Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04530


This item is only available as the following downloads:


Full Text
A lino de 1843.
Quinta Fetra 7
ludo agora atiende de nos meapios; ,U nussa prudeno, niucicngo, e enerru: cuu-
tiiueiooi coma principiamos, e seremos apoBliiloi eom edatirigu ralle NagSe maii
Cillas. ( i'roulamag.'io da Aasemhleia Geral do Brasil.)
PAIlTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES.
(ioianna, e l'arahyba, segundas e sextas fciras. Hio Grande do N >rie, quintil feiru.
Bonito e Girenhuns, a 4U e 24.
Cabo. Serinhem, Rio Formse. Porto Calvo, Maceiii, e Aligou no i Ut r }1_
Boi-Tstae Flores a 13 e 2.S.jffanto Anljo. quintas Oirs Olinda todoi 01 din,
DAS DA MiUaNa".
i Sep. Barbar V M. Aud. do J de D. da 2. .
5 Tw, Geraldo Arc_ Re. Aud. do J de D.daS. t.
6 Quarl. i. Nicolao B. Aud. do J. del) da 3. v.
7 Ouni. i. Ambrosio 0. Aud. do J de D. da ii. v.
8 Se i Conceicao de Nossa S.a.
f i0 D'"".. Melquades I'. M.
^gj^sMkaiisn>sUMu>^. ^y^.spasMCTiwnsMsawahaMBMsass^BswwsBHMsBBMSii^B^sii^^sii^s^
de Dezembro Auno XIX. N. %&>.
O DiABlo publica-..-todos o, dia .le tres mil res por quariel pisjOl s.liantailos Os innuucios dos signantes
rdtri-
is por quartci pegos amananos us iiiimin.!- ----.i-------- diri-
oi que n".o torero k rute de BO'rtil porlin'.ia. Airei-limictiei ueeem r
fip., ra das Criee N. 34, ou ...raes da Independencia oji delirrol
*rt,Ty
, sos
gidn esta T
C sainosNo da 6 de Deiemhro. cosapn
C.asbio sobre Londr.s ?G. Ooso-Mosd. d. 6,400 T 46,8j
r.ril37jr.i. por'raneo. N. 46,6JlI
Liiba 41Q por400d.pr.Bto. I di 4,000 ii"0
PiaTi-l'.t.eo.i 1.'Jt>"
Moedadecobie por oa lo, l'etos Co:unarsi
Idesadelet-aid.boas rri 1 a 1 14 5- ditoi Moauaims
PHASES DA LA l\ HgZ DE DEZEMBRO.
Lu, Chet. a (i, i '> "' *1 trJe I La or. 21, as 1 horas e 49 m. da m.
Qu.rt. inK. 4 44, 10 liaras e 33 m. da os. | Qnen.cteei. 4 J8, 4oi43 minutos db Urde
'reamar re hoje.
4. .5 borai !S a. 1 ,'JJ0
l,tf00
rend.
17 000
46,800
9,100
1,920
l.'JJU
t.'JiO
-N


&^biModn>
Si
a
PARTE OFFJC1AV
US*!
Governo da Provincia.
EXPEDIENTE DO 1, DO COMIENTE
Oflicio Ao presidente interino da relacao
communicando ter S. M. o Imperador concedi-
do quatro mezes de licenca com ordenado ao
bacharel Antonio Luiz Dantas de Barros Leite,
juiz de direito do civel da comarca da Boa-
vista.
Dito Ao agente da companliiu dos paque-
tes de vapor, autorisando-o fazer seguir para
os portos do sul o vapor Imperatriz, dentro do
praso marcado no respectivo regulamento.
Expediru-se as convenientes ordens, pora que
o commandantedo referido vapor fosso receber
30:0008 rs. em notas, que pela thesouraria t.-em
de ser remettidos ao tribunal do thesouro; o
coinmunicou-seao inspector da thesouraria da
fizenda.
Dito Ao juiz relator da junta de justica,
remetiendo os processos verbaes dos reos Ale-
jandre Perein da Silva, Joao Francisco de Atala-
jo, Francisco Rodrigues da Silva, Jos Francis-
co de Olivoira, Jos Antonio, e Antonio Vital
de Negreiros, soldados do batalhad provisorio
doCcar, para que, dpos de vistos, seja5 a-
presentados em sessao da mesma junta.
Ditos-Ao inspector da thesouraria da fasenda,
e ao director do arsenal de guerra, recommen-
dando em cumprimentodeordem imperial, quo
empreguem todos os meios ao seu alcance, pa-
ra queem nada seja escedida a quantis .ic res
9:644# marcada na distribuicodo crdito pa-
ra osaprondizos menores do dito arsenal, c que
dove ser despendida,tirando-se 360.S rs.para um
pedagogo; 8:7848 rs. para diarias de cen apron-
dises, calculadas para 366 das rasao de 240
rs. por dia; e .'ioo- rs. para despesas miudas,
lavagem de roupa, etc.
DitoAo commandante das armas, remetien-
do copia do decreto de 8 de novembro ultimo.pe-
lo qual S. M. o Imperador houve por bein am-
nistiar a Bento Ferreira Marques Brasil, alleres
da terceira classe do exercito, do crime, que
commetteo em exceder a licenca quo obteve,
para tratar desuasade nesta provincia.
DitoDo secretario da provincia acamara
municipal do Bonito, aecusando recepcao do
balanco da respectiva receita o despesa no an-
sio lindo, e do orcamento para o anno futuro.
Commando das Armas,
EXPEDIENTE DO DlA 23 DO PASSADO.
Oflicio Ao commandante da Ilha-de-Fer-
nando, ordenando-lhe.quena primeira occasiao
Iho informasse, que numero de doentes existi
no hospital da ilhacm cada um dos annos de
1837 1841, tompo em que esteve a cargo do
cirurgiad SobastiaoJos Gomes; c bem assim a
maneira, porque era regidoe administrado.dc-
clarando mais, se pelo almoxarifado so forne-
cia, ou nao o necessario para o expediente -do
hospital, ailm do se poder com exactido dar as
informac5es, que respeito exigi o conselho
supremo militar em despacho de 3 do correte
(novembro.)
Dito Ao commandante do batalha de ar-
tilharia, para que previnisse ao capita Velloso
da Silvcira, e primeiro-lenonto Alfonso Ferrei-
ra, a estaris! promptos a seguir para acOrte no
primeiro vapor quo chegasse a este porto vindo
dos do norte.
dem do da 24.
Ollcio Ao Exm. presidente, relatando-lho
diversas circumStancias occorridas por occasiao
da noroeaco do conselho de guerra do coronel
graduado T. C. Burlamaque, e outros; a ma-
neira, por que as linha providenciado, e sugei-
tando declsa do-governo do S. M. o Impera-
dor as cinco perguntas, que so seguem. l.*Se
oomeado um Conselho do"lnvestigaca6 paraco-
nhecer da existencia de qualquer delicio o seus
autores, apparecer implicado flgum ollicial de
patente superior a do presidente do conselho,
podo o conselho assim organisado servir de ba-
se ao do guerra, ou so de mister mandar co-
nheccrdodelictocommettido pelo dito ollicial,
por outros de igual ou superior graduayao? 2.a
Se pdem ser julgados em um so processo reos
do mesmo crime, embora sejo de crpos e gra-
duales di Hercntes, urna voz que os vogaes do
is. nnhi iis"i c"'rior D2t?n'.? o do
reo mais graduado? 3. Sena falta dolficiacs
disponiveis das tres classes do exercito, forem
nomcados para conselhos de guerra ou com-
missfles do servico militar, officiacs da quarta
classe, como devem ser estes considerados con-
corrondo com aquelles, em rclag5o s suas an-
tiguidades; isto, se os das tres classes devem
preceder aos da quarta, sendo da mesma patente
ainda que mais modernos? 4 Se em casos de
necessidade. permettido nomoar para conse-
lhos ou oulras commissocs do servico a ofllclaos
da extincta segunda linha emprogados em pos-
tos iguaes ou superiores na guarda-nacional, e
pela afirmativa como devem ser considerados
nos conselhos ou commlss5os, se pelos postos
da extincta segunda linha, ou da guarda-nacio-
nal de que tiverem exercicio? 5.* Se em caso de
urgente precisao, licito fasor recair as nomoa-
?6s figuradas cima, em officiaos reformados,
ou da extincta segunda linha, queestiverem em-
progados em commissoT'S especiaes do governo
imperial ou do provincial, como por exemplo
no coronel da quarta c'asse commissario fiscal
do ministerio da guerra ou so estes offlciaes
lem legitimo impedimento?
DitoAo Exm. presidente, rogando-lhe.hou-
vesse de passar suas ordens thesourariu, para
abonar ao capitao Pedro Ivo Velloso da Silveira,
e primeiro-tenente Pedro Alfonso Ferreira do
terceiro batalha do artilharia h p, o sold do
corrento mez (novembro) e as comedorias de
embarque por torem de seguir para a corte de-
vcndo-sc-lnes passar as competentes guias,
com drdaracao na do segundo, que deixa urna
prestaca do 10^ rs.
Dito Ao mesmo Exm. Sr.. informando o
requorimentodo capitaS de artilharia Anacleto
Lopes de Sant'Anna, que a S. M. o Imperador
supplicava a merc da cruz da ordem d'Aviz.
Thesouraria da Fazenda.
EXPEDIENTE DO DIA 23 DO PASS.VDO.
OflicioAo Exm. presidente da provincia,
com a copia do oflicio, ou representacao do pro-
curador fiscal da thesourariu, em quo partici-
pou tero actual juiz dos feilos da fasenda, no-
meado ao solicitador dos auditorios Rodolfo
Joo Barata de Almcida, paraservirdesollicita-
dorda fusenda, durante a molestia do servon-
tuario Jos Ribeiro do Amaral; o bem assim a
impossibilidado d'esto emprego poder aecumu-
lar tambem o servico das causase negocios da
fasenda provincial, sem prejuiso da arre:adacao
e dependencias judiciaes da fasenda nacional,
lint de dignar-se decidir determinar o que jul-
gasse conveniente.
Dito Ao mesmo Exm. Sr., dizendo, que pa-
reca, que a venda da plvora nos particulares,
vinda da fabrica nackfhal, podia ser encarrega-
da ao arsenal de guerra, rocolhendo-se trimen-
salmente ao cofre da thesouraria o seu pro-
ducto.
Dito Ao procurador fiscal da thesouraria,
reenviando a precaloria, que Ihe havia dirigido
o collector do municipio do Rio-formoso, pas-
sada 2 annos, contra um devedor da fasenda
publica, da quantia do 605^978 rs., o partici-
pando, que nesta data linha determinado, que
o mesmo collector, sem demora, dsse os escla-
recimentos, que havia exigido em seu oflicio.
Portara Ao collector de diversas rondas do
municipio do Rio-formoso, para dar.com ur-
gencia, os eselarecimentos sobre a prccatoria.de
que trata o precedente oflicio.
dem do da 24.
OllcioAoExm. presidente da provincia,
informando sobro a pretendo do guarda apo-
sentado daalfandega Ignacio Francisco Mar-
ital.
DitoAo mesmo Exm. Sr., pedindo esela-
recimentos sobre a arremataco do fornecimen-
to de luzes para todos os quarteis e corpos de
guarda desta cidade.
dem do da 27.
Oflicio A\> Exm. presidente da provincia,
informando oAequerimento do capitao Ifazilio
Magno da Silva, em quo pedio o pagamento dos
sidos, que se Ihe devi5o, e deixrao de ser pa-
gos por motivos de commocoes polticas.
Dito Ao procurador fiscal da thesouraria,
remetiendo seto contas, acompanhadas das res-
pectivas lettras, na importancia de 584^867 rs.,
do diversos devedores a lasenda publica, para
proceder judicialmente sua cobranca.
Dito Ao inspector da alfundega, para in-
firmar r"Or! tod" a hr vi jarlo fino nnnnfirlartp
de plvora se linha despachado por aquella al-
fandoga nos annos flnanceiros do 1840-41,1811
-42, 1842-43.
Dito Ao meamo, idem, qual foi o rendi-
monto liquido de quo se tirou porecntagom pa-
ra os empregados, e a despesa da capatasa, em
cada um dos annos financeiros de 1841-42,1842
-43, e nos quatro mezes do ulho a outubro do
correte anno.
dem do da 28.
Oflicio Ao Exm. presidente da provincia,
informando sobro o offlcio do delegado da co-
marca do Brejo, que acompanhou a conta da
despesa feitacom apatrulha, quo conduzio um
preso villa de Garanhuns.
Dito Ao mesmo Exm. Snr.. participando
ter Arsenio Fortunato da Silva arrematado ni
dia 27, perante a thesouraria, com ascondicSes
quo por copia acompanhava. o servico da ca-
patasia da alfandega, do 1. de Janeiro ou do
i. de julho de 1S44, conforme a decisaO da
presidencia, at 30 dejtinho de 1846. pelo pre-
go decent e um centesimos por cento (1011
da renda do mesma alfandega, do queso tirar
porecntagom para os empregados, a flmdc dig-
nar-se dar as suas ordens respeito.
Dito Ao director ao director do arsenal de
guerra, pedindo novamente, remetlesse a tabel-
la, pola qual se regnlava aquello arsenal para
o pagamento dos fardamentos dos corpos. que
na5 recebiao consignacaS, a flm do liquidar-se
diversas contas, quo existia na contabilidade
militar.
dem do da 29.
OITicioAo Exm. presidente da provincia,
rogando a repeticaodas suas ordens a todas as
auioridades de bera-mar desia provincia, para
quo tivessem toda a vigilancia a respeito do con-
trabando do pao-brasil, nao permittindo, quo
algum fosse embarcado, em qualquer porto ou
ponto da costa, mesmo com destino para esta
cidade, sem que o dono se mostrasso autorisado
pela presidencia, ou por contrato com a thesou-
raria e a remessa fosso acompanhada do guia,
e participado official.
Dito Ao mesmo Exm. Sr., informando o
requerimento de Vicente Jos da Costa, om que
pedio o pagamento do diversos objectos, que
vendeo para o arsenal de guerra.
Dito Ao mesmo Exm. Sr.. idem do Vicen-
te Ferreira da Silva, corneta da guarda-nacio-
nal, idem de seus vencimentos^^___________
Correspondencia.
.,,-...,>, I T I-------- i" I =sei
Srs. Redactores. Nao posso (icarcm silen-
cio, nem deixar do osncommodar,pcdindo-llies
a inserso dcstas duas linhas a vista do nina
correspondencia transcripta no> -novo n.263,
cujo autor entondeo, que devia assignal-a com
o meu cognome, pelo qual sou conhecido entre
os meus cantaradas. Nao se i qual podia ser a
intencao desse trahidor, mas como ella no po-
do ser hoa preciso que declare ao publico ,
quo nao minha essa correspondencia nem
concorri para a sua pul)lcacao, nem prestei pa-
ra ella a minha asignatura : nao sou homcm
de lettras, sabe-o todo o mundo; mas convm,
quo eu declare,que, quando me tcnlassc o dia-
bo aprestar a minha assignatura para capote de
algum espertalbo poltico, como moda, nao
o Caria nunca para servir causa daquelles, que
ostentao inverter todas as cousas elogiar erros
e crimes, quando elles sSo commettidos por seus
partidarios, eatacare insultar quem sabe, a-
irula cumprindo o seu dever, ser benigno e ge-
neroso. Tcnho sempreouvido fallar em mul-
ta valentia em desafos e outras fanfarrona-
das ; porm na verdade as occasies falhao
muito ossas cousas, o ha muitos, que fallao co-
mo mulheres; volta-lhes a voz ao bucho por tal
maneira, que, se a mostrao ter para lastimar-
se, ou cousa que se pareca com isso.
Sou Srs. Redactores, &c.
O verdadeiro Benedicto alias
O capitao .ntonio Benedicto a" draujo Per-
nambuco.
fj*yu>*
Vari (?da des.
O CARAPUCKIRO
O NOSSO PUOORESSO.
Se nossos avos resuscitassem quo atni-
tos c pasmados nao ficario das mudanzas,
quo tem feito a nossa provincia Quo cm-
bascado se nao mostrario vista de tanta cou-
sa nova o de tantas mara.ilhas, que nem sus-
poitrao podessem haver por esse mundo O
mesmo nome de provincia Ihes causara estra-
nheza ; porque sompre se chamou capitana.
(Qualquer villa do nosso interior talvez cont
hoje tanta populacao, quanta possuiai ento os
tres bairros do nosso Rocife que at bem pou-
co lempo se chamava villa de Santo Antonio do
Recifo ; porque nomo do cidade s conservava
a decrepita Olinda.
Alguma cousinha.quo havia de fra, tudo nos
vinlia de Portugal; porque os nossos prtos erao
vedados aoestrangeiro: d'aqui ocostumode dar-
se a todos os gneros o nomo do reino: manteiga
do reino, queijo do reino, farinha do reino, o at
do reino secliamavaoa pimenta, o cravo.e aca-
nella da India. Em urna das praias da nossa
costa succedeo naufragar um navio ingle/. : o
como os homens da tripolacao se salvassem em
Ierra para all correo immensa gente, e todos
pasmados do ver aquelles liereges, que tinho
olhos, bocea, nam caliera, &c &c..corno
qualquer calholico ; o os pas transmittio aos
lilhos a tradico de j terem visto inglezes !
Ncsses pacificostemposcoloniaes rarissimoera
o Pernambucano que passava o Allantico; o
urna viagem a Lisboa reputava-se um brasao do
familia. O mancebo que d'alli voltava era
logo tido por sabio alm de tornar-so figuri-
no das modas. De ordinario vinha mais tolo ,
do que tinha ido ; mas fra ao tbeatro do Sa-
litre o da ra dos Condes vira a estatua e-
questro, o os arcos das pguas livres, ouvira can-
tar n3o a Catalani; mas a Gaforini ou Capo-
ralini, o tanto hastava para considerar-se sohe-
jamente instruido: c se vinha papagucando qua-
tro cousas em rancez e fallando em Voltaire,
isso ora suflciente para o baptizarem em Dr. :
se chegava a formar-se em Coimbra tinha toca-
do a mota da sabedoria, com quanto um d'estes
liouve, que, pondo banca de advogado, leve do
abrir mao dessa industria; porque nunca nos
pleitos podo distinguir claramente quem ero o
supplicante, e quem era o supplicadosb Por in-
termedio desses viajeiros, e desses doutoracos 6,
que asdoutrinas impas dos philosophantes da
Franca pouco, e poucose lora o importando no
Brasil.
I", o quo era cnllio o nosso bello sexo ? Bem
poucas sonhorassabiao ler, e menos escrever ;
porque os nossos bous maiores queriao desliar-
te lrar-lhes este moio de namoro e do corres-
pondencias amatorias, como se das mais santas
cousas se nao possa abusar, o como so cssas pri -
vacoes servissem de outra cousa mais do que
de aguar os desejos, c de dar occasiao a maio-
res escndalos. O traje ordinario das nossas
bellas patricias era; saia mu curta, e pelas ve-
rilhas, cabeco decassa o bem decotado do
maneira que vio-se at os poros do seio &c,
e sempre em pomas. Que decencia que ho-
nestidade Assim se passeava pelo Poco da-
panella, assim se recebiao visitas, tic., &c.
As pcss<\is visitadas ohsequiavao as suas ami-
gas nSo com chas, torrodas e sequilhos, so-
nao com as solidas merendas de talhadas de quei-
jo ( do reino ) cozidas, bananas, farinha, vinho
a granel c doce. Os almocos era logo muito
sedo c quasi sempre constava de carne assada
com seu competente mlho chamado d o lerru-
gem o pirao feito da olha e de toda a osma-
zoma da panella : o putar era as badelladas do
meio da, a ceia s 7 horas da nouto. As mu-
lheres ero rubicundas frescas e vigorosas.
Qual era a rapariga d'esses tempos.que sequei-
xasse de gastrites, de interites, de pulmonites,
de ipcrtrophias, e de outras molestias tao eias,
e arrevesadas? excepcao d'alguma indigestao,
e os indemicos almorrorios, de que sempre fal-
lavao os vclhos, d'algum estuporzinho do revez,
poucas mais enfermdades havao. As moras
raras ve/es erilo visitadas por medico e quan-
do ncommodadas sempre tinho mi, avi>, lia,
ou comadre que Mus applicavo cbaropes de
batalnha de lncua de varea os rlsn;, do
pimenta o cha de mqpeiia avenca com niel
l


%
)
de pao o assim se iao carando e chegavao a
idade avancada.
Nao seconhedo sociedades, partidas, bailes,
nein soars: quadrilhas s<> se conhecio as de la-
dros: nao se sabia o que era vis-avis, o passear
um marmanjocom urna sonhorapelo braco seria
motivo para se porm conflagraeo um reino
inteiro. O que havia sita erao os festejos e
dansas de S Goncalo. as (estancas de maior
porte como cusamentos o baptizados tinhao
seu lujaros minuetes da corte e rasteiro; mas
de ordinario ludo se arrematavacom o bolicoso
iandum em o qual nossas avs bamboleavao-
se secundum artem, e rocebio palmas, e gran-
des gabos dos amadores d'esse santo lempo.
Tambero se tocava e cantava nao arias de
Hossini, ou Belini ao piano, porm modinbas
do acompanhadas na citara ou na violla ;
os nossos baxixas o bons tempos ero o mos-
tr sapateiro Raimundo, e o velho Manocl Go-
mes (gog de guariba ) Toda a moca de maior
porte tocava salterio ou a tal citara quo l-
nha mais de um covado de braco. En vez das
chamadas modinhasd'agora, que nao passao de
servir plagiatos de arias italianas, niormente
danotma, havio as montonas cantigas
A minba Nise adorada e .
A Chiquita, Chiquita meu bem querer.
Nesses errenhos tempos as mulhercs mal Ra-
bilo fallara lingua do gasto commum como
fallariao Francez ? Entao nao tinha apparecido
a inyasao das novellas e estava na massa dos
possiveis o gosto romntico. As mocas dessas
ras gothicas no que se mostravao versadas era
fias chcaras; mas cm troco disto sabio bem
ozer, bordar, sirgir, &c;", &c. Raras votes sa-
bido de casa principalmente sendo casadas ;
porque todo o tempo Ibes era curto para as oc-
cupaces domesticas. excepeo de algum tio,
e de seu primo Cazuza Manezinho ou Chi-
quinho nunca allavo com homcm e se al-
gum se annunciava na oseada, acodia logo urna
das mocamas, que ora urna especie de sargen-
to de ordens, e despedia-o immediatamente,
dizondoYyo nao est em casa:retirava-se
o sujeito sem que pozesse o luzio nem na mu-
Iher nem as filhas: o mais que estas svezes
faziaoera irem espreitar o homem poralguma
greta da porta. Mais, filhas, e cscravas lo
das cozio e azio rendas na sala: se succedia
entraralgum homem, excepeo das mocamas,
tudo mais moscava para as camarinhas dei-
xando s vezes pela pressa os chichellos, que
parecan pcx;riuos seceos. O terco era o pao
nossodecada noute : toda a familia assistia
esta devoco depois da qual, e duma grande
ofada de Padres nossos e Ave-Marias pelas al-
mas destes e d'aquellcs defuntos. pelos que
andav3o sobre as ondas do mar, &c., &c., cada
um tratava de procurar o seu ninho para dor-
mir. L'nto as mulheres trabalhavao de dia ,
e dormio de noute. Hoje (como est tudo mu-
dado ) o inverso : assenhoras do bom tom
dormem todo o dia e vello toda a noute nos
bailes, nascompanhias nos theatros, &c. E
ainda haver quom negu o nosso progresso?
O que dirio os nossos velhos resuscitados,
quando vissem as maravilbas do vapor, essa
nova potencia do mundo moderno ? O vapor ,
e as elcicoes teem mudado inteiramente a face da
trra. Que cousa ha abi hoje que se nao faca
por vapor? At algumas leis parecem eitas
por vapor: temos fabricas de tudo inclusive
de leis. Navega-se por vapor, viaja-se em
carros de vapor, mem-se engenhos por vapor,
abrem-secanaes por vapor imprimem-se li-
vros por vapor: talvez nao tarde que socan-
te e danse que se coma e beba por vapor!
O oosso seculo bem pode ser chamado o seculo
do vaprate pela inconsistencia de tudo. Ou-
tr'ora um ministro d estado dura va no em prego
annos e annos : hoje ha ministro cuja exis-
tencia to breve como a das borboletas.
Amigamente as leis tinhao duraco deseculos,
presentemente as que hontem se forjrao sao
hoje remendadas, remontadas, explicadas,
; e passava-so por cima o menino
de chifre
dizendo
Nosso Senhor defumou seu bento Filho
para cherar eeu defumo o meu para sarar :
dito isto por tres votes a cura era infallivel.
As espinhellas cahidas curavSo-se tambem com
certas palavras e suspendendo o doente oa
chave d'uma porta. As molestias d'esses tem-
pos erao pela mor parte portuguezas e rabes :
h .je sao todas gregas afrancezadas Entao cha-
mava-se dor de cabeca ao que hoje se denomi-
na enuphalitet cerebrites c. A velha es-
quinencia ou garrotilhochama-se agora pha-
ringites uo laringiles. Sangue pela bocea
chama-sn hemoplyse-Estou com dor de bar-
riga( diziao os nossos maiores ) hoje se diz:
tenho colites, intentes, $c. at as to anti-
gs e sabidas dores do olhos e de denles ,
agora se denominao ophlalmias e odontal-
gias.
Nossos avs tioho certo ar, corto porte ,
certo carcter, que os distingua : mas hoje
o que somos nos sooo uns macacos da Fran-
ca ? Hoje se nao ora a linguagem de tatamba
qualqucr dos nossos jovens nao sedifiercocaria
d'um bilhostre de Pariz. As nossas sinhasi-
nhas e yayas ja nao quercm ser tratadas se-
no por demoiselles mademoiselles e mada-
mes. Nos trajes, nos usos, nos modos, as
maneiras sse approva o que francez, de sor-
te queja nao temos urna usanca urna pratica,
urna cousa por onde se possa dizer: isto
proprio do Brasil. Nossos avs allavo portu-
guez : nos o que que fallamos ? Urna ge-
rigonca um engrimanco de mal cergido fran-
cez com portuguez que nao pertcnce a edio-
ma algum conhecido. Aquellos, quando me-
ninos accomodando-se ndole da nossa
lingua diziao mam&i; por que em portuguez
sempre se chamou mi : hoje nem aquelle vo-
cabulo se permitte entre os alindados Galici-
parlas: deve-se dizera minha maman porque
em Irancez assim pronuncio os pequeas. En-
tao tudo isto nao progresso ?
Nesses tempos da amorosa os filhos ainda de-
pois de barbades e emancipados tinho sum-
mo respeito veoeraco summa a seus pais,
e bem assim o discpulo ao mestre, e ateos
mocos aos velhos. Um rapaz de 15 16 an-
nos ainda ia pj>ra a escola accompanhado d'um
fmulo, que nao o deixava por p em ramo
verde. Quando entrava na classe era logo
tomando a bencao ao mestre. Depois das Ave-
M
aojos, que era um pasmar. Urna cama destas
passava illesa dj geraco em gtracao, o atra-
vessava impassivcl todas as vicissitu'des dos se-
culos. Nossos maiores ouoca tomro cha ,
seoao como remedio de botica para empaco .2-
meotos, o iodigestes: mas hoje o capitulo
ck urna sciencia positiva e dar um cha tem,
que se loe diga : eoto s os principes, e grao-
des da trra possuio alguma porcelana. Hoje
qualquer piegas apreseota o seu apparolho rico,
e aprende a dar cha s stias visitas, &c. &c.
utr'ora oo oosso Peroambuco oao haviao
mais de tres a quatro charollas chamadas se-
ges, oucarroages: hoje sao tantas as traqui-
tanas, sao tantos os carros, os cabriols, e
factontes que fazem troar, c rciroar as ras a
toda hora do dia, e da noute. Alm disto que
asseio, que variedade, que riqueza, queluxo
assim no trajar das senboras, como dosno_
meos! Outr'ora quem era velbo nao tnha
outro remedio, seno retirar-se da scena do
mundo, armar-so de seu nzario, e quando
muito s servir para os cargos mais importantes
do estado, ou para dar conselhos aos uiocos.
Hoje nao assim : ha cosmticos, e receitas
para tudo: ha tinturas, e bezuotos para tudo,
ha denles posticos, &c. &c.; o nio falto vc-
Ihas, quo com estes recursos, evolumandoas
esguias ancas se apresentem oos bailes, val-
sando, cootradaocuodo, e dando figas s mais
frescas, e guapas mocoilas.
Fioalmente em tudoapparece o oosso espan-
toso progresso. utr'ora entendio os homens,
que dioheiro so era de prata, de ouro, e de
cobre; e por isso as meias doblas, e os pata-
coes andavSo porahi a graoel, e oioguem en-
tenda de agios. nem de cambios: urna moeda
de 3 patacas era 960, e meia dobla 61400 rs.,
nem mais oem meos. Hoje tal o oosso pro-
gresso, que papeisiohos piotados sao moe-
da correte, e o ouro, e a prata tem emi-
grado do meio de os, talvez por serem cou-
sas velhas e que se nao uso. E o progresso
dos tiros, e lacadas I S com esta moda ,
que nao posso sympatizar.
Joaquim Oliveira Sousa.
r n -ic n i n
S8Q1 o y id iuiu ue casa ; e oao la-
zia a primeira barba sem expressa ordem de seu
pai. Cm preseoca deste e de pessoas de gra-
duado ou de maior idade conservava-se eo-
colhido serio, e callado; e de ordinario des-
conbecia a mor parte das ras da cidade.
Hoje porm que diflerenca e que espanto-
so progresso Qual o menino de dezannos ,
que faz mais caso de seus pais ? Qual o joven ,
que nao olha com desprezo para seu mestre ,
e que nao zomba dos velhos ? Hoje um rapaz
de 15 annos ja urna notabilidade passeante ,
c fumante por toda a parte : j sabe perfeita-
mente as primeiras letras, o latim o Irancez,
o ioglez a pbilosaphia a rhetorica a geo-
metra a geographa a historia ; e nao ser
maravilha que se atre a poltico escreveodo
peridicos e derramaodo luzes como
uns ardiles. Alm disto j namorador
famoso, e socio efTectivo de todas as cousas,
que acabijo em ina: nao perde baile, nao fal-
ta a thealro, eotra e sabe em casa de seus
pais, como em umaestalagem. Subordina-
do, e humildade s8o virtudes proscriptas nos
nossos dias e reputadas synonimos de baixeza,
servilismo, e vilania : o que se adopta o
nobre orgulho, que vem a ser em resumo urna
cousa assim por modo do que os nossos aotigos
chamavao m-criacao.
As mocas d'outro tempo tambem ferravao seu
oamoro; pois sempre houve amantes emperra-
dos e tenazes ; mas apenas podiap azer seus
bichaneros por entre muidas gelozias, e de ma-
neira que ninguem ern rasa percebesse, A ex-
cepcao da mocama coofldeote: mas hoje que
progresso al as facanhas amatorias! Hoje
as mocas namoro a sonaise as barbas do pai,
e nos queixos da mi, conversando em francez
cooi os seus apaixooados, passeando com elles
embragados no (ini das quadrilhas, e o pasca-
do do pai, e mais a pateta da mi muito satis-
feitos do progresso de suas filhas as boas ar-
tes. Alm disto qual a filha de bom tom,
que toma hojo a benco a seus pais? Isso de
bencao cheira a religio, e quanto basta para
ser eliminado do ritual da moda. Aotigameo-
le omitieres feitas, e at mais de familia pe-
di o a bencao ao seu parodio, ou a qualquer
sacerdote ancio: agora ocm aos proprios pais
seda essa confianca !
Na parte material, oos commodos e regalos
da vida que em verdade mais palpavelmen-
te se mostra o oosso progresso. Que trastes
preciosos! Que canaps, que marquezas,
que sofs! Que distancia destas cousas aos
grosseiros estrados, e cspreguiceiios de nossos
avs! Cada cadeira de Jacaranda d'aquelles
tempos era carga d'um galego ; o urna cama de
cazados era urna bizarro com tantos ramos ?n-
'cnciuiiiada aiecnm alfazema raspas I talhados, com tantos culungus, passaros, e
COMMERCIO.
Alandega.
Kendimento do dia 6......... 5:3158108
DeiearregBo hoje 7.
Brigue fraocez s/rago o resto.
Barca sardaPtnpoleOodem.
GalotaMercatorcarvo.

























))











Dr.
Galdino Alvos Silva.
Aoouociaco Siqueira Varejao.
Alovimento do Porto.
c multas vezes inteiramente revogadas An-
tgamente os unecionarios pblicos encanecio,
e morrio decreptos nos empregos ; hoje os
cargos pblicos sao to incertos como as ino-
0 corpo humano do hoje nao parece ser o
dos seculos passados. Muitas molestias de en-
to nao carecerio de medico como fossem os
quebrantos e olhados as criancas, e as es-
pinhellas cahidas ervo torio e carne que-
brada nos adultos. Hoje pelo mais leve in-
commodo d'um meoioo de peilo chama-se logo
o facultativo e os o pobre fedelbioho gramao-
do bichas, todo emplastado com papas de linha-
ca sentenciado ao charope de espargo por-
que ja se Ihcdcscobrcm symptomas de hiper-
trophia oo coraco. Com que presteza e fa-
cilidade as velhas dessas boas oras curavo os
taes olhados e quebrantos Nao mandarn
botica : o remedio era : urna fogueirnha com-
posta de palhas heas de cascas d'alho cisco
Navios sahidos no dia 5.
barca sarda Sagrado- CoracOo-de-
capitSo Jos Gamporro : carga as-
Trieste ;
Jess ,
sucar.
Porto ; brigue portuguez Maria-Feliz capi-
tao Aotooio Luiz Gomes carga assucar.
Bahia ; hiate brasilero Vingador capito J.
F. d'Araujo : carga assucar.
No dia Gde deembro suspeodeo do lameiro
para Londres o brigue ingles Alert capito
John Oliver : com a mesma carga que trou-
ce deSidney,
Correa Costa.
Francisco Mello Cavalcanti.
.Mendes Cunha Azevedo,
Silverio Sousa.
Carne i ro Machado Ros,
Jos Costa.
Elias Mour9.
Aotooio Carneiro.
Baptista Santos.
Costa llana Geodes.
Sousa Pioto.
Rodrigues Aimeida.
Silva Lopes.
Jos Mello.
Costa I.eitao.

Gomes Albuquerque.
Lueto Mooteiro Franca.
Saotos
Aotooio libeiro,
Fraocsco Alem.
Jos Figueiredo.
Lima.
Ferreira Ramos.
Riheiro Pontos.
Aqu oo Fooseca.
Claudio Mooteiro.
Felis Machado.
Fraocisco Bastos.
Jos Abroo Juoior.
Alves Albuquerque.
Ferreira.
Fraoco.
Miranda Jnior.
Silva Castro.
Heoriques Silva.
Luiz Mello Carioca.
Mara Carvalho.
Pereira Meodooca.
Villela Castro Tavares.
Jacioto Aflooso Botelbo.
Elidorio Martyres.
Jernimo Jos Ferreira.
Moreira Footes.
Dr. Villela Castro Tavares.
Jacome Gerardo Mara Lumacbi Mello.
Jorge Victor Ferreira Lopes.
Jaouario Aloxaodrino Silva Rabello Caoeca.
Justioiaoo Aotooio Fooseca,
Justino Pereira Faria.
Luiz Costa Prto-carreiro.
Editaes.
ContinaQo da lista dosjurados(vide osns.260,
262, 263, e264.) .
Joo Beroardioo Vascoocellos Coimbra.
Cavalcaoti Mello Albuquerque.
Feroaodes Cruz.
Ferreira Silva.
Fraocisco Bastos.
Duarte.
Oliveira.
Regis Quintella.
Freitas Barboza.
Igoacio Reg *
Hermenegildo Borges Diniz.
Jos Lopes Jnior.
Matta Miranda Castro.
Moreira Marques.
Pacheco Alves.
Germaoo Paula.
Riheiro Cuoba.
Reg Barros.
- Rodrigues Miranda.
Saraiva Araujo Galvao.
Saotos POrto.
Theodoro Cruz.
Xavier Caroeiro Cuoha.
Bacharel Joo Floripes Dias Brrelo.
Joo I'rancisco Reg Barreto.
Joaquim Silva Pereira.
Igoacio Carvalbo Meodooca.
Barros Lima.
Aimeida Cataoho.
Caouto Figueiredo.
Jos Caroeiro Mooteiro.
Correa Silva.
Jos Ferreira Peoha.
AlhiinuprniiA Fernsodcs Gsrns.
Tiburcio Ferreira.
Franca Mello.
Fraocisco Barbalho.
Mello Cavalcanti.
Igoacio Riheiro Roma.
Pires Ferreira.
Pioho Borges.
Aotooio Serqueira.
Barboza Brito.
Vieira.
Pedro Neves.
Jos Suva Guimares.
Rodrigues Sette.
Veiga Pessa.
Gomes Ferreira.
Pereira Rapozo.
[Continuar-se-ha.)
Declaracoes.
= O 1." escripturario da mesa de reodas in-
teroas proviociacs desta cidade,abaixo assigna-
do.faz constar aos snrs. proprietarios dos pre-
dios urbanos dos tres bairros d'esta cidade e-
da povoaco dos Aflogados, que do dia 1.'
ao ultimo do preseote mez sao cootados os 30
dias para o pagamento a boca do cofre da res-
pectiva decima urbaoa do 1. semestre do cor-
rete aooo financeirode 1843 a 1844 eque
(iodo o prazo marcado se executaro lodosos
devedores oo s pelo semestre ja dito como por
toda a mais divida aotiga proveniente de tal
imposico. Mesa de reodas internas provin-
ciaesl.de dezembrode 1843. 01. escrip-
turario servindo de escrivao o administrador ,
Jos Guedes Salgueiro.
O arscoal de guerra compra duzeotas sac-
cas de farioha de mandioca de melhor qualiJa-
de para embarcar e guardar ;" assim como 10
quiotaes de ferro da Suissa ; quem tiver taes
gcoeros para vender, compareca oo mesmo
arseoal das dez goras al as dozo do dia 7 do
correte com as competentes amostras e
proposla dos precos em carta fechada.
A juota revisora comroeca os seus trabi-
Ihos para a quaHficaco dos juizes de facto ,
hoje ( 7 do correte ) oas casas do tribuoal dos
|urados ; quem tiver a fazer reclamaces a res-
peito apreseote-se ao presideole da mesma
juota.
= O arseoal de marioha compra oo dia 9
do correte pelas 11 hoias da maoha, 4
barricas com pregos de balel pequeoo : quem
- uUI.VI W..MW* f*m*> ^**...|*^. ^^* VW..* ."-
tra no secretaria do mesmo arsenal. Secreta-


PF
5
Leiloes.
ra da iospeccao do arsenal de marinha de Per-! crplorio de Antonio Joaquim de Sou/a Riboif
nambuco em 4 do dczembro do 1743. se- na fu da Cadeia n. 18.
cretario Alexandre Rodrigues dos Anjos.
S0C1EDAT)E HE MSD1CIXA DE PERNAMUCCO.
Programma dos premios para os annos da
1845 e 1846.
A ociedade na sessao deste din adoptou os
seguintes assumptos para as memorias que bao
de ser premiadas em abril de 184S e 18i6.
Para o anno de 1845.
Premio ja proposto para esto anno em 1842 -
Fazer aanalyse chimica do sueco da game-
letra e mostrar quaes os principios activos e
therapeuticos contidos nessa substancia. De-
terminar par urna serie de observaces exactas a
acgSo e modo de operar deste medicamento sobre
os hydronemicos ; as diversas preparaces, que
delle se podem fazer e o melhor meio de o
administrar.
Para o anno de 1846.
Fazer a maior collecgUo possivel das plan-
tas e remedios indgenas que tem sido ou po-
dem ser applicados s enfermidades do homem
ou dos animaes. Determinar por experiencias
{teraputicas quaes os effeilos desses remedios
indgenas e quaes osremedios exticos que po-
dem substituir com vantagem.
O autor da memoria que para cada um dos
pre'.nios Cor preterida pela sociedade receber
i'.ma rnedalha d'ouro na Turma dos estatutos,
do valor de cem mil rois, e duzentos mil ruis
em dinheiro.
O autor da memoria quo para cada um dos
premios fi'.r julgada segunda em mrito ser
premiado com urna medalba de prata do va-
lor de vinte e cinco mil reis e recebor.'i oitenta
mil res em dinheiro.
As memorias serao entregues ao secretario
tivos annos.
Pernambuco 27 de novemhro de 1483.
Est conformo. r. Sarment secretario
perpetuo.
= Ocorretor Oliveira Tara leilo franco, e
sem limites de um completo sorlirnento de
fazendas inglezas o rancuzas, quo orcosa-
mento se ho do vender para liquidadlo de
conlas o por isso de avultada pichincha pira
seus Ireguezes, a quem pede.hajo de compare-
cer no primeiro andar da sua casa na quiut.i-
Ieira7docorronte as 10 horas da manhaa em
ponto.
Avisos diversos.
LOTERIA DO THEATRO.
Por determinacao do exrn. snr.
presidente da provincia foi deliri-
do o dia it do crrante dezetnbro
para o andamento das rodas desta
lotera que ter sen infalivel an-
damento no dia cima e os bilhe-
tes acho-se a venda no Ueci'e lo-
las de cambio dos snr. Vieira e
Manoel Gomes da Gunha ; em
Santo Antonio loja da snra. viuva
do Burgos e boticas dos snrs.
Joo VLoreira Marques e Fran-
THEATRO PUBLICO.
Direcco de Rafael Lucci.
Ultima representadlo de Mr. Mathevet.
Haver um novo o escolhido divertimento
p'ara boje 7 do corrente do 1843.
Grande ropresentaco de gymnastica atheni-
ense creada em Alhenas por Mr. Mathevet ,
grande aciues ucrcuiu crcuiGS 8>rimci~
ro modelo das academias reaes e imperiaes das
cinco grandes potencias ', mestre de gymnastica
da familia real da Hespanba, arlistista do thea-
tro da porta Saint-martin em Pariz vencedor
dostorneios do mcio-dia da Franca Oriental ,
condecorado com asmedalhasde honra com que
teem sido mimoseado por differenles sobera-
nos da Europa. ,
Primeira parte.
Rafael Lucci e sua fitha mademoizolle Car-
mella executaro ascena e em seguida o lin-
do duelo da opera Belisario do M. G. Donizet-
t i ; Se vederla a me non lice: .
Segunda.
M. Mathevet desempenhara oseguinte O
Grande Ecart o Passeto de Hercules o
Diabo.
Terceira..
M. Mathevet executar o seguinte O
Vo rpido o braco de mihn de Croionia
A grande corrida das dous rabes.
Quarta.
O qlcidea francs executar o muito aplaudi-
do Sonho de Hercules.
Quinta.
Rafael Lucci, e sua filha mademoizelle Car-
mella cantaro o mu jocoso duto da opera -
ti Zureo in Italia: do M. G. RoSsine Per
piacere alia signora.
Sexta r ltima parte.
Dar fim -divertimento com um novo e ex-
pendido pantomima em dwus actos do Oran-
gutungo ou o homem dos bosques no qual
ir ludo a carcter e com todas as decoracoes
..
necessanas.
Mr. Mathevet estando para se ausentar,
nao pode deixar de dar os seus mais cordiaes a-
gradeetmentos a um publico tao illustrado e
que to benvolamente o acolheo.
' N. B. Os bilhetes acho-se a vda no mes-
mo theatro. .
I Principiar as horas do costume.)
Xviss iritimos.
cisco Antonio das l hagas.
Para a Babia sabir com a maior brevi-
dade possivel a somaca Lamcga ; quem nella
qoizer carregar ou ir de passagem d.r.|a-se.4
ra da Crw n. 45 em casa de Manoel do
Nascimento Pereira. .
Para o Aracaty sabir impreterivelmonlc
no dia 16 do corrente a somaca FeUcidade ,
com a carga que tiverabordo. quem quizer
carreaar ,ou ir de oassagem trate com o mestre
Lotera do Guadelupe.
Por immediata resoluco do exrn. snr. prea
sidente da provincia foi translerido para o di-
20 do corrente o andamento das rodas d'esta lo-
tera. Os bilhetes acho-se a venda as lojas
do costume ; isto 6 no Recife lojas de cambio :
em Santo Antonio loja do sr. Menezes ra do
Collegio : loja do snr. Cunha Guimaraes ra
do Crespo : do snr. Fortunato Praca-da-in-
dependoncia : largo da-Matriz botica, do snr.
Marques: Boa-vista largo da Praca botica
do snr. Couto e em Olinda botica da ra
ilo Ampar nos Quatro-cantos loja do snr.
Domingos, e no Yaradouro loja do snr. A-
morim.
J SOCIEDADE
PHILO-DMMATICA
O 1. secretario avisa aos senhores socios,
que boje pelas 6 '/' horas da tarde ha sessao
extraordinaria.
Os snrs. Gomes & Irmo, e o snr. Fran-
cisco Alves da Cunha, queirao por obsequio
dirigir-sc ra da Scnzalla-velha n. i\\ hojo
7 do corrente das 3 as 4 hora' da tarde, para
decidirem corn o abaixo assignado corto nego-
cio, que a ss. ms. j hoje nao estranho e
que muito Ibes interessa...
Joo Vazd'Olkeira.
= Francisco Tarault participa ao respeita-
vel publico e com mais particularidade aos
amigos dos bons bucados que de boje em di-
ante ellos acbarSo a toda o qualquer hora na
sua casa de pasto fraticeza da ra da Lingoeta
n. 2, toda a qualidade do comida a franceza ;
assim como vinhose licores de todas as quali-
dados cal com leite o sem ello pastis ,
pastoloes, empadas da diversas sortes sala-
mes presuntos, linguicas &c. ; e que se-
rs servidos com o maior aceio, limpesa o por
preco commodo. O mesmo Tarault offerece-se
para mandar levar em as casas as comidas a
aque'laspessos que com elle se ajustarcm ,
diaria ou mensalmente ou por urna vez s-
mento ; participa-semais que todos as dias
do manhaa um seu agento levar a casa de seus
freguezes pastis, pasteloes empadas, lin -
guicas e chouricas franeezas, proprias para
a I moco.
= Precisa-se alugar urna prcta para comprar
e cozinhar para pequea familia na ra de
S. Rita n. 85.
= No Diario n. 254 annunca o snr. sub-
delegado do primeiro districlo da freguezia da
cidado da Victoria urna preta do nome Roza ,
do idade 40 annos : deseja-sc saber se a dita
tem ossignaes seguintes de estatura baixa ,
pernas acangalhadas urna das mos foveira ,
proveniente de queimadura muito fcia de
semblante cabello puebaim e este apartado
uns dos outros enrolados parecendo pimenta
da India ; ella faz-se bucal, porm isso ma-
conhecor de Mrtos individuos que misteriosa j o obzcquio do tancar as suas vistsrobre a ven *
mente apparceem neste lugar nouto enii.u- da da ra de Apollo confronte ao snr. Mas-
cados em capotes, o cm suspeitos lugares es- quita que contina na sua mistura de me!
perar.do moncao ( dizem ) do lazerem um as- com agua ao ponto de fervor e isto com gravo
sassinio em um dos moradores d'osto lugar, c I prejui/.o dos escravos. Um prejudicado.
isto j de muitos dias. I Urna pessoa. que affianca sua conducta se
O annuncio do snr. Carlos Amcrico da oferece para cobrar dividas nesta cidade o
Gama ou do quem so servio de seu nome .; caso seja preciso os az tambero judicialmente ;
inserto segunda vez no D. n. numero 2G3 o- assim como seencarrega de tirar passaporlcs o
l.riga a responder, bom contra a vontado do dar juslificacoes; quem de seu prestimo se
quoin escreve esta resposta. W'sar dirija-se ^ ra da l enha n. 4 ,
O vinculo ( hojo extincto pela lei novissima ) que se $r quem .
de Prto-do-gallinhas est justamente em po- Prtende-se um homem capaz para fetor
der de seus legtimos, e legaes senhores, que
sao as duas lilhas legitimas o os netos logiti-
mos do finado Pedro Americoda Gama pai
do tambem finado Joo Evangelista Americo da
Gama do qual filho natural o snr. Carlos
Americo da Gama.
Francisco Dias Delgado, 5. av materno do
dito Pedro Americo instituto em 1632 um
vinculo em Porto-de-gallinhas e urna das
principaes condicoes que impz na instituicao ,
e no testamento com que falleceo foi que
esse vinculo nunca passaria lilhos que nao
fossein havidos de legitimo matrimonio ; e as-
sim cumprindo-seesta condic.o succedero no
vinculo sompre herdeiros legtimos sendo um
d'estes Pedro Americo da Gama.
Fallecendo este Pedro Americo passou o
vinculo a ser administrado por seu filho legiti-
mo primognito Joo Evangelista Americo da
Gama ; e lallecendo esse Joo Evangelista sem
filhos legtimos, pois que da senhora com quem
loi cazado nunca os levo passou o vinculo a sei
administrado pelo snr. Amaro Fernandes Ga-
ma como administrador de sua mulher, filha
segunda do dito Pedro Americo e irma ger-
mana do mencionado Joao Evangelista ; e-fal-
lecendo finalmente esta consorte do snr. Amaro
Fernandes Gama depois de promulgada a lei
quo extingui os morgados, passou o mencio-
nado vinculo do Porto-de-gallnhas, a ser di-
vidido segundo a referida loi, pelos herdeiros
egitimos d'essa filha segunda de Pedro Ameri-
co a qual filba segunda foi a ultima adminis-
tradora do vinculo, e nao Joo Kvangclista ,
que foi o penltimo e que morreo antes da
ei que extingui os morgados.
O snr. Carlos Americo da Gama filho na-
tural do finado Joo Evangelista Americoda
Gama nunca teve por tanto e nem tem di-
reito ao vinculo pois que a sua qualidade de
bastardo o oxcluo segundo a vontade do ins-
tituidor e a lei que quer que ella so cumpra
religiosamente ; logo podem os legtimos ac
tuaes possuidores do extincto vnculo vcndel-o
( se quizerem ) a quem bem Ihes parecer pois
quo sao os nicos legtimos senhores d'ello :
quem pois fez os annunciosdo D. n. em nome
do snr. Carlos Amcrico poupar-lhe-hia esta
resposta-, si se livesse dirigido ao cartorio da
provedoria ou ao escrivao das appellacoes o
snr. Bandeira e ah examinasse as pecas res-
pectivas que excluem da berenga o mesmo sr.
Carlos Americo e que sobre tudo o excluro,
llamis de dous seculos tanto d'ella, como da
adminstraco do extincto vinculo. Alm d isso
sendo o finado Joo Evangelista (dalgo ca-
valleiro o lendo encartado-se n'esse loro que
era o que pertencia a seu pai, para que manda
o snr. Carlos Americo filho bastardo e que
sabe bem do foro de seu pai natural fallar em
herancas quo excluem os bastardos ? Aconso-
Ihe-se o procurador com letrados que o
melhor o nao se esqueca de averiguar quando
o mesmo snr. Carlos nascOo o quando cazou
seu pai natural com a senhora que nao e
sua mi.
= Antonio Dias da Silva Cardial apegar
do transtorno que teve no dia 6 do corrento,
em arrazar-seseu tanque d'agua com prejui-
zo talvi de 1:000,000 rs. : contina a vender
agua da mesma qualidade e pelo preco de 20
rs. : na ra da Praia delrazda ribeira es-
quina do ladodosul, n. 15 o 17. Tambem
faz publico que seus canecos sao marcados
com a marca S.
Aluga-se o primeiro andar do sobrado n.
63 em Fra-de-portas na ra principal com
commodos sufficientes para urna familia, quin-
tal cacimba de boa agua cosinha lora com
excellente vista para o mar onde se vOr as en-
tradas e sahidas das embarcaces por preco
commodo; a fallar ao seu propietario Joaquim
Lopes de Almeida : assim como se aluga urna
casa em Santo Amaro junto ao sobrado do snr.
Cardozo, para passar a festa ; a fallar ao mes-
mo Almeida, ou a Manoel Cardozo da Fonseca.
Acha-se novamente o ramazem atraz do
theatro com um completo sorlirnento de taboas
dina e o snr. que a comprou nunca foi Pa
nellas : rogase ao mesmo snr. subdelegado ,
annunce que sendo os signaes cerlos ir o
d amesm Manoel Ignacio Marques, ou no es- subdelegado e inspector re^L.vo, Mi
de sitio que entenda de jardim o orta ; a tra-
tar com Francisco Antonio de Oliveira no
seu sitio do Manguinho-papaterra ou com
o seu caiteiro Manoel Joaquim da Silva na
ra da Aurora n. 26.
Precisa-se de um pequeo de 12 a 13 an-
nos de dado portuguoz que saiba iGr o es-
crever ; nasCinco-pontas n. 48 dcfronle do
imaginario.
O annuncio inserto no Diario de 4 do
corrente n. 262 sobre a venda do terreno na
Kua-da-praia-da-rbeira, ninguem faca neg- ,
ci com o mesmo,sem primeramente se enten-
der com Antonio Pinto de Azevcdo morador na
Rua-da-praia armazem de carne-secca n.
43, que este scachao dito terreno compo-
tindo e para livrar de questoes para o futuro
az com lempo o presento annuncio.
Precisa-se de um caixeiro no bolequim da
estrella.
Um moco brasileiro e solteiro que sabe
bem ler escrever e contar ecom bastante
pratca de cnsinar meninos, so oferece para
este mister ou para qualquer outra oceupa-
cSo nesta praca ou para o mato sem es-
colla de lugar por mais remoto que seja an-
da mesmo para fura da provincia dando pre-
ferencia aoccupaio de ensinar meninos, ad-
ministracao de algum engenho do que tem
bastante conhecimento escrever em algum
cartorio ou casa de commcrcio, ou outra
qualquer: o annunciante d fiador a sua con-
ducta ; quem de seu prestimo se quizer servir,
annuncio por esta olha.
SOC1EDADE-PHILO-THALIA,
O 1. secretario convida a todos os senhores
socios a reunirem-se no domingo (10 do cor-
rente) pelas 6 horas da tarde na casa da socio-
dado para o cumprimento dosl., 2.e
10, do artigo 3o. dos estatutos.
Fugio um cao branco teselado de preto ,
do pateo do Carmo n. 18 e se recompensar
a quem o entregar: no primeiro andar d'esso
mesmo sobrado.
__ Mara Joaquina de S. Thom professora
substitua das cadeiras de primeiras leltras de
meninas ensina particularmente ler, escrever,
contar arithmetica o diversas qualidades de
costuras ; tambem recebe em sua casa algumas
meninas de pessoas quo morao fora da cidade,
ou que morando nella, as queirao confiar a
sua educacao : quem pretender utilisar-se de
seu prestimo dirija-so a ra Dircita n. 64.
= Urna pesioa que aianca sua conducta
se oferece para cobrancas nesta cidade; assim
como tambem laz estas cobrancas judicialmen-
te ; na ra da Penba n. 11 se dir quem
esta pessoa das 6 as 8 horas da manhaa e
das duas as3 da tarde.
= Offerece-se um homem casado que d
fiadora sua conducta para cobrar dividas de
todas as casas de negocio que dello quizerem
conlar-se pois tem bastante pratica e serve
por preco commodo ; quem de seu prestimo se
quizer utilisar annuncie.
mz (J abaixo assignado convida a todos os
credores do fallido Manoel Pcreira Guimaraes
& Companhia para verem no cartorio do ta-
bellio publico \ anoel Antonio Coelbo de Oli-
veira a cscriptura de hypotheca que o deve-
dor sua sogra c os que tem direito a heran-
ca desta Iberio lavrar para seguranca e fir-
meza dos pagamentos novamente contratados
com 20 e tantos dos ditos credores e estes fir-
maren) o termo de acceite; como pois a dita
escriptura declara que s valida para aquel-
les, que assigoarem o termo e nao para os
descidenles motivo pelo qual so faz este an-
nuncio afim dos nao concordados firmarem o
dilo termo at o dia 20 de Janeiro prximo fu-
turo e em tempo se nao queixarem de igno-
rancia. Da mesma escriptura se observa ter
lindado a adminstracaoda casa fallida e acha-se
ella na posse do Guimaraes com quem se devera
entender, os que tiverem negocios. Os snrs.,
que acceitarem a hypotheca podem sacar as
lettras, que scro pelo annunciante remetti-
das a Guimaraes, e quando acceitas resga-
il India e la faz-se Luca porem isso e ma- mejiro rom um uui hciu soiuureuiu u .i .---- -, *'*
1'5 od.^fujao: ImtmOfW. de pinho.meric.noc 3 p.ln,s de l.rgur. >M os |,.u o,"^Zl-trT?-
_______.......____.......(liP.. p ld uerentes romnnmentos: dito da Suecia, novamante pelo annunciante. jse jtmo
e de diflerentes comprimentos; dilo da Suecia,
costado costadinho assoalho e forro e
rra o para lundos de barricas de 20 a 30 palmos de =Part.c,pa-se aos snrs. mest.es de a fa.ate ,
S*2i o pape, dependa de quem a Jomprid^, ^.JjM. M =^- ~ ^ffi ^
vendeo quo morava nesse mesmo lugar. #
Um morador dos Remedios pede aos srs.



d
preco mais emeonta de que em outra qualquer jan. 11 vende.n-se as muito acreditadas e
'arle conhecidas linhas de carretel de 200 |ardas a
Rwt5<-seao biii. Wnttfvvau i Mcv,uro 100 is, caua um.


4
-nw~..tt*e
= Aluga-se por proco commodo um grande
sitio logo no principio da estrada do Arraial ,
com grande casa do podra e cal estribara ,
cacimba com escolente agua de beber tendo
no lundo um riacho corrente o com dITe
rentes arvoredos de Tractos ; quem o proten-
der dirija-so ao Attcrro-da-Boa-vista loja de
seleiro.
No primeiro andar do sobrado da esqui-
na que vira para a ra das Cruzes lava-se
roupa do varrella o sabao para lora, ongom-
ma-se cozi.iha-se e faz-so doces de varias
qualidados; tudo com muita perfeicao, as-
seio e commodo proco : tratar no mesmo
sobrado.
= Aluga-se um preto para o servico do urna
botica, ainda sendo de mua dado ou um mo-
leque ; na ra estreita do Rozario na botica
que tem a frente pintada de amarello.
= O snr. Antonio dos Santos Borges tenha a
bondadedese dirigir ra do Cabug n. i,
loja de Francisco Joaquim Duartc que se Iho
deseja fallar ou annuncio sua morada.
=Arronda-se um sitio no lugardos Affogados:
na ra da Conceico-da-Boa-vista n. 58*
Novo rap fino princeza da nova fabrica de
Godinho da Iiahia.
= Acha-sca venda ( vindo do Rio-de-Ja-
neiio no bergantim nacional fom Jess, che-
gado ltimamente ) o novo e excellcnte rap
da nova fabrica de Godinho da Bahia pelo
preco de 1000 rs. cada urna libra; este rap
torna-se muito recomendavel pelo seu bom aro-
ma nao faz bolao nos narizes e bastante
fino ; os prctendentes dirijao-se ao nico depo-
sito existente nesta provincia na ra da Cruz
n. 16 onde achar um bote aborto para se
verificaren) das suas boas qualidades.
ac Deseja-so saber, se existe n'esta provincia
D. Marcelina Anglica de Castro Aguiar, vu-
va de Jos .Marques dos Santos natural d'E-
vora conselho d'Alcobaca ( em Portugal ), a
qual tem um flbo chumado Jos Marques dos
Santos Aguiar, que (oi estudar na escolla me-
dico-cirurgico no Porto : a tratar na ra do
Vigario n. 19.
ss Procisa-sealugar urna canoa de carreira :
na ra do Rangcl n. 34.
= F. E. Alvos Vianna embarca para o Rio-
grande a sua oscrava parda de nomo Victo-
ria
= Arrenda-se um sitio para pequea fa-
milia amargetn do rio ou ros arredores da
<-iiI:i<1i> t tendo boa sgus e arvoredos "uem
tivor annuncio.
= No hotel da ruado Collegio n. 9 fazem-
se sorvetesde todas as qualidades, por commo-
po preco, sendo oncommendados duas horas
antes daquellas para que se quizer.
Aluga-so um preto possante, hbil para
todo o servico preferindo-se para armazem
de assucar ; na ra da Cadeia de S. Antonio,
deposito de farinha n. 19 ; no mesmo deposi-
to precisa-se de urna ama para casa de familia ,
saliendo engommar, ecozinhar.
Quem precisar de um caixeiro para ven-
da ou outra qualquer arrumaco annuncio.
Precisa-se de urna ama parda ou pre-
ta preferindo-se a ultima para todo o sor-
pouca familia ; na Rua-
proco ; na ra do Queimado loja do ferra-
gens n. 4, ou no engenho Jangadinha.
Jos de Carvalho de Araujo Cavalcanti
embarca para as Alagoas, couduzindo em sua
companhia o seu escravo de nome Sanso.
Jos de Carvalho do Araujo Cavalcanti, com-
prou por conta da sociedade Garanhuense 41
bilhetesda sogunda parte da dcima-quinta lo-
tera a favor das obras do thaatro publico, sen-
do 13 inteiros de ns. 18*. 100. 38, 42 129,
28.150, 586, 468. 2038, 2573, 1365. 2040,
16 ; c meios ns. 769,1036,1077,1019, 291,
383, 400. 260, 352, 320,253, 310 2336 ,
2254.2720,10, 2332,2249, 2617.2385,
2338, 2340, 2613, 2331, 309,302,2333 e
2719.
O abaixo assignado tendo participado por
escripta a seus credores no dia 29 de oveii-
brn p. p. afim dii os l'azer scientos elUdo
actual de sua casa e como nao se dgriario
acomparecer motivo porque faz agora pu-
blico. = Manoel IVunes Lial.
= Ainda se precisa alugar urna ama com
bastante leito forra ou captiva; na Rua-no-
va n. 65, primeiro andar.
A pessoa que annunciou dar roupa
para lavar, engommar dentro de 15 das a
quem se responsabilise pelas (altas, dirija-sea
ra de S. Rita n. 86.
Quem annunciou querer alugar urna es-
tribara para um cavallo dirija-so a travessa
da matriz de S. Antonio n. 10.
Compras
tal para cha, e soupa esteirinhas pintadas a i ha no mercado chales de seda de dfferente
720 rs. eoutras muitas miudozas por preco precos, mantas ditas cortes de cassa de |)0IT
commodo ; na ra do Queimado loja nova gosto chapeos pretos para homwn sapai0&
n. 24. jdesetim para senhora, borzeguins para ho~
au Vende-se hanha do porco derretida e mem, senhora, e meninos, e um completo sor7
empelle, por proco commodo; na ra dos timento do calcado de todas as qualidades, |u.
Pescadores n. 19. j vas de seda pretas compridas e curtas e sern de-
Vendem-se 11 barris vasios para azeite dos bordadas de cores, crep cor.de pal ha
decarrapato, saccas com milho a 3200 rs. e branco e cor de roza para chapeos filas d
a retalho a 1600 rs. o alqueire e 4 alqueires setim lavrado chapeos deso para homem q
e outras muitas fazendas de gosto-
de gomma de engommar ; na ra da Cadeia de
S. Antonio deposito de farinha n. 19.
Vende-se charutos da Havana de supe-
rior qualidade ; em cusa de J. O. Klster na ra
do Trapiche n. 19.
VenJe-so urna carro de 4 rodas, muito
forte e com com modos
para b pessoas; em
Comprao-se efectivamente para fra d*
provincia escravos de ambos os sexos do 12 a
20annos, sendo do bonitas figuras pagao-se
bem ; na ra da Cadeia de S. Antonio so-
brado de um andar de varanda de pao n. 20.
Compra-se elfectivamente para fra da
provincia mulatinhas crioulas e mais escra-
vos, de 13 a 20 annos, pagao-se bem, sendo bo-
nitos ; na ra larga do Rozario n. 30, pri-
meiro andar.
- Comprao-se duas portadas de pedra ,
sendo urna para porta c outra para janella ,
16 palmos de cordao de pedra dous mil t-
jolos de alvenaria, mil ditos de tampamento, mil
ditos de ladrilho 500 telhas, 40 travs de 18
palmos, 40 caibros de 40 ditos 12 taboas de
assoalho de amarello 24 ditas de iouro ; na
ra da MaHrndn Dos r. 7.
vico da urna casa de
nova loja n. 58,
= Precisa-se fallar, ou saber da
de Joaquim Jos Ferreira da Penha
Luiz Innocencio Poges
a negocio de seus
moradia
, e Jos
n-
teresses ; na Rua-nova armazem n. 67.
Na praca da Boa-vista n. 7 existo urna
carta para a senhora Felippa Mara Veniz da
Conceicao, vinda do Cabo-da-boa-esperanca ,
remettida por seu marido.
- Aluga-se pelo tempo de (esta urna casa
terrea de pedra, o cal, sita no Monteiro, con-
fronteao oitao de 5. Pantalcao com -suffici-
entescommodos e por preco mdico ; na ra
do Queimado n. 11.
Deseja-se fallar com parda Sirna Ma-
ra Pereira que foi ama da casa do desombar-
gador Cornelio Ferreira Franca, para se Iho
entregar urna encommenda ; no primeiro an-
dar desta Typogralia.
Os herdeiros de Francisco Alves da Sil-
va Gesteira muito folgau com o annuncio fei-
to no Diario-novo de 4 do corrente pela viu-
va de Jos Soares dos Santos, porque tendo
olios de provar cmjuizo que a casas ns. 6 e
8 da ra das Cinco-pontas sao do casal do mes-
mo Gesteira protesto haver da mencionada
viuva a importancia dos alugueis corresponten-
tos aos annos, que confessa em seu annuncio ,
achar-se de posso d'ellas e de novo se avisa
( afim de evitar-se duvidas para o futuro) que
ninguem (ara negocio com a dita viuva sobre
as inesmas casas.
Precisa-so de um'caixeiro ainda rapaz,
para ajudaroutro caixeiro no balcao e sabir
quando for preciso l'azer algumas cobrancas ,
o dando fiador a sua conducta ; na ra dos
Ouarteis padaria n. 18.
Precisa se de um homem para feitor de
campo, o queja tenha pratica nao seolaa
Vendas.
senhora
na Rua-nova loja n. 8 de Amnral & Pinhoiro
=Vende-se urna preta de Angola; na ra do
Collegio fabrica de chapeos n. 9.
= Vende-se um carrinho novo de 4 rodas
lindo e maneiro ; no Atterro-da-Boa-vista '
a fallar com o segeiro Miguel.
=Vende-seum frasqueira com frascos gran-
des, o 5 mais pequeos ; na travessa das Cru-
zes venda n. 8.
= Vendem-se serafins, e piannos do varias
qualidades, e de ptimas vozes; em casa de
Kalkmann & Rosenmund na ra da Cruz
n. 10.
Vendem-se sapatoes de sola e vira com
palla adiante e atraz sapa tos virados de couro
de lustro bolinsde bezerro rancez borze-
guins de duraque do cores gaspeados, e de pon-
a de lustro, sapatosde marroquim para ho.aiem
e meninos, borzeguins de duraquo gaspeados',
sapatos de marroquim duraque setim
couro dd lustro para senhora, e meninas, lo-
quinhos de marroquim sapatos de couro de
lustro com clcheles para meninos tudo po*
prego commodo; no largo doLivramento n. 35.
ss Vende-se urna prensa de espremer ca-
j por preco commodo; as Cinco-pontas
n. 27.
= Vendem-se ricos cortos de (nissima lan-
/inha do magnficos padroes ; ditos de chita:
superior ; ditos de cassa pintada lina de co-
res (i xas a 3,000 rs. ; chales de setim os.
mais modernos; meias finas para meninos o-
meninas: na ra do Cabug n. 10 defronte
do cerieiro.
== Vendem-se bilhetes e meios ditos da
lotera do theatro que corre no dia 11 do cor-
rente ; na casa de cambio do Vieira na ra
da Cadeia do Recife n. 24, onde forao vendi-
dos um dos meios bilhetes da lotera da matriz
da Boa-vista n. 1105 em que sabio o premio
de seis contos de reis umdito n. 3009, em
que sahio 2:500$ rs. e um dito n. 797, em
qcBuio 5G0j rs. aim de outros mullos,
Vende-se urna caixa de ferro batido, om' que sahirao varios premios soffriveis.
casa de J. O Elster ruado Trapichen. 19.
Vendem-se travs de qualidade com
15 palmos de comprido, e de 8 a 10 pollogadas
de grossura ; na ra da Praia serrara do
Constantino Jos Rapozo.
Vende-se urna preta moca de nacao,
ptima para todo o servico; no Atterro-da-Boa -
vista n. 3.
Vende-se urna cscrava que engomma,
cozinha e lava com urna cria do 9 mezes ;
na ra da Cruz n. 19.
Vendem-se todos os pertences de urna
tonda de tanoeiro ncluindo urna grande e
exfolente m; na ra das Calcadas-altas n. 22.
Vendem-se duas pretas urna de 17 an-
nos boa engommadeirj costureira e co-
zinheira, e a outra da Costa, de 20 annos com
algumas habilidades; na Rua-velha n. 111.
Vendem-se saccas com farinha muito fi-
na do Rio-de-Janeiro a 2240 rs. ; na ra
do Collegio, vendan. 21.
Vende-se urna balanca pequea que foi
de venda, com pesos de 8 libras at meia quar-
(a, um taxo de cobre com 13 libras ainda
novo, e um fogSo inglez com 3 buracos; na
ra da Paz n. 2.
- Vende-se urna flauta de bano com chave
de prata por 78 rs. o compendio da histo-
ria Romana por 640 rs. a obra de Rober-
to Burn, em inglez por 1000 rs. ; na ra es-
treita do Rozario loja de cera n. 3.
Vende-so ou troca-se um preto de na-
cao Angola officialde sapateiro de 30 an-
nos por urna preta que sirva para vender na
ra o lavar de varrella ; na esquina que vol-
ta para a Estancia casa de portan de ferro
n 4 K
Vende-se, ou aluga-so a padaria n. 154"
com todos os seus pertences e vendem-se dou
caixes envidracados para amostras do venda
na Rua-imperial n. 2.
= Vende-se um bom moleque de 17 annos,
de bonita (igura; na Bua-nova, armazem n. 67
Vende-se urna carteira de amarello um
par de mangas de vidro lisas com tampa um
par de casticaes de latao um talim de couro do
lustro um fiel para espada ludo por preco
commodo ; na ra do Livramento, loja n. 13. mado esquina do beco do Peixe-frito ,
Vende-se urna escrava de nacao moca ,
cozinha, o lava ; na ra do Vigario armazem
n. 19.
Vende-se urna canoa nova de carga de 1300
lijlos da alvenaria; na ra do Queimado n. 57
= Vende-se orna preta do 26 annos, en-
gomma cozinha lava, e recolhida ; na
ra do Sol n. 9.
Vende-se um cavallo mellado, de dinas
brancas, novo, gordo, e de boas marchas; no
Attcrro-da-Boa-vista n. 55.
ss Vende-se a venda da ra da Paz n. 2 ,
com poucos fundos bem afreguezada, e com
commodos para (amilia ; a tratar na mesma.
= Vendem-so saccas com alqueire velho de
farinha de mandioca vinda prximamente do
Cear ; urna porefio do azeite de carrapato; sal
sa-parrilba vinda ltimamente do Para ; e 3
barris com carne salgada em salmora tudo
por preco commodo ; ao p do arco da Con-
ceicao armazem do Braguez ou na ra do
Vigario armazem n. 18.
Vende-se urna tipoia, ovelhas, e gar-
rotes ; no Atterro-dos-affogados n. 218 casa
de Francisco Xavier das Chagas.
=Vendem-se pastilhas de cheiro sabone-
tes muito finos a 500, 400, 320, e 280 rs. ,
banba superior a 160 rs. um completo sort-
mento de perfumaras lencos de seda para al-
gibeira a 2200 rs. bicos largos, estreitos, bo-
nsde palhinha a 1000 rs. ditos de velado a
1000 rs. luvas pretas sem dedos a 1600 rs, ,
ditas de cores escoce/as a 640 rs. pentes de
tirar piolhos navalhas finas a 2000 rs. o esto-
jo pentes de prender cabello a 160 ditos
virados a 500, e 560 rs., popel de cores para
escrever dito de peso, e a I maco ; suspenso-
rios a 240 rs. ditos do burracha a 320 rs.,
facas e garios a 3520 rs., ditos de cabo de
metal muito fino a 6500 rs. colheres de me-
= Vende-se Um pardo de 22 annos, peri-
to official de alfaiate ; na ra da Penha n. 5.
= Em casa de B. Jjasser/e & Companhia ,
ra da Senzalla-velha n. 138, acha-se a ven-
da farrello de muito boa qualidade em saccas de
3 arrobas ; assimeomo vinhode Bordeaux em
caixas do duzta por preco commodo.
forma de armario, com fechadura de segredo,
e por alphabeto muito propria para escripto-
rio, por preco commodo; na ra da Cruz n. 19.
Vende-se urna preta da Costa moca ,
boceteira ecom outras habilidades; na ra
do Aragao n. 9.
Vendem-se chapeos brancos e pretos de
castor de Lisboa, muito bonitas formas; na
ruado Queimado, loja n 25 de Guilhcrme
>ette.
Vendem-se chapeos de castor brancos e
pretos sem pollo de formas da moda, e boa
qualidade, por proco barato ; na ra do Quei-
loja
de lazendas n. 2 de Manoel Jos Goncalvcs.
-**- Vendem-se transclins do burracha a 160,
e 120 rs. escovas para limpar dentes a 160,
e 200 rs. caivetes finos para aparar pennas
a 240 e 320 rs. suspensorios do burracha
a 240 e 320 rs. pecinhas de cordao para
vestido a 20, 30, o 40 rs. linha de carretel a
360 rs. a duzia e de cores a 400 rs. pentes
de tartaruga para marrafa a 960 rs. papis de
rebique a 60, e 80 rs. thesouras douradas a
240 rs. e lisas a 160 e 200 rs. botoes de
retroz grandes, e pequeos para vestido de se-
nhora facas de pona de 6 a 12 pollegadas ,
talheres a 2400, e 3520 rs. espelhos de da-
mas Huncos de seda lanzinha a 360 rs., ra-
p Meuron e princeza do Rio luvas pretas
sem dedos a 320 rs. e de cores a 640 rs. ,
botoes de madreperola a 720 rs. a groza bo-
nos para meninos com aba do lustro a 1000
rs. ditos de panno a 960 rs. macass pero-
la a 240 rs. sapatos de marroquim, cordavao,
o duraquo para senhora a 1360 rs., ditos de
couro de lustro pretos e de cores a 1920 rs.,
ditos para homem e meninos boioes de ha-
nha a 120, e 160, agua de colonia a 200, 320.
400 e 560 rs. e outras muitas miudezas por
barato preco ; na Rua-direita ao p da torre do
Livramento. 2.
Vende-se um berco de Jacaranda em bom
uso por preco commodo ; na ra larga do
Rozario sobrado de um andar n. 37.
= Vendem-se 6 escravos sendo um preto
de nacao de 35 annos ; urna preta de 20 an-
nos ; urna dita crioula de 20 annos ; um ca-
brinha de 20 annos; e dous moloques crioulos
de 16 annos; a tratar com Antonio Rodrigues
Lima no largo do Corpo Santo.
^= Vendem-se ricos chapeos de seda para se-
nhora chegados pelo ultimo navio de Franca .
ditos de polba, ditos do Chile, os mais finos que | Recito : na Ty p. dr M. F. dk Faria=1843.
Escravos fgidos.
Fugio no da 10 de setembro p. p. o
pardo Manoel official de alfaiate de 40 an-
nos ,. alto magro figura feia com pouca
barba foi escravo do Machada em S. Amaro ,
e depois de Antonio Jos da Costa ; quem o
pegar, leve ao Attorro-da-Boa-vista loja do
alfaiate na esquina do beco que gratificar
com 30.000 rs.
Dcsappareceo no dia 6 do coi rente um
moleque sertanejo de nome Aloxondre es-
cravo do Antonio da Costa Romeu morador
na villa de S. Joq levou camisa e cerou-
las de algodo e chapeo de couro tudo usa-
do ; quem o pegar, levo a ra do Cabug em
casa de Antonio Rodrigues da Craz que gra-
tificar.
= Fugio no da 23 de julho do corrente
anno o pardo escravo de Jos Lins do Vabo ,
snr. do engenho Metto-grosso provincia das
Alagoas, o qual tem o nariz afilado, dentes li-
mados coralva meio fanhoso, cabello es-
tirados e acastanhados, ponca barba bei-
oos grossos, olhos pardos com signaes de be-
chigas pelo rosto, e urna cicatriz na testa; quem
o pegar, leve a ra da Guian. 31, segundo
andar.
No dia 3 do corrente fugio p preto Fran-
cisco de nacao Angola alto, secco, ps gros-
sos e grandes falla atrapalhada muito la-
dino padeiro e venda pao na Boa -vista ;
levou calcas do ganga azul camisa de chilla
tambem azul, e chapeo de pello usado ; quem
o pegar, leve as Cinco-pontas n. 27 que ser
recompensado.
= Fugio no dia 17 de outubro p. p. o pre-
to Noberto crioulo do Maranh3o cor fula ,
de 30 annos, estatura mediana, olhos gran-
des apitombados e vermelhos do uso de es-
pirito e dentes cortados ; quem o pegar, leve
a ra da Cruz n. 15 quesera gratificado.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ET88AIHRL_GEZ3L0 INGEST_TIME 2013-04-13T03:20:36Z PACKAGE AA00011611_04530
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES