Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04535


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anuo de 1&S3.
Quinta Feira 14
ism**
riiW^wsiVr-i ii"MfiMw
ludo agora depende de nos meamos; di nossi prudencia, moiirrag o, e energa: ron-
. lu,nua como jiriocipiamos, e aeremos anonlados com admiragiio entre as ftacaa mais
cl[t,s. ( l'roclainagao da Assembleia Geni do BusiL.)
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES,
(oiaiini. e Parahyba, segundas e senas ciras. Kio Grande do Norte, quintil feiris.
Hnii" Garenbuns, a lH e 24.
Cabo Serinhfiem, Rio Form.iso, V.irlo Calvo, Macei, e Alagoas no 1 H, e 21.
lina r;*laa Flores a 13 e 2S. Sanio Anuo, quintaa reiras Olinda todos os din.
w DAS .\ SEMANA,
ill Sen i, Dmaso T. Aod. do J de D. da 2..
i2 Tere. Justino M Hel. Aud.do J. de D.da3. t.
\ Quart. s. Luzia V. M. Aud. do J. del). da 3. t.
44 Ouint. Agnello Ab. Aud. do J de da 'j. v.
4 Sei i. Cliristin Aud. do J. de D. da 2. .
46 ab. i. Albina V. ML, Re. Aud do J. de D. d 1
47 D""-' Rartholumeo de S_ Gimini.no,
de Dezen.bro Auno XfX. N._jW;
"" "' ve tu't.
i
CaauoiNu dia IJ de Dciembro. c">'
C..bio.obWI-ondr..76. # Oc.o-Moed. d. 6,400 V. ;JJJ
! a. 4,ooo MM
P.Ali-Paucd.. Jt9lW
PetoaColoanirsi 1,'JU
toa Mejicanos i,00
Paria 37i /eis por franco,
LilbaHO porlOOdepremio.
Tanda,
17.000
46,800
9.400
1,920
1,920
1,920
Moada da cobre 2 por cento;
Idaa. da letras da boas firma 1 a 1 1|4 g.
PHASES DA LA NO MEZ DE DE/EMBhO.
Preamar de hoje.
...lObora. .5.-.d.-nbi.. | 2. a 11 b.,.. 1S- da U^a.
-v-a2tji^^.tjuiriTy'

m.upP,em^^^ fi U
HESPANHA. .
Tinhao-se aberto as corles. O senado havia
omecado as suas sesses preparatorias 11 do
outubro.
Tanto no senado como na cmara dos depu-
tados (cujo presidente era o decano Dertram de
Lis) nomearao-se as commisscs de venflcaco
de poderes qre proseguan no exame das actas.
Reinava a maior harmona o concordia entre os
membros de ambas as cmaras.
Na sessodo senado, em 18, oSr. Campaisa-
no, por occasiao" do tratar-so das elcicocs do
Saragoca, pronunciou-se contra o governo, es-
forcando-se por obstar a que losse admitlido o
duque de Saragoca; nao consigui o seu fim, e
por occasiao de se examinaren as actas do Ma-
drid pretendeo achar Ilegalidades considera-
\ois; mas passando-se votaco s ello dcixou
deas approvar.
Na cmara dos deputados havia 60 deputa-
dos do anligo partido christino, 60 do partido
olosaga e cortina, e 30 da opposico donomina-
daWrancisquita o republicana. O partido parla-
montar contava por conseguinto urna considora-
vol maioria.
Na sessao do senado de 20 o Sr. Campuxano
interpcllou o governo sobro o estado do Barce-
lona e Saragoca, censurando os seus actos como
impoliticos, o proprios para augmentar os dis-
turbios que se pretenda atalhar. O presidente
doconselho Lpez respondoo largamente de-
monstrando as tendencias o flns dos conspira-
dores, e a linha do conducta do executivo, ex-
luanilo a rasaO poi quu dessiita ajunta cGr.
tral por que pugnara em 18i0. O ministro^ da
guerra fallou por ultimo mostrando que nao so
bombardeava cidades, c quo smente so fazla
lzo sobre os pontos fortificados dos insur-
gentes.
Na sessao de 22 da cmara dos deputados di-
rigi o conde das Navas urna interpellacao ao
governo sobre terem se arrancado das esquinas
certos pasquins e proclamares incendiarias,
allegando que ora um ataque liberdaderle im-
prensa. O ministro do reino respondeo compe-
tentemente, eos generaos Narvacz, e Mazarre-
do deraS explicacoes para mostrar que o execu-
tivo nao tem excedido as suas (acuidades.
No sessad de 26 a cmara dos deputados do-
clarou-se constituida depois de ..orneados para
presidente interino o Sr. Bertramde da, e para
vico-presidentes os Srs. Gabanillas, lliva Her-
era, Alcon e Canavatc. Em seguida o presi-
dente doconselho de ministros subi a tribuna
e leo urna importante exposigao na qual allega-
va todas as rasoes que lornavao urgente a dccla-
racaoda maioridade de D. Isabel II, Esto docu-
mento loi mandado competente commissad
uaia sobro elle dar o seu parecer; o qual tora
ido na sessao de 30 pelo Sr. Martnez do a Ro-
sa, e era avoravel declaracao da maioridade
da rainha. Este documento redigido em estylo
classicoe cheio de bellesas do "WWJl a"
colhido com applauso geral. O Sr. Oloaagito-
mou assento na cmara, e prestou o juramento
do costurae. n,^ n
Na sessao de 31 leo-se tambem no senado o
parecer da commissai) a cercada .naiondado da
ta um despacho do general Concha, datado de
28, participando tambem ao governo a oceupa-
cao da cidade de Saragoca pelas tropas do seu
cornmando, em consoquencia d'uma capilula-
caO quo fez com os revoltosos.
PORTUGAL.
LISBOA 1. DE NOVEM.BRO.
A volta de SS. MM. loi celebrada pola capital
como um dia de verdadeira alogria nacional:
Lisboa vestio as suas gallas, expremio osnobres
sentimentos de afTeicaS ao throno: a par dos res-
tejos pblicos trasbordava no rosto de immenso
concurso o prazere o jubilo. Era pura a devo-
ca, sem lisonja o testemunho do amor quo. a
joven soberana prestou a cidade acordada pelas
harmonas das msicas militares, ao pungir de
um desojo, quo era ji quasi saudade, anda com
ter sido tao curta a ausencia, contando os mo-
mentos anciosamente, e revelando na impacien-
cia da demora o intimo folgar do coracao.
Ao amanherer ja pelas ras dobravaS grupos de
pvo, correndo apressados a esperar as tropas:
a guarnlcaoda capital, composta dos rcgimen-
tos de inlontaria, cavallaria, artilhana, o guar-
da-municipal formn pelas dez horas da ma-
nhaa no passeio-publico, donde deslilou as on-
zo para o Tereiro-do-paco, ra Augusta, Mag- (
dalona, e S'S rasgando em alas as orlas do ca-
minho, quedovia seguir o prestito real, segun-
do o programma publicado.
Entretanto a melhor providencia so m^nilos-
pormoio de copada symtrica, e virosa rama-
gem a transparecer por meio do verde jardim o
matiz de varias cores,
De que so vestem as humanas rosas
Fazendo-se por orto maisformosas.
Assim continuaran os cinco vapores navegan-
do Tejo abaixo, e demorando-se por vezes a es-
perar pelos que mais vagorosos andavao. sondo
aquello em que prosistiaS SS. MM. um dos quo
a outro menos rpido concedeoosta honra.
Apenas os navios de guerra, surtos no Tejo a-
vistraS o vapor Terceira, onde se despregava o
estandarte real logo se embandorro em arco,
disparando urna salva com todas as tripolacoes
nos verijas, segui ido rigorosamente o program-
ma ordenado pelo major-genoral: acompanhou
a nao inglesa as nossas nesta manifestacao de
regosijo, conservando a gente as vergas por ou-
tro tanto teinpo.
Ao rastejar o vapor pelo norte da fragata Ui-
artnasaudou-oa guarnicao com sete vivas, c
oomigualdado rovoraO pelos domis navios de
guerra. .
O Terceira veio continuando, e depois de pas-
tar por por porto das fragatas Duquesa de fra-
gancatiDianna. fundoou um pouco ao oeste do
lugar que Ihoeslava destinado, inmediatamen-
te subrao a comprimentar SS. MM. os tres mi-
nistros da cora, o diversas possOas do distinc-
cao.
Chegados diante do caes das columnas parou
o vapor Terceira, chegou a galiota em que Suas
MagestadesdcvinSsair para torra, e otracarao
para a comitiva real. A
o louvou o gisto e apuro
tor/nas disposicoes do todo oW*.-llj ~Am os mm
horas do dia :10 partirao SS. MM. do Santaro.i fa d
Tejo abaixo at encontrar o vapor Terc.ra^ ram nd. de b J^.^^ mostran.
lanrra as oitoe mo.ada manhSa do seui anco ^i.cr.-.o sali^iU.; S. M. el-re-, con-
radourodefrontedeLubOa. A bordo do vapor
iao os Exms. ministro da marinha. major gene-
ral, bara deGampanha, o inspector do arsenal,
o capitao-tenento Amaral, commandanto da
fragata Dianna, o primeiro-tenente Lima, com-
mandanto da escuna Faro, o urna guarda de hon-
ra do batalhao naval, acompanhado da sua res-
pectiva banda de msica.
O vapor Terceira sahio do Tejo, e fbndoou di-
ante de Villa-nova, pouco depois do rneio da:
nao era5 corridas muitas horas quando houve
noticiado que SS. MM. nao vinhao a Villa-no-
va, o dosciaS polo rio al atracar o vapor.
O Sr. ministro da marinha, major-gcneral, e
bara de Campanhasalrao inmediatamente na
sveira real ao encontr de SS. MM., que |6 do
noute chegaro ao Terceira cm um oso bar-
co do fundo chato ao modo das gandolas do Vo-
neza, o mais commodo possivel para a viagom
doRiba-tjo, porlencente ao Sr. Falrao d A-
,rEra5 olio horas quando a real femllla, o as
pessoas do distinegao que a acompanhavao en-
traras a bordo do vapor. Quando SS. MM csta-
va5 jantando viero ojuiz de diroito o mais au-
toridades de Alenquer ^Vt^gr
tas pessas, que se recolhrao logo depois as ca
maras, por estar destinada a p .r ida parao 60-
guinto dia (31 do outubro) s o.to dai manhia.
A essa hora largou o Terceira antes>de ML JIM.
ataren, visiveis. No perpassar pe as iMeren-
tes villas epovoacoes assentadas a beira do 10-
K ? soavaS alegra, nuvens de oguetes banda
de msica, que desaferravao em botes da m.ir-
gemTe pa sando por juntojdo vapor, trcmulan-
do bandeiras, vinhao tributar sua joven, a.b -
rana o seu enthusias.no com extraordinaria de-
que do Fras, laranciiii, o -'--" ": a
Campuzanodeo parecer separado. Qu.r.a a
maioridade com um conselho do governo Je
tres membros. que smente cessa8?e quando
chegasse o dia om que a le reconhece S. M. co
ridades da capital. 0- 90 uublicou
Na gazeta ^^f^J *n trnUnd^ante das
um oflicio do geral Sino >a.n n, d
larcas em ^"J de Uon. jo q P^
que os revoltosos aque dUo
submettido ao ^" cidado no
general etroituado a sacnW^ e
ua 25. se o menor derraman..
monstraco de jubilo.
A cmara do Villa-franca appareceo em co -
ooVacaonocaes saudar na passagem a Suas
lagestades: ao tocar na Alhandra a escuna de
guerra Constituicilo, e um cter salvarad todos
en,NbaamaC;aedmOSdo sul do Tejo em um local o es-
tabelecimento da companhladas lesirias t,nha
Sla levantado um castalio de madeira art.lhado
com sous pendes, que disparen a sua salva J
nassaaem do SS. MM., merecendolhe a honra
8o IntSEmper o almoco para do lombad.lho
ver o agradecer esto sgnal de regosijo.
VC,)efronte d'Alhandra reunirn na p6pa do
Terceira os quatro. vapores. ^ Mj
liu-s ciu cirf.O sullSItsini; b. ai. o-r;
versando na antecedente noute corn o digno par
Riba-fra,alegremente aecusou com agrado a sua
comitiva pela mi vontade, que llie va do o
acompanhar a cavallo, dlzcndo, quo so nao a-
chava nada fatigado.
Durante o espaco, que mediou al SS. MM.
desceren, galeota, o por todo o tempo que do-
correo at olla aproarao caes, estiverao subo-
slo .nultas gyrandolas de foguetes, deitadf dos
quatro vapores, o de um sem numero do botes
e escaleres, postados junto ao caes. Ao anear
do estandarte no Terceira, quando SS. MM. en-
trao na galeota, rebentou a salva real das nos-
sas embarcacoesde guerra.
Logo queSS. MM. entrrao na galeota salva-
ran de novo as ombarcacOes repetindo depois as
salvas aosom das quodisparou ocastello aodo-
sembarquo.
Por meio do duas escunas do guerra, que scr-
viao de balisa i. duas linhas de escaleres abor-
tas em alas, brillantemente embanderados, o
com as gyrandolas a serpear dos botes que rc-
ferviao, rompeo a galeota roal; seguiao-na atrs
os escaleres dos ministros o do major-general
da armada, do supremo conselho do marinha,
o o do in-pector do arsenal:as alhetas da ga-
leota os commandantes das fragatas Duquesa de
/{rayanca e Dianna.
Tanto Sua Magostado a rainha, como cl-ro,
c os principes chegaro de pereita sadc, e em
extremo agradados da jornada a despeito do
lempo carregado e spero dos ltimos das.
Por toda a parte e em todos os lugares se ma-
nifest-irao nao duvidosas provas de sincera afTei-
cao o iealdade no throno; a par do apego e
adhesao as publicas liberdades declarou-so som-
pre ardente afTecto i soberana e sua dynas-
tia : na viagom foi sua guarda esto amor da na
cao e sou annuncio o espontaneo regosijo do
povo. Ao despedir d'Alhandra a elegancia das
casas aderegadas de custosas armacoes offerecia
um ormoso espectculo aos olhos; de Sacavem
para c affluio de mais em mais os botes despe-
dindo foguetes e vivas aproximacSo do va-
por onde navegavao as reaes pessoas.
A praea do coinniercio no momento, em quo
a galeota real abicou aocics, apresen taya urna
vista magestosa. No caes a cmara municipal ,
os titulares, criados de Sua Magostado mem-
iTffZSuTTtV* frotados a cornpanhia. nos bros dos lrhunaes. e do cOrpo diplomtico, go-
" D" .' .__.__i,t;,l,. ,. .iiimi.riisnl __... -:..:! n ral.rnt^rm sra-ravao rom va-
iuaes ia abarcado um esplendido e numeroso
c.ncurso de pessas do dist.nccao. Um delles
brilha'com as vistosas fardas da corporaCao
de marinha, e nos oulros se dmsayao ruitos
emnregados civis o militares, d.stingu.ndo-se
um especial, aquello que eraoceupadoquas ex-
clusivamente por senhoras, edava nostras de
vcrnatlor civil, e secretario esperavao com va-
rios olliciaes do exercito. c armada a chegada do
Suas Magostados.
As arcaras, que circundao a prar.a crao ador-
nadas de bandeiras de feslocs cngrinaldados
de murta e as janellas armadas de damasco
rcsplandecio os malizes das roupas riquissimas
das senhoras, quo em grande numero assistiao
esta pompa. Pelas ras apertava-so o povo .
sendo mistar boa polica para se nao rompercm ,
as alas que as guarneciao.
Na frente do terreiro se crguia um arco ar-
mado foicao do castollo, que se figura na an-
tga e nobre ordem da Torre o Espada com
quatro portas rasgadas tambem em arco cada
urna abrindo sobre seu lado, adornadas degri-
naldas. e pinturassymbolicas, o por cima na
cimalha em revelo de letras grandes quatro
disticos. Do lado, que olha para o caes
I). Mariall.Doopp'-sto em rente dame-
mora a Jos Carta constitucional de 1826.
Do lado csqucnlo 10 deleverciro de 18(2.
Do lado direito 27 de Janeiro do 1842.
Do meio de figuras allegoricas corando a ci-
malha suba nni torreao, em que se fechava esta
formosa fabrica ; a aragem do mar entufava as
bandeiras portuguesa, ingle/.a, ehrasileiru c
dandejava sacudindo varias flmulas azucs e
brancas.
O interior era custoso. c de mmto primor,
tudo rematado no fecho com o escudo das armas
reaes do Porlugal. Em cada um dos quatro
ngulos roalcavao o gosto desta decoracao bellos
trofeos d'armas em vulto matizados com os es-
tandartes dos regimentos antigos do reino e
por toda una varanda quo se corra dos dous
ngulos que olhao o enes, o so ia terminar
nelle havia urna guarnicao do tocheiras de
pao, para logacas avivadas as pompas pelas
cores do muilas bandeiras, o outras invencoes
de goslo; por motivo das oi.ras o monun.er.lu
da memoria fora transformado em castello, ar-
mado do pannos de raz, e todo cingido do pen-
des, e bandeiras.
Suas Magestadoscncaminhrao-so logo para
debaixodoarco; ah o presidente da cmara
municipal dirigiu a Sui Magestado a rainha
um discurso.
Do Terreiro do paco, porum dia de sol claro,
e ameno, a rainha o seus augustos (Unos, em
um cocho descoberto e ul-rci a cavallo ro-
deado do numeroso estado. tomrao pela Ba-
augusta carninlio da cathedral por entre alas
de tropa vistosamente fardada.
A' porta da S so achava o cabido para rece-
bcr Suas Magestades: a cmara municipal pe-
gava as varas do pallio o assim cntrarao na
groja, encaminhando so ao throno levantado
nacapella-mr onde tomrao assento.
Na S, soberbamente armada com riquissimo
primor, se achavo cm suas respectivas tribu-
nas quasi todo o corpo diplomtico, multas
senhoras, e pessoas Ilustres. Comecou, apenas
Suas .Magosta les oceuparoo o seu lugar, um so-
lemne Te- Ihum o acabado elle volveo o pres-
tito pela mesma ordem para as Necessidades.
Em lugar especialmente destinado, e accom-
modadoao intento, na entrada da Rua-augus-
ta aguardavao a chegada do Suas Magestades
os alumnos do ambos os sexos, portencentes as
oselas dos asvlos do infancia desvalida ; passa-
vao talvez do cem : os innocentes todos vesti-
dos de novo pola commissao encarregada dos
festejos, fechavao as maos os seus lencos bran-
cos cheios de flores.
Na passagem. as rosas foro csparzidas por a-
quellas puras maos sobre o coche e matizado
o regaco do Suas Magestades que por tantos
titulos se devem considerar como os seus mais
valiosos bemfeitores. A oblata mnima da in-
nocencia humilde mas florida como a oracao
daqucllas almas candidas, foi de certo tao agra-
davel a Sua Magestade como as melhoros pom-
pas : o coracao do pobre trasbordou all todo o
seu jubilo, como o poda fazer o poderoso na
devoco do seu enlhusiasmo. A mao, quo pro-
tege constantemente aquclles innocentes desam-
parados nao roquer cm premio senao urna lagri-
ma de saudade, e gratidao ou um sorriso de
contentamento, o amor.
Por volta das duas horas c meia voltario Suas
Magestades da S.c de novo atravessrao oTer-
rciro-do-paco. seguindo pela Ba-direita ca-
minho do real palacio das Necessidades. Bate-
dia 25, sem o menor lierramamcm^----s-------------m_-------.------_- ^^ ^^ *m^m^ M. ^ **.
MELHOR EXEMPLAR ENCONTRADO


dores de lancciros prcccdiSo o cortejo depois
vinhao criados da casa real com vestidos de gal-
la e logo o coche descoberlo, dondeSuaMa-
gestade a rainha agradeca as suudacoes, que
de todas as partes llio fazio no sou transito
Segua el-rei a cavallo acompanhado pelo
sr. ministro da guerra, e muitos oiciaes gene-
raes e ajudantes : em formosascarruagens os
srs ministros do reino justiga, marinha, fa-
zenda c ostrangeiros : os srs. conselheiros do
thesouro, Jos Bernardo da Silva Cabral e
Agoslinho Albano ; a exm. cmara municipal,
varias autoridades superiores, e muitas senho-
ras da primeira distinecao, entre as quaes a so-
nhora duqueza do Ficalho formavao urna lus-
trosa comitiva.
A guarnidlo da capital em grande c helio
uniforme, commandada pelo general barao de
Cacilhas.toda no maior apuro, vinha logo apoz
Distinguia-se pelo acceio riqueza o gosto
marcial toda a brigada da guarda-municipal a
trente da qual ia s exc. o sr. D. Carlos Masca-
renhas como seu commandante.
Na calcada do marquez de branles, junto
ao palacio do Sua Magestade a Imperalriz se
achava erguido um grande arco triumphal, en-
gnoaldado de louros, com as letras de Viva
a Rainha, e a Carta. Ao p do palacio das
Necessidades haviao levantado outro igual.
A tropa toda oi logo depois desfilar cm con-
tinencia por dianlo do paco das Necessidades ,
disparando primeiro a artilharia montada a sal-
va no Terreiro do-paco,apenasSuasMagestadcs
passro de volta da S.
noute foi goral a illuminagao da cidade :
Suas Magestadesdignro-se de ir ao theatro ;
era esplendida a companhia, e a cnchente real.
Logo que Suas Magcstades chegrao a S. Car
los, volta das Qi'to horas e um quarlo, e se cor-
reo a cortina, da tribuna rompeo a orchestra
ohymno, ncornpanhando o canto ; rcboro
alegres vivas c sedesparzrao muitos versos.
I-01 tal o tmthusiasmo que muitas vozes pedi-
rao repetidlo do hymno o que se atalhou por
iradiantadoo tempo. No fim do 2 "acto sai-
rao Suas_ VI a gestad es. Nos camarotes brilhava
urna lu/ida companhia, e muitas pessoas se rc-
tirro por falta de lugar na platea.
As-maiores Drovas e domonstracoes do aToc-
to, e rcgosijo publico lorao tributadas Suas
Mageslades pelos espectadores.
No arco do caes das columnas, assim como
nos dous da calcada do marquez de branles,
e Necessidades em todo o Terreiro-do-paco'
no Castelo-de-S.-Jorge, e Bosqaarfaia inuiia-
res brilhriio formosas illuminacoes tocando
continuamente no Terreiro-do paco duas bandas
de msica grande parte da noute.
Apesar da mingoa do armagoes quasi todas
pedidas para a provincia muitas casas sobre-
sali com lindas armacoos. rcalcando a riquis-
sima decoradlo, quoenfeitava a morada da ex.*
barone/a da llegaleira c a do palacio junto a
Francisco de Paula, que cegava pelas soberbas
cortinas de brocado do ouro.
Estes signaes de singular rcRosijo forao o tes-
temunho de inabalavel oITcicSo prestado pela
capital do reino as excelsas virtudes da filha do
illustre principe que nos herdou com a liber-
dadeo thronodo urna rainha por seu augusto
pai costumada a presar, e ter gravadas sempre no
coraco as mximas, e dogmas do governo cons-
titucional que ello por duas vezes plantou na
trra captiva antes de dormir no sepulcro. Se
neste jubilo tao goral excepcoes houve nao
o sabemos, nem acreditamos m
as fez so nos move d e nada mais.
(Da Restaurando.
as se alguem
EETROSPECTO POLTICO.
Na India occorrro algumas desordens no
Punjab que orao reprimidas pelas tropas in-
glezas.
Na China esperavo-se com anciedade os re-
sultados e animacao que daria ao commercio a
ratificagao do tratado c as medidas que se ti-
nho adoptado para a regularisacao dos direi-
tos.
Na America-do-sul Rosas, presidente de
Buenos-Ayros enviou tres mil e quinhentos
homens dereforcoa Oriho commandados por
Urquiza o que sabido cm Montevideo mar-
chrao logo fortes divisoes para obstar junecao
dos dous exercitos ; consta que Oribe Ta
batido junto a Medina.
No Brasil continuavo os preparativos para
a recepcao da imperatriz os quaes nao er3o
toexplendidoscomo foro, quandose casou o
Snr. D. Pedro 1. com S M I. a duqueza de
Leuchtembcrg. As noticias do Rio-grande di-
zem que Bento Gonealves chefe dos repu-
blicanos sodemittra de presidente- da repu-
plica e se retirara do exerciloque Neto fora
demiltido e perder toda a sua influencia ; lan-
eandolhe-lhc cm rosto os soih companheiros
nio ter batido o barao de Caxias em S. Gon-
calo. Canavarro que substituio Neto achava-se
as immediaces de Guarahim em frente da
segunda divisao que tinha recebido um refr-
co de cavallaria e que do certo o perseguirla
O barao do Caxias destacou do grosso do exer-
cilo urna divisao e dizem que vae para urna
commissao importante sobre a qual se guarda
segredo.
As noticias de Slo Paulo dizem, quo o ex-
regente Feijo continuava gravemente enfermo.
Na cmara dos deputados do Brasil approvou-
so o pro|ecto que reduz a dous annoso tompo
necessario para a naluralisacao dos estrangeiros.
Na votacao da lei do orgament alterou-se o
direito de ancoragem dos navios estrangeiros
que entrao nos portos do imperio elevando-o
ao dobro. O corpo do commercio representou
contra este augmento ; porem receiava-se que
nao fosse attendido. No Rio do-Janeiro tinha
havido urna epidemia de febres escarlatinas a
qual havia diminuido com a mudanga da esta-
dio e precaucoes hygienicas.
Na Turqua, o governo sabia, ter-so descober-
lo urna conspiracao em lbrait, que tinha rcla-
coescom os projectos revolucionarios dos chris-
taos da Balgaria. PrendCrao-se algumas pes-
soas aecusadas de quererem lancar fogo po-
voco, para, a favor do tumulto, se apoderarem
de armase munices do arsenal. Na Bosnia se
apoderiao os revolucionarios de alguns fortes;
comtudoentabolarao-se as negociaces como
visir para regular amigavelmente asdiflerencas
que existem. Na Albania os pachas de Scutari,
e Hersegovine assim como o bey de Antivari ,
concentrado as suas Torcas e cercarSo por tres
pontos Monte-negro. Os monte-negrinosachao-
so em grande apuro por Ihe faltarem os vveres.
Os Turcos tinhao-se apoderado de urna lorre ao
occidente da montanha. O Vladiska estava em
Gratow.
A tranquillidade em Alhenas nao tinha sido
alterada ainda que o odio contra os Bavaros
nao havia diminuido. Ja comecava a notar-se
desuna o entro os revoltosos e isto pareca fa-
voravcl para que o re Othon recobrasso a sua
autoridade. A revolucao da Grecia foi acolhi-
da com muito enthusasmo pelas povoacfios gre-
gas das margeos do Danubio as quaes man-
darao felicitar os seus compatriotas de Athenas
por terem conquistado a liberdade. Acredta-se
que motivos mais graves produzem esta sympa-
thia.
Na Grecia devem reun!r-se as cortes consti-
tuintes a 13 de novombro ; poisj tinhaoco-
mecado os trabalhos eleitoraes.
Na Russia determinou o imperador por um
decreto, que os Judeos, desde 20 at 25 annos ,
licassem sujeitos ao recrutamento militar o
que at agora nao aconteca porque se isenta-
vfio pagando urna contribuidlo pecuniaria.
Falla-so do casamento da filha da gra-duqueza
Rellena da Russia com o duque reinante de
Nassau
Na Alemanha a revolucao da Grecia havia
causado urna imprcss5o desagradavel no gabi-
nete austraco; e alguns jornaes s3o da opiniao,
que o rei Othon abdicar se as suas preroga-
tivas orem ccrceadas. Em Vienna corra a no-
ticia de que a concluir-se urna intima allianca
entre a Austria a Inglaterra e a Franca. O
motivo desta allianca que as ultimas occor-
rencias da Valachia e da Servia tem irritado
muito os nimos contra a Russia, especialmen-
te na Hungra onde se olha com sobresalto a
supremaca, que a poltica russa excrce no Di-
vn eaindamais a definitiva organisacao da
administradlo que actualmente desenvolve
na Servia como anteriormente aconteceo na
Valachia nao perdendo de vista tambem a
Porla que boje se acha n'um estado do vas-
sallagem a respeito da Russia.
Na Italia os insurgentes sustentavo-se as
montanhas, e ropellir3o os Suissos que os forao
atacar. O governo pontificio trata de activar
as fortificacoes de Ancona e foi chamado a
Boma o cardeal Spinola governador de Colo-
nha (cando em seu lugar interinamente o co-
ronel Cassoni que ser substituido pelo coro-
nel della Genga. Diz-se que muitos insurgen-
tes tinhao apparecido alm de Cucona e que
a agitaco se vae augmentando. Teem havido
serias tentativas do insurreicao no reino de a-
ples esobre tudo na Cicilia e nos Obbruz-
zos onde as desordens tem tomado segundo
se diz urn carcter de gwm'dade, qu> se nao
pudo dissimular.
Km Inglaterra fallava-se da prxima viagem
da rainha a Cambridge para visitara univer-
sidade onde se faziao ja (preparativos para a
recepcao de S. M. c do principe Alberto, seu
esposo.
A eleicao de urn mombro do parlamento, pe-
la cidade de Londres vago pelo fallecimento
de M. Wood, sahio a favor do opposicao. M.
Pallisson obteve mais 165 votos quo M. Baring,
can.dato ministerial. O numero doseleitores
excedeoa 12,000.
Na Irlanda noobstante as ordens do go-
verno, continuavao as rcunioes. N'uma, que
teve logar em Contiliation-Uall O'Connel
recommendou novamente aos seus'partidistas,
que onrapm nnro s!ccnfar a rcrogaco da u-
ni5o. M. O'Brien participou que da America o
oulros pontos haviao remettido fundos, que
produziriSo um rendimento semanal de mais de
2,000 libras.
N'outra reunido que houve prximo a pris3o
de Newgate presidida pelo filho doO'Con-
nell este perguntou ao povo se o considerava
como conspirador, e quo se trabalhar para
tornar independente o seu paiz era conspirar;
elle se vangloriava de ser conspirador. Depois
de metiera ridiculo os juizes que Ihe exigiao
urna llanca doclarou, que, conservando-sc
sempre a mesma confianca e a mesma modera-
cao nao se demorara em raiar o da da li-
berdade.
O'Connell, seu filho e outros estSo mettidos
em processo como conspiradores ; porem cm
consequencia das demoras judiciaes o tribu-
nal, que os deve julgar, so se reunir paro os
fins de novembro.
Km quanto o governo ingle/ toma medidas
de rigor contra OConnel e seus partidistas ,
apparecem grandes sympathias no mesmo in-
terior da Inglaterra pela causa da Irlanda. Em
Birmingham houve urna rcuniSo de honrados
cidadaos que decidiro pedirem ao correge-
dor, convoque urna juncta para fazer urna peti-
cao a S. M. supplicando-Ibe naoempregue
a marinha e o exordio britannico para con-
ter a opiniao publica da Irlanda. Os oradores,
que toinarao apalavra, izerao umbrilhante
elogio do procedimento de O'Connell.
Em Franca nada tinha occorrido de impor-
tante.
O duque de Aumala havia partido para a sua
excurcao na Sicilia e depois deve dirigir-se a
Constantina.
O sr. Olozaga embaixador d'Hespanha em
Franca havia entregado na presenga* do rei ,
c de todos os ministros as insignias da ordem
do Tosao d'Ouro, cuja condecoradlo foi conce-
dida pola rainha de Hespanha, a S. A. R. o du-
que de Nemours.
Assegurao, que vae ter lugar urna grande
promoco na marinha franceza. O governo
havia despendido 20,000 francos com tres bar-
cos de vapor quo preciza nos mares transa-
tlnticos. Partiro para as Antilhas francezas
as naos da linha Jpiter e Scipion.
Parece, que o duque de Palmolla tivra urna
longa conferencia com Mr. Guizot, ministro
dos negocios estrengeiros em Fnnca.
A questao do casamento da rainhn l7nhol d
Hespanha contina aoceuparo mundo poltico.
Segundo os jornaes legitimistas francezes as
potencias do norte fizerao saber Gra-Brcta-
nha, que o seu desejo era, que a rainha Izabel
casasse com o principe das Austrias, filho de D.
Carlos ; mas que a Franga se oppz a este ma-
trimonio, e indicou como esposo da dita rai-
nha um irmo do rei de aples que dizem
ser o conde do Aguilo; manifestando ao mesmo
empo pretcnees de casar a infanta D. Maria
LuizaFernanda com o duque de Aumale ou
Icom o duque de Montpensier. Parece, quo a
nglaterra deelarou formalmente, que nSoan-
nuiria a nenhum dos enlaces propostos pela
Franca.
Na Hespanha continuava a haver pronuncia
mentos favor da junta central. A Caliza a-
chava-se quasi toda pronunciada e pondo-se
em estado de defensa para repellir os ataques
das tropas do governo. O general Iriarle acha-
va-se Irento dos centralistas da Galiza.
Em Barcelona e Gerona contina a susten-
tarse o movimento centralista, noobstante
annunciar o governo, que em urna e outra par-
te so tratava de capitular. Os centralistas de
Barcelona tinhao feilo urna sortija na qual
causarao grande perda aos sitiadores.
Em Saragoca eslabeceo-se urna suspensSo de
armas entre os centralistas e as tropas do go-
verno a fim dos povos circunvisinhos pderem
fazer as 'uas vendimas. Diz-se tambem, que
enviarao propostas ao governo; mas n3o se
mostrao dispostos a ceder.
O governo publicou, que os centialistas de
Len se tinhao entregado a discripgao ; porm
em Madrid nao se acreditava isto, nem cousa
alguma do que publicava a Cazeta Oficial,
pois j se tinha achado em immensas falsidadcs.
Em varios pontos da Andaluzia notav3o-se
sym plomas desublevacao.
As cmaras linh5o-se constituido, c o gover-
no apresentou a proposta da maioridade da rai-
nha. E provavel, que s ja approvada, e isto mu-
J deo aspedo das cousas, muito mais mudndo-
se o ministerio. Entretanto so os centralistas
vencerem declarSo tudo nullo e de nenhum
efieito.
Em Portugal a situacao poltica e finanecira
vae cada vez peiorando. SS. MM. regressr3o
da sua viagem do Alemljo e for3o recebidas
da manerra.que temos publicado nos nossos n-
meros anteriores.
peratura, urna mortandad extraordinaria. A&
enfermidades dominantes sao a desentona ea
febre escarlatina. O termo medio das pessoas
quo morrem semanalmente, de S48 e r>
mximum de 904. Nunca as maiores epide-
mias se vio urna tamanha mortandade. Na
ultima semana do mez de setembro morreraa
1,0i3 pessoas. ( O Patriota. )
--------------j=~3

ExportacSo para fura do imperio no mez d e
novembro /indo.
4:180 baccas d'algodao.
220 caixas. .
49.3 barricas assucar.
820 saceos '
3:693 couros salgados.
Moda rs. 2:987,960.
Gasto..... 312,180.
Valor da exportagao rs.......161:747,501.
Eflcctuado as seguintcs embarcacocs -*- 5
inglczas tripuladas por 62 pragas c 1:513 V
toneladas, e 1 hespanbola com 12 pracas e
212 'A toneladas.
Rendimento gcral rs.......... 26:006,156
Dito d'outras provincias rs...... 606.985
Dito provincial rs............. 13:421,852
Total 40:034,993
COMMERCIO.
NOTICIAS DIVERSAS.
Epidemia.Reina n/-se memento em Lon-
dres cm consequencia das mudancas da tem-
A lan dega.
Rendimento do dial3.........:10:502$703
Desearregao hoje 14.
BriguePrincipe-Augustofumo.
Gal iotaMercatorcarvo.
Barca Mary-Queen-of-Scoto resto.
BrigueCatharinacebollas albos, e difie-
ren tes gneros.
Dito americanoFelizo resto.
BarcaIrtdiTerentcs gneros.
importaca.
Superior brigue sueco vindo de Lishoi'
entrado no correnle mez a consignadlo de N
O. Bieber & C. ; manifestou o seguinte :
. iuo nioius oo sai ou |ic:>s ue canos iu
barris com figos ; a ordem.
Orraloo escuna americana vinda de l'hi-
ladelphia, entrada no corrente mez a consig-
nacao de Matheus Auslin & C. ; manifestou o.
seguinte:
628 barricas farinha de trigo 300 barr-
quinhas bolaxinhas 25 duzias de cadeiras 29
barris potassa 188 abatidas e com lundos ,
50 caixas caaella 10 barricas cravo fino 75
saccas pimenta 10 caixas cha 1 caixa com
um carrinho ; aos consignatarios.
Cal ha na brigue sardo vindo de Geno-
va entrado no correnle mez consigndi
de Thomaz d'Aquino Fonseca ; manisfestou o
seguinte:
34 caixas com podras marmores 46 barri-
cas alpista 25 ditas cevada 2 caixas man,
2 saceos galhu 10 caixas alvaiade 1 dita es-
sencia do aniz 8 barricas cravo fino 20 cai-
xas enxofar, 4 cascos oleo de linhaga, 100
caixas azeite'ddce, 3 fardos (azendas, 195
caixas passas, 3 fardos pimenta, 3 caixas gom-
ma-laca 1 caixa calgado 1 dita chocolate ,
120 ditas agua de flor 10 ditas doce I barril
castanhas 49 duzias de psinhas de tirar a-
gua ; a Joseph >aporit.
1 caixa com essencia 1 boefita com estam-
pas 1 raixa calcado 1 dita relroz 1 cesto
macaes, 1 pacote e 1 hcela meias e miudezas;
a ordem.
1 caixa, 1 bali e 2 volumes com estampas, 4
crucifios 4 duzias de lamparines; a J. P. de
Lemos & Flbo.
92 bailas papel 50 caixas azeite doce 100
ditas massas, 2 barricas amendoas, 4:000 adri-
Ihos de marmore, 1 porgao de cebollas e alhos;
ao consignatario.
Alovimenlo do Porto.
is cmruuos no ata jo.
, brigue portuguez Primavera,
s, capilo Jos Carlos Ferreira
Navio entrado no dia 12.
Parahiba 2 dias biate brasileiro ConceicSo-
Flor-das-Virludes capitio Victorino Jos
Pereira equipagem 4 carga lenha.
Navtos entrados nodiaVS.
Porto; 26 dias ,
185 toneladas, cap
dos Santos, equipagem 15, carga varios
gneros.
Londres; 39 dias, brigue nglez Thomaz-
I.uch capito Gouldantf, equipagem 11.
Bord ; brigue-escuna i nglez Anr 170 to-
neladas capitao Charles Robnrt equipa-
gem 13.
Liverpool ; 54 dias barca ingleza Irt, do 215



toneladas, capitao Joln Bissoch Guier c-
quipageni 12 carga fazendas.
AVISO AOS NAVEGANTES.
Farol do Cabo Carvoeiro em Peniche.
Por partieipagao feita pelo director machi-
nistados laroesdo reino, Guadencio Fontana ,
em olcio de 20 do corrente, consta que no dia
trinta dcsto moz impreterivelmcnte, ao por do
sol, ha de ser Iluminada a nova lanterna doso-
nredito farol, que se acha melhorado segundo
osvstema moderno pelo mencionado director
machinista em consequencia das ordens do
governo de Sua Magestadc.
A posif.ao e propriedados desle farol sao as
segnintes:
Est collocado m ponta do Cabo-Carvoeiro,
conhecido as cartas martimas inglezas pelo
nome de Cabo Tifcraon na Pennsula de
PenicheCosta de PortugalO centro do lu-
miar do farol fica a 233 / palmos do lei por-
tuguezesf 182 '/ ps inglozes ) cima do nivel
do mar na lat lude de 39 graos 21 minutos c 8
segundos c longitude Oeste do caslello de S.
Jorge, 16 minutos e 4 segundos ( 9 graos e
\\ minutos a Oeste de Greenwich). A sua l.ri-
Ihante luz existir assente sobre urna machina
de movimento perenne e regular de rotacao; a-
presentando eclipsesdedousomdousminutos.--
Alfandega-grande de Lisboa 22 de setembro
de 1843. O secretario, Cypriano Manoel da
Silva Moraes. Esta conforme Cypriano Ma-
noel da Silva Moracs. Esta conforme. -Se-
cretaria d'ostado dos negocios da lazenda em
28 do setembro do 1843.na ausencia do con-
scIheiroofficial-maior^-Caziooiro Maria Par-
relia.
Esta conforme.
Secretaria d'estado dos negocios estrangeiros,
om 2 de oulubro de 1843. _
Antonio Joaquim Gomes de Ohveira.
Est conformo.
Consulado do Portugal em Pernambuco aos
12 de dezembro do 1843.
Joo Baplista Morcira cnsul.
Sleclaracoes.
snr. Mathevet empregar todos os seusesforcos
para merecer novos applausos do respeitavel
publico.
PRORAMMA.
Primeira parle.
Mr. Eugenio Lemoine, desemponhar x
secna das loucuras de Harto.
Segunda.
Rafael Lucci, esua filha madcmoizello Car
mela cxecularo o muilo lindo duetoda opera
Helizario o M. (x. Donizetti Quand<> de
sangue tinto ; a qual desempenhar a linda
partu do mesmo joven Almiro.
Terceira.
M\1. Eugenio Lemoine o Carlos Clcve exe-
cutarao em dous a scena das deslocacocs, com
o titulo dos Phenomenos occidentaes.
Quarta.
Rafael Lucci esua lilha mademoizello Car-
mela cantaro o jocoso dueto da opera italiana
em Argel do M. G. Rossini Aicaprice de la
sorte.
Ouinta.
Gimnasio atheniense. A columna e o bra-
co d'aco. A columna e o braco de ferro.
braco do Sansao. A columna do athleta.
Sexta.
Jogo antigo da Grecia. Grande escarpe --
Duplicado vo rpido. As Iflrcas de Hercu-
les. O passoio do Alcidos.
Stima.
O jocoso pantomimo do Pintor logrado
com as scenas e dancas necessarias.
Oitavae ultima.
Mr. Mathevet dar fim ao diverlimento com
a dificil scena do Mario nos ferros, na qual
executar todas as posicoes de dores e tormentos
quo soffreo Mario segundo conta a historia.
N. B. O snr. Maihevet previne no respeita-
vel publico que na experiencia do braco d'nco,
elle se servir do um pcqueuo cordao de seda ,
nicamente para separar os ps da columna ; a
lirn de tornar o oxercicio mais agradavcl, e este
cordo ser entregue aos espectadores e a co-
lumna collocada ao p do lugar do ponto.
Os bilhetcs achiio-se n venda no mesmo
theatro. (Principar s horas do costume.)

mantieccr do da VJ ao mes ";""";, iib-----r- ,. i .i
evadir do dito engenbo o seu fcitor por no- re ou fdCa negocio de qualidade al
me Joaquim Jos Perelra sendo pardo, o com c(m) ManocI v'erreira d Arau|o eLas-
nc sonn,.e Piniinto.ii cor escura cabello preto nim,, 0tra Dessoa a cerca d urna
os signaes si w" r?~ I Tro ou qualquer outra pessoa a cerca d urna
estirado com poucas voltas, estatura ordinaria, ^ ^ ^^ ^ com (jujnta| e caclinba,
um tanto secco do corpo OloJpnjJ, ^ na fUa dil Sohdade na
iradas c quando falla faz por nao encarar a Marta Jote da LonceuSo.
possoa com quem falla. o pelo costume de an- To ,he /j,.,,,^ liettdentt.
dar descalso tem os caleanhares radiados, e __JoS(,ph Majfl has oponed at hiSMMOOB-
aindamis o direito, sellado do corpo que ^ ^ rua da-|>rava a school for children .
anda mais se conhece no andar 6 'nMPra h re lho english "irench and portugus
do un,cachimbo, ^^^^"^^^18808, AritbtneUc, andGeographyw.il
na boca, assim Como finam de BMk. -nj Th(, |essos Wll, bo giveneyery
sendo o cabo da momia guarnecido de ao i ().c|oc|.
A sumaca Tamega recebe a malla para
a Babia no dia 16 do corrento ao meio da.
t= O subdelegado do 1. districto da cidade|
da Victoria tem annunciado por vezes a-i
char-so em seu poder urna escrava quo igno-
ra-so quem seja seu senbor a vista do que re-
cebeo duas cartas do snr. S Brrelo e urna
d'uma senhora e vio um annuncio no Diario,
contendo este e aquellas cartas os signaes d li-
ma escrava que suppunhao ser a que se acha
m poder do mesmo subdelegado ; pelo que
nassou a conlcrir os signaos que tem a preta ,
com os que declaravao as ditas cartas o o an-
nuncio c vio que nao conferiao uns com os
outros; c passando novamente a examinar da
preta quem era seu senbor, respondeo ella ,
que tinba sido d'um filho ou genro do lina-
do capito-mr Xavier da comarca doBrejo ,
a qual a vendeo a um homem na ra da Cacim-
ba no Recife, o que este a vendeo a um snr.
de cnaenho perto da praca d onde ella fugio ;
porro jamis diz os ames dos snrs. quo a
possuirao. e disse mais que chamava-se Jo-
sefa c nao Roza como tinha dito ; e ass.m
h vista da segunda decloracao da preta : quem
ge migar com direito a ella entenda-so com o
dito subdelegado certo de que nSo se far
mais annuncio sobro tal escrava; porque sup-
posto ella seja muito huc com ludo mul-
to velhaca pois cada da conta urna h.slor.a,
e nao se ha de estar a lazer annunc.os por ca-
da urna cousa quo ella declarar.
= 0 collcctor de diversas rendas do mun.ci
piodelinda manda lazer publico a todo, os
seus conectados, que do 1". M ultimo do cor-
rente n.e,,conta5-se os 30 das macados para
a arrecadacao a boca do cofre do t. sem-tr
do corrente anno financeiro de 184 tSU^
decima urbana de todas as mau V&?
a seu cargo, devondo f.carem na inteligencia
de que findo'esto praso se proceder, execut.va-
meSle contra os que nao comparecere, t
para queebegue a noticia a todos az publico
pelo Jresente Olinda 1." de de/.embro de 1813.
r r O escrivao ,
Joao Goncah'et Rodrigues Franca.
THEATRO PUBLICO.
Urna *^r*Stt*LS^
Ilustres habitantes de Pernambuco te
lado ao seu dever, ">hrando-jem *m
m. recordaco de suas ^^^ZJl
ta funeco a mesma que elle ie\e .
representar no thealro Jrancci do R- Jj_
neiro em preenCa de >ua &iagiUde O lope-
Sr do Brasil / esua Augusta tamd.a. O
Avisos martimos.
costuma a andar sempre do chupe i de couro
destesde cor e forma dos de sertanejos, e sem-
pre com um chapeo de sol de panno ; Uigio
r>ubando-me um cavallodeestiihana do cor a-
lazao claro, sendo capado, e de bom tamaniio.
descarnado, com si*nal branco na testa o com
pintas bran:as no sallador; muito bom csqui-
pador e carregador de baixo al meio, pescoco
fino, tendo o costume de sempre tomar a corda
da mao da possoa que o tem de safar da es-
tribara escossiando quando isso Tai; rouhou-
me tambom o meu cscravo mulato de cor escu-
ra mais que a do ladrao cabello pouco mais
ruim do que aquello, e mais alto e grosso do
corpo cara larga nariz curto, boca Brando ,
denteslargos e alvos, olhns nao grandes, com
o branco um tanto avermelhado principal-
mente quando bebo afsu'ardcnte ou outro qual-
nuer espirito, sem nenhum defeito no corpo ,
antes tem boa postura so tendo no braco es-
ouerdo urna pbquena costura com marca rota
de roda, procedida d'uma dentada de cachorro
ue levou quando pequeo : bem eito de ps
Binaos, o um maior signal, por onde naodeixa
d0 Ser conhecido, quando anda dar immensos
estallos as juntas, e mais aiu la quando se a-
preca no andar, a ponto de com distancia se
ouvir- chama-seLino. levou igualmente um
quarto de roda de que se nao podo diior a
------------ qU0 pela preca
Para o Maranhao sao impreterivelmente na
....i fglnn iunM O L"?'!! COP.hCdo h"-'-
guo-escuna Laura de primeira marcha do
qual capitao Antonio Forreira da Silva -antos;
quem no mesmo quizer carregar ou ir de pas-
sagem dira-se a Luiz Forreira da Silva Santos
na Praca do-commercio.
Para o Havro do Grita sahir no dia 21
imfallivolmentocom a carga que tivera bordo
a barca franceza Hortense, capi'ao Mowan
Keval ; quem na mesma qui/cr carregar, di-
riia-se a casa dos consignatarios Kalkmann &
Bosenrnund ra da Cruz n. 10.
= Para a Babia sabr com a brevidade pos-
sivcl a sumaca Tamega; quem na mesma
quizer oarragar, dirija so ra da Cruz n. 45 ,
em casa de Manoel do Nascimento Pereira.
day ( tbe usual days excepted ) from 2 O dock
to'5 in tbe afternoon. Parents willing to send
their cbildren to it are requested to address
tbemselves to tbe advertiser, or to Mess.
Veifch Bravo & C. Madre deDeos street n.
1. where further particulars may be Icarn-
ed
' Any Gentlemen wishing to take lessona m
portugueso ; tbe advertiser has no diiliculty ,
to cali at their own resdencesat any hour bo-
tween 7 and 12 'clock in tbe morning.
Pe'rnambuco 1." Deccmbcr 1843.
=Joseda Maya subdito britnico se pro-
poe a abrir no" prmeiro de ano.ro nrox.mo
vindouro em sua casa na ra da Praia urna au-
la aonde se ensillar a tallar o cscrever a
lingua ingleza; e como esta aula se destina
feralmente para as pessoas empregadas no com-
mercio, com o (im de nao tomar a lempo as
U0 a qui/.erem frequentar; serio as licoes da-
das de nouto das 6 at as 8 horas um da s.m,
m outro nao. As pessoas que se qu.zerem disto
utilisar sirvao-se ir inscrever aeus nomes a
casa do annunciante ou na botica tm.
Weitcb Bravo & C n. 1 na ra da Madre-
de-eos ; aonde podero obter as informacoes,
quo deseiarem.
O mesmo annunciante da tambero licoes
cor, por ser preciso um exainc q
desten5o pode fazer; SOns""'. q"0 lC" U'inglez demanbaa ero casas particulares.
o siKnul do ferro deste ennenho que AS. le '"8 a ama Ja
vando cangalha nova e bem preparada cate
coberta de couro e urna igual levou o ladro
,. n i mf>t.#IA% *vn- l.unKor lili'iri |1I
meu cscravo mulato do nomo Sevcnno. com
os signaos soguintes: eflr alvacenta e avunnclha-
da! cabello ruim, cara larga, caneca chata ,
orelhasemp, nariz chato boca grande den-
tes da frente podres, urna costura do talhe cutilada na teita junto a sobrancelha do lado
direito as quaes ooui poneos cabellos, esta-
tura mediana, grosso do corpo eohaboquoiro
na
II. un""""----' ------
()uem precizar de urna ama parda para
criar meninos, com bastante leite ; d.r.ja-se a
ra d.-s Pescador n. 17.
abaixo assignado lindo da capital
do Ceara para a de Pernambuco succede ser
roubado por 3 ladres, na entrada de urna
mata, ao pe de urna cruz, distante da villa de
Extremor meia legua pouco mais ou menos ,
s 6 horas da tarde sendo o roubo que lizrao
de 250 roeias doblas, 20 oncas bespanholas ,
Teiloes.
Ocorretor Oliveira lar leilao quinta eira,
14 do corrente as 9 horas da manhaa da
mobilia da casa da ruado Amonm n ;io ,
consistindo em cominodas, canaps cade.ras,
piano, espelhos, casticaes lamp.oes deos-
eada guarda-roupa guarda-l.vros dous
balcoes c perlences de cscriptor.o car e.ras
deuma e duas faces burra de ferro huos
em varias linguas imprensa de copiar cartas .
Lea vidros de cristal utenc.l.os do cosi-
nha, umearrinhonovode duas rodas con. ar-
reiosparaumcavallo, e vanos ontros objec-
tos.
jra mediana, l^f ^ if5^; Z^JmZ em urna bolea de retro, verde ,
pJsSKrooe^^
, n chaduras, com a pelledo corpo um 11,000 rs ero notas de 1,000 rs. de dentro
tnto na lr tar acabado d'umas sarnas, (|a gavet, c um pequeo espelho : e ass.ro ro-
almitacao de quem soTre calor de fijado : esto ga t0(lo os snrs, quo, sendo, que alguroa
tambern levou um quarto de roda cor alazao Qa S(,,a Jesconhcei
lotera do theatro.
r As rodas da 2.' parle da
,5. lotera andoimpreterivelmen-
te no dia 19 do corrente mez, nao
sc tendo elFcctuado este acto no da
I; por anda restar nm cresc.do
numero de bilhetcf, os quaes se
achao venda nos lugares ja an-
nuciadD85 ed'esperar anus
prompta extraccao dos mesmos bl-
hetes, visto que a festa se apro-
xima c nada ha tao bello como
passal-a na fruicao de booa pre-
mi=s Smilt retirase deste imperio.
caboclo, estando carnudo, o sendo carrega-
dor lando alen, d'outros ferros a mesma mar-
ca referida do ferro dos animaes deste ongonho ;
fulgb a at sou informado que MtalMo
pelo mesmo leitor, por lugir antes dalle, e sem
duvida para o mesmo lugar, em que cstejacom
o outro : esto escravo ha pouco comprc, o Tul
informado pelo vendedor que fo. escravo de
pessoa moradora nosertao sendo este de ida-
de pouco mais ou menos de 4<) a tinos e o ou-
tro pareniro com 22 annos; e o fe.tor represen-
ta ter 30 annos : sou informado com certoia ,
nue filho bastardo d'um homem, morador no
sertao Cariri de fra d'ondo filho sendo
por isso de presumir, que para all. seguisso.
Peco a todas as autoridades, de darem todas as
providencias qe estejo a seu alcanca a fim
ae se descobrir o que referido (Tea ooncorren-
,lo eu com todas as despezas que para dito
descobrimento se posaa fa/er; ass.m como a
todas as pessoas particulares que possao cap-
turar os fgidos. e baver os refondos ani-
maes ; alm do muito que lioarc obr.gado ,
darei a quantia de 200.000 rs. podando VI-
rero entregar-me ou avizar-me neste enge-
nho c no Recife ao snr. mojor Manoel do
Nascimento da Costa Montciro quo em urna
ou outra parte se satisfar a refer.da despeza ou
a quantia de 200.000 rs. que ac.ma olio-
reco. .
'= precisa-se alugar um sitio para se passar
a lesta sendo a margem do Capbaribe
Em casa do Francisco Antonio de livoi-
ra, na ra da Aurora n. 26 pretende-so um
homem para leitor do obras.
Sociedade Flor eme.
=Acommisso administrativa leo. fixado o da
20 do corrente para a sua 1.* partida e con-
vida aos senhores socios para remellerem al
odia 17 as propostas de seos convidados ao
respectivo secretario, Picando certos que depo.s
deste dia a cororoisso nao destricue mais con
viles.
a que seja desconnecida. appareca com taes
moedas a trocar, ou comprar alguroa cousa ,
do leval-o ao conhecimonto da polica para
(azer as indagaces quo sao permiltidas vis-
to a declaraco que agora faz o abaixo assigna-
do : assim como promette dar urnas boas a I vi-
raras o quem descobrir o d.lo roubo lindo
ter em poder do mesmo abaixo assignado. U-
dade do Nalal 29 de noiombro do 1843.
Jote Pacheco Lima.
Na ra do Santa Hita casa n. 83, en-
aomma-so e lava-se roupa com toda a pcrfei-
rao e cuidado, e por muito comroodo preco.
= Constando ao abai/.o assignado que alguns
escravoi, ou lamulos do snr. tencote-coroncl
Francisco de Paula Sousa Lcao lorao a beira da
estrada da Meroeira em um lugar pertencen-
le ao vinculo, que administra o mesmo abano
assignado a alli derrubrao um pao de secu-
pira que ha annos se conservava para o que
Ue'mister ; e como aquello snr. nada escre-
vesse ou roandasse lallar at o presonte ao a-
baixo assignado sobre este fado que pode ter
consequencias mais serias do que algum pensa .
lanco mao deste meio de publicidade, para que
chegando ao conhecimento do referido snr. ,
nao liquem sem a merecida correccao os seus
autores : isto um dever senao urna obriga-
cSo reclamada pela honra do mesmo snr. te-
nente-coronel Sousa Leao.a o que d elle espera.
Saltador Coelho de Drumond t Albuquerque.
= O secretario da irmandado de N. S. da
Conceicao dos militares, convida a todos os ir-
maos da mesma, para que no da 15 do correo-
to se sirvao de comparecer no respectivo con-
sistorio pelas 4 horas da tarde para efleito do
se dar posso ao novo presidente e elegerse a
nova mesa regedora. _
__ AiUSa-se a metade de um prmeiro andar
na ra do Ro/.ario larga por cima da venda quo
faz esquina para o beco doPoixe-fnto n.9,que
decente para um homem, ou dous que sejao
solteiros: a trolar na mesma venda.

rrj*


Precisa-so saber, so nesta provincia de Pcr-
nambuco, na do Rio-de-Janeiro, ou en.
outru qualquer parto do imperio existe um
homem portuguez por nomo Jos Fernandos,
limo do Manoel Fernandos e do Luisa Mara ,
a provincia do Minbo em Portuaal fregu*
(
a de S. Miguel do Cabroiros, lugar dos Pou-
linhos; so existir annuncio sua morada que
um sobnnbo do dito Jos<> Fernandos Iho quer
fallar negocio do seu intoresso.
== Na loja de Hypolito St. Martin & Com-
panhia, na Rua-nova n. 10, ba um novo
sortimento do fazendas francezas, chegadas l-
timamente pelo navio Camelia, como sejao
lindos cortes de soda para vestidos ; sarjas e sc-
ins lavrados ; chales o mantas do s.la ; cha-
peos do soda de crep e de pallia para senho-
ra o menina ; grinaldas o outros enfeitcs para
caneca ; flores finas para chapos e enfeites de
vestidos; crpe liso de todas as cores para ves-
tidos e chapos de sonhora ; luvas de pelica pa-
ra homem e para sonhora curtas c compridas ;
litas de meio braco com enfeites e sem elles
ditas de soda sem dedos, curtas e compridas \
cuapeos do sol para homom e senhora ; loncos
de seda para grvalas; lindos cortes de coletos;
cassas emcadinhos de cores fixas para vesti-
dos; calcados de todas as qualidados. tanto
para homem como para sonhora e menino ;
perfumaras de Piver, da mais superior ; es-
pelhos ; castices de casquinha ; selins elsti-
cos com os arreios muito superiores e ou-
tros mais ordinarios; caivetes de mola ; cor-
das para violo e mais que diz respeito as
lojas francezas tudo por preco commodo.
No Attcrro-da-Boa-vista n. 43 ou no
sitio da estrada da Magdalena do medico Bri-
so precisa se de um feitor que enlenda de
pomar, o horta.
= Aluga-se por commodo preco o segundo
andar da casa n. 46 da ra da Cadeia o qual
tem um grande sotao os pretendenles dirija-
se a l0|a do chapeos da mesma casa.
Faz-sescientoaosnr. A. J S. que a
pessoaem cuja mao sua mcrc empenhou um
transelim do ouro baslanto grosso, com um
passadordo diamantes, a quasi 3 annos o
qual ja nao val o principal e juros so reti-
ra para a cidade do Porto at o dia 20 do cor-
rente por isso querendo resgatal-o nao se
descuide.
= Precisa-so fallar com o Sr. Pedro Zanni-
ni, para negocio de seu inleresse; na ruada
Cruz, botica n. 47.
Quem precisar de um homem para mos-
tr de algum barcaca ou mesmo para feitor
- Precisa-se de um pintor que saiba com
perfeicao forrar sala com papel para apromp-
lar uma casa em um engenho ; na travessa do
Queimado n. 3.
= Um rapaz Brasileiro, livreda guarda na-
cional se oferece para caixeiro de qualquer
casa do negocio tanto ostrangeira como na-
cional o ja tem pratica bastante.de cobrancag,
desp ichar na alfandega e &c. d fiador a
sua conducta ; quem o precisar dirija-se a ra
da Madro do Dos, loja n. 28.
== Aluga-so um armazem na Ponte-velha
da Boa-vsita com 40 palmos de largo e 80
de tundo perto do embarque assim como
urna canoa de conduzir agua; a tratar no de-
posito d'agua do Catao.
Visto o sur. Jos Manoel da Fonseca e
Hva ( que outr'ora acabava em Seixas ) nao
ter respondido a tres cartas, que se Iho tem
cscr.pto a respeito dos 4 penhores. que elle tem
aonde bom sabe ; pelo presente se Ihe laz ver
oo e propno para a festa ; em Olinda ra do annos, com excedentes cualidad,,
Ba,de ** orava que cozinba muito bom 7 "^ *
i excellonte cavallo anda uma dita perita engommadeira
novo, com todos os andares, por preco commo- boas quitandeiras; uma molccade i* avas
do e nm bom quartao ; na ra da Conceioio uma mulatinha de 12; c um neizr.nl 8Jnnos
proprias para se educarem ; um escravo
pnmeira to cozinheiro o bolieiro ; 4 ditos para i j
umditoproprio para sitio por o*?
um bonito pardo oflicial de alfaiab a
smnUtnhnfiH10o u .__ le Ous
da
servico
rs
que se ate odia 24 do correte, os nao resga-
tar, se vendero, visto que o seo valor nao che-
ga para o principal o juros o para so nao cha-
mara ignorancia faz-seo presente.
Aluga-so um segundo andar, e sotao do
Atterro-da-Boa-v,*ta n. 3 com bastantes
commodos para familia ; a tratar no mesmo.
Quem recebeo por engao da mao dos
carteiros, urna carta do Maranhao, vinda no
vapor Imperatriz para Francisco Bezerra de
Vasconcellos, tenha a bondade de a mandar
entregar na ra da Guia n. 31 segundo an-
dar ou annunciar sua morada.
Quem annunciou querer uma casa em
rora-de-portas, at 128 rs. dirija-se a mes-
ma ra n. 122.
= Aluga-se o segundo andar da casa n. 20
da ra de Apollo com muito bons commodos
para familia ; a tratar no armazem da mesma
cosa.
Tirao-se passaportes com brevidado pa-
ra qualquer parte o por preco commodo ; no
beco do Lobato da ra de S. Thereza casa
di esquina n. 2 ; assim como na mesma casa
se oferece um moco para caixeiro de arma-
zem de assucar loja franceza ou mesmo pa-
ra cobrancas. r
Aluga-se um moleque de 14 annos, para
servico do casa; quem o pretender, dirija-so
a Praca-da-Independencia n. 3.
Aluga-se uma casa terrea que tenha
quintal, cujo aluguel nao exceda de 8f rs
quem at!ver, dirija-se a Praca-da-Indepen-
cia n. 3. r
Quem precisar de roupa lavada e en-
da Boa-vista n. 26
- Vende-se essencia de aniz
qualidade, por preco commodo ;
Cadeia do Recife n. 29, torceiro andar.
= Vende-se farinha de trigo de primeira liridVmu]tnho7de"l2a HnZ?.'"?'' dous
qua .dado o barricas de arcos chatos; no caes Aguas-verdes n. 46 rua d
da alfandega armazem de Antonio Annes Ja = Vendem-se travs de 30 a 47 nl ,
COme i;, -., comprimento o 7 a 8 pollegadas de E d"
= Vende-se espirito de vinho de 36 graos, e para coberta de 40 e 42, defl.in8 T"'
por preco commodo; na rua estreita do Roza- das de grossura e de 54 com 15 n g?~
no bot.ca n. 41. de grosura t0'das das J2 po legadas
- Hebrardpa, efilhoacabao de receber madeiras; a tratar com VSI" de
directamente de Franca um sortimento do.Wa, na rua da Cadeia do Recife nn*
v.nhos de Bordoaux de l'anglade, e S. Cristel, I -Vende-se um sortimento dZL A v
embarnsded.fTerentes medidas, agurdente nho. ri*m*urtUtcomnrtoM'
de Franca cognac), azo.te doce em caixas de lidado superior panno de linho /T'B* ^T
urna duz,a de garrafas, licores, absintho. vi- 18 varas e fardbnovo7 empacas deT **
ntaT 6 CbamPanhe' tud0 vende-se has, chegado de Hambu go, 2 el doT
comm d C0'n0em garrafaS Pr Pre^ Mehften. naruadaCru!n 47 H"
Sndem sreiasdeseda protas de "p- ^sX:r^z:reT, ?a
para senhora e brancas e pretas para me- vadeira cose e vende na rua t ru 'j
ninas de 6 a 12 annos borzeguins de duraque
com ponta de lustro para meninas sapatos do
hierro para meninos de 6 a 12 annos oculos caibros do 30 de muito boa qualidade em OI! '
de 2 e 4 vidros com armai-an tor____ a~ .... .1. n-u_ ~, quauoae, cm Olm-
dea^m engenho; dirqa-soarua^e UoZ ^^^^^^21
Oabaixo assignado tendo de retirar-se 1^^' drja"S a tUa deGuan- 7,
de 2 e 4 vidros com armacSo de tartaruga, e
asteas de prata e com armacSo de ouro nen-
ies de marfim de alisar de diflerentes gostos
e tamanhos, ditos de fechar, de marfim e chi-
re, facas de marfim e oco de fechar cartas
ligas de seda do Porto meias e luvas de l
para homem e senhora caixas de tartaruga de
Lisboa, Imhas de marcar cm miadas de Lisboa
cordoespara borzeguins, atacadores, esparta
Ihos, sarja prela superior azul ferrete e roxa
sapatos de duraque para meninas, suspenso-
rios de seda para meninos dedaes de marfim
colheres de dito para tirar rap pentes de pren-
der os cabellos de tartaruga, sapatos de du
raque do Lisboa para senhora calda de to
mates a 800 rs. a libra, apitos grandes de mar-
nm lencos de seda grandes de Lisboa, mar-
melada a retalho, amendoas coneitadas e
grangea para enfeitar pastis ; na rua da Ca-
a do Recife loja n 15 do Bourgard
Alegra n. 3.
= V inrnc rio til Wn ...'i. 1__ !
da rua do Balde n. 24.
-Vende-se a obra Science du Publiciste de
Fr.tot, emllvolumes, em bom estado Por
preco commodo ; na loja de livros da esquina
da rua do Collegio. H
=: Vendem-se chapeos franeczes chocados
no ul.rno nav.o de formas as mais moderna?
ditos de castor branco a 58 rs. ditos sem poli
nVr;LrS"nmei0SIP8ra,meninos e mcoi"";
na rua do Que.mado loja n. 11 de A L G
Vianna. '
>= Vendem-se chapeos francezos da ultima
moda, d.tos do sol de seda, casimiras elasl?-
is. luvas de pellica a 1000, e 1280
para o sertao afim de tratar de sua saude ,
havendo por varias vezes avisado pessoalment'c a
seuscredores para tomarem conta de seu csta-
belocimento por nao poder continuar com o
negocio pelo motivo dito de novo roga a seus
credores hajao de comparecer na sua casa no
da 14 docorrente pelas 10 horas do dia, cer-
tos de que o annunciante tem gneros suflicien-
tes para pagar a todos, polas entradas ou mes-
mo com algum abatimento e sendo nao com-
pareci nao podero em lempo algum quei-
xarem-se do annunciante visto que nada pre-
tende ficar a dever para conservadlo de seu ere-
dito. Belisario Saturnino de Souto.
Aluga-se o terceiro andar do sobrado n
15 da rua da Cadeia do S. Antonio com co-
zinha no sotao e commodos para uma gran-
de familia muito fresco nao so pela^allu
ra e posicao como por nao ser forrado e
ser junto de um beco para onde deitao multas
janellas ; trata-se no segundo andar do mes-
mo no dia 15 e 16 do corronte das 10 horas
da manhaa as 4 da tarde.
m Aluga-se o primeiro andar do sobrado da
rua estreita do Rozario n. 21; a tratar no se
gundo andar do mesmo
= Aluga-se a loja do sobrado n. 127 do
paleo da S Cruz na esquina da Rua-velha ;
a tratar no mesmo sobrado.
Aluga-se um andar do sobrado novo na
travessa do Dique ; a tratar na rua da Cadeia
do Recife n. 18 com Antonio Joaquim de
Souza Ribciro.
Quem annunciou querer comprar urna
mesademeiode sala, quadrada e de oleo,
em bom estado dirija-se a rua do Collegio
loja de trastes do Scbasto.
= Roga-se a pe em sua casa um mulatinho de 10 a 12 annos,
feio de feicocs hupado do rosto, e barrigu-
do por ter o vicio de comer trra baja do o
mandar entregar na Rua-nova n. 7, donde
fugio desde o dia 9 do corrente; adverte-se que
escravo e nao forro como elle talvez incul-
que.
Precisa-se alugar um preta escrava que
saibacozinhar engommar e lavar; na rua
do lrapiche n. 18.
Q"m annunciou querer vender um ca-
ou annuncie.
Aluga-se uma casa para se passar a festa
com commodos para uma pequea familia n
l oco-da-panella defronte do rio ; a fallar na
rua do Queimado, botica n. 15.
Compras
da
Comprao-se eflectivamente para fra da
provincia escravos de ambos os sexos de 12 a
20 annos sendo do bonitas figuras pagao-se
bem ; na rua da Cadeia de S. Antonio so-
brado de um andar de varanda de pao n. 20.
Comprao-so effectivamente para fura
provincia mulatinhas crioulas e mais escra-
os, do l.j a 20 annos, pagao-se bem, sendo bo-
nitos ; na rua larga do Rozario n. 30. nri-
mciro andar. "
Comprao-se vidros grandes ou peque-
nos para cosmorama ; na rua dos Quarteis
Compra-se um pretode 18 a 20 annos ,
donacao; na Rua-velha n. 111.
= Comprao-se eflectivamente para fra da
Provincia mulatas, negras e moleques de
12 a 20 annos sendo bonitos pagao-se bem
na Rua-nova n. 16.
Vendas.
Vendem-se duas pretas mocas, com al-
mas habilidades ; na Rua-velha n 1J1.
- Vende-se agua para bordo dos navios a
canoa a 3200 rs. e a pipa a 320 rs. ; no de-
posito dagua na rua do Amorim; e tarabem
vende-so um escravo canoeiro de nacao An-
gola ede 20 annos; na mesma ran. 7.
-- Firmino Jos Felis da Rozavende fumo
em o ha para charuto de prmeira e segui.da
qualidade, farinha de trigo das bem conbecidas
marcas SSSF&SSF, de Trieste ; nos arma-
zens de Joaquim Lopes de Almeida, por detraz
tro: c de Jos Rodrigues Pereira &
Vendem-se os verdadeiros purgantes e
vomitones do Le Roy ; na Rua-nova n 11
loja do bom barateiro de Guerra Silva &
Lompanbia.
Vendem-se superiores charutos regala,
por preco commodo ; em casa de Novaes &
Companhia, na rua da Cruz n. 37.
Vendem-se 20 cabecas do gado sendo
vaccas, e vitellos para acougue, e tambem
servem para criar, por serem filhos do pasto e
de boa raca ; na rua do Hospicio n. 21.
Vendem-se bichas grandes chegadas lti-
mamente por preco commodo ; no beco da
Lingoela n. 8.
=^Vende-se para fra da provincia um preto;
a fallar com Manoel Luiz da Veiga.
jj Na Rua-nova n. 32, loja de alfaiato de
Manoel do Amparo Caj vendem-se casacas
de todas as cores e qualidados sobre-casacas
de merino, duraque, o brim de cores, colle-
lesde todas as qualidados, tonto do setim
como de sarja e fustao calcas de todas as cores
e qualidados, chapeos francezes, modernos
lencos de gorguro e tafet mantas pretas e
decores, suspensorios de burracha camisas
demadapolaofino, luvas de pellica para ho-
mem e senhora ditas algodao muito finas
bolina francezes, ditosgaspeados meioditos
do couro de Instro sapatos de dito de duas so-
las ditos de palla, ditos de panno uma sa
marra para pe*oa baixa e secca superior ca-
sim.ra branca muito larga dita prela france-
sa, elstica, laa do quadros e sem elles e
outras mu.tas lazendas por preco commodo.'
-/ende-seum dos memores talhos da rua
dos Quarteis n. 3 muito afreguesado n (ra-
lar no mesmo. '
holanednndemT re8maSde Papel a,maf de
ollanda e de peso, massos de linba de roriz
d.tasdebretanha, massos de cartas de ioga '
francesas o portuguezas caixas de obrlas '
dPen^dre'?.ParaeSCreVer' r* de .'
de madreperola para camisas, papis de acu-
Ibas em a as. e a retalbo den 1 2 ca
xas de clcheles de n. 1 a 6 a 60 n, a caix'a; n.
Praca-da-Independencia n 4
Vende-so uma preta crioula nereita en
gommadei.a lavadeira e cozinheira na rua
dosGararapesemFra-de-portasn l
rs losbrancos, e pretos, cambraias adamas-
cadas brancas e cor de roza, mantas do gar-
fa para senhora ditas de gorguro para L.
,' n{0S, Prelosd luvas brancas
dls dtfd para lompm. l>ora, meias
d.las ditas de algodao para meninos e meni-
dJrhih a: pa,atilha de ,inh0 COftes
de chita hamburgueza o outras muitas fazen-
das por mdico preco ; na loja de Manoel Jos
UOBWres.Bfsg. jumo ao arco de S. Antonio
= Vende-se uma canoa de carreira em
doManV P?r prr,Cmm0,' no -W?
Seo C doconvento de S. Fran-
= Vendem-se chapeos de seda de todas as
cores com ponnas esem ellas, para senhora
mantas de seda matizadas chale diti Xnl
os de seda escoceza cortes do seda, e la pa-
ra vestidos ditos de cassa de seda .chales^
eda escoceza cassa-chita de novo padrL
chales de seda e laa mantas de fambraia
esTtn i qUC eS,3 mi, em "oda cor-
tes de lanzinho para vestido chapeos de sol
des da de todas as cores para homem e se-
nhora casimiras elast.cas de duas larguras e
outras^uius fazendas de gosto ; na gRua.no-
droel Vnendepm-secass-cbitas de bonitos pa-
droes o por preco commodo; na rua do Cres-
- Vendem-se queijos londrinos, DreSun-
os.nglezes, conservas de todas as q ,aLades
rulas propnas para pastis salmJm latas
herv.fhas ditas, vinho de chompanheTuperioV
reuTiie,nfenrod:,udo ;e8ado o,ss
rua da Alfandega-velha armazem n. 44
se ZlZ Um, negrinha de ,3 ""os, co-
reir n 3q <,U,landcra ; na Rua-d-
ro-7aVlLndev";SUmaJOa demid^ no Atier-
ro da-l5oa-visla bem afreguesada e rom
de^Inn edUaS ne^"hascrioulas, uma
d, narr,'ea?Utrade4 i na Hu-velb.,
l P e ninlS S,Ul S,brad0 dc varanda d
pao e pintado de verde por cima de uma ven-
tmdi:ntonaaalas9Lora8'edetardedas
Escravos fgidos.
xorro dirija-se a rua do Queimado n. 6.
Companhia no beco do Capim.
- Vendem-se uvas .erraes' em perfeito es- ^7 27^ S T, ^ e'" ^ '
lado v.ndas prximamente de Lisboa em lta n 23-
pequeas caixas ; no armazem de Fernando
Jos Braguez ao pe* do arco da Conceicao.
= Ve-do-a, mSe,ado grande, m, eor. ,2^^^ ""**',
,-----------i'iuvincia; urna pard
i ende-se uma escrava mucama recolhida
daledT0VCOSe,COrta'efaztodqa-
dade de costuras com toda a perfeicao sol
dn7 Fuf' dla Pri'eiro do corrente o par-
ToLZ* TCndZ de ferrero tem por
do caZ ,arde nme de 20annos chei0
Z?i lUT rgU,ar bflslanle ri,8risla
qundooge,nt,tula-se forro; quem o pegar,
gSc^8 A8aS VCrdcS 22,quJL
h 201 nKin: NA Typ_ m m Ft db F;ius=1843i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EWEZF8CWB_ZPQ5QW INGEST_TIME 2013-04-13T00:26:38Z PACKAGE AA00011611_04535
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES