Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04446


This item is only available as the following downloads:


Full Text

A

Auno de I 42.
__
Sabbado 19 do
Tinlo agora depende de at'is aiipni ; i asi putleucia, nod.raciio, eenerga : con-
tinuemos como principiamos, e aeremos pontarlos com ailmiraco enire as Kacuca mais
cullaa. (ProclamacMda Assemblca Geral do Brasil.)
PARTIDAS DOS COR1EIOS TERRESTRES.
foianna, Paraiba, e Rio grande do Norte, na segunda e sexta feira.
Bonito c (iaranbuns, a 40 e 24.
Cabo, Serinbaem, Rio. Formla Porto Calvo, Maceio, e Alagoas no 1 41, r 21.
Paje 13. Santo Anto, quinta feira.
Olinda lodosos das.
DAS da semana.
I'i ce. 5. Valentn. Cbanc Aud. do Jiiit de T)irilo da 2. vara
Ji Tare. s. Faustino. Re. Aud. do do juiz. de Direitodal, vara,
Iri Ouarl. s. Profiri. Aud. do juiz de dircit da 3. rara.
17 Qnint. s. Silvino. Aud. do juii de direito da 2. vara.
1S sext. s. Tlieoioneo. Aud. do Juir.de Direito da 1. vara.
19 sab. s. Conrado. Re. Aud. do Juii de Direito da 3. rara.
20 Dom. s. F.leuierio.
Ft-vcrciro.
Anuo XVIII. N.40.
O Diario publicase lodo* os das que n."io forem Santiscarios: n preco da assignatura ha
de tres rail res por quarlel pagol Vliantados. Os anminoina dos assignanles s;io inseridos
gratis, eos dos que o nSoforen raiSode SO res por linh. A rerlamar.es derrm ser
dirigidas a rala'lypogr alia ra das Ciu/rs 1). 3, uu i praca da Independencia lujas de li\rol
humeros 37 e 38.
CAMIOS ao un 18 de Feyereiro.
I'uii Petos Columaarea 1.080 1,C7G
i Mcxiraiioa I.G^Ua 1 ,CS0
i mnela l.Ua 1,400
Moeda da cobre 3 por 100 de disconte.
DiaOOBtu de l^lli. da Alfandrga I e por 1U0
ao met.
dem de letra) de boas firmas le a 1 r 4.
Cambio sobre Londres '!'.< i. p. 11 .
)i l'aris 320reiep.naneo,
> ii Lisboa SU a S.i p, I1M) ilr pr,
Ottio-Moeda de 6,'iO Y. 14,400a 14,600
>. .. .. N. 14,200 al4,400
de 4,000 8 leu a Z I
PaiTA-Fati 1,650 a 1,070
PHASES DA LOA NO MEZ LE FEVEREIRO.
Preamar do da \\\ de Fn-erciro.
'J as 1 1 lunas e 42 m. da iiiniilij.
2." as l"i llorase (i m, da tarde.
Qoarl, min^. a 2
U oras e S m. la manli.
I.ua Nova a 10-- l 9 oral SO Di. da manli.
Ouarl. crev. a IS-- s il "ras e 22 m.da iiinnli.
PARTE OFFICIAL.
rTfil---------a^aBiaiiaaaaaaaaaasai^saawaaai
G O V E R N O D A P R O V I N C I A.
ESPEDIENTE DO DIA 17 DO COHRKNTE.
Cilicio-A ('.air.ara .Municipal desta Cilia-
da, para que mande preparar com toda ade-
cnela a Igrej Matriz de S. Fr. Pedro Gon-
c. a lves, para ser alli celebrada pelo Exm.
Prelado Diocesano i Mise votiva lo Espirito
Santo no dia primeira de Marco prximo vn-
doiiro emq-ue deve ser aberta a sessAo or-
dinaria da Assembiea Legislativa Provin-
cial.
Dito-Ao Exm. Rispo Diocesano, conimu-
nicando-Ine, que tem de ser alerta no dia 1.
de Marco prximo futuro a scsso ordinaria
da Assembiea Legislativa Provincial a lim
de que va celebrar na Igreja Matriz de 8. Fr.
Pedro Concalves a Missa votiva do Espirito
Santo, e preliencer as mais formalidades, que
lhe incumbe a l.ei.
Dito Ao mesmo dizendo-llio em res-
posta aoseo ofllcio da V> do correte emque
pie representa o estado minos:) da Igreja Ma-
triz, de Santo Amaro dclaboalao e pede que
a Presidencia mande proceder aos cenaros ne-
cessarios, que levar o dito seo ollicio a con-
siderarlo da Assembiea Legislativa Provincial
na sua prxima futura sesso, a lim de que
por tila si-j.i votada a quanlia precisa para a
indicada obra.
Dito Ao Inspector da Tbesouraria da
Fazendu, para mandar satisfacer a(fuemcom-
petir a passagein lienritines de seo lillio .lose Tbomaz Hen-
riques Jnior doSargento vago Mestre Jo-
s Alvos More ira Jnior, ecamaradas, que
o acompanbario.
Ditos- Ao mesmo, e ao Inspector do Ai
nal de Marmita communicaudo-lhes ter si-
dowvogado por Decreto de 10 de Dezembro
ultimo o Decreto numero.").') de 13 de Movem-
bro de 1840, quemandou annexar Secre-
tnria de Estado dos Negocios da Marmita una
Estacan com o titula de Contadoria Geral da
Manaba.
Dito-Ao ('.befe da Legio da Guardo Na-
cion.il de Santo Anio .sigiiieando-lhe em
vstosla ao* *eo fliL-io de I ido jrrente, que
nao deve pecrular honiens casados porisso
que eHes estao ieentoa do recrutament pelas
Instruecoe; de 10 de Julbode 1S2.
Dito A ; Jui/. interino
<*^^^i*c!mi^^^marm*mmmimm^^mmmmmmK^nmmmamBcmmtammmm^mmamtmBmmwmmm**m^^~tr^^imiim sE^aastasa^a^^ iiaaaaaaaaaan.i
do crime Jesta Gidatle acensando a recep-1 feitas con) o arranjo da enfermara para OS do- ] DitoAoPiel'eito da Comarca do Recf ,
cao dos 10 mappas, que acompa'nharao o entes do Hospital de Caridade no edificio da di/endo-lbe que lbe fora apresentado, eleve
sen oflleio de T> do correte sendo 0 corres- ><>lidade. e continuar a pagar o arrendamento I destino o recruta Manoel Ignacio Ferreira Li-
pondentes as o sessoes o Jury, por elle pie-1 do dito edificio na forma do contracto que por mi.
sididas o anuo passado, o lies de infracces copia se lhe enva por isso que tem de ser
de posturas, e um dos procesaos julgados im- alli estabelecidos o aloja m en lo das pravas do
procedentes.
Dito- Ao Inspector da Tbesouraria da i'a-
zenda parteoipando ter approvado a avalia-
cao das etapes e forrraeeus para a tropa le
primeira Liuba tiesta Provincia no correal
semestre de Janeiro a Junbo desle anuo, (bi-
ta par aquella Tbesouraria.
dojamenlo las p
Deposito, e Hospital Regimental respectivo.
COM MAM) O DAS AI5M AS.
EXPEDIENTE DO DIA P2 DO CBRENTE.
Ollicio- Ao Exm. Presidente, di/endo-lbe,
que bavia feito comparecer em sua presen-
Dilo Ao Prefeilo da Comarca de Na/a-
reth, rei'UN iando-lbe os Prcts do Destacamen-
to perlenccnles ao mez do Janeiro para
i os fazer substituir por oulros passando-se em
ambos o competente recibo, conforme a exi-
gencia da Tbesouraria.
Portara Ao Tenente Coronel Coniman-
danle do'iiatalhao Provisorio, mandando rece-
ber com passagem para o inesino a doUS sol-
C ujas
da segunda Vara
Dito Ao Chefe da Legioda (inania Na- que o Estado lb'os fizesse adoear, arrancan-
ciooal do I.inioeiro coinmunicando-lbe lerjdp da niendicidadcem remunerac,odo23an-
concedido a demisso que lbe pedir o Ci- nos de bons servidos que prestara, de 1780 a
dado/ose de Barros &juza do pisto de Te- 1S;'">. como se deprebencia de sua fdeoli-
nen te do segundo Batalb&o daquello Huoici- co ; que lhe pareca deequidade, a exem-
pio. po do que com oulros se tem pralicado em
DitoAo Commanda.'ite das Armas, or- casos semelhan tes, que seomandasseaddir a
denaiido, tpie laca passar o Hospital l\egi- n.u Co.-po. a um .de puf elle peroeber osseps
mental eas [iracas do Deposito pira o e !:- veocimentos, sendo na primeira occasiaopro-
licio da Solidado que bavia sido arrendado posto para reforma; lembrando-seS. Ex. que
pela Presidencia devendo para este lim re- actos desta naluresa nao podiao deixarde me-
ceber as chaves respecvas da Ainiuistracao recer aapprovaQfto do ovaroo dea. M. o
dos bens dos orlaos, aquemse passa a ofl-i Imperador, que muitn se interessa pela con-
ciar para Ib'as transmitlir. servaco ebem estar dos bons servidoresdo
Dito A AministracHO dos bens dos or- Estado.
laos para que faga entrega ao Commandante Dito Ao mesmo Exm. Snr., significan-
das Armas das chaves d i e lilicio da Solida lo. do-lhe em resposta ao seo ollicio de 11, que
rpie bavia sido arrendado piraos doentcs do a 5 de Novembro do m no prximo passado,
Hospital de Caridade, a lim de serem papa se Communicara a presidencia, o maoes.tadoe
ali removidos o Hospital Regimental e as pra- falta do seguragi da prisilo o le se recoIbiSo
gas do Deposito, visto nao ter ene-lado oes- os prso de Justina na Fortaleza Tamanda-
tabelecimento de Collegio das O.-laas, para re, requisitando-se a transferencia dos presos
que lbe foi cedido o arrendamenb do dito edi-1 ento alli existentes para a Cadeia da Villa
lirio. de Seriohaem o que no teve logo cffeito,
DitoAo Inspector da Tlfesouraria das por se adiar tambem arruinada esta Cadeia,
Rendas Provinciaes, para renietter da Fa- eter-sede pr leder ao necessario concert;
zeuda a conta das despesas feilas para ar- raso pela qual nao era pessivel a expediegao
ranjar a enfermara dos doentes do ospilal d'ordens ao Com mandan le da referida For-
do Caridade no edificio da Solidada lim de tales, a lim de recebar, e consorvar ora
ser della ind mnisadoo cofre Provincial p to i : urania ns presos que lhe fossom remettidos
Geraes, vi tu tei\un de ser para alli transpor- pela Prefeilura do Bonito.
la los o Hospital Regimental, e as ptagas do Dito Ao Inspector da Tbesouraria, dizen-
,ito. do-lhe emsatisfago aoseu oflleio desta data
Dilo-AoInspector da Tbesouraria daFa- que o completo di) destacamento da Guarda
zeuda, ordenando que mande indemnizar os .Nacional da Comarcado Caito, l'wi de2o, [ira-
cofres da das liendas Provinciaes das despesa fas.
ino recruta pelaPrefeitura desta Comarca,
o (inania Nacional francisco Januario eno
Francisco Ignacio Cabral, com a nota de ha-
ver sido recrutado pelo Commandante do l!a-
talbao de Guardas aconaes de Olinda por
se nao querer prestar ao servico to mesmo
e estar em circunstancias de servir na Tropa
de l.inba. em vista do que nesse mesmo diu
se lbe abri prat;a uoDatalbao Provisorio.
Dito Ao ('.lele da Legiao de Iguarass ,
dizendo-He em resposta ao seo ollicio desta
data que leudo ja assentado |irat;a o G. N.
Francisco Januario pelas rasoes expostas
no ollicio cima, nao eslava authorsado a
soltal-o por se oppor a esse acto o Aviso Im-
perial de 11 de Agosto do anuo prximo pas-
sado devendo S. S. em confbrmidadc do dis-
posto no mesmo Aviso e as Inslruceoes de
(i de Abril ti- referido auno encarainhar-lhe
sua reclamacao documentada, para a fazer su-
bir a presenca do Exm, Ministro da Guer-
ra, que avaliando-a decidira como enten-
desse acertado.
Dito Ao Chefe interino da Legio de O-
linda, remettendo-lhe orequerimento, edo-
cumenlos do Guarda Filiciano de Torres,
que lora recrutado e se ichava em custodia,
[tara que sobre sua pretencAo heuvesse do
informar omi o que se lbe oll'erccesse.
Dito Ao Inspector da Tbesouraria, envi-
Budo-lbe os papis de contabilidade do desta-
camento da Comarca de Goianna perten-
centesao mez de Janeiro prximo passado, cu-
ja importancia deveria de entregar-so a pessoa
compeleolomente aulhorisada para ene lim
pelo respectivo Prefeito.
DitoAo Commandante do Drigue Es-
:.:; t. r.jag.'Atrj
O IMXT0tl(*).
Correramperlo de dous me/.es sem que
a fejicidade destes dous amantes fesse per-
turbada.
Tborez todas as amanbas sob pretexto
delralarda sua san le da va largos passeios
pelas alamedas (jue cercam Sevilba o nel-
las se enconliava e |tassava boras nteiras
com Uayinundo, alimentando um e outro
espe auras (|iiiiiicricas que eslavam mu
louge de poderein rcalizar-sc c s quaes nao
era j possive! renunciar por quaulo o amor
de ambos tinba augmentado a ponto de nao
conceberein j a felicidade nenale a exis-
tencia separados um do outro. I na so cir-
cumstancia que ao principio Ibes tinba pa-
recido indilVerente comecava todava a per-
lurba-los no meio de seus sonbos d ventura.
1,'in ir,nao do jtai de Tbereza tinba viudo
a Sevilba sen; duvida com a idea de casar
com sua sobrinba e.por ineiode.ile consorcio
adijuirir o titulo c riquezas da familia.
{*) Vid. o Diario N. 38 >:~ll
Esta unan nao era tambem desvantajosa coraQao ; acreoUtawquesuasobriitha'amava
para ella porqu sen tio que. tocava nos secretamente equetalve? empregava seus
quarenta anuos tb; idade, so bem lhe nao I affeclos em um bomem indigno da suamo.
Nao le chamo para saber de t cousa
alguma, porque tado est descoberlo mas
sira porquo te supetm mais complicado nos
quarcn'.a anuos un mane so uem me au auecios em um iioineni uiuiguu na m mov. mu pn| "-rr........... ~.m---------
trnxesse grossos cabedaes, e d que nao ore- Poucos das de trat com ella nham sido amores de tua ama., do qwe eu julgo que re-
cisva, eraum oflicial superior de marinba, bastantes para conheaer o carcter desta me- alraentes equera ver se podes jusliiicar-
i! por isso podiao.Vereccr-lbe um logar houo- nina < parase persuadir deque nao partici- te, para te bvrares do castigo que te esta
rifico c considerado na sua idade, queee pava ella dos preccupicoes d seus avos a preparado-, edo .nal sem duvida) te has Ra-
ba via adquirido por seu valore eminentes respeiio dos altos privilegios da nobreza e lo credor.
serviros prestados {uh. fi.lalguia. Conbeceu tambem que nao de- | Este ardilos prembulo lez tremer o cna-
O marque! e a mai de Tbereza pensaram I via esperar partido algum della eque a sua do e o ibspoz favoravelmente para uinin-
queum tal casamento convinba a sua (Iba, opposico a este casamento conlinuaria em le; rogatorio no qual conlessou nao Sff os
e desde logo deramo seu conseiitimento, la- quantose noempn ;asseorgor cousa que amores de sua senliora e os passeios em
zendosaber 4 esta a sorte que se lbe destina-'a sua familia nao furia em quinto seno que commummento vw osea amante mas
va ponderando-Ihe a conveniencia e vant-u persuadisse de que os escrpulos de 'i hereza tambem declarou o nome tleste sua probs-
srens que um tal enlace lbe prometla. leram nascidos .i t.ma nclinacao vergonhosa ; sao onde Viva e ale ajmilou que algu-
' Porem Tlieie/a recuson iberiamente dar para o que se propoz seguir seus pasaos es- mas noutes entreva pela porta tala do jardim,
asuamao, porentio, a bomem algum pia-la de todas asmaneiras, e at em pregar que elle deixava aborta, segundo a orden
fazedo tambera desanimar com suas repul- algumas sommas m seduzir as pessoaa que desuf senhora o que esta u recebta no seu
sase maneras seccas o enamorado lio, que lhe pareca gosarem da sua rairfhMica ', e del- quarto, anida que wmpre napresencada
lbe prodigabsava mil caricias e attencov;, e las tirar nao snoL: umslanciadas, mas SUaaia.
que punba todo o seu esmero e cuidado em tambera urna occasao para convencer o mar O ast-ito official oceultando o jubdo que
.'anbarumeocaco, quelbe bavia de trazer quez, por seus proprios olhos dos amores lbe causavamestas noticias, despedieocna-
e,i doteo titulo'de conde, e innumeraveis ,!e su,, nela a qu uppnn.na candida do_dfljK>iide.o ter recompensado grdenan-
rqueZas. [ como una pomba g\ lo atndaden- do-lhe segredo acerca da conrersacao* que a-
Este bomem, veterano janas cousas do tro de seu peito a innocencia da infancia. cabavam de ter, e fazaado-lho fores e ter-
niindo, nao concordava com todo o resto da i Para este eOeito chamen ao seu (piulo o riveisameacas ..ocaso do que algama cousa
limiliaem ulgar que a repugnancia de The- .cria o qu frequenlei>ioiil.! a aeomp tuba\ viesse a transpirar.
reza era elVeilo da siu iui.eenfja> ingenuo | nos seus passci I nos o lhe dissfi : I Saquelle mesmo da procurou o I o le ama


_-. ;a-yiv*."e ^ ^.^-^,|, mgag
2

cuna Caliope, para entregar no Commandan-
te da escolta portador deste os vinte recrutas
que da Provincia das Al&goas troucera a seo
bordo.
Dito Ao Inspector do Arsenal de Mari-
nha, rogando-ine o forneciaitmto de urna lan-
cha jo Commafidau le da escolta, portador
deste, para transportar de bordo du Brlgue
Escuna Caliope para tena, vate recrutas
Yindos das Alagoas.
Dito Ao Capito C-mmandante interino
da Companhia de Artfices mandando as-
sentar praga voluntariaao paisano .Manoel Jo-
zede Azevedo Amorim Jnior, que seria con-
siderado praga do terceiro Ratalho de Arti-
lheriaa p. licando deordem da Presidencia,
dispenso do servico para continuar os seos
estodos preparatorios.
Dito Ao Commandante do Forte do Bu-
raco conimunicando-lhe em resposta aos seos
ofiicios de diversas datas, que Inspecgo Ge-
ral das obras publicas se tinha expedido or-
dem para fazer os concertos do referido For-
te conforme o ornamento por elle apresenta-
doem1849.
Dito-Ao Prefeito da Comarca doRecife
dizendo-Ihe que recebera os 2 i recrutas men-
donados na relago envolvida no seo ofiicio
desta data, dos (naos assentaro praga 7, fo-
ro postos eii custoJia por allegarem isemp-
Qes 10, e se lhe devolva i por ser vizive!-
mente alejado.
DitoAo Prefeito da Comarca de Goia
na, dizendo-lhe que ficava sem effeilo o officio
que lhe dirigir em 9 do correte aparte
relativa a cobranca dos venoimentos do des-
Grammatica Nacional, e Latina, das Lingoas
Franceza e Ingleza de Geographia, e His-
toria de Retorica, e Potica e de Phloso-
pliia Racional, e Moral; estando porein o ul-
timo temporariamente em pregado por com s-
so do Govcrno da Provincia em outro ramo
de servico publico, e faltando a preeneber das
antigs substituiges a de Mathematicas.
Com quanto o Lyceo experimentasse consi*
deravel melhoramento no anno p. p. em que
Corito mais regulares os seus trabadlos pela
nova organisago quo to sabiamente foi de-
lineada por V. Ex. com authorisago eap-
provago da Assemblea Legislativa Provincial
(a quem gragas sejo dadas) sendo urna pro-
va inconlestavel de to til Reforma o grande
numero de Alumnos, que cursaraOasdilfe-
lentes aulas com aproveitamento; todava
linda, e por conseguinte na necessidade de se
conformar com aquelle Estabeleciment no
methodo d'ensino, e escolha de compendios ;
pois que s foro pretendidas e esludadas
com alguma applicago as desciplirtas que alli
seexigem.
DVsl'arte ficaro como em abandono, ou
quasi esquecimento os demais estudos q*ie fa-
zem parte do Curso Geral de Preparatorios do
Lyceo a nao se offerecer, e proporcionar -
Mocidade estudiosa algum incentivo ou esti-
mulo que a convide a seguir este curso em toa
das as suas partes para o que oc rre ao con-
celho a medida de conferr-se aos Estuantes
approvados n'elle um diploma dea^tido a fa-
vor do qual bouvesse a Assemblea Legislativa
Provincial por bem de cotice ler algumas isen-
coes, e prerogatvas Prov .ciaes em quanto
inister ainda superar pois que a empreza es-
t apenas comegada. O primeiro e talvez o
maior obstculo que se oppoe ao sen progresso
sem duvida o acanhado Edificio em que ora
se acha o Lyceo onde por falta das precisas
commodidades nao foi posslvel estabelecer a
ordern regularidade edesciplina, que re-
leva manter em laes Eslabeledmentos alem
do gravissimo mal que puder resuitar a sau-
de dos Alumnos pelo contacto immedalo em
que ficou o Lyceo com o Hospital que se con-
muito resta a fazer grandes difliculdades l6j que solieitasse da Assemblea Geral o privile-
gio de validado dos exames feitos no Lyceo pa-
ra as Academias o Brasil, por meio d'um ac-
to legislativo. Por tal gniza n5o s aprovei-
tar melhor o curso de Bellas Letras j creado
no Lyceo olferecendo d'antemo aos candi-
datos a elle vantagens reaes e infalliveis de
suas fadigas literarias; seno tambem com-
pensar os grandes sacrificios que com elle faz
a Provincia pelo producto das matriculas ,
deplomas &c.
Importa nao menos montar quanto antes os
tacamento. e communcaudo-lhe, que os pa- pelos desvelse esforgos com que V. Ex. se (le-
pis de contabilidade do mez de Janeirofuro dtca a promover o rpido augmento material,
remetlidos a Thesourana para sarem pagos,
enlregando-s> a importancia a pessoa com pe-
ten tem.-rite authorisada.
RELATOMO.
Illm. o Exm. Snr. Em virtudedo 3.
rt. 6. Cap. i. du Le de 10 de Junho^ de
1837 e execuco do art A. Cap. I. das
Instrucges Regulamenlares de^2o de Outubro
servou no m*smo sitio. Sao to palpaveis os \ outros cursos prqjectados por V. Ex. no plano
inconvenientes, que resulto de nao haver j de reforma publicado em 17 de Fevereiro de
una caza de Educago publica com arranjos 11840, os quaes tendem a crear individuos habi-
especiaes e construgo propria, que o Con- j litados para dar impulso e progressivo melho-
celho julga ociozo enumeral-os sendo de es- ramenlo aosprincipaes ramos da riqueza nubli-
perar que este mal ser de prompto sanado : ca, (a Agricultura, e o Comercio); o que bem
se poder conseguir com mais algum pequeo
sacrificio, visto que algumns das aulas j pro-
vidas sero aproveitadas para aquel les cursos,
sendo a maior difficnldade adiar na Provincia
Professores habis para as outms materias ,
e moral da Provincia.
Outro mal nao menos consideravel com que
leve de lutar o Lyceo be a licenga c desen-
voltura em que se acha urna grande parte da os quaes todava podem ser convidados da Cor-
juventude, que tendo cursado o aotigo Lyceo
trouxe para o novo os mesmos mos hbitos ;
o que den lugar a emprega<--se medidas rigo- j
te ou de paizes estrangeiros mormented'a-
quelle que mais contacto c maiores relages
tem comnosco pela linguagem costumes de.
rosas para contel-a : por quanto a experiencia onde sem duvida abundo pessoas mui versa-
tem mostrado que as Instittiiges Regulamen- das as sciencias industriaes.
A mocidade que entre nos he vida d'ins-
truego afluir cnto em maior copia para o
tares que tem regido aquelle Estabelecimento
do mesmo anno, tem o Concedi Geral dos | sao mui fracas na parte policial, para enfrea-
Prolessores do Liceo a honra de submetter a | rem os costumes recentes; porem confia o i Lyceo onde certa de poder incetar urna car-
consideragao de V. Ex. un Quadro das Aulas i Concelho que este deplcravel embanco ser reir brilhante e lucrativa. colhr com
publicas da Provincia acom pan hado do com- em grande parte desviado pelos noves Estalu- gosto conhecimentos especiaes de diversas pro-
pelente Relalorio, contendo as observages tos, que achando-se a cargo d'uma comisso isses a que de/.ejar dedicar-se ; ao passo que
por elle feitas sobre oeslado da Instrugao Pu- i nomoada do seu seio a qual os ha elaborado ; a superabundancia de Bachareis em Direito
blica no decurso do anno prximo pretrito i durante as ferias, e tendo de ser descutidos ,qie entre nos se vai lomando um mal pelo
e bem assim as medidas, e melboramentos 'em concelho, serfto brevemente submettidos a j crescido numero de pretendentes aos cargos
app'-ovago de V. Ex. pblicos a far applicar-se a outras sciencias,
Mo grado sen tem o concelho de levar ao; servindo assim melhor ao seu proprio inte-
conheciniento de V. Ex. que n5o foi encelado resse eao do estado.
o curso geral de Preparatorios conforme a or--
que lhe parecem dever propr.
LYC1O DO RF.CIFE.
>"o dia 22 de Margo do anno tranzado a-
brio-se de novo o Lyceo depois de providas as
Cadeiras quecompoem o curso Geral de Pre-
pralo! ios segundo o Plano de nova organi-
z;:co dada ao mesmo Lyceo e entrara logo
em exercicio a excepgao da Aula de Scien-
cias Phizicas por falta dos instrumentos pre-
ci/os que ltimamente chegara da Europa ,
Desta maneira estender o Lyceo sua bene-
dem estabelecida pelo Regulamento de 23 del fica inlluencia at as Provincias limitrophes ,
Fevereiro de 18il por parecer ao mesmo
concelho, que o dito Regulamento feito pela
sabedoria de V. Ex. s podia, e devia ter ex-
ecueao no Collegio de educaco projectado e
que nao era exequivcl no presente Lyceo, em
vista do que forga foi abrirem-se as aulas e
das de Lilteratuia e de Historia Natural ,'trabalhnrem isoladamente como d'anles, a fim
cujas matriculas se abrirad mui tarde, por de n.lo ficarem os Professores ociosos, matri-
impedimento dos respectivos Professores c culando-se cada Alumno n'aquella que bem
que deo lugar a nao seren frequentadas por lhe aprouve, sem se poder mesmo exigir os
mais de 2 alumnos como era de esperar. A preparatorios de que trata o art. 11 do mesmo
Cadeira de Geographia e Historia foi oceu-
pada pelo Professor Adjuncto, por se adiar
impedido o Cathedratii o.
Acho-se igualmente prvidos 5 lugares de
Regulamento para as differentes aulas por
isso (uc poneos Estudantes haverio que esti-
que nao tendo em seu seio os precisos meios
de bem instruirein seus lilbos, os enviarfto
em grande numero para o Lyceo Pernambu-
cano, concorrendo assim voluntariamente
para o seu engrandecimento c crescendo os
seus rendirnentos na razao directa da affljen-
cia dos alumnos
Frequenlarao as aulas do Lyceo o anno pas-
sado261 alumnos matriculados, e38ouvin-
tes que prefazem a somma de 299 alumnos,
numero milito maior do que o d'aquelles que
o frequenlarao nos i annos ltimos ; tendo
sido em 1837 de 203 alumnos, em 1838 de
vessen? assim habilitados; Meando ainda o 118o ditos, em 1839 de 200 ditos em 1810
Lyceo constituida na condigno de Collegio de I Substitutos, ou Adjuncto, a saber os de Artes Preparatorias para o Curso Jurdico d'O- ; decadencia e descrdito em que achava o

antigo Lyceo, a presentando logo no 1. anno
d Reforma o notavel augmento de quasi urna
centena de alumnos, cujo numero compara-
do com o do anno anterior foi duplicado e
sem duvida se multiplicar progressivamente
se for levada ao cabo a incetada reorgani-
Sa6lo.
AULAS DE GRAMMATICA LATINA.
As aulas de Latinidade da Capital fora do
Lyceo foro frequentadas por 117 alumnos,
contando a do Bairro do Recife 81. a da Roa-
vista 33; em quanto queso a do Lyceo tevo
em seu seio 121 alumnos o que asss mani-
festa a neoessidade de se crear outra Cdeira
de Grammatica Latina no Bairro de Santo
Antonio o de ser aquella aula do Lyceo re-
gida por 2' Professores efTectivos para cujo
lim foi sem duvida que V. Ex. sedignoudo
ni near um Professor Adjuncto para a mesma
raueira. Fica pois patente a preeisao de pro-
VJr-se de Substitutos as outras 2 aulas d'esta
Cidade sendo t o lillicd senao impossivel qde
o referido Professor Adjuncto possa bem coad-
juvar o ensino da aula a que est addido no
Lyceo (o qual exige a sua efieelividade ) e ao
mesmo passo substituir qualquer das exter-
nas ; quanto lio superior as forgas de um s
P>ofessor dirigir una classe decent e tantos
alumnos.
As aulas de Latim existentes as cabegas
das Comarcas de fora e que se aclio provi-
das sao 8 ; as quaes foro frequentadas por
89alumnoi. Estao vagas as cadeiras de Pao
d*Alho, Roiito, Garanhuns e Roavista :
porein representa o concelho a V. Ex. que em
vez do se proverem de novo taes cadeiras ,
fra conveniente que se restringisse antes o
seu numero limitando-se somentc as Comar-
cas mais populosas onde podessem ser fre-
quentadas por um certo numero 'alumnos ,
e supprimindo-se as que nao conlassem esse
numero, para serem os respectivos Professo-
res embregados as que sii aclio vagas, ou
que para o futuro vagarem.
Al'LAS DE 1. LETRAS.
Existem em toda a Provincia providas 63
Cadeiras d'instrugo primaria para o sexo
masculino as quaes foro frequentadas por
2:230 alumnos se se pode dar crdito aos
mappas remetlidos a Secretariado Lyco pelos
proprios Professores, os quaes pela maior par-
le parece que procuro exagerar o numero dos
seos alumnos los pelo receio de Ihes serem
suprimidas as Cadeiras quaitdo nao conten 20
a 23 alumnos por 5 annos successivos na
conlrmidade dos artgos 6. e 7. Gip. 1. da
Lei Provincial n. 45; outros por fazerem jus
a graliicago concedida pela mesma Lei arti-
go"), do Cap. 8. aos que tiverem em sua au-
la mais de oo alumnos: a vista do que he sem-
pre inexacto aquelle calculo. Abusos sao es-
tes que fora inister extirpar por prejudici-
aes nao s a Fazenda Provincial seno tam-
bem aoservigo publico pois que nem mesmo
se pode por elles obler urna estatislica exacta
da instrugao publica da Provincia por quanto
oulras informnges nao tem podido collier o
Concelho seno as que sao dadas pelos mes-
mos Professores.
Imitis bao sido lodos os esforgos do Conce-
lho e anteriormente da Conrregagodo an-
tigo Lyci>o para conseguir dos Prefeitos o Pre-
sidentes das Cmaras Municipaes quecumpro
com exaco o dever Ibes impoz a citada Lei
Provincial n. 43 de dar conta aoGovernoda
Provincia, e ao Director do Lyceo 2 vezes per
anno do estado das Escollas da conducta des
asxca
conferencia com o av a quem oontou o que
havia descoberto depois do que ajuoton :
J vedes que vossa neta nao deixou de
se aproveitar da sua residencia eni Londres,
Educada longo da casa paterna e por pessoas
que se bem que instruidas sao da ciasse
do povo, tendo por companbeiras militas
meninas que nao pertencem primeira or-
dern da sociedade babitiiou-se a deseer do
seu grao e a nao apreciar a nobreza de seu
sangue. Rem o vedes : den o seu coragAo a
um homem obscuro a um niseravd pintor.
Tem passado com elle manilas inteifas no
meio dos passeios pblicos, onde sem duvida
alguem s ter visto. E at lhe ha permit-
tidoa entrada em vossa casa. E' ecesaaria
por tanto que este matrimonio se eohelua
qliante antes.
O marquez ficou consternado irriton-<;? I
e ideou mil projeclos violentos que quera le- !
var licito naipiec mesmo momento.
\o vos de.vis arrebatar meu caro
Thereza lem car." ter obstinado est pos-
suida de urna paixSo vehemente, e~se se
obstinasse em nao querer casar, nao have-
rio queiii* isso a podesse obrigar.
E' necessario que perca as suas esperanca
que esjo edif/ici de quimricas e absurda:.
illusoos, que ha formado em sua alma se
; desmorone o desfaca por si mesmo.
Isso impossivel disse o niarque/: a
violencia...
Deixi-mc obrar com cu entender ,
disse 0 officil de marinha ; eonfiai-mc o nc-
j roci por alguns dias e eu prometi que
1 Tbereza renunciar a esse deshonroso amor.
l'enio pT3vcnidotudo e o mal ser corlado
; ela raiz."^"' i *
E julgaes que seja isso ainda possi-
vel ?
Certamen te e eu respondo pelo resul-
tado ; com tanto que vos me ajudeis.
E que me cumpre fazer ?
Oque! dissimular porem quanto, nao
oaniTestar* a Thereza nem a mais leve des-
coniianga.
Ell# explicou en to por ex tenso os seus pla-
nos e o marquez achou convenientes todos
js meios de quo seu prente propunha servir-
se para salvar da deshonra a sua imprudente
neta.
O rival do desvalido artista era um homem
rgido cm teus principios de nobreza costu-
iado a mandar severamente e a castigar
>em piedade as mais leves faltas.
Tal era o hornera que se encarreg/a de ex-
: linguir a paixode Thereza e de fazer illu-
I sorias as doces esperangas que a infeliz me-
nina havia concebido esquecida do que de-
va sua classe e impellida smenle pelos
mais naturaes e affeciuosos sentimentos de
sen corago.
y>\\m terceiro andar de urna das maises-
pagosas ras de Sevilha viva Raymundo ,
levando a modesta vida de artista rodeado
de quadros em que lnha reproduzido de mil
maneiras e sobmil fermas diversas, a lid-
ia imagem de Thereza affastado inteira-
mente da sociedade e dando pintura todas
as horas qii'J nao passava ao lado da sua a-
mante.
classes superiores a oulras.. porem nao
ja exclusiva a aristocracia do naseimento. O
mrito o verdadeiro mrito tem abertoa
estrada por onde cada um pode ennobreeer-
se eat adquirir riquezas. Ah ilentrode
oitq das ha urna exposico publica. Oque
obtiver o premio ser condecorado com urna
cruz. Seeu o obtivesse...
Se este quadro que Icnlin diante demim
por concluir sahisse como eu desejo ; se a
minha obra correspondesse niinlia inten-
go... ento podia apreseniar-me com orgu-
ihoem casa de Thereza c dizer : Ella ama-
ine eu sou nobre esta cruz que hei ganha-
Era urna dessas frescas tardes do outono do o altesta.
em que a atmosfera envoltn n'um veo nebu-' E quem mais nobre que o genio que ii-
loso parece communicar a todos os vvenles ; lustra a sua patria que sobrevive amorte,
urna pesada melancola. Raymundo tinha que zomba do p do sepulcro e passa glorio-
deixado a sua palheta porque a luz do sol, so posleridade ? Este mrito ningem o dcs-
reflectida a travs de amarellentas nuvens coiihece.
fazia um effeilo desagradavel para a combina-
gao das cores. Desde o meio dia se senta Leonardo Vinci viveu sembr nos palacios ,
inquieto, e agitado por urna causa vaga c ; e morreo coma cabega encostada sobre o peito
molesta que nao podia difinir.
Felizmente, diziaelle, estamos no
de um rei. 0 monarca mais orgulhoso e aris-
locralico do mundo, Filippe2., honra va com a
anno de 1820.....poca de restaurago e de suaamisadeaSandiezCoelho, os princi|.es se-
liberdade. E'verdado que sempre existem 'nhoresda sua corte naodesdenhavam visitar a


.**
&
Professores e do numero dos alumnos que
as frequento ; pois semelhante dever ten si-
do nteiramente burlado : A V. Ex. pois cabe
previnir t grave mal com alguma providen-
cia que em sua sabedoria julgue mais adequa-
da para se alcancar aquelle lim.
Ha tambem Cadeiras* de primeiras Letras
para ambos os sesos que segundo os mappas
dos respectivos Professores, e Professoras se
aehao comprendidas na disposicao do artigo
6. cap. 1. da Le Provincial n. 45; e porcon-
seguidle combinando-so os mesmos mappas
dos 3 anuos ltimos com a Estatistica da Pro-
vincia, seria mis er remover aquellas Cadei-
ras para oulros lugares mais populosos que
nunca as tivessem tido ou onJe vagassem as
que all houvesse aposenlando-se os Profes-
sores que nao (ossem aproveitados e cujas
Cadeiras devessem ser suprimidas : assim pois1
a Povoaco do Aflbgado e a d.; Boaviagem ,
qu sendo talvez dos suburbios de maior po-
pulacho carecern aquella d'uina Escolla para
meninas, e esta d'oulra para meninos, goza-
rio d'este benifcio ( alias mais proficuo n'a-
quelles lugares ) sem maior dispendio do Co-
fre Provincial.
Segundo os dados pouco seguros que estilo
ao alcance do Coneelho frequentanio as au-
las publicas de primeiras Lcttras para o sexo
masculino na Capital 526 alumnos e no res-
to da Provincia 1 :710. Achilo-so providas 11
aulas de inslrucco primaria para o sexo femi-
nino em toda a Provincia leudo sido frequon-
tadas as da Capital por I lo alumnas e as do
interior por loo ao todo 270: Nao pode o
coneelho na presente occasio fazer um calcu-
lo ao menos approximado dos escollares que
forao ltimamente examinados, e approvad..s,
ou reprovados as difiereiites aulas da Provin-
cia ; por isso que poneos Professores tein por
ora dado conta a Directora dos Exames a que
deviao proceder segundo o disposto naslns-
trueces Rogulamenlares de de Oulubro de
18o7. Estao por prover 2 Cadeiras a do
Brejo cal. Cadeiradesle Bairro de S. An-
tonio, ambas para o sexo feminino adian-
do-se esta em Concurso por fallesciment da
respectiva Professora.
Este ramo do ensino publico acha-se ainda
em grande atraso entre nsinormente pelo que
respeita ao methodo que nao he uniforme em
toda a roviucia sendo geralmente seguido o
individual ou antes adoptando cada Profes-
sor aquelle que lhe apra, sem systema sem
regularidade alguma ; pois que nunca chegou
a plantar-se no solo Pernamhucano systema
regular d'iustrucc/io p imaria; para o que j
se tem indicado como nico mcio o mandar-so
n Europa a custa do cofre Provincial algud
moco hbil, e desenvolvido que alli estudasse
o ni'dhor methodo de ensino para vir eslahe-
lecerem nossa* Provincia urna escolla normal,
onde se inslruissem aquellesque sedistinassem
un magisterio publico, porem semelhante me-
dida projectada na Assemblea Legislativa Pro-
vincial ainda nao foi descutida e approvada
como anhela este Coneelho
O ensino mutuo em Pernambuco nem he
mesmo um arremedo desta instituicao como
existe em outras partes e por isso nada tem
frito, e nada peder fazer em quanlo lhe fal-
tarem todos os elementos que. serequerem pa-
ra que elle possa produzir uteia rezultados, dos
quaes elementos ella um so nao possue.
AULAS PARTICULARES.
Existe n'csta Capital e mesmo n'oulros
lugares da Provincia, grande numero d'Aulas,
e Collegios particulares d'nstruccjio "primaria, I
'e secundaria alguns dos quaes sao dirigidos i
por pessoas de reconhecida aplidao Com I
quanto porem as Instruyos Regulament.-.res
mponho a Directora o dever d'nspoccionar
taes Estabelecimentos c CongregacSodo !
Lyco o de dar conta d'elles em seo Helatorio
DEC L AR AC ES.
Vicente Thomaz Pires do Fgueredo Camargo
Comendador da Ordem de Christo Inspec-
tor da Alfandega &c.
Faz saber que hoje l!l docorrenteao mcio
ao Coverno Provincial todava 0 Coneelho da se ho de arrematar na porta desta Alfan-
se v na necessidade de passar em silencio so- 1 dega oito duzias de cadeiras de Jacaranda, trez
bre este ponto visto que o.> Directores dos | solas, e um canap no valor de 3K0.>000 rs.
mesmos Estabelecimentos nao sendo obriga impugnado pelo Guarda Caetano Aurcliano de i cujo titulo O Poeta o Mu/Ico e a Sevi-
dos por Lei alguma a reconhecer subordina- Carvalho Cont no despacho por factura de Ihaiu- desempenhando o papel de poeta Joze
tem determinado para Domingo 20 do corre"
le um novo expectaculo no quid Madama
Emilia Amunli cantar dilTerenles pecas de
muzica do melhor gosto ; os Artistas igual-
mente se distinguiro com novas sortea : as-
sim como b Menino Pernambucano no difltcH
equilibrio dd transformacao da Escaiia Geo-
metrica. Tambem ter lugar nesta noito o
pela vez primiira nesla Cidade una joeozs-
sima Tonadilha a tres ao uso de Hespanha ,
efio ao Lyceo nao se correspondem com elle I Silva Barroca & Aodrade numero SOIS sen-
unico (helo pelo qual o Coneelho poderia for- do o arrematante sujeito aos direitos c empe-
rnar sobreellos um juizoseguro, e cumprir diente. Alfandega 17 do Fevereiro de 1842.
a ohrgacflo que lhe incumbo. V. T. P. de F. Camargo.
Outro sim occorre ao Coneelho que assim Jacomo Geraldo Mara Lumachi de Mello,
como nao he lcito a qualquer exerCer a Mede-j no impedimento de Inspector d'Alfandega
eina clnica publicamente sem urna auihor- de Pernambuco por S. M. I. oScnhorD.
Ajilo previa do poder competente do mes- Pedro Segundo que Dos Guarde &C.
mo modo nao se dever consentir n'um paiz; Faz saber que no da 21 docorrenteao
civilizado vender-so a instruefto publica que I meio dia e na porta d'Alfand'-ga se hade ar-
tem por fim curar as enformidades do espirito! remalar em hasta publica vinle e quatro ca-
sem urna previa habilitarlo por meio d exa*- i deiras no valor de 48,v rs. impugnadas pelo lugar do costume.
me dos Professores particulares precodendo guarda Manocl Joaqum Pa es liar reto no
licenca da Directora dos Esludos ou sem despacho por factura de A. Schramm sendo
que ellos exhbao ttulos authenticos com- dita arremalacao sugeita a direitos e expe-
probatorios da sua capacidad scientilica, mo- diente. Alfandega 18 de Fevereiro de 1842. |
raldade e relgio que (leve de ser a (pie
so profesa no paiz, per quanto entende o con-
dos liis ; o de msico um sugeito desta Ci-
dade ; e O deSevilhana, Madama Emilia A-
manti ; concluindo-se o dito terceto com as
modinhas e baile da Chiquita. E para que
nada falte nesle expectaculo coiicluir-se-lia
COm unta divertida pantomima ao estilo gim-
nstico Italiano que tem por ttulo O Pa-
pa Moscas de Burgos na qual Madama Emi-
lia ina o principal papel.
rincipiara as 8 horas e um quarto.
\. II. Os Camarotes 30 acbao-a venda na
ceibo que se hecerlo como ello er que a ins- eessarios offieiaes de carpina e pedreiro, e
truecao literaria deve andar a igual passo com serventes, todos homens livres ; osquequ-
a educaeflo moral, e religiosa he tambem seren na dita obra trahalhar dirijao-sc ao a-
fra de. toda a duvida que os principios desta i baixo asssignado prra tratar dos ajustes. Re-
exercem sobre aquella a mais poderoza influ- eife lo de Fevereiro de 1842.
enca, mormenle na primeira nfancia. Moraes Ancora.
Cumpre pois que os Professores partcula- = A. Administrado Fiscal das obras pu-
ros antes, que entrcm aexercer oseo magis- Micas tem de vender em hasta publica urna
terio sejao qualiOcados, como flea dito peran- canoa velha aberta, avahada em 20ji res ;
te urna Corporagao Literaria a quem (iquem i as pessoas que pertonderem laucar podem
subordinados, e sugeitos a certos regulamen- concorrer na salla da mesma Amnislracao
tospolicaes que Ibes i mponho multas, ou nos das 21, 22, e 25 do corrento. A dita
OUtras penas adequadas no oaso de trans- canoa, acha-se encalhada em Palacio Vellio
gressfo. \ no l'orto das madeiras da mesma Repartido,
Aantiga Cnngregacfio levo occasio d'em-1 onde pode ser vista por quem porteador,
penhar nos relatorlos anteriores o zlo de V. Admiiiistraco Fiscal das obras publias o
Ex. sobro um objecto de tanta magnitud e de Feveroiro de I82. Moura, Admns-
por ssojulga o Coneelho de.Miecessario insistir, trador Fiscal.
mais sobro este ponto corto de que a Presi-' vy A Repartido das Obras Publicas com-
donciaproporemtempoopportuno a Assem-lpradoze travs de-trinta palmos decompri"
AVISOS DIVERSOS.
0 primeiro secretario da socedade No-
JacomeGeraldo Mara Lumachi de Mello, j va Pastoril, convida os San. Socios, para
Para a obra do forteVlo Buiaco sao ne- Scssao, hoje (10 do corrente) as seis horas e
blea Legislativa Provincial as medidas que |hd
parocorem mais congruentes para o lim in-
dicado.
Taes s"o Exm. Sur. as ideas que oecorrem
ao Coneelho sobre o emportanlissimo assump-
to que pela I. vezlhocoube tractar no curto
meada tarde, em casa de sua residencia, ra
do Hangel 1). M.
Quemquisr de com a o tocen tos mil
res a premio de 2 por rento ao mez, dando
pinhores do ouro ou piala, annuncie.
Q,|cm no Diario de 17 do corrente an-
nuncon querer comprar urna burra de ferro
com bom segredo, procure na ra da Cadea
luja de fazendas n. .'i.
Oll'erece-se urna mulber a ensinar as .
primeiras letras, o to la (pialdade de costu-
ras, tudocora a maiorperfeicAo possivel; por
preco de mil res ao mez : quem precisar do
seu prest mo va a ladeir do Vuradouro em 0-
linda n. 41.
A pessoa que annunciou querer cni-
veros pequeos de toda a qualidade ; dirija-
seaSoledade indo pela Trompe lado direito
antes de chegar a greja \.
Ollerecc-se una mulber para o servco
interno de una casa d^ homcm solteiro :
na ra do Rosario Estreita Botica do Sur. Pa-
nculo e dez polegadasein quadro duas di-
las de (pironla palmos di; comprimonto c
dez polegadas em quadro, duas ditas de trin-1 ranhos.
ta e cinco palmos de compriment e dez po-l o Doutor Joaqum Vllela de Castro Ta-
legada* em quadro, vinte o nove ditas o vin-J vares maotou sua residencia pafa a ruado
tee cinco palmos de comprimento palmo eQfueimadoD. ), quina da Traversa do Rosario.
espaco. que tom tdo do oxorccio, depois que coito de grosso 100 caibros de trnta palmos; "= Quilqjer homem solteiro que prec-ar
se poserfio m execucSo os ltimos melhora- deeomprido, 100 duzias derfpas, e 9 mitos de urna ama para todo o servico de urna casa
mritos: elle tem a honra de offerece-laa re-1 travessas de vinte e cinco palmos; quem taes de portas a dentro, dirija-sc a ra do Quei-
verente a eonciderac,aode V. Ex Dos Guar- i madeiras livor dirija-so a mesma Repartico mado, l). 9.
de a V. Ex. Secretara do Lyceo 10 de Feve- \ as horas do expediente, o tora dola na caza do
rerode 1812. Illm. c Exm. Snr. Barflo da | Almoxarifo na ra Augusta.
Boavista = Prezdente da Provincia sss Tho-
maz Bispo Resignatario Director dos Es-
tados =5
officna do artista, e um tiobre daquella po-
ca nao ousou recusar-Ule a mao de sua Qlha.
Seo meu (luadro fosse ao menos como os des-
tes homens celebres o meu amor n;io seria
enlao um delirio.
Poderia utiir-mc a Thcreza.
E em seguida llaymiindo pegava no pincel,
punha-se em frente do sen quadro, onde li-
aba pintado urna Vrgem re toca va as suas
roupas com urna pincelada dava nova ex-
presso ao seu rosto e icava parado mmo-
vel diante dclla porque tnha executado lu-
do que a sua imagin.iQao concebera porque
bava verdade as feQes daquella Virgom ,
porque suas formas avultavam do quadro
como se fossom urna obra de eseulptura por-
que era urna figura vaga, anglica, aerea
como a Mi de Dos.
Ento as femos do pintor so a reanima-
vam por um momento; porque julgava que
seu amor nSo Ora um impossivel ; porem logo
sem saber porque, eapoar de suas illiiioes,
e da bella obra que as tnha ero.do curvava
a eabeca sobre o paito ouva sibilar o vento
por entre os velhos alamos, e tornava a ca-
hr na melanclica tristeza que a tarde ins-
pirara.
PREFEITBA.
Dia 10 do corrente.
Das partes hoje receladas consta somonte
que hontem a noite em o lugar do Pateo do
Carmo Felicia Gomes ferira no rosto ao Por-
tuguez Manoel Joaqum da Silva, dando-lhe
com um bule de louga, pelo que lora presa
em flagrante e passailaa dsposicao do Jui-
zo criminal com o acto de vistura que se
proedeo nosobredito Portuguez.
Nos das 17 c 18 nao oecorrcu novdado.
=a Lyceu desta Ciliado- Da data (testo a 43
das (I. de Abril,) ir a Concurso aradeira
de meninas do Orejo da Madre de Dos, oque
faco publico de ordem do Exm. Sr. Bispo Di-
rector do Lyceu : quem dita cadeira se qui-
zer oppor habilite-se na forma da Ley. Se-
cretara do Lyceu 16'de Fevereiro de I82.
Jlo Facundo d.t Silva Gumaraes -
Secretario.
TilEATP.O.
O Artista Gimnstico lo/e dos Res, dse*
joso de proporcionar o modo de satisfaser com
variadas funeces a tao dignos expecladores.
CJ" Precisa-se allugar um sabr lo de um
andar que lenha conimodos pira una
familia com quatro (piarlos, cosinha
(ora quintal e cacimba ou mesmo casa
terrea que nao seja em ras esquostas e
o seo alague! n;lo exceda de 11 a I2j res ,
quem a tver annuncie sua moradia por esta
folha.
=\a praa da Baha, acaba de so instalar Qa
Cumpanhia des -geros martimos- Jenomnada-
Lealdade com o capital de quatrocentc-
c mos de res debaixo da direCCAO dos NS
gociantes ArionoJoze da Costa Manoel Bel-
hus de Lima e Francisco Joze Godinho; cu-
ja Companhia tem principiado suas tranza-
Qfl s e se offereco tomar seguros a mdicos
proal ios.
Assim jiassou algumas horas at que
indo abrir asna janellu para tomar um pouco
dear, vio dirigir-se para sua cav ama pes-
soa que mu bem conheca o que de ordina-
rio lhe trazia boas noticias Correo a abrir-
Ihe a porta 0 logo que chegou.
Entra Francisco lhe disse. Que me
trazos ?
Comosompre, urna cariada senhoru ; e
voudizer-lhe quo Oca entregue, equo vos
nao faltareis.
Era urna carta de Thcreza ; dizia-lhe que
havia alguns das que a sua familia nao a in-
commodava lllando-lho do casamento com
seu lio ; pelo que pensava que teriao dcsis-
lidodo seu projecto, e que oesperava naquol-
la noite.
Raymundo nunca recebia estas mensa-
gensacm experimentar a mais viva commo-
c;lo. Accendeo luz pz-se a desenliar um
quadro novo; pegou n'um livro, loo um
pouco, emfim espern com paciencia a hora
indicada.
Soou cmfim a meia noite no relogo da gro-
ja de S. Marcos pegou na sua espada e
embugado no capote foi por desertas ras
buscar um sitio conhecido pelo nomo do Ve-
lha Alameda. Esta grande praca eslava de-
serla. As l'olhas das arvores susurra va m de
j um modo triste com o vento que as bata.
,'Ao longo corra o Gualdaquivir, e seu Con-
tinuo murmurio, apenas iriterroifljpidopelo
sibilar do vento, assomelliava-se penosa
raleira de um moribundo.
Raimundo chegou a um logar deserto, cao
|i'\v impulso de sua mao abrio-se ama porla ,
e elle entrn u'uoi jardim. Therc/a alli oes-
perava ; ludo o que tnha a dizer-lhe era fa-
voravel. Elle falln lhe tambem do son qua-
dro, odas brilhantes osperaneas que havia
concebido. Nao ha duvida; es obstculos que
se oppunhain ao seu amor am dissipar-se
Tudo Ibes sorria e para o futuro tudo seria
ventura para elles.
A csse lempo a toa at cnlo encuberta
entro densas nuvens deixa tr sou prateado
disco n'um eco sereno.
Sao horas de partiros dsse Thereza.
A la espalha bastante claridade e alguem
poderia notar a la sabida.
. Dexa-me estar mais um momento a teu
lado; sou tao feliz quindo respiro o mostoo ar
quo tu Mas em lim partirci nunca ba-
veria para mim occazo de separar-nos.
Um rautuoadoos, c um beij- na mAi de

: Thcreza toram os ltimos sgnaos de seu amor.
Thereza subi para o seu quarto e da janel-
la va o joven pintor que s^ re tira va como
i urna sombra por entre os arvoredos do jardim.
la ebegando porta (piando se ouvio um
! tiro. A lOfl occullou-se de novo por entre as
' nuvens e Thereza nao podo ver o que tnha
! acontecido.
Poucos momentos depois os largos corredo-
| res do palacio do marque/, estavam oceupados
pelos scus criados. Lm dilles liaba visto um
homem no jardim, sem duvida un malfoitor,
e o liaba morto. Avisado o marqoez orde-
nou qne sedesse parte a justica esta reco-
nboceo o direito do niatador c o cadver foi
conduzido ao hospital de sanguc... No ti-
nha prenles, nem amigos, por ningucm foi
reconheculo.... e maiidaram-no enterrar.
Alguns annos depois os tribunacs decidiam
urna causa. Tcnih morrdo o marquez de
Gualmellalo o sua tilha a condessa viuva de
Olmo os trihunaes davam posse de scus t-
tulos e bons ao seu prente collateral mais
prximo um velho oflicial domarinha eu-
nbado da condena porque a legitima herdei-
ra filha do deuinto conde de Olmo era inca-
paz de berdar. Estava demento.....


TTST
V


ml:
*'v.
.wil^

4.\ur3v._
4
Zi
*1
SU Quem tiver para ahijar i.m preto vc-
tttopara trabalhar dirija-se a loja (i'1 livros da ra do Colegio.
srj- A pessoa que annunciou precisar de
400j rs. a premio dando por hypoieca urna
nasa no bairro de S. Antonio declare a sua
inorada pura sor procurada.
No dia 17 do corren te ama preta con-
ven de
i.- Quem tiver para alagar un quintal] su- Un negra, ou negro velho cujo pre-
com estribara ou comea pacidade para ella, |c^ nao exceda de 1o0ji rs., que sirva para
as ras da senzala ou da Guia dirija-se
a ra da Gailcia do Recite ci:i casa de Me.
Calmont & Comdanhia.
& T D-so 8:000,) de rs. a premio lican-
do o dito premio pelo aluguel de una casa
dfi sobrado que tenha cpmmoi
os para urna
duzindo um veo de ludio preto dentro Je grande familia com quintal e cacimba ,
lima bandeja da ra de S. Frneisco^para a .relere-se no bairro da Boa vista; a quem es-
te negocio convier annuncie ou enten-
da Direita o perdt ou deixou furtar :
quem o aelioii ou delle tiver noticia ', diri-
ja-se a rua de S. Francisco na casa terrea
pegada no sobrado do Exm. Mrquez do "Rc-
cife ou na ra Direita D. 08 que se agrade-
cer;!.
tST Precisa-so .litigar um sobrado "de um
andar ou casa terrea com t q liarlos. cozinha
fora quintal e cacimba mi sendo em ras
exquisitas e nao exeedendo o preco de 1 1 a
1> rs. mensaes : quem ativer dirija-se a
ra Direita 1). ~1~> no segundo andar.
da-se coni Francisco Antonio Vieira da Silva,
cambista na ra da cadeia.
%Sf Aluga-se una morada de casas de dous
andares o sotao com muito bons commo-
modos Cita na Roa vista confronto ao pa-
leo da S. Cruz1 aonde mora o Sr. Brilo em-
estarem um sitio : na ra de Agoas verdes
I). 12.
su Escravos de 12 a 20 annos com of-
licios ou sem elles para fora da provincia :
na ra Jo Fogo ao p do Ro/ario I). 2j.
V E N o A s.
SU" Lista geral dos premios da segunda
parte da oitava Lotera do Tbeatro : na pra-
ca da [ndependeneja loja de livros n. 37 e ">S ,
pelo preco de 100 rs. cada urna.
I r L'm relogio de parede muito bom
regulador, urna parelba de coxixos bons
cantadores, em stias gaiolas de rame de
pregado na mesa do Consulado, e tem na torro, por proco commodo : a fallar na ben
loja leuda de barbeiro ; os pretendentes di- tica defroateda Matriz da Roa vista de Joa-
rijao-se a ra da Cruz do Recil'e no arma- quim Jo/e Moreira.
/.em de assucar n. 2.
SU" Aluga-se um exeellente armazem
Qtfem annunciou querer urna burra 5 portasde frente para o passeio publico,
o com bons segredos. dirija-se a ra junio a cas;
da praia armazem do sal officina de Jernimo no mesmo.
JozeBuslbrf. cy A pessoa que quar fallar a Joze Ma-
su A aula de Tueologia da rua de Dorias noot dos Santos Vital dirija-se a casa I). 20
aeha-sc transferida para o Convento de S. ntraz dos Martirios.
SU" Fazem-se casacas del imadas de
panno preto e de cores a 20.) rs. sobrerasa-
eas a 28j rs. jaque tas de panno debrua-
das a I i.> rs. calcas de panno preto e azula
2d rs. coleles de vetado a 7.> rs. ditos de
sarja de palmas a 5*300 : na loja de alfahte
ssy 10 cadeiras de Jacaranda, ja tizadas
nesta TypograQa.
S-y laxas de fero coodo e batido, estas a
de Ierro com bous segredos dirija-se a ra | junto a casa que se est edificando : a tratar -00 rs. e aquellas a 1()> rs. a II).; assim como
ferragens proprias para cngenlio : na ra do
Vigarjo n. 7.
su"-Riehas pretas superiores a 100 rs.:
na ra do Cabug n. responde-se pelas
que nao pegarem.
SSB" l cavallo novS bom andador por
prego commodo : na ra da Cadeia do Re-
cibn. I.
s su Diccionario Portuguez c Francez o
um cuxixo : na praga do comroercio bote-
Francisco onde se continua a receber alum-
nos tanto para as aulas Theologicas, como
para l.atim e Geografa : os pretendentes
podem ali dirigir-se a qualquer hora do da.
tSf Lachasso carniceiro francez avisa
ao respeilavel publico e particularmenteaos
seus IVeguezes que anianha Domingo, te- do beco largo da Matriz de S. Antonio junto quim do Almeida.
ra -[i sen lalbo carne de boi mu gordo car- a um lornoiro. rv T Dma negri
AVISOS MABIT IMOS.
neiro, eporco; e lingoicas a moda fran- ssy Precisa-se alngar urna casa terrea no
ce/a : na ruadas Trincbeiras o p da ra lugar do Terco ou mesmo ao entrar da ra
Nova. Direita : quem tiver annuncie.
SU* Piectsa-so de una pessoa gil para
cobrar dividas lano da praca como do mato:
na ra do Queimado I), lo.
- Arrenda-se um sitio no lugar do Ca-
xang, com frueleiras diversas, planta de
capim verduras com grande casa de vi-
venda estribara para um cavallo, todo cer-
cado: na ra Nova D. 3*. ou no mesmosi- regar dirija-se ao Capita.
SU" l'ara Genova segu viagem com toda bre-
nlia de menor idade ja le-
ve bexigas : na ra do Mundo novo sobrado
junto a mar Dr21.
su L'm novo e muito bonito cavallo se-
lado e enfreado : na ra do Crespo loja !). .">.
lado do norte.
su Um preto ofiicial de sapateiro sem
vicio algum ao comprador se dir o motivo:
MdaiJe por ter prompto quasi lodo o seu car-i ,. n n
^,_'(. ., i>..; ... c i r 1 / el copa de serpentina: na ra Direita I). 41.
regamenlo o nilge Sardo l redenco (.a- .... .
..o-.. 1 ,.;.. i,..i,....... 1 1 1 J~ I ma ainiacao de loa ( e iniuilezas ou
pilao Luiz Hodoanuo anida pode recebe- P ," .
i.....,. r.... 1,. azenila. 011 oulro (lamuer estribe comento.
alguma-carga a Frete ; quem nelle quiser ear- ,. ... ...
tio a fallar com o Salgueiro, Commissario de
Polica.
cj- Precisa-se de um homem que tenha toi.iVlmilIlU, no dia o ,,,, M,,,,
principios de giraramatica, lea bem e seja EmuIa<.fi0 ( receb8Car
activo e diligente da-se-lbe 51)0. rs. de or-
denado annoal: no tbeatro a fallar com Joa-
Jo/.e da Gama.
C7- O Sur. Joze Miguel Pinto de Araujo ,
queira dirigir-se a ra do QueimaJo loja 1).
." ladodo poente a receber urna carta viu-
da de Cotinguiba.
tvy- Perdero-se uns oculos de armaeao
de piala desde a ra do Aragao al a
I
i ou ao sen consi-
nalario Monoel Joaquim llamos e Silva.
i^r* Para 0 Aearac SCgUC viagem impre-
0 Patacho
ga e passageiros para o
que tem muito bous conmodos 5 quein pre-
tender dirija-se a bordo do raesmo defronte
do trapiclie novo, a fallar como Capilao,
ou com Manuel Gousalvcs da Silva na ra da
Cadeia do Recife.
tST Para oCeanicom escala pelo Ass. re-
ceberido carga para ambos os portos, o bem
conhecido Palabote Vingador, com a maior
brevidado possivel, para carga e passageiros
Matriz da Boa vista : quem os achou quei- >. ^ conMmoll loaquim PedrodaCosta.
ra restituil-os, ao Sor. Jacinto ou ao Sur.
Manuel Gomes ambos com loja de ourives,
que ser recompensado.
r So F.ngcnlio denominado Chaca dos
Frailes Termo da Villa de Serinliaem ha
dvolulos alguns sitios de Lavradorea de ca-
nas : os pretendentes queiro dirigir-se ao
ditoengenho. a fallar com seu actual rendeiro.
i/' Para o Rio de Janeiro segu- com to-
da brevidade o Patacho Francolina ; quem
nelle ipiiser carrejar 011 ir de passagem di-
rija-se a Joze da Silva Noves.
LE l o e n s .
tST Miguel Rodrigues Vieira faz leiln
B*-~Os Srs. ossignantes do Universo Pillo- I'01' mtervenQiodo CorretorOliveira, de gran-
resco, queirao dirigir-se a ruada Cruz D. 22 ,l(' l,01'^f'd(> mobdia nova do seu armazem,
para receberem o n. 11 do mesmo. consistmdo em cadeiras, mesas de jogo mar-
tsr OSr.que por engao levou no dia (l<>ezas, escadm has para1 Jeito ludo de jacaran-
i7 do eorrenteum guardasol da Repartido ,!il emuitos outrosobjccls que se vende-
Sello, o qual eslava encostado agrade do rao por balsos precos pela preciso de desfa-
wmo Sello, e tem barra de lila larga Wh- /M;-se do seu estabeieomeulo. e relirar-s
em urna casa com commodos para familia :
na ma Direita I). 20 lado do Livramento se
dir quem vende.
\_j- Porcao de cera de carnabuba por in-
teiro OU em arrobas por preco commodo :
na ra da Madre de Dos loja de Joze Antonio
I da Cimba.
1j' l na rededo Maranlio propria pa-
; ra tipoia com seus cordes 5 e um relogio
catxa de prata muito bom por preco com-
modo : na praca da Independencia loja de
encadernador n. 23.
iry Garrafas com essencia de aniz prlmei-
ra qualidade : no arma/em de Antonio Joa-
quim Pereira caes da All'andega.
SBT Grande porefto do vinbodo Porto en-
garrafado, e muito superior a 32o rs. a gar-
rafa sem casco : no atierro da Roa vista
defronte da Matriz, venda de 5 portas D .">!).
:, W lu lindo eseravo de 21) annos per-
feloofiicial de pedreiro 5 um bonito moleque
de i-i a 15anuos; urna preta perfeita co/.i-
nheira e ensaboadeira urna dita cozi-
nheira e engommadeira de lodo o servico ;
um preto de bonita figura ; urna negrinha de
12 anuos: o ma mola la de 22 annos. linda
sevadinha a 100 rs. farinha do Maranlio a
120 rs. passas a 200 rs. bolaxinlia a 200
rs. sevada a 100 rs. espermacete a 800
rs. a libra carnabuba a 560 rs. sal de
Lisboa a ljOOO rs. medida yelha ameixas
muito novas agoa arden te de Franca a 480
a garrafa marinelada em latas cha supe-
rior a 2,>20 e 2joo0 rs. e todos os niais
gneros de venda : na' ra Nova Yenda D-
cima o.").
SU" ptimos Charutos da Havana Ham-
burgo rxoeira e Fama yoa-, e bichas prc-
las grandes: na ra do Cabug luja do Ban-
do ira.
SU Manteigade muito boa qualidade en
barris de 28 libras por prego commodo ;
charutos da Babia j 800 rs. a caixinha cer-
neja boa em barris do i duzias a 2800 a du-
zia : na ra da Cruz D. 4.
SU" Os Diccionarios /ie Moraos da (piarla.
edico boa encadernaco quasi novos : na
ra Augusta sobrado de um andar e sotio ,
das 0 horas as 8 da manha o das as 0 da
tarje.
SU" Urna escrava angica com bonita ligu-
ra de 20 anuos, com alguinas habilidades,
outra dita de lo annos tem principio^ de en-
gominar cose e cozinha o be recolhida :
na ra Direita I). 20 loja de couros.
SU" Um sobrado na ra de S. Rento em
Olinda n. 4S, con quintal, estribara e
outros arranjos: na ra da Cruz do Recite
n. 22.
SU" Uma boa cabra, bicho parida de pr-
ximo com muito bom leite e muito man-
ca propria para criar algum menino : an-
nuncie.
SU" Fina mulata de 20 annos cozinha ,
engomma nao com murta perfeicao por nao
ter sido aplicada o ptima para o servico
interno de una casa : na na do Crespo De-
cima i 1.
SU" lina negra co/.inheira tanto de forno
como de massa cose chao lava de varre-
la e engomma liso : na ra do Fagundes
D. 18.
SU' 10 sacos vasios proprios para farinha :
na ra do Queimadu loja de ferragem D. o.
tu- I na escrava crela de 20 annos co-
zinha o ordinario lava engomma e faz
renda : na venda D. 7 defronte da Igreja de
S. Rita Nova.
SU- Feij.'io mulatinho de superior quali-
dade em sacas ou medidas e una pequea
porcao de madeira de condur, propria'para
rama ludo por preco commodo : r.a ra da
praia D. 10.
KSCR A VOS F UG IDOS.
do
mesmo
desla Provincia ; Terca feira 22 do crlente
da, cordaocom duas borlas no punbo, e casliio
demadeira: queira eniivga-lo no sobrado do as iO horas da manh Cm ponto nodito s
palto do Carmo 1). 9 no .segundo andar; se- rmatem na ruada senzala velba.
r recompensado. Gu.marfies lerreira faz le.lao do dse-
ss7*Na Quarta feira de Cinza, noute.des-
appareceu una escrava crioula de [nomo
Ludgera, baixa e reforjada, de idade la
a 10 anuos bem parecida ; levou ves-
tido de xadrez azul e branco e camisa de li-
nbo: quem aappreender elevar ao sitio do
L. A. Dubourcq na Estancia ou amado
Vigario N. i, ser4 generosamente recom-
pensado.
SU" Fugio no dia II do rorrentc una pre-
ta por nomo Anna de nacao Cabinda ida-
de pouco mais ou menos T>0 annos cor fula,
figura engomma cozinha e cose : na ra muito pintada de bechigas estatura regular,
do Fogo ao p do lozano D'. 25. denles limados, e olhos afumacados ; levou
SU" Sacas com arroz de casca muito novo: una caixa com roupa de seu u/o: quema pe-
na ra da Cruz, n 38. ir leve a ruad' Apolo casa de Joze Mara
SU" Direito Mercantil c leis de Marinha.\ja Costa Paiva que gratificar generoza-
por Joze da Silva Lisboa, on muito bomuzo: mente-
! na ra da Cadeia d
isnua, em 1
o Is'cifeD.
10.
ty lina negra de naeo com 2o anuos ,
,,- l'.na mull.er do bons costumes mo- Ja,!o superior vinagre branco para conservas : 1 COzinba pouco vende na ra : as 5 pon-
radora na ra Direita I). 23 segundo andar. no armazem do Sr. Joze Raj no orle do Mal- la9 |>. 53 Iado (,Mlo.
recebe nara pensar chalar com muiio cari-, tos." Segniida feira 21 do correte os lotes lz^. Urna armado de loja ile fazettda.no
MOV1MENT0 DO PORTO.
nl.ocreancas que se eslejao amamentando serafiemfnpasa vontad. doi arrematantes.
, om s-ias amas ou ja desmamadas e ou se- I pJ^.'^^V'^L !""" .!'..?
jo impedidas ou desimpedidas.
Franca por conla de quem perleneer e
Precisa-se de um padeiro estrang(iro:|p?' "ervengo dCorretor Oliveira, se la-
o Forte do Matlo por cima do armazem de ledaopubltcp Sexta fe.ra 2, do correne
assucar de Joze Antonio da Silva Viana. Js ^,orada ,,l1;,',l,,a ;,;1 ."I? :V,va *
Snr Beranger defronte da Matriz de djffe-
r A pessoa que se considera credor, ou ^nrHeranger ae ronte aa JMamz de tune- ,>. M.
rrespoiidentc nesta praca de Manoel Gue- rentes objeclos pertencentes ao fallecido An- ey (, pequenosi
s Gudin morador em S. Sebaslio Co- ton,. D,lt>C(I Sll!,llll '';'"^- COnsistindo arvoredos, e casa pie
pateo de N. S. do Terco 1). o nina rotula
uzada una caixa grande duas oseadas de
mfio, um babul de folha proprio para ven-
der fazendas urna balanca de co:i\as de co-
bre pesos de mcia arroba at meia quarta ;
ludo por pre^o commodo : na rua Direita
corres
des
ma
morada para
seu iirteresse.
sitio na Soledadc com
precisa de algum con-
rea de Goiana annuncie por esta folha sua ospnpeipaes om mesas redondas para me.o cerU, riiifirto o professor de latim da
rada para ser procurada para negocio de desala, ditas para jogo cadenas, marque- Boa vista: o mesmo arrenda urna olaria com
zas, camas de Ierro, quadros com eslam- bom-porto de embarque, e todas as mais
SU" Precisa-se de um portuguez para Cai-; I,as ese.n ellas espelhos, secretarias vi- ,()imi!()ll,jadcs precisas, bastante grande c
xeirode.imenm.ho. s'.bendo escrever, e ",H,(,C Bordeans ehgarrafodo dito branco precisa de alguns consertes, eporisso.se fa-
emcatxas, e mullos outros objectos constan- r negocio como rendeiro, be situada na
tes da relacaoquo se acha pajw e esame em o ;;,>., vsl;i no |ugar do fundi.
Consulado de Franca o (pie se acharan pa- s A Sumaca Rom Jess dos Navegan-
lentes na occa;,iao do leii.10. tes, de eonstrucflO Rrasileira de 52 lonel-
tadas prompta donnecessaro para poder h-
conlac : na roa Xova D. 10.
SU Precisa-sede urna mulher preta para
servir urna casa de pouca familia, de portas a
dentro,*: que sai ha cozinhar, e engomar: na
praca (!" independencia n. 35e oi.
SU" O abanto assigaado assistente na rua
tJva D. K> declara1 que no seu Engento Mus-
Mipi apareceivo dous bois ; que serao entre-
gues a quem mostrar ser s. u dono.
Manoel Cuvalcanli de Aleuquerque l.ins.
COM PR AS.
vegar : a tratar em casa de Novaos ii Basto,
SU" Lm preto velho que nao exceda de onde acharao o inventario da mesnja.
Ia0,> rs. : na rua (U- AgOM verdes I). 57. Batatascm gigOS, e em arroba a 800
W I ma eorrcrrte de curo bom. e um rs. azeile rtoCCTl >> rs. a cemada de Car-
aneldibom brhanle sem l'cilio : annuncie. i rpate a 3#2O0 rs: sag a 280 rs. libra. RCiFE NA TVP. DE M. F. D F, =1842.
NAVIOS ENTRADOS NO DIA 17.
Santos ; rr> dias. Brjgue Austraco Garola-
mo de 426 tone!. Cap. Stel'ano Irannovick
equip. 14, cari;;, lastro : a Ordein.
Gucrnscy odias Parca Ingleza Emilia de
"2TS1 tonel. Cap. A. Dadson equip. 1-.
carga lastro c batatas : a Frederick. Ro-
billiard.
SABIDOS NO MKSMO DIA.
Lisboa; Rrigue Portuguez Feliz Deslino, Cap.
Joze Francisco Lessa. carga assucar.
ENERADOS NO DIA IS.
Cammossim ; 18 dias, Brigue Escuna Ria-
Bleiro Leja Flor de 110 tonel. Cap. An- |
Ionio Ferreira da Silva, equip. 9, carga
sola : aFirniind Joze Felis ,da Roza.
SAUllios NO MESMO DIA.
Nauluckct : Galera Americana Pbebe Cap.
George Alien com a mesma carga que
(muxe.
Rio de Janeiro Brigue Rrasileiro Incansavel
Maciel Cap. Fraacisco Joze de Medeiros ,
carga diversos gneros.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E8RVX1BFI_K54GXR INGEST_TIME 2013-04-13T02:39:30Z PACKAGE AA00011611_04446
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES