Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04504


This item is only available as the following downloads:


Full Text

Anno de 1843. Segnnda Feira 6
t Aa eeora depende de no mesmoa; di noa.a prudencia, modertgSo, e energa: con-
. Lmo principiamos, e terenoa aponudoa con. admiraSno entre aa Nagdee man
nuemoa como v r IWlamaco da Aaaembleia Ger.l do BaUML.)
ClltM. ___________________J_________L--------------------------
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES^
P.hTba. eeeand.s e sexta, feraa. Rio Grande do Noria, qulnUt ftr.
oianna, e rarauj ..." *4
^,UGr. "Rio Formo., Porto Cairo, Macelo, A1.ro., no 1 44. J4.
Cabo, *r.nb. s to Xb1io quinU, f,i, Olinda todo oa di...
Bo.-Tue*lure,k,a' DAS DA bEMANA.
C.,R F And. do J deD.dat...
i '.. H In" o B R... *nd a J de .,. da 3. v.
I .V9". L Caitori.. Aud do J. de D da 3. r.
}JR1.S3S Aud.doJ.deD.d.,.r.
ul...i a Theudoroiu --
Ji D.'.! 6 Petr-cinio de No... ^^_____________
T.
de Novembro Anno XIX. N. 239.
d. 1 re. ,-or cartel ,.*>, adi.nt.do.. O, .nnonc.0. do,**V, -reW"
gr.tis eo. do. qn. n.o forem r.aio de M) re., pnr l.nha. A. ""?"' 6,8.
g.da, a e.t. Tip., iu da. Cru.e. N. 3, o epr.ce da lndependenc. loj. de l.rro.
CiamosNo di. 'i de Norembro. compra
Ckioaobr. Londre. t d. Oo.o-Moed. d. 6,400 V

Para 17 J rea por franco,
LiaballO por'lOOd.premio.
Moed.de cobre por cento
dem deletread, boa. firm. i 1 1| g.
de 4,000
Plata-Pataco*.
Patoa Columear.
dito. Me.ic.no.
N. 46,0i)
DDO
1,800
l,SO0
1,800
Tanda.
17 700
16,500
'J.20U
1,820
4,80
l.SO
PHASES DA LA VO MEX DE NOYFMBRO.
r n,...7 3 horaa e l m. d. m.nbal Lu. or. i, aa 3 hora, e 14 m. da tarde.
Quar mg. 44, .<" U minutos da t.rd. | Oa.r. M. 28, i. 4 hora, e 19 r
Preamar de hoje.
1 .4 hora. Tu .. d. wmmUm. I -" d" -*
dat.
EXTERIOR.
BUENOS-AYRRS. MONTEVIDEO E OS RE-
BELDES DO RIO GRANDE.
Illm. e Exrh. Sr. general presidente T). Fru-
tuoso Rivera.-Mcu bom amigo o Sr.-Achan-
do-se na llha do Fernando de Noronha, na al-
tura de Pernambuco, urna porcao de prisione-
ros rlo-grandenses. que para all renietteu o ty-
rannico governo do Rio-de-Janeiro; e desban-
do a todo o custo salval-os d"aquelle captiveiro,
rozo a V. Ex promova esta empresa, encurre-
ando-a a um homem de capacidade. que arme
Sin ou dous navios que pnto conduxir crea
de '200 humen que sao os prisioneros que al-
l se a.ha. Conseguida esta empresa eu me
comprometi, por mim e cm nomo do governo
aquetenho a honra de presidir ara>flcar o
emorehendedor com a quantiade 10 a 15 contos
do reis cm metal, sempre que desembarque os
urisioneiros en qualquer porto deste estado ;
podendo V. Ex. adiantar a quantia precisa, e a-
flancal-a, pela qual respondo a V. Ex.
Este ac de humanidade em favor da liber-
dade, pela qual tanto se ha sacrificado V. Ex., o
collocar cada vez mais no eminente "lugar que
Iho esta destinado, como o primeiro libertador
desta parte do Continente Americano; o os rio-
cranuenses ser-lhe-hao eternamente agradeci-
dos, Igualmente com o que tem a honra de ser
De V Ex amigo grato e camarada lenlo
Gonclm da .tt/ca-Ojieguay, 26deoutubro de
outbro de 1S12.
Commissa especial a repblica Rio-grandense.
Exercito nacional.
Algrete, setembro 30 de 1812.
Marchando o Bxm. Sr. presidente desta rep-
blica acompanhado por mim ate ao quartel ge-
neral de S. Ex. o Sr. presidente general em che-
lo do exercito nacional impo.ta aoserviCo pu-
blico que, seaV. sedirigirem communicagoes
para aquelle magistrado, as envi sem a menor
demora ..o dito quartel gc.eral na barra do Que-
anay.Melcliior Pacheco y Obes.
Sr. commaiidaute militar da povoacao do
Salto.
Cjmniissao especial junto do governo rio-gran-
dense.
Exercito da repblica.
Arapehy outubro 8 de 18*2.
OExm.Sr. presidente a repblica no-graii-
dense marcha com o seu ministro da guerra, a-
companhodo por mim at ao quartel general de
S. Ex. o Sr. presidente general em chele; e c -
modeve amanhaa tocar nesaa povoacao, pievi-
no a V. para que so sirva proporcionar-lho urna
casa em que passe a noiteco.n a devida com.no-
didade, e lambem paraquo por parle dessecom-
mand > se Ihe Taca o recebimentu mais distincto.
correspondente ao seu alto carcter, pois assi.n
m'o tem ordenado S. %. o Sr. presidente da re
publica para ocaso em quo aquelle magistrado
queira entrar e.n algunas de nossas povoacoes.
A cummun.caco junta paraS.x. urgente, e
como tal a rec......nondo a V. para que a laca se-
guir .miidial-miento.-Deus guarde mullos an-
no<. Si. Pacheco y Obes.
Sr.commandarite militar do Salto.
(entinella da Monarchia.)
|S,TRIOB.
RIO DE JANEIRO.
B0LET1M DA SAUDIi DES. A. I.
XXVII.
S *>. I. tem passado sem novida.le ; e co-
mo esperamos que assi.n cont.ne at seu com
pelo estabeleciinento, suspendemos desde j
a uublicacae do boletins que apparecero
somente no caso de sobrevir alguma c.rcuns
tanria, quo embarace a sua c mvalescenca
Paeo, 18 de ouiul.ro de 18 W as 11 bo
ras da'noite.- de Assis Pereira da Cunha.-Jos Martn* d.
Cru.Jobim. -Francisco Jos de S<.
ISentimlla da Itton )
Na sesmo da cmara do< Srs. Reputados de 21
de srlemhro foi lid o seguirte projecto (/-
rnmmissfi. anertal sobre hiedes
A commissa especial encarregada por esta
augusta cmara de organisar urna lei de elei-
c5es vem hoje apresentar o resultado dos seus
trahalh is: ella teria descorcoado perante as dif-
ficuldndcs do seu encargo seno fra a profunda
convicco da necessidade dc8a lei to altamente
reclamada por todas as opinies polticas do
paiz e a obediencia que ella deve cmara ,
que a honra com a sua conianca.
Destruir de cbofre as ca isas que conspiro
contra a legitimidade das elcicoes e que tem
tornado a epocba destinada para a manifesta-
rlo da vnntade nacional como urna verdadeira
ralami.lade. fflra impossivel: nSoestnos
poder do legislador destruir entre outras cau-
cas a indiTerencacom que a populac5o olha
para as eleicoes e a impudenc a que se apro-
veita dessa indilTerenca para usar de todos os
artificios: a impunidade, que expe vingan-
?a o fraco que nao vota com o poderoso e a
i.nmoralidade que se aproveita dessa impuni-
dade paia vencer ; a ignorancia e dependencia
de algumas classes da sociedade ( chamadas nao
obstante para votar) e as amhieoes pessoaes que
o aproveitao destascircunslancias paradespoti-
sarern e triumpharem, expellindoda lula elei-
toral os principios polticos : a llegibilidade de
todos os empregados pblicos e sua interfe-
rencia Ilegitima as eleicoes de modo que a
sociedade nao ve nelles os fiscaes dos abusos ,
mas inventores e complicas: ao tempo e a civi-
lisacao pertence a obra do infundirla popula-
cao a consciencia de seus direitos e liberdade, o
interesse pela eleico dos seus representantes; o
espirito de resistencia a fraude e violencias que
nvertem a expresso da urna mmoralidade
que santifica todos os recursos s ambicSes
pessoaes que conspiro contra a sociedade.
A commissa nao desconhece quo algumas
destns causas podem ser removidas exigindo-
8'outras condicoes eexcepcoes de llegibilida-
de eelevando-sea renda que a constiluicao
exige ; mas, sendo estas reformas respectivas
aos direitos politicos, n*o podem ser adoptadas
I7i o sesuintes da mcsma constituicao. Certa-
mente o quantum da renda variavel com as cir-
cumstancias n8o pode constituir urna condi-
cao permanente deve sor fixado por urna lei
regulamentar e nao pela constituicao : por
ter a constituirlo fixado esse quantum que hoje
volao e s5o votados aquolles que o espirito della
manilestamente repellio.
Nao sendo possiveisessas ref'rmas radicaos,
a commissa as circumscreveu a f-rma das elei-
coes e neste ponto ofTercre algumas modifica-
res qu Iho parecftrSo importantes, cuja defe
sie ustiicacao guarda para a disrussilo. A
commissio pois tern a honra de apresentar es-
ta augusta cmara a seguinte resolucSo :
A assombla goral legislativa resolve :
Art. 1. As eleices dos ele.tores deparo
-hia sero feitas em todo o imperio pela forma
stabelecida no decreto de \ de maio de 18 Vi .
com as eguintes alteraros .
seccAo i. Do ahstamerto dos cidaddos.
1. A junta parochial formar somente
a lista dos cida'daos activos que pdem volar ou
;er votados. '
O numero dos eleitores ser calculado pelo
numero dos votantes: haver dous eleitores por
rada 100 votante*.
2 Na renda liquida nSo se computSo os
voncimentos que a titulo de fardamento for
ragens, etapes ou comedorias percebem a*
oracas de prot do exercito cahnada os guardas
..acionaes destacados. os guardas municipaes
iu policiaes, e os mMrinbeiros dos navios de
guerra.
3 Oscidados quechegarem de novo
- parochia vindos de frtra do imperio ou de
..itra provincia qualquer que soja o lempo de
-esidencia que tenhao na epocba da forma^ao
IssItstM, sero incluidos ncllas, se mostrarcm
mimo do permanecer.
Si" A unta parochial para formnco d;.
'ista servr-se-ha nao s dos meios cstabelec-
'os pelo art. 5. do decreto de 4 de maio, com-
tamben, admittir as denuncias, participares
e esclarecimentos que os cidadaos oflerecerom.
S. A junta parochial se reunir em o
dia l.do Janeiro do 4 "anno da legislatura ac-
tual pan formar a lista dos cidadaos activos e
concluir o seu trabalho at odia 1." de fe-
vereiro.
6 Organisadas as listas serao publi-
cadas por editaes e pelas folhas publicas onde
as houvorem at o dia 15 de fevereiro e a
junta convidar aos cidadaos para re.lamarem
perante ella contra a inclusao ou exr lusao.
O prazo para eitas reclamaces ser de tres
dias.
7. As alterarnos que em virtude das ditas
reclamaces a junta lizer sorao publicadas pela
impronsa e por editaes.
8." As listas com alteraces ou sem ellas
sero remcllidas al o dia l. de marco ao jui/
municipal, como presidente da junta revisAra
9 A junta revisora ser composta do juiz
municipal como presidente de dous verea-
doros mais votados do delegado lo termo e
do um cidado sorteado d'entre os jurados alis-
tados para servirem no anno.
O sorteamento se far pola mesma forma, por
que se faz para as sessSes judiciarias, e com as-
sisteneia do delegado.
10 Lo20 que o juiz municipal receber as
listas publicar editaes convidando os cida-
daos que quizerem reclamar contra a inclusao
ou exclusao.
Estes editaes serao publicados porlSdras suc-
cessivos at o dia 15 de marco.
11. O prazo para as reclamacOes dos ci-
dadaos comecar em o dia 15 de marco, e fin-
dar em o dia 1.# de abril.
As reclamaces serao dirigidas ao juiz mu-
nicipal quedellas passar recibo aos recla-
mantes.
12. Em o dial.0 de abril se reunir a jun-
ta rovisOra das listas, para o exame o roviso
das listas e concluir o seu trabalho at o dia
1. de maio.
13. A unta revisora incluir as listas os
nomos dos cidadaos que forao injustamente ex-
cluidos pela junta parochial ou quo do novo
i-hegro e excluir os que morrrao ou so
ausentarlo e os que forao indevidamente in-
cluidos.
H. A junta revisora bem pode sem re-
clamacScs, mas por denuncia de qualquer ci-
dado ou participaco das autoridades das fre-
guesas e depnis de averiguado o farto ex-
cluir aquellos que forSo indevidamente inclui-
dos com o fim de elevar-se o numero dos elei-
U)T'S- .. j
15. Revistas as listas serao publicadas
pea imprensa e por editaos e lancadas em livros
proprios fornecidos pola cmara municipal, o
numerados e rubricados segundo o art. 30 do
precitado decreto.
16. Destas listas se trara5 tres copias au-
Ihenticasassignadas por todos os membros da
junta, c dolas urna ser romettida ao presiden-
te da provincia oulra ao ministro do imperio,
e a terceira ao iuiz do paz quo deve presidir a
mesa parochial at o dia 1. do unho.
O juiz de paz de cada urna das parochias per-
tencentes ao termo da unta revisora. logo que
receber a lista dever publical-a no seu dis-
iricto. e dar copias authenticasdellas aos jui-
zos de pa* dos outros districtos para que as pu-
bliquen).
As copias serao tiradas pelo escrivSo de paz
de cada um dos districtos e rubricadas pelo
juiz de paz do 1. districto.
Se 15 dias de.pnis do recobimcnto da lista nfio
frella publicada em cada districto da parochia,
o juiz de paz e o oscrivao r spectivos incorrem
na multa de 50 a 1008 imposta pelo juiz mu
Dicipal c cobrada execulivamcnto para a c-
mara municipal.
17. Estas listas servir para as eleicoes
do eleitores. ju7es de paz e vereadoros quehou-
verem depois deltas, em quanto nao forem subs-
i tuidas ou alteradas pelas listas de que tratao os
paragraphos seguintes.
revisora se reuniro nos dias designados em os
paragraphos antecedentes nao para fazerem
novas listas, mas s6mente para n-vCrem e cmon-
da-ern as do anno passado incluindo os cida-
daos que de novo chegro, e aquellos que ad-
quirirlo as qualidades para votarem e serem
votados, e excluindo os que perderlo essas qua-
lidi-desou se ausentarlo ou morrrao.
19. As listas de todos os cidadaos activos ,
e oadditamonto que as juntas fizcrem em cada
anno serlo publicados e remettidos na forma
o no tompo prescriptos nos 7. 9 11 e
15 : durarlo em quanto nlo lorem substituidas
pelas do anno seguinte e servio para quaes-
dUer eleicoes que so fizcrem depois dellas ou
de eleitores ou do juizes do paz ou de verea-
dores.
20. Logo que o governo na eOrte e os pre-
sidenles as provincias receberem as listas da
junta revisara publicarlo por editaes e pelas
folhas publicas o numero dos eleitores que cada
fregue/.ia deve dar: este numero ser fixado con-
forme o 1.
O numero que o governo fixar subsistir em
quanto nao chegaiem I parochia ordens em
contrario.
A junta revisora fixar provisoriamente o nu-
mero de eleitores as primeiras eleicoes que se
fizerom depois desta lei quando pela distan-
cia das parochias as ordens do governo nao
chcgarcm 15 dias antes das eleicoes.
Se o numero que o governo fixar, for menor,
deixlo de ser eleitores os menos votados que ex-
cederem ao numero ; se for maior sero elei-
tores os supplentes mais votados.
S 21. O prazo para as eleicoes ser designa-
do de modo que entre as eleicoes primarias e as
secundarias, entre estas ea apuracao geral, ha-
ver intervallo de um mez.
22. Os livros de que trata o 16ser5o
tantos quantas frem as freguezias do termo a
que pertence a junta revisora.
Cada pagina do livro ha de conter somente
dous noines para que I margena se possao fazer
as declaracoes da morte ausencia ou outras
quaesquer : estas declaracoes serao feitas e ru-
bricadas pelo juiz municipal.
Lancadososnomcs dos cidadaos activos al-
phalretcamente se restarem paginas em bran-
co em cada letra, e depois de escriptos os no-
mes se far declararlo do encerramento, ru-
hricada pelos membros da junta
23. As sessScs da junta serao publicas o
em lugar destinado pelo governo ; os presiden-
tes dellas volao somonte em o caso do empate.
24 (guando houver mais de um juiz mu-
nicipal, ser presidente da junta revisora o juiz
municipal da 1.a vara.
25. Os jui/.cs municipaes ou de paz eos
membros de qualquer das juntas, incorrem na
multa de 200$ a 000S que sera imi.osla pelo
presidente da provincia c cobrada executiva-
iiicnte paraocofre municipal,sedeixarem de or-
ganizar rever, publicar e remetter as listas em
o tempo determinado nos paragraphos autece-
denles
26. A apuracao das listas se regular pelo
cap 3 das nstrueces de 26 de marco de 1824:
(ica revogado o cap. 1 destas i nstrueces e os
artigos 6, 7, 8, 9 e 10 do dec eto de 4 de maio
de 18V2.
secca ii. Formago da mesa parochial.
27. O processo para a formacao da mesa
parochial ser o mesmo estabelecido no cap. 2.
do decreto mencionado.
28. No dia aprazado para as eleicoes. pelas
8 horas da manhla, celebrar o parocho a mis-
sa do Espirito Santo, e far ou outrem por elle,
urna oracao anloga ao objecto.
29. Os bilhetes que devem ser lanrados na
urna para o sorteamento dos 16 votantes conta-
rlo nao s os nmeros, senio tambem os n-
meros dos cidadaos elegiveis.
30. Os hhetes extrahidos da urna serio
entremos pelo menor ao escrivSo, que os dar
ao parodio, e este ao juiz do paz, e todos tres,
I medida que os forem recebendo, ps publica-
s
i, tm caria anno as jumas parochiai e#ro tie seu ma.mv c... .i *
IL EGIVEL


Publicados os bhetes, serSo lancados em ou-
tra urna.
31. Findo o sorteamento, os bilhetes ex-
trahidos e os de todos x>s cidadaos elegiveis se-
rio emmassados em separado, lacradose remet-
tidos para acamara municipal, onde ficaro
atoa futura legislatura.
Estes bilhetes sao sujeitos tambem ao exame
judicial, permittido pelo art. 29 do decreto de
Y de maio.
32 No impedimento de qualquer dos
rnemhros da mesa que naosejao o parochoe
juiz de paz, serao chamados os irnmediatos em
votos ; para este fim a acta da eleicao da mesa
devera mencionar, nao so os nomes dos secre-
tarios e escrutadores quesahirao, se nao tam-
bem de todos cidadaos que obtivcrSo votos.
Nao havendo immediato em votos, servir
os cleitores mais votados da legislatura antece-
dente, que mais promptamente poderem com-
parecer.
33. A clausula do art. 15 do decreto ci-
tadod'entre os cidadaos presentes, ou que
possao comparecer dentro de urna hora re-
fere-se tamhom aos cidadaos que forem sortea-
dos para votantes da mesa,
34. A mesa parochial para a eleicao dos
juizes de paz e vereadores ser formada pela
mesma maneira detorminada nesta seccao,
35 Fica revogado o cap. 2. das instruc-
cocs de 2 de marro do 18 \k.
seco a 6 ni. Rectbimento das cdulas.
$36. As ecdulas dos cidadaos que nao
souberem escrever seiiio entregues por elles
mesrnoseassignadas pordous cidadaos elegiveis.
37. Os cidadaos que por qualquer impe-
dimento nao poderem comparecer pessoalmen-
te mandaro suas cdulas por procurador.
38. procurador, para que se ja admi-
ttido, devera ser un cidadao elegivel e que a-
presente procurarlo.
Serao recebidas as procuracoes de letra do
ndadao, quando elle fr daquelles a quem a
le outorga este privilegio.
39. Nenhum cidadao poder apresentar
como procurador mais de cinco cdulas.
Nao soadmittir procuracoes assignadas
por mais de um cidadao: cada um far a sua
procuracao em separado.
40. Se apparecerem duas cdulas do mes-
mo cidadao apresentadas por diversos procura -
dores, serao ambas rejeitadas inlimtne, seo
cidadao nao vier declarar qual dolas a ver-
dadeira.
Se se verificar, que urna verdadnira ea
outra falsa, ser recebida a verdadeira, e a me-
sa multara o procurador, fahelliao e festemu-
nbas da cdula falsa na quantia de 200S000 rs.,
que ser cobrada executivamente para o corpo
municipal, e remetiera para o juiz crimnala
cdula e procuracao para proceder -se na forma
da Ici.
O mesmo procedimento tera lugar se fo-
rem ambas falsas.
Se ambas forem verdadeiras, serao rejeita-
das, e o cidadao perder o direito de ser vo-
tado.
S 11. Nao se admittem cdulas com no-
mes riseados, alterados ou substituidos.
As cdulas serao assignadas pelo procura-
dor e pelo cidadao impedido.
42 As questf.es que se suscitarom a res-
peito do recebimento das cdulas serao tratadas
e decididas depois que se retirar da divisao da
mesa o quarteirao que estiver votando.
43. Na bypolese do art 22 do decreto
de 4 de maio, a mesa smente poder anullar o
recebimento das cdulas do quarteirao quo as
entregou confusamente e contra a forma pres-
cripta.
Neste caso a mesa convocar os votantes
para que compareci em o dia seguinte, aim
de yotarem de novo, e ir por diante com o re-
cebimento das cedulasdo quarteirao immediato.
44. Nao poder entrar umquai tetrao na
diviso da mesa sem que as cdulas daquelle
que sabio estejSo recolhidas grande urna, que
estar sempre fechada.
Haver urna outra urna pequea, em a
qual, conforme o art 21 do referido decreto ,
o secretario ir aneando as cdulas dos votan-
tes, proporcao que forem entregues, rubri-
cadas, e numeradas.
45. A mesa smente poder anullar todo
o recebimento que tiver sido feito, o proceder
a secundo, quando a urna for violada e falsi-
ficadas ou subslrahidas as cdulas, ou substitui-
das urnas pelas outras.
Neste caso, feito o corpo dedelicto pela au-
toridad.- judiciaria que ser logo chumada pa-
ra essefim, a mesa por editaes convocar os
\otantes para que compareci em o dia que ella
designar, afim de votarem de novo.
A mesa nao poder marcar um prazo me-
nor qeu 8 das.
seccao 4.a Disposices diversas.
46. Ouando pela assemhla g nnulladas as eleicoes primarias de urna provin-
cia, considero se nullas as eleicoes dos mem-
bros das assemhlas provinciaes.
47 Ao governo cumpete dicidir cerca das
nulidades e duvidas que occorrem as eleicoes
dos juizes de paz e vereadores.
48. E' permittido chamar supplentes, nao
so em os dous casos do artigo 31 do decreto de
4 de maio, como tambem quando o eleitor es-
tiver ausente da provincia temporneamente e
no caso de molestia ou impedimento.
49. O eleitor s pdevolarnoseudistricto.
50. Ficao revogadas as multas impostas
pelo decreto de 29 de Julho de 1828 ao eleitor
que nao comparece, e pelo artigo 9 da lei de
1." de outubro de 1828 ao cidadao que deixai
devot r.
51 Nenhuma provincia dar menos de 2
deputatos.
52. As eleicoes dos depurados, senadores
|ui/es de paz e vereadores serao feitas conforme
u legislaco existonte.
53. Logo que se concluir a apuracao das
listas em quasquer eleicoes, o presidente da
mesa em acto successivo mandar publicar o re-
sultado da votaco por editaes.
O presidente da mesa parochial ou eleitoral
que deixar do cumprir esta disposico incorre
na multa de 100 a 2008 ris, imposta pelo
presidente da provincia, e cobrada executiva-
mente para o cofre municipal.
54. Fico revogadas as leis em contrario.
Paco da cmara dos deputados, 26 de setem-
bro de 1843. Vaheo de Araujo Souxa
Franco, com restricoes.
Discord em muitos pontos do projecto ofle-
recido, reservando-me para na discussao dar as
razoes. Goncalves Martins.
(J. do Cammtrci. o)
ORDEM DA LEGIAO DE HONRA.
Gro-Cruzes.
Os Srs. viscondes de Olinda e de Mont a-
legre.
Grandes Ofjiciaes.
Os Srs. Jos de Araujo Riheiro ministro
plenipotenciario junto ao rei dos Francezes ; e
Antonio Joaquim do Couto chefo de diviso ,
inspector do arsenal de marinha.
Officiaei.
Os Srs. Joaquim Jos de Siqueira gentil-
homem ; Jos Amaral, oflicial da secretaria
de estado dos negocios estrangeiros ; e Theo
doro Taunay cnsul honorario chancellar
da legio franceza.
Cavalleiros.
Os Srs. de S. George encarregado de ne-
gocios da Franca nesta corte ; e Felis Emilio
Taunay, director da academia das Bellas-Ar-
tes.
A cmara temporaria approvou em pri-
meira discussao o projecto de lei sobre a
reorganisacao da G. N. proposto pelo Sr.
Paulino. ( ")

o Sr. Dr. Pedro Rodrigues Fernandos Cha-
ves.
Chefo de polica da Bahia, oSr. Dr. Fran-
co Goncalves Marlinz de S. Paulo o Sr.
Dr. Joaquim Firmino Pereira Jorge.
Juiz de direito da cidade do Rio-Grando-
do-Sul, o Sr. Dr. Jos Augusto Gomes de
Menezes sendo removido para Porto-A legre o
Sr. Dr. Manoel Jos de Freitas Travassos.
Juiz dos feitos da fazenda da Bahia o Sr.
Dr. Angelo Moniz da Silva Ferraz.
Houve diversas remoedes de juizes de di-
reito.
O Sr. Pedro Chaves segu para o Rio-
Grande-do-Sul *o dia 26 do corrente a
tratar de seus negocios particulares.
( Sentinella da Mon.)
Diz-se que para a presidencia da provin-
cia da Bahia est nornealo o Exm. Sr. Dr
Euzebio de Queiroz Coutinho Matoso da C-
mara. Esse boato porem contestado outro
tanto nao acontece os seguntes.
Est nomeado desembargador da relaco de
Pernambuco o Sr. Dr. P. Chaves. Este Sr.
vae com licenca ao Rio-Grande onde seus
negocios pessoaes o chamo. De volta dizem
que tomar conta da importante presidencia.
[Brasil.)
Tendo o Sr. juiz municipal da primeira
vara que o pronunciara, aceito a responsabi-
lidade aposentada pelo Sr. Manoel Jos de A-
raujo, redactor do Pkarol, acha-se solt este
Sr. desde antes de hontem.
O Sr. conego Manoel de Freitas Magalhaes
depotado assembla geral legislativa pela pro-
vinciadoEspirito-Santo, falleceu hontem nesta
c/*rte.Seu corpo foi dado hoje sepultura na
igreja de S. Pedro e a sua perda vivamente
sentida por seus amigos.A trra Ihe seja leve!
[Sentirtella da Mon.)
O Sr. JoSo Nepomuceno da Silva coro-
nel commandante do 5." balalho de fuzileiros,
( Pernambucanno ) falleceu (18 de outubro )
ante-hontem e foisepultado na igreja de S.
Francisco do Paula.com todas honras militares.
(^ d Comm )
Foi a 8 d outubro passado pelas armas ,
na esplannada da fortaleza da llha-dss-Cobras ,
um soldado de artilharia de marinha que as-
sassinra outro soldado do mesmo corpo.
Foi executado a 17 d'outubro no largo
de Mourao marinheiro Jos da Cunha que
havia assassinado um seu companheiro, a bordo
da fragata ConstituicOo.
( Sentinella da Mon.)
L-se no Jornal do Cammercio o sesuin-
te :
Diz urna carta de Pariz que por occasiao do
casamento do principe de Joinville houve os
seguintes despachos:
taria do Chico Pedro, e brevemente vira a esta
cidade ( Rio-Grande ). O Ulhoa Cintra l,i s
foi para Cassapava ; e o Domingos de Almeida
para Algrete ; pontos lodos oceupados pela
legalidade. O Juca Jernimo, muito influen-
te e commandante das policas de.Pelotas
j voio para sua casa, aqui perto do Povo-novo
d'este lado do S. Goncalo.
Chico Pedro que commanda com 800 ho-
mens os districtos comprehendidos entre os
ros Joguaro, S. Goncalo e Camacuan
tem Bento Goncalves e N'to sua fronte com
iOO homens ; mas nao os tem querido bater
em razao de andar com elles muita gente cons-
trangida e que constantemente csto deser-
tando ; e logo que liquen) os pertinaces, se-
rao batidos e derrotados.
Agora mesmo sahiu d'aquio chefe das for-
ras navaes, emedifse quo Ihe constava que
Eructo perseguido por Oribe e Urquiza se
encostava para a provincia ; mas que o barao
reunido a Bento Manoel, estava prevenido pa-
ra esperar o mesmo Fructo.
O barao contina a adquirir muita forca mo-
ral : emfim, meu amigo este mez e o que
vem vfio ser mui importantes para as campa-
nhasdoSul. NoJa^uaro existe urna esqua-
drilha nossa de 5 vasos de guerra inclusive
um vapor &c. (sentinella da Mon.)
MATTO-GROiSSO.
Cartas de Matto-grosso dizt'm que ao lugar
denominado Salinas havio rhegado 50 Bolivi-
annos armados, que se recetavo tivessem por
fim sustentar a usurpado daquelle ponto, so-
bre o qual pendem antigs reriamiicoes. O pre-
sidente da provincia havia porem diido as mais
enrgicas providencias para fazer resucitar o di-
reito da Brasil quelle territorio. (dem.)
DIVERSAS NOTICIAS.
Por decreto do 2 do corrente mez (outubro), foi
dividida a costa do Brasil em tres seccoes.para o
lim de eslabelccer-so em cada urna d'ellasuma
estacao naval. O porto d'esta cidade*(Rio-de-
Janeiro) sera o centro da estacio do SI ; o da
cidade da Bahia da do centro ; e o porto do
Maraiihao, da estaco do Norte
Chegou o vapor Imperatriz de volta de
Montevideo com 6 das de viauem : vem n'el-
le o Sr. Cansansao que diz relirar-se de sua
missao por doente. Constava alli, que, tam-
bem por docnlo se retirava de Buenos-Ayres
oSr. Duarte de Ponte Riheiro o qual j ha-
via recebido os seus passaportes.
A resoluco do governo imperial relativa ao
bloqueio foi recebida em Montevideo com fie-
ral sorpresa Continuavo pertinazes as legies
de estrangeiros em nao so desarmarem decla-
rando preferirem morrercom as armas na mao
a serem degolados pelas tropas do Oribe, que
ltimamente tinha mandado cortar a cabeca a
quutro oficiaes de Fructo, que Brown apresio-
nra a bordo de um navio neutro e que fez
pregar em postes altos defronte da praga.
Deus ponha termo a to sanguinolenta lu-
la !____
Os expostos da Santa Casa de Misericor-
dia recebero no dia de Santa Thereza
.------------......"'a
prova da piedade que anima o coracao virtuoso
deS. M. a Imperatriz. S. M. se disnou rnn-
c. 6qUe,ieS a. m. Mmola stZo] gV.7p.;;.;;a^reV;7rr
21 de outubro os
de rs.
Verificaro-se no dia
seguintes despachos:
Presidente da Parahyba do Norte o Sr.
Dr Agostinho da Silva Neves ; das Alagas ,
o Sr. Manoel Felizardo de Sousa e Mello ; do
Espirito Sancto, o Sr. D. Manoel de ssiz
Mascarenhas.
Desembargador da relafao do Pernambuco ,
RIO GRANLEDOSL
As noticias do Rio-Grando-do Sulcontinu3o
a ser favoraveis causa de legalidade. O Com-
mercio de Porto-Alegre diz em data de 5 de
setembro que o Sr. baro de Caxias achava-
se em marcha com 2:500 homens para o Passo
dos-enforcados onde j tinha os mil cavallos
tomados aos rebeldes pelo coronel Medeiros.
O Jr. Brigadeiro Bento Manoel diz, em urna
carta que da a sua cabeca se continuando
o plano do general, nao se concluir a guerra
por todo este mez.
Chogaro ao exercito mandados vir pelo
mesmo general 150 homens do Estado Oriental,
bem armados e montados.
O governicho da republiqueta fugiu para
Serro-iargo, no Estado Oriental, d onde a-
inda nao havia voltado.
Foi enforcado na cidade do Rio-Grande, no
da 11 de agosto a bordo do lanchao de guer-
ra Delfn um marinheiro, que assissinra o
patro do mesmo lanchao.
- Urna carta do Rio Grande-do-Sul, es-
cripta no Passo do-.Menezes cm JaguarSo a
8 de setembro, diz que o exercito imperial
estava todo reunido o'aquello ponto pisando
o territorio oriental ; e no dia seguintese di-
vidira em tres columnas, marchando urna ,
commandada pelo brigadeiro Bento Manoel ,
emdireccoaSanct'Anna do Livramento por
Bage ; outra pelo general em chefe pora
o Passo-do-Rozario ; e a terceira columna, s
ordons de Chico Pedro cobrindo a fronteira
ate Piratinim. Que os rebeldes estao uns do
lado da linha e outros procurando o
A
BAHA.
A Eleicao para senador est concluida. O re-
ullado da apuracao geral deu a seguate lista
trplice.
Os Snrs.
Concelheiro Paim.
Dito Galvao.
Desemb. Joao Joaquim da Silva.
I--se no Correio o seguinte :
Acha-se removido para a relacSo desta
cidade o Sr. des. da de Pernambuco Manoel
Vielra Tosta, o qual foi ao mesmo tempo no-
meado chefe de polica d'aquella provincia: es-
ta noticia soubemos de pessoa certa e pode-
mos garantir a sua veracidade.
O Commercio jornal opposfcionista da
Rabia, foi chamado a responsabilidade pela
publicaco deum artigo de jornal francez con-
tendo materia infamante e calumniosa contra a
familia Imperial.
A mesma folha publica como cousa que
Ihe consta, que a provincia de Sergipe est em
violento estado de agitacoo; maso Correio as-
severa que nao ha tal agitacao ; que um par-
tido daquella provincia faz opposicao ao Exm.
presidente e quo este mesmo partido he pou-
co numeroso. O Commercio sem duvida en-
tende que grande gritara de opposicao ho sig-
nal de agitacao ; mas este indicio he muito fal-
hvel.
PHAmBUC.
(*) Publicaremos amanba este artigo.
(h RR
villa de Piratinim eslava oceupada militarmen-
te. Todos os das se apresentavao rebeldes,
implorando amnista.
Chegariio lioje;i2de outubro)asmais lison-
geiras noticias do Rio Grande que nos apres-
samos a communicaraos leilores .copiando a
carta de urna pessoa fidedigna d'aqnella pro-
vincia em data de 4 do corrente.
... .No dia 20 de setembro pass do reunirao-
se os ministros da repilha e assentando que
tudo estava perdido para elles vollarao s suas
casas. O S e bnto esta em Tellas com por- I
Tribunal da Relacao.
SESSAO PE 4 DE NOVMEBRO DE 1843.
Na appellaco civel da comarca do Rio-for-
moso, appellantes as libertas Joanna, Alhana-
zia, e outras por seu curador, appellado Jos
rranciscoDiniz Machado, escriio Ferreira: se
mandou averbar o imposto de 2 por cento pelo
*alor da causa.
Na appellaco civel desta cidade, appellante
Ignacio Margues da Costa Soares, appellado os
herdciros e credores de Antonio Marques da Cos-
ta Miares, escriva Jacomo; se mandou descor
aojuisoda primeira vara, paru se procider as
fliligencias, de que trata os decretos de 9 de a-
oril, e 22 do dezembro de 18*2.
O aggravodc petico de 1). Marianna There-
za de Jezus biqueira contra Antonio Pereira, no
juizoda |. vara do civel desta cidade: negrao
provimento.
_ Na appellaco crme do juisodos jurados do
Usara,, appellante o juiso, appellado Luiz Fran-
cisco Hizerra Rocha, escriva Ferreira; julgraS
procedente o recurso.
UKI0_D PlSK^lBilF
n? v"Pr/m/''a"-X que chegou a este por-
iJo.4d?c2rrenl lrouce-nos Jornaes do
Rio at 2t, eda Baha at 31 do passado.
8. A. I. a Sra. I). Januaria acha-se finalmen-
te em convalescenca, depois de haver gemido
no leito durante quasi um mez. Gracas 5 pro-
videncia que Ihe deu conforto e resignacad e
n tar donamos transcripto o ultimo boletiin so-
bre a sua saude, assim como o que nos jornaes
echamos de mais notavcl.
^hegara neste vapor muitos Srs. deoutados
desra e de outras provincias Tambem cheKou o
do-nT,n (JU.Vem tomar "nta dadirceco
a* aseanssieato ua

COMMERCIO.
Aifandega.
Rendiment do dia 4......... 1:98780i
Descarrego hoje 6.
Brigue Principe Imperialbarricas vasias.
Barca ingle/a -Nigtittngale la/ondas.
Brigue Aary Hatabell bacalhao.
PRACA DO RECIPE 4 DE NOVEMBKO DE 1843.
Revista Mercantil.
CambiosNo bouverlo transacoes no decurso
da semana.
AlgodaoAs entradas foro regulare*, e em
conse juencia de melbores noticias
vindas de Inglaterra esta procurado a
5:400 a @.
AssucarAs entradas em cargas tem augmen-
tado e tem-se vendido de 1920 a
2560 a :, do branco e 1440 a do
mascavado : nao houverao entradas
de canas.
Couros Sao pouco procurados a 125 reis a
libia.
Ac de Milo Vendeo-se de 18g a 20$ rs.
o quintal.
Alpistadem de 148 a ->'>S a barrica.
Amendoa docedem a 5500 a @
A/eitc doce dem de 1:475 a 1:500 o galio
Bucalho Chegou um carregamento com
2:1 5 barricas que foi vendido s
10*200 a dinheiro eo deposito
de 4:400 barricas, e o preco a reta-
Ihoa 11*000.
CafVendeo-se de 2:800 a 3:200a Carne secca Entrou um carregamento do
Rio-grande pelo Rio-de-Janeiro a
bordo brigue Principe Imperial, e
enclusiveeste o depositode 18:000
arrobas e as vendas tem afrouxado.
Espingardas la/arinasVenderao-se de 4*000
a 4*200.
Familia de trigoO deposito em primeira mo
anda por 1:300 barricas : chegou
um carregamento de Trieste com
1700 barricas que esto por ven-
der.
Fio de vella Vendeo-se a 500 reis a libra.
ManteigaCbegarao 250 barr'.s de Nightin-
gale que esto por vender.
Machados do PortoVendero-se de 400 a
560.
Pamaibasdem a 600 cada urna.
Polvor dem de 540 a 560 a libra.
Pregos ripasluein a 900 o milheiro.
Oueijos llamengosdem a 1000 cada um.
Relro-dem a 11* a libra. ,
Sabio amarellodem de 110 a 112 reis a
libra.
Taboado de pinho dem de 4o a 50 reis
o pe.
Vinho da espanha dem de 74*000 a
80*000
Vellas do espermacetedem de 640 a 660 a
libra.
Embarcacoos existentes no porto.
Austraca..........
Americana..........'
Brazueiras...... ... 26
Dinamarquezas. ... ; 2
France/as..........2
Hollandeza .......!
Hamburguesas.........2
Ingle/as..........5
Purtuguezas ......... 3
43
RIO DE JANEIRO.
Cambios no dia 22 deoutubro.
Pregos da ultima hora da praga.
Cambios sobre Londres..... 25 V*
pari/........ 365 a 370
Hamburgo... 680 a 685
Metaes. DobrSes hespanhocs. 31,200 a 500
da patria.... 29,950a30,000
Pezos hespanhoes... 1,930 a 1,9 40
da patria.... 18880 a 1.890
Pecas de 68400 velhas 17,400a 17.500
ae novas 16,200 a 16,300
Moedas de'48000... 9.200
Prata ........... 98 V
Apolices de 6 por cento..... 71 V*
(Jornal do Commercio.)
CAMBIOS.
Baha 30 de outubrode 1843.
Londres............25 '> d. p 1*000
Franca.............375 rs. o franco.
Lisboa..............110 p. c.
Rio-de-janeiro......ao par.
Provincias do Norte .. idem.
Dobres hespanhoes. .. 318500 a 328000.
i> mexicanos.. 318000
Pecas de 6*.0n ifiSOO > 7rt00
Modas"de*4S6.'.... 98OO a 98200
Pesos hespanhoes. \ ... 100 a 105 p. c.
Prata cunhada........100 a 105 p. c
(Correio melcantil.)

.11 o vi me uto do Porto.
Navio entrado no dia 4.
Rio-de-Janeiro, pela Babia, e Macei; 10
dias, paquete de vapor brasileiro Impera-
trit commandanto o capito-teuento Je-
suino Lamego Costa equipagem 30: a
consignacao de Joaquim Baptisla Moreira.
Sahidos no mesmo dia.
Barcelona brigue escuna brasileiro Laur*
capito Luiz Ferreira da Costa Santos ; car
ga assucar &c.
Barcelona ; polaca bespanbola 5. Jos, [ca-
pito Jos omenich ; carga algodao.
Navios sahidos no dia 5
Baha; barca ii.gleza Janns Stave A. ; de 293
tonelada* capitao James Luirdo, equipa-
ge 14 carga lastro.
Livelpool pelo Maranbio ; barca ingle/a Nor-
val, de 393 'A capitao Thomaz Kisk e~
quipagem 15 carga varios gneros.
raposa,exaoetada por toda a companbia.na qual ware, glass, paintings and engravings, pistof.
muito se destinguir o palhaco.
Quarto
kiteben ware.&c. ,&c. ,and secondly, preserves of
' dierent discriptions, lixtures, andall other ar-
Mr.M. Cloud executar a cavallo urna admiravel tc|es belmging to llie Union hotel,ol which the
scena dramtica de um Turco morrendo em de- j decease(] was proprietor; and also will besold a
lesadesua bandeira onde se ve a constancia e( pa(ent g0|,j eng|ish watch with gold chain : on
valor de um patriota. monday nexl 6 intant a nio dock in tbo
Edtaos.
S. Ex. o Sr. Presidente da provincia ten-
do de contratar em conformidade da lei provin-
cial n. 101 de 9 de mato de 1842 um fabri-
cante de assucar, que onsine pela pratica os me-
Ihoramentos possiveis na actual fabricado do
assucar naquelles engenhos, cujos proprietarios
osquizem introduzir ; convida a todas as pes-
soas, que se acharem para isso habilitadas a a-
presentarem as suas propostas at o dia 15 do
corren te nesta secretaria para que lindo este
termo se Ihes indique o engenho om que cada
um dever eflectuar as primeiras experiencias,
vista de cujos resultados urna commisso de
proprietarios de engenho decida qual dos con-
currentes estabelece methodo preferivel, e me-
lbores resultados aprsenla a fin do que possa
sor contratado o concurrente preferido.
E para que chegue a noticia de todos se man-
dn, publicar o presente. Secretarfa de Por-
nambuco 27 d'outubrode 1843.
Casimiro de Sena Madureira.
O Illm. Sr. Inspector da thesouraria da
rendas provinciaes manda fazer publico que
emeumprimento doofficiodo Exm. Sr. Presi-
dente da provincia de 11 do correte, segundo
o regulamenlo das arremataces e sob as clau-
sulas especiaos abaixo transcriptas no Dia-
rio numero 25 de 18 do corrente se arrema-
tar a quem por menos fizer no dia 10 de No-
vembro prximo vindouro ao meio dia peran-
te a mesma thesouraria a primeira parto do de-
decimo lanco da estrada da Victoria, oreada
em 19:9998*68 reis.
Os licitantes devero apresentar as suas pro-
postas, conforme o dito regulamento, no dia
e hora indicados.
O Illm. Sr. Inspector da thesouraria das ren-
das provinciaes manda fazer publico auo em
cumprimento do oficio do Exm. Sr Presiden
te da provincia de 11 do corrente. ira nova-
menle praca no dia 10 de Novembro prxi-
mo vindouro fio meio dia para sor arrema-
tada a quem por menos fizer a segunda parte
do oitavo laneo da estrada do P,-o-do-alho or-
eada em 20:413*669 reis sob as clausulas es-
peciaos publicadas pelo Diario de 19 d'Agosto
prximo passado.
Os licitantes deverao apresentar as suas pro-
poslas, conforme o regulamento de 11 de Julho
dcste anno no dia e hora indicados, &c.
Deca l*0$ftO.
__O vapor Imperatriz, recebe as mallas para
o Norte boje ( 6 ) as 9 horas do dia.
CIRCO AMERICANO
CAES DA HUA DA RODA.
Sob a direcgUo de M. S. Lipman ,
Director cquestre.
O proprietario summamente agradece ao res-
peitavel publico desta capital a proteegao que
Ihetem prestado, e com-peiar. Ihe declara, que
somente aqu se demorara seis a oito dias.
Acha-se preparado paia segunda e terca feira
6 e 7 do corrente o seguinte novo e brilhante es-
pectculo:
Primeiro acto.
Principiar o divertimento com urna nova
contradansae valsa a cavallo.
Segundo.
O maravilhoso William Harrington se a pre-
sentan cavallo no seu mui applaudido acto de
posicSes, saltando por cima do chicotee termi-
nando com o grande feito da escampeda a toda
carreira.
A grande scena da ambico, ou os saltos da
Quinto.
Mr. Sage executar muitas novas e diflculto-
sas passagens no rame bambo, que tanta acei-
tado merecrad na Europa.
Sexto.
Mr. Harrington executar a toda a possivcl
carreira do cavallo a interessante scena do Rei
(Jos Mohegans, mostrando todos os modos de
qerrear e cacar, tomando parte Interessante o
reSoap.
aver aqui um intervallo de mcia hora.
Stimo.
Mr. Sage representar pela primeira vez nes-
ta cidade o carcter de Nimrod Wildflre, o ser-
vente de Kentucky a cavallo em pello.
Oitavo.
Mr. Harrington e seu extraordinario filho re-
presentars a emitacaddos irmaos Polacos, que
tantos applausos tem merecido Jo publico.
Nono.
Mr. M. Cloud, o insigne equestre executar
a cavallo muitos e extraordinarios saltos, pil-
lando arcos e bailos, terminando com um pe-
rigoso salto mortal na carreira do seu cavallo.
Dcimo.
Conrluir o espectculo o engracado pantomi-
mo, intitulado Os dous philosofos.
Personagens.
Dr. A ron Mr. Sage
Dr. Moiss Mr. Blakelcy
O Macaco Mr. Hairington.
Gigante Mr. M. Cloud.
O espectculo principiar as 8 horas em
ponto.
N. B. Achio-se bilhetes venda no arma-
zem dos Mrs. Halliday Prista & C Haver lu-
gares separados na platea inferior para as se-
nhoras que quizerem go/ar das representacoes
pela mdica quantiade 1*000 cada urna.
PUBLICACAO LITTERARIA.
Prospecto deum compendio de Eloquencia Na-
cional professada no lycio do Recife pelo
Padre Mestre Miguel do Sacramento Lope
Gama, tfc ije. 6(c.
Este compendio nao urna rhetorica de
Quintiliano que de quasi nada serve para nos
na sua parte principal qual a elocucao.
Este compendio trata especialmente da nossa
elocucao apresentando exemplos dos mais
estimados classicos da lingoa. Appresenta urna
nova e mais luminosa theoria sobre os tropos,
e figuras : trata extensamente do bollo e de
suas divisos ; ed as regrns principaes da eloT
quencia do pulpito da tribuna do foro da
militar, e da acadmica.
Subscreve-se na praca da Independencia loja
.le livros n. 6, e 8, 3*200 reis, pagos adi-
antados.
Avisos mirtimns.
=Para a Rahia sao no dia 8 d corrente,im-
preterivelmente. o patacho nacional Golfnko
do qual be capitao Melquades Jos des Santos:
quem na mesma qui/er carregar.ou ir de passa-
gem, para o que tem excellentes commodos.di-
rija-se aos consignatarios Novaes & Compa-
nhia na ra da Cruz n. 37.
= Para o Aracaty sae impreterivelmente no
da 16 do corrente o brigue escuna DeliberagSo,
anda recebe carga miuda, e passageirns para o
que tem excellentes rommodos; quem no mes-
mo quizer carregar, ou ir de pass.igcm dirja-
se a ra da Cruz venda n.51, ou a ra da Mo-
da n. 9 segundo andar.
Leiloes.
= O corrector Oliveira far leilSo por conla
de quem pertcncer por ordem o em presenta
JoSr. Cnsul dos Estados-Unidos, da mobilia.
e mais efleitos do fallecido Samuel Smith ci-
dado dos mesmos estados consistindo aquella
em marquezas camas espedios, aparadores,
bancas, mezas cadeiras, louca. vdros, qua-
drose estampas, roupa branca, pistolas, uten-
clios de cosinha &c. &c. cestos, em sardi-
nhas eervilhas de comerva armacao e os
mais objectos do hotel denominado Uniao, do
qual o fallecido era propretari : e assim mais
Je um magnifico relogio patento inglezde ouro,
com trancelim tambem deouro : segunda feira
6 do corrente as 9 horas da manhaa no dito ho-
tel na ra da Cruz defronte da casa dos Srs. Ja-
mes Crahtree & Companbia.
= The auctioneer Oliveira will sell by auc-
tion, on accountof whom itmay concern by
orderand inpresence of the Uniedt-Stales cn-
sul the l'iirniture and all other eflects of the
deceasod Samuel Smith, citizen of the United-
Statos, consisting. firstly, ofsofas, bedsteads,
ii.:_-. ~i--------
I.
Ma
niog dito chairs, wearing apparel
earthen-
IIUH %***w#
morning, in thesaid hotel, ruada Cruz.oppo-
site Mestrs James Crabtree & C.4 establishment.
Uussell Mellors&Companhia farao lei
lao, por intervencao do correlor Oliveira de
grande sortimento de fazeuda- ingle/.as mui
proprias desle mercado.e algumascliegadas pe-
lo ultimo navio : tena (eir 7 do corrente as 10
horas da manh5a em ponto no seu armazem
na ra da Cadcia.
= Joao Keller continuar por intervencao
do corretor Oliveira o seu leilao do fazendas
francezas suissas e alemes tanto de seda ,
la e linho como de algodao as mais proprias
do mercado : quarta feira 8 do corrente s 10
horas da manhaa no seu armazem na ra da
Cruz. i
= Leilao. quo faz Francisco H. M. Bastos, no
caes d'alfandega terca-feira 7 do correte de
de/, caitas com pumada vinda do Porto, no
briguo Importador por i cinta e risco de quem
pertcicer.
Avisos diversos.
Em resposta ao annuncio inserto no Dia-
rio de sabbado passado de 4 do corrente relati-
vo ao enterramento docadaver do lallecido Joo
Francisco dos Santos Lessa, depositado na
Igreja decanta Rita, se faz tambem publico
para esclarecimento da verdade, que nao 6
exacto, segundo diz o annuncio, ter-so susci-
tado duvida entre a ordem 3.a do Carmo, ea
Irmandade doSS. Sacramento de Santo Anto-
nio sobre a conduelo do mesmo cadver para a
Igreja Matriz e que so houve esta duvida foi
entao ella movida pela veneravel ordem 3.* an-
tes de que livesse lugar o enterro, como se pas-
sa a mostrar. O falecido Lessa quando vivo4
pedio quera ser sepultado na Igreja Matriz de
Santo Antonio, donde era tambem Irmao. Em
consequencia do que, morto elle se dispozo
seu enterramento para a dita Igreja Matriz, e
a Irmandade prestando oque he de costume,
mandou ocaixo, que por o seu comprimisso
loi obrigada a mendar fa/er para serem encer-
rados e condusidos Igreja seus Irmaos fales-
cidos (porque o mesmo compromisso prohibe
carregal-os aos hombros em tumba ou esqui-
fo.) Determinada a veneravel ordem 3 a-
companbar o seu irmo fallecido, o dito Lessa,
visto occorrerem ra/Ges, pelas quaes quase so
havia decidido a naoacompanhal-o, mandou
dizer a irmandade da Matriz, que ia acompa-
nhar o enterro de seu fallecido irmo, masque
o corpo havia d*i ser carregado pelos Irmaos da
ordem 3 ', ao que leve om resposta, que a ir-
mandado da Matriz linha seu compromisso,
que a obrigava a carregar os seus irmaos,
quando se viessem sepultar em sua igreja, o que
por isso nao podia ceder deste direito. Segun-
da ve/, tornou a veneravel ordem 3.* a mandar
dizer, quo so o corno nao fosse carregado pe-
los seus irmaos, ella deixaria deacompanbar
n enterro, o segunda resposta no mesmo senti-
do Ihe foi dada com o acrescenlament de que
a irmandade da matriz pouco seemportava,
que a veneravel ordem 3." acompanhasse, ou
deixasso de a-ompanhar o enterro de um seu
irmSo.
Nao obstante urna resposta to deciziva a-
venturou-ae a veneravel ordem 3.* do Carmo
a ir com seu esquile para carregar o corpo,
talvez julgando, que com a sua presen?a a ir-
mandade da matriz so humilhasse, e Ihe se
cedesse a pal na. Enganou-se com isto por-
que, sem que houvesse altercacao, ou desputa,
os irmaos da matriz que circulavao o caixo ,
acabada a ceremonia da encommendocao pe-
gaio nelle o ocondusirao para a sua igreja ,
obrando entao a veneravel ordem 3.a a ac?So
de retirar-secom seu esquife sem que accom-
panhasse o enterro de seu irmao, o que de
certo a n5o abona muito e menos cohonesta
semelhante procedimento com a publicacao do
cap. 8." dos S' us estatutos porque ninguem
tao falto de sonso ha que deixe de entender,
que a determinayao deste cap. so he applica-
vel para com aquellos dos irmaos fallecidos ,
que tenhaode ser sepultados na ordem lerceira,
pois que esta nao pode sugeitar por seus esta-
tutos as mais irmandades que se icgulao por
compromissos confirmados e muito princi-
palmente as irmandades das matrir.es, que tai-
ve/, gozao de mais privilegios e isempccs por
bullas pontificiaes concedidas e que nos actos
processionaes tem o lugar distinelo das varas
do palio &c. Por tanto fica demonstrado o (ac-
to tal qual se passou assim como ao juizo do
publico o procedimenio referido para o avallar
com justica.
= Tirio-s folhas corridas, e passaportes
para dentro e fra do imperio, ludo por pre-

der
a i*rtrn Krovlnli-
lirija-sc a ra do Rangel n. 34.
nnom rr*~


I
preco
Domingos Pires Ferreira desoja fallar a
Luiz Carlos da Costa Campello ; atraz da ma-
triz da Boa-vista n. 24.
= Na loja de Joao Loubel delronte do Pas-
seio-publico ha um novo sortimentj de se-
das e outras fazendas novas, proprins pa-
ra cobrir chapeos de sol tudo superior e
de difTerentes cores; tainbcm so concertao e
fazem-se chapeos de sol por preco commcdo ,
e com brevidade.
Roga-se a quem tiver achado um em-
brulbo de papel contondo3 chaves de porta ,
queira ter a hondade de o entregar na ra do
Crespo loja da esquina n. 16.
= Aluga-se urna canoa propria para con-
duzir familia e um preto hom cozinhoiro ;
no Atterro-dos-Affogados n. 67 em casa de
Vicente Thomaz dos San os.
- Aluga-se a casa de sobrado n. 22 na
Solidade com parte do sitio; a tratar na
mesma casa.
Precisa-se de urna ama ; no Beco-largo
no Recife sobrado n. 1, com entrada pela ra
da Senzalla-velha.
Aluga-se o segundo andar da casa n.
120 da Rua-direita com um grande snto .
o com bastantescommodos para grande familia;
na ra do Crespo loja n. 14.
Precisa-se de urna mulher forra q-je se
queira sugeitar ao servico de urna casa para
cozinhar ealgum engommado advertindo ,
que ha escrava para ajudal-a ; na ra dos Coe-
Ihos no prirneiro sobrado a fallar com Ana-
cido Jos de Mendonca.
= Aluga-se o prirneiro andar da casa n.
20 da ra de Apollo, com4 janellas, duas gran-
des salas urna saleta com serventa indepen-
dente com 7 quartos, e urna grande cozinha;
a fallar no armazem da mesma casa ou no
terceiro andar com Jos Antonio de Souza
Machado.
Quem tiver urna harcaca em bom uso .
q'e quizer alogar por lempo de um anno ou
mais, annuncie
O Sr F. A. C. queira mandar pagar a
conta que ja por muitas vezes so Ihe tem pe-
dido, na botica da Rua-nova, ali r a usar dos meios que por necessidade se
vCobrigado.
Aluga-se o segundo andar de um sobra-
do esoto com bons commodos por
mdico; a tratar Rua-direita n. 24.
= Da-se dinheiro a premio mesmo em
pequeas quantias sobre penhores de ouro ,
ou prata ; na Rua-nova n. 57.
O Snr. AntonioJustino Pinheiro queira
ter a bondado de dirigir-se a ra do Mondego
n. 107, onde inuito se he desoja fallar.
= Da-se OOOSrs. a premio sobre penhores
de ouro, ou prata em pequeas porcoes : na
Rua-nova n. 9.
Da-se 7008 rs. a premio de 2 por cen-
to ao mez com hypotheca ou penhores; na
Rua-direita n. 55
Precisa-se mandar fazer 200 espanado-
res ; quem os ouizer fazer dirija-se ao pateo
do Carmo n 13.
Precisa-se de um bom preto cozinheiro ,
que soja lie! ; na ra larga do Rozario n. 32.
Precisa-se de um homcm para feitor de
um sitio junto a igreja de S. Am.iro sabendo
trabalhar com canoas e tirar leito prefe-
rindo-se casado; na ra estreita do Rozario
n. 10 terceiro andar.
Precisa-so do um portuguez para feitor
de um engenho perto da praca preferindo-se
aos chegados agora ; na Rua-nova armazem
n. 67.
Trapasso-se as chaves da loja da ra do
Rozario n. 19 ; a fallar na mesma ou na ruu
das Cruzes n. 40
Manoel Ferreira da Silva Ramos avisa ao
infamante delator do seu crdito que D3o re-
tira a sua estada em casa, a mais do que a sua
molestia prevenida da operacao que a pouco
fez e que se alguma falta houvea respeitoaos
seus negocios a nada deve-se attribuir seno
a isso mesmo ; outro sim, roga ao celebre mo-
tivador de toda essa intriga que seja mais
circumspecto e menos fallador, pois talvez ,
como he tem suceptivel, algum dia Ihcaconteca
aquillo mesmo que elle suppoe e quic de-
seja ao annunciante; mas com o socorro da
divina providencia Ihe nfio sera reservado.
TrocSo-se dues imagensde pedra vin-
das da Babia com suas mangas de vidro ,
sendo urna de S. Domingos e a outra de N.
S. da Conceico : na ra do Sebo n. 22.
= Precisa-so de um cozinheiro forro ou
escravo ; na ra do Torres n. 20, casa de
pasto de Antonio Joaquim de Faria Patricio
= Os Srs. Jos do A mar I e Joo Diogo
de Mello queirao apparecer na ra da Cadeia-
velha n. 49 casa de Joo Tavares Cor.leiro,
para receberem urnas cartas vindas da Una de
S. Miguel e Macci.
= OITerere-so um rapaz portuguez de 20
annos casado c que d fiador a sua conduc-
ta nar caixeire de cebranecs, do que ci
4
pratica ou para armazem ; que% o precisar
annuncie.
LOTERA DE N. Sra. Do
L1VRAMENTU.
As rodas desta Lotera an-
do infalvelmente no dia 9
do corren te, e O resto dos bi-
llieles acho-ae a Venda nos
lugares do costurnt.
Ro-
Compras
Compra-se efectivamente para f
provincia mulatinhas crioulaa e mais t
vos, de 13 a 20 annos, pag5o-se bem, sen do bo-
nitos ; na ra larga do Rozario n. 30, pri-
rneiro andar.
= Compra-se urna cangalha nova, ou usa-
da ; quem a tiver annuncie.
Compra-se a/eite de carrapato em bar-
ris, e quartolas, e tambem barr* e quartolas
vasias, que fossem do mesmo ; no pateo do
Carino n. 13.
Compra-se um mulatinho de 14 annos ,
que saiba alguma cousa dsapateiro, ou que
sirva para pagem : na roa dasCru/es n. 30.
Compra-se fftt grammatica frahceza
em bom estado e qfd seja moderna ; quem
tiver annuncie.
Vendas.
a. 7.
= Vbndean-se talins, e cananas mu ricas
para isfanUra, e avallara de primeira linha.
guarda nacional, edemarinha com insignas
douradas para classes de guarda da alfandega ,
e mais objeetos ltimamente chegados da cor-
te ; na praca da Independencia n. 23.
= Vendom-se retogio* de ouro com caita
lavrada e lisa apandes o pequeos para
*enhora ditos de prafa horisOntaejL. de pa-
tente, par menos 20 por ceofdo praeo, porque
vendemos relojoeiros; na Rua-nova n. 3o.
Vendem-se dous terrenos sendo um na
estrada do Mgoinho com 40 paTmos de fren-
ti), o perto de 200 de fundo e outrb na Es-
trada-velha da Capunga com 30 palmos de
frente, e 220 e tanlos de fundo, por preco
bastante commodo os quaes tambem se a fo-
ro a quem quizer logo edificar; na ra da Ca-
deia loja de chapeos n. 46.
Vendem-se 12 moradas de casas de fni-
pa sitas em Tigipi todas, ou cada urna de
per si; a tratar no mesmo lugar com Geraldo
Baptista de Souza.
Vende-se um escravo crioulo, de 30 an-
nos he do matto ; na Rua-nova n. 65.
Vendem-se 3 escravas mocas, ro/inho,
engommao e lavao ; urna dita recolhida de
20 annos, boa costureira engommadeira, e
faz o mais servico de urna cesa ; urna preta de
meia idade por 300$ rs. cozinha lava e
vende na ra ; 4 escravos para todo o servico ;
um dito hom cozinheiro; e um moleque de
12 annos; na ra de A goas-verdes 44
Vendem-se nos Arrumbados as seguintes
madeiras, caibros de 30 palmos de comprido ,
estacas de 20, e 25 para atterros, mui gros-
sas, enchams de 20 25, 30 e 36 maos
travessas de 25 e 30, trates de 25 32, 34 ,
36, e 40 tudo de mullo boas qualidades e
por preco commodo os pretendentes, que
nao poderem la ir, poderad deixar os seus no-
mes e moradas na ra larga do Rezario, ven-
da n. 29.
Vende-se urna trave bastante grossa de
boa madeira com 54 palmos de comprida : na
ra estreita do Rozario n. 10, terceiro andar.
= Vende-se sal do Assu a bordo da lancha
S. Jos Flor do Mar fuhdeada ao p do tra-
piche do Algodao; trata-so com o tnestre a
bordo, ou na ruada Cruz n. 26 venda de
S Araujo & Irmao
= Vende-se um negro de 20 annos co-
zinheiro : na ra da Alegra n. 38.
= Vende-se Urna otaria no Cordeiro, com
muito hom barro, em chaos prnprids, e a
margem do rio Capibaribe ; no Atierro da
Boa-vista n. 54.
ss Vende-se agoa de tingir cabellos e suis-
sas ; o methodo de applical-a acompanha os vi-
dros ; no pateo do Col'egio loja de chapeos
n. 6 e na ra do Queimado loja do ferra
gen? n 31.
= Vendem-se chapeos francezes os mais
modernos; ditos de sol de seda com barra, e
sem ella casimiras de bonitas cores brinsde
linbo delistras ,* cortes de colletes de setim de
gosto moderno ditos de 15 e lencos pretos
para pescoco : na ra do Queimado n. 11, lo-
ja de A. L. G. Vianna.
Vendem-se 3 negrinhas de nacao muito
lindas e ptimas para mucambas com mui-
to boas habilidades; um moleque de nacao,
de 18annos, propro para officio ; um escra-
vo bom canoeiro ; duas escravas boas cozinhei-
rrs e engommadeiras ; urna mulata escura ,
cose engomma e faz ronda : na ra Direita
n. 3, prirneiro andar.
= Vende-se a venda da ra de S. Rita-no-
ve n. 93 com poucos fundos ou s<-mente a
arma Ao com seus pertences, a praso com boas
firmas ; a tratar na mesma.
= Vendem-se ricos chapeos de seda para se-
nhora chegados no nltimo naVio de Franca ,
chapeos pretos para hbmem ditos pr.tos, e
brancos para meninos ditos de palha para se-
nhora e meninas, ricos cortes de laneinha
para vestidos cortes de cassa e de chita es-
cura mantas c chales de seda flores finas
para chapeo, e cabera chapeos deso de teda
para homem e senhora um grande sortimen
to de calcado re todas e; qi:;!:d^dcc r.ara hu-
mis superior que ha loncos de setim pre-
to para gravata e outras muitas fazendas de
gsto, tudo por mais barato preco do qUe
em outra qualquer parte : na ra Nova |0ja
franceza n. 8 de Amaral & Pinheiro.
= TenJem-se chapeos do massa franc
da ufttawrooda ditos de sol de seda
por preco commodo ; na ra estreita do
zaro venda n. 8.
Vondem se resmas de papel almaco de
meio hollanda de muito boa qualidade, dito de
peso azul, massos de linhas de roris ditos
do bretanha ditos de cordao de algodao para
enfiar vestidos ditos de suspensorios de bur-
racba caitas de obreias, libras de rap areia
preta da fabrica de Meuron & Companbia, mas-
aos de cartas rancezas finas do jogar, ditas por-
tuguezas, caxas de clcheles de todos os n-
meros a 60 rs. acixa ; na prca da Indepen-
dencia n. 4.
Vhdm-se duas cabras (bicho) urna pa-
e propria para criar e a outra proxi-
parir, ambas de muitj boa raca; na Ra- \- ,== Em casa de Augusto Corbett
al
cezes
casi-
miras de varias cores, e elsticas francezas
merino preto meias para meninos o meni-
nas, luvas de pellica a 320, 1000, c 1280 o
par pcscocinbos do fil de linho para senhora
lenpos de setim para gravata e outras muitas
fa/endas por commodo preco : na loja de Ma-
noel Jos Goncalves Braga junto ao arco de
S. Antonio n. 2.
na ra
eia do Recife n. 46, vende-se um sor-
de charutos de muito boa fama rega-
2-M) du/ias de exccllente vinho de Vladei-
M) r orna porcSo de ago'ardente de Franca 0
Sfcruh engarrafado e igualmente urna pnrao
do latas com plvora da celebre fabrica de Jo3o
Hall & Filho, de Londres que ainda existe
na fortaleza do Buraco.
= Vende-se urna venda com poucos fundos,
na ra dos Pescadores n. 7 : a tratar na mes-
ma venda.
Vende-se excellente bolaxa de primeira
e segunda qualidade pelos precosde 10, 11,
e 14 patacas por arroba e em porcoes maiores
se vender mais em conta ; na rna dos Quar-
teis, padaria n. 18. Na mesma se vende mui-
to boa farinha para bolaxa de 14# e 15$ rs.
por barrica.
=; Vendom-se terrenos ja demarcados e
at algunscordeados com 30 palmos de fren-
te e 150 de fundo tem terrenos ja atierra-
dos no todo, e em parte e at alagados, na
ra da Concordia e confronte a travessa do
fallecido Monteiro ; os pretendentes dirijao-se
a Manoel Antonio de Jess morador na ra dos
Ouarteis n. 18, aondeso mostrar a planta dos
ditos terrenos e o preco do cada um e tam-
bem serompromettea mandar edificaros pro-
dios, que cada um quizer, entregando-se pe-
la chave.
Escravos fgidos.
Vendem-so astucias de Bortoldo; na pra-
ca da Independencia livraria ns. 6, e 8.
Vende-se um bom cavallo com todos os
andares gordo, e do bonita figura; na Ra
nova armazem n. 67.
Vendom-se 4 canoas de um pao cada urna,
50 saccascom farinha de mandioca por pre-
co commodo : na ra das Cruzes n. 30.
Vende-se urna canoa de lote de 1300 ti-
jolos de alvenaria por preco commodo; na
ra do Queimado n. 57.
= No deposito d'agoa de Antonio Das da
Silva Cardial contina-so a vender agoa da
biea do Monteiro bem limpa, a 20 rs. cada
caneco, das 5 horas da manhaa at as 9 da
noute; por de Ira da ribeira ns. 15. e 17.
No botequim do Farofa atraz da matriz
de S. Antonio vendem-se charutos regala ,
chegados no vapor Imperatriz a 3200 o cen-
to e de Napoleio a 1280 ; tambem se dir
quem vende fumo escolhido para capas, muito
bom.
Vende-se ou arrenda-se um sitio u
Iba de Itamarac no rio do Ambu ; na ra
do Sebo n. ll.
Vende-se um sortimento de toalhas de
linho adamascadas, com guardanapos, dequa
lidade superior panno de linbo em pecas do
18 varas, ecaixascom 25 libras de velas de
espermaceto ; em casa de H. Mehrtens; na ra
da Cruz n. 47.
""*= Vende-se veludo frencez para vestidos de
senhora a 880 rs. dito superior em qualidade,
e em cores a 1280 rs. mantas de seda chine-
za a 5500 rs. ditas de setim a 8i e IOS rs ,
lencos de veludo de 3 pontas, modernos a 2400
rs. ditos pequeos do seda para meninas a
320 rs. e dao-se amostras de veludo a to-
dos os compradores, para melhor poderem co-
nbecer a boa qualidade da faz^nda, e alm des-
tas fazendas, ha outras muitas, por barato
pieco ; na ra do Queimado, loja n. 1 de
Francisco Jos Teixeira Bastos & Companhia
^ Vendo-sea obra publicada no Rio-de-
Janeiro no anno de 1843 intitulada dicionario
de medicina popular pelo Dr. Chernoris em
que se descrevem segundo a ordom alphabetica,
eem lingoa vulgar ossymptomas, as causas,
e o tratamenlo das molestias, os socorros, que
se devem prestar nos accidentes sbitos, os
contra-venenos de todos os venenos conhecidos,
os preceitos para a conservaciio da sade as
plantas a preparado dos remedios caseiros ,
dtc. ; dous volumesem quarlo, contendo 950
paginas pelo preco de 10,000 rs. : na ra da
Cadeia do Recife loja de Joao Cardo/.o Ayres.
= Vendem-se 3 escravos. sendo um mo-
leque de 13 annos urna negrinha de 16 an-
nos e um negro de 24 annos socadordeas-
sucar ; na ra da Cruz, venda n. 49\
= Vendem-se 500 oitavas de prata fina ;
telhas lijlos do ladrilho alvenaria tapa-
mento cal do caiar dita preta ripas e
caibros tudoda melhor qualidade, e por preco
commodo ; no Varadouro de Olinda venda
n. 18.
= Vendem-se canarios de imperio ja sepa-
rados em gaiolas muito cantadores e chega-
dos prximamente do Porto no briguc Impor-
tador chocolate da Babia a 100 rs. o pao ,
uiuiu us a 50 rs. e doce de goiaba sortido, mem senhora, o menirios, merino preto o I Recifb: na Ttp. dbM. F. d* Fabia.=1843
Ausen'ou se da casa de seu senhor a dias
passados o preto Joao ofcialde podreiro e
muito conbecido nesta praca pjr ter traba-
Ihado em muitas obras he de baixa estatura ,
magro crtr muito preta boca grande per-
nas finas ps compridos e chatos ; quem o
pegar ou avisar onde so acha, de mancira
que possa ser capturado receber 50* rs. de
gratificacao de seu senhor Luiz Gomes Ferrei-
ra no Mondego ou no seu escriptorio na
ra da Cadeia.
=. No dia 26 de outubro fugio a preta Ma-
ra de nacao Congo, de 24 annos estatu-
ra regular secca do corpo peinas finas em
ambos os lados do rosto tem duas marcas mais
pretas; levou vestido de riscado de assento es-
curo com listras brancas e amarellas saia de
chila azul e branco, a quil venda de ma-
nh5a agoa e a tarde azeite de carrapato foi
escrava de Jos Lourenco de Carvalho no At-
terro-da- Boa-vista e depois de Manoel Fer-
reira Antunes Villaca na ra estreita do Roza-
rio ; quem a pegar, leve a ra do Rozario da
Boa-vistan. 18, que ser gratificado.
= Sabino do nacao Benguella de 20
annos, sem barba estatura ordinaria secco
doco/po cor um tanto fula com falta de
todos os dentes, tem no pescoco urna cicatriz,
proveniente de um laido gagueija quando
falla com pressa ou raiva pernos ,, e bracos
linos; levou calcas de brim liso jaquela de
riscado ja usado camisa e reroulas de al-
odao americano e bata encarnada bastante
usada. Mara, de nacao Catango representa
ter 20 a 30 annos estatura ordinaria corpo
proporcional, olhos afumacodos com falta
de 4 dentes na frente com alguns signaes de
panno sobre o queixo pcitos pequeos per-
nas arquiadas com um dos pe i tos dos ps mais
grosso e com os dedos arnljtados por causa
de bichos que leve em algum tempo cose ,
engomma e cozinha bem ; levou saia de al-
godao azul camisa de dito da trra, e bata
encarnada tambem usada ; quem os pegar, levo
a Fora-de-portas n. 49, que ser gratificado.
=No dia 4 de outubro p. p. desappareceu
um moleque de Angola de nome Guilberme ,
allura de 7 palmos pouco mais ou menos ,
bastante secco do rorpo, perhas, e bn-cos muito
linas, ps grandes, dedos das nios muito
compridos, e finos rosto bem felo olhos
bastantes vivos ; a pessoa. que delle der exacta
noticia a Manoel Gomes \ iegas na ra do
Crespo, recebera a gratificacao de cen mil
re*s.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ERFEQ95AZ_MQ7F4I INGEST_TIME 2013-04-13T02:41:57Z PACKAGE AA00011611_04504
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES