Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04508


This item is only available as the following downloads:


Full Text
*A
nno de 1843.
Sexta Feira 10
Tudo agora depende de ma mesmos; da nos prudencial moderagao, ( enerria con
linuemoi como principiamos, e seremoi apuntados com adjniracao entre a> Nag<5ea maia
MB" ( l'roclamagao da Aasembleia Geral do Bbasil.)
PARTIDAS DOS CRREIOS TEIRESTHES.
Goianna, e Paraliyba, segundas e se mi feirai. ilio Grande do Norte, quintaa feirai
Konilo e Garenhuns, a 10 e 24. ,
Cabo. Serinli ii'm. Rio Formuso, Porto Cairo, Maceio, e AU-oas no i H, e JJ
Boa-vista e Florea al3e 2S. Sanio Antao quintas feiraa Olinda todos oa din
DAS da SEMANA.
6 "i't;. s. Setero B. F. Aad. do J de D. da 2. t.
7 Terg. a. Florencio B_ Re. Aud.do J. de 1). da 3. T.
8 Quart. s. Cnstorio Aud. do J. de D. da 3. t.
'.' Vjim. a TheodoroM. Aud. do J. de D. da _>. v.
0 Sex. i. tiberio B. Aud- do J. de D. da 2. t.
*' 'Sal, jejnm a. Martinho B. Re. Aud do J. de D. da 1' t.
2 ll'im. O Patrocinio do Nossa tenhora.
I
de Novembro
Anno XIX. N. 243-
"'^"gWaaWrP" .una r iTTafiapnaaaMWaaaaaaaaaaanaaa'aaaaaj
O Duilo poblica-se lodos oa dia cpieno forem Santificados: o prest -
de tres mil rr>is por qaartal pago* adianladoa Os annuncios dos asignantes alio ineerid
B
:o da assija alora bo
le tres mil res por (parte! pagot adianladoa Os annuncios dos signantes fio inaeridos
ratis eos dos que n.io forem raaSo do S.Oreis por linha. As rrclamacdee deVem atrdiri-
idas a esta Tip., ra das Cruies N.31, ou apraca da Independencia loj'a delrroa N. 68-
OlanioiNo dial) de Norembro. compra
Cambio sobra Londres Md. Oo-Moeda da 8,400 V. 16,500
* Pan 37) reis por .franco, a N. 16,.100
renda.
7.700
46,500
tf,200
1,820
1,820
1,820
Lisboa 111) porlOOdepr.mo. da 4,000 .000
PliTA-PaiaPas 1,800
Moeda de cobie 2 por cenlo. Petos Colwnn rea l,S00
dem de letraada boas firmas 1 a 1 4[1 J, ditos Mebanos i,s00
PHASES DA LA NO MEZ. DE NOVEMBRO.
Loa Cheia I 7, lis '' horas e t as. da manli.i I La or I, as 3 horas e 14 m. da tarda
Quert. ntinR. 14, ooa 13 minutos da Urda | Oaart.oicsi. 2S, a 4 horas o 40 ai. da I.
Preamar de hoje.
1. a 7 horas a 42 na. da manbSa. | '.'.. a 8 tersa a 6 a. da larda.
?MEIUCA DO NORTE.
As noticias d'esta parte do mundo qucal-
cancio a 31 de agosto p. p.. nao sao importan-
tan tesi, mormento omrelacao as eleices dos
Estados-Unidos, que em gera! decidirao-so a
favor do partido Whig.
Tinha corrido o boato da morte do general
Jackson tendo-se indicado como causa urna
hemormagia mas tal boato bavia sido des-
mentido. O banco de Milbary tinha sido rou-
badoda somma de 17,000 vezos.
Havia noticias recente? de Vera-Cruz e da
cidade do Mxico cujo resumo o seguinto :
O governo mexicano tinha recebido parti-
cipadlo a mais autheocica da derrota do gene-
ral Armyo pelos Teiianos, perto do Sante-Fe.
Os pormenores nao erao conhecdos, masdi-
zia-sc que nao havia lugar duvida sobro o
bom xito dos Texianos. Representa-se Santa-
Anna muito furioso pelo sucesso e reputa-se
ter elle complicado muito consideravelmenteas
difliculdades com que o Mxico ora lula. A-
crescenta-se mais que o Mxico se prepara a
tratar com Texas sobre a independencia d'esto
paiz. A Picayune de nova Orleans vio urna
importante commissao do Bocanegra minis-
tro mexicano. Esta communicacao concebi-
da na forma de protesto contra as incursoes
feitas no Novo Mxico pelos cidadaos dos Es-
tados-de-Missori Illinois e Arkansas se-
gundo se allega. Elle declara que taes incur-
soes feitas quando o Mxico estava em paz com
aquelles Estados quando se havia proclamado
urna amnista entro Texas e o Mxico e se a-
chavo em hom pe negociadles para restabele-
ceras relacoes a.-nigavos entre os dous gover-
nos sao a^tos de hostilidade contra o Mxico
e contrarios aos direitos das naces. Allega
que como estas incurcoes sao feitas por con-
sentimento dos Estados-Unidos seja qual fr
a despeza que o Mxico faca para repellil as, e
seja qual fr o prejuizo que ellas causem aos
ses cidadaos sao justos motivos para recla-
macoes de indenmnisacao do nosso governo.
Nao nos recordamos de ter dado a composi-
cao do Concelho do Governo de Santa Anna sob
o novo rgimen sobre as bases de Tucabaya.
Eis-aqui os nomes dos oficiaes mais confiden-
tes e importantes do seu gabinete : Bocane-
Rra, ministro das relceles estrangeiras &c.
Baranda, ministro da justica ; e Tornel, ge-
neral de divisan e ministro da guerra e ma-
rinha.
Copiamos os seguintes intens addicionaos da
New Orleans Bee:
D. Francisco Pacheco e Gernimo del Gas-
tillo, commissarios da parto de Yucatn, che-
garad ao Mxico a 18 dejulho.
O general D. Mathias Pena fei levado pc-
rante um concolho militar para nvestgar-se a
sua conducta durante a sua campanha contra
Merida.
O Bazaar conhecido pelo nome de Pariano
devia ser demolido por ordem do governo.
O Siglo de 18 do julho diz : Acabamos do
receber por um exprosso noticia de que mar-
chao contra o novo Mxico um corpo de Texi-
anos que monta a 1,000 homens e cerca de
outros tantos Americanos.
Os generaos Armijo o Monterde reuniao
assuas Torcas para dafender os pontos ame-
acados. I .
O Diario dando f trlitas noticias diz
que so os Texia.rtWfpttJm os invasores, nao
se executar o armisticio Convencionado entre
os dous paizes, menos que elles nao evacuem
immediatamente o territorio Mexicano; c se
nao forem os Texianflp* o governo da Rep-
blica exigir de Hotiajon urna lesposta explci-
ta para que fique habilitado a obter repara-
cao d'estes novos crimes commettidos contra a
paz que I he foi solemnemente proruettida por
tratados existentes.
D. Barranda oi nomeado ministro da
justica e instruefao publica em lugar de M.
Vel.'z M. Barranda que havia resignado.
Nada havia de importancia do Canad.
( Time. )
A urgencia apoiada c sem debato appro-
vada.
Entra portanto em discusso o seguinto :
Requeiroquose pofiio ao governo os do-
cumentos das dividas da corte ou das provin-
cias existentes na corte mencionadas as ta-
bellas que acompanhrSo o crdito pedido pa-
ra excrcicios lindos.Sousa Martina.M. F.
de Sousa Mello.
E sem debate approvado.
Depois do Sr. Sousa Martins discorrer larga-
mente sobre a materia do crdito icaa dis-
cusso adiada pela hora.
RIO DE JANEIRO.
ASSEMBLA GERAL.
CMARA DOS SEMIORES DEPDTADOS.
Sesso de l i de setembro.
Entra em discusso a urgencia requerida po-
lo Sr. Penedo para a discusso do projecto de
codKO de commercio: fallo os Srs. Carneiroda
Cunha e Pereira da Silva, e 6 approvada.
Contina a discusso da resoluco sobre apo-
sentadora de desembargadores: falla o Sr. Ur-
bano: ha urna pequea questao de ordem; fal-
la oSr. ministro da marinha, e a discussaS ti-
ca adiada.
Contina a discusso do artigo 1. sobre ocre-
dito: fallaoosSrs. Ferraz, o Souza o Mello, e
da-se a materia por discutida ; verifica-so nao
haver casa, o lovanta-se a sessao.
dem do dia 15.
Contina a discusso da resoluco quo ap-
prova as aposentadoras de desembargadores
Falli sobre esta materia os Srs. Nunes
Machado Pereira da Silva Paula Candido e
Barreto Pedroso e a discusso fica adiada pela
hora.
Continua a discusso do 1." artigo da pro-
posta do governo sobre o crdito para exarcicios
finaos.
TomSo parte na discusso os Srs. Henriques
de Resende e Sousa Franco.
O Sr. Sousa Martins como membro da
commissao que deo o parecer sobro o crdito ,
tem a palavra pela ordem o requer a urgencia
para oferecer consideradlo da cmara um
requerimento.
FOLHET
HISTORIA IIESPAMIOLA.
Viagei na Hespanha, I tambem corr meus
riscos: quem os pode evitar neste paiz romanes-!
co, com a inquisicao, os salteadores e as da-,
mas?
Achando-me em Valencia a tratar dos nego-
cios de um amiijo, relacOes mercantis me lig-
rao a I). Brai Udivido, rico negociante, viuvo,
e pai de urna linda moca que tinha do idade por-
to de20annos.
Udivido me havia tratado com a affabilidade
de um fidalgo caslelhano.Disponha desta sua
casa,disse-mc elle, e os negocios que tinha do
concluir em Valencia obrigara-me a utilisar-
me de tao generosa offerta Todava uso nao 6
na Hespanha que um cstranho tenha entrada
franca no interior da casa, e por isso Aquel mui-
to temnnsem Mnhvr a n t7WI quando porem seu velho pai viu quo eu me com-
portava com gravidade e sisudesa, e que, bemtl
que herege, entrava as igrejas, e respeitava as
ceremonias do culto, quando soube que demo-
rar-me-hia poucos mezes na Hespanha, o que
o pouco de hespanhol que fallava me nad deixa-
va ser muito eloquente, admittiu-me socieda-
do intima de sua familia.
Entro Estolla e mim foi-se a pouco a pouco in-
troduzindo grande familiaridade. Davamo-nos
reciprocamente licos do nossas linguas, e ella
cantava para que eu a ouvisse. acompanhan-
do-so com sua guitarra, de modo que em bem
pouco tempoa balanca das obrigaces inclinou-
sede seu lado.
Nesso intervallo havia cu adquirido algumas
amisades na torra, eentre estas a de Sylvio Co-
morra, joven fidalgo quo viva em urna quinta
distante urna legoa de Valencia. Tinha elle um
irmao primeiro secretario da contadoria de Ma-
drid, e vivia com sua irmaa I) Antonia Santo-
rim quelhctomava conta da casa. Intima ami-
sade ligava I). Estella a D. Antonia: visitavao-
sc assiduamente.
Fataes fora ao socego de D. Silvio essas vi-
Idem do dia 16.
Contina a discusso da resoluco quo ap-
prova as aposentadoras de dois desembargado-
res da relaro de Pernambuco o um da do
Maranhao.
D-se por encerrada a discusso e a reso-
luco approvada.
Contina a discusso do artigo 1/ da pro-
posta do governo sobre o crdito para excrcicios
(Indos.
O Sr. 1. secretario le um olTicio do Sr. mi-
nistro da (azenda remetiendo os documentos
que existiao no thesouro relativos s dividas de
excrcicios findos pertencentes s provincias, e
todos os documentos avulsos pelo que respeita
corte &c. A' quem fez a requisicao.
D-se por discutida a materia e o 1. ar-
tigo da proposta approvado.
Segue-se a discusso dos seguintes artigos da
proposta :
Art 2. Para o governo haver a referida
somma fica autorisado ( pertenco cmara dos
Srs. deputados iniciar os meios.)
Art. 3. O governo dar conta da despeza
auorisada por esta le conjuntamente com
a do exercicio correte ( 18-3 18H ) sob
a rubrica excrcicios lindos nos termos
prescriptos pelo decreto de 20 do feverciro de
1840.
Ar. 4. O crdito aberto pela presento lei
ser exclusivamente empregado no naga monto
da divida do exercicios lindos liquidados at
julho de 1843.
Paco em 14 de agosto do 1843.Joaquim
Francisco Vianna.
A assembla geral legislativa resolve.
Art. 2. substitutivo. O governo fico au-
torisado a haver a referida somma por meio
do omissao dapolices da divida publica ou
fazor immediatamente os pagamentos aos in-
teressados em fundos pblicos pelo preco quo
com elles convencional
Art. 4. additivo. Nosannos futuros o mi-
nistro da fazenda quando apresentar o ha -
lanco definitivo de cada exercicio, ajiresentar
tambem urna proposta de lei para ;-pprovacao
das contas desse exercicio ; fixando definitiva-
mente a receita e despeza elle pertencentc ,
assim como aos exercicios antecedentes.
Art. ','>. additivo as cotilas que acompa-
nliarcm essa proposta o governo justificar
nao so todos os excessos de despeza da cada ar-
tigo da lei respectiva para que nao houver ti-
llo o crdito competente como a nao applica-
cao das soturnas votadas para serviros que nao
forem efequados.
Paco da cmara 5 dosetemhro de 1843.
5. Martins. C. Carneiro de Campos. -
M. F. de Sousa e Mello.
Conta geral do que se deve de exercicios /indos
at junho de 1842.
MINISTERIOS.
ImPeri<>................... 34:931*597
Justica........ 23:938*566
Supplcmento____ 303*644
----------------24:242#120
hstrangoiros............... \\ .671*497
Marinha.................. 733:732*590
;uerra.........983:487*492
Supplcmento___ 38:217g324
----------------1:021:704,816
azenda........256:0578047
Supplemenio .... M88S010
----------------257:245,057
Rs. 2:083:527,677
OBSERVA goES.
Na divida demonstrada nao se comprehen-
dem 1000,000 libras que desde o exercicio do
-839-1840 se devem aos agentes de Londres
peloadiantamento que fizerao na forma do con-
trato.
Tambem so nao comprehendem as sommas
que por emprestimos passarao do exercicio an-
da aberto, e em liquidadlo de 1842-1843
para os do 1841 1842, o anteriores para
pagamento de dospozas estes pertencentes ,
por depender o conhecimentod'ellas de liqui-
dadlo que ainda nao pode ser concluida.
Contadoria geral do reviso 3 de agosto
de 18430 olicial maior servindo de con-
tador geral Emiliano Faustino Lins.
Todos os artigos sao som debate approvados,
e a proposta adoptada e remettida commis-
so do redaeco.
Contina a terceira discussao.do projecto
sobre diviso do torras e colonisacao com as
emendas apoiadas.
O Sr. Fonseca com consentimento da c-
mara retira o adiamento queem outra sessao
havia proposto.
Julgada discutida a materia, sao approvadas
algumas emendas o outras regeitadas.
O -\ --7 saaiaa.-iaanaw-
PERNAMBUCO.
am
MIUIWIVU w--------------.------.., ^ ,.,------------------------------
panhol, fez tudo o queem iguaes circunstan-
cias se costuma fazer. Suspirou, escreveu; pro-
sa, verso, msica tudoempregou, mas a ingra-
ta Estella, nao por insensibilidade talvez, mas
porque tal o costumo das damas hespanholas
pareca resistr-lhe inexoravel.
Impossivel era vOr Estella. e nao adoral-a, c
por isso nenhuma moca do Valencia tinha mai-
or legiao de namorados; nenhuma maior nu-
mero do pretendentes: um dellcs que era prefe-
rido por D. Udivido chamava-se D. Jos Prais:
homem de 40 annos quo nesse ponto tinha a
mania de todos paes (a do saber o que convem
a suas filhas mclhordo que ellas masmas), or-
denou Estella que o contemplasse como seu
marido
O velho negociante havia calculado os lucros
e perdas dessa especulacaocasamanteira.--Sc ha
vinte e tantos annos de diTerenca contra minha
filha, disia elle, ha em seu favor urna burra
bem gorda, c bem recheada (compensadlo mais
que su luciente daquelle prejuiso), logo bom
o negocio.Udivido era teimoso como todo o
Hespanhol; o casamento devia eITcctuar-se, e-
pesar das lagrimas de Estella; pois de todos os
seus amantes era t). Prais o mais aborrecido.
Vendo a repugnancia da filha e sabendo da mi-
POUCIA.
lllm. e Exm. ir.Pela delegatura de Gara-
ee
nhaamizadecom I). Silvio, comecou o velho u
r com displicencia minhas relacoes intimas ,
minhas frequentcs visitas; ter-mc-hia mesmo
prohibido a entrada da sua casa, se nao soubes-
se que eu estava por dias a voltar para Ingla-
terra. Estolla (talvez por isso mesmo), mostra-
va-mc mais affeicao, at inquiotava-se, quan-
do passava um dia sem que nos vissemos, quan-
do os negociosa meu cargo fasiao-medeixar Va-
lencia por mais de 2 horas; ebem que apre-
ciasse essas demonstrares do estima, nao dei-
xavao ellas s vezesdmeembaracar. Sua cu-
riosidade feminina gostava de interrogar-mo so-
bre os costuin s ingleses, e sobre as Inglezas
e ouvia-me sempre com nao commum attencao!
Feliz! feliz Inglaterra exclamou interrompen-
do-me, e depois suspiravaAh que nao nas-
ci em Inglaterra as Inglesas nao se acha no
triste conflicto decasarem-se contra sua von-
lade, ou de cntrarem freirs ? Feliz, feliz In-
glaterra L'm dia ella fez cahir de novo a con-
versado sobre esse assumpto, e allou-mecom
'MV.z en;odie?," mn nannn: co.T.CCC d ro-
ceiar... nao sel mesmo o que.
Parece-me, disse-me. que far-me-hia In-
glesa sem grande custo.Na verdade amavel


I
Uii I i lil^lir innijjjiui
nhuns me foi participado por ofllcio do 1. do
correte, que as 11 horas da noitede 27dopas-
sado o guarda do corpo do polica Henriques
Luizde Freitas dra um tiro, mesmo com a ar-
ma com, que dcabava de rondar, em um seu
companheiro, que so achava de sentinella na ca-
deia, por ter elle dias antes dado urnas bofeta-
das na amasia do referido Henriques Luiz, do
qual escapou do morrer pela grande carga, que
tinha o bacamarte, mas flcou levemente ferida
a sentinella, e tanto o assassino, como a ama-
sia fora logo presos; o consta mais da dita par-
te, que no dia 28 do passado Antonio de Mace-
na cortando carne no assougue parti a mao de
um miseravel preto velho, queseguravaem um
quarto de carne, por cujo motivo dra preso em
flagrante; e ficava a comarca em paz.
Pela delega tura do Bonito, por cilicio de 31
deoutubrop. p., consta, que ficava em plena
paz aquella comarca.
Pela deiegatura do Olinda, por officio de 6 do
corrente, consta ter sido pronunciado cortio in-
curso no artigo 201 do cdigo criminal o estu-
dante Baltazar de Abreo Cardoso. que se acha
ausente ; c improcedente, por falta de provas, o
sumario ex-officio contra quom fosse o autor da
inorte, feita na pessoa do pardo Matheos Gon-
calvos assassinado na ensiada do Rio-doce; e
tambem improcedente o sumario ex-officio con-
tra Manoel Vicente (preso) por nao armonisa-
rem as provas com a parto ollicial, que deo lu-
gar instauracao do dito sumario.
Pelado Hio-foimoso, por officio de 24 do outu-
bro, consta, que no dia 8 de agosto lora assas-
sinado o pardo Joaquim Garca no engenho
Dous-bracos com um tiro: no lugar Vasa-bur-
ris, em 26 do dito mez com tres tiros foi assas-
sinado o pardo Manoel do Nascimento: entre os
engenhos Unido e Tres-bracos forao assassina-
dosdous homens desconhecidos, um pardo c
'outro branco, os quaes fora achados morios
na estrada em 30 de setembro: que tendo si-
do chamado do engenho Quitinduba em cujo
lugar eslava trabalhandoo mestrecarpina Hen-
riques de tal, morador no engenho Ginipapo,
por um portador do engenho Jussar, desap-
parceco na jornada, sem que se tenha descober-
to o flm, que teve, e quedo todos estes assassi-
natos tem os subdelegados formado os devidos
processos ex-o/Jicio, porem que muitos do bal-
de.porque da prova testemunhal se nao podo co-
nhecer os delinquentes. quanto at esta data
me tem chegado a noticia e que levo ao co-
nhecimento de V. Ex. para sua intelligencia.
Dos Guarde a V. Exc. secretaria da polica 9
denovembrodo 1843.lllm. e Exm. Sr. Bara
da Bja-vista, presidente da provincia.
COMPANHIA DEBEBERIBE.
Conta do que se tem despendido com a empresa
do encanamento das agoas at o ultimo d'ou-
lubro prximo findo a saber :
1843
Julho 31. Pela importancia
despendida at esta data
corno consta do Diario de
Pernambuco n. 169 de 7
d'agosto documentos de
numero la 178 52:315,762
Agosto 1 dem de venci-
mentos do apontador J.
T.Peixoto............ 179 50.000
4 dem dito ao administra-
dor M. de S e Souza... 180 100,000
dem Jilo ao mestre A.
Wilmer2m.*......... 181 200,000
11 dem dito aoengenheiro
D. W. Bowman....... 182 333,320
dem de ferias de ope-
rarios................ 189 325,120
12 dem de dita dito...... 183 401.020
19 dem dedita dito...... 184 438,950
26 dem dedita dito...... 185 480,800
2:329,210 -------------
Setembro 2 dem deditadito 186 497,380
4 dem de ferragem a D.
Maria V. de Abreo L.... 187 41,040
a *=
Estella, estou que muito perdereis na troca, se
deixasseis um paiz onde vos vedes rodeiuda d-
amigose prenles, estimada carnada de todos,
para passar em trra estranha vida obscura e
desconhida !---Era meulito desviar a conversa,
cao, mas a moca pertinaz conlinuou:Oh! naoe
eu nao iria para Inglaterra sem levar bom pas-
saporte que por toda aparte me introduzisse.
Amigos nao se compra, eu bem o sei; mas di-
nheiro d relaces, alcm de que os Ingleses nao
sao barbaros, c vos mesmo, se me encontras-
seis em vossa patria, doixar-me-hes s,e des-
granada ?
Eu! Sra___oh nao, de certo si vos en-
contrasse em Inglaterra dar-me-bia por feliz se
podesse ser-vos til, ou agradavel. Feliz, u-
til, agradavel, quiscra que meexplicasseis o que
isto quer diser; sao palavras graciosas sem sig-
nificacao.Oh nao, senhora, minhas pala-
vras 3o sinceras, nao Ihes dou senao o senti-
do ordinario.I'ois bem, nesse caso dir-vos-hei
que dar-mc-hei por mais feliz dfivendo obriga-
coes, do que vos vos julgareis obrigando-me
Estella corou'e pejo, e seretirou confusa; e
... r^ *wst*.~- *r.^
x,w iiUU lll4Ui:i OIU IUVIIUI OBikuyuw.
Depois da dor de nao ser amado por aquella
dem de vencimentos do
administrador Sa e Souza 188 100,000
5 dem de ferramenta a viu-
va Basto&Filhos....... 190 14,040
9 dem de feria de ope-
rarios................ 191 285,290
dem de vencimentos do
apontador Peixoto...... 192 50,000
11 dem de transporte de
canos a No-berro J. J. G. 193 115,200
dem do aparelhos para
suspenso decanos ao dito 194 21,660
12 dem de vencimentos ao
engenheneiro Bowman.. 195 340,000
dem de nivel, ferramen-
ta, e consertos a CStarr. 196 591,200
14 dem de carros de mo a
J. F.Correia da Silva... 197 177,000
16 dem de feria de ope-
rarios............... 198 511,740
20 dem do papel de dese-
nlio a L. I. R. Roma... 199 17,420
23 Idern de feria do ope-
rarios............... 200 426,990
30 dem de dita dito..... 201 471,720
3:660.680 -------------
Outubro 1. dem de venci-
mentos ao mestre Wil-
mer 2 ni.'___....... 202 200,000
3 dem de ditos ao adminis-
trador S e Souza...... 203 100,000
7 dem de feria de ope-
rarios............... 204 575,520
10 importancia de venci-
mentos do engenheiro
Bowman............. 205 333,333
dem de impressos a San-
tos & Companhia...... 206 52,400
14 dem de feria de ope-
rarios............... 207 612,140
21 dem de dita dito...... 208 649,760
25 dem de ferramenta a
Antonio Jos Ferreira... 209 83,950
26 dem de 60 carros de
mao a C. Starr........ 210 840,000
28 dem de feria de ope-
rarios............... 211 640,160
31 dem de aluguel de es-
criptorio e despezas com
a escripturacao em dito
mez................. 212 400.000
4:487,263 ----------------
62:792.915
JlecapitulacBo.
Com administradlo,e
despezas eventuaes
egeraes.........11:130,707
Com a caixa d'agoa o
acaude do Prata.. 15:293,452
Com canos de ferro ,
chumbo, torneiras. 18:702,056
Com cscavaco atier-
ros c mais obras em
continacao, ferias. 15:815.630
Canos, bombas; &c. 1:851,070 62:792,915
Acces realisadas at esta data.
Com 16
Com 10
Com 6
Com 4
c. 4420. 35:360,000
c. 5587. 27:935,000
c. 85. 255,000
c. 775. 1.550,000 65:100.000
Balance- em caixa........ 2:307,085
S. E. eO.
Pernambuco 1.* de novembro de 1843.
B. J. Fernandes Barros.
a quem amamos, nada ha mais cruel do que
inspirar um amor a que nos impossivel cor-
responder: infelizmente o nico sentimento que
tinha para com Estella era urna profunda com-
paixao. Moco e romanesco, eu me reputara o
mais desleal dos homens, indigno da existencia
se enganasse urna donzellaqucdemim flava sua
honra.
Anda vos nao fallei da aia de Estella, como
purm ella entra em scena devo dizer-vos al-
gumas palavras seu respeito. Era urna pa-
renta de 1). Udivido que por pobre tinha ac-
ceitado essa condieco quasi servil, muito de-
vota, mui nescia, e cuja nica prenda era um a-
mor excessivo para com sua pupilla. Veio ella ter
comigo na tarde seguinte, depois de vesperas
com um ar enfadado, queme moslrou que es-
lava na confidencia do segredo de Estella, e en-
tregou-me um bilhete: eis aqu o quecontinha.
Fallei-vos com nimia franqueza, esqueci
as Icis da circumspeccao impostas a meu sexo ,
perd sem duvida vossa eslima ; mas compade-
cei-vos de minha situaco, tende d de mim.
I). JozPrais nunca obtei meucoraco, a ou-
tro pertence Co, a ess'cutre esi confiada a
felicidude e fortuna de Estella.
ai
w
5-
s
I
s
s
-!
Q
<
<
O
o
-J
u

3
id
C9
=a
Id
id
s
<
9
O
<
I
Gd
>
O
O
O

*""
0OCN f
O




1
o
O
c
a
u.
O
Q.
E
I
5 ,H
5.1
E
g
1
a. g
es .
O

, o.

. a>
-a
'. o
f
o

o
31
So
. c
1= o
U -!
S
o
g- 2 2 a. :
-o -o o
O W O O (,
. .42 *
O W ti ^ -^
. p .
5
.3 i
Ed p
"5 ti
3 co O
O t g-
1
e
o
n
o
w
9
C
(2

so
r-
n u)
00 to 00
cf t-T rC
i 00
*>
1
3 2
. o
J.E
c
s a
5 S
* -o
i 8
^
O p
22
.2
gS
co 3
8 11
Sil
r- II
-5
a
. a.
o
o
. a
2
. %m
. O
. O.
E
O!
O
S
9
o- O -5
Jsg
te s
<
. O O ra
1 .t; **
'5 "3 'a
-o -o g
52"
''-v 8.
iS
32cS
E 9 a
I I
V)0
Alfandega.
Ilendimento do dia 9......... 8:529g665
Descarrego he je 10.
Preciozofarinba. j
Aristidesbacalho.
Mary fazendas.
-Constantinotaaba.
-Latorence la, o salitre.
escuna Lady oflhe Lake fari-
nba barricas e taboado.
Ntglitingalefazendas.
Carolinafari n ha.
Eurotastaboado.
Brigue
Briguo
Barca -
Polaca-
Barca-
Brigue
Barca -
Brigue
Brigue
IMI'OHTACAO.
Xeglitingale, barca ingleza, vinda de Liver-
pool entrada no corrente mez consignar
de James Crabtree di Companhia manifestou
o seguinte :
28 fardos, o 12 caixas fazendas de linho 14
ditas e 4 fardos ditas de algodao 1 caixa olea-
dos ; a James Faton & Companhia.
10 fardos fazendas de linho 25 ditos, e 4
caixas ditas de algodao 1 barrica ferragens; a
Rozas Braga & Companhia.
51 caixas, o 24 fardos lazendas de algodao, 9
ditos ditas ; a W. E. Smith.
4 fardos fazendas de algodao;a Fox Brothers.
13 caixas, e 4 lardos fazendas de algodao ; a
R. Royle & Companhia.
1 caixa roupa e doce ; a Cooper.
50 caixas queijos, 50 barris manteiga; a
Brander a Brandris.
12 caixas fazendas de algodao ; a Latham &
Hibbert.
3 caixas fazendas de algodao 1 caixa ditas
de la 1 dita roupa ; a J. Stewart.
40 gigos louca 25 fardos, e 12 caixas fa-
zendas de algodao 4 ditas e 15 fardos ditas
de linho, 4 ditos ditas de la, aos consignatarios.
Respond immediatamente como me cum-
pria.
Amanha vosso pae me espera em seu es-
criptorio para concluirmos nossas contas elle
me ha de provavelmente convidar para jantar ;
de tarde espero ter a fortuna de conversar com
a senhora Estella e de provar-lhe a lealsin-
ceridade de seu criado
James Wallence.
Tudo aconteceo como havia previsto. De-
pois de jantar D. Udivido retirou-se para dor-
mir a ssla, a aia fingiu que dorma ou dor-
mio de veras, reclinada n'um soph ; eu pe-
guei na mi de Estella, e com toda a ternura
que possivel mostrar quando se nao est na-
morado, agradeci-Ihe seu bilhete. Mas,
disse eu, para ser digno de vos, para merecer
a honra que fazeis, devo fallar-vos verdade e
ser sincero. Eu amo a urna Fstella ingleza e
ser-me-ha custoso confesso-vos, ser-lhe fiel,
mas jurei que o havia de ser.
Era em demasa para o orgulho de urna mu-
lher, e muito mais para o orgulho de urna Hes-
panhola. Estella corou, levantou-se, ia reti-
rar-sc sem icpuuci-uiu Tiiei-iiw iambcm,
e suppliquei-lhe que uie ouvisse que nao cas-
4 fardos fazendas de linho, 11 caixas ditas de
algodao ; a Bernardo Lasserre & Companhia
60 barricas serveja, 12 caixas fazendas de li!
nbo ; a Me. Calmont.
8 barricas e 1 caixa ferragens, 11 fardos,
e 4 caixas fazendas de algodao; a Geo. Konwor-
thy & Companhia.
51 fardos e 25 caixas farendas de algodao
12 fardos e 11 caixas ditas de la 2 caixas
ditas de linho, 5 ditas ditas de algodao e linho,
1000 caixas sabo. 90embrulhos ps de ferro',
11 barricas, 1 caixa. e 1 embrulho ferragens,
a caixas retratos ; a J. Johnston Pater & Com-
panhia.
100 barris manteiga 47 fardos, e 10 caixas
fi'zondas de algodao, 1 caixa rendas de algodao,
2 .fardos fazendas de linho 2 caixas ditas de
la 3 ditas ditas de seda 2 ditas linhas, 1
dita amostras; a Russell Mellors & Companhia.
4 (,'irdos, e 1 caixa fazendas de la; a Deane
Youle & Companhia.
620 barras de ferro, 139 feixes de dito, 200
feixes di arcos de dito; a Silva Barroca & An-
drade.
100 barris manteiga ; a J. Cockshott 61 C.1
8 caixas fazendas de algodao ; a Gibson.
1 dita coi"" candieiros ; a Ferreira & C.1
1 barrica j.ilapa ; a Weitch Bravo &C.1
18 fardos, e 5 caixas fazendas de algodao 8
caixas linhas, 1 dita presuntos 168 gigos, e
2 barricas louca 1 caixa ignora-se ; a ordem.
26 barricas boleas, 27 presuntos, 27 quei-
jos 1 caixa retratos; ao Capito.
1 sacco amostras ; a diversos.
Movment'o do Porto.
Navio entraa'o no dia 8.
Cetle 59 dias barca sa rda Sagrado Coroa-
cQ.0 de Jess 241 toneladas, capito Jos
Caporro equipagem iO carga vinho,
azeitedoco, c. : a con^ignaco do Luiz
Bruguire.
Maranho 27 dias pataxo brasileiro Nep-
tuno de 122 toneladas, cap to Jos Men-
dos Sousa equipagem 12, carga varios
gneros: passageiros Jos Joaqu.:m da Silva
Porto brasileiro ; e 1 escravo emtregar,
crioulo.
Amburgo, 50 dias brigue diran narquez
Carawana de 240 toneladas cap to X.
Hohemariz equipagem 12 carga varios,
gneros. ,
Navios tahidos no mesmo dia.
Ass pataxo brasileiro Amora Feliz de 141
tonelada capito Manoel Malhiri de Frei-
tas equipagem 11 carga lastro.
Manilla e Conton barca americana Convoy ,
de 249 toneladas capito Tonne equipa-
gem 12 carga varios gneros.
kmmmmmmmSSmSmmmmmmmmmmSSSSSSSSSS
Editaes.
Vicente Thomaz Pires de Figueiredo Camargo*
inspector d'alfandega, 9fc.
Faz saber, que no dia 11 do corrente ao
meio dia na porta da mesma se bao de arre-
matar 48 cadeiras de Jacaranda duas marque-
zis de dito, 12 cadeiras de dito 24 ditas or-
dinarias 6 ditas dito 1 camap dito 10
poltronas e doze cadeiras dito, no valor de
428^000 rs. impugnadas pelo feitor confe-
rente, Joo Francisco Duarte no despacho
por factura de Venancio Percha Leal, sob
n. 1479 [sendo a arremataco sugeita aos di-
roitos e expediente. Alfandega 9 de novem-
bro de 1843.
V. T. P. de F. Camargo.
O Dr. Joz Nicolao Rigueira Costa. juiz de
direilo interino da primeira vara do crirne
da comarca do ecif por S. M. I. e C. ,
que Dos Guarde Sfc.
Faco saber que segunda sesso do jury des-
tigasse um infeliz que involuntariamente a of-
fendra que me nao carregasse com o peso de
sua colera o ella com um tom fri e cheio de
dignidude mo disse que nao achava de que of-
fender-se, mas que precisava nao me ver para
tranquillisar-se, e esqnecer as imprudencias
que praticra.
abi em (liante jantei diariamente em casa do
I). Udivido. Por tres das Estella pretextando
incommodos de saude nao veio mesa e no
quarto dia entreguei sua aia um bilhete i seu
theor era o seguinte.
Vos me aligis, senhora, porque que vos
nao vejo mais? Nesta semana retiro-me de
Valencia ; tranquillizae-me ; que me nao v
embora sem ter reconquistado vossa amizade ;
dignac-vos ao menos vir receber os adcuses de
um homem queso nao reputar feliz em quan-
to vos nao souber ditosa.
/. W.
Receb immediatamente esta resposta.
Bem a meu pezar senhor, nao vos posso
ver; rcrebei os meos sinceros adeuses. Es-
tella Udivido.
(Continuar-se-ha.)


1 .

S
toan no que sob a rr.inlia presidencia teve lugar
oeste termo de Iguarass, assistro com assi
duidade os sonhores jui/es de fado sorteados ,
Joz Cezar do Vasconceilos, Antonio Lobo de
Albertim liego Manoel Lobo de Miranda
Henriques Sebastio Tavares de Lira, Joz
Ferreira Antonio Alves Machado, Antonio
Gomes Ferreira, e os senbores juizes de Tacto
chamados, Manoel Filgueira Galvao, Pedro
Alexandre de Mattos, Manoel Francisco Ge-
zar Francisco Ignacio Joo Luiz Pereira ,
Joz Mariano d'Araujo e Silva, Manoel Joa-
quim Pereira, Joo Paulo Maciel Monteiro ,
Cosme Joaquim da Fonseca Galvao, Antonio
da Motta Teixeira Antonio Belchior Rangel,
Marianno Joz Lobo, Antonio Luiz Ferroira da
Cunha Joao da Cruz Macedo, Alexandrino
Joz d'Amaral Francisco Antonio de Castro ,
Estevo Joz Paz Bar reto, Francisco Dias Lei-
te d'Albuquerque, Joao Amancio de Souza
Rolim Joz de S Leitao Arnoso, Urbano
Joz de Mello Antonio Barhoza Cordeiro de
S Leitao, Luduvico Ferreira Velarim Joo
Gomes de Mello, Alexandre Ferreira dos Mar-
tyres. Manoel Gomes d'Archa, Manoel Pa-
tricio Coelbo da Silva Manoel Joaquim Paz
Sarment Aleixo Alves Bandeira Francisco
Marinho Falco Francisco das Cbagas Fer-
roira Duro, Senhorinho Mauricio Tavares ,
Hermano Joz da Silva tendo sido multados
em vinte mil reispor dia ossenhores: Joz
Alves Bandeira, Marianno d'Amorim, Joz dos
Prazores, Manoel Ferreira de Mello, Joz
Leitao da Costa Marinho Joo Theodorio de
Albuquerque Bernardo Vieira de Mello, Ma-
noel Ann Pragana, Deodato de Medeiros
Falco, Joo Rodrigues da Silva Joo Rapo-
zo d'Andrade Manoel Bizerra d'Albuquerque,
e em dez mil reis, os sonhores : Joz Ignacio
Pereira Francisco Alves Pragana Joo Pei-
xoto d'Araujo e Silva Alexandre Primo Ca-
mello Pessoa; aquellos por nao tercm compa-
recido nem apresenlado escusa alguma e
estes por nao terem sido julgadas legitimas as
escusas por olios apresentadas; do que para
constar mandei lavrar o presente, que ser affi-
xado nos lugares mais pblicos do mesmo ter-
mo o publicado pela imprensa. Dado e pas-
sado nesta villa de Iguarass sob o meu signal
e sello desto juizo ou valha sem sello ex causa
aos 26 de outubro de 1843. lu Adolfo Ma-
noel Camello de Mello e Araujo, escrivao inte-
rino privativo do jury o escrevi.
Joz Nicolao Rigueira Cosa.
$ tecla races.
No dia 10 do corrente recebe a malla pa-
ra" o Bio-Grande do-Sul, o patucho nacional
Brilhanle.
= Pela subdelegada de polica dos Aflogados,
se (az publico queacha-so recolhida a cadeia
po Becife urna preta do gentio de nome Joa-
quina que declarouser escrava de um homem
morador no engenho Matapagipe e estar f-
gida.
CONSULADO DOS ESTADOS-UNIOS.
= Os credores do fallecido Samuel Smilb,
cidado dos Estados-Unidos, queiro apresen-
tar suas contas no consulado dos mesmos Es-
tados-Unidos dentro em oito dias da publica-
cao d'esteannuncio licandocertos que depois
do tempo marcado nao se recebero suas recla-
macoes; e roga-se aos devedores do dito fal-(
Iecido o obsequio de pagarem quanto antes
suas contas no dito consulado. G. T. Snou,
cnsul.
Hojo 10 pelas 10 horas da manha ha-
ver rcunio dos accionistas da companhia do
Bebiribe.
CIRCO AMERICANO.
CAES DA RA DA RODA.
Sob a direcco de M. S. Lipman ,
DIRECTOR EQDKSTRE.
O proprielario Vlr. Enos Sage mui respeto-
samente participa aos Ilustres habitantes, e fa-
milias de Pcrnambuco que a sua companhia
s poder demorar-sc mais alguns dias. O mes-
mo Ibes tributa os mais sinceros agredecimentos
pelo mui liberal patrocinio, que Ihe ho pres-
tado confiado em que pelos seos eslorcos em
agradar-lhes continan a receber o mesmo a-
colhimento.
Sexta feira.e sabbado noute 10,e 11 de no-
vembro.
Primeiro acto.
Tcr principio o espectculonocirco por urna
pomposa cavalgada de oito cavallos, o caval-
leiros, que executarG muitos movimentos no-
vos e elegantes.
Segundo.
O joven e temerario artista equestre.Mr.Wil
liam Harrington filbo desempenhar os seus
graciosos e perfeitos actos de manejo a cavallo ,
u ucid pliiiCia c se oiiiuio uO cusa irt uil,
e apear-se-ba do cavallo na sua maior desfilada,
feito ainda nao tentado,nem executado por me-
nino algum do mundo.
Terceiro.
Seguir-se-ha umascena d'ambicao ou os
saltos rabes dados por toda a companhia aju-
dada pelo palhaco S. Lipman que mullo se
distinguir.
Quario.
Mr. M. Cloud executar com esmero a sua
scena drammatica do Mouro que morre em
dofe/.a da sua bandeira.
Quinto,
Mr. Sage representar as suas evoluces no
rame bambo, apresentando muitas posices de
equilibrio novas, e agradaveis.
Sexto.
Mr. Harrington apparecer no seo applaudi-
do carcter du manijo embriagado, com as al-
gibeiras ebeias de dinheiro de premio.
Haveraquum intervallode meia hora.
Stimo.
Mr. Blakeley executar pela primeira vez a-
qui os grandes saltos de trampolim por cima de
pannos, cavallos, e pelo meiod'um globo de
fogo.
Oitavo.
Mr. Harrington, e seo filbo esmerar-se-ho
nos seos inimitaveis exercicios de contorsos e
gymnastica.
Nono.
Ter depois lugar o principal acto do manejo
desempenhado por Mr. M. Cloud o qual, em
addico aos outros de sua execuco, saltar pela
primeira vez por dentro d'um arco rodeado de
punbaes.
Dcimo.
Mr. Lipman far as suas extraordinarias vi-
braces na corda bamba.
Dcimo primeiro.
Mr. Harrington concluir os divertimentos
d'estas noutes com os seos rpidos movimentos
sobre 2, e 3cavallos, ajudado por seo filbo o me
nio William.
Comecara a representaco s 8 horas da nou-
te ; e decisivamente nao haver mais que duas
alm das que fico annunciadas.
AVISO.
O proprielario roga encarecidamente a todas
as pessoas que tiverem contas com ello que
se dignem de apresentar Ih'as para serem satis
feitas; pois que,tendo j fretado um navio, ten-
ciona retirar-se infallivelmento dentro em pou-
cos dias.
PUBLICACA LITTEBARIA.
Acaba de se imprimir nesta typographia
urna guia ou manual pratico do processo cri-
minal no qual so acho transcriptas da ma-
neira a mais adoptada a pratica todas as dispo-
sicoes do cdigo do processo criminal, lei de
3 de dezembro 1841 regulamento do 31 de
Janeiro 1842 quedizem respeito as atribui-
edes dos juizes municipaes delegados e
subdelegados. Esta pequea obra foi feita para
as pessoas que nao tem conhecimentos de
direito nem pratica do foro criminal e por
isso seu autor cuidou em ordenar i s materias
do modo mais fcil a qualquer comprehen-
co nao duvidando para csse fim repetir al-
gumas disposices da lei, o regulamento trans-
crevendo-as ao mesmo tempo quaze todas com
as proprias palavras do legislador apartndo-
se apenas no systema de collocar as materias.
A simples leitura desta obra far sentir,
quanto se torna fcil por este methodo conhe-
cer o processo criminal do qual muitas regras
sao ignoradas por se acharem escripias com ma-
terias com quo nao tem conexo alguma :
esta vantagem mais sensivel se torna a respei-
to da formaco da culpa, cujo capitulo po-
der ser observado a risca sem receio de fal-
ta de formalidades.
Acha-se a venda na livraria da Praga da
Independencia n\ 6 e 8.
Jvis = Freta-se para os portos do Rio de La Plata
a muito veleira escuna ingleza denominada
Lady ofthe Lake sae com toda a brevidade ,
e tem excellentes commodos para passageiros ;
quem pretender dirija-so ao escriptorio dos
cansignatarios L. G. Ferreira & C.
Para Lisboa saecom toda a brevidade,por ter
parte da carga prompta, o bem conhecido e vel-
leiro brigue portuguez Conceic&o de Mario, de
que he capito Manoel da Costa Neves para
carga, ou passageiros (para o quo tem os melho-
res o aceiados commodos) ; a fallar com o mes-
mo capito, ou com o seu consignatario Fran-
cisco Severiano Rabello no Forte-do-Matos.
__ l>ara o Bio-Grande-do-Sul partir com
muita brevidade o brigue Fiel, capito Manoel
Marianno Ferreira para passageiros oferece
excellentes commodos e escravos a frete ; os
pretendentes tratem com Firmino Jos Felis da
!l,u, r.a u da eds r.. 7, cu cor.; o Caf,'.ac.
- Para o Maranho at o dia 20 do corren-
to partir o briguc-cscuna S. Matheos, com
bons commodos para passageiros para caiga
s recebe miuda ou escravos a frete ; os pre-
tendentes tratem com Firmino Jos Felis da
Boza na ra da Moda n. 7.
Le ilocs.
Joo Kellcr continuar por intervenco
do corretorOliveira o seu le lo de fazentlas
francezas suissa.s c alemas tanto de sedas ,
la e linho como de algoilo mui proprias
d'este mercado: sexta-feira 10 do correte 8 10
Jioras da manha, no seu armazem na ra da
Cruz.
= O corretor Oliveira far leilo de urna
porcao de vinho Madeira da mais excedente
qualidade que neste mercado tem sido im-
portado ha muitos annos, e j bem conhecido
dos entendedores, em ancorlas, contendo
2, 6, o 12 caadas cada urna, o por isso
mais recommendavel para presentes de festa ,
ou para facultara condcelo para o campo e
assim mais, do bons presuntos pqra fiambre
muito frescaes: segunda-feira 13 do corrente
as 11 horas da manha no armasem dos se-
nhores Joz Rodrigues Pereira & Companhia ,
prximo ao arco da Conceico.
Avisos diversos.
Offerece-se um homem casado para ad-
ministrar um engenho que tem bastante
pratica de agricultura e sabe os tempos legaes
das plantaces de cannas rocas, cercado para
o gado e determinar os negros para o servico
necessario do dito engenho e que d flanea
sua conduta ; quem do seo prestimo se quizer
utilizar annuncie sua morada.
A administradlo da obra do theatro pu-
blico compra duas soleiras de podra de Lisboa,
com cinco palmos de comprimento ; quem as
tiver compareca na mesma obra ou dirija-sc a
Manoel Caetano Soares Carneiro Monteiro na
sua prenca no Forte do-Matos.
^OCIEMDE . O primeiro secretario aviza aos Srs socios ,
que hoje pelas 6 e meia horas da tarde hasessao
da commisso administrativa paraapprovacaode
convidados.
Aluga-se o primeiro andar da casa de
sobrado de dous andares, por detraz da Ma-
triz de Santo Antonio n. 18 o qual tern
commodos para urna grande familia : quemo
pretender falle na ra do Bo/ario larga n. 48.
Precisa-se de um capello para dizer
Missa na ponte de Lchoa fondo principio
em dezembro pelo lempo de festa e depois
a dir na "ilatriz da Boa-visla, o resto do an-
no : a fallar na ra do Queimoclo na loja de
JoCio da Silva Santos.
Ouem annunciou querer comprar urna
rotula dirija-sc a ra da Camboa-do-Carmo,
casa n. 19 onde tambera se vende urna porta
de costado d'amarello e urna grade tudo em
muito bm estado; c sedentulho de clice
gratis, a quem o for buscar.
= Na ra de Santa Bita-nova, n. 91, prc-
cisa-sc de urna mulher para ama de urna casa
de pouca familia para todo o servico de urna
casa, e comprar na ra; e quedconhecimentoa
sua conducta : (aliar na mesma casa cima ,
a toda a hora do dia.
Abrio-se novamente o boquetim Cova-da
onca na ra do lo/ario larga admin.stra-
do pelo Monteiro dono que foi de um outro
botequim na ra das Cruzas, j ha annos ,
ondo so achara o boin cha e caf ; fazem-sc
jantares, e tudo oque pertence a aquello cs-
tabelecimento com promptido e commodo
proco.
= Na loja de Joo Loubet defronte do Pas-
seio-publico ha um novo sortimento de se-
das e outras fazendas novas, proprias pa-
ra cobrir chapeos de sol tudo superior e
de differentcscores; tambem se concerto e
fazem-se chapeos de sol por preco commedo ,
e com brevidade.
=N)uem precizarde feitores para sitio, ou en-
genho, caixeiros, artistas, e homens para agri-
cultura, ou outro qualquer trabalho, chegados
prximamente da Europa, os quaes podem fa-
zer o contrato de locadio de servicos confor-
me a lei de 11 de outubro de 1837;dirija-sc ao
Recife na ra da Cruz n. 23.
= Francisco Tarault participa ao respeita-
vel publico c com mais particularidade aos
amigos dos bons lineados que de boje em di-
ante ellesacharo a toda e qualquer hora na
sua casa de pasto franceza da ra da Lingoeta
n. 2, toda a qualidade de comida a franceza ;
assim como vinhos e licores de todas as quali-
I- I |A -------
uuva v^m.^ iuiii
II.
Vll, ,
pasteles, empadas da diversas sorles sala-
mes presuntos, linguieas &c. ; e que se-
ro servidos com o maior accio, limpesa e por
proco commodo. O mesmo Tarault ofierece-so
para mandar levar em as casas as comidas a
aque'las pessocs que com elle se ajustarcm ,
diaria ou mensalmento ou por urna vez g-
mente ; participa-semais que todos os dias
de manha um seu agente levar a casa do seu
freguezes pastis, pasteles, empadas, lin-
guieas e chourioas franeezas, proprias para
almoco.
Km um clima lao quente como o do Brazil,
onde as molestias lermino fatalmente as ve-
zes no esparo de poueas horas he mister ha-
ver um remedio que possa servir ao mesmo
tempo oomo preventivo e curador. A Me-
decoa i >, ular Americana tem essa proprieda-
de, tomada as vosea em quanto ella impede a
accumulacaodos humores, conserva o sangue
puro o conseguintemente para as pessoas menor
sojeitas a apanharem qualquer molestia, se|a
Becommenda-se portanlo ao publico em ge-
ral de ensaiar esto excedente remedio que ,
pelo lado econmico be | relerivel a qualquer
outra medecina de similhante na tu reza tendo
os caixinhasmaior numero de purgantes e por
menos proco.
O publico achara na Medecina Popular A-
mericana as pilulas vegetaes do Dr. Brandrelh
estas propriedades quo produzem seu effeito
sem dores ou encommodo algum nao se faz
preciso dida alguma e pode-se tratar dos
sens negocios nos mesmos dias, em que se to-
mar.
Vendc-se aqu em casa do nico agente
Joo Keller ra da Cruz n. 11 e para maior
commodidade dos compradores na ra da Ca-
deia emeasa de Joo Gardozo Ayres ra Nova
Guerra Silva & C. atierro da Boa-vista Salles
& Chaves.
Maria Joaquina do S. Thom professora
substitua das cadeiras de primeiras lettras do
meninas, cnsina particularmente ler, escrever,
contar, arithmetica e diversas qualidades do
costuras; tambem recebe em sua casa algumas
meninas de pessoas que moro fora da cidade,
ou que morando nella as queiro confiar a
sua educaeo : quem pretender utilisar-se de
seu prestimo dirija-se a ra Direita n. 64.
= Alugo-se dous negros socadores de as-
sucar ; na ra da Cruz n. 38, segundo andar.
VEITCH BRAVO &Ca
Vendem na sua botica e armazem de drogas ,
na ra da Madre de Dos, n. 1.
A preparacao seguinte por preco muito com-
modo e de superior qualidade.
Magnesia calcinada ptima.
Os stilutares eTeitos deste medicamento co-
mo purgante mui suave e capaz de se applicar
a todas as pessoas de qualquer sexo ou idade ,
absorvendo ao mesmo tempo todos os cidos
existentes em nosso estomago e que tanto
perturbum nossas luneces digestivas, tornam
seu uso recommendave!, e muito necessario.
A experiencia tem mostrado a um sem numero
de Medios sabios e verdadeiros observado-
res do efeito therapeutico dos medicamentos,
que tanto maior he a sua aceao purgativa ,
quanto maior he a quantidade de cidos que
0 maior parle das ve/es desenvolvein nossas (Jo-
aneas do estomago. Urna ou duas colheres de
soupa misturado com agoa durante odia he
qnantidade sufficiente para produzir born
e fe i l o.
Na mesma casa tambem se vendem tintas ,
e lodos os outros objectos de pintura ; vernizes
de superior qualidade entre clles um perfei-
tamentc lira neo e que se pode applicar so-
brea pintura mais delicada sem que produ-
za alteraoo alguma em sua cor primitiva. Ar-
row-Boot de BermudaSag Sabonetes -
Salmo de Windsor Agua de Seidlitz Agua
de SodaAgua de Seltz Limonada gasoza ,
Tinta superior para escrever Tinta para
marcar roupa Perfumaras ingle/as Fun
das elsticas de patente Escovas e pos para
dentes Pastilhas de muriato de morphina ,
e ipecacuanba Pastilhas finissimas de hor-
tel-pimenta Pastilhas de bi-carbonato de
soda egingibre. As verdadeiras pilulas ve-
getaes univeisaes do D.r frandreth vindas
de seu author nos Estados-Unidos, dc &b.
=A fabrica de machinismoda ra da Aurora
acha-se sortidade moendas de cannados niodel-
los mais approvados ; machinas de vapor de
forca verdaderamente de 6 cavallos tendo os
cilindros 16 pollegadas de dimetro interior;
ditas de forca de 4 ditos com dimetro de 14
pollegadas, dito de alto pressao com dimetro
de 8 ditas. e forca de 6 cavallos, a boa exe-
cuco de todas be garantida ; taxas de ferro
em uso crivos e mais ferragens para assen-
tamento, tudo feito na mesma fabrica onde
tambem se recebe encomendas de toda a qua-
lidade de machinismo.
= Aluga-se o sobrado
ra do( alderciro n. 12 ,
_._- i -_ .i:-::-
brado n. 7.
de dous andares da
por 300* rs. ; quem
un ud vjiuiiu SU



= Aluga-se urna casa em S. Amaro junto
ao sobrado do Cardozo pelo tempo do festa ,
muto fresca com commodos para pequea
familia ; a fallar comjoaquim Lopes de Al-
mcida caixeiro de Joao Matheos.
Trocao-se duas imagens de pedra vin-
das da Baha com suas mangas de vidro, sen-
do urna de S. Domingos e outra de N. S.
da Conceicao ; na ra do Sebo n. 22.
Jos Fernandes Galtz faz sciente a qaem
convier que Manoel Lobo de Carvalho, dei-
xou de ser seu caixeiro desde o da 5 do cor-
rente ; o mesmo annunciante participa a scus
devedores que quanto antes tenhao a bon-
dade de satisfacer suas contas.
Alugao-sc duas moradas de casas terreas,
sendo urna nova com um bonito sotao quo
tem seisjanellasde vidracas, bem pintadas, on-
de corre excellente fresco no principio da ra
do Padre Floriano ; os pretendentes dirijao-
se a ra da Cadeia do Recife n. 23.
Desejando dar um publico testemunho
da minha pura e cincera gratidao ao pres-
tantissimo e generoso Senhor Joao Francis-
co de Oliveira nao posso deixar de procurar
o vehculo deste acreditado Diario. Achando-
me gravementodoonte, e em perigo evidente,
e o mais falto de meios.com 6 natural na po-
ca presento a muita gente boa recorr afflic-
to ao sabio e Ilustrado Snr. Jo5o Francisco
de Oliveira o qual acodindo-me prompta-
mente com zello, e desvello em breves das
mo restabeleceo a custa dos remedios propros
eadequados, que me applicou. Os ceos dila-
tem, e prosperem os das do Sr. Oliveira, o Ihe
remunere a cura gratuita, com que brindou
ao seu grato, e reconhecido criado Manoel
Joaquim Varella.
Na Solidado casa n. 32, ha para alugar
urna preta crioula propria para todo o servi-
co internodc urna casa ; a tratar na mesma ca-
sa ou na ra do Trapiche n. 19.
- A pessoa quo tenha urnas cartas vindas
da Ilha-de-S. Miguel pelo brigue Triumpho
americano para Francisco Ferreira da Sil-
va tenha a bondade de as mandar entregar
na ra do Vigario venda da esquina onde se
arma o passo.
= Arrenda-se na ra da Florentina n. 16
um excellente estabelccimento para por urna
fabrica de qualquer natureza por ler um so-
brado com commodos para urna grande familia,
e um dos melbores portos para desembarque ,
tudo no caes do mesmo predio ; na mesma ca-
sa vende-se commodamente urna porcao de te-
nas bem feitas c cozidas.
Aluga-so urna casa de pedra e cal ultima-
mente acabada na encruzilhada de Belem,
muito propria para qualquer familia ; a tra
tar no sitio do Exm. gSenador Manoel de
Carvalho. no corredor do Bispo ; no mesmo
sitio tambem se recebem cavallos para serem
tratados a satisfacao de seus donos, por ter
muita abundancia de pasto.
Precisa-se alugar um preto ou preta
propria para vender na ra : na ra do Quei-
mado n. 40, segundo andar.
Aluga-se metade fe urna casa a urna
pessoa capaz, com pouca familia ; quem a
predenter dirija se ao pateo do Carmo n. 24.
= Precisa-sc de um caixeiro hbil no com-
mercio de assucar ; na praca da Independen-
cia livraria ns. 6 e 8.
As pessoas, que querem saber quem da
sociedade em urna padaria dirijaose a ra
larga do Rozario loja n. 32.
Trapassa-se as chaves de urna casa, sila
na ra do Pillar em Fora de-portas o vende-
se a armacao que a mesma tem muito bem
feita e propria para qualquer negocio por
ser em muito bom lugar ; a tratar na mesma
ra n. 122.
Precisa-se de um capellao para urna ca-
pella, distante desta praca 20 legoas ; no At-
erro-da-Boa-vista n. 37 terceiro andar a
fallar com Jos Rodrigues do Passo.
=Arrenda-se para se passar a festa urna casa
terrea, com duas portas, e duas anellas de fren-
te com um grande quintal portao o va-
rios arvoredos de fruto sita em Olinda no
Varadouro; a tratar com Manoel Antonio Coe-
Iho de OliVeira.
Cjuem precisar de um caixeiro para en-
genho do que tem pratica ou para restila-
dor, annuncie.
N3o se entende com o Snr. Manoel Jos
Soares Avillar o annuucio feito pelo Diario
n. 240 de 7 do corren te.
Deseja-se fallar a SebastiSo Antonio
do Reg Mello ; queira annunciar ffsua mora-
da nesta praca, para se Ihe entregar um objecto.
Quem tiverobra de tecido de palhinha de
todas as qualidades anda mesmo damnifica-
da pa ra concertar dirija-se a Olinda no
principio da ra do Amparo ; na mesma casa
tambem se engomma.
Precisa-se de urna ama de leite bran-
ca ou parda que tenha bom leite; na ra
20.
O armasem francez de Carlos Turquais,
ra da Alfandega velha' n. 34 na Lingueta,
acaba de receber um grande sortimento de cx-
cellentes charutos deHespanha, Babia, Vir-
ginia, eda America do Norte: vinho de Bor-
deaux em caixa e em pipas sendo o menor
preco 200 rois a garrafa d'ahi para cima ; vi-
nho branco de Champanhe, do Rhitn, de Ma-
laga muscatel superfino: licores de Bordeaux,
da Martinique, cognac velho, agu'ardente de
Franca, Rhirn e da Jamarique, kerchs, absin-
te da Suissa, genebra de Hamburgo, extracto
da ponche, charope de maracuj, lim5o, caj
&c. azeite doce, vinagre de framboise vina-
gre branco, e tinto, sal refinado conservas
francezas de peixe de caca de ervas con-
servas de frutas, vinagre, de pastel, presun-
tos de Mayence, btalas, manteiga; em fim
tudo que diz respeito ao commercio decomes-
tives e lquidos o tudo pelo preco mais com-
modo. Tambem ha no mesmo armasem sor-
timento de objectos da historia natural.
= Aluga-se urna casa na ra da Alegra ,
com 8 quartos, 3 sallas, 1 gabinete, e solao,
proprias para urna grande familia : a tratar na
Ra direita, armazem n. 9.
= Aluga-so urna casa no Monteiro ter-
ceira do lado das do fallecido Domingos Rodri-
gues do Passo, com duas salas, 3 quartos,
cozinha fora estribara para dous cavallos,
e quintal murado com portao para o banho :
no Atterro-da-Boa-vista n. 21.
= No dia 2 do corrento appareceo no
engenho Inhama um escravo procurando snr. ,
e diz que o senhor mora no matto e chama*
se Antonio Gomes Pinto ; sebo certo o pode
procurar no dito engenho ou nesta praca a
cntender-se com o Padre Bacalho, na Boa-vis-
ta ; ficando certo que se nao responsabilisa
pela fuga do mesmo.
Roga-se ao llm. Snr. Dr. chefe interi-
no da polica e ao delegado desta cidade, ha-
jo de tancar suas vistas povidentes sobre urna
sucia de peraltas que tem inventado uns fan-
dangos para o lado da ribeira, ou ra da Praia,
onde sao admi ttidos escravos que se ausentad
da casa de seus senhores para estarem noutes
inteiras entregues a esse pernicioso divertimen-
to que muitas, e funestas consequencias po-
de acarretar. Um que tem um escravo so-
cio dos taes fandangos.
= Faz-se qualquer negocio com um sitio
perto desta cidade o qual tem as melhores
trras para plantaces grande baixa para ca-
pim e pasto para vaccas, muitas plantaces
em estado de se colherem e muitos arvoredos
de bons frutos, boa agoa de cacimba e casa
de pedra e cal, os pretendentes dirijao-se a
Fora-de-portas, lado da mar grande confron-
te ao Pillar n. 6.
Compras
Comprao-se eflectivamente para fora da
provincia escravos de ambos os sexos do 12 a
20annos, sendo de bonitas figuras pagao-se
bem ; na ra da Cadeia de S. Antonio so-
brado de um andar de varanda de pao n. 20.
Compra-se cera de carnauba ; na ra
larga do Rozario loja de miudezas n. 35.
=r Compra se um par de brincos de dia-
mantes usados; quem tiver annuncie.
Compra-se um mulatinho de 12 a 14 an-
nns, c que tenha olficio de sapateiro ; na ra
das Cruzcs n. 30
Compra-se um Fio Sanctorum usado ;
na ra do Agoas-verdes n. 42.
de cores desetm maco que sorvem para Gol-
lete mantas, e gravatas de seda de cores, e
dequadros; na esquina do Livramento loja
da viuva do Burgos.
Vendem-se 4 candas de um so pao cada
urna; saccascom farinha de mandioca, sag
fino, tudo por preco commodo; na das Cruzes
n. 30.
Vende-so cal virgem de Lisboa, em bar-
risgrandes, e pequeos; no escriptorio de
Francisco Severianno Rabello.
Vendem-se gigos com superior vinho de
Champanhe tendo tambem em meias garra-
fas por preco mais barato do que em outra
qualquer parte ; na ra da Cadeia-velha ; ar-
mazem de assucar n. 12.
Vendem-se mui lindos lencos de seda de
ricos padroes, proprios para gravatas, e ricos
chales de seda tudo o mais barato
na ra doQueimado loja n. 14.
== Vendem-se sapatinhos para enancas a
00 rs. sapatos de marroquim preto para se-
nhora a 480 rs. borzeguins de marroquim
para senhora a 2000 rs. botins de marroquim
para criancas a 500, e 800 rs. espartilhos
para senhora a 1600 rs. botins de Lisboa para
homem a]2400 rs. sapatos de duraque para
senhora a 800 rs. luvas de pellica para homem
a 1280 e 1440 rs. meias de algodo mui-
to finas para meninas lencos de gravata bo-
tins emeios ditos francezes para homem, sa-
patos de lustro para homem, e meninos ditos
para senhora e menios, borzeguins gaspia-
dos para homem', senhora, e meninos agoa
de colonia muito fina e outros muitos objec-
tos por preco commodo ; na praca da Inde-
pendencia ns. 11, 13, e 15.
= Vendem-se taboas de pinho do todas as
larguras, e comprimentos, por preco com-
modo ; assim como urna porcao de refugo ;
atrazdo theatro arma em de joaquim Lopes
de Almeida.
Vende-se urna venda no Mondego n.
70 com poucos fundos; a tratar na ra es-
treita do Rozario n. 45.
Vende-se um cavallo muito novo, e gran-
de proprio para carro; na Rua-nova n. 52.
^ Vendem-se sabonetes a 80 rs. ditos
finos a 640, e 800 rs. essencia de roza a 1000
rs. agoa de colonia em frascos grandes a 1800
rs. pomada franceza a 200 rs. thesourinhas
douradas a 480 rs. ditas lisas a 200 rs. man-
linhas de seda para meninas a 640, e 1000 rs.,
luvas de pellica para meninas a 400 480 rs. ,
ditas pretas de seda para senhora a 640 rs. e
brancas sem dedos a 480 caixas de eolebetes a
70 rs. escovinhas para dentes a 160 rs. pen-
nasde escrever a 160, e200 rs. o quarteirao ,
papel de peso a 2800 e 3200 rs. a resma ,
dito de meia hollanda a 3600 rs. abotuadu-
ras de retroz a 400 e 480 rs. fitas de seda
para suspensorios a 640 rs. a vara transelim
de burracha a 160 rs. e outras muitas miu-
dezas baratas com amostras francas aos com-
pradores: na ra do Livramento n. 10 casa
amarella.
Vende-se urna escrava de 20 annos co-
zinha muito bem lavadeira e quitandeira;
urna dita de todo o servico; urna dita de 18
annos; umamulatinha de 20 annos. engom-
ma e cozinha ; urna negrinha e urna mu-
latinha de 12 annos proprias para mucam-
bas de alguma menina ; na ra do Fogo ao p
3008 rs. ,
na ra de
Vendas.

Vendem-se (neijos dosertao muito fres-
caes pescadas e cavallinbas salprezas : na ra
das Cruzes venda de Joao Jacintho Moreira.
Vende-se urna porcSo de sal de Se tu ha I,
que se acha a bordo do brigue Triumpho
Ameriuno ; a tratar com Jos Antonio Go-
mes Jnnior na ra da Cruz n. 23.
Vende se urna venda com poucos fundos,
a dinheiro ou com boas firmas ; na ra da
Senzalla n. 39, esquina do Beco-largo.
Vende-se urna escrava crioula para fora
da provincia de 17 annos cose e cozinha ;
na ra da Guia n. 58.
Vende-se, para fora da provincia urna
negra de 20 annos-, com bastantes habilida-
des/ quem a pretender annuncie.
Vende-se um negra moca de Angola ;
na ra da Senzalla-nova n. 7 primeiro andar,
ou na ra da Cadeia-velha n. 1.
V= Vendem-se fazendas, miudezas, e ferra-
gens muito em conta entre as quaes tem pan-
no fino de rela branca a 7500, e 8500 rs. o
covado cortes de collete de setim macu ,
preto cassa-chita franceza de muito boa qua-
lidade e da ultima moda tanto em cortes de
vestidos, como a retalho lencos grandes .
pretos de gorgurao de seda superiores lencos
do Rozario n. 8.
5= Vende-se urna venda na ra dos Pesca-
dores n. 7 ; a tratar na mesma. *
= Vende-se urna porcao de barricas que
foro de farinha de trigo ; na Camboa-do-Car-
mo n. 12.
Vende-se urna casinha de taipa sita na
Piranga ; barricas com farelos letria talba-
rim manteiga ingleza cevada cha hisson,
volas de espermacete cerveja da melhor qua-
lidade licores finos vinho do Porto tudo
por preco commodo; no pateo da S. Cruz, ven-
da de trez portas defronte da botica de Jos
Maria Freir Gameiro.
Vende-se superior manteiga em jarras de
12 libras, muito propria para casa de familia ;
uo armazem de Davis & Companhia na ra
da Alfandega-velha n. 36.
= Vende-se bolaxa de superior qualidade ,
a 4000 rs. a arroba feita com a melhor faria,
que h no mercado ; na ra Direita, padaria
n. 40.
=_ Vende-se um braco de balanca autor
Romao pezos de duas arrobas ate meia li-
bra e conxas, propria para armazem de car-
ne secca tudo em muito bom estado, duas
torneiras debronze, proprias para deposito do
azeite, ou mel, edous barriz de ptimo vinho
feitoria tudo por preco commodo, em a loja
que vende pao e bolaxa n. 2 quasi defronte
da igroja do Rozario se dir quem vende.
= Vende-se um molecote de 18 annos de
bonita figura ; na Rua-velha n. 57.
Vendem-se 4 escravos ptimos para
todo O trobalhn nm mnlonnp *Ip 19 ann*- -
3 cscravas mocas, cozinhao, engommao, e la-
vio ; um dita de meia idade por
cozinha, lava o vendo na ra;
Agoas-verdes n. 44.
= Vendem-so chapeos do Chile os mais
finos, que nesta cidade tem apparecido che-
gados no ultimo vapor do Rio-de-Janeiro ; na
Rua-nova, loja franceza de Amaral SPinheiro.
Vendem-se, por barato preco 2 caixSes
envidracados proprios para amostras de ven-
da um par de esporas de prata com mais de
meia libra, 16 caixas vasias do Porto urna
canoa fechada, com mais de 60 palmos do
comprida; na Rua-imperial, venda da es-
quina n. 2.
= Vende-se urna canoa, por preco com-
modo a qual serve para deposito d'agoa por
ter sido deste trafico ," ou para carregar entu-
Iho ; na ra do Pillar n. 141.
Vendem-so chapeos do Chile finos, o
chegados agora ; na ra do Queimado loja
n. 25 de Guilherme Sette.
Vendem-se machinas de vapor de 3 4,
e 5 cavallos moendas para agoa e animaes ,
taxas de ferro batido e fundido, formas de
ferro, e urna prensa hydraulica para emprensar
saccas de algodo: na ra da Senzalla-nova n.
42 casa de Fox & Stodart.
= Vende-se um bonito molcque de 18 an-
nos ptimo para pagem tem olficio de ca-
noeiro, e tambem sabe pescar de tarrafa,
vende-se por necessidade ; em Olinda ra de
Baixo, casa de Carlos Correira Mendos Si-
mos.
= Vende-se, por precisao, urna negrinha
de nacSo Angola de 14 annos, boa cozinhei-
ra e faz todo o servico de urna casa menos
costura por ter pouco uso e no tem vicios ,
oque se afianca ; na IIua-velha n. 93.
= Vende-so urna parte do sitio da Solidado
ao p do beco do Boi o qual foi do fallecido
Jos Roberto, e hoje dos herdeiros de Antonio
de Queiroz Monteiro Regadas cujo parte he
no valor de l:692g578rs.; no Atterro-da-Boa-
vista n. 21.
= Vende-se veludo frencez para vestidos do
senhora a 880 rs. dito superior em qualidade,
e em cores a 1280 rs. mantas de seda ch i no-
za a 5500 rs. ditas de setim a 84 e 108 ". .
lencos de veludo de 3 pontas, modernos a 2400
rs. ditos pequeos de seda para meninas a
320 rs. e do-se amostras de veludo a to-
dos os compradores, para melhor poderem co-
nhecer a boa qualidade da fazonda, e alm des-
tas fazendas, ha outras muitas, por barato
preco ; na ra do Queimado loja n. 1 de
Francisco Jos Teixeira Bastos & Companhia.
= Vende-se urna negra de naco propria
para mucamba com bonita figura e com
principios de costura; no beco do Veras n. 13.
= Vendem-se palhas de coqueifo para ba-
nheiro ; no sitio do Cajueiro.
Escravos fgidos.
No dia 4 do corrente dcsappareceo um
molequo do nome Luiz crioulo secco do
corpo feicocs miudas bracos, e pernas fi-
nas ps grandes, e com muitos bichos ; levou
um ferro no pescoco e consta que anda con-
duzindo carne em cavallos para os assougues;
quemo pegar, leve a Rua-bella n. 40, quo
ser recompensado.
Dcsappareceo no dia 6 do corrente urna
preta crioula, de nome Mariana, estatura alta,
e bonita figura ; levou vestido branco e pan-
no da Costa ; consta que andou na Estancia
procurando senhor para a comprar; quem a pe-
gar, leve a praca da Independencia n. 4 que
ser gratificado.
= No dia 6 do corrente fugio um preto de
nome Joaquim quo andava comprando lato,
o cobre velho., com urna cora no meio da ca-
ca beca urna perna enchada, com cicatrizosem
um dedo do p tem os escrotos crescidos, de
50 annos; levou calcas o camisa do estopa ,
tem um lobinho no braco direito ; quem o pe-
gar leve a ra do Livramento loja de funilei-
ro n. 34, que ser gratificado.
= Da-se 30,000 rs. de gratificacao a quem
pegar um negro crioulo de nome Lucas, al-
to pernas um pouco acangalhadas, oflicial
de pedreiro regrista com algumas marcas
do um tiro, que levou ha pouco tempo e outras
de acoites, um dedo de urna das mSos aleja-
do e tem os cantos da testa fundos ; quem o
pegar, levo ao sitio do Retiro na Passagem-da-
Magdalena ou na ra da Cadeia de S. Anto-
nio na loja do sobrado n. 15.
= Fugio no dia 5 do corrente a escrava Ca-
tharina de Angola ainda moca altura re-
gular ps feios o grandes secca do cor-
po peitos pequeos os dentes da parte do
cima quebrados ; levou vestido de chita; quem
a pegar, leve a Rua-nova n. 33 que ser gra-
tificado.
Rkcifb: na Ttp. dbM. F. dr Faria. =18*3


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EANU0J0PV_Y0ZYYG INGEST_TIME 2013-04-12T22:00:43Z PACKAGE AA00011611_04508
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES