Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04442


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anuo de 1842.
Terra Feira 15 de
'1'uilo aora depende de no* meamo* ; da nos*a prudencia, mtideracSo, e energa : con-
t miemos como principiamos, e seremos apnntados cos admiracilo entre as NiciVs maig
culta*. (Proclamaco da Assemblea Ceral do Brasil.)
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES.
Cnianna, P.iraiba, eKinjrande do Norte, na segunda e sexta feira.
Bonito e Garaiihans, a 10 e 24.
Cabo, Sarjohaem, Rio Forran, Porto Calvo, Macelo, e Alajoas no 4 44, e 21.
Paje 43 Santo Anto, quinta feira, Olinda todos os (lias.
-------------------------------------------------------
DAS da semana.
44 S.s. Valenlim. Chae Auil. do Juii de Direilo da 2. vara
45 Tere, s Faustino. Re. Auil. do do jalarle Direito da 4, vara,
lli Quart. s. Profiri. Auil. do juir. de dircitH da 3. vara.
-17 Quint. Silvino. Aud. do juli de direito da 2. vara.
4S sexl. s. Tlieotoneo. Auil. do Jim de Direito' da 4. vara. .
4!) sab. s. Co irado. Re. Aud. du Juir de Direito da 3. vara.
20 Dom. s. Kleuter o.
Frvereiro. Anno XVIII. N.S>.
O Diario publicase todos os dias que nao forem Sintiiieailnv o preeo da ai*nalu/ he
de Irea mil res por quartel pagos adianlados. Os annuacios dos ass;;iianles ao inserido*
gratis, eos dos que o nao forem raiao de SI) reis por linlia. As rcclaaacfiea derem ser
dirigid** a isla Tvpogralia ra das Cruies D. 3, ou praca da ludependeacil lo ja* de livro*
rSumero*37 e 3S.
Preamar do da lij de Fcvereir.i.
i." as 8 horas e 30 m. da mauli.i.
2." as 8 horas e b i m, da tarde.
CAMBIOS no da 1 ou I'kvkiii ii\(>.
Cambio sobre Londres 2!) d. p. 41
k u Pars 320 reis p. iranio,
,i Lisboa Ma S.) p, 100 ,lr pr.
OuRo-.Moeda.lr 0,400 V. 41,400 4'i.ii00
>. ,. .. N. 44,2*0 14,400
de 4,000 s lint 8,200
Phita Patacocs 4,CSO* 1,870
krJUTA Petos Cnliimnaies 4,fi.i0a 1,070
> i mexicano* 4,lito a 1,4(8(1
miuda 4,41(1* 4,4ftO
Mor J* de cobre 3 por 400 de disronto.
Disronlo de lilil, da Alfandega Ir; por 400
ao mer.
dem dr. letras de boa* firmas le a 4 e f.
PHASES DA LOA NO MEZ LE FEVERE1RO.
Quart. ming. a 2jJis 10 oras e S m da man'i.
I ia Nova a 10 -- s !l oras e 38 ni. da niin'i
Quarl. cresc. a IS-- ka 11 oras e 22 m. da munh.
La cheia a 2 os 1 oras e S m. da maiili.
NA1
G 0\ E lt X O D A P U O V I N C I A.
EXPEDIENTE DO DA 10 DOCORBEMTE.
Ollicio Ao Commandantc das Armas,
signilicando-lhe cm respusta ao 9eu ollicio de
\ tii> crrenle relativamente ao alfoces da
Guarda Nacional Manoel Francisco Monteiro,
queo mesmo A lleras dever ir no primeiro
Navio de Guerra para a Corte a a presen tar-se
ao Exm. Sur. Ministro da Guerra, e que so
depois de ter comogado a servir poder-se-
Ihe-ha a abonar o sold e mais vencimen-
tos.
Dito Ao Inspector da Thesouraria das
Rendas Provinciaes transinitUndo-lho. u;na
nota do engajamonlo do Corneta Antonio Jo-
s Conga I ves da terceira companhia do pri-
N. meiro Batalhao do Liinoeiro a lim de que
ihe laija abrir o competente assen lamen lo de
praga.
Dito Ao Coronel Chefe da Legio da
Guarda Nacional do Limoeiro, comniuniean-
do-llie o conleudo no precedente ollicio.
Dito Ao mencionado Inspector da Thesou-
raria ordenando-llie que mande vir da
Eranea com a possivel brevidade o Chro-
nomlro que requisita o Engenheiro
Luiz Leger Wautbier para os trabalhos do
levantainer'.to do mappa Topographico Jes-
ta Provincia.
Dito-Ao Engenheiro L. L. YVauthier, com-
municando-lhe a expedioo da ordem su-
pra.
Dito Ao Coronel Chefe da Legio da 0.
N. de Olinda ordenando-llie que faca mar-
char na larde do dia 17 do correte urna
guarda de honra do primeiro Batalhao, e to-
dos os Inferiores para aeonipuiliarem o Se-
nhor dos Pacos que tem de ser depositado
na S faseodo marchar todo o batalhao na
a procissao do Mesmo Senhor.
DitoAo Inspector Ceral das obras pu-
blicas, declarando-lheem resposta ao seo of-
ficio de 9 do frrente (pie na ordem que
lhe foi expedida em tresdesle me/, para Mea-
re m debaixo da direccao do Engenheiro em
chefe as estradasdesta Provincia, se nao com-
prehendero os reparos que soh a direccao do
mesmo Inspector Ceral se estilo fazendo as
pontes do Kecife, da Magdalena, e do Anjo
e nos atierros a ellas contiguos.
F@UA
TO
0 MONGE VINGATIYO (*).
Apresenta-se com eHeilo na portara c
pergunta pelo padre Cypriano.
O feroz monge nao podera fechar olhos to-
da a noite : um presenlimento funesto o a-
visava de queo seu critne era maior do que
suppunha. Certo de que era' reville quem o
prucurava se aprsenla com a cabega bai-
xa, e acara quasi toda cubera com o capello.
O' meu padre lhe diz Preville em voz bal'
xa sabis vos que um monslro quiz hontem
a noite assassinar o Mlho do infeliz Saint-
Morin?
O seu,|iIho dizeis vos !
Ol verdade senhor e o que
mais ha suspeitas de que um dos vossos reli-
giosos commetteo este crime abominavel !
l'm religioso E' Impossivel; talvez
algum miseravel que ousasse lomar esse des-
falco para melhor se occullar.
Pensis vos que nesta santa casa baja
um individuo capaz de perpetrar semilhante
altentado ?
Eu nao o creio.
(*) Vid. os Diarios N. 33 3i, e 5o.
Dito Ao Com mandante Ceral do Corp de
Polica ordenando lhe que mande dar bai-
xa ao Soldado Paulo Manoel Lopes, e a-
presental-o ao Coinmandanto das Armas a
quem se ollereceo voluntariamente para ser-
vir no Batalhao Provisorio desta Provin-
cia.
Dito Ao Commandante das Amias, com-
municando-lhc a expedico da ordem su-
pra.
DitoAo Director do Lyceo signilican-
do-lhe que leudo o Inspector, do arsenal
de Mariana representado a necessidade do
seren admittidos as Aulas de Geometra e
Desenlio do mesmo Lyceo os Aprendises da
ollieina de Carpinteiro do referido Arsenal.
Antonio Luiz Basto, Hilario Congalves de Li-
ma Joaquim Victorino Coelho, eCaroliuo
dos Prasres Reg 5 cumpre que os faca ad-
miltir como ouvintes as sobreditas Aulas.
Dito Ao Inspector do Arsenal de Mari-
nha. communicando-lhe o conteudo no pre-
cedente ollicio.
PortaraAo Comandante Ceral do Corno
de Polica, ordenando-lho que mande dar
baixa ao Soldado Antonio Mendes da Rocha .
visto nao poder continuar a servir em eon-
Sequencia das molestias que padece.
DitaAo Inspector to Arsenal de Marinlia.
ordenando-lhe (113 Faca soltar ao Hespanhol
Jos Joaquim e aos Portuguezes Justino Jo-
s e Igoncio Francisco Rodrigues, que forfto
recriilados para as tripulacoes das Kseiinas
-I. de Abril-, e-Xiclheroy -conforme re-
clamfio os Cnsules de sus Xacoes.
Dita-Ao mesmo ordenando que mande pa-
gar ao pralico Manoel DiasdoNascimento,que
conduzo ao Porto desta Cidade o Brieue Es-
cuna Xiclheroy a quantia de ri0.>0(K) reis ,
porque foi justa a mesma conduccfio.
OllicioAo Commandante do Brigue Escu-
na- Xiclheroy conimunieando-lliea expedi-
gao da ordem supra.
.Ultimas noticias de Yucatn.
Q
Esta nova Repblica val prosperando as
mil maravilhas, segundo as ultimas noti-
cias.
Tem-se adoptado leis e regulamentos para
administrago do paiz com vistas mui libe-
rtes. Pode-se vivr cm Yucatn, c posar
alli de qua/i tanta lberdade como nos Esta-
Porm as apparencias. ignoro se o
monstro se diriga contra innlia lilha, se. con-
tra o filho de Saint-Morin mas cito que
esle desgranado joven cabio traspassado de
repetidos golpe.
Oh Dos !... exclama o padreCypriano,
e cahe redondamente no chao privado de
todo o senlment.
Esle monge diz comsigo Prevlle to-
ma um ineresse demasiadamente vivo em lu-
do que me respeita !... Seria elle P... Elle !
Oh ceo !...
A queda do padre Cypriano altrahio al-
guns religiosos que trataram de conduz-lo
para aguacella. Preville voltou para casa .
procurando combater as suspeitas que si1 ele-
vavam fortemente no seu es/WritO. O que
o fa/.ia sobre ludo vacillar era nao poder des-
cobrir a ra/ao que loria o monge para com-
metter to nef;ro crime....estes dois desmajos
repentinos cansados pela simples narrac4odas
desgragas de Preville, sao na verdade indi-
cios mui importantes!... Quem ser pois este
padre Cyprianoi? E'necessario conhece-lo
melhor e faze-lo punir se,forculpado.
Preville nao communica a pessoa alguma
assnas rellexes. Entrando no quarlo de
Augusto eneonlra-o muilo melhor. Elviua
dos (Jnidos, e it) immensa vantagem.
Tem-se aberto em Mer ida, um explendido
gabinete deleilura. Islo una provado seo
progresso. Outrase eonlem ueste factO,que
na mesma cidade tem tido lugar nao menos de
oitenta coito casamenlosem tres mezes. I ma
prova inda maior da marcha do entend-
ment que viero a esle mundo quatro ce-
ios trinla e nove Yucalaiizinhos ni-ure-
! rao no mesmo lempo, l(;saldoa favor da
Repblica, 293 !
Segue-se una lista dos Senadores eteitos
para o prximo congresso de Yucatn.
Por Merida D. Cresccncio Jos Pinclo, e D.
Pedro de Sou/a.
Por Campeche -1. Pedro Manoel Regil, e I).
Pablo I.anz.
Por Yalladolid D. Jos Ignacio Cervora, e
I). Thoinaz Logan.
Por l/.amal D. Miguel Gmez, e I). Jos An-
tonio Mendes.
PorTekar I). Alfonso Vzquez, e D. Vicen-
te Alamilla.
Estes Sanadores tem poder de fazer um
I tratado com o Mxico, ou para formar um
novo Estado, ou unil-o outra vezcem a me-
tropole.
MXICO.
Rebentou outra revolugao no Mxico, e
Sania Auna est oulra vez para subir ao po-
der.
A 18 de S.'tembro Guadalaxara no M-
xico sobo com mando do General Paredes .
proclamou a abolico do imposto de lo por
cenlo que tinha sido ha pouco laucado [te-
lo Govemo ; e declarou-se a favor da clei-
go de um congresso pelo povo. Islo produ-
duzio grande exctamento.
A noticia desle rompinienfo chogoii a Vera
Cruz a 24deSetembro, e Sania Auna pro-
clamou inmediatamente a favor das mesmas
medidas. Elle expedio tropas a 2.'J para oc-
cuparem os cas lo 11 os e fortes princpaes en-
tre Vera Cruz, e a cidade do Mxico.
A i2(> declarla-so lambem Vera Cruz pola
revolugao e entilo completou-se quasi o
estratagema para a derrota do Coyerno Cen-
tral. Xa mesma larde enviou Sant." Anua
que tinha cerca de -2,000 bomens debaixo do
seo commando urna forca sullcienle para a-
pos;;ar-se de Perol'' caslello que domina a
communicagao entre acidado do Mxico c
Vera Cruz. Ella cliegou aquello lugar justa-
mente (piando a malla Ingleza eslava a fe-
cha r-se efo por esla va que recebemos a
estava aoseu lado c participava dos cuidados
de enferineiio e decirurgian. Elvina to do-
ce to sensivel como bella desempenha
para com Augusto todos os deveres da ternu-
ra fraternal o a vista destes dois jvens
arranca lagrimas de sensibilidad); ao hom Pre-
ville que n'oulro lempo criminoso oh !
na verdade bem criminoso est boje intei-
ramente restituido prntica do todas as vir-
tudes. Nao pode sabor-se se elle ama mais a
Elvina se a Augusto. Elle tinha lanas
culpas a expiar para com este ultimo queso
o poderia fazer enchendo-o dos seos beneficios
edasua ternura. Mas ter-se-hia envergo-
nbadode lhe revelar essas culpas. Conser-
vava-o pois na crema de que era seu llho .
e estava resolvidoa sersempre para com elle
q pai mais torno.
No mesmo dia Preville receben esle bilhete.
Se denles din 80 passo para doscobrir o
assassinodofilbo do infeliz Saint-Morin, o
vosso proeedinienlo paracom esle amigo da
VOSSa iiil'.titeia s.-r siibiui-llido ao rigor das
leis, que saberao perseguir e castigar anti-
goscrimes, por maisoceultos que ellos es-
tejam.
Donde pode vir este amoaco ? Ninguem no
mundo conhec os segredos de Preville :
noticia. Apenas o General de Puebla s-oub-
do que tinha acontecido expodio 500 hoe
mens de cavallaria em soccorro de Parte,
mas Santa Auna tinha tomado possedelle,
aulos (pie osla tropn chegasse a distancia de
seis l'gois ilo lugar.
Assini muilo se lein fisto pira a nova re-
voluc&o do Mxico. Parece pie aquello pai/,
tem ja as inoseheias de guerra.
No I. de Outubro reuiiio-seo congresso do
Yucatn, o sem duvida declarou aquella pro-
vincia nteiramente livre e independen te .
como paiz distincto do Mxico, pois qga io-
dos OS membcOS eleitos para 0 congresso
pertencem ao partido da separaeao.
O Coronel Paraza (bi enviado pelogoverno
de Yucatn a 28 de Setembro como commis-
sario a Texas, relativamente mutua defe-
sa tas diias repblicas contra a armada que
se estava preparando no Mxico para bl ;-
queio daquellascostas. Desta armada esta-
vao-se contruindo na Inglaterra dous vapo-
res de ferro que devino Miar promplos em
Janeiro pioxinio pass.i.lo eduas escunas no
estalleiro de Browni Bell da cidade de Xew-
York, as quaos devio aprestar-se dentro do
sessenla lias ; e aquello governo comprod
iiltmamente um bello Brigue Hespanhol em
Sera Cruz. o pial ja eslava prompto para
entrar em servigo. Quanto tempo durar esta
armada as niao.s dos Mexicanos.
(The WeekVy Herald.)
ESTADOSIXIDOS.
A Administrago da Justiga Criminal em New-
York.
A administrago da Jus'iga Criminal nes-
ta grande Cidade tem ('llegado a (al poni do
inteira degradaeo de to completa desino-
ralsaeao que j mais que lempo de lomar
a sociedade osle objecto sua conta de ve-
rificar as causas desle dcploravel estado do
COUSas e prov-lo d'algO remedio que soja
sulliciente para proteceodas vidas e propric-
dades dos innocentes, descobrmentpuni-
gao dos culpados.
A rcenle violacao c horrivel assassinato,
d'uina innocente rapariga, o inipenctravel
myslerio que rodea esse acto y apalha dos
.1 u i/es criminaos e a total inelicacia da po-
lica sao fados que tendem lodos rpida-
mente a reduziresta grande cidade a um es-
tado de sociedade selvagem sem lei sem or-
dem e s-ni seguraiica de especie alga. A-
Denas poneos das se leem passado d.'pois que
vimos M. Xoah um dos juizes do Tribunal
osseus cumplices j nao existem. .Nao ha
seno o monge a quem elle os revelou que
possa conhecer esses funestos segredos. Se-
r o padre Cypriano o aulhor. .ou seria as-
sas perlido para trabir urna revelagaofeila no
tribunal da penitencia ?...
Preville estremece com ludo leudo outra
vez este fatal bilhete cuja letra lhe intei-
ramente desconhecida. Resplve explicar-so
de urna vez com o padre Cypriano a quem
tantas combipafOBs parecem lomar suspeito.
Dirige-se pois novamente ao convenio, mas
respondem-lhe queo monge est gravemente
enfermo na sua colla, ondeningueni pode ser
almillido. Aquello desbragado eslava com
c.ffeilo n'um estado bem digno de compaixao,
opprimido pelos remorsos de hayer apuuha-
udo seu Mlho atormentado pela incerteza do
sua sorle chegOU qasi borda da sepultu-
ra donde so o arrancn a certeza de que seu
Mlho eslava livre de perigo.
Pre\ lile nao accrlava uo partido que toma-
ra. Eslava persuadido de que o padre Cy-
priano nao era cslranho aos acontecimeolp
queso tinluun passado na sua familia po-
rm quem o esclarecera sobre este poni ?
Onde adiar a certeza ?.....Lisas continuas
rellexes que o oceuparam nimios das.


t
das Sesses levantar-se do sen lugar, e gra-
vemente enumerar ao Grande Jury os varios
deveres que elle tinha a cumprir indician-
do como dignos d'exemplar castigo reos de
pequeos furtos ao passo que o sangue de
Mara Rodgers, quebrada por fin ganga do
tundo do Hudson anda nao excitou umas
observaco urna nica palavra urna sacudi-
dela da cabelleira urna indicago do dedo
d'este respeitabilissimo e recto juiz. E toda-
va esta escandalosa negligencia no juiz se de-
nmina a administrado da justiga na cidade
de New-York que nao se deve tratar de resto!
Este e outros que taes juizes esgotao os seus
esforcos e talentos toda a sua jurispruden-
cia e metade da sua doutrina evanglica em
promover aaccusacao d'um gazeteiro pelo hor-
rivel crime de lesa sociedade por fazer urn
relatorio inexacto d'um processo de furto de
trez libras de carne de porco ou da ratonice
d'algQas sacas de caf : nas em quanto vio-
laco da honra e vida de urna rapariga
virtuosa, respeitavel e amavel ilha nica
d'uma idosami o Juiz No;ii uo tem lempo
para atteuder a taes ninharias; e o Juiz Lynch
est to oceupado em conceder ordens de ha-
beas Corpus, ( mediante os emolumentos de
10 a iox em todo ocaso ) permittindo
a soltura de indubitaveis malfeitores que nao
poda igualmente chamar a attencao da polica,
ou do Grande Jury para a simples violago e
assassiuio d'uma rapariga das classes inferio-
ras da vida.
A r.ossa polica est no mesmo estado d'inac-
go e deleixo. Nem un passo dar sem re-
compensa ; e se ella tiver se quer urna ponta
para o mysterio ainda conservar o segredo
intacto como um capital em trafico at
que a indignago publica lenha contribuido
com urna soturna sullicienle que sirva de pre-
mio para trazer os factos luz do dia.
A administracao da justiga n'esla cidade ,
desde a soltura do assassino Robinson pelos
esforgos de Jos'.'lloxie tem cabido rn des-
prezo cada auno cada semana 0 cada dia.
Aquella sojlura tem sido seguida durante os
ltimos poucos ani?os da mais espantosa des-
moralisago em todos os ramos de negocios
critnnaes. Assassinio tem seguido a assas-
sinio, sem que a polica faca estbreo algQ pa-
ra desiobrir os malfeitores ou se os desco-
bre faz a influencia poltica ou a pecuniaria
todos os esforcos para salvar os matadores e
defraudar a forca dos seus direitos, Iludi-
mos especialmente ao caso da rapariga assas-
snada na ra de Tliomas ao do rapaz em
Brook-lyn ao do viga da cidade inorto no
seu ollicio e ao homem Fitzpatrick manda-
do para a eternidade d'um golpe. Ao mesmo
passo que lavra esta vergophosa desmoralisa-
co n'uma sociedade civiisada, e na ordem
publica, sao perseguidas e punidas algOas pes-
soas contra a lei smente por satisfazer a
maldade de Cliques como aconlecco com
James Gordon lennclt que foi mulctado em
300 na elfervescenoia das qubras de 1857,
por um engao de publicar pelo prelo o nome
de Joo Haggarty que nao tinha fallido em
lugar de James Haggarty que o havia feito.
Porm o espirito de desmoralisaco nao pa-
ra aqu. Quando o ex-Relator dVsta cidade
por entao mostrou lirmeza e vigor em trazer a
juizo urna grande violago das leis d'eleigoes ,
deo-se-lhe caga por um espirito devinganca,
foi illegalmente removido do em prego pela
sua firmeza e a administragao da justiga foi
reorganisada pela nomeaco de pessoaS taes
Entretanto Augusto, se restabelecera com-
pletamente. Elle se admirava particular-
mente de que seu pai nao lizesse a menor di-
ligencia paradescobrir o seu assassino quan-
do urna manh recebeu a seguinte carta':
Joven e interessante Augusto sabei
cmfim um segredo que a maligndade vos
tem oceultado at hoje.
Vos tendes bastante idade e razo para
notar que nem um s passo se tem dado para
descobrir o monstro que ousou apunhalar-vos.
Sabei pojs que Gonrado nao vosso pai;
nem Conrado! o nome desseque tem usur-
pado titulo to doce.
Elle chama-se Preville e est carrega-
do dos crimesmais detestaveis. Vos nao sois
seu lilho eseduvidais disto,- dar-se-vos-
ho provas. Segui hoje ao por do Sol um
pastorinho que passar diante da vossa por-
0^. ta tocando flauta ; elle vos conduzir aonde
encontrareis o vosso verdadeiro pai, que arde
em desejos de vos apertar em seus bracos
Nao fallis nisto Conrado nem fagis
a menor pergunla ao pequeo pastor, pois
que nicamente encarregado de vos guiar,
elle nada saberia responder-vos. Diteico
e prudencia e a natureza triumphar.
E' fttcil de conceber o pasmo, e a admira-
como M. Noah e James Lynch os quaes pa-
recen* tomar maior interesse na exactido dos
relatnos de processos de carne de porco e ca-
f do que na violago da vida, ou na suppres-
so d cazas de prostituigo cujo immenso
numero a grande causa da horrivel desmora-
lisago da sociedade de New-York edafrouxa
administragao das leis d'uma communidade
Christ. D'isto julgamos que nao pode ha-
ver duvida ent e quaesquer pessoas sensatas.
As cazas de conluio as cazas d'alcouce as
infernaes cazas de jogo todas formo urna
espeeie de perversa fraternidade urna Alsa-
cia no meio da civilisago em que se engen-
dro todos os crimes violentos contra a socie-
dade, os quaes tem ha annos injuriado New-
York. Foi sem duvida em algQa d'essas cazas
que Mara Rogers foi primeramente violada
e depois assassinada. Essas espeluncas da ini-
quidade formo uma'associaoo entre si go-
vernada por meio de regras suas a qual an-
d i pilbagem de toda a decencia e honestida-
de. Ellas at sao protegidas pela polica ; se-
no quem ouvio jamis dizer que esses abo-
minaveis conventculos fizessem objecto d'uma
aecusago de Suas Senhorias das Sessoes.
N'uma palavra emphatica New-York fica-
r injuriada e deshonrada aos olhos do mundo
Christo e civilisado seno houver um mo-
vimento moral grande grado e forte para se
reformare dar novo vigor a administracao da
justiga criminal e para proteger-se as vidas
e propriedades dos seus habitantes contra a
violencia e roubos pblicos. Quem dar o
primeiro impulso a esta reforma moral verda-
deiramente grande ?
( dem. )
"DIARIO DE PERIUIBI'CO.
Temos peridicos da Babia at 29 do pas-
sado : esta Provincia est cm socego ; ape-
sar do esmorecimentodo seo commercio, ins-
talou-se all ltimamente urna coinpanhia de
seguros martimos com o fu mo de -400 coritos.
De Sergipe nao obstante as folhas que tam-
bem recebemos e que chego at lo do dilo
moz, nada consta. as Alagoas foi pelo
Exm. Presidente convocada extraordinaria-
mente a Assemblea Provincial que durante
os dous annos passados se nao havia reunido :
desta vez eH'ectuou-se a reunio no dia 3 do
corrente, e continuavao ostrabalhis legislati-
vos.
PREFEITURA.
Dia 1 do corrente.
O Sub-prefeito de Itamaraca partecipa que
o pardo Cosme Jos Theodoro assassinara a
outro de nome Antonio Vital no da 0 do
corrente na povoaco do Pilar com urna faca-
da, e que o criminoso se evadir e ternes-
capado as delligencias feitas para sua captura:
que se proceder a corpo de delicio, que vai
ser remeltidoao Juizo compettente.
Nosdias 12 e 13 nooccorreu novdade.
DEC LARAC ES.
A Barca Hamburgueza Ida viuda de
Hambugo, entrada no corrente mez consig-
nada a N. O. Bieber & C., manifestou o se-
guinte :
06 Caixas miudezas 52 ditas fazendas
50 pessas de estoupa -- 20 barricas sementes -
gao de Augusto ao 1er esta carta. Conrado
nao seu pai ? Mas elle desempenha lodos
os deveres e mostra toda a ternura deste
sagrado titulo !... lsto calumnia esta car-
ta vem da parte dos seus inimgos sem du-
vida da propria mo que j Ihe d^scarregou
o golpe. E' um lago que pertendem armar-
ih, elle nao acudir certamente a este peri-
goso convite. Com tildo se fosse verda-
de!... Oh! ha um meiode oconhecer ar-
riscando algumas palavras na presenga de
Conrado mas de urna maneira mu disfar-
gada.
Augusto corre, com effeito ao jardim onde
seu pai anda passeando. Preville, vendo o
seu ar pensativo lhe diz com muita ternura:
Que tena tu, meu filho ?
Nada Senhor.
Mas descubro alguma perturbago em
teu semblante!
'>__ E' porque...me encolorisei ha pouco ,
por urna carta anonyma que me dirigram.
Urna carta anonyma E de que tracta ?
__ Oh eu nao ousodizer-vo-lho, meu
pai: eu a fiz em pedagos, porque julguei
dignas de todo o despreso as mentiras que
continha. -
5 caixas amostras 204 gigos batatas-20
volumes palha para chapeos-1 caixa carrinho-
100 barriz manteiga- 5caixas charutos -1
dita pianno 110 fardos papel embrulho-48
caixas vidros 200 ditas velas 13 fardos fa-
zendas 1000 garrafes vasios 5 tinas bixas-
2 caixas espadas 1 dita oleados 3 ditas cei-
ros 5o barriz conservas 2 ditos oleo 11U
caixas queijos 65 vergontas -- 312 barricas
abatidas 2 caixas bonets 26 volumes dro-
gas- 10 caixas ferragens- 30 barricas gine-
bra 8 ditas farinha-1 caixa cadeiras I-ora
do manifest 21 barriz manteiga 8 latas
bolaxinhas 3 barricas tabaco 4 ditas miu-
desas 5 gigos cebollas 700 botijas ginebra;
50 barricas vasias 70 presuntos 1 caixa h-
vros 3 ditas ignora-se 2 livros em branco-
29 barriz carne salgada e 1 fardo papel.
O Patacho Hamburguez Fortuna.
200 Barriz manteiga 2 volumes drogas -
1 barrica assucar refinado.-.1 caixa botesj-
1 barril conserva- 90 barricas ginebra -- 753
podras de ladrilho 200 fardos papel 300 gi-
gos batatas 10 tijolos e 2 caixas alfnetes.
Fora do manifest 6 tinas bixas- 15 barriz
conservas 20 ditos arenques 3 queijos 1
caixa ferragem -el barril carne.
Escuna Portugueza Liberal, vinda de
Lisboa entrada no corrente mez consigna-
do a F. S. Babello.
20 Barricas cevada 1 caixa sementes-1
dita papis 1 dita cordas de guitarra 2 di-
tas doce 1 lata dito 3 ancoretas azeitonas -
250 volumes de lagedo- 14 pipas vinho- 20
barriz dito 6 pipas vinagre 30 barriz azei-
te 700 molhos cebollas- 810 pessas de louga-
16 caixas cebollas- 20 ditas vinho 1 dita im-
pressos 1 dita agoa de colonia 1 dita candi-
eiros 7 barricas drogas 1 caixa dito 1 ba-
hul calgado 203 barricas sardinhas 1 fardo
alfazema- 1 caixa broxas 10 barricas casta-
nhas 6 caixas chapeos 1 dita papis 36 di-
tas toucinho 64 barriz carne.
0 Brigue Francez Armorique, vindo do
Havre de Graca, consignado a L. A. Du-
bourcq manifestou o seguinte :
459 Volumes diversas fazendas 1 caixa a-
bsinto- 4 barricas queijos- 513 barriz mantei-
ga 200 meios ditos dita 1 caixa sementes -
100 ditas vellas 11. volumes eomestiveis
2 caixas charutos- 30 ditas drogas 10 paos
de tintura 36 volumes fazendas 170 bar-
riz manteiga 40 meios dita 500 gigos ba-
tatas 2 caixas plantas 10 ditas azeite doce.
Fora do manifest 1 caixa fasendas 1 dita
amostras- 1 dita conservas 1 dita doce-1
barril manteiga-1 embrulho muzicas 1 dito
amostras.
A Barca Sarda Maria There.za vinda de
Genova e Marselha, consignada a A. Schramm,
manife-tou o seguinte :
DE GENOVA.
100 Pipas azeite 80 fardos papel 16 di-
tos barbante- 65 caixas alvaiade- 25 fardos
cominhos 16 ditos erva-doge 50 ditos alfa-
zema 2 caixas camas de ferro 5 sacos raiz
d'nlteia 1 eaixa sulphato 1 caixa veludo -
550 ditas aletria 59 hcelas mann 250
barras de chumbo 1 porgo d'alhos- 1 dita
sebollas 2000 resmas papel de embrulho
150 caixas azeite doce 5 ditas man e 24
cadeiras.
DE MAHSE1LHA.
25 Pipas vinho 100 barriz dito 25 fardos
alfazema 24 ditos amendoas 120 caixas
vellas- 40 ditas vinho 10 ditas licores 45
ditas passas-36 potes de burro-1 porgo de sal.
Mentiras !... Oh eu desejo sabe-las.
Podereis repetir-m'as ?
Algumas...cousas sem o menor funda-
mento...Dizia-me que vos nao vos cbamaes
Gonrado que o vosso verdadeiro nome
Preville... e ... emfim que cu nao tenho a
felicidade de ser vosso filho.
A cada urna destas frases que Augusto en-
tre-cortava de proposito elle notou que Pre-
ville mudava de cor muitas vezes. A sua per-
turbago chegou a tal ponto que lhe foi
impossivel responder.
Augusto vendo-o guardar silencio con-
tina.
Eu olhei tudo isto como pura calumnia,
muito mais vendo a audacia com que vos
aecusavam de certos crimes que n'outro
lempo...
Elle sabe tudo exclama Preville es-
condendo o rosto com as mos.
Dizendo isto affasta-se de Augusto que no
maior assombroquer segui-lo.
O desgragado Preville incapaz denegar
a verdade lhe brada de longe : Augusto ,
AiiRUsto, deixa-me !. Eu nada tenho a
dizer-te ; estou incapaz ueste momento de
poder explicar-me. Augusto attonito e de-
Fo ra do manifest 2 caixas bixas 40 di-
tas vinho 1 dita chapeos de palha 1 barri-
linhocastanhas 1 boceta figos.
O Patacho Sueco Albert, vindo de Go-
themburg entrado no corrente mez, con-
signado a Me. Calmont & C.
3789 taboas de pinho 18 travs -22 mas-
tros de pinho 60 vergas 20 barriz alcatro.
Fora do manifest 24 vergas 60 taboas -
5 mastaros.
O Brigue Hamburguez Polydora, de Ham-
burgo consignado a N. O. Bieber 22 Caixas fasendas 1 dita pelucia 4 di-
tas espelhos 50 barriz manteiga- 7 caixas li-
tad 14 ditas armas 26 ditas miudezas- 2
barricas couros de lustro 1 dita charutos
2 volumes com maquinas 1 caixa rap 55
ditas vidros 55 barricas farellos 6 tinas
bixas 40 barriz alcatro 20 ditos pixe
89oo tijollos lastro de carvo 9o5 barras
de ferro lo fardos fazendas 12 caisas te-
nas de vidro 1 dita pineeis 1 barrica al-
vaiade 5 ditas giz 2 ditas tintas 5 cai
xas drogas 1 sacco couros I far-
do livros 2 barriz ferragens 7 caixas di-
tas 3 fardos oom fio- 5 ditos palhinha- 1 cai-
xa pedras d'afiar 2 barricas ignora-se 2
pessas carne 1 caixa trastes 5 pipas vina-
gre- 2 fardos amostras 1 caixa bules.
A Escuna Honllandeza Jonge Arie vin-
da de Amsterdam entrada no corrente mez,
consignada a N. O. Bieber & C.
2oo caixas ginebra 7 barricas obras de la-
to 1 caixa lato em folha 5o barriz man-
teiga 1 caixa calgado 2 ditas fasendas
5oo barricas alvaiade 5oo caixas vidros 5o
barriz cevadinha e loo caixas queijos.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade ca-
valeiro da ordem de Christo c adminis-
trador da meza do consulado, por S. M.
Imperial que Dos guarde, etc.
Faz saber que no dia 16 do corrente se ha-
de arrematar na porta da mesma administra-
gao urna caixa de assucar branco aprehen-
dida pelos respectivos empregados da Al-
fandega velha por inexactido datara; em
cujo dia se finda o prazo marcado no regula-
mento sendo a arrematago livre dedes-
peza ao arrematante.
E para que chegue a noticia a quem con-
vier mandei afixar o presente edita!, e pu-
blicar pela imprensa
Meza do Consulado de Pernambuco 11 de
Fevereirode 1842.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade.
ssy O Brigue Feliz Destino, recebe a
malla para Lisboa amarilla 16 do corrente ,
as 10 horas do dia.
= A Administragao Fiscal das obras pu-
blicas tem de vender em hasta publica u ma
canoa velha aberta, avahada em 20tf reis ;
as pessoas que pertenderem laucar podem
concorrer na salla da mesma Amnislrago
nosdias 21, 22, e 23 do corrente. A dita
canoa, acha-se encalhada em Palacio Velho
no porto das madeiras da mesma Repartigao,
onde pode ser vista por quem pertender.
Administragao Fiscal das obras publias 5
de Fevereiro de 1842. Moura Adminis-
trador Fiscal.
TIIEATBO.
Os novos Artistas Joze dos Rbis Mada-
ma Emilia Amanti, e Joaquim dos Beis, sum-
marnente gratos ao respeitavel publico pelo
sesperado conhece cnto claramente que
onohaviam illudido.
Hesolveu-se por tanto annnir ao convite
mysterioso e pedir a explicago de tudo isto
seu verdadeiro pai se com effeito o encon-
trasse.
Preville nao appareceo ao janlar ; tinha
mandado aviso de que nao voltaria seno
noute. Pelas cinco horas da lard o paslor-
ziiiho veio tocar a sua flauta no logar indica-
do. Augusto, conhecendo que era o se
conductor estremeceu e nao sabia se de-
veria dar um passo to arriscado. Torna a
lr.o bilhete, e bem persuadido vista da
perturbago de Conrado que tudo o que lho
dizem del|e era verdade deteriflinc-se a se-
guir o seu guia. 0 pequeo pastor logo
que o vio sair do pateo, comegou a marchar
na sua frente, sempre tocando o seu campes-
tre instrumento e tendo-o feito andar cousa
de um quarto de legua pelo meio dos campos,
parou porta de urna ca3a de bella apparen-
cia mas solitaria entrada de um bosque,
e tendo balido : E' aqu disse a Augusto ;
esperai que vos abram : adeus, eu j nao
son mais preciso.
Um criado decentemente vestido apparece
porta, e tomando a mo de Augusto da


5
extremado acolhimento com que foro receb-
dos na primeira noite que tiverfto a honra de
se lbe apresenlar julgo do seu mais sagra-
do dever agradecer Untos beneficios afian-
cando que jamis deixaro de procurar por
s"uas fadigas tudo quanto possa agradar e sa-
tisfazer a to benemritos e llustres habi-
tantes. ,_ ,
N. B. Quinta fera 17 do cbrente daro a
sua segunda funeco sendo na maior parte
variada, os pormenores se annuncaro nes-
ta folha' e cartazes na vespera do expec-
tculo.
Os Camarotes se acho a venda na casa m-
mediata ao Theatro.
AVISOS DIVERSOS.
buco da Cidade do Recife numero 32(51 ,
porordem do Snr. Joze Ribeiro Barbo/. do
Rio de Jane ro, e por con la do Snr. Joze An-
tonio da Veiga.
= Preciza-se de um feitor, que entenda
de pomar e jardim ; quem estiver nestas
Precisa-se de urna" escrava para o servi-
do externo de urna casa : quem quiser alugar,
drija-se a quina da pracinha do Livramenlo ,
foja da Viuva do Burgos.
=s Roga-se encarecidamente ab Snr. ex-Di-
rector doCollegio Pernambucano, Joze Soa-
UC puillttl V JiUIUl 411CIII camci iivoiuo i->i. circunstancias dirija-se ao atterro da Boa- res de Azevedo o favor de annnunctar a sua
XST Os Bilhetes da2.' parte da 8.* Lotera*
do Theatro cujas rodas andfio impreterivel"
rr.ente hoje 15 do correnle, aclto-se venda
nos lugares j annunciados.
r3" Os Senhores que apartaro, e assigna-
ro bilhetes da 2.a parte da 8.* Lotera do The-
atro na loja de Guerra Silva & Companhia ,
na ra Nova D. 6 ; bajo de fazer o favor de
os hir buscar cm tempo competente, alias se-
ro vendidos.
>, s^- Na loja de Carioca & Sette na ra do
Queknado D. 13, vende-se challes de fil pre-
tos, e brancos sarjas de seda pretas velli-
do preto superior, setins prelos de todas as
qualidades, merinos, panos, e gazemiras
pretas e de cores meias pretas de seda cur-
tas e compridas lencos pretos de seda e se-
titu muito superiores chapeos pretos france-
zes e de castor, e outras mais fazendas pro-
prias para a Quaresma.
tSF" Preciza-se de urna ama forra ou cap-
tiva que tenha bom leite para crear um me-
nino de idade de um mez ; quem a tiver di-
rija-se ao sobrado da ra da Cadeia defronte
do Theatro segundo andar da esquina do beco
do Morcado para tratar do ajuste.
ssj- Joze Antonio Gomes Juhipr, faz pu-
blico que o escravo que tinha mandado reco-
lher a sua caza, conforme annunciou nos Di-
arios n. 17 e 23 foi entregue (assim como
um quarto) ao Snr. Joao Coelho no En-
genho Palmeira.
c^-Os Bilhetes da 2." parte da 6.a Lotera, a
favor das obras da Matriz da Boa-vista-, acho-
se a vndanos lugares seguintes:no Recife loja
do Snr. Vieira Cambista : S. Antonio loja do
Snr. Menezes Jnior e Boticas dos Snrs.
Joo Moreira Marques e Francisco Anto-
nio das Chagas, este na ra do Livramenlo, e
aquelle na ra do Cabug : Boa-vista botica
doSr. Victorino Ferreira de Carvalho na
praga.
EJ- O abaixo assignado aviza a todas as pes-
soas que nao contratem negocio algum com
Luis Francisco Correia Gomes d'Almeida e
sua mulher sobre urna caza terrea, sita na
ra do Rozario da Boa-vista D. 50o e urna
ese-raya de nome Maria cujos bens se acho
hypothocados a dois annos e tanto cuja hy-
potheca se venceo a 7 de Fevereiro de 1811 ;
e para se evitar qualquer questo se faz o
prezente.
Herculano Joze de Freitas.
= Na ra do Livramento D. 2 ; dezeja-se
saber se existe nesta Provincia Manoel Joze
Gon?alvcs Lomba.
= Antonio Bodrigucs da^Cruz comprou c
tem em seu poder um bilhete da 2.a parte da
8.' Lotera a favor das obras do Theatro Pu-
maneira mais aflectuosa lhe diz: Tende
a bondade de acompanhar-me, senhor e
nada temis : pode um filho recear algum
perigo em casa de seu pa i' > Augusto atur-
dido e pasmado; o segu maquinaimente.
Para que se possa bem entender esta sce-
na nos vamos dar a sua explicaco.
Rabat, o fiel agente do padre Cypriano ,
fazia parte de um bando de aventureros ,
que, por dinheiro favoieciam todas as pa -
xes dos homens ricos. Estes tratantes ha-
viam comprado, debaixo do nome de urna
certa viuva sua confidente aquella casa de
campo, que emprestavam, para diversos
fins as pessoas que della precisavam El-
la era alternativamente ou o asilo secreto do
amor, ou o horroroso covil do crime. Os
amantes iam ali occullar suas amadas; os
jugadores perder a fortuna e subsistencia de
suas familias; e os malvados desfazer-se sur-
tlamente das suas victimas que escondam
para sempre s vistas de perigosas testemu-
nhas. O padre Cypriano foi pela sua vez ,
proprietario desta casa naquelle dia ; isto ,
Rabat Ih'a alugou para nella receber seu li-
llio. O monge, depondo os hbitos to-
mou um rico vestido de cavalleiro urna ca-
bellera artificiosamente feita lhe tapara a ca-
vista venda D. 19 ou annuncie.
=Na praca da Baha, acaba de se instalar fa
companhia de seguros maritimos-denominada-
Lealdade com o capital de qua trocen tos
contos de res debaixo da direceo dos Ne-
gociantes Antonio Joze da Costa Manoel Bel-
hms de Lima e Francisco Joze Godinho; cu-
ja Companhia tem principiado suas tranza-
goes e se oereee a tomar seguros a mdicos
premios.
= Aluga-se urna molala moga para o ser-
vico de dentro de caz^ boa creadeira de me-
ninos coze, borda, faz lavarinto, engomma,
e marca ; na ra do Queimado na escada pa-
ra o patio do Collegio D. 19.
tsr Os Bilhetes da 2.' parle da 5/ Lotera
a favor das obras da Igreia de N. S. do Livra-
mento nesta Cidade ; acho-se a venda nos
lugares seguintes = Bairro do Recife as lo-
ja dos Snrs. Vieira cambista e Joao Joze de
carvalho Moraes = S. Antonio lojas dos Srs.
Joze de Menees Jnior ra do collegio Ban-
deira ruado cabug Joo Moreira Marques ,
botica na mesma ra ; e tambem se vendem
na loja do Thezoureiro da mesma Lotera ra
do crespo D. 9.
C7- No dia 9 do corren te foi encontrado pelo
Sub-Prefeito do Recife um cavallo eastanho
residencia para se lhe fallar ou dirija-se a
casa da Viuva do Burgos.
= Quem quiser dar 1:300*4 rs. a premio,
com hypotheca em urna casa terrea no bairro
de Sanio Antonio e um sitio ambos os
predios desembarazados : a quem convier se-
melhante negocio compareca no principio
do atterro dos Affogados, na segunda casa
pagada ao sobrado da viuva do Baptista.
== Joaquim Domingues de Sousa com-
prou por conia de diversos interessados da Vil-
la do Aracaty dois meios bilhetes da 2. par-
le da 8. Lotera a favor das obras do Thea-
tro publico, ns. 1887 e 3119.
= Na ruada Cadeia do Recife loja N. 17 ,
desja-se fallar com o Sr. Ovidio Gon^alves do
Valle e a Senhora Maria viuva do Sr. Mar-
colino a negocio de seus interexses.
= 0 abaixo assignado faz sciente ao Snr.
Joao Lopes de Sousa, que o herdeiio de An-
tonia Francisca tem ido duas vezes buscar a
escrava Ignacia que tocou ao aununciante e
outro herdeiro, e todo o risco que correr est
obrigado a pagar ao herdeiro, onde tem o
annunciante sua mcaco.
Joo Moniz de Sousa.
r/ A!uga-sc una das excellentes casas
wTUii-neiuiiu uu rieunc um -auu >-""" o- .....
vagando pela ra e sendo apandado por sua pertencentes ao Ex. Senador Manoel de
o _.. l_ I'.___.ILm \i.. A.* V-, I,,,, 1 nili ni ma iIm
ordem o mandou recolher 5 quem for seu do
no dando-lhe os signaes o mandar entregar
pagando as despezas.
= Aluga-se urna escrava boa, mossa ,
sem vicio muito deligente, para oservico
interno de urna casa ou para vender na ra ,
em companhia de outra, por preco commodo :
no armasem da ra Nova D. 31.
i armasem ua ra :mjv* u. *. "---------- ----------------- > a
= Ouem annunciou pelo Diario de 10 do muitos anuos a respeitavel casa de Crabtree
correte mez querer dar a premio 3:ooojf rs.
sobre urna casa de sobrado ficando o aluguel
pelo dito premio ; querendo comprar urna ca-
sa de um andar no bairro de Santo Anto-
nio perto da Matriz a qual tem duas sal-
las e seis quartos em cima e as lojas duas
sallas e 3 quartos grande quintal murado
de pedra e cal, e cosinha chaos proprios ,
avaliada pelo baixo preco deioooj rs. por
estar rendendo 24,*ooo mencaes ; nSo se du-
vida esperar pelo resto do que se pretende dar
a premio o tempo que se convencionar : sendo
que agrade o negocio pode dirigir-se a ra
da Cadeia do Recife N. 12.
= Aluga-se urna meia^agoa na ra d'A-
legria da Boavista : a tratar-se na ra do Vi-
gario N. 16.
= Precisa-se de um feitor que entenda de
plantaces para um sitio muito perto da
praga : quem estiver nestas circunstancias ,
procure no bairro do Recife ra da Cadeia
= Aluga-se urna excellente casa em Ulin-
da na ra do Amparo : a tratar-se na ra
do VigarioN. 16.
bs Quem quem trocar urna casa, para
moradia sendo terrea ou um primeiro an-
dar por urna detraz da Matriz da Boavista ,
sendo dita casa as ras seguintes : do lloza-
rio, Hortas, pateo do Carmo eTnnxeiras:
a quem convier este negocio dirija-se a pa-
daria franceza no atterro da Boavista.
beca tonsurada, e concoma a lorna-lo in-
teiramente desconhecido.
Rabat, trazes-me meu filho :' diz elle ao
fingido criado, vendo-o entrar no gabinete
escuro em que se achava.Sim senhor ;
eis-uqui o vosso Augusto que pela prompta
ob lieneiaaovr)S,o convite se tem felo cre-
dorde toda a ternura paternal..'.nlo se-
nhor diz Augusto dirigindo-se ao monge ,
verdade que eu sou vosso filho.bun ,
meu caro Augusto eu sou teu pa, e eis-
aqui provas bem convincentes: o meu con-
tracto de casamento com Emilia d hstre a
certido do teu nascimento o meu retracto,
e de tua mi eo teu os nomes dos padn-
nhos e das testemunhas c entre elles a
assixnatura de Preville teu supposto pa.
E' certo, senhor : eu nunca o vi assig-
nar-se Preville j mas reconheco mu bem a
sua letra... Porm quem elle, se nao e
meu pai?Foi noutro tempo meu amigo;
depois roubou-me tua mi, e causou a sua
mirte prematura... Malvado ...Escuta, Au-
gusto, esculjr^arracao dos seus en-
mes. ,
Ento conta as suas aventuras a Augusto ,
que estremece ao ouvir as culpas do seu bem-
feitor, eousa apenas accredita-las..-. tom
Carvalho Pas de Andrade cita na ra do
Amorim. mui perto da nova Alfandega gran-
de desta Cidade ; este predio por ter A anda-
res ter bous armazens e um grande mi-
rante em cima d'ondc se descobre o mar e a
chegada de navios a este porto he mui re-
comendavel para qualquer estabelecimento
commercial e he a mesma que oceupou por
Heyworth & Companhia ; os pretendentes
dirijo-se ao Correlor Oliveira.
S3r Continua-se a vender a agoa de Un-
gir os cabellos e suissas : na ra Nova loja de
chapeos do Sr. Joaquim Jos Pereira D. 22,
da-se a mostra para se experimentar c ins-
trucefies para se aplicar.
SST Fazem-se casacas debruadas de
panno preto e de cores a 26* rs. sobrecasa-
eas a 28. rs. jaquetas de panno debrua-
das a 14jf rs. caigas de panno preto e azula
12 rs. coletes de veludo a 1 rs. ditos de
sarja de palmas a SiSOO : na loja de alfahte
do beco largo da Matriz deS. Antonio junto
a um torneiro.
= Vende-se os diccionarios de Moraes da A.
edicao boa encadernaco e quasi novos :
na ra Augusta sobrado de um andar e soto
das 0 as 8 horas da manha e das 5 as 6 da
tarde.
cr Precisa-se ailugar um sobrado de um
andar que tenha commodos para una
familia com quatro quartos, cosinha
fora quintal e cacimba ou mesmo casa
terrea que iosejaem ras esquesilas e
o seo aluguel nao exceda de 11 a I2 res ,
quem a tiver annuncie sua moradia por esta
folha. .
l!m Brasilciro, que tem as precisas ha-
Tielilaen's para ensinar particularmente as pri-
meiras letras, e bem assim a grammatica
Latn., com toda prefeicjio, e muito desvello
tudo rende-se por fim evidencia e excla-
ma : Dos! porque nao conservastes sem-
pre a venda sobre os meus olhos !.... Porm
senhor que tendes vos feilo depois de tSo
longo lempo?
Um veo impenetravel me occullou ale
hoje a todas as vistas e continuar aindaa
esconder-me por algum tempo ; mas eu vela-
rei sobre ti, meu filho como tenho feto
ataqui. Julga da miuha dr querido Au-
gusto, qnando sobe que um vil assassino....
Ah foi sem dvida O teu sipposto pai
quem dirigi seu braco.
Elle?...Oh nao, senhor!...
_- E' capaz de tudo : elle detesta-me, e
por tanto nao pode amar-te.
Elle, cuja ternura verdad eir mente pa-
ternal me tem sempre enchido de beneli-
S- Fmim elle para ti um homen estra-
nho e ser-me-ha fodioso ver-te perfernlo ao
autor dos UMW .Mas. Falla-lhe do desgrana-
do conde deSaint-Morin...Mas nao tu nao
leras a occasio de o tornar a ver. eu ti-
||l0 eis-aqui urna bolga cheia de ouro, e
urna carta de reconimendaco para um capi-
to mu amigo, que te dar um logar a bor-
do do seu navio. E' necessano que partas
offerece o seo presumo' aos que delle se qi-
.'erem utilisar na ra das Agoas verdes, l):
27, onde o acharo quaes quer horas do
dia.
arr Compra-se pelles do passaro canind,
(arara azul): na ra da Alfandega nume-
ro 9.
= Precisa-se de um homem para assentar
praga por outro, adverte-se que no terceiro
batalho de artilhtfria a p e s faltart dous
anuos para a dita pessoa acabar o seu tempo,
o pretenderde dirija-se a boledade D. 12, pa-
ra tratar do ajuste.
=s Perteride-se arrumar um moco portu-
guez, com idade de 14 anuos chegado l-
timamente de Portugal, o qual sabe soffri-
velmente contar, e escrever e d algum
tempo gratis, em quanto se applica ao giro
commercial, sendo s para loja de fazenda,
quem do seu prestimo sequejra utilisar, an-
nuncie.
= Qualqer senhor Silteiro que precisar
de urna ama para todo o servico de una casa
de portas a dentro, dirija-se a ra do Livra-
mento no segundo andar do sobrado do Snr.
Oliveira Macicl.
tn~ Urna mulher de meia idade, que sabe
bem cosinhar engomar e sobretudo enlen-
de bastante de lodo o arranjo de urna casi de
portas dentro se oflerece para ama de ca-
sa de homem solleiro, ou eslrangeiro com
pouca familia ; d fiador de sua conducta :
quem do seo presumo se quiser ulilisr an-
nuncie, ou dirija-se a esta Tipogralia, onde
se dir quem .
IZT No deposito da ra do Arago vende-
se assucar refinado com ovos a 2c 500 rs. a
arroba, e a libra a 80 rs. e assegura-se a
bondade do assucar.
tw No escriptorio da Typograa Impar-
cial ra do Collegio D. 12 seachaa ven-
da as Memorias Histricas Polticas e Fi-
losficas da revolugo do Porlo em 1828, e
dos Emigrados Portuguezes pela Hespanha .
Inglaterra Franca e Blgica obra postbu-
ma de Joaquim Joze da Silva Maia impre-
sa no Rio de Janeiro no auno prximo pas-
sado.
tSf Roga-se Cmara Municipal o favor d
ordenar ao Snr. Fiscal do Bairro da Hoa-vista,
que se d ao trabalho de dar alguns passeios
pela ra que fica por tras do atterro, eque vai
dezembocar na ra do Hospicio a fim de ver o
grande aceio e hmpeza que por ali se enconlra
at no meio da mesma ra.
S^" Roga-se a pessoa que no dia 10 de De-
zembro do anuo prximo passado mandn
seduzir do lugar do Barbalfio a molala de no-
me Luiza e que j do manguinho tramava a
seduco della; pois se nao quizer que se lbe
descubra outras mudas que j tem feito a
mande entregar, do contrario uzar dos meios
que a ley Iheconeede protestando de todas
as perdas e dainos de que j est todos os
seus maos proCedimenlos justificados ; e l.un-
bem se vende a outra e qualquer pessoa por
menos do seu rusto.
C7- Pedro Bizma de Souza Bellro avisa
ao pulico que d'hora avante assi;nar-se-ha ,
Pedro Bizerra Pereira de Araujo Bcltro^
S2T Os doils meios bilhetes uumeros 5442,
e 3131 da 2.a parte da 8.a Lotera a favor das
obras do Theatro puhliio pertencem ao Sr.
Joze Felis da Camera Pimental do Engenbo
Gapi e lieo em poder de F. da Silva
Lisboa.
immedialamente para Bochella, e ah embar-
cars para F'iladellia.
Que pois vos prtendeis-...
Eu o'ordeno.
__ S'iihor se:- permittido usar da au-
thoridade de pai qelle que por tantos ali-
os parece haver renunciado a esse titulo sa-
grado ? Demas quem me assegurara de que
sou etf realmente o individuo de que tracla
esta certido de nascimento ? Devere sobre
meras suspeilas... .
Nao sao suspeitas, Adgust i e a.rea-
lidade. Preville bem sabe que tu s meu fi-
lho o filho do conde de Saint-Morin e de
Emilia d'Estr. Parin eu consintO para
convencer-te que voltes anda urna vez a sua
casa mostra-lhe estes papis, eu tos confio:
dize-lhe que eu existo e pergunta-lhe se le
engao. Quando estiveres bem certo dos di-
reitos qde tenho sobre ti espero que nao re-
sistirs mais s minhas ordens. Um segundo
aviso te marcar o da a hora c o logar em
que deveremos oulra vez encontrar-nos....
Porm nao me tragas PreVille, guarda-te bem
de que pela tua indiscricao elle siga os
teue passos, se o nao quizeres vrinortoa
teus ps. Adeos. f_ ^
(Continuar-se-na /


KS
A
1 '^*nmr*rrr~94mT,*':tib'*x*i3a?rrx.xt*'X~.i-1- -r. rxn-nex*
C7- Uiiem precisar do urna ama para o ser-
vico do nina casa dirija-se a ra do N'oguei-
M ii. 0 caja trro, envidragada.
Quera precisar de mu honiem para
trabalhar era inamena para praga ou fura
della dirija-se a ra Direila 20 lade do
Livramento.
BF" Da-sedinlieiro a juros com bypolheca
em Casas livres c d .sembarassadas sendo
dentro da Ciliado : na n da penha venda de
garapa D. lose dir quem da ou annun-
cic.
iZf 0 Sr. que tirou urna ancora e amarra
de correte de ierro do caes do Sr. Cunha,
no beco do Noranba tenba a bondade de
tornar a botar no sen lugar quaulo antes,
do contrario o proprietario Firmmo J. F. da
Rosa cobrar o sou embolco-, e o mais con-
forme direito livor.
tSF- O Teen te Coronel Ignacio Antonio de
Barros Falco eomprou por couta do Reve-
rendo Conego Joao Rudrigues de Aranjo os
bilhetss iuteiros, de n. 105 da segunda par-
te da oitava lotera do Tbeatro publico; n.
1289 da segunda parte da quinta loleria do
Livramento ; n. 789 da segunda parte da
sexta lotera da Matriz da Roa vista e n. 08
da segunda parto da primeiru lotera do
Rozario da Roa vista.
a bondade de annunciara sua morada, que
se Ibe desoja fallar.
ser Precisa -so de 800* rs. a juros sobre
pinbores deouro : quem quiser dar annun-
cie.
cr Perdeo-se na Quarta reir passada em
Ponte de Lehoa ou no caniinlio para a Boa
vista, urna caixade prata domada para ra-
p com as letras F. II. L. : quem a livor
achado e quiser restituir dirija-se a esta Ty-
pografa que recebar melado do valor.
scj- Fredenco Henriques Luttkens reli-
ra-so desla provincia.
ro ou carioso para tapar urna casa de taipa:
na ra das Cruzes !). 4.
C7" A mullier que no Diario de segunda
feira n. 53 aununciou qaerer-SB alagar diri-
ja-se a fora de portas no primeiro sobrado do
lado da man'1 grande passando o beco largo.
X^r" Desoja-so saliera moradia do Sr. Pau-
lo Rafael Dias de Carvallio para so Ibe en-
tregar uma carta vindu de Lisboa.
i_y Precisa-se de um feilor, que traba-
llio entenda de arvoredos, lioita, e va ocas:
na Magdalena estrada nova primeiro porlao
de Ierro.
X^r Collegio de S. Antonio = Este Colle-
gio dirigido pelo abaixo assgnado muda-se
o mais tardar at. o (im do mez para a casa
que se est proniplilicando na ra da Aurora.
As materias de ensillo que nellc se encorreo,
sao todos as que a lei exige para as matriculas
do Curso Jurdico e das Academias de Medi-
cina do imperio.
As aulas continuo entretanto na ra do
Atierro da Boa vista n. 0,
As mensalidades dos alumnos sao : de in-
ternos 25.> rs. de meios pensionistas Liji rs.
do externos 5.> rs. dos que s frequento a
aula do priineiras letras 5 rs.
Os externos podem frequentar duas ou mais
aulas, pagando Lio somente a quantia de
lijt rs.
pagamento do cada uma das mensalida-
des besempre Coito por trimestres adan lados.
As aulas de desenlio msica e danga sao
pagas em separado. = Bernardino Freir de
rigueiredo Abreue Castro Director. >
SSJ* 0 abaixo assignado eomprou por con-
tado Sr. Joze Joaquim Ramos Villar, res-
llenle na Cidade do Para um blhete da se-
gunda parte da oitava lotera a favor das obras
do tbeatro publico desta Cidade, de n. 2008 ,
o qual ica em poder do annuncianlc. .
Antonio Joze la Silva Perera.
525*0 'feriente Coronel Francisco Lopes Li-
ma acba-se na ra Direila D. 13 no tereci-
10 andar.
x^f- Aluga-se urna casa terrea D. 41 na
ra do Colovello com ptimo quintal e ca-
cimba : os pretendontes dirijao-se a ra da
Florentina loja do sobrado do Sr. Liras.
S2" 0 abaixo assignado declara ao Seni-Co-
rioso que tanto trabadlo tem litio em Ibe ti-
rar as suas cartas do Correio principalmen-
te do Rio de Janeiro sem que se Ibe tenba
encomendado tal sermao quq tenba a
bondade de as entregar pos o abaixo assi-
ss- Roga-se aos Srs. Sub-Prcfeilos e mais
Aulhoridades Policiaes que em chegando
aosseus conbecimenlos ou vrein de man-
da rem prender dojis escravos que em lodo
corrente fugro do abaixo assignado com os
i.omese signas segrales : Caetano de na-
$o Congo, baixo grosso do corpo com
faltado denlos no queixo de cima e alguna
podres no fallar um pouco discansado, bar-
bado, e o cangole rapado ; levou vestido cal-
cas de algodozinho trancado camisa do al-
godo da trra de mangas curtas e bonet
inglez ja velho be serrador, e foi escravo
de Joaquim Pereira de Mondonga. Joo, de
naefio Cabund com principio de buco de
barba olhos avermelhados anda meio bu-
gal e bem preto ; levou vestido caigas de
algodaozinbo trancado e camisa do mesmo
de mangas compridas, suspensorios novos e
verdes de borracha chapeo do palna de car-
nauba temos quexos largos : quem os pe-
gar leve a lora de portas n. 104, que ser
gratificado generosamente como tambera se
pagao todas as despezaa que ou ver. e protes-
ta-se contra qualquer pessoa que os livor oc-
cultos.
AVISOS MAR IT1MOS.
riano venda que lica junto do beco tapado nu-
mero 55.
^ My Chfeos de massa de toda qualdade ,
e por prego mais commodoque em outra qual-
quer parle, alianga-se obra superior pelos
procos seguintes; o,y -4,y o eO, rs. e quera
comprar emduzia ter um disconto conside-
ravel dos pregos a cima mencionados : no
atierro da Roa vista D. 47.
%W Ricos apa: -el los de porcelana para cha,
perfumaras, quadros, escovas sortidas, quar-
linhas inglozas bandejas de charao papel
de peso livros em branco espingardas de
cassa e mudos outros objeotos ullimamente
chegados : na ra do Viga rio n. 10.
jar Sacas com fejo branco milito novo ,
viudo ltimamente do Porto : na praga da
Independencia n. 28 e29.
t^?~ Sementes de horlatiga prximamente
de Lisboa : na praga da Roa vista botica Do-
cima 10.
tSf Fma canoa de um s pao que pega
7 cuntas de assucar do barra fora prompta
do ludo : no eslalciro de Joao Tliomaz Pe-
reira ; por 000. rs. ; no mesmo eslaleiro
acba-se uma vergonla de pirbo muilo com-
prida que foi pegada n"agoa ; quem for sen
dono pode ir busca-la-, que dando os signaes
e um cavallo
tsr ParaoPo.tooBrigueFlor.le Boinz H.e ser entregue
fallir com toda brevidade ; quem quiser ^_lab0^.?.J?mhP.da.?ie
sa
carregarou ir de passagem dirija-se ao sen
actual correspondente Joze Francisco de Aze-
vedo Lisboa, na ra da Cruz n. 57 ou ao
Capito na praca do Commercio.
^" Para o Rio de Janeiro o bem conlieci-
do Patacho Relia Carlota : para carga c pas-
sageiros dirijio-se a Gaudino Agostinho de
Barros na pracinha do Corpo Santo D. 07 ,
ou a bordo com o Capito Francisco Joze da
Silva.
C7- Para Fretar-se para qualquer porto
da Europa a (alera Ilamburguoza Ida, o Bri-
gue Hambiirgiiez Polydora o Brigue Inglez
Ide e o Brigue Inglez Londou ; lodos for-
rados de cobre e muilo veleiros : os preten-
denles dirijao-so aos seus eoiisignalarios N.
O. Rieber & C.
L E I L O E N S .
i^r Gaskell Johnson & Com pan h a fazem
Ielao por ntervengo do Corrotor Oiiveira ,
de grande sorUment de fazendas Inglezas ,
que se vendero principalmente para ultimar
alguraas contas, boje 15 do corrente as 10
horas da manila em ponto no seu armzera
da ra da Cruz.
XZF James Crabtree & Companhia fazom
leilao por inlervengo do Correlor Oiiveira,
de uma grande variedade de fazendas inglezas
bem sortidas-, inclusive madapoloes algo-
dozinhos chitas de toda qualdade lon-
gos pintados chales ditos, cassas lilas, du-
raques, pannos pretos meios ditos e mili-
tas outrasas mais adaptadas para o consumo
deste nrercado as quaes se vendero para
se focliarem militas contas c consequente-
niente por pregos rasoaveis ; Quarla feira 10
do corrente as 10 horas da nianh eoi ponto,
no seu armzera da ra da Cruz.
i^-Fernando Joze Rraguez faz loilo Quin-
ta feira 17 do corrente as 10 horas da ma- cu, torras para plantar, com uma formi-
nh no seu armazem ao p da Conceicfio lo da vel cacimba boa casa de moradia, porto
Recife de uma porgo de milho um tanto ju rio capibaribo no lugar do Rarhalho : a
ca costado,
costadinho assualho do urna polegada e
uma c meia dita e de diferentes compri-
men tos egrossura, forro de meia polegada
e3quartos, propro para casas e fundos de
barricas, vergontas de pinho e remos de
laa de superior qualdade; ludo por prego
coro modo : no armazem de Joze Antonio da
Silva Vianna no forte do mallos.
IZf Lina armagio propra para loja de fa-
zendas miudezas ououtro qualquer eslabe-
locimento, e a casa tem com modos para fa-
milia : na ra Direila D. 20 se dir quem
vende.
t2S" Os seguintes predios em forado portas
na ra nova de S. Amaro, perteneentesa Dan-
sley all'aiate inglez : uma casa de sobrado do
lado mar, onde tem padaria, um terreuodo la-
do ilo rio o segundo passando o sobrado do
Ra liosa com alicorees e muios levantados,
leudo urnas casnhas dentro, e porcao de lij-
los: a tratar no escriptorio de James Crabtree
*?^~ Carne salgada do superior qualdade,
viuda de Inglaterra em barricas de 224 li-
bras a 10* rs. a barrica ; muilo propria pa-
ra enibarcagao : em casa de Russell Mollors
ov Companhia, na ra da Cadoia Tedian. 18.
SZT Urna negra crela, de idado de 20 an-
uos : na venda D. 7 del'ronle da Igreja de S.
Rita Nova.
~T Paios a 210 rs. c a du/.a a 2*560 rs. ,
miibo al pista a 480 rs. o quarteir&o, papel
almasso em meias resma] o pardo macar-
ra o aletria, fariabade Maranhao, por pre-
go commodo tabaco simonte a 300 a libra:
no paleo do Teico I). 4.
sy Vende-so ou troca-se por uma casa na
Roa vista al no Manguinho um sitio todo
cercado de limo com bastantes pos de la-
rangeiras, manguriras, goiabiras. limo do-
ce di Moren tes pos de limeiras e outras fru-
SSF" Duas vaccas de leite
russo grande gordo e com lodos os anda-
res ; tudo por proco commodo na na do
Queimado loja de ferragens D. 2.
t-r- Travos de 3o a 4o palmos de com-
prido e 7, 8, e 9 polegadas em quadro de
expeliente qualdade de madeira como sejo
sapiicarana imberiba preta sapucaia ver-
dadeira bom homem para ver as obras
doSr. Cunha defronte de S. Francisco e pa-
ra o ajuste na ra do Vigario D. 5o casa do
J. O. Elsler.
s^" Barricas com carne de vacca e de por-
co fumo emcaixas agoa raz em barricas
e meias ditas, cabos de manilha tinta de
Londres em botijas para escrevr : em casa
dellonry Forster & Companhia, na ra do
trapicho novo.
ty A Escuna Americana Iremont, de tgO
tonelladas prompta seguir qualquer via-
gem ; os pretendenlos podem entender-se
com os consignatarios llenry Forster A Com-
panhia na ra do Trapiche novo n. 17.
VST Fina negrinha creoula de idade de
20 airaos boa cozinheira tanto de Ionio co-
mo de massa faz pao de l e bolinhos, cose,
sofrvel e engomma liso vendo-se por no-
cessdade : na ra u'o Fagundes I). 18.
C5" Um escravo proprio para o servico do
campo, ou troca-se por um moleque vollan-
do-se o excedente na Pracinha do Livra-
mento I). 33.
%Sf Sacas com feijo muto novo: no ar-
mazem de Jos Rodrigues Pereira oz Compa-
nhia no beco da Capim no Recife,
13" Um molato mogo de bonita figura c
com oficio : na ra do Cabug D. 7.
ssr- Bichas p re las a 100 rs. responder
pelas que nao pegaren : da ra do Cabug
loja de miudezas n. 4.
C3* Um famoso carro de \ rodas muilo
forte que anda nao foi preciso fazor concer-
t aigum e athe serve para delle se fazor al-
gum mnibus quas novo e por proco com-
modo : na coxeira do Emilio onde se acba e
se dir quem o vendo.
ESCRAVOS Fl'CIDOS.
arruinado, por cunta *e risco de quem pe-
te n ce r.
C 0 M P R A S .
cy Escravos para fora da Provincia de
idade de 10a 20annos., sendo de bonitas l-
gulas pago-se bom : na ra do Colegio D. .'.
l^j" Escravos de ambos os sexos de ida-
de de 12 a 20 anuos para fora da Provin-
cia : na na do Fugo quina do hoco do Padre
loja de aifaiate.
s.s^* As obras poticas de Roca ge princi-
palmente os 5 priineros voluntes impressos
em vida delle anda que sejo uzados: quem
tiver annuncie.
'"E^" lima pbarmacopea de Piulo ou geral:
na ra Direita D. 11 ou annuncie.
VENDAS.
t^- Erna negrinha de idade de 11 anuos
ptima para miimbanda e tem algumas ha-
bilidades : na ra Direila D. 20 lado do Li-
vramento.
L^f Sacas com milho cada urna com 2
gnado bem o conhece e se continuar as pro- alqueires recen temen le (llegadas do Rio de
videncias ja csto dadas. Janeiro pela Barca Firmeza : no armaze
Antonio Jos Pereira do Lago.
YZT Antonio Joze de Santa Anna eom-
prou por conta do Sr. Dr. Antonio Joze Mar-
ques JRacalho do engenbo .Iiihamun o
hilhetc n. 2582 da segunda parte da oitava
^ iu loria do 'i'/iealro.
pela Uarca firmeza : no armazem ilo
Francisco Dias ao p da Alfandoga a proco
de 7>i rs. e no armazem d^ Antonio Joze
Pereira defronte da cscadinha da Alfandega
em barricas a oOOO rs.
X&- Bichas de boa qualidade a 80 100
120,140, e 100 rs. ; na ra do Padre Fio-1
fallar no Hospicio no sitio do Sr. Chanceller
com a Sonliora D. Mara Joaquina.
i~j~ Dous cavados bous carregadores di
baixo atesquipar muflo novos e gordos,
-onio um rodado e oulro aiazo : na ra do
Crespo loja D. 2.
SS" Cadciras de palbiiiha Americanas ,
marquezas-de armagaoe sem ella^mui bem (citas a 4tfS00 rs.
ditas de [linho a ojoOO o mezas de jan lar ,
assm como outros mutos trastes c pinbo
da Sueca com o polegadas de grossura e
dito serrado; tudo por menos do que cm
outra qualquer parte : na ra da Florentina
em casa deJ. Beranger.
d^" Marmore da Suecia para Iadriiar .
carvao de podra telhas de vidro : na ra da
Cruz n. 63 escriptorio de N. 0. Rieber & C.
S^" Cera branca em pes farnha de Ma-^.
g em sacas e barricas : na ra da Cadeia do
Recife da parle dp hoco largo n. 58.
S^"L'iiia porgan de madeira de amarelo cm
costapo ja serrado, prego commodo por haver
precsao : na pracinha do Livramenlo D. 53.
izr Meios bilhetesda loleria do tbeatro :
na ra do Livramento loja de louca n. 4.
d?- Barricas com farellos cliegadas prxi-
mamente de Lisboa a 5.>000 rs. a barrica
no caes da Alfandega armazem de Joaquim
Gonsalvos Viera Guimares.
C?" Fma barretina, urna farda, e um cor-
rame de lustro de guarda nacional: na ra
da Pcnlia venda I). 12.
ssf Fugiono'dia 10 do Dezembi-ode 1859
doBoberibedo sitio agoazinha do Marmol
Antonio da Silva Molla, um preta de nomo
Matheus de naco angco de idade de 45
annos o qua velo de Porto Calvo e por-
lencia aoSr. Antonio da Paz, irmo do Sur.
Anginbo moradores no mesmo lugar de Porto
Calvo e foi vendido nesta praca ao Sur. Ma-
noel Joaquim ; quem o pegar leve ao dilo Mo-
la que ser gratificado.
r No di 9 do corrente desapareceo um
moleque de nome Thomaz que representa
17 annos, corum pouco lula tem um de-
leito em um dos dedos dos pos e um signal
levantado no hombro e jociho que trouxe
da trra levou camisa de algoJao branco ,
e caigas de algodao entrancado com lstras
azues : jquem o pegar levo a ra da Cruz bo-
tica n, 59 quesera recompensado.
MOVIMENTO DO PORTO.
NAVIOS ENTRADOS NO DA 15.
Rio de Janeiro e Babia ; 45 dias Brigue
Brasileiro Imperador D. Pedro de 175 to-
neladas, Cap. Joaquim Soares Mearim ,
equip. 14 carga l'ariiiha de mandioca : a
Joaquim Raptisla Morera.
Ass ; 15 dias. Patacho Rrasiloiro Rainha
dosAnjosdeli tonel., Cap. Luiz Custo-
dio equip. 10, carga sal : ao Capito.
Dito ; 1! dias Patacho Riasileiro Laurenti-
na de 112 tonel. Gap. Antonio Germano
das .Noves, equip. 14, carga sal e cou-
ros : a Lourengo Joze das S'eves.
Macei 2 das, Brigue Escuna Je Guerra
Brasileira Caliopc, Commandante o 1." Te-
nante Felippe Joze Ferreira traz 20 re-
crutas.
De Cruzar ; o Patacho de Guerra Brasleiro
Patagonia Commandante o 1. Tenenlu
Antonio Xavier de Noronha Torrezo.
SAHIDOS NO MESMO DA.
Rio de Janeiro ; com escala por Macei e Ba"
liia, Paquete de Vapor Rrasiloiro Paraense,
Commandante Joao Frederico Berrizo.
Liverpool; Escuna Ingleza Australian Cap.
N. Jreland com a carga que trouxe.
Porto, Barca Portugueza Leal Cap. Manoel
Alves da Cunha carga assucar.
Pesca ; Barca Americana Boaver Cap. Wil-
liam Rorgcrs coma inesma carga (jue
touxe.
RECIFE KA TVP. DE M. F. DE Fx =lWi
^
j^


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ENVJZEEL5_RCAY3H INGEST_TIME 2013-04-12T21:49:03Z PACKAGE AA00011611_04442
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES