Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04407


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Auno de 184*2. Secunda Feia 31 do
Tudo S tinuemos como principiamos, e seremos punidlos fom ailmiracao cnlre as Nacetes mais
Tullas. (I'roclanlaco da Astenblca Geral do Brasil.)
PARTIDAS DOS CORREJOS TERRESTRES-
(inanna, l'arailia. e Rio fraude o Norte, na segunda e sexta feira.
l'tonito (inranliuns, a liiv'.'.
f.aho, Serinliaom, Rio l'ormor.o, Porto Calvo, Macei, e Alaoaa no i 9 11, e 21.
1 -ijo.1 13. Santo Aui.o, quinta fcita, Olimia todos os dias.
DI
AS DA SEMANA.
?e. s. Pedro N.iUsco. C.lianch Aud. do Juii de Direito da 2. yira
1 Tero, s Ignacio. Aud. rio juii de Direito da 4. rara.
2 Qn.i'rt. < Puri.a^io de N. Aud do jiiil de direito da 3. Tra.
3 (Juint. ., bra*. Aud. do jtii de direito da 2. vara. *
4 sexl. s. Andr Corsino. Aud. do Junde Direito da 1. rara.
5 sal. s. gueda. Hcl. Aud. do Juii de Direito da 3. rar.
C Dow. s. Dorothca.
Janeiro. Anno XVSI1. K. 84
'i!'M "ii'iirr tmcti
O Diario pulilica-se lodos os diaa que nao forcm Saaiifca.W o prcen da asignatura he
de tres mil reis por quarlel p;os adiamados. Os mnuneios dos aatlffnanMi o inaeritfo
eralis. coa dos 11110 o n.io forem raiao de SO reis por Imita. As rcotunacftea devi-m cf
dirieiilaa a Nmeros 37 e 3S.
i:\MI3IOS ho da 29 de SseTbo.
Cambio sobre Londres 2> i. p. fU.
ii u Paria 320 rea p. franco.
ii Lisboa .SO a N;> p. 100 de pr.
Orno- Mo-da de (i/lOll V, 14,400 14 (.00
i. i. N. 14.900a 14.400
.. de 4,00-3 8,i00 S.'.Mll
Pimt Pataeies 1 ,(i!l > i ,870
1'lUTA Penis "oliuiinaies 1.(50a 1,(170
> MnioMHM 1/i'Oj f,6R0
11 muida ^ 1/i'K)a 4,4jiO
Monda de cobre 3 por I00 de dis.-onlo.
Diseonlii de hilli. da Alfande~a le j por 109
0 mcx.
litan de letras de boas firmas le a i e .
I'reamar do ,a 31 rfe Jaiinir.x
4. as S lloras e 30 m. da larde.
2." as 9 horas c ,i'i da nianli.l.
PUASr.S DA II \ NO MF.7, CE lANF.lKO.
Qiiart. min*. a 3 lis 7 oras r il m. da larri-.
Loa Nora a I I -- lis I oras e .i'l m. da larde.^
Qunrl. cresc. a 10 --ja ts ora e '11 m. ila lafde.
Lila ebeia a 2fi -- lis 3 oras e 3.1 m. da larde.
ES
MINISTK.lO DA l'AZENDA.
O viseme bunal ilo thesouro publico nacional para
rxecucio da lei n. 212 29 de noverabro de
18il ordena seobserveoseguinte :
Art. i. A jnizo privativo dos feitos da
faieoda compete coa tace* e julgar definitiva-
mente om ( instancia todas as causas civeis.
ordinarias on sumniarias cni que a fazen la
nacional fr re ou por qualquer tnaeira
interessada em que doverem inlervir osseus
procuradores na conformidode das leis cm
vigor.
Art. 2. Comprehcndem-se no numero das
ditas causas :
I. Asqm: so moverem a respeito dos b'jns
nadonaes reservados, na forma do artigo
i la da constituidlo para decencia e recreio
de S. M. o Imperador sua augusta familia .
e versarem sobre a propriedadu e posse que
nellcs tenliaa fazenda nacionat.
II. Tola i as hab I i incoes de herdeirose
cessionarios de quaosquer ere.lores da fazenda
nacional, e as ju.sliicaos que d'antes se
laziJo noexlincto eonseJho da fazenda,"con-
forme o artigo 0., 8. e 90 da lei de i de
outubro de 1851.
III. As babililac/ies das pessoas que, tem
direito o uifio suido dos ollieiaes militares
faHecido, nos termos da lei de C> de novem-
bro d<: 1827, e decreto de 0 de juliho de
1824 j salva a disposicao do decreto de 27 de
JunbodeI8O.
tV. Os praeessos parase verificar adesa-
propriuc.io na forma dos ardaos i, S, (i o 7
da lei de 9 de setembro de 1820.
V. As .justilic.icocs de serviros remunera-
veispaa si- requei-er algnra merc.
Estas justifteagoes serio exclusivamente
feilas nojtii/o dos feitos da corte, ((Ualqiier
que seja a provincia em que resido os jus-
tificantes.
Art. 3. A jurisdiceo doste juizo he priva-
tiva e i m proroya ve!, e por isso ri.ios se devem
nelle procetttar todas as causas mencionadas
nos artigas antecedentes que de novo se n-
leiUaiviii, mas tamhuii' para elle se devem
ruratHter todas as actualmente pendentes em
qualquor juizo dos "respectivos districtos ou
s.'ja ex-ollicio pelos meamos juizes peante
(|uem correm, oquefaro esta remessa logo
que se estabelecerem os juizos privativos, ou
seja em virtude de precatorias dos juizes dos
feitos a requeriiiienlo das partes, fazendo-se
ell'ecliva a responsabilidade dos que frem
culpados na demora.
Art. 4. S'a ordem do juizo se devora se-
guir o disposlo no artigo 5. da lei de 29 de
noventa de 18H. n. 242, c o mais que
novissimamente foi determinado no artigo
120 da lei de 3 de dezembro de 1811 c no re-
iuUniunto respectivo.
Art. ;'). Os juizes dos feitos na Corte, Ba-
bia e Pernambuco, serao substituidos pelos
juizes do civel em quanlo existirem; e na fal-
ta uestes pelos juizes de direito.
.as provincias em que servirem de juizes
dos feitos, os juizes do civel serao substitui-
dos pelos juizes de direito.
..as l,t|us provincias em que os juizes de
diivito servire;n de juizes dos feitos, serao
substituidos pelos juizes municipaes.
Art. 0. O dislricto da jurisdico dos juizes
dos feitos be, para o da corte," o municipio
della, c para o das provincias, todo o territo-
rio deslas.
Art. 7. Estes mesmos juizes tcm aleada
ate a quanlia de loo* em hens movis ou de
raiz ; o por isso nao sao appellaveis as sen-
tencas por elles proferidas em causas que nao
excedao em valor aquella quantta ; podcr
fterem aj partes nterper a revista nos termos |
do artigo 6. da lei de 18 rje setembro de
1828.
Art. 8. Os ordenados c vencimentos dos ,u-
zes dos feitos procuradores cscrivaes e ollf
ciaesde justica, sor.To s 9 restrictamente os
designados nos artigos 7. 8. 9, 10 e 11 da
referid., lei n. 22. de 20 .le noverabro de
1811 e as commjssfles d que trata o art.
10, 3. da mesma lei, sero arbitradas Ki-
lo goveraq sobre inrorniacoe.s dos inspectores
das thesourariase presidentes das provincias,
com atteucao s eircunstanciage difficuldades
que forem demonstradas.
Art. 9. O procurador do juiz dos feitos na
corte apresentar no (m tribunal do t.'iesouro hiim mapna do estado das
execucoes pendentes, com declarado (fas que
se tiverem ultimado e das quantias que se hou-
verein recolbido por intermedio do procura-
dor fiscal do mesmo tribunal: e a este repre-
sentar todas as (dividas e obstculos que se
llie. offerecem para serem dissolvidas ou pe-
lo mesmo fiscal. quando para isso bastarem
assuas nstrueces ou polo tribunal a quem
as apresentar quando se precisarem as de-
claracdes e providencias doste. Rio de Ja-
neiro em 12 de Janeiro de 1812. Vis-
conde de branles, h
Ro i>:; JANEIRO.
Discurso que o Enviadg extraordinario c
Ministro pnipotcnciario dos^Estados-Unidos
da Americarccilou na audiencia dcaprescnta-
caoa S. M.'o Imperador.
Senlior, esta carta, que tenlio a honra
e apiesi-ntar, he dirigida n V. M. I. pelo
sen amigo o presidente dos Estadps-nidos
da Am:.'rica e me autorisa para residir jun-
to a V. M. I. com o carcter de enviado ex-
traordinario e miistro plenipotenciario. Es-
la prova reiterada da coriianca que me pres-
ta o meii governo he lauto mais satisfactoria
e apreciavel. quanlo, sendo-me conferida
dopois de residir sete anuos acreditado Como
uncjiregado de negocios unto ao governo do
V. M. I. comprova assim que o vivo inte-
resse que me tem sempre merecido o bem
ser possoal de V. Mf. I. e a paz o prosperida-
dedoscu extenso e magnifico imperio, nao
s lie correspondido, mas approvado pelo
meu paiz. V. M. I. me permitir que eu
observe que hum scmellante resultado he
natural. Circumstancias. existem na historia
e estado dos dous paizes, que (prescindindo
mesmo das vantagens das relaces conimer-
Cia'es) devem prodozir e desenvolver entre
ambos hum sentimento de "benevolencia.
Ambos somos agora estados americanos iu-
dependentes; e fomos outr'ora colonias eu-
ropeas. Ambos possuimos (seja qual fr a
differnca de formulas) a elevada dislincfto
de sermos governos constitucinaes, que se
esforgo por combinar os benficos principios
da liberdade o ordom, e s rec.'amSo da so-
ciedade a obediencia alTectuosa e Ilustrada
que he devida a huma legislaco justa e cons
titucioial.
O presidente dos Estados-Unidos sen ti o
summamente que, por hum mero accidente,
fosse privado do prazer de offerlar opportu-
namente assuas felieitacoes pelo motivo da
coroa^o e sagraco de \. M." I. Pode-, po-
rm, V. M. I. ter a certeza de que, posto
sejao demoradas as que ora olfereco respeilo-
samente, silo com tildo cordiaes e sinceros os
sentimelitos de estima consagrados a V. M.
1. c os votos pela sua felicidadc pessoal e
das duas augustas princozas irmas de \. M.
I. eslao longe de se enfraquecerem pela
conlinuaco da sua existencia.
a At este momento me tem sempre o meu
governo cncarregado, as stfas instfucQes,
de conservar inalterareis as relceos de miza-
de e boa intelligencia felizmente subsistentes '' '"arlas de pessoas fidedignas depois de re-
entre as duas nac'ies. As mesnias instriiCQ03 contarcm esla maravilhnsa aceao'om a mes--
ni.A foro solemnemente reiteradas por este mafidelidadeda parte oflicial a que merefiro,
novo motivo, p o grato dever ipie ellas no allirmao que o numero dos morios subi a 120.
mpoem ser por mim cumprido com toda a e que na warcha fiara Poquerj houvera ouiro
satisl'aco e boa le confiando que obterei a eiicontr .0111 a forca inimiga da qual II re-
alta remuneracao da estima de V M. [., ea beldes 1.carao prisioneiros : que no alaipio do
continuago da approvacO da minha na-1dia 2o a tropa contraria exceda a 800 bo-
tria. mens e que o teiieule-coroncl Joao l'ropi-
S. M. o Imperador dignou-se responder: ci Menna Brrelo se demorn 110 lugar do
Agradeco muilo esla prova do amizade combate o lempo necessario para reunir
que me da o IHustre presidente dos Estados-ta cavaala que se'achava disfiersn c
ruidos; e estimo que vssejai's o nrg.io dos jtluli conduzia os prisioneiros villa da Ca-
sentimentos do mesmo presidente. Ichoeira, para serem remettidos a esta ea-
------------- pilal. Por este brilliante evento militar ,
S. PEDRO DO SIL. i eu reitero as minhas congratulagoes a V. Ex ,
lllm. e Exm. Sr. Em additamenloao meu (lu'? 1 CoI" Cl1 < reconhece os bens que deUe
oflicon. 154 de 29 de noverabro lindo, te- resultao; osqua^s jamis se obteritVo se pri-
nho a honra de transmittrr a V. Ex. aspar-, im-irae.segunda divisao do exercito domen
tesolTiciaes do ataque que teve bisar no Rin-: commando se conserva:.sein acantonadas no
cao Bonito no dia 21 do dito mez. o cujos re-1 solado Itinco de S. Vicente para onde in-
sultadas forfio ainda mais vantajosos do que slitamente as conduzirao, o inai.v insoli-
annuuciavAo as primeiras noticias que eoto' tente ainda na Corte ha quem avance
transmito a V. Ex. O vapor Amelia seguio (ll,c aquello Rinco dista 0 a 8 leguas da Res-
al; ja villa do Tmimplio com urna barca de ting'aSecca, lugar em que as ditas divisos
cavallos para receber os prisioneiros queali Sfi achao acampadas!! A victoria que as
devem vir por torra do Rio Pardo. Mandei armas imperaes icaMo de obter \ em segui-
fretar o brigue-barca mercante Triumpho dadas vantagens que se tem gr&dativameutc
da Inveja que he o muco barco que aqiii se alcangado nos districtos do liltoral quo con-
acha com capacidade de conduzir 200 prisio-'[ tornilo esta capital, e nos de cima da Sorra e
neiros que talvez cheguem e urna escolta Vaccra expurgando-os das unmensas par-
de 30 a 19 homens ; ostou-lhc mandando fa- lidas rebeldes que os infestavaO convencer
zer os primaros necessarios para cora luevida-, os incautos da loucacidade dayuelles (pie no
de sahirem daqui paro o Rio Grande com- regado da paz I. de longe se entreten, em
boiados pelo mesmo vapor Amelia, e dali pa- fazer ridiculas anahses sobre os negocies dcs-
[ressacor\e pelo brigue de guerra Andori- la provincia sem ao menos esiarem habilia-
nlia onde i rao com mais segura rica os in-' dos dos conhecimeutos (opographicos tiesto
tillados oliieiaes prisioneiros, entre os quaes-i- territorio avaneflo absurdos (piando se van-
gra o celebre Cachoeira que, temi j si- gloriflo de delinear alheios planos de Campa-
da preso e indo remettido dessa para o Borle I nha. Porm se nao obstante um eoeade-
em um brigue francez fez o levantamento a
bordo e (ovn desembarcar cm Maldonado .
I donde voltro para as flleiras rebeldes. O
intitulado tcnente Leopoldino da Cruz Alia ,
mencionado no'oflicio tlo-'general emchefe,
amonio de siicccssos felizmente ohlidos a pro!
da sagrada causa quo defendemos e dos que
espero obter em virtude das ordens que lenho
a-jar ao benemrito tcnente-coroncl Fran-
cisco'Pedro de Abren logo que se approxinie
leudo lieado ferido, j he fallecido, como par-1 desta capital como ora Ihc ordeno e de
ticipou honiem o teen te-coronel Francisco viva voz boje communicarei a V. Ex., ainda
Pedio. Digne-so V. Ex. levar aq conheci- OS coripheos das hordas calumniadoras sea-
mentdeS. M. o Imperador tosatisfactorias treverem a repetir que as primeiras aulorid. -
oolicias. des desta provincia sao dorminhocas se com
Dos guarde a V. Ex. Palacio do governo, s mais ndieulos sofismas negarem queem-
na leal o valorosa cidade . Porto Alegre 6 quanto se nao reorganisa o exercito ( que m 1
de dezembro de 18II. lllm. eExm. Sr. foi entregue no estado de desmntelamento
Jos Clemente Pereira. k Saturnino de que V, Ex. sabe) parase comecarem opera-
Souza e Oliveira. >- 1 ofles em grande escala, o lugar mais azdo
lllm. e Exm. Sr. Um oflicial dooV I para residencia do general he esta capital, por
coi pode (avallara de guardas nacionaes acaba ser o centro cominum onde convergem todos
de enlregar-rae aparte que me dirigi o te- os raios equidistantes da esphera da acc.o mi-
nen te-coronel Francisco Pedro de Abroa, pe-1 litar, atientas as posicoes que deixro oc-
la qual so veri 11 cao as satisfactorias noticias cupar pelo inimigo, e as que por ora pode 111
qu: em meu ollicio di; 29 do precedente mez
de noyembro Uve a honra de Iransinitlir a V".
Ex., relativas ao importante feita de armas
0>ue no dia 23 do mesmo seoxecutoh na cesta
(lo Arroio do Pequery junio ao Rinco Bo-
nito. Nesta denodada pt leja o inimigo dei-
XOU no campo para mais de 109 horneas iuor-
tos, c 182 prisioneiros, alm de todas as suas
bigngens niuitos arreios e cerca de 809
ca\aIos. Entre os morios conta-se o deno-
ser oceupadas pelas tropas imperiaes, pelo
menos os liomens imparciaes dotados de um
juizo claro rcconiecero que apezar do
nossa somnambilidade lomos feito mais do
que a insomia dessas notabilidades, que de-
saproveitrfio os melhores ensejos para dar
um golpe mortal sobre o partido rebelde .
franqueando Iho at a sabida para o lugar que
elle (Jesejava.
Aguardo o rccidtinento"da parte que 1110 de-
m.i.ado niajor Iirbano MeinaJIes sobrinho de Jf o lc,I1<.nt,.C0I.luq JoAo lrpic0 Men-
Bento-Goncalves, e diversos outros offlciaes 1{(.,n,>l0 pHo intermedio do triaadeiro
rebeldes ; e nos pns.one.ios 2 majores l Xlonio Correa Sera para tecer OS devidos
capiles o 6 teneotes nao podendo o dito le-, ^^ ao3 ,,ravos que tiv,,ro lc no ,.
nenio-coronel fazer nina mais minuciosa par- ,,, S(,,.V(! ,(. ()bjeo(o (i(ls,a a{;i,u|av,,
licinacao iior ter sido enea rre^ado de nerse- ... ... ,...... i#:.-_.> \i...
, participacac tcnilo-me anticipado em din-
auir oxeslo da torca anarclnsta com a (nal .. ,. ,
"V, i i, > gir os merecidos encomios ao mfatigavel te-
ixVe evad r-se Agostiuho to .Mello. Evad-- ,, .
1 ;/-, ., f> .' nenie-coronel Abrcu cao bravo corpo que
gre.vsai. que 0 tettente-Coronel Abren tez pelos
districtos da Eneruzilhada e Erval ; ainda a- comm*ntW;
prisionou o tenente Leopoldino da Cruz Alia Dees guarde a V. Ex. Quartel-general em
bem recommendavel pelas atrocidades prali- Porto Alegre 2 de de/embro de 1811.
cadas conlra os defensores da intcgridado do lllm. e F.xm. Sr. Dr. Saturnino de Souza "
Imperio. ____' Oliveira Gnilinho. Presidente desta Pro-.
A parte que acabo 2tt do mn pretrito aas Ponas do Capivary mandante ec: ibeiV.
N


/"
gQjEIa;
_2
s-xEf^!>-'r?*!?ri ^j
'5
, liliw. o Exm. Si.Em additamentoIciava prestarqualquer servico daquMle generoira entrou pelos matos,paraonde elles se li-
no oflicio que lioje Uve a honra de dirigir a V.
Ex., communieando-lhea verilcago das no-
ticias que anteriormente lhe havia transmit-
ido relativas as extraordinarias vantagens
que parte das tropas que me glorio eomman-
dar acabo de obter contra as hordas rebeldes;
eumpre-me rogar-lhe (pie se digne dar as con-
venientes ordens'para estarem promptos trans-
portes de mar que devem conduzir cerca de
J00 prisioneiros que brevemente espero (pie
clieguem a esta capital : os quaes, em minha
opinio devem sem excepgo de possoa',
aanto antes sahir dcsta provincia para a-
quella parle do imperio que o governo de Sua
Mageslude o Imperador julgar mais proprio a
sua seguranza ; polo menos einquanto sobre o
solo Rio Grandense gira a guerra civil. Alni
desta medida ser conscntanea com as ordens
domesmo governo hoje mais do que nunca
ella se torna necessaria nao s porque a ex-
periencia de mais de seisannos de porliosa lu-
ta tem demonstrado que a inaior parte da-
<]uelles revolucionarios que a sorte da guerra
tem eito cahir em poder das nossas armas
vencedoras mais tarde ou mais cedo torno
a ir encorporar-se s lucirs rebeldes abu-
sando dos continuados perdes que se Ibes tem
dado mas at porque separando-os do Lugar
aonde ou exercem influencia ou estao su-
jeios deseus amigos e paren tes estes pro-
curarn exiniir-s" de ler igual sorte, o, ues-
te caso o deslenlo ou a convicgio oslar
depr as armas e procuraren) guarida debai-
xodas bandeits imperiaes.
Parece-me que os transportes devem ir com-
boiados por uin vaso de guerra e para este
lim me anticipo a olVerecer as minhas ideas
madura rellexio de V. Ex. para vez tomada tao proficua resoluco nao baja
demora na viagem que tem de fazer.
Dos guarde a V. Ex. Quartel general em
Porto Alegre 2 de dezembro de 1841.
film, c Exm. Sr. l)r. S. de S. O. Coutinho,
presidente desla provincia. Conde d<> Rio-
Pardo general commambnte em chele.
Rio Grande i8 de dezembro.
... lie verdaiieira a derrota feita por XiCo
Pedro emhuma forja rebelde de JIK) hoinens,
pouco mais ou menos no Rinco Bonito ,
as ponas de Piqury Picando no campo al-
guna ifMl morios e 182 prtsioneirps in-
cluidos alguna offciaes os quaes todos aqui
se esperto para seguirem para o Rio de Ja-
neiro.
Os rebeldes eslo em desharmonio ; Rento
Gohcalves est brigujocom Canabarro que
he o que eonserva hoje maior loica reunida
(800 ho/nens ) em Inhanduy prximo a
Alegro!'-. Neto depois da derrota de A-
gostinh segua de Piratinim com pouca
Corea fignora-sa onde se acha. Ismael e
Slanoel LtiiMs de Oiiveira ofliciaos de pres-
" limo e influencia deixrfto <> servico dos re-
beldes e o mesmo succede a respeilo do
famigerndo ministro Domingos Jos.- de Al-
incida.
Rento Gont.ilves est em Bag com os ne-
gros infantes em estado misera vel.
He pi na que nao lenhamos cavalhada para
emprehender alguma cousa ueste verto em
que s se poder fazer algumas surtidas.
( Carta particular.)
ou outra alguma hostilidade ao imperio e
seos subditos, que debaixo de sua palavra de
honra, protestava rro tomar mais parte Ra-
queta lulta, e que solicita va de S. M. o Im-
perador, por intermedio do mesmo encarrega-
do dos negocios, a sua imperial amnista.
Declarou mais que boje seo fim he occupdr-
se nicamente do cominercio em geral. (As-
signado.-O encarregado de negocios, Jos
Dias da Cruz Lima e J. Garibldi.
(Commercio).
Torio Alegre 4 de dezembro de 1841.
n bao refugiado, e estando j estropeada da
loriga marcha que levava ccom os ps feridos,
os nossos infantes desesperados os torio se-
gurando a tiro.; o seos ollieiaes os nao con-
livessem fario anda mais.
O brigue-barea Triumpbo da laveja foi fre-
tado para levar os prisioneiros, todos os
que aqui h \ >> creio que levar uns ioO ;
o major de cagadores Padilha vai comman-
dando urna forca de 50 homens que he pre-
ciso que lhe v de guarda : brevemente l re-
cebarlo essa remessa.
A torga que foi batida eque elles intitula-
vo o terceiro corpo do exercito licou com-
pletamente destruida 5 oseo chefe Joaqun)
Pedro S ja res.passou aosulde Camacuan e
rugi'para Piratinim com 10 homens 5 do
lado de ca do Camacuan nao existe agora for-
tauto mal tem feito causa publica.
(Carlas particulares.)
Que di (Terenga cutre o anniversario nata-
licio do nosso adorado Imperador este auno
e odoanno passado Ilontem accendeu-se a
pomposa illuminagloda1 praga ,: que foi feita
para as festas da coroagao e que o presiden- ca alguma rebelde podendo-se dizer boje
te tez conservar para festejar os anuos de S. que vAo licando rarefeitas as fileiras rebeldes.
Alern da diminuirlo na torga physca., os
eTtitbs moraes desta derrota que sollrero
sao da maior importancia para a caliza da le-
galidade.
P. S. Com a segunda remessa forao lam-
ben) 152 con tos para pagamento da tropa,
tendoja ido 40 eolitos com a primeira : esta j
vai mais desembarazada em consequencia da
derrota da forca rebelde que podia dar-lbe
algum assallo nocaminho.
M. o motempo nao permittio que se acn-
desseno mesmo dla2, mais hontem csteve
huma bella noute, e o edificio illuminaJo
com mais de 10,000 I uzea e SO globos apre-
sentava urna perspectiva encantadora. I ma
danca de jardineiros outra de indios e ou-
tra de amadores, que se apresentato vesti-
dos de fantasa, entretivero un immenso
concurso de povo de ambos os sexos ao som
das msicas de tres COrpOS que tocaro al
alta noite. Nao houve hum s disturbio pie
perturbasse os praseres pblicos. .Nunca em
Porto Alegre se vio festa tao brilhante ; a il-
lumincao esteve anda melh'-r do que pela
coroagao por que chegaram do Rio osenos
e globos que a commisso nomeada pelo pre-
sidente mandn vir. O regosijo publico era
augmentado pela confirmaglo das noticias da
victoria do Rinco Bonito e certeza de que el-
la naocustou a vida de un s dos defensores
do throno e por entre o povoouvia-sc a ca-
da passo : Cachorros rebeldes eslao amar-
gando a marmellada que chucharan o anno
passado E assim se compensavao os bous
legalistas do desgos'Oque tivero com aquel-
la atrevida achinealhacaode triste recordacao.
0 Senhor dosexercitos nos de sempre o an-
niversario do nosso monarcha tao alegre como
aqui tem sido este anuo !
21 de dezembro de 1841.
Com pezar lhe digo que fui mal informado
(piando orgava por 0O0 homens adiniinuicuo
do nosso exercito na marcha que fez com o
brigadeiro Joao Paulo porque est hoje bem
verificado que a dimnuicac foi de mais de
900. Quando Joo Paulo fez junego com
Silva lavares 110 campo da Eorniiga em lo
de abril licou com 0:000 homens torga
em marcha, segundo os niappas 'compre-
liendeudoa companhia de transportes; quun-
SANTA CATHARINA.
Desterro, 27 de dezembro.
. Os conductores dos prisioneiros feitos
no Hincao Bonito amnistirao huris gstenla
este precediniento illegal tem altamente es-
cuiidalisado a todos, e principalmente ao
presidente c ao conde. Veremos se tao cri-
minoso abuso he punido. ( dem. )
Desterro 0 de Janeiro.
Ilem grala nos foi a noticia que acabamos
de recebar* dequeallim vamos possuir lied-
la provincia huma colonia societaria, bragas
sejao dadas ao lm|)orador e ao seu governo ,
que soubero dar o devido a prego aos planos
do Dr. Mure, e que mando leva-Ios a eireito-,
Tudo concorre para dar-nos bem fundadas es-
perangas de que a colonia prosperar. O
systema societario ; a qualidade de artista*
que devem ler os homens o que j presup-
pOO huma escolha e nos escolhidos o amor
ao Irabalho e o habito da l'udiga ; os avangos
que o governo generosamente concede para
occorrer precisos dos colonos nos primeiros
lempos do seo estabelecmento ; a salubrida-
de do clima j a feliz posigo do Sahy, banhado
pelo Ocano, regada de abundantes agoas,
e coberlo ainda e.11 grande parte de malas
virgens, ea proximidade da villa cabsca do
distrjeto, sao vantagens, que aliango o mais
prospero resultado 'tentativa. Medrando,
como he de crer a colonia do Sahy o exce-
dente da populago em Franga liear Saben Jo
onde sua actividade e industria adiara em-
prego, onde sem temer a febre amarella das
Anlilhas eas exalages morideras dos paes
da GuVana poder cada um contar traba-
Ihando, com acquisicao de urna fortuna soli-
do chegou ao rincAo de S. Vicente, chegoucom da. E nos e o Brasil todo aju lados por estei
llhn. c E\m. Snr. -Tendn 9 subdito Itali-
ano J. Garibldi aiiandona.lo a rebeliflo do
Rio Grande e solicitado de S. M. o Imperador,
nicii augusto soberano a sua imperial am-
nista, por ter oommandado huma parte da
torga rebelde daquella provincia corno se ve
do termo porelle assignadb,e que por copia cu-
vio a V. Ex., julguei conveniente communi-
cal-oa V. Ex. para seo conhecimento. Reos
guarde a V. Ex. Legago do Imperio do Bra-
sil em Montevideo 22 de Setembro de 1841.
- Illm. e Exm. Snr. Saturnino de Sonsa e O-
hveiiH, presidente da provimna de S. Pedro
- Jos Dias da Cruz Lima.
Termo de declaraco feito por J. Garibaldi,
subdito Italiano residente hoje em Mon-
tevideo.
Aos 18 dias do mez de Setembrc do corren-
te anno de 1841, na casta da legagao do ln-
perio do Brasil, no estado Oriental do Uru-
guay e perante o encarregado de negocios
domesmo imperio, compareceo o Sur. J.
Garibaid, subdito italiano, boje residente na
cidade.de Monte Video, cajital do estado, e de-
clarou, que tendo em outro lempo comman-
dado huma parte das forjas contra o Impe-
rio na provincia do Rio Giaude boje renun-
20 de dezembro.
Seguio para o exercito o segundo comboi de
fardamento e outros artigOS ; ainda iiAo.foi
armamento e corrame, que far objeclo de
urna terceira remessa; os objeclos da segun-
da remessa que foi occupavAo 180 fardas e
caixrtes que embarcarlo no trapiche da 111a-
rinlia para o Rio Pardo.
Os cavados lomados ao inimigo depois que
o exercito acam|>ou na Restinga S-ccajso-
hem a 1.800, segundo as partes ollieiaes do
Seara, que diz que os tem mandado reunir
todos. O coronel Fernandos, que aqui chegou
hontem tambem doente.disse-me que a cava-
Miada est engordando muitode pressa porque
os pastos so mu lo bous. A "ste ollical se
deve prihcipalmento a retomada de 7 carre-
tas de (lenles ecartuxame, que os rebeldes
j nos linhao lomado no banhado de Inhati-
nm em 22 de junho.
Talvez ainda ah sritem porque o conde
nao parti para a Restinga Secca e queirfio
saber as rasocs porque. Terdiao paciencia ,
que nao poden] ser satisfeitos ; contentem-se
com os resultados que por ora sao os ine-
lliores que tem apparecido. Os seos plan:);
e intenertes nopodern ser publicados; a seu
lempo saberao para que elle aqu est ; nao
dormirtero, mas Ira baldando da e noute no
(pie he preciso.
Aqtii chegarfto 122 prisioneiros dos feilosno
combate de 2o do passado (cando -4 doen-
tes no hospital do Rio Pardo ; 11 gravemen-
te feridos foro deixados em casas particula-
res prximas ao lugar do combate por nao
8:015 e nada mais ; islo est verificado pelos
niappas (pie me consta forao remeltidos ao
governo ; e, descontando destes alguns pouCOS
a presen lados 011 passados ha urna verd;:deira
diminuico de mais de 0O0 homens com os
quaes nao seconla mais ; islo nao sao histo-
rias sao documentos ollieiaes. Se se pre-
tende mostrar com o niappa dos morios de
doencas que a perda foi sement aquella
que aprosentou o documento que ahi se pu-
blicou s se pode com isso iludir os tolos
que quizerem crer (jue aquella torga s per-
dn gente em morios por doencas.
Talvez se pense ahi que o conde tem boje
muito mais torgas sob o seu com mando do
que leve Joo Paulo quando se pz em 1110-
vimento ; pois dcscontein aquella que dimi-
nuto na marcha os que tem inorrido nos
hospitaes, os invlidos, eperto de 400 ho-
mens que se lhe tiro com osaseos de ba-
lalhes que o governolnandou remetter pa-
ra formar outros em diversas provincias, e
ver-se-ha que a diffarenca reduz-se a liuns
000 recrutas bisonhos que ainda nao sabem
carregar huma arma. Quem l est e nao
quer dar estes deseontos pode dizer (pie o
conde te 12:000 homens para operar e mover
novos compatriotas veremos, nosso paz a-
bengoado e rico, por meio de trabalhos que
a escravidonao manchar, nein entorpega-
r', chegar ao grao de grandeza e de prospe-
ridade para que o talhoii a nalureza. Que
esperangoso e todava real isa ve l porvir?
10 de Janeiro.
Moje chegaro partecipages de ler aporta-
do j a S. Francisco o Dr. Mure com os pri-
meiros colonos que devem formar o ncleo
da colonia societaria mas nao se diz quan-
do aportarte. Parece qne ainda ali nao ti-
nhao ebegado as ordena da presidencia prev-
nindo as aulhoridades da prxima vinda dos
novos hospedes, e recommendaiido-lhes a
melhor recepeo e gnzalho. (.) presidente
niostra te" milito a peito auxiliar a empieza
do Dr. Mure ; e corto, se ella nao for avante,
nao ser por culpa dalle.
12 de Janeiro.
Hontem aomeio da surgi aqui a Badiana,
que a maulla para ahi seguir. O paquete do
Su I que do lio Grande devia subir a Porlo-
A legre enea Ihou no canal da barca, no da
28 do passado ; saln no da o sem novidade
multas columnas ; por ora pouco mais tem do I e leve de voltar e de esperar no Rio Grande
as respostas dos offlcioS que em outra embar-
cacao seguirlo para a capital.
(Carta particular).
------------------------------- TV l-9i-fi 1- --------------------
(pie o seu antecessor mas o que be crto he
que por c mesmo se lem alguma cousa aug-
mentado as qu havia quando o outro as
diminuto, e que as que ha, tem elle apro-
veitado melhor do que os seus antecessores :
e apesar da falta de cavados que os outros
tambem estragarlo sem conseguirem a mais
pequea vantagm j se aprsenla no seu
lempo huma victoria das mais assignaladas e
importantes que tem conseguido a legalida-
de e que encheu de enthusiasmo e de espe-
rangas o exercito imperial.
Os rebeldes linlio a sua forca dividida em
tres porgrtes que chamavo corpos de eser-
ha ver transpostes nem remedios para os CU-1 cito ; o Io era com posto da pouca infantaria
rar durante o caminho : a humanidade exi- qne eslava em Bag com BenloGonsalves e
a qne assim se fizesse : \ que ero esera- alguma cavalaria com o Neto em Piratinim ;
vos de legalistas, a quem tinho sido roubados o 2 era a sua melhor cavallaria ao mando
pelos rebeldes, foro entregues a seos se-
nhores os mais como ero de familias lega-
REPUBLICA ORIENTAL.
Montevideo 20 de dezembro.
Depois que Ibes escrevi pouco tem oicor-
rido que possa comparar-se com a brilhante
batalha de Caaguazu. As noticias do exer-
cito do general Paz chego a 0 do corren te ;
esegundo oque elle dizia deve hoje estar
em Entre-Bios perlo da capital.
Em dula de 10 me diz de Paysand o nieu
correspondente : Os poneos fugitivos de E-
chague que chegaro ao seu paiz refugrao-sc
nos montes donde nem por bem nem por
mal querem sahir. Pessoa que 110 di 15 veio
do Arroyo da China diz que este povo c os ou-
tros da costa forao completamente abandona-
de Canavarro que eslava por Algrete ; e o
5" era este que foi derrotado ao mando de Joa-
lislas e mostrarao terem sido ha pouco agar-jquim Pedro e que tambem era lodo de ca-
rados e condusidos presos para a forca que foi | vallara. Nos hoje j Ibes somos superiores dos e que os moradores suspiran por torcas
batida, o Francisco Pedro c o Propicio, os tira- tambem em cavallaria. O general, quando nossas.
rao para os seus corpos, e dizem que estes foi agora ao Rio Grande organisou maisdous
logo que vi rao a nossa gente largarao asar- esquadroes para a defeza da linha de S. Gon-
calo que ero ali muito necessarios de
mas e se cntregaro. Alguns dos que chega-
ro estao doentes com sarampo e supponho modo que no hom estado em que eslo as
que nao iro agora. Hoje chegaro mais "0
prisioneiros, ,que cstavo. no acampamento,
agarrados na primeira expedigo de Francis-
co Pedro a S. Gabriel ; l vao tres majores e
10 ou 12 subalternos farra pos centre estes
dous lente captivos 5 que boa gente A
mortandade foi grande por que a infante-
trinebeiras do Ro Grande e com a torga de
cavallaria qne ica sobre aquella linha, seo
general se achar em estado de ir operar lon-
ge, nao deixar aquelle lado exposto como
licou. Em sunima os nossos negocios vo
apresentando hum aspecto lisongero ; Dos
Nos Bicones ha 500 Saiilafe.iiios que au-
gmentao as difcunlsdes dos amigos de Echa-
gue de quem a 7 do corren te, nada se
sabia ainda cni Paran. Urquiza com menos-
de 500 homens, eslava ocioso no Parallaguay.
Quando leve noticia da derrota lormou a sua
gente c disse que ludo eslava perdido 1
que se o governo de Buenos-Ayre* lhe n.
dava auxilios promptos e ellicazes estaVu
resolvido a nao continuar a guerra derraman-
nos ajude e suffoque os intrigantes, que do sangue que lhe era precioso.


Rivera chegou na noile do da 14 a S. Jo-
s do Uruguay onde se reuni ao general
Medina que tinha 500 homens. Seguio-o
de perto huma torga de 1,400homens o ge-
neral Aguiar com 340 cava los, o coronel Ber-
nardo Paes com 700 cavahos e 100 infantes
afora 150 infantes de Paysand. Vai a verificar
sua passagem immedialamente.
Dizem que Lavahe j pedio asylo aos cnsu-
les de Paraguay visto nao poder vollar a es-
ta repblica e Oribe ter jurado fuzila-lo se
o apanbar.
Ignacio Oribe em carta de Buenos-Ayres ,
que tenho vista diz : Uoje comega para
nos a verdadeira guerra, porque appareceu
a capacidade de que necessitava a revoluto
argentina ( o general Paz).
0 hrigadeiro D. Joo Paulo Lopes, em
cumprimento do tratado de allianga olensivo
contra Rosas celebrado com Corrientes in-
vadi ha lo das a provincia de Buenos-
Ayres. Suas tropas chegaro a.t guarda de
Lujan e levarao todos os cavallos que en-
contr rao, sem que ninguem Ihesobstasse.
O susto" que as suas torgas eauso eslende-se
provinaa de Cordova que est coalhada de
guerrilhas suscitadas pelo governador Manoel
Lopes que Rosas aborrece porque prote-
ge Claudio Arredondo.
A linal premittio Rosas a introducto de
farinhas. Fallei com muitas pessoas da sua
familiandado que alhrmao que depois do pe-
rigoso ataque que o teve as portas da morte ,
est agora atacado de outra molestia nao me-
nos grave (hydropisia do peito); que nao dor-
mc e que se desconlia muito da sua vida,
lsto passa por certo ; mas como Rosas cos-
tuma s vezes inventar cousas extravagantes ,
suspendo o meu juizo sobre hum aconteci-
mento que a verilicar-se restabeleeeria
sem sangue a ordem poltica de Buenos-Ayres.
Tambem nenhuin crdito dou outra no-
ticia que geralmente corre islo he que Ro-
sas vai em quanto nao melhora entregar
o governo ao general Pacheco por quem sen-
te muita predilecgo desde o atroz assassinato
que este perpetrou na pessoa do general Acha,
cuja cabida fez pregar n hum posle no cami-
liho de Mendoca.
Depois do combate em que a esquadra ori-
ental fez retirar Brown deste porto, sobre-
veio na noile de 8 hum forte temporal que
derribou os mastros do berganlim Cagancha
(Promptido) que tinha licado cortado no com-
bate eque, levado pelo temporal, se cn-
controu desmantelado e no ineio da esqua-
dra inimiga a quem teve de render-se de-
pois de hum obstinado e infructuoso comba-
te. A esquadra oriental, que o achou me-
nos correu em busca delle toda a costa do
sul eso ein frente de Buenos-Ayres he que
soube da sua captura. Voltando a este porto,
encontraro os nossos Brown que eslava
tundeado com huma fragata e hum be-ganm.
Travou-se peleja e Brown fugio a toda a tor-
ga de vela. Todava a perd casual do Ca-
gancha e o nao ter Coe capturado Brown ,
tem feito murmurar muito contra o primeiro ,
e dado lugar a que o governo nao tenha pu-
blicado as participares das suas vantagens.
A esquadra oriental tem sido to feliz em to-
dos oscombites, que, a excepgo da perda
do Cagancha tudo quanto tem perdido se
reduz a hum morto e cinco feridos.
Aiilc-(ioutcin avistro-se duas velas mi-
ra gas contra as quaes a esquadra destacou
as barcas Vinle-_'iiico-.le-.Mao e Constituigo.
Amanha parte para Buenos-Ayres o mi-
nistro ingle/. Mandwille. Deve voltar dentro
de 13 dias para firmar o tratado sobre a abol-
cao do trafico da escravalura.
TOMADA DO CAGANCHA.
Escrevcm de Buenos-Ayres com data de 18
de dezembro o que segu :
Julgo que desejar saber os detalhes da
lomada do Cagancha e por isso lite remello
a segunde relago que me toi commuuicada
por pessoa bem informada :
<( Depois de haver escapado perseguido
dos vasos inimgos que Ihe davo caca ex-
permenlou o Cagancha hum temporal desfei-
to que Ihe deilou abaixo o mastro do tra-
quele e o commandante julgou enlao conve-
niente cortar o mastro grande para nao ser
to fcilmente descoberto pela esquadra de
Brown e neste estado deu fundo. No dia se-
guinle passou a pequea distancia hum vaso
de guerri francez que ia para Buenos-Ayres ;
(leu o Cagancha dous tiros em sinal de soccor-
ro aos quaes o brigue sem duvida por os
nao presentir nao attendeu e passou de lar-
go. O inimigo porem ouvioos tiros descu-
bri o Cagancha e dirigio-se para elle com o
intento de aborda-lo mas este defendou-se
com valor admiravel.
No mais forte do combate hum marinhei-
ro da tripulago te^ea ousadia de arrear a bau-
deira ; mas o commandante depois de ter cas-
tigado tamanha ousadia e cobarda lornou
a iga-la ^continuando resistencia com hero-
smo. J nao havia outra salvaco do que
entregar-se ou fazer saltar o pao da plvo-
ra ; quiz o commandante adoptar este ultimo
expediente, mas os outros olliciaes oppo/.e-
ro-se.
Bateu-se a infantera com huma bravura
sem limites at o ultimo momento. O brigue.
como he de esperar, est aqui todo desman-
telado e a sua tripulaco est na curta
excepto de alguns que toro levados para ou-
trascadeas. (Constitucional.)
NOTICIAS DA ESQUADRA.
Montevideo 22 de dezembro.
Per hum brigue de guerra francez que cn-
trou hoje neste porlo, e que presenciou o
combate de liontem recebero-se cartas- do
Sr. coronel Coe e as noticias as mais lison-
geiras da esquadra.
O coronel Coe perseguio hontem note os
vasos inimigos que fugio diante da esqua-
dra oriental.
Esta manha appareecro os vasos de Brown
muito a sotavento e as 8 horas. quandoTez-
se de vela o brigue francez portador destas
noticias os nossos tres vasos em Punta de
Piedra carregarao sobre o Belgrano que es-
tava a sotavento sem poder ser auxiliado pe-
la barca por estar tambem a sotavento e em
grande distancia.
O coronel Bibois est bom e com manda ,
como d'antes a barca Vintc--cinco-Je Maio,
sendo falsos por tanto os boatos que correro
nestes ltimos dias sobre a sua morte c sobre
hum metim havido a bordo do seu navio.
O coronel Coe so soube hontem da tomada
do Cagancha ; e o motivo por que fundeou no
combate de 29 toi por haver a Vinte-cinco-de-
Maio recebido hum balazio flor d agoa de
modo >ue passados dez minutos tinha o
poro alagado. Poucos momentos depois toi
esta avaria reparada. (Constitucional.)
Montevideo 23 de dezembro.
Escrevem de Queguay com data de 18 de
dezembro:
Ha dous dias que chegamos a este cam-
po com o Sr. presidente: estamos a seis le-
guas do Uruguay e, se for preciso, alra-
vessa-lo-hemos de hum dia para outro. Te-
mos aqui, reunidos 2.000 homens das tres
armas ; porem falto muitas divisoes que se
nos incorporarn por toda a semana prxima ,
e que elevar o total da torca de 5300 a 4000
homens. Temos hum magnifico trem ex-
celentes cavallos e bastante infantera.
Outra carta da mesma data diz :
O exercito se rene com muita aetivida-
de, e em breve tomar huma posigo respe-
tavel de combinago com o de reserva.
Nada se sabe de Echague. Crquiza reu-
ni a sua pequea torga e fallou Ihe com mui-
ta franqueza annunciando-Ihe a derrota que
acabava de soffrer o exercito que commanda-
va Echague e declarando ao mesmo tempo
que se Rosas nao Ihe mandasse promptos
soccorros nao se batera. Na sua retirada
para Nanday soffreu huma grande desergo.
O Arroyo da China e a Concordia (carao
abandanados o implorrao a nosa proteceo.
Assim he que se mandn tomar posse desta
ultima povoago.
Urquiza toi nomcado governador de En-
tre-Rios em 13 do trrenle c dizia-se que
nodia 10 saldra huma commsso encarrega-
da de receber o seu juramento. Este aconte-
cimento he de grande importancia.
Depois das ultimas communicaeoes roec-
bidas de Paz nao temos tido noticias de Cor-
rientes.
Escrevem de Villanueva com data de 9 do
crrente ;
Nao podia haver victoria mis completa
(loquea que ohtivemos em 28 do passado ,
pois podemos contar aquelles dos inimigos que
se salvaro. Sahornos que Servando se reu-
ni a L'rquiza ; porem Echague icou no ca-
minho nao sei se por vergonha de apresen-
tar-se depois de huma denota to rompi-
la a seu rival o general L'rquiza. O resul-
tado be que ninguem sabe se Echague vive ou
morreu perqu ignora-se onde /tara : alguna
asseguro que se dirigi para o continente.
(Constitucional.)
(Do Jornal do Commercio.)
Uvaslrislrucges, que diz-se serio publica-
das no dia 20 : tambem se diz que a 23 sai-
na urna barca trazendo para as provincias essa
lei de necessidade.
Eoi publicado o ragnlamento do Juizo pri-
vativo dosfeitos da fazenda que em lugar
competente damos aos nossos leitores.
OGoverno deliberouemiltr bilhetesdoThe-
souro coin praso e juros das quantias de
000. e l:200ji rcis. naconformidade da Por-
tara que anianh publicaremos ; assim como
a Portara do Exm. Ministro da Fazenda que
manda substituir as notas de 3 res e o
resultado de exame feito as que apparecerao
falsas desta quanta.
Tambem publicaremos a manhS O Decreto
pelo qual o Governo inandou processar m
50de]Dezembro passado a Cmara Municipal
de S. Joo d'Elre que quiz imitar as de
Barba(eia, e S. Joo 5'aptista.
Os paquetes de vapor nao toco d'ora em
(liante nosportos da Parahia e Rio Grande
do Norte.
O Min'stro Americano o Snr. William
llunter toi no 1. do correte apresentado
S. M. o Imperador e na occasio de entre-
gar a sua credencial recitou o discurso que em
outro lugar publicamos.
ODoutor Francisco de Sales Torres Homem.
Redactor do Maiorista tolha de huma op-
posico immoral, toi insultado publica-
mente pelo coronel Antonio Joo Rangel de
Vasconcellos que tora atacado em sua hon-
ra por aquellc Redactor : parece que se ha-
via seguido ao insulto um desafio para duel-
lo que nao tivera elleito em consequencia
de medidas da Polica. O que mais irritou o
coronel toi ter chamado o Redactor respon-
sabilidade. e ver Iludida a sua desaffronta
legal por se apresen lar um miscravel como
responsavel.
pada do qu logo cabio morto; ven.o-o
nesie estado os seus lacaios dispararlo os ba-
camartes sobre o Inspector e iizero lercei-
ra victima. Entao o-povo exasperado acco-
inelteo os dos lacaios, que pagarlo com a
vida a brutal dedicogo que havio mostrado
por seu insolente senhor.
Por decreto de 13 do crrante toi despa-
chado commandante das Armas da Provincia
do Maranho o Brigadeiro graduado Mano-
noel de Souza Pinlo de Magalhes.
Diz-se que toi reintegrado no posto de Capi
to de Artilharia o Snr. Joo Pedro d'Arau-
joe Aguiar, desta Provincia.
mi. ,. ii
Damos ndevido lugar as noticias mais
modernas do Rio da Prata : amarilla" publica-
remos outras nao menos interessantes.
COMMEKCIO.
PRAC.A DO REC1FE29 DE JANEIRO.
Revista Commerckl.
Cambio Sobre Londres conserva-se a 29 d.
por mil rea.
Algodo He poueo procurado a fij 100 por
Assucar O prego Ot 000 reis por arroba,
anda que pequeas vendas se Ii-
zero a 050 por fechar o campa-
mento de alguns navios que ti-
nho d- sabir nestas mares.
Couros Sem alterago.
Bacalho entrarlo tres earrcganientos
que foro vendidos a 8>800
9,>050 e 9*200: odeposito anda
por 10,000 barricas.
Cha HyssonTem regulado a 1*700 a li-
bra.
Chumbo de munigo As- vondas tem sido
feitas a lOjOOOreis o quintal.
A cidade de Campes dos Coitacazes esteve .,
ameagada de urna inniindago similhante
que soffrera em 1855, cm consequencia de
copiosaschuvas e endientes dorio Parahiba:
mas eslava ja desassombrada do perigo, e os
estragos tnho sido de pouca monta.
^-----------
DECLARACOE&
Por participagoes olliciaes'de Minas cm 5
do crrante de Go az em 25 de Novembro ,
e de Matto-Grosso em 5 do mesmo sabemos
que estas Provincias gozo de socego.
Naquella primeira devia-se proceder a 0
do cornmte ellego de Senador em lugar do
Dezembargador Antonio Augusto Monteiro de
Barros. Os candidatos era.) de um lado os
Snrs. Honorio Hermeto Bernardo Belizario,
e Miranda Bibeiro do outro os Snrs. Lim-
po de Abreu, Costa Pinto c Jos Feliciano.
As noticias do Rio-Grande nao sao desfa-
voraveis Iegalidade : os extractos que da-
mos do Jornal do Commcrcio sobre aquella
Provincia e. a de S. Catharina poro q4 nos-
sos leitores sientes do que all tem occorrido
depois das ultimas noticias.
Dizia-se no Rio-Grande ( accrescenta o
Jornal do Commercocm 17 deste mez ) que
o Conde do Rio Pardo deva sabir para a Res-
tinga-S'cca onde eslava o exercito no dlu 0
do correte.
ic Ono/re eslava em Caniacuan e corra
por certo que Rento Goncalvcs tinha ido para
o Estado Oriental.
Ficaio na barrado Ro-Grande a sair
para este porto o brigue-barcaTriumpho
da Invejacom 100 prisioneiros rebeldes, e
obligue-escuna de guerraAndorinhaa-
bordo do qual vem mais oito ofliciaos re-
beldes. .. .
De S. Paulo nada sabemos sino que
havia tomado posse o nevo Presidente oExm.
Sr. Raro de Monte-Alegre.
III 1111(1 DE l'EliWlllil i;o.
Chegou no dia 29 este porto a barca de
vapor S. Salvador, que nos trouce jomaos
do Rio de Janeiro at 17. Nenhuma novi-
dade essencial havia occorrido naquella cor-
te depois das ultimas noticias.
Ainda se nao havia posto em execugo a
le da reforma do cdigo por falta das respec-
Da Baha chego os jornaesquo tivemos at
23 : tambem goza esta Provincia de tian-
quillidade. O ex-Thezonreiro da Alfandega
o Sr. Bigaud que fra dimitlido em luis do
anuo passado, e pelo que muitas pessoas da
i|uella Provincia aecusavo fortemente o Exm.
Presidente achou-se alcangado em suascon-
tas na quanta de 27l673j475'reis producto
dos 55 e meo por cento sobre os vinhos.
Na povoago de Bethlem na Cachoeira ti-
nha havido um desaguizado quecu^toua vida
cinco pessoas. Havia urna festa do Snr.
do Boinlim, dous sujeitos que all se achavo ,
tiverao una alterago, e desta passaros
facadas de que morreo um ; o inspector de
quarteiro quiz prender o matador este de-
sobedeceo a ordem que Ihe toi intimada e
deo no Inspector com um chicote ; o Inspec-
tor assim ultrajado atravessou-o com umaes-
t~r O Vapor S. Salvador recebe as malas
para o Cear Maranho e Para hoje 51 as
8 horas da manh.
XST A Cmara Municipal da Cidade do Re-
cito e seo Termo de. = Faz saber que no
dia 5 de Fevereiro p. vindouro se ha de arre-
malar em hasta publica na casa de s.ias sessfies
o contrato da ailirigo dos pezos o medidas
d'este Municipio por tempo de hum auno ,
a principiar do dia de sua arremalago, e fin-
dar-seno ultimo de Dezembro do mesmo au-
no assim como sero arrematadas por tem-
po de 3 annos as casas n. 25 e 21 da praca
da Independencia que ja se acho com o r-
partimento reconstruido sendo uesse dia a
ultima praga das referidas arrematages : as
pretenden tes devero comparecer munidos de
fiadores idneos. E para que chegue ao co-
nhecimento de todos se inandou publicar o
presente pela Imniensa. Recito em Sesso
extraordinaria de 27 de Janeiro de 1842.
Jos de Barros Falco de Lacerda^Presiden-
te.Francisco Antonio Babello de Carvalho
Secretario mermo.
S37* OProfessor de Rhctoriea do^Collcgio
das Arles faz publico que se acha aberta
a matricula da sua Aula : as pessoas que se
qniserem matricular, dirijo-se ao Pateo da R-
beira em Olinda I. andar do sobrado defron -
te da Cadeia.
cy Os Rilhetes da 2." parti da 0.* Ixitoria,
a favor das obras da mesma Matriz; acho-se
a venda nos lugares seguinles : no Recife toja
do Snr. Vieira Cambista : S. Antonio loja do
Snr. Menezes Jnior e Boticas dos Snrs.
Joo Moreira Marques e Francisco Anto-
nio das Chagas, este na na do Livramenlo. e
aquelle na ra do Cabug : Boa-vista botiew
do Sr. Victorino Ferreira de Carvalho ; na
praga.
avTzs~d I V E R s o s.
cy 0 abaixo assignado faz publico que o
Collegio Pernambucano dirigido por elle at
este dia passa d'hoje cm (liante a ser dirigi-
do pelo >r. Rernardino Freir de Figueiredo
Abreu e Castro proprietario que lica sendo
do dito Estabelecmento Tom quanlo nelle
existe jior Esoriptura Publica de venda.
As pensos receidas dos alumnos perlen-
centes a trimestres cornegados sao ga-
rantidas pelo actual Director como recebidas
por elle.
Joze Soares d'Azevedo.
JET" Quem annunciou por este Diario ,
faltar-lbe urna jangada com una bomba de
pau; procure defronte de Palacio velho. no si-
tio di
francisco Xrr Martins Rasoi




^^JT^y^-'j^igta^v^ssa^aisgg^g
o
))
dia 2d,- revereiro si1 acharap seu mnibus
no lagar do costume a frente da (groja Matriz,
nu na Nova, polas S horas da uiajib, prom-
eto para levar passageiros [iaru o Poyo e
*voltara para sahir mitra vez as duas horas da
tardo para o mesmo lugar avisa mais que
ler todas as suas carruagens em secamiento
a qualquer hora para o niesuio lugar : adver-
to-sj que paraosse dia caja um passa^eu-o pa-
gar dous mil reis
tor O artista llespanlwl que no Diario
de 7 do Dezemhro p. p. se prupoz para con-
certar piannos, e realejos partecipa a quem
eonver.. queso acha estabeleodo na ra da
Qy&ax*tt
&~&
com elles se fuer com o mesmo comurn de-ve-
dor qnanto mais com o Snr. Thomaz de
Aquino Foncoca o bem podia S. Me." for-
rar-se ao trabuRio de dar a rosposta que
apareoeo no Diario de 23 do correute se
tamben qusesse poupar ao credor o traba-
dlo e dissabor de apresenlar estas linhas so-
mente para que o Snr. Thomaz de Aquino
Fouceca nao se persuada que enforqui-
lliou o credor do Diario de 24 : pois S. Me.
sabe perfeitaraente quanto fica exposto, e
quando( o que se nao presume e nem mes-
mo he presumivel) nao saiba nao est S.
Mc.e em m possibil i dade de acmisclhar-se.
praia do Colegio D. 9 com a t'reulo para o | Nom dostro qu antoe tem respondido o credor
pass'MO publico
concertar alguns
e (jue ja teve a honra de
piannos" perlencentes a ai-
guias das princ paos Camilias desLa Cidade ,
as quaes sendo preciso potlerA informar so-
bre a perfeigo de seu trahaUo.
13- Aluga-se o segundo andar do sobrado
da ra do Palacete (amarelio) receni-edilicado:
urna das tojas do dito sobrado e o armazem
prio para qualquer estabolocimento de com-
mercio : a tratar na ra do Vigario D. 12.
tss" Precisa-se alujar um solo de casa
terrea, ou metade de urna dita, par urna
sq pessoa : quem tivoruiiniuicie.
jsy Os Srs. que s julgarem credores a
venda do fallecido Jou Anlouit; Fernandes
queiro apresentar imprelerivoliaente as suas
con las bem especificadas at o dia a de Fe-
vereiro prximo.
tgr Roga-sc a pessoa que no Sabbado
22 p. p. levou (3 paos de jangada de de-
traz da serrara de vapor, faca o favor de
restituir ; se nao ter o dessafeorde ver o seu
nome por extengo no Diario, pois ja s sa-
ly; quem fb. ,
S2f Segunda feira 31 do crrente as 4- ho-
ras da tarde na praga do Juiz do Civel da 2."
"Vara se ha de arrematar por trez annos os
alugueis da casa D. 7 na ra do Collegio por
esteren) lindas os das da le.
52F" Quem quiser alugar urna preta para
Olioda pagando-se-lhe J0 rs. por mez an-
nuncie.
tw Francisco Marques Rodrigues & Irmaos
-emprarao os seguintes billietes da Segunda
parte da oitava Lotera do Theatro n. 903
de cunta de Dent Pereira dos Santos, n.
1303 de conta de Bernardino dos Santos Mar-
tins, e nieiosditos n.T599, e 15)78 de con-
ta de Manoel de Almeija Rio-Tinto todos
do Para.
ssr Quem precisar de urna parda para ama
de casa de um homem solteiro, dirija-se a ra
do Nogueira D. 6.
ey Existe na prenda de Carnciro Monlei-
ro no forte do mallos as seguintes cartas
vindas de Lisboa para os Srs. Joze Amo-
nio da Silva Vieira con? ausencia a Joaquim
da Silva Pereira outra para D. Manoel Vas
de Oliveira e D. Eugenia fiha do fallecido
Antonio Alvos de Brito.
SST A 14 para 15 dias desapareceo do por-
to da ra Nova urna canoa de 5oo lijlos;
<|uem della souber queira por favor parteci-
par na ra do Rozario esreita D. 53 que o
dono pagar toda a despeza.
y Precisa-se de urna preta ou mole-
que para vender na ra ; quem liver an-
nuncie.
cr Da Bepartigo das Obras Publicas, des-
apareceo urna canoa aberla com urna cr-
vente e alcatroada por fora com almagre ;
a pessoa que della tivor noticia e quiser
visar o lugar onde ella estiver se llie agrade-
cer eseatrouser, e entregar a mesma
Repartigo se Ihe gratificar o seu trabalho.
jy Alugo-se dous cavallos de estrilara
milito bons nos das de festa de Beberibc e
Pogo : na ra do Colegio loja de lvros D. 7.
%sr- Precisa-se fallar a um menino de no-
me Joze que chegou a esta praca em Junho
prximo passado vindo da \ illa do Ico: na
ra da Cor.ceicao da Boa vista casa do Sr. Pa-
dre Francisco junto ao armazem do SnF. Ru-
fino.
?- Precisa-se de um homem ou menino
sendo portuguez ou colono vindo prxi-
mamente para ir aoserUc tangendo cargas;
quem estiver nestas circunstanciasannunoie ,
ou dirija-se a ra da Conceigo da Boa vista
casa do Padre Francisco junto ao armazam do
Sr. Ruino.
gy O credor do Diario de 24 de crrante,
com o devido respeto ao Sr. Thomaz de Achi-
no Fonceca lhe responde : que culpa nao
tem que S. Me." se queira persuadir, que
est investido em um direito por ama mo-
do P(ar' se pretende fazer a venda porque nAo a po-
de-do fazer legalmente nem o commum deve-
dor e menas o Snr. Thomaz de Aquino por
forcada moratoria o fim nao pode autori-
zados anda mesmo na suposta o inculca-
da mas nao admicivel rasao de sor para pa-
gar aos credores privilegiados ; porque anda
nao est legtimamente reconhecido o direito
de preferencia como he indispensavel salvo
se algum poder oceulto desmantelou ja toda
a LegislacAo em vigor. Por tudo isto pois o
credor do" Diario de 2i do correute torna a ra-
tificar aquelle se.u annuncio, e espera que o Sr.
Thomaz de Aquino rcconhec,aa sua justiQa.
js^ Quem precisar do hornera portuguez
a poueo cliegado para bolieiro'ou criado de-
servir de alguma casa particular tanto 808-
ta praga como tora dola dirija-so a ra No-
va D. 24.
AVISOS MARTIMOS
13T Para o Para com escala pelo Mara-
nho segu viagem at 10 do mez p. fucturo,
o Brigue Escuna Laura Oipitao Luiz Fer-
reira da Silva Santos, de bem conhecida mar-
cha ecqmmodos para passageiros forrado
e encavilhado de cobre ainda recebe algu-
ma carga a frete e escraves ; os pretenden-
tes dirijo-seaoCapitao ou a Firmno Joze
Felis da Roza na ra da Moeda n 141.
cr Para Lisboa o Brigue Portuguez Afri-
cano ; quem quiser earregar ou ir de passa-
gem trate com o Capito na praga do Com-
mercio ou com o consignatario Thomaz de
Aquino Fonseea na ra Nova D. 21.
S27" Para Liverpool o Brigue Inglez Ariel,
s precisa de 800 sacas de algodo e mesmo
alguns couro.i para completar o seto carrega-
mento : a tratar com sous consignatarios
Latham A Hibbert, na ra da Alfandega yc-
1 ha ii. 9.
^TFTesT"
tsy Leilo que fazem Rozas Braga & Com-
panha, por inlervenco do Correlor Oliveira,
de um bom sortimento de. ferragens finas e
grossas e de muitos outros arligos como se-
jao fio de gapateirn tinta de escrever em
fiascos pentes de marlim ditos travessas
aimitagaode tartaruga, e bandejas muito
ricas osquaes se entregarn por baixos pro-
cos attendendo-se a preciso de venderem-se
para liquidago de contas ; Terca feira l.de
Fevereiro as 10 horas da manila em ponto
no seu armazem defronte do Corpo Santo.
COMPRAS.
xsy Cargas de fructas proprias para doce ,
mangaba limo maracuj meirim todas
bem verdes sidras e laranjas da trra in-
diadas goiabas inchadas e maduras e pin-
tangas bem maduras, panellase potes de pre-
luxo que costuma a vir do matto ja felo :
na praga da Independencia loja n. 21 e 22.
ss?- Lm negro bom cozinheiro que nao
tenha vicios nem achaques, e paga-se bem
sendo que agrade : na ra da Cadeia do Bair-
ro de S. Antonio casa D. 1.
VENDAS.
S. Maria Boa Sorte fundiado em frente do
Trapiche do algodo: trata-se a bordo, ou
na ra da Cadeia D. 21.
j- O nico deposito nesta praga de car-
tas de jogar a que chamo portuguezas .
fabricadas no Rio de Janeiro he em casa de
Joaijuim Osea Elster na ra do Vigario D. 3j,
e ah se vendem por 1 i.300 rs. a duzia pre-
go este bastante diminuto avista de sua qua-
lidade; na mesma casa ha para se vender su-
periores charutos da Mavana e piannos dos
mais acreditados authores e por pregos iwui
rasoaveis.
S^- Cera branca em pes farinha de Ma-
g em sacas e barricas : na ra da Cadeia do
Recife da parte do beco largo n. 58.
"* sr Urna balanca peipier.a, dous temos de
pesos de ferro e outro de bronze de 8 libras
alquarla e medidas de pao e de folba que
foro de venda : na ra da Roe'a venda D. S.
cy Duas pretas sa.bendo com perfeigao
engommar cozinhare fazer todo o mais ser-
vgo duas ditas lavadeiras e quitandeiras ,
um bonito moleque de idade de 14 a Ib an-
nos piopria'para todo o servigo. mesmo para
oficio urna parda de idade de 2o a 22 auno,
perfeita engommadeira'^cosej, cozinha, e
capaz de dirigir urna cusa duas molecas e
urna mulatinha de idade de 12 anuos saben-
do ja coser mui bem : na ra do Fogo ao pe
do Rozario D. 2o. .
"Vc^- Arithineticii e Geometra de LaLroix,
Ceomotria de Euclides, Mestre Inglez por
Jak, Historia da Grecia porGoldsmith, Thea-
tro de Vollaire em 12 volumes urna colurim
de mappas geogralicos Theologia Dogmtica
por Gazzaniga, llistoi ia Ecclesiastica \wr
Berti : em Olinda ra d Baldo por baixo do
Sr. Canta ; assim oamu.se vende por metade
de seu valor as coleees do Diario desde o
mez de Margo de 1859 at o mez passado.
C3" Lma escrava de nago oom bonita
Atura tem principios de engommado co-
zinha o diario de urna casa, lava tanto de var-
rela como de sabio e he quilandeira ; um
moleque de idade de2o annos, bom canoei-
ro 6 proprio para todo o servico ambos se
dflo a contento : na ra Direita D. 2o lado
do Livrament.
^S37- Dous carrinhos ltimamente chegados
de Inglaterra sendo um de duas rodas e
g outro de 4'ditas por prego commodo : em
casa de Jones Patn & Companbia.
tSW Cerveja de boa quahdade a 28oo rs-
a duzia, genebra da Holanda em frasque-
ras a 1 rs. charutos da Babia a B rs o
milheiro vinagre (le superior qualidade, e
um ptimo pianno de muito boas vozes na
ra da Cruz D. 4.
xu* Farinha muito'superior sendo mol-
da de trigo novo do ultimo carregamento das
marcas XXXF e XXX vende-se por prego
barato : na fabrica de farinha do atterro da
boa vista.
tzr Os verdadeiros paios de Lisboa por se-
ren somente feitosde carne de porco e nao
de alguma oulraj: no armazem do Braguez
junto ao arco da Conceigao ; e ali havera bar-
ril aberto;p&ra set vender meia duzia dclbs
que sirva'para amostra aim de quem com-
prar no ser engaado com os feitos de car-
nes de outras qualidades : no mesmo arma-
zem caf em sacas de muito particular qua-
lidade.
xzr Polassa de superior qualidade em bar-
ris grandes e pequeos adinheiro e a praso
com boas firmas : em casa de JooJ Rufino da
Silva Ramos. na ra do Hospicio sobrado
de um andar defronte do Coronel Brito In-
"lez.
C7- Urna capa rica de gurguro rouxoque,
serve para Irmandadedos Passos ou dos Mar-
tirios galo fino parabonets, dito mais es-
trello para divisas de officiaes rendas para
lenges c toalhas e franjas para toalhas de
mesa : na praga da Independencia loja de
Antonio Felippe da Silva.
ss?- Um rico aparelho de porcelana doma-
da para cha completo e com 24 chavanas
deotes bem alvos, vpes apoHtetados os dedo
grandes dos ps maiores do seu natural tem
una pequea ferida em nm bruCo : quem o
pegar leve a dita Uha que sera generosamente
recompensado.
tsr No dia lodocorrente fugio do enge-
nhofioinlim, Freguesia da Escuda, um es-
cravo de nome Victoriano crelo lulo da
idade 2o e tantos anr.os bem barbado es-
tatura regular coxeia alguma couza de um
pe por cauzadecravos que tem quando fal-
la est assoprando pelas ventas tem as pas-
sadas miudas levou camisa de chila : quem
o pegar leve ao pateo do Carmo venda D. 7 ,
ou no dito Engenho que ser gratificado.
OT A 18 para 2o mezes fugio um prelo do
nago Angola, de idade de 2o a 3o annos,
estasura regular bem parecido, he bem
prelo denles limados barba nem muila ,
nem pouca quando falla faz um gesto de ri-
so lie bem (allante sabe oflieio de canoeiro,
he pescador do alio he de supor que ando
pescando em algum lugar de praia a titulo do
Ibrro i quem do dito escravo tiver noticia o
podar agarrar e conduzil-o a esta pra-
ga do Recife a seu Snr. que he Manoel Igna-
cio Avila morador na ra de S. Amaro parede
e meia do Sr. Jos Marques Vianna que re-
cebera loo* rs.
tir Fugio no dia 21 do correute da casa
de Joaquim Gonsalves Vieira Guimares no
sitio do Cajueiro, lima escrava de nome Jo-
anua de nacao Baca com os seguintes si-
gnaes : altura regular gorda beigos gros-
sos eom urna cicatriz de um talho por cima
do olho esquerdo athe a maga do rosto tem
sido encontrada pelo Monleiro ; Boa vista e
S. Amaro anda com vestido de chita saia
preta e panno da costa : qnem a pegar levo
ao dito lugar ou na ra velha D. 11.
S25" Fugio um pretode nome Manoel, cre-
lo de idade ponco mais ou menos de 5o an-
uos magro, tem a cara redonda beigos
grossos /bous denles, bastante preto olhos
pequeos e tem sobre um dos olhos um ta-
lho he bem contiendo na praga por ser o
pageeboiieirodeseu Senhor ; quem o apre-
hender a levar a Luiz Gomes Ferreira no
Mondego receber 50 rs. de graticagfio.
ssy No dia* do coi-rente fugio do Colegio
S. Cruz um cabra de nome Antonio de ida-
de de 10 annos vestido com caigas e camisa
de algodo : quem o pegar queira leval-o ao
sobredi lo Colegio na casa de Gervasio ao pe
do Rozario que ser recompensado.
XT Roga-se as Authondades Policiaes, ca-
pites de campo e qualquer pessoa que ti-
ver oticia de urna mulata clara de nome
Maria estatura regutar representa ter do
idade 18 a 2o annos secea do corpo com
falta de denles na frente da parte de cima ,
fugio na noute do dia 28 do correte, levando
urna trouxinha com alguns vestidos ja ota-
dos ; a pessoa que a pegar pode a levar na
ra do Queiniado I). 8 no terceiro andar do
lado direito ou no largo do Livramento loja
de fazendas D. 9 que ser gratificado com
30*000 ris.
Polassa Russiana: na ra do Vigario
casa Dcima 45 a tratar com Ignacio An-
tonio Borges.
tsw Cm molecote crelo mogo : na ra
da Gloria segunda casa de rotula junto a por-
ta da fabrica do Sr. Gervasio.
trr Francisco da Silva tem para vender
oma.ncgra crela de idade de 18 a 2o annos
sem molestias ou manhas
de angieo. ainda nova ; e 5
no beco do Pcixoto ,. pri-
uma boa cania
bandejas ricas
meiracasa vindo da ra Augusta.
ESCRAVOS FGIDO!*.
SS7" No dia 2o do corren te fugio urna preta
de nome Izabel que andava vendendo fru-
ctas ua ra v he secea do corpo altura re-
!......ii quem a preten- guiar representa ter 35 annos de idade,
der procure na roa da Cadeia do Recife ca- sabio veslida de preto por o Sr. a trazer de
luto 5 roga-se a todas Authoridades Policiaes
que dola soubercm a conduzo a ra da Ca-
deia do Recifen. 12 no segundo andar.
cy* No dia 23 do corrente fugiu ou fur-
taro da Iltia do Nogueira um moleque de lio-
sa n. 44.
t&r Um sobrado de um andar cito na ra
Direita D, 51 : no beco do Veras na casa de
sobrado se dir a quem pretender quera he o
seu propietario.
esta investido em um direito por ama mo- seu proprietano. tarao aa una ao nogueira um moleque de no-
ratoria que est ainda em discosso a so| *sr> Farinna do Bwndioea d boa qualida- | me Gallo, idade 13 a 14 annos, bem prelo ,
porisso nAo poda prqtvyr ai^m tifciie m recanteoHwia fcoyud Wruow Brt-teheio do corpo ,<09 grandes,_ara redonda,
MOV MENT DO PORTO.
NAVIOS ENTU.VD0S NO DIA 28.
Rio de Janeiro ; 17 dias, Barca Brasileira
Firmeza do 22 tonel. Cap. Narciso Jozo
de S. Ani.a equip. 18, carga carne sec-
ea e mais gneros : a Antonio Francisco
dos Santos Braga.
Ilha da Ascengo ; 8 dias, Barca Ingleza
Ponningham Ce 230 tonel. Cap. Richard
Groen, equip. 14 carga lastro, passa-
geiros 4 : a Me. Calmont & Companhia.
SAHIDOS NO MESMO DIA.
Babia, e Rio de Janeiro ; Vapor de Guerra
Correio Brasileiro Commandnnte o Capi-
lo Tencnte Beijamim Carnciro de Cam-
po-s.
Trieste ; Brigue Dinamarquez Amicilia, Cap.
Jacobson carga ossucar.
ENTRADOS NO DIA 29.
Rio de Janeiro Babia e Macei ; 11 dias,
Vapor Brasileiro S Salvador de 24o tonel.,
>mmanJante John 11 Otten equip. 24,
pnssageirosdo Bio 8, da Baha 7 e do
M acei 3 : a Joaquim Baptista Moreira.
Mon tevideo 29 dias Patacho Hespanhol
Cagadorde98 tonel., Cap. Izidro Maiis-
t.ny, equip. 1! carga carne secea: a
J< jao Pinto de Lemos & Filho.
sHiDOe mo ut.mo i v.
Rio de Janeiro ; Patacho Brasileiro Paquete
do Rio, Cap. Manoel Francisco da Silva,
oirga diversos gneros.
RfcCilFE NA TYP. DE M. f. DE Bi > 1842


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EWYPHVV9U_QYYAGY INGEST_TIME 2013-04-12T22:22:57Z PACKAGE AA00011611_04407
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES