Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04542


This item is only available as the following downloads:


Full Text
T__l
Auno de IS43.
Sabbado 23
i
ludo agora defend Se nos mesmos; da no. |,rutlencia, muendo, i
tinuwcnot como urinr.iuiaVuoa, e serenioa minados con admiracfio entre NacSc
eil'.a.
ruden
< Mil
C l'roclamaijao da Aasembleia Geral do BkasiL.)
PARTIDAS DOS CRKEIOS TERRESTRES,
Goiann, Parahjba, segundas tena feiras. Kio Grande doN'irle, quintil feiras.
Bonito Garenhuns, a 40 e 24.
Cabo, Serinhieic, Rio Formoso, Porto Calvo, MaceiA, e Alagoas no l U>t jj
Koavida e Flores a. 13 JS. Santo Ant.io. quintas feiraa Olinda todos 01 diaa
DIAS DA bEAlAJNA*.
48 Sea. a. E*|>eridio C. And. do J de D. da 2. .
4J Teta. I""'. Rl. And. do J. de D.diS. y.
2. (Juart. a. Libera o M. Aud. do J. de D. dn 3. v.
Jl Ouint. i. + S Tboin A|>.
j2 Sex. i. Honorato M .And. do J. de da 2. y.
2 Sh. a. Victoria V. 1. Re. Aod do J. de D. di y.
ji Dom.s Gregorio M%
de Dezcinbro Anno XIX. N. $77-
___! II1 ----------------------------------------
- ulUSIo publicase todos os dias que n.io forem Salificados: o p-reeo di issufaatnra
di- tres mil reia por quartel pi;os idiantados Os innunci dos assigaantes s3o ,ate" u*
loe que nao (orem :. rssjo de h'reis por linha. As reclamages detem aerdiri-
fip., ruadasCru.es N.34,OU apraea da Independencia loja delivro Is.oe.
O Di
(ralis eos d
Ridas a eata Ti
cantos!So dia'jl de Derembro. oompri
Cabio aobre Londres 20. Ocao-Moeda d 8.4U0 V. 16,301)
Paria 37 J /ais por franco,
Litballl) porlOdepraaaio.
N. 16,100
v,:oo
1,900
1,900
1,900
Yenda,
16,500
4'".. -IHi
9,400
1,920
1,920
1,920
x*,.
di 4,000
PliTA-I'atlCtS
Moeda de cobre 2 por cento. Petos Coiuanarn
dem deletreada boas firma i a 1 1|4 }. ditos Mexicanos
PHASES DA LA NO MEZ DE DE2.EMBRO.
Loa Cheia 4 6, es 9 horas e 41 at. da tarde I La nota 4 21, as 2 horas e 49 m.da m.
Qnart. ting. 4 11, as 10 liaras 33 m. da as. | t^uart.cieso. 4 2S, loa 43 mtnulos db tarde
Preamar de hoje.
1. a d horas t 5i a Minb5a. j 2. a 1 .ra a S da tarda.
--wT3
:,>.:
;*&*&% &
*r3
i;
--!
*J* ^.fe^i)W#, sf\ z*Jl vyfs}
^
j^^*ev>U
tioverno da Provincia.
EXPEDIENTE DE 13 DOC0RRENTE.
Officio Ao inspector da thesouraria das
rendas provinciaes, devolviendo a representacao
d< administrador da mesa do consulado acerca
ajo roubo, queso Taz as saccas de algodao as
prensas, em que sao recolhi Jas, depois de have-
rem ido pesadas naquella reparticiio, para que,
ouvindo de novo respeito doste objecto o pro-
curador scal da thesouraria sou cargo, c o
mencionado administrador, proponlia urna me-
dida capaz do por bices a esta escandalosa
fraudo, de que tantos males podem provir ao
commercio.
Dito Ao inspector da thesouraria da fason-
da, scienliflcando-o da reduccao, que em cum-
primento d'urdom imperial resolveo fazer no
batalha de inf.intana da guarda nacional des-
tacada. ( A reduceo foi publicada no Diario
o. 271 do 15deste mez)
ioem no da 14.
Portaras Momeando tcncnte-coronel chore
do quarto batalha da guarda nacional do mu-
nicipio do Recie ao mojor da segunda legiao Ma-
noel Joaquim do Rcgoe Albuquerque; para che-
fe do quinto batalha da mesina guarda nacio-
nal ao majordo dito batalha Joaquim Mauri-
cio Wanderlcy; para major deste batalha ao
respectivocapita Manoel Lucas de Araujo Pi-
nheiro;e para major do batalha da guarda na-
cional do Poco-da-panella ao capita do mesmo
1..~A nVan*ici*t An Itdrull ir J'rtmmuninriii-.'ii
JIMIU I ..........~~ *.' ..._,. ......V*. -_,.,... ...~V.
;ios nomeados, o ao commandanto superior da
guarda nacional deste municipio.
[DES DO DA 15.
Otlcio Ao commandanto das armas, scien-
tificamlo-o d'haver concedido 30 dias de licen-
;a regjstada, para ir a comarca do Nazarelh, ao
soldado da companhia de artlleos, Minoel Ig-
naclo da Cosa Monteiro, ca|o lequerimehto S.
&.' inl'ormou em 13 deste mez.
lito Ao me ino, declarando em resposta
ao sen ollicio de 14 do corrente, em que informa
terem do ser excluidos 2(> cabos, o 43 sol lados
do batalha da guarda nacional destacada, que
deve mandar despedir os que se acha destaca-
dos fra da cidade, c proporcionalmonte, pira i
quenaolquom uns destacamentos com menos
frca do quo outros, e informar, com que nu-
mero do pravas ficou cada un; que o ajuste de
contas pde-se elTectuar, sem que se recolha os
destacamentos; oque providenciar, como Ma*
Ihor entender, acerca do mais, de quo trata o
mencionado olTicio.
DitoAo inspector da thesouraria das ren-
das provinciaes, ordenando, que vista do or-
tamento presentado pela cmara municipal da
to provincial de -29 de junho de 1839, (ac con-
tactar com quem por monos izer a numeracao
dos predios urbanos d'aquella cidade, que esto
sugeitos ao imposto da decima; escientilican-
do-o, de que a respectiva despesa ser leita por
cunta das eventuaes.fflciou-se respeito
cmara municipal deGoianna.
te sobre a reduccao do cflrpo do seu com-
mando.
Dito Do mesmo cmara municipal dp
fioianna aecusando recepco do bataneo respectiva receita e despe/a no anno intlo e
lo orcamento para o anno futuro.
Dito Do mesmo ao inspector da thesou-
raria da fazenda transmittindo para ter 0X6-
cucio a ordem do tribunal do thesouro sol) o
n. 89.
PASTORAL.
Dom JoaO da Purificando Marques Perdigo, co-
negoregrunle de Santo Agoslinho, por graca
de Dos e da Santa S Apostlica, hispo de
Pernambuco do conselho deS. M. I. e Consti-
tucional etc. etc.
A todos os nossos diocesanos salo, paz, e
boncaS em nomo do Jess Christo, nosso sal-
vador.
Se em todo o tempodeve o vigilante e carido-
so pastor fortalecer pela predica evanglica o re-
banho, que a Providencia Ihe confiou. para o
corroborar na piedade chrisla.e excital-oaoox-
eroieifl das virtudes.em cuja pratica est funda-
mentado o ornamento do espirito humano, na-
turalmente propenso tributar a seu creador o
culto, e veneracao, que Ihe devido; com maior
fervor de verdadeira devoca deve dispr os a-
nimos, e infiammar os coraces, para queoze-
lo da f e o ardtr da candado nao estre na co-
lebraca d n augustissimos misterios da reli-
gia, quo nos santifica, quando a sincora grati-
da nos obriga reconhecer os beneficios pres-
tados.
Longe de nos a omissa d'esto nosso mais sa-
grado dever nos dias prximos ao sublimsimo
ascimento de Jesus-Christo, incarnado no som-
pre purissimo ventre de Mara Santissima, sin-
gularisada com a brilhanto e inaudita preroga-
tiva de Mai-virgem, e designada deposilaria da
sacratissimahumanidaded'atpieile, qut-ein lem-
po conveniente devia alixar em sua cruz o ler-
rivel chifographo do fatal decreto de nossa eter-
na reprovacao.
llealisada osla com effeilo a sautlivel sen ten-
ca, que a eterna potencia proferto em noso fa-
vor, logo que do nada tudo creou, decretando,
t|uo urna mulher esmagana a cabeca da ardilo-
sa serpelo (o dragad infernal), cuja universal
dominaco estava em vigor, havia mais do qua-
tro mil annos.
Em pre9enca pois do espiritual regosijo, quo
a nova e eterna redempcao nos deve causar, po-
la qual caridosamente fomos livres e iscotos do
imperio diablico, paraserm.ts participantes da
luz, que jamis pode solfrer extinecao, esforce-
mo-nos para gosar aquellas disposives, com
quo convem celebrar o exordio do nossa inler-
minavel felicidade.
So tomos contemplado a Mara Santissima at-
tonila, eextasiada, quando o Nuncio celeste Ihe
allirma a conceico do divino verbo em seu vir-
gneo ventre, satisfasondo hesitaco, quo a
proocupava sobrea maneiradose realisar a al-
locucaangelica.poisquesua virgindade Ihe nao
permittiaconliecer vara, consideremol-aigual-
Por Ueformando no posto de fenente- v.lhoso ascimento de Jesus-Christo e gosar os
cornchefe do primeiro batalha do Cabo ad.niraveis elTo.tos do mais ass.gnalado prodi-
Joaquim Pedro Barreto do itego.
1DKM DO DA 18.
(jfficio ,\o com.nandante superior da
guarda nacional dVste municipio, communi-
cando ter concedido reforma ao capita da 1.a
companhia do 1. batalha da mesma guarda
nacional, Antonio Alvos Barboza.
Dito Do secretario da provincia cmara
municipal de Floros, significando, que por
ora nao podem ser establecidas tadeiras de
primeiras letras as regue/.ias de In-azeira ,
Fa*enda-grande e Tacara t ; e que o Exm.
Snr. presidente aguarda a prxima reuniao da
assembla legislativa provincial para levar ao seu
conhecimento oque a similhante respeito Ss.
nu. representro.
Dito Do mesmo ao commandante geral
do corpo de polica aecusando recebido o seu
olTicio de 10 deste mez em quo da parlo o
tercumprido as ordensdo Exm. Snr. presiden-.
gio, sem que desarreiguemos do coragao qua!-
quer ulfeiya') aos vicios, cujo exercicio nos pri-
1 va de goslar a satisfaca que saboreo, os que,
resistindo ao impeto das paixos, so violenta
para as reprimir pola coustanlo morlificaga dos
sentidos.
Muitos habitantes existem no orbe, que con-
templa o ascimento do Salvador do genero
humano como indecoroso sua divindade; bom
como o Gento diz ser mucura,o Judeo escnda-
lo, a crucifixo do Rodemptor Que pensa po-
rm e cu) o verdadeiro christa? Cre sem hesi-
tacio os divinos misterios, propostos pela santa
igreja (orga infallivol da verdade) obrigato-
ria crenca dos fiis, quo longe de se escandalisa-
rem, seexlasiana rocordavao dos beneficios re-
cebdos, convencidos da gratidao pura com seu
bemfeitor, tanto mais digno de ser adorado em
espirito, e verdade, quanlo se humilhou, o exi-
nanio para exaltar gratuitamente os quo jasia
as escuras trevas da ignorancia; e horrorosa
sombra da morte.
sem duvida eterna aquella verdade, que nos
faz crf;r o pobre e humilde ascimento do Uni-
gnito fllho de Daos verificado no tempo, e no
lugar designado por seus profetas, o que, visi-
tando os hornens na qualidade de benigno sal-
vador, para os instruir no caminho da salvacao,
a estes apparceer cercado da glora e magesta-
de, que Ihe propria, para os julgar, retribuin-
do a cada um dos julgados, segundo suas o-
bras, sem que os collocados esquerda posso
esperar a misericordia, que outr'ora despresa-
ra, quando constituidos om tempo de Ihes po-
der ser concedida, cujo respeito caldosamen-
te anhelamos prevenir aquellos, sobre quem go-
samos jurisdiccao espiritual dissipando qual-
quer illusao, que os induz u esperar a menor
indulgencia, outorgada aos collocados direita
d'um juiz infinitamente perfeito em todos os
seus atlrhutos.
Convencidos, que a morte faz terminar nossa
carrera mortal, e com esta o oslado de podi-r-
mos merecer na presenca de Dos, nao omita-
mos as oceasips, que se nos offerecem, de pro-
redir na santificaca de nossas almas, princi-
piando desde esle anno a celebrar o temporal
ascimento de Jess Christo com a maior pu-
rea de consciencia, recorrendo frequencia dos
sacramentos, para obtormos este precioso, e u-
nico apreciavel dom tendo em visla a irrepre-
hcnsibilidade dos costumes.
Promovamos a paz; solicitemos aquella per-
manente tranquillidade, que todo o universo go-
sava na felicissima poca, em que so realisou
lafi maravilhoso ascimento; esmeremo-nos na
tleposica dos reprehensiveis abusos; reforme-
mos u irregular conducta; augentemos as ini-
quas cogitaces; abominemos a formidavel des-
moralisafo; detostemos a corrupcSo do cora-
ca, e extinguamos o fgo abrasador da concu-
piscencia, porsoadrnd i-nos, que lempo vira, no
qual constrangidos siipportaremos os ardores
sempiternos, se presentementementeos nao pre-
venanos pela relractaco dos mftos hbitos.
Consideremos o inimigo commum como autor
ta nojenta intriga, e urdidor do vil enredo, dis-
seminado por aquellos, que de bom grado go-
guom o estandarte da maledicencia, sem outro
algtim fim, que a satisfaca das proprias iniqui-
dades, posto que scientes de que a verdade.sem-
pre em contradicc8o.com a mentira, jamis cn-
sente, que esta prevaleca.
Fillios de nossa eterna predecQo, ornmo-
nos com as virtudes, quo nos designa pios e
verdadeiros cultores das festividades, quo a Es-
posa de Jesus-Christo celebra para nossa edii-
caco. Os pblicos festejos denominadosPre-
sepioscstao mu longe do seren agradaveis ao
Itcccm-nascido, quando taos obsequios se Ihe
tributo sem a docencia conveniente aos actos
da religia. Os abusos, quo so costumo com-
metter, e sem os quaes estes cspetaculos nao a-
gradao, eslao reprovados por todas as leis. Os
espectadores mal intencionados, que concorrem
estas representaces, para fomentar e nutrir
peccaminosos senlimentos, nao sao dignos de se
numeraron entre os que fielmento seguem o
chrstianisino.
Em considerarlo s presentes refloxes espe-
ramos ser allcndidos por aquelles, a fovor de
quem publicamos esta nossa carta pastoral com
o intento do Ihes prestar os servicos ao nosso
alcance, honrara Jesus-Christo na celebracao do
tanta solemnidade, o obsequiar a Mara Santis-
sima, persuadindo terna e electuosa devoco pa-
ra com a protectora, o deffensora dos miseros
mortaes. Esta Divina Senhora, que exeudeo em
dignidade o puresa a todos os espiritos da celes-
tial hierarcha, merece nossa particular venera-
cao na recordacao do misterio, quo nos pro-
pomos solemnsar.
Meditemos por a'guns momentos no singular
jubilo e prazer celestial, que olla gosou,
vendo seu Filho Primo-genito nascido, sema
menor leso de sua virgindade, eeufachadoem
pobres pannos, reclinado em um despresivel
presepio, eacompanhado de dous animaos, pa-
ra se cumprir o vaticinio do propheta por cu-
ja bocea elle tinha fallado em lempos mu ro-
motos o para nosensinar, qual devo ser nos-
sa conducta. Regosijemo-nos que os humildes
pastores inspirados, o guiados pela Luz Celes-
te, o fossem reconhecer por Salvador do mun-
do ollerecendo-llie cordialmente suas dadivas,
para demonslraco de seu afTeclo, e para com
o seu exemplo pos induzirem a ollcrtar-lhe nos-
sos corai,oe>.
Sublimo mediancira entre Jesus-Christo, eos
hornens, mais santa que essa innumeravel
multidao de justos, que reinaocom vosso Filho,
dignai-vos proteger o paii da Santa Cruz, jun-
to da qual fostes designada Mi de todos os quo
supplcao vossa intercessao, c n'esta confiao.
Communicai-nos umraio, urna faisca do vossa
virginal puresa, para que, amando a virludo da
continencia, odiemos, o detestemos o vicio
opposfo a esta virtude. D'aquelles nexauriveis
thesouros, a que presids, enviai sobre nos a-
quella efficaz graca que faca reprimir, e rc-
frear quaosquer movimentos viciosos, que o
desordenado appettifc provoca. Com o pro-
tectivo manto de vossa benigna influencia sus-
pendei a merecida indignaco, fazendo descer
sobre a geracao humana a divina miseracao, o
com particularidade sobre l'ernambuco o a-
qnelles paizes, cujos habitantes religiosamen-
te leem celebrado o gloriosissimo misterio do
vossa purissima conceicio convencidos com
S. Joo Damasceno vosso servo de que s a
vos convinha a IsencQn da le universal na
i|Ual esto comprehendidos todos os lilhos de
Eva, para cojo fim pareci, quo a natureza an-
tes de produzir sen elfeitoa vosso respeito, es-
perasse, que a Graca produzisse o seu. Vos,
que excedestes em virtude a militares de santos
e justos, que exislirao, o devem existir para o
tullir, santifica!' nossas almas fortifical nosso
espirito, ferale-ei nosso animo, para que, ex-
citados polo desojo de vos imitar, pratiquemos
aquelles deveres proprios de filhos, e servos
vossos para merecermos vossa intercessao,
sem a qual nao podemos ser salvos. Assim co-
mo por vos so realisrt) as prophecias escrD-
tas acerca do Messias esperado desde a1 creaco
do mundo, assim tambem so realiscm em nos
as promessas, quo vosso bomditssimo Filho
pronunciou a favor dos que tomo todo o nte-
resse pola fruicao da eterna gloria na qual
reinaes por todos os seculos dos seculos, soc-
correndo com vossos auxilios, e especaes fa-
vores os habitantes da torra.
Palacio da Solidado 20 do dezambro de 1843.
Joiln Hispo Diocesano.
Commaiidodas Armas.
EXPEDIENTE DO DIa 9 DO CORENTE.
Ollicio--Aoillm. BrigadeiroJ. J. Coelho, part-
cipando-lhe.queem lugar do coronel Barros Fal-
co, vogal do conselho de guerra do coronel
Burlamaque, o outros, havia nomeado o bri-
gadeiro A. R. d'Almoida.
Dito Ao tenento-coronel commandante do
batalha do infantaria de g. n. destacado exi-
gindo com urgencia urna relacao nominal de
todos os ofiiciaes do batalha, com declaracao
do suas patentes nos corpos.d onde forao tirados,
ou no exercito.
dem no DIA 11.
Dito Ao Exm. presidente, enviando-lhea
relacao nominal dos olliciaes do batalha de in-
fantaria de g. n. destacado exigida por seu
ollicio de 7 docorrenle.
Dito Ao mesmo Exm. Snr. enviando-Ihe
a relacao nominal dos individuos, que assont-
rao praca voluntarios, e recrutados no mez
de novembro ultimo.
Dito Ao mesmo Exm. Snr., enviando-lhe,
para serom transmitidos A secretaria de estado
dos negocios da guerra 4 mappas da frca de
linha da g. n. destacada o ofiiciaes das 4 clas-
ses do exercito, pertencentes ao mez de novem-
bro ultimo.
Dito Ao mesmo Exm. Snr., enviando-lhe
a guia do tres pracas do segundo batalh3o de
artilharia a pe que fizrao passagem para o
batalha provisorio da provincia doS. Paulo ,
nicas das 37, quoconstao da relacao involvid
no ollicio de 2 do setembro deste anno, que s
agora pode ter oxecuco.
Dito Ao commandante do batalha de ar-
tilharia a p, dizendo-Ihe em resposta ao seu
ollicio de 9 do corrento, que os capitaes addi-
dos, que comtnandarem companhias vagas, li-
nho voto na formacao do conselho administra-
tivo do faldamento conforme se deprchendia
da disposicao 9. di alvara de 12 demarco de
1810. lliKM DO DIA 12.
Dito Ao Exm. presidento enviando-lhe
para ser transmittida reparticiio da guerra a
relacao dos edilicios militares, e pontos fortifi-
cados da provincia com especificacao do esta-
do, em queseachao, e dos concertosque se
Ihes devem la/er.


-
Dito Ao mesmo Exm. Snr., requsitan-
do-lho a expedgo de suas ordens para sercm
concertadas algumas jarras do madeira toneis,
e canecos da fortaleza do Brum ponderando ,
que para evitar as condcenos bom soria man-
dar fazer os concertos alli mesmo por oTciaes
do tanoeiros.
Dito Ao inspector do arsenal de mari-
nha dzendo-lhe que em consequencia da
requisicao que Ihe fi/.ra em seu offieio de lion-
(em mandara augmentar a guarda do arsenal
mu mais tres homens, para collocar urna sen -
tioeiia na enfermara onde existido presos.
Thesouraria da Fazcnda.
EXPEDIENTE IM 1." 1)0 CBRENTE.
Offico Ao Kxm. presidente da proincia ,
rogando, so dignasse expedir as suas ordens ao
commandante do vapor, que acabava de chegar
do norte, para receber na tiiesouraria um cai-
xote com a quantia de30:000^e entregar no the-
souro publico nacional.
DitoAocommandante das armas, envian-
do as guias do capitao i'edro lvo Velloso da Sil-
veira, c do primeiro-tonento Pedro Alfonso Fer-
reira, ambos do segundo batalha de arlilharia
i p, para mandar dar as mesmas guias o des-
tino, queconviesse.
Dito Ao inspector da thesouraria da fasen-
da do Cear, aecusando a rocepeo do seu ofli-
cio de 17 de novembro prximo findo, e fican-
do na intelligencia de nao continuar a fazer re-
messas aquella thesouraria por conta do sup-
primento, mandado fazer pela ordem do tribu-
nal do thesouro publico nacional de 17 do .ju-
lho ultimo, emquanto por aquella nao fossem
reclamadas.
Dito Ao administrador da mesa do consu-
lado, remetiendo um exemplar da lei n. 317 de
21 du outubro prximo passado, para dar-lhe
execucao na parte, que Ihe tocasse, e dando va-
rias disposicoes em vista da ordem do tribunal
do thesouro publico nacioaul de 15 do novem-
bro ultimo, sobre o direilo do ancoragem, sello
do despacho daquella mesa e d'outros artigos
da lei.
DitoAo inspector da alfandega idem so-
bre o sello dos despachos d'alfandega de que
tratara o artigo 12 l., e tabella annexa
ioi, e o de 1G0 rs. por baralho de carias de
jogar bem como o imposto de 240 rs. por
alquciro de sal estrangeiro.
DitoAo mesmo, duendo, que, pertencen-
do pela lei de 21 de outubro prximo passado
n. 317 receita geral do correte anno finan-
ceiro os direitos de 48 1/2 sobre os vinhos e
bebidas esperituosas cumpria que dsse as
suas ordens, para que a arrecadacao que se
lizesse do l.do corrente fosse recolhida
respectiva caixa, com os mais rendimentos que
Ihe pnrtcnccssem ; e outrosim inlormasse em
quanto importrao os 15 por cento sobre as
behidasesperituosas o 33 1/2 por cento sobre
os vinbos desde julho at novembro a fim de
so fazerom os competentes exames, &c.
DitoAo administrador da recebedoria de
rendas geraes internas, remeltendo um exem-
plar da lei 317 de 21 de outubro prximo pas-
sado e declarando, que o sello dos ttulos de
nomeaco, de que tralava o artigo 12 1.*,
tixado na tabella em 1 por cento do rendimen-
to, devia ser desdeja arrecadado ; mas que a
poca desde qua mo devia comecar a execucao dos
outros artigos da lei dependentes de regula
mentos e instruccoes do governo ainda so ha-
via marcar por ordem superior.
DitoAo mesmo idem do rcgulamcnto de
13 de novembro findo que acompanhou a or
dem do tribunal do thesouro publico nacional
de 15 do mesmo me/., e recommendando pela
parte que Ihe tocava a exacta observancia
doque pelos l.*e2-0 arligos se ordenava.
PorlariaAo collector do diversas rendas do
municipio de Olinda declarando em vista
da ordem do tribunal do thesouro publico na-
cional n. 200 de lo de novembro prximo
lindo, qao os livros da collectoria a seu cargo ,
de cada anno financeiro deviao ficar em seu
poder durante os seis me/es addcionucs que
decorressem al o ultimo de dezembro para
nelles se lancar qualquer ftddccto, que se ar-
recadasse pertencente ao mefmo anno ou
annos anteriores; masque, findo este praso, se-
ro encerrados os mesmos livros e remedidos
a tnesouraria corn urna conta do resto que
licasse por arrecadar e sendo tudo entregue
o mais tardar at o dia 31 de marco seguinte,
sob pena de immediata demissao.
Iguaes portaras foro dirigidas aos mais col-
lectores da provincia.
DitaAo thesoureiro da fazenda, para acei-
tar e pagar pela crixa do exercico de 1843 a
44 como delerminou a ordem do tribunal do
thesouro publico nacional de 11 de novembro
prximo lindo a letra que acompanhava, de
15:000S rs. que na mesma data sacou o the-
souieiiu geni do dito thesouro a 8 das pre-
cises a favor deGaudino Agostnho do Bar-
rol
DitoAo mesmo idem de 13 do dito mez ,
da quantia do 6:0008 rs. idem do Joaquim Jos
de Amorim.
DitaAo mesmo idem do 14 da quantia
de 800.) rs. idem de Manoel Joaquim Ramos e
Silva.
DitoAo mesmo idem do 15 da quan-
tia de3:265$581 rs. dem do Pedro Nunes da
Fonseca.
dem do da 4.
Olido Ao Exm. presidente da provincia,
informando o requerimento que acompanha-
va o ollicio do inspector d'alfandega no qual
reccorreo Manoel Eugenio da Silva escritu-
rario da mesma alfandega da decisao da the-
souraria ; por esta haver julgado competir ni-
camente ao amanuense Domingos da Silva Gui-
maraos o producto d'apprehensSo de 20 bar-
ris de carne que se aclirao de mais na con-
ferencia do manifest do briguo inglez Porcia.
DiloAo commandante das armas pedin-
do, salisfi/esse ao offieio, que acompanhava, do
commissaro fiscal do ministerio da guerra no
qual pedio Ihe fossem reenviadas as guias dos
capitSo Pedro lvo Velloso da Silveira e do 1.
lenle Pedro Affonso Ferreira.
DitoAo director do arsenal de guerra ,
participando para seu governo tor o exm. pre-
sidente da provincia communicado por oflicio
do l." docorronto em cumprimento do im-
perial aviso da secretaria de estado dos nego-
cios da guerra de 14 do novembro ultimo que
a quantia de 9:6i4 rs., designada na distri-
buidlo do crdito para os aprendizes meno-
res do arsenal de guerra dcsta provincia, devia
ser despendida em conformidade da delermi-
naco do corpo legislativo que, corteando as
despegas oreadas para esta rubrica as reduzio
a sobredita somma.
DitoAo administrador da mesa do consu-
lado di'cndo, que, nao constando que a
lei n. 317 de 21 de outubro prximo passado,
fosse publicada nesta provincia antes do l.o do
corrente em que foi recebida por a thesoura-
ria e remedida aquella mesa era dessa data
em dianlo que devia dar execucao ao que Ihe
cosimunicou por ollicio da mesma data.
Portara maridando abonar ao thesoureiro da
fazenda no livro caixa da substituidlo das no-
tas a quantia de 30:000j rs em notas, cons-
tante doconhecimento, que acompanhava, que
no 1.a do corrente recebeo o commandante da
barca de vapor mperairiz para entregar no
Bio-de-Janeiro.
dem oo oa 5.
OflicioAo Exm. presidente da provincia ,
dizendo que nao poda calcular a despeza a
fazer-se por esta provineia no corrente anno
financeiro, com a guarda nacional destacada ,
por nao ter o$ dados necessarios ; porem ven-
do que pela ordem do tribunal do thesouro
publico nacional de 11 de novembro lindo s
so dava o crdito do 36:933 s'490 rs. e que
nos quatro me/esde julho a outuhro ja seti-
nha despendido a somma de 21:211 $340 rs.
correspondente a 8:302*835 rs. por mez, e
que por conseguinte o dito crdito apenas seria
sufficicnle para a despeza de 6 a 7 mezes: cum-
pria assim o comrounicar a S. Ex. para dar as
providencias, e enviar as ordens, que julgas-sc
convenientes.
DitoAo mesmo Exm. snr. com a folha
para o pagamento dos sidos e vantagons dos
officiacs da guarda nacional destacada do mez
de novembro findo na qual duvidou o com-
missaro fiscal do ministerio da guerra por o seu
corrente por secontarem vencimenlos aos al-
feres Jos Leoncio Lins de Albuquerque ateo
dia 10 inclusive quando (ora demittido no
dia 9, e rogando.se dignasse decidir o que jul-
gasse conveniente a este respeito.
DitoAo director do arsenal de guerra pe-
dindo, mandasse comprar, e embarcar no bri-
gue-escuna Gararapes que segua para a
llha-de-Fernanando-de-Noronha por ordem
do Exm. presidente da provincia 200saccas
de farinha de mandioca.
IDEM DO DA 6.
Oflicio Ao coronel Tihurtino Pinto da Al-
meida, che fe da legiao da guarda nacional de S.
Anido devolvendo os prets dos cornetas da
guarda nacional que acompanhrao o seu ol-
licio de 3 do corrente, por nao se acharen) con-'
formes como se via da informacao da contabi-
lidadc militar que acompanhava.
Dito Ao mesmo, idem de 30 de julho
prximo passado, por devercm ser divididos em
dous, alim de moslrar-se com distinecao, quaes
ero os vencimenlos do 1. de julho de 1842 a
31 de Janeiro de 1843, e do 1.' de fevereiro at
o fim de junho ultimo; porque, sogundo as or-
dens do Exm. presidente da provincia,em con-
s(|uenca de n5o haver crdito para todo o pa -
gamento,deviao pagar-se smente os vencimen-
los relativos asegunda poca do 1. de leve
reiro 30 de junho e dar-so da outra parte
titulo, para quando se dsse consignaoo.
IDEM DO DIA 7.
Offieio Ao Exm. presidente da provincia,
informando sobre o ollicio do dircelor do arse-
nal de guerra em que dco parte do quanto j
se tinha despendido com os aprendizes menores
do mesmo arsenal por conla do crdito de
9:6448 res marcado para o corrente anno fi-
naneeiro.
Dito Ao director do arsenal de guerra, ae-
cusando a recepcSo do seu offieio, em quo par-
ticipou a compra das 200 saccas de farinha de
mandioca para serem remettidas para a Ilha-
de-Fernando-de-Noronha. e que nesta data ti-
nha requisitado ao inspector do arsenal de ma-
rmita as embarcaces necessarias para o seu em-
barque.
Dito Ao inspector do arsenal de mannha.
oedindo, fornecesse as lanchas necessarias para
o embarque da faria, de que trata o preceden-
te offieio.
IDEM DO DIA 9.
Offieio Ao Exm. presidente da provincia ,
participando que se achavSo a bordo do bri-
gue-escuna Gararapes 250 saccas com 200 al-
queires, medida velha de farinha de mandio-
ca, conforme tinha determinado em seu offieio
de 4 do corrente.
Dito Ao mesmo Exm. sr. remetiendo a
copio que ocompanhava extrobido do livro
do ossentomento dos proprios nacionaes, e o
relaciio d'oquelles, quo por falla das compelen-
tes demarcares o avoliocSes indo no mes-
mo livro nao se achavSo descriptos.
IDEM DO DIA 11.
Offieio Ao mesmo Exm. sr., enviando a
relacio das fortalezas fortes e reductos des
ta provincia, que ainda nose achavSo descrip
tos no assentamento dos proprios nacionaes,
por falta das respectivas demarcacOes, e avalia-
ces, afim de dignar-se providenciar, como jul-
gosse conveniente.
Dito Ao mesmo Exm. sr. satisfazendo
com a informacao do procurador fiscal da the-
souraria a exigencia do offieio de 28 do passado,
sobre o rendimento annual do offieio de solici-
tador da fazenda.
Dito Ao mesmo Exm. sr., informando o
requerimento de Jo3o de Brito Correia, em que
pedio licencia para vender porte do terreno de
marinha n. 347 no lugar do Fra-do-portas
do bairro do Becie de que foreiro fazen-
da publica.
Dito Ao mesmo Exm. sr., idem de Anto-
nio Alvares Barbosa em que pedio o titulo de
nloramento do erren d lumnuu n. 41 no
mesmo lugar de Fro-de-portas.
Dito Ao mesmo Exm. sr., dem do Anto-
nio de Padua Cezarde Mallos em que pedio,
que em attencao aos servicos que tinha pres-
tado e j ter sido empregado da extincta the-
souraria, o houvesse de contemplar cm um dos
lugares da nova repartieo da thesouraria dos
tropos.
Dito Ao mesmo Exm. sr., enviando a re-
lacSo dos empregatlos da extincta thesouraria
dos Iropas desto provincia com declaradlo dos
annos de idade, edeservico, e prestimo de ca-
da um que exigi em offieio de 14 de novem-
bro prximo findo.
Dito Ao mesmo Exm. sr., di/endo, que,
tendo o director do prsenal de guerra manda-
do para bordo do brigue-escuna Gararapes ,
250 saccas de farinha esta embarcacao s po-
de receber 210 saccas: voltando 40 para o ar-
mazem do vendedor.
Dito Ao commandante dos armas remel-
tendo novamenle as guias do capitSo Pedro lvo
Velloso da Silveira e do primeiro lenle Pe-
dro Affonso Ferreira para dar-Ibes o destino
conveniente.
PortarlaAo collector de diversos rendas
do municipio de Garenhuns paro com brevi-
dade informar em que estado se ochavo o causa
de responsabilidade que se promoveo contra
o seu antecessor Vicente de Miranda e Albu-
querque Titira declarando onde se achavao
os livros e mais papis da collecloria que
Ihe foro aprehendidos o quaes os bens que
se achavo sequestrados.
IDEM DO DIA 12.
Offieio Ao Exm. presidente do tribunal
do thesouro publico nacional, participando ter
em 14 de novembro passado recebido o or-
dem de 31 do outubro antecedente com a co-
pia do decreto de 24 do mesmo mez pelo qual
S. M. o Imperador houve por bem aposentar a
Francisco Ludgro da Paz no lugar de con-
tador da thesouraria com o ordenado que
Ibe competiese na forma da lei de 4 de outubro
de 1831 ; e que o mesmo fiesva no intelligen-
cia de que devia a presen lar no dito tribunal do
thesouro os documentos, por onde constassem
os seus annos de servico para oidor o res-
pectivo titulo de declaroro de ordenado.
Dito Ao mesmo Exm. Snr. enviando a
proposta do contador e nomeaco interina ,
que havia passado ao tereciro cscripturario An-
selmo Jos Pinto de Sousa Jnior para o lu-
gar de fegundo cscripturario; bem como a pro-
posta do contad) r interino para a vaga de tor-
ce i ro acomponhado do resultado do concurso,
a que c piutedeo do dia 29 de novembro ul-
timo e dos requerimenlos de todos os pre-
tendentes.
Dito Ao Exm. presidente da provincia
enviiodo a demonslraco da despeza feita e a
fazer com a guarda nacional destacada desla
provincia no exercicio corrente de 1843.
44 ; (cando reduzida do 1. do Janeiro vindou-
ro a forca constante da nota que acompa-
nhou o offieio de 9 do corrente.
Dito Ao administrador da recebedoria de
rendas geraes internas para fazer extrahir com
toda a brevidade e remetter a mesa da thesou-
raria urna relaco das quantias. que o jmr>
dos fcitos da fazenda tinha recolbido aquella
recebedoria at o fim de junho prximo pas-
sado o do 1." de julho al o ultimo de
novembro findo a fim do organisar-se a con-
ta da porcentagem que ao mesmo juizo com-
peta.
dem do da 13.
Dito Ao Exm. presidento da provincia ,
enviando o orcamento das despezasdo ministe-
rio da guerra por esta provincia paro o on.no
finonceiro de 184S 46 ; e rogando se
dignasse transmiltil-o ao mesmo ministerio ,
com os observacoes, quo julgasse conve--
nienle.
IaIIIII lili PKRNHBIICrt.
A policio tomestes dios feitomuitosdiligencias
pora descobriruma poreo desedulas falsas, que
se dz3o vindas do Porto, mas seu troholbo tem
sido infructuoso pois ellas j se achao na cir-
culaco ; vimos urna de cinco mil reis da se-
gunda eslampa cuja chapa apenas fazia diffe-
renca das verdadeiras em ser mais larga cou-
sa do urna linha e ter o nome do fabricante
em caracteres mais vivos quando o das ver-
dadeiras apenas perceptivel; o papel, porm,.
da falsa menos azul quo oda verdadeira 9>
menos forte ; sendo a tinta muito mais viva ;
desorle que primoira vista mostra logo a di-
fiero nca.
Do edital da Ihesouraria que nossos leito-
res acharA no lugar competente consta ,
qu al foi o resultado do examo dos de 200*000
rs. apparecidas na Babia.
Publicaccs a pedido.
Senbor Em nome da cmara municipal
da villa de Flores da provincia de Pernambuco
eu tenho a dislincta honra -de api osontar a V.
M. 1. as mais respeitosose cordiaos felicitaces
pelo augusto desposorio do V. M. I. que a
naco brasileira hoje applaudo com tanto en-
thusasmo e satisfac9o.
Sm Senhor a cmara municipal do Flo-
res que oiii todos os lempos lem patenteado
o mais acrisolado patriotismo toma anillada
parte no publico rogo/ijo e geral contentamen-
te, do que se acha possuido todo o imperio pela
realisacio de um arto,de quo tanto bavia mister
para sua completa lelicdado ; pois quo Ihe cs-
segura a consolidado do monarebio constitu-
cional perpetuidade da sua augusta dynaslia ,
e por conseguinte a poz e seguronco de que ton-
to carece para tocar prosperidade e grandeza
que o Providencia Ihe tem destinado.
Para o cmaro municipol de Flores, Senhorr
duplicado motivo de jubilo c congratulaces
reconheceras preclaras virtudes da excelsa so-
berana que V. M. 1. houve por bem escolher
para adornar o seu augusto throno e a van-
tajoso allionco que pelo ;ou feliz consorcio ,
controhio pera a nacao brasileira.
Por tantos beneficios Senbor a cmara
municipal de Flores rende a V. M. as devidas
gratas e dirige ao Todo Poderoso os mais
fervorosos votos, para que abence o sagrado
hvmcncu de V. M. I. dilate os seus precio-
sos dios e de toda a imperial familia para
felicidado da nacao brasileira que tanto es-
pera e confia do paternal governo de V. M. I.
Dgnc-se pois V. M. 1. de acolher benig-
namente os puros sentimcnlos de amor, respoi-
to o adheso quo ssgida pessoa de ^. M.
I. tributa a c.mura municipal da villa de
Flores. Piio-de-Janoro 11 de setembrote
1843Caelano Finio de Veas.
Diz Antonio Joaquim de Mello Pacheco, pro-
curador da cmara municipal d'esla cidade.que,
(ondojoao Manoel Franco, taberneiro residen-
te na ra da Gloria da Boa-vista, publicado no
D.-nwo n. 227 de 20 de outubro prximo
passado umo correspondencia por elle assig-
nada constante do exemplar incluso, na qual
poreco imputar ao supplicantc o facto criminoso
da falsificocao de um documento nos autos de
quoixo intontoda pelo supplicado contra Joo
llario do Barros encarrogndo da aler(8o; co-
ntse vdassoguintos Irazesuna falsifuacao
quo nada honra a quem quor que a fez e que
parece nao provir de outra parle seno dool-
guem que obra em nome da cmara, que
lez poitanto alguetn ? emendou a data do reci-


'bo, e fez, que a emenda apparecesse 14 foi
nt'*o ah quo o meo advocado fez valer a fal-
ificaclo do recibo attribuindo essa alsificaclo
alguem por parte da cmara quem loi pois
o falsificador da data do recibo, cu, ou alguem,
que obrava em nomo da cmara ? &. &c. :
quer o supplicante, em conlormidade do artigo
240 do cdigo criminal fazer citar aosuppli-
cado autor da dita correspondencia, para vir
este juizo declarar so ou nao, ao supplican-
te quem elle se dirige, e attribue a menci-
onada falsificarlo o nlo p faiondo ficar su-
jeito as penas de calumnia, e injuria que
tos equvocos do lugar, entondondo-se, que
elles so referem ao supplicante : marcando V.
S. dia e horn em que o supplicado dove com-
parecer. Por tanto pede V. S. sonhor Dr.
juiz municipal da 2,1 vara soja servido assim o
deferir E. R. M.
Antonio Joaquim de Mello Pacheco.
Despacho.
Notifique se para a primeira audiencia. Re-
cife 4 de dezembro de 1843 Rigueira Costa.
Termo de declaracao.
Aos7dias do mez de de/.embro do 1813 ,
n'osta cidado do ranife de Pornambuco, om pu-
blica audiencia quo aos feito?, o partes dava o
Dr. Jos Nicolao Rigueira Costa juiz muni-
cipal da 2.'vara e sendo ahi presonte Joo
Manoel Franco, chamado este jui/.opelo pro-
curador da cmara municipal d'esta cidado, An-
tonio Joaquim de Mello Pacheco, para explicar
os equvocos nontidos om urna correspondencia
por elle dito Franco assignada c publicada no
jornal D.-novo n. 227 de 20 de outubro pr-
ximo passado o sendo-lhc pelo dito lula a di-
ta peticao e correspondencia, o predito Fran
co a oxplicou pela manoira soguinte :Quo
nao sibia quem havia feito a falsificaeo da da-
ta 6 que se refere a correspondencia om quos-
taojquesuppie ter sido tal falsificarlo feitapor
alguem, quo pela cmara se interesase, o isto
por bem fundadas conjecturas: que portanto
o alguem que so Ift na correspondencia, nao
designa urna pessoa certa, nao podendo por isso
o procurador da caara attribuir antes a si, do
-que outrom umi tal imputaeo nem to
pouco julgar-sc por modo algum oflcndido.
E nada tnais tendo dizer, mandou o dito ni/.
fa^or e-dn termo que com olio explicante as-
signou. Francisco Ignacio do Athahydo, escri-
vo o screvi Rigueira Costa.
joo Manoel Franco.
A tTa ii (lega.
endimento do da22..........16:789^800
Descarregdo hoje 23.
Brgue Rraziltan-Pnckt differentes geno-
ros.
DitoPrimavera dem.
Dito Saphia idem.
DitoTriumph'inlepedra.
DitoThomaz-Luk canos de farro.
PatachoMercatorcarvo.
Rrigue Jucatardito.
DitoBaltuur differentes gneros.
Movmento do Porto.
Navios entrados no da 21.
Brernem ; 46 das, brigiie dinarmarquez Bal-
tieme ; de 168 toneladas, capito Boy Di-
riwscn, cquipagemlO, carga varios g-
neros.
dem ; 60 dias, hrigue oldcmburguez Sophe,
de 237 toneladas, capito M. Adduka e-
quipagem 10 carga varios gneros.
Goianna ; 6 dias hiato brasiloiro Concetgao-
brasileira capito Jos Alves Pereira e-
quipagem 6 carga carne.
Sahidos no mesmo dia.
Rio-do-Janeiro ; vapor brasiloiro Paquete-do-
Sul, de 149 toneladas capito Matheos
do Barros Valentc equipagem 26.
Porlos-do-Sul vapor brasiloiro Paraense ,
de 180 toneladas capitao Joaquim Peixoto
Gui maraes equipagem 26.
Porto ; brigue brasileiro Paquete-Baianno ,
de 195 toneladas capito Lourenco de A-
raujo Guimares, equipagem 12, carga
assucar.
Lamoirio para acabar de carregar barca in-
gleza S. Lourenco do 276 toneladas ca-
pitao W. Foster, oquipagem 16 carga
salitre. ,
Triestre ; barca dinarmrqueza Preciosa, de
342 3/* toneladas, capitao J. J. Hiacr ,
equipagem 13 carga assucar.
LilbJ breguo portuguoz Josephina Jo
232 1/4 tonelada*, capito Paulo Antonio
da Rocha equipagem 12 cargai dito.
Unna; hiato hraaltoirn Conceicao-do-l ilar ,
capito Manoel Antonio Jorge da Silva e-
i|uipagem 6 carga varios gneros,
Navios sahidos no dia 22.
Lameirlo para acabar de carregar; barca ham-
burgueza Cathotrim de 342 JA, capito A.
F. Falck equipagem 12: carga assucar,
6 couros.
Maranhao; brigue-escuna brasiloiro Ltura, de
163 '/ toneladas capito Antonio Ferreira
da Silva Santos, equipagem 14 : carga va-
rios gneros.
5. Mr. Rogers, cavalleiro dramtico ap-
parecer no seu ligeiro ginete o bello Bess
proto no carcter do salteador Italianno, ou o
roubador dos \ppeninos.
Este neto descriptivo comeca pela persegui
cao dochofe dos salteadores, o qual escapa e
chega ao ponto de reunio dos seus carneradas
as morrtanhas alegra d'estes pola volta do
capito o sino do convento annuncia a hora
,|0 crtro toque do trombeta ao longo pre-
parativos para o ataque avancada silenciosa
com ogo I O salteador repousando -? Scre-
mai ; narca ingieza nontrcli, de \ nata ouvo-se ento o assovio do alarma e
capito Tboma David Lapage equipagom termina a scona com a sorpreza o morte do
5 : carga assucar. salteador.
O joven William Kincade
^ .,.....-.
Liverpool; barca ngleza Pmci7/a 311 % cap.
Joo Taylor, equipagem 13: carga algodo,
e couros.
Canal : barca ingieza Monirch, de 295 3/1
,_ assucar.
Philadelpia ; escuna americana Orralluo
121 toneladas capito A. P. Lufkem
quipagem7 : carga couros.
Babia; hiato brasileiro S. Joss, de 121 ton.
capito Jernimo Pereira equipagom 8
carga baca I bao.
de
e-
Edital.
Vicente Thonxiz Pires de Figueiredo Camargo,
commendador da Ordem de Christo, inspec-
tor d'alfandega, tfc.
Faz saber a quem convier, que, achando-se
presontomonte fechada a parto do caes d'alfun-
dega que fica desde o torreo oceupado pela
associaco commercial ateo trapiche ser do 1.
do Janeiro de 1844 conservada pateo da mesma
alfandoga o as mercadorias, que all se acha-
rem o so depositarem felo sugeitas a arma-
zonagem demorando-so alem do lempo permit-
ido pelo regulamento. Alfandega 19 do do-
zmnbro de 1843.
V. T. P. de F. Camargo.
=0 Illm.sr inspector da thesouraria da fazen-
da desta provincia manda fazer publico o oflicio
abaixo transcripto, que Ihe foi dirigido pelo ins-
pector da thesouraria da fazenda da provincia da
Babia em data de 15 do corrente. Secreta
riada thesouraria da fazenda do Pornambuco
20 do dezembro de 1843.
Joaquim Francisco Bastos,
Offcial maior.
Officio Illm. sr. Vou communicnr V. S.
para a devida precauco que de prximo ap-
pareceo na circularan d'esta provincia notas
falsas de 2008 res da 2.* estampa, de cor verde,
tendo as assguaturas de "
iuurii i.oiit'M
I i-i
Oilrt
Babia Joaquim Jos'Poroira de Faro e Ma-
noel Gomes de Oliveira Couto, e sao 16 do taes
notas, do que tem conhimento osta thesouraria:
e nocahendo no tempo da brevidade da par-
tida desto vapor remetter A V. S. o resultado
do exame que se procedeo sobre a falsidade
das mesmas notas desde ja Iho previno que
urn dos mais salientes signaos a grossurn, e
rn qualidade do papel e das tintas compa-
rando-so com as verdadeiras. Dos guardo a
V. S. thesouraria da fazenda da Babia 15 de de-
zembro de 1843. Illm. sr inspector da fa-
zenda da provincia de Pernambuco.
O inspector ,
Joo da Silva Miranda.
Ileclaracoes.
O ahaxo assignado offcial encarregado
do laboratorio dos fogos arteiciacs do arsenal
de guerra por ordem superior faz publico, que
o mesmo laboratorio tem para vender porcao
de plvora grossa e lina da fabrica nacional :
a saber a grossa a 520 rs. a libra e a fina ,
640 rs.; as pessoas que quizerem comprar ,
procurem nos dias uteisao annunciantn no dito
laboratorio na fortaleza das Cnco-pontas Jo-
s Francisco dos Santos segundo tenente.
CoMPAlNHADO BEBIRIBE.
Achlo-se a venda as accoes que em virtu-
de da disposiclo do art 9 dos estatutos re-
vertro em favor da companhia : os prcten-
dentes dirijo-seao oscriptorio do caixa o
snr. Manoel Goncalvcs da Silva na ra da
Cadeia do bairro do Recito. O secretario ,
B. J. Fernandes Barros.
CIRCO DE NF.W-YORK.
RA DA FLORN 11NA TERRENO DE S.
FRANCISCO.
Beneficio do joven William Kincade.
sabbaho 23 de dezembro noule.
(Esta,c mais 5ser5as ultimasrepresentaces.)
Parte primeira.
1. acto.Principiar oespeclaculo pela gran- e
de entrada doscossacos montados nos seus for-
inosos corscis.
2. O joven William Kincade representar a
cavallosem sellim nem brida o Indio sel-
vagcin.
|. O Potro falcan preto exercer as suas pe-
ras de docilidade.
4. Tombos no co, e gaitos para o ar por
toda a companhia,
6 O joven William Hincado, o pequeo
cavalleiro atrevido.oxocutar a todo o gallopedo
seu cavallo alguns dos mais espantosos feitos
nunca vistos.
N'este periodo da representadlo haver urn
intervallo do 15 minutos.
Parte segunda.
!. Comecar pela scena das estatuas, re-
presentada pelos srs. Nathans, May, Ruggles,
e Kincade.
2. Asr.'Howard artista equestre sum-
mamento perita n'osta arte apparecer a ca-
vallo, na figura da rapariga Escoceza de-
fendendo o seu patrio lar ; depois do quero-
presentar a Deosa da lihcrdade
3.a Assombrosos loitos cmicos de picara por
Mr. Howard.
4." Mr. Rogers representar o soguinte :
Historia a cavallo ou as tres grandes persona-
gens, tiradas dos escriptos de Guilhermo Sha-
kespeare na qual Mr. Rogers imitar primei-
ro SirJohn Talshff o Gordo Cobarde e
rompanheiro do princide Henrique do Ingla-
terra; segundoo Veneziano Silock.
Explicado Um commerciante obrigado a
tomar dinheiro a premio s podo obtel-o da-
quollemiseravel usurario passandu-lhe urna
obrigacao.com a condico do que senlo pagas-
se no dia assignado Ihe tirara urna libra do
carne da que tinha mais chogada ao coraclo.
Vencido o prazo marcado nao podo o negoci-
ante pagar, e o usurario apresenta-se a doman-
dal-o no tribunal competente: o duquo do Vo-
noza proloro a soguinte sentenca. Tem o
usurario dreito para cortar-lhe n libra de car-
ne, porm ao lazcl-o nao ha de verter nem urna
gota de sangue em cujo caso ser-lhe-haoconfis-
CadOS tOUOS OS MU, o Oire av.u BopeJ5y so
hre a roda.
Tercero Ricardo III. tyranno sangui-
nario da Inglaterra na batalha de Bosworth ,
em que morre.
5 Findar tolo o divortimento com as ex-
traordinarias execucoes de Mr. Nathans sobre 2,
e 4 ravallos nos quaes tambem carregar o jo-
ven William Kincade em muitas posi?oes dif-
ferentes, praticando igualmente aquclle admi-
ravul feito, em que esto temerario menino sus-
tenta-so em p na cabeca do seu mestro sem
receber o discpulo apoio algum dependendo
a sua seguranza nicamente da prccislo mathe-
matica do seu equilibrio.
Avisos martimos.
Para o Para segu viagem no dia 6 de Ja-
neiro o brigue nacional l)eos-Tc-guarde : e
tendo seu carregamento prompto apenas re-
cebe passageiros ; os pertondentes entendo-se
eom HenrquS Bcrnardes de Oliveira & C, na
ra da Cadeia-velha armazom n. 12.
= Para Lisboa seguir no dia 5 de Janeiro
prximo o brigue portuguez Triumphante ,
capitao Siiverio Manool dos Res tem excol-
lentes commodos para passageiros bem como
recebe carga a frete ; a quem convier dinja-se
a seus consignatarios Mendos & Oliveira na ra
do Vigario n. 21 ou ao referido capillo.
Avisos diversos.
__Osr.Manoel Goncalves Ferreira Lima queira
annunciar por esta olha a sua morada pois
se Iho deseja fallar a negocio do seu nteresse.
__Perdeo-so ou lurtro urna arteira rouxa
j usada desde a ra de Santa Rita ato o pateo
do Carmo tendo dentro da mesma viote e
cinco a trinta mil reis em scdulas sendo urna
scdula de 108 uma Ul} &* re- outra de
2t rs. e algumas do 18 rs.; tambem tinha
dentro uma lettra da quantia do quatrocentos
mil reis aceita por Antonio Vieira Martina e
ndossada por Manoel Jos Pacheco de Mello ,
. duas obrigacoes j antigs, o alguns papis de
lembraocas ; a pessoa, que a achou, ou a quem
torean oflerecidas a lotra, e obrigaco paraal-
guma tranzacao, queira restituiros ditos papis,
c documentos quo s serveui a seu dono e fi-
que com o dinheiro pois jase acho prevenidos
todos os devedores; na ra do Santa Rita ca-
tarrea la esuuina n. 5.
PrecM"M alugar uma preta para oservico
de casa e vender na ra ; quem quizer alu-
gar dirija-so a ruado Cabug sobrado da es-
quina por cima dorelojueiro 1. andar.
O Novo-retiro oll'ereceaos amantes da pe-
tisquoira os seus apetitosos peliscos, e su-
periores bebidas tanloespirituosas como re-
frigerantes na Rua-real ( Estancia ) n. 11 ,
aoride a sombra das bellas mangueiras pode
gosar-se de bom fresco e igual proveito; tam-
bem oflerece-se commodidade para qualquer
familia, ou sociedade decente para se passar
urn dia ou dias e promptificar-se-lhe o
possivel appetecido tudo com presteza e de-
baixo de diieccao honesta e por mui econ-
mica despeza. N. B. Apprompto-sequaesquer
almocos jantares, ou merendas em com-
mendando-sc com a precisa antecedencia e
adverte-se que na noute de 24 para 25 do cor-
rente das 2 horas em diante haver cabidella ,
e boa canja de galinha &c.
O snr. Jlo Pinto Chaves, eo snr. Ma-
noel de Almeida Lima queirlo dirigir-so
a Rua-nova, n. 57, a negocio de seu interesse.
Aluga-se o segundo andar e sotlo da casa
defronte do fundo da matriz do Santo Antonio
n. 28 ; nu ra do Amorim n. 50 2. andar ,
ou na mesma ra n. 32.
= A companhia equestre do circo olmpico
retira-se deste imperio.
Precisa-sc do urna ama quo tenha bom
leite quo seja lorra ou escrava : na padaria
franceza no atierro da Boa-vista n. 10.
Aluga-se uma mci'agua na ra da A-
legria ( bairro da Boavista) propria paraco-
cheira : quem a pretender dirija-se a ra da
Cadeia do Recife n. 37 1. andar.
<^uem annunciou querer comprar uma
obra ou tratado de geographia por Cazado
Giraldes; dirija-se Praca-da-independencia,
loja de livros n. 6 e8.
Aluga-se uma casa de 2 andares, na ra
d'Aguas-verdes : a tratar na ra do (^ueima-
do n. 4.
Sociedade 'lorencc.
Acommisso administrativa tem fixado
0 dia 31 do corrente para a sua segunda parti-
da e convida aos snrs. socios para aprosenta-
rem as propostas de seus convidados no dia 27
pelas 4 horas da larde na casa de suas sesses,
no lugar do Monteiro ; e adverte-so, que alem
deste dia nodistribue mais convites.
A quem for oflerecida uma caixa com
sabo queira apprehendel-a pois foi torta-
da na noute do dia 21 do corrente, e anunciar.
Ainda est por alugar o sobradinho da
Rua-imperial n. 100 defronte dos Coelhos ,
caiado e pintado por preco barato ; a tra-
tar defronte do mesmo n. 167.
Precisa-se alugar uma casa com com-
modos para pequea familia cujo aluguel nlo
exceda de dez a doze mil reis : quem a tiver
annuncie.
O snr. Antonio Joaquim Ferreira que
foi caixeiro de Antonio Baptista Ribeiro de
Faria dirija-se a Rua-nova loja ranceza
n. 9 a negocio de seu interesse.
Na padaria franceza no Atterro-da-Boa-
vista n. 50 precisa-se de uma ama de ieite ,
para criar uma menina.
Alnga-se uma casa de dous andares na
ra de Aguas-verdes; a tratar na ra do Quei-
mado n. 4.
ss Bernardo Fernandes Vianna faz certo
pelo presente annuncio que nloensina mais
primeiras letras por causa do uma rpida mo-
lestia que Iho repeli. A lodos os senhores
pais quo confiarlo seus charos filhos para os
ensinar Ihes agradece muito o muito a con-
fianza que Ihes mereceo, e Ihes pede desculpem
algumas faltas em que incorresse. Era de seu
rigorosodever irpessoalmenteagradecer oque
dito fica a cada um snr. de per si, mas a in-
certeza das horas, em que os podera achar cm
casa, faz que lance mo deste meio.
= Osnr. Jos Gomes da Silva queira ter a
bondade do dirigir-se a ra do Santa Tbereza
casa n. 10 a negocio de seu interesse ou
annuncio a sua morada por esta folha.
= Bernardo Fernandes Vianna, em raslo de
nlo poder continuar a ensinar primeiras letras,
vende o estabelecimento da sua aula a qualquer
snr., que se queira propr a ensinar meninos ,
para o que tem a casa cxcellentes commodos, e
boa ra; na ra da Cadeia do Recife n. 56, das
6 as 8 horas da manhla e do meio dia as tres
da tarde achar o donoem casa.
Na loja de fazendas n. 10 no Alterro-da-
Boa-vista ha um rico sortimento de merme-
lada do talhada secca efina em condeci-
nhas dita fresca fina e em latas ; amen-
doas de chocolate torradas.em latas;ditasbrancas
de assucar finas e granitadas ; chocolate fino de
canella ; liaba do Porto em miadas meias
'curtasde linho para bomem e pello de urco
I preto proprio para porem em chales e cm
pannos de negras.
= (^uem precisar de roupa engommada com
| perfeiclo dirija-se a ra do Nogueira casa
1 n. 30,'
i. uim


.*
= Aluga-se um ptimo moleque cozinheiro,
do lodo o servico, e som vicio algum ; quem
B pretender dirija se no diasabbado,23 do cor-
rente ao 2 andar do sobrado n. 16 defronte
de tbeatro vellio.
as Aluga-se o 2. andar do sobrado da ra
das Trincheiras n. 40; no primeiro andar do
mesmo.
= D. \Y. Rowman engenheiro executor
doenconamento das aguas do Prata e recen-
teniente da lundicao da ra da Aurora aviza
ao publico que se -ocha estabelecido n esto ci-
dade como engenheiro e machinista ; olToro-
ce respetosamente o seu prestimo esperando
merecer evoravol acolhimento do governo, dos
senhores de engenbo de qualquer companhia ou
de pessous particulares que queirao empre-
hondor obras de ongenharia.
Prope-se a desenhar, especificar, e orear
qualquer mechanismo a fim de sor executado
aqui, ou dse mandar vir de fra.
Prestar a sua inspeccio e conseibo occasio-
nal ou permanente respeito de qualquer me-
chanismo iabrica ou outra obra da sua pro-
fissao | quer para a sua construcoo quer
para a sua conservado ou concert.
Oferece tambem os seus serviros para a ava-
liaclo ou escolha de quaesquer machinas.
A quem o procurar na sua casa n. 15, Ra
formosa ( Boa-vista) dar mais minuciosas
nformaces crea das suas condicoes e
spera que os seus serviros sern julgados profi-
cuos para a mais ampia introducco de machi-
nas e manufacturas n'esta provincia.
= Luiz Guilherme Wrassry vae para Ma-
cei com sua senbora e um lilao menor.
=. Urna pessoa que tem alguma pratica de
escripturacao commercial propoo-se a fazer
a escripturacao de qualquer casa de commercio,
ou outra qualquer qualidade de escripia; na
ra do Queimado n. 37, primeiro andar.
Arrenda-se o segundo andor do sobrado
. 18 d a ra do Fogo ; a tratar na ra do
Queimado sobrado n. 44.
Quem precisar de urna ama para o ser-
vico de urna casa de homem solteiro, ou de
fiouca familia dirijaso. a ra do Rangel so-
brado n. 20.
Constantino Jos Rapozo faz publico, que
a casa terrea sita no beco do Calabouco n. 20 ,
o de presente n. 38 se ocha embargada por
xecucao movida contra Mara Francisca dos
l'razeres como se mostrar em tempo pelo
jui/.o competente; ninguem pois a vista do pre-
sente poder fazer negocio algum,, relativo
a niesma casa sem se comprometer a perdi-
miento de seu valor e sem incorrer no crime
de urna trans8(;5o dolosa em prejuizo do ter-
ceiro.
Aluga-se por 15J rs. mensacs o segun-
do andar e solio da casa n. 35 da ra larga do
Rozario com cozinha e muilo hons com-
andos; a tratar na loja de miudezas da mesma
casa.
- O snr. subdelegado do primeiro districto
da cidade da Victoria queira ter a bondade de
examinar, se a negra, queseachaem seu po-
der, tem os signaes seguintes ; de nome Ja-
cinta, de naca o Rebollo estatura ordinaria,
alguma cousa magra cara feia e afinando
para o queixo a perna, p e a mfio osquer-
das um pouco enchadas, fgida no dia 24 de
setembro andando vendendo bolinbos, e uvas
em um pequeo taboleirode tartaruga ; roga-
se ao.mesmo snr que, no caso de sera mesma ,
a mande entregar na ra do Sebo, casa de
Alberto Lovenre que satisfar todas as des-
pezas.
O snr. Manoel Anastacioda Costa pode
fazer a sua viagem por se ter entendido com
o autor do annuncio do Diario de 20 do cor-
rente.
A visa-se ao snr. Manoel de Souza e Silva,
que nao pague a lettru, accoita n novembro p.
p. ; da quanlia de noventa e tantos mil rs. ,
assim como a outra qualquer pessoa a quem
ella for apresentada, que a nao receba por se ter
desencaminhado no dia 22 do corrcnlc; quem
a achou leve a Rua-direita n. 114a entre-
gar a Joio da Costa Ventura.
* Manoel Jos Vianna embarca para o
Rio-de-Janeiro as suas escravas Placida, criou-
la ; Roza, Angola; Flaurina parda ; Florin-
da, crioula ; e Mara Angola.
Aluga-se o segundo, e terceiro andar da
casa de 3 ditos da ra da Lapa, por proco oom-
modo ; a tratar na ra da Moeda armazem
de asjucar n. 15.
Sociedade Theatral Ittelpomenenc*.
O thesoureiro faz sciente ao soeiosda
mesma que hajo de ir receber os bi I heles pa-
20 annos, sendo do bonitas figuras pagao-se
bem ; na ra do Cadcia de S. Antonio so-
brado do um andar de varanda de pao n. 20.
N Compra-se urna geometra porEuclides ,
urna gcographia pelo Abbade Gaultier e as
poesas do Maia; na Ra-imperial n. 185.
Compra-se efectivamente para fra da
provincia mulatinhas crioulas e mais escra-
vos, de 13 a 20 annos, pagSo-se bem, sendo bo-
nitos ; na ra larga do Rozario n. 30, pri-
meiro andar.
Compra-se um ponteiro de ouro ; as
Cincor puntas n. 62.
= Compra-se escravos ds ambos os sexos,
de 10 a 50 annos que tenhao aigumas habi-
lidades pagio-sebem ; na Ra direita n. 3.
= Comprao-se eflectivamente para fra da
provincia mulatas, negras o moleques de
12 a 20 annos sendo bonitos pagao-so bem ;
na Rua-nova n, 16.
_________
Vendas.
FOLIIINHAS PARA 1844.
Achio-se a venda na livraria da praca da
Independencia os. 6, o 8 ; ra do Cabug lo-
ja do Bandeira ; defronte da matriz da Boa-vis-
ta botica do Moreira; no Recife ra da Ca-
deia loja de ferragens n. 45; em Olinda, ra
do Amparo botica do Rapozo ; e nos Qua-
tro-cantos, loja do Domingos : as excellentes
folhinhas impressas nesta Typograpbia com-
postas pela primeira pessoa, que as fez nesta pro-
vincia e quetantocredito tem merecido; conten-
do as de algibeira ptimos chcaras, e a disputa
entro urna pulga, e um piolho sobre a fidalguia;
outras contendo a confissio do morujo ; e ou-
tras finalmente com a linguagem das flores, ou
novo diccionario paro a correspondencia ama-
toria ; brevemente seexporio a venda, as que
tem os nomes, e moradias dos empregados p-
blicos.
Vendem-se duas pardas perfeitas engom-
madeiras cozinheiras, e fazem todo o mais
servico de urna cosa ; urna dita de 16 annos,
recolhida mui linda mncama|, e com bons
principios de habilidades; 3 pretas mocas en-
gommio e cozinhio ; 3 pretos pora lodo o
servido ; um dito de meia dado por 250$ rs. ,
ptimo para todo o servico; um moleque de

lia iuu ui
12 annos; eum mulaiinho de
Aguas-verdes n. 44.
- Vende-se um par de casticaes modernos ,
um salva para 4 copos um calis para lavatorio
de enfermo urna redoma de ouro urna dita
de prata um par de esporas modernas um
dito de (velas prra sapatos duas voltas de eor-
do duas ditas de contas de ouro cascaveis
do prata um ponteiro pares do brincos, bo-
tos de abertura e punhosde difieren tes mo
dlos, e aunelSes com diamantes ; nasCinco-
pontas n. 45.
= Vende-se rap de Lisboa, e todas asmis
qualidades que ha no mercado em libras ,
e oitavas, echa bisson ; na ra doCoiiegio ,
loja n. 4 do Menezes Jnior.
Vende-se um escravo canoeiro e pes-
cador e tambem entende do servico de sitio ,
por 350gr. ; no bepoda Lingoeta rt. 8.
= Vendem-se bichas de Hamburgo e de
Lisboa aos contos e a retalbo tambem se
alugao, e so vio applicar por preco oommodo ;
massos de meias de linho vindas do Porto ,
e pos para denles ; na ra da Crui, loja de
barbeiro n. 43
Vende-se urna negra de noci Angola ,
de 25 annos, cozinha, lava, e serve bem a
urna casa e um negro tambem de afio An-
gola bom capinheiro e cozinheiro ; na ra
das Cruzas n. 41 segundo andar.
Vende-se um preta de naci, boa en-
gommadeira cozinheira, lavadeira, refina as-
suca r sabe tratar'de meninos e doentes e
tem alguma pratica do governar casa ; na ra
do Rangel sobrado n. 26.
= Vendem-se duas gargantilhas para senbo-
ra urna correntc um cordao massioo com
47 oitavas, tudo de ouro de le, e sem feiiio ,
um par de brincos da moda com 4 brilhantes,
urna correntinha para relogio e um par de
brincos de diamantes ; na ra das Trincheiras
n 18.
Vende-se urna bonita escrava de 10
annos d'idade recolhida perfeita engom-
modeira cosinha e coze ; duat ditas de todo o
servico ; urna dita da Costa lavadeira e <*ui->
tandeira ; duas negriamas um mutatinha de
12 annos ; urna bonita mulata de elegante fi-
gura perfeita engommedeirs e oostureira
Vende-se farinha de mendioca a 640 rs
oalqueiie novo o a 1000 rs. medida velha ;
nos depsitos do pateo do Carino sobrado no-
vo junto a Ordem terecira e na ra da Cadeia
de S. Antonio n. 19.
Vende-se um escravo de 16 annos tra-
balhadorde encbada e um casal de pombos
de Lisboa ; na ra do Fogo sobrado de um
andar n. 26 de manba at as 9 horas, e do
tarde das 3 as 6.
Vende-se um bom escravo proprio para
o servico de campo ; na ra da Cadeia do Re-
cife deposito de farinha n. 19.
Vende-se um preto de 18 annos, na ra
dos Pires n. 66.
Vendom-sse chapeos irancezes da melhor
qualidade e formas as mais modernas; na ra
do Queimado loja n. 11 de A. L. G Vianna.
Vende-se fumo bom para capa de charu-
tos edito para milo e charutos pequeos
eincaixasde 100 e 200 ditos grandes de ex-
cellente qualidade em cantas de 2000', e colla
da Babia em saccas de duas arrobas; na ra do
Codorniz n 9.
Vende-se para (ora da provincia urna es-
crava crioula de 24 annos boa lavadeira e
cose alguma cousa ; na ra do Livramento ,
obrado n. 33
= Vendem-so queijos do Minas, frescaes ,
uvas, passas, figos, e sotada nova a 80 rs. ,
e mais gneros, por prego commodo : na rua
das Cruzas n. 40.
-* Vende-se um negro de niela de 40 an-
nos cozinheiro e capinhei ; ni rua do
Queimado n. 4.
= Vende-se na otaria do fundi junto a
fabrica de Gervasio telhas a 32j rs. o milhei-
io lijlos de ladrilho a 25$ rs. ditos de al-
venara batida de marca grande a 28j rs. ,
ditos de tapamentoa 12$ rs. ditos quadrados ,
grandes para ladrilho de Corno de pi a 200 rs.
cada um tudo bom e bem cozido, ou
na rua do Queimado loja de chapeos, junto a
do Gusmao a tratar com Joio Francisco de
V m< rim Lima ; assim como se manda botar no
porto pagando-se 200 rs. por cento de frete.
Vende-se a armario e pertences da
venda da rua da Roda n. 45 c urna frasqueira
com seis frascos grandes, o 5 pequeos ; a
tratar na travessa dos Cruzes n. 8.
Vende-se um pardo de 16 annos, na
rua da Cadeia-velha n. 62.
pe do machina em meias resmas a 1800 rs
outros muitos gneros por preco commodo 'na
rua das Larangeiras n. 16.
=_ Vende-se farello novo em saccas de 3 ar-
robas chegado de Hamburgo ; em casa do
H. Mehrtens, na rua da Cruz n. 46
= Vendem-se canarios de imperio em vi-
veiro e j separados em gaiolas muito can-
tadores bolaxinha ingleza a 160 rs. choco-
late da Bahia o pao a 100 rs. cerveja branca a
480 rs. esleirs pequeos de Angola a 320 rs.
manteiga franceza a 600 rs. sementes de to-
das as qualidades, galinbas, gallos, frangos,
c frangas, muito gordas; na rua estrella d
Rozario n. 8.
V _= Vendem-se borzeguins de marroquim po-
ra senhora a 2000 rs. sapatos de cordavo or-
dinarios a 480 rs. sapotinhos para meninos a
120 rs. botizinhosde marroquim para ditosa
500 e 800 rs. sapatos de duraque do Lis-
boa a 0 0 rs. botins do Lisboa a 2200 rs.
luvas de pellica para homem a 1280, e 1440
rs. o para senhora, enfeitadus o 2500 rs.
lencos de sedo para gravatas meias de seda pa-
ra homem o senhora borzeguins gaspeados
para homem senhora, e meninos, sapatos de
couro de lustro poro homem, senhora, e me-
ninas de lodos os tamaitos botins de bezerro
france/., sapatos de palla para homem, e meni-
nos meias de algodao muito finas para meni-
nas botins de lustro para homem esparti-
Ibos para senhora bengalas de cana modernas,
tudo por preco commodo ; na Praca-da-inde-
pcndeneians.il, 13, el5.
Escravos fgidos.
Ciucm-ac "!COS CiiSpes
4..
UV)
vua
t3 \i'
ra a recita do dia 26 do corrente, boje, o ama- um preto de 18 annos perieito oleiro e de
na rua do Fogo ao p do Ro-
nbaa na rua da Cadeia do Recife r>. 6.
Compras
Comprao-se IWtivamcnte para fra da
provincia eacravos de ambos os sexos de 12 a n. 11.
todo o ser* ico
zario n 8.
= Vendem-se dous reiogios de algiboira a
cilindros, um d ouro por 50000 rs. eotitro
de prata por 20*000 rs. ambos regulando
na roa dos Querais
i,..
a Ras
Am *.n
#V Vi
falla lisos, bordados, e abertos, chegados no
ultimo navio de Franca e outras muitas fa-
zenda* do gosto; no Alterro-da-Boa-vista
n.lti
Vendem-se borzeguins gaspeados e de
ponta de urna e duas solas pretos, e de
cores, sapatos de pallaatraz e adianto di-
tos ingleses, de orelha, e de costura ditos de
entrada baixa de couro de lustro ditos de
liezerro, de una o duas solas, botins, e
meios ditos de bezerro francez tudo para ho-
mem e menino sapatos de tapete para senho-
ra ditos de marroquim, e couro de lustro com
clchete para menino ditos de marroquim f
cordovao setim duraque, e couro do lus-
tro para senhora e meninas, botisinhos de
marroquim e couro de lustro para meninas ,
sapatos atamancados para homem e senhora ,
e outras muitas qualidades de calcado, por pre-
co commodo ; no Alterro-da-Boa-vista loja
n. 24 de Joaquim Jos Pereira.
= Vende-se urna esna de carreira quasi
nova por preco commodo; no estaleiro do Maris
se achara com quem tratar.
Vende-se um relogio de ouro, com mos-
trador do prata, que trubalha sobre robins,
a pelo sua delicadesa mui proprio para senho-
ra: tratar nesta typograpbia.
= Vendem-se borricas, e meias ditas com
farinha de trigo a mais nova que ha, temos
de condecas balaios, fechaduras grandes para
porta do armazem bichas grandes, e pequeas
de Hamburgo massos de meias de linho, sa-
patos para tropa, peneirasde rame, pilulas
de familia garrafas brancas pedras de aliar,
navalba para barba, retroz de prmeira e
segunda sorte chapeos deso de seda do Por-
to lencos de seda preta o azul para grvala,
um lindo prezepio toalhas e guardanapos de
linho de Guimaries; na rua estreita do Roza-
rio o. 13.
= Vende-se ato estrave da Costa boee-
teira cozinheira, e com outras habilidades;
na ruadoAragiort. 9.
= Vende-se orna negf inha ptima para
mucama ; e am moleque de naci de 16 an-
nos ; na Rua-direita n. 3.
= Vende-se superior cha isson a 2560 rs. ,
bolaxinha ingleza redonda e quadrada a 240
rs. dita de soda a 360 rs. dita pequenina a
320 rs, meias caixas de passa a 2000 rs. e a
libra a 200 rs. uvas a 320 rs. figos a 160
rs. queijos de Minas a 600 rs., milho alpis-
te a 32lrs. o^ quarteirio painco a 240 rs.,
espermaceie de 5,6, e c em libra a 720 rt. ,
velas de carnauba do 8 em libre a 440 rs. pa-
por
uY-
= O abaixo assignodo roga a todas as auto-
ridades policiaes, ou outras quaesquer pessoas ,.
que souberem, ou tiverem noticias de um seu
escravo de nomo Andr do nayo Cacange ,
fgido no dio 20 do corrente de 25 onnos ,
sem barba cheio do corpo estatura regular,
belcoi grossos com marcas do berhigas no
rosto, tem o vicio de fumar cachimbo, cor
bem preta c canoeiro ; levou calcas de brim
ja velhas, camisa do cliila azul do quadros
grandes, e chapeo de palho ; quem o pegar,
leve ao Recife no tanque de agua do porto das
caos ou em Olindo, no ru do Balde n. 24,
que ser recompensado, sa JoBo Site-ves da
Silva.
No dia 26 de novembro p. p. Jugio o pre-
to Joio Klisbio crioulo do Loando oilicial
do pedreiro de 23 onnos, alto grosso cara
comprida denles limados com barba
boixo do queixo meio enbigudo, o p
reito mais grosso, que o esquerdo dedos doi'
mise ps mui compridos ; quem o pegar,
leve a Rua-velho n 91 ao lenenle-coronel \ a-
rejio que gratificar: roga-se ao mesmo lem-
po oos snrs. encorregodos do polica de poremv
as suas vistas sobre o brinquedo de fandangos ,
que a perdicao do maior p;rtc de alguns es-
cravos farcolas ; perqu a m de fugjrem co-
metem olguns crimes policiaes paro darem
trabalhos aos senhores; pois tiestas luna oes nao
devem entrar captivos.
Nodia 21 do corrente desappareceo o pre-
to Joaquim, de naci Coconge bem preto ,
estoturo regular algum tanto reforcado do
corpo bonita figura tem urna cicatriz do
queimadura sobre os pcitos representa 18 a
20 annos; levou comiso e ceroulas de aigo-
gio o qual tem andado embarcado ; quem o
pegar, leve a rua da Moeda sobrado n. 15 ,
quesera gratificado.
O abaixo assignado declara, que proceda
com o rigor da le contra qualquer pessoa, que-
oceulta Icnha sua escrava crioula de nome
Joaquina fgida no dio 2 do corrento de
24 onnos estatura regular secco do corpo ,
rosto comprdo, cobeco puchada paro traz, com
dous dedos da niao direita Alejados consta es-
tar oceulta e(m casa do urna prostituta por ter
sido vista o encontiada a noute comprando na
ribera ; quema pegar, leve ao sitio do inspec-
tor de quarteirio na estrado de Joio de Bar-
ros n. 24. = Joo Ncpomoceno Ferreir de-
Mello.
= Fugio no dia primeiro do corrente o par-
do Monoel, alto bonita figura, secco, e ro-
busto cor de canda clara cabello annelado,
pouca barba rosto redondo nariz grosso ,
com um signal de Ierro mullo antigo no ponto ,
tem em um dos ps o dedo grande como oleijio
de um panoricio, denles miudos e finos; quem
o pegar leve a matriz cunhiem a seu senhor Manoel de Brito Souto ,
que gratificar generosamente.
s Desappareceo da casa de Antonio Rodri-
gues Lima no dia 19 do corrente, um mole-
que de nome Calisto de 16 annos, reforca-
do do corpo cara redonda camisa e cerou-
las de algodio natural do Aracoty ; quem o
pegar, leve ao largo do Corpo Santo em casa
do annunciante aun gratificar.
RaxiFB: ra Ttf. mH.Fh Fari -=1843


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E6O5OFTB4_0ZI5MM INGEST_TIME 2013-04-13T01:10:36Z PACKAGE AA00011611_04542
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES