Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04509


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno de 1843/
Sabbado II
K.)u agora (!-;er.de o nos mesmot; 1 rumos como i'rinciuiamtis, e seremos a|>onta>los com idrayo rnlre j Nacea maia
Cultas. ( l'rociamacjuo da Aasemblcia Cerl do Bbasil '
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES.
Goianr.a, e Parabyb, segundas e sextas feiras. Ilio Grande do Norte, quintas feiras
Bonito e Gartnhuns, a 10 e 24.
Cabo, 'Serinhiem, Rio Formoso, Porto Cairo, Macelo, e Alagoas o 1, U,, j|_
(joa-Tislae Floreas. l3e 2S. Santo Anlo quintas feiras Olinda todos os dias
DAS DA SEMANA.
0 Seg. s. Setero B. F. And. do J de I.) da \, i
7 Teig. a. Florencio B. Re. And. do J. dS 1S.M 5. .
8 Quart. s. Castorio Aud. do J. de 1). da ). t.
i) Qjiot. a heodoroM Aud. do J. de B.u\., r .
dO Sex. a. 'iberio B. Aud- do J. de I), da 2. l|
d' Sb. jrjum a. Marlinho B. Re. Aud d% J. de B. da 1- t.
d2 I)'"". Patrocinio de Nossa Senlura. V
de Novembro nno XX. N. 244
O DfaBia -i Stntifiaidoa: o pteeo (*a assiyoatora ha
,j<- ile tres i'i.l reia uoi
adiantadoa Os annuncios dos iiaigamlM saoinse
ikdos
.un ^" .111-i.nvi"' ..... .. llis,eoadu Iris puritana. As r.-v!ar.aqes detem sercliri-
laa Cita Tip,, raadla ,ouapraoa da Independencia lojadelitro* N. 6ef>
euuiosNa di
W^ Cambio "bra Londres ]
K Paria 37 J is por franco,
a Lisboa lll) por li'ianrjjiio
Moeda de cob:e 2 por cento.
Ideas de letras de boas firaaa 1 a i 1| J,
11) do Novembro. oompra
O:iBo-Modad.C,i00T. 6,500
N. 16,300
9,030
1,800
00
.00
a a da 4,00
i EAli-Patacoaa .
* Poto* ColuMMi
ditos Mtticaaoa:
Tenda.
17.700
16,500
.JO0
i,82 0
1,820
1,8 .'0
P11ASES DA LA IV O MEZ DF. NVFMBRO.
La Cbeia n 7, '.' 3 horas e 1 c. manbS I Lna BOT 1, is 3 hora* e 14 m da tarde
Qnart. min. 14, aos 13 minutos da tarde | Qaart.Otes), i 2'S. al 4 horas e 4'.l m da t.
Preamar de hoje.
1.* 0,8 horas 30 aa. d> aaanbaa. I I." 8 tttrai s 54 m. da tarda.
.ve-- m BMB |
S^Tfc
S
^P\5" s*sr>'3s-"?rx?
W* 1-1'


ioaxsnsu^*
r >

Governo da Provincia-
EXPEDIENTE DE \ DO CORRKNTE.
Circular As enmaras municipaes do Rc-
cife, Goianna, Victoria, e Uio-formoso,
remetiendo exemplares do peridico mcnml,
publicado na ciarte pela sociedado Auxiliadora
da industria nacional, pertencentes aos me.es
de jullio setembro de 1812
^para terem exocucao, as ordens do tribunal do
thR.iouro sob os nmeros 150, 161, 166, 172,
0 173.
RIO DE JJNF.IRO.
ASSEMBLftA (ERAL.
CMARA DOS SENIIORKS REPUTADOS.
Sesso de 18 de setembro.
Contina a discussao do artigo 9 do projecto
(\tr..,;n ___i i i i i sbfo terrenos diamantinos, o posto a votos
Ullicio Ao agente ta oompanhia das bar- i opprovado
cas de vapor. autorisondo-o fazer seguir pa- | Snuo-se a discussao dos seguintes artigos do
ra os portos do norte o vapor imperalrtz che- referido projecto.
gado dos dosul, denoisde, na forma do res- Art. 10. O overno marrar as attribuicoes
lindo para terem execucao as ordens do tri-
bunal do thesouio sobo* nmeros 186 1 !>2 ,
163, 16i. 1G5, 169, 170, 171, 175,
177 e 178.
DEM DO DA 6.
Officio Aojuiz municipal da segunda va-
boa exocucSo de.sta resolucSo, podando impr
aos infractores dos suus regulamentos at s"s-
senla dias de prisao. e cpm mil reis do multa,
tildo com dependencia de diflnitiva approvafao
da assemblagera!.
Art. 11. Aos empregados da extincta ad-
ra, declarando em resposta ao seu ollicio de ministracao, quo forem vitalicios, dar o go-
desternez, quejulguenulla a primeira parte da verno o conveniente destino, na forma da ledo
segunda lotera de S. Pedro Martyr de Olinda, 4 de outubrode!831.
visto tc-r-sc verificado haver desigualdade no nu- Art. 12. Os pequeos edificios, machinas,
mero dos bilhetes, que ficra as urnas; o de- ferramentas e quaesquer oulros objectos pro-
terminando, que dO as necessaiias providencias, prios do servido da administragao, que se jul-
para que corrafi de novo as rodas da mesma lo- garem desnecessarios. bem como os cascaihos
loria, e o principio doslo acto se nao espaco a- que so acharen) extrahidos por conta do estado,
lern do dia nove dosto mesmo niex. Ao the- serao vendidos em hasta publica.
soureiro da lotera de Nossa Senhora do Li- Art. 13. O ppvcrno ar extensivas as dis-
vramento, em resposta do seu officio, em que de- posicoes da presente resolueao na parto quo
clarava nao poderem corrers rodas no dia 9 do jbr applicavel a outras provincias, onde existao
corrente, inlelligencfou-ae d'haver resolvido a terrenos diamantinos.
presidencia, que tivessem ellas andamento de- Art. 1 i Fen retogada a resolurao de 25
pois do o terem aquellas, para quejase ha do- de outubro do 1S32, e quaesquer outras dispo-
signado dia. sicSes cm contraro.
Ditos Ao presidente interino de relacao, o Paco da cmara dos deputados, 28 de ju-
ao inspector da thesouraria da tassnda, scien- Ilio do 1849'.Jos Cesarlo de Miranda Ribeiro.
tificando-os de haverS.4fo Imperador, segn- Heanlo Jacinlho da Vevja. Hcrculano
ro communicado por aviso da secretaria da Ferreiru Penna.
'. : de.uliit) ultimo, concedido tres me- Sa approvados todos os artfgos, col3 com
zes dte i.!:!!(,;:, para tratar do sua saiie, onde as iddittlva:
Ihe oonviesse, ao juiz do diroitodo crlme da No flm do artigodiga-sesem depe
comarca de Garanhuns,Jo8oQuirino Rodrigues ciada administraoSocreada em Minas, p
da Silva. do memo incumbir a sua exocacio a funcciona>
Dito Ao capitao-toncnlo David Tetra do ros pblicosj existentes. Salva a rodaeco.
Barros, determinando em cumprimento de or- Ferreir Penna. n
dem imperial, que entregue ocommando da Sao apoiadosdifTerentcs ..rligos additivos.
charra Amazonas ao capilao-tenente Francisco O Sr. Ferreira Penna prop5e o adiamento pa-
joso de Mello.- Iliciou-serespeitoaocapitao- ra que os artigos vo commisso especial.
ximo futuro. elabore c faca subir a esfa c-
mara as observaooes e emendas, que sobre
tal projecto julgar conveniente &c.
Discutida a materia 6 approvado o adia-
mento propos'.o pelo Sr. Silva Ferraz, e rc-
geitado o outro.
Sao approvadas e adoptadas as resolucoes
queapprovao a aposentacao do desembargado!'
da rclac'io do Pemambuco Antonio Manoel da
Rosa Mallieiro, a aposentadoria do conse-
Iheiro Joao do Medeiros (romes a do conse-
llieiro viscondo de ('ongonbas, e a do desem-
bargador Joz Gonealves Gomes.
t igualmente approvada a resolurao que
permiti ao hospital, que passar a crear a mesa
daveneravil ordem da Penitencia da provin-
cia de Santa Catharina adquirir c possuir em
bens de raiz at o valor de dez contos de
reis.
lntra em discussao o parecer da commis-
so a corea da pretencao do desemhargadnr
aposentado Caetano Ferraz Pinto e depois de
disentido 6 regeitado.
l'approvada a emenda quo diz, que per-
tencendo a sua decisao ao governo se I be
reenvi o requerimento e mais papis a res-
peito.
dem do dia 20.
Entra cm discussao o 1. artigo da seguinte
esoluco :
A assembla geral legislativa resolve :
Art. 1. As ordens religiosas, e irmanda-
des d'csta corto podem estabolccer cemiterios
fra da cidado havendo previa licenca do go-
verno.
Ficao suspensas as leis da amorlisaeao, pa-
ra que as sobreditas corporacoes possao adqui-
rir por qualquer titulo os terrenos que frem
precisos para os seus cemiterios ; e a acquisi-
c8o d'estes terrenos no 6 sugeita ao pagamento
da si/a.
O Sr. Nabucode Araujo, f pela orden ) of-
ferece um requerimento,para queseconsiderem
cedente eslivercm em estado de recebor os ca-
dveres, ficao prohibidos os en trros deniro da
cidado, e seus arrebaldefl sol a multa de 200$ a
6008 reis, em a qual incorrem as ordens religi-
liosas, e irmandades, cujas grojas se fize-
rem os enterros.
a Exceptuao-se os enterras dos principes,
bispos, parodies, religiosos professores, cono-
gos, padroeiros, e dotadores decapellas, es
quaes todava nao pdom ser enterrados dentro
das mesmas igrei
Art. \. O cemiterios ficSo sob a inspec-
CO o vigilancia do cheo de polica e da c-
mara municipal no que (i/, respeito polica e
ade publica e do hispo quanto s regras que
elle prescrever para os luneraes, encommeoda-
cOes, e ceremonias rei'gosas dos enterras.
Art. o.Scrao punidos com a pena de un
a quatro annos de priso simples aquelles que
violarem as sepulturas para rou harem oseada-
veres ou despo|l-os dos objectos, ou ornatos,
com que foro enterrados.
Este crimeser policial c como tal pro-
cessado.
tenente .Mello; expedlrad-se as con venientes or-
dens, par i que o capito-teneiite Joao (Custodio
deHondaim Uzesse entrega do commando do
Leopoldina ao capiHSo-tenonte Antonio Jos
Francisco da l'aixao, o se preparasse para se re-
colher corle na primeira oecasifio opportuna;
e communicou-se ao inspector do arsenal do
marinha.
O adiamento apoiado e approvado.
Discussao do cdigo do commercio.
O Sr. Silva Ferraz propoe o adiamento pa-
ra a sesso do anno seguinte o o Sr. Pereira
da Silva apoia o adiamento, para que soja re-
mettido por intermedio do governo um exem-
plar do projecto do cdigo commercial praca
i___________: j i>:_ ,i- i___:__ r:__ ,i_____
para se discutirem
illinna. jkii uu |ni|i-iini uui;mii;u coiuiiicicuii Ditos Do secretario da provincia ao inspec- lo commercio do Rio-de Janeiro, a fim do que
torda thesouraria da fasenda, liansmttiiido durante o intervallo que decorror al maiopro-
pois que muitas vezes me aconteca a mim mes-
mo conversar com a aia, perguntar-lhe por sua
sado, e pela de sua amavel pupilla desde que
comecoi a srmenos assiduo na casa de seu pai.
Cerca de oito dias antes dedexar Valencia, I).
Sylvio despedin-se de mim, pois tnha do ir, ao
me disse para Madrid : abracamo-nos
o artigo 2.,- o seguintes, como paragraphos
do artigo 1.
neamente.
E apoiado, e depois de breves rolexfi >s pro-
las pelos Srs. Carneiro da Cunda, Nabuco,
e Silva Ferraz o requerimento opprovado.
Por conseguinte entro em discussao os se-
guintes artigos,como paragraphos do artigo 1.
Art. 2." O governo autorisado contratar
com qualquer empresario, ou companhia.o es-
tabelecimonto de dous ou mais cemiterios, con-
cedendo por vinte annos ou mais o privilegio
exclusivo dos carros de alugucl para a conduc-
cao dos cadveres : ostipular o praso, em que
devem ser construidos os cemiterios, o as de
mais condicoes, que frem convenientes im-
pondo multas pela inraccao do contrato.
Art. 3. Logo quo os cemiterios do antc-
Art. 6. A utilidade publica, cm o caso do
ser necessara adesapropria^fio dos terrenos par-
ticulares ser declarada o verificada pelo go-
verno, por meio do processo administrativo es-
tablecido no capitulo 3. do regiment do con-
solho de estado e ouvido previamente o pro-
priotario.
Art. 7." O governo por meio de um re-
giment determinara :
1." Os lugares em quo pela distancia da
cidade, e influencia dos ventos pdem ser cons-
truidos os cemiterios ; o plano que se observa-
r na edificacSo; qual a altura dos muros; pro-
fundizado das sepulturas, e o espaco, que deve
contor o recinto do cemiterio em atlencao ao
numero provavcl dosenterros decadaanno, eao
lempo necessario para a consummissao; o tem-
po em que podo tor lugar a abertura das sepul-
turas para novos enterros.
HISTORIA IIESPANII0LA. (')
Afligio-mc o laconismo desla resposta; nao que
/\iuigio-mc o lacomstiiu uesui iesi)osia; nao que me aisso para niaurio : anracaitio-nos
sabia que causa o altribuisso, se'ao rancor, se cordialmento. Costumo na Hespanha, qunnlo
ao desgosto; mas reputava-meIgualmente infeliz seprad-se dous amigos, que troquem om s pe-
por haver inspirado utn dosses dous sontimen- nhores delembranca: tnha ou urna espada mu
tos. Todava, lendo se por mais um mez dilTe- rica e elegante, quo mais de urna vez, I). Sylvio
rfdo inhiba viagem, tornel encontrar-me cotti havia ganado; para conformar-me com o uso
Estella; ella nao mostrou-me odio, mas rara- da torra, instei que a aeccitasse.
mente me faava, e s me dsia cousas Insigni- De boa vontado a aceeito, respondeu-mnel-
ficantesi lome! o expediento de ser menos assi- le, conheco-Ihe o vaforj se tao inferior nao fos-
duoem mlnhas visitas casa de I). Udivid. se a rninha, oflerecervol-a-hia imialmente.
Visite! mais frenquentemente al). Sylvio e Nenhumaconhocoeu, lornei-lhe, que mais
notei que, apesar de nossa intimidado, elle me gloriosamente possa ornar um hornero de hon-
fallava mnilo pouco de Estella; conclu para ra; acceito-a pois, e SO a empregarei cm cou-
comigo que procurava esquecel-a, e assentei sas quo a morecSo.
que me nfio convinha fazcl-a lembrada: verdade Assim nos despedimos;dahi a sdas part pa-
seja que urna vez, passando por detraz da igreja ra Alicante: i a essa cidado, reeolhl-me
de Santiago, surprehendi-o em conversa part- casa de meu amigo, o capltad Islay, quemees-
cularcoma ala: causou-meisto admirado; mas pera va; cejarnos juntos, ecomoestivessecanca-
suppuz que nada houvtsse de extraordinario, dodaviagnm. lecolhi-memulto cedo nr d-
cancar.<
(*) Vide o Diario n. 243. j Haveriao duas horas que dorma, quando bu-
Iba infernal veio despertar-me.Abr, abr, gri-
taviio. baltendo na rninha porta com forca ca-
paz de arrombal-a; abri em nome do el-rci.
Saitei da cama, vest-mu apressado, ||frsua-
dido quo estavao engaados os officiaes de jus-
tfca e que rninha presenca os desengaara. Os
agentes subalternos da polica hespanhola pou-
co se Importad com poltica, e urbanidade; seno
ceremonia agarrrao-me, apalpra-mc todo o
corpo, na9 acharad nom papis nem armas, mas
smente vinte doblas, quejulgara boa presa e
que para si arrecadrao, pois o corto que Ihes
disse eterno adeus. Esses homensta sem cere-
monia nao se dignaran responder a mlnhas
pergotas, nem soltrao urna spalavra; leva-
rd-me a um carro de posta que me esperava ,
ontraraoromigo;cachei-mc de volta em Valen-
cia, o olles completrao sua missao, deixando-
me de morada na cadeia dessa cidade.
A cmara em quo me ochava tnha 18 palmos
em quadro, nao era demasiadamente suja nem
hmida; consista sua niobilia em urna cama,
urna cadeira e urna mesa: era o meu alimento
pao e soblas.
Xr. Hnhn mnffM j? q.J? qacJjar, r,." pa-
deca muito, o rninha conscienefa eslava to
socegada que continuei a encarar o que mo a-
2.a Quo.es e quantos cadveres dever
ada um cemiterio recebor gratuitamente ; o
lempo, que deve mediar entre a morte, o o en-
lerro ; e as medidas policiaes, que sero obser-
vadas antes do enterro das pessoas que falle-
cen"! de repente.
3. Os emolumentos que os parochos
continuars a perceber das licencas para os en-
terros das pessoas das suas freguesias.
-i."Todas o quaesquer medidas policiaes,
o de sade publica, que se dovero observar na
conduccao e enterro dos cadveres,
O governo ueste regiment poder impr
a multa de 20.S a 100S rois pelas inraccoes.
trario.
Paco da cmara 9 de setembro da 1843.
-\abuco de Aran jo. Machado Vumes. __
iiiainjii llllll'B-'"Ps^agaEaaaaiaawaaaaaaaiiaaaaiii^aaaaaaaa
contecia como o resultado de um engao que
em breve sera reparado. Todava impossivcl me
era adiar disfrcenos; nao me quiserao dar nem
livros, nem papel, nem tinta; s me era per-
raittido pensare meditar, o por isso puz-me a
philosophar por esses ares sobre a extravagan-
cia dos destino* humanos. Por muito pensar,
achel emim que meu destino nao era l dos
mais agradaveis, e muitas vezes conclu quo o
homem mais afortunado era o que nao estava
na cadeia, e que ti .da 12 mil misados para
destructor aunualmente.
O que mais me inqnietava era o carregume e
o ardo importancia de todos os quo me aproxi-
mavao. O carecrciro vsitava-me quoiidiana-
mente, quer.'.uita honra nisso me fasia olha-
va para todos os cantos da rninha gaiola e roti-
rava-se sem proferir urna palavra. A primeira
vez que o vi, suppliquoi-lhe que me dssesse
porque que estava (iroso; elle porem abanou
a cabeea, relinui-se com um ar solemne e gra-
ve, sem me dar resposta. A mesma pergunla t-
nha feito ios dous alguazisquemeliava pren-
dido em Alieanlo: a princi'jio liserao oovtiina
uo iiieicaoor; mas depois, cedendo a minhas
instancias, retrorou-me um del les:tantos'sao
vossos crimes, e tao grandes quo nao podis a-
'"


Atsis Rocha. Sousa Franco. Vascon-
celos.
E apoiada a seguinte emenda :
a O art. 3. Redija-se assim: dous annos
depois da publicaco d'esta lei, fico prohibi-
dos os enterramentos &c.; o mais como no
artigo. Pereira da Silva.
Tendo-se pronunciado contra a resolucao os
Srs. Carneiro da Cunha. Henriquesde Rezen-
de, e sido sustentada pelo Sr. Nabuco de Arau-
jo d-se por discutida a materia.
Todos os artigos da resolucao sao approva-
dos excepto a segunda parte do artigo 3.; c
igualmente approvada a emenda do Sr. Pereira
da Silva e a resolucao adoptada o remettida
ommisso de redaccao.
Entra em discussao a seguinte resolucao :
A assembla geral legislativa resol ve :
Art. nico. Ficao concedidas Santa Casa
da Misericordia da cidade do Rio-do-Janeiro,
duas loteras extraordinarias segundo o placa-
das que actualmente gosa cujo producto ser
applicado a benelicio da concluso das obras do
recolbimenlo das orphas, com a mesma ohri-
gaco com que Ihe lorio concedidas oulras duas
por decreto n. 92 de 23 de outubro de 1839.
Paco da cmara dos deputados, 18 dosetembro
de 18VI. Jote Clemente Pereira.
Depois de algum debate, em que tomo parti-
os Srs. Paula Candido, e Coelho fica adiada a
discussao.
Passa-se discutir a seguinte resolucao :
A assembla geral legislativa resolve :
Art. 1. A desapropriacopor utilidademu-
nicipal na forma do artigo 10, 3. do ac-
to addicional ter.'i lugar no municipio da cur-
te em os casos seguintes :
1." Decoracao e embellesamento da ci-
dade.
2. Conslrucgao de pontes. aqueduc-
tos cerniterios, e abertura de canaes, estradas
e ras.
3.Necessidade de servidlo d'agua, pas-
sagem ou extraccao de materias para as obras
referidas no antecedente.
Art. 2." A verificaco da utilidade muni-
cipal compete, sob proposta da cmara, ao go-
bern que considerar este negocio conten-
cioso para ser tratado, e decidido pela forma
estabelecida no regiment do conseibo d'estado,
capitulo 3."
Art. 3. A proposta da cmara, e o plano
da obra municipal, que exigir a desapropriago
ser o publicados em editaos, e pelas lolhas pu-
blicas para que os propietarios dentro em
lo das, dirijo ao governo as suas reclamacocs.
1.A proposta da cmara sera acompa-
nhada do plano da obra, e planta do lugar e
dever conter os nomes.e residencia dos propi-
etarios, que devem ser desapropiados.
2. Urna copia da planta estar exposta
no paco municipal duranto os 15 das de recla-
maco para ser vista pelos propietarios inte-
ressados.
Art. 4.Decidindo o governo que, nao
obstante a reclamaco tem lugar a desapro-
priac o, mandar, que a cmara promova a in-
demnisacao.
a 1. Nao se ajustando a cmara com o
propnetario, ou sendo este pessoa, que, segun-
do o direito nao pode transigir, ter lugar o
arbitramento perante o juiz do civel, ou mu-
nicipal.
2." As partes se louvarao cada urna em
0 seu arbitro e o juiz revcli i d'ellas.
3. Sendo concordes os arbitros o jui/.
julgar o arbitramento por sentenca.
4." Discordando os arbitros o juiz de-
cidir a questo, mas a sua deciso nunca exce-
der o termo dado entre os dous precos arbi-
trados.
% 5. O juiz, antes de decidir a questo,
tinar com oquedeucausa vqssa prisao?Cri-
me mas, que me lernbre nenbumcommetti.
Nenhum commettestes! tornou o alguasil;
essa a mais frequente resposta dos quo como
vos cahem na esparrella: pois bem, a justica
vos lembrar o que fizestes.
Foi s no quarto dia depois de minba prisao
que o rncu grave carcereiro veto buscar-me com
dous do seus acolytos para me levaren) ao tribu-
nal que me devia interrogar. Em urna sala da
cadeia, pouco distante de minha gaiolla, eslava
sentada urna valumosa personagem, tendo di-
reita e esquerdu dous secretarios, um para to-
mar nota das perguntas, outro paraescrever as
respostas.
Sois Inglez?... esperai um minuto antes de
responder.
Depois do minuto respondsim.Vosso no-
me?James Vallence, agento do senhor Islay
proprietario de um navio mercante.Conheceis
o senhor Udivido negociante dcsla cidade ? Per-
feitamente.E sua lilha Estella ?Tambem.
Eris da intimidade desta senliora ?Ella trata-
va-me com muita amabilidade e cortesa, mas
nao sei que sentido ligaes palavra intimidade.
ao importa. Onde est actualmente esta sc-
qhora ?
dar vista por 24 horas a cada urna das partes
para dizerem de seu direito o que Ihes convier ,
e com as rases ou sem ellas se nao forem
dadas no termo, e procedendo s diligencias
necessarias, proferir a sua sentenca.
6. Da deciso dos arbitros, ou da sen-
tenca do juiz s ha o1 recurso de appellaco pa-
ta a relaco, em o caso de nulliaade manifesta
e esssencial.
7. Se a rela?o annullar o arbitramen-
to, proceder-se-ha a segundo, pela mesma
forma, mas d'este segundo arbitramento nao
ha recurso.
Jj 8. O effeito d'esta appellaco sempre
devolutivo, e sem suspensao da dosapro-
priacao.
9. Depositado o preco da indemnisacao,
julgar-se-ha perfeitu a desapropriacao, ojuit
expedir mandado de emisso de posse o qual
nao admittira embargos de qualquer natu-
reza.
10. Depositado o preco da indemnisa-
cao, o juiz mandar annunciar por 15 das
successivos, por meio de editaes e das folhas
publicas, para conhecimento dos credores hy-
pothecarios e de outros inieressados, que a
propriedade tal ( designando suas coiifronta-
ciies e caractersticos) (oi desapropriada a F....
(seu nomo e residencia).
ce Passados 15 dias sem opposico, o pro-
prietario levantar o dinheiro.
11. Todos os onus bypothecas e li-
des pendentes passao para o preco depositado ,
e nao podem impedir o processo da desapro-
priacao.
12. Aquelles que estiverem na posse
da propriedade e n'ella tiverem bemeitorias,
nao sero partes no processo, mas poderao
embargar o preco depositado e litigar sobro
elle.
l'. Sempro que a cmara se ajustarcom
o proprietario o antes de pagar-lhe publi-
car pelas folhas publicas, e por esparo de la
dias successivos, os editaes de quo trata o
10.
14. O producto da vugetaco que ex-
istir na occasio da venda pertence ao ven-
dedor que o colhera em o tempo que Ihe for
marcado,
15. Na indemnisacao se attender
localidade ao tempo ao valor, em que fca o
resto da propriedade por causa da nova estrada,
canal ou qualquer obra ao damno que vier
da desapropriacao s rendas e quaesquer
outras circunstancias influentes do preco.
Mas as construyes plantacocs e qual-
quer beneficio que se fizer na propriedade de-
pois de conhecido o plano da obra e com o
lim de elevar a indemnisacao nao dar maior
valor mesma propriedade.
Art. 5. Quando qualquer das obras mu-
nicipaes, de que trata o artigo 1.' 2.', se fi-
zer por empresa, os empresarios ficao subroga-
dos nos direitos da cmara para promovercm
a verificaco da utilidade e a indemnisacao.
Paco da cmara 31 de agosto de 1813.-
Wabuco d'Araujo. Assit Rocha. Vaz
Vieira.
Os artigos da resolugo sao lodos approva-
dos e a final adoptada e remettida & com-
rnisso de redaccao.
Est esgotada a materia da segunda parte da
ordem do dia e continua-se com a primeira.
Contina a discussao da resolucao quo con-
cede duas loteras para a concluso das obras
do rccolbimento da Santa Casa da Misericordia
d'esta cidade.
I)ando-se por discutida a materia a reso-
lucao approvada e adoptada.
1.6-se um oflicio do sr. deputado por Minas.
Antonio Joz da Silva particidando nao poder
continuar a assistir s sessoes. A' comrnisso
de poderes.
E' lida e approvada a redaccao da resolucao
sobre o crdito para ser enviada ao senado.
Estremec ao ouvir essa perguntu.Em casa
de seu pai provavelmente, respond.
O juiz fez com a cabera signa! negativo, e
perguntou-me.
Parlistes de Valencia para Alicante quarta
feira, 17 do corronte, s duas horas da madru-
gada ? verdade. No coche de Barcelona ?
Nao ha duvida.Acompanhado por um ho-
mem e por duas mulheres ? certamente.
Qucm era essas mulheres?nao sei.O juiz
deu de novo com a cabeca.Que fizestes dessas
mulheres, quando chegastes em Alicante ?fo-
rao para onde quizero; eu as nao conhecia.E-
ro mocas ou velhas?ignoro-o : estavo co-
bertas com os seus veos. Parastes para mu-
dar de cavallo e para almocar ?sim; essas
senhorasento retirra5-se para um gabinete
particular, ah almocara; eu fiquei s como
outro viajante que nao me era mais conhecido
do que ellas.Persists em diser quo nao co-
nheceis essas mulheres?realmente nao asco-
nhccAIgnoraes de onde vlnha, para onde
io?ignoro-o."Senhor. acharis a justica
mais bem informada do que esperaes... Levem-
o /<.id seu quario.
Tiveentaocom que variar minhas reflexoes
E' approvada e adoptada a resolucao que
concedo Santa Casa da Caridade de S. Joo
d'EI-Rei duas loteras de cento e vinte tontos
de res de lundo que correro n'esta corte ,
cujo producto ser empregado em apolices da
divida publica que sero inalienaveis.
K approvada e adoptada a resolucao, que
concede para auxilio da (undaco de um hos-
pital de caldas na provincia de Santa Catha-
rina urna lotera annual por espaco de 3 an-
nos extrada n'esta corte na forma das mais
lotoi ias modernamente concedidas.
Segue-se a discussao de pareceres adiados.
dem do dia 22.
Entra em discussao a seguinte resolucao :
Art. nico. Os ministros de estado que
nao orem deputados ou senodores poderao
assistir s discusses publicas ou secretas de
ambas as cmaras e tomaro parte as suas
discusses na forma que (r estabelecida pelos
respectivos regimentos.
Sala das commisses, 24 de abril de 1843.
Nahuco de Araujo. H. Ferreira Penna.
Luiz Carlos.
Nao concordo com o primeiro fundamento ,
mas adopto a resolucao pela raso do segundo.
Viscondede Baependy.
Y. apoiada a seguinte emenda :
Volte a resolucao comrnisso do regi-
ment interno para propol-a como medida re-
gimen tal ou se se nojulgar conveniente que
volte a comrnisso seja a resolucao votada
como artigo annexo ao regiment.Resende.
Tomo parte na discussao os Srs. Nahuco ,
Rezende visconde de Baependy Cruz Rios e
D. Manoel.
O Sr. Reende com consentimento da c-
mara retira a sua emenda e oflerece a se-
guinte que apoiada :
Oflereco como artigo regimental o artigo
nico da indicacao do Sr. Pereira da Silva.
Rezende.
Discutida a materia a resolucao appro-
vada e prejudicada a emenda.
O Sr. Nabuco de Araujo tem a palavra pela
ordem, e requer a urgencia para que entre em
discussao a resolucao da comrnisso de justica
civil sobre os processos civeis ora pendentes por
appellaco, &c.
A urgencia apoiada e approvada.
Entra por consequencia em discussao o se-
guinte :
Art. 1. Os processos civeis penentes por
appellaco as relacoes do imperio c os que
de novo se forem distribuindo sero vistos ,
examinados ejulgados somente por tres juizes ,
inclusive o relator.
Depois de algum debate em que tomo
parte os Srs. Nunes Machado Nabuco de A-
raujo. Silva Ferraz e Carneiro da Cunha d-
se por discutida a materia, e o artigo regei-
tado.
Entra em discussao o seguinte :
Art. 2. Logo que algum desembargador
se acbar impedido ou por licenca que tenha
obtido ou por ser empregado em outra com
misso o governo nomear a um juiz do di-
reito do crime ou civel dos districto da relaco
para servir interinamente em lugar do desem-
bargador impedido.
Sao apoiadas duas emendas, urna do'Sr.
Silva Ferraz h outra do Sr. Nabuco.
Julgado discutido o artigo 2. posto a vo-
tos e regeitado c bem assim as emendas.
O Art. 3 est prejudicado.
Entra cm discussao a resolucao que concede
loteras a Fructuoso I,ui. da Motta.
Verifica-se nao haver casa.
dem do dia 23.
OSr. Sousa Franco ( pela ordem ) faz ligei-
philosoflcas. Nao era um engao, era eu mes-
mo o individuo que queria prender. Mas de
que 6 que me aecusavao? Seria possivel que Es-
tella lugisseda casa de seu pai, e que me sus-
peftassem de ter dado mo ao rapto della ? As-
sim me pareca.
No da seguinte tarde passei por novo inter-
rogatorio na mesma sala; comecou como o pri-
meiro por perguntas que authenticassem minha
identidade, e depois;Conhecestcs a I). Prays,
perguntou-me o juiz.sim, respond.Onde o
vistes pela primeira vez ?em casa de D. Udi-
vido, so bem me lembro.Nio devia elle ca-
sar-se com D. Estella ? ouvi que seu pai Ih'a
ha va promettido.Mas a sen hora nao gostava
del le?confidencias ta intimas nao se fasem a
estrangeiros.Nada de evasivas: Estella vol-o
disse?se ella m o tivesse dito, eu nao o reve-
lara, alem de que nenhuma importancia pode
isso ter.!)a importancia de minhas perguntas
nao sois vos o juiz: respondei.j respond.
Levem-o para a sua prisao.
Nao tinha obtido melhores informaces com
caio scftuuuo miel iukciui'i: ZZ .' .-" ni <> qill)
me erad feilas parecia-me insidiosas, tem que
as minhas palavras compromettessem a honra
ras observaces, demonstrando a necessidad9
absoluta de acabar com os corpos policiaes na
provincia do Para e restabelecer a guarda
nocional que fra suspensa por urna medida
emanada do corpo legislativo para ter, eleito
por espaco de seis annos mas que j gao pasca-
dos oito, e anda ne lora restabelecida a
guarda nacional. O Ilustre deputado oflereco
um projecto n'este sentido que julgado
objecto de deliberarlo e vae a imprimir.
Entra em discussao o 2. artigo da proposta
do governo sobre a contadura da marinha e
o seguinte;
Art. 2. Ser creada na corto urna repar-
tico com o titulo decontadura geral da ma>-
rinha independentc da intendencia, e com-
posta dos empregados constantes da tabella n-
nexa os quaes tero os vencimentos n'ella,
marcados
OSr. Ferreira Penna propoe o adamento
at que chegue o Sr. ministro da marinha.
O adiamento apoiado e sem debate appro-
vado.
Contina a discussao adiada na presente ses-
so da seguinte resolucao vinda do senado.
Ar. 1. Sao concedidas quatro loteras a
Fructuoso Luiz da Motta fabricante de leci
dos com fio de seda ouro e prata ; quatro &
Andr Gailhardo e quatro a Zefirino Ferrez h
ambos fabricantes de papel.
Este artigo approvado e bem assim o
seguintes:
Art. 2. Osconcessionariosfico obrigados
a applicar o liquido producto das mesmas lo-
teras ao melhoramento de suas fabricas e
dois annos depois da extraccao da ultima a
entrarem annualmcnte para o tbesouro com
seis por cento d'aquella quantia at eflectiva
amortsaco.
Art. 3. O governo fica autorisado a dar
as providencias necessarias nao s para que esta
concesso tenha a devida applicaco, como
tambem para que secumpro exactamente as
condicoesa que por esta resolucao fica sugeita.
A resolucao adoptada para ser remettida
saneco imperial.
Entra em discussao a reguinto resolucao.
A assembla geral legislativa resolve :
Art. nico. Emilio Manoel de Figueiredo,
tenente-coronel de infantaria addido ao estado
maior do exercito do Brasil acba-se no goso
dos direitos de cidado brasileiro
Pago do senado, em 29 de julho de 1843.
Baro-de-Monte -Alegre, presidente.Cas-
siano SpiridiSo de Mello M'altos, 1. secre-
tario. Manoel dos Santos AJartins Vallasques ,
2. secretario.
O Sr. Silva Ferraz prope o adiamento d'es-
ta discussao para a sesso do armo seguinte.
E' apoiado e depois de combatido pelos Srs.
Rocha o Honriques de Rezende e sustentado
peloSr. Pereira da Silva e posto a votos 6
regeitado.
Contina a discussao da resolugo.
K apoiada a seguinte emenda :
Supriina-se as palavrastenente-coronef
de infantaria addido ao estado-maior do exercito
do Brasil.Silva Ferraz.
Segue-se urna longa discussao em que to-
mo parle os Srs. Pereira da Silva Carneiro
da Cunha Rocha c Magalhes e Castro e a
discussao fica adiada por nao haver casa.
dem do dia 25.
Contina a discussao da resolucao* vinda do
senado sobre a protenco de Emilio Manoel
Moreira do Figueiredo com a emenda apoia-
da do sr. Silva Feraz, para que sejo suprimi-
das as palavrastenente-coronel de infantaria
addido ao estado-maior do exercito.
Depois de discutida approvada a resolucao
com a emenda, c por isso remettida ao senado
com a mesma emenda.
de D. Estella e por isso lis-mu ainda mais cir-
cumpecto. l)cixarao-me tres dias para meditar
sobre minha sorte; ao quarto dia, condusirao-
mc a urna salaespac^psa onde grande numero de
magistrados com seus escrives estvo reuni-
dos. Ah fiserao-me novas perguntas, e entre
outras as seguintes: Encontrastes a l). Prays
na manlia em que partistes para Alicante?
nao.Vistes tumulto na ra do Oriente ?nao.
Brigastes com alguem nessa ra?nao.
Deixastes cair vossa espada ?nao.Perdestel-
a em alguma ra nessa noute?nao.Os jui-
zes con versa rao em mcia-voz; e o presidente,
temi colindo as opinioes dclles mo disse.
Ern vossas respostas, mancebo, procuras-
tes disfarcara verdade; mas testemunhas nos
nao falto para provaros Tactos que negaes; co-
mo porem sois estrangeiro, mostrar-vos-hemos
a possivel indulgencia; damos-vos 24 horas pa-
ra que vos decdaes a confessar a veidade: seas
nao approveitardes, lorca sor quo vol-a arran-
quemos.
Elle doo um signal, urna cortina ergueo-se o
descobrio-me reunidos todos os instrumentos da
tortura, e ao pe de cada um delles um algoz.
(Continuar-si-ha.)


m
Entra emdiscussao a seguinte resoluto, e
sena debato approvada e adoptada.
A assembla goral legislativa resolve :
Art. nico Fica approvada a reforma
concedida por decreto de 20 de abril de 1843
a Joaquina de Abreo soldado da 8.* compa-
nhia do 4. batalhao d'artilharia a p boje
extinelo com o vencimento de duzentos e deis
leis diarios; e revogada qualquer disposicao
em contrario.
Paco da cmara dos deputados 2 de ju-
nhode843./. M. Wanderley. Nebias.
Carneiro da Cunha*
Entra em discussao o seguinte artigo da rc-
soluco vinda do senado.
rt. 1. Fica revocada a lei n. 129 da
assembla provincial do Piauhy,publicada em 3
de setembro 'le 18il autorisando o presi-
dente da provincia a conceder o privilegio ex-
clusivo a qualquer companhia por espaco de
25 annos, para estabelecer em tolo o rio
Parahibano a navegacao por barcos de vapor.
Depois de discutido o artigo regeitado. O
segundo fica adiado por ter dado a hora da pri-
meira parte da ordem do da-
Contina a discussao do 2. artigo da propos-
ta do governo sobre a contadoria geral da ma-
rinhe.
Julgado discutido approvado.
Entra em discussao o seguinte :
a Art. 3. A contadoria geral de marinha
ser incumbida da escripturaco cohtabilida-
de e fiscalisacao da receita e despeza da ma-
rinha em todo o imperio e da escripturaco
privativa, do arsenal da corte ; da tomada de
contas de todos os empregados da reparticao de
marinha responsaveis por gneros e dinhei-
ro da organisaco dos orcamontos e balan-
eos annuaes, que devem ser presentes ao cor-
po legislativo e da distribuirn do crdito do
respectivo ministerio.
Fica a discussao adiada pela hora.
Correspondencia.
Srs. Redactores.
Nao sei, que mo fado nos persejue, de mu-
neira que nao ha cousa em u nosso Pernambu-
co, que nao seja objecto de monopolio, tendo o
primeiro luaaroimportantissimo ramo das car-
nes verdes. Quandoem virtude de urna lei pro-
vincial varios cidados tratarao de ajustar-sc
para entrar no contracto os srs. marchantes
iremro, e cuidrao de dar-so as maos entre
si, e de untar, como se diz mel pelos beicos
ao povo vendendo carne por mdico preco, e
fazendo as mais lisonjearas promessas.
Mas pouco durou esta ventura ; porque logo
que a tal companhia se vio desassombrada de
competidores, soltou os bracos e impoz-nos
a lei a seu bol prazer. Assim mesmo no lie-
dle ainda ha carno gorda, se bem que a dez
patacas ; porm para a Casa-forte a sr.* com-
panhia dos marchantes nao manaa para se pi-
car, seno bois magros, o refugo, o a doze
patacas Como quem diz: os que all morao,
ou vao passar a festa que remedio tern se-
nao sujeitar-se ao preco o qualidade de carne,
que nos soberanos marchantes Ihes appresen-
tarmos nos acougues? Outr'ora linha a Casa-
forte fama pela carne sempre gorda quealli
se vendia ; porm hoje o contrario ; hoje
sempre a mais magra, mais cara, e mais mal
pezada.
E crivel, que cstejamos sujeitosao mono-
polio de urna duzia de traficantes, que enca-
recen! os gneros do primeira necessidade, e
nol-os vendem pelo preco que bem Ihes pare-
ce ? Nada de til espero da mesma lei, que
manda por por contracto a venda das carnes
ver-es; porque se escapamos das unhas dos
marchantes, cahimos as dos contratadores ,
os quaes faltara as condicoes sem susto de ser
multados ; porque entre nos infelizmente tudo
se consegue por padrinhos, e afilhados.
O nico meio, que me parece efllcaz e pro-
veitoso estabelecer dous, ou tres logradou-
ros pblicos as vuinhancas da capital para
deposito do gado do consummo, onde este pos-
sa descantar, comer, u beber. Desde modo
nao faltara creadaies que venho ou man-
den) talhar carne por sua cjnta ; e ser muito
menor o numero dos atrevessadores. Mas ter
efleito esta medida ? Entre tanto vao nos es-
lolando os srs. marchantes o mandando para
a Casa-lorte bois lizicos, carne lazeira a 12 pa-
tacas : Manso, e mais que manso o nosso
povo, quesolretaes vexames, e insultos. Fi-
nalmente recorramos a Dos, pedindo-lho se
digne dobrar os coraces empedernidos dos nos-
sos srs. marchantes, a lim de que nao levem
ao infinito o preco da carne e rellicto que
o dinheiro da genio, que est na Casa-forte ,
6 to dinheiro, como o da que est no Recife.
Sou seu muito venerador.
Um queixoso.
COMMERCiO.
Brigue Aristidesbacalho.
BarcaLawrence 18a e salitre.
Brigue Neptune barricas vasias.
BrigueCarolinafarinha.
BrigueCavaranafazendas.
BarcaPreciozacarvao.
BarcaMary fazendas, vinho genebra,
garra (oes.
IMPORTACA.
Aristides briguo inglez vindo do Terra -
nova entrado no corrente mez consigna-
cao de M. Calmont &C. ; manilestou o so-
guinte :
2:600 barricas com bacalho ; aos consig-
natarios.
"Constantino polaca sarda vinda de Ro-
chmund entrado no corrente mez a consig-
nado de L. Bruguiere; manifestou o seguinte :
1:623 barricas o 150 meias ditas com fari-
nha de trigo 5 caixas fazendas de seda e ve-
ludo, 59 ditas com massas ; ao consigna-
tario.
Movimento do Porto.
Navio saludo no dia 9.
Calcuta barca americana Convoy capito
Tonne com a mesma carga que trouce de
Boston.
Naviotsahidos no dia 10.
Babia patacho brasileiro Golfinho capit8o
Melquades Jos dos Santos : carga diver-
sos gneros.
Cear patacho brasileiro Laurentina capi-
to Antonio Germano das Neves : carga di-
versos gneros.
Kdiiu.
De ordem do illm. sr. inspector da the-
souraria desta provincia se faz publico que
se vae prehencher a vaga de um tereciro es-
cripturario da contadoria ou de amanuense
da secretaria da thesouraria o que no dia 26
do corrente mez se ha de proceder na forma
da lei ao concurso dos que so proposerem a en-
trar neste lugar. Os pretendentes deverSo
apresentar os seus requerimenlos documenta-
dos que julgarem precisos a bem de sua pre-
tencao. Secretaria da thesouraria do la/enda
do Pernambuco 6 de novembro do 1843.
Joaquim Francisco Bastos official maior.
Declaradlo.
Alandega.
Rendimento do dia 10........ 10:4648410
Uescarrego hoje 11.
Barca JYtglitingale-ferro e sabao.
CONSULADO DE DINAMARCA.
= Deseja-sc sahcr.se nesta cidade se acha um
dinamarquez por nome Johan Fredcrick Bergs-
trom vindo paradla em 1839 na galera di-
nimarqueza Creol, achando-se nesta praca,
queira-se dirigir a este consulado para negocio
de seu interesse. Consulado de Dinamarca em
Pernambuco 10 de novembro de 1843.J.
C. C. Poybz vice-consul.
circo "americano
CAES DA HUA DA RODA.
Sob a direeco de M. S. Lipman,
D1RECT0U EQESTRE.
O proprietario Mr. Enos Sage mu respeto-
samente participa aos Ilustres habitantes, e fa-
milias de Pernambuco que a sua companhia
s poder demorar-sc mais alguns dias. O mes-
mo Ihes tributa os mais sinceros agredecwnentos
pelo mui liberal patrocinio, que Ihe bao pres-
tado confiado em que pelos seos esloreos em
ngradar-lhes continuar a receber o mesmo a-
colhimento.
Sexta feira.e sabbado noute 10,e 11 de no-
vembro.
Primeiro acto.
Ter principio o espectaculonocirco por urna
pomposa cavalgada de oito cavallos, c caval-
leiros, que executar muitos movimentos no-
vos e elegantes.
Segundo.
O joven e temerario artista equestre, Mr.Wil
liam Harrington filho desempenhar os seus
graciosos e perfeitos acos do manejo a cavallo ,
e pela primeira vez se atirar de costas para tras,
e npcar-se-ha do cavallo na sua maior desfilada,
feito ainda nao tentado,nem execulado por me-
nino algum do mundo.
Terceiro.
Seguir-se-ha urna scena d'ambico ou os
saltos rabes dados por toda a companhia aju-
dada pelo palhaco S. Lipman que muito se
distinguir.
Quarto.
Mr. M. Cloud executar com esmero a sua
scena drammatica do Mouro que morro em
defe/a da sua bandeira.
Quinto.
Mr. Sage representar assuas evolucoes no
rame bambo, aprcsenianuo muias posicoes de
equilibrio novas, o agradaveis.
Sexto.
Mr. Harrington apparecer no seo applaudi- j
do carcter do marujo embriagado, com as al-
gibeiras cheias de dinheiro de premio.
Haver aqui um intervallo de meia hora.
Stimo.
Mr. Blakeley executar pela primeira vez a-
qui os gran des" sal tos de trampolim por cima de
pannos cavallos e pelo meio d'um globo de
fogo.
Oitavo.
Mr. Harrington, o seo filho esmerar-se-hao
nos seos inimitaveis exercicios de contorsoes e
gymnastica.
Nono.
Ter depois lugar o principal acto do manejo
desempenhado por Mr. M. Cloud o qual, em
addicao aos outros de sua execucao, saltar pela
primeira vez por dentro d'um arco rodeado de
punhacs.
, Dcimo.
Mr. Lipman far as suas extraordinarias vi-
hraccs na corda bamba.
Dcimo primeiro.
Mr. Harrington concluir os divertimentos
d'estas noutes com os seos rpidos movimentos
sobro 2.o 3cavallos,ajudado por seo filho o me-
nino William.
Comecar a representacao :! 8 horas da nou-
te ; e decisivamente nao haver mais que duas
alm das que fico annunciadas.
AVISO.
O proprietario roga encarecidamente a todas
as pessoas que tiverem contas com elle que
se dignem de apresentar Ih'as para serem satis-
feitas; pois que,tendo] frotado um navio, ten-
ciona relirar-se infallivelmento dentro em pou-
cosdias.
Leudes.
= O corretor Oliveira far Icilao de urna
porcao do vinho Madeira da mais excallente
qualidade que neste mercado tem sido im-
portado ha muitos annos e j bem conhecido
dos entendedores, em ancorlas, contando
2,6, e 12 caadas cada urna e por isso
mais recommendavel para presentes de festa ,
ou para facultar a conduccAo para o campo e
assim mais, de bons presuntos para fiambre
muito frescaes : segunda-feira 13docorrent
as 11 horas da manhaa no armasen! dos se-
nhores Joz Rodrigues Pereira& Companhia ,
prximo ao arco da Conceicao.
Avisos diversos.
LOTERA da matriz da
BOA-VISTA.
As rodas dcsta lotera cor-
peni impreerivelmentenodia
21 do corrente e os billie-
tes acho-se a venda alm
dos lugares j annuticiados,
igualmente na loja do Snr
Menezes, que por inadver-
tencia se deixou de mencio-
nar nos outros annuneios
= Aluga-se o primeiro andar da casa n.
20 da ra de Apollo, com i janellas, duas gran-
des salas urna saleta com serventa indepen-
dente com 7 quartos, e urna grande cozinha;
a fallar no armazem da mesma casa ou no
terceiro andar, com Jos Antonio de Souza
Machado.
= Na loja de Joao Loubet delronte do Pas-
seio-publico ha um novo sortimento de se-
das e outras fazendas novas proprias pa-
ra cobrir chapeos de sol tudo superior o
de differentes cores ; tambem so concertao e
fazem-se chapeos de sol, por preco commedo ,
e com brevidade.
= Thomaz Sayle participa ao respeitavcl
publico e mais freguezes desta cidade que
de novo estabeleceo o seu bem conhecido m-
nibus que o apromptou de novo com o me-
Ihor aceio possive! o qual deve partir do dia
10 do corrente em dianlc da sua residencia na
ra da Cadeia junto fabrica de chapeos do
Sr. Jorge para o Monteiro todos os dias s
5 horas da tarde ; e voltar de l as 7 da ma-
nhaa excepluando-se os domingos e dias san-
tos: o preco diminuto ,de mil rcis por cada
pessoa. Igualmente tem para vender 10 pti-
mos cavallos tanto para carrinho, como para
sella ; assim com > aluga carrinhos de melhor
gosto e por preco commodo para passeio. O
mesmo espera que o respeitavel publico o hon-
re com a sua proteccao, como j o fizerao
em o anno passado e protesta deixar todos
saiiseiios.
= O proprietario da padaria o pastelaria
franceza do atierro da Boa-vista n. 50. avia
ao publico, que a sua pastelaria, interrompida
por ind6posico contina agora como d'an-
tes, sempre como o mesm sortimento do bo-
linhos, pastis e postelloes ; assim como as a-
lamadas bandejas, as mais bens sortidas e ele-
gantemente adornadas para desserts, bailes,
e soires. Igualmente tem sempre um com-
pleto sortimento de licores de todas as qualida-
des, vinho fino de Bordeaux agu'ardente de
Franca e a afamada agua de flor de laranja ,
em frascos grandes e meios frascos confeitos ,
amendoas cobertas, o pastilhas em frascos e
caixinhas. o
Quem precisar d'uma ama para criar ,
parda sem lilho com bastante leite ; dirija-so
a ra dos Pescadores n. 17, quo achara com
quem tratar.
Deseja-se fallar com o sr. Manoel Car-
neiro de Albuquerque, filho deGoncaloCa-
valcanto senhor do engenho Agua-azul e so-
brinho do D. Maria de tal senhora do en-
genho Paulista, negocio de seu interesse:
annuncie sua morada para ser procurado ou
dirija-se a ra da Cruz armasem de louca
n. 48.
A pessoa, quo ivter urna carta vinda da
Ilha-de-S -Miguel pelo brigue Triunfo-Ameri-
cano ,ara Henriquc Jos do Carvalbo e Sousa ,
tenha a bondado de mandar entregar as Cin-
co-pontas n. 40 ou annuncie.
=0 abaixo assignado tendo sua mulher e
familia no engenho do seu sogro o sr. coronel
Francisco Antonio de >ousa Leao por causa de
molestia desde 23 de setembro prximo passa-
do e por isso sendo obrigado a ir alli as ves-
peras dos dias de guarda donde voltava por
amanha do seguinte dia til depois dos do-
mingos c dias santos deixando na sua casa
nesta cidade seu caixeiro com os escravos que
o annunclante possuo e tinha empreado no
servico do arma/em do assucar; e tendo hido
para o dito engenho na tarde de 27 de outubro
pelas 3 oras quando voltou na manhaa do
dia 30 do mesmo mez. chegando a sua referida
casa pela 7 horas e meia da manhaa achou-so
roubado. tendo abertas as portas da entrada do
corredor do2 andar, as das sallas do diante e
dedetra/.,uma gaveta de urna cmoda com a fei-
xadura arromhada.e um gnarda-roupa na alco-
va da salla do liante aberto ; e levarao em se-
Julas treze contos e on/e mil res; 2 pares do
casticaes 1 salva 12 colheres para sopa 1
dita de tirar sopa 12 colheres de cha 1 pa-
liteiro tudo de prata ; 1 adereco francez 2
cordes um par de argolas 1 dito de brin-
cos, 2 anneis, tudo de ouro. OfTerece-sea
quarla parte do dito rouboa quem o denunciar,
guardando-so todo o segredo que exigido lor.
Antonio Francisco aos Santos Braga.
Furtarao um cavallo de carga do Engenho-
velho do Cabo no sitio denominado-Sangra-
dor na noute do dia 8 do corrente ,
e tem os signaes seguintes: melado-rapozo ,
esta gordo tem urna estrella na tosta o p6
esquerdo calcado de branco anda a passo ,
bem feito, e tem 7 a 8 annos de idade ; quem
dello tiver noticia certa ou o levar ao enge-
nho Maranhao e entregal-o a Manoel de Sou-
sa .eao ser recompensado de seu traba-
Iho.
A viuva do finado Antonio Teixeira Lopes
Jnior participa aos credores de seu falleci-
do marido que est fazendo seu inventario ,
pelo cartarie dos orfos, escrivao Francisco
Joaquim Pereira de Carvalho.
=Aluga-se o primeiro, e segundo andares da
casa da ra do Torres no Recife n. 20 toda ,
ou separada ; quem a pretender dirija-so a
Antonio Joaquim de Faria Patricio na casa de
pasto: na mesma ha para se vender bons almo
eos a qualquer hora de bom caf com leite e
sem elle pitiscos de todas as qualidades e
jantares.
=r Johnston Pater & Companhia avisao aos
Srs. do engenhos e correspondentesdos mesmos
nesta praca que se acha completo o seu esta-
belecimento de machinismo para engenhos ,
constando de moendas de diversos tamanhos ,
machinas de vapor, de condesacao e de alta
presso da forca de quatro e de seis cavallos in-
glezes e taxas batidas e coadas e promettem
agradar aos seus freguezes tanto em preco como
em qualidade visto serem todos estes objectos
fcitos n'uma das principaes fundicoesde Ingla-
terra : ra da Madre de Dos n. 5.
= Alugo se dous negros socadores de as-
sucar ; na ra da Cruz n. 38, segundo andar.
Lotera de N. S. de Guadelupe.
= Correm impreterivelmente as rodas des-
ta lotera no da 11 de dezembro e os bilhe-
tes estao a venda no Recife loja de cambio ,
na ra da Cadeia ; en> S. Antonio loja do
Menezes, na ra doCollegio; nade Antonio
da Cunha Soares Guimaraes, ra do Crespo ;
na botica de Joo Morcira Marques ao pe do
C._._~_>- a no Ri\. ..icio \>n*l J~ 1-
, ci Jos de Couto, no largo da prata.


I
VEITCH BRWO&C.
Vendem na sua botica e armazem de drogas ,
na ra da Uadre de Dos n. 1.
A preparaeao soguinte'por preco muito com-
modo e de superior qualidade.
Gregory's Powder.
NSo haver pessoa alguma que tcnha eito
uso deste modicamentocm qualquer parte do
Globo que nao tenha sentido seus beneficio*.
Os seus elfeitos principaes he ser um ptimo
purgante estomtico e muito til as do-
encasdo figado, baso, &c. &c. as Indias, on-
de tanto progridem e tantos estragos produzem
constantemente estas doeneas, sao raras as pes-
soas que nao tcm conbecimeatos dos bons ef-
feitos deste remedio. O menino o velbo de-
crepito e finalmente o homern em qualquer
idado da vida pode sen receto algum fa/er
uso deste medicamento cujos lcitos saluta-
res nos fazemjulgar urna insprayao divina ao
genio sabio o philanlrooco de seu autlior.
A dose deste medicamento he urna ou duas co-
cimba seazalla para cscravos, com dous quin-
taos murados coxeira para carro ; quem o
pretender dirija-so ao arma/cm de vidros ao
lado da cadeia ou na serrara do Montoiro.
Compras
Iheres de cha misturado com agoa,
duas ou
r trez vezes por da.
Na mesma casa tanibem se vendem tintas ,
e todos os outros objcctos de pintura ; vernizes
de superior qualidade entre olles um peri-
tamente branco e que so pode applicar so-
bre a pintura mais delicada som q'ue produ-
za alteracao alguma em sua cor primitiva. Ar-
row-Root de I5ermudaSag Sabonetes -
Sabio de WindsorAgua de SoidliU Agua
de SodaAgua de Seltz Limonada gasoza ,
Tinta superior para cscrcvcr Tinta para
marcar roupa Perfumaras inglesas Fun
das elsticas de patente Eseovas e pos para
denles Paslilhas de muriato de morphina ,
e ipecacuanha Paslilhas linissimas de hor-
tola-pimenta Paslilhas de bicarbonato de
soda, egingibre. As verdadeiras pulasve-
getaes universaes do D.r Rrandrelh vindas
deseu anthor nos Estados-Unidos, &c &e.
== Auga-se o segundo c terceiro andares
da casa n. 6 do Atterroda-Boa-vista forra-
dos de papel no rnaioraceio possivcl ; um so-
brado de dous andares na praca da S Cruz;
um dito de um andar proprio para passar a fes-
ta, no Mangumho-papa-terra a margom do
rio ; urna casa terrea de IOS rs. na ra do
Sebo ; urna dita de7000 rs. e de 13000 rs. ,
na ra da Solidade ; a tetar com Manoel Joa-
qum da Silva, caixeiro de Francisco Antonio
de ulivcira.
= Precisa-se fallar com o filhodo.Sr. Jos
Antonio da Cunha natural do lugar do Pico-
de-pedra da liba do S Miguel a negocio do
seu interesse o o mesmo Sr. ou qoem del
le souber queira ter a bondade de diri^-ir-se a
ra das Cruzes na venda da esquina n. 2 ou
annuncie.
Quem annunciou querer azer socieda-
de em urna padaria prompta de um tudo di-
rija-se ao largo de N S. do Terco n. 20.
= F. H. Lutkcns mudo'u sua residencia
para a ra do Trapiche n. 17.
Da se 500,000 rs. a premio sobro pe-
nhores de ouro ou piata ; na ra Direila ,
Joja de couros n. 53.
Da-se 50,000 rs. a juros a douspor cenlo
ao mez; quem pretenderannunoic,
- O Sr. Luduvico Jos de Medeiros queira
dirigir-se a ra do Crespo n. 17, para receber
urna carta.
Quem annunciou a venda de urna escra-
va com habilidades pura fofa da provincia ,
dirijaso a Ra nova n. 1G.
= Aluga-se um primeiro ndar na ra da
Sunzalla-nova eom commodos para pequea
familia, caiado, o pintado, coro qiiirto no
quintal para cscravos, e lugar para s ribaria ;
nn praca da Independencia, livraria :,?. G, e S.
= Francisco Martins Duarte roga u seus
credores, que !he apresenlc.rn suas ec. !,i para
Ihes serem pagas; na ra da Cruz vend
n 51.
Aluga-se pelo tempo do resta urna casa
terroa no Monteiro, confronte ao oitao de S.
Pantaleao com sufficientes commodos, por
prego mdico ; na ra do Queimado \:. 11.
Precisa-se aluga.- urna casa terrea no
bairro de S. Antonio, que tcnba bastantes
commodos, bom quintal e cacimba ; na ra
da Praia d. 72.
Quem precisar de urna ama capaz para
urna casa dirija-se a ra dos Pires n. 30.
Pela segunda vez previne-se ao Sr. F. J,
S. P. de satisfazer o trato que fez na loja no-
va franceza da ra do Cabug n. G do con-
trario publicar-se-ha o seu nomc por cstenco.
Contina-se a tirar pasaportes tanto
para dentro como faa do imperio e des-
Comprao-se eflectivamento para fora da
provincia mulatas, negras o moleques de
12 a 20 annos, sendo bonitos pagao-so bom :
na Kua-nova, loja de ferragens n 16.
Compra-so um fogao pequeo proprio
para a enmara de um navio; na ra da Alfandc-
: a-velha armazem n. 44.
Compra se ama no^rinha de 10 a 12 an-
nos ; na roa estreita do Rozario n. 1.
Compra-se um lerno do medidas de meio
alqueire para bailo da medida nova, (pie es-
tejao em bom estado ; na ra da Madre ele Dos
n. 9.
:':? '.
FOLHINHAS PARA 844.
Achao-se a venda na livraria da praca da
independencia as. G. e 8 ; ra do Cabug lo-
ja do liandeira ; defronte da matriz da Boa-vis
la botica do Moreira; no Ilocifc ra da Ca-
deia loja de ferragens n 45; em Olinda, ra
do Amparo botica do Rapo/o ; o nos Qua-
tro-cantos, loja do Domingos : as excedientes
folhinlias impressas nesta Typographia com-
postas pelaprimeira pessoa, (|uo as faz nesta pro-
vincia c que tantocredito ten: merecido; conten-
do as de algiboira ptimas chcaras, c a disputa
entre urna pulga, e un. piolho sobre a fidaiguia;
outras contendo a confisso do marujo ; e ou-
tras finalmente com a linguagem das flores, ou
novo diccionario para a correspondencia ama-
toria; brevemente seexporta a venda, as que
tem os nomos o moradias dos cmpregados p-
blicos.
^ Vendem-se os livros seguintes : o Fata-
lista 2 v. 2400 rs. ; Syntaxe do Dantas 1 v. ,
1280; Cacographia portusjueza e correccao
a mesma 2 v. 1280 rs. ; Etlica de Job 1 v.,
1000 rs.; Ovidio em latim 1 v. 1280 rs. ;
Ruinas dos imperios cm portuguez 1 v. 1280
rs. ; o Hysopo 1 v., G-0 rs. ; Lok 4 v., 58
rs. ; Novo Testamento cm inglezl v., 1000 rs. ;
Salustio em latim 1 v. 1280 rs.; Atlas mo-
derno 1 v., 1G00 rs. ; Compendio de Geogra-
phia, poro AbbadeGaultier, 1 v. 1920 rs. ;
Virgilio 3 v. ,58 rs. ; Rhethorica sagrada 1
v. 1 f rs. ; Lgica de Condilac em portuguez ,
1 v. 1280 rs. ; Compendio de Lgica por
Gcnucnco 1 v. G-Ors.; Meditaoocsde Hur-
gadas da Ilha-de-S. Miguel pelo briguo Tri-
umpho, por preco commodo ; na ra da Ca-
deia do Recife n. 49 das 6 as 9 horas da ma
nhiia e das duas as 4 da tardo ; tambom se
vende urna machina de copiar cartas em escrip-
torio.
Vende-so um par do brincos de diaman-
tes com algum uso ; na Rua-nova n. 16.
= Vendem se chales de seda escoceza da
melhor qualidade e mais lindo gosto que
tem vindo ; na ra do Queimado loja n. 25
de Guilhcrme Selle.
Vende-se urna cadeira nova ainda por
pintar-sc, por preco commodo; na ra do
Collegio n. 8.
= Vende-se superior farinha de araruta ,
recentemento chegada do Rio-de-Janeiro -por
proco commodo ; na ra do Collegio n. 12 ,
venda de Sebastiao Jos Gomes Penna.
Vendem-se 3 caixoes para amostras de
vendas, pipas, e barris vasios, arquaedos de
ferro que forao de ago'ardente por preco
commodo; no Atterro-da-Boa-vista n. 72.
^* Vendem-se chapeos do seda para sen ho-
ra vindos ltimamente de Franca, ditos de
palha para senbora o meninas, chales de se-
dai grandes e pequeos, luvas di
voy 1 v. 1280 rs. Pregador instruido 1
v. ; 1000 rs. ; Horacio cm latim 2 v. 5000
rs. ; Geographia por B. Q. Torreao 1 v. ,
1920 rs. ; Casos do consciencia por Felis Po-
teslas, t v. 9G00 rs.; Resumo da historia de
Alcmanlia, 1 v. 640 rs.; dito da dita dos Pai-
zes-Baixos, 1 v., 640 rs. ; Diccionario Gco-
graphico 2 v. 7200 rs.; Telemaco em in-
gles 1 v., 19::0 rs. ; Manual de cbimica 1
'. 1920 rs. ; Sentimtntos de um christao ,
l v., 1000 rs. ; Methamorfoze de Ovidio em
verso portuguez, 1 v. 1280 rs. ; Conversa.;ao
ingleza efrance/a .1 v., 1280 rs. ; Contra-
bsocial,lv. 1280r. ;a Honriada, 1 v. ,
1280 rs. ; DeclaracSo dos direitosdo homern ,
1 v., 1000 rs. ; Diccionario topographico do
il., i v. 3o20 rs. ; Lgica de Perraid 2
. 6IO0 r;. ; Instituicoes rhethoricas de
>, tradu s 'ior J. S. Barbo/a 2
v. r'.-'.Y:.'.) is.; Ge hia universal, por A.
b;2 v. .eoAlla 1G000rs. ; Historiado
sil 12 v., 13500 rs. ; Historia Ecclesias-
tica por Abbade )ucrcoux, 11 v. 12800
is. ; Atlas geographico por Lessage ,1 v. ,
em (o. gratule, !70f)0 rs. : dito das duas Amo-
ricas por o mesmo systema em ful. grande,
I v. 20000 rs. ; um globo terrestre, grande'
e muito bom 12800 rs.; papel pautado para
muzica a 20 rs. a folha ; no l^rgo do Paraso
n. 8, primeiro and
Vende-se tuna cama de angico eom seus
colxoes c cortinados sem uso alyum ; na
Ru-direita loja n. Li.'i.
Vendem-se bicos pretos cstreitos a \0 ,
o 80 rs. a vara ; no Atterro-da-Boa vista lo-
ja de miudezas n. 48.
Vetidein-seduas vaccas de leito vindas
de Hamburfjo no briguodinamarquez Caravan:
no ra da Alfandega-velha armazem n. %\.
Vendem-se grvalas de setm de dif..--
ren tes modelos a 610 rs. bicos largos de h-
nho para roquetes a ^000 rs. a vara; na ra
d<) Cabug loja nova franco/a n. G e nao n:
feitadas c lisas para senbora ditas pespon-
tadas para homern chapeos preos da ultima
onda para homern papel para forrar salas e
para barras, ricas guarnicoes, e outras umi-
tas (azendas proprias do loja franceza tudo
por preco commodo ; na Rua-nova loja de
F. Regore & Companhia, n. 17.
= Vendc-se urna venda com poucos fundos,
o com commodos para familia quintal c ca-
cimba sita nos Quatro-cantos da Boa-vista n.
93 ; a tratar na mesma.
Vende-se urna negrinha do nacao An-
gola de 14 annos boa co/inheira e faz
todo oservico do urna casa; na Rua-vellian. 93.
- \ende-so urna grande porcao de chifres
deb), por preco commodo: defronte da ri-
beira da Ooa-vista n. 66.
= Vendem-so caxas de arroba de letria no-
va a j rs. cada urna eem libra a 160 rs. ;
na ra do Bozarioda Boa-vista venda da os-
quina que volta para a S. Cru' n. 43.
Vendem-se charutos da Havana, de qua-
lidade superior ; em casa de J. O. Elster, ra
do Trapiche n 19.
Vendem-se livros em branco riscados e
pautados proprios para toda e qualquer es-
eripturacao por serem do muito bom papel ;
em casa de J. O. Elster, ra do Trapiche
n. 19. '
Vende-se urna preta de nacao de 20
annos ; na ra da Praia n. 72.
Vendc-se urna engenhoca porttil para
extrair o suco da canna e urna canoa de lote
do800 tijolos ; em S. Anna da Casa-forte,
casa do Joo Venancio Machado.
Vende-se um preto de naco ; na praca
da Independencia n. 3, ou na ra do Hortas
n. 94.
Vende-se urna escrava moca com ahu-
mas habilidades que a vista do comprador" o
dirao ; no hoco do Sarapate! ou travessa do
Carino casa de Jos Francisco Percira pri-
ineiro andar.
Vendem-.se botins de bezerro francez para
homem, e meninos borzeguins para homern,
senbora e meninos, sapatosde couro de lus-
tro sotim e duraque de varias cores, che-
ganas ltimamente de Franca ; no largo do
Livramento, loja de calcado n 34.
Si Vendem-se bicos eslreitos, e largos, to-
vas de pellica a 480 rs. ditas de seda preta ,
:= Vendem-se quoijos novos 1000 rs
cha hisson a 2240 rs. o perola a 2240 rs
na ra do lozario da Boa-vista esquina, n\i'
volta para a S. Cruz n. 43. *
= Vende-so um escravo proprio para lo-
do oservico; na ra do Crespo, loja de faI
zondas n. 21.
= Vende-se superior essencia de roza em
vidros de urna, duas e 3 oncas e de limo em
garrafas de urna libra proprio para se fazer
licor, agoa de colonia por preco commodo-
na Rua-nova n. 65, primoiro andar.
Vende-se um palanquim em muito bom
uso.com vidro.na frente, um enpareiho do
porcelana para cha, duas mangas de vidro lisas
900 a 1000 oitavas do prata em prcas do us
de casa e um casco de pipa promplo a receber
ago'ardente ; na ra do Amorim n. 32.
= Vende-se a armacao, o pertences da ven-
da da ra do S. Rita-nova n. 93, com bons
commodos para familia, independentes da ven-
da com porto para a mar o o seu alugu I
he de 88 rs. mensaes; a tratar na ra da Paz
n. 2.
= Vendc-se um cxcellente sortimento de
charutos de muito boa fama regala a 3500 rs
pellica en- cada caixinba de cem charutos, ditos de Mani-
Iba eda Cachoeira por preco muito com-
modo e urna grande porcao de vinhos da Ma-
deira Porto, eCherez, ago'ardente de Fran-
ca e Sbrub engarrafado ; na ra da Cadeia
do Recifo n. 46, casa de Augusto Corbrtt.
= Vendem-se pontos da ultima moda e
ditos do marrafa : na loja do lartarugueiro da
esquina que volta para o puteo do Carmo ;
na mesma loja so abrem lettres para marcaca
de barricas prepara-so marlim para retratos,
como tambem pinturas de casas, c letras para*
hombreirasde portas.
= Nenoe-so um pianno muito em conla e
de boa iiualidade ; na ra de S. Amaro n 30.
= Vendem-se bon.s de veludo para moni-
nos a 1S rs. ditos de brim para homem a 1120
rs. Inhasdororisa2900rs. o masso dito
decabeca encarnada a 2G00 rs. caxas para
rapalOO, 120, 240, 400, 560. e 1120, phos-
phorosde pentea 5500 rs. ditos de caixinbas
a 700 rs. ditos de papelao a 3200 rs. n grosa,
suspensorios de burracha a 240 o 320 rs. ',
l>ons de palhinha a 300 rs. macass perola a
100 rs. c do oleo a 160 rs. p..s a 200 rs. ,
sabonetes de amendoas a 240 e 320 rs., boioes
de han ha a 120 rs. essencia de roza a 720 rs. ,
ai>oa do colonia a 180, 400, 500, e 800 rs. o
frasco, agoa de flor de laranja a 640, o 720 rs.
pomada franceza a 160rs. espiritos de""de-'
rentes qualidades esteirinhas pintadas a 720
rs. facas com cabo de metal, e do outras qua-
lidades thesouras inasa 160, 240, 280, e
880 rs. meias muito finas para homem a
2400, 2800, e 3520 rs. o masso ditas pretas
de algodao a 280 rs. e para senbora a 360 rs.,
V ---- F ...... ...
.ja de miudezas junto da do Bandeira, que poi
pacho-se cscravos tudo com brevidade ; no engao foi annunciado.
Atlerro-da-Boa-vista loja n. 48 ou na ra! Vende-se urna boa lipoia urna cabra,
do Collegio n. 10 primeiro andar.
= Aluga-se urna sobrado com bastantes
commodos, na povoacao do Monteiro reedi-
ficado de novo estribara nnra (i eavnlloa c. -
e ovelhas com cras; no Atierro-dos-A(fogados,
casa n. 21dc Francisco Xavier das Chaves.
- Vende-se panno de linbo superior e
lindas >s
iuS i'aMMMiWK |-. .CVCri'i.O ,
o de cores a 400 rs. o par, litas de gana a
160 o 200 rs. a vara agoa do colonia pa-
pel almaco c de peso a 3000 rs. a resma sa-
patos para meninos a 320 rs. o par botdes
proprios para eneites do vestidos de sen hora ,
uaduras de massa e duraque ; na ra do
ugfi lojan. 1 de Francisco Joaquim Du-
al te.
Venderse urna armacao do loja, por
menos de seu valor ; na ua-direita n. 86.
= Vende-se urna preta de bonita figura ,
quoco : na ra das Cruzes n. 23.
Vendo-sel molequo de Angola, de 13
; eum mulato de 14 annos, proprios
para pa cm ; ik; ra da olidade n. G-.
scum ogo de bancas de angico,
(,,n lo, por proco commodo; na ra
doQuciniado n. 19, segundo andar.
Firroino Jos Felis da Roza vende supe
rior farinha do Trieste da SSFe SSF ,
tanto a dinheiro, como a praso; os pretenden-
tardas 10 horas da manbaa at
as duas da tardo no caes da '.Ifandega com o
no ni! posea escriptoriodas duas horas
da tardo em dianto, na ra da Moeda n. 7;
1 emcaixi irobaj.
:z: Vendem-se ca!osde lnh do differen-
tes hitlas lonas largas do puro linho pro-
prias para camas de vento, .- enserados, por
preco commodo ; na ra da Cadeia do R*y!e
cordao fino o grosso para vestido colchetes
a 880 rs. a duza e 80 rs. a caixa pentes de
prender o cabello virados a 5800 rs. a duza ,
ddos lisos a 160 rs. cada um lencos de seda
2240 rs. cada um marroquim de differentes
cores a 1860 rs. a pelle caivetes finos a 300
rs. ditos de instrumento a 320 rs canelas
a 100, e 360 papel do poso a 2800 rs. e al-
maco a 3000 rs facas de pona de 6 a 12 poi-
le^adas, rap do Rio a 500 rs. e do Meu-
ron a 540 rs. e outras muitas miudezas por
preco mais commodo de que em outra qualquer
parte; na ra do Queimado n. 24.
= Vendem-se, para pagamento dos credo-
res do fallecido Jos Gomes da .-Iva, os seguin-
tes bens pertencentes ao casal do mesmo : um
sitio na Fslradc-nova com casa do pedra, jun-
to a Jos Minia Gualdos ; um le vno na es-
trada de Luiz do Reg, que vai p ira S. Ama-
ro com frente para a mesma e | indo la ai-
terrado o com parte do alcerec d fente,
lendo o mesmo 60 palmos de (rente o 640 de
fundo ; um preto bom padeiro tanto em" tor-
no como em masseira ; dous ditos, um affeilo
ao mesmo servieo, o o outro ao do campo; quem
pretender qualquer deslas cousas dirjn-se a
roa -lo Hras n. 22 agratar com Anoslinbo
Henrtque da Silva das^ as 9 horas da ma-
nbaa, odas duas as 4 da tarde.
= Vendse tima venda na ra dos Pesca-
dores n. 7 ; a tratar na mesma.
icravos fisgados.
che f armazem de Wartins Jos da Costa.
No da 9 do corrento desappareceo um
molequo, que como ganhador conduzia um
bahuznho preto nada lr:zia dentro: o dito
moleque dirigio-se pela ma da Senzalla-velha,
por onde foi visto ; vestido do camisa e calcas
1 la azu ; a pessoa que do mesmo der
notias ou oapprebender leve o a venda do
..'os Percira na ra da Sen/.alla-nbva n. 7.
Recifb: na Ttp. de M F. db Fam v ^843.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EW8M3TE60_GPEZ9T INGEST_TIME 2013-04-12T21:40:10Z PACKAGE AA00011611_04509
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES