Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04502


This item is only available as the following downloads:


Full Text

mm
Anno de 1843.
Sexta Feira 3
ludo agora dependa de ni metmoi; da aoni prudencie, ainderagJo, ehergie: con-
i'nuenioi como pricipiaoa) e seremos apomedoe oom admiracno entre Nepoes
oilu.
( Proclamagao ere Aieembleie Geral do BbaiilO
PARTIDAS DOS CUBREIOS TERRESTRES.
Goiawia, Parakjb, aeradas senas foira. R> Grande do Norle, quintal feiria.
n *! L'..>. a i..,!<> na S anilla.
Ouart. Fasta e l"dos o' Sanloa.
Qj.nl. Commemoraf o dos defuntos a. Victorino M.
Sai a. Malaquita B, Aud do J. de D. da Z. Y.
!h Cario, (torro' B. Re. kui do J da T) d. fe
U de Novembro Anno XX. N. 237,
O Dallo pabli'ca-ae odia oa diaa que ao forem S-niifi"doa: o preoo da tM,SV,j*,0,
Tm- de trea mil reie por quartel pieos adianiadoa Oa annnncioa doa signantes o ne
V gratis .oa doa qne nao forem a raso de Meia p->r linha. reclam.coea detem aer
Cidaa i cata Tip., ra da. Croiea N. 3, ou apraga da Independencia loja delmo. R. <
renda,
47 70
46,500
tf.200
4,820
4,8*0
4,8X0
CMHI05N dia 2 de Norembro. 00P"
CmbiowAr.Londr.a2od. Ooio-Mo.d. d. ,400 V. 46.5U0
Paria 37 J rtii por franco.
Litbi 440 porl00d.pr.mio.
N." 46,300
,uoo
1,800
1,100
1,B0
de 4,000
PliTA-Patacd.a
Mo.did.oobi. 2 por cont P.ioa Colnmnire.
Id.m de l.traa d* boas firma. 1 a 1 li4 a. ditoa Mxxicanoa
PHA.SES DA LA 1*0 MEZ DE NOVFMBRO.
Loa Chei. 4 7, a 3 boraa ta, da manha I La ora i ll, s 3 horaa a 14 m. da tarda,.
Qnart. aaing. 44, aoi 13 minutos da larde | Ouart. oieai. i 28, .4horaae 49m.dat.
Preamar de hoje.
4. a j boraa G m. di maabaa. | 2. a 2 boraa 3i m. da tarda:
PARTE GFFJCIAL.
Decreto que declara ndo serem d'ora em diante
consideradas como religiosas as ordens milita-
res de Christo, S. Rento de Aviz e Santiago da
Espada; e da diversas providencias a respeilo
das mesmas ordens.
Attendendo a que, nao obstante o haverem-se
conservado no imperio, como nacionaes, e des-
tinadas a remunerar servidos feitos ao estado,
as tres ordens militare* de cavallaria de Chris-
to, S. Bento de Aviz o Santiago da Espada, em
virtude da ampia disposicao da lei do 20 de ou-
tubroda 1823, e da pratica constante e inalte-
ravelmonte observada, do serem concedidos os
diirerontes graos d'ellas por mim e por meu au-
gusto pai, para o referido flm. nao csti com til-
do de acord com as circumstancias occorridas
da independencia do imperio, e da nao aceita-
Ca degran-mestrado quedas gobreditas orden*
militaros se pretender dar aos imperadores do
Brasil pela bulla Prwclara Porlugalice etAl-
yarbiorum Requm, que taes ..rdens con'inu-
ein a ser consideradas com a na ture a e carcter
de religiosas, de que alias se acha inteiramento
despojadas no imperio, desde que por ta5 pode-
rosas rasesdoixaro de estar subjeitase subor-
dinadas s autoridades e estatutos por que dan-
tes erad regidas, emquanto o Brasil fez parte do
reino de Portugal, hei por bem decretar:
Art. i. As ordens militares de Christo, S.
Bento de Aviz e Santiago da Espada flead d'ora
em dante tidal e consideradas como meramento
civis e polticas, destinadas para remunerar ser-
vicos leitos ao estado, tanto pelos subditos do
imperio, como por estrangeiros benemritos.
Art. 2. Cada urna destas ordens constar de
cavalleiros ocoinmondadorossom numero deter-
minado, e de 12 gran-cuzes, nao comprehendi-
dos neste numero os principes da familia impe-
rial eosestrangoiros que sera reputados supra-
numerarros.
Art. 3. Os eavalleiros, commendadores e gran-
cruzes das tres ordens conlinuro a usar das
mesmas insignias de que at agora tcem usado,
o com as fitas das mesmas cores; sendo porem
as das ordens de Christo e Santiago orladas de
azul, e da ordein do Aviz orlada de encarnado.
Art. 4 Os cavalleiros usar da insignia ou
venera eniada na Uta respectiva, atada em urna
das casas do lado esquerdo do vestido ou Tarda,
como at agora se tem p alicado. os commen-
dadores usara da chapa ou bordado sobrepos-
to no lado esquerdo do vestido ou fjrJa, e da
insignia pendurada de fita larga ao pescoco: os
gran-cruzes, alem da chapa traro ao tiracolo
as bandas ou fitas largas, o;mo as das outras
ordens.
Art. 5. 0 Imperador do Brasil ser sempre o
gran-mestre das tres ordens, e o principe impe-
rial commendador-mr de todas ellas.
Art. 6. Os principes da familia imperial, a
que forem conferidas as condecorares destas
ordens, prestar as mas do imperador o ju-
ramento de serem tis ao imperador e patria;
os mais subditos do imperio que forem promo-
vidos aos dilTerentes graos, prestara o mesmo
juramento as indos do ministro e secretario de
estado dos negocios do imperio; do que so fura
ausento em um livro destinado para esse flm,
antes do que se nao poder /azor uso das insig-
nias. .
Art 7. As nomeaces serad fetas por decre-
tos assigoados pelo gran-mestre, e rofereodados
pelo ministro e secretario- de estado dos negocios
do imperio; e por elle w oipedira as cartas,
que servir de titulo os agraciados, dep us de
pi cstaaos os juramentos por si ou por seus pro-
curadores, sem necessidade de proflssao ou qua -
quer outro acto religioso. Jos Antonio da Sil-
va Main, do meu conselho de esta lo, ministro
e secretario de e tado dos njgocios do imperio,
o tenha assim entei.dido e faca executar com os
despachos neoessjrios.
Palacio do Rio do Janeiro, em 9 de selemoro
de 1843, vigsimo segundo da independencia e
do imperio.Coma rubrica de S. M. o Impera-
doi. Jos Antonio da Silca Ataia.
DECREiO N. 291 DB 30 DE AGOSTO DE
1843.
Beduz dous afinos o lempo da residencia exi-
gido pelo $ 4. do artigo 1. da lei de 23 de ou-
tubro de 1832 para a naturalisacao dos estran-
geirot.
Hei porbm sancionar e mandar que se exo-
cuto a seguinte resolucad da assembla geral le-
gislativa.
Art. 1. O tempo de residencia, exigido pelo
artigo 1. $4. da lei de 23 deoutobro de 1832,
para que possa ter lugar a naturalisacao doses-
trangeiros (lea radusido a dous annos.
.Art. 2. Fe a o revogadas todas as disposicoes
em contrario.
Jos Antonio da Silva Maia do meu conselho,
ministro esecretario de estado dos negocios do
imperio, assim o tenha entendido e faca execu-
tar com os despachos necessarios. Palacio do Bio
de Janeiro, em 30 de agosto de 1U43, vigsimo
segundo da independencia e do imperio.Com
a rubricados M. o Imperalor./oa Antonio
da Silva Maia.
Commanrio d;is Armas.
EXPEDIl-NTE DO DlA 27 DO PASSADO
OfllcioAo Exm. presidente ropando-lhe
suas ordens, para que a guarda da cadeia fosse
nos domingos feita pela guarda nacional, vis-
to o atrpelo, em que se ochava a tropa de
linha
DitoAo mesmo Exm. Sr. aecusando re-
cebidos os seos offioios de 23 o 26 do corren-
to acerca da mudanca do destacamento de
Goianna para o que ficavao nesta data passa-
dos as competentes ordens.
DitoAo mesmo Exm. Sr. informando o
requerimento do sargento ajudante Jos da
Cruz dos Santos, que S. M. I. supplicava
a merc de ser promovido a 2. tenente ajudan-
te da fortaleza de Tamandar.
DitoAo commandante do batalhaode in-
fantnria de guarda nacin d destacado, orde-
nando-lhe que fizesse recolher a capital logo
'|iic em a cidade de Goianna se apresentnsse
um destacamento do corpo de polica o ofi-
cial o destacamento, que aHi se acha com-
posto de pracas do batalho do seo commando ,
cumprindo que o referido odlcial fosse cha-
mado a sua presenca e estranhado pelo mo
comportamento que tivera.
DitoAo mesmo ordenando-lbe, que en
viasse a secretaria militar para serem archi-
vados todos os processos verbaes fcilos a
pracas do batalhaode seu commando, cujas
sentengas tivessem tido publicidade as ordens
do dia devendo os processo virem acompa-
nbados de urna relami assignada.
No mesmo sentido se oflciou aos le
mais commandantes de corpos c companhias
de linha acrecentando que fzessem lam-
hem remessas dosconselhos dedireceo e a-
verisuacSo.pertencenles a cadetes da 1.* 2*,
e 3.'' classe.
DitoAo commandante do batalho de ar-
tillara mandando-lhe apresentar o soldado
do Cear Raymundo Pires Nunes de Brito, para
que (icasse addido com vencimento d'otape e
conservado em priso segura at que fosse
remeltido corte.
DEM DO DA 30.
OdicioAo Exm. presidente informando
o requerimento do 2. tenente secretario do
batalho de artilharia a p Candido Leal Fer-
reira que a S. M. I. supplicava a grapa de o
promover a 1. tonente com antiguidjdo de 18
de julho de 18-1 visto terem sido promovidos
a 7 de ;setembro de 18V2 a 1.' tenentos ou-
tros de seos com panbeiros mais modernos, um
dos quaes sem neotwm servico de campa-
nba.
DitoAo mesmo Exm. Sr. enviando-Ihe,
para serem transmitidas ao Exm. Sr. ministro
da guerra as relaces de conducta do segundo
semestre do anno findo conforme exigir, t|pl
obstante as rascs ponderadas em oBcio de 4
de agosto acerca dos motivos, por que oao orio
taes relaces remettidas para a crie.
Dito Ao mesmo Exm. 9/T, para que
houvesse de mandar ordem a tbesouraria alien
de satisfazer a folha do batalho de inlantaria
de guarda nacional destacado incluindo-se rol-
la os vencimentos de capitao commandando cor-
po a que tem direito o respectivo comman-
dante como reformado procedendo-se os dis-
contos da quantia que de mais recel.era con-
forme se determinou pela contadoria geral da
guerra ; visto que tendo se demorado a deci-
sao do requerimento que o mesmo comman-
dante encaminhou ao corpo legislativo, nao
querelle deixar neste anno de recebor os seus
vencimentos para evitar que sejo em divida
contemplados, por passarem a pertencer a
exercicios (indos.
DitoAo inspector da tbesouraria com-
municando-lhe que falecra nesta data o major
de artilharia reformado, Fernando da Costa.
DitoAo commandante do liatalho de in-
lantaria de guarda nacioir.il deslaca lo auto-
risando-o a incluir na folha doste mez os ven-
cimentos a quo tem direito e que deixou de
receher pelas razos ponderadas no seo olTicio de
26 de abril procedendo-se o devidos descon-
tos na forma ordenada pela contadoria geral da
guerra
DitoA o commandante do batalbSo de ar-
tilharia dando-lhe esclarecimento sobre as
copias dos processos verbaes de quo trata a
portara de 12 de agosto do 1815 e portara
de 22 de abril de 1820.
EXTERIOR.
REPBLICA ORIENTAL 1)0 UBUGUAY.
ARTIGO OFFICIAL.
Estamos aulorisados aununciar ao publico
que as desavencas, quo nasefirad do embarque
do Senhor ennarregado de negocios do Bra-
sil, Dom Joao Francisco Begis, em consequen-
cia do occorrido em 21 dejunho ultimo, termi-
naran felizmente pela maneira que consta dos
documentos seguintes:
A 24 do mez de agosto do anno do nascimento
de N. S. Jess Chri-ito de 1843, na casa da legacad
brasileira de S. M. o Imperador do Brasil, estan-
do presentos o commendador Joo Lins Vieira
Cansansaodo Sinimb, e eu abaixo assignado,
secretario desla legaco, compareceu Jos ta-
ribaldi, coronel ao servico desta repblica, di-
zendo:que vinlia para declarar da maneira a
mais lormal e positiva que quando no dia 22 de
junho deste anno se diriio casa do commen-
dador Joao Francisco Regis, ento encarregado
de negocios do Brasil, para pedir-lhe urna sa-
tisl'acao por actos que julgava que Iheera inju-'
i osos, nao leve a mais leve intenco de offen-
dercom isso o carcter publico do dito commen-
dador; declaracao que fasia tanto mais espon-
tneamente, que, tributando o maior respeitoe
consideraeo aogoverno de S. M. I., o a todas as
autoridades brasileiras, nao se persuadi nun-
ca que com este procedimento pudesse tornar
suspeitos estos seus sentimentos Que rQflectin-
do mellior, compareca lioie a esta legaco pa-
ra dar plena satisfago do seu procedimento, pe-
dindo ao Sr. ministro residente que se dignasse
aceital-a juntamente com os protestos que no-
vamenlefazia do mais alto respeitoque consa-
gra ao governo e nacio brasileira, prometten-
dodebaixodo sua palavra de ho.ira nunca mais
hostilisar subdito algum do imperio. Em f de
que se lavrou o presente acto queassignou com-
migo secretario o ministro residente.Jodo Lins
Vieira Cansancdo do Sinimb.Filippe Jos
Pereira Leal, secretario. Jos Garibaldi.
Ministerio das relaces exteriores.
Montevideo, 25 de agosto de 1843.
O abaixo assignado, ministro e secretario de
estado no departamento das relaces exteriores,
levou ao conhecimento do seu governo a nota
que o Sr. ministro residente do imperiodo Bra-
sil Ihe fez a honra de dirigir-lhe, com data de
21 do corren te, e o memorial que a acompa-
nbava.
Conformando-se o governo da repblica com
os pontos que o Sr. ministro residente estabe-
itceu para a salisfaca a quo deu direito a con-
ducta do coionel Garibaldi para com a legaca
imperial, no occorrido em 22 dejunho prximo
passado, e incidentes relativos, e tendo-se ef-
fectuado completamente tanto a explicaca do
referido coronel, como a salisfaca do crdito
do subdito brasileiro Jeronymo Antunes da Por-
ciuncula e castigo dos perpetradores da de-
sorden que deu motivo sua reclamaca, res-
ta sement a publicaca daconclusa feliz deste
negocio, que o governo manda faser.
0 govemo da repblica v com a maior satis-
rapad o reslabelecimentu perfeito das relaces de
amisade de ambos os paizes, e se lisongei de
ver, que, longe de serem perturbadas por um
incidente inesperado, ellas sefoitalecrao sobre
a base da re ;iprocidde de interesses.
O abaixo assignado, ao faser esta participa-
gao de ordem do seu governo ao Sr. ministro
residente, so compraz em reiterar-lhe as mais '
positivas segurancas de seu profundo respeito
edistincta consideraca.Santiago Vasqnei.
Exm. Sr. commendador D. Joo Lins Vieira
Cansansa do Sinimb, ministro residente de S.
M. I.
Este feliz resultado sedeve em grande parte
prudencia e talento do Sr ministro residente
Cansanso do Sinimb. Elle soube desemmara-
nhar esta questo do montad de circumstancias
apaixonadase pessoaes em que estavaonvoUa ;
comprehenderde urna vez a verdadee entender-
se com lealdade com o gqverno da repblica.
Deixariamos urna lacuna neste artigo so nao
elogiassemos a nobresa de sentimentos que ma-
nifestouoSr coronel Garibaldi, na sua entre-
vista com o ministro residente do imperio. O
coronel Garibaldi mostrou que to brioso ca-
valheiro, qua valente militar. (J, do C.)
Artigo do El Comstitucionaln de 9 setembro.
RECONHECIMENTO DO BLOQEIO.
Chegou o ex-paqueto Luisa de Buenos-Ay-
res e com sua ebegada os sectarios de Rosas
tem feito correr boatos assustadores sobre o
bloqueio d'este porto quo se suppe reconhe-
cido pelo ministro .Mandeville. Importa expli-
car estes boatos : os inimigos espalhao especies
sinistras para causar tristes impresses no po-
vo ainda que seja por momentos breves...
O bloqueio nao existe nkm kxistiu a-
inda suppondo, que o ministro bntnnnicoce-
desse como se diz medida de Rosas a este
respeito. Nao foi o Ilustre commodnre Purvis
o nico que desconheceu o pretendido bloqueio
d'este porto por Brown : outras potencias o
desconhecerao tambem e muito especialmen-
te o imperio do Brasil nosso amigo, que
tem iguaesdireitos iguae interesses, que os
|ue pude invocar a Confederaco Argentina ,
sobreest paiz, pelo teor da convenco de paz
de 1828 ; e por consequencia para saber-se ,
de urna maneira decisiva se o bloqueio pode
existir, ainda sendo tolerado pelo ravalleiro
Mandeville necessario indtspensavel que
o digo e sanecionem as outras potencias que o
desconhecerao, e em particular o governo
imperial que como distemos tem direito
especiaos n'esta questo pelo tratado de 1828,
em que se trata de um estado quo ao reco-
nhecel-o indepenoente e ao renunciar a to-
da a pretenco de dominio sobre elle foi de-
baixoda haseaV/izfr igual renuncia de dinilos e
pretences o governo da Repblica Argen-
tina.
Em quanto isto nao acontecer em quanto
o imperio do Brasil nao ceder a seu rival seus
direitos e nao (Arreconhecido o bloqueio de
Montevideo por todos os poderes estrangeiros,
repetimos, nao existir' o bloqueio anda
com a approvaco do ministro deS. Al. B.
E ainda que assim nao fosse que suppora
o bloqueio de Brown e a prohibic-So de in-
troducir napraca vveres frescos de nossas costas?
Nada nada absolutamente : nem por isso ha-
ra suecumbir Montevideo. Pelo contrario ,
servir talvez para tiral-o de sua mansidao e
arrojar se mais irado que nunca e msis
terrivel, sobre os inimigos de sua existen-
cia. ..
/'orea naval no Rio da Prata ai9de setembro.
Crvelas : Carioca, com 32 bocas de fogo;
Unido com 18 ; brigue Imperial Pedro, com
12 ; e patacho Argos com 12.
dem 12 de setembio.O paquete ingle,
portador de sua carta de 21 do p. p. condu-
tio oflicios importantes dos governos de Ingla-
terra e Franca que decidirn em pouco tem-
po da guerra que afllige este paiz.
O governo ingler.reprovandoaprradaConducta
do commodore Purvis determina-lhe que o-
bsrve a mais restricta neutralidade e que re-
conheca o bloqueio que a Repblica Argentina
declarou em marco a cs'a praca : j boje !*>
lorwn com seis embarcaQoes fundear em frente
a este porto para o eflecluar. Ao cnsul geral
m
a
m
i
'
V


1


da Franca, ordenando o seu govcrno, que con-
tinu a louvavel neutralididc que tctn observa-
do determina que declare aos Fraeicezes seu
desagrado poralguns terem lomado armas e
usosem das gloriosas cores de Franca ; que
intime a estes, eni nomo do rei que so de-
sarmen) ; e se nao o fixerem autorisa ao
cnsul para com a forca obrigal-os a nao usar
dos distinctivos Irance/cs perdendo a protec-
cao de seu pavilhao como vera pelo incluso
documento que o cnsul fez circular entre os
seus compatriotas; portanto era de esperar
queem poucos dias esta praca cahisse no po-
der dos sitiadores; mas corre geralmente que
o ministro do Brasil nao rpconhece o bloqueio ;
ao que nao dou crdito porque faco justica
ao Sr. Cansansao a este Ilustre orador da c-
mara dos deputados ; apezar de o julgar mui
joven o de coracao sensivel para exercer a
diplomacia em um paiz as circunstancias d'es-
to : o muito mais conlio na sabedoria e patrio-
tismo do governo imperial o qual nao quercra
ver o nosso Brasil envolvido om urna guerra
que so terminar quando tiver causado gran-
des prejuizos ao nosso commercio alentando
as desordens do Bio Grande do Sul.
As noticias da campanha sao todas favoraveis
a Oribe como ver pelo boletim que remeti,
o qual mostra a ultima victoria que este gene-
ral ahancou ; e como a eslacao ja permitte
principiar as operacoes de campanba deve-
nios ter successos extraordinarios em seu favor ,
e a prompta concluso da guerra. Pelo paque-
te o informarei do que succeder.
Jnttmacao do cnsul Franvez aot subditos da
sua nacSo que pegaro em armas.
O cnsul geral de Franca em Montevideo
deve azer conhecer a seus compatriotas que o
governo do rei exige que os Francezes estabele-
cidos n'este paiz conserven) urna posirao con-
forme neutralidade que a Franca quer obser-
var. O gobern deu de novo a este respeitoas
ordens mais lormaes e est determinado a
retirar sua proleccao quelles que a despeito
de sua prohibico tenbao tomado arma6 ou
que poroutros meios tenlio faltado gravemen-
te a seus deveres para c un a Franca e seu re-
presentante em Montevideo.
J a 9 e 25 d fevereiro passado o cnsul
geral tinha feilo saber populacao franceza de
Montevideo, quacs erao a este respeito as or-
dens que tinha ; as que Ibe forao ltimamente
expedidas Ihe impoe o dever de lembrar esses
principios a seus compatriotas, poique, sea
grande maioria fui fiel asetMdeveres, grand-
simo numero deixou-se arrastar por urna sen-
da quu os expela de sua ponicSo de neutros e
de Francezes.
O cnsul geral deve portanto declarar aos
que se desvairaro por conselbos funestos que
o nico meio que esses lem para voltarem ao
seio da nacionalidad; Irance/1 cessar os actos
que os constiluem em opposicao s leis de Fran-
ca e vontade formal de seu governo. O cn-
sul nao hesita em declarar a seus compatriotas
que quaesquer que sejo os acontecimentos,
as autoridades franre/as tcm tomado medidas
para assegurar a posicSo que Ibes proscripta ,
as garantas necessarias para sua seguranca.
Em ronsequencia convida de novo todos os
Francezes a que seabstenho de lomar parle
na lula que divide o pai/.; e quanlo aos que,
depois ile recusarem seguir esta direccao to-
moa liberdade de usar ainda das cores lran-
cezas elle os intima em nome do rei a que
asdeixein inmediatamente.
O cnsul geral deve accrescentar que perante
o governo local solicita tudoaquillo que as rei-
teradas ordens do governo franee/, tornao neces-
sario. (Senlinella da Monarchia.)
INTERIOR.
RIO DE JANEIRO
Acamara dos depilados approvou a re-
soluco sobre aposentadora de varios desem-
barga do res.
bargadores.
Approvou tambem a proposta do governo
sobre o crdito para exercicios lindos.
Em seguida foi igualmente approvado em
3.* discusso o projecto sobre divisan de Ierras
ecolonisacao. (Jornaldo Commercio)
Tambem foi approvado a resolucao que
permilte aos ministros de estado que nao fo-
rero depatados ou senadores poderem assis-
tir e tomar parte as discusses publicas ou se-
cretas de . Le-se no Jornal do Commercio:
Consta-nos que o governo oriental propoz
ao nosso ministro residente as bases de um tra-
tado ofTensivoedelTcnsivo, o que, tendo o Snr.
Cunsan-ao admittido essas bases somente ad re-
ferendum, declarara o governo imperial que nao
se tastana da poltica de absoluta neutralida-
de que adoptara e (ielmenic seguir desde o
principio da luta entie a Confederado Argenti-
na e a Repblica Oriental.
O Sr. principo conde d'Aouila. aususlnir-! lo Manoel as immedisc~.c5 d Juguaio.
..aeei. M. a luiperalriz deixou este porto, j Asegunda diviso iogo que se achoubemj
seguindo com a esquadra para aples. As ma-
neiras aITaveis e obsequiosas deS. A. R. captiva-
ran a todos os Brasileiros, que Ihe desejao urna
prospera viagem.
O promotor publico denunciou perante o
juiz municipal da pritneira vara, por conlerem
expressoes offensivas a S. M. I., os artigos se-
guintes, publicados no Pharol n. 82, de 21 do
corrente (setembro):Tnstesado Imperador;
Amabilidade com que oSr. D. Joan VI tratava
os seus vassallos;Como o Sr. D. Pedro H re-
cebe os seus subditos:
O artigo do Pharol n. 81 de 19 do corren-
te setembro) com o tituloO Brasil e a Hes-
panlia,porconterobservacSos ofTensivas a S.
M. o Imperador: o Pharol n. 81, de 19 do cor-
rente setembro), pelos artigosZum-zum no
paco; Conspirado daJoanna;A tristesa do
imperadorDesgosto dos Napolitanos; por
con terem expresses offensivas ao imperador: o
artigoMais coincidencias, e o rei das Duas Si-
cilia*;publicado no Paiz n. 12, de 15 do cor-
rente (setembro), por conter offensas ao Impe-
rador.
O Sr. M. J. de Araujo, redactor do Pharol,
tendo sido pronunciado a prisad e livramento
por abusos de expressa do pensamento, foi pre-
so e recolhido ao quartel dos permanentes.
O Sr. Theophilo Benedicto Ottoni foi ab-
solvido unnimemente, pelo jury da cidade de
Mariana, em o dia 18 de setembro, do crime
que se Ihe foi niara pela rebeltiad de Minas Ge-
raes. O juiz de direito appellou da sentenca. O
promotor publico recusou 12 jurados, nao ten-
do o acensado recusado algum.
Falleccu o Sr. Jos Albano Fragoso, mem-
bro do tribunal supremo de justica.
Foi executado em Nitheroy o escravo que
assassinou um caixeiro da padaria do Snr. Va-
lente. (S. da Monarchia.)
S. PEDRO DO SUL.
Cacapava, 20 de agoitu.
Nos primeiros dias do mez p. p. o grosso do
exercito imperial liana ebegado estancia do
Carino perto da intercepeo do rio Jaguary
com S. na Mara, e S. Ex. o Sr. baro de Ca-
xias, general em chefe projectava fortili-
cando o rincao daquello nome estabelecer ali
os necessarios bospitaes o armazens para rece-
berem a hagagem pesada do exercito sem com
ludo deixar durante esse intervallo de perse-
guir os rebeldes, a fim de que elles nao podes-
sem ter invernadas fixas e licenciar grande par-
te de seus soldados durante o invern, como ti
nbao de costume A 2.' diviso do exercito ,
logo que tivesse cavados deveria expulsar Ca-
navarro e os deroais caudilhos do municipio de
Algrete que tanto Ibes lem custado abando-
nar pelos grandes recursos que ali tiravao ; po-
rm sendo o mesmo Exm. Sr. informado de
que os inesmos rebeldes, contando que ser-lhe-
ia impossivel mover-se do dito rincao atienta
a lalta absoluta de cava los projectavao fazer
um movimenlo sobre a frooteira do Rio-Gran-
de, com o intuito de se apoderaren) nao s dos
8.000 cavados que se acbavSo no Rincao dos
Touros, como da numerosa cavalhada que tem
entrado na provincia pela fronteira de Chuy e
que se acba ; quem daquelle rio, levantou cam-
po no dia 10 daquelle mez e apezardo rigor da
estacao e de ter grande parte da cavallaria da l.1
diviso de marchar a p conseguio, com dil-
fculdadcs que parecio insuperaveis approxi-
mar-se da niargem direita do Camacua mo-
vimenlo que desconcertava o plano dos rebeldes;
e dali tendo leito avancarocoronel Manoel Mar-
ques deSouza com mil homens compostosdo
balalhao n. 11 de cacadores 3. regiment de
cavallaria e 5.corpo daquella arma, ordenou-
Ibe que seguisse na direccao da cidade de Pelo-
tas e que em marcha procurasse sorprender o
governo rebelde quo se achava em Piratinim.
Com efleito aquelle, com quanto nao podes-
se agarrar p tal governicho por terem seus
membros atravessado oJaguarao e refugiado-se
no Estado Oriental todava agarrou o celebre
coronel Vieira, muitas pracas rebeldes que ser-
viao na polica de Piralinim e duas carretas
cheias de fardamento e municoes de guerra, que
muita falta faro aos rebeldes, osquaes sea-
chao rotos e faltos de numerario para se vesti-
rem I ali seguio o Marques para Pelotas, que
guarneceu com a infantaria em quanto o ma-
jor Osorio ia arrebanhar os cavados existentes
para dentro do Chuy e o Chico Pedro perse-
gua as partidas rebeldes existentes no districto
de Canguss e adjacenles ; o que ludo foi co-
roado de bom resultado.
S. Ex. veio esta villa onde chegou no dia
3 do corrente mandou-a fortificar obra que
cstaj muito adiantada caqui pretende dei-
xar o brigadeiro Filippe Nery com mil homens
de guarnicao Ires bocas de fogo monumen-
tos para tres mezes, hospitaes, armazens para
receberem a bagagem pesada do exercito. *c.,
&c., dz-se que no dia 22, testa da 1. diviso
repassar o Camacua nopassodos Enforca-
dos, e ir fazer junecao com o Marques, que Ihe
traz seis mil excedentes cavados ,ecom o Ben-
montada com os cavados que S. Ex. mnndou
comprar do outro ledo do Uruguay, com os que
vierSo de ItapuSa e com os que forao agarra-
dos no municipio de Algrele pz-se dia e
noite em perseguicao de Canavarro quo u
nhas de cavado conseguio escapar-se at as im-
mediaces de Ponche-verde ; porm vendo
que os nossos o alcancarao, por isso que viohao
mais bem montados resolveu emigrar para o
Estado Oriental; o que electuou marchando
na direccao da Estancia de Domingos Neto ,
que fica do outro lado do Jaguarao.
O rebelde Joo Antonio que se havia con-
servado inactivo pelas imrnediaccs de Bagcom
os seus seiscentos homens, depois da sapeca que
Ihe deu o valente Chico Pedro tambem emi-
grou ; porm ao passar a I una Ihe desertrio
mais dos dous tercos dos seus soldados ; assim
pois hoje nao existe na provincia um s corpo
rebelde, e apenas se contao treis a quatro parti-
dinhasde trinta a quarenta homens que mais
parecem salteadores do que par distas polti-
cos, porque contento-se em rou bar as estan-
cias de alguns legalistas ou algum pobre via-
jante que Ibes cahe as mSos.
O celebro capitaoFelicissimoFeij'). que com-
mandava urna partida rebelde comp-osta de 54
homens, se apresentou a S. Ex. e toinro to-
dos o servil o a excepeo de dous nicos soldados
que prelerirao serem amnistiados, a fim de po-
derem recolher-se s suas casas.
A desercao nes fileiras rebeldes tcm i'oem
urna progressao mui forte principalmente' de-
pois da expulsan de Bento Goncalves da p re-
sidencia e de Neto do commando em chefe o
que muito desgostou as crcaturas desses dou.s
corypheos da revolla que j principiro ter
o pago de seus altos leitos.
Se nao fosse a grande extensao da nossa fron-
teira do Sul a facilidade de ser ella atravessa-
da por toda a parte impunemente e os recur-
sos de cavados roupas &c., &c., que os re-
beldes podem adiar no Estado-Oriental po-
der-se-ia di/er que a guerra eslava concluida.
Todavia como esses recursos nao se alcancao
em paiz estrangeiro sem pagal-osdinhciro vis-
ta e os rebeldes se acho mui desprovidos del-
le, por j nao cobraren) um s vintem as suas
coHectorias do Algrete Cruz-alta, Encruzi-
lliada dic., e os nossos movimentos nao Ihes
terem permiltido courearcm as vaccas dos lega-
listas com o que se refazio do que Ihes ne-
cessario ter mui breve de se debandarem e
imploraren) a clemencia de Sua Magestade o
Imperador.
Se compararmos a audacia dos revoltosos as
campanhas anteriores com o seu procedimen-
to na presente poderemos ajuizar qual seu es-
tado de desmoralisacao. O S-. brigadeiro Joo
Paulo atravessou o rio Jacuhy no passo de S.
Loureoco com quatro mil bomens, fez junecao
com o coronel Silva Tavares que Ihe trouce
mil e quinhentos e todavia ape/ar dess a for-
ca e andar bem montada ninguem se podia
arredar do exercito, porquo os rebeldes o rod
avo dia e noute e mesmo algumas vezes ten-
taran embargar seus passos, como oi no Passo
deS. Bqrja eat mesmoatacrSo o acampa-
mento. Nesta campanha o exercito imperial
tem atravessado toda a provincia impunemente
sem que o inimigo tenba ousado oppdr-se a
seus intentos e na ultima marcha doCarmo
at aqu apezar de que quatro quintos da ca-
vallaria viesse a p, nem por isso urna s vez lo-
mos incommodados pelos rebeldes, nem se quer
Ibes pudmos por a vista em cima.
Esqucciu-medizer-lhe que nunca o exercito
gozou de tanta abundancia mesmo nos limites
da provincia ou quando entramos no Estado O -
riental; os soldados sempro tiverdo boa carne ,
farinha, fumo, sal e mate; o que muito e mui
to tem influido na salubridaJe do exercito, prin-
cipalmente a respeito dos soldados do Norte ,
que nao estao acostumados a comer a carne sem
mais nada : o numero dos enfermos existentes
nos hospitaes do campo um dezeseis avos dos
promptos e a mortalidade guardadas as de-
vidas proporces, um sexto da das guarnicocs
de Porto-Alegre Rio-Grande e Rio-Pardo.
Em fim o invern ainda nao paralisou por
um s dia nossas operacoes ; o Irio tem sido in-
tensissimo e nao obstante sso, todos estamos
contentes e satisfeilos.
Urna melamorphose completa se tem operado
no moral dos nossos soldados. Antes desta
campanha nossas torcas nunca procuravao oini
I migo eno quando Ibe erao superiores em nu-
mero ou pelo menos iguaes: agora pelo con-
trario qualquer partida nossa se julga capaz de
arrostar o poder de toda a agonizante republi-
queta. { Carla particular.)
(Jornal do Commercio.)
Tivemos folhas de Porto-Alegre at 11 de
agosto, e d'ellas colhemos as seguintes noti-
cias :
O General Baro de Caxias achava-se a 30 de
julho no banh:!do do Scivr.! cou. parle do exer-
cito, e la cin direccao a Cacapava.
O brigadeiro Bento Manoel havia levantado
o campo desdo 11 de julho, pondo-se em mo-
vimento sobre Canavarro, que contiuuava per-
correr a linha divisoria corn o Estado Oriental.
Neto vai perdendo cada vez mais o seu pres-
tigio desde a destituicao de commandante em
chefe das Torcas que attribuida, alm das
causas j sabidas, nao ter atacado as forcas
imperiaes acampadas na Tapera do Tri-
Iha. nao ter embarazado a compra do cava-
lhada para remonta de exercito impeiial, que
muito seu salvo fez o tenente-coronel Francis-
co Pedro; finalmente, nao ter cantado a vic-
toria em Ponche-Verde, onde 1:300 bravos im-
perialistas recha?aro com den-ido as suas for-
cas, quasi em numero triplicado.
Urna carta do Rio-Pardo, transcripta pelo
Commercio, diz, em data de 23 de julho :
No dia 20 chegou aqu o tcnente coronel At-
talde e poucos momentos depois recebeu olH-
clo de S. Exc, em que Ihe determinava sua es-
tada aque at segunda ordem.
No dia 21 chegou em commissao o major Ro-
berto do corpo de Jeroni.no Jacintho: este
allirma o levantamento do campo, e dizque,
quando so separou da diviso, eslava ella no'
lii-ar denominado Taboleiro, e que julgava di-
rigir-se Cacapava, pois que o geneial estava
mais que di-pnsto continuar as operacoes:
que o corpo de Chico Pedro, o 3. regiment de
cavallaria de linha, e 11 de cacadores tinho sa-
ludo em diligencia.
No dia 22 sahiu para cima da Serra o resto
do 3. balalhao de cacadores de linha, acom-
panhando-o o tenente-coronel Mello, seu com-
mandante, que aqui tinha licado doente.
Outra carta diz du cidade do Rio-Grande, em
13 de setembro, que grande parte dos rebeldes
que haviao emigrado para o Estado Oriental,
reentraio na provincia por Bag, em pessimo
estado, e quase a p. Parece que nao encontra-
r!) all o bom agazalho de outr'ora. O general
,^m chefe foi em sua perseguicao, com boa ca-
v adiada.
A par d'estas boas noticias, sentimos ter tam-
ben.1 de declarar que sossobrou na barra do Rio-
Gran de, no mesmo dia 13 do passadi-, urna po-
laca si'rda, que sahira de Montivideo com mui-
los emigrados, perecendo 26 pessoas, pela mor
parte m.ulheres. (Sent. da Id.)
Temosa.vista urna carta do Rio-Grande com
data de 13 do corrente, que diz o seguinte:
Grande parle dos rebeldes, que emigrrao
para o Estado Oriental, nao tendo achado ali
o menor apoio, entiro outra vez na provincia
por Bag, em pvssim estado e quase a p. O
baro de Caxias foi sobre elles com boa cavalha-
da, e tenho por certo a total destrincan desse
resto de rebeldes ; com a sua perda d a sonha-
da repblica de Piratinim o ultimo arran-
co. (J. doC.
PERNAMBUCO.
Rendt'mento total d'al fandega em Outubro
Rendimento total........... 161:127,464
Restluk-es................. 142.000
Plvora 50 p. /# a
dinheiro.......
\ inhos, e lquidos
espirituosos a sa-
ber :
i8 V*p. /adi'n."
'i8 '/> dito em as-
signados.......
160.985,464
909,061
1:615,690
8:995,451
10:611,141
Diversas outras mer-
caduras, a saber:
15 p. > a dinb.ro 27:289,545
15 dito em assig-
nados......... 81:059,109 108:348,654
Joias 5p. /o............... 15,600
Armaenagemaddicional 3 7p.* 26.104,938
Reexportado 2 p. /o......... 544,633
Expediente de 1 '/ p. % ..... 12:204 610
Gneros nacionaes '/ p. /o.....
Premios dos assignados '/s p. /.
Armazenagem de V* p. %.....
Multas....................
Emolumentos de certides.....
51,398
2:026,131
117,656
48.562
3,080
Rs...... 160:985,464
Renda geral....
Dita applicada..
127:790,732
33:194.732
160:985,464
Alfandega 2 de novembro de 1843.
O escrivo d'alfandega Jacome Gerardo
Maria Lumachi de Mello.
Itendimento da mesa de rendas internas pro-
vinciaes no mez de outubro p. p,
A saber:
Decima dos predios urbanos. .
sello de berancas e legados.....
Meia siza dos escravos.........
Escravos exportados para frada
4:3648105
375*686
1:628*725


V
provincia................. 120*000
Passaporles de polica......... 38000
Imposto sobre casas de modas... 40*000
sobre olarias........... 1158:200
serraras........... 12*800
fabricas de tabaco.... 25 600
de charutos........ 12j800
Juros da divida activa......... 187*882
6:885*698
Mesa do rendas internas provinciaes 2 de no-
vcmbro de 1843.No impedimento do escri-
%ao e administrador Josk Guedes Satgueiro.
Rendimento da meza da recebedoria de rendas
internas geraes no mez de outubro prximo
/indo ; a saber.
Impostos de lojas abertas......... 1:458,700
Ditos de seges, e carrinhos....... 153,600
Taxa de cscravo............... 1.623,000
Sel o do papel................. 1:329,080
Di re tos novos e velhos......... 348.420
Direitos de chancellara......... 6,030
Dizima de dita................. 167,248
Imposto delettras.............. 258,069
Matriculas do curso jurdico...... 3:456,000
Cartas do hachareis. ........... 52,000
Emolumentos de certidoes........ 4,800
Foros de terreno de marinha..... 546.604
Laudemios.................... 68 500
Siza dos bens do raiz............8:723.631
Segunda decima............... 152.670
Decima urbana................ 261,154
18:609,506
Do exercio do corrente anno, per-
tencente: ao geral. 13 910.892
Dito ao papel moeda. 3:689,190 17:600,082
Do excrcicio lindo perlencentc ao
geral........... 413.824
Dito ao papel moeda. 595,600 1:009,424
18.609,506
Recebedoria 2 de novembro de 1843.0escri-
vao, Estanislao Pereira d'Oliveira.
TmrhIb pekvmbi m
FizeraiV-nos o obsequio de folhas do Rio at
2 de outubio, das quaes damos em outro lugar
alguns extractos: ellas conflrmao as noticias,
queja demos em outro numero.
Variedade.
Pontos naturaesna America. O valle dc-
Icononzo ou de Pandi, em a Nova-Granada .
guarnecido d'escaltados penhascos, de forma
extraordinaria, que parece forao afeitados por
maos humanas: estao dspostos em duis linhas,
ficando em meio um espago vao mi fundo,
de quase legua de comprimento, e que o val
le por onde corre a torrente de Summa-Paz.
encaixada u'um canal inaccessivel. Seria im-
possivel transpr esta impervia quebrada, sea
natureza, servindo-se daquellcs rochedos, nao
houvesse preparado duas pontes que do pussa-
gemde um ao outro lado. A primeira um
arco natural, de 44 ps de comprido por 36 de
largo, com a grossura de seis ps no centro,
prximamente: todo um pedra interne^, ele-
va-se perlo de300pssobreonivel das agoas da
citada torrente. A segunda composta de
tres enormes volumes do rocha, que cahirao
de maneira que reciprocamente se sustento; o
do meio como o lecho 'la abobada acciden-
te, que podra ter suscitado aos indgenas a idea
das obras d'alvenaria em voltad'arco, que os
povos do Novo-mundo dcsconhecio: chega-se
a esta segunda ponte por um trilho estreito, que
vai rastreando a borda do desfiladeiro, a come-
car da primeira Est a 458 toezas (medida
francesa) cima do nivel do Ocano, e talvet a
280 ps sobre o fundo do valle: no meio desta
segunda ponte ha um boqueiro de 300 ps
quadrados, por onde se v a profundidade do
abysmo, que s ahitado por aves noturnas. As
quaes n5o possivel dar caca pelo impraticavel
do sitio, que nao permitte a descida ao valle.
Feira das mulheres. Ha na extremidade
oriental da Hungra a montanha de llihar, ha-
bitada por gente pastoril, de raga valaquia, e
mu remola da civilisago europea. No dia de
S. Pedro concorre este povo planicie de Kali-
nassa, e ah faz-se urna feira, mercado de per-
mutaco de gneros, como em toda a parte:
mas muito notavel por ser o campo dos casa-
mentos. Os pais, quetem fllhas casadouras. tra-
zem coinsiga as donzellas, e n'um carro os do-
tes, que consisten) em pobres movis domsti-
cos alm de caberas da crinco (pie vein por
seu p. Apezar que nunca se tivessem visto, os
mancebos revistando a feira escolhem as noi-
vas a olho, e ao tratar do ajuste regaleo a
quantidade e valor do dote: ajustado este e lei-
ta a escolha recebe o par a bencao nupcial,
sem ceiemonia, despedindo-se das respectivas
familias. Ogoverno hngaro ha tempos, que faz
diligencias por supprimir esta eira, que as ve-
res he causal de rixas sanguinolentas: e por te-
mor de hostilisar abertamento aquella tribu,
val com providencias prudentes reslrngindo
pouco pouco os privilegios do mercado.
COMMERCIO.
A lan doga.
Rendimento do dia 2......... 2:321 $430
Descarregao hoje 3.
Rrigue Mary Batabell bacalho.
Galiota Gebroeder genebra mantei-
ga caixas de ferragens, e vdros.
Barca inglezaNiglitingalelazendas, louca,
o sabo.
Barca inglezaEmely fazendas pecas do
cabos qneijos, serveja chumbo,
e manteiga.
Patacho Aurora barricas vazias, e fumo.
Movimento do Porto.
Navios entrados no dia 1.
Liverpool; 43 dias, barca ingleza Nightlngale,
de 264 toneladas, capito Thomaz Huntem,
cquipagem 15 carga fazendos; a consigna-
cao de-James Crabtree & Companhia : pas-
sageiro inglez John Tavllor.
Ass ; 80 dias, hiate nacional S. Jos Flor do
Mar capitao Ignacio Marques, equipagem
2, carga sal : passageiro brasileiro Pedro
Jos Pereira.
Navios sahidos no mesmodia.
Suspendeo do lameiro, para Falmouth, a gale-
ra americana fiartholomco Gostrold, capito
A. B. Russell, com a mesma carga que
trouce.
Una ; hiate nacional Conceigo capitao Jos
Manoel Alves cquipagem 4 carga varios
gneros : passageiros brasileiros, Luiz Fran-
cisco Moreira de Mondonga, e 1 cscrava ,
Dr. Jacinto Pereira do Mendonga e 1 es-
cravo.
Navios entrados no dia 2.
Trieste ; 36 dias brigue austraco Carolina ,
de 309 toneladas capitao Jorge Kucckvich,
equipagem 12, carga familia de trigo; a N.
O. Bieber & Companhia!
Val Pataiso ; 59 dias, barca ingleza Laurence,
de 277 toneladas capitao William Foster ,
equipagem 16 carga salitre ; a consigna-
cao do capitao.
liba de S Miguel; 48 dias, brigue nacional
Triumpho Americano de 195 toneladas ,
capitao Alexandre Jos Alves, equipagem 18,
em lastro : conduz 104 passageiros.
Sahidos no mesmo dia.
Halifax ; brigue inglez Famy capitao Wil-
liam Agle em lastro.
Portosdo Suh vapor brasileiro Paraense, com
mandanto Joaquim Peixolo (.uimaraes: pas-
sageiros brasileiros.Francisco Raimundo Cor-
reia de Faria com 1 escravo Luiz Anto-
nio Cocido A ntonio Aguinello Ferreira o
um cscravo Gasparino Moreira de Cas-
tro, Augusto Leal de Meneze c um escra-
vo, Luiz Antonio Pereira Franga, D. Hen-
riques Jorge Rabello e 1 escravo Jos Ma-
ra Pinheiro de Vasconcellos Joaquim Ti-
burcio Ferra Gomes e 1 escravo, Domin-
gos Ribeiro Falla Joo de Araujo Argolo
Comes Ferrao Manoel de S Araujo Po-
dro Leal de Menezes, Jos Joaquim Moraes
Sarment, Dr. Manoel Maria doAmaral,
Domingos Gomes Ferreira e 1 escravo e o
porluguez Antonio Jos Fernandes Gui-
mares.
Editaes.
S. Ex. o r. Presidente da provincia ten-
do de contratar em conformidadeda lei provin-
cial n." 101 de 9 de maio de 1842 um fabri-
cante de assucar, que cnsine pela pratica os me-
Ihoramentos possiveis na actual fabr cacao do
assucar naquelles engenhos, cujos propietarios
osquizem introduzir ; convida a todas as pes-
soas, que se acharem para isso habilitadas a a-
presentarcm as suas proposlas al4 o dia 15 do
corrente nesta secretaria para que (indo este
termo se Ihes indique o engenho cm que cada
um dever elTectuar as primeiras experiencias ,
vista de cujos resultados urna commisso de
proprietarios de engenho decida qual dos con-
currentes estnbelece metbodo preferivel, e mc-
Ihores resultados aprsenla a fm de que possa
ser contratado o concurrente preferido
E para que cheguo a noticia de lodos se man-
dou publicar o presente. Secretaria de Pcr-
nambuco 27 d outubro de 1843.
< Casimiro de Sena Madureira.
CIRCO AMERICANO
CAES DA HUA DA R"DA.
Sob a direceo de M. S. Lipman ,
DIRECTOR EQESTRK.
Proprieta rio Mr. Enos Sage.
Quinta e sexta-feira 2 e 3 de novembro ,
noitc.
Primeiro acto.
Principiar o espectculo na arena com urna
galopada e entrada de eotlho por oito caval-
tos e cavalleiros em grande, uniforme.
Segundo.
Exercicios sobre tapete e saltos rabes por
toda a companhia ajudada pelas facecias do
palhago Mr. S. Lipman.
Terceiro.
O prodigioso menino Mr. WilHam Har-
rington que tem apenas 5 annos de idade ap-
parecer no seu maravilhoso acto de pica-
ra.
Quarto.
O Sr. Olivcira dangar um slo em meio
carcter.
Quinto.
Mr. M. Cloud representar a sua linda sce-
na dramtica do Uouro uoribundo em defeza
da sua bandeira dcscrevendo o ataque o
combate a morte a scena, &c.
Sexto.
Mr. Sage apparecera no carcter cmico
burlesco da primeira visita do camponez ao
circo representando todas as sortes as mais
recentes a cavallo.
Haver um intervallo do meia bora.
Stimo.
Mr. S. Lipman o grando volteador de
maroma Americano apparecera as suas mara-
vilhosas e extraordinarias evolugoes na corda
bamba em cuja cxecuco inimitavel.
Oilavo.
Mr. Harrington e seu filho continuaro com
as suas exhibicots gymnasticas j to admi-
radas imitacao dos irmaos Polacos, execu-
co que nunca deixa de agradar.
Nono.
Mr. M. Cloud apparecera no seu acto prin-
cipal de picara saltando por cima do seu
chicote ligas pannos, balines, &c.
Dcimo.
Findar odivertimento d'estas noites com as
representagoes classicas de Mr. Harrington em
dous e trez cavados ajudado por seu filho a
quem elle carregar em 12 lindas posigoes e
modelos das gracas Gregas.
Comegar o espectculo as 8 horas em
ponto.
Avisos martimos.
= Para o Aracaty sae impreterivelmente no
da 16 do correnle o brigue escuna Deliberaco,
ainda recebe carga miuda, e passageiros para o
quetem excedentes (ominodos; quem no mes-
mo quizer carregar, ou ir de passugem dirja-
se a ra da Cruz venda n.51, ou a ra da Mo-
da n. 9 segundo andar.
Para o Cearsae no dia 6 do corrente mez
impreterivelmento o bem conhecido patacho
nacional Laurentma Brasileira ainda recebe
alguma carga, menos gneros do estiva; quem
no mesmo quizer carregar, ou ir de passagem,
dirija-sc ao seu proprielaro Lourenco Jos das
Neves na ra da Cruz n." 64 ou ao capito do
mesmo (ermano das Neves.
= l'ara a Bahia sae no dia 8 do corrente,im-
preterivelmente, o patacho nacional Gulfinho ,
do qual he capito Melquades Jos dos Santos;
quem na mesma quizer carregar, ou ir de passa-
gem, para o que tem excedentes commodos.di-
rija-se aos consignatarios Novaes & Compa-
nhia na ra da Cruz n. 37.
Lciles.
= O corrector Oliveira far leilo por conta
de quem pertcncer por ordem e em presenga
do Sr. Cnsul dos Estados-Unidos, da mobilia,
e mais effeilos do tallecido Samuel Smith ci-
dado dos mesmos estados consistindo aquella
em marquezas, camas espedios, aparadores,
heneas, mezas cadeiras, louca, vdros, qua-
drose estampas, roupa branca, pistolas, uten-
cilios de cosiuha &c. <&c. e estes, emsardi-
nhas cervilhas de conserva, armago e os
maisobjectosdo hotel denominado Lnio, do
qual o fallecido era propietario ; e assim mais
de um magnifco relogio patente inglezde ouro,
cm trancelim tamben) de ouro : segunda (eir
6 do correnle as 9 horas da manba no dito li-
le! na ra da Cruz defronte Ja casa dos Srs. Ja-
mes Crabtree & Companhia.
Joo Keller continuar o seu leilao, por
nterveneo do corretor Oliveira de grande
sortimento dela^nnilas frnnrp>ne ? inM*, e '-
lemas tanto de seda lindo e la como
de algodao recentemente chegadks pelo na-
vio rlense: sexta eira 2 do corrente as 10
horas da manhaa no seu armazem na ra da
Cruz.
Avisos diversos.
A ESTRELLA.
Subscreve-se para esta fol ta que j tem
publicado 9 nmeros na livraria da praca da In -
dependencia n. 6 e 8, e no escriploriodo Dia-
rio de Pernambaco ra das Crnzes. A Estrel-
la, que tem sido desde o n. 3 publicada regu-
larmente s tercas e sextas nao sabio hoje luz,
massahir amanhaa.
LOTERA DE N. Sra. do
UVRAMENTU.
As rodas desta Lotera an-
do infallivelmente no dia 9
do corrente, e o resto dos bi-
Ihetes acho-se a venda nos
lugares do costume.
Manoel Joaqujm Ramos e Silva, abaixo as-
signado, declara que comprou por ordem do
Sr. Henrique Ant Stness do Para; e por
conta dos rs. Rosa Castro e Silva um bilhete
inteiro n. 2583 da 1." parte da 2.* nova lote-
ra a lavor das obras da igreja de N. S. do Li-
vramentoigualmente declara que por ordem
do Sr. Rodrigues Roxo do Maranho com-
prou um bilhete inteiro n 463 da I1 parte da
2.a nova lotera a favor da obra da igreja de N.
S. do Livramento por conta do Sr. Olegario
Jos da Cunda oque da mesma forma com-
prou por ordem do mesmo Sr. Roxo por con-
ta do Sr. Joo Francisco Lisboa, os bildetes in-
leiros ns. H2 e 2598; e o meio dilhete n.
1024 da mesma 1." parte da 2.* nova lotera a
favor da igreja de X S. do Livramento.
Manoel Joaquim Ramos e Silva.
=X viuva do major Fernando da Costa pe-
de a pessoa a quem seu defunto marido en-
penhou dous pares de brincos de ouro um
maiore outro menor, pela quantia de dozc
mil rs. tonda a bondade de,mandal-os a loja
de Jos Joaquim Borges de Castro na praca da
Independencia n. 3 onde Ihe ser entregue o
seu dinheiro.
No Passeio-publico, fabrica de chapeos de
sol, precisa-se de urna ama de leite que seja
preta cativa, fiel, e humilde ; quem estiver
nestas circunstancias dirija-se a mesma fabrica,
ou annun ie.
Um rapaz portuguez do \\ a 16 anuos de
idade se oflerece para caixeiro do loja de fa-
zendas ou miudezas o qual d fiador a sua
conducta ; quem precizar annuncie.
Nodeposito de farnha de mandioca na ra
da Cadeia deS. Antonio n 19 os precos des-
la semana contino ser familia da primeira
qualidade 28240 da segunda dita 1S920 e
da terceira dita 18600 reis cada alqueire: no
mesmo deposito vende-se urna porgo de azeite
de carrapato, e muito bom midi tanto em sac-
ca como a relalho a 1$920 reis o alqueire e
a saeca 48000 reis.
Anda em praca do juizo docvel da 2.'
vara no Atierro da Boa-vista na portado Sr.
Dr. Settc, para ser vendida, a casa de 2 andares
e solo, sita na ra da Senzalla-vulha do bair-
ro do Recife n. 76 pagando o comprador a
siza.
= Offerece-se para caxeiro de engenho um
homem de pouca (amida que tem bastante
pralica destoservico e d fiador de seo bom
comportamenlo ; quem o pertender, annuncie
por esta folha sua morada para ser procurado.
Perdeo-se no dia viole e oito de outu-
bro prximo passado desde a ra doQueima-
do at a ra da Cruz do Recife urna conta de
rap com um recibo na mesma da quantia de
15S000;quem a t\er achado, se a quizer resti-
tuir, dirija-se a ra do Queimado loja n. 42,que
se dar l'SOOO de gratificaco.
=A fabrica de machinismoda ra da Aurora
acha-se sorlidade moendas de cannados model-
los mais approvados ; machinas de vapor de
forga verdaderamente de 6 cavados, tendo os
cilindros 16 pollegadas de dimetro interior;
ditas de lorga de 4 ditos com dimetro de 14
pollegadas dito de alto presso com dimetro
de 8 ditas, e forga de 6 cavados a boa exe-
cucao de todas he garantida; taxas de ferro
em uso crivos e mais ferragens para assen-
tamento, tudo feito na mesma fabrica onde
tambem so recebe encomendas de toda a qua-
lidade de machinismo.
Giuscphc Marinangcli vai fazeruma via-
gem ao M aran bao.
= Precisa-se alugar por todo o lempo da
safra 5 ou seis nebros para trabalharem em
um armazem de assucar ; na ra da Moeda
n. 15.
O Sr" Fnrtnnoin Corris de MeD6
queira procurar urna carta vinda do Porto e
urnas encommendas: na na larga do Rozario
n. 40.


I
1
i1
= Perdeo-se um lelogio saboneta de ouro ,
om o nome do fabricante Davies & Compa-
nliia Liverpool, com urna correnteduou.ro,
e uina chave prosa pur urna corrente tambom
xinha a 40 rs. caixinhas de aguihas (rancezas
a 3*20 ditas com pos de limpar dontesa 200
o 240 espirito de essencia de rosa a 600 e
essencia a 800 1000 rs. macass perola a
;-!
de ouro ; suppoe-so ter sido (urtado ; por isso j 400 e de oleo a 240, agoa de colonia a ICO,
roga-se a qualquer pessoa a quem for offereci-1200, 300,440, 560, e 600, cordita para ves-
tido a 20, 30 ,40 c BO rs. caixinhas com
do do o tomar, e levara ra da Senzalla-no-
va n. 42 que ser gratificada.
Os Srs. Joaquim Pedro o Antonio dos
Santos queiro dirigir-so a ra de Apollo n.
23 para receberem urnas cartas vindas de Lis-
boa no brigue Conceifo de Marta.
Quem annunciou querer comprar um
'I elemaco em francez querendo um em 2 lo-
, com estampas finas, opti-
boa lettra incluindo um
mos ainda novos
ma encadornacao ,
tratado de poesa pica dirija-se a ra do No-
gueira n. 13, onde tambern so vende um dic-
onario porttil francez portuguez o vice-versa ,
e urna boa flauta de bano de urna so chave.
Aluga-se urna negra para criar, parida
deludas, com muito leite ; na ra da Praia,
armazem do Guimares.
Aluga-se urna canoa de carreira que
carregue 12 a 16 pessoas; na ra Nova n. 3.
O Sr. Manoel da Costa Ramos dirija-se
a ra da Cacimba venda de Mathas Jos Go-
mes para receber urnas cartas vindas do Rio
de Janeiro.
OTerece-se urna crioula para todo o ser-
vico de urna casa : na ra de S. Francisco ca-
sa da esquina n. 12.
Aluga-se um preto cozinheiro queseja
fiel ; quem tiver annuncie.
et Aluga-se a casa n 14 entre es duas pon-
tes da Pasiagem, com banho no fundo do sitio,
para se passar a festa ; a tratar na mesma.
Precisa-sede um rapaz portuguez de 12
a 16 annos : na ra do Cabug n. 4.
Aluga-so a casa terrea n. 60 na ra vc-
]ha ; na ra da Aurora n. 42.
Aluga-se um segundo andar com grande
soto na ra Direita n. 120 a tr..tur da ra
do Crespo loja n 14.
= Piecisa-se alugaruma preta para todo o
servido : na paaca da Boa-vista, relinacSo de as-
suca r.
Precisa-se de um rapaz para caixeiro de
urna venda que tenha pratica deste negocio ;
no pateo do Carmo n. 13.
Antonio da Costa Ferreira mudou sua
residencia para a ra do Amorim n. 50, segun-
do andar.
= Aluaa-se o sobrado de dous andares da
ra doCaldereiro n. 12 por 300*' rs. ; quem
o pretender dirija- se a ra da Gloria so-
brado n. 7.
Compras
Compra-se urna caixa de (landres que
soja capaz para se vender fazendas pelas ras:
na ra Nova loja n. 58.
Compra-se um cordo grosso de bom
ouro e sem feitio ; no principio do Atierro
dos Aflogados sobrado n. 7, segundo andar.
Compra-se umescravo para todo o ser-
vico de urna casa; na ra da Madre de Dos
n. 5.
Compra-se um bote pequeo bem appa-
relhado ; quem liver annuncie.
Compra-se 5000 telhas : na ra da
Moeda n. 7.
^"- Compra-so um torrador e moinho de
moer caf : quem tiver annuncie.
Vendas
Vendem-se barricas com arellos a
3500 ; no armazem de Das Ferreira & Com-
panhift jnnto ao caes da Alian lega ; assim
como em suecas a 2880 no arma/em que
foi de Joaquim Gonealves Vieira Guimares,
junto ao arco da Conceicio.
- Vende-se urna commoda um par de
mangas de vidro bardadas duas mesas de sala,
urna dita de jantar e outros mais objectos ,
tudoem bom estado: narua daSenzalla n. 60.
Vende-se sal do Assu a bordo da lancha
S. Jos Flor do Mar tundeada ao p- do tra-
piche do Algodo; trata-se com o mestre a
bordo, ou na ruada Cruz n. 26 venda de
S Araujo&Irmo
* Vendem-se transelins de burracha a 120,
e 160, escovas para denles a 160 e 200 sa-
bone!esa60. 100, e 280rs. ditos de amen-
doasem caixinhas de porcelana a 500 caive-
tes de aparar pennas a 320 e com instrumento
a 360 luvas pretas sem dedos a 320, e 400 ,
botes para calcas a 200 360, e 400 a groza ,
ditos de cobrir a 120, ditos de madreperola
para camia a 720, thesourinhas douradas a
a 280 de arretel a 360 a du/ia agoa de flor de la-
ranja a 320. pomada franceza a 160, e 200 rs. ,
clcheles a 880 a duzia e a caixitiha a 80 rs. ,
dito ni ais pequeo a 440 a duzia e o cai-
30,40 o 50 rs.
lamparillas para 3 e 6 me es a 60, e 120, mas-
sos de cartas francezas a 2700, ditos de linha
de cabeca bianca a 2900 e de cabeca encar-
nada a 2700 suspensorios a 240, ditos de
burracha a 320, talhores de cabo branco a du-
zia a 3500 e 2000 ditos de cabo preto a
1300, elSOO, facas de pona do cabo (trato,
e branco de 6 a 12 pollegadas cairas para ra-
p de to las as qualidades espelhos de todos
ostamanhos, pentes de tartaruga para marra-
fas a 1000 rs. e de massa a 520a duzia, di-
tos de prender cabello o 240, o 260, o de vol
ta a 500 papis de rebique a 60 e 80 rs. ,
escovas para cabello a 600 e para calcado a
160 cordas para viola a 240 a duzia cae-
tas finas a 160, e 320, posphoros de caixi-
nhaa 4800 a grosa o 440 a duzia ditos de
pentes a 5500 a grosa e a duzia a 500 abo-
tuaduras douradas para marinha a 1200, gro-
sas de botes de metal a 820, e a duzia 80 rs.,
ditos dourados para collete a 600, meias bran-
cas, pretas, e de cores para bomem senboras, c
meninas rap Meuron e princeza do Rio ,
em botes, meios ditos o a retalho chapeos
ile sol a 2000 bons de palbinha para meni-
nos a 280, esteirinhas a 640, sapatos de mar-
roquim e couro de lustro, para meninas ,
ditos de marroqu!, cordavao duraque e
couro de lustro para senhora ditos da trra .
bicoso rendas muito finos, Blas de seda de
todas as larguras, papel de peso a 3000 e al-
maco a 3600 a resma sement de inhamme ,
c ondas muilas miudezas por preco commodo ;
na ra Direita ao p da torre do Livramento
n. 2.
Vende-se panno de algodo da trra mui-
to encorpado por preco commodo ; na ra do
Crespo n. 12, loja de Jos Joaquim da Silva
Maia.
- Vende-se um negro, bom oflicial de sa-
pateiro e dous negros de encbada por 2508
rs. cada um ; na ra de Agoas-verdesn. 70.
= Vende-se um negro de 20 annos co-
zinheiro : na ra da Alegra n. 38.
= Vende-se urna olaria no Cordeiro, com
muito bom barro, em chaos proprios, o a
margem do rio Capibaribe ; no Atierro da
Boa-vista n. 54.
Vende-se panno preto de superior qua-
lidade por preco commodo e chapeos fran-
cezes e de castor brancos e pretos ; na ra
do Queimado, loja n. 25 de Guilherme Sette
= Vende-se agoa do Ungir cabellos e suis-
sas; o methodo de applical-a acompanha os vi-
dros ; no pateo do Collego loja de chapeos
n. 6 e na ra do Queimado, loja de ierra
gens n. 31.
Vendem-se cortes de 13 do ultimo gosto
para vestido de senhora a k ditas para me-
ninas de 8 a 10 annos a 2240 ; narua do Ca-
bug loja nova franceza n. 6.
Vende-se urna (echadura de patente com
muito bons segredos, para porta feita no
Porto ; na ra da Praia venda n. 27.
X = Vendem-se chapeos franceses os mais
modernos; ditos de sol de seda com barra, e
sem ella casimiras de bonitas cores bros de
bubo delistras cortes do tlleles de setim de
gosto moderno ditos de l e lencos pretos
para pescoco : na ra do Queimado n. 11, lo-
ja de A. L. G. Vianna.
= Vendem-se 3 negrinhas de naci muito
lindas e ptimas para mucambas com mui-
to boas habilidades; um moleque de naci,
de 18 annos, proprio para oflicio ; um escra-
vo bom canoeiro ; duas escravas boas coznhe-
rrs e engommadeiras; urna mulata escura,
cose, engomma o faz renda: na ra Direita
n. 3, primeiro andar.
-v= Vendem-se ricos chapeos de seda para se-
nhora chegados no ultimo navio de Franca
chapeos pretos para bomem ditos pret
brancos para meninos ditos de palha par
nhora e meninas, ricos cortes de lanzin
para vestidos cortes de cassa e de chita es-
cura mantas c chales de seda flores finas
para chapeo, e cabeca chapeos de sol de seda
para bomem e senhora um grande sortimen-
to de calcado de todas as qualidades para bo-
mem senhora o meninos, merino preto o
mais superior que ha lencos de retim pre-
to para grvala e outras muilas fazendas de
gosto, tudo por mais barato preco, do que
em outra qualquer parte: na ra Nova loja
franceza n. 8 de Amaral & Pinheiro.
Vendc-so a propriedade denominada
Cassote a qual divide pelo engenho Giqui ,
e passo do dito, em Ierras da lbura tem quase
meia legoa, com mallas e agoa : atraz da
matriz da Boa-*sta n. 24 a fallar rom Do-
mingos Pires Ferreira. .
O baixo signado vende a parte, que
Ihe tocou por beranca de seu fallecido pao, Ma-
noel Pires Ferreira na divida da (senda pu-
blica do Rio de Janeiro a qual com os juros
anda por mais de 5 contos de. res *, quem pre-
tender dirija-se atraz da matriz da Boa-vista
n. 24. = Domingos Pirei Ferreira.
Vendem-se gigos com batatas muito no-
vas por preco commodo : no caes da Alfan-
dega armazem n. 5.
Vende-se assucar refinado a 100 rs. a li-
bra e de outras qualidades por proco commo-
do caf moido a 220 ; na praca da Boa-vista,
deposito n. 7.
= Vende-se a venda ra de S. Rita-no-
ve n. 93 i com poucos fundos ou smente a
armaco com seus pertences, a praso com boas
firmas ; a tratar na mesma.
% VenJem-so chapeos de massa rancezes
da ultima moda ditos de sol de seda casi-
miras de varias cores, e elsticas (rancezas ,
merino preto meias para meninos, e meni-
nas, luvas de pellica a 320, 1000, c 1280 o
par, pescocinhos de fil de linho para senhora,
lencos de setim para gravata e outras muilas
fazendas por commodo preco : na loja de Ma-
noel Jos Gonealves Braga, junto ao arco de
S. Antonio n. 2.
Vende-se urna morada de casa de taipa ,
nova na matriz da Varzea com quatro quar-
tos, duas salas, terreno para plantaces : na
ra de Hortas, sobrado n. 48 segundo an -
dar; no mesmo sobrado compra-se o segundo
e terceiro volume dos Lances da aventura.
Vende-se urna cama de angico moder-
na com armaco e enxerges, e urna du'ia
de cadeiras com assento do palbinha por pre-
co commodo : na ra de S Francisco tenda
de marcineiro defronte do theatro.
Vende-se ou troca-se por urna preta
de idade de boa figura e que saibe lavar ,
urna negrinha de 12 annos, de bonita fi-
gura e que saba perfeilamente arranjar urna
casa : em Fora-dc-portas n. 82.
Vende-se, ou troca-se um negro bom
canoeiro e de todo o servico de campo ; na
ra do Arago n. 26.
= Em casa de Augusto Gorbett na ra
da Cadeia do Recife n. 46, vende-se um sor-
tlmento de charutos de muito boa fama rega-
la, 210 duzias de excedente vinho de Madei-
ra urna porcio do ago'ardente de Franca o
Shrub engarrafado e igualmente urna porco
de latas com plvora da celebre fabrica de Joo
Hall & Filho, de Londres, que ainda existe
na fortaleza do Buraco.
Vende-se um relogio horisontal, sabo-
nete de ouro, com transelim moderno tambern
de ouro por 1108 > um dito ingle/., sabone-
ta de prata, por 20g, urna salva, o copo de pra-
ta urna dita para 4 copos, pares de brincos,
e anneles de difieren tes modelos holes para
abertura e punho, um par de (velas para sa-
patos um dito para suspensorios, urna fa-
quinha apparelhada 4 clices para mesa, urna
corda e bandeira para Menino Dos um
titulo para crucifixo um arrelicario um par
de esporas e urna duzia de cotheres, tudo de
prata e ouro, e prata para ourives: as Cin-
co-ponas n 45.
=. Vende-se urna preta de naco de 25
annos parida de 10 mezes, sem a cria com
muito bom leite para criar, e tem algumas ha-
bilidades : na rna Nova sobrado n 55 das
.6 as 9 horas da manha e das 3 as 6 da tarde
tes Vendem-se machinas de vapor de 3 4,
e 5 cavallos moendas para agoa e animaes ,
taxasde ferro batido por preco muito com-
modo formas de ferro, e urna prensa hydrau-
lica para descarossar algodo : na ra da Sen-
zalla-oova o. 42 casa de Fox & Stodart.
= Vende-se um sitio na Gapunga a mar-
gem do rio Capibaribe com casa de pedra e
cal com soto toda envidracada propria
para se passar a (esta e outras muilas vanta-
gens favoraveis, que se diro aos pretendenles;
na travessa da Madre de Dos n. 13.
= Vende se um diccionario da lingua fran-
ceza por Napolen Landais obra utilissima
quem se quer a perfeicoar na dita lingoa ;
ra do Cabug n. lo, defroaledo cerieiro.
=^endem-se terrenos ja demarcados e
al algons cordeados com 30 palmos de fren-
te e 150 de fundo tem terrenos ja atierra-
dos no todo, e em parte e at alagados, na
ra da Concordia e confronte a travessa do
fallecido Monteiro ; os pretendentes dirijo-se
a Manoel Antonio de Jess morador na ra dos
Ctaarleis n. 18, aondesc mostrar a plantados
ditos terrenos e o preco do cada um e tam-
bern se comprometi a mandar edificaros pre-
dios, que cada uinquizer enlregando-se pe-
la chave.
= Vende-se um molecote de naci, de 18
annos : na ra Velha n. 57.
= Vende-se cal virgem para fabrico de as-
sucar em barris de 4 arrobas
nrupA An ^Q00 fs harrl no
n!6."
co
pelo modi
ru2 de Apollo
muito encorpado a 220 a vara: na ra do Cres-
po loja n. 23.
m Vendem-se 23 travs de pso-ferro, e2
ditas do ombiriba, juntas, ou a retalho, acho-
se na serrara de Francisco Jos Rapozo ; as-
sim como 15 taboas de costado de vinhatico ;
na ra larga do Rozario casa de Joo Manoel
Rodrigues Vallcnca.
= Vende-se urna venda com poucos fundos,
na ra dos Pescadores n. 7 : a tratar na mes-
ma venda.
Escravos fgidos.
No da 28 do p. p. fugio'o preto Victo-
rino de naci Sizimam de 25 annos es-
tatura regular tem dous dentes abertos na
frente signal de sua naco ps grandes, tem
no braco direita urna esfoladura ; levou cami-
sa e ceroulas do algodo da trra, tinha ido
para Olinda buscar urna canoa d'ngoa ; quem
o pegar leve a ra da Guia n. 28., quesera
recompensado.
No dia;28 do p. p. fugio do patacho Jo-
sefina um ascravo pardo de nome Joo al-
to grosso barba serrada de 35 annos; le-
vou calcas e camisa de riscado jaqueta de zu-
arte e chapeo do Chile; quem o pegar leve
a bordo do dito patacho tandeado defronte do
caes do Collegio, ou a pracinha do Corpo San-
to n 66 casa de Gaudino Agostinho de Bar-
ros, quesera gratificado.
Fugio no dia 26 de outubro um mole-
que de nomo Luiz de naco Songo de 13
annos baixo seceo do corpo levou smente
camisa de riscado azul um sacco vasta e um
laboleiro, com o qualandavafazendoumascom-
pras, pela barriga tem diversos talhosmiudos, ps
largos e curtos consta que anda passeando
pelo Recife e como de outra vez, que fugio,
foi pegado em Nazareth, o por isso he provavel
que por l ande; quem o pegar, leve a S. Ama-
ro a Raimundo Jos Pereira Bello, que gra-
tificar.
No dia 10 do p. p. fugio o escravo Jos ,
do naco Angico de 50 annos estatura or-
dinaria magro, rosto talhado, linha ha pou-
cos das antes de fugir rapado a cabeca e so-
branceras pouca barca pernas finas e he
coxo da direita ; levou camisa o calcas de al-
godozinbo trancado este preto foi escravo
de Gbico-ManRuinho : quem o pegar leve a
a ra Augusta n. 66 que sen gratificado.
No dia de 17 do p. p. fugio uina negra
crioula. do nome Maria estatura alta muito
fula de 30 anuos; levou vestido de chita pre-
ta com ramos amnrellos saia preta de lila o
panno da Costa ; quem a pegar leve ao Forte
do Mallos, na casa da esquina da ra da Lapa,
terceiro andar.
Rs. ISOjOOOdegratficaco.
Fugio no dia 30 de Janeiro do corrente
anno um mulato acabocoludo claro de no-
me Cosme baixo e reforcado do corpo re-
presenta de 16 a 18 annos: levou camisa de
riscado ja desbotado e calcas da mesma fa-
zenda quando falla inclina a cabeca para a
banda e a boca da mesma forma desconfia-
so que esteja em algum lugar para o malta a
titulo de forro ; quem o pegar leve ao largo
do Corpo Santo n. 11, que ser recompensa-
do com a qnantia cima.
= Fugio na noute do dia de 31 do p. p. uro
preto de nome Victorino do naco Benguella,
alto, pouca baiba rosto comprido e mal en-
carado; levou camisa, e calcas de algodo tran-
cado e outra dita de panno escuro remen-
dada entre as pernas urna carapuca de ma-
rujo inglez e um chapeo de seda preta; quem
o pegar leve a ra de Apollo n. 16 que sera
recompensado.
Em 31 do p. p. a noute desappareceo do
poder de Francisco Severiano Rabello, um seu
escravo de nome Antonio de naco falla
mui bem estatura proporcionada bem pre-
to e de bonita figura muito barbido ollios
pequeos, representa ter 28 a 30 annos ; lo-
vou camisa e ceroulas brancas ; o q jal per-
tenceo a D. Laurana Candida Rigueira; quem
pegar, leveao Forte do Mallos a casa do mes-
mo cima que sei gratificado.
Na noute do dia primeiro do corrento fu-
gio um escravo de nome Antonio Cauel de
25 annos de boa estatura bonito de corpo ,
olhos grandes, e espantados oceos grossos ,
c um tanto encarnados pouca barba quan-
do anda parece estar ferido mas o faz por a fe-
lacio devendo ainda ter signaes de um par de
machos que leve alguns das nos ps por cau-
sa de outra fgida ; nao se podo dar os signaes
da roupa por ser sua fuga precipitada e nao
levou seno urna camisa de algodo, e um len-
co de seda tudo amarrado na cintura ; quem o
pegar leve a ra dos Ctaarleis padaria n. 18,
que ser gratificado.
Vende-se panno de algodo da trra ,
Recito : na. Tip. dk M. F. db Fahu.=1843,


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EP6368O9M_MPX7QP INGEST_TIME 2013-04-13T03:15:42Z PACKAGE AA00011611_04502
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES