<%BANNER%>
Diario de Pernambuco
ALL ISSUES CITATION
Full Citation
STANDARD VIEW MARC VIEW
Permanent Link: http://ufdc.ufl.edu/AA00011611/04375
 Material Information
Title: Diario de Pernambuco
Physical Description: Newspaper
Language: Portuguese
Publication Date: Thursday, December 16, 1841
 Subjects
Genre: newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage: Brazil -- Pernambuco -- Recife
 Notes
Abstract: The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding: Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation: Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities: Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.
 Record Information
Source Institution: University of Florida
Holding Location: UF Latin American Collections
Rights Management: Applicable rights reserved.
Resource Identifier: aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID: AA00011611:04375

Full Text
Anuo de J84F. Quinta Feira 16 de
Tuilo ajora depende de n.a mismo; da nossa prudencia, moderaciio, eenergia: con-
' ,,enios como principiamos, e seremos apernad, com admirarlo entre ti Nieoei triis
sullas. ________________ (IVocliiinfo d Aseibleaeral do mil.)
PARTIDAS DOS GORREIOS TERRESTRES.
fioiinna, Pnraiba, eKinijrande do or, na segunda esexta feira.
y nulo e Garonliuns, a !l)e 24.
Cabo, Serinbaam, Jlio Fornotn, Torio CiJto, Macelo, e Alaoas no 1 "lj .21.
faj 13. ianlo Ant.io.'nuinta feira. Olinda todos o das.
DAS da semana.
13 Se*, a. Luria. chanch. Aud. do Juii de Dimito da 2. rara.
14 Tere. s. Angello Re. Aud. do ,)uii de Dircilo da 1. Tara!
lj Quart. Jejums. Eutebi. Aud. do juii de dircilo da 3i rara.
16 Qaint. s. Ananus. clianc.li. Aud. do Juii do Diicilo da 2. Tar.
7 mi. jejum a, ai:liol,ni.u. Aud. .lo .loit de Direilo Ja 1. Tara.
Iv.vab. jejum N. S.doO'. Re. Aud do Juii de Diieito da 3, rar
19 Dorn. 4. do Adven!, a. Fuasta,
Dezembro Amito XV. JV. 271.
Alf^ DUtie p'il.liea-se todos os das fCJtato foretn Santificado, o preco da assicaatura lie
.^ jA- de tres siil teis por qunrlel ps;o adianladoV; O annunci do asiignantes s.io iasendos-
Rratis. eoi dos que o iSofnrOa rat.o de SO res pr linha. Al reclamure, desca er
rj^mpAu a -la TypotraVa ru das Ctuzcs 1). 3, ou uraca da Independencia loiaj de lisroa
(lW- *mncios373S.
CAMBIOS to ni a 1") de Dezembro.
Cambio soBre Londres 3 J a 29 l\1. p. IV.
o Pan 32l> reis p. franco.
Lisboa 80 a 85 p.. !0U lia pr.
Orno-Moedi de 6.400 V. 14,500 14 700
I*. 14.400 a 14.600
de 4,000 S.iOlla .tOO
PitATt-Talacoca 1,640 a 1,660
1.660
1,640
1.460
l'l'.sr.i Petos Columnatea 1'.640 i
" Mejicanos 1,620 a
.i miuda 1'. 440 i
Mnrda de cobre 3 por 100 dr disconlo.
Disconlo de billi. da Alfandr'a 1 e i por 100
ao mea.
dem de letras de boas firmas le il J.
'reamar do ilut
I. as 7 horas .e
2. as 8 horas
dfi lj Df.t. nltrt.
42 m. da larde.
6 m, da m.in'i.i.
PHASF.S da
min. a 5-IJ 9 ara*
LOA NO MEZ LE DE/.EMPvO.
Qeart. rain, a 5 s 9 ra o 3 in. da manh.
l.ua Nora a 12-- s 7 nrs e 11 m. da tardo.
Quart. cresc. a 20--i 0 oras e 12 m da tarde
La cheia a 27 -- da 4 oraa e 12 m. da tarde
lili
P E R N A M BUCO.
G0 VE RNO D A P R O VINCTA.
EXPEDIRME DOMA 13 DO CORREXTE.
CilicioAo comandan le das armas, reme-
lln vo na guia que Ihe fo passa;la,. c ao
sargento quartcl mestre Francisco Jos Go-
mes de 2,de de agosto de 1839, a 51 de maio
d 1811, que foro cobrados da thesouraria,
e recolhidos a caixa do baalho segundo
informava o capito Alfonso Honorato Bas-
tendo-lhe para sua intelligencia. c excengao u- los, que intornamento o commandava. ha-
ma copia daprSyiso do consclho suppremo | vend como bou ve engao na guia que tubem-
Ihe foi passada.
militar de 10 de noveinbro ultimo, decla-
rando que Francisco Joaquim Pereira de
Carvalho Jnior, deve contar asna antigui-
dade no posto de lente- de infnta-
ria de primeira linlia na forma establecida
p?lo imperial resoluto de 28 de Janeiro db
1823, c segundo se tem pratieadb com outros
em iguaes circunstancias.
DitoAo inspector da Uiesouraria da f-
zenda fazendo-lhe tambem remessa de una
copia da proviso de que trata o precedente
officio.
Dito Ao inspector d thesouraria das
rendas provinciaes signicando-lbe que at-
tendendo a presidencia, ao que Ibe requisitou
acamara municipal do Rio Formoso em olfi-
ciode 5 do corren te, o tvndo em vista a sua.
informaco dada em oflicib de 2t de maio
deste anrio Ihe ordena que mande pagar
ao procurador da referida cmara' Manoel
Mendes Bandira o aluguel do trapiche em
que se acha aquartelado o destacamento db
polica daquella comarca na raso de doze
mil reis por mez' desde 13 de fevereiro de
1857 at o presente e que continu a fazer
pagar-lhe nesta conformidade em quanto o
mencionado trapiche estiver por Conta do go-
verno.
Dito A cmara* municipal do Rio For-
moso, communicando-lhe o contedo no pre-
cedente ofTrcio.
llitoAaprCfeito interino da Comarca do
Recife, communicando-lhe, que achando-sc
preso abordo do Cter Esperanca de Beberi-
bc o pardo Manoel dos Passos que sendo
para alli condazido pelo tfestre da samaca-
Concei(;;o por se diser ser praca do mes*
mo cutler, confessra ao depois ser desertor
das gales segundo partecipa o commandante
do referido Cter ; enmpro que o mand' al-
l receber e Ihe de c conveniente des-
tino.
Dito Aacomnrandanl do cter Espe-
ranza de Beberibe ordenando-lb cm res-
posta ao seo oilrcio de 12 do correte que en-
l-egueadisposi?o doprefeito interino da co-
marca o desertor das gales, que se aelia' a seo
bordo.
Portara Nomeantfo o cidado Jos An-
tonio da Silva Grilo para sub-prefeito da
fregueria de S. Fre Pedro Gonsalves do Re-
cife.
Dita Nomeando para sub-prefeito da fre-
gnesia de Santo Antonio do Recife, ao capi-
to Severino llenrques de Castro Pimen-
lel.
Dita Nomeando para o mesifffr'VarfP1 na
freguesa do Santissimo Sacramento da Boa-
vista, ao capito Joo do Reg Barros.
Officio Ao prefeito interino da comarca do
Recife, communicando-lhe as Homcages su-
pras, e enviando-lhe o titulo dos iromeados a
m de o faser entrar em exercicio.
C O M H A N D 0 D A S A R M A S
EXPEDIENTE DO DA 11 DO COMIENTE..
Officio-- Ao Exm. commandante. das ar-
mas da corte, pedindo-lhe a expepieco de
ordensao commandanti; interino do terceiro
batalho do arlilhcria a p, para faser remes-
sa da importancia dos vencimontos de farda-
mento que se ficaro a dever, ao segundo
lenle Antonio Maria do Castro Delgado, de
18 de dezembro 1837, a 26 de julho de 18.1I.
dia anterior ao em que passou a alferes de
fommisso, disfasendo-se para esse fim o
engao que a respeito destvs vencimcnt06
DitoAo lente coronel commandante do
dpozito remetlendo-Ihe os papis deconta-
tabellidad do destacamento da comarca de
Nazaretti, pertencentes ao mez de Novem-
bro ultimo, e mandando que a respectiva
importancia fosse entregue ao Vico Cnsul
Jos Joaquim dos Reis.
Dito Ao prefeito do commanea de Naza-
reth, communicando-lhe o ex posto no officio
cima, com o que ficava respondido o seo de
(5 do corren le.
Dito Ao prefeito da comarca do Brejo ,
disendo-lhe quedevia solicitar da presiden-
cia a indemnisaco das dispesas que tem feito
por espaco de 7 meses com o desertor Pedro
da Silva Capoeira; porisso que nao tendo el-
le prefeito com mitineado em lempo a sua a-
prehenc/io nao poda ser considerado reco-
Ihido da dserco na quella poca e tfio pou-
co tirar-se-lhe os vencimentos ; que o des-
ertor estava perdoado em virtude do decreto
de 1'8 de julho deste anno, e que o-devia re-
motter para a capital, logo que o seo estado,
de saude o permettisse.
DitoAo capito commandante iulerinoda
companhia de artfices ordcnando-Ihe a re-
messa de urna relaco dosofficiaes expedic-
cibnaribs as dilTerentes provincias do imperio,
que haviao* dexado prestaQoes era socorro de
suas familias, as quaes foro reduzidas aos
sidos d suas pattentes, em virtude do a-
vi'so da repartico da guerra de 15 do outubro
ultimo, declarando as quantias que anterior-
mente havio dexado.
Portara Ao commandante interino do 3."
batalho de arlilhcria, mandando, em cum-
primenfo a lii, dar dcmsso ao soldado
Francisco .Marcelino da inesma- companhia;
por ter sem notadesfavoravel concluido oseo
engajamento, e nao querer continuar no
seivi^o.
MEZA DO CONSII.ADO.
Miguel Arcanjo Montoirode Andrade. Caval-
leiro da Ordem de Christo c administra-
dor da Meza do Consulado' de Pernambuco
porSv M. I, eC.
Faz saber que no da 8 do corrente se
pelo sub-prefeito da freguezia de S. Antonio o davia heBdubitavel, que com tal testamento
pardo Joaquim Jos de Santa Anna por es-1 multse*nos prejiulicou em nossas herangas,
lar em desordem em casa de urna mulher del por ser dada toda tenido testador em legado,
vida publica o preto Bernardo, cscravo, por Apesar porem desK prejuiso alias dealgu-
estar fgido, o o indio Andr de tal por ser ma consideraco, declaramos ao rcspoitavel
vagabundo: foi-Ihes dado o comjet 'rite des- \ publico que nenhuma fasidado ha om dito-
tino. O sub-prefeito da freguezia do Recife! testamento que he a verdadeira vontade ,
partecipa que hontem pelas 10 horas da noite o ultima disposico de nosso pai Antonio Joso
fora atrozmente assassinada no lugar do por-1 BSserra poisque fomoslestemunhas aoacto
to das canoas com urna punhalada sobre o pe- em que elle o ditou-, c o mandou eserover.
lo direito Bernardina'Maria daCon?e(;o,mu- Se pois algum projuiso nelle seda ho nos
Iherde Luiz Jos Ferreira Per feito mora- herdeiros a que livree fianeainenlo nos su-
dor no mesmo lugar. Oassassinio pode es- geilamos para que em tudo.se compra a ul-
tima vontade de nosso pai o testador.
Assim como declaramos que o testamen-
teiro Antonio-Gonsalves de Azevedo, sus-
tente a validado de dito1 testamento por iss
vontade quoel-
qnaea-quur pre-
concordamos, o ser de nossa
le se compra a despeito de
juiso nosso
Daqui concluo as pesoas inparciaes o
quanto sao infundadas as tacrepaees, que a
respeito de tal testamento se fasem a aquel-
lo Icslamcnlciro quo a contrario do sua exis-
tencia c sustentaeto muito lucrara.
Dignem-se pos Snrs. redactores, om tri-
buto a innocencia calumniada ensirir ostas
linhas eom o que muito abrigar o a
Francisco Soares de Medeiros.
Anna Perpetua Danlas>Senborinhai!
bao de arrematar na porta da mesma tre^
garrafoens com agoardente restilada aprehen-
didos a bordo da barcaca Guilhermina Fiordo
Mar sem despacho,, em cujo dia se lindo os
prazos marcados no regulamento ; sendo a
arrematado livre dedespezas ao arrematan-
te. E para que chegue a noticia a quera con-
ver mandei alixar o presente edital na porta
desta administraco e publicar pelaimpren-
ca. Meza do Consulado de Pernambuco 13
de Dezembro de 181.
Miguel Arcanjo Monteirod>Andrade.
OBRAS PUBLICAS.
Pela administraco' fiscal das obras publicas
se avisa a bodas as pessoas que tem vendido
gneros para adila repartico c que ainda
nao tem apresen tado as con tas que hajo
deas presentar quanto antes ao administra-
dor fiscal da mesma as horas do expedi-
ente.
Administraco fiscal das obras publicas 15
de dezembro de 1811.
Moura
Admistrador fiscal.
capar-se a pesar das diligencias e enrgi-
cas providencias erapregadas pela polica,
mas ha prohahilidde deque seja capturado,
para ser entregue, ao rigor das leis. Proce-
deo-se competente vestoria no cadver da
dita Bernardina para ter a dircocao que de
Le i.
E' o que consta das partes hoje recebi-
das.
EDITAL.
Jos Antonio da Silva Grilo. sub-prefeito da
freguesa de S. Frei Pedro Gonsalves
etc.
Faz saber aos moradores d referida fre-
guesa que depois de nove horas da noite ne-
nhutn escravo dever andar na ra sem que
traga um bilhete de seo senhor om que
declare para onde vai o hum lampio aco-
so. Oul'ro sm que as casas de negocio deve-
ro fixar-se ao toque de nove horas ; o os
transgressores incorrero as penas das pos-
turas.
Recite 15 de dezembro d 1811.
Joso Antonio da Silva Grillo.
CONSULADO DE PORTUGAL EM PERNAMBCOO.
No da sbado 18 do corrento pelas i ho-
ras da tarde se hado arremattar a armago e
gneros existentes na venda da ra do Ro-
sario estrella D. 21, pertencentes a Jos Pe-
reira de Azevedo subbilo de Sua Magestade
Fideissma, por se ter este ausentado, aban-
donando o seo eslabelucimento.
O producto da arrematado he para paga-
ment dos credores. a requerimeuto dbs
quaes, o por conta de quem mais pertencer
se procede a arremataco por este consulado.
0 inventario e condlccoes com que ha-de
sorfeita a arremataco, se acharan pattentes das forao* armadas em guerra eaoutraes-
Rnrs. Redactores.-Com-quanto o officio>
a ninguem- deshonre ende faci tivesso ser-
vido como mestre cappinteiro iw arsenal d*
marnha desta provincia, com ludo prezenle-
menle nao exertjo mais esse lugar mas an-
tes fui quaiklcado pelo Governo* Imperial .
em avizo de seis de Dezembro do anno pas-
sado constructor do niesmo Arsenal de Ma-
rn ha ^ Ora como cu nao quero ser nem mais,
nem menos do que son nao pude deixar di*
sentir-me qnando lendo o seu Diario da no-
ve do corro uto vi-me qualilicado mestre car-
pinteiro (juando be publico quo ou ha mui -
lo deixei de o ser e que desdo nto cstou-
ocupando hum lunar na Meza do Consulado ,
servindo porem de constructor naval palo
que recebo huma, gratilicaco mcnyal de cin-
coenta mil reis. Oulro sim devo declarar
qii(;alguns-coiihecimcnto.< tenho do arquitec-
turanaval; taulo- assim que ja tenho cons-
truido tres cmbancagAes do estado das quaes
eilo.
cm Pernambuco
nadita venda no acto db
Consulado de Portugul
l-{ de dezombro de 1841.
Xoaquim Baptista Moreirv
Cnsul.
Os jomaos do Rio do Janeiro vindos pelo
vapor de Guerra Correio do Brazil apenas
chego a 25 do p. p. (em consequencia ( d
demora de 6 das que o mesmo vapor leve
na Babia ), o nada adianto. Bem que nao
tivessemos gazetas da Babia. sabemos poi-
cada, que ficava tranquila.
CORRESPONDENCIAS.
t para ser, e que ja mais submeter-me-hei
a ica Babia na quajidade de simples aprendiz
de construyo si beque eu seja o primeiro
a reconhecer a iiisufliciencia dos meos conhe-
cimentos e o quanto hei niisler das luzes d
outros maisadienlados do que cu na arquite-
ctura naval, o que tivor ) bons meslres ,
qnando eu nao os tive bous nem mos de-
vendo nicamente o poUCo que sei ao mou es-
tudo particular.
Son dos Srs. Redactores patricio e obligado-
Francisco Jos Marinho.
PREFEITURA.
Partes do dia 15 do corrente:
Um. cExm. Sr.Foro hontem
presos
Snrs. Redactores.
Sendo geralraen te sabido, de publica noto-
ridade, o incoo testa veis as provas de nossa li-
liaco paterna ; e por conseguinto o direito,
(jue temos heraiiea de nosso finado pai An-
tonio Jos Biserra ainda qnando abintesta-
do -, ao lemos a correspondencia inserta
cm seo Diario de 27 do prximo passado mez,
de outubro e assignada pelo pescador- jul- i da
gnomos de nosso dever eem abono da iuno- I ven lio sim em respeito ao Publico, perunta
concia calumniada.declararmos o -que sentimos quem devo justicar-me expender em breva
a respeito da inculcada falsididade do testa- a injuslica e sem ra/.o d'aquello Correspon-
mento com quo se finou nosso dito pai. dente ltenla as rases que passo a expor.
Cx)m quanto fossemos instituidos nesse. tes- j Trez sao as notas-, que d'aqiH'lla. insuitua-
tamentn, islohe com quanto nelle se nos z.i Correspondencia, so collie cm desar de
declarasse aqualidadede filhos o herdeiros do j minha reputaco. Primeira, ter concoi i lt#
testador a que c lege tinhamos direito to- i para o falso fabrico do testamento do finado.
Snrs. Redactores.
Nao- para responder a insujtuoza o caliinv-
nioza Correspondencia inserta no seu Diario
de 27 dor p. p. mez assignada pelo Pesca-
dor-, digna de lodo o desprozo pela capa do
anonymo eom que se aeohertou seu A. ( e-
videnle provado proprio pojo, a tantas falsi-
dades ,) e mais ainda pela carencia absolu-
ta de hum s documento, ou fundamento
em que se firmasse aquello parlo monstruoso
mente de hua. Uomein apaiaottado*; eu
____ -*--


meu to Antonio Joze Bizerra. Segruida ,
<. oppor-me, oh mesmo obstar a citngo para
conciliago de huma herdeira instituida na-
quelle testamento que deve ser citada para
a acgo rescisoria do mesmo testamento
Terceira ; tornar-me tmido por meus visi-
nhos ( qual hum Bach ) que se noattre-
vem a tojitemunhar o que sabem. A
eonivencia na felsidado do testament dito ,
he hum di*sts enunciados, .que por sise des-
incntem. E na verdade como acreditar-se ,
que eu sobrinho legitimo, do Testador, que
na falta dfi tal testamento lhe succederiain
stirpes representando nicamente minha
mai, irman delle Testador, e concorrendo
sua successao somonte com hum tio vivo, e
lillios de dois j fallescidos preferisse por
meu proprio facto, a redicula porcentagem de
sua testamentaria determinada em cento e
tantos mil rs. em seu respectivo inventario ,
a nao pequea somma da heranga da quarta
parte do acervo de seu cazal, sem duvida im-
portante em mais de tres con tos de rs. ? Por
conseguinte he a toda a prova manifest que
jio podia eu operar huma falsidade que a
do que a mim
Juiz de Paz, do mesmo lugar o que tudo
passo em f de verdade. Joaquim Joze de
Santa Auna.
Atiesto que dirgindo-mea caza do Su-
plicante a fim de sitar a D. Perpetua Dantas
Senhorinha que se (lisia estar em casa do
mesmo Suplicante isto em virtude d'uma
polica e com os ssus planos. Caia s sobre
elles a culpa desse lempo que se ha de perder
da bella estaco ; assim como cahe a dos dous
mezes que se perdero com o armisticio de
setembro a novembro do anuo passado de
que Bento Gongalves e Canavarro to bem se
soubero aproveitar, para terem tempo de
replica d'Alexandre Joze da Fonceea como
administrador desua mulher, edepoisdeste
Juizo ; nao effecluei tal cerlido, porque ge-
ralmente fui informado que tal Senhora so
nao achava ahi, e nenhuma coaego ou cons-
trangimento me fez o Suplicante para disto j
passar a competente eertido pois que a pas-! atacar aquella diviso. Lamen tm tambem
sei livrcmehte em minha casa e do que re-1 ese bello tempo que se perdeu e que elles
almente fui informado, como cmpria-me
engordaren! mais sua cavalhada e prepara-
rem-se para comecarem suas operages e
subirem a serra a atacar a diviso de S- Pau-
lo como fizero no dia immediato a em que
expirou o armistico que foi a lo de novem-
bro e a 16 Canavarro poz-se em marcha a
em f de meu olicio. E antes pelo contrario
fui insultado pelo Ajudante Francisco Gon-
galves de Arrnda, que acompanhou-me nessa
deligencia a pontos de partir para mim com
hum pao com furor bravio que me obri-
gou repellir sua injusta aggrego como pode ,
succedendo isto depois que este mesmo Sur.
voltou do insulto, que foi fazer ao Suplican-
te, em a parta de sua casa aonde taobem
foi resistido como era justo : he o que tenho a
informar. 0 referido he verdade. Ponta de
jnnguem mais do que a mim prejudicaria.
Se porem estou pela veracidade do fallado tes-!
lamento, e se como seu Testamentis pro- Pedrasil de"Novembro de 18ii. E por ser
ponho-me, como me inccumbe a Lei, de o verdade, mandei passar a presente.
deTender dos assaltos dcscobicozos do bem a-
Jheio nenhuma outra raso isto me move
stnio'a convcgo intima em que estou de
serem iilhos naluraes simplieiter e succes-
siveis do Testador os mesmos instituidos her-
deiros no seu testamento.
Toda a Commarca de (ioianna e em qual
quer canto della he sabido e corre de pla-
no que os instituidos herdeiros do finado
Antonio Joze Bizerra ero sous filhos natu-
Jozc Ezequiel Lima.
S. PDBO DO SIL. .,
Porto Alegre i do novembro.
Nenhuma novidade tem occorrido quanto a
parte do exercito que veio de S. Vicente e
est acampado alm do passo do Jacuy, cou-
sa de 6 a 8 leguas. O general est no Bio
Grande organisando as forcas daquelle lado ,
raes, a quem em vida hzera todos os officios | dizem que vai a Pelotas antes de voltar para
de pai, e de que tem elles nao equivocas pro- aqui. Entretanto vo segindo os recur-
vnc rvif Clin hahiliU..'.._______>_______*jt- ,
sos para o exercito que hoje deve ter rece-
ido o que foi no primeiro comboi. Este le-
vou s a quarta parte do que o Sr. Joo Pau-
lo pedio de S. Vicente, quanto a fardamen-
los ; nao levou ainda nada de armamentos ,
correames etc. ; mas isso que foi oceupou
19 carretas que partiro do Bio Pardo escol-
tadas por perto de 500 homehs. Veja se ra-
zo tive para lhe dizer que o que o Sr. Joao
Paulo pedia nao pidiao ir nem em 100 carre-
tas e tendo estas de passar por entre o ini-
migo e de atravessar necessariamente dous
rios de nado nem com 2:000 homens io
sufficientemcnle escoltadas, porque esses
2,000 homens nao tinhde ir unidos mas
sim divididos na frente retaguarda e flan-
cos de huma extensa linha das 100 carre-
tas.
Agora he que se pode dizer que o exercito
tomou quarteis de invern, porque agora he
que principia a refazer-se; se se tomou quar-
teis de invern pela necessidad em que es-
tavava o exercito de refazer-se, nao sei como
invernar aonde nada lhe podia ir ; invernar
vas para sua habilitaco, se necessario for.
Em consecuencia bem se nao pode attinar
cora as vistas d'aquelles que tanto se exfor-
co por annular hum testamento, que s
Irouxe avultados prejuizos por seus legados,
aos proprios instituidos herdeiros, que em
sua falta sempre o serio abintestados. No
entretente se progredir a intentada acgo
rescisoria de tal testamento em sua final
deciso a guarde o respeitavel Publico o juizo,
que deve formar de mim c do Correspon-
dente Pescador. -
A opposicao, quo ISo despejadamente se
disse ter eu feito para nao ser citada sua
instituida herdeira do impugnado testamento,
tanto nunca existi, quanto se prova pelo
documento abaixo transcrito, que nenhiim
constrangimento iz ou puz em custodia ao
oflicial de tal deligencia sendo este hum dos
fados, que de minha inculcada opposigo ,
allegou o Poscador sem receio de que o
desmentissem.
Se pelo dedo se conhece o gigante, con-
cilla o respeilavei Publico, q" artefacto de falsi-
dades ; nao he essa correspondencia de que
me oceupo.
O epitheto finalmente, que se me d de---
Bach timido de meus^vizinhos alem de ser
de moda c com ello hoje mimoziados todos
aquelles, que exercem funeges publicas ,
em desagrado dos desordeiros e reos de Poli-
ca nao pode offuscar minha reputago ,
que durante o tempo quosou Sub-Prefeito da
reguezia de Tejucupapo tenho grangeado ,
nao s para com meus supriores se nao pa-
ra com meus subordinados. Se encarregado
pela Prefeitura desta Comarca da Polica da
parte dessa Freguezia que ento lhe perten-
cia eu prezumo que em tempo algum a me-
nor falta minha fosse levada ao conhecimento
daquella Prefeitura. Se de presente encar-
regado da Policia de toda a Freguezia pelo
Prefeito da Comarca de Goianna ; eu invoco
seu testemunho no cumprimento exacto de
meus deveres. Por tanto fique na certeza o
Pesoador de que hum Bach so nao
pode dar era hum Sub-Prefeito inspeccionado,
e olhado em todos os seus actos pelos Prefei-
to* debaixo de cuja confianza servem e que
naoj injustiea e terror e sim o dever esti*
ma , e gratido formo as verdadeiras liga-
c/jes em que me estreitopara com os meus vi-
zinhos. Sirvo-se Snrs. Bedactores de dar
ao Prelo estas duas linhas, de que muito
Bies agradecer seu atiento leitor.
Antonio Gongalves d'Azevedo.
Attesto que em virtude do requermen'-
to e despaxo retro do Sr. Juz de Paz fui ao
lugar de Catuama a cumpri ao mandado de
6taco a D. Anna Perpetua Dantas Senhori-
nha e a nao achei, nem pessoa que me dis-
sesse que ella ahi eslava : passei a minha eer-
tido do costume, sem coaeeo e nem cons-
transgimento do Suplicante. Ponta dePe-
dras 11 de Nvembro d 1841. ~ oficial do
lugar
ermo incom-
no he parar em hum
municavel com os lugares donde podem ir os
recursos para continuar a sofrer parado ,
todas as provivages. Nem sei como hum
exercito que acabava de marchar mais 150
logoasemhuma campanha de invern podia
recomecar operages sem refazer-se sem ao
menos receber cartuxame cmais muniges de
guerra ainda que os soldados proseguissem
nessas novas operages ns e desea lgos, e
sem ambulancias de remedios. Hum ofiicio
do cirurgio-mr Manoel Joaquim escripto
do rinco de S. Vicente ; diz que eslava ali il-
ludindo os doentes com hervas do campo em
lugar de remedios, para que algum terror
pnico nao se apoderasse dos soldados e pro-
duzisse funestas conseqoencias !
A pezar deste estado de cousas os homens
da reunio gritao do Despertador de 25 de se-
tembro na sua sopposta carta contra a sa-
bida do exercito de S. Vicente aonde que-
rio que elle acabasse de estragar-se, e o ini-
migo o apanhasse no comego do vero sem
que ao menos pdesse ter recebido muniges
de guerra. He galante ver os autores da tal
carta lamentarem que nao se possa aproveitar
esse verao utilmente, o que segundo elles
penso o exercito ten ha de icar estaciona-
do toda a bella cstago, a pretexto de ser ves-
tido armado e equipado ; ora se isso a-
contecer de quem he a culpa, ser de quem
reconhece a necessidad de o vestir, armar e
equipar e satisfaz a ella, ou de quem in-
tilmente o poz nesse estado > e o levou a in-
vernar aonde ella nao podia ser satisfeita ?
Quem he o culpado se o exercito vem in-
vernar quando principiar as suas operages,
c andou-se estragando sem fructo quando dc-
via esta invernado ? Perde-se he verdade ,
se nao toda ao menos grande parte da bel-
la cstago e be esse hum dos grandes males
quizerao estender a mais proroghdo aquelle
prazo de dous mezes. A perda desse helio
tempo he ainda mais lamcntavel, porque ,
com5,"000 homens disponiveis. deixou-se que
o inimigo com 2,500 aqui prximos se
preparasse e abrisse suas operages offensivas,
e depois de as ter abert ainda mandasse emis-
sarios cidade com proposiges de condiges ;
esse bello tempo foi perdido todo para nos a
ganho e bem *anho para o inimigo eo que
agora se perder por forga de necessidad ,
ser para remediar males feitos ser com-
pensado com refazer-se e reorganisar o exer-
cito salva-lo do estado deploravel em,que o
mesmo Joo Paulo o descreveu e habilita-Io
para comegar de novo. Como ousao chamar
pretexto o vestir armar e equipar o exerci-
to ? Nao haver necessidad de o fazer ? Ser
pretexto porque o exercito nao precisa disso ,
ou porque precisando pode-se deixar d
o fazar ? Como nao ha de o exercito preci-
sar disso, se o Sr. Joo Paulo quando sa->
hio com elle para a campanha disse em
ofiicio ao presidente que o eXerCito ia po-
bre de armamento pobre de fardamento ,
pobre de equipamento pobre de tdo mas
rico de valor e enlhusiasmo e assim pobre de
tudo marchou mais de cento e cincoenta le-
guas no rigor do invern, dbrmindo no ChO
molhado sobre o nico capote, e assim an-
dou 4 mezes em territorio todo do inimigo ,
sem alcangar soccorros alguns e perseguido
constantemente pelo inimigo? Em que parte
do mundo se ousa chamar hum pretexto o
vestir armar e equipar hum exercito que
precisa ser vestido armado e equipado ? Em
que parte do mundo se criminou hum gene-
ral porque julgou hum dever seu satisfazer a
esta necessidad ? Os cavallos sao indispen-
saveis, sem duvida mas ainda que com mui-
tosse podesse contar em S. Vicente nao era
preciso mais nada em huma forga composta
na maior parte deinfantaria ? A mesma ca-
vallaria para a qual o Sr. Joo Paulos pe-
dio 2,000 espadas, 2,000 davinas e que cons-
ta de pouco mais de 2,000 soldados, tambem
nao precisa se nao de cavallos ? Se nao pre-
cisa para que aquelle general pedio este ar-
mamento para ella com o competente cartu-
xame Para que pedio6,000 fardamentos pa-
ra toda a tropa ? Se tudo isto era preciso a-
lm dos cavallos como se foi metter em hum
lugar aonde nada lhe poda ir sem ao menos
contar com obter os cavallos em numero suf-
ficiente para ao menos alcangar-se hum gran-
de recurso? O tempo mostrar a que se reduzia
o grande recurso de cavallos, e m que tempo
podio elles chegar a S. Vicente : quanto ma-
is que se adquirir essa grande cavalhada, nao
fica o exercito privado de contar com ella para
os seus movimentos futuros e de utilisar-se
desse recurso no progresso das suas operages.
Continuem os homens a forjarem as suas car-
tas como quizerem eu continuarei a mos*
trar que elles s procuro Iludir o publico ,
e apresentarei as suas falsidades ou enga-
os.
( Carta particular,)
( Do Jornal do Commercio. )
Carta do Cidado Kikiriik Jnior ao Barbeiro
sobre a Poltica da Pennsula.
Mestre. Va-se toldando a atmosphera pe-
ninsular e urna nuvem negra e ameagadora
vai ennevoando o nosso horisonte poltico.
Diz-se que a conferencia de Londres alliviada
dos negocios de Mehemet Ali vai oceupar-se
do estado da Hespanha e todos sabem que a
conferencia de Londres representa as 5 gran-
des Potencias Bussia Austria Prussia ,
Franga e Inglaterra : as mesmas que em 23
nos derao as suas ordens de Tropean e de Lai-
bach. Digo as suas ordens porque estas Po-
tencias se inaugurrSo os arbitros dos nossos
destinos. Teremos pois a Hespanha protoco-
lisada e por via de regra participaremos dos
seus destinos. Fulla-se de um arranjo matri-
monial entre o filho mais velho deD. Carlos
e a Bainha Izabel ; arranjo patrocinado pelos
Gabinetes do Norte e com o qual c Baiuha
D. Carlos ficario satisfeitos.
da a annuencia de Luis Filippe que quereria
talvez a mo da Izabel para seu filho o Duque
d'Aumale : mas nao possivel que o gabine-
te da Bainha Victoria consinta nesta prepon-
derante unio : e menos que a Franga d o
seu consentimento uno da Bainha de Hes-
panha com um Principe de fixe Coburgo.
por tanto mais politicamente natural que o ca-
samento primeiro se protocolise nao s por
ser apoiado pelo Norte mas por que mais
conciliador para a Hespanha que veria de-
baixo de urna nica bandeira os amigos do
Christina eos amigos de D. Carlos.
Seja porm este o plano ou seja outro ,
Mestre, o que c eerto que os Jornees de Ma-
drid todos se receio do quer que seja que vem
de fra O Castellano de 15 de Agosto expli-
ca-se assim * Somos francos ; o horisonte
poltico nos parece summamente sombro : li-
ma tempestado furiosa se levanta sobre o solo
hespanhol e por desgraga um sol benfico
nos nao livra della at onde se podero es-
tender os seus estragos ? Esta nuvem som-
bra muito mais medonha pela subida ao Po-
der do Peel e do Aberdeen, cujas opinies po-
lticas sao asss conhecidas c que de certo nao
pendem para o movimento rpido.
Se com efleito a Europa real e acuropa
constitucional se unem para dar a Hespanha
urna forma degoverno mais europeu cmais
suportavel sea Hespanha no fim de 7 annos
de guerra e de sangue tem outra vez de pas-
sar pelas forgas caudinas de 23, sao os Hes-
panhoes e ninguem mais os culpados desse
sucesso que alias muito provavel. A re-
volugo da Granja foi o primeiro golpe que ali
levou a realesa : o segundo o mais profundo ,
foi o lo ultimo pronunciamento de setembro.
Nao possivel que a Europa veja indifierente
este perpetuo movimento anar'chico esta
lucia entre a monarehia e repblica estas
scenas de oseilages peridicas que torno
a Hespanha um paiz imprestado e mgover-
navel.
De mais o governo qde hoje presido na
Hespanha nao tem forma alguma admissivel.
Nao monarchieo nem republicano nem
mixto nem aristocrtico nom democrtico !
E' urna dictadura feliz e traidora urna mas-
carada contituicional. A immensa maioria
dos Hespanhees est descontente ; o exerci-
est a dividir-se, e j mostra pouca adhesao
ao violento substituto da Bainha Christina ;
o clero acha-se perseguido, preso rematado
e escarnecido, o partido moderado acha-so
proscripto e privado dos seo direitos ; as pro-
vincias Vascongadas ameago recuperar os
seos lucros : Catalunha est em fermenta-
go respectoza 5 e o thesouro est cada vez
mais apatios. Tudo isto sao alliados natos- de
urna mudanca.
De mais, 8nr. mestre, a maneira1 ingrata
e indecente com que esfa minora insultadora,
"apoiada por urna espada ambiciosa tractou
a Bainha Christina, e as ideias democrticas
quesoo no congresso pe a calva mostra a
esta gente e por isso nao- de estranhar
que a europa trete de suspender esta tor-
rente de delirio revolucionario que s til
a poucos e ameagador de mu tos. Luiz Fi-
lippe suspendeua revolugo de julho, a Bus-
sia esmagou a da Polonia, a Austria prendeu
e
que causrto os hogiens da reuniao eom a sua Parece que este wrwijo nao tem por ora to-
a da Italia ; ese a Blgica foi feliz ella foi
protoeollisada porque a unio com a Hollan-
da nao agradava Gr-Bretanha commer-
cial.
Ese isso assim succeder na nossa visinha,.
que figura faremos nos nesta comedia ? Nos
infelismente somos copista e nada tem os de
originaos. A sorte da Hespanha ser a nos-
sa sorte, porque os seos vicios polticos sao os
nossos Vicios por copia. L houve Granja ,
c o Caes das Columnas ; l a Pastelleira tri-
mphou da democracia c succeden-lhe o
mesmo; e se l houve um pronunciamento
e c nao, nem por isso deixou de haver von-
tade e alguna fbgachos, mas o governo leve
mo na manta, e o Miguel Augusto era mui-
to ano para Espartero.
E se isto Mestre, se verificar se nos ti-
vermos de recuar nao teria sido muito me-
Ihor nao termos largado o nosso Castello, que
se achava fortificado pelo voto nacional, pelo
desejo do ThroUo e pelo respeito das Nages
Estrangeiras ? Se nao fosse a noite de 9 de
Setembro nao teriamos nos marchado na
estrada da liherdade legal sem tropegos sem
receios sem quebra em nosso carcter ? nao
poderiamos nos ter reformado a nossa Lei fun-
damental pelos meios legaes sem aviltar o
Throno nem assustar os Constitucionaes de
boa f ? Terio parado as Empresas ? teria
esmorecido o Commercio ? terin os Capita-
listas posto a salvo os seus cabedaes ? e teria
havido esta falta de confianga que afugenta
o dinheiro e que reduz os Empregados pbli-
cos e todas as classes do Estado miseria 1 4


V pobreza e s lagrimas ?
E se isto assim for se nos formos victima
de um ou de niais Prolocollos se nos man-
darem recuar onde pararemos nos ? Eis a-
qui Mestre urna questao que llie nao pos-
so resolver. Muita gente ci que reeuaremos
at o Absolutismo, eu nao creio ncm dcsejo
tal. A volla para o Absolutismo ihundria o
paiz de um oeeeano incaloulavel dedesgracas,
a restauracao creou inleresses e estes intres-
scs tornario o Absolulismo insustentavel. Do
mais o Posso quero e mando -* hoje
na Pennsula um perfeilo anachronismo. Mas
s por um lado a volla ao Absolutismo im-
pralicavel com ludo certo que este estado
de incerteza de reacgao e de miseria nao
pode ler as bomas de estado normal.
Tanto isto verdade que todas as classes
da Nagao aspiro a urna mudanca , qando
um povo soll're elle desoja e abraca qualquer
novidade na esperanca de melhorr. IUu-
dido pela Revolugo de SetembrO o povo a-
bondonou-se csperanga de ser salvo por meio
da urna ; infelizmente os homens da urna fa-
vorita nao eerrespondro espectaco e as
necessidades publicas: Desviar as redeas do
Governo das maos do partido Setembrista foi
e tcm sido constantemente o se peisamento
dominante. A este peisamento elles teem sa-
crilicado se nao os seus inleresses particula-
res ao menos as suas convicce. N ,bri-
lhante e omnipotente situago m que a urna
os collosou ellos podio ler feito a felieidade
doseu paiz ; ao menos podio ter remediado
grande part dos seus males: desgraciadamen-
te as suas mesquinhas obras depe o contrario.
Pode ser Mestre que estas refiexes nao
sejo exactas e que os nossos homens as to-
mem como sonbos de terrorista ou obsequios
Snela Allianga. Porm Mestre em 25
elles sacudiro-se no Paquete e nos deixro
entregues desesperaco Em 28 ellesfo-
ro-se no Belfast e em quanlo ero iriforcados
m estatua os que c licro o forad tari real
verdadeiramente como eu que os vi. O pas-
do.cra historia do presente. E qem ha ahi
que se nao lembre dos juramentos cvicos que
6 Aparicio fez na Sociedade patritica Quem
ha ahi que se lie em protestos de Deputadds ,
em juramento de Constituido ou morte em
expresses patriticas d Peridicos '
Quanto mais houver dessa fazend mais
medo Ihes tenho. Dos permitta que nada
disto se realise e de certo se nao realisar
se tivermos a ventura de que a Opposico
Cartista suba ao Poder pois no meu voto a
nica taboa de salvaco que temos; muito
mais que os homens Testa Opposico erinsci-
enciosa z&o os nicos que fazem arripiar os
cabellos ao Meternich.
Sou seu Assignante ,
OKikiriki Jnior;
( Peridico dos P: no Porto.)
M1SCELLANEA.
xemplo notavcl de prolificgo rto Brdzil.
Urna Mulher com trezentos o vinte um
descendentes.
Por pessoa da provincia de S. Paulo e mui-
to fidedigna foi-nos communicada a segin-
ie interessante noticia.
D. Anna de Araujo filha de Antonio Cor-
rea Ordonho e rsula de Siqeira casada
com Jos Ribeiro do Prado nasceo na Pro-
vincia de S. Paulo a 21 de novembro de
4744 e falleceo em lt a 24 de outubro de
1839 deixando vivos os seguintes :
Filhos da mesma 2
Da 1. ilha D; Maria Ribeiro, flihos 12
Netos desta 69
Binestos da mesma 9
Da 2. filha D. Gertdes flihos. 12
Netos da mesma 8
Dal. lilha D. Maria Joaquina filho 13
Netos da mesma 27
Do i. filho Jos Ribeiro filhos 18
Netos deste 30
Da 5. filha D. Manoela filhos 10
Netos da mesma 11
Da 6. filha D. Anna filhos 12
Netos da mesma 41
Bisnetos da dita $3
Da 7. filha D. Angela, filhos 2
Netos da mesma 12
S=
53^" Urna Senhora capaz, prop<5-se a la-
var e engomar com perfeico: na ra da
pitia por detraz da ra do Fagundes caza
verde junto ao sobrado de 2 andares.
53?* Precisa-se de um escravo ou escrava ,
que saja fiel para vender azeite todas as tar-
des : quem tiver dirija-se a ra das Laran-
geiras D. 7 sobrado que lica a esquerda do
outrodo defunto Pcixoto 1. andar, quea-
char cm quem tratar.
S3- De novo aluga-se para passar a festa ,
u annulmente urna casa terrea, sita no
Mondego, com cmodos sufici-ntes e por
prego rasoavel i qem a pretender dirija-se
a praca da Boavista D. 10; e bem Assim ven-
dem -se bixas pretas grandes a 200 rs. e
pequeas alOOrs; garrafas desementes d
coentro 400 rs.
i?" Quem quiser comprar 2 piles, un
de pedra e outro de bronze, com duas miios
..,..-
der, dirija-se a esta Typographia, que a-
char com (|uem tratar.
iz?" A pessoa (pie annunciou precisar de
200.)000 a juros por tempo de 0 mezes dando
pinhoresde ouroe piala sendo queira
por cento annuneie a sua morada.
ssr Precsao-se de 200,000 a juros do Un i ou cobranzas o (pial da fiador a sua conduc-
a 2!
outro com principio de oostnheiro, moco e
bem robusto ; dirija-se a na da Moeda do
Heeife n. 208, a fallar com Gonzalo Joze
da Silva.
52?* Quem precizar de um caxeiro de i-
dade de 13 a 14 anuos para loja de Duendas,
( Do frez de Maio.)
321
A VIZOS DIVERSOS.
X&- A Senhora Carlota Vieira Bastos, che-'
gada da Villa de S. Miguel d'Alagoas, a pou-
co mais d'um anno cazada ; queira declarar
por esta folha sua morada, que urna sua p-
yenle muito deseja falla r-lhe.
de ferro ; procure as 5 pontas caza D. 23 ab
p do lampio.
C7* A pessda que ahniincio no Diario de
Segunda feir 13 do corrente qierer alugar
Urna caza fora d praca para passar a fesla :
querendo urna no lugar da Capunga, acabada
de nov para pequea familia com duas sa-
las e dous qurtos quintal e cacimba boa
agua e perto do rio Capibaribe ; annuneie
sua morada.
ssr Quem arinunci querer coiriprar a
historia da Grecia : querendo a antiga diri-
ja-se a ra do Collegio D. 8.
s^T No dia 11 do corrente desapareceu um
pranxo de amarelld do boqueirao junto a ca-
za do Sr. Joze Hygino de Miranda : quem del-
le tiver noticia djrija-se a serrara de Joo
Antonio Baplista Muniz que lhe dar
adiado.
537" OiTerece-se lim rapaz estrahgeiro para
creado de caza particular na praca ou fora
della : na ra do Bdzario estreita D. 21.
5-3" No dia 3 de Janeiro futuro abre-se.
m curso de Theloga moral, e Dogmtica ;
e lambem de Historia Sagrada e Eclesisti-
ca : os pretenderites dirijo-se ra de Hortas
caza D. 36 para darem os seus nomes ma-
tricula e saberm o lUgr e hora das aulas.
= Precisa-se de um mlher de mea i-
dade portugueza ou brasileir que soja capaz
para servir a una Senhora viuva pelo sus-
tento e vestuario t, dirija-se a ra da Moeda
N. 151.
ssy Pelo presette deca rao 0 Coronel Jos'
de Barros Falcad de Lcerda e Joo de Mou-
ra Rolim Accole que no engnho Mussub d
Ciddde de Goianna exislem enCravados dous
partidos de canas que lhes pertenceiri por
heranca de seu tio o Reverendo Padre Amar
Felippe Cavalcanti : e corri possa acontecer
que o actual prdprietario do sobredito enge-
nhd d queira vender avisad por isso a quem
quer que seja o comprador que o referido
engenho passar cora todos ts ss encargds
com he de lei.
= Quem tiver Urna pret para alugar ;
dirij-se ao beco da Bomba, nico sobrado
de 4 portas ou anliuncie.
= A quem for offerecidd urna faca de me-
za j gasta edm cabo de prata encanada :
annuneie, que se dar d compto dell.
= Aluga-se metade de urna caza, sendo
pessoa capaz, que nao tenha muita fdntilia :
a tratar atraz de S. Joze D. 6.
= A pessda que annunciou no dia 12 do
corrente lhe desapareceu um cavallo com
mbitos ; dirija-se atraz dos Martyrios, caza
de 3 portas verdes.
== Em virtude do annuncio inserto no Dia-
rio de Quarta feira 15 do corrente, sobre de-
sejarem fallar com Benedicto Luiz dos Santos,
ou alguem por elle 5 pergunta-se ao annun-
ciante, se com o residente ha Provincia do
Cear pois se assim for queira dirigir-sc
ru dd Crespo, loja de fazendas D. 6, que
achara com quem tratar qualquer negocio ,
que diz respeito.
s*T A quem lhe faltar riml escrava ainda
bu^aK, dirija-se ao caxang a fallar com
Francisco Januario de Luna.
=e Pre6iza-se de ma escrava alugda para
servir em caza e duas para tomar doce de
vendagem das 11 horas at as 3 d tarde :
quem as tiver annuneie.
= Quem annunciou rio Diario de hontem
querer fallar Manoel Feireira Borges, Vi-
gario de Goianinha ; pode procurar na ra da
pri, no ultimo sobrado' de 3 andares, das
7 horas da manfla at as 4 da tarde.
s^ Aluga-se para passar a festa um sobra-
do com lj em Olind na ra de S. Bento ,
com agrvel vista para o mar e muito fresco
por preco commodo : a tratar ha ra velha da
boavista, sobrado D. 53 com o Tenen-
te Coronel Jos da Cunha Moraes Alyes.
= Aluga-se um soto com poucos eommo-
dos, silo na ra daPenia: quem opreten-
por cento ao mez por tempo de 0 mezes ,
sobre pinhores de ouro e prata ; quem qui-
ser dac annuneie.
5*3" Na paderia junio ao Arc6 de Santo An-
tonio se contina a vender excellente pao a
100 rs. a libra, e bolax aoitc nove pata-
cas a arroba.
t^-So alguns Srs. tiverem olguns moleipies
escravos ou forros para aprender-mi o offfcio di'
alfaiate: dirijad-se a ra do queimado quina d
beco do Peixe frito D.l.
52T Allug-se huma boa casa na cidade
deOnda, ra do Amparo n. 31 : trata-
se com o proprietrio nd R.-ciro, na ra do
Viga rio n. 16.
5S7- Pelas diligencias que tem sido (bitas
la ; annuneie.
rC5T 0 abaii assifnado com aula de pri-
nieiras letras ha ra de S. Amaro em fora
de Portas, faz acianto ao respeitavei publico ,
()U( deu este anno por promplos das primeira*
letras a dois de seus alumnos : os tpiaes forO
examinados e sahirao aprovados plenamente)
n dita aula ; eujos nomos sao os seguintes r
Antonio Joaquim Aleluia e Gaspar Joze dos
Res e para mostrar o seu zellio e aclivida-
deqtie tem empregad no curto espado de 3
anuos de ensino faz o proxente para o co-
nhecimontodd mesmo respeilavel publico ver,
o quanto o abaixo assignado so esmera para o
bom ensino e aptidao de seus alumnos ; e o
mesmoscientilica que ir fazondo publiea-
ja rio he oeculto (juem seja a pessoa que es- Cao Por esla. f0"1'1 dos nomes de todos quan-
t de posse do cvalo russo rozillid escuro, an- 1 lbl' dando por promptos como agora e j
nunciado por esto Diario e que desapareoeo
i ao amanhecer dodia 1o do eorrenle do quintal
da casa terrea na estrada do Liriz do Reg a-
diante do Sur. Veiga tendo o ferro qup figura
um M atravessado sobre a p direit, e nao
querendo o seo legitimo dono uzar repenti-
namente dos meios que lhe permiti a lei, po-
de por este a pessoa que talvez em boa f est
possuindo o sobredito cavalld, que baja de o
ir entregar ad Sr. Antonio Jos Gomes de Car-
valbo que he pessoa legima para rec-mel-o e
para isto se espera todo o tempo que decorrer
depois que este annuncio duas veses tiver sido
publicado.
CS* Aluga-se por proejo commodo apare-
I los completos de porcelana branca, na ra
daCadeia velha, D. 17.
Quem qujser comprar semen les de jar-
dinagcn ; dirija-se a ra da cadeia velha ,
D. 17.
Quem precisar de urna ama de leite, a
qiial tem bastante ; dirija-se a ra da Florn-
tina I). 12.
557* Na loge de (i. Garnier successor de
C. Perret, relojoeiro : ra nova, 1). 11
acaba de receber-se un bonito e bem escolbi-
do sortimento de joias para se.hhora constando
de aderecos completos meios ditos brin-
cos brochas d ouro de le com pedrariase
sem ellas do melhor que tem apparecido at
agora igualmente recebeo um lindo sorti-
mento de correntes o cadeias para relogio pro-
prios para homem.
snr A pessoa que annunciou precizar de
1:200* ajuros dando firtrias que agrade ; di-
rija-se a fura de portas N. 21.
Das-se 5oji reis a juros sobre penho-
res deouro, ou prata ; nesta Typogafia se-
dir"
Aluga-se o 2. e 3. andar da casa da ra
do Crespo D. 3 ; os pertendentes dirija-se
a loja da mesma casa cima que achara com
quem tratar-
Aluga-se um primeiro andar da casa
na ra estreita do Rozrio ; qem quizer fal-
le na ra do Livramento D. 7.
Aluga-se urna boa casa de pedra e cal
na povoaco de Bebiribe, para passar a festa
com bastantes cmodos, com um grande quin-
tal amurado, contendo bastantes fruteiras ,
e bom banho no fundo do quintal : na ra
Nova, D. 54.
= A pessda que annunciou querer alugar
urna canoa de carreira para 4 a 5 pessoas, di-
rija-se a ru Nova, D. 34.
ts~ Quem precizar de um rapaz brazileiro
de boa conduta para caxeiro de ra ou es-
crevente de algum Cartorio; dirija-se ao Mun-
do novo., D. 9.
cy Traspassa-se um terreno alagado, com
cento e quatorze palmos de frente confron-
te a casa do Snr. Francisco Joaquim escri-
vfto de Orfos na ra do Hospicio, tambem
se dar metade a quem aterrar todo ; na ra
Nova penltima loje se dir melhor o negocio.
tw Dzaparcce.0 da casa de Francisco Dias
de Araujo morador ha Guarita um seo es-
cravo de nome Luis cabra estatura ordi-
naria ps apalhetdos cara redonda re-
prezenta ter 25 annos de idade;quem do mes-
rao tiver noticias ; ou aprehendar leve-o a
ra da Cadeia em S. Antonio a entregar a
Manoel Joaquim Gomes que ser geeroza-
mente recompencado.
tsr Preciza-se alugar ma escrava para
o servico de urna casa de pouoa familia que
saiba comprar cozinhr e ensaboar dan-
do-se-lhe o sustento e 10*000 reis mensaes,
na Soldade segunda casa nova, junto das do
Snr. Herculano.
= Quem quizer comprar dois escravos ,
um boin capateiro, que j teve loje aberta, a
O fez o anno passado.
Joaquim Joze de S. Anna Barros.
= De Bordo do Brigue Jano dezaparecco a
noite passado um escravo marinheiro de noim
Francisco dado pouco mais oi menos de 18,
a 20 annos estatura regular, bem parecido,
levou ralea de brim e carniza de baetaj quem
o pegar leve-o a bordo do mesmo Brigue ou
a ra da Cadeia D. 21 que ser bem,
gr-Uilieado.
= Mr. Kissel relojoeiro franoez que?
n'oulro lempo trabalhou eni Paria! para Caza
Real reinado de Luiz XVIII aviza ao res-
peitavei publico, que elle concerta qualquer
relojo que lhe seje confiado patentes ,'
horzontaes virgulas gronometres e em,
geral todas as obras tocante a mecanisma: na
ruadas Cruzes junto a Typographia; as-
sim como ; vehdc-se relojos horzontaes em,
ouro o em prata.
= Preciza-se de urna ama deleite livre ,
ou escrava ; na ra da Moeda, D. 141.
= De um sitio da passagem da Magdalena
desapareoeo ho fim de Novembro p. p unt
negro crioulo por nome Manuel, estatura bai-
x idade de 50 anuos eheio de marcas da
bixigas que a pouco teye e com fraque/a em
pez e pernas que o privao de caminhar do
prossa ; quem O pegar o conclusa a casa d
Domingos Joze Vieira na praca do Commer-
cio que ser recompensado.
= O abaixo assignado inora na ra do Li-
vramento hindo para Igreja d Penha, D. 25'
segundo andar. .
Felcciano Joaquim dos Santos.
=3 A pessoa que annunciou precizar de u-',
itia (;aza para passar a festa fora desta pra-
a 5 querendo um sobrado alto e baixo:, em,
Olinda na ra de S. Bento com agradavel
vista para o mar muito fresco e por preco
commodo ; falle com o Tenente (Coronel Joze
da Cunha Morera n ra Velha sobrados
1). 53.
=-f5 Na Bolica da ru da Cruz, n. 59 con--
tinua a vender bixas miores, e menores; por.
prego razoavel.
= Quem annunciou no Diario de 15 da
corrente, precizar de 1:200*000 apremio;
dirija-se a ra da Senzala velha
se dir.
:= Ciiegaro do Rio de Janeiro as seguin-
tes modinhas Brazileiras modernas. Os me-
lindres de Sinh Vejo em teus olhos No-
vo Romance por Arpas ou Piano de Mariliav
e Direo Pega na lyra Sonora livros j en-<
cadernados contertdb a cada um 6 modinhas
novas ; em caza do Compositor J. Fachinetti^
ha ra do Sebo D. 20 : o mesmo acaba de
por em msic o mu terno improviso- A deus
Mrci eu vou morrer de urna das Victimas
de D. Miguel sentenciada em Praga Nova do
Porto em 1829
= Aluga-se a caza terrea n. 40 na ra
do Cotovelo com commodos para fmiliaj nv
ra da Aurora n. 9.
5^" Em casa de M.m Theard, ra Nova D.
10, se acha um completo sortimento de cha-
peos de Senhoras de seda e de palha muito ri-
cos dos padrdes novos c pregos commodos,
de palha enfeitados 00Q0 rs.: lambem tein.
outras muitas cousas elegadas proxima-
memente de Franca.
52^- Na venda grande d ra da cruz D. ifS
pegado ao Dro tem bi/as muito boas a ven-
da por.proco commodo ehegadas a pouco de
liara burgo.
= Vende-se a casa terrea D. 5 no pateo da
Riboira, tem largura e fundo para se levantar
um sobrado e esl entre dous oitoes de so-
brados ; quem pertender falle ao Sobral Nas^
cimento eu na venda da ra da roda D. 8pa-
ra o ajuste.
n. 25, qua


tST Aluga-se o i. andar do sobrado da
fu de agoas verdes passando o beco que en-
tra para a na de Borlas 5 a tallar no mesmo.
t-r m 20 do mez passado dcsapareceo
? tim escravo creoulo de nome Benedicto, que
foi bolieiro de Joo de Alemo Cisneiro de
estatura baixa barbado, olhos pequeos ,
teudo na cara alguna signaes de bexiga foi
visto outro dia na Cidade de Olinda com urna
cabrinha de sua amisade, forra de nome Pau-
lina, cujo escravo se inlilula forro e marido
da dita cabrinha : quem o pegar leve a
na do sol numero 8 que se graliiicar com
SOFODO.
SZjr Thomaz Ferreira Soares mora na ra
2T 0 Primeiro Secretario da Sociedade
Natalense faz cerlo aos Srs. Socios em geral,
que hoje 10 do crrente ha sesso pelas 7 ho-
ras da noule no colegio, Cm a qual tem de
discutir-se objectos de grande entidade e
para evitar que algum lome qualquer pre-
texto se faz o prosonte annuncio.
A Commisso administrativa aproveita este
ensejopara prevenir a qualquer pessoa que se
Julgue credora a sociedade dcapresentar at
o dia 20 do crrente aconta competente lega-
lisada ao seu thesoureiro, a m de ser paga
na rua larga do Uozario loja de miudezas D 7
se dir.
3Sm
AVISOS MARTIMOS.
Freta-se para qualquer porto da Europa a
Barca Ingleza Cigar de primeira classe de
252 toneladas muitoboade vella e forrada
de cobre ; a tratar com os seus consignata-
rios Gaskell Johns <5 Companhia.
Para Lisboa com toda be .idade o Brigue
Portuguez Tarujo forrado de cobre , quem
quiser carregar 011 ir de passagem para o que
em excellentes commodos-, dirija-se ao sea
consignatario Francisco Severiano Babello no
forte do mattos.
Para o Porto segu viagem com muita bre-
vidadeo bemconhecidoBergantim Portuguez
FlordeBeiris, Capitao Jos Thomaz de Lima;
quem quiser sarregarou ir de passagem para
o me tem excellentes commodos, dirija-se
ao Capitao ou a Manoel Francisco Pon tes.
B10 G. do Si'L o brigue Nacional Paquete de
Pernambuco/sahe eom brevidade, recebe ni-
camente eslavos a frete : trata-se com Leo-
poldo Jos da Costa Araujo no forte do ma-
tos casa da quina da rua da Lapa no segundo
andar.
LElLOENS.
2F" 0 annunciado para a venda de grande
porgo de mobilia nova e uzada ,' louca vi-
dros o &C. no dia 7 icou transferido cm con-
sequencia da posse do Ex.0 Sr. Presidente da
Provincia, eter lugar Quinta feira 16 do
corren te as 10 horas da manh no segundo
andar da casa defronte da do fallecido Sur.
Thomaz Lins na rua neva.
SS7- Que faz Victorino Augusto Borges por
conta e risco de quem pretencer, de urna por-
oso de carne do serto em caixotada Quinta
feira as 10 horas da manh no armazem de
Antonio Joaquim Pereira junto a escadinha
da alfandega.
ssr Que fazem Lenoir Poget & Companhia
perante o Chanceler do Consulado de Franga
por ritervengo do" Corretor Oliveira de 57
resmas papel de peso avariado por conta o
risco de quem pretencer Quinta feira 10 do
corrente as 9 horas da manh no seu ar-
mazem da rua da Uruz.
tr Que faz o Corretor Oliveira Quarta
feira 22 do torrente as 10 horas da mp.nh em
ponto no seu armazem da rua da cadeia 1.
andar, de um completo e variado sortimento
de ferragens e miudezas consistindo em lio
para sapateiro pentes de marflm tinta pa-
ra escrever fitas de seda bandejas requis-
Simas facas para charquear facas e garios
para mesa ditas para deser jiavalhas para
arba, thesoura para alfaiate caivetes e
thesoura linas caivetes de algibeira fei-
Xapuras hespanholas colheres de metal,
dobradigas de differentes qualidades lemes
para eaixilhos, e outras muitas ferragens que
se acharo presentes ; adverte-se porem que
se vender por qualquer prego que se offere-
cer ', visto ser para feixar contas no fim do
corrente anno.
tST" Que fazem Me. Calmont & Companhia,
por intervencao do Corretor Oliveira, de urna
caixa com selins Inglezes de couro de porco ,
avariados d'agoa salgada a bordo do Navio
Stewarts, na sua viagem de Liverpool a este
porto: amanh 17 do oorrepte s 10 horas
da manh, no s;uarmascm rua da Cadeia
do Becife.
VE N t) A S .
COMPRAS.
ET Ubm morada de rasa terrea em qual-
juer dos S b-iirros .que nao exceda de 1p00^
S3?" Sedas ricas para vestidos chales, e
mantas de seda francezas por commodo pre-
go : na rua do Queimado 1>. "1 viudo da roa
do Crespo primeira loja tle Francisco Jos
Teixeira Bastos & Companhia.
\zr Sacas cemfarinha de mandioca de boa
qualidadeaojOOO, e de mag a 0*000-, na
rua da cadeia velha D. 58.
r*y- Caixi-nhas com urna'arroba de boas pe-
ras seccas, prximamente eliegadas e por
prego barato : no armazem de Francisco Dias
Ferreira junto ao caes da alfandega.
XJ7- Barris de 4. e 8, de vinho de fcitoria,
santuarios de Jacaranda com 5 Imagens urna
porgo de harria e quartolas vastas ludo por
prego commodo : na rua da cadeia do Becife
loja" de ferragens n. 41.
527- Fina porgo de 1500 a 2j000 caadas
de niel: na rua do Encantamento a fallar com
Francisco Xavier Martina Bastos.
xzr Superior sal de f.uamar alvo e
grosso, a bordo do Patacho Nacional Lau-
rentina ancorado na volta do forte do mallo:
a tratar com Loureneo Jos das Noves-na rua
do Cruz n. 52.
Br Fm faldamento completo para guarda
nacional de cavallaria e todos os perlences
do carallo : no mundo novo D. 9.
XXJ- Libras de retroz preto de primeira
sorte e massos de linhS de roris : na piara
da Independencia n. 39.
isr Um excellente pianno forte por pre-
go commodo ; no convento do carmo segundo
andar.
zsr Perfeitas Imagens do menino Dos ri-
camente vestidas ecom piaas douradas de
nm palmo de altura feitas com toda perfei-
co pelo melhor escultor da Cidade do Porto:
a praga do Commrrcio em casa de Domingos
Jos Vieira.
S~T lima preta de nago anda moca co-
zinha, lava engomma faz doces e he qui-
tandeira como tambem urna toa]Ira cuma
saia de lavarinlo : na rua dos Martirios D. 6.
SiT- Um tanque de madeira que chega duas
pessoas obra mu bem feitapor preco muito
commodo : na rua Direita no primeiro andar
do sobrado defronte da casa da viuva de Cos-
me armador ou na rua das cruzes D. 3.
tzr Papel de peso, e-dito de lixa por pre-
go commodo : em casa de A. llosch na rua da
cadeia velha D. 16 primeiro andar.
SI7- Ocadeiras do Jacaranda com assento
de palhinha em bom uzo : na rua de Borlas
casa D. 8.
tST Gomma de aramia muito nova, su-
perior marmelada por prego commodo vi-
nho PBB dito da I'igueira do Porto velho,
paios, presuntos e ehourissos tudo por pre-
go commodo: na praga da boa vista venda
). 9.
S2?" No armazem de Marques & ^ eiga na
rua do Amorim fumo em folha muito bom
para fabrica de charutos bem como fumo
Americano em caixas arroz cem casca, bons
charutos e sag a 180 a libra.
tzr Um libello civel em que se pede por
heranga ligilima-a quantia de 2l:41f,?755 ,
e por nao ter o author com que jiossa continu-
ar tendoalgansadoe executado a primeira
sen tenca vende-se pela torga partea quein a
vista da escriptura convencional- com o author
quem pretender annuncie.
%rr Mel de furo em porgo de \ a 5000 ca-
adas por preco commodo : na rua do Livra-
mento botica D. 21.
zjj- Sacas com milho a 4,>000: no arma-
zem de Fernandos Jos Braguez junto ao arco
da Conceigo.
CT Urna negra de nago de idade de 18
annos : no forte do matos beco do azeite de
azeile de peixe no primeiro andar da casa jun-
to a do Sr, Pereira da alfandega.
S^r Dous predios na rua de S. Amaro em
fora de portas a saber um terreno do lado da
mar pequea e o segundo- passando o so-
brado do Barboza o qual est atterrado com
alicorees promplos eos muros da frente e
lados levantados assim como tambem tem
dentro porgo de tijolos, e uns telheiros que
ja esto rendendo, e um sobrado do lado
oposto onde tem padaria : a tratar na rua do
Vigario D. 16.
xzr Carrinhos inglezes de patente da me-
lhor construegio de 2 e de A rodas para um
ou dous cavallos com coberta e sem ella ,
e com lodos os arreios lampies e completos
a prego de 550^000 at 1:200,>000: cm casa
de Me. Calmont & Companhia na rua da ca-
deia do Becife.
UT Fardo a 5*000 o saca de 5 arrobas ,
ou 800 sem o saco, para engordar OWh
l< s, os compradores acharo este farelo ma-
lo melhor do que aquelle que vem de fora,
pois he fresco e novo tambem da mais sus-
tento ao cavado o qual o peso do farelo mos-
trar : na fabrica de tarinha do atierro da
bea vista. .-
&W Um moleqe de naco de idade de 10
annes de bonita figura muito ladino com
principio de coziiiheiro. e sab fazer lodo o
mais servigode urna casa : na rua do cabuga
loja de miudezas junto a botica. >
C- Ummolequede idade de annos ,
muito esperto e capaz de lodo o servigo : na
rua iarga do Bozario botica D. 10, assim
como precisa-se de 2 portuguezes liara caixei-
roe litor de um engenlK) distante desta pra-
ga 5 a 6 legoas.
" iy Tijolos de alvenaria posto na obra 5
para tratar na rua nova ioja de Ferreira e
Braga.
^r Urna vaca propria para assougue. Ue-
fronte da lgreja do remedio venda de Bento
Gonsalves se dir.
SS3- Muito bons chapeos do Chile por pre-
co barato : na rua do Queimado loja de San-
ios Braga & Companhia.
s-r Farinha muito superior, sendomoi-
da de ti-iiro novo do ultimo carregamento das
marcas XXXF e XXX que vende-se por pre-
go barato: na-fabrica de farinha do atierro
da boa vista.
%3T 15 sacas com feijo molalinho por pre-
go commodo ; na rua estreita do Bozario ven-
da B. 55.
Vy Excellentes velas de carnauba : no
largo de S. Pedro B. 12 onde tem um retabil-
lo das mesmas vellas.
!C7- Panno de linho aberto para toallms c
Ienges lencos de seda para gravata meias
curias de liiho chapeo;: de sol de seda r-
selas de ouro para sen hora e meninas, loa-
Ihas de linho, tudo do porto e por prego com-
modo : na rua do Fagundes sobrado de um
andar D. A.
K5" Barricas e sacas com farelos barricas
com fumo para charutos gangas amarelas ,
lengos prelos de seda da india loalhas ada-
mascadas e salitre refinado tudo por pre-
go commodo : em casa de Mathcus Auslin &
Companhia na rua do trapiche novo n 12.
Z3T A moleques de idade de 12 annos de
bonitas figuras um preto de idade de 4o an-
nos por 520^000 bom cozinheiro e canoei-
10 urna preta da cosa cozinha lava rou-
pa e-he boa quitandeira que d 400 rs. por
dia : na rua de agoas verdes casa terrea De-
cima 57.
cr 4o e tantas cabegas de gado sendo va-
cas paridas, novilhas, garrotas e garrotes por
prego commodo e livres do mal triste por
seren do pasto : na ruada Madre de Dos na
primeira loja de fazendas n. 22
sy Agoa para tingir as suissas e os cbelos:
na rua nova loja de chapeos D. 22 da-se
amostra para se esperimentar.
-S^* Clmeos de palhinha bem enfeitados ,.
por 6,>000 : as 5 ponas loja D. 54.
IZF" Imagens de S. Anna, S. Joaquim e
Sr. Crucificado de pedra da Babia muito ri-
cas : em casa de Manoel Francisto Pontos na
rua da senzala.
szy Urna casa de 2 andares e soto sita na,
rua do Livramento, na qual existo um patri-
monio do fallecido Padre Bastos e como ja
est Iralado com o procurador dos herdeiros
do fallecido Padre, o qual assignar a es-
criptura da dita venda : a tratar na rua do
Bangel casa do Mendello.
SSF" Urna completa mobilia toda ou em se-
parada por prego commodo no principio da
rua da Guia sobrado de 2 andares do lado do
porto das canoas.
tsy I ma preta de idade de 56 annos, la-
vadeiraJe varrella e propria para o servigo
de campo ; man em caixinbas essencia de
aniz cm garrafas guaran pechuri a di-
nheiro ou a praso : na rua da moeda n. 141.
3C7" Cadinhos de barro hranco chegados
ltimamente de Hamburgo tanto em porgo
como a relalho : n rua da Cruz D. 51 pri-
meire andar.
S2J- Charutos superiores e por prego com-
modo : na rua da Gruz D. 51 primeiro an-
dar.
ta ; quem o pegar leve ao dito armazem que
ser gratificado.
tr Dezapareceu no dia 28 de Novembro
passado ,um negro de nome Domingos nago
angola tem os segundos signaes : oficial de
calafate mal encarado com um grande fa-
lli sobre um olho d'uma entilada que levou ,
bastante grosso do corpo e costuma andar
com duas caigas por ter os escrotos grandes e
caiga e carniza de fazenda grossa porem bra-
ca ; julga-se andar trabalhando com alguma
pessoa que o acoita : e por isso roga-se aos
capites de campo e mais pessoas do povo o
aprehendereni e leval-o ao beco da Lingucta
ao seu Sr. Joaquim Jozo Rabel lo que grati-
ficar o trabalho.
C7- Fugio do abaixo assignado no dia 50
de Novembro p. p. um creoulo de nome An-
tonio estatura regular secco d corpo ,
com ponta de barba com 6 dedos em una
das mos e 4 ditos em um dos ps he po-
trozo levou vestido camisa de algodozinho,
e caigas de estopa grossa reprsenla ter de
idade 21 anuos quem o pegar leve a loja de
calcado defronte da cadeia que ser gratificado
Jos Fernandes Bastos.
SS- Fugirodo engenbo Perereca da Co-
marca do Ro Formozo um escravo de nome
Joaquim de nago rebolo e urna escrava
de nago angola indo na companhia daquel-
le sendo os signaes do negro os segundes:
seco 'do corpo estatura ordinaria muito es-
pigado no andar, um tanto fulo, em toda
barriga com vivos signaes de ferimentos de
custicos que ltimamente levou -, levou ves-
tido camisa c ceroulas de algodao da Ierra e
baeta encarnada ; a escrava be um lauto ma-
cilento do cor por ter sol'rido a lempo frialda-
de, feigoens grossas empapugada minio
fallante levou eomsigo um chixinha com
roupa ; quem os pegar leve ao dito engenlio
a Joo Francisco Santos de Siqueira ou ins-
ta Cidade na rua da Aurora a sua Senhora
Henriqucta Moreira de Mello que recom-
pensar.
s^r Da Babia c do engenbo Cravassei do
Hrigadeiro Ignacio de Araujo Bulco fugio
no dia 14 de Agosto um pardo maquinista,
de nome Manoel Amaro de estatura regular,
cara larga nariz grande e dalo tem urna
pequea sicatriz na face pela frente, ps gran-
des-, cabellos enrolados, tem suissas, de
idade de 28 annos falla bem portuguez c
alguma couza francez : escreve sem erros ,
con la todas as ospecis etoca viola: foi ves-
tido de caigas de panno lino pelo e jaqueta
pe dito azul chapeo de havana de abas es-
trellas e calgado de botins ; quem o entre-
gar nesta Cidade ao Capilo do ''alacho Mi-
nera na Baha a Thomaz Pedreira Gere-
moalx), ou a Joaquim Baptista Imborana ,
recebar 100^000 alem das despesas que lizer.
ESCRAVOS FGIDOS.
tW Dcsapareceo un preto de nome Anto-
nio da cosa alto magro coxo de urna
perna lem os olhos um tanto vermelhos .
levou camisa e calcas de brim : quem o pegar
leve a casa de Manoel Alves Guerra na rua do
Vigaro que gratificar.
zsr Fugio a 5 dias do armazem de assucar
da rua do Vigario n. 7 11111 pelo de nome Ma-
noel lenaro cabund alto e fcio de ros-
to levou airas de brim ja suja e camisa de
baeta encarnada, cosluma emlieb^dar-so, e an-
dar pelas 5 pontM ou p^lo atierro da boa vis
M O V1M E N T O DO PORTO
JttVIOS ENTRADOS NO DIA 14.
Rrigue Inglez Gli-
Roberta Thomaz ,
: a Me. Calmont &
Babia; 106 dias, Brigue Portuguez Viajante
Feliz de 248 tonel. Cap. Joo Antonio
Gomes equip. 27 carga lastro : a An-
gelo Francisco Carneiro. Esta embarca-
gao tendo sabido com destino para Calho
de Lima arribou da altura de Cabo Le Bor-
ne para esta provincia para concertar os
niastaros.
Rio de Janeiro ; 2S dias ,
de de 155 tonel., Cap.
equip. 10 carga lastro
Companhia.
S. Catharina ; 29 dias, Patacho Brasileiro
Paquete do Bio de 120 tonel Cap. Mano-
el Francisco da Silva equip. 10 carga
farinha de mandicca : a Gaudino Agosti-
nho de Barros.
Bichimond 50 dias Brigue Americono Al-
l'red Cap. B. Knox, carga fariuha de tri-
go -. e Ilenry Forster & C.
Rio de Janeiro, 22 dias Brigue Brasileiro
Eugenio Cap. Manael A. de Souza Guer-
ra carga farinha de mandioca : a G. A.
de Barros.
Dito pida Bahia e Macei ; 18 dias, tendo-se
demorado na Babia 6 dias, V'rpor de Guer-
ra Nac. Correio do Brasil, Commandante o
Capitao Tenente B. C. de Campos, passa-
geirosoExm.Snrs. Senadores, 1 Deputa-
do, 1 Coronel, de 1. linha 2 Alleres ,
8 Religiosos de S. Antonio, e um Cirur-
gio.
SAHIDOS NO MESVO DIA
Philadelpaia Patacho Americano Ariel, Cap.
S. Gregg, carga assucar.
BECIFE NA TiP. DE M. F. DE F. 1811.