Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04510


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno de 1843. Segunda- Feira 13
ludo fora depende de ns meemos; de gam prudencia, muiierego, r eneren: ron-
linucinoi como urincipnnios, e aeremos a>i>maili>a com iluiirii .10 enlre [Saquee mi
Dille". ( l'i.ulemeg.io de Aasembleia Geral do BbibIL.)
PARTIDAS DUSCOlMlblUS TERRESTRES.
Goianria, e Perehjb", segundes e eitaa feraa. ttiu Grande do M irte, quintaa fe iras.
Honiii. Gerenbuna, i 1l> e -4.
Cebo, "ierinb.iem. Rio Form.iso, Porto Calvo, Macein, e Aleoas no 1 = 41 Jl.
Itoa mise Florea iS e 2s. Sanio Uim quimas feraa Oliuda todoa oa diaa,
UIAS UA &E.Ma1\A.
13 Seg. a. Eugenio l. Aurl do J de U. de 2. 1
4, leiij. a. Venernnda V. Re. Aud. do J de D.da3. T.
4 Vuari a. Leopoldo .Merq Aud. do J. de D. de 3. v.
16 '). Cncalo de Lg >a Aud. do J. de U. da v.
47 ex a. fcaloma V F Aud. do J. de 1). da J. .
48 5" Rom.io M. Re. And do J. de D. da 1 T.
4U D >. a. h bel rainha de Hungra.
canosINd da 11
^ CanbioaobrLondraa?5 |.
Y Paria 37 J rea por franco <
a Liaba 110 porlUOdepraaio.
de Nove abro Anno XIX. N 34&
O bullo publica-ae todoa oa diaa que nlo forera Santificados: o preco da aai*rV'*!jtiot
de trea nil reis por quartel pagos adiantados Os annuncioa doa .(signantes a ,Bir_
gratis eos doa que nao forem a rasao de M) reie por linha. Aa reclamagoea dena
pelee aeata Tip., ra daa Cruiea N. J, ou apreoa da Independencia loja del'nros a.v
de iNorembro. ooaapra
Ooeo-Moedade 6,400 V; 16,509
N. i,d00
tf.OOO
1,800
1,400
* da 4,000
1'aiTi Fatacea
PatoaColuainaraa
l,r)00
rauda.
47 70*
16,506
tf.200
4,820
1,820
4,820
Monda de cobre J por cento.
ldaaadelelrtadaboaa firntaa 1 a I l| ;;. I ditos Mmanos
PHASES DA LA ISO HEZ DE MOYFMBRO.
La Cela 47, a 3 horas e t at. da maulla I La noe i Jl, ka 3 buraa e 14 a da urdo
Quart. aaing. 14, 0' ** minutos da tarde | >aart meso, i 2S, 4a 4 boras e 41) da .
Preamar de hoje.
4.a 10 boras a 6 a. 4a aaanhia. | t. a 1U hewea 30 da larda:
PARTE OFHCML
Govemo da Provincia.
EXPKDIKNTF. DE 7 DO C0RRE.NTE.
(Juicio Ao inspector da thesouraria da f.i
zenda transmittindo'a nrdein do tribunal do
thosouro sol) o n. 176 e declarando em cum-
primentodo imperial aviso,aque a acompanhou,
que faca passar para a mesa do consulado um
guarda d'alfandega ,. fim de com elle preen-
cher-se o numero do 18 marcado para aquel-
la reparticac e conservar na dita alandega os
quarentas e quatro guardas existentes. at que
con as vagas quo possao sobrevir fique o
respectivo numero reduzido ao de 40, para
ella destinado
Dito Ao commandante das armas scienti-
ficando-o de ter S. M. o Imperador concedi-
do passsagem no mesmo posto para o*2.ha-
talho d'artilharia p ao 2 lente do 4. ba-
talho da mesma arma Augusto Francisco Cal-
das.--Tambem se communicou a passagem do
2. cadete do 2 batalhio d'artilharia Fran-
cisco de Carvalho Medeiros para o 1. regi-
ment de cavallaria ligeira.
DitoAo presidente interino da relacao, par-
ticipando ter S. M. o Inperador concedido li-
cenca ao respectivo desembargador Rodrigo
Antonio Monteiro de Barros, para ir a 5.
Paulo tratar dosuasadc duranle o intervallo
da sesso da assembla geral legislativa de que
membio.
D,tos Ao mesmo e ao inspector da the-
souraria da fa/enda intelligenciando-os de
haver S. M. o I. prorogado por mais dous an-
uos a licenca com ordenado no goso da qual
se acba em Portugal o desembargador aposen-
tado Antonio Manoel da Roza Malheiro.
Dito Ao director do arsenal de guerra ,
ordenando, quemando proceder aos coucer-
tos, de que precis a prisao da fortaleza do
B um. que foi ltimamente arrombada pelos
sentenciados, qu se evadlrao.
Dito Do secretario da provincia ao ins-
pector da thesouraria da fazenda transmittin-
do, para screm executadas as ordens do
tribunal do thesouro sob os nmeros 155 e
168.
Commando das Armas.
Quartel do commando das Armas de Pernam-
buco 10 de Vovembro de 1843.
Ordem addicional a do dia.
Na madrugada do dia 31 de outubro ultimo ,
evadire-so da fort-le/a do Brutn por meio
de um arrombamento. que praticro da pri-
ZlO para a praca d'armas, oito criminosos que
ti\ero de passar por cinco sentmellas som
que d'estas fossem apercebidos nem to pou-
co da guarda que ficava contigua a prisao. lis-
te aconlccimcnto que revela connivencia, e
FOLHET!
HISTORIA HESPANHOLA. (*)
Francamente confesso,que um espectculo to
novo, tao inesperado, to lerrivel nao me dei-
xou congen. de sobra. O horror que sent c de
que dei mostra pareceo confirmar no animo dos
ju.zts a boa opiniao que tinhao do seu Sjrntema
de processo. Elles derao por fun um novo sig-
nal, e levara-me para minha masmorra
Ostheologosdochri-.tianismo, e os philoso-
phos pagaos dizem mui bellas cousas; mas el-
les nunca me persuadirao que Teliz o homem
que vC na mortesua nica consolacao: por mim
o conesso, nao foi sem terrivel angustia que en-
carei esse horrivel rncurso. que tinha para evi-
tar meus pe seguidores, e roubar-lhes a victi-
{') Vide o Diario n.u 243 e 244.
quando menos, completa e escandalosa rela-
xacao, foi investigado, e vae ser nesta data
sugeito a um conselho de guerra para conhe-
cer dos culpados quaesquer que sejo e m-
por-lhes a pena.
E' para lastimar, que o servico da guarni-
cao da Corta lera do Brum composta de pracas
do 2. batalhao d'artilheria a p se tivesse Cei-
to naquelle dia t8o irregnlarmonte que desse
lugar a Cuga de homens calejados no crime ,
ofle'econdo-lhes occasio de perpetrarem novos
delictos, e a descarregarem o braco bomirida
sobre aquelles que os tinhao entregue a aeco
da just.ca.
Era bem de presumir que procedimento tao
inslito e a priso da guarda devesse dispu-
tar a attencao dos soldados, e fazer com que se
tornassem vigilantes nos seus postos; potfm
nao aconteceo assim e na noite de 8 do cor-
rente urna das sentinellas, e quatro dos sol-
dados da putrulha rondante dormir5o naquel
la Cortaleza e eu os mandei castigar segundo
o regulamenlo.
E' preciso que o soldado tenha exacto co-
nhecimento de suas obrigacOes e das penas a
quo est expbsto se inCringil-as, e por isso cha-
mo a attencSo dos Srs. commandantes de cor-
pos e de guardas sobre este ponto, determi-
nando aos primeiros que repetidas vezes fac3o
lr aos seus subordinados os artigos de guerra ,
e as obrigaces das sentinellas obrigando aos
segundos a levarem por estripto estas, a fim
de serem (idas logo que tomem conta das
guardas.
Como nao basta ordenar, e seja mister co
nhecer se as ordens sao restrictamente obser-
vadas encarreuo aoSrs. ajudantesdordensde
semana de rondarem nocturnamente, em horas
desencontradas," as guardas da guarnicao, e
de examinar por si se as sentinellas colloca-
das em (.{.erantes lugares esto vigilantes nos
do bom ou mo estado em que ns encon-
trarem.
Os srs. officiaes de dia a prnca e os que
rondarem de visita devem ser exactos no cum
primento dos deveres que por este servico Ihes
imp5e o regulamento.
Os srs. commandantes de Cortificaccs pela
sua parte vigiars que o servico se faca com
exaclidSo o pontualidade pondo a autori-
dade superior a par das faltas, que as prncas
destacadas commetterem a fim de ordenar a
punicao nos casos que nao forem de sua com-
petencia.
Responsaveis como sao pela fuga dos presos ,
o sr. coronel graduado Ti ajano Ce7ar Burla-
marque, commandante interino da Cortale/a.
osr. 1.a tenente Antonio D'ornellas Cmara ,
que servo dajudante, e a guarda, c devendo
por tanto entrarem em conselho de guerra ; no-
meio para substituir no commando ao primeiro
osr. major da 3 a classe Joaquim Caetano do
macom que conlavafr Resolv esperar anda
para odia seguinte a decisSo da escolha entre o
suicidio e a tortura: todava s purle conriliar o
somnodepois de me haver muito esquentarlo.
e involvido em meu odio todo o genero huma
no. Todava nao soi diser qual o systerna de I-
das que me dominou. e elevou-meat urna phi-
losophia despresadora; o corto 6 que no dia se-
guinteapresentei-mesem estremecer, e mesmo
com certo arde arrogancia ante o tribunal que
devia emflm proCerir minha sentonca. Lncelos
olhos para o immenso auditorio que me cir-
cumdava, em alstuns'emblantesdivisel Urna ex-
pressao de compaixio, que me reconciliou um
tanto com os homens.
Accusa 'o, eslaes arrependido do vos?a per-
tinacia, queris poupar este tribunal a severi-
dade. sempre penosa, do vos impor os tormen-
tos necessarios para arrancar-vos a verdade?
Ento respond.Eu sou Ingle/, nao conhe-
nhecoas leisda Hespanha e surprehcndc-ine
vel-as apnliradas a mim. N5o itrnoro quo em
todo o p'aiz podo Jnstlaja engaarse: mas
possivel que algum exista em que prohiba-se ao
aucusado provar sua innocencia! Queris alcan-
Souza Cousseiro ( que hoje assumir o com-
mando ) e o sr. tenente de estado maior da
2 classe Joze Ignacio de Medeiro Reg Mon-
teiro pora oceupar o lugar do ajudante fi-
cando desligado da companhia d'arlifices. Tam-
liem nomeio o conselho de guerra que tem
de julgar aos referidos srs. coronel graduado,
1. tenente e a guarda e sao delle :
Presidente
O llm. sr. brigadeiro Joze Joaquim Co-
elho
auditor
O sr. auditor pela lei, Joze Nicolao Riguei-
ra Costa.
Vogats
Os srs. coronis Jo/ de Barros Falcan
de Lacerda Francisco Joz Marlins Jor
Bernardo Salgueiro Joo Francisco de Cha-
by Joz de Brito Inalez.
i4nroni'o Pedro de S Barreta ,
commandante das armas.
INTERIOR.
RIO DE JANEIRO.
ASSEMBLA GERAL.
CMARA DOS SENHORES DEPDTADOS.
Sesso de 26 de setembro.
Julga-se objecto de deliberacao.e vae o impri-
mir, a seguinteresolu?ao da commisso de ins-
trueeo publica:
A assembla legal legislativa resolve :
Artigo 1. O govemo fica autorisado para
mandar viajar Europa aflm de l completar
os seus estudos mathemalcos, ;'i Jos Saturni-
no da Cosa Pereira abonando-lhe o sold e
vencimentos do seu posto ao par.
Art. 2. Fico revogadas as leis em con-
trario.
Rio de Janeiro, '26 de setembro de 1843.
JustiniannnJosda Rocha Pereira Jorge.
L-seefira adiado por se pedir a palavra o
parecer da rommissao de pensoes e ordenados,
sobro o reqnerimi'nto de I). Eugenia Josefa Be-
nedicta de Siqueira e sua irmaa filhas do fal-
lecido tenenle-coronel AlexandreThomaz de A-
quino de Siqueira,sendo a rommissao de parecer
que o lequerimento das supplicantes est as
circumstancias.de ser deferido pelo govern >, e
que ao mesmo soja enviado com todos os docu-
mentos que legaliso a pretonc3o.
L-se e vae a imprimir o projecto da commis-
so especial sobro eleiees.
Sao lidas e approvadas as seguintes redac-
ces:
|. Da resoluQao concedendo loteras para
o hospital de caldas da provincia de Santa Ca-
marina.
2.* Doterminando que os ministros de estado,
ainda que nao sejao senadores ou deputados ,
poder assistir s sessoes publicas e secretas
das cmaras legislativas.
3.* Da resoluciio concedendo loteras santa
casa da misericordia de S. Joao d'EI-Rei.
4." Da resolucao que approva a aposentado-
ra do desembargador da relacao do Pernambu-
co Antonio Manoel da Rosa Malheiros.
5.* Da resolucao quo approva a aposentado-
car de mim a verdade? Eu vol-a digo toda in-
teira: fui para Alicante, como vim para Valen-
cia: levara-me interesses commcrcaes. Em
meio da nouteentraS em meu quarto, arranco-
mo de minha cama, trazem-me para Valencia,
lanca-me n'uma cadeia. Desde esse dia nao
posso ver meus ami/os, nego-me papel e tin-
ta pan escrever-lhes, neg3o-me o consolo dos
livrosquesuavisem os sofTrimeiitos de meu ca-
labouco. Pergunto ao carcereiro porque que
me prendem, pergunto-o aos juizosquo me for-
rnara culpa, pergunto-vos vos que me ides
julgar... ninguem quiz responder-me... e as-
sim tenht eu de delTender-mp, de provar minha
innocencia sem saber do que que mo ac-
cuslo.
Poisbem. eu o declaro, sou innocente, in-
nocente de todo e qualquer crime : desde
que vivo sou, acciio nenhuma commetli que
possa explicar minha presenca nesles luga-
res. istooqucou sei. e, 6 o que vos, juizes,
n5i> rmdeU snhoe_ Har-OA-ka C?c". 1"" npooa um infeliz entra n'uma prisao hesparthola a sus-
peita contra elle lome o carcter de cortesa ?
Porque 6 que se d lana prerogativa accusa-
ra de dous desembargadores da relacao de Per-
nambucoe um da do Maranho.
Contina a discussSo do artigo 3. da pro-
posta do governo sobro a contadoria geral da
marinha.
OSr. 1. secretario Ferreira Ponna, declara
queso vae olllciar ao governo para saber-se o
da hora e lugar em que ha de ser recebida a
dcputaco que tem de saber o dia, lugar e hora
do encerramentoda assembla legislativa.
Tomao parte na disscusso os Srs. Silva Fer-
raz, Rodrigues Torres, Lima e Silva, e Sousa
Martins.
D-se por discutido o artigo 3. e appro-
vado.
Entra em discusso o seguinte :
Art. 4. A contadoria geral ser dividida
em seccoes pela mmuir quo Cor mais conve-
niente ao servico; e cada urna d'ellas ser di-
rigida por um 1. olTicial, comocheCe, debaixo
da direceo do contador geral, vencendo por
esso servido urna gratillcacao do quatro centos
mil reis, a qual somento 6 devida peloexerci-
co eflectivo.
Depois de Callarem sobro este artigo os Srs.
Nunes Machado e Ros approvado.
Segue-se a discusso dos seguintes artigos
da proposta:
Art. 5. Todos os negocios de fazenda per-
tencentes ao ministerio da marinha serao tra-
tados e resolvidos em junta de que sero
membros com voto consultativo o intendente
da marinha o inspector do arsenal, e o con-
tador geral, sendo presidida pelo respectivo
ministro que ter o voto deliberativo.
Art. 6. llavera em cada urna das provincias
da Baha Pernambuco e Para, e no Rio-Gran-
de-do-Sul (em quanto houvern'esta provincia
arsenaes de marinha ) urna contadoria indepen-
den le dos respectiv >s intendentes e inspectores ,
e subordinada contadoria geral: cada urna
d'estas contadorias ter no que fdr relativo
aos respectivos arsenaes, as mesmas incum-
bencias eattribuices que a da corte ; e ser
composta dos empregados, e com os vencimen-
tos marcados na tabella junta; devenao sua
escripturaco e contabilidade ser estabelecida
em perfeita harmona com a da contadoria
geni.
Art. 7. Os negocios de fazenda as pro-
vincias, em que houver contadorias, sero re-
solvidos e tratados da mesma maneira que na
corte exercendo o respectivo presidente as
funecoes quecompetem aqu ao ministro da
marinha.
Art. 8. O governo autorisado a suprimir
as intendencias e almoxarifados da corte eda
Baha os empregos quo parecerem desneces-
sarios, vista das disposices d'esta lei; e as
pessoas que os servirem bem como os em-
pregados das reparticoes que por ella ficio ex-
tinctas, e que tiverem as necessarias habili-
tacoes, passar para as respectivas con-
tadorias.
Art. 9. Na adrnisso para os empregos de
escripturaco o contabilidade do ministerio da
marinha se observar o que dispe a lei de 4
de outubro de 1831, excepto a respeito dos
individuos, que estiverem j empregados, e
cao ? Se algucm tem interesse em ver declarada
minha culpabilidade, quando se me nego to-
dos os nieios de provar minha innocencia e de
contestar as palavras aecusadoras? Ameacad-
me com os tormentos, bom, cont que a ddr
nada mo arrancar que j nao tenha dito: se
porcm falhar-me o corpo protesto aqui e desde
j contra ludo, o que minha Craquesa me flser
prof rir; tudo ser mentira, u impostura.
Mas que vos importa minha conflssao? Es-
taes pe sua lides de que sou criminoso, basta-
tos essa persuaso, condemnae-me j inorte:
a ella me resigno do boa vonlade, antes muito
antes do que ser obrigado pela ddr, pelos tor-
mentos a calnm n ia i -me mim mesmo, se tal de-
ve ser o resultado dos solTrimentos a que me
quer sujeitar vossa injnstica illudida.
tem que cu nao Callasse Hespanhol seno
muito incorrectamente, ainda que meu discur-
so nada tivesse de eloqueme, tao persuasivo
o tom da verdade que eu senti levantar-se em
Inrnn = ;niiii nm cocenrr. /< S^prSVS^O, o-
guns olhos humedecerao-se compassivos al-
guns espectadores dirigiro-se para os juites, e
com elles enlretiveraO longos coloquios,


houverem do passar, em virtude d'esta lei,
para as novas estacos por ella creadas.
Art. 10. Pata a boa execuco d'esta lei dai
0 govcrno os necessarios reptil amentos em
que serao marcadas, rLbaixo das bates n'ella
estabelecidas as attribuicocs que dpvem flcar
competindo contadona geral e as contado-
ras provinciacs ; aos intendentes de marinha ,
inspectores, contadores, u a cada urna das
sessoes em que lor dividida a contadoria ge-
ral designando a maneira do se celebraren) us
sessoes da junta na corte e as provincias e
de se executarem s suas deliberarles; e esta-
bclecendo e centralisando o systcma de escrip-
turaco, contabilidado o liscalisacao de to-
das as operacoes de receita e dcspeza pertencen-
tes ao ministerio da marinha.
Art. II. Fica o governo autorisado para
alterar as disposicdes dos decretos de II e
13 de Janeiro de 1834 na conformidade d'es-
ta lei.
Paco da cmara dos deputados em 1 de u-
nho de 1813. Lima e Silva. Sebastio do
Reg. Sergio.
TABELLA A Ql'E SE RiFERE A PROPOSTA ESTA
DATA.
RIO-DE-JANEIRO.
Contadona geral.
i Contador geral.............. 2:400.000
4 1.' officiaes a 1:200.000...... 4:800.000
4 2. ditos a 1:000.000...... 4:000,000
6 3 ditos a 800,000...... 4:800,000
6 Amanuenses a 600.000...... 3:600.000
6 Praticantes a 360,000...... 2:160.000
1 Cartorario................. 600.000
1 Porteiro................... 500.000
2 Continuos a 400,000....... 800.000
Gratificaces a 4 chefes de seccao.. 1:600.000
25:260,000
BAHA.
Contadoria.
1 Contador.................. 1:400.000
1 1. olfieial................. 1:000.000
1 2dito.................... 600 000
1 Praticante................. 360.000
1 Porleiro o continuo.......... 300,000
3:660,000
PERNAMBUCO.
Contadoria.
1 Contador.................. 1:200.000
1 1." official................. 800.000
1 2. dito................... 600,000
1 Praticante.................. 360.000
1 Porteiro e continuo.......... 300,000
3:260,000
PATU.
Contadoria.
1 Contador.................. 1:000,000
1 1.olTicial.................. 700,000
1 2 dito................... 500.000
1 Poiteiro e continuo.......... 240.000
2:440,000
RIO-GRANDE-DO-SUL.
Contadoria.
1 Contador.................. 1:000,000
1 1. officiaL'................ 800,000
1 2. dito.'/:................ 600,000
1 Praticante................. 360,000
3:060,000
37:680,000
TABELLA DOS EMPREGADOS D\ SECRETARIA..
conladorias de marinha da Corte e Bahia, e
de oulros. que as provincias se emprego no
servico da contabilidade e que por esta le
fici> ex tinelos.
RIO-DE-JANEIRO.SECRETARIA.
Secedlo de contabilidade.
3 Officiaes a 1-200.000...... 3:600.000
2 Amanuenses a 800,000...... 1:600,000
a...'i' ^f^gBBggp^^Mi
Depois de algum intervallo:Costume dos
tribunaos hespanhoes, disse-me o presidente ,
que os depoimenlos das testemunhas, as decla-
rarles dos reos sejo pesadas smente pelos jui-
zes. Todava prescindo d ssa regra em atlenco
a nacao magnnima a que pertenceis, e vou fi-
. xar os Tactos da arcusacao, o as provas que os
confirmao.
Dous sao os pontos da aecusacan. Sois aecu-
sado de rapto pelo Sr Udivido, por I he ha veres
roubadosua filha Estella; sois aecusadn dehu-
micidio pulo S. Jorge Prays. Depoc o Sr. Udi-
vido que o preso Ihe Coi recommendado por um
de seus correspondentes, que Ihe concedeo li-
cenca de visitar familiarmente sua filha Estella,
sem embargo do costume contrario dos Hespa-
nhoes. Entre o preso e Estella formou-se urna
amisade de irmo e irmia, mas cheio tic confi-
anza na probidade de um, na modestia e hon-
ra da outra Udivido nada receiou : todava
quando Ihe disse que estava para casar sua fi-
lha com I). Jos Prays notou que elle nao ap-
provra suaintcnco, allegando a difiVrenca das
:d=d;c, c Estella de da em dia oppoz-se mais a [
esse consorcio. Emfim, decommum acord sem j
Gratificaces do olTicial maior.... 1:000,000
Dita do chele da seccao.......... 400,000
6:600,000
Contadoria.
1 Contador.................. 1:600,000
l l.escripturario............. 1:000.000
\ 2. ditos a 600,000...... 2:400.000
4 3. dito a 400.000...... 1:600.000
4 Praticantes a 250 000...... 1:000,000
8 Ditos extranumerarios gratifi-
ayao a 120,000...... 960,000
l Cartorario, ordenado, e gratifi-
cado..................... 520,000
1 Ajudante dita............. 292,000
1 Porteiro................... 320,000
1 Continuo.................. 200,000
1 Moco..................... 115.200
10:007,200
BAHA.
Contadoria.
1 Contador.................. 1:600,000
1 Primeiro escripturario........ 1:000.000
1 Segundo dito............... 600.000
2 Poicantes a 250,000...... 500.000
1 OfGcial addido.............. 1:000.000
4:700,000
PERNAMBUCO.
InspeccSo.
1 Pralicante................. 120.000
5 Amanuenses................ 1:260.000
1:380,000
RIO-GRANDE-DO-SUL.
InspeccHo.
2 Amanuenses a 400,000...... 800.000
1 Guarda-i i vros (engajado)..... 1:200,000
2.000,000
PARA.
InspeccBo.
I Empregndo de repartico extinc-
ta gratificaco............. 100.000
24:787,200
NOTAS DOS EMPREGADOS ,
que em consrquencia da nova organisaco, pa-
rece poderem ser supprimidos nat inlenden
das e almoxarifados da Corte e da Bahia.
RIO-DE-JANEIRO.
Intendencia.
1 Escrivo, ordenado.......... 1:000.000
1 Continuo, dito............. 210.000
l Praticante, gratificaco....... 120,000
1 Moco dita................ 115,200
1:475.200
Almoxari fado.
2 Ajudantes, ordenado........ 1:000,000
4 Escrivaes extraordinarios, que os
coadjuvao.................. 1:140,000
2:140,000
3:615,200
BAHA.
1 Continao da intendencia...... 280,000
3:895,200
Demonstraco.
Dcspeza segundo a nova organisa-
c3o tabella n. 1...........37:680.000
Dita com osempregados actuaes, di-
^ tan 2....................24:787,200
Empregos, que se pdem supprimir,
dilan.3.................. 3:895,200
28:682.400
DifTerenca para mais........... 8:997.600
Todos os artigos da proposta sao approvados.
duvida, o preso e Estella encontrrao-se menos
veses para afastar quaisquer suspeitas, at que
no dia 17 do me/ Estella desappareceo de casa
de seu pai, no dia 17 do mez o reo sahio de Fa-
lencia. Ora excepcao do reo, e de I). Jos
Prays ninguem tinha entrada em casa de D. U-
divido, logo fui o roquem Ihe rnubou a filha.
Segue-se o depoimento do caixeiro de Jos
Prays, que diz que. porordem de seu amo, um
caixeiro da casa devia partir essa noute mesmo
para Tnger, indo no coche por Barcelona at
Malaga c que seu amo e elle Acaran rom esse
caixeiro bebendo o vinho da despedida; que
tendo depois acompanhado at a seje em que
devij embarcar, vira virum individuo com duns
senhoras que se persuado sercm \). Estella e
sua aia. Quando voltou para casa, quem Ihe
abri a porta oi um criado: |) Jos Prays tinha
sahido. Lembrando-se que, como verdadeiro na-
morado. poda este estar passeiando por buixo
das janellas de sua amada, recordando-se que o
vinho da despedida poda ter Ihe esquentado a
rateas, rccccso que p^r ftjca oras, em
noute tao escura, nao Ihe aconteces-e algum de-
sastre, elle sahio, c encaminhou-se para a ca- j
D-se por concluida a 2.* discussao, e o pro-
jecto passa para tercoira.
Contina a discussao adiada na sessao ante-
rior do seguinte :
a Art. 2. Fica revogado desde o artigo 6."
inclusive at ao lim a lei n. 130 da mesma as-
sembla publicada em 2 de outubro de 1841,
alterando a lei provincial n 6 de 5 de junho de
1835 que trata de arrolamento das pessoas
existentes no districto de paz.
A discu-isao fica adiada por nao haver casa.
PERNAMBUCO.
Tribunal da Helaco.
SESSAO DE 11 DE NOVMEBRO DE 1843.
Na appellacao civel desta cidade appellante
Joaquim Goncalves Viera Guimaraes appol-
lada Maria Candida Pina escrivo Ferrei-
ra ; se mandou ouvir o Dr. curador geral.
Na appellacao civel desta cidade appellante
Miguel Ferreira Soares e Silva appellado Ig-
nacio Bento de Loiolla escrivo Ferreira se
mandou averbar a di/ima da chancellara.
Na appellacao crime desta cidade, appellante
a africana Candida Mara da Conceicao ap-
pellada D. AnnaNobre Ferreira escrivo Ja-
corno ; foi a sentenca confirmada.
Correspondencia.
Srs. Redactores.
Quando contava fazer meus credores a pri-
meira prestacao para pagamento de seus crditos,
como me haviacompromettido nocompromisso
que d'clles obtivo o anno passado e assim e-
quilibrar eu os desgostos que tinha soflrido por
constantes prejuizos; eis que tendo minlia mu-
Iher e familia no engenlio Timb de meu so-
gro o sr. coronel Francisco Antonio de Sousa
Leao por motivo do molestias, e indo por
isso all as vesperas dos domingos, e das
santos voltando para minha casa nesta cidade
no immediato da de fazer logo pela manhaa ,
tendo por isso ido para alli na tarde do dia
27 de outubro prximo findo dcixando en-
ea r regado da guarda da casa um meo caixeiro
com osescravos, ao recolber-me no dia 30
do dito me/ por as selte horas e meia da ma-
nhaa encontrei me roubado com as portas do
2. andar abertas como consta do annuncio
incluso, que rogo a Vm.08* queirao mandal-o
publicar por esse jornal por (res ve/es a lim
de constar, c ver se alguma cousa consigo.
Nao remetti a Yin.'"1 o mesmo annuncio logo no
mesmo dia em que encontrei o laclo do meu
roubo, porque sobre esse acontecimiento fu-
nesto para mim sobreveio outro terrivel que
me prostou e poz de cama e em estado de
nao poder dar paco algum por me ser prohi-
bido por o sr. Dr. Pinto fazer a menor a-
plicacao; tal foi o meu ruinoso estado de sade
a que me levaro alguns que j tem suportada
revezes da fortuna...
Sou Srs. Redactores seu venerador e as-
signante A. F. dos Santos Braga.
O abaixo assignado tendo sua mulhcr e
familia no engenho do seu sogro o sr. coronel
Francisco Antonio de sousa Leo, por causa de
molestia desde 23 de setembro prximo passa-
do e por isso sendo obrigado a ir alli as ves-
peras dos dias de guarda donde voltava por
amanha do seguinte dia til depois dos do
mingos e dias santos deixando na sua casa
ne.la cidade seu caixeiro com os escravos que
o annunctante possue e tinha ernpregado no
ser vico do armazem de assucar ; e tendo Indo
ara o dito engenho na tarde de 27 de outubro
pelas 5 horas quando voltou na manhaa do
dia 30 do mesmo mez, chegando a sua referida
cosa pela 7 horas e meia da manhaa achou-se
roubado, tendo abertas as portas da entrada do
corredor do 2 andar, as das sallas de diante e

sa de D. Udivido; que. justo no meioda ra do
Oriente, seu pencontrara um obstculo e a-
baixando-se para examinan) que era vio ser um
cadver. Gritou, pedio soceorro, os visinhos
vierao emfim com luzes; ento reconheceo no
cadver seu desgranado amo. Tinha anda cra-
vada no roracao a espada assassina. Em seu fer-
ro (ia-se o iiume de Jasper Cauvillas arrucho
de Valencia, e interrogado esse individuo decla-
ro u ter vendido a espada a um Inglez, com quem
depois encontrou-se muitas veses na praca do
commercio. E tendo-sc-lhe feito ver o decusa-
do, quando o trouxerao para seu segundo in-
terrogatorio, elle o reconheo perfeilamente.
Agora continuou o promotor, interrogado
sobre cada urna dessas particularidades, o pie-
so negou-as todas, como tambem disse que nao
conheceo as senhoras que com elle viajaras no
coche de Barcelona: telhe dennos creailo elle
nao passou pela ra do Oriente, nao brigou
rom I). Prays, nao perde sua espada cousas
estas cert issimas sobre as quacs as UmtPfnitnf.
nao deixao duvida, c que elle confossar quan-
do os tormentos o interrogaren).
Este discurso excitou um susurro geral de de-
de detraz,urna gaveta de urna cmoda com a fei-
xadura arrombada.e um gnarda-roupa na alco-
va da salla de liante aberto ; e levara) em se-
dulas treze contos e onze mil res ; 2 pares do
casticaes 1 salva 12 colheres para sopa 1
dita de tirar sopa 12 colheres de cha 1 pa-
liteiro tudo de prata ; 1 adereco franee/ 2
conloes, um par de argolas 1 dito de brin-
cos, 2 anneis tudo de ouro. OITeiecc-sea
quarta parte do dito roubo a quem o denunciar,
guardando-se todo o segredo que exigido lor.
Antonio Francisco aos Santos Braga,
COMMERCIO.
Alfandega.
Uendimento do dia 11........ 6:0578565
Desearregao a/ 13.
Polaca sarda Constantinofarinha.
Rarca sarda Coraco de Jess vinho, azeite,
o fazendas.
Brigue austracoCarolinafarinha cestos ,
e licor.
MarcaPreciozacarvao.
Brigue dinamarquez Cravana fazendas ,
queijos, ferragens e gigos.
Barca Mary fazendas, o saceos.
Brigue Aristides bacalho.
PRACA DO RECIPE 11 OE NOVEMBRO DE 1843.
Revista mercantil.
CambiosHouvero transarles a 25 *A d. por
mil rs.
Assucar As entradas em cargas forao menores,
e em caixas nenhumas : embarrica-
do vendeo-se a 2:400 a 2:700 a ()
do lira neo e a 1550 em saceos do
mascavado.
AlgodaoAs entradas forao regulares e hou-
vero vendas a 5:200 por@.
CourosSao mais procurados e o deposito
consideravel.
Agua-razNao ha.
Azeite doce-Vendeo-se a 1:450 o galiio do do
Mediterrneo.
BacalhrioCneg^u um carregamento de 2600
barricas que consta oi vendido a
10*500 e 108200c seguio um car-
regamentodc 1640 barricas para a Ba-
hia: o deposito de 5:800 barricas, e
a sabida de 200 a 300 diarias
Carne seccaO deposito he de 12000 @ o
cousummo he diminuto e as vendas
de 2:600 a 3:200 a do Rio-grande ,
e 2300 a 2500 a de Buenos-A y res.
CarvSo-dc-pedra Vendeo se a lOj a tone-
lada.
Farinha de trigoO deposito he do 5:200 bar-
ricas' das quaes existem 1:600 na
primeira mo : chegarao dous car-
regameiitos dos Estados-Unidos, um
da marca Gallego que foi vendido
a 18, rs. e outro de 1700 barri-
cas de Trieste que loi vendido a mar-
ca SSSF a 18*500, e SSF a 16*500.
Garrafoes empalhadosVenderao-se a 820.
ManteigaAlgumas porcoes chegadas ltima-
mente forao vendidas a 440 rs. a li-
bra.
Pimenta da India Vendeo-se a 235 rs. a li-
bra.
Plvora inglezadem de 280 a 285 a libra ,
direitos pagos pelo comprador.
Queijos flamengosdem do 980 a 1050.
VinhosCbe^ou um carregamento deCette de
168 pipas que dizem loi vendido a
89* rs
Vidro para vidracaVcndeo-se de 9$ a 10 a
caixe.
Embarcaccs existentes no porto.
Austracas..........2
Americana..........1
Brazileiras...... ... 24
Dinamarquezas. ... ..... 3
I------------------------------------------ .'!__________________ "I
sapprovacSo. o auditorio me era favoravel O
reo reconliece a espada ptor suadisse urna vot
distincta e alta. Ped a palavra:Hei onheco es-
ta espada, aisse, foi a que comprei a Jasper
Cauviltas; o nomedelle est inscripto no ferro,
bem como o n. 325.
A espada estava em cima da mesa dos escri-
vaes, examinro-a, achra-lhe o numero ex-
acto.
Nao tenho rasSo nenhuma de negar que me
pertencesse es*a espada: mas eta a primeira
vez que ouco fallar da morte de D. Prays.
Esta espada cessou de pertencer-vos?Dei-
a como lembranca de despedida um amigo.
Este amigo e Inglez ou Hespanhol, seu no-
me?lis pero que me consentira") no declaral-
o.A justica vos ordena que o declaris. A
honra m'o prohibe.Os tormentos vol-o arran-
ca rao. lixpe imentae-o. Eu rostudo para salvar minha vida, vencelos-hei
pura b5s cssipvussltc" U uitfv a quem amo
e estimo.
(Continuar-se-ha.)


Francezas......* .... 2
Hamburguesas......... 2
Hollnndeza......... 1
Inulezas.......... 6
Portuguezas......... 3
Sardas ........... 2
46
Movimcnto do Porto.
Navios entrados no dia 13.
Hollinda 50 dias, barca ingleza Roseanna, de
397 toneladas capito James Mudelle e-
quipagem 18 carga varios goeros.
Genova 53 dias brigue sardo Aneta de
118 toneladas, capilao Paula Villa, equipa-
gem 13 carga varios goneros.
Edilaes.
S. Ex. o Sr. Presidente da provincia ten-
do de contrataren) conformidade da le provin-
cial n. 101 de 9 de maio de 184-2 um fabri-
cante de assucar.que ensine pela pratica os me-
Ihoramentos possiveis na actual fahricacao do
assucar naquellesengenbos, cujos proprielarios
osquizem introduzir ; convida a todas as pes-
soas, que se acharem para isso habilitadas a a-
presentarem as suas propostas at o dia 15 do
correntc nesta secretaria para que lindo este
termo se Ibes indique o cngenho em que cada
um dever effectuar as primeiras experiencias,
vista do cujos resultados urna commisso do
proprietarios de engenho decida qual dos con-
currentes estabclcce methodo preferivel, e me-
Ihores resultados aprsenla a fm de que possa
ser contralado o concurrente preferido.
*~ E para que cbcgue a noticia do lodos se man -
dou publicar o presente. Secretaria de Pcr-
nambuco 27 d'oulubro de 1843.
Casimiro de Sena Mdureira.
De ordem do illm. sr. inspector da tlio
souraria da fazenda desta provincia se faz pu-
blico, que se vac preheneber a vaga de um ter
terceiro escripturario da contadoria ou do a-
manuense da secretaria da thesouraria o que
no dia 26 do correte mezse ha de proceder na
forma da lei ao concurso dos que so propozerem
a entrar neste lugar. Os pretendentcs deverao
apresentar os seus rcquerimenlos documenta-
dos com folha corrida, certido de idade, e os
mais documentos, que juigarem precisos a bem
de sua pretenco. Secretaria da thesouraria de
azenda do Pernambuco 6 de novembro de 1843.
Joaquim Francisco Bastos official manir.
O illm. sr. inspector da thesouraria das
rendas provinciaes em cumprimento do offcio
do exm. sr. presidente da provincia de 9 do
corrente manda fazer publico que secundo
o regulamenlo para as arrematacoes das obras
publicas do 11 de julho deste anno o sol) as
clausulas especiaos abaixo transcriptas se ar-
rematarn a quem por menos fizer, no dia 6 de
dezembro prximo vindouro ao meio dia pe-
ranto a mesrna thesouraria, as obras de urna
ponte na estrada da Escada sobre oriojaboatao
oreadas na quanlia de 12:000$ res.
ulro sim em cumprimento do offcio do
mesmo exm. presidente de 8 do corrente e
na mesma conformidade se bao do arrematar
no referido dia 6 do dezembro.as obras de urna
ponte e atterros na estrada do Rio-formoso
oreadas na quantia de 6:000,000 de res.
E para que chegue a noticia do todos mandou
o mesmo illm. sr. inspector alxar o presente,
e publicar pela imprensa.
Secretaria da thesouraria das rendas provin-
ciaes de Pernambuco 10 de novembro de 1843.
O secretario ,
Luiz da Costa Porto-can eiro.
PONTE DA ESTRADA DA ESCADA SOBIiE O RIO
JABOATO.
Clausulas especiaes.
1.' Os trabalhos e obra da dita ponte sers
feitos pola forma sobre as condices, e modo
indicado n'orcamenlo e as plantas geraes, e
particulares apresentadas approvacao do exm.
sr presidente da provincia em 7 de novembro de
1843 pelo proco do 12:0008 do reis.
2.* O arrematante comecar as obras no pra-
so do dous me/es, contados em conlormidade
do artigo 10 do regulamenlo para as arremata-
coes de 11 de julho do 1843.
3. As obras devorad ser concluidas *io praso
de um anno contado da mesma poca, do-quo
a precedente.
4.* O pagamento da arrematacaoroalizar se-
lia em quatro prestacoes do modo o as po-
cas determinadas no artigo 15 do reglamen-
to para as arrematacoes de 11 de julho de 1843.
5.* Para tudo o mais. que nao est delermi-
n*4 inleiramente o que dispoe o regulamento pa-
ra as arrematacoes de 11 de julho de 1843.
^i^
Repartalo das obras publicas 7 do novembro
de 1843. O engenheiro em chefe.
L. L Vaulhier.
PONTE E ATTERROS DA ESTRADA DO RIO-
FORMOSO.
Clausulas especiaes.
l.'Os trabalhos, e obras serio feitos pola for-
ma sob as condices, e modo indicado no or-
camento, as plantas geraes, e particulares a-
presentadas approvacao do exm. sr presi-
dente dii provincia ern 31 deoutubro do 1843
pelo proco de 6:000,000 de reis.
( 2.*, 3.', 4.a, e 5.a sao as mesmas ante-
cedentes. )
Reparticao das obras publicas 31 de outubro
de 1843. O engenheiro em chefe.
L. L. Vaulhier.
fr
Declaracoes.
O paquote ingloz Express, recebe a
malla para a Baha o Rio-de-Janeiro ama-
nilla (14) do corrente.
O administrador da meza da recebedoria
das rendas goraes internas tendo por muitas
vezes chamado aos moradores dos hairros do
Recfe Boa-vista, e Affogados, para virem pa-
gar a taxa de escravos imposto de lojas e ta -
bomas mandando um agente receber em suas
proprias casas muilo poucas pessoas tem pago,
trazendo por protesto inda nao estar o tempo
vencido para o pagamento, quando o regula-
mento determina que linda a collecta proco-
da-se inmediatamente a cobranca ; e por isso
contina a mandar receber e todos aquelles ,
que nao pagarem sera remettidos para juizo
sem excepeo de ninguem. Recebedoria lOde
novembro de 1843.
Francisco Xavier Cavalcanti de Albuquerque.
COMPANHIA DE BEBEBIBE.
Nao tendo tido lugar a reuniao marcada para
o dia 10, em consequencia de nao se haver reu-
nido numero sufficente de votos sao nova-
mente convidados os srs. accionistas para com-
parecerem no escriptorio da companhia pelas 8
horas da manhaa do dia 15 do corrente a fim
do se poder preheneber a disposicao do artigo 17
dos estatutos. Nesta reuniao tem de ser appro-
vado o orcamento da receita e despeza da com-
panhia para o primeiro semestre de 1844; e
outro sim o coronel Conrado que estar pre-
sento far as reflexScs, que se Iho offerecerem
cerca dos trabalhos, que se achao em conti-
nuadlo. O secretario ,
B. J. Fetnandes Barros.
CIRCO AMERICANO
CAES DA HUA D4 RODA.
COMPANHIA EQDESTRE.
Sob a direcgdo de AI. S. Lipman ,
O pro prieta rio Mr. Enos Sage tributa os
mais sinceros votos de gratidao aos generosos
Pcrnambucanos pela liberal proteccao que Ihe
tem prodigalisado da qual jamis se esque-
cer ; e confia que os seus eslorcos em corres-
responder a expectacao publica as duas ulti-
mas noutes que se seguem nao desmerecerse
tao benvolo patrocinio.
Extraordinaria attracaoPrimeiro appareci
ment de Mr. Scott, Sansao ou Hercules mo-
derno.
O ultimo espectculo da noito de 13 de
novembro.
Primeiro acto.
Comocaro polos exercicios da grande estrella
c entrada do cotilbo na arena executados por
oilo cavallos c cavalleiros.
Segundo.
Seguir-se-ha a funeco gymnastica ou o
que ha de melhor por toda a companhia com
o palhaco Mr. S. Lipman.
Terceiro.
A joven Carolina pequea artista equestre
portugueza representara o seu gracioso acto
de manejo a cavallo saltando por cima do chi-
clo e fazendo fluctuar as bandeiras brasileira
o americana do norte.
Quarto.
Mr. M. Cloud figurar as suas tres trans-
formacoes, l.1 do marinheiro ; 2.'do gladia-
dor romano ; 3.' do guerreiro grego.
. Quinto.
O Sr. Oliveira apparecer no coracter cmico
do sargento embriagado em pernas de pao.
Sexto.
Mr. Harrington correr n'um s cavallo o
seu maravilhoso acto de picara com seu filho ,
apresentando todos os s* us grupos classicosde
figuras estatuarias e animadas.
llavera aqui um ntcrvallo de meia hora.
Stimo.
Mr. Scott executar os seus ncriveis feitos
do forca. Dous dos maiores cavallos do circo
, -i ----,___'** i1 *
5vv SarCSuGa paiu |iiaicui-o u uiiuuimu
a elle aosquaes oppo' barreira M. Scott s
pela sua forca resislindo a todos os seus cs-
forcos empregados para movl-o. Os dous ca-j segunda dita 4S000, da torceira dita 38200;
vatios serao alados a urna corda para o fim de vendo-se hom milho a retalho 18600 o alquei-
fazl-a quebrar mas do balde; depois dn que re e em sacca 38600, bom azeite de carrapa-
Mr. Scott quebrar a mesma corda quoosca- lo em barris e urna porcao de saceos
vallos nao poderSo fazer render. Pede-se aquel- algodao da Ierra om 2 e 2 /? varas a 400
las pessoas que juigarem que haja alguma fie- | da urna.
cao nos cavallos pertencentcs a companhia, quo
se dignem de trazer quaesquor cavallos quo Ibes
parecer Mr. Scolt pegar n'uma grande peca
de artilharia carregada andar com ella roda
do circo e Ihe tocar fogo tendo a ainda nos
hombros.
Oilavo.
Mr. Harrington esou filho da rao a sua mu
applaudidaexhibicaodos irmaos polacos.
Nono.
Mr. M. Cloud desempenhar no seu princi-
pal acto do mnejo muitas posices e attitudcs
novas.
Dcimo.
Terminaro os diverlimentos d'esta noite com
a pantomima do Arlequim o dos Dragos ( sol-
dados ) valontes. ,
Arlequim O Sr. Oliveira.
Velho Mr. Harrington.
Palhaco Mr. Lipman.
Gigante Mr. Blakeloy.
Para as outras personagens o resto da compa-
nhia.
Avisos martimos.
Para o Maranhao sahir em poucos dias o
veleiro patacho nacional Weptuno, capito Jos
Mendo deSotiza; quem no mesmo quzcr car-
regar ou irde passagem dirija-se aos con-
signatarios Novaes& Companhia, na ra da Cruz
n.37.
de bom
reis ca-
Furtaro um cavallo de carga do Engenbo-
velho do Cabo no sitio denominado-Sangra-
dor -, na noute do dia 8 do corrente ,
e tem os signaes seguintes: me lado-rapo/o ,
esta gordo tem u-na estrella na testa o pe
esquerdo calcado d branco anda a passo ,
bem foilo e tem 7 a 8 annos de idade ; quem
del le tiver noticia cerla ou o levar oo enge-
nho Maranhao e entregal-o a Maooel de Sou-
sa I .cao ser recompensado de seu traba-
lho.
Kisscl relojoeiro, junio ao arco do
Sanio Antonio contina a vender relogios
patentes e horisontaes tanto novos como
de segunda mo por proco commodo.
Aluga se o primeiro andar da casa da
ra dos Quarteis n. 24 : quem o pretender di-
rija-se a luja da praca da Independencia n. 1.
mm Quem precisar do roupa lavada e engom-
mada com todo o acceio e preco commodo;
dirija-sc a ra dasTrincheiras n. 27.
Quem annunciou querer dar cincoenta
mil reis, a premio de 2 por cento aomez,
queira dirigir-se a ra das Flores casa n. 6 ,
das 10 horas da manhaa al'1 as 4 da tardo ,
onde se prestar as garantas que se exigir.
Manoel Joz da Silva Marques, e An-
tonio Joz de Barros Veiga annunc ao pu-
blico, que tem dissolvido a sociedade com-
mercial, que nesta praca girava sob a firma de
a quaiquer pes-
Leics.
=r O corretor Oliveira far leilao do urna
por?ao de vinho Madeira da mais excedente
qualidade que neste mercado tem sido im-
portado ha muitos annos e j bem conhecido
dos entendedores, em ancrelas, contendo
2, 6, e 12 caadas cada urna e por isso
mais recommendavel para presentes de festa ,
ou para facultar a condcelo para o campo e
assim mais, de bons presuntos para fiambre
muito frescaes e duas vaccas hamburguezas:
hoje 13 do corrente as 11 horas da manhaa,
no armasem dos senhores Joz Bodrigues Pe-
rc ira & Companhia prximo ao arco da Con-
ceicao.
Joao Keller continuar por intervencao
do corrotor Oliveira o seu leilao de bem co-
nhecidas e lindas fazemlas francezas, suissas,
e a ems tanto de sedas linho e la como
de algodao mui proprias do mercado : terca
feira 14 docorrente s 10 horas da manhaa ,
no seu armazcm na ra da Cruz.
Kalkmann &. Rosemund farao leilao por
intervencao do corretor Oliveira do mais es-
plendido sortimento do fazendas de seda 15 ,
linho, o algodao a mor parte chegada pelos
ltimos navios e dos gostos mais modernos e
proprios d'este mercado : quarta-feira 15 do
corrente as 10 horas da manhaa em ponto no
seu armazem da ra da Cruz.
Avisos diversos.
lotera oa matriz da
boa-vista.
As rodas desta lotera cor-
rem impref erivelmentc no dia
21 do corrente e os bilhe-
tes acho-se a venda nos lu-
gares do costume.
=Quctn precizarde fcitores para sitio, ou en-
genho, caixeiros, artistas, e homens para agri-
cultura, ou outro quaiquer trabalho, chegados
prximamente da Europa, osquaespodem fa-
zer o contrato de locadio de servicos confor-
me a le do 11 de outubro de 1837;dirija-so ao
Recife na ra da Cruz n. 23.
= Na ra de Santa Bita-nova, n. 91, pre-
cisa-so de urna mulher para ama de urna casa
de piuca familia para todo o sen ico de urna
casa, e comprar na ra; e qued conhecimentoa
sua conducta : fallar na mesma casa cima ,
a toda a hora do da.
= Arrenda-so urna morada de casa terrea
na ra da Biquinha de S. Pedro em Obnda; na
praca do Corpo Santo a fallar com Jos Ma-
noel Fiuza.
Nodcposito de farinha de mandioca na ra
da Cadeia do S. Antonio n 19 os procos des-
ta semana contino ser farinha da primeira
ijudiiue 25240 ua segunda dita i;sa:i), c
da tercera dita 18600 res cada alqueire, sen-
do da primeira qualidade em sacca ">.> Marques Veiga
soa que se ulgue credora da dita extincta fir-
ma se sirvo apresentar suas contas, no pra-
10 de quin/e dias, para seren embolsados. Be-
rile 11 de Novembro <"e 1843.
No novo deposito do pateo do Hospital,
indo para a Florentina n. 18, se achara do dia
13 em diante, boas qualidades de farinha e
iiilho e tudo regulado ( e todas as sogundas
lenas de todas as semanas annunciado ) pelo
proco da praca da ribeira para mais commo-
didaife da pobreza.
Aluna-se urna preta captiva com bas-
tantes habilidades, para todo o servico de casa
e ra : quem a pretender, dirija-se ao atierro
da Boa-vista n. 62.
= O proprietario da padaria e pastelaria
Iranceza do alterro da Boa-vista n. 50. avisa
ao publico, que a sua pastelaria, interrompida
por indisposicao contina agora como d'an-
tes, sempre como o mesm sortimento de bo-
1 i 11 los, pastis e postelloes ; assim como asa-
lamadas bandejas as mais bens sortidas e ele-
gantemente adornadas para desserts, bailes,
e soires. Igualmente tem sempre um com-
pleto sortimento de licAresde todas as qualida-
des t> vinho fino do Bordeaux agurdente de
Franca e a afamada agua de flor de laranja ,
em frascos grandes emeios frascos cor.feitos ,
amendoas coborlas e pastilbas em frascos e
caixinhas.
= Thomaz Sayle participa ao respetavel
publico e mais freguezes desta cidade que
de novo estabeleceo o seu bem conhecido m-
nibus que o apromptou de novo com o me-
lhor aceio possitc! o qual deve partir do dia
10 do corrente em dianto da sua residencia na
ra da Cadeia junto a lubrica dechaptosdo
Sr. Jorge para o Montciro todos os dias s
5 horas da tarde ; c voltar de l as 7 da ma-
nhaa excepluando-se os domingos e dias san-
tos : o preco diminuto 6 de mil reis porcada
pessoa. Igualmente tem para vender 10 pti-
mos cavallos, tanto para carrinho, como para
sella ; assim como aluga carrinhos de melhor
gosto e por preco commodo para passeio. O
mesmo espera que o respeitavel publico o hon-
re com a sua proteccao como j o fizerao
em o anno passado e protesta dei.xar todos
saliseitos.
= Aluga-se urna casa em S. Amaro junto
ao sobrado do Carduzo pelo tempo do festa ,
muito fresca com commodos para pequea
familia ; a fallar comjoaquim Lopes de Al-
meida caixeiro de Joao Malheos.
Manoel Jos de Magalbaes faz scien-
to a todas as pessoas, que tem penhores de ou-
ro em seu poder de os ir tirar no praso de oi-
lo dias, contados da data dtsle annuncio.
Aluga-se urna casa terrea na ra da So-
lidado com duas salas 6 quartos, cozinba
fra corredor ao lado quintal murado ,
cacimba com muilo boa agoa de beber ; na ra
da Aurora n. 58.
Aluga-se metade de urna casa a urna
pessoa capaz, com pouca familia ; quem a
predenter dirija se ao pteodo Carino n. 24.
= Na loja de Joao Loubet delronte do Pas-
seio-publico ha um novo sortimento de se-
das e outras fazendas novas proprias pa-
ra cobrir chapeos do sol tudo snnprinr > -
de dillerentes cores ; tambem se concertao e
lazem-se chapeos de sol, por proco commodo ,
e com brevidade.
BHBM


VEITCII BRAVO &C*
Venden na %ua botica e armaxem de drogas ,
na ra da Madre de Ueo$ n. 1.
A preparacao seguinte por preco muito com-
modo e de superior qualidade.
Colirio ante-ophthalmico.
Este medicamento tem as mais enrgicas vir-
tudes para destruir com os hons e Iclizes re-
sultados que a longa experiencia tem mostra-
do tudo quuntosiio nevoas, belidas infla-
macoes c outras dooncas d'olhos em que nao
he preciso para scu curativo radical usar dos
meios operatorios que a arte em taes casos
indica o a que o doente necessariamente re-
corre. Um sem numero de pessoas podem at-
festar com verdado os salutares e lcitos d'appli-
cacao deste remedio prodigioso ; tatito em dif-
ferentes partes do Imperio dondo tem sid pro-
curado como em algumas parles da Europa
onde scu uso he ha mais tempo conhecido.
Na mesma casa tambem se vendem tintas ,
e todos os outros ohjectos de pintura ; vernizes
de superior qualidade entre olles um perfei-
tamente hranco e que se porte applicar so-
bre a pintura mais delicada sem que produ-
zaalteracaoalguma em sua cor primitiva. Ar-
row-Root de BermudaSag Sazneles -
Sauao de WindsorAgua de Seidlitz Agua
de SodaAgua de Seltz Limonada gasoza ,
Tinta superior para escrever Tinta para
marcar roupa Perfumaras ingle/.as Fun
das elsticas do patente Escovas e pos para
dentes Pastilhas de muriato do morphina ,
e ipecacuanha tel-pimenta Pastilhas de bi-carbonato de
soda egingibre. As verdadeiras pilulasve-
getaes universaes do D.r Hrandreth viudas
deseu author nos Estados-Unidos, &c &c.
Quem precisar do urna criada de boa
conducta para qual'|uer casa a qual cose
vestidos de senhora camisas de homcm cn-
gomma e faz outros servicos, menos cozi-
nhar dirija-se a ra da matris da Boa-vista
n. 22.
Precisa-sede 308 rs. a juros, dando-se
de premio 28 rs. todos os mezes passando-se
urna lettra ou dando-se fiador; quem quizer
dar nnuncie.
Pretende-se fallar a negocio de interes-
sc com Manoel Goncalves Rodrigues Francis-
cos Goncalves Rodrigues c Joao Goncalves
Rodrigues filhos de Joo Goncalves Rodri
gues natural de Rabo-de-peixe na ilha-de
S. -Miguel ; na ra do Vigario n. 21 casa de
Mendes & Oliveira.
Precisa-se de urna ama para urna casa de
pouca familia quesaiba lavar, engommar e
co/inhar dando fiadora sua conducta; na ra
da L'adeia de S. Antonio deposito de farinha
n. 19.
= Aluga-se um primeiro andar na ra da
Praia por cima do armazem de Antonio Pin-
to com lions commodos para familia ; a tra-
tar no mesmo.
A luga se urna boa sala com alcova ou
todo o andar do sobrado da ra da Cruz n. 63 ,
proprio para escriptorio ou familia ; a tratar
no armazem do mesmo.
Aluga-se urna casa em S. Anna com
commodos para pequea familia perto do ba
nho e por preco commodo ; na ra do Quei-
mada loja n. 4.
Aluga-se a loja do sobrado da ra da
Senzallu-velha n. 52 ; na ra de S Rita so-
brado de um andar n. 18.
= Precisa-sc alugar um escravo ou es-
crava quesaiba cozinhar para servir a um
homem solteiro ; na ra da Guia n. 31 ,
segundo andar.
= Na ra atraz da matriz da Boa-vista n.
29 contina-se a fazer caixas para chapeos de
senhora, com tornos para suspender o chapeo,
e semelles ditas para touquinhas a 800 rs. a
duza, caixas para chapeos de homem a 1600
rs. ditas para chapeos de palinha a 1440 rs ,
e para chapeos de senhora a 1280 rs. assim
como tambem se lazem deencommenda chapeos
de palhinha de armacao e de seda para senho-
ra e toda a qualidade de concertos e obras
pertencentes ao oficio de chapeleiro com to-
da a perfeigo e promptidao.
= Precisa-se alugar urna ama para o ser-
vico interno e externo de urna casa de pouca
familia prelerindo-se mulher de idade ; na
ra do Amorim n. 39.
Precisa-se alugar urna preta forra ou
captiva para cozinhar e comprar para urna
casa de pouca familia ; na ra de S. Rita-nova
n. 85.
Joao da Cunha Magalhes comprou por
(en moio bilhete da segunda quarta parte do
segunda nova lotera da matriz da Boa-vista de
n. 1057.
Se algum homem viuvo ou solteiro
sem familia precisar de urna casa capaz pan
sua assistencia obrigando-se o dono da casa a
fazer todo o micessario com promptidao e tra-
tar tambem no caso de doema annuncie.
=Arrenda-se para se passar a festa urna casa
terrea, com duas portas, e duas janellas de fren
te, com um grande quintal port3o e va
rios arvoredos de fruto sita em Olinda fti<
Var.idouro; a tratar com Manoel Antonio Coe
Iho de Oliveira.
Compras
Compra-se um taxo grande, em bom
uso: na travessa de S. Pedro, casa terrea
n. 8
= Compra seum par de brincos de dia-
mantes usados; quem tiver annuncie.
Compra5-se effectivamente para fra da
provincia mulatinhas crioulas e mais escra-
vos, de 13 a 20 annos, pagao-se bem, sondo bo-
nitos ; na ra larga do Rozario n. 30, pri-
meiro andar.
Compra-se escravos de ambos os sexos,
de 12 a 20 annos para fra da provincia,
agradando paga-se bem ; na ra do Fogo ao
p do Rozario n. 8.
Compra-se o Peregrino da America;
quem tiver annuncie.
Compra-se papel ujo, que sirva para
embrulho a 3010 a arroba ; na casa defronte
do quartcl de polica ondo se fa/.em sigarro-
n. 15.
= Compra-se um fogo pequeo proprio
para a cmara de um navio; ni ra da Alfandc-
ga-velha armazem n. 44.
Indas lanternas de casquinha fina galhetei-
ras para a/.eile e vinagre de madeira e cas-
quinha garrafas copos para agoa, e clices
ludo de cristal, globos bandeijas telhas de
vidro, bules pretos, apparelbos para cha de
louca preta vindo com as competentes chica-
ras tambem pretas e tudo o mais quo diz
respeto a um completo arranjo de um casa ,
oilo do melhor e por preco commodo ; as
ojas de Antonio Dias So uto na ra larga do
Jiozario e no Recife, ra da Cadeia eCruz.
Veodem-se 80 alqueires de milho de boa
qualidade por preco commodo; na ra do
Vendas.
conta de Gabriel Ribeiro Soares da villa do
Ico dous bilhetes da segunda quarta parte da
segunda nova lotera da matriz da Boa-vista de
ni, 3082, o2099.
Frar.cicco de Paul Batista .arneirn
comprou por conta de Domingos Rodrigues de
Andrade e Joo de Souza Leite da villa do
FOLHINHAS PARA 1844.
Achao-se a venda na livraria da praca da
Independencia as. 6. e 8 ; ra do Cabug lo-
ja do liandeira ; defronte da matriz da Boa-vis-
ta botica do Moreira; no Recife ra da Ca-
deia loja de ferragens n. 45; em Olinda, ra
do Amparo, botica do Rapozo; e nos Qua-
tro-cantos, loja do Domingos : as excellentes
folbinhas impressas nesta Typographia com-
postas pela primeira pessoa, que as fez nesta pro-
vincia e que tantocredito tem merecido; conten -
do as de algibeira ptimas chcaras, e a disputa
entre urna pulga, e um piolho sobre a fidalguia;
outras contendo a confisso do marujo ; e ou-
tras finalmente com a linguagem das flores, ou
novo diccionario para a correspondencia ama-
toria ; brevemente se exporo a venda, as que
tem os nomes e moradias dos empregados p-
blicos.
= Vendc-sea armacao, e pertencesda ven-
da da ra de S. Rita-nova n. 93 com bons
commodos para familia, independentes da ven-
da com portao para a mar e o seu alugu I
he Je 88 rs. mensaes; a tratar na ra da Paz
n. 2.
Vende-so urna venda bem afregueada ,
com poucos fundos e com commodo para fa-
milia no lugar da Casa-forte : tratar com
Angcllo Custodio da Luz com venda no Poco
da Panella na ocheira.
Vendem-so mui lindos lencos de seda de
ricos padroes proprios para gravatas e rico-
chales de seda tudo o mais barato possivel ;
na ra do Queimado loja n. 14.
= Vende-se urna preta de bonita figura ,
que cozinha,; na ra das Cruzes n. 23.
Vendem so bichashamburguezas, gran-
des e pequeas ; na ra das Cruzes de S. An-
tonio n. 39.
Vende-se um escravo crioulo de 30 an-
nos, ptimo para todo o servico e sendo pa-
ra planlacao melhor, por elle ter gosto para
islo c ja ter sido de urna engenhoca ; na ra
da (..adeia-velha n. 11, ou na Solidado, no
sitio pequeo do Herculano.
Vendem-se bandas superiores, tanto lar-
gas como de largura regular e redes para as
mesmas ; na ra do Cabug loja de miude-
zas n. 1.
Vende-se assucar refinado a 2880 rs. a
arroba e de outras qualidades, e caf moido ,
por preco commodo ; na praca da Boa-vista ,
n. 7.
Vende-se excellente bolaxa de primeira ,
e segunda qualidade a 3, 3200 e 3840 rs. a
arroba e em porces maiores se dar mais em
conta e boa farinha para dita a 13c e 148
rs. a barrica e mcias ditas com farinha de boa
qualidade por preco commodo ; na ra dos
(uarteis padaria n. 18.
Vendem-se ricos apparelbos para caf, e
cha dourados azues roxos. verdes. cor
de roza, e pardos, ditos para meza das mes-1 rato,
mas cores, o completos, mangns lisas, e bor-' ;= Vende-se gelo
jueimado luja n. 14.
Vendem-se bichas grandes e pequeas
de muito boa qualidade e por preco commo-
do ; assim cerno licores vinho Musca tel, e
do Porto., ago'ardente de Franga genebra
em botijas ceneja e se faz bom caf e
commidascom aceio e promptidao; na raa
larga do Rozario, botequim da Cova-da-onca.
Vende-se urna negra de nacfio Angela ,
cozinha engomma e lava atraz da matriz
da Boa-vista n. 29.
Vendem-se somentesde hortalica de to-
das ai qualidades, muito novas, n chegadas
prximamente de Lisboa no brigue ConceicBo-
ite-Maria ; na ra da Cruz armazem de
louca n. 48.
Vende-se (arello novoem saccas grandes,
chegado agora de Hamburgo ; na na da Cruz
n. 47.
Vende-se um refugio moderno, horison-
tal, o de sabonete de prata lavrada ; na ra
do Queimado loja de ferragens n. 13.
= Vende-se um pardo de 22 annos, bom
official de alfaiate; no Atterro-da-Boa-vista
n. 42, segundo andar.
= Vende-se um vistoso e bom escravo ,
ptimo bolieiro captivo do coronel Martins ;
na Rua-imperial n. 116.
= Vendem-se boizeguins gaspiados e de
ponta de lustro para homem e senhora sa-
pa los de couro de lustro para ditos botins e
meios ditos de hezorro francez, sapatos de urna
e duas palas ditos inglezcs e outras minias
qualidade de calcado recentemente chegados
pelos ltimos navios e por preco commodo ;
na ra da Cadeia-velha loja nova de calca-
do n. 35. defronte do cambio.
Vende-se urna armacao, balco, pipas, e
barris rebatidos, promptos a receberem ago'ar-
dente tudo por preco commodo ; no pateo
do Carmo esquina da ra de Hortas n. 2.
Vende-se urna casa de pedra e cal, na
povoato dos Aflogados ra do Motocolom-
b ; a tratar na pracinba do Livramento com
Joao Manoel Pereira de A breo.
>s= Vende-se um carro francez de 4 rodas ,
para dous cavados, e arreios para os mesmos,
com muito pouco uso boas molas e bastan-
te aceado ; e urna coroa de ouro de lei, com
W e tantas oitavas ; no caes da alfandega ,
armazem de Dias Ferreira & Companhia.
= Vende-se urna canda aherta ja usada ,
que carrega 800 a 900 tijolos, por proco com-
modo ; defront do palacio do governo ao
norte do collcgio S. Antonio.
V VenJem-sc pannos finos azues e pretos
a 2000, 3500, e 4500 rs. o covado, brins bran-
cos trancados de linho a 1000, e 1760 rs. a va-
ra ditos de listras e escuros a 640 rs. ra-
poes para calcas a 280 rs. o covado chitas fi-
nas a 160 180, 200, e 240 rs. o covado, lan-
zinba para vestido a 5000, e 6500 rs. o corle,
lirim deiinhocr de palha a 1000, c 1600 rs.
a vara lencos de seda a 2240 rs. ditos de
garga a 1760 cambraias lisas, pecas de 6 va-
ras a 3800 rs riscados francezes a 240 e
380 rs. o covado meias de linho a 500 rs. o
par calcas de algodo grosso para escravos a
65. rs. em porcao Ufante pegas de 26
jardas a 7500 rs e outras muitas fazendas ,
poi preco commodo ; no Atterro-da-Boa-vis-
ta n. 14.
= Vende-se por muito commodo preco
urna carteira em meio uso ; na ra da Cruz
n. 49.
v= Vendem-se cortes de cassa pintada fina
de tintas seguras a 3200 rs. ditos de lanzinha
dos mais bellos padroes ditos de la e seda ,
chitas francezas muito largas e finas ; na
ra do Cabug n. 10, defronte do cerieiro.
Vende-so um babu desoa envernisado ;
na ra do Cabug loja de miude/.as n. 1.
Vende-se urna escrava de 20 annos, per
feita engommadeira cose e faz lavarinto ;
urna dita lavadeira e quitandeira urna mu-
latinha e urna negrinha de 12 annos pro-
prias para mucambas de alguma menina ; urna
mulata de 20 annos engomma, e cose com
muita perfeicao ; na ra do Fogo ao p do
lo/ario n. 8.
ss Manoel AI ves Guerra na ra do Viga-
rio n. 3 vende taxas de ferro de todos os ta
manhos, algumas ferragens antigs para en-
ffenhn p TV?!?'?"'^ Indo or nren >
os domingos); no armazem da ra do Amo.
rim n. 35.
Vendem-se 4 escravos, ptimos para o
servico de campo ; um dito de meia idade por
2608 rs. ; 3 escravas mocas, rozinhio en-
gommo e lavio ; urna dita de meia idade ,
por 3008 rs. cozinha lava, e vende na ra;
na ra de Agoas-verdes n. 44.
= Vende-se um moleque de naci pti-
mo para qualquer offcio, ou para pagem; urna
negrinha de naci Benguella, cose, e cozinha ;
duas escravas quitandeiras e lavadeiras ; urna
dita boa cozinheira, e engommadeira; na Rua-
direia n. 3.
\=Vendem-seborzeguins gaspiadose depon-
a de lustro de urna, e duas solas pretos. e de
cores, botins e meios ditos de bezerro francez o
de Lisboa, sapatos ingle/es de duas e 3 solas,
todos tachiados ditos do bezerro de entrada
baia de urna, e duas solas, ditos de palla atraz,
e adiante, ditos s adiante, ditos de couro de
lustro para meninos de 8 a 12 annos ditos
de marroquim, duraquo, setim o couro de
lustro para senhora e meninas, borzeguins
gaspiados para senhora, e meninas, ditos dodu-
raque s para senhora a 2000 rs. sapatos de
couro de lustro com clcheles, ditos de mar-
roquim para meninos e outras muitas quali-
dades decalcado por preco commodo; no At-
terro-da-Boa-vista loja n. 24 de Joaquim
Jos Pereira.
= Vende-se urna porcao de barricas que
foro de farinha de trigo ; na Camboa-do-Car-
mo n. 12.
= Vende-se bolaxa de superior qualidade ,
a 4000 rs. a arroba feita com a melhor furia,
que ha no mercado ; na ra Direita padaria
n. 40.
=- Vende-se urna canoa por preco com-
modo a qual serve para deposito d'agoa por
ter sido desle trafico ou para carregar entu-
Iho; na ra do Pillar n. 141.
ss Vendem-se laboas de pinbo de (odas as
larguras, e comprimentos, pir preco com-
modo ; assim como urna porcao de refago ;
atraz do theatro arma/em de Joaquim Lopes
de AI me ida.
= Vendem-se sapatinhos para criancas a
300 rs. sapatos de marroquim preto para se-
nhora a 480 rs. borzeguins de marroquim
para senhora a 2000rs. botins de marroquim
para criancas a 500, e 800 rs. espartilhos
para senhora a 1600 rs. botins de Lisboa para
homem a'2400 rs. sapatos de duraque para
senhora a 800 rs. luyas de pellica para homem
a 1280 e 1440 rs. meias de algodo mui-
lo finas para meninas lencos de grvala bo-
tins e meios ditos franezes para homem, sa-
patos de lustro para homem, e meninos ditos
para senhora e menios borzeguins gaspia-
dos para homem senhora, e meninos, agoa
de colonia muito fina c outros mu i tos ohjec-
tos por prego commodo ; na praca da Inde-
pendencia ns. 11, 13, e 15.
Vende-se urna porcSo de sal de Setubal,
que se acha a bordo do brigue Triumpho
/tnerictno ; a tratar com Jos Antonio Go-
mes Jnnior na ra da Cruz n. 23.
= Vende-se urna venda na ra dos Pesca-
dores n. 7 ; a tratar na mesma.
Escravos fgidos.
No dia 3 de outubro do corrente anno
ugio urna escrava de noine Mara de naci
Cacange baixa, grossa do corp com ambas
as maos foveiras grossas e curtas rosto
redondo, nariz chato, olhos meios abugalha-
dos, e vermelhos ps pequeos, e apalhe-
lados por causa de bichos ; levou camisa do
alfjodozinho ja rota vestido de chita desbo-
lado de 40 annos, e venda agoa ; quem a
pegar leve a praca da Boa-vista n. 26, segundo
andar que ser gratificado.
Fugio no dia 9 do corrente um negro
de nome Estevio de naio Gallo alto de
bom corpo peitos sabidos para a frente tem
a barriga toda bordada, e alguns talhos de sua
naco n'um ou em ambos os bracos barba-
do s no queixo meio fula falla mal ; levou
camisa eceroulas ; quem o pegar, leve a ra
da Praia armazem doGuimaraes ou na es-
trada do Pao do-ralbo no sitio Malambar que
lica confronte a moradia do Padre Jos dos
Santos Fragoso que ser recompensado
= No dia 6 do corrente fugio um preto de
nome Joaquim queandava comprando lati,
ocobrevelho com urna corfla no meio da ca-
cabeca urna perna encbada, com cicatrizes em
um dedo do pe tem os escrotos crescidos de
50 annos; levou calcas, o camisa de estopa,
tem um lobinho no braco direito ; quem o pe-
gar leve a ra do Livramento loja do funilei-
ro n. 34, que ser gratificado.
lodos os dias ( excepto
Recito: na Tip. de M, F. de Fama. -18*3.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EGK3HM5Y0_ZY5QOC INGEST_TIME 2013-04-12T23:54:40Z PACKAGE AA00011611_04510
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES