Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04472


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AnnoXKVIII
DIARIO
de Marco Je 18S2.
N. G8.
PERMMBTOO.
VBE9O UOBOBIFIjlO.
tkQktamo A.uhtsdo.
Mr trimestre...........i
Por .emettre. ......
Por anuo ........
P.00 DINTao DU IIHIIMI.
Por qu.rtel........... '
OTIOlil DO 1BHJIIO
Par..... 'nlrMjrro Inn... 15 de Fevr.
Maranhao 8de dilo S.Paulo. \i de dlio
Cear... Hdedlto. R. de J.. "0 de Mareo
Parahlbs. 18 df Marco Babia... 17 de dilo
das da iimi
AOBintOlAg.
4/0122 Seg. S. Kmidlo b. ni.
4/S00
Juliod Or.M.
it.eb.ii lOhorai.
rara da eerf.
3. e6, ao raelo-dia.
fauna.
t aleclni.
J3 Terc.S. Vctorlano.
24 Ou.rt. S Latino.
ib Qulnt. 4-41 Aiinim-
clacao SS. Vlrgem. 3. e 6. ai 10 horai.
Sen. S. Ludgero. I S vara do eivtl.
27 Sab. S. Roberto. 4. esbados ao melo-d.
88 Dom. 5 da Quare- Jtaeo.
na ; S. Prisco. Tercas e sab.do..
imniiDu.
Creacente i 28, at 8 horas e II ministra da t.
Chel a ab,as3horase II minutos da m.
Mlngo.nle I!, al hora c ll minuto da t.
Nova 2P> as 4 horas e I* minutos da Bit
niuiiBi OJ
Prlmelra .is ~ horas e 4! minutos da manhSa.
Segunda i 8 horas e 6 minutos da Urde.
aTABTIapAS DO COBBIIOl.
olann e Parahlba, l legunda i.Mu-
felpa.
Ilo-G rnde-do-Horte, toda! ai qulatai-felras
aoraelo da.
laranbuns e Bonito, i8 e 83.
oa-Tlata, e Flores, 13 e 28.
'letona, ia qulntai-felrai.
(linda, todoa oa das.
Wf
PAUTE OFFICIAL.
de 9 do correte, determinando que o nvamo
araenal nao forneca plvora para fina algum
sem iitoilsaco da presidencia, e requisicao
do coininando das armas, e dando mu ra dis-
poalcde a respelto. Remetleu-ie Igual efl
ni* a theaoiiraria de fazenda.
Dito Ao mesino, concedendo a auloris.can
GVERN DA PKUVINClA.
EXPEDIENTE DO DA 25 DE FEVERE1RO
DE 18M.
rnelo Ao deseinbargador chefe de poli- que pedio, para deapender a quanlia de ief*
ca, transmitllndo por copla o offlcio do pre- rs. com a acqulslcio dos objeclo precisos para
sldente do cooselho geral de aalubrldade pu- fornecer de luiesi no pioaimo mes de m.rco o
bllca, de 21 do correle, brra cuino o relato- palacio da presidencia, ai fortalezas, hospital
rio, A que elle so refere, Aflu de que ei- reglmenlal, (Bardas e qnartels dos corpos des-
pessa auaa ordeos contra o ahusos indica los ta guarnlcl.. Iolairou-sc a Ihesouraila da
no mestno rea torio; Meando certo de que, fazenda,
quaoln aa aentinellas para prohiblcao de des- Dilo Ao me amo, autnrlsaodo-o a deinen-
peloi to lugares redado pelas posturas da der a quaotla de S77|080ra. com a acqulticao
vin.lo.ro, ero que deve ler lugar i abertura
da l.a seiiio da 9. legislatura da assemble
desta provincia, n8o s marche um do. cor*
pos de llnhs, para faaer i mesma ...embica *
honra do ettjlo, maa tambeui di a fortalesi
do Brum as salvas do cosluuie, remetiendo
da theiouraria da hienda provincial. --O
ciou-ae ao
para naque
Dito A'thesourariade hienda,dlsendoqne, zendo ficar intelrado de eitarem concluidos o
visto achar-se esgoiada a quola fliada para concert, que le mandou faier em algumas
aa despeas da eapalasia 'alfandega dena das tarlinbaa da caJeia desia cidade, bem como
nroTlncla em o eiercicio correnla; concede, tapados oa rombo, que os pre.o. abrirni na
nos termo do decrelo de 7 de malo de 1WS, mesma cadela. importando ludo em 11 iD8U
a antorlaaco que pedio para mandar pagar rs e declarando que aa contaa deaia drapea
a importancia da folba que dcvolve, Lein co- devem ser apreienladas a Ihesourarla da hsen-
j para Ir despendeodo a qu.intias necetsa- da prorincial.
riaa ao pagamento doa empregado da me- Dilo A" ihesouraria da f.zenda provincial,
macapatatia ate prehier a somina du 9:111 JI8C para que, de conformidade com o que requisi-
ra mencionada em leu offlcio de 53 do cor- tou o director das obra publica, contrate
reDle, quanto antes em hasta publica 16 grades de
Dito A' meim, transuiilllndo o arlso de Ierro semelhante ao desenlio que remelle, p-
uma lettra na Importancia de o&ojoOO r aaca- ra a obra da casa dedeleocio. tJoiiimunicou-
da pela theaourarla de fazend. da provincia ac ao relerido director,
do Rio Grande do Norte sobre a desta e a DEM JO DA 27.
favor de Joao Cbryso.lomo deOliveira. Par- Offlcio Ao commando das armas, devol-
ticlpou-se ao mesio presdeme d'aquella pro- rendo o cooselho de lovcstlgac.o, a que se pro-
viocia ce'Jeu eon,r 0> fguudos commandanles de
Dilo Ao Inspector do arsenal de marinl.a, companhlaa do corpo de polica, Maooel Pedro
nara nooiear quem .ubslllu ao Imperial ma- de Souza e Antonio Francisco Xavier da Costa,
tnhelro Jos Lula, que serve interinamente afim deque srja ubmetlido ao cooselho cilinl-
de inestre da guarnlco do brigue escuna Le- nal, nos termos doarlig- le' P ov.ncial
n.tidadc. Tillo ler elle de .eguir para a corte, n. 145 de JI de ...arco de I84S. devendo o mes-
arim de depr como leslemonha no consrlho mo coinrnando propor os onicises, que leu de
de guerra do raeaire, que foi da guarnlco compor o rrfrr.do cooeelho. ___
do MMH brlguc e.cuna, Eduardo Joc do Dilo A' ihesourana de hienda, para que
Sanios Communicou-se ao commandante receba do commandanle dolo..balalhao de in-
doreferido brigue. '"'" I"'"1 A< 87#440 &* "S"aio
Dito A" Ihesourarla da hienda provin- coininuoicou o marechal co.nman
iriz, e dar al de mal providencias que Ibe
incumbida por lei.
Dito Ao theiouraria de hienda intelran-
WOTICial IITI11NOUB1I.
Portugal, lidel'evr, Austria.. 3 de Kevr,
H^apanha. ode dilo |Suisa.... Idedilo.
Franca ... 7 de dito
Blgica... 4 de dito
Italia.... 4 de dito
Alernanha. 3de dito
Prussia ... 3 de dito
Dinamarca3l de Janr
Rusta... 29 de dilo
Turqua. i4 de dilo
Sueria... 30 de Janr
Inglaterra lOdeFer.
E.-Unido 28 de Janr
Mxico... S de Hilo
Clifornla 2 de dito
Chill. 2* de dito
Bueno-A. H de Fevr,
.Montevideo llide dito
CAMBIO DE 33 DI M1BCO.
Sobre Londres, a 27 a60 d.
Parla,
Lisboa, 90 por canto.
asi rila.
Ouro.Oncas heapanhola... .:.;.;t:.
Moedaa de 6/400 relbaa....:....
de 6*400 noraa.........
* de4/DO0................
Prata.Patac8ebraileiroa...........
Peaos columnario.. ......
Dilo inciicano..............
lG/tK>0
16/000
9/100
1/1:20
1/1)20
1/800
povoaco de S. Broto, municipio de Cara.ihns,
A fim de que ponha dita obra em arremaia-
elo Comunicou-se ao di.eclor da obras
publicas.
Dilo A ineinia para que, noa termos de
ua inforinaco mande pagar a Sebaalio An-
. T. i;.n... Vara ser arttVh la ne cofrl tolo do Reg harro.,' como ce.alon.rlo do
coota da de.pca para aer aaturelta pelo co. c d camboa
En I diocesano c.nrid.ndo-. Arrombados. Jo^.jonsalve. da Porcluncu-
.ouele d.a \f celebrar a mi... vollTI quanll.de 1:066/111 res, em que Im-
para i..qurMc u m.t,i, de S. Fre rl a 1.. prestarao do rc.peclivo contrato,
,dr'oPGrf.l.e e\lcrm:r.7nun.c.pa. des- [.o que e.ao rfn.lii.dmd... terco, da re-
a cidade nara mandar preparar a mesma ma- erida obra, .e.uodo partlclpou o director
.'* ,1' 2!.P. a. *,r. .,,iH.e., nue Ihe sil la. obra, publicas Go.nmuu.c..u-se ao me.-
publica,
o director.
Dito Ao procurador fiscal da Ihesourarla
recebldo o
haver appr"ovado V co"lra~to. que pre*a hienda provincial, aecusando
tende h. c'aupecada do 4 ..bal.lhao de arte- 'co, com que S. Me. euvlou o quer.men-
hlaap<,FrXod. Salle., par. conilnn- k de Joao Fr.oel.eo do Am.r.l, "l'eiido
.rB...eodoe.rclto por mi. oito .aon.oj, '4tm\*o do lugar de ajudanl.:d. roe.m..pro-
m conclaiio da obra da po..... .....vv. ------------, -------
dos Arrombados. da qual he .rremalanle Jos pret e relaves de agosto do anno MIMM
Affon.o do Bego Barro. Gommunicou-se Janeiro do crrente, para o e.cravo Bernardo,
ao ineirno director. perlencentc .o bacharel Ilercul.no C on9alve.
Dllo-Ao director do Censo da provincia, da Rocha, o qual, havendose alistado volunta-
remeltendo copia do aviso da reparlico da > "- *
juitica de 6 do co
ra, que, por decret'
maodou-ae upende
nenio para orgao
Imperio.
mediante a graliAcacio de 260/000 re qoe
Ihe er paga com 50(000 rea a vlU e o res-
to em prestaertes inensaes de IO|000 r
Coinrounicou-se ao commando da. armas,
Hilo A mean.a cominunlcando, que, rgundo
parlicipou o marechal commandaule da. ar-
ma., o paisano Procoplo Alves de Oliveira con-
tralou-.e para ervlr no e.ercilo por lempo
de olio anno, e recommendando que tai con-
formidade com a ordena da prealdencia man-
de abonar ao referido paiaano a gratificado de
250/000 rei, visto j ter elle aervldo na M II-
uha Intelrou-se ao mes.no marechal
Dilo--Aojuii relator da junta dejustitica,
tranamltllndo para er relatado em "i da
me.ma junta o progresso verhal felloaosoldado
da i......paiilna .le a.mices Jos Francisco Brai-
Co.ninunicon-se ao commando da arma.
Dilo Ao Inspectnr do araenal de marlnha
diiendoflcarscieole de haver S. Me. contratado
com o capitio do patacho Euterpe a couduccao
do objeclo, remeitldo pelo araenal da corle
com destino a proulnch do Cear, e enviando o
offlcio dirigido ao Enn. presidente d.quella
provincia, o qual deve a companhar oa menci-
onados objeclo. Neste sentido offloiou-.e
ao mesino pre.ideole.
Dilo Ao eogeobeiro enerregado da. o-
bre. inilll.res, para Ir .minar o e.lado m
que e acha o viKaraeoto, que sustenta o ter-
racoda frente do qu.rtel do ho.plclo, envi-
ando i presidencia o orcamenlo doa eoncerio
de que preciaa o incs.no vlgamenlo, para pre-
servar da chura oqiiarto, onde eilsle a mu-
sica do 9. balalhao de infamarla.
Dito A Ihesourarla da fasenda provinci-
al, leinetundo copias das olauaulaa e orcamen-
lo, que, em vlsia de aua loforin.cao, appro-
vou para a obra do 2.' laojo da ealrada da Es-
cada, fim de que mande por a referida obra,
em arrematacio ~ Comunicou-se ao eoge-
da. obraa publicas,
mandante superior da guar-
nan do Rio-Formoeo, di-
de haver S. Me. reasumi-
do o e.erciclo do aeu cargo, e declarando que
curadora nolermode fguaraa., e declarando
que para aer deferida .e.neluan.c prelencao,
fai-ae necearlo, que o peticionario roo.tre-se
desembarazado, bem como que S. Me. pro-
pouha quem deve er nomeado para o referi-
do lugar, _
Dito Ao delegado do tenmo de Go.anna,
traasinltlindo copia do termo de arre.natacao
do coocerto., de que neceult a cadela velba
daquella cidade. .
Portarla -- Nomeando, de conformidade
com proposl. do .ecretario da provincia, o
officiii da respectiva aecrelarla, Aotooio Lel-
lede Pinho para oceupar inle.lnamenie o lu-
gar de offlclal malor da me.ma secretaria em
quanlo esllrer impedido, como membro da
assembla leglsl.liva provincial, o coronel
Joaquina Pire. M.ch.do Portilla-Coinmuni-
cou-se ihesouraria da fazenda provincial.
per.....o I ir. a quem cuiHultei diaae me, que
orocurava a quidratura do circulo cimiml.
Forto tolo Agora vejo de>coberta un,
que nunca chega nem a tentativa cnmiml,
embora mate tan real e porfeitamantP, como
estove Laziro, o leproso, durante tres
oas.
Asilubridade publica vai algum. colisa
melhorada ; porem nao tanto como ileseja-
va esleseu criado, que tendo oitenta e tan-
tos jaoeiros s costas, vive sempre sobresal-
tado com receio de nina visita das tres ir-
mans.
Se por algumas das subdelegadas sedes-
cobrisse um meio de n&o moner, ou urna
morte que nfio fosse morte, era um bem
soffrivel servifo a humanidado.
Devemos ter hoje piocisslo do glorilo
palriircha S. Jos, e j mi hoje acordado pe-
lo zabumbt di alvorada.
At breve. Siude, e com que se compram
os melOes cordiilmeote Ihe apete^o.
S. PAULO.
S. P.ulo, 4 de marjo de 1852.
INTERIOR.
r.r..l'r A' todo, os vicario e lulie de commandante do nono balalhao de infamarla, do o eiercic.o ao .cu c..B, -"-":_-
,, d. proTlocla, reme,tendgo cupial v.so conforme requisita, o marechal cominandanl deve propor um offlclal par. e.,carrgar-.c do
do.",n..c.mte::,,o.Se'ob.ro"..--'---------------B""" cidade do" R3 Forn.o... 'devendo ...., so..,.M
DEM DO DA 20. er levada em- conta noa preU e relcete, de
Offlcio Ao commando das armas, para dar moslra doduomez. Communicou-se aomei-
conveniente deslino ao de.erlor do seguudu mo ...rcchal. ... .
nauTo de cacadores, Joo do, Santo! Fer- Dito A' me.ma, .r.o.inllt.ndo a legund.
reir oue Ihe ser ap.osenl.ido. Co.ntnuni- via do avisn de urna Icllra na miporlancla de
cou-.cq. chef de olicia. 81 I|5no ... sacad, pela ihe.our.n. da fazenda
comando da l.i legio da ines.na guard* naci-
onal, vl.to .char-se (aidlodo fura daquella
comarca o respectivo cbrfd.
Dito ao director daa obraa publicas,
transmilindo copla do aviso de 24 de Janeiro
ulmo, no qual o ine.mo r. minisiro do
imperio, ao p.s.o que declara nao. Mr com-
pallvelcoma eilguldade dba fundo, coosig
no oramelo e... vigor a concessao oa
quantla de i6:939{200 res pedida para pin-
tura e de coracao do palacio da presidencia
previne de que opporlunamente -
era este
DitoAo uesmo, trans.nllllndo copia dn
avilo do ministerio da gerra de 3i de deiem
bro ulii.no, no qual ae determina, que a ca-
da um doa sentenciados gales, que esliverem provincia.
ollfoni, rs. sacaua pea niiun. i">. K.,...v -v ., -i-i----------- :.-, a rnr.
do nioGrinde do Norte .obre .dala, e a h- objeclo submellido ao 00OWdlBnt. *>**
vorde Francisco Ignacio Frrrrira Jnior. Ipo legislativo para que
determina, queca- Parllcipou-sc ao n.csmo presidente d.quellaj racao
tome em conside-
Dito A cmara municlqal da.ta cidide, trans-
--'-'- de
fanlaria do eiercilo. Igual cdpla rcinelteo-
ae a ihesourarla de hienda.
Dito Ao mesmo, inteirando-o de l.aver,
em vista de sua informaco, deferido o re-
o cx-cadete
r.l.n. prcsulcnle da reac.o. ,____- _,:j.a.
.io A" ...e.raa, inte.rando-a de haver au- Dilo Ame.ma, p.ra que de OO^rmMM
lorUadoo marechal, commandante dasarmaa, com a dellberasao lomada pela anemDieaic
efle.tu.r o con.ralo, que pretende faier o gislallva provinciallililM*0J"^'^
oldadodo bataluao I0. de Inhnlaria, Floren- pessa diplomaiaoitreiiuppleute. mal voiaoo.
Dito Ao mesmo, communicando, que, e- ao inesu.o marechal.
Dilo A' ines.na, communicando,
DE MARCO.
CORRESPONDENCIA DO DIARIO DE PER-
NAMBUCO.
ParahybaiQ de marco de 1852.
Bem esteris que foram os qutro .lias,
que mediaran) entre minha uliima epsto-
la, e a presente; e ISo esteris que qu.s.
d'esta vez fleo privido do gosto de escrover
Ihe, que, como por milhires de vezes Ihe
tenho dilo, he p.ra mim de um valor subi-
do; m.s como, qu.n lo h. bons desejos,
sempre app.rece um ou oulro .cot.tecimen-
t, que sirv. de enchimento a urna cirta,
que se encaminha a um ntigjconhecido,
lomo cor.gem, e entro em materia.
Em vista do eio-dio eseusado he dizer-
Ibeque os ll unhas, e que nada de novo ipresent.r.m
aos olhos do publico ; a nao querermos
precipitadamente cl.ssiOc.r como obra del-
lesum homicidio feilo por um soldado em
Conbira no.cto de preoder um dos desor-
doiros do cmsodi Sen a do Cuit, que ali se
chava foragido Nfio sei s circumslancias
d'.quelle heto, e por isso uflo posso dizer
se fui Clliojlsipcrversidade, ou de resisten-
cia ala pfrle do mor tu, contra quem seus
antecedentes altamente claroam. Melhor
iuformido, dir-lhe-helalguma cousa.
Foi dispronuneiado o individuo, queem
urna de minhas ultimas Ihe .lisie haver da-
do umi estocada como cabo .guiado de
una vssaoura n'um caixeiro de taberna,
publicamente, e quasi na frente d. guarda
da cadeia. Contava elle tanto com essa es-
cand.losa e revoltanle protecefio, quo lo-
grando evadir-se no flagrante, ao depois fa-
cilitou sua priafio. Por oec.sifio do pro-
cesso d'.quelle aprendiz de thugg houve
urna engracada oceurrencia, que nao sei se
poderei refen-l|com todos os-ffe-rr.
O promotor publico allendendo aqneo
individuo ati.ra o golpe ao peilo esquerdo,
e quo a nSo ser aparado pela victima com o
braco infalivelmenle seria moiL, vist a
violencia do gulue que Ihe alravessou o an-
te braco, classificou o crime em tentativa de
morte ; mas o a.lvogalo do reo, que segu
. e-mia dos que sustentan, que o instru-
mento do crime he quem o deve classilicar,
ei.tendeu, que quem quer matar nfio usa de
do. corpos'desl gu.rnic'ao o seguod sargen- cap.tao do porto. im,-,-.- nnhil ""mil"i "director do anen.I de gueir.
to Jos Nicolao de Ullvelr., que .qui.e.cha, I Uto- MlMMri***$!?"g *j&t dileDdo ficar .cenle de haver fallecido o Afri-
pertence ao primeiro regiinen.o de_.rl.lb.- 0.,to_t.lr.d,^di_l..!^^^^^ ia". fhr.de no.ue Julio, que ,e ach.v. em-
e nao ao. appreheadidoi, nao podendo por-
lanto ler lugar a Inlerprctacao dada favor
destes. ,
lito Athesour.rl. de hienda, communi-
cando, afim de que faca con.Ur a Jos Hrazl-
lino da Silva, que, com aviso do ministe.ioda
fazenda de 10 do correle, foi enviado i pre-
sidencia, o decreto de 6 do mrs.no mea, que,
revogaodo o de 6 de deieinbro ultimo, pe-
lo qual foi o mesmo llra/.ilino nomeado che-
fe de aeccao da ihe.ourar.a de hienda do
Bio Grande do Norte, o nomeia de novo se-
gundo eicripturario da ihesourarla desta pro-
viocia.
Dito A' mesma, para mandar Indemn.sar
ao director da. obras publica da qu.nl.a de
10/300 rei, que deipendeu coi o lapauun-
lo da janella. e purui do and.r terreo do
edificio dealinado para o curso jurdico, ali.n
de se nao e.lr.vi.rem o. maleri.e. all depo-
iudos. Communicou-.e ao me.mo director.
Dilo A' mesma, Inleirando-a de haver par-
ticipado o juiz municipal do termo de Goian-
na, Caetano Kstell.U C.v.lc.nie Pr.a, que
no da 22 do crreme pass.ra o exercicio da
v.r. de dlreilo d'.quella coniiiiarca ao res-
re.peclivo primeiro .nbslilulo em consequen-
cla de vir tomar assento ... assembla legis-
ativa provincial. Igual communlcacao se fe.
ao conselbetro, presidente da relaco.
Dito A' mean.., tr.nsmittindo por copia o
aviso do ministerio daguerra de 31 de Janeiro
uiii.no, do Sr. mlnitiro da hienda .utoris.cao para eqod-
la Ihesourarla despender a so.nma de 9:60u/0UO
r. com que liira augineulado, aegundo a la-
bella, que tamben, remelle por copla, o crdi-
to sberto A ela provincia no eaercicio de 1840
ilsAI.
Dilo Ao capluo do porto, communicando,
afiu.de que nao poob. embaraco algum, que,
segundo constou do vito que r.iuelie por co-
pia, de 2" de agosto do .nno pastado, te conce-
den llccoca ao visconde de Abraote. para man-
dar couduilr delta provincia 30 praochoe. de
vlnb.Uco ou.marello, de que precls. para a.
obras, que eit hiendo na praia do MUIofo.
Olliciou-ie nesie sentido ao. delegado, do
Rio Fort.toso e Serinhe.n.
Uno Ao director do arsenal de guerra, trans-
mHunda copla do avilo do taioUieri. da guerra
toi isando-a, de coofurmld.de com o que requl- communicando queI
litou o marechal co.nmand.nte da. arm.s, a lleco,,. >StSSSS^l^SS!S Lula
entregar ao commando do corpo de polica, melro escrlpturar.o daquella rep.nlcao,
nao h.vendo Inconveniente, a quanlla de i. denll"^"0'g"mm,ndle do corpo de folela,
3:644io20 para occorrer .o pagamento do. ven- Uno .*" cou". "',p r,,,,1,11.,,d0 da-
clm.nto. "relativo,.o. meze.de marco, juoho '^^J^^J^^^XTwB.
des.c anno do offlci.l e ...ais pr.cas do me, quelle ^SL^I^fJi^S^ltUM^
mo corpo, que .eacb.in dealacada. nacomar- UM. de lomar aeolo Mi",ei ,Dl* le^*c*'
...! ...TeELSi..... a_____a .... ,nmm. r la. provincial, como membro da mesma. -__<"
inonlcou-se ihesourarla da fazenda provln-
vada em conta nos prel. e relaces de mos-
lra doa .efe.-ido roces Coinmuoicou-e ao
...esmo marechal.
DiloAo director dai obra, publica., dizendo
que pode faier o recebiinenlo definitivo d.
da provincial.
DEM DO DA 2.
Offlcio Ao commando da. armal, tran.-
miitindo copia do aviso do ministerio da
obra da pintura da ponte da Boa-V.sU, cerlo d_ _, d_ ^ __, n0 aua, ,e
de que ue.la data se pede "dem a Ibe.ou- J |ceJoca concedid. ,, segun-
rar.a da hienda provincial para pagar ao rea- j doi tencnle, A., Antonio de Morae. Ancora,
pecllvo a.remauute a ....por auca da mes.ua; Flrinlno Herculano de Morae. Ancora, de-
obra. Offlciou se neite sentido mesma Ihe.
aouraria.
CircularA todos os juitea de dirello da pro-
vincia inu..ic.raes, promulores publicas e com-
iiiaudante da. arm.s, remetiendo copia do aviso
do mi Hialino da guerra de 13 de Janeiro ul-
timo, mandando proceder, na forma da le nu-
mero 631 de 18 de .eteu.b.o dn anno psssado,
contra a. pessnas, que eduzlrem soldados
para deerlarem, ou Ihe derein aylo.
DEM DO DA 28.
Offlcio ao Emn. preidente do upremo tri-
bunal de juitica, transmilindo i resposta, da-
da pelo juli de dirello da comarca do Bonito,
bacharel Caelano Vicenle de Al.neida Jnior,
aportarla que e .efere o offlcio de S. Ei.de
21 de deiembro do anno pagado.
Dito ao comandante da armas, remetiendo
por copia, o avilo da reparlico da guerra de
9 do crreme, no qual, nao s se determina,
que o offlclae, que e achao debitado para
com o cofre do cooselho do adnilnlairacao do
fundo de hrdamento do 4. balalhao de ar-
tllharia p, indemnltem o mesmo cofre,_ mas
u.nbem que e remella aquella reparlico o.
uon.rs do. membro., que servir.... no dito
comelho na occaslao, em que leve lugar o abo-
no hito ao fallecido capitao 1 ...dorio Jos Rocha
do Hrasil, a flin de se ordenar, que aatishcam
em raleio, o que ene ficou deveudo.
Dito Ao mesmo recomendando a eipedicao
de la. orden., para que no da l.*de marco
vendo este ultimo seguir para a corte no prl
metro vapor que pastar par. o Sul. Igual
copia remeteu.e a thetonrarla da hienda.
Dito -- Ao Inspector do araenal de marinha,
ditendo ficar Intelrado de ja estar no lugar
competente o maslro novo, que se mandou
collocar na fortalesa de Itainarac. Loi.imu-
nicou-se ao comando das armas.
Dito Ao iospeelor do alfandega, Inteiran-
do-o de haver expedido as conveniente or-
den, nao s ao commando daa armas, para sem
demora faier apresenlsr 3. Me. o destaca-
mento del2praca, que requisitou, para se-
guir com oa empreados da mesma alfandega,
para o lugar denominado N Senhora do U* ao
Serte de Ollnda, onde naufragou hoje a bar-
ca sarda Malilla; mas tambe. ao capitao do
porto,e ao commandanledos brigue escuna
Legalidade e Olinda. para prestaren os soc-
corros neceisarlo Ne.te sentido eipediram-
se precl.a. orden..
Dilo A thessurarla da fazenda provincial,
para que informe minuciosamente a cerca da.
hita., que, segundo consta dos respectivos
ponto., derain com caula no mez de fev.rel-
ro ultimo, alguo. empreg.de do consul.do
provincial, e daquella Ihesourarla, declarando
o modo porque justificaran! o. referido, eui-
pregados laca fallas.
Dito A mesma, remetendo copia do orna-
mento, que, era vista de aua Informaco, ap-
pruvou para a obra do acude, a fi
de motte C'est Irop fort: 0 promotor
nfio goslou muito da graca, porque entende
que iiuiic. foi esbulliaJo da posse, domiuio,
e uso de suas .acuidades otellecluses(o que
em rigor poucos pouem sustentarle,quan-
rJo leve de dar sua prutnocao, disse algumas
grabas, nSo la d.s de calibre grosso ; po-
rem Igum. cous incommodalivas ; .inda
que genricas, e sem pplicscilo determina-
da. Limentou que houvesse protecefio tfio
pronunciida p.ra aquella criminoso em
manisfest. offensa d. justif., e moral pu-
blica ; e flo.lmente disse, que fr. du uso
de sua. faculdades eslava quem quena sus-
tentar que um pao perfeil.mente .guc nfio podia, como qualquer outro instru-
mento perforante, produzir a morte, di-
rigido A pirte tfio nobre, como o peito.
Bocciquetal disseste! Irrilou-se o advo-
gido, reaiotio-se, e requereu que fossom
risc.das aquellas injurias, e oUensas. ute
que elle nem estiva constituido procurador
e neo assignou su.s respostts, pelo que el-
las flgurivam partir do proprio reo. O sub-
delegado processante, sem dunda pensan-
do mal, presin-s a delirir aquelle reque-
rimento, no qual suplicante, alem de oulras
cousinhss bem amargas, disse quo o pro-
motor nfio respellr. quem por lodos os
respeito Ihe er. superior e foi tfio minu
Coso oriicaritca, que ftirim chancheladas
t as palavras adiioijadu, e itibdeligacia lu-
das as vezesque all .ppareceiea. nada que
destacadas, e solilinas cumo Job. Serfio
injuriosas as pahvr.s advog.Jdo e subdele-
gado ? Se o sfio he mullo desaforo do cdi-
go fallar n'ellas sem Ihesaolepor ou pospor
com licenga.ou hilando com pouco ensino.
Dissn-roe o liante loiO da M..... que o
negocio est ilTeclo .o governo pelo promo-
tor que nfio goslou muito de ver estragada
pelas vandalieas mfios de um escrivfio sua
pee. de eloquencia. Se eu fora advogado,
d'ora em diante, se p.ss.r em jnlgado no
consenta, que como til me cn.missem, e
quem tivesse o arrojo havi. de ver-se com
um bom pan de v.asour., arma que d'or.
em diinle nSo deixo, visto que posso d.r-
Ihe pleno uso, sem ja mais ebegir a tentati-
va, d'oude comeQ.m os rigores do livrinho
alcunhado cdigo.
De muito que eu desejava descobrir um.
ara., que matando phisicamente, nfio sei se
digo bem, nao m.tassa criminalmente;
Kspcrava.no. hontem a mala da barca que
derla partir dabi a I. do correle ; chegou po-
r.n o crrelo, c a trouie cartas c jornaes .t
29, e anda isso nao pira lodos, porque a gene-
ralld.de dosassignantes recebeu joruaes at 27,
alguna o de_8 e rarsimos ode 29. Esta desi-
gualdade nao he conforme ao direito, e conviria
que a adininistraco and.ase em dia co.n a par-
tida dos corridos, para enviar o do da, como
he muito possivcl ahi, que as folhas diarias e no-
ticiosas liram-se do prlo madrugada.
Basta oa apuros em que nos, c das provin-
cias, no veno frequeolemente com a Irre-
gularidad do corrrios i quem quizer ter cor-
respondencia regular hade epor-r, mulls
vez, como eu, ou a u.n trabalho eicessivo
para ap. on.pt.-la, en. dial em que ha otilros
ahiere Importantes, porque, quando menos
se pensa sabe-.e que o crrelo vai partir dahl
a algumas horas ; ou hade ir preparando,
com ii.uita antecedencia, o que tiver de escre-
ver, para noser ommisso ou obrigado a rabis-
car duas linhas inulto pressa, e portanto sem
o necesario cuidado aue se deve ao rctpeitavel
publico.
Vou entrar bruscamente na ordem do dia, e
principio declarando que a cleicSo .euatori.l
que concluio-se hontem foi u.n espectculo
adu.iravcl e proprio para inspirar lu.nmoule-
reases a quem o regulo e.n toda as auas
phae.
Iiem quizer. achar um nome novo p.r. bap-
tlsar esta creacao do acs.o, e lilha da interven-
cao de inilli.res de acede, de todo o genero,
que oceupa oatte{o, ainda dos m.it Indifle-
reniet.de.de o principio desie anno.
Me u.n. misturad scjnas tocantes, alegre,
bufas, .li.-io.aii at e al trgicas, que se succe-
ilem Inopinadamente, as quaes polo que fi-
Iha urna, das oulras ou determinadas por
incidentea que occorrem co.n toda a n.turali-
dade, hria.n desesperar um literato se preten-
dese mi i n ir ene moottro horaciano s le da
potica.
Entretanto n3o he menos certo que he
esta a lealnlade, a se o drama, a come lia,
a tragedia, devem representar ao vivo o
que se passa, be sssim que devem ser fei-
tos, poique -he assiin que os factus se pe-
s.m. Sena bom ensejo para spreciar as
dispulas d escola romintle rom a clstica,
porcm isso me levaria tetras cst'anhas
em que nfio s .u vaqueano; e duvi lo que
os leilores me perdoassem a ezcursfio, que
interrompena a narraefio em qua, por cer-
to, mais inlmsssm-se.
llet i.naii.ln, pois, miteri. encelada,
direi que V. est habilitado para apreciar
as peripecias que lem hsvido; porque te-
nho tido o cuidado de informa-lo miuda-
menle do ludo qu.nto se lem passado des le
o romeco dest tleicfio.
N. minhs uliima noiiciei-lhe os inciden-
tes dominantes da occsi'o, que eram a
pul! i-1..-.; de urna circular ou manifest
sos eleitnres, re ligi-lo em nome do partido
saquarenia ( pelos refraclorioi, como sfio
chamados certos govcroisias dissidentes ),
edr-siinado a esclarecer e revoltar a cons-
ciencia dos eleitnres contra o que denomi-
na m impoiicjta do governo. Contei Ihe
tambem que .lguein assustara-se muito
com a vista deste documento remetti lo de
fra; m.s que deuois um poucj mais se
raiman, altribum io-o nicamente ao r.
Pacheco, como de.'larou a Aurora.
Cheo o dia fatdico: vinh.m esbisbai-
zos e ariscos o* [obres eleitores de fra,
ja suflicientemenle embarazados com as car-
tas, circulares, ele que receber.m, por
...mirra e segn la vi, cada umaixigm-
do cousa contr.ria. He realmente una en-
t.ll.(3o diablica psra o pobre roceiro ter
de decidir-se entre dous ou tres qoe que-
rem cada um urna cousa inconciliavel com
os desejos dos outros dous.
Agora o governo bradava : unir fileiras !
nada de furo ns chipa nfio oucam os refrac-
torios qu-i est'o secretamente l.g.dos com
a opposigfio. Os refractnos, por seu tur-
no, g.itavam: nida de impusieses o par-
tido tem ITeicoej e servicos a galardosr !
No meio desta b.lbordi. ouviam-se as
garg.lh.das dos opposicinnislas, e, de vez
emquando: muito bem feilo I .
.\.i reun.no prep.rstoia do cullegio d
capital reiuav. um. hypocrisii ioimit.vel :
quem visse a placidez de lodus os semblan-
tes, nao fana ideii das internas lulas que
itevaslavam aquellts consciencias atlribula-
das : to tos procuravam esconder seus desig
n'os: e apenas alguns mais chegados ao
governo e.halavam sua colera contra os
refractarios por meio deexclsm.cOes entre-
cortadas, e eslimulavam os poucos eleito-
loresopposicionistas (10) para descobrirem
seus designios.
fcsperava-se que a facefio governista .n-
nulaase eleicfio da fregueza de Sania in-
genia, epirece que com isso se contava ;
porm nfio sei quo santo melt"U-si no meio,
de son que o parecer da commissSo veri-
ficadora dos poderes deu ludo por bem
feilo.
Ouvio-se missa do Espirito-Sioto, e
ouvio-se i jmi..'ni o obrigado s rmfiu. O Dr.
conejo Ildefonso fui o'orador, e para dis-
p. i os nimos principiou declaraudo quo
nfio I i ii lu partido, que eslava sollo de todas
as alliaiifas polticas, e portanto s dira
a ver.lsde. NSo sei su o orador disse s.
verdade ; mas o que Ihe posso informar hr
que seu diicurso nfio leve outro lim senfio
demonstrar que os eleilores nfio d. viam
dar votos senHo em pessoas da provincia/
porque c temos muit. gente b, e que
era urna immoralidade, o ...es.no contrario
ndole do systema constitucional, volar
nos ministros do estado.
Kegressarain o. eleitores ao colleglo, e nao
pense que no trajelo nfio foram anda aba 1-
roados por ami'ao* extremosas que p.elendl.m
ler mal ablo do acabara de ser Invocado na mlaaa. Chega o
momento aupreme : rnUegam-M.illlU., con-
tain-ie e ch.m-se 54: o que sabir do. "-
nos da urna ? quaot lograeSo, meu Deo. I
quanla promesia violada, quanla e.peranca II-
ludlda!
Aflnal conclulo-.e a leilura das listas, e an-
da h"je eslao todo de bocea abena com o re-
sultado que ellas deram. O Dr. Pacheco, que
era o mais guerriado, foi o primeiro volado
co.n 43 votos; o Dr. Nenia, oulro euiioso. nua-
ti lauro., fra o Dr. Pires da Motta, e o Dr. Pl-
menta Humo ficou aupplenle!
Ninguem contara co.n emelhante resultado :
he ccrlo que tambera ninguem contava que a
opposicao eso peao votaste no Dr. Pacheco; po-
rm este mundo he urna tola, e quando menos
se pensa clamo, onde nunca penaavamo. que
e.l.riamn,
Deseobrio-se n/ii osegrrdo : o. eleitores de
Sanio Amaro, IiapecerioaeCulia, e mal algn
de outras fregueiiaa, que cottumam coo.ullar
o commendador Silva nesl.s occasles, ou por-
que elle se mostraste Indifferente, ou porque
o viste... diipoilo a nao aceitar a chapa, flze-
a.n prele, e votara... no r. Pacheco e Ne-
bia, escluindo os Dr. Piraeota Bueno e Pire.
d. Molla.
A vi.tar ni dcite colleglo he ategulnle: Dr.
Pacheco, 43; commendador Silva, 42; Monte-
nhor Ra.nalho, 4t; Dr. G.rnelro deCa.npo,
41 ; Dr. Fonseca 30; Dr. Pire d Molla, 25; Dr.
Nebias, 24 ; Dr P.uienta hueno, 23; Tobas de
Aguiar. 11 ; A. Pae de Harroa, 10 ; Dr. Ra.na-
lho, 10; II.ni un. de Toledo, 8; Machado de
Oliveira, 8; biipo eleiio, 7.
Nao sei o que se deva augurar da votacao do
collegio da capital: se a mitin. Influeocla re-
fractaria que a ella presidio eslendeu-se e ac-
clonou, em outros colleglos decididamente a
chapa governisla soffre derrota.
Mal acabava de escrever o periodo aupra,
quando chega-me noticia do collegio de All-
baia, no qual prepondera a oppoalco, tendo
28 votos, e os goveruisias i>. 0 Dr. Pacheco
obteve os votos da opposicao e a maioria do
governlstas: se march.m cous. .s.lm, o
governo ha de ter o detpraicr de ver eicluido
algn doi leus candidato..
iv.n eu Ihe dlise em u.na anterior, a propo-
tto da elelclo progincial, que quando meao.
te pents, e d'onde uieuot se etpera, vem um
autillo ou um revezque realaura ou abate nos-
at eiperancat O Dr. pacheco eslava perdido ;
mas te a opposicao Ihe der, como parece, o.
seus S40 votos, nao ba de ficar mal. Quem pen-
sarla que isto havia acontecer ainda ha bem
pouco lempo ?
(Carta particular.}
__________jltirnat do Commercio ).
PERNAMBUCO
liepartigo da Polica.
Illm. e Efm, Sr. -- Ntahutna partlcipafo
me tem chegado de fra deaU cidade alin da
que ae refere ao atieatado commeiiido por uiu
grupo linga, os quaes f>>ram rechacadoi pelo subde-
legada da povoaco, morrendo d'eutre ellea
doua iodifiduoi, !'cando um fet-do gravemeote
< um prisionelro, sem aollVer o menor prrjui-
zo a Torca d'aqu'Hle subdelegad: o que tudo
tivea honra de participar a V. Ble. por meua
nilici >s de hooieiu um com o outuero e o outro
sem numero.
Pela minha parte, e segundo aa ordeo de V.
K*c. v-Uio dad'is as providencias em ordem
previniese a repetif-o de igual atieotado.
Segundo o que boje participou-tne o delega-
do do primeiro dlstncto deste termo, neuhuma
oceurrencia desagradavel appareceu no dia l4
por occasiao da lesta da povoaco de Aplpucos,
onde costuma ser mui numeroso o concurso
do povo,
Participou-me o carcereiro Interino da ca-
deia desta cidade que cinco presos disientes
na prlsao da enaovia se apoderaran, da escada,
por onde se pode descer dita prlsao, e asstin
nppozeram-se que para ella fossem transfe-
ridos alguns presos, segundo a ordem queeu
dera hontem qusndo ein couipanhia do Dr.
promotor fi na cadeia a viaita prescripta no
artigo ISO do regulamento n. l2de3l de ja-
neiiode >84'2. Est o espedidas as ordens, afim
de que taes presos se sujeitem ao que foi de-
terminado ao referido cucere.ro.
Foram presos a ordem do delegado do pri-
meiro dislrictu Jos Anuncio porsuspeita de
ser desertor; e a do subdelegado do primeiro
disiricto de danto Antonio o FranceiNapoleo
Gabriel Bes, por motivo que ainda nao foi ira-
zido ao 'i cu coohecimento.
Secretaria de polic.a, 16 de mareo de 1852.
Illm. e K.iu. Sr. iNu recebi offlcio algum
das autoridades do interior, participando ac-
contecimento algum not.vel.
Desia cidade s consta terem sido presos, a
ordem do subdelegado da Boa Vista Domingos
da Silva Ferreira, por ferimeutos e otero Fe-
lii dosSaulos Ro-a, pordeaordem a uidem do
subdelegado do Poco,
Secreuria da polica, 17 de marco de ISO.
DIARIO DE PERNAMBUCO.
REGIFE 33 DE MARCO DE 1853.
A asiembl, depois de preciar um pa-
recer da commissuo de ordenados iodefe-
rinio a pret-ncao de HorBrio da CUDU
Moreira Altes, em que pede ugnunio de
urJonado, e have-loapprovadOi toma idn-
tica i. suiitiio icerc d etnendi ull .rcciJa
em toicoir. discusso 10 projecto que liza
a Torga policial, isto por deienove votos
contra treze.
I'..men approva em terceira dlscussao
o p.o/eco que supprime o comelbo de si-
lubridade; da maneira por que foi adopta-
do em sdrfuiidi.
Adii. pe. hora em terceira discussao o.
projecto numero dous, que transiere
sede di m.trii de Cimbres p.ra l'eaqueiri;
li.-aml tambem adJiado un requerimento,
.le quo se ojvisse acerca do projecto, a
infurmafOes o prel Jo dioceano, appreien-
lado pelo Sr. Aguiar, assiio como du.i
e ueudas so mesmo requenmeoto olTereci-
las pelos Sm. Paea Brrelo, e .noel C-
vj lean ti.
A ordem do di. pira amanbaa be con-
nn.iac'.o da de hoje.
Correspondencias.
Re., non verba
Que re mol fado, nao p.l.vru.
Sr. Rdjclor.
Foi, Senhor redactor, e.se o .rgumento f.-
vorilo do Senhur Dr. Sabino Olegario no
eu eicrlplo contra a allopalhia logo quo elle
aportou 1(111 terr. : re, non verba grltava
como um poneuo pela, ruaa de.ta cidade, c
na catat oude era chamado para curar, o Oou-
lor Ulegarlo contra o allopalhas. Rea, non
verb. rilo eu t.mbem .gota not ouvidoi dene
Or. arenegado: Sl.n meu caro Sr. Doulor
g.Usfct, rea, non verb..
MUTILADO I
J


mmm
Porque. Sr. redactor. t o Carneiro Leao
curando honiceopaihlcameiiie mala barato do
que o Doutor Olearlo. tem feito un aran,
de num'rodeeuiai. e por isao le lem deiui-
nuilo a civaica do Dr. Olegario, c se lheval
,.i,ranu allopatbka ilion le o i>anbo do
cobres, porque lanli suspira, e eom rai5o_o
noito Dr., visto que sein os cobres le uo
eouipram o meln, grita o nono Dr. aqul-
d'EIrel contra o Carnelro Leo, dlt que elle
he uin charlalo avenltirelro, que nao sabe,
nem pode saber a hotureopalhia, e esi sicrl-
Hcando a huma..Idade sua Ignorancia e co-
lilca. porque nao estuduu physica, chluilca,
botnica, paidologa, pliysloiogla, anatoma S
6- Clama por tanto o noaso Dr. Olciiarlo,
que uliguem se medique hointeopathloainru-
te eom o t.arnelro Leao, mas slm coin elle,
queestudou, e sabe a fundo ptiysica, chnnl-
ca, anatoma, pailiologia, physiol.igla, allo-
palhia, liomoeopatlila, hydmpatliia, c ludo
quanto acaba cm la-, e tem urna carta de
Dr. cm medicina, posto que allopitliica, e
rii.lini o poder de faicr da noltc para odia
doutores homosopathas, ou eulao, na falta
delle Olegario, patrlarclia da buinceopaihla
nena pruviucla, coin esses doutores de vapor
por elle feilos, e que coin elle aprenderam cm
poucos das, eiii poucas horas nieaino, todas
tas iclenclas, e materias medical, acabadas
mi la e sobreludu Hcarain sabendo a ho-
inceopathla em noine da SanlLiliua TrindaJe,
pailre, fllho, esplillo-iinto.
Ora, ineu caro amigo Sr. redactor, o nosso
Dr. Olegario le nao penteu intelraineiile a bo-
la, porque le Itievai escasseando o ganho dos
cobres, certamenie quer escarnecer do bom
semo dol habitantes delta provincia.
O dlabo que acredite neise arrenegadn Dou-
tor Olegario, nao eu, que nao quero palavras,
k iou do iei, non verba; e purtanto, vamos
ao re, non verba.
O Carneiao Leio, pelas loas dosel homceo-
patblcat leva daquelles que Ihe querem, e po-
dein pagar smente cinco mil res, entretan-
to, o liuuior Olrgaiio elige del mil res, e
quem 11.10 pinga os del bagos, nao leva vldil-
nho con agoa, eiio re non verba: o Sr. Caia-
nova, lambeiii tiuha urna carta de medico, e
porque ejerca a hotnccopaihia, e venilla ai
liiflnlteiiiiiaei inaii barato do que o noaso Dr.
Olegario, e Ihe diminuia o gaoho, lo.o este
Dr. gritou, que oSr. Cisanova hera um curan-
deiro, que nada pescava de inediciua, nem
allooatba, nem homceopatha, e que as suas
iuileslmars heram fjlsilicadas, que as del-
le Olegario, llu, erain as verdadeiras e bda,
porque custava cada vidriubo dei mil res,
eis o res, nou verba.
O 1..11 iii-iiu Leao, acode promptmieiile ao
chamado de qualquer infirmo pobre, ou rico,
conversa eom elle c ao depois leceitar, o nosso Dr. Olegario, po-
rem, replinpado cm leu consulloiio recolta
i ii -1 11 .i. .i i em lime da Sautlssima Trindade,
padre, blbo, espirito saulo, e uiiiDem em li-
me da un lina Trindade, enva os enfermos
dcsle para inillior mundo, c receba os des mil
riis de cada die, por caridade chrisl, e cj-
plillo evaugclico, eis o res, non verba: o Car-
nelro Leao, val ver os eufeimos de fura da
cidade seui elegir carro para coinluciio. e cm-
coenla, cen mil re, e mais pela vislia, o
i ...i r, 11., fai o nosso Dr. Olelo, que he
todo candade, eis o re, uou verba. O Cai-
ueiro Leao, cura as molestias cuiavels. o nos-
so Dr Olegario taubeiu cura as iucuraveis,
e ate resuscila moilos, eis o res, nao verba.
Em lim o nosso Dr. Olegario vende boticas hu-
inceopatbicas, livros, caderoos, poslillas sobre
a buuiceupalhia, diz aus compradores, ide.ein
uume daSauliiiima Trindade Padie, Kilbu Espi-
rito sanio, lede, e Reiris habilitados para ru-
ar, mal apeuai ie vaiu, declara o uosio Dr.
Olegario pelas folhas publicas, que eo el-
le e leu comparaos doutores de vapor, que
sabeiii luda el' inediciua que acaba em -la-
lao us nicos hibllitailui para curar liomcco-
paihicamcnic nesia trra de Ptroaiiibu-
co, eii o res, uou verba. Forte homem he
ernpre la biiearam najuitlcaque meaguarda-
va, a na lottliea do tribunal.
Quiii.lo ud Joven nacao con la trlbunin Ine-
bilavels un leu principele de recudi, J no
se pSem queslo eobre seu prngrcsio e nior.ll-
ilao, e eu no posso deliar de ooiijritular-me
eom os honrado! Pernambueaoia. porcontirem
em leu salo, lio reipeltavel corporacSo, a Uto
leja ieni ofl'enii i mili provincial,
O praier que me aeompenha, nllo he o praier
de quem veuce lem ter consclencla de bem h-
ver vencido he a latlsfscao de quem por meio
de um accordaove restitu'la sin reputicio, e
garantidos seu ben< pelo que tanto me apiai
escrever ritas linliis. Inualinentt devo em pu-
blico agradecer urbanldade coin que si m re
ful aqu tratado ; e o luteieise que por mhn lo-
niari.il iodo os in.iis amigos e arT icoado; e
cust'-me grande petar vcr-uie obrigado a vtd-
isr i minii provincia e asiim por falla de
lempo nao poder, ie nao por nielo da Imprensa,
dlspedir-mc de conhecidos ealguns .Qeicoadoi.
Recife, II de marco dr 1852.
Joo lose da Crin.
COMMERCIO.
PIUCA DO RECIFE, 23 DE MARgO, AS
3 HORAS l)A TARDE.
OT.c.ES OFrtCIAES.
Cambio sobre Londres: a 27 d., letras de 90
das diuheiro.
Disconto de lotns : de S e 6 mozes 1 p. c.
ao un'/.
ALFANDEGA.
Rendimento do da 23.....22:722,4*4
Descarrrgam hoie 24 de marco.
Barca americana -- Rouble finohi, pilen-
la e I'r II.
Brigue sueco Flix -- farinha.
Escuna ingleza -- MAN Cesar ferro ,
tiixas ecarvo
lliate brasileiro -Ugeiro- fumo e charutos.
I lll|IIMtlll,UI>.
Barca americana Rouble, vinda de New-
York, consignada a Rostron Rookor 6t Coui-
psnhia, mamfeslou o segunle :
319 harria breu, 1022 barricas farinha de
trigo, 60 saccas pimenta da India ; aos con-
signatarios.
CONSULADO GERAL.
Rendimento do dial a 22 .35:631,300
dem do da 23........4.415,168
40:056,468
DIVERSAS PROVINCIAS
i'liill iilt'iiln -1 illa I a 22
dem ilo dis23.........
3:418,141
F.X|>ortrC!io.
IliodaPrals peloAss, brisue portuguoz
Despique de Beiriz, do 238 toneladas, con-
luzi o seguinte: 3 saceos e i caixa va -
rus faze nas, I lata seunnles, 1750 harneas
tigos 24 e 27 da lei provinclil n. 286 de 17de
tniio do 1851.
As pessoal qoe se propozerom a esta ar-
remitir,ai) coiiiparer;afn na sala das sessdes
do menno tribunal, nos dial cima men-
cionados pelo neio-dia, compotentemente
hibilltidai.
E para constar se mandou aluzar o pre-
sente e publicar peloDuro.
Secretaria da thssouraiia da fazenda pro-
vincial de Pernambuco, S de mirc.o Je
1852.
o secretario,
Antonio Ferr ira .i'Annuncia5,1o.
Clnuiulas e 1.a As obras dependentes desta arrnmala-
(So serSo feitas d<< conformidado eom o or-
namento approvido pela duectoiii em con-
selho e apresiinlado nesla dala approva-
ello do Exm. Sr. preiidentn da provincia na
in.portancia de 11:584,210 rs.
2.a O irremolaule couiorjar as obras no
prazo de um niez o concluir noprazo de
um anno, ambos contados di data do tormo
de entrega d'arromalacSo,
3.' A importancia nesta arremilicdo se-
r paga de conformldide eom o art. 39 da
lei n. 286
4.' Para ludo mais que no est determi-
nado nal presentes clausulas seguir-se-bl
o que dispOe a lei provinciil n. 286 de 17 de
mam de 1851.Conforme.
O sectetirio,
_______Antonio Fermra d'Annunclicilo.
HBa1BaVBV9B^BBBi^BrVaeMaavB>aWBaj>OTi^MHH
Declarayoes.
2

el %
31 do corrente.e bem conheci-
do e veloz vapor Severn con-
mandante Yincent, e depois
da demora do costume seguir para os por-
los do Sul, para passagein dirija-se casi
di agencia : rui do Tiapicho Novo n. 42.
COMPANHIA BRASII.EIR4 DE PAQUETES DE
VAPOR.
O ibaiso assignado, agente da compinhii
dos paquetes de vapor, nesta provincia, faz
publico e especialmente a quem tiver de
embarcar esersvos creoulos nos vipores d
companhia, quer ellos vSoern compinhia
seus Srs. ou a entregar nos portosj que f'Z-
so necessario, uns e nutros, irem acompi-
3:296,813, hadosde passaportes ou guias d polica;
'21>38;dBvendo esles ttulos serem apresenlados
no escriplorio di agencii no icto do psg-
tni nlu da passagom, os quaes dapois de sn-
rem verilicados serio rubricados para oses-
cravos seren recebidos a bordo, fa7ndo o
abaixo asignado eom antecdenci este avi-
so, rcpetlido por esle jornal, eom o nico
lim de ninguem se chamar I ignormeii e
Je aviso que recebeo do
REAL COMPANHIA DE PAQUETES INGLE-
ES A VAPOR. ------ ~--------.....................~
EspiTd-se da Europa no da dotar pasmosa experiencia de engolir
Vrimnira ftrte.
Corda volante a (odi alturi do tblitro
pelo beoeflciado.
Segund parle
Umi modernissiina Polka aiolonil dan-
cdi pelo Sr. pernambuaino e 1 au uini Jo-
sephfna.
Terceira part.
El Saltero de Madrid,
Cinconeti eiomhola canuda em traga e
msica anloga celo beneficiado.
Quarla parte.
(.1 ande loi c .s de Hercules,
Pelo joven Alcidei mirinbeme Alexin-
dre lu/, na columna oly mpica Giratoria,
na qual executan seus trabslhos segundo o
systema do famoso Venitien Athlete do
grande ihe no de La Porte S. Martin em Pa-
r-, da msneirs seguinte :
1.a Ai duas cordas.
2.a Grande scena do defensor da Bindeira
nacional.
3.a A columm horisontil, representindo
Horacio ni ponte.
4.a O rapto de Gmimdes.
5.' O brir,o d'aco sustentando o corpo
eom umi mSo,
6 a O pe de ferro sustentando um enorme
peso.
7.a O grinde e arriscado voo de Hercules,
Mercurio e Zephiro, como deve verdideira-
menie ser feito, os quaes executarSo virii-
das Relegantes posicOei 10 veloz gyro di
columni.
Termimr o divertimento eom o espen
dldo quidro do
Moinho de vento.
N. B Em um dos intervallos o beneDcii-
em cumprimenlo 1
eom 12776 arrobas e 19 libras de asiucar, 8 |0 je janejr0. Recife 22 de mirco de 1852.
harria agurdenle, 3 diios e l|2 nipa niel. Thomaz de Faria.
RECEBbDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-' o capitao do porto desta provincia, tendo
RAES DE PERNAMBUCO. I de engajar grumetes e mariohelro. par ler-
RendimfiiIo do da 23..... 794,915 virem abordo da escuna Liudoja em lernco'da
CONSULADO PROVINCIAL. alfandega das lzendas, convld-a maruja que
Reanmenlo do dii 33.....K3SMM nbaureiejo duelra lervtr a "P*.rS";
. ]rem nesta capitana coin a inaloi brevinaae
ponivel.iendo o lempo do engajaineoto de 6
neiei a umanno. Capitana do porto de Per-
nambuco 22 de mirco de 1852.Rodrigo Theo-
doro de Freitai, capllaodo porto.
Do ordem do lllm. Sr. director geral di
instruccSo publica f*co saber, que aclun-
do-se vigs por abandono do professor a ca-
deiri de iiistruccio elementar do primeiro
grao di Faznnda Grande do municipio de
Tacaralu, S. Exc. o Sr. presidente da pro-
vincia a mandou por a concurao eom o pra-
uma espadi de 25 polegidii de compri-
meato.
Principiar is 8 horas.
Publicacao Iliteraria.
ELEMENTOS
DE
Homaopathio.
Sabio ,1 luz segundi pirte desti obra
composti pelo professor homceopithi Gos-
set Bimont. R'Cehcm-se issignaturas pan
a obra inteira a S,000 rs., no cotisullorio
bomceopathicoda ra das Cruzes n. 28. De-
pois da publicarlo di terceira parle, o prc-
co ser ofevado a 8,000 rs. psra aquelles
que nSo tiverem assignado. Nomesmocon-
sullono, ichi-sea venda ludo quanto he
necessario para o estudoea platica da ho-
mceopathia, ciimo seja : livros imprc9Sos
carga, passageiros e escravo* fre -
te, para o que tem exc llentea com-
moJos, trata'-ae na*ruaji Oadeia
11.'(O OU na praga, eom O Con-
signatario Manuel Francisco da
Silva. ,., i., ma.fi 11 a. 1 --.i
Leiloe.s.
-Domingos Bozano, far o ultimo leilAo
lioje 24 do correte ai 11 horas da manhla
na porta da alfandoga do restante dos ob-
jectos silva dos da barca Sarda Balilla por
intervenC/1o do corretor Miguel Cirneiro,
em presenta do vici cnsul de S. M Sirda,
eo Sr. JosSaporitti agente de seguro, de
vinho, vinagre, azeite doce, espriio do vi-
nho, um mastro grande e mais objectos da
mesma birca.
II. II. Sevift, a seguir psra Europa, far
loila, por intervcnco do corretor Oliveira,
do toda a mobilia do seu uso, a mor parle
quisi nova tanto de jacirand como do
amarello, consiitindo em safas, cideiris,di-
tas de balando o de bracos, mesas redondas
de sof e de jogo, commolis, spiradores,
mesi de jinlar, guarda louca, lavatorios,
mesas pan ongommar.camas, espelhos,tou
cadores, linternas, candieiros de globo, ip-
parelhos do cha, e pan mesa, galheteiros,
compoteiras, garrafas, copos, esleir de
forro, trem do cosinha, e outros muitos ob-
jectos assil necessirios: lerca-feirs, So do
correte as 10 horas da minhSa, ni casa de
sua residencil, litio do Sr. Elias Baptisla da
Silva ni eitrada do Arraial, eom entrada
peluda Cruz de Almas, junio 10 litio do
Sr. Angelo Francisco Cirneiro.
- Domingos Bozano, como nao podesse
concluir o leilfio de 18 do corrente dos ob-
jectos salvados da barca Sirda Balilla, con -
linuar por intervencSo do corretor Miguel
Carneiro, r em presonca do vlce-consul de
sua Magestade Sarda, eo Sr. Jos Saporilte,
agente do seguro nos dias 23 e 24 do corre-
te as 11 horas da manhaa na porta da alfan-
dega, e ao mesoio teinpo ir a leilflo I mas-
tro grande pertencente ao mesmo navio.
C. J. Astley & C. laro leilSo, por in-
tervencSo do corrector Miguel Carneiro,
sexta-foira 26 do corromo, as 10 horas da
manliSi, no seu irraaiem na ral do Tra-
piche n. 3, de oito caixas eom bezerros
envernisados, agullus, clcheles e mais
miudezas proprias do mercado.
__No principio do corrente mez desippa-
receu do Cf reda do Torno da Cal um boi
manco branoo, cioitnto, xifres grosios e
brrloi, ferrado ca p direita eom esti
marca CP, portlnoetlteao servido do tercei-
ro lauco di enrolado Norte; quem delle
der nolloli, ou astiji preto em ilgum cer-
Cado.innuncie pelo Diario para lar.procuri-
rlo e sitllrerer se qailqaer desp'l'. '
Aluga-se ou vende-se um siliocom ca-
sa de vivemli, no lugar de Parnameirim
adianto da Ponte de llfchi: quem o per-
tender dirija-se a travessa do Veras n. 15.
Ni ii -i=- do 12 par 13 sabio deste 011-
genbo Gararapes um crioulo do nomo Joo,
0 un os signa"* seguintos: bsixo, grosto,
bem preto, os ps grandes, chitos, desden-
tado til f unte, e tem a falla um tanto dri-
c.iiiq 1 la ; rogo 1 todas is autoridad, ei-
pilles de campo, o mais pessoas do pnvo,
que no caso de qui o encontr, o prendan e
fac.am conduzir 1 este engeaho Girirape
1 snu Sr.
No da 27 do crrante 10 meio da na
sala das audiencias do Sr. Dr. juiz mibici-
pil da segunda vara se ha de arrematar, por
ser ultima praca,um terreno eom umi ca-
sa terrea e urna meta agoa ealgumas bem-
feilorias, dovide eom a trave;a da ra Au-
gusta, que tu porteiro, penhorado por Matheos Auslin &
Ccmpanhia contra o Sr. Mmoel Fnncisco
Cuimar.l'i.
Mathin Jos Gomes, retin-se pan fon
do imperio,julga nodnvera esta pnca; po-
rmie por acaso alguem se julgir seu cre-
dor a presento sua conti no priso de 20 diis
que depois de veriflcadi seripromotamente
satisfeito e igualmente pede aquellas pes-
soa que anda Ihe restim algumas piquenal
quaHtias haja do o'indominsir no mesmo pra-
zo para evitar mais trabalbo
Publicaco jurdica.
Sahio 1 luz e vende-se por f.OOO rs. ni li-
vnna da prar;a da Independencia ns..6 n8,
o ndice das materias, 11 quaes lem appli-
caco a legislar;ao patrii promulgada at o
lim do anno de I850,eoordenada pelo desem-
bargador J0R0 Joaquim di Silva ; este ndi-
ce ou repertorio facilita a todas is pessoas
empregsdss ns justica, e em geral todo o
cidadSo brasileiro o meio deconbeceri le-
gislarjilo promulgada, n as decisOes do go-
vor no al o IIin do referido anno, abrangeu-
do iguilmento as disposicSes das leis anli-
gas em vigor, alvars o asseotos da casi di
S'ipi'lirac.io.
- O abaixo assignido nSo ichi expros-
.4 *v
O corretor Oliveira Tira l<*iUo em'unv
s loie'prurdemdeJol.nVV. Peed, c.pi- soes co.m q"? possa devid.menie igridecor
Movimento do porto.
Naviot entradoi no da 23
Liverpool -- 29 das galera Inglezi Bonita,
do 299 lonela las, cauitao \V. Wellcox, e-
quipigem 17 Carga faiendas ; a eane
Youlle & Coin a.......Seguio para os por-
tes do Sul.
Babia 13 dias, barra ingleza Anaelina, de
481 toneladas, capillo James Me Lean
piobis.
h'avioi eahidos no mesmo dia.
Rio de Janeiro patacho brasileiro Alegra,
meslre Antonio Enren Gustavo Gil vilo ,
carga assuear o azeite ila carrapalo. I'as-
- ij.-ir 8ehastianna Maiia da ConceicSo o
17 cscravos a entregar.
Vennza patacho hollandez Mara Sopbia, I
capitOo M 1,y/.o, carga lllUCir.
IIIEAIllll DE APOLLO.
Quarta-feira 24 de marfo de 1852.
BKNKF1CIO DA ACTRIZ CAROLINA
UELP1DIA.
RECITA EXTRAORDINARIA.
Depois que se hija ezecutado urna bella
capitlo Kelley, carga assucar.
Obiervaflo.
A barca ingleza Kairy ijoeen, fundeou no
lamoirifii paraacbar .le c^riegir.

EOITAES.
fall L> I 'I iT'i';leai/'1*iVil'':',''4I,i r v
Liverpool pelo Ceara galera ingleza Bella, e escolhid ouverlura em grande WObMtra,
subir peh i.rimeira vez seem o lindisn-
mo VAUDEVILLE em 3 actos, ornido de
muzica, que se denomina
CAMO'fiS D BOCIO.
Personal/.. e actores.
O desconhecidoo Sr. Telles.
" Cemoes, corregedor do buirro do Rocoo
olTieial-maior servindo de sr. Cosa.
do nome
de Gregorioo Sr. Guimaraes.
SeblItIBo de Arruda, juiz da Vinloni do Al-
inargemo Sr Souna.
Lourenro Gtuietro, capilao de ordenmcis
o Sr. Jor^e.
- O lllm. Sr.
inspector da fregu"zla ila fazeiua provm- Oiniz homem esludanledebaixo
eial, em cumprimenlo da ordom do Ezm.
Sr. presidente da provincia, man la fazr
publico, quo nos dias 20, 21 o 22 de abril
prximo vimlouro, ir a praca para ser ar-
rematado, peranto otribuual adininistrati.
vo da mesma thesou'aria. a quem por me- Jianoel Esleves, procurador da Irmindade
nos (lier a obra do acude na villa deCiruar j de Nossa Sonhora do Amparoo Sr. Ki-
avaliada om 4:080/098 ris. gueireJo.
A arremalkcao sen leila na forma dos ar- Rarlholomeu Sapateiroo Sr. Santa Rosa,
tigos 24 e 27 da lei provincial n. 286 de 17 11. Anlonia do Menino Dosa Sra. I)
de inaio de 1851, e lob as clausulas espe- ; Joanoa.
ciics abaixo copiadas. | Msriatini, lilha de SebasliSo1 henefjciid
esse doulor arrenegado, porleulo de saber em
medicina Forte laiedor de doutores hoinrco-
palhas de vapor Oulro ollicio Sr. i)r. Olega-
rio, veja nao Ihe salicn o paluscos as au-
cas, e o dcixem complctamcule deicadciraduj
va para a Calhforiiia onde ha inuilo ouro-
M.ii caro amigo, Sr. redactor, scuiprc me
Oi.'.i. miuha av, nunca de mo mouro, bom
chrisa; e por isso di^u eu nunca de mo
allopjiha arreuegailu, bom boiuccopalha.
Adeus amigo, perdoc a inataaila, e sobre
ludo evite de cihir uas garras Jessc pedante
doutor ,11 i.M.ic ..l que mullo bom pode laui
bcui eiu 11.ou, Ja Saiiiir>ima Tiluade, inau-
dar-vos hou.0PO|.alhticaiucute faxer viageiu,
deste para uielhor muiidu, cixaudo todava
j<. 1 caridade o voiso bolsiculu rcdusido no
artigo diuhlero die inlinilesiiiial.
Seu cuuslante lelror, c amigo:
O Vtjttaiitc.
Senhoresredaclores Lendo por easuali-
dade o EcAo Pernamoiteano n.56,nelledp.re-
do eom urna conespondencia i'um dogradi
da liba de Kernando. padie Franci>co Po
Kerroira Campos, queixnndo-se IniultUOU-
mente do ex commandanle daquella III11 o
digno lenenle coronel JOlMarll Jacoinu da
Yeigi Pesaoa ; e como estoja bem cono dn
proceiimento que ello leve all, duranloo
lempo que presidio, sondo a sua falla anda
boje seiilida naquelle presidio pela quasi
lotalidade dessn lugar, tifio enumera ido um
padre l'io, que. nao havoudo janais coman-
dante do seu agrado, faltando-lho a so hor-
iini 0.10, como proso, quer do toda forma
manchar a reput tal vez tvesse por vezes retido os seus im-
moderados caprichos ; e que cump io a-
quelie cargo por oais de um anno sem a
menor quebra de seus deveres, e honra,
cumpre-uie desacarretar qualquer odiosila-
de que queram-lne imputar, declarando
que laes fictos allega ios por esse padre
l'io conl-a o mesmo ex commandanle, nao
sao mais do qoeum meio pelo qual distraa
das vistas do publico o bum conceilo de que
gusa o lente coronel Jos Mara, sendo
notoria a sua vida publica ; e que s procu-
ra desta surte desacreditar o seu governo
naquella liba, incutindo em sua coriespon-
dencia otos particulares incapasos de coin
ellos conseguir o lim sequiosu de mncha-
lo eom laes calumnias. Esse padre tem por
costume presenil ir, ( retiro mo a sua car-
ta ) todos oscommandenles, que vam ter
quella liba, e esse, como agradecidos nc-
ceitam os seus brindis na encertesa da in-
capacidade desse padre, o que he bem falo-
ral, ssim elle procura ganhar affeic;lo de
lodos eom estas falcas hujulacOes pira eom
mais implido poder prevaricar da bondaJe
le cada um ; e por lim, nHo da-so milito
lempo reverte ludo em grandes indisposi-
coes, como justamente acaba de sucoeder
eom o ex con.mantlante, e lia de suceder
enm todos que nao conhecerem la alia in-
solencia.
Ello he incapaz pelos seusnotiveis feito
na quella ilha o procodimento relaxado, e
mesmo indigno de ter rnlnco eom qualquer
pnea, quanto miis cbm pessoas gradas
Na perrencao cm que vive esseimmoral pa-
dre Pi so procura indispor os mimos d'a-
quelle lugar eom vis calumnias e falaag in-
trigas. Assim o publico sensato p 1 era ava-
liaro quanto dista de suas falcis accusudes
o tenante coronel Jos Maria 1.001110 da Vei-
ga Pessoa pelo conc-io qne gosa geral-
mente.
Queiram os Srs. redactores Inserir em seu
coneeltuado jornal is toscas liuhas de leu
nonstiate Uilor.
O luticciro.
C na Ierra juuica que be justa, he lera du-
vldi a justica de Daos ; c Dos suneos a tidos
os hoiuen* qoe a pratleam. A djecieao do pleito
cine me reo?eu Naeoel Carlos Godinha, ser por
SJSSfi^ffd^S^^ .efflgiedeSM o imperador o hymno n-
ebono de.ua honra a Ulu.tr.rla ..bedo.i.. Te ir a praca para ser arremalado, perinte ciun.l. Al quadras serio canudas pela bar-
Todas eieucinlos sio Inferiores >o> .ctos de '0 tribunal adojinistraliro da mesma Ihesou- moniosa voz da Sra. D. Carolina Helpilia
uratribanal qu.nrlohe assim justteeiro sraslsl.,.:. ., ,,u,im nur menos lizer a obra do se- e a joven Josephina, e o coro pelo resto da
if"lorei.l.id.MmeM,poraereindeume^^^
i-'w",un"n edetodoo imperio, a reapelie da probidad* de ,*"u >> 5*,^1U n.,o suu aa ususui ooi>o ,,'... r,rjnf,i.r n Hfllttinte dlvertl-
meus honradoi jaig.dorcsTucrn ,e d,7.ia,n, e 1 ciies ab.ixo copiidii. orchestn principiara o seguinte oiverti-
bem dliia eu.. e tod.s ai minh.i perocas i A arrematecaoser eila na form dos ar- menlo .
timpai, para os curiosos em bomcoopalhia. fsrjr|hl|. quirti-fein, 24 do corrente, ao
Roga-e jjiienhores^iss^goantesoob-, mejo la ero poni, porta di issociaco
Cummercial desta prict, onde os prclon-
detites podem examinar o respectivo inven-
tario, ou anlectpidamunte tanto esle, como
o oalo do mesmo patacho, a bordo, no lu-
gar onde se acha fundeado.
Avisos diversos.
tequio de mandar recebar soui exempla-
res no consultorio homosopilhico da ra
dn Cruzes n. 28.
ThATAMENTO HOMEO-
PATHICO.
OS MOLESTIAS VKikre.S,
s conselhos ios doenles para le cnrirem a
si mesmo, sem precisaren) de medico,---------------------------------------------------___
HOpr0,,t:"S O <=""lho ^ *&o do
Sahio a luz eichi-ie vend no cnsul- banco de Pernambuco, convida aos
torio hoiucBopathico, da ruadas Cruzes o. senllore8 accionistas, para se reu-
28. pelo proco do l,ouors. i
Histoiia Universal nirem emassembla geral, no da
ii sum i a para uso das escoliscommuns 5 de abril, ao meio lia, na sala da
Estados-l dos da America do n e associacao commerciiil, no largo do
para dar compn-
determina o aitigo
or Pedro Porleyv traduzida parauso das _
escolas do Urasil pelo desembargedor Lou-' dorpO Santo ,
reojo Jos Ribeiro i subscreve-.so na livn- me|0 a0 tmf
ria da praca da Independencia ns. 6 e 8, a ...
cinco mil ris por c.di extmplar eucader- 3a dos estatutos. Ilecile ,^ a i de
nado j mar90 de i52. Pedro Francia
co de Paula C'avalcanti dfl Albu-
Avisos maritimos.
Para o Ai acal y pretende seguir viag'm
nestes 15 dias o biale Capibaribe,mestre An-
tonio Jos Viaiiiin porja ter a maior parte
da carga ; para o resto ou passageiros trata-
se oa ra do Vigario n. 5.
U brigue escuna nacional
Ol
querqiie, presidente. Gervazio
Gonralvesdi Silva primeiro se-
cretario.
Apessna que Ihe faltar ums fizendl que
mandou levar por um preto ganhador: di ri-
jose a (i n; da In lependencia n. 1, que
j dando os signaos certos 1 he ser entregues.
As pessoas que se propozerem a esta ar-
riMiialnoan oo.ii..ar.'c..ni na sala das sessOes
do mesmo tribunal, nos dias cima men-
cionados pelo meio-dia, competentemente
habilitadas.
E para constar se mandou allisar o pre-
sente o publicar pelo Diario.
Secretaria da thasouraria da fazonda pro-
vincial de Pernambuco, 22 de margo de
1852.
O secretario,
Antonio Ferreira d'AnnunciacSo.
Clausulas etpeciaet da arrematando.
1.a As obras para a construyo de um
ii ii In na villa de Caruar serio feitas de
con
pro
E
l
mezes a contar da data da arremataco.
Ilomens do Campo, olllciaesde justica ele.
Po lim do .Iran, a bein-lici.ua cantar a
intereisante modioha brazileiri, exlraid
da bella opera norma
U Convite amoroso.
Seguir-se-ha a jocosissim fnrea
(> Morgado de bota abaixo.
Na qual o insigne actor oSr. CuimsrSe,
em obsequio heueliciadi far um bello pa-
pel em caricato.
Terminarlo expecticulo eom o duelo
A Sentinella da Cadeia.
He esle o divertimento qoei beneficiada
inda, de que he capitSo Manoel | A mesa regedora da irman-
Marciano Ferreira segu para o da,,e do Divno Espirito Saniocen-
UO de Janeiro, ate o lim do pre-j vj,, iodos os seus irmAos, para conpare.
sent mez, ainda recebe altruma cerem do di M do corrente pela dan ho-
. r ns da lar le, no consistorio da mesma ir-
carga muida e cscravos a Irete, aos
quaes oiTerece os melhores coai-
niodos : trata-se eom os consig-
iii.ni la i.' alim de aeompanhsrem a piocis
silo do Sr. Rom Jess dos Passos, n a mes-
ma pode aos irmSos que tiverem capas em
seu poder e nao poderem acompanhar, da
n, 27, c no da do expecliculo no lugar
costume.
3.-0 importe desta arremstacJo sera dos inler,i03 ben(inciidi ir
pago em tres ,,resUC0es da m t.eira se- nmtMM rccel,er a cota que seus pro-
r^J?i?-.^!!^arf!i0.,?!;W!?I0i?.^d-^: lectores Ihe queinm dar.
Principiaras8 horas.
TEATRO OE S. FIIANC1SGO,
l)IA25 DE HARgO HK 1852.
a repartir;io d>s obras publicas Grande e pomposo espectculo em
leaencia de tnnla das, odia fixo j
honra do anmvenarto ao jura-
mento d coii'tituicu do impe-
rio do Brasil.
Tendo a cu i. pan ti i a Robert, destinado io
5." Pin tuJo o mais que nao estiver es- artista Alexandre Luiz, primeiro Atcides
lor total quando tiver concluido meta.te da
ubra ; a segunda igual a primeira depois de
lavrado o termo de recebmenlo provisorio ;
a tercena llnalmente do um quinlo depois
do recebmenlo definitivo.
\.~ O arrematante ser obrigado a com-
municar
eom anteced
em que tem de principiar a ex-cutar as
obras, asiitn como trahalhari segu lamen-
te a esso duranto 15 dias -.lindo que possa
onngenheiro encarregado da obre, assistir
aos primnos Irabalhos.
pecidcido uas presentes danzlas seguir-
se-ha o qiib determina a lei provincial n.
6 de 17 de miiode 1851.--Conforme.
O secretario,
A. F. d'Aoouncisco.
O lllm. Sr. ollicial-maior servindo de
maranhense, odia 25 nara seu beneficio, o
dito artista como brasileiro julgou faltar ao
mais alto dever se n.1o dedicasse a boa exe-
cu(3o dos seus Irabalhos recordac,9o de
um lao egregio dia sompre apreciado por
todos os brasileiros, e pan que nada falte
nsoeclor da thesouraria da fazenda provin- de pompee brilhinlinno nene eipectaculo,
ciai em cumprimenlo di ordem do Exm. o beneficiado conseguio por obsequio quea
Sr presidente di provincii msndi fizer comuanhia do Ihoalro de Apollo cinleinte
natarios Macbado &C Pinheiro, najas mmdarem entregar ao irmSo thesuureio
ra do Vigario n. 19, segundo an-
dar, ou eom o referido capito na
praca do Gommercio.
Para o Rio de Janeiro perlende lahir no
dia II do corrente o brigue brasileiro Sagitario
por ter a maior parle do seu carregaminto
promplo; para carga pasiageiros ou cscravos a
Yete trata-ie na ra do 6'ollegio n. 17, legun-
de andar ou abordo coin o capilao Joo de Ueo
Perelra.
Para afiahia.
Segu eom i miior brevidade possivel i ve-
lelra e bem contiecida escuna brasileiri Ade-
liide : quem nella quizer carregar dirija-ie
ra do Tripiche Nov n. 16, segundo au-
llar, ou ni ra di Cideii do Recife n. 23.
~ Para o Rio deJ.nciro, segu coma maior
brevidade a gallla SS. Trindade : recebe carga,
pasiagelroa e eicravoi, tendo para ludo bons
coiniuodos: na la do Vigario eicrlptorlo u.
II, t. andar, oucoino capilar. M.v.
Marenbo e Pura.
Segu em poucos dias o brigue eicuna Ar-
celiua, para carga e passigeiroi, trata-se coin o
consignatario Jos Baptisla da Fonseca Jnior:
na ra do Vigario o. 23, ou coin o capilao na
praca.
Para Lisboa, a galera portuguoza Mar-
garida, capilao Silverio Manoel Heis, sahe
eom a maior brovidade possivel, recebo car-
ga a frele e paasageiros : quem pretender ,
dirtja-se aos consignatarios Oliveira IrmSos
& Companhia, na ra de Apollo n. 14, ou ao
referido capito.
Para o Porto sahe eom minia brevida-
dde a galera porlugueza Bichronse, de
primeira marcha, da qual he capito Ro-
drigo Juaquim Coreia, par carga ou passa-
geiros, para os quaes lem os mais asseiados
commodos, trata-se eom o cipito na pra-
ca ou coto Jos Uoreira Lopes: na ra do
ijueimado n. 29.
Para o Poito leguir li no fim do cor-
rente mez bem contiecida barca porlugue-
za Santa Cruz, capilao Mmoel Fnnciico No-
gucira : recebe carga, e tem escollantes
comtrodos para passageiros : trata-se na
ra do Vigario escriptorio o. II, 1. andar
ou eom o capito.
Para a Baha.
Segu eom brevidideo novoe veteiro hie-
lo nacional SANTA CHUZ forrado de cobre
para o resto da carga Irala-ie ni ra da Ci-
ateta do Recife n. 23.
Para o Mo de Janeiro, se-
gu viagem, a barca nacional Fir-
meza, pregada e forrada de cobre,
e de muita vele ir,i marcha : para I
na ra do Queimado u 7.
-- Precisa-se alugar urna negra para ser-
vico de urna casa de pouca familia : a tratar
na ra lirga do Rnzario n. 26, luja de miu-
dezas.
-- Osherdeiros do fallecido ASbnso Jos
de Alhuquerque Mello,previn, a quem con-
vierque sbreos sitios do Alto, Poco das
Pedras, Batalha, Braga, e JordSo na Boa-
Vii. ;.'in, de que se diz sonhor o escrivSo Mi-
guel Archanjo Poslhmo do Nascimento, e
alias sao per.encentes aos musmos herdei-
ros, pende litigio importante, o por issoel-
les se aprassain om fazer esle aviso, afim de
que alguem em boa f oio seja illudido, ef-
fectuando qualquer contrato millo, e donde
Ihe possa provir graves Irabalhos e iocom-
mndos, visto como desde ja protestam pro-
ceder judicialmente contra quem quer que
for, e haver Ihe os rendimentos, perdas,
dainos, e todas IS despezas resultantes.
-- O abaixo assignado faz setente ao res-
peiUvel publico que ti-ndo em seu poder
urna letra da quintil de rs. 556,250, sacada
por James Hay.ter & Conipunliis, e aceita
por Goocalves & Ribeiro, a vencer em 31 de
julho do corrente anno, cuja letra fol des-
contada no cambio do Sr. Tihurcio Antonio
de Oliveira, eacha-se emlocida pelo mesmu
senhor, acontece que a lenha perdido, e por
isso previue aos mosmos senhnres de nao
fazerem transaccSo alguma cun dita letra,
e nem pagarem senuo ao abaixo assignado.
Jos Narciso da Silva.
Apessna que achou urna cirteira eom
umi escusa de primeira linha dentro que-
ren lo restituir: dirija-se is Cinco Pontas n.
4 que ser recompensado.
Albert llidoux, lithographo ra
Nova n. 6), primeiro andar.
Tem a honra de participar ao respeitavol
publico que acabuu agora de abrir urna ten-
da de lithographia, aondo s achara de hora
em diante promplo para satiafazer i todas
as encommendas pertericenlesa seu ollicio,
s. ja como letras, facturas, carias circulares,
biibetei decasauont, baile, e visitas, eti-
quetas de todas as modas, quadros, msica
e armones ele. etc. Etica rrega-se ti ni bem
das impressOes deouro. pratae cor.
Ama deleite.
Precisa-so de una ama deleite, que seja
sadia e lenha muilo bom leite para criar nm
mininonascido a pouco, paga-se bem: na
Caponga em urna das cusas di Sra. viuva
Lasser, em que mora Antonio Claudino,
Aluga-ae um armasein, mi casa terrea na.
mas seguimos: travesa da Madre de Oeo, A-
iiioriin, Muida, Lappa.ou Costa; afiliar no lar-
go da aisciublcau.il.
ii.o iti s dssu um publico tesiemunho de
seu reconhecimento; o que taz por meio
deste jornal, rugandn-lnes o queiram des-
cul.i .1,-0 eom io oliendo sua modestia. Se
oabaixo issignado se julgaiie eom ilgum
presumo, rogara a seusinclytos bemfeito-
res de dispOr delle como Ihes aprouvesse;
poriii, conhecendo mu bem que pin mdi
servo, limita-se a fazer incessantei e fervo-
rosos votos pela sua feliridade e daquelles
que Ihes sao caros, ficaudo-lhe o maior pe-
zar de, j pela elevadi posic9o de aeus il-
lustres in' i I'-iloros, ja pela mesquinha sor-
te do abaixo assitinauo, nao Ins polerdar
a menor prova do seu eterno reconheci-
oiento.Gervasio Elysio Uezerra Cavalcinli.
II. sappareceu no dia 21 do correte de
bordo do patacho btasileiro Alegra, o preto
de nume Francisco; hecosinhoiro, estatura
luisa, magro, lem signaes as costas do
Mitigo, ps cambados, pouca birba levou
camisa e calca azul, chapeo de palha ; cons-
ta que osla acuulado em urna casa no becco
lago : quem o pegar pode leva-lo a casa de
Novars & Companhia na ra do Trapiche n.
34, quo sra reco upensado.
-- 0 hacharel formado, Jos Joaquim de
Miranda Hurla, actualmente estabuiecido ni
corto, eom oic.iplorio deidvogacn no lar-
go da Ajuda, oQerece seu pie-tuno ao res-
p-ilavel publico, e eom espocialidade aos
seus amigos desls provincia, pira qualquer
encumbeucia inherente a sua profisso; as-
sogurando aos que o honrarem coin suas
ontens, toda a dedica^u e zelo no desem-
penho das mesmas, e a melhor vonlade para
os particulares de quo for encarregado.
Quem tiver cotilas contra o barca iogle-
za Fai.yIJueu, capiliJo Henry Richardson
arribada a este porto na sua viagem de Cal-
cuta para llublin, queiram apreseuta-las no
consulado britaunico at o dia 21 do cor-
rente, para serem pagas.e depois desta data
no se (cara responsavel por cunta alguma.
Acha-se fgido o escravo JoSo de An-
gola, caiador e canociro, e bem conhecido
por JoSo pincel: quem o pegar leve-o i rui
da Alegra, casa n. 34.
Contrato dis carnes.
Par melhor andamento do servico dos
acougues, precisa-se de pessoas que saibam
tilhar a carne, pagando-so a razSo de cem
ris por cada arroba que picaren), tendo
principio no primeiro de abril prximo :
quem estiver nestas circumstancias pode
apresentar-se a qualquer dos administrado-
res dos diversos acc-ugues do contrato, eom
as fimeas do costume.
-- Ramoicc Companhii, embircioi pin
o Rio de Janeiro a sua escra va parda de no-
mo Angela, de idade 18 anuos.
A pessoa que apanhou 2 frangos mes-
tifos da India no dia 22 do correte, haja de
os sol ir ou levar a ra das Larangeiras n.
9, se nao quizer ver seu nome por extenso
iiesin diario, pois ha quem os visse pegar.
- Napolelo Gabriel Bez, embarca pan o
Rio de Janeiro oa seus escravos Luiz eClau-
dlns,ambos creoulos.
-- Teudo-se mudado o hotel commercio,
avisa-so aos freguezes do mesmo que por
esses das dit ijam-se a quina da rus di Flo-
rentina que vulla para a ra de S. Izabel quu
so. a.i servidos coiu promptidao.
Precisa-se de urna boa ama de leite:
em i.ilinda, no sobrado da ladeira da S, es-
quina da ra do Bom Fim.
Amonio Ricardo dn Reg, embarca pa-
r o Rio de Janeiro, os seus escravos, Joan-
na, Anua, e Clara, pardas; Arcbenja, e Ro-
drigo, creoulos.
Andrade de Janeiro, o seu escravo Joaquim, de na-
ca o Angula.
-- Aluga-se urna casa terrea, ni ladeira
da Misericordia, em Olinda, pintada e pre-
parada de novo: a tratar na la de Matliias
r'erreira n. 28, ou no Recife, na ra do Mun-
do Novo n. 30.
Na ra do Caldereiro n. 56. iluga-ie
um m..loqno croo ,|.i, do 14 anuos de idade.
-- Quem precisar de um menino, pan
caixeirode loja de fazendis, ou miudezas:
dirija-se ao Passeio Publico, loja n. 11, que
se alianza sua couducti.
A ptssoa, que pelo Diario de
hootem se mostra t5o anciosa, em
saber a residencia de Firmino 11er-
culaoo Baptisla Ilibeiro: pode di-
rigir-se a ra Direita n. 3a, pri-
meiro andar, ou a ra da Gru
n. iS.
-- Miguel Joaquim di Cost, aubdito por-
tuguez, v-.i i Lisboi.
A
^ f
i
-*
MUTILADO


asar
nr
O Sr. Joflo Jos do Reg, ou a peisoa a u-
torlsada-a cobrar os foros da ra da Alegra,
pertencenie o Sr. Dr. Luii de Boaventura nuncio que o Sr. Jos Joaquim
Salerno : anounoie sua inorada, que ae lhe| da Silva Maia, fez inserir em seu
desoja fallar. i re
~ O aenhor cobrador dos foros, perteu- Jornal n- o:> em resposta ao aviso
oentesa capaila d Nossa Senhora da Con-'que lhe fiz, para vir em niinha lo-
ceicflo dosCoqueiros da Boa Vista : queira ;' __ _... I- o- li ._
annuneiar a sua morada, que se lhe destja JB na ru,a do WPO n. 8, pagar
'Mar. loque a longo tempo me deve, e
- OSr. JoiquimdeSouxaTeixeira.quei- como dewin mir- n rrumpitavr-l mi-
ra apnarecer em Olinda, na ra de Mathias *eseJ 9ue re8Peltave.' P"
Ferreira, sobrado n. 6, alra de pagar a quan-, Mico lique a par da veracidade
lia de 43.180 ra. que desdo 1839, lloou ai dcate facto, rogolhes o favor de
dever, do aluguel da cusa em quo morou na
mesma ra.
O Sr. B. L F., luja de ir pagar o quo
lio ni restan lo do aluguel da casa da ra do
Amparo em Olinda, e reruir a sua obriga-
cfln : para o que pode dirigir-so a ra de
Mathias Ferrefra n. .
Preciai-sedeuma pessoa,qu'Siiha mur-
gir lelle etratar devaccastourinas.a quem
Srs. redactores. Lendo o an-,ci,,'que K'r,m debtix0 d r'rm' P*ehc0
fllho ti Hendesnesta cidade.de que os mes-
mos abaixos assignados foram membroi,
romo fallecido Sr. Domingos Jos Perei-
rd Pacheco; os meamos abaixos assignados
lambem fazom publico que tcm feito ora
sociedade, debaixo da Orma Pachaco & ten-
dea. Aracaly 28 do feverelro de 185-2. ala-
noel Jos P. Pacheco Jos Memles,
ao JoSo Maria Seve,doutorem medicina #
{) faz saber.que esl no exercicio de sua &
*t profissao, e que tem fixado sua resi >?
#>) dencia na ra ta Cadeia de Santo An- W
t> Ionio, casa n. 10, aonde podo ser pro- 4)
inserir em seu dito jornnl adecla-^ curado.
raco seguinte,* Sr. Jos Joaquim 9 ^ $
3
da Silva Maia, acceitnu a meu fa
vor tres letras, provenientes de
(iinheiro que me tomou a premia,
em o pritneiro de setembro de
paga-iebem: no Manguind, lado direito, 1^g. sendo anrimeira de 55a,5oo
ultimo aillo prximo aponte. No mesmo! ,
sitio appareceu um boi, que fielmente se! a vencer em i de abril de 1047;
-jara a quem for seu dono e deros a segunda de 567,5oo rs., a ven
n certos, nSo ae tomando porm a res- 1' j-.o7. ..
hiMdade da fuga. cer em dejunho de i8!j7; a ter-
s
entrega
signaea
ponsabllidade da fug
Para o Rio ile Janeiro, embarca Igna-
cio I., de B. Taborda, o seu escravo Anto-
nio, de nac3o, de 32 annos de Idade.
O aenhor esto.lauto de preparatorios ,
Antonio Carlos Augusto Damaceno, queira
dirigir-sa nenes S oas, a padaria do Vara -
douro em Olinda, pois que morando na mes-
rna enlacie, nao he possivel saber-se de sua
morada.
- Pede-sa encarecidamente ao Sr. F. F.
R. $., o faror de annunciar por esta folha
aua residencia, para ser procurado, a nego-
cio que nlo ignora.
Roga-se ao Senhor C., o favor de vir
nestes 3 das re nir sua letra de 150,000 rs. ,
proveniente de alugueis de casa, do contra-
rio ver o seu nome por ostenso nesta folha.
Precisa-se alugar um priinciro andar ,
ou casa tarrea que seja fresca, em qualquer
urna das ras de S Antonio, S. Jos, 011 Boa
Vista : na rus Nova n. 50, ou na ra da Sen-
zalla Nova n. 42.
O Sr. Joaquim Wollchar dlrija-se onde nao
ignora para resgaiar oa teua relogios, lato no
praio de 8 dlaa a contar da dala desle, (do con-
trario serio veodidoa para pagamento clpalejuroa.ricandovni. ob-igadopelcrttan-j j VillarOUCO, fo SllbslitU-
te que fallar,que se pruvra a viilado apurado I '""" 1 dmi
cm oa diioa reiogios. Ja pela de Monteiro 8t Villarouco.
-- Alberto Jacinto de Souia, c Francisco Mo- j .. Ju,quirn Lujz A|v9 ViaDDa, vai a Por-
reir da Costa f.iiem (Cente que, disaolreram |, ifu _"* ___.
a.nigavelmente no di. Ili de foverciro p. p. a ; tu*>. lrt,r de SU1 saudp-. ,,
sociedade que ilnha.n na tateman. S7 lila nal --Aluga-se o segundo andar o solio, ta
ra Direlia, cuja aociedade girava aob a raiao .casa 11. 37, sita na ra da Cadeia do liedle,
de Franclico Morrira da Coala (x Coinpanl.u cun comniodos par familia : quem prcleu-
lie.mili a cargo do c*-socia Alberto, todo a li-. dor, pode eutcntlcr-so com Amorim Irinios,
.un 1, c da eitintca aociedade. Dl ra da Cruz n 3
-Lula Manuel Rodrigues Valonea embarca .. |fracsco Vicira de Carvnlho o padre
para o Rio de Janeirooaeu cacravo Joaqun.Ca-. Carlos Antonio Vieira do Carvslho, retiram-
inondongo. Pnrluual
-- Quem quizer negociar tres ricos ro-,soPar.a' "|f,
quetes crespos de catnbraia do linlio, dili-|, "'l'lir"a,1 ,',.
ja-seao paleo do Carme, sobrado de um an-J1" Pir ft*SSSf
dar, por cima da botica, das 6as8d.ma- na, u.ujat acalcocol.da.
nli.ia. ou das 5 da tarde em dianto.
Um padre vindo prximamente de Por-
ceirade 58a,5oo rs., u vencer em
1 de agosto de 1847, com obriga-
g3o de pagar os juros de 1 por cen-
to ao mez, desde os competentes
vencimentos, ate final embolso, e
em maiode 1847, pedio por docu-
mento de seu punho a seu irmao ,
meu e.\-soc:o, a quantia de 4Sos
rs., o que tudo se acba ninda ir
pagar, e monta a 4 contos e tantos
mil ris, e por esta mesma decla-
racao poder fcilmente o Sr. Jo-
s M lia faier a devida conta c pa-
gar-me. Kccife, 20 de marco de
i85a. Joaquim Lopes da Cos-
ta Maia.
A firma commercial que
lugal, pretende se arrumar de capelldo, in-
da mesmo sen lo para o mato : quem pre-
cisar pode dirigir-se a tua do Qucioiado, so-
brado n. 24.
U Sr. Bernardino Jos da Silva, vindo
pooco do Rio de Janeiro queira comparecer
no largo do Corpo Santo n. 2, ou annunciar
sua morada para lhe ser entregue urna carta
decircumstsnciai
--J0S0 Baptista Vieira Ribeiro manda pa-
ra Lisboa o seu afilhado iMflno dos Reis
Teixeira, brasileiro, de idade de 11 anuos.
n5> Precisa-so alugar urna ama para o sor-
vico Interno de urna casa de pequea fami-
lia : na ra do Hospicio n. 17.
-- SebastiSo Antonio do llego, ajudante de
ordenado Exm. Sr. presidente.tem urna car-
la para oSr. Joaquim larinho Cavalcante
do Albuquerque.
-- Precisa-e de urna casa do familia no
bairro de Santo Antonio ou Recita para mo-
rar urna mulher casada com 2 fmulos, ou
tima luja pequea : quem livor annuncio
para ser procurado.
O bacharel formado Jos Joaquim de
Miranda Hurta, residente na corte do Rio de
Janeiro, offeroce aos habitantes desta pro-
vincia de Pirnambuco o seu prestimo para
tralar de qualquer negocio, quer tendente
ao foro, quer a alguma das secretarias de
estado, quer a outro qualquer negocio, me-
diante urna gralllicac.lo : as prssoas destt
provincia de Pernambucu que do sen presti-
mo se quizerem utilissr podarlo dizerem-
Ihe em carta fechada o que quercm, pro-
metiendo o annuneiante empregar todo o
zelo, aclividade e presteza no ciimprimento
de suas ohrigacOes. O annuneiante reside
no largo da Ajuda n. 5.
R0UB0.
Na noitede 21 do corrente foi roobldl a
luja decalcado no aterro da Boa-Vista n. 14,
constando o roubo em 30,000 rs em sedulas
sendo tres de 5,000 rs. e 15 de dez toslOes
cada uuia, e mais 4 a 5,000 rs. em cobre que
Indo junto eslava em urna gaveta, e mais
alguns objeclos de pouca monla; o dono
da loja offnrece tolo esse roubo apparerida
que soja a pessoa que lhe descohrir o autor,
uo oblante estar quasi descobertoem razio
de ser visto na occasiio em que saltava o
muro do quintal, o promette-se guardar to-
do o segredo a pessoa que descobrir.
Furtou-se urna loneta de ouro de dous
vidros, lavrada, com mola e cadeia de segu-
rar no braco, feila em Paris; quem da mes-
ma der noticia, conseguindo-se que a mes-
ma seja restituida a 8eu dono, recebert qua-
renta mil ris de gratiflcacio, oeoiiseguin-
1I0-S" descobrir quem foi o ladrio, dez mil
ris mais: na loja do Sr. LoU Antonio de
Siqueira no llecife se dir quem he o dono
da referida loneta.
Fele-seao Sr. Firmino Iler-
culano Baptista Ribeiro, que, ha
pouco veio do Kio Grande do Nor-
te, o obsequio de annunciar, com
urgencia a sua residencia ue^ta
cidade que se lhe desej t fallar a
negocio seu.
O cautelista Faria Barbosa ,
vendeu o bilhete da lotera de S.
Fcdro n. 118, que tirou nooos'de
rs. em vigsimos, e em quarios o
n. 5837 que tirou 100,000 rs. :
recebvu e vende no pateo do Col-
legio, casa do livro azul, os scus
bilhetcs da 16 lotera das matri-
zes. O cautelista paga sem des-
cont os bilhetes que vende.
Precisa.se alugar um preto, por tempo
dcUou 3 mezes, para servico de urna casa
de pouca familia, paga-ae bem : na ra do
Vigario do Recife n. 33, primeiro andar.
UlTerece-ie um bomem livre, de boa
conducta, queja tem servido em multas ca-
sas, para serenado, fazendo qualquer aer-
vico: na ra doa Afouguinhos n. 70
-- Preciaa-se alugar um preto de boa
conducta, para servico de urna caaa de fa-
milia > na ra da Matriz da Boa Vista n. 33,
mi annuncie para aer procurado.
Andrajo & Lial, compran alguna es-
1 i.voa mocos, de ti a 14 annoa, proprios
para Ua,
-J. B. da l'onseoa Jnior, embarca para o
Rio de Janeiro, o seu escravo Francisco,
pardo.
Prccisa-se fallar com o Sr. Jesuino An-
touiode llastos, para uina inlurin o o, para
fra : na ra da Cruz do llecife n. 24.
lllm. Sr. Manocl Marques
da Costa Soares, senhor do enge-
nho Sebir de Santa Cruz, hija de
mandar conferir e ajusta-sua cori-
ta nestes 8 dias, j que deix u de
consignar-me seu assucar. Luz
Epifanio Mauricio Wanderley.
- AIuru-sc a ..clade da casa da ra do
Pilar n. 75.
Madama Kootier modista Ir nccv.a
ra Nova n. 58.
Pelo navio Havre recebeu-se um lindo sor-
timcnto das ultimas modas do Paris, a sa-
ber: ricos chapeos do seda de todas as cores;
ditos de p lia da Italia abertos, muilo boni-
los caapeosinhos de seda e de palha, re-
dondos para meninos e meninas de 1 a 6
anuos, com abas largas de lindos enfeites e
do todas as coros; um lindo sortimenlo de
trancas o franjas tanto pretas, como de co-
res, Capailas do llores milito rioas o moder-
nas ; um grande sorlimento de lilsde to-
das as quilidades ; muito lindos manlelot.s
e capoliiihos de seda do mellior goslo ; (lo-
res linas-, manguitas di bioo para senhora o
mais moderno gosto, aelitn e tafetis do to-
das as cores; plumas decoros para entalle,
bicosdo linho verdadeiro; ricos loueados de
senhora para baile ou theatro ; chapeos de
monlaria ; lencinhos de seda ; loncos de
rambraia para senhora; flores e ramos do
(lores de laranja, ricas luvas de pelica para
homrm o Si nimia, c:i,inialolo prolo, luvas
pretas para senhora, fitas de vi ludo tanto
pretas, como do todas as coros para punhos
e poscoco com as livellas ricas; muito lin-
dos manteletes de fil prelo para quaresma ;
flores e plumas pretas ; camisinhas com
h rima e bordado; camisinhas com goli-
nhas bord idas e com bicos ; mangas brda-
las do lil, bicos de blondo, casaquinhas
brancas bordadas para meninas ; espaitilhos
para senhoras e meninas, atacadores para
boiins da senhora ; na mesma loja fazem-so
vestidos de casamento, de baplisado, toca-
de menino e de scnliora, capotinhos de to-
das as qualidades, com perfeifio e pre;o
coinooio ;i i'cviicn-so todos os mezes figu-
rinos modernos, que impresta a scus fre-
guezes.
Mobilins de aluguel.
Alugam-sa mobilias completas, ou qual-
quer traste separado a vonlade do alugador,
0 por pre^o commodo : na ra Nova, arma-
zn, de trastes do Pinto, defronlo da ra de
Santo Amaro.
Precisa-so de 200,000 rs. por empres-
timo, e por tempo de seis mrzes, pagndo-
se o premio que se estipular com seguranc
em o o., dous, tres e quatio escravos, con-
formo a vonlade do empruslador: quem qui-
zer annuncie.
FURTO.
Furlaram da sala dedelraz do sobrado da
1 na das Flores n. I, em alarde do da domin-
go 14 do correte, urna casaca de panno li-
no preto nova, 1 calca de casemira preta,
I colote do selim prelo bordado, o 1 ca-
misa domadapoliocom o peilo de esquiio,
em cuja abeitura se achavam dous bollo-
Mino s 00 miro, esmaltados de azul com
um brilhanie em cada um dolles. Hoga-so
pois i qualquer pessoa a quem (Dren olfe-
recidos os ditos objeclos o favor de appre-
henlc-los, e leva-Ios a casa cima que ser
recompensado; a mosma recompensa se of-
fereco a quem descobrir o ladrio.
Precisa-so de una negra capliva que
saiba cosinhar, engommar e comprar; na
ra Nova n 69, primeiro andar.
Kngenho Una.
Arrenda-s.a, vende-se, ou permula-se o en-
genno Una distante desta praca 10 legoas,na
comarca de Santo Antio, com boa casa de
vivenda, grande seozala e estribara. Ven-
de-se a safra desle anno, edo auno vi 11 dou-
ro. Oengenho tne com agoa he muito copei-
ro, e tem urna serra d'agoa, e urna dianla-
(,'o bem montada, e Ierras de excellentes
qualidades para toda e qualquer plantadlo:
oa pretendeutas uinjam-se ao pateo do Car-
mo, sobrado n. 2, primeiro andar.
Us abaixos assignados, fazetn publico
q ue se aclia eati ncla a sociedado commer-
Na ra do Hospicio n. 52, procisa-ae de
urna ama quo engomlo com perfeicio: pa
ga-se bem.
-- O cnsul do S. M. Britannica notifica
quoolle pretende vender a casa, Ierras e
trra marinha situado no atorro da Boa-Vis-
t n. 35 o ltimamente servindo de hospital
britannico; as pessoas qne quizerem com-
prar os ditos objeclus polen, examina-los a
qualquer hora uo dia, dirigindo-se a mesma
casa, e as offertas de compra serio recebidas
no consulado britannico desta cidade al o
dia 20 do correle mez.
Ums casa particular se propOom a co-
sinhar para fura, pelo mdico prego de 500
rs. cada pcsssoa, sondo o almofo caf com
loite e torradas, eao janlar eopa de maga,
carne cozida, arroz, carne assida e guizada,
pirio, e sobre-mesa frua, e em dias de pre-
ceito almoco o mesmo, jontar feijSo de er-
vaa, peixe, bacalho, arroz da carnario, e a
coia cU com biscou'inho ou bolachinhas;
sendo perlo ae maulara levar, e longo o pu-
derio mandar buscar : na travossa da Ma-
triz de S. Antonio n. 20.
TINTURARA.
Na nova tinturarla da ra do Rozario Es-
trella n. 23, tiugom-se sedas, e com mistu-
ra, p linios, casemiras, linho. algodio e lo
da a qualidade de fazenda de cores lixaa e
variadas, coniforme os desejos dos preten-
denles.
Catharina Maria .la Concoicio, previno
ao publico quo ninguem faca negocio de
qualquer qualidade com seu marido Joio
Pedro .la llocha Araujo, visto que ello se
aclia julgado prodigo e a annuneiante no-
meada sua curadora pelo juno de orphios
desta cidade.
Madame Theard, modista france-
zi, na rita nova n. ,3i.
Ma lame Tneird tem adistiucta honra de
convidar ao r.spoitavcl publico, e com espe-
cialidade. as pessoas quo lionram seu esta-
belecimenlo, que pelo navio francez Havre,
o ultimo chegado de franca, recebeu um va
riado sorlimento de objeclos nio s de sua
prolis.o, como un 1 os, pedidos de sua par-
ticular encominenda por nio so acharem no
mercado a conteni de bem servir aosseus
freguezes, comosejam : ruui ricos ciiapeos
de so la, de finissiina palha de Italia, mu
i 111 las formas, o viados onfeiles; mantele-
tes de lil de linho brancos e prelos. ditos
de seda com os mais elegantes onfeiles de
dnl roiiios tamsnhoa e guatos ; cabio,o -s e
rou.eiras do lilo.lu lo que ha de melhor nes-
te genero; camisinhas, manguetas de lilO ;
corpinlios de cambraia, e lil branco mu
proprios para monlarii; os mais lindse
ricos enfeites para calo o 1 de senhoras e me-
ninas; lindas pulceras de lila ; aventaos de
seda com ricos cordes e borlas as ponas;
um mui vanado sorlimento de (lores linas
para lodos ds misteres; mui lindas cpelas
do cores para baiio, e brancas para noivado;
loques com asteas do madroperola e peonas
do marabout com ricos doseuhos de pintura
o melhor que ha no mercado ; espartilbos
de seda e li olio, tudo que tcm vindo de mais
moderno o commoJo para senhoras e me-
ninas, e para soulioras bstanlo gurdas, o
que he bem dillicii de enconlrar-se pela va-
rieJade de s virom de tamanhos de senho-
ra regular, dando a grande eucommenda as
senhoras gordas a fazerem roupinhos por so
0:1-111 privados de enconliar esparlilnos
grandes, que na la encommodam a cintura;
punas mu lints para chapeos ecabeca ; lu-
vas de ludas as qualidades; trancas e fran-
jas para eufoites, lil de linho e blonde; ri-
cas 111 mas brancas 1 mil: oo de l.lond para
noiva ; setiui branco cor de parola o melhor
que ha ueste genero; crep decores mu
lindos, cortos do vestido do gorgurio preto,
mui rica fazenda propria para assislir sos
actos da semana santa ; e outros muitos ob-
jeclos que se nio mencionan) pela insufli-
eieucia do lempo, mas quo serio patentes
aos compradores. (Juanlo a precos ludo he
mais barato que 0111 oulra qualquer parte,
em vista da escolente qualidade e gnsto dos
mesmos objeclos. Assnn como no mesmo
estabelecimento se executa com a maior
presteza e perfeicio lula a qualidade de ves-
tidos, chapeos loueados, e tudo tendente a
modas de seohora e a gosio de quem as en-
coinmen lar, para o que tem os mais mo-
dernos figunnos que mensalmente recebe
por todos os navios.
Alluga-.-e o armazero sito oa ra da
Cruz n. 19: quem quizer dirija-se ao escrip-
torlo de (ais Irmaos, na mesma casa pri-
meiro andar.
Tinturara franceza
No aterro da Boa-Vista n. 17, lingem-se to-
da e qualquer fazenda, seda, la, algodio e
linho, tanto em obra comoem pec,a, e com
muilo aceio;assim como se limpam casa-
cas o oulra qualquer ruupa do panno que li-
vor nudoas, pondo-sc como novas o por pro-
cos multo cominelos
U bacharel Joo Vicente da Silva Costa,
professor substituto do philosophia e geo-
metra do collegio das arles do curso jurdi-
co, avisa a quem convier, que se acha re-
si lindo no alerro da Boa-Vista 11 2, onde
pode ser procurado, principalmente a tarde;
por isso quo tem de lecciouar pela mannia,
naquolle collegio.
Aluga-se o primeiro andar, da casa sita
na ra da Aurora n. 24: quem o pretender, 1
dirija-se na venda por baixo, ou na ra do Irelra faz ente ao respeitavel
Crespo n. 4.
Aluga-se urna casa de dous andares ,
- Salustiano de Aquno Fer- -. Vendem-se saccas com fari-
nha de Santa Catharina o
nos burros, de S. Antonio, ou Boa Vista, 00
entilo de um andar e solio, que sejam de-
centes e tenham sufllcieiiles commodos para
numerosa familia : quem tiver annuncie,
ou dirija-so a Soledade, sillo dos quatros
leoes.
Precisa-se alugar um moleque de 15
18 annos, para o servico de urna casa de
pouca familia : na ra Nova n. 38, loja de
cutileiro.
Na ra das Agoas-Verdes, sobrado do
um andar n. 14, din-sc bolos de ven lagem
a 80 rs. a pataca; bem como armam-sn ban-
dejas com muilo goslo, por prego mais em
corta do que em nutra qualquer parte.
BANCO E PEKR A JABUCO.
A directora do banco de Per-
nambuco annunca aos senhores
accionistas, quesubscreveram ac-
c5es, que tem deliberado princi-
piar a receber a primeira presta-
publico, que foram vendidos na
praca da Independencia, loja de
calcado do Arantes, n. i3e i5,
e na ra da Cadeia do llecife n.
46; os premios seguintes, da lote-
ra das Agoas Virtuosas ; assim
como da 32. lotera de S. Pedro
de Alcntara, a saber : Agoas
Virtuosas, meios bilhetes, 5iai ,
1:000,000; 48.17, 200,000 ; 1218,
100,000; ia.'JH 100,000. Quar-
tos, 245a, 5:000,000; 2379, loo//.
Oilavos, 2154, 200,000 ; 4,G6 ,
200,000; i93C, 100,000. 22. lote-
ra de S. F. de Alcanta; (piarlos,
2t58, 1:000,000; 1770, 200,000;
5538, 100,000; 5893, 100,000.
Todos estes premios sao pagos sem
9S0, conforme determina os arti- ganancia alguma as menciona-
gos 3 e 5 dos estatuios no dia i5 das lojas acuna.
Na ra do Caldeireiro n 42, precisa-se
de um mulatinho de 15 a 16 annos de idade,
oqual leuha muilo boa figura eaem vicios.
de abril prximo vindouro, e finu-
Itsar o recebimenlo no dia 3o doj
mesmo mez. Os senhores subscrip-
tores de acedes, que as tem cedi-
do a oulras pe.ssoas, llies p.issaiao
um titulo de transferencia, que a
pessoa dever apresentar na occa-
siocm que vier fazer entrega do
dioheiro e o mesmo titulo deve
vir ivronliecilo por um tabellio.
I'.m tempo se annunciar o casa
onde se devem dirigir. O secre-
tario da direccSo, Manocl Ignacio
de Oliveira.
Precisa-so fallara negocio de interesse
com os bordnos do Francisco Corroa de
Ouadrus, natural da liba Craciusa, c quo foi
fe 1 tur da mina do ouro, falloci lo DfSta ci-
dade, segundo consta, na oilo annos. A
qualquer dos mesmos herdeirns, ou pessoa
que del les saiba, peJe-se queira dirigir-so a
casa 11. 6 defronlo do Trapicho Novo, ou au- __
nunciar sua morada pora ser procurado. L
M99tj>ttt : ^Viudas"!
9 O Dr. M.noeT Joaqun Fernandes ',,,.,
,v tiras (medico), tem lixado sua resi- <> >^ a *aa
, dencia na ra de S. Francisco, uu- >
(D ti'ora do .Mundo Novo, sobr.edu cin- v
0 /. ni n. 68 A. aonde pude ser procu- "*
} ralo a qualquer hora.
Botica homnpathica.
28 RA DAS'CHUZES 28,
Dirigido por um pharmaceutieo
app'ovado.
Esloestabelecimenlo possuo todos
1> os medicamentos at agora oxperi- <
fc> mentados, lauto na Europa como no *
? Brasil, e preparados pelas machinas ?
* da invsncio do Dr. Mure.
'I Pre,os.
h Das carleiras homeopalhicas. ^
i> Em carleiras de 12 tubos grandes 12/ <-
..> c, 24 20/
t* 24 pequeos 15/ 1
p Tinturas do me licaincntos em
* frseos do l|2on(a (cada umj 2J *J
Ha mais, aloni destaS, oulras muitas ^
caisascom glbulos e tinturas por ^
probos variaveis, conformo o tama- ,j
nho o a qualidade das caixas, o a <..
quanli lado dos remedios o as suas <.
dynamisafOas, ato.
Avi.io-sogratuiauente para os po-
tsreceilas quo para ali "^
lquor professor.
*A^ft,^*AAiA:l4Jfc*)SlJ
OSr.Bernardo (le Albuquer-
que Fernandes Gama, queira man-
jar pagara subscricao deste Diario.
.v Paulo QnijrnoiiXi icnllsta ^
f>; rrance7., offerece sen prest- _
Sciencia sem privilegio.
Francisco de Paula ("arneiro
av |o cnioio.iuo 1101 00 i cijc.
s* r* a publicar seus nom
J* 50, e uzar do seus dir
^ occasiSo o.lo poder ne
v,v{l/1,v,,,:YyvVvi'rvVVy
Ignacio l.uiz de Uni Taborda, no quizera mais chamar a altciifSo de seus e.ve Juros pelo jornal, mas o es- S
quecimento dos mesmoso fazetn uo- J
vamunle laucar in.lu desle meio de S
quo n3o quizera usar, o poitanto ro- 2
ga a todos os devodores do tinado ig
Antonio da Cunha Soares GuimarSes,
> Jos Joaquim de Freilas GuimarSes,
> e Viuva frcitas GuimarSes, venliatu
e> solver seus dbitos aii o lim de abril ;
i* prximo,|uo lim docujo praso passa- -C
es porexten- *
eilos; e nossa *
h lanmiav mv po le: a nonlium dos di- J*
^. tus dovor s apresentar motivo de <'
qucdxa por alegacSo de ignorancia, jm
I'recisa-se de um pequeo
portuguez, ltimamente chegado ,
para caixeiro de urna loja na cida-
de da Parabiba: quem o tiver, di-
rija-se a ra do Oabug, loja de
miudezas n- 1 D.
Aluga-se urna preta, para servico de
casa : quem a pretender, dirija-se a ra do
Sul, casa n. 1.
Precisa-se alugar urna ama deleite,
para criar urna enanca: na ra da Cruz nu-
mero I.
Precisa-se de urna ama para casa de
pouca familia : no pateo do Paraizo, sobra-
do n. 18.
AOS ItlvNTF.S
J. A. S. Jane denlisln, tem a honra de
avisar ao rcspeitavel publico, que se acha
rczidindo na ra Nova n. 19 primeiro un- "| ,',,,, ;,., publico para linios os
dar, aonde estar aempro protnplo a qual- 12 mi,|,i(-. (le -un priiflssiio 2
quer chamado, desde as 9 horas da mandila j Z pOdeger I11'1"'"1'"1'" !l"a !-".*
al as 4 da tarde; o annuneiante cochera q auer''li'ov* c s,,n ca-a. na ^
de um a lodos oa denles, que por isso tem ( i-uu lai'-a lullo'-11''"' '<>>
um completo sortimento do denles artili-ie sc"Uiido uiitlur. #
Ciaes, incorrutiveis e de po>celan.,mui de- I '#4% ^i9|Mltftl
licados edo ultimo gusto j e lo Jos os mais : ., *** .. .
accessorios tendentes a sua proficuo, asse-i (_aU'ldlllc SCI11 limites,
veando a lo las as pessoas que se quizerem I
utilizar do sen prestimo que no exige pa-1
ga alguma, no Picando os denles bem pos-1
tos quo 1141 se possa deferen;ar dos proprios' .
naturaes, e podendo-se mastigar com os i ueiO, reside lio aterro a Doa VIS-
mesmos toda a qualquer comida sem sentir 1, n> ,g 0de offercce-se pira
a menor dor nem tor recoio dn os quebrar:
lambem chumbaos denles naturaes fura- curar homeopticamente as se-
dos da caria com ouro, prala e metal hran- iniintes enlerindades e nao CU
co, prevenin Jo : s im a c.mliniiac 1 da CJ- 1' .- l...m
ria, drese mesmo evit.....lo por issu a for- '""''o llSo tcm direito a nenl lUin
ma do passar a caria dus denles turados para pagamento sendo chamado lojo
os outros sUus ; tambem lira pedras 011C1-' nrincinin iln ll>olf^lia e nao
ras dos dentesem geral, quo tanto os dam-. no I)r,nclPl "a moiCaiia e
nefica o coopera para omaoahloda bocea, j tornando o doeulc iienhuui melil-
oto sendo lirado: o annuneiante a 10 an- ; Calneilto alouilthico e mesmo Ca-
nos que exerce a sua profiscto nesla cida-, ,11 a
do, eos muitos exempios que lera dado seiro. i'e.iinenlos de bala, ou uc
nesse longo lempo, sera quanto b-sta para ; qaesquer outros instrumentos
Q&SSmmmwmmm mm *mm& g"lM qoedaa ou pancadas por
A Aquellas senhores que amia nto J maiores que sejam, respirando a-
i mo remetteram assucar nesta safra, SI. J ____. ,_;..
* nao obstante estar ol, quasi a lindar, indi o paciente; plcur.zes, os mais
hajam de 1110 pagarcm quanto antes i\ 'agudos e violentos; lolirt: un .!' 1-
m os rornecimentos que Ibes liz visto j ;, dosenteri sanguinoa, bsxgas
u que tacs faltas dcmonslrain nao con- 1
tinuarem suas correspondencias com- 3 1 sarampo, e sarnas inda as naiS
migo, conforme Iralaram cdoviam
advorlindo-os de que os gneros por
'< tensas e rebeldes, ensyj
>
11-
i)ellas, to-
mu., fornecidos nto usconprei pelos :| i da molesti-i venrea ousyphlytica;
S prasos porqueSs. ss. qu"ienf. Como ;.-.; [ Ijobas, eia de que carcter foretn;
9 laiiilnon clcv.i, o estoja veixado a pa- .' ,__ _._,!
g.r.notenh remedio se mo f.ier rheumatismos agudos, e em geral
;j| este pedido, que s he dirigido a a- t todas as mais enfermidades cin
tempo que possam ser curadas.
quelles senhores quo anda nfio mo
if remetteram assucar nesla safra.
ff l.in/. Epifanio Mauricio Wanderley. t|
Precisa-se de um prolo para padaria, e
queentenda de masseira : a tratar nos Qua-
truCintus n. 116, ou no Manguiuho,padana
nova.
O abaixo aasignado faz sciente a ledos
os seus credoies, que olio nto pudendo con-
tinuar mais como seu estabelecimenlode
confoitana na ra estreita do Binario n. 43,
lhe he necessario ultimar suas cenias, por
tss os convida para no dia 24 do correte
as II horai do da, impieterivelmente se
acharem cm dito estabelecimento. N.B. to-
dos aquellos credores, que faltarem ao cha-
mado do abaixo assiguado, no dia e hora
cima marcado, terSo o disgoslo de nSo se-
ren pagos.-Joto Luiz dos Sautas,
Aluga-se o segundo an lar esotoda!
casa da ra da Madre do Deosn. 24 : a tratar;
no armazem da mosma ou na ra ua Cadeia
do Recire n. 42.
I'recisa-se de um linmem para caixeirol
de ciigonlio e encanamento, que d6 runo- j
cimento i loneo do sua pessoa : no engenbo '
Novo da Muribeca.
Compras.
Compra-se um selim inglez,pouco usa.
do : na travessa da ra da Concordia n 5,
011 annuncie.
Cumpram-se para urna encommenda
do Rio de Janeiro, 2escravas creoulas, ou
pardas, de 12 a 20 anuos, que tenham boas
figuras: na ra Nova n. 16.
Compra-se urna carleira em bom uso
para urna pessoa escrevercom o competente
mocho, um armario que sirva para botar II-
viii. e qne seja de portas com vidros, um
guarda louca e vidros, um sof do Jacaran-
da, urna marqueza larga de palhinha : quem
livor qualquer (lestes objeclos, annuucie ou
procurii na ra do Apollo n. 16, primeiro
andar, junto ao theatro do A'ollo.
Compra-se em segn Ja ui.i >, urna gram
matira fianceza, por K. Sovone: quem livor
annuncie, oudirija-.se a ruu do (Jucimado
n. 16, loja de miudezas.
-- Compra-se unas venesianas.
Compram-se escravos, ou escravasde
qualquer idade, que nto sejam doenles, pa-
- loj-
Precisa-se de um prelo, que soja bom J, UBm: na r'ua larga do Uozario,
o liel paga-se bem : quem tiver e quizer* 35
alugar, dirija-se a ra do Trapiche Novo'
n. 10.
Precisa-se alugar orna ama forra q 11 1,101
o servico de casa e ra, e paga-se bem : na
Pra(a da Independencia n, 38, se dir quem
pretonde.
Precisa-se alugar um molequn, para o
servico de urna casa do familia e vender na
ra : quem o tiver, dirija-se a ra do Hospi-
cio n. 17.
- JoSo Antonio da Trindade, fazscieoto
ao respeitavel publico, que de buje em (lian-
te se assignar Joto Antonio de Abren Trin-
dade.
Precisa-se de um pequeno,preferindo-se
dos ebegados ltimamente do Porto, para
caixeiro de urna venda : na ra do Cuido-
nia 11.12.
~ escrvao dos protestos de
letras moilou o seu escriptorio pa-
ra o primeiro andar do sobrado n.
que faz esquina com o theatro de
S. Francisco, aonde pode ser pro-
curado todos os dias uteis das 8 as
11 horas da manhaa, e das 3 as 6
da tarde.
Compra-se um escravo para o servico
do una casa do familia, que saiba comprar
o fazero servico cuerno, paga-so bem res-
ponsabilisando-se o vendedor por algum
tempo pelos achaques e vicios desso escra-
vo, quem quiier fazer oss. venda procura o
pi i'iooiro lenle reformado Joaquim Igna-
cio de Barros Lima, ua lloa-Vista ra da Sau-
dade, uu no consulado geral aonde he ar-
quiador. _______________
Yendas.
Lotera do I'.m de Janeiro.
Aos 20:000,000 de rs.
Na loja de miudezas da praca da
Independencia n. li, vendem-se bi-
lhetes inteiros, meios, quartos, oi
tavos e vigsimos, da 16. lotera
a beneficio da construccSo e re-
paros das matrizes do Kio de Ja-
neiro.
Vende-se urna casa terrea na praia do
Caldeireiro n. 4 : a tratar na ra do Hurtas
n.4.
3,*4o
ra. : na ra da Praia de Santa Ri-
ta^ venda defronte da ribera do
pcxc, n. i.
- Vende-se orna mulata, que aabe de to-
dooarrinjo deumacasa, be muito liel e
cuidadosa :'nn ra do Amorim n. 35.
Vende-se um moleque creoulo, de 12 a
13 annos; urna negrinha de 10 a 12 annos,
ambos de bonitas Hars, para dentro, ou
fra da provincia : na ra da Cruz n. 54 ,
segundo andar.
Vende-se urna taberna com poucos fun-
dos e se faz todo o negocio : a tratar na ra
da Moda n. 25.
-- Vende-se um moinho de caf grande
e completo, com lorrador novo : na ra da
l'cnlia n. 9.
- Vende-so urna preta, de naco Rebol-
lo, de 30e tantos annos do idado, cozinha e
faz todo o servido de urna casa, menos en-
gommado e costura : na ra dos Martirios
n.36.
, Vendom-se 2 cavallos, novos e fortes:
na ra da Aurora, venda n. 24.
-- Vende-se urna porcto de barricas va-
sias, promplas para se socar assucar, a 06-
casiilo he boa, que ss precisa de dinheiro, e
alguns mergulhos de parreira muscatel em
caiioos, ros,ion 1,--so pelos que falharem :
na praca da Santa Cruz, na padaria por bai-
xo do sob'ado n 106.
Vende-so na ra Nova n. 8, um rico
chapeo preto, de seda, para alguma sanhora
viuva; um dito de seda de cor, tamben-, pa-
ra seohora, ambos mandados vir de encom-
menda e chegados pelo ultimo navio fran-
cez, mas por nto cliegarem as pessoas, para
quem vieran., vendem-se por prego com-
modo.
Vendem-se avias de seda pretas, de
peso, para senhora e humem : na ra da Ca-
deia Velha n. 15, loja de Bourgard.
FeijSo.
Vendem-se sacras com feijto novo e de
boa qualidade, pelo diminuto preco de 5000
rs. : na ra da Cadeia do Recife, loja n. 5.
Madama Rota llardy, modista bra-
sileira, na ra .Nova n. 34 ,
neste estabelecimento he chegado recente-
mente, um grande o brilbante sorlimento de
moderna! fazendas, viudas dn I'ariz, con-is-
l'ndoalcm de oulras fizen las.em ricos dbe-
efles prelos de blonde; mantas de lil de seda
prela burlalas a imitar,!! de blonde; assim
como capoliuhos prelos edoco'os, muito
proprios para os arto* da se nao 1 Sania.
Vendcin-se 12 portas novas da sodro ,
proprias para casa oecanuo; assim como
:in mis un os de dito do 14 a 18 palmos do
comprimanlo, por prego commodo : na ra
do Vigario n. 5.
Na ra do Crespo n. 2i, loja de
101 na ilinn Maia da Silva.
Ven lem-se nesla loja chapeos para Sra.
os m seu proco s avisla da qualidade; nesla lo-
ja tamben) tem um completo sortimemo de
fazendas fraocezas, dos gostos mais moder-
nos por tudo ser de encommenda feita polo
dono do estabelecimento, dase amostras
para ver se agrada; como sejam ricos cha-
malotes pretos para vslido, sarjas pretas,
muito superior pannos pretos, s-tins macao
para vestidas e coletea, cambraias de seda
proprias para bailes p-los seus ricos deze-
nhos, o bonita vista que parece sed, chitas
Iraocezas com barra muda do Paris e ou-
tras muilas fazen las proprias do mercado.
-- Vende-so nina taberna pequea com
poucos fundos, na ra doCutovello :quoni
a pretender dirija-se a mesma ra, padaria
n. 29
-- Vende-se um m lio I > para violSo, por
Luigi Caslelicci, em francoz, o cuiuoplimss
msicas, oulro dito om porluguez, por M < -
noel Nunes Agu-do, ambos com muilo boa
Mofles uara so apronder: na ra das Cruz.s
no primeiro andar desta lypographia.
Vende-se um escravo cabra de 25 an-
nos, pouco in.iis 011 ui.'iio.s, oroouln, ullioi.,1
do sapateiro ; em Fra do Portas ao p da
igroja do Pillar, rasa da quina, se dir quem
Vende, nio s escravo, cuino umu escrava
tamboni creoula e moca.
Com dinheiro avista.
Ouem quizer poupar venlia ver ecomprar,
pois o ganho de quem vende fica om mos
dos compradores, esemure flcSo logrados
o mal servidos seus amos ou sonbores;_ om
o atorro da Boa-Vista 11. 43 deposito d as-
sucar, vendom-sn o seguinto assim como em
a ra da Aurora n. 32 taberna nova pintada
deazul, manteiga Inglesa da malhor 610,
400 rs, dita franceza 560 rs., cha do mais
superior2,400rs., dito preto do melhurqua
lanoste mercado 1,920 rs. a libra,tem 3 em-
brulhuschinczes cada embrulho por 640 rs.,
assucar relinado lino 100 rs., dito 80 is vel-
las deespermcete 640 rs., dita decarnaha
-280 rs., caf 140 rs, farinha do maranliSo
80 rs., bulachinhaingleza das prand s 210
rs., (lilas pequeas 200 rs., farinht de ara-
rula 120 rs., sevadiuha 160 rs., aovada 100
rs., atroz 80 rs ervilhas loo ra.,sab3o ama-
relo 120 rs. esta bem secco, dio branco 210
rs., prissis 2N0 rs., toucinho 160 rs., azelte
doce a garrafa 480 rs., azeitonas 240 rs.,
marnela la cm Utas de 4 libras por 1,600
rs., vinagre do Lisboa 140, e 200 rs., feijJo
o olatmho a 320 rs. a cuia, assim como vi-
nhooc 'arias qualidades, e muilo em conta;
de tudo so da amostras.
born baratero.
a 1 1 ah : 1.1 a loja que foi do
fallecido Jos Pinto da Fonseca e Silva, bo-
je porteneeule a Nicolao Gadault, na ra
Nova 11. 12, onde a troco de pooco dinhei-
ro acaarlio os compradores excellentes ob-
jeclos de diveisas qualidades, bem como
seiim : ptimas luvas tanto para homem,
como para senhoras, bicos do linho, seda e
blond, brancos e prelos, corles de seda de
c,res e preta, lenco* de seda com franjas de
differentes tamanhos e qualidades, chapeos
de palha e de seda abertos com enfeites pira
senhoras, litas, leqnos, rendas do linho, pa-
pel para forro de salas, guarniefles e barras
para o mesmo um, espelbs com molduras
douradas, cstojos de costura com msica,
candieiros de meio de sala, globos para os
mesmos, rebecas, (lautas, II lolins, violos,
clarinetasestros diferentes instrumentos
para msica militar; msicas para piano,
10 1,odos para diversos instrumentos; alm
de outros muitos objeclos, que seria enfa-
donho enumerar, mas que com vista agra-
daran aos compradores, que ox no poderlo
comprar por proco tSo vantajoso em outra
qualquer parte.
-- Vende-se por todo preco pira liquidar
conlas um terreno pruprio com viveiro da
peixe e porta d'agoa, em Santo Amaro ou
outro qualquer terreno prompto para edifi-
cado quem pretender dinja-ae no sitio do
Arac, a fallar com Mano I l.uiz da Veiga.
- Ao novo sortimento do coudecas e pn-
neiras de rame chegados ullimaaaeoto do
Porto: na ra estreita do Rozario o. 13, pa-
daria que foi do Sr. Cunha.
Vendem-se uvas muscatel muito boa*:
na ra da Cooceic,So da Boa-Vista n. 58.
Vende-se nma porta : na ra da Pas
n.36.
Molduras douradas
de todas os larguras : vendem-se no arma-
/cm de Kallkmann IrmSos.ruada Cruz o. 10.
_i


Farinha Fontana,
chegada altlaMmenta: ni.mh del. J. I*
so Jnior, oa rua do Amorim o. 15.
.-Vende-se un carro do qu.tro roda
multo lew seguro, por multo pouco?-
nheiro ni praca dt Boa V.ata, cocbeir
do francoi.
Na"iTdo sobrado amarelio di rua
I do Queiroado n. 89, tem para vender |
I un inda aorlimento de penos pre- |
tos floosede cores flxe;cisemlra pre-
ti elstica superior de 8 a 14,000 ra, o
corte de calca; cortes dei coleto de ca-
semira preta bordados; ditos do setim
preto tsmbero bordados; chapeoepre-
losfranceiea os miis modernos e de
melhor qualidade que ha oo merca- I
do ditos de caator branco Inglez da |
ultima moda; e outras rizendia de
sosto e oreco commodo.
mm Mmmmnvmm
Moentlns superiores.
Mi fundicSo de C. Starr A Companhia,
em S.-Amaro.acham-se venda moendas
de canoa, todas de ferro, de um modelo e
conatrucco muito superior a
No armazem da ra da Moca n. 15 ,
vende-se cil de Lisboa em pedra, a mais no-
va que ha no mercado, chegada no correnle
mez, no brigue Laya ; assim como mercurio
doce em ciixinhas de libra cada urna, tudo
por menos preco do que emoutra qualquer
parte.
Grandes pechinchas, na ra do
Crespo n. i4,lojade Jo.- fran-
cisco Das, a l4f rs. o corte! M
Riquissimos cortes de vestidos de finissi-
ma seda e delicado gosto, fazenda iutein-
mente moderna, pelo biralissimo preco de
14,000 rs. o corle ; ditos de cimbran seda,
sendo o mals superior que tem appsrecido
do mercado, pelo barato prego de 9,000 rs. o
corte; superiores vestidos do Unissim cm-
brala e de cor, com riquissimos babados e
todoa os seus perlences, sendo urna peca de
galDoe outra de corcino, que se di de gra-
tis a quem comprar os vestidos, pelo mul-
to batato preco de 6,000 rs. o corte ; ditos
de cambraiacom barra brinca ede cor, fa-
zenda do ultimo gosto, pelo baratissimo
preco de5,&00 rs. o corte; ditos de csssa
chita, com 6 1|2 varas a 2,000 rs. ocorle;;
ditos muito linos, fazcnda de imito bom
gosto s 2,500 rs. o corte; chitss cabocolas
muito Dxa;e finas, c6res de caf e de vinho I
a 300 rs. o covado; ditas francezasa 2(0 rs.;
ditas de qusdros oscuros, fizenda du ulti-
mo gosto e notos padrOes a 200 rs. o cova-
do; riscadinhosmuito filos a 160 rs. oco-|
vado ; cassa chita muito Urgs e decores
filis 200 rs. o covado; alpaka preta muito
fina a 640 rs. o covado ; merm preto mui-
to Uno a 1,800,3,500, 2,800 e 3,200 rs. o co-
vado; superior amainado adamascado de
puro lioho, com 8 palmos de largo, pelo ba-
ratissimo preco de 1,600 rs. a vara ; brim
trancado de purolinho, de diversa crese
delicados gostos, pelo barato preco de 1,200
rs. avara; riscado delinho, com 4 palmos
de largo a 300 rs. o covado; algodfio azul
de 4 lli palmus de largura, fazenda muito
propria pira rpi de escrivos a 300 rs. o co-
vado; assim como outrss muitas fazendas ,
que se vender por preco mais commodo
doqueem outra qualquer parte.
Cobertores de algodo.
Superiorescobertoreade algodSo de di-
ferentes cores, tecidos a dous fio, muito
grande, tem todi ipplicigo em urna casa de
familia, por servir para meza de engom-
mado aforrar camas e mesmo para escri-
vos, pelo diminuto prec,o de 1,440 rs.: na
ra do Crespo n. 6.
l'otassa americana. *
--No enligo deposito da cadeia vellia, n.
12 existe urna pequea porcSo de potassa
americana, chegada recentemente que por
superior rivalisa com a da Russia: vende-
se por preco razoavel.
itap Paulo Cordeiro.
recentemente cbegado do Rio de Janeiro:
veode-se oa ra da Cadeia do Recito loja n.
60, de Cunha & Amorim.
Vendem-se relogios de ou-
ro eprata, patente inglez: na ra
da Senzalla Nova n. 4a.
Deposito de cal virgem.
Caoba & Amorim, na ra da Cadeia do
Recite, n. 50, veode-se bsrris com supe-
rior cal em pedra, chegada pelo ultimo
navio de Lisboa, por menos proco do que
em outra qualqner parte.
No escriptorio de Manoel Joaquim Ra-
mos e Silva, na ra da Cadeia du Recife,
vende-se por proco commodo cal virgem de
Lisha chegada no ultimo navio, bezerro de
lustro, mercurio, linha de Roriz.relroz, fe-
chaduras do Pollo, pannos e casemias
de 15a.
Principios geraes de economia pu-
blica e industrial.
Vnnde-seestecompendio, approvado para
s aulas de primeiraa letras, a 480 rs.: na
praca da Independencia, livraria n. 6 e8.
Na porta da Alfandega e no
armazem do baraleiro Joaquim da
Silva Lopes, vende-se farinha fon-
tona SSSF e de Philadelphia, l-
timamente chegada.
Vendom se amarras de ferro: na ra
daSenztlia Nova n. 48.
Vende-se orna mesa deamarello.com!
7 palmos de comprimento e 4 de largura :
o ra Bella a. 16.
AGENCIA
da fundicSo Low-Moor.
RA DA SENZALLA NOVA S. 48.
Neste estabeleeimento conti-
na a ha ver um completo sorti-
mento de moendas o meias moen-
das para engenho, machinas de
vapor, e taixas de ferto batido e
coado, de todos os tamanhos, pa-
ra dito.
Antigo deposite 4e cal
virgem.'*'*
Na ra do Trapiche, n. 17, ha
muito superior cal nova em pedra,
hegada ltimamente de Lisboa:
tambem se vende potassa da Rus-
sia, nova e de superior qualidade.
Casa de commissao de escravoa.
Vendem-se escravos e recebem-
se de commissao, tanto para a pro-
vincia como para (ora della, para
o que se offerece muitas garantas
a seus donos .'na ra da Cacimba
n. ti, primeiro andar.
Vendem-se sacadas de granito e de pe-
dra, nmbreiras, verga de pedra para portas
ejanelias, na estrada de 8. Amaro junto a
fundiefio dos Srs. C. Starr & Compendia, pa-
ra tratar oor proco commodo : a fallar na
ra da Cruz o. 51 no armazem, e no escrip-
lorio do primeiro andar.
Para a quaresma.
Grande sorlimento de sarja preta hespi-
nholi, setim preto maco, cortes de vestido
de seda preti bordados multo novos pa-
dree, chamelote de seda preta com lutria.
veludo preto, veos pretos, mantas de fil
preto, man tala tes pretos e de cores, cssemi-
ra preta, paono finos, cortes de colele de
seda bordados, merinos, alpaca, Upim, tudo
ultimameute cbegado, e por preco commo-
dos : na ra Nova n. 83, loja de Antonio Co-
mea Villar.
4,000
Vende-se rap de Lisbi. chegado lti-
mamente, vindo de eocommenda, cous
superior, e respoosabiliss-se pela qualidade:
ni ra da Cadeia do Recife, loja de J0S0
da Cunha lligalhSes, 11 51.
Vende-se marroquim de todas as cores
a 1,600 r., bandejas finas, colheres de me-
tal do principe, facas com garfos muito fi-
ns, ditas pira meninos, bocelss pintadas
pira doce, enxadas calcadas com ac, arcos
de ferro para barris, pipas e toneis, torna-
ras de metal com chaves para barris e pipas
panfusos para cama francezas, jarroa dou-
rados para meaa de jantar, e lodo o trem
pira urna coainha : na ra Nova, loja de fer-
ragena n. 16 do Jos Luiz Pereirs.
Na ra do Vigario n. 19, primeiro an-
dar, ba para vender muito superjor cera
em grumo, em barricas pequeas, e supe-
riores vi cilios engairafado.
Sarja preta.
f/i Vende-se superior aetim preto mico _
efe proprio para vestidos de aenhorajsar- IB
# ja de seda preta legitima hespanholi;
>.; cortes de vestido de sed preti nor-
te il:nl, gosto moderno, tendo de tudo
I porfo pin o comprador poder caco- tt
a) Iher e por preco muito commodo : oa 9
>; loja do sobrsdo amarello da ra do ?
m fjueimiilo o. 29.
Pechincha.
Na loja do Passeio Publico n. 15 renda-
se superior cal virgem, chegada ultimamen-
Je de Lisboa, por preco muito commodo pa-
ra acabar.
Ricas toDois de lia pira senbora e
menina.
Vendem-se na ra do Cibug, loja 0. 6,
touca de la as mais ricti que tem appire-
cido, por preco muito commodo, a ellas que
se eslSo acabando.
Na ruado Apollo, no trapi-
che do Ferreira, vende-se cal vir-
gem de Lisboa, em barris, chega-
da ltimamente no brigue Laia ,
pelo diminuto preco de 3,5oo rs.
Vende-so a armacSo e ben-
feitorias da loja da ra Nova n. 6 :
a tratar na mesma com Maia
Ramos.
Vende-se urna escnvi, propria para o
ser vico do campo : na ra Nova o. 28.
Vende-se um preto de na-
cao, ptimo forneiro e mestre de
masseira : a tratar na ra da Sen-
zalla n. ijo.
Vendem-se batatas muito
superiores, inglezas, recentemen-
te chegadas : no armazem de Jos
Joaquim Pereira de Mello, no lar-
go da Alfandega defronle do guin-
daste.
Banana e goiaba.
Veode-se superior doce d'aquellas fructas
do mais I..... quei ha : ni venda da ra
da Cadeia do Recife defronte do lleco Lar-
go 11. 85.
Lanternas para scompanharo Se-
nhor dos Passos.
Vendem-se lanternas de papel, pintados
de muito bom gosto, e preco commodo, pa-
ra os meninos icompanturem a imagem do
Sr.dos l'issos do Corpo Santo pin 1 Matriz
da Bo-Visti, ni quinla-feiii 25 do correte
mez : no Recife loja de miudezas de Anto-
nio Jos Moreirs Pontea, S. Antonio na de
Bento Joaquim Cordeiro Lima, e na Boa-
Visla na de JoSo Tiburcio da Silva Gui-
arlas.
Vendem-se por baratoprejo 4 canoas
de cirreira de diversos lotes, promplas a
oavegir : em Fora de Portas casa n. 24 aira/.
Ovas do Sertfto*
Vende-se ovss do sertSo por proco com-
modo : ni ra do Queimado loja n. 14.
Vende-se ssccas grandes rom gomma
muito alva para emgommar, e 2 rede com
todo centro marcada, agulha proprias para
lipoias, assim como duas toslhas com la-
berinto e hico as pontas : na ra do Quei-
mado n. 14 loja.
Agencia de Edwin Maw.
Na ra de Apollo n. 6, armazem de Me. Cal-
iii"o 1 k Coinpanbia, acha-ae conaiantemenlc
boni loriimcuios de taixa de ferro coado e
balido, tanto raaa como funda, moendas in-
ri ras lodasde ferro para anioaea, agoa, te,
ditas para armar em madeira de todos 01 ta-
manhos e msdellos o maii moderno, machina'da igreja, da parte do mar.
horlsontal para vapor, com forja de 4caval-| Vende-se
los, coucoi, paaaadeirai de ferro ealanbado F.spermacclo em caiiss de 16 libras.
para caaa de pulgar, por menoa preco que os K,rin|u superior em saceos de alqceire.
de cobre, eacovena para navios, ferro inglez c||i l() )uperio|.i
tanto em barras como em wcosfolnas, e luao grM min9i
por barato preco. 1 Verdadeira'geoebra de Olanda em frasquei-
IJeposito de cal e potassa. | ros.
i\ ,,,, J Pa Ha Cadeia Charutos da Bahia superiores.
no armazem da ra <> ^aaeia Seivej, fiM.: travesa da Madro de Dos,
do Recife n. 13, lia multo supe- armazem ns. 4 e 6, pintado de cor.
or cal de Lisboa, em pedra, as- Vendeoa-se 50 bastidores para qualquer
*. r, i,- thealro, em multo bom estado, o2 vistasl;
sim como potassa chegada ultima- quas t0dosa soorsrcidaum: na casado
mente, a precos muito rasoaveis. thealro da ra da Praia.
u 1 i Aos bahuleiros.
Superior cha nacional Vendem-se tsboss de pinho e pedicos di-
em ciixinhasde2 libras, e da melhor qua- versos, bons psra bahs e muito baratos :
lidade; vende-se por preco commodo, na na ra da Praia, casa do thealro que se est
rus do Corpo-Santo n. 2, primeiro andar. desmanchando.
Vende-se urna tenda de sspateiro, com x09 padeiros.
todos os perlence, muito afieguezada, na Vende-se lenha barata e de qualidade boa
ra da Lingoeta : 1 tratar na mesma. para pidiria : na casa do thealro di rui da
CLKA EM VELAS.
Vende-se cena em velas
das
Praia que se est desmanchando.
-- Veude-se um preto moco e robualo,
proprio para padaiia por ler prillca desse
melhores fabricas de Lisboa e do trabiiho .na ra do Tjepichen. 30, esquina
Rio de Janeiro, sortimentos mui- *!?,, uma bonil. parelna de caTll.
to variados e a pre^OS commodos : los de carro mancos e bem iguaes; dous
na ra do Vigario n. 19, segundo queraos multo boa de carga: na ra Nova
andar escriptorio de Machado & ,____. .
. ,' Ao bom e barato,
rinneiro.
Cola
Vende-se na ra do Queimado, loja n. 18,
do Rio Grande. panno fino preto superior prova de lirado ;
Vonrlp nenia ,1,, Hio C.r.nide do soli,n Drcl melhor possivel, chamalote
0 preto de lindos desechos muito proprio par.
vestidos das bellas, sarja preta hespsnhola
verdadeira, meias prelas de seda de peso,
ditas brancas; assim como outrss muitss fa-
zondas proprias para a quaresma, e por pre-
cos de agradar aos comprauoros.
-- Vende-se um forno para padaria, no derenlenda-secomopropnetanono mesmo
SAS*tttBMBa 5aVLvsftiBg*aes ";.. c.b,.,..d, .P,.e.
de do Sul, chegoda agora ltimamente, e o
Sul, por preco muito commodo
na ra do Vigario n. 19, segundo
andar, escriptorio de Machado 6c
Pinheiro.
Vende-so no armazem do caes da alfsn-
Arados de ferro.
Na fundigo da Aurore, em S. Amaro,
vendem-se arado de ferrode diverso mo-
delos.
Para a quaresma.
Caaemira preta infestada a 5,000 rs., o cor-
lede calca.
Na ra do Crespo loja da esquina que vol-
ta para a cadeia vendem-se casemiras preta
eofeateda a 5,000 rs. o corle de calta, sarja
preta hespsnhola a 2,600 rs. o covado ; co-
mo outraa fizendas que por aua boaquali-
didose tornaO recomeodaveia.
Vinho de Champagne,
e superior qualidade: veode-se no irrr.a-
em Kilkmmrj Irmflos Ra da Cruz, n. *o
Deposito da fabrica de Todos o
Santos na Baha.
Vendo-se.emcasa deN. O.Bieber&C.,
o ra da Cruz n. 4, algodo transado da-
qoella rabrica, muito proprio para aaccosde
assucar e roupa de escravos, por pre^ocom-
modo.
He tao barato,
Que faz animar ;
Quem vir a pechincha
Nao deixar de comprar.
Na roa do Crespo loja da quina que vira
para a cadeii, vende-se panno fino preto, a
3,000, 3,500, 4,000 4,500, 5,000 e 5,500 rs.
o covado; dito francez muito superior, a
6,000 r. ; dito azul, a 2,600, 3,500, 4,000 e
5,000 rs. ; dito verde, a 2,800, 3,000 e 6,000
rs.; dito cor de rap, a 2,600 rs. ; caaemi-
ra preta, a 4,800 6,000, 7,500 8,500e 10.000
rs. ocorle; sarja preta de seda muito su-
perior, a 2,500 r. o covado; merino preto
muilo bom, a 2,800 e 3,200 rs. o covado cor-
tes de cassa chita muito bonitos, a 1,920
ra.; e outraa muitas fazendas por preco
commodo.
Cemento novo a 7,000 rs.a barrica.
No armazem de Antonio Anues, no caos
da Allindegi.
Vende-se um terreno com 300 palmos
de frente e perto de 1000 de fundo, com
grande viveiro, que tem perto de 500 pal-
mos de coinpr ido, na estrada que vai pira o
Manguind : a tratar na ra da Cadeia do
Recife n. 9.
Vende-se um sobrado de um andar e
solo, no principio da ra do Hospicio, cons-
truido ha pouco lempo, com toda a solidez
e pe inicio, com cantan de Lisboa, gran-
de quintal murado e plantado do arvoredos,
estribiria e cacimba : na ra da Trompe
n.50.
#fw*jT5
ARADOS AMERICANOS. |
2 Vendem-se arados ame- a
ricanos, chegados dos Esta-
dos Unidos, pelo barato pre- 4
*; 90 de 40,000 rs. cadaum: na 9
S ra do Trapiche n. 8. ^
*Si.SW3>4 *<&&&m*;++1
Vende-se uma prela creoula, moca e de
bonita figura, sadi, cose chao, cozinha, la-
va, he vendedeira de ra e tem excellenie
conducta : na ra larga doRozario, loja
n. 35.
Deposito de panno di algodao da
febrica Todos os Santos da Da-
ina.
Vende-se por preco commodo
o bem conhecido panno de algo-
dSo desia fabrica ; em pessa, a
vontade do comprador.- no escrip-
torio de Novaes & Companhia, na
ra do Trapiche n. 34.
Azeite de carrapato da fabrica de
Araujo & Filbo, no Penedo.
Acaba de chegar maisdesle Ji conhecido
azeite, o mais proprio e econmico, para
uso de csndieiros de sala, tanto pela aua du-
racSo, como limpeza, e continuar a haver
sempreum depozito para suprimento regu-
lar dos freguezes : no srmazem de J. J. Tas-
so Jnior : oa ra do Amorim n. 35.
Vende-se ou arreflda-sa o Engenho S.
Rita moeote e correnle roeia legoa distante
da villa de Iguarassu' com proporces para
safrejar-se, embarque junto ao engenho; ala-
gados, o outras proporces : quem o prelen-
i
preco muito commodo. _
Vende-se a dinheiro ou aprazn.
Na ra Nova loja de Jos Baptisla Braga,
um excellenie alambique novo pelo sistema
Na
i,44rs-
rua do Crespo loja da esquina que
na porta : o prctendente aonuocie sua mo-
rada.
f\___1___ ________,;__1___. /_. na ra ao crespo 101a ua esquina que
Cambraia* para cortinadosa a,4oo oU, piri. Cideji' tenueoi.8e 2obor,0Mres
I'S. apera. \ de tapete, grandes e bonitos, pelo diminuto
Ns ra do Crespo, loja da esquina, que vi- praco de 1,440 rs.; em qualidade sSo os me-
de berosne, sempU fici'do.que tendo costado ra para 1 Cadeia, vendem-se cambraia* des- Ihores que lem vindo no mercado, por isso,
11900,000 rs., se vende com grande abale; cimpimdis, pin coilinidos, a 2,400 rs. s recommenda-sa aos Srs. de engenho que
previne-se que no caso de ser preciso fazer pejs, com 8 e III varas. quizerem comprar da piclnnoha, nSo soue-
alguma modificado no dito alambique para Farinha de mandioca. morem, porque j ba poucos pela estracSo
dest.llar como os de c.rapuca, sera ella fej- .. vende-se suecas com superior farinha """.'y ,-l meihor silss chenada do
ta a comento do comprador e gratis, Qual- de mandioca precog ra80,vei8: a tratar p.^ 'StinBBI^Arselini hon em deso-
queralimbiquerulineiro, eimperfito.cus- .' d Amorim v*'*> pela escuna Araeuna, noolem aespa-
ta7008a 800/rs., quandoodeque se Ira- *' r,M0 Junior rua ao chada : vende-se no escriptorio do corretor
ta lem duas csldeiras o dlferenles acesso- ,," '
riosqueotornammuitoreeomendiveisen- brande fabrica de chapeos de sol,
do em relacSo muito miia barato de J. Falque i ua do C'ollgeio
Loteria de Y S. do Livramento. n> /
Aos 5:ooo,ooo de rs. Neste nov
Oliveirs.
Taixas para engenhos
, Na luiidico de ferro de Bow-
. i.k.i... w... man & Me. Callum na rua do
estabeleeimento recebeu-se .
Na loia de miudezas da praca um novo e "adosortimenio de chapeos de firum, passando ochafariz, conti-
, I ^ ,v Sol dos ltimos gostos, lano de seda como .'. a haver um rninnlcto sorti-
da Independencia n. 4, vende-de p.ninho para homeos e senhorss, de r-nua ,a "av,e. um. comP,eto "or"
bilhetes inteiros maco de baleia e de asso que se vendem ment de taixas de ierro fundido e
j,,-, :,; PT meuos preco quo ero outra qualquer par- batido, de 3 a 8 palmos de bocea ,
decimos e vigesi- le. gra,,de sortlmenlo dechsmslole, sedss u, j t
io de N. S. do L- e paninhosempecede tod.siscores equa- as quaes acham-se a venda por
lidades para as pessoss que quizerem man- preco commodo e Com prompti-
se um resto de bilhetes inteiros
meios, qtiartos,
mos, a beneficio
vramento.
Bilhetes inteiros 10,000
Meios 5,ooo
Quartos 1,600
Decimos 1,100
Vigsimos 6oo
CHA PRETO.
Vende-se superior cha preto, com bombas de repuxo para regrar horta
..',., o baixa decaplm na fundicSo de Bowmaux
dircobrirarmaseaaervidas. Completo sor- j* -mharram-s* o rarn-mm-
timento de baleiaa para vestidos espartilhos aao emDarcam-se, ou carregam
para aenhons, fizem-se umbellas da igreja e se em carros, sem despezas ao com-
concerta-seqnalquer qualidade de chapeos nrador.
de sol: todos os objectos cima mencionados
se vendom em porcSo e a retalbo, por pre?o
que agradar aos freguezes* vista da quali-
dade.
Moinhos de vento
rnifTinTT"inTiimrr' mmmmm mm
,'. Vendem-se ricos veos pretos deseda, H
S de lioho e de retroz de llalli; mintn- ff
; : leles pretos do ultimo gosto e com ri-
jjj cosenfeites; mantas de seda preta ; p
A meias de seda pretas de peso e outras .,.
fszendss de gosto, tudo por preco de
emcaixasde 3o libras cada uma : & M. Calhem: na rua do Brumns.6,8el0. ^VadirVos coroprado"r^srrn ya d
em casa de J. J. Tasso Jnior, na Negocio vantijoao. f] sobrado amirello da rua do Queima- U
1 \ 1" Vende-seo hotel commercio silo na rua M do n. 29. &
rua ,m0"m"-rf' .. n.r, da Cadeia n. 13, cornos ulencilios que o gaMN*) r'W^WiWar^W mSmm
Vende-se um terreno excellenie para comprador quizer: a tratar no mesmo. I r.era lie rarnauha a i non rt
ediflcirao de uma casa, nSo be foreiro, tem. K Farinha hrala v f carnauba a 3,000 rs.
poroto de madeiras, muila pedra, e soleiras: r arinna barata. Vende-se na rua dos Tanoeiros n. 5, supe-
na rua doRaDgS.n. 47. Na rua da Cruz n. 33 armazem de Luiz rior cera de carnauba de primein sorte pelo
u.LttMMMIMMM ll^^f'anno nrtoTunoT g queire de farinha, tinto de S. Calharioa co- do porlo em caixas a 7,000 r. a arroba.
Panno preto fino.
Veode-se superior panoo fioo pre-
9 to, cor lila, i 4,000 rs. o covado: na 1
sjnitio de Nantua a
800 rs.
Vende-se a historia de Slmo de Nintu,
a 800 rs.: na livraria da pncida Indepen-
dencia n. 6e 8.
-- Vende-se um cavallo alazlo, bom an-
dador baixo e muito novo : oa rua do Cres-
po, loja o. 6.
Cebo refinado.
Vende-se superior cebo refinado, em bar-
ricas, que por muito superior se recommen-
da para o fabrico dis velas do carnauba: na
rua da Cidoii Velhi, irmizem n. 12.
AttcncSo.
Na rua do Cabug, roja n. 6, ha para ven
der um sorlimento de ferragens fins da cu
ti lar i*, como sejam, caivetes muito finos
de2folbia, com cabo de chifre de viado
800 ra.; ditos os mais finos que tem appire-
cido, com 6 folhas, pelo preco de 3,000 rs.;
assim como um sortimeolo de tesouras
muito finas e delicadas, sondo, de diversos
tamanhose proprias para toda a costura de
senbora, pelo baralissimo preco de 640 rs.,
pois quem comprar uilo se arrepende, pela
sua superior qualidade; facas e gaifos, por
pircos commodos.
Vende-se uma preta cosinheira de pro-
(IssSo, engomma e coze : ni rua larga do
Rozorio n. 35, loja.
Vendem-ae tres moradas de casas terreas
de tllpi bem cooalruldas, e quatro grandes li-
tios de coqueiroa com bailante pasto e mala
proporcea para criaco de gadut, tudo na po-
voaco do Loreto. Os pretendentes podem dl-
riglr-ie a Joo Pies, morador na inesim po-
voaco.
Vndese ferros grsodes, (fogareiros,
meza, regra.e cabeco proprio para fabrica
dn alf ule por prifo commodo, ni rua Nova
n. 12, ou no atierro da Moa-Vista loja n. 46;
na mesma tambem se vende 4 ciixilhos, um
halefio de amarello, e nm rico espelho.
Veode-se um esenvo padeiro na rua
do Rozario Kstreiti n. 13.
ptima mesa de jantar.
Vende-so um mesa de jantir com 18 pal-
mos de coroprid muilo moderna, feita de
amarello, envernisada, ps lornesdos ecom
pouco uso: quem s pretender dirijs-se a
rua do Rsngel, loja o. 8.
Vende-se ns loja nova da rua do Ran-
gel um completo sorlimento de franjase
trancas pretas para manteletes, e outris pro-
priis psrs enfeitsr vestidos prctos.por pre-
eo muito commodo.
Aos Srs. acadmicos.
Vendem-se na rui do Collegio, loj de en-
caderni(So de Jo Noguein do Souzi, n. 8,
por preco commodo os seguintes livros: or-
di'iiacOes do reino,l.ins Teixeira.Horges Car-
neiro, Ferreira Borges, LobSo segundas li-
nhas civis, Pereira e Souza linhas civis, Sil-
va Lisboa direito mercsnlil, Rossi Droit pe-
nal, C. Telles digesto portuguez, Bellime
philosophiedu D.-oit,Anezen Droit natural,
asseutos da supplicacilo, Ivan-Golovine eco-
nomie polilique e oulros.
Vende-se sapilos do Arsriti a 800 rs.
na rua larga do Rozario n. 35, loja.
- Ven le-so doce de bicuri em frascos por
preco commodo : na rua da Cadeia do Recife
o. 23.
Loja nova.
Vende-se nesta loj por precos bintissi-
moso mais moderno sorlimento de fazendis
finas a saber: cortes de vestido de seda
branca, manteletes pretos e cipolinhos para
meninas, romeiras de linho com enfeile* da
seda, los pretos, ricos cortes de chsmilote
pira vestido, bem como gros de aples de
furia cores dos gostos mais modernos pan
vestidos, cortes de lila de camello com 14
corados pelo barato preco de 6,000 rs. o cor-
lo, luvas de seda de cores, de trocil e pe i -
ci, e muitas o.itras fazendas, tudo por ba-
rato pre;o : na nova loja da rua do Raogel
n. 8.
Vende-se um palsnqoim da Bahia, de
bonito goslo : no largo de S. Pedro, por ci-
ma da loja de marci .eiro, seguodo aodar.
-. Vendem-se 5 escravos, sendo I muliti
Je 22 annosdo idade, cose, engomma bem
e cozinha; 2 pretas mogas de bonitss figuras;
2 escravos, sendo um coiinhoiro e moco, e
oulro de todo semen de campo : na rui Di-
reitan. 3.
Grande sorlimento de fazendas
baratas.
Panno fino preto a 3,000 rs ; Isarja preta
hespsnhola, de superior qualidade a 2,500
rs. o covado; setim preto macao, muito su-
perior a 4,000 rs. o covado; slparca, muito
fina a 610, 800 e 1,000 rs. o covado; cassas
de llores brancas, propriis pan cortinados
de cama, com 8 t|2 varas a 3,500 rs. a pega;
cassa chitas a 2,000 rs. o corte; lencos de
cambraia delinho, para homem a 4t(0, 560 e
640 rs.; risesdo assenlado em metim, pio-
prios pan ropa de meninos a 200 rs. o covi-
do, e outras muitas fazendas em eonta : na
loja da rua do Crespo n, 6.
M.aiitoi.-i l'aillici ,\ Conipanliiajt*
Contioua-se a vender no deposito
geral da rua da Cruz o. 52, o excel-**
Hnlee bem conceituado rap areiav
preta da fabrici deCaotois l'ailhet a fe
Companhia da Babia, em grandes efe
peqnetas porgues pelo prego eslabe-JI
)i lecido. fe
i
mo de S. Uitheus, muito superior por me-
nos prego que em outra qualquer parte e
: bixosetc.
-A
\c- ,, .__ codo que em outra qualquer parte;
bordo dii escun. Msna Jirnina fun- *ur,a ,reSi p,ra VMlj^s J-^J rj> Q-
Atleucao.
Na rua do Crespo o. 10, vendem-ae excel-
e
pre-
sada
cova-
Ii 2 h 2' I lev.ii Jo. s'accamiisbirata.fica tambero as uZMmSM^iiSSrSrSi
naruadoQueimido, lojado sobrado .barreduras n.ra vender, oue serve oara '1 m.nioieiea e caponnos oe seda
amarello ia 29 8!. ". P """"" V 0"0 P"m chamalote pretose decores, por monos pi
mmmmmmmmtmm-mtummmmm
Se mentes de ortalice
Vendem-se sement de ortalice de todas
as qualidade* muilo novaa, vindas de Liaboa
oa galera Uargarida, e feijSo carrapato e de
llores: na rua da Cruz,atrado Corpo San-
to n. 62.
.- Vende-se um terreno ni rui da Aurora
com 50 palinps de frente e 280 de extensfio,
tendo caes de lijlo a beira mar, ficando en-
tre as cssss doslllms. Srs. CustavSo Jos do
Reg e Francisco Antonio de Oliveira : oa
preteodenteadirijam-se a rua das Torrea o.
8, primeiro aodar. I
duda de fronte do cies do "o. "- d0; palito de brim a 4,000 rs. e cssaca a
periorfir.nhi de S. Malheus que se vende chu frlnCM'M eoa |l8la na fren.
o maisi barato possivel. trit.-ie 'bordo com ^ j yj ^ q ^^ ^
o capillo, ou com Luiz Jos de S Araujo : ou|rii mult fKeodM qufJ se vende.
Qiigiiuiin.. a.....,...___ro por todo preco, a vista doscompra-
Vendem-se velas de esperncete, em dorer e
caixas.de superior qualidade : em cisa de r> .
J.Keller Companhia: na ruada Cruznu- caraiissimo.
mero 55. Vende-se um terreno oa rua da Aurora j
Veode-se mais barato do que em ou- aterrado, tendo fundo at a rua do Hospi-
tra qualquer parte, ricos mantelete pretos ci, e frente 55 palmos: tambem se vende
e de cores : na rua da Cadei a do Recife, lo- s a rua da Aurora : a tratar na praca da In
ja n. 18. dependencia o. 17.
um nwiwuw
DE
As numerosas experiencias feitas com o
uso di salsa parrilha em todas ss enfermi-
dadea,originadas pela impureza doaangue,
o bom xito obtido na corte pelolllm.
Sr. Dr. Sigaud, presidente da academia im-
perial de medicina, pelo llluslrado Sr. Dr.
Antonio Jos Peixoto em sua clnica, eem
sua afamada casa de saude na Camboa, pe-
lo III m. Sr. Dr. Saturnino de Oliveira, me-
dico do exercito o por vanos oulros mdi-
cos, permiltem boje de proclamar lilimente
as virtudes clcaies da
SALSA PARRILHA
DE
:.:?*'-" b^-
Noti. -- Cada garrafa contem duas libras
de liquido, e a salsa parrilha de Brislol be
garantida, puramente vegetal sem mercu-
rio, iodo, potissium.
Vende-se a 5/000 rs. o vidro na botica do
Sr. Jos Maria Gongalves Ramo : rua do
Quarteis pegada ao auarlel de policia.
PIANOS.
Vendem-se em casa de Kalk-
mann Irmaos, na rua da Cruz n.
io, ricos pianos de Jacaranda, com
excellentes vozes chegados ha
pouco tempo.
Vidros psrr espelbos.
Vendem-se vidros para espelho de todos
os timinlios gor precos muito em conta em
casi de Killtmin Irmaos rua da Cruz n. 10.
Vende-se vinho de champa-
nhe legitimo e de superior quali-
dade : em casa de J. Kcller &
Gompanb'i na rua da Cruz
55.
Em casa de J. Keller & Com-
panhia, acha-se a venda vinagre
branco, superior de Nantes, em
barris de 36 medidas.
-- Vende-se, por preco commodo, um
preto de meia idade, proprio para ervico
de campo: na rua dos Martyrios n. 19.
Veodem-se charutos da Bahia das me-
lhores marcas em casa de Kalkmao Irmioa :
rua di Cruz n. 10.
Livros em branco.
Vende-se em casa dcKalkminn IrmJos ,
ni rua di Cruz n. 10, livros em branco che-
gadoa pelo ultimo navio._____________
Escravos tugidos.
AttencSo.
100,000 rs. de gralificic&o.
Contina fogido o escravo Minoel, per-
tencente a SebastifloMarque doNiscimen-
to, desde o da 8 de setembro do anoo paa-
aado, foi oscravo do Sr. Gabriel Afionso HI
gueira, lem 25 annos, pouco maia, ou me-
nos, de nago Angola, cor fula, com falla
de 2 dentes da parte auperior do lado es-
querdo, e ums pequens cori na caneca do
mesmo lado, corpo regular, olhoa peque-
nos, beigos grogsos, sem barba, baixo e be
ofilcial de funileiro : pede-se, portanto, a
autoridades policiies e capita de campo a
sua captura, pagando-se alm da graliuca-
CSo cima, lodi a despezas queseja necea-
sirio fizer-se.
No dia 17 de feverelro deste anno da-
sappareceu da cidade da Parahyba o escravo
de nome Domingos, que representa ter 25
annos | estatura regular, cheio do corpo,boa
figura, rosto com cicatrizo ou aignaes de
sua nacSo, dentea perfeilos, mos, pernal e
ps bem feitos: tem umi bernii em uma das
verilhas, he muito tallador, e be ofilcial de
pedroiro. Consta-no que esteva oest. cida-
de do Recife em uma casa na rua do duro,
e na madrugada do dia 19 do correnle Mar-
ra para o lado do sul, levando comsigo om
chapeo do chile novo, Jiqueta prela de me-
rino, calca de brim branco com listras en-
carnadas ; levava tambem um bah de folha
de lian ires com ondeido azul que tari I a 4
palmos de comprimento com miudezas para
vender, indo acompanhado por um preto
velho. Este preto quando deasppireceu da
cidade da Parahyba recebeu 300,000 ra.: ro-
ga-se a todas as autoridades policiaeao ca-
pilSes decampo que o aprehendam e o le-
vem ni Pirahyba no sobrado junto a loja de
JoSo Jos de MeJeiros Correl & Companhia,
e nests cidade do Recife a seu senlior Miguel
Felicio da Silva na praia do Cildeireiro, so-
brado novo, que recompensar generosa-
mente,
Desappareceo no dia 12 do correte
mez de marco, da casa de aua Sra., D. Anoa
Joaquina Los, moradora na rua Nova, o es-
cravo parlo de nome Francisco, muilo co-
nhecido poro possuir a muilos annos, coro
os signaos seguales : claro, barbado, com
assuigas por biixodoqueixo, magro, fila
muito manca, baixo, e an la calcado : quem
o aprehender, ou souber onde ello est, a
com o aviso possa vir a mito, se dar ana
boa gratificaco, procurando-se para eate
fim ao sen genro Jos Candido de Barros,
no seu escnolorio: rua da Cruz n. 66, ou
na rua d'Aurora ultima casa desla meima
Desappareceu do lugir de Catar, via-
do para esta praca o molatiabo EslevSo,
cor clara, de idade de 16 a 17 annos, cbe-
los corridos, que cihiim na extremidades
estando grandes, com uma cicatriz de ferida
em uma das pernss; pertenceote ao alfares
Jos Antonio da Costa, residente no enge-
nho Junco, comarca de Nazareib ; quem o
aprehender entregue-o ao mesmo Sr. que
ser gratificado com 20,000 rs. sendo captu-
rado em pouca distancia, e se longo,genero-
sa n en te,
-- Desippareceu no dia 14 do correnle pe-
lo meio dia o mulato, bolieiro, escravo do
dosembargador Firmino Antonio de Souza,
morador no ultimo sitio do Hospicio viran-
do para o do Pombal. O dito mulato he bas-
tante moco, cheio do corpo, sem birb, ca-
beg. groas e chata, cabello carapinhado, e
levavi-o grande, qumdo se retirou; temos
ps grossos, andar ligeiro e algum tanto em-
balangado, e quando falla a veze quer ga-
guejir, principilmeute quando tem medo;
trajivi calca preta, vesta branca, e chapeo
preto de pelo fino : quem o aprehender ser
bem recompensado; assim como quemo oc-
cultirser respunsavel m frm da lei pelo
ficto criminoso e damno que causir.
No dia 7 do correte desappareceu um
mulatioho de nome Francisco, de idade de
Ha 13 anuos; muilo claro, cabello louro o
cortado rente; levou cihji e camisa de cou-
ro, parece branco, e tal ve/, se intitule forro;
protesla-se contra qu--m o livor oceulto ou
seduzir. Jo usar do rigor das leis : rogi-se a
quem o pegar de levar a seu senhor o baro
de Capihiribe, moridor itraz da matriz da
Uoa-Vista que gralilicir.
>- Desippirrceu no dia 17 do coireole
uma preta de nvme Filicidade; estatura re-
gular, magra, tem fall de denle na frente,
urnas marcas de panno no rosto, cor nlo
muito prets, vestido de chita branco desbu-
tado, panno da costa tzul, um tiboleiroque
an lava vendendo, costuma guardar o tabo-
leiro e mudar roupa, e andar pela Passt-
gem e pelo engenho S. Cosmo onde lem a
mSi e mesmo por fra : roga-se as aulori-
ladea peliciaes e capitSea de campo que ap-
prebendara e levem na rua da Cruz n. 35 que
ser3o generosamente recompensados, assim
como se protesta contra quem a liver occul-
la e cobram-se os diaa deservido.
Desappareceu no dia 17 do correnle da
povoagflo do Monteiro da cisa de Luiz Anto-
nio di Cunha, uma preta escrava de nome
Joaquina, levando vestido verde e panno da
costa azul com listras brancas, e tem por
signal em uma da mSos um lobinho em um
dedo polegar: roga-se portaoto aa autorida-
des policiaes ou capiUes de campo que del-
la liverem noticia de o participar na rua do
Crespo n. 4, onda mora a senbora da dita
escrava que gratificar.
-- Deuppareceu oo dia 9 de fevereiro
prximo fiado, i preta Luiza de mgJu rebo-
lo ; baixa do corpo, magra, moca e esperta,
venda arroz de mantisa, e de tarae doce de
calda ero tabolairo, levou vellido j desbo-
la.lo e panno de listras, talvez diga que an-
da procurando quem a compre por ler pedi-
do para ser vendida, desconfa-ae que foi se-
duzida e estej acoilada, pois nao linha o
vicio de fogir, e se proceder com o rigor
da lei centra o seductor.ou quem icoita-la;
quem a aprehender e conduzr a rua da Sen-
zalla Nova n. 4, sari com generosidide re-
compensado.
Desappareceu no dia 15 da Janeiro pr-
ximo passido uma eacrava de naco de no-
me Mara Antonii, com Idade de 45 annos ;
estatura regular, tem alguna caballa! brin-
cos na freole, tem a ralla bastile grosaa, a
uma berruga oo rosto do lado direilo, lem
os olhos bastile paqueos e aperladoa, le-
vou vestido de asiento escuro com listras,
llores encarnadas e verdes ; esta escrava foi
do Si. de eogeuho daa Duas Barraa, e lti-
mamente do Illa. Sr. Francisco de Cirvalho
l'aea de Andrada, lenhor do engenho do
Meio : roga-se a quem o pegar ou der noti-
cia ir na rua larga do Rozario n. 22, segun-
do andar, que ser recompensado generosa-
mente.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EFI1VETUJ_4KQGBD INGEST_TIME 2013-04-13T01:05:55Z PACKAGE AA00011611_04472
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES