Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04372


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Annode 1841. Segunda Feira 13 de
Todo sor depende de nos meamos ; d nosi prudencia, aioderacae, e energa: con-
tinuemos como principiemos, e seremos sponiados coro ailmiracjo entre as Nacfies mu
tulls. (Prociamacao da Asaemblea Ceral do Brasil.)
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES.
Coianna, Paraiba, Ri" Rrande do Norle, na segunda e sexta feira.
Bonito e Garanbuns, a 10 e 24.
Cabo, Serinbaet, Bo Formoto, Porto Caira, Marei, e Alagoas as 1 11, e 21.
Faja 13. Santo Aatio, quinta feira, Olinda lodee os das.
DAS DA SEMANA.
43 Seg. f. Larra, chaen. Aud. do Juix de Direito da 2. rara.
44 Tere. s. Angello Re. Aud. do Juit de Direito da 4. rara.
45 Quart. Jejuoi s. Kuiebio. Aud. do juit de direito da 3. rara.
4C Quint, a. Ananias, cbanch. Aud. do Juit de Direito da 2. vara,
47 sesl. jejas s. Barlholomeu. Aud, do Jim de Direito da 4. ara.
48 sab. jijum N. S.doO'. Re. Aud. do Juit de Direito da 3. Tira.
49 Dnm. 4. do drenlo, s. Fuasts,
Dezembro. Anuo XVII. N. 271.
O Diario publicase todos os das que nao forem SarrtHicados. n preco da assignattrrs ho
de tres mil res porquarlel pagos adianlados. Os annuncios dos assignanies s.io inserido*
grstis, eos dos que o nao forem li rato de SO re i s por linna. As reclamarles derem ser
dirigidas a esta Tipografa ra das Crines D. 3, ou i praca da Independeacia lojas de lirro
iSnmcros 37 e 35.
CAMBIOS ko nu f f de Dezembro.
Cambio sobre Londres 3 ) a 2'J l|"2il. p. II).
Paris 320 rei* p-franco.
. Lisboa 81) a 8JS P- 100 .le pr.
Obro- Maeda de 6,400 V. 14,500 a 14,700
N. 14,400 a 14.000
> de 4,000 8,100 a 8,200
Fria Petace 1,640* 1,660
Pb.ta Petos Col uronaies 1.640 a 1,660
Mexicanos 1,620 a 1,640
miud* 1,440* 1,460
Moeda de cobre 3 por 100 de discontn.
Disconto de billi. da Alfanilcga I c por 100
ao met.
dem de letras de boas firma* 1 a 1 e J.
Preamar do da
1. as 5 lloras
2. as 5 horas
de 13 Dezembr>.
e 18 m. da tarde.
e 42 m, da manha.
PHASES DA LOA KO MEZ DE DEZEMBRO.
Qoert, ming. a 5 s 9 oras e S3 m. dn manha.
La Nora a 12-- as 7 oras e II m. da tarde.
Quart. crese. a 20--s 0 oras e 12 m. da tarde.
La cfieia a 27 -- lis 4 orna e 12 m. da tarde.
DIARIO I B P B K N AII BU C O.
PEHNAMBUCO.
TESOURARIA DA FAZENDA.
A thesouraria de fasenda dcsta provincia ,
tem de faser aigumas remessas em letras para
Londres; epor isso os Srs. negociantes, que
as quiserem dar hajo de comparecer na
mesnia thesouraria nos dias do seo expedi-
ente.
Secretaria da thesouraria de fazenda da
provincia de Pernambuco 10 de dezembro de
4841.
Joo Francisco Bastos.
Oflicial maior.
TR1BTNAL DA RELACA.
Sesso de 11 do corren te.
Os embargos da fasenda publica, contra os
herdeiros de Domingo Rodrigues do Paco, na
rauza de appellacao civel desta cidade, escri-
vo Babello, foro recebidos e reformado o
accordo embargado.
Na appellacao civel dojuiso dos ausentes
desta cidade appellante o juiso e appella-
do, Jos de Souza Soares, e outros escrivo
Ferreira ; foi julgada pela confirmaco da
sentenca appellada.
Na appelaco civel desta cidade appellan-
te Antonio do Reg Barros e outros, e ap-
pcllados os herdeiros de Antonio Jouquim de
Jezus escrivo Bandeira ; se julgou pela
confirmaco da sentenca appellada.
Os embargos de Bartholomeo Francisco de
Souza, contra o Juiso na causa de appella-
cao civel desta cidade, escrivo Jacome, fo-
ro despresados.
Na appellacao civel do juiso desta cidade ,
appellante Joo de Alemo Cisneiros e ap-
pellado o Padre Felis Jos de Araujo escri-
vo Posthumo foi julgada a confirmado da
sentenca appellada.
Na appellacao civel do juiso de direito des-
ta cidade, appellantes Bento Fernandes do
Pago, e outros, e appellado Manoel Jos
Tavares da Silva, escrivo Babello, se jul-
gou pela confimaco da sentenca recor-
rida.
Os embargos de Fraucisco do Sacramento
Tavares contra Victorino Ferreira de Carva-
Iho na appellacao civel desta cidade, escri-
vo Babello ; foro recebidos ejulgados pro-
vados e declarado improcedente o recurso.
Na appellacao civel da comarca de Nasareth,
apellante a viuva e herdeiros de Manoel de
Mello e Albuquerque Monte-Negro e apel-
lados a viuva, Costa eFilhos e os herdeiros
de Manoel Correia a Araujo, escrivo Bandei-
ra ; foi julgada pela confirmaco da senten-
ca appellada.
Na appellacao civel da comarca do Aracati,
appellante Gerardo Correia Lima appella-
do Francisco Ferreira da Silva escrivo Ba-
bello ; foi a sentenca de que se appellou re-
formada.
Os embargos de Miguel Lourenco Cardo-
7.0, e outros contra Manoel Correia de Mel-
lo Jnior, na cauza de appellacao civel da
comarca das Alagoas escrivo Bandeira fo-
ro despresados.
Na appellacao civel da comarca das Alagoas,
appellantes Anglica Bosa de Jess e Manoel,
Ferreira da Silva, escrivo Ferreira; I i o pro-
cesso julgado nullo e condemnado o appel-
lado as custas.
Na appellacao civel dojuiso de direito da
Paraiba appellante o juiso, e appellado
Paulino Jos Gui maraes escrivo Rebello ,
se julgou a confirmaco ja sentenca recor-
rida com huma declarado.
Na revista civel Manoel Lourenco Pontes,
c recorrido Antonio Bicardo dos Santos es-
crivo Posthumo ; se julgou nullo todo o pro-
cesso.
Na
Maa Elias do Carmo escrivo Bondeira ;
foi julgada pela confirmaco da sentenca ap-
pellada.
Os embargos de Joo Januario Serra gran-
de contra a irmandade de Nossa Sen hora do
Livramento, na cauza de appellacao civel,
escrivo Jacome, foro recebidos e refor-
mado o acordo embargado.
CORBEIO.
O Brigue escuna Bainha de que he capi-
to Manoel dos Passos Gomes e Olivara sac
para Loanda no dia 14 docorrente.
ARSENAL DE MARINHA.
O Illm. Sr. Inspector do Arsenal de Marr
nha manda faser publico que no dia 2o do
corren le pelas 11 horas da manh se po-
ra em arremataco o forneciment dos objec-
tos abaixo declarados para as embareacoes
d'armada pelo tempo de trez mezes a contar
do dia 7 de Janeiro prximo em dianle ou
at o fim de Junho tambem prximo se
os precos dos referidos objectos a isto convi-
dar.
As pessoas aquem convenha faser seme-
lhante fornecimento sao convidadas pelo mes-
mo Illm. Sr. Inspector a comparecer n'esta
secretaria em dito dia e hora munidas
das competentes propostas ; certas de qu o
fornecimento 6er entregue a quem por me-
nos o fiser com os objectos da melhor qua-
lidade,
Secrelana da inspeceo do arsenal de ma-
rinha de Pernambuco 6 de Dezembro de 1841.
Alexandre Bodrigues dos Anjos ,
Secretario.
Objectos postas em arrematlas, c aos
quaes se refere o annuncio supra.
Carne verde farinha agurdente as-
sucar, vinagre toucinho bacalho azei-
te doce fejo azeitede coco, sabo, sper
maceti seboem vellas arroz tintas bran-
ca e preta agua-rz seccante taixas de
cobre ditas de ferro arcos de tonel., di-
tos de pipas tijollos ingleses cravos de pi-
pa arcos de ferro de huma polegada a huma
e um (piarlo papel almaco penas e tin-
ta d'escrever.
Alexandre Bodrigues dos Anjos.
de 0,250 a 0,300. -
Assucar Pode-se reputar o preco corren te
da semana finda a 550 por arroba
sobre o ferro havendo poneos
compradores a este preco.
Couros Sao procurados a 130 res por
libra. --
Carne de charque Entraran tres carrega-
mentes com 21.000 <>, elevando o
deposito a 42,000 @, que deve fa-
zer diminuir o prego.
Bacalho O Depozito anda por (5,500 bar-
ricas e tem-se retalhado de 6,000
a 7000. -
Farinha de trigo Entraran cerca de 5.000
barricas e urna porco de Trigo
para a Fabrica de Vapor.
sidencia. Dos Guarde a Vossas mercs Pa-
lacio do Governo de Pernambuco dez de De-
zembro de 1841. Darn da Boa-vista. Se-
nhores Presidente e Venadores da Cmara
Municipal d'esla cidade.
PREFEITRA.
Parte do dia 11 do corren te.
Illm. e Exm. Snr. Partecipo a V. Ex.
que das partes hoje recebidas consta somen-
teque fora preso pelo administrador do en-
genho Borralho do coronel Francisco Jacin-
to Pereira por crime de furto de escravo Jos
Peireira da (]osla o qual vou remetter a ca-
deia disposico do Juiso criminal, a fim de
proceder nos termos da Lci.
Na appellacao civel desta ciJade appcllan-
r rancisco Antonio das Chagas e appellada
COLLECTORIA DO MUNICIPIO DE 0LI3DA.
0 collector da decima e mais impostes de
Olinda, manda lembrar a todos os seoscol-
lectados, que o presente mez he o marcado
na Iei. para a cobranga passiva a boca do
cofre, do primeiro simestre do corrente auno
financiro de 1841 a 1842, e que (indo este
praso se proceder executivamente contra os
omissos ; c para nao alegarem ignorancia faz
publico pelo presente eporeditaes, e fixa-
do nos lugaras mais pblicos do municipio.
Collectoa de Olinda 1 de dezembro de
1841.
O escrivo
Joo Gonsalves Bodrigues Franca.
PRACA DO COMMERCIO 11 DE DEZEMBRO.
Bevista Commereial.
Pl'BLICACES A' PEDIDO.
Illm. e Exm. Snr.Tendo-me dirigido o
amanuence da meza do consulado desta cida-
de Domingos da"s Neves Teixeira Bastos ,
a incluza carta com um mappa do rendimcnlo
dos direitos do assucar e algodo d'essa pro-
vincia arrecadados no anno financiro lin-
do e da quanlidade dos volumes exportados
para fora do imperio tenho a honra deoffe-
rece-lo V. Ex. nao s por seu mister,
como por ser digno do archivo da secretaria
do governo.
S V. Ex. dignar-se de aeceitar benigna-
mente o dito mappa me ser lohonrozo V.
Ex. nao ter sido indifferente ao obsequio ,
que se me fez qnantolizongeira alembran-
Ca do apreco que de V. Ex. mereco a me-
moria de um empregado, que faz honra
reparlico que pertence. Assim deixode
sepultar eommigo esse penhor de estima ,
para que lenha os elogios de V. Ex. e d'a-
quelles, que o virem ; c pelo meio que me
possivcl inmortalizo a gratido que tri-
buto ao seu digno autor.
Dos Guarde a V. Ex. Pernambuco 10 de
Agosto de 1841. Illm. e Exm. Se-
nr. Manoel Felizardo de Souza c Mello ,
Presidente da Provincia das Alagoas.0 a-
gente Francisco Bizerra de Vasconcellos.
Tiveo praser di receber e ver o mappa de
exportaco e rendimento dos gneros des-
ta provincia verificados pela sua agencia cm
Pernambuco e que fora organizado pelo a-
manuense do consulado dessa cidade Domin-
gos das Neves Teixeira Bastos. A nitidez e
o bem acabado deste trabalho o torno esti-
mavel ; e agradecendo a Vmc. a offerta que
d'elle faz a esta presidencia nao posso dei-
xar de fazer ao seu autor os devidos elogios.
Dos Guarde a Vmc. Palacio do Governo
das Alaga 5 de Novembro de 1841.Mano-
el Felizardo de Souza e Mello.Snr. Fran-
cisco Bizerra de Vasconcellos agente dos di-
reitos desta provincia em Pernambuco.
NOTICIAS ESTBANGEIBAS.
Cambio As tranzan-Oes sobre Londres no
decurso da semana foro effectuadas
de 30 a 29 112, e anda ha loma-
dores ao ultimo prego.
Algodo As vendas da semana rcgulara
Constando esla Presidencia por oflicio do
inspector da thosouraa da fazenda de sete
do corrente que Antonio Jos de Magalhes
Bastos levantara urna caza no terreno de ma-
rinha junto ao arco de Santo Antonio cujo
aforainento lhe fora negado por ser neces-
sario ao publico esse terreno ; e que fuera lo-
to o esforco para conclui-la apezar do embar-
go que lhe fora posto por parte da fazenda
publica e devendo presumir-se que esta
obra comecasse sem licenca e cordiaco exi-
gidas pelas posturas municipaes em conse-
quencia do qu foi recommendado por esta
presidencia no officio dirigido essa Cmara
em dala de sete de Dezembro de mil eoito
centose quarenta : cumprc que Vmcs. fa-
Co effectiva peranle o juizo criminal a in-
fraeco de posturas em que tem incordo
o mencionado edificante para que com a de-
mol cao da obra fique iivre a quelle terreno ,
preciso ao aformoseamento desta cidade. E do
resultado darO vossas mercs parle a esla pre-
RETKOSPECTOS POLTICOS.
Prorogou-se o parlamento inglez, lendo
o lord chaneeller o discurso de inserramen-
to. Nesta peca diz que o parlamento se abri-
r novamente em novembro poiem o mais
provavel ser que se nao abra se nao em Fc-
vereiro, a fim de que o ministerio lenha
tempo de rranjar as medidas radicaes que
o estado do paiz reclama principalmente so-
bre o negocios dos cereaes. Os corifeos da
opposi'co, e ex ministros fizero todos os es-
forcos positivos para obrigar sir Roberto
Peel a manifestar quaes ero as suas inten-
Cesaesle respeito, mais o hbil estadista
soube Iludir os planos de seos adversarios po-
lticos.
Havio chegado a Londres noticias muito
importantes da China. O ingleses depois de
lerem alcanzado militas vantagens sobre os
chinas derrotaram nos dias 25 e 27 de Mao
os postos avancados que os ltimos tinham em
frente de Canlo e quando se preparavam
para assaltar a cidade pedio quartel o man-
darn! governador della, no que cjnveio,
depois de aigumas conferencias, ocapitoEl-
liol, a fim de poupar a cidade aos orrores de
um assalto. Os chinas obrigaram-se a pa-
gar logo seis milhes de pesos e a mandar
que a guarni'co trtara que oceupava a
cidade a evacuasse mmedialamenle o que
parece se havia efibetuado a 5 de junho.
Os chinas estavo cada vez mais irritados
contra os ingleses e o sobrinho do im-
perador havia dirigido a seu tio um ralalorio
do occorrido, no qual se manifeslava cada
vez mais a perfidia chineza, poisdiz neste do-
cumento, que s pedir o armisticio e lera
odinheiro para ter tempo de reparar os for-
tes do rio. Em vista disto de esperar que
a guerra lenha longa duraeo.
Tinliam-sc lambem recebido cm Londres
noticias dos Estados Unidos. O tribunal!
que devia julpar a causa de McLeod havia de
reunir-se a 27 do passado, em consequencta
do que natural que o prximo paquete nos
traga a resoluco final deste negocio. Ac-
credilava-se geralmente, que sea absol-
vido.
Pelas mesmas noticias, sabia-se ter-se en-
cerrado o congresso amerinano depois de
haver votado os orcamentos. O presidente
no seu discurso manifesla de novo a sua rc-
provaeo ao projeelo dos bancos fiscaes.
consta a demissso do ministerio, excep-
co do ministro dos negocios estrangeiros
Monseur Webster. As nomeaces dos no-
vos ministros tinho sido muito bem acolhi-
das.
Em Londres bavia-se procedido eleico
do lord Maire aqual recahio em mr. Pi-
ris, a despeito de mr. Wood, outro candi-
dato.
Confirm8o-se diversas nomeaefies diplo-
mticas entre ellas as de lord Straford Can--
rning, para S. Petersburgo, e a de lord Cow-
ley irmomais moco de lord VVellington, pa-
a Pariz.
O jornaes franceses continuam a oceupar-
se com a questo do desrmente. A impren-
sa da oposico em geral, seguindo o exem-
plo do Jornal des Debats dama pela con-
servaco daesquadraedoexercito nomesmo
p, em que actualmente se acham.
0 Temps diz que nao c extraordinario
que se hote aclividade nos estaleiros e arsenaes
de Franca visto que a Gft BreUuIw estay*


au'^k'
*
f.i eudo preparativos1 n ponto gratule para
augmentar a sua ruarinha em sorvigo activo;
equeomquanto a Inglalterra assim obrasse,
de va a Franca lser iguaes exforcos.
Corriao rumores de que Mr. Guisot estova
iudisposlo com u mare vlial Suult, e que h em
campo mudas intrigas para alterar "o minis-
terio.
O editor'do Nacional tinha sido oondem-
nadopor abuso 'de ttberdade de imprensa a
quatro mtzes de priado, e a 5,000francos de
mulla.
A Allemanha van entrando no movimen-
to, quearraata todita Europa'para o regimem
representativo. A confederaco .germnica
conta hoje mais um governo coRsUtucional.
<: o principado de Schwastzburgo onde
se publicou ultimcnirnle nm cdigo poltico
dividido cni 10 captulos em 21 paragra-
phos. Assemblea representativacoMpor-se-
lia de dous meinbros da nobresa, dous depu-
ladosdas noves illas e nldeias. dous das clas-
ses dos sabios dous dos campos, e do com-
mercio. Este principado conta 18 mil ha-
bitantes: d para a confedoracao germnica
um contingente de 481 soldado, eas suas
rendas orcam-se em 400*000 francos,
O Rei de Wurtemberg celebrou o aniver-
sario da sua exaltagao ao throuo com una
amnista ampia e generosa para todos os do-
lidos poli lieos.
O governo de Hespanba tem tomado lo-
dos as medidas proprias das circunstancias
ja ordenando a marcha de tropas e proven;
do a sua manutencio j ordenando a de-
missfto de todos aquelles militares, e ero
pregados civis, que se. tornarem suspeitos por
suas opinioes.
Dizem que o general Serrano foi nomeado
governador de Madrid.
A viuda do infante]). Francisco de Paula
para Hespanba acha-se verificada.
Alguna jornaes hespanhocs fallam da
partida da rainha Christina de Pariz para
Bilbao, no da 4, porem os jornaes fran-
cezes desta data nada disem a este respe i -
to.
O Patriota, jornal ministerial, falla da
descocerla de umitas ramilieacoes da conspi-
rado, sobre o que o governo havia lomado as
mais terminantes medidas.
As cortes portuguesas continuao a occu-
par-se com medida das de tributos. As noticias
do Reino visipho cuidadosamente desfigura-
pelos orgfio retrgrados sao lidas com avi-
dez as follias da oposicSo, e causam a mais
agradavel impressao, A Relago tem dado
o provimento aos aggravos dos jornaes injus-
tamente pronunciados.
( l)o Nacional de Lisboa de 2' Oulubro.)
Em Inglaterra nada tinha oeeorrido de mai-
or transcendencia.
A Rainha Victoria soffreu una leve indis-
posigo que nao deixou de causar cuidados .
em conscquencia do sen estado de gravidez -.
porem achava-se reslabelecida.
Teve logar em Londres o banquete do novo
Lord Mare aos membros da administrago ,
com o custumado esplendor.
Continuavam com afinco as reunios popu-
lares em diversas cidades manufacturas afim
de se adoptarem medidas para as pelices que
devem dirigir-se ao parlamento logo que se
rena sobre as questes vitoes que chamam
a attengopaiz.
Todos os fundos tinhnm baixado tanto
em consequencia da noticia dos successos de
Hespanba cmodas de Canto que pro-
gnosticavam a contiuuacao da guerra : e tam-
bem por causa de varios boatos aterradores ,
que correram acerca das dille-rengas com os
Estados-L nidos e posto que estes ainda se-
nt confirmassem com ludo mandou-se
proceder a armamentos em .Plymouth c Fal-
moulh.
Ha noticias dos Estados-Unidos de 1 de
Outubro. O julgamento de Mac-Leod anda
se tinha effectuado por falta de testimunhas ;
mas aflirmam que teria logar em breve. As
probalidades eram em favor da obsolvigo ;
mas receava-se em Utica algurn movimento
popular contra esse subdito Britannico.
Os Canadienses para usarcm de represalias ,
e sem duvida instigados pela authoridadcs In-
glezas prenderam um Americano distincto
Mr. Grogan para frcarem com os refers no
aso de haver algfi altentado contra Mac-Leod.
Ewta captura illegal e violenta exrilou a a-
trabilisdeMr. Webster,, o Ministro Ameri-
cano dos Negocios Estrangeiros que diri-
giu urna nota mieagadora a Mr. Fox Fin- |
bailador Ingle/ instando pela immediata
soltura de Groaran sem o que infallivel-
mente se appellaria para as armas.
Est pois eminente um rotnpimento entre
a Inglaterra e oa Estados-Unido* > especial-
mente se qualquer dos dous individuos pre- ;
sos soffrer alguina violencia.
O Presidente Tyler ainda nao conseguiu
formar o novo Ministerio. Diversas notabili-
dades aqtarm se tem dirigido engeitam as pas-
tas atlendendo ao desconten lamento dos Ks- i
lados pelo voto sobre o bil relativo aos ban- j
eos.
Em Pariz publicou-se urna nova % inex-|
plicavel deelaracao de Mara -Christina. Kssa;
Senhora nga (pie tivesse feito ao Embaix'ft- j
dor Olosaga as deca rages de que se julgue de i
ncnhum effeilo a sua pretendida ignorancia e
neutralidadc na conspirarlo retrograda. Os
(pieconheccm o Ministro Despalillo! aflirmam
que elle nfio ora capaz de alterara verdade, e
aflirmam que a nova cara da ex-Regente
tao boa como saque anteriormente tem mos-
trado
O Emiaixalor Hcspanhol exigid segundo
consta 1. que Mara Christina fosse expulsa
de Franca2. que os carlistas l'ossem inter-
nados. Mr. Guisot promptilicou-se se-
gunda reclamaCao mas nao acccdc pri-
meira.
Luz Filppe tem estado bastante incommo-
dado e consta que chegou a ser sangrado.
As 'Cmaras FratlCezas devem abrir-se no
dia 28 de Dezembro.
O Principe de Joinville continua a visitar
diversas cidades dos Estados-Unidos.
Sppocm-se que ha um vasta cmbinacfio
secreta das sociedades coinmunistas da Fran-
ca para derrilbar o Re Luiz Flipple custa
de todos os sacrificios.
Quenisset tem continuado a denunciar ina-
mena gente e mitas pessoas presas acarea-
das cortt elle negam com toda a vcrnsimilhan-
ga quacsquer relagocs com o reo e com o sen
attentodo ; no entretanto lodos tem que con-
serva r-se em custodia at jdeciso da Cmara
dos Pares
Mr. de Salvandy devia partir em breve pa-
ra Hespnnha ; mas receava-se mu i lo que sof-
fresse alguma desfeita pela irritacao de Es-
partero centra a duplicidadc do Governo Fran-
cez
O Ministerio Guisot est muito abalado e
recea-se que em breve seja supplautado por
Mole ou por Thiers.
Terminou a crise ministerial na Hollanda
Segundo una ordem expressa do rei Guilher-
me ocamareiro mor baro Huyssen Nao
Kandcndyke tinha consentido em acceitar o
cargo de ministro dos negocios estrangeiros.
Conitud esta cscolha parece provisoria e s
para remediar as dil'iiculdades do momento.
A Gazette de Augsbourg 0 de Outubro af-
firma que nao obstante os boatos em con-
trario nao lia duvida de que as desintclli-
gcncias enlre as cortes de Bcrlim e Roma ,
relativamente aoarcebispo de Colonia se a-
cham terminadas.
O principe e a princeza de Mellernich ti-
nham chegado a Augsburgo no dia A de
Outubro edepoisde visitarem as curiosida-
des da cida.de partiro para Munich.
A Gazctla de Lcipsich referiiido-se a no-
ticia das fronleiras da Polonia diz que o
imperador Nicolao eslava resolvido a aprovei-
tar-se da primeira occasio favoravel para
incorporar o reino da Polonia no imperio rus-
s'iano. Oukase que suppriinc o conselho
de estado polaco parece ser urna prova nao
equivoca desta rcsoluco
No Oriente a poltica parece ter sorega-
do esperando urna nava complicarlo de a-
contecimntos. nicamente se sabe que
os inglczes longe de lercm evacuado como
se tinha dito fortMicam cada vez mais. Sao
Joo de Acre onde os scus engenheiros tem
eniprehendido grandes trabalhos ; e alcmdis-
so urna diviso ingleza se estaciono!! na baha
deDjouni. Por outro lado toda a Syria est
inundada de fazendas ibglezas e parece que
a Inglaterra quermonopolisar todo o commer-
cio |da Syria.
As noticias que recebemos de Hespftnhh so
mais do que nunca terminantes e satisfactori-
as. Ac bou a rebelio das provincias Vas-
congadas.
Por participarlo official do Governo Alosott,
datada de Vitoria se confirmava a noticia de
ter entrado naquella praca uo dia 19, con-
duzido jior 8 mil homens de cavalaria D.
Manoel Montes d'Oca que tinha sido preso
em Rergara podendo escapar-so Ciorroga o
marquez de Alameda e Egana que iam na sua
compatihia.
Os mil homens que os Irouxefam preso e-
ram os meamos que lhe serviam de escolta ,
e receberam 10. douros por o prenderem.
O general Alcal participa ter-se appresen-
lado o regimenfo de Rorbon, e o provincial de
Burgos, nicas forras do exercito que os re-
voltosos tinham em Rilbo.
Segundo noticias de Tud'dla, O'Donnell ti-,
nha-se apreseutada diante daquella praga com
iOO homens e dois esquadroes edepoisde.
disparar alguns tiros contra o forle de Puig ,
se relirou dirigindo-sc a Puente la Reina ;
onde dizero ter sido batido passapdo-se to-
das as stias tropas para as lileiras leaes e
andando elle errante-buscando meios de sal-
va r-se.
O general Chacn tinha entrado em Pam-
plona.
Os brigaderos Quiroga Frite e Requera ,
Ibram condemnados a seis anuos de priso ,
e perda de honras posto e condecora-
eoes.
Segundo htfin suplemento GacCta.de Ma-
drid as tropas do duque da Victoria j se ti-
nham apossado de Bilbao assim como de al-
gumas personagens revoltosas.
Os generaes Cbfveria Urbstondo Lar-
disabal, Lrrocha o Conde de Monterrou ,
coutros individuos > como tamhem algumas
tropas fugiram na direcco de Franca.
Diz^-se que Munagorri tinha sido entregue
pelos se'us e passado pelas armas.
O Regente achava-se em N ictora no dia
21.O infante I). Francisco devia partir de
Sargoca para Logronho para se unir a Es-
parlero.
Em Portugal trataran) as cortes do projec-
lo n. 2 sobre as classes inactivas no qual o
Sr. Avila se moslrou inclinado ao ponto que
d'antes havia rejeilado.
Continuam os trabalbos dos clubs retro-
grados j mas consta que Ibes tem fgido in-
mensa gente depois das noticias de Hespa-
nba.
Em Traz-os-Montas entrartam 210 Chris-
linos fgidos de Toro.
( dem de 2 de Novembro. )
FRANCA.
Os Jornaes de Pariz do dia 0 alldcm ex-
tensamente aos acontecimentos de Hespanba;
afllrmim alguns igualmente que a rcenle
tentativa feila para assassnar os lilhos do Rei
tinha ramifcacoes. O editor principal do
Jornal do Povo M. Dupoty havia sido pre-
so cm virlude de una ordem passada pelo
Chancellar de Franca, Presidente do Tribunal
dos Pares em consequencia segundo se af-
(irmava de novas rCvelaces feils por Qu"-
nisset.
L'ma Carla particular escrita de Pariz no dia
12 refere os seguinles pormenores, relati-
vos ao assassino i
h Quenisset perlence seila poltica incor-
porada na Sociedade secreta denominada Tra-
vailleurs Egalilaires, a realisacao de cujas
doutrinas elTeiluaria o equilibrarein-se os lu-
cros do capitalista e do operario. Nao havia
muito lempo que elle se tinha aliliado aquella
associacAo e por essa occasio foi-llie preciso
recorrer ti aulhoridade municipal a lim de
obter una certidao relativa ao nascimento de
un tilho illegilimo, que elle pertendia legiti-
mar por amal-o extremosamente. O maire
do seu districlo recusou anniiir ao que elle re-
quera o que o irritou sobre-nianeira che-
gando a ponto dedesobafar a sua ndignacao
contra un Governo cujos agenten lhe nega-
vam justica.
Foi entio que os seus prfidos socios se a-
proveitaram do se furor e da sua indignadlo
para o persuadirem a qlie iizesse fogo sobre os
Principes assegurando-lhe que logo que elle
desse o signal comecariam elles logo um com-
bate regular auxiliado por 500 jomaleiros
decididos, os quaes arreme(;ando-se so-
bre os soldados caneados coniinandados pelo
Duque de Aiimale 5 o desarmando-os fcil-
mente, passariam a verificar urna revolucao.
K facto que n occasio de atirar o oiivi-
ram gritar chamando pelos seus verdadeiros
ou suppostos cantaradas, para que o viessem
ajurlar porem vendo que elles o haviam
abandonado e fgido rpidamente deixan-
do-o s dizem que a sua exasperaco nao
teve lmites. D'ahi nascem s suas conlissos
e ampias revelarles cerca dos manejos cm-
pregados para o alliciarem e o seu desejo
ancioso d^ Contribuir da sua parte para que
os seus cmplices recebessem o condigno
castigo.
Entretanto aquellas revelrtccs tem pro-
duzido aSSUstadoras descoberlas quanlo ao
progresso feilo pelos operarios e artfices na
sua organisaQo contra o Estado e na reali-
dade contra a propria ordem social ; e tm-
belo quanlo ao damnoso iiiluxo da inipren-
sa nos nimos daquclles homens ignorantes e
desvairados. R facto que ao passo que pela
influencia da diviso das hcranc,as, as classes
agriculas tem subido em Franca de propie-
tarios, os artfices e operarios tem-se ido de-
primindo gradualmente e isto depois de li-
ma revoliu;ao que baria fortemenle excitado
as suas esperanzas. Aqu nao ha aristocracia
nem proprietarios oppolenlos para conlraba-
Ian^ar e con ter aquelles eleilos desastrosos
nacondgao intelectual e material de grandes
massas da comniunidade. Dahi procede a
grande impoliHco de haver um paiz consti-
tuido como a Franga abandonado a agricultu-
ra empregandiKse os capilaes em industria
e fabricas reunindo e agglomerando massas
de operarios de urna ndole mu inllamavel,
e cuja sorle lano mais precaria wr isso pie
0 fabricante francez nial poder competir vaii-
tajosamente com os capitalistas ingleses ,
belgas ou mesmo suissos em mercados es-
trangeiros
PAIZES BAIXOS.
Discurso do Sua Magestade Fl-Rei dos Paizcs
Baixos na abertura das Cmaras, no
da 18 de Oulubro.
Nobres e poderosos Senhores : = A Ser-
sao pretrita dos Fslados-Geraes que foi no-
tavel pela multiplicidade c importancia dos
seus trabalhos, est apenas terminada, quan-
; dochega o momento designado pela Le fun-
damental para que a Legislatura torne a de-
sempenhar suas im|Krtantes funeges.
Aliento o que se effectuou durante a Ses-
! sao precedente assim como o zeta e desvelo
consciencioso com que vigiasteis sobre os inte-
reses do paz tenho grande eonlianga em
que a prsenle Assemblea (|ue tenho a satis-
faeo de abrir produzirft da masma sorte
(rucios vanlajosos aos Puizes-B.iixos.
Da inhiba parle, se eu carecesse de novos
' motivos |iara me dedicar inteiramente feli-
1 cidade do Estado cujo governo me conliou a
Providencia en os achara mili poderosos na
plausivel recdrdacfto que meu corayo conser-
va da minha visita a varias Provincias do Rei-
no. Com a mais viva copimoco chamo lem-
' branca as mostras de apego e alfeigo cordial
' que recebi por toda n jiarte. Saberei corres-
ponder a esses sentimentos que to alta-
; mente a precio. Os meus amados subditos
podem contar comigo como eu com elles
i cont ; e o dia mais formoso da minha vida se-
1 r aquelle em que eu vir a sua feiicidade esta-
belecidaem bases slidas e duradouras.
O nascimento de una Princeza filha de
meu prezado Irmao o Principe Frederico dos
Paizofi laixos i'oi motivo do jubilo para toda
a minha familia.
Folgo de poder danos a seguranca de que
as retacees existentes entre os Paizes-Raixos e
as Potencias cstrangeiras continuam no mes-
mo p de ainizade e benevolencia reciproca.
Tecm-se levado a effeilo os Iractados de
I commercio e navegago com a Franga e a Re-
; publica de Texas.
Anda nao ha podido o Governo com por
' definitivamente a questo financial com a Rel-
gica. Elle conhece importancia poltica c
! financial de concluir um arranjo acerca desle
intrincado negocio. Tudoesl preparado e
1 temos mais motivos do que tinhamos at ago-
! ra para aos lsonjearmos de que cedo apanga-
remos a realisagao do objeclo que nos pro-
I pomos.
Tenho tomado medidas para que o Go-
verrtodoGram-Ducado de Luxemburgo na
parle cm que elle eslava ainda connexo a di-
vercos respetos com o dos Paizes-Baixos liquo
convenientemente separado delle.
O estado das fabricas. agricultura e
commercio, considerado no seu conjuncto ,
pode repular-se satisfactorio se bem que al-
guns ramos de manufacturas bajan) soffrido
| pelas vicissitudes a que esto expostos nalu-
ralmente.
u A prosperidade das inslituiges relativas
inslruccoo publica assim como as medidas
I tendentes a promover as artes o sciencias ,
sao objeclo da constante solicitude do Go-
verno .
<( As parlicipagoes recebidas das nossas pos-
sesscs ultramarinas sao favoraveis. S a
prosperidade das colonias da India tem sido
; intorpecida por causas de urna natureza pecu-
. liar. Cogito seriamente nos meios que pos-
sam empregar-se para remediar eflicazmento
esse estado de cousas.
k A Iranquillidade inlcrrompida momen-
tneamente cm Sumatra acha-se felizmente
reslabelecida graca/ ao comportamento do
! commandante militar coadjuvado pelas for-
i gas navaes c militares debaixo das suas
ordena.
objeclo constante do meu desvelo unta
boa organisagao da armada.
O Exercito sempre animado de ptimo
espirito, tem recebido durante o decurso
do anuo urna organisagao bascada no quo
se exige para un bom systema de defensa e
conforme com a Le fundamental. Esta or-
ganisac&o hade dar consideravel allivio aos
j povos no que diz reapeito ao st#u servigo na mi-


licia Nacional.
Acha-se nomeada urna comniisso espe-
cial para, rever as Leis relativas milicia e s
Guardas Nacionaes. E possivel que os pro-
joctos de Lei resultado dos seus trabadlos ,
vos sejam apresenlados durante a presente
Sesso.
Outra commisso lia de examinar o Co-
dito Militar a fim de o barmonisar com os
principios liberaos que predominam nos ou-
tros ramos da nossa Legislaco especialmen-
te com o primeiro Livro do Cdigo Penal,
leudo ao inesmo tempo etn vista o que exige o
iiilercsse do Estado e do Exeivilo.
<( Espero que o segundo e terceiro Livro
do Cdigo Penal vos seja presentado no de-
curso desla Sesso ; recebereis igualmente
projectos de Lei relativos a jurisdipoes oppos-
tas as oflicios de Tabelliaes transcribo
das bypothecas para nevos registos.
Na con formulado do artigo 6." da Lei fun-
damental ser-vos-hao a|)resentados os pro-
jectos de Lei a isso relativos.
(c No coineeo da precedente Sessfto vos Ib i
apresenlado o estado da I'azenda tal como se
esperava que elle se acbasse no I." de Janeiro
desle anuo.
Os relatnos finnciaes, que brevemente
vossero oornmunicados mostraran que o a-
irazado nao subi soiiima total em que ao
principio se oreara.
(( O estado do TbesonrO nao nos lem per-
mttdo fa/.er uso at aqui, dassommas que
foram votadas para Cobrir esse alrazado. E ,
todava provavel que seja necessario lau-
car nio de una parle desses meios durante
anuoseguinle.
Pela adopgo do Orcamenlo para 1812 o
1843 com excepeo da verba dos negocios
Jos Antonio da Silva Vianna
Joao Macbado Fernand.-s Lima
Jos Goncalves Casco
A. J. P. de S
Joao Albino da Silva c Souza
Fortunato (lardoso de Gouv\}a
Manoel Antonio de Jezu;:.
Antonio Teixeira Lopes
John Me. Na ir.
Ricardo Cbrisostomo Rodrigues
Jos PerCira da Cunha
Jos Xavier Vianna
Antonio Percira Barros
Miguel Jos Rodrigues.
francisco Gomes de Olivera
Jos Francisco Ribeiro deSousa.
V. J. de Brito
Joa(]uim Domiiigues de Suza
1C
10,
10.,
m
m
10.,
10.,
10.,
10.,
lo.,
10.
10.,
10.,
10.,
10,
Kb
10,
10,
A VIZOS DIVERSOS
Ven-
da
cstrangeiros lica afiiancado o andamento re-
gular dos negocios pblicos eo Governo pr-
vido de meios para preparar e introduzir futu-
ros melboramentos.
Uffi Orcamenlo emendado para a Repar-
tido dos negocios cstrangeiros vai ser-vos pro-
posto. Ao mesmo tempo o cmprego da re-
eeila excedente das nossus Colonias licar de-
terminado por um modo legal eesporo con-
fiadamente conseguir por esse meio o equili-
brar a recei la com adespeza, sena augmen-
taros tributos nem u divida publica.
Vossas Altas Potencias recebero um novo
projeclo de Lei relativo s pensoes dos Oflicia-
es civis. Na redac^o del le tem-se tido em
vista as ohservaces olerecidas pela segunda
Cmara dos Estados-Geraes relativamente ao
j>rojeclo original.
As pensos e outros pagamentos luclu-
antes actualmente existentes bao de ser re-
vistos do nove. Para o futuro serfio esses pa-
gamentos datados separadamente nos Orca-
mcnlosdas Repartinos a que pertoncem ," o
dos (paos IbrmaraO consequentemente urna
sub-diviso.
Eslo assumpto de grave importancia lia
de ser submetlido s vossas deliberacoes du-
rante a Sesso presente. As qliosliV's que
dolas possam suseilar-se sorao solvidas satis-
factoriamente se foram examinadas e dis-
cutidas pelos diversos ramos da Legislatura
com aquella conianca reciproca, que eoti-
dicO indispcnsavel da barmonia que pela Lei
fundamenta] so presereve.
Da minba parle farci tildo o que possa
contribuir para incremento e consolidaran
dessa tonaiioa. 0 desejo do meu Coracao ,
pie o meu reinado soja mais que ludo carac-
terisaddpela franqheza dos actos do Governo,
epola suida manutenco das Leis.
Caminhando desta sorto com passo firme
na vereda que Ibe marfa a Constithicfio ha
de o meu Governo ir provando cada vez mais
que s da verdado procura elle derivar a sua
forya.
Oxal que o Todo Poderoso vigi com
desvelo paternal sobre os Paizcs-Maixos e a-
benooe os nossos esforcos reunidos plini a
ventura deste paiz.
(Diario do Governo de Lisboa.)
vtLjf- Vendo-so Polinha do Almanak para
o anuo de 1812: na praca da Independencia
loja do livros N. 57 o.18.
na praca da Independencia n.57 o 38.
I r Sabio t> luz a -Ordtm N. 0.
de-se na mesma loja assima.
= Aluga-se o terceiro andar da caza
ra Nova I). 10 ; a tratar na mesma.
= Preciza-se fallar ao Sur. Izidro li'lm-
preo Hattrudes a negocio de seo interosse ;
na ra da Paia junto a serrara do Cardial.
= Quem quier comprar dote escravos ,
um bom capateiro queja levo loje aborta e
otitro com principio do cosinbeiro, moco e
bem robusto ; dirija-so a ra da Moeda do
Reoife n. 208, a fallar com Gonzalo Joze
da Silva.
tat Aluga-se urna caza din mudos commo-
dos ; na ra da Florentina sobrado novo o pe
da mr.
=a Acha-se na ra do Collegio i. 8. ilnia
caita viuda de Lisboa para OS lillios do l-Yail-
cisco Branco, e Bertholdo Brando.
=s Qualquer Snra. costurera, que-tiver
urna tortilla de fazenda do linbd lino borda-
da nova do bom goslo eque a queira
kvender; dirija-so aoprncipip do atterrodos
Atlbgados em caza de Silvestre Joaquint do
Nasoimenlo.
s=: Quera precizar d um rapaz Pdrtugiiez ,
do idade de 18anuos, paracazeirde tuja de
fazenda para escripia ou mesmo para ven-
da doquetem bastante pratica; annuncie,
ou dirija-so a ra do Rozaro estroit, D. 23.
= Quem quizer dar 1:200,00,0 a juros, rom
aCguranca em urna propriodado ad p desta
praca escravos, ou boas firmas pa-
gando-se os juros em lijlos do alvcnaria logo
adianlado, os juros correspondentes a um
n. 33, existe um deposito de chocolate, a- -^ara isso est ulhori/ado ; e a mesma' padei-
ondese acba um grande sorlmento de todas ra contina a fabricar pao, e toda aquali-
03 qualidades como amargo para o pcilo dado de torradas de milito boa farnha o
(chamado na etiropa do Santo) superfina, dopzil de call m'oido, de 8 libras para
uzuoal amargo de musgo pastllha do mes- cima.
mo e pastilbas finas tanto a libras cmo Manoel Ignacio da Silva Teixeira.
cm pomVs. / Formulario, ou Guia medica do Brazil,
0 chocolate de musgo he procurado por lo-, que conten a descrprad de todos os medica-
da aeuropa, e polos primeiros mdicos da! montos, suas propriedades, os casos em que
corlo o do Imperio do Brazil ( onde seo auc- Se em prega') suas doses segundo as idades ,
tor o tem inlroduzido por mais de 20 anuos ) sexos, .Ve. ; as substancias incompatives
tem a virtuda de dar tom ao estomago tira com ellos ; a hldicco las plantas medicies
o fastio conserva as gengivas e o bom li- indgenas e dHs aguas mineraes do Rrazil ; a
lo mala as lombrigs a experiencia mus- | arle de formular ; a cscolba das melhores"
trouoseo bom effejto as crinneas, e ras I formulas e das mais frequentcmente empre-
pessoasde.maipr idade; tnibem boapplicado gadsj um memorial tbcrapeuticod'u ihdica-
os tsicos, n'esta corte', eba Babia, tom U?ao dos meios usados no tratamchto das mo-
lido a aprovaclo das pessdas que d'clle tem bwlias cdnbcbidas ha Europa, e propinas s
Coito uzo e para que nao baja lalcilic'acao ao Brazil ; dos soecoros (jue se devem dar aos'
leva a rubrica de seo autor Ignacio Goncalvel asphyxiados, afogados, envenenados, aspes-
de (.astro : as pessoas que nao qizerom to- seos q'se acflo no estado fle morte aparente
mar cm b-bida este excelente (hocolate e &c>; '""i ndicelptabelico (rticez- portugue/.
acharao feit em pastilbas, para mastigar! das Substancias medicnes simples &c. Um
cm jejum o nos. "Hierva I los da comida. Jim- voluine em 18 de B00 paginas pelo Doutor
lo ao mesmo chocolate vai huma receita qiie I Chernoviz membro da Academia btiperal
explica a maneira como so de ve lomar con- 'de Medicina drt Rio de Janeiro correspon-
form as idades-. Neste praga ra da Cadeia denle da Sociedade Ajtadica-Cirurgicd de Monl-
" pellicr, anligo Chole interno dos hospilacs
,s Oein quizer comprar urna porcao de de Franca honrado com medalhs &C. Ven-
taboado que servio de baileus e urnas pipis de-se em casa de Bdlli & ChAvannes, ra do
deaguada, pertencentc ao brigucLeAo, di- Trapixe novo, D. 13, e pelo proco de 6#
rija-sea ruado vigario, I). 12. I cada iii cxeinplar.
C7" Qem quizer comprar m (ardamente i r Qubm quizer comprar bisas de sup-
pra oficial d G. N. e m rologio de pare- ror qualidade', as mibfes a 320 rs. e s
de muito bom regulador ; ludo |i.r. melado menores a 100 rs. ; dirija-se i nadera da
deseu valor, dirija-se a ra dii Estancia ca- Can boa drt Carino ; e sendo eiii grande poi-
ca o so dar mais em coilla.
i_y Aluga-se urna preta n.lo se exige q*
LOTERA da matriz da
BOA-VISTA.
IIojc andao as rodas da Lotera
da Matriz da Boa-vista : o restan-
te dos Bilhetes vender-se-hao te as
dez oras do da nos lugares do
custume.
Conlinuacao da subscribo a favor dos ha-
bitantes da vdla da lraia da Vk-toria, na
liba Ierceira.
Antonio Gonsalvea Ferroira
JoaquimSikerio de Souza
I0j
f().
anuo 5 aiinuncie para ser procurado.
= Preciza-s fallar ao Sur. Anloliio de
Freitas Rarrozas a negocid dhnuute sua
morada.
= Ahiga-se o segundo e terceiro andar',
armazem da caza da ra da Moodd com vis-
to para o mar, e muito proprio para qul
quer estabelecmento ; quem os pretender ,
dirija-so a ruado Vigdri D. 12 quo flcia-
r com quem tratar.
>= Madamd Millchaii modista Frandeza ,
tem a honra de participar oo respeilavel Pu-
blico querecebeoum cmplelo sortimentn
de nizendas domolhor gosto e ultima moda:
na ra Nova il. 20 : a saber bieos de blon-
das de linho; seda, pretos, e b'rancos do tri-
das as larguras vestidos bordados para Sra.,
e meninos coloirinbos bmcos, e avente-
es ludo de soda chapeos para Snras., guar-
nicoes para* os mesnios do bieos e lilas", Ion-
ios de cambraia bordados fcdssas de linho
transparentes bordadas, bonetes oulurbaiilos
para Snra. c meninos guarnecidos de ores,
e plumas de todas ds cores t niuito linas ,
lencos paragravate mantel de'seda surtidas
litas de voludo tl de seda de todas as qua-
lidades e outros muitos bjec'tos que n
vo mareados por seos nonios por ser com
grande exlem;ao as quaes'seri patentes os
dignos amadores que se dignaren] honrara
caza da dita modista ; a qul promete ven'der
por um proco qi/e nao desagradar aos com-
pradores.
as Acha-se riesla Cidaffe doui Mestres P'-
drCiros que sabem estocar sallas com toda
a perfeic, e tambem envertem frentes
com suas seir.alhas ricas e na mesma fren-
te abre-se ,s ornatos ; quem do seoprestimo
se qoizer uldizar dirij-se ao befo da Lin-
guete I). 2.
Vende-se urna de Molocolomliu : nos Allbgados tem como-
dos para pouca familia, tem cacimba : quem
a pertonder dirija-se a ra de S. Miguel na
loja do sobrado )Ue fica junio a Igreja.
i.^- No Rio de Janeiro, ria rU ,j0 \\0/AlH,
za nova junto a Igreja.
tsf* Q.n quizer comprar lima prta do nacfio ,
amdanioca, cozinha lava, engoma, faz lenha babel idades, dando-so o sustento,
doce e he qililaildeira e bili assini urna pgando-si lOjOOO rs. hienas e roupa la-
vada na Cidade deOlinda : a pesso que a.
tvbr aUnlice por oslo Diario para ser pro-
curado.
/ Pre'cisa-sc compr.r o tratado de mo-
lestia d'olbos : ipiom a liver annUneie para
ser procurado.
S29" Quem quiser comprar urna completa
rnobili d'angico e mais trastos do caza; di-
rija-so a ra da Gua indo pelo porto da*
canoas, 1. sobrado lado das portas 2. andar.
*-T Quem qUiser comprar una meza re-
donda de Jacaranda de meio do sala e no-
va : dirija-so a osla Typgraphia que se di-
r qiiem a vende.'
W Quem livor para vender historia da
Grebla em pdriguez e a Comedia o Filbo
Natural annuncie.
Z-J- Precisa-se comprar a obra .Inqusc,S>
no Reino de Portugal que estoja em bom u-
zo : quem livor annuncie.
i Doseja-se saber iiuenj nesta praca:
corresponden le do Sr. Jiid Lomos Wander-
IpJ S-, do engen'ho Rom Fiin para se \l\n
fallar.
S*jE Dezeja-so l'aliar ou saber onde exi.s-
tc nesta prac.ii um pequeo, Brazileiro, vin-
thoalha de lavarinto : dirija-se rua dos Mar-
tvros, D. (>.
ksg" A vista do qbe disprte a Onfnacao do
L. 4. Tit. 9 1., desde j protesta oabaixo
assignadb, contra quem por dreito Ihe do-
ver pagar todas as pordas e dainos, por
caliza de se Ihe nao eumprir o arroudamenlo
quo por lempo certo Ihe tez do sen sitio do
jArrail, Joanna Joaquina dd Nascimento,
, \iuva do finado Manoel do Carino da Cimba ;
| porque este contracto de qualidade que pas-
' sa para os herdeiros e por isso que 6 aliai-
xo assgii.ldd ,1 vista Jo tjiie disprte d Orden-
cao do L. 1. Tit. 88 2(J, fez eni dito sitio
Homfoilorias, na certeza de" Se Me eumprir
aquello lempo; porque a Lei do Imperio per-
miti odispor cada um do que sen como
quiser, e bem Ihe parecer; porem salva o
prejuizode 3. e ueste caso tom lugar aquel-
le protesto que o dliaixo assignado faz em
lempo.
Domingos Alvos Bdrboz*.
l^T Hoje 15 dd corren te pelas \ horas d
tarde e pola 2. Vara do Civcl, se hade ar-
rematar cid praca pblica a oscrava Mara ,
rebollo perlonconto ads ben inventariados,
do (inado Andr Goncalves do Cabo.
VEt Vende-se no sitio da Capunga do
Doutor Pereira pos de jasmineiro muito
bous para muda^-se ; capim a 210 r. a
arroba:
S3J- VeMdc--.Se Seb'olas M 480 rs: dcorito,
ilo do Ceara lilho do finado Manoel Outra da
Suiza d Provincia assima dita, o (pial veio
para esta praca em coinpanhia do Negocian-
te Dlrrf nfacedo : queira aniuinciar por esta
folhd onde existe para sor procurado, ou pro-
cure o nnuiiciante na* ru do Rozaro larga T
sois vintn as resteas ,de 23 ditas : no ar- ; em casa do Dr. Ranos 2. andar.
mazem do couros ra do Azoite de poixe ,
defronte da Igreja da Madre de Dos.
tST Aluga-se urna dptim'a e grande loja
com urna grande salid e dois quartos, sila
no patio de S. Podro, qilina da ra do FogO :
jar Preciza-se alugar um prelo que en ten-
da de nadera, pagando-so le GiO at 700
rs. : tratar ha niesm nadera da ru Oireita
I). 12. .
t& Aluga-se luna grande caza terrea no
st:
1 ---------", ,"' u" o" k j -iiuga-so una grande caza terrea no
quem a pretender, dirija-se ao sitio do Pom- bairro da Roa-vista na ra Velha ). 2~>
edh Sqdartos um grande quintal, com ar-
vorcdOs ; quem 0 perlondei dirija-se a ra
d'Agpas verdes 0. "><).
".; Ane/ida-se nielado de urna casa sen-
do pessoa capaz o que nao lenha familia : a
tratar atrz de S. Joze .
l'j- Precisa-se de 100 a 200'OOO rs. a ju-
ros do 2 por cenlo ao inez por tempo de 2
ulives ; e da-se por seguranea hypotheca-em
ma* escrva : quem quiser dar annuncie pa-
No da i I do corren te dosapareccu u'hi
n'iolatinho de nomo Joao, nlural de Ma-
coi idade 10 anuos nd tem anda signo!
di| barba rosto nao muito comprido nariz
afilado, ffeico3 grossds e muito vorielhos ,
cor alvd e bom cabello peitd niuilo botatfo
para fo'ra ; cscrav.f do 1). Atina Mara Fran-
cisca de Paula Cavalcanle d'Albuqerifue :
quem 0 pegar queira leval-o ao sitio do Rom-
bal que ser bem gratificado de sou tr-
balhb.
17" Oabaixo assignado faz scenle aos sous
Credores, que lho apresentem as suas conlas
para seren pagas al dia 18 do Corren te im-
i-a ser procurado.
^r Quem quiser comprar um terreno no
Cuino volio, com 52 palmos de frente a
200'de fundo, eOm' fronte para duas ras T
por comniodo proco ; dirija-se a Can boa do
prelonvelni.'ito pola so relira para (ora da Cirmo O. 5.
r o- 5-^-0 Sr. M'nool Buarque do Macodo, ou
,,.,, /02e ",,le,!0 Come: alguem por elle dirija-se a ra do Crespo Toja
t S* ;, a I" '^'lu ao P"^ te bixaa muito boas a ven-
t^ aba.xo rfss.gnado partecip* aos Srs. da por preco eommodo ebecadas a oouco d
que devem a nadera Tuina s porta no pa- Aun burgo CntgtUaS d poUC a
onio^'l!:"'!7' ,f' pn"u,'m ";u,i'A Ai-: = v,:,,d,-s, a ^ toM D- >I!0 V"*> <]*
tm I.? S ^ % 1 'eft' U~ *V**** U'"' larg'urfe til -ara se levantar
IW h n ^TI d f*16 S lha U C*rente e k, *tve J* oitoes de so-
co i ,; i <: ''" !Uer V,da |MMl''"- bra*s ? . dd. p.,.l,..na ; sonodeTeceber oabaixo cimento, ou na ., ,fada iua da roda D. 8p*-
aasignado. ni Joao Auloii.u Miguis, quei ia o ajuste. ^


A
cy Qualquer Sr. de engcnho que precisar
de uin hbil e perito offlcialde fciveiro Uiri-
in-se a na do Rangcl ). 5.
%j- Arrcnda-s'* pele lempo de fcsta urna
rasa a margen do rio capibaribc rom 5
guarios, cozinha fora ecopia, lambem se
aluga por anuo; a tratar cora Joaquim Car-
neir Machado Rios en S. Jos do Man-
guinho.
lOT Aluga-se mctadc de urna casa em boa
rna e muito fresca que mora nella um
liomcm solteiro sem familia ; quem a pre-
tender sendo urna senhora de idade sem fa-
milia pode dirigir-sc a ra do Rangcl venda
I. 18 lado do nascenle.
t*y* Qualquer pai de familia que qneira
ima pessoa para licionar em casas particula-
; s de primeiras letras e latim mostrando
muito zelo e actividade c por prego rasoavel
annuncic.
j" Arrenda-se para se passar a festa urna
rusa sita no Mondego com commodo para
grande familia tcm duas salas com aleova
eovidracada 4 quartos fugo inglez cor-
redor lavado, quintal murado', com boa ca-
rimba d'agoa de beber a tratar na praca da
boa vista botica D. lo.
V3" Quem precisar de um rapaz de idade
de ib" anuos, para caixeiro de escripluraco .
loja de fazendas ou para ra dirija-se a ra
dos Pires l). lo.
\y Precisa-sc de um oleiro de roda que
saiba desempenhar o seu oflicio : a tratar com
Aiguel Carneiro da Cunha nos Coelhos.
\3- A pessoa que quer comprar a comedia
o Filho Natural dirija-se ao pateo do
Carmo sobrado D. 9 no 2." andar.
HP Os Srs. Manoel da Silva Santos e Jo-
an Baptisla de Barros Machado, queiro an-
Tiunciar a sua morada para se lhe entregar
ninas cartas vindas do Porto.
l^r Nodia3 de Janeiro abre-se um cur-
so de Theologia moral e dogmtica tam-
bem de historia sagrada e eclesistica : os
pretendentes dirijo-se a ra de llortas D. 36
para darem os seusnomes matricula e sa-
lieren! o lugar e horadas aulas.
S?- Quem precisar de um caixeiro pana
qualquer oceupago principalmente para ven-
da do que tem pratica dirija-se a ra de S.
Amaro em fora de portas n. 53.
x~9" O Snr. Jos Joaquim ('ornes Palmeira
Ienha a bondadede ir receber urna carta no
armazem da Joo Carroll A Filho na praca do
commercio.
tsr 0 Sr. que mora no manguinho no si-
tio que foi do Sr. Francisco Manoel da Silva
Tavares que a dias um preto lhe dessneami-
f.ti um par de meios botins dirija-se a ra
do Colegio D. 6 lado do nascente para lhe se-
- rem entregue.
K^- Aluga-se urna casa de um andar com
um grande soto com janelas para a ra, com
'ommodos para grande familia no bairro da
iioa vista na ra formosa ; quem a pretender
dirija-se ao atterro da boa vista D. 16.
tsr Quem precisar de um portuguez para
f-'itor de sitio dirija-se as 5 poutas sobrado
I. 51.
r3" O Sr. Francisco de Mello Barrcto J-
nior, queira dirija-se o venda de Joaquim
Jos Rabello no beco da lingoeta n. 26 para
rtJcer duas cartas vindas do Aracaty.
\zr Quem ti ver urna casa fora desta praca
para se passar a festa annuncie:
ty Aluga-se urna casa nova com exceden-
tes commodos e com um pequeo sitio en-
tre o chora menino e estancia : a tratar no
sitio da capelinha do mondego.
*. ,- Arrenda-se um grande armazem, que
admitte grandes padarias ou outros quaes-
quer ostabelecimentos e tem porto de em-
barque : trata-se na ra da Gloria sobrado
0. 30.
Cf Dosapareceo do lugar de S. Amaro, do
quintal da casa da estrada de Luiz do Reg
unto ni sitio do Sr. Veigas para o amanhe-
t: dodia 10do frrente, um cavallo russo
rtitHfao ipiasi cor de chumbo com este ferro
es- Os Srs. Thomaz Ferreira Soares, Joa-
quim Jos Pacheco Francisco da Silva Jaco-
bino Jos Victorino de Vaseoncellos Bal-
thazar Jos Dantas queiro annunciar as
snas moradas.
AVISOS MARTIMOS
Para o Porto segu viagem com inuita bre-
vidadeo bemeonhecido Bergantn Portuguez
Flor de Beiris, Capito Jos Thomaz de Lima;
quemquisercarregarouir de passagem para
oque tem excedentes commodos, dirija-se
ao Capito ou a Manoel Francisco Pontes.
Para Maraniiao' sabe com toda a brevida-
de o Patacho Brasileiro S. Joo, Capito e
pratico Felippe Rodrigues dos Santos Moura ,
por ter parte de sua carga prompta ; quem
quiser carregar ou ir de passagem dirija-se a
F. M. Rodrigues & Irmos na na do Trapi-
che n. 12.
Para Maraniiao' em poneos dias o bem co-
nhecido Brigue Escuna Laura, Capito Fran-
cisco Bernardo de Malos ; quem quiser carre-
gar ou ir de passagem dirija-se a F. M. Bodri-
gues & Irmos na ra do trapiche n. 12.
Para o Bio de Janeiro segu com toda bre-
vdade o Pataxo Nacional Josephna Capito
Francisco Jos Ribeiro ; quem quiser carregar
ou ir de passagem dirija-so a Gaudino Agos-
tinho de Barros atraz do Corpo Santo D. 67.
moleqiresdeidad*de loa 2o annos, pago-
se bem 5 na praca da Boa vista sobrado D. 3.
tsr garrotes capaz de trabalharem sen-
do lilhos do pasto ou ja refeitos com tanto
que estejo carnudos c nao se exige que se-
jo mancos : atraz dos Martirios casa de 3
rotulas verdes.
jy Para fora da provincia um preto afri-
cano moco, de bonita tigura que saiba
cozinhar com porfeicJio tanto o diario de urna
casa nomo massas ; a bordo do Patacho Beija
Flor defrontc do caes do colegio, a fallar com
Antonio Franco de Oliveira Castro.
tir Escravos para fora da provincia, de
idade de lo a 20 annos : na ra do colegio
para ra do Caldoreiro: a tratar na ra d
Livramento D. 2o no 1. andar lado da ra
pireita on ra do colegio D. 5 lado do nas-
ceute.
tar Urna casa principiada e se acha na al-
tura de respaldo colocada no bairro da boa
vista por prego commodo tam somente se
recebe metade a vista e o restante a presta-
Ces com o melhor commodo do comprador ,
que a vista se dir : a tratar na ra nova loja
de trastes D. 54.
ESCRAVOS FGIDOS.
D. 5.
VENDAS.
L E I L O E N S .
= m -- sobre a perna direila he cavalho
'iomcie liom andador ; quem delle soubcrou
uaeh&r partecipe ao dito sitio, oua Anto-
io .!-.:(.ornes do Correio que ser recom-
pensa lo.
SS'* O !. Secretario da Sociedade Nova
Pastoril avisa a todos os Srs. socios que bo-
je baver sessab extraordinaria pelas 7 horas
'' tardo na casa das represenlacoes no fim
da ra de S. Amaro, e espera que todos com-
piregoa estareunio tendo na lembranga
arteripaeo que ja llies fez da deliberago
i '.nada pela commialo administradora e
-i:u ovada pela Sociedade.
tf" O Sr. 'a Silverio da Rocha, queira
dirigir-seao Coelho ."isa de Anaeleto .lose de
M^ndonca para receber urna carta vinda do
fio de Janeiro.
ja
cr 0 annunciado para a venda de grande
porcode mobilia nova e uzada louca v-
dros c dtc. no da 7 ficou transferido em con-
sequciicia da posse do Ex.0 Sr. Presidente da
Provincia, c ter lugar Quinta feira 16 do
corren te as 10 horas da manh no segundo
andar da casa defronte da do fallecido Snr,
Thomaz Lins na ra neva.
c^- Que faz Manoel Joaquim Pedro da
Costa por conta dos Srs Antonio Teixeira Gui-
mares ,'e Ferreira & Machado de urna por-
co de toucinho ; Terca feira 15 do corrente ,
no armazem do Rraguez na Conceicao.
C7- Que fazem Jones Patn & Companhia
por intervencodo Corretor Oliveira, e por
conta de quem pretencer de cerca de 400
sacas de caf em bom estado desembarcadas
de bordo do Brigue Inglez Margareis arriba-
do pela segunda vez a este porto na sua re-
cente viagem do Rio de Janareiro com destino
ao de Veneza : adverte-se que sero vendidas
em um ou mais lotes vontade dos compra-
dores Segunda feira 15 do corrente s 10
horas da manh no armazem defronte do
trapiche novo.
ts" Os mesmos Jones Patn & Companhia
faro leilo do cobre velho do forro do Bri--
gue Margarets o qual pode ser examinado a
seu bordo ou pela amostra na occasio da
venda que ter lugar no escriptorio dos
mesmos na ra do trapiche novo Segunda
feira 15 do corrente ao meio dia em ponto.
r^" Que faz o Corretor Oliveira, Terca
feira 14 do corrente as 10. horas da manh ,
no 1." andar da casa de sua residencia de
muitas fazendas Inglezes, Francezas, e Suis-
sas as quaes se vendero para fexar con tas,
e por isso sem limites c consistem as mes-
mas em veludos proprios para a quaresma ,
lilas de muitas qualidados luvas de pelica ,
grvalas de setim cruzes e coracoes de ouro,
globos e estrelas de dito para guarda nacional,
brincos de varias qualidades chilas largas
c eslreitas chitas cambraias bordadas ,
gangas azues, riscados para calcas, duraques,
franklin vestidos brancos e de cores borda-
dos e estampados chales bordados brancos ,
chaly e etc.
e*' Que fazem Kalkmann c\ Bosemnund,
por intervenco do Corretor Oliveira Quarta
feira lo do do corrente as 10 horas da manh,
no seu armazem da ra da Cruz das seguin-
tes fazendas e miudezas, a saber : fitas de
seda lavradas com Iislras douradas dita de
setim e de retroz pennas para escrever, mel-
ase luvas de algodo, bicos mui finos, sus-
pensorios de burracha ordinarios e finos col-
xetes marroquins de cores, bezerros fran-
cezes botes de osso polidos brincos e ro-
zetas envernisadas espoletas, thesouras ,
flores artificiaes c outras muitas miudezas
francezas e hamburguezaschegadas nos lti-
mos navios
ssr Leilo que fazem Gaskcll Johnson &
Companhia, Terca feira 14 do corrente, as
10 horas da manh no caes da alfandega de
500 gigos de btalas chegadosltimamente de
Liverpool.
COMPRAS
*2y Para o Bio de Janeiro, escravos officia-
ps de carpina pedreiros, ferreiros, e per-
feitos cnzinbeirae, e pretas ou pardas reco-
Hiidaj boas costurciras e engommdeiras, e
s^r ptimas bichas e charutos de todas
as qualidades : na ra do Cabug loja do Snr.
Bandeira. .
%ST lim sitio no logar do Barbalho perto
do rio capibaribe, com 160 ps de larangeiras
algumas limeiras e limoeiros doces e outras
aores de fructo, casa de vivenda com duas
salas 4 quartos, cozinha fora e quarto pa-
ra escravos : a tratar no mesmo com Antonio
Pedro Bodrigues Guimares ou annuncie
sua morada.
sesr lo vacas com crias por preco muito
commodo as quaes exstem nos arrombados
no sitio do Sr. Antonio Teixeira Lopes; 54
meios de sola e 150 couros miudos tudo por
preco commodo : a tratar na ra da cruz D.
47 com Manoel Figueira da Silva.
3tiF" Panno de linho aberto para toalhase
lences, lencos de seda para gravatas toa-
lhas de linho meias curtas de dito chapeos
da sol de seda, rozetas de ouro para senhora,
tudo do Porto por preco barato : na ra do
Fagundes sobrado de um andar D. 4.
C7" Um sof duas bancas, urna dita re-
donda de meio de sala tudo de angico e mui
bem feito e urna cama de Jacaranda: na ra
estreita do Bozario D. 29 loja de marcineiro.
tzr Urna escrava creoula de idade de 18
annos perfeita costureira engomma liso e
faz todo o mais servico de urna casa : na so-
ledade passando a trempe na primeira casa
do lado esquerdo que tem porta ao lado.
C^" Bichas pretas as grandes a 200 rs. e
as meies a 100 rs. : na praca da boa vista
botica D. 10.
ssr Bom lajedo de Lisboa em porcOes
maiores por preco commodo : trata-se no es-
criptorio de Francisco Severiano Rabello.
tF Urna porco de barricas para assucar :
na ra da moeda n. 151.
tzr Um toldo proprio para qualquer bote
com todos os seus pertences: na venda da
quina da ra dos tanueiros n. 12.
tsr Presuntos para fiambre queijos lon-
drinos conservas mostarda frutas para
pastis passas miudas, batatas inglezas che-
gadas ltimamente : na praca do Commercio
no armazem de Joo Carroll & Filho.
cj- Urna boa casa terrea com quintal plan-
tado de orlalice e cacimba, no principio da
estrada dos afllictos junto ao sitio da Senho-
ra D. Lauriana : a tratar na ra da cadeia nu-
mero n. 12.
Z3" Um escravo carpina o qual se dar a
contento, um bonito escravo moco perfeito
alfaiate ecozinheiro menos de massas urna
preta moca cozinha e lava de sabo e varre-
la urna dita cozinheira e engommadeira ,
um moleque peca de idade de 14 annos com
principio de cozinha, e urna molatinha e urna
negrinha de idade de 11 a 12 annos : na ra
do Fogo sobrado ao p do Rozario D. 2o.
C7" Farelos por preco muito em conta :
em casa de A. Hosch na ra da cadeia velha
D. 17 1.' andar.
t^F" Um negro de idade de 50 annos que
trabalha em todo o servico de campo e bom
oleiro : na ra do Livramento D. 6.
K3~ Um escravo de nayo de idade de 26
annos para todo o servico : na ra da cadeia
doRecife n.8._
tu~ Urna commoda de Jacaranda
moderna : na ra estreita do Rozrio
tsr Urna negra boa cozinheira ,
forno refina assucar costureira ,
faz doces c he lavadeira ; urna diia
Cao cozinha o diario de urna c6a ,
maliso, lava roupa c he quilandcira :
ra de agoas verdes D. 12, de manh al
feita a
I). 25
assa de
marca ,
de na-
engom-
S27- Fugio do abaixo assignado no dia 5 do
corrente um seu escravo creoulo de nome An-
dr estatura regular corpo secco buco de
barba representa ter 2o annos de idade o
nariz um tanto chato olhos vivos, ps sec-
eos com algumas marcas de bchigas ; levou
vestido calcas de casimira de cor camisa de
chila azul, e chapeo de palha ; roga-se a
quem souber de partecipar ao abaixo assigna-
do que ser recompensado ; adverte-se mais
que o dito escravo veio da povoaco do Bebe-
dor da Comarca de Garanhuns para onde se
julga ter fgido.
Jos Joaquim da Costa.
cs^ No dia 9 do corrente desapareceo vin-
do do trabalho ao meio dia um escravo de
nome porem condecido pelo nome de Padre
Monteiro representa ter de idade 3o annos r
de altura ordinaria magro sem dentes na
frente da parte de cima por se terem quebra-
dos de urna queda e pela parte debaixo falta
alguns e falla muito mal, levou camisa e
caigas de algodo trancado, sendo a camisa de
mangas curtas quem o pegar, leve a seu
Sr. Antonio da Silva Gu>:mo morador na ra
no Queimado.
ssy* Desapareceo um preto de nome Anto-
nio da costa alto, magro, coxo de urna
perna tem os olhos um tanto vermelhos ,
levou camisa e calcas de brim : quem o pegar
leve a casa de Manoel Alves Guerra na ra do
-Vigario que gratificar.
s^* Fugio a 5 dias do armazem de assucar
da rUa do Vigario u. 7 um preto de nome Ma-
noel de naco cabund alto, e feio de ros-
to levou calcas de brim ja suja e camisa de
baeta encarnada cos una embebedar-se, e an-
dar pelas 5 pon tas ou pelo atterro da boa vis-
ta ; qem o pegar leve ao dito armazem que
ser gratificado.
tj" Manoel de naco congo de idade 20
annos estatura regular preto bonita fi-
gura gordo, rosto redondo olhos abuga-
lhados ps pequeos, e no direito o dedo
grande redondo procedido de um penadico ,
desapareceo no dia 2 de passado e levou ves-
tido camisa de algodo trancado calcas de
estopa das Rhas e bonet inglez. Joage de
naco angola de idade de 22 annos, baixo ,
rosto redondo, olhos grandes, com urna
marca bordada em cada um dos bracos levou
camisa de algodo trancado e calcas de estopa
arremendada e suja. Luiz de naco camun--
dongo de idade de 20 annos alto seco ,
cor preta olhos alguma couza vesgos levou
camisa de algodo transado calcas de es-
topa arremendada e suja e bonet inglez ,
desaparecero ambos na noute do dia 26 de
Novembro p. p. ; quem os pegar leve a casa
da quina defronte do trapiche novo que ser
gratificado.
MOVMENT DO PORTO.
NAVIOS SAHIDOS NO DIA 10.
Rrigue Inglez Rosnlye
na
as
9Doras e a larde das duas em diante.
s^" Um terreno com 60 palmos de frente
e 260 de fundo atterrado e prompto com
caes de pedra e cal serrara, e casa para
caixeiro e guardar ferramenla; a tratar na
ra da praia serrara de Joo Antonio Baptis-
ta Muniz.
C^- Por 4:000f000 a morada de casa sita
na ra de Hortas de um andar e soto com
meias agoas no quintal tendo estas sahidas
Parahiba ; Rrigue Inglez Rosnlye Cap. J.
Alsop carga a mesma que trouxe.
ENTRADAS NO DIA 10.
Philadelphia ; 52 das, Escuna Americana
General Warrcn de 128 tonel. Cap. Char-
les Ogle equip. 7, carga farinha de trigo:
a A. Schrannri.
S. Catharina ; 27 dias Patacho Brasileiro
D. Anna de 102 tonel. Cap. Caetano Jos
de Araujo equip. 8, carga farinha de
mandioca : a G. A. de Barros.
Rio de Janeiro 5 19 dias Patacho BrasiFero
Bella Amisade de 164 tonel.. Cap. F. J.
da Silva equip. H, carga carne seca : a
G. A. de Barros.
Di lo ; 7 dias, Vapor de Guerra Inglez Ar-
dent, Commandantc Russcll segu para
Caye.
SAHIDOS NO MESMO DIA
Cear : Rrigue Rrasileiro Confianca Cap.
Verissimo Marques carga a mesma que
trouxe.
RECIFE NA TYP. DE M. F. DE F. 18l.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EC8QJUXJH_0LHZH2 INGEST_TIME 2013-04-13T01:44:42Z PACKAGE AA00011611_04372
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES