<%BANNER%>
Diario de Pernambuco
ALL ISSUES CITATION
Full Citation
STANDARD VIEW MARC VIEW
Permanent Link: http://ufdc.ufl.edu/AA00011611/04387
 Material Information
Title: Diario de Pernambuco
Physical Description: Newspaper
Language: Portuguese
Publication Date: Friday, January 07, 1842
 Subjects
Genre: newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage: Brazil -- Pernambuco -- Recife
 Notes
Abstract: The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding: Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation: Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities: Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.
 Record Information
Source Institution: University of Florida
Holding Location: UF Latin American Collections
Rights Management: Applicable rights reserved.
Resource Identifier: aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID: AA00011611:04387

Full Text
Anno de 1842.
Sexta Fcira 7 de,
Turto .'ora depende da ni. me.inp oa no. prudencia,muderacao, eenerRi.: con
.nuemo, como pVincipi.mo., e ..remo, .pont.Ho. com .dm.r.cao en.re a, jN.coe. ma,
tinuemu r r (Proclamado da Assemblca Geral du Brasil.)
Tullas. __ _________. __________________________
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES.
Goiann. Paraiba, e R.o gr.nde do Norte, na segunda e sexia feira.
p,je 13. Santo Antao, quinta fe.ra, Ol.nd todos o. d.as.
DAS DA SEMANA.
3 Se, s. Apngio
4 Tere, s Tito
5 Qun'rt. s. semeo.
rt (lnint. >V Ota de Rea, _. ,
7 t .. Theodoro. Aud. Jo Jai. & Dfadht fe 1. ?..
S sb . I.ourenoo. Id. And, do Juu de Du.no d. 3,
y Dom. s. JuliSo.
Janeiro. nn XVIII. N.

O THario puhlica-se todo os das que nao forem Sanlificados: o preco da assi^nnlura I-e
de tres mil reis por quarlel pagos adiantados. Os annuncio. dos aaaiguaaMa s.io OJtfUHli
gratis, eos dos que o nao foiem raiio de 80 reis por liaba. As reclaaiar.fea devein ser
dirigidas a esta Tvpogralla ra das Cruies 1). 3, ou prac;a da Independencia lujas de litro
t
Nmeros 37 c .S.
CAMBIOS ko da 24 D Div/.i-Mimo.
Cambio sobre Londres 2'J d. p. li-
i I'aris 8S0 rea v- fcaco,
u Lisboa SU a S.ri p. -tOO (le pr.
Oimo-Moedadeti/lOU V. fl.Oll a 11.7U
P. 14,400 ai4,000
de'i. S ,11)0 a 8.200
PhaT Taiacocj 4,0'iOa l.fiU
1'nATA 1'eios Columnaies 4 ,C0 a 1,0(1(1
u Mextoaaoa 1,620 a 1,040
miuda 1,440 a 1,400
Moedi da cobra 3 pnr 100 de diaroaio.
11ist-tmitj de bil*, da Alfandega 1 c J por 10U
ao mei.
dem do ldrai de boas firmas 1 e il {.
Preamar do dm 7 de Janeiro.
1." as 1 horas e 1S m. da larde.
2." as 1 boras e 42 m, da niaulia.
PHA.SES DA LA NO MEZ DE JANEIRO.
Qnarl, ming. a 3 -- na 7 eras c iU m. da larde.
La Nova a II -- i 1 ras e b'l m, da tarde.
Qaari. rresc. a 10--lis t oras e'i I m. da larde.
La
a 2(i -- lis 3 oras e 30 m. da larde.
IAR
1>I;rNAMBUCO.
ALFANDEGA.
Rcndimento da alfandega de Pernambuco no
mez de dezembro prximo *ssado.
Direitos de la por 10(5 fEMS
)losde .481,4 por 100 2I2S
Ditos de 80 por 100 gl
Ditos de 5o por 100 288*213
Ditos de 2 por 100 de reex- ^^
Premio dcl, i por 100 ao me/ *%M*
Ex,edieatedelir2porl00 'MOT
Armazenag. de l|i p.c. ao me/ 555**1 J
Dila^addicionaldel^por ^^
a quem eonvier a afericao (leste corrente an-
no, que na conformidade do artigo 42 das
posturas da cmara municipal da cidade de
Olinda ponho em execussiio noprasode 3o
dias da data deste e para que nao se chameni
a ignorancia mandei publicar por esta follia
Cidade de Olinda o de Janeiro de 1842.
Antonio Manoel Lobo.
160:557*297
197.yr.00
b\>l0
Multas avulsas
Emolumentos de certides
Rs. 100:740*787
Alfandega de Pernambuco \ de Janeiro de
1812.
Oescrivao
Jacome Gerardo Mara Lumacbi de Mello.
Miguel Arcanjo Monteiro de Andrade, Ca-
valleiro da Ordem de Cbristo e adminis-
trador da Meza do Consulado de Pernam-
buco por S. M. I. eC.
Faz saber que no da 8 do corren te sebao-
de arrematar na porta da mesina administra-
Co tres caixas de assucar branco aprehen-
didas pelos respectivos em pregados do Trapixe
Novo, por enexactidao das taras, em cujo da
se lindao os prazos marcados no regulamento,
sendo a arremalago livre de despesas ao ar-
rematante.
E para que obegue a noticia a quem eon-
vier mandei alisar o presente edital,na por-
ta desta administrado, e publicar pela im-
prensa.
Meza do consulado de Pernambuco 5 de
Janeiro de 1842.
Miguel Arcanjo Monteiro de Andrade.
PKEFEITL'RA.
Parte do dia 5 do corrente.
Illm. e Kxm. Snr. O sub-prefeito da fre-
guesia de Santo Antonio partecipa que a-
cbando-se boje pela manb o menor Marcoli-
nodos Santos no estaleirode Manoel Pacheco
de Mello sito no lugar da ra da praia, es-
colhendo algumas taboas 5 aconteceo infelis-
mente, que caindo sobre elle urna por-
odeoutras taboas immediatamente es-
pirara pelo que o mesmo sub-prefeito
mandou logo proceder aos necessarios exa-
mes e vislorias em o cadver do sobredi-
to menor.
E' o que consta das partes hoje recebi-
das.
A cmara municipal desta cidade faz ses-
sao extraordinaria no dia 7 do corrente, e
nesse dia sero impreterivelmente arremata-
das duas casas na praca da Independencia de
n.25e24.
Recife 5 de Janeiro de 1842.
Francisco Antonio Rabello de Carvalho.
Secretario interino.
O administradar da meza de rendas geraes
internas avisa a todos os que devem o im-
posto do banco, dobairrode Santo Antonio,
para que venho pagar al lo do corrente,
pena de se proceder contra os omissos ; para
se livrarem de pagaren) crecidas custas, como
aconteceo com os moradores do Recife, Hoa-
vista e Afogados. Ueeebedoria C de Janei-
nuiro de 1842.
Francisco Xavier Cavalcante de Albuquerque.
ED1TAL.
O Fiscal da freguesia de S. Pedro Mrtir de
Olinda pela lei etc.
Faz saber a todos os seus comparochianos,
O EscrivaO e Administrador da Meza de
Rendas Internas Provinciaes desta Cidade de
con formulado com o Artigo \. da Lei Pro-
vincial 11. 78, Ordena ao Sr. 2. Escriturario
Francisco de Paula e Silva, proceda o Lan-
camnto da Decima dos Predios urbanos do
Bairro do Recife desta Cidade. o qual ter
principio no dia 7 do correle, e regular-se-
ha nessa Commisso pelas disposicoes do Al-
var de 7 de Junho de 1808, Garla de Lei d(^
27 d1 Agosto de 1850, e Regulamento da Pre-
sidencia de lOdeMaiode 1838 actualmente
em vigor. O escrivao e Administrador mili-
to recomenda ao Snr. escriturario enoarre-
gado do Lancamento a pontualidade, e exac-
cao na discripeo dos predios precos de seos
arreTidamentos nomos de seos propietarios ,
o especialmente a liel observancia do Artigo
7. do Regulamento do 10 de Maio de 1858.
e mais diligencias to recomendadas pelas
Leis, c Regulamontos citados, cuja ommis-
sio rozultar prejuizos a Fazcnda Provincial,
e graves embarazos na sua arrecadaeo.
embarazos que actualmente existen), occa-
zionados pelas irregularidades de alguns dos
tranzatos lancanientos, o que deve por hila
vez cessar.
Moza de Rendas Internas Provinciaes 5 de
Janeiro de 1842
Luis Francisco de Mello Cavalcante.
Charutos....... 18,000-1
Chapeos de seda. 40-
Docos ....... 6281b.
Melaco Barriz'37 com. 664 C.
Madeiras Paos o Taboas ( 48 -
Obras de cobre .... 8641b,
Rap....... 80 Ib.
Solas e Vaquetas moios 2911-
Tatajuba...... 541l2q'q.
Inhas de Ro .... 8,000 -
Mooda....... 246*000-
Valor da Exitortacao . 254:062*369
A exporlacao supra leve lugar em lo va-1
/os, sendo 4 Americanos, 2 Brazileiros, 5
Inglczes, IHespanhol, 3 Portuguezes, 2
Sardos ; tripulados por 101 pessoas e con-
tendo 5,863 Toneladas.
eonsciencia acharemos, que nao podmosse-
parar a idea de verdadeira liberdade da idea
desugeigfio lei. por tan lo, onde hajustica
ha liberdade, e faltando ella nao podo haver
liberdade. l'm governo conseguintemente
Ser Unto mais livre quanlo for mais justo:
esoistonio a liberdade poltica, porque
tanto so clama confesso de plano, que nao
sei o que liberdade.
SKltCll'K.
Esta provincia gosa de tranquilidade, se-
gundo asfolhas, quedabi recebemos, e que
alcangao at 18 de Desembrn prximo pas-
sado.
O abaixo assignado 2. escripturario da Me-
za de Rendas Internas Provinciaes d'esla ci-
dade ; em virtude da portarla do Sr. esen-
vao e administrador da mesma meza cima
transcripta, e cumprimenlo do artigo 0 do
regulamento de 1 de Maio de 1858 5 pelo
presente faz publico a quem eonvier que no
dia 7 do corrente dar principio ao lancamen-
to da decima dos predios urbanos do bairro do
Recife d'esla cidade seguindo o lancamento
pelos predios das ras abaixo declaradas a
saber. Ra da cadeia prac,a do Gorpo San-
to ra da Cruz, ra dos tanoeiros ra
do trapixe do vigario do encantamento ,
da cacimba, do Codorniz, do azeite de poixe ,
do BttrgOS do Amorim da moeda de
Mara Rodrigues da Lappa de Jos da Co (a,
da Madre de Dos beco do padre Alejandro,
do Noronha forte do mato ra do Torres ,
beco da lingoeta das crilas do Abrco ,
tapado ra da senzala velha beco do Cam-
pello do Monteiro largo, ra da senzala no-
va beco do Tocolomb das miudinbas,
ra da guia do Appollo beco do porto das
conoas, ra principal, lado da mar grande,
lado da mar pequea beco do Pascoal, e
do Jos Texeira. E para constar fiz o pre-
zenteem que me assigno. Meza de Rendas
Internas Provinciaes 5 de Janeiro de 1842.
Francisco de Paula e Silva.
NOTICIAS PROVINCIAES.
RIO DE JANEIRO.
Recebemos folhas da corte que alcanofio
at I8.de desembro prximo passado, ahi rei-
na atranquilidade. Foi sancionada a Lei da
Reforma.
BUHA.
Est tranquilla segundo as folhas, quedessfl
Provincia recebemos, que alcancjfio at 2
do prximo passado mez de Dezembro. l'm
novo Peridico se deo a luz com o titulo de
Celio da Rabia digno cortamente da
liciio.;dos brasileiros, do qual publicamos o
artigo liberdade transcripto de seo nume-
ro!.
LIBERDADE.
Nao ha vocabulo no inundo, de que se te-
nha observado mais, do que do voeabulo li-
berdade ou libert, ou libertad, 011 liber-
tas ou eleutheria, etc. conforme a diferen-
tes linguas do universo. Todo o mundo fal-
la em liberdade, chama liberdade morre
tHda liberdade e parece que s respira li-
berdade na presente poca ; mas so pergun-
tarmos a Cada um o que esta liberdade hoc
opus, bic labor est, torcem-se todos fiara a
definir, enenhum acera com a verdadeira
idoia de liberdade.
0 negro escravo chama liberdade sua al-
forria : o porluguez de 1640 chamava liber-
dade a subslituico do governo absoluto na
pessoa de seos monarehas naturaes pola dos
Philipes de Hespanha : o portilguoz migue-
lista chamava liberdade ao governo de seo ado-
rado D. Miguel: o porluguez de 1850 chama
REZUMO
Da exportarlo para fora do Imperio no mez
de Dezembro de 1841.
Algodo saccas 536 com 5,015 @ o Ib.
Assucar Caixas 217 j
Barricas 8,448 com 10 4,587 ^ 11.
Saccas 5,oo0 l
Laas- 22 )
Agoardente Pipas- 125 ]
Barril- 1 )com21592canadas.
Garra loes 40 )
Arroz Alqueires .... -32 -
Couros Salgados .... 10,757-
Cbifres....... 9,080-
liberdade ao governo constitucional de D. P
dro 4. ; o porluguez de 1858 chama liberdade
ao governo constitucional da ultima carta &C
O brasileiro nao mais coherente em lixar a
ideia deste vocabulo; um sacba liberdade na
repulica, outrooamonarchia constitucional,
outro ainda chora pela antiga liberdade do
governo colonial: o hospanbol tom pensado
idnticamente as differentes crises de snia
patria, um s pensou adiar liberdade no go-
verno de Fernando 7. outro na constituicao
de Cadix outro debaixo de Carlos outro de
Clnistina e outro na regencia de Espartero,
011 n.i sondada repblica peninsular: a mes-
ma insrtela e mobilidade do convicto da li-
berdade teamos na Franca etc. O corto
que por toda a parto os povos adorao debaixo
da palavra liberdade um idolo que nao co-
nhecem, cexpoc suas vidas por um bem, que
nSosabem deterninar: quesera poisa liber-
dade ? urna dama diz a um homcm nao to-
me comigo liberdade* um homcm diz a ou-
tro tomo a liberdade de llio fallar Disto ou
miquillo-um militar djz-eu mo tenbo li-
berdade-o mesmo diz um religioso, e um eele-
sisastico, cuma religiosa: um hbmem, ou u-
ma mulher casada, cuma filhafamilia,etc.-
e todos estes disom que mo sao captivos, e lo-
dos se chamao bomens livres : que ser pois a
liberdade ? Todos os homeiis nascem livres .
o lodos nascem captivos : livres porque tom
a faculdadc de obrar o que llies anraz, capti-
vos, por que ten. lei. Consultando nossa
COMMUNICADO.
Lendo oCorreio do Norte do 25 dedezem-
bro prximo passado sob o titulo Cear, en-
contramos a noticia do assassinalo do major
Joo Facundo de Castro Menezes sunnna-
mentedeploramos, to triste acontecimento!
perdeo a humanidade nelie hum homem;
sua familia um pai 5 e a patria hum cida-
d.o. .
O autbor do Com..que se propOz nolici-
ar-nos esso desgragado sucesso Revera re-
ferir-nos todas as circunstancias doli e dei-
char que otempo revclassc esse segredo da
perversidado, visto que ainda fallecen) provas
contra alguom.
Em 15 dias a verdado nao vence jornadas
taos ; saomui fortes os embaracos, que a ini-
pedem de atravessar a cscuridfio em que a
sepulta a maldade. Aventurar liuin juiso em
facto dosta magnltude, fundado em indicios,
nascidos estes do partidos econtra pessoas jus-
tamente apressiadas pelo publico ; nos parece
demasiada imprudencia.
O A. do Com. aposar disso quiz salpicar do
sague desse infolis as vestes candidas do
Snr! Brlgadeiro Jos Joaquim Coollio. O Sr.
Brigadeiro Coelbo be militar, Pernambuca-
no, emui bravo parasorvir-so das armas da
cuvardia : sua posic&o no Cear be muito e-
levada, e forte einjKirfcr legal para recorrer
a (brea fera. He Pai de familia iW huma mo-
ral dcil. e tem o corado niui bem formado,
para corrompor-so n'um dia o por partidos ,
o. logo por acto to atroz Depois de tildo is-
so tem bellas paginas na listona da ordem
em Pernambuco e pacificacio da Babia para
borrar sua memoria, brilhante a lanos anuos,
assassinando ? Essas OOnsideracOes arroda.
lodo o disfavor do Com. contra o bravo mihfar
Pernainbucano o pacificador da Baha, o
Presidente do Cear.
O A. do C. depois de tentar manchar de.
sueno ao Brigadeiro Coolho, procura in-
juriar aoSr. Dr. Miguel Fernandes Vieira,
c a sua familia, disondo-que es memores
da familia desse Snr. vivem de roubos e ex-
torsdes publicas. Infelismenle be mu Iraco
0 imperio da verdade entre bomens de partido
sem prinoipios. *
O Snr. Pr. M. F. Vieira foi educado nesta
Provincia, e aqui sua !"'" ailltia ':i^'ilia
rocebeo profundas mpressflesd'aipor ao bem
publico, ajustica, eaordem: a estima ge-
ral do seos collegas e contemporneos, foi o
premio de sua conducta. A penas foi empre-
ado na secretaria da Presidencia do Cear:
neste emprego ganhou muita considerado en-
tre seos concidadaos, que o elegeraG logo di-
putado P. Nomeado Jiz de Diroito da co-
marcado Sobral correspondeo ao juiso van-
lajoso que doli so fasia. Na Assemblea pro-
vincial o Snr. Vieira sustentou com Qrmesa os
mesmos principios, que os presidentes Fili-
zardo, Dr. Miranda o Dr. Marlins; o nema
tortuosa poltica do Loar o fez abandonar os
principios que desde a infancia o doslingui-
1 rao de amtate da ordem da juslica, e da
Constituicao.
1 Com tanta regularidade ein sua vida iw-
i ria oslar alem do alcance dos iMoHoa; ms
quem no Cear, eriiMW

IT^dffl?Jff-'My*5
o
9
-L
as afrontas, o injurias ? linha sido seduzido para entregar esta pro-
0 or este hura meio de combater da|guns| vincia boliviana ao exercito de Rosas e que
raaos polticos daquella P. he a causa! dosiem Bolivia existe huma1associacao de que U-
improperios, desabridos contra d 8r. Dr. Vi- ribur he a alma para federar aqulla repu-
eira, esua familia. O A. dCora. poremjblica, sob a proleccao de Rosas. Pelas mes-
esqueee, que esses meios sao immoraes, j mas cartas de Uribur se ve que Rosas est
que moioralidade desacredita aos partidos,'brigado com o governadr de Cordova, .
eque partidos polticos, desacreditados-, es- Manuel Lope/., a quem resolveu derribar,
tao mais de meio vencidos. pondo Arredondo em seu lugar.
Com injurias nao se convence a ninguera ,: 0governadr de Santa F, D. Juan Pablo
e ordinariamente reverten) seas desabonos
contra quern^asprofer. Quando nao con
vencido dessa verdade queira !.;im partido
empregur meio tao reprovado contra seus
contrarios; convem citar lacios, e preva-
les ; porque a imputaco vaga de roubos e
xtersoens publicas centra toda huma familia
numerosa, tic bous costuraos, que vive de
suas propriedades mui conliecidas, assim
como o meio licito por onde adquirirn, ser
sempre repelli la com desagrado pelo publico
i m parcial.
Lpez, segu firme a sua inimizadecontra
liosas, e tmlos os das recebemos oras prq-
vas da sinceridade dos seus senlirnentos, e
que. logo que Seja posivel unir suas ar-
mas s de Corrientes para abater o poder de
Rasas.
No dia 0 do correte chegro a Corrientes,
atravessando o immenso deserto do Chaco.
12 cheles, 73 oIBciaes 325 soldados e SO
mulheres dos derrotados no Monte Grande.
Separrao-se do general Lavalle em 7 de ou-
tubro na provincia de Salta ; e commanda-
familia vive de criar gados e negociar c
(|ue com este meio de viver muito publico ,
licito, c honesto tem adquerido fortuna con-
sideraYJl que acu berta da indigencia o dos
infamantes labos de viver de roubos, e
extorsoens publicas.
Temos conseguido nosso im se com a
verdade sustentamos a raputagao dos Snrs.
Rrigadeiro leze tlooqtum Cocido Dr. Miguel
remandes Vieira, e ua familia; quando
nao he nossa conviccao o que escrevemos ,
estarmos em erro.
P . .
CBRRESPONDENC A.
Snrs. Redactores.
Como o Sur. Jonquim Pereira dos Santos
Pinto ou/asse annuncinr no seo Diario de bo-
je que ninguem cdntractasse comigo a com-
pra daescrava Rita, do gento de Angolal
que dizpertencer-lhe, rogo-lhes o Tavor de
publicaren] no prximo numero do raesmo
Diario os documentos junios, a.'im deque o
respeilavel publico avahe no justo preco a
declaracao do sobrcdilo Sur. Pinto.
Reeifa 4 de Janeiro de 1842.
Seo Ven." e Criado.
Joao .Machado Fernandes Lima.
Digo cu abaixo assignado que entre os
masbens que posauo de mansa, e pacifica
poise', eb'in assim urna escrava por no-
me Rita do gento de Anguila de idad*; pen-
co mais ou menos de 23 anuos a qual hou-
ve por compra que della fiz em lote e vendo
como de laclo vendida Icnho ao Snr. Joao
Machado Fernandos Lima, com lodos osa-
chaques cobertos, e descularlos pela quan-
tia deoOOjOOOreis, que recebi ao passar do
prezente, ptlo qual.traspalo toda a posse, e
dominio que na mesnia tinha para o dito Sr.
possuir como sua que he, e fioa sendo; e
para clare/a Ihe mandei passar este que assig-
no, com as testemunhas margem. Recife
30 deMaio de 18ti.
Joaquim Pereira dos Santos Pinto.
Comii. Ifstemunha que este fiz Antonio Jo-
z 1er andes de Ca-vu lio;
Como te.-leniuuhasJ(,r,u joz Fernandes de
Larvalho Joz^de Almeid Cosa.
Meza de Diversas Ren las Internas Provin-
Jm?8 fi?r?amb0C0 ='A"noinaneeiro de
4810 a 18 tl=Cavajeante = Rs. 15>O0, n.
Fica carregado ao Thesourciro interino
francisco Jos de Ovcira no respectivo Li-
vro da receita a f. 00 v. aquantia de quinze
mil res, que pagou Joao Machada Fernan-
des Lima Mca Si/a correspondente a ~1M).>
Ninguem ignora no Cear que (oda essa i dos pelo coronel Salas (de Cordova), pelo co-
ronel Hornos (Fnlreriano) pelo coronel 0-
campos (Correntino) e pelo coronel Oronho
(Sanlafesino). lodos chefes de nota venc-
rao antes de chegar ao exercito do general
Paz: i., os sublevados de Jujuy; 2., huma
poderoza divisao de indios Fobas, havendo-
se com sumina babidade c fazendo huma
marcha que, por suas difiiculdaJes, pode
comparar-se s mais famosas que illustro os
fastos dafguerra* Isto hejhum reforjo im-
portante para Paz, que se preparava paras*
brir operacOes contra Kcbague. Este oceu-
pava a esquerda do rio Corrientes as esca-
brosidades do Pauybre, e Paz direilado
rio Corrientes. Kcbague he continuamente
acossado pelas partidas volantes do exercito
correntino.
As cmaras approvro o tratado com a In-
glaterra para a abolate do trafico dos negros,
chuma conlribuico-extraordinaria de 500
mil pesos fortes sobre os capitaes nacionaes.
O governo chamou s armas varios batalhoes
de milicia. A escuadra'oriental, forte de
duas corvetas, huma barca ( a franec/.a Con-
solation que veio dessa) e hum berganliin .
est prompta parabater-se com Brown que
appareceu com huma nova esquadra compos-
ta de 7 vasos. Se como p esperamos Coe
triumpha de Rrown e Paz de Kcbague as
cousas mudarn de face.
No dia 17 chegou a Buenos-Ayres ocx-fra-
de dominicano boje general D. Felis Aldo.
Diz-se que vai com mandar a forca que deve
marchar contra este estado.
Contina Maahorcsrsuassstrnaes; Veri-
licou a cxpulsao dos jesutas k e traa boje de
espellir as freirs catharinas porque diz que
as vestes brancas e azul-escuro que Irazcm se
assemelho baiideira dos unitarios. Invadi
a casa de huma irma do general Lavalle ca-
sada com o negociante Cobos, e depois de Ihe
haver quebrado todos os trastes, obrigou-aa
por bandeiras e luminarias pela morte de
sen irmSo.
O encarregado de negocios do Brasil vai dar
hum grande baile que he o assumpto de to-
las as conversas dos ik.ssos elegantes.
( Do Jornal do Comineicio.)
SECRETARIA
PORTUGAL.
DE STAD0 OS KEGOC10S ESTKAN-
etntos.
res prego por que compro a Joaquim Perei-
ra dos Santos Pinto urna escrava por nome
Rita, comprada em 50de Maio de 1811. Re-
cife UideJiinho de 18ti.
Francisco Jos<< de Oliveira.
O 2. Secretario
Lopes Lima.
Kslava reconhecido.
O Governo d<> Sua Magestade Catbolica \w-
ticipou a 1 i) do corren le inez ao Misn istro de
Sua Magestade a Rainha em Madrid que
liavenilo essado osmolivos pie deram logar
ao bloqueid da Cosa da Cantabria desde o
porto de Fucnterrabia al ao de Castro-Ur-
liales licava levantado o dito bloqueio e
livre por consequencia toda aquella Costa ,
para os vaviosque se dirigem aos seus portos
09 conformidad.- das leis. O que se faz pu-
blico para conbecimento de quem possa nle-
ressar.
Discurso de S. M. o Bei dos Delgas pro-
nunciado na abertura das Cmaras ,
no dia 0 de Novembro.
Os trabalhos das commissfies instituidas
em seguinieulo do Tractado de paz teem re-
cebido novo impulso e divisa-se o momento
em jue todas as quesioes que icaram inde-
cisas acharao simultneamente aua solucao
completa e definitiva.
Asegunda exposicao da industria nacio-
nal veio atlestar novos progressos ; em vista
desses grandes adiantenienlos na produccao ,
mi porte deixar de experimenlar-se mais in-
tensamente- a neeessidade de dilatar anda
mais as nossas relac.oes exteriores.
Kito abarlas com varias Potencias nego-
ciaces coinmerciaes. Linas teem produzido
resultados que vos hfio de ser communica-
dos outras vo sendo dirigidas conforme os
principios de urna poltica nacional e de li-
ma sa apreciadlo dos nossus interesses male-
riaes.
Acolheita dos cereaes que ao princi-
pio parecer iucerta, mostra-se sullicieffte,
e, gracas Divina Providencia, espero que
nao sejam necessarias medidas excepcionaes.
Nao hei cessado de desvelar-nie pelos
destinos moraes e intellectuaes da Blgica.
A creacftode urna Academia de medicina
veio preencher urna lacuna que ha muito
exislia.
n O Governo tem contribuido para dar urna
organisaefio mais completa a urna das nossas
mais antigs Academias de pintura e escul-
tura.
<( O concurso universitario decretado em
vil-lude da lei sobre o ensino superior nao
pode deixar de dar novo impulso aos estudos
transcendentes.
O concurso entre os eslabelccimentos de
instruccao inedia ha sido maiitido e applicado
sobre Una base mais ampia.
Incumbe-me chamar de novo a vossa at-
Iciicao sobre a Instruccao inedia e primaria ,
reclamando a prioridade para a ultima; cs-
la nina questao da ordem social digna do nos-
so mais desvelado interesse.
Independentemenle do rclalorio exigido
cada anns pela le sobre o ensino superior ,
se i vos-ba apivsenlado um inappa circunstan-
cia lo dos outros dos graos de instruccao ;
adquiriris oeste trabalho uleis esclarecimen-
los para osvossos debates.
A experiencia de cinco annos tem desco-
berte varas lacunas apontado algumas di-
Gciencias na iei communal: ser-vos-hao apre-
senladas quanlo antes proposlas tendentes a
prestar novas garantas ao systema de Fazen-
da Municipal.
Tudo indica que, at na orgaiiisaco
communal, se ha tornado indispensavel urna
nioJilicacao importante.
A lei relativa competencia civil tem tor-
nado as conleslaces de importancia menor
mais fcil e menos dispendioso o recurso judi-
cial ; ella ha de permittir aos Trihunaes de
appcllaco oaccelerarem a decisodas causas ,
pie Ibes estao reservadas.
a Achando-se definitivamente fixadas as
allriouices dos Juizes de Paz poder-se-ha
tomar resoluco acerca da crcnscripcono-
va dos distrctOS ; recebereis o complemento
das pij;ostas de que j leudes conheciiuen-
lo.
Muitos ordenados nao estao cin relacao
com a importancia das altribuicoes j na
ordem judicial j na administrativa; sedo
vos serao apresen lados projectos de lei tenden-
tes a rhelhorar a posico da magistratura ,"c
(o Tribunal de Con tas.
O rigimeii das prisOes vai-se melhorando.
A allen(,ao do meu Coverno tem-se dirigido
sobre as reformas de que careeeni os eslabelc-
cimentos de beneficencia publica e mr-
menteos hospicios dos alienados.
h As obras einprehendidas j pelo F.sla-
os operarios, asscgurava-lhes elle osen
futuro e o das suas familias por meio da
insllnico das caixas de economa a ultima
dasquaes ha pouco que foi constituida e reco-
nhecida.
A cidade que a Constituico ha proclama-
do por capital do Reino est, ha muito an-
nos, n nina situapo em que por si so nAo lh
|>ossivel sar. Ella se ha resolvido a fazer
sacrifios-, que hode proporcionar ao Estado
estabelecimentas de que carece. Ser sub-
mettido vossa approvaco um contracto, que
para esse tim acaba de concluir-se.
Tereis igualmente que examinar outra
queslo de equidade nacional, statuindo so-
bre as reparacoes dos desastres da guerra.
Alguns redditos pblicos, paralysados
pelas cris'sdos annos pretritos, hao reco-
brado a sua progresso Provises que as cir-
cunstancias authorisam e a applicacfto dos
principios de urna sabia econonfifl permittem
ao meu Governo o anresenlar-vos para 1842,
tem orcainento que equilibra as receitas com
as despezas sem q' baja sido necessario crear
novos encargos. Facemos votos para que nen-
hum incidente venha desvanecer cssas es-
perangas que os antecedentes e a situacao
actual justificara.
Os interesses da industria do commer -
ci, da navegaco, e do ThesOuro deman-
dara imperiosamente a reviso da Lei sobre
os assucares. ^ai ser-vos proposla essa revi-
sao para" que invisligueis de que modo ser
possilvel salisfazer a todos esses interesses ,
sera crear uinadesigualdade de condico entre
as duas industrias, s quas para o futuro a
Lei ha de applicar-se.
Ser-vos-!io oflerecidas proposlas tenden-
tes a assegurar pescara nacional toda a pro-
leccaoque se Ihe poile dezejar 8 para alian-
gar, anda mais ellicazmente i o trafico int-
.NOT1C1AS KSTUA.Nt,CIRAS.
9
MOXTEVIDICO -1.) DI NOVEMBRO.
Depois da degollarlo. neda e d cerca de 300 habitantes de Tucu-
man na la recel>cmos que confirme a morte
de Lavailc. S -guruio huns o general La
Madrid anda se sustenta as planicies da Rio-
ja ; segundo outros e entre el I es os Roci-
ues, pussouao Chile. Por humas cartas que
i ibur agente de Rozas em Bolivia descu-
brio-se que o governadr Campero de Farjja
Senborcs :
Nao pbstante loucos e odioso., manojos
podemos congratular-oos por motivodas cir-
ijunslanci ajcmque'nos acharaos.
,. Vci.a-sc reslabclecida a nielhor ntelh-
encia entre as mandes Potencias da Kuropa
aalUludeda Blgica, durante a cr.se apura-
la por que ha passalo deu novos leslemu-
..bos dos seus scntimenlos de ordem e nacio-
nalidade. _.
<( As minhas relaoOes com os gabinetes es-
trangeiro* hio conservado esse carcter de be-
nevolencia e conlianca que assegura cad1
vez mais. a posijao da Bclgca.
do j pelas Provincias e pelos Conselhos
vao continuando com una verdadeira emula-
cao. Todas as linhas do caminbo de ferro
icha-scadjudicadas e nao est distante a -
poca em que licar terminado esse grande mo-
numento.
Ser-vos-ho apresetttadas medidas ten-
ientes a allrabir o concurso do pessoal da nos-
sa mrinha ao desenvolvimenlo das nossas re-
laces-do Ultramar por meio de crrelos ma-
rtimos e a favorecer o niovinento donos-
>o caminbo de ferro.
Espero que os nossos recursos nos per-
nitlirao dirigir nossos esforcos ao melhora-
mentodas nossas vas de navegaco e de sai-
da.
A execuco da le que diz respeito aos
caminhos de le nio nao tem encontrado o-
bstaculos 0 subsidio por vos volado ha exer-
idoo mais feliz intluxo.
Temos tido que deplorar naexploraco
das nossas riquezas mineraes menor nume-
ro de accidentes. Ao passo que o meu Co-
verno ia realabeleceudo a disciplina cnlre
rior coutra os abusos dos vendilhes.
Urna das nossas industrias mais antigs e
mais nacionaes a dos tecidos de linho ha
sido objeetc de urna invesligago ordenada pe-
lo meu governo ; ser-vos-ho comniunicados
os trabalhos da Comraissao ha pouco conclui-
dos.
O exercilo contina a justificar a rainha
confianca e a do paiz. Tem-se operado
algumas modilicacoes orgnicas no pessoal ,
e as principaes molas administrativas; vo-
se executando oiftras c todas ellas tendera a
aperfeicear a nossa situado militar, a simpl-
licar a marcha da Adminislracao a facilitar
a fiscalizado e a augmentar o h'em estar do
exercito. Sabereis com salisfacao que se
lera alcancado esses resultados sera ultrapasa
sar os crditos que haveis votado. Resla-vos
o provr s despezas dos dous ltimos mezes
doanno; oorcamciitoqe vos apresentado
tara 18i2 est concebido nos mesnios limites,
ao passo que encerra proposlas favoraveis a
urna classe numerosa de olliciaes.
ella dez anuos Seiihores, que presidia
installacdo da primeira Legislatura Belga,
a qual succe.lia a esse CongreSSO constiluin-
te que nos legava o exemplo da unido. Po-
demos dirigir com ufana nossas vistas para
esse periodo assiiiialado todava por tantos
dias dilliceis. Coinprazo-ine na vossa pre-
senta era felicitar a Blgica pelos jirogressos
que ha realisado, pennanecendo fiel a si "
mesnia constante nos seus scntimenlos mo-
raes e religiosos. Nos me auxiliareis pida
vossa coadjuvacao a maiiter o Coverno do Pa-
iz as veredas da moileracao e da imparciali-
dade. Correspondendo minha especlagao,
assinalareis a vossa Legislatura por trabalhos
uleis e numerosos c o agradecimento publi-
co no meio da bonanca e da prosperidade ,
serio nosso coininum galardo.
liste discurso foi ouvido cora o maior inte-
re.isec atlenco, e sucilou nos ercumstanles
vivos applausos.
( Do Diario do Coverno de Lisboa.)
JHtOXTElHAS DE FIIANCA.
A maior parle dos peridicos de Parz fal-
laoda formaeao immediata de dous corpos
de exercilo de observado na fronteira dos Py-
rincos. Diz-se que arabos forniar.io um total
de cincoenla mil homens, c que em Tolosa
se acantonar una divisao de reserva compos-
ta de dozc mil homens e ajunlao que os C-
neraes Schramn e Schneider lerio o com-
mando destas tropas, e das de reserva oCe-
neral Rulhrres. Nao podernos afliancur a
exactido destes rumores; porin o que pare-
ce dar-Ibes algun peso a concentragao de
tropas nos Departamentos do Meio-dia. Ao
mesmo lempo que sallemos da prxima che-
gada ao dos Baixos-Pyrineos de dous regimen-
tos de cavallaria annuncia um peridico de
Monlpeiiier a marcha para Bayona do regi-
ment de liaba. Tambera se dk que qua-
*+


f

=&o
Iro regimentos de cava Harto receberao igual-
mente orden, de traslada r-seaWl)epai lamen-
tos dos Altos-Pyrineos Laftdes e Gers e
entre outros se assegura que o 5. de Dra-
gues marcha para Mont-de-Marsan.
Estes movimentos militares- nao devem ,
todava dar logar a temor de prximas Hos-
tilidades eom a ilespanha. E' urna medida
de precauQo, e segundo todas as apparencias,
nao lem outro objecto.
l'm peridico d os pronenores segundes
cerca do movimeuto de tropas:
0 1. regiment de DragOes vem deguar-
nigao paraPau: dous esquadrOes que sairao
de Poitiers, chegarao a (} de IXv.embro; os
outros dous a 10. Dous esquadrOes do 7. de
Dragues, que esta vao em Tours, cliegaroa
lOdeDezembro a Orlhez : os outros dous do
mesmo corpo o verificarn a 1.
A 7 passarao por Pau em marcha para
Bayona t, duas companhias do 5. - regimen-
t de engenheiros com urna (orea total de
2W Sapadorea.
Dous esquadroes do Io de DragOes fica-
~ao destacados em Santa Mari* de Morn.
Dous do 7. permanecerao de guarnicfio em
Orlhez e os outros dous sern destacados pa-
ra Sauvclorre e suas mimediaoes. A frca I
de cada regiment de 820 homens, eS00|
cavados.
O regiment ti de linha recebeu ordem de
marchar de Monlpetlier para Bayona.
Os individuos que compunhao a Junta de
Barcelona, acompauhados de seis dos seus a-
migoi polticos, que -satram-daquella cidade
na noite do dia 15 para 14 de iNovembro ,
chegarao a Perpignan a 16 pelas 8 horas da
tarde. Estes estrangeiros trazem passaportes
der-nos. Havemosannuncado a sada repen-
tina de diversos vasos de guerra entre os
quaes se contavam duas naos de linha. IIou-
tern sau a fragata Medea e diz-zo que as
no Tridente e Marengo receberam ordem
de estar p rom pas para dar a vela.
A nao Martngo dosembarcou a sa batera
de 30 a im de reCeber maior numero de
gente abordo o que indica que vai receber
tropas e isto' nao pode verilicr-se senao em
frica.
Aiininicia-se neste momento que a nao de
liltha Diadema, (eommandda pelo capitao
Troude c as fragatas Andrmeda e Minerva.
que estao em quurenteua acabam de reee-
ber ordem para se disporem a sir. Tildo
quantoha no porto esl disposico destes
vasas cujas ordeus para se fzerem de vela
sao mili strictas. (Idcrii.)
Os peridicos alemfies constituem-so do-
riamente Interpretes das qeixas da malfada-
da Polonia. .No numero de lo de Novembro
do peridico de Eranckfort le-se o que se s-
te
Chegou aqu por telgrafo a ordem de apron-
tar inmediatamente nove milhOes de cartu-
xos e ao mesmo tempo vo-se aproximando
a esta parte da fronteira forcas numerosas.
So de ('avallara deverao reunir-se dezeseis es-
quadroes todos em p de guerra. Podeinfe-
rir-se daqi a quanto subir o numero de in-
fantes, e de pi-cas de arlilheria.
Os artgos do peridico La Presse > en-
Stnuam que se esto preparando ara Hespa-
nha contecimentos graves.
gue
<( Espera-so a adoptaco de oulras medidas
administrativas e financaos para igualar o
Rein de Polonia ao Imperio da Russia. O
systema de conscripeo ser para o futuro o
mesmo que no resto do Imperio ( Mein )
Escrevem de Constan liiopla em data de
27 deOulubro :
Tewslk-Bey Secretario de gabinete de
Sua Alteza chegoli hontem a esta viudo de
Alexandriii no barco de vapor egypcio Silo.
O mesmo trouxe cinco milhes de piastras
onta do tributo qile o Govcriiador do Egy-
pto deve pagar Porta;
Desde os primeiros das do mez de Roma-
A.V1EKICA 1)0 XoitTE.
Estados-Unidos Nova-York l!) de oulu-
bro.
v*a.|n> i.,.in !',! ,i v wwuo ira primeiros cuas o mez fie noma-
,S,t ^anCa em Barcelona zan frequenta o Sulto como o auno art-
II (L.-.N 'I 1 l.rmilrc I.. .-, iv. 11., ....... .
para passarem a Londres de transito por
Franca. Os emigrados de Barcelona deviam
sairde Perpignan a 18 para Calais com objec-
lo de embarcaren) para Inglaterra
(Memorial dos Pyrincos.)
Franca.-- Pars, 10 de Novembro.
As cartas de Alexandra recehidas pelo va-
por Minos sao datadas de 20 de Ouluhro
<) Yic- R. m-,1,.,,,,,, ,... ,,,""' i i-ur si iiisiiio aas medidas sanitarias ado-
tew-dfvawh? IV'T ^? ^ P^o8 naquellacidade, e nosdemais porto,
do, quefazOsemcouacar- das costas asiticas do Mar Negro.., (Obser-
tenor, mui a miiido as mosquitas especi-
almente do Slto Basejid e lem assistido
s leitras do Corfio verfleadas no Serralho
durante os oito primeiros das.
O estado sanitario da capital e suirim-
meirte satisfactorio; porem as noticias de Er-
zerum nao o sao tanto e por esta razio M.
Robert, director de lazaretos fez urna via-
gem a Trebisonda para lomar conhecimen-
to por si mesmo das medidas sanitarias adu-
lcir de Constantinopla aioptasse- o traje
I meo. Ape.ar disso, lodos stao persua-
didos de que este traje nao ser geralmcnte
adoptado no Egypto c que Said Bey e Sa-
m BeyhO de abandona-Io em breve para
tornaren) a adoptar o ogvpcio.
Corren, vozesde que houvera Urna viva dis-
ciisso no Gairo entre d Pacha e o cnsul In-
glez residente naquella cidade por motivo
da construccao de algumas barcas destinadas
a navegacao do Nilo s quaes quizera Sua
Alteza recusar o prevlegio de usarem de ou-
tra bandeira que nao fosse a sua propria se
bem (pie pertencesgem aos cropcos. (Com-
merce. )
0 capitPo de um navio que chegou a Br-
deos -, havendo sado de Montevideo no 1 de
N'lembro, refere que no momento da sua
saida annunciava a artilieria a morte de Fru-
ctuoso Rivera Presidente da Repblica do
Uruguay. Nao se previam os contecimentos
que poderiam originar-se desta morte. Gon-
linuava a guerra Com Buenos Ayres. (dem.)
No da 13 desie mez anda se achava o
banqueuo Anselmo Rothsehild na llaa on-
de leva varias entrevistas com. o ministro da
razunda. objeclo da sua viagem tractor
dacapitalisa^aodo que a Blgica deve ncar
aunualmeiite Hollanda. Diz-se qde ante-
riormente havia sondado o terreno em Bru-
xellas, equeencontrarrao Governo Belga
disposlo a trclar na conformdade do plano
que se loe ha apresentado e que confia in-
timar a Corte da Haia a acceita-lo. (dem.)
A confederado germnica nao se mos-
tra mu presurosa em levar a elleito a ereceo
las fortalezas de 11, e Rastadt. Tambera se
ralla de novas delberages cercada classe
de iorlihcacoes que bao de adoptar-se as
nlascdades. Em.vcz do campo fortificado,
jUjo ponto central sera Rastadl, tracta-se
te fazer desta cidade nina fortaleza capaz de
ber defendida por urna guarnico quando pa-
la defender o campo fortificado fosse necessa-
no umlexercito. (lllim,
tonstanlinopla tPm 0 seu Ihealro Itali-
ano. As representacoes devem ter comeca-
uoeste mez: o local pode con ler 800 pes-
soas ; ten, duas ordens de camarotes e as
suas correspondentes frizas. O director oe-
rece-se a dar durante a estaeao seis Operas
de Rossii.i Domzetli e Ilellini. ( dem )
- Escrevem de Toulon em dala de i\ do
corren te:
Kota-ae ha das no.nossoforto urna cir-
vador Adslrico.)
As cartas de Alhenas de 27 de Outu-
bro referem que 0 Re Othon sahira com di-
reccHo a Corintho onde doveChegar a Rai-
nha de volta da sua viagem Alemanha. Es-
perm-se em Alhenas os Augustos Espozos
de 29 para 30. (Gommem-.)
Le-se no Mensgeiro desta (arde :
Fma parlicipaco telesrafica datada de 0
em Moctaganem e de Toulon a 11 an-
nuncid que a divisao qde sahira de Oran a 13
desetembro, tornara a entrar em Mos'taga-
nem a 8 de Novembro. 0 sed estado sanita-
rio hom bateu em duas occtAies a cavalla-
na db Emir e de militas tribus sem con-
tar outros pequeos combales era que sem-
pre sahiu vencedora. Deslruu a cidade e for-
taleza de sada ; fez Jlianca coraseis tribus
do deserto cuja cavallaria mrcho'u por es-
pacO de tres das com as riossas tropas, e con-
tribuu para a derrota de urna tribu de Abd-
el-Kader. ( Constitucional. )
Lemos n'urii peridico estrangeiro :
h A Inglaterra c a Prussia trabalham de ac-
cordo para propagar 0 proteslanlismo na Sy-
ria Palestina, e Mizopolanlia : porem at
agora so a primeira potencia tem conseguido
vanlagenselfeclivas. l'm faeto importante .
se se confirmar, que os missionarios pro-
testantes leem conseguido que na Mezopota-
ma se adopte o protestanitsmo pelo clerones-
toriano em raassa em lemos que o Patri-
areis protestante de Jerstflera xercer so-
bre o dito clero urna especie de protectorato.
Segundo parece esta nova uniao deve-se aos
esforcos de varios Bispos nestorianos auxi-
liados pelos missionarios Ingleses e Ame-
ricanos.
E' preciso fazer justica aos Inglezes, e
conlessar q' quando concebem fl pensamenlo
nunca licam era melado do Caminho. O Pa-
triarcha protestante sem povosdasua cren-
C_a significara poucoounada ; porem sigfi-
Gca.ria alguma cousa fazendo protestantes tri-
bus ei massai exemplo dos nestorianos
encontrar por ventura imitadores lio Lbano;
porem ao menos os nossos correspondentes
dizem-nosque se trabalha com afinco emcOn-
verteros habitantes do Liltanoao protestan-
tismo. Aiem das biblias empregara-se os gui-
neos como meio de persuaso. (dem. )
Escrevem de Bayona a um peridico da
tarde com data de 10 de INovembro, o se-
gunde :
q Pego na penna para Ihe communicar em
Concluida j a celebre cauza de M'Leod ,
que por tanto lempo conservou em expecta-
co a America e a Kuropa, desapareco intei-
ramente a ellervecencia causada pw aquel-
lo ruidoso assumpto. Assegura-se que M'
Leod logo que foi posto em Ilberdadese diri-
gir ao porto de Boston onde embarcara pa-
ra o Canad.
Comee a a ventilr-se a questao de can-
didaturas para presidente da Repblica cuja
nova etefcao deve verificflr-se em I8lt: por
ora parece (pie a maioria dos votos esta a fa-
vor de Mr. Clay.
Ocaixa do banco mercalil de Nova-York
desapareco, deixando um delicit de 30,000
pesos fortes.
Continuar) a correr vosos de que o governo
inglez tem formado o projecto de apoderar-
se da lllia de Cuba, porem acreditamos qde
estas vosos carecem de fundamento. A In-
glaterra obrigr certo, o governo hes-
panhol a cuinprr o tratado ajustado para a
abolicao do trauco dos negros e no caso de
negativa appelar para as vas de rigor. Po-
rem a Inglaterra sabe milito bem que a
posse da ilha de Cuba por nutra Potencia
causara a mais viva nqUietaco ao governo
dos Estados-l'nids.
Bastantes dillienldades e quesillos ospinlio-
sasnos restam anda quecompor com a Gr4-
Brolaulia e de esperar que nao vira um
sucesso daquella naturesa para augmentar
as com [)1 icacoes ex iston tes.
Segundo annuncia um peridico desta ci-
dade parece que se esl instruindo umsum-
mariq sobre uu.a tetUalva recentemente des-
coberla cujo objecto era incendiar os barcos
d(> vapor ingleses, que navegara no lago Eri.
Diz-se q'n'um pragem mui retirada das mar-
gena do lago seenConlra Ura barril com inais
de cera arralis de plvora.
(Commercial Journal).
(Do Diario do Governo de L.)
HlSCLLANEA
lotera do tiieatro.
As rodas da l parte <]a 8. Lote-
ra tone,,, impreterivelmente
da i do correrte ; e o resto doa
reapectivoa btlhetes achao-ae a vc.
da nos lugares anminciados.
COLLEGIOPERNAMBCANa.
ATEItltO IU BOA-VISTA, N.' 0.
As aulas do Collegio Pernambucano al...-m-
e de novo no dm 7 do crrante Janeiro. To-
OS os preparatorios ,,ue le exige par, ,
Academias de;Dircitoede Medidniifl,!.-
pmo saoahensinados. Osproeasores las
diversas dicipunas sao de mu distinelo mi
Para conhecimento da regularidad, do,
estudos, e do rgimen interno, aeham-su
f^itesao publico os estatutos 'do ZS&
Sao ad.ni'tidos alumnos-internos meios-
P''nsionistas e externos.
AVIZOS DIVERSOS.
HUMA CORRIDA.
riinylan.-ia H., ..., j-j v"" cKu na icinia para me coinmun icar em
cunslamia, que nao pode deiUr de supren- poucas linhas noticias da maior importancia.
Huma folha de Liverpool dis o segunte:
bous senhores sahirao de Biuxellas huma
sexta fcira pelas tres horas da tarde: no da
seguiile, pelas 7 horas menos l|i da noite
eslavao em Liverpool, leudo andado por con-
sequencia mais de O milhas inglezas, ou
I l legoas em "21 horas e ,~> (piarlos. Toda
a viagem foi (bita por estradas de ferro e em
barcos de vapor. >! He o maior exemplo de v-
locidade conliecdo at agora.
MIMS BIGODE8 TKMI'OltoKS.
Lxiste actualmente era Valedciennes(Fran-
ca) hun rapas de nove anuos e meio, que
nao bebais altonem mais desenvolvido que
o (pie asna idade proinette e (pie, com ludo,
tem buns bigodes tao recommendaveis como
os de liuiii granadeiro, e hunta barba tao
veneravel como a de hura sapador.
SUPPbBUENTO a' ESTATISTICA DOS CASAMK^TOS
1KLIZKS.
0 Spectator de Addisson d noticia de hu-
ma insttuicao fundada por huma alma ca-
ritativa e amiga da paz domestica em con-
sequencia da qual todos aquelles conjugues ,
que duranle hura anuo ibteiro nAo tvesseni
lido rixas entre si, deveriao recebor hura lei-
tao de recompensa. Durante hura scctilo in-
teiro apenas houve hura par deconjuges assaz
feliz para que o leitad Ihe podesse ser adjudi-
cado ; porem he preciso advertir que desle fe-
liz par o marido era ceg c a mulher era
muda.
KXEMPI.O D EECl.NDIDADE.
Em huma groja de Aberconvvay em Caer-
narvoiishire est huma sepultura, cm cuja
campa se l a inscYJpcAo segrale :
Aqui j/; .Nicolao Iloolles de Conwav .
quadragesinio primeiro lilho de Guilhernic
Iloolles e sua inulher Afielade e pai de 27
lilhos. Palleceu a 520 de marco de 1037.
N. R. Este epitaplno e'st eseripto em in-
glez c no cm portuguez.
( Jornal do Commercio.)
l=r ara o Rio de Janeiro segu viagem o
Bergantn, .Nacional , Eugenia, ,, Cambio
Manoel Antonio de Souza Guerra, cora toda
a brevidade: para carga e escravos frete
trata-se com Joaqun,. Raptista Moreira lio
seo tscriptono na ra do Apollo, e para i,,i ,-
sageiros com o capitao abordo.
wAlluga-se urna excellente casa citano
(.ni turne dos coelhos na Boa-vista, c junio a
-lana do Sur. Miguel Carnciro. ten.Jo
liiun grande soto conimodos para fami-
lia, e porto de embarque no fundo, e bas-
tante terreno para qual quer estabeJIeei-
nienlo como soja para estaloiro do c.nsl,!,-
cao. ou armasen, de madeiras, fallar com
Ha reclino Jos Lopes.
ty Desapareco na ultima oitava de festa
do natal do engenlio Gongassari hura prolo
de norae Joaquim nacao rehollo eatatura
baixa, cor fula, pouca barba, eopaito b-,n
cbeludo; cora camisa de algodo calsa .1
ganga azul e chapeo de palha, quera 0 pegar
leve-oao dito engonho ou tiesta praca Fia
cisco X. M. Bastos, na ra !o Eiicantamo; -
to do Ruede, onde ser recompensado do s o
trahallio.
i^- A Direccao la Spciedtde Amizado no
I no convida aos Srs. Socios, a rclmiv-!, -
se Domingo 9 do corrente pelas :> horas d
tarde na j sabida caza da ra da praia a
lira de se continuaren] os trabajos que cm
Assembleu gerai de 12 do mez lindo fora
encelados.
BT Aluga-se urna sala a qualquer bomcm
Milteiro ou pouca tarahla cora alcova .-
cosinha fora: quera a pretender, dirija-si
a ra doQueimadO 1). II, que achara com
quem tratar,
127" Manoel Rodrigues de Albuquerque 1./
publico que Manoel Carlos Teixeira no
tem mais ingerencia nos negocios de sua ven-
da da piarada Bonvsla I) Al.
t3r" Quem preci/ar tomar cem rail res
a dois por cet.to ao mez dando pa.-a se-
guranca pinhores de orno ou prata 5 procu-
re nesta Typographia, que se dir .piem
lem.
sp- Quem ipiiser comprar 500 barricas
vazias parle boas c promptas para assu-
car, e parte com algum deleito, por preco
com modo; dirija-se a pedera do arco de San-
to Antonio.
i27- O ahajxo assignada raga a todos os
seus eredores Ihe apresen tem suas conlas
cementes da dala desle a oito das.
Manoel Rodrigues de Afbnquerque.
S27- Aluga-se o I. e 2. andar c armageni
da casa de ." andares da ra da praia com
duas frentes urna para a ra do Fagundcs :
os pretenden les procurem na ra da Ca-
dea velha l). ,">o, (pie acharo con, quera
tratar.
IC7- No dia 20 do p. p. desapareco urna
piola velba donme Domingas, nacoc?-
sange, estatura regular, nariz chato", olhos
I pequeos, seca do corpo, nao ten, denlos
nfrente, lera a peina dircita enxada, os
dedos dos pez tortos para dentro, parece Ibr-
qnilha, e cor fulla, levou carniza d*algodo-
Ziohocom lavari n lo as hora brei ras. vestido
de chita branca uzado, e pao da costa Ja ve-
Iho: tera-se visto no nianguinh.i, junto ao
sitio de D. Mariana Stnhora viuva do falles-
cido Arouca : roga-sca quem . pegai leve-a a
ra Direita, defronte do beco 'a Penha,
paderia de Policiano Lmenlo da Silva,


k*
^
X
S^r O Patire Jos Joaquim da Silva Guer-
reiro conliima a ensillar lgica e francez.
Estas aulas abrem-se a 5 de Fevcreiro prxi-
mo. A matricula principiou jr, eestaber-
ta at ao ultimo do corrente Janeiro. Quem
se quiser servir do seu presumo pode procu-
ral-o na casa de sua residencia sobrado on-
de mora o Sr. Major Bezerra. segundo andar,
ra do.Fagundes, ou de 4S. Rita nova.
S2T l)o l.de Janeiro corrente em diante
a firma da casa franceza Adour & C. he J. P.
Adour & Companhia. j*
r~r Mr. Walter, alfaiate francez esta-
blecido na ra da Cruz no Recite D. lo, pre-
cisa de olliciaes de alfaiate e paga bem.
SSF" Precisa-se alugar um sitio perto desta
praga na estrada do manguinho ou Belem ,
que tenha casa para familia arvoredos de
fructo e teras para ,plantar hortalice ; quem
tiver annuncie.
SS" Na noula da ultima oitava de festa
furtaro do sitio do Commissario de j)olica da
estrada de Joo de Barros urna vacca de
leite sem cria de cor preta grande alguma
couza e magra a quem for offerecida quei-
ra tomare partecipar ao annunciante que
generosamente gralilicar e havendo quem
saiba quem a furtou pode declarar que se
guardar segredo.
C7" Leonor Caroiina Caetanlio de Vascon-
cellos professora particular de primeiras le-
tras avisa aos pas de suas alumnas e a
cpiem mais se quiser utilisar de seu presumo,
que segnpa feira nove do corrente principia-
r a dar exercicio a sua prolisso que cons-
tar de ler, escrever gramnialica da lingoa
materna e as mais essenciaes operaces de
arithmetica doutrina coser bordar, mar-
car Ac. em cujo ensmo promete a annuncian-
te empregar todos os meios mais facis e
brandos que estiverem a seu alcance anlogos
a tenra idade : para isso se podero dirigir a
ra de agoas verdes D. 08.
$~j- O abaixo assignado arrematante da
aferigo e reviste deste corrente anno do
municipio da Cidade de linda faz saber a
todas as pessoas a quem convier que dentro
to praso dos respectivos Fiscaes, da data des-
te em'dianle podem vir aferir nos 4 cantos n.
2o todos os dias anda mesmo Domingos e
dias Santos e ficando cerlos que as medidas
arruinadas nao se aferem assim como que
findoo praso protesta nao aferir mais.
Bento Gonsalves.
Cj- Precisa-se de um caixeiro portuguez
de idade de 12 annos para urna venda: na
ra Direita venda D. 1.
^Kr" caba de chegar na ra do Colegio
loja de livros e encadernagao 1). 7 as obras
dicado.
xs- Roga-se encarecidamente a certo Snr.
morador as o ponas que nao continu a
fazer criticas dos seus amigos visinhos de
quem ja ptveisou e love a Dos nao precisar
mais delles sim de outros que receberO o
mesmo pago e tambem de nao continuara
fazer tao redicula sesso fora de horas do
contrario ver o seu nome publicado.
O que o es ti mou e hoje offendido.
X^~ O meio bilhete da 1.' parte da 8.* Lo-
tera do Thealro pertence ao Snr. Joo Mo-
reira de Moraes, de Goianinha.
Z* Declara-se que o annuncio que sahio
no da 5 do corrente, nao se entende com o
Snr. Jos Ignacio dos Santos.
AVISOS MARTIMOS.
Borges Carnei-
Lobao, inslru-
de-Ferreira Borges ditas de
ro em 4 volumes ditas de
yoes de caladores ultima edico com mappas ,
historia das inquisigoens com 8 estampas e
outras muitas obras de direiio novellas pressas em 1841 dos melhores authores e
na mesma loja existem eatalagos dos livros
novamente chegados.
S2r" Precisa-se de urna criada para todo o
servido de urna casa : na ra da camboa do
Carmn sobrado de dous andares no 1 . an-
dar.
tF- Precisa-se de um feitor para o enge-
nho Perereca no Rio Formoso que sai be ler,
ejescrever que desempenhe bem suas obri-
gagoens e d liador a sua conducta se da-
r bom ordenado : na ra da Aurora em casa
de Joo Francisco Santos de Siqueira a tra-
tar com a Senhora do mesmo '$>u no dito
engenho.
C3r" Precisa-se alugar um sobrado no bair-
to de S. Antonio que tenha commodos su-
ficientes para urna familia com quintal e
cacimba c o prego nao exceda, a 500*000
annuaes : a tratar na ra da Gloria sobrado
de grade de ferro defronte do convento.
S2F" O Secretario da Irmaudade de N. S.
do Terco,-convida aos Irmos da mema
acomparecerem no consistorio Domingo 9 do
corrente, pelas 9 horas da manh para mesa
geral.
C?" Aluga-se urna casa de 2 andares e ar-
mazeiii na ra de Jos da Costa no forte do
uiattos onde morou o Sr. Joaquim Pereira
Penna ; quem a pretender dirija-se a ra do
Livramentocasa D. 5 no segundo andar, ou
noRecife na ra da Cruz armazem de assucar
da casa n. 42.
t&" Jos Antonino Pereira da Silva pro-
fessor particular das aulas de primeiras letras
e grammatica latina faz sciente aos pais de
seus alumnos que abre as ditas aulas hoje 7
do corrente na ra das Cruzes D. O no segun-
do andar onde eontinua admitir alumnos
internse externos prometendo o seu des-
empenho no adiantamento, e applicaco dos
que Ihe forem confiados, como ja tem mostra-
do do espado de 5 anuos que a isto se ha de-
Para o Rio de Janeiro o Bergantn) Nacio-
nal Eugenia Capito Manoel Antonio de
Souza Guerra a sal ir com toda brevidade;
para carga e escravos a frete trata-se com
Joaquim Baptista Moreira no seu escriptorio ,
na ra do Apolo e uara passageiros com o
Capito a bordo.
Para Liverpool a bem eonhecida Barca
Ingleza Columbus deve sabir at o dia lo
do corrente ; quem quiser ir de passagem di-
rija-se aos consignatarios Me. Calmont & C.
Para Lisboa com brevidade o bem concei-
tuado e veleiro Brigue Portuguez Conccico
de Maria forrado de cobre , quem quiser
canegarou ir de passagem para o que tem
muito bons commodos e arranjos com todo o
asseio, a fallar com o seu consignatario Fran-
cisco Scveriano Babelo ou com o Capito Ma-
noel da Costa Neves na praga do Commercio.
Para a Baha segu viagem com toda bre-
vidfde o Patacho Miverva ; quem quiser car-
regar ou ir de passagem dirija-se ao escripto-
rio de Jos Ramos de Olivcira na ra da
Cruz n. (5 ou a bordo a tratar com o Capito
Francisco Fortunato Pereira da Silva.
Para Iliia de S. Miguel segu viagem com
muita brevidade o Brigue Triumpho Ameri-
cano Capito Alexandre Jos Al ves ; quem
quiser carregar ou ir de passagem dirija-se ao
dito Capito ou a Jos Antonio Gomes Jnior,
na ra da Cruz D. 12.
Para o Maranha saldr em poucos dias o
Patacho Brasileiro Mana Luiza, forrado e
pregado de cobre tendo a bordo mais da ter-
ca parte da carga ; para carga e' passageiros
trata-se com o seu proprietario Antonio Joa-
quim de Souza Ribeiro ou com F. M, Ro-
drigues & Irmos.
Para Lisboa a Brigue Portuguez Concei-
co Flor de Lisboa forrado de cobre e de
superior marcha saldr com muita brevi-
dade por ter a maior parte de seu carrega-
mento prompto ; quem quiser carregar ou ir
de passagem para o que offerece os melhores
commodos e tratamento dirija-se a Mendes
& Oliveira ira ra do Vigario D, lo ou ao
Capito do dito Vicente Anastacio Bodrigues.
Para a Baha saldr infalivelmente nestes
3 dias o Brigue Escuna Portuguez S. Bernar-
do muito velleiro e forrado de cobre, s po-
de receber alguns passageiros para os quaes
tem excellentes commodos ; trata-se com
Mendes A Oliveira na ruado Vigario D. 15 ,
ou com o caixa do mesmo Joaquim Teixeira
Brasil.
L E I L O E N S
S2?" Quefazem Manoel Guimaraes Ferreira
e Francisco Martins de Lemos de urna por-
go de vinagre em pipas e.quartolas, por con-
ia dequem prelencer sexta feira 7 do cor-
rente na escadinha da alfandcga.
Qr" Que faz Antonio Luiz Gomes por conta
de quem pretencer, segunda feira lo do cor-
rente no largo da alfandega de 11 pipas com
vinagre no estado em que se acharen!.
C O M P B A S
is~ Cre ponteiro de ouro sem fetio : nes-
ta typogralia.
*Z3~ Um methodo de flauta j usado :
quem tiver annuncie.
VENDAS.
C5" Folhinhas de porta ditas de algibei-
ra com variedades ditas de dita com alma-
nak mui correcto, dita Ecclesiastica ou de
Padre ; todas por prego mais com modo que
em outra qualquer parte impressas em bom
papel e lindo typo : na praca da Indepen-
dencia loja de livros n. 57 e 38 na ra do
Cabug loja do Sr. Bandeira na venda da forma antiga:
quina defronte da Igreja da Madre de Dos ,
na ra da cadeia loja de ferragens do Sr. Mu-
raos p. que ja foi do Sr. Quaresma defronte
da Matriz da boa vista na botica do Snr. Mo-
reira e em Olinda na ra do Amparo boti-
ca do Sr, Rapo*o.
ssr Urna manga de vidro : naloje de ven-
der assucar refinado D. 31.
ssy Urna molata com lo annos de idade ,
bonita figura recolhida coze soffrivel, faz
renda e muito bem vestidos para Senhoras ;
ao comprador se dir o motivo advertindo
porem que so se vende para fora dajProvincia,
quem a pertender dirija-se ao sitio da Estan-
cia adiante do Engenho Giqui."
S2T Na fabrica franceza de charutos do at-
ierro da Boa-vista conlinua-se a vender con-
servas francezas de ervilhas sardinhas,
chouricas dilas inglezas sortidas e mos-
tarda. ^
cr Um sobradinho na Ra de S. Gonza-
lo na boa-visla n. 14 com quintal murado
e cacimba ; os pretendentes procuren) no Re-
cife ra da Cruz n. 3o.
5^- L'm escravo do gento de angola de
idade de 16 a 18 annos, sem achaques de
qualidade algum anda bugal com quatro
mezes de tena quem o pretender : dirija-
se a ra do Livramento loja de couros D. 5.
que se dir o motivo por que se vende.
vu* Urna grande caza assobradada eita a
moderna, na ra d'Alegria e huma Canoa
aberta nova que conduz 500 tjollos de alve-
naria : a fallar com M. Joze Lopes.
ssy Barricas e sacas com trelo ,barricas
com fumo para charutos meias barricas com
farinha de trigo caixas com velas de sper-
macete salitre refinado, lengos pelos de
sedada india gangas amarelas toalhas ada-
mascadas pentes travessas para marrafas
algodo grosso para sacos cha preto de su-
perior qualidade, ludo por prego commodo: em
casa de Matheus Auslin & Companhia na ra
do trapiche novo n. 12.
S2J- Potassa da Russia da primeira quali-
dade em barris pequeos e grandes por
prego commodo a dinhero ou a praso com
boas firmas : em casa de Joo Rufino da Sil-
va Ramos na boa vista ra do hospicio ca-
sa de sobrado defronle do Coronel Brito
Inglez.
tZF- Seis bois mangos e gordos : no enge-
nho Moribcquinha a fallar com Sebaslio
Mauricio de Albuquerque ou na ra de Ilor-
tasD. 18.
C5=- Um bonito e.spelho de Jacaranda para
sala a moderna e novo : na ra da senzala
velha ao p do Sr. Pon tes no primeiro andar.
C^" Cerveja boa em barricas de 4 duzias a
2800 a duza verdadeira genebra de Ho-
landa, primeira qualidade a 6*400 a frasquei-
ra de 12 garrafas vinhode champagnhe de
superior qualidade a 20*000 a duzia charu-
tos da Babia em porgoens grandes e pequeas,
por prego commodo visto ser para ultimar
contas : na ra da Cruz D. 4.
SZJ" Urna escrava de nago, cosinha engo-
ma faz doce rilina assucar lava de sabo
e varrela e he quitandeira ; na ra dos Mar-
tirios D. 0.
s^- Dous bonitos escravos de idade de 2o
a 22 annos sendo um perfeito alfaiate e o
outro carreiro e mestrede assucar um di-
to bom trabalhador de enchada e de todo o
servico um dito cozinheiro de fornoe fogo,
urna prela de bonita figura cozinha e he la-
vadeira duas ditas quitandeiras que do
480 por dia urna negrinha e urna molatinha
de idade de 12 annos cosem mui bem : na
ra do fogo ao i do Rozario D. 25.
S3^* Farelo a 5*000 a saca de 5 arrobas
ou 2*800 sem o saco para engordar cava-
Ios os compradores acharo este farelo mui-
to melhor do que aquelle que vem de fora ,
pois he fresco e novo tambem da mais sus-
tento aocavallo o qual o peso do farelo mos-
trar : na fabrica de farinha do atierro da
Boa vista:. "
V^ Urna canoa que carrega 000 lijlos de
alvenaria grossa acabada de ser construida 1
a fallar com Marcelino Jos Lopes.
tF Cadeiras americanas com assento de
palliinha e de pao camas de vento de
amarelo muito bem feilas a 4f 500 ditas de
pinho e pinho da Suecia com 5 polegadas de
grossura e dito serrado tudo mais em
conta do que em outra qualquer parte: na ra
da Florentina casa de J. Bcranger.
XSF~ Farinha muito superior sendo mi-
da de trigo novo do ultimo carregamento das
marcas XXXF e XXX que vende-se por pre-
go barato : na fabrica de farinha do atierro
da boa vista.
tu- Um pianno inglez de ptimas' vozes ,
sendo de um dos melhores fabricantes e um
forte pianno por prego commodo por ser de
na ra da Cruz D. 4.
bom uzo,
por prego commodo :
no Recife em casa de Antonio da Costa Fer-
reira.
S^f Garrafas de rap roiao Hamburguez ,
da de tomates mui bem feila em latas e bor-
zeguins gaspiado para senhora a 5800 : na
iua da cadeia velha n. 7.
S2y- 4 eaixas vasias que foro de cera : na
entrada da ra do Rangel loja de cera D. 57.
t?T Cera para limas a 880 velas de car-
nauba de 6, 7 e 11 eni libra e sapatos de
burracha : na ra do Rangel D. 7.
SS3- 14 sacas com feijo molatinho por
prego commodo : na ra eslreila do Rozario
D. 55 quina que volla para a ra das trin-
cheiras.
s^r Por 1:200*000 urna linda canoa gran-
de e nova bem contruida acabada e lau-
cada no rio em fins do mez prximo passado,
com 12 palmos de boca, e mais de 7o de com-
prido e carrega 5 milheiros de lijlos : na
r
11a do Livramento loja de fazendas D. 7.
S3j- Sement de nabo salga, xicorria ,
coentro, e mustarda todas muita novas e
chegadas ltimamente de Lisboa : no atierro
da boa vista venda por baixo do_sobrado do
Sr. Francisco Jos da Cosa D 56.
525=- Bolaxa a 2*000 a arroba : no aterro
da boa vista D., 50 padaria de Francisco Gon-
salves Bego.
S2T 5 canoas de amarelo proprias para
abrir de 2o a 5o e tantos palmos de com-
ando cada urna : na ra do Livramento loja
n. 4.
SO- 6 cadeiras de Jacaranda com assento
de palhinha por prego commodo : na ra
das Flores D. 8.
SSr Os verdadeiros paios de Lisboa por se-
ren somente leitos de carne de porto, e nao
de alguma outra : no armazem do Braguez
junto aoajeo da Conceigao, e ali haver bar-
ril aberto para se vender meia duzia delles
que sirva para amostra afim de quem com-
prar nao ser engaado com os feitos de carnes
de outras qualidades.
t~?- Urna vacca propria para assougue : na
venda defronte do Remedio.
C7- Obras de marcineiro novas e por pre-
go commodo entre ellas urna cmoda de an-
gieo una carteira de angico, urna banca de
Jacaranda para meio de sala e urna cama de
angico: na ra das larangeiras D. 15.
ESCRAVOS FGIDOS.
tST-j Um palanqun) em muito
com vidro na frente ,
c^- Do abaixo assignado fugio no dia 27
do p. p. um negro de nome Manoel, de na-
go angico bein ladino seceo do corpo, ca-
ra comprida e talhada levou caigas brancas
de setinela camisa de madapolo jaqueta
de riscadinho encarnado, e chapeo preto ;
quem o pegar leve a ra da Cruz junto ao Sr.
Bom Jess das Portas n. 90 que ser grati-
ficado.
Joo Leite Pita Ortigueira.
E3" Em Julho de 184o da casa do abaixo
assignado desapareceo um seu escravo de no-
me Gregorio de nago benguella alto bi-
cado das bechigas bonita .figura barbado ,
de idade de 25 annos alguma couza bugal ,
quando falla abaixa a cabega ar alegre, den-
tes muito claros boca olhos e nariz re-
gular ; quem o pegar leve ao annunciante que
receber lOO'OOO de gralilieago.
Antonio da Costa Ferreira.
MOV MENT DO PORTO.
KAV10S ENTRADOS NO DIA 4.
Portosdo Sul ; 17 das, Vapor Brasileiro
Paranhence de 24o tonel Commandante
Joo Frederico Berrize equip. 24 carga
lastro : a Joquim Baptista Moreira passa-
geiros para esta provincia 11 para o Ma-
ranha 1 e pare o Para 1.
ditos no da 5
Bahia ; 9 dias Brigue Bremense Mentor
de 160 tonel. Cap. Bevend Losekarnp ,
equip. 9 carga lastro : a N. O. Bieber &
Companhia.
Lisboa ; 28 dias Brigue Portuguez Boaverr-
tura de 192 tonel. Cap. Manoel Luiz dos
Santos equip. 15 carga sal: ao proprie-
tario Jos Gonsalves Ferreira da Costa.
sumios NO SlESMO DIA
Ass ; Brigue Escuna Brasileiro S. Jos, Cap.
Jos Rodrigues Freir carga diversos g-
neros.
Erratas
Na entrada do Brigue Nova Sociedade lea-
se = 175 toneladas 26 pessoas de equipa-
gem, e 226 colonos e nao como foi publica-
do no Diario de 5 do corrente.
)
dados superiores, ilhozes para coleleg, e caLR^JF NA TYF. PE#M, L DE F. ~ 1842.