Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04514


This item is only available as the following downloads:


Full Text
I
Anno de 1843.
Sexta Feira 17
m m i
ludo agora dependa de no memo; da noisi prudencia, modengo, r energa: con-
linuemo* oomo principiamos, a seremos atilintados cum admirarn entre as Naguas mias
culta, ( fioclamago da Aasembleia Geni do Bb.uil.)
PAIITIDAS DOSCORREIOS TERRESTKES.
Goianna, e Parabyba, escindas e senas feras. Rio Grande do Norte, quintil fe ira.
Bonito a Garanhuns, a 0 e 24.
Cabo, Serinh.iero. Rio Formoso, Porto Cairo, Miceiti, a A!aoa no 1 M. e 21.
Roa vista a Florea 13 e 2 i. Santo Anl ii> quintas feiras Ohndi todo os din.
DAS DA SEMANA.
41 M s Eugenio B. And. do J del).d2..
4 lei. i Veneranda V. M. Re. Aud. do .1. de D. da 3. T.
15 Ouart. J Leopoldo Marq Aud. do J. de D. il 3. r.
iti Junt. Cnealo de Lagot Aud. do J. de D. da I. v.
M ei. a. Saloma V. "F, Aud. do J. de D. da 2. T.
48 Sa. R di) D""1. s. li el rainha do Hungra.
de Nbveinbro Anno XIX. N. 249.
O lilil publica-se lodosos das que nao fore;n Santificados: o preco da iieigoatori
jt de trea mil rail por quartel pagoe adiantados Os annunroi dos .lepantes lo inaari
-, gratis eos dos que nao torera rasao de Miris por linlia. As reclimiqe* derem ?er '"
gida a esta Tip., ra das Crujes N.3, ou aprici da Independencia lojl de litros N.Oeo'
ciamosSo dia 16 de Notembro. compra reda.
* CibioaobrLondi.2(i. Ooo-Moadad ,400 V. 46 8i0
Paria 37 J raa por fnnro,
Lisboa HU porlOdapranaio.
Moada de cobre 2 por canto.
Ideas deletreide boa Ermas 4 a 1 1|1 2.
N. !6,00
da 4,000 ,IU0
PlATi-Patacda 1 900
Petoaolasamre 1.1M0
a ditos .Viatcanos 1,1100
47 000
46.800
9.400
4,920
4.920
PHA.SES DA LA NO HEZ DE NOVFMBR.
Lu Cheia A 7, 3 horas e ? nt. da martli.i I La ora i I, ai 3 hi.raie 14 m da tarde.
Quart. aing. 4-1, "' 13 minutus da tarde | Ouarl oiesi. 2S, ds 4 horas e 49 o da t
Preamar de hoje.
4. I .ion e I i m. da aanba. | 2. a I boraa 42 s m. di Urda:
l'""f~
i ptreamm
G?3>
s>*, sv-Tvl* $>
wmmwxmmwQ%
PRTE OFF
LE N.3I7 DE21 DE OUTBRO DE 18*3
Fixando a despeza e oreando a receita para os
exercicios de 1813 18 W e 18U 1845.
(Conclusdo.)
Art. 20. Os despachantes das alfandegas, naS
sendo os proprios danos das mercadorias ou sous
caixeiros, pagars urna patente annual decem
niil rs. quinhentos mil rs. na alfandega da
corte; de sincoont quinhentos mil rs. as da
Bahia, Pernambuco, Maranha e S. Pedro; de
vin ea quarento mil rs. as mais alfandegas do
imperio. Para o lancamento da patente sorao
os despachantes divididos em duas classes, re-
guladas pela importancia dos despuchos quo fl-
st-reni, nao podendo ninguem exercereste oli-
cio sem que tenha tirado a respectiva patente.
Art. 24. FicaSda mesma sortosujeitos a um
direito de patente annual todos os que exerce
rom o ollicio de corretores, a qual ser de du-
sentos a um cont doris, na capital do impe-
rio; de cein a quinhentos mil rs. as cidades da
Baha. Pernambuco e Maranha, o de vinte mil
rs. as mais cidades martimas do imperio.
Ar. 22. os bilhetes de loteras cajo premio for
de um cont do rs. para cima, pagurS 8 por
cento de imposto para o estado
Art. 23. Fica creada a seguinte contribuicao
extraordinaria durante o anno desta le.
S 1, Todas as p-rssoas que receberem venci-
mentos dos cofres pblicosgeracs, porqualquei
titulo que soja, lica sujeitas a urna imposicao,
que ser regulada pela maneira seguinto:
1:000# 2 porcento
2:000?
3:0008
*:000$
5:000#
6:0003
7:0108
8:000^
para cima
2. Fica exceptuados da regra estabelecida
no paragrapho antecedente os vencimentos das
pracas do pret de Ierra o mar, e os vencimentos
dos militares cm campaiiha.
3 Na palayra vencimentos se comprehende
quaesquor emolumentos que so perceberem as
secretarias das estacoes publicas.
4. O governo estaoelecer o modo de orre-
cadar-se esta nova imposicao.
Art. 24. A receita geral do imperio, compro-
hendidas as imposicoes creadas nos artigos an-
tecedentes, e as lendus do applicaco especial
quo no anno desta le o governo 6 autorisado
para tomar por emprestimo, e oreada na quan-
tia de 21,200 contos.
Art. -25. lista receita ser eTectuada com o
producto da renda geral arrecadada dentro do
exercicio da presente lei, sub os ttulos abaixo
designados.
1. Direitos de 15 por cento de consummo, 11-
cando substituidos os que pagava o sal estrangei-
ro (bem como os de expediente o rmasenagem
addicional) p,ila laxa de 240 rs. por alqueire.
2. Ditos de 48 o meio por cento sobro os vin-
hose bebidas espirituosas.
3. Ditos de 50 por cento da plvora.
4. Ditos de 50 por cento do cha.
De 500S a
1:000^ a
2:000^ a
3:000S a
4:00-# a
5:000 a
6.000# a
7:000^ a
8:0008 1'
3
4
5
6
7
8
9
10
O COPO d'aoda.
Ha 50 annos, a cidade do Rio-do-Jarteiro nao
era o que hoje. Setivesse o talento ar'-heolo-
gico dos Walter-Scotl dos Vctor Hugo e ou-
tros, contar-vos-hia o que era ento o Hio-de-
Janeiro; mas como o nao tenho, contentae-vos
com a allirmativa. O Hio-de-Janeiro nao era o
que hojo ;todava as mesmas paixes cntao
seajitava, haviao mocas, e amanteticos, me-
xiriqueiros ezeladoresda honra alhela, maridos
infelisM esposas inflis havla de tudo isso;
mas navia o queja nao temos vinganyas te.ri-
veis, e discretas.
Nesse Hio de-Janeiro de entSo, morava na ra
a mais torta, e a mais alunilada da cidade, cha-
mada por antonomasiaiUia-din-ilaum r..-
gociaute abastado, que, depois de ha ver, no gy-
5. Ditos de 5 por cento dos relogios, joias,
ftc.
6. Ditos do 2 por cento de reexportado o bal-
deacao.
7. Ditos de 13 por cento addicionaes de oal-
deacao o reexporta^ao para a costa d'Arica.
8. Expediente das alfandegas 1 1/2 por cento,
excepto do sal estrangeiro.
9. Dito dos gneros do paiz 1/2 por cento.
10 Armazenagem '/. por cento.
11. Premio de assignatura V* por cento.
12. Multas por nfracco dos regulamentos e
faltas de man i Testos.
13 Ancoragem.
. Direitos de 13 por cento das embarca-
coes ostrangeiras que passo nacionaes.
15. Ditos de 7 por cento de exportacao.
16. Ditos do 2 por cento dos objeotos ex-
ceptuados.
17. Ditos de '/ por cento dos metaos amoo-
dados.
18. Ditos de 15 por cento nos couros ( S.
Podro.)
19. Expediente das capata/ias.
20. Taxa do rorreio geral.
2!. Bracagem do Tabrico das modas de ouro
e prata.
22. Contribuicao para o Montc-Pio.
23. Cobranza de divida activa, inclusive me-
tade .la de rendas provinciaes anterior ao 1. do
ulho de 1836.
2i. Direitos novos e velhos dos empregos, e
o Ti-ios geraes, e de chancellarla.
25 Di/ima da dita.
26. Decima de urna legua alm da demar-
cacao.
27. Dita addicional das corporacSes de mao
morta.
28 Emolumentos de certidoes.
29. Foros de terrenos e do marinhas, excep-
to das do municipio da cr'e.
30 Impostos sobro a minerac3o.
31. Joias ilas ordens honorficas.
32. Juros das apolices.
33. Laudemios.
3. Matrii ula dos cursos jurdicos e dases-
colas do medicina e venda de cartas de ha-
chareis.
30. Multa das academias.
36. Renda diamantina, do proprios nacio-
naes dos arsenaes e estabelecimentos de ad-
ministrara) geral.
37. Sisa dos bens de raiz.
ii8 Sello do papel lixo e proporcional.
39 Producto da venda de proprios nacionaes,
po-hra/il plvora e outros gneros de pro-
priedade nacional sujeitos administracaogeral.
40. Agio de modas e de metaos.
41. Alcances de thesoureiros e de recobedores.
42. Bensde defuntos e ausentes.
43. Emprestimo do core dos orphaos.
k\ Indemnisaco pela arrecadacao de rendas
45. Dila pela mcdico de terrenos de ma-
rinhas.
46. Ik-frma de apolices V por cento.
47. Dons gratuitos.
>-<*
rodas compras e vendas, posto de lado seu bom
par de patacas, assentou que devia tomar espo-
sa que Ihe ajudasso a comer aquillo que ello s
navio adquirido, e Ihe desse um herdeiro legi-
timo e de seu nome, aquem porsua morte pas-
sassesua fortuna. Obroucom siso o nosso bom
negociante, que se ha no mundo cousapoior do
que ser pobre, ser rico, solteiro na hora da
morte, o vr-se rodeiado de amigos, cada qual
mais atiento seu ultimo arranco, para apos-
sar-se desuas chaves, e inventariar oque Ihes
cabe por direito de hypocrisia. Fosse por esse
motivo, ou poroutro qualquer, que nao descu-
bro, o nosso negociante ( a quem chamaremos
Antonioj achou que devia casar-se; mas no que
mustrou grave imprudencia, foi em ir buscar
para mulheruma dessas mocas que moslra no
semblante e nos olhos natural predisposicao
seren victimas do dos vendado. Antonio nao
se lembrou quo ja contavaseus cincuenta annos,
nao ouvio as revelacoes de seu espelho, ecasou
nuil uma rapariga de 15 anuos, a quem mama-
remos D. Joanna.
48. Reposices e restittiicoes.
49. Salarios de Africanos livres.
50. Imposto de 8 por cento sobro os premios
dos hilhetos do loteras.
51. Descont nos vencimentos recebidos dos
cofres pblicos geracs.
52. Licencas dos despachantes das alfandegas
e corretores.
53. Taxa dos cavallos e bestas, quo entrao no
municipio.
5. Imposto sobre as casas, em que se ven-
de m movis roupa, &c.
55. Remanecentcs de depsitos e caixas pu-
l I Teas.
56. Depsitos diversos.
Especiaes do municipio da corle.
57. Decima dos predios urbanos.
58. Di/.imos.
59. Emolumentos de policio.
60. Imposto de patente no consummo da a-
gu'ardente.
61. Dito no gado de consummo.
62. Dito as casas de leilao e de moda.
63. Meia sisa dos escravos.
6i-*Sello de herancas e legados.
65. Tercas partes do officios.
66. Rendimonto do evento.
lienda com applicagSo especial.
67. Tres e meio por cento do armazenogem
addicional excepto do sal estrangeiro.
68. Oito por cento das loteras.
69. Imposto sobre as lojas, &c.
70. Dito sobre seges.
71. Dito sobre barcos do interior.
72. Dito de 5 por cento na compra e venda
de emharcacoes.
73. Cobranca de divida activa destas rendas.
74. Producto dos contratos com as novas
companhias de mineraco.
75. Dito da moda de cobre inutilisada.
Art. 26. O dficit roconhecido na presento
lei o o que mais possa provir de deficiencia da
receita oreada, ser prcenchido com emissao de
apolices. ou bilhetes do thesouro como anti-
cipadlo de receita.
capitulo ni. Disposiccs geraes.
Art. 27. De Janeiro de 18'i4 em diante ficao
sujeitas multa de 30S por tonelada qualquer
embarcacao que levar po-brazil por contra-
bando dos portos do imperio para osestrangei-
ros, urna vez que so prove.que para all condu-
zra o dito genero.
Art. 28. A junta da caixa da amortizacao fica
autorisada para suspender as transferencias de
apolices da divida publica, durante o tempo ne-
oessario para se processarcm as foihas dos uro
do cada semestro nao exredendo o pra/.o da
suspensao a 2 mesas o qual se far publico
com anticipacao suficiente.
Art. 29. prorogada ao governo por maisum
anno a nulorisaco concedida pelo art. 17 da
lei de 30 de novemhro de 18U n. 2W pan
alterar os regulamentos cerca' dos impostos de
meia sisa e taxa dos escravos, decima urbana,
decima de herancas e legados, dizima da chan-
Foi essa a nica vez que Antonio obrou sem
tino: mas logo emendou a mo. Depois de ca-
sado achou que devia ter f inabalavel na hon-
ra, na virtude ena fidelidadedesua esposa; que
no porturbasso com negras desconflancas, com
ciumesestravagantes a paz domestica o a doce
uniao da familia. Ou porque quebrasse por si,
ou porque ella tivesse genio dcil, o certo que
por espaco de quatro annos nunca a menor Me-
na conjugal veio obrigal-o a suspirar pelo seu
tempo de solteiro, e a arrepender-se do que ha-
via leito. Segundo o costume da Ierra, D. Joan-
na poucas vezes saa ra, apenas um ou ou-
tro domingo, e quasi sempre de madrugada, ia,
acompanhada dedusia e meia de mocambas ,
ouvirmissa na igreja que Ihe ficava mais porto
decasa. Nunca visitas, que nao servem senao
para perder tempo, nunca bailes, diablica n~
venci do moderno francezismo nunca thcatros,
que r prestan para fazer perder em intil vigi-
lia as horas que o somno reclama, nunca todas
esaas distracces e divertim ntoa da civilisacao
de nossos das, oceupara um instante dos lon-
cellaria bensde defuntos e ausentes, ecor-
reios conforme o ditara experiencia.
Art. 30. Fica revogado o art. 13 da sobre lita
lei n. 243 na parte em que fixou o mximo
para o imposto das patentes sobre a agurdenlo
de produccao do paiz. Nesta imposico esto
comprehendidos todos os productos feitos com
agu'ardente daquclla origem.
Art. 31. Os estrangeiros esto comprehendi-
dos, como os nacionaes, na disposicao do alvar
del7dojunbo del809, relativa decima das
herancas e legados.
Art. 32. O governo autorisado para vender
em hasta publica a dinheiro vista ou em
Iroco do apolices da divida publica os escravos
da carao (|ue nao convier conservar, prece-
dendo avaliaco eannunciando-so a arrema-
tado com a necessaria antecedencia.
Art. 33. governo regulara a escripluraciio
das rendas applicadas pelo modo, que julgar
mais conveniente nao obstante a disposicao
do 3. do art. 6. da lei n. 231 de 13 de no-
vemhro do 18-1.
Art. 34. -Nos futuros orcamenlos a tabella da
receita geral trar a compnracao do producto
arrecadado nos 3 ltimos annos com o oreado
para o anno futuro ; e na parte relativa des-
pe/a se orcaraO miudamenle as parcellas de cada
verba em cada ministerio apontando-sea lei ,
quo outorisa a despeza. Esta parte ao orcamen-
to contera duas columnas do algarismos.em que
se compare o oreado no anno da lei com o do
unno precedente, explicando-se cm notas a ra-
zao da dilferenga quando a ha/a.
Art. 35! Fica creado um registo geral de by-
potheeas nos lugares e pelo modo, que o gover-
no estabelecer nos seus regulamentos
Art. 36. Ficao pertencendo aos proprios na-
cionaes as estancias e mais terrenos dos Indios
da comarca de Missoes no Rio-Grande-do-Sul
sendo distribuida porm pelos Indios, que res-
to, urna parle dos mesmos terrenos, que (Or
suficiente para sua cultura.
Art. 37. E concedido provincia de Santa
Catharina o proprio nacional denominado
Quarteis-velhos para nelle se construir uma
casa para as sessoes da assembla legislativa da
mesma provincia.
Art. 38. A Santa-Casa-da-Misericordia da
provincia do Para fica alliviada do pagamento
tic 1:060,300 que devia azenda publica de
dizimos de gado pcrlencenles aos annos de
1825 .a 1827.
Art. 39. Os descontos dos ordenados dos cm-
pregados pblicos, que faltarem ao servicosem
motivo justifica lo reverters cm beneficio dos
cofres do estado.
Art. 0. Fica revogado o art. 3 da lei de 28
de novemhro de 1831 e bem assim o art. 54
ta tle 15 do mesmo mez c anno na parte em
que eslabelecedoutrina similhante daquelle
urligo.
Art. 41. Fica da mesma sorle revogada a re-
solucao de >% de outuliro de 1832, que tornou
livre a prallcagem da barra do Rio-Grande-do-
gos dias de D. Joanna: o governo da casa era
seu divertimento o mais nteressante; fazer do-
ces, remendara roupa dos escravos, tomar os
pontos das meias, sua melhor distrac^o: e to-
dava seu marido possuia boas centenas do con-
tos, nao em gordurento papel, mas em bellas
meias doblas dentro de sua burra I Felises tem-
pos! faca-o alguem agora .'
Antonio tinha de coslume sa ir todos os dias
santos e domingos para ir ouvir a missa do dia.
Gslo era vfil-oentaotodo mperti^adocom bel-
l. caleo de ganga, atado por Bvellas de prata,
com bella casaca encarnada e bella cabelleira
bem apolvilhada; gusto era vl-o pisar nessas
calcadas, ufano do si, garboso e duro tendo
na mao grossa bensalla do castao de ouro, que
Ihe servia como deterceiro p.
Um dia sabio o velho negociante para seu gy-
ro ordinario, quando um visinho chama-o pa-
raconuT':Vaa '-'.:::. press, uia. cc, na voi-
ta... negocio de importancia.Antonio en-
trou.Meu bom amigo, disse o visinho per-


n 2
Sul e autorisado o govcrno para expedir os re-
glamenos convenientes para a mesma prati-
cagein.
Art. 42. O govcrno autorisado para fazer a
despeza, que necessaria lor.com o possoal e ma-
terial indispensavois para levar a elTeito a dispo-
srco que cstahelece o sello proporcional (i-
cando dependente da approv.aao da assembla
i,'eral a que for creada com o pessoal.
Art. 43. As apoliccs dos emprestimos.al o-
gora decretados pela assembla legislativa pro-
vincial do Rio-de-Janeiro, gozarlo dos mesmos
privilegios de que goziio as apoces do gover-
no geral.
Art. 41. E prorogadaaogoverno pormais seis
mezas a faculdade para reformar as secretarias
de estado afim de se fixar o numero do seus
emprogados, redu/indo-o ao que r estricta-
mente necessario ; regular-se melhor a divisao
dos traballios : alterar-sc a tabella dos emolu-
mentos igualando estes entre urnas e outras
secretarias, depois de diminuidos conforme fr
conveniente; regular-se a distribuicao dos mes-
mos emolumentos ; e para ludo o mais que o
servico publico exigir ; com tanto que nao Se
augmenten) os ordenados c menos se concedao
gratificacoc.
Art. 43. O governo poden usar desde ja ,
e durante o lempo desta lei da autorisaco
concedida pelo paragrapho l.do art. 10 da lei
ti. 2V3 de 30 de novembro de 18M com tan-
to que da clevatjao de direilos antes que linde
o tratado em vigor nao resulte monopolio
favor de naca o alguma.
Art. 46. (i governo autorisado para arre-
matar algum ou alguns ramos de renda publi-
ca em que esse syslema possa ser mais van-
tajoso aos interesses do estado comtonto po-
rcm : 1. que a arremalaco se nao faga com
menos de 10 por cento sobre o maior rendimen-
to que ti ver produzido o artigo da renda que se
arrematar ; c 2. que o lempo da arrematacao
nao exceda de tres annos.
Art. 47. A arrecadaco do imposto de 40 res
sobre cannada de agu'ardentc dopaiz, creado
para renda da cmara municipal da corte se-
r falla pela recebedoria do municipio as mes-
mas pocas e pela mesma maneira, por que o fr
o Imposto de patente sobre o dito genero ; sen-
do o producto entregue i cmara proporcao
que se fr arrecadando e sem dedueco di-
De
lordas letras, escriptos, Sello a menos
c olas. de 2 me/es.
50,000 a 200.000 100
200,000 a 500,000 160
5 0.000 a 2:000 000 400
2:000,001 a 5:000,000 1,200
5.000,000 a 8:000.000 2,400
8:000.000 a 11:0011,000 3,400 ,
11:000.000 a 14:000,000 4,400
li:000.000 a 17:000.000 5,400.
17.000,00 Ja-20:000,00o 6,400
20:000,000 para cima. 7,400
Sello a mais de 2 Sollo das estran-
mezes. i geiras.
160 39
320 If
1,000 n <3 3 S"
3,000 2*
5,000 3 O.
7,000 o O
9,000 o c
11,000 3 2 -o
13,000 2 *
15,000
njr+XMryt-xnyx&fi^
tubro de 1843. Luis d'Almeida Cunha.
EXTERIOR.
porecntagem para os embregados da recebe-
doria.
Art. 48. O governo autorisado para esta-
belecer multas at 200,000 rs. nos reglamen-
tos que fizar para a boa execucao d'esta lei.
Art. 49. o supprimento as provincias esla-
belecido pelo art. 7. 31 ser regulado pela se-
guinte forma a saber:
A' provincia da Babia.'...... ll2.-ooo.ooo
102:000,000
37:000,000
42:300,000
22:000,000
22.000.000
19:600,000
16:400,000
9:800,000
14:400.000
12:000,000
14:000 000
24:000,000
7:200,000
Art. 50. A presente lei reger tambem no ex-
ercicio de 1814 1843 devendo porm o go-
vcrno rcduzir as despe/as dos ministerios da
guerra e marinha no caso de terminar a guer-
ra do-Hio-Grande-do-Sul; e bem assim as es-
seocialmente pertvncentes ao anno desta lei, e
as que sao votadas por urna s vez.
Art. 51. Felo em vigor todas as dispnsicdcs
das leis de orcamento antecedentes, que nao ver-
sarem particularmente sobre a fixacfto da re-
ccita e despez e nao tiverem sido expressa-
menle revogadas.
Art. 52. Fico revogadas as leis c disposi-
r/3es em contrario.
TABELLA A.
Primeiw classe. Letras de cambio escrip-
tos ordem c notas promissorias.
)) de Pcrnambuco..

X do Maranho___
das Alagas.....
do Matto-grosso.

>. doEspirilo-Santo

de Sergipe......
do R. (i. do Norte
da Parahvba___

de S. Catharina..
d-)c se o incommodei; mas a amisade que Iba
tenho, c que suas boas quididades pinhorao, o
zelo pela sua honra levad-me a dar esse passo.
Dc-tne dentro d'alma ver a ingratidao com que
o trata essa moca que vm- deve tudo, de-me
dentro d'alma ver como Iludido anda vni. por
sua refalsada bypocrisia: sua mulher he-lhe in-
fiel. .. Infiel !Sun, lodosos domingos, ape-
nas vm. sahe de casa desponta all nuquelle can-
to uin mocinho muito elegante ; lenco branco
d-lhe de sua janella signal favoravel; o elle,
com pe ligeiro, atravessa ra sobo ligeiro
escada ; e s sabe de casa um ou dous minutos
antes que vm. volte. Eis o que tenho que di-
zer-lhe impossivel que minha mulher as-
sim proceda, ella 18o meiga como a pomba ,
lio innocente como a ovelha, tad pura como o
lyrio!... Todava nao despreso sua advertencia
consiuta que fique por aqui para surprehen-
dul-a.
Hatii a instantes abrindo-se a janella da casa
de Antonio, um lencinho branco trernulou, ban-
oeira de seguranca; um mancebo apressado su-
Ser/vnda classe. Crditos, escripturas ou es-
criptos de venda hypolheca, doaco, de-
posito extrajudicial, e de qualqucr titulo de
transferir a propriedade ou o usofructo ; os
quinhes hereditarios e legados ; as quita-
cesjudiciaes.
Valor dos ttulos. Sello.
De 50,000... a.... 150,000 100,000
150,000... a___ 3J0.OO0 200,000
300.000... a___ 600,000 400,000
600,000... a-----1:200,000 800
1:200,000... a .... 2:400,000 i ,600
2:400,000... a___5:000.000 3.000
5:000,00 I... a .... 6:000,000 4,00..
Nos valores superiores, 1.000 sobre cada
1:000, at o mximo de 1,000 contos; dosta
Minnna para cima ser o sello de 1:000.
Terceira classe. Objectos abaixo declarados.
Apollites de seguros ou de riscos 1|8 de um
por cento do respectivo valor.
Despachos pelo consulado.
Para fura do imperio. lilOnorc. sobre poique.
. valor le 100^ e
Pura dentro........1|20 (,,.rocn...
Despachos pela alfandega. 9
Parac nsummo.....1 [10
Para reexportacao, bal-
deacaoou para dentro
do imperio.....1|20 i
I'ilulos de nomeacao
expedidos pelo gover-
no ou empregados de
sua escolha,autorida-
des ecclesiasticas, &c. 1 p. c.
Afretamento de navios.
Para fra do imperio l|o de 1 p. c. |Sibreovo-
Para dentro....... 1)10 i lorduf'.
.Mandamos portanto a todas as autoridades, a
quem o conbecimento e execucao da referida
lei pertencer que a cumprao e facao cumprir,
e guardar tao inteiramente como nella se con-
ten. O secretario de estado dos negocios da
a/.enda c faca imprimir publicar e correr.
Dada no palacio do-Rio-de-Janciro aosvintc
e um de outubro de 1843 vigsimo segundo
da independencia e do imperio Imperador
com rubrica c guarda. Joaquim Francisco
Vianna.
Carta de lei, pela qual V. M. Imperial man-
da executar o decreto da assembla geral legis-
lativa que houve por bem sanecionar or-
eando a receita e fixando a despeza geral do
imperio para os exercicios de 1813 1844
c 184-- 1845. e dando outras providencias ,
como nella se declara.
Para V. M. Imperial ver. Joaquim Di-
niz da Silva Paria a fez. Honorio Mrme-
lo Carneiro .eu.
Sellada na chancellara do imperio, em 23
de outubro de 1843. J0B0 Carneiro de
Campos.
Publicada na secretaria de estado dos nego-
cios da fa/enda em 24 de outubro de 1843.
Joo Maria Jacobina.
Registada no mesma secretaria a fl. 122 do
livro l. de similhantes. Rio, em 24 de ou-
Do ordenado ,
I ou lotacSo ,
comprehen-
didososemo-
lumcntos.
bio pela escada da casa. Antonio que tudo 11-
nha visto, reconheceo nelle um dos que mais
pussavao pela ra em que morava sua mulher
no lempo de solteira. Vou agora surprehen-
del-os, vou tratal-os como merecem, disse o
infeliz marido, e saino agitado.Entrou em
sua casa, dirigio-sea salado trabalho de sua
mulher, noaachou; mas n'um gabinete que
Ihe ficava contiguo, vio-a, e com ella o mance-
bo Nem urna palavra disse entrando no ga-
binete, nem urna palavra indiscreta Sr., a-
companhe-mc :e segurando-lhe no braco com
verdor juvenil levou-o para um quarto remoto c
fexou-o dentro delle; e depois foi buscar Ma-
ria a mais formosa das mocambas de sua mu-
lher, e trancou-a no mesmo quarto com o mo-
co :Nao di* urna palavra, disse-lhes, que as-
sim preciso.
EnlSo, saindo de casa, foi ter com o carido-
so vesinho.Ora vm. muito m lingoa, para
aue anda desacreditando a gente, e inauietando
os pobre maridos? venha ver, venha ver com
seus ollios, para quem que aquelle moco en- I
INGLATERRA.
( Da Gazeta de Londres de 3 d outubro. )
Plocamacoes da fainha.
Por quanto em certos districtos de Gales do
Sul, especialmente nos condados de Pembroke,
Cordigan eCormorthen tem bavido nou-
to ajuntamentos tumultuosos de povo disfarcado
e armado de espingardas e outras armas ofen-
sivas e se tem commeltido ultrajes de natu-
reza a mais violenta contra as vidas e propie-
dades de diversos subditos nossos ; como quer
que em menoscabo das leis e da boa ordem to-
nda o esses ajuntamentos tumultuosos derriba-
do as cancellas de passagom c destruido as
cazas onde se arrecada os impostos das barrei-
ras, entrando n'ellas violentamente ; e porque
elles tem at atacado as babilacoes dos indivi-
duos extorquindo d'elles sommas dedinheiro
por meio de ameacas ou violencias e tem in-
cendiado o fono o trigo e outras propriedades
l'alguns dos nossos subditos temos portanto
julgado conveniente, ouvindo o parecer do nos-
so conselbo-privado expedir esta nossa pro-
clamado regia ; ordenando por ella restricta-
mente a todos os juizesdepaz, sherifls, sub-
sberiffs e a quaesquer outros oficiacs civis
que empreguem os seus maiores esforcos para
reprimir todos os tumultos motins ultrages
e perturbacoes da paz e pora descobrir, cap
turar e levar juizo as pessoas envolvidas nos
sobredi tos procedimentos sediciosos e malvo-
los; o determinamos positivamenle a todos os
nossos subditos ligios que prestem prompto e
oficaz auxilio s nossas Justinas de paz she-
rifls esub-sherifls e a todos os seusofficiaes
civis nos seus esforcos para man ter a tranquil-
lidade publica. E para maior incitamento em
descobrir-se os delinquentes prometlcmos e
declaramos por esta que toda a pessoa ou pes-
soas que dcscobrircm e capturaren! ou fizerem
descobrir e capturar os outores fautores e
perpetradores d'algum dos sobredilos incendios
ou de qualquer outro ultraje contra algum dos
nossos subditos pelo qual se tenha sacrificado
a vida de sorte que elles ou algum d'elles se-
ja devidamente convencido d'isso adquirir
direito somma de 500 libras por cada pessoa
que assim fr convencida c obter o nosso
mu gracioso perdo pelo mesmo delicio se
por ventura quem lizer tal descoberta esti-
ver sujeito a ser processado por elle salvo se
fr o actual perpetrador 1! um tal ultraje ou
de similbantes incendios.
Tambem promettemos e declaramos que
qualquer pessoa ou pesseas que descobrirem e
capturaren), ou fizerem descobrir c capturar
os autores fautores e perpetradores de outros
delictos sem serem os mencionados a cima, nos
sobredilos condados, de sorte que elles ou al-
gum d'elles seja devidamente convencido ad-
quirir direito somma de SO libras porcada
urna pessoa que assim for convencida c tam-
bem receber o nosso clementissimo perdaope
lo mesmo delicio no caso de estar a pessoa
que fizer tal descoberta sujeito a ser por elle
processada. Dado no nosso palacio de Windsor
aos 2 dias d outubro do anno de N. S. 1843 ,
e 7 do nosso reinado. Victoria7?.
Como quer que tenba chegado ao nosso co-
nbecimento que nao obstante ler-so em virlu
de da nossa proclamaco) de3dcjunbo de 1842,
retirado da circuladlo urna grande quanlidode de
moed .s d'ouro d estes reinos, deficientes en.
peso ; com tudo anda ba em circulacao muito
ouro cunhado n'este reino deficiente em peso,
contra o disposto na nossa sobredita proclama-
cao e as duas publicadas por S. A. R. o
principe Jorge, regente em nomo e lugar de
S. M. o fallecido re Jorge 3." em dala do 1.
dejulho de 1817 e por S. M o fallecido rei
3ffW^p
Jorge 4.em data de 6 de fevereiro de 1821 ;
e bavendo razo para crr-se que nao se tem
prestado bstanle attenco ao peso das ditas
moedas d'ouro e s instruccoes dadas nos ac-
tos do parlamento ora em vigor a respeito do
corto quebramento e desfiguracao d aquellas
pecas que se acbassem com menos peso do que
o declarado as mencionadas proclama) oes para
poderem correr passar e ser recebidas cm pa-
gamento ; por esta nossa proclama ao regia
declaramos e ordenamos que d'esta data cm
dionte nao ser permiltido correr ou passar em
pagamento algum qualquer soberano de ou-
ro de menor peso do que 5 dwts ( escropulos)
e 2'/graos, nem meio soberano de menor
peso do que 2 dwts e 13 1/8 graos ; e por esta
exigimos e ordenamos mui positivamentea todos
os nossos amados subditos e em particular a todos
osofciaes collectores e recebedores das nossas
rendas, que se conformemrestrictamcnlccom as
irderis aqu dadase as instruccoese regulamenlos
decretados e expedidos sobie os difierentes ac-
tos do parlamento ora cm vigor e que do 1.
do Janeiro p. f. em diante cortem quebrime
desfiguren) aqnellas pecas de ouro cunhado que
se acharem deficientes em peso ; e por e.la de-
terminamos declaramos e ordenamos mais
que os ditos soberanos e mcios soberanos d'ouro
dos pesos cima indicados, passem esejao re-
cbidos como moda correnlee legaljdo Reino-
Unido da Gram-Rretanha e Irlanda em todos e
uaesquer pagamentos, lerdo os soheianos o va-
lor de 20 sidos e os meios soberanos o de lOs.
Dado no nosso palacio de Windsor aos 2
dias d'outubro do anno deN. S. 1843 e set-
timo do nosso reinado. (Timts.)
traern minha casa: venha vel-o, e para o futu-
ro ponha um freio nessa lingoa.
O visinho acompanhou-o ; entrarad ambos
em casa, fora ao quart j em que cstavao feicha-
dos o amante e a mocamba.Veja Sr., disse o
velho, veja ; para minha escrava, e nao para
minha mulher que este moco vern a minha casa.
Sr., disse voltando-se para o mancebo, a sua
imprudencia comproinctteo minha honra e a
honra de minha mulher, edeo escndalo o to-
da visinhanca, pr.ciso reparal-a ; Mara est
forra, eu a doto com dose coritos de reis, haveis
de casar com ella.
Dahi a 8 da-, na igreja da antiga S, Maria,
linda moca de 17 annos, formosa porsijj, foi-
rnosa por seus alarios, casava-secom o mance-
bo.No da seguinte ambos embarcavao para
irem estabelccer-so em provincia remota, aonde
ninguem soubesse que Maria huvia sido es-
clava.
Dahi a mesesD. Joonna.volfnndoda igreiaem I
que tinha ido ouvir missa, deo urna grande que-
da na porta de sua casa: um dos pretos que
RIO-GRANDE-DO-NORTE.
Discurso, qve ao/ xm. Presidente da pro-
vincia dirigi a commissGo nomeada pela
respectiva Assembla ; e resposta do mesmo
F.xm. Snr.
lllm. e Exm. Sr.h. assembla legislativa
provincial, leudo. em mxima consideraco o
bem estar dos habitantes cujos interesses a-
caba de representar sob a paternal administra-
cao de V. Ex., julgou do seu imperioso dever,
antes de encerrar os seus trabalhos mandar-
nos em deputaco agradecer a V. Ex. o apoio
que ihe tem prestado, na boa confeicao das leis,
e nao menos louval-o pelo bom tino, c zelo ad-
ministrativo, com que V. Ex. tem sabido con-
dusir-se, conservando em paz a provincia tra-
vezdas exigencias dos partidos, que talvez qui-
zessem arrastal-o um sem numero de males e
desordens. Ella espera Exm. Sr., que V. Ex.
prosiga impvido a superar os escolhos da ad-
ministracao, trilhando a mesma simita que in-
cetou; e nao duvida de assegurar-lhe a franca,
e decidida coadjuvacao do cada um dos seus
inembros, persuadida de que V. Ex., marchan-
do com tao seguro passo, e tao boas intencoes..
nao pode deixar de mereceros applausos dos
verdadeiros filhos da provincia. Digne-se V. Ex.
de aceitar, e de acolher popicio os sinceros vo-
tos da assembla provincial, que nao hesito em
depositar sua confianca as mos de um govcr-
no imparcial e justiceiro. Paco da assembla le-
gislativa provincial do (io-grande-do-no ter em
7 de novembro de 1843.Jodo Valentino Dan-
tas Pinuj.Lui: da Fonseca Silra.Jos Lou-
renco de Almeida.
Agradcco cmara dos Srs. deputados pro-
vinciaes os senlimentos do adhesao, que ma-
nilestao a minha pessoa e muito mais o pu-
blico teslemunho, que acaba de dur-me envi-
ando-mo urna commisso tanto mais honrosa,
quantcella formada por tresds seus dignos
membros; e por isso dignem-sc os senhores de-
putados de scientilicar assembla legislativa
provincial, que iguaes sentimentos me animo
seu respeito c quo muito me hsomzei de
que os actos do mcu governo mercao, e conti-
nuem merecer as sympalhias da mesmo as-
sembla. Palacio do governo do Rio-grande-do-
norte 7 de novembro de 1843.Andrde Albu-
querque Maranho.
...... w
carregavao a cadeirinha escorregou; a cadeiri-
nha velo ao chao. Ao ouvir a bulla que fez ,
Antonio sabio da loja em que eslava acodio a
sua mulher, c levando-a nos bracos para den-
tio de casa, para fasel-a voltar aos senlidos, quo
de susto bavia perdido, deo-lhe a beber um co-
po d'agua... No du seguinte um enterro sabio
da casa do negociante,era o de dona Jounnu quo
havia fallecido na vespera, em consequencia da
queda. O negro ca regador da cadeirinha desap-
paieceo: Antonio chorou, c lastlmou toda a sua
vida a perda de sua querida esposa, nunca se
lallava em casamentos que elle nao lembrasse
alguma das prendas de sua bem amada.
delicias da vida disia chorando, diiicias da
vida urna boa mulher, al mesmo.... At
mesmo___(tornou-lhc urna vez impacien-
tado de seus queixumes, o seu visinho, celador
da honra alhcia;, porque todas as suas manchas
lavao-socom um cupod'agua___
rava suas magoas, e a perda que tinha soiTrido.
(Do Brasil.)


n
Alfandega.
Bendimento do da 16......... 6:2528672
DescarregZo hoje 17.
BrigueCaravanadi Abren tes gneros.
0to Annetteo mesmo.
j)(oBom Jessfumo c rap.
jtnrcaCoraffto di Jessvinlios e massas.
ptaToulonfarinlia de trigo.
IMPORTACA.O.
Anneta brigue sardo vindo do Genova ,
entrado no corrente mez h consignado de Wol-
fhopp Oencker & C ; manifeslou o seguinto :
203 fardos com papel, 30 ditos papel e fio ,
9o0 caixas ntassas, 18 ditas canella 300 di-
tas sahao 2 ditas salames, 7 ditas fazendas
de sfidas, 4 ditas pentes 2 ditas chapeos do
sol, 2 ditas calcados, 1 dita o 1 embrulho fa-
zendas 8 bahH perfumara 28 barricas o 17
caixas drogas 60 barricas alpista 130 pipas,
20 meias ditas e 40 quartlas vinho 36 Rur-
telas a/cito d'oliveira H barris oleo de liba-
os 2a saceos erva-doce 28 ditas cravo fino ,
20 ditas cominhos >& ditas pntenla da India,
60 ditas sevada 4.000 ladrilhos de marmore ;
aos consignatarios.
Toulon barca Americana vinda de New-
York entrada no corrente me/ consigna-
do d llenry Foster & Companhia ; manifes-
tou o seguinto:
2:i88 barricas e 125 meias ditascom farnlia
de trigo ; aos consignatarios.
Hoy ment do Porto.
'.Vatios entrados no da 16.
Stockholm ; 72 (lias, brigue sueco Hellena ,
do 2V2 toneladas capitao Henry nolt,
equipagnm 12 carga ferro pedra al-
catrao, e vergas : a consignacao de N. O.
Beber&C.
Porto 26 das, barca portugue/a Tentadora ,
de 400 toneladas capitao Emigdio de Oli-
veira equipagem 30 passageiros 9i car-
ga : vinho sal e ferragens : a consigna-
cao le Janoel Joaquin Hamos e Silva.
Richemond; 55dias, barca americana Toulon,
do 272 toneladas, capitao JoitnL. Hich ,
equipagem 9 carga farinha de trigo :
a consignaco de Henry Foster & C.
Livefpool, 4i dias barca inglesa Priscilla ,
de218 toneladas, capitao John Taylor c-
quipagem 13 carga fazendas : a consig-
nado de B. Lassorre & C.
* "i.f vmiBmii
Seclaraces.
COMPANHIA DE BEBERIBE.
Havendo-se deliberado em assembla gcral
dos accionistas da companhia a plena execuco
doarl. 9 "dos estatutos conct: va o praso improrogavel de 30 dias para dentro
d elle seren realisadai as prestaces at agora
exigidas sao convidados os srs. accionistas, que
ainda nao completarlo a entrada de 16 porcen-
to, para que bajito de o fazer imprctcrvelmen-
te at o dia 17 de dezembro prximo, certos di-
que nao o fa'endo att1 esse dia perderd em be-
nilicio da companhia ascontribuidles quoti-
vereai leito sem que tenliao direito de as re
clamar em lempo algum. Escriptorio da com-
panhia 16 de novembro de 18-3.
O secretario ,
B. J. Fernandes Barros.
Terceiro.
Saltos no tapete ou cambalhotas volateis por
toda a companhia.
Quarto.
Jocosos ejercicios palhacarias a cavallo rior
Mr. Sage.
Quinto.
Dansa cmica em pernas de pao por Mr.
Blakeley e pelo Sr. Oliveira.
Sexto.
Mr, Harrington trabalhar sobre 1.2, o
3 cavallos figurando o collosso de Rhodes,
e practicar muiros feitos difficuHosos com seu
lilho o joven Harrington
llavera aqu um intorvallode meia hora.
Stimo.
Mr. Blakeley dar grandes saltos de trampo-
lirn por cima do fitas o pannos atravessar
trez bal loes, e pular sobre sette cavallos.
Oitavo.
A joven Carolina apparecer no carcter da
camponeza jardineira
Vos.
Contorsocs e exercicios gymnasticos execu-
tados por Mrs Harrington pai e lilho.
Dcimo.
O novo palhaco Mr. S.ige dansar no rame
bambo no qual se distinguir fazendo mui-
tas difficuldades singulares.
Dcimo- primtiro.
Mr Harrington representar o cacador pe-
ruviano.
Decima-segundo.
Seguir-se-ho as transformadles do saco a
cavallo praticadas por Mr. Clark o pelo pa-
lhaco.
Decima-terceiro.
Findara todo o divertimcnlo d'esta noute
coma jocosa farca do palhaco fazendo-se den-
tista, na qual mostrar a manoira de tirar den-
tes porvirtude da plvora.
Dentista..................Mr. Sage.
Paciente..................Mr. Blakeley.
Espectro..................Mr. Clark.
A noute desahitado 18 do corrente ser pa-
ra o beneficio do grande Hercules Americano
Mr. Scott.
Leudes.
CIRCO AiMElUCAXO
CAES DA HUA DA RODA.
COMPANHIA EQKSTBE.
Sob a direceo de M. Lipman.
Beneficio de Mr. Blakeley.
O beneficiado tein a satisfaco do annunciar
aos benemritos Pernambucanis, que o loa be-
neficio lera lucarna noute ile sexta-feira 17 de
novembro na qual envidar os seus maiores
ogforcoj pura agradar a todos os similores c fa-
milias, que se dignaran de bonral-o com a sua
benigia con orrenoia.
Palhaco por esta noute smente Mr.
Sage.
iUeslre de picara Mr. Harrington.
Primtiro acto.
Dar-se-ha principio ao espectculo com a
majestosa representadlo dos Filaos da Lber -
dade, capitaneados por Mrs. Harrington e
Blakeley.
Segundo.
O menino Harrington maravilha do Novo-
Mundo que tem apenas cinco annosde idade,
executar a seu assombroso acto de manejo na
sua egua Julia.
O corretor Oliveira far leilo franco e
sem limites de um completo e variado sorli-
mento de fazendas inglezas e francezas que
roosamente se bao de vender para liquidacao
de contas e por isso de avultada pechinxa para
os seus fregue7.es a quem roga hajao do con-
correr ao primeiro andar da sua caso na se-
gunda-feira 20 do corrente as 10 horas da ma-
nhaa em ponto.
JooKeller continuar por intervenco
do corretor Oliveira o seu leilao de bem co-
nhecidas e lindas fazendas francezas, suissas,
ea'emas tanto do sedas linho, e la, como de
algodao mui proprias deste mercado: sexta
fe ira 17 do corrente s 10 horas da manha ,
no seu armazem na ra 3a Cruz.
Avisos diversos.
LOTERA )A matriz da
.BOA-VISTA.
As rodas desla lotera cor-
rem imprelerivelmenle no dia
21 do corrente e os bilhe-
tes acho-se a venda nos lu-
gares do costume.
Tiro-se folhas corridas, o passaportes
para dentro c lora do imperio, tudo por pre-
co commodo e com brevidade; quem preten-
der dirija-se a ra do Rangel n. 34.
Da-se 2008 reis a premio, com firmas a
contento ou penhores ; quem os pretender ,
dirija-te a Rua-direila n. 100,que se dir quem
os d.
No escriptorio de Fox Brothers existe
urna carta vinda de Londres, para o sr. Ralph
Gibson.
= Madame Popon & Mademoiselle Zo Po-
pon vo fazer urna viagem ao Maranho.
= Mara Emilia Vital Sabino viuva do
cipto-lenenle Antonio Conrado Sabino, de-
clara que se nao responsabiliza por qualquer
objecto que em seu nomo so peca em loja ,
ou em outra qualnuer casa de negocio salvo
com bilheto ou ordem sua.
Venceslao Ignacio da Conceieao faz pu
tilico que pessoa alguma contrato negocio ,
com a casa mea-agua sita na travessa da Rus-
bella n. 1, por quanto sua propri' tarn nao po-
do livremente della dispor por se adiar ligada
de farinha, milho e alguma cousa mais, re-
gulado tudo pelo menor proco da praca da ri-
bera para melhor commodidado da pobreza.
= Aluga-se urna boa casa terrea moder-
na na travessa da Trompe para o Mondeigo ,
do lado da sombra com rnuitos commodos,
e bom quintal; na Rua-nova, armazem n. 67.
t= Roga-sc ao snr. Francisco Antonio Pon-
tual o favor do dirigr-se a ra da Praia ar-
mazem n. 10 a negocio que nao ignora.
ss Quem precisar de roupa lavada o cn-
gontmada com muto aceio nromplido e
preco commodo dirija-se a ra das Larangei-
ras o. 27
= Alugao-so por preco commodo varias ca-
sas terreas de pedra e cal na Capunga na
estrada, que vao para o rio. caiadas e pintadas
de novo tendocada urna ditas salas i quar-
tos, cozinha lora quintal pequeo, e mura-
do quarto para prctos estribara para dous
cavallos, com bom banheiro onde so pode to-
mar hnnhon qualquer hora ; quem as preten-
der dirija-se ao mesmo lugar, na ultima das
mesmas casas ou na ra da Senzalla-vclha
n. 138.
/.oferta do Theatro.
As rodas desta lotera ndito impreteri-
vftlmenle no dia 29 do corrente ; c os bilhetes
achiio-se a venda no bairro do Recife loja de
cambio do Vieira e Gomes da Cunha no
bairro de S. Antonio, as lajas do Menees,
e Burgos e na botica do Moreira Marques.
ss Na loja de Joao Loubet defronte do Pas-
seio-publico ha um novo sortimento de se-
das e otitras fainadas novas, proprias pa-
ra cobrir chapeos de sol tudo superior e
de dfferentes cores; tambem so concertao e
fazem-se chapeos de sol, por preco commodo ,
e com brevidade.
Almza-se unta preta captiva com bas-
tantes habilidades para todo o servico de casa
e rita : quem a pretender dirija-so ao atterro
da Boa-vista n. 62.
= Bernardino Correia de Sena Cezar reti-
raso para fr'ra da provincia.
= Ch. Chmerler subdito francez, rc-
tira-se para Franca.
A pessoa queannunciou querer um cont
de rs., dando um sitio por hypotecha; dirija-se
ao largo da S. Cruz na venda que Col do Gloria,
queso lite dir quem faz este negocio.
Aluga-seduas casas lerreas na ra da A-
legriacom rnuitos bons commodos para grandes
familias, e precos commodos; a tratar na Rua-
direita armascm n. 9.
S0CIED1DE fCf
[ILO-DMATICA
O 1." secretario aviza aos srs. socios, que ho-
je pelas 6 c meia horas da tarde ha sessao ex-
traordinaria da sociedade.
Os abaixo assignados, passageiros da bar
ca portugueza Tentadora nao podendo deixar
de louvar as excellcntes qualidades do lint.
s. capitao Emigdio Jo/ d'Oliveira nao s pe-
lo bom tralamento como pelas excessivas at-
tencoes, com que sempre os obzequiou Ihe
rogao so digne desculpal-os, acceitando este
diminuto testcmunho de sua gratidao e amza-
de. Recife 16 de novembro de 18i3. Joz
Pereia da Silva Carvalho Joz Antonio da
Cunha, Joao do Sou/a Moreira, Antonio
Goncalves Lages, Miguel Joz Alvos Joz Le-
o de Castro, Luiz Antonio da Cunha An-
tonio JozdeSouza, Antonio Jos da Costs
Pinheiro Francisco Manoel da Silva Jos
Joaqum da Costa Braga Antonio Joz Villas-
Bas, e Sebasliao Joz da Costa.
= Joz Xavier Faustino Ramos embarca
para o Rio-Grande-do-Sul a sua escrava The-
reza preta, de nacao Angola.
= a cstarnparia da viuva de Joz Lino Al-
ves Codito continua-se a estampar rezstos de
todas as qualidades que sao mais festejados na
provincia c toda e qualquer obra de estampa-
ra com toda a promptidao e acceo. Adver-
to-se que lem muto boas chapas, vindas do
Bio-de-Janeiro ; e na mesma casa tambem se
lazem bolinhos de todas as qualidades: na ra
estreita do Rozario n. 12.
GOLLEGIO DA BOA-VISTA ,
dirigido por D. Anglica Faustino de Sequei-
ra Wyatt.
Os oxames dasalumnas d'este collegio o a
distribuido dos premios terio lugar nos dias
5 e 6 do prximo mez de dezembro.
As lerias terao principio a 7 do mesmo, e
fim a 7 de Janeiro.
= O abaixo assignado, tendo finalsado o seu
engajamcnlo com o governo desta provincia .
esta resolvdo nao se engajar de novo para o
mellioramento das fabricas de assucar, c assen-
tamento das calderas continuando a Iraba-
Iharporsua propria c.onta segundo o mclho-
do por elle experimentado em diversos enge
nhosdas freguezias do Muribeca e do Cabo e
aceras obrgnces de terceiro.
= No novo deposito do pateo do Hospital
do Paraso nns Injas do sobrado n. 18, ha- que tao appiaudido tem sido pelos agricultores
ver diariamente a melhor quolidade possivell pernambucauos a quem offerece as considera-
cOes vantagens de perfeicao de producto,
economa de trabalho lempo e despezas.
Convencido porem o abaixo assignedo das
diliculdades pecuniarias em que actualmente se
acha grande parte dos agricultores du Pernam-
buco o desejoso de fazer chegar a todos elles
os beneficios inseparaveis de urna reformabem
combinada no melhoilo que emprego no fa-
brico do assucar compromette-se fazer o as-
sentamento de cada cngenbo a communicar
o respectivo plano em ordem a regular-se o
pro irietario por si mesmo d'ahi em diante ,
e ensiiiar a fabricarem o emprego da cal sem
potassa trezentas libras de ptimo assucar por
hora tudo por quinhentos mil reis, pagos
em tres preslacoes, na forma das condices
que seno a presentadas nos pretendentes e
como a realisaefio d'csse plano dependa do nu-
mero dos concorrentes o abaixo assignado
convida aos senhores do engenho d'esta pro-
vincia para assignarem a subscripcao que pa-
ra esse fim est aborta no Becilc em casa do sc-
nhor Jos dos Santos Noves na ra do Crespo ,
na certeza de que o mais cedo que Ihe lor pos-
sivel conseguindo o numero de subscriitores
precisos comecart a execuco desta projeclo.
Fierre ftguere.
= Alugiio-se duas casas para se passar a fes-
ta ou por todo o anno na estrada da Magda-
lena com banho muito perto; na ra da Cruz
n. 5; na mesma casa vende-se potassa da Rus-
sia em pequeos barris.
A barca ingleza Laurence capitao Foster,
chegada a este porto com agua aborta na sua
viagem de Iquique e Mejellones para Liverpo-
ol preciza de dinheiro a risco sobre o casco e
carga para fazer os coneertos necessarios a fim
do proseguir sua viagem ; quem quizer fazer
esto negocio poder entender-se com o ca-
pitao da mesma em casa de LalLam & Hibbcrt,
ra do Trapiche n. 32.
- Perdeo-se 107000 rs. do collegio atea
Pracinba-do-Livramento urna sedula verde
de IOOj rs. oulras brancas, sendo urna de 5*
rs. outra de 2S rs. ja routa ; quem as achou
querendo restituir se Ihe dar 27$ rs. pois
he do gente pobre.
Arrenda-se um predio com a vanlagem do
bom porto de mar commodos para trabaja-
dores e proprio para urna grande fabricado
cerrara marcinaria ou armazem de reco-
Ihcr madeiras por meio de trapiche isto no
centro desta ciilade na ra da Florentina ca-
sa n. 16 ; na mesma casa vende-so um lindo
macaco muito engracado e manco ; assim co-
mo urna porcao de telha bem feita e cosida.
A pessoa que por este Diario anuunciou ,
ha mezes que so propunha cobrar dividas ,
e gerir quaesquer cousas querendo ajustar-
se sobre a arrecadacao de um escravo e seus
respectivos dias de servico para o queja esto
promptosos documentos e por cu jo trabalho
so Ihe far bom interesse ; dirija se a Fra-dc-
porlas sobrado n. 82 : o mesmo negocio se
lar a com mitra qualquer pessoa que a elle se
proponha.
VEITCII BRAVO &C'
v\ndem na sua botica e armazem de drogas ,
na ra da Madre de Dos n. 1.
A preparacao seguinte por preco muito com
/nodo e de superior qualidade.
Gregnry's Powder.
Nao haver pessoa alguma que tenha feito
uso deste medicamento em qualquer parle do
Globo que nao tenha sentido seus beneficios.
Os seus elfeitos principaes he ser um ptimo
purgante estomtico e muito til as do-
encasdo ligado, ba<,o, &c. &c. as Indias, on-
de tanto p'ogridom e lanos estragos produzem
constantemente estas dooncas, sao raras as pes-
soas, que nao tem conhecimentos dos bons ef-
feitos deste remedio. O menino o velho de-
crepito e finalmente o homem em qualquer
idade da vida pode sem receio algum fazer
uso deste medicamento cujos effeitos saluta-
res nos fazemjulgar urna inspiraco divina ao
genio sabio, c phlantrooico de seu author.
A dose deste medicamento he urna ou duas co-
Ihcres de cha misturado com agoa, duas ou
trez vezes por dia.
Na mesma casa lambem se vendem tintas ,
e todos os outros objectos de pintura ; vernizes
de superior qualidade, entre elles umi perfei-
tamente branco e que se pode applicar so-
bre a pintura mais delicada sem que produ-
za alteraco alguma em sua cor primitiva. Ar-
row-Root de BermudaSag Sabonetcs -
Salino de Windsor Agua deScidlitz Agua
de SodaAgua de Seltz Limonada gasoza ,
'1 inta superior para escrever Tinta para
marcar roupaPerfumaras inglezas-Fun
das elsticas de patenteEscovas e pos para
dentes Pastilbas de muriato do morphina ,
e ipecacuanha Paslilhas finissimas de hor-
tela-pimenta Paslilhas de bi-carbonato de
soda egingibre. As verdadeiras pilulas ve-
getaes univeisaes do u.' uranareih vindas
de seu author nos Estados-Unidos, c &c


Urna parda capaz do bons costumes
propoo-so a 9er ama de casa tanto na praca,'
como no matto por proco commodo pois 6
bastante diligente ; quem de seu prestimo so
quizer utilisar dirija-so ao principio do At-
terro-dos-A(logados n. 9.
= No sitio, ein que mora omajor Francis-
cisco Duarte Coolbo no Pco-da-ponella ,
appareceo um quarlo no dia 9 do corrente ,
urna corda a arrrasto; quem for seu dono pro'
curo no dito sitio que dando os signaes Ihe
ser cntreguo.
= Aluga-se urna casa no Monteiro a ter-
ceira da carreira que foi do fallecido Domin-
gos Rodrigues do Passo com duas sala, e 3
quartos grandes muito fresca cozinha fra ,
estribara para douscavallos quintal murado,
com porto para ir se ao banho, por preco
commodo ; no Aerro-da-Boa-vista n. 21.
= Um bomemsolteiro se offerece para en-
sinar em algum engenho ou serto primei-
ras letlras, principios de latir* e francez ;
quem do seu prestimo se quizer utilisar diri-
ja-se a ra do Rangel n. 34.
=Aluga-se um sotao, com muito bons com-
modos, do sobrado novo da ra Augusta n. 9;
na ra do Rangel, venda n. 11 esquina, que
volta para o trem.
= Aluga-se umaescrava parda engomma,
cozinha, e faz todo o mais scrvico de urna casa ;
na ra do Amorim n. 50 segundo andar, ou
noarma/em da mesma ra n. 32.
= Aluga-se pelo lempo de festa urna gran-
de casa foita a moderna, sita na ra de Mathias
Ferreira, com 4 salas, 6 quartos, cozinha fra,
e quintal grande ficando no fundo o poco do
Conselho; assim como outra pequea junto
a mesma ; a tratar na ra larga do Rozario ,
botica n. 42 de Manoel Folippe di Fonseca
Cande.
Precisa-se alugar um primeiro ou se-
gundo andar de urna casa ou mosmo terrea ,
as seguin'.cs ras ; Trincheiras pateo do
Carmo larga e estreitn do Rozario Coile-
gio Crines ou as immediaces deslas ;
quem livor annuncie.
Aluga-se para se passar a fesla urna casa
no Piza ou S. Tboreza com commodos pa-
ra grande familia ; na ra do Pillar n. 141.
Precisa-se alugar um preto para serven-
te de pelroiro dando-so-lhe o sustento e
dormindo na obra que no sitio ao p da
ponto do Manguinho; na ra da Cadeia do Re-
cife n. 25.
Precisa-se de um capollao para dizer as
missasdo natal na Ponte-de* (JcbOa, e o ros-
todo annona matriz da Boa vista ; a faliar na
ra do Queirnado com Joo da Silva Santos.
Francisco de Salles Cardozo Lins previ
Comprao se carneiros gordos, paga se
bem ; na ra dos Quarteis n. 11 na mesma
casa vndese sebo de rim de carneiro capado ,
para remedio.
= Compra-se um preta de nacao com
officio de tanoeiro ; na ra da Cruz n. 45, casa
de Manool do Nascirnento Pereira.
Compra-se urna casa que seu preco nao
oxceda do 600 a 600g rs. no Recife, ou mes-
io perto da praca ; quem tiver annuncie.
=Compreo-so as pecas Misario e os Tres
Cerneos, anda mosmo em manusciipto; quem
tiver annuncie.
Compra-se um relogio sabonete suisso ,
borisontal, o pequeo com caixa de ouro la-
vrado ; no Atterro-da-Boa-vista loja de fa-
zendas n. 10
Vendas.
FOLIIINHAS PARA 1844.
Achao-se a venda na livraria da praca da
Independencia as. 6, e 8 ; ra do Cabuga \ lo-
ja do Bandeira ; defronte da matriz da Boa-vis-
ta botica do Moreira; no Recile ra da Ca-
deia loja de ferragens n. 45; em Olinda, ra
do Amparo botica do Rapozo ; e nos Qua-
tro-cantos, loja do Domingos: as cxcellentes|D0'ax'DDa ingleza a 160 rs. e manteiga fran-
folbinbas impressas nesta Typographia com- ceza superior, por preco commodo ; na ra es-
ao Brasil chegados ultimamcnto do Rio-de-
Janeiro no vapor Imperador os quaes sao em
ponto grande, e pinturas muito finas; na Rua-
nova loja de cera n. 63.
Vende-so muito bom p3o e bolaia de
todos os tamanhos caf moido muito bom ,
e em conta ; na praca da S. Cruz padaria da
fumino alta.
Vendem-se 2 cavallos, um russo pedrez,
eo outro rudado, ambos mu gordos, boRS
e bonitos ; as Cinco-pontas n. 62.
Vende-se gomma de araruta sevadinha
de Franca e sevuda ludo novo, e prego com-
modo ; na praca da Baa-vista, venda n. 18.
Vendem-se oxcellcntes ornamentos do
melhor damasco de Lisboa brancos encar-
dos, roxos, c verdes, com os seus pertences,
o um lindissimo veo do hombros, por proco
commodo na ra da Gloria n. 73.
= Vendem-se perolas muito finas; no At-
terro-da-Boa-vista loja n. 24.
= Vendem-se veludos de cores e de qua-
dros de bonitos padroes para vestidos, a 640
is. o covado com amostras francas ; na ra
do Queirnado, loja n. 11 de A. L. G. Vianna.
= Vendem-se canarios de imperio em vi-
veiro e ja separados em gaiolas muito can-
tadores doce de goiaba sortido chocolate da
Bahia a 100 rs. o pao e meios ditos a 50 rs.
doce a 480 rs. a garrafa, painco a 240 r-
quarteirao soblas a 720 rs. o cont gV
branco muito secco a 240 rs. ; na ra das
rangeiras venda n. 16.
La.
= Vende se Jacaranda superior chocado
io de Janeiro podras de marmor redan
ne que ninsuem laca negocio e nem reco-
ba em transacao urna obrigacao da quantia de
832,760 rs. pasuda pelo seu finado pai, o ca-
pito Jos Joaquim Cardoso Lins Joaquim
Tu va rus do .Mello; porque a mesma obrigacao
ja se acha paga como consta dos recibos, que
oannunciante tom em seu poder, como tein
mostrado e mostrar se preciso for.
Que.n annunciou precisar de um caixei-
ro quosaiba bem ler, e escrever para urna
venda iJirija-.se ao largo da nbeira de S. An-
tonio n. 3.
Ouem precisar de um homem para lei-
torde um sitio que entende do plantaces ,
annuncie.
Quem annunciou precisar d um caixeiro
para venda dirijo-se a ra da Concordia n. 4.
Aluga-se polo tempo de festa urna casa
terrea do podra e cal sita no Monteiro, con-
fronte ao oitao de S. Pantaleao, com suflicien-
tes commodos, por mdico preco ; na ra do
Queimado n. 11.
Quem qui/er fazer sociedade em urna
padaria que se ocha prompta de um tu lo o
sita em muito bom lugar, podondo tomar con-
ta dola e administra!-a dirija- se a ra lar-
ga do Rozario n. 32.
Quem annunciou precisar de 30,000 rs.
a premio de 2 por cinto ao mez dirijase a
ra do Livnmento n. 33, na mesma casa ven-
dem-se 3 papagaios sendo dous contra-feitos,
e urna rola do serto muito cantadoira.
Quem precisar do 200,000 rs. a premio
de dous por centoao mez sobre penbores de
ouro ou prata dirija-so a ra da Cruz n
43, defronte do beco do porto.
= Precisa-se alugar urna casa de 2 andares,
< sotao com quintal e cacimba, no bairro
de 8. Antonio ; quem tiver annuncie.
Compras
Compra-se vidros para espelbos gran-
des, e mofados; no Alterro-da-Boa-vista n. 17.
Compra-se eflectivamente para fra da
provincia escravos de ambos os sexos de 12 a
20annos, sendo do bonitas figuras pago-se
bem; na ra da Cadeia de S. Antonio, So-
brado do nm andar davariinds de pC i. 20.
postas pela primeira pessoa, que as fez nesta pro-
vincia e que tantocredito tem merecido; conten-
do as do algibeira ptimas chcaras, e a disputa
entre urna pulga, e um piolho sobre a fidalguia;
outras contondo a confissSo do manijo ; e ou-
tras finalmente com a linguagcm das llores, ou
novo diccionario para a correspondencia ama-
toria ; brevemente seexp>rao a venda, as que
tem os nomes e moradias dos empregados p-
blicos.
Vende-se urna canoa d'agua, propria
para deposito ou para carregar entulbo ; na
ra do Pillar n. 141.
Vende-se una [ret denacao Rebollo ,
de 40 annos ; na iuada Senzalla-nova n. 36.
^ ende-se a armacao da venda da ra de
S. Rita-nova n. 03, com commodos para fa-
milia bom quintal, cacimba ,-e portao para
amar, centrada pela frente independentc ;
na ra da Paz n. 2.
=3 Vende-se urna negrinha de nacao Ben-
guella de 14 annos cose e tem principios
deengommado ; g um molequede 16 tinnos ,
ptimo para aprender qualquer officio; na Rua-
direita n. 3.
= Vendem-se saccas com farello a 2880 rs.,
na padaria de Jo3o Manoel Rodrigues Vallen-
ca assim como em barricas a 38 rs. no ar-
mazem de Dias Fernira & Companhia.
= Vende-se farinha de mandioca de su-
perior qualidade a2000rs. asacca, dinheiro
i vista ; no caes da alfandega armazem de
Antonio Annes e na ra da Cadeia, armazem
de Fernando Jos Braguez.
= Vendem-se 500 oitavas de prata fina ,
em varias obras lelhas lijlos de ladrilho ,
e alvenaria cal superior decaiar ditapreta,
ripas, e caibros de 30 em Olinda no Vara-
douro venda n. 18.
Vende-se cevada nova a 80 rs. a libra, ca-
f a 160rs. pacas a 200 rs. manteiga in-
gleza a 720 rs. e franceza a 480 rs touci-
nbo do Santos a 200 rs. dito de Lisboa a 240
rs. ; no pateo do Carmo, esquina da ra do
Hortas n. 2
= Vende-se um pardo do boa figura de
22 annos., e perito official de alfaiale ; no
Atterro-da-Boa-vista n. 42 segundo andar.
Vende-se boa agua em canoas de bom
aceio e bem acondicionada tomada as bi-
tas do Monteiro em 20 e 24 horas ; no beco
da nbeira da ra da Praia a 10 rs.
Vendem-se os bem conhecidos veludinhos
de quadros para wstidos de mui lindos pa-
droes e commodo preco ; na ra do Queima-
do loja n. 25 do Guilherme Solt.
Vende-se um cavallo russo esquipador,
carregador e passeiro ; 6 casaes de pombos
jacars muito batedores; na ra de Aguas-
verdes D. 70.
= Vendem-se saccas com farinha de man-
dioca, a 2S rs. ; na ra da Cadeia-velha n. 35.
Vende se urna loalha de bretanba fina ,
toda aberta de lavarinto e de bom gosto ; na
ra do Nogueira n. 13.
Vende-se urna osera va crioula cozi-
nba lava vende na ra e ptima para o
serveo de campo; na ra do Arago n. 1, se-
gundo andar.
Vende-se, ou arrenda-se annualmcnte
urna casa lerrea de pedra e cal, nos A (Toga-
dos na ra do Quiabo n. 34 ; a tralar na
mesma caja.
treita do Rozario n. 8.
Vende-se urna farda para guarda nacio-
nal de cavallaria do novo uniforme e ainda
nao acabada ; no Atterro-da-Boa-vista loja
n. 54.
Rio de Janeiro pedras de marmor rdond
para mezas de mcio de sala, de muito bom c S
lo ditas para commodas, cadeiras amertf
as com assento de palhinba camas de ve !"
com armacao, marquoas solas, mezas V
jantar camas de vento mui bem feilas a 4200*
ditas de pinho a 3500, assim como oulros mui
tos trastes ; pinho da Suecia com 3 pollc-ada"
de grossura dito serrado dito americano de
diflerenles larguras e comprimentos; assim
como travs de pinho, e barrotes ; na ruad
Florentina em casa de J. Reranger n. 14
= Vendem-se alguns terrenos, parte atter.
rados, e parte por atterrar, com 30 al ion
palmos de frente e 155 ditos de fundo, si-
tos no alinhameiito da ra da Concordia, paf~
lindo pelo sul com a Iravessa do Monteiro y
pelo norte com a travesa do Caldereiio, e I un-
dos dos Martirios estas travessas ficao com 60
palmos similhante as ras principos, e os
quarleires com 450 e tantos palmos de ra a
ra ; o proprielario nao s offerece a venda
como lambem se obriga a mandar edificar pre-
dios que cada um dos compradores quizerem
entregando-so pelas chaves nao excedendo aos"
da planta do fcairro de S. Antonio da qual
se exlraio outra naquella parte relativa ao ter-
reno offerecido por onde tom de dirigirem-se
todos. que forem edificando
, e como estes
terrenos olTerecem todas as propon oes para sua
edificacao, espera nos lormoseadores desle l.el-
Vende-se banha de porco derretida, por 'o paiz que pretenderen) alguns dos ditts ter-
eco commodo ; na Rua-velha n. 115. renos de dirigirem-se a ra larga do Rozario,
n. 18, do manhaatas 9 horas e do tardt-
de una as 4.
Vende-se'uma casa torrea de
preco
Vende-se um bonito preto para fra da
provincia bom cozinheiro ; a fallar com F
Pires no Atterro-da-Boa-vista n. 37.
Vende-se urna prcta de naco cozinha,
lava e vende na ra ; na esquina do Livra-
mento por cima da loja do Bastos n. 2.
= Vendem-se bichas chegadas de Hambur-
go lano grandes, como pequeas lambem
se alugo o vao-se applicar por preco com-
modo; na Rua-direita, loja de barbeiro n. 123.
= ^cndem-se sapatinbos par enancas a
120 e 200 rs. sapalos decordavao ordinarios
a 400 rs. ditos de duraque a 640 rs. bo-
tina de marroquim para meninos a 500 e
800 rs. ditos para senhora a 2000 rs. ditos
de pona de luslro a 3000 rs. botina do Lis-
boa a 2240 rs. ewarlilhos para senhora a
1600 rs. peilos para camisas a 720 rs. cha-
peos pretos rance/es a 6800 rs. uvas de pe
liea para homem a 1280 e 1440 rs. borze-
guins gaspeados para homem senhora me-
ninos c meninas, botins e meios ditos de
bezerro francez, fapatos de luslro para homem,
e meninos, loncos de seda para gravatas meias
finas de algod3o para meninas ditas de seda
para homem e senhora agua de colonia
muilo fina bolins de lustro para homem e
outr >s rnuitos objectos, por preco commodo; na
praca da Independencia ns. 1J, 13, e 15.
= Vende-se farello novo m saccas gran-
des chegado agora de Hamburgo ; em casa
de H. Mehrtens, ra da Craz n. 47.
^ or Vende-se a fazenda denominada Logoa'
d'anta situada perto da villa de S. Antao com
um quarto de legoa de trra boa casa do vi-
venda grandes armazens, com engenho de
descarocar algodo prensa, e mais pertences
para cnsaccar, deposito para farinha, milho,
arroz ecarrapato boa senzalla para mais d
20 captivos, estribara, e todos os mais com-
modos que deve tor urna fazenda bem situa-
da muito frtil om ludo quanlo se quer plan
lar pois alm do algodao, que se colhe com
abundancia, suppre nao s a escravatura da di-
ta fazenda como a de um engenho do mesmo
senhorio de farinha, feijo milho, arroz,
carrapalo fumo perimuns e outros rnui-
tos legumes, tem dous grandes e excellentes
agudos que na maior secca sempre tem boa
agoa tem bastantes moradores que pagao
loro e quando nao para plantar o mellor
lugar, que existe por all para criar pois alm
da grande vantagem de ler agua sempre tem
excellenle pasto ; a vista do comprador melhor
se far ver ; lambem se vende a fazenda s sem
. pedra o
cal, eum terreno junio a m.-sma com cen-
lo e lanos palmos com bastantes ps do
(ruteiros o tendo de fundo para mais de 1500
palmos silo no Atlerro-dos-Aflogados a di-
nheiro ou a praso ; na Ba-nova n 20.
Vendem-se mantas de setim piolas lisas,
e de cores lavradas, para homem, a 4$ rs. :
na ra do Livramento n. 18.
Escravos fgidos.
- No dia 10 do corrente fugio a preta Ma-
na Rita, de nacao Benguella gorda, ps,
e maos alguma cousa grossas olhos averme-
Ihados, ladina comprada a 15 dias, a Jos
Ramos da Cruz levou vestido de chita preta ,
e mais outro de chita parda com llores encarna-
das camisa de algodaozinho contas brancas
no pescoco algoras de pedras, e panno da
Costa novo ; ouem a pegar, leve atraz do Cor-
poSanto n. 62 quesera gratificado.
- Fugio no dia 14 do corrente a preta Ca-
Iharina, de nacSo Angola, altura regular,
secca peilos pequeos, falta de denles da
parte superior, ps feios; levou vestido de
chila e panno da Costa ; quem a pegar, leve
a Ra nova n 33, que ser gratificado.
Fugio no dia 3 do p. p. a escrava Maria,
de nacao Cacange, de 40 annos, estatura bai-
xa olhos abotuados rosto feo maos fovei-
ras unhas mui grandes, e pretas, nadegas sa-
l idas para fra suppe-se ler fgido para o
sul, onde foi comprada ; qu m a pegar leve
os escravos ou com ellos tambem se troca
por algum predio nesta praca, ou se vende a
praso com boas firmas ; na pracinha do Livra-
mento loja de fazendas n. 61.
= Vende-se superior cha hisson de caixa
rande a 2400 rs. a libra e perola a 240
rs. caixinhas com 100 charutos a imitacao dos
de regala a 900 rs. queijos a 1000 is. le.
tria fina a 200 rs. e grossa talharim a 160
rs. ameixasa 320 rs. passas a 200 rs. pa-
pe de machina em meias resmas de 50 caler-
Vende-se urna armacao nova, muito! nos a 1800 rs. boios grandes de graxa n. 30
emeita, propria para qualquer cstabelcci- I a 120 rs. e pequeos a 100 rs. cevada nova
monto e com alguns utencilios de venda em a 100 rs. a libra farinha do Maranho mui-1
muito bom lugar ; em Fora-de-portas n. 122. Ito nlva a 140 r< chorla! de Lisboa a 3G0

a praca da Boa-vista sobrado de dola anda-
ros n. 26, que ser recompensado.
'loma annunciar o abaixo assignado,
que anda se acha fgido ou acoitado o cjcra-
vo Francisco, por alcunha Chico rico por
ser de Francisco Joaquim da Rocha, que Um
omesmoalcunbo, morador em Algoduaes, o
qual escravo fugio no dia 15 do oulubro do an-
uo passado lem os signaes seguintes ; haixo ,
um lano grosso barrigudo olhos pequeos,
rosto chalo ps redondos sem barba, be do
Angola porcm voio pequeo ; quem o pe-
gar leve ao engenho Piiimbu da comarca (io
Cabo ou no Recile, a casa de Guilherme dos
SantosSazes, quesera mui bem recompensado
a lem dse pagar todas asdespezes ; outro sim,
estando acoitado. quem o tiver, pagara ao abai-
xo assipiado os dias de servico.almda puniciio,
que a le marca. O mesmo abaixo assignado
annuncia que no dia 10 do corrente fugio
outro escravo de nome I'ortunato de nacao
Congo alto um tanto chciu do corpo bar-
bado as costas bordadas, signaes de sua Ierra,
levou chapeo de palha com fita preta bata
encarnada em trouxa ; ouem o pegar, leve aos
mesmos lugares. Manoel do liego Barros.
Fugio no dia 14 do corrente urna cabra
do nome l.ourenca de 30 annos. levou ves-
tido de chila azul saia preta de lila e panno
du Costa, bastante alta, o cheia do corpo lem
alguns camellos a espete de suissas; quem a pe-
gar, leve a Solidade n.
cado.
40 que ser gratili-
-Vodem-se retratos de S. M. a Impcratriz | a libra manteiga de poico V W Tmito | IW: NA Ttp. m7f~"Faia. =7843.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EQHT6RYWF_92URD0 INGEST_TIME 2013-04-13T01:27:58Z PACKAGE AA00011611_04514
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES