Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04419


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AnnoXXVllT
Segunda feira 16
DIARIO DE
niigo ba sncnirr-Jlo.
PiOlMlNTO Aduntdo.
Por trimestre...........
Por meitre .........
Por uno..............
PfeOO DKNTSO DU raiMKSTal.
Por quartel............
WOTICIAS DO IMPERIO
Pr..... 2deJaneiro Minas... 13 de Janr.
Maranbao 7de dito S.Paulo. 10 drIVovbr.
Cear... 9 de dilo. R.deJ.. i4.de Janeiro
Parablba. 9 de Ferr Uabia... 17 de dito.
4/000
8/000
1&/000
DI* Di SIMIMA
lBSrg. Ss. Porllrio, S.
muel, JeremU,
17 Tere. S. Poifcronlo
18 Ooart.S. Theolonlo .
1. Quine. S. Conrado f.
g. Alvaro 9, G.hino.
:o Hlt. S. 1.1 uierlo.
21 s ib. S. Mailmlano,
22 Dom. Quinqusgral
ni 11. 1 ii,:u S. Pedro.
AUDIEMOlAw.
luil.'./r Orpho
2. i-.'i. as 10 horas.
varado civrl.
3. e6. ao melo-dla.
h'airnda.
3. e 6. i 10 horai.
2. vara do civil.
4. e sbados ao melo-d.
RiUfio.
Tercas e sbados.
inwialiii.
Creicente i 28, ai 6 horas e 31 mi utos da m
Chela a 8 as a horas e 6 miamos da tarde.
Hlngoante 11, aa 7 hora e 11 minutos da m.
Nova 20, a 1 hora e 24 minutos da in.
rIlIBI HOJI
Primelra 1 hora e 18 mi nulos da taide.
Srgunda 1 hora e 42 minutos dainaabaa.
de Fevereiro de 185?.
N. 37.
PEMAMBIC0.
PARTE OFFICIAL
GUVEKN DiPKOVINClA.
EXPEDIENTE DO DA 9 DE FEVEREIRO
Cilicio.--Ao enromando das arman, Irans-
mitlindo para tero conveniente destino a
guiado primeiro cadete Tingo Olimpio do
Paula Moreira, que teve passagam para um
dos ror.ios da guarnirlo desla provincia, a
qual loi enviada pelo Exm. presidente de
KoGrande do norte como tiflii'ioque re-
melle por copia, i que Urobom acompanhou
por copia o aviso da roparticSo da guerra de
3 de Janeiro ultimo.
DitoAo niesmn, para mandar por com
urgencia adlsposiceo it o j ti i z municipal sup-
penlo da segunda vara d''Sla cidade, o ba-
rharel Jos Raymuudo da Cosa Menezes,
um soldado de ca vallara, psra levar sos di-
versos sub-delegados dcsle termo qs edilaes
de convocado do jury.
Dito.A' thesonrana de fazen I.i, intei-
rando-a de liaver conce liilo dous mezes de
licenca cum ordenado ao juiz municipal e
de orphSos do termo de Garanhuns, lleme-
teriu Jos Vellozo da Silveira para Iratnr de
sua mu le. Neste sentido lizeram-se as
Convenanlos coinmunicatyies.
DiIh.-A' niesma, aniorisando-a avista de
sua informaeflo a mandar abonar os tres mo-
zos de suido, que pedio o Segundo eirur-
giSo do exercuo, doutor JusZaci'ias do
( irvnliiu para llie seren descuitados nos
termos do artigo 28 da loi II. 5Ude2S de
outuhrodo 1818 --Comuiunicou-se ao com-
mando das armas.
Dilo.A' mi'sina, inleirando-a da liaver
>:!- r: !> um requerimento, em que n ca-
pil3o da guarnirlo fita de Goiaz, Fianc9Co
Carlos Uueno Uescliamps pedia para consig-
nar de seu sold nesla provincia ao tenen-
te-corooel coinmandante ilo quarlo bata-
Ihao deartilliana a p a quantia mensal da
20,000 rs., acontar do 1." de abril do cr-
rente annoao ullimo de iui<>.--1. immuni -
cou-se ao commando das armas.
Dito.Ao director^ral interino da ins-
trurcjlo publica, intejrando-o de haver de-
signado os prufessore padre .Miguel Vieira
dril.11 os Marieca, padre Vicenta Ferreira,
de Siquer* Vaiejto e Jos Joaquina Xavier!
Sohreira para examinaren) os candidatos a
cadeira,que est em concurso, de insliuc-
c.u publica elementardesla freguezia de 8.
Antonio.
Dito.Ao capilSo do porto, transmittin-
doiara sen conhrcimeiuo, e fii; deque
lhe d a devi.la publicidale, c ipia do aviso
circular do ministerio da manuiu de 15 de
Janeiro ultimo, bem romo da nota a que
elle se refere, daqtral cuusta a pusic.lo, ca-
raclurc alcance da luzdupharul dass.li-
ni3 na pruvincia do Para.Iguars cupias
foram remettjdasa direcloria da asociac3o
commercial.
Dilo.--Ao mesmo, remollando par copia,
para lar a devida eiecuco, o aviso chcu-
jsrdo ministerio da mantilla do 13 de Ja-
neiro ultimo, bem como a tradcelo, de que
traa o mesmo aviso, a qual comer a no-
tiiivr.iu do bloqueio que o Comniodore,
commandante em cliefe das Curcas navaes
deS, ti. Iliitannica na cosa occidental u'-
Africa, eslabeleceu, em ronsequencla de
ordens do scu governo em todos os poitos
c pravas, ( excepto Badagry) na enseada de
II r.in. I -' la capias I i un Iransmillidas
a directuria da associacSo cumniercial.
Dito.Ao uireClordo arsenal de guerra,
concadendo a aulurisac.lo, que pedio para
despender a quantia de 3(19,580 rs. Cum a
coaipra das limas e mais ohj-ctos, de que
tralam os tres pedidos que duvolve, deven-
do Sinc. nppnrtunainente presiat cuntas
dessa despeza. Couimuiiicou-sea lliesou-
raria do tazenda.
Dilo.A' tnesouraria da Cazenda provin-
cial, Iransmiltin lo copia do orctmenlo,
que ap. niv.ni, para con>trucc3o de um pa-
rapeito sobre o caes do Apollo, junio a pon-
te do llecife, devendo correr pela quula de-
signada para o mesmo caes a despeza a fa-
zer-so com o retando parapeito.Commu-
nicou-se ao director dss obras publicas.
Dilo.A' cmara municipal de Nazareth,
aecusando recebidas as cuntas da receila e
despeza daquella cmara, pertenceoies ao
anuo financeio municipal passado eo or-
namento do anuo prximo vindouro.
Poitaria. Ao agente da compauhia das
barcas de vapor, para mandar dar passauem
por cunta do governo no vapor S.-Sebaslio
para a corte ao segundo cadete priineiro
sargento Juaquim Jos Peieira Codecu, e pa
ra s Alagoas sus cadetes do lerceiro bala-
iii.i-i de arulliaria a p Pedro da Cunta llar
bosa e Vascoucellos e Carlus Aggstiuho dus
Sanios.ComuiuQicuu-se ao commando das
armas.
DEM DO DA 10.
Ofiicio.Ao cummaiiuo das armas, para
que durante a piesoule sessSu do minina
dus jurados, maule apreseutar diariamen-
te no mesmo iribunal a guarda do coslume.
Cnmmunicou-se ao juiz presideulo da
quelie tribunal.
DitoAo mismo, intoirando-o de liaver
delen lo o requeiiiii-nto, ei qua o segun-
do cirurgi.lo do .u pi de mi u le do exerc1-1 militares, approvando o accrescimo da obra
to, doutor Jos Zirariis de Carvalno pedia queSmc. dizser necessario Cazer-aa para
despensa de embarcar pira a corte no vapor seguranza do cbadrez do quartel do Hospi-
.s.-Sc'in.iii'o, II -an lo po'm obrigado a se- ci, e prevenindo-o de que neste sentido
guir no vapor S.-Sa/uaor, que se esperado Tai ofliclar a thesouraria de Cazenda. --Coin-
noite. I municou-se a mosma Ihesouraria.
Dito.Ao mesmo, para mandar por em liitn.-Ao promotor publico desle termo,
liberdade o recruta Manoel Jus de filma, remetiendo copia do ollicio, emqueosub-
pur ler apiesenta lo isencSo legal. Com- delegado da Creguezia de S.-Fr. Pedro Con-
iiiunicoii licia para Cazar constar a aulorldade que o quim Marques Vianna aecusado nSo s de
capluroh. tor vendido em 6 dejunho da 1819 a i.uiz
li.in.--A' thesourarii de Cazenda, autori- Antonio Concalves Panna urna mulatinh
sando-a, em vista de sua InCormacao, a de nomo Joanna que dizem ser aua lib
man lar abonar ao commandante do quarlo maa tambem de ter marto e enterrado no
i'.i i.i i :..i de ii 11 'I bar a a p lligino Jos Coj- quintal da casa numero 33 da ra do Ptiarol
Ibo os tres mezes de sulJo, que elle pedio em Fora de Portas quan lo n-lln morou hi
para lhe seren descontados nos termos do dous aonos uoi criouiiuho que linha furta-
arligo 28 da lei n. 514 de 28 de outubiode do para vender, e recommendaodo que pro-
1818 Cominuuicou-se ao commando des ceda Smc. com todo o rigor da lei contra o
armas. autor de tSo barbaros crimes.
Dito,-A' mesma, transmittindo tres avi-1 Dito. Ao juiz de erphaos dste termo,
sos de igual numero de letras na importan- dizendo que nSo podem ser admittidss ao
cia do 2:700,000 is saccadas pola lliesou- colleglo das orphSas as duas menores lute-
rana do Rio Grande U i norte sobre a deita ladas do soldado de polica Jo3o Elias de
e a Cavor do Manuel Ferreira Nobie Pelinca, Azevedo, visto que, segundo inCorma a ad-
Francisco Jos Gomes e Antonio Joaquim mimstracSo do patrimonio dos orphos. o
Gomes. Parlicipou-sa ao Exm. presidoule numero marcado pelos estatutos de 5 de Ce-
daquella pruvincia. | vereiro de 1847, j se ach bxcadido com
Dito.A' niesma, intoirando-a de haver mais quatro urphilas.
aiiin i-. i., aiiinaiirii.il c i n mal I a n I das Dito. A' a il ni i n I-i t I.I r.ln ll I pa I I1 i III (III i I
armas a mandar elTecluar o cunlratu, que dos orphSus, dizendo ficar inteiralo de se
preteode Cazero paisano Clememino Jus haver despelidido na obra da lalrina do col-
l eni.ui ir, Gomes, para c. iar no exercuo legio dos uJVJhSus, alm da q janlia em que
i" i mi i annus medanle a gratillaarjao de loi oreada pala repaiticflo das obras puhli-
170,000 rs_. que lhe sera paga pela maiieira cas, a somma de 300,000 rs., e que para a
ja oslabelcida.-.'Veste seulido olliciou-seao conclusSoda mesma obra se Caz necessario
cuinmando das armas. gastar mais 150,000 rs e declarando que
Dilo.Ao cnsul de Francfort, remellan- approva o accrescimo da referida obra.
PAlVTIDAa DOS COBRIIOI.
olanna e Parablba, is segundas e sextaa-
felrai.
io-Grande-do-Rorte, todas as qulntas-feiras
ao mel dia.
aranhuns c Bonito, i 8 e 23.
ba-Vlata, e Florea, 113 e 28.
Ictoria.s qulnlaa-feiraa.
linda, todos os das.
JfOTIOIAfJ III1UNOIIBAS.
Portugal.
Hespanba
Franca ...
Blgica...
Italia....
Al. ni.mi a.
Prussla ..
Dinamarca
17 de'Janr.
11 de dito
de dito
3 de dito
4 de dito
ide dito
5 de dito
I .l.iiii..
Un..i i... 30 de Drzb,
Austria.. de Janr,
Suisaa. .. 3 de dito.
Suecia... 3l de Dezbr.
nglaterra 8 de Janr
K.-I nidos 24 de Dezbr
Mjico... 59 de Novbr
(alICornla 20 de dito
Chlll. 2 de dilo
i nen.K-\. 8.le Novbr
Turqua. 29dedito jMontevideo lOde laur.
CAMBIOS DE ) DE TIVIBIIHO.
Sobre Londres, a 27 a S7 '/, d. p. lf
Pars,
Lisboa, 90 por canto.
META El.
Ouro.Oncashespanholas.;.......".. 24/000
Uoedas de 6/400 velhas......... 16/ 00
deoMOOnovas......... 16/fllKI
a d* 4/1100............... 9/100
Prata.Pata cor brasilelro............ 1 920
Pesos columnarios.......... I/1 o
Dilos mexicanos............* 1/800
rivisAes. Irenes, irreligiosidade ou denravac.lo dos i dizendo que os seus incnmmodns da sada
PliralS (toSr. desembargador Villares(espirilos, urna ha, que nos tem particular-|continuam com mais axacorbaco, e p.>drn-
iSr. de-embarga lor Bastos as seguintes I, iiient-- impresianado, a indolencia do ele-jilo ser dispensado do exercicio de veriador.
do a porlaria que devora servir de passi-
porte na viagem, que S. S. pretende Cazer a
Europa no vapor iiiglo Teciot, e approvan-
do provisoiiamenie a nomeaeo, queS. S.
conleiio ao Sr. cnsul da Prussia, Fernn-
TRIBUNAL Di HELAC.O.
SESSAODEjlO DE FEVEREIflO DE* 18.
Presidencia do Exm Sr. conselhHro Aieoedo.
As 10 horas da mantilla, estando presentes
do Bellenot para o substituir no consulado os Srs- desembargadores Villares, Basloa,
de Francfort durante a sua ausencia, de- l**o, Souza, Rebe lo, Luna Freir, Pereira
vendo o uomeado apreseutar o imperial be- Mouloiro, e Valle, Callando com causa oSr.
noplacito no praso de tres mezes emitidos desembargador Telles : oSr. presidentede-
desta dala. clara abena a scs>:3o.
Dilo.Aojuiz relator da junta de justica, Foi l'doem mesa um olTicio do Sr. da-
traiismillindo, para ser relatado em sessao emhargadur Gomes Ribeiro, participando
da mesma junta, o processo verbal lulo ao que estiva no gozo de dous mezes deli-
soldado do quarlo lial.iln.lo de a. lunaria a cenca
pe, Clirisluvuo Carlos Muniz. -- Commuui-
cuu-se ao coinmaiido das armas. ,
Diio.Ao director du arsenal d guerrs,
concedeiido a autunsacHu que padio para
despender a quanlia de 32,000 rs.com a
Compra de 4 arrobas decauoda linho de
tres polacadas e m i i de grossura pata a
factura du ulto paros de tirantes com casso-
JULGAHEKTOS.
Aggravante, D. Mariana Josquina da Con-
ceigao Moreira ; aggravado, ojuito.Na-
g-u.i ni provimentoao aggravo.
Aggr.vante, Jos Mauricio Teiieira de Al-
buquerque; aggravado, Miuoel Elias de
Muura. Negaram provimenlo ao ag-
gravo.
netas, de que necessila o parque existente Agravantes, Antonio Hiplito de Vercosa e
naquelle arsenal.-luloirou-se a thesoura- .utru 1 aggrvado, o juizo.
Negaram pro-
na'de Cazeu n. I vin,,,nlo ao aggravo.
Dito. A'admini dosurplilus iiiteiianJu-a, alim .le que Caca lros '> aggravado, Diniz Antonio de Morsas
constar ao director do collegio dus urphSus e s'lva. Negaram provimeulo ao ag-
de liaver delen lo em vista de sua informa- B'syo
c/io o requcriinenlu em que Auna do Reg ApjiHllanle, ojuizo ; atipllado, Manoel Ro-
i; i'in. .r i que seus fi.hos Sergio.Julio, dr'gues Fer aira. -Msndaram a novo jury
e l.auniiio coulinuem a pennauecer na- Appellante, o juizo ; ppellsdo, Aulomo
queilo cullcgio alo cuiiclu pellacOes em que .silo:
Apellante, ojuizo; appellado, Manoel Fer
reir Freir.
P'ssaram do Sr. desembirgador Baslos
Sr. desembargador LeSo as seguinles ap-
llagfles em que s<1o :
pellani.-, a jasuca. j appclla lo, Jos de
Araujo Lima,
pellanle, Antonio Luiz Goncalvos Ferrei-
5i appellado, Fiancisco do llego Barros
i Lacerda.
Appellante, Jos Goncalves Torres ; appella-
dos, Mana da Assumpco da Silva Motla
B nutras.
Pass iram do Sr. desembargador Souzi ao
Sr. desembargador Rehallo as seguales ap-
ipella^Oas emsSo:
Appellante, Joaquina M iris do Espirito San-
io: appellado, Manoel Claudio deljueiroz.
Passaram da Sr. desembargador Valle ao
Sr. desambargaJor Villares as seguintes
appi'll.ieiV'3 n ii que sao :
Apuallante, Cahiiel Antonio; appellados,
Franeisco Antonio de Olivera & Kilrios.
Appellant", Jos Feij de Castro Mello;
appellaln, Antonio Duarle Bozerra.
Appellanle, Francisco Jos Duaite ; appella-
dos, Joanna Mara M I e oulro.
Appellanles, Manoel, Guedes Condim o sus
ui illi t ; appellado, Francisco Cavalcanli
do Albuquerque Mello.
Passaram do tt, .esambargador Luna
Freir ao Sr. desembargador pereira Mon-
teiru as seguintes appellacOes omqucsSo:
Appellanle, Antonio Bernardo Ferreira ;
appellado, Joaquim Ribeiro de linio.
oisruniuiroE-;.
Ao Sr. desembargador i.uio as seguintes
appellscfles em que s9o :
Appellautes, e a apella.lo-, l'r.ui.'iseo Anto-
nio da Silva Cavalcanli o Antonio da Silva
Ferreira.
Ao Sr. desembargador Souza as seguin-
tes i.ppellai.'ii s em que sSo :
Appellanles, Manoel Antonio Dias, sua mu-
Iner e oulros ; appellado, Joo Francisco
B-lm.
Ao Sr. desembargador Pereira Montoiro
as seguintes appellaeoei cm que s3o :
Appellanle, o juizo ; appellado, Manoel Jos
Vieira Braga.
AoSr. desembargador Vallo os seguintes
recursos em que S3o :
Recrrante, o juizo; recorrido, Francisco
Ignacio Peixol) Flores
l.evanlouse a sessSo a 1 hora da tarde.
ro. Ah ilizia S. Bernardo, n.7o se dtve ma dizer tal opooo, tal a sacerdote; porgue Ao/e|lir.> da 1828.Inteirada.
o tacerdote he cem Ma pe'or que o povo.t Outro de Miguel Felicio da Silva, dizendo
Sem avancarmas tanto, como o Sanlan.lo poder tomar pa te nos Irahalbo. desla,
doutor, qua pan isso linna toda a utori-icamara, por subsislirm anda, com aug-
dade e rasiln, po'que niutivo nos iiio llave-j mani de uutros mais serios, os inrommo-
mos de qucixar lambem do silencio o inacftotdos da saude que no anno da 1850 o impe-
do clero quan lo a religiao he 13o for tomen- j di rom d'entrar nessa exorc icio.Inteirada.
te atacada pelos costumes ? Porque ras3n| Oulro do juiz do pazem exercicio do pri-
se ha de elle prestar enm tanta Cacilidade aj rueiro dislnrtu dos Afogadns, aliancanda a
iniencOes e vistas manifesiarpeuto despie-.'idoneidadede Manoel Jus Mau'icio de Sena
do-,-k, para n3o dizermns imaias? Deise-I para o cargo de escrivflo du mesmo juizo,
mos, porm, as nossas reflexAas n'esle pon-jem etljo ejercicio ja se acha omito lempo.
to, o com o epilheto de fantico e prosaico! Mn lou--e passar titulo,
que ellas nos hSo de ter grangealo da par-j Outro do juiz do paz do segundo dislricto
PERNAMBUCO
raro.
II i,' M DO DIA 11.
FOLHTIM.
ou
mEmofiAs de um marido.n
(ron eucenio arjE.)
XXXI.

Segundo a necessidade dos fados, continua-
re! a ajuntar aqu as ditfereutes cartas de Albi-
na, c prossigo a iranscrlpco ile ineu diario :
Nouembro de 1828.
Perguntel antea de lioolem a Albina, se que-
ra vollar tara Pars: respuudeu-ine:
Como llieapprouver.
E se nao me aprouvesie rollar l mais,
repliquei cu, passarias o invern eui Hioal-
llre.
Perfritamenie, respondeu-me ella, estou
j acostuiuada com a vida que aqutpassatuos;
ulna inudanca me seria desagradare!.
Finalmente de hoje cmdiante minha felielda-
de est firmada, allingl ao liui que desejaya.
Eeste successo comprel-o por|venlura custa
da felicidade de minha inulber? Bem looge
disso, pelo contrario, ella le acba muilo feliz i
i.ads mais pede.
Demais, que poderia deiejar? Xenho deien-
{') Vide o Diario n. 35.
Ollicio.Ao i'iinim m lo i .is armas, para
man lar dispensar do servico do destaca-
mento o i. nvau escripturano da tnesoura-
ria de Cazenda Jo3o Jos Lopes, visto Cazer
falla aquella repzcalo.
Dito.--Ao me. un, inleiran lo-o de haver
transmitido a rrpai tiein da guerra o msp-
ps deinonstraiivo do numero de morios no
hospital regimenlal desla provincia, du-
rante o segundo semestre do anno passado,
e o eslatistico dos duentes trata lo* no mes-
mo hospital em o quarto tretnestre do refe-
rido anno.
Uilo,Ao mesmo, remoliendo para terem
o conveniente destino, os desertles Joa-
quim Salasar Rodrigues Porto e Jos Fran-
cisco Braz, que Curain enviados pelo desem-
bargador chefe de pulicia.
Dito.Ao mesmo, prevenindo-o de ter
t'ansmillid a repartigo da guerra o map-
pa demouslralivo do estado da cavalhada
da companlua lila de cavallaria, os da Tor-
ca dos cm po, em guarnicSo nesta provin-
cia, e da ollicialidade das differenlesclasses
duexercito aqu existentes, bem como a
copia das ordens do da publicadas naquel-
le quarlel-general ludo relativo ao mez d
Janeiro ultiroo.
Dito.a' thesouraria de Cazenda, exigin-
do com urgencia urna relacSo das freguezias
da provincia com declarado, das que se
acham vagas.
Dilo.A' mesma, inleirando-a de haver
auluiisado ao marecbal commandante das
ar nas a mandar cffeetnar o contrato que
pretende fazer o paisano Jo.lo Ribeiro da
Moita para sorvir no -exercuo por oiio an-
uos mellante a gralilicaefio ile 150,000 rs.,
e r. i. .ni ii .ti lano que mande pagar lo re-
ferido paisano a mencionada gratificacilu.
sendu 50,000 rs avista e o raslu em presla-
ei'i-s iiieusa...-. de 10.000 rs. Nesle sentido
ulliciqu-se ao mesiijo marechal.
Dito *o major encarrag lo das ob-as
jury.
Vulvidu ii.-II lio nidia alto gia-l poS.IVel V guato
du bem estar e da calina ludolente que a ...li-
lla., d ; leudo asaiguado nella iaoll'ensivassen
sualidades, laes como o amor das flores e da
golodice, verdadeiros peccados de freirinha,
cujo correctivo he um i devoco quaii machi-
na! pois iiii suas pi ai.: i.. Albina nao v seno
um modo de matar o lempo, e islo he tudu
quanto quero.
Um seutimento religioso mais espirltualfsa-
do terla lalvez lancadu minha mulDe^eiu um
desses mystlclsinos ardeDtes que cresccm na
soli.lio. Ora, o inysticlsmo gera quasi sempre
ferveotes pensaineutos de amor, de amor celes-
te, he verdade mas emnm o coracao que o
sent agita-se, penurba-se, InQamina-se mul-
tas vezes, como se se tralasse de una palsao
terrestre. E nesse estado de perigoia esalta-
c.io, pode fcilmente vultar-se para uina crea-
tura.
Porm nao tenho que temer nada disso da
parle de Albina; ceriaueote ella ooera dota-
da .1.- uina grande vivacidade de espirito, po-
rm quaoto mais se babilua com o nosso mudo
de viver, lano mais seu sangue se engrossa,
tanto mais sua vootade se alrophia, tamo mais
se torna completa sua iudolente subordioaco
a ineus menores desejos; be Uio fcil, lo coin-
modo confiar a outrciu o cuidado de pensar, de
querer por nos!
Dlsse un poltico, nao sei qual: O melhor
mel de escravisar os povos, c de tirar-Ibes a
menor velleldade de critica ou de revolta, he
embruiece-los pela superstlcao, e adormce-
los em una certa satisfaca dos apetites mate-
rlaes.a
No ponto de villa da realea conjugal, nona
Appellante, o juizo; appellado, Marcelino
Jos de Almeida. -Maudaram a novo jury.
Appellante, Jos Antonio da Costa ; appel-
lado, Francisco Manoel Je Carvalho Cou-
to. Confirmaran)a sentenca.
Appellante, Alexandra Joaquim Sityro |
appellados, o curadur geral e Domingos
Barboza Rodrigues.Confirmaran} a sen-
tenca.
Appellante, Jos Francisco Goncalves ; ap-
pellado, Francisco de Miranda Leal Ser.
Confirmaram a senlenga.
Appellante, Antonio Joaquim dos Santos
Audrado ; ap ella.lo, Joaquim Mondes
Freir.Coulirmaram em parte e refor-
maran) em parte.
DILIGEKCUS.
Appellante, Jos Alcxandre Correia de Me
uezes ; appellado, Antonio Fenoia l.us-
tusa.Maudaram com vi^ta aoSr. desem-
bargador procurador da coroa.
Appellanle, o juizo ; appellado, Prxedes
da Fonseca Coilinho.Maudaram habili-
tar os herdeiros do appellado visto ser
falecido.
Appellanle, a prela Msria por seu curador;
apuellada, Mariana Augusla Munleiro de
Mello.Msndaram com vista ao curador
geral.
Appellante, o juizo; appellado, Joaquim Ri-
beiro Puntes. Manuaram com vista au
curador geral e ao Sr. desembargador pro-
curador da coroa.
Appellante, o juizo ; appellado, Jos Gon-
calres do Paco.Msndaram com vista ao
curador geral e ao Sr. desembargador
piocurador di coroa
i.. 3ii.-.ii,iii:s.
Appellante, o juizo ; appallados, Francisco
Joaquim AUes Rodrigues e .mu o.
Appellanle, a lazenda; appellado, Jijo Luiz
de Albuquerque.
Appellanle, o |uizo de ausentes; appellado,
o D. AbbidedeS Benlo de Olinla.
Appellanle, Manoel Ignacio de Avilla;ap-
pell .do, Ju3o Vieira .la Gunua.
I" '- i i r ^t^-sgms^mzm
11ECIFE, I DE FEVEREIRO DE 1852-
AS 6 HORAS PA TaltnK.
ntTBOiprcro sebanix.
Principiaremos hoje pela fosla de Sanio
Amaro das Salinas, que foi o objecto da
dis'raee.io e n ri rio do povo desla Cl lade,
e seus arredo'es, no dia 8 do corrala ; e
como n3o conviene ao inloresse uos devotos
do Sanio quo o religioso passatempo losse
decuria durac3o, prolongou-se ene al o
da 10, cuja noite foi proeucuida p-la lira-
da da nan ir ira, lendo-o sido a interino lia
pelo fugo de visla, que, segundo infunna-
co -s,' niais guapu nSo poda estar, de cou-
liiiilllila.leeii.il a Costa.
Na madrugada de 10, a ainda por occa-
siSo do referido Cogo, deu um iudivi luo,
que nos disseram sor vago-mestre do nono
li iiaiii.io de Caca dores, duas bayoneladas um
outro .le nuil:.- Manuel Filippa de S. Ti deque estaescapuu sahiudo apenas fondo
leve,rente, e laudo sido aqualie preso pela
aulorldade policial do bauro. Eis um dus
bons Crudos, que quasi sempre se colheui
das nussas Cestas do campo.
Pouco salisffJHos os devotos cavalleiros
com a Cesta desauto Amaro 13o compnda,
COI o-', lillliuni'i.iila, en r ni no.en, a do
revulsivo e sempre appreciavel SniGoncalo,
paia o da de auiatilula ( 15) leudo-se levan-
tado a bandeira em a noila do da ii, o da-
vendo as intermedias sor precnchidas por
novenas.
.Val se pode deixar de lastimar grande-
meiito a maneira faoil a desrespoitOia, i u
que vil sen lo tratada a religi3o em uosso
paiz, n iu faltando mesmo quem com o
mullir despejo procure conveiter os seus
actos em objecto da puro direrlimento pua
un e de e-p. ral .e iu para outros. Clieou
o lempo, em que os Sanlus merecedo es de
novia vrnraean, s.lo a apellidados, coinu
certas drogas e medicamentos, cun o po-
tico esitbeto de revulsivo!, e em que as s ias
IV.slinii ..les s seivem de lisougear a visla
e os oulros seulidos corporaes, levando-aa
Ija a Cisnqueza ao ponto de sa nSo procurar
um> ain>oiac3o de saiiti.la,de exteriur de que
sempre se valorara os hypocntas e supers-
ticiosos.
No mrio de innmeras causas, que nos
parre :m ter concorrido paia este estado de-
ploravel e funesto, em quo os bons cidaddos
e os rerdadeirus calliolicos cuucluem cum
lo la a segurauca da uiulliplici lade espan-
tosa das leslas para o cu molo da m liil'e-
osaaHBan*
le dos htteralos e chinantes da philosophia
da rpurli i, voltemos nnsss humilde tre-
la, que outros mais habilitados do que nos
Inii ii i snlua si a continuado dellss.
Na segunda Ceira 9 do(correnta enlrou
dos portos do norte o vapor S. Sebasti&j,
leudo deixado tolas as provincias em paz
e sem maior novi lade. No Para appareciam
alguns casos de febro amarella, o alero do
outras mo'cslias, que com a careslia dos
gneros alimenticios, fla*elavatn os seus
habitantes. No Maranh.lo anda solfil es-
cndalos II allaques a S'guraur;a iudivi la I,
que D'OS permita gail.'algu.na cous cum
o exornlo da pena da ^morio execulada, ali
no purluguez Antonio de Oliveira. .\a Cea-
ra cunlinuava a maldita febre a fazer es-
tragos consideraveis em varias localidades
A ai. -n na da primeir sessSo do jury
testa ci lade, annuiiciada pira o da 9 du
crrente, mo poda venfiear-ss pela falta
do couiparecimento dos Srs. |uradus, flcan-
lo por issu transferida para o di i II etnque
cometTeito levo lugar. Foram apresentados
pelo juiz preparador para serem julgados II
procrssus de reos prezos, e I da aliancado,
paraca pois que a maquina procassinte an-
Lu ife-ta ve/, mais Dgeira. Tamos oU'ldo
algins juialos multados queixaiem-se do
desuzo, em que lio da preasa cabio o ait.
330 do regulainento de 31 de Janeiro da 1842
que impoaaos juizes muuicipaes a obnga-
^.lo de -o i iu11 iai ns editaos com os nouies
dos jurados aossub lelegados, para que es-
tes prucadam as nec issanas notilicaves, e
i",mi uilo uiuito just i estaqueixa, n3u sa-
bemos todava a quem attnbuir a revo^a-
Cilu tacita do citado artigo, se aojuiz pre-
parador ou os subdelgalos do tormo, o
por tanto o Sr. juiz de diieito l se naja
com osseus subordinados.
O calor u achuva veiita'am alternadamen
la os habitantes de>ta cidade durante a se-
mana linda.
Entraran! 16 embarcacos o snhiram 12.
Rendeo a alfandega 84:399,-20i rs.
tropos corlou u lio da vi la a 50 pessois:
4tDvresc6 escravos; entro a qu lias 13
nomens, | j mullieres e 16 prvulos, entre
estas 1 lio em, -2 mullieres e 3 prvulos.
CMARA MUNK IPVL.
I.i SESSA'O ORDINARIA, DK 3 DE FEVEflEI-
Ito DE 1852.
Presidencia do Sr Uliviru.
Presentes os Sra Mamola. GarneiroMon-
teir i, Franca, e'Figuoiro lo, fallando com
Ciusa parlicipida o Sr. Barros, e sem ella
os mais Srs., abrio-sa a sessilo, e foi lida e
a, ... i s.i.11 acta l'antecedenle.
Foi lido o seguate
EXPEDIENTE
Un ollicio do Exm. presdanlo da provin-
cia, coin.nonican.io em resposla ao d'asta
cmara de 13 do Janeiro ultim i, ter em 22
do dito m-z declralo ao jai', da paz do pri-
meiro dislricto da fmguezia do Poco da Pa-
nolis, que nlo devo o sou escnva.i conti-
nuar a ac:umulr oexarcicio do escriv i do
segundo dislricto, vi-to que pelo regula-
mentO n. 798 da 18 da junho do auno pas-
sado, cumpre qua haj um escriv3o do re-
gistro dus n is i neui. is e obtidos em cada
dislricto.--Inteirada.
Outro do mesmo, aprovando que ora so
da mesma freguezia, no mesmo sentido do
anterior : qua se Iha resooiidagse qi,e lando
sido approvado o oscrivSo por elle proposto
para o primairo d-stneto da referida fre-
guezia, o nao poden lo o mesmo individuo
servir dous locares, proposesse um outro
cidadSo.
Oulro de Francisco JoaQuim Machado, pir-
ticipandu tor ntralo, no dia 21 de Janeiro
ultimo no exercicio di juiz de paz Uo pri-
meiro destlelo da freguezia da Varzea, do
Coufu.midaie com a suluclo dada pelo
Exm. presidente da provincia a duvida pro-
rosla pelo juiz de paz do lerceiro anno do
mes u destrioto, fundada na disposi(fio do
art. 6 das Insti uc(0as de 13 de dezembro de
1832.-luleirada'.
Outro de Jus Antonio dos Sintos o Silva,
juil do paz do segundo destricto da fregu.
(ll da Boa-Vista, propondo o cida 13o, Jos
da Ranos Corris Sele psra escrivSo do
mesmo juizo.Ad Halo.
ii .Iu. .1 o a i anu-i i a lor .I.i comilerio, re-
mellen Jo dous mil le -, 'lin rae i ijue pa-
gou a u ni iu 11 le do Espirilo Santo, paia
poder sepultar em lima da suas catacumbas
o cadver d'um seu irmSo, que se refere
a guia sob n, 1859, que fui lirada, por enga-
o, para sepultura reservada, que se remet-
lessa ao procura.ior.
Oulro do procurador apresentando o ba-
.anr i da receila e despeza municipal do
mez : j ni",!.i ultimo, e o mappa das inhu-
inacesl'itas no cemilorio no mesmo mez.
-- \ e laillll.siu ii" polica.
Oulro do vig,rio de S ./os, remetiendo o
mappa dos balizadas fulos em dita fregu- -
zia, nosemeslro de corndj da jullio a de-
z-mbru do anno lin io.ue se arcllivassc.
Leu-so e mandou-so inlormar com o oc-
Corrido, a prlieJuvinda da presidencia de Jo-
seGjines da Fonseca Piotesla|pediudo queS.
Ex. ni i ii la...) a cmara marcar-lne um pra-
10 razoavcl para a reo lilicaclo da suas ca-
sas de luios, na puvoacUodo Munleiro. DdO-
sa piiu apio o apurar iu ^eral dos volos pa-
ra depotaJos proviiiciat'S, e apenas podo
apurar-so a aulliautica do colleglo desla ci-
dade.
Despacliaram-sa as petices du J .ao Anto-
nio Carpiuteiro, Jlo da Costa lljurado, Ma-
nuel Joaquim Ferreira, Zefennu do Lemos
Cavdlcaiite, e levanlou-sa a S ss3o.
Eu Jodo Jo*c Fe reir da Aguiar, secreta-
rio a so ns to.i Oliveira, presidente. Ma-
uiede. Franca Carueiro Mouleiro. Bar-
ros -Figueiredo.
2." SESSAO ORDINARIA DE* DE FEVE-
llEllti) DE 1852.
Presidencia do Sr. Oliveira.
Presantes os Srs Barros. MameJe, Car-
u uro Munleiro, Franca, o Figueire lo, fal-
lando cum causa o Dr. Moraes, e sem ella
o mais genitores, abrio-se a sessSu, eCoi
i Iioa e appruvada a acta da anlecedenta,
Couluiuou- a apuurac3o garal dos votos
| para depulados desla provincia, e foram
apuradas as autbeuticas dos collegios de
tiiunla. Iguarass e Joiana.
Assiguou-se um ollicio para o Exm, pre*
sideulo da provincia, podindo o regula-
manto do soivqo das carros fuiebres.
Desoacharam-se as peiic,0es de Candida
Sannoria Vieira Lisserre, Jos Vasques,
esenpture e clM.lt.que, como despeza oven- ^">'i""" Antonio dos Santos Andrade ; e le-
lual, a i iiportanciadasquaiiliasqueirregu- VJiiloii-se i seasau. ___.,,
larmeole se desoen lera,',., su n escnplura- tu Juao Jos terreira d'Aguiar, secret no
c3o, nemcliM0e.elo,d-Urmin.alo,que 1^"^^""***-.!!!!!!$
ua verba a fazer-sa se deciao lulo o qua
occoirer, e da hura em diante seu.lo laca
uulher he o uossu vasaallu, o uusao povo pa
nos ouirus os uiandos. \ssim creio ser eicel-
lenie o referido uiethodo^e o ponho em pra-
tica.
Desafio a qualquer creatura que srja mais
feliz do que eu ; minha saude vulta; a agricul-
tura, o mil liiiraiiieiu.i de iiiu.li... trras be pre-
seutemeaie para uiim urna paiao de man .ebo;
minha iolelhgencla progride de m.....mi sur-
preheodedor, eiu todos os ramos de novos co-
uhecuuentos que me convinadquerr afim de
reunir a Iheoria pralica ; minlia inuiher he o
que ranviulia que fosee, para tniaha ventura a
minha seguridade ; ella Irata-uie com o maior
.Ii.vello, falla pouco, escuta-rae sem loterroin-
par-ine, rlgia a iniulia casa e ott'erece sempre
uuuha vUta o mais auiarel e o mais gracioso
ru.np.i3i.i, sufficieute para Impresaionar-me
cradarelineate os olhos, por.u oo bastante
ppelitoso para dar me a menor velleldade de
desviar-uie da prudente e glacial reserva, que
me teoho Imposto.
Novembn de 1828.
t.umeco a durldar da uillidade desle diario,
lio ii au.prenle be a vida de Albina.
Aluda i.... achei que cooalgoar aqu urna ob-
servaran, um acto que tenha dado lugar, nao
direi a urna suspeiu sobre ella, mas que teaba
provocado em miin a mais leve aorpreza e me
teaba levado a dizer t
Porque disse ella isso, ou fez aquillo?
Posso dizer a mesma cousa da minha precau-
e.io de ler dado a Albina urna criada de minha torna,
confianca.
Madama Qlaudla, a quem tantas vetes tenho
interrogado, confirma em lodos os pontos a mi-
nha creuca.
.i i.i, |....v dizer a uieu amo, que elle itd
saiba lao bem quanto eu, disse-me ella lti-
mamente ; au recolher-se pela tarde, est a
seubora nielo adormecida, e me diz: Depres-
sa, ni i .i 'i.i chara madama Claudia, dispa-me
que estou morrendo de somno ; e mal tein a
caneca sobre o travesseiro.,.. entra a dormir
cumo una bemaveuturada. Pela inaulia,
quando vuuacorda-Ia, suas primeiras paUvras
sii.ii'.iii: Como! j sao nore horas! deixar
j o meu leito onde etu lo bem 1-, a noite,
quando se aprompta para jamar: Acabe
com islo, madama Claudia, o passeio deii-uie
um apetite derorador, Eis pouno mal) ou me-
uos a que se llmliam as confidencias Ue minha'
ama ; asseguro-IDe seuhor, que muilo emb.ua-
cada se senaria rila pai a fazer outras ; por tres
ou quatro rezes se tein apagado uoite a Iu.
do quarto de iniuha ama oo veudo mais clarl-
dade por balso da porta, leiihu-me levantado
para Ir accender ouira vez a vella, e tenho en-
trado no seu quarlo seiu.que ella a preaeulls-
se. Ah seuhor, que ro.tu pacllico, que sum-
uo profundo e calmo, dir-se-hla o suiuno de
um lufaote que todu o dii livesse passado a
rorrerea brincar. Finaliueule, lile digo que
deve aqu acnar-se Celia. Feliz como urna
pessoa que dorm: a somoo profundo, miuna
chara madama Claudia, respoude-me ella.a
lespezaalgumaseii a nacessana escripiu-
rae.'i.i, q:i r tal despeza importa xcesso da
verda respeclira, qier n3u se aclia compra-
hendida em n-iiii una das ve has do oica-
inauto cumpnn lo qua no primeiro caso
seja semure levada verba propria, em ho-
ra fique Osta excedida, e nu 2o seja lauca 1,
na cifra das eveuluaes : inleirada, e inan-
lou-se remelter copias ao procurador, e
contador.
Oulro do chefe de policia da provincia,
e mi ui o ni -aillo ter por ullicio de 19 de Ja-
neiro ultimo mandado entregar ao procu-
rador .1 su cmara a quantia de 185.000
rs. importancia da mulla, que por iiitVaO-
edesdo regolamenlo n t2Uda3l dejaneiio
de 1812, iinpusera au. 13 eslrangeiro. cous
lames da rolagilo que remetlia; qua se com-
inunicasso a contadura.
Oulro d Jo-e Maques da Costa SoireS,
' aaaaaaaaaaaaaaa^aaaaal
Albina tem rasan, ella dorme, equanto mais
se proltnga o somno, tanto mais profuudo se
llo,$mbro de 1828.
Noto aqu para memoria um facto dos mais
laiigniucAntei; mas sao Uo raros os factoi,
que os meouies me l'azem laipressau.
Noto, digo, que nuuiein Albina, pelo que me
.|i.,r madama Claudia, em vez de ir un., i a
carro, nao obaiaue o lempo de estar lacerto
loi a p, e sem mesmo esperar pelo criado que
ordinariamente a acoiupanha.
Esta muir, ni j un u, disse a minha mulher,
seu; parecer ligar a menor importaucia a esla
quesillo :
II niiriii foi inissa a p ou a carro, que-
rida amiga ?
A p.
Equem a acompanhou? Foi o pregul;o-
so J os.'
Minguem me acompanhou, meu amigo.
i Porque rasflo I
Quando descl, nenhuui criado ae achara
no vestbulo.... uo quir lomar o trabalho de
voltar casa para insudar chamar alguem, par-
t a.
Vejam a preguicosadisse eu sorrlndo
Para ouira rea querida a.niga, nao sala assim
s, he un. imprudencia; o canutillo he iao'a-
do daqui para a aldeia; poderieis encontrar
alguui bebada, umcao inolevolo, mi ouira qual-
i[uer cousa, e terieis um inedo horrivcl ?
Tem raso, charo amigo ; mais prudente
he sahir acompanhada.
A resposla de Albina, o seu ar, o seuaccenlo,
tudo tiuba o cunho de tal slncerldade, que cu
nao terla notado este facto a nao ser a rerda-
delra falta em que estou de observades mais
importantes.
Ao cabo de ludo, he bom nada omitllr ; mu-
tas veiei chega um da, em que as obserracoes,
Franca.
3.' SESSAO ORDINARIA DE 6 DE FEVE-
i.l i i,i i DE 185-2.
Prendencia do Sr. Oliveira.
Presentes os S ro Munleuo, Franca, e Figueiredo, faltan-
do con causa o Sr Muraos, eseui ella os
mais sonhores, abno-so a se-s3o e fui lida
e appruvada a acta da autecadente.
Contiuuou a apuraran dus vol.a para de-
pulados provinciaes, e foram apuradas as
auihanlicas los coliagios de Nazirelh, Ca-
bo, Pao d'Alho, Serinhaem, Rio Formoso e
Limo uro.
Despacharam-se as palenos de Caotano
Piulo de Veras, Estevlo das Cnagas, Estev.1o
los de Barros, Flix Jos da Fonceca, Ju3o
Piulo de Queiioz, Joaquim Jos d'Abroo; e
levaiilou-so a sess3o.
Eu JtiSo Jos Ferrol'! d'Aguiar, secretario
a sobscrevi. Oliveira presdanla.Barros,
i_. _____-aa--msmmea^mms^mmmm
Insignificantes em apparcucia, adquirem gra-
ridade.
8 de deumbro de 1828.
O Incidente da sabida de albina, como eu o
esperava. nao teve neuhuin resultado ; todas
as rezes que ella vai mlssa a p, se tem feito
ariiiiip.iuli.il' como era de costme.
Janeiro di 1829.
Nada, grande calmara. Felicidade perfeila.
Ha dous iiiii, eu poderla escrerer estas pa-
lavras cada dia.
Albina engorda a olhos vistos ; o que come-
fa a prejudicar a elegancia de seu talbe nada
mais que lato faltara a iniuha mulher para lor-
na-U completa (no poulo de rlsta em que euoa-
ro o casamento;, porque sempre tire horror aa
mulheies gordas.
Demais. Albina quadra-rae sempre maravi-
lliosaueute; comeco a senlir, quaola falla ella
me haria de faier, aem durida meuos pur cau-
sa do que he, do que por cama de suas virtu-
des negativas.
Ouaulo ou feliz, meu Dos! quanto sou fe-
liz.,... lo feliz que qulzera poder reflecilr so-
bre alguem o meu recooliecimento por tanta
felicidade ; mas se bem que minha modestia
sotfra com tsto, sou obrigado a dar gracas a
iiiiiu mesmo, de baver tao intelllgeuteinente
preparado e assegurado o ineu fuluro.
25 de /eveovi.o.
Calmarla completa, lelicidade continua, mas
grande accoutecunento para o pais de Lilliput.
Recebi bontem a risita de nosso prefello, ac-
liuluieute cm gytu elelloral.


npB9*?
m*m

Mimede.CirneiroMonletro. Figueiredo." Ao delegado de Peo d'Alho.Illm. Sr.
pr(DCi Tendo ja deolirulo a Vmc, em meu ofTIcio
4.a SESSAO OBDINARIi. DE 7 DE FEVE- .de 30 de deiembro ultimo, quanto Vmo.
1IEIH0 DE 1859. dovi praticar am de fazer desvanecer no
Vreiideneia do Sr. OUveira. povo ignoraote e illudido as falaas impres-
Presenles o S'g. Barros, Carneiro Mon- aflea que se lhe lem inculido contra o de-
tejro, Franca e Figucirodo, faltindo com creto de 18 dojunho do anno prximo pas-
ca usa o Sr. Moris, esem ella os mais se- sido, e havendo assim respondido em iddi-
nliores, abri-se a sosslo e foi lida e appro- lamento ao meu da 2* do mcsmo mez, ol-
vaJa a acta da antecedente Concluio-se a ci que Vmc. me enderessou na mesma
apurarlo dos votos para depuladoa provin- dita, signiflco-lhe agora : primeiroque me
ciaes as tros botas da tarde, resolvendo a aclio na posso do seus olllcios de 29 de de-
cantara qu so li/.i'ssu a soinmi-dos votos zembro o do 1.* do crrente, e que este
na sessao seguinte o levantou-se a sessiio.I ultimo foi levado aoconhecimento do Exm.
Eu Manoel Fereira rAccioli a escrvi no presidente da provincia, am de que ella
impedimenta do secretario. Cliveira, pre-' baja de dar as providencias que entonder
sidente. narros. Maniede. Carrneiro' convenientes, visto que pelas clrcumstin-
Monteiro, Figueiredo, Franco, cias ahi ltimamente occorridas parece
5.' SESSA'O ORDINARIA l)E 9 DE FEVEREI- Vmc. mestrar que os molos suasorios e bran
BODE 1852. idos nao produzem o dcsejado effeito, qual
' Presidencia dnSr. OUveira. o de fazer desvanecer os falsas imprassOes,
Presentes osSrs. Barros, Mamede, Carnei- je as infundadas a. ivIioumVs que espirilos
ro Monteiro e Figueiredo, faltando com ciu- perversos procuram inculir no povo incau-
sa o Sr. Morana, esom ella os mais Srs. i-j to para lins perversos; segundo, que om-
brio-se a sessSo, e foi lida o approvada a ac- quanto estas providencias se nilo dSo deve
ta da antecedente. i Vmu. transportar-se ao lugar em que appa-
Ullimou-soa soinma dos votos pora depu-!receroin os amotinados procurar por tolos
lados pioviuciars, e passou-se a escrevor os os meios quo lhe sugerir sua possoal influen-
nomes dos volados pola maneira proscripta cia persuadi-los que essa decreto nao leude
nont. 86 da le de 19 do agosto de 1846. mas a deslruir alilierdade, mais pelo contrario
nao podendo ullimar-so esse trabalho, em a garanti-la, fazondo com que se mullipli-
consequeucia da multiplicidado de nomes quem mais os ttulos, pelos quaes se prova
c, achaiido-so adiantada a hora, ficou a sua I que algum nasceu livre, e porlmto quo os
cuutinuicilo para a sessao seuiute ; o le- cidadaos devem dispersar-se pacificamente
vanlou-se a sessSo, para as suas casas e deixar quo o decreto
Eu, Msnoel Ferreira Accioli, a escrivi no imperial tenlia a nocassina execucao; lor-
impodimenlo do secretario.-Ovetra presi- ceiro, que no cuso de no obter Vmo. a
denle. Barios Carneiro Monteiro. Fi- dispersSo dessa illog.l e criminosa reUMOO
gueiredo.Fianca. deve Vmc. apresenlar-se com o seu escri-
(>.'SESSA'O ORDINARIA DE 10 DE FEVEREI- vao proclamar o seu caracler, e aleando
HO DE 1852. una bandeira verde admoestar por tres ve-
Preiidmcia dor. OUveira. \ zas os reunidos para que se relirem oa fr-
Presantes os Srs. Barros, Mamede, Car- ma Jo art. 289 do cdigo cri nin.l; a quar-|Ue.V. S., come
eiro Monteiro, Franca o Figueiredo, fal- to. que no caso de nao sei retiraren, os reu-IJJg' "' "8
proferidas e contestadas por mime o dito
commandante seretiraram muito audaiea,
e com outra posicJo, porm deotro da villa
dispararan as armas como vencedoret.
Nao appareceu soccorro algum a meu favor,
quero diser da legalidado! Incluso lamben!
a copia da parle offlclal do subdelegado da
N. Senhora da Gloria. Consts-me que os
taes pardos, cabras e prelos revoltosos en-
tre sous insultantes alaridos proferirn
morram oscaiados; morram os guabirj.
i: i 11 parece que esta sublevado he de pro-
posito contra a lei dos nascimentos eobitoa
porque esta foi estipulada por urna as-oro-
bla que Ihes he desafecta ; e que este po-
vo insubordinado lem nitores do seu cre-
do. Os facinorosos se retiraran persuadi-
dos qne sao inconquistsveis, e habilitados
a perpetrar dispolisrnos nnsta villa ; pola
alm das ameicaa quo me dirigiram, disse-
ram que tinham de vir para saber da ultima
decisao. Neslo momento, repito, nesto ins-
tante a.oltimar cliegou a esta delegada- o
subdelegado de N. Senhora da Gloria com
seis homens procurando soccorro delta de-
legada, pois essa noito farain matar os es-
criviles de paz de sua freguezia que feliz-
mente escaparam ; eoslavam reunidos em
numero de 400, mais ou menos, armados
para o vircm assassinar; e que elle julga
j e-i ivni no lugar de sua residencia, e
que d'ahi veem esta villa. Dios guarde
a V. S. Delegada do termo Je Pao d'Alho,
S d6Janeiro do 1852 Illm. Sr. dezembar-
gador Jernimo Marliniano Figueia de Mel-
lo, chefa de polica da provincia do Por-
nambuen.0 dolegido snpplenle depon-
is, Porfirio da Sitan 'lavares Coutlnho
Documentos d que se refere o ojfieio eiml
Teudo us, pelos o pardos pobres, noti-
cia do papel da escravi ISo que ho|e era o
competente dia de se ler, desojamos saber
de V. S., como autondado superior encar-
ou nao verdade ; e s nos
2
eoi presos regularan de2/250
a 2/450 ra. por arroba do bran-
eo, e de ii/450 a l#80O n. do
mascavado.
embargo de tinta bebida nauseante, de I
urna meia duzia de custicos o um se I'-
nbo Ahi est por tanto satisfeilo o desejo '
d|.6bdee^;c0q'U.ntoe.t. guerra surdJ^ J^tffOPT
pode retardar o ingresso da homoseopathia Ihou-se de 81500 a 9/500 ri.
as pnucas casas, em que os aopathas ^ficandoem aer 6,300 barricas,
excrcem ainda absoluta predominancia. Pa- i Polachinba dem a 3/200 ra. por barrica,
ra obviar este inconveniente he que contl-'Carneaecca- Hoje enirou um carregamen-
nuaremos mais ou menos regularmente a lo com 6,000 arrobas, que est
publicar no Diario de Pernambuco irtigos .. *m *" ,
ob o titulo A Medico do Popo, nos quaes *" o>8o- **nm dou'
iremos dando o que de mais interessinte I
houver sobre homooopathia, e provando
com argumentos e com factosa excedencia
da doutrina, do immortal velho doLeipsig;' ricas.
d'essa doutrina destinada pelo creador para Diicontos-------Letras a trea mezei 1 por cen-
a regenerarlo physica do genero humano. ao mez, e a mala prazo a
E poslo que o nosso fim seja defender a lio-' 'rS'
mcopattiia. contra os tramas dos allopa- I Frel"------------De ""car para o Canal a 32
eram-se doua carrfRa-
mentos; sendo um de llotlon
de U/8110 a 12/ia. por barri-
ca e outro de Trieste a i(# ri.
o deposito anda por 9,000 bar-
ipro-.-
nimo, e deliberou-aequo se lavrasse a res-'possa coucorrer pira que c.im oulros meios
pecliva acia para ser assignada iiasess3o iui-. suasorios se cousiga a disperslo da reuni.lo
mediata ; e levntou-so a sessSo. nao se torne necessano o doloroso empre-
Eu, Manoel Ferreir Accioli, a escrevi no go da for? contra cidadaos illudidos por
impedimeulo do secretario.Olivoira presi-
dente. Barros.ManiedeiCarneiro Mon-
teiro.Piguoiredo. Franca.
Tribunal do conimercio.
De ordem do tribunal do commercio i u-
blica-se, para conhecimento de quem per-
teucer, que se acha nomeado e em exerci-
co, Filippe N.'iy Collado, interprete do
commercio; JoSo Cardo-o Ayres, avaliadur
dos gneros de impoi tn;.o o de oxportacSo;
e Nicolao Tolenlino de Carvalh^, avaliador
dos bens movis e semoventes, coiuprebeu-
didos os metaes preciosos.
Tribunal do commercio da provincia de
Pernambuco, 12 de fevereiro do 1852.
loaquim Ignacio de tedciros llego,
Secretario luleiioo.
Repartc&o da .Polica.
EXPFD1ENTE DO DIA 2 DE JANEIRO DE
1851.
Ao delegado de Nizaroth.Illm. Sr. 'ron-
do ja declarado a Vmc, o ni meu ollicio de
30 de dezeoibro ultimo, quan'.o Vine, dovia
praticnr ufim de fazer de-vanecer no povo
Ignorante o Iludido as falsas imprcssOes
quo so lhe lem incuti lo contra o decreto
de 18 do i o olio do anno prximo passado,
e liavondo asim respondolo o ollicio que
Vmc. me anderessou em data de i'fi, si^ni-
lico-llio agora: pnni'irn, que me achu na
pos-e doseuonicio do 31 do mismo mez,
c quo foi este ne.-la dta levado ao conlie-
cimenlo do Exm. prosdenle da provincia
ilnn ilo que baja de dar as providencias
que entender convenientes, visto quo pelas
circunstancias ah 1.1 tim. parece Vmc. mostrar que os meios suasorios
o brandos nilo produzem o desejado elTailo,
qual o de fazer desvanecer as falsas impres-
sOos e as infundadas apreliensfles, qu.0 es
piritos perversos procurum incutirno povo
incauto para lins perversos; s'gundo, que
mquanto estas provi lencias so nao do,
deve Vmc. transportu-se. ao lugar em que
apparece'em os amotinados, e procurar
por todos os meios que lhe sugerir sua pe-
mi.iI influencia persuadi-los uno esso decre-
to nilo tanda a destruir a libe'rdade, mais
pelo contrario a garanli-la, fazendo com
que se multipliquen) mais os ttulos, pelos
qjjaes se prova que algum nasceu livie, e
porlanto que os cidadaos devem dispersar-
se pacificamente para as suas casas, e dei-
xar que o decreto imporil lonha a necessa-
ria cxecuc.no ; lerceiro, quo no caso de nilo
ohler Vmc. a dwpersao dessa illegal e cri-
minosa retinlo, devo Vmc. apresentar-se
rom o seu escrivfio proclamar o seu carc-
ter, o aleando urna bandeira verde admoes-
tar por Iras vezes os reunidos para que se
T.'tirem na forma do art. 289 do co lino cri-
minal ; o quarto, que no casi da n.lo se
retiraiem os reunidos terceira aulmo"sta-
jio devo Vine, e o ineamo juiz de paz, em
vez de empregar qualquer forrea, como per-
mitte o art. 290 do mesmo coligo, partri-
pa-lo a esla reoarlicao para seu conliecimen
lo o doliberacilo. E porque a autondade
moral do tigano dessa freguezia possa con-
correr para que com outrus meios suasorios
se consiga a disperco da rouniSo o nilo si
torne necessario o doloroso omprego da for-
c,a contra cidadilos illudidns porgente iulc-
1 esseira e perversa, que os quer trazer sem-
pro em dascondanca do governo e poltica
actual para lins particulares, no posso dei-
xar de lembrar como convenientu que Vmc.
convide o vigario dessa Ireguetia a apparo-
cer no logar e explicar aos seus parochia-
nos o verdadeiro senlido do decreto impe-
rial, cuja execu;ao se promovo actual-
mente.
^lo iiiericiuuarla ai|ui algiiui.i cuui ojo m.
significante coiuo a visita de un prcfeito, ae
nao tivesse acntido umagrandesurprea, e coa-
vem dk-lo, una leinbranfa penosa, reconlie-
ebendo oeste precito a Mr. de Salol-Marie,
que, outr'ora secretario do iiiiulairo do interior,
tloha-ae mostrado Uu empeiiliado, tao obse-
quioso a respeito da noineafao dease pobre Ja-
clnlbo para o lugar de sub-clicfe de seceo.
Confeaso que acinpre que, mo grado meu, a
niinlia lembranca ae reporta a esta crealura an-
glica, ein que del um golge to fatal e topre-
coce, eaperimcnlo um doloroso aperto de cora-
co, moro aeniiinento penoso que.talvez co-
nheca do mel da felicidadc que gozo.
Teudo sabido Mr.de Saiut-.Marie quehavla
ja algum lempo que eu morava em Itlbalhre,
deaviou-se um pouco do seu camiubo, para
vir, segundo me disse, lembrar-se memoria
de um amigo couliecimeuto e pr-ae s miolias
ordena, ae podeaac servir-ine ein alguma cou-
sa, e outraa urbanidades.
Quando se annuuctou a vlilta do prefeilo,
Albina rellrou-s'e ao leu apoiento, aupplicando-
i roe que lhe poupaase a pena de receber esse
fuucciunaiio ; ella tem cada vez mais horror
gente, de tal modo que pedlo-me instantemen-
te que dluerissc iiidclinidamenlQ as nossas vi-
gilas da ebegada a al);uiis visinlios. Com o ris-
co de passar por iucivil cedi de todo o coraco
ao desejo de miaba inulher : para recabes? e pa-
ra fr casa dos outros conviria mudar al;uiu
tanto osiueus liabitos, e descarregar um golpe
?esse divino eommodo que uo he possivel seno
entre o marido e a -muliier.
Desculpei porlanto madama Dupleasis para
com o nosso prefeilo, dliendo-lbe que ae acha-
ra un pouco indispotla, etc.
gente interesseira qu perversa que os quer
Irazer samprn em desconnanca do governo
e poltica actual para lins paiticulares, nilo
posso deixar de lembrar como conveniente,
que Vmc convide o vigario dessa freguezia
a apparecer no lugar e a explicar aos seus
paiochianost] verdadeiro sentido do decre-
to imperial, cuja execucao se promove ac-
tualmente.
Ao delegado do 8'gundo districto deste
termo.Illm. Sr.Em additamenlo ao olli-
cio quo em data de hontem dirig a V. S.
acerca dos meios e providonciss que se de-
viam empregar pira convencer a classe bai-
xa e iguoraute do districto da sua jurisdi-
c3o que sao injustas, infundadas e repre-
honsiveis as preven;0es que ella nutre con-
tra o decreto de 18 dejunlio do anno pr-
ximo passado, duvo significar a V. S. que
agora mesmo cabo de requisitsr ao Exm.
presidente da provincia urna forca de trinta
pregas do primoira linha dofxercilo, com
as quaes me parece (cara V. S. habilitado a
poder ileseniponliar as funceflos do seu car-
go. Dcus guardo a V. S., ele
DEM DO DI Y 3.
AoExm. presidente da provinciaN.* 212.
\cabo de receber agora mesmo o incluso
oflicio por copia, que em data de hontem
mu endereaaou o delegado supplente do ter-
mo do Pao d'Allio, commumean lo-me que
um giupo dodu'cnlos homens pardos, pre-
los e cabras so I lio baviam apresenlado ar-
mados com o intento deseopporam a exe-
cucao do d'creto de 18 do junbo do anno
prximo passado, cere do registro dos
bitos e nascimentos; que entre as suas
vociferares appareciam os grtlos mor-
ram os guabirs; morram os Ci idos, fa-
zendo ameacas as autoridades ; que elle de-
legado se vira ohrigado para os cootor a
cnguerrilhar o destacamento no sobrado da
cmara, cnnliguo casa de sua residencia,
leudo-se ocommandanto postado com intre-
pidez a sua frente; que os chefes desse
grupo sedicioso prometliam anda voltar
para saber da decisilo linal da delegada; e
iinalmenla que o subdelogado da freguezia
da Gloria bavia apparecido na villa a pedir
soccorro contra um grupo da 400 homens
quo all baviam apparecido com as mesmas
ideias, e pretendoram matar oescrivo de
paz da rne-ma fregue?ia. declarando que
veriam villa do Pao d'Alho.
Apresenlando e V. Exc dito oflicio aguar-
do as ordens, queV. Exc. houver por bom
expedir para conter a populaca, e tenlio de
declarar a V. Kxc. para seu conhecimenlo,
quo j por olflvio de hontem, rometli.lo ao
delegado do Pao d'Alho por urna ordenanza
do cavallaria, ordenai-lho i primoiro, que
com o vigario da freguezia se apresenta-se
aos amotinados no lugar em quo estivessom
para dissuadi-lns das falsis ideas em que
sa acliain, e fazo-Ios dispersar; segundo,
que no cas > de o no fazerom, ello procla-
me o seu carcter, c intima os amotinados
a se dissolverem na forma determinada pe-
lo art. 2N9 do coligo criminal ; e lerceiro,
ijuo se tal dissolus.lo no verificar-se ella
o communiquoa esla repirlicSo para so da-
rem as providencias precisas.
Illm. Sr.II intem depola do ollicio que
ramatti a V. S. sol) numero |, pelas duas
lloras da larde roeolii um ollicio do grupo
revoltoso postado nesta villa, que remeti
incluso e a copia da resposta que Ihes dei.
Nilo convencidos do que Ibes exclareci, vie-
ra in armados, pelas quatro horas, em nu-
mero de duzentos ( ao que pareca ) despu-
lar-so comigo, enguerrilhei parte do da.-ta-
camento no sobra lo da casa da cmara,
contigua daminha rosidencia, no Bferos
comaiandante do destacamento com algu-
uias nracas se apreseutou intrpido sua
frente ; denois da niuit'S polomicas por el-

todo em m os-1 n.oi quer esla lei pojeo du-
ra, ou enlflo V. S. vor todo o povo desgra-
tado, licando V. S, obligado a ludo islo.
ii'o- guarde por mmiis annos, etc.
SebatliSo de Ateutdo lunho Silva Coelho,
Nunes Asevedo.
Ci'pia. Senhores Em resposta i exi-
gencia do Vmcs, passo a cerlilicar-lhesque
uo lia e nunca houve lei para escravistr, e
neni existo em meu poler e nem de auto-
ndade alguma papel para ler-se sobre ma-
teria alguma, no que podem estar cortse
desengaados.
Deo< guarde, etc. Delegada da comarca
de Pao d'Alho, 1 da Janeiro de 1852.-0
delegado supplente, Porfirio da Silva Tara-
res Coulinhu.
Esta conforme. O escrivSo, llenriquo
Jos Brayner da Souza Bangel.

Cummunicadu.
Scinpre achei .Mr. de Saiul-Marie um dos ho-
mens inals corlezesj o seu g*ro eleitoral nos
.....Iii'i necessariameute a tallar de poltica ;
elle he de urna violencia de oplnles natural....
a todo o funecionario dedicado a seu governo.
Nio duvidando que eu fosse do seu credo, pela
inloha ex-qualidade de passagem e de guarda
de honra do re. nosso prefeilo abno-se comlgo
de todo o cjrace. Sem comparlilhir ein tudo
a esaltaco dos ultras estou convencido que na-
da lia preferivel inonarchia legitima de que
gozamos, e tome! parte na Indignaco de Mr.
de Saint-Marie, quando me disse que os libe-
raef se agiiavaui, que as suciedades secretas, e
entre nutras a do- Carbonarios e a dos Direitos
do hontem, composta dr republicanos, tomavain
um augmento perigoso, que ellas liuhaiu ra-
inlllcacues por toda a parte, e que at se te-
o un algi'.ns innviineolos novos em Pars, ein
,yo e em algumas oulras graudes cidades;
mas felizmente disse-ine Mr. de Sant-Marie, o
governo vc-ia, e sua firmeza igualar a sua vi-
gilancia no Interesse de todos ; porque afnal,
como o disse Juitaiueote o nosso prefeilo : To-
do est ligado. A mouarchia legitima he espe-
cialmente a influencia da religiio, e a religio
uo lie o respeilo dos costumes? a salvaguarda
da propriedade, de todos os lacos de familia r
da sautidade do matrimonio?
Mr. de Sainl-Marle deixou-inc dizendo-me
que conlava comlgo no momento das prximas
fateos)! como um dos propietarios importan-
tes do departamento que podlaui e deviam, no
seuproprio Interesse, usar de toda a sua In-
fluencia para sustentar e faier tiiumphar o
candidato ministerial; as recoinmcndacxScs de
Mr. deSaint-Marie crain lio conformes comal
O MEDICO DO POVO.
Tendo cpncorrido poderosas circumslan-
cias para que nos dolerminassomos a sus-
pender a publicaolo do Jornal da Propagan-
da HomoeopalMca intitulado Medicado Povo,
sendo urna das mais fortesa dillicullade,
com que se lula nq nosso paiz para sa ob-
tor regularidado as publicac,esd'esse ge-
nero, quando o jornal nao tem urna typo-
graphia sua, entoudemos que devoramos
tambem sobiestar a propaganda pelos ou-
tros peridicos, tanto porque a homceopa-
lliia j se achava sufllcionlemente eslabel-
Iccida em loto o Norto, e particularmente
em Pernambuco, onde ella jamis podar
perder seu esplendor, como porque os Srs.
allbplthai ja so moslravam qundo nao in-
teirameute inolfensivos, ao menos toleran-
tes. Pareceu-nos que ja era lempo de aca-
bar com esa guerra furiosa, que faz a allo-
Dathiaeontra a novamelicina por nos aqu
inlroduzida, esustentada sem; tagem. Factos ulteriores porm nos tem
feto convoncer deque .mi li n3o he possi-
vel urna alllanes, ou mesmo um armisticio
entro os homcoopatlias e allopatlias. Ver-
dade he que esles nao se alrevom a apresen-
lar em publico as rasfles, em que se fundam
para combaler as ideas, que aquelles sus-
tentam ; contenlam-se cpm dizerem calum-
nias, que inventam com a maior fertilidade
para levar ao seio das familias a desconfjan-
i;i, e assim embaracar a veloz carreira, em
quo vaea homceo,'8thia, levando dianlede
si os nter, s-es dos iiii'dicos da vclh'ae cn-
runcbosa escbulla de Galeno. Para prova d'es-
sa guerra traicoeira referiremos um fado
acontecidos bem pouco teaj)po. Sendo nos
convidado para ver nina senhora rcenla-
mente doenie de homoptysia (escarrus de
sangue), dirigimo-nos sua casa ; o encon-
trando-a muilo plida, trmula, e .- n nos
poder responder as pergunlas, que lhe fa-
/.iamos, conhecemos que no era a moles-
tia a causa d'aquelle estado, e sim alguma
prevuncBo contra a homceopatliia; deixa-
mos de interroga-la e tratamos de conver-
sar sobre outro objecto at que ella recupe-
rasse o animo perdido; com eff-ilo alguns
minutos depoisappareceu-lhe a cor ao ros-
to, cessaram as tremuras, e respondeu as
nossas pergunlas ; e indagando pelo moti-
vo, que havia detorminado tilonotavel mu-
i.inei, ingenuamente nos confessou que ti-
rina medo de lomar tnedicamentos homo/opa-
thicoi, porque o leu assiitente lhe dissera que
ella murena ein 3 das'. Fizeuius-ll;e ver
que o tal l)r. n3o era sincero, e que sa ser-
via d'essa calumnia para poder a seu goslo{-
alormenta-la cun custicos, qne elle llie
havia ja receitado ; mas que allendendo a
essa repugnancia, ou medo de Iratar-se pela
li uni malina, nilo queramos responsabili-
sanno-nos pelo seu curatiyojporque bem co
nlieciamos a grande influencia do moral so-
bre o phisico. Conlinuou ella a ser medi-
cada pelo calumniador, e em menos de 2
uiezes achnu-so pthy-lca conlirmada m
tlias, nSo deixaromos com tudodnenlen-
dermos-nos tamban com esses traficantes,
que, sem. o menor conhucimento das scien-
ciasaccessorias, da anatonia, e physiolo-
gia, e da accao pura dos medicamentos,
vordidelras bases da medicina, armam-se
de urna carteira homcejpathica, e de um li-
vriibo, o atiram-se por este mundo a dei-
xar morrer por sua conta e risco os enfer-
mos, sem altender aos dictamos da cons-
clencia, que altamente brada contra t9o bor-
rivel attentado Nilo consentiremos jamis
que debaixodo nomo da homoeopathia qo.il-
quar insensato analphabelo,ou idiota so jul-
gue babiluado-a decidir da vida alheia. A
homojop illiia requer un estudu serio e pro-
fundo ; ella he muito mais dilllcil do que
a allopathia tanto em timoria, como (ainda
mais) na pratica. Para esclarecimento do
publico direnos que os nicos homoeopa-
thas puros reeonheeidos, que ha em toda a
provincia de Pernambuco sioaln do Sr.
Dr. Pedro da Atliabyda I.obo Moscoso, os
Srs Gosset Binont, professor pela eschola
linuil' ip.iihie.i da Corte, Dr. Francisco de
Paula Pires Ramos Jnior, e HemiqueA-
manle Chaves, professores pela escola ho-
rneo ipathiea de Pernambuco, approvados
em 15 da Janeiro uo anno crrante, da em
que se Ihes psssou diploma. Esle ultimo
lemfeitosua residencia em Cliuda.
O Medico do Povo tratando muito parti-
cularmente da honoeopathia, naodeixar
tanbem de dar noticias importantes, e al-
gumas variedades mais que possim iuleres-
,-ar humanidade.
Concluindo este artigo dirigimos nossos
agradecimenlos aos Srs. redactores de quasi
lodos jornaes, que se publicam no Importo
pola constante remessa, que nos tem faito
de seus respectivos peridicos ; e nilo Ihes
pedimos a continuarlo do seus obsequios
por conheeermos o grvame da lei, que
obligaos jornaes ao pagamento dosello.
Dr. Sabino Olegario Ludgero PinAo.
Pernambuco 13 de fevereiro da 1852.
P. S. Acabamos do receber os 2 primei-
ros nmeros do Athle_ta, jornal medito ho-
moeopathico, dirigido par urna assaciacSo de
homoeopalhas, e publicado no Ido da Janei-
ro. Felicitamos os Ilustres collegas pela
apparifilo d'essa novo sustentculo das dou-
trioas hoiuooupalhicas, o muilo Ihes agra-
decemos a lembranca, quedo nos livoram
remetiendo Uo inlaressaiite oscriplo.
l'i.'J.. mi miisassaaisa
I. e 5 por ceuto, para o Havre
a 40 f. e 10 por cenlo, para
Trieste de 30 a 35 c 4 por cen-
to, e de New-York a 05 e 5 por
ceuto ; e do algudo para I,i-
verpool a 3|8 p>ir libra, c para
o dito pela hi.ihinj 7|IK,
Ficaram no porto 78 embarcaces: sendo 2
americanas, 2 austracas, 3(5 brasileiras, 2 di-
namarquezas, 3 francezas, I haiuburgueza,
2 hollandezas, 19 inglezas, I lubequrnse, 1 na-
politana, 5 portuguesas, 1 sarda c 3 aueceas.
Pauta
dos precos correntcs do assucar, atgod/lo, e
mais gneros do paiz, que se dtspacham na
mesa do consulado de Pernambuco, na se-
mana de I i a 21 de Fevereiro de 1S52.
Assucar em c. branco 1* qual. Arroba 2,000
2* ii
carga carne ecca ; a Balthar & OUveira.
Passageiros Caetano Marques, Ignacio
Loterio dos Santos.
Cdiz 26 dias, escuna ingleza Susan, de
129toneladas, capitao Thomas Bosdet,
equipagem 9, carga sal; a I.e Bretn
Schraipm & Companbia.
Navios sabidos no mesmo da.
Liverpool -- galera ingleza Swordfish, ca-
pitn Richardo Creen, carga assucar e al-
go Io. Passageira, Marin Brown com 2
lilhos.
Paralnba hiato brasileiro Exhalarlo, mes-
tre Antonio Manoel Affonso, carga varios
gneros. Passageiros, Francisco da Costa
Ferraz, e Jofio Francisco Quaresma.
I livu ti i a te brasileiro Nossa Senhora das
Noves, iiii'-tre Severiano da Cosa e Silva,
carga varios gneros.
EU1TAL.
'< mase ....
bar. o sac. branco .
mase .
refinado.......
AlgodSo em pluma de 1" qual.
Dito.......2'
Dito.......3-
AQo'ardonte caxar;a 20 graos Pipa
Di
Dita de canna
Dita. .
Dita i-estilada.
Dita .
Genehra. .
Dita .
Licor .
Dito .
Canad

. Canad
. Pipa
. Canad
. Canad
. Botija
.^Canad
. Garrafa
1,000
1,300
2,250
1,500
8.040
4,800
4,400
4,000
38,000
220
52,000
300
42,000
240
180
180
COMMERCIO.
ALFANIIEGA.
Bendimnnto do dia U. I0.09t,838
Descarregam hoje 16 de fenereiro.
Barca ingleza Serafina mercadorias.
Barca americana Manj farinha da trigo.
Rrlgue austraco -- E>nine dem.
Escuna brasileira --Tentadora gneros do
paiz.
Iiiipiirliii-ii.
Briguo austraco Emmi, vin lo de Fiume,
consignad) a N. O. Bieber & Companbia,
manifesluu o seguinte:
1980 barricas farinha de trigo, 30 ciixas
papel, 1 picote amostras; aos consignatarios.
CONSULADO GEBAL.
Bendimento do dia 3 a 13
dem do dia I i.
,22:123.814
. 1:392,293
23.516,107
Arroz pado 2 arrobas um Alqueire 4,000
Araras ..."......Urna 10,000
Panaoaioj........Um 3,000
Bolachas.........Arroba 3,500
Biscoilos......... 5,000
Cafo bom........ Dito restolho........ 3,000
Dito com casca...... 4,000
Carne secca....... a 2,880
Coucos com casca.....Cenlo 4,000
Charutos bons...... 1,G00
Ditos ordinarios...... 700
Di lo r i .ili.i e primor ... 3,000
Cera de Carnauba ..... Arroba 5,000
Couros de Boi salgados .Libra 120
Dilo e-|ii\,nlo-......Um 145
Dilo de .....o.......i lfj.OOO
Doces de calda......Libra 320
Dito de goiaba...... < 200
Dilo secco.........i 400
Estopa nacional......Arroba 1,000
Farinha do mandioca .
O Illm. Sr, inspector di thesouraria
da fazenda provincial; em cumprimento da
orden do Exm. Sr. presidente da provin-
cia, manda fazer publico, que no da 19 do
corronle vae novamente a pra;a para st
arrematado, perante o tribunal administra-
tivo da mesma therouraria, a quem por
menos Bzer a obra dos concertos da cadeia
velha da cidade de Goianna, avaliada em
mUIs reis, tomando-se por base d'arre-
lamal.n;o o nfl'erccimeiiiii de tres por cento
de abale no respectivo ornamento feito por
Victorino Moreira de Souza.
A arrematarlo ser faita na forma dos
artigos 24 e 27 da lei provincial n. 268, de
17 de Maiodede 1851.
As pessoas que se propozerem a esla ar-
rematarlo comparecerao na salla das ses-
-Oes do mesmo tribunal, no dia cima
mencionado pelo meio dia, competente-
mente habilitadas. E para constarse man-
dou afixar o presenta e publicar pelu
Diario. Secretaria da thesouraria da fa-
zonda provincial de Pernambuco, 10 de fe-
vereiro de 1852.O Secretario, Antonio
Ferreira d'Annunciar;<1o.
Clausulas especiaes da arrematado.
1.' Serilo fcitas todas as obras necessa-
rias, para que esto edificio lique ein bom
estado e nelie poder residir o de>tacamen-
t, conforme o ornamento approvado pelo
Exm. Sr. presidenta da pruviucia, na im-
portancia de 636SI68.
2.a Todas as obras serJo principiadas no
prazo de um mez, e concluidas no de tres
mezes, cootados de conformidade com os
arligos 31 e 32 da lei provincial n. 286.
3.a O pagamento da importancia desla
obra ser feito em urna s preslagao quan-
du ella estiver conecluida e em estado do
serrecebida definitiva mente.
4.a Para tudo o mais que nao estiver de-
terminado as presentes clausulas, seguir-
se-ha o disposto na relinda lei provincial
i. 268. Conforme. O secretario A. F.
d.Annuncierjao.
Declaraoes.
BEAL COMPANIIIA DE PAQUETES l.NCI.E-
ZES A VAI'OB.
No da 20 do corrente mez ,
espera-se o vapor inglez IV-
viot, commandante Bivclt,
dos portos do Sul, u qual se-
guir no dia seguinte para os portos da Eu-
ropa : para passageiros, trata-se ni agcuciu
na ra do Trapiche Novo n.42.
Perante o conselho da alminlstraijSo,
. Alqueire l,280|temdevender-se em hasta publica na porta
l-'ei|.i i......... ii 4,0001 do ilmoxarifado, urna fjcreo de cabos de
Fumo bom......., Arroba 5,000[linho velho; por tantos quem convier dita
Ditoreslolho....... 3,0001 compra, he convidado a apresenlar-se as 12
Gnmma........Alqueire 9,000 | horas do dia, 16 do corrente, no indica lo
Gengibre........Al-toba 2,500 lugar; assim como nessa mesma occasio
DIVEBSA8 PBOVINCIAS.
Bendimento do dia 3 a 13.. 2:610,895
dem do dia 14 ......., 37,067
2647,962
Exportar; o.
S. M.iilk'iis, s i naca brasileira Nova Espe-
culadora, de 49 toneladas, conduzio o se-
guinte: 14 barricas hacalhao, 1 fardo fa-
zendas, 8 barricas assucar, 30 barris agoar-
dente, 8 arrobas enxofre, 50 ditas carne
secca e 10 meios de sola.
Liverpool, galera ingleza Sworddsh, de
524 lonelalas, conduzio o s-guiute : 1400
saceos e 5 caixas com 5904 arrobas de assu-
car, 2272 saccas com 7040 arrobas e 28 libras
de nl-oiio, 2 barricas lalSo e cobre velho.
llem pela Parahiba, galera ingleza Beraza,
conduzio o seguinte :- 1400 saceos com
7000 arrobas de assucar.
HECKBEDOKIA DE BENDAS IVI LUNAS GE-
BAES DE PEItNAMBUCO.
Bendimento do dia 14..... 471,954
CONSULADO PBOVINCIAL.
Rendimento do dia 14.....1:071,864
PRACA DO KECIFE, 14 DE FF.VEBEIBO DE
1852, AS 3 HORAS DA TARDE.
Revista semanal.
Cambios- No coineco da semana aaccou-
se a >7 i|-\ a diulieiro, e 57
com prazo ; depols afrouiou e
hoje nao lia saccadores a mais
de 27 a 27 l|4a dinheiro, es-
tando j ellecluados o$ preci-
sos para o vapor Inglez, oa
quaes inontam a 60.000 libras
pouco mala ou menos.
AJgodao- Entraram 776saccas. efoi ven-
dido de 4/700 a 4/800 rs. por
arroba do escolhido.
Assucar Al entradas forain diminutas
em consequencia datchuvas,

inluua opiuiio, que <
de inlutias promessas.
Crea-me, meu charo Dupplessis, disse>mc
elle deiiaudu-ine. O momento be grave, as
palxes ms se agilam.... e qualquer que seja
a mascara com que se cubrain, nossos loluil-
gos sao e sero sempre os jacobinos, os revolu-
cionarlos.
Quando Hquei s, estas ultimas (.alavrai;
jacobinos, rcvotucionirios, me trouseraiu i lem-
branca, por gyro aiugular do peusamenlo, a
Ju id i; i\ (non I,, e aua mal,
OudeesiSo elles ?
Que he feito dessa eucanladora raulher, ao
mesmo teuipo to enrgica e to doce ?... :
eu o sinto... nao, meu coraco nao esl morlo
parasempre, pois smeote leinbraaca de ma-
dama Rayiiiuudo, elle bate por ella como ou-
tr'ora... como ha quasi unze anuos quando ala-
da adolescente eu a vi pela pi ion-ira vez.
Ouze anuos... que uiudanca esses annos de -
vein ter feito em suas felcdes, outr'ora eucan-
tadoras.... Que felfcidade para tnim te-la visto
em toda a brlhaute maturidade de sua belleza,
e ter permauecido debalso destaiinpressjique
ha de durar semprc ?
15 de abril de 1829.
Ha pertode dous mezes'eu nao tinha ajunta-
do urna pagina, urna % palavra aesle diario;
do que serve escrever todos os dias : .
Segurldade, veulura, saude reuascente ?
Mas decididamente, sou um pouco feliz de
mais. Albiua excede aa inlnlias esperancas.....
ella acaba por exagerar essis qualldadea nega-
tivas, de que ao principio eu tao vivamente me
havia felicitado..,
Tinha detejado e ao principio acbado ne.'la
rellrou-sc cucauaUo una mulher mansa, calmm sem vontade, pou-
co amiga de tallar, menos pensadora aluda....
l-.n nao pedia nem Tnais nem menos.... infe-
lizmente lenho menos... Sim, coineco deseo-
brir que mluha mulher se torna um autamato,
urna verdadeira machina, que se move para ir
misia, para observar suas llores,' para almo,
car, passeiar, jantar, jogar sua partida de bi-
Ibar noit?,e deilar-se ponciualmente s des
horas, para dormir como um estpido al ao
dia seguinte, e recomecar ainda mclbor esla
vida automtica.
Cada vez me he mais diiBcil arrancar urna
palavra a Albina; eu leria lido horror a una
mulher tagarella, mas palavra de lionra nao sei
verdaderamente se urna mulher muda e tolla
uo he mais insupportavel ainda !
Pelo menos, nos primeiros lempos, Albina
nao se limltava a escutar-me impassivet como
unta estatua ; de vez em quando urna quesio
ou urna obscrvco me provava que ella segua
a coiiversaco com certo interesse : presente-
mente, nada um silencio morillo, dira quasi
estpido ; ella ajunla a isso urna apatliia sein-
pre crescenie torna-se descuidada de tudo e
de todos : recebeu j duas cartas de sua mal, e
ha dous mezes, apezar das ininhas iustanclas,
deisa de um dia para o outro a sus resposta,
debalxo deste bello preteslo; que be eufado-
iiini escrever.
O entorpecimento de sua intelligencfa, ae eu
nao poserordein ni.lo Ir parar no Idiotismo; do-
mis, ella contina a engordar, e pareceque u-n-
guein pode estar mais (ella c lalitfeila da apa-
thiaeiu que se abyaina cada dia mata; por es-
eniplo : antesde hontem, ilx-lhe uiua quest,
nada respondeu-me ; insist, nada absoluta-
mente.
I.enlia do odias......
Dilo de loros.......
Prancbasdcamar.de 2 cus.
Ditas do louro......
Colado deamarello de 35 a
40 p. de c. o 2 la 3 del. .
Dito dito usuaes.....
Cosladinhodudilo. .
Soalbo de dito......
Forrado dito.......
Costado de lauro.....
Cosladinho de dito
Soiillio de dilo. ......
Forro de dilo.......
Ditos de cedro......
Toros de tatajuba .
Varas de pirreira.....
Ditas de aguilbadas .
Ditas dequiris......
Rodasdeiicupira para carros .
Limis de dita para ditos .
Mil em pipas......
n quartolas.....
barirs.
Cenlo 1,600
a 9,000
Um 16,000
8,500
22,000
a 12,000
a 8,000
l< 0,000
a 3,500
0,400
a 5,200
a 3,800
2,500
3,200
Quintal 1,600
Duzia 1,280
1,600
2,080
Par 40,000
18,000
Urna
Canad
Um
lera lugar a arrematac,ao dos gneros sn-
nunciados para o da e 13 do crranla.
Salla das sesses do conselho da admiuis-
IracSo naval, 13 de fevereiro de 1852. O es-
crivao.
Christovao Santiago do Olivoira.
O capttSo do porlo o.-la provincia, en
virtude das ordeno da presidencia faz cons-
tar para conhecimenlo de todos, o abaixo
inscripto.
Capitana do porlo de Pernambuco, 10 do
fevereiro de 1852. Rodrigo Tbaodoro do
Freitas, capitao do porto.
Indicacdes subre o pharoldas Salinas, na pro-
vincia do Para, sua puiied), carcter e al-
cance de sua luz.
Pharol das Salinas na Ponta da Atalaja,
em latitude Sul de zero de graos, trinla e
qualro minutos, e longitude oriental da llha
do Ferro de trozenlos e triula graos, trinta
o doi s minutos. Apparelho lenliculardo
systema de Frainel e Arago. Sua luz alca n-
ga dezescle militas; he variada, eappro-
senta as pilases seguinles :
35,000 I Luz clara e igual, durante70 segundos.
100
6,801!
Milbo..........Alqueire 1,200
1,000
6,000
3,200
200
1,900
Pedras de amolar a
Ditas de filtrar...... a
Ponas de boi......Cenlo
Piassaba.........Mllio
Sola..........Meio
Sarcaparilha.......Arroba 18,000
Tapioca.........' 1,600
Unbasdoboi. ..... .Cento 200
Couros do cabra..... a 18,000
Azeite de cairapalo.....Canad 640
mmiaptrn
Umeclypse, ou obscu-
ridide,
Luz cressante, mu br-
lhaute, o qua diminue
alndesappnrecer.
Outro eclypse.
Moviraento do porto.
Navios entrados no dia 14.
Rio Grande do Norle 6 dias, lancha bra-
sileira Flor das Ondas, da 29 toneladas ,
mestre Vicente Jos da Costa, equipagoa
4, carga assucar ; a Joo da Cunha Maga-
Iliaos. Passageiros, Manoel Ssraiva de
Moura, e Antonio Jos 'dos Sanios.
Rio Grande do Sul 36 dias, patacho brasi-
leiro Dous de Marco, de 109 toneradas ,
mestre Izidono Sarrao equipagem 10 ,
Albina, disse-llie eu tocando no braco,
vosse nao meouve ? Em que est pensando ?
Em nada
Como / permanece assim sem pensar ein
nada?
Sim, respondeu-me ella com um ir satls-
felto e sorriodo com um dessessorrlsosslmplo-
rios que presentemente parece estar eslerioiy-
pado sobre seus labios ;__sim, aconlece-me
multas veics nao pensar ein nada absoluta-
mente.
K nao se envergonha dessa apathla?
Ile-ine indiftereute.
Que ? o que he que Ibe he indifferente ?
Valha-me Dos.... tudo.
Esta n-.ii-.ii a .un, |i i n lola de seu eterno sor
rho, me empacieniou de tal maneira, que nao
pude deizar de replicar com vivacidade.
Sim, tudo Ibe be indifferente, com tanto
que tenha as suas dores para ob>ervar, um ex-
cellenle janlar para comer, e moa boa carina-
gem para passeiar.
Sim, replicou ella, sulfocando um ho-
cejo.
Todava supponho bradei eu, que a-
pezar de sua bella indillerenca, ee eu cahisse
doente, gravemeute doente, istu lhe nao seria
indinen-ule : Que dlt ? lica muda, como devo
interpretar este silencio ?...
Nao tive necessidade de repetir esta quesio,
Albina voltou molleinenle a cabeca para trac ,
linha adormecido em sua poltrona.
He evidente que seu saogue se torna pesado
doman : ella est para completar desanove an-
nos, tem uina boa saude, come inulto, nao
pensa em nada, nao abre uiu livro, nao faz oe-
iihuin exerciclo, porque presentemente be im-
poiaivel decid-la a andar a pe, mcsmo para ir
16
12
22
< 120 segundos
Estas pilases se reptem'em cada periodo
do 2 oinuii>.-, ou 120segundos.
Secretaria do governo da provincia do Pa-
r, 16 de dezembro de 1851. Miguel An-
tonio Nobre secretario do governo. Cou-
forme.Francisco Xavier Bomtempo. Con-
forme. O ollicial maior.Joaquim Pires
Machado Portla. Conforme. O secretario.
ThomGprusnds Madeira de Castro.
traduccao.
Noticia official.
Tendo o Commodore Brewe, comman
dante em chefe das loicas novaes de 5. M.
Miitanica na costa occidental d'Africa, noii-
licsdo ollii'i.iliiieoto a este governo a sua in-
toncSo de na conformidade das ordens do
governo de S. M. para esseeffullo, eslabcle-
c-r um rigoroso bloqueode lodos os por-
tse lugares, (excepto Badagry)na Costi
da B'iiii. Oaecralario Colonial recebeu
i
igrrja ; e coudeinnadu seja eu, se essas mil-
las aproveilam sua salvaco, pois debaixo do
pretexto de fechar os olbos para ae recollier
com sigo, dorme s mais das vezea na fgreja.
Ainda domingo percebi, no fin do oflicio, que
tmlia o livro virado.
Nao, nao, um entorpecimento semelhante no
he natural, torna-se urna molestia. Ser preci-
so que cu escreva ao meu medico para con-
sultado acerca disto. Dentis se he una moles-
tia, ella nao ailecta qaasi a frescura e a saudc
de Albina. Sua goidura vai crescendo sempre,
sem desfigurar ainda o seu talhe, e ella lem
urna tez tao deslumbrante, os labios to venne-
liius, as faces to rosadas, que..,
Pois bem porque nao hci de confessa-Io a
niiui mcsmo, apezar da minha aversu s mu-
Hieres Inurase gordas, sinto algumas vetei,
medida que vulu a ininha aaude, o desejo de
entrar urna noite no qnarto de dormir de ini-
nha inulher.
Ser a solidadao c a taita de comparaco que
me do csias perigosas velleidades de renunciar
mioha reserva, enlictaulo to sabia e to pru-
dente !
Nao, no, nada de loucura irreparavel se o
diabo me tentar algum dia demais, o que estou
longe de esperar, ha bonitas mocas na villa de
de t bambly e meu criado be um bometn dex-
tro e discreto.
(Conti*ar-si-h*.l
i


ordem do governador Macdonsld, para pu-
blicar, e pora infor mt8o e governo dos ha-
bltsntesdesta colonia, de todas as outrai
quediga reipeito, a seguinte noticia olll-
cial, tranaoilttida aS. Exc. pelo Commodo-
r o Brewe.
Secretaria cm Treotovvn, Sorra La, 8 de
dezembro de 1851. Por ordem J. F. Smyth,
aecrelario colonial.
Nolifiea^iu dobloqutio
Vapor de S. M. britnica,
Pendopi. Sirra LioaO dedttem-
brode 2851.
Ern cumprimtnto as Instructora do go-
verno de S. M. anaunco que mu bloqueio
de todos (ir porlos e lugares, (excepto Bada-
gry) na Coat de Benin, de ie a longitude
l. ate 4o SO't esto do Greenwich, ser des-
de j estabelecido por oiim com todo o ri-
gor ; e a nennuroa embarcacao mercante
sur ii pcrmiltido ter communicsco alguma
com os portos e lugares interdictos >i --..i. o
1." do jaueiro prximo futuro (assignado) II.
W. Brewo Commodore e comiiiandante em
chefe das forjas navaesde S. H. Britnica
na Costa occidental d'frica. Conforme.
Francisco Xavier Bomtempo. Conforme. O
--Para o Rio de Janeiro ojpatsclio nacional j Na rut Nora, loja n. 60 precisa-se de
Valente sai no lim da presente semana, parajofllciaes de alfaiate, para obras miudas.
o resto de carga, escravos frote, e pasta-1 -- Offerece-se urna ama para a casa de bo-
geirospara os quaes tem bons commodos: Smetn sollelro, que cosinha eemgomma: na
trata-se com oca pililo Francisco Nicolao de j ra do Fogo n. 47,
Araujo na praca do commercio ou com os
consignatarios Novaos & Companhia na ra
do Trapixe n. 34. '
Lcilues.
*- Maia llamos & Gompanhia,
farao leilo por intervenido do
corrector Aliguel Qtrneiro, no dia
segunda feira 16 do corrente as io
horas da manbaa de todos os ob-
jectos constante de sua loja na ra
Nova n. 6, sendo em lotes ou avon-
tade dos compradores.
O correlor Oliveira, fari loilSo, por
ordem do Sr. Dr. juiz do commercio, a re-
querimeato do Olivcira, 1 minos & Compa-
inii.i, e em presenta do Gustavo II. Praegor,
oflicial maior. Joiquim Pires Machado Por-curador fiscal da massa fallida de Leopoldo
tella. Conforme. O secretario. Ttiom Jos da Costa Araujo, ile um carregador de
Fernandos Madeira de Castro. I farinha de mandioca, de muito boaqunlida-
O hospital regimental a cargo do l.'de, chegada ha poucosdias de Sania Calha-
hatalho de infinlaria precisa contratar ria, pelo navio Destino: os preleivlentes
lavaderas para lavarcm roupa dos doentos podem antocipidamcnteexamioa-lo abordo
do mesmo hospital : quem quizer este ne- do dito navio, assim como no dia do loilSo,
gocio dinja-st de sexta feira em diante ao que so patontear a amostra ; quarta-feira,
quartel do hospicio, das 9 horasda manbS 18 do correle, as 10 horas da mang3a, na
porta da assossiacflo commorcial.
at s II da mesma.
Por esla subdelegada de S. Fr. Pedro
Concalves do Reeife, foi aprehendido no dia
12 do cjrrente, um cavallo quo foi encon-
trado' na ra : quem dueito liver, pode
apresenlar-se para Ino ser entregue, pro-
i .ni lo a vista dos signaes.
THKATRO UBJS- IZ-tBEL.
29'. RECITA DA ASSIti.N ATURA.
(Juarta [eir, 18 de l'evereiro ae 1852.
Estra, em declamacao da cantora
Avisos diversos.
-- Desappareceo da rus do alterro da
Boa Vists nina be.ti alazn, poquena, de
frenfe aborta, as dinas um pouco mais Ola-
' ras que a cauda, as pontas das o'dhas cor-
1 talas, leudo de um lado da anca o ferro X,
'eo mesmo na |ia do outro lado, e tambom
esto outro .Mil as partsoppnllas, as qne
tem o primeiro eslava com canRalhas, em
cujo cabecole linham duia corJas servindo
dis estribo: quem o pegar queira leva-lo
Carmela Lucci.
Depois que a orchestra tiver executado engonho Forno de Cal, ou annuncie por
urna escolhida ouvertura, subir scena a '1 Diario que alem do so pagarem todaa
linda comedia em 2 actos, ornada de mu- as despezas, se recompensara.
zjc. Obacharel Ignacio Josguim deSou
COSIM ,
ou
O Principa Caiador.
Personagens c actores.
O Principe Manrique Germano.
Cosiino caiador Monteiro.
O Mrquez re Farambolo -- Reis.
O Conde de B'Imonte-- Pinto.
Malheus, mordomo do castelo Coimbra.
F.l/.ida sobriuha do marquez Amalia traressa do Sarapalel n. 1 segundo andar.
Monteiro. abaixo assignado morador om seu
Angela, costureira-Carmela, engolillo Vertente da commarca do Bonito
Nobres, camponezes criados, pagens, etc. avisa ao publico, para que pessoa alguma
r."n>, Lambarea para o Rio de Janeiro sua
escrava de nomo Luiza.
Antonio Jos Itibeiro Bastos embarca
para o llin de J-ineiro seus escravos, Arcan-
ja cabra, JofiO, Bernardo, Gonerosa e l.ui toJos creoulos.
O Sr. Luiz do Franca do (iliveira Lima
tem urna carta na ra das Cruzes n. 62.
-- Precisii-se alugar urna escrava para o
servico de uno casa de pouaa familia : na
Em seguida rerjresenlar-so-ha o mullo ap-
plaudidu Vaudeville em 2 actos :
O Cara linda ,
00
O Fregador de cartazes.
'I', i iiiniiiu lo o espectculo com a muito
graciosa tarca.
O TOLO FINGIDO
Comecara as 8 horas.
Os bi I hotos acham-se a venda no lugar do os quaes escravos o dito Franca carregou de
costume. mol! engcntio na noitede 13 de jaouiro do
O administrador emprezario lem a honra crrante auno de 1852, e juntamonlo um
deannuriciarao respeitavel publico, que lia- quartao castanho capado comeste ferro M ,
voram dous bailes mascuads nos das o com cangalha,o qual ha de um mcu
22 e 2i do correle mez, cujos programlas filho; por tanto pec,o a qualquer pessoa,
enmure ou controlo negocio algum com Joa
quim Jos Franca, relalivainenlo aos tres
escravos seguintes : Sem"o, crioulo, do ida-
de 35 aunos, bailo, roforcado do coi pi. ca-
ra larga, nariz ctiato, do pouca barba, o falla
descansado, Mara, crioula, da mesma ida-
de o falla hullosa, mulliordo dito ; e outra
negra, de nomo Maria de idade de 30 anuos,
do cor fulla, corpo secco, crioula, e lem as
mos foveiras,sendo esta do um mou prente,
sordo circumstanciadamonto annuuciados
pelos jornaes.
Publicacoes Iliterarias.
ELEMENTOS
DE
Homaopdthia.
Saino a luz a segunda parte desta obra
oomposta pelo prnfessor homceopallia Gos-
set Itimont. R 'cebem-se assignaluras para
a obra inlera a 6,000 rs., no cousullorio
homceopathico da ra das Cruzes n. 28. De-
pois da publicado da terecira parte, o pre-
go ser elevados 8,000 rs. para aquellos
que mi i tiverom astignado. No mesmo con-
sultorio, acha-se a venda ludo quanto he
necessario para o estudoea pratica da ho-
niceopathia. como seja : livros impressos
para (listonas de doentes, regimens apro-
priadus para a provincia de Pernambiico, e
encarrega-s o do mandar fornecer qualquer
oueornmonda de medicamonlos homecopa-
thicos, tanto avulsos como em caixas, em
glbulos como em tinturas.
No prelo.: Pui/ioasiieii'a dos medicamen-
tos brasileiros.
Elementos de anatoma e phlsiologia com es-
tampas, para os curiosos um homceopalhia.
Roga-se aos senhores assignanles o ob-
sequio de mandar rereber seus ejempla-
res no consultorio homceopathico da rus
das Cruzes n. 28.
TRATAMENTO HOMEO-
PATH1CO.
DAS MOLESTIAS VENREAS,
e consellios aos doentes para se curaren) a
si mesmo, sem precisarem do medico;
. pelo professor bomoeopatha
Gosset-ltimont.
Sahio a luz o acha-se a venda no consul-
torio homceopathico da ruadas Cruzes n.
28. nelo ireco do 1,000 rs.
-'i ii
Avisos martimos.
que s mil t dos ditos escravos a aprehon-
s3o dos mesmos, mandan lo-os levar ao
meu ongenhu que ser bem recompensa-
do. Antonio Corro Pessoa de Mello.
h-sa de 5/ a "/ rs. a premio com
peoborea de ouroeprala, rebatom-se sol-
dos dos senhores olllciaes da terceira o
quarta classe somonte : om a loja do ouri-
vos da ra do Qucimado n, 26 se dir quem
faz esto negocio.
-- Aluga-sea casa do sobrado de um an-
dar com Mitn e trapeira da mi do Santa
Rita n. 14 : quom pretender falle na ra l)i-
reita n. 25.
No dia 23 do corrente, pelas quatro
lloros da tarde a porta da casa da residencia
do Sr. Dr. jiz de orHOl ser arrematada
por venda a casa da Ra Nova n. 46, perlen-
i- -ni r ao casal do linado Jos Ramos de Ol-
voira, para pagamento dos respectivos lega-
dos, lie a ultima praca e a legalaria, a favor
da qoal pezava sobre a mencionada casa
um (mus, ja concordou, juutamente com o
tutor dos o filos daquelle casal e com o
doutor cnradorgeral, que semelbante onus
passasse para outro predio da massa in-
ventariada e paitilhad
Arrenda-se um engenho distante destt
prarja 9 legoas, com muitas boas torrasde-
plantaees, o cercados, muonte o corrente,
vende-se na mesma occisiSo em quo so II-
zer O ,riendani'-nto, nIgulis esornvos, Safra
criada, boiada muito boa, carros etc. o to-
dos os mais utencilios inherentes, o necosia-
rios para acontinuoco do mesmo estabo-
lecimento: a tratar no primeiro andar do
atierro da Boa-Vista n. 43.
Continua a estar fgida a preta Joaqui
na de 40 annos, magra o de estatura peque-
a, muito foia de cara o mesmo de corpoj
1 uando anda parece que esl cahindo o an*
da muito de vagar, tem cbelos brincos
ne coroada, levou vostido do xta francoza
roxa e panno da costa velho, lodo azul,
desconfla-se que foi furlada pois nunca fu-
gio o nem so embriaga, por isso se faz scien
le que se proceder com lodo o rigor da le
contra queaialiverseluzidooua lenhaacol-
lado: na ra Augusta n. 33.
JoUo Boylo, sudilo britannlcp faz um
viagem as provincias do Norte deste Im-
perio.
A substitua das cadoiras de primoiros le-
tras desta cidade, faz sciente ao respeitavel
publico, quesoacha en exercicio na cadel-
radoS Antonio, o podo sor procurada na
casada respocliva professsora.
Lembra-se a l.lm. cmara municipal,
quo lance suas vistas sobre o arrematante
da condcelo dos cadveres em carros f-
nebres para o cemilerio publico, o qual
consta n"n tem cumpridocom os seus de-
vores, o lem havido grande rolachamenlo
no servido, o descuido, como so vio em urna
donzella quo sahio do Fura de Portas, Do
carro todo doscoberla, e 13o mal arranjada
quechegou cahir na ponto do Recifi i e
como so presenciou na quarti-feira pa>sada
aue esperan lo-so um carro a hora marcada,
para conduzir um cadver quo eslava de
positado na matriz, so apparoceu duas ho-
ras depois, lendo sido ja conduzido por um
carro de passeio.
-- Desappsrocdu desdo o dia 9 do corran-
te, o escravo preto de nomo Marcellino, com
os signaos seguintos : altura regular, ainda
moco, cabellos carapinhados, olhos casta-
nhos, bocea regular, nariz chato, pouca
barba, trabalhou de carniceiro nos acou-
gues das ('asnillas da pra?a da ortelica, e
ra do Itangel, o presentemente sorrava na
serraria do Antonio Das da Silva Cardoal,
consta andar por porto d'estn praca do Ra-
cife: roga-so porlanto s autoridades poli-
ciaes, e a qualquer pessoa particular, ha-
jam de o prendero leva-lo,na rna do Ran-
gel, casa terrea n. 39, a s^u Sr. Manoel Joa-
quim Fcrreira, que ser gratilcado gene-
rusamente
~ Ocaixeiro que annunciou no Diario do
He 12, querer arrumar-so, querondo to-
mar conta de urna venda por balanco : di-
nja-se a Olinda, na ra de Malhias Ferroi-
ra n. 1.
Furtaram da casa n. 1. da ra da Cruz,
um relogio grande de algibeira, gusto liti-
go, patente inglez, com duas caixas deou-
ro da fabrica do Litherlana Davis & Compa-
iiluo, de Liverpool n. 10882,corrente echa-
ve tambsm de ouro : roga-se nos senhores
relojueiros, ou a qualquer mitra pessoa, a
quorn fr oflerecido para comprar, o obse-
quio do appreliflnde-io o leva-lo a dita casa,
quo ser generosamente gralilicado.
1). Catarina Francisca do
Espirito Santo, declara compa-
nhia das carnes verdes, que por
motivos cleixou de aianc.ar desde
aG de dezembro p. p. a Filicia
Engracia, e exigindo do agente da
dita companhia a carta de lianrn,
nao lite foi entregue e continuam
a dar fatos a mesma Engracia; por-
tante, faz sciente que ica sem vi-
gor a sua fianca.
OSr. Exequiel Jos de Carvalho, com-
parsa na ra da Madre de Dos n. I, para
se Ihe entregar urna carta vinda de fra.
Precisa-so do urna ama de leito i na
ra da Pmia n. 49.
Precisa-se alugar urna preta de meia
idade, quo saiba cuzinhar o engomnar: na
ra do Trapiche, esquina da Lingoeta n. 32.
Arrenda-se um sitio em Olinda, no lu-
gar denominado Floresta, com um sobrado
grande, em muito bom esla lo, urna casa de
rancho coberta de telha, muito terreno pro-
piio paia capim, vorduras, ro$as o qualquer
lavoura, commodo para um pequeo cer
Na imprensa de msica
da Ra Bella n- 28 se im-
primirn] as duas valsas
pan pianoA Madrugada
e o salto, brilhante valsa
para fraut, a Luziada
para viulo urna linda val-
a com introdcelo : pro-
co por cada urna 320.
Aluga-se um escravo, o urna mulata
que cozinha, lava faz renda e cose: na
ra do Collegio n. 16 terceiro andar.
0. G. Adamson, subdito inglez, reti-
ra-so pfra Inglaterra.
Paquete inglez.
Papel paquete proprio para cartas, no va-
por inglez, o obreias proprtas para o
mesmo na ra da Cadeia do Rocife n. 52.
Aluga-so urna ama de leito forra ou
captiva, brauca ou parda : paga-so bem e
da-so bom tralamento : na ra da Soloda-
deaovoltar para eastrada nova do.Man-
guinho confronto a padaria.
Ainda esla fgido o preto JoSo Goian-
na, na^Io congo, de altura regular, peruas
arqueadas, denles limados, puuca barba
e conserva-a grande no queixo inferior:
quem o aprehender bve-o a fundicSo da
Aurora, ou ao deposito da mesma, na ra
doUrum.
Pelo presento annuncio a abaixo sssig-
nada, moradora no engenho Aran l da fre-
guezia da Escada, termo da oda Jo da Vic-
toria, faz sciente aoa Srs. Affonso do AIdu-
querque Mello, major de guarda nacional no
municipio da villa da assembl* na proviu-
ca das Alagoaa, o seu mano Antonio Lins
de Albuquerque Mello, que Mleceu no di
28 de Janeiro de 1852 D. Mana de Jesusd
Conceicao, AvdasSras. bl). Maria e-Egidia,
mulheres dos ditos senhores o mili da au-
nunciante; o que para se parlilharem alguns
bens, que deixou a dita finada, he preciso
quo ellescomparecam, ou mandem procu-
ra^Su bastante, ou quem faca suas vezes.
Ignez Peroira da Silva.
-- Desappareceu da ra do Vigario um
cavallo cjstanho, que estando o cargueiro
rajtebendo encumineiidas em urna venda,
qOando sahio no achuu : quem o pegar
leve-o ru do Vigario n. 14, que ser re-
compensado.
Precisa-se alugar utn moleque para o
servico interno de urna casa estrangeira
que soja liel osadiu : quem o tiver dinja-se
a ra do Trapiche n. 8.
~ O abaixo assignado participa ao publi-
co, que por encommodos do sua saude, est
desligado dosde O dia 31 do Janeiro p. p. da
casa commercial, que gira de baixo da fir-
ma de Francisco Alves da Cunha & ('., nesta
praca, sendo substituido pelo Sr. Luiz Au-
gusto Fernandos Vieira, a cargo de quem
eslfio todas as transaeces da mesma..
Narciso Jos de Carvallio.
Nova fabrica de chapeos de sol e
tinturara, no aterro da Boa Vis-
ta n. 33.
Nesta nova fabrica o respeitavel publico
adiar um completo sortimento de chapeos
de sol de seda e paninho, tanto pare ho-
mom, como para senhora, e concerta igual-
mente, por procos maia commodos do que
em outra qualquer parte ; para este mesmo
estabelecimento so acha mudada a tinturara
franceza da ra Vclha n. 74, lingindo-se to-
da o qualquer fazonda de seda, loa, algodo
o linhu, tanto em obra, como em pega o
com muilo asseio, assim como so alimpam
casacas e outra qualquer ropa de panno,
que tiver nodoas, pondo-so como novas, e,
por precos muito commodos.
Tinturara franceza, no aterro da
Uoa Vista n. 17.
Tinge-so toda o qualquer fazonda de ISa,
algodao, soda e linlio, tanto em obras como
em pee, is e com muilo asseio ; assim como
se alimpam casacas o outia qualquer idpa
de pao, que livor nodoas, pondo-se como
novas o por precos commodos.
O cirurgiSo Bernardo Peroira do Carmo
faz sciente as pessoas que a tempos I lio fa-
laram o raesmoa quom convior e quizer.pa-
ra por meio de um ajusto razoavel, ostratar
animalmente das molestias quo possam ap
parecer, que tonhain a bondadode virom a
casa de sua residencia na ra do Hozarlo
larga n.30,para os poderl*o(aremn.do seus
clientes.
-- Joaquim Ribeiro Pontos ten lo contas
e letras de alguns senhores quo tem deixa-
do pagar-lhe, uns por amizade, oulros por
relaxacilo tanto da parte do sou cobrador
como dos dovedoros, roga polo presente
aos mesmos Srs. de virem quanto antes pa,
gar seos doiiitos a ra da Cadeia do Recife-
n. 54 assegurando toda a contempladlo nos
juros ; o se assim o n3o lizerem passaro
a ser demandados, oque sor urna veigo-
nha para os dovedoros alem do abuso com-
mettido, alguns ate ha 15 annos.
Gabinete portuguez de leitura.
A directora de-te estabeleci-
mento, manda fazer publico, que
pelo ultimo navio ebegado de Lis-
boa, recebeu um variado sorti-
mento de obras Iliterarias, quevi-
eram augmentar a coleccio que
possue, e que 019a por 600 volu-
ntes ; e sendo talvez ignorada ge-
r,lmenle a existencia de urna ins-
tituicao tao til, e que necessaria-
Caieia-Velha n. 61, botica de Vicente Jos
de Brito.
No pateo da ribeira de S. Jos n. 15,
lava-so o ongomma-so com pe fcicio e ac-
ceio.
- Aluga-se o terceiro andar da casa da
ra doQueimadon. 1 a tratar na loja.
Allugilo-se os 2 andares da casa da ra da
Madro de Dos n. 25, defronte da igreja : a
tratar na ra da Cadeia do Reeife n, 42, 1.
andar.

Compras.
Compram-se para urna encommenda
do Rio de Janoiro, 2escravas craoulas, ou
pardas, quo lenliam de 12 a 20 annos, el
moleque quo seja bonito: na ra Nova n. 16,
so dir quem compra.
Compram-se escravos rceoulos, ma-
chos o femias, de 12 a 20 annos de idade,
rom habilidades, ou sem ellas : na ra da
Cadeia 110 llecife, casa n. 8.
ti Compra-se urna escrava, quo tenha 4
fe habili lados: na ra do Vigario 11. 9. 4
ooipraru-s escravos crooulos de am-
bos os sexos de 10 a 2U annos, e pagam-so
bom : na rus da Cruz n. 40 piimeiro andar.
Compra S3 una vonda bem afeoguo-
zada as ras seguintes : Cru', LingoHa,
io.u;i do commercio, Vigario : quem quizer
fazordila venda dirija-so a llua Nova n. 28.
Attenc3o.
Compram-se oscravos do ambos os sexos,
com prendas, ou sem ellas, com tanto que
S'jam moQos : na ra do Vigario n. 29, se-
gundo andar.
Logo quo cheguo o vapor S. Salvador
dos portos do norte, o coinuiandsitle Coi-
linho, compra escravos creoulos: quem os
tiver para vender, pudo dirigir-so a ra do
Crespo, loja n. 3.
OSr.Bernardo de Albuquer-
que Fernn des Gama, queira man-
dar pagara subscricao deste Diario.
Vendas.
mente produzir proficuos resul-
- Antonio Ferreira da Costa Braga,ten do j civilisacao e illutra-
..ontas, e letras do alguns Srs. quo lem del- j
x por relaxarles, tanto pela parle dos seus
cobradores, cmodos devedores, roga pelo
prezente, aos mesmos Srs. de virem quanto
Est pois o predio
livro e desemharacado, e pela sua localida-'eado, te'm alguns coqueiros, mangneiras e
de dove do excitar a voutade dos licitamos. I larangeiras : quem o pretender, dirija-so ao
Gouveia & Leite, exporta para o Rio I mesmo filio. I tratar com a proprielana D
de Janeiro, o escravo boaveotura, cabra, del Maria Gomes do Amparo.
18 annos de idade, or ordem de sou pro-1 O abaixo assignado, nico encarrega-
prielario Manoel da Molla Silveira, morador do de receber os loros das casas da fregu
Hura o Porto
Seguir com muita brevidado a barca pnr-
lugueza lloa-Viagem, eaplUo Antonio Fer-
reira Leitu Jnior, lem bons commodos para
passageiros e carga: trata-sena ra do Vi-
gario n. 11, ou com o capillo na praca.
Segu viagem para o Acaracu' para on-
de tem carga, e continua a receber, o pata-
cho EmulacAo bem contiendo nesla carrei-
ra ;e recebe alguma carga para o Cear se
houver porc,So que conypuna ali tocar. Os
prolendenies diiijam-se ao capilSo a bordo
do patacho, ou a fallar com Manoel ,Gon-
Salvcs da Silva na ra da Cadeia do Reeife.
fara Lisboa.
Obrigue portuguez S, Domingos forrado
0 pregado decobie deque he capilSo Ma-
i.n -i 1.o io.. 11 vos Viann, recebe carga o pas-
sageiros aosqua-solVerece bons commodo*:
a tratar rom o referido capitn da Praca, ou
com o consignatario Joaquim Ferreira Men-
des Cu i ruarais na ra da Cruz n. 57 segun-
do andar.
Para o Rio de Janeiro.
Sahe impreterivelmenle no da 21 do cor-
rente, o patacho brasileiro S. Jos America-
no, ainda recebe alguma carga miuda e es-
cravos a frele : a tratar com o consienatario
Manoel Alves Guoira Jnior, na ra da Cruz
n. 40, ou com o capilSo Thomaz Peroira
Lagos.
- O brigue Vencedor sai para o Rio de Ja-
neiro no da 18 do corrente quem liver es-
cravosa embarcar entenda-se com os con-
signatarios Novaes & Companhia : na ra
do Trapixe n. 34.
Cear e Maranhao.
Segu em poucos das o brigue escuna
1 animal Laura, para carga e passageiros,
trata-so com o consignatario J. B. da Fon-
seca Jnior : ra do Vigario n. 23 segundo
andar; uu con o capito na Pra;a.
em Nazareth.
-- O abaixo sssignado, faz sciente eo res-
peitavel publico, e a quem convior, que An-
tonio Jos de Sa Araujo, gonro do mesmo
abaixo assignado, nada mais tem com a ca-
sa om que mora, e um escravo que o sorve,
como tambem com os fundos que tem na
mesma casa o tonda de tanoeiro, do que os
lucros que houver na venda, e tema, por
quanto tudc lio do abaixo assignado ; o
qual recommenda o avisa a qualquer pes-
soa.'que nSo faca transacSo alguma com o
dito seu genro em vista dos referidos objec-
tos ; pelo que protesta usar do seu direito,
para defender sua propriedade, tanto quan-
to Ihe permute as leis.Olinda J de feveroi-
ro de 1852,
Francisco Jos da Silva.
-- Fazem-se limas do xeiro .- na ra Bella
o s i n. 33, a 5 patacas o cenfo quem as
quizer avise na mesma casa.
Os Srs. Jos de Almeida Barrlo Ras-
tos Theotoniu Jos llitancurt queiram
ter a bondade de se dirigirem na ra larga
do Rozario loja n. 44, a negocio de sou 111-
terosse visto nao se saber sua morada.
PROTESTO.
Por cartas, que acabamos de receber do
Brejo da Madre de Doos, unnimes acerca do
aviso que nos fazem, lomos informados que
o padre Francisco Rochael Peroira Urito de
Me leiros, escapou milagro-amenlo do duas
emboscadas, que Ihe foram postas alim do
o a-s ssinarciii, o que os mandantes d'Ste
assassinalo eram os filhos do finado Cordei-
ro e um cunhado dcstes de nome Manoe'
Cordoiro dos Sanios, o seu i mio Izidoro
Jos Dias dos Santos, entrando lambom nes-
te numero o perpetuo mentor da familia ,
Jos Caetano de Medeiros. Ora; conbecen-
do per Ir llmenlo o carcter desses iuiivi.
dos, avezados acrimesdessa e nutras na-
lurezas, e sabendo quo o padre Rochael nSo
lem no Brejo outras inimizades, nem desa-
vengas, senSo com os membros dessa.fami-
ia cima refeiidas, protestamos desde j
que, se se realisar semelhanlo infamia, nSo
licar impune, como li-n 1 a unirte do info-
liz Trajano Trajino, e que por meio das leis
e dos Iribunaes do paz perseguiremos at
osdegroa da furca sosassasstnos de nosso
irmSo, prente e amigo. Reeife, 14 de feve-
reiro de 1852.--Manoel Caetano de Modorros,
Antonio Jus Pereira de Mendonfa Jnior,
Orangel Leopoldo Barbarino Aocioly, 1,'iis-
sea Coriolano Accioly Monlezuma, jse Le-
andro de Barros, o Joao Albino de Barros.
zia de S.Jos, pertencenles ap Sr. Francis-
co de Paula Correa de Araujo, faz ver aos
mesmos foreiros, principalmente aquellos
quo no 1 sabem a sua moradia, de dirigireai-
se ra das Cruzes, n. 41 com os compe-
tentes recibos, ahi pagaren oque eslive-
rom devendo at esta data. Rocife 9 da
fevereiro de 1852.
Antonio Alves Toixera Bastos.
Aluga-se para qualquer estabelecimen-
to, a loja do aterro da Boa Vista n. 38
Precisa-se de um oflicial do charuleiro:
na travessa da Lingoeta n. 6.
Precisa-se alugar urna prcla escrava,
para todo servo;,1 de urna casa de pouoa fa-
milia : na ra larga do Rozario n. 32.
-- Procisa-so alugar urna preta, que sai-
ba cozinhar o engommar, para urna casa de
pouca familia : na ra Direita n. 53, sa dir
quem precisa.
No da 17 do corrente as horas docoslu-
me se hade arromatarno valor de 350,000
rs.,o escravo Elias pescador boa ligura,para-
pagamento da execur,3odo II.Maria Jos Lins
.soi 111110, e outros, que pola I.' vara do civel,
corre, escrivSo Baptisla, contra a viuva o
herdeiros do Jos de Albuquerquo Ma-
ranham.
Desappareceu no dia 9 do corrente urna
parda escura de nome Francisca reprsenla
ter de idade 35, anuos eom os signaes se-
guintes: ostalura regular olhos grandes bas
tanto encarnecidos, cabellos grandes, muilo
leia de cara, quando anda parece ser camba
da, levou vestido de chita encarnada ja su-
jo, o pao da costa azul, o um nutro vestido
tiranco por cima do outro fingindo avental:
roga-se as autoridades policiaes e capilSes
de campo a captura da mesma 1 a entregar
na ra do Crespo n. 10, que ser generosa-
mente recompensado.
Alugam-se por todo o qualquer preQO.os
rmaseos que servirSo, para a venia do ca-
pim em frenlo.da prarja, nfioseolha a proco,
dando o alugadur seguranca, aos alugueis,
Irala-se com o Sr. Piaieulol em um dos
mesmos armazens.
Andr Nausor.com. padaria no atierro da
Boa Vista, declara que nSo Ihe pertence o
aviso publicado neste diario de relirar-se
para fon da provincia ; pois uo fez tal avi-
so, nem o mandou fazer; e muito deseja
conhecer quem o fez para Iho dar os devidos
agradec mentos.
Offerece-se um liomem portuguez pa-
ra cosinheiro de qualquer casa, preferindo-
se estrangeira : na ra do Vigario n. 14.
antes pagarem seus dbitos, na ra Nova n,
28, assegurando toda a contemplarlo nos
juros; e se assim o uo fizerem passarSo.a se-
rom demandados, o que sor urna vorgouha
para os sonhores devedores, alem dos abu-
sos cometidos alguns al 15 annos.
- A. Ilonriques Willmer, teodo de ven-
der a grande parte quo tem no sobrado de
dous andares sito na ra Imperial, onde osla
a fin licn, d'accordo com o Sr, Jo3o Jos
do Carvalho Moraes, como possuidor de urna
parle, roga portento a quom for autorisa-
do, por urna pessoa da cidade da Victoria,
que lem tambem urna parlo no mesmo so-
brado, hoja de apparecor para tratar-so des-
so uegocio : na ra do Sol por cima do ar-
ina/cni do capim.
. Maia liamos ckCnmpanbia ,
na ra Nova n. 6, tendo de liqui-
dar nestes dias sua loja, roga a
seus devedores tenbam a bondade
de satsfazer seus dbitos o mais
breve possivel, do contrario serSo
(bem a seu pezar) obrigados judi-
cialmente..
A casa de educacio que par-
ticularmente dirige na cidade de
Olinda, o bacharel Jos Louren-
co Mera de Vasconcellos, tem ter-
minado as suas feria, e est func-
cionando regularmente, comosem-
pre ainda admitle alumnos inter-
nos, para o que tem as desejaveis
commodidades.
Engomma-so com perfeico o por pre-
to commodo, ropa, tanto de liomem, como
desenhura : na ra da Roda, loja do sbra-
lo n. 17.
Na primeira audiencia do lllm. Sr. Dr.
juiz dos linios da fazenda,so lio de arrema-
tar os se ..'nuiles (linelos : um engenho de-
nominado Barbalhu na freguesia da comar-
ca do Cabo, com todas as suas Ierras, mal-
tas e logradores, casas do engenho, de vi-
venda o de purgar, com 30 furos e 3 balroes
grandes, senzalla para pretos, 1 moeuda, 4
taclias e um parol do caldos, ludo do forro,
e outros objeclus avallados em 38.000,000 rs.
e da mesma forma vn a pi ac os b;us an-
nunciados om o Diario de i'ernambuco de 26,
27 o 28, do novembro do auno p. passado,
a excepco de alguns queja foram arrema-
tados.
Jos Luis Pereira, roga a seus devedores,
principalmente aquelles quo _sous dbitos
sii do mais de anuo queiram satsfazer-Ihe
ateo dia20do crreme, pois'est rosolvido
; iiern a seu posar, a chamar a jui/.o aos que
uo pagarem.
Precisa-se alugar dous moleques : na
ra da Cadeia n. 13.
Precisa-se do urna ama forra, ou cap-
tiva, para urna casa do pouca familia : na
ruado Pilar em Fra de Portas n. 72, segun-
du andar.
Acha-se farinha nova de SSSF, (do ra-
minha) para vender, nos armazens de Dea-
ne Foulo & Companhia, no becco deGon-
calves.
Altennto.
Nova fabrica de chapeos de Sol no atierro
da 11. a-Vi-ti n. 22, acha-se um grande
sortimento do chapeos de Sol muita
em con 11, tanto para hornero,como para se-
nhora, cania seja de seda ou de panninho, e
graude sortimento de pecas de seda ede pa-
panninho para cubrir os chapeos de Sol ja
o-a ln.l nolioiii concerta os ditlos peol prefo
mas commolo do que em outra qualquer
o parle com toda rumplnlo,
OOOOOiJOOO 0S9O3OOS
O Carros, O
2 Alberto Prevostsegeiro tem a non- g
7j? ra de provenir ao respeitavel publico i\
jP queeslabeleceu-se no boceo do Tam- xt
W bi defronte do chafai i z da praca da J^
W Boa-Vista,primeira cocheiraa esquer-
O da, onda as pessoas que do seu O
O prestimo precisaron), o adiarlo sem- O
pro prompto para servil-as com bre- O
f) vi lado o proco commodo. O mesmo Q
0 cncarrega-se de qualquer concert Q
n tendente ao seu ulficio. /.j
FOLHiNllAS PARA i85a.
Vendem-se folbinlias de porta ,
de padre, e de algibeira de tres dif-
lerenlcs qualidades,sendo urna del-
las com o almanak da cidade e pro-
vincia: vendem-se nicamente na
praca da Independencia 11, G e 8
Lotera do Rio de Janeiro.
Aos 20:000,000 de rs.
Na loja de miudezas da pra;a da
Independencia n, 4a vendem-se bi-
lhetes inteiros, meios, quartos, oi-
para to nobre lim, tambem faz
publico que tem na sua biblioteca tayos e y 4^ das
osl.vrosquepertencemasegu.nte .^^^.^ _se a
classtlicacSo; liograpliia, Ll.roni-1,. .'__r
.. 6,..' p lista no primeiro vapor,
cai, C ommercio, Diccionarios, E-l VenJ.S0 uma parJa clara, que cose,
conomia l'olitica, filologa, Geo-! engomma, cozinha, faz renda ehosadia, e
i-anliia llislnrii nnr A IPTnnnVe' um Pardo ""uro, Pf0Pn0 Pra bolieiro. ou
graplna, OlBtoria, por aiexanare qua,queronCi0iporsermo<:o: na ra larga
llerculano, I Iners, Laluente e va- do Rozario, loja n. 35.
ros; Historia Natural, Litteratu- \ LINDA CONSTANCA.
ra, Mithologia, l'hilosopbia, l'oe- Na ra do Queimado, loja nova
sia, l'olitica, Mbelorica c Eloquen- n> 21, recebeu-se pelo ultimo na-
ca, Uomanses, principalmente de v0 chegado de l'Vanca, os lindos
Sue, umas, Soulie GeorgSand; cortes de cambraa com barra de
Tacbigrapbia, Theatro, Tlieologia cr,do melborgosto que at boje
e Culto, Viagcns. He permittida tem apparecido ; os quaes se ven-
a sabida de hvros para leitura ex-|,jem pe|0 baratissimo preco de
terna excepcao das obras de con-
sulta, conforme determina o regu-
lamento de leitura. Alm dos li-
vros especificados tem os se-
guintes :
Jornaes luteranos,poiiticos e com-
merciaes.
Imprensa, Diario de I'ernambu-
co, Jornal do Commercio do Rio
3,200 a 5,ooo rs. o corte.
Vende-se uma preta ongommadeira ,
que cozinha o diario da uma casa, o tem
mais algumas habilidades, que a vista do
comprador se dir o motivo: na ra d'Agoas
Verdes, casa n. it.
Oleo de mamona.
Esto excellento oleo, que d luz mais bri -
llianto quo o do coco, ou doce, tambem he
mais claro o do mais durac0o, e acommada-
se a qualquer canuieiro consorvando-o som-
pro limpo; lambom sorve para purgantes,
por ser o mesmo oleo quo usa muita gente :
de Janeiro, Mercantil da Babia JnJ;se",'m rj. cada garrafa, na venda da
Diario do Governo de Portugal I ra estroila do liozaiio, junto a nova loja
ta Popular, Revista Militar, Se-
manario Pittoresco de Madrid, II-
lustracao Hespanbob, lllustracao
Franceza. Estes peridicos sao rc-
cebidos regularmente no gabinete,
pelos vapores da Europa e do Sul
co imperio. Reeife, 7 de feverei-
ro de i852. Joo Quirino de
Aguilar secretario.
Caligrafa
Na Ra do Aragao, n. i2, se-
gundo andar, copia-se com perfei-
9o qualquer papel em muito boa
eltra e por preco commodo.
AVISO SATISFACTORIO.
O abaiio assignado, agente do Dr. Bran-
dreth, faz sciouto ao respeitavel publico,
que pelo brigue americano James Crosby
vindo de Boston entrado no correlo mez,
recebeu novo provimento do pillas vege-
taes de seu proprio autor; estas celebres pi-
lulas sa*o recommendadas por milhares de
pessoas a quem ollas lem curado de phtisi-
ca, influencia, catarros, indigestaos, dis-
pepsia, dores de cabera, dores ou pezo na
nuca, que geralmenle aSo simptomas de
apoplexia, ictericia, febres intermitentes,
billis, escarlatinas, febreamarella, e toda a
classe de febres, asma, gota, rheumatismo,
enfermidades nervosas, dores no ligado,
pleuresa, debilidade interior, abatimeoto
de espirito, roturas, inflammacOes, incha-
cOes dos olhos, accidentes, parlisis, hidro-
pesa, boxiga, sarampo; enfermidades dos
meninos, tosse de toda a classe, clicas, co-
lera-iii o luis, dor de pedra, lombrigas, do-
sioteria, surdez,vagados da cabeca orisipel-,
la, ulceras algulas de 30 annos, cancros, tu-
mores, 1 ncli ac 's nos ps 0 ponas, n I riiorei
mas, errupfSo de pello, sonhos horriveis,
pezadellus ; toda a qualidade do doros e
molestias de mulheres, como ohstruccOos,
1''lacliaeoos etc. etc. ; lie uni medicamento
intoi ra mente inoffenctvo, podendo applicar-
80 at as croancas rescemnacidas; ultima-
mente so tem applicado, a uma enfsrmida-
dede molestias julgadas encuraveis, de cu-
ja applicacdlo se lam lirado tSo felizos resul-
tados que parece cada vez mais resolvido o
. problema do um remedio universal : ven-
0 Q vendem-se ricos vestuarios,
O com todos os pertences, pa- j|
|j ra bailes mascarados por ^
q '|o (ino rs. O
l'ecl.incba.
No aterro da Boa Vista, leja do 4 portas D.
CO, ven cm-S" risca linlios miudinnos para
calcas ojaquetas, do bonitos padrOes a 120
rs. o covado; camisolas do meia a 800 rs. ;
dulas do cores las a 160 o 200 rs o cova-
do : madapoles muito finos a 4,000 rs. a
peca; cortes do cassa a 2,000 rs. ; chales do
19a a 1.440 rs.; cortos de sotinola para cal-
cas a 800 rs., o oulras muitas fazendas por
prec.o commodo.
~ Vende-so um pardo de 18 annos sadio o
possante proprio para bolieiro, sua boa
couducta faz com que nao seja vendido para
o Rio de Janeiro : na ra larga do Hozario
ARADOS AMERICANOS.
+ Vendem-se arados ame- 4
^ ricanos, chegados dos Esta- 9
dos Unidos, pelo barato pre- m>
-' 90 de 40,000 rs. cada um: na |
S ra do Trapiche n. 8
Vende-se na taberna da ra do Hospi-
cio no I, feijo mulatinho e macasso a 10/
rs. o alqueire.
Acha-se a venda na ra do Sol, no ar-
masen! da casa u. 25,os seguintes utencilios,
caibros, tolhas, potes, jarras, fugareiros, a
maisobjectos de bairrodo lugar do Apipu-
co j por prego mala commo.lo.do que em
outra qualquer parte.
Vendo-so a casa n. 66, na Passagem da
Magdalena, por preco muito commodo : a
trata na ra da Roda n. 64.
.. Vonde-se uma mulata, ptima costurei-
ra e engommadeira, que eolende Je todo o
arranjo de uma casa : na ra Direita n. 120,
2. andar.
Vende-se farinha de mandioca nova a
de escolente qualidade, a 2,000 rs. a sacca ;
milho, a 1,600 rs. a sacca ; charutos, sabo
do Rio e da trra ; ancoretas com aceito-
nes, izeite doce em pequeos barra, da
Lisboa, vinho do porto em barra de sete em
pipa, e mais ganaros que #or sua boa qua-
lidade e diminuto preco, a todos ha de agra-
dar : no armazem de ('.ampollo & Filho, tra-
vessa da Madro-do-Deos a, 7.
_ -




"
-
wm
Cal vilgem de Lfabo-i.
Vende-se cal de Lisboa, de p-
tima qualidade vinda no ultimo
navio: trata-se cono'Augusto C
de Abruu, na ra da Cadeia do Ue-
cife n. 48.
AGENCIA
da fundicSo Low-Moor.
RUA DA SENZAI.LA NOVA N. 2.
Neste estabeleeimento conti-
na a haver um completo sorti-
mento de moendas o meias moen-
das para engenho, machinas de
vapor, e taixas de ferro batido e
coado, de todos os tamanhos, pa-
ra dito.
Antigo deposito de cal
virgem.
N ra do Trapiche, n. I7, ha
muito superior cal nova em pedra,
chegada ltimamente de Lisboa:
tambem se vende potassa da Rus
sia, nova e de superior qualidade.
Bombas de ierro.
Vendem-se bombas de repuxo,
pndulas e picota para cacimba :
na ra do Brum ns. 6, 8 e 10,
undicao de (erro.
Deposito da fabrica tle Todos os
Santos na lialiia.
Vende-se, em casa deN. O. Ueber& C.,
*na rua da Cruz n. *, algodSo transado da-.
quella fabrica, muito proprio para saceos de
assucar e roupa de escravos, por pre$ocom-
modu.
Vendem-se relogios de ou-
ro eprata, patent inglez: na rua
da Senzalla Nova n. 42-
Lasa de commissiSo de escravos.
Vendem-se escravos e recebem-
se de commissao, tanto para a pro-
vincia como para fra delta, para
o que se otferece muitas garantas
a seusdonos : narua da Cacimba
n. 11, primeiro andar.
Arados de ferro.
Vendem-se arados de diversos
modelos, assim como americanos
com cambo de sicupira e bracos
da ferro : na fundico da rua do
Brum ns. 6, 8 e 10.
Farinha Fontana,
chegada ltimamente: em casa de J. J. Tas-
so Jnior, 11a rua do Amorim n. 35.
Agencia de Edwin Maw.
Na rua de Apollo n. 6, armazem de *lc. Cal-
111 mi K i......p mlii.i, acha-se conalanleniente
linns aorlimenl'is de uixa de ferro coado e
batido, tanto rasa como fundas, moendas in-
eiraa todas de ferro para aniniaes, agoa, ele,
ditos para armar em inadeira de todos os ta-
manhos e inadellos o mals moderno, machina
horisontal para vapor, com forca de 4 caval-
los, coucos, passadeiras de ferro estancado
para casa de pulgar, por menos preco que os
de cobre, cscovens para navios, ferro ingle2
tin id r ni barras cuino em arcos folhas, e ludo
por barato preco.
Deposito de cal e potassa.
No armazem da rua da Cadeia
do Uecile n. ia, ha muito supe-
rior cai de Lisboa, em pedra, as-
sim como potassa chegada ultima-
mente, a precos muito rasoaveis.
Farinha de mandioca.
Vende-se saccas com superior farinha
de mandioca a precos rasoaveis : a tratar
com 1. Tasso Jnior rua do Amonm
D. 35.
Deposito de cal virgem.
Cunha & Amorim, na rua da Cadeia do
Recile, n. 50, vende-se barris com supe-
rior cal em pedra, chegada pelo ultimo
navio de Lisboa, por menos preco do que
em outra qualqner parte.
- -- No escriplurio de Manoel Joaquim Ra-
mos e Silva, na rua da Cadeia do Recife,
vende-se por pre^o commodo cal virgem de
Lisboa chegada no ultimo navio, bezerro de
lustro, mercurio, linha de Roriz.retroz, fe-
chaduras do Poito, paooos e casemias
de 15a.
Ovas do Sertao.
Vendem-se ovas do Serto muito frescaes;
cheguem freguezes autes que seacabom,
por se estarem vendendo muilo barato : na
rua do Queimado luja o. I*.
riap Paula Cordeiru.
recentemenie ebegado do Rio de Janeiro ,
vende-se na rua da Cadeia do Recife toja n.
50, de Cunha & Amorim.
No armazem da rua da Moda n. 15 ,
vende-se cal de Lir boa em pedra, a mais no-
va que ha no mercado, chegada no crrenle
mez, no brigue Laya ; assim como mercurio
doce em caixinhas de libra cada urna, ludo
for menos preco do que em outra qualquer
"jarte.
Bailes mascarados.
Na rua da Cadeia do Recife loja n. 50, de
Cunha & Amunm, vende-se villudinhos de
differeotes e bnlhsntes cores, para vestua-
rios de bailes de mascaras, e roupas de
theatro : chegados pelo ultimo navio da
Franca; assim como cal;as de meia; a tru-
co de diuheiro se vendan por barlo preco.
JNovos cobertores de tapete a
i,44 ls-
Na rua do Crespo loja da esquina que
volta para a cadeia, vendem-se cobertores
de tapete, grandes e bonilos, pelo diminuto
reco de 1,440 rs. ;em qualidade sSo os me-
nores que lem viudo no meicado, por isso,
recommenda-se aos Srs. de engenbo que
quizerem comprar da pichincha, nSo se de-
mrelo, porque jaba poucos pela estrado
que lo.n lido.
lie to barato,
Que laz animar ;
Quera vir a pechincha
So deixar de comprar.
Na rua do Crespo loja da quina que vira
para a cadeia, vende-se pannu tino preto, a
3,000, 3,500, 4,000 4,500, 5,000 e 5,500 rs.
o-cuvado dito fraocez mullo superior, a
6.000 ra. ; dito azul, a 2,60, 3,500, 4,000 e
5,000 rs. ; dito verde, a 3,800, 3,OuO e 6,00
rs. ; dito cor de rap, a y.euo rs. ; casemi-
ra preta, a 4,800 6,000, 7,500 8,500 e 10.000
rs. o corte ; sarja prela de seda muilo su-
perior, a 3,500 rs. o covado ; merino preto
muito bom, a 2,800 e 3,300 rs. o cuvado cor.
tes de cassa chita muilo bonilos, a 1,920
rs. ; e outras muitas fazendas por preco
commodo.
Vende-se a asa n. 25, da rua do Ale-
crim : a tratar na rua Direita n. 64, seguudo
andar.
Loteria do Rio de Janeiro.
aos 20:000,000 e 10:006,000 de rs.
O cautelista Solustiano de Aqui-
no Ferreira avisa ao respeitavel
publico, que no dia 19 do corren-
te mez, deve chegar do Sul o va-
por da companhia brasileira, e no
dia aoo vapor inglez Teviot, con-
ductores das listas da 14. loteria
a beneficio das Casas de Caridade,
que corren no dia 4 deste mez, e
paga immediatamente logo que re-
ceber as listas, sem ganancia al-
guma, todos e quaesquer premios
que sahirem nos bilhetes, meios.
quartos, oitavos e vigsimos, ven-
dido na praca da Independencia
n. i3ei5, loja decalcado do A-
rantes, e na rua da Cadeia do Re-
cife n. 46, loja de miudezas.
Bilhetes ,00o
Meios 11,000
Quartos 5,5oo
Oitavos a>8oo .
Vigsimos i,3oo
Loteria de N. S. do Livramento.
Aos 5:ooo,ooo ders.
Na loja de miudezas da praca
da Independencia n. 4 vendem-
se bilhetes inteiros, meios, quar-
tos, decimos e vigsimos, a bene-
ficio da loteria de N. S. do Livra-
mento que corre impreterivel-
mente no dia 28 do corrente.
10,000
5,ooo
3,600
1,100
Coo
Bilhetes inteiros
Meios
Quartos
Decimos
Vigsimos
Na porta da Alfandega e no
armazem do baraleiro Joaquim da
Silva Lopes,'vende-se farinha fon-
lona SSF e de l'hiladelphia, l-
timamente chegada.
Loteria do Hio de Janeiro.
AOS 20:000,000, 10.000,000, 4:000,000 ,
2:000.000 e 1:000,000 dn rs.
Na loja da Viovi Vioira Ct Pililos, na rua
da Cadeia do Recife n. 24 receberam pelo
vapor l'araense, entrado em 6 do crrenle ,
a lisia da 20. lotera a beneficio do theatro
de Sr. Prtdro, e o resumo da exlraccftu da
quaita loleiia a henelicio da freguezia de
S.Jos, que se acham patentes na mesma
luja, e juntamente receberam e acham-se a
venda us mili afortunados bilhetes, meios,
quartos, oitavos e vigsimos da 14 lotera a
beneficio das Casas de Ca i Inde, e trocam-se
por bilhetes premiados das loteras do Rio
de Janeiro e desta provincia.
Attcncao ao baraleiro da rua do
Crespo n. i.'i, loja de Jos Fran-
cisco Dias, chitas cabocolas, a
300 ris o covado.
Vendem-se chitas escuras cores de v-
iih" o do caf, fazenda inteiramenle de pa-
dres novns e cores muito fitas, a 200 rs. o
cuvado; dilas francezas muito superiores,
a 2(0 rs. o covado; ditas de quadfus pa-
d'esoscuros e inteiramenle molernos, a
200 rs, o covado ; superior atoalhado ada-
mascado de puro linho e com 8 palmos de
largura, pelo muilo barato prego, de 1,600
rs. a vara; alpaca prela muito lina, a 610 rs.
o covado ; cassas francezas de cuies as mais
fins que lem appirecido, a 640 rs a vara ;
cassas chitas muilo largase cores Cuas, pelo
baralissimo preco de 200 rs. o covado ; di-
tas en> corles com 6 l|9 varas, a 2,000 rs. o
corte ; cortes de camhraia de si>da cor de
carnee de rosa, fazenda >lo ultimo gosto,
pelo baralissimo preco, de 8,500 rs. o corte ;
dem de seda pura, todos brancos, pelo ba-
rato prevo de 12,000 ra. o corle; superio-
res brins de puro linho trancado, de ricas
cores, e novos padrOea, a 1,200 rs. a vara ;
assim como outras muitas fazendas de agra-
dar aos Srs. compradores, tanto nos precos
como as qualidades.
Queijos do Serlao.
Vendem-se queijos grandes e frescaes,
vindos do Sertflo, e por preco commodo :
na rua do Queimado loja 11. 14.
l'ara liquidar
Faz-so todo o negocio dinheiro.
Vendem-se por ludo o preco presuntos
hollandezes, proprioa para lUmbre e tem-
pero : na rua da Cadeia do Recife. n. 23.
Vende-se farinha de mandioca superior
em qualidade da piecedencia de Porlo-Ale-
gre e a preco rasoavel: a bordo do patacho
Kelicidade Tundeado em fente do caes do Ra-
mos, ou na rua da Cadeia, casa n. 39. 1.
andar.
SALSA PAMilLlIA
DE
AS nun.orosas experiencias fetas cumu
uso da salsa parrilha em todas as enfermi-
dades,originadas pela imptneza dosangue,
e o bom xito obtido na corte pelo liim.
Sr. Hr. Sigaud, presidente da academia im-
perial de medicina, pelo lllustrado Sr. Dr.
Antonio Jos l'eixoto em sua clnica, e em
sua afamada casadesaude na (iamboa, pe-
lo litin. Sr. Dr. Saturnino de Oliveira, me-
dico do exercito e por varios oulros mdi-
cos, permiltem hoje de proclamar altamente
as virtudes clieacs da
SALSA PARRILHA
DI
Nota. Cada garraTa conlem duas libras
de liquido, e a salsa parrilha de Urislol he
garantida, puramente vegetal sem mercu-
rio, iodo, potaasium.
Vende-se a 5/000 rs. o vidro na botica do
Sr. Jos Mara Conexivos Ramos : rua dos
Quarleis pegada ao auarlel do polica.
Superior cha nacional
em caixinhas de 2 libras, e da melbor qua- '
lidado ; ven.le so por preto commudo, na
rua do Corpo-Santo 11. 2, primeiro aodar.
SALSA PAHRILHA DE
SANDS.
Este excellente remedio cora todas as en-
ermldades as quaes sSo originadas pela
mpuresa do sangue ou dosystema ; a sa-
ber : escrfulas, rheumatisino. erupcOes
cutneas, brebulhas na cara, almoroidas.
doencas chronicas, brebulhas, bortoeija,
niilni, enchapos, e dores nos ossos, e jun-
tas, ulcar, doencas venerias, citica, enor-
midades que altacllo pelo grande uso do
mercurio, hidropesa, expostosa urna vida
extravagante Assim como, chronicas de-
sordena da constituidlo, serSo curadas por
esta tflo til, e approvada medicina.
A administracBo dosle helo remedio, nos
ataques maiseslraurdinarius tem silo sem-
pre seguidos pelos mais felices resultados
nsasuasoperac's; porm,oseu principal
objecto he de punliear o sangue, e limpar o
systema de qualquer influencia de mercu-
rio. No seu modus oprrandi, he directa-
mente como um remedio alterativo, anda
que, indirectamenle srveao systema como
umverdadeiro inico. Doencas nos ossos
c no systema grandular; assim como ns
juntas, e ligamentos, s3o inteiramenle cu-
radas pelo uso desle remedio, sem que o
doente faca resguardo algum, quando usar
este remedio. A opper$5o doste remedio
consiste em remover a desorden) do syste-
ma, e em breve lempo o doente ganliaia a
sua saude.
A Salsa Parilhi tem ganhado por muitos
annos urna alta rerulacSo, de ter.curado
doenr/as muilifficuliosas, que nenhum ou-
tro artigo de valor em materia medica lem
curado, lie de saber que a Salsa Parilha be
um dos mais valerosas remaJios que os
doctores usSo em toda a parle do mundo ;
com vistas de ganharern a cura pelo uso de
tal remedio vegetal. Porm, deve-se de
notar, que nem ludas as pessoas sabem pre-
parar esto remedio, assim como eaco-
Iherema oielhor parle que se deve usar em
tal preparaeflo. Um celebre Medico escrip-
tor, que residi por muitos annos no lugar
aoude ha a melhor prodcelo da Salsa Pe-
rilla disso: Seisou oilo especies destas
raizes que crescem nestes bosques, admra-
me que nSo podesse adiar, se nSo urna,
com o gosto, e propriedade da verdadeira
SBlsa Carilla, que se lossa recummendar
para medicina ; poisas mais eram inspi-
das e inertes. Porm, cumo os mdicos
n3o se d3o ao traballio de fazerem as
suas proprias medicinas, mas sim cunfiam
nosseushabeis boticarios, para a prepara-
ren), e cumporem dilerenles drogas. Po-
rm de todas as preparacOes de Salsa Pan-
illa devia de ser da genuina, para que o fa-
cultativo e o publico ficassem bem liados
as preparacOes de Salsa Parrilha a ser da
mellyir qualidade. Pois he este o genuino
vegestavel.que seoffereceao publico; ues-
te se v combinados o lile cum dulce ; pois
em 11,iiini 1- casos em que o doente espe-
raucasalgumas linha ue viver,e grandes
quanlidades de remedios experimentados,
mas sem resultados de melhoras ; mas cooj
esta imra Salsa Parilha, suas curas tem si lo
infaJiveis, pois os certifica los que temos
recebido de pessoas que tem usado deste
puro remedio, aflirmaiu da sua boa ellica-
cia ; estes certificados temos a honra Je
aprensenlar ao respeitavel publiro, para
que liquem ccrlos, oquoacima so diz, he
verdadeiro. Os proprielarios desle reme-
dio lem por muitus annos empregado todos
os meios pare prepararen) osle 13o til, e
essencial remedie da raiz da Salsa Carilla,
qne por flin, conseguiram as suas vistas, em
proparareiii um l3u valuoso lemeJiu, e seus
13o lindos resultados tem enchido us pro-
pietarios de gloria, e triumpho do lerem
preparado urna linda conipusicu contra
doencas, que o seu lim he destruir o corpo
humano. Esta cumposicSo he qumica
nova. Esta S-lsa Parilha De combinada com
oulros engredienles que todos ellcs perteo-
ceni a classe vegetal, e tolos com o poder
de purilicarem o sangue. O doanle que usar
desta composico, pode contar que tem o
mais ellicaz remedio, para a sua enfermi-
dadeusa. 0 nico agente nesla cidade he
Vicente Jos de Brilo, na rua da Cadeia do
Recife botica n. 61.
Vendem-se velas deespermacete, em
caixas, de superior qualidade: em casa de
J. Keller & Companbia: na rua da Cruz nu-
mero 55.
Vende-se superior farinha
de mandioca de Santa Catharina,
por preco muito commodo, a bor-
do do patacho brasileiro Alegra ,
fundeado e'm frente ao caes do Ha-
mos : a tratar a bordo do mesmn
patacho, ou no ecriptorio de No-
vaes & Companhia, na rua do Tra-
piche n. 34.
Moendas superiores
Na fundic3odeC. Starr& Companhia,
em S.-Amaro, acham-se a venda moendas
4
DEVERES DOS HOMENS,
a 500 rs.
Vende-se este compendio provado para
as aulas, em meia encadernacio, a 500 ra.,
cada um: na livraria 11. 6 o 8, da praca da
Independencia.
Arados de ferro.
Na funilico da Aurora, em S. Amaro,
vendem-se arados de ferro de diversos mo-
delos.
Taixas para ciistuihi.
Na fundido de ferro da rua do Brum,
eaba-se de receberum completo sortlmeo-
to de taixas de 3 a 8 palmos de bocea, as
quaes acham-se a venda por preco com-
modo, e com promptidSo embarcam-se.ou
carregam-se em carros sem despezas ao
comprador.
Vende-se farinha fontana
muito superior e nova no merca-
do : a tratar com Manoel da Silva
Santos, na rua do Amorim n. 56 e
58, ou no armazem do Aunes no
caes da alfandega.
Principios geraes de economa pu-
blica e industrial.
Vende-seeste com pendi, approvado para
as aulas deprimeiras letras, a 480rs.: na
praca da Independencia, linaria n. 6 o 8.
Cobertores de algodo.
Superiores cobertorea de algodSo de di-
ferentes cores, lecidos a dous flus, muito
grande, tem todaapplicafao em uma casa de
familia, por servir para meia de engum-
mado e forrar camas e mesmo para escra-
vos, pelo diminuto preco de 1,410 rs.: na
rua do Crespn. 6.
Velas de Esparmacete.
Vendem-se velas de esparmacete
em caixinhas de 30 Ib, em casa de
Augusto C, de Abreu :na rita da
Cadea do Itecife n. 48.
Grande fabrica de chapeos de sol,
de J. Falque tua do Collgeio
n. 4.
Nesle novo estabeleeimento recebeu-se
um novo e lindo sortiment de chapeos de
Sul ilns ltimos gostos, lano de seda como
de paninho pira homens e senhoras, de ar-
nnic.lii de baleia e de asso que se vendem
hit menos preco que em outra qualquer par-
le ; grande sortiment de chama lote, sedas
e paninhos em pec,a de todas as cores e qua-
lidades para as pessuas que quizerem man-
iinr cun ir armaees servidas. Completo sor-
lmenlo de balelas para vestidos espartilhos
para senhoras, fazem-se umbellas de igreja e
concerta-se qnalquer qualidade de chapeos
de sol: todos os objectos cima mencionados
se ver.dem em por^Aoe a relalho, por prego
quo agradara aos freguezes a vista da quali-
dade.
vende-se champagne da marca amiga
',I, 111 conhecida, Cornel,em casa de Deaue
Vule & companhia : na rua da Cadeia.
I'otassa ameiicana.
No antigo deposito da cadeia vellia, n.
12 existe uma pequea poreSo de potassa
americana, chegada recentemenie que por
superior rivalisa com a da Russia: vande-
se por preco razoavel.
Vende-se um bom.cabriolet, com lo-
dos os seus perlences, e igualmente o seu
excellente cavallo : a tratar na rua da Ca-
deia do Recife, com Jus Pires de Moraes.
Vende-se um bonito molecSo, por pre-
go commodo : na rua das Triucheiras u. 17.
Negonio vantajoso.
Vende-seo hotel commercio sito na rua
da Cadeia n. 13, cornos ulencilios que o
comprador quizer : a tralar no mesmo
Vende-se um Inri,o para padaria, no
centro da cidade, tendo lugar para mora la
earmazem para lenha, com desembarque
napoita: o pretendeule anouncie sua mo-
rada.
Vende-se
Cha preto e verde, de superior
qualidade em caixas pequeas ;
Veilas de espermacete de superior
qualidade em ditas ditas,
Fio desapateiro, de diversas co-
res :
E MAIS OFFIC.NAS
NA
Rnn, Imperial n. 118 e 12o, e deposito na rna Nova n. 33.
Respeitosamenteavisam ao publico, e parlicularmenteaos Srs. de engenhos e des-
tiladores, etc., que este estabeleeimento se acha completamente montado, comaspro-
porefles necessarias, para desempenhar qualquer machina, ou obra concernente ao mes-
mo. Os mesmos chaman) a altencSo. para as seguintes obras, as quaes construidas em sua
fabrica compelen) comas fabricadas na Europa, na qualidade e mSo de obra, e por ma-
nos preco, a saber :
MACHINAS continuas de destilar, pelo methodo do autor fraocez Derosne, as me-
Ibores machinas, que para este lim at hoje tem apparecido.
ALAMBIQUES de cobre de todas aa dimensOes.
TODOS OS COBRES necessarios para o fabrico de assucar.
'I'.M Mis |)E COBRE para reflnaclo.
TAIXAS HITO para engenho.
DITAS DITO movis para dito.
BOMHAS DE COBRE de picote, de repucho, de roda e de pndulas.
ESCRIVA.MNIIAS de lalSo dos melhores modelloa.
DITAS DITO galvanizadas.
SI mis de lodoa os tamanhos.
OS APHECIAVEI3 fogOes de ferro econmicos.
BURRAS de ferro as mais bom construidas.
CARROS dito de mSo.
PORTOES de ferro.
VARANIIAS dito.
CRADIAMENTOS dito.
TAIXAS dito.
CALDEIRAS dito.
BAMIEIROS de zinco e de folha, para banho de choque.
Xavope do Hosque.
O Aposito do Xarope do Bos-
que, foi transferido da botica do
Sr. ,Iom' M 111,1 Goncalves Ramos ,
para a do Sr. Bartholomeo Fran-
cisco de Souza, na rua larga, do Ro-
zario n. 36. He falsificado oque
nao for vendido nesta casa; garra-
fas grandes a5,5oors., e peque-
as a 3,ooo rs.
Msica para piano.
Vende-se a nova mazuika, polkas e lindas
valsas: na pra^a da Independencia, loja de
miudezas n. 3. Na mesma loja ha muilo su-
perior lima da escrever em ijarrafas.
Vende-se duas partes de Ierra, dos
herdeiros do sitio denominado Tacaruua,
no lugar de Blem : quem pretender dirja-
se a rua eslreitt do Rosario, n. 28, seguudo
andar, que achara com quem tratar.
Para bailes mascarados.
Vendem-se pennas finas, brancas, encar-
nadas e prelas : na prapa da Independencia,
loja e fabrica de chapeos de Joaquim de Oli-
veira Maia.
A pataca,
Lila fina de 3 palmos de largun?
a pataca o covado, princeza fina a
800 rs. o covado : na rua do Ca-
bug n. 10.
Engenho perto da praca.
Vende-se ou arren la-so um engenho
moenle ecoi rente muiti perto da praca com
boas proporcSdS, quem quiser annuncie.
-- Vende-se uuia meza de meiodesala,
uma cama de arma(3o, tudo de Jacaranda
nsado por diminuta quantia : na rua do Li-
vramento n. 38.
-- Vende-se ovas do certHo, por commodo
preco : na rua larga do Itozario n. 39.
No pateo do Cirmo, venda n. 1, vende-
se azeite de carraiiato, muilo claro e excede
em al vii ra ao de coco, he muilo lecomroen-
davel por sua qualidae, da encllente luz,
candii-iros de meio
A bordo da escuna Mara Firmina, fuo-
diada defrunte do caes do Collegio,ha supe-
rior farinha de mandioca|de S. Malheus, que
se vende mais barata do que ein qualquer
outra parte trata-se a bordo com o capitSo;
e na rua da Cruz n. 33, com Luiz Jos de Sa
Araujo.
Vendem-se cortes de cambraia de seda
1 111 1 .-i 1 1 111 1 1 > .....1 uva* ---- ,
de canna, lodas de ferro, de um modelo e do ultimo goslo, e requissimos padrOes a
lie |n ,1, no. lano par
i desala, como lamparina, pelo barato preco
Tudo em conta, no armazem de de4oors. a garrafa.
Adamson Hoiwe & Companhia, Vende.seuma 1, emuilobem
na rua do trapiche, n. 42 afreguezada para a prai;a, a qual se vende
rnii.-i rucean muilo superior
Vinlio de Champagne,
e superior qualidade : vende-se no arrea-
8,000 rs. : na rua do Crespo n. 23.
l'ara mascarados.
Na rua do Cabugi, loja de Andrade & A-
. maral, ha para vender linissimas mascaras
em Kalkmanu lrm3os Rua da Cruz, n. 10 deceri| com mla3i para lodo 0 carcter,
Aloinhos de vento | por baralissimo preco.
oro bombas de repucho para regar borlas Vendem-se S escravas sendo urna linda
d baixas decapim : vendem-se na fundi^So molata de idade de 22 annos, engomma, co-
de Bowmani Me. Callum, na rua do Brum se cham cozinha e faz doces de lodas as
ns. 11. s e lo. iqualidades, 1 mulato de idade de 22 a 23
Vende-se, annos, 2 escravas de idade 20 annos com va-
Alm de muitos e superiores gneros, ven- ras habelidades uma dita de meia idada :
de-se Igualmente os seguintes: caf do Rio, na rua diieita u. 3.
em piirc.ni e a relalho, massas linas, con- Vende-se ou arrenda-seo Engenho S
servas, o excellente .doce de annanaz em Rita uniente e crrenle meia legoa distante
frascos de 6Jlbras, exlrail d'ahsinlhe, vi- da villa de Iguarassu'com proporcOea para
un 11 ,lo Un. -un, ditos de Cherry, Porto lia- safrejar-se, embarque junto ao engenho; ala-
daira eMuscatel de SeUbal, sardinhas em gados, o outras prupuicOes : quem oprelen-
lal*s mainres e n eini <-, riquissunas ca- derentenda-secomo proprielaiio no mesmo
xinhas do todos os taniauhos com amen- engenho.
.iis c.ini'.-ii i'is muilo proprias para pre- -- Vende-se uma escrava moca e rohust
sent, presuntos americanos e inglezes para de oui boacunlucta e sadia, a qual sabe
Hambre, uilos do Porto e Lisboa, milhoem engommar perleramente, e mais 2 filhos ,
saccas, sebo do Porto em caixas de I arro- um muUtinho de 2 annos e uma. pretiuha
lu, cha preto solt e em massinhos de Sem de um anno : na cidade de Olinda, ruada
libra, latas com muito fino biscuito in- Misericordia ao subir ao lado direilo, casa
glez; tudo isto vende-se por menos do que immediata ao sobradrinho do mesmo lado,
em outra qHalquer parte : na rua da Cadeia que fica cum o oilflo para a rua do Boiii Fim.
do Recife, n. 23, armazem de moldados. I Ven li'in .se saCCOS com fari-
Vende-se por preco comino- nna mul0 floa de Mag, a 3,6oo
do,cal virgem, muito nova, che- nocaesda alfandega. ariua-
gada pelo ultimo navio, por preco MBa de ijias Ferrera ou na rua
muito commodo : no armazem de ,ja (jroz n> ^0j primeiro andar.
Dis Ferreira, no caes da Alfande-
ga, ou com Novaes& Companhia,
na rua do Trapiche n. 3 \.
(limo \ iiilio Inanco.
Vendem-se barris de 5 em pi-
pl
6. Flix.
Vendem-se os Verdadeiros charutos de
S. Flix : na rua do Queimado n. 9.
Vi-ude-s > uma bonita rede pintada, pro-
pria para enancas : na rua larga do Raza-
no n. 20.
Vende-se urna mesa de amarello, com
pa, com vinho branco de Lisboa, Qap,rlula",B8el,1'a8 j;'"10"110 e largura 1
da melhor qualidade que apparece:'
trata-se na rua da Cadeia do Re-
cife n. 48.
siinao de Nantua a
800 rs.
Vende-ae a historia de SimSo de Nantua,
a 800 rs. : na livraria da praca da Indepen-
dencia n. 6e8.
Chapeos do Chile pequeos.
por o dono ler outra uceupacSo ". a tratar na
rua do Cano n. 2.
Vende-sa um mulato movo, de boa fi-
gura, sem achaques, nem vicio algum, pro-
priopara pagnm, ou outro qualquer servi-
(0 por estar feto a todo o trabalho : na rua
do Queimado, loja n. 10.
* Antonio Jos Rodrigues de
Souza Jnior, faz sciente ao pu-
blico que prestou fianca na forma
da lei, para dividir em cautelas
bilhetes de loteras ; e por isso
lem exposto a venda as suas cau-
telas, bihetes e meios ditos da 14
loteria a beneficio das Casas de Ca-
ridade do Hio de Janeiro, devendo
chegar a lisia no dia 19 ou ao ,
os vende pelos muito baratos pre-
90S abaixo : nn rua do Queimado,
loja n. 37 A.
liillictes inteiros 22,000
Meios ditos 11,000
Quartos 5,5oo
Uitavos 2,800
Vigsimos i,3oo
Farinha de mandioca a 2,000
rs. a sacca.
No armazem de Dias 1' irreira, defronte das
escadmhas da Alfandega.
fVfffffffV?fffffffff
J? Deposito de tecidos da fabri- J|
ca de Todos os Santos, -c
na Bahia.
al
a]
Vende-se em casa de Domingos Al-
^ ves Malheus, na rua da Cruz do Re-
* cifen. 52, primeiro andar, algodSo
:> 1 ransadi)daquellafabrica, muilopro-
prio para saceos e roupa He escra-
vos, assim como floproprio para re-
X dea de pescar e pavas para vellas, 4;
a> por prefo muito commodo. <'*
A*A4iA AMAG-A** A AT&A**
Molduras douradas
de lodas os larguras : vendem-se no arma-
zem de Kallkmann IrmSus.ruada Cruz n. 10.
Em casa de J. Keller & Com-
panhia, acha-se a venda vinagre
(mineo, superior de Nantes, em
barris de 36 medidas.
Vende-se vinho de champa-
nhe legitimo e de superior quali-
dade : em casa de J. Keller &
Companhia, na rua da Cruz n. 55.
Vendem-se amarras de ferro : narua
da Senz.lla Nnva n 42.
C_ -1. jaj
Escravos lucidos.
Desappareceo no mez s novembro de
1851 o prelo Goncalo crioulu que reprsenla
ter 40 etanlos annos, altura e corpo recu-
lare barbado, tem falta de denles, o bei^o
superior virado para cima e no meio lem
uma pequenaci Catriz, este he o signal mais
claro que elle tem quando falla, he rir-se e
arreganhar os beicos, he muito ladino e
muito desembarazado he carreiro e lem
inuilas habilidades : quando fueio procu-
rou o Sr. Dr. Jo3o Antonio Cableante de
Ibuquerque para o comprar e dahi tornou
a fugir: quem o pegar pode leva-lo ao
mesmo Dr. morador em Iguarassu, e no
Recife na loja do major Firmino Jos Ro-
drigues 1.11 reir, no Passeio publico, que
sera muito bem recompensado.
Acna-se fgida desde odio II do #
@ corrente mez uma mulata de idade ?
de 18 a 20 annos e aUuma cousa fula- ?
Ji deira, e vesga dos odos, estatua re-
(9 gular,magra,tem marcas de bechigas ">
fj$ peilos pouco ou nada volumosos,e foi ?
O vcsiida com vestido preto de pintas
* brancas e bico de espartanos, cabel- lo coi lado e rente, e de nome Clau- tt>
W> dina : a pessoa que a pegar leve-a ^
rua do Vigario n. 9 a Carneiro & Ra- ?
mos que ser bem recompensado.
Desappareceu no da 9 do corrente k
icinl" sahido com um taboleiro a'vender
doce de calda, a preta de nacao Rebolo, de
nome Luiza, moca, baixinha e magra, esper-
ta e diligente, talvez diga que auda procu-
rando sennor, por ler pedido para ser ven-
dida, levuu vestido de uma fazenda ja des-
botada, panno de listras com raatames e
franjas : quem a pegar e a conduzir a rua
da Senzala Nora o. 4, ser recompensa lo.
Roga-se as autoridades policiaes de Ro-
be ribo, Bao Amarello e Caaa Forte, e dis-
(rictus visinhos que tendu noticia de uma
prela de nome Mara Coqueira de idade 50
annos; baixa do corpo, um lauto magra,
pernas meias arquiadas, bracos foveiros, e
bocea meia loria do caximbo; meia carcun-'
da, muito falladeira, consta andar vendendo
marisco por estes lugares, por ser marisca-
deira.e tambem veode diferentes iruclos o
.ir,,.,, 1, 1........,u ""' ........^'. .,,,.' I, 111 |
Sapates Irancezes de couro de lus- ortaiico por ser bastante esperta ped-
tro, a 5,8oo rs. o par.
Vendem-se sapatOes de couro de lustro
francezes, para homem a 5,800 rs., prer;o
porque ainla nao se vendeu em outra par-
te; dnos para menores a 4,500 rs. sSo de
novo gosti e chegados ltimamente : noa-
lerroda Boa Vista, loja 0, 58, junto ao se-
leiro.
.Millio a 2,5oo rs. a sacca.
No armazem de Dias Ferreira, no caes da
Alfandega.
Azeite docarrapato da fabrica de
Araujo & Filho, no Penedo.
Acaba de chegar mais desle ja conhecilo
azeite, o mais proprio e econmico, para
uso de candieiros desala, tanto pela suadu-
rac3o,*como limpeza, e continuar a haver
sempre um depozto para suprimento regu-
Vende-se um oscravo, mogo e de bo- nheiro: na praca da Boa
nita figura : na rua da Cruz do Recife o. 38.1 do francuis.
-- Vendem-se muilo superiores chapeos lardos freguezes : no armazem de J, J.Tas-
do Chile da moda : na loja e fabrica de cha-so Jnior : Da rua do Amorim n. 35.
peos de Joaquim de Oliveira Mala, na pruca (Jn imperial,
d*--nveendem8'duas casinhas meias agoas '. D8Psil no fim da rua Augusta : trata-so na mesma i 'j""S< ."> da Cadeia do Resife.n. 56 A
ruan 23. de Antonio. Joaquim Vidal, caixas grandea
.- Vende-se um carro do quatro rodas!i^pequenas, por precos commodos.
muito levne seguro, por muito pouco di., Cemento novo a 7,000 rs.a barrica.
Visla.'cocheiraj No armazem de Antonio Annes, no caos
Ida Allandega.
todas as pessoas que a encontrar aprenlam
e facam conduzir o largo da Trompe, sobra-
do n. 1 que se pagar com Reuerosidade o
seu irabalno.
Do engenho CocaJ freguezia de Una,
fugiram as vesperas de festa, os escravos
seguintes : Valentn) crioulo lula, com of-
licio de sapateiro, boa estatura, ps apalhe-
tadus, secco do corpo,[olhos brancos, e com
idade pouco'mais ou menos de 28 annos;
este negro fui comprado em abril do anno
p. p., havendo sido do Sr. Salgueiro da ci-
dade de Olinda ; Alexandre molaliuho, ida-
de 15 a 16 annos, cara larga, nariz grosso,
olhos grandes, bastante esperto, este mua-
lo foi igualmente comprado no mesmo lem-
po que o de cima, havendo aiuo do Sr. Dr.
Alcanforado, e tendo sido pegado a 8 dias
passados e recolnidoa calea e dali levado
a bordo de um das barcadas do proprio Sr.
dos ditos escravos, para seguir para o enge-
nho, evadio-seda dita barcada, pelas II ho-
ras da noito, delxando dormindoos empe-
gados d'essa canoa ; quem os pegar podo
leva-Ios ao dito engenho a entregar ao Sr.
dos referidos escravos Paulo de Amorim
Salgado ou nesta praca a entregar a Cris-
tino Antonio da CruxSoares, que satisfar
qualquer despesa que houver de se fazer.
v \'\T\
m r ir


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EOJNZK481_XJ8IYG INGEST_TIME 2013-04-12T23:28:48Z PACKAGE AA00011611_04419
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES