se ou arrenda-se urna grande tes medidas e lampas ; no pateo do Hospital,
casa assobradada com bastante terreno dos venda n. 14.
lados e no fundo tendo neSte porto de em- = Vende-se um cava.'lo bom'carregador e
barque a qual propria para qualquer esta- esquipador ; na ra do Livramento, loja n 6.
belecimento de forrios, sita nos Coelhos; igual- = Vende-se urna poreao de cera de carna-
mente se vende outra casa muito grande tam- ha, por preco commodo; r.a ra da Cadeia
bem assobradada sita na ra da Alegria am- do Recfo loja de ferragens O viuva.de Ana-
has feitas a moderna ; no Atterro-da-Boa-vis- cleto Antonio de Vloraes & Com Daina,
ta loja de seleiro. 2= Vendem-se pilulas de (amiba, chegadas
Vende-se um engenho de moderna in- prximamente do Porto do autor veruadeiro
vencao para moor niilho com todos os per- por preco commodo ; na ra da Cadeia do Re-
teneos e machinismo moderno para traba- cife loja de ferragens n. 44.
Ihar com um cavallo ; na ra da Cadeia do Re- Vende-se urna carroca em bom estado,
cife n 37. com todos os seus apparelbos urn par de cas-
Vendem-se as obras completas de Vol- sambas, com cangalha; na ra dos Pires n. 30.
taire, ultima eJito em selle volumes em = Vende-se urna feichadura de porta, pro-
quarto encadernados com estampas, pelo pria para algum escriptorio por ter varios se-
baixo preco de 15$ rs. cada obra e junta- gredos: na ra do Brum Fra de portas cu-
mente as completas obras de 1,111'/ de Carnoes sa do Henrique Allcrno n. 2.
por 6i00 rs. cada obra ; na ra da Cadeia do___________________________________
Recife n. 37.
Vendem-se duas camas sendo urna de
Jacaranda, com armacao e a outra de angico ,
nova rica ecom cpula, por preco com-
modo ; na ra da Cadeia do Becife n. 37.
Escravos fgidos
= Tendo no dia 9 do corrente
comprar ra urna negrinha crioula
Vendas.
Vendem-se travs de 30 a 35 palmos de Cvpriaria de 11 annos levou vestido ..
compr.do, e palmo em,quadro, de hoasqua- tim branca usado e panno da Costa tambero
sahido a
do no me
i.'eine-
O :iIi;iyo icc*noil/\ 2Y!3 20? SfTS occ
=Vendem-se 56 pelles de guaras de su-
perior quaiidade ; na ra do Vigario, arma
zem n. 24.
sa Vende-se muito bom rap de Lisboa ,
chegado ltimamente, por preco commodo ;
na ra da Cadeia do Recife loja de ferragens
de Joao da Cunha Magalhaes.
= Vcndern se apparelbos para cha, de por-
celana dourada e pintados ditos azues e
outras muitas cores e gostos, ditos de meza
de jantar, campoteiras de cristal para doce,
ditas lapidadas ,' garrafas de cristal, ditas fi-
nas lapidadas, copos para agua clices para
vinho ditos para champanhe copos para cer-
veja mangas de vidro lapidadas e lisas in-
glezas, casticaes de vidro frascos de boca lar-
ga todas estas e outras muitas cousas por
prego commodo ; na ra do Livramento ar-
mazem de louca n. 6.
=S Vende-se um burro de Horacio, novo,
ao p da lettra ; urna cabra ( bicho ) de Lis-
boa ; na ra do Sol n. 23 primeiro andar.
\ ,i i i I t ni nc tttnnnlMrtn An f.. .,.. ...._.>
. euuem **- >.f uh-iiimiiui uv um i ccia ,
pelo miudo bem como laxas espumadeiras ,
e&c por preco muito commodo ; na ruado
Rangel n. 34.
Vende-se urna venda na ra do Rangel
n. 5 a dinheiro, ou a praso com boas firmas
vende-se por circunstancias, que se diraS
comprador ; na ra da Cadeia-velba n. 35.
= Vendem-se saccas com farinha a 2S rs. ;
na ra da Cadeia-velba n. 35.
^ ende-se um excellente metbodo de ra-
becca um Lexicn, viagens de Antenor urna
colleccao de novellas, e Telemaco em francez ,
por preco commodo : na ra da Moeda n. 7 ,
terceiro andar.
Vendem-se alfinetcs e hotes dOuro pa-
ra abertura de diversos modelos; ditos p-ra
puniros; ponteiros de prata para apontar li-
co de meninos; urn relogio que mostra horas,
semanas e mezes; um dito para meza ; um
trancelim moderno para relogio ; um par de
casticaes novos; um arrelicano de prata para
reliquias; tres voltas de cordao ; brincse
annelles modernos; pipase barris vasios;
duas ancoras do vinho branco muito superior,
c urna poreao de algodSo de.caroco : as Cinco
pontas n. 45.
Vende-se urna escrava com 19 annn
de idade sem vicio algum cozinba o diario
de urna casa ensaba e compra soffrivel-
mente : na ra do Rozario larga casa n. 39 ,
ao
dadas ; na praiado Caldeireiro n. 6, ou na
travessa do Qneimado n. 3.
= Vende-se urna poreao de barricas vasias,
quo foro de farinha de trigo por preco com-
modo ; naCamboa-do-Carmon. 12.
- Na Rua-direita sobrado do um andar
ao p de dous de varandas douradas vende-se
doce de cajsecco e com calda muito alvo,
o bem fcito e tambem mangaba-^ sidrao c
de outras qualidades, tudo por preco commodo.
Vende-se um negro de nacao, de 25 an-
nos de bonita figura proprio para todo o
servico; duas negras de nacao cozinhao, la-
vao e servem bem a urna casa ; e urna dita
com principios de engommar ; na ra das
ICruzes n. 41 segundo andar.
Verjdem-se saccas com lavas a 1500 rs.,
|n-(ijirius para escravos; na ra da Cadeia do
Recife n. 23.
Vende-se um excellente quarto muito
novo por preco commodo ; na ra da Con-
ceicSo da Boa-vista n. 26..
Vende-se azeite doce a 3600 rs. e 480
rs. a garrafa dito de coco a 3, rs. a caada ,
e 400 rs. a garrafa manteiga ingleza a 720
rs. e franceza 560 rs. macarrao talharim ,
letria a 240 rs., estrcllinha a 320, rs. cha su-
perior a 2240 e 2560 rs. e em caixas de 13
libras a 2g rs. gomma de araruta a 2800 rs. ,
sag a 320 rs. farinha de tapioca a 120 rs ,
chocolate de Lisboa a 400 rs. rosca de Lisboa
muito fina e todos os mais "eneros dn "n"da
na Bua-nova venda n. 65 ao p da ponte.
Vende-se por preciso urna escrava de na-
cSo Benguelo de 20 annos boa quitandei-
ra e muito diligente; no pateo do Carmo
n. 24.
as Vende-se urna poreao pequea de sola ,
urna partida de couros de cabra bezerros, tu-
do de muito boa qualidade ; e um escravo de
24 annos, proprio para qualquer servico; na
ra da Cruz n. 51.
Vendem-se 4 garrotes filhos do pasto ;
na estrada do Fioz rinho, no sitio da Lagoa-do-
conselho.
= Vendem-se duas colleccoes dos Diarios
de Pernambuco dos annos de 1842 e 1843;
um relogio de parede inglez muito bom
regulador, e de superior fabricai, proprio pa- me Joaquina fgida no dia 2 do
SCgUDC iiimii.
M
tu
antes do PanontlM que os mezes de ou-i Vende-se urna carieira u'amareiio, ainda no-
jbro e novembro, achao-se no seu escripto-'va com os seus competentes assentos pro-
rio. franciscoSvsri&ittio noheno. ipri* {>*** esciploiiu, um guarda-vros tam-
Desejaso fallar com os snrs. Francisco bem d'amarello com os seus repartimentos ,
Pereira Pinto da Mene/es. e Jos Pereira Coe- e portas de vidro ; quatrn livros com capas de
Iho para negocio de seus interesses; na ra couro proprios para commercio e garrafas
de Apollo n. 6, casa de Joaquim Baptista Mo- j vasias : na ra do Rozario larga casa n. 39 ,
jeirn. I segundo andar.
A pessoa, que no dia 6 do corrente achou | = Vendem-se 18 cadeiras de angico 12
ra qualquer repartico; em Fra-de-portas ,
ra do Pillar n. 137.
= Vendem-se muito boas redes vindns <\n
Maranhao por preco commodo ; na ra do
Livramento n. 5
=s: Vende-se urna casa de dous andares, e
sotao, rectificada ha pouco tempo e em chaos
proprios ; na travessa da Madre de Dos n. 7 ;
a tratar na ra da Cruz n. 50.
Vende-se um negro de naco Angico ,
de 25 anuos para todo o servico ; na ra da
Cadeia do Recife loja de ferragens n. 44.
= Vende-se melado de um sobradinbo na
ra da Guia n. 29 ; a iruiar na ra das Trin-
chen as n. 38.
ss Vende-se urna casa terrea no bairro do
Recife aira/, da ra do Vigario beco do
Buisos; a trattr com M a noel Luiz Vires ,
= Vendem-se ricas caixas de chsrao para
jogo de voltarete a rap de Lisboa em libras
emeias ditas, chegado pelo ultimo navio 7a-
rujosegundo; na ra da Cadeia-velba loja
n. 24.
usado, tem urnascicatrizes as costas, ai7)da
novas, e urna ferida no dedo mostrador Ja
maodireita, olhos grandes, barriguda, o com
todos os signaes em propor(,ao do corpo ; jul-
ga se estar a coitada ; quem a pegar leve a
Fia-de-portas n. 82 que ser gratificado.
Fugirao na madrugada do dia 10 do
corrente de bordo do brigue Principe imperial
3 escravos marinheiros de nomes seguintes ;
Jacob, de nacao Cabinda magro, estatura
alta tem cortado pela junta o dedo pollegar
da miio direita ; Antonio da mesma nacao, al-
to, cheio do corpo cosluma tra/er um lenco,
amarrado na cabeca em rasao de ter falta de
cabellos, os quaes pertencem ao dono do bri-
gue. Antonio Jos Alfonso Cnimares; Rodri-
go de naco Mocambique, alto magro, Iraz:
os olhos mulhados, effeito da continua embria-
guez e pertence ao lente Manoel Joaquim
de Sou a Junqueira ; quem os pegar levem
a bordo do mesmo brigue ou aos consigna-
tario Amorim Irmaos que gratiicar.
l)-se 50g rs. a quem pegar o pardo Ma-
noel oflicial de alfaiate (ugio em setembro
do annop. p. de 40 annos, alto secco do
corpo rosto cornprido foi encontrado na
Casa-forte ; quem o pegar leve ao Atterro-da-
Boa-vista loja de alfaiate na esquina do beco.
No dia 7 do corrente fugio da cidade de
Olinda o moleque Jos, crioulo por alcunha
Jos da Gama ou Jos diaho, do 18 annos,
canoeiro, e tarraliador secco bem preto ,
olhos aperlados nariz, meio cbato rom dous
talhos pequeos um no rosto, outro no
pescoco sendo o do rosto mais pequeo, levou
camisa de panninho fino, calcas do brim bran-
co jsqueja branca de satnela e chapeo do
palha do Chile com fita preta ; tambem le-
vou calcas azues de aIgodo camisa de Maca-
do de a'godao americano o qual foi escravo
de Carlos Correia Mendcs Simes morador
em Olinda a quem foi comprado; quem o
pegar leve a Fra-de-portas n. 68 a Manoel
Estanisl o da Costa ou a seu pai Francisco
Estanislao da Costa que recompensar.
O abaixo assignado declara que proce-
de com o rigor da le contra qualquer pessoa ,
que oceulta tenha sua escrava crioola de no-
p. p. de
24 annos estatura regular secca do corpo ,
rosto cornprido cabera puchada para Iraz .
wSS uOs uSScs u niao uireiia alejados, cons-
ta estar oceulta em casa de una prostituta por
ter sido vista e encontrada comprando na ri-
beira ; quero a pegar leve ao sitio do inspec-
tor do quarteiro na estrada de JoSo de Barros.
Jodo flfepomuceno Ferreira de Mello.
= No dia 6 do corrente fugio o preto Fran-
cisco por alcuuha Canario de nacao Ca-
cange estatura regular, rosto redondo, um
pouco picado-das bechigas olhos regalados e
um pouco vermelhos. nrfhg <_> ml< curias
ps pequeos, quebrado, e usa de funda!
e muito regrista ; natural, que tenha mu-
dado de trago pois levou camisa e ccroulas
de algodaode fra o chapeo de palha, elle
d muito pelo apellido de canario, e por elle
pode ser com facilidade apanhade-; quem ooe-
gar, leve a ra dos Quarteis n. 18 que sera
gratificado.
Rrcipb; Ni Ttp. h M F db Faiua ^184i.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EF5U4LE4N_UF7HID INGEST_TIME 2013-04-13T03:05:57Z PACKAGE AA00011611_04552
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES