Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04539


This item is only available as the following downloads:


Full Text
^*
Anno de 1843.
Terca Feira 19
de Dezembro Anno XfX. N. 5B74-
lado .gura depende de B0, me.mo.; d. .,. ,dec., moder.gio, ener,
nuco, eomo ,,rme,pi.mo5) .reme. .,,,.,,. com admirado Lr'e .. N.^. ..".
,Jlto-____________________(lVocl.m.cao di Aasembleia Geral do Beasil.)
y O DuBln pahlic
??^Jb' "* fe* m'd rc'8 l'r
S/ /t'- Kr<> ) o. do PARTIDAS DOS CORHEIOS TERRESTRES.
Uoianni, e Parahjba, segundas e nenas feir... llio Grande doNorle. auini.. r.;.
Honilo e G.rtnhun., 10 e 24. <|u""" ,e,r
Cabo, Serinhem, Uio Formoso, Porto Cairo, Maceio, e Ala-oa. no 1 H
Bo .U Flore.a 13 e 2S. Santo Anlao, quinta, feira. Olfnda lodo, o dia'a
DAS DA SEMANA'.
48 Seg. s. Expendido C. And. do J de U. da 2. .
41) lerg. a. Fau.lai Re. And. do J. de D.da3. .
2i) Ouarl. a. I.iliera o M. Aud. do J. de da 3. v.
5 I Uuint. S Thonii -\|i.
32 b'ex a. Honorato M .Aud. do J. de D. da 2. Y.
2 Sal.. Victoria V. M. Re. Aud do J. d ]). di i- y.
24 !)"!. Gregorio M
0-Mtodoao. dia.q-ien.lo foram Santificado*: o preeo da a.aigoalora
or quartel paso* adiantado. O (nuncio, do. signantes sao 'n,f*j
(,.~., ..... que n.io forera a rado de Urei. porlinlia. A. reclamage. derea eer gida. a cita Tip., ra da. Ouiea N.34, ou apraqa da Independencia loja delitroa 0
renda,

i iwinti iTfiiilaiTn
-~*-?SS55B
CiuaiotJtu dialS de Dezemhro. compra
Cambio aobr Londra 20. Ouo-Moda d* fl,400 V. 16,800
Paria 57 J i. por franco, ; N. 15,600
a Liaball por ldeprimi. a da 4,000 V,200
PAT4-l'atc5.. *.'J00
Moada da cobra 2 por cento Pato. Columnarea i,9>)0
dem de letra, da boa* firma* 1 a 1 l(i ;|. dito. Mexicano* 1,900
PHASES DA LA KO MEZ, DE DEZEMBRO.
La Cheia (i, a !) bora* e 41 m. da tarde I Lita ora 21, aa 2 hora* e 49 m.da as,
Qjoart. miug. 4 14, a* 10 bara. < 33 m. da m. I QaaWt, oie.i, 2S, o 43 minuto* db larde
Preamar de hoje.
1. a 2 horas J ... di manbaa. | J. a 3 boro a S ea. da larda.
17.000
6,800
9,400
1,920
1,920
1,920
^V<^^<^4eb
EXTERIOR.
nzxnemmr ssiaitaa
INGLATERRA.
PENYBONT 4 DB NOVKMBRO.
Rebecca em Radnorshire.
A parto occidental desto pniz est presente- | cadas corn ns faces pintadas de preto ,' &c.
ment n'um estado do grande agitagjo. Lo-; las percorrrao enlao as diversas cance.fl
go depois, quo as duas cancellos da hurreira do barreiras, e n'um espago do tempo inc
Rhayader forao arrancadas,ha perto do um mez, mente breve forao arrazadas as cancellos t
os magistrados de Ilhayader ajuramentrao do do norte e de leste da cidado sen
constables especiacs, o puzorao-n'as sob a iris- postes serrados na altura de dous ps a cii
peccao de Mr. Shaw dadivisao A da polica, chao. As duas portas quo estavao no <
do portagem assim como os bens do collector.
Parece, queperto das 2 horas da manhaa en-
trou na cidade urna guerrilha composta de
mais do 200 pessoas, com a sua chele Rebec-
ca todas armadas, urnas de espingardas 'e
outras do cejados e de varias armas, edisfar-
El-
.....celias de
go depois, quo as duas cancellos da hurreira do barreiras, e n'um espaco do tempo incrivel-
Rhayader forao arrancadas,ha perto do um mez, mente breve forao arrazadas as cancellos do la-
os magistrados de Ilhayader ajuramentrao do do norte e de leste da cidade, sendo os
ma do
, cami-
ue Londres e muitas pessoas acredtavao, que nhoda ponto, tiverao presto a mesma sorte o
este passo reprimira quaesquer ataques ultcri- nao contentos com a sua remocao arrazarao a
ores. Com ludo bem a meu pozar vos com- casa do portagem e destrurao os movis do
tnico que segunda feira passada foi arran- alterrado collector. Tendo a guerrilha dado
ada a porta da barreira do Pontmawr.e que na varias descargas de mosquetaria o tres vivas a
oxta feira tevea mesma sorto a de Newbridge,'' Recca deslilou tao disfan-adamente como ti-
na estrada do liuilth. Parece, quo um grande, nhn apparecido. a velocidade dassuas opora-
numero de pessoas entre as quaes algumas a coes, e do modo systematico dos sous procedi-
cavallo chegrSo a porta e tendo dado urna mentos imaginar-se-hia que a Recca de
salva de tiros e declarado ao guarda a suu in- Radnorshire tiha sido amestrada com a de Car-
tonco passarao a arrancara porta o queern marthonshire. [Time.)
breve conclurao. Depois exigirao do collector ,
a promessa de nao cobrar mais portagem n-
limando Ihe que se o fuesso voltariao oulra '
vez i elle. Na sexta feira noulo urna guerri-1
iba, em numero de 200 pouco mais, ou menos,;
com as faces pintadas de preto disfarcados, e
Correspondencias.
Srs. Redactores ('}
Smento o dosejo do sor til mo leva oflere-
armados do espingardasVesrao "dos'outeiros a cer Vcs,,citavo1 soic1i.eda(J d medecina de Per-
im__> i., ...i i ,. nambuco, e ao pub ico a traduccao, que fiz do
hhayader. o marcharao em proc.ssao para a es i artso> fl', abajxo se seKue. a n;(lad(, 0
la.age.n uo L.on onue uav.a a ponc.a tomado Cm saiem seguidas as indicacoes aconsel'hadas
o seu aposento, oconvidarao-n a a sair. e mos- ra artigo apontado, a exactidao das observa-
trar a sua forca ; todava pensando a polica, 'coes, que saSalli apresontadas, e, mais quo tu-
que o rnelhor valor 6 a disr.ripcao, nao appare- do, a importancia das mosmas, que, cumpridas
eco, e ontiio a procissao seguio marchando em regularmente, podem roubar s enfermidades
ordem regular para as portas de Cwmtrithcr j 'on?as o atormentadoras algumas pessoas, c
ambas as quaus lancrao por torra assim como das 8arras da mortc Por vctu salvar mais de
a casa da barreira. Depois voltrao para as por-! !ma v*ma; trou-me ludo isto pelo desojo de
tas a leste, o sul da cidade. c tambero as ara- i ff" Sta, 'f1. \u(*ao> We> so a *"
- ,, ,' apuroveitar, sera isto para meu pequeo traba -
acto enrgico o constante da nossa vonlade).
Consequencia inteiramente natural: suppressa
da parte da irritaca quedesenvohe os accessos
da tosse, por conseguinteduracao muito menor
da doenca.
Antevejo que esta propositad nao pder/i pas-
sarsern opposicad, porque,tondo aprosentado a
algunsdos ineus collegas, estes, incrdulos, nc-
gao os seus resultados. Nada ha mais corto,
com tudo, do que o acto annunciado, isto se
quizermos fasersobre elle as mais simpleces re-
llexocs. Ser preciso dar-lhe algum desenvolvi-
mento, porquo trata-se de um romodio inteira-
mente novo.
Direi pois quo os catharrosantigos, assim co-
mo as tosses pertinases o j bem estabelecidas,
cscapao completamente ao emprego desto meio,
que neste caso seria mais que intil, seria im-
praticavcl. Sua falta do successo nos casos ci-
ma apontados, ou similhantes, nada prova con-
tra a sua elllcacia absoluta, pois que nao existe
panacea em medicina, c n mclhor pratico a-
quelle quo mais multiplica o numero das indi-
cacoes especiaos. Mas o que posso afflancar ,
que, applicando esto methodo, em um dcluxo
logo em principio, ou a urna tosse recente, ello
servira a diminuir, e al a suspender os acces-
sos, o a dar cubo por este meio de urna moles-
tia que poderia aturar semanas, ou mozos in-
teiros. Um dos casos mais convenientes para o
ensaio desto remedio naquclla especie do
bronchita aguda que tao requentemento succe-
do ao corysa, molestia que o vulgo chama dc-
fluxo do cabeca cabido sobre o peito, o que quer
diser que a inflammacao so cstende da pitui-
Resta pois o procurar um meio que ajudo a
vontade, o tal o fim a que me proponho. A
prlmeira idea docta investigacaS occorreo-mo ,
observando o que so passa em quem espirra.
Sabe-so que para prevenir o espirrar, basta fa-
scr.nn occasiad, urna forte friccad sobre a borda
livra das palpbras, oxtremidade do nariz, ou
bordados labios, com as [lontas dos dedos.
. D approveltar, ser isto para meu pequen
zarfio.Bsta noutohade clicgar um corpo de dra-1 Iho rcconipensa sullcientc, pois nada
goes ligeiros dos quaes so postard seis em
Newbridge para delezada barreira d'aquelle lu-
gar. Corre, que no decurso de algumas noutes
bao de ser derribadas as portas, que ha na linha
da estrada do Khayader o Newtown. Os lavra-
doresdizem, que, quando so lovantou o bar-
reira promclteo-se tral-a dentro em cinco
annos oque j conta Ib' annos de existencia
all em violacao da promessa o que como os
guardas recusao tiral-a, estavao ellos resolvidos
u fazer-so justica por suas maos.
' Rebecca em Newbridge. "N'uma dos nou-
tes passadas appareceo urna guerrilha com o
costumado dsfarce de Rebecca, e suas (Ibas;
da qual alguns io a cavallo mas a maior par-
to a p c destrurao a cancella do Newbridge,
Radnorshire, na estrada do Builth no conda-
do do Brecon, para Rhayader, c quasi no meio
do caminho entre ambos os lugares. A obra da
demolicao fo executada, serrando-so com cui-
dado os postes da porta dous ps a cima da
torra ; depois loi a porta removida e lancada
n'um fsso contiguo casa da barreira. A Re-
becca ou chefe da guerrilha dirigio-so en-
tiio a Parry guarda da barreira, lallando-lhc
por urna buzina sem duvida para evitar o re-
ronheciment da sua voz. Extorqurao do ai-
terrado collector a promessa de que ello niio
exigira mais portagem alguma naquclla bar-
pode ha-
ver mais grato ao coracad bem formado, que o
alivio dos que padecem. Son etc.
J- b'. de Oliveira.
reir no caso de ser outra vez levantada ; o
que Parry tem cumprido pontualmente. Est
agora estacionado em Newbridge um destaca-
mento do 4. do dragos ligeiros que foi re-
movido de Builth para aquelle sitio a requisi-
cao do magistrado e immediatamente se d ve remover para Rhayader urna escolta de doze
da mesma tropa. Nao so tem obtido ainda in-
dicio algum de quem fossem os individuos; rom
quanto se faca todos os estorbos por descobrir
os perpetradores da demolicao d'esta barreira.
Rhayader. Quatro cancellas destruidas
Sexta feira de manhaa. Esta cidade foi esta
manhaa posta em estado de agitacao, pela ma-
drugada, em consequencia de haverem sido in-
teiramente destruidas quutro cancellas este
lugar, o das visinhancas, c mais urna das casas
PIIVSIOLOijIA PATIIOLGICA.
Nota sobre um meio simples de prevenir, ou sus-
pender a tosse em certas molestias, por Mr.
Diilay. 1 radceo livre offerecida sociedade
de medicina do Pernambuco por seu humilde
socio Joo Francisco de uliveira.
Em quasi todas as inflammaedes do pulmo o
dos bronchios, a tosseum dos symptomas que
deveser attacado o mais cedo possivcl. Ella pro-
cede de urna irritagao, e por um elleito mec-
nico, exaspera os apparelhos visinhos, o a irri-
tagao crosco. Nad ha medico, que nao tenha li-
do occasiad do observar em si, ou em seus do-
entes, o quanto a repetigad deste acto convulsi-
vo, deste phenomeno, no mesmo tempo eueilo
ccausa, contribue a eternisar estas inflammagdes
catharracs do peito. Supprimir pois a tosso nao
serveria smente para aliviar o doente do um
incommodo penivel.mas al delivrar logo des-
de o seu principio de um dos elementos o mais
activo que prolonga a molestia; e ninguem lla-
vera sem duvida quo pense que esta indicaga
deve despresar-se, quando reflectir sobre a im-
potencia tantas vezes provada da arte em fren-
te de urna bronchita chronica bem confirmada.
O meio que proponho tanto mais precioso,
que cada um o pdeapplicar instantneamente
a si proprio sem apparelho, nem medicamento
algum. Menos insistira cu sobre esta extrema
si.nplicidade, se nella nad se fundasse urna das
principaes condigdes do feliz successo, sendo
quo se recorra a ella, logo no principio do mal,
momento o mais favoravcl para ser combatido.
Um fado physiologico interossante foi quo me
fez descubrir o modo de proceder de que se tra-
ta. Este facto, devo mencional-o aqu com al-
gum dotalhe, por ser novo para alguns mdi-
cos, e por ter em si mesmo um grande valor Ihe-
rapouthico na questadque nos oceupa, oil-o a-
quiemduas palavras (// est toujours possible
quand ons'y prend des le commecement du mal,
d'enpecher la loux parunacte enert/ique el sou-
tenude la volonl) (sempro possivel logo no
principio da molestia impedir a tosse por um
(*) Temos esta correspondencia em nossn mad
desde fins do mez passado. Os RR.
se o primeiro symptoma que revela a propa-
gagao do mal as partes profundas, oentad mu
fcil o impedir a sua apparigad por um acto
voluntario, antes que ella so torne urna neces-
sidado irresistivel. Tcnho dado estes conselhos
alguns mancebos, :iue tinliad no fim do cada
invern a bronchita, e o resultado tem sempro
sido maravilhoso, errigrcgando ellcs urna von-
lade firme e constante.
A segunda condica pura o bom successo des-
to tratamiento 6, que o doente soja dolado de ra-
sSo, coragem, o perseveranga nocessaria para
sentir importancia do fim a que se propdo,
para sinceramente o querer, e para persistir em
lim nos esfrgos-necessarios para alcangal-o....
Freqnentomcnte -lhe preciso armar-se do to-
da a fdrga da vontade, pois que a lucia da ra-
sad contra o sentimento instinctivo pode tornar-
se mui penivel. Mas o que se pode atfirmar
que o combate se prolonga tanto menos, quan-
to a frga, empregada em principio, mais c-
nergica. Domada a primeira vez a necossidade
do tossir.torna, porm, j mais fraca, e quanto
mais fdr domada na primeira vez, tanto mais
fraco so torna o segundo accesso, e bastar conr
tinuar para della so livrar inteiramente. Ser
preciso sobre tudo por este tempo nao fazer res-
pingos speras nem mui profundas. Attrar
branda e vagarosamente o ar no peito por urna
lenta e ameudada respiraga, tal o fim que o
doente deve sempro ter em vista. Estas observa-
gdes tenho-as sobre mirn muitas vezes, e cada
um as pdera fazer na occasiad. Mas como te-
nho frequentemente visto, tanto no povo, como
entre os mdicos tratar de chimera esta facul-
dado de resistir necossidade de tossir, ser
bom citar alguns exemplos quo nao dcixem du-
vida alguma sobro sua realidade, limitar-me-hei
aos dous seguintes. Urna das pessoas que mais
eslimo, a Sr.a F. mi do seis (litios que tem cria-
do com o mais extremoso cuidado, me tem dito
que para com ellcs todos tinha alcangado pre-
vanir eatalhar o delluxo tao frequento nestas
tenras idades, (orgando-os abaster-so do tos-
sir pois que uns por pedidos e pr>messas, e
aos outros por persuasad, ella sabe obter delles
oesforgo necessario para resistir a imporosa nu-
cessidade que os atormenta.
Utn medico quo oceupa um dos primeiros lu-
gares no hospital da Piedade, tem por costume
dizer aos doentes, logo que entra na enfermara.
Ora bem I! nad quero ouvir tossir durante a
minha visita; aquellos quo nao obedecerem fl-
card em meia ragad e os doentes com temor
da dieta guardad o mais perfeito silencio.
Pelo :pjo tica dito, ccncluo-sc que em certas
circunstancias pode-so muito bem resistir
vontade do tossir. Mas tambero verdade que
este acto de vontade exige um esforgo penivel,
e at doloroso, rasad, porque nem todos toen! a
fdrga necessara para chegar ao fim desojado.
Eu mesmo em 1838 assignalei este facto pela
(azeta-mrdica n. 11 insistindo sobre as appli-
cagdes que poda subministrar a arte do curar.
O espirrar pode, com effoito, ter duas gorfes do
inconvenientes penosos. No estado do sade,
tad smente expde-nos a violagdes das conve-
niencias sociaes, a o medico nad ter aqui em
que se oceupar, se em certas occasides o espir-
rar nao se lornasse um verdadeiro suplicio. A-
pontarei ontre outros o exemplo de um joven
ecclesiastico, coadjutor de urna freguesia perto
de Etampes. O espirrar era neste pobre padre
tad frequentequ; sempro Ihe resultavad morti-
icaedes quando eslava em publico. Mas do to-
dos os seus desgostos eis o mais sensivel; quan-
do celebrava, no acto de partir a hostia, occor-
ria-lhc involuntariamente grande precisad de
espirrar. (Ocioso explicar a causa.) Ensinei-
Ihe o meio de remediar a tad desagradavel in-
conveniente, o quo muito mo agradeceo. Ac-
crescede mais a mais a grande importancia des-
ta descoberta em muitas operagdcs, em que 6
necessaria a immobilidade das partes, pois em
qualquer movimento precipitado pode ato com-
prometter a vida do operado. Armado de um
similhante meio, o cirurgiad nao ter para re-
celar o quo aconteceo no operado no bec-ds-li-
vre, por Lafaye,que espirrando quinze ou vinte
vezes.arrancou fos, agulhas e al um pedago do
labio superior. Achar-se-ha tambem a sua in-
dicaga ern urna multidad de operagdes, entro
as quaes tao smente apontarei o abaixamen-
to da catarata, a inlroducgad do urna cnula as
vias lacrimaos, costuras verdadeiras que se pra-
ticao na face, e no pescogo, e as ligaduras das
arterias etc. etc. Vamos ao nosso objecto.....
O espirrar, considerado no acto que o constitue,
nao outra cousa mais que a tosse das l'ossas
nazaes, o da parte posterior da bocea. Parece
pois mui provavel que um igual processo deve-
la impedir dous actos similhantes. comefTei-
to o que a experiencia me tem demonstrado ,
tanto sobro mim proprio, como tambem sobro
algumas pessoas a quem o mandei praticar. O
meio, que aconselho para suster a tosse.consiste
em friccionar corn as ponas dos dedos, at mes-
mo com alguma rudosa, a ponta do nariz, a
borda das palpbras, ou a dos labios, no ins-
tante em que apparece a vontado de tossir. Lo-
go que apparece nova vontade continuo-se as
friccocs sobre una das partes indicadas, isto
alternadamente, ora sobro urna, o ora sobre ou-
tra, sendo bem entendido que o seu em prego
simultaneo dobrar o poder preservativo. Aca-
bo ainda agora de faser abortar sobre mim um
acessode tosse, introdusindo um tanto as ml-
nhas ventas, n'uina o dedo polegar, e na outra
o indicador, e fazendo-os mover de forma que
pareca querer alargar as ventas, e isto com mo-
vimentos um tanto desordenados. Para prevenir,
em tanto quanto me possivel, toda, e qual-
quer falsa interpretagad, toda e qualquer critica
mal fundada, tolo e qualquer engao na ap-
plicagad, pego licenga para tornar ainda, e mui-
to categricamente aos tres pontos j cima
apontados. Insistir eu assim nao tanto no meo,
como no interesse dos processos.
1. Nao dou este meio, como devendo supprir
o oxercicio da vontade, mas tao smente como
um poderoso auxilio. No mesmo tempo pois,
que o empregarmos, teremos o cuidado de lu-
tar sempre por um esfrc/> voluntario contra a
impulsad interior quo nos excitar a tossir.
2. Isto nopiider ser de utilidade ventajo-
sa, sead em principio das afTecgoes inllamma-
torias; n'uma tosso pertinaz eantiga, em urna
alTecco espasmodica inveterada este nosso
meio seria do pouca vantagem.
3. Mesmo, no principio das bronchitos pre-
ciso cuidadosamentede stinguira tosser esultan-
te de urna simples irritagao nervosa, d'aquella
que entretida pela presenga de um producto
de secreegad. A mais simples reflexad mostra
que o nosso meio ser insulliciente contra a tos-
se provocada pelo contacto do materias que de-
vemser espectoradas. justo tambem confes-
sar, que esta ultima especie de tosso muito
menos fatigante para o doente, c muito menos



mssjh ,........i M rm
propria a perpetuar a nflammacao.do que a tos-
se chamada irrita/iva.
Alm do processo curativo que me tem apre-
sentado, esta observaco offerece tambem um
exemplo de um plicnomenn anda nao aponta-
do na physiologia do systema nervoso: nao se ad-
miren! pois de nao ter della tratado em primei-
ro lugar. Nao posso porm separar por dema-
siada distancia o que procede d'aquillo que vou
agora expor, pois quanto mais o Tacto material
me pareco verdadeiro o indubitavel tanto
mais sua iuterpretacao convidar talvez ob-
jecces, e temera comprometter o futuro do
primeiro, '-ollocando debaixo do seu amparo a
sorte muilo mais duvidosa da segunda.
Nao procurando pois defender de ante-mao
urna hypothese, quo pode ser combatida, des-
truida, mudada, sem tirar ao remedio a minima
parte do seu valor, direi tosmente o que me
occorroo no espirito, logo que reconheci a ver-
ilade do singular efleito, objecto da p/esente
nota....
assaz umversalmente adinittido depois
dostrabalhosdeMarshall-Hall, e do J. Muller,
que a medula forneee aos msculos um princi-
pio da accao particular, e nao voluntario esta
accao, chamada, em conronnidade do seu me-
canismo, re/lectida apparece logo que urna
irritacao produzida sobro as raizes de um er-
vo sensitivo ; e podemos considrala como de-
pendente d'esta irritacao transmittida aos ervos
motores pelo intermedio da medula quo a
modifica.
Mas, so a existencia d'esta propriedade espe-
cial parece definitivamente cstabelccida, so
possuirmos curiosos dados sobro alguns dos seus
efleitos especiaes preciso tambem confessar ,
que o conhecimento das leis goaes, quo regem
sua manifestaco deixa mu lo quo desejar.
Assim urna improssao txcitratnce ( para fallar
a linguagem de Mars-hall-H til), sendo com-
municada a medula por um ervo sensitivo
qualquer pde-se por acaso seguramente de-
terminar qual o ervo motor ou refltetido ,
que vae responder a esta chamada? Sem du-
vida o movimonto r,-flexo se limita em geral
aos msculos de quo os ervos motores sedis-
trbuem sobre a modula a mais prxima ao er-
vo sensitivo que se tem irritado. Mas, se a
excitacao tem sido mais orte, nao metiera em
acao a conlradiccao dos outros msculos? Quaes
serao estes msculos ? At ondo se estonder
esphra da accao d'este poder? O oleito ex-
cito-motor, que excita urna irritacao sensitiva ,
procurar ello, n'estecaso, propagar se sobre
a medula de cima abaixo, ou debaixo a cima.
Em lim um ramo sensitivo sondo irritado no
momento, em que se contrahem os msculos de
que o ervo motor se incerre sobre a medula ,
acorta distancia della qual seria a influencia
d'esta irritacao, sobro a sua contraccao ?.. ..
Limitemo-nosa examinar esta ultima questao :
bem se deixa ver quo n'ella est a solucao do
nosso problema.
Entretanto que a questo seja elucidada pelo
resultado de viviseccoes especialmente institui-
das para esso flm, creio, que podemos esclarc-
cl-a utilmente pela observaco dos phenome-
nos anlogos quo apparecem no homem vivo.
Existen) com elfeito circunstancias, em quo
se acho reunidas todas as condices quo a ex-
periencia artificial poderia ajuntar. Sembre-
mos priineiramento a suspensao do espirro, no
momento em que vae estalar, por irritacao me-
cnica das paites, onde soespalhao as radculas
do ervo trifacial. Citarei anda a experiencia
seguinte cujo emprego trivial em certa clas-
se. I.ogo quo, depois de um oxcesso de bebida,
sente-so as primeiras nauseas da indigestao ,
nao tem mais que friccionar as gengivas, o a
superficie interna dos labios com um pouco do
espirito alcoolico, e guardar na bocea um golo
por um momento. Se o estomago nao est de-
masiado cheio, este meio impedir o vomito.
Em flm ser por acaso necessario tornar sobro
os phenomenos enrgicos relativos a losso de
que pouco tratamos.
Comparando estes tres casos, verdadeiras ex-
periencias que a natureza creou, para assim
dizer, debaixo dos nossos olhos, achamos n'ol-
les tres circumstancas exactamente idnticas,
saber; a irritacao das extremidades terminaos
de um ervo de sentimento ( o trifacial) cuja
insersao na medula se faz urna certa distancia
dos ervos ( l'neumu gstrico spinal, facial,
talvez o diaphragmalico no caso de ser elle que
tem a maior influencia no vomilar) que animao
os msculos de que se quer impedir a contrac-
cao. Do outra forma, n'estes tres casos o effei-
to produsido o mosmo isto a contraccao
realmente impedida. Do sorte que se me fosso
mais fcil tirar conclusoes de urna serie do fac-
tos tao restrictos, se quizesse dar como corto ,
ou como provavel, aquillo que al agora nao
me parece, sunao possivel, eu dira : urna Ir-
ritacao sondo operada sobre um ervo sensi-
tivo qualquer accao excito-motrice que el'a vai
produzir na medula, nao d lugar aos mesmos
effoitos pelos ervos motores do que a insersao
tocu a d<> ervo sensitivo indicado, ou pelos
que d'elle csto aflastados. Efectivamente, a
excitacao motrico se desenvolve sempreento
nos primeiros. Quanto aos segundos pelo
contrario, se, em virtude do outras causas,
elle existisse ou estivesse prompto a manifes- I
lur-se n'elles no momento, em quo o ervo sen- !
sitivo tem sido irritado, elle dimino, eat
mesmo acaba e o msculo correspondente a-
froucha.
Parece-me, que se acba provada tanto a
primeira como a segunda proposico : pois
que a irritacao do ervo trifacial faz parar o vo-
mito e a tosse da mosma maneira pela qual a
tintillaco da lucta ou da glote (isto a ir-
ritacao do ervo glosso-pharyngiano e pneu-
mo-gastrico ) communicando mais inmedia-
tamente sobre a medula com aquellos que
oxcitao os movimentos do vomito e da tosso,
provoclo instantneamente a apparico d'estes
dous actos.
Em flm a ntencidnde da excitacao pro-
ducida nao urna circunstancia indiferente
sobre a manifestaco d'estes efleitos.
Na ordem dos phenomenos do que trata-
mos a titillacSo desperta a contraccao mus-
cularia que Ibes d nascenca em lugar que,
para a provenir e neutralizal-a, vemos que
urna friccao e at as vozes bastante forte tor-
na-se necessaria.
Gazeta medica de Pariz n. 7 de 18 de fe-
verciro do 1813. Joao Francisco d'Olivtira.
Consta-nos, que tendo sido esta nota of-
ferecida sociedade de medicina foi por esta
acceita e mandada imprimir. Os /IR.
Srs. Redactores. Fui tcstemunha dos exa-
mes por que passr5o este anno as educandas
do collegio de Madama Sarment; e tal foi a
minha salisfaco que prometti escrever a
Vm.CM. afim do publicarem em seu inters-
gante Diario o que all presencici e muitas
outras pessoas presenciarlo.
A 6 do corrento mez tiverao lugar esses exa-
mes peranto um luzido concurso de cidadaos
conspicuos o de respeitaveis mis do familia.
Que regularidado que ordem em tudo E o
que mais quo docilidade, modestia o
candura da parte das meninas Houvero exa-
mes de grammatica portugueza de francez ,
do escripta do doutrina christaa do histo-
ria sagrada de geograpbia e do muzica : e
posso asseverar que encantro-mc as meni-
nas pela n r parto; porque a tudo respondio
expeditamente e algumas de urna dado hem
tenra ; o que convenceo a todos os espectado-
res que n'aquolle collegio as educandas teem
bons preceptores e boas mestros ; e esludo ,
o aproveitao.
Louvores pois a madama Sarment que
flim f\ cnil ovcnllnln ns\\lnrv*\
f... ...
IV'-~IIUJ Ui
o tanto concorre dest'arte para a
e boa edueacao das nossas jovens
presente,
cultura ,
Pernambucaninhas, doces esperances da patria.
Seja esta confisso um testemunho publico de
agradecimento, e um novo incentivo para o
zelo cactividade da Ilustre directora desse
collegio. Queira, Srs. Redactores, dar publi-
ciclado a estas mal tracadas linhas de
Um ass istente.
Srs. Redactores.Sirvao-sede publicar na sua
hem conecituada folha o compromisso, e a
maioria dos crodores do snr.Nuno Maria deSei-
xas sem comento algum. Recife 18 de de-
zembro de 1842. Um credor prejudicado.
COPIA.
Em virtude da proposta, que nos foi apresen-
tada pelo nosso commum devedor o snr. Nuno
Mara de Seixas negociante dcsta praca em
a qual nos fez patentes os prejuizos, que ha sof-
desde 1837 j com a quebra da casa
frido
commercial de Diogo Burn & C. de Londres,
o j com diversas negociacoF. quo, empreen-
didas e ententadassob os melhores auspicios e
detalhes, por circunstancias imprevistas acarr-
la rao graves perdas o occasionrao precisao
de pagamentos de juros e descontos o que tu-
do (leudamente nos foi apresentado e clara-
mente se demonstra de sua cscripluraco que
tem arrumada na melhor ordem e pela qual
com evidencia so demonstra haver em bataneo
a favorda casa do dito snr. Nuno a quantia de
rs. 81:4138408, pois que, sendo o seu activo
do rs. 239:156. 186, consistente em predios,
fazenda o crditos apenas chega o seu pas-
sivo a rs. 157:742877o ficando nossos crdi-
tos suflicientemenle garantidos,
E estando plenamente convencidos da honra,
circunspeccao economa e applicacao, que
desde seu ustabelccimcnto at esta data tem pro-
sedido aos seus negocios e que o seu estado
oscillanto todo motivado pelo estado precario, -
a que se acha esta praca redusida e descon fl-
anea geral que nella reina ; assim como que,
sendo o mesmo snr. Seixas compellido a vender
seus predios perdera em capital cerca de me-
lado do seu haver o que tudo digno de seria
consideradlo.
Concedemos ao referido nosso devedor o snr.
Nuno Mara do Seixas um compromisso ou
moratoria do cinco annos pela forma cons-
tante dosartigosseguintes :
1." induciado continuar no mesmo giro ,
e plena fruico do sua casa commercial e bens,
liquidando a mesma casa como julgar mais A
bom dos seus e nossos nteresses, podendo, se
assim Ihe convier e quando a praca o permit-
lir, augmentar, ou principiar seu giro
2. Para o mesmo induciado ter o preciso
espaco e tempo de cobrar as suas dividas, po-
dendo neste tempo e intervallo dispor, ea-
lienar, como bem Ihe aprouver alguns, ou
todos os seus predios Ihe concedemos o pra-
so de cinco annos a correr da data deste com-
promisso cessando durante este periodo o pa-
gamento dos juros no fim do qual praso ser
obrigado a pagar a importancia de nossos debi-
to em quatro certas piestacoes, sendo a pri-
meira em o 1."de julho, a segunda em o i. de
agosto, a terceira om o l.'desetembro, ea
quarta em o 1.* de outubro do anno de 1848.
3 Consentimos e somos contantes que
a presente concordata se jugue por sentenca a
fim de que surta todos os efleitos que por le
sao concedidos, obrigando a menora, quo por
ventura baja dissidente e para isso concede-
mos ao dito induciado todos os poderes em d-
reito requeridos constituimol-o procurador
em causa propria o j d'agora nos damos por
citados, e renunciamos voluntariamente ao
direito do Ihe oppormos qualquer materia, que
julgamos favorecer-nos.
E para constar assignamos o presente. Re-
cife 21 de outubro de 1843. ( assignados ).
Francisco Muniz Tarares 19:281,146
Henriquo Jorge 5:463,140
Manoel Luii da Veiga 8:239,790
Dr. Antonio do Nasoimento Feitora 1 995.429
Manonel Fernandes Gucdes 11:017,663
Norberto Joaquim Jos Guedes 17:837,319
Como procurador bastante dasnra.
D. Theresa Maria de Jess,
Joo Ribeiro da Cunha 11:913,429
Jos Francisco Pcreira da Silva 14:807,846
Por Daniel Ley do Furth na Ba-
viera,credor do libras esterlinas
160 13. 2, c juros desde lo
de novembro de 1842 a 6 por
/"aoannoL. A. Duboucq.
Como procurador do liquidador
da casa de Jos Joaquim Ma-
chado do Havre.
Rartholomeo Francisco de Sousa 3:603,276
Vicente Thomaz dos Santos 6:625,711
100:784,749
1:290.656
90,569
4:745,589
Credores que nSo estilo assignados e nem fa-
tuo consultados para esse fim.
Domingos Paxeco Percira ( da
Babia )
M. C. Goveia ( Cear )
Castro & C. ( Porto )
Kxequiel & Seixas de Lisboa (j
para seu pagamento foi remessa
em couros cujas vendas ainda
nao vierSo 996,620
Joao Pereira de Andrade ( Rio-
de-Janeiro)
Cotesworth Powell & Pcyor de
Londres, do quem procurador
Jos Jernimo Monteiro
Francisco Alvesda Cunha(com liy-
potbeca no sobrado da Rua-
augusta )
Gerencia do consulado francez
Joaquim da Silva Castro (lettras
com indosso de Joaquim Bap-
tista Moreira
Gaudino Agostinho de Barros
Antonio Joaquim de Sousa Ri-
beiro
Antonio Rodrigues Lima ( com
endosso de Joaquim Baptista
Moreira. )
D. Maria do ('.armo Perpe-
tua .umakv de Mello pra-
ta 248,320
Sedulas 200,000
Fretes a pagar : em urna accao
contra a casa na qual ja se
blele sentenca a favor, para
sercm dedusidos do valor da
carga de m./c. que individual-
mente alegou a Mac. Est ain-
da pendente letigio.
Rs. 1:754,260
1.039,924
5:192,642
8:197,110
9:294,870
1:915,000
1:480,350
1:148,260
800,000
484,320
Rs. 55:679,290
COMMERCIO.
AHanriega.
Bendimento do da 18 ......... 2:099^265
Desearrego hoje 19.
Briguc Thomaz-Luk fazendas e outras
m creado rias.
DitoTriumphan tedito.
GaliotaUfercator carvSo.
Br/gu cMart/.Queen-of-Scot$ cania.
DitoGrabrielvinho c ceblas.
BarcaIrtfazendas, o gigos.
Brigues-7ca/ar, e Loperfarinha bola-,
xinha especiaras, cadeiras cha
e fazendas. *
Dito brasileiroPaculfazendas.
Movimento do Porto.
Navio entrado no dia 17.
Assi, 16 das briguo brasileiro Inpiter
de 248 toneladas capitao Jos Rodrigues
Pinheiro de 15 toneladas carga sal.
Sahidos no mesmo dia.
Parahiba ; hiate brasileiro Santa-Cruz ca-
pitao Joaquim de Olivoira equipagem 5 ,
carga varios gneros.
Lisboa ; briguc portuguez Feliz-deslino de
234 toneladas capitao Antonio Gomes do
Azevedo equipagem 15 carga varios g-
neros.
Maranhao ; pataxo brasileiro Carolina do
122 toneladas, capitao Francisco Bernardo
Mallos, equipagem 9 carga varios gene-
ros.
Babia ; sumaca brasileira Tamega ,. do96 to-
neladas capillo Vicente Jos de Paula c-
quipagem 9 carga varios gneros.
Sahidono dia 18.
Cabo-da-Ba-espcranca ; briguo inglez Mat-
mony de 160 3/4, capitao Hanisor Dou-
gla equipagem 10 carga assucar.
Edtaes,
Vicente Thomaz Pires d Figueiredo Camarg,
commendador da Ordem de Christo, istspeti-
tor d'alfandega, Me.
Faz saber. quo no dia 20 do corronte se
ha de arrematar em hasta publica na portada
alfandega um relogio do ouro avallado em
120S rs. e um bote por 40S rs., apprehendi-
dos sem despacho pelo guarda Honorato Bar-
boza da Costa ; assim como um sellim no valor
do 31j774rs. apprehendido sem despacho
pelo guarda da mesa do consulado JoSo Atana-
zio Botelho, sendo a arrematadlo livre de
dircitos ao arrematante. Alfandega 15 de de-
zembro de 1843.
V. T. P. de F. Camargo.
O Dr. Jos Thomaz Nabuco de Araujo Jnior,
cavaiieiro da ordem de Christo juiz de di-
reito da 2.avara do civel desla comarcado
Recife, (e.
Faro sabor que por esto juiso no dia 20 do
corren te se ha do arrematar a quem mais der ,
e por venda, um sitio grande em Santo Amaro
desta cidade, com sofrivcl casa de vivenda, com
arvores de (rudo avaliado em 7:500tf res,
cujo sitio foi aquinhoado a fazenda provincial
no inventario, que se procedeo por fallecimien-
to de Joao Policarpo do Reg Barros para pa-
gamento do sello das herancas do mesmo in-
ventario da quantia de 7:450.) reis ao qual
nao apparecendo lancador o ai rematar Elias
Coclho Cintra, na conformidade da autorisaca
do Exm. sr. presidente) da provincia de 3 do
novembro do torrente, sobre a informacao do
inspector da tbesouraria provincial.com as con-
dices por elle oflerecidas, que sao ficar elle
Cintra com o dito sitio pelo preco d'avaliaco ,
pagando 2:0001 de reis vista, o o restante em
prstameles de um cont de reis cada anno, para
que offerece passar I. tras o dar por garante
dolas o negociante Manoel Joaquim Bamos e
Silva, ou a quem em praca oflereca melhor van-
lagem (amida provincial na forma da referida
autorisacao; e para que cheguc a noticia de to-
dos mandei passar o prsenlo quo ser afixa-
do no lugar mais publico desla cidade, e publi-
cado pelo Diario da mesma. Dada, e passada
nesta cidade do Recife sob mcu signal, e sello
deste juiso que ante- mim servo, ou valba sem
sello ex-causa aos 15 do dezemhro do 1843
Eu Joaquim Jos Pereira dos Santos escrivo o
subscrevi.
Jos Thomaz Nabuco de araujo Jnior.
Declaracoes.
O abaixo assignado oflicial encarregndo
do laboratorio dos fogos arteficiaes do arsenal
de guerra por ordem superior faz publico, quo
o mesmo laboratorio tem para vender porcao
de plvora grossa e fina da fabrica nacional :
a saber a grossa a 520 rs. a libra e a fina ,
640 rs.; as pessoas que quizerem comprar,
procurem nos das uteis ao annunciantn no dito
laboratorio na fortaleza das Cinco ponas Jo-
s Francisco dos Santos segundo tcnente.
THEATRO PUBLICO.
TERCA-FEIRAW do correte.
Subir 'secna em beneficio de Cabral, Wa-
niiiieii. e Joao Jos Lopes, o novo dtama cm
tres actos, intitulado

Kt


'
**
0 0/1/ PEDRO CE7.AR
ou
O YINGADOR DE SEU PAI.
Primeira produccao do Sr. Francisco Pcroica
de Brito, joven Pernambucano, quo n'uma cri-
Sum. **.'. -
3
= Para Lisboa seguir no da 5 de Janeiro
prximo o briguo portugus Triumpkante ,
capitao Silverio Manoel dos liis tora chl-
lente* commodos para pnssageiros bem como
,* w..,-;-.-., .-...imuuvuiiwj^u ii nina 1,11- f
se ta apurada loi o primeiro quo nesta cidade i el)0 car?a a 're ." ; a 1nom convier dinja-se
se propoz, na5 so fazer representar, como a
dar aopreloum drama todo Qlho do seu en-
gooho.
Ttulos dos actos.
Primeiro
O BAILE E A VINGANgA.
Segundo.
A DECLARACO, PUOJECTOS DE FUGA E
PHISAO.
Terceiro.
O SUPLICIO
Tecer elogios ao presente drama seria des-
necossario porque ningnem melhor que o
respeitavel publico poder avadar seu me-
Tlto, porm somos obrrgados a confessar,
que a habilidade do Sr. Brito loi prodiga para
o seu primeiro ensato.
Seguir-se-ha a jocosissima larca.
O CHAPEO PARDO.
Terminando com o novo pantomimo.
Quem as faz, tambem as paga.
Que rematar com um lindo pudid, escru-
tado pelo Sr. Wairiimeil, osua senbora.
Os beneficiarlos esperad toda a proteccao, c
ampar do respeitavel publico, visto quo offe-
wcem para esta noute um lindo espectculo ,
cujo desempenho afllancao, por ser inui com-
pativelcom suas Torcas.
(.Principiar as horas do costume.)
a seus consignatarios Mondes & Olivcira na ra
do Vigario n 21 ou ao referido capitao.
- Sae para Londres, por ter a maior parte da
sua carga o brigue divanes; quem no mes-
mo quizer carregar ou ir de passagem que
para isso tem muitos commodos dirija-so o
Rua-direita a fallar com Jos Francisco Cola-
res ou com o capitao a bordo.
Para o Havre-de-Graea pretendo sabir no
dia 20 de Janeiro prximo a bem conbecida
barca franceza Camelia ; para frote e passa-
gem falla-so com os consignatarios Bolli &
Chavannes.
Leudes.
CIRCO DE iNEW-YORK.
O director ilete estabelecimento, solicito em
annuir a todas as vontades do publico, tem re-
solvido mudar as horas dos espectculos. Abrir-
se- ha a porta da entrada s 7 o comecar as
representares todas as noutes s 8 horas cm
ponto. Elle respetosamente confia que a al-
teracao, que acaba do fazer na divisao dos ca-
marotes satisfar completamente as conveni
encas das familias para quem scr d'ora em
diante expressamente destinados.
Boje, 19 d> corrente na ra da Florentina ,
terreno de S. Francisco.
1. acto. Ter principio o espectculo por
urna grande galopa la do Waltz, e da estrel-
la pelas damas, e galcs da companhia mon-
tados no< seus foriosos corseis ; o no fim o fo-
goso cavallo vencedor dancar urna aria fa-
vorita.
2.' O joven Edwarde Kincadu iguiaia ca-
vallo o rapaz marujo.
3. Tombos no chao, e saltos para oarpor
toda a companhia.
4. Mr. Nathans representar a jocosa scena
da visita do campone* ao circo.
(."Sublimes saltos cavallo por Mr. Ho-
ward.
6.* Exercicios hercleos, o gymnasticos por
Mr. Nathans, e os seus assombrosos discipulos,
osjovensKincadcs.
Mestre do picara........ Mr. Nathans ,
Palhacos os senhores..... May.eHoward.
N'este periodo do espectculo baver nter-
Tallo d'um quarto do hora.
= O capitao W. Foster da barca ingleza
Lawrence arribada a esto porto com agua a-
berta, na sua recente viagem, que fazia de Iqui-
i|ue, o Mejillones eom destino a Liverpool, fa-
r leilao, por intorvencao do corrotor Olivoira,
de urna porcao do prata fina em barras plata-
pina, e pezos hespanhes para supprimento
do costeio da dita barca; quarla feira 20 do cor-
rente s 10 horas da manhaa no escriptorio
dossrs. Latham & Hibbert.
Terca-feira, 19 do corrente, no caes da al-
fandega havera leilao d fumo feijo e tou-
cinho por conta de quem portencor.
ii^i^^^
Avisos diversos.
e bem feilos ; pentinhos e escovinhas com es- Precisa-sede um rapa/ porluguez desteff
pelho. para bigudes e suissas, para os gamenhos; rnegados agora do Porto para caivoiro de ven-
perfumaria de todas as qualidades mu i ricas ,' da : na ra de Aguas-verdes n. 15.
finase galantes que se posso ver. Tambem MlEJ PITTORESCO.
chegro cabellos do todas as qualidades para = O melhor dos jornaes que at ao pre-
crescentes e marrafas chinos e cabelleiras desent tem sabido a luz certamente o Mutett
lomcm e de senbora. Pitoresco publicado em Lisboa por urna socie-
LOTERA do theatro.
\jz$~ As rodas da 2.a parle da
5. lotera ando impreteriveltnen-
te (lioje ^9 do corrente mez) ; nao
se tendo elrectuado este acto no dia
1 I, por anda restar um crescido
numero de l)illietes, os quaes se
achao venda nos lugares j an-
nuucados ; e desperar a mais
prornpla extraccao dos mesinos b-
heles, visto que a festa se apro-
xima e nada ha tao helio como
passal-a na fruicao de bons pre-
mios.
Aluga-se o segundo andar e sotao do
sobrado do Atterro-da-Boa-vista n. 3 com
commodos para familia; a tratar no mesmo.
A padaria da ruada Gloria n 55 do lado do
sul acaba de so preparar do novoforno.o cbam-
n a moderna, e contina em seu trabalho com
boas farinlias a fazer o quo de costume cmtaes
fabricas.
- Prcciza se alugar por anno um sitio per-
to da praea que tenha casa decente aore-
dos de (rutas, o baixa para capim ; quem o li-
7. Depois do quo o cacalleiro dramtico I ver.annuncie por esta folha para ser procurado.
Mr.Rogers. represesentar a sua pungento sce-
na da ultima luca do Grego.
8." Maravilhosos exercicios na corda bamba
por Mr. Ruggles.
9." O prodigio da juventudc o joven Wl-
liam Kincade cavalgar o seu ligeiro ginete
sem sellim, nem brida o figurar em grande
uniforme o amoricano do norte.
10." Seguir-se-ba a linda scena rustica so-
bre dous cavados intitulada o galantcio suis-
$o ou as pendencias amorosas.
Lubin pastor.......... Mr. Rogercs ,
Anncltc, ordenhadra----- a sr.1 Howard.
11.'Terminar todo o divertimentocomuma
scena cmica entre os dous palhacos.
A pedido de muitas pessoas respailareis mu-
dar-so ha d'aqui em danto as horas da repre-
sentado.
Director oques 1ro-----Mr. J. Nathans.
Palhacos..........os srs. May, e Howard.
Prccos .'entrada.
Camarotes particulares 2*000 res cada pes-
soa ; ditos abortos loOO res; platea geral
l 000 res.
Havcro Mitotes venda nos arma/.ens dos
senhores Davis Se Companhia e dos senhores
Dowsley PryU & Companhia na ra da Aliando
ga-velha.
A casinba dos bilhetes, no terreno do!>. t ran-
cisco ra da Florentina estar aberla todos
os das s 4 horas da tardo.
Avisos iiuinlimos.
= Para o Rio-do-Janeiro seguir o mais bre-
ve que soja possivel o brigueSanfa Maria-Hoa-
Sorte por ter j parte de sua carga ; quem
no rnesmo quizer carregar ou embarcar es-
cravs pode catendcr-M com Amorim&Ir-
maos no Recile na ma da Cadeia n. 45.
Na padaria da chamin alta na praca da
S. Cruz se faz excedente pao do commum.e de
folha, o so manda levar em casa dos freguezes,
bolaxa de todos os tamanhos, para casa e ven-
da o ludo mas encommondado caf moido
do libra para cima omqualquerporco, ludo o
melhor possivel, e em conta.
Aluga-so urna casa no Pocoda-pancllacm
frente a casa do sr. Pedro Jos Carnoiro Montei-
ro,e tambem duas cm Fra-do-portas do lado da
mar grande, urna n. 4, coutran. 6; quem as
pretendor, dirija-sc a Fra de-portas a fallar
com Manoel da Silva Neves.
= Preciza-se do dous officiaes de charutei-
ro c um aprendiz do mesmo officio; quem es-
tiver nestascircumstancias, dirjase a Praga-
da-independencia n 14 : na mesma casa pre-
ciza-se de um menino para caixeiro.
Aluga-so por preco commodo urna casa
de sobrado no Manguinho-papa-terra, a mar-
gem do rio com bons arranjos para so passar a
lesta ; a tratar com Francisco Antonio do Oli-
voira ou com seu caixeiro Manoel Joaquim da
Silva.
Aluga-so um sobrado de um andar, com
duas salas, 3 quartos, cozinha fra e quin-
tal caiado o pintado na Rua-imperial n.
100 ; a tratar defronto n. 167.
Na Rua-nova n. 32 em casa de mada-
ma Theard modista so acha sompro um
grande sortimento de chapeos de soda para se-
nhora de muito bom gostoe por mdico pre-
go : madama Theard tambem tem a honra de
avisar ao respeitavel publico quo acaba de re-
eeber pelo Camelia um rico sortimento de
peritos de todas as qualidades, tanto de baleia
como de tartaruga ; 'pontos de tartaruga para
atar os cabellos porm de modelo novo mu i
ricos e como se usa agora em Pariz ; ditos de
marrafas de tartaruga muiio fino, delicados,
Jos Ricardo Colho, tendo chegado, ha um
mez, do Rio-de-Janoiro tem a honra de
participar ao rospeitavel publico o particular-
monte as suas Ireguezas que, quem se qui/.er
utilisar de seu prestmo tanto para cortar os
cabellos como para tudo o que concerne ao seu
oficio sempre o acharo prompto.
FABRICA DE RAP
PRINCEZA.
C.ASSE fabricante e legitimo inventor do
bem atreditado rap prnceza do Rio-de-Ja-
neiro com sou deposito geral na ra da Cruz
do Recife n. 38 o outro na ra do l.ivramen-
to n. 13, avisa, que as muito boas qualidades,
que possue o sou rap as quaes pela grande
estima e crdito que progrcssvamento do dia
em dia teem obtido n'esta e as mais partes ;
bemeonhocido por um consideravel numero de
tomantes e nao consta ter mofado urna s li-
bra : como tudo como llio pareca nao estar
isso bem vulgarisado por isso laz publico, que
toda e qualqucr pessoa que queira especular
com o seu rap attendendo as superiores qua-
lidades elle fabricante advorte que se res-
ponsabilisa pelo sou rap por qualqucr forma,
e com condieces, que o mesmo comprador po-
do apresental-as.
= Roga-so a qualquer pessoa a quem for
offerecido um cordo d'ouro com urna vara o
mea e 1|2 quarta de comprido e mais urna
moeda no mesmo cordao tondo ella 2 dia-
mantes na realcazinha o se faz muito fcil em
seconhecer; foi furtado no dia 15 do corren-
te mez por um prolo quo andava vendendo
calcado : e assim pode-se quem quer que es-
tas obras forera offerecidas, do lancarem mito
dolas, e leval-as ra do Amorim, no Recife
n 14 1. andar que sor gratificado gene-
rosamente : sendo, j estejao vendidas, prdero
leval-as i mesma capa cima o receber o seu
dinheiro ficando todava agradecido o annun-
ciante e promettondo guardar segrdo.
=? Quem annunciou 4fuerer comprar duas
portadas de pedra e Ir palmos de cordao :
sendo que queira u-iva portada o duas janellas ,
c 32 ji.in.os dcjpdo frente de urna 'asa do
40 palmos) pefie procurar defronte do tra-
piche novo, casi da esquina 1 andar. Na
mesma casa cima so vendo urna bonita canoa
do carreira que pega emiemais pessoas,
propria para quem passa a Cesta.
==Perdeo-se da Solidado at a Trompo urna
carteira com diversos papis ; quem a tiver a-
cbado, se a quiser restituir, dirija-sc a Solidade
na venda confronte a igreja que ser recom-
pensado.
=s Aluga-se urna casa terrea muito larga na
ra da Solidade. com f> quartos. 2 salas, corre-
dor ao lado, cozinha fra, eom um grande quin-
tal murado, e cacimba com boa agua do beber;
quom a pretender dirija-sc a ra da Aurora
asa n. 58.
D-se 500 rs. a pro mi sobre penhores de
ouro ou prata em porces ; c compra-se
ouro velho sem leitio ; na Rua-nova loja de
azendas n. 9.
Precisa-se alugar urna prela para o servico
de casa c vender na ra ; quem quizer alu-
gar dirija-se a ra do Cabug sobrado da es-
quina por cima do relojueiro 1.o andar.
Aluga-se um moleque, que saba cosinhar;
quem o tiver annuncie.
Pretende-se contratar com o snr. Joo
Manoel Pinto Chaves sobre o seu escravo Luiz;
quem se julgar com algum direito no mesmo
escravo queira dcclnral-o por esto Diario.
Tendo apparecido a venda da Travessa-
dos-quartes do abaixo assignado roubada
no dia 18 do corrente mez pola manha in-
do seu caixeiro para abrir porta achou urna
aborta, indo ver o que tinhao roubado, achou
urna gaveta quo tinha ficado feixada abeita, a-
ondedizo meucaixeiro q' existiao alguns penho-
res de ouro. A saber: 18.rs.emsedulas,uma cor-
rente deourodelei com33oitavas,umacassoleta,
1 cordao com3oitavas, 1 dito com2ditasc meia,
um rosario urna redoma anliga um
annel do tartaruga encastoado cm ouro um
par do brincos, um annel com requififes um
par de rojetas com diamantes um brinco com
2 diamantes um annel imitando de abraco
com 2 dous diamantes, um annel de abraco ,
um par de argolinhas com duas pedras, dous
botoes de abertura de camisa um com diamn-
tese outro com urna podra 3 oitavas de cor-
dao em pedacos urna carteira com 1 bilbete
da loteria do Livramento n. 1044 c varios
papis pertencentes a mesma venda ; a quem
dade de Iliteratos portuguezes.
As materias de que o Museu se oceupa
sao: Regio Historia antiga e moderna,
Philosophia Geograpbia Viagens Scien-
cias e Bellas Artes Agricultura Novellas
escolhidas Lstudos moraes e bographicos ,
( olTerecendo nesta classo adiscripeo da vida ,
e aeco de lodos os rcis de Portugal e dos
hroes que mais floreoerSo em cada um dos
reinados dand>-se os seus respectivos retra-
tos ) Pensamentos Anedoctas, Mximas mo-
raes e Missellanas. Todos estes objectos ,
tratados com o esmero do que sao credores ,
formao urna biblioteca variada e instructiva ,
um alimento para a reflexao um recreo de-
pois dos trabalhos do dia.
O volumo constado 16 cadernos, ou n-
meros em cada um dos quaes ha duas lolhas
de impressao do 17 uollegadas de comprido o
11 de largo ; duas magnificas estampas ( de
formato igual ao da impressao para alinal so
encadernar o volume ) Ivthografadas em papel
veln ( de 408 rs fortes cada resma ) com tal
perfeicao que, mettidas em quadros, podem
servir para oornamenlo das melhores salas o
finalmente em cada numero impar se v urna
exacta discripeo das modas sendo esta acom-
panhada de figurinos, e collecees de lndissi-
mos debuxos para bordar de branco o de ma-
tiz o quo servir de umita ulilidade para as
senhoras de bom tom.
As pessoas, que pretenderen! subscrever
para esta excedente obra podem dirigir-se a
Joaquim Baptista Moreira agente da sociedade
nesta provincia em casa de quem se ach2o j
patentes collecees do primeiro volume1 at
16o da primeira serie, do segundo vo-
lume.
Constando que nesta provincia tem ja ap-
parecido a venda collecees do Museu inculcan-
do-so os vendedores =agenlcs da sociedade =
para crdito da empreza se previne o publico,
que lalso tudo quanto so disser a similhanto
respeito. A direccao da sociedade declara ao
publico que s > reconhece vlidas as assigna-
turas, sendo os recibos do primeiro volume 1
at 16 inclusive impressos em tinta verde o
os [da primeira serie, do segundo volume,
impressos em tinta encarnada devendo ser
assignados pelo agente supra declarado o qual
garante a subscripcao sendo leita e paga em
sua casa.
Primeiro volume do Museu consta de 16 ns.
1 al 16com 32 estampas frontispicio ,
e indico &c. por 12<'960 rs. ( moeda fraca. )
Segundo volume do Museu A directo di-
vidi este segundo volume cm duas series, afim
de facilitar mais a extraccao estas series erao
de 9 nmeros, porm a empreza resolveo alte-
rar esta ordem estabelecendoagoraa seguin-
to : a primeira serie ser do 8 nmeros prin-
cipiando em numero.17 e linalisando em nu-
mero 24 inclusive por 6g720 ( moeda fraca.)
Segunda serie lera ootros 8 nmeros co-
mecandeoi n. 251 e terminando em n. 32
inclusivo ; o mesmo porm s se pagar em
1844.
N, 1{, ar-sc-ha com o numero 32 um
novo frontispicio e o indico geral das mate-
rias tratadas em os 16 nmeros das duas series
17 at 23 inclusive que reunidos forma-
reo o segundo volume do Musen.
No dia 16 do corrente as 3 horas da tar-
de levando um preto um panacum com oito co-
vados de tetina verde 12 dilos de volante ama-
redo e 6 festoes com destino a igreja da
Conceicao da Boa-vista e chegando a mesma
igreja somonte o panacum e o dito preto bas-
tante ebrio ; roga-se a pessoa que tiver em
seu poder as ditas pecas, do dirigir-se a ra do
Padre I'lorianno a fallar com o Agostinho
armador, que gratificara.
=: Francisco Tarault participa ao respeita-
vel publico e com mais.particularidade aos
amigos dos bons bucados que de hoje cm di-
ante ellos uchariio a toda e qualquer hora na
sua casa de pasto franceza da ra da Lingoela
n. 2, toda a qualidade de comida a franceza ;
assim como vinhos e licores de todas as quali-
dades cal com leite o sem elle pastis ,
pasteles, empadas da diversas sortes sala-
mes presuntos, linguicas &c. ; o que se-
ro servidos com o maior aceio, limpesa e por
proco commodo. O rnesmo Tarault ofierece-se
para mandar levar em as casas as comidas a
aque las pessocs que com elle se ajustaren) ,
diaria ou nicnsalmente ou por urna vez s-
mente ; participa-so mais que todos os dias
de manlian um seu agente levar a casa de seus
isto lor ofcrecido poder aprender ou oj freguezes pastis, pasteles empadas, lin-
quem descobriro dito roudosc Ihe dar 50Srs.! guigas e chourieas franeezas proprias para
e gratifica, o. Justino Antonio Baptista. atmoco,
ri urR FYFMPI AF? FMrnMTRAnn


sss Mil noel Jos Rodrigues rclira-se para o
Aracaty, levando em sua companhia o seu es-
cravo Manoel.
as Tirao-se (olhas corridas e passaportes
para dentro e lora do impario com preste-
za c commodidade ; na ra do Rangel n. 34.
= thesoureiroda socicdade Philo-Tholia
avisa aos snrrs. socios, que faz a distribuico
dos bilhetes para a recita dodia 20 do corrento
nos das 18 19, o 20 na ra do Collegio 'n.
5 primeiro andar do meio dia as \ horas da
tarde
= Qucm precisar de urna rapaz Brasileiro
para tomar conta de alguma escripturacao de
luja ou de outro quilquer negocio, e tambem
se propo a cobrar dividas nesta praca e fra
Jella ; dirija-se ao beco da Viracho n. 27.
Offerece-se um rapaz Brasileiro, livre
de guarda nacional para caixeiro de escripia ,
ou de ra do que tem bastante pratica, o
mesmo para algum cartorio ; quem o preten-
der annuncie.
Precisa-se de um caixeiro que entenda
de venda ; no largo da ribeira n. 3, defronte da
praca de farinha.
~~ No dia 13 do corrente remelteo-se para
a cidadede Olinda ao major Jos Joaquim de
Almeida Guedes por um canoeiro de nome
Joao Bala 6 cortes de vestido do chita fina ,
embrulhados cada um de per si em papel de cor,
e tendo-se o mesmo canoeiro embreagado, des-
appareccrao do poder dello os ditos cortes de
chita
por isso roga-se
a quem os tiver
leja franceza n.
de
6,
levar a ra do Cabug
que ser recompensado.
= Antonio Joaquim Goncalves Guimares
retira-separa fra do imperio.
= Offerece-se urna pessoa para fazer costu-
ras chas com brevidade e aceio ; quem .pre-
cisar annuncie.
Forao achadas duas mullas com cassos
com carne secca ; quem or seu dono dirja-
se ao subdelegado da freguezia de S. Fr. Pe-
dro Goncalves.
Quem precisar de urna ama de muito bom
Ieite dirija-se ao beco do Marisco loja n. 9.
Precisa-se de um caixtro, que tenha
pratica de venda ; na ra do Collegio n. 5.
Osnr. sargento do corpo de artilharia,
Jos da Cruz dos Santos, queira mandar en-
tregar a bandeja que pedio emprestada a mais
de 3 semanas na loja do Jos Esteves Vianna ,
poisjse Ihe tem mandado pedir por varias
pessoas e nao ha remedio a restitu!a.
= Manoe Anastacio da Costa retira-se para
as Alagoas.
= Aluga-se um sobrado de um andar, e
t 60tao com bom quintal, com algumas plan-
tas o qual muito limpo e rectificado a
pouco lempo, que se acha como novo, na Rua-
velha n. 61 ; a tratar com Manoel Gomes Vie-
gas, na ra do Crespo.
Tornou-se a um preto un sacco com ar-
roz de casca que o andava vendendo ; quem
for seu dono, dirija-se a ra do Mondego ,
venda nova n. 31, que, dando os signaes Ihe se-
r entregue.
Precisa-se de urna ama para todo o ser-
vico de urna casa de hornem solleiro que
tenha de idade para mais de 30 annos, c seja
crioula; no largo de N. S. do Terco ns 1, e 7.
Quem perdeo urna sedula cmbrulbada
em um papel dirija-se a ruado Collegio n.
16, que, dando os signaes, Ihe ser entregue.
Aluga-sc urna canoa aberta que carre-
ga G00 tijolos; na ra do Caldereiio n. 56.
modo ; na ra da Cadeia do Becife venda n.
2 do Jos Goncalves da Fonte.
- Vende-se um sobrado de dous. andares ,
e soto na travessa de S. Jos com bom
quintal e cacimba ; e urna casa terrea na
mesma ra; na ra do Crespo n. 23, ou na
ra do Collegio n. 5.
Vende-se urna venda com poucos fundos,
na esquina da ra larga do Rozado ; na ra do
Collegio n. 5.
Vendem-se uns enfeiles para cinteiro ,
urna cornalina encastoada urna toalha de es-
guiao toda aberta de lavarinto duas varas de
bico largo e mergulbosde parreira e de es-
taca ; na ra do Caldereiro n. 56.
Vendem-se boje at a hora marcada para
o principio do andamento das rodas da lotera
do theatro o resto dos bilhetes, e moios ditos
da mesma lotera nica que corre este anno ;
na ra da Cadeia do Recfe loja de cambio do
\ icira aonde se vendeo um dos moios bilhe-
tes da lotera da Boa-vista n. 1150 que tirou
o premio de see ron tos de res assm como o
n. 3009 que tirou o 2:500,000 rs. um dito
que tirou 500,000 rs. almdeoutros muitos
bilhetes, que tirarao varios premios sof/iveis; a
lies, visto que a festa se aproxima, e nada me
Ihor, do que passal a na fruiccao dos bons pre-
mios ; a ellos, pois este anno nao ha outra lo-
lora.
Vendem-se 300 barricas vasias, que fo-
rao de farinha de trigo proprias para assucar;
na travessa da Madre de Dos n. 11, padaria de
Manoel Ignacio da Silva Teixeira.
- Vende-se urna preta de nacao boa en-
gommadeira e cozinbeira lava, refina assu-
car sabe tratar de meninos, e de doentes, e
tem alguma pratica de governar casa ; na ra
do Rangel sobrado n. 26.
- Na ra larga do Rozario botcquim da
Cova-da-onca continua-sc a vender a I mocos de
bom caf e solido charopes de tamarindo ,
e 540 a
Vendem-so relogios patentes inglezes, couro de lustro para sen hora e meninas, f0,
do ouro eprata, ditos Irancozes com 10 dia- quinhosde marroquim sapa tos de couro du
mentes, ditos horisontaescom 4diamantes e lustro com clcheles para meninos tudo por
ditos de paredo por preco commodo; na loja preco commodo ; na ra do Livramento n. 35.
de relojoeiro junto ao arco do S. Antonio. Vende-se urna negra anda moca boa,
:Vendem-se bicos largos e estreitos. abo- cozinbeiro doceira, e engommadeira; na ra
tuadurasdouradas para coletes, estojos de na- da Cadeia do Becife loja de chapeos n. 46.
valbas caixinhas com massa para aliar as mes- = Vende-se um carro do duas rodas com
mas, ditas com pos de limpar denles, escovas arreios, ocavallo, tudoomelhor possivel
para cabello e rupa caixas de massa de tar- por proco commodo ; na ra da Cadeia do Re-
taruga o de baloia para rap sabonetes para cife loja n. 33.
barba, superior agua do colonia macass pe-1 = Vende-so Jacaranda superior chegado do
rola, caivetes de cabo de viado para aparar Rio do Janeiro pedras de marmore redondas
pennas, cartas portuguezas, o Irancozas, (i- para mezas de meio de sala, de muito bom gos-
oas o ordinarias, pentes do baloia para alisar to ditas para commodas cadeiras america-
cabello, e outras muitas cousas por preco com- as com assento de palbinha camas de vento
modo ; na ra larga do Rozario loja de miu- com armacao marque/as sofs mezas do
dezas n 35. i jantar camas de vento mui bem feitas a 4500
Vende-se urna negra de naco Angola ,' ditas de pinho a 3500, assim como outros mui-
de 25 annos, cozinha lava e serve bem a | tos trastes ; pinho da Suecia com 3 pollcgadas
Compras
ese Comprao-sc eflectivamente para fra da
provincia mulatas, negras o moloques de
12 a 20 annos, sendo bonitos pagao-se bem ;
na Rua-nova n. 16.
= Compra-se urna preta que tenha bom
Ieite, capaz de criar um menino; annuncie.
Compra-sc elfectivamente para fra da
provincia mulatinhas crioulas c mais cscra-
vos, de 13 a 20 annos, pagao-se bem, sendo bo-
nitos ; na ra larga do Rozario n. 30, pri-
meiro andar.
Vendas.
velba
na ra
Vende-se ouro e prata
das Cruzes, venda n. 42. _
Vende-se farinha de mandioca a 640 rs.
o aiqueire novo ; no deposito do pateo do Car-
ino sobrado novo, junto a Ordem terceira ,
e na ra da Cadeia de S. Antonio n. 19.
Vendem-se queijos londrinos presuntos na ra da Cruz
para fiambre, conservas inglezas e rancezasj == Vende-se um pardo de 22 annos boa -
do hervilhas sardinhas, e azeitonas vinhosjgura perito olicial de alfaiate e proprio pa-
superioresdo Porto Madcira secca, Malvasia, ra pagem ; na ra da Penha n. 5.
Muscatel de Setubal licores finos de diffe- \ =Vende-se um casa dedousandares e sotao
rentes qualidades figos de comadre choco- rectificada de pouco lempo, em chaos proprios,
late finodecanella agurdente de Franca ,' na travessa da Madre de Dos n. 7 ; a tralar na
Jo che-gado prosirnmente, c por preco eon- ra da Cruz n. 50.
maracuja limao e roza a 480
garrafa e horchata a 480 a libra.
Vndese um quarto por preco com-
modo ; na Rua-velha n. 65.
Firmino Jos Felis da Roza vende fumo
em folha para charutos, por preco commodo ;
na ra da Moeda n. 7.
=Vende-se em casa de Fernando de Lucca,
na ra da Cadcia-velha n. 16 cerveja branca
ingleza em barricas de 3 duzias c meia, a 4000
rs. a duzia vinhos de Bordeaux, superior a
5000 rs. a duzia Champanhe Porto Ma-
deira secca I! heno Cidri a 4000 rs. a duzia,
charutos do regala urna partida de quejos
Hamcngos, agua mineral, o outros muitos g-
neros por precos commodos.
Vendem-se 3 pardas perfeitas engom-
madeiras. cozinheras, e tambem cosem; urna
dita de 16 annos, recolhida muito bonita
mucama com principios de habilidades; duas
pretascom boas habilidades ; 3 pretos para to-
do o servico ; um dito de meia idade por 250,
rs. ptimo para todo o trabalho ; um moleque
de 12annos, e um mulatinho de 10, muito
alvo ; na ra de Aguas-verdes n. 44.
= Vendem-se as obras completas de Loiz
de Camoes, nova edicao por J. V. Brrelo Feio,
o J. G. Monteiro em 3 volumes pelo baixo
preco do O00 rs. ; e as completas obras de
Vollaire ultima edcao em 7 volumes, em
quarto encadrnadas e com estampas poi
15000 rs. cada obra ; na ra da Cadeia do
Recife n. 37, primeiro andar.
= Vendem-se superiores vinbos engarra-
fados da Madeira secca Malvasia, c Bucellas
de 1832, por preco commodo ; na ra da Ca-
deia do Becife n. 37 primeiro andar.
Vende-se urna balanca com suas compe-
tentes conchas e 3 arrobas em pesos, por
40,000 rs. ; na ra da Cadeia do Recife n. 37,
primeiro andar
= Vende-se um batelo ; no forte do Mat-
tos estaleiro do Jacinto.
Vende se han lia de porco da trra, der-
retida muito alva ; na Rua-velha n. 115.
=Vende-se rap de Lisboa em libras, e oi-
taviis assim como de todas as qualidades que
ha no mercado e muito bom cha hisson ; na
ra do Collegio loja n. 4 do Menczes.
Vende-se urna armacao de venda e os
utencilios do deposito do assucar da ra larga
do Rozario n. 38 ; a tralar no mesmo.
Vondem-se duas negras ptimas engom-
niadeiras, lavadeiras o cozinheras ; na ra
dos Gararapes n. 16, da parte da mar pequea.
= Vendem-se semen tes de todas as quali-
dades vindas de Lisboa no ultimo navio e
o cestos para meninos aprenderem a andar da
inelhor maneira possivel, por preco commodo;
armazem de louca n. 48.
urna casa, e um negro de nacao, bom capi-
nheiro, e cozinheiro ; na ra da Cruz n. 41 ,
segundo andar.
^= Vendem-se lazinbas para vestido a 300
rs. o covado lencos para pescoco a 3500, e
para algibeira a 2200 rs. ditos para grvala a
1300 rs. ditos pretos a 2000 rs. bonos de
palhinha para meninos a 280 rs. e 960 rs.
com pala de lustro, chapeos de palhinha a
400 rs. macass perola a 280 e 400 rs. ,
pentes para prender os cabellos a 500 e 560 rs.,
e sem seren virados a 160, e 200 rs., lian ha em
boioes de louca lina a 1280 ti. e ordinarios a
120, e 160 rs., frascos de agua de colonia a
160, 180, 400, 500,700, e800 rs. o outras
umitas perfumaras facas de cabo de metal de
bataneo a 6400 rs. ede outras qualidades a
3520 rs. suspensorios a 240 rs. e de bur
racha a 320 rs., fitas de todas as qualidades, car-
teiras para algibeira a 640 rs. esteirinhas pin-
tadas a 720 rs. marroqu'ns de varias cores ,
0 outras muitas miudezas por preco mais com-
modo do que em outra qualquer parte ; na
ra doQueimado loja nova n. 4.
Vende-se milho muito novo a 9 patacas
da medida velha ; na ra da Praia armazem
n. 70.
se Vendem-se borzeguins de marroquim pa-
ra senhora a 2000 rs. sapatos de cordavo or-
dinarios a 480 rs. sapatinhos para meninos a
20 rs botizinhosde marroquim para ditos a
500 e 800 rs. sapatos de duraque do Lis-
boa a 6 0 rs. botins de Lisboa a 2200 rs. ,
luvas de pellica para hornem a 1280.. e 1440
rs. e para sonbora, enfeitadas a 2500 rs. ,
lencos de seda para gravatas, meias de seda pa-
ra bomem e senhora borzeguins gaspeados
para bomem senhora, e meninos, sapatos de
couro de lustro para hornem, senhora e me-
ninas de todos os tamanhos, botins de bezerro
1 ranee?., sapatos de palla para hornem, e meni-
nos meias de algodao muito finas para meni-
nas botins de lustro para hornem csparli-
Ihos para senhora bengalas de cana modernas,
tudo por preco commodo ; na Praea-da-indc-
pcndencians.il, 13, el5.
= Vendem-se cortes de lanzinha fina de
lindos padres a 6000 rs. ditos de chita de
ricos padroes chales de setim lindos lencos
de seda c meias finas do meninos e meninas ;
na ra do Cabug n. 10, defrontedo cerieiro.
= Vendem-se finissimas chitas, as mais lin-
das que se tem visto pela novidade e bom
gosto de seus desenhos ; na ra do Cabug, lo-
ja n. 16 de Antonio Jos Pcreira bem como
cortes de lanzinha para vestido inteiramente
novos e hzendas para calcas.
= Vondem-se bridas de parafuzo o cam-
ba direita esporas de mola para salto can-
dieiros escrivanhias perfumadores de latao,
bacas de rame de todos os tamanhos, o fo-
guetes do ar, por preco commodo ; na Rua-
nova n. 41.
- Vende-se um sitio na estrada da Casa-
orte que vai para o Cordeiro por preco
commodo; a fallar defronte da venda do Nico-
lao.
= Vende-se urna cscrava da Costa boce-
teira cozinheira ecom outras habilidades;
na ra do Arago n. 9.
= Vendem-se chapeos de todas as qualida-
des para bomem e senhora, e tambem so en-
formo chapeos chinezes, por muito commodo
preco.; na ra do Tambia fabrica de cha-
peos n. 10.
as Vende-se urna negrinha de 13 annos,
ptima para mucama ecose; urna puna de
19 annos com boas habilidades ; um mole-
que de 16 annos ; e urna cscrava quitandeira ;
na Rua-direita n. 3.
Vende-se a armacao, e pert- nces de urna
venda na ra da Roda n. 45 ; na travessa das
Cruzes n. 8.
= Vendem-se botins de bezerro francez ,
borzeguins gaspeados ede cores de ponta de
lustro sapatos finos de couro de lustro ditos
de marroquim sapa toes de palla adianto, c
atraz para bomem e menino borzeguins de
duraque, sapatos de marroquim setim c
de grossura, dito serrado dito americano do
differontes larguras e comprimentos ; assim
como travs de pinho e barrotes ; na ra da
Florentina em casa de J. Beranger n. 14.
= Vende-se, ou arrenda-se um grande casa
assobradada com bastantes commodos, c ter-
reno dos lados e no fundo lendo neste por-
to de embarque a qual proprin para qual-
quer estabelecimento de fornos stanos Coo-
Ibosda Boa-vista, junto a olaria de Miguel
Carneiroda Cunha ; e tambem se aluga o so-
tao somente da dita casa tendo cozinha e
cacimba ; na ra da Alegra n. 34.
\ = Vende-se um elegante carrinho] de duas
rodas, com os arreos competentes para umea-
vallo de solida construcejio boas molas, e
com pouco uso ; no Atterro-da-Boa-vista na
coxeira do segeiro Miguel.
Escravos fgidos.
Fugio no da 9 do corrente o preto An-
tonio de nacao Cacange de 28 annos, le-
vou camisa o ceroulas de algodao da Ierra ,
chapeo velho de castor anda nao falla bem ,
barbado por baixo do queixo o alto bastante;
quem o pegar leve a ra da Praia n. 22, que
ser recompensado.
=1 Fugio o pardo Francisco claro bem
parecido, olhos pretos cabellos annelados, e
pretos tem urna cicatriz no braco, pouco ci-
ma da munheca, do serto do Espinharas ,
1 eorcado do corpo de 14 annos; ievou cai-
cas e camisa branca e chapeo branco do
pello novo ; fugio no dia 18 do corrente; quem
o pegar leve a casa do doutor Neto na ra
larga do Rozario quesera gratificado.
= No dia 11 do corrente fugio o escravo
Joao do nacao Angola ladino, molecole
baixo grosso do corpo cara lisa tem o do-
do ndice do urna das ruaos sem cabeca e esta ci-
catrizada, ps grossos este molequo ganha-
dor; quem o pegar, leve a ra de Hortas, so-
brado n. 22 ; que ser gratificado.
= No dia 18 do corrente fugio o preto An-
tonio de nacao Angico de 30 annos esta-
tura regular rosto comprdo, e lalhado, bom
preto barbado pernas finas ps grandes ,
Ievou camisa branca e calcas de estopa este
preto veio de Pedras-de-fogo remettido a Tbo-
maz Fernandes da Cunba pelo major Felip-
peNeride Mendonca talvez se encaminhasse
para aquello lugar ; adverlo-se que este pre-
to j tem feito algumas fgidas, e costuma a
mudar o nome para Joao ; quem o pegar, levo
a ra da Cadeia do Recife loja de ferragens
n. 44 que ser gratificado.
Fugio no dia 17 do corrente a preta
Victoria de naco Angola do 32 annos, es-
tatura ordinaria, bastante surda, he eos gros-
sos rosto redondo p s pequeos secca do
corpo Ievou panno da Costa e vestido de
chita; quema pegar, dirija-se ao largo do
N. S. do Terco, venda n. 1 e 7 que ser
recompensado.
= O abaixo assignado roga a todas as auto-
ridades pliciaes dos bairros do Rejife S. An-
tonio Boa-vista Olinda c de outros dis-
trictos do interior, assim como a qualquer ,
quosouber, ou tiver noticias de um seu es-
cravo de nome Joaquim fgido no dia 12 do
corrente, com 25 annos, pouca barba, cheio
do corpo baixo fulo rosto comprido tes-
ta alta e estufada pernas grossas, bem des-
embarassado e por isso parece crioulo ten-
do o vicio de vez em quando embebedar-se o
que actualmente se achava na praca, e trapi-
ches desta cidado no servico dos rolos das cai-
xas de assucar, o embarque o prendo ou
o mandem prender e levar a casa do annun-
ciante na ra do muro da Penha sobrado do
dous andares n. 36 que satisfar toda a dcs-
peza. = Miguel Arcan jo Monteiro de An-
drade.
Rbcipb na Typ dr M F de Fama. = 1843,


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E9CJHG4HI_CZAUEF INGEST_TIME 2013-04-13T02:25:04Z PACKAGE AA00011611_04539
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES