Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04425


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Atino XXV11I
Secunda feira 23


I
;
DIARIO DE
prego a sDBciiiPijio.
PtOlMIXTO AoilNl.no.
Por trimestre...........,
(or semestre ...........
or nno .............
Pago dkntso du tiimistri.
Fot quartcl.........'. .
OTIOIAi DO lHFCnlO
Para..... I de Pevr 'Minas. 13 de Jaur.
Maraohao 6de dito |S. Paulo. 10 delVovbr.
Das DA ItmtUi.
ATJDIEHClAh.
4/000
8/000
Itvwu
4/500
Cear... 7 de dito.
Parahlba. >6 r rlilo
13Seg. Si. Luaro el lteo de OrpMo
Sereno; '2. e 5. s 10 horas.
2* Tere.S. Primitiva. i. taradocittl.
85 O'i.irt. m Cima. 3. eli. ao meio-dla.
?6 Quint Torqualro. I Pattnda.
?7 .seit Orscado Hor-M. e 6. As 10 boras.
to ; S. Augono. 2. vttradocivel.
28 Sao. S. Romao. U. esabados ao melo-d.
ii. de ... o de > r
Babia... II de dito.
12 Dora. 1
' ma : >
da Quares-I RelacAo.
Paulo. Tercas e altados.
namalDu,
I Crescenle 28. It 8 boras e31 minutes d
(Chela 11,111 horas e 6 minutos da Un
iMingoante i 11, ai 7 bora e i 1 minutos da
[Nova u," a 1 bora c 24 minutos da 111.
IIIUItIDI HOJI
Primeira s 7 hora e 41 mi utos da manbla
Segunda s 4 hors e 6 minutos da taide. |
de Fev.erero He I 8S?.
^9us>^
N 43.
PRI\4MB1IC0.
nnTiDii BOA coaanoi.
Oolanna e Parahlba as segundas e aeitas-
'felras.
Rlo-Grande-do-l ao mel da,
Garanbuns e Bonito, 8 e 23.
Roa-Vista, e Flores, 13 e 28.
Victoria,as qulntas-felras.
Olinda, todos os das. '
SJOTIClaa BSTBANOE1BAS.
Portugal.
Hespanba
Franca ..
Blgica...
llalla.. .
Alemania
Prussla ..
Diii.iii, ..i-i'
Russia...
Turqua..
17 de Janr.
9 de dito
a de dilo
3 de dilo
4 dedlio
i de dito
5 de dito
I dirillo
90 de Oeib,
2 de dilo
Austria.. 5 de Janr,
Suis-a. .. 3 de dito.
Surcia..'. 31 de Dezbr.
Inglaterra 8 de Janr
E.-Unidos 24 de Dezbr
Meilco... SSdeNuvbi
'alifornla 2o de dito
Chlll 2' de dilo
"umos-A. BeNovbr
Montevideo 10de Jaur.
OAMBioaix: DB 31 nv
sobre Londres, a 27 a S7 '/, d.
a Pars,
Lisboa, 90 por canto.
BIBTAU.
Ouro.Oocas heapanholas......
Moedas de &fMnri velhas...
de 6*400 novas...
a dr 4/iMO.........
Prata.PatacSes hraslleirot.....
Pesos columnarios.....
Ditos meiicanus........
mitin
P.#
o.
M009
||M00
16/000
9/100
1 920
l**-'0
1/800
i
PARTE OFFICIAL.
MINISTERIO DA JUST1CA .
Raiiaram a respectiva secretaria de estado os
despachos seguintes:
Ojuiz de direito Antonio lienriques de Mi-
randa, removido da comarca de liaplcur, na
rovincia doMaranhao, para a de Camela, na
o Para, por aisim o haver pedido
O juli de dlreilo Virialo Baodrira Duarle,
removido da comarca de Camela, na provincia
do Para, para a de Itapicur, na do Maranhao,
por assim o haver pedido
O bacharel Antouio Pereira Pinto, recondu-
ido no lugar de juta de orphios do termo de
Campos, na provincia do Rio de Janeiro, por
lempo de 4 aonos. ir-
O baebarei Francisco das sais Bezerra, recon-
duzldo no lugar de juil municipal e de orphos
dos termos rcuuido. de Qursrramobim e Ria-
cho de Sangue, na provincia do Cear, por
lempo de 4 annos, na forma da le.
Padre Wenceslao Ferreira Lopes Wanzeller,
apreseotado na paroebial igrela de Nona Se-
nhora da Victoria da capital da provincia do
Espirito Santo.
TKI BU N ATD HELA O.
SESSaOdE 17 DE FEVERE1RO DE I85J.
1'resale'.i-4a do fc'xm Sr. conselheiro Azevedo
As 10 lloras da manhda, estando presentas
8 Srs. dsembargadores Villares, Bustos,
Ledo, Rebelo, Luna Freir,e Valle, fallan-
do cora causa os Srs. desembarga-lores
Souza, Ti'lles" e Pereira Monloiro, : o Sr.
presidente declara aberra a sessdo.
JULGAMtNTOS.
Aggravante, Manuel Hozando do Reg Bar-
ros ; aggrvado, JoO Rodrigues Pinheiro.
Deram provimanlo ao aggravo.
Appellante, a justiga ; appellado, Jos de
Araujo Lima.Mandaran a novo jury.
Appellante, Anlonio Ferreira Soulo ; appel-
lado, o juizo.Foi absolvido o appel-
lante.
MSMiaCOCf.
Recorrentes, Maooel Jos Antonioeoutros;
recorridos, los Kibeiro de Csslro e ou-
Iros.
Appellanle, o juizo; appellados, os herdei-
ros de Henriqoe Pedro de Almeida.
aivisoes.
Passaram do Sr. desembargador Villares
aoSr. desembargador Bastos as seguintes
appellagOes eni que sdo :
Appellante, o uiio ; appellado, Josqum
Francisco de Alin por si e seu filho.
Appell me, Silvana Mana da Cunceigo;
-11 j 1 Hado, Bernardo Antonio de Miranda.
Appellanle, Autonio JosGU'jdo; anpalla-
dos, Jnaquiro de Albuquerque e outros.
Passaram do Sr. desembargador Bastos
ao Sr. desmbargador Ledo as seguintes ap-
pellar0es em que s3o .
Appellante,o juizo ; apiellado, M.inoel Pe-
reira Frade.
quiza do come(ar suas operafO a por essa
provic-i, oaleoiando uella e moslrando ao
resto da repblica o poderoso etercito do
seu 01111111. n'lo. Alongou a su < marena co n
mais algumas leguas ; mas esle inooove-
nienle he mui pequeo em corhparacflo las
grandes vsntagens que deve necessariamen-
le produziroseu plano.
Em meiados de Janeiro recebeu-se no
etercito a noticia de qnoa provinria de
Cordova conlribuis lainhem para esta gran-
de cruzada coih urna divisSo de 4,500 ho-
ni' ns e 19,000 cavallos, corornandada por
um I1II11 do governsdor Lpez. I -ti noii-
cia, que recebemos por carias do esercitj,
vm-la hoje confirmada em uros commu-
uioacAo fui' a la da Janeiro pelo RnneTal
II. U njamn Virasoro, mojur general do
exercilo libiTtador, ao coronel I). Crispin
Velasquez, commandmile gerai das armas
de Entre-Ros, publicida na fejaneraclon.
O paragrapho uuIiim lu he o seguintx :
Ileso agora que as minhas multiplica-
das o.ccupacOes 111 permitlem escrever-lhe.
Verdade he que us das passados nSo linha
nada particular a communicar-lbe como
hoje quo lonhoa salisfaccSo de parlicipar-
Ihe que hontem recebeu o general om cnele
offi<:ios d l-.xin. Sr. governador de Cordova
adherindoaonosso prouuncismentoo graii-
deemureza, o que mis habilita para mar-
charmos sem ailoufilo 110-3 > retaguarda,
quefica porIVilatneiite cubera.
No da 10 os habitantes da cida le dn San
Nicolao, dovosqSo frontam da provincii de
Buenos-Ayres, pronunciaram-se contra o
exercito libertador se fosse levado a ofT-
plano perverso, aleivosoe absurdo como
das as suas cousas, que 1 ai se teria podi
realir encontrando a resistencia de todo
pait, e que a Providencia toruou totalmo
im,nissivcl mitiJsndo copiosas e abuoda
leschuvas.
He tal a sai capseidade militar qu" tin
Teito d'-pen ler deata redicula idea lodo
nxilo da campsnha. Tinha collocadoassuA
principaes forpss de cavallsrit em vari
.ionios do N'oi tn, e concentrado os seus
t.lliOes nos Santos Lugares, sem tratar
dsr-llis ero a orgamaacSo, nm a in-true
ciu n>'ces*aria para manolirarom em corpr'
deeXHrcito, *"
Plhnu a sua i lea, etoda a cavallaria foi
destruida, e hoje acha-se a vista de um ini-
migo victorioso, reduzldo a um recinto da
6 leguas, com corpos iucanazes de mano-
brar, na impossibilidade absoluta de toma'
a offrnsiva, e exposto a ser balido 00 dia
que o seu inimigo escolber, e do molo que
elle quizar.
Kis-shi o grande Americana o hroe do
deserto, o defensor do continente o impu-
dente impostor que tero estado a engaar
o mundo, aturdido e sem ssber o que ha
de fazer na hora do perigo.
No da 27 sabio Analmente para a ciiDna-
nhs, islo he, niuvi'ii--,1 da sua quinta dePa-
lermo com tolos os seus escreventes e bo-
bos, para andar distancia de duis leguas
alaos Ssntos Lugares. NSo se sabia com-
Diz-sequKChenaram ooo'onel Cranads, o mens, a mior paite inrantana, com 40 pe-
tenenie coronel Laprids.ealguns outros su- a de artilhans mal servidas, e em pessi-
balterno argenlinos, fgidos esse Rstido. ma organisacao o geral das tropas, puis
tmamigo d Mr. Core cimmunicou-me a nica que ha nellas regular hea anliga ue
que, conforme as cartas que recebara de Palermo, cominsnlada pelo coronel Her-
Soulhern pelo paquete, tolos os seus eafor- nandez, c os arlllheiros ( 200)que instruir
cjs na corte pa/a que o B asil se separasse Chilsbert. Esle grande exercito aiuda ndu
de Urquiza tem si lo iniHeis. esta organisado como tal, nem sabe quom
Tenno porcerto que Urquiza est entre saja seu general em chefe : suppOe-se que
arricifes e a Guardia de Areoo. Segundo os Pacheco o>i o governador.
avisos do juiz de paz Lina e de MiXimoTer-| Da Turca queficou aqui diz-se que vSo
raro, as avancadaa seachavam |i nerto. pe-' lirar mais : a que hoje existe, que he ami-
lo queelles se retiravam para Lujan com as! licia pasaiva, pode calcular-sx em 2,300,
cavalhsdas que podiam anear. Usjuires de que silo os que fazom exercicios diarios ;
paz doS. l'.-d'O a Baradero lanibem 1 siaml mais 150 hornera, eulre vigilantes e pedes
m marcha para dentro. A divlso de llozados carros de polica.
(antes de Manoillaj vmha pela canhada de,' Pelo que se v, em poucos dias licara-
Jites para* a capaila doSenhor: creio quejmos reduzmoss um sem circulo muito es-
ja ter chegado a esle poni com aquartahreito, e V. ver entdo como se desgran-
arteda forca. Ohomem da cunflanca, co-|r9o os patricios, poiso gaucho nSo gosta
nnel Lagos, tinha (Icado na laga dos Pes-Iqne Ihe spertem o cerco,
odores A vista das divisOes avancadas de| n Oide infanlaria aguentardo mais, lano
Uiquiza, eem retirada para a Guardia de
luisa. Sua forr;a era de 650 a 700homans:
e c,go era, porque sabe Dos o que Ihe ter
Beato.
Tolas aa cavalhadas que se forem retiran-
do' de nortedevrnn collocar-se do outio la-
do doarroio da Matanza, e nos potreiros e
chcaras de Quilmas, e as que vierem do sul
e do oeite desde S. Vicente, ao arroio das
Gonchilis.
Os que mais enoenhados se moslram por
susteotaro normando sdo M un. a Cosa: es
ludo no dia 29 quem seria o geueral quo lo deaenrolve muila actividal, aquelle
commaqdaria em cnefe os batalhaa agglo-
governo do llosas, apezar da proximidade morados nsquelle lugar, nem se concertava
de urna forca considoravel de cavallaria que I plsuo algum de defesa'.
ostava em Ramallo as ordena dos coruneis l'o que tem cuidado, principalmente nea-
Lagoso Cortinas. Na noite dessedia Toi a- te ultimo mez, he de apoderar-sede grandes
tacada de improviso poresia divisdo, po-
(m l..'iin- dos sous habitantes, armndo-
se e subindo s soleas, reclrassaram os ag-
grossores, que voltaram -para o seu acam-
pamento.
O commandante da tliviso naval brazi-
ieira hun guarneca esta parle do Paran,
l'aik, mandou immediatainente o bngue
CiiIIio/h e aijj'uns lauclioes para auxiliaren
a puvoaQdo, 110 caso de que o ataque se re-
novasse, e as familias que se tinliam reTu-
giado na iiha fronleira. 0general Urqui-
za, por sua parte, detsacou duas divisOes de
cavallaria, urna das quaes, ronim inl,>.l 1
pelo coronel D. Santiago Urono, cahio au
auoilecer do dia 13 aodre o rampamenlo
rosilla, o p lo em fuga desordenada, bas-
tando para iaioa ciiegada de cero alirado-
resquea precediam.
Os sequezes de Rosas, industriados por
son a mi 1,11.i<> osperaiu o seu Inumpho dos os
I" 1,11- do valor em um combato leal o hon-
roso, mas das sorprezas e ass.ssinatos. Na
nuil il to 1 A- lu.-.r um deaaea succesaos
que dittiiiKiina) e caiacti'iisa n Rosas. Um
muito palivreado. Parece que Maza peosa
em ultimo caso, se o governador o n3o le-
var comsigo, trasludar-se para essa Estado
com sua rasilla.
Sobre o principe, ninguem duvida que-se
osea pul ira n melhoroccasidu embarcndo-
se no vaior Lneutl, e depois no Cwi/Uct, que
o lear com Mauuelita preseaca de seu a-
migo l.ird Palmerston.
O passeiodeGrenTell por estas alturas traz
a toJos a Tazerom mil clculos.
P. D. Acaba m-se da recebar cartas do co-
ronel Sosa, em que participa achar-se na
capaila doSenhor, quasi sem gente.
28 de Janeiro.
O general rrquiza acnava-se a 27 na vil-
la de Lujan, e diversas divisOes suas tinham
Recurrente, l.uiz Jos Ferreira l.'ite ; re-1 mjor Aguitar e outros oflioiaes dos queli-
corridos, Miguel Antuues Lopes e oul'os.
Passa>amdo Sr. desembargador Valle ao
Sr. desembargador Villares as seguales
appellacOes em que sdo :
Appellanle, o juizo; appellado, Manoel An-
tonio Rodrigues Macha lo.
NSo foram julgados os de mais feitos com
da assignsdo por haver fallado a sossito os
Srs. desembargadores cima roenciunados.
Levaiilon-se a ses.sd i so meiolia. .
EXTERIOR.
questaOd rio da prata.
Montevideo, 4 de fevereiro.
Relrospeclo mental.
A passagem do Paran pelo exercito lBcr-
tador pnncipiou a 22 do deiembro e m- I.....
1 8 do Janeiro 28,000 bomens. 50 000 caval-
los, 40 pecas de artilharia, e o t^rem c bsga-
gens proporcionadas a eslo numer de bo-
mens ndo podia deixar de empregar grande
espado de tem^o paia atravessarum rio iSo
largo e caudaloso
(Jexercito eslava reunido no Diamante,
povoaedo fundada 110 v;i ilion te pelo general
Urqui margens do Paran, e mais importante lam-
bem sob o sspeclo militare mercantil, o
grande cotovello que forma o rio, defronta
da cidade de Sania F, sobre o promontorio
que as catas geogrentnras lem nmade
Punta Gorda. Dali paasram as divisOes de
cavallaria eascavalnadas para a ilha fron-
tera, e por meio dola al Cornuda; as de
1nl.111i.1riH o minara dirigiram-so embar-
cadas ao 1.-pin 11 o, onle se fez a reuniSo
geral do exercito.
As cidades da Satita F a do Rosario anti-
cipiram-s em pronunciar se a favor do ge-
neral Urquiza, e toda a provincia do Santa
F, sem oulia oxeepedo do que a doaeu go-
vernador Echague, unio-se ao ciercilo li-
bertador solicitando tomar paite na
campanha. Ahi linha Rosas 4,000 homens
arregimentados tjueaugmentram todos o
numero de sous iuimigos.
U guverosdor Echague fugio para o inte-
rior e orgamsuu na provincia um governo
provisorio, que he o que hoje existe.
Teiido o general U>qui'a deo >erar sobre
a provincia de Buenos-Ayres, a de Santa F
eslava destinada pela sua pusi(3o a tomar
un.a parte iinpuriantissima nesta guerra A
sua adiii sin sincera a causa daqueile gene-
ral corta completamente a communica(3o
entre Rosas e o resto da repblica, segura a
retaguarda do exercito libertador, e lanil-
la as suas communicacOes com Ent'e-Rioa
o 1.o'nonios, ecom as mais povoaces do
interior, al Juju por Cordova e at a
Rioja pur San Luiz.
Basta esls co.nrnunicaoao e a interposi-
(3o ao poderoso exercito libertador entre
o lyrautiu queopprime e os povosopprlrui-
dos, para que estes, imitaedo de Santa F,
sacudan a oppressflo e adliiram causa do
gooeral Urquiza, que he a de todos ellos, a
do direilo e do interesse nacional. Euldo
a guerra ser urna quesldo de dias com um
bom xito inTaliivi-I, e o objeclo dessa guar-
rs, a organlss(do da repblica segundo o
diieito escripto, estar obtido no .....,1
dia do Iriumphn, sem discordias, iem vio-
lencias, sen conflicto de iuteresse ou de o-
piniOes op, oslas.
Rosas ser assim despojado do titulo vilo
de chafe supremo di repblica, e desfar-se-
hdoas imposturas de poder e de aulorida-
de com que hsl'.ucinara no exterior, para
receher o ultimo golpe da justica sem nu-
tro carcter aendo o de um vil facinoroso.
Por esta razdo demos grande importan-
cia -ao pronuncia ment de Souta F, e jul-
gmos mui acertada a idi do general Ur-j que teria por certo pono cin conflic'toi o
uliain pml nenio ao exoicilo do Ilusos no
Estado 1 ii ion 1 11, soduzidos por elle, liz-ram
um mntim em um regiment decavalar a
de 500 liomens, e leudo degollado na sua
barra o corunel Aquino, o leiionle-co'Onel
Agiiilare mais tros olliciaes fugiram paia
Hii' nos-A y res, onde recebram recompen-
sas e alfaias das puras mdos de Manustita, na fllha do guvnriia lor. Os cmplices deste
acto infame foram tenazmente perseguidos
e '\oni, lu oienio castigados por urna divi-
slo do exercito libertador, no qual produ-
zio una indignando sauuavel e profunda.
Corromper e assassiuar, laes sdo as armas
do Rosas.
A esies nicos meios confio1! a sua defo-
sa, e a sublevando do corpo de Aquino foi
o muco resultado que Ihedram. Crime
motil ; ndo pode com ella deter nem debi-
litar o seu inimigo.
Oexercilo libertador, augmentado rom
2,00o S ini'i-riin.s que s" Ihe tinnam incor-
porado, reuni se no Espimllo, e, disuosto
ludo para que, u.io eiicontrasso embaracus,
rompeu a marcha no da 12 e pasauu o Ar-
royo del Me,iiu, fronleira de Buonos-Ayres,
no dio 15 Compe-se de urna disido orien-
tal de 2,000 bomens de infantaria e artilha-
ria, urna bni/i luir de 4,0u0 honens das
tres armas, e o rosto de Argent nos das pro-
vincias de Entre-Ros, Corrientes, S.ulu-
le e Buanos-Ayns.
A nica composi(3o desle exrcito, om
quo as loie.is estrangeiras li jm .un apenas
n'uma quinta parte, moslra palpavelmen-
le, so.ii necessidade de discutir anteceden-
tes, que esta cous ndo fui movida por im-
pulso cstrsiiho, mas pelo deenvolvimento
espontaneo da opinido e das necessi tales
nacionaes. O ser commandado eai chefe
pelo general Urquiza, nico director da
guerra, desmonte essas ridiculas imputa-
!,"- de Rosas de ter-se submeitido ao Bra-
zil para aacnlicar-lhe os interosses da sua
patria, insultos vdos que eaae selvagem
emprega falla do razos para contestar o
roTaito direito com que os povos da repu-
blico exigem a organisacao 1nr.un.1l.
A sua ilesappanedo e o estabelecimanto
do um governo temperado a justo importa
a lodos os paizes vizmhos; e esta he a ra;d >
porque as suas bandeiros apparecem uni-
das como symbolo de unidade de valas, e
da pz que na desucceder aos vint) anuos
de continuas guerras com que Hozas tem
devastado a sua patria e inquietado to.lus.os
psizes que a rodeiam.
Km doie dia* de marcha o exercito liber-
tador dominou tuda a campanha do Norte,
derrotando, dispersando, varrendo em urna
palavra todas as l'oreas de cavallaria que
Rosas tinha postado nella para defen l-la,
No dia 29 eslavdo as suas avancadas sobre
o rio das '.onchss, lando obrigado o gene-
ral Pacheco a. passar este rio com mil a tan-
tos I10111 -ns, nico resto das consideraveis
Torcas que occupavdo osse territorio.
Segundos mappas las ollicinas de Rosas,
que ja pub'icamos, havia entre Doran Ja e
o Rosario, 4,000 humana c ,minutados por
Ecnague; emS. Nicolao at S. Pedro 3,500
ion o commando de Mancilna no cenlro
5.800 commaudadns por Pacheco. Distes
13.300 ho.nolis ai o lias Chegaram aos Sanios
Lugares mil e tantos derrtalos, levan lo
em si niosino- urna prova authenlica da 111-
capacidada d_' sou guvernadur.
lit-r -iln, Rosas ndo poda ter adoptado um
plano mais favoravol ao seu inimigo du que
o de disseminar pela campanha divisOes de
cavallaria isoladas que deviam necessaria-
niontc ser bandas urnas depois das oulras.
A sua tencao 111a laucar fogo ao campo, e
envolver os invasores em um incendio m-
meuso que devastara meia provincia, mis
sommas de dinheiro, e de prover-se para o
caso em que seja necassario fugir. Estamos
persuadidos de que ndo se teria movido da
sii.i quima se a isso o ndo obrigassem as
repetidas represeulafOes de seus cheTes, a
ter viudo passualmente o geueral Pache-
co aquella quinta com esse Ora.
He escusado dizer que, leudo tirado todos
os batalhOes de milicias da cidade, Qcou a
praga de Buenos-Ayres em urna paraliaacdo
completa.
Todos os homens de aenso crem liosas
irreniissivelnenle perdido de um dia para avanzado algumas part las t as immedia-
outro ; ludas, menos o Sr. Soutern, quena gOas da estancia del Pino (de Rosas),
sua nova missdo du Rio de Janeiro Toi con- Estamos em vesperas de. grandes suc-
tinuar a Tazer-lna os obsequiosos servicos cessus. umingo, 25, sahiram para a caro-
que Ihe uresluu em Buaous-Ayres E>te panna (Santos Lugares; todas as ferc-s das
iiiuislru bnlannico, que Ido mal comp'e- tres armas que havia em Palermo e na Re-
hendeu em Buenos-Ayres a situando das coleta. A 27 fize'am o mesmo o batalndo de
cousas e os inleressos da sua naedo que milicias do commando d 1 Romero, os sere-
taulo iifTendou a populando argentina, pela nos, len-nt-s-alcaides, restauradurese acen-
leviandadedo siu c.ir 1. ler p inici.r pelo dadores do I m en -. Nossa me-ma noite a^
zeiocomque servia os iuieresses de um II hoiaasaliiu n goveindor com seus escre-
lyranii'i horr^cid 1 de lo Ijs, empenhou-sa venles de Palermo paia Santos l.ug.res,dei-
eui defon ler at ao ullimo a ma causa em xan lo, por decreto de 28, delega o o govr-
quo cjuvroiiioiti u o espeilo da sua sobe- nuda provincia em Lisiarle e Arana, sem
r,ua. prejoizu da faculd>do quo se reserva tUr
Foi ponderar no Rio de Janeiro o grande por si s e directamente as dlspoiifOese
poiore a grande capacidade da Rosas, e providencias que julgar convenientes, cu-
propOrao governo imperial um convenio mo o tem feto sempre.
com aquella tyranno, oil'iieu uido-liio im- Co re huje uue s.lur tsmbem a forga
po lantescoiidic s, coiulauto que retire as da passiva commandada por Jimeno uu
suas furcas du Rio da Prata. Aguilar. Se succede isso, llcaremus alesem
Ja he larda para Tazar estas prooostas, e po e sem carne, porque ndo havera quem
tarde para que remedios diplomticos pos- Taca aquella nem qu-m traga esta,
sdu melnurar a siluaedo de Rosas. o Ja esldo aqui os juizes de paz do Areco,
AsubrigacOes coniiahi las pelo Brazil no Bsradero, e Guardia ue Lujan.
convenio de anauya de 29 de maiu de 1851
Toram cu npridas pelo general do exercito
e pelo cnefe da esquadra imperial com a
porque ion menos meios de passar-se para
Tora, como porque sdo os que mais dinheiro
a presentes tntn reerbido e recebem. De
tolos os mudos a quesldo he de dias, pois
Urquiza Ido pouco lem porque apurar-se.
Sao duas horas Parece Tora de duvida
quecnegaram fondos a Flores.
P. Assaguram-me que chegaram
cidaJn algumas csrretas com Ten ios das
guerrilhas que iivjrain na ponto de Mar-
ques.
Silo 4 horas e Techo esta : um vapor bra-
zileiro vista e inmediato corveta badia-
na.
Io de Tevoreiro,
As divisOes que commandavam os coro-
neis Lagos o llortinas foram derrotadas, leu-
do sido este ionio de um I neis-o. Este
.ie mi,-cimento ea perseguido que se Ihe
fazis foi o que obngou o general Pacheco a
retirar para a margom direita do rio das
Conchas todas as lonjas de cavallaria que
.no 1 es',1 v.ioi, e a destruir a noute de Mar-
ques. Algumas partidas do exercito libe -
ladOr lia Via 111 des 'I lo polo I' II ir ateo II,-.
iili.dii, o ili/.ia-S" ii'.ie oulras tinham passa-
du pelas Cauelas e S. Vicnute. O facto he
que po hun percorrer toda tssa campanhi
10 sul la cidade sem encontrar inimigo*,
pois Rosas iiavia concentrado lodos os cor-
pos nos Santos Lugares, Morn e ponte de
Marques.
( Comercio del Piala.)
(Jornal do Commtreio.)
INTERIOR.
s A praga est cheia denla e de extravia-
dos. Ndo se podem oblar detalhes sobre o
auccasso.
< Os vapores brasleiros vieran ao Po-
zos, vapor ingle/, est aquecendo as cal-
deiras.
Daos nos protege.*
> A seguint uarragdo he oblida de una
fonte quejulgemus msis fidedigna :
A balalna principiou s 6 da mandila, o
turminon s 10. O primeiro choque Toi a
legoa e meia Tora dos Santos Lugares; re-
ceoeu-o a cavallaria de Rosas, que Tui com-
pletamente derrotada. Oque reslou apninu-
ae na iiifantaria e artilharia, marchando o
exercito do general Urquiza sobro ella, a-
in-acaiido toda loica de Rosas.
< Ao meio dia chegaram cidade os pri-
meiros extraviados ( lancoiros) annuciando
que toda a cavallaria tinha sido derrotada,
masque aindase sustetitva a infautsria o
artilharia meia legoa dos Sanios Lugares
para Morn.
A's 4 da tarJe os commandantes dos
navios de guerra padiram permissdo a Man-
cilla para desembarcaren gente de bordo
em protecgdo de seus nacionaes, vista a ex-
trema confusdo que havia na cidade Man-
cilla disse que s 6 horas respondera ; mas
a-i borase meia da uuiiha mandou um
Quicial a bordo das estagOes para avisar que
podan desenbarcar a tonsr as molidas
quo quizessem. Ao mesmo lempo Mancilla
dirigto-se aos agentes de Inglaterra, Fran-
ga, Estados-Unidos e Portugal rogando-lhes
quesolicilassem do general vencedor a cos-
sagdo das hostilidades Estes agentes sahi-
rm s 5 horas e meia para o canpo do ge-
neral Urquiza.
A'ultima horaParece que a nfanta-
na e artillara de Rosas se renderam s Tor-
gas de t'i .juiza, ijuu as cercaram completa-
mente.
naior lealdadee auaegago. A actividaJe e
ardor com que se deram pressa em cu mprir
a parle que nniian de deseinaendar facilita-
ran as operagOese contribuirn poderosa-
mente para prascousasna ciluagdo van la-
josa em que se achlo.
No da 31 de Janeiro sahio o almirante
Grenfell do porto da Colonia co o os vapores
Mjmisii e Pei/ro // com direcgdo a Buenos-
Ayres, e o cuja baha existan tres corve-
La e o va or Varaense brazileiros. Ndo sa-
bemos o uto desta agglo neraedo de torgas,
mas suppomos que de um lugar a ella as
medida loma Jas pelo general Rosas para
augmentar e armar a sua esquadrilha.
Al agora eslava reiuzda a um vapor
mercante do leu ru ea quatro pequeos bar-
cos de cabolagem a quesa tinha dado a ap-
parencia de vasos de guerra, carregan lo-os
(i arluharia. MeuiJus na baha menor de
Buanus-A'yros, sem darem signaes de vida
presUValll util 1)0111 soi vIco aos 1 ni lingos dO
diciaJor, gastaudo-liie meosalmenteconsi-
deravais sumuias de dinheiro, em tal ex-
cessu quo, segundo as cuntas publicadas na
Gacel 1, despender 111 no ultimo semest edo
auno passado, que be o lempo da sus exis-
tencia, em suidos, a b niiiiia de 3,610,019
..esos. Dabaixo desle aspecto deviam lar
justamente considerados como alliadbs nos-
sos, e teria sido urna torpeza perturbar o
curso regular deste neguciu Ido ruinoso pa-
ra o nosso iuimigo.
Mas hoje conprou o Vapor inglez Crrelo
pur 13,(100 libras esterlinas; recebeu um
bngue de guerra que linda mandado cons-
truir em Trieste e armar em Inglaterra ; e
espera de um da para oulro a cnegada de
mais tres embsrcagasda mesma proceden-
cia, que cunduzetn grande numero de ar-
ma nonio a potrenos de guerra para o seu
parque. Gramos que estas fados tardo des-
pertado a vigilancia doalmirante brazileiro
que ndo deve desajar que essa esquadrilha
su pouiia em estado de tornar necassario
um combate.
A guerra em Buenos-Ayres he o facto prin-
cipal que absorve a alteugdo publica porque
do seu xito depende a coadigdo futura des-
tos psizesem tolas ss suas relagOes Ella coa-
serva por taulo em suspeugdo o movimeoto
poltico; pori|uoii -nlium ai ranj ,| jode eons -
darar-sa pennaueute emquauto existir a
gurra,e uo soubermos sa hade triuiophar
a voutado desordenada de I), Jodo AWnoel
de Rosas, ou o direito das repblicas do Rio
da Prata.
(Cominerclo del Piala.)
NEGOCIOS DO RIO D.V PRAT4.
Emquauto nao cnega a parte ofDcial da
gloriosa alalha do da 3 du correle, que
,1.:,,iiuu com o 11 niiiosii poder de Rusas, pa-
rece-nos interessaiitu a saguinie narragdo
lus ic.iuiecimuiitos que preceleran aquel-
la brilhanle jornada que exlrahimos do'
Comercio del l'lala ;
buonus.Ayrcs, 24 do Janeiro.
Rozas trou da casadamoda, no da M,
quatro miloOes, conforme a le de aeus re-
presentantes de tS do crrante, a ficam us
6,300,000 pesos, que voardo por ates das.
29 de Janeiro.
0 general Pacheco velo da ponte de
Marques, e esteve com Rosas horas antes
desle sahir Parece que a vinda .de Pacluco,
cum ss noticias que Ir uxe da approxina-
e in do exercito de Urquiza, precipilou a
sabida do goveroa lor e das torgas de Paler-
mo eds cidade. Hoje deve partir parte da
Torga que liavia lie lo aqui do batalhdo de
Jimeno e do de Rodrigues. Os cor. o, de
serenos e de tenentes-alcaides, com o de
restauradores, que sahiram a 27, ndo para-
rdu II iS S rilo- Lugares, coill mil ara 111 sua
marcha at a ponte de Marques.
.Ghegouo briKUe ausl'i-co Infatigable, |oda c Monlev(d( ,0 receber
mandado construir em Trieste, e dizom- tao i,prianie noticia. Todos os emigrados ar-
me que traz I pegas a Paixhaus e grande gemaos, lodos os amigos da alliaoca se davam
porgdo de pelrechos de guerra. Espera-sea jrecipiocos paraDens, abracavam-se onde quer
Cada momento OUtro tingue e duas CorvelMS I que se enconlravaiu ; toda a cidade se pos em
uiovimcnto ; houve duraute lodo o dia repiquea
de sino, fugeles do ar, salvas de artilharia;
por lodos os meios possiveis o governo oriental
e a populacao de Montevideo manil'estarain o
seu cnthuiiastico regonjo.
Kls as noticias de que foi portador o Manueli-
la Rosis, e a quem cima nos referimos, traus-
RIO l)K JaSKIRO.
Rio; 11 de fe veratro d< i852.
Possuidos do mala vivo prazer vamos annun-
elaraDOaaoa tenores que o dspota de Oucuos
Ayics calilo para sempre!
,\u da 22 do un' de dezembro prximo pas-
sado couiecarain aa torcas alliadjs a j. 1 -, : u
do Paran; no dia 8 de jaoeiro achavam-se to-
das sobre o territurio da provincia de Sulla F,
que as recebeu como compatriotas e amigos li-
bertadores; no dia 30 i o vleme e entilo,as-
mado exercito dorrolava a vanguarda de caval-
laria do tyranno de Palermo, c 110 dia 3 do cor-
rente consegua o mais assignalado c glorioso
Iriumpho!
Parabens ao Brasil! parabens aos seus a
dos! parabens a lodos os amigos da civilisacao
e da orde
No dia i! do correle chegou a Montevideo o
vapor l'rince com a noticia da derrota da van-
guarda do exercito nc Rosas, que era coimnan-
dada pelo geueral Pacheco, derrota tai com-
pleta, que inultos dos derrotados fugiram al
dentro da cidade de Buenus-Ayrea. Era u
suce.so Importante, precursor de um prximo
e frlu cxlio para a causa da allianca ; e pois es-
sa nulicia causou a uiaior alogria 111 capilil da
repblica oriental, a nacionaes e eslraugeiros,
e sobretudo aos emigrado* Argentinos.
Um preseutiinento geral tuina a todos na ex-
pectativa de que no dia seguint cUegaria a no-
va do completo triumpho dos p iderea alliados.
Foi o vapor Mauuelita Rosas o inensageiro des-
sc grande succesao. Entrou cinbandeirado no
pono de Montevideo na inaulia do da 4 do
crrante.
He iudlviaivel o enthusiasmodequesepossuio
toda a populacao de Montevideo, ao receber
contraclados pelos agentes desle governo
na Europa.
a Esldo trabalhando a toda pressa para
a'tildar o vapor inglez Correo, que, Como
Iha disse hontem, fui comprado por 13.800
libras esterlinas, recebotido porm ocapitao
aumenta 12,000; as 1,800 liCaram entre CU- creveiuo-las do aeguime boletim que publica-
ras e sacristdes; sin la assim gauha bastan- rain os editores do Comercio del Plata:
te, pois so Ihe cuslara 9,000 libras.
a Sdo duas horas da tarde; as ongis es-
lo a 808 pesos, subindo.
Dizam que um monsiaur ex-ollicial da
marinha franceza, e que j estivera a serv
VIVA A PATRIA,
a Cahio o tyranno Rotas.
n Com o 1 o i' cheio da mais pura emoco
annunclamos a lerminaco da guerra na rep-
blica argentina a derrota completa de Rosas
em urna grande batalha dada no seu mesmo
go de Rosa em Frange, offereceu-se a este I campo de Sautos Lugares; a desapparlcao deaT
antes de sua sahi la para a campanha, para
apoderar-se da crvela brasilaira Bahlana,
que esl fondead fra da baliia exterior, sa
Ihe dessen o vapor La Mercea, 300 humens
e algunas bsleeiras. Hija andavan experi-
mentando o vapor : veremos o que resulta
do orucciiii -iito e da experiencia.
1 A Pacheco lizeran-o retirar de Lujan a
trote, e passou a ponte de Marques com nil
o tintos homens; lniiiteni nandou-se arra-
zara ponte, e avangsr para all a naior par
leda Torga que se achava nos Sanios Luga
res. Todas as cavalhadas nandaran-se col
locar nos Tapiales, dores e Morun, segundo
asrdeos rigorosas que hontem de manilla
se Iransmittiram aos aucarregados dellas da
retirar se para esses pontos sem perda de
momento. As cavalhadas em geral esldo
Tracas, ja porque ha dous mezes que an-
dan com ellas de um lado para oulro, ja
porque om todo esse lempo as lem Irszido
de 110 te no curial ou debaixo de ronda.
Lagos, Sosa, Bustos, e Luauriaga (este
Toi que trouxa a noticia de haver cnegado
Urquiza a 26 a villa de Lujanj chegaram
sem descansar ao acampamento dos Santos
Lugares, lando soflrido grande deserglo em
sua retirada.
aUma das diviso-s de Urquiza arreba-
nhou, a 26, de 6 a 8,000 cavallos dos que
comuzia Mximo Terrero, que ciiegou
apressadameute ao acampnenlo com o
resto.
a Em Rojas Toi derrotada pelo general
Juan Pablo Lpez urna divisdo de cerca de
600 homens, commandada por um tal Am-
la : osla Torga compunha-se de pane da de
Santa Coloma e da que tinha Mancilla.
Segundos melhores dados que tenho
podido colher, o numero que ao jnais reu-
nir o governador he de 19 a 90,000 ho-
le tyranno atroz, e o anniquilatuenlo do seu
poder, uuico germen dos males que nos allli-
gem ha 23 anuos,
O vapor norte-americano Mauuelita che-
gou esta uianliaa s 9 horas, tendo sabido de
Uucnos-Ajrcs s 9 da imito anterior. Trata
noticia de ter havido mu i baialha entre as for-
ca do general Urqulia e as de Rosas, ua qual
este ultimo solrcu urna completa derrota.
Morreram uns 1.000 homens, e crc-sc que lio
sas entra ueste numero.
" Parece que Mancilla tinha ofhciado aos
agentes estrangeiros, dlsendo-lhes que nao ten'
conava resistir na cidade, e que looge dlsso, a
entregarla ao vencedor. Em vlrtude desla couj-
louoicaco, os ageatescaviarain uina eoinmis-
sao ao general Urquiza para solicitar-lhe uina
suspeusao de hostilidades emquanlo se regula-
va a sua entrada pacllica na cidade.
Km carta de 3, escripia apressadaracnte,
dlz-se o aegulnte:
Onze o meia da m uidii.i.A's 3 e meia
da madrugada s-ntio-so tima lor.e cuido -
nada que pareca ser em direcgdo de Murou,
que du'ou al as 9 horas.
Ciiegou um propno casa de Escurra.
Toda a gente est na ra.
Meio dia e meia hora. Tornou a co-
negar a canhonada, as cessou ha meia
nora..
Vieran dousesirangeiros da chcara de
Wilhe (Medrano). iien que se pelejou mui-
to no terreno aonde se fazian as corridas
inglezas. Ndo ha pormenores. A divisdo
oriental esta all.
Ouvo-se o fogo que parece ser em ar-
rancas, mas he mais longe.
a Duas da tir le.Pronunciou-se a der-
i Sunpunha-se que Rosas morrera, ou
que ficara prisiuneiro, pois que se acbava
entre aquella Torga.
No vapor Hnnuc'itu veio de passagem o
S'. Roben C. Schenck, enviado extraordi-
nario ministro plenipotenciario dos Esta-
dos-Unidos junto de S. M. o imperador do
Brasil.- *"'
u O almirante i.-onloM despachou um va-
por para a Colonia meia hora depois da sa-
bida do Itanuelita.
A d-rrota de Rosa romegou no da 30
en que penle i na ponte de Marques toda
a sua vanguarda de cavallaria. commanda-
da pelo general Pacheco. Publicaremos
en u n proxi no numero o retrospeejo men-
s.l do Commereio del Piala, a as not cas
quo prece leran as que consta ui do boletim
I01 a t-anscnpl .
iiii-l.i-nn. por cartas com que fomos
obsequiado! qu a ttat'llia f'i renh'da, lo-
mando nella pa te tolas as forgas alliadis,
e que decidio-.se a carga de h-y meta. Se-
guiido aa tnesmas cartas, a divisdo impe-
rial acbou-se n'uma das pusigOes mais ar-
riscadas e pnrlou-se como era de esperar.
U na di VI-..MI da nossa esquadra c imposta
dos vapo'-s Aff'into, Pedro II e Paraetpit, o
rol vetas Da/liana, O. Januaria. Unido i Be-
renice, sob o commando do Sr. chefe de
esquadra Grenfell, foi fundear nos Pozos
penas so deu o primeiro tiro, eaguardava
mar pra lomar nosigdo em frente a ci-
dade guando um ofllcio do general Mancil-
la, governador militar de Buenos-Ayres,
vcio fazer saber ao commandante em chefe
da esquadra brasileira qoe em consequencia
a cidade enlrgando-se 8 discripgdo do ge-
neral Urquiza, em cujo qmrt-l general se
achavam n'*quell3 momento os agentes di-
plomticos de Franga, da Inglaterra, dos
Estados-Unidos e de Portugal.
O bolelim do Commercio del Plata annun-
cia que so ignorava a sorte de Kosas. Por
noticias posteriores sabe-se olllcislnonte
que na noite de S cooseguio fugir para bor-
do do vapor inglez Locutt, donde fui passa-
do para o vapor Canaur, capitana do con-
tra-almirante Henderson. Apiesentou-se
a bordo con trajos de ufllcisl inglez. Acotn-
panbava-o sua titila, vestida de homem.
As forgas de Rosas na acgdo do dia 3 oram
cu n-niiid i das polo general Pacheco, que
se diz moriera no ataque, bem como o co-
ronel Maza.
Sa nuita de 3 eslava oquarlel general do
governador Urquiza om Palermo. As tro-
pas alliadas fanam a sua entrada na cidado
na manhda de 4.
Terminada a acgdo o Sr. chefe de esqua-
dra Grenfell expedio logo o vapor de guerra
l'araente a levar essas importaots commu-
nicagOes ao Sr. conde de Caxias e ao Sr.
conselheiro Carneiro Ledo.
OSr. conde de Caxias j eslava embarcan-
do um segundo contingente do exercito im-
perial, con o qual seguira a desenbarcat
ao norte de Buenos-Ayres, para operar de
combinagdo com o geueril Urquiza, em
virtude de un plano de anto-ndo prsne-
dilado, quando o Paraense levou-lhe a no-
ticia de que a allianga j havia triunphado.
O Pumiue ebegou a Montevi leu, depois
de ter esta lo na Colonia, no dia ? noite.
O Sr. conselheiro Caroeiro Ledo preten-
da seguir nesse vapor para Buenos-Ayres
no da 5 noite,
O Commercio del Plata do dia 5 contm os
seguintes pormenores :
Assim que comegaram a chegar os ex-
travia lo, a cidade, o general Mancilla man-
dou fazer cortaduras as ras adjacenies
praga da victoria; mas ndo leve tumpo de
acabar a operagdo, pois desde logo se espa-
lhou a noticia da completa derrota de Rosas
e Mancilla abaodonou os seus ridiculos pro-
j.'Ctos de resistencia.
a ns agentas de Inglaterra, Franga, Es-
tados-Unidos e Portugal, ignoraodo o pon-
to em que se achava na occaaido o general
Urquiza, tomaran o caminho de Palermo
para orientar-se melhor.
Entro oa estrenados de cavallaria que
chegaram a cid-de havia timben anillad-
los montados que tinham conseguido esca-
par; do infatuara ndo se va um s indi-
viduo.
Parece que a esquerda do exeroito do
general Urquiza era firmada pelas divisOes
oriental e brasileira, que oceupavam aa al-
turas para c de Santo Izidao.
A cidade eslava cheia de oivallos sol-
rola. A' ona comegaram a vir extraviados.
Tem chegaJo muitos, a malor parle som los abandonados nella pelos extraviados;
.,,,. diz-se que era cxcessivo o numero desses
' Esldo guarnecendoas sotis com a pas-> animaos. ,,.,,,
sivl; _, Hontem as 7 horas da tirde Tundiou


/
m
o vapor VaraiMt, ahido de Buenos-Ayros
s 4 di minhll.
O Sr. almirante Crenfell rarliclp
S Eic o Sr. conselheiro Honoiio Mrmelo
Carneiro La". cilicio datado a urna
hora da mantiSa no Puios defronle de Pa-
leraio, que n'aquelle momento se lha epre-
.lentou umullcial do vapor de guerra fran
cez Flamiarl, da parte do comjnandanlo do
mesmo, aolicitando em nome lo general
Mncillar commandmte'ds guarnicHo de
Buenos-Ayres, que suspendesse lala a or-
le de hostilidades por terem o ministro
trance*, inglez, noitn-americmo e porlu-
.guesido em coromissSo aoquartel general
do governador Urquiza, nis immeJiaci-s
doPalermo, para trataren, da cspilulacao
da cidade. O almirante accedeu em termos
reciproco at saber o resultado da missao
dessns senhores.
Isso foi em consequencia da builha do
dia 3, flujo resultado foi entrar na cidade
parle do exercilo de Rosas om completa
ronfusSo e debandada, com grande porda,
e sem que aesaiba do coito a sorte do go-
vernador, a quem.se sjppoe morto ou pri-
aioneiro. ,
AsMm que o almirante Crenfell ouvio
os tiros da mantilla, reuni a turca da es-
quadra do seu commando que all estiva,
o postou-a nos Pozos perto da barra, de-
fronte de Palcrmo, com lenco de, assim
que o no o permitase, entrar para bausas
interiorea; mas em vista do exposto sus-
pendeu por emquanto as operares.
* De tarde despacliou o vapor Pedro II
para a Colonia, a(lm de communicar ao
conde de Caxia que ambos os exercitos se
achavam empenhado em um combate.
O l'araeni ao peasar pela Colonia fez
signaes, cumprindo asordan do almiran-
te, e participando o resultado da lula. N'a-
quella occasifio embarcavam forcas na Co-
lonia e os signaes faziam cessar essa ope-
raran.
c O Paraeiise, na sus visgem da Colonia
para este porto, encontrou duaa bule-iras
da esqudrillia do Retal, que se dirigiam
para oiilevido abandonando-a. vapoi
rebocuu-as at este porto, eouvimos diznr
que S. Kxc o Sr. Csrniro Leao pora essas
embarcarles a disoosicaio dogoverno, pm
seren depois enviadas ao general Urquiza
S. Exc. o Sr. conselhtiro Honorio.
Henil' tu Carneiro Leao sahir lioje para
Buenos-Ayres no Pnraens, levando o Sr.
Dr. Prannos, seu secretario, e mais comi-
tiva,
Sabemos que alguns emigrados argen-
tinos vSo nu niesmo vapor.
Temos lolliis do Hio Grande at 6 do cor"
rente.
.No Pssso dss Pairas, termo ,de Pelotas,
apprehendeu o delegado de polica urna fa-
biica de moeda falsa.
Urna das colonias mais remolas do lugar
denominado Mundo novo, termo de S. Leo-
poldo, foi atacada no da 8 do passado por
um grupo de 40 llugres. O nico homero
que se achava na colonia foi assassinado;
sua mulher, fllha e cinco crianzas que es-
tavam em casa foram rtulbadas pelos indios.
Da toda a colonia escapou somento urna me-
nina de 14 annos, que, estando no mato a
cortar capia) pode occultar-se.
Os indios i'i .-ini persoguidos pelas autori-
dades de S. Leopoldo.
( Jornal do Commercio )
PEBMMBCO
RLCII-E SI DE KKVr.REIRO IE 1852.
1S 6 HOIUS DA TARDE.
BETBOSFECTO .SEMANAL.
Anda a> festas. No dia 15 leve lugar a dorr-
fli/irVoSan Goncala, exactamente uoa ternms,
com que fui aununciada. No tocante cerc-
rellglosa caievc ludo fro c inlngoado,
as Iraa da Inglaterra e da Franja, abandonou
fugillvo o campo da batalha, e um trajes de
dlilarce ful refuglar-ae a bnrdo de um navio
daquella genoroia aoiagunlala. Praia aosCoi
,|ue, lio auiloio aconleelmento nio seja per-
dido para llberdade, e que rila colha della
iodo oa fruciui, que a clvllisaco don culo pu-
dtr comportar.
Entraran! durante a icmana 17 mbarcacfln
eaablram lo.
Rendeu a alfandega72;7i9|6-.!3ri.
Aapaicaa conllnuam a aer fataes i popula-
cao de onaaa cidade, onde f.llecerain na sema-
na que termina 50 peasoai, aendo 11 huinem,
,3 mulherea e 16 paivuloi llvrcs e 4 homena,
tuutberca e3 prvulos cicravoe,
Repartico da Polica.
EXPEDIENTE DO DIA 8 DE JANEIRO.
Coni'nuafdo do expediente do Sr dttembarga-
dor chife de polica, em relacao'aos movi-
mentos sediciosos que liveram lugar tiesta
provincia no mes le Janeiro prximo pas-
sado
Ao Exm. presidente da provincia.N- 227.
Em aditamento ao meu otlicio desta data,
sob n 835, transmiti a V. Exc. por copia
o Dulci que hontem mo enderessou o dele-
gado dosegunilo districto deste termo, no
qual pondera a nocessidade de tec all s
suas ordens os dous ordenanzas de cavalla-
ria, que haviam Picado para aquelle, o s
lha remoller alguma munico; e commu-
uica que o professor de primeiras letras do
eugenlio Conlrassude, motor de todo oajun-
tamento Ilcito emGuija, se evadir com
vinto homens armados.
Este facto e ontrn que ja de viva voz tc-
nlni levado so conhociinento de V. Exc. me
fazem pensar que estes ajunts trienios Ilci-
tos sao promovidos por liomens nimigos do
actual governo poltica, embora ao prin-
cipio apres*nta8e o carcter de sr urna
explosflo do despeno popular contra o de-
creto de 18 de Junho do anno prximo pas-
sado e islo com o fim de trazerem o povo
sempre desconliado, e disposto a favonea-
los.
Dos guarde a V. Exc. Secretaria da po-
lica de Pernambuco, 8 de Janeiro de 1851.
Illm. e Exm. Sr. Vctor doO iveira, presi-
dente da provincia. Jernimo Martiniano
Figueira de Mello, chefe de polica.
Documentos ti que se re/ere o ojficio cima.
Illm. Sr. Tundo requisilado a V. S., no
dia 1 do correte mei, o destacamento 6
diapniico desta delegada, perorre que nlo
se me apresaiileinlo o seu eommanlante
com a forQa 411b seu mando, olllciou-me em
dula de 4 do curente achar-se na povoacAo
tiesta freguezie de Jaboato, e qu por niu
me encontrar all dirigira-se ao Sr. subde-
legado do dislriclo para I lie dar quarlel, o
qual nenhumas inslrucces minhas tinha
arespeito; por essa desintelligenci, pois,
respondeu-me que all permanecera al ul-
teriores ordens do Exm. Sr. general com-
tnandante das armas; e supposto isto, or-
denei-lbe seguisse a sua marcha om direc-
c3o aoengenbo Gurjau de Cima, desta fre-
guezia, lugar aonde.os amotinados se ha-
viam reunido para seus fins, pois com quan-
to se houvfsso dispersado haviam boatos de
se reunirem em occasiSo de celebrafSo da
missa 111 capella do referido engenlio, na
especUtiva da leilura do papel de captivei-
ro, e que u-snn muito convinba estar a
i'iii\m sob seu mando presente para vellir
sobre o socego publico: os que em data
de 5 do concille parlicipou-me o refer lo
commandante : que llifl ordenaVa mu posi-
tivamente o Exm. Sr. general nao se leti-
i.i-.i- d'aqu. IIj ponto, iiu< que a bein do
servlco publico se preslasse quali|er
iequi reguezia; em consnquencia do que, em
data de 6 desta niesmo inez, ordnei que
= 2*
essa gente aguerrida que tam sido o terror peratnr permanree por a Iguos mlnutoa, a pella
dos revoltosos unida aoa Indlos.organisaram b.<*ae-a, torni-s. madae juanu ; uma aen-
um creaedo pret, o porque nOo .pp.reS. es- ^ ^-a b Ur ^ ^c-e.er.
se pret enorme rujas pracas pomo em fuga "hunllH0 ,,. dal.u opuimaa.i hai.s".o
osoonstituintoseuaro novoa louros aodl- de, 0,go m.ia fundante, a dreulacao do
redor g*ral que sem duvida pilliara briga- 0(oeu,, aciva. E maguida clava aa um-
deiro onoraro, Eu convidos conatituintes peratura a la 00. 36 graos de P.., e cotia 00.Ioj
para nos abracronos todos com osyatema di palle i mudo mala augnicnudo, oitabalece-ia
jarado que s a sombra delle nossa provin- oauor, a can Inccndeli-ae, n reapiracSo i m-ia
Ciaprospeiarempaz. .frcquantesemaerfallgante. Depms d pratic.da
L mais no Echo que nem sempre O dialio a.opcr.coeartec.aaari.aaoa banhoa. como as do
r.l.ri.de,r.zd. porta .0 Sr**** f&^^'&&^%VZ?.
L.ge: se elle ja tan falado como dzem os ,',. d, c,,ore gj ,*,e,^n, J.
srs. do Echo pessamos a Dos para que sem- ebtm,t desamen e a su> circulacio i multo
pre file,porque se acertarem as emboscadas 'm,, activa, auecrecoas e eiorecdra >o misa'n-
que segundo diz 0 Echoque tem feito sdeos'gmeutadai. a dlnt,cio doiaulcus da palle per-
conslituinles de Pernambuco! essa massa mine eatralir por meio do enaaboanento toda a
dii moradores aguerridos a quem O Sr. Jos gordura ou aua parte eicremenlicia que tem de-
Pedro serve de pae tam dito publicamente poailada, deisaudo-a depon sumimmeote limpa
dro que nunca se oppoz a que OS consti- paiticuj renle d> pelle aecunda pi.dcroiamei
tulntes pleileiem no Circulo Constitucional a reac;ao da agua Ira noj banhoa rusto,. C011-
o direito que todos leetn nos nogOCOS do cluida a ahinco fria. tr.ica-aeo clor da pe le
psiz e Dcos livre a Pernambuco que os po- fr "Sr'd'l,'7'c""l' ,* ""l oc'rp'>e",e
Serosos da actualidadlH vejo obligados KlfflSr$d7to
fazer uzo da influencia que merecidamente Junc{e, do cerebro. rmemeparo as
oxercem.equeiram com seus nicos recursos m iios individuos tem foimado urna idea mu
i-Mamar a obediencia legal essas massas l-stjuucoa dos bauhos rusos de vapor, |>elacircuna-
ludidas que OS Conslltuinles do Ecco a pro-, lauda de acreditaren que he perlgoao deilar agua
tende llisurrecciunsr impunimente. fra estando o corpo muisuado addicionandia isto
ftogo-lhes Srs. Radactores a publicac.^olentleo,"r, puerilidadca.a de que se efog.m, le-
deslas linhasque Islvez sejam proveitosas a ?;l"aS''.I|,":l"'a,^.!lc' Tambem afumas pesaoas
nossa provincia, e pelo que multo obguto.^J^^^'^'Poit^bo^Mn
r na VV SS \V PJ" **''*"> arlivre Impunemente esemne
De VV. 88.
Constante leilor e criado.
I/m HMaUllWil
"VAREDADE7
c'sidadede sa emoupar rais do que ocoaime
ainda qu suj. baia a temperatura atmospherica:
[cslaa precauc6es,dlmn-d.aclevelhaaer.lias the-
or'as, desiroem-se fcilmente 1 or raia phvilcas
ineijavela e pela eaperlencladlaiia. i,iu m ,'., p.|.
leseaciiacn hum maior gr.o de calor, vitalldade
e energa, que o aangue circula com ma s aclirida
de, e que se promoreu lium forte movlmento di
eipansao, chamando aa incas viues i circu ,1'e-
re-icia por meio da estufa misa, frieces e idrroa
a'agua fria, ,1 acrao do ar atmospherico, por b .i-
la s"" ej< a temperatura, nao occasiona nenlimu
ruco ncnisensacaoiiicoinniodadefrio e isto lie maii
noiavel quanio meaos lempo tem dccorrldo dn sa-
bida do bauho,
3-
Vltlidade dos banhos russos
Eslcs bachos Icvam a grandissisima vantac,em
a todos os oulros, porqueie pddem adminisu-ar
com bom etilo, em todas as estares do anno, e n
lodos oa climas, lemperamen:os,edades; e seinne-
, nhuma preuarafdo anterior. Asoidcrcntes mo-
. diflicar a deque sao susceptiveis ; adminisiradoa
com liitetlueiicia os constitucrn utels en tojas
as circiintaucias que liram j mencionadas.
Nos chinas e eslac-s quemes, o corpo humano
ach.-se prostado e cWbi.lta o; as toreas, vilaea
un n lu- i 11--11-. on resenta sobre
a iitllinade (lestes banhos, posta
ao alcance de todas as tntcMi-
gt lelas,
por i>. Joaqulin Ucllioin.
r s'
Dn que te tntend por banfioi ruttot de vapor; hu
effeoi na economa animal $ tua utHUa.de,
ou uto kygienieo e thtraptutico.
ntreos v-n > itaclms He vapor ha um de-
nominado i>anho russo ( ), Esu (tennint(ao
no he qiuil podera acLtedilr-se, atbifrarta oa
litba da moda, como militas otitras i ite biiseada
no uso que destc haolios se faz na Uissfa.
A> 1 ^t'ii'S ou banlios russos consistem era uns
aposentos maiores ou menores, com tres ou qun
tro de>{i'.ios em redor meneira d'arnphthe< n.is.quae* se setitam ou rollocam os ]' se ' nii 11. que podem ser mullos ao mesmo tempo,
e neste caso mutuamente se lavam. IVIccionHin,
ai^e.lain, e laocam agua ria, cuja a*ua liram dimitiurm nos nrgnos iuieriores.suai luncres ex-
mont
seiiuiidu nos informan), nendo que at a nussa
foi contada por un sd padre mas fin desforra loiCO e Inftn pozesse Pul marcha a sua firca
couvergiram as devoces para tornar o bailado em direcrj.0 mennluuado eogenho, entilo
do aanto o mais Inleressante e magnifleo pos- j n3o o eiicotilrand fU a or-
sivcl, assim como rendosa a uta promuvitla
ouui o folguedo da baodeira ; e tant > atll, co-
mo aqut, conseguirn! os devoto das devotas
o mais iuteiro successo para honra e gloria da
religirlo.
O sentimento religioso he sem contestado
algunia um desses traaos communs, que carac-
tensam de uma maueira sllenle o genio na-
cional biasileiro, como o tem contessado os
Tlajintes esclarecidos; desgracadamente pu-
rm, csie sentimento nao tem rcccbldo a di-
reccao cooTenlentc, e he urna hstima ver o
como as cerlmonias e ritos religiosos se mistu-
rain com o que ha de mais mundamno c sen-
sual era uo$a trra, Deste modo aqulllo que
poderla coucorrer poderosamente para frmar
a sua prosperldade, he perdido com a maior
iadfffercnca, e o carcter Ingenuo e sincero do
povo val cutiiccando a prrverler-se pela < im-
plcenle tolerancia de to feios abusos. To
bem, por esta raso nao be rara a perpetraco
de crimes dentro dos itiesiuos templos, nao fal-
lando nos galantelos e jugos de olhares, que es
coovfMfm em liaes da opera.
As suturases de Kmiia. duravamem sua ori-
gein um s dia; Augusto as fez durar tres, e fi-
nalmente Callgula accrescenlou-lhes um quar-
tof c ooin a prolongacffo do lempo cresceu
Igualmente a llcenca e o deboche, e as saiur-
naes aoabaram por tornar-se synonimas de or-
gias. Retrocedamos, pois, emquanto he tem.
po, e loogede estirar as testas, e torna-las qua-
si ialeriuluavels, como succedeu, ueste anno,
em Santo Amaro, promovamo-las smente tan-
to quanto for mlster para maniere reanimar o
culto interno, que hecertameute o mais agra-
dare! a Dos. Mas, isto j che ira a dogmatismo
e a outros, que nao a ns, compete o dogmati-
zar em taes materias ; passemos, portauto, ao
nosso expediente, c dcsculpem-nos os leitoies
esta pequea digresso.
Pi dia ib* cntrou dos portos do norte o f*
por S. Salvador, deliando todas as provincias
lene ladn do i:iipcrlo em perfefta tranquilli-
dade. No Para conlinuavam os andacos a aca-
Lrunhar a populaco, e o Cear anda lula com
a maldita febre amarella.
Esleve entre os o principe russo LibanoT
de Rostulf, quesahlo do seu paU para vlageus
recreativas, vindo ein um elegante e acetado
hiale de propriedade sua, armad em guerra.
Tendo chegado ao nosso porto uaquarta-felra
8 do correte, pretenda elle demorar-se uns
30 das para appreclar as modestas bellezas da
Veneza americana ; mas contra este proposito,
e talvrs receloso do estado sanitario da cidade
quanto aoaestrangeiros, inandou suspender as
ancoras ao Hognaa.c fez-sc df vela paraS. Luit
do Maranhao, uo di i 20.
Um facto horrivel, e que revella grande per-
vesidadeein seu agente, succedeu no dia 20,
na ra das Cruzes desta cidade. Dous alelja-
dos, que andavain pr-las ras pedindo esmolas,
e um dos quaes arrastrava-se tentado em um
couro, eocoriirarain-se ali, e travaram urna ri-
xa, que passou a vas de facto ; e mal o peio se
aproxitnou'do reptil para sova-lo, este o agar-
rou com tanto geito e destreza, que, puxand
por mn caivete, pode a seu gotto eravar-lh'o
alguraas veies, e ein partes taes, que o infeliz
explrou logo depols. fie ate onde pode ebegar
a imraoralidade e malvadeza do Individuo, que,
-lulaudo com os horrores da miseria e da do
furasidade, nao recua perante o* que nalural-
uiante deve inspirar o maior dos crinies, tor-
xuodo-te duas vetes desgranado. Compaixao.
Cbegou hontem ('Jo ) do tul o vapor Ver/iam-
bucana, aendo portador da graodlosa noticia da
queda do lyranno Bosat, cumpletamenic der-
rotado na batalha de 3 do correte, dada nos
Santos Lugares, onde bavia elle concentrado
todas as auas forcas. A tropa brasilelra, eolio-
cada as mais arriscadas poslcdes, deu oais
urna alta pruva do seu reconhecido valor no
combate ; parabe#s,pois, ao Brasil todo.
Us das do senhor de Palermo estavam cou-
tadoi, e a historia da tvrannia horrorisaia com
as oovaa e destestaveis paginas, que la recc-
bci, foroecia um seguro presagio de que a sua
domioacio ommlnosa nao poda mais prolon-
garle ; c chegou o 3 de levcrciro de I8, dta
memeravcl, em que o terror da America do
aul. o campcao, que arrostrou a m vontade e.
il'uus (ii'i niii js que ha no meimo hanho ou apo-
sento.
Urna densa nuvem de vapir ( produzida pela
agua que se deila em pedra an lesceoles ) se
e.> il't.i por tod* a atinosnhera do iiaiuho, ,lm-
do-lhe urn calor de 40 >>raoi Kcaumur. A' snhida
do han lio, e estando apelleem nmaeicessiva iranj-
prAco, f rgul'tam em uro tanque d'agua fra
ou se revolvem na nev no tempo d'mvcrno ; al-
uns tornam a melter-se no banlio ou estofa, e
repelem amesnu operado por tes ; deposde bem eucliuioi, vestent-ae e \">o
para os seus traltulhos.
IMui poucos sooi russos que nao tomam pelo
menos dous desses I ...u I ios por semana.
Esiecosiume, pouco oniorme com 01 do nosso
l:ii/. de ieunirein-se uuntii pessoas na mesmo
ponto, em unvi disposir^o que sem i re repugna
com o i>uiir,l'* co n que os tianhos sofl'resein uma
modilicac'O ntrenos, e que sem v.ni.r em su.
esseucia ao maiscomrnodoi e uleis que aquelles.
O biiihos russos que ha em Fraoea, -\ii m.-
nh.i, c outros paites, coullslein em mn aposento
qundrado de uov n dez pitlmos, c doze a qua-
tone d'aliui'n imi |-i lil.t de vidmea nermiue
anti'ar a luc uo aposento: aumlado esta eollo-
cada uma cania de inadeira, de que o terco su-
perior termina em um plauo inclinado eievaJo
para coilocar a cal encosla ou senta o quese tiHiihi. D'uina euidei-
ra de vapor, collocidae n oulro apoclo, mIic mu
tubo que
  • eicfin-si m.ii-i lentami-nte, c a pelle esl 111.. i s ex-
    citada e < 'ii uma trnspiraco muior e *' Esta falta de equilibrio us fum^es do org>>-
    msmo predlspoem para di'erenles affoncces e
    desordens, taes como a erupres de tr.d>s asclis-
    se-, a coliras liiliosas, ii ucoiai e nervosas etcj an-
    illo poderao os banhos rt.ssos de vapor*ser uttii
    uesta st.ir;io e clima, quando sua aeco lie favo
    rect*r o inovimenlo excentuco? diro alguns in-
    dividuos. O banho russo dado em hum* tempe-
    ratura pouco elevada, v. g. a 32 grao*, a compi-
    nliado de ablucoes u'agaa fra prolongadis,
    ii.miiic o calor do corpo, augmenta a crculacao
    do saugueein geral. da maior tonicidade pelle e
    os msculos e erngeralatodasasfuocrcs, eacon-
    trsndo-se o corpo depois do banbo'mais fresco,
    mais axil e mais forte l'.tr prova disto ha mu-
    tos individuos que tem tomado cincoenti, sesen-
    ta e ainda muit JJinan banhos russos no meu esta-
    bcKci.nenlo n t (o iiinis calorosa do vero
    sem coiulu o cxperiineotardin debllidade nem %*
    batimento, o que nao succederia com neuliuma
    outra classe de banhode imanraio nem de vapor,
    nao direi tomando o numero de banho* icfajildo,
    i nrcni nem eom a quarta parte, sem se encontra-
    ran summamcnle d Mo invern eumcli i as fnus a nossa urgtnisa-
    *po reseule-se puderosamente da inlluencla d'cj-
    ncommoda e*Uc'>, a pelle toma-se fua^rid.
    t entugada. suspndese a traoe, irco cutnea as
    linas contraem-ie e omprimuid.i us vasos ca-
    piliares sa i^uinejs obstruem a sua llvrecircular
    cao pelo estertor repellmdo-a para oiutoiior e oc-
    Constftuem o temprame nlo lynpbatco ai peisoas
    d'hum rosto paludo, oidor Un.utdos, e.de hum
    olhar triste, cara Inch-da. pelle lita, descoruda,
    ci'oes hranda, a circulacio dosangue mais hu-
    mores lema.a Ivmpb* abundante, a seoslbilldide
    obtusa c as funcedrs dos orgXo lentas
    Uestauo Inerte desta* constituicoYl fax rom que as
    enf rmtdadetse desenrolvain paulatinameutaecora
    pouca energa, formando acl-sieda clironras,
    atnicas fras, de larga duiaco e prelinase*
    a curarem-se, Ues $$o as eicrophula*, tumores
    brancos e indnleotes, c .f.rie* iTmphatcoj, liy-
    dropisiaa ger-tes, pirciaes, iucluces etc.
    Onictliudo Hiei.jiciilico urdimaio que se legue
    pata cohibir estas molestias ho aadiuiobliacaoi.oi
    tontese excitantes,
    Mamfdttei J o tfeltosdos banhoi runos na e-
    conomia animal, e alten id->s os phenomenos que
    c racters.mos deste temperamajiio, ea maneira
    con que se medican! Quem doder durldar da eflicacissima utilidade
    dos banhos russos nesla* coastituices?
    Em todas *s edades pode recorrer-se aoi benefi-
    cios elfe.tos dos banhos russos, desde a infaucia
    U v.Jhi. o, co um dix o celebre Dr. Red.
    Osbanhos russos lortificam a constituiflo do
    menino; reslituem a i6r florida.no* roatos des-
    corados; conservam a saude na edade madura
    e robust crin a velhice.'*
    S 4.
    Dos bonitos russo considerados c:mo miio hygiini-
    ro e therapeutieo.
    K utilidade distes banlios empregadoa como
    nielo bjruienico est reconhecida deade a mais re-
    mol BDtiguidade.
    Plinto dase, que durante multo, aesulos es
    Romanos nao reconheram ou'.ra inedeetna que
    oa banhoa d'estufa, pelaa vaotagens e felizea re-
    sultados que oblinhain com elles.
    Os ludios d'Ainerics e pariicnlarmeotc o
    Mexicano,, Introdusein-aecm estufas a que cba-
    iii un tamascales, logo que ae sentem Inva-
    dido de qualquer doenca; e nao ha dnvlda que
    ainaior parte das veaea conaegiein o eitin-
    gulr o mal.
    Os Huaos llnlandezes e mala povos do norte
    i l.in dellei uso haiiltualinente como meio
    hyglenico poderoso, ao qual sao devedorea da
    lubualez e boa saude que dlsfructam, c bein
    assim do previlegio de verem^se Iseiuptoa das
    cruefs liifcnuidades da gotta e rheuuiatisino.to
    communs no nosso clima por se nao usar da
    quellc recurso.
    As repeutinas e frequentes variares da at-
    mosphera occaalonam-nos deaordens na noisa
    organisacao; nao poucaa reies de multa cn-
    tluade ; desta forma que remos as mudan-
    cjs de ii niji-i uiii.i, especialmente de calor
    para fri, oiiginarein-secatarrbos, inllammacd
    es de garganta, pulmonas e pleuresas a pes-
    soas de (.ello delicado : a gotta e o rlieiunails-
    ino morllcam de novo aos affeelados d'estes
    males: a scialira e mais nevralgias nao tar-
    dam a desenvolver-ae nos de temperamento
    nervoso se resislem s doencas os que sortrem
    eol'ermidadea churnicas >.)'i.- melos couhe-
    cemuspara lvrar-moa dos elTettos d' estas mu-
    I iiiV-is atmusphcricas ? Apenas os banhos
    ruasns. cujas vil ludes e modo d'obrar consialin
    em resubelecer a transpiraco cutnea,augineu-
    lara crculacao geral ecapillar, dar maior ener-
    ga ao aystema locomotor, promover o inovimen-
    lo d'expanso, equilibrando as forjas vltaes do
    centro para a circunferencia, regularisar e dar
    lomas fu needes orgnicas, particularmente s
    da disgesto, para prova disso, pode-se tomar
    o baubo russo ao sabir d'um opparo banquete'
    sem nenhum risco; cales banhos longe de per-
    lurbarein a digesto, como acontece .com. os
    de iminerso, favorecein a ; nalmcnte a exci-
    i"l'ii f maior calor que soltre a pelle Ihe da
    urna energa capaz de resistir a todas a, vari-
    ante, de temperatura auuuspherica.
    (Bolelm de Medicina d.- Madrid)
    HBS9BS=-mSSSSSSB
    oulrai qualldadea nio loffrc-
    ram alteraciot existrm no
    mercado cerca da 10,000 bar-
    ricas.
    Louf a- dem da 2so a 255 por cen-
    to da premio;
    M intriga dem de 480 a 490 ra. por libra
    da Ingina, e de 4S0 a 436 ra.
    da franceza.
    Papel ----- dem de 2/itlO a 3/500 n, a
    reama do de machina.
    Vlnho ----- Fes-ae venda de urna partida
    do de Cele a 6f rs. por pipa,
    taoto branoo, como tinto, e
    obteria mala le o Unto folie
    de melbor qualidade.
    Fretes ----- Nio liveram alteracio.
    Ulicontol Nao obleve mais da 1 par cin-
    to ao inci.
    Ficaram no porto 6(5 embarcaedes: sendo I
    americana, 2auatriacaa, 32 braillelrai, 2 dl-
    nainarquezai, 4 francezai, i hamburguesa,
    3 hollandezaa,9 inglexai, 1 lubequense, 5 por-
    tuguesas, l runulana, 1 tarda t 4 suenas.
    Pauta
    dos precos correntes do assucar, algoiSo, e
    mais gneros do pais, que se dupacham na
    mesa 'do consulado de Pernambuco, na se-
    mana de 23 a 28 de Feverelro de t Sil.
    Assucar em c. branco 1' qual. Arroba 2,100
    2' 1,700
    < mase .... 1,400
    bar. esac branco ... 2,250
    a a mase. 1,500
    refinado....... 3,040
    Algodo om pluma de 1* qual. 5,000
    Dito.......2> 4,600
    Dito........)> 4,200
    Ago'ardenle canea 20 groi Pipa 44,000
    Hila ......... Cariada '250
    Diladeoanna. ..<... 52,000
    Dita. ....... Canad 300
    Dita restilada.......Pipa 48,000
    Dita.........Canad 240
    Genebra.........Canad 360
    Dita ......... Botija 180
    Licor..........Canad 400
    Dito.........Garrafa 1H0
    Arroz pado 2 arrobas om Alqueire 4,200
    . Omi
    . Um
    . Arroba
    <
    a
    Arroba
    i Libra
    . Um
    Libra
    A. V. Lopis
    COMMERCIO.
    dem sem que previamente me foise parti-
    cinailo da sua retirada. Eu, pmen, scien-
    lifiquei a V. S. de que r-l > fro^ueiia la
    se chava em socego, e ae bom que ajsim
    continu at esta data, com ludo cnnga-tnn
    a nuticia de se reuniom grupos n'aquHle
    engonho por seduc^Oes do amotinado Bi-
    taticourl, dando isio lugar aos propieta-
    rios circumvisinhos teme om-sn de assaltos
    rorniente a senhora do preilitu engerido
    i.iirj .ii, e tendo em vistas giranti-los, vis-
    to que os mais lugares il -ti riegueziaj
    ii'Mi iii-m' M'in socegu, o musasporque rS
    tatiilii brefondo destacamanlo i.....prji-
    mo aog lugirea om que se ac'ia orculto o
    l.il llil.iiicuiirt podirsse assim eOoctuar a sua
    captura. Porlantb* jrilgando conveniente
    participar a V. S. desta* occorroncias, o
    fafo mu especialmente. Oidout ordenan-
    gas de que fiz incidi V. S. a bem do
    srrvieo publico desta d-legacis, um seguio
    hontem as 9 horas do da com o otlicio ao
    Exm. Sr. presidente da provincia, mas nao
    voliou, ii i'Mii segu a en tragar o presente
    a V. S.; entretanto, sendo de urgente na-
    cessidade, reclamo a V. S. para no caso de
    sorem disponsndos a essfjgervico, vollarem.
    X|i|inivi-it ind a occssilo, i ou.i- r.i a V. S. a
    mcessidade de alguma inunig.lu para esta
    delegada visto ter falta ab.^oluta, e nrsse
    caso instriiir-me-lia V. S. se a posso man-
    dar conduzir.
    O'os guarde a V. S. Delegacia do segan-
    do districto do termo do Recito, 7 de Janei-
    ro de 1852. Illm. Sr. MesembargaMor Jer-
    nimo Martiniano Figueira do Mello, chero
    de polica desta provincia.O delegado
    siipplente, Francisco Antonio l'ereira da
    Silva.
    (Continuar-se-ha.)
    meio
    d'uina torneira'quc se -bree apena u vomaMc,
    se introdux aquiicuobanlio, faxendo subir atem- casiooando uma maio aclivu.ade naa f,inc9r,
    peratura ao grao de calor que convem a cad. [dos orgioslntrnos d'eiUmovimeutodecon,trac-
    individuo. Oolra cb.ve u tornei a, collocadi cao dejorcas vitaes lesultam congesl^s nosor-
    acarta altura, siaUlniKi em graude ou pequea qu.ntulade, | ins,m-cao Uo ar fnonao lemenos nociva ao
    oo a orina de chuva ,obre todo o cor.o que se apparellio respiiolono _
    zMulia, depoisdeseleriuBeiudoauinaaluteni-1 oaspcndidi a irauapirac.o culauea, a exbala-
    peiai.,ra Urna bacia om anua fria serv para cao pulmonar queasubslitue heinais abundante
    im.lliar um pequeiio paniio que se applica na lace consmue u ll o d enciiacao no lito apparclhoj
    Murante o bauho, o qual deve ser de novo liaras- cuino auccede iinudo, um ar f io .luipende
    l.ido ni agua fria logo que esliver aqucci.io. Um "'> l.ncr.o, lade.envolver com mais ou menos
    moco ou asiuvtnU cuiM. em abrir ru apertar a '"rfa "ia mHa um cao na mucosa bronchlal, e
    orueira do vapor, olis rvarosro de calor qu.s dam provea as pulmoniaa, pkure.iai, anginas
    Unuo h-nho, e por meio de luomomeiro gradft a calarrbos bronchiaes, u.sacs, cer.braes, etc.
    Temperatura que se requer: e,n le.n,.o coii-l.v"' ">"<" "' "">. uto mais se
    petcnie ensalma, fricciona con urna escova lodo ,d"" augmcnlor-se a temperatura do banhol
    o corpo. u ufiulcj, lanca a agua fria e dj os la- porem uonoaao clima basta ato 40 grao, de Be-
    vaioii,seKuu.ioodesejOOUndicac.. que liver au"'ur deve loslillr-se normis lempo as
    recebido de quem se l.anha. Envolvido eiteem f,"cd" e fljgellacaes dimiouindo as ablut0ea
    urnlencol, tias'ada-so a oulro aposento ou quar-,e .*"" fra; depois eslas aerao uuicaiiai.te
    t. noqu.lse.ieape, ese deita n'nin. c.uia para jd u'",s ,r" ">""". conclu dai ai quaei
    u.r, se.st,. do Inca assim o exige. se augmentai outra ve o calrico da estufa,
    Estas estufas a, i.neira dasuossas aperfeiroa- ',r* '{ue "taoso fac a com mais promptl-
    das, depois deas ter examinado com vagarn-, i'. **'
    diderents n .roe. que vnilei, lu^eriram-me o.i-I te""' comparacoc das duas eita(des
    iras reformas muito ioa,s v.nujoa.a e ut is p.,ra de ,."al0'' caljr-e lr0' Jul desnecessarlo fal-
    o bom xito das indicaces medical. Ca.,e-ine a *' ''" V- UIa0 le"'l>cralura inedia, cono
    sati-fac!odelc,ii,ioopr..nelroqueiatrodoiic.-i,aar,r',navera e "">. pois sendo os ba-
    la classe de l.anUos russo- na iloipanh, man- S"08 russoa susceptiveis de modificaces como
    d.udoc nsiruirnm estabelecimeulo ex-professo d<",u ref,!rld'. V^> "" nSgula.-se confor-
    Correspondencia.
    Srs. BoiIactori'S. Honlem cheguei da
    Aldeia da Encada esta cidado o len-
    do o Echo l'eruaaibucano do 6 do cor-
    rete deparei com diversos trechos des-
    se jornal em que sao barateadas calum-
    nias atrozes ao director geral Jos Indios :
    il.-ixo delefutar muitss delias porque estou
    convencido que ninguem podera acre.lits-las
    porem craio que em abono da verdade aou
    obrigalo a declarar que he falso dizer esse
    jornal que que elle nSo vai a Escada porque
    lem niii(i dos Indios ; ora Sr vu- conheceis
    bfm qne o director nao ten medo nem do
    todos os ni is la na ims do Echo couslituinle :
    diz mais ess i jornal que os In Hoi nem qud-
    rem ouvir proferir o nome do Director geral;
    porem eu la o deixei na Escada rodeado de
    todos os indios da aldeia, os quaes dao mos-
    tras de depositar nelle conllancja, e ouvi al-
    guns Indios cunfecarem que s elle poderia
    resgalar as trras da Aldeia que os Eru llics
    tem usurpado ; presenciei elle dizer aos In-
    dios que a sociedade conslituinle instalada
    na Escada caba mu bem o nome de socieda-
    de de Espsrrela em que os prelendiam ap-
    psnbar pira os envolver em revolut;(ies que
    acarretarlo o aniquilamento da Aldeia;
    e os indios respondern! que delestavam
    a tal Esparrella pela qual na revolla pas-
    sado alguns driles loram sacrilicados:
    no segundo dia da chegada do Director
    a povoacao trila de seus,moradoses vieiam
    exponlaneamente encontra-lo parte dos
    quaes voltaram n mesmo dia: eos que fi-
    caram publicamente disseram que nos en-
    genhos delle etistiatn quatro ceios homons
    promptos a desvelar qualquer rovolta que os
    conslltuinles posessem em campo contra o
    sistema jurado; ora na verdade eu oreio que
    e fazendo nelles as reforma, seguintrs, Primo:Dar
    .nuita mais elegancia aoaposeuto, sendo olelo de
    lisura abobadadac collocan.lo ein seu centro urna
    vlvula c.ivhIi i;. ia que se f clia e abre, j para
    dar mus la ao uant.o ; j para renovar o r at-
    muspheiico ao acalwr e ndiniuisirar o bando.
    ^iii^iieiii ignora auiili lade dalla,e mullo mais ein
    um aposento pe.juenoe bermcllci.munte fechado,
    pois ebegaria a loi .i.ar-sc um ar viciado e nocivo
    ,.ela sualalta de oxigeuio. Secundo; quv o tubo
    que sac da caldeira Intruduzo vapordireetanien-a
    tu nobaulio por uni dacliave ern urna pequen
    cilii iiiia.'ic. a siiu mU aum cauto Ma estulaouba-
    ndo, em cuja .oluinna lia um diapliragma pra
    coilocar assiibstancias metlicinaes ue q le seqier
    mpiegnar o vapor c sasfazer com elie Meierml-
    ni.i.s iiidicscues, iito be, consliuil-o cmollieute,
    aiomatico, sedante, etc. Alem duio, a dita co-
    lumna tem urna chava na sua pnrte l..ferior paia
    d.r sabida ao vapor Mcutro do banho, e outra na
    sua par superior e uni.la a tres tubos ra iveis em
    tonas as direcedes, de p queno dimetro, de fi-
    ii.i cnica, lerini. audoa su coiiicida.le no uui.
    uto, oque p.oporciona uma maior Impu sao .a-
    hlda ilo vapor, est a tubas teem porobjeelo diri-
    gir uma parte do sapor local parle do corpoqur
    se queira, querasceudente, deicemlente, outiaus-
    versai : ..p,.n.-... .. jumm......nlt til a proveilosa
    e adn.irave o u aeus lejuttaduse beuelieios; poi
    so experiuieutaiido-os poden apreciar-se, e de
    cujas virtudes fall.re mais adianle. Tertlo; A
    de estarca os quartos de M.scanco co..ti_uos ao
    baulio, para qoe niuguern poaia ver .' ii .i nem
    s.hu na esli.l. o.|uc se i.aiMi., e uas camas a mo-
    ilihca^.o de to.lo. >i suliie o c lena i encerado
    para Impedir que este se mollia cora o suor que
    exhala ca a individuo, licauJo por cons gumie
    com elle sempre limpo e aneado, e sem rUco da
    se coiniiiunlcar neuliuma enler.mdade : aleen dis-
    to a cada individuo se dolencoes eto.ihas llin-
    pas. finalmente a pona envldracada que ha na
    entrada de cada ban-io -ic.ie estabelecimeulo,
    [... i ni i i .i' observar ibr. como se adinluisiraoba
    nho a 8, os serveutes eumpreni cornos leus veres,
    2.
    i:/fritos dos 6an/.oi .urioi na canomii animal
    U banho deve estar pelo menos a uica tempe-
    ratura de2 graos 11. para entrar n'elles, estaudo
    intciramenle nu' o baohilts, pois que toda a
    eta>se de roupa impedira os bous eOeito. do va-
    por em contacto coma pelle. VI alguraas pes-
    soas titsjl.ias.que no primeiro baohoaa queliavam
    de nao podeie n m plrar u'aaja temperatura o qua
    erw ttfeito domado e da si* imaginaco. depois
    fazendo rapatida inspirares em um in-mt grao
    de calor nao expcriraeiitavamneubuma d.mcu*d -
    de, vlam Mesappaii'ccr sua sulfocaco, e conven-
    ciain-sc <>e que era iufundado. seu temor ces-
    saiiiio depois para o futuro. Eoeoitado na cani.
    de m.deira o uauhis'a, lz-se augmentar ocaior
    ate 10 roi de Heaumur; nesta agradavel tem-
    ine ai circumitaucias atinosphcricas e por con-
    seguinte sereui uteii em todas as estaedes do
    anuo e em lodos os climas.
    Temperamentos
    Entende-se por temperamento urna dis-
    poaico particular do hoinem, com o predomi-
    nio d'um maior desenvolriiiientoeenerga rm
    determinados orgos, e ivsteinada economa
    animal, occasionando-lhe dilferentes caracteres
    physicos e moraes, e predisposico a certas
    affcccea rora relacao ao temperamento domi-
    nante; dlstinguindo-sc estes ein sanguneo,
    lymphatico. nervoso e bilioso, que ao os geral-
    ineole admillidos. Ha alguns Individuos que
    silo flotados de temperamentos mixtos, ou de
    um modo particular de er, que denominamos
    Idiosincrasia.
    Em cada uinadestas variedadeide tempera-
    mento! lo utels os banhos rusos, modificndo-
    os na rasdo da constituico de cada Individuo.
    Os de temperamento sanguneo, cuja pre-
    ponderanclaest no systema des le nome, e cuja
    conslilulco 6 athlellca e robusta, esto mala
    expostos s affeccL-s iullammalorias, conge.i-
    ,toes sanguneas e particularmente cerebraes
    Os banhos runos a urna suave temperatura,
    as fomcntaecs frias e contluuassobre acabeca,
    as ablucea da ineama agua em todo o corpo;
    as fricdei elltgellaceicom mata forfa al exire-
    midades Inferiores ; longe de serem nocivos;
    sao ntllissimos e summamente provitosos aos
    que padecem e teem urna predisposico s con-
    gesldei cerebraes, ou apoplexla, como poisu
    assegurar por muillsslmo casos pralicos, que
    Uve no meu cst.beleciincnto.
    As pessoas de temperamento nervoso sao
    extremamente se siveis a toda a impresin mo-
    ral e ph/siea c a sua constiluicao gerdm nle
    debb, e delicada e mu exciiavel. as suas doca-
    cis mais communs sao as nevralg.as,|ou dores
    d; ervos e affeoea es paimoMicas.
    Os baolioi russos obrain sobre o nervosd'um
    modo aeilaiivo ou calmantepeloieucaloricoe como
    promovem huma maioractiridade na systctnasan-
    guneo (quaii lempre parco nos nervoi) e lonici-
    dade nos de mais orgos, resulta hum equilibrio
    de focas vit.es de gr-odepioveito para os indi-
    viduos d.ite temperameu o.
    O banho deve estar ii'urna temperatura media
    ai l'nceoes devem ser mais auaveis; as abluyes
    d'aguatemperada ate que gradualmenle'se voac-
    custumando agua fro, por ler mu proveitoia
    pela tonh.idsde que proporciona.
    Uianameoto a experiencia nos raanifesta a olU-
    c.cia Mus bauhos russos na i udre purameate er-
    vo.as al mais raueldes medecuia depois vemos
    acatm rem-se como por eaoanioem .res ou qua-
    Iro uuuuiosd pois de se estar no lianbo, e muito
    mais se he acco npanhado d'buna jacto de v.por
    local na parle dunda ; varios sao os casos que se
    teem oflerefido no raen Cilabelrcneato que com-
    provam esta asseno.
    ALfA.MlEGA.
    Rendimento do dia 21. 10:175,515
    Descarrega hoie 23 de feverelro.
    Briguo francez Aspirante meresdorias.
    I llipiHlllliU.
    Vapor brasileiro Pernambucano vindo
    dos portos do Sul, consignado a agencia,
    n .mf.'-i im o seguinte '
    I caiiSo ; a Oliveira Psiva & Gompanhia.
    5ditos rap; a JoSo Jos do Carvalho
    Moraes.
    1 pseote charutos; Gustavo Belenot.
    100 caisinhas ditos ; a Domingos Alves
    Mitli -us.
    1 lata encommendas; a Oliveira IrmSos &
    Companhia.
    1 caixota ditas; a Antonio da Silva GusmSo.
    1 dito Mili-; a Francisco Joaquim Gaspar.
    I dito ditas ; a C. J. Astlny ti Companhia.
    O vapor inglez Teviot, nSo trouio carga
    para este p irlo.
    Patache Francez Aspirante, vindo de Cel-
    ta consignado a J. 11. tasserre & Compa-
    iiiii.-i, maniFestou o seguinte :
    193 pipas, 40 meias ditas e 50 bsrris vi-
    n lio ; a ordem.
    CONSULADO GERAL.
    Rendimento do dia 3 a 2o 53787.862
    Hehidodia-.it...... 3:663,603
    57:451,465
    10,000
    3,000
    3,500
    5,000
    4,000
    3,000
    3,200
    2,880
    1,000
    1,600
    700
    3,000
    5,000
    118
    .145
    15,000
    240
    200
    400
    1,000
    Rxportaco.
    Rotterdam, galeota hollandeza Riga, de
    207 toneladas, conduzio o seguinte! I.'itl
    arrobas de cro, 7 saceos ticum, 2260 sac-
    eos com 11300 arrobas de.assucar.
    Trieste, brigue inglez Quenwofth Tym.de
    319 toneladas, conduzio o seguinte : -*000
    saceos com 20000 arrobas de assucar.
    I lem, brigue inglez Lalla Rookli, de 217
    toneladas, conduzio o seguinte: 3000
    saceos cun 15000 arrobas de assucar.
    I lem, brigue inglez Father Matlhevr, de
    367 toneladas, con luzio o seguinte : 3800
    saceos com 19000 arrubas de.assucar, 16
    couros,
    buenos Ayres com escalla por Montevi-
    deo, bergantim sardo Paulisto, de 216 tone-
    ladas, conduzio o seguinte: 1-2 pipss a-
    goardente, 610 barricas e 560 barriquinhss
    com 7115 arrobas n 7 libras de assucar, 10
    han is mel, 1000 cocos com casca, e 100 bar-
    rilinhos doce.
    Canal, brigue inglez Brltannia, de 2i9 to-
    neladas, conduzio o seguinte i 364-0 sac-
    eos com I8J00 arrobas de sssucar.
    UIVEHSAS PROVINCIAS.
    Araras
    Papagaios .
    Bolachas. .
    Biscoitos. .
    Cafo bom .
    Dito restollio.
    Dito com casca......
    Carne secca....... a
    Coucos oom casca.....Cento
    Cluirutos bons ....... n
    Ditos ordinarios......
    Dito regala e primor .
    Cera de Carnauba
    Couros de Boi salgados .
    Dito espixados ....
    Dito de .un/1 ....
    Doces de calda ....
    Dito de goiaba ....
    Dito secco........
    Estopa nacional......Arroba
    Farinba de mandioca. Alqueiro 1,280
    Fcijao......... 4,000
    Fumo bom........Arroba 6,000
    Di lo re-Mol lio....... Gomma.........Alqueiro 2,000
    Gengibre........Ar.oba 2,500
    Lonhadeacbas......Cento 1,600
    Dito de toros....... 9,000
    Prancliasde amar, do 2 cus. L'm 16,000
    Ditas de louro...... 8,500
    Co.tado doamarello de 35 a
    40 p. de c. c 2 i a 3 de I. a
    Dito dito usuaus.....
    Cos'adinhodu dito......i
    Soalbo de dito......
    Forro de dito.......
    Costado de louro.....
    Costadinbo de dito.....<
    Sn.illiiiMe Mito....... (t
    Forro de dito.......
    Ditos de cedro......
    Toros do tatajuba .
    Varas de parreira ....
    Ditas de aguilhadas .
    Ditas dequiril.....
    Hodasdesicupira para carros
    Eivos de dita para ditos .
    Mel em pipas......
    , quartolas.....
    'a'barirs.
    22,000
    12,000
    8,000
    6,000
    3,500
    6,400
    5,200
    3,800
    2,500
    3,200
    Quintal 1,600
    1,280
    1,600
    2,080
    40,000
    18,000
    35,000
    190
    6,800
    . Duzia
    <
    . n
    .Par
    'lima
    Canad
    L ni
    Milho..........Alqueire 1,600
    Podras de amolar..... 1,000
    Ditas de filtrar...... 6,000
    Ponas de boi......Cento 3,200
    Piassaba.........Mlho 200
    Sola........ Meio 1,900
    Sarea par Iba.......Arroba 18,000
    Tapioca....... 2,000
    Unhasdoboi. '......Cento 200
    Couros de cabra.....' 18,000
    Azeilo de cairapato.....Canad 640
    Movimento do porto.
    Rendimento do dia 3 a2o,.
    dem do dia 21......
    3.088,081
    1,43*
    3:109,505
    KEfiEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS CE-
    RAES DE PERNAMBUCO.
    Rendimento do dia 21 314,390
    CONSULADO PROVINCIAL.
    Rendimento d.i dia 21. 1;753,658
    PRACA DO HECIKE, 21 DE EEVEREIRODE
    1852; AS 3 HORAS DA TARDE.
    Revista semanal.
    Cambios- Fixerqin-se transacedes a 17 e
    37 111 d. por 1/ rs., sendo a es-
    te ultimo frouxo, e sobre Pa-
    ria de 350 a 355 ra. por franco,
    Assucar As entradas foram pequeas
    em comparado de outras,
    tendo-se vendido o branco prl-
    melra aorte I/6O0 rs. por ar-
    roba, o de segunda de 2f 400 a
    3/4.i) ra., o de terceira de 2/200
    a 2/300 rs., o de quarta a 2/100
    rs., e o de quinta e sexta de
    1/900 a 2|000 rs. por arroba ;
    o maicavado eacolhido de
    1^800 a l/65o meo regular
    de 1/460 a I (.'mi) rs.
    Algodao- Entraram 69 saccas e vendeu-
    se de 4/900 a !>/ rs. o de pri-
    meira surte bom.
    Bacalho -- Retalhou-se de /a 10/ rs., e
    licaram em ser 3,000 barricas.
    Carne secca O deposito boje he de 12,000
    arrobas, tendo-se vendido de
    2/700 a 3/600 rs. por arroba. I
    Navios sahid'os no dia 21.
    Para__escuna brasileira Emilia, capillo Anto-
    nio Sllvelra Maciel Juoior, carga varios g-
    neros. Pasaageiroa, o Francez J. Loubcl e
    um tille1 menor.
    Canal brigue ingles Rretannla, capito W.
    Kobertson, carga assucar.
    Trieste barca sueca Inuocence, caplto S-
    Petterson, carga assucar.
    dem brigue ingles Quem ollhc lyne, ca-
    puo A. Clark, carga assucar.
    Para e portos Intermedios, vapor brasileiro
    Pernambucana, commandante Oltcn. Passa-_
    geiro, I. Doule.
    Soiithampton e portos Intermedios, vapor In-
    gles l'eviott, commandante Revetl. Pasaaget-
    ros desta provincia, A. 1. de .Siqueira, Olivcr
    G. Adainsoo, a senhora de Palci.eit e I cria-
    da, W. i;. Dn. J L. Vlelra, Pbelllp Feldcl,
    Luix Pinto, Frilb Nedbam.
    Utervacdo,
    Fundeou no Lameiro a barca logleza Cutn-
    berland. para ahi acabar o aeu carregaueuto.
    *
    .UlTAtt.
    O i ll ni. Sr. inspector da theaouraria da
    Fazenda provincial; em cumprimento da
    ordem do Exm. Sr. presidente na provin-
    cia, manda fazer publico, que nos das 2, 3
    e 4 de inare.. prximo vin.Inuro ira prar-a
    para ser arrematado, perante o tribunal ad-
    ministrativo da mesina theaouraria, a quem
    por menos lizer a obra dos coicertos da
    ponte dos Carvalhos, avallada em 954,500
    rs., e sob as clausulas especiaos abaiso co-
    piadas.
    A sn-eniatacfio ser feiti na forma doa sr-
    ligos 24 e 27 da le provincial o, 286 de 17
    de malo de 1851.
    As pessoas que se propozerem a estt ar-
    rematsr^So comparerjam na aala das sessOcs
    do mesmo tribunal, nos dias cima mencio-
    nados pelo meio-dia, copipelentemente ha-
    bilitadas.
    E para constar se maodou aluzar o presea-
    te e publicar pelo Diario.
    Secretana da theaouraria da fazenda pro-
    vincial de Pernambueo, 21 de feverelro
    de 1852.
    0( secretario,
    Antonio Kerreira d'AnnunciacSo.
    Clausulas especiaos 'arrematando.
    *:
    1.a Os reparos da ponte dos Carvalhos te-
    jar de trigo- ?enaeram-"se '".200'barricas ro feltos pela forma, sob as CondicOes do
    deT/iestea 16/200 rs., e as! modo indicado no orament approvado pe-
    '*
    J





    Y
    la directora em oomelho, e apresentado o
    Eira. Sr. presienta di provinci di impor-
    tancia de 954,500 rs.
    2.' As obns principlarSo no prazo de utn
    met eSarlo icabadaa no de quatro mozas
    a mbos contados di entrega do termo d'arro-
    matagflo.
    S o pagamento sera fallo em dtias pres-
    tado Iguae, sendo a primelra quando li-
    vor eito a metade da obra, e a aegunda
    quando eativer concluida a obra.
    4.' Duranta a execugdo das obras sera o
    arrematante obrigado a dar fcil e commo-
    do transito o publico.
    5." Tara ludo mais que nao est determi-
    nado n O quedispoo a lei provincial n. 286 de 17
    de malo de 1851.--Conforme.
    O secetaro,
    A. F. d'Annunciaglo.
    O lllm. Sr. inapeclor da thesourana da
    Nienda provincial; em cumprlment da
    ordem do Exm. Sr. presidente da provin-
    cia, man la fazer publico, que nos diss 2, 3
    e de marco prximo vlndouro ira a praca
    para ser arrematado, parante o tribunal ad-
    ministrativo da meamathaaourari, quem
    por menos fizer a obra dos concertos da
    ponto de Motoeolomb, avaliada em res
    1:576,05O, e aub as clausulas especiaos sbai-
    lo copiadas.
    A arremalacSoser feita na forma dos ar-
    ligos94e27 da lei provincialjn. 286 de 17 de
    miio de 1851.
    As pessoas que se propozerem a esta sr-
    ramalacflo comparecen) na sala das sessOes
    do mesmo tribunal, nos dias cim men-
    oionados pelo meio-dia, competentemente
    habilitadas.
    E para constar se mandou aluxar o pre-
    sente e publicar pelo Diario.
    Secretaria da thisouraiia da fuzenda pro
    a obra inteira l 1,000 rs., no consultorio
    bomceopathico da ra das Cruzas n. 28. De-
    pois da publicicflo da tarceira parte, o pre-
    (o ser elevado a 8,000 rs. para aquellos
    que ndo tiverem sstignado. No mesmo con-
    sultorio, acha-so a venda ludo quanto he
    necesaario para o estuloes pratica da ho-
    moeopathia, como seja : livroa Impressos
    para nistoriaa de doentes, regimena apro-
    priadus para a provincia de Pernambuco.e
    encarrega-s o de mandar fornecef qualquer
    oncommenda de medicamentos homceopi-
    thicos, tanto avulaos como em caixas, em
    glbulos como ora tinturas.
    No prelo : l'alhogsneiia dos medicamen-
    tos braaileiros.
    EUmtnlosdeanatomiac fhleiologia com es-
    tampas, para os curiosos em bomcoopathia.
    Roga-se aoa senhores assiunanles o ob-
    sequio de mandar recebar seus exempla-
    res no consultorio homoaopathlco da ra
    das Cruzas n, 98.
    0 bacharel Abrou e Lina, embarra
    para o Ilio Grande do Sul, o muiaiiiiiio Ho-
    norio, fllho de sos eacrava Anglica.
    Manoel Jos Soarea de Avelar, mora na
    ra da Roda n. 9, onde pode ser procurado
    pela pessoa que I lio deleja fallar, na ra de
    S. Danto em linda,
    Precisa-se de ama ama da lelte, forra,
    ou oaptiva, para criar urna rrianca em 8.
    Amaro, na taberna ao p do Cardozo.
    Simio Jos d- Azevedo Santos, embar-
    ca para o ilio do Janeiro, o leu escravu Ma-
    noel, creoulo.
    Antonio Ricardo do Reg embarca
    par o Rio de Janoiro, os seus eacravoa: An-
    tonio, creoulo; Tnomaz, de Angola ; Jos-
    pha, parda; Benedicto e Daniel, ceoulos.
    3
    O Sr. Bernardo de Albuquer-
    qoe FernandesGama, queira man-
    dar pagar a subscrkio deste Diario
    O abaiio assignado fazscieots ao res-
    poitavel publico e muito principalmente a
    lodos os credores, perteiironlos a venda, ti-
    ta ha ra Direito desta paga n. 27, que elle
    onunciante oontratou sociedade com Al-
    berto Jacintho de Souza, dono da meama,
    eatrando oomaquantia de 700.00o ra. em
    moni. oorrente leail, nSo ficando seu ca-
    pital sugeito a divida alguma, que o dito Al-
    berto esteja devendu at a data do presente
    annuncio, e sim 19o smenla se risponsabi-
    lisa o annunciante por todas as t-ans acortes
    queso fuerem tundentes a mesma socieda-
    vincial de Pernambuco, 21 de fevereiro
    de 1852.
    O secretario,
    Antonio Ferreira d'AnnunciagSo.
    Clau/ulas e I.' Os concertos da ponte de Motocolom-
    TRATAMENTO HOMEO-
    PATHIGO.
    DAS MOLESTIAS VEIfEallS,
    e consellios aos doentes para se curaren) a
    si mesmo, aem preciaarem de medico,
    pelo professor liomoeopatha
    Goliet-BImont.
    Sahio i. la e aclia-so a venda no consul-
    torio homcoopathico da ra das Cruzes n.
    28. pelo prego de 1,000 rs.
    Avisos martimos.
    Para o Porto
    Sabe do dia do mez do Marco para a
    ciilade do porto, a bem cooheci la barca por-
    tugunza N. S. da Uoa-Viagem, capitSo Anto-
    nio Ferreira Leita Jnior tom excellenles
    commodos para passigoiros. Ainda receba
    alguma carga : os pretndanles queirlo di-
    rigir-aea ra do Vigario escriptono n. 11,1.*
    andar.
    O hiato Novo Olirnla, segu para Dahia
    no dia 23, ainda recabo at o dia 22 alguma
    bo serilo feitos pela forma, sobas condi-- a miula, e tem b.ms commodos para
    coese do modo indicado no orcamento ap-| a cjr(jg. t lralar com 0 capHSo Custo-
    provado pela directora em conselho e apre- djo 0ii y|iiB, ou co n Manoel Das.
    s.-otado ao Exm. Sr. presdanla da provm- p rrani' p Crat .ilie
    ra na ia.porl.ocia de 1:576.650 rs. Faid o A carac e t-eara sane
    2.a as obras principiaran no prazo de um em poucos das o patacho Luterpe,.
    mez e serijo MbadlIBO do quatro mojes' b os d p ,
    a mbos contados da entrega do anno d rro- o I
    matago. fretes commodos : trata-se na ra
    3-Opagamontoserfoiloomduaspres- do A ,|0 armasem n ,4, ou na
    ticoes iguaes, sendo a prinieira quando ti-, l '.
    ver feilo metade da obra o a segunda quan- ra da Lrnz,n. CO.m laUll Jos
    doestiver concluida a obra. ?. Durante a execugSo das obras ser o D _m
    arrematante obrigado a dar fcil o commo- Para a Baha, salte etn pon-
    do transito ao publi
    5.' Para ludo mai
    nido as presentas ..
    o que dispoe a lei provincial n. 286 de 17 de sageiros, trata-se cum o capito 1 moir0o do porto da ra da Roda urna oaooa
    na praca do Gommercio, OU com da ramilla meia aborta, com um banco do
    ru o i i_- J Ivela, duus pueiros um maior o outro mais
    Novaes &Lompanhia, na ra do pequeno.jafllo dapraetem um forro nesta
    Trapiche n. 3i> lco"' um*l>o1" na P0"'*: esl* c"a he um
    . i ? i _i-__v..... I potreo curta, tem crranle na poupa o he
    O patacho Valente, sahe pa- ^uarnecja 'do um Alcairate por den-
    rao Hio de Janeiro, no dia n do '
    quem tiwr a embarcar
    Albuquerque, do engenho S. Vicente, de-
    clare por esta folha, onde est de presente
    assistindo oesta prafa, ou dirija-se as Cin-
    co Ponas n. 62, que sa Iha dea-ja fallar.
    A. Muniz Machado, embarc para o Ilio
    de Janeiro, o seu escravo creoulo, donme
    Luiz.
    - Domingos Jos da Costa GuimarSes,
    embarca paia o Rio do Janeiro, o seu escra-
    vo Ilion), pardo.
    -- Kazem-se vestidos, manteletes, vizitas,
    romeiras, onf-iles para a cabeca,chapi-os pa-
    ra Sr". ludo do milhorgosto pelosligurinos
    chogados ltimamente de Pariz: na ra No-
    va esquina que volta o porto,n. 71, prlmeiro
    andar.
    Na Boa Vista, oa ra da caixa d Agos
    n. 61, precisarse de urna mullier pan o sor-
    vico interno de urna casa.
    Precisa se de una ama, que lenha bom
    loile, para orlar um menino de 8 diaa de
    nasci lo, forra, ou captiva : do aterro da
    boa Vista, loja do calcado d. 58.^
    Theatro de o. Francisco.
    MU. ROBERT.
    Chegado ultimamenle dos portos do nor-
    te, e achaodo-sede passagem nesta capital,
    pensaria, faltar ao mais alto deverde reco-
    nheciinento.se nSo so domorasso, poralgum
    lempo, nesle tSo hospitalelru paiz, para
    presentar os seus divertidos o elegantes
    traballina; tinto dalle como os dos seus 4
    discpulos braslleiros, que formam boje a
    sua companhia; os quaes sfio-I." o joven
    pernambucano, 2o a joven Jozophina Du-
    minansa, 3.* o Sr. Alexandre, AlciJes mi-
    ranheuse, e a jovensinha Cantia da*annos,
    os quaes abrilliaularao desne modo, o mais
    possivel, os espectculos da dita companhia
    que principiaroquando se annunciar. Dns-
    nocossno julga Mr. Ilobert, ernitlir mais
    cousa alguma nesle annuncio, visto nao s-r
    a prlmcira vez que tem a honra de indares
    sar-ue ao illustro publico pernambucano,
    que tantos applausos Ilio conceden a 12an-
    Caligrafa
    Na Ra do AragSo, n. i2, se-
    gundo andar, copii-si; com perfei-
    co qualquer papel em muito boa
    eltra e por prego commodo.
    "Alugam-se por todo o qualquer preco.os
    armasensque servirlo, para atena do ca-
    p m em frente da praQs, nBo se olha a pre;o,
    dando o alugador seguran?, aos alugueis,
    trata-ae com o Sr. Pimeutel em um dos
    mesmos ar" azens.
    nrreoda-se um enganho distante desta
    prafa 0 legoas, corl) multas l.o.is terraa de-
    plantafOi-a, e coreados, muente e co'rentn,
    vendo-se na mea.na oocasio em que sa II-
    zer o srrondamanto, alguna escraviis, safra
    criada, boiada muito lio-, carros etc. e to-
    dos os maisutencilios inherentes, e nacessa-
    nos para acontinuaco do mesmo estabo-
    illeiro.'liiho defra "e"de"b"o""squaidades,!lecin,onlo: a tratar no primoiro andar do
    de20a9l annosdeidade, para caixeiro de,llerru d Boa-Vista n. 3.
    ra, ou armazem di assucar, ou mesmo pa- Na ra Nova, loja n. 60 precisa -se de
    ra administrar algum engenho, do que j ofllciaes de alfaiata, para obraa miudas.
    tem bastante pratica, o qual d fiador a Sua! n Sr- 1"0 pasauu um valle ha oito
    conducta : quam o pretender, dirija-ae !di,. vencido em 3 de setombro do anuo
    ra de S. Thereza n. 31. I1- P- ll1i de o vlr pagar : na ma larga du
    -- Ua-se diDheiro a juros, Da ra do Ran- zario n. U.
    gol n 36, prim.-iro andar, tanto com letra*. Tinturara iranceza, no aterro da
    como hypolecas e peuhores. yoa Vistan
    O Sr. Antonio Pelingrino Cavalcanto de U*, p,, a dila veildl da dala d0 pregento
    annuncio em dianta, e para quo chaguo a
    noticia de lodos, e muito principalmente a
    quem convier para nSo alegarem ignoran-
    cia, faz o prsenle annuncio. Hecife de Per-
    oaoibuco. 21 de fevereiro de 1852.
    Patricio Maitins Ferreira dos Santos.
    -- A pessoa que urecisarde um mo^o'bra-
    --Precisa-se fallar aoSr. Manool Jos tliu-
    >7-
    rielo de Sona, acorn ae ignore auamora-' Tmgo-so oda e q-ialquer fazeDda de 13a,
    ir. roga-se-lho queira aonunciar, ou diri- IgodSo, seda e linho. tanto em obras como
    gir-se a livrarii n. 6 es di orai da Inda. em pp"s e C>m m,"t0 "sse' > "ss,m co.mo
    peodencil alimpam casacas e nutra qualquer ropa
    -- Precisa-se arroDdar um sitio na Solo- dfl Pn'>.q"0 livor oodoas, poodo-se como
    <#, ou principios da estrada de Julio da novas o por pracos commodos.
    a.ios, Trempe, Mondego al o Manguinho, A"l,,,"', F,,r,reir,a ? c',8t8 Bngs.tenJo
    ou urna casa nos mesmos lugaies, Trasca e con1t"8/ e lsl"s Jo a,8u"8 f'rs- I"8 l8m de'-
    queofferoca cummodos para urna familia X"'o de pagar, uns por amisalo, e "Outros con. habilidales, ou sem alias
    nao r.f quena: a lralar com a viuva do ma- Pif relaxacOes, tanto pela parle dos sausj Cadea no Recife, casa n. 8.
    Manejos independentes para cavados.
    Rodas dentada*.
    AgullhOea, bronzea e ebumaceirag.
    CavilhOes eparafusos de todoa os tima-
    nhos.
    Taix,pirea,crivoseboccaadefornalbi.
    Monillos de mandioca, movidos a mSo oa
    por animaes, o prensas para a dita.
    Chapas de fogAo e fornos de farinha.
    Canos- de ferro, torneins do ferro e de
    bronze.
    Bombas para cacimba ede'repucho, mo-
    vidasa mflo, por animaes ou vento.
    Guindastes,guinchse macaco.
    Preosaa hydraulicaa o do parafuso.
    Ferragens para navios, carros o obrs pu-
    blicas.
    Columnas, va randas, grdese porteles.
    Prensas de copiar carias e sellar.
    Camas, carros do mo o arados de ferroi.
    ote, etc.
    Alm da superioridade das suas obras, j
    oralmente reconhecida, Bowman & Me.
    Callum garanten, a mais exacta conformi-
    dade com os moldes e delenhos remettidos
    poloa senhores que se digoarem de fazero
    Ihes enconimendas, aproveitandoa occasie
    para agradecerem aos seus numerosos ami-
    gos e 11 cgin-z.es a preferencia com que leeni
    sido por elles honrados, e asseguram-lhes
    que nao pouparSo estorbos e diligencia
    para continuaren) a merecer sua conlianc
    Compras.
    Comprim-se para urna oncommenda
    do Rio de Janeiro, 2 espravas creoulas, ou
    pardas, que tnuliam de 12 a 20 annns, el
    inolequa que seja bonito: ni ra Nova n. 16,
    se dir quem compra.
    Compram-se eseravos rcooulos, ma-
    chse famiis, de I2a20annosde idade,
    na ra da
    jorSa:mago Lessa, na ra Formn, casa cobradores, como dos devedores, roga peo -- Compr
    terrea do tercoiro lampean, passaudo a igre- C'8"t'',.>* m-amos Sr. de virern quanto boas cama,
    jadosinglezos.ouanuunce. antes pagarcm seus dbitos, na ra Nov.. n, gum.mar
    -D aoa premio a uuantia de 600,000 rs., ?8- S8fU"n lo '"l1" eintamplacflo no -
    no todo, ouem pa.tes. sobre penliuras de juros; ese assim o nSo fizaren passarJo.a se-
    uuro.ouprata, ou hypolac.-se em l.em de rom dom-ndados, o que sera urna vergouha
    r.iz : a tratar na ru das Larangeiras n. 2J, P"r 0Mnhor devedores, aleen dos abu-
    segunda porta a d.reita, das 6 as 2 horas da sos cometidos alguqji ale 15 anuos
    Sr. Hr.
    ico. eos das, a veleira escuna lenta- nos quindo aqu trabalhou oeste mesmo
    ls aue d3o esla determ-1 _______ __ 11 huan
    s clausulas seguir-se-ha(dora para o resto di carga e Mf-IUMM. |(do corfento jes,ppareceu do
    maio do 1851.--Conforme.
    O secietario,
    Antonio Ferreira d'Aniiunciac,3o
    Declara;6es.
    -- Tendo o Arsenal de Marinha de contra-
    tar, cm virlude de ordem do Exm 8 Presi-
    dente da provincia a remesaa ile diveraos
    objectus para as provincias do Maranhflo,
    Para, Caar, Parahiba e Alago -s, lllm. Sr.
    inspector convida aos caplSes ou meslres
    das embarcifdes mercantes mconacs ou
    estrangeiras, que se destinarem aos portos
    daquellaa provincias e queiram fazer seme-
    Ihante transporte, a comparecerom com bre-
    vidade na inspegan do masmo arsenal afim
    do cont>atarem o reapectivo frele. inape-
    C'O do Araenal de Marinha dn Pernamliuco
    20 do fevereiro de 1852. No impedimento
    do aecretario, Maooel Ambrozio da Concei-
    c'io padilha.
    O nono balalhSo de infantina tem de
    fazer o fardamento grande, verde, o por isso
    couvida-ae aos soniior s negociantes, que le-
    nham bons pannos dessa cor, virem ao
    quartel do Hospicio no dia 26 do corrente ,
    onde as 10 horas d manhSa estar reunido
    o conselho da admlnisir icio, pura em face
    das amostras, escolher-so o panno ; pode-
    ram taiiilicni comparecar os senhores mes-
    tras alfaiates e sirguairos, que quizercm
    encarregar-se do referido fardamento, bar-
    retinas c dragonas.
    Aclia-su preso a ordem do subdelegado
    da freguezia de S. Fr. Pedro (.oocalves, por
    andar fgido, o peto Luiz creoulo, que diz
    ser escravo de Manuel Francisco de Paula
    Negfomunle, lavradur do enganho Camello,
    e foi pegado pelo rnestre de campo Jos Pa-
    tricio de Carvalbo.
    TJIATR0DBSIZ4BKL.
    ULTIMO BAILE MASCARADO.
    Terfa-feira, 2t de fevereiro de 1852.
    As 8 horas precisas a orenestra execotar
    urna l.riili.iuic ouverlura, soguindu-se a
    repreaeulatao do engranado enlremez inti-
    tulado
    OS DOUDOS
    com o sen competente terceto e coro final.
    A meia nuite em ponto extrahir-ae-hi
    urna lotera, cujo plano he o aeguinte :
    Pora o maior premio, 20,000 em* ouro
    , Immedialo, cinco patacOes.
    Outro, tres dilos.
    HaverSo mais doze diffarenles premios,
    entre os quaes, um que muito agradar a
    paladar do feliz que o chuchar. Todos leem | tratar,
    direito lotera por isso que o cartao da en-
    trada ser arompanhado de outro com o
    competente Dumero, e isto sem que hjam
    de despender mais do que o prego estipu-
    lado.
    ' Novas quadrilhas serflo execuladas pela
    orcheslra. O iheatro achar-se-ha decente-
    mente di corado o illuminido.
    As seuhoras^'mascaradas lerao entrada
    gratis.
    I'n gos dos camarotes.
    t.' ordem 8,000com" quatro entradas
    2*. dita 10,000 com dita dita
    3 dita 8.0U0 com dila dita
    4 dita 4,ooo com duas ditas.
    Entrada geni
    corrente
    eseravos pode drigir-se a Novaes
    & Companhia na ra do Trapi-
    che n. 34.
    - Pan o Rio de Janeiro, obrigue naci
    nal Le .lo, receba carga a frele e eseravos, 1
    pretenda sabir at 26 do corrente.
    Est a chouar do Rio do Janeiro, a bar-
    ca porlugueza Mara Jos, de que he c.-i ii.'o
    Jos Ferreira Lassa, he navio novo do pri-
    ineira viagom, e seguir logo para Lisboa,
    ten loja parlo da carg* pro.upta: quam nal-
    la quizer carregar, ou l{dn pssag-m, diri-
    ja-se aos seus consignatarios Francisco
    Severiano Rabello & l-'ilho.
    -- estas 8 dias aspea-s do Sul, urna
    barcada, de loto de 45 caixas, nova c bem
    construida, a qual sa frata para oa porlos do
    Sul, at Macelo, e tamliem se vende : trata-
    se na ra da Praia, serrara do Car liaI.
    ____1 L ."""
    Avisos diversos.
    D. Isabel Maria de Mello, vinva do te-
    nenle-coroncl Jo3o Filippe de Souza L"flo,
    avisa aos credores do seu casal que justifi-
    quen) as suas dinidas no prazo de oilo dias,
    contados desta dala, visto que vSo-so no
    ceder as parlilhas dos bens do dito casal
    pelo juiz de orph3os da comarca da Victo-
    ria. 1 ii I n.'io, 23 de faveroiro de 1852.
    Oliver C. Adamson n3o podando des-
    pedir-se possoalmeuto de seus numerosos
    amigos desla praga tanto Inglezes como bra-
    ziloiros, o mais ostraDgeiros, pela rapidez de
    son regrasso para ioglaterra pelo vapor To-
    viot; espera que esta falU Iheseja benvola-
    mente relevada, e que se dignein accailar
    por meio da imprensa suas saudozas despe-
    didas, assaverando ainda o quanto vi pe-
    Dhorado do bom tralamento que recebera
    nesta bella cidade, du qual conservara inde-
    lvel.....'no 1 ia.
    O Sr. Feliciano Raroardino da Silva ,
    tem urna cari om casa do Novaos & Com-
    panhia, na ra do Trapiche D, 31.
    Precisa se alug'r uin prelo canoeirn ,
    para irabalbar em urna emoa de areia e ti-
    julo: quem o tiver, dirija-so a ra de S
    Francisco n. 63 que achara com quem
    2,000
    THE Mili HE APOLLO.
    RECITA EXTRAORDIOI ARIA.
    Quarla eir, 26 de fevereiro di 1852.
    Magnifico festejo feliz Vitoria do Brasil
    sobre o governo de Buenos-A yres.
    Depuia de um escoihida ouvertura can-
    Ur-e-haotea Efugio deS. M. o Imperador
    o llymno Nacional.
    Em seguida surtir de novo a iceni o bel-
    lsimo e muilo spilaudidodrama.
    IDIOTA.
    00
    O Subterrneo de Heilberg.
    O 11IB0 do theatro achar-se ha preparado
    com lodo o luxo de ornato e de illumi-
    ntefio.
    Uespeladulo comessar com 1 chegada do
    Exm. presidente da provincia.
    I'iiblicaces litterarias.
    ELEMENTOS
    oa
    liowiaopnthia.
    Sahio a luz 1 segunda parte dests obra
    compoeta pelo profenor honoeopalha C01-
    set Bisaont. Recsbem-e assignalaras para
    1 :< 11111 n 11,1 auseote desde o da 9 do fe
    verei 1 o corrente, a preta Luiza, nagSo Re-
    bollo, baixinlia magra, moga e eaperta ,
    lovou vestido de urna fazenda ja deslila.la,
    panno de lisias, com matamos e franja ;
    tal vi / diga que and procurando sonlior ,
    por lar pedido para sor vendida; desconfia-
    se que fosse seduzid', ou furlada por nSo
    lero vicio de fugir, e le procedan contra
    quem a tenha seduzido, ou oceultado: quem
    * conduzr a ra da Senzalla Nova n. 4, ser
    com generosjJade recompensado.
    No holel em linda, preci-
    sa-se de um ou dous cozinheiros
    peritos.
    No dia ao do corrente, des-
    embarcando a noite o abaixo as-
    signado, de bordo do vapor inglez,
    no caes do arsenal deroaiinha ,
    trazia comsigo no bolso da sobre-
    casaca, urna clixinlia verde escu-
    ro, conlendo um annel esmaltado
    de preto, com um brilhante de
    dous quilates, e quer no acto de
    saltar da ca'raia quer entrando
    para um carro, perdeu o dito an-
    nel : a quem pois or olTerecido,
    ou delle jiossa dar noticia parti-
    cipe em casa do lllm. Sr. Arcenio,
    a-.- Hospicio, que ser generosa-
    mente recompensado. Garlos
    l'rede-rico Marques l'erdigo.
    -- Manoel Alves Guerra Jnior, remelle
    para o Rio de Janeiro, um moleque creoulo,
    o nomi Eliaa, a entregar a seu senhor Bea-
    to Jos Fernando.
    Precsese alugar dous moleque ; na
    ra da Cideii n. 13.
    tro da borda, sendo piulido por denlro de
    cinzento, e um 1 ouco antigo, e por fon toda
    prcta: quem dola souber o quizer denunciar
    a seu dono pode ir oa ra dos Quarteis de
    polica n. 18, onde se dir urna geuerosa
    graliflcagSo a quem denunciar oa 1 intregar
    s seu dono.
    -- O abaixo assignado tendo ceilado
    assignatura do Diario Novo a pedido de u m
    seu amigo e pago um quartel, e o3o ihe
    agradDdo tal molo do escraver por ser
    ella .T"cauli. do possois quo doviam ser
    tratadas com todo o reapeito como o Exm.
    presidente, s por sor nomeado pelo gover-
    no actual; o quo enlSo e approvaro que
    fizeram ao Exm. Sr. Antonio Pinto Cni-
    ODorro, e 1180 so dando isto com o meu
    modo de pensar -e atacar a pessoa, etnbor
    justiceios o tulloslos, s por serem deste
    uu daquelle lado pelo presente dispenso
    de se mo mandar entregar semelhaote
    l'olha. Jos Anastacio d'Albuquerque.
    Manoel Frailesco da Silv, embarca pa-
    ra o Rio <>e Janeiro, levando em su compa-
    nhia as suas escravas Luiza, Mara, Thereza,
    Zulmira, s o* menor Diunzio, lodos pardos
    Engomma-se toda qualidade de roup
    com perfeig3o, por commodo prefo: na ru
    das Flores n. 21.
    Precisa-se do urna ama pirda e livre,
    que lenha bom leito para criar um menino
    de 3 mozes do nascido: na ra larga do Ro-
    zarlo, padaria n. 18.
    yuem annunciou preciiar do 300,000
    rs. a juros, hypolecando-so um escrivo: di-
    11j.1-.s- 1 ra do AngSo o. 32.
    J ilii Pinto Ragis de Souza, exporta
    para o Rio da Janeiro, por ordem do Sr. An-
    tonio de Siqueira Cavalcanto, o seu escravo
    pardo, do nome Joaquim.
    Acha-se farinha nova de SSSF, (de ra-
    mniiia 1 para vender, nos armazens de Dea-
    ne lole 1 Companhia, no becco deGon-
    galves.
    No paleo da ribeira de S. Jos n. 15,
    lava-se o engomma-se com perfoigSo o ac-
    oaio.
    -Ilesapareceu do poder do abaixo assigna-
    do,urna escrava creoula, por nome Anglica,
    que temos seguintessignaes: alta, secca,
    lula, denles alvos, costuma andar calcada o
    com panno fino as costas. Est escrava es-
    teve ltimamente alugada ao senhor padre
    inglez, e suppOe-se andar mesmo pelo bair-
    ro da Rpa Vista: quem pega-I lecebert boa
    gralificagfto, levando-a ao seu senhor, DO
    paleo do Collegio. -
    O bacharel Abriu Limi.
    Al I o 111; fui,
    Niva fabrica de chapeus de Sol no atierro
    da Boa-Vista n. 22, acha-se um grande
    sortimento de chapeus de Sol muita
    em couta, tanto para homem.como para se-
    nhora, como seja de seda ou de panninho, e
    grande sortimento de pegas do sed a ede pa-
    panninho para cubrir os chapeos de Sol ja
    usado,tambam concerta os dittos peol prego
    mas commo lo do que em oulra qualquer
    o parle com toda 1 romptidSo,
    O cirurgido Bernardo Peroira do Carmo
    faz scieiite as pessoas que s lempos Ihe fa-
    laram e mesmo quem convier e quizer,pa-
    ra por meio de um ajuste razoavol, os tratar
    annualmente da molealias que possam ap
    parecer, que tenham a bondadede vi rom a
    cas de sut residencia na ra do Rozario
    larga n.jo.para os poderUngaremn.de seus
    clientes.
    tiritaiittait
    y Pnulo UalKnoux, dentista m
    *> fraiu 9 mo ao publico para todos os 9
    uil8teres ''' sua pronssao : 9
    ? pode ser procurado a quaU %
    % quer hoi-a e m sua casa, na 9
    # ra largadoRozario, n. 30, S
    0 segundo andar. m
    *** 4 <*< *# a
    Os ibaixo assignadus Ionio contis e
    letrss de alguns senhores tamo da praga
    como do rnSito, estas vencidas; por isso
    esperam quo as venham pagar: na ra du
    Rosario loja n. 44, e seassim o nflo fize-
    rem passarSo a ser demandados.
    Monea & Soares.
    Por ser feriado para os negocios foren-
    ses o da 23 do current-, (lea transferido pa-
    ra 26, as 4 horas da tarde, porta da residen
    ca do Sr. I)r. juiz de orphSus, a ultima pra-
    ca da casa da rui Nuva n. 46, por vezos an-
    nunciido neslo Diario.
    acli.r, leve-oa rinTll>|.7l! qe'ro- *eda ~de >"?"' ">" 3 <"**. 'J'"^l
    cebera o ichidu. ,q grandes, senjall para prelo, 1 moer, la, 4
    Ama de leile tachas e um parul do caldos, ludo da ierro,
    Precisi-se Mugir um. ama deleite, for- o outros objectos.vallados em38:000,00rs.
    ,i .... .L o da mesma forma v3o a praga os bins an-
    ra, ou captiva, para dar do mimar a um
    menino, paga-so bom: na ra de S. Conga-
    lo, sobrado de um andar n. 27.
    praga >
    nuDciados em o Diario de Pernambuco do 26,
    27 e 28, de novembro do anno p. passado.
    '-- Desappareceu no dia'l9 'do correlo ""P30 U8 '8U9 1uea (aT,m "ema-
    d caxorrioho bem rjalo, com s orelhas l,os- inci,rvTP
    AOS DENTF.S.
    J. A. S.Jane dentista, tem a honra
    do
    cortadas da fresco e ponludas : quem o a-
    char, leve-o ao sobrado do correJor do Bis-
    po, do sanador Manoel do Carvalho, que se- avisar ao respeit.val publico, que se acha
    r gratificado rozidindojna rus Nova n. 19 primoiro in-
    quina dos Santos; por quinto as p-elas nSo incorrutiveis e de po-colana.mui de-
    ati.Viani.i. ^-..i m.i* m .1. .. lirados o do ultimo gosto ; e todos os mais
    Compra-so um quarto que eslej ain
    s sem achaques, e que tonha al-
    - para sa fazr urna viagom : na
    ra Formnsa casi terraa do 3. lampiSo de-
    pois da igreja dos 1 n. I /-.
    -- Compra-an um luco largo de 6 a 7 va-
    ras, que seja fino, que ha par toalha de
    lo-ci m'i.i fina: na ruado Ringol n. 36,pri-
    moiro andar,
    Compra-so um prelo do 18 a 25 annos
    de i lado, que seu senhor alianso no 1 ser be-
    bado, iiuin foja ni, equo seja do boa conduc-
    a, paga-se bem : na ra do Itangol n. 36 ,
    primoiro andar.
    Compram-se eseravos de
    ambos os sexos e pagam-se vis-
    ta : a tratar com Correia Leite,
    na ra da Cruz n. 4o prlmeiro
    andar.
    S^ Compram-se eseravos de ambos os
    sexus, cum habilidades, ou sem ollas, para
    lora e dentro da provincia, paga-se muito
    bem, ten lo bonitas figuras: na ra dasi.a-
    rangeiraa n. 14, seguudu andar.
    Vendas.
    FOLHIM1AS PARA i85a.
    Vendem-se folhinhas de porta ,
    s3o do dominio do casal, mais sim de um ""5 u "u ""''""" o .-. ....,,____ ,_,"..-/
    ccossonos tendentes a sua profigflo, sso-lde padre, e de algibeira de tres du-
    do v, n lo.
    thecan lo-se um escravo : quem asle nen,
    ci quizar farer, annuncio por esla folna.
    Precisa-sa de um menino de 12 a 16
    annos de i lado : na ru do Hospicio, junio
    do quartel, venda do leSo de uuro.
    Pergunta se ao senhor escnvSo d sub-
    delegada do l-og.i da Panella, qual o motivo
    porque nSo enlregou ao escrivSo do jury, o
    dus da caria com ouro, prala e metal loan- : no largo do S. Pedro na loja de marcineiro.
    -'-Precisa-so da 300,000 rs. a juros, hy no- cp, pravenin lo ssim a conlinuagl da ca- AloinllOS de vento
    : quem asle neKu- SVd^rTo.",?.^ ^^^
    -taml,em.irapo,.r,__o,rc_.^cb^
    os outros -nis
    ras dus deutas em geral, que tanto os dam-
    iii-lit-a o cooo ti para O mo aillo da bocea, 1 '._,.
    nlo sendo tirado : o annunciante a 10 an-! Vande sfl n" llvr"ia dl rua do Crespo
    nos queexerco a sua profisgSo nesta'cida-
    de. o os uiuitus exeuiplos que tem dado
    uiujdiiuu ciiiio.vu aupibumg ng u y, V .
    .rocesso instaurado, contra o soldado do nesso longo lampo, sera quanto basta para
    corpo de polica Pedro AntonioSibaldo, que S8 !"
    estando picso desde odia 27do setembro do
    uno p. p. parece deveria ter entrado na
    actual -es-Jo. l.-sc processo fui entregueao
    mesmo senhor escrlv3o, pelo senhor esc/i-
    v3o Atliayde, preparado e suslouUdo pelo
    senhor juiz municipal.
    Silva Amo!. 01 & Compaiihi 1, aviza aos
    senhores airemalantcs do imposto sobro es-
    pritos da producgilo brazleira que nSo ven-
    de deste genero nem nunc vendeu : 11a rua
    vendado becco do Peixo Frito n.*9.
    Itoga-se ao Sr. Dr. Filippe Carneiro de
    o i iia Campello de dirigir-se a casa de
    Napolen Cabrlcl li /. : na rua da Cadea
    le S, Antonio, onde foi a spciodado apol-
    nea, que tem urna carta para entregar a S.
    S. em mo propria.
    Os senhores Bernardo Luiz Farrair ,
    Joaquiui de Sbuza Teixoira, Jos Caetano
    Pereira do Nascimento, Jos Hilario Ribeiro.
    Francisco Ignacio de Medeiros, Francisco de
    " raujo Barios, Manoel Jos Suares de Aval-
    lar, Patricio Antonio de Torres Bandeira,
    Antonio de Maraes l'into, Silvestre dus Ros,
    e Clara Seuhorinha Burges : queiram appa-
    recer com brevidade em Oliuda, ni rui de
    Malhias Ferreira, sobrado a. 6 a aegociu
    que os interessa.
    Na ru da Praia buceo do Cirioc n. 9,
    faz se a 111 ogo c ja otar pira fora, com muita
    fimpeza e aaseio ; e quem nlo tiver porta-
    dor para o conduzr manJa-se levar cm
    casi.
    Garidade sem limiles,
    Sciencia sem privilegio.
    Francisco de l'.uil.i ('arneiro
    Lefio, reside no aterro da Boa Vis-
    ta d. 16, onde oiTerece-se para
    curar homeopticamente as se-
    guintes eafermidades e nao cif-
    rando nao tem direito a nenhum
    pagamento sendo chamado lojo
    no principio da molestia e nao
    tomando o doente nenhum med
    camento alopathico e mesmo ca-
    seiro. Ferimentos de bala, ou de
    quaesquer outros instrumentos ;
    grandes quedas ou pancadas por
    maiores que sejam, respirando a-
    inda o paciente; pleurizes, os mais
    agudos e violentos ; febre amarel-
    la, desenteria sangunea, bexigas,
    sarainpo, e sarnas inda as mais in-
    tensas e rebeldes, erisypellas, to-
    da molestia venrea e syphlytica ,
    bobas, seja de que carcter forem;
    rheumatismos agudos, e em geral
    todas as mais eufermidades em
    lempo que possam ser curadas.
    -- O bicuirel Witruvio trinsferio a sua
    residencia para rua do Rangel, sobrado a.
    71, onde poder ser procurado.
    n. 11 ns si-guinles livros : um diccionario
    Napnloao laud, 16,000; um dilo de Cons-
    tancio, 6,000; um Maituum Lexicn, 5,000;
    um dito franrez-portuguez de Foncaca,
    5,000; um dito porlu^uez-inglez, 4,000;
    um dito inglez para lalim, 2,000; Cours da
    de droit roinm-rrial, 5 vol 4,000; Cnurs
    de de Slyle diplomutique, 2 vol., 4,000;
    Cdigo do cjimii rcii am francez, 2,000;
    Direito panal, 3,000; l'r 111' iras linhas so-
    bra o processo civil, 4,000; Escola mercan-
    lil, 2000; li:c lonai jo jurdico e commer-
    cial, 2,500; Synopses, 2,560; Historia do
    Brasil, 12 vol. com eslampas, 6,000; um
    dicrionario classico porluguez para latim,
    4.C0O; g'ometria dn LvOToiS, 4,000; Vir-
    nili 1 11 3.0IIU, dito a 2.50; Horacio, 3,000:
    II1 timbem lUidaS'os cumpeiidios approva-
    dos para as instrucgOas piimaiias e secun-
    darias, e juntamente ha livrns aleniSes.
    Vende-sa muilo barato sendo diuheiro
    Vista.
    Vende-se cera em velas ,
    muito bom sortimento, por preso
    commodo : trata-se no escriptorio
    de Novaes & Companhia na rua
    do Trapiche n. 34.
    Vende-se urna mulata moga e bonita ,
    perfeila oiigommadoira e costnreira, e urna
    creoula do 22 annos, com urna cria de 3 an-
    uos : na rua larga do Pozarlo a. 22, sjgun-
    do andar.
    Vende-se, ou hypoteca-se urna casa no-
    va, com sol Ao, no p inci.no do corredor do
    Bispo : a lralar na mesma.
    \ciidi'-si; u.iij cuna do armelo, COOI
    pouco uso e prego commodo, e 1 relojo pi-
    lonlesuisso : m rui Nuva n. 16.
    I'uuli india.
    Vendem-se curdas para ribecca e violSo,
    por prego mais barato do queem oulra qual-
    quer parle : na rua do Cabuga, loja Ua es-
    quina que volta para a rua dasTrincheira,
    e no aterio, da Boa Vista, luja de calgado
    n. 58.
    O agente do contrato do rap prince-
    sa, tem venda o rap, viudo de Lisboa, pe-
    lo vapor ioglez chegado nesle correata
    mez.
    Lotera do Rio de Janeiro.
    os 20:000,000 de rs.
    Na loja de miudexas da praca da
    Independencia n. 4) vendem-se bi-
    Ihetes inteiros, meios, quartos, o-
    tavos e vigsimos, a beneficio da
    11. lotera do theatro de S. Pe-
    dro de Alcntara, que correu no
    dia 16 do corrente, e vem a lista
    no primeiro vapor.
    Quarl 1 feira, a5 do corrente.
    SihirSo da alfaodega os queijos flsnen-
    gos, os mais freicaes e melhores, que tem
    competir com as fabricadas em paiz es-j viudo a Pernambuco, sendo Luiz Jos da
    trangeiro, tanto em prego como em qua-l Costa Amorim o vendedor,
    lidade da materias primas e mflo d'obril VeoJem-sequrtos bons earregado-
    aaaber : 1 res, por prego commodo : na rua da Con-
    Machinas de vapor da melboroonstrucglo cordia n. 60.
    Moendas docanna para ongenlios de lo- Voade-se baoalhio de linas a 5,000 rs.
    AVISO SATISFACTOItlO.
    O abaiio assignado, agente do Dr. Brn-
    drelh, faz sciente ao respeitavel publico,
    que pelo bngue americano Jamas Crosby
    viudo de lloslou entrado no corrento mez,
    recebeu novo provimenlu da pilulas vege-
    taes de seu prupno autor; estas celebres pi-
    lulas s3o recoiiimeudadss por militare de
    pessoas a quem ellas tom curado de phtisi-
    c, influencia, catarros, indigestos, dis-
    pepsia, dores do cabega, doras ou pezo na
    nuca, que goralmeulu *3o simptomas de
    poplexia, ictericia, febres ntermilenlas,
    billis, esca latinas, febre amarell, e tuda a
    classe de febres, asma, gota, rheuuialismo,
    enfermidades nervosas, dores no ligado,
    pleuresa, debilidide interior, abatimo-ilo
    du espirito, rotura, iuflammages, incha-
    gOas dos nios, accidentes, parlisis, hidro-
    pesa, boxig, saram.io; enfermidades dos
    meninos, tosse de toda a classe, clicas, cu-
    lera-moibus, dor de pedra, lombrigas, de-
    sinteria, surdez,vagados de cabeg orisipel-,
    la, ulceras algulas de 30 annos, cancros, tu-
    mores, inch ige nos ps e peritas, Imorei
    mas, errupgSo de pele, sonhus hurriveis,
    pazadallus ; toda a qualidade de doros e
    molestias de mulheres, como obstrucgOes,
    ralachagdes ele. ele. ; he um me 1101 nonio
    intciraiiiento inoffancivo, podendo applicar-
    so al aa creangas rescemnteidas; ltima-
    mente se tem .:p li.'.i 10, a urna enfarmida-
    de de molestias julgadas encuraveis, de cu-
    ja pplicagSu so tom tirado 13o feli/es resul-
    tados qua parece cada vez mais rosulvido o
    problema do um remedio umveraal : veh-
    dem-80 com o seu recaituario, i,a rua da
    Cadeii-Velbd n. 61, botica de Vicente Jos
    de Brito.
    U>aHCAOuEF/?V/?n
    BOWMAN dr MC. CALLUM, engenheio
    ros machinstas e fundidores de ferro mui
    rcspoiiosaoicnic annunciam aos Senhorea
    proprietanos de engenhos, fazendeiros, mi-
    neiros,' negociantes, fabricantes e ao res-
    peilavel publico, que o seu eslabelecimento
    de ferro movido por machina de vapor con-
    tina em effectivo exercicio, e se acha com-
    pleta ment montado com apparelhos da pri-
    meira qualidade para a perfeila confecgSo
    das maiores pegas de machnismo.
    Habilitados para emprehender quaesquer
    obras'da sua arte, Bowman & Me. Cnllum
    desejam mais particularmente chamar ,
    tleucSo publica para a sseguintes, p0r
    ruin dolas grande sortimento j prompta,
    as quaes conslruidss na sua fabrica pdem
    as fabricada
    dos os lmannos, movidas a vapor por agos
    ou animaes.
    Rodas d'ago,moinhos de vento eserraas
    da melhor qualidade que ha de barricas, que
    se vendom a'IO n 11,000rs. : ao armazem
    do S. Antonio Annos, no caes d Allaudega.


    m
    AGENCIA
    da fundico Low-Mooi-.
    HA DA SENZALLA NOVA N. 49.
    Viento estabeleeimento couti-
    niia a haver um completo sorti-
    tnento de moendas o meias moen-
    das para engenho, machinas de
    vapor, e taixas de ferro batido e
    coado, de todos os tamanhos, pa-
    ra dito.
    Antigo deposito de cal
    virgem.
    Na ra do Trapiche, n. I7, ha
    milito superior cal nova em pedra,
    chegada ltimamente de Lisboa:
    tambem se vende potassa da Ral
    sia, nova e de superior qualidade.
    Bombas de Ierro.
    Vendem-se bombas de rejmxo,
    pndulas
    na ra do
    fundico de Ierro.
    Deposito da rubrica de Todos os
    Santos na Baha.
    Vende-se, em casa deN. 0. Uieber&C.
    ua ra da Cruz n. 4, algodSo transado d
    quella fabrica, muito propno para saceos 1
    assucar eroupa de escravos, por presocom-i de largo a 200 rs. o covado; algodao az
    moflo. I de 41|i palmus de largura, toen la muito
    l>! prop apara idpa de escravos a 200 rs. o co-
    | ado ; assim como outras muitas fazendas
    Pacuna.
    He bom negocio.
    Vende-se a dinheiro, ou a pra-
    .
    Vendem-se relogios de ou
    ro eprata, patente inglez : na ra
    da Senzalla Nova n. V-
    Casa de commisso de escravos.
    Vendem-se escravos e recebem-
    se de commissSo, tanto para a pro-
    vincia cumo para lora dlla, para
    o que se ol't'erece muilas garanfas
    a seus donos : na ra da Cacimba
    u. 11, primeiro andar.
    Arados de Ierro.
    Vendem-se arados de diversos: tt
    modelos, assim como amercanos| 2
    com camba o de sicupira e bracos jj
    da Ierro : na fundico da ra do
    firum ns. 6, 8 e 10.
    Farinha fontana,
    chocada ullimami'rite: em casa de J. J. Tas-
    Grandes pechinchas, na ra do
    Crespo n. i4, loja de Jo.- lYrao
    cisco Dias, a i4# rs. o corte! !
    Riquifsimos cortes de vestidos de finissi-
    ma seda e delicados goato. fazenda inleira-
    mente modeini, pelo baratissimo preco do
    14,000 ra. o curie ; ditos de cambraia aeda,
    sendo o mais superior que tem apperecido g0 a pa(|ar, do largo das CiqCO
    SJ^&%*tt!ti2 Pontas, e tambem c aluga, So se
    braia e de cor, com riquissimoa babados e podendo effectuar a venda nestes
    lodos os seul pertencea, sendo urna peca de .. forncce as fa-
    gaiao e outra de corda, que se di de gra- ci'as assim como se iorniic as la
    use quem comprar os vestidos, pelo mu- fintiaspara traballiar, olterecendo
    lo barato preco de 6,000 rs o curie ditos pradof pera tudo garantas :
    de cambraiaccm baria branca e de cor, ra- I 1 o
    zendi do ultimo gosto, pelo baratisaimo a tratar com J. J. lasso Jnior,
    preco de5,5H0 rs. o corle ditos de cassa na fua j0 morirn n. 35.
    cuite, cooi 6 11a varas a 2,000 rs. o corte; ,, .hj
    ditos muno Upo, faien.a .ie-multo bom l'ecas de algodSozuiho trancado
    gosto a 3,500 rs. o corte ; chitas calmelas branCO, COm tomie de Clipini a
    muito Oxas e finas, cores de cafe e de vmbo a
    a2.0rs.ocovado ditas fiancoz-sa 2*0 rs.; I 3,000 e 3.D0O TS.
    ditas de quadros escuros, hienda du ulti- Na ra do Crespo, loja da esquina que Ti-
    mo posto e novospadiOes a 200 rs. o cova- ra para a Cadeia, vendem-se algodBoinhos
    do; riscadinlios muito filos a 160 rs. oco- transado branco, com pequeo toque do cu-
    vado ; cassa cliia muito largas e decores pim, a 2,000 e1 9,f 00 rs. a pes.
    I nieta.s novas.
    lem-se ni ra estrella do Rosario n.
    ..riscos em caixinhas de vidro.e caixi-
    vadu; supeiior aloalhado a .lamiscarlo ue nh puro linlio, com 8 pln os de largo, pelo na- je raruta ; na m sma se dir quem vende
    ralissimo preso de 1,600 rs. a rara ; bnm t00 eSp,n,dores bem feitos.
    Vende-so muio superior farinha de
    Santa Calharlna 2,800 rs a sacra com al-
    " 'queira da medida vellia : na ra da l'raii,
    armazem 11. 10.
    Hu do Cabug loja de miudozas do
    Duarte vende-se lieos aparelhos de metal
    n-se nomuue uc irj'u*, vso Mii chla muil0 Urg e picota para cacimba: (js, 200 rs. ocovado; abaka preta muiioi
    > Rrnm ns 6. 8 e 10, flnaa6U>rs ocov.do; mermo p'eto mu- v ,,
    ) Brum ns. O, a = lo fino a 1,800,2,500. 2.8U0 e 3,200 ra. o co- ,,,,,,,,,,
    vado; supeiior aloalhado aoamascado de
    puro linho, com 8 pln os de largo, pelo ha-
    ratissimo preso de 1,600 rs. a vara ; bnm
    1 trancado de puru linho, de diversas crese
    I delicados goslos, pelo barato preso de 1,200
    quella fabrica, muito propno para saceos de! rs. a vara; riscado de linho, com + P'I**
    que se vender prr preso mais commodo
    doquecm outra qualquer parte.
    1 -.....c wwwMiMiiiiii* mm
    Para senliora
    Vende-sc setim preto maco de su-
    perior qualidade para vesiido de se-
    H nliora; um completo sortimeat de
    t sarja de seda hespanhola verdadeira;
    <-% ciles de vestido de sarja preta lavra- 35
    $g da de lindos gOltos; sup.-iior chama- ^
    b lote de seda pura; ricos ve s trelos ^
    j desedi, linnu e lelroz do Dalia; um jg
    grande surlimeiito de manteletes, ca-
    potinhos p etos com lindos onfiles,
    seiuoos inais podernos que ha no **
    * mcado; superiores meias pretal in-
    I (lezas de peso, e outras fafendas de 4)
    gusto e bna qualidadu, o tu 10 cof'ft
    j| preso muito em cotila : na ra do h
    i (jueimidu, loja uo sobrado auarello n
    n. 29.
    --Vende-seuma taberna com 1 oucos lun-
    so Jnior, na ra do Amorim n. 35. 1I.1-, stta em urna dascasinh^sda libeira da
    Agencia de Edwin Maw. "f !>'> VUta. defronte do assougue : a ir.lar
    Na ruarte Apollen. 6, inanM de Me. Cal-1 com o arremat.iilo da m-sma ribeira, Joa-
    uioniai Companhla, acha-ae cou.tanlemeole quim F.Tnaii.ies de Azeyeilo.
    boua aortlinruiua de ulxa de ferro coado e Vende-se um cavallo ruso, milito novo
    balido lauto raaa como fundas, moendas in- e com lodos os andaios: na cocheira da ra
    eiraa lodaade rerro para aoiinaea, agoa, ele,
    du is para armar eui inadeira de lodos os u-
    uianhoa e infldellos o inais moderno, machina
    horlsoolal para vapor, com urca de 4 caval-
    loa, coucoa, passadeiraa de ferro eslaiihado
    para caaa de pulgar, por iiienoa preco que os
    de cobre, escoveus para uavios, ferro iuglex
    taoioein barra, como em arcoiollias, c tudo
    pur barato preco.
    Deposito de cal e potassa.
    No armazem da ra da Cadeia
    da Florentina.
    DV fc.tES DOS UOMfiNS,
    rs.
    Vende-se este compendio aprovadpira
    as aulas, em meia oncadernasSo, a 500 rs ,
    cada um: na livraria 11. 6 e8, da prasa da
    Independencia.
    Vados de ferro.
    Na fundisfto da Aurora, em S. Amaro,
    vendem-se arados de ferrode diversos mo-
    do Ltecife 11. 12, ha muito supe- dlos.
    rior cal de Lisboa, em pedra, as-
    sim como potassa chegada ltima-
    mente, a precos muito rasoaveis.
    I' ai inli,1 de mandioca.
    -- Vende-se saccas com superior farinha
    de mandioca a presos rasoaveis a Uatai
    com J. J. Tasso Jnior ra do Amoiiai
    U.35.
    Deposito de cal virgem.
    Cunta & Amorim, na ra da Cadeia do
    llecile, 11. 50, vende-se barris com supe-
    rior cal em pedra, chegada pelo ultimo
    navio de LisboB, por menos preso do que
    em outra qualquer parte.
    -- No escripturio de Manuel Joaquim Ra-
    mos e Silva, na ra da Cadeia do Recife,
    vende-se por preso commodo Cal virgem de
    Lisboa chegada no ultimo navio, bozerro de
    lustro, mercurio, linha de Roriz,rctroz, in-
    dia turas do Poilo, paonos e casemias
    lean.
    iap Paulo Cordeiru.
    recentemente ebegado do Rio de Janeiro,
    vende-se na ra da Cadeia do Recite loja o.
    50, de Cunha & Amorim.
    No armazem da ra da Mor. la 11. 15
    -- vende-se champagne da marca amiga
    e bem conhecida, Comel, em osa de Dea ne
    Yulo c i.inii|iiii-liiii : na ra da Cadeia.
    Tatxai para cng;enlio.
    Na fundislo dc ferro da ra do Brum,
    acaba-se de recebor um completo sortlmen-
    t de laixas de 3 a 8 palmos de bocea, as
    quaes icham-se a venda por preso com-
    modo, e com promplidao embarcam-se.ou
    carregam-se em carros sem -despezas ao
    comprador.
    Vende-se farinha fontana
    muito superior e no\a no meica-
    do : a tratar com Manuel da Silva
    Snto, na ra do Amorim n. 50 e
    58, ou no armazem do Annes no
    ces da alfandega.
    Principios geraes de economa pu-
    blica e industrial.
    Vende-seestocompendio, approvadu para
    is aulas de primeiras letras, a 480 rs. : na
    prasa da Independencia, livraria n. 6 68.
    Cobertores de algodao.
    SuDeriores cobertores de algndo do di-
    ferentes cores, leci los a dous fios, muito
    Quem quizer barato aproveite-se.
    No beco do Carioca n. 9 armazem de A.
    P.Soares, vendem-se os leguintos gne-
    ros, todos muito novos e mais baratos do
    que em outra qualqner parte : farinha de S.
    Citharini muito alva e muilo fin, dita de
    S. Mainel, dita de Porto Alegre, dila do
    Rio de S. Francisco ; arroz do MaranhSo,
    dito da trra, dito em casc; farinha de
    tapioca do MaranhSo ; milho em sacca, dito
    em alqueires e urna porsSo de saceos
    vnios.
    -- Jos, i.uiz Pereira, vende a sua loja de
    ferngens, da ra Nova n. 16, a praso com
    firmas a contento; em quinto 11 lo effecluar,
    vender! qualquer porsSo do ferragens, ou
    miudezas, pelo custo e com slgum prejuizo
    aquellas que merecerem; adverte a seus do-
    vedores de mais de 1 anno, que o praso de
    espera acaba hoje20.
    . Vende-se milho muito novo, a 8,200
    ri. o ilqueire, e lomando-se pors-lo se dar
    por menos alguma cousa : a tratar no Tra-
    piche do Sr.Cunha, no liir. da ra da Moda.
    Vende-se queijo suisso, mui-
    to fresco a 480 rs. a libra, e fran-
    ceza 44o rs. a libra: na ra Nova
    a. 5o.
    ATTENClO'.
    No aterro da Boa Vista, loja de 4
    portas n. 60.
    Vendem-se riscadiohos de linho a 120 rs ;
    chitas de cores fixas a 160 rs. o covado, e a
    pesa 5,500 e 6,000 rs. ; fll de linho mullo
    lindo e largo a 640 rs. a vara; chapeos de sol
    a 1,000 e 1,200 rs., e mais fazendas, por pre-
    so commodo.
    I'otassa americana.
    No sotigo deposito da cadeia velhi, n.
    12 exista urna pequea pnre.ni de potassa
    americana, chegada recentemente que por
    superior nvalisa com adaRussii: vanJe-
    se por preso razoavel.
    Na porta da Alfandega e no
    armazem do baraleiro Joaquim da
    Silva Lopes, vende-se farinha ion-
    tona SSSF e de Philadelphia, l-
    timamente chegada.
    Vende-so urna mesa de amarello, com
    principe para cha conlendo cafeteira, huJIe,
    assucareiro e leiteira, tudo por preso com-
    modo.
    Para baile.
    Vendem-se 2 ric a vestuarios
    para baile dc miiscarados : na ra
    da Cadeia do llecife n. 5o A.
    -- V nde-se urna porcSo de peonas de
    em 1 .- na roa larga do KnSarlo n. 44.
    Para liquidar, a 6,000 ts. ca-
    da um.
    Na ra do uueima lo, loja n. 17, vender-.
    se chapeos hranros d- c-slo-, pelo diminu- ^ palmo de romprimento e 4 de largura
    lo preso de 6/rs. cada um; chapeos de sol, na roa Bella 11. 16. m~t. fa
    de panninhocoo, aspas de balea a 1,281) rs; | ~ A bordo da escuna MiriaHrmin.fun-
    unnu linos i-retos e d<-co-es pro>a de li- >i"d defronte do caesdo Collegio.ha supe
    M??tiVwtoTit\Z?vrU lina ; rior farinha de m.nd,oc.[de S. M.theus que
    seum *eto uicao para colele; larjl prt.1. ^o vende mais barata do que em qualquer
    nespa. ho la, pelo barato preco de 2.OJ0 rs. o outra parle lrat,-se a bordo com o capta?;
    covado, e otras azendas por barato preso, ni rM da Cruz n. 33, com Lu.z Jos de Si
    Aos amantes do jogo de limas. "Te'nde-se 011 arrenda-se o Engenho S
    NopatodoTerso B. 91, vendom-se boaSj Rla moele e crrente meia legoa distante
    limas declK'iioa 1,600 rs. o ceuto, dintioi- < ,ja V|a j8 i^uarassu'com proporsfles para
    roa vista. safrejar-se, embarque junto ao engenho;ala-
    A O bom C barato. gados, o oulras proporsOes : quem o pre'len-
    Na vendasitanarua das Cinco PouUs n.l derentenda-secomo proprietaiio^no mesmo
    82, ha para vender doce de gouba da pri-
    meira qualidade sem mislura de outra fru-
    ta, em c iias de 4 libras, pelo mdico pre-
    so de 1,000 rs. a caixa.

    engenho.
    c MocikIu* superiores
    Na Kndir;9o de C. Starr & Companhla,
    em S.-Amaro, acham-sea venda moendas
    de canoa, todas de Ierro, deummodeloe
    conslrucsfio muito superior
    I,8oO rs.
    Vendem se cortes de cassas chi-
    tas, com 7 varas a 1,800 rs. : na
    ra da Cadeia do Hccife n. 5o A.
    A 5,ooo rs. o corte.
    Vendem-se cortes de casimira ,
    bonitos padrdes a 5,000 rs.; na ra
    mez, no bngue Laya ; assim como mercurio
    doco em cminhas de librs cada urna, tudo
    por menos preso do que em outra qualquer
    jarte.
    Na loja do subrado amarello, na ra fe:
    vende-se cal de Lisboa em podra, a mais no-, grande, lem toda .p^licasao em urna casa de
    yA?u?!'-n?me.rcai)o'cne88'1' n0 curre,lle familia, por servir para mea de engom-
    mado o forrar camas o mesmo para escra-
    vos, pelo diminuto preso de 1,410 rs.: na
    ra do Crespo n 6.
    Velas de Esparmacete.
    Vendem-se velas de esparmacete
    9 do Quelmido n. 99, vende-se um g em caixinhas de 20 Ib, em casa de
    J completo sorlimenlo de pannos pre- ,, ,
    ftos linos e cores llxas; casemira preta Jl Augusto Li, de Abreu ; na ra da
    elstica superior de 9 a 14,000 rs. o Caea do Hecife n. 48.
    em t" decilea; coil-s de cok'ln preto m ,n 1 < L 1 1 1
    * desupeiior cisemira bordadus, ditos Grande Jabrica de chapeos de sol,
    do dito de setim maco com lindos AJ de J. Falque uta do (.'ollgeio
    bordados; merino preto fino de 2,500* t* /
    a 5,000 rs. o cova 10; chapeos prelos J1" *' .
    fraucezes os mais superiores e mo- *J! Nesle novo estabeleeimento recebeu-so
    demos que ba no mercado; chpeos > um novo e lindo sortimenlo de chapeos de
    9 de castor brancos ingle?es da ultima t) Sul d,is ltimos gostos, tanto de seda como
    > moda, eoutris muilas fazendas finas J: de Pn'bo pra homens e senlio as, de ar-

    e preso de agradar ao comprador.
    Bailes mascarados.
    Ni ro di Cadeia do Recife |oja n. 50, de
    Cunha & Amorim, ven le-se villudinhos de
    {lo de baleia e de asso que se vendem
    por menos preso quo em outra qualquerpar-
    te ; grande sorlimento de clianialole, sedas
    o paiiinbos en |i-.\.i de t i 1 .-. as cores e qua-
    lirtades para as pessoas que quizerem man-
    dar cobi ir armases servidas. Completo sor-
    differenles e bnlh.ntes cores, para vestua- Umenlo de baleas p.ra vestidos esparl.llios
    e mascaras, e roup.s de para senhors, fazem-se umbellas de igrej. e
    theatro : chegados pelo ultimo navio de
    Krain; ; assim como calcas de meia; a tro-
    co de diuheiro se vendem por barato preso.
    iNovos cobertores de tapete a
    i,44 rs.
    Ni rui do Crespo loja di esquini que
    volta pin cadeia, vendem-so cobertores
    de tapete, grandes e bonitos, pelo diminuto
    fireso de 1,440 rs. ;em qualididesBo os me-
    burea que tem viudo no mercadu, por isso,
    recummeiida.se sos Srs. de engenho que
    quizerew comprar da piclnncba, nfio se de-
    moren), porque ja ta puucus pela estrasSo
    que le n tido.
    He to barato,
    Que lrjz animar ;
    . Quem vir a pechincha
    Nao deixar de comprar.
    Ni rui Jo Crespo ojadi quina que vira
    pin a cadeia, ven le-a* panno lino preto, a
    3,000, 3,500, 4,000 4.500, 5,000 e 5,500 rs.
    o covado; dito fiancez n^uito superior, a
    6,000 rl. ; dito azul, a 2,600, 3,500, 4,000 e
    5,000 rs. ; dito verde, a 2,800, 3,000 e 6,0u0
    n.; dilo cor de rap, a 2,600 rs. casemi-
    ra preta, a 4,800 6,000, 7,508 8,500 e 10.000
    rs. o corte; sarja preti desedi muito su-
    perior, i 2,500 rs. o covido; merino preto
    muito bom, i 2,800 e 3,200 ra. o covado cor-
    les do cassa coila mullo bonitos, a 1,920
    rs. ; e oulras muilas fizendas por preco
    commodo.
    conceita-se qnalquei qu.lidado de cn,eos
    de sol: iodos os objeclus cima mencionados
    se n'.ili-lli COI |n>lc>i e a relnltlO, por prt'C.0
    que agradara aus Ireguezesa vista da quali-
    dade.
    -- Vende-so um carro de qust'o-rodas
    muito leve e seguro, por muito pouco di-
    uheiro : na prasa da Roa Vista, cocheira
    do Transis.
    vende-se um cscravo, moso e de bo-
    nita figura : na ra da Cruz do Recife n. 38.
    Negocio vant ijo-u.
    Vende-seo hotel cominercio sito pa roa
    da Cadeia n. 13, com os ulencilios que o
    compra or quizer : a tratar no mesmo.
    Vende-se um forno para padaria, 110
    centro da cidade, tendu lugar p e armazem para lenlia, com deremb-irque
    napoita: o protendenle annuncie sua mo-
    rada.
    Vende-se
    Cha prelo e verde, de superior
    qualidade em caixas pequeas ;
    Veilasde espermacete de superior
    qualidade em ditas ditas,
    Fio de sapateiro, de diversas co-
    res*
    Tudo em conta,. no armazem de I
    " i'ara ( auens.
    i ',s 5
    4 Vendem-se chapeos envemlzados, ?
    S galOes de ouro, e prata, botos de 9
    metal branco e amarello : na loja de 3.
    *? sirgueiro no pateo da Mal 11, n. 2. -a)
    Iticos aparelhos de metal para cha.
    Vendem-se ii>arelhos de metal para cha,
    de bonitos e differenles modellos na roa
    da Cadeia do Recife n. 61, loja de Antonio ,-.,- ,
    Francisco Correia Cardozo. I da Cadeia do Recife n. JO A.
    \ ni, ra ('-i.loi-i tnia 1.- Um bonito molecSo.
    _- m ra da Ladea, loja ae Venile.ge un, bonilo inoleca0i daaiin.
    miudezus n I^, vendem-se mas- n0s, bom trabalhadorde eoxadaohecano-
    caras dminos. eiro, oqual nunei fugio : na ra larga do
    ,.,.,. p i Rozarlo o. 24, primeiro andar.
    Tara baile de mascaras a 2,doo rs. | ^^^^.^*..a^^^m
    Novas mascaras de setim cor de roza, min-
    io bem felas, run mullo regulires feisOes,
    sendo piopiias paia senhoras e para lio- X vendem-se luvis de retroz preto de
    mens : vendem-se na ra do Queimado nu- | superior qua|,i,de, para uniforme de
    nern. 27. ; J arlilheria e cas>dor : na loja de sir-
    Na ra Nova n. o, loja do uara- j gueiro no pateo da Matm n.2.
    teiro
    Vendem-se sinteiros de gurgurSo com duis '
    comp-tenles fivellas, cousa de gosto e boa
    qualidade pelo baralissiino preso de 2.000 ;
    livellasdouradas para siuleiros por barato .
    preso; o oulras fazendas mais de moJaei
    Para
    militar.

    Farinha de mandioca a a,ooo
    rs. a sacca.
    No armazem de Dias Ferreiri, defronte das
    escadlnlias da Alfandega.
    Azeite de carrapato da fabrica de
    Araujo & Filho, noPenedo."
    Aoaba dechegar mais desteja contiendo
    azeite, o mais propno e econmico, pin
    uso de candieiros de sala, tinto p*li sui du-
    rasSo, como limpezi, e continuar a ha ver
    sempre um depozito pin suprimeoto regu-
    lar dos freguezes : no irmazem de J. J. T.is-
    so Jnior : na ra do Amorim n. 35.
    Vendom so ananas de ferro : na rui
    di Senzalli Nov n. l.
    Para liquidar
    F.1/-M' todo o negocio a dinheiro.
    Vendem-se por lodo o preso presuntos
    hollindnzes, proprios pira fiambre e tem-
    pero : na ra da Cadeia do Recife, n. 23.
    Superior cha nacional
    em caixinhas de 2 libras, e da melnor qua-
    lidade ; vende-se por preso commodo, na
    ra do Corpo-Santo n. 2, primeiro andar.
    Urna canoa.
    Vende-se barato, ou aluga-se por 8,000 rs.
    mensaes, I canoa de milheiro de lijlo de
    alveoaria : na ra larga do Rozario n. 24 ,
    primeiro andar.
    Cha imperial.
    Deposilo do cha nacional e hisson loja de
    ferragem ra di Cadeia do Resife,n. 56 A
    de Antonio Joaquim Vidal, caixas grandes
    e pequenis, por presos commodos.
    Vende-se umi taberna rom poneos fun-
    dos, lili nosobrido de dous ludiros, na
    ra do Sr. Bom Jess das Creoulas: a tratar
    na mesma.
    ~ Vendem-se velis de esperncete, em
    caixas, de superior qualidade : em casa de
    J.Keller&Companhia: na rui da Cruz nu-
    mero 55.
    ~ Vendo-se urna canoa de amarello muito
    bemfeita: trata-se na prisa do Corpo San-
    to n. 2. primeiro indar, e para ver no ces
    dO IIjiii. ,
    W W ^$ 9*j))ff AJft w9 w
    * ARADOS americanos. #
    2 Vendem-se arados ame- 4
    " ricinos, chegados dos Esta- #
    dos Unidos, pelo barato pre- 9
    ' 90 de 40,000 rs. cada um: na ?
    Z ra do Trapiche n. 8. ^
    Vend-se superior farinha
    de mandioca de Santa Catharina,
    por preco muito commodo, a bor-
    do do patacho brasileiro Alegra ,
    fundeado em frente ao caes do i*.a
    a tratar a bordo do mesmn
    a
    .'i 1 uo de .Ninlun
    800 rs.
    Venvde-se a historia de Simao de Nantua,
    a 800 rs. : na livraria da prasa da Indepen-
    - Vende-se no armazem de molhados na; dencia n. 6 e 8.
    ra do Encantamento o. 11, urna lipoia \UVOpe (10 ISOSque.
    n. 1 una
    com todos seus perlences
    Veudese um armario com gavetOes
    por 12,000. rs. : na roa do Encantamento
    n. 11.
    ~ Vonde-se urna cadeirinlia velha por
    10,000 rs. : na ra do Encantamento n. II.
    - Vende-se um piano usado por 50,000
    rs.: na ra do Encantamento a. 11.
    Vendem-se bugias de cera de Lisboa
    de 4, 5 e 6 om libra.c.da libra por 1,120 rs.:
    na ra do Encaiitamenlo n M.
    Ven le-se ou arrenda-se um sitio no Bar-
    balbo com sullicieute casa contendo duas sa-
    las gabinete ao lado, tres quartoi, cosiuha e
    estribara para doos cavallos, varios arvore-
    dos quedSofructo, Ierras para pl-miai;lo, e
    ptimo bauho : trala-se : na ra Nova loja
    n. 58.
    Na ra do Livramento sobrado n. 10 se
    dir quem vende 1 crrenle para seihora, 1
    dita para relogio, 1 adereso, cordOes, t'an-
    celins, anelOcs, brincos pulseiras, volts al-
    fineites, medalnas, 1 bandeira e um relogio
    palele inglez; 24 collieres de prata e um
    palileiro.
    Para baile.
    Vendem-se sapatos de setim
    branco, muito alvos e novos a 1600
    rs.: na ra Nova n.6, loja de Maic
    fiarnos &c Companhia.
    - Vende-se urna preta engommadeira e
    cozinheira, e om mais algumas habiiida-
    >s, que a vista do comprador se dir : na
    la dasAgoas Verdes, sobrado n. 14.
    Uvas ilo M'r ido.
    Vendem-se ovas doserlAo, moito frescaes
    e gordas, por preso commodo: na ra do
    Queimado, loja n. II.
    /-- Vende-se urna canoa pequea den-
    gelim : na rui larga do Hozarlo n 44.
    - Vende-se a loja de miudezas da ra
    larga do Rozario n. 36 propria para qual-
    quer principiante, por estar muito afregue-
    aada e ter poucos fuodoa:a tratar na mesma.
    Para baile.
    Vende-se ceroolas com meias e enzimeo-
    tos, pira a raoatinda de bom gosto trazerem
    a per un bem feila,e por preso commodo : na
    ra da Cadeia do Recife p. 50 A.
    Para bailes.
    Fitas de veludo preta e de cores proprias
    para sinlos de senhora, vende-se na ra No-
    va O. 8, loja dO balat -i ro
    Vende-se.muito em conta um boto de
    ferro, movido com rodrt imitando um va-
    por, lendo todos os perlences para velejare
    andar a remos : para ver e tratar em Santo
    Amaro, atrls da fundisSo, venda do Jos Ja-
    cinlho de Cirvalho.
    Milho a a,5oo rs. a saci.a.
    mos
    patacho, ou no escriptorio de No-
    vaes rk Companhia, na ra do Tra-
    piche n. 'i |.
    Viiiho de Champagne,
    e superior qualidade : vende-se no anua-
    rio Kalkmanu IrmSos Ra da Cruz, n. lo
    Ra uo Cabuga loja de miudezas do
    Duarte vende-se um aparelho de meial prin-
    cipe para jantar, conlendo 6 dunas de' fa-
    cas com cabo de marfi-n e osgaiTos lo los de
    metal e 5 trinxanlos.duas conchas para tirar
    temperos, e 2 duzas de colhores para sopa,
    4collieres para arrs o 4 para terrina, tudo
    islo em duas caixas de madeiras guarneci-
    das de metal por preso commodo.
    --Ra do Cabuga loja do miudezas do
    Duarte vende-se cordas de tripa para vio-
    ICes por preso mais barato do que em outra
    qualquer parte.
    -- Vndese urna casa com sotilo e muitos
    commodos ; e grande quintil com perto de
    50 pes de larangeiras todas de boas qualida-
    des;e oulras fruclas ; chos proprios; ci-
    ta na Soledade n. 42, logo adiante do cha-
    farla : quem a quizer ver, e examinar procu-
    re a chave no dito lugar na venda da quina
    que volta para a ra do Joo de Barros.
    -- Vende-se agoa das ral las da rainha, o
    melhor confoito que ha para quem padece
    molestias du estomago.e Reumalico.e oulros
    mais ; quem quizer dirija s* a ra da Cruz
    do ltecife n. 46, armascm do Sr. Manuel Jo-
    s Correia.
    180 rs. o covado.
    Vendem-se captores bonitos
    padrdes a 180 rs. o covado : na
    rua da'Cadeia do llecife n. 5o A.
    Para palitos.
    Vendem-se gangas para calcas e
    palitos a 280 rs. o covado: na rua
    da Cadeia do Recife n. 5o A.
    1,600 rs.
    Vendem-se corles de coletes de
    casimira, pelo diminuto preco de
    240 rs.
    Vendem-se chilas francezas, bo-
    O (lepo/ilo do Xarope do Bos-
    que, foi transferido da botica do
    Sr. Jos Mara Goncalves Ramo; ,
    para a do Sr. Bartholomeo Fran-
    cisco de Souza, na rua larga, do Ro-
    zario n. 36. He falsificado oque
    nao for vendido nesta casa; garra-
    fas grandes a 5,5oo rs., e peque- 1,600 rs.: na rua da Cadeia do lle-
    nas a 3,ooo rs. cit n. 5o A.
    Vende-se, Na rua do Collegio loja deencaderna-
    Alm de muitos e superiores gneros, ven- So n. 8, vende-se papel de peso pautado
    de-se igualmente os seguintes : caf do Rio,' proprio para carlis a 80 rs. o caderno.
    em pnii.no' e a retalho, massas linas, con-
    servas, o excedente doce de annanaz em
    frascos de 6 libras, extrait d'absinthe, vi-
    nho do Rheno, ditos de cherry, Po'rto Ma- nitos padrdes a i^o rs. o covado ;
    deira e Moscatel de Setbal, sardinhas em na rua da Cadeia do llecife n.5oA.
    Iats maiorn e nieno es, nquissimas ca-
    xinhas de todos os lamanlios com amen- anuo preto.
    iloas confeit idas, minio prounis para pie- Vende-se panno finop roto, boa fazeuda a
    sent, presuntos americanna e inglezes para 3,000 rs. o covodo, sarja prata a 2,200, cor-
    fiambre, oilos do Porto e Lisboa, milho em tes de casimira de cor a 4.500, e outras
    saccas, sebo do Porto em canas de 1 arro- muilas fazendas por preso commodo ; na
    ba, cha preto solt e em massinbos de 3 em roa da Cadeia Velta n. 33.
    libn, lalascom muito Buo MltO In- tMg||Hm|MM
    glez; tuno islo ven le-se por menos do que Vende-se chita larga fruteen lie"
    em outra qmlquer parte: na rua da Cadeia modernos pad. Oes e cores fixes pelo
    do Recife n. 23, irmazem de molhados. m baralissimo preco de 240 rs. o cova- _
    Vende se por preco commo- fe do, tn.io porsSo para o-comprador ?
    do, cal virgem, muito nova, che-;f colhor:n. rua do Qiieimado.loja j
    ' 1 ? do sobrado amarello n. 29. W
    gada pelo ultimo navio, por preco 9Mt99^**W99999999>
    muito commodo ; no armazem de Deposito dc p m no d* algodo da
    SALSA PAKHILH1 DE
    SANDS.
    Este exeellente remedio cura todas ai en-
    ermidides II quaes sfio originadas pe.li
    mpuresa do sangue ou dosystema ; a sa-
    ber : escrfulas, rheumatismo, erifpsdes
    cutneas, b-ebuthas ni cara, ilmoroidas,
    doensas chronicas, brebulhas, bortoeija,
    tinbi, enchasOes. e dores nos oasos, e jun-
    tas, ulcar, doensn vonerias, ciatioa, inter-
    inidades que attaslo pelo grande uso do
    mercurio, hidropesa, expostosa tima vida
    extravagante. Assim como, rhronicaa de-
    sordena da constituicBo, serSo curadla por
    esta iSo til, e approvada medicina.
    A adinioistracHo deste lulo remedio, noa
    ataques mais estraordinarios tem silo sem-
    pre seguidos pelos mais felices resultados
    naasuis operacO- s ; porm, o aen principal
    objeclo he de purificar o sangue, e limpar o
    svslema de qualqu'r influencia de mercu-
    rio. No leu modus op'randi, he directa-
    mente como um remedio alterativo, anda
    que, indirectamente serve ao systems como
    um verdadeiro Inico. Doensas nol ossos
    e no system grandular; assim como mi
    juntas,% ligamentos, sito inlelrimenle cu-
    nds pelo uso deste remedio, sem que o
    doente fifi resguardo ilgum, guando usar
    este remedio. A opperifSo deste remedio
    consiste em remover a desordem do syste-
    ma, e em breve tempo o doente ganhari a
    sin saude.
    A Salsa Parilha tem ganhado por muitos
    anuos urna alta rerutasSo, de ter curado
    doensas mui difilcultosas, que nenhum ou-
    troartigo de valor em materia medica tem
    curado. He de saber que a Salla Parilha he
    um dos mais valerosas remedios que os
    doctores usBo em toda a parte do mundo ;
    com vistas de gaoharem a cura pelo uso de
    tal remedio vegetal. Porm, deve-se de
    notar, que nem todas as pessois sabem pre-
    parar este remedio, assim como esco-
    iherem a melhor parle que se deve usarem
    tal preparara-). Um celebre Medico escrip-
    tor, que residi por muitos annos no lugar
    aonde ha a melhor producto da Salsa Pi-
    rula disse : Seisou oilo especies destas
    raizes que crescem nestes bosques, admra-
    me que nSo podesse adiar, se nSo urna,
    com o gosto, e propriedade da verdadeira
    Salsa Perilla, que se uossa recommendar
    para medicina ; pollas mais eram inspi-
    das e inertes. Porm, como os mdicos
    nao se ilo ao traballio de fazerem as
    suas proprias medicinas, mas sim contiam
    nos seus habis boticarios, para a prepara-
    re m, e comporem differenles drogas. Po-
    rm de todas as prepraseos de Salsa Pari-
    lha devia de ser da genuina, para que o fa-
    cultativo e o publico ficassem bem fiados
    as preparasOesde Salsa Parrilha a ser da
    melhor qualidade. Pois he este o genuino
    vegestavel, que se offerece ao publico; nes-
    le se v combinados o titile cum dulc; pois
    em infinitos casos em que o doente espe-
    ransas algumas linhi le viver, o grinde*
    quantidades de remedios experimentados,
    mas sem resultados de melhons; mas com
    esta pura Salsa Parilha, suas curas tem sido
    infaliveis, pois os certificados que temos
    recebido de pessnas que tem usado deste
    puro remedio, affirmam da sua boa elllca-
    cia ; estes certificados temos a honra de
    aprensentar ao respeitavel publico, para
    que llquem certos, o quo cima se diz, he
    verdadeiro. Os proprietirios deste reme-
    dio tem por muitos annos empregado todos
    os meiospara prepararem este 13o til, o
    essencial remedio di raz da Salsa Carilla,
    qne por IIm, conseguirn] as sun vistas, em
    prepararem um t3o valuoso remedio, e seus
    tilo lindos resultados tem enchido os pro-
    pietarios de gloria, e triumpho de terem
    preparado urna linda runiposn,-,lo contra
    doensas, que o seu liin he destruir o corpo
    humano. Esta composisBo be qumica e
    nova. Esta Salsa Parilha be combinada com
    oulros ongredientes que todos elles perlen-
    cem a classe vegetal, e todos com o poder
    de purilicarem o sangue. O doente que usar
    desta composiso, pode contar que tem o
    mais efiicaz remedio, para a sua eofermi-
    dadeusa. O nico agente nesta cidade he
    Vicente Jos de Unto, na rua da Cadeia do
    Recife botica n. 61.
    Molduras douradas
    de lodas os larguras : vendem-se no arma-
    zem de Kallkmann IrmSos,ruada Cruz o. 10.
    Escravos rugidos.
    ------ ------,_ .^
    Adamson Uoiwe & Companhia, No.rrn4zemde-Di,8Ferreir., no caes da" No.rm.zem de Antonio Annes,
    na rua do trapiche, n. 4a. |Alfmdegi. Ida All.ndegi. '
    Dis Ferreira, no caes da Alfande-
    ga, ou com Novaes &: Companhia,
    na rua do Trapiche n. 34-
    Lotera de .Y 8. do Livramento.
    Aos 5:ooo,ooo de rs.
    Na loja de miudezas da praca
    da Independencia n. 4, vendem-
    se bilheles inteiros, meios, quar-
    tos, decimos e vigsimos, a bene-
    ficio da-lotera de N. S. do Livra-
    mento que corre impreterivel-
    pieute no da 28 do corrente.
    Bilbetes inteiros 10,000
    Meios 5,ooo
    Quartos 2,600
    Decimos 1,100
    Vigsimos Goo
    Cemento novo a 7,000 rs.a barrica.
    no caos
    febrica Todos os Santos da Ba-
    nhia.
    Vende-se por preco commodo
    o bem conhecido panno de algo-
    dao des'a fabrica ; em pessa, a
    volitado do comprador no escrip-
    torio de tNovaes & Companhia, na
    rua do Trapiche n. 34.
    Farello a 3,ooo rs.
    Na rua da Cruz do Recife, armazem de J.
    C, Augusto da Silva, anda ha um resto de
    farelloem saccas, do ultimochegado, e vt>n-
    de-se a 3,000 rs. cada urna.
    Gomraa de engommar-
    Vendem-se saccas grandes, com gomma
    de engommar, muito ilvi e por preso com-
    modo : na rua do Queimado, loja n. U.
    Cera de carnauba.
    Em casa de Leopoldo da Silva Queiroz, na
    Desappareceu no dis 18 do corrente,
    cabra Joauna, de 22 a 35 annos de ida Je, le-
    vou em sua companhia urna fillunha da 8 a
    10 mezes, consta que lomou o camioho da
    Cruz de Almas : roga-se, portinto, a qual-
    quer pessoa que a capture, leve-a a aeu se-
    nhor JoSo Filippe dos Santos, morador no
    bairro da Boa Vista, na rua do Sebo, casa n.
    II, que saber gratificar.
    Da fabrica de caldeireiro., da ruido
    Brum n. 28, ausentou-se no domingo, 15 do
    corrente, o preto Alexindre, de mcSoS.
    Paulo, de 35 annos de i-la le, alto, reforsado
    do corpo, falla descansada, foi escravo do
    Meliquer, Francez, morador no Rio Doce, e
    ulti mente do Sr. Bolly : roga-se a quem
    o pegfr de leva-lo a mesma fabrica que ser
    recompensado. ,
    Desde 7 de outubro do anno flndo^i-t
    cha-se fgida a escrava parda de noma Eu-
    frosina, biixa, cheia do corpo, olhos pe-
    queos, rosto redondo, com urna cicatriz,
    proveniente de queimadura, paltos grsndes,
    um dos dedos do urna das rnos eapinhado.
    He de presumir que tomasse pira a Parahiba
    donde he natural e diz ler prenles, e mes-
    mo porque ja ali fora presa em outra fugida
    quefizera: roga-se portanto as authorida-
    des policiaes; e captaos decampo a sua cap-
    tura, e a entripa : na rua do Livramento, n.
    35, onda se gratificar o porladur com
    50,000.
    AttensSo.
    Fugio, ou foi seduzid, no da 19 do cor-
    rente, umi pardinfia, de nomo Archanji, do
    12 annos de i lade, com os signaos seguin-
    tes :-- cabello corlado reate olhos meio
    vesgos e pequeos, levou vestido de chita,
    com listras brancas e cor de caf com ra*
    mage encarnada, esta escrava veio remani-
    da da cidade da Victoria ao Sr. I.uiz Gomes
    Silvei-io : portanto, roga-se as autoridades
    policiaes e capitSes de campo,ou pessoa par-
    ticular, quo a prendam e leve-na a rua da
    Cadeia do Recife n. 17, segundo andar, que
    sera generosamente recompensado, e pro-
    lesia-se com lodo o rigor da le contra quem
    a tiver acoitado em aua casa.
    Ausentou-seda casa dos leus senlio-
    res desde o dia 18 do corrente a preta Iza-
    bel de nas"o, com os signaos seguinles: il-
    tun regular, cara bixigosa, falla trapalha-
    da; muito conhecida por andar vendando
    miudezas. J'.lga-se andar amoitada por al-
    gum desles lugares; Trempro, Soledade, ou
    Fora de Portas: quem a pegar leve a rua
    das Flores n. 19, que ser recompensado.
    -- Desappareceu no dia 18 do corrente, a
    preta Felizarda, de naci da Cosa, tem j-
    annos de idade pouco mais ou meos, alta,
    tem o rosto descamado com marcas de be-
    xiga, he bem preta, tem fall de 2 denles
    na fronte, um em cima e outro em baixo, le-
    vando comugo vestido de chita branca, com
    palmas de rozasfeiicaroadis e urna grega-
    flor miudinha : quem a negar, leve-a a pra-

    rua da Moda, vende-se cera do carnauba de a da Independencia n. 12 que ser bem
    superior qualidade, vinda pelo ultimo mvio recompensado,
    do Aracaly, em porso e a retalho, por pre-
    so muito commodo.
    J


  • Full Text
    xml version 1.0 encoding UTF-8
    REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
    INGEST IEID EMPXVFFTK_S8FM74 INGEST_TIME 2013-04-13T02:45:59Z PACKAGE AA00011611_04425
    AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
    FILES