Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04351


This item is only available as the following downloads:


Full Text
fAWNO DE 184!.'Tl3tt$A Fbira
L k
Tudo aora depende dtjjismeimoi; da nossa .prudencia) modcrt
[!\ eaargpa : eantitmerao!sonto principiamos, < itrtral ap onUdcl
' at.i admira;! cutre as Naeesmais cuitas;
froelamaco da luembiea Gtral do Braiill
aai
I
Sobacrcvc- se para sta folha a 5fooo por auartel pagos adiantados
cesta Typografia ruadasCruxea D.3, i ni Frica da lndepertden-
cia, n. 37 e 38, onde recebea correspondencias legalisadas c an-
nuneios, insirirido-ae estes gratii; laudo det proprios assigoantei, a
indo asignados.
PARTIDAS DOS.CRREIOS TERRESTaESi
Cidade da Parahiba a Villas da ina prcteaeo ...'. ."
Dita do Rio Grandt ** "- r4-.

ba Villas da ina prcteneo 4\
ida do Nortt, a Villas dem. ($(;
1 a Villas dem ..............(
la .'.'
.. Sallas! feliaSl
Dita da Fortaleza t "
Cidade da Goiaana ............-------
Cidade da Oliada....... ..........i i, i Todos os dtaS|
VUU daS. Antio ..i.................... Quintas tairas.'
Dita deGaratihtuu c Povoaeo do Bonito ... ..... io, a 14 da cada m
DitasdoCabo, Serinhaem, Rio Formoxo, e Porto Calvo.'1, dito dito
Cid.de das Alagoas a da Maeei............dem "
Villa de Paiaa de Flores.......;;.,.........-idea ti, dito dito
Todos os Crrelos pariem ao meio dia.
PB4SSS DA LDA NO HEZ DE NOV.
Quart. ming. a 5 al 1 b. 5* m. da tard.
Loa Nova a i3 as 3 b. e 6ia.daman.
Quart. rese, a ii 1 as 3 b. e 48 m. da man.
La Ck>-I aa8-as h. a 15 m. da tard.
liar thtia para o dia 16 de Novembro.
As 6 horas a 54 minutos da tarde.
As 7 boras e 18 minutos da manh.
16 de NovmvifrRQ. Nom. *2oQ
CAMBIOS. Njvembiw i5.
Londres. W.'. >9 Jfr d. por i|ooocea.
Lisboa ...... 80 a 83 por ojo premio por metal offerecid^
Franca......3ao razs por franeo. Corop. Venda.
IO- Moadaa6#4oo re>s, vainas t4J5oo lfel7oo
DiUs ., n ? *W Uftioo
' Dhai de kgooo reie, f '00 8#.->oo
PRATA Pataees BrasUeiroa 3 iffoo s#6*>
Pato Columnarios--------- 1 foto i|6io
Ditos Mexicanos -.....i#ooo /*
SSiua.--------------------#<* I*7"
Dise. debb. da Alfandega 1 1(8 por loo ao mex. 1 o|o
dem de letras de boas firmas 1 >|> a 1 ii
Hoeda da cobre 3 por too de dis
DAS DA SEMAS Ai
15 Segunda S. (artrudes V. Audieucia do Juiz da Direito afila
vara.
16 Terca S. Valerio M. Relaco e and. do Juiz de Direito da ti
vare.
17 Qaarta S. Alfeo e ZachioMm. Aud. do Juiz'da D. da 3. vare*
18 Quinta S. OJom Ab, Audiencia do Jaix de Direito da JM
vara-
19 SexU S. I bel rainha F.- Andieneia do Juix de D. da 1. T
20 Sabbado Octavio M. Relalac. e audiencia do Juix de D. da 3J
vara.
31 Domingo Aprcsentaco de N. S.
\
?
'
P *E R A "M B 'U G O.
GOVRNO DA FROVIISCIA.
Expediente do dia 11 db crtente.
Oficio- Ao inspector da thesouraria da fa
renda determinenco-lhe, que mande pa-
gsr ao ci asignatario do brigue Leo, que
cendusio do MaranLo para esta cidade 14o
tecrutas o que se lbe dever a viata do con-
tracto de fretaaento, qne por copia se lbe
remelle
Dito Ao pro corado fisral interino da
ihesoursria da fBsenda, enviendo-lbe um of-
ficio do inspector do s-rsenel de morinha a-
corxpsDbadodeoulro do respectivo almoxa-
rife rm que representa que o proprieta-
iio do brigue -DelGro- rerusa pagar a quan-
tia de 40U000 re proveniente do uluguer
de um ferro con cerrente que por seis di-
osebteveem socone dodilo biique edeu-
ma lencha que o dito ferro condusio, a fim
de que faca proieder a airecadavo da men-
cicneda quantia na forma da lei.
Dito Ao inspector do arsenal de marinba,
ordenando-Ihe que mande receber do mes-
tie do b tigue Lto que conduxio recrulas
do aranbao os gtueros que subraro, e
mais utensis que recebera naquella provin-
Dio- Ao inspector geni das obras pu-
blicas ordenando-lbe, avista da iufurma-
rando qua os reparca do primeiro lanco da
estreda co Sul se acb conformes e por
islu no cuo de ser recibida a obra/, que
cande temar conta della na forma does-
bito Ao adninistredor fiscal das tiras
publicis oidtni;ndo-lbe quemando pagar
o arrematante da obra deque trata o pre-
cedente cfncio o que se Ibes esliver a de-
ver ..
Dito Ao engenbeiro L. L. Wautbter ,
rcinctdendo-lbe, que r.o pede ter lugar, a
txttduxo de oidcns eo engenheiro A, Kers-
tirg, coao solicita a fim de o acompanhar
do exame que tem de facer da quinta parlo
da estrada de Santo Anto podendo em
tal caso exigir do mencienodo engenheiro os
esclareci:eulos que julgar necesearios ao re-
ferido exame.
jjito Ao commandante geral do corpo
de polica, oidenando-lbe mande desligar
do dito corpo, e entregar ao lente coronel
ebefedo primeiro b*lalbie da guarda nacio-
nal do Recife o corneta Francisco de Paula
Eiserra^ visto nao baver elle completado an-
da o lempo, porque se engajou no mencio-
nado batalbo como repieieotoo o referido
lenle coronel.
Dito Ao tenente coronel ebefe do primei-
ro balalbo da guarda nacional do Recife,
communicandcrlbe oeonleudo no precedeote
otficio. -
Dito Ao lenle coronel ebefe do baia-
Ihoda goarda nacional de iBuarasau'* or-
deuando-lbe, que faca organisar ouira Com-
panbia de cavalleiia naquelle municipio, pa-
ra com a txisteote formar-se um es^uadro,
litando na intelligencia de que para o corn-
il sudar lem a presidencia nomeado ao capi-
to Jos Frsucisco de Parias Salles.
ito A cmara municipal do Recife, pa-
ra remetler com urgencia secretaria a in-
ioimaco jue^be ivi w*>d sobre o re^ueri-
mento do prefeito do Hospicio de N. S. da
Penha.
Portara Ao cirurgio encairegado da
vaccina para enviar a secretaria aigumas
laminas de pux a fim de serena enviadas ao
cirurgio da vacuna no municipio de Santo
Anto.
Portara Mandando passar patente de l-
ente coronel chele do segundo batalbo da
guarda nacional de Olinda ao capto re-
formado de piimeira linba Anlono Lins
Caldas' #
OfficioAo chele interino da legiao da
guarda nacional de Olinda, communcando-
Ihe a Domeaco supra.
Portara- Ordenando, avista das repre-
sentaies do tenente coronel ebefe do bata-
lbo da guarda nacional de Iguarassu*, que
com o do batalhio e o esquadro de caval
lariamKndadoorgHnisar,se forme urna legiao
naquelle municipio*
Dita Mandando passar as seguinles pa-
tentes de coronel chele da legio da guar-
da iiartonal de Iguarassu' ao lenle coronel
Jcaquim Cavalcante de Alboqaerqoo de
tenente coronel befe do batalbo da
mesma villa ao tenente coronel Francisco de
ilollanda Cavslceote de Albaquerque ; de
a,aior da relerida legiio ao capito do segun-
do batalbo do Reiife Jcse Egidio Ferreira,
de maiorttimmandaute do esquadru da re-
lerida \ illa ao capito Jos Francisco de
Ferias Salles. .
Ohcio-Ao tenente coronel chele do ba-
talbo da guarda nacional de Iguarassu' com-
nuni< ando-lbe o conteudo as duas prece-
dtntts portaras.
Igual communica9o foi dirigida acama-
ra municipal de Iguarassu'.
dem do dia ii,
Cfficio Ao inspector do arsenal de ma-
rinha, nviando-lhe copia de utu tlBiio do
ctficial commandante dos rterutas vindos da
trovincia do Maranbo no brigue Leo -
a tim de que lendo scncia do que no mismo
se cor.lem po&*a i-tihur diri^ir-se na en-
tiega qne tcm de lbe ser feU pelo mestre
do dito brigue.
Dito Ao mesroo enviando-lbe a relaco
dos geuero3 e mais objetos embarcados no bri-
gue Leo- que tiouxe os recrutas do Ma-
isnbo a oa de lhe servir dedireceo.
Dito Ao lenle coronel F. de H. Caval-
cante de Albaquerque significando-lbe que
lendo-o a presidencia nomeado para chele,
do batalbo da guarda nacional de Ignaras-
tu' compr que remella secretaria a sua
p atente para e lhe por a competente apos-
ula, e peder entrar logo em exercicio como
coovem. ,
Portara-Ao engenheiro Augusto riera
ting, ordcnando-lhe organe e remeta a
secretaria o orcamonto da despesa que se
poder faser paratobrirde ureia i3tw pal-
mos de extencio na estrada de que be ar-
rematante Jos ClaOdino Leile.
dem do dia i3.
Cuido Ao Exm. presidente da provincia
das Algoasiespondendo ao seo oficio emque
requesita a soltura e vota do recruta Joo
Ferreira da Molla, por se ter mostrado izen-
to do recrulamenlo j que quando foi recebi -
do o seo olBcio ja o mencionado recruta ba-
via teguido para a corte no brigue constan-
te que sabio to dia ti do torrente.
Dito Ao inspector da thesonria da fasen-
da. eu*i*nas|a w^io dos gneros^ di-
pendidos a b rdo do cter -Esperance de Be-
berbe com a sustentsca de il recrutas
e % pracas de tropo de linba que tr. uxe do
Rio Grande Norte, lia importancia de....
3iU338reis a fim deque mande indem-
nisar esta quantia ao arsenal de marinba.
Dito Ao inspector do arsenal de marinba,
communicundo-lhe o conteudo no preceden-
te officio.
Dito Ao inspeclor da tbesourana da U-
senda, ordenando-lhe. que mande pagar ao
tbesoureiro da irmandande da Conceico dos
Militares a quantia de igUaoo res impor-
tancia das sepolturas dadas a tres recrutas
que fallecero no deposito conforme reque-
sita o commandante das armas.
Dito Ao commandante das armas, com-
municando-lbe a espedievo da ordem su-
pra.
Dito Ao inspector da thesouraria das
rendas provinciaes, enviando-lbe a nota da 6-
liaco de um corneta para a quarta compa-
nbia do quaito balalVio deste municipio, a
fim de que lhe mande abrir o eompelenle sa-
sentiitienic de pr^ca, para ser psgo dos seus
vencimentos.
Dito Ao commandante superior da guar-
da nacional do Recife, communicaudo-lhe
o conteudo no precedente orficio.
Dito Ao cl.ele interino da legio da G. W.
de Olinda, ordcnando-lfie que mande reunir
o tegundo batalbo da mesma legio as qua-
tro horas da tarde do dia 17 do corrente pa-
ra o rtccnbecimento do tenente coronel che-
fe do mencionado batalbo ficando na inte-
ligencia de que ao prefeito da comarca tem si-
do expedidas as convenientes ordens.
Dito-Ao prefeito da comarca para diri-
ir-te os quatro boras datarte do da i7 do
corrente, a Osa Forte, e faser reconhecer
0 tenente coronel ebefe do segundo batalho
da gualda nacional do municipio de Oliuda.
Dito A cmara municipal do Recile, cr-
dtnar.do quo remella rom urgencia .o inspec-
peelor gtral das obras publicas a copia da
planta do bairro do Kecife, por ser ella mul-
lo precisa eo rresmo inspeclor, e baver decor-
rido sufheiente lempo para ser tirada ac
pia de que neressitava a mtema cmara.
Dito Ao inspector geral das obres publi-
blicas scientificando-o d- eapedicco da or-
dem supra. __________
COMMANDO DAS armas.
Expediente do dia 5 do corrente*
Officio Ao tenenle coronel commandan-
te do deposito, remetttendo-lhe os papis de
ccntabelidade do destacamento da comarca
do Cabo pertencentes ao mei de outubro
findo, cuja importancia deveria entregar ao
cabo de esquadra Jos Vicente Ferreira.^
Dto-Ao prefeito da comarca do Cabo ,
com municando-lbe o exposto no preedente
officio com o que ficava respondido o sea de
4 do correte.
Dito Ao prefeito da comarca do Recite,
enviando-lbe os escravos Lourenco, Felis e
Vicente, presos |>elocommandante do lorie
do Buraco por estarem us em pleno da
tirando areia, com olTensa da morslidade pu-
blica, e inracco do postura da camera mu-
nicipal, a fim de que bouvesse de dar aos
mesmos escravos, o dessino que conteniente
fosse< n
Dito Ao commandante do foiledo Hura-
co. coBauuutnc;lJe oepos\o no peco.
dente offieio, com o que ficava respondido
seo de boje datado.
Dito Ao commandante do forte de Gaba'
disendo-lhc, que ao almojarife ha va entre-
gue, depois de rubricados, os papis de con-
tabelidsde, que acompanbaro o seo officio
de 4 do corrente, aSm de serem cenvenien-
rrente cobrados*
Dito Ao commandante interino da torta-
lesa de llarnarai respondendo ao seo of-
ficio do primeiro deste mez e scientificando-
0 que os papis de contabelidade recebo-
ro a rubrira e foro entregues ao porta-
dor, para serem cobrados.
dem do dia 6.
Officio A o Exm. presidente cornean ni-
cando-lhe, q' em cumprimento as suaa dettfr-
miuaces, havia resta data feito passar para
bordo do brigue Constante as a54 pracas des-
tinadas a capital do imperio cujas guias lbe
remeta eom o repactivo mappa.
Dito Ao Exm. cote mandante das armas
da corte, enviando-lhe a guia do soldado
Mauricio Pereira do quinte balalka de ca-
e-adores, que nestaoccasio segua no Brigee
constan tan te*
Dito Ao tenente coronel commandante
do deposito remettend j-lhe os papis de
contabelidade do destacamento da comarca do-
Pao do Alho rel-tivos (ao mez findo, cuja
importancia devia entregar so primeiro sar-
gento Francisco Victorino de Araujo.
Dito Ao prefeito da comarca do Pao do
Alho com municando-lbe o expesto no prece-
dente cilicio com o que kava respondido o
seo do 1. do corrente.
Dito Ao lente coronel commandan-
te do deposito, remetiendo*lbe os papis de
contabeUdude do destacamento da comarca do
L'rejo pertenceoles ao mez de cutubro ulti-
mo cuja importancia deviria entregar ao
portador Jos Joaquim da Costa.
Dilo-Ao prefeito da comarca do Brejo, co-
municando-lhe o txpoto no precJente officio,
co o que ficava respondido o seo do l. des-
to mez.
Portara A tenente coronel commandante
do deposito mandando excluir do mesmo ,
por terem embarcado para a corte do Rio de
Janeiro no brigue Constante, a5 \ pracas efec-
tivas e addidas constantes da relaco qu
se lbe enviava agsigaada pelo secjetario mi-
litar, cujas pracas devio ir socorridas de
gotdo at o uliiao do met de outubro eeU-
pe al 5 do audante.
Dita lomeando o conseibo de investiga-
cao que devia conhecer da conducta do sol-
dado b rancisco Marcelino, da companhia da
artfices, em vista da parte oSkial dada pelo
prelefio da comarca.
CORRIO.
O paquete iugiez Linnet recebe as malas
para o Rio de Janeiro e Babia, a manoo( 7)
as nove boras da manb.
ARSENAL DE MARIWHA
D'ordem do lllm. Sor. inspector se faz
constar a venda em basta publica de quarenta
barrica de secco que foro entregues nes-
ta reparlico, pelo pataxo Fraoceliua, que
trausportou tropa do Maranbo^ ao dia 17 do
corrente, por as 11 horas da manila.
Secretaria da inspecc-o do arsenal de ma-
rinba de Pcrnambuco 1a de novembro da
-84s
Ale.adre Rodrigues doi Adj^
Secieaiioj


b A R1 O DE PEU SMBO
*.
a-^i/*
FS<
PREFEITURA.
No d 15 do crreme, no ocrorreo no-
dudealpucna.
CoiLinnncacIo.
Tcnda sido materia para discusiie em al-
guns circules, no s o procedimento da Ca-
irar" Municipal esta Cidade na demissio
de seus pisceos e Procnrtdor, haveudo de-
t c-rrido o spaco de quaze dez reeies depois de
cmressada reas tamben a decisio q>ie sobre
este nfgccio dera o Exm. Presidente da Pro-
vincia, toroceasiio de ser o mesmo negocio
levado so ;eu conbteinente, negando (Ja-
leara o dirtito de dimiltir aquelles 1' more
gados i e poique* lanho appareeido diversas
oainie j uo rxeio d'esses mesmos circuios,
e j mullidos pelo prelo ros ttbfm vamos
apreunl&r enosso, posto que umilde pa-
rtrer, *tH1 K^" uean solicitar paga pelo
trabalho ttB srcente um pouco de indul-
gencia e ateceo a quero este objecto inte-
resar. INi prcouneiamo-nosinteirainente
pela deciiio proferida pelo Exiu. Presidente
por ser a rntsua ur:dda na Lei do i. deOu-
tubro de io"a8, nos piiucipios consagrados
fin e nosio direilo : aa razocs da nosaa con-
viccio sao as seguntes.
Ao foder de ncmear um Eos pregado co
esta-anexa e esiencialmenle unida a facili-
dad* de o deixilr porque aquello podere
tsU fetuldade rcnslituiudo a crtacao d'um
trevilegio n*u podem ser entendido, segundo
o Direito se nao restrictamente : tra coule-
linrJo usicaKente dita Lei do I. de Oulu-
ito s Carxaus Municipaes o direito de Ho-
rnear seus Fisees e Procurador, e nao Ibes
dando o de deroittil-os, 6egue-se que s
intimas Cmaras nao compete essa (aeuldade,
en' outra autboiiddde pertence esse direi-
lo, tslve eoin mais preveto do publico servi-
10. Que sulhoridade ou pessoa que tero o
direito de comear um Enspregedo nao com-
pete o direito de odernillir, prora-te cero a
Coniiiiuiio do Estado e Le-is posteriores ,
onde se ^ que o Irat orador, tendo direito
d nomer Magistrados nao tem todava o
contraventores, e dando-Ibes destino, fa-
sendo-ot rprasentar como EmpregadosPu-
bucos eleilos para excedi dss Pealaras pe-
ante as Justicia Crimnaes &c. Ac,, e ilto
por espaco de c, a 10 mezes depois de eropos-
seda, Um por esse faeto a Careara renun-
ciado espontanea e legalmente o direito de
nomear n/vos Empregados esta renuncia
nao s indus verdadeira perda d'aquelle di-
reito para o renumiante como ebriga aoi
Emprep.uiks assiin reeltitos a iffOH poderem
demittir volunta! ament por motivada ree-
leicao nos lera ti da dita Lei. Alem d'estas
considralo*'! muitas cutas se apresrntio
tro apoto da noMa opinio.
bserjanes, rji.oapis.ir de terem os Pre-
sidentes de 1 r vini* tiieito deospender ,
edenitiir ei En)) regados l'rcvintiaes, co-
uoo Acto Addiccional dispGe-, que as As-
sem blei* P/oiiutiats desarena a maneira,
ekrma ioisup se lade* Uts isla a eL
e neiibuma As.-ec blea Previ acial (etiha (eilo
e.-sa desigi,ac5o nao ptdem os I!esidentei
urar d este tinio temo (ni d viso de st) u'Abril de lo35. Ora la Brcrnoa
aplicacio 'est decisio Cmara M. uieOiOS
n' st Presidente ttndo a acoldsdt: de demi-
tir os Empregailos Proviqciart dada na Lei,
nao o pede la:tr sem q' i oulia Lei indique
b loiaalidadts a t*guir nesse acto muito
menos o pode a Cmara a respeito de siusetu-
'e e mni concideraveis ?enciaieotnv. Or-
dio-irijmenie s djtixa o leu paii, l si aba-
lanca s privaefes e encoaimodos de huna
longa iagem &<-. &. quera ali no encon-
tra lufficientei meio> dj subsi-tH;): i.
Nao eritoino o estrangeiro que assim se
proveita da nosi pequie ; pajj que lempro
o mais esperto sabe lirir vant-ijem dobasbu-
que : oque censuro be-, que nao abramos os
olbci, e nao conliccamos o que oiii nos ean-
vrr. He mistar desengantruo-nos, qua a
mor parta dos Estrangeiros faia da nos hu-
ma ideia rauito mesquinha. } lies nos tem na
conta de bomens naueo cima de selvwg^ns j
conseguintemente s ettido en tracas em
ardiz, eoa artimanhas cora que nos possao
deefroetar* Qual be o ramo de industria,
por mais miado, que s*p> que nao tenba si
do tentado pelo Eitrangeiro pra l,rar ob
Brsiil todo o lucro imaginavel ? Ko con leu-
te de abarroiar-noi de innmeros eacbimba-
chei, de infinitas maravalbas as Dflsa
alt'.-ndegas ate j nos appreseota adesaacho
csixotes cheios de pauaHos de rap*MJ/) *
nao ser maravilha se era breve nos virem
i'e Franca ptee de meninos arapuc4S se-
garregas carapetai pitorras e pongas .
At ladrilho j noi vem muito de (ora i P
estas c outra,he que temos tanta gente
; vadia.e sem modos por o/possa g*.nhar a Tid*.
De ordinario l vem para o lirasil o qua
pregados nao tendo-lhe a Lei rooUl ido o di* |nt Europt nj \tas ^wo. O caso dos poyo*
reito da dtmilil-os, entra manado alerta do|8reano9 j nos de-'ra ler escarmentado
seu proceiiiaento n'tstetaio, [Grandes despecas se fnero coas maehiaas ,
i arete que temos tratado a questio Pe' "cora seryenles com estrangeiros engajados
lado do dirtito positivo, e demonstrado quan- I para e$e firo e qUal f0i por t0da a parte o
o bastante a convencer que acertada tura resuitaj0 ? Toccu-nos por aorte hura inglez
a deeisa do Exm, l'residenle da Provincia
neste negocio: agora diiecos mais al;uma
cousa lobre a moralidaiia da acto era ordem
a faser realsar a joBtica da utsma deiio.
A deaaiisao d'um Ecnpregado seaipre con-
siderada na Sociedade corao cousa odioa *, a
menos que naoseja o Ecnpregado reconaeci-
do publicamente por iucapai, negligente e
iuabil: vejamoi agora se os E Cmara, que damitidos oro c.uvio u'es-
sa classe e se a opi'nio publica o bavii es-
tigmatizado com es^e fnete: nenhum ho-
oiem imprcial ser caiia de o sibrraar; ellas
. __ .. <____f.n___j.__,.i,,.. i .. ,.-/.
de iss pertencendo a fatuldade de ncier Pro-! 0 haverem servido ca aa Ira ns-uclas Cmaras
notoits Pblicos, nao os podem todava de-: a contento d'ellas mas igualmente o nao
axitiir durante os 3 anuos ero que deve du- j te mostrar contra etles a tninor falta no cura.
far o txtviicio deste eroprego : os Jubres piiniento de seus deveres que baja motva-
la inesmo multa,
uras Municipaes.
de Pai, e Vereadoies nao pouem ser demit- jco alguma advertencia, oa
liaos por qm os nomeia Scc. &c. D'stac0mo delermirio as Postura
por
membrudo, e corpulento, como bum Palago:
(oreas tinhaella em verdade como um bur-
ro : mas o que be, que fez ? Esburacou to-
da a Cid-ido de Olinda andju Turando a
trra da Ciiade da Goiana e nio abri bum
s pojo ; e se o ponche e o gr nao o fes-
em aca'.ar d'ci'ouro esfuraciria todo o so-
lo de Ptrnaisbuco sempre com o mesmo re-
sultado, Cra se tal aconteceo com estran ;ei-
ros ecolbidos, e engajados as Cortes da Eu-
ropa por nossos proprios Agentes Diplomti-
cos o que ser a respei'u dos que por c se
nos encaixio como em chusma e pela mor
parta ordenados com reverendas falsas ?
Ees Snrs. ( com bem poucas exnepoes )
era se vendo no Brasil disera l consigo --
Aqui be que he imuor, e desfructar; porque
estamos em tesra de etgos onde quera tem
bum s olho he rei. Nao i hura s que
nio f'osse da Escola Polithcenica e da Nor-
rfgra lio emente Keptuados os eropregos be pois nenhum des Empregados demittidos mai t qu nio tirasse premios, que no ti-
c tommisiao : mai os vilalicroi, e os que
tecc urna dorai^io temporaria certa e de-
urn-inada tm Lei, nio tem quem os r.o-
xxeia o poder de os demittir salvo se este
peder or tutotgeuo tspresmente em a mes-
tas Lei.
Qoe o direito de nortear e demittir Em-
vessesido empregado por Napoleio que nio
fossa na su'arte huma notabilidade europea :
e pira o acreditamos erabasbacados basta ,
sofieo advertencia por taita de observancia da
teus deveres se a nenhum foi imposta mul-
ta per falta ou reincidancia no tea proceder
contra o seu dever como passar logo a Ca- qj, qualquer destes venha cora grandes bar-
reara aoi extreicos de demiitil-os tm causa a9 e ande por hi a eavallo com huma ma-
justieida e camerariaminte i Como atacar |aibi na mo.
de lente a honradez destes Empregados.j Bem couhecido foi por aqui hura tal Mr.
prtgados censtitue as assotiatoes civil um \ tornendo-os quando menos, suspeitosao Bofer i e o que he que fez esse to fallado
pravilegio, a atera inconcussa e ineoutro-.oros do publico sem a prese.* lacio de fados Engeoheiio i Hecebia dinbeiros as mos
tersa e por isso desnecessaria a mais peque- criminosos contra elles a sem preceder sui chfeas # nSo dava C0lM nem satjfavoes a
na demonstraco. Que os previlegios emGm audiencia e covencimer.to ? Os empregoj njDSUem e foi o sempre memaravel fazedor
lio te deven ampliar, mas sim entender-se de que se ir-ta nao sao de coulianca corao d0 (jaes do Colegio, Que cabedal nao con-
sestrictamente quinto ao objecto, de que ira- o do Secretario, da Cmara e por isso ille- sua)i0 es!a 0bra 1 Entre tanta aiuda nao con-
gal tbsurda, e aciutjza foi a demisao dos lt trez annos de existencia e j est quasi
que os oecupavo. JNo loi o bem publico q' tdo arruinado e precisando d'uum gnde
reclaaou tal demisso fcio cauzas prmci- reparo [ qual ho das nossas obras a qua
to, principio da Direito Publico Univer-
sal qua ningne,n boje ignora e por isso
noi julganoa ce?pensados de o comprovar
com testos do m.snto Direite. paes que a honeslidndo por hora faz calar '"a elTeituar-se h mister que nos venbo
Kesles nrmos faeil decoBcluir que nao, mas que seico descjriinaas em lempo e oc- da Europa com extraordinarios Tencimeuto3
leudo a Le conieudo Camera Municipal camo oportuna ; o amprtrro da (Jamara no eS9gs Scubores talvea bautizados em Enge-
d'eitaCidade o direito de demiltirieui Em-| n illegalprocedimento, negands-so a cum- Ehtrs na hora, era que embarco p^a o
pregados, mes somenta o de nomeal-os, pnr a tecuao do Exra. PienJente ares- Oraail ? Incoroparavelmente melhor e mui-
veio a Cunara demitiindo, como demmo | peitod'tsie negocio nao prora de 7ela pe- t0 t008 dispendioso j que este destacado
teus ifcies e l roturador a praticar um erro,; lo bem publico um obstiuaVao iriminoxa, eaes iie 0 irtpiches do 5nr, Wolo Frat-
aextreer um seto de junadie*io que nao e mais ucua prava de que a vindicta rnrlico- ci,co Carneiro: a foi feito c pelos nowos Of-
tir.ba. ^asargumnitcoalgui^queaCima- lar leve toda a parte n-.u bCi-illunic dt-missa. Beia. A ponte da oa-/isla ora bera cons-
,b anda nao tmba i.ito uso do direito de no- Louvoica ajo dados au Eim. l'rrzidanie da lru,U e boa nao foi'fe i la por discpulos
Etar, Sue quena Ltervar por aJgum lem- | i iovukii que com a &ua ^uij aeu mais d Escola Polilbecuica ( nem por Enanihei-
p, a conducta de seus Fmpregados para ento : umapova ue recudi e impsrcialidade ojue ros hidrulicos viudos da Franca ou d'n-
pocer conserval-os lendo tiactos no < um- i acbremai-.tira o taraUoruo uLvez que vol- 8Ulerra. Pern*mbuco lera algun's edicios
pumento de teus deneres, ou demitlil-oi
tndo ommissos e u*gligenlea. Eiie argu-
mento por si mesmo ineficaz e improce-
dente : ro queja tica mostrado que a Ca-
mera no pode aemittir j a, porque tendo a
Lei do i. oeCntubro do ldab dtierciinado ,
qua todoi os Empregadcs ca Canora, ex-
cepto o Secretario, su vio por espaco de qu.i-
tio sones, trgue-:e que nomeando a Cama-
la quauuo ILe parecer squelles E;p)egdos ,
Mi a n tima a derregar a Le na parte da
duTaiio ees ea pregados iaio, Jara com
que um Fiscal, j.or ex quedere servir
or Mitude a Le qualro annos sirva t-
menle um cu dous mezes, o qua absurdo ;
i. poique teno a Lomara acquiescido a q'
t riict e trotuuor contiuuassei a se.--
yit9 ex, cdindo-lue oidnas para cumprir
)ti*itiiao uavuhsa por tllca impostas ac.
lemoi a esta oljielo.
AEiNGEKUARlA ENTRE JO'S.
juiagiiificos, e slidamente construidos, ra-
mo seiia j a l(;reja de S. Pedro do Raiif* ,
I a do Carato, &.:.: e para estas obras secu-
| lares nao foi mister tojajar Estrangeiros: mas
Muito dinheiro nos consom este artigoi, e o Sor* 13cyerdizem que arranjara hora pe-
verdat-'firaaieute sem maior necesdade. Sol- culio e Use foi clitio de bo3s louras dei-
os grotificijOes, e oulias vantagens se es- x^nuooCaes, que paraca feito de papelo e
to dando a ettrengeiiei e nao le para que. rindo-se da nossa lastimla aandica. Nio he
Para as obras puaiica que temos e pode- hyperbole. A reparlicao d'Engenheiros en-
mos coneiuir bem nos podamos ir arreroedi- gajados entra r.03 he eousa mu concideravel,
ando com a iuuya de casa como vulgarrnen- e qua nos absorve immenso dinheiro : e direi
le se diz tara ser mistar que por ca se nos com o Etangdho : ut quid perditio Loa" ?
ncampem aveulureiros espertalbes que que bo de txtraordiuario que bajo feilo
vem dessas Europicas especular sobre a nossa esses Snrs., e que nio podesse ser concluido
lollice. Eunaoousarei negar, que existem pelas nossos Ohciaes dirigidos pelo mui hi-
era Franca por ex. exiaios Engenheiros, bil Snr. Corouel Moraes Ancora? Onde
assim como perfaitittimos Artillas de todo o j estio as grsndes obras efleituadas a tanto
genero ; mas do que mais que muito ddvido iCUStO e dispendio por Fi^eabei.os de fra ?
[ua, que nos yeubo desiea para c se grao- (a Compeiilia de utbuibi t que projeela o
encanamento d'agoa poUvel para o Recife ,*
tove o boro sonso e prud?nna da entender- j
ee a tal respeito r.Sn rom efie tribunal da >.
Eagenheiroi rstranlios ; p-in sim cora os '
mui intalligenles e destros Snrs. Conrado ,/"
e Belegardfl.
Geralmente fallando, que se importa bum \
E.tiangiiro obscuro e desconhecido no seu
pas que no Brasil baja ou uobaj hu-
ma obra publica, hura edificio magnifico. &c.
xt!. ? O que elle quer heeseber-se o mais
que peder ; e a final d entilas ir abalando
com a algibeira bem prvida: impige-nos g*
lo por lobre } e sabe Daos qae risadas no
dar ntaa rusta quando sa vir aadiohei-
rado era crseu psix ? Oque eraapfcnzda
pedreiro p^r c.i iuculeou-se e -passou por
consumido iTcbitado j o tapiteiro c se nos
eucamp-i pjr grande cbimico o barbeiro
vende-ss por bum Uapuvtrin, o ferreiro diz,
que erao primeir^ourires da Laiz Faippo ,
&e. &c
Kioseinfira d'qi que ou desaffcicoa-
do e infenso aos Estrangeiros: nlguns co-
nllevo de muito mrito e virtudes : mas o
qua me nao agrada be a impostura de muitos t
o qu alta e poderosamente reprovo he quo
as noisas rendas s'esbanjem temcompaixo
com cavalleiros d industria cora pelotiquei-
rot qua por c se nosimeampao comenjj-
nos como se diz por bum p e tomban-
do da nossa selvati quera. A Provincia dis-
penda s cora o pessoald'Estrsngejros 54 cori-
tos de res annuaes islo be ; $ com es taes
trabalhadores engaj'idqs que para nada ser-
rea, e so com aieparlivjio d'Engenheiros,
seus agentes &e. : e qaal o fructo, que d'a-
bi tiramos ? Eu o nio tejo. Qual a obra
importante que j firero e que nao po-
des* ser execulada pelos nossos Artistas cor
muito menos dispendio? O Caes do Cole-
gio ahi est para piova dos bons resultadoa
da Euge nharia eslrangeira entre o?.
Alguns patricios nossos sao miseraveis a
respeito de ccusis estrangeiras. Para elles
uso h Francez Ingltz ckct qae nio se-
ja hura grande Arlisia e hura hornera con-
sumado; Era aqui 3il:alo qui q r ba u c| |
com barbas de profeta a dizenio, q' sabio,
q' formado ms AcdeOata di Europa que
era Architecto do Rei de tal que tirou pre-
mios etc. etc. nado mais indago : engo-
lem logo a pirula e tem pelo esperto em-
poator huma veneraco extrema. Louvo-lbes
os bons desejos ; cas nao posso approvar a
sua cega rrsdukidada. H quatro ou sioeo
annos appareceo por aqui bum Francez que
se ineule ava por grande fabricador d'assucar ;
que o sabia fater muito rcelhor segundo os
proeessos d'huma nova cbirnica e com mui-
to menos despeza. llura desses apaixcmdoi
conseguio impinglo eerto Senhor d'Ea-
genbo homem bocaho^, e sofrivelmenta
crdulo. Foi o rreu Mr. Chimico para o
tal En f enho em os dias prximos moagern :
fez desmanchar o assentamento arranjou
hura fogio l a sen geilo ; obrigou o pobre
homem a comprar hum numero consideravel
de saquinbos d'algodio entrancado para coar
o mel ; e o resultado qual loi? O Snr. d'Enr
enho quasi per de n s.^fra e teve d pre-
juir.o quatro tontos e tanto mil res l
Oudo pois di izaremos de ser basbaques ?
Quando acabaremos de irer quegeralinen
le tallando ca Estrangeiros de mereciraento
nio vem c e s viro com vautagens ex-,
traordinarias ? Wo comes nos lio abundan-
tes de din heiro ; que assim o estejamos pro-
digalisjndo s raaos ebeias e sem proeito
conbetido. Anda o qae diipenderaos super-
fluameutecom os nossos em pregados fica en-
tre Dl mas o que sem necessidade gasta-
mos cora esses Estrangeirov l se vai pela bar-
ra iota j porque esses Snrs. s vem arraojar
peculio : era o ajuntando nio ha bum s ,
que se etiabeleea no Brasil. Dos queira ,
qne a nossa Assembia Piovintial atienda a
estas rasas poutia termo a lio escandalosa
cmbagadellai Assim o pensa e atsim o es-
pera
O Pbiiopatna;
Noticias Estrangeiras.
MANIFEST.
Do goverao hespanhol em reipaeta alloca->
ci do Papa.
Continuaco do numero antecedente.
Mas nio bastara para preenher os desejos
da curia romana isla resislt nna singular
inconcebivel- Ajudava-ie entretanto cora
outras sugeslfi e tontalivaa mais diratsara?'-
te hostil. Negou-se ao piincipio a reeonhe-
cer o.cofftaniaiio da eusda naneado por
.



rife
nAfio >b tfftN AJfeneM

M. e no porfendo de i xa r de cear neste
ponto, limitou a concessfo do indulta qua-
dragessimal a un anns quando o custume
ora eoncede-lo por dez.
^ lito inda nao era bastante, o para inu-
tilisar quito iae p ssivel esta graea introdu-
sia-se clandestinamente uto breve de S. San-
tidarde dirigido ao cardeal areabispo de Tole-
to eutborisando os cor.fessores para dispen-
sa, r por ai niesmos o indulto a seus peniten-
te* urna curta relribuieio para pobres. Sup-
prireiu-se por rases gravissiam de estado o
instituto do* jesutas a por parte di Santo
Sede te rtelamou centra esta suprcsso, qua-
HJIcando-se oflkislmente de atentado contra
religiioe a igreja. O padre Santo em pes-
oa fez no consistorio de dois de Fevereiro de
1800 una allocuco ana'ega ao documento
que agcra nos o ce upa e digna preeusora sua
na doutrina e na inteneo. Citou e empra-
scu o tribunal supremo de justica o bispo de
Liso, piimeire agente e conselheiro de D.
Carlos para que coroparecesse na causa, que
tinha all pendente e logo a curia Remana
mlorcou em seu favor n immunidade eccle-
eiasca e declarou de foro como se podesso te*
\o previlegiadoo promovedor principal da re-
ttllio e da guerra civil, E para nao dei-
arduvida na tyrxpalhia daquella corle cora
o intvreise e objecto da frarco este mesmo
bispo sedicioso e sanguinario em quera se
delegara es fatuidades pontfices para attender
as necesidades do paiz orrupado pelas tropas
de l-'om Cailcs roneede dispensas e gracas
( entre ellas a do indulto quadrgsimttl e
por dois anuos ) e salvar as irregularidades
do Rosario da Boa-vista tem determinado,,
que corri impreterivelmente as rodas da
i." parte da i." Lotera no dia 39 do
corrrante : os bilhete3 acho-se a venda nos
seguintes lugares ; no Kecife ra da Cadeia,
loja de Cambio do Snr. Vieira em S. An-
tonio ra do Collegio loja do Sr. Meoezes J-
nior : ra do Cabu; botica do Snr. Joo
Moreira Marques ; e na Boa-vista loja do
Snr. Rapjzj ra do atterro.
THEATRO GRUTESCO.
Dnca de corda volante Quinta feira 18
de iN'ovembro. Mr. Menard ebegado
esta C dade tem a bonra de dar ao respeilavel
Publico o seu Espectculo de corda btmba, e
como Me consta que a mais de uj a unos se
nao \e nesta CiJade un axpeetaculo deste
genero far todo o possivtl por deixar 8*p-
tisfeitos os amadores de sua arte. A Com-
paas Dramtica representar a Peca toa-
plaudida de Antoaio Xtvier denominad* -
O mau Amigo Os bilhetes; e Camarotes
se vendem na loja do Snr. Antjnia Jorge ns
ra de S. Francisco junto a Cadeia
A FORQUILHA.
FOLHA JOCO-SERIA,
VjOm o multo rir doem-nr,s as i'.Iiargas ;
por tanto permiltao-mo as Srs. Fregueses,
que seja alguna, tanto S3 O uej t Forqilha ,
quo pira a QJtra teremos chlete na de goslo ,
casias que recebi as letrss s por que alie,
passados snis meses arrepenlao-se d* trato.
Tal a verdadedo facto e conheca o publi-
co de que lado est a rasan.
Antonia Cavalcinta de Albuquarqoe. '
S3T" A direcaj da companliia Ido Jcara- cata na ra do Mundo Novo U. 3j~f Ut
tinga tenda de faser remessa para Landres pe- ver aoditoSr. Silva que na poj- comprar
na Florintina, casa D. ia;
. **r O abaiso assignada lenta um nnua-J
codoSr. Manoel Joaaiii n da Sra eos qo.0
dis ter tratado com a Sra. D. Barbara IVla-
ria da Conceicio a compra da ametade de urna
quepodeiiam coraetler os eclesisticos, cu ^ 0 fnio geMo dos partidistas nao .avenenar
o que o mciiLO, abuu-lbes ao para que m hum
proseguissem sem frem em suas abominaveis j VenJe.se avilla no5 |ogares pintes pe-
desordena. lo preco de 100 rs. Piara di Independ-n-
Felitmenle todas estas manobras diadas caln>o 3; c 33 ,.o andar desta Ty-
\Uia q em OlinJa pelo dcstribuidor
crcduzir um seisma na igreja de Hespantu
e favoiecer a partitialidade do .ertendente ,
nao tem lido eUeilo algum. Os breves e des-
rjatbca da istia Romana aioda que revestidos
extefiormente de lormas religiosas e ecclesias-
cas to eram oulra cousa que munices de
guerra subministradas per um alliado para
urna cousa commum e tornadas em fumo e
consumida em batalhas que perdiam. As j
armas tiiunfnt da raiuba conquistando e|
pogvaptua,
o Diatio.
Avisos lliversos.
tsr Muito me admrei quando lendo o
Diario de agde Ootuoro p. p. encontrei um
annuncio do Sr. Antonio fiaerra Cavaloanti,
em que dis que eu mal entendidamente
provincib e perdeando vencidos, alargavam eomerToemiD(U poder duas letras por elle
etda dia rrais o teiriterio da legitimidade e da >cotas y vilto qUe eu nunca podere proTar
raso : o braro da Vergara leso deslaser eo- !e prucp0 |ega| de as p..der sacar e cons-
*xo um rsio todo esse vio aparato de espetan- titundo-ie legislador, concede me o prazo de
cas e de illusoes j e es nespsnbes dando ao dia part poder eu demandal-ss em juizo ,
tedes asmaos sob o estandarte victorioso de peBa de nao terera as ditas letras forca dele-
Issbel a. e redor throno constitucional gaef 0 qut irrisorio e at digno de des-
rodiam desafiar o poder e despresar os ardis prei0 poll n0 ,i0 ntes os meios que a
e maquinacss de e implacaveis iaimi- \el tem marcado para taes questes nem
f0S# Irespeitavel publico juiz competente para
Inciirel ser para a posleridsde que entre iae, decisoes j roas para que nao se laca de
estes bajamos de costar anda ao Pai rammum ^ jm uma ideia impropria do meu carcter ,
ros f tis. J nao s tinba cessado todo o mo- eu 0U naTiar em poucas palavras o fado ,
tivo de hostilidsde porem era siquer tioava por que eu oblive 8SSS letras para que o
ptetuto para desvio. J nao havia em toda publico fique certo da le^alidade dellas e
a Hespanha em lTor de Carlos urna arma que o Sr. Antonio Bizerra Cavalcanle mcl
levantada oem urna *oi viva ceno um bo- acenst lhado se abalJbcara a tanto.
Kcm em fim. J por conseguinte nao poda | jos de Olivera Mello morador em Bar-
anpellar se para a cominoda dstine9o de racas termo de Garanl s sendo-me de-
coder de'facto e peder de direite invtnteda vedor da quantia de i;8ooU para seguran?
empela c>lilica Para ,alar su" *nCoQSC" desla divida fes-me by pateca de um sitio de
quencus, trras e ti es escravos ; passados lempos quii
lo resto da importancia da maquina assiaa
como fornercr ao em carregido das obras do
percizo para o complemento das mesmas ro-
go aos aerionlstas que anda deven das ac-
eces que subscrevero queiro ter a bondade
de mndarem pagar a q-iinlia quo se acba-
rera a dftvnr; ao tiiezoureiro da respectiva tan
pinbia W. Soutliall : A mesmi direcio ;
tem o prazer de tazer var es Srs. acsionistas
que as obras eslo : qmze finalicadas ; e que
scnli pagas as quantias que alguna devea*
6eara; todl as dit-.s obras prontas iba Mu-
co de iHji nrenripiando desde enlij a
companhia a ter lucros no estabeltcimenlo cu-
jas vantgens cada vez tais s exprimeuloi
O Secretario:
F. J. de. Magalbies Basta,
tsr Perdeo-se da ruado Livramento at
o embarque da ponte da boa-vista um pan-
teiro de ouro, cem duas voltas de eordo gros-
to} que o achou trsg>. a esta Tjpograa
que se du o a-:li.d ).
ras- Prccisa-se do umacriada forra ou ea-
tiva paaia o serrico de urna oasa ; ni rinda
camboa do Caimo tebrado de dois andares
no I andar.
UT Pela 3. vara do civel desta eididater..
de ser > Santos iNuues de Oliveira a loja de ferragsm
cita na iua da da Arladle de Deas ptrlaacaate
a Don.iiip.os Fem indas Viana que ter prin-
cipio no dia 17 do cerrenta.
C7" Arenua-se urna parte de um sitio ni
esimda de Belem comcasa, e semala par*
escravos Ierra para plntalo de iuveruo ,
e vejrlo bastante airares de fruto 5 a faUr
na ra da Gloria sobrado D. 5o.
tsr Arrenda-ie urna casa ooi armac) de
venda e cascos, na passagem da Magdalena ,
juuto a ponte grande.
sr Os dois bilbetes ule i roa de numeres
4'*8 e i35o e um meio n Ii53 da sexua-
da parte da 7. lotera do tbeatro publico qae
cuna a 16 de Novembro de 1B41 pedence-
rse a quinte socios sendo um deiioi o Sr.
Manoet da Salva lio.uQm j bejo morador no
Aracaly.
ter Urna senbora de bons costuraos se
propoem a tomar enancas cora ama para se
criar com leile, impedidas o dezimpedidas \
e tairbem se recebem as quo estiveram ja dis-
mamadas para se acibare de criar com todo
o mimo o amor; na rua direi-.i, no sobrado
U. -1, no segundo audar.
VjT Um bomem viuvo que vive s, pre-
cia* de uma ama paia azer o servico interno
e externo da caza a pessoa que a isto se po-
pozer Saneando a boa ceuiucU dirija-se
a la do nixa de Nossa Seubora do Liviamen-
(0 : >indo pe'a rua do l'agundes 3
que nao poj^ comprar
a dita amelada da casa t jis que ella nao per-
tence a dita Sra. D. Uirbara mais aira a sea
filho orpiode quem ella be tu tora e oa-.
baixo assignado fidor por uto faa o prezonW
para evitar qualquer duvida.
Domingos Jos Rodrigues da Asered
Quera achou no da 14 *> 7 horaf
e meia d3 noite para amanbscer no din i5t<
um S. Br pequeo; uma fijs peqnena ,'
uma maeda de des tustis, um buso eneas-!
tuado; tudo isso douro, e uma moeda
pequea de prata eom argelasinha d'dura ;
perdeu-se vindo do pstio da S. Pedro; era
sepiaiento por detraz do Csrmo e rua da
v lores em aeguiment pela pjnta da Boa-
vista, at4 a Solidad, queas schar poJera le--
ar na Solidade casa, n. 445, pegado o mti4
ro do sitio do Erculaao, q^e leccbei a gra^
tiacaco.
*& O bilbete n. a5J8 da 2. parts d 7J
leleria do tbeatro he perteoceota ao Se. J, da
S. *ntiago,doCear.
tr7" Perdeu-se ao escorerer da noite d*
dia i3 do correte no luga.' do Varadourj
d'Olindo uraa carteira cootendo dentro dal-
la ea nottas eenta e quatro mil rs, e ama
I letra do Rs. lioooU passada por o R-ste-S
rondo Se. D. Abbde do Mosteirj de S. Bea-
to da Cidade do Rio de Janeiro e Tirar do)
abixo essignado aceita por a Reverenda
D. Abbade do Mosteiro de S. Beuto da Cid*-
de da Parabiba a quena ji se previau : a
pessoa que a achou querenlo rojti'.uil-a d-
rija-sa ao Administrador do Crrelo desta
Cidade ou ao Director d) Jtrii.u Botnico
que ser bem graticado.
Antonio Tristi de Serpa RranJoj
sjaa^ Aluga-se um primsiro andar : n roa
do Queiraado loja D. 11, a Itr quena
aluga preferinde-se lameos soltsiros oa
tendo poara familia.
tar Precisa-se de um perito destilador
d'a^uas-ardente para uno an<;aalo : a Ira".
tar na rua do Collegio com Cyprianuo L-a-
12 da Var..
or O l'scharal formado, e Professor da
Geograpbia do Curso Jurdico de Oiinda ,
Manoel Ferreirn da Silva dedica-se nesta
Cidade de Rsci'a a dar lie jas de Geograpbia
Historia de Geometra e Litim : <\%
pessoas que quiserem utilizar-se da seu prei:
timo dirijo-se a caza de sua residencia ua
rua Direita D. 11 3. andar.
csr* A pessjoa estabeieciJa nesta praoa ,
que annunciou querer dar sociedade em ixm
loja, a uma pessoa acreditada, por ter da
auzentar-se desta' Provincia em razo da
tratar de sua saude } pala dirigir-se a ru*
quenc
Era
em fim, deespsrar ea raso, acn-'o'Sr. Antonia Bicerra Cavalcauti eomprar-
mandau-aie por eseripto pe-
v/eniencia ; e o ateresse mesmo da igreja pa- |uc 0 dito sitio mandau-a
.eceaue oaconselbavam que o Santo l'adre dir ,, qu#lbe sedesse o sitio
e dinidisi a reeonhec.r os direilos e regali garia a romba difiaa em ti
dariinha de Hespanha e eonrma^se os como eu nao annuisso -
Lispo. nomeado. por elle. Porem o animo ter-,e rooiigo o meu
do Santo Padre preocupado e prevmtdo pelos mesmo Jos de Olive.
*oSo. iuimigo. politices, no eslava d.sposto que accentisse naquell
, que alie me pa-
trez pagimentos e
de Hespanha, e confirmare os como eu nao snnuisse a o seu -pedido teio
Porem o animo ter-se romigo o meu compadra e prente o
ra Mello a rogar-me ,
e negocio que lbe era
a o que sadi fkan-
^creieelamaopronunaiada no seo con-jbyaot.eae todos os documentos que
tacando com uma violen- tinha, e que fasiao aseguraba de minha
istoiio cna que tacanuo cou. u- ..r
c a lem igual i antboridade tem para l da rai-
nh. de Ue.pa.ba aspira assim "ndaque
em vo } a justificar a propria dorea, a sua
injusta baiinicio. <
1 (Continaha-M-ha.;
LOTERA DO THEATRO.
Boje ando implamela ente as rodas da
a. paite da 7. Lotuia a avor das abras do
Xbeaiio Publico, no Concistorio da Loncei-
ro dos Militares.
LOTERA DIn/s. DO ROSARIO DA
- BOA-VISTA.
A taaaa regidora da Irmaudada do N. S.
divida.
Passados seis meses depois de concluidi a
compra da terre arrepende-se o Sr. Bizar-
ra Caralcanti, o qaer entregar a trra, e
ba ver de mim as letras. Eis fielmente a bre-
ve narracio do laclo o por elle conhecar o litreau mudaro a sua residaocn para a rua
uio engaado se ach* o Sr. Bi- Formse na casa onde snorou o lllm. Sr.
tuada na c/roi na deS nta Anua unid* ao
en"enho do faiecido Xivier ; tem seis quar-
105, duas salas quintal e cmodos para ca-
vall'os, quem a peileuucr dirija-se a ruada
l'enba D. a4.
tg- A'u^a-se para passar a festa uma casa
en K-buiue junto a ponte, com cmodos
sniicntes puia pequea fimia e estrib -
lia ; u quem convier dirija-se a Jos Antonio
dos'Santos e Silva, na Boa-vista rua da Bast-
a Cruz delroule da ribeira.
- Vendem -se bixas muito violentas a 3 -o,
cad - Precisa-sa da um cax^iro para vendo,
na iui da roda D. di
- A pessoa quo quer comprar os dicioni-
rios de Moraes; dirije-sa a rua de aguas ver-
des D, Si t dss trez horas da tarde por di-
ante.
- Aluga se o 3 andaa da caz 1 D. 5, da
rua do O, ueimado; a tratar na loja do mes-
mo. .
- Aluga-se na, ou dais pretos diaria-
mente para o seivifO que se ajushr quem
delles percisar procure na rua aova ao peda
ponte loja D. 37.
- Os Srs. ergenheiros Wauthier e Bou-
ttr A'uge-se a casa para pasBar a festa si- do Queimado D. 10 1. audac a ver se Ihei.
.. div k .til Artnn m,1..-^ 1 __ .*_.___*l I
publico quio eog
serra Cavalcanti quando quer que eu llie
entregue as letrss vencidas a apontadas
cm lempo competente ; quaodo me concede
ao das para demaudal-o achanda-nie eu
em a liba do Wegueira looje dalle cessenta
legoas ; quando nove legislador noopaia o
publico por juic, e forma um novo cdigo s
para a sua causa j e que eu perca a mintta di-
vida ( cujus docanentoi ja iuireguei naoc-
commandante das armas
- Precisa-se de um caxeiro para ama pa-
deiia para vender na rua e todo o mais servi-
co de casa em lora de portae oa rua de S
Amaro, n. 5i.
(P3 Piecisa-se de uma ama de leite for-
ra ou cativa ; na rua da Concedi da boa-
vista, loja de fnnileiro defroate da capelta.
Picisa.-si de uaa ama de kito a rua
agrada uinsugeito, que nao ter david.t a-
ceiiar o negocio, e que al dar tudores a
sua conducta.
w." A pessoa que ficou encarregada para
lmar conta de uma mobilia de Jacaranda,
na rua istreita do Rozario ; dirija-se a dita
loja D. a5 para ser entregue.
%sr A pessoa que annunciou dar um contoi
e duzent.'S rail rs. a premio sendo queira
dar quatrocentos mil rs., cem penbores do
ouroe prata ; annuncio.
ssr Aluga-se uma escrava, boi cozinlm-;
ra e engoinmadeira projiria para todo o)
servico de uma caza ; na rua do Fagunde*
D. 4 ) sobrado de um andar.
car Caries U. Dubois, lem a boara da
previnir ao publico que se acha prompto a
azer brevemeute uma viajara a Europa o
que dtixou o seu estabelecimeato d< ra 2io-i
va D. >5 na sus auzeucia entregue aa Snr.
Adolfo Faltn bem conneeido da todos oa
Sara, seus freguezes a quem pede quaira
continuar a tratar cora elle como sa fosi
elle proprio. Tambera advero a todas os
Snrs., que liverem cantas coaa elle o dito
Dubois d'as aprezentar para serem pagas
ai o dia ai do correte mez, lembranda
aos Snrs, seus deved-.es queiraj par
obzequio finalizar as auis couUn'naa al a
relenda dala. Recifo ia do Novembfj
de iSl.
- Precisa-se de uma preta para sa alagar;'
qae nao tenha vicios aua aehaques e que
teja fiel para I0U0 o srviic de ama casa capas
de pequea famitu ; quem a'iivare quisara*
lagar duija-se a rua a,va ,a.padru i6t
que acbara com queja tratar ptjjmujj
bjatr*umcnto





p e n kumuco
wr Traspassa5*se as ehaves de una gran-
de armazem todo iadrilhado de cantara, pro-
pio para qualquer estubelecimento por ser
clocado em boa ra de vtQXio para ver
ras estreita do Rosario D. Ji, e para tra-
ra da Florentina com J. Beranger.
~ecisa-se de urna arca que lenha
ftanle leite, e que seja c*pl.v. f sendo
.r,rc^= por um facultativo c p^ga-sc
*,<* Uit semana ; nesta Typograna.
SZTPrecisa-se lugar una andar de um
sobrade, ou casa terrea, que seu alugoel
nU teda de i2,ooo e sendo no burro de
S. Antonio 5 nesta Typograna no primeiro
y Quera precisar de um hbil co/inbei-
w para utaa casa particular, dirija-se a ra
larga do Roaario D, 4 _________
At30 lSaritimcs.
i de i'orragem D, 4 do Sor. Moraes ; e de-
dous
PARA O MARANBAO' em poucos diaa
obem conhecido Brigue Escuna Carolina ,
por ler a maior parte de sua carga prompta;
quem ouiser car regar ou ir de passagem pa-
la o que tena excellentes commodos dirjanse
a F, Mi Rodrigues & Irmo, na ra do tra~
piche n. 1% ou ao Capito.
PARA LISBOA o Biigae Portugus Jo-
s pbina forrado e pregado de cobre deve
seguir coni muita brevidado por ter parte
do sen csrregamento prompto ; quera quiser
carregar ou ir de passagem para o que tem
exctilectes commodos dirija-se os Consi-
gnatarios Mendos & Oliveira ou ao Capito
i aulo Antonio da Rocha.
JLei o
rjss" Qne faeem James Crabtree & Com-
panbia per interveneo do Corrector Oli-
veira Quarta feira 17 do corrente i 10 bo-
tas da manli precizsmente no seu arma-
tm da fta da Cruz de grande variedade de
facndns para feixar coctas e entre muitas
Ulrss pannos protoe e azues, ricas sedas
pintadas e estampadas para ceilates, ricos
fostoens fieos, caisas de diversa qualidade,
lencos de csaai o da chita challes escarlatas
os nicos verudeiroe ebiu de core; xas,
steiat de alodio paca hornera, o Saras., Scc.
&c. ; as quses fazendas terSo vendidas aoa
trazos de 3 6, 9&ia-4,;*" 5
& 10 ou 7 xj2 mezas escola* dos arrema-r
Unte* ficando porem opcSo dos Tendedo-
res o exigirem letras ou dinbeiro a vista com
5 portento de descont quelies comprado-
es que nao tiverem contas com a caza.
tsr Que pretende fazer Jco Keller no eeu
armazem da ra da Cruz n. 56 j terca feira
16' do conente es d boras da manh por
iotervendo do Corretor Oliveira, das se-
guictes Lzendas} um completo sortimento de
caasaa edamascades, bordasi lisas pintadas e
de listras. lencos bordados e pintados, de cam-
braia, ditos de seda para grovatas, vestidos de
seda c de cambraia brancas e de cores, longos
tic fil de 3 ponas, chales de cambraia brauca
t: de cotes, ditos de melim e de chita, meias de
algedo para senhora, e curtas de dito bos
mem, fitas de todas as qnalidades butoen-
Jourados, agulhas, e outras militas fazen-
das tudo de superior qualidade e da mais
prompta exlraco recentemente ebegado.
t3-;* Que faiemGiskell Johnson & Com-
panbia por interenfo do Corretor Oliveira,
de grande variedade da fazendas inglezas de
kum gosto e muito propnas deste mercado ,
es qcaes se bao de vender para feixar contas ,
quinta feira ib do corrente as 10 horas da
nanL em ponto no seu armazem da ra
ds Cruz.
E3T Que faz Luiz Gomes de Figueiredo ,
Capito do Brigue Brasileiro Feliz Destino a
bordo do mesmo Bgue, ancorado defronte
do trem militar no dia quarta feira 17 do
corrente as 9 horas da manh de urna por
cao de carne secca a variada por cauta dtf quem
perteacer*
fronte da Matria da Boa vista botica do Sur.
Moreira.
S3T Gamma de araruta ou matarana mul-
to nova e de boa qualidade a prepo mais
barato do que em outra qualquer parte 5 na
ra da cadeia velba O. 59.
^ tsy Panno preto e de diversas cores de
3aoo a 9000 o covado dito encarnado muito
fino e proprio pira pase pra vivos de fal-
damento casemiras superiores e ordinarias
de 64o, loooeaaoo, finissimos bicos deli-
nho de todas as larguras e rendas largas ,
camisas de meia de fiio de la requissimos
cortes de cambraia adamascadas, chales de
U de bonitos padroens lindissimas laozinhas
para coletes e para vestidos e muitos fios
chapeos de massa francezes de formas moder-
nas } na ra do Cabug loja D. 7 do lado do
norte*
C3i Urna armaco de urna loja, na ra
direita n. 58 proprio para qualquer negocio,
c urna ptima clarineta ; na ra do Queima-
do loja de chapeos n. 19.
Bj- Lombos de toucinbo de Santos o mais
novo possivel ptimo para fejuadas lao,
sevada muito nova a no ," chourissos a 3ao ,
6gos de comadre da melhor qualidade possi-
vel a lio tapioca a rao cha issan a aa4o
e todos os mais gneros a preco barato } na
J quina da ra de araga'o D. a.
tar Urna casa no poco da panela perto
do banho e em boa ra ; e um terreno no
lugar da capunga por preco commodo j na
ra do colegio D. 8.
5^* Urna negra de boa figura muito boa
cozinbeira eugomma com toda perfeijJ ,
refino assucar e he costureira e lavadeira ,
e um negro mestre sapateiro ecoiinbeiro da
forno e massas e faz podios para fora da
provincia ; na ra de agoas verdes D. i.
B^> Um escravo de bonita figura bom
serradori naserraria de Joo Anlouio Baptis-
ta Muuiz na ra da praia do Fagundes n
da de barricas americana do um o
palmos de largura e de hOerentes com-
primentos sendo o da Suria o mas cam-
prida do que em outra qulquer parte se po-
der encontrar por ter rt palmos e o preco
he igual ou por menos de q>e em outra parte
vende-89 0dei8ed 19 pilaos, e avista
das compradores sa far todo o nogacio
oor se querer destusar a armazem ; atraz
dothestro arrn%rem pir baixo do sobrado
a fallar com Joaquim Lopes de Almeida.
tsr Chapeos de sol de seda cam cabo de
osso babadas de linho largos propnos para
leugos e toalhas pecas de 3o varas a 45o ,
rozetas de ouro para meninas e senhora,
meias de linbo para hornera tudo do porto,
e por preco commodo ; na ra do Fagundes
D* 4 sobrado de um andar.
tsr Dous casaes de caxorros novos e atra-
vessados j no atierro da boa vista na primei-
ra venda ao p da ponte.
tsr Sacas com milho a 45oo proprio para
toda criaco por ser mvito miudo ; no arma-
zem de Fernando Jos Braguez junto a Can-
ceico.
^.9" Na aua noa n. 19 casa de INladame
Angeline Millochau onde morou o Mario no
primeiro andar excellentes fazendas chega-
das de Pariz de gosto o mais moderno a
saber; vestidos para senhora, mui ricos1 e
de todas as qualidades, len9os e bicos de filo
de linho de blom e de seda rendas de ta-
das as qualidades colarinbos, galas e ca-
misetasde cambraia bordada, luvas sem dedos,
crtase oampridas, chapeos requissjmos pa-
ra Senhora ditos de sol, da seda candiei-
ros pequsnos mantas de todas as qualidades
para senhora, assim cama outras muitas fa-
soUd.do com i" fu***1? D0 sol"*dj **
""JZ't^ e6o ..p. a M' Tf"? I
..SdM.I.l. *' MaMel l'M--
PrAnrisco dos Santos Braga,
^^mpianuo ingles de ptimas vo.es
A. mn fabricante muito conheeida de quem
eisteorS indumentos na Praf.,
"^C^u^d* Babia, em porcoen.
grabes e pequeas por preco commodo i
^^m^imomoleque.inarua da Or,
demTerceira de S. Francisco indo para o
""2. AsVsoa?n~o dflouro e amarello .forro
de amareloe louro costadinho e costado da
amarelo tudo da melhor qualidade e serra-
rB. rV.ri.de agoa do monteiro o mas
bem serrado possivel, aim como om por-
co de refugo de louro e amarelo } no arma-
Si das cas?, nova, do Sr Cunha defroute da
S. Francisco da parte da mar.
iST Panno preto e de cores de uperiar
qualidade a tooo o covado brirn puro de lir
bo a 800 a vara ditos muito encorpado a
,a8a; veludo preto fino a i5ao cazinetas
para coletes modernos a 19*0 o covado ese
do as amostras aos compradores para conbe-
cerema boa qualidade da faxend. cortes de
cambraia adamasadas a 4000 dita muito ti-
na a 1 rao a vara chales de cambraia ada-
mascadas a 800 rs. pecas de cambraia Usa
end.squeseta patentes aos compradores ^'de"*". 1360, los de li-
etambem se fazem vestidos e chapeos de todas una a 4ooo chale ^ a ? ^ a a8
as quadadcs de modas conforme o gosto de ^-7-^^
l^Ts^unt'es comedi antigs e mo- duzia dita.^a senhora 5a. ^8. o par
rraaorj na .enana uc^au u..w VH|.M.- -**- o ,Kutrinhoi oart cu ares pecas de madapolao Unos a ^oou, jw#
Vluui na ra da praia do Fagundes n. .7. dernas ^^^^^^.^ L^s de bretaha de rolo de 10 varas a iom
BT t'apel de peso e alma9o franco, de su, mpreisas e em nanuser. pt. a 8abo 't Fl0- alem destas um completo aartimento de ta-
porioVqnalid.de, penas de escrever caui- femiae RjUdo o X" {neo i d.. o-' endu de odas as quilidades e por preco
tes theaourai finas de todos os tamanhas | jesUin Cami.a no sobterraneo a damaj |M do gueimado v.ndo da ra
agoa de eolouia fina e ordinaria, fit*ule g^r- ^.gante -^-^^^11!. do Crespo na prinjeira loja D. s de Te,x,ua
ca e setim meias de seda luvas sem dedos, |vei ,rua"s B ^ua_ Bastos & Companhi..
Latos de marroqnim p. senbora e meni- arca., Ern.^l^;^ ^"^^f^lZ) sr Meios bilbete da Lotera do Thealro,
noFs caixiohasdeVforos superio.es a te rs., ^"X" d. SI.' ^SK ^ Cabug loja de miudezas junto do
3 outras mmtas miudews j u cuadoaQiar^ ,0*".ae ,'no,S-?., n iuscairo amor Sr. Bandcira. ,
eis loja doiroute do beco da pol O. j. I aunque Henrique c J amor Meios blh8tes da Loleria do Thoflro}
^ Urna negra do boa figura criaba o Jgg J J-^f ^ l^i. o na ra do Queimado laja ri.
diario de urna ca84 e engociua liso; perto *01""* a ^"'i.-jf amisade coniunl J GT Urna preta mo?a de bonita figura,
de urna libra de ouro en, obras modera-, e a^X7 costureira e en.ommadeira um preto com
C ompras
""*: Um par de pulceira de diamantes do
tamanbo regular que sirvi para Senhora
preerindo-se sem corrente j quem tiver an-
muncie,
** t& Urna obra de Brevisrioja uzada j na
loju de Jos Estoves Vianua O* al na quina
do beco da Congregado.
"*" Vendas_______
ter FolLiohas para o anuo de 184* : na
c,raca da Indo] endeuda loja de litros ns.
3} e .8 j r.a rus do Cabug loja do Sur.
Uip ia ra U. Cadvia do Itectfo loj
nbosde tod-s as qualidades ser.vea branca *-* r;wy" w M Hh *i(,ta na
^^^^rwMr.t ss?$- *^*s cbiima 8Uperi.
i-j j l i I t^- Hixas mu boa; _cua wson superior,
as qualidades, barris de carne ^^ u, ., iM.iAaAtm fita, a
; charutos bons de variar quaudadas, nas a
sitinadas e de garca, nn do Lisboi o Mau-
ron areia prela e mais miudezas tudo em
ricas proprio
servas de tedas
de vacca e de purco lingos silgadas, carros
de mSo, ervilbas proprias pira soupas ba-
is para esTavos, va^ouias de caLelo e de
palha da ameiica ; uo armazem do D.wiley
Iiaymcni i Pritz na ra da alfandega ve-
lba i.
Kar Um pardo de bonita figura de ida-
do D. a 5.
ty Medidas de marroquin de differeates
cores, numeradas proprias para alfaiate ,
maquinas mui pequeas e da meldor torma
possivel para fazer ilhoies tanto brancas
como pretos, ludo por preoo commodj i na
ra nova loja de ftliaiata U. ai de M. F.
na ra do Cabug loja do Biodeira. Coi abra, ___________
las. Mac. na praja da iudependen-
conta ,
cia loja de J Mer
E3T Caixinhas com colxetes
sortidas de
scravo Fgidos
numero a voatade do comprador e mais ba-
de de ao anuos opumo para ,>agem e tem J a da
bastante pralic. de tratar de vallo. ; na ra ^^1. ? L.Laun & Campnula,
da Cruz 46 a fallar com Joao Jo&e UoJri-
33T No dia '4 do p. p. desapareceo um
escravo de nome Lucianno creoulo Giba
do rio do peixe de estatura regular cheio
de corpo cara larga, cor fulla nariz chato,
gues Lcfcr*
csr iNo armazem de James Crabtree & C. ,
tapetes muilo ricos, lona inglezi eslreitat,
estopa algodoens encorpados de a4 porga-
das proprias para sacos de assucar ditos pa-^
ra consertos de sacas de algodo toalhis de
nho pannos azues para fardamentos de
soldados, selins de superior qualidade para
bomem e senbora e biins da Russu.
a tsr Bons metbodos de cartas de sy'.abas e
palavras a 80 rs, ditos de taboadas com boas
explicacoens a 40 e 8a rs. pautas grandes
e pequeas bem riscadas e bem pretas, em
papel de holanda a 3o e 69 rs,; na ra di-
reita D. a6 loja de couros, na ra do No-
gueira D. \ 9 e na ra do Codorniz n. 4*
tsr TeboBdodepinho da Suecia custa-
dinho, costado, assualho de i e meia po-
legada forro de meia polegada e 3|4 pro-
prio para casa e para fundos da barricas, re-
mos de faia de superior qualidade tudo por
preco commodo i no forte do mallos armazem
de Jos Antonio da Silva Vianua.
KT- Urna negra creonla de idade da aa an-
nos de ptima bgura ; cose engomma Uva
muito bem e coiinba o diario de urna casa 3
ua ra da senada velha o. at.
rsr Tabeado de pinho da Suecia costa-
do couadibbo ttS*ulho forro e ptfi fua-
Cruz D 9 casa de L-iumann 61 Comp.nhia. uari4 ^uaw,
tST G.obss dourados para Umpirinas, e Q e3C enlerrttdo nos hombro.} qUem o
diversos iivros e peridicos de Lisboa com pLr jeve MB sf, Manoet Lui. Gjoaalves
estampas leitura muito interessante por JuJ wi ratDCaQ0#
barato pre90 j na pracinha do Livramento lo ^ Br HonleBI de manh fugio urna escrava
ja D. a6
1, e pega em 8 eai-'j$m rdooda e feia,e pug
xas de assucar } na ra da praia no etaleiro a|gunia C0UM pr ,. perna } qum a pegar
de nome Cathaiina de idade da itj.unos,
Urna ptima barca?, prompta de todos dfl na?o mosanihque levou s* e camisa
os uteocilios necessarioa e pega em 8
de Joo Thom&z Pereirat
est* Por preco commodo um sitio em ter-
reno proprio a margem do rio com viveiro
principiado olho de agoa doce com sabida
para a estrada do peuedo com varios ulen-
cilies para levantar a casa nova nesta Ty-
pugrafii se dir.
K3T 4 escravas mocas com boas habilida-
des duas dellas eogommo bem cosem e
cozinho urna dita por 320,000 ptima para
todo o servico de urna casa um preto muco
de boa figura, um molato de idade de 16 an-
uos bom para pagem um moleque de ida-
de de 13 annos; na ra de aguas verdes casa
terrea D. 37.
EST. O Eogenho Carnario na ribeira de
Unna frcguesia de aguas pretas situado em
urna legoa de trra em quidro ou com toda
trra ou dividida em duaa ou 3 partes poia
alem daquea em que est o engento pol
lave ae beco do peix frilo D. 4 que ser gra-
tificado*
Moviinento do Porto
NAVIOS SAHIDOS NO DIA 14
Babia: Brig^e BraBeiro Feliz Destino, Cap.
Luis Gomes de Figueiredo carga lastro
de areia.
ENTRADOS NO MESMO DA J
Falmoutb, Madeir. e Canarias; 3a dias,
Paquete Ingle. Linoet Commandaute (
Tenente Coglen.j (
ZZwE&,7*rSrtiTZ ftcWtiS&wrtU.OiMl^nt


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EMK1WRLPM_MHLYH8 INGEST_TIME 2013-04-13T00:46:39Z PACKAGE AA00011611_04351
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES