Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04452


This item is only available as the following downloads:


Full Text
A mo de 184*2. Segunda Feira 28 de
MiHHHiBnHHiBMHHIHaBnMri
Turlo aora depende de ni mesraos ; da nosss prudencia, noderacao, e snergia : con-
tinuemos como princiuiamoa, e atremoa apontadoa con admiraco entre as Naci'e maia
ealifj. (I'roclamacao da Aatemblea Geral do Brasil.)
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES.
Goianna, Pataiba, e Rio grande do Norte, na aegunda eaeila feira.
Bonito e (aranhune, ale24.
Cabo, Serinliaetn, Rio Formoio, Fruto CaNo, Maceio, e Ala-oas no 1 II, 21.
Paiei 13. Santo Anlo, qainta feira. Oiinda lodos oa diaa.
DAS da semana.
2S Ser. a. Bomo, Chae And. do Juit de Dilata da 2. ara
~i 'erc. t Adri:o. Re. Aud. do do juir. de Direito da 1. rara.
2 Qua'rt. a. Simplicio. Chano. Aud. do juir. de dircile da 3. Tara.
3 Quii. Heweteno. Aud. do juit de direilo da 2. Tara.
4 set. Casimiro. Aud, do Juir. de Direilo da 1. Tara.
5 sab. a. Throflo. Re. Aud. do Juit de Direito da 3, Tara,
(i Don, a. Olegario.
vereiro. Anuo XYIIf. N.40.
CAMBIOS ko da 26 nr. Feyereibo.
Cambio tobre Londres 29 d. p. II'.
Paria |S0 rei f. franco.
Lisboa SU a So p. Mil de pr,
Ouno-Moeda da 6,400 V. 4M0a 14.00
M. 14.200 a 14,400
de 4,000 8,100 a 8,200
Pitan-Patacoea 1,650 a 1,670
Pn*TA Peoa Columnaiea 1,650a 1,670
Mciii-anoa 1,6^0 1^650
" """' 1,440 a 1,460
Motila de nibre 3 por 100 de disconto.
Diaconlo de bilh. da Alfandega 1 e j por 100
ao roer.
Ideas de letras de boaa fiema 1 a ale{.
Preamar do da
1. ti 6 hora
2. aa 7 hora
2.S de Fevereiro.
e 54 m. da manda,
e 14 m, da larde.
PIIASES DA LA KO MEZ LE FEVERElR.
Quarl. ming. a 2 n ID hora e S m. d mana.
I.ua Nora a 10-- is 9 hura e 36 m. d minli.
Quart. rese, a 1S aa 9 horas e 22 m da mnnh.
La cheia a 25 s 1 horas a 56 m. da marJi,
DIABI l> B PER NA 11 BIT E O.
PARTE OFFICIAL.
GOVERNO DAPROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 21 DO CRREME.
Oficio Ao Inspector da Thesouraria da
Fazenda ordenando-llie que mande entre-
gar ao engenheiro I,. L. Vauthier o torreo
da Alfandega destinado para escriptorio dos
Engenheiros Francezes no estado em que es-
tiver.
Dito Ao inspector da Thesouraria das
Rendas Froviociaea para, mandar imprimir
obalango da receita e despeza Provincial do
anno (inanceiro de 1810 a 1811 que acompa-
nhou o seo oflieio de 19 do corrente e
que ora se llie devolve, a (im de que depois
(le impresso seja remettido Assemblea Le-
gislativa Provincial.
Dilo-Ao Administrador Fiscal das obras pu-
blicas, signiicando-lhe que tendo representa-
do o Inspector Geral das mesmas obras, que
nao he fcil adiantar a da estrada entre pon-
tes grande e pequea da Magdalena tirando
a trra na baixa mar da camboa do Cajueiro
n'umaranoa, que ha desponivel com os tra-
balhadores de sua repartico e propondo
contractar-se a fornecimento de trra com
particulares a presidencia o authorisa a fa-
zer este contracto com tanto que attenda ncl-
le somante ao trabalho da exlracgo desse
..laterial sem contar com o vallor que al-
guns querem exigir por elle visto que pelos
artigo* 14 e 45 da Lei Provincial numero 9
so compete aos particulares donos dos sitios
d'onde materiaes simelhantcs se extrahem
.para as estradas aindemnisaco dos dainos,
que resultarem alem da providencia esta-
belccida no artigo 16 : e caso nao ache quem
contrete o dito material pela paga do traba-
lho da extracto e transporte ; ser elle ti-
rado do sitio que for mais prximo e conve-
niente pelostrabalhadores empregados nadi-
ta estrada, fazendo a competente parteci-
paco ao Director da mesma.
Dito Ao Inspector Geral das obras pu-
blicas communicando-lhe o con teudo no pre-
ceden te officio.
Dito Ao Inspector do Arsenal de Marinha,
respondendo-lheque pode fazer transportar
para bordo do Pataxo Patagonia na vespera
de sua partida para o Cear o sargento Jos
Pinto Bandeira demitlido do servido do ex-
ercito e existente no mesmo Arsenal, vis-
to ser natural d'aquella Provincia e ter all
sua familia.
Dito A Cmara Municipal do Recife, or-
denando-lhe em cumprimento do Imperial
Aviso de 3 de Janeiro ultimo expedido pela
Secretaria de Estado dos Negocios do Impe-
rio que proceda nova apurago final dos
votos para Deputados Geraes futura Legis-
latura incluiudo nelia os votos do Bonito,
por que apesar dos defeitos argidos elei-
go nao pertence Cmara mas sim a As-
semblea Geral Legislativa o conhecimento
delles ea decso sobre a sua validade.
Dito A Cmara Municipal de Oiinda ,
signilicando-lhe que nao tendo at o prn-
sente informado a quem pertence o pantano
formado pelas agoas do rio Beber i be na visi-
nhancas d'aquella Cidade, tomo Ibes foi or-
denado em officio de 26 de Janeiro ultimo,
cumpre que o faga com a maior urgencia de-
clarando, os arrendamentos, ou aforamentos,
os lugares baldos, ou os que Naco perten-
cem.
Dilo A Cmara Municipal do Cabo, de-
clarando-llieem resposla ao seo ollicio de 17
do corrente, em que se desculpa com o artigo
19 da Lei Provincial numero 13 de i 4 de A-
bril de 1856 pela falta de ter feilo a reparti-
r o determinada no artigo 32 da Lei de 18 de
Agosto de 1831 dos guardas do servigo ordi-
nario cujas listas deverio estar no archivo
da Municipalidade que pela citada Lei de li|
de Abril nao foi explcita nem implcitamen-
te revogado o dito artigo 52 da de 18 de A-
gostode 1851 que incumbi s Cmaras este
servico.
idf.m do m.v 22.
Officio Ao Commandante das Armas,
respondendo-lhe que pode remetter para o
Cear a bordo do Patacho Patagonia o sol-
dado de Artilhcria Vicente Furtado que ob-
teve passagem para aquella provincia.
Portara Ao Commandante do patacho
Patagonia para receber a seo bordo e trans-
portar para a Provincia do Cear o soldado de
que trata o precedente officio.
Dito Ao Commandante das Armas, com-
municando-lhe que S. M. o Imperador, hou-
ve por bem por Aviso de 15 de Dezembro
ultimo, conceder licenca ao Major Joaquim
Caetano de Souza Cosseiro para rccolher-se
a esta Provincia a fim de tratar de sua sa-
ude.
Dito Ao mesmo communicando-lhe que S.
M. o Imperador por decreto de 2i de Dezem-
bro ultimo concedeo reforma-a conformid.i-
deda lei s seis pracas de pret de primeira
Linha doexercito designadas na relago que
se I he remette.
Dito Ao Inspector da Thesouraria ta
Fazenda communicando-lhe oconteudonos
dous precedentes officios.
Dito Ao mesmo ordenando-lhe etn
cumprimento do Imperial Aviso de 50 de De-
zembro ;iltimo que remeta Secretaria a
guia dos vencmentos (alem do sold da pa-
tente), que o Alteres do Batalho n. 12 de
Caladores Manoel Claudino de Oliveira e
Cruz deixou sua familia nesta Provincia,
a fim de ser enviada a Secretaria de Estado
dos Negocios da Guerra.
Dito Ao mesmo communicando-lhe em
consequencia do imperial Aviso de 15 de
Janeiro ultimo que por Aviso expedido ao
Thesouro se mandn pagar ao conseMieiro
Antonio Peregrino Maciel Monteiro Direc-
tor do Curso Jurdico de Oiinda, a quantia de
780, res importancia dos seos ordenados
vencidos como tal desde i de Setembro at
51 de Dezembro do anno p. p. a razo de
2:00ji annuaes.
Dito Ao Inspector Geral das obras publi-
cas signcando-lhe que a Presidencia em
presenca do seo officio de 50 de Outubro do
anno prximo passado acompanhado de urna
nota dos concertos indispensaveis de que pre-
cisa o Quartel do Corpo de Polica os quaes
foro oreados em 2:811 ,>08b' reis e alten-
dendo aoque novamente representou alai
respeito o Commandante Gem do dito Cor-
po; lhe ordena, que mande proceder somente
aos concertos demais urgencia com tanto
que nelles se nao despenda mais de um con-
t de reis que he acuantia que se pode dis-
por para esta obra no corrente anno (inan-
ceiro.
Ditos Ao Inspector da Thesouraria das
Rendas Provinciaes Adminisrador Fiscal
das obras publicas e Commandante Geral
do Corpo de Polica scientilicando-os do
con teudo no officio precedente.
Dito Ao Inspector Geral das obras pu-
blicas, aprovando o que propoe cm seo officio
de 21 do corrente a cerca do concert da pon-
te do Recife esignicando-lke que se vai ex-
pedir ordem ao Administrador Fiscal das ji-
bias .publicas para mandar comprar as ma-
deiras precisas para os langos que fallo ;
devendo fazel-as preparar dentro dos dous
mezes, em que a obra tem de estar prepa-
rada.
Dito Ao Amnstrador Fiscal das obras
publicas enviando-lhe a nota das madeiras
de que tracta o precedente officio, e orde-
nando-lhe que as faga comprar.
Dito A Cmara Municipal do Recife ,
enviando-lhe um ofllcio do Cnsul de S. M.
Britnica nesta cidade, pedindo permiss&ol
para os passageiros da Barca Ingleza The-
reza viuda de Plymouth poderem desem-
bircar na liba de Nogueira a lim* de que ba-
ja de tomar em consideradlo oqae expe oj
referido Cnsul, e dar com urgencia as pro-
videncias, que entender convinhaves, de
maneira, qus a saude publica nao venha a so-i
frer o menor incommodo ; dando conta do re- '
soltado Presidencia.
Dito A Sociedade de Medicina desta Ci-
dade, siguiicando-lhe qne requerendo o
Cnsul de S. M. Britnica permissfio para os
passageiros da Barca Ingleza Thcreza an-
corada no lameiro desle Porto e viuda de
Plymouth poderem desembarcar na Ilha do
Nogueira, cm raso de ter apparecido bordo
o Typho logo depois da sahida da dita Parca, e
por isso nao poder ser desembarazada pela
Repartigo da Saude; e dezejando a Presi-
dencia concorrer com o que estiver sen al-
cance para que os referidos passageiros nao
continenla soffrer tantas privages; lhe ro-
ga queiradar oseo parecer cerca doobjuc-
to em questao avista do que informa ere-
referido Cnsul no officio que por copia se
Ihe remelle.
Portara Mandando passar tilulo de no-
meaco para Promotor da Comarca do Limo-
cro ao Bacharel Formado Luiz Jos de Sain-
paio Jnior.
TEZOFRABIA DA FAZENDA.
EXPEDIENTE DO DA 21 DO CORRENTE.
Officio ao Exm. Sr. Baro da Boa-Vista
Presidente desta Provincia sobre a entrega ao
Major Antonio da Silva Gusmo, procu-
rador do Prefeilo da Commarca de Flores ,
de dous mezes do sold adianlados para 25
(tracas da Guarda Nacional que tem do des-
tacar naquella Commarca.
Portara Ao Thesoureiro da Fazenda pa-
ra entregara Manoel Joaquim Bamos & Silva
a quantia de 1:265j780 reis importancia de
Orna letra a 10 dias precisos, que com a bo-
naco de JoAo Antonio Gonealves Muduro ,
sacou sobre Jot Rodrigues Roxo, da Provin-
cia do Mnranhao, a favor da Thesouraria da
mesma Provincia.
dem do da 22.
Officio- Ao Exm. Snr. Visconde de bran-
les Presidente do Tribunal do Thesouro Pu-
blico Nacional partecipando, que nesta da-
ta havia recebido e passava a dar cumpri-
mento a ordein de 21 d Dezembro prximo
passado que mandou abrir a substituigo
das notas da chapa de o,i reis de que tem ap-
parecido falsas na circulaco pela mesma
{brmaqnc j determinada para as de lOj e de
0 reis; levando com tudo ao conhecimen-
to do Tribunaldo Thesouro, que nao se tendo
anda podido concluir a substituicodas No-
las de lo.) e d" 2o,) reis das quaes anda ex-
istia grande quantidade na circulaco por
falta de outras deiguaes ou de mais peque-
nos valores impossivel seria dar andamento
a esta nova substituigo, se para esta provin-
cia nao fosse enviada porgo de notas de
valores com as quaes ella se podesse eflectuar;
e que nao poda calcular a quantia que seria
necessaria para conclur-se estas diversas
suhstiluigoes ; porem supunha que excede-
ra a Iooooo rs.
Dito Ao Exm. Snr. Baro da Boa-vista
Presidente da Provincia para dignar-se de
transmttir ao dito Tribunal do Thesouro o
precedente officio.
Dito Ao Director do Arsenal de Guerra
declarando que o Commandante da Ilha de
Fernando de Noronha requisilou. Iium carro
eno um cano como parece se ler entendido
dacopiada relago qne se lhe enviou em of-
ficio de 17 doeorrente.
Dito Ao Inspector da Thesouraria de
Fazenda da Provincia do Marauhao enviando
duas letras na importancia de I:85j78o rs'
sendo a de 58-2*, a 3o dias precisos do Baque
de BentO Jos da Costa sobre .lose Rodri-
gues Roxo, indocado por Jos Pires Ferreira;
e a de 1:265.)78o reis, do Baque de Manoel
Jonquim llamos di Silva abonado por Joao
AntoMio Gonealves Maduro sobre o mesmo
Roxo e dizendo que com esla remessa Rea-
va inteirado o supriineato determinado pe-
la ordem to Tribunal do Thesouro Publico
Nacional de 22 de Jullio do anno prximo
passado. como se va da relago q no se lhe
enviava, na importancia de 8o:oO0J rs. espe-
rando comniuuicasse se achava tuda confor-
me.
TRIBUNAL DA HKLACAO.
Scsso de 26 do corrente-
^ Os embargos de Justinianno Antonio (]
Fonceca, contra Francisco Antonio da Fonce-
ca, na cauza de appellago civel desta cidade,
Kscrivo Ferreira ; foro despresados nian-
dando-se cumprir oacordo embargado.
Na appellaeo civel desta Cidade, appcllan-
te Manoel Jos de Faria. appellado Francisco
Gonealves Giiimares, Escrivao Jacome ; se
julgou nullo todo o processo.
Os embargos de Antonio Percira Freir,
contra Francisco de Aran jo, na appellago ci-
vel desta Cidade Escrivao Ucbeilo l'oro
desoresados.
Na appellago civel desta Cidade, appellan-
tcs Joao Ignacio do Bego e sua mulher, ap-
pellados Estanislao Pereira de Oliveira e sus
mulher, Kscrivo Rebello ; foi julgado pela
conlirmagao da sentenea.
Os embargos de I). Leonor Soares de Al-
buquerque, opostos ao accordo contra elle
proferido nos autos de appellago civel da Ci-
liado de Goianna Escrivao Jacome ; forao
despresados.
Na appellaeo civel da Comarca do Limo-
eiro appellantes a Viuva Costa & Filhos ,
appellado Antonio Gomes de Moura Couti-
nho Escrivao Ferreira ; fora julgada pela
conlirmago da sen tenga recorrida .
N. appellago civel da Comarca do Cear ,
appellanle Jos Lopes Barreira appellados
Francisco de Freitas da Silva e oulros, Es-
crivao Bandeira ; fora confirmada a sentengu
recorrida.
Os embargos de Francisco Alvcs Ferreira,
contra Manoel Paulo daSilva na appellago
civel de Goianna, Kscrivo Rebello; foro des-
presados.
Na appellago' civel da Comarca de Macci,
appellanle Joao Jos da Costa, appellado An-
tonio Jos Viveiros Escrivao Posthumo; sa
julgou pela conlirmaga dasentenga.
Na appellago eivel da cidade da Fortaleza
do Cear, appelantc Paula Maria do Cora-
go de Jezus appellado Manoel Alexandre ,
Escrivao Rebello; fui a sentenga confir-
mada.
Na appellago civel da Cidade da Para iba,
appellanle a Fazenda Publica, appellado o
Padre Francisco Antonio Mendes Gurjo ,
Escrivao Poslliumo : se julgou pela confirma-
r o da sentenga.
Na appellago civel da Comarca de Goian-
na. appellanle Jos Rebeiro de Mello e appel-
lado Francisco Jos Veiho de Mello Escri-
vao Rebello ; foi confirmada a sentenga.
Na appellago Civel do cear appellanta
Martinho do Borges appellado o Procura-
dor da '..miara Municipal Escrivao Jacome;
S9 julgou pela conlirmago da Sentenga recor-
rida.
Na appellago Civel desta cidade, appellan-
le Manoel Luiz da Veiga, appellados Joe>
Narcizo da Fonceca, e oulros Escrivio
Bandeira ; foi a sentenga recorrida confir-
mada.
O embargos de Jos Joaquim das Chagas
! Tutor da menor Claudiana, na appellago


Mtoaifcrayj -:-'--'-*J><.

Civel dcsta cidade Escrirao Posthumo; tora
despresados;
Na appellagao Civel desta cidade appol-
lante Policarpo Jos d'Albuquerque e sua mu-
iher e appcllado Joaquim Veigas Escrivo
Rabello ; foi'aSentenca confirmada
Na appellagao Civel da Comarca de S. An-
tSo appellaute Dionizio Gomes do Reg,
appellado Francisco Joaquim Wanderley e
sua mulher Escrivo Posthumo; nao tpma-
rfio conhecimento da appellagao.
qs Embargos de Francisco Gomes Flores
contra Manoel Luii. da Veiga na appellagao
Civel desta cidade Escrivo Ferreira ; Fo-
rio despresaJos.
Na appellagao Civel desta cidade appel-
lante Izidoro da Cunha Mello por si e como
Tutor deseus sobrinhos appellados Cathari-
Jia Carneiro de Sena e Manoel Marques Vi-
anna Escrivo Bindeia; se julgou pela
reforma da Sen tenga recorrida.
Os Embargos d Francisco Jos Duarle
contra a foseada Nacional, na causa da appel-
lagao Civel Escrivo Jacomc ionio recebi-
dos w reformado o AccordflO embargado.
PREFEITRA.
Di a 25 do corrente.
0 Sub-Prefeito da Freguezia do Recite par-
tecipa que non tem n noite falescera desgra-
cadamente a mulher de Jos Antonio da Silva
Vianna de urna queda, que dera do tercejro
andar da casa, cin que resida sita na ra da
Lapa, onde se achara a dormir, rindo ter
TUU.
Nosdias 20,21, 22, 23 e 21 nao occor-
reo rlade.
sem durida, se desvelar em remunerar suas
valorosas tropas quanto possivel fr. No en-
tanto apezar do general cm chele nao se a-
char anda habilitado para especificar indivi-
duo algum visto nao ter rccehido urna parte
circumstanciadado Sr. brigadeiro Scra. com-
mandante interino da 1.* e 2." divisao do ex-
ercito porque a escassez dotcmpo Ih'o nao
permitlio, todava se apresa* a dar os seus
maiores agradecimentos quefles briosos e in-
trpidos chefes pcdindo-lhes que igualmen-
te os transmillo aos bravos olliciaes e solda-
dos das difieren tes armas que inmediatamen-
te commandao, os quaes contribuirn eficaz-
mente para se obterem tao memorareis feitos,
desejando por este modo attrahir qnanto antes
a atiendo doexercito sobre o exemplar com-
portamenlo de taes corpos que no ultimo
triumpho se acharSo debaixo do commundo
^publico sao reputadas boas authoridades ; nos
mitindo nossa humilde opinio sem entrar
em polmica, desejamos apenas e rogamos
a nossos leitores que suspendi seujuizoat
qu< hajao examinado as provas arithmeticas,
e os factos incontestavet que em abono della
vamos aprezentar-lhes. Ha mais diificuldades
em destruir factos 8o que therias, que a-
pezc de tudo deixao sempre campo aberlo
a durida* e controversias.
A base, em que seassenta o systema d'um
emprestimo publico he e deve ser eminen-
temente moral 5 e pode bem diser-se que sem
urna divida publica, o Estado nao pode ser
justo ; c que o paiz que nao se aproveita della
como de um elemento, dcsprcza um dos meios
de ser justo : procuraremos esclarecer este
nosso pensamento.
A maior parte das despezasdc qualquer Ls-
COMMERCIO.
;.oria compartlhou o Sr. tenente-coroneLA- osXidadSos mas -t"^**"
EXTERIOR.
onteyide'o 18 DE JANEIRO.
As noticias do quartel general do exercito
oriental alcangao al o din 10. 0 general Ri-
vera linha sofndo um violento ataque de i-
gado que poralguns dias o forcou a estar em
completa inaccfto mas chava-se restabeleci-
do, e assegura-se que ia immediatamente
OCCUpar um ponto da provincia d'Entre-Rios.
O general Paz pisara ja o territorio daquella
provincia : o grosso do seu exercito ficava em
Mocorola e as avanzadas em Mandsovi. Ur-
quiza nomeado goreroador d'Entre-Rios de-
pois dn balalba deCaa-guaz, delegouogo-
rerno em sen irmao e retirando-so para o
centro, deixou desamparada toda a costa do
Uruguay.
Eehague chegou a Buenos-Ayres e diz-se
que ia marchar sobre Santa F s onlensde
Aldo com a forea destinada a oppr-se ao
gorernador Lpez. Esta forca compOe-se do
bataihO ile abastecedores 8 da escolta do ge-
neral liosas, commandada por Sania Colo-
ma, chele da mas-horca. Diz-se tambem que
Pacheco desda do interior a marchas Torea-
das para r^unir-se a Aldo e accrescen-se
que Cordova se tinha sublevado contra o ge-
neral Rosas.
Nos Nacionaes que recebemos faltao-nos
alguns nmeros, centre elles o que. tians-
cre.ve a mensagem do general Rosas a sala de
representantes. Da analyse dessa mensagem
(ue temos vista vemos porem que o gene-
ral Rosas, follando do Brazil, diz que
espera que o governo imperial se declare
prompamente contra o general Rivera.
( Jornal do Commercio.)
IN T E R I 0 R .
6' de De-
S. PEDRO DO SL'L.
Onartel-general em Porto Alegro ,
zembro de 184!.
ORDEM no IilA N. 7.
O manchal de campo conde do Rio Pardo,
commandanle em chele do exercito em prega-
do em pacificar esta provincia, reconhece por
um dever o manifestar ao exercito a sua com-
pleta salisfav&o e iuteira approvagao pela
brjlhante conducta que liverao o 5. e o.
corpos de cavallaria de guardas nacionaes e
o 1. batalhfio de caladores aquelles debai-
xo das ordens dos seus respectivos comman-
dantes, os Srs. tente*coronis J0S0 Propicio
Menna Barreta e Francisca Pedro do Abren ;
o este commandado pelo Sr. capitao Francis-
co Manoel Accioli. em difi'erenles encoiitros
com o inimigo : ecumprc ao general em ebe-
fe a segurar ao exercito que levando prc-
senga de S. M. o Imperador sen augusto a-
mo, as justas recommendagesa favor dos de-
fensores do throno e da le conta de certo
que ellas sci fio recebidas e consideradas favo-
i-avelmente por um governo paternal, que,
breu, juntando mais estes relevantes servigos
aos anteriormente prestados. Em consecuen-
cia 0 general commandanle em chele manda
publicar o que consta das partes ofliciae*que
at agora tem rccehido havendo exigido do
Sr. brigadeiro Sera o remetter-lhe com op-
portunidade os nomes dos bravos que mus se
dislnguirao qualquer que seja sua classe.
Soldados de cavallaria das guardas nacio-
naes! Continoai como agora e assm fareis
calar os inmigos da ordem apresentando-
Ihes factos inconteslaves que mostro ser a
obediencia devida aos vosss generaes e chefes
o timbre que vos distingue convencidos que
osdictames da fria rcflexfio e experiencia a-
presentfo rantagens que, crescendo de da
em dia cada vez mais terminantes se torna-
rn seus resultados.
Soldados da primeira e segunda dirisfiodo
exercito! O general commandaiite em chele
aproreita esta occasio para vos agradecer o
nao haverdes Iludido suas esperancas, quan-
do na segunda ordem do dia elle declaran que
Conta va anda que soTrerieis com a mesnia
constancia e resignadlo mais alguns dias de i-
nevitaveis privncoes e fadigas at chegardes
ao local onde receberieis sidos a trazados ,
Pardamente*, armas, mStligoes, etc. deque
tanto carecieis : em verdade vos lizesles na-
quello estado mais de 50 leguas de peniveis
marchas desde as margeos lo Jaguary, no ex-
tremo do rincio de S. Vicente,, at o acampa-
mento onde vos adiis prximos ao Jacuhy,
entre Vacacahv e aSerra. atrressando os cau-
dalosos rios Turupy Ibicuhy. osdilficeis e
longos bandados de Inhamand, e final-
mente as impenetrareis matas e asperezas
da Serra na qual fustes obligados a abrir .
e melhorar leguas de picada para vos permiir
o transito; porm comparai o vosso esta-
do actual com aquelle em que ah existieis .
A infantaria em estarlo de nudez a cavalla-
ria inteiramente a p, boje j cm parte se
aprsenla tima e oulra arma de maneira tal
que so movem com rapidez, e assim alcanQo
completas derrotas sobre o inimigo : compa;
rai pois vantagens tflo assignaladas, e cnto
reconhecereis <|iie o vosso general nao se I-
ludio nem vos enganou e que sjudiciosas'
disposicoen do Sr. brigadeiro Sera, a quem
o general encarregou desta peairel marcha .
c constancia valor e. inteira obediencia da
I."e2.' divrsao doexercilo beque se deveni
tao felizes resultados, que sao presagos de 011-
tros ainda mais brilhantes, se assim o per-
miltir a Proridencia, Finalmente solda-
dos o vosso general vos assegura que nem
se esquecc de vos nem dos seus menores de-
veres ; e minio antes que a sua presenca se
torne necessaria para vos condu/ir frente do
inimigo dirigindo em pessoa as operaces do
exercito cuja geral sorte Ihe foi confiada .
elle se achara entre vos, e no en tanto que tra-
ta da tnelhor orgartisaco disciplina e in-
teresses do mesnio exercito confia no zelo e
pericia que reconhece nos distinclos generaes
e chefes que se ufana ter debaixo de suas or-
dens. Conde do Rio Pardo general com-
mandanle em chefe. (Commercio.)
(Jornal do Commercio.)
mimo de i'KiiMiiitio
TILIUADE E MORALIDAE D'l'M E.MPrtESTIMO
PUBLICO.
Consideraedas.
Com quanto seja nossa intcnc^o tratar o
objeclO mais por demonstragrJes mathemathi-
c-as doque por argumentos de theoria ; jul-
gamos todava nao ser Cura de proposito apre-
senlar aqni nossas ideas theoricas a respeito
danatureza de urna divida publica 5 e co-
mo em grande parte ellas rao de encontr as
de multas pessoas que alias no coneeito do
forme com ajustica que urna so classe ou
urna parte dellas, seja, por motivo nenhum,
a nica sobre quem recaa o pe/o de taes 1 ni-
pos tos ; por tanto, deve procurar-se sempre
e. invariavelmcnte adoptar um systema tal
nolancamento dellas. que possa abrangero
todo da sociedade da maneira a mais equita-
tiva.
Os gastos do Estado podem dividir-se em
duasdlasses, pertencente una ao anuo cor-
rente, e referindo-se a outra, mais ou menos,
a futuros lempos, ou como que formando um
avanco coro Vistas de futuros interesses. Ora,
a equdade que deve presidir a imposcao de
tributos, nao pode ezistir, se os que tem de
gozar dos beneficios nao tiveretn parte nos
omiis e encargos supporlados para obter csses
beneficios.
Se he injusto que os individuos da prezen-
te gcracAo se recusem a concorrer com o sen
contingente para as dispezas publicas, tam-
bem nao pode ser justo que os da rindoura
facao igual recusa : conseguir porem essa in-
dispencavel gualdade ou equidade no lan-
camento das contribuicOes deve-se ao grao
de desenvolvimento a que ha chegado o cr-
dito nestes ltimos anuos.
0 emprestimo de urna NaQ.lo nada mais
he qie urna letra de cambio sacada sobre a
posteridades
Se o ligar pelo crdito poros de distantes par-
tes do mundo, he considerado como um
grande passo dado para a ciritisaefio ; forco-
so hoconfessr que foi descoberla de maior
transcendencia o ligar por esse mesmo cr-
dito differentes geraQes, e remotos periodos
de lempo. A inlrodueo das letras de cam-
bio' foi sem durida urna das mais importantes
nvences 5 mas a pralicabilidade de estender
esse systema a futuros lempos tere muito
mais influencia no progresso da civilisaco.
So por aqueta, fcilmente desaparece a lon-
gilude dos lugares nao menos se desvanece
por esta a distancia de pocas. A lodos he
possivel boje transferir direitos t dividas ,
nao s entre longiquas partes do mundo mas
tambem ende anuos e seculos e desla arte
unida a especie humana pelos lagos de urna
mesma cadeia liga com ella futuras c distan-
tes relaces tao firmemente como se o l'ossem
por Naces existentes em um mesmo lempo.
Talvez se nos diga que as gerac(')es vindou-
ras nao he dado o direito que tem qualquer
possuidor de urna letra, islo he, j direito
de protesta-la a essa objegao porem respon-
deremos que relativamente a geracoes que
se succedem ha entren presente e o futuro,
una semelhanca de pai para lilho ou de
testador para herdeiro e que se um pai tem
authoridade de contrahir urna dirida, ou hy-
pothecar sua propriedade para ser depois des-
cmpe'nhada or seus lilhos nao menos a tem
a geraefio presente para da mesma forma
proceder com a sua posleridade. He sobre sua
particular propriedade que a actual geraefio
saca cofltra a rindoura; cesta de certo per-
doria mais, se aquella na rojjsquinhez deque-
rer poupar-Ibe um juro deixasse de agen-
ciar os capitaes de que houvesse mister para
bem tratar, melhorar, e augmentar a heran-
ca que tem de transmetir-lhe. Ora para se
conhecer se a posteridad^ lucra, ou perdecom
a lieranca de urna divida publica he neces-
sario saber que uso fizera do capital desse
emprestimo a gera^Ao que a conlrahio.
Se pela cicacao da divida se tnelhoro e
augmenlo as propiedades Nacionaes e a-
brem novas fon tes de interesse 011 se culli-
vo melhor as que jexistiao; a posleridade
lucra sem durida com essa melhoria, e aug-
mento de sua neranca. Cumpie pois exami-
nar quaes sao os efleitos d'um emprestimo
na geracao que a contrahe para d'ahi pas-
sar-mos aos que ella produsir na rindoura.
(Continuar-se-ha.)
PRACA DO RECIPE 2G DE FEVEUEIRO DE 1842.
Revista Mercantil.
Cambios Trocara-se algumas somas a 281
d. por 1*.
AlgodaO Kart tem sofrrdo alteracSo depois
da ultima revista.
AssucarAs qualidades baixas tem obtido
700 res por (>
CourosSao procurados de 130 a ioo reis
por Ib.
Bacalha Entrn um carrefamcnto de Ha-
lil'ax de 1700 barricas, o qual foi
vendido entre 10200 c IOjBOO, nao
hjavendq certeza do prego da venda
por o terem occullado os contratan-
tes.
Carne Seca Existem cerca de 20000(e, terv
dodeminuido oconsumo em conse-
quincia da quaresma. O prego varia
entre2#000e 2600 conforme, a qua-
lidade.
Alvaiade Tem-se vendido a 3600 a D.
Cabos de Cairo tem aUangado 20
o qq.
Carvao de pedra Baixou para 12 e 10
a tonelada.
Chumbo de Munigao tem-se vendido a lo
oqtj.
FnxofrcemcantillosVendeo-se a 1 900 a@.
Farinha de mandioca He procurada de
ojoOO a 6 conforme a qualidade.
Fio de Qapateir Ohlem 4S0 por Ib.
Ferro Inglez em l-.rraAs vendas ultimas
foraO feilas a oOOOoqq.
Manteiga Franceza Tem-se vendido a 420
all.
Papel decnibrulho Obtem 720 eo mer-
cado est suprido.
Sal estrangeiro Baixou para GOOo alqueire.
Vjdrosparavidraca Regula de 0 a 7 a cai-
xa.
D E C L A R A C O E S.
cr Pela Administragao da Meza do Consu-
lado se faz saber que no dia 1." de Margo se
ha de arrematar a porta da mesma Adminis-
tragao urna caixa de assucar branco aprehen-
dida pelos respectivos Empregados do Trapi-
xe da Companhia por inexactido de ta-
ra e 25 palmos e 7 capellas tic llores do
pennas aprehendidas sem despacho em acto
de embarque pelo Guarda Joo Athanasio Bo-
telho sendo as arrematagoes livres de des-
psas aos arrematantes. Mesado Consulado
de Pernambuco 2o de Fevereiro de 18-12.
Miguel Arcanjo Monteiro d'Andrade.
c?- Pela Administragao da Meza do Con-
sulado se faz saber que no dia 5 de Margo do
corrente anuo se bao de arremattar a porta da
mesma Administran duas caixas de assucar li-
ma branco e outra mascavado aprehendi-
das pelos respectivos Empregados do Trapixe
da Alfandega Velba por inexactido das taras ;
sendo a arrematado Hrre do despezas ao ar-
rematante. Meza do Consulado de Pernam-
buco 20 de Fevereiro de 1842.
Miguel Arcanjo Monteiro d'Andrade.
CF* Pela Alfandega se faz publico que
boje 28 do corrente ao meio dia porta da
mesma se hade arrematar em hasta publica ,
canto e rinte chapeos- de pallia no ralor de
200 reis cada hum, impugnados pelo
Guarda Pedro Balbino Jos da Mota, no
despacho por Facturado A. Sehramm o
urna caixa com 50 duzias de caixinhas de li-
nha para marcar no valorde 20000 reis,
impugnada pelo Guarda Manoel Joaquim Paes
Brrelo, no despacho por Factura dcJ. D.
Walfhapp sendo ditas arramallagoes sugei-
tas a pagamento dos Direilos e expediente.
Alfandega 20 de Fevereiro de 1842.
V. T. P. de F. Camargo.
= A repartigao das Obras Publicas aluga
canoas abertas de lote de 000 a mil lijlos :
as pessoas que as quizerem alugar podem di-
rigir-se Sala da Administragao da mesma
Repartigao lodosos dias uteis a horas do ex-
pediente para tratar do seo ajuste. Adminis-
tragao Fiscal 28 de Fevereiro de 1842.
Moura.
AVISOS I) 1 V E R S O S.
= Os ahatxo assignados fazem publico ,
que Manoel Luiz d'Abreu nao he mais seu
caixeiro desde o dia 20 do corrente assim
como se nao responsabiliso por qualquer
quanlia que o mesmo receba dos abaixo as-
signados.
Bartholomco & Ramos.
s= Quem perdeo duas chares <.m correnta
de rame procure-as na casa D. 35 da ra
d'agoas verdes.

i i
.^


= Arrenda-sc um sitio na estrada quevai
para a torre com boa casa muitas fruteiras ,
e baixa plantada de capirn a fallar na ruado
queimado na loja D. 2. ou no mesmo.
= Precisa-se de um hotnem para fetor de
engeobo distante desta praca S legoas com
bum ordenado: quera quizer dirija-so ra da
praia Arnta/.em de Jos da Silva (lampos.
= Preci/.a-se de um escravo por aluguol ,
e se comprar caso agrade para o servido de
casa; na ra da san/ala velha D. 30.
Preciza-se d'um horacm para hir aocer- taesdo mais rico mercado do mundo,
lo preparar urna execugao d un devedor ; Rogo Snrs. Redactores, queirao ter abon-
na quarta rasao quando se diz pela ad-
missao do assucar Brasileiro a 30 dinliti-
ros por quimtal diga-se pela admis-
so do assuear Brasileiro mesmo a "(i sol-
dos por quintal e o das Antillas a 2i sol-
dos. Na B. razo, em logar de regulara
2 I |2 dinheiros diga-se -regulou amenos de
2 I 2 dinheiros por libra. Qundo no pe-
nltimo pargrafo se di/. nos seos pai/.es de
escravatura&c-deve-se dizer porque, se
os pajzes deescravatura sao excluidos como
no Recife ra da Conceigo loja n. 28 de Joao
Mara Seve A Filho.
Da-se dinheiro a premio em porgues de
IOOjOOO rea al 300,>000 res a dous por cen-
lo sobre pinhores de ouro ou pratu : quera
dade de insirir no seo Diario estas correcoes
de falls que talvez fossem no autgrafo que
dirig a Vms. R.
E3- O Sor. Francisco Antonio Cavalcan-
te teuha a hondada de annunciar a sua mo-
rada ou dirigir-se a ra velha caza N. 8
junt ao sobrado de 2 andares que faz esqui-
raiMis quefra derigir-se ao beco da lingoeta j na para o beco do Veras ; a lim de se Ibe en-
venda de Joaquim Jos de Rebellu para rece- I tregar nina carta viuda da Parahiba.
armo se hade arrematar em praga publica do
Sur. Dr. Aires, na ra das Cruzes, um
grande sitio com arvordos de frucios e bom
terreno para plantagoes na estrada do Pom-
bal para S. Amaro-, por execucao contra o
herdeiro de Antonio Jos da Costa Ribeiro,
proveniente de hypotheca especial noditosilio.
= Precisa-sede um rapa/, portugwez de 12
1 \ ou 50 annos para eaxeiro de Fngenh ,
quetn se achar nestas cireuinstancias dirija-se
a ra Nova D. 10 das 2 horas em diante.
= A Sra. D. Josefa Mara da Fonceca e
Snuza queira vir at o lim do cor rente mez
de Fevereiro tirar buns pinhores de ouro e de nao terem reeebido a lempo as amostras
veira de grande itorcao de fa/.endas luglez.1
constando principalmente de panos pretos d'!
diversas qualidades que se venderao para
fechar contas chapeos de castor brancos n
pretos superfinos. e muitos outros: Quarta
feira 2 de Ufarlo as 10 horas da manha impre-
terivelmente, noseuarmazem ruado Tra
piche novo.
s/1 lloje 28 do correnle s 10 horas da
manha em ponto, James (irabtri-e SlC. conti-
nuarao por intervengan doCorrtorOliveira .
o sen Icilao de fa/.endas Ingle/as. principia-
do Quarta feira passada 23 em consecuencia
quizer aununcie.
O Sur. Antonio da Cunha Souza Guima-
prata que empenhoii em 1839 por 33*000 reis
na ra Nova venda I). 33 do contrario ser
vendido para pagamento do principal e juros,
o para que nao se chame a ignorancia se faz o
presente aviso.
ss Aluga-se urna propriedade pessoa ca-
pa/que se responsabelise pelos pequeos con-
ferios de que precisa na ra do Amor i m D. 13;
dassOAS lindas chitas de novos padres re-
ce cliegadas pelo i.avio Willian Uussel para
seren apresentadas em o Icilao d'este dia ; e
entre aquellas sern" postas a venda as expen-
didas e mu procuradas chitas de chao amarel-
lo ( flor de algodao ) com llores cor de rosa.
s^-Hussell Mellors dtCompanhia continuad
a l'a/cr leilao por intervengan do Correlor
ber urna carta viuda d Granja. %"f AlugSo-se cinco escravos proprios pa- 'quera pretender lirija-se i ra velha D.57. i Oliveira de grande c explenddo sortimcnlo
ss Precizao-se alugar pelas ou nuileques I ra servido de campo ou para serventes : na sss Oabaixo assignado roga a seu vi/.mho de fa/endas Ingle/as recenleniente chegadas ,
que sirviio para vender na ra do Livramento ra Direita I). II. que por grabas Ihe lirou das mios una sedula I e is mais adaptadas para este mercado por
t~r O Snr; Domingos Jos da Costailui- de 20.>000 baja de a mandar entregar; na
maraes e na sua auzencia o Sur. Francisco falta ser manifestado publicamente c usar
Augusto da Costa Guimaraos dirija-se ra dos rucios da Le.Joz Mara Ferrerade
Direita I), il a lira de receher nina carta vin-1 Souza.
da de Guimaraos. = Quera annunciou querer um sitio cora
ry Deseja-se falar com o Sur. Antonio! fructeiras, viveiro &C querendo um sem vi-
Pereira da Cmara Lima a negocio de sen in-jveiro porem com lodos os mais requeslos,
leresse na ra do Queimado D. 13. com vacas, multo perto da praca, e que ren-
tj" As pessoas que foram ver a negrinha de pa*a mais de um cunto de res por auno;
= Quera annunciou ter para vender urna no mundo novo D. 11 podem voltar isso dirija-se ao atierro da Roa-vista D. 20.
escrava de 21 anuos boa COSnheira e engoma- < por que j se acha presente. isr Precisa-se por aluguel de algtins escra-
deira dirija-se ra d'Appollo, D. 13, cy- Aluga-se por mez um escravo para vos de ambos os sexos para servido de casa e
onde se precisa de urna escrava com essas ha- ; qualqucr servico com principio de cozinha : para vender na ra tarde : na ra das la-
bilidades, na roa nova defronte da Conceicao N. 103.1 ranjeras sobrado de 2 andares varandas de
I). 20 lado da direita.
sss Oabaixo assignado avisa aos snrs. seus
assignanles do Jornal o Panorama que o mez
de Dezembro se acha no seu Escriptorio.
Francisco Severiano Rabel lo.
=s Alluga-se urna casa a sobrada la, e com
commodos para grande familia cita na ra
d'Alegria quera a pretender falle com Marcel-
lino Jos Lopes.
seren suas qualidades bem conhecidas e
fuslamente acreditadas n'esta piara e provin-
cia : Terca feira I. de Marco as 10 horas da
manha era poni, no sen arnia/ein ra da
Cadeia.
U? Thomaz de Aquino Fonseca faz Icilao
de urna porgao de caixinhas de charutos da
Babia, no Jia Quarta feira 2 de Marco no
armazeni de Fernando Jo/e Rraguez.
C O M P R A S .
= Vende-se ou troca-se bum escravo em
meia idade rauilo hbil para todo o servido ,
Padeiro e Pescador ganha 480 por dia e
lo bem se vende hura bali de 0 palmos em
meio uso c 2 pipas : na ra velha I). 37.
S~7* No dia 23 do correnle pelas II lio- ferro dol. andar.
C7" Escravos para fora da Provincia, da
ras e meia do da desapareced um preto ga- \ = Completo sorliraento de faz-ndas mui- ,0 ',ara *? annos send, de, Iwnitas Ogurao
nhador desde a Igreja de S. Jos do Mangui-
nho al aponte do mesmo com um actate de
lo em
tos de
conta ; entre entras, pannos linos pie- P-'?"o-se t.e.n : na ra do Uolegio D. l.
.., 3,000 a 7/500, ditos de cores de i. P" l ,n lt,mo''\ l^sos de 2 arrobas para
ropa toda nova, para home.n. 'edo diver- 2SS0 (m sarja prelado seda trancadapara r",l:rnB T Dre,!*1^"d"'Machado.
de chitas a 3200 3.>C00 o.800 fi^OOO,
O.v 100 ditos pretos c ra flores de matiza
7j200 7.>(500 cortes a 120 110 160 ,
180 e200pessa de madapolao a 20000 a
.".)000 lencos encarnados francezes a ISO,
tos Soutello. C7" Quem precisar de urna ama de caza
ss O sitio denominado Pisa silo no ater- i para hornera soltero ou com ponen familia ,
ro do varadourode Olinda com urna grande dirija-se ra do Nogueira D. 12, confronte
casa centendo cinco salas em frente, e um so- a urna venda.
tao emais cinco pequeas casas contiguas cy Deseja-se arrumar um moco Portu-
( sendo duas arruinadas), com bastante ter- Riiez de 11 anuos chegado ltimamente de eassas de todas as qualidades chales de laa ,
ra para plantar, e alguns arvordos de fructo, Portugal, nao olha a qualidade do negocio e de chita, lencas de toquim brins lizos ,
ora a Ierra alagada pelo rio tem chaos pro- o da algurn tempo gratis era quanto se aplica e trancados. Na quina da Pracinha do livra-
ao negocio ; quera delle precizar dirija-se a
ra do Crespo I, 7 a ei4ender-se com Ma-
noel Jos de Souza.
prios, e hura grande banheiro de pedra e
cal no interior da casa e ludo por preco c-
modo : falar ao Major Mayer.
=.\ssoalho de lo oro de2a2|l palmos de
largo e 30 decomprido damesma qualidade, e
ment loja da viuva do Burgos.
= Saputiseiros laranjeiras coqueros
e burityzeiros pelo mais barato preco na qui-
Perdeo-se no dia 2d do corren te urna na da Pracinha do livramento loja.da viuva do
ordem da quantia de Ra. 300j rs. (laclada Rurgos.
taboadodeamarelode todas as grossorase lar-lno da 21 de Fevereiro passada por Ilmehr- -------
guras al 33 112 palmos de largonaserrarad'a-1 tenssobre os Srs James Crabtreo & C. paga-
goado.Monteiro, osdonos de obrasque precisa- vel ao portador e como se desencamiuhassi
rem diMjualquer porcaode taboado, podeinen- <|o poder do abaixo assignado [tor isso pre-
WI SOS M ARIT 1MOS.
barque, ou permuta-se por nina casa oes-
la praca que rende niensahnenle Uiji rs. :
annunce.
C3" Uma mulata de 10 a 2o annos, que.
seja boa coslureira engommadira sadia.
(sem vicio algurn e leudo estas qualidades
nao se olha a pretjo : na ra das Cruzes De-
cima 0.
v C7* Una grammatica de Sevene em bom
estado : na ra do Collegio venda D. 8 ou
annunce.
C^- Escravos pelos de 12 a 20 annos .
para fora da provincia sendo vistosos : na
[naga do Cominercio em casa de Manuel Igna-
cio de Oliveira.
s;y Comprarse ou hypotlieca-se urna eaah
terrea em qualquer dos ."> bairros desta Cida-
de recebera a vista 800.) rs. com o premio
y-y Para a Rabia segu vagem em poneos
tqnder-se com o proprietaro da serrara An-1 vine a qualquer Snr. que nenhuma transado I das o Patacho Nacional Ediria Restaurada ,jMni| (1" m,0 ",m-\rnioi sendo hyooheca )
Ionio Domingos Pinto na ra nova I). 30,! fagan rom a dita ordem e j estao preverti- prximamente chegado do New Vork 'em conforme o estado do predio se dar mais di-
dos dito o saccador, coraos Snrs. Crab'ree lugac paVa oma pouca de carga; quera qui- I u,H,ro a qiiencoivierestii negocio dirija-aa
& C. : e de nada val por ter-se perdido. ser rarregar OU ir de passagem dirija-se a casa rm (|() Goj,eg0 boll(.a |). g j Cyprlanno
= Arrerida-se um sitio com casa de sobra- de Smilh & Corbctl na ra do I rapiclie novo ^ |((Z
do de muitos commodo-; para grande familia n. fg ou na praca do Corpo Santo ao Cap- J ^^ ym para tp0a t roni os rompe-
barato altendendo ao bem serrado por isso na passagem da Magdalena entre os duas pon- tSo ManoelMartinsda Silva Vianna.
quenfio leva lempo a desempear, O arma-! tos ao lado do norte-, atractarna ra da dio-1 zsj" Para Lisboa sah ir com toda brevida-
que Ibes mandara botar o taboado no porto
mais prximo da obra sem que por isso pa-
guem o taboado mais caro do que em outra
qualquer parte pelo contrario Ibes sai mais
cem de deposito be defronlu de S. Francisco
as casas do Sur. Cunha.
ss Tahuas de pinbo Americano c da Su
cria de um at tres palmos de larguras e de
todos os comprimentos costado cosladinho ,
assoalho forro e para fundos de barricas
de 10 at 30 palmos pe comprido tambera o
tem de flandeso melhor que aqu tem apare-
do por nao ter nos mas'.aros gibas e ludo o
mais por prego mais em conta do que em ou-
tra qualquer parte e lambem se vende a pia-
ra sobrado D. 30. de possivel por tt'v parte do seu cairegainento
Offerece-se urna miilher de meia idade. prompto o lindo BrigUC Potingue/. Concei-
ede bonsCOStumtts para anta de urna caza os- cao de Mara novo de segunda vagem for-
trangeira ou hornera solteiro cstrangern :
quem quizer dirija-se a trempe caza do Oli-
veira D. 10 : na mesma casa toma-sn ropa
rado de cobre e de primeira inarcba, tem en-
cllenles commodos e arranjos cora todo o
asseio para passageiros ; quem quiser carre-
para lavar c engomar cora todo n aseio por ,ir ou ir de passagem, dirija-se a Francisco
pregocommodo ese farem vestidos cha- Seveiiano Rabello ou ao Capitn ManoeLda
peos e tudo quanto pertence a obras de senbo-
ras de bom tom.
lentesparafuzosou tornos, viudos da Oda-
de de Loanda : no Recife ra da Conccigao
loja n. 28 de Joao M.rria Seve & Filho.
ly 10 OH 20 libras de tartaruga, pentes
velhos, ou quebrados ; coneerta-se toda obra
de tartaruga ; fazem-se pentes da nova moda,
de marrafa ; tudo por preco muito.em conta:
na na do Aragao casa 1). r>'i junto ao ferreiro.
Costa Nevos a bordo, ou na praca do Com-
merclo.
Os Snrs. assignanles do Jornal Un- tsr Para o Aracaty sabe no dia 2 de Mar-
zos ; alraz do theatro Armazem junfo aobeco vprso Pittorcsco queirao drigr-sc a ra da ;,-,, o Hiele Olinda, falta-lbo pouca carga; quem
do Cunha fallar com o eaxeiro de Joaft Mal-
heos, Joaquim Lopes d'Almcida.
= Cra refe, e tragado barretina lina e olia-
da, globo de ouro, facha e mais pertences para
hum Inferior da Guarda Nacional: em fora de
portas casa N. 104.
K3 Srs. Redactores : na tradugo do ar-
tigo do Jornal do Commercio de Londres ,
que Vms. tivero a bondade de inserir no seo
Diario de segunda feira 21 de Fevereiro a-
pareccrao algumas omissrtes que me parece
deverem ser restituidas em seos logares. A
primeira foi logo no principio da carta que
tiveahonra de dirigir-lhcs, no periodo,
que eomeca e como o achei do maior inte-
resse ao qual falta a concluso que lie -
julguei develo traduzir e pedir-lhes para elle
um logar no seo estimavel Diario. -Quando no
principio do artigo se diz- para consumo deste
em termos razoaveis deve dizer-se para"
eousuano neste paiz em termos rasoaveis ;
Cruz D. 22, para receberem o n. 12 do quiser carregar dirija-se a Manoel Joaquim
mesmo. Pedro da Costa.
= Aluga-se um segundo andar amado j-j Para Hamburgo segu viagem a ntui-
rangel, o qual tem duas granaes salas, ( ten-1*0 velleira bem construida, e forrada de
do unta vista de mar) duas alcovas, e seis cobre Galera Uamburgueza Ida leudo a
quartos ; na Praca da Indepencia loja de Ii- bordo a maior parte de sua carga: quem na
vros Ns. 37 e 38. mesma quiser carregar, m ir de passagem.
t^~ O Director da eociedade ^beatral- Pie-para o que tem excelientes commodos. diri
V E \ I) A S .
creio e Instrucgao em nomo da mesma So-
ciedade rauito agradece aoSnr. Francisco de
Freitas Gamboa Empresario do Theatro a
offerla que o mesmo Snr. fez arSociedade de
17 Rilhetes de Platea e 1 Camarote para a
sua primeira recita de hoje 20 do correnle ,
para dividir por os membrosda mesma Socie-
lade os quaes lhe ficAo tributando o mais sin-
cero reconhecimento e amisade. O mesmo
avisa a todos os socios para que va cada um
buscar o bilhete que Ihe pertence na sua loja
da pracinha do Livramento.
ss Nos dias 1. a 4 de Marco do corren te
ja-se aos seus consignatarios N. O. Hieber &
Companbia.
V_ MypoliloSt. Martin A C. avisioaos
seus ucgii'V.es que recebero de franca sor-
timeiilosde fa/endas e grande parte d'elle
proprio para qoaresma ; cortes de vestido ri-
cos. deseda e d'eseumillia bordadas sedas
c selms lavrados guarnigoes de llores para
vestidos, grinaldas pennas e oul: os enfei-
| tes do llores para cabeca chales e nianfas
de seda chapeos de seda de cambraia o
de palliinlia. para menina bicos de blonda .
de seda, de lnbo, brancas e pelas, litas
L E I L O E N S .
Alexandre Markay A Companbia fa-
zem leilo por intervengo do Corrctr Oli-
do mola de aparar penua cordas para violo,
e mclhodos para os ditos flautas e o jogo
de Domin Clysopompe ( seringa) nova in-
vengo d'este instrumento fcil e muito com-
modo para dontes : ra nova D. -!>, 'ad ate
norte.


?.?tl- CVv,-., fi tk\Mauumj
Ah
4
mmflm
c Urna preta de boa figura, boa law- w- Urna casa terrea na na de S. Rita
deira, co/.mheira, e engomadeira, 3 ditas que1 D. 2; quem a pretender depois de vista ,
iwmhao, elavao de sabio e varrella por dirija-se a praga da Boa vista D. 4 para o
ooOi rs cada una ; dous moleques pecas de'ajuste.
Ri a 18 anuos bons para todo o servido : na
ra de Agoas verdes 1). 37.
w Lina venda na ruado Fogn. 19 : a
Ira lar na ra do Rozarlo estreita n. 22 con-
fronte a ra das larangei ras ; lambeui se faz
negocio com a armacaoepertenecs.
v^r Un* escravo de idade boa figura ro-
busto sem achaques que tem lido exwci-
'cio do engenho, sitio, e aqni na praca ,
por 200* rs. no atierro dos Allomados casa
terrea envidraeada, do Rabello de fronte do
>ilo dos coqoeirosdo Huniz.
Cf" Sacas de feijio branco muito novo ,
indi melliorqueomulatinho para cozinhar,
13 con ros espichados : amada praia
serrara do Cardial.
Um sitio do trras proprias com casa de
vivenda de lijlo e cal no lunar da Piranga ,
o qual foi do fallecido Francisco Nicolu de
Pontea a dinheiro ou a praso com firmas a
contento: a fallar com Manoel Ignacio de
Oliveirana praca do Commercio.
= 1200 barricas vazias metade abatidas
e metade cm p a dinheiro ou a troco de
assuear pelo estado da trra: na rua dos Quar-
teis D.3.
fumo para charutos ditas com farelo sal-1 no alto da cabega urna pequea falta del les
tre refinado caixas grandes com cli hisson que representa una coroa procedido de car-
epreto de superior qualidade caisas comjgarpezo, olhos vernielhos, beicos grossos
vellas de espermacetc ; tudo por prego com- ambas as pomas com algumas marcas de fe-
modo : na ra do Trepiche novo n. 12 casa
de Matheus Austin & Companhia
cy Sacas com alqueire de farinhade man-
dioca fina e alva feita na Moribeca : no
ridas e na direita tres chagas quasi fecha-
das, pez grandes e meios torios ; levou vesti-
do carniza de riscadinlio a zul e caiga de ca-
zemira alvadia ; he serrador de madeira o
= Una cama de ansico de gost^moderno
e anda nova 3 bandejas de muito bom gos-
ehegado ltimamente do Porto, por precn t0 tambem novas um aparelho de cha doti-
rommodo, por ter cada saca um alqueire da rado, oom 21 chavanas: no heco do Pekoto
diria velha: na praca da Independencia primeira casa vindo da ra Augusta; na
mesma casa se precisa de una negra que
panda, de saiba vender na na.
28 e c_ .
tu* Urna sacra va le 18 anuos
bo n te, Pm cria : na na da praia ser- ,{lHls pannos prolrs ^ vfi||)ffo ^ sarja ( e
ira du Cardial. metas de seda preta para homem por nreco
r- Canees de amarelio com boa lerragem muito raDavel e caixas com vid ros por ba-
os grauJesaSj rs. os pequeos a l,.id e rnto preco na pua (,n (> |()ja p. [
uma rede grande de pescara nova : no at- r^ miI ,,,.., m(1to ,)oa cn/nh(,ir, ia_
Ierro dos AflogadoS defronte do viveiro do
lionia, D. 11.
t Um negro de idade, muito proprio
para botar Sentido e Irabalbar ern um sitio ,
por preco muito com modo : na ra da Ma-
dre do Dos defronte d Guarda loja de fa-
zendas n. 29.
sry Assuear refinado com pcrfei$ao, e pre-
vadeira tanto de sabio como de varrella e
Reeife rua da Cruz escriptorio de Joze An- costuma a mudar o nome para nao ser conie-
cido : quem o pegar leve no largo de N. S.
do Tergo caza 1 que faz quina para o
beco do Lobato no 2. andar que ser bem
recompensado.
Fugio a 31 de Janeiro deste anno da
villado Limoeiro o cabra fusco Alexandre ,
de 43 annos, calvo baixo e grosso do corpo,
lorto d'olho direito pernas arquiadas ps
talhados de cravos, andar banzeiro com
falta de denles na frente bem fallante b r-
baj pintando ; pertencente a Jos Mariada
Cunlia Ciuimanies Jnior ja foi encontrado
no dia 17 do correlo em Balara eslrada do
Ionio Gomes Jnior.
cr O Direito Mercantil, e leis de Mari-
nha por Joze da Silva Lisboa em muito
bom uzo : na ra da Cadeia do Recite D. 46.
tsy Bahusdc tartaruga de dferenles ta-
manhos por prego commodo : na ra do
Queimado loja de ferragem D. 2.
IZT Polassa da Ilussia de superior quali-
dade cm barris pequeos a dinheiro ou
praso com boas firmas : em casa de Joo Ru-
fino da Silva Ramos na ruado Hospicio so-
brado de um andar defronte do Coronel Brito
lnglez.
%jT Sal do Ass a bordo do Brigue Es- Brejo da .Madre de Dos : quem o pegar leve-
cuna S. Joze : a tratar com F. M. Rodrigues
& limaos ra dos Tanueiros n. 12.
i^T Excellente taboado de pinho Ameri-
cano mais barato 5rs. ao pede que em outra
qualquer parle por se precisar do armazem
que oceupa : na na da senzala armazem
engommadeira : na ra do Crespo I). 0 lado de Vicente Joze de Brito
do Norte.
lar Urna negnnhade iG annos engom-
ma liso cose chao ; outra dila de nago, de
20 annos engomma bem e cozinha ; ou-
tra dita de naeao angica com a mesma ida-
de e he qnitandeira ; um mulato de bonita
co commodo : na ra da senzala nova n. 20 QglIra rfe o* anm)S ( oplimo para pa,Pm ( e
prximo ao porto da* j-anoas. com principio de sapateiro : na rua DireiU
tsr Farinha de mandioca ltimamente y 20 lado do Livramcnto.
chegada do Rio de Jane.ro e gomma de ara- ^ Vmi esenya (la nacj0 anola | de 2o
ruta; tudo por pijco commodo ; na na nMI| engomma com perfeigao', cose chao,
Cadeia velha D. 39. cozinha e Taz todo o servico de urna casa: na
./ Urna preta de IS anuas, muito ruadoCabogno primeirnandar do sobrado
dtae'gorda, sabe lavar, cozinhar, engom- da quina por cima do relojoelr.
mar, fazer lavaran lo coser cl.So, e fia to-^. A Escuna Americana W.- Tomkins
do o mus scrvigo de umd casa o motivo da j forrada e encavilhadade oohre. e muito vo-
venda se dir ao comprador : atraz do t.orpo ,,.,.a no csc.jplor0 de L> G Ferreira &
-!: t0 66. Companhia.
SS" i m cavao prcto com muito bons an-
' ires ; atraz do Corpo Santo n. 66. .
.. I m cavao castanlio andrino novo e
g ,. bom rarregador or prego commodo :
< Ierro daso ponas fabrica de tabaco, y
cy ira fora da provincia um negro ejf-
pintei >, di limos Cacange : no forte
pa
S3^ Urna casa, e terreno com 100 palmos
de frente e ."00 de fundo com arvores de
friicto e perto do embarque junto a ponte-
zinha da Passagem da Magdalena : um ter-
reno com 83 palmos de frente e 300 de fun-
do com arvores de fructo e porto de em-
barque no mesmo lugar : a tratar na rua da
;.. M .t.o.. wSiaieiro de Joaquim Joze de Fi- C loria sobrado D. 30.
gueiredo. cj- Tellias e lijlos de tapamento : na
ty 3 casaos de rolas de Hamburgo, por o|aria pinto a ponte grande da Passagem da
preco commodo; na rua de Agoas verdes!Masdnlena.
D. ok t3*- Bules de metal branco de differentes
tsr Batatas boas a,6*0 rs. a arroba: na tamanhos, torne i ras de patente do mesmo,
rua nova D. 2. Itinteiros, e seringas de eslan'10 candieiros
szr l ma venda no atierro dos Affogados:dp ,alflo ? pcrMim!ulores, escrivaninhas e
para qualquer principianta, oom commodo 0utraa diversas obras de metal estanhe e
para familia : na venda mmediata a de An- latao ^ por prcgo commf)(|0. na rua Nova
defronte da Conceico n 10o.
izr Uma magnifica espingarda de caca
tonio Luiz de Freitas.
l^T Um rel com tragado em muito bom
estado, por prego commodo: na praca da I (je dous canos tronados, obraTamaisperfeita
Independencia loja de encade mador D. 25. possivel. uma corneta a 3 pistaos da mais mo-
w Una casa no lugar da Capunga, por!(]ornainvonc/So nobotequim francez da rua
prego commodo : um pnnno com boas v"-;Xova ao poda ponte da Boa vista,
zes muito maneiro : no principio da rua de zr f.omma de matarana ou araruta : na
HortasD. 5 no primeiro andar. botica de Barlholomeo & Ramos na rua do
Mantas, tlnitmln.; o rebecas de boa Rozarlo larga a 640 rs. a libra.
qualidade : na rua d. Cadeia velha D. 17. NcrO Bergantim Braseiro Angela em-
&3- Uma canoa aherta acaba de ser fabri- ha reaefio de primeira marcha, no melhor e
rada, e que conduz U00 tijoios : afaUar^com mais perfeito estado, forrado e encavilhado
de cobre prompto do lodo o necessario para
Marcelino Joze Lopes.
6Sf Rape Imperial fabricado pela regra do
princeza de Lisboa e tabaco rolo nos lu-
emprehender a mais longa viagem ; quem o
pretender pode examina-lo a bordo onde se
Botdes de massa do ultimo gosto a
128oaabotuadura, ditos de seda com palma ,
aNOO, edcoutros padres por prego commo-
do, fitas sarjadas c a silinadas de bom gos-
to bicos pretos c brancos fil de linho
liso e de flores meias curtas pretas de laia
e de seda al, rs. o par, ditas compridas
brancas para Sra. penles de tartaruga ,
chapeos de palhinha para Sra. a 040 caixi-
nhasCom 2 navalhas finas eo mais necessario
por prego ,coinuio;lo frascos de es jen ca de
roza e outras muitas quinquilherias ; na rua
doCabug.Y 4, loja de miudezas.
> Bizerros muito no vos em duzias e a re-
talhos sapalos e botins de Bizerro para ho-
mem botins gaspiados de todas as qual da-
dos para homem e Snra chapeos pretos de
seda para homem e meninos chapeos de se-
da para Sra.,chales e mantas de seda do ulti-
mo gosto longos prelos de tafet, selim para
grvala sedas de todas as qualidades para
vestidos de Snra. sarja preta estreita lar-
ga e hespanhola lengos de seda de bom
gosto cambraias adamascadas muito li as ,
canibraias de linho superiores veos de linho
brancos e pretos luvas de lodas as qualida-
des Iuvas ricas pretas sem dedos e outros
mu i tos objectos chegados ltimamente da
Franca, tudo o mas en' cunta possivel: na i
na nova D. 1 e 2 na esquina do buco atraz
do Sacramento.
gares soguintes por grosso e a retalho : na achara seu inventario e al entender-se com
venrla da quina confronte da porta da Igreja oCapilao, ou com seu consignatario Mano-|manda-lo entregar ao abaixo assignado que
ESCRAVOS FGIDOS.
No dia 24 do corrente fugio um negro
padeiro de nome Francisco por alcunha ca-
nario, de nago Canbota: com os signaes se-
guintes, pona de barba cara redonda, ps
curtos olhos enfumassados, muito regrista
e dado a valiente estatura baixa levou ves-
tido carniza e seroula de algodo grogo e ja
sujo, um lengo encarnado amarrado nacabe-
ca, mas he de supor que tenha mudado de
trajo, exemplo de outras fgidas que ja tem
feito, e para melhor se conhecer basta por-
se qualque.r pessoa por detras delle e chamar-
Ihe pelo nome de canario que elle acode logo,
por ser este o nome por onde hconhecido 5
roga-se aos Snrs. sob perfeitose maisautho-
ridades policiaes e pessoas por quem possa
ser encontrado o obzequiode q aprehender e
da Penha, na Boa vista rua do Arago fabrica c\ Joaquim liamos o Silva.
de charutos, na rua do Quemado loja D. 2, cy Vinagre em pipasequartolas.de
pr .)LI20rs. elevando poreflo a mil rs. boa qualidade, a 30. rs. : na rua da Cruz
t.' dta-se l'uiar-se qualquer ou dar-se o di-10. 4.
rheirpaquem nao gostar sendo por justa %zr Vendem-se ou alugio-se duas canoas
vh.iza.
%T I111 escravo pega ,
perito ofiicial de serrador 5 uma linda mula-
tinha -. duas escravas rom b ^s habilidades,
urna monea e um mole po de \L1 aiii'o.; 5 um
pardo bom sapateiro : "1 escravos por 700j
rs. ; umdito uom cozinheiro ; 8 escravas de
18 a ^.'i annos todas fazcm o servigo de una
casa ; e uma dita por 230j rs. : na rua de
Agoas verdes 0. 38.
i^- O.eo de copahiba em barris peque-
nos, e barris de vinbo do Porto superior qua-
grandeS e abertas urna de carga do 1800 ti-
de nagfio costa jlos do alvenaria c outra de 1200-, tambem
recompensar com generozidade, apessoa
que lhe o aprezentar : na rua dos Quarteis
paderia D. 8. Manoel Antonio de Jezu.
= Fugiroa 19 de. Dezembro pretrito de
Jussrn, fregilezia de Nazaret o negro ,
Francisco Congo baixo seco fala atraves-
sado com falla de dous dentes na frente e
sealuga uma cscrava moca para o servigo d 1 cbelos brancos; uuefra Calherina, Cabinda,
casa, e dous escravos [tara o servigo de en-j torta do olh direito, baixa, de 33 a 38
chada cm algum sitio : na rua do Queimado] annos: c a crila Cosma,alta, bonita figu-
D. II. ra, de 20 annos: os aprehendedores os leva-
SS7" Uma casa terrea de pedra e cal, na
pOVuacfiO do arromhado a dinheiro ou a pra-
so ; urna preta muito robusta de 18 anuos,
com habilidades ; um porco de algoclozi- rao 40. reis
rao ao mesmo lugar a seu Sr. Joaquim Joze
Coutinho Barboza ou nesta praga a Manoe!
Caetano Soares Carneiro Mouteiro que rece-
nho da trra, de superior qualidade ; urna
iiorgo de cera da Ierra muito boa ; 3 saca-
lidade : em casa de F. M. Rodrigues <\ Ir- das de ptima pedra da trra com 19 a 20
orlos. ma dos Tanueiros n. 12.
tzi" Vende-se ou aluga-se a casa terrea n
lo i tHTnJa a pe rio Vardouro confronte
a greja ialmosdo eomprimento e muito larga 1 na
rua da senzala vilha n. 31.
* tZF Algodozinho grosso proprio para sa-
ris eroupa de pretos, dito trancado, dito
ficientespa: a familia, e quintal murado : na,azul tamhcm Irancado ditode riscado: len-
rna Ftfreta do Rozarte se^ui.do andar da eos pretos de seda da ludia, gangas amarel-
caii I). 30.
A dez para onie mezes fugio um mo-
lalo de nome Fabricio de trinla annos, corpo
reforgario cbelos a cabocolados, foi vislo
em Coiana indo para Pedras de Fogo : quem
o pegar ou der noticia certa receber 50*
reis; na rua do Nogueira sobrado de um an-
dar D. 0.
A 29 do mez passado fugio um negro
de nome Prezido de 20 annos estatura e
o ao annunciantc na rua do Rangel D. 12 ,
que gratificar.
Acha-se fgido desde o dia 3 de Ou-
tubrodel839 o negro Ignacio, escravo do
abaixo assignado, o tem os seguintcs signaes:
baixo algum tanto ch'eio do corpo os ps
um tanto chatos bem fallante criollo ,
tem taita de dentes do lado superior e duas
sicalrizes provenientes de tacadas que
tempos levou uma sobre o lado das ca-
deiras e outra sobre um dos lados do pei-
to ; es!e negro quando fugio levou com si-
go urna carta assignada pelo mesmo a-
baixo que dever ser de nenhum efeito ,
quando com ella se queira evadir das mos
de qualquer que o houver de prender. Re-
ceber quem o prender cem mil reis fa-
sendo entrega delle ao abaixo assignado mo-
rador na rua do Arago, caza do lado esquer-
do defronte de um sobrado de dous andares,
nico do lado direito, ouento no escriptorio
na travessa do Rozario para o Queimado ,
no primeiro andar do sobrado em que mo-
ra o Sr. Seraim.
Jos Quintino de Castro Leao.
j Pelas 8 horas do noite de 22 do cor-
rente fugio o moleqoe Antonio congo ca-
ra um poucocomprida olhos grandes na-
riz chalo muito sonso; levou carniza de
riscado nova calsas de listas ja usada, sus-
pensorio muito compridos : roga-se s auto-
ridades de polica e pessoas competentes o
faco aprehender ; e aocapilo decampo quo
o levara rua do vigario venda D. 29 se da-
r 20* rs. de giatilicago.
A 2 do corrente fugio Catharina re-
bola de25annos, baixa, olhosabogalha-
dos peinas grossas pelo corpo marcas de
sua tena ; levou vestido de chita e pao da
costa : quema pegar leve-a a rua das aguas
verdes sobrado D. 22.
W A 2 do correte fugio do engenho No-
vo Junqueira, na Freguesia do Cabo, o es-
cravo Agostinho 00 nagao Rebolo estatu-
ra regular bastante grosso do corpo he
barbado representa 5o annos he ainda
meionovo na falla: quem o pegar leve ao
dito engenho, ou nesta praga em'casa do
Felis Augusto Scola na rua da Cadeia velha
que ser gratificado.
MOVIMENTO DO PORTO.
las. esleirs para forrar salas, barricas com corpo regujar, lula, cbelo crescido leudo
NAVIOS ENTRADOS NO DIA 23.
Halifax ; 51 dias Brigue lnglez Lady Sarah
Mailland de lio tonel. Cap. James VVia-
dem equip. lo, carga bacalho : a Me.
Calmont & Companhia.
Acarac ; 22 dias Escuna Brasileira Elisia
de 80 tonel., Cap. Joaquim Correia de Aze-
vedoSerra, equip. 7, carga sola : a Ma-
noel Gonsalves da Silva.
Maranho pelo Acarac ; 4o dias trasendo
do ultimo Porlo 28 dias Patacho Brasei-
ro Boa lembranga de 98 tonel. Cap. An-
tonio Manoel Vidal equip. lo, carga so-
la : a Manoel Joaquim Ramos e Silva.
Liverpool; 49 dias, Brigue lnglez Romance
ile 310 tonel. Cap. RoberlSkoech, equip.
12, carga fazendas : a Johnston Pater &
Companhia.
SAHIDOS NO MESMO DIA.
Cear ; Vapor Braseiro Bahianna Com-
mandante Joaquim Peixoto Cuimares.
ENTRADOS NO DIA 26.
De Cruzar ; Escuna de Guerra Brasileira Bel-
la Americana Commandante o 1." Teen-
te Candido Xavier Ferreira.
ItEClFE NA TYP. DE M. F. DE F. adM*.
Jm
J.L


Illm. e Exm. Snr.
A Administradlo do Patrimonio dos Orfios, em comprimenta do Oflicio de V. Ex. de 10 de Desembrd
lio anno p. p. em que exige huma circunstanciada informacio do estado dos Estabeleoimentos dos mesmos
Orfos devendo acompanhal-a o ballanco da sua Receita e Despeza j tema houiajde submotter ao conlieci-'
meutodeV. Ex. asqualro rellacSes inclusas., e a conta da mesen Receita e Despeza de n de Junho do
correnle anno dia em que tomou a gerencia da mesma Administradlo j al o hm do lefcrido mez de De-
zembro.
Da Rellacio n i e a se v o reudimento anftual de reis a5:4567ao, e da de n 3 ier a desper-a au
nualdereia J7:3o4U54i, e montando o saldo a favor de res8:i5aUi?8 d'elk-se dedusem as despezas
que extraordinariamente se fasem cain roupas e medicamentos para os Orfios ; utencis para as aulas e
Coliegio dos meamos concertos de predios &c.
pendido desde que tomou posse a quantia de reis a:4ooUooo coro semeilianles concertos e achar-sedel.i-
tadii para com o reapectivo Tbetoureiro em reia 8a;U566 ; pois constando o mesmo Palnmoaio de cento
e cinco predios e estes antiquissimos forcoso be que seaipre ae eslejo reparando a fin de que se nio ar-
ruinen!.
O Coliegio das Orfiasainda e nio acha em andamento por que sendo concedido pelo Exm. Anteces-
sor de V. Ex. em Julho do'anno p.p., a parte da Convento da Solidade, que clava destinada paia o
Grande Hospital, eachandose a Administracio com diverso* concertos de predios eutre mijs por amea-
rarem eminente ruina esperava concluil-os para entio cuidar nos que ali sio necesarios faser-se: agora
porem que elles ae tero concluido, a Administracio passa a cuidar nesies reparos a fim de que o dito Coliegio
se possa porem effectividade ; e paraisao necessario be torna tambom que se nio pieenxo i>s vagas que lo-
r*in havendo no Coliegio dos Qrlios e seja o seo numero redusido a menos pois do contrario eceia esta
Administracao que nio aeja sufticienle o rendimenio do Patrimonio, por isso que de dia em dia aogmen-
tioasdespe!a8,mu principalmente achando-se a Administaacio obrigada a satislaaer as diarias, que desde a
xtinnciodaCongregacldeS. Felippe Neri desta Cidade ae devem aos Congiegados, que presenlemenie
prelendem ier a ellas direilo por que existiudo dous habelilados ainda pretenden! outros o ser lamben ,
como melhor V. Ex. ver da rellacio n8 4 que tamben demonstra a divida pasaiva da Adminislrac'.
Nada podendo esta Administracio dizer a cerca do Coliegio dos Orfos por 1180 estar sob sua direccio
pela independencia em que o lem posto os Estatutos adoptados todavia consta-lhe que elle ae acha bem
dirigido e no melbor estado possivel. _
Tendo esta Administracio frito conbecer u V. Ex. o estado do Estabelecimento e patrimonio dos Ur<
lio, julgadoseodever pedir algumas providencias a m de que prospere hum Estabe'.eciuienlo lio neces-
sario.
Sendo incorporada aoa Proprios Nacionaes pelo art. a. da Lei de 9 de Dezerobro de i83o toda a pro-
priedade de qualquer uaturoza que toase perlencente a Coogregacio de S. Felippe Neri dtMa Cidade, c
sendo igualmente pelo art. 3. da mesma Lei commettida a sua administracao a Faieuda Nacional, nio
sabe esta Administracao o motivo por que mesma Faiendase pagou a dcima da renda dos predios urbanos;
e occasionandj isto a diminuicia de reia a:ai8U46a uo reudimeuto do Patrimonio pede ser de *melh.nte
pagameuto aliviada. ,_
Alem disto occorre que estando a Administracio de posse dos fundos, que forf > dos ext indos I herez s,
e que montavio a reis 8.664U885 e que rendilo o uro de 407U949 annuaes, e bem a-aun com res ajU3i.o
a que tambera montavio os foros forio estes fundos reclama-Jos pelo Inspector da Thezuurana da tazen-
e habi-
e seu-
mento ,
da desta Pravincia como pertencentea a Fazenda Nacional, por que a Le que destmou a casa em qu
tavio ditos Thereaos para o Coliegio dos Orfios nao fez mencio das rendas que Ihe ero plumenles ;
do de prezumir que foaia por ser aquella ordeui uieudicaule esuppur-se poris>o nao ter retidim
pede igualmente es.a Administracio, que se annexem estes aos reudimeutos que preaeulerneute coustilu-
m o Patrimonio dos Orfios, .
Nij podendo esta Administracio vista do art. 7. do Decreto de 11 de Novcn.bra d i83i vender ,
alienar, e nem permutar os beus do Patrimonio todavia depreca a faculdad de alorar precedeudo ap-
provacio doGoverno Provincial e parecer do Procurador Fiscal da Pateada; pois se se.uelhante aut ion-
sacio tivesse nio se arremattario as rendas dos quatro sitios mencionados-na rellacio n 1 por tam baixo
preco occasiouaudo isto prejuiso ao Patrimonio por nio haver quem em tenas albeas quena lazer beni-
eilorias. > c .
Eiso quantoesta Administracio iulga dever levar ao conhecimento d V. hx. a beneficio dos Lstabe-
lecimentos dos Orfos: pois se se nao addiciouarenvao* rendimentos do Patrimonio os que acaba esta Ad-
ministracao de pedir e se se nao derero as providencias propostas e que por vezes tem sido recamadas,
rom difficuldade se poderio elles administrar, e mui tardio ser o seu progresso; por rsso espera esta Ad-
ministrapio, que V. Ex, como Protector nato desles E>labelecimciilos se digne tomar na dev.da considera-
I


cfo o que lem ella espsndido a fin de que os mesoio Eitabeleri uentos possio prosperar e nreenxlft n.
Dns pata nu? Poio cx-ad'--. r r ? r ^
DeaGuarde a V. Ek. R:dfe era S^ii (Ja AJmirnstraca do Patrimonio do (Mos 1.0 deFove-
reir< de 1042. c
Il'ra. eExm. Snr. Baifij da Boa-vista. Presidente
de.la Provincia-
Laurentino Antonio Moreira de Cavalho
Escrivo.
JoSo Francisco de Chaby.
Thesoureiro.
Francisco Xavier Pereira de Brito
Procurador.
Antonio Rodrigues de AlmeiJa
Fornecedor.


5
Demonstrado da Receita e Despcza animal da Administradlo
do Patrimonio dos Orlaos.
Pelo que rendem os predios .'efundo a Rellaclo /..zqit
IJem ^ osSitiui dito. ........a4:448Uio
dem o, foros dorases d.lo 9. ........ 'K'J01'
Ilem osdulS.tioi dito. ..."*'........rrno mM
Ptlaa despesar ordinjiia* dito n 3. .
.......... \T&WH*
Sal.lo N.152U178
$*V das Seises d'Adminicario do Patrimonio Jos O. los en. 3. di Dttenbro le iS/ft.
J. M. da Cruz
E-.ciinturario.
t


4
M. i.
Rellaco do que rendeni por auno as casas c sitios, que lo-
rao da extincta Congregacao de S. Felippe Veri, e noje
do Patrimonio dos Orfos.

. Largo do Collegio.
Huma morada de casas de 2 andares. .......
Riui do Collegio.
Huma dita demandares..........
Ra do Crespo.
Huma dila 3 ditos......
Largo do Hospital do Paraizo.
Huma dita 1 dito. .....
Rita das Larangeiras.
Huma dita terrea...........
Ra do Rangel.
Huma dita dita.........'
Praca da Boa-vista.
Huma dila de a andares.....
Ra velha da Boa-vista.
Huma dita terrea........
Ra da Gloria.
Huma dita de 1 andar.......
Ra de S. Goncalo.
Huma dita terrea........
Huma dita dita. ........
Rita do Cebo.
Huma dita dita ........
Rita traz do acougue.
Huma dita dita metagoa. ...
Rita do Rozario.
Huma dita dila.........
Rita da Cadeia do Recife.
Huma dita de 1 anda.......,
Huma dila dito........,
Huma dita de 1 dito.". ......
Huma dita dita....... .
Huma dita de 3 ditos ....*..
Huma dita de a ditos.......
Huma dita dito..........
Ra da Madre de Dos.
Huma dita de I dito.......
Huma dita de a dito*. .....1
Huma dila dito ,
Huma dila de l dito.......,
Huma dita terrea.........
Huma dita dila..........
Huido dita dita..........
Huma dita dita.....-...*
Huma dita dila...... .
Huma dita dila....... .
Huma dita dila..... .
Huma dita dita.....
Huma dita dita........ .
Huma dila dita....... .
Huma dita dita. ........ .
i te nde por anno ;aUo-o
a N 98cUooo
3 aoUooo
4 4o 1 Uooo
5 y 7 Uooo
i6;Uooo
7 35oUo 0
8 46U3to
9 aocUuoo
10 I 10 Uooo
11 110CJ000
19 laaUooo
i3 37lLoo
>4 1 i3Uioo
.5 16 a8bUoo y.-HJiioo
7 18 9 10 ai 801U000 731 Uooo i:ii4U8ai 551 Uooo 7iUooo
as a3 24 a5 16 *l a8 201 Uooo 6aiU>oo 19Uao t^oUoto 6 1U000 i5i Uooo i5iUooo
<9 3 3i 3a 33 34 33 36 <( aotUooo 5iU o a5iUojo 201 Uooo aiUuoa a5iUuo> 45lUouo i8JU0o
i3?oi7i2i>


5
Huma
Huma
Huma
Huma
Huma
Huma
Huma
Huma
Huma
Huma
Huma
Hu a
Huma
Huma
Huma
Huma
Huma
Huma
Huma
Huma
Huma
Huma
Huma
Huma
Humj
Huma
Huma
Humj
Huma
Huma
Humj
Huma
Huma
Huma
Huma
Huma
Huma
Huma
Huma
Huma
Huma
Huma
Huma
Huma
Huma
Huma
Huma
Huma
Transporte.
Ra do Torres.
morada de cadas de a andares ... 0 %
da di,a.......' n' %
dita dita....... ; |8
- Ra da Lapa. 9
dita terira..... ,
dita dita........; ; ; &
Ra da Corduniz.
?,1* di;a........... 4a
dita dit. ........ 7?
Ra da Moeda.
dita dila. ... z,
dita dita......'.'.'.'. 45
dita dita. ... #c
dta da.....; ; ; ; ; ; f
Ra do Aniorim.
dita dita. ... /ft
dita dita. ...... f
dita dita. ..... i9
riHa dit;...... *
dita dita...... j?'
dta dita. 4 .' ; ; ; H
dita de a andares. .,,",' 54
dita terrea..... ef
d,. .. OD
ita dita........# eg
Rita do azeite depeixe.
dita dita....... *_
dita dita*.......' I
dita de 1 andar...... cQ
dita terrea......
dita dita, i ..... ?
da de 1 andar. S!
dita dita............ %\
dita de 3 ditos......'.'.' '. el
Ra da Cacimba.
dita de 1 dito..... *t
din terrea. ...
dita di.........'.* : ; ^
Ra do Burgos.
dita dita...... fift
dita dita......'.'.'.'.'. fij
Ra do Vigario.
dita de a andares...... -n
dita de 3 ditos..... t
dita de 3 ditos......... 7\
Ra do Encantamento.
dita terrea. ... <
dita dila........... 74
dita de 2 andares.....' la
dta d'Ks. ...
........ 11
Ra da Sanzalla velha.
dita dito..... .0
dita dito. ... II
dita dito........... 7
dita terrea. ..... o
dita dita......; ; ; ; l2
Ra da Guia.
dita dita. ... o
dita dita......!.!'!!. 84
i3:ei;Ui*o
rende
Je por armo 3oiUo 10
n 151 Voov
156"Uooo
61U000
75U000
15iUooo
85U,oo
180U000
49U000
73Uo(o 85Uooo

10IU000
97U000
49U0UO
7JU000
97II000
7aUooo
407U000
85Uooo
'gU'>< 0
laoUooo
75Uooo
201 Uooi
a5Uoo
73U000
i5oUooo
48000
353Uoo 1
48U a 100U000
43U >00
97UOOO
K \ 97U000
usada U
por aunj 470U000
35iUoo<>
5ooUooo
N 74U000
74U000
48aUooo
33i.U<>oo
401U000
a5Uooo
a a5(>U<>oo
97U000
97U000
97U000
97U00U
2o:295Uiao


(V
*
6
Tianspoi te.
Ra do Trapiche,
Huma moni Ja de casas de 3 andares......
Beco da Lingota.
Huma iii(.' de i ditos.........
Ra da Cruz.
Huma dita dito. .......
Huma dita dito..........
Huma (lila ditu.........
Huma dita dito. .-........i
Fora de portas.
Hum.i dita teirea..........i
Huma dita dita.......
Huma dita dita............
Huma dia dita. ....".
Huma dita dita..........
Huma dita dita...........
Huma dita dita...........
Huma dita dila............
Huma dita dita......... .
Huma dita dila. ........i .
Huma dita dita...........
Huma dita dita.......... .
Huma dita di'a ...........
Huma dita dita..........' .
H.itn.i dita dita...........
Sitios.
Hum sitio na estrada de Pai nanierim........ -v
Hum dito dito...........
Hum dilo do Ros.u- nli<>.........
Hum dilo ditu na estrada VJioeira.....
20 ip,5Utao
n 85 rende por anoo 3oiU
OJO
86
87
8d
9
9;>
9
9*
94
95
96
97
98
99
100
1oi
10a
io3
104
io5
3g8Uooo
64iUono
64iUouo
3aoUooo
a6uUooo
97.OO
97 U 000
97 U oo
97U000
151 llooo
49oo
1( 1 uoUuoo
100U000
100U000
IcoUnoi)
lOOdOO
97U000
97U0O0
looU 00
luoUooo
?4:448Ul20
i6illooo
l6ljooo
3oiUooo
83Uooo
56j3'>
Observaco.
Todas as rasas cima mencionada excepto as tojas den0 1, as de n. 3, 7, 8, 9, a4 a5 09
41 43 44 ^a 71 73 77 79 80 89, 690, que se achioarrendadas por nove annos a Bndar
era 3ode Junho de i843 e a de n. 19 cuja renda fica em poder du rendeiro para satisfacio da despeta ,
que fez com a nova edificaco ; achSo-se arrendadas ateo fim do mencin ido rnez de Junho. Aden. 10
portn por causa de ter falecido em Novembro p.p. o rendeiro, o qualpela Secretaria d'EstadodosNegociosda
Fzenda obtivera coufirmacSo do contracto que por sua vida fuera com oa extinctos Congregados ainda
se nSoacha arrematada pela lide judicial, que com os herdeiros do dito falecido. correa Adminislraco
fobre a ultima accio do mesmo contracto. Salla das SessSes d'Administraclo do Patrimonio dos Odios em
31 de Duemhro do 1841.
J. M. da Crui
Eseripturario.


N. 2.
Rella^ao das casas e sitios que sendo foreiros a extincta Congrega-
cao de S. Felippe Neri, o sao hoje do Patrimonio dos Orfos
cora declaraco do quanto pago por anuo.
Huma morada de
dem dita
Id. m dila
dem dita
Ilem dita
Jdcm dila
dem dila
dem dta
dem dila
dem dita
dem dita
dem dila
dem dila
dem dita
dem dila
dem dila
dem dila
dem dita
dem dita
dem dita
dem dita
dem dila
dem dita
dem dila
dem dita
dem dita
dem dila
dem dita
dem dita
dem dita
dem dita
dem dita
dem dita
Llem dita
dem di'n
dem dita
dem dita
dem dila
dem dita
dem dita
dem dita
dem di a
dem dita
dem dita
dem dita
dem dita
dem dita
dem dita
dem dita
dem dita
dem di'a
dem dita
dem dita
dem dita
Ra de S. Rita nova
casas terrea........
dita........
dita.........
dita........
dita.........
N
dita,
dila.
dita.
dita. .
dila. .
dila. .
dita. .
de i and.n\
terrea. .
dita.........
dita.........
de i andar.
lerrea........
* dita.........
dita. :......
dita.........
dila.........
dita.........
dita.........
dila.........
dila. .....
dita.........
Ra por detraz de S. Joze.
dita........
dita.........
dita.........
dita. ........
dita.........
dita. .........
dita.........
dila.........
dila.........
dita,
dita,
dita,
dita,
dila.
dila.
dita,
dila.
dita,
dita,
dita,
dita,
dila.
dita,
dita,
dita,
dita,
dila.
t 1U600
1 1U28
3 1U440
4 lUoOo
5 laoo
6 i760
7 Uli <>
8 1U600
9 1IJ440
10 iU3c
ii 1U760
19 lUl2<>
3 lUl20
4 alh4<
i5 lUooo
16 211400
!78 '240I>
lUHoO
9 lU4oo
30 lUooo
21 2UI60
aa 1U20J
a3 1U000
24 I320
j5 1U000
a6 6I20
27 looa
8 1II600
99 1U930
3o 1 Uaoo
3i 1U100
33 1U280
33 1U120
34 1U200
35 lUrioo
36 1U600
! iU5oo
1U200
39 lUiao
o Uiao
4i U95o
4a 720
4* L73o
44 lU60O
45 1CJ000
46 1U880
% I520
i44o
49 IU440
5o 1440
5i iU5ao
52 lUooo
53 iU44
54 1LI680
8o74<


.-. ... I.
n
_ Transporte. TT -
Hna morada de casas terrea....., tr 00U740
dem dita dita.........'.'...... I *^0
dem dita dita. ........ ?6 "E6
dem dita d.ta. ..'..'.'.'.......... 2 aTV?
dem dita dita ............. ?8 I3ao
dem dita Ta. '. '. \............ & **>
dem dit. dita. *........ "J*00
dem dita di.a.............. 61 1800
i1- 2 S:: ::::::.:::; 663 '360
f" dita dita...... .......... fi \VZ
em d,',a ...*!.'.*!'.: ;'. *. el ]it
., Ra da Calcada.
J em dita dita...... fifi n
} dita dita. .V7S...... I 2? 'S00
J'm dita dita. ../.'.......... 2 E
dem dita dita. /............. "Sf00
dem dita dita. J<.............. 7 'H500
\\ dem dita da......... .'.1 \ \ '. .' 7 n7"
,. ,. Iravessa de S. Joze.
dcm dita dita............ _. ,rM
dem dita dita........... ..... 7 aJj6oo
dim dita de dois andares. .'.'.'*........ ?K '?,20
d.e, dita .......:'' St0
Jdem dita dita.............. 77 ,uoo
'dem dita dita /................. '* '{"do
dem dita dita P "'............ Z9 I76
1.................. 81 ao
,, Ra de S. Joze.
idm duo dita. ... ,u ttc
dita di... ...;:;..... l\ i;0
dem dita dit. ................ 3 ,^
de "" di.a di.a. ...........: X ^000
dem dita dita. ...'.'.......... J? "j00
dem dita di.a.................. & l?**
dm di.a dita. V *........ S? 'H
dem dita dita. ........... 8fl WA0
dem dita dita.................. 90 1U440
dem dita dita..........'...... 91 "S3*
* *.............. 9a 1U760
,. m .. Travessa de S. Joze.
ldtm dita dita. x r.
Jd dita dita ............. 9? 'Il,a0
dem dita d... ............. ${ 'PT,ao
Id^m di.. dita.................. J "{J1"
dem di.a di.a.........'........ 96 "J10
dem di.a dita. .................. 9 ^20
dem diu dita...........: 98 i5ao
dem di.a d /............... 99 I5.0
Jdem di.a di a ............. ,P0 '{gao
Jdem dita dita................ 101 'E?0
Id dita dita .' ................. 10\ Y**0
' ............. io3 1600
Hllwit No Jim da Ra de S. Rita.
Hum terreno sub. ....
' zp' 'y '......... xa ,o4
Uein -^orZ "c Portas.
dem! .*.''* J *.............' lo5 W160
dem. ..............' *....... ,6 U8o
''I-............ 107 5Uiao
H. fundo d.M...... Me.-agoas.
dem. ...................... '4 U6*o
18 1600

i77fi3o
r



9
Transporte,
No fundo da cim.
dem.
dem.
dem
dem.
Estrada do drraial.
Hum to b................... V
Hum dil.............. .
Hum dito....................t
Hum dito.............. t
Hum dito. *.........*
Hum dito, ..............
Salinas.
N
Hum
Hum
Hum
Hum
Hum
Hum
Hum
Hum
Hum
Hum
Hum
Hum
Hum
Hum
dito. ............ .
dito................i
dito! i .'.' .''.'.' '........... '
dito..............
dito..............*......
dito. .* ..:.-. i............
dito.................* *
dito.................. *
dito...................
dito....................
dito. I................
dito....................
Forno da Cal.
dito. i...................
177U730
28 1U120
4ti 1U000
5 U5io
63 U5oo
U55o
'
i8ti(ao
1 4U5oo
3 I0U000
4 6O0O
5 6U00O
ti 3Uooo
7 8U0OO

2
3
4
5
6
'8
9
10
11
11
5oUooo
4U000
9U000
ioUooo
10U000
BUsoo
1U600
3Uooo
4Uooo
lUqao
laU56o
gUooo
10U000
i3 100U000
a66Ui8o
Observac&o.
Do.itioo.* i, .forado a F,liPPe Mena Callado da ^g^ST Sto t-
AulonioR.beiro Campos, por .ooUooore, nada tm Adm,n;t^n^5^; ^.Kde^ tM afo-
mesroos pago 10 annos adiantados aos ext.octo. Congregado. como por que .orne a MU
lamento, rorre a me.ma Administrado lehgio cora elle.. De.embro do 18I.
Salla das SenOr. d'Administraelo do Patr.momo do. Oiflo. em 3i de etemoro uo *
,<
. M. d. Crul
E-eriplurai'io.
/


I
10
N. 5.
Rellano da despeza animal, ^ e ordinaria da Administrado do Pa.
trimonio dos Orfos.
Empregados d AdministraciLo.
E,C,P'Ura,0............. Ordenado. 3ooUt0o
Procurador. ...*.'.'......Gratificado i5oooo 45oUooo
Advogado. ........... 3ooUooo
S,lidiador. .' ............... aocooo
......*.............* ooooo is5oCo
Extinctos Congregados.
Tres Sacerdotes a 1U600 diarios ...
Hura Leigo 600 ., ... 1 ... i^SaUooo
igooo 1:97117000
Collegio dos Orfos.
Director.....
Vice Director. *' '*.. 600U000
Mordomo, ... '. .............40>Uooo
Porteiro.................. 4o. ooo
Professor de 1. Letra. *..........* V aooUooo
/ Dito de Muzica. ........... 5ooUooo
Cirurgilo.....'................ 6i>o[7ooo
Comprador a 4oo reh diarios. '. ...........* 3Uooo
Enfermeiro ditos. g *........... MtiUooo
Refeitoreiro ditos. ... .......... i46Uooo
Duas lavadeiras ditos*. '. *........... M^Uooo
Roupeiro a 32o res ditos. ." ,' ............. 391U000.
Cot.inbeiro 56o res ditos. ............. I10U800
Cinco serventes a 3;o reis'ditoss* .'.'.'".......'. \VSfi
" R;[dto7ei?o CCV VCC "TW', Mrdom9 ****' Pdor; 584Ot
Ditas a 5 serventes a 1 ao reis ditos! '. \............6:i3aUooo
Pa. K-d. Ma.ernid.de de % Si.f M^ .rfkW / / \J$Z ,J;o53S0
Foros.
A D. Joiea Maria Francisca e Paula...... rT.
\ Ao Enrapellado da ConceicSo da Boa-vista. ...... I?*?
A Jua ........... oUooo nUa8o
Decima.
Pela dos predios urbanos. .
Pela dos bro dos ditos. ..............a:aooU3ao
................ 1817.4-i a:ai8U46
l7:3o4D54a
N Observaco.
.encs P^:zT^%i7:zaiz oV r faT t roT" i -*- ?. orr.M,
... &,. tez?: 'tfxszjrjxzz zss&zz ssr
J M. da Cruz
Escripturario.
V \


II
N. 4.
Rellacao
fos,
Neri
nos
Nomea.
da dunda passjva d'Adminislraco do Patrimonio dos Or-
dos Congregados da exticta Congregado de S. Felpe
artigos 8 e 9 da Le de 9 de Dezembro de 1830 e
dos que se acho nessa pretencao.
Observaces.
Padre Manoel
Gonzalo
Leigo Antonio
xeira.
Joze
Estes Congregado, eslo h.bbilalos porsentencas que ob.iverio
Importancia
da divida.
seo
Padre Lsarentino
Antonio Moreira
de Cacyalho.
Padre Joie Gonci-
lo.
Padre Joaquim de
Freitas.
Padre Francisco Sa-j
bino.
Padre Vicente Pe-
reira.
Padre Francisco
Rodrigues Masado
Nicolao Ott liieb r
& 'Companhia.

................3-67811400
Estes Congregados perlendem ser habilitado, o r obteva .uM
contra appellou para oSipremo Tribunal Hp kJl ?
decidi os W lL0- es,aPo ainda em letigio ? ^ ",ndt Md' n
A obterem estes Congregado entenSas a s,o favor Ja. a Administra'
AjeS!es N,egcianles """o cesionarios de Mara Victoria dos S,
S5S**? *5 Sa1lO *' a Administravio Ib^ada .
ntos ,
2aoLT;8o,
4%qUib\)
Salla das Sos 6r d'Admnislracio do Patrimonio do O-fo, em 3, de Dezembro de ,84,.
3 M. da Cruz
Esc rip tu tari o.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EDT4IHCUP_X0P6H2 INGEST_TIME 2013-04-13T03:16:00Z PACKAGE AA00011611_04452
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES