Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04487


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno.de 1842
Sexta Feira 11 de
TV atora depende! iA memo ; da nnnt prudencia. nx.derer.ao, e enerva : ron
liatthaa* ernam ri*if i**,- eaerenao apnnladoa com admiraciio mire Ni-r> m,
callar. _________ (Proclanrneo da Aasemblea Geral doiraail.)
PARTIDA DOS CORREIOS TERRESTRES.
Cma-ina. ata,'*HWM Bonito e Garamno". 1014.
Cabo, ariahaam, Rio F^aaott, Pwi CaU. Macein, e ALiroa no 1 11, a 21
PajlS. S_ro AoUd. quinte) fer. Olinda lodoaoadi...
das da semana.
1 S#f. i. Tno-a.d'Aajpiw. Chana A. do Juit TVreito i, % -r,
Tr* a. Jo.io 4 de De*, Re. Aad. da d.. iy de Dreil da 1. -ra.
9 Quart. a. Frn #0 >ial a. MeliUo. Ao*. do ji| de direito da 1 rara.
II ieil. a. Candida. A, da Jaii de Pireita da 1. ara.
42 43 Oon. a. Enfraila.
Ma
yo.
Asmo XVIII. N. 5(?.
O Diario puMica-ae lodo o dia qu* n.io forem Santificado o prero da aasinttnra Ka
detraiil r*i porquanel pefl adiai.ta.loe. 0 anaxinnio* doa najii*Mi j(. meando
erti, eo doque tiwfiim i rai.io .le SO re p..r liaba. Ai rerlanie.. >e lleven, ri
dirigida* ijttTvpo'rafia ra dai Cruiei I). 3, oa penca da Independencia luja dehwos
Numero* 37 e 38.
C\MBJOS bo da 10 de Mauco.
Cambio iflbre l.ondre 29 d. p. 1IJ. i Fmu Peina olumiaiaa 1.650a 1.670
- a Paria 320 reip. franco. a Mexicano l.fi l.Oal
I.iiboa SO a 85 p. 100 de pr, I u miuda j 110 a I i'IU
Ouno-Moedade6 40 V. 14/HIOa 1'|. N. 14.200 a 14,400, OacuoL. de b.lh. d. Alfande/e 1 e i por 100
a de 4,009 8,l00a ft.tUQl 10 m.
Pt.T. Patace l.CoOa 1,670 dem d,- lalraade boa Uran 1 a ale,.
~S
Prtamar do u u 11 de Af.irv.
1.a 3 hora 42 m. da niak.
2. a 4 huras e C m, da larde.
PIUSKS DA I.0A NO MF.Z UE MAR Quarl. min<. a 3- 11 hora a 4 m. da larde.
La Nora a 12-- as 4 hora e 8 rn da m.inh.
Quarl. crec. a 10-- k 8 hora e 8 m -la Urde.
L'i rheia a 20 11 hora e 3y m. V mnh.
> IA It I FTTK P E It A
PARTE OFFICIAL.
a_aaa4-*-_*-e-*daMaW.-^^
ASSEMBLEA PROVINCIAL.
ACTA. DA 7.' SKSSVO ORDINARIA KM 6 DK
MARCO DE'1842.
PREZ1DENC1A DO SNR. CONC. MACIEL MONTEIUO.
Feita a chamada acharaos presantes 29
Srs. Deputados faltando com participaco o
Snr. Pereira de Brito e sem ella os Snrs.
Baro de Suassuna. Manoel Cavalcante, Car-
valho de Mondonga Tiburlino, Domingos de
Souza.
0 Snr. Presidente declarou aborta a sesso.
Foi luja c approvada a acta da sesso ante-
cedente.
EXPEDIENTE.
L'm oflcio do Secretario da Provincia re-
inettemlo copia dos contractos dos Engenliei-
ros Estrangeiros quem fez a requisigo. )u-
tro do mesmo Si-cretario acompanhando a re-
presentarlo da Cmara Municinal de Cimbres
sobre a necessidadn de su excluir do imposto
Provincial de 2*000 reis o gado que for con-
sumido pelos proprios donos : = Commis-
so do Orcamento. 1 requer ment dos Guar-
das marcadores da Inspeccan de algodo pe-
dindo augmento d ordenado : = Commis-
so de ordenados. Outro dos moradores do
Engenbo Ilha do Alvo, sitio dos Oiteiro* etc,
pedindo. que nao seJH alterada a lei Provin-
cinl de 4 de Maio de 1840, como pretende o
Vifrio ila Frepuesia de Ipojuca (-ommis-
sflo de Eslalistica. Oulro dos moradores dos
Engenhos S. Pedro e S. Paulo, e outros, no
mesmo sentido- leve igual destino.
Ordem do da.
Primeira parte.
Um projfcto snr. Lopes Cama providenci-
ando sobre a abertura de Escolas particulares:
foiapoiado, e julgdo objcto de delibera-
cao.
Osnr. LVbano mandou a meza oscfrninte
requerjmento Reqneiroque.se faga ellecti-
vaa imposir^o da multa estipulada na condicao
primeira do contracto fcito para a pubiieacao
por larhygrafos dos trabalhos da Assembka
Provincial Entrando emdiscusso o snr. 0-
liveira fez o seguinte r"querimente Requei-
ro o adiamento at que a meza dti conta do
contrario cellebrado com o Cidado M.moel
Figueiroa de Faria ;-apoiado. 0 snr. Lopes
Gama :requeiro, que a Ilustre commissaode
polica da casa aprsente o seu parecer a este
respeito ouvndo previamente o Cidado que
se propoz a dar-nos Tacbyp.rafos apoiado.
Ficou adiada a discusso para se passar se-
gunda parte da ordem do dia.
Passouenfjujrimeira discusso o projecto
numero 2 deste armo, coneedendo o Thca-
tro publicrMoais 20 loteras.
Entrando em primeira discusso o projecto
numero 4 abolindo o imposto da sisa, o snr.
Neto mandn a meza o seguinte requerimen-
to requeiro o adiamento da discusso do pro-
jecto numero 4 at que se trate da Lei do
orcamento: apoiado e retirado a pedido do
seu autor. Kncerrada a discusso foi rejeila-
do o projecto.
Passouem segunda discusso o projecto n.
53 de 1859.
Conlinuou a discussla das posturas do Rio
Formoso. Oartigo 22 foi approvado ; o 23
ficou adiado por empate de votos; o artigo 24
foi regeitado e o 25 foi approvado.
Dada a hora o sor. Presidente marrn pa-
ra ordem do dia em primeiro lugar Parece-
res de CommissOes, e leituras de indicantes,'e
projetos ; e eir, segundo segunda discusso do
projecto n. 28 de 1840. leiceira dos project9
ns. 4, e 11 de 1841, e eonlinuaco das pus-
turas, e levanlou a ssso.
Joze Felippe de Souza Ledo,
Pro F'rezidente.
Antonio Joze d'Oliveira ,
1. Secretario interino.
Bernardo Rebello da Silva Pereira,
2. **ecretario inftrino.
G 0 V E R N O D A P R 0 Y I N C I A.
EXPEDIENTE O DIA 1 DO CBRENTE.
Olficio Ao Inspector inlorino da The-
souraria das Rendas Provinciaes partecipan-
do-lhe ter sido communicad em Aviso de 22
de Dezcmbm do auno prximo passado ex-
pedido pela Secretaria de Etado dos Negocios
da Justina haver-se man ado abonar ao ba-
charel Joaquim Nuiles Machado os ordenados
de Jiz de Oireito desta Cidade relativos ao
lempo decorrido de 4 de Setembro do auno
ultimo em que lindaro os trabalhos da As-
semhica Geral Legislativa at 2() de Novem-
hro do mesmo anuo, em que ac bou a ulti-
ma prurogacio em consequencia de ha ver
deliberado o Gover.no Imperial, que aos I)e-
putados que fosseuj Empregados pblicos,
se pagassem os respectivos vencimentos cor-
responden tea aquella poca.
Dito Ao Inspector da Thesouraria da Fa-
zenda communicando em resposta primei-
ra parte do seu ollicio de 28 do mez prximo
passado ter feitoa eommunieago supra o
significando-lhe quanto a segunda que do
Aviso de 22 de Dezembro do atino passadooe
deprebende ser necessaria ordem expressa do
Tribunal do Thesouro para se f.izer o pa^a-
| mente) aos mais Empregados Geraes que es-
tiverem as circunstancias do Jui de Oirei-
to desta Cidade, Joaquim Nones Machado
dem do da 2. 1
OfTIcio A Cmara Municipal desta C la-
de, ordenando que bajo de chamar o su)-
ph'nto que te de substituir o Diputado a
Assemblea Legislativa provincial Leonardo
Riserra deSitjueira Civalcante, o qual sea-
cha imnossihililado do tomar assento na
mesma Assemblea, segundo partecipa o pr-
m-iro Secretario respectivo em ollicio de
boje.
Dito D Secretario da Provincia ao prl-
meiro da Assemblea Legislativa Provincial,
communicando o conteudo no ollicio antece-
dente.
Dito Ao CoTinnndant- superior interino
da Guarda Nacional uo Municipio de Goianna,
para expedir as suas ordens, a fim do que na
noite do dia 17 do corrente urna Guarda de
honra acompanhe o Senhor Rom Jezu.5 dos
Passos, que tem de ser trasladado da Igreja do
Convento do Carino daquella Cidade para a
da Matriz ; e b"m assim para que na tarde
do dia 18 do referido mez, na primeiro e ler-
ceiro Batalhes da Guarda Nacional do seu
interino Commando se apresentem na men-
cio-iarla Matriz a lim de acompanharem a
Proci.sso quo do mesmo Seuhor so lom de
fazer.
Difo-- Do Swretario da Provincia ao Pro-
vedor e Mesarlos da frmandade do Snr. Born
Jess dos Passos da Cidade de Goiannc, com-
municando ter-se espedido a ordem mencio-
na no precedente officio.
Dito Ao Inspector do \rsnnal de Mari-
nha dizendo, que nao polen do ser condu-
zido pela Escuna de Guerra Bella Americana
para a Provincia do Gear o fardara -uto, qun
t.)in de ser para alli remeltido, cumpre que
elle ajuste oseo transporte com alguma ein-
barcarjflo, que da* prximo tenha de seguir
para aquella Provincia.
Dito Ao Director do Arsenal de Guerra,
communicando em resposta ao seu ollicio de
hontem datado em que represenlava a im-
possjhilidade de ser remetido para a Provin-
cia do Cear pela Escuna Bella Americana -
o faldamento destinado para aquella Provin-
cia, a expedicio da ordem supra.
Dito Ao Cominandante Geral interino
do Corpo de Polica ordenando em respos-
ta aoseu officio de boje, que d batxa do ser-
vqo ao sida lo da primeira Companhia du
Corpo to seu interino Commando Francisco
Jos de Campos Costa e o remella ao Com-
POLLITO
Alttii D'.VRCONA (*).
Que aspecto to encantador e como dis-
poem a alma a urna doce meditado aquelle
que aprsenla urna formosa noute de vero
as margens do Sena 5 nos suburbios de
Ruo A' vaporosa luz da la essas risonhas
tollinas ebeias de arvores fructferas esses
espejos Cosques onde asavesvem com seus
cantos saudar a chegada do da os grandes
mosteiros que licam as margens do rio e cujas
agoas correndo socegadas contra-dam com o
seu murmurio e com o doce silencio da noute
ludo concorre para lomar esle expeclaculo o
Ujdis encantador.
. Prompto se completaro uzelos e qua-
renta e cinco annos, que desejando gsar des-
tas delicias um iiobre prelado o arcebispo
de Ruo deixou s nove horas da nonte o
seu castello de Gaillen e depois de ter che-
gado at niar{Ciu do rio, se dispoz para
+M-----fr-
(*) Vid. oa Diarios Ns. 13, 44. 47 48,
SO, ole ;S2\
embarcar em urna magnifica barca que a ah-
badiade San Ouen tinha posto sua dispo-
sieo.
Todos os ccclesiasticos desta abbadia se ti-
nbam reunido para prestarem ao nobre pre-
lado os respeitos que Ihe eram devidos, po-
rem fcilmente se podia distinguir que debai-
xo deste acto de veneraco muito desejavam
salisfazer a sua curiosidade.
Em quanto a elle nem se quer fez caso de
taes attenedes to preocupado pareca estar
com cuidado que talvez tivessem enrugado
antes de lempo o seu bello rosto que o mais
distrahido possivel deitou uo entrar na barca a
bencioa lodatripulaco. 0 arcebispo de Ruo
era um homem em todero vigor da idadttsua
phisiunomia bastante regular grave e pen-
sativa seu tallie tinha toda a elegancia da
juventude ; porem os vestidos m6io ccclesi-
asticos e meio seculares que Te va va imprimi-
am em toda a sua pessoa um carcter bastan-
te equivoco, mistura estravaganto das mo-
das da curte e dos usos da igreja que ,
o sello distinctivo daquella pocha.
O prelado seuteu-sa na poupa debaixt d
um docel de veludo carmezim guarnecido
com franjas de ouro e este era cercado de mag-
nificas cortinas de damasco da mesma cor as
qiiaesquan.io se baixavam juntamente com
o docel armavam urna especie de rica barraca
decampanha. para occulta-lo s viatnada
tripulacao. Ourcepispo fez sinal aos remei-
ros a barca coinecou a cortar as agoas do
Sena.
Seguramente que se alguma Gousa podia
nugmentar anda mais os encantos ao espec-
iando que se offerecia s vistas dos passage-
rosque se dirigan) aos seus destinos costean-
do o rio, era esta barca toda empavezada o
resplandicentede oiro que pareca como em
outro lempo aquella de Cleopatra.
O arcebispo permaneca sempre em urna at-
tiUnJi-. meditativa iminovel tendu a testa
apoiada sobro urna do suas m.los o isto pro-
duzia urna especie de tscinago quellei que
o rodea va m.
Mas leudo de repente (fondo a vista sobre
um dos remeiros extremeceo parecendo-lhe
quo as uas (vices estavam co'nfusamente
gravadas iu na memoria o durante Igom
mindanl'das Armas para lhe dar o conveni-
ente destino.
Dito Ao Presidente interino da Relaclo,
signincan lo-lhe ficarsCiente de schar-seelle
no exercicio de Presidente da mesma Rela-
go em consequencia de ter o coasidhei-ci
Presidente respectivo ido tomar nsvnio na
Assemblea Legislativa Provincial de qu he
membro, e elle prtencer substitu 1^ na
quali lade de Dez-mhurgador mais nntgo : de
passar ser oceupado pelo Dezembargador
Jos Ljbanio deS>uza o lugar de Relator da
Junta de JosticH C0|as funeges ero pre-
henchidas pelo dito Presidente interino ; o
finalmente de seren os outros dous Voaaes
Tozados os Dezembargalores Joaquim Fran-
cisco Goncalves Punce de Len, e Joaquim
Teixeira Pexolo de Albuquerque.
Dito Ao Administrador Fial da* Obras
Publicas dizendo em resposla ao seu ollicio,
ac panhado dos mapnas e papis nellfl
mencionados, qiif nao sendo valiosas as ra-
s"i's, em que se funda o almojarife Pagador
daquella Rt?partico para nio ter presntalo
o balango do cofrn por ell exigido cum-
pr Id 'm do dia 3.
OUcio Ao Exm. Director J-i Lyrvo pira
que haja lie o-1 mar ao Prof-ssor d Geoui <-
tria daquelli-Estiih'llccimento que s" apr-
sente no' urso Jurdico de Olin la para ser-
vir de examinador visto acharem-se impe-
didos o Substituto, eoprofessor da mesma
.ciencia ddCblleglo daai*tes, o'nlo poderetn
por consequencia sai*examinados o> candida-
tos, qu* alli se apresefito. segundo repre-
senta o Director interino do mvsmo Curso ,
ser preciso se provid"nci.ir a respeito |>or Isso
quo aproxima-s o dia 13.do corren te em
que se verificar o encerratnento da matri-
cula.
Dito Ao Director interino do Curso Jur-
dico de Olinda, partecipanJo o OOUteuJo no
ofl'io supra.
Portara Ao Comman lante do Palaxo-
Patagonia para receber a S"o bo'do e con-
duzir para a Corte a ser entregue ordem do
Exm. Sur. Ministro da Guerra o alteres da
Guarda Nacional desta ProVDOia Manod
Francisco Monteiro qua se offereceo para
servir no exercito do Rio Grande do Sul.
OfficioAo Commandante das armas,
partecipandn a expedicQao da ordem unte-
eedeute em resposla ao seu ofdco de Ik je, em
que a requisitava.
Dito Ao Presidente o Venadores da C-
mara Municipal do Rio Formoso disend
que nao tendo ehegados as informaco s qna
foro delles exigidas pela Prcsidennia eni ofd-
tempo nao cessou de contemplar a este ho-
mem com a mais viva aeuco mas seja
porque por est* exnme Ihe parecosse que sa
h.ivia equivocado ou porque os tumultosos
pensamenlos que comeQavam a elevar-se na
sua alma o absorvessem nteramente o cer-
to que tornou sua meditaco
Entretanto a barca prosegua rpidamente
sua Car reir ej tinha andado as legoas que
vio do Gaillon a Ruo ; quando luz da la
qqeeslava enlaono seu zenith e cujos raj-
os caiam porpendicularmente sobre aquell
ponto fez ver distnctamente ao longe as aU
tas torres do castello de Arcona. A esta vis-
ta a por um movimentn qu?si involun ario ,
o remeiro que lauto tinha chamado n alten-*
cao do prelado largou os seus remos eam
para dar descanso aos seus fatigados bracos ,
a prove tan do-so do 11 ;n momento no qual
pensou que ninguem ovia fcz furlivamenta
o signal da cruz.
Apesar de lodo o cuidado que pozem 00-
cultar vista de lodos este ficto de dovocfto ,
com ludo nao pode escapar aos nlhos do ar-
oj>e*|o. qne Iheaccautio (afi q*W 6C'hi>aW
i


^^MBaAmBssMS^ ;.ifi,iii 11 'h'm
;* *itr*1^Qy^BT-J3lO> -ii
*io de 17 di; Abril (Jo auno passado para se-
rum presentes a Asamblea Legislativa Pro-
vincial na sessao que se ubrro no I. Jo corrcn-
le*, cumpre q: elles satisfa/.endo aquella
exigencia iuformem se pela Cmara se fez
publico odia daeleigfto doJuiz de Paz da
Fiepuezia d'aquella Villa, o por quem fui
pivsidida essa elleigo, remetiendo por copia
a competente acta.
Dito Ao Commandanle das Armas com-
munieando ter partecipado o Exm. Presiden-
te da Provincia do Maranho em ol'icio de 19
do me: ultimo haver concedido hcenga ao
Tsente do Itolaihao Provisorio daquella pro-
vincia Jos Marinho Cavalcanto de Albuquer-
qu para passar a esta em companhia do ex
Commandanle das roa o Coronel Francisco
J'je Marlins.
Dito Ao mesmo partecipando. haver Sua
oslada o Imperador por Aviso de II de
metro ultimo expedido pela Secrtala de
Estado dos Negocios da Caera,, concedido li-
AgostinhoBizcrra da Silva, Manoel Fausli- so o juro dodinheuo, que > ma'Parte
noFerreira, Manovl de Santa Anua da Sil-i delie sena perdida ocasionando assim e
va, e Jos Ignacio da Silva, por nao terera norme dim.nu.gao ira riqueza nacional
provado as esempgoes que allegarlo e con-
Comparadas as duas alternativas ve-se evi-
provauo as esempgoes que uuegai.iu, ci.un-. "-"i------------- ,inr.nvprnn
servar em custodia, mandando logo inspecio- dentemenle quedos Emprestimos do Ooverno
nar o recata Francisco Vieira Cardse,. haonascido as maiores vantagens n* so aos
Dito-Ao Commandanle interino do Depo-: individuos m particular como a JNagaOem
silo, mandando abrir asseuto do praga aos gcral. ,-. .Mi
recrulas Antonio Francisco d'Oliveira e Joao! Os cap.taes empegados em fundos publ-
Marques da Silva, contemplandu-os no nu-I eos, ninguem podera negar que seja urna
mero das pravas que devem de embarcar pa-
ra a Corte.
DitoAo mesmo mandando abrir assen-
propriedade taO boa como outra qualquer
como ella Sugeita a variagao de precos. No
entanto ninguem precisa perguntar porque
UllOAc mesmo manuaiiuo aum usscu- -" .....o-----i---- ~ -.
lo de praga ao recruta Manoel ^J^mA^^^.^^J^ZI^SSSm
ContanplandQ-o no numero das que devem de da divida ou quanlo lhe tocara no da que
embarcar para a Corle. Xor paga.
Dito-Ao Commandanle da Cumpa nia de Eis como a divida add.c.ona por um lado ,
Guardas Nacionaes destacada na CidaJo do capitaes ja existentes, sera que por ladoah
Goianna ordenando-ll.e que. se devia pres- gum ella diminu a r.queza.IhMU o
lar a todas as requisigoesdo Prefeilo tenden- que de cerlo acontecera se tal somma ives-
tas a Polica da Commarca e dando-lhe va- enllocada em maos particulares para t ni-
nas disposicOcs acerca da decipliia,. e da prestai sobre hypotliecas, penhores ......i.. -......,,. ....ninrii n man '.;) I1IIH O CIT-
l,^coiaMiii:uraoalferl.sdeComn1i:;,aod.. cobrados os papis do contabilidad da frin- dor possue de mais ,
L'aailiao provisorio da Provincia do Ma.ra-
olilfo Domingos Jos Martina, actualmente
uesEuprovincia onde temprana de Cadete
no terceiro Batalhade Arliiheriap.
Dita Ao m ismo comm.uuicalo haver
i ]::', j o Exm. Bi po desta Diocese estar
o H-'ver'f'ii o Aibiiu de drvalho L-'ssa re-
B!vido i-egrossar para a liba de Fernando
li d'ali exercer o Ministerio de Capellfiu
u iiquesi'ja d'ariui enviado outro sacerdote
Dito AoExm.'nRm. Bispo desla Dlo-
era, scientiFicando-o, em resposta ao sep
oflicodcstadala, doler feito a partecipacaj
6 J yvci. -----------------------f
DitoAo Inspector da Thesouraria da
Fazen la ordenando que mando abonar as
eoAiedoi'ias do embarque ao Cadete Augjuslo
Lsal Ferreira quetemdo embarcar para a
Corle, co'n destino ao io Grande do Sol em
cojo eso. cito s: o'Jrec.T, para servir.
D(fe>-Ao C-jmmandande das Armas, par
leeipa'ido a expedigio da ordein supra, em
resposta ao seu Afumo de hoje.
Dlo Ao inspector do Arsenal de Mari-
nlia, ordenando em cons'quen-'iade reque-
sico (l> O>''.: v.'i irisan te da Charra Carioca ,
<;u' mande i'aier alguns p; quenos reparos
lias \ rgaj e panos da mesna Charra e for-
nercr-lh os poucos manlimentos de qu
precisa, a i ) da que possa continuar a sua
viaifm | ara <. Corte.
Dil ) Ao Commandarite da Charra Ca-
rioca, eonununicando ter oxpdido a ordern
COMMANDO DAS ARMAS.
EXfEDlBl^TB DO DU 2.
O'icioAo xm. Presidente, requesi-
(undo-lbea expedicquode suasrdens, ca-
ra qne fosaem removidos do Hospicio da Sol-
dade varios objectos pertencentes ao patrirao-
i-.io dos orlaos osquaeS se fasia ali disne-
cessaiios, e podio ser desoncaminbados e
pura quese manda ase por gradvs nasjanel-
as das enfermaras e doquarlel.
DitoAo mesmo Exm. Sr. procurando
dwr.difiniUvamenteoilia o hora do embar-
qu das pravas que deviaseguir na 5'a-
taco Ratagonia para a Corte edisendo-lhe
qu estas pravas cJiegariaoa 70.
piloAo feriente Corone*da BalalbAo Pro-
vi orio, mandando abrir asscillo fio praca
hos rerrutas quo se acbayo em custodia Jo.io
Joaquim Lopes Joaqun: Bizerra da Silva ,
pan bia.
PiloAo Prefeitoda Commarca do Bonito,
nos. Por tanto, he nconteslavfl, que a
importancia da divida augmenta positiva?
que assentaro pracaos recrulas que enviara,. baila slat.stica se dedus.r o importe l-
menos o de norne Francisco Vieira Cardoso \ d"a da riqueza, ou la renda do aiz(c,
que licava em custodia para ser inspeciu- qe alias sera urna mu duv.dosa ip^pbeacao
na(Jo ido principio) aSSim mesmo, ver-.v-ba que
Dito-AoBachan-lJoaquiniJosdaFonceca'a divida nao he urna carga para o hsla-
Junior, disendo-lho que eara entairaiodo. don. He jsto justamente o que pretendemos,
ter tomado conla da Prefojtura desla Capital provar.
e aecusando recebido o recruta Manoel das' Adam Smllli na sua Rupr-za das tacos--,
Virgen, quessentra praga. UdelM,s delle So- Pariiel dizem que o.Ik
Dito-Ao mesmo dis-ndo-lbe que o re-'nbeiro dos parliculares paSsado as maos do,
crutaNemczioPereiradeLira tota posta em ;Governo a titulo de emprstito; sed.slrahe!
custodia, por allegar ser casado o viver com quasi sempre para objectos de fanl damni-
mtiliier capao, cornos io proviso-s, potrecbos, c ma-
_______ teriaes do guerra &c. &c. Ora supondo que ,
BBnATA em lugar de taes empregos, esses capitaes
No expediPOte do dia 6 do met pasado no' Ibssom destinados a objectos de commerciu ,,
final do offlcio deri*ido a Presidencia a cerca industria e agricultura, de cuja possibihjia-
daL-ido 1. de D.'zembro, em lugar de de bastantes dmidas temos apresenlado ;.
omc.a-lidado privada dos beneficios quo ll.o nem por issoo productodelles tena diinalu-
forao concedidos, leia-se dos benelieios rosa menos dammcavel.
qu lh for concedida.-
' esses materiaes de guerra essas provisOes
_____J
.1 i versas,
tilhos da industria e do
IIIAKIO IIS-PJUUIUC.
sk> une ,
.commercio, outros da agricultura ; e todos
Idao meios de subsistencia e lucros, a quem
' efl manufactura vende, ou cultiva. De taes
lucros nascem maiores, ou menores econo-
mas que de novo se furmao.em capitaes ; e
por tanto o diiibeiro dos particulares
passados as mos do Governo a titulo de Em-
i .....-----------------1 -: --->
CONilDKP.VCOES S03?.E A UTILIO.VDE 12 MO-
R.VLIDUE 'L'.M EMPRESTIMO I'ULICO.
Continuado do N. 17.
Parrco pois provado que o desembolso de. i.rest.mo a ,. be na reaiidade un: meio de
tao grandes sommas, a titulo de juros, seria augmento para a circulaeao do par/ dando
maisdamuosoa sociedade em geral, feito por emprego as sommas que de oulra lorma lica-
particulares do que dividido como est por lo- riao iinproduelivas uu se langanaO em ur-
da ella em forma d'impostos i e particular- riscadissimas, e incertaseinprezas;
menta quando estas consistan em sisas, e di- Quanlo a esses objectos que la perniciosos
reitos d'Alfandega, em cajo pagamento o se diz seren. como instrumentos, e m-J
possuidor de fundos ten. sua parte como qual-, trechos de guerra 5 diremos -que laucando
quer outro cidadfto. De mais as sommas a vista sobre o mappa do. mundo fcilmente
adm exigidas sob nome do impostas, Sao se eonhecer que ellea nfto tam sido de taO,
tanto menos azadas NacaC, quanlo, ape- pequea utihdade como os Lconomistas po-,
as passadas pelo Thesouro revertam de no- uticos se empenhaO em Fasel-es parece--, bem
vo a circuladlo. ''le, a Inglaterra nao so tena perdido o seu
Se pois durante o lempo em quo a divida lugar na familia Europet>; mas ineviiavet-
lem liido em augmento, o iih^iienso capital mente teria sucumbido sob of gigantescos ex- (
que nlla so ha empregado, o houvessosido torcos das Poleadas cputinenlaeai durante a
em empresas, o contractas particulares, a- longa lula: sem elles nao vena a Inglatenra ,
lem dos j existentes: ( hypolhese esta ojie como boje ve seu victorioso pavilbio-fluclunr
mal se pode admillir) o resultado seria'nma! ufano em todos os mares do mundo, nem i
enorme concurrencia em toda a especie de! possuiria conquistas du cem miHioes de no-
mano facturas, em todos os ramos do com- mens em um hemisferio^ ecolunias eposi-|
merejo, em compras da bens territoriaes 3c. j koes militares que taO respe lvela rasera no,
e com urna tal superabundancia de capitaes oulro. O constante valor d armada c exeici-
tanta seri'aO as falsas especulacOes e la bai-: lo Inglez sempre e cm todos os casos he in-
coo testa vel j com tudo nem por isso he me-
nos certo que o immenso desenvolv ment de
forgas que Sua divida poz em aeco foi
um dos principaes meios para eleval-a ao auge
do poder em que hoje se acha.
A Economa poltica diz tambem qae o
dinheiro assim empregado em fundos, ou
emprestimos pblicos, foge de suas proprias
funcedes com capital, para hr representar
na classe das rendas. Perguntaremos porcm
nos, nao be verdade que a divida promovu
a acumulagaO de capitaes por isso que Ihes
facilita vantajoso em prego Cm fundos pbli-
cos ? Nngueiri o negar ; logo se a divida
a promove arcumulaco de capitaes he
falso que o dinheiro deixe de figurar em seu
proprio lugar para occupar_oulro que lhe nao
pertence como assevera os Economistas
polticos.
As sommas empregadas nos emprestimos
Nacionaes sao parte capitaes e parte
economas ; e pelo uso que oCoverno faz
de ambas as cousas em pouco lempo reapare-
cen! ellas na circuhcao formando novas e-
conomias o novas capilaes as mesmas ou
em outras maos.
Por tanto, he injusto attribuir a qualquer
das duas cousas uma acQj exclusiva na divi-
da pois se por um lado ella dispersa capi-
taes por oulro cria capitaes 5 e impossivel
ser verificar qual dos efeitos he mais pre-
ponderante: por isso ueste particular nad
merece ella louvor, nem censura.
Tendo assim examinado a questo debaito
de um ponto de vista tbeorico, passaremos
agora a mostrar pida experiencia d'alguns pai-
zes qual o elVeilode uma divida publica.
(Contitiuar-se-ha.)
MISCELLANEA.
Forga das maquinas de Vapor Avalia-s*
cm dez mil o numero das maquinas de vapor
que1'a industria lngleza tein hoje em plena
aclividade. Supponhamos por approxima-
CAo que a forga medio seja equivalente de vinte cavabas ,
e que a forga de um cavallo iguale a de. seis
Iiomens ; .eis pois o penoso trabalho de um
milhao o duzentos mil bomens, substituido
e completamente eflectuado s pelas maqui-
nas de vapor da Inglaterra.' -
Os casamentas de Agr Le-se a seguin-
te inscriprao tragada em grados caracte-
res subi a porta principal da cidade de A-
gra no Industo. Ko primeiro anno do
reinado do Imperador Julef fora annullados
pelo magistrado dous mil casamentes, por
consenso reciproco dos consortes. O Impera-
dor leve noticia destes fados com lal iudig-
nagao que abol io o divorcio nos seus Estados.
!No decurso do anuo sezuinle o numero dos
casamentes em Agr diminuta na raso do
trez mil ; todava forao qiieimadas em vida 500
mulheres por ter'em en venenado.. os ma-
ridos, e setenta esinco homens o for&o por
lerem assassinado as mulheres ; a qnanlida-
de de ii ovis quebrados e destruidos no inte-
rior das casas particulares montava ao valor
do trez mitades de rupias O imperador a-
pivssuu-se a restablecer o divorcio.
Inslincto da A^uia Os habitantes do
'feligolandia obSerVarad os meios singuh-
rea que empregad multas vezes as agoias
do seu paiz para apoderar-se dos animaes
que ellas appetlecem. Mergulha-se aquel-
la ave no mar, e depois de ter as pennas
completamente ensopadas d'agua espoja-
ilWSI!
afta
:
se. Obarqueirq obedeceo a esta ordem, mas
iicou cliiiodj maioP temor quando o prela-
du llie. o:;d-io qu : atmU^sasu as cortinas do
,), doi$ bomens nesta conficiunario improvisado ,
donde expressa sombra das cortinas im pe-
dia qo<* os circumstuntas podessem ver o que
so passava.
De que'nisee disse ^m voz baixa o ar-
opbis>> ao remeiro, acatoarsc-te de lo ben-
2 -r. agora r1
t- i.u (z \s=.o si nhor ? Respondeo o remei-
ro Pinito perturbado.
-- Se o izeste ?
__Pois que vos o (i/,"is nwssario que
assim seja, senhor : Mais nao um deVerde
lodpo bo>n ciirisio benzer-se *.o passar por
um eeraiterio ?
__(jeito que um (lev r mas cu nao vi
nenl.um cemiterio no camnihu.
Pois quesenhor! nfto acabamos de pau-
sar por baixo das iones do castalio de Ar-
Cuna.
E' verdacta.
-. E vrdaie f bem se vo qu sois estranho
ne^tc paiz, pois que nao sabis a historia des
te castalio.
E"lu podes contar-me essa historia. ^
Ab senbor o pouco que sei della
muilo triste cosque podan] saber mais es-
tao a estas- horas dianta de Dos ; to-.lavia se
tan les Rosto nisso poderei dizer-vos o que sei
Ha seis anuos que o castello de Arcona se
bem que d-snhido de seu antigo esplendor ,
era anda urna magnifica morada digna de
servir de habilacao a um nobre e poderoso se-
nbor porm urna noite odefunlo ni, que
em paz descanee voio pedir hospedagem ao
senbor deste castello tai desdo entio que el-
le se lomou um verdadeiro cemilerio pois
que aquelles que exialiain nelle nao lornaram
u sabir jamis.
Aqui urna exclamado do terror do prelado
intarrompeo a narraco do barqueiro.
Ninguem Bae exactamente ci-nliniiou o
i-emeiru o que se passou no castello durante
i-sla note fatal, pois apenas o rei Henrique
3." tinha sabido com toda a sua comitiva ,
quando o conde de Arcona, velbo senbor hu-
gonote reuni lodos os s?us criados a de-
pois de lhe taf feito jurar a todos pela salvagio
das suas almas que nao revelaiiam a pessoa
kalguma os acontacimentos de que linham sido
testamunhas o despedio declarando-lhe que
dalli em (liante nfto tirina necessidade de seos
servigos e que perlenrl&i Hcar s com sua filha
no n castello, o que lodos executaram ex-
cepgo de uns tres dos mais anligos q.ie a for-
ga de rogos foram admillidos a participar da
Blia sorle e o conde fez depois tapar quasi
todas as portas e .mellas do castalio a fim de
por esta mancha tomar ina'Cessivel esta mo-
rada de dora todas as pesquizas dos curiosos.
E nao se fazein nenbumas conjecturas^
replieou o-prelado milito commovido sobre
as causas de similhante resolucao.
Oh! sim, senbor, mis dizem quo a fi-
lha d conde que uma das pessoas mais ricas
c mais fonnosas da provincia se tinha dei-
xado sedu/ir durante a auzencia de seu pai,
por um joven Cavalero catholico e outros
asseguram perdoai-inn esta blasfemia que
aquelle senbor era um sacerdote.
Na verdade uma historia bem triste dis-
se oarcebispo; porem aose sabe ae menos se
esse senbor hugonote e sualhaaindaexistem.
__Dizoni que ambos ja nfto existan. Ao
principio aignjnas vezes foro vistos ambos em
urna das torres mais altas que domina o rio i
mas passado algum lempo nao se vio mais
que uma pessoa s c esta era a joven de Ar-
cona em lim esta foi "nir-se com seu pai no
tmulo. Hoje ha toda a razfto para pensar que
nenhum ser vvente respira no castello poi
que nfto se houve nelle mais que o gemer dos-
mochos o grasnar dos corvos que habitara ues-
te solitario e fnebre recinto.
O barqueiro tendo acabado esta narrago ,
j se dispuira para tornar ao seu posto ven-
do que o prelado nao lhe fazia mnis nenhu-
ma pergunta, quando tendo aberto as cortina
vio com a maios admiragao que o prelado ti-
nha o rosto quasi coberto com suas maos
que abundantes lagrimas se deslisavam de
seus olhos. Entao perturbado se deteve ex-
clamando ao mesmo lempo.
Perdoai-me senbor 5 seeu tivesse pen-
sado que a minha relago vos havia de af-
fligir tanto por certo que en me teria guar-
dado de Yo-la fazer. ( Continuar-se-ha. )


se Da praia at ficar coro as uzas cobcrlas
d'areia que se premie a ellas. En Uto ,
tomando o sen voo, abalanca-se nos ares,
t libra-se por cima do boi que tem escolhi-
do ; approxima-se delle, e despeja -Ihe, sa-
o corpo, urna
cudindo violentamente todo
chuva de areia c seixos, queataco os olhos
do pobre animal sem refugio. 0 animal per-
seguido se agita e aterra ainda mais debaixo
das pancadas redobradas que a aguialhed
com as suas potentes azas. Ei-io que foge
ceg e atterrado, sem saber donde Ihe vem o
inimigo que o acomraette, nem para que
parte possa dirigir-se a fin de erilar-lhe os
golpes. Corre para um e outro lado, cheio
de ra va, ate que cabe exhausto de forcas em
trra, ou ate que no meio desla carreii a va-
gabun la que u vista nao guia mais, abisma-
se n'um dos precipicios de que a costa est
criada. A aguia segu as evolucOcs da sua
rictima e vem ento tomar della plena o
livre posse.
(Traduzido.)
CORR ESPONDENCA.
Snrs. Redactores. Assigno com ambas
as inaos o elogio l'eito no seu Diario versao
tes impedidos das nove horas da manhS as
diias d tarde ; continuando assitn nos mezes
deJnlho, Outuhro e Janeiro doanno vin-
douro at segunda ordem com declaraco
porem que as pracas existentes nesta, Cida-
rie do Recife se aposentarn- pessoalmente e
estando impossibillitadns por urna simples
declararlo assignada pelo seu respectivo Pa-
rodio ; e as que habitaren) tora da mesma
Cidade por urna semelharite declaraco, ou
por attestaco de qualquer Authoripade Civil,
ou Militar ou ainda mesmo de pessoa de re-
conhecido crdito que declare a sua exis-
tencia ; ficando na intHligencia de que nao
recbenlo seus vencimentos sem comprreni
esta formalidade : e finalmerite que deverao
remetieras pessoas que seus rogos passa-
vao o: recibos do seus vencimentos as predi-
tas declarases.
Secretaria da Thesouraria de Fazenea de
Pernamhuro 28 de Fevereirodc 1812.=:Joa-
quim Francisco Bastos Oflicial Maior.
D E C L A R A g O E S.
Peh Admnstrac;ao da M"/a doConsu-
ladosefaz saber que no dia lo docorrente
mez se han de arrematar porta da mesma
Administraran quatro caixas de Hssncar ban-
do livro deZimmermann; porque o sabio tra-(
ductor mostra conhecer bem as necessidades ro aprehendidas pelos respectivos Emnrega-
de urna boa traduccao; e nao menos as rique- (,ns dos Trapiches da Companlua e Pelloi-
zas e as bellezas da sua lingoa materna ,
com tal eXtenco que me parece digno de
inveja. He com ludo pona que nesta linda
versan se encontrem alguns descuidos impu-
taveis sem duvida ao paiz em que o traduc-
tor nasceu. Por exemplo julgo erro de
linguagem dizer-se = cusamos & encontrar
= nao se importa com isso quando sedeve
dizer = custa-nos a encontrar, e nao Ihe
importa isso. Ha na mesma traduccao mui-
tosoutros delitos que julgo da imprensa ;
comoexforcoexpeclaeido &c. que devem es-
crever-se e pronunciar-su = esforc,o espec-
tculo A.
Tamli.'in vem cheia de = amar-mos, fizer-
inos louvaria-mos tinha-mos fazendo
assim diias palavras duque he urna s j eos
acecidos sobre as vogaes sao de ordinario des-
locados, e inconvenientemente poslo>. Na pa-
gina 10 vem a palavra= Bohemios ==, que sao
os naturaes de Bohemia, em logar de ciganos,
aos quaes os Francezes cha mito Bohemien.
He verdade que nao ha gallicismos n'esta tra-
duccao rnseu nao posso bllrer o = s in-
vehs ss equereria antes --a porfa.
Nao lie o espirito de critica que me leva ,
Srs. Redactores a pedir-lhe o favor de pu-
blicaren] eslas reilexoes : he sim o desejo de
que um t;o bom livro e Uto penosa e bella
traduccao appareca na segunda ediecosem
ulguma ruga ou defeito como ella merece ;
posloque tal como sabio d muila gloria ao
traductor, o qual na esculla que fez do
seu trabalho tambem pantentea a met ver,
a inleireza e talvez infle\ibilidado dos seus
principios e carcter.
Sou seu obrisado servo
T. B.
fS-
COVIMGUCIO.
IMPOBTACAO.
A barca americana avarre vinda de
Philadelphia entrada no crrente mez con-
signada a L. (i. Ferreira & C. manifeslnu
oseguinte. 1300 barricas com farinha, 130
ditas com bolaxinha 480 caixas com cha ,
5 ditas com penles 30 ditas cora fazendas ,
208 ditas com vellas de spermacete 1715
barricas abatidas 522ditas vasias 92 di-
tas com lampos 2 embrulhos com esleirs ,
1 porgan du arcos le pao.
ALFANDEGA.
Rehdimenlo do dia 10. 11:185^930
BESCARGA PARA O DU 12 DO CRREME.
B. Americano Navarre expermacete bola hanio Jos dus Santos Antonio Francisco de
xinha, barricas vasias.
B. lnglez D. B -bacalho.
B. Austraco Ai roe farinha e sacos com
nllio.
B. lnglez Romance Carvo.
rinhnpor enezatidSo das taras; sendo a ar-
rematarn livre de despezas an arrematante.
Meza do (lonsuladodo Pernambuco 10 de Mar-
io de 1812.
Miguel Arcanjo Monteiro de Andrade.
Continnaco dos nomos dos cidados quali-
cados jurados :
Vem do n. 33.
Capito Antonio Martins Ribeiro Antonio
Machado Das Capitn Antonio Manoel de
Moraes de Mesquita Pimentel, Antonio de Pi-
nho Borges. Ancelmo Jos Pinho de Souza J-
nior Antonio Cardo70 Quciroz Fonceca J-
nior, Anacleto Jos de Mendonca .Antonio
Lopes Guimaraes, Antonio Goncalves Ferrei-
ra ,-Antonio Luiz do Amaral e Silva Anto-
nio Pires Ferreira Antonio de Souza Pavoli-
do Dr. Antonio Joaquim de MoraesvSilva ,
Antonio Jos da Costa Araujo Antonio Ro-
berto da Silva, Antonio Ignacio da Silva, An-
tonio Rodrigues Lima Antonio Joaquim de
Faria Antonio Botelho Pinto de Mesquita
Antonio Joaquim Rodrigues Antonio Tei-
xeira Lopes Antonio de Souza Reis Anto-
nio Teixeira Lopes Jnior Major Antonio
Comes Leal, Antonio Henrique Mafra Jnior,
Antonio Jos Ribeiro Antonio JoAo da Res-
surreico Silva, Andr Forjas de Lacerda ,
rcenlo Furlunato da Silva Antoio Alves
Barboza. Antonio Francisco Maia Antonio
Jos Gomes Arantes Antonio da Costa Fer-
reira Antonio Jos Alves da Silva Antonio
Vaz de Oliveira Antonio Fernando Vellozo ,
Antonio Jos Pereira da ilva Antonio Jos
da Silva Braga Antonio Jos de S Araujo ,
Antonio Pedro das Neres Antonio Joaquim
Pereira, Antonio Francisco dos Santos Braga,
Antonio Pereira da Cunda", Anacleto-Alves
da Silva Antonio Pereira Barros Antonio
Francisco Medeiros Adelino Jorge CoMlio ,
Antonio Henrique Mafra Antonio Joaquim
de Souza Ribeiro Antonio Jos Coelho An-
tonio Jos de Souza Gomes, Antonio Simpli-
cio de Barros Ancelmo Jos Ferreira Dr.
Anlonio Hercilano de Suiza Bandeira Anto
nio Sebastian da Silva, Capito Antonio Igna-
cio Xavier, Teiienle Antonio Manuel Lobo ,
Alferes Anlonio Jos do Espirito Santo Barata ,
Antonio Nunes de Mello Antonio Jos Si-
nioens Jnior, Antonio lavares de Mello,
Antonio Bernardo Antonio Manoel de Ara-
go e Mello Brigadeiro Antonio Borges Le-
al Prufessor ntonio Bonifacio Torres. Ale-
xandre Jos Cornelias, Antonio Joaquim Ri-
beiro Pessoa, Antonio Jos dos Santos An-
EDITAES.
U liiiu. M*. Itispeciur da I nesourana de
Fazendadesta Provincia, manda fazer publi-
co Indas as pracas de pret reformadas que
percebem seus vencimentos por a dita The-
souraria que se deverao appresentar ao Sr.
Commjssario Fiscal do Ministerio da Guerra ,
na sua reparligao, de trez em trez mezes
para verificarem a sua existencia ; devendo
omegar c^ta appresenlagao de mostra em
Abril prximo vindouro nos dias 6 7 e8
wada dias utvis an as imtnadiaUM senda o-
Souza Leo Bacharel Antonio Jos Pereira
Barrozo Antonio Pereira Pinto de Faria ,
Antonio Ribeiro Pessoa de Lcenla, Antonio
Fernandos Vellozo da Silva Anlonio Vieira
da Cunha, Anlonio Moreira de Carvallio, An-
tonio da Molla Teixeira Antonio da Cunha
Navarro Lins Antonio da Costa Leitao, An- j
tonio de barros e Araujo, Anlonio Joaquim
da Trindade Antonio Joaquim da Fonceca
Calvan, 'lexandre Ferreira dos Martirios,
Antonio Alves Machado, Antonio Barboza Ale-
xandre Primo Camello Pessoa, Alexandre Fer-
reira de Alcntara Antonio Gomes Ferreira
de aIjico e Mello Jnior, Aleixo Alves Bandei-
ra Antonio Soaros Anacleto Antonio de Mo-
raes Antonio Mauricio Cavalcante Antonio
de Olanda Cavalcante Angelo Costodio da
Silva Fragozo, Antonio Lourenco Antonio
Jas da Figird, wW>at Lias Caldas, An-
celmo Jos Pinto de Souza, Aiitonio Airos Vel-
lozo Jnior Antonio Marinho Paes Brrelo ,
Antonio Correia Gomes Antonio Ferreira de
Mello, Antonio Jos Duarte Antonio Joa-
quim de Barros, Antonio Candido de Miranda.
Aureliano de Pinho Borges, Antonio de Soma
Leo Antonio de S Cavalcante Lins Anto-
nio Francisco da Costa.
(Continuar-sc-ha.)
tT A administraeo das obras publicas
compra para a ponte di Recife as madeiras
seguintos a saber 30 linhas de 31 palmos
de comprido c12 para treze polegadasde
grosso. Seis linhas de trinta palmos de com-
prido e 12 para 13 polegadas de grosso.
Trinta estivas de 47 palmos de comprido e
7 para 8 polegadas de grosso 320 estivas de
i palmos de comprido o 7 para 8 porga-
das de grosso. Todas as pessoas que quize-
rem vender taes madeiras podein cortcorrer na
salla da sobredita administraco, lodos os
dias as horas do expediente para declara-
ren! os ltimos precos porque as venders e
o menor tempo em que as daro e saberom
de que qualidade devem sor o mais circuns-
cias. Administrarlo Fiscal das Obras Publi-
cas 23 de Fevereiro de 1842. Moura Ad-
ministrador Fiscal.
THEATRO.
= 0 actual Emprezario Francisco de Frei-
tas Gamboa para melhor satisfazer ao res-
neitavel publico acaba de dar sociedad" rio
TbeatroaoSnr. Modesto Francisco das Cha-
gas para este so enearregar nao s do pro-
curar assignaturas para um prospero anda-
mento da presente Empreza como para o
melhoramento das representaQOes Dramticas.
A Sociedade Em presara tem organisado Urna
Companhia Dramtica eomposta de quatro Da-
mas e doze actores ; alem de urna Dama a
S>-a. Maria Jos da Luz que mandou virde
Lishta cquedeveehegar no mez de Abril
p. f. A sociedade Empresaria festejar os
annos da Augusta Princeza a Snra. D. Janu-
aria com um novo Drama e a grande Pega
N'.wa OSineiro de S. Paulo e como o
dito anniversario cae na sexta feira de passos,
em que por decencia Religiosa nao deve ter
espectculo fica o mesmo transferido para
sahbado 12 do corren te ; neste espectculo
entrao todos os socios empresarios, pa-a
mais I rilhant isuio e satisfago dos convida-
dos.
= Escolhido o novo espectculo sinastico,
muzica e mmica para Domingo 13 do cor-
rente debaixo da Direcco do Artista Jos
dos Reis.
A grande concorrencia decisivo acolhi-
mento e destnelos aplausos oom que os ar-
tistas ginasticos em geral, e em particular
madama Emilia sao honrados pelo respeiita-
vel Publico tem de tal modo penhorado os
seuscora<;6es agradecidos, que sensiveis a
tanta beneficencia exultando em prazer
continuoa apresentar aos mais benemritos
espectadores novos incentivos da suacurio-
sidade, nos espectculos preparados para se-
ren a presentados as sas prespicases e sabias
vistas.
Comear este novodeverlimento por urna
Aldeia ou o fingido do de Inglaterra.
O Artista Joze dos Reis, incancavel em
promover a vari ac o dos espartar neos ju'ga
ter prehencido os Ons a que se tem proposto;
pois asvariaces que aprsenla, ericontro-
se o bom gosto e dignidade e o publico a-
char os necessarios incentivos de um .hones-
to recreio ; o nico premio a que aspiro os
seos desvelos o recompensa que o podo
mimosear ser ver retiraren!-se gostosos e
satisfeitos os serihores que o bom o com
tantos aplausos e concorrencia. Principiar
as horas do costUme.
N. B. os Snrs. que tem tomado camarotes
para esta recita faro o ub/equio de mandar
buscar os bilhetes no sabhado ao mesmo The-
atro.
AVISOS DIVERSOS
=3 Roga-se aoSr. Antonio Jos Marques,
natural da tilia haja de declarar a sua resi-
dencia por esta folh a fin do tratar-se um
negocio que Ihe dis respeilo.
= Aluga-se a caza cita na ra da moeda ,
de tres andares e um grande armazem de 1 10
palmos de fundo ; a fallar com o proprcta-
rio no lado do corpo santo N. 69.
= Na ra de Joaquim Jos de Veras de-
fronte do beCo em unas cazas verdes pega-
da ao muro que va i para a praca se acha
urna meslra de meninis que ensina a ler ,
escrever contar grammalica portugueza ,
coser, bordar, lavarinto, e marcar com per-
feQo ; a mil reis por mez sendo escrTa a
duas patacas.
=s Urna ama parda desembarazada pa-
ra cozinhar e fazer todo o servieo de urna ca-
za ; n ra do livrament D. 14 : lado da
Penha.
= Perciza-se de um caxeiro para um de-
posito do agua : na ra direita D. -19, se-
gundo andar.
= Quemannunciu querer arrendar urna
olaria grande com commodos querendo por
compra urna que tem barro para toda a qua-
lidade de obra 2 Tornos : cada um de 10
milheiros 1 forno para obras linas por ser
de abbala urna caza com sotan eassoalho
para arranjo de escravos oulroi niais para
arranjo de familia de porta adentro, arma-
zem maquina de botar ti julo para as canoas,
sem precizar escravos planta de cana de
rossa eligumes e commodos para vacas de
leile ; no lugar do alterrp s margens do
rio capibaribe defroute das bicas onde as
canoas recebem agua.
sst Ves tem-se anjos para prcissoes da
quaresm com muitoasseio e precocom-
modo : na ra do Cabug em Caza do finado
Jos Ribeiro do Amaral.
=i N paderia da ra direita D. 13 so-
brado de 3 andares priciza-se de um amas-
sador que seja perito.
=a Alugo-se tres enzas no beco das barrei-
ras ; sendo duas pequeas e urna eom com-
modos para familia : no aterro da boa-vista
D. 19.
Arrenda-se am sitio na estrada de Santo
Amaro que vai para belem com casa para
grande fatnilia quarto para pretos, e com
muilos ps de fructas : a traclar no sitio da
elegante peca de muzica a presen tando-se em torro, passando a ponte o primeiro direita.
seguida madama Emilia Amanti a cantar a
nova e grande aria com recitado e scena pro-
pria como se desempenha na famosa opera de
Toi baldo e Dorlisca muzica domestre Rossi
ni, a continuarlo seexecutaro extraordina-
rias forcas Athcnienses e Hercleas e em
particular a rara e nova sortc do Terre a Tr-
ro a forga de Sancho os cambalentes Ro-
manos o naufragante c sumptuoso vo a-
reo de Hercules e Mercurio em o qual se ve-
ro diferente* posturas as mais picforescas
que se podem imaginar cuja experiencia se
verificar na brilhante columna giratoria.
Depois madama Amanti cantar urna no-
va e jocosa mod i n ha Hespanhola com posta a
pouco lempo em Madrid que tem por titu-
lo El Chairo mi Em seguida a pedi-
do de um grande numero de pessoas que tan-
to nos favorec m se xecutarrt os vistosissi-
mos Grupos Chinezes por onze pessoas,
nos quaes se formar urna nova e brilhante
prospectiva figurando o Imperador da China
descansando dentro do seo pavilhflo decam-
panha finalisando se cantar com scena um
novo e mui gracioso duelo conheerdo com o
titulo de D. Magnifico e Dandino ou o Prin-
cipe fingido na opera a Generen tola desem-
penhando o papel de 1. Magnifico Joze dos
Reis c o do Principe madama Emilia Aman-
ti para cu jo efieito sar vestida de homem e
se dar lim a to variado espectculo com a
nova e engracadissima Pantomima ao estilo
Italiano qua se intitula O Boticario da
Precisa-se de um pequeo para caxeiro;
no forte do matto em cima do armazem dt
Jos Antonio Van na ra da moeda.
A pessoa que annunciou querer arren-
dar urna olaria dirija-so a ra do Queimado
D. 17,
=Pars dircomprimento sordens doExm.
Snr. Presidente, que m foro tranjiiieti-
das pelo Snr. Administrador Fiscal desta Re-
partieo das Obras Publicas ; o Almoxarin)
thezoureirO pagador da mesma aviza a todos
os credores da mencionada Repartic^o, que
at sbado 12 do corrento aprezenlem suas
con tas na inteligencia de que ist be de seu
immodrato inleresse.
Rento Bandeira de Mello.
Almoxarife.
r2 Val apraga por todo'este mez e at 10
de Abril prximo vindouro; por arrendmen-
In trienal na Cidade da Paraiba do Norte o
Eligenho Santos Beis distante da mesma ci-
dade 4 legoas famoso engenbo pea grande
abundancia d'agoa que o faz moer copeiro ,
pelas muilas e fertilissimas varzens de cana
que tem, sitios com laran'jal malas exten-
sas em serras ptimos cercados para boiada,
e fogradoies para solta'scom exlengo de 3 le-
goas desde o focal do Engenho at as Mum-
bahas pela estrada das boladas. E varioscon-
senhores do mesmo engenho alio dispostos
a vender suas partes.
= Na mesma precisa-se de um,jrapaz pT-
tuguez om dada de 10 a 12 annos,


,1 11
rAfrend-se iofi f'ijio na entrada de S.. Sr. Pranlos na loja de fazendas do Sr. An -
tnr Afrenat-se irr. mo. nae*cr*aa de a.
Am&ro q no'va i para Bejlem', com casa para
grande familia -qBarlos para* prlos, bas-
tantes ps de rrucleirs: no misino lugar pas-
sandoa ponto o primeiro sitio chamado da
Torre,. .:,,,. ,
5T Precisa-se alugar um soto de casa
terrea o motado de urna dita para una so
nessa capaz : aun mine.
ty- Precisa-se de 500 j rs. a premio por 4
oze? sobre pinlioijs de ouro ou prata na
na da Perilla D.7.
tar Quem Uver um sitio para arrendar,
que- tcnlia bastante pos de frucliras, o bai-
xajja'ff capini : annuncie.
cy Aluga-se um 'preto cozinheiro pro-
prio para honiem solteiro: na praga da Boa
vista venda D. 9.
t- Precisa-se de unja pessoa para ensinar
lithogralia : na praga da Independencia loja de
livros u. 57 e 58.
Cy' A quem faltar um molequo crelo a
porto de 0 anuos oqualdiz ler nesta praga
seu legitimo Sr. e que foi desencaminhado
por dous homens e por estes negociado em
destricto de Serinhaem dirija-se a ra D-
ivit a fallar com liento Joo Cardozq.,
SsHuein annnnciou queror 1:000f de rs.
a premio pelo lempo de um anuo dando por
leguraiga 5 esclavos dirija-se del'ronte da
libeira da Boa vista venda por baixo de um
sobradinho 0. 50 a fallar com Joze Soares
PintoCorreia
cy Aluga-se urna propric-dade de 2 anda-
res com armazein muito perlo dos trapiches,
na rua do Amorim com a condigno da pes-
soa fazer uns pequeos colicortos ; na ra ve-
lha D. 59.
cy Sr. Jernimo Cezar de Mello quei-
ia procurar urna carta na ra da Cadeia do
Recite loja u. 17.
cy loga-se ao Snr. Estevo Proto Mrtir
de Figueiredo Wenderley baja de declarar on-
de he a sua residencia nesta praga a lim de
se Ibe fallar a negocio que Ihe diz respeito. J
t&" Arrenda-se dous grandes armazens na
ra da senzala oceupados pelo Sr. Joaquim
de Souza Pinto : a fallar com Benlo Jos Al-
ves.
cy Aluga-se nma casa terrea na Sole-
dade defronte da Capella n. 447 ; assim co-
mo permuta-se outro predio con tan lo que se-
ju no Rcifti ou eiri S. Antonio ainda que se
tenha de repor qualquer quantia: a fallar com
Joao Anlunes Guimares.
cy Nodial8do prximo mez do Abril
andar iufalivelmente ss rodas da segunda
parte da primeira Lotera concedida a liman-
dado 'lo Kozario da Boa vista : os bilhetes
acho-se a venda nos lugares do costume.
%SST O aliaixo assignado faz publico que
ninguem laca negocio com Antonio da Silva
Lopes e Manuel Joze da Molla Bios com
um recibo da qaantia de centb e tantos mil
rs. que o anuuuciante Ihe passou na occa-
sio do Ihe entregar por sociedade a venda de
oia de portas, e poique independento do
prejuiso quedero como consta do bala neo;
o annunciante julga estar saldo o eferido re-
cibo que o annunciante passou, segundo os
recibos, cenias e ordons pelos ditos Snrs. as-
sigiiadasem poder do annunciante e este
pelo presente annuncio convida aos ditos Srs.
para dentro de 5 dias virem ajuslar as suas
cdnta>.
Joao Manoel Pinlo Chaves.
cy Precisa-se arrendar urna olaria grande:
qiiem tiver annuncie.
cy Perdeo-so ante honlem das 6 horas da
farde para as 8 da noute desde a ra de S.
Frauciseu at a Igrej de N. S. do Te rijo una
cia de prata : quem a achou qjiercul res-
tilpi-la dnija-je a rua larga do Bozaiio loja de
falencias D. 5 onda se dca os signaes della e
re recompensar.
Uy Aluga-se o primeiro andar de um so-
brado com boEs eommodos para grande fa-
milia pintado de novo : na ra da Praia ca-
sa de Joaquim Pereira d Mondonga assim
como o armazem por baixo do mesmo todo
ladrilhado de pedia proprio para socar as-
sucar,, por ter embarque na porta a toda
hora.
cy Precisa-se de um rapaz que tenha co-
nliecimentode pharmacia da-se um orde-
nado sucifienle segundo o seii merccimenlo :
ira praga da Boa vista botica D. 10.
cy Joze Maria Carneiro, retira-se para
lora do Imperio.
cy Me. Calmont o Companhia agentes da
Companhia Allianc* dos seguros contra fogos
nesta Cidade aviso as pessoas que quise-
rem suasprprieJades de comparecerera no
i osciptorio na ra da-Cadeia D. 65.
- Sabio, o n. 9 dQ Espelho das Bellas:
Vende^-s* na praga da Independencia n. 5/7 e
38 na Typo'grafia lmparcia na botica do
gelo ra Oireta na loja de bvrps do ir.
Bez e na ra da Cadeia loja do Snr. Bour-
gard. .
cy Pilulas Vegetaese Uiiiversaes Ameri- ro Patacho Nacional Laurentina pretende
canas.,;= A fama deslas pirulas vegetaes' do
Dr. B. Brandreth peas grandes curas dellas
obtidas, faz com que sejo procurabas com
avidez, e dellas fazem uz'u tanto nos casos mi-
nutos cojno nos mais intrincados. Sao re-
commeqdadas por mijhares de pessoas a quem
ellas tem curado de tsica inlluencia, ca-
tarros indisgestes djsdeusia. pors de ca-
beg.aj,, dores ou peso' em, a nu,ca que ge-
ralmenlc sao sntomas deapopoxia, ictericia,
febres intermitentes bilis, escarlatinas, fe-
bre amarella e toda a classo do [obres as-
ma gota reumatismos, oiifermdahes ner-
vosas dores no ligado pleuresa, debilida-
de interior abatimento no espirito, roturas,
inflamages, inchays dos olhos, accidentes,
paralisia, hydopresia,bechiga, sarampo, enfer-
mdades dos meninos tosse do toila a clas-
se clicas dor de podra lorabrigas des-
entena surdesa vagados de caneca en-
fermiilade deS Joo, erisipela, ulceras la-
gumas de 50annos
Cunfia na ra estreita do Hoza rio D. 17 ou
com oCapito da mesmaManoel Antonio dos
San tos,na praga do Commercio.
OT Para o Cear o bem conbecido e rellei-
cancaros, tumores
, m-
Cha^des nos ps e pernas almorreimas ir-
rupQo de pelle sonhos horriveis pezade-
los lodaqualidadc.de drese molestias de
miilheres, corno obstruyos relaxages c.
Em todos os casos estas pijulas ser um re-
medio corto e simples porem poderoso, para
cura de molestias chronicas contagiosas ou
nao, coqueas faz mais adaplaveis a este
dair.., he que nao tema menor tendencia a
resfriados quando se lomo. Nao roquercm
dieta nem resguardo algun a sua composi-
Cq lio tao simples que nao fazem mal a mais'
tnra crianca. Polo agradavel do seu eTeito
e por ser a dose geralmente de 4 a 5 sao
estas piiulasproferives e superiores a qual-
quer outra medecina. ElLs tem sido a ni-
ca medicina de multas familias por longo lem-
po, tiramlosempre o desojado lim de resta-
belecer a saude. Sondo um grande preser-
vativo para o escorbuto e tenesmo e suas
consequencias ; os martimos e viajantes nao
deveriao ir sem ejls. Os habitantes do ma-
to e sertoeiicontra'r neslas pilulas urna me-
dicina que Ihes assegure as vidas de seus es^
cravos. O nico doposito das verdadeiras pi-
llas vegetaes he em casa de D. Knolh agente
do aulhor na ra da Cruz D. 57 para on-
de se mudou de fura de portas.
N. B. Para maior seguranza vai cada cai-
xinha embrulhada em seu receituario e la-
crada com o* sello da casa em lacre preto.
cy Joze Soares d'Azevedo Bacharel em
Bollas-Letras pela Cnivorsidade de Pariz o
Professor da Lingoa Franceza do Liceo faz
publico que as casas de sua residencia, ra
dosQuarteis 1. sobrado junio Polica,
tem aberto um curso de Philosophia Racional i
c Moral desde as 7 horas e mcia da man ha \
al as 9 o meia outro da Lingoa Franceza!
desde as o da larde as 8 da noute. As pesso-
as que desojarem esludar qualquer destas dis-
ciplinas podem dirigir-se a casa do annunci-
ante a qualquer hora excepto das 10 da ma-
nila at ao meio da.
C7" Precisa-se do urna ama deleite: na
ruado Encantamento armazem por baixo do
Reverendo Vigaro do Becife.
sahircom a maior brevidadeque Ihe for pos-
sivel, por tr parte de seu carregamento
prompto ; quem quiser carregar ou ir de pas
sagem para o que tem bons commodos diri-
ja-se ao seu proprietaro Lourengo Joze das
Nevcs na ruada Cruz n. 32 ou com o Ca-
pitodo mesmo Antonio Germano.das Neves
a bordo, ancorado dufronte du Trapiche novo.
yr Para o Rio Grande do Sul at o.dia 20
do correle segu viagem o Brigue Matildes ,
para carga passageiros e escravps trata-se
com o Capitn Manoel Marciano Ferreira, ou
com Firmino Jos Felis da Rosa.
%sr Para o Rio de Janeiro, o Bergantim
Nacional Imperador D. Pedro Capilao Joa-
quim Soares de Miariin a sahircom toda a
brovidade por ter grande parte de seu car-
regamento prompto para o resto da carga ,
esclavos a frele e passageiros, trata-se com
Joaquim Baplista Moreira no seu escriptorio
ra de Apolo ou com o Capito a bordo.
tsr Para Lisboa sahe no (lia 17 do corren-
te a Escuna Portuguesa Liberal de que he Ca-
pito Bernardino Antonio Gomes ainda re-
cebo alguma carga a frote ; a tratar con
Francisco Sevcriano Rabullo no forte do
Mallos.
L E I L A O '.
tsar Cals Jnior tendo de retirar-se para a
Europa, faz leilo por inlervengo do Corre-
torOliveira de diversas fazendas, e miude-
sas consistindo principalmente em cambrai-
as lisas e adamascadas muito finas, teneos,
chalse mantas de fil de linho ricos cor-
les de vestidos de seda e do chal bonets ,
calcados meias rendas flores filas, se-
das espelhos grandes lustro de meio de
sala espingardas ingh-zas de um e dous ca-
nos pistolas esporas, pentes, bijouerias
e 4c. Torga fe ira IfS do corrente as 10 ho-
ras da manb no seu escriptorio na ra da
Cruz D. 10.
cy O leilo de James Crabtrce A Compa-
nhia annunciado para hoje Sexta feira, tica
transferido para o dia que se amiunciar.
VENDAS.
cy Aluga-se urna casa de 5 andares com
armazem para socar assucar com 140 pal-
mos de fundo al a ma.' ludo ou cada um
andar ao lado do Corpo Sanio n 69.
cy Arrenda-se o lerceiro andar do sobra-
do da ra des. Francisco D. o por cima do
assougue francez defron le da cadeia : quem
o pretender dirija-so ao segundo andar do
mesmo.
cy A Senhora D. Izabel Theotoniade Mj-
randa Varejo viuda oanno passadoda Pro-
vincia do Cear queira annunciar a sua
morada para se Ihe fallar a negocio de seu in-
torsse.
AVISOS MARTIMOS.
cy Para o Maranho segu viagem com
muila brevidade o Brigue Escuna Boa Lem-
hranga Capito Antonio Manoel Vidal; quem
quiser carregar ou ir de passagem dirija-se ao
dito Capito, ou ao seu consignatario Mano-
el Joaquim Ramos & Silva.
cy Para o Maranho segu viagem com
muila brevidade.o Brigue Brasileiro Angela,
Cap. Francisco Bordes Antunes e Silva; quem
quiser carregar ou ir de passagem dirija-se
ao dito Capilao ou ao seu consignatario Ma-
noel Joaquim Hamos e Silva.
cy Para o Porto saldr com muita brevi-
dade por ler parto de seucarregamtnlo prom-
pto a bem condecida Barca Porlugueza Espi-
rito Santo, quetera expelientes commodos para
passageiros : Iratvsccom Francisco Alvcs d e
cy Para fora da provincia urna moleca
crela de 17 anuos cose engomma perfei-
timente, refina assucar fas doces, e cozi-
nha o ordinario : no principio do atiero dos
alogadosem casa de Silvestre Joaqnim do
Nascimento.
cy Moinhos grandes de moer caf: na ra
da senzala ve I lia n. 54.
cy Mrroqui ns de di Aeren tes qualidades ,
e papel pintado : no pateo de S. Pedro De-
cima 9
cy Urna venda no alterro dos Affogados
junio ao sobrado do Brilo com poucos fun-
dos na tnesmn.
cy Um cava lio castanho, gordo, com
hons andares-, c sacis com farinha de mandio-
ca : na ra Direita D. 21.
cy Um mulalinho bom para pagem de
I '2 anuos : na praga da Boa vista sobrado que
tem relinagao no correr do Coronel Almeida.
cy Urna morada de casa terrea mu bem
construida com 5 quartos, paredes dobla-
das cita junto ascasas terreas que foio de
Antonio Luiz Ribeiro de Bri lo : na ra Di-
reita D SS.
cy Um escravocanoeiro de bonita figura:
no Manguind venda de garapa.
cy Urna casa terrea e um sitio muito
perlda praga Ccjb venda se faz vantajosa-
mente para o comprador porque veiide-so me-
lade a dinheiro e metade a praso : no prin-
cipio do alterro dos aflogados casa" tenca jun-
to ao sobrad da viuva" do Baptisla.
cy Potassa da Bussia da primeira sorte
em barris pequeos por prego commodo
em casa de Joo Rufino da Silva Ramos na
Boa vista ra do Hospicio sobrado defrorite
do Coronel Brilo Inglez.
cy Um bonito moleque do 1-4 anuos; e
enchameisde 20 palmos de comprido de
multo boa qualidade : na ra Nova loja de
ferragens D. 10.
iay Scharosda India para guardar cha
a 40 rs. cada um caixinhas para costura a
UOOOrs. : no atierro da Loa vista luja De-
cima 16.
cy Farcllo em barricas chega las ltima-
mente a 2*880 rs. : na r d senzala velha
armazem D 1.
CT Um negra e im moleque sem Vicios
nem achaques i na ra de Hortsvb f9.
cy Urna fateixa quasi nova, com o peso
de 3 arrobas da-se por 42* rs : na ra dt
senzala velha armazem de Joaquim de Souza
Pinto.
cy OBngne Brasileiro Victoria: a fallar
90111 BentO'Jos AI vs.
cy Um Pianno de patente Inglez com
excelentes voz temi muito poucouzo, e
por prego commodo : na ra do Crespo D. 6
lado do sul.
cy' Urna pogo do lagerfoopartido por
prego commodo : no escriptorio de FranoiSf
co Severiano Rabel lo.
cy Um sobrado'de i dous andares e sotio
corrido formando 5 andares para a parte de
detraz com grandes com modos-, grande ar-
mazem ladrilhado de'lagedo oonvOommodos
para embarque a toda a hora na porta ,
porisso proprio para qualquer snn de enge-
nho : a fallar com Joo Henriques da Silva
junto ao arco de S. Antonio.
cy Bichas prelas de superior qualidade ,
sevadinha nova chegada prximamente, sa-
g amendoas molares bom vinho do Por-
to, dito legitimo de foi loria niaimelada ein
pequeas bocetas, ptimos copos lisos para
agoa e ditos bordados calis para vinho e
bons presuntos : no atierro da Boa vista D.
19 venda de Manoel de Azevedo Maia.
cy Um caixilho para vidraga de varanda,
um aparelho para barretina de guarda nacio-
nal, um par de pistolas, granadeiras e alguns
trastes ; ludo por prego commodo : no Be-
cife ra dos Torres casa contigua a do Sr. Jo-
Ao Pinto de Lemos.
cy Um mulato de 17 annos : no beco do
Veras D 10
cy Urna morada de casa as 5 pon tas D.
25 da parte do poente : na mesma casa.
cy Piannos Inglezes do bem condecido
aulhor John Broadwood & Sons, de Londres,
em casa de Me. Calmont & Companhia.
cy Carros Inglezes de patente para um
e dous cavallos com coberla e icm ella e
eom todos os seus pertences : em casa de Me.
Calmont & Companhia.
cy Urna venda que vende tanto para o ma-
to como para a trra com commodos para
familia na rua estreila do Rzario D. 54:
na rua do Cabug D. 5.
cy Taxas de ferro coa do e batido, em bom
sortimento assim como ferragens proprias
para engenho : na rua do Vigaro n. 7.
eyUma caixa de unicorne para rap, mui-
to boa : na rua Jo Rozario botequini do Al-
bu uerque.
cy Vellas de'carnahuba de 6, 7, e'll em
libra a 500 rs. e arroba a 9j rs. ; sapatos
de burracha : na rua do Rangel D. 7 na
mesma se aluga urna creoula para lodo o ser-
vico de urna casa.
t9r'Por prego commodo 29 travs deg-
landim carvalho de palmo de face e dj
56, 58, e 40 de comprir.ento: no forte do
matos junto ao primeiro estaleiro ou no
armazem do Sr. Santos Braga.
cy Um muito manco e engragdo maca-
co verdadeiro com siia corrente, por 10c
rs. : na olaria da rua da Florentina a fallar
com o feitor.
ESCRAVOS FGIDOS.
cy Joanna, de nago angola estatura,
regular heia do corpo, e solada com 5
stulas fechadas dos denles marcas de feridas
no bragoesquerdo, um taino na canela es-
quorda ; quema pegar leve a rua das Cruzes
D. 19 que ser recompensado.
MOV MENT DO PORTO
NAVIO SAIIIDO NO DIA 9.
Pesca; Galera AmericanaMercury, Cap. S. L.
Gray carga a mesma que trouxe.
ENTRADO NO DA 40.
Nova Hollauda ;,95 dias t Brigue Inglez Ann
de 1-44 tonel. Cap. Fredorick VVillycom-
bc equip. 40 caiga azeile de peixe o
barbas de baleia : a Charles Roope & C-j
vera refrescar csegie para Londres.
Santos i. 29 dias, Sumaca Brasileira Carolina
de 161 tonel., Cap. Manoel Rodrigues Pi-
menta ed;up. 11 carga farinha de man-
dioca: ao Capito.
SAHIDOS NO MESMO DU.
Aracaty j Hiat Brasileiro Vingador, Cap. Do-
mingos Antonio de Azevedo, carga diver-
sos gneros.
Cear, Maranhad Para ; Vapor Brasileiro
Pernambcana Comtnartdahte Jzc Ms-
ria Falco.
REC1FE NA TYP. DE M. F. DE F.~ 1812

-


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E23SQ95Z5_9UVXPJ INGEST_TIME 2013-04-12T23:30:26Z PACKAGE AA00011611_04487
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES