Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04448


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anuo de 1842. Terca Feira 22 do
Tarto pon depende do nos memoS ; da no prudencie, moderac3o, e energa : con
linuemoi como principiemos, e lercmos eponudos com admirarlo entre s Macoea maii
culia.
(Proclamacjo da Aasemhlea Geral do Brasil.)
PARTIDAS DOS CORREROS TERRF.STRES.
Goianna, Paraiba, e Riomada do Norle, na segunda e sena feira.
Koniloe Garanhun*. a 10e 24. *
Cabo Serinbaem, Rio Formnm, Pn.-lo Calvo, Mace 10, e ALgoas no 1 M, e 21.
Paje' 13. Sanio Anuo, quima feira. Olinda todos os das.
DAS DA SEMANA.
21 Se'.S. MaximianO, Cl'nc Aud. do Juii de Direilo da 2. vara
2> Terr A Cartcira de a Pedro em Anlioi|uia. Re. Aud. do do juide Direilo da i, rara
2. Onert. LaiafO. Chano. Aud. dojuidedircil da 3. vara.
2\ Quii. Malbias Ap.
2.; l Cc7ario. Aud. do Jim de Direilo da 1. vara.
M sab. s. Toralo. Re. Aud. do Juir de Direilo da 3. vara.
27 I)om. a. Leandro.
Fevereiro. Anuo XVIII. N.4-?.
tu. O Diario publicase lodnanadiaa que n.'m forem Santificado*: o prero da ataignaiura be
>.. dr iros mil reis por quarlel |i;n adianlados. Ol annnni-im doi assisnanie. s.io in-iiridoa
l gratis, eos dos que o n.io orem i razao de SO mayor linba. As rerlamaf.nea devrin ser
>v*diri;idas aealaTjrpogtfia ra das Guies 1). 3, <>u ;i praca dalndruendencia loja de livioa
Nmeros 37 e 88,
CAMBIOS -no da 2i de lrvF.RKino.
Cambio sobre Londres "2'J d. |>. 4U.
,. a l'aris 320rea p. franco,
Lisboa SU a 85 y. I MI de pr.
ORo-Moedadeti/iOU V. 14.4lllla 14,800
M. 14.200 a 14,400
de 4,000 8,100 a B.200
Pr.ri Palacoei 1,660 a 1,070
I'mTa Peros Cnlumnares 1,650a 1,070
, Uaxicuoi f.ii'Kia f.850
>, mi oda 4,440 a 1,400
Moeda de cobre 3 por 1(10 de diaeonto.
DiaCOnUl de bilh. da Alfandega 1 e J por -108
ao me i.
dem di- lelrasde boas firmas le a le {.
Preamar do da 22 de revertir,
!. as 2 horas e (i m. da ni.iiiIi.'i.
2. aa 2 horas e 30 m, da larde.
PI1ASF.S DA LOA I*O MEZ l'F. 1 UHF.IKO.
Quarl. min. a S 4a 10 horas c S ni. da maiih.
La Nova a 10 -- s 0 horas a 3o m. da manh.
Qaatl. cresc. a 1S-- ka 0 horas e 22 m da manh.
La oheia
a ZO ni
1 horas e 50 m. da manh.
ITflO.
Pela segunda vez rogamos aos Snrs. Subs-
criptores do Diario qiieirao ter a bondado de
nao prestarcm assuas assignaturas para an-
nuncios de pessoas estranhas empresa des-
ta folha 5 nao sopor que a clausula de inserir
"ralis os annuncios dos Snrs. Assignantes nao
pode ser entendida para com annuncios por
clles somonte rubricados ; como tambom por
que si quizessemos ampliar para com os nos-
sos subscriptores altonco que alias j
nao he de pequea monta at o ponto de ad-
mittir gratuitamente os annuncios assim a-
bonados, e em que ellos nao tem outro inle-
resse sinio o de servir os seos amigos, e co-
nhecidos, desfalcaramos corisideravelmente
a bem mesquinlia receita de nossa empieza ,
tao sobrecarregada de despesas, maiores sem
duvida do que geralmente se pense.
GOBERN DAPROVINCIA.
EXPEDIENTE 1)0 DA 18 1)0 CORRENTE.
Olicio Ao Commandante das Armas ,
signilieando-lbe, que altondendo a Presiden-
cia ao que representou em seo olicio de lo
do corrente me/ approva a demisso que
propc para o Desertor de Artilheria Pedro
da Silva Ca>oeira preso o recolhido a Cadcia
da comarca do Brejo pelo respectivo Prefeito,
visto achar-se paralitico e comprehendido
no indulto de 18 de Jullio do anuo prximo
passado.
Em resposta ao olicio que Vm. me di-
rigi com data de I 0> Janeiro ultimo,
cougratulando-se por achar-me do novo din-
gindo os destinos desta Provincia ; cumpre-
iiesignilicar-lbe que muito lhe aggradeeo
os sentimontos que patenteia por un tal mo-
tivo.
Dos Guarde a Yin. Palacio do Governo de
Pernambuco 18 de Fevereiro de 1842. Ba-
rio do Boa-vista Sur. Prefeito daComarca da
Boa-vista.
Dito-Ao Director do Arsenal de Guerra i
respondendo-Ilie quedeve mandar entregar
ao porteiro da Secretaria Virissimo Antonio
deMattos as cabas, que se mandarao apron-
tar para guardar-so os ornatos da Salla do
Docel.
Dito Ao Inspector Geral das obras publi-
cas communicaiido-llie que os destacamen-
tos doCorpo de Polica que se achavao es-
tacionados as Barreira da Ponte dos Car-
valhos eGiqui forflo mandados retirar, h-
cando somonte um soldado em cada urna das
ditas Barreiras.
Tenbo presente o oflicio que Vms. me
dirigirao com data do 1. do corrente mez ,
congratulando-se por achar-me de novo na
Presidencia desta Provincia; e em resposla
cumpre-me signilicar-ll.es, que muito Ibesa-
gradeco os sentimontos deque se acho pos-
suidos |ior um tal motivo, e queda parte des-
ta Presidencia acharo Vms. sempre a mais
leal e franca cooperario para tudo quanto lor
relativo ao publico servico.
Dos Guarde a Vms. Palacio do Governo
de Pernambuco 10 de Eevereiro de 1844
Barfio da Boa-vista Snrs. Presidente e
Vengadores da Cmara Municipal de Igna-
ra ss.
Dito-Ao Presidente da Cmara Municipal
do RO Formse approvando a proposta que
fez em seo olicio de 11 do corrente de Joan-
na Theodora Cins para substituir interina-
mente Profossora de primeira Leltras de
meninas daquella villa em quanto durar a
licenea que obteve.
Dito Ao Inspector da Thesouraria das
Rendas Provineiaes, communicando-llie o
conteudo no olicio precedente.
dem do da 19.
Olicio Ao Commandante das Armas, or~
denando-lbe, que mande dar baxa a Ma-
noel Machado que se ada eom praca no Ba-
talho Provisorio, visto ser subdito Portu-
guez conforme o que representou o respecti-
vo Cnsul.
DitoAo Inspector da Thesouraria das
Rendas Provineiaes. ordenando-lhe que en-
commende para a Kranca o papel de dezc-
nho e mais objectos constantes da nota qua
se lhe remelte, oque sao requisitados pelo
entrenhoiro L. L. Vauthier.
Dito Ao Engenheiro L. L. Vauthier,
communicando-lhe a expedico da ordem
supra.
Dito-Ao Inspector da mencionada Thesoura-
ria. ordenando-lhe que faca adianlar os sidos
de Fevarero e Marco ao r>." Commandante
da 5/ Companhia doCorpo de Polica Ma-
noel Antonio Marlins Pereira que tem de
destacar para a Comarca de Garanhuns. con-
forme requisita o respectivo Commandante
Geral.
DitoAo Commandante Geral do Corpo de
Polica, communicando-lhe a expedico da
ordem supra.
Dito-Ao mesmo, rcmondendo-liie, qn-
pode demillr o soldado da quinta Companhia
do mesmo Corpo Antonio Viera visto nao
poder continuar no Aervico em consequencia
das molestias cpie padece, conforme repre-
sentou o dito Commandante Geral em seo of-
licio desta data.
Dito-Ao Prefeito da Comarca do Recite.
cnvando-lhe para seo conheciment e exe-
cucio na parte que lhe tocar os exemnlares
dos Decretos do Governo de numero 194 a
20o.
Iguaes remessas forfio feitas aos Prcfeilos
das demais Comarcas da Provincia.
Dito Ao Chefe interino da Legio da
Guarda Nacional de 01 inda devolvendo as
propostas do primeiro e segundo BatalhSo da
mesma LegiAo, a (im de que sejao reformadas
pelos respectivos (".ln-fes de molo qne 08o
cnmprebendo individuos residentes lora do
Municipio eso em ultimo raso seadmittao
domiciliarios distantes do Distrito da Com-
panhia e do BatalhSo. devendo-se decla-
rar a praca que tem na Guarda Nacional o
proposto. Quanto do terceiro Batalho .
que faca constaran Tenenle Coronel Chefe
do mesmo que em consideraco ao que re-
presentou emseooineo de P2 do corren te
Ibi approvado o individuo proposto para Capi-
liSo da primeira Companhia somonte au
podendo ser approvado o proposto da quarla
Companhia por morar muito distante do dis-
trictodo Batalho eos mais por seren do-
miciliarios de Municipios diferentes.
recruta Jlo Francisco dos Santos, mencio-la medida extrema adoptada por Espartero'
nado no seo oTicio de liontem e conservar suspendendo provisionalmente a pensaoesti-
om custodia o de nome Jos Alvos da Silva pillada a viuva do defunlo rei d'Hespanba.
por allegar ser casado, e viver com a mu-! Nolou-se esta differenca as duas deputa-
||icri civs ipieforam coinprimcnlar a Hainha no
Dito- Ao Prefeito da Comarca do Pao do diadeReis ; a do Senado beijou a mo _S.
Albo, acensando orecebimento dequatroro- M. a do coogresso de Reputados nao.
cintas que acompanharo o seo olicio datado
de liontem.
Tem-se suscitado una cpiesto de etiqueta,
entre o Regente, e o Embaixadorde Fran-
DUoAo Prefeito da Comarca de Gara- ca, Mr. Salvandy. Kste s quer entregar
nhuns reenviando-1 he os papis deconta- as suas credenciaes as mftos da rain ha Iza-
bilidade do destacamento relativo aomez de bel, e Espartero sustenta que sendo o regen-
_ r....... 1 *.. I, a*,!**. mI> aaMOtnai *.!>.!. 1 .\ M > I \ ,.,,111..
Janeiro ultimo para seren uns reformados e
oiitros assignados, elembrando-lhe que seria
con-en ion te no acto de fazer a remessa de
ledo reino at a maior idade da rainha, como
tal se lhe devem entregar aquellas credencia-
es. A questo he de mais fondo do que pare-
coirenienie no aciu ue i.i/. ......;-1........-.............. 1-
papis desemelhantenaturesa, oxaminal-os ee. Espartero quer que a Franca o reoonne-
COM MANDO DAS A II M AS.
F.vpr.mr.NTi: do da 17 no CORRENTE.
Olicio AoExm. Commandante das Ar-
mas da Corte signilicando-lhe que leudo
de finalisar-se nodia 12 de Marco vndouro,
a licenca que obtivera para se tractar nesta
Provincia o primeiro Tonento Podro Alon-
soFerreira, do terceiro Balalbo de Artilhe-
ria a p e aehando-se ainda nao reslabele-
cido e impossihilitado de recolher-sc aodito
Batalho levava o exposto ao sen conl.e-
cimento para o fazer constar ao respectivo
Commandante.
DitoAo Commandante Superior da Uuar-
da Nacional do Municipio do Rucife, dizen-
do-lhe que em consideraco as reclamar., -s
que li/.ora em seo olicio de hontom dala lo,
cerca do Corneta .loaquim iose e Guardas
Naeionaes Joo d'Dra, JoftO Lopes de (.astro,
eOuirino Francisco de Paiva, todos do pri-
meiro Calalhao c recrutados pa O servico
do excrcito os havia mandado por em h-
berdade. ..
Dlo Ao Prefeito da Comarca do Recite,
dizeodo-lh'c que mandara assentar pra?a ao
ca como regente 5 a Franca 11.10 quer dar pas-
so donde s possa concluir este reeon hecimen-
to. Mr. Salvandy retirou-se de Madrid por
queaGnal o regente nao o annuio i sua preten-
gfio. 0 ministros foram nlerpellados as
edites ondedcharamapoio escusa que el-
les api'osentarain deque o regento assim 0-
brara por ilecoro do zoverno e dignidade da
Na<; ni. Dizem que Mr. Salvandy oncontra- *
ra em Briviesca um coerci da sua corte que
o fizera retroceder. 0 objecto importante de
que Iratam as cortes he a resposta ao discur-
so doThrono.
O gabinete britnico fez saber ollicial-
moii te ao governo do Espartero.
1 Que a Grfi-Bre.tanha nSo sement
nao consentira urna inteivencao armada na
llespanha mas que r.em mesmo permitira
(pie se couceu'rassc grande numero deforma
armada junto dos Perineos.
i) o Que se nao opporia a algum arranjo
quanto ao rasameuto da rainha l/ahel ,
com lauto que nao fosse com algum principo
lia 1 icez.
T Que a Gra-Bretanha eslava determi-
nada a nao lomar parle em iienliiim congros-
so europeu convocado para a resoluco da
questfio hespanbola, eque s tal assemblea
se celebrasse sem a sua cooperario, ella se
opporia ao em prego de medidas coercivas o
ao cu m primen t de todas as outras resolucoes
do congresso, que tendessein directa ou in-
directamente a compromclter os direilos da
llespanha como nacao livre e indepen-
den le.
Italia II de Dezembro. O conde Falconi
perseguido pelo Governo Napolitano como
instigador de alborotos, e como tal conde tu-
nado morle foi preso na occasio de em-
barcar em Civita-vechia: em conlormidade
destratados entre aS. S o aq.Hle gover-
om liberdade o recruta Joaquim Jos Corno-1 no o conde .leve ser entregue pelo b. 1 adre ao
la do primeiro Batalho da Guarda Nacional ; Rei de aples. llav.a-se cspalhado o ru-
desle Municipio, que lora com outros man-1 mor de que S.S. sejichava gravementeenfer-
dado conservar em custodia. : mo ; mas o Diario de Roma deste (ha d.Sipa
Portara \o mesmo. mandando, em lodosos cuidados assegurando que nao liou-
cuniprimenlo a le dar demisso ao Soldado I ve motivo para esse falso rumor.
da primeira Companhia Joaquim Jos de | Franca 00 de Dezembro. Areduccaodas
Santa Anna, por ter sem nota desfavoravel forcea militares na FranCa tem produz.do
Bnasadootempo,aque era obligado a ser- bpns resultados. Correpor corto que outros
vir e nao qnere continuar. Estados Umbem tem diminuido as,,,,.,
fundos tem tldo algiima mclhora. Na Ingla-
terra pro luzio grande saiisfaco esta medi-
da que tem contribuido a evitar os obstculos
inanceiros que comecavam aposar sobre a
llespanha lo de Janeiro-Verilicou-se no Franca, eque o sistema bellicos de Mr.
rja 26 de Dezembro a abertura das Cmaras Tines l.av.a promovido.
|>ara nao virem com faltas que pelo me-
nos podiao, como agora, retardar a paga do
destacamento.
DEM DO DIA 18.
Dito-Ao Commandante Geral do Corp
do Polica di/, mi lo lhe que Gcava entregue
dos 11 recrulas que lhe remeltera para o ser-
vico do xercito, e que destes assentaro pra-
cas 7, eiicaro em custodia \ por alegarem
i/empcoes.
Dito AoCommandanto do Brigue Capiba-
ribe, mandan lo-lhe apresentar o recruta de
Marinha Joaquim Jos de Santanua, viudo da
Provincia do Rio Grande do Norte, para que
Ihedesse o destino marcado pela Presiden-
cia.
Dito- Ao Captao Commandante inte-
rinodo Deposito, communicando-lhe que Co-
ra prorogada por mais tros mozos a licen-
ca do Cabo Nicolao Antonio Nunes.
Dito Ao Prefeito daComarca do Recfe,
dizendo-lhe em resposta ao seo olicio des-
ta dala que mandara porcm custodia o re-
cruta .lose Silvestre de Jezus por tor sido
em qualidade de Guarda Nacional do primei-
ro Batalho de Qlinda reclamado pelo Chele
interino da Legio, allegandWer prompto pa-
ra o servido, casado, bem comportado, c
tcraSOU cargo sua mai viuva o urna ma-
na 5 o devolva-lhe o outro recruta do nome
Jos Mara Hamos de Oliveira, por ter sido de-
mittidodo Batalho stimo de CacadoresemO
de Novembrodel837, em consequencia de
padecer molestia ncuravel em una perna .
molestia que ainda subsista c era vsivel.
Dito- Ao Prefeito da Comarca do Cabo,
dizendo-lhe que mandara assentar praca ao
recruta Francisco Jos Xavier, mencionadono
sen olicio de 17 do corrente.
Dito Ao Tenente Coronel Comman-
dante (loHatalhao Provisorio, mandando por
Legislativas de Hespanha. O discurso lido
pelo Regente he um documento bastante ex-
tenso mas assaz luminoso por queda con-
tade lodo o occorridodesde o encerramento
da ultima sesso. Annuncia-ee (pie o Go-
verno l.cspanhol tem em ssu poder, ha mui-
to tenipo almila do Papa que autlionsa a C -
lebracio do casamento de Mara ChriStina ex-
regentecomMunhoz. Esta hulla consagra
,. legalisa o matrimonio ja celebrado por qnal-
quersacerdole e sersubmetlido s cortes
para justificar tanto a parte que possi ter tor
mado a rainha hosuccosso de O'Donnell, como
O tribunal dos Paros pronunciou afinal a
senlenca contra os implicados no atlentado
de 15 de Setembro. Quenisset, Colombjero
.lust foram condomnados i morle 5 Boucbc-
ron 10 anuos de priso ; Dul'our Jaras-
se e Pelit degredo perpetuo ; Martin ( Bog-
"0 ) o Mallet lo anuos de prisao ; I.aunois
eDupoty jannos; Proul, Martin Fou-
geray c Considere foram absvdvidos. A pona
de 11101 te foi commutada pelo rei em degredo
perpetuo, dizem que instancias do duque do
\uma!e. Em consequencia de novas reve-
lacito de Colombicr e /usl tinbamsc leilo


o

militas prisoes entre outras % dos chama-
dos Bauer clluissclot. O primeiro era che-
fe dos communislas e eni sua casa se acha-
rara papis que esclarecem os tramas da so-
ciedade esuas correspondencias com outras
similhantes da Alcmunha ; e o segundo ti-
nha umarmazem de armas para fornctvr os
facciosos e vendia-Ilies cada par de pistolas
a 0 francos.
Os jornaes opposicionislas fizeram urna de-
claracao contra a condemnacao de Dupoty ,
redactor que foi do .lornil do Povo c im-
plica, lo no attentado de Quensset como cm-
plice moral. Os signatarios desta declaraeo
pedem que a Cmara dos deputados lome
quanto antes a iniciativa para rever as leis de
Setombro, relativamente berdade de im-
prensa, e na falla della apellam para o corpo
eleitbral e para o pal ilotismo da guarda
nacional e de todos os Cidadaos frattcezes.
Un sobrinho de Colombier receoso pelo
processo de scu lio havia-se suicidado.
Teve lugar no dia 27 de Etazembro a abr-
tora das Cmaras francezas. Este acto se
en'ectuou com o coslumado esplendor, e nao
occorreo o menor acontecijn >nto desagrada-
vel. A polica tinha tomado todas as provi-
dencias para evitar qualquer tentativa. A fa-
milia rea! concorreo toda a esta cerimonia. O
re entrou nosalfioa 1 hora evini minutos ,
Charla nos ha confiado. O porvir ha de colher
o fructo das nossas diligencias e o agrarleti-
mentoda nossa patria ser o sen galardao.
A Cmaras tinbam procedido nassesses
quintes eleieo da mesa e das commissojes.
FfooU eleito presidente Mr. Sau/et por 195
votos tendo obtido Mr. de Lamartine 61
' Mr. Odillon Barrol io. Os vce-presiden-
tes sao Mis. Dufaure, Calinon, Jacque-
mot e Bignon. Nada mais havia sido tra-
tado de importante. Parece que na Com miso
saode resposta fallado throno tem havd-
serias discussoes sobre diversas questes, en-
tre as quaes figuram as dos armamentos da
Porta, e a da revisto das leis de Setembro.
O Monileur annuncia novas vanlagens al-
ca oradas pelo general Changarnier em Aje-
ria. O ministro da guerra tinha apresentado
ao rei m projecto tendente a melhorar a
sorte futura dos officiaes inferiores do ejer-
cito.
PORTUGAL.
SESSA DA ABERTURA DAS CORTES.
Era mais de meio dia e tendo-se raunjdo
na salla da Cmara dos Deputados, alguna
deseusmembros, ealguns Senadores, oc-
rupog a cadeira da presidencia o Sr. Duque
e atii recjtou o seguinte
DISCURSO.
Sis. Prese Sis. Deputados:
Desde o eucerramento da vossa ultima
sesso, as questes que no Oriente, havi-
ani despertado a nossa justa solicitude, attin-
girara o seu complemento. Conclai com o
Imperador da Austria a Bainha Gra-Brela-
nha o Bei da Prussia o Imperador da Bus-
sia eoSulao, urna convenci, que consa-
gra a intencao coinnuiiu das Potencias, de
manterem a paz da Europa e consolidaren] o
repouso do imperio oltomaho.
Graves encargos haviam sido impostosao
paiz ; porra elles ja experimentar ira reduc-
cesavultadas. Eu uvera desejado anciosa-
mente que se podesse restablecer o equili-
brio entre as despezas e as reoeitas do Estado.
E este o resultado que desde logodevemos pre-
parar e que querereis alcanzar, samdebi-
litar a nossa orginisacao militar, e sen espa-
daros trabadlos, que bao de dar incremento a
prosperidade nacional
Ser-vos-ha apresen lado un projecto ten-
dente a estabulecer as lindas principaes de
hu grande systema de caminliosde l'errp que
afanca a todas as partes do nosso territorio
essas com mu nicacoes rpidas e facis, meio
de foreo e manancial de riquezas.
Desvelo-me igualmente por meio de ne-
iges dirigidas com prudencia em dilatar
as nossas relayoes commerciaes e abrir no-
v.-, sai las aos productos do nosso solo e das
nossas artes.
Similhantes trabalhos bonram a pazca
toriiam eslavel ao mesmo tempoque fecunda :
confio em que ella nao sera perturbada. Be-
cebo de todas as Potencias as mais amigaveis
seguranzas.
Tenho tomado medidas para qu. nerhu-
ma complicaco exterior venlia alterar a segu-
ranza das nossas possesses d'Al'riea. Os nos-
sos valen tes soldados proseguem, nessa lena,
d'ora avante e parasempre francez ocurso
dos nossos nobres trabalhos aos quaes in
ulano que meus lilbos liajam (ido a honra de
se associarem. A nossa perseverancia hade
consumar a obra da coragem do nosso exer-
cito o a Franca ha de transmittir i Aigeria a
civilisacao em segui ment da sua gloria.
As leis de fa enda e diversos projeclosde
lei, que teem por objeclo titroduzir na ad-
minislraco publica melhoramenlos uteis, vos
serao apresentados immediatamente.
Sejo quaes forem os onus da nossa situa-
Co a Franca os suportara sem custo se as
facetes nao viessem empecer incessantemente
o impulso da sua poderosa actividade. Nao me
quero demorar era alludir i'.o> seus manejos e
altea tados ; nao esquejamos todava, S ....
que sao ellas que estonftm une a nossa patria
disfrutte compfetarnent todos os doa que a
Providencia Ih. ha JUpensado e que retar-
dara o desenvolvmiento dos beneficios dessa
liberdade legal e pacifica que a Franca con-
quistou por lim e cuja posse fago timbre de
llie atliancar.
Esta obra, Srs. 6 o objeclo dos nossos
esforgos; o ineu governo h d< riirapriroseu berloeja creado immediatamente rei-mari-
dever.
por
do-as respeitur romo ene mesmo as reSpeta- ta nao aprsenla nem um exemplo deste ge-
ra. O vosso leal concurso vira auxiliar-me. ero, porem nos dutros reinos da Europa
Illustrando o paiz com urna sincendade perse- tem occorrido esta circunstancia, e boje a-
verante acerca dos sen verdaderos interesses, conteee em Portugal que o irmiio do principe
que, fortes no seu apow e na nossa unio i Alberto marido de l>. Hara ja tem o titulo
dePalmella, presidente do senado e leo unfjdessem exercer o direito de visita reciproca-
decreto pelo qual constava que S. M. a Bai-
nha nao podia vir pessoalmente abrir as C-
maras aquedavaessa eommissao ao Minis-
terio. Em seguida subi o Sr. Presidente
do Conselho algunsdegros do tlirono e leo
0discurso de abertura que do tlu-or seuinte.
Senhores : Em virtude do Decreto de
que acabaes de ter conhecimsnto cumpre o
Ministerio, por Coramjssfio de Sua Magesta-
de o dever de abrir presente Sesslo Legis-
lativa em conformidade do artigo quareula e
doiis da Constituido da Monarqua.
No curto inlervallo que decorreo desde o
encerramento da ultima Sessiio nao foi altera-
da a ordem a tranquilidade e a marcha dos
negocios pblicos. O Governo tem-se occu-
pado de por em execucao as Leis voladas so-
bre os difieren tes ramos da AdminstracSo, e
para o complemento de algurnas dllas vos
serao apresentadas as necessarias Propostas.
Entre as medidas que demandara os disve.
los do vosso patriotismo da vossa sabedo-
ria e do vosso ze.lo espera Sua Magesta-
de que vos mereeam especial atlencAo as que
dizem respefto s Provincias Ultramarinas ,
cujas necessidades reclamam promptas e ef-
ficazes providencias de que dependen) o bem
star dos seus habitantes e a prosperidade
do Commercio e da Navegaeao Portugueza.
Continua Sua Magestade a receher dos So-
beranos Seus Alliados as mais satisfactorias
pravas de amisade c de boa inteligencia ,
e o Governo nao cessa de procurar estender
as nossas relages polticas e commerciaes por
bem da paz e em beneficio das prodceles ,
e da industria do Paiz.
O Governo dar conta s Cortes do uso que
fez das auihorisacoes que Ihe foram conce-
didas das transaeces que efleeluou e das
resoluces adoptadas para assegu raro pagamer-
to regular s diversas classes dos Servidores
do Estado c prover s mais despezas pu-
blicas.
OOrcnmentoda receita e despeza servos-
ba apresentado com os quadros das di Aren-
les Beparlic/ies organisados segundo as neces-
sidades do servico conciliarias rom a eco-
noma imperiosamente reclamada.
Confia Sia Magestade em (pie o Cirpo Le-
gislativo avahando devidami'iite o estado do
Paiz, em pregar o seu maior cuidado na dis-
cussAo do Orcamento e de todas as medi-
das essenciaes para a completa organisacao ih
Fazenda Publica.
Est aberta a Sesso.
Acabada a leitura relirou-se o ministe-
rio eos membros do senado e occupando
a cadeira da presidencia o Sr. Jervis de A-
thouguia leo um decreto pelo qual S. M.
addiava as Cmaras al 21 de Fevereiro em
consequencia de nao haver numero seffici'en-
te de membros de ambas as cmaras em Lis-
boa para deliberar, e por nao ter aindao
governo promptosos trabalhos para apresen-
ar s cmaras. Terminando isto levantou-
se a sessao.
Inglaterra 8 de Janeiro. A rainha Victoria
pretei'.Iendo evitara preferencia queseu lillio
o principe de Galles deve ter sobre seu augus-
to esposo tem resolvido que o principe Al-
uma monarchia christ ser o marido inferior
mulhcr, e at. aos lilhos por que pode en-
flaquecer o principio da obediencia.
O Governo continua a ter conferencias so-
bre a modificacao das, leis doscereaes.
Beceberam-se noticias da China al 10 de
Oulubro e de Bombaim ateo 1. de Dezem-
bro, c limase outras annunciam a tomada
da Cidade de Amoy c todas as Unas adjacentes
pelas tropas inglezas. Os chinas alem de per-
dercm muila gente, perderam todas as forlili-
cagoes (jue tinbam feto a llotilha de jn-
eos que as defenda e 500 pegas d'arti-
maria.
Com os jornaes americanos recebcu-se em
Londres a correspondencia havida entre lords
Palmcrston e Aberdeen e mr. Slevenson ,
ministro americano sobre o direito de visita
dos navios suspeilos de trafico da escravatura.
Nesta correspondencia os Estados Unidos
queixam-se da detenerlo e captura de aiguns
navios americanos na costa de frica. Lord
Palmerston justilica este proced ment que
os americanos admitlem, fundando-se na con-
cordata Utita entre o commandante das forcas
brtanniras e o da dos Estddos-Unidos pa-
ra (|ue os cruzadores de ambas as nagoes po-
niente ; e que nesse caso todo o navio que
icasse em caso suspeilo bandeira americana ,
sedevia julgar americano e como tal sujeito
concordata. Mr. Stevenson diz que a In-
glaterra pode cumprir os tratados que tem
feito com as outras naces para a suppresso do
trauco e nesie direito proceder visita mas
nao nos navios dos Estados-Unidos que a inda
nao reconheceram nenhum desses tratados
e por isso nao podeni estar sujeitos a elles.
Segundos peridicos de Boston parece que
o major do regiment 68 inglez linha intima-
do aogovcrnadord'um pi-queno forte das mar-
gens do Fish-Biver no territoi io contestado,
para que o evacuasse e n$o oquerendo a-
quelle ellectuar o primeiro tenlou apossar-se
do forte viva forca do que resultou um
combate entre os americanos e inglezes no
qual estes foram repellidos, eperderam um of-
licial e vario.') soldados. Este acontecimento
tinha posto o paiz em agitadlo.
As ultimas correspondencias de Conslanti-
nopla trouxeram algurnas noticias impor-
tantes.
ministerio turco tinha sidodemiltido ,
mas Kosrew pacha nao subi ao poder. Com
ludo o novo grao-visir I/.zel-Mehemet c um
turco do anligo rgimen acrrimo adversario
da Inglaterra e da Ilussia Unto ou mais
que o anligo visir. A Porta deve entrar n'u-
ma estrada de poltica reaccionaria que faca
desapparecer as pisadas da poltica europea de
Beschd pacha ; e se o actual chefe do governo
turco, defensor de Varna cml828, e gene-
ral do ultimo exercito da Syria se csse turco,
nio menos celebre por seu valor, que por
suas crueldades levar sua nova poscao a
violencia do seu carcter, e a cegueiradas
Mas paixes nao ha duvida de que vao Mear
milito mal os ollomanos que lem sustentado
a civilisacao europea e o vacilante edificio do
liatti-scluile, de Gulhan.
A Porta continua va com os seus preparati-
vos militares eos negocios da Syria apesar
das tropas turcas enviadas de Beyrulh paia o
Lbano, anda naoestavam terminados, por
que os dru/.os nao se queran) submetter.
Segundo cartas de Alexaudra Mehemet-
Al achava-se anda no alto-Egyptn, eoli-
mo-pach havia partido da mesma cidade pa-
ra Suez com o pretexto de verificar se se poda
restabelccer o canal entre este ponto e o Cairo,
mas na realidade com j fim de fortificar o dito
ponto.
Os jornaes inglezes encherao nos fins de
Dezembro as suas estiradas columnas de
pomposos elogios e estrondosas felictaces
pelo motivo de um tractado que se acaba de
assignarem Fereing ollice pelos representan-
tes de Franca Inglaterra, Bussia Prussia,
Estados-Unidos ; os quaes de agora em dian-
te tem de haver-se nao scom a Inglaterra
mas com todas as potencias do tratado ; e por
isso jamis podero conseguir satisfagao das
duas reclamacoes nem mestno anda que a-
pellem paia a loica.
Em urna palavra, a Inglaterra caminha
directamente ao seu objeclo favorito que vem
a ser a destruicao de todas as colonias das In-
dios occidenlaes, esobre ludo da liba de Cu-
ba que a nica que obsta ser o assucar
da India ingleza o nico que se venda na Eu-
ropa.
Em virtude da concluso do tratado para
a repressao do trauco da escravatura, os pe-
ridicos inglezes fazem as seguiutes refle-
xoes.
Asestipulaciles feitasno congresso de Vien-
na diz o Morning Herald, acabara de reali-
sar-se depois de vinte e seis anuos de espe-
rancis edecepi-oes, de negociacoes infructuo-
sas e convenios incompletos.
0 trauco de negros pelo que consom
Europa, he um crime demuita gravidade
contra o direito das gentes. A hu.nanidade
deve agradecer mu i lo as nac/ies que lizerao
um tratado to humano tendo a grandeza de
sacrificar toda a espeaie de rivalidade ao
bem de libertar a frica da degradagao e
poupar civilisacao de urna to feia man-
cha.
O Courrier accrcscenta a seguinte reile-
xo.
O actual ministro de negocios estrangeiros
fez nestes ltimos qualro mezes duas grandes
couzas : reconciliar a grande familia europea,
realisando urna alianza que acaba de ser aug-
mentada por um nobre tratado cujo objeclo
destruir urna praga que afliga o mundo.
Gracas a feliz concluso do tratado para aca-
bar de tima vez o trafico Je negros, pode-
mos considerar a fusao amigavel e a allian-
ca dasgrandes potencias como segura e com-
pleta para a paz geral e ventura das na-
ces.
Veremos agora, diz o Cbdip, se as bandei-
ras de Portiigual e Despatilla continuam pro-
tegendoesse infame trauco.
Tambera n.o podero os Estados Unidos
da America resistir ao inlluxo moral de lodas
as potencias da Europa reunidas por um tra-
tado solemne para abolir un comercio que
degrada a especie humana.
Nao exstirao j para o futuro motivos de
cintile entre os di fie re ules estados e a redil-
gao do exercito l'rancez acaba de sanar toda
e qualquer desiiiielligenca que podara exis-
tir ntreos governus da Inglaterra e Franca.
(Extractos do Nacional). *
DIARIO l)E PEKXWIILCO.
Deixamos transcriptas em nossas colum-
nas as noticias da Europa que oblivemos
dasfolhas portiiguezas que nos vieram s maos,
das poucas que tronce o Novo-Congresso -
Falla-se em Portugal de una conlra-
revolucao Ministerial em favor da Car-
ta. Os Jornaes opposicionislas queixo-
se amargamente do emprestimo conclui-
do pelo Governo e o comhalem com lodas
as forcas. Grandes clamores tinha tambein
excitado o a Idiamenlo da sesso das cmaras
no mesmo dia da sua abertura.
Amanbil daremos aos nossos Ieitores o De-
creto do Governo Portiiguez sobre o em pres-
tinio que elle eslava authorizado a fazer.
r. Elle ha de raanter constantemente I do (King consort)com o titulo ejerarcha de
toda a partea authoridade das leis, fazen-iS. M. o rei Alberto, A historia de Inglater-
guardaremos intacto o deposito sagr .do que a | de rei. 0 Times di/ que nao he proprio de potencias da Europa antes de responder aos
; Austria para se acabado trauco da esclava-
tura; tractado que os ditos peridicos cele-
l#m como um triiimpbo exclusivamente bri-
tnico, e talvez com rasao. Este tractado,
( diz o Phare des Pyrenes ) cujo texto anda
nao podemos ver, concede o direito de visita
mutua, queTalleyrand recusot com tanta e-
nergia no congresso de Vicnna.
O que ha de positivo que actualmente por
ean/a deste direito de visita esobreo (pial
ha lempo a Inglaterra inuiio lem advoga-
do vai esta Nacao a augmentar as suas
'lissencoes com os Estado>-l'ndos que se
queixam decertos ultrages, feilos a sua ban-
deira.
Em quanlo a isto os ingleses lem anticipa-
damente mostrado a sua costumada habili-
dade. associando sua causa as principaes
ALFANDEGA DAS FAZEVIDAS.
Artigo 2G6 do Regulamento das Alfandcgas
de 22 de Junho de 1806.
Logo que se lancar era Beceita a importan-
cia dos Direitos que devem pagar os Assig-
nantes o Escrivao far lavrar um bilhele ,
segundo o Modelo n. 21 de meiade da sua
importancia, para ser pago a trez mezes da
sua data eoutroda outra meiade para ser
pago a seis mezes e os entregar na All'ande-
ga antes de o assignar ao Assignante ,
ou seu Proposlo para seren endossados pelo
proprio Assignante dentro de vinte e qualro
horas eentao o Escrivao os assignar ; e se
dentro das vinte qualro horas o Escrivao os
nao receber endossados se proceder imme-
diatamente cobranca=execuva do sen im-
porte e o Assignante ser riscado da Lista.
MEZA DO CONSULADO.
Paula dos precos corren tes do assucar algo-
do e mais gneros do paiz que se des-
pachao na mesa do cons ulacio de Peina ni-


5
buco na semana de 21 a 27 de Fevereiro
de 1842.
WM Assuear 1). n. 1. sorle 1 050
m 1*850 1. q.1850
3. i*750
4. 1*600
5. 1*450 2. q. 1450
6. 1*500
Dito dito velho 1. 1*750
2. 1*050 1. q.1050
o. 1*550
4. i*too
5. 1*250 2. q. 1250
6. 1*10!)
Dito mase. n. 1. 1*150
2. 1*050 1. q. 1150
Dito dito vclho 1. 950
2. 850 l.q. 050
Algodoem pl. 1. 5*800
2. 4*800
5. o,) 800
Antn o Rento Fres.
Jos M aria Cesar do Amaral.
Fe i ton ;s econferentes.
DECLARAg 0 E S.
O Paquete lnglez recebe as malas para o
Rio de Janeiro, e Baha no dia 25 ao meio
dia.
O Brigue S. Manoel Augusto de que
mestre Manoel Simes sai para S. Calha-
rina no dia 25 do correte.
CJ* Pela Administrado da Meza do Consu-
lado se faz saber que no dia 25 do corren te se
ha de arrematar a porta da mesma Adminis-
traco urna caixa de assuear branco aprehen-
dida pelos respectivos Empregados do Trapi-
xe da Alfandega Velha por inexactidao de ta-
ra sendoa arrematagn livre de despezas ao
arrematante. Meza do Consulado de Peiuain-
buco'il de Fevereiro de 184'i.
Miguel Arcanjo Monleiro d'Andrade.
S2F" 0 Administrador da Meza de Rendas
Geraes internas faz sciente aos devedores de
Imposlos de lujas abertas, denominado do
Banco e das ras do Livramento Direila ,
5 ponas &c. &c. que lhes tem marcado para
virein pagar ditos I m pos tos t o lim do cor-
rente mez ; lndo o que proceder contra os
mesmos executivamenle, conforme aLei. Re-
cebedoria 10 da Fevereiro de 1842.
Francisco Xavier Cavalcante de Albuquerque.
S2^*Por ordemdo Exm. Snr. Prezidente a
Administrado Fiscal das Obras Publicas alu-
jja o 2." andar do 1. sobrado da ra do Pa-
lacete, atlie o fim do mez de Seterubro dopre-
zente auno poivalnguel de trezentos mil reis
por anno pagos mensalmcnle: quem o per-
tender, e o quizer ver dirija-se ao mesmo so-
brado, cujas chaves se achao em poder do mo-
rador do 1." andar, para o franquear a quem
quizer examina-lo; e cazo Ihe agrade pode di-
rigir-se ao Administrador Fiscal da sohredila
Repartido em sua caza ou na mesma Re-
partigoas horas do expediente.
C^ A reparticao das Obras Publicas
admilte serventes livres a 700 reis por dia.
= Lyceu desta Cidade Da data deste a 45
das (1. de Abril,) ir a Concurso a cadeira
de meninas do Brejoda Madre de Dos, oque
taco publico de ordom do Exm. Sr. Bispo Di-
rector do Lyceu : quem dita cadeira se qui-
zer oppor, habite-se na rorma da Ley. Se-
cretaria do Lyceu 10 de Fevereiro de I8i2.
Joo Facundo da Silva Guimares -
Secretario.
AVISOS DIVERSOS.
Snnr. Redactores. Tendo cu promettido
provar com documento ao respeitavel publico,
em como cu era o nico Agente em Pernam-
btieo authorizdo para a venda das Pilulas Ve-
getaes e que todas as nutras que diversas
pessoas nesta Cidade vendio nao ero verda-
deras. RogO-Ihs lenliio a bondade de abai-
xo inserir os seguintes Documentos na sua
bem oonceiluada folha para prova do que eu
tenho allegado e desengao do respeitavel
publico, com o que muito obligar ao seu
Venerador D. Knoth.
Joao Henrique Fragel. Cidado Brazileiro ,
por Merc de Sua Magestade o Imperador
Constitucional do Imperio do Brazil Tra-
ductor publico jurado da Piuca e inter-
prete da Nacao n'esla Corte.
Certifico qur^ por parte do Snr. B. C. Yatel ,
me foi apresentado urna Escritura de (Contrac-
to para agencia no Brazil, de Benjamn Bren-
dreth ao dito Sr. B. C. Yatel, escrita em a
Lingua Ingleza a qual lilteralmente vertida
para o idioma nacional diz o seguinte.
tiiadcccvo.
Este Contracto feito e executado neste dia
treze d'Abril, no anno de Nosso Senhor, de
mil oitocentos quarenta e un, entre Benja-
mn Brandreth Doctor de Medicina na Cida-
de de Nova York nos Estados Unidos da Ame-
rica do Norte e B. C. Yates Esquize per-
lencei.te a firma da caza dos Snrs. 0. Palmes
e Companhia no Bio d Janeiro. .waibo to-
dos, visto ser o dito Bruiuketh propietario ,
e fabricante daquella bem conhecida medicina
ehamada pelo nome de Pilulas Vegctaes e U-
niversaesde Benjamn Brandreth e visto ter
o dito Yatel applicado ao dilo Brandreth pa-
ra ser o agente do dito Brandreth para ven- ,
der e dispor das ditas Pilulas, em e por toda
a parte do Brazil a saber enmelando desde
o Cabo de S Roque, at a llhu de S. Callia-
rinaem todas asCidades Villas, e lugares ,
entre estes pontos do Brazil, sendo entendi-
do como parte da agencia e por toda a parte
deste dislrcto o dito Brandreth tem apontado.
e pela presente apona ao dilo Yatel para ser o
seu agente na dita regiao ou dstricto du-
rante o termo de tres anuos. e que o dito
Yatel possa igualmente vender as Pilulas de
Renjamin Brandreth em qualquer das mencio-
nadas trras contiguas a ella. O dito Bran-
dreth igualmente convenciona c concorda ,
que elle nao aponlar durante o dito tormo
de tres annos, do, e depois da data do pre-
sente ou causar ser a [ion lado qualquer outro
agente para a venda das Pilulas Vegetaes e L-
niversaes de Brandreth em qualquer parle
ou lugar dos ditos dislrietos neste aeima men-
cionados. Prevenido todava que o dilo Yatel
continuar a fazer e preencher com todas as
convenges e ajustes daqui em diante espe-
cificados para seren fetase ejecutadas da
parte delle : o dito Yatel convenciona que elle
tilo cedo que praticavel for e depois da che-
gada dos seus supriinentos de pilulas no Bra-
zil, apuntar ou causar ser apontado un a-
gente em qualquer Cidade de importancia ,
Villa ou porto domar, dentro dos limites do
dito districto neste em antes mencionados o
(pial ser com todo o cuidado supprido com as
Pilulas de Benjamn Brandreth para a
venda dellas: o dito Yatel alem disto con-
venciona de anuunciar em as niais afamadas
folhas publicas do Brazil, em cujo annuncio
declarar as qualidades proveitosas das Pilulas
de Benjamn Brandreth ; e em todo o lempo
duranle a continuago desle contracto elle con-
tinuar sempre com um pequeo annuncio de
poucas linhas em os taes papis pblicos de-
clarando aonde estas Pilulas se achao para
vender ; e alem disso elle convenciona que
publicar os nomos dos seus agentes de lempo
emtempo, conforme elle melhor entender.
Odito Yatel se obriga pela quantia de cinco
mil pesos em que elle nao vender durante
a continuago deste contracto, ou comprar
quaesquer outras Pilulas com o Ululo das
Pilulas de Brandreth ou consentir se-
ren compradas ou vendidas do modo., nina
vez que seja em seu alcance de o poder impe-
dir. Sendo bem entendido que se qualquer
destas oondcoes foreni negligenciadas seren
eITcituadas ento o dito5 Brandreth lera a li-
berdade apontar outro agente no lugar e em
vez do dito Yatel e todas as obrgacoes da
parte do dito Brandreth serio ento conside-
radas millas, e nao validas. Em consequen-
ciadoque o dilo Brandreth, eem considera-
gao das convenges e ajustes cima menciona-
das, as quaes sendo deviilamente feito eexe-
cutadas se obriga supprir o dito Yatel com
tal quanlidade de Pilulas que elle de lempo
em lempo possa requisitar a eento por caixa
pagaveis na igual specie fundo ( especie de
meada) provisto todava que o dito Brandreth
seja integramente satisfoito da resDonsabilida-
de do dito Yatel. En? testcmunho do que as
partes tem posto a isso separadamente a sua
assignatura e sellos neste da e auno, como
no principio desta escrito. assignados B. j
Brandreth lugar do seu Sello R. C.
yate| em firma de O. Palmer e Compa-
nhia no Rio de Janeiro lugar do seu Sel-
loera presenca de tesleniunlia assign-
do Thomas Goodman. Con lado dos Es-
tados Unidos no Rio de Janeiro. Comparecen
pessoalmen'.e peranU* o abaixo assiguado, Con-
sulado dos Estados Luidos na Cidade do Rio).
de Janeiro. B. C. Yatel dcbaixo da firma de
O. Palmer e Companhia desta Cidade o qual
leudo prestado odevido juramento declarou
que a assignatura a B. Brandreth opposti ao
documento antecedente, he aquella do Dou-
tor B. Brandreth da cidade de Nova York e
declarou alem disso que a assignalura do ci-
ma mencionado Brandreth foi feitae executa-
da emasua presenca.
Dado debaixo di? mcu punho e sello de of-
tico na cidade do Rio de Janeiro neste dia dez
do Dezembro de mil oitocentos quarenla e
nm assignado Geo W. Slacum Cn-
sul dos Estados-Uuidos da America do Norte.
Lugar do sello do Consulado dos Estados-Lui-
dos no Rio de Janeiro.
E no reverso do dilo contracto diz o seguin-
te -- Memorndum de contracto para a agen-
cia no Brazil, de Benjamn Brandreth a B.
C. Yatel, no mez de Abril de mil oitocentos
quarenta e um para Ires anuos.
E nada mais se eonlinha e declarava em
a dita Escritura de contracto para agencia no
Brazil, que bem e fielmente vert do proprio
original, escrito em a lingua Ingleza, para o
idioma nacional ao qual me reporto, a que
depois de conferida com este, a tornei a en-
tregar a quem m'apresenlou.
Em teslemunho de que passei o presente
cpie assignei, e sellei com o Sello do meu Of-
licio, n'esla muito Leal t Heroica Cidade o
Corte do Bio de Janeiro aos qualorze do
corrente mez de Dezembro do auno do Nasci-
mento de Nosso Senho'- Jezus Christo de mil
oitocentos quarenta o um.
Joao llenrique Fragel.
N's abaixo assignados Agentes Geraes
( para o Imperio do Brazil ) para a venda das
Pilulas Vegetaese Lniversaesdo Dr. 15. Bran-
dreth certificamos que temos Horneado o Sr.
I). Knoth nosso Sub-agente para a Provincia
de Pernambuco, com Escriplorio eslabeleci-
do na Cidade do Recife em t do (pie temos
passado o presente. Rio de Janeiro 1. de A-
gostode 1841.
O. Palmer &C.
HT1- Joze Joaquim Pereira d'Ahneida e Vas-
concelos Director doCollegio de Sanio An-
tonio na ra de Traz da S no Porto e Pro-
fessor deGraniniatiea Latina no mesmo Col Ic-
gio conhecendoque em quanlo foi Director
no Collegio da Lapa all se encaniinliavo va-
rios Brasileros para receberem suas lines e
educacao por este aviso Mies faz saber, que
elledeixou a habitago da Lapa em eonsequen-
cia d'aquelle lugar se adiar continuamente
circuitado de Soldados e mulheres mal enca-
minhadas : e por isso lugar improprio para e-
ducago de meninos ; e assim aquello que
queirao receber a educaran e licos tanto del-
le Annunciante como dos Professores que
ensino no dito Collegio de Santo Antonio po-
dero a elle dirigir-tte na roa do Tiviz da S no
Porto.
xiT" Pertendc-se saber se existe nesta pre-
ga Rafael da Fonseca Moura natural da Fre-
guesja de Pedresa da Comarca do Porto viu-
do de l ha mis 10 annos para Santos onde
estove por algims anuos : no caso de aqu se
adiar annuncie por este Diario a sua morada
para se Ihe propor negocio que Ihe interessa.
tzr Precisa-sede 2:000, de rs. a juros
sobre una hypotheca em tres moradas de
casas terreas e doiis eseravos ; quem quiser
dar dirija-se a ra do Queimado D. II, que
l adiar eorn c]iioi>i tratar.
S^r" Jm rapaz portuguez com todos os co-
nhecimentos de negocio e que sabe bem
Icr eescrever deseja ariuniar-se em al-
guma ariumaeo nesta praea ou lora didla :
quera delle precisar queira procura-lo na ra
da Praia armazem de carne do Sr. Piulo.
srj- Quem annunciou no Diario de 17 do
corrente querer ser feilor. dirija-se ao atier-
ro da Boavista venda D. 10.
cr Alugo-se dous pennos inglezes de
muito boas vozes: narna Direila I). l.
S^rOs Bilheles da 2." parte da 0." Lotera, a
favor dasobrasda Matriz da Boa-vista; achil-
se a vndanos lugares seguintes:no liedle laja
do Snr. Vieira Cambista : S. Antonio lo ja do
Snr. Menczes Jnior e Boticas dos Snrs.
Joao Moreira Marques e Francisco Anto-
nio das Cbagas, este na ra do Livramento. e
aquella na ra do Cabg : Boa-vtta botica
doSr. Victorino Fcrreira de Carvalho na
prega.
= Quem annunciou no Diario ler perdido
uns oculos ; dirija-se entrada da ra do Ban-
gel. 1). 37.
= Na ra das Laranjeiras aluga-se urna sa-
la com alcova alguma Snra. capaz ; quem
a pretender dirija-se ra das Cruzes I). 0
no segundo andar.
= A Commissao administrativa da Socie-
dade Terpsichore tem designado odia 12 de
Marco para asna 1. partida desle armo. A
mesma convida aos Snrs. Socios para apresen-
tarem as proposlas de seus convidados para a
partida no dia 25 do corrente mez felas 6
horas da tarde.
= Aluga-se um sobradinho de um andar
na na da Praia ; dirijfio-se a Prega da Inde-
pendencia loja de livres n. 57 e 38.
Ouem annunciou querer fallar Joze de
Azevedo d'Andrade ; dirija-se ra do Crea-
do loja D. 8 lado do Norte.
ss 0 V. Director da Sociedad^ Apollinea
manda convocar aCommissSo Ad. para sossao
boje 2. Os Snrs. Socios queirao reuielter
suas propostas para convidados partida de i
de Mareo. O 1." Secretario.
= No dia 20 do corrente dezaparecero da
Sadustia do Convenio do carino desta cidade
quatro cedernos das missas de Rquiem, um
do Rito Romano e tres do carmelitano; pc-
le-se a quem os vir em qualquer niao os baja
de aprehender e traze-los ao dito convenio.
= Ouem precizar de una ama de leite ca-
liva parida de prximo sein lilho ; dirija-
se ao principio da ra do Fogo por detraz do
Rozario no 1." andar n. 5S2.
bb Preciza-se alugar una ama de leite : na
ra da cruz do Recife numero 57 terceiro
andar.
= 0 abaixo assignado socio gerente da ca-
za de commercio Lenoir Puget >.\ compa-
nhia tendo de fazer una viagem para lora
da Provincia derxa encarregado da rnesnia
caza durante a sua auzencia a Sor. Berncl, a
quem tem passado procuragU bastante.
Jo/e Lazary.
r= Ouem Ihe faltar una canoa aberta de
Carregar familia procure em forade Portas a
Joao Antonio dos Beis a qualquer hora
do dia.
= O rofessor do Ensino mutuo do Lycc-o
la/, sciente ao publico que a sua aiilaseacha
em exercicio na ultima caza da ra de Santo A-
niaro, onde se podem dirigir as pessoas ,
(pie quizeivrem matricular seus lilhos.
=i Da-se dinheiro a premio em pequeas
quaiitias com pinhores de ouro 5 na ra de
Orlas sobrado junio aos Mai l\tos.
l^r OsBilhetes da2.J parte da 5.' Lotera
a favor dasobrasda Igreja de N. S. do Livra-
mento nesta Cidade ; acho-se a venda nos
lugares seguintes = Bairro do Becife as lo-
jas dos Snrs. Vieira cambista e Joao Joze de
carvalho .Moraes = S. Antonio tojas dos Srs.
Joze de Menezes Jnior ra do collegio Ban-
deira ruado cabug Joao Moreira Marques ,
botica na mesma ra ; e tambera se vendem
na loja do Thezoureiro da mesma Lotera ra
do crespo D. 0.
= Precisa-se de um homem para assentar
prega por outro, adverte-se que no terceiro
batalhao de artilheria a \> e s Callao dous
anuos para a dita pssoa acabar o seu tempo,
o pretenden le dirija-se a boledade 1). 12, pa-
ra tratar do ajuste.
Lm Biasileiro, que tem as precisas ha-
belilacnes para ensinar particularmente as pri-
ineiras letras, e bem assim a grammatica
Latina com toda prel'eieao, e muito desvello
ollereceo seo preslimo aos que delle se qui-
serem ulilisar, na ra das Agoas verdes. D.
27, onde o adiarao quaes quer horas do
dia.
Para a obra do forte do Buraco 880 nc-
cessarios olliciaes de Carp na e pedreiro. e
serventes, lodos liomens livres ; "os queqUi-
sereni na dita obra Irabalhar dirijao-se ao .1-
haixoasssignado prra tratar dos ajustes. Re-
cife 13 de Fevereiro de 184*2.
Moraes Ancora.
= A Adminislraco Fiscal das obras pu-
blicas tem de vender em hasta publica una
canoa velha aberla, avahada m 2001 reis ;
as pessoas que p;'itenderem lanzar podem
concorrer na salla da mesma Amnistragao
nos das 21, 2, e 25 do corrente. A dita
canoa, ac!;a-se encalhada em Palacio Velho
no porto das madeiras da mesma Reparticao,
onde pode ser vista porquera perteiidcr.
Kf Facm-se casacas debruadas de
panno prelo e de corea a 26* rs. sobrecasa-
eas a 28 rs. ja netas de panno debrua-
das a 15. rs. caigas de panno pelo e azula
12. rs. coleles de velado a 1,1 rs. ditos de1
sarja de palmas a 5*800 : na loja de allante
do beco largO da Main/. deS. Amonio junto
a um torneiro.
tar Quem uiser comprar urna casa terrea
com chaos n/prios sita na cidade d'OliOda,
palio do Amparo lado esquerdo D. 2 ; dFH
|,;-se a ra Direila botica D. II.
cr Ouem quiser io.nprar Cadeiras de
palbinl.a Americanas marquezas de con-
dur camas de vento com arinac.ao e
sein ella mili bem (citas a 4*500 reis
dilas de pinho a 5,)500 mezas de jantar ,
assim como oulros muitos trastes, e pinho
da Suecia com 5 polegadas de grossura <*
dito serrado ; ludo por menos do que em
mitra qualquer parte : lia ra da Florentina
em casa de J. Beranger.
X-T l'recisa-se aliugar lim sobrado de un
andar que lenha commodos para una
familia com quatro quarlos, cosiiiba
(ora quintal c cacimba ou mesmo "Casa
terrea que nao seja em mas esquesilas e
0 seo aluguel nao exceda de II a 12* res ,
quem a tiver annuncie sua moradia por eiU
folha.


J
f
\
4m
Uf- Uabaxo assignado faz scicnte ao ros-
peilavel publico i|ui: ningucm collirate nego-
cio aigum com suamulher Francisca do .as-
cimento d'Albuquerqne Wandoriey sbreos
bens Uo casal, o iicni mesme outru qualquer
pagamento llie facao seja qual for a sua ori-
geni o contracto, queeu tenlia foilo; e pro-
testo de hoje ein diante dosfazer e revon-
dicar todo e qualquer bcm, que por
contracto da uiesma Sen hora Otiver de sepa-
rar-se do monte da fazenda sem que para tanto desl. praca 12 h
ceigao da Boa vista loja de funilciro defroate
da 1 groja.
CT A mulher que mora na ra do Fagun-
des o se od'ereceo para ama (Je casa de pouca
familia dirija-se a rea estreira do Rozario ,
no segundo andar do sobrado que tem na lo-
ja um sapateiro junto a casa terrea que
faz quina para a das Trincheiras.
SET Precisa-sede dous estrangei ros para o
servicodeencaixamenlodo um enirenho dis-
issohaja de niim obtido previo consentinien-
to. = Joaquim Antonio da S. Tiago Lessa.
tzf Oabaixo assignado arrematante das
aferice e revisao de pesos e medidas deste
Municipio no presente auno avisa ao res-
peitavel publico que no da prmeira de Mar-
co prximo d principio as suas aferices cm
casa de sua residencia na Boa vista ra de S.
Colgalo D. S das S horas da manha at ao
meio da e das 5 as (i tarde e para que eho-
gue a noticia a todos mandou fazero presente
annuncio. Joao Hilario de Barros.
sij* Roga-se a pessoa que no dia 15 do cor-
ron te levou de nina loja da ra do Livramen-
to 5 pessas de cassas para amostra haja de
manda-las restituir011 pagar,
~r Dlogo Cockshott o Companha, James
Crabtree & Companhin e Antonio Manoel de
Moraes de Mosquita Pimentel fazeni publico
que nao se responsabelisao mais pela adm-
nislragao da casa do tallecido Joze Domingues
da Costa para (pie lnhosido Horneados pe-
los cre I ores do mesmo visto haver-se pro-
cedido a sequestro na niassa administrativa ,
pelo Juiso de Aiizenles.
13" Prccisa-se alugar urna escrava queco-
zinlie e engomme para casa de pouca fa-
milia : na ra do Livramento loja de louga
ii. .
u- Precsa-se de lOOj rs.a premio de 2
por cento dando-se pinhores de ouro; quem
tiver annuncio.
S3- Quaesquer pessoas que se julgarem
credoras da Commisso Administrativa da So-
ciedado Pastoril ( bcm que ella julga nada do-
ver ) apresen tem suas con tas no praso de 5
dias. ao respectivo Thesoureiro na ra do
Queimadq I). 2 lado do nascente a lim de
seren pagas.
vtS" Na ra Nova casa de Madama Milocheau
no primeiro andar junto a Thoniaz de Aquino
Fonseea ha asseguintes fazendas espartilhos
miii bem feios o de jtodos os lmannos, co-
leirinhos e godas do cambraia e lil bor-
dadas toucados para meninos e Senhoras e
toda a sorte de enfeitcs para a caneca mui
bem Hitos e dobdui gosto proprios para bai-
les bicos de linlio guarniejo de vestido ,
blondas de seda chales pelos de blonda .
mantas c vestidos para senhorae meninas,
vestuarios para meninos; flores linas e plu-
mas lencos bordados para sen hora Cassas
para vestidos chapeos para senhoras e me-
ninas : assim como outras militas fazendas
goas : a tratar as o
ponas D, Ki quina dobeco do Marisco.
3" Aluga-se um sobrado de um andar e
solo acabado ltimamente com suficientes
commodos para urna familia na na Augusta
desta Cidade : quem o pretender dirija-so a
seu propietario Joze Mari Placido Magalhfies
l~^ O ab.iixo assignado faz publico que so-
paron a sociodade que tinha co/ii o Sur. Ma-
noel da Cimba Guimarfles Ferreira no sen
armazem de assucar (cando com o mesmo
Sur. de contas justas desde o dia 17 do corren-
mez. = Rodrigo da Costa Carvalho.
t3" Aluga-se o terceiro andar do sobrado.de
Ida ra do Amorim, o o sen armazem,
proprio para eslabelecimcnlo de assucar .
couros 011 para qualquer ol'icina na ra
do Vigario 0. 12.
3* Aluga-se o primeiro c terceiro andar e
sotao com muilos commodos do um sobra.lo
na ra da praia : a tratar no mesmo com Jo-
ze lliginodc Miranda.
t?" A aula de Theologa da ra de llortas
aeha-se transferida para o Convento de S.
Francisco onde se continua a recebar alum-
nos tanto para as aulas Theologicas como
para Latim e Geografa : os pretenden tes
podem ali dirigir-se a qualquer hora do dia.
3" Desoja-so saber a moradia do Sr. An-
tonio da Silva Ribeiro Freira para se lhe en-
tregar urna ca ta viuda de Lisboa.
AVISOS M A Ii I T I M 0 S .
cm ponto cm continuado do principiado no
dia 13, de grande sor ti monto de fazendas
Inglezasconsislindo em variedade de panno,
pretog, lilas prctas ordinarias, entrefinas**
e linas algodaozinhos brins de di lloren les
qualidades cassas lencos meias pretas ,
e brancas suspensorios de diversas qualida-
des, o muitas outras que se vendern para
fechar contas.
3* Quarta reir 25 do corren te se ha de fa-
zer leilao de fumo em lotes de o rolos quali-
dade regular o loucinho : no caes da Alfan-
dega defronle da oseadinha.
T No dia 25 docorrenle J. P. Adour &
c. ra da cruz D. 1 1 fasem leilao por in-
tervencao do corretor Olivcira cm presenca
do clianceler do consulado do Franca por
conta do seguro de una caixa contendo
196 pares de cpalos docouro de lustro ava-
riados.
COMPRAS.
3* Escravos anda mogos com officios
de carpinteiro e pedreiro porem que seja o
de boa conducta e sem vicios : a fallar com o
Corretor OH vei/a, no Rccife.
VENDAS.
3* Para o Rio de Janeiro segu com to-
da hrevidade o Patacho Francolina ; quem
nelle quiser carregarou ir de passagem di-
rija-se a Joze da Silva Noves.
3" Para o Araeaty segu viagem o Pata-
cho Nacional Laiirenlina ; quem no mesmo
quiser car regar ou ir de passagem dirija-se ao
seu propietario Lourencn Joze das Noves na
ra da Cruz n. 52.
3" I'ara o Rto de Janeiro saldr com
muito hrevidade o Bergantn) Nacional Im-
perador D. Pedro forrado o pregado de
cobre Capitao Joaquim Soares Mearn ; pa-
ra carga passageiros e escravos a ficto ,
traia-so com o consignatario Joaquim Baptis-
la Moreira no sen escriptorio ra de Apo-
011 com o Capito a bordo.
^- Farinha superior, de trigo nov do
ultimo carregamento, das marcas XXXF e
XXX e prego barato : na fabrica do farinha
do al Ierro da Roa vista.
t^- Fareloa 5. rs. a saca de arrobas, 011
2*800 rs. sem o saco, para engordar cavallos,
o muilo mellior que oque vem de tora pois
be fresco e novo c d mais sustento ao ca-
vallo como o peso do farelo mostrar : na
fabrica de farinha do atierro da Roa vista.
t?' A aguada (pie pertenceao Rriguo Leo
que conduzio (ropas do Maranhao para esta
Cidade : na ruado Vigario I). 12.
\:, j- A pratca Judicial por Vanguervc, con-
tendo todas as seto partes, o dous ndices,
sendo um geral ; por proco com modo : na
ra Nova loja de livros.
tJ" Essencia de aniz em garrafas salea
paridla sulfato de quinina, o manila ; por
proco commodo e a dinheiro 011 a praso : no
escriptorio de Finnino Jos Felisda Roza, ra
da Moeda n. 111.
t~r Cma casa terrea em chaos proprios ci-
ta na ra da Gamboa do Carino D. 1J : quem
a pretender dopois de vista dirija-se a Praci-
nha do Livramento I). 25 para o ajuste.
ZZT Camode loucinho a 80 rs. a libra:
na quina da ra do Rozario venda 1). 9.
* i^" Panno prelo muito fino dito encar-
nado proprio para faldamento &C. ditos de
outras cores meias de seda pretas conipri-
do na segunda casa junto ao sobrado da viuva
do Raptista.
C? Um molccao peca do bonita figura
perfeilo ollcial de pedreiro; um dito muito
moco de lodo o servido ; 3 pretas mo^as^do
boas iguras com habilidades de coznbar e
onsaboar muilo boas compradeiras e do
todo o mais servido um moloque de 15 an-
nos ; una negrinha do 12 ; urna mulata, que
cose engomma, cozinha o he oapaz de di-
rigir urna casa : na ruado Fogo ao podo Ro-
zario D. 25.
$Z7~ Feijao branco muito novo em sacas,
pouco chegado do Porto, por prego commodo :
na Praca da Independencia n. 28 e 29
CS" Excedente arroz de vapor, a 2*700
rs. a arroba a dinheiro a vista no arma-
zem de Fernando Joze Rraguez.
^* Farinha ds Mago em sacas dla mais
a baixo por preco commodo e cera branca
em paos : na ra da Cadcia do Recife da paite
do beco largo n. 58.
3=" Urna escrava, de nac/io do 20 annos
com bonita figura engomma faz bem la-
varinto, cose chao d-se a contento assim
como so alianea a boa conduela : na ra Di-
reila I). 20 lado do Livramento.
e^" Urna negra boa lavadeira, e que sa-
be arranjar una casa, tanlo de cozinha, como
de movis: na Praca da Roa vista D. i.
iy Os Diccionarios do Moraes da quarta
edicYio boa encadernacao, quasi novos na
ra Augusta sobrado de um andar e solio
das 0 horas as 8 da nianh e das 5 as 6 da
tarde.
Zf" Feijao mulalinho de superior quali-
dado om sacas ou medidas, e urna pequea
porcao de madeira de condur propria para
cama ludo por prego commodo : :ia ra da
praia D. 10.
C^- Um relogio de parede muilo bom
regulador, urna parodia de coxixos bons
cantadores, cm suas gaiolas de rame de
torre por proco commodo : a tallar na bo-
tica (efronlu da Matriz da Roa vista de Joa-
quim Joze Moreira.
ESCRAVOS FGIDOS.
para carga ou passageiros trata-se com o sen
mu, Oimedo 11t.mogostochegadasprxima- Snsigniftario FranciscoSeveriano Rabello
10
27" Para Lisboa sahe com toda hrevidade 1 ('as chapeos de massa franoozes, camisas de
portera maior parto do seu Carregamento '^ com tejido de meia brotan ha de linho li-
prompto a Escuna portugticza Liberal de jssimas panno de linho para camisas, len-
i] no he (Capito Rernardino Antonio Gomes: QOes &C. alem de outras fazendas em abun-
-
mente, que sent patentes aos amadores do
bom gosto que se diguareni honrar a casa
da dita Modista assim como lainbem faz to-
da o qualquer obra tendente a modista que
espera sero a satisfa<;ao de todas as pessoas
(pese quisere::i utilisar, do queja tem dado
provas em muitas obras que tem feito para va-
rias Senhoras o Srs. nesta Cidade.
"" ss?" Madama Rey avisa ao publico que
acaba de estabelecer una casa de modas na
ra Nova D. 7 sobrado defronle do caldereiro;
ella se conipromette a confeccionar todos e
quaesquer adornos o toucados proprios de se-
nhoras no ultimo gosto e com o maior cuida-
dos Adverte-se que em sua casa se achara
sempre um sor tmenlo de toncas para soires,
luyas, llores litas, blon las rendas, cha-
peos, vestidos para meninas, &C. ; ludo do
melhoro pelo mais commodo prego. Igual-
mente avisa aos seus freguezes que lhe acaba
do ebegar de Pars pelo Armorique una das
melhorescostureirasdaquea Cidade, coma
qual espera poder satisfazor completamente
todas as encomendasque lhe lizorem para os
vestidos de baile e oulros.
_y" Arrenda-se o terceiro andar da casa
da ra de S. Francisco defronte da oadeia D.
5 por cima do assougue francez : a tratar no
segundo andar da inesma.
pp Precsa-3e de urna criada, que saiba
engommar, coser e mais arranjos do mesti-
cosde nina casa, e que seja de dado ayan-
cada e abono a sua conducta para servir
a um liomem viuvo de pouca familia na ra
do Azoite de peixe na |adaria de Manoel Igna-
cio da Silva Teixeira.
tu- Um mogo Rrasileiro bcm gil de
id annos sabe ler escrever e contar de-
seja arrumar-so em qualquer casa de ne-
gocio excepto venda ; quem do seu presu-
mo quiser utilisai-se fallo na ;ua da 3- Para a Rabia sabe impretervelmente
no dia 20 do correle, o Patacho Nacional
Reja Flor, por tor mais do melado de sua car-
ga a bordo ; quem quiser ca negar o r de
passagem dirija-se a ra do Vigario 11. 7 ou a
bordo do mesmo.
L E I L O E N S .
t^r Miguel Rodrigues Vieira faz leilao
por intervengo do Corretor Oliveira, de gran-
de porgo de mobilia nova .'o seu armazem ,
dancia cm conta e de bom gosto : na ra
do Cabug I). 7.
* ^" Dous ptimos carrinhos com os seus
arreios e mais perlenees proprios para um
cavado, do mais moderno gosto o mui Iigei-
ros pelo commodo prego do o(Xb rs. cada
um : cm casade Smilh di Corbelt na ra do
Trapiche novo 11. 15.
tT Capim de planta verde a 160 rs. a ar-
roba e ordinario a 120 r. pesado a vista :
na estrada do Corredor do Rispo sitio do Ma-
jor Maier.
3- Caf moido calda do tamarindo, e
maracuja o mellior possivel o em conta :
^* Fugioa 15 do corren te a negra Flo-
rinda Songo de 20 anuos de idade esta-
tura regular cor nao muito piola bem pa-
recida com um denlo falto na frente per-
itas bracos maos, e ps grossos sendo
esles bastante embranquigados, quando ri-
so faz urna pequea barroca as faces levou
vestido de chita desbotado o panno da costa
em bom uzo : os aprehendedores poder le-
va-la na rna das Trincheiras D. 12 que ser
recompensados.
t~T Desaparocco 19 do corren te a es-
crava Luiza cabra moga o nao mal parecida,
cbcia do corpo e bem disposta odios peque-
nos tendo as pernas unas nodoas prctas de
sarnas a qual andava vendendo quitanda pe-
la Magdalena ; levando vestido branco e pa-
o da costa novo de franja ; quem a pegar
leve ao Gqui a Joao Dias Barbosa que gene-
rosamente gratificar.
MOV MENT DO PORTO.
consislindo cm cadeiras, mesas de jogo mar- na ra do Azeite de pei.xe na padaria de Ma-
quezas, escadnbas para leito ludo de jcaran
da, e mui tos oulros objeclos que se vende-
ro por hiixos procos pela precisao de desfa-
zer-se do seu estabelecimeuto e retirar-se
desta Provincia ; hoje 22 do Corren te as 10
horas da manhA cm ponto no dito seu arma-
zem na ra da senzala velha.
^- Peranto o Chanceller do Consulado de
Franca por conta do quem perlencer c
por intervengan do Corretor Oliveira, se fa-
r leilao publico Sexta feira 25 do corrente
as 10 horas da manha na 111a Nova casa tto
Sur Beranger deronte da Matriz de (dife-
rentes objeclos pertenecidos ao fallecido An-
tonio Dutocq subdito Francez, consistindo
os principaesem mesas redondas para meio
desala, ditas para jogo cadeiras, marque-
zas camas de ferro quadros com estam-
pas o sem ellas espelhos, secretarias vi-
nliude Bordeaux engarrafado, dito branco
em caixos e muilos oulros objeclos constan-
tes da ri'lacoque se aclia para o exame cm o
Consulado de Franca oque so acharad pa-
tentes na occasiao do leilao.
cy James Crabtree & Companhia fazem
leilao no seu armazem da ra da Cruz por
nter veneno do Corrotor Oliveira Quarta
feira 25 do corrente as 10 horas da inanhif'-
noel Ignacio da Silva Teixeira.
tw Caf moido : na S. Cruz da Boa visla
padaria de una porta de Manoel Ignacio da
Silva Teixeira.
t~r Urna prelado nacao, bonita figura,
Je 18anuos cozinha, engomma ensahoa ,
e cose tudo com perfeigao : na ra do Cal-
dereiro I). 1.
3- 12 cadeiras e urna canap de Jacaranda,
modernos : 110 paleo de S. Joze D. 2 do lado
do nascente.
cr Urna escrava moga e de bonita figu-
ra : na casa confronte a do Sr. Joao Pinto de
Lemos, no primeiro andar o so dir o mo-
tivo porque se vende.
^T Um negro mogo caranguegeiro pa-
deiro c Irahaihador de sitio : na ra velha
I). 57.
*^^r Chapeos de seda e do veludo para me-
ninas os de seda a rs. c os de veludo a
T.).'iOIrs. : no Recife na ra da cacimba se-
gundo andar.
I 111 galo da India muito novo nina
gamela de ainarcllo muito Comprida, larga
o funda : na rua da Roda venda i). S~7* Urna casa terrea 110 hairro de S. Anto-
nio ; e um sitio a diante dos Alfogados : no
principio do atierro dos Aflogados lado esquer-
NAV10S ENTRADOS NO niA 19.
Rio Grande do Sul 5 28 dias Sumaca Rrasi-
leira Emiliar.na de 111 tonel. Cap. Eu-
frazio Lopes de Araujo equip. 10 carga
carne secca e chifres : a Amorim di r-
niaos.
ENTRADOS NO DIA 20.
Parahiba; 2 das, Escuna de (luerra Brasi-
lera Primeiro de Abril, Commandante o
\ Tenento Deziderio Joo da Silva traz
50 recrutas.
Rio de Janeiro ; 34 dias Brigue Brasileiro
Passose Vitoria de 258 tonel. Cap. Ma-
noel /oze Ribeiro equip. 12 carga bar-
ricas vazias o lastro : a Rento Joze Alvos,
sv 11 IDOS NO HB6NO DIA.
Uamburgo; Patacho Hamburguez Fortuna,
Cap. Mal/. P. Krag carga assucar.
Rio Cap. Joao Rodrigues Amaro, carga diver-
sos gneros.
New Bedford; Barca Americana Jos Starbuck,
Cap. S. Kilber carga a mesina que louxe.
ENTRADOS No DIA 21.
Plymoutli pela liba da Madeira U dias tra-
zendo do ultimo porto 20 dias Galera In-
gleza I here/a de *93 tonel. Cap. Wil-
liam Criscoll eqni|. 52, carga lastro :
ao Capitao. O destino desta em ha renio
era para Nova Hollanda para onde conduz
.) I Remigia dos. dos quaes 0 niqrrcrao .do.
urnas febres que tem grassado a bordo; vcio
a est pprto refrescar-se de mantimentos.
RECiFE A TVP.DEM.F. DE F5 =18i
r



F.SLLATORIO
"-~" E
CONTA
lA
Adiiiiislraco do Pa-
trimonio dos Orfos
DE
11 de tlmilio a 51 de Dezembro
DE
1841.
PERNAMEUCO.
Na Ty|>. de M. F. de Faria
1042.

c
\



2
Gorila da Receita e Despeza da Adpiinislrayao do Patriino
,?4.. RECEITA.
Juulio l i Rcctbidos do ex Theaoureiro Antonio Jote Pirca por saldo de cotilas aj
8 de Maco do trrenle anuo segunda consta do Livro a. da caixa a fl a8. I,'rUT0S
Do Procu.ador d'AJminblraIi 'era at 9 do correte mei dem a 11. 3-. 4U?H5
3o Do dito importancia anecadada dos vencimentos do Patrimonio desJe 11
do rjorrente mu at oje, aegundo consta do Livro re-pectivo a fl. ig 00
Jdho 3i Do dito d.m nene mei....... a^ougo;
Ao*to D. dito idetn importancia dos rend.mentos do Patr.momo ar- ^ ^
recadados ueste mei. ,., ^_.
Septcmbio 3o Do dita idem.................. L,
Outubro 3i Do dito idem dem. .......... 4-7!Hu Hl
/'
ia:io39i


5
tiio dos Orfos de 11 de Junho a 31 de Dezembrode 1841.
4- DESPEZ.
anho 17 Pagos a Victorino Joze de Souza Travassos Solicitador d'Administra-
co seodo 81U65o saldo das despejas udiciaes, por este feitss, e loo
rs. poras que se houveretn de fazei*. ,
3 Entregues .0 Adminislrador das Obras do patrimonio p'ara* as'despezas a
aeo cargo.................... ,
5 Pagos Fr. Apolinario de S. Liborio das diarias que ven'ceo'o falecid
Joze Atlonco le.go da exlincia Cong.egaclo do Oratorio do i. a 18
de Maio ultimo ao seo falecimento......... 3
Julb 6 Aos Empregados da Administrado seos ordenados' vencidos* em Ju'nho
ultimo. .,..., r
Aos extinctos Congregados suas diarias idem. !.!!!.'. 5
Ao Padre Jos Goocalo importancia da 1 prestaco por corita de
suas diarias........ r R
Ao dito idm da 8S dita. ..*,"....... 7
Entregues ao Director do Collegio dos Orfios para 'pagamento des orde-
nados dos respectos cmpregado. do trimestre vencido 0.11 io do p. 8
Ao dito para as despezas diarias do crreme mez........ Q
9 Pagos a Nico'o Otto Bieber & Comp. por conta de i:92oU:83^ indu-
aive ii4t>oJ rs. de cusas da Stotenca que a seo favor obtivtro da
dmda em que p*i a cora eJIfs estacos xtinctoa Congregados. 10
i3 Ao Reverendo Manoel Joze Goncalo suas diarias vencidas em Feve-
reiro do coi-rente anuo.......... ti
Entregues ao Administrador das Obras do Patrimonio para continucio
das despezas a seo cargo..... -
18 Ao dito dito. ...... 13
Agosto 6 Pagos aos Empregados d'Administracio seos ordenados" vene idos* em
Julho ultimo.........# /
Aos extinctos Congregarlos suas diarias vencidas em Julho ultimo '. i5
Entregues o Director do Collegio dus Orfeos, para as despezas do cor-
rente mea............ 16
7 Ao Administra lor das Obras do Pati imon;o, rara as despezas a seo cargo. 17
9 Pagos ao Padre JozeGoncdo da 9 pieitacin por conta de suas diarias. 18
Ao Escriturario d'Administraco, de diveisLS uteucis para a caza da
mesiiia. .................
10 Ao Procurador da Cmara Municipal multa pelo desconcert da
calcada da caza n, 12, ....,.,..,,. ()
16 Ao Theioureiro da Meza de Rendas internas decima dos predios do
Bairro de S. Antonio, do a. semestre do anuo de 1840 a 1841. 11
Ao di.'o do Baiiro da Boa-vista............ 2a
a3 Entieguesao Administrador das Obi as do Paliimonio para as desplata
' seo cargo. "....,...,....." a3
Septembro a Ao dito dito. -......, .'."...' ai
13 Pagos aos Empregados da Administracio seos ordenado vencidos em
Agosto ultimo.................. a5
Aos xtinclos Congregados, suas diarias idem........ a6
Ao Padre Joze Goncilo-, da 10" prestadlo por conla de suas diarias. tn
Entregues ao Director do Collegio dos O. fos para as despeaos, do cr-
lente mtz.................. \ a8
14 Ao dito para feitio das roupas dos Oifcs inclusive linhas e boloes 39
aa Ao Administrador das Obras do Patrimonio, para as depeza* a sen cargo 3o
a8 A Angelo Francisco Ca neiro afim de ser remeltida a Antonio Hibeiio
Bai b> za, encarregado na Corte do Rio de Janeiro do Procuralorio das
eauzas que se tem remeltido com Revista ao S. Tribunal de Instiga. 3
Oulubr 16 Aos Empreg dos da Administracio, seos ordenados vencidos em Selem.
bro ultimo.......*...... 3a
Aos extinctos Congregados, suas diariasetc.........3J
^Entregues ao Director do Collegio dos Orlaos, para pagamenlo dos Or-
denados dos respectivos empregados vencidos em Septembro ultimo.. 34
Ao dito para as despezas do crtente me*......... 35
18 Pagos ao Padie loze Goncalo da 11. prestaco por conla de sua diarias 36
Entregues ao Administrada- das Obras do Patrimonio para as despezas
a tuo caigo.....,.....?.....,. n
i8iU65o
aooUooa
16U800
104U170
itiaUooo
100U000
lo.'Uooo
5970 ai
755546
700U000
441 800
aooUooo
a 30U000
io4Ut65
167U400
753Uoa6
aooUooo
100U000
3i Uiao
3Lfooo
i3iU535
4897.
aooUcoo
aooUooo
I..4UI65
i67U4"o
100U000
89->U85i
81U760
aooUooo
ioollooo
104O170
lbaU too
44oU64
8a8Uaa6
iooUoon
aocllooo

8:781^19



4

,84i. RECEITA.
Transporte. ia.io393i
Novembro 3o Recebidos do Procurador Ja Administradlo, importancia dos vencimenlos do
Patrimonio arrecadados no comente mez.......... 535U()86
Deiembro 3i Do dito dito............... 37aU65o
i3:oiaU567
Por Saldo a iavor do Theioureiro.............. 82jU56(i


i3:84oUi33
Sjlla das Sesses 'Administrado do Patrimonio
O Padre Domingos Or
PlCii
Laurentino Antonio
Et>cii
Jofio Frencis
Tlieou
Antonio Rodrigues
Francisco Xavier


..
9
)ESPBZt.
184' Tianspirle.
Outubro 18 Entregues ao Administrador das Obras do Patrimmio para as dep. ras
a seo cargo.........,........# ^
ao Pago 80 Tb.xoiireiro da Mera de Rendas internas decima dos Pdoos
do Bairrodo Recita do 2. semestre do sana de 184 a 1841. 3q
Novembro 19 Ao Empregados da Administradlo, seos ordenados vencidos em Outu-
bro ultimo.....,............ Xo
Aos extinctosCongregados, suas diarias idem......... 41
Ao Padte JoreGoncalo da ij. p;estac"o por couta de suas diarias, 4i
Entregue ao Director do Col!eg:o dos Orfi >s para as desperas do cor-
reute mor...................43
Ao Administrador das Obras do Patrimonio para cuntinuacio das de>pe-
ras a seo caigo..........g.......//
ao Ao dilo dito.................^5
Pagos ao Solicitador d'Administraco sendo 37UGoo rs. saldo das des-
peras judiciaes por elle feitas elooUooors para continuarlo das que
sehouvereo da farer................46
Deieml-ro 3 Aos Empregidos d'Administraco seos ordenados vencidos em Novem-
bro ultimo..........,......., A-j
Aoi extinclos Congregados suas diarias dito.........4b
Ao Padre J^ze Gonc.ilo da 13. prestacj por conta deslas diarias* 4.9
Ao Director do Collegio dos Oilos, para as desperas diarias do correte
i'icr....................50
Ao dito para pagamento dos feitios dos uniformes dosOifios. ... 5i
Ao Adtninistiador das Oiiras do Patrimonio para continuadlo das de.--
pe/.as a seo cargo.................5i
10 Ao dito de diversas desperas por este feitas. ......... 53
Ao Esciiplurario d'Adrninisiruco idem com o expediente e rasada mes-
ma. ..................53
Pelo que se abona ai respectivo Tbezoureiro importancia do que des-
pendeo com as roupas para os Orlaos. ..'..-.....55
<( dem com diversos objectos para a aula do Entino mutuo do Collegio
dos O os...................5(j
dem idem para a aula de Murica dilo. ........57
dem com diversas despezar midas, ..........
8:78lU5ig
aooUooo
go5U3yi
io4Ui65
167U400
IooUjou
8.4U466
aooUooo
aooUooo
i37U6do
i'4i65
i6a(Jooo
looUooo
828Uaa6
.jiluou
aooUooo
aiUGao
atUi(io
657U800
a7U84o
9U600
i5:84..Ui38
dosOrfgos em 3: de Dezembro de 1841.
mano A Hunco Rigueira
dente.
Mor.cira de.Carvalbo
vio,
co de Chaby
reiro.
/
de Almeida,
Pereira de Brilo.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EJURIUOKS_O9CM2P INGEST_TIME 2013-04-12T23:09:29Z PACKAGE AA00011611_04448
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES