Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04471


This item is only available as the following downloads:


Full Text
- *

AnnoXXVIlI
:'f^l
Terca feira 23
de Margo de 1852.
N. G7.
DIARIO'HE m PEMAMBWO.
migo a gPBoaiPQAO.
PiOMlSTO AllUNTlIin.
Pdr trlmeitre...........
Por semestre .........
Por nao .............
Paco dimtio du iiinom,
Por quartrl............
VOTICIAl DO lUPtniOt
Para..... ade Marco IMInaa... 15 de Ferr.
Maranhao 8de dito 's.Paulo, n de dl(o
Cear... ISdedito. Ii.il.-J.. 10 de Marco
l'arahiha. |8 ie Marco i.iabla... 17 de dito
4/000
8/000
ItyilM
4/SO0
DAS DA IM1SA. AUDIENCIA*.
22Seg.S. F.midlob. ni.
a. 1 ilecina.
23 Terc.S. Vctorlano.
24 Ouart, S l.allno.
'-'.'i Qnlnt >: Annun-
liit.'u SS Vlrgem.
26 Sen. S. I.udgero.
27 Sab, S. Roberto.
28 Dom. 5 da Quarea-
ma 5. Prisco.
J/niio da Orean
2. eS. s 10 hora.
I. vara do eicwi.
3. ol. ao melo-dla.
Pasena.
3. e B. a> lo boraa. .
2 vara do civil.
4. e (abados ao melo-d.
Retacan.
Tercas e sbados.
irHHittlon.
Cresceate a 58, as I horas e 31 minuto da I.
(hela a (i, as :t bona e 11 minutos da m.
Mlngoanlell, as o hora e ll minutos da t.
Nova i20, as 4 horas e i* minutos da m.
niiniBBI hOJ
Primelra s o horas e.'il minutos da msnhaa.
Segunda s 7 horas e 18 minutos da'tarde.
IlKTIDiS DOS OOBKEIOI.
Parahlba s segundas e seitas-
ine-do-Horte,todai ti qulntas-felras
lio da.
mnse Bonito, S 23.
ita, e Florea, i 13 e28.
s qulntas-felras.
todos os das.
NOTICIA JSlTBAlJOrillAa.
Portugal. lSde Ferr,
Hrapanha. o de dito
Franca ... 7 de dito
Blgica... de dito
Italia.... 4 de dito
Alemanha. 3de dito
Prussia ...3 de dito
Dlnamarca3l deJanr
Russla... 29 de dito
Turqua. a4 de dito
Austria., a de Ferr,
Suiasa.... I de dito.
Suecla... 30 de Janr
Inglaterra 10 de Fev.
R.-Unidos 28 de Janr
Meilco... 5 de dito
California 2 de dito
Cblll. 2* de dito
Hlenos-A. 1 de Fevr,
Monterldeo 10 de dito
CAMBIOS DE 22 D> HUCO,
Sobre Londres, a 27 a 60 d.
Pars,
Lisboa, 90 por canto.
METAU.
Ouro.Oncas bcspanholas... ~.~.~.~.'.~.V.
loeclas de 6/400 relha.....:.... 16,
de 6400 nova..........16
de4/000................ 9/100
Prata.PatacSes braslleiros........... l/'20
Pesos coluinnarlos........... 1/2S
Ditos meilcanos..... 1/800
PARTE OFFICIAL.
MINISTERIO GUERRA.
scui atirad-ires, e foi o primein quo, trans-
pondo o vallo que circumilava a9 c>S'S de
solea nndn o inimigo so aclisva acastella-
, do, rompeu sobre ello um fogo vlvissimo,
enm-l'iue fo seguido sem demora poroutra des-
i. ___-I Al IntJ. __t M.lndln n ...!.._
Illm Fim Sr Na nmlida.le ele rom-1 (lu8 101 guiuo seni Demora uui uiiira aosr-
Illrn. e Exm. Sr. Na quiii.iiie ""- hornvol di Igidt pelo valenle e Intre-
mniiliiiilc da primei.'l dmsSo do exercilo *-"*" '""'' .',," JJ .. 'P:mnr. heloada n
loconhecimenlo de V. fcx. n brilhante leilola"1"10- .. _i_i_ .,. n,n.n
d'arm.sdest.divis.10 na gloriosa bat.lh.I .Tornad, a poielo n'"" ".^ '''co
campal que n. pro.incia de Huenos-Ayres, direito. a segunda b'igad. cuja frente
junto o poro de Morn, quairo leguas d,s-! me .chava, e que era commandad pelo de-
lante da capital, teve lugar oo dia 3 do cor- S c"ro"cl Fe"ei"V' Anl>n,0 FalcBo, rea-
renle.
Este di
para o lira
ge a tempe.Hlailo que
lisava o itaque pela frento ; nBo obstante
i'in
., Exm. Sr., tornou-se memoravel c.r.gem desesperad.>"*<"e0
aril minien arram'saou tiara Ion- se defenda, a intrepidei dos commanuan-
s-XdTo. .hV2S br.nce?r1, ? "os corpos Aj*J^M
iZZSS? fU,Ur n80nh0 Par' tSSSS&S. em^'che^^:
Um. parte do" exercilo br.zile.ro reunid, '"igo'. le de ^o des.pperecer coraijoni
m obre slli.nca ao do v.lente general Uf! Pres 'gl?1 J".ITrtl, nPT,er.m",
uix., derraman io seu sangue nos campos 'hido, anda Ihes inspirara, e puzer.m-se
de Moroo pela liberdaflade um povo inleiro, ."ii urecipilad. '*
adquiri p.r. o nosso exercilo honr., glo-l, ric.ndOiobreije.we de sol, asusten.
riaSe repaleeao. Desculpe V Ex. este pe- Ur o f..go uns cento o cinc.ent. dutentos
queno proludio. Albo do enlhu.sia.mu de soldados, nflo obslant) ter cheg.Jo a di-
quero vio briihar nossos soldados no meio' onciilol que d,nodadam..le secun-
de 50 a. 60,000 bomens quo se bsterao des- dou nossos eforos, resislirsm .ind. por
apiedad.menle espaco de quinze mloolOl com coragem
Depois das peos. marchas que (izemoi, Por S"- dlivid dign. de melhor UM.
pelocentro de urna c.mpanha estril ob.l-i Ao paseo qua os nossos s. Ida dos s^e .po-
dido recunos, wffreodo e sede, o eslor, a 'der.v.m das poeicOea mai, fortes do umi-
f.d.g. e un. milh.r de outros comlralempos go a brig.de MM na ,o m, .ndo d re-
cheamos no dia 2 do correle visl. do, lento coronel D. li.thi s R vero, que'
sobro a va em consequncia di ordem que eu Iho
la.- o exercilo, comtudoo inimgo a des.m-, herlo o flanco direito di linln que eu com-
pa.ou depois de um pequeo liroteiro de m.ndsv.. Vendo, porcm, o eoron Rivo-
guernlh.s coin .s av.ncsd.s da nossa v.n- n> que s columnas d. minh. divisao cm-
^H3|ui prerundiam a carga, carregt sobre ocen-
Desassombrado o cimpo. fez alio o exer- Be di lilil, inimiga, pondo-a em complet.
cilo. e.c.ropou sobre Coxilhs, desoccu- f"g<. j.. m
p.da pelo in.migo. Entregues ao pr.zer de Apes.r de to assignalada derrota, com-
uma victoria ce.t.. cuidamos todos em au- t'.'do anda o in.migo con^ervav. a nossa
gment.rosprep.raliros pre o combate no d.reita urna bitcru de quatorzo bOOOM de
diaseguinte. Por essa occasio ti ve "ordem fogo; avancei a ella com o batilhjlo 6 de
do general em chefe para encorpurar forca infanta-n, e tal foi o valor dos defensor^
que V. Ex. coofiou ao meu commando o cor- que smenle bsndonar.m o seu posto
podeaitilhari.de D. Jos Mara Piran com | qu.ndo nos viram a 80 a 100 passos de dis-
ta bocas de logo de varios calibres, e mais tancia.
tres btUIhSes de infanl.ri. de Buonos-Ay- Sendo de muit. importancia o terem pe-
' trochos de guerra que lomamos ao inimi-
go as posit; s que occupsva, e vendo que
conlinuav. o fogo de urna oulro b.teri. de
res, quo pertencar.m au exercilo do general
Oribe, e dos.qu.es tinh. o commiodo em
chefe o coronel Malinas Rivero,
Nodi 3 s 4 horas e 30 minutos da ma-
nha principiamos marchar para o cam-
po d. baialha, e as 5 boraa e 30 minutos a
vistamos o immigo collucado em urna posi-
580 eminentemente militar, nao sopor do-
minar todas as alturas que poJiam ser por
nos oceupadas, como tamben, por seaettar
senhor de duas casas di solea, on le mu 111 -
cheirou 3 b'laloao de infantina, leudo
alen. dWtoi sua direila ;......!> pr um
forte banhado. .Nao obslaule osla superio-
ridades exercilo lOUsOU a formatur con-
veniente, occup.ndo as forjas do rjieu com-
m.ndo o centro da liuha de balalhi.
As 6 hor.g e 15 minutos priucipiou o com-
bate e nossa esquerda pelo fogo das fortes
guerrilh.s, no qual teve parte o segundo
regimeuto de cavallaiia ligeir., como .dian-
te mencionarei, com o fin d chamar a at-
tciicSo do inimigo para o seu llanco direito,
omquanlo so opperava o muvimeulo que,
segundo as ordena do gen ral comman lauto
oitu peQas, que licava A esquerda d'aquellas
jl tomadas p>>r nos, avsnci contra ella com
a segunda brigada, o orJenei a piimeira
que desticassi a ala de um bit.ltiSo para
tomar cotila dos prisioneiros, e seguisso
cum o resto os movimentos que eu lizesse
A frente.
Ao appraiimar-nos batera o chefe de urna
forca de cavallaria. velo diier-me que ella,
apoiada ainda por a^uiii. inlanlaria e c.vall.-
ria inniii:i, eslava causando grandes prejuios
ao. seus soldados. Kaxendo ento .vanear .
pasto de carga duas compauhia. de .tiradores,
consegu tomar a artitliar.a, pondo em fuga a
tropa que a guarncci-i, e inana-l.
lelo piquete de cavallaria do 2" regiment,
composto de SO pracas, couimaudadaa pelo v-
leme alferes Luii JoAquim de Si Hrito, conse-
guio este p-lus em completa debaudada, e to-
inar-lhe anda de quarenta a cincoenla prisio-
neros.
Por esta inclina occaslao, tendo eu Ja re-
quintado au majur general Virasoro forca de
cavallaria, que me era de absoluta necessldade
do exorcilo, duviam fazer algumas colum- P o caio em que me acl.ava, e q"ne as decavallari. sobre, reguarda e flanco .^-^ ^ tr^ordiu.,.
esquerdo da linha do immigo. ACO.sada ^JJg ,, aej| mailJei 0rde,n a una
por rorca maior relirou-se a nossa guerrtlha cor|)u (|e cav,|llria ,lue V[ nl,, proxline par.
repassando o h.nh.do, em que eslava ipjn- ajudar-me a perseguir o iuunigoque se reti-
da a nossa esquerda. rjva j isto nfima nao podendo obter Umea-
Tendo As 8 horas da manhaa feito o ini- tei .indi una vea a falta do seguuUo regiinen-
migojogar sua arlilharia sobre nossa linha, to, e com os atiradores infantes perseguimos o
man iei inmediatamente resnonler-lhc pe- inimigo com veloeidade tal q le. noss.s Atenas; reconhecandopiirein f^.^jttV+&&
que os lirus eram inelhcazes nesta distancia, a combllf r
atienta1 dlnerenc. de cilihre, hz cossar o osobjectos tomados ao inimigo foram: trinta
fogo, e oceultir a batera, para Dio Itcar ex- e qUalro bocM de fugo de diversos calinres,
posla Intilmente. entre estas quatro obuies de seis polleg.Uas,
II is Has'.I no.'as O general em Chefe do duas est.tlvas de logeles Congreve, e, alm
de plano, e ordenou-me que .tacase o cen-
tro d. linha initniga logo que .entiese os
movircenlosd. inf.nt.ri. que licaa a mi-
nhe direta ao mando do coronel Calan, de-
vendo adirisSo oriental cerregar sobre o
flancj direilo e a brigada argentina sobre o
esquerdo da mesma linha inimiga.
Diapuz as torgas para esse n.ovimento, e
si'i depois du 11 horas he que o general VI-
rasoro, ponderando-lhe eu a 'demora que
havia em hoatiliaar inimigo. ies^ondeu-ine
que o geoer.l em chefe eit.ra n.quelle mo-
mento comoiert-ii lo o fUnco esquerdo e
retaguarda do inimigo, e que advisSo 0-
rienlal ia vmrjsr pelo llanco direito.
Logo que vi est. divisilo por-se em ttio-
vi ment entend que, alm de outras prj
videncias tomar, a devii proteger, por
so dirigir ao ponto mais forte: mande.
avanen a iirlilmina para lugir de ou le
pudosse bter o ini roigo, e distrahir seus
fegos de sobre aquella dirisSo. A' primeir.
bngad.da delerminei que avan?s-o om au-
xilio dos Oriontocs, no entretanto que eu
i testa di segunda o fazia de froate sobre
1 dita pnsKii 1.
Est. movimenlo arriscidissin.o tero um
brillante xito; a divislo oriental, encon-
trn lo obstculos que a obrigar.un a rolir-
d.r sua marcha, foi c irajosamenle prece-
dida pela primera brigada, que es.endo:.
do duiscompmhas de atirailors d >s bati-
lliOes 11 c 1:1, dirigidos pelo lente coro-
nel Francisco Vctor de Mello e Aluquer-
quo, em columnas de ataque cobertis pe os
atiradores, nSo obsl.nte o fogo vivissimo
que Ihes djrigi. a batera inimiga de Vi p -
(as de calibre 18 e 12, quatro obuzosde 6
polleg-das, e urna estatua de roguetee i
t:ongreve, guarnecida por tres batalnOee
de infant.n., avanr;oU peito descoberto,
sublndo por um terreno suavemente incli-
nado o espigo de oito doz quauras de
uilencSo. -
Ao .ppfeximir-scas c.s.s de sote., Jun-
to A. quics si c n. ollocida rlilh.ria,
cheg. a S'gunda brigida, que msrcliou pur
um leriuno irregular, at'.veean lo tim-
looi um banhado que fleava trezentas
brag.is pouco msis ou menos, i frente da
poslrjao que nos dirigamos. Investio o
intrpido teaente-coroael Vctor i frento de
l>o, po
eoodotlr.
Segu eui.i.i coin a columna a ineu mando o
movimenlo das forcas queme precedlan em di-
receo aos Santos Lugares, on ie acampamos as
quatro horas da larde.
O segundo regiment dt cavallaria llgeira,
tendo sido destacado desta diviso por ordem
do Sr. gener il Urquiza, para faier parte d.
vanguarda do exercilo alli.do, foi incorporado
a diviso do commondo do general La Madrid,
da qual falla atesta. Flanqueando aquella di-
viso esquerda do inimigo, teve ordem do re-
ferido general para destacar urna liaba de ati-
radores, eom o desigolo de o ho.tillsa pela, re-
taguarda ; m.sencoulrando resistencia de forca
fuuilo superior em numero, foi reforjad por
todo o esquadro de .tiradores .0 in.ndo do
c.pito da guarda nacional adJIdo.o uieaino re-
giment Jos de Oliveira bueno, es fminedia-
las ordena do eapllo fiscal Joo Daniel Damaiio
dos Reis.
O referido esquadro assim dirigido coose-
gulo penetrar al o eentro da retaguarda da
lioia do imlnigo, pratlcando prodigios de valor,
acossaodo-o na sua retirada por espaco de 1
leg1". e fez alio nosS.mlos Lugares, onde recer
beu ordem de reunir-sc .1 diviso que por dia-
poaico do Sr. general Urqulia devia marchar
para a esquerda da nossa linha de batalha, o
que verilicou levand8o priaiuueiroa, compic-
hendidos oeste numero I major, 2 lenles, 1
medico, 3,000 cavallos e a carruagem do faml-
gerado curonel SaolaColoma, forcando o inimi-
go na sua marcha a abandonar '.' carrelaa carre-
gadas.
Com esle Irlumplio lamcnla-sc a perda dos
valeutes lenle maiioel Fraucisco Monleiro, e
do alferes Norberlo Xavier Rosado, victima es-
le de sua eacessira coragem, sendoferidos dous
soldados, e fallando outro que se suppde inor-
lo, pul se ler perdido entre o Inimigo.
Tendo depois ordem u regiment de mar-
char para a trente da esquerda da linha inimi-
ga, atii lormou ein batalha, e por ordem do re-
ferido general 1.a Madrid avaocava ao trote so-
bre urna batera que diriga seus fogos divi-
so Oronho, quando, sorprendidas as guarni-
eres da ineiin 1 balera pela audacia com que
o regiment assim as iovestia, bandonaraiii as
peca, fuglodo com os anudes : 111.a sendo per-
seguidas pur um esquadro de atiradores sao
obrigadas a abandnua-las, perdeodo vinte e
tantos bomens, mullos prisionelros, deiaando
ein nosso poder cinco boceas de fogo, cinco car-
ros com uiuuices e varios artigos de guerra.
O coininaodaole desle regiment, na parte
que me dirigi, da que cumpre um dever re-
coiniaendaudo a V. Ele. o brttliault; couaporla-
menln do esquadro de allradorea, fazendo es-
pecial menco do valente e habd capito.Jo)
Daniel Oamaao dos Res, do capito da guarda
nacional addido Jos de Oliveira Itoeno, len-
le Pedro Luir Osario, e desternillo alferes Ili-
i il \ in Amonio Rlbeiro, todos oIBclaes do refe-
rido esquadro, bem como dos cadetes servln-
do de olciaea Jos Thoinat Vielra da Cunha,
l'eli.inno Anionio .Meme-., Seb.stlo Xavier de
Az.mbuja Jnior, Angellno deC.rv.lho, Fran-
cisco Rodrigues de Lima. Manoel Jaclulho IV-
reira, segundos c.deirs Miguel Henicio dos Ao-
jos, Tertuliano Turibio Alonso e soldado Jos
Martina, que toniou um. bandelr. do inimigo ;
finalmente, que todo o regiment dur.nie .
batalha se condualo com muit.a blz.rrla, mano-
brando coin a inalor precisan, sendo digooa de
particular louvor pela pericia com que dirigi-
rn! seus esquadres os valeutes capllaes Joo
Francisco Meona Brrelo, e graduados Jos
'mrlspiniano de Conlreiras e Silva e Manoel
Ignacio da Silva ; o cadete Dlogo Alves Ferraz,
fazendo aervlco de omcial e secretario interino
desle reginciuo, pelo discernimeulo, desemba-
r.icu c coragem com que tranamllllo as ordena
que por elle espedir.
Pelas parles dos commandantea de brigadas e
corpas que junto a esla truho a honra de apre-
sentar a V. Esc, ver V. Esc, quae. os otB.
ciaes e m.l. pr.cas da divlao que por aeu brU
Ihanle coinporlamenlo durante a batalha se ti-
r.eram dignos de especial ineuco; enlretaulo,
juico Indiclinavel o dever que me impe a po-
aicaoque V. Esc. me cufiara de emluir o ineu
jui/.o a respeltodaqueliesquese tornarammals
merecedores daa recoinmendafoee de V. Eic.
O coronel Francisco Flix d. Fonsec. Pe-
reira Pinto, commandanln da primeir. bri-
gada, ilm di actiridade, intelligeneia e
zelo que desenvolveu durante as marchas
na conservigo da. disciplina o boa ordem
della, m.nifeelou na batalha aquella bra-
m a, !i-.i-.tii' 111 mu e sangue-frio que Ca-
raclersam o verdadeiro soldado, tornndo-
se pnr isto digno dos maiores encomios.
O coronel Feliciino Antonio Kalco.com-
mandaoleda segunda brigada, esforzando-
se para manlor durante as marchas .ordem
e disciplina d. sua brig.di, comportou-se
dignamente na batalha.
O lenente-coronel Mirtinho Baplistt Fer-
reira Tamarindo, no commando do seu ba-
talhSo, o 13 de infsnt.ria, fez observar 1
mais rigirli disciplina e ordem as marchas,
en. bal* |ha ostenlou aquella sangue-frio,
bravura e prudencia propria de um vete-
rano.
O tenente-coronoi Luiz Jos Ferreiri.pro-
curando bem cumprir os seus deveres du-
rante as marchas, ni bal illn, qu-ir mi ata-
que geral primera pos{9o, quer no espe-
cial em que Ine coube tomar 1 segn la ba-
tera, dirigi seu biiilhao em muilo bo. or-
dem e porlou-se corajosamente
(I lenle coronel graduado JoSo Guilher-
me de Bruce, cun man la 11 te do 7. bala) iSo,
procurou bem desompenhiroe seus deve-
res n.s marchas; na balaiha moslrou, 110
ataque da piimeira posicSo, muill uusadia;
e sendo por mlm 000.fregado de, com a
.1. do seu batalhSo, guardar oe prisionei-
ros, e arredilar as boceas de fogoe petre-
chos ali loma los ao inimigo, desempenhou
esta commiseSo salisraetoriamente, apre-
sentando-se 1.0 acampamenlo s9 e m na
horas da noile com tudo qu.nlo Irte fui
possivel conduzi', e consia da relac,lu junta.
O lenenle-co'Onel graduado Francisco
Vctor de Mello Albuquerque, empenl.an-
do-se em manter a disciplina e orlen, no
ii iiiiii.iii 11 -io sen inti'i ni 1 commando, ua
batalha dirgindo duas campanillas da ati-
radores do seu batalhSo, que cobriam as
columnas di primera brigiia a que per-
tancia, denolido foi o piimeiroa transpOr
o fosso que augmentava a defesa daquelli
ji i-,n; io, misa li 1 quo, imitada por seus sul-
dados, encheu de terror ao inimigo, que
procurou na luga evitar, morte ; alm dis-
to, reforjado pur um. compaohia de atira-
dores do 6." batalhSo, Com o mes im leu 1-
il'i investio a lerceira balera, e lomandu-a,
to vivamente acossou o inimigo que o 0-
brigou a debandar, fazando-lhe grande nu-
mero de prisioneiros, e t un ni lo-lhe as bo-
cas de fogo, carretas, carros, etc., constan-
tes da sua parte olliciil junta.
o majiir m iiiD I Lipos l'eceguei'O, ra-
mm i.me iulerino do 5.' baUlho de ufia-
tina, empregoit-so com zelo durante as
marchas em manter a ordem e disciplina
do seu t 11 ilti.ii, e na batalha soube dirig-
lo com lino e sangue-frio.
0 m.jur graduado Antonio V.z de Al nei-
da, comm.nlante interino do8. b.lalhSo
de infanl.ri., no curto espaco de lempo
que o rom llanda c His.-rv ni du'ante as
marchas a disciplina e ordom que 00 mes-
rao encoulrou ; o na batalha, sobadirec-
r 1 do coronel chefe do msmo balall.ao,
cu inprin salisfaclnri iiniMiln o seu il vr.
O niajor commandante interino do corpu
de ari luana a cavallo Jos Joaquim Con-
galves Fonles, procurando manter oas mir-
onas a dtaciplina o ordem do dito coreo, li-
ra va da sua exp Tiencia e zelu recursos pi-
ra remediar as faltas de elementos de mo-
bilid.de neceas.los sua arma ; e na ba-
lalha sua pericia, ralleclila coragem e
xc ll-m'o dire.e.i;."! 1 ilos figos de sua natu-
ria, se dore em grande parte a tomada da
el 1 nema posi^So.
Alm destes, merecen especial mengSoo
lente coronel graduado Antonio Jaciulho
da Cosa Freir, fiscal do 6 batilhai, e
major graduado M.ooel da Gama Lobo d'E-
c 1, aquolle por haver mais esta vea dado
provas de sua recinhecida coragem e san-
gue-frio, e este por ter sido o priraeiro que,
levado de bravura e rnlhueiasmo proprio
-le seus annos, peoetrou a casa de solea no
co neg do ataque, ex aondo lemerari.uien-
leSUS existencia. ^
O alfores Luiz J >iquim deS Brito, com-
ma 1 lanle do piquete do -2." regiment que
as marchas fez vanguarda da diviso, he
igualmente digno de uious louvoures pela
disciplina e mi-in em que Conservou o pi-
quete a seu m.ndo, e valor com que A tes-
la d 1 urna foroi tao diminuli cirregou so-
bre for^a inimig. consideravelrenle m.ior,
pon lo-a em debaudada e fazeudo-lne cres-
cido numero de prisioneiros ; sendo tam-
bero digno de elogio o comporlamento que
neesa occasiSo leva o primeiro cadete do
mesmo piquete fazendo o ervico de olllcial
Antonio Germano de Audrad 1 Pinto.
Os Drs. Polycarpo Cezario de Barros, en-
carregado da repartirlo de saude da divi-
so, Alexindre da Ar.ujo Ribeiro, Pedro
Tito iiegis, e Jon.tas Abott fllho.e 2/0 cirur
giao d. guirdi nacional Joaqulm Freir de
AudradA Ramos, nSos as peniveis mar-
chas que teve do fazer a diviso com man
de tresentos doentes seu cirgo, desem-
penb.raiu de um. maneir. digo, dos mito-
aos elogios a ardua t.refa de sua prollsso,
comolno hospital de sangue, o nico que
teve o exercilo alliado, e onde for.m rece-
Indos todos os feridos, se cooduzir.m de
um. maueira que faz honra ao corpo de
saude do exerc.to bnzileiro, tornando-se
mii.Rsalienle o Dr. Jonat.s Abott pel sua
pericia operatoria.
Fit-se digno da muilo particular menguo
o reverendo padre caoello do 5.* batalho
de iofanlaria Manoel de Vera Cruz, pela ca-
ndido verdadeinmente evanglica co n que
desempeuhuu as funcgO s de seu ministe-
rio, levando seu zelo ao ponto de preslar-se
como enfenneiro ao curativo dos loridos.
0 tenenle-coronel da guarda nacional
Candido Jos da Figueii, a quem onfle
durante a bilalna o cuidido e defesa das
bag.gens, pondo As suas ordens, ilm d.
co un.nlna de transportes, os doentes que
espontneamente pedinm armas para .1 -
frnd-les, he digno de louvor pelo bem que
desempenhou esta commisso; bem como
o teneote Delfloo Rodrigues de Almeida,
commandante d. referid, companhia, pelo
zelo o .cllviil.de com que n.3 marchas se
empregou uadirecriuod.s muoicSes, reser-
vas e hospit.l.
O encarrega lo d* p.g.dori. junto i divi-
s9o Miguel d. Rocha Freil.s Tr.vassos cum-
prio sampra com honra e probid.de os de-
veres d. rep.riigUo a s,u c.rgo.
Resta-me liml nent i fazer justica ios of-
ficiaes empregados junto ao meu quartel-
general, o que farjo com tanto maior salis-
f.cv9o, quanla fui dielinla, uobre e esfoica-
da a mioeira porque cada um desempe-
nhou is ordens que por inim ihesfuiam da-
das.
Oc.pitSo Andr Alvesade Oliveira Bello,
deputa io do ajudanle genener.l junio di-
viso, alm du des-ipenbu das obrigages
a seu cargo, dislingiiio-se na batalha coad-
juv.nte .0 tenenle-coronel Vctor as li-
nhasde .tiradores que este dirigi.
O capillo Augusto Fredericu Pacheco,
depulado do qimrlel-mestre-general, de-
sempenhou salisfaclori.menla as fuucgoes
seu cargo ; na batalha moslrou sangue-
frio e c.iragem ; do mesmo modo os issis-
lentes do de >utado quariel-meetre-general
lente do 2. b talh.lo do ini'.litara Ma-
nuel Porliro da Cistro Araujo. e do quar-
tel-meslre-gennr.l alferes do 2, regiment
da cavallaria llgeira Adolpho SabaatiSo de
Alhayd, n. Irausmlsso r.pid. das ordens
aos uiderentes corpos de diviso.
0 cipilSo do imperial corpo de engenhei-
ros Ernesto Antonio Lascenca Cunha, en-
c.rregido do itinerario e parle histrica da
diviso, alm de h iver com intelligeneia e
zelo bem cumprldo seus deveras nes-
la parte do sussfunredas, distinguise no
r6conheclmenlo que lite ordenei lizesse so-
bre a pstelo mais importa it i da liuh 1 ini-
miga, desampeuhando satisfactoriamenle
com sangue-frio e valor lo import inte e
arriscada cominissSo.
O lenente Fre lerico Augusto do Amaral
Sarment Mima, sendo encirregado do iti -
nerario o parle histrica da primnira h iga-
da da diviso que a prece lera na sua via-
gem pelo Paiaua Pona du Diamante, bem
preencl.eu sua miseo soflVeudo um vivo fo-
go quando passou pelas baleras iuimigas
assestadas no Tonelero, e, durante a bata-
Itia, cooduzto-se com saugue-frto e cora-
gem.
O alie os do 4 regiment de cavallaria ll-
geira Jos Bethez de Oliveira v-n meu
ajudanle d'ordeus da pessoa, sendo a pri-
mera vez que entreva em fugo, distingui-
se pelo iiisc-iiiiineiiiii e bravura coin que
iransmiiiio as miniias ordene, honrando
desl'arte a memoria de seu benemrito pai
o brigadeiro Kelippe Nery do Oliveira.
Finalmente, Exm. Sr. sinto maiursilis-
l'n;.i 1 em polerassegurar a V. Ex. que tolas
is pragasda dirisSo nos campos de Morn
mii.siiaran-su dignos soldados do exercilo
brazileiro.
Temos lamentar a morte dos bravos l-
enles Manoel Francisco Monleiro, alferes
Noberto Xavier Rosado, ambos do 2 regi-
ment de cavallaria, ligeira, um sargento,
um c.bue nova soldados doadrarentes cor-
pos da divisSo. Foi 1110 Mnenle forillo o
capito graduado Domingos Rodrigues Tou-
ri 11 in>; fondos gravemente o capitn gra lua-
do Henrique Jos Moreira, alferes Mmoel
Antonio Soares di Gama, cabo Appohnario
Ferreira, furriel Francisco Pereira da Costa,
dito Jos Leite Peroira, e 21 soldados ; leve-
mente feridos, os capujes Mauricio de Sou-
za Freir e Jos Antonio da Oliveira Bote-
iiio, alferes 1. 'aii.irn Correa do L.go, Anto-
nio Cardoso da Costa, Jos Mara da cir-
valho, Antonio Carlos Pereira do Mello, 2'
eadeio 2* sa g Milu Domingos Augusto Gon-
gilves, 2 sargento Chrislovo Warner, e 17
soldados contusos, o capiloGuiltiermeLeo-
poldo de Frenas e 7 soldados ; extraviados,
7 soldados.
Quanto perda do inimigo, poslo que nao
se posea ainda menciona-la com exaclidSo,
foi consideravelmente superior do exeici-
to alliado. O numero de prisioneirus to-
mados pela diviso moola cerca de 2,000.
Deosgu.rdea V. Ex. Qi.arlel-general da
divisan luxili.dor. brazilein em Palermo
junio i capital de Buenos-Ayres, em de fe-
vereiro de 1852. Illm. e Exm. Sr. general
culi le de Caxias com mandante em ebefa do
exercilo, Manoel Margues de Souza brigadeiro
commai.dinle.-Esta conforme, Jos tiazileu
Nevcs Uonzaga, secretario do general en.
chefe.
(Jornal \do Commercio)
T R1 BU Nal Da tatTC A G \ .
SESSA DE 10 DE M \ll(.:> DE 352.
Preiideicta do Exm Sr. ounselheiro Aseoedo
As 10 horas da manhaa, estando preeentee
os Sre. deeembargadorea Villares Bastos,
Leo, Souza, Talles, Pereira Mouloiro, e
Valle, faltando com causa os Srs desem-
barga lores Rebollo, e Luna Freir: o Sr.
presidente declara aben, a sessSo.
JULOAMSNTOS.
Habeas-corpus de Augusto Carlos de lii-
Uncourl Avill.r.Neg.r.m ordem de sol-
tura.
Recurrente, Amonio Christ iva 1 de Mendon-
?i; recorrido, o juizo,Julg.rim impro-
cedente o recurso.
Recrrante, o juizo; recorrido, Jos R.y-
munlo da Cusa Menezes. Julgar.m im-
procedente o recurso.
Recurrente, Severiuo M.rtyr Vieir.; recor-
rida. justici.--Mand.ram distribuir como
ppell.cao.
Aggravante, Joaquim Lucio Monleiro d.
Frang ; aggntado Mannel Pires Ferrei-
n Negaram proviniento ao aggravo.
Aggravante, Joaquim da Silva Lopes ag-
grava loa, Guimaraes & llenriques.Nao
lom.ram conhecimento do aggravo por
nto ser caso dell).
Recrrante, Joflo Jos da Cruz: recorridos,
Manoel Cario Codinho como cabe?, de
sua mulher e oulros. Julganm a f.vor
do rfeorrente mez.
Recrrante, Luiz Jos Ferreira Leite ; recor-
ridos, Miguel Antunes Lopes e outros
.1 ilgaram a favor do recorrente.
Ap, olanles, Antonio Luiz Congalves Fer ei-
r. e aua mulher; appellado, Francisco
do Reg Barros de Lacerda Julgar.m
millo o processo de fuln.s em diente.
niMieli.iEv
Appell.nte, o juizo ,-appellado, Manoel Jos
Vieira Braga.
Appellante, Jos da Rocli. Paranhos; ap-
pellado, Ullisses Cjklee Civalrioti de
Mello.
Appellante, o juizo, appellados, os berdeiros
de Manoel Luiz da Veiga.
IVISOBS.
Pasearam do Sr. desembargador Villares
.0 Sr. desembargador Bastos as segu.otes
appellagoes em que sao:
Appellanles, e appellados, Manoel Antonio
Das e Jos Venancio Pimenta de Carva-
Iho.
Appellante, o juizo ; appellado, Joaquim Ri-
beiro l'oules,
Appellante, Antonio Jos de Freitas Guima-
raes; .ppellado, o juizo.
Appellante, Estevao Lopes de Souza ; appel-
lado, ojuizo.
Pasearam do Sr. deiombargador Souza ao
Sr. desembargador Villeros ae seguimos ap-
pelIagOes em que sao :
Appellante, Aloxaudre Ferreira dos Santos
Cauiuha ; appellado, Joaquim Mmoel de
Oliveira Cosa.
Pasearam do Sr. desembargador Telles ao
Sr. desembargador Pereira Monleiro as se-
guinles appellagd ia em que silo :
Appellante, Sebaxli3o Luiz Ferreira; appel-
lado, Manoel Amonio Arantes.
Pasearam do Sr. desembargador Valle ao
Sr. degemoargador Villares as seguimos
appellagee ein quo sao:
Appellante, o juizo; appellado, Antonio
Jos do Espirito Santo.
niSTiiiiiulgliS.
Ao Sr. desembarga ior Pereira Monleiro
os seguintes recursos emques0o:
Recurrente, o juiso ; recorr.uos, Domingos
da Cusa Hamos e outro.
Ao Sr. desembargador Valle os seguin-
tos recursos em que s8o :
Recrrante, o Jallo ; recorrido, Ignacio Cr-
rela de Sa.
Ao Sr. desembargador Villares os seguin-
tes recursos em que sao :
Racoreule, o juizo ; recorrido, Joo Baptis-
la Feneira Uiaga.
N.lo foram julgados oede maje feitoe com
dia aeeignado por Haver faltado a sessu os
Srs. desembargadoree cima mencionados.
l.e riil nomeid. pelo presidente d. ..sembl*,
iiliui de interpor com urgencia o seu pere-
cer. S. R.-A. do Oliveira.
V.i i mesa e he mandado imprio.tr o pro-
jecto de orgamento provincial.
(Continuar-sc-ha.)
Heparticao de polica.
PARTE DO'DIA 14 DE MARCO.
Illm. o Exm. Sr.Di interior d. provin-
ci, por parucip.cBo do delegado do lermo
do Honii 1, do 9 do corrente, que no primei-
ro ilisli icio do subdelegado d'aquelle termo
havendo o inspector do qu-rleirSn respec-
tivo ido capturar a I.udgero Torres Gallindo,
indiciado em crime de iutrndn/ir n tas Tal-
is de 5,000 ris na ciculagao, o mesmo
Ludgaro, ao recaber a voz de piiso, dis-
par.m um bicamarte sobre um aoldado,
que inda esta vivo e t-lvez escape, e deu
diversas fculas em outro quo morreo ; sen-
do que o autor destes alintalos tambem
solfc 1 um tiro da tropa quo o Ion prender
e icha-so preso na cadeia da villa do Boni-
to, onde esta sen lo procees.do pelo rea-
pectiao juiz municipal.
Tambem refero o delegado cim men-
cionado, que n'iquelle primeiro dislricto
houvera urna desorden) no illa 28doindi-
cilo mez de feveroiro, por isso qoa um sol-
lado de tropa da linha, ( cujo ionio omitle )
lepois deespmcar um prito forro o a mea-
gara com urna faca; .0 que .codindo o
subdelegado d'aquelle dielriclo prenleo di-
to s illa lo, depois de luv i-lhe lomado,
f.ca, e ciilreg.ndo-o a dous soldados resis-
ti o preso, resuliando d'ahi algum tumulto
que sa muilo cueto foi aplacado nlo len-
10, i' ''-m h.vilo morte nem ferimeito no
conflicto.
Diz finalmente o sobredito delegado que
oulro luiii iito anda maior teve lugar em
o mesmo dia 28 en. consiqueuci. de tero
te'.ente commandante do d istacamento d'a-
quelle disiriclo dado na fein espaldeiridas
cm dous h mens.
Do t-r no do Bonito movieran) remetti-
dos, lm de diversos recrul. qu- enviei
a V. Exc, quatro criminosos de morte, que
liz locolher a cadeia.
la mi cm mefuram remettido. da villa de
C.ru.r cinco criminosos de morte, que
tiveram igual dostino.
Ilontem pelas 7 hnr.s o mei. da noite
hnuve um principio de incendio mcisi n.
16 d. ra das Trincheiras, em que mera
Komm. Josefa Rodrigu-s Barbosa, haven-
do pegado fogu em urna porcJo de p.lha
que estavaem nm quarto da ca.i; sendo
que esse incendio fui logo exlmcto pelas
providencias d.d.S pal. snbdeleg.cia do
primeiro dislricto da freguezi. de S mo An-
tonio, e celos cuid.dos do ommmd.nte
int'nno do corpo de polica, que, logo que
ouvio o sino d. matriz tocar sianal de fugo,
m.nduu para a ra das Tiinchjirae Iriuta
pregas do mesmo corpo.
Recei indo-s algum disturbio em Ap.pu-
cos por occasilo da festa que hontem levo
lugar, por cert mulag3o que. segundo
cinsti'n-me, se tinh. desenvolvido onlra
osdnecioroe de alguus dive timenloa; de.
as providencias consta 1 les do oRlcio por
copia incluso, n. 1, dirigido ao deleg.do
Rodolfo J080 Barata de Almeida, que me
respon leu com o oflicio da copia n 2, sen-
do que avista da condicBo dos refer ios di-
SESSAO EM 22 DEMARCO DE 1852. rectores e sua reconhecid pru lencta eu U-
Presidencia do Sr. Pedro Cavalcami ronfi-|nha a es.ieranga deque nenhum c unllicto
nuada pelo ir. Bara'ode Oipibaribe upparecoiii, pelo qu limitiva-se aquelle
As onze e meta horas da inanhJa, fcita a meu odlcio a urna medida de preeaugao por
chamada acham-se prsenles Ssenhores depu-10 c.yiemque, contras ininhaexpeclagao,
l.dos. 0 alzutna desonlem se venlicasse.
O Sr. Priidrni abra asessao. Koran. Dresos. no dia 13 do correle, A
OSr .osrcMr,olaactadasessao anterior de|e,j0 d0 rrimeiro dist-icto
".K So, julg.do objecto de deliberagao cuj., culp.1 se.gnor. por nBo .., .co,n-
mandado' ,,.pr,miro seguintet Pnh.do a ptgg^ J Bo!.Vist.,
n....buaroC;e!,u,aelr,!"1"""rOV"'C,al ^ Pe,rorA.m"r.cu.hido* cadeia F.biBo, escr.vo
.< Ari. 1. O Boverm da provincia fica auto- de Auna Felicia, e Eudoxio, escr.vo de luiz
risado a contratar com urna ou mais compa- 'Gomes Ferreira ; o ao quartei 00 corpo ae
nhias, iiaciunaes ou eslrangciras concluso polica Joaauim NuneS d. Silva, CUJ. CUIp.
d is .-sua las .le r.i .1' A i Ini. l'.v ul i, sul e or- : je |gni)ra,
te, g.riniindo s mesinas companhiaa um juro | E ngirnento ordem do subdelegado de
al nove por cenlo ao auno do capital por ellas Jej fu| f c0|nj j0 A cadeia Joaquim, OS-
e'"PA''rlt00,rab..ho,.erao e.ecu.ado. se- cr.vo de Manoel Gomes da Sil.
gundo 01 pl nirii apresentados pela adminis-
ii i\: "> dis ubras publicas, salvn as uiodif.ca<;dej|
que accompanhias prupoierem eforein appro-
vadas pelogoverno, ames Oj depois de cuioe-
cadus ottrabalhus.
- iVrt. 3. < irabalhoi comecaro seis metes
depois de assignadu o contracto, sb
um coulo de rts de inulta ein cada in
inora. Se as obras nao seconcluireui no lempo ,--.
e.tipulado, sorero as coiupanhias a mesiiia u cinvenleat') desuno
uiulu.
a Arl. 4. As estradas serao divididas em lo-
tes, cujo valor nlo exceda a cen contos de ris
cada un ; e smente comedir o pagamento do
Juro do cipltal descendido em um lote depois
de sua conclusfio.
PERNAMBUCO
ASSEHBLBA PROVINCIAL.
Todos osescr.vos cima indicados fonm
presos 1 requisigOes de seus senhores,
P Conc uire. participando V. tac que do
primeiro dislricto du ...bdeleg.do de aboi
tBo veo-me remettido Alexmdre Lopes
eis ineaea desertor de ma.inha ; e do ul>
.e'aTiU I leg do de M.r.ngu.pa me fot envi.do Je-
no lempo runi.no Chrispio. U.ruosi, ios qu.es del
cunvenieole destino. _,,.. ,>
Secret.ri. d. polica de Pornambuno, 15
do marco de 185J-
Copio a ? te refere a parte tupra.
Constan lo-me .ch.r-se Vmc.,dwi Hig"
de Apipucos, vou recommen l.r-lhe que
iua conclusSo. u" "> J* ,4 rjvidenciis, de aceordo com
ian.5. A eiiensfio das estradas menciona- d tod.. 1"'',""..* Dir nJo h.ver
no arl. I sera por tal modo calculad, que a o respectivo subdelegado, pira '" -
mil cinto. ,h, o menor de.guisido ^I0' S,
d. grande leuniBu de povo quVlt'.r.nem .s
fostas dess povo.do, eso Vmc vir que .1-
gum disturbio po le resultar di corrida das
duas cav.lh.d.s qoe ah devem ter lugar,
ruto haver pp.recdo. segundo ou.i duer,
.Igim. emulaco entre os direc:o e. de
laes i ive linelos, Vmc. obstan a que se
verifique essas corridas. E outro m. me
communicara o que a este resoelto uver oc-
corrido. ... ,.
Deo g tarde a Vmc. Secret.ru d poli-
ci de Pernambuco, 14 de margo de 1852.
-Anselmo Francisco PireK.-Si. Rodoiro
JoBoBinU deAlme.di, delegado supplen-
le do primeiro distado deste t-rmo.
Hlnl srAcenso recebido, no engenho
nous-lrinSos, o olllcio de V. S. d.tido nuje,
no qu.l me rec immeo i que tome ts provi-
dencias precisas em ordem obst.r qJ nlo
h.ja.lgumdes.guisaJOonlrea.iu. coriidas
d-cavalnidisque sepre.en >'<**"***
anenhoo na uovo.gao de Apipucos; emeon-
serfuencia do quecumpre-m. jssaver.r a
v's quecemiu.nto u,e persuada que ne-
nhum. occor.enc. h.ter* ei.l.e os direc-
tora, done diveitimento. por se.em pes-
so.s capazos, lod.vi. Dea t meu cuidado
tomar qualquer providancii que porven-
tur. irjt necessri. a prevenir qu.lquer
dTeo.'girde i V. S. Engenho WM-lr-
milos, em 14 de m.rgo de i852.-llloi. Sr.
Dr. Anselmo Fnncisco Pirelti, chefe de po-
lici. interino da provinci.. O deleg.do
supplente, Rodol/o lado Barata de Almeida.
P B asBOai
daa no arl. I sera por
importancia de lodua nao e.ced.
de lis.
Art 6. \ leio do juro designado no artigo
primeiro o goveroo garantir s compaoblas
uns ues por cenlo a lilulo de amoriisaco do
capital, principiaudo a ainortisaco coujuucta-
inente coin o pagamento d Juro.
a Art. 7. Se o corpo legislativo votar maior
quantia para amorlisacu do capital, que ..
compaohl.s i-inpre,; irein, d que o que nc
e.alabelecido no artigo antecdeme, ellas sero
obrigadas aceitar.
* Art. 8. Os terrenos que se houverein de
desapropri.r nos lugares em que pass.rem as
eslradaa sero ediuos gratuitamente pelo go-
verno.
a Art. 0. O governo iofeepionar por inter-
medio dos seus agentes lodaa as obras eiecu-
ladas pela compauhia. alliu de que nao aeja por
qualquer modo illudido o contrato.
Arl. 10. Fleatll revogadas ludas as disposl-
edes em coolr.rlo.
a Sala das sessdes da assembla provincial de
Pernambuco, 22 de marco de 1852. Paes ar-
reto. __ Harros arreto, -- apisa, -- dymiir.--
A. de Oliveira.
lio li io o .pprovaloo seguinte parecer :
A commisso de examo de posturas e ne-
gocios de cam.r.e rnuoicip.es.tendo ex.mi-
nado as posturas da cunar, municipal, de
i,o.nina na julga que ellas merecem ser t-
iciuli ia-,u -lo quo sem otTerecer emen i.rhe
de pirecer ellas enlrein em discussSo pin
serem approvadas.
Sala dascuininissOes 22 de m.rg. de 1852
tfarao Capibariie, S Pereira, A. lose1 de
Oliveira.
He igualmenteapprovado o seguinte
KEQUEIUMENTO.
'Bequeiroqueo regulimento do cemile-
rioseja remettido a urna commissBo espe.


X**f
DIKFXTOBIA PI.OVI1C.HI. nOCfeNSO.
OWr a todo, o, direelSm mu.ctpaei
Para nuc eu P Sailsfazer pUnameole ao
que m. h. ordenado pela circular a. /'<">
loria earal do ecnio do Imperio de 14 do mei
auado, aballo Irioacrlpla, eumpre que V me,
na Indique aa intdldu que, ni ae acomido
consignadas no reglame ni" para a organl-acao
do eeuao geral do Imperto, mandado escol-
lo pelo decreto n. 797 de 18 de Junhs do anuo
auado, Julgar neceuarla para o bom anda-
mento doi trabalhoa do oenao nene municipio,
logo que o governo Jinperlil ordene a aua re-
nov u-.io. lk f .
Dos guarde a Vine. Directora provincial
do cenao, 22 de marco de 1152.
Dr, Joaquim de Aquino Fonteca,
director n/uvlucial.
N, j, Circular. llavendo o governo Im-
perial Julgadu conveniente impender, at no-
va determlnaciio aua, a eiecuc.io do regula-
mento eapedido para levar acuello o ceoso ge-
ral do Imperto, como ver Vine, do eaeiuplar
Impreaao do decreto junto; cuinpre-me recoin-
mendar-lhe por eaia occasio, i|iie, durante a
nterrupco temporaria dos trabalhoa docenao,
era de multa conveniencia para o aervlco pu-
blico, que Vine, dando acurada aitenco mis
neioa de eiecucao do referido regulamento,
baja de propor-me qualquer medida, quejul
;ar neceaaana (alin das pruvldenciaa queja
oram dadas oppurtunameute pela reparllcao
doa negocioa do imperio) aflu de que ordenada
que aeja pelo meainn governo imperial a rrno-
vacSo doa trabalhoa d censo, nao encontrein
eaiea na pratlca quaesquei embaracos que poa-
aam difHcullar o aeu bom andamento nesaa
provincia, ou viciar talvci o reaultado que del-
leaae dar eaperr.
Droaguarde a Vine. Rio de Janeiro. Direc-
tora geral do cenao do Imperio, 14 de feverel-
ro de 1852. i'andido Baptisla ie Oliveia, di-
rector geral. Sr. Dr. laaquttn de equino
Fonaeca, director do cenao da provincia de Per-
inambnco.
UlARIOlE PftNAIBUCO;
RECIFE 22 DE MARCO DE 1852.
A assomlila julgou ohjectodn delihera-
cSo e manJou imprimir um proji'Cto, iuIo-
risindo o presidente a contratar coin slfCii-
niii cumpanhia de nacionaes ou eslrangei-
ros o 1-izinn'iiiii das diversas entradas da
provincia ; assim como o projecto d'orca-
mento provincial; approvnu um rnquori-
mento do Sr, Augusto Olivcira i :i que
fosse a una commissilii especalo renula-
monto dado pela assninbla par o cemit^-
rlo publico, ao qual a presidencia ii.-gari
ssnccSo ; approvou em segunda dlacussfu
o 'projecto n. 4, que eleva a calhegoria de
villa a povoacSo de Ingazeira e regeilou em
primeira discusslo o de n. 9, quo, desliga b
fieguesla de Harreiros do termo do Itio-
Formoso e rene ao d'Agoa Prota, (cando
elevada a cathegoria de villa odilo termo
de Barreiros o tirado d'Agoa Prela. En-
franjo em discusslo as posturas da cmara
de Flores; foi approva lo oart. I." do lit.
7. e addiado o 2.' por falta do numero.
Aordemdodia para a si'ssoSHguinlo lio
a ultima discussio da emenda aprosentada
em terceira discusso ao projecto n I, ler-
eeira do de ns. e 3 ; segunda do de o. 8,
primeira do de n. 11.
a "
Comujunicado.
TIIEATIIO DE APOLLO.
Canina, do Roco Rene/Icio da actriz Ca-
rotina.
Tomos visto em carlazes annunciada pa-
ra quarta-feira no theatro do Apollo a re-
presontacSo do bellissimn vaudevillo o Co
mes do Roco, em beneficio da Sra. Caro-
lina.
.Viii lia duviila algumi quo a comedia he
o gusto ,repond -i ante da qua Ira presonte.
Agencio fiivulao sceptlca a qun perleu-
cciiins, ao menos pela poca, gusti d dcs-
Irahir so coro jigosd.i espirito, edo repou-
aardas fadigas da vida rindo a boca cheia
das fraqueyas re.iirulas da huminidsdo;
ialo ella prefore a presenciar o quadro das
Rraudes pandes dos humen* e dos grandes
aciintecimeutiis lie verdado quo a uatureza humana lio
susceplivcl da dor como J.ijIi'.h?. D'alii
nasce divino do serio e do cmico que
divide nfin sa poesa ( tragedia o comedia ;
e popea h -lun-1, o heroi-comica ; ode, e
cancelo, etc.) m>s lodo o dominio da arte,
pintura, musica.dansa etc. lio vordado que
o redicolo l.niili'.ii i-iii ii m'ii -iili,i i,,', ,-.-
.viii como este nSo dista daiuelle mais do
qun um passo. As dores de Phedra e do An-
il r o ni mli i nilo parecem m lis subliiiins do
que tantas passagens do Moliere, como a
de Mr. Joor.lan descobiiudo com admira-
rlo que Fallava prosa ha quareuU anuos
snm o sabor. Sophocles e Aristophsnes,
Tasso e Cervantes, Racine e Molieie lem
igualmente lugar na historiada litteratura
e na admiacSo dos seculos.
Para unir o gosto da comedia ao encanto
da msica creou-se o vau leville.
iNeste genero he summamente aprecia-
vel o Cumies do (tocio, que tantas vozes e
com tantos applausus vimos representar
em Lisboa. Elle rene s mais bellas qua-
lidades da coniodia, o enredo picante, o
chiste, a cor local, s msicas as mais agra-
daveis. Como tGracade feos, aioda que
iifn inlen......nii' do ini'.inu genero, ha por
todos os respoitiis digna do ser apreciada
esta deliciosa composir;So que encerra tan-
to sal as palavias, tanta verdado nos ca-
racteres, e que nos transpoita os bons lem-
pos do velho Portugal de I). Joo V ; lem-
pos em que, he venia de, os uorluguezes
ja nSo descobriam Indias, n3'i escievian
Luiadas, nem pele|avam em Al km tela
f ; porm em que o rei fidelissimu ediflea-
va Mafia, iiiiii os seus porlos ejidos de
navios nacionaes que conduziam as rique-
zas das colonias, e recehia de Huma muito
bravee muit< indulgencia.
Taremos u-;i represenlaflo de apreciar
bella vqz da boneliciada e de alguna ar-
tistas mais, e o sal cmico da actriz encir-
regada du papel caricato de D. Antonia do
Menino de Veos, a Sra. Joana Januaria, ac-
triz que, ale,o do elevado tlenlo quo de-
monsirou ha pouco no papel tocante e apai-
xonado'de Clotilde, he rnputada som rival
na comedia por tndus quantos a viram ro
pr.iseutar a Canchn n tantos papis inlc-
ressanles em entrem'zos.
Para o espectculo ser completo, o Sr
GuimaiSes desempo'nhara nafarca, um ex-
r lenle papel caricato, e rematar o es-
pectacolo coro o bello dueto--A Sentinella
da Cadeia.
dos portoi do aul do imparlo, a agencia man!
featou:
1 cuo ; a F. Maeatroli.
2 dlioa a Tarroio& C.
2 fardoa; a Fr. Joa da Gircuncisio.
1 cala de folba; a Croco 6 C
1 calite encapado ; A. Criar de Abreu,
1 eucapado; a tlobert Duion.
I callle a Jola Panlo Gomea de P. e P.
I encapado ; a JoAo N. Dlaa Fernandea.
I di lo a .Vivara Se C.
I bahi drl'nlha; a II. Jnse Coellio.
I calite; a A. Moraea Gomea Ferreira.
I i iiiln oli.o ; a Domingos deSouiaLeo.
I caiiote ; a Joa Ilyglno de Miranda.
1 dito a Lino Joa de Castro Araujo.
1 embrulho; a Avrlal Frerea t C,
1 dito; a Joao Alvea de Sonta.
Ili.it,' nacional Ligeiro, vlndo da Baha, con-
algnado a Luii Horgea de Siquelra, n,aolfeaiou i
1 fardo fazeodaa, & caliles garrafas absyn-
ilno ; a Croco al C.
10 pecas cabos de Cairo, 20 fardoa (uinocm
folba; a Joa Francisco da Crui.
2 i, ii i km. cal de pedra, 13 pipaa fumo mol-
do, 3 nielas dltaa lirio emp; a Fernando Be-
lete,
2 calas charuloa, 20 fardos fumo, 50 sacca
caf aManoel F. C.
100 fardos algodo, 30 dltoi fumo i aManoel
J.de Olivcira.
20 fardos fumo; a Croco o. C
3 calas charutos; a Manoel Alvea G. Jnior.
520 ditas ditoa ; a Joao T. C
5 dltaa, 6 barrlcaa e um panacum quarlinhas'
loufa, etc. e I aacco com tapioca ; a Antonio da
gilva Cuaino.
30u quartlohaa, 50 talbaa louca, 5 barrlcaa e
3 caiaaacbarutoa; aNovacadiC.
calas charuloa; a Joa Antonio da Cunba
& Irinoa.
I cala charutos; a Antonio Luli de Olivci-
ra Atevedo.
100 calas e 16 calides charutoi; a Domln-
goa Alvea Matheua.
i glgo quarllnbaa; a ordem.
i MI uiolhos de nlaasaba ; a Luis II. de C.
Iliate nacional PtordeCururipc, vlndo do Ara-
caly, couslgnado a A. T. Seve St C.; manifea-
tou os acguiutes generoa nacionaea:
100 couros salgados, 134 mollios sola, 21
molhoseouros, i I mol los esleirs, I cala aa-
p.ihirs, ni saccaa algodao, 1,200 velas de cera e
I coudeca ; a Antonio Joaquiu de Souza lli-
beiro.
7 saccas cera; a Itonifacio P, da Costa.
IJ7 couros salgados; a Manoel J. Pacheco.
1,040 cuuriubos, 200 esleirs, 10 saccaa cera
de carnauba, 1 caia vella de dita ; a C. fiiFi-
Ihoa.
88 molos sola ; a Manoel J. S Araujo,
117 saccaa algodo ; a F. Seve &: C.
I0 cateiras, I caia vellas de carnauba; a
Antonio L. Ilraga.
5sacras goiiuua, 15 ditas feijo, 83 moibos
couriniios, 9 lardos coturno, 75 moibos eslei-
rs ; a Francisco JoaquimGaspar.
.lie,hiios salgados, i3 saccaa aera, 1 cala sa-
patea ; a ordem.
2o aaccas algodo, 52 inolhoa coutinhos; a
F. 8. M.
lo alqueires aal fra do manifest.
COPULADO i.l'.HAl..
ileml......i'lndn da I a 20. .32:315,561
dem do dia 22........3.315,739
35:631,300
DIVERSAS PROVINCIAS.
Kendimoutodo dia t a 20 .
dem do dia 22.......
3:174,089
122,724
3:296,813
I-' xi>i>rlii>;:i<>.
Vcncza, patacho hollandez Mara Sophia ,
le 308 toneladas conduzio oseguinte:
4000 saceos com 20000 amibas do assucar.
I.ive. un pelo Cear, galera ingleza Bal
la. dn iiii i tunela las, conduzio o saguiute:
ScaixOes 2 burras de ferro, 1 dito 1 ralogiu
du parede, 1700 saceos com s mu arrobas de
nssiicar, e 20u0 reos com casca.
IIECEBEDOIIIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PEHNAMUUCO.
Rendimenlo do dia 22.....1:403,034
CONSULADO PROVINCIAL.
lien Ivii.'iil i .| i dia 22.....I l'.Si.-.'l'l
24 e 27 da le provincial o. 286 de 17 de malo
de 1851.
Al pessoaa que ae propmerem a fila arre-
maiaeao, comparecam na aala daa afiaoea do
mesnio tribunal, noa dias cima uienaiooados
pelo mel da, competentemente habilitadas.
E para constar ae mandou afilar o prese me e
publicar pelo Muri,
Secretaria da Ihfsouraria da hienda provin-
cial de Pernambuco, 15 de raarfo de 185.
O secretarlo, -
Antonio Ferreira d'AnnuneMcao'.
Claufu/os especioei da arremai^ao'.
I." O arrematante sn ubngadu a circu-
lar o aterro da casa de detencao conforme se
ach designado no orcameulo, que ncala he
apreaentado a approvacao do Eim. Sr. presi-
dente da provincia, na importanciad6:!57yi09
rala.
J. Eate aterro aera principiado no praio
de 30 das, e concluido no da nove metea a con-
tar da dala da arrematado.
m s, ai Sero aterrados com preferencia aquel
lea lugares que o eogeohelro encarregado da
obra designar ao arrematante.
4." O Importe desta arrematacao aera pa-
go em qualro prealacdea Iguaes, da inaneira
seguinle: a primeiraquatido o arrematante li-
ver felloa quarla parle do aterro, a aegunda
quando tlvcrfeito a metade, a lercelraquando
liver feilo os tres quarlos do aterro, e a quarla
quando liver intelramente concluido.
5." Para ludo mais que nao eativer deca
rado naa preaentes clauaulaa aeguir-se-ba
que dlspe a le provincial n. 286 de 17 de malo
de 1851.
Conforme. O aecretarlo, A. F. d'Annun-
eiacao'.
' O lile. Sr. olTicial-mnor snrvinlo de
inspector da tlmsourar i da faienda provin-
cial; ero cumprimento.da ordem do Exm.
Sr. presidente da provincia, manda fizer
. utilicn, que nos das 22, 23 e 26 do corren-
te ir a piaga para ser arremsjtfp, perante
o tribunal administrativo da nfeama thesou-
loi i a, ii quem pur menos lizer a obra do se-
gundo lanc,o da estrada da Iscada, avaliada
em Il:584,2l0rs.,e sobas clausulas espe-
ciaos abaixo copiadas. '
A arrematacSo ser Taita na forma dos ar-
ligos 24 e 27 da lei provincial u. 286 de 17 de
malo de 1851.
As pessoas que se propozeram a esta ar-
rematarjao comparecam na sala das sessOes
do mosjtio tribunal, nos dias cima men-
cionados pelo- meiu-diii, competentemente
habilitadas'.
E para constar se mandou aOlxar o pre-
sente e publicar pelo Diarfo.
s cretina da thesouraria da fazenda pro-
vincial de Pernambuco, 3 de marco de
1852.
O secretario,
Antonio Ferreira d'AnnunciscSo.
(Maumiai eipeciaei d'arrematafo.
i.' As obras dependeotes desta arremati-
entendido que no numero dos presos pobres
nSo saiiioi contempladug os esrnvoi em ra-
sSo do fornecimeolo do sustento deltas, de-
ver currar por corita do caiccreiro, como he
de lei e estylo.
7. Que o foiiircndor si jujeiliva a forno-
err o sustento aos presos pobres reoolhidos
i enfermarla da mesma csdeii dando-se-lho
320 ris diarlos por cada um eobrigando-
se elle a cumpiir o regulamento na parte
que Ihe diz respeito.
Secretaria da polica, 16 de margo de
1852. Antonio Jost de l'rci/ai.
COMPANIIIA BRASII.EIIU DE PAQUETES DE
VAPOR.
Sendo notorio que frequentemente os pss-
ssgeiros que viajsm nos vapores da compa-
nhia dos paquetes, transporta!" clandesti-
namente em suasbggagens avultadas quan-
tiis de dinheiro, tanto de conta propria,
como alheia,defraudando sssim a companhia
em um de seus ramos de rondimento;o
abaigoassignalo gerente da companhia bra-
silera de paquetes de vapor, faz scienle, que
nSosur permillidoa passageiroalgum levar
comsigo maior quantia de 1:000,000 rs. em
qualquer especie. No caso de desconflanca
de contraveneno, os agentes da companhia
e oscommandanlos dos paquetes, poderlo
mandar examinaras bagagens, e sujeitar ao
pagamento de frete duplo toda a quantia que
for encontrada, e exceder aquella somina.
Rio de Janeiro, 30 de agosto de 1651.
Marcelino Jos Coelho.
Pela recehedoria de rondas internas ge-
raes se arrecada, durante o crrenlo miz de
iinuei, o foro dos loi renos de de marinha,
devido at o ultimo de junho de 1851,
e do 1 de abril em diante ser rometlid
coola dos dev lucos para o juizo dos feitos
da fazenda ali-n de se promover a cubranca
executiva mente.
O administrador.
Manuel Carneiro de Souzn Lacerda.
diel.uiz, di columna olympica Giratoria,
os qual executin seus trabalhos segundo o
systema do famoso Vanlico Alhlele do
grande tbeitro de La Porte S. Martin em Pa-
rs, da maneira seguinte :
I." AS duas curdas.
9,* Grande scena do defensor da Bandeira
nacional.
3.* A columna borisontil, representando
Horacio na ponte.
4.* O rapto de Ganimdrs.
C. J. Attley & C. firo leilSo, por n-
tcrvencSo do corrector Miguel Carneiro,
sexti-feira 26 do crreme, i lo horas da
manhSa, no seu arma/em na ra do Tra-
piche n. 3, de oito caixas com bezerros
envernlsidos, aguIh'S, clcheles e mais
mudeaa propriig do mercido.
-- OcorrelorOliveri lira loililo em um
so lote, por ordem de John W. Peed, cipi-
ifni do patacho americano Heniielta, por
conta o risco de quem pertencer, e em pro-
-
5." O braco d'aco sustentando o corpojsenc dos consignatarios Henry Foratar &
fomiiiiriiii.il), I companhia, do casto, correnles, mastrea-
6' O pede ferro sustentando um enorme I C^o, vellame, utencilios, e mais perteno.es
peso. jdo dito patacho, de lote 123 tonelladas in-
7.a O grande e arriscado vo de Hercules, I glezis, o qual foi legslmente condomnado
Mercurio e Zephiro, como deve verdideira-1 ueste psito, onde reconlemente chegou.vin-
mente ser feilo, os quaes eX'Culsr3o vsria-Ido doBallimoe com un carregamentoda
das elegantes posicOes ao veloz gyro dsjfarinba: quaita-feira, 24 do crrente, au
culumna.
Terminar o divertimento com o esplen-
dido quadro do
Moinho de vento.
N. B Em um dos intervallos o beneficia-
do far a pasmosa experiencia de engolir
urna espada de 25 pulegadis de compri-
meato.
Principiar as 8 horas.
THEATR0
DE
S. IZABEL.
33." RECITA DA ASIGNATURA.
TERCA fEIKA, 93 DK MARCO
DE i85a.
Subir a sena depois da exacucSo de
urna das melliores ouverturas pela orches-
tn, o magnifico n aparatoso drama sacro
C3o serao feitis de conformidade com oor-!em3 actos e 4 quadros.
Cimento approvado pela duecloiia em con-
selho e apresentado nesla dala approva-
cfio do Exm. Sr. presidente da provincia na
importancia de 11:584,210 rs.
2.* O arrematante comarar as obras no
prazo de um mez e concluir noprazo de
um anno, ambos contados da data do termo
de entrega d'arromatacSo.
3.' A importancia uesla arrematacao se
r paga de conformidade com o art. 39 da
lei o. 286
4.a Pan tudo mais que nSo est determi-
nado as presentes clausulas seguir-se-ba
o que dispOe lei provincial n. 286 de 17 de
maio de 1351 .--Conforme.
O secretario,
Antonio Ferreira d'Annunciaco.
Movimento do porto.
flavioi entradla no dia 21.
Aracaty -- II das, Iliate brasileiro Fiordo
Cururipe, d 97 toneladas, oieslre Jos
Joaquim Alvesda Silva, equipagem 8, car-
ga varios gneros; a Theolilo Seve & Com-
panhia. PaSsageiros, Jos de Sa LanSu J-
nior, Juilu Percira da Costa, Francisco de
Castro, Manoel Queiroz Monteiro, Nicolao
I 1,1/i,i do Araujo, com sua familia o 4 us-
cravos a entregar.
NMV-Yoik -- 32 lias, barca americana Rou-
n,do 252 tonoladas, capilSo Chase, equi-
pagem 12, carga farinha e mais geueros;
a liust un Rooker & Companhia.
^viii taidos no mesmo dta.
Rio da prata -- escuna hanuvariana Lu'lweg
1.1,1/e, capi(3oJ. II. Biermann carga as-
sucar e agurdente.
Rio do Janeiro patacho brasileiro Felici-
dade, mestre Evaristo ChristovSo de Cam-
pos, carga assucar. Lova 10 escravos a
entregar,
para e porlos intormedios vipor brasilei-
ro S Salvador, commaodsnleo primeiro
te Coutinho. Conduz a seu bordu Jo3o
Jos da Cruz o I escrava, tlannel D. das
Nnves Tnixeira Bastus, I). Eudnxia Veluso
Pies de Souza Belarminu l'eregrinu da
Ci-ii.i M 'lio, Gustavu Corgolinode Souza,
M luoel Carlos Goliiiho, Amaro Carneiro
Bizerra Cavalcauli 2 escravos e 1 ex-
soldado.
A'atio entrado nn dia 22.
Cimiragibe 6 dias, hiata brasileiro Novo
Destino, de 27 toneladas, mestre EstevSo
Hilo'ni, c;|,|i ajein :i carga assucar : a
Jos Manoel Martios. Passageiru, Seralm
de Sena Ceorge.
Deciarayes.
O capitao do porto deala provincia, tendo
de engajar grumetes e marinhelros, para aer-
virrm abordo da escuna Lindoya em servico da
allandega daa fazendas, convidia maruja que
uessa eiubarcaco quelra servir a comparece-
,'in neata capitana com a maloi brevidade
pi'-sivrl,sendo o lempo do engajamenlo de 6
mrzrs umanno. Capitana do porto de Per-
nanibuoo il de marco de 1852.Rodrigo Tbeo-
doro de Freitas, capilao do porto.
- Carlas seguras do sul viudas pelo va
por S. Salvador para os Sra.: Guilherme
,11 Costa Corma Leite, Joaquim Jos Go-
mes, Jos Saponte. Miguel do Sacramento
Lupes Gama, Manoel Carlos Godinhu, oli-
veia Paiva & Companhia, Trajano Antonio
da Costa, Jeronymo Jos Forreira, JoSo Pin-
to Lemos, Visconde de Luures, Manoel Joa-
quim llamos Silva, Joaquim Teixeira Pei-
xolu. Malinas de Azevedo Villarouco, Men-
ron & Companhia.
Do ordem do IIIni. Sr. director geral da
instruccilo publica Taco saber, que achan-
lo-se viga por abandono do professor a ca-
deira de instruccSo elementar do primeiro
grao di Fazenda Grande do municipio de
Tacaratu, S. Exc. o Sr. presidente da pro-
vincia a manduu por a concurso com o pri-
so marcado at o dia 14 do junho prximo,
em que se elTecluirSii os eximes. Directo-
ra garal di instrucc^o publica, 22 de marco
de 1852.Candido Eustaquio Cesar do Mul-
lo, amanuense archivista.
O Sr. Dr. chele depolicia interino da pro-
vincii, manda faser publico paraconheciinen-
to dos intereasados, que d'ora em dianie nao
consentir que aejam conservados na cadeia
deala cldade por mais de um mea, oa eacravoa
que all s.io ncollados a requlaicodeseus ae-
nhores para correceo de faltaa coiumettidaa
para coin catea, visto que a meaiua cadeia nao
ple ,m1 un i ii r giande numero de presos, e s
or falla de um eatabelecimenlo proprio para
H. Cecilia.
Acha-se brilhintemente preparado todo o
michinismo, que pede o drama, bem como
O vestuario.
enruecara as 8 horiS.
Os bilhetesichim-se a venda no lugar do
coslumc.______________
mi:'. ue apollo.
Quarta-feira 24 de marco de 1852.
BENEFICIO DA ACTRIZ CAROLINA
HELP1DIA.
RECITA EXTRAORDINARIA.
Depois que so baja execulado um i bella
e escolhida ouvortuiaem grande mclio-t a,
subir pela urimeira vez seena o lindissi-
mo VAUDEVILLE em 3 actos, ornado de
muzica, que se denomina
CAMES roco.
l'ersonagrns e actores.
Odesronhecidoo Sr. Telles.
Cunes, corregodor do bairro do Rocoo
Sr. Costa.
Diniz homem esliidante debaixo do nome
de Gregorioo Sr. Guimirfles.
Seb isti.i.i de Arruds, juiz da Vintona do Al
margemo Sr. Senua.
Louionco Ganieiro, capit9o de ordonancas
o Sr. Jorge.
Manuel Esteves, procurador di Irmandide
de Nossa Seuhora do Amparoo Sr. Fi-
gueire lo.
llarlholomeuSapiteiroo Sr. Sinta Rosa.
D. Antonia do Menino Daosa Sra. D
Joanna.
Miriauoa, lha de SehasliSoa beneficiada.
Ilomens do Campo, ofllciaes de justiga etc.
No fim do drama, a beneficiada cantar a
interesssnte modinha brazileiri, extraid
di bella opera nurma
O Coavite amoroso.
Seguir-se-ba a jocosissima farca
ti Morgado de bota abaixo.
Na qual o insigne actor o Sr. Guimiriles,
em obsequio beneficiada ar um bello pa-
pel em carica tu.
Terminar o expectaculo com o duelo
A Sculinell i da Cadeia.
He este o divertimento que a beneficiada
tem a honra de pela primeira vez oferecer
ao publico de Pernambuco, de quem espera
lien 'vnluna e piolercao.
Os bilhetcs, tanto de camarote como de
platea, estSo desde j desposicDo do pu-
blico em casa da beneficiada, ra do Apollo
i'ulilicac.'io litteraria.
ELEMENTQS
DI
Homosopathia.
Sabio a luz a segunda parte desta obra
composta pelo professor homoeopatht Gos-
set llimoni. Recebem-se assignaluras para
a obra inteira a 6,000 rs., no consultorio
homceopathicoda ra das Cruzesn. 28. De-
pois da publicado da terceira parte, o pre-
coser elevado a 8,000 rs. para aquelles
que n.io tiverem asignado. No mesmo con-
sultorio, acha-se a venda tudo quinto he
necessario para o estado e a pratica da bo-
mceopathia, como seja : livros impressos
para historiis de doentes, regimens ipro-
pnadns para a provincia de Pernambuco, e
encarrega-s e de mandar fornecer qualquer
oncommenda de medicamentos homoeopa-
thicos, tanto avulsos como em caixas, em
glbulos como em tinturas.
No prelo : Pathogenetia dos medicamen-
tos brasileiros.
lementos de anatoma e phitologia com es-
lampas, para os curiosos em homoeopathia.
Rogi-se aos sonhores assignanles o ob-
sequio de mandar receber seus exempla-
res no consultorio homceopathico da ra
dis Cruzes n. 28.
TRATAMENTO 11031EO-
lATH!CO.
DAS MOLESTIAS VENREAS,
e conselhos aos doenles para se curaren) a
si mesmo, sem precisarem de medico,
pelo professor homceopalha
Gosset- liimont.
Sahioa luz eacha-sea venda no consul-
torio homceopathico di roa das Cruzesn.
28. ocio preco de 1,000 rs.
Ilisioii.i Universal
Resumida pira uso das escolas communs
dos Esta los-Unidos da America do norte
por Pedro l'orley, traduzida para uso das
escolas do Urasil pelo desembargador Lou-
renco Jos Ribeiro : subscreve-se ns Ima-
na da praca da Independencia ns. 6 e 8, a
cinco mil ris por cada exemplar encider-
nado ________^^^
Avisos martimos.
Para o Rio de Janeiro, pertende aahlr nn
dia 31 do correte o brlgoe brasileiro Sagitario
por ler a maior parte do sen carregamenlo
prompto; para carga passageiroa ou escravos a
frete Irala-ae na ra do 6'ollegio n. 17, segun-
do andar ou abordo com o capllo Joao de Dos
Perelra.
I'ara a Baha.
ED1TAES.
COMMERCIO.
PIUCA DOREC1FE, DEMARCO, AS
3 fIOHAS DA TARDE.
COTAOES OFFICIAES.
Cambio sobre Londres : a 27 t. a dinheiro.
a 60 dias.
Ditcouto de letras : de 5 e 6 mozos i p. c.
ao mez.
ALFANDEGA.
Rendimento do dia 22......2:004,342
D$$earregam hoit 23 de marro.
Iiarca americana -liouble farmha de trigo.
Bngue sueco P$U& i lem.
Itjrca ingleza Rolhe$ay bacalho.
O Dr. Joi Rnjinundo municipal suppleute da 2. vara, e do coinmer-
rio nesta cidade do !.ecife de .Pernambuco
pur S. M. I. e C.aue Dos guarde etc.
Katjo saber aon que o presenta editl rlrem
que ten do-i e por esteju uiadooprocvaao de iaslrucco.e proferido aien-
(Mi-1 que (jualilicuu a fallencla do Marcelino
Jos Ribeiro, edevendo-seeincumprimento do
art 842 du cdigo commercialcouvocar oa ere-
dores do mesmo fjlliuo, para nn reuolo ve-
rllicarein-se o* crditos, e se deliberar sobre
concordata ou foimar-se o contracto de unlo
e procc<)er-se a noineuc'o de administradores ;
por isto sendo conliecidus os credure, e resi-
dentes nesta cidade, chamados por carta para
que 110 illa '20.1o coirrnieas 10 horai -i.i manliaa
comparefaiu pessoalmente, ou por seus procu-
radores em casa da minha residencia na ra da
Madre de Dos o. I, primeiro andar, para o dito
liin ; cando certos de que nao sero adinetti-
dos por procurador que uo teoha poderes es-
peclaes para o acto que a procuracSo nao pode
ser dad* a pessoa que seja devedora ao fallido,
e neabam iiiviinn procurador representar por
dousdiversos credores. K para maior publiol-
dademiindel passar o presente e irais dous do
mesmo teor, sendo um afliado nn prnca docoui-
inercio, outro no estabeleciinenlo do fallido, e
outro publicado pela Imprensa. Uado aesla ci-
dade do Hecife em 17 de uiurco de 1862. Eu
Joaquim Jos Percita dos Santosescrlvo o subs-
Joi Raymundo da CosU Meneics.
O lllin. Sr. ulftcial maior, serviodo de Ins-
pector da tbesouraria da faienda prorlnclal,
emcumpriineolo da ordem do tiim Sr. presi-
dente da provincia, manda fater publico que
nos das 6, 6 e 7 de abril, proilino viodouro ir
corrccfdes daquella natureza, be que se coa-
sente que all sejam recolbldos eacraros pelo]D> 7, e no dia doexpoctacul 00 lugar do
lempo de um roer, como flea dito. iCOStume.
jaSfsV!- PO,'C^^XVlb^;Js8de f intervies beneficiida ir.
uirVo ut Primeiro amanuense. Pelos cimarotes receber i cot que seus pro-
OSr. Dr. chefe depolicia interino di I lectores Ihe queinm Jir.
provincii, tendo de contratar o sustento' Principiara as 8 horas.
dos presos pobres da cadeia desta cidade; _________
pelo lempo do um anno, assim o manda f,.; Mnienn
zer publico aliin do que as pessoas que a is- j IIICiA 1 liW U& O. r > A M.Lil.U
so sequizerem propor cojip ecam nesta] DIA 85 DB MAIli:) DE 1853.
repartiese coro as su.s proposlis dentro do: Qmnde e pomposo espectculo em
prazo de 15 das da dala desle; certas de K r .
honra do anntversarto do jura-
mento el constituicilo do impe-
la nraca nara ser arrematado peraole o tribunal
tscuna ingleza Jll/iu C.ior ferro '>d,m|ni,Ira,|TO da mesma thesouraria, a quem
tsixas por menos fixer a obra da cooclusSo do aterra
Iliate brasileiro -I.ir/ciro gneros do paiz. citerior da caa de aeteoco, avaliada ei rs.
liuportacad. 'o:857/70B.
Vapor brasileiro San Saladar, precedente! A arremaUcio ser lelta na formados artlgos
praz
que as condigOes do ultimo contrato que
devem servir de bise sSo isseguinles:
- I. Que se daria a cada preso por almoco
una ligella de caf e um pSo de vlntem.
2 (j.io P*ra jantar, que seria a urna Mo-
ro da tarde, so daria nos domingos, segun-
das o quinlas-feiras urna libra de cama fres-
da, callo, 1/16 do 1/4 de farinha; as ler-
das e quartas-feiras meia libra de carne soc-
ca com fejffo em proporcBo, e o mesmo
1/16 do fannhi ; as sextas-feiras e sabba-
dos i/i lib.a de bacslho eo mesmo 1/16
de farinha, accroscentando-so nos diis de
carne 10 icis du toucinbo e 4 ris de couve
por cada preso.
3. Que a comida se; a dida pelo fornece-
dor prompta e com a necessaria limpeza,
feiti oa cosinha da cadeia e destribuida em
bandejas de madein ou estanto, ou a cada
preso ou por turmas de dous at cinco,
conforme isso parecesse mais conveniente,
A>requisic3o dos mesmos presos.
4. Que se Ihe diria pelo fornecimento do
sustento decida um preio a quantia de 160
ris diarios; que este pagameoto seria men-
silmente feito preceden lo ittestado do Sr.
chefe de polica em que se declaraste que o
forneceddr cumpria com os seus deveres.
5. Que o fornecedor se sujeitiva a ser
despedido toda a vez que o mesmo Sr. chefe
de polica eulrasse no coohecimento de nao
ler este oumprido com as condirjOes a que
se sujeitiva.
6. Que Ihe seria dida por esta reparticlo
a lista dos presos pobres existentes ni oi-
deia, a que se houvesse concedido ncOas
diarias, alim de por ella regular so oooum-
primeuto de seus devores, llcando, por.n,
rio do Brasil.
Ton lo o conpmhia Robert, destinado ao
artista Alexandre Luiz, primeiro Alcides
marinhense, o dia 35 pan snu benelicio, o
dito artisti como brisileiro julgou fallar ao
mais alto dnver se nilo dedicasse a boa exe-
i-iii; i,i dos seus trabilhos recordifilo de
um tilo egrAgio dia sempre apreciado por
todos os brasileiros, e para que nada falte
de pompa e brilhanlismo neste espectculo,
o bencliciado conseguio por obsequio que a
companhia do theatro do Apollo cante aote
a elHgie deS. II. o Imperador o himno na-
cional. Aa quidras serio cantidis pela li.tr-
moniosa voz da Sra, D. Carolina llelpidia
e a joven Josepbina, e o coro pelo resto da
Companhia.
Depois de um intervallo preenchido pel
orchesira principiar o seguinte direrii-
mento :
Primeira parte.
Corda volante a toda altura do theatro
pelo beneQciado.
Segunda parte.
Urna modernisMina Polka nacional dan-
cida pelo Sr. permmbucaoo e a menina Jo-
sephina.
Terceira parte.
1 Saltero de Madrid,
Canconela espanholi ciniada em trage e
msica anloga celo beneficiado.
Quarla parte.
Grande forcas de Hercufes,
Pulo joven Alcides maraubense AleXan-
Segue com a maior brevi lude pos-ivel i ve-
leira e bem conhecid escuna brasileira Ade-
laile : quem nella quizer csrregar dirija-se
a ra do Trapiche Nova n. 16, segundo an-
dar, ou na ra di Cadeia do lenle n. 93.
Para o Rio deJaneiro, segu coma maior
brevidade a galiula SS. Trindadc : recebe carga,
passageiros e escravos, tendo para ludo bous
coinuiodos: na tua do Vigario escriptorfo u.
|l, 1. andar, oucoin o capitao U&ya.
.U ii nIi.10 e l'.ii.i.
Segu em poucos das o brigue escuna Ar-
ccllua, para carga e passageiros, Irala-ae eom o
consignatario Jos Baplisla da Ponseca Jnior :
na na do Vigario n. 23, ou com o capitao na
pr.ca.
-- Para Lisboi, a galera portugueza Mar-
garida, capitiloSilverio Manoel liis, sabe
com a maior brevidade possivel, recebe cir-
ga a frete e-paasageiros : quem pretender ,
dinja-se ios consignatarios Oliveira IrmSos
t Companhia, na rus de Apollo n. 14, ou io
referido cipito.
Pira o Porto sahe com milita hrevida-
dade a galera portugueza Bichirense, de
primeira mircha, da qual he capitSo Ro-
drigo J,nii|ui ni i .o co, pira carga ou pissa-
geiros, para os quaes tem os mais asseiados
comniodos, trala-secotn o capilSo na pn-
ca ou com Jos Moreira Lopes: na rui do
Queimido n. 29.
Para o Ilio de Janeiro.
Segu com brevidade, o brigue
e.M-iiu i nacional linda por ter
parle de seu carregamenlo enga-
jado: para o resto, escravos e pas-
sageiros, trata-ae com os consig-
natarios Machado & Pinheirc, na
ra do Vigario n. ig, ou com o ca-
pitao Manoel Marciano Ferreira ,
na praca doCommercio.
Para o Porto seguir al no (lm do cor-
rente mez a bem conhecid barca portugue-
za Santa Crui, capitfio Manoel Francisco No-
gueira : recebe carga, e lem excedientes
comirodos pan passageiros : trita-se n
ruado Vigirio escriptorio n. II, 1. andir
ou cono o capilSo.
Tara a Babia.
Segu com brevidade o novoe veleirohii-
to nacional SAN l'A CHUZ forrado do cobre
pira o resto da carga trata-se na ra da Ca-
deia do Ilecife n, 23.
Para o iiio de Janeiro, se-
gu viagem, a birca nacional Fir-
meza, pregada e forrada de cobre,
e de multa veleird marcha : para
carga, passageiros e escravos a fre-
te,para o que tem excellentes com-
moJos, trata-se na ra da Cadeia
n. .'io ou na praca, com o con-
signatario Manoel Francisco da
Silva.
JLeiloes.
-- Domingos Bozano, como nilo podesse
concluir o leilo do 18 do corrente dos ob-
jectossalvsdos di birc Sirdi Bililli, con -
tinuTi por intervenco do correlor Miguel
Cirneiro, r em presenca do vlce-consul de
sua Msgeslade Sarda, e o Sr. Jos Saporitte,
ageole do seguro nos dias 23 e 24 do corre-
lo s ll horas di manhaa na porta da alfm-
dega, e ao mesmo lempo ir a leilfio I mas-
tro grande peitencente ao mesmo navio.
muio dis em ponto, i porta da issociico
coiiiiin rciol desta prica, onde os preten-
dentes podem exsminar o respectivo inven-
tario, ou intecipidamente tanto este, como
o eludo do mesmo patacho, a bordo, no lu-
gar onde se acha fundoado.
Avisos diversos.
O Sr. Joaquim Wollchar dlrlii-ie onde nao
ignora para resgatar oa seus relogloa, isto no
praio de 8 das a contar da data deate,(do con-
trario aeiu vendidos pira pagamento do prin-
cipal ejuroa,cando vm. obrigadope, restan-
te quc foliar,i|ue se provra avistado apurado
em os ditoa relogioa.
Aluga-ae um armaseni, ou casa terrea as
ruaa mc,uiiiies : Iravesaa da Madre de Oeoa, A-
inoiim, Moedj, Lappa, ou Coala; afollar no lar-
go da asaetnblan. 9.
Lotera do Illo de Janeiro.
Na loja de miudezaa da pnca da Independen-
cia n. 4, foi vendido o n. 1982 da Lotera daa
Aguas Virtuosas da Canipaoha que obleve o
premio de liOOOJ e lambeiu o n. 4521 da 22. lo-
tera do theatro de S. Pedro de Alcantra em que
sahio o premiode. I:00ft|000 o n. 3726 em ou, .,.
hio 200/000,2347 sahio 00s000,n.5638,aahio 100/
e n. 1192 lOVilHIO que leve era meios bllhrtes,
quarlos, oilavos e vigsimos; ua possoidoies dos
nmeros cima mencionados que anda nao re-
ceberaui podem vir receber na uieaina loja que
sero pagos sem descont.
Alberto Jacinto de Souza, e Franciaco Mo-
reira da Cosa fazem aciente que, disaolverain
amigavelinente no dia Iti de feverelro p. p. a
sociedade que llnbam na laverna n. 17 alta na
ra Dircita, cuja aociedade girava aob a raso
de Francisco Moreira da Costa & Companhia
ii, iodo a cargo do ei-socio Alberto, toda a II-
ijuidaco da eitintca aociedade.
Luiz Manoel Rodrigues Valenca embarca
para o Rio de Janeiro o seu escraro Joaquim Ca-
mondongo.
Desappireceu no dia 17 do corrente da
povoaQflo do Monteiro di cisi de Luiz Anto-
nio di Cunhi, umi preta escrava de nome
Joaquina, levando vestido verde o panno da
costa azul com listras brincia, e tem por
signal em urna das nulos um lobioho em um
dedo polegar : roga-se portanto as autorida-
des policiaes ou capitSes de campo que dol-
a liverem noticia de o participar na ra do
Crespo n. 4, onde mora a senhora da dita
escrava que gratificar.
- Dosappareceu no dia 9 de fevereiro
prximo lindo, a prela Luiza de nacto rebo-
lo ; baixa do corpo, magra, moga e esperta,
venda arroz de manha, e de torne doce da
calda em taboliiro, levou vestido j desbo-
tado e panno de listras, talvez diga quo an-
da procurando quem a compre por ter pedi-
do para ser vendida, desconfia-se que foi se-
diizida e esteja acoitada, pois nfio tinha o
vicio de fugir, e se proceder com o rigor
da lei contra o seductor.ou quem scoiti-la:
quom a aprehender e conduzir a ra da Sen-
z>lli Nova n. 4, sar com generosidade ro-
compensido.
Ilesippareceu no dia 15 do jineirn pr-
ximo psssido urna esersvi de naco de no-
mo alaria Antonia, com idade de 45 aunos ;
I estatura regular, tem alguns cabellos bran-
cos na frente, tem a falla bastite grosss^ e
urna berruga no rosto do lado direilo, tem
os olhos bastite pequeos o aperlados, le-
vou vestido do assento escuro com Jistrak,
llores encarnadas e verdes ; esta escrava foi
doSr.de engeuho das Duss Barras, e lti-
mamente do Illa. Sr. Francisco de Carvalho
I'oes de Andrade, senhor do engeuho do
Meio : roga-se a quem o pegar ou der noti-
cia ir na ra larga do Rozario n. 32, segun-
do andar, quesera recompensado generosa-
mente.
Quem quizer negociar tres ricos ro-
quetes crespus de cambra i a de linho, diii-
ja-se io piteo do Carmo, sobrado de um an-
dar, por cima da botica, das 6 as8 da ma-
nhaa, ou das 5 da tardo em dianto.
-- Um padre viudo prximamente de Por-
tugal, pretende se arruinar dd capellSo, in-
di iiusmo sendo para o mato : quem pre-
cisar pdedirigir-se a i na do Queimado, so-
brado n. 24.
Francisco de Sales GuimirSes e Cunha
roga aos Srs. Luiz Carlos Amodo, e Cy-
rillo larlinsda Costa, o obsequio de con- <
ferirem com elle as cuntas dos seus orde-
nados do theatro de Appollo, ifim de des-
meutirem certos boatos que pessoas mal
intencionadas teem espalbado a tal respai-
lo, e depolerem ser pagos do pouco que
se llies possa restar.
O Sr. Bernardino Jos da Silva, rindo
pouco do Hio de Janeiro queira comparecer
no largo do Corpo Saalo n. 2, ou innunciir
sua morada para Iheser entregue urna cirt
de circumstinciii
Joo Biptista Vieira Ribeiro manda pa-
ra Lisboa o seu sQlhido Delfino dos Reis
Teixeira, brasileiro, de idade de II annos.
Precisa-se ulugar urna ama para o sor-
vico interno de urna casa de poquena fami-
lia : na ra do Hospicio o. 17.
Alvicaras.
Perdeu-se no da 21 do correle, n noite
desdeo theatro de S. Francisco il a ra
di Alfandega Velhi, um molho contendo
3 chaves, por isso apessoa que as achou,
querendo as restituir /"visto que e nada Ihe
serve) queira entrega-las no hotel Francisco
que receber urna boa gratificacSo.
SebastiSo Antonio do llego, ajudante de
ordens do Exm. Sr. presidente,tem urna car-
ta para o Sr. Joaquim Mirinho Cavalcanto
de Albuquerque.
Jos Joaquim de Furia Machado retira-
so para Portugal a tratar de sua aaude, dn -
xa por seus procuradores otn primeiro lu-
gar a Francisco Jos Lopes, em segundo a
Bernardino Comes de Carvalho, e em tercei-
ro a Jos do Nascimento Lopes e em quarto
Antonio Jos de Faria Micludo.
-- Precisa-so de urna casa do familia no
bairro de Santo Antonio ou Recife para mo-
rar umi mulher casada com -2 lamulos, uu
urna loja pequeni : quom liver annuncie
para ser procundo.
-- lTerece-se urna mulher de meii idade
para ama de casa de homem solteiro: na ra
do Terco n. 80, casa ao p do lampeSo de-
fronte do urna vend grande.
a bichirel formado Joi Joaquim de
Miranda Horta, residente na corte do Rio de
Janeiro, offeroce aos habitantes desta pro-
vincia de Pernambuco o seu presumo para
tratar de qualquer negocio, quer ledenla
ao furo, quer a alguma dis secretarias do
estado, quer outro quilquer negocio, tne-
dianlii urna grallficicao : is pessoas delta
provincii de Pernimbueoque do seu presu-
mo se quizerem ulilisir. poderflo dizerem-
Ihe em cart fechada o que querem, pro-
metiendo o annuticianle empregir lodo o
lelo actlvidade e presteza no cumprimento
de sas obrigacOos. O innunciante reside
no lirgo da Ajuda n. 5.


^'TS
i
i
T-
9
-- Miguel Joaiuim di Oost, aobdito por-
tuguei, vai a Lisboa.
.- Oesappireccu no da 17 do correle
urna preta de ame flllcldade; estitun re-
gular, magra, tem falla dedentea nfrente,-
uoiai marcas de panno no rosto, cor nao
mullo preta, vestido de chita branco desbo-
la lo, panno da costa azul, um taboleiro que
andava vendando, costuma guardar o tiho-
leiro e mudar a roupa, e andar pela Passa-
gem e pelo engenho S. Cosmo onde teni a
mi o encamo por fra : roga-se as autori-
dades peliciaes e capules de campo que ap-
prehendam e levem na ra da Cruz n. 35 que
serflo generosamente recompensados, assira
comise protcsla Contra quem a tlver occul-
la eeobram-se os dias doservigo.
AOTJBO.
Na noile de 21 do corronte foi roubada a
Inja de ca|;ado no aterro da Boa-Vista n. 14,
constando o roubo em 30,000 rs em sedulas
sendo tres de S.OOO rs. e 15 de dez tosloes
cada urna, e mala ? a 5,000 rs. em cobre que
tndojuoto eslava em urna gaveta, ornis
alguna objecloa de pouca monta; o dono ,-------r.
da loja olterecetodo esso roubo apparecida sf lambem deva, e eslea venado a pa-
quesejaa pessoa que Ihe descobnro autor, 9 gar, nSo lonho remedio se nao lazer
n3o oblante estar quisi descobertoem razio p este pedido, que so he dirigido a
de ser visto na occasiSo em que saltava o
muro do quintal, e promelte-se guardar lo-
do o aegredo a pessoa que descobrir.
-- Furtou-se urna loneta de ouro de dons
vidros, lavrada, com mola o cadeia do segu-
Alugi-se urna casa de dous andares ,
nos burros, de S. Antonio, ou Boa Vista, ou
entilo da um andar e sotan, que sejaru de-
centes e tenhatn aufllcienles commodos para
numerosa familia : quem tlver annuncie,
oo (lirija-ss a Solndide, sillo dos quatroa
lefles.
-- Precisa-se alugar urna ama de leite,
para criar urna enanca: na ra da Cruz nu-
mero 1.
I'recia-se de urna ana para casa de
pouca familia : no pateo de Paraizo, sobra-
do n. 18.
OwmtnmmmBmtwmwmmmmo
$t Aquellos senhoros que anda nao |.
m me rometteram assucar neata safra,
^ nHo obstante estar ella quasi a Qndar, g
Ihajam de me pagarem qoanto intes g
os fornecimentos que Ibes (Iz, visto a
H que taes rallas demonstram nao con- ^
n linuarem suas correspondencias com-
E migo, conforme tralamm edeviam ;
g advertindo-os de que os gneros por
mim fornecidos nio oscomprei pelos
prasos porqueSs. Ss. querem. Como
Precisa-se alugar urna ama seces de
bonsoostumea, e que saiba bem eosinhir ,
nSoseduvida pagar bem, ae agradar o aau
servico : na ra das Trincbeiras n. 19, so-
brado de 3 andares.
-- Precia-se de um preto, que seja bom
e fiel paga-se bem : quem tivor e quizer,
alugar, dirija-se a ra do Trapiche Novo gundo andar, copia-se com pcrlei-
co'qualquer papel em muito boa
Calibra Un
Na Ra do AragSo, n. i2, se-
ndo andar, copia-se com
L.ao'qualquer papel em mui
-- D-se 50.000 rs. a juros, sobre penho- 1** *1" r r
s de ouro: quem quizer, dirjase a ra eltra e por preco commodo.
_ queles senhofes que anda nlo me
remetieran] assucar nesta safra.
Luiz Epifanio Mauricio Waoderley.
ammmmmmmmmm*msuimwMQ
- Precisa-se de um prato para padana. e
rar no'braco, fila em Paris; quem da mes- quecntonda de masseira : a tratar nos Qua-
ma der noticia, conseguindo-se que a mes- tro Cantos n. 116, ou no Manguinho,padaria
mi seja restituida a seu dono, recebar* qui-
renta mil ris de gralificacSo, oconseguin-
do-se descobrir quem foi o ladrSo, dez mil
rii mais : na loja do Sr. Luiz Antonio de
Siqueira no Recite se dir quem he o dono
da referida loneta.
Pede-seao Sr. Firmino Her-
culano B.plista Ribeiro, que, ha
nova.
O abaixo assignado faz sciente a ledos
os seus credoiea, quo elle nSo pudendo con-
tinuar mais com o aeu eslabelecimenlo de
confetaria na ra estreila do Hozarlo n. 43,
Ihe he necessaro ultimar suas contas, por
isso os convida pafti no dia 2* do crtente
as 11 hora do dia, mpieterivelmente se
acharem em dito estabelccimenlo. N.B. lo
Velo do Rio Grande do or- dos aquelles credores, que fallarem so chi-
Imadodo aballo assignado, no da e hora
te, o olisequio de annunciar, com
urgencia a sua residencia ne.ta
cidade que se Ihe desej i fallar a
negocio seu.
O cautelista Faria Barbosa ,
vendeu o bilhete da lotcria de S.
Pedro n. 118, que t'trou nooosde
t. em vigsimo, c em quarlos o
n. 5837 que tirn 100,000 rs. :
recebeu e vende no pateo do Col-
legio, c-isa do livro azul, os seus
Lilhetes da 16 lotera das matri-
zes. O cautelista paga sem des-
cont os billietes que ven le.
-- Precisa se alugar um preto, por tempo
do2ou ;i 111-71!-, para servico de urna casa
e pouca familia, paga-se bem : na ra do
Vigaiiodo Recife n. 33, primeiro andar.
Offercce-ae um hornera livre, de boa
copducta, queja tem servido em muitisci-
sas para ser criado, fazendo qualquer ser-
vico : na ra dos Agouguinhos n. 70
-- Precisa-se alugar um preto de boa
conducta, para servico de urna casa de fa-
milia 1 na ra da Matriz da Boa Vista 11 33,
ou annuncie para ser procurado.
>rs. redactores. LenJo o an-
nuncio que o Sr. Jos Joaquim
da Silva Mata, fez inserir emseu
jornal n. 65, em resposta ao aviso
que Ihe fiz, para vir em minha lo-
ja na ra do Crespo n. 8, pagar
0 que a longo tempo me deve, e
como de.sejo que o respeitavel pu-
blico lique a par da veracidade
dcsle facto, rogo-lhes o favor de
inserir em seu dito jornal a deca-
radio seguate,o Sr. Jos Joaquim
da Silva 'Mata, acceitou a meu fa-
vor tres letras, provenientes de
lnheiro que me tomou a premi >,
rm o primeiro de Miembro de
i846; sendoaprimeira de 552,5oo
rs., a vencer em 1 de abril de 1847;
a segunda de 567,5oo rs., a ven
cer em 1 dejunho de iSJ7; a ter-
ceirade 58a,5oo rs., n vencercm
1 de agosto de 1847, com obriga-
clo de pagaros juros de a por cen-
lo ao mez, desde os competentes
\ 1 mmenlos, at final embolso, e
em maiode 1847, pedio por docu-
mento de seu punho a seu irmo ,
meu ex-soco, aquantia de 4o5os
rs., o que tudo se acha ainda por
Precisa-se de um pequeo
1 marcado, terSo o disgosto de nSo se-l porltiguez, ltimamente chegado ,
Augusta, venda n. 31, que se dir quem d
-- Precisa-se de urna boa ama de leite:
em Ulinda, no sobrado da cadeia da S, es-
quina da ra do Bom-Fim
Acha-se aberta na ra de Santa There-
za n. 28, urna aula particular de prlmeins
letras para meninos, onde seensioa com lo-
do o zelo e solicitud!! a ler, escrever, e coo-
tar, elementos de grsmmalica nacional, co-
zer, nordar, marcar, elavarinto : os pas de
familias que quizeiem admittir suas filias,
dirijam-se a mesma aula, que acharSocom
quem tratar.
Aluga-se urna escrava que coze, cosi-
nha, lava e engomma o diario de urna casa:
na ra do Seve, casa terrea e sotlo, defronte
do theatro.
Precisa-se, luRr urna ama forra que faja
o servico de esa e ra, e paga-se bem : na
Praga da Independencia n. 38, se dir quem
pretende.
-- Precisa-se alugar um moleque, para o
servico de urna casa de familia e vender na
ra : quem o livor, dirija se a ra do Hospi-
cio n 17.
Ra Jas Trincheirss n. 19.
Tiram-se passa portes para dentro e fra
do imperio, e tambem liram-so folhas co'ri-
das, ttulos do residencia, por diminuto pre-
1; 1 : a tratar na mesma casa cima.
Precisa-se de pretos para serventes:
quem os tiver e quizer alugar, dirija-se a
ra do Itangel n. 9.
para caixeiro de urna loja na cida-
de da Farahiba: quem o tiver, di-
rija-se a ra do Gabug, loja de
tniudezas n. 1 II
-- Aluga-se urna preta, para servico de
casa : quem a pretender, dirija-so a ra do
rem pagos. J0S0 Luiz dos Santas.
Aluga-se o segundo un ar esolio da
casa da ra da Madre do Dos 11. 2 1 a tratar
no armazem da mesma ou na ra ua Cadeia
do Recite n. 42.
Jos Vieirade Figueiredo.embarca para
o llio de Janeiro a sua escrava Maiia de na-
CTo Angola de dado 30 anuos.
~ Naooleflo Gabriel Buz, embarca para o Sol, casa n. 1.
Rio de Janeiro os seus escravus aeguinles :, -- Aluga-se o primeiro andtr, da casa sita
Ualbino.Cusino, Cezario, todos creoulos. na ra da Aurora n. St: quem o pretender,
-- mapolean Cabriel Hez, embarca para o dirrja-.se na venda por bailo, ou na ra do
Rio de Janeiro as suas escravas seguinles :*!Cres,o n. *.
Mana creoula de idade 30 annos, Mara ere-1 -- O thesoureiro da irmandade do Sennor
oula de Hade 14 annus, Josepha parda, Vi- Bom Jess dos Passos do Corpo Sanio, em
cenca parda, Beuvinda parda. nome da mes, roga a tolos os seus irm9os
I'recisa-se de um homem para caixeiro da mesma irmandade quo no dia, 26 do
de engenho e encaixamcnlo, que d conhe-'.crrente bajara de comparecer na igreja
cimento i loneo de sua pessoa : no engenho matriz da Boa Vista, com as capas paraa-
companharem a procissSo do mesmo Se-
nnor, alim de fazer o acto mais brilhante; e
Apessoa que annunciou que linha rou-
pa para lavare emayommar, pode levar na
ra do Encantamento n Asegundo andar,
tambem se coze e cuznha-se para fura,
sendo para pessoas serias.
AOS MENTES.
I. A. S. Jane dentista, tem a honra de
avisar ao respeitavel publico, que se acba
rc/i lindo na ra Nova n. 19 primeiro an-
dar, sonde estara sempre promplo a qual-
quer chamado, desde as 9 horas da manhfla
at as 4 da tarde; o annunciante encherla
de um a todos os dentea, que porissolem
o.m completo sortimento de dente artifi-
ciaos, incorrutiveis e de porcelana,mui de-
licados o do ultimo goslo e todos os mais
accessorios tendentes a sua proficuo, asse-
verando a todas aa pessoas que se quizerem
utilizar do seu preslimo que nSo exige pa-
ga alguma, nSo Qcandoos denles bem pos-
tos que nilo se possa deferenfar dos proprios
oaluraes, e podendo-se masligar com os
meamos lo la a qualquer comida sem sentir
a menor dor nem ter receiode os quebrar,
tambem chumba os denles naturios fun-
dos da carii com ouro, priti e metal bran-
co, prevenindo assim a continuarlo da ca-
ria, dores emosmo evitando por issoa for-
ma de passar a caria dos dpntes turados para
osoutros -us ; tambem tira pedras ou ca-
nas dos denles em geral, que tanto os dam-
nnflca e coopera para omaoalitoda bocea,
nio sendo lirado: oaununcianlea 10 an-
nos que exerce a sua profisfSo nesta cida-
de, e os ujuitos exemplos que tem da lo
nesse longo lempo, sera quanlo l> -u para
se garantir.
,* Ignacio l.uiz de limo Tab.irds, uflo 4!
a> quizera mais chamur a altenc,3o de ^
jj* seus devedores pelo jornal, mas o es- *
*" "lueclmento dos mesinoso fnzeui no- *
viniente lancar inflo de-te me 10 de
p> que n3o quizera usar, e porUuto ro- ^
,- .;.1 .1 todos os devndures do finado
> Antonio da Cunta Soares Uuimaraes, t
a> Jos Joaquim de FreilasUuimar9es, '
aquelles irmJos, qce liverem capas da mes-
ma irmandade, e n3o quizerem acompanhar
a dita procissflo, as queiram entregar ao
thesoureiro da mesma irmandade no dia
antecedente, para o thesoureiro estar mais
prevenido de capas, para aquelles que qui-
zerem acompannar dita procissflo.
Precisa-se alugar um moleque de 15 a
pagar
e monta a 4 contos e tan'os
mil ris, e por esta mesma decla-
raco poder fcilmente o Sr. Jo-
s Ala a fazer a devida conta e pa-
gur-me. liecife, 30 de marco de
i85a. Joaquim Lopes da Cos-
ta Hua.
A firma commercial que
girava em Alacei, de Joaquim de
Azevedo Villarouco, foi substitui-
da pela de Alonleiro & Villarouco.
-- Joaquim Luiz Alves Vianna, vai a Por-
tugal, a iratr de sin saude.
Aluga-se o segundo andar esolflo, da
casa n. 37, *it 'i* ru da Cadeia do Itecife,
coui commodos pars fainilh : quem preten-
der, pJe eutonder-se com Ainoritn Irmaos,
na ra da Cruz n. 3.
Francisco Vieira de Carvalbo e padre
Carlos Antonio Vieira de Carvalbo, retiram-
se para Portugal. *
Fernando Jos da Rocha Pinto, expor-
ta para o Rio de Janeiro, a sua escrava Ma-
ris, mulata acabocolidi.
-J. B. da Fonaera Jnior, embarca para o
Rio de Janeiro, o seu cscravo Francisco,
pardo.
O Sr. Raymundo Jos de
Araujo, queira apparecer na ra
da Cadeia de S. Antonio n. 9 a
negocio de seu interesse.
Preciss-se fallar com o Sr. Jesuino An-
tonio de Bastos, para urna mformacSo, para
fra : na ra da Cruz do Rccile n. 24.
___O Ulm. Sr. Manuel Alarques
da Costa Soares, senhor do enge-
nho Sebir de Santa Cruz, hija de
mandar conferir eojustarsua ce-
ta nestei 8 dia?, j que deix u de
con ignar-me seu assucar. Luiz
Epilanto Mauricio Wanderley.
Andrde& LU, compram alguos es-
cravos mocos, de 13. a 14 annos, proprios
para oflicio.
Aluga-se a n.otade da casa da ra do
Pilar ii.V5.
Novo da Munbeca.
Salustiano de A quino ref-
reir, faz sciente ao resp:itavel
publico, que oram vendidos na
praca da Independencia, loj de
calcado do Arantes, n. i3 e i5 ,
e na ra da Cadeia do Recife n.
46; OS premios seguinles, da lote-!l8annos, para o servico de urna casa da
ria das Agoas Virtuosas ; assimlEg&J*"*' R u ""
como da aa. lotera de S. Pedro! -Quem annunciou querer .lar roupa paia
H Allantara a saber __ Affoas 8e laV,r engommar, para se entrenar no
de Alcntara, a saner ,oa,(m de iidiMi dirij,.se a rua diCideia por
Virtuosas, meios bilhetes, 5yai ,, detrs do theitro velho n. 20, primeiroan-
1:000,000; 4837, 200,000; 'al8^d'.r;A,uga.seo8egnjoalllJ.r do sobrado
100,000; I2j8 100,000. y uar-. ,j, rua ju piua r,.,n Fra de Portas com mui-
lon i'i'n 2 000 000- 2270, I oosf., lo commodo..bonita vi.ta o fresco: os pre-
IOS, 2j.i2, 1 ou,uoo, ''".orr ledenles dirijam-se ao primeiro andar Uo
Oitavos, 2154) 200,000; 4B0 > mesmo
200,000; I93C, 100,000. 22. lote-j -Quem annunciou no diario de honlom
ti 1 11 1 la .... I precisar de urna pesso para tomar conta de
na de S. r. de .Wcanta; q"arlos5irupa para lavar e engommar, dirija-seno
2ID8, 1:000,000; 1770, 200,00o; becco do Carioc 11. 9, que ahi adiar com
5638, .osooo; 5893, '<>-TlTeWsedeumbomcme.
Todos estes premios sao pagos sem; Je fcrra ,. n0 a,er.
ganancia alguma, as menciona-1 JJ BoaJ_vsta) ,nja 4G.
daslojas acuna- .. Na rua ,|,s Agoes-Verdes, sobndo de
m1mWWmfiWWIIWWWl9'&WVW um andar n. 14, dao-se bolos de vendagem
nrvVVVVTVTTT Tffvvvvvvv. B 80 rs. a pataca; bem co'iioarmam-se lian-
P JJotica liomopathica. *}j dejas com muito goslo, por preco mais em
tf SS RUA DAS CRUZF.S 28, : conta do que em oulra qualquer parte.
<5] O abaixo assignado roga as patrulhas de
polica, mesires de campo, e mesmo a ou-
tras pessoas, que porvenlura encontrarem
um menor do nome BeneJictode idade 11 1
-r- e Viuva Freitas Guimaraes, venhim
, > soi vi r seus dbitos at o flm de aiiril
. pro>inio,|uo liin do cojo praso passa-
jj r a publicar seus nomes por exten-
* e<>, e uzar de seus direilos; e nessa
* occaaiao nao poderi nenhum dos di-
h tos deveres apresentar motivo de j|
:.> queixa per alegi^ao de ignorancia. ^
I i I A. I 11 k ^ A i 4111I % I
O Sr.Bernardo de Albuquer-
presteza 0 r/erfeiclo toJa a qualllade de ve
1 idos, ohapeos toucados, e tudo tendente a
motas de sonhora e a goslo de quem as en
commen lar, para o que tem os mais mo-
dernos flgurinos que niensalmonte recebe
por todos os navios.
Alluua-e o armazem sito na rua da
Cruz n. 19: quem quizer dirija-se ao escrip-
torio de (ais Irmaos, na mesma casa pri-
meiro andar.
-- Pranle o jnizo do civel daprimeira va-
'a, oscrivOo Motla, vai a praia na primeiro
audiencia com o abito da lei, para serem ar
rematados, um esclavo e ina parte de urna
casa sil nos Afogados, pertencentesa viuva
do unido Canuto Jos Velloso di Silveiri
por esecnefio de Joilo da Cunha MigilliSes
Ao bom tom.
Acibim de chegarde Paria as mais boni-
tas e ricas lilas de veludo com a sua compe-
tente 11 vela dourada, propiiaa pan pesougoe
cinto de senhora ; dlo-se as amostras, e a-
cliam-se a venda por (So barilo preco que
ninttuem deixara de comprar: ni rua larga
do Rozario n. 38, loja de mludezas, junto a
bolica do Sr. Uartholomeo.
Tinturara franceza
Noiterro da Boa-Vista n. 17, lingem-se to-
da e qualquer fazeuda, seda, l, ilgodSoe
linho, tanto um obra como em pec,a,ecom
muito aceio ; assim como se limpain casa-
cas e ni im qualquer roupa do panno que tl-
ver nodoas, pondo-se como novas e por pro-
cos muito commodos.
O bacharel J0S0 Vicente da Silva Costa,
professor substituto de philosophia e geo-
metra do collegio das artes do curso jurdi-
co, avisa a quem convier, que se acha re-
si lindo no ierro da Boa-Visti n 2t, on le
pode ser procuiado, principalmente 1 tarde;
por i-so que tem de lecciouar pela manilla,
naquelln mil --m
f^**) '.ft"i#S
) JoSo Mnrii Seve.doutor oin medicina )
V lazsalier.que esla no exercicio do sua 4
) prolissao, e que lem Sudo sua re< 9
t dencia na rus ua Cadeia do Santo An- i
> Ionio, casa 11. 10, londe podo ser pro- )
# curado. 4
Avisase aos ammiles do oui engouimado.
Lava-se e engomma so com lodo o accio e
pr.im 11. .1.1 pelos presos seguinles : caiga e
jaquela a 100 rs.; camisas a 80 rs.; coleles
a 60 rs.; e toda qualidade de roupa : na rua
da viragilo 11 33.
Recebemos do Sr. francisco
J.iio de Barros a quantia de rs.
436/(00 provenientes da sobs-
cripcao, que o mesmo Sr. obteve
em nosso favor pelas prssois de
sua amisade, como consta da mi-
nuciosa relac&O que precede, e de
que (leamos com oulra igual. Re
cife, 17 de mareo de t85a. An
Compra.ae orna carlei-a em bom uso
para urna pessoa escrevnrcom o competente
mocho, um armario que sirva para botar li-
tros e qne seja de portas com vidros, um
guarda louca e fidro<, um sola de Jacaran-
da, urna marqu"Za larga do palbinha : quem
liver qualquer destea objectos, annuucie ou
procure na rua do Apollo n. 16, primeiro
ilidir, junto 10 theatro do Abolla.
Compri-se em segunda mo, urna grim-
matica I' .'incivil, por E. Sevene: quem tlver
annuncie, ou dirija-se a rua do Queimado
o. 16, loja de miudezas.
-- Compram-se tristes usados e tambem
se trocam pdr novos : na rua Nova, arma-
zem de trastes do Pinto, delront da rua de
S. Amaro.
- Compra-se urnas venesianas .
Compram-se escravos, ou escriTi de
quilquer idade, que nflo sejam dnentea, ps-
gam-se bem: na rua larga do hozario, loja
n 35.
Compra-se um cscravo para o servido
de urna caa de familia, que saiba comprar
e fazer o servico externo, pagi-se bemrea-
ponsabilisando-se o vendedor por slgum
lempo pelos achaques e vicios desse escra-
vo, quem quizer fazer ess< venda procure o
primeiro lenle reformado Joaquim Igna-
cio de Barros Lima, na Boa-Vista rua da Sau-
dade, ou no consulado geral aonde he ar-
quiador.
-- Compram-sn 2 ou 3 frnnhas pequeas
de laberinto, 6 a 7 varas de biro fino que se-
ja larga e bem feito que be pira toalha de
brelanha fin, runda para botar em frnnhas :
na rua do Raug**! n. 36, primeiro ailar.
'Veid
as.
que FernundesGama, queira man-
ar pagara subscricao dente Diario, gela Emilia l'ereira Motta, a rogo
HmMIHittljWiml de Alaria Jos l'ereira Alottn, Joa-
LfiBSS^IpSalh?- Ant"nio pinl ,Ju-
, piittlico para todos os ) nior, como tcstemunli^s Candido
Dirigido por vm phtirmaceultca _
npprovailo. ^ I
Eslo oslahelec menlo possuo todos os medicamentos al agora nxpen-
_ mentados, tanto na Europa c >mo no
> Brasil, e preparados pelas machinas J
le invencSo do l)r. Mure. <;
Prejo. ^
Das carteiras homopathiras. ^g
Emcaiteiras 1I0 12 tubos grandes 12/ <
24 2W S
a>
;>
y
>
>
C -*a. ,h "t 2t,n, n^r""8 i5 I "n,?eU,rametnClhe,,desvilido sem pai e mli, e que
' ig'porlanto protesta denunciar perante as au-
12 annos, cor fula,olhos grandes, rosto com-
prido e com muilas marcas de bexiga,e que
foi vestido com caiga e camisa de risrado
americano, o levem a sua casa no silio da
Estancia n. 17,ou a secretaria di polica,que
rccchei'.io alguma gralificaqao; idvertindo o
biixoissignido,que o dilo menor lio livre,
em sua companhia por ser
> Tinturis de medicamentos em
'* frascos de 1|2onca (cada um; 2
* Ha mais, alem desUs, outras multas
? caixas com lbulos e tinturas por
C presos variaveis, conforme o tama-
^ nlin ea qualidade das caixas, e a
quanlidade dos remedios e as suas -ag
UynamiSBr,Oes, etc.
Avi.io-segraluiiamente para os po- *
br.s, todas sreceitas que para ali *J
manJar qualquer professor. ^
Ni rui do Cildeireiro n 42, precisa-se
de um mulitinho >le 15 a 16 annos de idide,
oqual leuha muo boa figura e sem vicios.
__Oescrivao dos protestos de
letras mudou o seu escriptoiio pa-
ra o primeiro andar do sobrado n.
que faz esquina com o the tro de
. Francisco, aonde pode ser pro-
curado todos os dias uteis das 8 as
11 borasda manha, e das 3 as 6
da tarde.
Precisa-se deuTa ami de leite: ni rua
do Collegio 11. 16, terreiro andar.
ioridades legitimas qualquer pessoa que
lonlir reduzir a escravidSo o referido me-
nor, o qua! se evadi de sui casi no dia 15
docorrenti pelas 9 horas da manhaa.
Antonio Jos de Freitas.
1 Precisa-se de urna ama com leite, que
o tenha em abundaucia e bom, para casa de
pouca familia: 111 rua Augusti deronle
VNGO DE PEUNAA1BUC0.
A directora do banco de Fer-
nambuco minucia aos seihores
accionistas, que subsrreveram ac-
edes, que tem deliberado princi-
piar a receber a primeira presta-
93o, conforme determina os arti-
gos 3 e 5 dos estatutos no dia i5
de abril prximo vindouro, efina-
lisar o recebimento no dia 3o do
mesmo mez. Os senhores subscrip-
tores de accoes, que as tem cda-
lo a outras pessoas, Ibes passaro
il

e Paulo
frunce/.
4 1110 ao .
uilaterea le sua prolissao:; Alberto Sodr da Motla. e Joa-
pdeser procurado a quaU ".. '
quer Hora e 111 sua casa, na 9 quim filippe a U08U.
9 rua larga ifi segundo andar. Direltl n. 31, casa de um an lar.
14 Jft0tA#fi9>A%dS9 "" fraspassase por presos muilocommo-
Urna casa particular se propOem a co- dos, at o meado de selembro deste anuo, o
sinhar para foia, pelo mdico prc(o do
500 aluguol do sitio do Sr. Queiroz Fonseca.silo
O cnsul de S. M. Biitannici notifica
que ello pretendo vender a rasa, Ierras e
terri niarinha situado 110 aterro da Boa-Vis-
ta n. 35 e ullimainen o servindo de hospital
bul Hilen ; as pessoas qno qui/oiem com-
nm titulo de transferencia, que a
- JnnoA.tonio da Tiinda le, faz sciente. pessoadever apreseiltar na OCCa-
10 respeitavel publico, quo de lioje em dian
tese assignar J080 Antonio de Abren Trio-
dide.
Bernardo Domingucs Silva Anujo ,
embirca par o llio de Janeiro, o seu o .i ro-
vo Jos.
Precisa-se alugar um silio para ss par-
tes de Santo Amaro :qum o tiver annuncie.
Aluea-so em separado urna sala, com 2
quartos e 1 slito, 4 quarlos, 2 salas e cozi-
nha : na rua di Penha, sobrado n. 1, con
lampeao.
-- Na prafa da Independencia n. 12, tro-
ci-se por 2quirlos, um lindo civillo,
muito gordo e com bons andares.
O Sr. Francisco Ribeiro Tavares, tem
urna carta, na rua da Cadoia do Recife n.
48, primeiro andar.
Precisa-se de urna ama, para servir o
interno do urna casi de mui pouc fimilii :
no lospicio, sitio de poriao verde, junto do
da Viuva Cunhi.
Da-se 1:000,000 rs. 1 juros, de I 1|2 por!
rento ao mez, por tempo de um auno, ou'
miis se convier, sob hypollteca em predios
siaoem que vier fazer entrega do
diuheiro e o mesmo titulo deve
vir reconbecido por um tabellio.
Em tempo se annunciar a casa
onde se devem dirigir. secre-
tario da direce3o, Manoel Ignacio
de Oliveira.
-- Precisa-se fallar a negocio de ulerease
com os herdeiros de Francisco Crrela de
(Juadros, natural da illia Graciosa, e que foi
felordi mina.do ouro, fallecido nesti ci-
dade, segundo cousla, na oilo anuos. A
qualquer dos mesmos herdeiros, ou pessoa
quedelles aiibi, pede-se quein diriglr-se
casi 11. 6 defronte do Trapiche Novo, ou an-
nunciirsua morada para ssr procurado.
A Ur. Manoel Joaquim Fernandes
Eiras (medico), tem lixado sua resl- Cf
dencia na rua de S. Francisco, ou- fel
sobrado cin-
IPu. .u h..u1u.,w ir'ur. do Mundo Novo, sobrado cm- *>
"esta cidade, livres e desemb.raC.dos, re-U zento n. 68 A. .onde pode ser procu- 9
ceben Jo-se os juros mens.lmente : quem '^^^'S
quizer, annuncie. I *'
oeiloalmocoo meslo, jautar fqijao de er-; sobrado 11. 1,,11a rua da Cruz
vis, peixe, bicalhao, arroz de camaro, e a1 Na rua do Hospicio n. 52, precisa-sede
ociadla co:n biscoulinho ou bolacl.inlias; urna ama que engomme com perfeicOo : pa-
sendo pertose mandara levar, o longo o pu- ',"se,,*m
derSo mandar buscar : na travessa da Ma-
triz de S. Antonio n. 20.
Precisa-se de um feitor para um enge-
nho distante desta prafa 6 legoas.' a tratar
no lirgo di Mal iz de S. Antoi.lo n. 4.
Tinturara.
Na nova tinturara da rua do Rozario Es-
trella n 23, tiugem-se sedas, o com mistu-
ra, pannos, casemiras, linho. algodSo e to
da a qualidade de fazenda de cores lixas e
vaiianas, coniforme os desejos dos pretn-
danles.
Catliarina Maria da Oiiei'ie.V', previne
an publico quo ninguem fien negocio de
qualquer qualidade com seu mando Jo."10
Pedro da Rocha Arujo, visto que elle sa
ach julgado prodigo e a innuncianle no-
meadi sua curadora pelo juizo de orphAos
desta cidade.
Furtinm 110 dii 15 do correte, umi
criinQi de idade 3 pira 4 annos, de nome
Mara, cabra, cabello corrido, sendo forra;
o como naturalmente fisse para vender, pre-
vi ur-se aoscompradores de rscravos, ou ou-
tras pessoas que della souberem de leva-la a
rui Nova n. 69, dando-se una gratificarlo a
quem 1 adiar.
Madame Theard, modista frunce-
zi, na rua nova n. .3a.
Madame Theard tem a distincta hon'a de
convidar ao respeitavel publico, e com espe-
cialidade. as pessoas quo lionram seu esta-
belecimento, que pelo navio francrz Havre,
o ultimo chegado de franca, recebeu um vi-
riido sortimento de objectos nao sdesua
proflssao, cumooutros, pedidos de sua par-
ticular encummendi por nSo se icharem no
mercado 1 contento de be >i servir aos seus
freguezes, como sejam : mui ricos chpeos
de sede, de Onissiuii palha de Italia, mu
lindas formas, e variados enfeites; mantele-
tes de fil de linlio brincos e prelos. ditos
de seda com os mais elegantes eneiles I
diflerentes tamanlios e gostos ; cabecees e
romeiras de fll,tu ta genero; eaoii-Hiii.i-, mingelas de fil ;
corpinhos de cambraia, e lil branco mui
proprios para niontaria ; os mais lindos e
ricos enfeiles para cab. n da senhons e me-
niiiis; lindas pulceras de lita ; aventaes de
seda co n ricos coi dOes o burlas as pon-;
um mui variado sortimento de Qores finas
para todos os misteres; mui lindas capel>s
do coros para baile, o brancas para noivado;
leques com asteas de midreporola e peonas
de marabout com ricos deseohos de pintura
o mclhor quo ha no mercado : espartilhos
i)e seda e linho, tudo que lem vindo de mais
moderno e commodo para aenhoras e me-
ninas, e para cuhoras bstanlo gurdas, o
que he bem didicil de encontrar-so pela va-
riedado de s virem de tamanhos de senho-
ra regular, dindo a grande encommenda as
aenhoras gordas a fazerem roupiohos por se
vereui privados de encontrar esparlilhos
grandes, que nada encommodam a cintura;
penas mu finia para chapeos ecabegs ; lo
vaa de todas as qualidade; trancas e fran-
jas para eufeites, tilo de linho e blonde; ri-
cas ni mas brancas unitig.lo de blonJe para
noiva ; setim branco cor de purola o melhor
que ha neste genero; crep de eores mui
lindos, corles de vestido de gorgurao preto,
mui rica fazenda propria para assistir aos
acios da semana sania ; e outros muitos ob-
jectos que se ntto mencionan! pela uisulli-
cieucin de te upo, mas que sedo plenles
os compradores, (joanio a pncos tudo he
mus barato que em oulra qualquer parte,
em vista di exoellenle qualidade e goslo dos
mesmos objectos. Assim como no mesmo
estabeleciment ss execula com a maior
Lotera do Kio de Janeiro.
.Aos 20:000,000 de rs.
Na loja de miudezas da prac da
Independencia 1.4, ven em-se bi-
Ihetes iuteiros, meios, quartos, oi-
tavos e vigsimos, da 16 loteria
a beneficio da conslrucco e re-
paros das matrlN do llio de Ja-
neiro.
Grunde sortimento do fazendas
baratas
Panno lino 1 reto a 3,000 rs ;'sarja preta
hcspanhola, de miperior qualidade a 2,500
rs. o cavado; setim prelo macao, muito su-
perior a 4,000 rs. o covadu; alparca, muito
lina 610, 800 e 1,000 rs. o covado; cassag
de flores brancas, propiias para cortinados
de cima, com 8 l|2 varas a 3.500 rs. a pe;a;
cassas chitas a 2,000 rs. o corte; lencos de
cambraia de linho, pan lu.mem 480, 560 e
610 rs; riscado assenta lo em melim, pio-
prios para ropa de meninos a 200 re. o cova-
do, e outras muitas fazendas em conla : na
loja da rua do Crespo n. C.
Vende-se, por prego commodo, um
preto de meia iduie, proprio para seivico
de e.un..o : na rui dos Miilyrios n. 19.
Vende-se umi preta, de 25 a 26 annos
de idade, nerfeita engommadairi, costurel-
ra e cozinha o diario de urna casa : na rua
das Ilotas, no Forlo do Mallos, indo pela r-.a
da Madre de Dos, primeiro sobrado do lado
esquerdo.
Vende-se um palanquim da Bahia, do
bonito goslo : no largo da S. Pedro, por ci-
ma da luja do marci eiro, segundo andar.
- Ven lem-se 5 escravos, sendo 1 mulata
de22annosdeid.de. coao, ongouima bem
a cojiniii; 2 pretas moQis de bonitas figuras;
2 escravus, sen lo um cozinbeiro e moco, e
outro de lo lo servico de campo : n 1 rua 1)1-
reita 11. 3.
Faria Barbosa, tem um
resto Ja Lilltctcs da 16. lotera das
11 itii/.cs cujo resumo se espera
boje pelo vapor inglez: vende-se
no pateo do Collegio casa do li-
vro azul.
Vendc-se sapatos do Ararati a 800 rs.
prir os ditos olijectos polein t-xamina-lo.s a na fUa larga do Rozario n. 35, loja.
quilquer leu .1 110 dii, dirigindo-se a mesma
casa, e as olleras do compra sero locebidas
no consulado brilinuico desta cidade al o
dia 20 do coi rento mez.
-Precisase do 2:000,000 rs. para paga-
mento de una hvpotheca, sobre umi caso
nova acabada nimio poucu tempo, na en-
trada do corredor do hispo,
-- Precisa-so alugar urna mulher da ida-
do, livre c desempcillda, para ama do casa
do pouca familia : a tratar na rua do Cres-
po n. 10.
Garidude sem limites,
Sciencia sem privilegio.
Francisco de l'aula Carneiro
Lefio, reside no aterro da Boa Vis-
ta n. 1(1 onde offerece-se para
curar homeopticamente as se-
guintes enfermidades e nao cu-
rando nao tem direito a nenhum
pagamento sendo chamado lojo
no principio da molestia e nao
tomando o doente nenhum medi-
camento alopathico e mesmo ca-
seiro. i,-ei mentos de bala, ou de
quaesquer outros instrumentos
grandes quedas ou pancadas por
m ioics que sejam, respirando a-
inda o paciente; plcunzes, os man
agudos c violentos ; febre am^rel-
li, deseo ter ia sangunea, bexigas,
sarampo, e sarnas inda as mais in-
tensas e rebeldes, erisypellas, to-
da molestia venrea ousyphlytica,
bobas, seja de que carcter forem;
rheumatismos agudos, e em geral
todas as mais enfermidades em
tempo que possam ser curadas.
U abaixo assignid, previne
ao respeitavel publico, que nin-
guem faca transaeco alguma, com
lUanoel Pal do Nascimnto mo-
rador no engenho Pao Sangue ,
termod'Agoa l'reii, respeitoaes-
crava parda, de nome Francisca ,
de II annos de Jade, por perten-
ec ao mesmo abaixo assignado ,
como se est ventilando no loro
commum. Recife, 16 de marco de
i Compras.
Vende-se doce da li-rnn em frascos por
pi eco commodo: na rua da Cadeia do llecife
n. 23.
Loja nova.
Vende-se nesta loja por pregas baratsi-
mos o mais moderno sortimento de fazendas
finas a saber: cortes do vestido do seda
branca, mineteles pretose capotinhos para
meninas, rom'iraa do linho com enfeites de
seda, los prelos, lieos cortes de chamalote
para vestido, bem como gros de aples da
furia cores dos gustos mais modernos para
vestidos, corles de lAa de camello com 14
covados pelo barato prego de 6,000 rs. o cor-
te, luvas de seda de cores, de trujal e pei-
ca, e muitas outras fazendas, tudo por ba-
rato prego : na nova loj da rua do Rangel
o. 8.
ptima mesa de jantar. .
Vende-so urna mesa de jantar com 18 pal-
mos de comprida muito moderna. Taita de
amarello, envernisada, ps lomeados e com
punco uso: quem 1 pretender dirija-se a
rua do Rangel, luja n. 8.
Vende-se na loja nova da rua do Ran-
gel um completo sortimento de franjase
t'angas pretas para manteletes, e outras pro-
prias para enfeilar vestidos prelos.por pre- '
go muito coinmolo.
Aos Ss. acadmicos.
Vendem-se na rua do Collegio, loja de en-
Cldi-magUi) do Jo -o Niv'iieira do Souzi, n. 8,
por prego commodo os seguintis livros: or-
lensgOesdo reino,l.ins Tt>ixeirs,Borge8 Car-
neiro, Ferrnira Burgos, Lobilu segundas li-
nhis oivis, Percira e Souza linha- civis, S1K-
va Lisboa direito mercantil, Rossi Droit pe-
nal, C. Tellea digeslo portuguez, Bellime
ph losophie du I' 011, \ne/. os llroit natural,
.-s nlos da sueplicai.no, 1 vau-Co'.ovi.iu cco-
noinie politique e oulros.
Vende-se urna preta cosinhoira de pro-
BssSo, engomma e coze : na rua larga do
ttozorio n. 35, loja.
Ven cu--r trea morada! de caaaa terrena
de taipa bem cooatruldas c fiualro grandes li-
tios de cuquelros com liaalante paalo e inals
|iropor(uca para crla;o de gadot, ludo na po-
v.i i.-1 i du Lorelo. Oa pietcndentea podem dl-
riglr-se a Joo Paea, morador na mesma po-
voaeaOt
Vendase ferros grandes, jfogireiros,
meza, regra, e cabego proprio para fabrica
le all ile por prego comino lo, na rua Nova
n. 12, ou noiltorro da Moa-Vista luja n. 46;
ua mesma tambem se vende 4 caiiilnoa, un
hiilr.lo de amarello, e nm rico uspelbo.
Vende-se um esenvo padoiro I na rua
do Rozario Esireiti n. 13.
- Preeisa-se dj um pequeno,preferindo-aa
dos cbegidos ltimamente do Porto, para
cuxeirO'de urna venda i na rua do Curdo-
nis n. 11
Attencao.
Na rua do Cabug, loja n. 6, ha para ven-
der um sortimento de ferragens fins da en-
tilara, como sejam, caivetes muito tinos
de 2 folbas, com cabo de chifro de viadoa
800 rs.; ditos os mais fines que tea ippare-
ciJo, com 6 foi lias, pelo prego de 3,000 rs.;
assim como um sortimento de tesuuras ,
muito finas e delicadas, sendo M diversos
timanhose proprias para toda a costura de
Compra-so um setim inglez, pouco usa-
do : na travesa da rua da Cuucordia n 5,
ou annuncie. *
-- Co iipnm-se pira urna encommenda sunliora, pelo bantissimo prego de 610 rs ,
do Rio de Janeiro, 2eseravai crruulas, ou pois quem comprar nio se arrapen le, pela
pardas, de 12 a 20 anuos, que tenham boas sus superior qualidade; facas egnfus, par
figuras: na rua Nova n. 16. t pregos commodos.



.*>>
Farinha fontana,
chazad. uUim.mente: "> cas de J. J. Tu-
n hininr I rU. do AmoriID 0. 35.
multo lev* seguro, ptf> mu. o poucod -
"heiro: n. pr.g di Bo. V11U, coche.r.
rd" 'rtMMWMMMMMlMl
BEposWad" am.rello de ii |
do Queimado n. 29, tem par. vender |
um grande sortimento de pannos pre- 9
tos finos e de cores nxea;ca8emira pre-
t. elstica superior de 9 a '.'. I
corte de calca; cortes de coleto de ca- y
semir preta bordados; ditode eetim S
relo tambem bordados; chapos pre- _
tos franceies os mais modernos e do
melhor qu.lidade que ha no merca- fl
I do; ditos de castor branco inglez da I
| ultima moda; e outras hiendas de |
'j goslo e prego o0^.^,-^^.,,,*
Mocmlae superiores.
N, fundigSo de C. Starr Compendia,
em S.-Am.ro, acham-se venda aondii
de canna, todas de ferro, de um modelo e
coostrucgSo muito superior
- No armazem da ra da Modan.15,
vende-se I de Llfboa em pedra, a mais no-
va que ha no mercado, chegada no corrente
mez, no brigue Laya ; assim como mercurio
docei MI caixinhas de libra cada urna, tudo
oor meoot preco do que emoutra qualquer
parte. i -i
Grandes pechinchas, na ra do
C'reopo n. i4,lojade Jo.- Fran-
cisco Dias, a i4 o corte! !
Riquissimos cortes de vestidos de finissi-
ma seda e delicados gosto, (alenda mleira-
monte moderna, pelo baratissimo prego de
1*000rs. o corle; ditos de cambraia seda,
sendo o mais superior que tero appsrecido
no mercado, pelo barato preco de 9,000 rs. o
corte: superiores vestidos do finissima cam-
braia e de cor, com riquissimos babados e
todos os seus perlences, sendo urna peca de
ualSo e oulra de cordo, que se da de gra-
tis a quera comprar osvestiJos, pelo mui-
to batato preco do 6,000 rs. o corte ; ditos
de cambraia cem barra brinca e de cor, Ta-
zenda do ultimo gosto, pelo bararlssimo
ditos de cassa
Para a quaresrria.
Grande sortimento de sarja preta bespa-
nhola, setim preto maceo, cortes de vestido
de seda prot bordados muito notos pa-
drees, chamalote de seda preta conlialraa.
Na ra Nova, loja franceza n. io. Grande fabrica de chapeos de sol,
Recabeu se de Frange pelo ultimo navio,;
um sortimento de fazendas de bom gosto,
como tejara: chapeos de seda o de palha
ahertos e Techados, manteletes, cajmtlnhos
velado preto, veos pretos, mantee de fil e visitas,irttos e de cores, oieiaa e luvas de
prato, manteletes preloa e de cores', eesemi-1 todar as qoalidades, bico de linho, imita-
ras pretas, pannos finos, cortes de colele de cSo de maline, dito de blondo, dito de seda
seda bordados, merinos, alpaca, lapim, tudo e de algodSo brancos e prclos, sarja' preta
ultimemeute chegado, e por prego conimo- hespsnhola de diversas qualidades,veos pre-
dos : na ra Nova n. 23, loja de Antonio Go- los imitadlo de blonde, e muitos objectos
proprius para aquaresma; como tambem
instrumentos de msica: rebecas retienes,
violoes, flaulas, Oautins, clarinetes, e todos
os instrumentos de cobre, melhodos para
nos, rebecas, e para violOes dos melhores
ara homem e senhora, chi-
mes Villar.
4,000
Vende-se rape de Lisboa, chegado lti-
mamente, vindo do encommonda, cousa
superior.eresponsabilisa-sepelaqualidade: f,^JSff!J
na roa da Cadeia do It.cife. loja de JoSo ,X m "rS. de toda. ..qu.lid.de,,
da Gunhai Mag.ll.aes, n. 51. ch do ,0, hornera esenhora ; e tu.
~nVende-se marroquim de todas as cores d0 ^ue dlz re9peilo as tojas fr.ncezas, por
a 1,600 rs, bandejas finas, colheres dme- bar^lo *
tal do principe, facas com garfos_ muilofi- Vend^,e um giti0i belradoro,di.n
as, ditas para meninos, hcelas P'el'das te d de Uc|)A com C4St m j(ic
paradoce.enxadasclc.d.s com ac, arcos ^nj/.jj,,,^ grande s,|a, 9 gabinetes, e 2
de ferro para barris, pipas e toneis. tornei- ,,,, gUi, ilrI maig 3 quarlog e
raa de metal com chaves par. barr.se pip s, ^^ lerreno ^m m,it de mll lmM
p.r.fuso. para c.m.s francezas jarroi. di.u- de C0Blprmelllo e gr,nde b,ix. de capim
radosp.ra mes. de j.ntar, l"Jtrem. fall.r o. ru. de S.nto Amaro n. 16.
para urna cosinh. : na ra Nova, toja i ir- Vende-se urna capa de gurgurflo, rica,
com cruz e bolota de ouro : n. ra do Ku-
cantamento n, II.
-- No aterro da Roa Vista n. 54, vondem
se diversas quadrllhas, valgas e melodas pa-
ra piano, e um melhodo para flauta,
l'ecliincha.
Na loja do Passeio Publico n. 15 vende-
se superiorcal virgem, chegada ullimamen-
to de Lisboa, por prego muito commodo pa-
amarelo da ra do 4 ra acabar.
j Sedientes de ortalice
. Vendem-se semenlcs do ortalice de todas
-Na ra do Vigario n. 19, pnmeiroau- iS qUa|dao-es muito novas, vndas do Liaboa
, bapara vender mu,,iisiul^r'r.*" na galo.aMargarida, o feijflo carrapatoede
flores: na ra da Gruz, airas do Corpo San-
to n. 62.
Ricas toucis de lila para senhora e
menina.
Vendom-se na ra do Cabuga, loja n. 6,
toucas de ISa as mais ricis que (em apparo-
ragens n. 16 do Jos Luiz Peroira.
ajsajajaj)aj)ej(pajQ^9 _
* Sarja preta. W
9 Vende-se superior setim preto macao
?.i proprio par vestidos de senhor.;sar- 4
ti ja de seda prea legitima bespanhola; 4
>; corles de vestido de seda preta bor- 9
aj dada, gosto moderno, tendo de tudo #
jt poreflo para o comprador poder esco- I
a> Iher e por prego muito commodo : n. 4
# oj. do sobrado
Queimado n. 29.
dar
em grumo, em barricas pequeas, e supe
riores vinhos eogairifados.
Ovas do SertSo.
Vonde-se ovas do scitSo por prego com-
modo: na ra do Queimado loja n. 14.
Vende-se saccas grandes rom gomma
muito alvapar. cmgommar, e2 redes com cldo, por prego rauilo commodo, a ellas que
todo centro marcada, agulha proprias para se eslo acabando.
lipoias, assim como duas toalhas com la- Na ra do A pollo, no trapi-
benntoe bicoas ponas : na.ua do Quei- ^ Jo perrtra> vende-se cal vir-
gem de Lisboa, em barris, chega-
prego de 5,500 rs. o corte
chita, com 6 i|2 varas a 2,000 rs. o corte;| madon. 14 loja.
ditos muito linos, fazenda de muito bom, Agencia de Edwin Maw.
gosto a 2,500 rs. o corto chitas cbocols Na ruade Apo0 6, ar.naze.n de >ic. Cal- da ltimamente no brigue Laia ,
muito lixase (mas, cores de cafe e de vinho k companhi a, acha-.e conatanieinente ... ,., j|,J
a 200 rs. o covadoj dilas francezas a 20 rs. g, aorlimn,oa dc uUe de ferro coado e pelo diminuto pre?o de .5,300 rs.
ditas de quadros escuras, r8**Ja du ultl"| batido, lano rasa como lumias, mocadas in- ___ Vende-SC a ai mac:;io e beu-
vado; superior albalhado adamascado de
puro linho, com 8 palmos de largo, pelo ba-
ratissimo prego de 1,600 rs. var; brim
trangado de puro linho, de diversas crese
delicados gostos. polo barato prego de 1,200
rs. avara; riscado de linho, com 4 palmos
de largo. 200 rs. ocovalo; algodSo azul
de 41|2 palmos defargura, fazenda muito
propria par. lOpa de escravos a 200 rs. o co-
vado; assim como outras muitas hzendas,
que se vender por prego mais commodo
do que em oulra qualquer parte.
Cobertores de algodao.
Superiores cobertores de algodSo de di-
ferentes cores, lecidos a dous flos, muito
grande, tem todaapplicagoem u.na casa de
familia, por oorvir para nic/a de engom-
mado e forrar camas e mesmo para escra-
vos, pelo diminuto prego de 1,410 rs.: na
ra do Creapo n. t.
l'otassa americana.
No eotlgo deposito da cadeia vclha, n.
12 existe urna pequeua porc3a dn porr^a
americana, chegada recentemente que por
superior riv.lis. com adaltussia: vende-
se por prego razoavcl.
ilap Paulo Gordeiru-
recentemento chegado do filo de Janeiro:
vende-se Da ra da Gadea do Recife loja n.
50, de Gunha &Amorim.
Vendem-se relogios de ou-
ro eprata, patente inglez : na ra
da Senzalla Nova n. 4a.
Deposito de cal virgem.
Cunb. & Amorim, na ra da Gadeia do
Recite, n. 50, vende-se harria com supe-
rior cal em pedra, chegada pelo ultimo
navio de Lisboa, por menos prego do que
em outra qualquer parle.
No escriptorio de Manoel Joaquim Ra
tanto em'barras comoei arcos folhas, eludo servigodo campo : na na Nova n. 28
por barato prejo. Vende-se um preto de na-
DepoStO tle cal e potassa. cs0, ptimo forneiro e mestrede
No armazem da ra da Gadeia masseira : a tratar na ra da Sen-
do Hecife n. i a, ha muito supe- zalla n. go.
rior cal de Lisboa, em pedia, as-^ Vendem-se batatas muito
siin como potassa chegada ultima- superiores, nglezas, recenlemen-
mciitc, a precos muito rasoaveis. te chegadas : no armazem de Jos
Superior cha nacional Joaquim Pereira de Mello, nolar-
emeaixinhasdea libras, e da melhor qua- 0 ja A,|findeira defronte do guin-
lidade; vende-se por prego commodo, n 5^,
ru. do Gorpo-Santo n. 2, primeiro andar.
Venilom-so sacadas de granito e de pe-
dra, umbreiras, vergas de pedra para portas
o januiias, naestrad.de 8. Amaro junto .
fundigSo dos Srs. G. Sin ir & Companhia, pa-
ra (ratar oor prego commodo : a fallar n.
ru. da Cruz n. 51 no armazem, o do eanrip-
torio do prlmeirn andar. u
- Vende-se urna lenda de sapaleiro. com ra os mcoinos ac0lnpanharem a imagem do
lodos os perlences, muito afreguezada, na .Sr.dos |.,s,os do Corpo Santo para Mal. iz
ra da Lingoeta : aj/aler_n jnesma. da Boa.Vlst,, na quinta-feia 25 do corrente
mez : no Recife loja de miudezas de Anto-
jas nio Jos Moreira Pontos, S. Antonio na de
, i Rento Joaquim Cordero Lima, e na Boa-
melbores iabncas de Lisboa e do v.sia na de Joo riburcio da s.lva Gui-
Uio de Janeiro, sortimentos niui-'marSes.
.... ___._j. .1 --Vendem-se por barato prego 4 canoas
to variados e a presos commoaos de Crrer do diversos lotes, prompias a
na ra do Vigario n. IQ, segundo navegar : emFora do Portas cas. n. 24 atraz
andar, escriptorio de Machado & d
l'inheiro.
Gola do Bio Gnnde-
Vende-se cola do Bio Grande do
Sul, por preco muito comino lo :
na ra do Vigario n. 19, segundo
das te.
Banana e goiaba.
Vende-se superior doce d'aquell.s frurtas
do mais lino quol ha : na venda d. ra
da Gadeia do Recife defronte do lloco Lar-
go n. 85.
vendem-se lamernas ae papel, pintados
de muito bom goslo, e prego commodo, pa-
a tratar na mesma.
C'LBA EM VELAS.
Vende-se cera em velas
mos e Silva, na ra da Gadeia d Recife,'andar, escriptorio de Machado &
vende-se por prego commodo cal virgem de l'inheiro.
LisbOa chegada no ultimo navio, bezerro de
lustro, mercurio, linha de Roriz.retroz, iri-
dia luas do Pollo, pannos e casemias
de ISa.
Principios geraes de economa pu-
blica e industrial.
Vnnde-seeslecorapendio, approvado p.r.
as aulas de primeiras letras, a 480 rs.: na
praga da Independencia, livraria n. 6 e8.
Na porta da Alfandega e no
armazem do baraleiro Joaquim da
Silva Lopes, vende-se farinha fon-
tona SSSF e de Fhiladelphia, l-
timamente chegada.
I
tv,, Alpacas de cores. .4
a>< Na loja do sobrado amarelloda ra 4
tji do Queimado n. 29, tem par. vender 4
>'> um lindo ev.ri.do sortimento de al- 0
S pacas de cores, proprias para palitos. 0

Vendom-se amanas de Ierro: n. ru.
d. Senzall. Nova n. 4a.
Vende-se um. mes. do amanillo, com
7 palmos de comprimento e 4 de largura :
n. ru. Bell. n. 16.
AGENCIA
da fundicao Low-Moor.
RA DA SI..V.AI.I.A .NOVA N. 49.
Neste estabeleeimento conti-
na a haver um completo sorti-
mento de moendas o meias moen-
das para engenho, machinas de
vapor, e taixas de ferro batido e
coado, de todos os tamaitos, pa-
ra dito.
Antigo deposito de cal
virgem.
Na ra do Trapiche, n. I7, ha
muito superior cal nova em pedra,
.hegada ltimamente de Lisboa:
tambem se vende potassa da Kus-
sia, nova e de superior qualidade.
Gasa de commissao de escravos.
Vendem-se escravos e recebem-
se de commissao, tanto para a pro-
vincia como para lora della, para
o que se olerece muitas garantas
a seus dooos .- na ra da Gacimba
n. 11, primeiro andar.
Vende-se no rmazem do caes da alfan-
dega de Jos Joaquim l'ereira de Mello, .
muito superior cola das fabricas do Rio Gran-
de do Sul, chegoda agora ullimauente.oo
prego muilo commodo.
Mello Freir.
Vende-se o direiio das pessoas por l'ascoal
Joe de Mello Freire,(raduzido em portuguez
para uso dos Srs. acadmicos do terceiro en-
no: n. livraria ns. 6 e 8 da praga da Inde-
pendencia.
Vende-se a dinheiro ou aprazo.
Na ra Nova loja de Jos Baptista Braga,
um excellente alambique novo pelo sistema
de Derosne, sempleficado.que tendo cuslado
1:200,000 rs., se vende com grando abale
previne-se que no caso de ser preciso fazer
.Iguma modificagSo no dito alambique para
deslillarcomo os decarapuga, ser ella fei
ta a contento do comprador, e gratis Qual-
quer alambique rutineiro, eimperf cito, cus-
a 700g a 800/ rs., quando o de que se tra-
ta tem duas caldeirase dilTerentes acesso-
rios que o tornara muito recooiendavel sen-
do em rol.gSo muito mais barato.
Panno preto fino.
Vende-se superior p.nno fino pre-
9 to, cor fix., a 4,000 rs. o covado: na >|
na ru. do Queimado, loja do sobrado ^
amarello n. 29. ft
mmmmmmmmmmm-mmmmmmmm
Lotera de N. S. do Livramento.
Aos 5:ooo,ooo ders.
Na loja de miudezas da praca
da Independencia n. 4 1 vende-
se um resto de bilhetcs inteiros ,
meios, quartos, decimos e vigsi-
mos a beneficio de N. S. do Li-
vramento.
Bilbetes inteiros 10,000
Meios 5,ooo
Quartos a,600
Decimos 1,100
Vigsimos 00
CHA PRETO.
Vende-se superior cha preto,
em caixas de 3o libras cada urna :
em casa de J. J. Tasso Jnior, na
ra lio Amorin n. 35;
Vende-se um lerreno excellente pera
6dificagSo de urna casa, nSo be foreiro, tem
porgaode ra.deir.s, muit. pedra, e soleiras:
na ra doRaugei n. 47.
Vende-se
F.spermacete em caias de 16 libras.
Farinha superior em saceos do alqueire.
Ch* pr.'lo superior.
Krva malte.
Verdadeira genebra deOlanda em fr.sqcei-
ros.
Charutos da Bahia superiores.
sur veja I i.--, a f na travessa d. Madre de Dos,
armazem ns. 4 e 6, pintado de cor.
Vendem-se 50 bastidores para qualquer
theatro, em muito bom estado, e 2 vistas);
quasi todos a 500 rs. cada um : n. cas. do
theatro da ru. da l'raia.
Aos bahuleiros.
Vendem-se tsboas de pinho e pedsgos di-
versos, bons para bahs e muito baratos :
na ra da Pr.ua, casa do theatro que se estj
desmanchando.
Aos padeiros.
Vende-se lenha barata e de qualidade boa
para padaria : na casa do theatro da ra da
Praia que se est desmanchando.
~ Vende-se um preto mogo e robusto,
proprio para padaria por ler pratlca desse
trabalho : na ra do Trapiche n. 30, esquina
da Lingoeta.
Vende-se urna bonita parelha de caval-
I08 de carro mangos e bem iguaes; dous
qi.artiios muito bous de carga : na ra Nova
11.6I.
Vende-se urna casa terrea na pr.i. do
Caldeireiro n. 4 : trat.r na ru de Hurtas
0.4.
Ao bom e barato.
de J. Falque ma do Collgeio
n. 4-
' Nesle novo estabeleeimento recebeu-se
um novo n lindo sortimento de chapeos de
Sol dos ullimos gostos, tanto de ardajam
depaninho pi>ra homens e senhoras, doar-
magSo de baleia e de asso que se vendem
por menos prego que em outra qualquer par-
te ; grande sortimento de chamalote, sedas
o paninl.os em pega do todas as cores o qua-
lidades par as pessoas que quizerem man-
dar cubrir arm.ges servidas. Completo sor-
tmenlo do hlelas para vestidos espartilhos
para senhoras, fazem-se umbellas de igreja e
rnneerta-se qnalquer qualidade de chapeos
de sol: todos os objectos cima mencionados
se vendem em porgflo e a retalho, por prego
quo agradar aos freguezes vista da quali-
dade.
Moinhos de vento
com bombas do repuxo para regrar borlas
o baixas decaplm na fundigSo de Bowmaux
Su M. Calhem: na ru do Brum ns. 6, 8 e 10.
Negocio vantajoso.
Vende-seo hotel commercio sito na ra
da Cadeia n. 13, cornos utencilios que o
comprador ouizer: a tratar no mesmo.
Farinha barata.
Na ra da Cruz n. 33 armazem de Luiz
Jos de S Araujo, vende-se sacas com al-
queire de farinha, tanto de S. Calharina co-
mo de S. Matheus muilo suporior por me-
nos prego que em outra qualquer parte e
levando a sacea mais barata, fica tambem as
barreduras para vender, que serve para
bixnsetc.
A bordo da escuna Maria ''irmina fu li-
diada di' fronte do caes do Ramos, ha su-
perior farinha de S. Matheus que se vende
o mais barato possival, trata-ae abordo com
o capilAo, ou com Luiz Jos de S Araujo :
na na da Cruz n. 33.
Vendem-se velas deespermacete, em
caixas,de superior qualidade : em casa de
J.Keller* Companhia: n. ru. d. Cruz nu-
mero 55.
\rados de ferro.
N. fundigSo d. Aurora, em S. Amaro,
vendem-se arados de ferro de diversos mo-
delos.
Para a quaresma.
Ctsemira preta infestada a 5,000 rs., <
le de caiga.
Na ra do Crespo loja da esquina que vol-
ta para a cadeia vendrm-se casemiras prela
enfestada a 5,000 rs. o corte de caiga, sarja
prela hesianhola a 2,600 rs. o covado ; co-
mo outras fazendas que por sua boa quali-
dade se tornaO recomondaveis.
Vinho de Champagne,
e superior qualidade : vende-se no arma-
era Kalkmanu Irmflos Ra da Cruz, n. 10
Deposito da fabrtcn de Todos os
Santos na Baha.
Vende-se, em casa deN. Bieber&C,
na ru. d. Cruz n. 4,- algodSo transado da-
quella rabrica, muilo proprio para saccosde
assucar e roupa de escravos, por pregocom-
modu.
He lo barato,
Que taz animar ;
Qucm vir a pechincha
Nao deixar de comprar.
Na ra do Crespo loja da quina que vira
para a cadeia, vende-se panno lino preto, a
3,000, 3,500, 4,000 4,500, 5,000 e 5,500 rs.
o covado dito fraocez muito superior, a
6.000 rs. ; dito azul, a 2,600, 3,500, 4,000 e
5,000 rs. ; dito verde, a 2,800, 3,000 e 6,000
rs. ; dito cor da rap, 2,600 rs. ; casemi-
ra_ preta, a 4,800 6,000, 7,000 0,0000 to.ooo
rs. o corte; sarja preta de seda muito su
peror, a 2,500 rs. o covado; merino preto
muilo bom, a 2,800 e 3,200 rs. o covado cor-
tes de cassa chita muito bonitos, a 1,920
rs. ; e outras muitas fazendas por prego
commodo.
Gemento novo a 7,000 rs.a barrica.
No armazem de Antonio Annes, no caos
da Alfandega.
-- Vende-se um terreno com 300 palmos
de frente e perto do 1000 de fundo, com
grande viveiro, que tem perto de 500 pal-
mos de comprido, na estrada que vai pira o
Manguinho : a tratar na ru. d. C.dei. do
Recife n. 9.
Vende-se um sobrado de um ndar e
sniao, no principio da ra do Hospicio, cons-
truido ha pouco lempo, com toda a solidez
e perfeigao, cora canliri de Lisboa, gran-
de quintal murado e plantado de arvoredos,
estribara e cacimba : na ra da Trempe
n.50.
ABADOS AMERICANOS.
2 Vendem-se arados ame- .5
ricanos, chegados dos Esta- 9
2 dos Unidos, pelo barato pre- *
* 90 de 40,000 rs. cada um: na *
Ji ra do Trapiche n, 8.
Vende-se urna prela creoula, moga o de
bonita figura, sdia, cose chao, cozinha, la-
va, he vendedeira de ra e tem excellenle
conducta : na ra larga do Hozarlo, loja
n. 35.
Vende-se mais barato do que em ou-
tra qualquer parte, ricos manteletes pretos
edecOres: na ra da C.dei. do Recife, lo-
ja n. 18.
Deposito de panno da algodao da
febrica Todos os Santos da Da
nhia.
Vende-se por preco commodo
o bem conhecido panno de algo-
dSo des'.a fabrica ; em pessa, a
verdadeira, meias pretas de seda de peso,
ditas brancas; assim gomo outras muitas fa-
zondas proprias para a quaresma, e por pre-
cos de agradar aos compradores.
Vende-se um forno para padaria, no
centro da cidade, tendo lugar para morad,
earmazem para lenha, com desembarque
na poita : o pretndanle annuncie sua mo-
rada.
Cambraia-, para cortinados a a,400
rs. a peca
Na ra do Crespo, loja da esquina, que vi-
ra pa'a a Cadeia, vendem-se cambraias des-
campinadas, para cortinados, a 2,400 ra. 1
peg, com Se 1|2 v.r.s.
Vende-se um terreno na ra d. Aurora
com 50 palmos de frente e 280 de exteosSo,
tendo caes de lijlo a boira mar, ficando en-
tre as casas dos illms. Srs. Cusvilo Jos do
Reg e Francisco Antonio de liveira: os
prelendentesdirijam-se a ra das Torres o.
8, primeiro andar.
Farinha de mandioca.
Vende-se saccas com superior farinha
de mandioca a pregos rasoaveis : a tratar
com J. J. Tasso Jnior ra do Amorim
n. 35.
Ns ra Nova 11. 8, vendem-se alas col-
chas de damasco de seda, 2 toalba. de la-
varinto, 1 jarro e baca de cristal, tratado e
diccionario de harmona, por Berton, e di-
versos livros de direilo e romancee.
Vende-se na ra do Queimado, loja n. 18,
panno Uno preto superior prova de limSo .
sei un preto o melhor posaivel, chamalote vontade d o comprador: no escrip-
preto de lindos desenhos muito proprio pafV, j_ iNnvap 8rT'nmnnnhia na
vestidos das bellas, sarja preta hespanhoia tono t,ei<0Vaef K -omPann>a) na
ra do Trapiche n. 34.
Azeite de carrapato da fabrica de
Araujo & Pilho, no Fenedo.
Acaba de chegar mais destej conhecido
azeite, o mais proprio e econmico, para
uso de candieiros de sala, tanto pela sua du -
ragSo, como limpeza, e continuar a haver
sempreum depozto para suprmanlo regu-
lar dos freguezes : no armazem deJ. J. Tas-
so Jnior : na ra do Amorim n. 35.
Vende-se 011 arrenda-se o Engenho S.
Rita inocule e corrente meia legoa distante
da villa de Iguarassu' com proporgOes para
safrejr-se, embarque junio ao engenho; ala-
gados, ooulras proporgOes : quem oprelen-
derentenda-secomoproprietariono mesmo
engenho.
Movos cobertores de tapete a
i,44 rs- '
Na ra do Crespo loja da esquina que
volta para a cadeia, 'vendem-se cobertores
de tapete, grandes e bonilos, pelo diminulo
prego de 1,440 rs.; em qualidade aSo os me-
lhores que tem vindo no mercado, por isso,
recommend.-se aos Srs. de engenho que
quizerem comprar da pichincha, n9o so de-
moren!, porque], h. poucos pela estragSo
que tem lido.
-- Vende-se 1 melhor salsa, chegada do
Par, pela escuna Arselina, hontem despa-
chada : vende-se no escriptorio do correlor
liveira.
Taixas para engenhos
Na fundicao de ferro de Bovv-
man & Me. Callum na ra do
Brum passando ochafariz, conti-
na a haver um completo sorti-
mento de taixas de ferro fundido e
batido, de 3 a 6 palmos de bocea
as quaes acham-se a venda por
preco commodo e com prompti-
do, embarcam-se, ou carregam
se em carros, sem despezas ao com-
prador.
.**Hi*e mmmmm mm^mm
I Vendem-se ricos veos pretos de sed., a
de linho e de retroz de Italia; mante-
2 leles pretos do ultimo gusto e com ri-
* cus i'11 le 1 les; oanlas de seda pretas ; y
' meias de seda pretas de pesoeoulr.s
* fazendas de gosto, ludo por prego de *l
D agradar aos compradores : na loja do W
sobrado amarello da ra do Queima- P
do n. 29. 9
su mtmtsiHf9mm i
Molduras douradas
de todas os larguras : vendem-so no arma-
zem de Kallk mann IrmAus,ruada Cruz n. 10
CHARUrOS DE I UVA NA.
Vende-se charutos de II* tana muitissimo
finos; no armaiem de Kalkmann & Irmaos,
ra da Cruz n. 10.
Gera dc carnauba a 5,ooo rs.
Vende-se na ra dos Tanoeiros n. 5, supe-
rior cera de carnauba de primeira sorte pelo
diminulo prego de 5,000 rs. a arroba ; sebo
do porto em caixas a 7,000 rs. a arroba.
Fara fechar emitas.
No escriptorio de Novaes &
Gompanhia, na ra do Trapiche
n. 34, segundo andar, vendem-se
carneiras de cores ; capeos do Ol i
le, grandes e pequeos ; linha de
caliera encarnada e de roriz, por
menos preco do que em outra
qualquer parte, por se querer fe-
char contas.
Siii.lo dc Mantua a
800 rs.
Vende-se a historia de SimSo de Nantu,
a 800 rs. : na livraria da praga da Indepen-
dencia n. 6 e8.
Jiaratissiuio.
Vende-se um terreno na ra da Aurora j
terrado, tendo fundo at a ra do Hospi
ci, e frente 55 palmos: tambem se vende
s a ra da Aurora : a tratar na praga d. In
dependencia 11. 17.
Arados da fabrica dos Srs. Ilanso-
me e May
Propros para plantar e alminar canna de
differentes modellose fetos na mais acredi-
tada fabrica n. Inglaterra ; sendo muito su-
periores a qualquer que tem vindo a este
mei cadu.e proprio para plantarom qualquer
terreno e de qualquer largura, por It um
arranjo propriu para abrir e fechar a aiveca.
0 bico, aiveca c sola desies arados passam
por um processo que da-lhea consistencia
deago temperado da maneira que sao de
mnila durago, alm de que tem bicos de
sobrc-excellente : na ra do Trapiche n. 14.
Vendem-se charutos da llahia das me
Ihores marcas em casa de Kalkmao Irmflos
ra da 1.1 h/ n. 10. 1
- Em casa de J. K'elrercS Cotif
panliia, acha-se a venda vinagre
branco, superior de Nantes, em
barris de 36 medidas, a.
Livros em brancj
Vende-se em casa deKalkmantrMrmSos ,
na ra da Cruz n. 10, livros em branco che-
gados pelo ultimo navio.
II ANOS.
Vendem-se em casa de Kalk-
mann Irmaos, na ra da Cruz n.
10, ricos pianos de Jacaranda, com
encllenles vozes chegados ha
pouco lem 110.
Vende-se vinho de champa-
nhe legitimo e de superior quali-
dade : em casa de J. Kellcr &
CompanlV* na rua da Cruz n.
55.
Altencao.
Nova fabrica de chapeos de Sol no atierro
da Boa-Vista n. 22, acha-se um grande
sortimento de chapeos de Sol multa
em couta, tanto para homem,como para se-
nhora, como seja de seda ou de pann.nho, e
grande sortimento de pegas de seda ede pa-
panninho para cubrir ns chapeos de Sol ja
usado.tambem concerta os dittos peol prego
mas commodo do que em outra qualquer
e parle com toda iromptidfio.
- Vende-se, em casa de Kalk-
mann Irmaos, um lindo sortimen-
to de obras de ouro, chegadas, ha
poucos dias, como sejam : ade-
recos, pulceiras, alfinetes, voltas,
brincos, aunis, correntes para re-
lejo, In inqtiinhos para criancas de
coral, chaves para relojo e me-
dalli5es.
MOBILIAS DE FERRO.
Vendem-se ricas mobilias de fer-
ro, como canaps, mesas, cadeiras
com braco esem elle, e muitos ou-
tros objectos de ferro : no arma-
zem de Kalkmann Irmaos, na rua
da Gruz n. 10.
ffftVfWfV?*fV***VV99
>
*
*
->


a
*


SALSA PARRILIIA
DE
As numorosas experiencias feilas como
uso da salsa parrilha em todas as enfermi-
dades,originadas pela impureza dos.ngue,
e o bom xito obtido na corte pelo lllm.
Sr. Dr. Sigaud, presidente da academia im-
perial de medicina, pelo lllustrado Sr. Dr.
Antonio Jos Peixoto em sua clnica, e era
sua afamada casa de saude na Cambo., pe-
lo lllm. Sr. Dr. Saturnino de Oliveirs. me-
dico do exercito e por varios ouirosTnodi-
cos, pormitlem hoje de proclamaran.mente
as virtudes chicares da
SALSA PARRILHA T
DE
Nota. Cada garrafa conlem duas libras
de liquido, e a salsa parrilha de Uriatol he
garantid., pur.monte vegetal sem mercu-
rio, iodo, potassium.
Vende-se a 5/000 rs. o vidro n. botica do
Sr. Jos Maria Gong.lves Ramos :ro. dos
Qu.rteis pegada .0 quarlel de polica.
Sobrado em Goianita.
Vcii'le-se, muito em emita ,
um bonito sobrado sito na rua
do Meio, n. 58 avaliado em
?. :oooooo, em o qual tem parte
rsula Maria das Virgens e sua
irmiia Joaquina Alvos de l'aiva na
importancia de 107,47-^ rsv 'l"e,n
pretender dirija se a caza de Kal-
kmann lrtnSos,rua da Gruz.n. 10.
Vende-se um avallo alazflo, bom an-
dador baixo e muito novo : na rua do Cres-
po, loja n. 6.
Cebo refinado.
Vende-se superior cebo refinado, em bar-
ricas, que por muito superior se recommen-
da para o fabrico das vel.s de c.rn.uba: o.
ru. da Cadoia Velha, armazem n. 12.
Vidros p.rr espelhos.
Vendem-se vidros para espelhos de todos
os tamanhos gor prrgoa muilo em conta en
casa de Kalkman Irmaos rua da Cruz n. 10.
Escravos fgidos.
Atlencao.
100,000 rs. de gratificagSo.
Contina fgido o escravo Manoel, per-
le.cenle a SebastiSoMarques doNsscimeo-
ta, desde o da 8 do setembro do anno pas.
sado, foi escravo do Sr. Gabriel AlTooao lu
gueira, tem 25 annos, pouco mais, ou me-
nus, de nagflo Angola, cor fula, com falla
de 2 deotos da parte superior do lado es-
querdo, e urna pequea cora na cabsc. do
mesmo lado, corpo regular, olhos peque-
os, beigos grossos, sem barba, baixo e he
oflicial de funileiro : pede-se, por tanto, as
autoridades policiaes e capitaes de campo a
sua captura, pagaodo-se alm da gratifica-
gao cima, todas as despezas que seja neces-
sario fazer-se.
-- Denappareceu do engenho S. Paulo,em
dezembro de 1851, o escravo creoulode no-
me Leocadio, de 1 Jalo de 12 anuos, pouco
mais ou menos, com os signaos seguintes:
altura regular, cor fula, cheio do corpo, ps
achapados, peinas Unas e arquiadas. Este
escravo ja nao he a primeir. fuga que faz;
Julga-se andar pelos suburbios da comarca
do Cabo por ler nascido no engenho Mundo-
Novo da mesma comarca. Qualquer capilflo
de campo que o pegar e couduz-lo ao men-
cionado ongenho S. Paulo, na freguezia dos
Afogados, recebera 50,000 rs. de gralifica-
30,
No dia 17 de fevereiro deste anno de-
sappareceu da cidade da l'arahyba o escravo
de nomo Domingos, que representa ter 25
annos; estatura regular, cheio do corpo.boa
figura, rosto com cicatrizes ou signaos de
sua nagflo, denles perfeilos, mflos, pernas.e
ps bem feitos: tem urna hernia em urna das
verilhas, he muilo fallador, e he oflicial de
pedreiro. Consta-nos que esteve nesta cida-
le do Recife em urna casa na rua do Ouro,
e na madrugada do dia 19 do correte sala-
ra pai a o lado do sul, levando comsigo um
chapeo do chile novo, jaquela prela de me-
rino, caiga de brim branco com lislras en-
carnadas ; levava tambem um bah de folha
de'flandres com ondeado azul que teri 3 a 4
p.lmos de comprimento com miudezas para
vender, indo acompanhado por um preto
velho. I'ote preto quando desappareceu da
cidale da Parahyba recebeu 300,000 rs.: ro
ga-se a lodas as autoridades policiaes o ca-
pililes de campo que o aprehendam eo le-
vem na l'arahyba no sobrado junto loja de
Joao jse de Medeiros Crrela & Comp.nhia,
e nesta cidade do Itenife a seu senhnr Miguel
Felicio da Silva na praia do Calleireirp, so-
brado novo, que recompensar generosa-
mente,
Dcsafipareceo no dia 12 do corrente
mez do margo, da casa de su. Sr.., D. Auna
Joaquina Lins, moradora na rua Nova, o es-
cravo parlo de nome Francisco, muito co-
nhecido poro possuir muitos anuo-, com
os sign.es seguintes : claro, barbado, com
assuigas por baixo do quoixo, magro, l'iU
muito manga, baixo, e an la calgado: quem
o aprehender, ou souber onde ello esta, n
com o.viso poss. vir mflo, se dir urna
i'oa graliGcagflo, procurndose p.r. esto
lim ao seu georo Jos Candido de Barros,
no seu escriotono: rua da Cruz n. 66, ou
na rua d'Aurora ultima casa desla mesma
rua.
Deposito de tecidos da fabri-
ca de Todos os Santos, -41
na Babia.
Vende-se em casa de Domingos Al- 41
ves Matheus, na rua da Cruz do Re- 41
rifen. 52, primeiro andar, algodSo 4
Iransadodaquellafabrica,muitopro- Jj
prio para saceos e roupa de escra- 2
vos, assim como lio proprio para re- ^a
dea de pescar e pavios para vell.s, 45
por prego muito commodo. 4g
.T,***M*QiAM* AAaVft
Atlencao
Na ruado Crespo 11.10, vendem-se excel-
lentes manteletes e c.potiohos de seJ. e
chamalote protos e de cores, por menos pre-
go do que em outra qualquer parte; sed.
furia cOres, par. vestidos 1,200 rs. o cov.-
- Desappareceu do lugar de Cai.r, vin-
do pira eala praga o molatinbo Estevflo,
cor clara, de idade de 16 a 17 annos, cbe-
los corridos, que.cabiara as extremidades
estando grandes, com urna cicatriz de finida
em urna das pernas; pertencente ao alferes
Jos ati tomo da Costa, residente no enge-
nho Junco, comarca de Nazarelh ; quem o
aprehender entregue-o ao mesmo Sr. que
si ra gratificado com 20,000 rs. sendo captu-
rado a poaca distancia, o se longe,genero-
samente.
Desappareceu no dia 14 do corrente pe-
lo me.o dia o mulato, bolieiro, escravo do
desembargador Firmino Antonio deSouza,
morador no ultimo sitio do Hospicio viran-
do p.ra o doPombal. O dito mulato he bs-
tanle mogo, cheio do corpo, tem barba, ca-
beg grossa e chata, cabello carapinhado, e
levava-o grande, quando se retirou; tem os
ps grossos, andar ligeiro e algum tanto en>-
balangado, e quando falla asvezes querga-
guejar, principalmeule quando tem medo;
Ira java caiga preta, vesta branca e chapeo
prelo de pelo fino : quem o aprehender ser
bem recompensado; assim como quem o oc-
cultarser responsavel na forma da lei pelo
facto criminoso e damno que causar.
No dia 7 do correle desappareceu um
mulatinho do nome Franciaco, de idade de
12 a 13 anuos; muito claro, cabello louro o
cortado renle; levou caiga e camisa de cou-
' parece branco, e Ulvez se intitule forro;
'O, .
protosta-s contra quem o tiver ooculto ou
seduzir, de usar do rigor das leis : Toga-so a
do; palito de brim a 4,000 rs. e casaca a [quem o pegar de levara seu seuhor o barSo
5,000 rs.; chitas francezas com lista na fren-1 de C'pibaribe, morador atraz da matriz da
le a 300 rs. o covado ; ditas sem lista a 2401 fioa-Vista que gratificara,
rs., e oulras muitas fazendas, que se vende-
ro por todo prego, a vista dos compra
I dores.
40,|
>
i';::-


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ENUKB4U6E_MQLRU3 INGEST_TIME 2013-04-12T22:22:27Z PACKAGE AA00011611_04471
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES