Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04531


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anuo de 1843.
Sabbado 9
I udu gor depende Je nos mcsu.ns; (O'ioino como principiamos, e seremos apomado com idaMgilO entre as Kacoea m
Ci!'-i.
( Ffoclua.gio i!a Aasembleia Geral do Bkasii.)
PARTIDAS DOS CORKEJOS TERRESTRES.
Goinni o Parabyba, segundas e aexias feirai. Kio Grande do Norte, quintal fe iras,
bonito e Garanhun, a 10 o 24.
Cabo. Serinhaem, Ri Formoso, Porto Cairo, Maceio, e Alagoaj nol9,H,e}|,
lt.-if I. Florea a 13 2S. Sanio Anlao, quintas feiraa Olinda todoa oa diaa.
00 DAS DA SE.UaJNa".
4 See i. Barbara V M. Aud. do J delt.daj..
g Ter. Geraldo Aro. Re. Aud.do J. de 1). da 3. r.
t Quart. s. Nicolao B. Aud. do J. de D da 3. V.
7 (Juint. Ambrosio B. Aud. do J de D. da a. v.
a j^j ^. a. Conreicio de Nossa S.a_
<) ib. Leocadia V. M< Re. Aud do J. de D. 1" T.
40 Dom.s. Melquades I". M.
de Dazembro Anuo XX. llf.
-igmiMiiiiLUMi Mrrmwmntr^***'-"""'
ntmmmmm
^Boxt^X-iaKsatsmKKvazrn^t
O llttitl.i publica-*, lodol os dltl tpw n~i
de tres mil reia por quartel pegOl .dt.nt.doi,
gratis os dos que nj.i i.irrra a rm.io de ll) res p"' I
Pane 37 J re
Lisboa 110 porlUdapraotio.
da a"ig'>attfra
bn
Coro* SantilMoti V- .
O, tnnon.no. d......sotle >> """'
,,!,. As reclama oes doto V4'"
CmciosNd da 7 de Deisinbro. compra
Cabio .obro Lndr,_, 20. Oo.o-Mood. d. 6.W0 V JU
por Ti anco. !- \ ,n
, d. 4,0 I'*'10
PikTA-Ptoaoi i-!,U
Mood.dte.bwipore.nlo. l',,,, Cola-,.. I.JW
Id.md.l.lr.ad.bo., fira.a i 11,4 5. dito.Me.ic.no i
PHASES DA LA f\0 MEZ DE DK/.KMKO.
La. Chei. a t, 9 hora. .41. d. itrdt I Lu. no,, i I, .. 2 or e 49 na
Qu.rt. -ing. a 14, 10 bar.. 3 > m. da -. | Quart. ceso, i t8, oi 43 minuta
I'reamar de hoje.
- .6 horas .&4aa.d. .oha.. |S." a 7 hora. IS .. d. t.rd.:
Matan
i.
Tem.
17 0)0
|6 8 'i'
9 400
t.920
1 V2U
l,J)l
d. ni.
db tarde


S^^C/U
SSS-m'd
PARTE 0FF9C.AI..
ja ..Jn. i'* ......nrim r i
Governo da Provincia.
EXPEDIENTE DC \ DO CORKENTE.
OfTicioAo commandante do hrigue-escuna
Leopoldina ordenando que fuga preparar
o Gararapes fim de nestes Ires dias partir
para a Ilha-de-Fcrnando, para onde deve
conduzir 200 saccas de (arinha que hao de
ser remettidas pelo inspector da thesouraria da
azenda o os sentenciados quo forem en-
viados pelo chefe de polica interino c pelo
juiz municipal da 1.* vara : e autorisando-o
mandar limpar o porSodo navio de seu com-
mando refrescar o respectivo apparelho e
dar-lhe as fumacas de que necessitar. In-
tc'lligenciou-se o commandante das armas o
chefe de polica interino o juiz municipal da
I.* vara e o inspector da thesouraria da fa-
zenda da proximidade da sahida do briguo-es-
cuna Gararapes.
DitoDo secretario da provincia : cmara
municipal doLimoeiro, aecusando receidos
o ha la neo da respectiva receita e despesa no an-
no lndo e o o rea ment para o onno fu-
turo.
lados possa confiar nos generosos sentimentos ,
e fiel cooperacao de seus subditos espirituaes.
A nagao hespanhola urna das mais catholicas,
a cojo supremo chefe foi outhorgado pela santa
S o honorfico, e honroso titulo dere ca'ho-
licoinfelizmente contin em seu scio alguns fi-
Ihos degenerados, insignes cubifosos dos bens
da igreja (patrimonio dos pobres), ecriminosos
em sua ousadia, manifestada pelo massacre,
que o reverendo clero torn supportado, quando,
sacrilegamente despojado de seus bens, consig-
nados por dircitodivino, e humano sua do-
cente sustentaran, mdico, ou nenhum subsidio
Ihetem sido administrado pela usurpacao, co-
mo consta das folhas publicas, que igualmente
do de praticar os deveres, pelos quaes privativa-
mente se dedicou, o consagrou ao seu culto. Ej-
emplifiquemos ospovos, oquempordivina mi-
seracao presidimos, teniendo todava, que a sa-
ccrflotal preeminencia nos constila reos de
maiores delictos.
Ys, pastores da segunda ordom, eslaj alten-j
tos ao cumprmentode vossas obrigacoes pas-
loraes, religiosas, e civs. Na regular conducta,
na benignidade para com todos, exclusa qual-
quer excepc3o, o na beniflccncia, anda mesmo
para com os quo vos demonstraren desaiTeicao,
estoja colocada vossa gloria.
Nos vos recoaimendamos elTicazmente o uso
da predica evanglica nos domingos ediassan-
wok'
nos referem a escandalosa deportacao, ou reclu- tos, estrictamente preceptiva, pela qual lagacs
sao de alguns prelados de reconhecida Ilustra- ver, quaes os deveres da creatura para com o
Cao e virludc; d'alguns conegos de Caceres,! creador e para com o prximo o que na exau-
de Saragossa, de l>aroca, e de Lugo: su alguns cno destes dous preceitos esta comorolienuida
parochos, e outros sacerdotes do Villatoquitc, e toda a le. e a missao de todos os profetas,
de Requejo, condemnados desterro, ou prisao ,j arnb(,m devcs persuadir, como a caridade
poroito annos, e posteriormente expulsos do t seduvc ampliar aos mesmos inimigos
territorio da monarqua para sempre, porque
PASTORAL.
Dom Jodo da Purificando Marques Perdigdo,
conego regranlede Sanio Agostinho, porgraca
de Dos, e da Santa S Apostlica, Rispo de
l'ernambuco, do consetho de S. M. i. e V. etc.
A todos os nossos irmaos, os reverendos sa-
cerdotes desta diocese, sade, paz e benca ern
nome de Jess Christo.
Sendo mui notoria a tribulacao, que.ha inul-
tos annos, aflige a igreja do reino d'Hespanha,
vetada pela perseguicao do seus ministros, pro-
veniente da maligna influencia, e ardilosa insuf-
ilacao de alguns espritus fortes, dominados
pela moderna philosophia, que naquello reino
eem pretendido aniquillar a disciplina eclesi-
stica, c prohibir para este lim a communica-
cao com a Santa S, para all nao exercer seu
imperio, principiando esto marcial ensjo pela
tentativa, tao monstruosa como audaz, do de-
primir, posto quo intilmente, a veneracao e
respeito, que, com a maiorjuslica, gosa na i-
greja universal seu preclarissirno chefe, o san-
tsimo vigario de Jess Christo, sempre infla-
mado em ardente caridade para com a grey,
que seu divino constituinte Ihe confiou, e cons-
tantemente attento a preservar da corrapcao, e
conservar intacto o sacratissimo deposito da f,
como em repetidas occasioes tem manifestado
em presencado mundo catholico; do nossode-
ver exhortar vossa piedade, charissimos irmaos,
para que esta preste aquella igreja os soc-
arros urgentes, de que credora em sua op-
pressSo, da qual pode ser livre pela interven-
cao dos que esta constituidos na eminente dig-
nidade de mediadores entre o co e a trra, cu-
ja reconciliagao devem promover por todos os
mcios ao seu alcance.
D'esta importante verdade bem convencido
est o santo padre, cabeca visivel da igreja uni-
versal, quando sua brilhante sabedona, e pro-
funda piedade recommcuda com a maior ener-
ga efOrca de seu atribulado espirito a todos os
prelados do orbe catholico, queirao dirigir, e
fa.er subir ao co humildes, e fervorosas pre-
ces misturando suas lagrimas com as do pal
eon.mum de lodos os liihos da santa igreja, pa-
ra que seja abreviada aquella peiturbecao, ea
perversidadedosdesvairados perseguidores nao
ramifique sua obslinacao, olvid
si
dos
li
aos
Ira seus p
reoonheca por seus
nao negar as honras,
'ni'ceUad.,s dos sentimentos, do que devenios
estar animados, e cumprindo-nos f"*
cariciosas lettras apostlicas doh J"*to
do anuo transacto, tributemos a relIgiaO a
menagem, que o nosso ministerio nos
Existe porm radicada, e esculpida em
cragoes a viva l, o a saudavel osperanca, que
... .... mifl imii:iiii<> :i i eie.iie
u aiui.nu; Ulliinu. !'"* quc '. ^ .,...,......
y
nalnao se recordando em sua allucinacao lia Msainrt a horribilidade do roubo dos bens
impossibilidade de por em pratica suas deliran- tcmporaes> a scmpro detestavel usurpago da
tes machinacoes. honra mais apreciavel, que o encantador me-
No satisfeitos com esto inslito procedimcnto ^ e cuia urgente separacaS involve a maior
passra a interdizer ao reverendo clero o uso djmcu|dado
do suas ordens, se em quime dias nao justifi-
rassem sua conducta poltica, e perfeita adhc- Assim como a dbil, porem carulosa, voz do
rencia ao governo central, manifestada por ac- mnimo prelado da santa igreja suavemente
. -, ,...:..-.,.... ... h.uiin._____ ..-..en l.r-irjmi nn cnaiui Jo mil ISgOSS fiB! mU9* gr9-
ukoSrtelo^mll^^ltor^fra- ja^'e casas'partlculares, por onde este pessoal-
edendo permissao da autoridade civil, intelra- mente transitou, invectivando contra os vicios,
nenie alheia do poder ingerir-se em objectos respeitando porm os que benignamente o escu-
mentealheia do poder ingerir-se em objectos respeiiauno porem os que peni|ii.iuuo .. c,.u-
esnirituaes. Ouao perigosos sao os effeitos das tarad; do mesmo modo bradu a voz da verdade
uaixoes' Oua5 lunesta a falta de pejo.e deedu- por vos emitlida na presenca de vossos resper-
cacao Ouao digna de nossos sentimentos a ca- tivos ptrochianos, penetrando o interior de
rancia
dereligia! Quao temiveis os resulla- suas almas, par., colh.-rom superabundantes, o
dos d'aquelles projectos, que nos precipitao no sasonados fructosdesalvacao.
abismo! Ja em nutras occasifles vos eshortamos dili-
Itespeitaveis irmaos, tomemos parle na op- gente administrara.) dos sacramentos. Nos ca-
nressao da igreja hespanhola. e como ministros peramos, que oxercaes esto devercom a cantia-
do santuario, olTerecamos o incruento sacrificio, de, zelo, cintel I igencia, que muilo vos recom-
peloqual impetremos, e consigamos o fructo mendamos.consilerando-vosresponsaveis pelas
propiciatorio a avor desta igreja. Preenehamos almas, que vos confiamos,
un dever, que quizframos so praticasse com Segundo os talentos, que a providencia vos
nosco em iguaescircumslancias. Vos porm nao concedeo para com cstc lucrardes outros, insi-
ignorais as disposices com, que devenios estar nuae> qua5 necessarja SPja a reparaga da cul-
ornadospara attralr sobre a igreja militante as pa p(,,a pentencia iquelles, que nao lorao" do-
bences, e auxilios celestes. ladoS com a prccfosissiina estola da innocc
.ncia,
Depois de frmese inabalaveis na crenca or- e quo smente a pratica das virtudes causa so-
adoxa para repellir a perseguicao pela cons- Hdo e inaufenvel prazer, recr.ae vev.fica a a -
. r. r X.. .. ._._ .nn miiiiiln na ncinc ni'i'lnn:UI ni IllilliriS l'<-
lliodox
S tan.5 .6 compadece coV humana te devenios apreciar o testemunho da pura cons-
fragilidade. Resistamos ao impeto das paitos, cenca pela resistencia e que .Iluso-no o de-
co,no os Brandes ruchedos resistem immensa leito que resulla da fm.gaodo momentneo pra-
SZ^mlST^^sZ'drCiorJ^m' zer. Aquello, que pode comprehender, compre-
uestuoso vento sobre elles formidavelmento ar- lcnda. .?:,:..,
oja. \ ingente agua das tribu lacees, quo tem V.g.ae sobre vos mesmos. para nao motnai-
mundado o misterioso campo da santa igreja. o des escndalo qucll-s detractores, que sen. re-
SS l.:r.m..T^ qu. .Tpiedade chri ta flexao, esemconlieciment de causa fixarem so-
deterio-
isenlos d.j cul-
samente vos-
rio nao p-
ilhos, smente para Ibes
e privilegios, de que so
bo-
ln pe.
nossos
ropctec; o pernal zelo^do prelado dos pre-
quaes
be
Vi
tr
lra,,it^bemos" "'..... porlao. tudo perdoao em memoria do quanto
''"se^onos inleressamos no bem commum, team sido supportados, e perdoados pelaiuflni-
eomo no pr-prio, elevemos as mos ao co, pa- ta bondade do uro Dos clemente. Ora. pelos
ra com firme conlianga blennos, o quo sup- que vos perseguirem, e calumniarem, pois a
ulitamos; imais porm nos olvidemos de quao liga. evanglica nos mstrue na pratica d*lc
abominavel seja na presenga do eterno sacerdo- dever. A mesma amavel providencia, atien-
te um seu ministro, que se considera dispensa- dendo vossas supplicas. .onservara para secor-
rigirem de seus excessos, os que vencerdes pela-
paciencia.
Lembrai-vos, que a misera imbecilidade nao
p.idoullrapassar os limites da divina permis-
sao. Se acroditaes as faltas de roligiao deedu-
cagaoede civilldade, que grassao por todo o
orbe, lazei ver, que oslas sao as tres lontes, das
quaes teem emanado as mais venenosas a;uas
da corrupgao geral, talvez maior, que aquella,
por cuja causa todo o universo foi submergido
as aguas, que a ira, c justa vinganga do Om-
nipotente (ez cair sobre a trra.
Igualmente deveis acreditar extincta a f, des-
animada a esperanca e a caridade em aban-
dono. R como devenios esperar, quo a severi-
dadede un. leos provocado puna ta enormes
crimes, recorramos 80 presidio da oraco, e do
ejun, axcellentes meios do lazer suspender a
divina indignaco, e descer a propi.iagao pro-
mettida aos que com puresa do coragao recor-
rem a eterna beneficencia.
O Oagollo merecido o pranlo os gemidos,
as tribu lacdes, as inundaefies, os incendios,
a perseguicao, o perturbatjSo geraes, cuja no-
ticia nos tem sido trausmitlida pelos peridicos
dovelho. e novo mundo, continuars, sea
reforma dos costumes nao fr o ponto a que os
habitantes da trra dirijo suas vistas. Bem
quizramos, que estes se convencessem da ne-
cessidado do sua correegao, para afiastarem o
llagello oppressor, enviado por Aquello que
nao quer a morte do peccador, mas que este se
convela e viva.
Mas qual pode ser nossa expetagao, quando
realmente existe a rciteragao do tantos crimes
sem algum tem.ir, sem o menor remorso, ul-
timo castigo quo o Creador entrega a crea-
tura, enduretendo-lhe o coragao e desampa-
rando-a em sua obslinacao por causa da infide-
lidade .'. seus preceitos !
Se o Dos vivo nosso pai, porque o nao a-
mamos! Se nosso senhor, porque o nao
tememos! Poderemos pretender algum mila-
gro extraordinario contradictorio, ou repug-
nante aos principios da infinita e rectissima
Juslica ? Nao. Os milagros jamis sepodem
esperar, ou desejar, sem que so manifest a
ineficacia dos meios ordinarios, quaes, na pre-
sento questao, sao os ja indicados, isto, a
reforma dos costumes.
Que pode esperar a creatura engolfada nos
praseres Ilcitos nocivos a sua alma e ao seu
edrpo Contumaz na formal desobediencia ,
entregue satislagao das paixes; esquecida
dos proprios deveres para com areligiSo, a
santa igreja, e o estado, e satisfeita smente
com alnunias exterioridades, que o chrtionis-
mo prescreve, sempre porm disposta atacar a
mesma religiao, que professa as pessoas do
seus ministros, ella se precipita cada vez mais
no bratro de sua insipiencia para d'uma vez
pagar acerbamente todas as suas atrocidades.
Urna terrivcl cathastrolo a espera Qual esta
ser, ou quando acontecer, Dos sabe! Quite
digno de serias rellexoes o sofTrimento das
maiores operagocs sem proveito algum Mos
infelizmente assim vivemos at que chegue o
ultimo momento de nossa existencia e assim
exalamos o ultimo alent ignorando qual sera
nossa sorle cierna, e sem quo esta incerteza
nos cause o menor abalo pela incredulidado
sobre as penas do interno, por Jess Christo
repetidas ve/.cs mencionadas.
I'ngidos do Senhor, assim como todos de-
vem sentir os males, que nos opprimem do
mesmo modo devem todos supplicar a Divina
Piedade para quo extenda o brago de seu po-
der em nosso favor, e se digno annuir aos nos-
sos votos. A nos porm como ministros do
Altissimo mais particularmente pertence exo-
rar a Divina Clemencia para que esta queira
occorrer u tanta dissolugo e desenvoltura,
permittindo que a santa igreja livre de qual-
quer calamidade, gozo d'aquella paz, e liber-
dade, com que o seu Esposo a instituo, e
contra a qual jamis poderao prevulecer as por-
tas infernaes.
Palacio da Solidade 25 de novombro de 1843.
Jodo Hispo Diocesano.
Com mando das Armas.
EXPEDIENTE DO DI A iio DO PASSADO.
OllicioAoexm. presidente, informando
o requerimente de Jacinto Delidorio d'A/.evcdo,
que pedia ser excluido do hatalhao d inlanlaria.


1
da guarda nacional destacada onde servia na
qualidade de soldado.
Dito Ao commandante do batalho d'arti-
Iharia prestando-lhe autorisaciio para passar
aggregado o 2. sargento da 5.a companbia
Manoel Noberto de Moura que, estando, ha
tres annos, destacado em um navio de guerra
nacional ignorava-se presentemente o seu
destino.
DitoAo illm. brigadeiro J. J. Coelho ,
ommunicando-lho em data de 27 que, tendo
passado a 1.a vara do crime dcsta cidade ao ba-
cbarel Francisco Rodrigues Sette que por
ste facto eslava no exercicio das funecoes
d'auditoria de guerra devia avisal-o para
comparecer no conselho do coronel graduado
Burlamaque e outros.
dem Do da 27.
OfficioAo exra. presidente informando
o requerimento de Simplicio Jos Cavalcanti,
que pedia demissao para seu flho Antonio l'e-
lippe de Santiago, quo assentra praea recru-
ado no dia 23 do corrente.
DitoAo illm. brigadeiro reformado Anto-
nio Rodrigues d'Almeida momeando-o vogal
do conselho de guerra do coronel Burla maque ,
ni lugarde unidos vogaes, que se achava im-
pedido.
DitoAo commandante interino da fortaleza
de Itamarac, ordenando-lhe, quo fizsse exa-
minar e orear o concert da coberta da casa
desua residencia que amcacava ruina para
avista de tudo sollicitar-se o competente re-
paro.
DitoAo delegado supplente do tormo do
Bonito aecusaodo o recebimento de tres re-
crutas e approvando a resolucio, que tomara,
de deixar ficar no destacamento o tambor Eus-
taquio em consequencia de sua boa conducta,
e da precisao que deilc havia.
Variedades.
NOTICIAS FRESCAS DA TA MICII AEI.A.
Ora guarde Dos a bizarra ta Micbaela ,
que feito da sua inviolavel pessoa que nao
ha bispl-a tenho-a procurado varias vezes ,
e sempre o maldito do rapaz me diz Sabio !
Com eeito grandes negocios traz entre
mosa miaa respeitavel tia Aposto, que an-
da compondoalgum lunario perpetuo ou al-
gum ensaio de economa poltica Bravo snr.
mestre bravissimo Dii misiha av cha-
ma-lh'o antes que t'o cbamem. Oque Ihe eu
havia do dizer m o vae vine, arrumando assim
ern ar do quem nao quer a cousa muito bem,
iriuito bem. Pois olhe mestre para c vae
barrado. Vmc que tem sido um ingra-
tao, um madraco um esquecido. Perdeo
de todo aquello amor que me tinha c j me
nao honra esta choupana Ora verdade, que
nl certo ponto tem dcsculpn ; sou velha e
urna mulher velha urna ceringa sem estopas.
Peco a palavra para urna explicacao respei-
tablissma matrona. O seu improviso oliendo
o meu melindre que sou eu muito melindro-
sinho ; chega-me logo a mostarda ao nariz e
em eu entrando a espirrar sou mais espira-
dor que um jornal independente a dizer mal do.
Costa Cabral! Esse naco de amor, que puz
sua disposicao ainda existe sicut erat in prin-
cipio ; quo issso tenho eu quando digo
amoesta palavra vale mais que urna letra do
cambio ou carta de enterro mesmo destas
que sao redigiJas pelos mais acreditados arma-
dores da cidade.
Mas entrando no amago da questao dir
Ihe-hoi que o meu amor o amor quo Ihe
consagrei nada tem com a sua idade ; muito
mais que sempre cu gostei de fructa madura,
do vinho velho e de sapalos velhos por causa
dos callos. Nao so as mu Hieres novas tecm
quem Ibes arraste a aza as vclhas tambem
chuchao a sua lambedella amatoria. K ver-
dade que urna mulher vclba nao tao ardente,
tao vulcanica tao appetitosa ; mas mais
prudente e mais agradecida. Isto c fallando
genricamente, quero dizer, nao se entcn-
decom a minha tia que ainda est fancho-
naca e digna de duas barretadas.
Agradec), mestre agradeco em nome da
decrepitude. Vmc sempre foi muito lison-
gciio e bem mostra que tem uso destas cou-
sas; mas permitta quo Ihe diga que esta gas-
tando cera com ruins defuntos. Eu tenho me-
tade de um espelho que quanto basta e
bem vejo a destruirlo que por c vae. Isto
foi chio que deo vinha. O amor a grippe
das raparigas as bexigas da mocidade. Urna
mulher velba mettida a namoradeira urna
cacarola em estanho por mais azeite que Ihe
deitem nao frita cousa em termos O seu na-
moro a roca o luso e a graca de Dos ;
ao menos a do Meniuo Jess que j reme-
deia.
Meu charo mestre acredite. Urna cabeca
com brancas urna caip com rugas, urna bc-
tasem denles, que diabo de amor ha de ins-
pirar verdade que ainda por abi alguma
encontra quem se engaje mas sao aquellas que
tem aquillo com que se comprao os meloes. O
dinbeiro como a cal que faz brancas as pa-
redes velhas. Porm mudemos de assump-
to. Diz muito bem tia Micbaela, adiemos
a questo. Diga-me como passa da sua im-
portante ? como vae do seu nervoso? dos seus
intestinos, e do seu estomago ? Vamos indo ,
mestre vamos indo conforme Dos servido.
O que me mata urna grande debilidade que
trago: j me disserio, que era de dormir de
costas; porm eu j vou dormindo d'ilbarga ,
e nem por isso me sinto mais vigorosa. Trago
um fastio que Ihe nao sei dizer !
E porque nao consulta o medico, tia Mi-
cbaela ? porque nio toma remedios ? purgue-
re minha tia purgue-se; d um choque ao
seu estomago depois leites de jumenta aguas
thermaes, e mesmo hanhos do mar; olhe que
sao muito proveitosos. Dix muito bem mes-
tre diz muito bem ; mas cada um sabe de si,
e eos de todos. Para a gente tomar tudo isso
preciso abrir os cordoes bolea ; mas a qua-
dra vae tao miudinha as algibeiras esta o to
delgadas e mesmo nuas, e as elasses inactivas
to angustiadas, que nao possivel deitar a
gente urna c Iota. O anno passado ainda u-
ma creatura a Foz refrescar o cadver no
Trivoli por pouco dinheiro; mas este anno fi-
camos a chuchar pelo dedo os senhores m-
nibus nao apparecro !
K verdado mestre que tambem se vae a
p ; mas, alm de que os meus annos nlo dio
cenca parece isso muito mal, e entio nes-
ta trra onde tudo se sabe tambem se vae de
burrinbo, mas eu nio me seguro nasandilhas :
pelo rio abaixo peior que tenho eu muito
mdo agua o nico recurso ir de sege ,
mas isso de seg est na tinta custa cada pas-
soio sanitario quatro pintos! e alm de que
nio pode a cadella com tanto cachorro que
dira a vizinbanca se visse a tia Micbaela de c
tremido pelas ras da invicta Entrevio logo
a dizer come do orcamento : tem azeite na
alampada de Meca e mastiga mesa do thc-
souro Nada nada mestre, c me re
remediando com os meus semicupios e clisteres
de agua moma que remedio muito fresco e
baratinho. E vm. mestre, como Ihe vae de
fortuna ? Parece-me que o vejo agora mais
direitinho andou all um lempo que mettia
njo I
Dnnois nun reforme: c interior minha tia ,
e dei duas borradellas no exterior vou passan-
do solTrivelmente. O que d'antes me tirava a
vontade de comer era a maldita poltica lia os
peridicos todos e nao s ficava com a cabeca
por esses ares, mas no fin da leitura ficava
sempre em jejum. Agora passo-os pelos olhos
como ci por vinha vindimada e niomedou
mal com a receita ; j como e bebo com appe-
lite e mesmo durmo sem sonhar com o Espar-
tero nem com o Costa Cabral Ainda me lem-
bro do tempo em que a minha prima Vedta
dava fogutes ; cada estalo que estourava era
um dente que me cahia da bocea muito susto
mamei! hoje nao ha fogute algum que me a-
tarante nem noticia thelegraphica que me fa-
ca perder a vontade de comer Que o mundo
ande para traz ou que ande para diante ; que
cia o ministerio ou que se sustente ; que me
cbamem devorista pedreiro carbonario ,
templario cabralista bonito ou feo, velho
ou novo sou inamovivel: alio as navalhas,
dou de comer aos canarios, e toco a minha
guitarra e o que r soar.
Ora viva, senhor mestre Vmc. est pautan-
do os denles comigo Pois o redactor de um
[ riodico pode dizer que Ihe nio importa a
poltica! V di/er isso aos corcovados. como
lli o digo, tia Micbaela', quem come menos do-
ce, quem o faz, c quem tem seges do aluguel,
quasi sempre anda a p. Eu bem se porque vmc.
diz isso, mestre ; est zangadinho com a vida
de periodiqueiro, nio assim ? Pois tenha pa-
ciencia. Nao ha estrada, que nio tenha o seu bo
cado de mo caminho. J c me chegou aos ou-
vidos. que o desafiarlo! J me disserio, que se
dava dinheiro a quem Ihe dsse cabo da pelle ;
sao ossos d'officio, gemer, e cara alegre. O que
Ihe posso dizer que se o matassem,o que Dos
nao permitta fazia vmc. trinta annos justa ;
nos primeiros tres dias ainda se fallava nisso ,
depois esquecia. Os seus inimigos polticos di-
ziio J Ib o deviio ter feito ha muito tem-
po c os seus chamados amigos, mostrando
certo ar de importancia, diriio Foi mal fei-
to, mas eu sempre disso, que era o que Ihe havia
de succeder: elle fallava tanto !.. aquella ca-
beca !... aquella lingoa !. .. em fim, Dos o
tenha na gloria.
E s a sua tia Micbaela vertera urna ligrima
sobre a sepultura do pobre barbeiro dos pobres,
levar-lhe-bia o seu raminho de flores, e ouveria
missinhas pela sua alma. Pode contar com esta
oflerla e morra descancado. Olhe, que isto
com sinceridade. Agradecido, tia Micbaela, a-
graecid a iunio favor; beijo-lbe as mios, mas
m1
nao se incommode ; ser o que Dos quizer.
Quem nasceo, morreo ; este programma nao
tem opposieo. Isso assim mes'tre por-m
cautella.e caldo de gallinba, nunca fe mal a do-
ente. Sao horas; adeos, mas appareca mais a
miudo, que temos muito, que conversar.
( P. dos P. no Porto.)
COMMERCIO.
AHandega.
Bendimento do da 7......... 3:5078026
Deicarregao hojt 9.
Barca sardaNapoleoo resto.
Galiota Mercalorcarvo.
BarcaRiobaca 1 h o.
BarcaCal harinacurvSo.
DitaMary-Qutn-of-Scot- faiendas.
Alovimenlo do Porto.
Navios sahidos no dia 6.
Rio-Grande-do-Sul; brgue-escuna nacional
Marcial, de 182 toneladas, capitio Mar-
colinoFrancisco Roza, equipagem 13 carga
sal e assucar.
Lisboa ; brigue portuguez GonceicHo-dt-Ma-
ra de 265 toneladas capitio Manoel da
Costa Noves, equipagem 17 carga as-
sucar.
Rio-de-Jai.eiro ; brigue nacional Indiano de
223 toneladas capitio Antonio Alves Mar-
tha equipagem 17 carga gneros es-
trangeiros.
M aran ha o ; patacho brasileiro S.-Matheos ;
capitio Joao de Dos Pereira ; carga assu-
car <&c.
Editaes.
Vicente Thomaz Pires de Figueiredo Csmargo,
inspector d'alfandega, S[c.
Faz saber que se hao de arrematar hoje (0
do corrente), ao meio dia, e na porta d'alfan-
dega 24 chales e 114 mantas (tudo de se-
da ) no valor de 640*000 rs. impugnadas
pelo amanuense Goncalo Jos da Costa n S J-
nior no despacho por factura de Lenoir Pu-
gct.d Companbia sendo dita arrematado su-
geiia a direitos e expediente. Alfandega 7
de dezembro de 1843.
F. T. P. di F. Camargo.
ContinacBo da lista dosjurados(vide osns. 260,
262, 263, 264, 265.)
Luiz Gomes Silverio.
Carlos Costa Campello.
Doutor Luiz Franca Muniz Tavares.
Luix Antonio Alves Mascaren has.
Lourenco Jos Moraes Carvalbo.
Neves.
Leopoldo Costa Araujo.
Ladislao Ferreira.
Manoel Antonio Jezus.
Monteiro Andrade.
Azevedo Nascimenlo.
Bizerra Valle.
Gamillo Pires.
Cardozo Fonseca.
Eleuterio Reg Barros.
Fernandes Cruz.
Ferreira Antunes Villaca.
Bacharel Manoel Ferreira Silva.
Manoel Felis Ramos.
Figueira Faria.
Florencio Alves Moraes.
Francisco Moura.
Silva.
Goncalves Ferreira Silva.
Eugenio Silva.
Ignacio Oliveira Lobo.
->> Joaquim Ferreira.
Gomes.
Pascoal Ramos.
Jos Castro.
Galvio.
Lopes Braga.
Martins Ribeiro.
Bacharel Manoel Jos Pereira.
Manoel Jos Teixeira Bastos.


D
Marques Grangeiro.
Rocha Prannos.
Romio Carvalbo.
Silva Ferreira.
Jnior.
Silvestre
Zeferino Santos.
Alves Guerra.
Jnior.
Jos Silva Braga.
Duarte Rodrigues.
A n tero Sousa Rcis.
Joaquim Pedro Costa.
Ribeiro Fonseca Braga.
Ignacio Oliveira.
Manoel Jos Martins Costa.
Ignacio Silva Teixeira.
i) Antonio Motta.
Bibeiro Cruz Oliveira.
Goncalvcs Silva.
Jos Duarte.
Cardozo Ayres.
Goncalves Cruz.
Luiz Goncalves.
Joaquim Ramos Silva.
Joio Amorim.
Siqueira Campello.
Goncalves Pereira.
Jos Chalassa.
Joaquim Goncalves Lessa.
Silva Neves.
Jos Ferreira.
Magalhes.
Carneiro Jnior.
Luii Goncalves
Santiago Coito.
Bellarmino Ildefonso Cabral.
Pereira Pinto.
Jos Sousa Carneiro.
Pereira Rozas.
Colho Cintra.
Rodrigues dos Anjos.
Joaquim Ferreira Jnior.
Caelano Soares Carneiro Monteiro.
Pacheco Queirga.
Nascimento Costa Monteiro.
Peregrino Silva.
Elias Moura.
Fonseca Silva.
Gregorio
Bernardino Monteiro.
Jos Silva Braga.
Pereira Teixeira.
Paulo Quintella.
Sousa Rapozo.
)> Jos Azevedo Amorim.
Carneiro Sousa Lacerda.
Luiz Veiga.
Jos Silva Guimaries.
Antonio Simoes Amaral.
Lins Viries.
Silva Amorim.
Antonio Cardozo.
Andrade.
Joaquim Reg Albuquerque.
Thomaz Barros Campello.
Cavalcanti Albuquerque Mello.
Jos Cota Guimaries.
Santos.
Joaquim Ro2.irio.
Reg Barros.
Dr. Francisco Paula Cavalcanti.
Barros Passos.
Pereira Ramos.
Romio Correa.
Miguel Arcanjo Monteiro Andrade.
Alfonso Ferreira.
Felicio Silva.
Jos Almeida Pcrnambuco.
Motta.
Arcanjo Postumo Nascimento.
Antonio Costa Silva.
Marcolino Ferreira Clao. ,
x> Goncalves Silva.
Marcelino Jos Lopes.
Maximiano Francisco Duarte.
Mariano Jos Couto.
Mathias Manoel Jezus.
Nuno Maria Seixas.
Norberto Joaquim JosGuedei.
Onofre Jos Costa.
Pedro Alfonso Ferreira.
Ignacio Baptista.
> Ivo Vellozo Silveira.
Marciano.
i Francisco Pereira.
> Alexandrino Barros Cavalcanti.
Doutor Pedro Dornellas Pessoa.
Paulino Augusto Silva Freir.
Patricio Jos Borges.
Porfirio Cunba Moreira.
Rufino Gomes Fonseca.
Jos Correa Almeida.
Rodolfo Joio Barata
Raimundo Silva Maia.
Doutor Simplicio Antonio Mavignyer.
Silvestre Goncalves Santos.
Joaquim Nascimento.
Sevirino Henriques Castro Pimentel.
SebastiSo Jos Silva Braga.
Thom.v.[l)as Souto.
Aquino Fonseca.
Jos Silva Gusmao.
Jnior.
Pereira Pinto. ^
Theodoro Machado Freir Pereira Silva.
Trajano Cezar Burlamaque
Thom Correa Araujo.
Theoilo Sousa Jardim.
Vicente Antonio Espirito Santo.
Jos Brito.
Ferreira Gomes.
Thomaz Pirn* He Figueiredo Camergo.
Victorino Jos Sousa Travasso.
MFI HOR FYFMI


Verissimo Santos Siqucira. i
Todos aquclles quo se julgarem coni direi-j
to fatcr suas rcclamacoes, por (ercm sido ins-,
criptos ou preteridos na presente lista bajita
de aprcsental-as ao Dr. juiz de diroila da l.'j
para do criine d'csta cidade, para seren attenti-
tos, como fr de justica. Delegada do l.'des-
tricto do termo do Recifo 22 de novembro de
183. Joaquim Jos da Fonstca.
Declaraces.
O briguo Josephina recebe a malla para
Lisboa no dia 9 as 4 horas da tarde.
O arsenal de guerra compra dous quintaes
de ferro era barrinhas, duas arrobas de ferro re-
dondo de mcia polegada 2 lences de ferro
grosso, e 2 uilos linos : as pessoas que taes g-
neros tiverem, a prese n te m- se com a competente
amostra na sala de sua directora boje 9 do
corrente s 11 horas da manha.
= O arsenal de marinba compra no dia 9
do corrente, pelas 11 boias da manha 4
barricas com progos de bate! pequeo : quem
as quizer vender pode comparecer com amos
Ira no secretaria do mesmo arsenal. Secreta-
ria da inspeccao do arsenal de marinba de Per-
nambuco em 4 de dezembro de 1743. O se-
cretario Alexandre Rodrigues dos Anjos.
= O 1. oscripturario da mesa de rendas in-
ternas provinciacs desla cidade,abaixo assigna-
do.faz constar aos snrs. propietarios dos pre-
dios urbanos dos tres bairros d'esto cidade e
da povoacao dos A Rogados, que do dia 1.
ao ultimo do presente mez sao contados os 30
dias para o pagamento a boca do cofre da res-
pectiva decima urbana do 1. semestre do cor-
rente anno financeirode 1843 a 1844 e que
lindo o prazo marcado se executaro lodosos
devedores nao s pelo semestre ja dito como por
tada a mais divida antiga proveniente de tal
imposico. Mesa do rendas internas provin-
ciaesl.de dezembro de 1843. Ol.oescrip-
turario servindo de escrivo c administrador ,
Jos Guedes Salgueiro.
THEATRO PUBLICO.
Direcco de Rafael Lucci.
Primeiro e ultimo beneficio de Mr. Carlos
Clore. Grande representaco extraordinaria
para hoje 9 do corrente dezembro de 1843.
i \ r\ n 11. runrncnnhi'*!' '' ni'mnnctipn fttn>_
niense creada em Atbenas por Mr. Mathevet :
grande alcides bercule dos hrcules pri
meiro modelo das academias reaes e imperiaes,
das cinco grandes potencias, mestre de gym-
nastica da familia real da Hespanha artista do
tbeatro da porta Sain-martin, vencedor dos
torneios do meio dia da Franca Oriental, con-
decorado com as medalhas de honra com que
tem sido mimoseado por difieren tes soberanos
da Europa.
Primeiro parte.
Rafael Lucci, e sua filha mademoizelle Car-
mella, executaro o muito lindo duelo da opera
Belisario do M. G. Donizetti, Quando de
sangue tinto: a qual desempenhar a linda
parte do mesmo do joven Alamiro.
Segunda.
Mr. Eugenio Lemoine, desempenhar a
scena das Loucuras de Bacho com varios e-
quilibrios sobre urna duzia de garrafas.
Terceira.
Ralel Lucci, e sua lilha mademoizelle Car-
mella cantars o jocoso duelo da opera Li
Taliana em Argel, do M. O. Rossini : ax
caprici della sorte.
Quarta.
Mrs. Eugenio Lemoine e Carlos Clere exe-
cutaro em dous, a scena das deslococes com
o titulo dos phenomenos occidentaes.
Quinta.
O jocoso pantomimo do Pintor logrado,
com as scenas e dneos necessanas.
Sexta e ultima parte.
Mr. Mathevele dar fim ao divc.rtimento com
a difficil scena de Mario nos ferros na qual
executar todas as posicfrs de dores e tormen-
tos que soflreo Mario segundo conta a his-
toria. ..
O beneficiado summamente agradece sos il-
lustres Pernambucanos o seu cordial ac ui-
mento, e espera que n'cstanoute noouei-
xar do merecer a sua proteceo.
Os bilhetes acho-sc a venda no mesmo
theatro. [Principiar as horas do costume.)
Avisos martimos.
= Para Lisboa srhir at as aguas do dia 21
do corrente o briguc portuguez Josephina co-
pito Paulo Antonio da Rocha, tem |a a
Lior parte da sua carga pro.npta ; quem no
mesmo ainda quizer carregar ou ir de passagem
dirija-sc ao mesmo capilo ou a Mendes &
OHveira pa ra do Y gario n. 21
= Para o Porlosahir al o dia 18 do cor-
rento o brigue Paquett-Bahianno ; capilo
Lourencode Araujo Gumaraes acha-secom
a maior parte da carga engajada ; quem anda
quizer carregar ou ir de passagem, para o que
tem excedentes commodos pode procurar o
mesmo capilo ou a Mendes & Olivcira na
ra doVigario n. 21.
Para a Babia sahir com a maior brevidn-
de possivel a sumaca Tamega ; quem n'ella
quizer carregar ou ir de passagem dirjase
ra da Cruz n. 45 em casa de Manoel do
Nascimento Pereira.
= Para o racaty seguir o hyale Flor de-
Larangeiras ; quem quizer carregar ou ir de
passagem dirija-sea ra da Cadeia do Recife
toja de azendos n. 37.
Leiloes.
la, aonde se ensinar a fallar o escrever a I de que tem bstanlo protica pode dirigir se o
lingua ingleza ; e como esta aula se destina ra da Cruz n. 43, onde achara os informa-
gerolmente pora as pessoas empregadas no com- i coes precises.
mcrcio com o lim de nao tomar a tempo asi Oflerece-se um caixeiro que,tem pratica de
<|ue a quizerem frequentar; seio as licoes da- venda ou mesmo paro padaria; quem preci-
dos de noule das 6 al as 8 horas umdiasim, sar annuncio.
e outronao. As pessoas que se quizerem disto' O annuncio inserto no Diario de do
utilisar sirvao-se ir inscrever seus nomos a corrente n. 262 sobre a venda do terreno na
casa doannuncianto ou na botica dos snrs. : Rua-da-praia-da-ribeira, ninguem faca nego-
Weitch Bravo & C. n. 1 na ra da Madre- ci com o mesmo sem primeramente so en-
= Leilo, que por inlervcnco do coneclor
Olivcira laz J.O Elester.de ISbarris com man-
leiga franceza na armazem de Jos Rodrigues
Pereira & C. no beco do Capim por conta e
risco de quem pertoncer, no dia 11 do cor-
rente as 10 horas da manha.
Avisos diversos.
LOTERA DO THEATRO.
Por deterir.inocSo do exm. snr.
presiden le da provincia foi defiri-
do o dia u do torrente dezembro
para o andamento das rodas desto
lotera que ter seu infalivel an-
damento no dia cima e os billie-
les acho-se a venda no Recife lo-
las de cambio dos snrs. Vieira e
Manoel Gomes da Cunha ; em
Santo Antonio loja da snra. viuva
do Rttrgos e boticas dos snrs.
Joao Moreira Marques e Fran-
cisco Antonio das ( hagas.
Na ra de Santa Rita casa n. 83, en-
gomma-sc e lava-se roupo com toda a perfei-
co e cuidado, e por muito commodo preco.
- Precisa-sede um Portuguez idoso para
fi'lnr il/- nm "CUSBO ?U'0 MrlO d nrnr.3. nh
se-lhe casa para morar sustento e algum
interesso ; no principio do Alterro-dos-afloga-
dos n. 9.
Quem annunciou querer comprar urnas
lia lunfas pequeas, e pesos de 8 libras para bai
xo ; dirija-se a entrada da ra do Kangel n. 7.
Quem tiver um moleque que sailia co-
sinhar e o queira olugar, ou vender, que nao
tenba vicios ; queira annunciar por esta folha.
Quem precizar de um capello para di-
zer as missas do Natal fra da praca em qual-
quer lugar mesmo longe; dilija-so a livrariada
praga-da-Independencia n.M 6, e8.
Urna mulber parda de boa conducta se of-
ferece para ama do casa ; quem a pretender ,
dirija-so travessa da Florentina defronte do
theatro-novo n. 13.
Aluga-SH urna casa de um andar, rom
muitos commodos bastante fresca e propria
para se passara lesta, na ra de S. Pedro Mar-
lyr, que faz esquina com o passo, em Olinda; os
prelendenlos pdem dirigir-66 a ra da Cruz do
Rccilon.16.
A luga se urna casa terrea assobradada ,
envidracada em Fra-de-portas lado da mnr
grande n.4, e outra dolado da ra n.6;
quem as pretender, dirija-se a Manoel da Sil
\ Neves em Fra-do-portas.
Pretendo-se um homem capaz para fcilor
de sitio que entenda do jardim o orto; o tro-
lar com Francisco Antonio de Olivcira, no
seu sitio do Manguinho-papaterrn ou com
0 seu caixeiro Manoel Joaquim da Silva na
ra da Aurora n. 26.
To the British Besidents.
Joscpb Maya has oponed al his residen-
ce in the ra daPraya a sebool for children ,
wbere the english ,' french and portuguese
languages Arithinetic and Geograpby will
be taught: The lessons will be given every
doy ( tbe usual days exceptad ) from 2 O'clock
to 5 in tbe ofternoon. Porents willing to send
Iheir children to t, are requested to address
themselves to tbe odvertiser, or to Mess."
Veitch Brovo & C.8 Madre deDeos street n.
1 wherc further porticulars may be learn-
ed. j
Any Gentlemen wishing to take lessons in
portuguese; llie advertser has no difficully ,
to culi at tbeir nwn residences at any hour be-
twecn 7 and 12 O'clock in the morning.
Pernambuco 1." Deccmbcr 1843.
=Jos da Maya subdito britnico se pro-
poc a abrir no primeiro de Janeiro oroximo
vindotjro em sua cosa na ra da Prnia urna au-
de-Deos; aonde poder5 obter as infonnacoes,
quedesejarem.
O mesmo annunciante d tamben) licoes
d'inglez demanha em casas particulares.
= Francisco Tarault participa ao respeita-
vel publico e com mais particularidade aos
amigos dos bons bucados que de hoje em di-
ante ellos acbaro a toda e qualquer hora na
sua casa de pasto franceza da ra da Lingoeta
n. 2, toda a qualidade Je comida a franceza ;
assim como vinhos e licores de todas as quidi-
dades cal com leite e sem elle pastis ,
pastelocs, empadas da diversas sortes sala-
mes presuntos, linguicas &c. ; e que se-
ro servidos com o maior aceio, limpcso o por
preco commodo. O mesmo Tarault oflerece-se
para mandar levar em as casas as comidas a
aquo'laspessocs que com elle se ajustarem ,
diaria ou mensolmento ou por urna vez so-
monte ; participo-semais que todos os dias
de manha um seu agento levara a casa de seus
freguezes pastis, pastelees, empadas, lin-
guicas e chouricas franeezas, proprias para
al moco.
Aluga-se o primeiro andar do sobrado n.
G3 em Fra-de-portas na ra principal, com
commodos suficientes para urna familia, quin-
tal cacimba de boa agua cosinba lora com
cxccllenl vista para o mar onde so ver as en-
tradas e sabidas das embarcacocs por preco
commodo; a fallar ao seu propietario Joaquim
Lopes de Almeida : assim como se aluga urna
casa cm Santo Amaro junto ao sobrado do snr.
Cardozo, para passar a festa ; a fallar ao mes-
mo Almeida, ou a Manoel Cardozo da Fonscca.
= Desappareceo na noule do dia 4 do cor-
rente do sitio junto ao sitio da capella de
Joo de Barros um cavailinho rozilho, des-
carnado o qual tem para maior signal urna
costura no casco d'uma das mos cuja ebega
al a ponta do casco : quem d'elle soubcr ou o
tiver em seu poder queira mandal-o entregar
no mesmo sitio ou na ra da Cudeia do Re-
i -.i i
lo '"ron"
Qia io jien55 n. O
r>o
mo oori
compensado.
Foz-se sciente ao snr. A. J. da, Silva que
a pessoa, em cujo poder se acha um seu tranccl-
lim onpenbado por seis mil rs. ha quasi tresan-
nos; so relira para a cidade do Porto at lo
do corrente mez por isso, querendo remir o
ditolrancellim nao se descuide porque de-
pois nao ter remedio a dar-lho
D-se dinheir.) a premio mesmo em pe-
quenas quantias sobre penhores de ouro ; na
Ra nova n. .'i.'i.
Oilercce-se um homem do meia dado pa-
ra caixeiro, ou feitor do sitio, ou administrador
obras ; quem precisar de seu prestimo annun-
cie paro ser procurodo : odverte-se que se pro-
poe o ir poro olgum engenho ensinar meninos,
por preco commodo, sendo primeiras letras.
A pessoa;que annunciou no Diario n. 264,
terum portuguez de dado de 13 annos para
qualquer orrumaco dirija-se a ra do Ca-
bug n. 11.
- Aluga se a casa n. 13 entre as duas pontcs
da Passagem com banho no fundo do sitio ;
a tratar na mesma.
Adverte-se ao snr. B. A. C. A. que se
nestes tresdiasno mandar pagar a quem bem
sabo 14,190 rs. saldo da quantia do 34,190
rs., mencionada em um annuncio que foi pu-
blicado em um dos ns. deste Diario do mez p.
p ver cumprir-so quanto em dito annun-
cio se prometteo. pois essa pessoa j nao quer
maissofrer asmangocoesdosnr. B.
No novo deposito do pateo do hospital do
Paraizon. 18, indo para a Florentina, conti-
na a ter constantemente todo o ligume de fa-
rinha milbo feijo arroz do casca e al-
gumas couzas mais; tudo por mais barato
preco.
Aluga-se um grande soto com cinco quar-
tos na travessa da Concordia com os commo-
dos de um andar o qual aluga-se por proco
commodo ; quem o quizer dirija-so ao Coelho
casa de Francisco Jos Arantes ou ao pri-
meiro andar do sobrado, a que perlence o dito
soto.
Precisa-sc de um menino portuguez que
tenba pratica do venda ; quem estiver nestas
circunstancias annuncie.
No beco da Pol sobrado n. 14. 1. andar,
existe um sangrador dentista chumba denles,
e tamben) os abre e applico ventozas &, ;
todas as pessoas, que se quizerem utilisar de seu
prestimo, o acbaro sempre promplo.
Quem precisar de um portuguez de 28 an-
nos de dadeparafer empegado em negocio
londer com Antonio Pinto do Azevodo mora-
dor na Rua-da-praia, armozem do carne-secca
n. 43 quo 6 este so acho o dito terreno com-
plicodo e paro livrar de questdes para o fu-
turo laz com tempo o presento annuncio.
= O abaixo assignado tendo porticipodo
por escripia a seus credores no dia 29 de no-
vemhro p p. 1 a lim de Ibes fazer sciente do
estado aclual da sua casa ; e como nao se dig-
nfiro os ditos snrs. credores comparecer ,
por isso faz agora o presente annuncio
Manoel Nunes Leal.
a pedido.
O abaixo assignado laz publico que cessro
suas relacoes sociaes com o snr. Carlos Luciano
Mendes e estando por conseguinte em liquida-
cao a sociedado que nesta cidade tem girado
dcbaixo da firma de Mendes &Season vedado
do boje em dianto contrahir novos empenhos
debaixo da mesma firma. Maranho 18 de no-
vembro do 1843. Henriques Season.
= O snr. Joaquim de Jezus Pinto alfercs
do batalbo de G. N. destacado queiro ter o
bondado do ir ra do Rangcl, sobrado n.
5 inmediatamente ultimar o negocio a que
se acha comprometido ; do contrario se pas-
sara usar dos meios judiciacs.
O snr. Domingos Jos Marques queira
apparecer em Fra-de-portas, lao do mar
grande confronte ao farol casa n. 6 ne-
gocio do seu ioteresse.
Precisa-se alugar urna canoa,de carrei-
ra : quem a tiver dirija-se ra do Rangel
n. 34.
= Antonio Dias da Silva Cordial opear
do transtorno que teve no dia (do corrente ,
em orrazar-seseu tanque d'agua com prejui-
zo talvez de 1:000,000 rs. : contina a vender
agua da mesma qualidade e pelo preco de 20
rs. : na ra da Proia delraz da ribeira es-
quina do lado do sul n. 15 e 17. Tambem
faz publico que seus canecos sao marcados
com a marca S.
= i) abaixo assignado convida a todo?
credores do fallido Manoel Pereira Guimares
6 Companhia para verem no cartorio do ta-
bellio publico Vanoel Antonio Ccelhode Oli-
vcira a escriptura de hypotheca que o deve-
dor sua sogra e os que tem direito a heran--
ca desla li/.ero lavrar para seguranca e fir-
meza dos pagamentos novamente contratados
com 20 e tantos dos ditos credores e estes fir-
maren o termo de acceite; como pois a dita
escriptura declara que s valida para aquel-
les que ossigDurcm o termo e nao poro os
desclenles, motivo pelo qual se faz este an-
nuncio afim dos nao concordados firmaren) o
dilo termo aleo dia 20 de Janeiro prximo fu-
turo e em lempo se nao queixarem de igno-
rancia. Da mesma escriptura so observa ter
lindado a adminislraco da casa fallida e acha-se
ella na posse de Guimares com quem se duvem
entender, os que tiverem negocios. Os snrs.,
quo aeccitarem a hypotheca podem sacar as
lettras, quo scro pelo annunciante remetli-
das n Guimares, e quando acceila? resga-
taro os ttulos antigos que bao do ser pegos
novamante pelo annunciante. Jos Anto-
nio Pinto.
Fm um clima lo quente comoo do Brazil,
onde as molestias termino fatalmente as vc-
zes no espaco de poucas horas he mister ha-
ver um remedio quo possa servir ao mesmo
tempo como preventivo e curador. A ^ e-
decina Popular Americana tem essa proprieda-
do ton,oda os vezes em quanto ella impede a
accumulapaodos humores, conserva o songuc
puro e conseguintemente pora as pessoas menor
sujeilasa opanharem qualquer molestia, seja
ella contagiosa, ou nao.
Recommenda-se portanto ao publico em ge-
ral de, ensaiar este excedente remedio que ,
pelo lado econmico he prelerivel a qualquer
outra medecina do similhanle natureza tendo
os caixinbas maior numero de purgantes e por
menos preco.
O publico ochar no Medecina Popular A-
mericono as pilulas vegetaes do Dr. Brandrelh
estas propriedades que produzem seu effeito
sem dores ou cncommodo algum nao se faz
preciso dieta olguma e pode-se tratar dos
sens negocios nos mesmos dias, em que se to-
mar.
Vende-so aqui em casa do nico agente
Joo Keller ra da Cruz n. 11 e para maior
commodidade dos compradores na ra da Ca-
deia encasa de Joo Cardozo Ayres, ra Nova
Guerra Silva & C. alterro da Boa-vista Salles
& Cbaves<
Pl AR ENCONTRADO


Novo rap fino princeza da nova fabrica de
Godinho da Bahia.
== Acba-sea venda ( vjndo do Rio-de-Ja-
neiio no bergantim nacional Bom Jess, che-
gado ltimamente ) o novo e excellcnte rap
da nova fabrica de Godinho da Bahia pelo
preco de 1000 rs. cada urna libra ; este rap
torna-se muito recomendavel pelo seu bom aro-
ma nao faz bolao nos narizos e bastante
lino ; os protendentes dirijaose ao nico depo-
sito existente nesta provincia na ra da Lrui
n. 16, onde acharo un bote aborto para se
verificaren! das suas boas qualidades.
== Deseja-se saber, se existe n'esta provincia
V. Marcelina Anglica de Castro Aguiar, viu-
va de Jos Marques dos Santos natural d'E-
vora conseibo d Alcobaca ( etn Portugal ), a
qual tem um filho chamado Jos Marques'dos
Santos Aguiar, que foi estudar na oscolla me-
Jico-cirurgico no Porto : a tratar na ra do
Vigario n. 19.
Acha-se novamente o ramazem atraz do
theatro com um completo sortimento de taboas
de pmho americano at 3 palmos de largura ,
e dedillerontcscomprimentos; dito da Suecia,
costado costadinho assoalho e forro c
para lundos de barricas de 20 a 30 palmos de
comprido o um, porcao de refugo tudo por
preco mais em conta de que em outra qualuuer
parte. 1
= No hotel da ruado Collegio n. 9 fozem-
se sorvetesde todas as qualidades, por commo-
po preco sendo encommendados duas horas
antes vlaquellas para que se quizer.
Aluga-so um preto possente, hbil para
todo o servico preferindo-se para armazem
de assucar ; na ra da Cadeia de S. Antonio,
deposito de farinha n. 19; no mesmo deposi-
to precisa-se de urna ama para casa de familia ,
sabendo engommar, ecozinhar.
= Precisa-se fallar, ou saber da moradia
de Joaquim Jos Ferreira da Penha e Jos
Lu/, lnnocencio Poges a negocio de seus in-
teresses ; na Rua-nova armazem n. 67.
= Ainda se precisa alugar urna ama com
bastante leitc forra ou captiva; na Bua-no-
va n. 65, primeiro andar.
Jos de Carvalho do Araujo,.Cavalcanti
embarca para as Alagoas couduzindo em sua
companhia o seu escravo de nome Sansao.
Quem precisar de roupa lavada e en-
gommada, dirja-se a ra da Senzalla-nova n 1.
Da-se lOOj rs. a juros sobre penhores ;
no pateo do Carino venda n. 2 na esquina,
oue volta para a roa Quom precisar do um caxero de 16 an-
nos
20annos, sendo do bonitas figuras pagao-se
bem ; na ra da Cadeia de S. Antonio so-
brado de um andar de varanda de pao n. 20.
Vendas.
FOLHINIIAS PARA 1844.
Achao-se a venda na livraria da praca da
Independencia as. 6, e 8 ; ra do Cabug ', lo-
ja do Bandeira ; defronte da matriz da Boa-vis-
ta botica do Moreira; no Recife ra da Ca-
deia loja de ferragens n. 45; em Olinda, ra
do Amparo botica do Rapozo ; e nos Qua-
tro-canlos, loja do Domingos: as excellentes
folhinhas impressas nesta Typographia com-
poslas pelaprimeira pessoa, que as fez nesta pro-
vincia e quetantocredito tem mereeido; conten-
do as de algibeira ptimas chcaras, e a disputa
entre urna pulga, e um piolho sobre a fidalguia;
outras contendo a confissSo do marujo ; e ou-
tras finalmente com a linguagem das flores, ou
novo diccionario para a correspondencia ama-
toria ; brevemente seexporaoa venda, as que
tem os nomes, e morad as dos empregados p-
blicos.
- Vende-seum escravo ainda moco, de
nacao Angola, e que canoeiro; na ra da Ca-
deia-nova n. 19.
Vende-se na ra da Concordia na casa ,
que tem venda madeiras, enchams maos
travessas caibros travs, ripas, cal, lijlos,
telhas, um tacho de cobre urna mesa de jan-
tar e todos os mais gneros de venda por pre-
co commodo.
Vendem-se caixas com velas de sebo, imi-
tando em tudo espermacete por preco com-
modo ; no caes da alfandega primeiro arma-
zem.
Vende-seum preto de nacao de 25 an-
carroca propria para carregar pipas e oulros
objectos, no lugardoengenhoda Torre, casa
aonde morou o fallecido Francisco Campello ,
na campia de S Antonio.
Vende-se urna parte do sitio n. 11 em
Bemfica .junto ao sitio de Joao Pinto de Lo-
mos com 131 palmos de frente 400 de fun-
do com casa de vivenda com 32 palmos de
frente, e50 e tantos de fundo, com muito
bons commodos ; a tratar no mesmo com Ge-
raldoAntonio da Roza, ou na Bua-direita ,
loja do marcineiro n 91.
Vende-se urna porcao de ponas de boi,
por preco commodo ; na ra da S. Cruz n. 51.
Vende-se urna mulatinha de 22 annos ,
faz lodo o servico de urna casa; urna escrava de
18 annos, cose, corta e faz qualquer obra ,
tanto de homcm como de senhora; uma ditaque
cozinha e engomma ; 4 ditas para todo o ser
vico ; dous escravos; um lindo moleque de
13 annos; um escravo bom cozinheiro e bo-
Vende-seum cavallo mellado, de dinas
brancas, novo, gordo, e de boas marchas nft
Attrro-da-Boa-vista n. 55.
ss Vende-se a venda da ra da Paz n. 2
com poneos fundos bem afreguezada, e com
commodos para familia ; a tratar na mesma.
== Vendem-se saccas com alqueire velho de
farinha de mandioca vinda prximamente do
Cear ; uma porcao de azeite de carrapato; sal
sa-parrilha vinda ltimamente do Para e 3
barris com ejrne salgada em salmora ,'tudo
por preco commodo ; ao p do arco da Con-
ceidSo armazem do Braguez ou na ra do
Vigario armazem n. 18.
- Vende-se calcado de Lisboa para homem
ancoretas de sebolas de conserva barris com
pescadas, e repolhos salpresos ; na ra das
Cruzes n. 41.
\ =Vendem-se pastilhas de cheiro abne-
les muito finos a 500, 400, 320, e 280 rs. ,
banha superior a 160 rs. um completo sorii-
Iieiro ; um dito bom carreiro e mestro de as- ment de perfumarias lencos de seda para al-
sucar; e uma mulatinha de 12 annos ; na ra gibeira a 2200 rs. bicos largos, estreitos bo-
de Aguas-verdes n. 46. I ns de palbinha a 1000 rs. ditos de veludo a
- \endem-senos Arrombados as madeiras 1000 rs. luvas pretas sem dedos a 1600 rs
seguintes: travs de 32 a 34 palmos do dito um lilas de cores escoce/as a 610 rs. pentes d
coito ditas de 40 de palmo em quadro se ti- tirar piolhos navalhas finas a 2000 rs. o esto-
vas de 44 palmos, travessas de 25 palmos jo pentes de prender cabello a 160 d tos
enchams de 20, 25, 30, e 36 maos travessas virados a 500, c 560 rs., popel de cores para
Je 25 a 30 caibros de muito boas qualidades; escrever dito de peso e almaco ; suspenso-
os pretendenles dirijao-se ao mesmo lugar, e "'os a 240 rs. ditos de burracha a 320 rs
lambem se manda por as obras, ou em qual- lacas e garlos a 3520 rs., ditos de cabo d
quer lugar por preco commodo. metal muito fino a 6500 rs. colheres de rm-
Vende-se um terreno no sitio Mangabei- tal para cha e soupa esteirinhas pintadas a
ra, na estrada de Belem com duzentose tan- 720 rs. eoulras muitas miudezas por preco
tes palmos de frente e mil ditos de fundo ; na commodo ; na ra do Queimado loja nova
venda n. 2 defronte do beco que vao para o n- 24.
nos, serrador, e socadorde assucar ; e
preta do 28 annos, quo cozinha, e lavadeira ;
na ra da Praia venda n. 27.
Vende-se, ouoluga-sea padaria da ra
das Cinco-pontas n. 154 e vendem-se douscai
xoes envidracados para amostras de venda tu-
do por preco barato ; na Ra-imperial n. 2.
as Vende se urna escrava moca de nac5o
Nagou ptima lavadeira e cozinheira com
um filho de um anno ; na ra de Apollo n. 20.
= Vende-se vinho da Madeira Malvasia ,
em volumes pequeos ; na ra da Cruz n. 23.
Vec^e-se um relogio horisontal sabo-
iiaw uc uuro m iausem dito um relogio
. inglez, sabonele de prata um dito para cima
para venda, do que ja lem conhocimen- do meza urna medalhade ouro de iei dnas
irilU CO a nwi \n CA....r.ll ..IL.. 1" ...t I ...
tos, dirija-se a ra da Senzalla-vclba n. 15.
Aluga-se um preto cozinheiro ou para
outro qualquer servico ; na llua-nova n. 67.
O Sr. J. G. G. queira ir a Ruu-bella sa-
tisfazer o que est obrigado desde 14 de no-
vembro de 1839 do contrario so publicar o
seu nome por extenco.
Alugao-se 3 casas no sitio do Cajueiro ,
com muito bons commodos, para se passar a
festa ou por anno com banheiro para se
tomar banho e um sitio com casa de sobrado,
na Passagcm-da-Magdalcna o tambem uma
olaria com barro no terreno para toda a quali-
dade de obra; a tratar no sitio do Cajueiro.
= Aluga-se uma casa terrea com duas sa-,
Jas, 3quartos, cozinha fra quintal, oca-
cimba ; na Bua-bella n. 40.
O snr. iJanool Francisco Soarcs diri-
ja-se a Rua-nova n. 55 a negocio do seu inle-
resse,
Precisa-sede um rapaz de 12 a 16 an-
nos para caixeiro de loja e de ra ; na ra da
Cabug loja n. 11.
Aluga-se pelo lempo de esla uma casa
terrea de pedra, e cal sita no Monleiro, con -
fronte ao oitao de 5. Pantaleao com sulici-
entcs commodos e por preco mdico ; na ra
do Queimado n. 11.
Traspassa-se o arrendamento de um sitio
na estrada, que vao para o Giqui n. 136,
com bons commodos trras para plantacdes ,
e lambem se aluga para se passar a esla; a tra-
tar no mesmo sitio ou na ra do Queimado ,
loja do Bandeira.
Aluga-se uma preta e um moleque de
14 annos para o servico de casa ; quem pre-
cisar dirija-se a Praca-da-Independencia, lo-
ja n. 3.
= O snr. doutor Felippe Carneiro da Olin-
da Ccmpello queira mandar receber na ra es-
treita do Rozario n. 27 uma carta, e uma
caixinlia de (landres, que vierao remettidos da
corte pelo ultimo vapor.
(Juem precisar de uma ama de leile sem
filhos c que do matto, dirija-se a ra do Mun-
do novo n. 42.
voltas de contas do Rio-do-Janeiro duas ditas
de cordao brincos o anneloes de difieren tes
modelos, um rozario unscorazes com riqui
fifes de ouro botos de abertura o punho
um alfinete de ouro com esmalte o diamante '
um salva para 4 copos, um par de caslicacs
modernos, urna colher de tirar soupa, 6 ditas
para dita ditas para cha, um cascavel, o pon-
teiro para menino e uma salva para um copo,
tudo de prata; as Cincco-pontas n. 45.
Vende-se um moleque de nacao de 16
annos ptimo para qualqner officio ; uma es-
crava de nacao boa lavadeira e quitandei-
ra ; na Rua-direila n. 3.
Vende-se uma escrava de 20 annos, eo-
zinheira e lavadeira ; uma dita quitandeira ;
3 ditas para todo o servico; duas negrinhas,
e uma mulatinha de 12 annos ; uma parda do
20 annos, engommadeira o costureira ; e
um preto de 18 annos; na ra do Fogo ao p
do Rozario n. 8.
Vende-se um caixo para amostras de
venda bem repartido e parte envidracado ,
por 68 rs. ; as Cinco-pontas n. 23.
= Vendem-se duas preta para todo o ser-
vico de urna casa ; na ra do Livramcnto, lo-
ja de couios n 23.
Vende-so um sitio na Boa-viagem, com
casa de taanica nova do duas aguas tem
20o4 pea de cajueiros novos, 80e tantos de co-
queiros, 8 de massaranduba, 4 de oity da praia,
e fita a boira do mar, podendo-se azer curraes
para peixe tem baixa para capim meloes, e
melancia ; eum cavallo russo, esquipador, e
passeiro ; na ra do Livramento n. 12.
Vendem se canarios do imperio em v-
veiro e j separados em gaiolas muito can-
tadores ementes de plantas de todas as qua-
lidades, vindas prximamente do Porto, ho-
laxinha ingleza a 160 rs. a libra, e sebolas
brancas ; na ra estreita do Rozario venda
n. 8.
i
Pornbal.
Vendem-se duas pardas, boas mocam-
bas cosem, engommao coz i n bao e azem
todo o mais servico; 4 escravas mocas com
boas habilidades; dous escravos para todo o ser-
vico um delles bom canoeiro ; um mula-
tinho de 10 annos, bom para pagem ; um
moleque de 12 annos; na ra de Aguas-ver-
dos n. 44.
= Vendem-se sacas com 3 arrobas de forel-
los, chegadas agora de Hamburgo ; na ra da
Cruz n 47, casa de H. Mehrtens.
Vendem-se bichas de Hamburgo gran-
des e pequeas ; na ra das Cruzes n. 39.
= Vende-se sal de Lisboa muito alvo a
1600 rs. o alqueire da medida velha; na Rua-
nova venda n. 65 ao p da no ni.
= Vende-ae o bem construido patacho ame-
ricano Mary Col, de lote do 174 tonelladas, ou
12 mil arrobas prompto a seguir vagem e
presentemente tundeado delronte do caes da
alfandega, aonde os pretendentes podem exa-
minal-o ; a tratar com os seus consignatarios
Henry Forster & Companhia na ra do Tra-
picho n. 8.
- Vende-se um cavallo alaz5o gordo de
segunda muda com todos os andares ; as
Cinco-pontas n. 71.
= Vendem-so ancoretas com uvas chega-
das ltimamente de Lisboa a 4000 res.; g-
gos com 48 libras de batatas a 1000 rs. ; no
armazem de Francisco Dias Ferreira defron
lo do guindaste da alfandega.
= Vende-se uma morada de casa terrea de
pedra e cal construida de novo no Atterro-
dos-alogados n. 137 ; a tratar na ra do
Queimado loja de fazendas n. 47.
= Vendem-se duas negrinhascrioulas, uma
de 12 annos, e a outra de 4 ; na Ra velha,
da parto do sul sobrado do varanda d
pao e pintado de verde por cima do uma ven-
da de manhaa at as 9 horas e de tarde das
3 em diante.
= Vendem-se terrenos, parte alterrados e
parle por atterrar, no alinhamento da ra da
Concordia, dividindo com as travessas do Mon-
leiro o Caldereiio os quaes j se ach5o par-
te cordeados eoseu proprietario lambem se
compromette a mandar azer as propiedades a
contento dos compradores, n3o se afastando es-
tes da planta e cordeaco da cmara ; a tra-
tar com Manocl Antonio de Jess na ra lar-
ga do Rozario junto ao quartel n. 18.
= Vende-se cha hisson de primeira sorte a
2560 rs. rapareia preta a 1040 rs. choco-
late de sadc a 320 rs. dito de ierro a 1000
rs. carreteis de retroz de todis as cores a 80
r*. caivetes de mola para aparar pennas,
quesaem promptas para escrever, pentes de tar-
taruga para marrafa ditos de marfim para ali-
sar, superior relroz de todas as cores para fran-
a e outras muitas miudezas superiores por
= Vende-se banha de porco derretida e
em pelle, por proco commodo ; na ra dos
Pescadores n. 19.
= Vende-se Jacaranda superior chegado do
Rio de Janeiro podras de marmore redondas
para mezas de mcio de sala, de muito bom gos-
to, ditas para commodas, cadeiras america-
nas com assento de palbinha camas de vento
com armacao marquezas sofs mezas de
jantar camas de vento mui bem feitas a 4500,
ditas de pinho a 3500, assim como outros mui-
ros trastes ; pinho da Suecia com 3 pollegadas
de grossura dito serrado dito americano de
difierenles larguras e comprimentos ; assim
como travs de pinho, e barrotes ; na ra- da
Florentina em casa de J. Beranger n. 14.
Escravos fgidos.
\ endem-se sobre-casacas de cores, para preco commodo; na Praca da-lndcpendecia
cin (le nmii n ora cifma m J. tV___ L. ora '
Compras
CompraG-se eTeclivamente para fra da
ptovincia escravos de ambos os sexos de 12 a
passeio de nouto, e para sitios ; na ra da Cruz
n. 26, venda de S Araujo&Irmao.
Vende-so um sitio na encruzilbada da
Casa-forte estrada que vae para o Cordeiro ;
a tratar defronte da venda do Nicolao
- Vendem-se bules, e cafeteiras de metal,
bacas de rame candieiros perfumadores
e escrivanliias de latao ; na Rua-nova n. 41.
= Joaquina Marn da Conceicio vendo uma
n. 39.
= Vendem-se pentes de tartaruga da mo-
da abertos e lisos ; assim como se concerta
toda obra de tartaruga ; no pateo do Carmo ,
na loja do sobrado da esquina que volta para
a ra das Trinchcras n. 2.
Vende-so uma preta de 26 annos, en-
gomma cozinha, lava.e recolbida ; na
ra do Sol a 0,
== No dia22de novembro do anno passado
fugioopreto Antonio, de nacao Angola de
35 annos, veio da provincia do Coar ha 5 an-
nos baixo. corpo regular, denles acangula-
dos com um carosso em cima do embigo para
um lado do estomago ps radiados andava
vendendopao pela Boa-viagem; levou camisa
de aigodaozinho ou estopa e calcas velhas
pretas; quem o pegar, leve a praca da Boa-
vista n. 28 ou no Atterro-dos-aflbgados n.
120, quesera gratificado.
No da 3 de outubro p. p. fugio a escra-
va Maria denaco Cacange, de 40 annos,
estatura baixa, olhosesbugalhados rosto feo,
mos foveiras unhas pretas, suspoita-se ter
ido para as partes do sul, lugar onde foi com-
Drada ; quem a pegar, leve a praca da Boa-vis-
la n. 26, segundo andar que ser gratificado.
No da 26 de novembro p. p. fugio o
preto Joao Elsbao crioulo de Loanda de
23 annos, olficial do pedreiro alto, grosso
do corpo, com barba por baixo do qucixo ,
rosto comprido dentes limados meio embi-
gudo o p direito mais grosso, que o esquer-
do por ter tido algumas feridas na mesma
perna do que existen) marcas, dedos das
maos e ps mui compridos ; quem o pegar,
leve ao tenente-coronel Varejao na Rua-ve-
Ihan. 91, que ser gratificado.
= Fugio no dia 23 do julho do corrente
anno o pardo escravo de Jos Lins do Vaho,
snr. do engenho Matto-grosso provincia das
Alagoas, o qual tem o nariz afilado, dentes li-
mados, coralva meio fon lioso, cabellos es-
tirados e acastanhados, ponca barba bei-
cos grossos olhos pardos com sgnaes de be-
chigas pelo rosto, e uma cicatriz na testa; quem
o pegar, leve a ra da Guian. 31, segundo
andar.
= Fugio no dia 4 do correnlc o preto Jor-
ge de 30 annos baixo cheio do corpo ,
rosto bem carnudo ; levou camisa dealgodao ,
jaqueta velha de quadrinhos roxos calcas par-
das do riscado de laa mui grossa o velha ,
dentes limados parece crioulo, mas um pou-
co bruto ; quem o pegar leve as Cinco-pon-
tas n. 62, ou no sitio dos Arcos nos Remedios,
que ser gratificado
Recipe: na Trp. dsM F. db Faria=1843.
I


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ED8QXJ3BQ_X1NDUS INGEST_TIME 2013-04-12T23:54:19Z PACKAGE AA00011611_04531
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES