Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04546


This item is only available as the following downloads:


Full Text
~

Anno de 1HU.
...... i i
Quarta Fera 5
O DlABIO pobliea-M lodos os diaimunn f, .. .( i
,,,, o. d.. nue nao fo\. Lte .1 SO ",^ | 'rl0S r"-""""? ""*
Um eela Typ roa das CrnteV :,4 ? ,: A clf Vw- m diri-
S I________ '<"1 l'r"S" d "'"pendencia luj t- lim.sn Se 8
PARTIDA DOS CORREIOS TERRESTRES
Gouhna, rarnovoa, segndate r-\las feiras__R,c,. i v "
Cabo. Serinbaem. Rio Formoso, Poro <& ,W^\ 1 T"" &"'
de Mda mea. fiar.,,!,,,,,, ,nill, Sfl. K : ** ", e M
,... ... DAS DA SI-MANA.
1 Sg. -i- Circumcisils do eenbor. t, Enfrotiam,
2 Terra s. Itodoro, s Ai.-, o
;{ Quaila s. Aprigio, s A ulero.
4 Ounts s. Tilo discpulo de s. Fau!o.
5 Sesta s. Sime.'io Ealelltta.
< Sab. + Di idos rea agoa Giapar, Belobior, eaaltaiar.
7 Do, a, Theodoro uionge, s. Sicelo
DIABI
de Janeiro
I '"T I I I III
mw ludo agora depende de ni mesmos; ,|, 0< pradeicia~ moderagio" e energa: o-
bft linuemoi cono ptiaeipiamoi a 'aeresaoi apiat|doa cqm admiraqao entra as aoee mais
it collas, .i'ro linia: io di Assembli iier.il du iraiil.)
cambios No mi 2 |,,. u\Kii;o. compra, renda,
Oorn-Moedade fi.iO v. 16.S.I 16,800
\. 16,400 li,30W
., (ir 4,000 ','-U0 ''-*00
Prala-TateOs '" 0 .W
Petos coluejmnares ,90j 1,920
, Pilos Menanos t .oii 1,990
PHASES l>\ l.l \ NO Mi:/ DE JANEIRO.
lo cbeia 5 as : horas 1:i da larde i Loe ora
Minjuaui" a 13 al 7 '
Caminos aolire Londres 6
Pars 370 r.-U por fia.....
Lisboa Mu por lUU de premio
Moedade robre por cenlor.
dem do letras de boas limas I Mii |
qg
Primeira
'V.iwAL'^i
loras i- 1;j mi, da Urde iLuanora a I.' as 3 horas e57 na, da larde,
li'ir.is e lil mili da lardo. ICiascenle a 27 aa ill lije 10 m. da mauli.ia.
Preamar (/> Uojr.
s 3 ora. o 41.' mil) da manota. | Segunda-as 4 boras e li minutos da manli.'m
^Mriy:r' F'iMi'i,Tr*rTrri"~'
EXTERIOR.
BE PERMA
SB3K1'J
.-;-

POT UGAL.----------------
PORTO 14 DE NOVEMRRO.
Soldados Hetpanhoes. Hontem s 4 doras
da tarde entrrao nesta cidade duas conductas do
soldados hespanhoes dos que entrcgra as ar-
mas ero Melgaco e que faziad parto da divisan
do general Irla re: vinhad escoltados por dous
destacamentos do infantaria 8, commandados
por captaes. O numero das pracas seria 00 ,
entre officiaes e soldados, vinha uin coronel e
um commandante de carebineiros. Parte oi a-
lioletada em Villa-nova, e parte as oulrus im-
mediacocs da cidade. Aosahirem de Braga se
Ibes tinha apiesentado um emmissario da Gal-
lisa com o indulto do governo s pravas de pret,
o que fez que mais de 60 fupissem para a sua
trra na estrada para Famalicao. Consta-nos
que o desejo destes individuos regressar a suas
casas, pois gra.ndo parte sao milicianos provin-
ciaes, c guardas nacionaos, c lilhos de negoci-
antes. A noute esliverao alguns destes olliciaes
no theatro.Consta que oscommerciantcs bii-
tannicos abrirao umasubscripcao para soccor-
rei estes emigrados.
16 DE NOVEMDR0.
funeral hiarte. Hontem sabio desta cida-
de. para a de l.eiria o general hespanhol Iriarte,
com os olliciaes do seu estado maior. Parece
que tanto o general como os olliciaes iao satis-
feitos do tratamento que recebflrao no seu
transito pela provincia do Minlio principal-
mente em Braga onde a oflicialidadc do 8 Ibe
deo um jantar.
Ouvimos tambem dizer que faziao grandes
elogios ao marques de Valadares, que, rcas-
suminilo depois da sua prizao a presidencia
do ajuntamento de Vigo alcancra do gene-
ral Cotoner nao s o embarque dos membros da-
junta revolucionaria, mas arevogacaodaordem.
Soldados hespanhoes. Esta manbaa mnr-
hrSo para a Praca de branles os soldados
hespanhoes do diviso de Iriarte : loro escol-
lados por um destacamento da infantaria 6.
Das 200 pracas, que entrrao nesta cidade ,
regrcss6r3o Galliza os nacionaos de que a-
penas ficarao vinle ; e julga-se quU os milicia-
nos provinciaes voltaro em grnde parte lo-
go que chegue o indulto para ellos.
GOVERNO CIVIL DO PORTO.
EDITA I..
Conde de Terena, Jos visconde de S. Gil de
Perre pui do reino ao conseiho de &. M.
Fidellissima commendador da ordem de
Christo e governador civil do dislricto ad-
ministrativo do 'orto :
Faco sabor, que, achando-sc consignada na
carta constitucional da monarchia portuguo/.a a
religiao catholica apostlica romana para roli-
giao do estado ninguem quer seja da mes-
ma ou do diveisa communhiio pode som in-
rraccao daquelle cdigo fundamental, desaca-
lar em Portugal e setil dominios os precei-
tos desta religiao muito menos publicamente,
e com escndalo dos verdadeiros crentes.
A religiao catholica ordena a suspensaodos
Irabalhos mechanicos e de todo o trafico e
commercio de compra e vonda nos domingos, e
dias Santificados, exceptuando desta prohibi-
dlo nicamente os gneros indispensaveis para
a conservacao da vida : por esta raso toda a es-
pecie de trabalho bem como toda a compra e
venda de fa/endas c gneros, que nao sao pre-
cisos para alimento, e que tao abusiva ecri-
minosamente so pratca sem resguardo nos re-
feridos dias (\ um manifest e punivel despre-
zo daquelle preceito com oflensa da le funda-
mental : e este desprezo j sobejamenle pec-
caminoso pelo ultraje feito religiao do paiz ,
duplicadamente reprchensivel pela desalten-
<;ao s advertencias c exhortacoes da autondade
episcopal que em di\ersas pastoraes pungi-
da pela quebra deste preceito do declogo tem
chamado com a brandara apostlica para o re-
banho da igreja as ovelhas desgarradas.
E como polica preventiva compele velar
pela moralidade pblica e pola manutencao
das leis, evitando quanto seja possivel que os
cidadaos desapercebida ou mal avisadamente
incorrao em culpa mais ou menos grave de-
claro em cumprimento dos deveres do meu
cargo, prohibido civilmente todo o (rabalho
mechanico e toda a compra e venda de duen-
das e gneros ( excepto dos que forem para n-
limento j nos domingos e dias santificados ;
sob pena de procedimento contra os infractores,
os quaes sero autoados e remeltidos ao juizo
de direito criminal para serem punidos por
desobedientes, na conlormidadedo artigo 3Gi
do cdigo administrativo o como transgres
sores dos regulamentos de polica.
E para que chegue noticia de todos o nin-
guem possa allegar ignorancia mandoi lazer
o publicar este e outros digual theor, que scrao
elv.ados nos lugares do costume c ern outros.
Dado no governo civil do Porto aos 13 de no
vembro de 1843. O governador civil, con-
de de Terena Jos
HESPANHA.
Folhas at 7 de novembro.Na sessao de 6
oi a primeira discussao no congresso sobre a
maioridade.Krooque propo/quo so comecas-
se por declarar vaga a regencia conferida pelas
cortes ao duque da Victoria : foi rejeitada a
fmocao por 11 votos contra 31. Obejuro fal-
lou contra por nao ser conveniente entregar
as redeas do eslado a urna menina e contra o
artigo constitucional. Tabuernig falln no
mesmo sentido, infundindo reccios do que do
Izabel II so apoderassom os mesmos homoiis
queso apodorro de Christina : anda orrao
mais dous doputados contra e dous a favor.
Na sessao do 7 Gonsalez Bravo interpellon o
governo que medidas havifio tomado pelo ac-
contecimento escandaloso e horrivol da noute
passada.em que Narvaez esteve para ser victima
de um bando dcassassinos:o presidente do'con-
selho respondeu que o governo havia lomado
as convenientes medidas para castigar aquello
crime e por om soguranca os cidadaos.Modo/
disse que se algum escrpulo Iho restasso de vo-
tar pola maioridade, o accontecinionlo da nou-
lo Ih'os lucra desvanecer do tudo o por-
guntou so os oputados podio contar com
completa soguranca para entrar na discussao da
maioridade ao que o presidente do conseiho
redargid que sim.
Concluido o incidente ; Krooque propoz que
so suspendesse a discussao da maioridade at
chegarcm todos os documentos sobre a questfio,
e foi regeitado. 'allrao a favor da declara-
cao de maior idade Bravo Martnez de l
llosa e I.opez:apezar da enercia do presiden-
te nao pode ellocontcr os estrepitosos applau-
sos ao discurso de Lpez ncllo se propoz de-
monstrar que era absurda e impossivela nomea-
goda regencia,epor tanto a declaraco da maio-
ridade o nico passo a dar.
Concluida a discussao tratou-sc do modo
da votacao e se resolveo que losse nominal e
pblica reunidos os douscorpos collegislado-
res.
No senado comegou a discussao no dia 7.
As noticias de Barcelona chegao a 3 : Gi-
berl [cflicia que o tempo tinha impedido o
(rabalhar-se naquelle dia em bateras quede-
vem dominar alguns fortes da cidade e que
naquella noule havio estado em armas com ro-
ceio da sortida. Cjue continuava o fogo d urna
o oulra parto em Genova.
Pelo bollolim de Oviedo do 31 constava estar
de todo suTocada a insurreicao ras Asturias.
Em Cordova e Algeciras tomrao medidas
para abortara conspirado que devia rebentar.
SAO MIGUEL ARCIANJO. (*)
i."
O CAYAM.EIRO BAMCIDO.
O olhar expressivo da mofa, e a mao abando-
nada do cavalleiro, sem duvida involuntaria-
mente, prestrao tao doce eloquencia, tao forte
encanto s suas palavras, que elle lcou como a-
niquillado. Pormuitas vezes durantea conver-
sago tinha elle lanzado sobre, o espelho, que
fulgurava em sua frente, olhos furtivos, para
examinar, se em algum ponto se havia desorga-
nizado o seu estudado arranjo do vestuario, e o
penteado conservava anda, depois da curta pas-
sagem da sua <:asa a do conde, o lustro primi-
tivo, e sua porfoita rogularidade. s ultimas
palavras j nao olhou elle para os vestidos, e
slm parad sua propria pessa. Raymundo A-
rezzo era o que se chama em todos os paizes do
mundo um bonito rapaz. Talbe, espadoas, ros-
to, tudo nelle revela va urna dessascroaturas ri-
camente dotadas pela naturesa, que parecem
D Vide *9or*Q n. 1
f
predislinadas sustentar heroicamente o cho-
que, muito mais terrivel do que se pensa, de to-
dos os gosos e venturas deste mundo. Admit-
tido pelo conde d'AIbi urna especie do intimi-
dade, a que Ihe davao bem traco direito seu ti-
tulo negativo de pintor-amador, e rediculas
pretences de talento, o cavalleiro nao havia po-
dido resistir formaralgumas intences confu-
sas sobre a bella e rica Beatris; mas, gratas
urna tirnidu reserva, que por corto nao era o
seu defeito habitual, e que devia ser attribuida
timorata veneraco, que o ar magostosodo ve-
Iho produsia, nao tinha anda ousado declarar-
se abertamente. Em falta d'amor, de que esta
sorte de gente incapaz, deo-lhe oorgulho co-
ragem, 6 por urna reaccao tao natural nos espi-
rilosfracos, Raymundo passou em um minuto
da mais profunda desconfianza de si proprio a
mais exagerada confianca : julgou-se desde lo-
go o mimoso gonro do conde, o esposo amado
de Beatris, e embriagado destas dilicias, incli-
I nnnrlD.se rlncoment" pura Beatris aSaim Ihe J
disse:
Signorina Eis que os salos se encheni,'
e em cada um desses convidados se me antolha
um rival,que me lia de querer disputar a fortu-
na do estar ao seu lado. Nao me deixar an-
da apertar por um momento esta linda mao na
niinb.i... Ouco j os primeiros sons da orches-
tra... O baile vae cornacar... e se quizesse por-
miltir-mo que a primeira valsa...
( Do Heraldo de 7. )
L'm alicatado borrivel se commetlco a nou-
te passada contra o general Narvaez. la no
seu coche s 8 da noute para o theatro do circo,
aonde so executava o baile Gisela ou as Filis ,
ao qual assistio 'na Magostado a rainha :
ao chegar o coche em frente da igreja de Porta-
Eu Ufa concedo, cavalleiro, e pela minha
parto tambem Ihe pedir! mais. O Sr. tem ru-
sao de dizer.que esses fidalgos, que ahi vao che-
gando, nao virad c somonte polo prasor do
baile. D'aqui a pouco me fatigaro com scus
galanteios o perseguicoes. QueToSr. lazer-me
um grande servico?
Se o quero !
Pois bem! acceite por esta noute, com a
YnuIii..io iuuu>ia do que isto o nao aborrece inul-
to, o titulo exclusivo de meu cavalleiro Dou-
Iho todos os direitos, sugeite-se o Sr. a todos
os deveres. Conservc-me quasi sempre o braco,
separo-so de inim o menos que or possivel. Em
urna palavra, cavalleiro, seja o meu padrinho
Beata duollo desigual que vou manler contra es-
ses preiendentes, que nao conhe?o, e de quorn
tenho horrivol modo. Ajude-me... a desanmal-
os todos.
Da bebedice loucura ha s um passo, e este
eslava dado. D'Arezzo naolinh;i m.iUrnhprn A
estrondosa diatineejK), com que o honrova Dea-
tris, singularmente oexaltava seus proprios
olhos. Sonlio-so de repente crescer um palmo,
e nao podondo encarar esta alta fortuna sem des-
lumhrarse, passou por um momento pela ver-
tgem dos triuml'adores. Depois.inlerrogou-se
si proprio, se nao sonhava. Mas nao, tudo era
muito real, tao real que j com imejosos olhos
so lilavao nollo. Comecava a felicidad* corno
urna l'ebre a subir-lhe ao cerebro: os sons da
L ... - Cali, dous individuos collocados as grades da
igreja izerSo simultneamente Togo sobre o co-
che no momento em que esto entrara na ra do
Desengao em frente do Horno do la Mota.
Havendo continuado o cocheiro seu caminho ,
rooi'beo a carriiagoni aos tinte passos de distan-
cia outra descarga e gritando ontio o genera.I
aos coebeiros aturdidos que prosegussem al
o prximo corpo do guarda dispar.irao-se
contra a berlinda novos tiros at chegar altu-
ra da ra do Barco. Os assassinos que lova-
vo todos capas o chapeos similhantes fugiro
uns para a ra da Luna, outros pela de Hor-
no de la Meta, o outros em dille rentes direc-
cSes, Neabum dos que iustantou esta especie
de batalha pode sor surprehondido.
A primeira descarga o eslimavcl joven D.
Salvador Borniudez de Castro que ia ao lado
do general sentio-SO ferdo na frente ainda
que felizmente do pouca gravidado ; segunda
o commandante Basoli ajudanle do general ,
que ia vidraca cabio sobre o peito deste ,
com urna bala na parto anterior do crneo ,
exclamando mutrio-me. Ento oi quandoo
general Narvaez. fez parar a berlinda dirgin-
do-sc a p guarda immediata dos Basilios.
No mesmo instante fez transportar "o moribun-
do Baseti a urna casa em frente do mencionado-
convento aonde se vio em breve rodeado do
varios facultativos quo dewao fazcr-lbe esta
noute a operacao do trepano posto quo poucas
esperancas alimentao do salvar-lhe a vida.
Entrando o general Narvaez enviou um ofli-
cial ao theatro do circo a dar parto a S. M. o
aos ministros do que acaiiava de occorrer d-
rigndo-seello em pessoa ao quartel do regi-
ment da princeza e a outros postos militares.
A tropa se poz em armas nos quarteis, e algu-
mas patrulhas circuanlo pelas mas.
As nove dirigio-se ao theatro do circo para
com sua presenca tranquillizar osseus amigos ,
e assistio no seu palco a toda a represenlaciio ,
observando-so que a levita camisa e luvas es-
tavo salpicadas desangue.
Examinada depois a berlinda vio-se quo
eslava atravessada de 20 balas sem contar as
que pastarlo pelos vid ros. No muro junto
a Porta Cc! conservao-se tambem signaes de
alguns tiros.
Este facto borrivel nao iiecessita do comiiien-
tarios: sua tendencia bem patente sua in-
tencao bem conhecida. A morte do Ilustro
general Narvaez houvera sido o signal do urna
espantosa catastrophe. Osassassinos nao sao
assassinos vulgares todos os apontao ; ere-
ceando nos que sous nomos escapem nossa
penna no meio da agitacao convulsiva para-
mos aqui para que a nao guie a indignacao
msica,que Ihe adejavao em torno la cabeca, o
aroma das llores destilada pelo orvalhoda nou-
te, e sobretudo a candida expressao de conten-
la mento,rellectida sobre a rontede Beatriz.aca-
brao do transportar o cavalleiro um mundo
excepcional de esperancas ed'illuses. Em to-
dos os lestins brilbantes, ha um sceptro urna
realesa que conquistada ou pela bellesa, ou
pela elegancia, ou pelo espirito. D'Arezzo nao
precisou de trabalho num do esforcos. Beatriz
Ihe havia entregado esse sceptro e nomeado
rei.
Ora elle se perda as alias regios de sua a-
legria, quando Beatris o despertou, rogando-lhe
a condusisse para o grupo que rodeava seu pai.
Ao seu aspecto, a chusma abri o centro para
os lados, e ella passou por entre essas lilleras.
saudando graciosamente aos que mais perto Ihe
ficavao. O conde dirigio-se para ella, e dis-
se-lhe:
Rpairw ^ a ,\ c. Drudus **'' Bfil!s&SAn&
que ves aprsenlo1, vos podelhe concedis a bou-
la de abrir com vosco o baile.
S. Axter a bondade de" desculnar-me,
responden Bcaiis inclinando-se pessoa, que
seu pai Ihe designava, porque acabo de acceitar
o olTerecimento do Sr. cavalleiro d'Arezzo.
O conde encrespou o sobr'olho de una ma-
neira pouco'lisonjeira para o cavalleiro, e ob-
servan em silencio o sala, quo apresenlaya o
aspecto de suas lilleiras de vestuarios b*" antes
TILADO
y-
>
i

I
I
M


1

n.m a ira, para que a razio e o repouso so-
menle nos inspiren) ao referirmos este crime
novo nos annaes contemporneos, es'.e novo
borraoda nossa historia.
Folhasal 9. No dia 8 declarro as cor-
tes a rain ha niaior de idade ; todos os senado-
ros votro a favor; dos deputados s 16 vola-
rao contra Campuzano votou com a mai-
oria.
A rainha, ao annunciarcm as salvas aquelloa-
contecimentn andava passeando e a prinee-
zasua irnia no retiro : a marqueza de Santa
Cruz (oi'a primeira a dar Ihe a noticia solici-
tando a pcrmisso de beijar-lhe a mo as pes-
soas da sua comittiva o que a rainba conce-
deo com afabilidade : a marqueza disse estar
concluida a sua missao de Aia e se era sua
contado que se retirasse a que a rainha res-
pondeo d E porque? nao eras tambem minha
ca/nareira?
Escrevem de Parz ao Corresponsal que se
i notava grande movimento no palacio de Cour-
celles. e que rnuitas cavalgaduras de carga ha-
vio ja sahido pura Hespanha. Parece quede
10 at la de dezembro toda a comitiva da ra-
inha Christina deve sabir de Franca.
A correspondencia de Barcelona chega a 4 e
a de Gerona a 3.
O conde de Reus tinha penetrado em Gero-
na e estava senhor d'algumas ras : depois de
um fugo terrivel teve entrevista com Amettler,
e em resultaJo cessaro as hostilidades. *Jul-
gata-se concordario em capitulaco similhante
de Saragoca.
A junta de Barcelona estava a repartir um
emprestimo forcado de um milbo do duros pa-
gavel em oito das ; nao consenta mais do dous
homensem cada casa com receio de roaccao ;
em a noule de 2 fizero urna sortida os Jaman-
cios e se apoderro das casas da praca do pa-
lacio e muralba da linba do mar al Ataraza-
na : mas tivorao de retirar-se por causa de um
ortear'uaceiro. Fallavao em outra sortida.
(Do Corresponsal de 9.)
DKCLARACAO I>A MAlOItIDADE DA RAINHA.
Sesso de ambas as cmaras reunidas no , de novembro.
As 2 e meia cntro no sali os snrs. depu-
tados o senadores sentando se uns e outros in-
distinctamento nosdillerentes bancos que lidio
inteiramente cheios. /
O snr. Oniz, presidente do senado oceupa
a oadeira da presidencia, como de mais idade
que o do congresso.
Os snrs secretarios do congresso occupo seus
respectivos postos.
Abre-se em seguida a sesso.
Repetc-se a leitura da communicacfio do go-
verno relativa reuniao dos corpos collegisla-
dores para votar se se. declara maior de idade
a rainha.
O snr. presidente : conforme com a mensa-
gem que vem de ler-se proceder-sc-ha vo-
taco de Se se declara maior de idade a ra-
inha para cujo objecto um dos snrs. secreta-
rios formar a lista dos snrsrdeputados presen-
tes e outro a lista total Je todos os concur-
ren tes.
Assim se verificou dando cada um o nome
em voz alta e o corpo a que pertencia resul-
tando haverem 76 snrs. senadores o 132 snrs.
deputados, total 209.
Procedeo-se em seguida votaco pblica e
nominal, lendo antes o snr. secretario Roca de
Togores a frmula seguinte :
As cortes dcclriio maior de idade S. M. a
rainha I). Izabel 2.*?
de diamantes e.do ouro. Quasi ao mesmo ins-
tante recomccro as melodas, por um pouco
interrompidas. Todo o mundo se ergueo, liou-
vo urna conlusao o sussurro, a que inmediata-
mente succeduo i mais perfeta ordem. Entad
esperou-se que a orcheslra executasse o prelu-
dio, e logo depois comecou a dansa.
uem supporia entao que este espectculo,tao
encantador aos olhos de todos, devia fazer san-
grar o corago-daquelie mesmo que iiavia orde-
nado os seus preparativos, do bomem que era
a sua causa motora, em urna palavra do conde
d'Albi
Sentado em urna poltrona a um canto do sa-
]o o velho acompanbava com teimosos olhos,
rasos de lagrimas, cssa roda viva o rpida que
a travs do prisma o mais alegre e seductor a-
cabava talvez de lhc revelar um segredo iner-
nal. Pareca olhar {jara ludo, mas s va Bea-
tris, iiiollemenle recostada ao braco de liaymun-
An ruin orricn correspond3 onlhar do oa-
aeiro,"cuju cabellos se confunda? com os
delle! Quiz ao principio arredar do si esta sus-
pefta, ma* continuando a valsa,a suspeita reap-
parecia, similhante a esses sonhos tenases, que
nenhum esforco pededissipar. A dansa urna
linguaguem: cm sua arrebatada franquesa, em
sua vehemente expauso surgem como raios os
indicios de urna sympathia, a revelaco de um
arriar. O conde d'Albi suppoz ver um desses
raioi. "'-alriz pareca to satisleita, eKaymun-
do tao orgulhoso, que o voltio tinha alguma ra-
sad: atormentava n pensamento para descobrir
a rasao dossa salislacao de Beatriz, desso ar de
tiiumpbo de Raimundo, c comparando na ideia
o mancebo e a rapariga, tremendo sobretudo
leinbranca de que sua hlha podesse vir a ser
victima de um desses erros, cujos cfTcitos sa-
cabaocom a vida, dzia cm voz baixa:
Ella casar com similhante homem se-
ria possivel, meu neos i
'2.a
O uaii.i.i:.
A agona do conde durou apenas alguns mi-
nutos, porquo ella cessou, ou ao menos perdeo
a sua dolorosa intensidade, logo que a dansa se
suspendeo. Entretanto esse mesmo curto espa-
to de tempo havia bastado para despertar-lhe;
bastantes inquietaedes apesares. Hecordou-se'
enloda solidaoem quo tinlia conservado sua I
fillm arcijsou-? do h.i ver elle inesino nrenarn- I
'
do, consentindoa assidnidade unir do caya!-|
leirod'Arczzo, o resultado que agora deplora va.
Depois. como para desculpar-se a seus proprios !
olhos do una imprudencia, cuja gravidade Iho
pareca demonstrada, ponderava que na verda-
d na5 devia suppdr que a sua Beatrit, essa mu-
Iher de to nobre coraco, de intelligencia tade- j
levada podesse jamis abaixar-se a ponto de.
dar preferencia, por mais ligeira que fosse, &
um homem tao vaidoso.tao atuo como o caval- ;
Observou-se desde logo prpfunda attenco
em todo aquclle recinto coalhado do minen-
so numero de pessoas.
Verificada aquella deo o resultado seguin-
te : dissrao. Sim 193 e no 16.
Publicada a votaco annuncla o snr. presi-
dente Oniz :
' As cortes declro maior de idade S. M. a
rainha D. Izabel 2.'
Apenas o snr. presidente pronunciou estas
palavras solemnes um grito de rica a rainha]
produzia urna exploso mgica que drj repon-
te se propaAu pelas galeras pblicas pelaf
tribunas reservadas pelo recinto do sal3o e
pelas avenidas do edificio. Os deputados e se-
nadores levantavao os chapeos as senhoras a-
ceoavao com os loncos, poucos minutos depois
anda durava este enthusiasmo, quando um
repique gcral de sinos e as salvas de artilharia
annunciavao aos moradores a fausta nova.
Ao descer o general Narvaez para entrar no
sea cocho em cuja caixa se viilo anda impres-
sos os aleivosos tiros que se dirigiro sua ca-
bera o publico de Madrid presenciou urna
scena, que bem demonstrava qual o horror que
imprimi nos nimos aquello vilao attentado.
O general vio-so rodeado do multidao de pes-
soas de todas as classes que victoriando-o com
enthusiasmo com difliculdade o dcixarao che-
gar ao estribo d'onde dirigi breves palavras,
que Ionio receidas com novas acclamacoes.
Pouco depois cada corpo collegislador se a-
chava reunido em seus respectivos locaes para
nomear a deputa;ao que devia ir felicitar S. M.
pelo motivo da resolucao das cortes. No sena-
do cjos votos havio sido unnimes todos
solicitr5o a honra de formar parte da co-
mitiva.
No congresso os individuos, que em numero
de 10 havio divergido manifestrao desejos
de dar esta prva de acatamento a declaraco ;
e attendida a boa f, que nelles noscomprazc-
mos de reconheccr nao podiao deixar de assim
obrar. < s mais finientes inipugnadores da
maioridade de S. M. havio assegurado quescu
nico escrpulo era a dvida se era cssa a von-
tade nacional, e a vontade nacional se havia
declarado do modo mais explcito. Applaudi-
mos sua nobre resolucao do mesmo modo que
respeitamos sua independencia. Cromos em
sua sinceridade porque outras vezes nos en-
contrarnos em caso idntico adherimos sem
reserva alguma. Decidida a grande questo ,
o que antes era um desejo mais ou menos vehe-
mente agora um dever imperioso que to-
dos taberfi cumprir como Hespanhes o como
cava I le i ros. \
Ao sahirem do palacio das cortes os ministros
depjis da declaraco da rainha maior, forao
victorados pelo povo principalmente Lpez e
Serrano. .
Sabeodo-se depois que a rainha voltava do
passcio o povo que se achava na praca da;
cortes foi ao seu encontr e continuou a a-
pinhar-se em grande numero no seu trnsito at
o paco e entre o estampido das salvas o o re-
pique dos sinos resoavao immensos vivas e ac-
clamacoes.
A' noute as msicas dos corpos derao urna
serenata magnifica rainha sendo mui nu-
merosos os concorrentes vendo-so entre estes
milito senado e>, deputados e funecionarios
pblicos. As msicas se dirigiro depois aos
presidentes das cmaras, general Narvaez e
outras pessoas noiaveis. Em toda a parie ,
principalmente no paco, houvero muitos vivas
rainha.
No dia 7 foi concedida a grao cruz de Izabel
ao general Chacn por haver no dia 5 d'outu-
bro restablecido a ordem na capilal do 7. dis-
tricto.
Pelo oflcio do capito general do campo de
Gibraltar datado a 31 do Alegeciras, so con-
firma a priso de porco de individuos pela
maior parte sargentos frustrando-se assim u-
ma conspiracao promovida pelos emigrados em
Gibraltar.
Noticias da Caliza.
Recebemos cartas e folhas de Vigo at 12 do
corrente. Depois da derrota do general Iriar-
te que so retirou para Portugal, o general
Cotoner tendo chegado a Redondella prepa-
rava-se para atacar Vigo quando a junta re-
belde, vendo-sc perdida encarregou os dous
cnsules da Gr-Bretanha e de Portugal, de
servirem de medeaneiros para com o comman-
dante das tropas da rainha D. Izabel 2.1, io
que ambos esses funecionarios se prestro lou-
vavelmente.
As tropas do governo legal entra rao pouco
depois em Vigo sem eTusao desangue* ican-
do restahelccida a ordem em toda a Caliza.
Em attenco aos bous ofliciosdos dous men-
cionados cnsules, e poredeito.de natural ge-
ncrosidade e patriotismo o general Cotoner
mostrou natural contempladlo com os vencidos ,
esquecendo as passadas dissences e erros, e
adoptando ao mesmo tempo as modidas proprias
para evitar a repetico das sedicOcs e dos tu-
multos. (D. doGov.)
Folhas at 18. OC. das Navas interpel-
lou os MM. pelo desarmamento da M.N. em al-
gumas povoaces a que Ihe respondrao, que
por motivos de conveniencia publica. Depois
perguntou, se existia ou nao ministerio. Pela
reposta de Olozaga, e do presidente do conse-
Iho consta quo por indicacao dos actuaes mi-
nistros a rainha chamara Olozaga para organi-
sar o ministerio declarando que no relirav
sua confianca dos actuaes, se el les quizessem
continuar. Olozaga foi com esta misso aos
ministros ; e elles declarro que nao tinho
dvida em continuar, entrando certas notabi-
lidades; e como o presidente Lpez achasse re-
pugnancia a alguem a quem se dirigir rcsol-
vrao definitivamente retirar-so licando Olo-
zaga encarregado da sua total organisaco.
Segundo o Heraldo os ministros propunhao
a entrada de Olozaga, c Cortina; o 1. acceda,
e o 2 se recusnu absolutamente tomar parte
nesta combinaco.
O congresso n?o concedeo a licenca pedida
pelo governo para proceder contra o dep. Velo
implicado nos accontecimentos do Granada.
' Na sesso de 18, por occasiao de se discutir a
autorisacSo para cobrar os impustos, Sarto-
rios perguntou pelo estado da crise ministerial: o
ministro da fazenda disse,que nada podia accres-
centar ao que dissera o presidente do conselho
na vespera e que os ministros desde hontcm
tinho deixadotfle tomar parte na crse por-
que nao existia o caso nico em que poderiao
toml-a. Olozaga declarou. quo desde a ves-
pera nao havia recebido noticia alguma offcial
ou extra ofTicial sobre esto objecto; Sarto-
rius entao annunciou urna interpelladio sobre o
mesmo objecto o que causou alvorosso na c-
mara.
Houve varias nomeaces de damasde alta no-
broza para o pac^o. Serrano loi promovido a
tenente-general.
No dia 7 o corpo diplomtico presidido
pelo ministro porluguez como' mais idoso foi
comprimentar a rainha.
Concha chegou a Madrid deixando Bretn
no governo de Saragoca e deixando desarma-
wmmss ~m m m, ------------
dos os 3000 M. N. da cidade..
Figueiras, c Barcelona ainda- nao tinho ce-
dido.O Pharoldos Pi/reneos de 14 di/.,que as-
tropas de Prmoccupavo o povoado de Bascara,
o as margcnsJo Pluvia : que Amelller tomara
medidas enrgicas para cortar a desorejo dos
soldados, dra ordem para abastecer o forte, e
ameacra fusNar quem fallasse contra ajuncta
central.
A correspondencia de Barcelona de 13 allir-
ma que M. N. oceupra o forte do Ataraza-
nas para que os Jamancios no se oppuzessem
a qualquer accbmmodacao : estes roubrn va-
rias das principaes casas ; a lnglava levrao
20000pesos, o todas as pratas. Conlinava a
suspensao das hostilidades o as conlerencias
com os vogaes da municipalidade que io o
tornvao.
O prazo das 48 horas cessava em a noute de
13.O povo approveitou o armisticio para
correr muralba conversando com as guardas
dos sitiadores.
Constava, oficialmcntc, a oceupacaode Hoa-
talrch no dia 12 pelas tropas da rnba.
Noticias do Paquete.
Chegoas folhasal 16 de novembro. I.fi-
se no Standart : temos autoridade para decla-
rar que o duque, eduque/a de Nemours vi-
rao a Londres por convite da rainha Victoria,
feito pessoalmente ao rei dos Francezes, quando
a rainha esteve nos castello de Eu. Nosss Ici-
tores se recordars som dvida de quo em
quanto a nossa graciosa rainha estivra gosando
da hospitalidade do rei Luiz Felppe o duque,
o duqueza do Nemours eslivrao ausentes an-
dando ao oeste da Franca. Somos mais auto-
risados a declarar, que o convite pessoal fra
renovado posteriormente nos termos mais a (lec-
tivos e que a mesma rainha lora, que desti-
nara osprmeiros dias do novemtro para rece-
bcr seus distinetos hospedes.
Julgamos que a coincidencia c'e ebegarem
as personagens, do quem bavemos f'illndo, ao
mesmo tempo, que o duque de Bordeus fica ex-
plicada de modo que satislaca aos que mais
admiracao linba causado.
.^egundo a gazeta d'Augsburgo, rclerindo-so
a noticias d'Athenas de 26, a assembla nacio-
nal se abrir na sala do baile do palacio. la
dezejos de saber se a representaco nacional se
compor d'uma, ou duas cmaras; os ministros
querem s urna cmara e fazem todos os cs-
foreos para o conseguir. Os enibaixadorcs de
Franca, o Inglaterra insisten) em duas cmaras
com receio, de que urna s df preponderarte
ao partido democrtico.
O vaso britannico, Vestal, socobrou A 40 mi-
IhasdeCcphalonia ; a do Woolwich com mu-
niroi's para Corlon. Salvou-se a tripolacao.
O jury declarou que proceda a aecusa^oo
contra O'Connell, e co-aecusados. O duque ,
o duqueza de Nemours chegarao no dia 11 a
Woolwich tendo gasto trezc horas em atra-
vessar o canal.
PerpinhoW. Honlem Ametller nlroduzio
no caslellode Figueiras o aldeas visinhosos.
insurgentes vindos de Gerona.
Outras noticias dizem que a [titea, quei-a-
pitulou em Gerona (2:500 bomens) chegro a
Figueiras precedidas de um batalho, e segui-
das do um esquadrao de Prim que tomrao o
seu destino ao chegarem a Figueiras.
dem 12. Antes d'hontem os insurgentes
'i \ _.._,n..s An i it... -1.
( ae barceona ) uguiL-ntaiuv o iraouiu u
deleza. O general Sanz tinha recebido dez ba-
talhoes de reforcos. Hontcm chegro Mas-
cara as tropas de Prim.
O principe Gustavo Wasa filho do deunc-
leirod'Arczzo. De que servia porm esta escusa
imaginaiia, e essa tarda justiHcacao ? So o mal
estava (eito, a sua propria existencia ora, a des-
peito de todas as allcgaces do mundo, a pro-
va da sua possibilidade; e so s havia temores
suscitados pela dolicadesa do velho, talvez fusso
ainda tempo de opprao progresso do mal urna
seria c prompta intervencao. Com esta ultima
esperanca se embalava o conde.quando urna no-
va vista d oiiios (ituinccco da itcigeiiciu que
havia entre os dous mocos. A dansa havia pa-
rado e os cavallciros linhad todos deixado as
suas damas: so d'Arczzo, conservando ainda
Bealris pelo braco, percorria osalao em todas
as direccoes, com mostras daquella satisfacao ,
que deve necessariamente animar um vencedor,
e respondendo com lina galantera as numerosas
perguntas de sua bella companheira.
Comecava j a colera a substituir no espirito
do conde a inquietacao, e j por entre os gru-
nnernrriMfi malvolas criticas, o illterDrotaroi-s
malignas,quando a entrada solemne de algumas
personagens veio distrahir a attenco dos curio-
sos, fixando-a sobre novo objecto. Diversas ex-
clamares retinirao ao mesmo tempo de todas
as partes; e como Beatris perguntasse o motivo
dolas, I!inmundo d'Arezzo Ihe respondeo:
O grito de admiracao, que a Sra. onvio,
natural, o fcil de explicar-se. us homens, que
agora entrrd no salad, representad por suas
pessoas, o que Florenca tem produsido de mais
eminente, de mais distincto as artes. Aquello
Beneditto, o esculptor; o oulro Venino, o mo-
sasta; Ugolino, o gravador; Baptisia (iobell-
ni, o mellior pintora fresco de nossos dius, sao
os demais.
Mas veja entao, interrompeo Beatris, com
que attencac respeito cercad elles meu pai.
Saudao a protector das arles-em Florenca.
E o que trasem aquelles rapases quo en-
iiad (js u6i6S.
Um busto que so parece prodigiosamente
cem oSr. conde d'Albi
Com elTeito um sussurro approvador tinha
coberto e approvado a roflexad do cavalleiro.
Um magnifico busto do mais puro e diaphano
marmore atlrabio do repente, e ao mesmo lem-
po todas as vistas. Asscntada sobre um pedes-
tal de bronse, cuja cornija era sustentada nos
quatro ngulos porengracadascarejatides, e en-
riquecido por tres baixo-relevos allegoricos, es-
sa figura reoresentava com maravilhosa exacti-
da a expressad de solTrimentoe-fnclancolia que
nuncadeixava a Ironte do velho. SLquarto bai-
xo-relevo era substituido por urna especie de
Pandeiruiia onde se liaocssas palavras fundidas
no metal: A Marco Cumpolrone, conde d'Albi,
os artistas florentinos.
Todos os assistentes se unrad voluntariamen-
te a esta oracad improvisada, e dirigiro ao con-
de testemunuos afectuosos de reconhecimenlo
o admiracao. Dir-se-hia que elle sentia entad


I
A
m MM Li,rwjW*m
t0 re da Succia, que (ora destronado cm 1809,
que 6 Fold-Marechal-lencntc ao sorvico
d'iustria, ha requerido divorciar-so de sua
mulher, aprnceza Stepliania do Hado: nao se
gabem os motivos, mas parece, c|uo o principo
solTre aecessos de alienacao mental hereditaria ;
eratiasado, havia treze annos. As endientes dos
rioscontinao a causar estragos na Franca.
Lft se no Diario de Roma de 31 de outuhro.
S A R- o duque d'Aumale chegou aqui sal) ha-
do i-indo de Civilavecchia, onde desembarcara
nomesmo dia. S. A. R. foi liontcm visitar S.
Santidadc que o reeeboo com as mirares do-
monstraces de affcico paternal como era
devido a sua jerorchia.
I Peridico dos pobres no Porto.\
servou ele a maior imparcialiJade que se po- I DitoSuperiorsal por (ora.
ue se oflcrocor. por
!to pefa overtura do
9 ".'l.
Caballo de Bronze,
de dar num delegado' do governo no sistema DitoJ-Jfo/lttur com o
representativo, cm quo tanta influencia exor- | __ dentro.
cem os partidos polticos. Ninguem melhor! HiloGnAriV/sal por lora.
quj o snr. Jardim desempenhou a missiio de Patacho Fy/unrecarvao por lora
MARANHAO.
COBBESPONUEXCIA. DO I>IAIUO-I>F.-PERXAMBlCO.
20 de dezembro de 18V3.
Depois da ultima que le enderecei pelo
vapor Imperador nao tom occorrido cousas de
importancia, quelhepossa relatar. A guer-
ra ao presidente contina cada ve/, mais azeda ;
as gazetas, tanto do um como de outro lado
nao podem ser mais inmundas e immoracs
como V. ver se se der ao agro trabalho de as
ler. A Figa nao pode ser qualificada : o ter-
coiro e quarto numero enchem de indignacao
todo o homem de bem e contristao todo o
Brasileir que ama a sua patria e quo esta,
como eu,convencido de que sem moral nenhum
paiz pode florecer. O Echo pouco difere da
infame Figa; porque ja nao respeita o sagrado
das familias! Tudo hojo no Maranhao d'al-
^ada dos peridicos e em consequoncia d'isto
a intriga tcm subido ao mais alto ponto c os
odioseada vez se tornao mais profundos, e fe-
rozes Digo Ihe com pure/a, nao sci onde
ir parar esta provincia se as cousas nao to-
inarem outro rumo. Os bemtevis ditera que
a desordena rompeo na Chapada: que esto tre-
letitos homens rehellados; que foi morto o cu-
nhadodoMiletas &c. &c. Eu naosei, que
grao de crdito devem merecer similhantes boa-
tos, nao obstante serem assoalhados por pessoas
deravata lavada o medizerem ellas, que sao
verdadeiras; porque em fim cm polticos c
partidarios no se pode ninguem fiar intoira-
mente : devo porm dizer-lho, que ainda con-
tino ter mu serias aprehensoes de que a
paz nSoseja perturbada naquelle ponto da pro-
vincia pelos mesmos motivos, que cm outra
Ihe expend. Qcos queira que eu nao seja
sen fio um visionario !
Aquatro, ou .'i cinco dias foi nomeado se-
cretario do governo Fernando do Mello Couti-
nho de Ylhena. Esta nomeacao tem sido mili-
to censurada ; .porm supponho ser mal funda-
da a censura ; (Ais creio., que o Presidente o
nao cscolheria para o*n similhanlc emprego ,
o accaSo fosse reao qiitfdizem os censores.
1IA1U0" BB PBRXAHBCCO.
acalmar os nimos e neutralisar o pernicioso
elcito das rivalidades de urna provincia pe-
quena. I
Fidelidade ao governo exacta observancia ,
da justica tolerancia com todos o> individuos, |
ou fossemde um ou de outro partido, foi a
politica seguida sem descrepanca pelo snr. i
Jardim. *
Muto ganharia a moralidado das provincias
menos populosas, onde de ordinario reina com
mais furor a intriga dislarcada com a politica ,
muito mais so fortificara a aflcicao dos povos
ao governo central e se aperlaria o laco que
une todos os Brasileiros ao throno imperial, se
o ministerio tivessesempre a dita de adiar de-
legados para taes provincias, que soubessem
conciliar os nimos, como o snr. Jardim e
fiessem O sacrificio deservir por tanto lempo,
quanto osso necessario consolidar-sc a obra
meritoria da reconciliacao dos partidistas de
lula f e Iludidos.
Com a mesma honesta simplicidado.com que
vivia na presidoncia da Parahiba esteve aqui por
algn* das este cidadao estimavel; c hojo que
deixa a nossa chara patria para recolhor-se
corte; eexercer oseu emprego na escolla mi-
litar nao podemos exmmir-nos de dar-lhe
um testemunbo publico de quanto apreciamos
as suas virtudes e do lazer votos, para que o
mar honancosn leve a barca, que o conduz, ao
porto de seu destino.
Tiremos pela barca'Helia-Pernambucana,
ltimamente chegada do Porto mais alguns
nmeros do Peridico dos Pobres, de 13 a
28 do novembro do auno prximo lindo os
os quacs alguma cousa adiantao s noticias an-
teriormente recebidas o publicadas por
nos. % i-
Ahrrao-se as cortes de Portugal no da la
do novembro; acamara dos deputados estove
em numero e concluio a discussao do projoc-
to de lei sobre a creaco o attribuiees dos no-
vo9 juizes de fazenda.
Na scsso de 20 da cmara dos pares entrou
em discussao um projocto abolindo a cscrava-
tura nos estados da India ; e ficou adiado, at
que chegassem ao governo informaioes do Solor
el mor.
O Portugal-velho deo por confirmaba a no-
ticia \;> dada por outro jornal {o Tribuno),
de quo D Miguel casara no dia 8 de outuhro
com a princoza D. Amelia (Iba da duque/a
de Braganca. Tambem deo como recebida
por elle a noticia do casamento do filho de D.
Carlos com Isabel 2.' rainha da Hespanha.
As noticias d'esto reino alcancao a 18 de no-
vembro No dia 8 teve lugar a declaraco da
maioridade da rainha cm sossao de ambas as
cmaras reunidas cojos pormenores acharao
os nossos Icitores em lugar competente ; assim
como a respeito do attentado commettido na
noute anterior contra o general Narvaez.
GalotaMercatoridem.
Iliate5. Josbarricas vastas por !<>ra.
[ovimento do Porto.
Navio sahidos no dia 31 do passado
Macei.'i; patacho sueco lcrt capitao Hans-
sem : carga lastro.
llliade-de-Fernando ; barca ingle/a l/n/-
Quren-of-Scots, capitao W. Kelly em
lastro. _
Genova ; barca austraca Fenice capitao lose
Visseu : carga lastro.
Navios entrados no da 2 do corrente.
Ro-de-Janeiro ; 30 dias, hiate hras.leiro .
Jos de 1*4 toneladas. capitao Jos Igna-
cio Pimenla cquipagem 12 carga dille-
rentes gneros : a consignacao de Gauumo
Agostinho do Barros.
llhas de Sandwick. tendo sabido de New-ed-
ford-a IV mezes; galera americana Amc-
thmt do 337 toneladas capitao Robert
P. lleynard equipagem 27 carga aze.tc
de poixe : a consignacao do capitao.
Mar-pacifico, lendo sabido de Edgarton. a 43
mezes galera americana Pliantx de J-J
toneladas, capitao J. Hundim equipagem
22 carga azete de peixe : a consignacao
do capitao.
eclaracdes.
vSegue nesla barca para a corte o snr. Ricar-
do Jos Gomes Jardim cx-presidt-nte da Para-
hiba. .. .
O homem que vcio com o ramo de olivei-
o ~o. rml|a rovinci? dilaeerada pela cxalla-
codosnartidos'.aqual chegou ao ponto de pro-
du/r a barbara tentativa do assassinato contra
o snr Pedro Chaves, pouco lempo aregeo;
mas no curto periodo de sua administracao ob-
completamente opresor de um bello Monto,
mas os verdadciDS observadores devao notar
que a atlsfaf.5 afrente que reflecti. em eu
rosto, era urna mascara, snb a qual se occulta-
ya urna emoca penivcl e dolorosa.
Entretanto o Sculptor Bened.tto, ,ue ra o
orador da deputaca, aproximou-so do velho, c
dissc-lhe:
COfflmlinlu.
Alfande^a.
Ia.
Descarrego hoje 3 de Janeiro.
BrigueStuartazendas por dentro ,
ca e farinha por ra.
Dito Sophia com o que se offereccr por
dentro.
cedBncfa de similhante honra. Em breve porm
o conde achou-so tao andado que sevioobn-
gado a sentar-se: a respira?ao tornou-se irregu-
lar, o rosto paludo... Bcatrii perceboo que
clle'tinha as palpcbras cerradas.
Pcrmittao-me, senliores, diese ella, que
cu conduza meu pai para urna cmara. Est
muito fraco para este abalo: olio voltara de-
O paqueto de vapor Pernambucana rece-
be a malla para os portos do Sul amanhaa pelas
10 horas da mfinhaa.
= O primeiro cscripturano da me/.a de ren-
das internas provinciaes desta cidade.abaixo as-
signado, tendo sido encarregado pelo sr. esen-
vao. e administrador de proceder ao lancamen-
to da decima dos predios urbanos do hairro do
llecife avisa aos srs. propietarios, o mais pes-
soas interessadas em dito lancamento que da
principio ao mesmo em 3 do prezente mez. Me-
za de rendas internas provinciaes 2 de |anc.ro
do 18-VV. Jos Guedes Salgueiro.
abaixoassignado, encarregado do lan-
camento da decima dos predios urbanos do ha-
irro de S. Antonio desta cida.le, avisa aos srs.
propietarios o a quem convier, que no da
3 do corrente principia o lancamento da Tele-
nda decima, assim como previne aosinquili-
nos das casas. que tenhao promptos os recibos
do aluguerdas mencionadas casas. Recile l de
Janeiro de 18-W. O 1. cscripturano
Joo Ignacio do liego.
= O segundo escriturario da me/a de ren-
das internas provinciaes desta cidade, abaixo as-^
signado, tendo sido encarregado pelo sr. escn-1
vao c administrador de proceder ao lancamen
lo da decima dos predios urbanos do bairroda
Boa-vista avi/a aos srs. propnetanos, e mais
pessoas interessadas em dito lancamento que
da principio ao mesmo cm o dia 3 do corrente
mol. Meza do rendas internas provinciaes 2
de Janeiro de 184V.
francisco de Paula e Silva.
THEATRuTBLICO.
OUARTA-FEIRA,3DKJANEIRO DE 184*.
PRIMERA REPRESE.NTACA
da
COMPANHIA RAVEL ,
Composta de 12 pessoas
Principiar o espectculo s 8 horas em pon-
execulada em grande orcheslra c dirigida por
Mr. EugenioFenelon.
1." parte.
Densas de corda,
as quaes so distinguirs os celebres snrs.
Francisco Rival, Len Giavelly, Carlos NVin-
tber madama Martin Giavelly c o pequeo
amor de tres annos e meio de idade.
Distribuico.
N.' 1. A ingleza precipitada por Mr. Fran-
cisco Ravcl.
2. Mr. I.eon Giavelly appellidado por ce-
lebre dansarino burlesco execular multas
viravoltasdifTiceis que lindaran pelo admira-
vel salto mortal para Ira/, de pe em ps, exer-
cicio que nunca foi cxeculado por algum outro.
3. Madama Marlin Giavelly primeira dan-
sarina de corda do mundo dunsar im
G rande passo de Schall,
o qual tem fcilo a admiracao de todos os
pblicos, perntequem tem ella trabalbado
V. O pequeo amor, de idade de 3 annos o
meio dexar o publico maravlhado pela sua
afoute/a 0 intrepidez.
o." Asdansas na corda acabara.", pelos assoni-
brosos exercicios de Mr. Carlos Winlher o
mais gracioso e o primeiro dansarino de cor-
da do mundo os quaes terminars pelo gran-
de salto mortal da espingarda.
O galopa ideal,
omposto para grande orcheslra por Mr. Euge-
nio Fenelon.
Os tres gladiadores ,
que t.-em sido applaudidos em lodos os theatros
principies da Europa 0 representados pelos
senliores Francisco Ravel. I.eon Giavelly e
Carlos Winther.
El Jaleo de Ser ex ,
dansa bespanhola pela graciosa madama Lon
Giavelly primeira dansarina do theatro do
Park cm \ew-York.
Intercallo de 13 minutos.
2.a parte.
As recordares de Dampft, grande vaha com
grande orchestra.
Rematar o espectculo com o celebre baile
pantommico intitulado o
Vo ao rento ,
ou
A noute das aventuras.
Distribuico.
Vo ao rento rapa/, moleiro Mr. Francisco
Ravel, o qual inlroduzir na pantomima o
perigoso excrcicio da
/.'una Crica ,
cruzando o theatro sobre urna barro de 13 ps ,
exercicio quo nunca foi executado por outrem.
Germano rendeiro ricoMr. J. Ferin. _
Braz, amante de Annica Mr. Carlos Win-
ther.
Annica filha de GermanoMadama Martin
Giavelly, moleiros. camponezes, ecam-
ponezas.
Durante a pantomima muitos papis cmicos
edecarcter seraoexecutados pela companhia ,
e lindar a peca com a scena cmica do
Guarda-chuta,
que tem oblado em toda a parte o maior applau-
so e que ser representada por Mr. Francisco
Ravel. Prccos de entrada.
Camarotes da 1.aorden,*ns. ie2, Srs.;
os seguintes 38 rs-
Camarotes da ordem nobre ,
rs. ; os seguintes 6j rs.
Camarotes da 3.a ordem ,
os seguintes o/> .
Frestas ljBOOrs.
300 rs.
Santo Vbnefielo; que tanto^procuri ocou,-, QJ^-, ^^pVeienido o desejo; 7re-
tar. Se somos indiscreto. 6 para un\parecer ^ eu bra?0 a se(,ulc) piratn
mos ingratos. Alm de que, tal"* Jjg Sgllio. No gabinete mais prximo Beatriz o
queramos render homenagem aquello, qu ..de d< ^" deo-lbeespirites a clieirar, o Ihe
b^^^>^^^^^ ?r"do c,,erecot,rou per,citamcntt0S
2.UXuUr o seu glorioso -n-^^seu^se^o y ^
Barsii'iS -sss -;; rrpiedade:- este sor
totont.Ssrafo.prov/^ nado... bem o vejo...
tborgacoroaselouros, Florenca lera por Honra ^ M^ Aj, suppu2 que a ,nor.
nao deixal-os murxai, ..c... .n.rrcr. .
E ao mesmo tompo V anio po sooroo busto rcr^. .^^ ; ^ ^ me fa y m
una eorjl de \; mas a vn7 n,n.|no! quasi perdeo o conhecimento..
naslauccs. e s por lagr masja Prif^i" L^aSsW Seo como doudo, parece-meque
mono eral de sympatb.a responc eo esto in- ; nta vontiae. uco Di^mfl ^
genuo testemunbo _de u^ejn^io 10pertbr tonta febre... n^ ^ _
N meu pai, absolutamente ciada...
E o que dizio em torno de mim .'
_ Lastimavao-o... mas esta compaixao era
toda gloriosa para V. m. ... Biz.ao todos e
eu com ellas que a sua einoCao provinha de
um excesso de alegra...
DeviSo dizer: de um excesso de sofln-
mento, e ninguem se teria engaado... Mas
vamos, Beatriz, vollcmos cssa sala, d onde
comnosco sem duvida sabio o enthusiasn.o c o
Vamos, seccai-vos ollios meus sor-
ns. Ie2, 12*
ns. 2 48 rs. ;
platea 1 s rs. ; casuela
nrazer.
..;. I
riso, volta a meus labios!... quad se a
urna lesta deve-se saber estar alegre
Meu pai, o seu riso me faz modo -----
E ento porque nao riria cu, replicou o
velho, a quem trema a voz.... Convir-m
gens, deque oaccumulavao, com todos os sig-
naes exteriores de urna cortez elTuso. Pouco a
pouco se applacou o tumulto occasionado por
esto incidente. O baile em movimento parece-
se ao mar furioso: todo o gemido 6 all absor-
vido, as lagrimas sao alogadas: alguns minu-
tos depois j ninguem se lembrava de mais
nada. ....
A propria fllha do conde voltou a sua pri-
meira alegra, e depois de urna quadrilha con-
cedida ao principe de Bellamonte, a cujo pe-
dido tuve de ceder, scceOU novo a maodo
cavalleiro d'Areno, que ouvio com vaidozo
prazer roncar em redor de si urna tempestado
d'impotcntcs rivalidades.
Passarao-se as horas, e o movimento conti-
nuo das walsas e das dansas, que sem interrup-
travagante rigidez da velhice? Van^illm. ven, ^ sU(.ccdia0> acabrao por produzir sobre
que to espera impaciente o cavalleiro d Arezzo. v da imiguacio do conde um incom-
____.s_ -., ,i.. mn nn vAr i _____i cn cnOrln aspirava
Ida apresentar no bailo o ar rabugente o a ex-
aante rigidez da velhice? Van, *&**
in. I a enfraquecida imaninaco
Assustao-sc do me nao ver os meus adm,,aao ?nsupcrave'. Elle soflria...
res... Para mim os triumpho. da Oglta os qP hora do repouso
d0 amr.S.all!lS; "HIT' 8 Part"ha J | n^nois da meia noute os grupos comecrao a
lJ B^riT qoVsusoender seu pai; mas agora aesfaCar-se. Dado o signai oepuuiu-,,
era'ele que a arrastra va. Circula va em lodus se tornou eUa gerai flMrO as u.uma--..,.--
?M. membros urna exciUcio febril, que didas, e as salas do palacio d Albi v^oltrao
Como quer que fosse, vendo-o entrar na _sa- 0 de face a face.
genuo u-Mcmu ;"" -.enoosl)acodeumii- triz. e eslava rodeadodo nuto to." ^;!u^,Sma Uno um grito de fdidlacao.
(Continuar-se-ha.)
-'
MUTILADO


i ---
Avisos martimos.
Para Lilboa, comtodaabrevidade sae por
U'T parte da carga prompta a barca bra/.iieira
Ermelinda, forrada do cobre o de primeira
marcha : quem n'olla quizer carregar ou r de
passagem dirija-se a Francisco Severiano Ra-
bello no Forte-do-Mattos.
Para o Rio-dc-Janeiro segu viagcm o
brigue americano Feliz que devc estar ueste
porto, vindodo Ass, no dia 20 a 21 de Janei-
ro : sse demora 48 horas neste porto rece-
be passageiros, e escravos ; quem pretender
podedirigir-se com antecedencia ao consigna-
tario Manoel Joaquim P. da Costa na ra da
Cruz n. 41.
as O brigue Boa-ventura sao para o Rio-de-
Janeire no dia 12 do correte mez recebe al-
guma carga a frete e escravos : a fallar com
Joaquim Goncalves Casco oucom o capitao
do mesmo Joaquim Pedro de S e Faria.
Para Buenos-Ayres seguir breve o bri-
gue Con/ianca o smente reccber alguns
passageiros para o que tem commodos e pode
quem quizer ontender-se a bordo com o capi-
tao oucom os consignatarios Amorim & Ir-
OliOI.
Leudes.
Leilao, que faz Manoel Joaquim Pedro da
Costa por conta de quem pertencer de urna por-
fi de saccas de farinha desde o dia 8 do cr-
rente at finalisar, e dcve-se vender a
quem maisder, em porces de 10 saccas a
100 cuja farinha est em superior estado para
fabricas e para quem nao puder comer da lari-
nha e ter lugar no armazem de Jos Goncal-
ves Torres no beco do Capim.
Hoje, 3 do corrente, haver leilao de queqos
flamengos na escadinha d'alfandega s 10 horas
da manha.
Avisos diversos.
Quem precisar de um rapaz Portuguez ,
nuncie.
Da-se at 200S rs. a premio com firmas,
ou penhores ; na ra do Nogueira n. 27.
Precisa-se do urna ama de leite e urna
preta para fazer o servico de urna casa de pe-
quena familia : na Boa-vista becco do Veras
n. 18.
Manoel Joaquim da Silva Jnior faz sci-
ente ao respeitavel publico e com particu-
laridade aos seus amigos que deixou de ser
caixeiro do snr. Jos Pereira Teixeira desde
o dia 27 do corrente.
Jos Pereira Teixeira faz si icnto ao res-
peitavel publico, que Manoel Joaquim da Sil-
va Jnior deixou de ser seu caixeiro d'esile
o dia 27 de dezembro de 1843 : qualqucr ne-
gocio feito pelo dito Manoel d'esta data em
diante ser millo.
Manoel do Nascimento Pereira participa
ao publico que do primeiro do corrente mez e
anno em diante a sua casa de commercio gi-
rar debaixo da firma de Nascimento SchaelTer
& C. ; cuja firma ica obrigada a todas as trans-
accoes, contraidas al ento com o seu nico
= Jos Antonio de Sousa Machado decla-
ra que o annuncio feito em seu nome no
Diario de Pernambuco n. 289 de 30 de de-
zembro ultimo em que declara nao ser o an-
nunciante mais agente de Francisco Eduardo
AI ves Vianna no armasem de assucar da ra
d'Apoilo n. 20 nao por elle feito, nem para
a sua insercao prestou o seu consentimento.
= Augusto Tapembcck cidado Bremen-
se retira-se para fra da provincia.
= Manoel Joaquim e Silva e sua mulhcr
Maria Luiza ; Antonio Soares, e sua mulher
Rita da Conceicio ; todos subditos Portugue-
zes retirao-se para a Ilha-de-5 -.Miguel.
Precisa-se de um ou dous pretos ou
inoleques possanles para o servico de padaria,
paga-sc 12j rs. mensaes e o sustento; na
travessa da Madre de Dos n. 11 padaria de
M. J. S. Teixeira.
Precisa-se de urna mulher, preferindo-
ge branca e de mais de 40 annos, para tra-
tar de um menino e admistrar urna casa per-
to da praca dando-se-lhe o sustento e o
mais conforme se ajustar : na Rua-nova loja
n. 58.
Precisr-se de um cozinheiro forro, ou
escravo ou urna ama de casa para fazer a
comida de uina casa estrangeira, de poucas pes-
____ j. /______ m
soas ; no ua *-" **"
= precisa-sede uOOj rs. a juros de um e
meio por cento com hypotheca cin um predio
livre ; quem quicr uar arinOncie.
= Precisa-se de urna ama para o servico de
urna casa de pouca familia; em Fra-de-por-
tai n. 49.
annos, para caixeiro de venda armazem de
assucar, ou outra qualquer arrumacao ; quem
o pretender dirija-se ao armazem de Dias
Ferreira & Companhia, ao peda alfandega.
Precisase alugar por mez duas canoas ,
que sirvo para fazer atierros ; na ra da Sen-
zalla-velha n. 138.
Da-so 2008 rs. a juros sobre penhores
de ouro ou prata ; na Rua-direita n. 69.
Jos Goncalves Ferreira Cosa embarca
para o Rio-de-Janeiro urna escrava crioula ,
de nome Jacinta com urna cria.
= Fernando Jos Braguez embarca a sua
escrava Rufina e o seu escravo Francisco para
o Rio-de-Janeiro.
Bernardino Pereira de Brito embarca
para o Rio-de-Janeiro a sua escrava crioula, de
nome Bernarda.
Um preto forro e de idade se ofterece
para feitorde um sitio engenho ou mesmo
para outra qualquer oceupacao ; quem o pre-
cisar, dirija sea Rua-direita n. 76.
Francisco Eduardo Alves Vianna de-
clara a esta praca que o snr. Jos Antonio de
Souza Machado loi despedido de sor agente do
dito Vianna no armazem da ra do Apollo o.
20, desde o dia 29 do p. p.
= Em 31 de dezembro passado espirou a
sociedade de Silva Barroca & Andrade e so
acha om liquidacao ; todas as pessoas que
se acharem credoras da rnesma.apresentem suas
contas.
Maria Roza Pontes Leonesi, ?iua do
doutor Ulisses, nao tendo podido por moles-
tia pagar algumas visitas nem mesmo despe-
dir-se pcssoafmente das pessoas que a obse-
quiaro pelo asseleramento de sua viagem ,
roga as mesmas pessoas queirao relevar taes fal-
tas involuntarias, e accoitar por este meio seus
comprimentos, e despedidas, e os sinceros
oflerecimentos de seu limitado presumo na vil-
la de S. Francisco da provincia da Bahia.
Um Brasileirocom a capacidade neces-
saria se propoe a dar licoes de primeiras lettras
por casas particulares sendo nos bairros de
S. Antonio e Boa-vista mesmo at o Man-
guinho ou Passagem-da-Magdalena por
preco commodo por sso que o annunejan-
te pretende em tudo agradar aos paes de fami-
lias, que desejarem vero adiantamenlo de seus
filhos sempre em suas companhias; quem de
seu prestimo se quizer utilisar, annuncie.
Troca-se urna porcao de telhas de boa
qualidade por tijolosde alvenaria ; na ra da
Gloria n. 91. -"
Aluga-se o segundo, e terceiro andar da
casa de 3 ditos da ra da Lapa ; a tratar na ra
da Moeda armazem de assucar n. 15.
Desappareceo de dentro de um banheiro
no Monteiro um relogio de sabonete de prata ,
suisso tem na lampa urna cercadura com um
viado pintado dentro da dita cercadura; ro-
ga-se a pessoa a quem for oflerecido, de o
apprehender e leval-o a loja de miudezas da
Praca-da-lndependencia n. 4 que ser gra-
tificada.
Roga-se a qualquer dos passageiros da
barca Tentadora na ultima viagem vinda do
Porto que tenha trasido alguma carta ou
mesmo cncommendas para Joao de Souza Pi-
nneiro Carvaioza, queira ier a bondade de en-
tregar na ra da Cruz a Monoel Joaquim Pedro
'-3 ^cs.s ou annncic a su murada.
- Jos Ramos do Conceicio faz sciento ,
qne tambem credorde Joao Munizde Souza
na quantia de 7.v900 r. f nne !he deve a 3 as-
nos a saber: dous meios de sola escolhidos.a
3200 rs. cada um e um couro de cabra surra-
do no Aracaty por 800 rs e como o annun-
ciante nao quer ficar de fra faz a presente de-
clara cao.
Precisa-se alugar urna escrava para o
servico de urna casa de pouca familia que sei-
ba comprar cozinhar e lavar dando-se-
lhe o sustento e lOSis. mensaes ; na Solida-
de n. indo pela Trempe n. 42.
Na manha de domingo 31 do p. p. no
silio junto ao caes de Ponte-de-Ucha furtarao
um relogio horisontal, de sabonete suisso ,
com o nome de Carlos Perro!, e com corrente
de ouro ; quem dellesouber dirija-se a casa
de Jones Patn & Companhia na ra do Tra-
piche novo n. 10 a fallar com Miguel Car-
neiro Jnior que gratificar.
= Precisa-se de urna cozinheira, e urna en-
gommadeira ; no collegio de meninas, atra'. da
matriz da Boa-vista.
Deseja-se fallar a Luiz Jos da Rocha ,
vindo para esta cidade em 1840 ; na ra do
Cjueimado loja n. 6.
nitos ; na ra larga do Rozario n. 30, pri- -e d 3 garrafas do leite para
meiro andar.
Compra-se urna ou duas carrocas, pa-
ra uso d carregar pipas; na Ra-imperial
n. 116.
cima ; no J
na primeira venda ao
lii> 7
Vendas.
Vende-se urna armario com balc5o e
canteiros proprios para venda ou betequim;
na ra do Nogueira n. 1.
ro-da-Boa-vista
ponto.
Vendem-se barricas com farello a 3S ,
na ra larga do Rozario padaria de Joao" J;j
noel Rodrigues Vallenca.
Vende-se farello em saccas a 2600 r.
no armazem junto ao arco da Conceicao
foi de Joaquim Goncalves \ eir Guimarab,
=^endem-sc superiores caivetes finos"
mola que em se metiendo a penna sae
.-.-------e.-.*. aparada perfeitamente : na ra do Cab
- Vendem-se tamarindos por barato preco; loja de miudezas junto da do Bandeira.
na estrada de Jo3o de Barros, defronte do exm. No deposito de farinha de mandiocn
Visconde de Goianna sitio da encruzilhada ra da Cadeia de S. Antonio n. 19 e n
pegada a cruz. teo do Carmo sobrado junto a Ordem te-
-Vende-se urna canoa feita ha 2 annos, ra vende-se farinha de primeira qualida i
mui bem construida que pega 550 tijolosde 2240 rs. de segunda dita a 1920 rs.
alvenaria; e um negro da Costa muito bom terceira dila a 1280 rs. o alqueire Ys canoeiro vende-se a dinheiro ou a troco de em saccas a 3, 4, e 58 rs. azeite de carrt.jafcj
lijlos de alvenaria ladrilho tapamento e a 1440 rs. a caada 4 alqueiresde gommait
telhas; na ra de Apollo n. 32. engommar pelo barato preco de IOS ts. ci
= Vendem-se 00 barricas vasias, proprios alqueire; c um escravo para todo o servico do
para socar assucar ; na travessa da Madre de campo.
Dos n. 11, na padaria de Manoel Ignacio da
Silva Teixeira.
Vende-se caf moido o melhor que
possivel neste genero por preco muito em
conta em porces grandes e a rotalho : na
Vende-se urna rola galega; na ra de S.-.
Bom-Jesus-das-crioulas n. 15.
- Vende-se um terreno no sitio Manguei-
ra, na estrada de Bcllem com 200 palmos
de frente e mil e tantos de fundo com bons
--------, w... r.. .^ 0.V, ^ a iuiuiuu na -w """"' l """-"'uoiumuu, com Dons
praca da S. Cruz padaria da fumin alta o arvoredos ; e urna casa na encrusilhada de Rei-
na travessa da Madre de Dos n. 11 padaria 'em com armario de venda ; a tratar na So-
de M. J. S Teixeira. lidado venda n. 2.
= Vende-se um escravo de naci, bom ca- Vende-se urna casa de dous andares e so-
noeiro e pescador dous moleques de na- 'io rectificada de pouco tempo, em chaos
rio, de 19 annos; urna parda de 19 annos proprios sita na travessa da Madro de Dos ;
cozinha erecolhida; e urna escrava qui- a tratar na ra da Cruz n. 50.
compras
Conipra-c un; ctfallo bom esquipador ,'
na ra dos Quarteis n. 11.
Comprao-se elfectivamente para fra da
provincia mulatinhas, crioulas e mais escra-
.jy_ f.viinvia uiatuiuuo vnvuins iiiii is f.si Tu
Oferece-se um rapaz Portuguez de 20 J vos, de 13 a 20 annos, pago-se bem,sendobo-
dandeira ; na Rua-direitR n. 3.
Vende-so um negro de 28 annos bom
cozinheiro, caiador e ptimo socador de as-
sucar ; na ra das Cruzes n. 41, segundo an-
dar.
Vende-se farello de boa qualidade, e vinho
de Bordeaux em caixas de duzias por pre-
go commodo; na ruada Senzalla-velha n. 138.
Vendem-se serafins, epiannos de varias
qualidades e ptimas vozes ; em casa de Kal-
kmann & Rosenmund na ra da Cruz n 10.
Vende-se um carro muito leve de 4 ro-
das para um cavallo um dito para dous ditos,
um dito de duas rodas por preco commodo ;
no Atterru-da-Boa-visla a fallar com o seseiro
Miguel.
= Vende-se sal grosso de Cadis e fino de
Lisboa a bordo c as amostras se podem ver
no armazem do Braguez ao pe do arco da Con-
ceifo ; a tratar com Leopoldo Jos da Costa
Araujo no Forte-do-Maltos, esquina da ra
da Lapa.
Vendem-se 3 casas terreas^novas, com
bastantes commodos, quintaes murados, e com
cacimbas e terrenos fra correspondentes aos
mesmos quintaes com porto de embarque,
sitas a beira da estrada e perto da ponte do
Manguinho; tamben^ se vendem 3 grandes
terrenos com diflerentes larguras e fundos at
oncostar na cambda e com proporces para
qualquer estabelecimento cor terem porto de
embarque sitos no mesmo lugar do Mangui-
nho e igualmente se vende um chao de 50
palmos de frente e livre silo na ra do Se-
bo doiaddosu; a tratar com Manoel Pe-
reira Teixeira.
Vende-se urna preta de nacao de 16
annos, com principios de engommado; na ra
das Flores n. 35 das 7 as 9 horas da manha,
e das cias as K d larde,
Vendem se urnas conchas, e braco de
balanca grande um temo de pesos de duas ar-
robas at urna quarta tudo em muito bom
estado por serem novos ; na ra da Praia ar-
mazem n. 62.
= Vende-se um sobrado de um andar e
sotio sito na Rua-velha deronte do beco
do Veras n. 61, em chaos proprios. com bom
quintal c portao no fundo que bota para a
ra da Alegra a qual foi rectificada ha pouco
tempo ; na ruado Crespo a fallar com Manoel
Gomes Viegas.
Vende-se cera de carnauba ; na ra da
Madre de Dos, loja de Jos Antonio da Cu-
nha.
=s= Vendese marmelada em latas, e vinho
muscatel engarrafado tudo de boa qualidade
na ra do Cabug n. 16.
= Vende-se urna porcao de arroz de casca ,
e duas pipas de agurdente branca na i ua do
Livramento armazem n 20.
== Vende-se urna cabra ( bicho ) com dous
cabritos, e d bastante leite por preco com-
modo ; na ra das Cruies n. 40
=Vende-se gomma do araruta por preco
tiiiiiiuo ; na ra das Cruzes n. 40.
Vende-se farinha em saccas a 2j rs. e
milhoa 2880 rs. ; na ra larga do Rozario,
venda do Vallenca.
Vende-se um cavallo ruco gordo com
bons andares carregador baixo bom passei-
ro e muito novo; um quarto castanho e
urna vacca (liba do pasto parida ha um mez,
- Vendem-se ricas coixas de charo para o
jogode voltareite; na ra da Cadeia-vollia
loja n. 24.
= Vende-se um grande sorlimento de cha-
rutos regaba e de outras qualidades chega-
dos pelo ultimo vapor da Bahia ; em casa da
Fernando Lucca na ra da Cadeia t'o Recife
n. 16.
Vende-se milho branco muito proprio
para sustento de cavallos, por ser bastante fres-
co por preco commodo ; no caes da alfamje-
armazcm de Francisco Dias Ferreira a
tratar com Manoel Jos Machado Malheiro.
Escravos fgidos
=No dia 15 do p. p. fugio o escravo Baltha-
zar crioulo de 50 annos, alto, seceo, tem
na canella da perna esquerda urna grande cha-
ga muito antiga a ponto de quando anda pu-
char pela perna, e o p direito tem o dedo m-
nimo de menos ps pequeos e mal feitos,
foi escravo do finado Calence que foi lavra-
dor do engenbo S. Cosme da \arzea, c de-
pois do engenho Poeta, aonde ahi falleceo,
julga-se andar por estes lugares em rasao de ter
muitos camarades e ja foi visto em S. Fran-
cisco da \ arzea; quem o pegar leve a Rua-no-
va n. 67, que ser recompensado.
No dia 28 do p. p. fugio da cidade do
Olinda a escrava Maria de naci Angola de
30 annos alta, e grossa do corpo, olhos gran-
des com alguns signaes de becbigas pela cara;
levou vestido de chita de ramagem amarelia e
outro de chilla azul, desconfia-se que se di-
rigir para esta praca, em companhia de alguns
pretos, que daqui forao a dae; do maracat
em Olinda ; quem a pegar leve a travessa do
Onemado n. 3 ou na ra do Balde em Cun-
da n. 22 que ser recompensado.
= No dia 24 do p. p. fugio o escravo Bene-
dicto de nacao Costa de 30 annos. boni-
ta figura alto bem espadado, reforcado do
corpo, olhos, e nariz grandes, beicos grossos,
cor bem preta tem algumas espinbas no ros-
to ps grandes, tem urna marca abaixo do
peito direito de um caustico cuja ficou mais
preta trabalhador de padaria ; levou ca-
misa de algodao trancado ccroulas de dito
grosso, calcas de brim cru ja quasi branco;
quem o pegar eve as Cinco-pontas n. 40 ,
que ser gratificado.
Erratas da lista dos jurados publicada n
Diario de 30 do mez findo.
Em lugar de Antonio Anacido Jos de Men-
donca leia-se Anacleto Jos de Mendonca ;
dito de Joao Pires Ferreira do Passo leia-se
Joao Pires Ferreira do Posso ; dito de Joao da
Matta Miranda Cunba leia-se Joao da Malla
de Miranda Caslro ; dito do doutor Manoel
Joaquim Pereira de Mello, leia-se dr. Manoel
JosPereirade Mello; dito de Vicente JosJBorla,
leia-se Vicente Jos de Brito; dito de Joaquim
T :..... *__: j. r^ >^
........ M Lino Montuno u',, Finura
nimo d- Souza Loureiro ,

diio de Jos Jero-
, leia se Jos Jeroni-
i r
lilil IIC JIM 1.1.-11111 III
de Arcanjo Araujo Galvao leia-se Joao Sarai-
va de Araujo Galvao.
Rscira: iaTtp. dbM FdbFak'a ^1844
MELHOR EXEMP


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E87XHIA9K_2R7SE4 INGEST_TIME 2013-04-12T23:15:44Z PACKAGE AA00011611_04546
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES