Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04513


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Auno de 1843.
Quinta Fefra 16
l'udo agora depende de nos meamos; da aossa prudencia, moderago, e energa: coo-
liauamoa como principiamos, e seremos apomadoa com admiragao entre aa NaqSea mias
OjltM. ( Proclamagao da Aasembleia Geral do Biusn..)
gPARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES.
Gdianna, e Parabvba, segundas e senas feiraa. Rio Grande do Norte, quintal feiras.
Bonito e Gamnbuns, a 4 e 24.
Cabo, Serinhem, Rio Formoso, Porto Cairo, Macei, e Alagoas no d 44, e 21.
Roa-ficta e Flores a 13 e 2". Santo Anlio quintas feiras O! mil a todos os das.
DAS A SEMANA.
43 Seg. a. Eugenio B. And. do J de D. da 2.*.
44 Tiro, a. Veneranda V. M Re. And. do J. de D. da 3. t.
45 Quart, s. Leopoldo Mart. Aud. do J. de D. da 3. Y.
<6 Qjint. s Goncalo le Lagos Aud. do J. de 1). da a. v.
47 Sex a. Saloma V. F, Aud. do J. de l). da t.
48 S-". a. Romao M. Re. Aod do J. de 1). da 4- Y.
4'J D">. Ii'bel rainha de Hungra.
de JNovembro Anno XIX N. 248.
O Di.no pnblci-se todos os das que n3o forem Santificado: o preoo da aeeigpalora.no
de trea mil rea por quartel psgos adiantados Os 'annancioa d
sao ineeridoe
diri-
m lo trea mil reta por quartel psgos adiantados Os annancioa dos atsignanies e.to inaen|ju.
A gratis os dos qne no {orrm a ras.'io de Ml'reis por liaba. As rerlaraaqee eraos aerdiri-
j| gidas a.auTip., roa dis Cruiee N. 3*, ou aoraca da Independencia loja delirros N. 6e8,
canosNo da 45 de Norembro. oornpra
CambiosobraLondres 26. Ouio-Moeda d. 8,400 V. 46.SJ0
Par 37 J raa per franco. < N. 46,600
Lisboa 140 porlOOdepramio. I
y.ioo
4.900
1,1 JO
1,V>00
renda.
17 000
46,800
9.400
4,920
4,920
4,'JZO
da 4,000
! Pla-Patacas
Moeda d. cobra 2 por canto. Paioa Colamnaraa
Idea deletreada boas fir*aa 4 a 4 li4 ditos Mexicanos
PHASES DA LA NO MEZ DE NOVFMBRO.
Loa Cneia 4 7, a J horas e 2 m. da manli.il La ora I, ai 3 hora e 44 m. da tardo
Quart. ming. 44, aos 13 minutos da tarde I Quart. ciesi. 4 28, 4a 4 horas e 49
Preamar de hoje.
4. 0 horaa a 30 ai. da anala. | l. 0 horas 54 a sa. da tarda:
a. da t.
PRTE OFF.CIAL.
LE N.317 DE21 DE OUTUBRO DE 18i3
Fixando a despeza e oreando a receita para os
exercicios de 1843 1844 e 1844 1845.
Dom Pedro Segundo por graca de Dos e
unnime acclamacao dqs povos, imperador cons-
titucional e defensor perpetuo do Brasil : la-
zarnos saber tolos os nossos subditos que a
asscmblea geral decretou e nos queremos a lei
seguinte.
capitulo i. Despeza geral.
Art. 1. A despeza geral do imperio para o
excrciciode 1843 1844 (ixada na quantia
de......................23,797:248,327
A qual ser distribuida pelos seis diversos mi-
nisterios na forma especificada nos seguintes ar-
tigos :
Art. 2. O ministro e secretario de estado dos
negocios do imperio aulorisado para despen-
der com os objectos designados nos seguintes
paragraphos a quantia de___ 2,644:54.000
31. Obras publicas, conser-
vacao de todos os aquedu ctos e
fonles, e pagamentos dos em-
pregados guardas, inclui da a
quanlia de6:000$para conti-
nuacilo das obras do collegio do
Pedro II.................
32. Exercicios (indos......
74:302,O0D
A saber:
1. Dotaco de S. M. o Im-
perador.................. 800:000.000
2. Dita a S M.a Imperatriz
3. AlimentosdeSS.AA.il.
4 Dotacao de S. M. I. a
duqueza do Braga nca.......
5. Ordenados e gratifica-
rles dos mestres da familia im-
perial supprimidas as grati-
icaces, dos que nao cstejao
em exorcicio..............
6. Secretaria de estado. ...
7.Consellio de estado. ...
8. Presidentes de provin-
cias incluida a quantia de
3:000,000 para despeza com
alugucl de edificios para resi-
dencia dos mesmos.........
9." Cmara dos senadores e
secretaria................. 190:000,000
10. itadosdeputados.idem 259:729.000
11. Cursos jurdicos...... 70:000,000
96000,000
30:000,000
50:000,000
8:400,000
33:400,000
28:800,000
90:000,000
Art. 3 O minis ro e secreta rio de estado dos
negocios da justica autorisado- para dospendar
com os objectos designados nos seguintes para}-
graphos a quantia de....... 1,553:175,13JT
A saber :
1. Secretaria de estado. ...
2." Tribunal supremo de jus-
tica.....................
3.Relac5es............. 199
4. Justica do primeira ins-
tancia................... 411:740.000
5. Guardas nacionaes..... 100:000,000
6. Telegraphos.........
7 Bispos, o relaco metro-
politana..................
8. Despezas extraordina-
rias do polica as provincias..
9. Eventuaes...........
NO MUNICIPIO DA CORTE.
10. Capella imperial...... 79:876.200
11. Parohos............ 14:864,220
12. Policia eseguranca pu-
blica.................... 50:000.000
13. Guardas nacionaes.. .. 18:300.000
14 Ditas municipaes per-
manentes................. 239:2*5.500
15. Laxaros............ 2:000,000
16. Casa de correccao, e re-
paros de cadas............ 88:000,000
17. Conducco sustento e
vestuario dos presos pobres... 22:000,000
18. Illuminaeao cuja ad-
ministracaofica desdo j a cai-
go dcste ministerio......... 108:509,000
19. Eventuaes........... 8:000,000
20. Exercicios (indos...... ,
33:300,00f)
69:933,334
199:358,66^
11:740.000
)0:000,000
8:708,220
31:300,000
30:000.000
8:000,000
12. Escolas de medicina. .. 80:000.000
13. Academia de bellas artes 10:621.000
li. Museo.............. 6:000.000
15. Junta do commercio... 18:270,000
- 16. Archivo publico...... 4:000,000
17. Empregados de visita de
sade nos portos martimos. .. 16:000,000
18. Correio geral o paquetes
de vapor devendo os vapores
da carroira do Norte tocar nos
portos da Parahyba e Rio-
Grande-do-Norte.......... 582:000,000
19. Canaes, ponles e estra-
das geraes................ 80.000,000
20. Exploradlo de minas u
carvo...................
21. Catecbese e civilisacao
de Indios (cando o governo
autorisado para dar regula-
menlos as missoes, e para pol-
os em execuco............
22. Colonisagao..........
23. Eventuaes..........
NO MUNICIPIO DA CORTE.
24 Escolas menores de ins-
truccao publica incluida a
quantia de 2:400,000 para a-
luguel de casas s professras
de primeiras letras das fregue-
sas do Sacramento Santa
Anna .Santa Rita Gloria ,
Candelaria o S. Jos........
25. Bibliothcca publica. ...
26. Jardim Botnico da La-
ga-dc-Freitas............
27. Dito do Passeio-publico
28. Vaccina............. 3:220.000
29. Instituo Histrico..... 2:000,000
vios desarmados e transportes 1,183:017,200
9. Imperiaes marinbeiros.. 56:604,000
10. Hospitaes (cando ele-
vado a 1:000,000 o ordenado
do (el do da corte, que passa-
ra a denominar-so almoxarife. 50:000,000
11. Arrecadacao e contabi-
lidade................... 67:791,000
12. Arsenaes............1,030:000.000
13. Academia de marinha.. 27:519.000
U. Escolas............. 1:640,000
15. Pharoes e barcas de soc-
corro incluidos 3:000,000 pa-
ra o pliarol do Cear, e dedu-
zida a quantia de 2:000.000
do costeio da barra do Rio-
Grande-do-Sul............ 42:484,400
16. Obras publicas........ 80:000,000
17. Engajamcnto de estran-
geiros gratificarles diversas,
transportes de recrutas aju-
das de custo, fretes &c..... 40,000:000
18. Diflcrenca de sidos a
marinheirosengajadosem Lon-
dres, na corte e em differentcs
provincias................ 18:000,000
19. Dita de cambio dosven-
cimentos das guarnicoes dos
navios de guerra estacionados
em portos estrangeiros...... 58:590,000
20. Exercicios findos..... ,
Art. 6. O ministro o secretario de estado dos
negocios da guerra c autorisado para despender
com os objectos designados nos seguintes para-
graphos a quantia de........7,185:389,585
Art. 4.O ministro e secretario de estado dos
negocios estrangeiros' autorisado para des-
pender com os objectos designados nos seguin-
tes paragraphos a quantia de.. 535:502,000
6:000,000
16:000,000
10:000.000
25:000,000
A saber :
1. Secretaria de estado.... 30:192,000
2." Commisso mixta brasi-
lera o inglesa............. 3:900,000
3. Dita na Serra-Len ao '
carnnio de 67 A___...... 4:300,000
4.Legacao e consulados ,
dem.................... 144:000,000
5.Dcspezas extraordinarias
no exterior, dem.......... 30:000,000
6. Ditas dentro do imperio
em moda fraca............ 20:000,000
7. Differenca entre o dito
cambio, e o de 25, por que so
calculiio as remessas para os pa-
gamentos no exterior........ 303:110,000
8. Exercicios findos...... ,
A saber:
1. Secretaria de estado e
contadoria a ella annexa..... 47:217,000
2. Pagadoria das tropas da
corte, devendo o governo pre-
ferir os empregados das extinc-
tas pagadorias das tropas que
estiver'em em estado de servir 14:600,000
23:150,000
60:378,140
42:913,120
8:711,920
488:870,240
31:865,000
8:998,000
9:939,000
Art. 5.* O ministro e secretario de estado dos
negocios da marinha autorisado para despen-
der com os objectos designados nos seguintes
paragraphos a quanliade.....3,095:870,053
A saber:
1. Secretaria de estado.... 32:800,000
2. Qtiartel-gencral de ma-
rinha.................... 1:889,600
3.Consclho supremo mi-
litar..................... 6:000.000
4. Auditoria de marinha.. 2:310,000
5. Corpo da armada e clas-
3:400,000 ses annexas............... 269:492,592
6. Dito de artilharia de ma-
rinha....................
)U. inipciIUI
Medicina.....
VUCIUCIMIU UU
Sfs>r.T.3dc!.
79:542,511
T.noo 7Kn
1:600,000 8." Forca naval activa na-
3. Pagadorias militares as
provincias (cando o governo
autorisado para crear as que
ffirem 'necessarias, e sendo abo-
lidos os commissariados fiscaes
c seus ijiiil.iules, n3o exceden-
do a despeza com as ditas pa-
gadorias somma consignada
neste paragrapho.......... 24:000,000
4. Conselho supremo mili-
tar......................
5. Commando de armas ,
incluido o commando em che-
fe e respectivo estado-maior
do excrcito em operaces no
Rio-Grande-do-Sul.......
6. Escola militar........
7. Archivo publico e offici-
na litbographica...........
8. Arsenaes de guerra e ar-
mazens deartigos bellicos...
9. Aprendizes menores dos
arsenaes de guerra incluidos 50
para o arsenal da provincia do
Rio-Grande-do-Sul, e sendo
elevada a diaria de cada a-
prendiz a 2i0 reis..........
10. Officiaes do estado-
maior general e da 1.a o 2.*
classes...................
11. Engenheiros........
12. Forca de linha sendo
20,000 pracas de pret, e seus
respectivos officiaes......... 3,388:449,440
13. Sete companhas de pe-
destres...................
14. Hospitaes..........
15. Gratificaccs e forra-
gensa officiaes de diversas ar-
mas ....................
16. Officiaes da 3.1 classe
17. nri>c fian nimlif/^nrlne
18. Ditos da segunda linha
que vencem sidos.......... 62:237,490
19. Ditos honorarios, idem 12:006.000
20. Reformados......... 584:056,130
21. Asylo de invlidos____ 14:996,676
22. Obras militares, in-
cluidos 6 contos para reparos
da fortaleza dos Reis -Magos da
capital da provincia do Rio-
Grande-do-Norte.......... 81:800,000
23. Escaleres do servico das
fortalezas................ 16:537,836
24. Presidio da Ilha-de-
Fcrnando............... 16:964,000
25. Luzes de quarteis, cor-
pos de guardas e fortalezas... 24:723,696
26. Barcas de vapor...... 140:000,000
27. Diversas despezas..... 37:060,370
28. Pagamentos de cirur-
gies contratados para sup-
prircm a falta de cirurgoes
militares................. 15:000,000
29. Guarda-nacional des-
tacada no Bio-Grande-do-Sul 866:864,040
30. Caixa militar na mes
ma provincia.............. 9:376,400
31. Kncarregados dos for-
necimentos e depsitos de v-
veres :.................. 24:340,000
32 Gratificarcs decampa-
nha e terceira parte lo sold 158:516,102
33. Etapo aos officiaes de
linha em camitanha........ 40:332,200
34. Alugueis de armazens
de deposito para vveres, trans-
portes para os mesmos e outras
despezas de fornecimentos e-
ventuaes.................
35. Bestas de bagagem ,
e respectivas forragens para os
corpos, estado maior e ofli-
cialidadedo exercitoem opera-
ces no Rio-Grande........
36. Recrulamento o outras
despezas.................
37. Compra de armamento
38. Dita do plvora......
39. Dita le cavallos...... 120:000,000
40. Exercicios findos.....
21:000,000
40:466,400
58:470.720
100:000,000
50:000.000
1,301:260,000
2,449:344,000
55:641,200
119:940,000
49:922,000
84:924,000
81:963,665
31:165,600
139:500,000
29:18." 500
Art. 7. O ministro e secretario deestado dos
negocios da fazeoda autorisado para despen-
der com os objectos designados nos seguintes
a quantia de.............. 8,783:550,552
A saber :
1. Juros da divida externa,
ecommisses respectivas, ls.
321,740 ao cambio de 33 % 1,787:444,000
Differenca entre o dito cam-
bio e o de 25 por que talvez
se farao as remessas........
2. Juros da divida interna
fundada................
3. Caixa de amortizacio
filial da Babia e empregados
da substituirn das netas sup-
primidos quaesquer vencimen-
tos e gratificarles nao autori-
sados por lei menos as de
960,000 para um ajudante do
corretor; de 960,000 para o
fiel do tbesoureiro; de 1:000S
para o cobrador dos bilbetes ;
de 480$ para um amanuense
da caixa ; de480 para o sel-
lador; e de 480 para cada
um dos 4 amanuenses na subs-
tituidlo das notas..........
4. Pensionistas do estado..
5. Aposentados......... 237:922,000
6. Empregados de reparti-
eses extinctas.............
7. Thesouro publico nacio-
nal supprimidas as gratifica-
cues nao autorisadas por lei,
excepto a de 1:200i ao the-
sonrpiro dos ordenados; e
A-000,1 na prestacao do Jor-
38:180.000
421:668,552
68.837,000


73:935,000
mido Commercio; e ficando
creados 2 praticantes para a
secretaria do thesouro que
erao ad intuidos na forma da
le de 4 de outubro de 18.11
8. Juizo das feitos da fa-
zenda nacional............ 56:900,000
f'n T?fS0l"ar,as......... 247:000,000
JO. Alfundegas......... 692:000,000
11. Consulados......... 140:000,000
la. Mesas de rendas rece-
. bedorias e collectorias....... 161:490 000
13. Casa da moeda....... 29:200000
=S'^ sasL-s sanwrai,:
27:700.000
2:660,000
11:760.000
1:750,000
4:000,000
1:200,000
5:000 000
200:000,000
6:000,000
25:000,000
25:000,000
50:000,000
80:000,000
80:000,000
10:000,000
40:000,000
14 Typographia nacional
15. Officina dasapolices...
16. Administracaoecosteio
17. Almoxarifadosexistentes
18. Ajudas do custo a em-
bregados de fazenda........
19. Ao curador e escrivao
arbitrado ao Io. 1:0008 e ao 2.
200j pelos actos que praticar
fra da recebedoria.........
t 20. Medicao' de terrenos de
marinha................
21. Premios de letras ,
commissocs corretagens e
seguros..................
22. Descontos de escriptos
las allandegas............ 30:000,000
89. Juros dos emprestimos
los cofres dos orphaos.......
24. Pagamento dos mesmos
emprestimos..............
25. Ditos dos bens de de-
untos e ausentes..........
26. Rcposicoes e restitu.
ioes de dircitose ontros......
27. Corte, conduccao e
venda de pao-brasil.......
28. Obras publicas......
29. Gr-tificaces........
30. Eventuaes.........
31. Supprimentos s pro-
vincias na forma do artigo 49
desta lei devendo ser redu-
zidos metade no seguinte ex-
ercicio de 1844-1845 e
capar totalmente as subse-
quntes------.............. 475:300,000
32. Exercicios lindos.....
c v p i tulo 11.Da receita geral.
Art. 8. O imposto de ancoragem estabelecido
no artigo 9., $ 1. da lei do 22 de outubro de
1836, rica elevado a 50 rs. por tonelada, e ser
cobrado pela maneira al aqu seguida com as
seguintes imitacSes:
$ i. Os navios que vierem em lastro aos por-
tos do imperio procurar carregamenlo pagars
a mcsma ancoragem que hoje pagaS, quer tor-
nem a sair em lastro, quer saia carregados.
2. Os navios que entrarem por escala para
refrescar ou por franqua com o fim deesprei-
tar o mercado, pagars da mesma forma a an-
coragem actualmente estabelecida, se nao dcs-
carrcgarem fasendas para o consummo.
3. Os navios que entrarem arribados por
frca maiornada pagars se so descarrcgarem o
necossario para os reparos; se porern desearre-
garemalem desta quantidade, pagars a anco-
ragem actualmente estabelecida.
$ 4. Os navios que trouxerem colonos, quer
devaS pajar a antiga quer a nova coragem ,
gosarS do favor de urna reduccao proporcional
ao numero de colonos que condusirem segun-
do as bases que forem marcadas nos reglamen-
tos do governo, nos quaes designar as quali-
dades que d ivem ter os mesmos colonos.
5. O governo autorisado para modificar es-
ta imposicao logo que linde o tratado com a
Gra-Bretanha, cuno parecer mais conveniente,
para o fim dse favorecer a navegacao nacionai
decabotagem e de longo curso, podendo mes-
mo redusir o direito de ancoragem sobre as em-
barcacocs ostra ngeiras.
Art. 9. Fica alliviadadeste augmento de im-
posica toda a embarcacao que dentro de um
mesmoanno fiser tres ou mals vlagens, tendo
pago a nova ancoragem correspondente s duas
primeiras.
Art. 10. O imposto das lojas estabelecido pe-
lo alvar a\s 20 de outubro de 1812, e art. 9. 4. da lei de 22 de outubro de 1836, fica elevado
ao dobro do que actualmente se paga as cida-
des do Rio-de-Janeiro. Baha, Peinambuco o
Maranhao; e as outras cidades e villas do im-
perio, e lugares do municipio da corte fra da
cidade, ser substituido por urna patente, cujo
mnimo ser de dose mil otocentos rs. e o m-
ximo dequarenta mil res, conforme a impor-
tancia coinmercial dos lugares e estabelecimen-
tos. As typographias fico tambem sujeitas
patente de vinte mil rs. a um cont de rs., se-
gundo a importancia de cada urna.
Art. 11. A taxa de mil rs. sobre os escravos fi-
ca elevada ao dobro em todas as cidades e vil-
las do imperio; e ser cobrada no municipio da
corte de todos os escravos residentes dentro dos
limites marcados para pagamento da decima ur-
bana.
notas prornissorias; crditos, escripturas, ou es-
criptos de yenda, hypotheca, doucao, deposito
extra-judicial, e qualquer titulo de transferir
propriedadeouousofructo; os quinhoes here-
ditarios ou legados; as quitacScs judiciacs; os
fretamentos e despachos das alfandegas e dos
consulados; as apolices de seguro ou de risco ;
e os ttulos de nomeacao expedidos pelo gover-
no ou por empregados de sua escolha, por auto-
ridades eclesisticas e velas mesas das cmaras
legislativas e das assemblas provinciaes. Este
sello ser regulado e cobrado de todo o valor de
incenla mil rs., e dahi para cima pelo modo
marcado na tabella annexa esta lei
$3-Ao"e,, A> ficao sujeitos:"
I. Nao so os papis que actualmente o pagao,
SM^KOCeM-0'quecorrem antcos alegados
colosdostabell.aesoescr.vaes de qualquer fal-
so; os documentos ou papis do qualquer espe-
cie aposentados em juiso ou as repartieses pu-
blicas. E o respectivo sello ser de 60 a 160 rs.
por meia folha de papel.
2 As cartas e diplomas que conferirem ttu-
los, tratamento, nobresa, braso, condecoracoes
honorficas, privilegios, ou outra qualquer mer-
co; as dispensas de qualquer naturosa que sejao;
as licencas de qualquer especie, inclusive para
jogos lcitos; eos diplomas scientificos e liIt-
ranos. E o respectivo sello ser de um a cem
mil res.
3. As cartas de jogar, cujo sello ser de 160
rs. por baralho.
3. Ogoverno autorisado, para marcar em
tabellas que organisar, a taxa do sello flxo so-
bre cada um dos objectos comprehendidos nos
ns. i e 2 do paragrapho antecedente dentro do
mnimo e mximo nelles indicados segundo a
importancia de cada um.
Art. 13. As lettras de cambio e da trra es-
criptos ordem o notas prornissorias que forem
passadas ou emittidas dentro do imperio sem
que lenhaS pago o sello marcado na tabellaA
, nao podero [ser protestadas, nem attendi-
das em juiso.
$ I. As que forem passadas ou aceitas nos lu-
gares em que naS houver estacao fiscal para o
sello poderS ser revalidadas se pagaran o sel-
lo nos prasos que o governo marcar nos seus re-
glamentos; aquellas porem que f..rem passa-
das ou aceitas nos lugares em que houver a di-
ta estacao so o podero ser pagando at o da
anterior ao do vencimento em vez do sello orj
por cento do respectivo valor. Igualmente se'ro
revalidadas as que tendo pago antes de passadas
ou aceitas um sello inferior ao marcado forero
selladas at o dia do vencimento pagando o
tresdobro do sello devido.
$ 2. E as que forem passadas e emittidas sem
Drevio pagamento do sello e naS forem reva-
lidadas como dispoe o paragrapho anteceden-
te, somente podero ser produsidas como do-
cumentos para qualquer eleito legal, pagando
em vez do sello, quarenta por cento do respectivo
valor.
S 3. As disposices do artigo o paragraphos
antecedentes sao applicaveis s lettras de cam-
bio estrangeiras ou passadas fra do imperio
que forem aceitas, endossadas ou negociadas
em qualquer parto do Brasil, sem que tenhao
pago o sello marcado na tabellaA.
$ 4. Quem negociar, aceitar ou pagar qual-
quer lettra de cambio e da trra, escripto or-
dem, ou nota promissoria passada no imperio
ou qualquer lettra de cambio estrangeira antes
de haver pago o sello marcado na tabella, ser
sujoito pela primeira veza multa de 10 por cen-
to do valor da lettra escripto ou nota, e ao
dobro na reincidencia. Se porem o negociador
da lettra escripto ou nota for corretor, nao s
ficar sujeito ao dobro das multas como na
reincidencia ficar inhbil para servir como cor-
retor.
Art. U. lodosos papis, livros, etc., com-
prehendidos nos$S 1. e 2. do artigo 12 cao o-
brigados ao pagamento do sello nos prasos que
o governo marcar nos seus regulamentos. E de-
pois de lindos os ditos prasos, os que nao tive-
rem pago o sello marcado na tabella annexa a
esta lei e as que o governo organisar, em vir-
tude do 3. do artigo 12, nao serao attendidos
em juizo.
1. SeraS porem revalidados, pagando em
vez do sello, vinte por cenlo do respectivo' va-
lor os que forem sujeitos ao sello proporcio-
nal; e um sello vinte vezes maiordoque o mar-
cado as tabellas os que o forem ao sello fixo
E os que tiverem pago dentro dos referidos pra-
sos um sello inferior ao marcado serao tambem
revalidados, pagando o tresdobro do sello com-
petente.
S 2. A falta do pagamento do sello dos livros
dos tabelhaes eescrivScs nao prejudica os ac-
tos escriptos nelles, se esses actos tiverem pago
o sello a que estavo sujeitos.
$ 3. Os escrivaes ou olliciaes pblicos que es-1
creverem actos, contractos ou papis obrigados
ao sello, ou que os receberem o Ihes derem an- '
damento sem previo pagamento delle, alem das !
outras penas em que possao incorrer, perders
fundada.
2. Os processos em que forem partes a jus-
tica ou a fasenda publica, sendo pocem o reo,
quando ajfinal condemnado sujeito ao paga-
mento do sello respectivo se nao for pobro.
S 3. As escripturas sujeitas ao pagamento da
sisa dos beos de raz, e bem assim as quitacoes
e outros ttulos de dinheiro provenientes de con-
trato queja tenha pago o devido sello, de sor-
te que este se naS repita em urna mesma tran-
sado. Esta disposicaS porem naoapplicavel
reforma das lettras de cambio e da trra, ou
novacaS de qualquer outro contrato de empres-
timo de dinheiro.
4. As merces conferidas aos militares de tr-
ra e mar por servicos extraordinarios de cam-
panha; aos principes e aos subditos estrangei-
ros que se fiserem dignos da benevolencia do im-
perio.
Art. 16. As matriculas dos cursos jurdicos e
escolas de medicina ficaS elevadas ao dobro do
que actualmente se paga.
Art. 17. As casas de lelao e de modas paga-
rs na rasao dupla.
Art. 18. As casas que venderem movis, rou-
pa ou calcado fabricado em paiz estrangeiro; as
de confeitarias e perfumaras; as de armacao de
luxo; eas em que se vendem escravos, pagaro
o imposto a que flcao sujeitas as de moda, alem
do estabelecido no artigo 10 desta lei.
Art. 19. Os cavallos e bestas que entrarem na
cidade do Rio-de-Janeiro para serem vendidos
(cao sujeitos a um imposto de quatro mil res
por cabeca.
(Continar-se-ha.)
EXTERIOR.
INGLATERRA.
Noticia parlamentar.
No conselho privado, que leve lugar no cas-
tcllode Windsor em o dia segunda fera (2 de
outubro ) ordenou S. M. a Rainha em conselho,
que a actual sessao do parlamento, que foi a-
diada at 19 do mesmo mez ficasso do novo
adiada at 14 de novembro prximo.
Rebecca e suas filhas em Londres.
Durante os ltimos dous ou tres dias de se-
tembro predominou considdavel agitacao nos
suburbios do norte da metropole britannica,
em consequencia de boatos que corriao de que
se havia affixado avisos ameacadores assig-
nados por Rebecca, declarando, que era in-
tencao d'esta senhora e de suas filhas destruir
as diversas cancellas e outras barreiras, que se
dfgnro de chamar estorvos pblicos! Pare-
ca que estes boatos nao erao intelramente in-
fundados ; por quanto quer fossem espalhados
por graca, quer nao, os notorios feitos de Re-
becca e de suas filhas em Gales teem na reali-
dade achado pessoas assaz temerarias que si-
gao o seu exemph em Londres.
Poucas noutes antes tinha o porteiro e guar-
da-portao do collegio da Universidade do Lon-
dres que atravessa a ra de Goiver, e estrada-
nova e que impede as carruagens de passarem
pela frente do Hospital do collegio da Universi-
dade, recebido urna carta com assignatura de
llebecca, declarando ser sua inlencao e d'ou-
tros remover na seguinte noute o estorvo cha-
mado cancella. Pensando elle que isto era
graca nao fez caso do aviso ; mas com assom-
bro seu, logo na manhaa posteriora noute
para a qual fra promettldo o ameacado ata-
que foi elle acordado pelo guarda da noute
o qual Ihe deu parte de que a cancella ( que
era urna grande cancella de roadeira, quaes
sao ordinariamente as barreiras de passagem ]
tinha desapparecido. Examinado ocaso, ve-
ri/icou-se que nao s tinhao quebrado ecarre-
gado o grande cadeado, com que ella eslava fe-
chada mas at linhao sido limadas as do-
bradicas da cancella, que fra levada pelos la-
dres para os terrenos do collegio e escondi-
da atraz d'uns arbustos.
A cancella foi posta outra vez em seu lugar
mas depois d'este successo recebeu o porleir
outro aviso ameacador, noticiando-lhe que era
intencao de Rebecca e suas filhas concluir na
segunda feira seguinte a sua inteira destruico.
Oque havia de mais extraordinario n'estea-
contecimento era que a cancella fosse remo-
vida sem que o percebesse a polica estando
bem junto quelle sitio os batedores de dous
constables, ou algum dos guardas da noute
quer do collegio quer do hospital. de no-
tar que tinha-so feito frequentes queixas contra
a conslruccao da cancella em queslao por isso
que interrompia a communicaco alias direc-
ta, entre Holborn e Broadstreet, Bloomsbury
com a estrada de Hampstead, e obrigava as
carruagens &c, darem urna volta considera-
vel em roda de Sussex e das ras da Universi-
dade antes que podessem chegar estrada-
nova-_________________ (Tima.)
fado horroroso que all tivera lugar, e o
que passo relerir V. Ex. segund consta
do mesmo officio. No dia 2 de setembro do
correte anno tendo sido chamado o juiz mu-
nicipal e de orphaos respectivo para lazer uni
inventario no lugar denominado Caraiba
ahi compareceo David Antonio dos Santos da
provincia de Sergipe. d onde havia ha puco
ebegado com negocio, o qual, como credor
do casal do inventariante requereo ao dito
juiz que mandasse separar bens para seu paga-
mento ; e como o mesmo inventariante se op-
posesse isso o sobredito David espreitan-
do occasiao opportuna o assassinou com duas
punhaladas que Ihe dra sobre o peito esquer-
do e a virilba, sendo immediatamente preso
e recolhido urna casa para ser processado
salvo do resentimento dos parentes do assassi-
nado que anhelavao vinganca. Este acon-
tecimento porem n5o obstante as medidas de
prevencSo que se tomrao deo lugar a que
pela meia noute do mesmo dia 2 um grupo
de homens armados dirigindo-se casa em
que se achava preso o referido David o assas-
sinassem com varias punhaladas, sem que o
podessem soccorrer os soldados, que guarda-
vSo a sobredita casa, por serem estes em muito
menor numero ao d'aquelles, e nSoconhecerem
que elles fossem.
A polica fica entretanto procedendo as nc-
cesssarias pesquisas para descobrir quaes os ver-
daderos autores de similbante atlenlado.
Cumpre tambem significar a V. Ex., que
no dia 13 do corren te me forao a presentados os
rosManoel Ferrara Joaquim dos Santos Ra-
mos, e Raimundo Nonato Cava I can te os
quaes, tendo fgido da fortaleza do Brum na
noute de 31 do mez p. p., forao presos no ter-
mo do Po-dAlho pelo respectivo delegado ,
em virtude d'ordens expedidas respeito, por
esta reparticao ; e icao recolhidos cadeia
desta cidade : restando smente serem cap-
turados quatro dos fugitivos da sobredita for-
taleza.
E o que por ora se m'oferece a communi-
car a V. Ex. Dos guarde a V. Ex. Secre-
taria da polica de Pernambuco 15 de novem-
bro de 1843. Illm. e exm. sr. Baro da Boa-
Vista, presidente da provincia. C. J. da
S. Santiago.
Publicagoes a pedido.
o olficio ou emprego que exerecran.'
Art. 15 FicSo isentos do sello estabelecido por
esta lei. F
S 1. As lettras de cambio e da trra passadas
negociadas ou aceitas pelo governo e seus delel
PERNAMBUCO.
POLICA.
Illm. e exm. sr. Depois da minha ultima
parte, dada V. Ex. em 9 do corrente foi-
Art. 12. O imposto do sello ser d'ora em 11.:! P, gOVerno e seus de,e- parle' dada v- Ex. em 9 do corrente foi-
diantc de duas especies, proZcfonal e xo ^t^S^u ^r^''1999 ^Mt' e"tregUe Cm 11 "> officio do delegado do
$ 1. 4. lia proporciona 8cao sujeitostdos 8^*?! fiR ^^ "^ d> ^
* r .......--"" rvAimo passado em que me communica um
Illm. e exm. sr. Havondo a pratica de se
tirarem protestos das letras abonadas dos deve-
dores da fazenda quando no pagas em seu
vencimento, para com elles serem remettidas
ao juizo ; o occorrendo a necessidade de se ex-
trahirem algumas certidSes de cartorios de es-
crivaes que nao tem ordenado da fazenda ,
sentencas do processo na segunda instancia da
relacao traslados dos autos para seguimen-
to de revistas, e certidSes dos livros paro-
chiaes, para prova nos feitos da fazenda e
poder-se-lhes dar andamento; para cujas des-
pezas judiciacs .nao ba quota n'csta provincia :
levo o exposto aoconhecimento de V. Ev. pa-
ra quo se digne autorisar as despezas de tal na-
ture/a que se izerem necessarias, ou resol-
ver respeito, como fr justo. Dos guarde a
V. Ex. Thesouraria de lazenda de Pernam-
buco 15 de maio de 1843. Illm. e exm. sr.
Joaquim Francisco Vianna presidente do tri-
bunal do thesouro publico nacional.
O Inspector Joo Goncabes da Silva.
Illm. exm. sr. Tendo-me o procurado1"
nscal interino dirigido o officio incluso, acom-
panhado da carta tambem inclusa do escrivao
das appellacSes da relacao d'esta provincia,
Antonio Ignacio de Torres Bandeira, exigindo
o pagamento da quantia de 458000 rs. im-
porte da certido que extrahira de uns autos do
seu cartono, e com a qual o mesmo procura-
dor fiscal documentara o libello, que p..r par-
le da fazenda publica nacional proposra con-
tra a Santa-casa-da-msericordia de Lisboa,
reivindicando o Engenho-novo, dequeeslaest
deposse, eadministraco, como capella ou
vinculo : e nao havendo quota marcada para
as despesas judiciaes n'csta provincia: levo o
exposlo ao conhecimento de V. Ex., para que
naja por bem ordenar este pagamento, ou re-
solver, como fr justo. Dos guarde a V. Ex.
hesouiana da fazenda de Pernambuco 15 de
mam de 1843. Illm. e exm. sr. joaquim
francisco Vianna presidente do tribunal do
thesouro publico nacional.
O inspector Jodo Gonculves da Silva.
Joaquim Francisco Vianna, presidente
do tribunal do thesouro publico nacional, em
conformidade de deliberado tomada em sessiio
do mesmo tribunal em vista dos officios do
sr. inspector da thesouraria da provincia de
Pernambuco de 15 de maio ultimo sol nme-
ros .10 e 31 sobre a autorisacao que pede
para fazer as despesas que forem precisas com
o protesto de letsas, o extraer ao do certidSes,
e outros documentos para instruir os libellos ,
quo por norte da fa
atena nacional se tiverem

depropr em juiso; responde ao mesmo sr.



inspector, que as certides, ou outros docu- de da igreja matriz do Santissimo Sacramento
m en tos que se exigem de qualquer estacao ou; do bairro de Santo Antonio e seguir impre-
cartorio publico a hem do servico do estado ,i tcrivelmente pelas ras do Cabug, das Cruzes,
e com especialidade as que tem de instruir fei-
tos da fazenda sao gratuitas por delcrmina-
ces antiquissimas, e pratica sempre seguida ,
mandada observar pela circular de 21 de de-
zembro doanno passado e por tanto nao po-
de ter lugar o pagamento que requer o escrivo
das appellarocsda relacao da mesma provincia ,
Antonio Ignacio do Torres Bandeira de que
trata o segundo dos ditos oliciosda quantia do
45000 rs importancia da certido de uns
autos extrahida do seu cartorio visto que to-
dos os escrives sao obrigados a dal-as sempre
que dellcs exigirem os procuradores, e solici-
tadores da fazenda bem das causas fscaes.
Thesouro publico nacional em 14 de outubro
de 1813. Joaquim Francisco Vianna.
Illm. e cxm. sr. Tendo acontecido que
depois de se baver extrahido mais de metade
da lotera concedida a (avor das obras da Igre-
ja Matriz de >. Pedro Martyr d'Olinda que
por ordem de V. Ex. estava novamente cor-
rendo, apparecesso urna repeticao no numero
3140, declarei nulla a mesma loteriu man-
dando que oulra se procedesse quando V.
Ex. o determinasse o que participo V. Ex.,
para que no caso de approvar esta minha de-
ciso baja de designar o dia em que deve prin-
cipiar o novo andamento das rodas de cuja
prosidencia rogo a V. Ex. que me desonere ,
atlentos os trabalhos do jury em que actual-
mente me acho oceupado. Dos guarde a \ .
Ex. Hecie 14 de novembro de 1843. ~ Illm.
e exm. sr. Baiao-da-Boavista presidente da
provincia. Joz Nicolao Rigueira Costa ,
juizdc direito interino da 1.a vara do crime.
r.i
A lan dega.
Rendimento do dia 15......... 9:6578538
Descarregao hoje 16.
BarcaMar ydi Terentes gneros.
BrigueAnnette d i to.
BarcaCoraco-dfi-Jessdito.
BrigueCarolina-dito.
PatachoAlberto barricas vasias.
BriguePrecxozacarvao.
DitoConstantinoo resto.
IMPORTACA.
Sagrado Coraco de Jezus, barca sarda ,
vinda do Cette e Canarias, entrada no cor-
rente mez a consignacao de Lufa Bruguire;
na n i (estou o seguinte :
192 pipas 36 meias ditas e 8 barris com
vinho 200 cixas dilo engarrafado 60 ditas
licores dito 15 quartolas vinagre, 25 barris
azeite d oliveira 3 fardos roldas, 50 caixas
enxofre 50 ditas conservas, 10 fardos alfaze-
ma 3i gigos garrafas vazias, 11 caixas amen-
doas 5 ditas fazendas de seda c chapos de
sol, 198 ditas massas 56 bailas papel urna
caixu lencos d'algodo 2 ditas gravatas risca-
das, urna dita chales de seda lvolumecom
objectosde historia natural, 9 surroes com no-
zei, 2 caixas passas 4 saceos feijoes ; ao con-
signatario.
Mov ment do Porto.
Navio saltillos no mesmodia .
Rlo-Grande-do-Sul; patacho brasileiro Bri-
Ihante capilao Agostinho Antonio de Mes-
quita ; carga assucar.
Rio-de-Janeiro, e Babia; paquete ingles
Express commandafite Herrick.
Navios entrados no dia 14.
Rio-de-Janeiro ; 18 dias sumaca brasileira
Aarianna de 182 toneladas capilao Jos
Soares do Amaral equipagem 11 carga
earne-secca : a consignado de Amorim Ir-
maos.
Vene/a ; 65 dias, barca austraca Clubinlrat,
de 317 toneladas capito Paulo Pauloich ,
equipagem 12 carga farinbi de trigo : a
consignacao de N. O. Bicber & C.
Navios entrados no dia 15.
Rio-Grande-do-Sul pela Bahia 35 dias ,
sumaca brasileira Paniega de96 toneladas,
capilao Vicente Jos de Paula equipagem
10 carga carne-secca : a consignacao de
Manoel do Nascimento Pereira.
Rio de-Janeiro ; 29 dias, charra brasileira
Amphitrile commandante o Io. tenenle
Francisco Jos do Amaral.
da Cadeia doCollegio, d'abi a Pracinha e
ra do Livramento em direegao ao pateo de
S. Pedro d'esle ao largo do Carmo d'este s
ras estreita, e larga do Rozario e d'esta fi-
nalmente ra do Cabuga em direitura refe-
rida matriz.
S. Ex.* R.m' espera, que os moradores das!
mencionadas ras se esmerem no aceio d'ellas, I
e no ornato dasjanellas. Palacio da Solidado '
14 do novembro de 1843.
O padre Francisco Jos Tacares da Gama,
Secretario de S. Ex. R ma
O illm. sr. chefe de polica d'esta pro-
vincia pelo presente manda fazer publico,
que na cadeia da cidado do Rio-Grande-do-
Norte se acha recolhido o preto Tbomoteo ,
que diz ser escravo de Joz Francisco da Rocha
Guedes, proprietario do engenho Pimentel da
fregue/ia do Cabo segundo Ihe foi communi-
cado pelo respectivo chefe de polica em offi-
cio de 6 do corrente acompanhado do com-
petente termo de interrogatoi ios feitosao re-
ferido preto em que elle conlessa ter sido se-
dusdo por Jo/. Antonio, morador em Ponta-
de-pedras e proeiro da liare.ua Alexandrina ,
da qual mestro Joao de tal Roza, e nella con-
dusido aquella provincia. Secretaria da po-
lica de Pernambuco 15 de novembro de 1813.
F. de B. F. Cavalcante d'Albuquerque 1.
amanuense.
riaes d;is cinco grandes potencias ;
mestre de gytnnastica da familia
real da Uespanha, artista do tliea
tro da Porta Saint-Martn em Pa-
vencedor dos trnelos do
CIRCO AMERICANO
CAES DA RA DA RODA.
Sob
COMPANHIA EQESTRE,
a direcco de M. S. Lipman.
Beneficio de Mr. liarrington e seu filho.
Os beneficiados annunciao aos Ilustres habi-
tantes de Pernambuco, que o seu beneficio tora
lugar hoje quinta-feira noute, 16 de novem-
bro, em que elles esperad sor generosamente a-
quinhoados do favor publico.
Primeiro acto.
Comecar o espectculo pela intimacao do
guerra peruviana.
Segundo.
Seguir-se-hao os saltos volantes acavallo por
toda a companhia.
Terceiro.
A Sra. Carolina apparecer no seu gracioso ac-
to da camponesa jardineira.
Quarto.
Pulos do chao ao ar, nos quaes se distingui-
r o menino Harrington dando muitos saltos
paratraz, o de cambalhota.
Quinto.
Os dousirmaos polacos representaro as suas
famosas scenas dos escultores romanos pela 1.
vez.
Sexto.
O menino Harrington l'ar n'um s cavallo
mintos manejos difficultosos, e concluir o seu
acto dando um salto decambalbota para traz em
cima do cavallo a todo o galope, feito anda nao
tentado por algum outro menino do mundo,
llavera aqui um intervallo de meia hora.
Stimo.
Mr. Harrington e seu filho apresentar a sua
extraordinaria scena das contorses.
Oitavo.
Mr. Blakeley executar pela primeira vez o
grande saUo volante do cambalhota atravessan-
do dous bailos e pulando por cima de seis ca-
billos.
Nono.
Mr. Harrington figurar o Mouro que morre
em delesa da sua barden a, tambem pela pri-
meira vez.
Dcimo.
Mr. Sage desempenhar o seu acto principal
n'um s cavallo sobre o qual dar o salto mor-
tal de costas para traz.
Dcimo-primeiro.
Mr. Scott dar a sua admiravel exhibicao de
forcas hercleas sobre aescada.
Decima-segundo.
Mr. Harrington ira bal har sobre 1,2 e 3 ca-
vados ajudado pelo seu filho o menino YVil-
liam.
Decima-terceiro.
Dar-se-ha fin ao divertimento com urna no-
va e pasmosa representaco no rame bambo,
no qual Mr. Sargo figurar o nascer do sol com
urna escada de vidros e luzes, ornada de rosas.
A noilede sexta-feira ser destinada para o
beneficio de Mr. Blakelev.
riz
Meio-dia da Franca Oriental, con-
decorado com as medalhas de hon-
rjiie Jhe tem sido mimoseadas
dilerentes soberanos da Eu-
ropa .
Prog arrima da funeco.
Primeira parte.
Madamoiselle Carmela Adelade Lucci, jun-
tamente comsua irmaaManoella executaro
urna lindaModinha.
Segunda.
Mr. Mathevet executar o seguinte O
Oiabo O Coxdo de Ouro O Grande E-
cart.
Terceira.
Mr. Wanimeil e sua mulher dansarao um
lindoPadidit
Quarta.
O Alcides francez executarOJogo antigo
da Grecia O braco de Mudo de Crotonea
O Castigal encantador A Escravido.
Quinta.
Madamoiselle Manoella Caetana Lucci de-
sempenhar urna linda Modinha. -
Sexta e ultima parte.
Mr. Mathevet executar a posiejioO sonho
de Hercules, ou a Noute dos Morios, (posi-
rao antiga.)
He este pos o divertimento desta noute.
Os bilhetes acbao-se a venda no mesmo thea-
tro.
Os precos sao os mesmos do costume.
( Principiar as 8 ',' horas. )
Avisos martimos.
= Para o Rio-de-Janeiro deve seguir com
toda a brevidade.por precisar fretc mui pouca
cargar, o patacho nacional Josephina capi-
to Fa ncisco Jos Ribciro forrado de cobre ,
e do superior marcha tem os melores com-
modos para passageiros ; quem no mesmo
quizer carregar ir de passagem ou mandar
escravos dirija-se a Gaudino Agostinho do
Rarros ou ao dito capitao.
= Para Macei sao nesles dias por ter a
maior parte da carga .prompta a lancha 5. Jos
Flor do Mar ; quem na mesma quizer carro-
gar ou ir de passagem pode dirigirso ao
mestre Ignacio Marques, a bordo, derontc
dotrapiche-do-algodo ou na ra da Cruz ,
venda de S Araujo & Irmaos por haixo do
depozito de rap Meuron & C. n. 2G.
Leudes.
Joao Keller continuar por intervencao
do corretor Oliveira o seu leilao de bem co-
nhecidas e lindas fazendas francezas, suissas,
eaemastanto de sedas linho, e 13, como de
algodo mui proprias desle mercado : sexta
feira 17 do corrente s 10 horas da manhaa ,
no seu armazem na rila da Cruz.
Avisos diversos.
Oeclaracoes.
- S. Ex.4 R.n" tem marcado o dia 19 do
io para a soiemnissima procissso rio Cor-
po de Dos, devendo sahir.pelas 4 horas da tar-
/nr-/.- '
THEATRO PUBLICO.
DOMINGO 19 DO CRENTE.
(Geralmente suspensos os bilhetes, centradas
de lavor.)
Grande representaco extraordi-
naria de gymnaslica atheniense,
creada em Athenas por Mr. Ma-
thevet. Grande Alcides Ilercn-
|p ,rn mo-
delo das academias reaes e impe-
LOTERIA DA MATRIZ DA
BOA-VIST A.
As rodas desta lotera cor-
reni imprelerivelmentenodia
21 do corrente e os bilhe-
tes acho-se a venda nos lu-
gares do costme.
= Bernardino Correia de Sena Cezar reti-
rase para fra da provincia.
= Precisa se do um cont de reis a juros pelo
tempo que se convencionar e com hypotheca
em um sitio perlo da cidado dando-se para
pagamento dos juros o rendimento do mesmo
sitio; o qual tem muitos bons arvoredos e
mais plantas a colber-se de interesse, tem com-
modidades para gado, por ser bastante grande;
quem quizer annuncic para se tratar do a-
juste.
L oteria do Theatro.
As rodas desta lotera ando impreteri-
velmenle no dia 29 do corrente ; e os bilhetes
acbao-se venda no bairro do Recife loja de
cambio do Vieira e Gomes da Cunha no
bairro de S. Antonio as lojas do Menees,
e Rurgos e na botica do Moreira Marques.
= Joz dos Santos Nunes d Oliveira em-
barca para o Rio-de-Janeiro o seu escravo cri-
oulo de nomo Simplicio.
= Mara Emilia Vital Sabino vi uva do
capitaO-tenente Antonio Conrado'Sabino, de-
clara que se nao retponsahilisa por qualquer
objecto, que em seu nome se peca em loja ,
ou em outra qualquer casa de negocio salvo
com bilhete ou ordem sua.
= D se dinheiro a premio mesmo em
pequeas quantias sobre penhoresde ouro ou
prata : na ra Nova n. 57.
=s Ch. Chmeiler, subdito francez, re-
ressa para Franca. a
= Em casa de Avrial Irmos na ra do
Cru?. n. 20 subscreve-so para o Jornal Commercio do Rio-de-Janeiro; na mesma cas
vendem-se colleceoes das leis e decretos do im-
perio do Rrasil desde 1822at o presente, o
Museo universal e urna quantidade de mui
bem escolbidas novpllas, historias e outros
muitos livros de recreio e instruccao im-
pressos no Rio-de-Janeiro em casa de J. Vl-
leneuve & Companhia.
= Antonia Lucina dos Prazeres rctira-se
para lora da provincia levando em sua com-
panhia os seus dous filhos de menor idade o
3 escravos de nomes Joao. l-'elippe e Mara.
lotera do gladi.upe.
As rodas d'esta loter'.a correm impreterivel-
mente a 11 de dezembro prximo e os bilhe-
tes acbao-se venda no Recife nos lugares ja
annunciados, alem de se acharem tamben
em Olnda na ra do Amparo botica dosr.
Rapozo ; nos Cjuatro-cantos loja dosr. Domin-
gos Jos A Ivs da Silva ; e no Varadouro ven-
da do sr. Amorim.
Aluga-se urna casa terrea na ra da So-
lidado com duas salas 6 quartos, cozinha
fra corredor ao lado quintal murado ,
cacimba com muito boa agoa de beber ; na ra
da Aurora n. 58.
= O abaixo assignado constando-lhe que
se acha contratada a venda do engenho Boa-
vista do termo de Goianna, faz sciente a
quem> convier, que elle est movendo urna
qucstdO de reivindicaeao da parte que Ihu
compete por heranca no sobredito engenho ;
assim como no de Mussumbdo mesmo termo.
E para que ninguem possa allegar ignorancia ,
faz o presento annuncio.
Joz de Barros Falcao de Lacerda.
Tirao-se folhas corridas, e passaportes
para dentro o lora do imperio, ludo por pre-
eocommodo, ecom brevidade; quem preten-
der dirija-se a ra do Rangel n. 3i.
= Aluga-se um primeiro andar na ra da
Praia por cima do armazem de Antonio Pin-
to com bons commodos para familia ; a tra-
tar no mesmo.
Lm homem casado chegado prximamente
da llha-de-S.-Miguel desoja empregar-se em
qualquer oceupacao : sabe ler escrever e
contar sabe lodo o trabalho do typographia ,
entende de engenheria e nisto era oceupado
pelo governo portugus ; o mesmo nao tora
duvida de ir para qualquer engenhouma vezque
pnssa levar em sua companhia sua mulher a
qual sabe emgommar cozer fazer vestidas o
chapos para sra. e os mais arranjos precizos;
quem precizar de seu prestimo dirija-se ao Re-
cife na ra da Cruz n. 23.
VE1TCI1 BRAVO &C
vwdem na sua botica e armazem de drogas ,
na ra da A/adre de Dos, n 1.
A preparadlo seguinte por preco muito com-
Aiodo e de superior qualidade.
\/agnesia calcinada ptima.
Os salulares efleitos dcste medicamento co-
mo purgante mui suave e capaz de se applicar
a todas as pessoas de qualquer sexo ou idade ,
absorvendo ao mesmo lempo todos os cidos
existentes em nosso estomago, e que tanto
perturbam nossas lunc?oes digestivas, tornam
seu uso recommendave!, e muito necessario.
A experiencia tem mostrado a um sem numero
de Mdicos sabios, e verdadeiros observado-
res do effeito therapeutico dos medicamentos ,
que (anto maior he a sua accao purgativa ,
quanto maior he a quantidade de cidos, que
c maior parle das ve/es desenvolvem nossas do-
ancas do estomago. Urna ou duas colheres de
soupa misturado com agoa durante o dia he
qnantidade suficiente para produzir bom
elTeito.
Na mesma casa tambem se vendem tintas ,
e todos os outros objectos de pintura ; vernizes
de superior qualidade entre elles um perfei-
tamente branco e que se pode applicar so-
bre a pintura mais delicada sem que produ-
za alteracao alguma em sua cor primitiva. Ar-
row-Root de RcrmudaSag Sabonetes -
Saliao de WindsorAgua de Seidlitz Agua
de SodaAgua de Seltz Limonada gasoza ,
1 inta superior para escrever Tinta para
marcar roupaPerfumaras ingle/.asFun
das elsticas de patente Escovas e pos para
denles Paslilhas de muriato de morphina ,
e ipecacuanha Pastilhas linissimas do hor-
tel-pimcnta Pastilhas de bi-carbonato do
soda e gingibre. As verdadeiras pilulas ve-
getaes universaes do D.r frandreth vindas
de seu author nos Estados-Unidos, &c. fte,


ss A luga-se o terceiro andar do sobrado da
rua do Collegio n. 18, com commodos para
grande familia por p.-eco commodo ; a tra-
tar na travessa do Arsenal n. 3.
ss Aluga-so por preco commodo varias ca-
sas terreas de pedra c cal, na Capunga na
estrada, que vao para o rio. caiadas e pintadas
de novo tendo cada urna duas salas 4 quar-
tos cozinha lora quintal pequeo, e mura-
do quarto para pretos estribara para dous
cavallos com born banheiro onde se pode to-
rnar banho a qualquer hora ; quom as preten-
der dirija-seao mesmo lugar, na ultima das
raesmas rasas. ou na ra da Senzalla-velha
n. 138.
= Osabaixo assignados annunciao a'o res-
peitavel publico que elles tem contratado
urna sociedade commercial nesta cidade, a
qual leve principio no dia 13 de maio do cor-
rente anno do baixo da firma de Georgc Ke-
nwortliy & Companbia. George Kenworthy,
e Henry Taylor
Aluga-seo primeiro andar da casa da
vua dos Quarteis n. 21; a fallar na praca da
Independencia loja n. 1.
= Roga-so ao snr. Francisco Antonio Pon-
tual ofavordedirigir-se a ra da Praia ar-
mazem n. 10 a negocio que nao ignora.
= Quem precisar de roupa lavada e en-
gommada com muito aceio promptidao e
preco commodo dirija-so a ra das Larancei-
ras o. 27
= No novo deposito do pateo do Hospital
do Paraso as lojas do sobrado n. 18, ha
ver diariamente a melhor qualidade possivel
de farinha, milho e alguma cousa mais, re-
gulado tudo pelo menor preco da praca da ri-
beira para melhor commodidade da pobreza.
Aluga-se o primeiro andar da casa n. 50
da ra da Cadeia-velba, proprio para escripto-
rio ou morada de pessoa solteira c tambem
se aluga um armazem no fundo da mesma ca-
sa com entrada pelo beco do Monteiro pro-
prio para recolher gneros do trapicho ou
barricas de farinha os prt.tondentcs dirijao-
se a Antonio Gomes da Cunha e Silva na lo-
ja da esquina da casa cima.
= Aluga-se unta boa casa terrea, moder-
na na travessa da Trempe para o Mondeigo ,
do lado da sombra com muitos commodos ,
e bom quintal; na Rua-nova, armazem n. 67.
Um homem que eutende de picara ,
oferece oseu prestimoa quem delle precisar,
nao s para ensinar cavallos e endireitar al-
gum que se ache com os andares perdidos ,
como tamhcm se iicui be de comprar, oven
fi/er sendo para este iui procurado na ra dos
Quarteis n. 11 oofferece como informante da
sua capacidade o bem conhecdosnr. Jos Apo-
linario da Cunha.
Jacintho Antonio Affonco embarca para
o Rio-de-Janciro dous moleques um de no-
me Francisco o o outro de nome Adolpho ,
ambos de naco comprados a Manoel Antero
de Souza Reis.
Precisa-se fallar com o esfudante Anto-
nio Joaquim Rodrigues, morador na villa do
Appody para negocio de seu interesse ; no
armazem do sal da Boa-vista ou na ra do
Quciroado, loja n. 41 do Jos; Estoves Vianna.
- Antonio de Locio e Seibles como pro-
curador do capitao Francisco de Paula Correia
de Araujo avisa aos propietarios das casas ,
que sao foreiros ao dito Araujo bajo de ir
pagar os foros das ditas que se ncho a de-
ver levando os seus recibos para tirarcm qual-
quer duvida na praca da Boa-vista n. 30 do
contrario se proceder na forma da lei.
Hoga-se ao snr. Antonio Maximianno da
Costa o favor de annunciar sua morada ou di
rigir-se a ra da Cadeia velha n. 60.
Aluga-se o terceiro andar, e aguas-fur-
tadas da ra estreita do Bozario n. 30 com boa
vista, muito fresco, e com commodos para gran-
de familia ; na ra do Queimado loja de fer-
ragens n. 13.
Precisa-se de um feitor que saiba tra-
tar de hortalica e trabalho de enchada para
um sitio muito porto da praca; no Manguinho ,
Estrada-real n. 57.
= 4
os domingos) ; no armazem da ra do Amo-
nen n. 35.
Vende-se milho a retalho -a 1600 rs. o
alqueire, eemsaccas a 3200 rs. farinha a
retalho a 1280 rs. o alquoiro e em saccas a
3000 rs. vindas do Rio-de-Janeiro com 2
alqueires, o moio ; na ra da Cadeia de S.
Antonio deposito do farinha n. 19.
ss Vndese um sostante muito bom; na
praca da Independencia ns. 18, e 20.
= Vende-se um cavallo russo com todos
os andares, sem achaques, anda novo mui-
to gordo, bonita figura, e tem os carregos
desobrigados; na ra da Praia, armazem n. 10.
= Vendem-se dous quartos 'bastante no-
vos, um poldro o urna poldra ; um terreno
com 40 palmos de frente na estrada do Man-
guinho, e outro na Capunga ; no Alterro-da-
Boa-vista loja do chapeos de Salles & Cha-
ves ou na ra da Cadeia do Recife loja- de
chapeos n. 46/
= Vcndo-seum rico par de brincos de bri-
Ihantes de muito bom gosto ; na ra da Ca-
Compras
Compra-se vidros para espelhos gran-
des, e mofados; no Atterro-da-Boa-vista n. 17.
Comprao-se eflectvamente para fora da
provincia mulatas, negras o moleques de
12 a 20 annos, sendo bonitos pagao-se bem :
na Rua-nova. loja de ferragens n 16.
Comprao-se iduzias de taboas de pi-
nbo novas ou usadas com tanto que se-
ja baratas tambem se recebem em pequeas
porces ; na Rua-Direita n 80.
deia do Recife loja de cambio n. 2i.
N= Vendem-se chapeos do Chile, ditos pre-
tos francezes, ditos de sol de seda cambraias
adamascadas brancas e cor de roza de bonitos
padroes brins do todas as qualidades para
calcas, casimiras de diversas cores o procos,
cortes de colletes de setim a 2000 e 2600 *rs. ,
casimiras de ll a 3000 rs. lencos pequeos de
cores com figuras a 80 rs. ; na ra do Quei-
mado loja n. 11 do A. L. G. Vianna.
= Vendem-se alguns terrenos, parte atter-
rados, e parte por atterrar, com 30 at 120
palmos de frente e 155 ditos de fundo, si-
tos no alinhamento da ra da Concordia, par-
tindo pelo sul com a travessa do Monteiro e
pelo norte com a travessa do Caldereiro, e fun-
dos dos Martirios, estas travessas ficao com 60
palmos similhante as ras principaes e os
quarteirocs com 450 e tantos palmos de ra a
ra ; o propietario nao s oferece a venda ,
como tambem se obriga a mandar edificar pre-
dios que cada um dos compradores quizerem,
entregando-se pelas chaves nao excedendo aos
da planta do bairro de S. Antonio, da qual
seextraiooutra naquella parte relativa ao ter-
reno offerecdo por onde tem de dirigirem-se
todos, que forem edificando e como estes
terrenos oTerecem todas as proporcSes para sua
edificacao, espera nos lormoseadores deste bel-
lo paiz que pretenderem alguns dos ditos ter-
renos de dirigirem-se a ra larga do Rozario,
n. 18, de manhaaatas 9 horas e do tarde
de urna as 4.
= Vende-se urna casa terrea de pedra e
cal, eum terreno junto a mesma com cen-
to e tantos palmos com bastantes ps de
fruteiras e tendo de fundo para mais de 1500
palmos sito no Atlerro-dos-Affogados a di-
nheiro ou a praso ; na Rua-nova n. 20.
= Vende-se superior panno de algodao da
trra a 220 rs. a vara ; na ra do Crespo ,
loja n. 23.
= Vende-se urna cama de condur nova,
e moderna por preco commodo na ra da
Penha loja de Antonio Pereira.
Vende-se urna armacao toda envdraca
da propria para qualquer negocio ou alu-
ga-se por preco muito commodo ; na Rua-di-
reita n. 34.
- Vendem-se 7 redes de diferentes taa-
nnos algumas ainda novas, urna barretina
com cordoes e pluma um refo com tercado,
proprio para inferior ; na rua do Vigario n. 1.
Vendem-se duzias de marroquins de
muito boa qualidade a 18tf rs. a duzia algui-
ilares grandes, chegados ltimamente do Por-
to a 1500, e!600 rs. ; na rua do Ciespo,
loja n. 12 de Jos Joaquim da Silva Maia.
Vende-se urna mulata de 20 annos com
ptimas habilidades ; urna esorava de 22 an-
nos engomma cose, e cozinha muito bem ;
urna linda moleca de 12 annos, 4 escravas pa-
ra todo o servico ; duas ditas quitandeiras por
300 000 rs. ; um escravo de 25 annos, bom
carreiro e mestre de assucar ; dous ditos de
20 a 22 annos; um dito por 320,000 rs. ; e
3 ditos aptos para todo o servico ; na rua de
Aguas-verdes n. 46.
Vende-se urna escrava crioula, de 22 an-
nos perita engommadeira cose, cozinha e
na rua das Cruzes n. 41 segundo an-
Vendas.
= Vende-se gelo todos os dios ( excento
lava
dar.
Vendem-se 4 escravos ptimos para to-
do o servico de campo ; dous moleques fe 18
annos ; um preta boa cozinbeira e engom-
madeira ; urna dita de meia idade por 300
rs. cozinha lava e ganha diariamente 400
rs. ; um preto de meia idade por 260,000 rs. ,
ptimo para servir a urna casa e trabalbar em
sitio ; na rua de Aguas-verdes n. 44.
Vende-se um preto de nacao de 35 an-,
nos, compra cozinha e um dos melbores!
canooiros tanto de carreira como de canda dej
agua ; na rua da Guia sobrado de 3 andares
n. 53.
VpnnfU.GAlimq nnrr>rn A~ n*n 4 ,-----. '
------- w~ w...- i__ _._ -v vuiuau
ba da melhor qualidade ; no largo de S. Pe-
dro n. 24.
= Vende se um escravo de nacao de 17 an-
nos ; na rua da Gloria n. 1.
Vende-se um fardamento para guarda
nacional de cavallaria em muito bom estado ,
por ter servido urna s vez; quem o pretender
annuncie.
Vendem-se gravatas de setm de differen-
tes modelos a 6O rs. cada urna bicos largos
de difforentes padroes para roquetes a 2000 rs.
a vara ; na rua do Cabuga loja nova france-
za n. 6.
\ Vende-se um diccionario hespanhol, e
hespanhol-francez, em dous volumes onca-
dernacao franceza com algum uso ; na rua do
Cabuga loja nova franceza n. 6.
= Vende-se urna parte do sitio, que foi
do fallecido Josa Roberto, e hoje dos herdet-
ros de Antonio de Queiroz Monteiro Regadas ,
na estrada da Solidado ao p do beco do Boi,
a qual do valor de 1:692,578 rs. ; no At-
terro-da-Boa-vista n. 21.
Vende-se por preco commodo urna casa
terrea em ch5os proprios, que est por aca-
bar com todos os materiaes, e tem excellen-
to vista sita em Olnda, na rua de S. Joao ;
na rua da Senzalla-velha n. 46.
Vendem-se 6 castados de po-carga de
30 palmos de comprimento e 21 pollegadas
de largura; um oratorio e urna commoda
para o mesmo obra anga propria para se
dizer missa ; na rua de Apollo n. 32.
== Vende-se urna negra de 20 annos, boa
quitandeira eoutra de 15 annos, cozinha ,
lava engomma e cose; na rua larga do
Rozario, sobrado que volta para a rua do Ca-
buga primeiro andar.
=Venda-se urna crionla parida de dous mo-
zos ; no Atterro-dos-Affogados, armazem de
sal n. 218.
Vendem-se palbas de coqueiro para ba-
nheiro ; no sitio do Cajueiro junto a Fran-
cisco Bibeiro de Brito ou na loja de tartaru-
gueiro n. 2, que volta para o pateo do Carme.
= Vendem-se canarios de imperio em vi-
veiro e ja separados em gaiohs muito can-
tadores doce de goiaba sortdo chocolate da
Bahia a 100 rs. o pao e meios ditos a 50 rs. ,
abanos a 1200 rs. o cento, cordas de embira
branca proprias para andames a 3500 rs. o
cento e a retalho a 40 rs. ditas de cru a
58 rs. o cento e a retalho a 60 rs. mantei-
ga franceza a 560 rs. batatas a 60 rs. fci-
jo preto a 320 rs. a cuia esleirs de Angola
a 320 rs. cocos para beber agoa a 280 rs. a
duzia, pares de ancoretas a 4500 rs. cachim-
bos de Alemao a 3500 rs. o cento, e a retalho
a 50 rs. vinho engarrafado cerveja de boca
de prata genebra licores panellinhas da
Baha proprias para manteiga velas de car-
nauba ditas de sebo de Hollanda e farinha
do MaranhSo ; na rua estreita do Rozario. ven-
da n. 8.
= Vendem-se talins e cananas para ofli-
eaes de guarda nacional e do primeira linha ,
como para cavallaria do guarda nacional, e in-
feriores de infantera cartelos para engenuei-
ros letras para fiscaes e seus guardas an-
coras para guardas da alfandega lettras para
empregados as obras publicas granadas para
artilheria escovinbas para inferiores da guar-
da nacional, obra riqussma e chegada l-
timamente do Rio-de-Janeiro ; na travessa du
Madre de Dos n. 19, defronleda porta prin-
cipal; quem quizer toda factura, recebe-se me
tade em azendas, at o dia 18, que preten-
de o annunciante retirar-se dcsla provincia.
= Vendem-se duas negras urna recolhi-
da boa eozinheira engommadeira e faz
todo o servico de urna casa eoutra boa ven-
dedeira de rua e ptima para todo o servico ;
na rua da Senzalla nova n. 40 ou no trapi-
che da Allandega-velha a fallar com Jos
Francisco Bibeiro de Souza.
= Vende-se por 500g rs. urna casa moia-
agoa construida a pouco lempo, com 30 pal-
mos de frente e rende 7000 rs. mensaes si-
ta na travessa da Ra-bella n. 1; a tratar na
travessa das Cruzes n. 8.
= Vende-se boa agn em canoas de bom
aceio e bem acondicionada tomada as bi-
cas do Monteiro em 20 e 24 horas ; no beco
da ribeira da rua da Praia a 10 rs.
Vende-s um terreno na rua Augusta ,
com casa formada at o respaldo com 41 pal-
mos de vao, efundo at a rua do Alccrim ;
na rua larga do Rozario n. 48.
=: Vende-se um fardamento de guarda na-
cional de cavallaria quase novo e por preco
commodo, e um guarda-louca moderno ; na
rua de S. Rita n. 26 = Vendem-se pas de filtrar agoa a 6
8000 rs. ; agoa da bica do Monteiro, bni
limpa em sua conduelo c tanque a 20 rs
na rua da Praia por detraz da ribeira proJ
priedade de Antonio Dias da Silva Cardil.
= Vende-se um escravo ptimo para to-
do o servico ; na Rua-nova venda n. 65.
= Km casa de B. Lasserre & Companbia
rua da Senzalla-velha n. 138 cha-soa ven-
da farellode muito boa qualidade, em saccas
de 3 arrobas; assim como vinho de Bordeaux
em caixas de duzia por preco commodo.
= Vendem-se estojos de navalhas de supe-
rior qualidade por nao ser preciso ir ao re-
bollo de elegante gosto e cabo de marfim
agua de colonia e de flor de laranja macas-
s perola, e de oleo de varias qualidades, boioes
de banha sabonetes de varias qualidades, pos
de limpar denles escovinbas para ditos, papel
de peso facas e garfos de cabo branco, u
pretos peo te de ac para marra fa colchetes
agulbeiros de marfim dourados, agulhas can-
tolas e curtas suspensorios de burrachn
caivetes finos de aparar pennas, tudo por mo-
nos preco que em outra qualquer parte ; na
praca da Independencia n. 5.
= Vende-se por preco commodo om pti-
mo terreno para plantarlo com 800 palmos
de frente e quase outro tanto de fundo com
muitas arvores de fruto e murado em parte,
muito perto da praca (no Corredor do-bispo );
tambem se vende a retalho; a fallar com o ma-
jor Mayer.
= Vendem-se duagjaccas de leite ehega-
das agora de Hamburgo, muito grandes, e
prnohes do bastante leite, e sao novas; na
rua da Alfandega-velha n. 44.
Vendem-se machinas de vapor do 3 4,
o 5 cavallos moendas para agoa e animaes,
laxas de ferro batido, e fundido, formas de
ferro, e urna prensa hydraulica para emprensar
saccas de algodSo: na rua da Senzalla-nova n.
42 casa de Fox & Stodarf.
= Vende-se um pardo de 22 annos bom
olicial de alfaiate; no Atterro-da-Boa-vista
n. 42, segundo andar.
= Vende-se excellento bolaxa de primeira ,
c segunda qualidade de 2880 a 3840 rs. a
arrola e em porcoes maioresse dar mais em
conta e boa farinha para dita a 13c e 148
rs. a barrica e moias ditas com farinha de boa
qualidade por preco commodo ; na rua dos
Quarteis padaria n. 18.
= Vende-se urna otaria noCordeiro, de
pedra e cal em chaos proprios com muito
bom barro a margem do rio Capibaribe, por
preto commodo; no Atterro-da-Boa-vista n. 54
Escravos fgidos.
ras e das 3 da tarde em diantn.
Vendem-se bichas de Hamburgo aos
ceios, e a relalho tambem se alugao por
proco commodo meias de linho para homem,
e menino at 16 annos, tbesouras finas para'
cortar cabello ; na rua da Cruz n. 43, defron-
e do beco do Horto-das-canoas.
- No dia 3 de outubro p p. fugio a preta
Mara, de nacao Cacange venda agua tem
sido vista nos tanques da Rua-nova e Porto-
das-canoas baixa grosso do corpo maos
curtas grossas e foveiras rosto redondo ,
nariz chato, olhos meios abugalhados ps
pequeos capalbetadosde bichos 8nda de-
vagar representa ter 40 annos; levou camisa
de algodaozinho rota, e saia de chita desbotada;
quem a pegar, leve a praca da Boa-vista n. 26,
segundo andar, que sera gratificado.
- Ainda est ausente o preto Jacintho, des-
apparecidonodia20de maio de 1841 de
nacao Bcbollo de boa altura cor preta bo-
nitos denles falla descancada toma bastan-
te tabaco quando ausenlou-se nao tinba bar-
ba ; a pessoa, que der noticias certas, ter
lOO.OOOrs. do gratificarlo, e guarda-se se-
gredo ; assim corno o moleque Julio, quo ven-
da cangica de naci Benguella, de Han-
nos tem o embigo rande do tamanho de urna
laranja a orelha esquerda furada e a direita
com um taquinho tirado ; quem delle der no-
ticias lera 20.000 rs. de gratificado, guar-
dando-so segredo ; ambos sao escravos de Ma-
noel Antero de Souza Reis morador na rua
da Guia sobrado de 3 andares n. 53.
Fugio no dia 9 do setembro do anno p.
p. o mulatnho Jacob de 13 annos sem pon-
la de barba cabello bom e cachiado com
urna marca pequea do tamanho de um bollo
na macl do rosto cor natural reforcado do
corpo, muito experto, quando falla engolo
algumas palavras, suppoe-se ter ido para as
partes de Unna onde foi criado ou pora o
Cabo, engenho liba do snr. EstevSo, por quem
foi vendido ; quem o pegar leve a rua do
Fogo ao p do Rozario n. 8, que receber lOOtf
rs. de gratiicaclo.
ss Fugio no dia 14 do corrente urna cabra
de nomo Lourenca de 30 annos evou ves-
tido de chila azul saia preta de lila e panno
da Costa, bastante alta, echeia do corpo tem
alguns cabellos a espece de suissas; quem a pe-
gar, leve a Solidade n.. 40 que ser gratifi-
cado.
Rbcifi: na Ttp. db M. F. db Faria. = 1843.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EUME20GH0_RIAPYX INGEST_TIME 2013-04-13T02:43:32Z PACKAGE AA00011611_04513
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES