Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04450


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anuo de 184'?.
Sexta Feira 25 de
Todo ajora <^r,n,, "'** aiesaioa ; tinuamos cqio prinuipiunoa, e seremoa apontadoa coBiadaiiraOQ entre as Naciies mais
. (Proclinucao da Assemhli-a GeraL do Brasil.)
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES.
Cnianna, Paraiba, e Rijuran.le do Noria, na aagunda e sena fejra.
Iloniio e iaranhuns, a0e24.
Cobo, Perinhaem, Rio Formotn, Furto Cairo, Macei, e Alajoas no i U, e 21.
I'ajei 13. Santo Atio, o>ala. tara, OliwU lodos os das.
DAS DA SEMANA.
2j Ses s. Mjriaian. Chae Aud. d Juirdo Dir*tp da 2. rara
22 Tet. A Cadeira de Pedro em Antioquia. Re. Ajid. do do juitde Direiio da 1, rara,
*J. Qnart. s. Laiaro. Chano. Aud. do juii de dirpite da 3. rara. Ja
\ Quita. Maihiaa Ap. _. .
2:i mi! a- Or.ario. And. do Junde hreuo da 1. TVa.
3C> sab.'a. Torito, lie). Aud. do Ju.ii de Direito da 3, rara.
27 [)om. a. Leandro.
Fevcrejro. Auno XVIII. N.ih
:m. O Diario publica-at lodos os das que nao forem Santificados: n preoo da assignatura le
de trea mil res por quarlel pagoa adiantadoa. Os annuncios dos assiRtiame-. sao inserido!
gratis, e os dos que o n.'io foirm rawo de 80 res por linha. As reclamarea detrm ser
dirigidas a esta Typografia ra das Cruies 11. 3, ou prsi;a da Indrpeadrnria Injas de Iitroi
Nmeros 37* 3S.
CAMBIOS no da 25 de Feverkiiio.
Cambio sobre Londres 2'J d. p. 1U. Prstj Petos Columnatea
u Paria 320 reis p. franro.
, Lisboa SO a 85 p. 100 de pr.
OfEo-Moeda de 6,400 V, 14.400 a 14.600
Mev
Prati Patacfirs
1.6b0a 1,670
l.li'illa 1,680
muida 1,440 a 1.460
Morda de cobre 3 por 100 da disconto.
N. 14.200 a 14,400 j DisconUnle billi. d Alfandega 4 e por 108
de 4,000 S IOJ)a 8.200| a mft.
1,650 a 1,670 I lilem de letias de boas firmas 1 c a 1 e j.
Preamar do da '16 de Fevereiro.
1." as i horaj O 30 ni. dantanhS.
2. s (i horas e 54 m, da larde.
I'IIASF.S DA I.UA 1*0 MEZ LE n:\ rur.u.o.
Quarl. min^. a 2 -- a 10 huras c S m. da man'i.
Lua Nora a 10 -- s 9 horas e 3i ro. da manh.
Quarl. Prese a IS-- s i) horas e 22 m ds mnnh.
Lua cheia a 2> -- s 1 horas e 56 m. da manh.
lARJI DE PEitIAMBUQ
aaaa*-aaa-aaMajjajaawa^
PARTE OFFICIaU.
MINISTERIO DO IMPERIO.
A REPRESENTACA" DA ASSEMBLEA PROVINCIA*,
DE S. PAULO.
lllm. c E^m- Snr. Lcve ao conheci-
nitiito de sua uiageslade o Imperador a carta
Jalada de lioutem em que V. Ex. communi-
ca ser monibio de una deputaejio queaas-
semblea legislativa da provincia de S Paulo
enva ao throno,, para apresentar a represen-
taco de que V. Ex. remelle copia e requer
designarlo de dii, hora e lugar para desem-
penio dessa cojninissao : E o mesmo augusto
senhor me ordena que devolvendp a V. Ex.
a, referida copia, Ihe faca saber que sendo
do sua rigorosa obrigaeo observar e fazer ob-
servar a [ei fundamental do imperio man-
iendo em sua integridade a forma do governo
jurado pela nac/io tem resolvido nao receber
a deputacao porladpra de urna repri-sentacio
oll'ensira da conslitiiieao np artigo 1.'), $ 8. ,
c nos artigos 71. 85,0.84, bem como da lei
das reformas da mesnia constituido nos r-
ticos 0 10 e II que lao clara e terminante-
mente marco as altribuicoes das asscmbleas
legislativas provinciaes e o modo porque el-
las se devem eommunicar com os poderes su-
premos do estado : accresrendo que. aintia
mesmo na ausencia dcstes defeitos radicaes de
neiro \ de ferercirode 18i2. Illm. e Exm.
Snr. Candido Joze de Araujo Vianna Mi-
nistro e Secretario de Estado dos negocios do
Imperio. Nicolao Pereira de Campos Ver-
gueiro.
Tendo as copiosas ebuvas destes ltimos
tempes occasionado urna eonsideravel endien-
te no rio Parahyba o qual sahindo do seu
leito, amcaca a cidade de Campos, o ja tem
destruido urna grande parte da lavoura de-
vendo esperar-se que a fome ven ha aggravar
anda maisos incommodos e prejnizosque in-
felizmente peso sobre os habitantes tlaquelle
municipio ; e desojando S. M. o I. oecorrer
com promptas providencias para que ao me-
nos as pessoas as mais necossitadas se nao vo-
jao em too donloravois circunstancias ro-
duzidas extromiilade de poreccrem de fome:
lia por bem o mesmo augusto senhor enear-
regar a Vm. de proceder com urgencia com-
pra e embarque de quatro mil alqueires do fa-
rinba de mandioca de qualidade regular, os
quaes devert'i ser entregues cmara muni-
cipal da sobretlita cidade para ella fazer da-
quelle genero a conveniente distribuicio de-
vendo Vm. remetter a esta secretaria de esta-
do dos negocios do imperio a conta da desno-
za relativa compra do dito genero e ao trans-
pone dcllc, com tros eonhecimenlos do seu
embarque tanto para se Ihe mandar satisfa-
zer tudo como para se expedirem nessa oe-
oasio as convenientes ordeqs referida ca-
se considera va competente naqueslao, fra 1 ncsla data dimitlido lo sorvieo om conse"
coadjuvar o Ievantamento do dito embargo | quencia do se achar paralitico, e absoluta-
como se nao fra restricta obrigac.ao do sai- ment incapaz, passando-lho escusa, que
gento e soldados que compunbao a mesma deveria remetter a Secretaria Militar, a hm
fotca obedecer aiitoridade a Cuja dsposieao de Ihe sor entregue na Comarca do Hrejo ,
tiniSosidopos'oi, e como se cstivessem habi- onde se achava em traUmento o com a es-
litados e autoriadoS para ajuizar c decidir em cusa a importancia questoes de competencia de juizes; T,.. que tinha direito desde a data de sua apreben-
formou elle mesmo o processo de desobedien- co, para detk se deduzr as despeas que se
cia nao obstante commcltor o artigo 203 do ^^^^^^^^ ^SS
Codigp do processo criminal o conheciniento
de taes casos nao ao juiz desobedecido mas
ao seu supplente e nao lindo o referido juiz
de paz Francisco Alves de Castro Roso desva-
necido em sua resposta as arguices que Ihe
ferfio feitas hei por bem suspendel-o lo o\-
e curativo conforme reclamava o respectivo
Prefeito.
Dita Ao mesmo. reniettentlo-lhe a guia
do segundo Cadete Tito Augusto de Albu-
qnerque Porlocarreiro, queo devia nosta con-
siderar adeudo ao Batalbao do seo Com-
ercicio do dito cargo e ordenar que se Ihe faca maimo
_. ..... : .____ lilla
II j. 'II." '* ^" ----------------------. ------------------- ---.---.
que a represeuiaco abunda, bastariao a lin- mar municipal. Dos iruarde a Vm. Paco
.__ "i: l____ .,.% !< Miuvikida n n___. JA ,1 ;_.,,.:_ ,1. I O'.-) t~i ti ,1 i/l<% In'in
gUaUem descomedida em que he concebida e a
maneira descomposta e criminosa com quea-
bi sao tratados os ditos poderes supremos, Guerra.
para que ella nao fosse digna de subir pre-
senca do mesmo augusto senhor. O que par-
leeipo a V. Ex. para conliecimenlo da de-
putacfio<
Deus guanle a V. Ex. Paco o de feve-
toio de 18-2. Candido Joze de Araujo
Vianna. Snr. Nicolao Pereira de Campos
Yorguciro.
Carta a que se refere o aviso supra.
I
Illm. c Exm. Snr. Tendo viudo esta
em 10 de Janeiro de 1842. Candido Joze
de Araujo Vianna. Sur.- Antonio Tavares
MINISTERIO DA JL'STICA.
Tendo chegado ao mcu imperial conbeci
ment por meio de representagao do procu
rador da lllm. cmara municipal deslacida-
de, e de varios documentos olliciaes, as desa-
gradareis occiirrencias que acabao de ler lugar
no 1. districto da Iregueziade Nossa Senboia
da Gloriada mesma cidade, por occasiao do
.Ievantamento de um embargo verificado em
Corte 'juntamente com' o Bragadeiro Bernardo ; obras feitas por.ordem da dita Illm. cmara .
Joze Pinto Gaviflo Peixolo e o Coronel Fian- 9 considoiando : t., que forao taes ooc
cisco Antonio de Sousa Queirs nomeado*
[>ela Assemblea l'rovincial de S. Paulo a apre-
sentar a S. M. I. e C. urna representago que a
mesma Che-dirige da qual tenho a honra de
enviar urna copia a V. Ex. para seu conlieci-
menlo. Por lano rogo a V. Ex. se digne
obter de S. M. E c C. a designago do lugar ,
dia e hora para a referida apresentaco co-
mo for do agrado do Mesmo Senhor. Dos
[rencias em grandc'parte devidas ao proeedi-
mento do juiz de paz do referido dislricto,
Francisco Alves de Castro Roso, que as teria'
evitado se houvera procedido desapaixonada-
mente e com a prudencia discripeo e dig-
nidade que devem acompanhar os actos das
autoridades; 2. que chegou ao ponto de
processar, por desobediencia, a fonja do cor-
po niunicipal permanente que em virtude de
Cuarde a Y. Ex. muitos anuos.
-#------I/VU3 f"----------------1-----------------------
Bio de Ja-' roquisigo de outro juiz de paz, que lamPem
eltectiva a responsabilidade em juizo com-
petente.
Paulino Joze Siares de Sousa. do meu con-
solho ministro c secretario de estado dos ne-
gocios da justica o tenha assim entendido e
faca execular. Palacio do Rio de Janeiro ,
em i de fevereiro de 18 i2 vigsimo primei-
ro da independencia e do imperio. -- Com a
rubrica de S. M. o Imperador.- Paulino Joze
Soares de Sousa.
(Jornal do c.omniercio,)
COM MAN DO DAS ARMAS.
EXPEDIENTE DO DU 10 DO CORRENTE.
Ollicio-AoPrefoito da Comarca de Santo
Anta,) acensando o recebimento do seo olli-
cio de 28 lo corrente e do recruta Jos An-
tonio de Oliveira que o acompanhou.
|)to Ao Commandante interino da For-
taleza de ltaraarac, di/.cnio-lhe, que pedia
mandar condusir do Arsenal doC.uerra o
trinquibalo, e as pranchas necessarias para
a oonduscao das |iocas existentes em Pitim-
b ; lio (fedia requisitar ao Commandante
do Batalhao de G. N. do lugar a gente pre-
cisa para transportar ditas pecas at o Por-
to de embarque, quan.lo por ventura o des-
tacamento O'J parle Melle nao podesse ser
distrahiilo do servico da garnQao e Anal-
mente |ue approvavao ajuste feito com Fran-
cisco -Xavier Dias que se comprometida a
Irazer as pecas para a Fortaleza, pela quan-
tia de 70. reis.
Portara Ao Tenente Coronel Comman-
dante do Batalhao Provisorio, mandando con-
siderar como recolhido da desereao no dia 18
de Marco do auno passado, o soldado de
Artilheria Pedro da Silva Capoeira, oqual
licava perdoado por estar comprehendido no
Indulto de I8deJul!io do mesmo anno, e
addido ao seo Batalhao, devendo consideral-o
Dita- Ao Capitao Commandante inte-
rino lo Deposito, mandando addir ao mesmo
o soldado Januario Jos Fragas viudo do
Maranho em qualidade de impedido do Cor
ronel Jos Thomaz Ilenriqui'S, e. reniettenJo-
llie a guia lo referido soldado.
5E^*^ff^^?S
F@L0ITQ
AXNA h'arcona (*).
Ja de?, horas! disse a joven de Arcona pon-
do em sima d"uma mesa de laror um lindo
bordado em que so oceupava : meu pai an-
da nao voltou sem dunda a grande tem-
pestado que o tem demorado, em casa de meu
tio Songis c provavelmente vira muilo lar
de, ou talvez manha. Vamos! nao espero
mais porque meu querido pai me quer tan-
lo que se sotibosse que sem ser necessario
medeitavamais tarde docostuniadoallligir-se-
hia : Marlha despe-mc.
Tendes razao menina respomleiia
velha Marlha levantando-se de urna cadeira
ra/a em que eslava sentada ao lado de sua
ama preciso levantar-se cedo e deilar-se
'i mesma hora fazer o contrario olender
a Dos: queris que va buscar-ros a vossa bi-
blia ?
Para que ?
Para qqc ? tornou Marlha cheia de
"Y*) >ii. Diario N. 44.
admiricao, para preparar-vos a dormir ou-
rindoalgura paaso santo; assim comocos-
tuma a fazer-lo todas as noites o senhor (O ide,
aos o pai.
Juro-te minha querida ama disse
a joven reprimindo com diliculdade um
sorriso, que nao preciso disso para doi-
mir bem esta noite, e como meu pai nao
est aqui muilo obligada le liearia se me dis-
pencasses de o fazer mas peco-te lamben) que
nao digas nada disto a pessoa aiguma pois
que meu pai lao rgido em tudo o que toca
rcligio que se o soubess,e se enfadara.
Prometes fazer-me isto minha querida Marlha.
Ai, respondeu osla ; nao fazeis setn-
; pre tudo o que queris de mim '.' I'orem len-
de cuidado me::ina que Dos abandona os
quescesquecem delle alafyezque cecebais
algum castigo por nao ter boje bdo a'bibha.
__ Sao tenhas cuidado Marlha respon-
deu com vivacidade a joven que cu manha
lerei dobrado.
Anna acabando de dizer estas palavras co-
mecou ella mesma a despir-se para o concluir
mas breve pois que a sua ama a ia tambn
ajudando mais muito de vagar. De repente
Anua interrompou esta OCCUpaco e disse a
sua aia: faz um calor lo grande que me suf-
foca : Marlha abre essa janella pois que nao
se pode respirar neste quarto.
Marlha obedeceu e a joven se sentn
em urna cadeira para respirar o agradavel
fresco da noite. Seus bellos cabellos negros
que ja se achavam desatados lluctuavam agi-
tados pela branda brisa sobre seus ombrus ;
talvez que nunca suas gracas e s ia juventudo,
pois que a penas linha de a s is anuos se
tive s.mi maiif-stado com mais brilho que
nesta occasiao em que a arte Ihe nao prostava
auxilio algum e Marlha ao ver lao linda
aquella a qoem tinha criado, nao pode con-
terum sorriso de satisfacAo, c Anna conlie-
cendo o seu motivo abaixou os ollios por um
involuntario Mintimento de modestia ; mas
de repente ella estremecen, re-so plida, o
ia quasi a dcsfaleccr.
Que isso sen hora ? que tendes ? Fxcla-
mou Marlha. Escutai! respondeu a joven ;
o aplicando o ouvido com atlcnco, acres-
TEZOURARJA DA FAZENDA.
CORTINUACA'1! DO EXPEDIENTE.DO DIA I "i DO COR-
RENTE.
Portara Ao Thesourciro da Fazenda ,
para entregar a Victorino Pereira Maia pe-
la oaixa Geral,a quantiade IS-.lOaji'lGSrs.
correspondente a 5,000 L. st. ao cambio de
"21 lll dinheiros slorlinos por Ti reis va-
lor de una letra a !)i) dias vista lo saque do
Me. Calment di Companhia sobro Me. Cal-
moni Bros & Companhia que indocou a fa-
vor dos Agentes do Brasil em Londres.
Dita dem a N. 0. Bieber & Companhia,
idem a quanta de 8:2l,d).v)2 reis. dito a
1,000 L. si. pero mesmo cambio rao com ahoiiarao de Joao Maria Seve sobro
N. O. Bieber & Companhia de Londres ,
a favor dos ditos Agentes.
Dita dem idem pela caixa las rendas a-
plicadas'iW esgale l<> papel quanta de
lfi.82.ilOH m* correspondente a 2,000 L.
st. idem idem.
Ditahleni a ASchramn, pela caixa to
endimento de 1 por cento de armnzenageni
addicional a quanta de 10:812.) I0.*> reis i-
dem idem valor de VJ leltras que com abo-
natjo de Victorino Pereira Maia sacn sobro
i-.dlinann de Londres, dem dem.
IDEM DO DIA 10.
OHicoAo Kxin. Snr. ViscOfide de bran-
les. Presidente do Tribunal lo Tbczourd Pu-
blico Nacional, com as terceiras vas das cin-
co letras lo que traclio as precedeutes pcfrta-
rias, na imporlaiicia de8:2IO,>:i2.'i reis.
centn nao ouvistes una especie de gemido
no rio.
Nao, respondeu Marina tremendo cojo
espanto se augmentara a cada momento.
__ Oh son, pareca como o ultimo sus-
piro d'nm moribundo, masen nada vojoda-.
qui disse ella debrmjando-sesobre a janella.
Talvez qu*VJi tenhais engaado.
Mas quan.lo e.slavam nesta incerteza oil-
viu-se claramente e a curta distancia urna bu-
lla bem parecida aquella que pro Miz um cor-
poqoando cali na agpt. EntAo cHeiasde
inaior terror exclamaran^ mcu Dos que se-
r isto ?
__ Sj se disse Marlha com diliculdade.
lonco depois de algum lempo, alg;;m peixe
pie saltn na superficie das agoas ,'e isto nao
tem nada de extraordinario quando se acaba
urna tempestado.
Martha procurando tranquiljsar a sea se-
nhora desejava aindamis dissipar o seu pro-
prio medo.
Kmliin; tlisse a joven,q* faeo em assi
tiesta maneira... seguramente que'
.(luizesse commriter um assasinio,
aaaaaaaal


3Er*. 2=3
%
Dito Ao Exm. Sur. Presidente da Pro-63 do regulameulo da mesma, porqueaeir-
viucia pedindo se dignasse transmUtir ao cunstaneia de estar servindo interinamente
Tribunal doTh-.-soin'o publico o proceden le
oHicio.
Dito Ao mesmo Exm. Snr. presidente ,
informando o requerimento de Anselmo Pe-
nara de Lacena,
Dito Ao Inspector da Tlicsouraria da
Fazenda da Provincia do Para, pnrtecipando torrente semestre.
queem vista do sea dflicio de 19 de Janeiro
ultimo liavia mandado passar do colre da
receita gerai para o do rendiinento le luim
portento de armazenagem addicional a quan-
no oizentu da responsabelidade, edasobri-
gaedes que o dito artigo mpoe.
Portara Ao segundo escripturai io da
contadoria cncarregado da contaltilidade
militar remetiendo a avali-i^ao das etapes e
forragens para a tropa dn primeira linlia no
lia de n:o43.>039 reis considerando esta
nassage n como supprimento feito mesma
Provincia, que se arrecadou por aquella The-
Murara do dito rendimeuto, em o primeiro
semestre do crrenle anuo financeiro.
DitoAo Inspector da Thesouraria da
Fazenda do Maranhfio com duas letras: sen-
do urna Je l:000ji rs.a 40 das precisos do
saque de Manuel Joaquim Hamos & Silva a-
bonado por Jos Pereira da Cunlm sobre
Jos Rodrigues Roo ; e outra de 300 j reis a
50 das vista do saque de Novaes & Compa-
nhia abonado porNunoMara de Sexasso-
bre Manuel Antonio de Carvalho e Uliveira
Sobrinbo, a favor ida mesma Thesouraria.
. Dito-A J. L. Golsimid Wm, Thomp-
son, e Win. King Agentes do Brasil em
Londres com as primeias vas das cinco
letras de que traotflo as portaras do da 15.
Dito Ao Contador da Thesouraria de
Fazend Remetiendo por copia para sua in-
telligencid as ordena do Tribunal do Thesou-
ro Publico Nacional numero 1 a, De ID. 12
e 13do 'arente auno.
Portara Ao Thesoureiro da Fazenda,
para (hzer a passagera d que tracta o oficio
djrigido ao Inspector da Thezouraria da Fa-
zenda do Para.
Dita Ao Theoureiro dos ordenados para
pagar a Manuel Figueiroa de Paria a qu.mlia
de 30 reis da mpressao e papel de oilcnla
ejemplares da Le do orcamento do armo li-
nanceiro prximo vindouro de 1812 a 1845.
dem do da 17.
" Olicio Ao Exm. Snr. Presidente da
Provincia informando o requerimento de
Domingos Carlos de Araujo, em que pedio
por amram'enlo o terreno de Marn ha divo-
lulo por detraz da ra do Caldereiro da Ci-
dade do Recifc.
; Aobr. Director do Arsenal de (nor-
ia para dignar-se mandar apromptar osobjec-
Ics constaules da relami que se Ihe enviuu
[laiasi'ivm remeidos para a liba de Fernan-
do de Noronha como determina o Exm. Sr.
Presidente da Provincia.
Dito A Ji.ao Mara Sevc pedndo reco-
Ffaesse a Thesouraiia lodos os livros bilhe-
les. e mais papis pertencenles a primeira e
segunda Loteras do Seminario de Olinda,
das quaes ib i Tliezoureiro, a lim de proceder-
se a rovisao.
Portara Ao Thesoureiro dos ordenados
remetiendo a ola do primeiro Esniptura-
rio aposentado da Thesouraria das Rondas
Provinciaes Antonio da Costa Reg Monteiro,
(pie se acha inscripto no Monte Po (eral dos
servidores do Estado.
11)131 do da 18.
AvaliacAo das etapas e forragens para a tropa
de primeira Linha desla '"rovincia confor-
me a reforma feitapela Thesouraria de Fa-
zenda da mesma em conformidade do olfi-
cio do Exm. Snr. Presidente de 26 de Ja-
neiro prximo lindo.
Efapes.
Procos dos Quanti- 1. esp. 2. csp.
gneros. dade
2ji880oal. IjtOdoa. 72 72
3.>8t0aD 1 Ib. 120
nas cada qual mais despresivel, eestpida provado ea justica desaggravar a le, e
mas que em fim pretendem esses snrs. que livrara a socedade de semelhanto monstro i
sojam acceitas pelo fanatismo do partido. Ja que cofnmentava seu crime com ditos pican-
tes segundo nos referem.
foi convocado o jury |>ara o dia2i de Ja-
que condenou r-'orte.
Gneros
Fa rin ha
Carne v.
Dita seca
5j20>
Toiirnlio10.2W>
A rroz
Peijfio
Sal
I.ct.ha
3>200
S* 120
l|2lb.
2oncas
editas
1(100
40
23
5
12
27 i
Termo medio
Mea libra de pao para os doentes do
Hospital
Forragens.
Milhn oj200oalqueire 1|8
Capim 2i0 2@
SO
40
52
12
200
2i0
100
100
480
610
em outi-o n. mostramos que ainda dando como
ve.dadeira a tristeza de s. m. I. nio podia ella
ser altribuida seno aodesgoslo quelhecau-
sam os manejos.da opposi?o por quanto se
de outra causa poltica proviessera em me-
nos de dons segundos te-Ia-ia s. M. i. feito
cessar. Todava em opposigo noticia dada
pelo orgam da reuniao asseveramos, porque
vimos; o viram comnosco centenares de pes-
soas, sabbado passado, e no sabl(Nfl te-
rior s. M. i. mui satisfeito no theatr Iran-
CG7., com a fronte serena e candida rir-se
dos chistes e gracas dos vaudevilles nesses das
representados.
( Do Brasil de 2o de Janeiro.)
neiro
0 governo de s. m. i. houve por bem
conceder dozo leguas de Ierras em quadio ,
ou o seu equivalente, juntas ou separadas,
o'aqueles logares da provincia do Rio de Ja-
neiro em que as houver devolutas para o es-
tabeleeimento de colonias agriculas e in-
dustriaes.
A crvela ingleza Rose deleve. por sus-
peitas de em prega r-se no trafico de Africanos,
o brigue francez Marabout em viagem da
Babia para a costa d'Africi; mas, pordeci-
sio do tribunal real de Cavenne de 28 do mez
SANTA CATHARINA.
Desterro, 28 de Janeiro.
Desta" vezestao seccas as fon tes das noli-
cas pelo que pertence ao Rio Grande. O cor-
reio de Ierra, chegado a 26, e que trouxo
cartas de Porto Alegre ate 17 nnhumas no-
va., trouxe sobre movimentos militares; a
barca Paqueado sul que ha mez est no
Rio Grande ainda nao apparece.
Partecipa-se de Lagesque um bando de
salteadores que ali appareceu ao mando de um
Filippp capote acossado naquelle districto
pode acoutar-se na Vaccaria onde acaba de
ser completamente batido e aniquilado Pi-
cando assim inteiramente livres e desassom-
brados ambos os districtos.
S. PALLO.
lllm. c Exm. Snr.Tenho a honra le-
var ao conhecimento de V Ex. que a provin-
de dezembro foi declarado ma presa e con-
demnados os captores a pagarem 280 mil fran- j eu julgde digno de levar a
eos de indemnisacao pela injusta detengo.
Thezoiiraria da Fazenda de Pernambuco
it de Kevereiro de 1842 Jofio Goncalvos
da Silva Francisco Ludgero da Paz Cle-
mente Jos Ferreira da Costa
TRIBUNAL DA RELACAO.
Sessao de 12'do eorrente.
Na ippellacao civel da Villa de Baturilda
Provincia do Cear appellante Nicolao Coe-
llio da Silva, appHIados Antonio dos Santos
Brasa, e outros EscrivSo Poslhumo ; foi
jillgado nullo todo o processo por falta de
conciliario.
INTERIOR.
Oflicio Ao Cqui mandan te
RIO DEJANEIRO
L-se na Sentinella o seguinte' artigo,
que mostra quanto os maioriatas respeitam
e amam sinceramente o nosso joven o Mo-
l ircha.
Para o lllm. snr. Promotor ver.
As numerosas pessoas presas por suspei-
ta de connivencia com os pretendidos assassi-
nos de Pedro chaves, conservam-seanda at
boje incommunicaveise sem processo. Eu
desejaria que medissessem de la se o smi. d.
PEDRO II. DORM TRANQl il.I.O OU RI-SE d'kSTKS
HORRORES.'.... 'Maiorista' n. 02 pag. 37o
in fin.
Sobre a tristeza que
iltribuem a S. M. I.
das Armas
desta Provincia, e.iviando-lhe a avalifco
feita por a Thesouraria e approvada pelo
Exm. Snr. Presidente da Provincia das e-
tapese forragens para a Tropa de primer ali- seguinte.
uha no corrate semestre. Contina o Maiorista
Dito Ao Inspector da Alfandega L'in-
hrando que o Cpala/, deve cumprir o artigo
os mismos maiorislas
le-se no Brasil o
a oceupar seus lei-
lores com a tristeza de s. m. i. que Ihe ser-
ve do. Ihema para um sem-numero de caluin-
vin duvida o sitio mais solitario do rio, i;
io devia commeta>-lo mesmo ao p das mu-
uihas do epitelio de Alcona. Martha pedes
echa/ a janclla.
Martha iacumprir a vontadede na ama,
uando de repente se Juevee er.tendeu urna
loem direceao do rio em tinto que com a
itrachamava .. joven para q%}ae aprosimas-
. Vinde! vindo! exciamou d'aqui vejo
gueni que podera dizer-nos com certeza o
que era aquilto. Y. comecou a bradar.
O' barqueiro barqueiro.
O sujeo a quem se dirqparri estas vo/cs
*.ou-se bem o remos dsceu rpidamente q oodirigin-
a a nargem opposta e em bre-
. ac.'.ou bem longe daquella que o cha-
a. En Uo todas assuspcitas da joven sel
rain em urna torrivel certeza, Lremula!
ni,.llovida disse: Maillia luo !ia um mo-
li a perder: vaicorrendochamar osera-
mr .e dizc-lhesq" oVttn aehawas ira lii.ilim
il.:rse aii:da e p:,.ssive! urna graudedes-
e ::r!vez um crime. Anda minba bou i
Martha, mas tu j nao podes andar depres-
sa eu vou mesma.
No mesmo momento a joven sabio forado
qtiarto e correndo atravessou os corredores
chamando os criados, os quaes ouvindo o
motivo do seu desasocego logo deitaram as
barcas ao ro. Anna foi collocar-se na escada
do castello que baixava ao mesmo e d'alli
animava com gestse paiavras as gentes do
castello, parecer,do clavidade dos ardiles
urna bella nymfa que tirina sabido do centro
das ogoas para scduzir os fracos mortaes ;
gracas nos seus cuidados as pesquizas nao Ib-
rain muilo tempo inuteis, poisque passados
poneos minutos os criados do castello depu-
nham aos psde sua joven senhorao cadver
ensaoguentado e innanimado de um joven,
que bem se podia nelle conhecer aquello que
o barqueiro transportavs?
Est morto! disseram todos os criados
em voz baixa.
Morto exciamou a joven eslaes bem
certos e depois Iancou urna vista triste so-
bre u-pielle rosto cheio de graga e nobreza
que pareca dormir sob o inrtuxo doalgum
Pelas 8 horas da noite de 28 de Janeiro foi
assassinado com um tiro o Snr. Manuel dos
Santos Pinbeiro de Carvalho na sala de sua
casa no Engenho-velbo distante da Cidade
pouco mais de legua e meia. Ainda nao foi
dascoberto o assassino. A esto respeito diz
a sentinella.
Snrs. da Opposico nao ha que perder ;
exploren! mais esta mina: nao foi s Joao
Facundo, tambein Manoel dos Santos morreu
d'um tiro. Eia, ped, ped a demisso do mi-
nisterio deste ministerio assassino !...
Niterohy 19 de Janeiro.
Hum assassinatohorrvel foi commettido no
corpo da guarda |>olicial desta cidade nodia
1*> do corren te noite na pessoa do guarda
nacional Manoel Pedro ollbial de carpinte1-
ro, que sustentava huma numerosa familia
com o producto do seu trabalho. Tendo f-
gido ao negociante Felipe Nery de Carvalho
hum pardo por nome Damasio que havia
comprado a hum Calvet do Rio Grande o
tendo noticia de que andava por Piratininga ,
districto desla cidade. encare gou ao referi-
do guarda Manoel Pedro de o prender, auto-
risa ndo-o por uma carta : foi por este preso
no dia lo e conduzido ao corpo da guarda,
onde pergunfando-se-lhc se era escravo de
Felipe Nery negou ; e dizendo-lhe Manoel
Pedro que Ihe provava com uma carta de seu
senhor acodio o pardo Damasio que a prova
era esla e logo fez mengao de Ihe dar um
socco ; mas foi huma Cacada mortal com hum
caivete grande que fez cahir sua victima
sem vida. Notamos a pouca eircumspecc/io
los guardas em nao o apalparen) bem imme-
diatamente ; assim se leria evitado hum cri-
me ; maaquem sabe se com esta s victima
se ter poupado multas | ois que este mal-
vado que tem muita propensao para o assas-
sinato vai pagar com a vida seu horrendo
crime ; o fado criminoso est plenamente
Ca contina a gozar de tran uillidade, e que,
excepto de algumas represen taches, cssas
em mui diminuto numero contra a execu-
cao da lei que reformou os cdigos e que lo-
go se publicilo pela im prensa nada lia que
do gover-
no imperial, parecendo-me antes' que aigu-
ma irritacao que se podia notar em cellos es-
piritos tem-se ido acalmando cada vez mais.
Dos guarde a V. Ex. Palacio do governo de
S. Paulo 29 de Janeiro de 1842. lllm. e
Exm. Sr. Candido Jos de Araujo Vianna.
Barao de Moni'Alegre.
MINAS GERAES.
Nodia 13 do eorrente chegoii a cidade do
OuroPreto, o Exm. Sr. conselheiro Carlos
Carneiro de Campos acompanhado d'um lu-
sido e grande numero de cidadios que o
l'orao esperar urna legea de distancia pres-
in juramento e lomou posse peante a c-
mara municipal. No mesmo arto e depois
deassignado o respectivo termo leo-so tam-
bein a carta imperial de 3 de dezembro p. p. ,
pelo qual S. M. o Imperador houve por bem
nomear vice-presidente o Sr. populado Her-
cnlano Ferreira Pena que prestando o jura-
mento proscripto pela lei foi como tal reco-
nhecido.
Ouro Pelo 26 de janeioo.
Esta capital contina a gozar de perfeiio
socego e s conhece que ha inimisade mui-
lo pronunciada entre os partidos quem le al-
guns artigos que osjornaes publicao cheios
de violencia e algumas vezes de oll'encas pes-
soaes. Dos outros pontos da provincia a no-
ticia mais importante que tenho a dar-lhe he
a de uma especie de rompimento havido cm
Pouso Alegre, que parece lerdado notavel
triumphosopinies polticas dos amigos do
governo contra as da opposico : nao suppo-
nha porm que houve desordem formal ,
ou alten lados de qualquer natureza. Con-
sisti o rompimento de que fallo cm levanta-
ren! a voz algumas pessoas ali estabelecidas
e influentes para declararen) formalmente
que longe de apoiarem as tentativas da op-
posigao contra o ministerio actual e contra as
reformas do cdigo estavao dispostas a au-
xiliar por todas as maneiras legaes o livre ex-
ercicio dos supremos poderes do estado pro-
doce somno, dizendo ao mesmo lempo como
se fallasse comsigo mesma que pena !
Nisto apareceu a velha Martha e rom-
pendo por entre os criados que se achavam ao
redor do cadver, o examinou com aquella
alienado concentrada (|ue um dos naturaus
costumesda velhice e passado algum tempo
exciamou com aecento de Iriuinpho. Vos
nao sabis o que dizeis pois que este joven
ainda vive.
Vive disse Anna cheio, de alegra e
em cujo rosto brilliou o mais bello eollorido.
Ser certo disseram os criados.
Quem se atrev/t a duvida-lo? Respon-
den Martha eom orguilio. Vo j chamar o
cirurgiaoquo se adiar mais perlo, e elle po-
dar dizer-vos se eu me engao mas em
quanto elle nao chega eu me encarrego de
cuidar deste joven.
As ultimas paiavras de Martha foram ouvi-
das seno com urna inteira conlianca pelo
menos com urna submissao respeitosa. Mar-
tha era uma daquellas mulheres queseen-
conlram por varias vezes as quaes tendo-su
dedicado ao servido de urna familia durante
mais de uma gerago acabam por adquirir
uma certa autboridade sobre osdeinais cria-
dos, e ainda mesmo sobre osamos. Alm
disto passava por ter alguns conliecimeiitos
de medicina e sempre que alguem se ada va-
doente no castello era consullada.
A senhorade Arcona, ajuntando seu ze-
lo ao de sua ama, deu ordem de por a dispo-
sieo desta um dos melhores quartos do cas-
tello para se transportar o joven desconheido.
Minba boa Martha Iba diz a joven pego-te
que tenhas todo o cuidado ueste infeliz man-
cebo e que me venhas dizer o resultado da
visitado medico.
Seguramente que se ella nao receasse os in-
discretos comntanos das gentes do castello.
Anna nfto leria a necessidade de fazer esla re-
commendago a Martha e nao teria confia-
do aoutrm urna tarefa que no fundo do seu
coracao ella tnvejava sua ama.
(Continuar-se-ba)
ILEGIVEL
'


I
kOi
'oedimento este que tem sido imitado por con-
sideravel numero de cidados daquelle muni-
cipio.
O novo presidente, Carlos Carneiro de
Campos que aqui oi muito bem recehido,
c que tem do corto qualidades c maneiras pa-
ra ganhar a geral sympathia mostra louva-
vol zelo no exercicio de suas funcges cui-
dando principalmente de realisar os mnios de
salisfazeras despczas publicas, queseacho
cm enorme atrazo e de promover a impor-
tantissima obra da estrada do Parahybuna,
S-;m abandonar o melhoramento de outras.
Estou persuadido de que a provincia em
geral far o devido apreso de seus exforgos,
a proporgAoque r experimentando os bene-
licios de huma administragao Ilustrada e cir-
cumspecta o que com tudo nao inhibir os
jornallas da opposigAo de loe dirigirem ata-
ques infundados, e at pequeninos e im-
proprios de homens que se arrogao o titulo de
zeladoresdos interesses pblicos
Muito se trabalha para a prxima eleigAo de
senador e posto que alguns jornaes da op-
posigAo pareco lizongear-se com a idea do tri-
umpho eu estou persuadido que ella vai er-
rada nos scus clculos. ( Carta particular. )
dem 20 do Janeiro.
Consta-nos que s. Ex. o sur. presidente
da provincia tem ja mandado dar execugAo
aos decretos imperiaos pelos quacs fe-rao sus-
pensos de suas funcces para serem processa-
dos em jnjzo competente os vereadores de Bar-
baeena Presidios. Jood'El-Bei, que as-
signara as representaces dirigidas ao thro-
ii contra leis j sanccionadas.
GOYVZ.
lo de dezombro.
No dia 13 do p. p. mez de novembro che-
gou a esta capital o Exm. snr. presidente D.
Jos d'Assis Mascarenhas gastando 28 dias
de jornada, sua Ex. foi reccbido pelo Coya-
nos com as mais vivas demonslraces de jubi-
lo e de amor ; reassumindo as redeas do
governoda provincia, que por8mezes e
dias fra sabia e patriticamente administrada
pelo Exm. vico-presidente o snr. senador
Jardim teve asatislagAo de conbecer que a
paz e tranquilidnde continura a reinar no
territorio goyano em todo o lempo da sua au-
sencia ; S. Ex. continua pois nagestudos
negocios administrativos da provincia quo
lhe deo o bergo, com amcsina sabcJoria, im-
parcialidade e rectidao que sempre o ca-
ra terisa rao.
III lilil HE l'Eli\ HlllLCII.
FEVERGino 21
Chegou hontem do Rio de Janeiro o Vapor
Bahiana, que di/.em vir em commissao do
Governo ate a Provincia do Cear tendo to-
cado na Bahia : outro paquete ordinario fica-
va a partir no dia 15. Parece que esta eom-
misso he a remessa da Lei da reforma do
Cdigo.
Os jornaes do Rio que por elle recebemos
ebegam at 14 do correte : delles deixamos
transcripto urna parte do que nos parecco mais
interessante, e amarilla continuaremos.
Os dous objectos que mais oceupavam a
imprensa peridica da Capital ltimamente
eram : I. a repreontaeo da Assemblea
Provincial de S. Paulo ouja deputacan .
como terao visto os nossos leitores, S. M.
1. nao se dignen admillir i sua augusta pre-
senta : 2. a declaradlo do Sr. Senador rei-
j que tem sollrido acres e justas censuras.
Com data de 51 do passado foi publicado
o regulamento N. 120 para execugao da
parle policial e criminal da lei da reforma
do Cdigo do processo contendo 504 artigos;
e com data de 2 do corren te o regulamento
-\. 122 contendo disposices provisorias para
a execugAo da mesma lei, em 37 Artigos.
Por Decreto de 5 do frrente foram Ho-
rneados os segundes Conselheiros d'Estado:
ORDINARIOS.
Os Srs. Visconde de Olinda.
Caetano Maria Lopes dama.
Bernardo Pereira de Vasconcellos.
Jos Antonio da Silva Maia.
Manoel Alves Branco.
Honorio Mrmelo Carneiro LiAo.
Francisco Cordeiro da Silva Torres.
ESTIUORDINAMOS.
Os Snr. Bispo d'Aneiiiuria.
Barflole Moni' Alegre.
Jos Cesario de Mirando Rebeiro.
Jos Carlos de Almeida Torres.
Jos Joaquim de Lima e Silva.
No dia 7 prestaram estes Snrs. juramento
no pago da Cidadc faltando os Snrs. Bu rao
de MonP Alegre, Bispo 6oAnomiiria fe Al-
meida Torres.
Foram despachados os Saguintes chefes
de polica: da Corte o Sr. De/.ombargador
Ensebio de Queiroz (>oulinho Mattoso da C-
mara : de Pernambuco o Sr. Dezembarga-
dor Autonio Ignacio de Azevedo: do Mar-
nho o Snr. Dezembargador Jos Mariamii ;
do Para o Sr. Juiz de Direito Albino Jos
Barboza d'Oliveira : do Cear o Sr. J. de
DireitoXjSo Antonio de Vasconcellos.
0 Srfl. Doctor J. M. Figueira de. Mello
est nomeado Juiz dos Feitos da Fazenda des-
ta Provincia.
0 Snr. Dezembargador Rodrigo de Souza
da Silva Pon tes est nomeado Presidente da
Provincia do Para.
Do Rio Grande nada havia de novo as-
sim como de S. Catharina : em S. Paulo
nao havia sido alterada a tranquilidade pu-
blica nem tAo pouco em Minas ; sendo sem
fundamento as noticias que hontem aqui se
espalharam.
Da Rabia tivemos jornaes te 18 do corren-
te dos quaes consta estar aquella Provincia
em socego e ter-se aborto a Assemblea Pro-
vincial no dia 2 do correte, tendo sido no-
meado presidente dcsta o snr. Tliomaz Xavier
Garca d1 Almeida.
Acabam de informar-nos que no veio ainda
ordem para por em execugAo a lei da reforma
do cdigo.
D E C L A R A C O E S.
Jacome Geranio Mara Lumachido Mello, Es-
crio da Alfandega de Pernambuco no im-
pedimento do Inspector da mesma por S.
M. I. O Senhor D. Pedro Segundo quo D-
os Guarde etc.
Faz saber, quo no dia 25 do corren te ao
meio da porta da Alfandega, se ha de arre-
matar em hasta publica urna caixinha com
500duzas de ribques no valor de 20j rs. ,
impugnadas pelo primeiro Escriturario Je-
nuino Jos Tavares, no despacho por factura
de E. Schaefler, sendo a arremataco susci-
ta adireitos o expediente. Alfandega 23 de
Fevereiro do 4842. Jacome Gerardo Maria
Lumachi de Mello.
O Palaxo Portuguez Novo Congresso -
vndo do Lisboa, entrado no correte moz,
consignado a Francisco Severiano Rabello,
manifestou o segnnte :
2UJ barricas com sardnhas, 1 barril com
dita, 5 pipas com vinagre, 20 ditas com vi-
nho, 20 harris com dito 52 ditos com azeite,
500 molhos de ceblas, lo!5possas do louga,
200 varas de lagedo Fora do manifest
1 caixa com obras de prata, 10 barricas com
castanhas piladas. 71 harris com carne, 01
caiias com touciuho i bah com vellas, 00
barricas com sardnhas, 20 eaixas com mas-
sas, 75 ditas com passas. 47 meias ditas com
ditas, 5 harris com azeite, 4 embrulho -
ignora-se.
A barca Inglcza Emyli vinda de Gar-
nisey, entrada no correntc mez, consignada
a Frederico Rolrdlind manifestou o seguin-
te. 180 quintaos de batatas.
C7- Pela Administragao da Meza do Consu-
lado se faz saber quo no dia 25 do corren le se
ha de arrematar a porla da mesma Adminis-
tragao urna caixa de assucar branco aprehen-
dida pelos respectivos Empregados do Trapi-
xc da Alfandega Volha por inexaeiidao de ta-
ra ; sendo a arrematarlo livre de despozas ao
arrematante. Meza do Consulado de Pernam-
buco 21 de Fevereiro do 1842.
Miguel Arcanjo Monteiro dWndrade.
= O Pataxo Bella Carlota, sao para o Bio
do Janeiro no dia 25 do correntc, recobendo
a malla no mesmo dia as 10 horas da ma-
nh.
O Briguo Feliz destino sai para o Bio
Grande do Sul no dia 27 do eorrente rece-
bendo a mala na vespora as quatro horas da
tarde.
OBrigue escuna Deliberaclo de que
mestre Manoel Francisco da Silva Araujo ,
sai para Angola no dia 28 do corren le me/.
A AdminislragAo das obras publicas
compra para a ponte do Rocife as madoiras
seguintes, a saber : 50 linhas de 54 pal-
mos decomprido, e 12 para 13 polegadas de
grosso. Seis linhas de 50 palmos de com-
prido e 12 para 13 polegadas de grosso.
Trinta estivas de 47 palmos de comprido, e
7 para oito polegadas de grosso, 520 estivas
de 44 palmos do comprido, e7 para 8 polega-
das de grosso. Todas as pessoas que quiserem
vender taes madeiras podem concorrer na
Sala da sobredita AdministragAo todos os di-
as, as horas do expediente para declararen!
os "ltimos breaos porque as vendern, e o
menor tempo cm (pie as darn e saberem
de que qualidades devem ser, e mais cir-
cunstancias. AdminislritrAo Fiscal das obras
Publicas 25 de Fevereiro de 1842. Moura,
Administrador Fiscal.
=. A Administragao Fiscal das obras pu-
bllicas tem de comprar, em haste publica,
a quem por menos vender huma porgo de
enlulho para 154 bragas de aterro, entro as
pontos grande o pequea da Magdalena : as
pessoas que pertenderem vender tal enlulho
por canoas, podem concorrer na Salla da so-
bredita AdministragAo no dia 20 do correntc
para se tratar de tal negocio, com a pessoa
que por menos vender. Administrarlo Fis-
cal das obras publicas 22 de Fevereiro de
1842. Moura A. F.
SsyPor ordem do Exm. Snr. Piozidente a
AdministragAo Fiscal das Obras Publicas alu-
ga o 2. andar do 1." sobrado da ra do Pa-
lacete, athe o fin do mez de Setombro dopre-
zente anno por aluguel de trezentos mil reis
por anno pagos mensalmente: quem o per-
tender, e o quizer ver dirija-so ao mesmo so-
brado, cujas chaves se achilo em poder do mo-
rador do 1." andar, para o franquear a quem
quizer examina-lo; e cazo Ihc agrade pode di-
rigir-se ao Administrador Fiscal da sobredita
Reparlicao cm sua caza ou na mesma Ro-
pa rticAoas horas do expediente.
= As ligOes da Aula de Partos principiara!)
desdo o dia 15 do correntc : e a malricula
continua at o ultimo do mez todos os dias
uteis at as duas horas depois de meio dia.
THEATBO.
=FungAo de msica Gymnastica e Mimima
para Domingo 27 do eorrente, debaixo da di-
recgio do Artista Jos dos R"is. 0 director
cada vez mais agradecido ao indulgente e Ilus-
trado publico desta cidade pelos repetidos fa-
vores que continuamente delle recebe, assim
como a sua familia, tem determinado pa-
ra esto dia em prova do seo agradec men-
t um variado e escolhdo espectculo,
que espera soja digno da attengAo de
tAo sabios espectadores, tendo lugar difieren-
tes eharmoniosas pegas de mu/.ica cantadas
por Madama Emilia Amant, extraordinarios
exerccosGymnastcos esortes novas em cima
do rame frouxo, desempenhadas pelo artista
Jos dos Reis; grandes forras de queixada
por Joaquim dos Reis; a pedido de militas pes-
soas tambem se cantar a mu aplaudida to-
nadilha Kspanhola-O poeta o msico e a se-
vilhana nAo esquecendo as modinhaS da chi-
quita, com novas quadras e nova tragedia.
xecutar-se-ha urna nova e divertida panto-
mima ao estillo Italiano, que tem por titulo o
pasteleiro Romano,ou o comilao, a qual ser
embelezada com todo o seo aparato, e prospe-
ctivas, mu singulares, e scenas racio/as,
que muito divertirao. Dar principio as 8
horas e um (piarlo.
A V I S 0 S I) I V F B S 0 S.
S^r Joze Joaquim Pereira d'Alnieida e Vas-
concellos Director doCollegio de Sanio An-
tonio na ra de Traz da S no Porto e Pro-
l'essor deOrammatiea Latina no uieMnoColle-
gio cofiecendoque emquanto foi Director
no Collegio da Lapa all seenearainhavSo va-
rios Brasileos para recebercm suas ligos c
educagao poresle aviso Ibes faz saber, que
elledeixou a hnbilagao da Lapa em consequen-
cia d'aqnelle lugar se adiar continuamente
encuitado de Soldados e nnilhero.s mal enea-
minhadas : e por isso lugar improprio para e-
ducagao de meninos ; e assim aquelles que
queiro recebera educagao elic(>es tanto del-
le Annunciantc como dos Professores que
ensinao no dito Collegio de Sanio Antonio po-
derao a ello dirigir-se na ra de Trz da S no
Porto.
tF uem liver um moleque de 14 a 10
anuos, que o queira trocar por umaescrava
maca derija-se 5 Ponas venda da (juina do
becode mariscoD. l e se Ihc dir o moti-
vo deste negocio
$-? Da-se 2*iOj000reis, apremio de 2
por cento o mez sobre pinliores que excedao
da dita quantia ; quem |)recisaraiinunci.
tiy Manoel Jos Barbosa e Silva faz
publico que du hora cm diante assignar-se-
li Manoel Jos Barboza l^aga.
i2f- Uin Brasileiro cazado de boes costu-
mes econi muila pratica de ensinar primei-
jas letras se oflerece com sua mullier para en-
sinar primeiras letras a meninos e meninas
em algum Engenho al 12 liguas de distancia
des la praga ; a tratar na Ra do Rosario lar-
ga D. -4 primeiro andar.
tST Oabaixo assiguado faz publico, que
o seu anmmcio inserido no diario N. 41 de
segunda feira foi feilo por engao visto que
ainda seriAo tinhSo jdstado con las d por is
so o Sr. ilippolito Lavene se acha desem-
baracado. Constan lino Jos Lopes.
cy 0 abaixo .-lssignado faz publico que
contina no correte arino o cnsino de Geo-
metria o pretende dar principi a suas li-
gos no da 7 de Margo p. futuro: dannun-
ciante rezide em o segundo andar do sobrado
D. 18 no pateo do Hospital do Pdrizo e a-
hi pode ser procurado de meio dia at duas
horas. Felippe Nery Colaco.
Sy Precisa-se da um andar de sobrado,
ou casa terrea que tenha commodos para fa-
milia ; em fora de portas ou em qualquer
ra do Becife e da-se um quartel adiantado-
quem a tiver annuncie.
C7" Precisa-se de um andar de sobrado na
Boa-Vista, que nAo exceda de 10 a 20i reis
mences e que tenha commodos ; quem o
tiver annuncie.
cr Quem annunciou dar a juros iOOjOOO
reis sobre lima casa terrea no bairro de Santo
Antonio annunde sua morada para se tratar
este negocio.
Sir Na ra do Livramento D. 2 dezeja-sc
muito saber se ilesta Provincia existe Mano-
el Jos Gongalres Lomba.
= Aluga-se lm sobradinho de um andar
na ra da Praia ; dirijAo-se a Praga da lnde-
endencia loja de livros t. ^1 e 38.
tST Aluga-se lina casa de dois andares con-
certada c pintada de novo com bons como-
dos sita n i Ra da cadeia velh doRecife; a
fallar com Domingos Jos Vieira ha Praga do
oommcrcio.
tzr Manoel Jos d'Oliveira Mello, prprie-
tario do engenho Marajo da Freguezia de Tra-
cuem Comarca de Nazarethe da Malta ,
faz publico que em seu engeihd appareceo
um preto muito bugal, que nao sribe dizer,
quem he mi Sr.; qttem o for dirija-se *o di-
to engenho que dando os signaes Cerlos Ihe
ser entregue. No mesmo engenho ainda so
acha o escravo ja annfinciado' to diaato de 14,
e 15deJunhode 1841 pelo mesmo proprie-
tario e at o presente ainda nao honre quem
desse os signaes do dito escravo de tantos ,
quo se tem dirigido, ja" porcartas particula-
res', eja pelo prelo ; outro sim oannunei-
antesenao responsabelisa por atuga, ou mor-
te dos ditos escravos e nem lAo pouco a res-
ponder ao nuncio algum.
= Precisa-se alugar um preto ou moleque
para o servigo de urna casa : na ra da Cruz
\.!), 2. andar.
= Quem annunciou no Diario de 23 do
correle, ter urna negra para vender que
sabe coinhar eiigommar, e faser mais ser-
vigo de una casa ; queira ir leval-a hoje as
11 horas do dia na ra do Bosario larga no
5. andar do sobrado, que tica por cima da lio-
tica do sr. Barlholomeu que l achara com
quem tratar ; e no qucrcmJo pode annunciar
a sua morada.
Quem liver um bom fi lindo cavallo o o
queira vender ; dirija-se a ra da Cruz N. 9 ,
segundo andar que achara com quem tratar.
= Precisa-se de una ama forra ou captiva,
para o servigo de nina casa de pouca familia :
na ra do Bosario botica de Barlholomeo &
Ramos.
=: Fiirlaro da oseada do sobrarlo de un
andar de fronte da lg>eja de s. Pedro, ontem
pelas dlizo horas e meia do dia um laxo do
cobro fizado, que tem de |>eso doze libras:
quem dc>le der noticia se gratificar com o
valor do mesmo laxo.
sa O abaixo asignado nAo podendo jiela
brevidade do sua partida para a Comarca do
Rio I'orinoso, despedir-so pessoalmente de
todos os seus amigos, serve-se do presente
meio para Ibes pedir desculpa desta involunta-
ria falta, e oll'erecer-lhes ali os seus fracos
servigos.
Fernando AITonso de Mello.
S3T No dia 10 do correntc foi preza urna'
crila Je r.ome Thereza tahr, seca, fula,
nariz grande, boigos grossos esquecida do
braga direito epucha por una perna ; a
qual se acha na cadeia de Olinda onde se
podo dirigir quem for seu dono.
fcy Fr.zein-sc casacas debradas de'
panno preto o de cores a 20* rs. sobrecasa-
cas a 28* r. /aquetas de panno debra-
das a I 4. rs. caigas de panno prelo c azul ai
I2j rs. coletos de veludo a 7* rs. ditos de
sarja de palmas a 5500 na loja de allante
do beco largo da Matriz deS. Antonio junto
a um torneiro.
t7* Aluga-se urna cxcellente casa terror*
no lugar da Soledadc n. 447, com muilo bom
quintal todo murado de pednr e cal e todo'
plantado com bellas larangeira9 coqueiros,
o outras arvores de fructo cozinba, fora ,
quarlo para escravos e cacimba : quem o'
pretender dirija-se a praga do Corpo Santo- a*
Tallar com JoAo Antones Cu i maraes.



Pi
titrir.-n ..zxtfHM
m
.j^L.g"--""- i'........i?ij"j;-...>'""C


i^r Precisa-so do um caixeiro : no bote-
quim jimio o llioatro.
Desej-s, lidiar coin o Sr. Ovidio Gon-
salves Valle, assiui coico com a Sr.- Alaria viu-
\adoSr. Marcelino a negocio de intcresse;
na na da Cadeia do Recife luja n. 17 ; na
inosma loja ha una caria para o Sr. Joze Pe-
reira de Mondonga, e outra para o Sur. Joao
Fredeiioo ilt> Abren Rogo.
XTJ" Da-sa a juros deum e ineio por ceuto
a (inanliade ti. >!)()()> de reis sobre pinhores,
ou qualquor oujtra garanta a contento : na
rila ioRangcl D. segundo andar.
S ./ Quem quisor 8, rs. a juros a dous
pj>r cenlo un mez <;oin liypotlieca em casas ,
dirija-se a ra de Hurlas 1). 12 segundo an-
dar.
jet- Alugo-se negros para tocio o servigo :
quem os pretendor dirija-se a praga da Boa
vista da parte do nascente D. (i.
i\T l.u'liarel Joze dos Alijos Meira de
Amorim Juiz Substituto das varas do Criine e
Civel desla Comarca avisa as pessoas que'
pleiteio perante este Juizo que para me-
Ihor commodidade, das partes, tem tranferi-
do as audiencias das quarlas e sabbados, pa-
ra as segundase quintas feiras no lugar do
coslunie depois da audiencia da segunda
vara,
*** A pessoa que Ihe faltar un escravo
a inda bruto sejn barba procure nos Allb-
gados casa de Tliom Pereira Lagos que
dando-se-lhe os signaos Ibe entregar re-
eom pensando a pessoa que o pogou.
'Af D-se lo!!. rs. a premio, sobre pi-j
nhores de ouro : na ra do Livramento D-
cima 10.
y Abiga-se um primeiro andar de so-
brado para pequea familia no forte do i
mallos rua de Joze da Costa por cima do ar-
-:< 1/..M11 de Rodrigues da Costa Carvalho : no
ursino annuzem.
EJ* Alilga-se um segundo andar do sobra-
do na ra do [{ngel D. 3 : na ra do Cabu-
g n. 5.
i-T Precisa-so de um bomem do paiz,
ou estrangeiro, (lueentenda de plan tagnes ,
para feilor de um sitio porto da praga : na
ra da Cruz n. lo.
y Precisa-so de ura capelo para dizer,
a missa das 7 lloras na Matriz da Boa vista e |
no tcihfioie festa na Ponte d'tyxpa : a tratar
na ra do Queimado loja I). 5 lado do nascen-
te de Joao da Silva Sanios.
s:j* O Si-. Joze 'lavares Rastos quoira ir
receber ra do Crespo loja de Antonio da
Cimba Soares Cu i maraes urna carta que Ibe
remetiera da Parahiba,
SS?" A pessoa que annunciou no Diario de
22 do correle precisar de 100j rs. a premio
dando pinhores de ourp queira annunciara
Ma morada.
C7- Roga-se ao Snr. Fiscal de 01 inda paja
que veja setn demora o atierro a dianle do
['isa que osla prximo a rebentar ; e visto
que o invern estar a porta e se pode
evitar maioivs despezas e transtorno pu-
blico.
i_y Roga-so ao Sr. F. J. de F. baja de no
piv.so de 5 das vir pagar na ra do Rozario es-
trella 1). 1 i o i|ue esta devendo a dous an-
uos
S27" O Snr. Rendeiroque foi de corto En-
genbo do. Coiar.na e boje morado? nesta
Cidade queira mandar pagar ao abaixo assi-
gnado a quautiade 5jci00 rs. importe ile 2
burris de Potassa que foi pessoalmenle com-
prar eni sna casa na ra das Cruzas no anuo
de 1853 rujo praso sem juros parece demasia-
do para urna tao pequea.quantia e por isso
nao man.ando pagar t o lim do corren te
mez sera o sen nome declarado ueste Diario
para evitar que outros lenho a mesma gene-
rosidad^ esse devedor que no caso de nao atlendcr a
este, aiinuncio tambem ser chamado a con-
cilladlo judicial. = Joao Rufino da Silva
Ramos.
5^7* Aluga-se urna boa casa terrea na at-
ierro dos Allogados com duas sallas (i
(piarlos cozinlia fora quintal murado e
calimba, a qual be a segunda passando o
sobrado do Sr. Antonio Luiz Ribeiro de lri-
to ; e mais um sitio no principio da estrada
do Poco, pegado ao do Sr. Joaquim Consal-
vos Rastos e o fundo a encontrar ao do Sr.
Ninio Mara do Seixas, com boa easa de vi-
venda coxeira, e estribara para cavallos ,
casa para pfetos e &c.: e vende-se urna creo-
la de 20 anuos sem achaques nem ir.anhas :
na rua da Cadeia do Recife. casa n. 44.
KST Me. Calmont ti Companhia agentes da
Coinpanhia Alliance dos seguros contra fogos,
nesla Cidade avisa as pessoas ipje quiserem
segunir suas prqpriedades de comparece^
ii-in no s'ii csrriptorio na rua da Cadeia
1). li.
tff D-se dinhero a juros de dous por
cento com hypothecas em casas terreas nes-
ta praga : ua rua da Peuha vendaD. i5.
cr Quem quiser alugar urna canoa de car-
reira dirija-se a rua do Arago casa do
ladoesquerdo defronte do sobrado de dous
andares o nico deste lado.
\ZJ~ Quera precisar de urna ama de leile
crela, dirija-se ao becodo Azeite de Peixe
sobrado de um andar junto a.refinago.
S3T Precisa-se de urna criada para todo o
servigo de urna casa : na rua da Camboa do
Carino sobrado de dous andares no priuieiro.
S*j~ O Baoharel Joze.Quintino de Castro
Leo, continua a advogar em sua easa na
travessa do Rozario para o 'Queimado, no
primeiro aiular do sobrado onde mora o Sur.
Seralim.
cr A pessqa quem embarcou um caixao
de rap a bordo do Brigue, Escuna de Cuerra
Niclheroy a entregar no Cear a Luiz
Rodrigues Samico queira manda-lo receber
porque o dito Brigue Escuna transferio sua
viagem.
SZT Porinuta-se p predio cima annunci-
ado por predios no Recife, ou S. Antonio e
faz-se negocio, nao obstante ter de repor.
AVISOS .MAR ITI1IOS.
ss dos Navegantes : quem quisor carregar ou
ir de passagem dirija-se ao Mostr da mes-
ma no forte do Mallos ao p do Trapiche do
Algodo.
L E I L 0 iE i> S .
ir?* Perante o Chaneeller do Consulado de
Franca por con la de quem perlencer e
por iulervencao do Corrclor Oliveira se lo-
ra leilao publico boje 2o do corrente as 10
horas da maulla na rua Nova casa da Se-
nhor Baranger, defronte da Matriz, de difie-
ren les onjeelos pertencen tes ao fallecido An-
tonio Dutocq subdito Francez consistiodo
os principaos em mesas redondas para ,meio
desala, ditas para jogo cadeiras marque-
zas camas de ferro quadros com cstam-
l>as e sem ellas espolbos secretarias vi-
nhudc Rordeaux engarrafado, dito branco
em caixas e muilps outros ohjectos constan-
tes da relaco que se acha para oexamc em o
Consulado de Franca e que se achar" pa-
tentes na occasiao do leilo.
CT Russell Mellors C. fazem leilao por
inter\engo do.Correlor Oliveira de grande
e explendido sortimentodo lzendas Inglezas
recen lomen le chegadas e as mais aptadas
para osle mercado por seren suas qualida-
des bom eonhecidas e justamente bem acre-
ditadas n'esta praga e Provincia; Terca fe ira
i." de Margo as 10 horas da manba em ponto,
do scuarmazem na rua da Cadeia.
= 2.a feira 28 do corr nte s 10 oras da ma-
nba em ponto, James Crabtrt-e e C. conli-
nuaro por intervenefio do Corretor Oliveira j
o sen leilao de fazendas Inglezas, principi-
do Quarta feira passada 23 em conseqnencia
de ni) terem recebido a lempo as amostras
das suas lindas chitas de novos padroes re-
ce chegadas pelo navio William Russel para
seren a presentadas cm o leilao d'este dia.
COMPRAS.
Hf" Sebo em pao ou em rama : annun-
cie.
c^- Fscravos para fora da Provincia, de
10 para 20annos sendo de bonitas figuras
pagao-se bem : na rua do Colegio 1). 10.
SU- Un sitio'qne tenha bstanlos frucloi-
ras viveiro e boa casada vivenda nao se
olha a prego conforme osen estado : annim-
cie para com brevidade se tratar deste nego-
cio.
VENDAS.
tsy* Vellas de carnahuba milito melborcS
doqueas(|ue se vendem a 5(0 ( 400 rs. ,
por 380 rs. a ora : no pateo do Hospital so-
brado n. \ primeiro andar e no atierro
da Boa vista fabrica de charutos D. 13.
&U" Urtia eserava de angola de meia ida-
de : na rua do Calabouco D. i.
!7- Pentes de tartaruga da moda lisos
nabertos: tambem se concerfa toda a obra
de tartaruga : na loja* do sobrado da quina
que volla para as trincheiras.
i~7- Para fora da Provincia um crelo de
50 annos : a tratar com o segundo Comman-
dante Coral do Corpo de Polica no Quarlel ou
a sua casa na rua do Fagtindes.
S3" Fina bomba de patonfe com saca-nan
bos de bronze, mui propria para qualque-
genho, porlerdj comprido 5."> |>s : em
casa de Silveshe loaqTi do Nascimenlb no
attterro das o ponas.
Sedas e setins laveados para vestido,
sarja preta larga e estreita setim de macan
para cofete e para veslido, meias e luvas
para scnbora e para bomem sapatos de
bezerro para homem ditos de marroqum e
de duraque para senhora pannos linos de
todas as cores e qualidades meias de laia
para Padre chapeos de sol de seda para bo-
mem casemiras de Ostras, litas de toda
qualidade vellido preto para colote e ou-
tros muitos objectos tudo por prego com mo-
do: na rua Nova D. i 5 junto ao calderero.
C?* Sacas de arroz branco .superior, por
prego commodo : no atterro da iRoa vista
venda D. 59.
SE3- Semen es de nabos salga senoira ,
coentro alface e mustarda todas milas
novas : no atterro da Roa vista de baixj) do
sorbado Sr. Francisco Jos da Costa D. 56.
JES" Vende-se ou aluga-se a casa terrea n.
15 em Olinda ao p do Varadouro confronte
a Igreja de S. Sebastiao com commodos su-
ficientes para familia e quintal murado : na
rua pstreita do Rozario segundo andar da
casa D. 50.
cano mais barato o rs. ao p de que em outra
qualquer parte por se precisar do armazem
que oceupa : na rna da senzala armazem
de Vicente Joze de Rrito.
C"/* Panno preto muito fino, dito encar-
nado proprio para fardamento &c. ditos de
mitras cores, meias de seda pretas compri-
das chapeos de massa francezes, camisas de
l com tecidode meia, brotan has de linho li-
nissimas panno de linho para camisas, len-
ges &c. alem de ou tras fazendas em abun-
dancia cm conta e de bom gosto : na rua
do Cabog D. 7.
C#* Urna cadeirinha .acabada de pintar,
forrada e de bom gosto e um banheiro de
foi ha novo, mui bom, tudo por proco
commodo: na loja de Manoel Comes de Car-
valho.
' CT Dous fteiros com 0 videos grandes
proprios para mostrador : as 5 ponas loja
de funile.iro I). 15.
!tnr Papel de peso azul de superior quali-
dade em meias resmas a 1#3QQ rs. : no atter-
ro da Boa vista junto ao tinlureiro D. 50.
'**'!C7- Cartas de sy I lates e palavras a 80 rs. ;
taboadas a 40 e 80 rs. pautas grandes o
pequeas a 50 c 00 rs. 5 Quitiliauno Sele-
cta Diccionario francez-portuguez yiee-
versa por proco commodo : na rua Direda
loja de couros D. 20.
t7- Rap pnnceza da fabrica de Lisboa ,
do melbor que ha na Ierra : na rua da Cruz
11. 57.
v ssr Atlas geogrfico por J. Andrivcau-Cou-
jon ; Segur historia universal 0." edigao 12
v. com estampas, Millot historia universal
10 v. ; Culrie geografa 5 v. ; Fonseca icio-
nario francez e porluguez Coldsmilh histo-
ria Romana A v. Casado Giraldas tratado
completo de geogralia 5 v. Magasin 1 v. ;
Cuizot curso da historia moderna 1 \. Mu-
lior hisl ria universal 2 v. Reauchamp historia
do Brasil 5 v. Vosgien Diccionario geo-
grfico universal 1 v. Aunaos de Tatito 2
v. Suspiros poticos 1 v. ; Cousin curso de
filosofa 5 v. Klotte lices elementares de fi-
losofa 5 Vi ;' Virgilio 5 v. ; Telemaco 1 v. ;
I). Ignez da Castro : tudo por mdico prego
por sen dono se retirar desla Provincia : no
pateo de S. Pedro por cima do bilhar primei-
ro andar.
s^r i7 travos de boa qualidade de 55 a
40 palmos todas ou parle dolas e 20 li-
bras de aran ; ludo por prego commodo : na
rua da Cadeia velha 11. 5.
\Zf' \onde-sc por seu dono retirar-sc dos-
la provincia um cavado castanho, grande,
novo muito maniendo ptimo para carri-
nho do que ja tem [irincipio sem achaques ,
alianca-se ao comprador por 100, rs. :
na Trompe sobrado da fabrica de rap areia
pro la.
C7- Direilo Mercantil por Silva Lisboa : na
rua do Ouoimado loja de ferragem D. 2.
izf Urna canoa de vella que carrega de
barra fora e pega em 5 caixas com todos
os seus aparelhos : no principio do atterro
dos Allogados sobrado do Lima.
- Piannos Inglezes do bem conhecdo
author John Broadwood & Sons de Londres:
em casa de Me. Caimont \ Companhia.
-^SS5" Carros inglezes de patente, para 1 o
2 eavallos com coberta e sem ella c com
lodosos seus pertences : em casa de Me. Cal-
mot & Companhia.
$~j" Fina parte de una casa( um tergo
pouco mais ) sila no atterro da Boa vista on-
de morn e Do/. Joze Libuniode Souza, com
dous andares e soto e grande quintal que
Val al a outra rua onde se pode fazer oulro
predio: qucHi a pretender annuncie a sua
morada para ssr procurado ou dnja-se ac
Recife rua da Cruz D. 12 que ah acharo
com quem tratar de manh at as 9 horas e
de tarde das duas as A lioras.
ssr Manleiga de superior qualidade em
barris de 28 libras cerveja branca por 2,)800
rs. aduziaem barris de A duzias genebra
da Hollanda em frasqueiras charutos da Ba-
bia em porgues grandes pequeas, para
fechar contas : na rua da Cruz D. 4.
"2^* Sal do Ass a bordo do Brigue Es-
cuna S. Joze : a tratar com F. M." Rodrigues
& Irmos rua dos Tanueiros n. 12.
c^- Oleo de copabiba em barris peque-
nos, e barris de vinbo do Porto superior qua-
lidade : em casa de F. -M. Rodrigues & Ir-
mAos rua dos Tanueiros 11. 12.
ESCRAVOS FGIDOS.
12^* Do abaixo assignado fugio no princi
pi do corrente mez um niolato acabocoiado,
do 4o e tantos anuos a 50 cambado das pei-
nas magro, de estatura regular ; quem o
pegar leve-o em casa de Me. Cajmont & C. ,
que ser recompensado.
Frederco Sanfans.
53* No dia 17 de Dezmbrop p. fugio do
sitio de Joze Bernardiuo Lial em Parnami-
rimo escravo Joaquim anida bugal levou
camisa, e caigas de algqdo, tem olhos gran-
des e bigode bastan,te crescdo he muito
gordo e grosso do corpo ; este negro veio
doAracaty, aonde diz elle que andou uas
guerras do Labatut e porisso tal.vcz agora se
chame Joaquim Labalul, julga-se andar por
as mallas e sitios de agoa tria at 0 Montciro;
quem o pegar leve-o a rua da Cadeia velha
11. 5 que ser gratificado.
ST7" Fugio do Engenho Goiana 1 fregpe-
zia de Serinhaem o crelo Tihureio bai-
xo fulo de 25 a 28 annos nouca barba,
nariz c cabega achatadas com as costas sica-
trisadas de chicote e com urna marca do
ferida'a rima do calcan bar de limadas pei-
nas : quem o prender leve ao mesino .jjiige-
11 bo que ser bem pago.
S35" No dia 21 do corrente desapareceoo
crelo Antonio que audava vendendo capini,
de cor fula rosto comprido e descarnado ,
oslatura ordinaria tem un cordao ao peseo-
co com um breve v levou camisa de algodo
da trra calcas azues de algodozinho tran-
cado um parapertodc cuuro e chapeo de
palha ; (juem o pegar leve-o nas 5 ponas lo-
ja i). 22.
S~P" Fugio no dia 8 do corrente o negro
Antonio Angola de 50 annos canoeiro ,
secco e alto muito regrista ; costoma an-
dar pelo Monteiro, Casa forte S. Amaro o
Olinda ; fie apelillado por apaga-fogo : quem
o aprehender pode leva-lo a sen Sr. no beco
da Lingoeta 11. 50 que gratificar.
M O VlM E5TO DO POR T O.
NAVIOS ENTRADOS N0 DIA 25.
Lisboa ; 51 lias Brigue Brasileiro Angela
de 12'J tonel. Cap. Francisco BOrga An-
lunes da Silva equip. 10, carga podra de
cantara e mais gneros ; a Ordem.
Angoja ; 52dias, Brigue Brasileiro l'ernam-
bucano de 205 tonel Cap, Joze Pereira
da Cos.ta equip. 15, carga' cera e esleirs:
a Joze Francisco de Azevedo Lisboa.
Macei j 2 dias Brigue Ingle/. Mai v Queen
Of>colsde2';.*i tonel., Cap. \V."' Kelly,
equip. 15, carga algodao e assucar : a
JamesCrablree ^ Comii.'inhia.
Ilha de Maio ; 18dias Barca llamburgueza
Johaiina de 240 tonel. Cap. Pedro Ma-
linas Meyw, equip. 12 i-arga sal e car-
vao de podra : a N. 0. Rieber cV Compa-
nhia.
Rio de Janeiro c Rahia 5 12 dias Vapor Bra-
sileiro Bahianna de 210 loncL Com man-
dante Joaquim Peixoto Cuirnaraos equip.
22 : a Joaquim Baptisla Moreira.
SAU1DOS >0 WESMO DIA.
Trieste ; Brigue Austraco Toucika Cap.
Ceorge Vzowiek carga assioar.
Dito ; Rarca llinamaniuoza Waldeniar, Cap.
Micbaol Schmiat, carga assucar.
Dito 5 Brigue Austraco Amazona, Cap. Joo
Sessul, carga assucar.
Lisboa ; Brigue lorluguez Africano Cap.
Silvurio Manoel dos Reis carga assucar.
Liverpool; Brigue Ingloz Mary Queen Ofscots,
Cap. NV."1 Kelly carga algodo, e assucar.
RECIFE NA TVP. DE M. F. DE F, =IMCZ
*


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EZTR9PPPS_07U61B INGEST_TIME 2013-04-13T01:24:06Z PACKAGE AA00011611_04450
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES