Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04491


This item is only available as the following downloads:


Full Text
inno de 184-2. Quaita Feira 16 de
naa
ludo .Sor. depende! e no. me.mo d. no... prodenci., noder.cao, eenerE. con-
imuemo. cono pr.nc.pi.mo., iero. .ponudo. com .dmir.cao entre .. N.coe, m.,
""J-_____________________(Procl.m.cao da Assemblea Ger.l do lrt.il,)
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES.
Goi.nna. Paraiba, e RioSrn Bonito e (l.r.nhana, I ti e 24.
C.bo, Serinhaem, Rio Formom, Pn/to C.Wo, M.ceio, e Als-cs no 1 U -21
P.je 13. Santo Antao, qoinl. feir.. Olinda todos o. di...
DAS DA SEMANA.
14 Se?.S.M.lhldes Rainh.. Ch.nc. Aud. do Juide Direito d. 2. rara
45 Tern. .. Henrijue Rei. Re. Aud. do do juide Direito da 1. Tara.
if Qu.rt. Ciraco. Chae. Aud. do juii de dirnit d. 3. Tar..
17 Quint. Patricio. Aud. do juii de direito d. 2. Tar.
18 sext. Grabiel Arc.njo. Aud. do Juide Direito da i. Tara.
19 sab. !< Jos Espoio de N. S,
20 Dom. .. Martinho Dominiense.
Maco.
Auno XVIII. N. C>0.
O Diario publica ae lodo. o. dia* qu* nao fnrem Saotifioadol o Prr'.'" ''* ssicn""ira M
detreamil rea por quarlel pago, .di.nt.doa. Oa nniincioi dos as.ignanles s.io inserido*
pr.li.. eos dos que o n "io forem r.to de SO reia por linlia. As reclamacoea deTem er
dirigid., a r.t- l'r(io~rali roa da. CruiesD. 3, mi .i pr.o da Independencia luja de litro*
Nmeros 37 e 3S.
CAMBIOS no da 15 de Marco.
Cambio sobre Londres 2S 1|2 d. p. II'.
Pars 320 res p. franco.
Lisboa SO a 85 p. 100 de pr.
Ocho Moeda de'f.,400 Y. 14.500 a 14.700
N. 14.300 a 14,500
de 4,000 S.100. 8.990
Pmtv P.tacoes 1,660. 1,680
Prata- PeosColumnares 1.660 a 1,680
Meticanos 1,640 a 1.660
miuda 1,440 a 1,460
Moeda de cobre 3 por 100 de disronto.
Di.conto de billa, da Alfand- 1 e { por 100
ao mei.
dem de letras de boa. firmas 1 1 e i.
Preamar do da 1<* de Marca.
1." a* 8 hora, e 30 i. d. m.iha.
5. as 8 horas e 54 m, da Urde.
PIIASES DA LOA NO MEZ l)F. MA.R(;o.
Quart. mo;, a 3 lis 11 hora, e 4 m. d. tarde.
La Nora a 12-- As 4 hora, e 8 m. da manh.
Quart. creac. 10 4. 8 hor. e 28 m. da tarde.
Lu. dieta a 26 s 11 horas e 3'J m. d. manh.
niAlUO PE PRRNASBCO.
PARTE OFFICIAL.
ASSEMBLEA PROVINCIAL.
ACTA DA 9.a SESSA ORDINARIA DV ASSEMRLEA
LEGISLATIVA DE PERNAMBUCO EM 12 DE
MARCO DE 1842.
PREZIDEXCIA DO SNB. PEDRO CAVALCANTE.
Feita a chamada acharo-sc presentes 29
Srs. Dcputados, faltando com participado os
Snrs. Maciel Monteiro e Vieira de Mello,
e sem ella os Snrs. Manoel Cavalcante Car-
valho de Mendonga e Mello.*
O Snr. Presidente declarou aberta a sesso,
e procedeu-se a leilura da acta da sesso an-
tecedente a qual foi approvada.
EXPEDIENTE.
Um Oflicio do Secretario da Provincia res-
pondendo ter sido satisfeita a exigencia do
Ollicio de 10 do corren te a. cerca dsele!-
ces parocln'aes do Rio Formozo; e ontro fa-
/endo remessa dos documentos relativos ao
Barraca m da Soledadc : ambos foram enca-
minliados a quem fez a exigencia. Omesmu
snr. Secretario remetteoo Orgamntodos re-
paros da Matriz da Ingazeira reclamados pe-
lo seu respectivo Vigario : a commisso de Or-
namento. Leo-se tambem um requerimento
do Padre Joaquim Rafael da Silva Professor
de Grammalca latina do Recife pedindo ,
que seja igualado o seu ordenado ao do Pro-
fessor da mesma cadeira do Lyco : a commis-
so de Instrucgo publica. Passando-se a
discussao do Parecer da com misso de Orde-
nados sobro o requerimento de Antonio M-
ximo de Ranos Leito, Professor publico de
primeiras Lettras da Cidade de Goianna a-
presentou o snr. Na buco urna emenda pedin-
do o adiamento d'nsse Parecer at que se trac-
te da Ley do Orcamento foi apoiado e ap-
provado o adiamento. Foi lido o Projecto de
Ley N. G do presente anno, fixando a Forga
policial para o anno de 1812 a 1843 : foi a
imprimir. A commisso de Instrucgo pu-
blica apresentou o sen Parecer sobre o Reque-
rimento do Padre Laurentino Antonio Morei-
ra dcCarvalbo, o qual icou adiado por ter
pedido a palavra o snr. Urbano indo a im-
primir a Rosolugao que accompanha o
Parecer.
ordem no da.
Entrou em lerceira discussao o Projecto N.
2. de 1849, aulhorisando o Seminario Epis-
copal de Olinda a adquirir 89 contos de reis
em bens de raiz : depois de aiguma discussao
foi rejeitado. Entrando tambem em segunda
discussao o Projecto N. 1. d'este anno, mar-
cando o subsidio dos membros da Assemblpa
Provincial para a Legislatura de 1844 a 1845,
veio a meza a seguinte emenda substitutiva do
snr. Peixoto de Brito art. 1. O subsidio,
e ajuda de custo para a Legislatura de 1844 a
184o, ser regulado na conformidade da Ley
Provincial de 50 de Maio de 1855 : foi a-
poiado. 0 snr. Percira de Brito oflereceo
oiitra emenda tambem a este Projecto, ele-
vando a 4899 o subsidio diario dos Depula-
dos, em logar de ."209, e 1009 reis por le-
goa em logar de 599 rs. Houve longo debat-
te sobre a materia declarndoos a final a
Assemblea pela Emenda substitutiva do snr.
Peixoto de Rrito. Dada a hora levantou a ses-
so dando o snr. Prezidente para ordem do
dia seguinte Pareceres de Commisso e
em segundo logar primeira discussao dos
Projectos N. 6 o 5 d'este anno o. do N. 22
de 1849 e conlinuago da de hojp.
Thomaz Antonio Maciel Montciro ,
Presidente.
Jos Felippe de Souza Lefio ,
1. Secretario.
Luiz de Crvalho Paos d'Andrade,
2. Secretario interino.
ra a Corte as 12 pragasdaCompanhia do o-1 tecipando a expedigo da ordem supra.
perarios engajados, constantes da relagao
qno por copia se Ihe enva, asquacs vio ser-
vir por engaj amento ho F.xercito do Rio
(ira nde do Su I.
Ollicio Ao Commandanlc da.Gompanhia
de operararios engajados partecipando ocon-
teudo as duas portaras antecedentes.
PortaraAoComuiaridante da Charra
Canioca ordenando, que receba a seo bordo
e conduza para Corto ser entregue or-
dem do Chele de Polica respectivo oreo, que
Ihe for rcnv.tl.do pelo Prefeito interino desla
Comerca.
Ollicio Ao Prefeito interino desta comar-
ca, communicando a expedicao da ordem
precedente,'para que remeta" sem demora
para bordo da Charra Carioca, o reo que a-
qui se aeha preso com destino de ser con-
(iuzido para a Corte e posto a disposigao do
Chefcde Polica respectivo.
Dito Ao inspector interino da Thesoura-
ra das Rendas Provineaes, significando-lhe
que nao tendo elle remettido at o presente
as con tas do semestre lindo do anno finan-
ceiro corren le nem asdosannos anterio-
res para serem presentes Assemblea Le-
gislativa Provincial eumpreque as remella
com urgencia para o dito lim.
Illm. Snr. Constando pelo balanccte do
mez lindo que entro o saldo existente no
Brigue
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DIA .*) D0 CORRENTE.
Ollicio Ao Director do Arsenal de Guerra.
ilizcndo que tendo chegado da Provincia do
Cear bordo do vapor Rahiana 80 recrutas,
que seguem para a Corte c requisitado o
Exm. Presidente daquella Provincia, que os
(izesse fardar.com o faldamento que pelo
dito Arsenal se man.Iou apromptar para ser
remettido para a mencionada Provincia ; e
havendo em consequencia a Presidencia or-
denado ao Commmandantedas Armas, que
examinasse o estado cm que vem os ditos
recrutas, e os lizesse fardarconvenientemon-
te, cumpre, que elle satisfaga as requesi-
gOes do mesmo Commandanl das Armas ,
devendo abrir os cai'.oes dosobredito farda-
mento caso ja estejao pregados e levar em
conta no seo completo, oque se tirar para es-
tas pragas.
Dito Ao Commandante das Armas ,
communicando a expediego da ordem supra, | n Lcenla, Inspector interino da Thesou-
raria das Rendas Provineaes.
Dito Ao Commandante (eral interino do
Corpode Polica, communicando o conteudo
no ollicio supra.
Dito .\oInspector da Thcsourariada Fa-
zenda, communicando tero Commandante das
Armas conlractadocom Francisco Xavier Di-
as dono da Barcaca Rell i Flor Pernambuca-
Cofre ha em moeda correne a quanlia de
4:9o2^-290 rs, e vindo ao conhecimento des-
ta Presidencia que apezar deste saldo se ele-
Ve ao Corpo de Polica :875^72.*i reis por os-
sa Thesouraria, segundo a informagfio dada
por \. S. com dala de boje compre, que V.
S. mande pagar boje mesmo a folba (losoffi-
eiaes do dito Corpo do mez de Fe ve re ro na
importancia de 2:M8,810 reis, e a de
1 -2o8j519 que anda c resta do Pret de 21
28'lo dito rnez.
Dos Guarde a V. S. Palacio do C.overno
de Pernambuco 5de Marco de 1842 Ramo
da Boa-vista Snr. Manoel Carneiro de Sou-
Portaria Ao Commandante do
Escuna Nictheroy, paca passar agora mesmo
para bordo da Charra Carioca os vinte n
cinco recrutas de Marinha, que existem no
dito Brigue Escuna vindos da Provincia do
Cear com destino de seguirem para a
Corte.
Dita Ao Commandanlc da Charra Ca-
rioca para receber a seo bordo e entregar
na CorteJ a disposigao do Exm. Ministro da
Marinha os tres invlidos que Ihe forem
remettidos pelo Inspector do Arsenal de Ma-
rinha desta Provincia.
Ollicio Ao Inspector do Arsenal de Ma-
rinha ordenando que faga embarcar ago-
ra mesmo bordo da Charra Carioca os
tres invlidos, que desembarcarlo da Escuna
Relia Americana.
Dito Ao Commandante das Armas, dizen-
do, que tendo partecipado o Exm. Presidente
da Provincia do Maranbao que o Tenenle
Joao Marinho Cavalcante de Alhuquerque ob-
livera licenga como Tcnonte do Batalhao Pro-
visorio daquella Provincia deve-o como tal
considerar c mandar-I he abonar os yenci-
mentos correspondentes, em quanlo nao hli-
ver ordem doGoverno em contrario.
e determinando-Ihe que examine o estado ,
em que vem os 80 recrutas vindos da Provin-
cia do Cear bordo do Vapor Rahiana ao*
quaes requisita o Exm. Presidente daquella
Provincia se mande fardar, a fim de que ex-
ija do Director do Arsenal de Guerra oque
para esse liin se izer necessario.
Portaria-Ao Director do Arsenal de Guerra
para fornecer ao Commandante daCompanhia na- a condugao de tres bocas de fogo de gros-
de Operarios Engajados l2bonets, 12 jaque-
tas, 12 caigas 12 camisas, e 12 pares de sa-
patos, para seren destribuidos por 12 pra-
gas da dita Companhia, que por engajamento
tem de ir servir no Exercito do Rio Grande do
Sul.
Dita Ao Commandante da Charra Ca-
rioca, para receber a seo bordo e conduzrr pa-
IFOLfuETTO
ANNA D'ARCONA (*).
Tendo despedido assim o vigarjo o aroebis-
po se dispunha para continuar adormir mas
desta vez os olhos se negaram obstinadamen-
te a feixar-se ; e como a manh esta va j bas-
tante adiantadacbamou os seus criados para
que aajudassem a vestir oque concluido
desceu ao jardim a fim de respirar 4> ar livre e
puro. Pensava que este passeio tranquillisa-
ria a sua imaginagSo agitada por tantos acon-
tecimentos estranhos. Com esto sentido es-
colheo no jardim do seu palacio a alameda
mais verde e mais frondosa cuja folhagem
formava urna especie do docel, o qual prote-
(*) Vid. os Diarios Ns. 43, 44, 47 48,
0, 31, 52, 53, 50, 37 e39.
gia contra os raios do sol que comegava a ele-
var-se no horisonte. Era esta urna magnifi-
ca ra de larangeiras plantadas em outros
tempos pelo primeiro cardeal d'Amboise, e
que se estendia al perder-se de visia em lo-
do o comprimento do jardim sob a sombra
sempre verdejante de annosos lilis.
Depois de ter passeado algum tempo nesta
alameda, senlou-se para descangar em um
banco de pedra prestando os ouvidos como
por distraego ao distante som do orgo q ue
a brisa da manh Ihe irazia por inlervallos em
enfraquecidos ecos ? de repente veio unir-se
a este outro mni claro que pareca com o que
produzem as folbas que se desfazcm com os
ps. 0 arcebispo olhou attentamente para
todos os lados e nenhum ser vvente apareccu
a seus olhos e s distingua os altos troncos
dos tiles que simtricamente ordenados bor-
davam a alameda a qual torrou a ficar em
silencio.
so calibre, do Forte de Pitunb para esta
Cidade pela quantia de noventa mil res ; e
ordenando-lbe, que mande satisfazer a
mencionada quanlia ao referido Dias, ou
pssoa por elle legalmente auctorisada logo
que para esse ilm for oflicialmente avisado I gar convenientes, para seren dirigidas a mes-
pelo sobredito Commandante das Armas. |ma Assemblea.
Dito- Ao Commandante das Armas. par-
Dito Ao mesmo para que baja de ex-
pedir as suas ordena, a lim de que seja subs-
tituida a (inania de Palacio Velho feita at
hoje pelo Corpode Polica pelo Contingento
de ('avallara que all se acha aquartel-
lado.
Dito Do Secretario da Provincia ao pri-
meiro da Assemblea Provincial, transmitliu-
do para ser presente ;a mesma Assemblea o
Relatorio do Inspector da Thesouraria das
Rendas Provineaes*, c a representadlo que
fez a CommissfiO encarregnda de dirigir a
construegao do Tlieatro Publico desla Ci-
dade.
DEM DO DIA 8.
Ollicio Ao Exm. e Rm. Rispo desta Di-
ocese enviando o requerimento dos morado-
res dos lugares- Terra nova e Ury cm quo
pedem seja elevada em Parocha a Capella do
Santo Antonio creca no lugar denomina-
do Salgueiro, para que baja de transmiltir
oseo parecer a lim de ser levado no conhe-
cimento da Assemblea Legislativa Provincial,
que o exigi.
Dito Ao mesmo Exm. Snr., dizendo
que tendo exigido a Assemblea Lela Uva Pro-
vincial, que seja clleouvido respeito da
creago de urna Freguesia na Povoacao de
Reberibe pertencente da S de Olinda cu-
jo projecto por copia se Ihe remedio baja de
dar o seo parecer e as normagocs quejul-
9 prelado abandonou-se a esta indolente
medilago que inspira de ordinario o espect-
culo da nalureza a sombra das grandes arvo-
res as formosas manhas de verlo, mas de-
pois pensando que j era tempo de voltar ao
suu palacio se levantou e agora vio pela pri-
meira vez que tinham esquecdo um livro no
banco em que se tinha sentado pensou que
talzez elle pertcncesse a algum ecclesiastico
empregado no arcebispado, pegou maqui-
nalmenle n'elle ; o livro eslava aborto e
a pagina tinha em cima estas palavras Obras
de Pedro Bousard ; o prelado estremeceu ,
mas qual foi a sua admirago qunndo continu-
ando a ier deu com a sexta seguinte :
Va i-se o tempo senhora o tempo passa
0 tempo no nos que passamos
E prompto ha de cubri'-nos una loisa i
Assim dos amores que tratamos,
Nada mais restar quando morrermos ,
Amai-me pois agora em quanto bella.
Dito Ao Cura da S de Olinda para n-
ftj-Lii

O livro Ihe cabio da mo e neste momen-
to urna pessoa que seachava sentada se levan-
tou precipitadamente para fugir. Ento um
raiopassando pelos claros do arvoredo pene-
trouatravez d'um veo negro que esta figura
tinha sobre sua cabega fazendo ver aos o-
Ihosdo arcebispo as mesmas feiges que as de
Anna de Arcona. Desta vez elle se resolveu
a aclarar o mysterio d'uma vislo que se Ihe
a presen lava sob seu mais doce aspecto e re-
dendo aos seus desejos se laugou em persegui-
go do gracioso fantasma que fugia diante del-
le, em breve o alcangou mas sem atrever-
se a tocar-lhe receiando que o contacto de su-
as maos deslizesse to agradavel apparicao ,
dissecom o lom mais supplicante:
Porque fugs de mim agora '
Senhor rcspoudeu a religiosa com um
accentocheio de melancola nao me tendes
vos arrojado de vossa presenga ?
E* verdade responden cheio de emo-



ormar sobre o mesmo objeetp de que tracta
o ollicio supra.
Do igual theor se dirigiao Vi-ario Ja F/e-
gUUSia (1.1 lioa-visla.
Dito" Ao Inspector (".oral das Obras Pu-
blicas ordenando ana r-sposta ao seo officio
COMMANDO DAS ARMAS.
Kxi'i:iiiem i: do da o.
AoExm. Presidente, procurando saber,
que festino devia dar aos Alfores vindos da
(lorie, Antonio Carlas Pessa de Saboia,
("..'andino Al ves Carnauba, e Barita Ferreira
de 5 do eorrente acompanbado do orc^men- Marques Brasil pois que nenhuma commu-
to da Despica provavj rom os arranjos, e \ nicacfioollica! os tinha acompanliado.
MRcertosdoQuartel [araa ebropanbiadeca- Ao mesmo Exm. Sur. rogaudo-lhe acx-
vallaria de iiiMa dcsta Provincia na impor- pedico de suas ordens para que forte
(amia de seteeerttoi mil ivis, que bajad- bhto a bordo do Patacho Patagonia el
rcee-
- trqns-
mandar proceder aos mencionados doearlos [ portado a Corte o Alferes da (i. N. Kano-
e arranjos coma possivel brevidado corto '
de que emprear a economa, de que se fa-
zem credoras as obras publicas.
Dito Ao Commandante das Armas, com-
municando a expedico da brdem antece-
dente.
Dito Do Secretario da Provincia ao pri-
meiro .i Asseablea Legislativa IVovineial,
remetiendo eoi sa'tisfacao exigencia da rnes-
nia Asscmblea communieada em scu ollicio de
o correte, copia dos engajamenios dos en-
criptos emuma relago que se lhe transme-mos prova assaz que una divida interna
;;.!
geuheiros esraogeiros, ledos em virlurfe da
lei de .S,/:: abril de 18.18.
el Francisco Monteiro que se olFerceera pa-Tde Legiao do Municipio do Limoeiro recia
ra servir no exrcito do sul. j manda a soltura dos recrutas Jes Proiro e
A o mesmo Exm. Si-., rogando- llic bou- | Manoel Antonio da Racha e informando-
vesse d'onloiiar a Tho/ouraria para abonar lhe que o primeiro fora immediatamente
ao 1. Ca lete Augusto Leal Ferreka as co- sollo por dizer'o Prcfeito na relago (|u a-
medurias d'embaRque por tero mesmo Ca- companhou b se oflicotlc remessa que ti-
dete de seguir para a Corte no Patacho Pata-
gooia, com destino a servir no exorcilodo
sul.
Ao mesmo Exm. Sr. dsendo-Ihe que
tendo ,j praca assente no Batalhao Proviso-
rio o (i. N. do.ii.iiai.ii) de Iguarass Anto-
nio Ramos de Souza nao podendo por isso
DUo- Ao Engeaheire Vauthier dizendo satisfazer-se a exigencia do respectivo befe
nao pode crear-so ad libitum ; e sirn gra-
dualmente e na proporco do augmento da
riquesa do paiz : u'esse caso be que olla ven
a ser uos urna prova de riqueza mas
to bem um mcio de adquirir.
.Nada ha de niais importante para a boa di-
recgo de una divida publica do que o cs-
tabelecimento d'um proporcionado fundo de-*
amortisacao; (c tanto melhor se iudependon-
te for da lei do orgamento annual) nao com a
intengo de sua n total extincao o que se-
ria urna calamidade nacional ; porem com
vistas de manter constantemente o sen va-
lor i) o que he tio preciso para a fortuna do
publico como para o u crdito da naco.
Apresen tamos esta opinio neni por isso
pretendemos oppor-nos de Lord Lauderdale,
nha 40 anuos de idade, e que o segundo ten- to hbilmente desenvolvida na sua obra Ri-
do assonlado praca a 26 de Feverciro ultimo quea Publica a saber que o plano de Pili
passava a submetter a deciso do Exm. Mi- destinado s urna forcada extincao da divida ,
nistro da Guerra anota do Cnsul de S. M. I nao s o producto do fundo de amorlisago
tia.
EXPEDIENTE DO DA .
Ao Exm. Presidente pedindo-lhe a expc-
diego de suas ordens para ser pela Thozou-
raria paga a quantia de DO.* reis importan-
cia da conduego de 3 pecas de grosso calibre,
de Pitimb para o Arsenal de Guerra de-
vendo ser tal quantia entregue a Francisco
Xavier Dias.
Ao mesmo Exm. Sr., reerrviando-lbe a rc-
presentago que lhe dirigir o Coronel Chefe
de Legiao, havia nesta data levado a sua re- Ma/anhao Antonio de Souza Cabcal.
presentai;o ao con hci ment do Exm. Minis-
tro da Guerra, para resolver como fosse de
juslica.
que. com a remessa dos seis exampiares, qu I
se llieenviflo da Lei IVovineial numero 9 do
OdeJuoho de 1833, Gca satisfeita a sua re-
quisigo de o do frrente.
Dilo Ao Commandante do Brgue Escu- Ao mesmo Exm. Sr., transmitLindo-^ie as
na Niclheroy ordenando em cnnsequ'-.ii.ia guias dos 7.1 Pracasdo Deposito que emba-
do que lhe lepresentoii que mande passar cavo hojo pelas i horas da tarde no Patacho
guia de desembarque ao Pratieo Francisco Ai- Patagonia pertencend 19 destas pracas a
esta Provincia SO i Paraiba do \orte tres
E., para resolver como melhor entendesse.
Ao Com maridan le da Escuna de Guerra!.
d'Abnil mandando-lhe apresentar d'ordem
da Presidencia o rebelde amnvstiado vindodo
as Alagoas e 1 ao .'i. Batalhao Provisorio.
AoExm. Conde do Rio Pardo Comman-
dante cm Chefe do Exercto do sul, trans-
mitudo-Ihe a guia do 1. Cadete Augusto Le-
al l-'erreira (pie nesta occasio segua para a
Corte, com destino a servir no mesmo exer-
cilo.
au.
Dito Ao Commandante da Escuna Pri-
meiro de Abril, dizendo que a vista da> ra-
zoes expendidas em seo ollicio de 6 do corren-
te dispensa-o' de fazer o Degisto do Porto em
(pianto existir doente 0 ollieial de bordo do-
seo (ominando.
Dito Ao Commandante do Drigue Escu-
na -Nictheroy comniunicando o con leudo
no ollicio supra e ordenando-lhe, que con-
tinu a fazer o Registo do Porto juntamente
com o Cter- Esperanca de Beberibe.
Dilo Ao Commaudante das Armas, re-
metiendo copia do Aviso de I do'mez nro-
ximofindo. expedido pela Secretaria (ieEs- corapanhado do incluso oflicip, para o res-
tado dos Negocios da Gn irrra pelo qual be Peolivn Commandante em Chefe do Exercto.
a residenciaauthorisada,a maridar inspecci- Ao Capitfto Comman'ante interino doDe-
nnar os recrutas, que das oytras Provincias l)l)Sll mandndo_addir ao mesmo para sc-
vierem reraellidos p
da le eom destino
Ao Prcfeito da Comarca do Pao d'alho ,
acusando recebido dous recrutas dosquacs
um asstuitara praca e o oulro fora recolhi-
do a Companhia d'Ai tilices por s aehar della
ausente.
Frequeotea veses se tem avancado oulro
ar;umeiitaqnoa 1. vista parece de bastante
AoExm. Commandante das Ai-mas da Cor- pez0 -. !as que com madura rellexao se re-
te, communicando-lhe, que o Cadete Ap-I conhace como puro sofisma ; e vem a ser, di-
gusto Lea! I-errcira segua nesta occasjao S(,m 0- adversarios da divida publica que se
com destino a servir no Rio-Grande do sul L||a tanto conlrihue para a prosperidade do
e rogando-lhe houvesse de fazer partir oppor-1
tunamente para a1i, o mencionado Cadete ,
paz
creada no anuo de 1787 com a addicao pro-
veniente dos arranjos fe i tos em 1792, oque
por aquelle tempo montava annualmente a
urna soturna tal, que o publico podia bjmi
prever que antes de concluir-se a guerra esse
fundo hiriaa 5 milboes de E. por anuo; mas
tao bem o producto das laxas sobre as ren-
das calculada por Pilt em tO milhoi.'s an-
nuaes : silfl em verdade que una extincao
assim forcada dara em resultado a ruina da
Nago.
Porem so por um lado he extravagancia
destinar enormes sommas para remir-se a
divida, a qual como prova mos o podeser.de '
mancira extremamente fcil, e menos dis-
pendiosa; nem por isso se segu,'* que deva to-
car-se o extremo opposto isto he r nao
resgatar nem urna parte della: naoremir
nada ou fase-fo precipitadamente, traria da
mesma forma desfavoiaveis consequencias pa-
ra a prosperidade e crdito Nacional.
Se o crdito da Inglaterra ( por ex. ) pela
abundancia e menso giro de seus capitaes ,
para a prosperidade (lo' pode dispensar a constante applicacaode
parece obvio quo para una Nago um fundo para ainortisacao he isso excep-
DIARIA DE FElMMiCCO.
CONSIPERAQES SODP.E A L'TILIDADE E M0-
RALIDDE F)'l!M EMPRESTIMO PL'RLICO.
Continuado do N. 89.
Corte.
pos i
ico praca do Deposito d
Alves dos Sanios.
adquirir e amontoar riquesas ; bastar-lhe-ha gao de regra. lie indispensavel que liaja
crear urna divida interna. Em primeiro lu- i sempre um tal fundo e proporcionado a
gar una divida interna nao pode ere- extengao da divida por quo ella jamis de-
ar-se com o simples desojo d'um governo ; | ve apresentar o aspecto de irremivel a ; o
requer-se para isso capitaes disponiveis ; e! que aliaz acontece (juasi sempre que a do-
na o Deposito desla ci-. ^'"' llil|,ta'lus n> Hospital os soldados d.o.2. ; sao esses (no depois produzom e aecumu-j tagao da caixa de amortisagao he independen-
de embarcarem para a I ^talhftbd'Artiiheriajape da Provincia da.Ba-jaocom,jvida. Todo O paiz nos seus! te de sobras calculadas, e nao realisadas,
as mais das vezes a divida deve ser 'sempre
- remivel-diiiiinuindo por um lado, o promp-
ta a augmentar pelo oulro e nunca appare-
cer llxa u c imniutavel ; o que lhe
dara um carcter de torpor incompativel
- com a saude linanceira (pie para sua
conservagao exige animado movimenlq e r-
pida circulaco.
Os Estdos-Unidosd'America rcmiro; su-
cessivamente quas toda sua divida publica;
fu regressiidosdoMaiaiili.io '.a/.ilio Dias primal ros passos para o estabellecimonto do
Dito Ao mesmo, partecipando em cantee- Antonio dabihra Barros Joao Paulo Tlio- crdito publico tem de limitar-so aos seus
qiiencia de commiiieacao l'eila a Presidencia remn Euzebio Jos da Silva e> ta- meos financeiro : estes moios porem alig-
ero Aviso da Secretaria* de Estado dos Seg- noel '",s!llll) cujasguias lhe remellia. mentAo sempre e tornf:o-se em um verdadoiro
la Guerra de 14 da Eevereiro ultimo, Ao Lapito Commandante interiiip da Com- manantial de riquesa publica, una vez conso-
haverS. H. o Imperador concedido baixa do Pannia d'Artiices ,* procurando saber, seo dado o crdito nacional. Alem disto, ou-
esla capital [jUz s<>l''sdo .lose Renovalo fora irmeltido para oJ tras condiees exige aoroaco d"uma divid
.-e.
nco o urna divida
determiuou interna, como, grande conlianca na honra
Dito Ao mesmo comraunicando em vr- em oroem ao da 10, esenSo for8 ara; i do governo. firme con vkeflo da eslabilidade
Deposito com passagem como
lude de participgo, pie receneo da Secre-
taria de Estado dos Negocios da Guerra por
Aviso de 17 de Fevereiro prximo passado
haverem chegado da Corte com deslino de se-
rem em pregados no Batalhao provisorio desla
Provincia os officiaes de primeira linba com
os seos camaiadas, constantes da relai
quo por Copia SO llie lemette.
Dito Do Secretario da Provincia ao pri-
meiro da Issemblea Legislativa Provincial,
remetiendo para ser presente .i mas'ma As-
porque.
Ao Commandante do Forte Po-jamarello,
concedendo-lhe a licenca quo pedir para vr
a Capital.
Ao Tenepte Coronel Commandante do 13a-
lallio Provisorio mandando assentar piara
aos recrutas .Manoel .ioao, eFiancisco Jos.
: do existinto estado de cousas ; e mais que tu-
sando o recebimento do n officio do 1. d(
crtente, edosdus recrutas cima menci-
onados. ,
do, um governo Cotisttldcional Representa-1 e de vem resgatar o resto nocorrente anuo,
tivo que be de todas a melhor garanta ao i segundo se vd da Falla do Presidente 04 >-
crediio publico. Por tanto bes em taes j bertUra do Congresso em Washington,
circunstancias que um paiz pode desenvolver Desla experiencia Americana tem-se tira-
sen crdito interno : e como a maiur parte do concluses com que se pretendo provar -
dos estados estao ainda privados do tao vali- j 1. que se bem que urna iSacao suporte do
ellks "
' se aehcm atrasados na carreira da prosperil- I que por meiodelles veja progredir a prospe-
!e o '.pie a Austria a Russia a i'i .isia a
Ao Prefuilo da Comarca de Nazarel acu- sas vantagens nao he de admirar queellbsi bom grodo maior peso d'impstos, "sempre
j Hespanha &c> &c. inhabeis para levantar um
Ao Prcfeito interino da Com marca doTle-| em presumo interno, por
semidea un olheio da Can.ara_ .dumcipal da]cfe (jtlisiUndo-lhe os Livrosde Matrici
daG. N. deste Municipio, que estavao no
Villa da Cimbres com data de 20 de .lulho do
anuo ltimo, em que'representa a necessi-
dade de se excluir do imposto Provincial de
2#00ftreis 'galo, que Por consumido pelo;
propVios donos, e bem assim as informagoes,
qu a este respeito d rao o Inspector da
soitrari das Rendas Provinciaes eo
Procarador Fiscal respectivo.
pequeo que seja ,
lla le a despeito de grandes vantagens offerecidas,
se vejao redusidas ncessidade
archivo da mesma Prefeilura segundo in- que oarecem de dinheiro, de recorrer
rormava a Umara Municipal a qtem 4oFo coes qm tem essa divida interna. <
pedidos.
Portara ao Commandante interino do De-
posito mandando excluir do mesmo, porte-
rem de embarcar para a Corte no Patacho Pa-
tagonia 7.1 pracas OUJOS names bio dis-
<]
' Inglaterra
i p joven prelado,- Oh! Mu culpado taH Pie-
dade por osla vez nao uma>v illuso :
sorvsweidadeiraincnte vos a quein Lauto
I ulid ainado e a quom torno a ver depois :
seis anuos de ausencia Dize-im.' porque
milagro me fostes entregue ? Sois Anua de
Arcona ou nao mais que a sua sombra?
mas de qualqucr modo que seja, fallai-me ,
aUi que cu ouga a vossa doce voz.
Senhor e j vo-Io disse que sou a ab-
badeea de. Saint Aniand nao sou urna som-
bra, exista i mas nem tao poucosouaque vos
jujgaes.
A isto Carlos de Rourbon fez um signa! co-
mo um homem cuja conviegao est formada ,
e |ue nada pode alteraba porem a religiosa
continuou :
Tenho ouvido com edeilo fallar de urna
Amia de Arcona que ama va a um lormoso ca-
vulleiro.... de vossa familia ; mas Auna de
4/coin era protestante e eu sou cutholica .
sempre
a na-
co m o a
a 'Franca, a Holanda ; perdend
assim i pelo alto juro que tem de pagar o
estrantros milito mais do que as sommas
('lectivamente recebidas.
Oexemplo da Russia que cima apqata-
e Anna de Arcona eslava promettida a um ho-
mem con estou desposada com Dos. Bem
vedes senlioi-ino eu nao posso ser essaque
dizeis.
.Nao disse o prelado que guardava pro-
fundo silencio rece.-mdo que nem iJma s.) pa-
la vra sabida da poca do Anua lhe escapasse :
nao, nao me engao vos sois seguramente
a mulher a quem tenho amado com um anor
sacrilego com um amor que tal vez". ai de
inim nao esl ainda apagado no meu cora-
gao, e emiim vos encontr no momento que
julgava ler-vos perdido para sempre Anna
tenho sido milito culpado ; mas quem teria
podido no meu lugar deixar deamar-vos send>)
taoformosa, to pura e to compassiva ,
que pelo primeiro beneficio me leudes salvado
a vida e depois como se isso nao fosse bas-
tante, me destaco vosso amor. Oh meu D-
os para ipic mu siilnnc) : tos -essa prova?
poda eu dizer a osla joven que urna das o-
SHE!
bras mais per'eitasque sahiu das vossas rtios-
\ai-te vai-te, nao le aproximes de inim
que sou sacerdote Perdoai-me meu Dos,
que de joelhps vo-lo pego ; assim como o po-
co a Anua de Arcona que aqu esta prsenle.
Emquanto assim fallava o arcebispo li-
nba cabido de joelhos com as mos postas di-
ante da abbadeca, e lagrimas amargas lhe
cabiam dosolhos.
Que la/.eis senhor ? disse a abbadeca
sempre tranquilla e impassivel, a rnim *
vossa serva a quem pertoHee ajoelhar diante
de vos pois quo sois o meu paslor.
Anna respobdeu o prelado cheio de
angustia : Anna : deixai essa frieza que me
parle o cyago Crandcs culpas tenho que
reparar para onivosco porem a ludo estou
disposto. Oue quefis que eu faga que ex-
ip exia de mm PEscutai; meu inno
o rei de Franca ; elle me ha dado acadei-
ra de Ruao a primeira do reino depois da de
n ado Nacional, todava aliviado o povodesse
peso mais facis e rpidos sero os progivs-
sos na (elicidade do paiz Esta asseico he
lauto menos provavl quanto lodos sabe-
mos que odcsenvolvimenlo da graudcsa dos
Estados-!.'nidos leve lugar justan.ente lio
tempo em que elles se achava sobre carro-
gados com urna divida assaz concideravel, o
resta ver, se d'or.cm diante, allviadoadcs-
sa carga n.archarao miihor do quo (piando
atinhSo nos hombros -2. Quo o dinheiro
empregado nos fundos pblicos voltandoas
, e por tanto a tu
d'um auno tal ve/.
Pariz : eu ainda sou mogo
do posso aspirar. Dentro
que seja carbal; e quem sabe o que pode suc-
ceder alm distp"? Pois bem abandonarei to-
das cssasorgulhosas esperaneas : Anua lai-
ga'rei o meu manto de arcebispo deixarei os
mcus palacios de Ruo o do Gaillon e cm
summa tudo e i*ci acabar os meus dias no
retir e- na penitencia. Por tudo isto, An-
na nao vos peco mais que nina so cousa.
Ah nao m'a neguis. Anna, minha-querida,
da-ine a vossa man cm sigual do perdo.
Senhor, a abbadega de Saint Amand
nao loca com a sua mao na do. arcebispo mais
que una s vez e depois (uo osle estiva'
inorlo.
Que dizeis .'
E domis, senbpr, nao vos puz eu
niesrca honlcm oannel pastoral no vossudedo?
Inexoravel disse o arcebispo deixuii-
do cahir a caneca entre suas mos.


-?-
gijnMMjiiiMjmmr^^
maos de seus donos por muito que soja a-
cha sempre lucrativo empreo cni especula-
ges de cornmercio e industria. -Pitra bem
rebater este argumento he-nos niister pro-
curar o objecto desde una epocha algum
tonto remota. Fo em 1817 que a divida A-
mericana chegou ao seu mximum- 116
milhfiesdedollars inclusive um milhao em
l)illu;tes do Thesouro 5 c loi resgatada ,
desde entao at 1S:>;; sto lie em 18 anuos ,
a rasSo ud <;X23000 clollars annualmente. 0-
raris jamis dnvdamos que nina qumlia
taomotferada ( que na divida inglezano he
ntflis de 1|7 por o|o do capital ) podesse f-
cilmente voltar a eirculaoao em mu paiz da
extengo tal qual a dos Estados-Unidos ; e
bm longo de cecear-mas que dahi rcsullasse
algum inconveniente t livemos sempre por
corto qtic ella encontraria fcil c productivo
mpregO senfio no eonimcrcio, o industria ,
n'ossa immcnsidade de torras que no estado
da Xa tureza convidao todava cam aspecto
de grandes vantagens a sen amarillo c cul-
tura. Porm que quer diser relativamente
situagfio de Inglaterra ? nada. Que analoga
lia ueste caso entre um e outro paiz
por agora de passar-se sem ella, ou de res-1 cr Da-se 100> reis a premio de 2 por con-
gata-la repentinamente ; sob pena de se ex-1 lo ao moz, sob pinhores de ouro, na ra por
poro paiz aos mais terrivdw^parigos Cataos detrs dos Martirios 1). 53.
desastres.
VCTS^pOIio
(Continuar-se-ha.)
C0MMEKC10.
ALFAXDEGA. '
Rendimento do da lS. 2:237^529
DESCARKEGAG 110JE 10 DO rour.KYlT..
!!. Austraco Airone Ago o milUo.
,H. Inglez Principe Alberto Bacaiho
. I), i, -bacaiho.
U Patacho Brasileifb Minerva arcos c a-
duollas fei ja o charutos, fumo, o
seis barns com manteiga.
EDITA L.
= Pola Adniunslraefio da Moza do Consu-
m ut-Mu caso oiure um e ouiro paiz r = rea Aumimstragao ,aa aieza do umsu- avisa aos snrs socios mi o o-
Nemhuma. Suponliamos que na Inglaterra lado se faz saber que no ufa 21 do oorronte ,'.',' ^,r>,.1i-.,i,.V.i;i',.!' Pff
bavim rnmn n RtfufeJt.l.l. Lii.a'L, h. ,!.. -....... L. 4 ........ ,r. -.- i.i "' mVM,u -S i^-Joao Claudino Muinello partecipa a
seos freguezes que mudou o seo eslabello-
ciiii-ntopara a ruado Coilegio D. 7, primei-
ro andar, aonde continua a consertar toda
qualidade de pianos.
v^-) Thesoureim-da Pesta de Santo Amaro
toado por esquecimentodeixado de lanzar na
reita acsmoIiadelOj dadapor o Snr. Jos
Claudino Leite para sobreditar festa o la/, ago-
ra por meio deste.
= O Sur. Luiz Franeisco Crrela (ionios
d'Ahncida morador nos Ahogados queirahir
a ra do ftangel sobrado I), i I. 2. andar, a
tratar de negocio que Ihe diz respeito.
SS" Quera annunciou querer comprar urna
venda que venda para a Ierra querendo nina
na ra de Sanio Amaro que vende I O a
12*000 rs. diarios, e tem commodoa para fa-
milia -. dirija-se a mesma ra por baixo do
Sr. Joaquim /os deMcdciros lavares ou
ra estreita do Rozado 1>. I.
== O I. Secretario da Sociedade Nalalenso
isa ao snrs. socios que o espectculo quo
haviao como nos Estados-lnidos millioos
ne gelras do lonas nao roteadas ; entao una
quantia veses niaior do que a remida anim-
almente na divida Americana fcilmente en-
contraria aqu lucrativo mprego ; como po-
rem ua Inglaterra e oulros paizes semelhantos
nao h esses milhesde goras de lena o ven-
der, ou a arrendar, o um resgate de sua divida
proporcionado do daquelle teria que leva; a
circulagao alguns milhoes poranno 5 he evi-
dente que Adoptar igual medida, seriaomai-
or dos despropsitos. Finalmente diz-se
- que por una firme adherencia aos principios
da f publica o honra Nacional pode bem
realisar-so a extingao de urna grande divida
publica, de m'aneira, naos consistente com
a felicitado gera, c vantagens-do Estado 5
mas tfio bem com o interosse particular de se-
us credoros. Este argumento he perfeilamen-
te exacto sempre que se de ocaso e condal
ces'aoima mencionadas -- a sabor I. que-
qUantia remida e levada a circulado aon-
de vai assumir o carcter de Honda em
Jugar: do de Capital nao exceda ao total
omprego pelos Estados-Unidos neste objecto ;
2. que urna mili grande parle do paiz soja
-Nirgem carocendo por tanto decapitaos
para a levar a um estado de producn., De
baixo (lestes pontos de vista argumento
10 sen
mez se ha artematar aporta da mesma Ad-annversar0> tem Sabbado (IV)). Os
min.straco uma caixa de assucar branco, a- blnPtes afcho-se na mao do snr. Antonio Jo-
, ,.-, ,i.- 1 ; "'"" l' -1 utiMu-suiiaiiiaunosiir. Amonio jo-
hendida polos respectivos Em pregados do Zei>erQra do Lago, e prncipao a destribuir
rapixe novo, por mexacUdao da tara; sen-sefcojequarta oir, do meiSdiaein .liante.
PJ
T
do a arromatarao livre de despezas ao^irrc-
matante. Meza do Consulado de Perdambu-
00 18 de Mareo de 1842.1
Miguel Arcanjo Monteiro de Andrade.
DEC!. Ai A(:oES.
= 0 Patacho Roa lombranoa rceb* _
malla para o Maranhao amanli 17 as 10lio
ras do dia.
AVISOS D 1 \ E R S O S
= O abaixo assignado avisa as pessoas que
em sua rnao tem penhores para que os man-
dca dosempenhar no praso de 8 dias, do
contrario os vender para sen embolen.
Domingos Joze le Lima.
=. A pesSoa que quiser alugar una morada
de casa nova com bous com modos, sendo os-
la na ra do prazer noCoelho, dobarroda
Boavisla : a fallar com o dono na ra Direita
por cunada paderia do snr. .Nicolao i'eiroira.
= Aluga-SC uma casa terrea com quintal,
e por prego commodo; cuja casa d situada no
principio da estrada dos Afilelos junto do
fu
jar do Manguinho
quem a pretender di-
rija-se a ra da Cadeia do Iieeilb N. 12 que
s: Jos Joaquim de Nuvais moslre Alfa.- flC,,ar ,.;-,,,., (,,,(..
.-te chegado ltimamente da Cidadedo Por- = Quili livor um escravo moco, ii,,|, 1
to pz a sua (.asa de residencia na IIUa do bonta (igllI,, c s.l(|il) ^ Q Vl,|1(,a M
zem de lou?a onde se acha prompto a mos-
trar ao respeitavel publico as abilidades de
sen ollicio com as obras que Ihe enearrega-
rom usando das ultimas eOais moderna;
modas [)e(os ligurins recen tomento .chegados .
, tendo sempre em vista bem de seus fro-
outra vez o dizemos he exacto ; .mas de for- guezos a boa xecuQao e promptido de suas
do
uui iie-
QueimadoD. 16, andar por cima do arma- ceSsidade, obrigando-se por elle uo papel, a
vicios o achaques ; dinja-s ao ultimo sobrado
de 3 .indares, viudo por S. Francisco na ra
das Cruzes D. I>, 3. andar, que se. dir
quem o quor.
= A pessoa que annunciou (|iieror comprar
111a alguma pdser apglicavel a siiuaco de
outro qual quer paiz lora dotaos circunstan-
cias.
De mais, e alem do todas as rasos allega-
das contra aadopgaode uma semelhante me-
dida, devemos observar, que anda (neo
Congresso esteja pagando toda divida a Con-
fedoraeao 5 isso nao quer diser que cada um
dos Estados em particular se aehe privado de
uma lao prolifica fonte de riquesa publica :
nao, todos-ell.es. iem sua divida na qual o
Capitalista enconlra fcil meio d'empregar se-
us fundos ; e cujas dividas ormo cni caso de
l>recisao um respeitavel aggregado-do capi-
dispouiveis. Nos Elslades-Unidos tem
chegado a tal ponto o syslema do crdito pu-
blicq que apenas decidido o imposto" por que
ser remivel um emprestimo do haja preciso,
03 Cidadaos de um oslado ou de parte delie ,
u realisSo o emprestimo no momento ; e
lanzada sua importancia na circuiacao { em
letras ) be applicada a bjectos de beneficio
commum a Sociedade que o formara. Como
poreinMionhiun Condado da Inglaterra nem
mesmoa Escocia-tem divida publicaJocal ,
e so ha Divida Nacional ; he lbrcoso quo
ella seja muito mais importante o impossivel
obras. Tambera acharad promplas quai squ sr
pessas do obra que precizarem acabadas com
a maior perleigo Ja moda ludo por pret; s
com mi dos.
= Aluga-SO uma casa sendo sobrado de
um andar ou mesmo casa terrea que nAoes-
cedade I0,000a l^jiOOOrs. m^nsaes sendo
as Unas dasCruzcs da Cadeia o Pateo do
Para izo ; quem tiver dirija-se a Ra Noval).
31, que nao se pora duvida em dar luvas.
= Arrenda-se um sobrado de umou dous '':'")\ i
urna venda.; dirija-se a.ra da Cadeia j
na quina do hoco do Ouvidor dcfroule do
Tlieatro.
1= Joana Mara dosPrazeres abaixo assrg"
nada, faz certo a pt/ssoa que ouverdearre"
majar o sobrado d 1 snr. Joao l'erreira dos
wanlos, n atierro dos Airogados, junloa
casa em que mora a annunciantc que esta
le.m 111C.15A0 no oitoda parte do sul do refe-
r sobrado l altura de urna casa terrea ; as-
| sirn como tem no muro ao mesmo correr do
nor (rato feito com O rele ido snr. Jo
andares que terina quintal sofrivel ecacm-|
ha sendo no Alterro da Boa-vi ta ou
Ferreira p sua miilher. em troca da posse
?>.,., (i., que Ihe cedeu de seus alicorees, como cons-
Aurora quem livor annuncio, la ';'' ,PaPel ,!'! lrat? : 1uem. "^"""^' == NodialSdoproximomcz de Abril aQ>_ poderachamar-se ignorancia.
darlo infalivelmento as podas'. 2. parte da 1 Joau doS Pmena.
Lotera
da
loa--.:
EstiVeram alguns instantes em silencio,
ate-que Carlos proseguu.

Anna se voso quizesseis aiuda pode-
ria haver para nos felicidade sobre a trra ;
Dos ne proscreve urna ehamma impia c sa-
crilega Dos nao permitlu queso rompes-
sem todos os lagos de duaj almas (pie uiiiu li-
ma mutua ternura cimentada por o lempo,
o arrfnpendimenlo e os mais santos deveros.
Dos permitlio que Elosa e Abelardo so amas-
sem do interior dum claustro, e (uo se es-
crevessem a anda depois dccslarcm se-
parados na vida seus corpos se niram na
monte-.
Nem na vida nem na morte respon-
den, a abbadeca exalando um profundo suspiro.
Sftnhor, e j lempo de nos s 'prannos, mi-
nhas rindas me eslao esperando: Senhor, do
vosso agradoagora abenroar aahJjadrcadoS&inl
Ainand.'
concedida aIrmandade dollozario
ia. Os blhetes acho-se nos luga-
res do costme.
uj Alluga-se o segundo andar da segunda
casa do lado direito na ruado ',, illo, (jom
Com modos para nina femilia (nenio ; ; l l-
der dirija-se ao priuieiro andar da mesma ca-
sa ou defronle do .arma em de assucar -pe-
gado a t&T Alluga-se humaloja no.Puteo da Ma-
triz, sobrado de um andar D. 10.
0 arcebspo inclinando euto a.cabeca poz
assuas-mossobre adella o levantando para
oCo os seus olhose|ieios de lagrimas, quau-|
do os ahaixou j a abbadeyu linlia desapare-
cido. ,
O prelado perraaneceu largo lempo pensa-
tivo e concentrado sem poder-sc arrancar
daquelle sitio prestando oouvido ao menor
rumor queTazao as folfias i.'as arvoros agita-
das pelo vento. A final saliindo do seu'arrobo,'
dexou o jardiin e recolheu-se ao palacio.
Apenas all ontrn o scu primeiro cuidado
foi mandar chamar o vigario maror o qual
comparecen na sua presenta leudo um papel
na rnao.
e= Ning'iem contrate negocio com Joaquim
ftfanoel, sobre o escravo Francisco criouib, o
qual existe Ir. pol becado pida quantia ilc-'iU0>
is. ej so est finalizando o lempo.
r= Precisa-sede um menino prtuguez de
le 12 a l.'i anuos, para caxeiro forada
Provincia": quem se quiser utilisar, oslando
tiestas circunstancias, dirija-se a Senzalla
nova i>. 7, na paderia americana.
= I na ama parda .hbil para lodo o ser-
va.) de urna casa : quem a pretender, procu-
Senhor, lie disse es te j o primeiro
.Win da lomada de pj.sse q ue vonho submel-
ter appiovaeao de Yossfl eminencia. Tra-
la-sc da nova abudeca de Saint Amand. 0
'.-jirito Santo inspirou s boas rias pos
que, segundo dzem elegeram uma joven
encantadora abadesa caritativa piedosa ,
cheia 1I0 saber e de...
' Osen norfte .disse o arcebspo apres-
sado.
Sen nomo tem sido um myslorio para
todos al boje; nao linha q ue rulo dizc-lcffr
mais que defunta abadesa Mara d'Entra-
gues (pie era anda prenla sua e quo a
estima va tardo que (piando eslava no sen lei-
to moribunda a boa o respeitavel abadesa
quiz (]iio fosseelia quem viesse erb seulugar a
i -la dacommunido, para vos entregar o an-
nel pastoral.
Sen iioi" .' .. toiiiou a repetir o ar-
cebspo Como lora de t.

Chama-se Aima de Vreooa lilba de
vclho liugun que vo luutariamenle si-
r na ra do Lvramenlo D. 14, lado da
Penha.
=s Quem quiser receber alguma roupa 1
Ja de bomem pitra mandar lavar e engomniar.
com asseio e perl'eicfio responsabilisando-se
polas fallas 5 anniincie para ser procurado ,
ou dirija-se a na Direita sobrado D. ^3 pri-
meiro andar, das (i as 8 horas da manila o
das 2 as S da tarde.
= A Commisso Administrativa da socie-
dade Trpsichore, convida aos snrs. socios
pela 3. ve/ a rcunirem-So hje pelas 0 hora-:
da tardo afim (le tratar-so da mudauca para
nova casa.
Bf Madama Thcbcrge Directora do Colje-
,'io do Espirito Santo, partecipa aos Paos das
Collegiaes que as ferias de Pascoa come.;;!.,
no dia 19 Sabbado. e lndao lio da 29 do
cfrenle : da om que os Paos das Meninas de
lora da Cidade que pretenden! mandar suas
filhas o devoro lser, o nao depois de Pas-
coella, como alguns linboentendido.
tsr A pessoa quo desoja fallar com Estevo
Proio-Marlir de FigUeiredo Wanderlei, diri-
ja-se a Villa de [guarass ra do assougue ,
que ah o lugar de sua residencia-, ou no
atierro da Boavisla loja 1). \{j do snr. An-
tonio da Silva Cumiar, s.
tsr Precisa-se de um ofGcial dcchapellei-
roperito, (! de bastante pratica nasuapro-
fissao : na fabrica de chapeos na ra do
Hospicio.
tsr Arcenda-se o segundo andar earma-
zemda casa N. 8, sita nyruado Fagundes:
os pretenden les procurem na mesma uu na
serrara defronle de Manoel (ionios.
i T A pessoa (|ue quiser comprar lenba
de fiucteras de sitio propria para olaria em
pequea ou grande poresio e por prego com-
modo 5 dirija-se ao palio de S. Pedro 1). 1 ,
que se dir quem vende; e taobem se vende
porcoes de ps de cafezoiios proprios para
se plantar.
tST Lava-se roupa lano de varela como
de sabo, o ehfoma-se por commodo prego :
na ra do rogo D. jji.
= Sabio o 10. num. do Espelho das Pel-
las conten os artigos segrales : Mximas-
o [lensamentos Virgindade Peda morcado-
ra e cornmercio Poesa Peruambucana,
Avi-o Curioso Ancdotas Regra para a con-
ducta das Sen horas donas de Casa com as pes-
soasque Ihesforem subordinadas- Facecias ,
vende,- na Praga da Independencia 11. 37 o
38 na Typographia Imparcial, ra Botica
do Sr. Prannos, na Ra Aova Loja do Sr.
Boz na Ra Direita Loja de Fazenda do Sr.
Angelo, o no Recite om casa do Sr. Bourgard.
z= (.. Starr A (',. Engenhciros maquinis-
tas e fundidores ; na sua lundieao da Ra da
Aurora tem para vender por prego commodo
moendas de caifa de. toda qualidade o rom lo-
dosos pro paros, entre ellas ha uma- de nova
constiuccao. que despensa virola, invengfto
de um Senhor de Engenho perlo desla praga
o muitoapprovadas. Maquinas do vapor com
moendas' ou sem ollas para outro quajquer fin,
laixasde ferro portas de lornalhas, senas
grandes para senarias bombas de ferro a-
rados de ferro carros de mo roldanas de
ferro, jarras de ferro para agua, monillos
grandes de caf, safra de ferreiro &c. are. na
mesma,pabri a lz-se nao so as obras menci-
onadas como quatquer outra em machinis-
mo ou engenharia por grande que soja.
Andr Alvos ios rctira-se para Cora
dcste imperio : as pessoas com quem o mes-
mo ti ver cerdas as podein aproseular no fila-
zo de quiozedias para serem pagas na caza
da .-ua rezidencia no pateo da ('armo.
Z..J- Aluga-se urna escrava possante para
todo oservjgo: na casa sahindo ih beco da
cam boa para a ra das flores que tem lampi-
ao a porta.
condemnara; porem pelo (pie respeitaa ella
Dos Ihe concdeo a grag de lrar-lhe a ven-
da dos olhos o de Ihe inspirar a idea de fa-
zer-se religiosa noenlanlo (pe a sna fami-
lia a suppoiilia mora. N,i) vo; parece se-
nhor. que osla historia bem mar vi-
Ihosa ?
Sem duvida responden o arcebspo
nimio preocupado senhor abade dai-mo os-
le aclo que quero assigna-lo e quando vbi-
via o papel ao vigario Ihe disse :
Tendo ahondado de mandar preparar
as n inhascarroagens.
- V. Em. desoja dar um passeo. (em
razao os arre.baldea de Ruo sao magnficos:
onde desoja ir V. EnT
A Pars, respearaco com (rieza o aree-
bispo. I-.' iiecessario que en falle n r.ieu ir-
mo o re de 'ranea.
oulinuar-se-ba


iSF* Aluga-se una casa assobradada com
con.nioilos para grande familia, temi no fun-
do porto du embarque e bastante terreno
para se por mn estaheleeimento cita nos
Coelhqs junto da otaria do Sur. Miguel'Car-
nero : a tratar com Marcelino .loze Lopes.
S3?" Quem precisar de urna ama para o ser-
vico de una casa dirija-se a Olinda no lieco
da Conceicao.
tsj" No sitio do Capitao Paula na estrada
de Joo'de Barros apatihou-sc un bode; a
<|uem Ihe faltar, procure no dito sitio que
dando os signaes e pagando as despesas Ihe se-
s entregue.
tw Arrenda-se ocngcnho Coneeicao por
oulro nomo Sicupema dcima na freguesia
da Muribeca distante da Capital o legoas e
as trras de boa producao ; quem o pretender
dirija-se ou mande ao mesmo engenbo, a tra-
tar com sen prpprielario.
fj~ 0 Baeharel formado Jo'io Antonio de
Sou/.a Bcltrao de Araujo Pereira Prolessor
Adjunto de Rhclorica e Potica do Lyeeo avi-
sa a quem couvier que depois do ultimo Da
Santo de Pascoa lia de abrir do novo Aula de
Rhetorica Geografa, Geometra e Francez ,
para o que ja se acho alguns matriculados.
qnem quizercarregar ou hir de passagem di-
rija-se a Jos Francisco de Azevedo Lisboa
no seu escriptorio na na da Cruz n. 57 ou
com o capitao Jezuino Jos Simos na praca
do Commercio.
['ara o Porto, o brigue Flor de Beiris ,
que sabir at 2(5 do corren te e anda rece-
be alguma carga a frete e passageiros ; trata-
se na ra da Cruz N.. ;J7 ou com seu capi-
tao na praca do commercio.
L eTl Al)'.
SET" Faz-se leilo de ancorlas com zeito-
nas ltimamente chegadas do Porto na por-
ta doarmazem de Dias Ferreira boje 1G do
corren te, por conla de quem prelencer.
tST Manoel Joaquim Pedro da Costa faz
leilao Quinta feira!7do crrente na porta
do armazem do fallecido moleta, de 100 ro-
los de fumo por conla de Antonio Texeira
Guimarfiesdo Rio de Janeiro.
cy James Crabliee & Companbia f.r/em
leilao por inlervencao do Corretor Olivara,
de grande porcaode fazendas nglezas averia-
das sendo chitas do chao cor de flor de algo-
dao, ditas de varias qualidades madapolOes
dito, algodaozinhos dlos, brins oscuros com
Uuem de son ores uno se quiser utdisardin a-
* a' i principio de molo: Quinta foira 17 do corren-
so ao 2." andar do sobrado em cujo primei- .'., ,_
c i i v le as 10 horas da manda imprclcrivelmente
ro andar mora o or. Advogado Joze Narciso r l
no seu armazem ra da t.ruz.
523" J. O. Klster faz leilao por nloryen-
q&o do Corrector Oliveira Quarta-feira 10
do crrante as 10 horas da man lia no seu
armazem ruado Vigario ,'dos segu ntirs ar-
tigos : pistolas, espoletas, limas, compas-
sos, tezouras, caivetes, bridas estanhadas,
estribos dito feixos para espingardas 2n-
teiros e arieiros de chumbo, botos dourados
as segundas tercas qt:arlas sextas e
sabbados das f> as 10 horas da manh.
~j- 0 meio bilbete n. 2871 da primeira
pule da nona lotera a favor das obras dothea-
tro publico desta Cidade perteoce ao Sur.
Pedro Henrique ilolteimanu de Maroim.
tzr Kissel relojoeiro francez na ra das
Cruzes B. 4, vende relogios de ouro e prala
milito ii) tinos, por proco muito commo- ... ,, _..
. \ e de seda, ditos d osso, missangas laxas
do o (ambom faz troca. : ,, n.-
_ .. i i de bomba o de selleiro, dedaos, ospolhos
SS7 Quem quiser arrendar o engeuho dei ... .,
,.'.,. ., i Ido todas as qualidades, lamparillas, canil
agoa denominado Jardim citoem rara tibe .... ,. .'..i,
,-,. ti m > ti ho papel de pozo hvros pautados c ri
distante tiesta fraga o legoas com partidos; ,' ,A
... ,' ,' cados, selins com scus pertcnecs, cordas d
debito, i-baslante varzea para se abrir por ., ',
1 guitarra nenies de prender o calilo ca
ser engenbo novo : no mesmo. .. ._'
,'.,. .. v, i I de todas as qualidades lamparillas, canil-
agoa denominado Jardun citoem rara tibe .... ,. .'..:_
' tilho papel de pezo hvros pautados c ris-
de
i-
xas de buxo bieos lilas de algodao e de
diversas qualidades, brozeguins para Sur/,
sapalos vio setim para dita ranetas para pen-
nas de ac hcelas de faia pintadas e bran-
cas agulheiros de pao o d'osso oliados o
varios ou tros objectos.
si?" Hcnry J. Masn relira-se para a Eu-
ropa.
iBF" Quem precisar le urna pessoa capaz
para coslurcira de alguma loja francesa, ou
casa particular annuocie.
t? M. S. Mawson Cirurgiao dentista pro-
fi.'-so a dar licoes da mesma arte a qualquer
Sur. que quvira cstudar em sua casa na ra
do Collegio n. 0 segundo andar.
ET Quem annunciou no Diario n. ol pre-
cisar de. nina olaria grande dirija-se a ra I)-
reita !?. '!:, ounada Alfandcga volha n. 3.
isr Precisa-se do um bom cozinheiro : no
bolequim junio ao Tlieatrb.
tS7- AliiiM-se urna casa torrea com com-
modo iiari I a ni i lia na ra da alegra : na
ra da Aurora :i. 9.
X-J~ Quem precisar de una ama de lete ,
dirija-se a ra do Ngueira 1). lo.
52J" Oabaixo assignado mora na ra do
Cotovelo na isa n. 580.
Francisco Caetano Pereira Gnimaraes.
S27- A pessoa que annunciou querer com-
prar um cixorro de lila, dirija-se a Boa vista
casa definido la riboira D. 21 ou lia ra es-
trella do Rozarlo D. 2">.
IZf No dia 1 i do corren te pelas 0 horas
da tarde desaparece do sitio do Morgado em
S. Amaro urna bezerra que anda mamava ,
de cor branca e urna mallia amarla com cor-
da amarrada no pescoco com as ponas ja
erescidas alguma cot/a arisca: quem dclla*
souber ou a livor pegado annu.icie ou leve
ao dito sitio que se gratificar.
C O M P I'. A S .
A V1 s O S M A IU T I M O S .
&i^" Para o Acarac segu viagem imprete-
ivelmente ateo dia 2i do crrante a Fscu-
na Elysa para onde recebe carga c passagei-
ros i a pessoa que pretender dirija-se a bordo
da mesma defronte do trapiche novo, ou a
fallar com .Manoel Gonsalves da Silva na ra
da Cadeia do Becife.
CP- Para o As, sabe con) toda brevidade o
Brigue Sania Mara Boa Sorle Capitao Joze
Joaquim Das dos l'razeres recebe carga o
passageiros trata-so com Joze Gonsalves Cas-
cao ra ta Cadeia do Recite n. -> ou com o
inesmo Capilao na praca do Commercio.
43r Para o Rio de Janeiro segu em pou-
sos dias a Barca Brasileira Firmeza bem co-
niiecida pela velocidade de suas viagens e bom
tratamento aos passageiros para o restante
da carga passageiros e esclavos trata-sc com-
Antonio Francisco dos Sanios Braga ou com
o Capitao Narciso Joze de S. Anna.
Para Loanda com escalla por Benguel-
la a Barca Brazileira Temeraria de superior
marcha a qual sai com muila brevidade
per ter metade do seu carregamento pronto ;
tsr l!m Rpanco em porluguez, que con-
ten os Misterios da Quarcsma que esteja em
bom uz6 nao se olba proco : na ra da Cadeia
do Becife n. 12.
tsj" Relogios de moza de bronze e tlou-
rados em segunda mao; e urna burra de
forro balido : na ra das Cruzes I), i.
V E N n A s.
XJ" I na canoa aborta acabada tle ser cons-
truida que condiiz oOO lijlos de alvenaria :
a fallar com Marcelino Joze Lopes.
117* Vende-so OU troca-so por urna to me-
nor valor urna negra crela de 20 anuos ,
boa coznheira, engommadeira e faz iodo
o mais servico de urna casa: nsruade Santa
Tbereza venda I). 15.
13" Joaquim da Silva Pereira vende osen
engeuho Caxoeira na Frcjmosia de Ipojuca ,
comescravos, animaes planta de cana, e
muilo bom d'agoa : a tratar com o mesmo no
engeuho Cordeiro.
SF" Fin escravo de naco de idade boa
figura, atrapador do coqueiro, calador, va-
queiro com pratica de silio de. borla tu-
llo entend sabe insertar podar par-
reiras, e de melio desde o seu comesso ali-
se comer, de servente ganha duas patacas
por da e he escravo que nunca fugio por
520j rs. : no atierro dos Affogados casa ter-
rea envidracada do Sr. Rabel lo de fronte do
sitio de coqueiros do Muniz.
S2^ Lina morada d;'. casa terrea no pateo
de S. Pedro I). 7: na botica do Paranhos.
tsr Aarmat-aotle urna loja colocada em
bom lugar : no atierro da Boa vista I). 2i, ou
na ra da Cadeia do Recre n. ?>0.
tj- Sacas com feijo hranco muito novo ,
chega-'o ltimamente do Porto e tem ra-
da saca um alqueire da medida velha por pro-
co com modo : na praca da Independencia n.
28 e 20.
127* Farnha de trigo em barricas e meias
ditas da marca bem conbecida Gallego : na
ra do Trapiche novo n. 17 casa de llenry
Forster & Companbia.
sr Fm escravo crelo, de 20annos, bom
pescador, ecanoeiro; umacscrava de ango-
la de 2o annos : na ra da Gloria D. ."(>
tzr A dinheiro ou a praso ou arrendaiVse
duas grandes olarias nos ATogados em tor-
ras do engenbo Giqui que foro de Ku/.e-
biojPinlo : a fallar com o Coronel Manoel
Cavaleanli de Albuquerquc Sur. do mesmo
engenbo.
tsr Candieiros mui ricos com globos de
cristaes outros de velas mais pequeos com
dous alfinctes para cortinas taboas de jogo
de chadrez* papel de peso colxetes para ca-
pote dedaes para alfaiate e senliora cai-
vetes de boas qualidades em porefio e a re-
tallio : na ra da Cadeia do Becife loja de al-
faiale ingle/a.
S5F Semen tes de varias qualidades che-
gadas ltimamente de Lisboa : na ra da
Cruz do Becife D. 40.
ssy Um moleque muito ladino, de 14 an-
uos ptimo para qualquer ollicio urna ne-
grinba de 15 annos, de nago tem prin-
cipios de costura c engommado : na ra
Di re la D. 20 lado do Livramento.
t^j" Urna ba cadeirinba de ra com sens
pertences, e um palanquim cm meio uzo,
.pintado e forrado de novo por prego com-
modo : na ra Nova armazem D. 5i.
cr Veos de linlio pretos e brancos de su-
perior qualidade por preco commodo e um
violaO novo de boas vozes : na ra do Rozario
da boa vista casa defronte do sobrado do fo-
giietero Teixeira. -
tw Quatro pipas c 5 rotulas de amarelo ;
ludo uzado, e per preco commodo : as 5"
ponas ronda I). 10.
CF* Duas canoas urna de carreira anda no-
va ca outra aborta um pouco estragada, por
prego commodo : na ra do Aragao casa de
Jo/.eQuintino de Castro Lefio.
t~?" Uina negra de 25 annos co/.inha o
ordinario lava de sabo vende na ra e
nao tem vicios, a vista do comprador se di-
r o motivo da venda : ha ra do Torres ca-
sa confronte a do Sr. Joao Pinto de Lomos na
quina to beco.
tar* Chapeos linos do Chile do aba larga a
8.o00 rs. ditos de seda franoezes a 6#300
rs. bonolsde brm para homom e meninos,
bengalas de cana a l rs. esparlilhos para
senliora a 2s' rs. chapeos do Chile tic copa
alta a 7.) rs. : na praca da Independencia n.
7e8.
t~r Bilhetese meos ditos-da lotera do
Iheatro : na ra doCabug loja de miudezas
junio da do Sr. Bandeira.
i^T Um casal de escravo sem vicios : na
ra do Crespo loja de Joaquim da Silva Cas-
tro.
GT Urna escrava de naeiio de 20 anuos ,
de bonita figura fthe boa lavadeira i na ra
to Livramento I). 7.
tsr Um cavallo de estribarla de cor preta ,
de muito bous andaros : atraz do Corpo San-
to n. til!.
srs Piannos Inglczos de muito boas vozes,
e diversas qualidades por preco commodo ;
na ra da cruz I). 00.
= Farnha de trigo de superior qualidade
racentemente chegada de Trieste tle mar-
ea SS & SSS; a Iraclar na ra da cruz ca-
sa i). 27.
= Na loje nova de alfaiate no atterro da
Boa-visla ao peda ponte lado esquerdo, ca-
sacas de pao lino preto e de cores a vintee
seis mil res; sobres a 28,* ditas deb a S1
ditas de brm a 0., Jaquelas de pao a I tji ,
calcas de nano a 10 o 12). ditas dla a 500,
ilcazjmlraa 8j de brm e de riscado por
proco muito cmodo colotes de veliiilo lavra-
tiyer policas o prenderje leve ao dito sitio ,
a entregar a Joaquim Gonsalves Vieira Gni-
maraes ou no Becife junto ao arco da Con-
eeicao 1). l que ser recompensado.
sss" No dia primeirode Marco to crrante
fugio a escrava Joaquina de naco que foi
do Capitao Tolenlino da Parabiba do Norte
e julga-se ter hido para este lugar o] signal
evidente pelo qual deve ser conhecido ter
um dedo do p muito menor, aos outros
quem o pegar leve a ra do Cotovelo primeira
caa a direla de 7> portas que ser gratificado.
tSF~ No dia lidocorrenle fugio o preto
Francisco angola, de 22 a 2o annos, secco ,
alto cor preta olhos pretos beigos gran-
des levou caigas brancas camisa de bata
encarnada, e um caneco qu hia buscar agoa;
quem o pegar leve a ra Direita D. 45] junto
ao beco to Serigado padaria de Antonio Alvos
de Miranda Guimaraes.
isr No dia H do corren te fugio a negra
Joanna congo, altura regular, de 50 a 3
annos bastante feia de rosto ,ps apalhela-
dos com duas mareas de bechiga em cima
da cana do nariz, foi escrava de Bernardo r-
neles Cmara morador na liba tle Itamara-
c e foi vendida nesta p^aca pelo Sr Botelbo
morador na Iravessa do Rozario : quem a pe-
gar leve a ra do Trapiche noro.n. 12 que se-
r gratificado.
X3T Mequilina da costa baxa do corpo,
levou vestido de chita roxo, por haixo de urna
saia preta ja uzada e panno da costa tam-
bem uzado ; tem os ps muilo mal fetos e
nao assenla bem um dos calcanhares be
muito conbecida nesta praca eseus suburbios
por andar semprc vendendo fazendas ; tem
sido encontratla em as ras desta Cidade ;
quem a pegar leve as 5 ponas] loj\ de fazen-
das 1).'22 que ser gratificado.
Or Fugio no da 10 de Margo de 1855 um
negro crelo de nome Joaquim que boje te-
r 50annos, altura e corpo regular, cara
redonda cor fula pouca barba den tes li-
marlos quando falla he sempre rindo-so ,
pernas unas, ps pequeos, muito ladino,
falla bem e desembarassado este negro ja
vendeo miudezas le baxo do arco la Con-
eeicao em um taboleiro em lempo do outro
Snr. e consta com certeza por ter sido visto
na Cidade da Parahiba vendendo cargas de
inilbo c farnha porisso se'supoe elle estar
morando pelos arrebaldos da mesma Cidade
como forro: quem o aprehender leve a praci-
hba do Livramento D. 10 que receber 100
rs. de grath'icacao.
C7" A 6 do corren te auzentou-se o escra-
vo Joao Congo, de 28 a 50 annos, alto,
secco, um pouco fulo, com camisa de ma-
dapoln calcas de brm hranco de lislras ,
jaqiiela de riscadinbo azul chapeo de seda
piola e bengala cnvernisaiia"de encarnado :
quem o aprehender levc-o a ra Nova 1). 22
loja de Ferreira e Braga que recompensaro.
MOV MENT DO PORTO.
lodo bom gosto a 8. ditos de vellido liso a
Oj, dito de pao de 4 a 5*; tle setim liso o to
llores e gurguno, de a 5o; assim, como se
faz obras com brevidatlc e mais em conta que
cm outra qualquer parte.
car Um cavallo pedrez, gordo grande es-
quipador muito forte, e por isso proprio pa-
ra grandes viagens ; na ra tle Apollo casa de
Joaquim Baplista Moreira.
= Moias barricas de farnha tle trigo nova.
e superior : no Recit armazem de Joaquim
de ?ouza Pinto.
%Z7- Ricos xales, ou veos de fil preto.
proprio, para a quaresma: na ra do Vigario
D. 12.
ssj* Um quarto para cangalba ; na ra di-
reita padaria do Machado
SU" Una excedente eadcirinha em muilo
bom uzo por cmodo prego ; na ra das Agoas
Verdes D. 58.
tST Meosbilhetcs da lotera to Iheatro: na
ra do Cabug loja de relojoeiro junto do Sr.
Bandeira.
ESCRAVOS FGIDOS.
C7~ Fugio do sitio ilo Brilo no Cajuoiro ,
no dia 15 do crrante, o moleque Joze, cre-
lo tle 20 annos com caigas de brim escuro,
camisa de madapola ja velha secco do cor-
po estatura regular tem principios de al-
faiate o qual he de Manoel Joze de Castro
Araujo do Bio Formozo : quem do mesmo
NAVIO ENTRADO NO DIA 15. |
Mace ; 5 das Brigue Austraco Livorpoo
Packetde 421 tonel. Cap. Malheus Mer-
co equp. 15 carga assucar : a Me. Cal-
r.ont & Companbia.
Rio de Janeiro; 19 dias Escuna de Guerra
Brasileira Legalidade Cominandanle o
l.-Tenente Joze Mara GaHiardo com-
boiando a Barca Brasileira Triumplio da
Inveja Cap. liarlos Evaristo Justinianno
ta Silva vindo do Bio tle Janeiro com 11)
dias Iraz 11 i prisioneiros do Rio Grande
to Sul e o casco do tercero Batalhao de
artilheria tiesta Provincia ; os presos se-
guem para llha de Fernando.
Rio de Janeiro ; 25 dias Charra Brasileira
mphilrite Commandante o Capito Te-
nente Antonio Joze Vieira.
SAIIIDOS yo MESMO DIA.
Trieste ; Brigue Austraco Perolamo Cap.
Slefano Grannovicb carga assucar.
Marseiha e Genova ; Barca Sarda Felic. Cap.
Antonio Bisso carga assucar.
Foi fundiar no lameiro a Barca Hamburgue-
za Ida Cap. T. Biessew.
SAH1D0N0 DIA 14
Cowes; Brigue Ingle/. Liverpool Packctt, Cap.
M. Meree ,. carga a mesma que trouxe de
Macelo.
Trieste; Brigue Austraco Tommy, Cap. An-
tonio Rodemire carga assucar.
Parahiba 5 Cter de Guerra Brasileiro Espe-
ranza de Bebirbe, commandante o 1. Te-
nenie Fernando Lzaro de Lima.
Havre de Grace 5 Brigue Francez Armorique,
cap. BenoulT, carga assucure algodao.
RECIFE NA TVP. DF M. F. DE F =5 184
r
. k


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EPNBNXK8B_R6LL43 INGEST_TIME 2013-04-12T23:08:06Z PACKAGE AA00011611_04491
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES